Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08529


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A MO
de
1847.
Terija-feira
i
nr iff/) nuUica-s" lodos p "lias, que pl
" ir.!* PrBC ''' a'i^natiir.l lio d
:.. ^'nliurtel. pfc dMaitot, Os an-
4j(i00 tS.P0 j^n.nwi s5> ioteridoj rasio He
nuncios ,() ,-, em tv|>n dillrrcnlc, e as
, '< l"r l'''|a',ctHe. Os que ato r-rem tatig-
r.'|ili--oI .0 80 porlinha, e 00 em lj|>o
PI1ASES DA LU.\ NO MEZ DE ADUSTO.
a3 a II liorar 40 min. da manilla.
1nfiwn..' Bi 10 liorase 7 min. da manha
l.lla nova, a
La cli*i"
PARTID\ DOS CORREIOS.
Solano*a Paralivlia, as segundas esettasreiras
Kio-raiuie-di. Norte quimas le ras aomeio-dia.
t.abn, Senoliem, Itio-Formoso, Pono-Calvo e
Uaceiri no I., a 11 e 51 de cada mez.
(ara.diurna Itonito. a 8 e 2.
Iloa-Vista e Flores a |3 e 13.
Victoria, s quintas feiras.
I.ir-I.i, todos 09 (fias.
,' i It, As 3 horas* 24min. da man|jfia
' K.'ai 3 horas e 48 min. damanha.
PREAMA.l DE HUJE.
Primeira, s 9 horas 18 minutos da tarde.
Segunda, As 9 lloras e 42 minutos da manilla.
e Affosto.
/i.ni.0
XXIV.
N. Ii5.
DAS D\ SEMANA.
Segunda, j. Gaudcncio. Au.i. do J.doi o.
nho* do 1. ilo c. da ? v. e do J U. da i I.
Terca. S. Raymundo donato. Au.l riv. da I. v. e do (le paz do 2 dlit. de t.
Quarta 5, Bgiduj, Aud.do J. doav. 3 v-
tilo J. de ,i.-i7. ,1o I disl. di t.
Quima. 8, Ivslevo. Auri do J. de O'pli. e
(loJ. municipal da I. vara.
*ela.S. Eufemia. Auditor dociv. da I.
v. ello J. de y do I. dial de l.
atibado. S. Candila. Aud. do J. do civ.
da I. v. e do .1 de paz ilo I disl de t.
Domingo, bossa Senjiora da Penlia.
CAWQIOS NO DI A 30 DE AGOSTO.
Cantlo l ateLwMiMaToal !' 'I <
a Pan| 3!.'-. r ;>,.r franco.
,> a lilboa l5a "II"' d0TV
Desc.de leitrai da l>oas lirm.s de / I
liroC ical aapnnliolai
t Modasde # "" velh .
,, leejfin:' oov .
,. de 4 fOOt.....
('rula Pataces ......
a Pesos columnares...
a Ditos mexicanos...
Miii.li
2R*i"n
|6'Mt
l#9A0
11930
i fanB
1,1910
Acedes da comp.do Heuerilie de SOfOOO
.a idias-
nio.
/ ao mez
a 29J000
a 10*400
a 18/300
a t k**
a l#9ao
a lf20
a 11120
a I >".">
is.ao par
DIARIO DE FERWAMBUCO
PA"TEJ>FFCIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
Ulm e Exm. Sr. Fui presento o S. M. o Impera-
dor n (inicio de V. Exc, de 31 de maio ultimo, sobre
isciiinto duvidn que a res pe i to da intclligencia do
iil 50 da lei regulamcntar das clcccs apresentou
ojizdepaz, presidente da junta doqualilicacfo da
ciilade de Barbaccna :
Se ha vendo passado para o dito municipio, por le
provincial do anuo lindo, os districtos dos Reme-
dios, Mello e Livrament, accrescendo por isso con-
siderara! numero do votantes, deve augmentar s-
menlo a quinta parte do numero de cleilores, ou se
regular o numero destes na rasiio de um por qua-
renta votantes. K o mesmo augusto Sr. manda signi-
| 111c hem decidi V. Esc, quando declarou ao
. '.uidojuizdopaz, quo o mximo dos cleilores da
rreguezia, a quo se reuniram os mencionados dis-
trictos, naseleicOes prximas futuras, nao deve ex-
ceder ao minimo dos que ella dra nos annos de
18W <>u 1841, senflo na quinta paite irais, embora
aquellas lies districtos Ihe fornecam maior numero
de votantes ; porquanto assim prescreve a segun-
da parte do artigo 52 da citada lei, explicada ja em
aviso de a de novembro de 1846.
0 que commumeo a V. F.xc, para scu conhecimen-
lo c coverno.
Dos guarde a V. ESC. Palacio do Rio-de-Janeiro,
cin 9 de julho de 1847. -- Manoel Altes bronco. Sr.
presidente da provincia de Minas-Gcracs.
Illm. eExm. Sr. Tendo sido presente a S. M. o
Imperador o ollicio de 15 do me/ passado, em que V
Exc. consulla se a providencia doart. 121 da le re-
gulamentar das elicfles, na parte em que impOe
aos presidentes das provincias o dever de rcmetle-
rem i cmara dos deputado, por intermedio do go-
verno, copias authenticu das actas da cleicio de
cleilores de todas as freguezias, deve ser extensiva
cleicio de eleitores para a nomeacio de senadores,
alim de seren lambetn presentes a cmara vitalicia
as copias detaes acias, relativas eleicQo de seus
iiieqibros ; e neste caso por quem aerfio ellas lira-
das: houve o mesmo augusto Sr. por bem declarar,
tendo oiivido o concelhciro procurador da corda e
soberana nacional, que, dando-sc na eleicflo dos se-
nadores a niesma rasHo que na dos deputados, para
que sejam prsenlos i respectiva cmara as actas re-
lativas eleicao dos eleitores que liveram de inler-
vir na nomeacao de seus meinbros, cumpie que a
respeito do ambas se observe a citada disposic.no le-
gislativa; devendo para esto fin os presidentes das
provincias oxigir das cmaras municipacskpara on-
de, na ftirmii do art. 59 da lei referida, silo enviadas,
conde licam archivados oslivros das actas relativas
a eleicao de cleilores, ou se trato da nomeacio do
deputados, ou da desenadores, copias aulheniicas
das mencionadas actas, liradas o concertadas com
Uidas as formalidades que*requeren) a le o eslylo, pa-
ra que como taes possam ser consideradas, c_ as re-
mellan! a esta secretaria do estado dos negocios -lo
imperio para seren transmitidas cmara legisla-
tiva a que pertencerem. ,
Oque parlicipo a V. Exc, para sua intclligencia e
governo. 1
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-dc-Janeiro,
em 9 do agosto de 1847. Francisco de Paula ouza
cuello. Sr. presidente da provincia do lernain-
buco.
lime Exm. Sr.- Foi prsenle a S. M. o Impera-
dor, com o ollicio de V. F.xc., de SO do mez prximo
passado, a copia do que Ihe dirigir 0 parodios Ire-
guezia da cidade de Goiauua dessa provincia, Do-
mingos Alvares Vieira, consultando se deve elle, na
qualidade de juiz de pazsupplenle, presidir a assem-
bla parochial as prximas eleicocs, atiento o im-
pedimento legal do juiz de paz mais votado quedei-
xou de o ser por tr aceitado o cargo de promotor.
E inteirado 0 mesmo augusto Senhor do conleudo
nos mencionados ollicios, c tendo ouvido o conce-
lheiro procurador da coroa e soberana nacional,
houve por hem declarar, que, prohiliindu exmessa-
mciilc a resolucao de 18 de setembro de 1828 que os
parochos accumnlcm ss fanccOes do juizes de paz,
e tendo por frca desta lei caducado o encargo que
ao padre Domingos Alvares Vieira competa de jinz
de paz supplente desde 0 momento em que enlrou
no exercicio das funccOes|parochiaes, lie claro que
nao pode elle por mancha alguma ligurar como iitr/.
fle paz nosactos da eloicao de que se trata, alienta a
inconvpatiliilidade legal do exercicio de taes luuc-
eflos com os do parodio, sein que possam obstar a es-
la raso fundamental os argumentos por elle produ-
cidos, os quaes, scyalessem, teriam lambem servi-
do e com mais frca cu favor do juiz de paz ma.s vo-
tado que serve de promotor, o que, como tal. nflq
pode' lambem funecionar como juiz de paz, pela 111-
compalihilidado do exercic.o s.mullaneo dos dous
caraos declarada nos avisos de 25 do outubro Jlll-
n.o, r.idcleverciio 08 do margo do eorrente auno.
O que partici|io a V. Exc. para sen conhec.menlo, o
para que tiesta eonformidade expeca as ordens ne-
C c.n 10 de agosto de 1847. t ranaco de l'avla bo-
za e Helio Sr. presidente da proviucta de Per-
nambuco.
CJoverno da provincia.
EXPEDIENTE DO DA 14 DO CORRENTE.
, onicio. Ao commandante das armas, recom
mendando oxpedico de suas ordens, para quo a tro-
pa de primeira linlia reunida aos halalhOes 1., 2.,
3.*, 4., 5 e 6. da guarda nacional deste municipio,
ao respectivo esquadrilo de cavallaria, ao 1. bata-
lllo da guarda nacional de Olinda, ao corpo de po-
lica ecompanhia de artfices, sob ocommando
em ebefe de S. S., marche em grande parada no dia
7 de setembro prximo futuro; 0 dnclarando-llic
que no relerido dia ena vespora delle ser feila a
guarnilo da praca pelos guardas naconaes, que
nao podercm comparecer a referida parada. Par-
ticipou-sc ao commaudaiile geral do corpo de poli-
ca, ao commandante superior da guarda nacional
desle municipio nao de Olinda, significando-so a
este, que no dia 6 do precilado mez devia fazer apro-
zenlarom'-se nesla cidade 40 pracas do respectivo 2.
batalh9o, cornos competentes olliciaes, alim de se-
ren aprovetadas em o supramencionado servico da
guarnlcBo.
Dito. A cmara municipal do (/abo, instando
pela informacilo que Ihe exigi a respeito do nume-
ro de sessOes que ella lem feito desde o 1.u do julho
do 1845.
Portara. Momeando subdelegado da frogueza
de Santo-Antonio ao Icnente-coronel Jos Machado
Freir Pereira da Silva. Partlcipou-se ao cliefe de
polica.
DEM 1)0 DA 16.
Odicio. Ao Exm. Sr. Flix Peixoto de Brto e
Mello, dando-se por inteirado do haver S. Ex. toma-
do posse da presidencia das Alagas no da 12 do
eorrente.
Dito. Aomesmo, significando |que recebera o ol-
licio em que S. Ex. aecusava remessa do alferes do
6.batalhno de cacadores, Manoel Cavalcantl Lins
Walcacer, e de 6 soldados sentenciados. Ordenou-
se ao commandante do brigue lidelidadi pozesse a
disnosico do commandanlo das armas oalleres e
os "scnlenciados suprarefeiidos; e particpou-se ao
mencionado commandante das armas.
Dito. Ao inspector da thesouraria da lazenda,
determinando que, sob responsabilidado da presi-
dencia, v mandando pagar aos cornetas e clarinada
guarda nacional oque se Ibes deve ate o lun deju-
nbo prximo lindo. Parlicipou-so ao cominan-
danles superiores do Hecife o Limoeiro.
Dito. Ao chefe de polica, ordenando mando re-
ceber um preso vindo das Alagas no brigue-cscuiia
l'idelidade. Ofliciou-so a respeito ao comniandap-
tedesse brguc-escuna.
Dito Ao commandante superior da guarda na-
cional do municipio do Itecife, recomniendandolaga
dispensar do servico activo, emquanlo lorem inspec-
tores dequaiteirflo. os guardas Antonio Innocencio
Gomes e Antonio Joaquim de Oliveira. l arlici-
pou-so ao subdelegado da frcguezia de Sanlo-Au-
Porlaria. Ordenando que ao bacharel Jos Ma-
ris Cerdoso se passe prov.no de promotor publico
da comarca da Boa-Vista. Fizeram-se as conveni-
entes particpaces.
EXTERIOR.
ITALIA.
ENCYCI.ICA DOSS PADRE PI IX. A TODOS OS PA-
TIUAIir.llAS, PltlMAZES, AHCEDISI'OS E BISPOS.
( Conlinuac/lo do numero 193.
conforme o qual, abolida toda a distlnOCSO entro a
virtude e o vicio, a verdade o o erro, n boneslidade
o a torpeza, pretenden! os seus astutos inventores,
que os homens pndem conseguir a salvaciio eterna
observando 0 culto do qualqucr rdigio; como se
fosso jamis possvel associar-so a juatica com a 1111-
quidade, ou a luz com as Ircvas, ou dar-se conven-
ci alguma entre Cliristoe Belial. A esla classe per-
tence a torpe conspracao contra o sagrado celibato
clerical, favorecida, oh dor por alguns ecclesiaati-
cos, que, desgracadamente esquecidos da sua dlgn-
dade, sedoream voncer e allrahir pelos affagos da
volupluosidade. A esla classe pertence o perverso
methodo empregado no casino das sciencuis, prin-
cipalmente no da philosophia, o (Jual de um modo
dcploravcl engaa e corrompe a Inexperta mocida-
de. c Ihe propina o fel dos dragos no cahx do Bnby-
lonia. A esla classe perlence a abominavel doiilnna,
inteiramente opposta ao mesmo direilo natural, do
chamado communismo; doutrina que urna vez ad-
miltida, os direitos, os heos, os propriedades de lo-
dos, e at a mesma sociedado humana, ludo acalla-
ra. A esta classe pertenecm as tenebrossimas in-
sidias daquelles que em vestido de ovelhas, sendo
interiormente lobos arrebatadores, coma fingida e
engaosa apparenca da mais pura piedade, da mala
austera virtude 0 doutrina, insinuam-se com dissi-
inulacilo, attrahem com suavidade, prendem com
blandura, forern occultamenle, e, apartando os ho-
mens de todo o culto religioso, malam e despeda-
cam as ovelhas do rebanho do Senhor. 1; inalmenle,
poromittir o mais de que vos leudes noticia e exac-
to conhecimento, a esla classe perlence o foncslis-
simo contagio de tantos livros c outros escriptos que
voam de todas as partes, ensillando a necear; os
quaes, aptamente compostos c lecheados de fallacias
o artificios, com escossivas despezas espantados por
lodosos lugares para ruina do povo chnsir.o, disse-
minam por toda a parle doutrn.as pestferas, cor-
rompem o espirito e o coracao, principalmente dos
incautos, e catisam a religiao dainos gravsslmos.
Desla inmunda aluvklo de erros por toda a paite
derramados, dessa descorreada llcenca de pensar,
do Tallar, de escrever, provfll que os coslunies se
corrompa..!, que a santa rclig.ao de Jcsus-t. insto
seja desprezada, a magestadedo culto divino desap-
nrovada, o poder da se apostlica wsadoj a aulori-
laJeda igreja atacada e reduz.da a orna vcrgoiil.o-
sa servidaS, os direitos dos bispos sejsm conculca-
dos, a sanlidadfidO matrimonio seja violada, a au-
toridade do governo abalada, esc expenineniem fi-
nalmente OUtros muitos dainos da repuDIlca, tan-
to CliriSlffa como civil, os quaes com vosco, venea-
veis irmSos, somos constrangidos a deplorar com
lagrimas coinniuns. .... ,
Em mcio, puis, do lanas vicissiludes, assim pelo
quo perlence a rellgiSo, como pelo que 1 espeta ao
estado das cousas e dostempos, desvelr.damenle so-
lcitos da slvacflo do universsl rebanho do Senhor
a nos divinamente entregue, segundo pede o desem-
penho do nosso apostlico ministerio, nada ceita-
mentedeisaremosdointentsre de por em pralics
para com todas as frcas provermosao bem de toda
a familia Christfls. "Mas lambem con. a maior iiislan-
ca exhortamos no Senhor a vossa preclara piedade,
fortaleza eprudencia, venerareis irmflos, para que
pelo cargo que oceupais, pela dignidade que vis
condecora, condados no soccorro do ceo, unidos
com nosco impvidamente defendis a causa de Dos
c da sua santa igreja. Certos estis do quo deyeis
(floreadamente pelejar, nao ignorando 08 repetidos
e graves golpes descarregados na inmaculada esposa
de Jesus-Clirsto, e quanlo a allligem as violencias
do acrrimos inmigos. Sobre ludo perreitamente
COBlieccisquohedovossodever sustentar o defen-
der a r catholica com vigor episcopal, e ter summo
cuidado e vigilancia em que o rebanho que vos I01
confiado ndla percata lirnie c inalleravel, potS que
aquelle que nSo a conservar inteira e pura, tem divido
perecer para semprc. I; Em prega i-vos, pois, pela
vossa pastoral solicitude, em sustenUr e conservar
diligentemente esta le, o nunca deiseis de a ensinar
a todos, de confirmar os vactllantes, de argir os
contradictores, de fortifica, os enfermos na le, nada
absolutamente dissimulando e tolerando jamis,
que, por menos que seja, |iareca poder violar a pu-
reza da mesilla fe. Nloseja menor vossa flnwn
em persuadir lodosa uniaocom a igreja catholi-
ca lora da qual nao lia salvacao, e a obediencia a
cadeira de San-Pedro, a qual so arrima, com
Tambem tendea perfeito conhecimento, venera-
veis irmflos, dos monstruosos crios e fraudes, com
que os lilhos deste seculo se esforcam por coinbaler
a religino catholica e a divina autondade e lefs da
igieia 0 por conculcar os direitos, assim do poder
sagrado como do civil. A esta classe pertencem as
iniias tentativas contra a romana cadena de San-
Pedro, na qual assentou Jcsus-Chnslo o inexpugna-
vel fundamento da sua igreja. Para islo coiicoiicm
OSSOSsociedades secretas que rebentaraiu das Levas
para dcslruicilo e ruina da religino e do catado ; os
romanos pontfices nossos predecessores com reite-
rado anatlie.ua as leem condemuado pelas suas let-
tras apostlicas, (1; as quaes nos conbrmanios pela
nlenitude do nosso poder apostlico, o mandamos
uue com a maior diligencia se observem. Isto que-
iv.n cssas arteiras sociedades bblicas, que, renovan-
do os trucas dos anligos hereges, nao cessatn de dis-
tribuir graluitamcnle, deoffeiecer com empenho,
em oscessivo numero e com avultadas despeza-, as
pessoas de todas as condces, sein oxeepeflo das
mais ignorantes, oslivros das divinas escr.pluras 1ra-
duzidos em diversas lingoas vulgares contra as san-
tsimas regras da igreja, o multas ve/es Interpreta-
dos com perversas explicaces.abm de que, icjeilan-
do a tradicao divina, a doutrina dos padres c a aulo-
ridade da igreja calholica, todos inleipretem as pa-
to vrai de Dos segundo o scu juizo privado e Ihe
p.rvcrtam o sentido, ese precipitem por este modo
ni eravissimos erro*. Imitando o cxemplo de seus
predecessores, Gregorio XVI.de veneranda memoria,
em cujo lugar, posto quo com desiguacs mritos,
succedemos, reprovou (2; pelas suas leltras apost-
licas ens igualmente condemnamos semelliantes
sociedades. A esta classe de erros perlence o borren-
do.systema, 13o repugnanto ao mesmo lume da ra-
sao^tural, dessa tndilferenca de qualquer religiao, do..h-= ., ^^ Vli;-|irBlique 0
Leo XII, Const. Quograviora.
12, Cregor. XVI. In Litteris Encycl.c.sad omnes
ep.scopos, quarum initium nter prwapuas mach,-
\naliones.
milde de coraefio, e que uno viuda chamar os justos,
mas sim os peccadores, doxando-nos o cxemplo pa-
ra seguirmos as suas pisadas; niio deixeis de, em es-
pirito de brandara e mansidflo, com patornaes admo-
estacoea e conselhps corrigir, argir, obsecrar o in-
crepar, con. toda a honda le, paciencia e doutrina, a-
quelles que infringirem os mandamentos do Senlior,
O a be ira re 111 do caminlio da verdade e da justica. por
isso que muiUu ves coi 0.1 que decem ser corrigidos
/"as mal (i brncvolcnciu do que. a seneridade, mais a ex-
hortado (/k que a OommiROpdO, mus a citridade do que
o poder. I)
(Con(iuar-se-/i(i.)
HKSPANBA.
10I1NAFS DE KtDRID ITB" 23 DI IUI.1I0.
s. M. a rainhi Isabel II. linha sabido no da M do
(arde de San-Ildefonso, com leuc.lo, pelo que se il.s-
se, deiraSegovia. Para allAjnham partido multas
pessoas da regia comitiva ; plrm s. M. resolveu de-
mornr-se em iiobledo.
o Heraldo publica una correspondencia, datada em
San-Ildefonso no dia 21 do eorrente, na qual Ihe di-
zem o seguinle:
.. Todos os que no dia 20 esperavam emSegovia a
chegada de S. U., ficaram engaados, poraue a rai-
i.h.i decidi deinorar-se em Itohledo, aondo cstevo
ale as nove horas da noile, voltando depois para o
Iheatro nocarrinho queS.ll. pessoalmenteguisva,
e no qual ia lambem o conde do Santa-Golome.
.. Todas as pessoas que liveram a honra do billar
com S. II. li.e ouviram dizer que eslava por extremo
salisfeita. Todos os das costuma divertir-te a pes-
car, o para este lim sabio S. M. buje de tarde para
Italsain, donde regroseou as seis doras.
. Depois de janlar sabio oulra vez S. M. no scu
carrinho para Robledo, donde voltou as nove horas
para o Iheatro. Em todos estes nasseios tem aboli-
r de icompanhar a S. H. o conde de SanU-Coloma,
soguindo noutra carroageuj. o general nos de Ola-
no, como diere cncarregado da preciosa guarda da
nossa rai.ida u .
No dia 22 de tarde sabio para a Granja o ministro
da justica, no dia 21 linda saludo o ministro dos no-
gocios estrangoiros, o no dia 33deviam partir para
0 mesmo real silio os minislros da lazenda c man-
dila. Vfio todos assislir aobeijannlo do da 24, que
hooanniversarode S. M. a rainha mal. Ficaram so
em Madrid os ministros da guerra e do interior.
Do corpo diplomtico estrangeiro foram so os mi-
nistros de Inglalcrra e Franca.
Verlicou-se no da 3 a esperada reforma do pes-
soal da repartidlo lo thosouro.
O Heraldo diz a esto respeito que com satisfacSo
geral se soube que ninguem Ocra desempregado.
Aos que sbila... da reparlicao .leu-se-lhes a esco-
Iher o ponto que mais Ibes conviesse lora de Madrid;
alguns passarain a uniros repartieses da corle; e, dos
tres que eiiliaiain novos, dous eran, de nutras secre-
taras, o um eslava em dispunihilidade.
Os accessos que se deram, segundo aflinna o mes-
mo jornal, foram em geral regulados pela mais se-
vera justica, em altoncao a capacidade e servaos dos
individuos.
No dia I assignoti-se linalinenle o tratado de rc-
ci.nheciinento da repblica de ISoliv.a, cujo re-
presenlanl, havia pouco lempo, linda chegado a
Madrid. ,
Alguns jornaes de Madrid, dando a noticia desto a-
conlecimento, accrescentam que. sendo aquello
paiz abundantissimo em todo a classe de mineraes,
principalmente em ouro o prata, e conservando os
habitantes grandes sympalhias pelos llespanhoes, O
que podo dar origem a um vasto cnmmercio, a Ue-
tcrminacoo de concluir o rete, ido trotado fra em
geral acolhida com especial agrado.
(i Corriio, jornal que passa por serorgao sem.-ol-
ficial do gabinete, diz que Ihe parece estar dada a
orden) do que passe para a Catalunha a maior parle
dos hircos que cooipeu. oexercito expedicionario
i'iliirn a tiv oaii-i "j -|----- -- #
lirmissimo fundamento, o magnifico edilicio da
nossa religino sanlissina. Cuida con. igual l.rme/.a
na observancia das santas leis da igreja, por meiO
das quaes indubitavelineiile se sustentan! o Herecem
sobr modo a virtude, a religiflo e a piedade. tomo,
t.orm. co runde piedade mam/estar os escondrijos
dos impos, e nelles debellar o propno demonio a quem
servem, v obsecrando vos adinoestanios que empre-
guelstodooosrorco ediligencia eni. manilest...r ao
novo fiel as multiformes ciladas, talladas, falsai 0-
, oiocs, fradese machinaces dos homens inun.-
Ls- fin o apartar da leil.ua desses l.vros que com-
fnunicam a peste do erro; e em o exhortar ass.dua-
mene, para que, desv,ando-se das sedase das soce-
dades dos i,npios, cmoda vista de urna cubra, evito
eom o maior cuidado ludo o que lr opposlo a fe, a
cliKinoeai.itegridadedoseoslun.es. Pelo que,ja-
iW.gmo e a integridade.dos coSlumes Peh^, que ja- '%$ ',,,,,,, c^ principe
ra.s acouleca que ^esles de pr^ar o evsngeino, ,n.l.sll0ndellcias das provincias d.o co
para que o povo cl.r.s ao "V*^SS2? 'lle WTOttds no ultimo recontro a foccS
nos sanl.ssunos p.eceloi, da le de Jes wrtto lato, individuos quo a compundam,.
de Portugal ; devemlo embarcar no Porto, e, tocan-
do em Algsicas, passarem ao exercito docomman-
do do general Pava. ,
O mesmo jornal assevera que aladica adoptada
pelas raeces, as quaes se disseininam em pequeos
grupos, torna necessaria a reuniao de bastantes tor-
cas, pora orcunar militarmente opai/.
Comi louva esta detenninacoo do governo; por-
que ada ser indispensavel osle sscriflcio, pande
urna vez acabar com os bandos que assolam aquel-
los importantes provincias.
O Heraldo publica urna caria de Brdeos, cujo con-
leudo be por extremo inleressanle. A carta re erc-se
a oulra escripia por pessoa em iiilimo coiilac o com
os cheles absolutistas; ..ella o reler.do-ud.v.duo ex-
hoita os que andan, tasendp guerra de guerr.lhas na
Catalliuna que desistan, de senielhanle empreza ;
rjorauesfloapocrlphoa lodos os documentos, em que
figura o nome do conde de Monteinolnn, autonsan-
do todos aquellos movimentOS revolucionarios.
Esla carta uno traz assignatura ; e o jornal que a
publica, anilina notitro artigo que os montemoli-
iislssse prepara ni para oulros movimenlos maisse-
ios; quo o duque de Monlcmoliin he incitado para
sso, oque nos palzos eslrangciros se revolvem com
completa*
quo do es-
udante. Dos individuos quo a compundam, uns mor-
ro, am no campo, oulros ficaram prisionciros oou-
. tros apresentaram-so ; o commuudanlo fugio s, e
aSiro^ar^on^u^e'^^^ da que,., d,ga quo morrra, porque se acdou oca-
;i, Ex Symbolo Omcum^ue
{%) S, Leo Serm. XIII. cap. 4.
ttj Concil.
I formal.
Tiidenl. Sess. XIII. cap. 1. de fie-
MUTILADO





.
i
,, ii


i;;'

i

*



h

vallo em que monta,-a c armas que costumava
trazer.
As facerte* quo pppnreooram ptitru Valencia e Ca-
talunha fura ni alcancadas p dispersa* pelas forgas dn
oxerrilo !c|. Parece qup apenas 30 bomens conse-
guirlo! pnssar o Eb"n em Fagon.
Tinlinm j rhegado n Galliza' algumas Iropaa 'la
expodicflo de Portugal. Na lardada 14entraran*um
haialli.io ilo regiment 21 o juna balera: asta frc
IIpou em Gallfza As ordena do capitn-general. o
di i 15 pra esperado em Valenga-do-Minho o duque
deSaldanha.
MU M All 21.
Verifica-so nilo tpr do S. M. a rainha a Segovia co-
mo sciinha annunoiado.
Das provincias, acerca de cleiges de deputailos
provinciaes, consta que em muitos pontos triumplia-
ram os moderados, que n'outros alcaugaram a vic-
toria os prngrossistas, n que n'outros, alienta a pou-
ea ou noiihuma sipninencro poltica daquetles func-
cionarioa administrativos, nflo pode haver eleicfio
por falta de concurrentes.
Segundo lomos no Heraldo, foi falsa a noticia que
se piildicou nos jomaos nglezes acerca daconvor-
Sflo da divida ; ii'nma conversaoflo de Mr. Ilctidcrsou
com o ministro Salamanca fallou-se. naquelle as-
'impo, mas nflo flcou nada resolvido, ncm sepro-
uii leu cousa neohuma Mr. Henderson den parte
disto para Londres, e os especuladoras de fundos al
leraram a carta para fazer acreditar que o que nflo
passava do urna lemhranca, suscitada confidencial-
mente, era urna reaolucfio definitiva.
\s noiicins dita provincias reduzni-se ao seguinte
extracto los torosas de 34.
\ GoMfeofllciai publica algumas participacoes of
(iciaes que. comprovaii! a ncnhuuia importancia das
.'Hornillas.
lie Burgos escrevem em data de 21 une a lacean do
cstudanle deixou de existir. Os individuos que a
ella peitenciam, e nflo.seapresentaram ao indulto,
nflo sao mais dequatro; andain oceultos pelas mon-
tanlias jsemarmas, nomcavallos, nem recursos de
iicnhuma especie. Paicce que tralam defugif para
Franca, se pudorem conseguir evitar a persoguieflo
ilas f.Vcas que os busca ai em todas s direcedes.
No dia 16.sabio do Manrosa o coronel Honriquos
rom a columna do aeu commando, soguindo ocau-
1 lito Villela que commandava una guerrilha de se-
tenta a oitenta hojnens. Conseguid alcanca-los as
seto horas e moia da mandila do dito dia nos bos-
ques deVillafta por onde fugiam precipitadamente
paraasserras deGasielItelIat; fez-Ibes fogos porm
osinimigos.acossados por iodos os ponlos.dispersa-
ram completamente, dividindo-seem varios grupos,
os maiores de quatro a cinco bomens, e lomando di-
versas dirocgOes, nico nieio do salvar-so polas dif-
ficuldades que oiferece o terreno. A perseguieflo foi
limito activa pelo espaCO de tres lloras ; porm iguo-
ra-sea perda que loria o inimigo.
Na Calalunna conlinuam a apresenlar-se muitos
facciosos para gozarem do indulto.
O conimandante general de Murcia mamlou subir
no dia 18 de niaiiha toda a frca armada que tinna
na cidade. Parece que tomn a ilireccfio de Alicante.
Os nonios militares de maior importancia Ocaram
oceupados pela guarda civil.
Ignoram-so anda os motivos deste movimontoj
mas allinnan que leoin relscflo com outros que se fa-
zem para o litoral, lalvez em consequencia da pro-
jectada supprcssilo de algumas alfandegas.
Corra em Valencia o boato do quo tiniia sido exo-
nerado o (lulo poltico, o que seria substituido pelo
quo actualmente est em Tarragona
Diario do Governp
. _......
PERNAL B CO.
Cunara municipal do Itecife.
SESMO EXTRAORDINARIA DE 91 DE AGOSTO
DE 1817.
PaBSIDWtCfA DO SB. REC.O M i:i m I i:i.il I .
Presentes os Srs. Dr. Nery, Reg Barros, Bgidio Fer-
reira, Barata e (andino, abrio-se a sessito e foi lida
eapprovada a acta da antcoedenle.
O secretario leu um offlcio do Exm. presidente da
provincia, exigindo com urgencia copias authenticas
dos actas das ultimas eleiges geraes do voleadores
edos jui7.es de paz das freguezia* e districtos deste
municipio, quo servem nocorrentequatriennio, hom
como das que porventura tenham sido foitas depois
Jaquellas. Inleirada a foi calisfeita.
Outro, participando que mandara organisar mais
duas companhias nobalalhflo n.2 da guarda nacio-
nal deste municipio. Inleirada o aecusou-se.
Outro dojuiz de paz presidente da junta de quali-
fieagfo da freguezia deJaboatfio, remettendo o livro
dosqualilicados volantes da mosma freguezia. In
teirada.
Outro do procurador, aprcsenlando o quadro do
retrato deS. M. o Imperador, que esta cmara of-
ferecra por venda Domingos dcScyllos Thom, pa-
ra ornato da sala das sessOes ; o que. segundo lite foi
determinado om portara de 7 dejulho ultimo, flzera
avaliar o mesmo quadro por dous peritos, e o proco
nao estes llie deram foi de I80f0(>0 ris, como se via
dasavaliacOosqueapresenlava; mas que dcsta q mui-
ra o vendedor havia ajustado abalar 30#000 ris : por
ultimo pedia o dito procurador quo a cmara, a vis-
ta do objecto c avaliacos, decidisso o que fosse
mais conveniente. Inleirada, e deliberou que nflo
se lizesse a compra, vista a imperfeicflo do retrato.
Outro do fiscal do Santo-Antonio, participando
ser de 24/000 rois a Importancia das multas impos-
tas por infraccoes, em o me/, dejulho, opodindose
mandaase pagar ao cirurgiflo Joflo Dominguesda Sil-
va 8/800 ris de urna corrida dosaude fela em dito
mez. Inteirfoa e mandou-se passar mandado.
Outro do fiscal da lina-Vista, representando sobre
o mo estado em que se acbam as estradas dos Alic-
toscCruz-das-Almas, a ponto de se tornaren) n-
transilaveis, por causa das agoas de ebuvas quo mis
inosmas se couservam estagnadas por falla de algum
esgoto: lembra o mesmo fiscal que o molbor modo
um cano de pedra e cal, passando este polo sitio do
advogudoMeiia.-Remellido ao engenbeiro, para or-
gamsaros trabalhos necasaartos.
Outro do dito fiscal, .informando o requciinicnlo
de Bernardo Ignacio deJosus, em que se queixava
Jo mencionado fiscal por have-lo multado em conse-
quencia de lar edificado umn casa de taipa Do lugar
daSoledade, sem ler para isso a necesaaria licenca
Inleirada. s
ilereni taar obceco lateral da igxpja respectiva, f
alleeaiw'o.nli'm deoutras circumslancias.a npnhiim'i
iltilidade ptiblira do mesmo becco. p qup al j fora
propriedade da mesma igrpja.Inleirada. o rosnl-
vi'ii a cmara que se deprecasse ao governo provin-
cial a allerncflo da planta da cidade na parte do ci-
tado becco. .,
Outro ilo dito fiscal, pedindo o pagamento das
despe/as feitas com a limpeza de algumas ras de
sua freguezia. Mandou-se pasaar mandado.
Outro do fiscal do Poco, aprcsenlando os mappas
do gado morlo emjulho ultimo, para Consumo dos
habitantes dnquella fraguaxja. Inteirada.
Outro dn professor do primeiras letras da fr?gue-
ziade Jabnalflo, participando ter obtido do governn
da provincia seis mezps de licenca para ir ao sertflo
curar-so das suasenfermidadeschronicas.elembrava
o cidadflo Jos Eduardo de Snuza l.andim.por sor ap-
to e idneo, para o substituir durante o seu impedi-
mento, urna voz que a cmara oapprovasse. In-
teirada e mandou-se passar nomeac.lo ao dito l.an-
11 i III.
Foram lidns e approvados dous pareceres da com-
missflo doedifleaoflo sobre as petiQOes do Jos Joa-
quim do llego barros. Manoel Joaquim do Kego B:ir-
rcto, Manoel Josquim Paes Barr lo, Sebasliflo Jos
do llego Brrelo, Klias Coelho Cintra e Francisco
l.udgero da Paz, quepediam por aforamento terre-
nos de marinba; c de conformidado com os mesmos
pareceres se informaram as mencionadas preten-
ees.
Officiou-se ao Bxm. presidente, pedindo a pedra de
calcar que existe disponivel, vinda ultiinamento da
la de Fernando, para so poder continuar com o
ttlcamcnto das ras, e reparo do quo se acha ar-
ruinado.
Mandou-se annunciar para o dia trinla a prlmeira
praca para arceinataQiO dosobjectos que constilucm
0 patrimonio da cmara.
Despacharam-se as peticOes de Antonio llenriquc
Rodrigues. Angelo Custodio dos Santos, Antonio
Joaquim lie Souza llibeiro, Auna Candida Bastos,
Anastacio Xavier de Coulo, Bento Bolelho Pinto de
Mesquita, Bernardo Ignacio le Jess, Chnstovflo
Slarr& Companhia, Eugenio Noi borlo Alvos Ferrei-
ra, Felicia Mara.Benedila, Francisco Jos de Cam-
ilos. Herculano Alvos da silva, Jos Carvalho da Cos-
ta, Jos Antonio Bastos, Joaquim Pinboirg Jacomo,
Ignacio Jos do Cunto, Joflo Paulo da Fonseca, Igna-
cio Francisco Cabral Canlanil, Joaquim (ongalvos
ila Main ol.uiz Ignacio Ribairo Boma. E eu, JoaO.lo-
rs Ftrreira de Aguiar, secretario a subscrevi. llego
l/bu/uervur, presidente. Cintra Manoel. Car-
neiro Monteiro. -- llartila. 'en eir.
PAIIKCF.IIF.S A QUK SE nKTEBE A ACTA CIMA.
Mito sendo do misler para o uso municipal o ter-
reno de marinba, rujo aforamento solicita do Exm.
presidente o commendador Francisco Ludgero da
Paz, a commissflo be do parecer que ueste sentido
se informo ao mesmo Exm. Sr. Itccifo,!) de agosto
de 1817. O vercador, llareta.
Em presenca dos roquerimontos e documentos
a enes aunoxos de Jos Joaquim do Bogo Barros,
Manoel Joaquim do Bogo Brrelo, Joaquim Manoel
Paes Barrlo, Sebasliflo Jos do Rogo Brrelo o Elias
Goelho Cintra, om que podom por aforamento al-
guna terrenos do marinba, sitos no lugar de Santo*
Amaro; a cominissfio, leudo examinado 08 documen-
tos juntos polos peticionarios, o procedido :is conve-
nientes iiil'orinacos e exames, eulende quo os pre-
tendemos oslflo nos termos de obter do Exm. Sr.
presidente o aforamento que requerem, visto como
osses terrenos nao sao de misler para o uso munici-
pal. Recife, 21 de agosto de 1817. Osvereado-
res, llarata. llanos.
-- j

Alfundegi.
riENIIiMENT DO DIA 30 .......... (i:320,933
licscarregam hoje, 31.
Barca ~ ligeira mercadorias.
Briguo -- Nelit-Valhilde dem.
Brigue Maria-Feti -- idem.
Sumaca Flor-de-Angelim fumo ecbarutos.
Consulado.
KENDIMENTO DO DIA 30.
Coral...........
DiversafTprovincias.
1:338,053
75,402
1:413,455
Sloismcnlo do SDoro.
Navios entrados no dia 30.
Now-Caslisto ; 58 ilias, briguo ingle/. I'atruus, de 206
toneladas, capitflojobn Pitn, equipagem 11, car-
ga hacalho ; a Me. Calmonit Companhia.
Babia ; 7 das, sumaca brasileifa Santo-Antonio-de-
Vadua, de 70 toneladas, capilflo Manoel Jos Biboi-
ro, equipagem 7, carga varios gneros; a l.ulz
Borges ucCcrqueira. Passageiro, Manoel Antonio
Ozorio com sua familia, Itrasileiro.
liio-do-Janoiro eMacei ; 14 dias, c do ultimo porto
31 boras, brlgue-escunfl de guerra brasiloiro U-
galidade, couiiiiandante o capitao-tenonte I,ouron-
co da Silva Ara ojo Amasona. Conduz um oll-
cial da armada, 9sentenciados para Fernando e3
soldados presos.
Nacios sahidos no mesmo dia,
New-Port; galera americana fHliiam-l.ee, capilflo I.
Wompennoy, carga a mosma ane trouxc
Babia ; patacho brasiloiio Dous-Amigos, Capilflo Ber-
nardo Augusto Lopes, carga varios gneros.
stai: .
O Dr. Luiz Dimite. Vertir, juiz de orphdos e ausentes
supplente da cidade do Itecife e seu termo, por S. SI.
I. e ., que Ikos guarde, ele.
l'aeo sabor que por esto juizo foi julgado Joflo Bap-
lerbster interdicto na administracio deseos
Recife. 26 de asostn do 1847.Francisco Joaquim
Percha de Carealho, o fiz cscrovpir.
luiz Ihtarle Peretra.
Ao sello 200 rs. Valha som sello, cx-camn.
Duarte.
O Dr. Vicente Ferreira Cnmes, juiz de direito interino
da prlmeira vara do crim- nn comarca do ttecife dr
Pernambuco, por S. V. I. eC.,que Peos guarde, etc.
Faz sabor que na lerceira se'sflo do jury deste ter-
mo a que prpsidi, foram assiduos dos Srs, juizes dp
facto sorteados e chamados para servirem nn dita
sessfo os seguintes :
MajorThomaz. Jos da Silva Gusmfln Jnior, An-
tonio dos Santos Nones, Braz de Souza, Antonio
Francisco dos Santos Braga, Joo Manoel Mandes da
Cimba AzpvpiIo, Ladislao Jos Ferroirn, Antonio Jos
Duarte, Mathias Muniz Tavares, Jos Fernandes da
Cruz. Joaquim Flix Machado, Francisco de Paula de
Queiroz lonseca, AntonioFraneiseo uuMoura, Jus-
tino Martyr Corroa de Mello, Jos Pedro do Reg,
ItufinoJos Correiade Almeida, Manoel Antera de
Souza Beis. Jos Marques da Costa Soares, Francis-
co Borges Mondes, mnjor Miguel Alfonso Ferreira,
Jos Marcellino Alves Fonseca, Antonio do Hol-
landa Cavalcanli de Albnquerqiie, Dr. Manoel Fran-
cisco de Paula Cavalcanti de Albuquerqiie, Jos He-
gino de Miranda, Jos Egidio Ferreira, Francisco pe-
rlifico de Assiz Carvalho, Belarmino de Amida C-
mara, Erederico Augusto do Lemos, Francisco Si-
mrtes da Silva, Flix Francisco de Souza Magalhaes,
Joflo Pedro Pessoa dn Mello, Manoel di. Silva Ferrei-
ra Jnior, Ignacio Manoel Viegas, Ignacio Bento de
Layla, Joaquim Alionso Ferreira, Joaquim Anto-
nio de Castro Nunes, Manoel da Silva Neves, Joa-
qun) Ignacio de Carvalho Mondonga, Luiz Ce/.ano do
Bogo, Francisco Martins Raposo, Tbome Carlos l'o-
retti, lonente-coronel Antonio Goncalves Ferreira,
francisco de Souza Bogo Monteiro, coronel Trajano
Cesar Rulamarque, Dr. Antonio da Assumpgflo Ca-
bral ; tondo sido multados na quantia de cento c
trinla mil riscadaum dos jurados Bento Luiz da
Cama e Mello, Dr. Manoel Duarte de Faria e Jos de
Pinbo Burgos por nflo tercm comparecido nem
mandado escusa alguina. '
E para que conste aquellos a quem convierman-
dei passar o presento que ser publicado pela im-
pronsa.
Dado c passado ncsla cidade do Recife. aos 25 de
agosto de 1837. Eu, los Affonso Guedes Alcanforado,
escrivflo o escrevi.
Ferre'ra Comes
^^*^
UOA'.hlVHVAH'S.
COBREIO.
A escuna de guerra Guaiba recebo as malas para
os portos doCear, Maranhflo c Para, no dia i.de
selembro prximo, as 4 lloras da tarde.
A cmara municipal desla cidade tcm designa-
do o dia 2 de solen.bro vindouro para irem segunda
vez em pra?a os ohjeclos quo constituem o seu pa-
trimonio, anuunciados cm cdilal de 26 do cor-
rete.
O arsenal de guerra precisa mandar imprimir
quatro mil papeletas c quatro mil alias : quem dis-
so so quizer encarregar, compareca na sala da di-
rectora do mesmo arsenal, das 9 horas da manhfla
as duas da tarde do dia 31 (hoje) do corrento ,
e 1." do prximo futuro alim de ver os modelos, o
se fazerein os convenientes ajustes. Arsenal de
guerra 28 de agosto de 1847. 0 amanuense, Joo
do licordo da Silva.
O arsenal de guerra compra seis cadeiras com
assento de palbinba; urna sincta de bronze, de meia
arroba ; 6 livros en branco de 200 folhas de papel
pautado ; 2 pares de castigaos de casquinha; CO
mantas de lila ; 100 paros de chinelas rasas ; 60 pra-
los do p de podra ; 24 ditos pequeos; 30 tigelas
de dito; 24 ditas pequeas ; 12 bules do p de pedra;
30 casaes de chicaras ; 8 mauteiguciras pequeas;
12 copos grandes de vidro para agoa ; 24 urines do
pode pedra ; 4 bandejas de folba de forro ; 30 co-
lbcres para cha ; 4 hacas de rame pequeas, de
3 libras ; 100 lalbcros completos ; 6 chalciras de co-
bre cslanbadas; 30 pancllas do ferro, sorlidas; 2
fogarciros de ferro, grandes ; 6 ditos pequeos, pa-
ra perfumo ; I almnfariz de bronze, do 8 libras, com
inflo-1 4 jarras grandes de barro, para agoa; 12
quarlinlias; 16 ventosas ; 4 pS de ferro 4 cnx.i-
das ; 3 saca-rollias ; 4,068 varas de brini liso; 12
ditas de madapolflo ; 176 covados de cbila do colier-
la : quem taes gneros quizer fornecor mandar
sua proposta, cm carta fechada, e as amostras, a di-
rectora do mesmo arsenal aleo dia 1. do selem-
bro prximo fuluro. Arsenal do guerra, 28 de
agosto de 1847. -- O amanuense Joo llivardo da
Silva.
listaHerosier iniemicio na administradlo deseos
bense pessoa, e nomeada sua curadora adbona sua
mulher Luiza Margarida Herbsler, e por isso se faz
dadodaSanijosouLre^em ^C^po-te "*"* '-
Contratos a celebrarem-se com a thesouraria das rendas
provincias no mez de selembro prximo futuro.
DIA 25.
Oda conlinuaefloda obrado caes do Ramos, ava-
llada om ris 7:182,000. -- Os trabalhos far-se-bflo
do oonformidade com os riscos c ornamentos j ap-
provados; oncetar-se-hflo dous me/es depois do va-
lidado o contrato, e udr-se-hflo a o cabo do seis
mezas. O pagamento roalisar-se-ba na formado
disposto no artigo 15 do regulamento das arremata-
cos. O prazo deresponsabilidade ser do um au-
no Fixar-sc, emlim, o contrato com aquello dos
concurrentes que por menor prego se compromcltcr
a fazer a obra.
DIA 30.
Odoeslabclecimcnto de urna liaba do mnibus,
quo, na forma da lei provincial n. 191, facilite o
transporto desta cidado a qualquer dosseus arrabal-
dese dcOliuda.
Cadeira vaga de primeiras Ultras.
A do Caruar, enjo concurso lera lugar no dia 9
de sclemb.ro prximo futuro.
hscravos apprehendidos pela policio.
Joaquim quo declarou pertoncor a Joaquim Mar-
ques do Santiago, e Joronymo que disseserdo pa-
dre Miguel Joaquim, vigario do San-Miguel-dc-Cam-
pos. Acbam-so na cadoia desU cidade, eserfio en-
tregues vista de ttulos legues, apresentiidos na
subdolegacia da freguezia do Recife
Objeclos que a repartico das obras publicas pretende
comprar.
Quin/.c alqueires do cal preta ; 6 tahuas de assoa-
Iho; 12 lagesde cantara de Lisboa, com cinco pal-
mos de coinprimonto o 2 de largura; 14 galos do
bronze; 4 canoas de areia ; 40 alqueires deca; e
600 lijlos de alvenaria.
THEATRO PUBLICO.
DOMINGO, 5 DE SETEMRRO,
a beneficio do actor Antonio da Cunha, so reprsen-
la um novo drama cliegadodo Lisboa, intitulado
O PADRE CASIMIRO,
ou
o r.uiiiinii.iiEino intrpido.
Dividido em 4 actos o sois quadros.
Prmeira parteAs aldoflas portiiguczas.
Segunda
Terceira
Quarta
Quinta
Sexla
A morle do valente padro Casimiro.
--A guerrilha do padre Mimoso.
A junego dos partidos.
A entrada do barflo do Casal na ci-
dade de Braga.
A morle do general Macdonald.
Nosle precioso drama rafa' o actor Santa-Roza a
parte de um donato de San-Renlo-de-l.orvSn, q;-
serva do balisa no hatalhflo da patulea da cidade de
Braga Seu nomo he Affonso Melgaco.
Publicaces Liltoiarias.
PORTUGAL.
Recordares do anno dt 1842, pelo principe F.iehnomkn
Iraduzido do al/emdo segunda edicto correcta t a'-
notada
O consumo rpido da prmeira edigfln e a sua
procura por muitas pessoas que ficaram sem ella,
induzio o traductor reiinpressflo d'esta obra cu-
riosa, quo conten a apreciagflo dos caracteres mais
notaveis do paiz, dos seus aconlecimontos polti-
cos monumentos e lugares principaes foita por
csse principo prussiano quealli viajou no anno
citado. Esta interessante obra, que contm 220 pa-
ginas vende-so por 1,000 rs. na ra da Cruz n.
7, segundo andar.
Prospecto.
Um resumo da historia do Brasil, que pelo .mu
prego possa chegar classe monos abastada do vN^
so paiz, e que igualmente sirva para a leitura dos
meninos as escolas de instrucgflo primara; eis a
empieza que tomou sobre seus debis hombros o
professor publico Salvador llenriquc do Albu-
querque.
Sea importancia da obra excedo a capacidade
do autor, venceu esta difliculdadc o desejo que ello
nutre de ser til ao seu paiz; e he indubitavel quo
anda que elle nflo desempenhe cabalmente a tarefa
de que se encarregou, todava o seu trabalho sempre
ser de alguma utilidade.
O resumo de que se trata, alm deconlcr o mais
interessante da nossa historia, vai intermediado por
bellas estancias do poema Caramur composi-
gflodo nosso patricio Fr. Jos de Santa Rita Durflo;
o para darmos urna ideia da escolha que o autor
do resumo fez das estancias do poema, citaremos
a seguinte, collocada no lugar em que trata da mu-
danga do nomc de Ierra da Vera-Cruz dado pelo
seu descobridor Cabral para o de lirnsil.
Terra, porcm, drpois chamou agento,
Do Brasil nao da Crui, porque ailrahiila
D'outro lenho as tintas encllente,
Se lembra menos do que o foi da vida:
Assim ama o mortal o bein presente,
Asshn o nomc psquece que o convida
Aos ulereases dn futura gloria,
Aos bens attento s da transitoria.
Este resumo leva no lim quatro ndices chro-
nologicos; um dos reis de Portugal, desdo D. Alfonso
llcnriquesem 1128 al I). Joflo VI; outro dos gover-
nadores-geraes e vice-reis do Brasil, desde Thom
de Souza em 1549 at D. Marcos de Noronlia e Brito
em I sus; outro dos papas desde Alexandre VI em
1492 at o*SS. padre Po IX, que actual e felizmente
reina ; e outro finalmente dos bispos c arcebisposdo
Brasil, com declaragflo dos bispados a que pcrlen-
cem, as dalas em quo estes foram creados e aquel-
los nomcados, ele.
Alm disto, acham-se tajnbem dous mappas esla
tisticos dos hachareis formados as duasacademiaf
jurdicas do San-Paulo c de Olinda, e anwl a lista-
de todas as pessoas que se dignaren) contribuir para
a mpressfio do dito resumo, a qual prometi o
autor que sera a mais limpa possivel, cm muitobom
papel cem formato de oitavo francez.
Assigna-sc para esla obra as livrarias dosSrs.,
Figueira, na nraga da Independencia, e Dr. Couti-
nho, esquina defronte do Collegio, lia ra da Cadcia
do Itecife, loja do Sr. Cardozo Ayros; e em Olinda,
ra de Mathias Ferris, cm casa do mesmo autor.
O prego de cada assignatura ser tres muris
pagos ao receber a obra.
NOVO DICCIONARIO DA LINGOA NACIONAL.
Um diccionario nflo he obra que de una vez possa
sabir perfeila : as diversas ediegocs, e os variados au-
tores quo cxislcm, provam o quo dcixamos dlo.
para so tocar a mxima porfegflo, c anda mesmo
Para se ir apurando, exigem-se os trabalhos sucres-
sivos de niuilos bomens eruditos e laboriosos. Sem
nos com prebndennos no numero desles, comludo
nos atrevemos a carregar uina podra para esto mo-
numento, e se nflo innovamos cousa alguma aoque
j existe, ao menos compilamos em una sobra o
que est espalbado por muitas, e demanda cabodal
aviillndo para so pQssuir.
Vamos, pois, langar ao prelo um novo diccionario
da lingou nacional, que levo por base a ultima edic-
gflo do diccionario do milito digno Iliterato o Sr,
Moraes, publicada cm Lisboa no anno de 1844, e que
por corto nflo tem as faltas que o Sr. Constancio llio
nolou na suaedicgflo de Pars de 1845. Seguimos
em tudo osystcma daquelte eximio lexicograpbo,
porque suaauloridadc, j por si s bastante res-
peitavol ccresce hoje a odicgflo sobre que funda-
mos nosso trabalho, a dos illustros Fr, Francisco de
San-I.uiz Souza Monteiro padre Castro. Ajunla-
mos-lbe alguns vocabulos que se acbam om o Sr.
Constancio, e em outros autores mais antigos; o
bem assim um diccionario dos lermos homnimos, e
outro de synouimos.
Porm, pequeo ser o resultado da existencia do
urna obra tflo ulil como a de quo so trata, se o seu
prego nflo for lal, que habilito todos para poderem
oble-la. Comludo ainda nos ufanamos por ter conse-
guido a rcsolucfio deste problema, por isso que o
prego por assignatura ser o do 20,000 rs., pagos em
duas prestagos.
Assigna-sc em casa do editor, na ra Formosa, nu-
mero 2.
/


J0s pnis de familia, capi/es de navios,
fazendeiros e a todos ein geral.
Ore-i"01' l'e Hahnemann, ou exposi-
fl f'ias (loutrinas homoeopalhicas, >. vo-
uUrsp"l'7s\
Manual Je pm de familia, do cnpitao
de navio e do fazcndeiro, ou noiicias ele-
menlares da liomoeopatliia, contendo a
acciio dos i!\ principaes medicamentos
homoaopalhicoa, i volume pequeo.
Vcndc-se por preco conunodo, no se-
gundo andar da casa ti. 7. da ra da
Cruz
visos martimos.
.. para Lisboa o brigue portuguez Conceirdo-tle-
,Wira saho imprcteriveimenteno dia 10 do prxi-
mo me/, do selomhro ; inda pode receber alguma
carga : trata-se com o capitio na praca do Commcr-
cc ou com o consignatario Thomaz de Aquino
Fonseca, na roa do Vigario, 11. 19.
_ Para a Babia sahe, o ruis breve possivcl, o hia-
to l'lor-do-Kecife, pregado o Torrado de cobre, e de
boa marcha: quem nelle quizer carregar, ou ir de
passagem, dirija-se a ra do Vigario, n. 5.
Para o Porto sahe om poucos dias a velcira es-
cuna Galante- Varia, por ter a inaior parte de seu car-
amento prompla: para o resto e nassageiros
l'C
p.ira oquelem cxcellcntes commodos, trata-secom
Silva & Grillo, na roa da Mocda, n. 11.
Lo lol 8.
Iloje, 31 do corrcnle, haver leilona porta da
a>- i.lega, porconta e risco de quem pertencer, dos
Miguinlot objectos salvados do ltate San-Joo, mes-
iro Jos Antonio da Si Iva,naufragado na praia de Pi-
timb: caixas de velas de espermacote, garrafOes
vasios, caixas com vidros para vidraca, barricas do
er, ele.
0 corrector Oliveira far leililo, por ordem e em
presenca dolllm, Sr. cnsul da Franca, e por coma
o risco de quem pertencer, de 7 barricas comer,
50 caixas com velas, 99 ditas com vidros, e de 392
garrafOes, salvados de bordo do hiato San-Joilo,
mostr Jos Antonio da Silva, encalhado por frca
maiordomar na praia de Pitimb, na actual via-
gem que fazia deste porto com deslino ao da Baha:
quiita-feira, -2 de setembro, as 10 horas da manhiia,
no largo daalfaudega.
Avisos diversos,
0 TRIBUNO N. 12,
tondo sido annunciado para honlem, s boje pode
sabir, cj estaa luja, por ter estado o prelo muito
necupado: est tal qual foi annunciado, excel lente,
e como he folha do povo, e para o povo est dada
por dous vintcns. Mito ha exageradlo.
A CARRANCA N. 2*
sabio boje, est ptima, talvez como nunca O vo-
lante da parochia de'San-Jos demonstra o prova
como ninguem o verdadeiro ponto da futura elei-
cilo: lein boeadinhos de ouro, piala c cobre; o o
vinillo toca a marciana, canta o requerimento dos
artistas, e os suspiros do I). Trombn. Tudo isto
por 40 rs. ? liemdito Dos!
i:m moco porluguez, que tem bastante prali-
ca de vendad so offerece para caixeiro de alguma,
mesmopor halanco : quem de sen preslimo se qui-
zer ulilisar anniincic. .
OSr. iigriinensor Figuciredo queira dirigir-sea
ra da Alegra n. 3, a negocio de seu interesse.
Joflo Jos da Cunlia Lage comprou, por ordem
do Sr. Jos Rodrigues Auzorio, do Rio-Formoso,
ummeio bilheto n. 2771. da segunda parto da 17.'
lotera do thealro.
Aluga-se o armazem do sobrado da ra Onei-
la n. 9 : quem o pretender dirja-se ao segundo an-
dar do mesmo sobrado.
Quem annuucou querer comprar urna casa na
Boa-Vista sendo anda queira, dirja-se a ra Au-
gusta n. 50.
Arrenda-se, annualmente, ou mesmo pelo ve-
ril o un sitio a margem do Capibanbe, junto ao
sitio om que mora o Sr. Boly com una casa soffn-
vel coelfeira, estribara, cacimba rom agoa de be-
ber e grande baixa para capim : a tratar no mesmo
sitio.
Oflerecc-sc para ama uma-mulhcr, sendo para
casadehomem solteiro do portas para dentro, o a
qual tambem cngoinmar eensaboara para seu amo:
na ra da Gloria, n. 3.
<)ueni precisar de urna mulhcrcom muito bom
leile, e queja tem pratica do criaqflo, di rija-sea ra
do Fagundes, n, 10.
LOTFRIA DO THR/'tTKO.
A venda dos blheles desta lnlprin que com tan-
ta rapidez segua, e que dexava suppr que as res-
pectivas rodas andariam tambem rpidamente, vai
soltando alguma demora lauto que depois do
ultimo annuncio pelo qual se designou o dia 27 do
correnle, para o andamento das ditas rodas, bem
pouco adianlou-se a mesma venda exislindo, por-
lanto nm n;lo pequeo, numero de bilhetcs por
vender anda. Por esta causa que nao est ao al-
cance do thesourero remover, dcixou este de fazer
elTeclivo o referido andamento no dia cima men-
sionado marcando novamente o dia 15 de setem-
bro prximo futuro para realisaQln desse acto ,
que se tornar infallivel, se os nteressados neste
jogo se propoierem, como he de esperar a coadju
var o mesmo thesourero nos meios do completar-
se a sobredita venda.
Pordeu-seda ruada Cadeia atea ra Nova a
quantia desescentose vinto tres mil res, sendo urna
cdula de 500,000 rs., duasdo 50,000 rs., e urna do
20,000 rs., com um pataco o dez tustoes dentro das
mesma : quem achou leve na ra das Flores, pois
be de um rapaz pobre c carregado de familia, que
recompensar com 100,000 rs, eticar obrigado. A
a casa be a de n. 17.
Aluga-se um bom sitio perto da praca por ser
no principio da estrada dos Aflictos, com boa casa,
estribara ecocheira, boas baixas para capim o tr-
ras para plantacilo, boa agoa para beber lavar,
e muitas arvores de (rucios : a fallar na ra da Praia,
n. 46
Ilcrmino llcrnestn de l.emos faz sciente ao res-
peitavel publico, que desde o dia 24 dcixou de ser
caixeiro dos Srs. Jos Moreira Lopes & C.
O dentista e sangrador,
Jos Anacleto, tem a honra de annunciar ao respei-
tavel publico, c especialmente aos scus freguezes e
amigos, que elle se acba prompto para praticar
qualquer operario pertencento a sua arte, para o
qu.s poder ser procurado das 6 horas da manhaa as
G da tarde, cm sua casa, na ra eslreta do Rozaro,
n. 7, junto a greja.
O annunciaiite toma a liberdade de declarar ao
mesmo publico, que a longa platica que tem, de 10
anuos, o tem habilitado a oxecular qualquer das di-
tas operaces com toda a delicadeza eperfeici'lo, mes-
mo perante qualquer medico ou cirurgiao. Outio
sim, para obviar qualquer duvida, o mesmo annun-
canle julga conveiicnlo declarar aqui os procos por
que se obriga a fazer qualquer das operaces refe-
ridas; acrcesccntanuo, que, quando o mandaren cha-
mar para este lim, lile deverilo mandar a indcaeflo
do lugar a que lie chamad:), nome da ra, numero
da casa, ele, viudo logo adianlado o importe da o-
peracilo que so quizer, afim de que venha mais
promptanicntc : nao obstante, porcm, tica lvre a
a quem quizer usar de generosidade depois de pra-
ticada a mesma operaeflo. Adverte tambem, que, sen-
do chamado e indo ao lugar aoqual ochamarem, e
ah nlo praticando a opcraco, por nilo ser mais pre-
cisa, ou por alguma circunstancia independento da
sua vontade, tem ganho o seu jornal.
Prccos dai opera(Be$ pralieadas nos bairros do llecife,
lloa-Vista e San-Jot.
Jos Itomflo Goncalves Mnniz responde ao an-
nuncio dos fillins 1I0 fallecido Mannel Goncalves Ro-
drigues, queelles, por mal aconselhados, e por in-
gratos, desconheceiido os esforcos esaorilioios que
0 aniiuiicianle empregou para levar ao cabo e impe-
trar a nnllidade do testamento do seu lio, o fallecido
FranciscoGoncalvos Rodrigues, procuram contestar
o direilo que compele ao annnneiante, nHo como
neto de Mannel Goncalves Rodrigues, como ellas di-
zem e ineuleam para (Iludir ao publico, sendo como
herdoiro instituido do Joilo Concalves Muniz que
era irmflo germano do Francisco Concalves Rodri-
gues, oque por morrer depois deste adquiri a lio
ranea e a transmillio ao annunciante, que esl habi-
litado competentemente por essa sentenca quean-
nulla o testamento do Francisco Goncalves Rodri-
gues.
O distribuidor deste Diario na cidade do Olin-
da faz publico que ello so enearrega da entrega de
cartas, papis o pequea encommendas para a mes-
ma cidade, mediante una pequea eratiOcacSo, a-
lein das cartas serem franqueadas; imcumbe-sode
tirar provises para oratorio, conlissilo e qualquer
outras; de obter despachos das autoridades da mesma
cidade c tirar certides do qualquer reparlicilo ; as-
sim como de conduzir papis de importancia : elle
partir lodos os dias das C as 7 horas da manha,e no
dia seguinte as mesmas horas dar solucffo do que
Ibe Por encarregado.As pessoas, que se quizerem uli-
lisar de seu preslimo, dirijam-se, no Recite praca
da Independencia, livraria ns. 6 e 8, a qualquer hora
do dia, e em Olinda, na sua residencia, ra do Am-
paro.
--Alugam-se duas.pequenas casas tercas sitas
na Trempe, na ra do Sebo ns. 52 e 54, por ,000
rs inciisiies: n tratar no esoriptoro de F. A. de Oli-
veira na ra da Aurora, 11. -2.
POMMATKAU, CUTELEIRO NO ATERRO-IU-
ROA-VISTA,
lem a honra de avisar 110 publico, que mudou o
seu estabelccimento da ra do Aterro-da-Boa-Vista,
n .">, para o sobrado novo, 11 16, da mesma ra.
Na sua loja sempre o publico achara como de cos-
tume um grande sortimento de cutelerias linas e de
todas as qualidades ; bem como pistolas de viagein,
c armas para caca. Contina a concertar todas as
qualidades de armas o ferragens e amla as quar-
las-feiras esabbados.
Precisa-sealugar um prelo para andar coro
caixeiro vendando pilo : naa nco-Ponlaa n.
-Precisa-se singar um snhrH- m
que soja raudo o trnha quintal <
sobrado-de
pm as ruis ma'
publicas do hairro deS.-Antonio ,OU Roa-Visla, o
mesmoalmim allia com bons r,"""",,l!,s,,1 om
Cnrredor-do-Rispo. Balancia ou em
praca : na esquina
do Sr. Gabriel
no Hospicio
algoin lugar muito perto desta
Jol.ivramenln loja de 8 pintas
Goncalves Lomlta, se dir quem precisa
do sobra-
le-
Tirar delicadamente um dente, ou urna raz
Sangrar delicadamente, porcada vez
Apartar perfeitamonte os quatro denles inci-
sivos do queixo superior
dem do queixo inferior
Chumbar um dente com qualquer melal
branco
dem com ouro, sendo preciso
Por cada applicaclo do ventosas seccas, ou
sarjadas
Pco din mesmas operafes no hairro d* S.-Anlonio.
Tirar delicadamente um dente, ou urna rail 2,000
4,000
4,000
10,000
10,000
4,000
5,000
10,000
8,000
8,000
4,000
5,000
10,000
6,000
6,000
2,000
5,000
6,000
Apartar pcrfeilamenle os quatro denles inci-
sivos do queixo superior
dem do queixo inferior
Chumbar um denle com qualquer metal
branco
dem com ouro, sendo preciso
Por cada a|>plicaclo de ventosas seccas, o
sarjadas
/reco das mesmas operaron pralieadas em casa.
Tirar delicadamente um dente, ou una raz 1,000
Sangrar delicadamente, por cada vez 1,000
Apartar perfeilaniente os quatro denles inci-
sivos do queixo superior
dem do queixo inferior
Chumbar um dente com qualquer metal blan-
co, de 1,000 a
dem com ouro, sendo pieciso
Por cada apnlicaeo de ventosas seccas, ou
sarjadas
N. Sendo chamado fra da cidade vencea na
rasflo do 10,000 rs. por cada legoa, alm dos piceos
da operacilo que fizor, quoserao os iiicsinos que em
casa.
Na mesma casa cima se acba a venda a multo a-
creditadu na Europa, agoa imperial, de Mr. Gariot,
ai ao Sr. padre Francisco Dias de cx-cirurghlo dentista do rei da llespanha.aqual be o
n descoberlo para a lim-
onservando-lhes o
gengivas, deixa na
ne as dures do
denles.
Cada frasco vai acompanhado do um imprcsso
que ensina o melhodo por que se deve usar da refe-
rida agoa. -
Vende-se nicamente na casa acuna indicada a
1,280 rs. o frasco.
___Offerece-se, para caixeiro de qualquer esla-
belecimento. um rapaz brasileiro, vindo do mallo,
do dado do 16 annotyo qual sabe ler,escrevcr e con-
tar, e da coiiliecinienlos de sua conduela : quem
precisar de seusservicos, dirija-se a ra Imperial,
n. 25, queso dir quom be o annunciante para ser
procurado. ,
--Na loja da ra do Qucimado, n. 30, de Joso
Joaquim de Novaos alcm do sortimento j annun-
ciado do obras foi tas o fazendas ha chapeos da ul-
tima moda chegados ltimamente do Franca ; mili-
to boas casimiras ; chapeos do Gbili muito finos ;
caixas do perfumarlas sortidas muito proprias pa-
ra toucador de senhora pelo barato preco de 5,000
rs.; lencos de cassa para mlo do senhora e pescoco
de homem ; muito bous cortes do chita.
Alugam-se 4 moradas de casas, com bons com-
modos, e banho perto para se passar a festa ou
annunalincnle no sitio do Cajuciro onde se pode
"m"mmz porluguez que saiba irver eajustar. Aluga-se tambem um prelo bom
pe fcic o Pn ri? doCollego cozinl.e.ro e comprador, que sabe Halar de cavallos
i pelongo "a rraniosdocasa. e que he muilo bel : a
equesejade boa conduela, para ama, a qual so se
pretende para cozinhar : no palco de N. S. do Tenjo,
n. 16.
Na ra do Rangel, n. 43, alugam-se pretasou
molcques para venderem na ra, e na mesma casa
coinpram-sc peniias de ema.
-Quem precisar comprar dous molequesde na-
eflo, de 16 a 18 anuos de idaile, os quacs se vendeni
iior urna urgente prccisilo assim como tres mora-
das de casas na povoacHo dos Afogados, na mclhor
ra, dirija-se a ra das Agoas-Vcrdes, n. 46.
Precisa-se de um piolo bom, para se ler effec-
tivamenteemeasa, e para traba I liar cm um sitio:
quem o quizer alugar, ou annuncio para sT procu-
rado, ou dirija-se a roa Augusta, n. 60.
OSr. doutor Lourenco Rezerra Carnciro da CU-,
'nha morador no Paa-do-Alho faga o obsequio de
apparecer nesta praga na loja da ra do Passeio ,
i 19, a negocio de seu muito inleressc.
-Lava-sce engomma-se com minia perfeicao e
por diminuto preco como bemseja: camisa lava-
da eengo.nn.ada a 80 rs. calcas o jaque as a 100
rs. a peca : tamben, se cose costura cha : ludo ma s
barato do que cmoulra qualquer parte: na ra da
Lapa n.13, primeiro andar.
Precisa-se de
lavrar cera com
n.5.
- Louis do Lucca relira-se para
1
i

in1
Vende-se urna boa escrava com muito
bom
3 uiezi
para meninos, nao tem vicios nem
ques, c subo cozinhar c lavar de
e vai relia: na ra do Vigario, n. 24, se
r quem vende.
13
[IUC-SO (lilla lio" cs^inva vum uiuii :p:
i e abundante leite sem lilho, parida de lij!
czes; he muilo agradavel e carinliosa 'H
i meninos, nio tem vicios nem acba- (jl:
acha-
sabilo
di-
6^r^ r-^f^^rJf^r-EEfrl? r35 fia ^!
Fabrica de machinas o fund
ca) do ferro na ra do
Brnni, no Kccife.
McCallum& Companliia, engenheiros macl.inis-
tasc fundidores c ferro, mui respetosamente an-
nunciam aos Srs. proprietarios de engenhos razen-
deiros, negociantes, rabriemiles c ao respeitavel
publico, que o seu estabelccimento de ferro, mo-
vido por machina de vapor, se acha cm elleclivo
exercicio, ecomplelamento montado com apparc-
llios de primeira qualidade para a pcrfeila confec-
co das maiores pecas de machinismo.
Habililados para emprehender quaesquer obras da
sua arle Mr Callum ; Conipanliia desojam mais
particularmente chamar a attencffo publica para as
seguinles por seren ellas da maior extraCCUO nesta
provincia, as quacs construidas na sua fabrica po-
dem competir com as fabricadas cm paix eStrange-
ro lano cm preco como na qualidade das materias
drinias e mlo d'obra, a saber :
Machinas do vapor.
Moendas de caimas para engenhos movidas a va-
por, por agoa, ou animaes.
Itodas d'agoa c senarias.
Manejos independenles para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilbes, bronzese cliuinaceiras.
Cavilhoes e parafusos d3 todos os tanianhos.
Taixas, erivos e boceas de fornalba.
Moinhos do mandioca movidosa mlo ou por ani-
maes e prensas para a dita.
Foges o foruos para cozinha.
Canos de ferro, lorneiras de ferro e bronze.
Bombas para cacimbas o de repuxo.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios,carros, obras publicas, ele
Columnas, verandas e grades.
Prensas de copiar cartas ede sullur.
Camas de ferro, ele.
Alen, da perfeieo das suas obras, Me Callum &
Companhia garanlem a mais exacta conformidade
com OS moldes e desenhos renictlidos pelos Srs. que
sedignarenide l'azcr-lhes eiicommendas ; aprovei-
tandoa OCCasfiO para agradecer aos seos benvolos
amigos e freguezes a preferencia com que teem si-
do por elles honrados, e assegurar-lhes que nflO
pouparOo esforgos nem diligencias para continui
rein a merecer a sua conlianca.
Ro"a-se encarecidamenio ao Sr. que no da 27
do correnle comprou na ra da i'iaia armazem n.
2 urna arroba de carne ccca por 3,500 res ba-
j de restituir a quantia de 40,000 rs., que ae Ibe
'leu em troco por engao una cdula do jO.OOO rs.
por 10,000 rs. sendo que nao queira ver o seu 110-
Ilesappareceu no rlia 95 do correnle, do SOI
don 18 .la roa das Larangeiras, um Pap,f"1-'
vando no p urna correnle o una crrela : 1"L"'
achou, qiiereudo restituir, dirija-se a dita casa i
sera recompensado. ja
Precisa-so de um caixeiro para venda, oqu
(ador a sua conducta : na praca da Independencia ,
livraria ns. 6 o'8. __
Pereira & Cuedes lembram ao Sr. ana, e*
alfares do eorpo de polica, a resposta da caria q
llu; entregaram.
M.8. Mawson, dentista nem
condecido
nesta provincia, tendn agora chozado daBuropa, o
leudo visitado as capitaes de Londres e Pars, don-
do trouxeos nielhores objeelos da sua prohssilo que
alhoje seconhecom, como novos inslrumenlos ,
denles e mais nocossarios para qualquer operacao
da sua arte; ofTereoe sous orvlcos aos illuslrosna-
bitantoS desta cidade conforme a SU tabella l.xa ,
0 promelte Inzer todos os esforeoa para agradar ns
sonhoras, ou sennores,que o nuixerem procurar,
das ti horas da mandan ate ns 3 di larde na ruado
Trapiche no Recifo 11. 4, segundo andar.
ATTF.NC.AO.
lima pessoa capaz e com algumas instruecaes so
prop.le a ensinar primeiras leltras e grammatica
porlugueza prometiendo todo o cslorco possive
no augmento e educac.Ho dos meninos : tambem en-
sina meninas a ler e coser com peHOlcao toda a qua-
lidade de costura. Adverle-so que se ensina por
mensalidade mais em conta do que em parle M-
guma. Quem do seu preslisaoso quizer utilisar.ai-
rija-SO a roa Vellia, sobrado ... 49,11 qualquer hora
dO dia. Na mesnia casa vende-se urna grammatica
franceza porSevene, nova, pelo diminuto pc-
eo de 4,000 rs.
Retrat s coloridos de daguer-
reolyp
Carlos 0. Fredricks lem a honra .le annunciar ao
respeitavel publico,que, estando bre^ a seguir via-
gem para n corte deste imperio com OS ltimos dcs-
cohrimenlos desta famosa arte, so so peder de-
morar nesta cidade por um curto espaco de tempo:
sso ruga a ludas as pessoas e part.eularmcn-
la cidade,
tirarcm
e por
aprovetem-se" desta bella pecasifle para
os seos retratos .le nina manera a mais perleila qno
"Vartista! para que o publico conheca o mrito.do
scus irabalbos.s pode dlzer que na cidade dOWra-
nhSo de onde se retirara lia :i me/es tirou mais do
Ires mil retratos. ....,
Retratos copiados e lamben, se liram retratos pa-
ra medalhas o aliine.ies. TrabaHia-se com a mesma
facilidad." com SOI ou sen. elle das 9 horas da ma-
nha as duas da larde.
As pessoas que quizerem podem ir examnalos
retratos que sempre tem amostra em sua casa,
na ra da Cadeia-.Vova, n. 26.
A commissao administrativa niarcou 0
setembro para ter lugar a partidadaquelle mee ,e
i, aos Srs. socios apresenlarem suas propos-
dados a dita partida boje', 31 do
convi
tas liara convu.......- ......
correnle pelas 6 horas da tarde na casa da soc.e-
d le Alerte igualmente aos ditos Srs socios,
h c nos mencionadas propostes deverilo declarar
: ,,os non.es, 8 qualidade estado e OCCUpacBo
,|s candidatos, alim de orientar a commissflo acer-
ca'da doneidadodos mesmosconvidados.
Cauniont, domador, na
ra Nova n. ii fabrica de
de azeite promptos para gaz; troca e 1
qualidades de bronze, por prego rasoavel.
.- He cliegado um lindo sortimento de
talioasc pranchSes de pinho da Suecia ,
de 10 a 3o palmos de comprimenlo, pro-
prias i.cra nm lindo assoallioou forro de
rasas, para quem tiver bom goslo, pois
nais lindas que a este mercado
..m|o: a fallar atrs do llieatro ,
Jonquim Lopes de Almeida,
Joo Matheus.
A
caixei-
;llas, que
esta l'ollia.
po
me publicado por e
- Manoel Das val ao Aracaty ; por isso quem se
julgar seu credor aprsenle sua conta, cm 48 horas,
para ser paga.
Precisa-se de um ornoiro
dara n. 69
na ra Dircita, pa-
deu ao edificio da sua
do Hospicio podera o doutor
1 sua casa doenles que desejem
Ouem precisar do urna ama para cozinhar, cn-
mmar, e fazer todo o mais servico de portas a den-
fro e ue be de boa conducta d.nja-so a travessa
;)eS'.js, quem vemda ra dcManoel-Coco, 11. 16.
Aofflcina do encadernafao que o padre F. C. de
Lomos c Silva dirijo na ra do S.-Frai.e.sco, ai-
ticamei.le Mundo-Novo, n 6b, acha-sc prvida
de lodo onocessatio para o bom dcscinp.nho de
nuor obra de encadernacao.poniiai rica que soja :
assi.nco.no ion. c aprompla quaesquer emblemas ap-
prop iados as mesmas obras.
Agencia de passanortes
Aierro-da-Boa-
sao as
teem vil
com
10 do 5r.
se acabenit
Pelo novo destino que
residencia na ra
Sarment receber em.u- |-"nj nfl0- s
?*s'^sssst2apsrasa:
mas tamben, as pessoas, ou familias, que os qui
erem acompanhar.
BOACRATIFICACAO.
luizGnnzaga da Rocha dar boa gratiflcacBo a
ouem pegar um escravo de nomo Miguel, Congo ,
muito c.mhecido por Miguel do Conzag. ; o qual
mg o desdo 17 de Janeiro do correnle anuo, de 38
.irnos altura regular secco do corno braqm, e
ernas linas; tem no p direilo um dedo por cima
Kdo mnimo ; quando anda pucha por urna per-
na Fsle escravo trabalbou mullos annos nos lam-
peos desta cidade c sabe-se que anda alugado em
s desta cidade ; bem como tiran-
aterro, por isso que he
sitios dos arredon-
do canoas de areia
le arranjosdecasa, e que
tratar no
o Rio-de-Janeiro. I mesmo sitio ou a ru. Nova, loja do Sr. Guerra. I como despacham-se
NaruadoCollegio, n. 10, 0 no Aterro-da-Boa- ^^
Vista, n. 48, continuam-sc a tirar passapories ten- "^"'^^'tado enlrega-lo 1 quem
to nara dentro, como parafora do imperio; .MwmltespeloemeosweMi, u.
romo desuacbam.se escravos: tudo com brevidade. I o pegar leve a 10.a daS.-Cruz, n. 5.
MUTILADO


A
~ O Sr. Antonio de .SouzaAraujo tem urna caita
na roa J-> Cresp.- r. rinda de 'crtugal, de po-
voacAo de S.-l adro-da Cova.
As 6 horas da t rde do da 27 do correr.te sabio 1
gato mudez capado, multo manso e novo do Ater-
ro da Boa-Vista n.24, segundo andar o cjuvl leu:
os signaos seguintea : todo cinzento lrbaixo do
Descoco un aignal pcqaeno, do cabellos brancoa c
entre pernaa nutro lamben) branen e grande cau-
da compridaoorclhasda mesma maneira: quemo
(ver far o favor mandar ao scu dono na mesma
rasa que ser recompensado.
-- Dn-se dinheiroa premio sobre penhoros deou-
10 e prata ou hypolhecas cm casas trras : na ra
estreita do Rozario n. 30, segundo andar, se dir
quem da.
- Precisa-so de um criado : na ruado Crespo, n.
14, primeiro andar.
Francisco Xavier das Cliagas visto se adiar
ausente do deposito gcral a preta Iria, rriou'a avi-
sa a qualqucr autoridarie de polica ou capilo
de campo, que, pegando-a, podera recol he-la
cadeia desta cidade visto ja ter despacho do mi-
nistro. O carccrciro podera reccher e passar recibo.
SOCIEIHDE ItF.CItKIO-JIlVEML.
O primeiro secretario avisa .ios Srs. socios, que
boje (31] ha sessflo as C horas da larde na casa da
'iedade.
-Na ra Velha, n. 94, precisa-se do urna ama sec-
08, para fazer todo o servico ilc urna casa de pou-
CO familia.
Precisa-so de dina ou tres pretal para vondo-
rem doce pagando-se 80 rs. por mitaca de venda-
gem : tambem se aiuga una preta por 10,000 rs
mensaes : na ra de S.-Francisco no segundo an-
dar .lo sobrado da esquina do becco do Ouvidojr,
defronte da serrara.
Qoeni precisar de nina mulher forra, para ama
ile nina casa de pouca familia, dirija-se a ra das
Cruzas, n. 12.
Os Srs. i.uiz Martina l'ereira Uarianno Uarlins
Perelra c Jeronymo Martina l'ereira queiram annun-
ciaras suas residencias por eata folhn, ou dirig-
rcm-sca ruada Mangueira da lioa-Vista casa n. 1.
Perderam-se no da 29 do corente, nos co-
rss engranados azues, com o peso de tfi oitavas
de ouro pouco mais ou menos, pois so nio d conta
certa por se ler perdido metade dos enlejes des-
de a ordem loreeira de S.-Francisco rindo pelo pa-
teo do Paraizo at a ra da lenla : quem os tiver
acjiadocos quizer restituir, dirija-se a ra da Roda,
n. 22, que se dar boa gratificarlo, alffl do agrade-
c ment.
Quem precisardo urna ama para casa de pouca
familia, dirija-se ao oitflo da matriz u. II, primei-
ro andar.
--Quem quizer dar 300,00o rs. a premio sobre
hypotheca em urna boa morada de casa, annuncie.
Aluga-sc o sobrado de dous andares, em Fra-
a tra tar no mesmo porto com Mnnoei de Castro da
/Vssumpcflo ou na rus do Coogra n. 13, .aslo-
jas.
Vendeni-se 16 meios de sola : na praca da
independencia, 'o_an.3.
Volas de carnauba, a 7#600.
Na ra da S.-Cruz n. 3fi, casa com fronto para a
roa da Alegra ven lem-seas mais bein feilas velas
de carnauba a 7,600 rs. a arroba e a libra a 260
rs A ellas antes que se acaben).
V'cndem-so queijos londrinos o presuntos in-
glozcs : na ra Nova, n. 3, casa de Antonio Ferrera
Lima.
Vende-se um molcquede 14 annos o urna ca-
bra com habilidailes, propria para ama de casa;
ludo em conta por scu dono se querer retirar : na
ra estroita do Rozarlo, defronte da igreja por
cima do baibeiro, n. *.
Vendcm-sedous lindos moloques de 18 a 20
annos, sendo um delles olllcial de alfaite o cozi-
nheiro; dous pretoa um olicial de sapateiro c o
oulro proprio para lodo o servico; dous pardos,
um bom carreiro eooutro proprio para pagem de
16 a 18annos ; duaa pardas urna de 20 annos com
habilidades o a outra com 12 annos propria para
se educar ; duas prelas, rom algumas habilidades ;
duas negrinhaade II a 19 annos, com principios
de habilidades : na ra do Collegio n. 3, segundo
andar, sedir quem vendo.
Vende-se cal virg^m de Lisboa,
em barris da melhor que ha no merca-
Jo Trapiche, n. 17.
A setecentosrs. a
vara.
Na loja de Cuimaries Scrafim & Companliia ven-
de-so brm trancado francez bastante cncorp.-.do
c de puro linho, pelo barato preco de 700 rs. a vara.
F.sla fazenda se torna recommendavel pela boa qua-
lidade.
aite.\(;ao!
Vende-se arroz branco supe-
rior: un ra do Queimado, n. 4.
Vendcm-se 5 (iteiros para loja ,
por proco
' abug, loja
- Vende-so um escolente
na na do
de-l'ortas n. 83 com muito bous enmmodos pin- i *>on "
mito commodo
i. 6.
niolccoto do 20 an-
uos com alguma pratica de padaria c principios de
cozinheiro, muito sadio robustoe do bonita liga-
ra : na na da Cadeia do Itecife loja de Manoel Con-
ves da Silva se dir quem o vende.
Vende-se, na livraria da ra do Crespo n. 11,
a resposta do general Wireu e Lima 1 v. por 1,000
rs.; Horacio cm bom uso por 2,000 rs.; um dic-
cionario de Constancio, em bom uso por 8,000 rs. ;
Selectas, a 1,000 rs. cada urna;Instituices ora-
torias, de. M. F. Quintiliano, 2 V. por 2,000 rs.;
Obras de Vollaire, em 5 v. por 3,200 rs.
Vende-seo resumo de arilhmetica cslraliido
de Lacrois para uso das aulas de primeiras leltras,
por 8, li. de lbuquorque na esquina defronte do
Collegio, a 60 rs.
Vende-so um mclhoilo do piano, por Viguera,
em hompjso na praca da Independencia,!!). 4 por
tado e concertado ha pouco : a tratar na mesma ra,
n. 8.", com Joflo Marques Concia.
Compras.
Comprn-se una loja de couros, na ra Dimita ,
at a ra do l.ivramento: no largo de S.-1'edro, n. 18.
Compram-se 4 eaixas redondas para rap, de
casca de tartaruga, dessas viudas do Aracaty : quem
tiver annuncie.
Compra-se urna escrava moca sem vicios neni
achaques, anda que nao tenba habilidades : na ra
do Cabuga n. 1, segundo andar.
Compra-se urna esclava moca, que sai ha en-
gommarbem, cozinbar e lavar de salijo : na ra do
Crespo, loja de miiidezas, n. 11 ou lia ra larga
do Rosario n. 26, lerceiro andar.
Compra-se urna escrava moga de boa figura,
que saiba cozinbar e lavar, e nao tenba vicio: agra-
dando paga-se bem: na Boa-Vista, ra Velha, n. 18.
Quem a (iver, devo apparecer das 11 horas da ma-
nilla as 3 >la tarde.
Contina-se a comprar ferro fundido, cobro e
hronze vclho : na ra do l'.rnni, n. 8.
Compram-80 as Odes e Ai le potica de Hora-
rio, (raduzdas awp da lettra : na praca da Inde-
pendencia livraria ns. 6 e 8.
P""
I ciarla!*.
Casa
nn rna estreita
da V
do Hoza rio n. (>.
Neste estabelccimonto acbam-se a venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do tbcatio publico
desta cidade, cujas rodas andam no dia 15 de se-
te.mbro. Ocautelista espera que OS BOUS freguezes
concorram a comprar o resto das ditas cautelas
as qnaas se espera boassorlcs pela escolente es-
colba que se fez dos nmeros para seren divididos
cm cautelas. A ellas que sio poucas e boas : Piceos
os do costume.
Vende-se um prcto de 20 annos de bonita -
gura : na ra Imperial, n. 3.
Vende-se, ou arrenda-se um engolillo distanto
desta praca 4 a 5 legoas, com 30 bons captivos,
boiada bestas safra criada, e outra principiada,
e prompto de um ludo ; a dinheiro, ou a prszo com
boas lirmas : no principio do Aterro-dos-Afogados ,
n. 39.
Vende-se, por prceisflo, urna parda de 17 an-
nos que ongomma, coziuba e cose chao ; um mo-
lecote de 19 a 20 annos bom Irabalhador decam-
po: na ra das Cinco-Ponas, largo da forca, junto
a nova matriz, n. 3.
Vendem-se 40 acqOes da conipanbia de lleberi-
be: na ruada Madre-dc-Deos, loja n.34.
- Vendcm-se portas janellas o grades para as
mesmas, tanto de louro como de amarcllo : tambem
se vendem portadas : na ra da Praia, atrs da r.i-
beira ns. 9 e 11, lauque d'agoa.
Vende-se um carneiro muito grande e bonito,
capado e muito manso, que anda sollo na ra airas
da pessoa que o conduz, sellado com o dono em ci-
ma. Todo o pai, portento que quizer cnsinar a seu
blioa cavalleiro, e o quizer comprar, dirija-sea
esta lypographia, que se dir qume vende.
--- Vende-se urna venda com os luiidos a volita-
do do comprador : na ra da Concordia, n. 26.
Vende-se um superior, escellente e muito bem
acabado cmonomelro, fe lo por mudos piimcirosc
distinguidos fabricantes de Londres sondo este o
muco em l'ornambuco, que anda por OITO DAS
quem quizer compra-loe v-lo podera dirigir-so a
,nlgal?ra kn8,e" CotumbuB, onde se acba
presentemente, ahm de sor regulado.
-- \ende-se urna canoa de can-ira aberta .
propria para fam.ba grande, de muito boa cons-
ruceflo, nova e que acha-se no porto da ra Nova :
Vende-se una escrava de bonita figura, que
engomma perfeitamcnle cose chflo, lava bem, tan-
to de sahflo como de varrella e cozinha soffrivel-
meutoo diario de urna casa : na ra da Gloria na
Boa-Vista, n. 87, primeiro andar, a qualqucr hora
do dia, se dir poique vende.
Na ra de Age-as Verdes. n. 46,
vende-se urna bonita moleca de II anuos, com bons
principios, e que nao tem defeitos nem achaques
um bonito niolcque de 10 annos ; 3 escravos, por
commodo prego, oque tifio sao viciosos; 2 bonitos
moloques de nacflo de 16 a 18 annos ; ,'duas osera-
vas para lodo o servico, tanto de casa como de ra,
e que teem bons costo mes.
Vende-se, por precisSo, una bonita escrava de
nacffo Costa, de 15 annos de dado que sabe cozer,
engominar e cozinhar : quem a pretender dirija-se
a ra das l.arangeirns. n. 1.
Vende-se sebo cm barricas : na ra da Cruz .
n. 3. '
Vende-se urna cama do Jacaranda com muito
pouco uso, com scus competentes colchoes c enxcr-
ROes, ousem ellos, por commodo preco : na ra
da Cruz, no lenlo n. 18, segundo andar.
Vendcm-se encerados pequeos, mu bem fol-
lse pintados, propnos para cobiir cargas de as-
sucar, ou carne socca por preco mais commodo
do que em ouira qualquer pane : na ra da Cruz ,
no Itecife, n. 18, segundo andar.
Vende-se a loja de fazendas da ra do Queima-
do n. 49, com peucos fundos : a tratar na mesma
loja.
Vende-se cera em velas de Lisboa muito su-
perior, em caixotes sortniento a volitado do com-
prador ; mercurio doce, de Lisboa, cm caixinhas
de 3 o 5 em libia ; cal virgeni em pedia, de Lisboa ;
vinho linio do Porto em caixotes de 18 garrafas :
na ra da Cruz, no Itecife n. 54, primeiro andar.
Vendo-so urna rasa lerrcana ra das Trinchei-
ras n. 10, que rende 12,000 rs. mensaes: a fallar
com Claudio Dubeus, na ra das Larangeiras, n.
18, que dir quem vende.
-- Vende-se una pela de 22 anuos, cozinheira,
e que enoomma e cose : na ra da Aurora n. 50
Vendem-se pocas de madapnlflo limpo com 20
varas a 2,400 rs. e a seis vintens a reta I lio : na
ra estreita do Rozario n. 10, lerceiro andar.
Vendem-se 12 cadeiras ,um soph um jogo
de bancas; linio de Jacaranda e quasi novo; 4
mangas le viilro bordadas
Vende-so cera de carnauba, de muito
boa qualidade, tanto a relalho como cm
porcilo : na ra das Larangeiras n. 14,
segundo andar.
--- Vende-se um sobrado de dous andares o so-
tio, por 6:600,000 rs. sito em urna boa ra do
bairro de S.-Antonio cujo sobrado rende 70,000 rs.
mensaes: na ra das Larangeiras, n. 14, segundo
andar.
A O ltO.11 E KA ATO.
\a nova loja de Francisco Jos
Teixeira Bastos, nos quatro-can-
tos da ra do Queimado, n. 20 ,
vende se panno preto, verde, cor
de caf eazul, de superior qua-
lidade e por prego mais com-
modo do queem outra qualquer
parle. Na mesma loja ha um
completo sortimento de fazendas
por preeos rasoaveis.
A l^OOO rs.
As mclhores luvas de pellica brancas c elsticas
na ra larga do Itozario, n. 24.
Altcn^ao!
Vendem-se superiores chitas franeczas, de vara de
largura o de cores lisas, a 280 rs. o covado ; ditas
finas, escuras e decores (xas, lendo algumas que
servem para lulo a 5,000 rt. a pega ; meios chales
ile cassa de quadros, a 440 rs.; cortes de Rnzinha,
para senhoia com !5covados a 3,600 rs. ; panno
preto lino para pannos do prctas a 3.000 rs. o co-
vado ; chales de lila e suda muito finos, a 5,500 e
7,000 rs.; zuarte de vara de largura a 240 rs. o
covado ; cortes de cambraa lisa muito fina e com
f> varas c mcia a 5,000 rs. ; superior brm tranca-
do pardo, de puro linho a 640 c 900 rs a vara ; di-
to amarello muito fino, a 900 o 1,000 rs. ; dito
trancado de linho branco, muito superior a 1,000,
1,280 e 1,600 rs. a vara; chadrezes de linho para
jaqueta a 400 rs. o covado ; riscadinhos trancados,
a 240 rs. o covado ; hamburgo de linho, a 260 rs. a
vaia ; meias para senbora a 240 rs. o par ; e outras
mullas fazendas por barato preco : na ra do Col-
legio, loja n. 1.
Vendem-se dous mulatos, sendo um com idade
de 18 annos, bom olicial de sapateiro, de linda fi-
gura, e proprio para pagem; um niolcque de 12 a
14 anuos; um mulalinho do 7, pouco mais ou
menos; cuma muala de 26 a 28 anuos, que cose
sofl'rivelinente e lava roupa : na ra do Crespo, lo-
ja, n. 2 A, se dir quem vertde.
Cortes de pelle do diabo, a
1,400 rs.
Vendem-se superiores corles da fazenda chama-
da pelle do diabo com 3 covados e meia pelo ba-
rato preco de 1,400 rs o corte, sendo da maissupe-
rioa quelcm apparecido : ua ra do Collegio, loja
n. 1.
Na loja nova do Passeio-Pu-
blieo,. l), de lia noel Joa-
qun) Pscoal Ramos,
Acndem se pecas de madapolao a 2,000 c 2,400 rs
e a vara a 100, 120 olio rs.; chitas, a li, 140 o
160 is. o covado ; pello do diabo a 200 rs o cova-
do ; chales de metim a 1,000
muito em conta : na ra Augusta, n. 60.
Vende-se urna morada de casa, sita no bairro da
Boa-Vista i a tratar na ra larga do Itozario, n. 32.
Vende-se um pardo de 14 a 15 anuos, muilo
proprio para pagem, ou paraa prender qualquer ofli-
cin.c que nao tem achaque algum: na rna do Cabuga,
loja do ourives, viudo da praca, lado esquerdo, se-
gunda loja.
Vende-se una pela crioula de 30anuos, pro-
pria para lodo o servico do una casa, por sabor
coser, engoinmar, cozinbar vender ua ra e lavar :
na ra da Cruz, n. 52.
Vende-se um molcquc peca ; urna poraOo de
couros curtidos ; 85 couros salgados; 120 meios de
vaquetas: ludo superior: na ra da Cadeia, loja de
Victorino do Castro Moura.
Yendein-se cadeiras de pinlio a
polka, a 1,280 rs. : no arco da Concei-
<;o. A ellas, por ser o resto.
. Vendem-se eaixas de cha hysson, de 6, 12e13
libras om poicos ou a relalho ; eaixas de volas
ilc ospermacetode5e6 em libra : na ra da Alfan-
dega- Velha, n. 36, em casa do Matheus Austiu & C.
63?* KM PRIMEIRA MAO', ^
vendem-se eaixas com velas de cera do Kio-de-.la-
una o quaai novo;* no ; chales ilc nietim a 1,000 rs.; pegas de al"o-
e grandes, por preco dozinho, a 1,280 rs. ; ciscados francozes a 200 "rs.
o covado ; princeza muito fina, a 1,000 rs. o cova-
do; eoulraa multas fazendas que pelo seu diminu-
to proco mo desagradaron aos scus freguezes.
Vende-se cambraa de linho muflo
lina, para lenros de mao desenlilas 011
jieilos de camisa, pelo diminuto preco de
3,ooo rs. a vara : na ra do Cabuga, lo-
ja de Hereira & Guedes.
Potassa russiana.
Cunha & Amorini teem para vender
potassa da Hussia, de superior qualidade,
na ra da Cadeia, n. 5o.
Lotera do iiio-de Janeiro.
Aos 0:000,000 de ris.
Bilbetes e meios ditos da oitava lotera a benefi-
cio do imperial theafro da cidade de Niclhcroy : na
ra da Cadeia do Recire loja de cambio do Sr Viei-
ra. Balea bilbetes vilo rubricados pelo vendedor.
iu.110 e de Lisboa ;e tambem brandos bogias e A elles antes que se acabem.
lochas: na ra da Senzalla, armazein n. 110. Vende-se azeile do peise em garrafas e cana-
r^22E*SXLm Auusla' n-s. casaea de das ; cal viraom de Lisboa, era barricas grandes e
rola* bracas hambur6uezas, porpreco commodo. I pequeas ; fechaduras grandes para portas de ar-
mazeni por prego commodo: na run do Vgario
armazein n. 11.
Casimiras clsticas, a l#00 rs.
o covado.
Vendem-se superioros casimiras elsticas pe|0
barato prego de 1,000 rs. o covado; ditas muito f.
as francezas a 1,280 rs. o covado dita de su-
perior qualidade elstica, muito fina, o preta, a
3,500 rs o covado : na ra do Collegio loja n. 1.
Qfl Na ruaDireita. sobrado n. 29, vende-se um q
J casal de escravos do servico de campo, por s
m 800/ rs., a preta tambem he lavadoira e vende- Sj
ffl deira; e por 300/rs! um preto do servico de j|j
jjj campo. jj
Vende/i-se duas prctas mocas, de boas figu-
ras, com boas habilidades; douspretos bons para
todo o trabalho : na ra doPasseio, loja n. 19, su
dir quem vende.
Lotera do Kio-dclaoeiro.
Na ra da Cadcia-Velha, n. 29,|casa de J. O. Elster,
vendem-se bilbetes e meios ditos da lerceira lote-
ra a beneficio da fabrica de papel, viudos no ultimo
vapor.
Vende-se um escravo do nacflo Angola proprio
para o campo ou servico de ra, por preco com-
modo: na ra dellortas, n. 140.
Venden)-se latas com bolacbinbas de lierva-do-
ce, foitasdeararula muito novase muito baratas;
hlalas boas pelo barato preco de 1,600 rs. a arro-
ba : no armazem do Bacelar, defronte da escadinha
da alfandega.
^**;ia*f*a s ** mmmiimmmmmm
Vendem-se 4 escravos, muito mocos, lindos, ^
bastante reorgados e corpolentos ; 2 mole- $
ques muilo lindos, de 15 annos ; um mulal- 5s
fnho de 8 annos :todos s:1o muito espertse **
habis, e tifio tem vicios nem acgaques, o que p
'^ se aianca ao comprador : na ra do Vgario jg-
j! 11. 24, se dir quem vendo. '
iwmmwmmmmwmw mwmmmwmwmm
-Vende-se urna pela de 20 a 22 annos ; de bo-
nita figura por preco commodo: na ra do .l.i-
vramento, n. 32.
Vende-se ferro da Suecia ; folha de Flandres ;
cobre para forro de navio ; dito para caldcircro cm
porcOes grandes e pequeas : na ra de Apollo, ar-
mazein n. 6.
Vende-se carne do vacca salgada, em barris:
na ra do Trapiche, n. 8.
<-m@*\0ty0 fcl0 H0 # %0 W HffltfQ
i 0
10 Vende-se bolacbiulia de agoa c sal de 20 ^
M\ em libra, todas fuiadinhas, o muito boas &
mi para cha e caf; bem como de leite o ovos que (
& servem mesmo para doentes, por nlo to*cm 0
O composices oleosas; biscoulos redondos,
<9( doces e d'ovos : bolacbinhas; falasdoa rooe-
t> mos: ludo foilo com lodoasseio e das me-
|^ Ihores farinbasqueha lioje no mercado: tam-
bem se vai fabricar bolachina de ararula : no
^ pateo de S.-Cruz, padaria n. 6, defronte da
0 igreja.
a
m
Vende-so fio da India, proprio para coser sac-
eos : na ra do Trapiche, n. 8.
Vendem-se 191 pecas de cabo de Cairo : na na
do Trapiche, 11. 8
Vende-se um mulalinho do 16 annos de ida-
de; outro de 12 annos; urna ptima mulata de idado
do 14 annos; um bom molecolo de 12 annos; una
negrinhado 16 annos; dous escravos de bonita fi-
gura, sendo um caiadoreoutro cozinheiro : na ra
Drelia, n. 3.
Veudem-so tres escravos para servico de cam-
po, por seren acostumados a Irabalharen. na lavou-
ra c quererem ir mesmo para o mallo: na ra do
Queimado, loja n. 42.
Escravos Ftigidos.
~ Fugio 110 dia 26 do corrento, um escravo
crioulo, de nome Caelano, alto, peinas compiidas,
anda de cabera baixa alguma cousa corcovado do
*0 anuos pouco mais ou menos : quem o pegar le-
vea ra da Cadeia-Velha, n. 33, a Jos Hodrigucs
de Araujo l'orto ou em l'cdras-de-Fogo a Joaquim
de Franca Cmara Jnior, que ser recompensado.
Fugio, no dia 26 do crlenle, pelas 11 horas da
manhfia do deposito geral desta cidade urna pio-
la denome Iria crioula, escrava doSr. Francisco
Xavier das Cliagas. morador no Aterro-dos-Afoga-
los ; aqual teui os signaos seguintcs : estatura re-
gular, fula ,com falta de denles na frente a falla
um lano lina : levou saia de ganga azul e panno
da Costa : quem o pegar leve a ra de Hurtas, n.
140, quesera gratificado.
~ Acba-sc, desde o dia 16 do passado fgida a
pela Joanna, de nacao Bcnguela de 30 annos pou-
co mais ou menos ; be bem condecida por usar de
de vender sapatos para senbora, fi netas, bolos, etc. :
he alta, secca do corpo cor fulla rosto comprido,
ollios fundos, nariz um lano afilado denles lima-
dos, beicos grossos ; tem una marca antigano la-
doosquerdo do rosto proveniente de urna denta-
da que Ihe deram bracos linos e compridos pos
seceos e tambem compridos, pernas cheias de voias
e encarocadas; he bstanle ladina. Esta preta,por ter
muitosconheciinenlos,julga-se estar acoitada : por
sso protesla-se usar de lodo o rigor da le contra
quemadmitti-laem sua casa e mutose recom-
menda as autoridades polciacs captiiesdo campo
c mais pessoas do povo a captura da mesma escrava,
promcltendo-s? ans ltimos boa recompensa, sea
levaren) ao Aterro-da-Boa-Vista n. 17 fabrica do
licores de Froderico Chaves.
-Contina a estar rugido desde o dia 14 do Janeiro
do corrento auno o preto de nome Salvador, nacflo
da Costa, que representa torSO annos de idade,
com os signaos soguinles : bastante alio, secco do
corpo, um dedo mnimo de urna das mflosaleijado,
ps grossos, peinas finas, pouca barba : quem o
pegar leve-o u praca da Independencia, loja n. 3,
que ser generosamente recompensado.
PEK.: HA TYP. DEM. F.LE KA1UA.147'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2NV1JYR5_IXL8E0 INGEST_TIME 2013-04-26T21:54:29Z PACKAGE AA00011611_08529
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES