Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08528


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
Auno deI847.
Segunda-feira 50
> M4RI0 pul.lic-sc toHos os dias, que nao
iwr>t' Pre? '', "signatura !>c <
for"1 e nnarlel, pans adinntadnx. Os an-
,3l"""5'l'i aislantes slio inseridos rasode
nuncio* in(| (i>rs em typo dillercnlc, e as
jo ts. I',r ".|j'metido. Os que n'io f rom ossig-
r.'pe";oCi \r-0 so rs por linha, e Iflil ein lypo
A5ES DA LA NO NEZ. DE AGOSTO.
i. a 3 ,10ra e ",'n *** m,nn"'a-
Mins"' "a !jM |0 liorasc 7 min. da monli.il
':U1 ""te' a I. Bi 2 hora o 44inin. da inanlifia
t'r**j,' a 1i,:'s 3 ll0ras e *8 """ daminhi.
PARTID DOS CORREIOS.
(joianna e Parahvba, s segundas escitas feiras.
Rio-Grande-dn. Norte quintas feiras ao meio-dia.
Coln, Scrinliem, llio-Formoso, Paito-Calvo e
M acelo no i,, a 11 e 31 de cada miz.
(Fimnhan e llonito. a 8 e 25.
Una-Vista e floras a I3e8.
Victoria, as quiulas feirn.
Oliuda, todos os dias.
PREMA.l DEHOJE.
I'rlineiri, s 8 lio-is 30 minutos da tarde.
Segunda, s 8 horas e M minuto! da inanha
Anno XXIV.
N. 194.
DAS D\ SEMANA.
30 Segunda. S. (jaudencio. Aud. do J. dos o.
^ iiho* doJ. ic. da 1 v. e do J. M. da I V.
' 3i Tero. S. Raymnndo Nouto. Aud civ.'da I. v'edo I. de par do 1 diiL de t.
I yunta. S. F.gidio. Aud. do .1. dociv. J v.
e do J. de paz. .lo 5 dist. de l.
5 Quinta. S, E.tevab. Aud doJ.dc orpli.
doJ. ir.mncipid da I. vara.
3 ula.S. liuleinh. Aud rio I- dociv. da I.
v. e dn J. de (ido I. disl de t.
4 Sablado. 8. Candila. Aud. do J. dociv.
da I. v. c do i de paz do 1 dist. de t.
.. Domingo. Nossa Senliora da Pcnlia.
CAMBIOS NO DA i DE AGOSTO.
Cambio sobre T-ondre. iMdp.ll. ***>
P.ns 3!.5 rs por franco.
Lilboa 105.. 1 ti. de premio.
I.esc. de Itllras de boas linn-s de /,, I /,.'" m
Ouro-Oncs lespaubolas ... MfOO a 59.000
Modasded i00 vell
, de 6f 40<> uov
de 4fOOo ...
/'rola PoUcei .....
Pesos coluniinres.
Ditos mexicauos..
Miud
lofMul
ifljfion a
OfiOO a
l}90 a
I #910 a
l|8l> a
IJ9I0
IGJMIO
lfjot
9M(
l#0
ifaio
IJ80
950
Aecta dacomp.do licberibede SOfOOO rs.ao por-
DIAiuu
PERIAMBUCO.
EXTEBIOR.
COIIRESPO.NDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBLCO.
LISBOA, 31 DE JULUO DE 1847.
Secundo as ultimas noticias receidas consta que
seco/a perfelto socego nos districtos de Faro, Coim-
iira Guarda, Portalegre, Sanlarem, Vianna, Evora,
Cistello-Uranco d Villa-Real, continuando os homens
i'o servico da junta do Porto a entregar as armas e
'outros objectos. S nodistricto de Castcllo-Branco
se entregaran! 800 armas.
Nodistricto de Hoja lambem rema socego, e so
alcuns rebeldes da Vidigueira anda nlo so apresen-
taram s autoridades, nem entregaran! as armas,
aineacando os que olizessem. Em Podrogo, lugar
da residencia do Galamba, tambem anda se conser-
var alguna armados. .....
I ni Cho-dc-Couco eMacaas-do-D.-Mar.a anda ha
revoltosos armados que deram vivas a patulea na
villa de Avcllar, c no concellio do Ruives atacaram
is autoridades, e izeram fogo para dentro das ca-
sas; porm, sendo acometlidos pelo povo de Vieira,
rugirn) precipitadamente, deixando sete rendes.
O balalbfo de caladores n. 3 chegou a 15 do cr-
lenle a Villa-Real de Tras-os-Montes, e a 16 chegou
a Vianna o regiment n. 13, partipdo qualro compa-
tibias no dia 17 para Valen?. ;
O duque do Saldanha entrou em Gu.maraes no da
11 Foi cumprimenta.lo pela commisso municipal,
que Ibe dirigi urna allocucjo, e por todas as pessoas
dislinctas. No Porto descobriram-se alguns arma-
mentos e outros objectos que cstavam escondidos.
O batalhao docacadores n. 1, commandado pelo
tenente-coronel Joaqtiim Rento Pereira, chegou aqu
no dia 24, viudo do Porto, a bordo do vapor Mmaello.
Foi recebido, comoosregimenlos 16 c grauadeiros,
rom msicas, foguetes e vivas. El-rei e os principes
toram assislir ao desembarque deste batalhilo no ar-
senal, mas nilo o acompanharain ate ao quarlel, o
que parece ter desagradado ao conimandaiit.: o ol-
iiciaea. ... >
O general Concha havta chegado ao Porto no da
19, com todo o sen estado maior, sendo multo bem
recebido pelas autoridades daquella cidade. O gene-
ral hespaiihol manifestou-se milito lisongeado pelo
benvolo acolliimento que IhelizeramSS. MM. a nai-
nira c el-rei, de quem recebeu condecorares e o
titulo de maiquez do Douro.
A aKandega do Porto tem tido grande movimenio
desde o restabelecimento do governo legitimo. Em
seis dias expoitaram-se 2:017 pipas de vmho.
A chegada de um tal Vasqucs, que fra carcereiro
da relaco do Porto durante o dominio da junta, la
caiisando acontecimentos desagradaveis, porque es-
te individuo havia maltratado alguns presos. Poreni,
como se ochasse pronunciado o mais um chayeiro,
por terein sollado alguns facinorosos, por occasiao aa
sabida dos presos polticos, o governador civil '
inandou prender, e conduzir cadea entre urna lor-
ie escolta, quenSoconsenlio que Ihe lizessem mal
Em Coimbra fizeram-sc grandes festejos pela en-
trada do duque de Saldanha no Porto. Ilouvc le-
Ikum, luminarias e logo de artilicio.
A aasenibica porluensedcu um baile em obsequio
do general Concha. Algumas tropas hespanhoiassa-
hiram do Porto para Ruivfles, ahin de icslaneiectr
a ordem.
O governo ordenou, que os empregados puDiicos
se apiesentassem a fazer servigo as suas reparii-
cOes, visto que o servico militar linha diininunio
Nodiadachcgada do batalhao de caladores n. 1
alcun soldados desle corpo'o do regiment n. 16,
tiue divagavam pela cidade, tiveiam una grande des-
ordem con. os gallegos do chafar./. teUnto,,M
quaes maltrata rain alguns gravemente. 08 ba tgos
loram-se uucisar ao ministro da Hospanha, que |.a-
recc dinuiia ao governo una ola mu enrgica so-
Lro e onegOOio. Alm disso os soldados do regimen-
t n.16leem commettido em varios pontos da ci-
dade, sobre ludo as immcdiaces do seu quarlel,
oravestroiieliasconlracidadaospacilicos.
6 Consta tambe... que o batalhao dos Alga, v.os, logo
quedese.nba.cou en. Faro comn.elleu K"""*-
eessos. Dizen. queassassiuara.n um pad.e, coiUn
o-lhc o nariz e as orelhas o ""n'*$t
olhos. As familias de Jos CoelhO, ^^JudWO-
n.oraeoulrasvirani-.seconsliang..las a eniigiarpa
,a Hespanha. Aqu lodos aecusam o |MfM desKracas.porlerdeixado ir com armas aquello ha
lal.r.0, que emtoda a parle se l.i.l.a comporlado
'"po^eniquanlo ainda niio semudou o ministerio.
Diz-sc oue Sir II. Seymaur dirigir urna ola a rai-
h, diS que cri preciso ..ornear umnovomi-
srio a .'ao'dia 29, para elle o commum.-arao seo
Loverio tiois que este nao admiltia desculpas aes-
ues cito Parece que a rainha dissera que eslava
l^inbnstaVeem sido^dos
nidos, visto que oscauraii
dalchoje3l.cque leem "
loalenlativa, espera d-
actual gabinete permanece no poder ate reuniilo
das cortes, atravessando assim a poca das cleicftes,
as quaes se praticarao as costumadas tropelas,
para o quo o julgam milito apto.
Parece que com efleito a suspensivo das garantas
terminar boje, e quo no dia-2 docorrente fporquo
amanhaa he domingo) sahirffo luz os jornacs que
se acharem habilitados, entoando urna tremenda
canlilinaria. A Remluftlo c o Patriota segu rito o
seu antigo rumo advogando o progresso, um mais
nutro menos exaltadamente. O Correio di Lisboa o
Telegrapho remndir-sc-hilo n'un novo jornal intitu-
lado Estandarte, redigido pelo padro Lacerda e ou-
tros cahralistas moderados, que advogarao a causa
do conde de Thomar. Os Castilhos, Lopes de Lima e
outros saliirflo luz com o seu jornal, para advoga-
rem a causa do Jos Cabral.
Falla-so da publicacDo de outros jornaes de dille-
rentes cores polticas. Coito mpresso um prospecto
para um grande jornal intitulado A /Vacau, que se-
gundo uns he realista puro, e outros setombro-rea-
lista ou iniRtielista. O fundo deste jornal he por ac-
cOes deSOOOOris cada nina, pagas em prestacoes
de 1#000 ri. Todos os indiwduos empregados no
jornal, uur na parte iutelleclual, quer na material,
devein ser accionistas. Dz-se que os redactores sao
seis, e que ha urna commissao liscalisadra das tlou-
trinas do jornal, lia quem assegurc que esta empre-
za nao vai avante, mesmo porque nella hguiam
aves de ino agotiro.
Prccc lambem que se publicara a Revoluto do Mi-
nti, mas com nova iedacc3o, o sobre outros auspi-
cios, diversos daquelles que a dirigan! antes da re-
accaode6deoutubro.
Falla-seiguaTmcnle da publicado de um jornal,
assalarado pela cmbaixada hcspanhola, com o titu-
lo do Iberia, que ter por objeclo advogar a incorpo-
ra cAo de Portugal a Hespanha ...
Desgracadamente um tal projecto tem boje alguns
andadores nos exaltados dos partidos, que nao veem
outro espediente para melhorar de condigno, senilo
este aviltante e deshonroso. Portugal unido a Hes-
panha nao seria mais do que tuna provincia do remo
vi/ii.ho, como a Caslella, a Navarra, a Oalli/.a, tc.;
oasua condiqao se tornara anida muilo peior o
que oi antes de 1640; porque os meios do sacudir
o iuco sao liojo muilo menores qne entao. I orlu(,ai,
pela, sua posieflo geographica, pelas suas ricas pos-
sesses da Al.ca e da Asia, e pelo arch.pelago da
Madcirae Acores que ainda possue, esta no caso d.
ser una nacfio ndcpendenlo o rica, e bman
lloresceu antes da desastrosa jornada de Alcacel, c
depois da evolucao de 1640; o ponto esta que st is-
tirnem os abusos da adminislracao; ,|i.e baja eco o-
m5 as despezas publicas; em su.nma que baja ho-
mens oue se dcdiquemde cora?ao econ dtsinlc-
eseaobe,n o prospe.dade da sua pa na. Os que
onlraainauniaode'portugal a Ke.nha por corto
oue ndo uucrcMi isto, renegaram do nomo yo. tu
Juez "divido muilo que lonham nascide.emPortU;
Sal Acredito que, se o tal jornal sah.raluz, lera
ooucos leitores o n.uitos adversarios.
' Apoza, de so ter acabado a guerra civil, o de se
fiozir de socego, Lisboa acha-so ma.s ,1o que nunca
falla de diverti.ucntos. O thealro de San- -arlos e-
c.ou-se depois de lutar com multas d.u.cu dades
pela falta de concurrencia; e se nao fosse o U"'1'0
quolhod o governo, te.-sc-hia fechado antes de
acabar a poca theatral. ____
O theatro de D. Mara II, falto do subsidio e de con-
currencia, e victima a soctedado de dissencocs mtes-
linas, intcrompeu as tuaS represenlacoes, e so de
oiloem oito dis he que da urna recta e-n benelirio
do algn, actor. O theatro do Salare esta fechado,
e o do Gymiiasie apenas d de vez em quando algu-
mas representacOes. Nao ha louros, euma compa-
nllia do cavallinhos que aqu se formou com va-
rios artistas d.t de Mr. Paul, quo licaram en. Lisboa,
e outros que vieram do lora, apezar de ser bem aco-
Ihida as lies ou quatm representacOes que (leu,
pela pericia dos ditos artistas, vio-so constrangida
por Talla de concurrencia a ir percor.cr as provin-
cias, onde parece que tem feilo mais mteresse. El*-
atiui o estado que aprsenla Uryssea augusta, que pe-
lo silencio a que esl redu/.ida bem se pode compa-
riT\)u-so que o motivo de nao ter ido el-rei acompa-
do Porto, acompanhado do seu estado maior,,dos M-
neraes Mcsnuita. Rezcnde, o Ferreira, dos barcos na
.7 o de (K "m o de outras n.uitas pessoas. Voio no
vinnr Infanl-D.-Luh, o foram-no esperara barra o
Zquezttronteira. o commandante da pr.meu,,
divisan militar, o commandante-geral de engcnliLi-
os os commandante. dos batall.Oes nacionaes o
outras muitas pessoas dislinclas, ludo em, ei, va m-
res da companhia da navegaQao do Tejo quo^afrt
(ID, os quaesacon.panl.aram o vaporen '|uo vinl a
o duque al ao desembarque, IW*Jlg
msicas que iam nos vapores, c laucando n u os o
guetcs aoar. No arsenal estavam esperando as d
mieiVs da Tercerae de Saldanha, o diique- da lei-
ei7a",M!tra"Sasse,,horas e He.ro-, e um
destacamento de todos os cornos de, linl a. e ntciona
es O dunuc, depois do receher as fehciUce dos
seu..migoae admiradores ,diriK.o-se,em c-i ruagem
ao paco, onde receben de SS. MM. o mclhoi acolhi-
'" Hontem houvo um grande baile na MSembla Lis-
bonense em obsequio ao duque do Saldan!... a que
assistiram lodos os ollic.aes do asunto MU1MM
nacionaes, o muilas sonhoras e cavalleiro. A (une
cilo estovo brilhantissima.
V Parece que o duque de Saldanha dem.tt.o multas
autoridades administrativas do M.nl.o qMUikw
sido nomeadas por Anlo.no Pereira dos Res, 61 no-
meon-OUtras das alTectas a junta do Porto, 1 / n lo
que era este o modo do conservar socego naque la
provincia. Este passo c a hospedage.n que 01 duque
aceilou en. casa do vscondede Azcnha, em Guima-
raes, tendo este seguido as partes da tonto, W com
que os cahralistas do Porto o do Lisboa dissesse
que o duque linha apresentado ma.s urna caia.e era
CTsgC:SqueS.M.arai,.l,assig.,raodecre
lo exonerando do ministro de Portugal em a. lid o
conde do Thomar. D.z-se que S. M. assignra cata
exonera^ a costo, mas que o Diera >>tonsdo
corpo diplomtico. O palacio da Estrella tem-se an-
dado a preparar lusoaamenle para recebe, o cx-em-
baisador; porm aeredito-seoue ocondedeTItomai
nao regressara tao depressa a Lisboa.
HESPANHA.
JOHNaS DK MiliHID ATE' 21 DI! JULUO.
S M a rainha D. Isabel II continuara no real.ai-
llo de Santo-Ildefonso sem novidade na sua impor-
,atesade. S. M. ja linha saludo apa no sen
carrinho. Comeeavam a flluir as principaos perso-
nagens da cArte, o esperava-sc que em breve esTs-
na^reimida naqi.elle sitio a ma.s elevada soc.edadc
de(iMt allirn.a.que, por orden, do gOvernOjSa
esta imprimindonaimprensa nacional un. volumo
contendo iodos os documentos relativos a quesmo
TC assevera que en. alcunsirnaes de I on-
dresse publicou urna carta de Mr. Henderson^ agn
te e.n Madrid dos credores estrangeiros, da qual < ar
tamanifesta que o Sr. Salamanca ni.nistro da -
zonda, esla disposto a converler a divida iCtlfl^om
3 por 100, cujos dividendos serao garantidos com
os drcilos das alfandegas ou nutras rendas.
0 Heraldo diz que mo sabe ale que pNtolMdU
exacto; porm quo os jornaes inglcjo tal. OM
desconlianca desta proposta. Os cedore iam rou-
nir-se, para deliberar sobre a carta de Mi. Hend,r-
son.
NOTICIAS DAS PROVINCIAS.
A demora do correio da Catalua den W"ana
sc espall.assem hontem as noticias MMjMmw-
tes a aterradora. A cl.ecada do refer.doco.rcio,
eonservarSo oppo. tunamente as alturas ca"*
ou pontos convenientes os vigilantes que lorem
necessai ios, para descobrirein o terreno, e para que,
nocasode avistaren alguma partida de facciosos,
avisemos respectivos povos, os quaes nnmediaia-
mente looarflo a rebato, que sera repelido pelos ue-
malsalli rilinhOS, sem prejuizo de se dar parte ver-
bal ao poni fortificado mais prximo.
>" As Justinas, incluindo o secretario e os doze
rnaioros conlribuintes do povo ein cujo termo Tor
roubado O eorreio, sem terem eumprido O que no
rtico antecedente tica ordenado, serao do ludo res-
ponsaveis na conformidade do que adianto se dis-
3 No caso do incorrer alguin povo em falta, ser.lo
presos os seus concelheiros nuinicipaos, o secreta-
rio c os do/e primeros conlribtiinles, coi.juucla-
mente com os donos das casas do campo e quintas
e tirando a surto a terca ou quarta parte de unao
outros passarao captol da provincia para soffre-
ren. o castigo que eu julgar conveniente mll.gir-llies
ovornalivamente. ....,-
' 4." O povo iminedialo ao oulro eiiiqtie se homer
tocado a rebate, o no acudir, ou nflo repelll ,10-
que, incorrera em igual tolla, eoSteui MBCaM-
ros o primeiros conlribuintes serao punnlos como
ordena o artigo anterion. ___ f
:, Os destacamentos de tropa situados nos reie-
ridos punios da estrada, leem orde.n de acudir ao
sitio sonde so tocar a rbate, jiara preslarem o con-
veniente auxilio. .
As autoridades da provincia do Aragao teem to-
mado dillVre.ites providencias para persoguicao dos
rebeldes. DaSaragoca tlnham saludo duas compa-
uhias de infantaria. De Terue saino no da 1j o
chele publico com a guarda civil. RrtM rweto-
do ..aquella cidade a noticia de que urna giicrnlha
Je 13 facciosos bavia paseado o Bbro. .
A laccao do Estudanle, segundo o despacno tele-
grfico publicado pela Cauta, Ib. toangdano d*
n i lorat. fe. idos o commandante da columna o um
oflcial de oavallaria. No dia tu imnou a^aeratoea-
,1a por oulra columna, a leve que ^*to*
no*ampo um bomem morto, oilo cavallos o mu.tas
rmM dc fog0- iHeraldo.)
Diario do Governo.)
esperado ja com aticiedade, veto desmoniii
q eles boatos. 0 ,,s jornaes de a,ce oiia do da 1-
os da., explicac.u. da causa que Pdu20 aasaUS-
adora denlo,a, e bem assim dos moi .vos ou deram
lugar a que nSO cliogasse a Barca nna fMto nodla
16 o enrelo de Madrid que devia chegar no dia 15.
??qu^;!n3 mens e pSE cu, completa debandada. Por este mo-
TRIBGNAL A RliLACAO'.
Jl LGAMENTO NO DIA 28 DE AGOSTO DE 18*7.
Dtsembaryador de semana o Sr. Hermelindo de Ledo.
Man.laram dar vista ao curador gcral nasseguin-
^Na'lSdministradores -lo patrimonioidoMMa.
.oda GToria nesls cidade a Jollo Tavares Cordelrp ;
lNa" de Manool Ignacio de Ol.veira, como, aidj.n*
irador de sua escrava Luiza, e Mana Magdalena ia>
"Kitmff'o recurso de eleicOes de Francisco
das Ghagas unha.
Cmara municipal do Recife.
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 11 DE AGOSTO
DE 1847.
rnasiDERCU no su. aaoo alouquerque.
Prsenles os Srs. Cameiro Montero, Cintra,,Dr.Ne-
rv, Reg Barros o Barata, abafc-se a sessSo a loiit-
^o^daprnvinea,^,^
1 para"^'numi^Urodesgosto.quo c.=
osseusexcessos praticados em GuimarSu Oulros
qurem que. fosse por .ns.nuaces docorpo d.pon .-
fico que maiiifcstou a Sua Magestade o sen penr.P*>a
nasso (iue den. acompanhaiido os granadeirose ti. 10,
nao era dsse modo que se suffoeav. .mtoeflo
los i.artidos. nein o conmiandanle en. chefe conso.-
va' a Tvida imp.rei.lid.de. YStSJSR
ouo o batalhao de cacado.es recebera urna Uunc-
"o pan Ihajirar todo o desconle^mento, eque so
denominara para o futuro 6atame> de aliradoie do
'"'s'ahf na crvela Iris para a Iba Terccira o bata-
Ihnodecacadoresn. 5, vai render oscacadores m 4
oue all so achavam c quo tomaram parto na rtvoita.
O regimenlon. 12 que esta na Maduira, sera rendi-
do por cacadores n. 6.
As tropas hcspanholas do Alenljo ja vollaram
Extremadura llespanhola, e as que eslavam no Mi-
llVO o correio, que
Unlia de alravessar o lugar do
iB1dOS para eslare... prev- mcsl,.o gove.auo, n...., --- d ,>arccc
elisias querem fazer bernar- ^O^jW^'g1 (leslill0 a rMu-
EO, gora. acreu,lB-Sc que o rnih.sJe" meu;
dar por frca, porque osdeaejOa do paco utque u
togealaaedto-se ^SSlS^^^Jl^^S^ a^ dUqUC de SaldaHl'8' V"d
,|,ale pan u en. casa Simn ate as tres horas da
Urde e nao pOde chegar a esta captol SCnSo as tres
loras desta madrugada.
(tlarceloncz exprime-se deste mono .
? 2 con" "o de Madrid que devia ftewantotda
linnlctn chcKou hontem as tres horas da madrugad..,
eJundose allirma, a causa da demora 01 ase-
ffuinle poiicu depois de ter saludo o COITeiO de -
Satoda fui avisado o conductor de que un -
lldade toCCioMS -.eslava esperando escondida n u-
Uda de 11(. _.. ..!',.. immediatameiite. pa-
siUon fre,n os rebeldes deixando dozo monos na
Ml|e*vtof IW so repita o atlentado commettido
".al r faccioMS que queimaram o coche do cor-
E^wiua trazia a coi respondencia publica de Ma-
drid ara Mria o ca'pitao-genera do pnnc.pi.-
do dirigi urna circular aos povos da Calal..!...,
enneebida nossegunles tormos :
'lodos os povos que em seguida v3p notados e
todos os que f.carem a direta e esquerda da estrada
desde Lrida a Molins-de-Rey, ou na mesma estiada,
novo a'-fcbroamarelia nailha da Boa-Visto porm
crn carcter benigno, segundo Ihe o declarado em
aviso da secretoria de estado dos negocios do impe-
nranmdeqi.ees.acamara......*g^
Hilarias que foro.,, conven.enles. "ACCUSOU se a e
cepcao, eoir.ciou-sc aocirurgiao da cmara para lo
mar as cautelas necessarias a tal "jJ* ,-t, de
Outro, participando que por aviso da aecrctor a ae
estado dos negocios dajust.ca,dc 28 de ullio u I ti-
mo, houva S. H. o imperador por ^2S*5
juizesdedireilo Eelix Pe.xolo de 11 i toM._ o to
'comarca de Pau-do-Alho para ajegunda varai M
desta cidade, e Jos Tlio.naz NabUCO de A.aujo Ju-
do Ia rclWida vara para a comarca ,1o Assu na
."ov'mcia do l;,-..ra!idc,-do-Norle. h.to.rada e ac-
CUOuUoemS!osto aciesia cama.,, do M de ju.ho
2US2& e^PSKta do ju.z de paz do
Mwod'strcto salvo se oulra cousa fordeter-
ffla pelo governo imperial, a quem consultara
cobiinciilo eexpedio-se aconvonienle ordasn.
Outro, participado o nasc.mento de urna pnnee-
za aueS.M. afmporalriz den a luz com reliz suc-
cesso no dia 13 de julho ultimo, conformo Ihe foi
cominui.icado em aviso da mesma data, aflu de que
sfacaiii as deii.oiistrac,ocs de jubilo, quo sSo do es-
Ulo#4iortao fausto motivo.- Accusou-se a reeapcAO
o niandoii-se publicar por edital o precodente olli-
cio pedindo-se aos municipes quo bouvessetn de il-
luminar as suas casas as notes do 13,14 o 15 do cor-
rele, por tao importante motivo.
Outro, remetiendo por copia o imperial aviso do
17 de junlio ultimo, expedido ao presidente da pro-
vincia do Minas, solvendo duvidas sobre a le regu-
lamenlar das eleic,Oes. ~ Inlerada, accusou-se a re-
ceprjo e lizeram-se as necessarias parlicipacoes.



1
I 1
I
*1

I ,
\
%
I

Ontro do procurador, consultando a cmara so Iho
he licito pagar a s 1111 la ledra da companhia lo
Rehoribo, dita qnnlas destinadas para oaloameitto de
ras, oii conecto dos predios do n cas de que pode actualmente saliir esta despezn, vis-
to que a lei do orea ment municipal para o prximo
futuro anuo nilo marcou consignadlo para ella, c
que t pagara a primera lettra sol sua responsabi-
li lade, por nfio lertdo deciafio alguna a tal respoi-
to. -- OffiViou-se io Exm. presidente, pedindo auto-
riaacffo para o respectivo pagamento.
Outro do mesmo procurador, fazendo ver cma-
ra a necessidado de scrcm concertadas, ou reedifica-
das as tres casinhas da Soledadc pertencentcs ao pa-
trimonioda mesma cmara, visto o oslado de rui-
na cm que se acham, sendo de opinifln que no caso
do seren reedificadas se reduzissom a duas, alim de
licarem com mais algn) commodo, por seren ac-
to.iltente muito acanhadas, o nenhuin fundo le-
rem. -- Quo se autorise ao procurador a mandar fa-
zer smente os concertos que forcm necessarios.
Outro do mesmo, expondoa prccis.lo quetambem
ha de ser reparada a maior parte dos quarlos da
praca do mercado deslc bairro, c as capailas e en-
trada do arco principal da do mercado da Boa-Vista:
e para esse fim lembrava que se podan aproveitar os
materiaes que soliraram da obra que se fez na ribei-
parcellas quese reunissem para o recebi ment de no-
tas, bem como das que se cobrassem por codeneia-
dos contribuiiles. lizessem os recebedores urna re-
latlo em que se comprehendesse a declararlo dos
nomes dos mosmos contribuintes, das parcellas reu-
nidas e das quanlias cedidas.
I'ila secretaria da guerra ordena ra-se ao inspec-
tor-fiscal do exercito, que sem dilaeflo restaheleces-
se, as diversas divisOes militares, as delegacOes de
que trata o rogulamento de 18 de setombro de 1844,
alim ile proceder-se com a maior actividado as re-
vistas de liquidadlo c verificaeflo dos corpos do men-
cionado exercito, desde maio do aiino ltimamente
lindo.
Km Torres-Novas, urna ligeira altercacflo entre al-
gnns voluntarios do batalhio nacional o os amnis-
tiados tivera por consequencia o assassinato de um
desses voluntarios, cominettido traicooiramente e
noite. Aprisionaram-se os quo se suppunha bave-
icm-sc manchado com o ganglio de um sen conter-
rneo, o proseguia-sc as iudagacOcs que deviam
de guiar a justica no doscobriment dos yerdadeiros
culpados.
Km certa freguezia do concelho de Odemira, ainda
ra do peixe em 44, e que existem recolbidos nos'havia alguns rebeldes om armas, o tflo dispostos a
I "toada mesma r.beira, tendo-sc, por isso, de s-| permanecerem em seus principios, que, a 21 do pre-
a%eWt%*.^r2Wv
pela quoia res|
Ao mesmo lempo represenlava o dito procurador a
necessidade de providencias, para quo baja naquelles
lujares o devido asseio, remuvendo-so delles a inde-
cencia e asquerosiilade quo esultam, nflo s da aecu-
mulaeflo de infelizes mendigos e leprosos quo all
vao abrigar-se e morrer, como de mullicrcs dissolu-
tas quo mullo perturban o aoecago o offendem a
moral. Inleirada, e resolveu-so quantoa primeira
parte do oiTicio cima, que man lasso proceder nilo s
aos reparos de quo faz meneflo, aproveilando os ma-
teriaes existentes, como tamlimn aos concertos ne-
cessarios as calcadas da praca da Independencia; a
que quanlo a segunda parte do referido olllcio, nada
podo a cmara providenciar.
Outro do fiscal da Boa-Vista, participando que a
iinporlancia das multas impostas em o mez lindo foi
de 60,000 rs. ; e pedindo se mandasse pagar ao cirur-
giflo Joflo Domingues da Silva a quaulia de 3,200
ris, de una corrida de sade que com elle fez em o
citado mez. Inteirada, c mandou-se passar man-
dado.
Outro do fiscal de San-Jos, aprcscnlando os map-
pas do gado morto para consumo, nos mezes de maio
ejunlio ltimos.Inleirada.
Outro do fiscal do pi co, informando favoravel-
mente a prcteneflo do professor de primeiras lettras
da mesma freguezia, Jos Amonio Goncalves de Mel-
lo. Inteirada.
Foi remedida ao F.xm. presidente da provincia a
planta do Gorredor-do-Rispo, da parle em que tein
sitio o sonador Mannel de Carvallio Paes du Aiulrade,
para ser pelo mesmo Exin. presidente approvada.
_ Resolved a cmara que se odicio aoKxm.Sr. pre-
sidente, pedindo que a autorise a mandar aceitar
lettras com o prszo de tres anuos, para o pagamen-
to que della exige o Dr. Iodo Ferreira da Silva, pelo
terreno exappropriado por ulldadc municipal, no
largo das Cinco-Pontea, visto que para tal exappro-
priac/io nao foram ainda consignados pela assenilila
os necessarios fundos; entretanto quo o dito Joflo
Ferreira tem executivineiite requerido cmara o
scu pagamento, por sentenca quo em juizo oliteve.
Iieliberou mais acamara, que se mandasse fazer
os concertos necessarios na estrada de Sanl'Aiina ;
e para este fim expedio-se a conveniente ordein ao
fiscal do Poco.
Foram remettiilos a commissao de edificarlo os
requerimentos de Manoel Alves Guerra, Joflo Anto-
nio da Silva, Antonio Luiz (encalves Ferreira, Anto-
nio dos Santos Serpa, e dos moradores da Capunga,
enviados acamara para informar por despacho do
governo da provincia.
Despacharam-se as poliches de Antonio Joaquim
de Magallifles, Anlonio Vicente do Nasoimento Fe to-
za, Jos Antonio Goncalves de Mello, Antonio dos
Santos Ferreira, Bernardo Ignacio do Jess, Domin-
gos Barreiros, Eugenio Norberto Alves Ferreira, F-
lix Cypriano da Silva Tcixeira,Felicia Mara Benedic-
ta, llypolito Saint-Marn & Companhia, Ignacio Jo-
s de Coulo, Jos JacinthoSlvcira, Joaquim Manoel
Carneiro da Can ha, Joflo Jos Rodrigues Lofler, o
juiz eineinbros da irmandade desalmas, ioiio l.ulz
Ferreira Bibeiro, Jos Percha da Cunha, Manoel Go-
mes da Assumpcflo, Manoel Joaquim dos Sanios, Ma-
noel Pereira Dias. Ku, Joo Jos Ferreira de Aguiar,
secretario a subscrevi. liego Albuquerque, presi-
dente, A. de llanos. l)r. Nenj da Fonseca. llar-
ros. llrala. (arneiro Monteiro. Cintra Ma-
noel. a,
DRIO DI PRMIBO.
BECIFE, 29 DE AGOSTO DE 1847
Sob a lubrica competente, publicamos com este
numero do Diario a carta do nosso correspondente
de Lisboa, que, datada de 31 dejulho prximo lindo,
recebemos pela barca Ligeira, entrada hontem ueste
jiorto.
Com cssa carta trouxe-nos lambem a barca al-
guns exemplares do Diario do Governo, que supposto
iilosejam de data mais moderna que ella, habilitam-
Jios, todava, a addieionar alguma colisa ao que te-
rflo lido ah os nossos subscriptores.
SuaMagestade Fidelissima, seu augusto esposo e
os principes porluguezes estavam residindo no paco
das Necesidades, sem que nada houvcsscm solTrido
em sua sade.
Fora estampado de novo as paginas da precitada
gazeta ouicial, para ser rigorosamente observado, o
decreto do 1." de feverciro do auno que coi re, pelo
qual se determinara; 1., que as notas do banco de
Lisboa fossem aceilas pejo seo valor representativo
no pagamento tolal de todos os impostos on ren3i-
menlos pblicos, quo cada contribuidle livosfe de
pagar pessoalmente as recebedorias dos concellos
ou fregucz.as da prcdila cidade; 2., que so recebes!
sem as referidas notas, quando o seu valor excedes-
se a somma dos conhecimentos e documentos de co-
brancapertencei.lcsacada contribuidle, urna vez
que este declarasse quo ceda do excesso em benefi-
cio da fazenda publica; 3.", cmlim, que do todas as
eflo de vinto: mas, para reprim-los, tinha sahido
de Reja urna poreflo desoldados do nfantariae ca-
vallaria, c espera va-se quo essa frca os cbamasse
ao cumprmonto dos seus deveres.
Revogado o decreto de 27 do Janeiro ultimo, resol-
vera-se quo continuassem a ser applcados s obras
publicas da barra de Aveiro os fundos para ellas des-
tinados pela lei de23 dejulho de 1839,e que pelo
dito decreto tinliam sido distrahidos para pagamen-
to das despezas do exercito.
Annuncira-se pelo ministerio do reino que liavo-
ria beijamflo nodia do anniversario de S. M. a Im-
peratriz viuva eduqueza de Braganc.
Eram de 94 do referido mes as ultimas dalas de
Hcspanha, recebidas em Lisboa. Na parte exterior
deixamos transcriptos alguns dos artigos em que o
Diario do Governo so oceupa dos negocios desse
reino.
A rcdaecflo do indicado peridico, dando corita
das noticias de Franca, colindas lias folbas despa-
lilllas, que as trazam al 18, diz que a 17 publica-
ra-so a sentenca ds cmara dos pares no importante
processo de que tflo largamente tratara o Times nos
cxlractos que exaramos em o nosso numoro 192;
e que por essa sentenca foram condemnados: o
ex-miiiislro Teste, a parda dos dreitos civis, a 94
mil francos de mulla, e a outros 94 mil francos para
a caixa dos hospicios om Pars, a titulo de restitui-
eflo; o general Cubires, dogradaeflo civil e a 10
mil francos do multa, que pode.- reinr com cinco
anuos de prisflo; Parmenlier, pena cm ludo guala
do preditogeneral ; e todos as cusas do processo.
Se em todos os paizes assim se pratcasso, fra,
de corlo, muilissimo menor o numero dos oonens-
sionarios o prevaricadores.
VerdadeirosPorluguezes, os Srs. Joaquim Baptis-
la Moreira, Miguel Jos Alvos, Angelo Francisco Car-
neiro, Caetano Pereira Goncalves do Gunba c Ber-
nardo de Oliveira Mello, resolveram tesloniunbar
com um baile o prazer de que se senliam tomados
pelo restabeleciment da ordem cm seu paz natal,
pelo desapparecimonto da guerra fratricida que
por tantos mozos o desolara, pelo aconteciinenlo,
cmlim, que consolidaran Sr.' d. mama ii. na posse
dos dreitos magestaticos que )beconferir essa car-
ta, tflo solemnemente jurada, quanlo gallardamente
sustentada polos que sabeni devdamente aprccia-la,
e quemaos temerarias, porm demasiadamente ira-
cas, por mais de urna vez tcem tentado rasgar!
Mas, bous patricios, e nao querendo arrogar-se lo-
da a honra c glora q ue de semelliantc acto necesa-
riamente Ibes resultara, lomaram'a deliberadlo de
chamar alguns dos seus conterrneos residentes nes-
la cidade, a coadjuva-los mis despezas que liouves-
sem de fazer para levarcm a effeito a sua louvavel re-
solucflo; certoa do que elles se nfio negariam a pres-
tai-lliesumsoccorro deque bem se poderiam dis-
pensar, se por acaso fossem egostas. Aquellos dos
irmflos a quem se dirigirn) os distinclos Lusos, co-
jos oomes acabamos de mencionar, correspondern!
a sua expectativa, o gostosos se preslaram ao que se
Ibes solicitava.
Assim, pois, decidio-se que se verificara o preme-
ditado baile; marcou-se-lhe a noite do dia quo in-
dicamos mis liiibas que a estas servem de epigra-
pbe; eassentou-sequo elle teria lugar no Hotel-
Francisco; edificio, na verdade, mais que todos a-
propriado para aemelhanle lm, j pela extensflo dos
diversos SalOes cm que esta repartido, j pelo asseio
com que esses salos se acbain mobilados, eja pelo
esmero, que, be sabido, desenvolve o scu propieta-
rio na direcefio econmica de qualqucr.feslm do
que o enearregam.
Pelas 8 j horas da referida noite, nos a quem o
directores da funceflo dignaram-se do incluir em o
numero doa convidados; nos, dizemosji nos acha-
tamos no hotel: e como tcncionavamos dcscrever o
que abi vissemos, tratamos de examinar o arranjo da
casa, para nos habilita rmos a guardar nessa descrip-
eflo a ponlualidade que nos esforcamos por conser-
var em nossas narrativas. Kisoque observamos:
Sobre as varandas do edificio havia grandes lam-
padas queexpediam clara eabuudanto luz.
A oseada eslava (apelada, e Un lia o topo adornado
do vasos de odoriferas flores.Abi se achavam os
mcstrc-salas, afim de rcccbcrcm os carles, e con-
duzirem as sciihoras para o interior.
O corredor, que commuiiicava com a sala da fren-
te e com a que preceda o salflo do baile,] eslava tflo
Iluminado quanlo as domis Secas, isto he, lano
quanlo era preciso.
O precitado salflo, cujas paredes eram forradas de
papel pintado, tinha os lados guarnecidos de cadei-
rjs, de maneira a ficarespaco bastante para que pas-
siassom os que nSo quizessem estar sentados.
No salBo que (cava viznhrr a esto, o que com elle
communicRva por duas portas que estavam abortas
lo parem par, va-se urna extensa mesa cobertn
lo pistos dediversai iguarias, symetricamente dis-
postos, guarnecida de garrafas de primorosos vi-
nhos, e tendono centro urna especio dojardm, por
entre mcio de cojos vasos, velas de espermacete ar-
diam cm algumas !anlcrnas.I)iversos aparadores
sustentavam outros mutos pratos, destinados por
sem duvida a substiturem aquellos dos que lomos
mencionado cujoconteildo fosse consumido.
No claro que eslava em frente desta mesa, offere-
cia-se aos olhos do observador um grupo das bandei-
ras da quadrupla allanca, cujas cores como que se
harmonisavam com as das nacOes govornadas por
descendentes dos Bourbons, que, tambem om
grupos, ornavam as paredes lateraes do salflo, em
cada una das quaes se doscobriam tros desses gru-
pos intermediados das seguintes quadras.'que, estan-
do impressas em lettras maiusculas, mu fcilmen-
te podemos 1er e passar para o nosso lbum :
Se aos filhos dos Viriatos
Inda acea infesto mal,
C'um grito de paz respode
MARA I ir. PORTUGAL.
Km torno da arca augusta,
a ll'allianca elci signa I,
Aos ares mil vozes erguem
MARA DE rORTUGAL.
Hontem odios necendidos,
n Hoje amor, amor de irmflo :
Vencedores o vencidos
Se abracam de coraeflo.
Urna s familia os Lusos
D'ora em dianle formarflo :
* as bandeirasdos Hennques
Gravam todos uniSo.
Era ncsle salflo queseachava a msica do orches-
lia, e bem assim a de pancadaria, depois que fra
etirada da sala da frente, onde a principio a vimos.
Dava elle passagem para urna sala, que se acha-
va decentemente preparada; e esta paraoutra,
a mesma da frente, a que acabamos de referir-nos,
em cujos preparos, por igual, notamos nos decen-
cia c asseio, eein cuja alcova havia um toilette, e
urna cama bem apparclhada.
As9 horas comecou o baile: a 1 hora foi elle
interrompido, para quo os convivas1 fossem gozar
dos delicados manjares quo os esperavam na mest,
em queja fallamos: acabada a refeic^flocontinuou-se
a balitar: as 4 horas terminou o divertimento com
oshyninos brasileiro c porluguez, depois de se ha-
verem ilancado 9 quadrilhas, 3 valsas e 2 polkas.
O numero das senhoras presentes foi de '150; eo
dos bomens, de 400 pouco mais ou menos, entre
os quaes contam-se as primeiras autoridades da pro-
vincia, os chelea das repartientes, o corpo consular,
o do commercio e muitos empregados pblicos.
Foram direclores especiaos do baile os Srs. Mi-
guel Jos Alves e Bernardo de Oliveira Mello.
A SOCIEDADE PHILODPAMATICA-
Excellente era ja a companhia da sociedade l'hiio-
dramalica; por mais de urna vez admiramos nos
alguns dos membros dessa companhia,' que, sem
escola, i."io satisfactoriamente desempenhavam os
seus papis, que cm inuitasoccasiOes nos enleva-
ram! Mas um homem eslava destinado para vir l do
Rio-de-Janciro collocar com delicada mlo mais um
florflo na cora de gloria que cinge a fronte dos pln-
lodramalicos, para tornar essa cora ainda mais bri-
Ihante, ainda mais radiosa ; c este homem era o Sr.
Berardo Joaquim Correa.
Vimo-lo, e ouvimo-lo hontem na represen tatito
da peca Othello, onde figurou elle esse extremoso e
infeliz amante I Nflo se pode imitar mclhor a natu-
reza ; nflo so pode affectar transportes com mais
propriedade; ainda nflo testemunbmos melhor ac-
cionado, nem mais ajustadas nflexes dp voz !
O Sr. Berardo est cima de lodo o elogio, s
aquilatardevidamente osen merecimento, quem
i i ver a felicidade de o apreciar na secna.
O modo por que elle recitou a brevo allocucflo,
cm que, demonstrando as vantagens do theatro,
procurou chamar a adenciio do publico para o
servicoque Ihefazia a sociedade sobre cujo scena-
rio Ihe fallava ; a maneira arrebatadora, por que re-
citou essa allocucflo, dizemos, nos levou logo a for-
mar mui favoravel ideia do Sr. Berardo; mas, quan-
do o acompanhmos nns repentinas passagens da
confianza plena ao ciume mais pronunciado; do amor
excessivoao odio eaodesprezo mesmo; damansidflo
ao furor, e deste aquella ; quando ludo isto presen-
ci amos, reronhecmos que era somenos ao mrito
do Sr. Berardo o juizo que dello lucramos.
Contine, pois, o eslimavel Fluminense a enrique-
cer a scena pernambuca na com a sua presenga ; e
como leslemunho do subido apreco em que o temos,
guarde l no in timo do coraco as poucas palavras
que ora lhodirigimos.
Correspondencia.
Descarregam hoje, 30.
Brigue Maria-Felli mercadorias.
Briguo Nelit- Walhilde idem.
Barcaca S.-M.-Brasileira idem
Consulado.
RENB-IMF.NTO 1)0 DIA 28.
Geral......................
Diversas provincias.............
783.513
54,519
838,032
. PRACA DO RECIFE, 28 DE AGOSTO DE 1847,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.....A falta do sacadores conenrreu pa-
ra quo fossem poucas as transaeces
oue tiveram lugar pelo paquete in-
glez.
Algodflo.....Soffrcu diminuieflo no preco, poig
que vendeu-se a 7,000 rs. a arroba
do primeira sorte, e a 6,500 rg. a de
segunda. Entraram 371 saccas;
sairam-Jin, c existem nosarmazens
601.
Assucar......Conservou os precos da semana
passada. As entradas nflo excede-
r m de 28 caixas. A exportaeflo
foi de 189 caixas, 9 fechos, 371 bar-
ricas, 119 meias ditas e 477 saceos.
O deposito he de 2,965 caixas.
Couros...... Embarcaram-se 1,566, e vende-
rani-se de 105 a 115 rs. a libra.
Ago'ardente. .. Tove os meamos precos que con-
signamos na ultima revista. Ex-
porlaram-sc 15 pipas.
Alfazema.....Vendeu-se a 3,200 rs. aarrob.
Alpsta......dem a 16,000 rs. a barrica.
Azctc-doce. dem a 2,000 rs. o galSo do de Por-
tugal.
Dito de peixe. Nflo ha.
Bacalbo.....Como foram diminutas as vendas
quese elleituaram de 13 a 14,000 rs.
e barrica, o deposito he de 1,100
ditas.
Carne secca. Entrou um carregamenlo; mas,
igto nflo obstante, era tal a falta deg-
te genoro, quo apenas existem em
ser 25,000 arrobas.
Chahysson Vendeu-se do 1,500 a 1,850 ris a
libra
Farinha de trigo O deposito be de 1,100 barricas.
--As vendas da americana regula-
ran) de 25 a 26,000 rs. a barrica.
Passas.......Nflo ha.
Entraram 7 embarcaces,esahiram 12. Existem
hoje no porto 26, sendo 13 brasileiras, 1 franceza, 2
hespanholas, 1 ktiyspbansen,5 inglezas, 3portuguc-
zasel sarda.
i ,iiii
.lloviiucnto do Porto.
Navios entrados no dia 28.
Londres; 41 dias, escuna ingleza Deslander, de 143
toneladas, capilflo Philip Blampid, equipagem 8,
carga plvora, carvflo depedra e fazendas; aChris-
lopbers Lisboa ; 26 dias^ horca portugaeza Ligeira, de 360
toneladas, capilflo Antonio Joaquim Rodrigues, e-
quipagem 21, carga gneros do paiz ; a Francisco
Severiano Rabello c Filho. Passageiros, D. Maria
do Cariiio Rodrigues Alves, I). Maria Carlota Ro-
drigues Alves, Amelia Alves, Adelaidc Alves, D.
Leopoldina Alves, Maria do ('.armo., ambas da mes-
ma idade, Jezuina Augusta da Gosta, Pelronilla
Iguaria da Conccicflo, Maria Augusta,Jos Marques
dos Santos Aguiar, Cypriano Anlonio Pedro e Joflo
Francisco.
Navio entrado no dio 29.
Rio-Grande-do-Sul; 30 dias, briguo brasileiro Feliz,
de 187 toneladas, capilflo Jezuino Jos de Souza,
equipagem 12, carga carne; a Firmino Jos Flix
da Roza.
Kalcuhana, tendo saludle New-Port,38 dias, galera
americana Willim-Ue, de 311 toneladas, espilo
lluhu Wenpenney, equipagem 26, carga azeile do
peixe; ao capilflo.
Navios sahidos no mesmo dia.
Barcelona; brigue hespanbol Jonna, capilflo Cypria-
no Arae, carga algodflo e couros.
Parabiba ; hiale brasileiro Conceico-Flor-dat-Virlu-
des, capilflo F.lias do Rozario, carga varios gneros
e fazendas.
KIMT.A I..
Jo/lo Xavier Carneiro da Cunha, /dalgo cavalleiro da
casa imperial, cavalleiro da ordem de Chrislo, e admi-
nistrador da mesa do consulado desla provincia, por
S. V. o Imperador, que Dos guarde, etc.
Faga saber, que, por ordem do Illm. Sr. inspector
da thesouraria geral da fazenda, se bao de arrema-
tar na porta desta administraeflo no dia 2 do futu-
ro mez de selembro, as balanzas, pesos e outros oli-
jectos que foram do .-cvico do armazcm das caixns
de assucar que se apprehendiam. As pessoas, que
q uizerein arrematar ditos ohjcclos, pdenlo se en-
te nder rom o poi teiro da mesma adminislracflo.pa-
ra verem o invcdlario e seus respectivos valores.
K para que chegue a nolicia a todos mandei fazer
este, e publica-lo pela imprensa.
Mesa do consulado de Pernambuco, 28 de agosto
de 1847.
0 administrador,
Joo Xavier Carneiro da Cunha.
Srs. Redactores do Diario de l'ernambuco. Cor-
rendo as ullegacOes cm accuscco t defesa do Nazareno,
achei um erro esseucial pagina 85, linbas 25, e he
esse mo, que se ahi acha, que deveser supprimido.
Os Srs. quo liveiem o folbclo lho darlo um traco
para inulilisa-lo. Tenham paciencia com o
De. Vms. ltenlo venerador e criado,
Anlonio Uorges da Fonseca.
CMMEHCIO.
Alfandega.
RENDIMENltJ 1)0 DIA 28........... 1;808 661
Occlaracoes.
O arsenal de marnha compra nodia 31 do cor-
rente moz, as II horas da mandila, quatrocenlog
pucaros do olba, c noventa folbas de cobre do 2 % ;
assim como espermacete em velas, carne salgada,
fiode vela,'remos de faia, linba de barca, e touci-
nbo : sendo a quaulidade de cada um desses ohjcc-
los a que so convencionar, e se julgar precisa no
acto da compra ; devendo os prctendentes opresen-
tar nesse dia, a referida hora, as suas propostas,
para ser a compra cffccluada em vista dellas, e com
quem faga a venda por menores precos, sendo os
objectos de mui boa qualidade.
Sccrelaria da inspecgflo do arsenal de marnha de
Pernambuco, 28 de agosto de 1847.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
J


m
-
3,
n arsenal le guerra precisa mandar imprimir
" mil papeletas e quatro mil alias : quem dis-
(|" "uiJercncarregar, compareca na sala .la di-
sn f !,n mesmo arsenal, .las 9 horas da manhfia
reC4 da lardo dos das 30 (hoj'e) o 31 do correnle,
"S in nroximo futuro >flm do ver os modelos, e
e irPin o convenientes ajustes. -- Arsenal de
W 88 le aposto de 1847. O amanuense, Joo
fi llicordo da Silva. .
(i arsenal de guerra compra seis cadeiras com
""ntode nalhinha; urna sineta debronze de meia
rr. a 6 livros em branco de 200 folhas de papel
','H(l 2 nares de castices de casquinha; 60
manas le Isla; 100 paros de chinelas rasas ; 60 pra-
' ,| p de peilra ; 2* ditos pequeos ; 30 tigelas
le dilo 24 ditas pequeuas ; 12 bules de po de podra;
-ocasaes de chicars; 8 manteigueiras pequeas;
ti copos grandes de vidro para agua ; 24 urines de
n .lo podra ; bandejas de Tolha de ferro ; 30 Co:
lherrs para cha ; 4 bacas de rame pequeas, do
S libras ; lOOtalhores completos ; 6chaleiras do co-
bre cstnhadas; 30panellasde ferro, sorlidas; 2
lbarciros de ferro, grandes; 6 ditos pequonos, pa-
ra "perfume ; 1 almofariz de bronzo, de 8 libras, com
mo: 4 jarras grandes de barro, para agoa ; 12
uuarlinhas ; 16 ventosas ; 4 ps de ferro ; 4 enxa-
jas 3 saca-rolhas ; 4,068 varas de brim liso; 12
,|las de madapolflo ; 176 covados de chita de rober-
a : quem taes gneros quizer fornecer, mandar
sui nroposta, em carta fechada, e as amostras, a di-
recloria lo mesmo arsenal, at o dia 1. de selem-
bro prximo futuro. -- Arsenal do guerra 28 do
agosto de 1847. O amanuense Joo Ricardo da
\ adminislracflogcral dosestabclccinienlosdc
caridade manda fazer publico, que no dia 30 (boje) do
enrrente, pelas 4 horas da tarde, na sala das suas sos-
soes, continuar a arremalacilo das rendas das ca-
sas baixo declaradas. .
Travessa de San-Josc, n. 11; ra do Manoel-Co-
co n. 32 ; ra do l'adre-Florianno, n. 47; Fra-
de-Portas, n. 73.
Admihistraco geral dosestabelecnnentos do ca-
ridade, 23 de agosto de 1847.
O escripturano,
F. A. Caralcnnle Cousseiro.
Para o Itio-Grande-do-Norto sabe a barca?
Triumphante, fundoa.la junto ao trapiche do algodflo:
quem nella quizor carregar dirija-so a bordo da
mesma, ou ra do Vigano, n. 5.
i
Avisos diversos
PACADOP.1A MILITAR.
D'ordem doSr. coronel commissario-pagador, che-
fe dosla i.agadoria, Jos de Britolnglez, em contor-
mida.le das ordens do Exm. Sr. concelheiro presi-
dente, de 23 lo presente mez annuncia-se que na
mesma pagadoria se hito do arrematar em basta pu-
blica, no dia 30 (boje) deste mez, os gneros seguin-
tes, sobras dos mantimontos vindos no briguc-escu-
na nacional Benriqueta.da ilha de Fcrnando.relativos
aofomeciment dos presos e escolta que para all
os acompanhou, a saber: 61 libras de bolachas, 12
litas de carne secca, quarta e meia do feijflo, 5 saceos
vasios, urna ancorela de madeira, 5 libras e meia de
caf moldo, 3 caadas do ago'ardento branca, um
caixflo de pinito e duas barricas pequeas. As pessoas
a quem convior arrcmtta-los, comparegam nestn
pagadoria no dito dia 30 deste correnle mez, das 11
horas ao meio-dia ; podendo ir ve-Ios no arsenal do
guerra onde so achain, conforme a ordem lo mesmo
Kxm. Sr. presidente aoSr. coronel director do refe-
rido arsenal, de 15 de Janeiro desluanno -- No im-
pedimento do escrivfio, Joo Arcenio Barbosa.
Contratos a celtbrartm-te com a thesouraria das rendas
provincias no mez de setembro prn.rimo futuro.
DIA 25.
Oda continuaco da obra do caes de Ramos, ava-
hada em ris 7:182,000. Os trabalhos far-se-hSo
deconformidadecom os riscoso orcamentos j ap-
provados; encetar-se-hilo dous mezes depois do va-
lidado o contrato, c lindar-se-hflo ao cabo de seis
mezes. O pagamento realisar-se-ha na formado
.lisposto no artigo 15 do regulamento das arremata-
cOes. 0 prazo de responsabilidade ser do um an-
no. Fixar-se, cmfim, o contrato com aquello los
concurrentes que por menor pre?o se compronicllcr
a fazer a obra.
BOJE.
Odoestabelocimento de urna lipha do mnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, raeililoo
transporte desta cidade a qualquer dos.seus arrabal-
des e do Oliuda.
Cadeira vaga de primeiras Ultras.
A de Caruar, cujo concurso lera lugar no dia !>
de setembro prximo futuro.
Jubl<-!icoes Litterarias.
HISTORIA DE PORTUGAL
POR
Alt.randre Hereulano.
Os senh res assignantes queiram mandar buscar
ra da Cruz, casa n. 7, segundo andar, o segundo vo-
lume desta inlercssante obra, cujo preco he o mes-
mo que do primeiro (3,000 ris).
PORTUGAL.
Recordares do armo de 1842, pelo principe I.tcknonsky,
traduzido do allemdo segunda edicto correcta t an-
notada.
O consumo rpido da primeira edicto e a sua
procura por militas pessoas quo hcararn sem ella ,
nduzio o traductor reimpressao d esta obra cu-
riosa, que conten a aprociac.no dos caracteres mais
nolaveis do paiz, dos scus acontecimentos polti-
cos monumentos e lugares principaes cita por
esse principe prussiano, que all viajou no auno
citado Esta -nteressante obra, que contm 220 pa-
ginas ,'vende-se pof 1,000 rs. na roa da Cruz
7, segundo andar.
Avisos martimos.
- Para Lisboa o brigue portuguez Conceicilo-di-
tarasahcimpreterivelmcnteno da 10 lo prxi-
mo mez de setembro; inda pode recebe alguma
carea trata-se com o capitflo na prac,adoCommor-
cio o'ucomo consignatario, Thomaz do Aqu.no
Fon'seca, amado Vigano, n. 19.
_ Para a Rabia sabe, o mala breve poss.yel, o La-
le Flor-do-fecife, pregado o forrado -de cobre, c de
boa marcha: quem nelle I*""*"; ou .r de
nissacem diriia-se a ra do Vigano, n. 5.
P Paraol'otosaheem poucosdiasa velera cs-
cum, Galanle-lria: por tor 'a maior parto de seu car- j abocetada
reeamenlo prompta: para o resto o
para o que lem excelentes commodos, trau-se *..---- r- ~t% recompbusado
Silva & Grillo, na ra da Moeda, n. 11.
Um moco portuguez que lem bastante prati-
ca de venda se offereco para caixeiro de alguma,
mesmo por balanco : quem do seu preslimosc qui-
zer ulilisar annuncie.
O Sr. agrimensor Figuoiredo queira dirigir-sc a
ra da Alegra n. 3, a negocio de seu interesse.
Hoje, 30 do corrento teom do ser arroma-
das em prai;a na porta do juiz de paz de S.-Jos,
as 3 horas da tarde, urna commoda o urna mesa
redonda grande, de moto de sala.
Joflo Jos da Cunha Lage comprou, por ordem
do Sr. Jos Rodrigues Auzorio, do Rio-Formoso,
um meiobilhete (1.2771, da segunda parto da 17.'
lotera do theatro.
I'recisa-se de urna ama para casa de mui pouca
familia : a tratar na ra da Alegra, n. 5.
Hoje, 30 do correnle, se arharflo defronto da ca-
deia muilo hons cavallos para so venderem : aspes-
soas quo quizerem comparcqan no dito lugar, as 10
horas da manlifla.
Aluga-se o armazem do sobrado da ra Direi-
ta n. 9 : quem o pretender dirija-se ao segundo an-
dar do mesmo sobrado.
Quem annunciou querer comprar urna casa na
Boa-Vista sendo anda queira, dirija-se a ra Au-
gusta n. 50.
Arrcnda-se, annualmento, ou mesmo pelo ve-
rao, um sitio a margem do Capibaribe junto ao
sitio em quo mora o Sr. Boly com urna casa soffri-
vel, cochoira, estribara, cacimba com agoa de be-
ber e grande baixa para capim : a tratar no mesmo
sitio.
Tirou-se, por engao, urna carta, vinda do
Porto, para Antonio Jos Fcrroira Jnior : qoom
tor seu dono, podo ir recebe-la na ra do Apollo,
n. 27, primeiro andar.
AOS SNRS. INGLEZES.
Na ra do Quemado loja n. 37 A existe um
mappa da costa do Brasil, em ponto grande acom-
panhadodoumeadernode explicaijoes em inglcz :
quem o pretender dirija-se a mesma loja que se
negociar por proco commodo.
Alugam-se 4 moradas de casas, com bons com-
modos, e banho perto para so passar a festa ou
annunalmente no sitio do Cajueiro onde so pode
irvereajustar. Aluga-se tambem um preto bom
cozinheiro e comprador, que sabe tratar decavallos
e arranjos de casa, e que lio muto fiel : a tratar no
mesmo sitio ou na ra Nova, loja do Sr. Guerra
-- Roga-se encarecidamente ao Sr. que tro da 27
do correnle comprou na na da Piaia armazem n.
2, urna arroba de carne necea por 3,500 res ba-
ja de restituir a quanlia de 40,000 rs., que se Ihc
deuem troco por engao urna cdula do 50,000 rs.
por 10,000 rs. sendo que uno queira ver o seu no-
mo publicado por esta folha.
--Manoel Dias vai ao Arac.ty ; por isso quem se
julgar seu credor aprsente sua conta, em 48 horas,
para ser paga. ...
-- l.ouis do Lucca retira-se para o Rio-de-Janoiro.
Quem precisar de urna ama para cozinhar, cn-
enmmar. o fazer todo o mas servco de portas a den-
tro e que he de boa conducta dirija-so a Iravessa
deS -Jos, quem vem da ra de Manoel-Coco, n. 16.
-A pessua que pretendo comprar um calillo para
venda T segundo o annuncio quo fez, dinja-seao
Forte-o-MattoS,defrontedo Sr. Alem, casa nova
SC-Terca^eira,24 do correnle, por occaaiflo do
enterro do acadmico Francisco Jos Martina Jnior,
perdeu urna correnle do relogio um dos^seus
condiscpulos que conduzo o esquife, quelen. o sa-
bido da 'ra D'reita leu por falta dalla JO pateo a
matriz nuom a lver adiado, querendo cntieg.i-ia,
mesnio mediante alguma paga, dirija-se ao paleo
dol.vramcnlo n. 26.
Na ruadoCollegio.il. 25, existe urna carta 6
alguns livros, viudos do Goianna para serem en-
tregues ao Sr. Jos Luiz Pereira Lima Jnior.
l'recisa-se de um preto bom, para se ter ellec-
livamentccmcasa, e para trabalhar em um sitio:
quem o quizer alugar, ou annuncie para ser procu-
rado, ou dirija-se a ra Augusta, n. 60.
O Sr. doulor Lourenc/) Bezerra Carnciro da Cu-
nda morador no Po-do-Alho faca oobsequiode
apparecer nesla praca na loja da ra do Passcio ,
n. 19, a negocio do seu muito nlcresse.
Lava-so c engomma-se com milita perleicfloo
pordimiuulo prcijo, como bem seja : camisa lava-
da cengommada a 80 rs. calcas o jaqueU* rs. a peca : tambem se cose costura cima : ludo mala
barato do que em outra qualquer parle : na ra da
Lapa n. 13, primeiro andar.
'- Prccisa-se de um rorneiro : na ra Dircita, pa-
"--Vrecisa-se de um rapaz portuguez *quc saiba
lavrar cera com perfoiqo : na ra do Collegio,
"'--Aluga-se um sobradinho de um audar, na praia
do S.-Rita, n. 36 : a Halar na mesma i ua com Ma-
noel Gomes da Silva.
POMMATEAU, CUTF.LEIRO NO ATERRO-IU-
BOA-VISTA,
a honra de avisar ao publico, que mudou o
seu cstabelecimenlo da ra do Aterro-da-Boa-\ isla,
n 5 para o sobrado novo, n. 16, da mesma ra.
Na aun loja sempre o publico achara como de cos-
lume um grande sortimento de cutelerias finas e de
todas as qualidades ; bem como pistolas le viagcm,
e armas para caca. Contina a concertar todas as
quali.lades de armas o rerragens e amla as quar-
las-feiras e sabbados.
-Alupa-so urna casa terrea na ra Helia, com
duas sals 3 alcovas cozinha fra qu.nlal e ca-
cimba : a tratar na ra do Collegio n. 15, segundo
tntvr.
PARA ASPESSOAS QVF. TENCIONAMSEGUIR
VIAGEM.
Na ra do Rangel, n. 9, conlinuam-se a tirar pas-
ssportcs para dentro e fra do,imperio despacham-
se escrovose corrom-e folhas; ludo por prece- nim-
io o muito commodo e com brevidade do que se
lem j dado exuberante prova no decurso de sele
annos?
- Desappareceu, no dia 20 do corrento da casa
de seu pai, um menino torro de nome Jos de 9
anuos incompletos pardo da cor fechada car.
cabellos crespos muilo esperto ; Ievoi
LOTERA DO THEATRO.
A venda dos bilhetes desta lotera quo com tan-
ta rapidez segua, e que dexava snppr que as res-
pectivas rodasandarnm tamlinm rpidamente, 8i
soffrendo alguma demora tanto quo depois do
ultimo annuncio pelo qual se designo'u o dia 27 do
correnle, para o andamento das ditas rodas, bem
pouco adianlou-sc a mesma venda existimlo, por-
tanto vender ainda. Por esta causa que nflo est ao al-
cance do thesoureiro remover deixou esto do fazer
effectivo o referido andamento no da cima men-
sionado marcando novamento o dia 15 de setem-
bro prximo futuro para reaiisac,flo desse acto ,
que se tornar infallivcl, seos inlercssados ueste
jogose propoterem, como he docsperar a coadju
var o mesnio thesoureiro nos meios do completar-
se a sobredita venda.
A CARRANCA N. 24
est ptima, talvez como nunca! O votante da pa-
rochia de San-Jos demonstra e prova como nin-
guem o verdadeiro ponto da futura eleiQto: tem
bocadinhos de ouro, prata o cobro ; o o violflo toca
a marciana, canta o requerimento dos artistas, e os
suspiros de D. Trombona. Tudo isto por 40 rs. ?
bemdito lieos!
O TRIBUNO N. 12
est a venda na livraria da praqa da Independencia,
ns. 6 c8, e na loja de encadernaQflo, n. 12. Este
numero est muilo nteressante: traz boas ligues
ao povo, qno o leve 1er com cuidado para livrar-se
dos malvados.
OlTerccc-se, para caixeiro do qualquer csta-
belecimento. um rapaz brasileiro, vindo do malto,
de idade do 16 annos; o qual sabe ier.escrevcr o con-
tar, e d conhecimentos de sua conducta: quem
precisar do seusservicos, dirija-so a ra Imperial,
ii. 25, queso dir quom he o annunciante para ser
procurado.
Manoel Jos Carnciro, vivendo sempre tranquil-
amente sem terinimizade a pessoa alguma, o nem
quem delle tivesse qucixa, est agora com o odio
gratuito le sua cunhada, Joanna Francisca de Menc-
zes, c de seu novo procurador Domingos Campos, re-
finador na ra das Cinco-Pontas: e por isso previne
ao publico, quo nesta trra nflo tem oulros nimigos
alm .lestes ; c caso venba a solTrer qualquer in-
commodo, protesta o mesmo Manoel Jos Carneiro
defender os seus dircitoscom todos os meios que
asleis Ihe facultarem, alim que possa ser embolsa-
do do que so Ihe dever, embora se diga -elle quer
brincar comnosco.--
Vende-se una boa escrava com muito Ij-'
bom e abundante leilc sem filbo, panda de U|
ho muito agradavel e carinhosa W-,
nflo lem vicios nem acha- y|
sabo cozinhar c lavar le sabflo ir.
ili- |7
Lfl
na esquina
Sr. Gabriel
-Precisa-se alugar um sobrado do um njr.
que seja grande e tenha quintal em as ruw mai*
publicas.!. hairro doS.-Antonio .ou Boa-\ iMa ,
mesmhalgum sitio com bons commodos. nu
no Hospicio Corredor-do-Rispo Estancia m
algum liigur muito perto desta praca :
do l.ivramento loja de 6 portas, do
Concalves Lomba, se dir quem precisa.
Desappareceu no dia W do correnle, do sonra
Ion. I8.laru.-i das l.araiigciras, um papapaio.it
vandn no p urna correnle o urna crrela quem u
acbou, querendo restituir, dirija-se a dita casa que
ser recompensado.
Preciaa-M de um caixeiro para venda, e que fiador a sua conduela : na praqa da Independencia ,
livraria ns. 6e 8 .
Pereira & Cueles lembiam ao Sr.Fana.es-
aireres do corpo de polica, a resposta da carta quo
Ihe entregaran!.
II. S. >?awon, dentista bem
conhc&o
nesta provincia, leudo agora chega.lo da Europa o
leudo visitado as capitaes de Londres e Pars, don-
de trouxeos melhores objeetos da sua prolissiio que
al hojo se conheeem como novos instrumentos ,
denles emais necossarios para qualquer operaeflo
da sua arte; offereco seus servicos aos illustresi ha-
bitantes dosla cidade conformo a sua tabella lixa ,
o prometto azer todos os esforcos para agradar as
senhoras, ou senhores, que o quizerem procurar ,
das 9 horas da manlifla at as :i da tarde na ra ao
Trapiche no Recito, n. 4, segundo andar.
ATTENCA.
Una pessoa capaz ecom algumas instruecoos so
propile a ensillar primeiras Ictlras c grammatica
porlugueza promettoiido lo lo o estoco possivel
no augmento e eduetcflo dos meninos : tambom on-
aina meninas a ler c coser com perfeicflo toda a qua-
lidade do costura. Adverte-se quo BQ ensiiii por
mensalidade mais em conta lo que, em parlo al-
guma. Quem do seu presumo se quizer utiiisar di-
rija-so a ra VV.Iha, sobrado n, 49, a qualquer hora
do dia. Na mesma casa vendfPse urna granunatica
franceza por Serene nova pelo diminuto pro-
co de 4,000 rs. ..
Precisa-so dnuma preta, ou parda que sama
'in coser com doseiinaraco e nflo seja de ra :
bem
42, so-
fii
I
3 mezes
para meninos
ques, c .
0 varrella : na ra do Vigano, n. 24, se
r quem vende.
o qual
. de 38
" KSlqS^rleve ^ && St
BOA GRATIFICACAO".
l.uizGonzaga la Rocha dar boa gratificaciio a
quem pegar um escravo do nomo Miguel, Congo
muito condecido por Miguel do Gonzaga ;
rugiodosdol7do Janeiro do correnle auno
annos, altura regular, seeco do corpo, bracose
pernas'finas ; tem no pe direito um dedo por cima
do dedo mnimo; quan.lo anda pucha por urna pei-
na. Bate escravo trabalhou muilos anuos nos lam-
pefles desta cidade e sabe-so que anda aluga.lo em
sitios dos arredores desta cidade ; bem como tiran-
do canoas do areia para aterro por isso que be
apoado por algiiem.a quem prometle-so ajuslar emi-
tas pelos meios legaes nflo indo_enlrega-lo : quem
o pegar leve a ra da S.-Cruz n. 5.
Agencia de passaportes
NaroadoCollegio, n. io, o no Aierro-da-Boa-
Vista, n.48, conlinuam-se a tirar passaporles lan-
o para dentro, como para tora do imperio; assim
como despacham seescravos : tudo com brevidade.
Aluga-se o segundo andar da casa n. 34 da ra
do Trapiche, com excellentcscommodos, verandas
de ferro adenle c atrs, e bonita vista para o mar :
a tratar no armazem da mesma casa.
- No engenlio Mozambique, em Saii-Lourenso-
da-Matla, punco adianto de Camaragibe, precisa-se
do feitor que seja portuguez, leudo baslante plati-
ca do servico de campo 0 de ludo o mais que diz
respeito as ubrigaqes desse cargo, dando Dador a
sua conducta, que llover* ser muito regular : quem
querque esliver nestas circunistancias, dirija-se ao
lugar indicado tratar com Francisco Xavier Car-
nciro da Cunha Campello, ou no Aterro-da-Boa-
Visla, toja de ferragens, n. 46.
Oabaixoassigi.a.toraz scicnle a todas as pes-
soas que tecm penhores em sua venda que os vOO
reagatar, no prazo do olto dias, contados da publi-
cado deato; do contrario, os vender para seu pa-
gamento. -- Olinda, 27 de agosto de 1817.
Raymundo Nonato da Cunha.
Com a maior perfoicSo, certeza e asscio, faz-sc
toda qualidade de cscripluracflo o por preco com-
modo : na ra do Rangel, n. 9.
O Sr. Francisco Jcs da Silva Pereira, profes-
sor de primeiras leltras de Santo-Amaro-Jaboalflo,
queira ilirigir-sea ra doCabuga, loja n. 6 a tra-
tar de negocio.
Arrenda-se o sitio denominado Jacar
prximo a Cruz-dc-Almas com muilo boa casa,
cocheira, casa de familia muitos arvoredos c boas
baixas para planta de capini.c com capacidade de
sustentar algumas vaccas quem o pretender dirja-
se a ra do Queimado, iw 18.
A pessoa, que ofl'ereccu na ra das Cinco-I oti-
las, casa n. 65, pela prata do par decastraos n
160 rs. a oitava em os querendo dirija-se a Uila
casa onde soconliua a vender ouro e prata sem
foitio;uma rede le dormir, feita no norte; o urna
poreflo de ferro fundido
Acha-so na praca da Boa-Vista, casa de
dous andares, | n. 10, um cvalo ruco-
pombo, por nome Perfeito-Horele
vindo do engenho Torra-Nova, comarca
,lTzareh-da-Matla, com todas as quali.lades que
se exigen, em ..... cavallo hom.tanto em figura como
en. andares. Vende-so por 600,000 rs. : mo seja o
reco motivo para nflo ser visto o dito cavallo. A
Scsaoa quo o pretender, dirija-so ab dito lugar para
ver o lito cavallo c suas habilidades.
__Precisa-se alugar um preto para andar com um
caixeiro vondendo pflo : as Cinco-Pontas, n. 63.
Deseja-se fallar ao Sr. padre Francisco Das do
weira a negocio de seu interesse : na ra da Ca-
quen, a tiver dirija-se a ra di Aurora n.
gundo andar.
Jos Pradines, cuteleiro amo-
lador,
avisa ao respcitavel publico desta cidade, quo se
scha establecido na ra Jo Cabuga n.12, onde
sempre estar prompto para fazer qualquer ferra-
monta ou instrumento do cirurgia trinchantes e
outros: tambem concerta espingardas, lazircios
para cavallos, esporas de todas as modas c tudo o
mais que tor concernentoao seu olllcio. Amla na.s
lercaa, quintas c sabbados.
Kctrat- s coloridos de daguer*
reotyp
Carlos D. Frcdricks tem a honra de annunciar ao
resneit..vel nnblieo, mw. estando breve a seeuir via-
'em para a 'corte deste imperio com os ullinios dos-
de-
gem para .. -,...*. -. ....,--
cobrimentos desta famosa arte, so se peder
morar cesta cidade por um curto espago de tempo :
e por isso roga a todas as pessoas e parlicularmen-
lo as familias que estilo para retirar-so da cidade,
aproveltem-se lesta bella occasio para lirarem
oa seus retratos de nina maneira a mais perfeita quo
se lia visto. .
O artista, para que o publico ronheca o mrito .le
seus trabalboSjS pode dizer quo na cidade do Mara-
nhflo ( de onde so retirara ha ;i me/es ) lirou man do
tres mil retratos.
Retratos copiados e tambem se liram retratos pa -
ra medalhas o alflnetes. Trabalba-ae com a mesma
facilidade com sal ou sem elle das 9 horas la ma-
nhfla as iluas da tarde.
As pessoas que quizcreni podem ir examinaros
retratos que sempre tem amostra em sua casa,
na ra da Cadeia-Nova, u. 26.
OlWen
deia ,n. 4, casa de Manoel da Silva Santos; ou an-
nuncie sua morada para ser procurado.
A commissflo administrativa marcou o da
setembro para ter lugar a partida daquclle mez o
convida aos Srs. socios a apresentarem suas propos-
tas para convidados a dita partida, no da 31 do
crrete pelas 6 horas da tarde na casa da socie-
d,de. Adverte igualmente aos .tos Srs socio,
que as mencionadas propostas deverBo declarar,
alen, dos ..ornes, a qualidade estado o OttUpaeflO
dos candidatos, alim de orientar a commissflo acer-
ca da idoneidadedos mosnios convidados.
Caumont, dourador, na
ra Nova n. W fabnca de
candieirqs do gaieoutros, doura, pratea braaita
de dilTercnles c.Ves todos os metaos, '$?&
os candieiros
militares, o) parlicularcs; roncera o tornea por de
novo todos os objeetos de metal; pOO
deazeite promplos para gaz; troca e compra todas as
qualidades de bronze, por preco rasoave!.
-He chegado un lindo sorlimcnto de
talioasc pianclies le pinho da Suecia ,
de io a 3o (taimo* de conipiimento, pro-
priaa para um linda assoallio ou forro de
casas, para quem liver bom gosto pois
siio as mais lindas que a este mercado
tucm vindo : a fallar atrs do theatro,
com Jpaqutm Lopes de Almeida, caixei-
ro do Sr. Jopo Mnthcus.
se ac he ni.
A ellas cpie
Compras.
Compram-se, ou alugam-soduas pretas acostu-
rnadas a venderem na ra que nSo tenham defei-
tos, e sejam fiis : na ra do Queimado, n. 40.
;


A
i
i
Compra-so urna escrava moga que saiba en-
gommar bnm.oozinhar o lavar desabito : na ra do
Crespo, leja ile miudezas, n fl ou na ra larga
do fio/ario n. 26. tcroeiro andar.
Compra-se um caix.lo con C palmos e meio le
altura e< de largura rom os seus competentes cai-
xilhos, prnpro para vcnila : quom livor aiinuucie.
Compiam-se escravos de nuifos os sexos do
13a 90 anona, rom habilidades, OU sem ellas ; sen-
do do bonitas figuras, psgam-se bem na ra das
Cruzes n. 22, segundo andar. .
Compra-se urna escrava moga de boa figura,
que saiba cozinhare lavar, e nlo lunha vicio: agra-
dando paga-se bem: na lioa-Vista, ra Velha, n. 18.
Quem a tiver, devo apparecer das II horas da ma-
ntilla s 3 da tarde.
Contina-sea comprar ferro fundido, cobre e
bronze velho : na ra do liruin, n. 8.
Compra-se um Ripanso, ou lloras de Semana
Santa, em portuguez e usado, com tanto que n3o
Jhe fallem follias : na ra do San-Francisco, antiga-
mentc Mundo-Novo, n 00.
Compram-se duas cscravas de 90 a 30 anuos :
na na da florentina, n 7.
Compram-se 2 moloques do 1 i a 20 anuos, com
principios de ollicio de sapateiro c sabendo, mc-
Ihor; lambem secompram nao sabendo, o urna prela
*"' mesma idade com habilidades: sendo de boni-
tas ligurase nlo londo vicios ncn achaques, nao se
olha a prego : na ra da Concordia passando a pon-
tcziulia, a direila, segunda casa terrea.se dir
quem compra.
Compram-se as Odcsc Arto potica de Hora-
cio traduzidasao p da leltra : na praga da Inde-
pendencia, livraria ns. 6 c 8.
i''fJfS/IS.
Vende-se a aecusago defesa o julgamonto do
Nmareno, em folheto brochurado, por 1,000 rs. :
na piara da Independencia livraria ns 6 o 8.
Vende-se, por prccisflo, urna bonita escrava de
ncelo Costa, de 15 anuos ile idade que sabe cozor,
engommar o ro/.inhar: quom a pretender dirija-se
u ra das l.arangeiras, %. 1.
Vende-se sebo em barricas : na ra da Cruz ,
n. 3.
Vende-se una cama de Jacaranda com muito
pouco uso, com seus rompetlhlcs colchos c enxer-
ges ou sem ellos por coininodo proco na ra
da Cruz, no Rocife n. 18, segundo andar.
Vendeni-sc encerados pequeos, mili bem fol-
lse pintados, proprios para cobrir cargas de as-
sucar ou carno secca por proco nuiis comniodo
do que em oulra qualquer paito na ra da Cruz,
no Recito, n. 18, segundo andar.
Vende-se a loja de fazendas da ra ilo Queima-
do n. 19; com peucos fundos : a tratar na mesma
loja.
Vende-so cera em velas de Lisboa muito su-
perior, cni calzles sorlimento a vonlade do com-
prador; mercurio doce, de Lisboa, em caixinbas
do 3 e 5 em libra ; cal virgen) om pedia, de Lisboa ;
vinho tinto do Porto em caixotes de 18 garrafas:
na roa da Cruz, no Recifo n. 51, primeiro andar.
Vende-so una rasa terrea na ra das Trinchoi-
ras n. 10, que rende 12,000 rs. mensaes : a fallar
com Claudio Rubcux, na ruadas l.arangeiras, n.
18, que lii quem vende.
Vcndc-.se nina pela de 22 anuos, cozinheira ,
o (no ongomiiia o cose : mi ra da Aurora II. 50
/ Vcndem-se pegas de madapoln limpo COIU 20
varas a 2,100 rs. e a seis vinleiis a reta lito na
ra eatroita do Rozario o. lo, lereeiro andar.
Vendem-sc 12 cadairas um sopha un jogo
de bancas; ludo de Jacaranda e quasi novo; 4
mangas de vulro bordadas e grandes, por prego
muito em conta : na ra Augusta, n. 60.
Vende-se una morada de casa, sita no bairro da
lloa-Vista : a tratar na na larga do llozario, n. 32.
Yendc-se um pardo de 14 a 15 anuos, inuilo
proprlo para pageni, ou paraa prender qualquer ofii-
cio.e que nSo tem acliaqucalguin: na ra do Cabug,
loja do ourives, viudo da praca, lado esquordo, sc-
gunda loja.
Vende-se una prela crioula de 30 anuos, pro-
pria para todo o servigo de una casa por saber
coser, engommar, cozinhar, vender na ra e lavar
na ra da Cruz, n. 52.
Vende-se un inolequo pega ; una porefio de
couros cintillos ; 85 couros salgados ; 120 meios de
vaquetas : ludo superior : na ra da Cadeia, loja de
Victorino de Castro Moura.
Vcndem-se cadeiras de jiinlio a
polka, a i,8o rs. : no arco da Conce-
<;iio. A ellas, por ser o resto.
REFRESCOS.
Xai'upede groeolhe folio do verdadeiro sumnio,
vindo de Franca, a 1000 rs. agarrafa dito de Mo-
jes de larangcira ,a 1,000 rs. a garrafa ; dito foito da
vordadeira resina de angico, que be muito conhoci-
do e approvmlo por as pessoas (|iie padecom do pci-
to, por ja ter foito ptimos beneficios a 1,000 rs. a
garrafa ; ditos de maraciija, tamarindos, lin.fmc la-
ranja, a 500 rs. a ganara : no Atcrro-da-l!oa-Visla,
fabrica de licores, n 17.
Vendem-secaixas de cha hysson, de6, 12e13
libras em porefles ou a retalho ; caixas de velas
de espermaCetedeSe 6 em libra : na ra da-Alfan-
dega- Velha, n. 36, em casa do Malhcus Austin &C
C^> EM PRIMERIA MAO', ^3
vendem-so caixas com velas de cera do Rio-de-Ja-
neiro o de Lisboa; e lambem brandOcs bogias e
tochas : na ra da Senzalla, armazemn. 110.
Na Toja nova do Passcio-Pu-
hlico.n. 19, de Manoel Joa-
quim Paseo.il Hamos,
AendeniSQ pecas d"! madapolio, a 2,000 e 2,400 rs. ,
o a vara a 100, 120 cilio rs.; chitas, a liO, 140 o
160 rs, o covado ; pello do diabo a 200 rs o cova-
do ; chales do mclim a 1,000 rs.; pegas de algo-
diozinlio, a 1,280 rs. ; riscados francozes a 200 rs.
o Covado; princesa muito fina, a> 1,000 rs. o cova-
do; e outras muitas fazendas que pelo seu diminu-
to prego nao desagradarlo aos seus freguezes.
Vcndem-se, na ra Augusta, n. 34, casaes do
rolas brancas haniburguezas, por prego coinmodo.
Vende-se cal virgem de Lisboa,
em barr8 da meliior que lia no merca-
do por preco muito rasoavel : na ra
do Trapiche, n. 17.
A setecentos rs. a
vara.
Naloja.deGuimarBesSeraflm& Companbla, ven-
de-so lirim trancado franco! bastante cncorpado
c de puro linho, pelo barato prego de 700 rs. a vara.
Ksta azenda se torna recoinmcndavcl pela boa qua-
lidade.
Vende-se cera de carnauba, de muito
boa qualidade, tanto a relalho comoein
porgan : na ra das l.arangeiras n. 14, \}Bk
segundo andar. Jy
Deposilo.de vinagre da fabrica
da roa Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, do Fredcrico Chaves, no Ater-
ro-da-lloa-Visla, n. 17, onde se achara sonipre
grande porgao e por prego coinmodo.
Na .na da N.'iizalla-vova, n. 3o ,
(padaria) vcudciu-se juncos de superior
pialidade, cm porco c a relall.o, e por
menos do que em oulra qualquer parle
Na loja da ra do Cabug, de
Francisco Joaquim Duarlc,
lia muito acreditada cm botos do todas as modas ,
modernamente tem recabido, pelo ultimo navio do
Frangu as ultimas modas de botos cm l'aris, tan-
to Ue seda, setim sarja o velludo, como para' libr
de pagensde marque/os, baroes c outras dignida-
des da provincia ; bom como de Pedro II, os mais
bem douradosque aqui leem apparecido, proprios
para os Srs. milaUres ; e tambein de vidro de diver-
sas cores, para vestidos de montara c de madre
perola de lodos os lmannos. As amostras so
achilo patentes para os Srs. compradores que se dig-
iiarem de honrar esta loja.
Vendo-so um sobrado de dous andares c so-
tilo, por 6:600,000 rs. silo em urna boa ra do
bairro de S.-Antonio cojo sobrado rende 70,000 rs.
mensaes: na ra das l.arangeiras, n. 14, segundo
andar.
A O BOfil E KA 51 ATO.
.' a nova loja de Francisco Jos
Teixeia Bascos, nos cjualro-can-
ios da ra do Queiiuado, ti. 20 ,
vende se panno preto, verde, cor
de caf o azul, de superior qua-
lidade e por prego mais coin-
modo do ijiieem oulra qualquer
parte. Na mesma loja ha um
completo sorlimento de fazendas
por preeos rasoaveis.
\ I #000 rs.
As inolliores luvas de pellica brancas o elsticas :
na ra larga do Rozario, n. 24.
itencao!
Vendem-sc superiores chitas francezas, de vara de
largura ('decores lixas, a 280 rs. o covado; dilas!
linas, oscuras o decoros ixas leudo algumas que
servem para lulo a 5,000 ra. a pega ; meios chales
de cessa ilo quadros a 440 rs.; cortos de lanzinha,
para senhora com 15covados, a 3,600 rs. ; panno
preto lino para pannos do prolas a 3.000 rs. O co-
vado ; chales do laa c soda muito linos a 5,500 c
7,000 rs. ; zuarte de vara de largura a 240 rs. o
covado ; coi tos de eambraia lisa muito lina c com
6 varas u meia a 3,000 rs. ; superior brim tranca-
do pardo, de puro linho a 640 o 900 rs a vara ; di-
to amarello multo fino, a !>00 o l.OOO rs. ; (lito
tramado do linho blanco, muito superior a 1,000,
1,280 el,600 rs. a vara; Chadrezes do linho para
jaqueta a 400 ra. o covado; riscadinhos trancados,
a 240 rs. o covado ; liainburgo de linho, a 26(1 rs. a
vara ; meias para senhora a 240 rs. o par; e outras
muitas fazendas por barato prego : na ra do Col-
legio, loja n. 1.
--Vendem-so dous mulatos, sendo um com idade
de 18 anuos, bom ollicial do sapateiro, de linda fi-
gura, e proprio para pagem ; um molcqiie de 12 a
14 anuos; um niulalinho de 7 pouco nuiis ou
menos; cuma muala do 26 a 28 anuos, que cose
soll'rivolmente o lava roupa : na ra do Crespo, lo-
ja, n. 2 A, se dir quem vende.
Vemdem-so ptimos guardanapos de puro li-
nho, os mais modernos que tecn viudo do Portugal,
a 800 rs. cada um; c um novo sortiniento de pannos
linos do toilas as cores, por diminuto prego : na lo-
ja nova do Haymundo Carlos Leile, ra do Qucima-
do, n. 11 A.
Corles de pelle do diabo, a
1,400 rs.
Vendem-so superiores cortes da fazenda chama-
da pelle do diabo com 3 covados e ineia pelo ba-
rato prego de 1,400 rs ocrte, sendo da mais su pe-
rioa que tem apparecido : na ra do Collegio loja
n. 1.
--0 Musen l'itloresco, jornal de iuslrucgio o recreio,
ornado d bollissiuias estampas ^vende-se, porprc-!
comolto menqr que o da assignatura, no segundo
andar da casa u. 7, da ra da Cruz.
Vende-so un sobrado do dous andares e soliio ,
sito na rua da Guia, n. 53 em chaos proprios na
ra Nova, n. 65, primeiro andar.
Vende-se um bomeacrato mogo, de bonita fi-
gura o uma escrava todos chegados do Araoa'ty a
26 do crrente: na travessa da Madrc-dc-Deos,
n. 8.
Vende-se o silio denominado Pacheco ,
com mais de meia legoa de trras, muito proprio
para plantagilo de algndflo e para criagilo de gado ;
tem lodas as proporcOes para so levantar um engo-
lillo ; tem boa casa de vivenda alm de outras casas;
lomi'iigenho para descarogar nlgodo o he situado
pcrlpdcMamanguape,da provincia dal'arahiha: tam-
bem se vende urna parto de torras da fazenda de
Manigoba que divide com o riacho do Portes porto
de Catol-ilo-Rocha ; e outra parte no sitio Corrn-
linho-de-Baixo que divide com o rio do Piranhas,
torras muito proprias para criare soltar gados, por
terom boas meoslas de serras e agoa'permaniintc,cu-
ja agoa nunca seccou nom mcsino na rigorosa sec-
ca : ludo por prego com modo : tambem se troca m
por casas nesla praga : a tratar com Jos Antonio
de Magalhfles Basto.
Vende-se eambraia de linho multo
lina, para lencos de ino de senhoras. ou
peilos de camisa, pelo diminuto preco de
3,ooo rs. a vara : na rua do Cabug, lo-
ja de Pereira & Gucdes.
Potassa russiana.
Cunha k Amorim leem para vender
potassa da Hussia, de superior qualidade,
na rua da Cadeia, n. 5o.
Lotera do Kio-de Janeiro.
Aos 0:000,000 de ris.
Ililhetes e meios ditos da oitava lotera a benefi-
cio do imperial thcatroda cidadede Nicthcroy : na
rua da Cadeia do Itecife loja de cambio do Sr. Viei-
ra. Kstcs bilhetesvilo rubricados pelo vendedor.
A el les, antes que se acabem.
Vendem-se barrisde diver-
sos (ammlios com mel, no ar-
mazem do trapiche liamos : a
tratar na rua do Queimado, loja
n. 29.
Casimiras clsticas, a f#00 rs.
o covado.
Vendem-se superiores casimiras clsticas pelo
barato iwego de 1,000 rs, o covado; ditas muito li-
nas francezas a 1,280 rs. o covado ; dila do su-
perior qualidade elstica, milito fina, c prela a
3,500 rs o covado : na rua do Collegio, loja n. 1.
B Bf :s:s &esieflW9l&2fiMal
Na rua lliicita, sobrado n. 29, vendo-so um 15
: casal de escravns do servigo de campo, por V
;^ SllO/ is., a prela lainhein lio lavadoira o vende- f;
J3 doira; c por 300/rs. uni preto do servigo de OI
jij ampo. jjg
Veiido-seazeilede poso om garrafas e caa-
das ; cal virgem do Lisboa, em barricas grandes e
pequeas; (echadurasgrandes pai portas de ar-
mazeni, por preco coinmodo: na rua do Vigario ,
ainiazoin n. 11.
Lotera do Kio-dc-tlanciro.
Na rua da Cadcia-Velha, n. 29,;casa de J. O. Klsler,
vendem-se bilheles o meios dilos da terceira loto-
ria a beneficio da fabrica de papel, viudos no ultimo
vapor.
Vende-se um cscravo de nagflo Angola proprio
para ocampo ou servigo de rua, por prego com-
inodo -na rua de Moras, n. 140.
Vendem-se latas com bolachinhas de herva-do-
ce feitas do araruta muito novas e muito baratas;
hlalas boas pelo barato prego de 1,600 rs. a arro-
ba : noarmazem do Bacelar, defronte da escadinha
da alfandega.
nerife ; ditodo Rheino ; dito de Rucellas e Carea-
vellos; ditodeLisbA ; dito de Malaga; dito San-
terne ; dito de graves; dito chnmpanha sellerv"
ago'ardente do Franca ; Kirschwasscr, extracto i,!
absinlhe; Cherry-cordial ; agoa do flor do laranja
frascos com conservas de vorduraa ; ditos com tm.
tas da Europa em calda de assucar ; ditos de ditas
em cognac ; dito de mostarda ; sardinhasem latas
e vidros ; petits-pois ; salame do superior c|ualidade
vindo no ultimo navio de llamburgo; agoa de seltz'
embotijas; azeito doce de Marselha finissimo-
velas do eomposigao ; ella prolo, hysson e perola-
charutos de Havanae regala. Adverto-se que tud
he oxcclleute e por prego commodo.
mm Vendem-se moendasde ferro para engenhoa de ai-
uo.nr, para vapor, agoa c beatas, de diversos tamanhog
por prejo coinmodo ; e igualmente tainas de ferro coado
e batido, de todos os tamanbos: na praca do Corpo-San
fo, n. 11 ei" casa de Me. Calmont 5 Companbla, ou na
rua de Apollo, armazcui, n. 6.
Medicina universal.
Pitillas vegetaes de James Morison.
A medicina vegetal universal he o resultado do2n
nnos de investigagOes do celebre James Morison
Por meio destaspilulas conseguio seu autor inn-
meras o admiraveis curas, desde as afTccccs que
atacamas criangas de peito ate as molestias cliro-
nicas do ancido.
A Europa saudou esto remedio como remedio uni-
versal para lodas as doencas o at boje anda niio
fo desmenlido tal titulo.
Esta medicina vem acompanhada de uma receita
que ensna o facilita a sua applcago. Consiste cm
tres preparages a sabor : duas qualidades de pi-
lulas dislinelas por nmeros o um pi'i : cada qual
goza de modoseacgOes diversas.
As pilulas n. 1 silo aperitivas; purgam sem abalo
os humores biliosos e vicosos, o os expulsara com
efficacia.
As den. 2 expulsan) com cjses humores, igual-
monte com grande fdrga os humores serosos, acres
o ptridos, de que o sanguo soacha n miuclo infecta-
do; percorrem todas as partes do corpo, e 80 cessam
do obrar quando lcem;expulsado todas as impurezas.
A terceira preparagilo consiste em urna limonada
vegetal sedativa : he aperaliva, temperante e ado-
cante : torna-se em conimum.com as pilulas c facili-
ta-lhes os melhorescffeitos.
A posieflo social do Sr. Morison a sua fortuna in-
dependente repellen) toda a ideia do charlatanis-
mo ; cas ndmiraveis curas, operadas com o seu
systema no collegio desande de Londres, silo mais
que garantes da efficacia do seu remedio.
Itecommcnda-seesta medicina, que nlo pede nem
resguardo de lempo, nem de posico da parto do
doente a lodosos quo atacados de molestias jul-
gadas incuraveis se quizerein desengaar da sua
virtud*.
Oxal que a humanidade feche os ouvidos aos in-
teressadosein desacreditar estes remedios tilo sim-
ples to comniodos e tilo verdeiros.
Vendem-se smento em casa do nico c verda-
deiro agente J. O. Elster, na rua da Cadeia-Vclha ,
n. 29.
mmmtmmmukmw w mmimimi
j
Vendem-se4 escravos, muito mogos, lindos,
f bastante reforgados e corpolentos ; 2 mole- %
ques muito lindos, do 15 annos ; um mulati- :|'
f nho de 8 annos : todos silo muito espertse j
.'|; habis, e mo tem vicios nem acgaquos, o que |1
f se allanen ao comprador : na rua do Vigario, j
; n. 24, se dir quoni vendo. g
mmmmmmmmmm mmmmmmmwmm*
-Vende-se una prela de 20 a 22 annos; de bo-
nita figura por prego commodo: na rua do Li-
vramenlo. n. 32.
Escravos Fgidos.
Attencsio.
Na rua do Crespo, loja n. li'
de Jos Joaquim da Silva
Al aya,
vendem-se chapeos de seda para cabegas de senhora,
os mais ricos, e mais modernos que leem viudo a esta
praga; assim como se vendem chapeos de seda o de
palhiiiba para meninas do dous a 12 annos; toucas pa-
ra cringn*, de muito lindos gustos. Tudo cllegado
de l'ranga pelo ultimo navio, c por muito commodo
preo.g
Vende-se cha preto muito superior, em caixas
do 16 libras proprio para familia : na rua do Tra-
piche, n. 8.
10 W *t>\& %1^S^
i?' Vende-se bolachinha de agoa c sal do 20 ^
H em libra, todas furadinbas.e muito boas 0
g para cha e caf; bem como de leite e ovos que <
H servem mesmo para doentes, por nlo lerem 0
& composigoes oleosas ; hiscoiitos redondos ^
^ (lcese d'ovos ; bolachinhas; faliasdos mes- 0
& mos: tudo foito com lodoasscio e das me- ^
^ Ihores farinhas que ha boje no mercado: tam- &
(f bem se vai fabricar bolachina de araruta no ^
t pateo dcS.-Cruz, padaria n. 6, defronte da &
ig'-eja. ^
Qg>{%&W>\<&g>\^ &]<& &\\% 8\% 2>W
Vendem-sc duas pretal mogas, de boasligu-
ras, com boas habilidades; dous pelos bous para
todo o trabalho : na rua doPasscio, loja n. 19, se
dir quem vendo.
Narua ila* Cadeia-
Velha,n. !9, loja
e J. O. Elster,
veude-sc vinho do Porto do diversas qualidade
dito (ia Madeira ; dito de Sherry ; dito de Bordeaux
dito chateou-la-rose; dito de S.-Julien; dito de Te-
Fugirai)', no dia 9 do corrente dous escravos,
do engenho Vcrmelho na comarca do Rio-Formo-
so os quaes leem os signaes seguintes : Semillo ,
crioulo, de 20 a 25 annos, cor ataieada cabello
pichnim assanhado nariz afilado o com as venias
largas olhos brancos morios c grandes quoixo
fino cara um tanto larga pas largas, cintura lina ,
jcorpo cabido para diante quando anda peinas
cangalhas ps grandes o com os dedos torios; tem
uma marca de uma feridacm uma das pernas ro-
mechc-sc lodo quando anda, c nao tem barba:
Antonio, crioulo, de 20 annos pouco mais ou menos,
falla gaga de menos que o oulro na altura e groj-
sura pernaslinas, pos apalhotadns nariz meio
chato, olhos brancos e do bom tamanho, meio fulo,
as costas o utios lugares em que se cosluma a cas-
tigar escravos bastante cortadas mesmo do fgi-
das que tem foito lesta meia acarueirada denles
limados, beiooa grossos. O Semiilo foi comprad
nesla praga a Diogo Jos da Cosa, e dizia o mes-
mesmo cscravo haver sido de um honiem, de nomo
Rento da Cosa Villar, morador na villa chamada
Tellia perlcncentcaosertilodo Amuni. O Antonio,
he natural mesmo daquella comarca : suppOe-se le-
rem sabido juntos. Itoga-seas autoridades policiaes
e capilcs de campo, que os npprehendam e levem
ao dito engenho, ou participen) ao pj-oprielaiio ,
Clemente da Rocha Wandci ley que gratificar ge-
nerosamente.
--Fugio no dia 26 do corrento, um cscravo
crioulo, de nomo Caelano, alto, pernas compridas ,
anda de cabvea baixa alguuiu cousa corcovado de
40 annos pouco mais ou mimos: quem o pegarle-
ve a rua da Cadeia-Ve|ha n. 33, a Jos Rodrigues
de AraujoPorto ou em Pcdras-de-Fogo, a Joaquim
de l'ranga Cmara Jnior, que sera recompensado.
-- Fugio, no dia 2C do corrente, pelas 11 horas da
manha do deposito geral desla cidade urna pre-
la ile nomo Ira crioula, escrava doSr. Francisco
Xavier das Chagas, morador no A terro-doa- A fuga-
dos ; a qual tem os signaes seguintes: estatura re-
gular, fula ,coin falta de denles na frente, a falla
um tanto lina: levou saia do ganga .azul, e panno
da Costa : quem o pegar.lcvo a rua do Hurlas,
140, que ser gratificado.
Fugio um escravo do nomo Thom bem pre-
to da cor, estatura regular, ponas linas, ps pe-
queos, orelbas tambem pequeas; cosluma quan-
do falla ser com cara do risu ; levou camisa e cerou-
las de algodo da Ierra o chapeo oleado de prelo,
do abas largas : quem o pegar love ao Ciqui casa
de I). Baria da ConceigHo Pcreira que recompensa-
r generosamente.
PUJi : A TTP. DE U. F.DE TARIA. 1&47'


Aino de 1847.
Segunda fe ira 50 de Agosto.
N. 55.
Qhm^tm QQmm
3A-
PERNAMBIIGO.
(80B OS AUSPICIOS DA SOCtEDADE COMMERClAl..)
o\)9ertve-$e na Prasa da Independencia, hija de lirros n. 6 e 8, por iiiooo r'm por anno. pagos achantados.
PKECOS CORRENTES DA PRAA (Corregido>abba
6
o
i
o
; __. a ^ s w ^~ y" *^ a ~* ~" ~* ** "~ ~- ^^ r- "-r7 TV W ^ T 1 "^ ^ T *- r* TV ^ -* ** ^- ""
* #C ^ c fl* iB M
5 B'3 8*. e~"J ll:2*S***J!,,* 3-a-B i'F J a -= g-s 1 3 Jf-T *p *->> -|J a
TSS Z$Z ~S88 252 32 2 H 2 I22I2SSSi11 SSJ ?85 | S S
gg|S22S
a r* *
h0*0*B*w-0
- ~f*t e* c* -? -
S188
S3 =
e
* %
c c = = :
s -> ^
O O o
888
223
18 i
! 3 no
i i i "
o a
.2
i i
i -- <
1 i g i i i
'111:1' 'l'ii'! !,' 'li
3 fifi 1 = .
|f.K3
i i i
'~'jf
lilil
i i i i .g
"s I I
ITTT
I l i '
I
3 ? 7. ""
i.
i i i i
i i i i |
i riir
i a i i i 3 o.
i 1.5?.' S*=:|^'
M. St? "E
I w i "
. j. |
i.
r .81......23,'''
!H1.il!

*
si *
o
B
S
til
8
. ? o
---------s
coa
..>
c
A4a
e
>m m jr t.x w
*t ^. O *t >
'3
s

g
a
* 4141
! i-I
i
IviJaa
3^-
'co O = I


""lia"
5
i i|i
j i
^ e
>-3
7jhf.fjfi.il
p ce e> o a=i e
afir.*- -* *-;
if o o 5
i C a 3 *
:5^S = S *
1 ^ '* ^^ ^ ** ** "*
s s =
5^ '*
_ .nitn ^ #i ^
Ij
-?.-

B.Hi41..^filjil3
3 j;r-?^r <<5'-ij>:'
a
i
1 s i i i
i,.,
i ii 111 i i
a i i i i i i i i i i i
5.....sil' '-i
S-8a' UjIIiij] iMIii i
i:;:i::utii::: ;i.-.l il:l i*aii;
-
^


(*>


EXPORTAgiO.
EXPORTS.
I'BK(,:0 BA PRAf
Agurdente Cataca -
Algodio I forte- -
Hum ------
Coltoii 1. qualily -
Assuear branca em caitas -
mascarada -
para em humear ou
em saccar, hranco
maicavado -
Couroft seceos saldados.
Meiof do sola
Cbilrcs da Ierra -
* do llio Grande -
Sugarin cases while -
a brovrn ,
lor brrela or llags
wlnle 1
browu -
Dry saltcd hidra
Taime ludes
Ot-horns -
6/000 60*000
7/00
I .>!<>
900
2joo s*3no
1/400
106
IfoOA
'i/000
1*600
II:.
US 0(1
4*600
POR
Pipa.
Arroba.
a
1s. ferro
Lilira.
Ha*.
Genio
CAMBIOS.
Londres,
Lisboa .
Franca.
Rio de Ji
PHATA
........................." dpnrl/r..0 ......... .........106 a Jooporcenlo premio, por aactal encanaos
,.'....,................ "6 rU por franco.
neiro............. l'"r
1*1)10 l/20.
1*960 a 1*960.
I/"SO 1*930.
liSIUI 11""
/inn 16*60!)
6/JOG 16/300.
9/1 00 a 9*300.
S*000a Jll'600.
"i i ma ........
l'aucoes Brazileiroi........
a l'esos Columnaiios........
a Uitus Mexicanos...........
OUHO. Modas de cjiio relliai...
Dilas ditas novas...
> Dilas de 4/000............
a duras hespanholas........
a Dius Patriticas..........
'"......................... A
2S600 a 29*000
e I por 100 ao mes
F lili. TUS.
ASSUCAII.
Urerptol............... Caltas I 1.
Gaual, poilos Ingleses...... Dito
Dito, ditoenlrellamu.e Havre. D.to
Genova.. .............. -Saceos
llamhurgn caita................
Bltico........................
Trieste.................Caitas
Estados-Unidos................
Portugal....................... 100
franca.......................
Coi 5/.
Coi 6 /.
Portugal...........
Frailea............
Inglaterra..........
liarceloiia,, ........
ALGODAO.
COO por @ sem primagem nominal
400 por @e 10 p /* aocamli. de 160 p Ir nominal,
'/, d. e 6 p. / de P"""^*.
00 real
COUROS.
Inglaterra Seceos I
Praasfa...........
Estados Unidos .....
14 0 0
por tonelada e 6 por cenlo, Don iii.l
10 bancos por toneladas, cooilOp. ctuio
PJo ha.
- a-ca*
F.S



*
l>e da II de Novemhro de IM4 9. liante pagarn 60 p. c.n rape ou tabaco
tn4 os charutos ou cigarros, o fumo to rjlo ou em folha.
fagar60 p. c. os saceos de CHnliam.uo grossaria ou gimes da In.lia. os cai-
vetes em lrma de punhal, al alila.las u.raearruagens, as pedras lavrailas para lu-
gdo, as pedras de cantina pira porioes, portal e jaurllas, as pedras lavrad.s para
eiicauanientos, cepas, cunhaes e cornijas, o assuear reliuadn, crysialisado ou de <|ual-
quer maneira cont'eilado, o cha, a agoardente, a cerveja a cidra, a gene.ira, o mar-
rasquino, ou outros licores, a os vinhos de qualquer qualidade e precedencia
Pagara 40 p. c. as alcatifas ou tapetes, o canlnmaco ordinario on grnssrria, as
bal nicas de q.ialquer qualidade, e milpa feita. nao especiheada na tarifa, as Cartas pa-
ra jogar, as escovas de cabo de marlim, o fogo da Ghiua em cartas, nu qualquer mi-
ro fogo de artilicio, o papel pintado, praleailu, <>u dourado, sendo de quahdades
linas, o papel pintado para fuar salas em collecces ou paizageus, o pape! de Hol-
lando, imperial, ou oulro nao especificado na tarifa a |olvora, os saboneles, o sabio,
ocebo em velas, as velas de Stcsrina ou composico, as ameivas, ou outras fructas
em frascos ou latas, se as, em calda, ou tm espirito, o chocolate de cacao ordinario,
o vinagre, os carrinhos, carruagens ou caitas jogos, rodas, arreios para urna e ou-
1ra consa as esleirs para forrar casas, os cairos para couduzir gente, os sociaveis,
silhes, os sreieiros e tintciroi de porcelana, e qualquer objeclo de lonca nao com-
preheadido ua tarifa; os lustres, os clices para licor ou vinhn de vidro liso ordina-
rio, o de vidro moldado onlinirio lavrado ou moldado, e lavradn ordinario da Alle-
minha e semelhanlcs ot de vidro liso moldado ou lanado, de fundo cortado ou liso,
om molde ou lavor ordinario ; os clices para Chainpauhe ou cervrja, as canecas,
ecopos direiios de 10 a I em quartilho, as garrafas de vidro al I quarlillic ou mais,
mudo lodos estes objeclos de na. I el as garrafas de vidro prclas ou escuras da
aesma capacidade, comprehcndidas as que servein para licores ou I.c-llov os copos
dsra tabernas al nina caada, os frascos de vidru ordinario cntn rolhas do mesmo
t 3 libras ou mais ; ou sem rollia at libra* ou mais, os do mesmo, al 4 libras ou mais, ou sem rolda para npndeldoc os viilnis para a-
enpadas ou Candeir >s, as talmis ou follias de oiogiio ou mura madeira fina, e Iras-
cs de qualquer madeira.
f'agaro 16 p. c. o ac, alcalro, tinco em barra ou em folha, chumbo em barra
ou lencol, estando em barra ou ein verguinh. ferro em baila verguinha, chapa o
linguados para fundicao. folha de Flaudres, galha de Ak|,o, lata em foldas, latoem
chapa, na i din, salitre, vime, hacalho, pene pan, e quad|uer nutro, serr ou sal-
ado ; bolacha, carne secca ou de salmnnra, berva-iloce. I.rinda de trigo, pellicas
iranca ou pintadas, cordovei ou cortes de hezerro para calcado, htenos e couros
envernizados, couros de poico ou boi, salgados ou seceos sola clara para sapa le ro
ou correeiro, cobre e caparrosa,
a'agarao 20 p. c. o trigo em grao, barrilha, canolilho, espomilla, liciras, (ios,
franjas, lanlijoulas, palhetas, passamanes, sendo de ouroou prala eulreliua, ordina-
ria ou falsa: galocs da mesn naiurexa, ou leoidos coui relrox, lindo, al^odao ou
seda, rendas OU ntremelos de algodo nao bordados ; leudas de lil, as de algodao,
retroi ou trocal ; lencos de cainbraia de lindo ou algodo, e bandas de relrox de
anana.
garao 10 p. c. os livrus, mappas e -'olios geographicos, inslriinientos malhe-
nalicos, de physica ou chimica, cotes de vestidos de velludos ou damascos, borda,
dos de prata ououro lioo ; relrox ou trocal, t cabello para calaslleireiro.
Pagarn 6 p c. o canulilho, cordo de lio espiguilha, feira, los, franjas, ga-
Vj de no ou palbela, lanlijoulas, palhela. rendas, cadarros e lodoso mais objec-
os desta naiurexa, sendo de miro e prala fina.
?aga- 6 p. c.
etensis de prata,
rvo de pedra, ouro para dourar, ou quarsquer obras
Pagant 4 p. c. as jolas deouro ou prala, ou quaesquer obras de ouro.
Pagano 2 p, c. os diamantes e outras pedras preciosas solas semenles, plan-
vse racaa novas de animaes uteis.
de qualquer naro, que sobrecarregar os gneros brasilcllof de maior direito, qM
i^uaes de oulra naro.
Os arligoi nao especificados na paula pagSo o direitn ail 1'rt/nremsehre a facliin
apresenlada pelo des|iachanle i podenrto poiem ser impugnados por qualqmr nfficial
da Alfi-ndeua, que em tal caso pagan impone da factura ou valor, eos ilireitos.
Ao caso de duvida sobre a classificacn da meicadnria, pdde a parte requerir
arbilianieiilo para designar a qualidade e valor da pauta, que lile compete.
Sao isentas de diieitos as machinas ainda nao usadas no lugar, em queforesi
importadas.
K.\ PORTACAU Os (rritos pago-se sobre a avaliaco de Urna paula juiii-
nal na raxo seguinle : Assuear III p e., Algodo, caf, fumo It p e.. Abr-
denle, couros, e lodos os mais gneros 1 pe. Alem desles direilo pago-itai
lasas de 160 rs. em cada caita, de 40 is, em cada fecho, de 20 rs. em cada barrica,
ou sa:cos de assuear, e de 40 rs em cada sacca de algodo.
Couros e todos os mais gneros sao livres dedlreilos para os portos do Imperio,,
excejiro do algodo, assuear. caf, c fumo, que pago 3p.ee as laxas por volusar
Os melaes preciosos em barra pago de direilos 2 p c. sobre o valor do ner
cado. e a prata e o ouro ainoedado nacional ou eslraugeiro paga nicamente '/, p, <
Os escravos exportados pagao 6|ooo por cada um.
DHSPEZA DO PORTO As embaretces nacionaes, ou ealrangeiras, qa
navego para fnra do Imperio, pago 00 rs de ancoragem por tonelada: es*
nacionaes, que navego entre os diversos pollos do Brasil 9C rs. As que entrare
em lastro e sabirrm em carga e vice-versa, pagaro meiade do impostosupra euia
terco as queenirarein, esahirem em laslio; e mesmo as que entraren! por franqua,
ou escala quer entrein em lastro, quer com caiga Desta mposieo porm serie
isenlas as que importaren! mais de 100 Colonosbrancos, e as queenlradrem poi arribaos
Coreada. com lano que estas nao carreguem, ou descarreguein s mente os genero
ueressaiios para pagameuto dos repaios, que fiterem.
REVISTA SEMANAL.
CAMBIO llonvero Iransaccues muilo pequeas pelo cambio quotado, pelo
paquele inglez. por falla de saccadores.
AI.GODAO r.nlrru 371 sacca!, e liouverSo vendas pelo preco quoiado.
AS.-UCAK Entradas mui diminutas, e pequeas vendas.
CO'lHUS Vendas aos precos quotados
PAlllMIA DE TBIGO ^5o da deposito em primeir mo, e rende-se a
relalho pelo preco quoldo.
BaCaLHaOO deposito anda por 1,100 barricas, e ai vendas io dimiou-
lai aos precos
CAHMi DE CHARQUE Eotrou hum carregantento, e com elle anda
deposito por 26,0i>0 arrobas.
Resumo das Kmbarcaces existentes nette por/a Hodimititdt Aft* I47.
Brasileiras........................................................
Francesa................................................. .....
Hespanholas........... ..................................i
Kuiphauscn......................,.....................
/sarao 0 p, c. lodos os mais objeclos
Os genero reexportados on baldeados pago I p. c. de direilos alm da armare
"* .3" J o despachante presta banca al a approvarn desta medida pela Assem-
Wa Ceral.
Coueedem-se livres de armaxenagens, por'16 dias.'.as mercadorias de Estiva, e
dous metes ai outras ; e findos estes pa ios, pgar'/, p, c. ao mei do respec
" valor.
rdireilos das faxendas, que pago por vara, dere enlender-ee vara quadrada.
Ot Tjirello nao podem ser augmentados dentro do anno finalice ro ; masoGo-
vento poder mandar pagar em moeda de ouro ou prata urna vigsima parte das que
slreni maiores de ( e menares de 60 p. c. dos precos das mercadorias, eu mesmo
dlaaiauil-os, segundo Iba parecer,
9 Goveruo ata aulorisado a cstalielecer um dlreil* difierencial sobrcosj.'geoeor
Portuguesas
Saida .....
U
I
!
I
i
t
Total
31
A Provincia goxa tranquilidade.


_________________________(i)______________________________________
LISTA das Embarcares existentes neste porto at o da 28 de Agosto de 1847.
,TBAI)'
, fetenvbro I
,17 Julbo
10
II
,I7 Agosto
Agosto
lili ABO*
l<1 lo\M
,131 Agosto
lili *gO
ll
ll
7
55
36

17
DON Di IB-
CISCO
Bahia _
Rio Grande do a.
Aracati-
llio de Janeiro.
Rio Orando do S.
i
Rio de Janeiro,
liba de Fernando
Rio Grande do S
Ido de Janeiro.
Assu.
Bahia.
Rio de Janeiro.
Havre de Grace
Barcelonae M>lg
Montevideo

a *
Agosto
Agosto
I
II
lili Julbo I
i*
un AajtaM l
Liverpool.
Liverpool.
a
Liverpool.
I/mdres.
New Port.
Lia boa.
I.oanua.
Porto.
Nanlea
sumaca
brigiie
hiile.
hi.ie.
hrlgue.
hrlu-esc.
brigue.
E a lacho
ale
ni maca
escuna.
brigue.
brigue.
polaca.
barca,
barca
galera.
late
escuna
brigue.
brigue.
brigue
brigue.
barca.
nacaA.
Hratil.
ROMES.
Franc.
Jngl.
Knijili
Port.
Sarda.
Santa Aun
Echo.
Fiordo He cife.
Mari Firmina.
Mercantil.
ero.
Flor do Sul.
Henriqueta.
Paquete de Pernambuco
Viajante
Novo-lioda.
Flor 4o Angelim.
Galante Mana.
Nclie Mathilde
Felippe.
Joven Dolores.
rnmberland.
Wa*. Ruuell.
olumlitu.
Eil'ier Aun.
De Un des.
Enigket.
Ccoceico de Maris
llora. '
Mara Felia.
Crelo Segundo.
TONS.
95
550
137
1(9
I ti
176
13
iso
141
18
ti
ItS
I ti
IT,
137
lo?
100
350
564
MI
181
3)0
155
186
558
MBSTM.
Jo!o de Deo Pereira
Manoel Luir do* Sanios.
J.M. Machado Mamerros.
Jeio Bernardo Roa.
Antonio Joe Soares.
Joaq." Pedro de S e Faria
Jos Ignacio PimenU.
Jos Jeaquim Alves
Joo Goncalves Rocha
Antonio Jos de Araujo.
Antonio Jas Vianna.
bernardo de Souza
Jos Mando de Souza.
Joo Rsplista Cuillw rt.
Jos Gelpi.
II. Culo.
D. Power
J.D Goulding.
Daniel Grren.
Thoraas Hunler.
Philip Blimpied.
Brassen.
Ant Pereira Rorges Jnior
Jos Francisco da Costa.
Lourenco Kernandet da C.
Sicardo.
CONSIGNATARIOS.
Novaes S C
Jos Pereira da Cuaba.
I.uiz Borges de Sequeira.
Jos Antonio Bastos.
Awiorim Iriaos-
L, J. do Costa Araujo.
Amorim limaos
Francisco Joaq." Pedro da C.
Leopoldo Jos da Costa A.
Amorim Irmos.
Francisco Joaq." Pedro da C.
Luis Jos de S Araujo.
Silva k Grillo.
J. P. Adour&C.
J.P AdourkC-
I. Pinto de Lentos k Filho.
James Ryder k C.
Russell Mellon & C.
Me CalmontkC.
James Crabtree k C.
Christopbers k Donaldson.
Leooir Puget k C
T lio ti ai d'A quino F oncee
F.S. RabellokKUho.
A. J.dcSouta Ribeiro.
J. Pinto de Lesnot k Filho.
DKITINO.
Cear Arac.lT.
Porto.
Afretar.
Ilavina.
Liverpool pela Parh
Falmoota.
Lisboa.
Aogolla.
AJVt p* Gen. OuTr.
rema-buco na Tjpograpata de f. de Faria.-1117.
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECTZE81LT_P5ML07 INGEST_TIME 2013-04-26T22:34:45Z PACKAGE AA00011611_08528
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES