Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08523


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Mo de 1847.
Tenja-feira 24
n nMS/0 p.il'.licx-se todos os dias, que n!o
orcZ q-rlel- w ""2ST: 2 r
*'" Hns assienantes s!o inseridos a rasao de
n"n inli. 4 0rs.en.typo difireme, cas
".,".r.n.|a meted*. Os que nao forem assig-
rpel;"* I*- g0 porlinh, e 100 em typo
pHASES DA LA NO MEZ DE AGOSTO.
.i. al II hora e 40 min. da manha.
Mns'"' l0 horas e 7 min.,da m.nhaa
'*? L' a I, as 2 horas e min. da manha
STctS' ', *hor" *min- dm'n1""'-
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goiannae Parahvba, as segundase sextas feiras.
Rio-Graode-do-Norte quintas feiras aomeio-dia.
Cabo, Serinhem, Hio-Formoso, Porto-Calvo e
Macelo, no I., a 11 e 11 de cada mei.
Garanliuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a IJ e 28.
Victoria, as quintas fciras.
Ulinda, todos os das.
______________ '
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, is S horas 42 minutos da manha.
Segunda, s 4 horas e 0 minutos da tarde.
de'Agosto.
Auno XXIV.
n. *
das da semana.
23 Segunda. S. Lilwrato. Aud. do J. dos o.
piraos do.l. doc. da 2 V. e do J. M. da t.
24 Terca. >f? S. .artlwlomeo.
2i Quarta. S. LtflC rei de Franca. Aiid.do I.
do civ. 2 v. cdo J. de paz do 2 dist. de t.
26 Quinla. 8. Zeliiino. Aud. do i. de orpb. e
doJ. municipal da I. vara.
27 eita. S. Jos de Calaians. Aud do do civ
da I. v. do J. de paz do I. dist del.
2 Sabbado. S. Agoslinlio. Aud. do J. do civ
da I. v. e do J. depai do I dist. do t.
29 Domingo. O Sagrado Corado da Mafia.
CAMBIOS NO DA 22 DE AGOSTO.
Cambio sobre T/mdres a 27 d p. \ n *
Pars S&S rs. por franco.
Lisboa 10b I if 'fre""- __
Desc. delettras de boas M <"e '/, I Ve '"""
Onw-Onraa Leapanhol......28|0"0 a #500
Moedasdcosinnvelb. lOfeo M*J
, le 61,00 nov.. 161100 a 16*200
Pra..-1'atacoe.......... lM a JM0
Pesos columnares... 1|00 a Ifvsu
Ditos mexicanos.... l|780 a l""
. Miuda......,...... 1II0 "9,
Aeeoes da conap. do Bcheribe de 50J000 rs. ao par
DIARIO DE PERWAMBUCO
PERNAMBUCO.
TRIBUNAL DA RELACAO'.
JLGAMENTO NO DA 23 DE 'AGOSTO DE 18*7.
Vctmbargador de $emano o Sr. Hermelindo de Ledo.
Na npellacao civel entre Flix Monteiro de Castro
pj'nsc ('.oncalvos Ferreira, reformaram a sentonca.
Na dita-dita entre Jos Carlos Teixeira e a fazenda
provincial, reformaram a sentonca.
Na dita dita entro Lourenco Jos das Neves e Joa-
auim aivos dos Rers, mandaram descer os autos pa-
ra proceder-se habilitacio.
Na dita dita entre o juizo e Jos Quintiliano da Sil-
va c outros, confirmaram a sentenca.
Nadita crimeem que sfio partes ajustica eLuiza
Francisca do Amparo, julgaram procedentes as ra-
sOes dojuizdocrime.
Mandaram dar vista as partes as segu ntes appel-
lacoes civeis: .
Na de Manool Jos da Rocha e D. Constancia da
Na'de Antonio Jos da Costa o Jos Joaquim Fer-
reira Guimarfies;
Na de Manoel Jos de Barros o Jos Ferreira ,
Na de Manoel Jos deAraujo Castro, como admi-
nistrador de sua mulher, o Alexandrc Jos Pereira;
Na de Francisco Mamede deAlmeida, como tutor
dcalguns menores, e outros e Vicente Ferreira da
Silva*
Na'do Jos Joaquim de tal o Manoel Pereira Tei-
xeira. ..i i
Julgaram improcedente a denuncia doadvogado
Antonio Borges da Fonseca contra o juiz de direito
interino Vicente Ferreira Gomes.
Ncgaram provimentoao recurso de eleicoes de Joa-
quim Flix do tal.
NSo tomaran conhecimonto do rocurso do ele:
ces de Jos da Silva Pereira Costa.
ASSOCIACAO COMMEKC1AL.
SRHHORBSMEIIBOSf> ASSOClC6 COMMERClAl..
Desempcnhando o preceito, que me impOem o es-
tatutos que nos regem, de offerecer a vossa cons.de-
racilo a exposiefio das oceurroncias que se nao rea-
lisado nesta associacjlo durante o anno que lioje ex-
pira; deploro a chrigacilo que me corre de debuxar
aos vossos olhos o quadro pouco lisongc.ro dos nos-
sos traballios ; nao que nos hajam fallecido zelo e
ardor para examinar as necessidades do nosso com-
mercio, suggerir o remedio, e porfiar por alcnza-
lo ; mas poique (doloroso lio confessa-Io) nao se.
que funesta estrella, de certa poca ate boje, nao
cessa de acompanhar todas as'nossas diligencias e es-
forcos na consecucao das providencias que nao si-
do reclamadas cm prol dos interesses commuiis do
commercio e da lavoura. Depois de 7 anuos do or-
ganisac,ao ; depois dos importantes trabalhos que
assignalamnossa existeneia social, mal se podera
presumir que esta associacao decalusse iao rapu a-
inenle do alto grao de considerado e do crdito,
om que semprc Id mantivera ante a autondado pu-
blico, para hojo ver o botn c n3o poder consumrna-
lo ; demonstra-lo e 1.3o ser crida ; reclama-lo e nao
seraltendida. .m...
lie isto, todava, o que tem succcdido, con o tere,
occasiao de vo-lo relatar com mdiv.duac.ao no cor-
rer dcsle resumido relatorio. _
Felizmente, nao cabendo na exacta aprec.acao
das causas, que porventura h3o gerado esta singnlar
e penosa situarlo, imputa-la incuria culposa da
nossa parte, ou a ronrehensivel desvio do lim aque
esta associacao he destinada; seja-me licito paten-
tear-vos a esperance que me anima de um futuro
ma is favoravel marcha do commercio-pernambuca-
no, o mais efTIcaz no acoroqoamento e prospendade
da nossa agricultura. Apreciando, como lhe cumpria,
o zelo o regularidade com que a nspeccao particular
doassucar, creada pelo accordo do commercio e da
lavoura, se tem havido no desempenho das obri&
cOes a seu cargo; a associagao houve por bem dero-
nr favoravelmente sua representado, augmentan-
do seu estipendio na importancia diiTeronciai no
120 rs. a 160 rs. por caixa de assucar, como ora so
acha estabelecido; o em presenca do louvavel theor
porque a mesma inspeccao continua a oxercer suas
funccoes.a direcc3ocom rasao soapplaude desse acto
de rigorosa iustica. N3o me sendo possivel, em o
meu procedente relatorio, informar-vos do estado
das contas apresontadaspelo digno thesoureiro des-
ta associacao, no quo toca s quantias por elle re-
cebidas das diversas pessoas que concorroram pa-
ra adocar os males soffridos pelos habitantes do
Ccar, naoccasiaoem que os horrores da ultima
seccapesavam t3o atrozmente sobre aquella intcliz
provincia: apresso-me a communicar-vos, que, pre-
cedendo maduro exame de urna commiss3o, foram
laes contas adiadas em devida trma, como era He
esperar. E pois quo hei oceupado vossa aitengao
com esto assumpto, cabe aqui informar-vos do que
a assembla legislativa d'aquella provincia, apreci-
ando dovidamenlo asympalbia que hav.eis mostra-
do pelas victimas detSo horroroso flagello, reconlie-
ceu em sua sabedoria a solicitud e dedicarlo do
vosso proceder, dirigindo a esta associagao um vo-
to de agradecimento, que, ao mesmo lempo que nos
honra, revela em alto grao os sentimentos genero-
sos daquclla Ilustre corporaQ3o. Informada a dl-
reccao desta associaQao do incomniodo, e mosmo
grvame, que soffria o commercio desta praca pola
demora, que da parte dos pral.cos da barra se razia
sentir, quando Ihes tocava ir buscar os navios que
sobreavelaosesperav.frada barra ; aoWeu ol-
la dirieir-se por meio de urna commissao ao capit.io
!fn drto solicitando as necessarias providenoins
parfazer cessar t3o abusiva pratica ; e tendo wdo
bem succedida a representacao mencionada, he vor meu consignar aqui o facto de so liaver provi-
denciado Sobre8!, pilo, P'^/^no^uncciona-
interesse manifestado por aquella d gno ifunce ona
rioem nrol do nosso commercio. Atienta, como no
lo seu rigoroso dever a todas as necesidades do
commercio5 para lembrar ou requerer^los poder s
urovinciaos todas as medidas tendenta favorecer
uroeressivo andamento dos seus .nteresses, que,
e Eo resultado sao lambem J^'W *
nrovincia.e da nacSo ; a direccao da associacao di
ffio^se a'lcgislat.-ra da provincia roq-^endo o-
I fio do imposto de 40 rs. estabelecido sobic MM
billas wlXoB.8, ou ao menos alguma PW*V-
r i leaisiativa que rcgulasse sua arreejrfaco em
ordem nfio co'r.linuarom os inconvenientes, que
resulta* eo commercio do systern. adoptado ho c
na mesma arroeadaefio; frn nJ- *: I"a .
ronslitucionalidado daquella laxa, a qual, no con-
ccito de aigUI,s homens Ilustrados, he offenaiva ao
aclo addicional, por prejudicar as rende, geraes do
estado 2.", na impraticahilidade, dado o caso uu
exportaefio dos lquidos espirituosos, *"!"
.ara ccHidfio respectiva conforme os termos^o con-
dicOos exigidas pelos exactores .V-T.u .'enre-
nunca seacham curiaes e authenticas. Lsta iepre
'- '
Dcsceu elle tres degros e entrou.
* .i_ ^n r..i*rrt un
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
por aievanure ^umajs.
SEGUNDA PARTE.
CAPITULO XXII.
ootrao.
Enfiaram o cardial de Roan e Balsamo por urna
psradinlia que ia parallela da grande sala s do pri-
me ro andar : ah, sob urna abobada, acliou Balsamo
urna noria queabrio, e um corredor escuro se oflere-
ceu aos olhos do cardial, que resoluto se metteu por
ello
Balsamo tornou a fechara porta.
Ao estrepito que esta fez ao fechar-sc, o cardial
nlhou Dar tras um pouco abalado.
_ Fw-nos chegados, Emiiienliasimoenhor, d.s-
./rb samo; s temos a abrir e tornar a fechar esta
ultime porta; mas nfio se admire do desusado som
''"rca'lrquSemeioa'T-bu.ha 'da primeira
?i.? Mtimoii ser prevenido em lempo, porque o
P 'r mPiaico tos gonzos o da fechadura far.am
ffiaSlSrK. ervos menos delicados do
que os seus.
(*) Vide Diario n. 185.
Desceu ene tres iicajiou >--------- _,,. i,n
Um grande gabinete sem forro, urna immensa lan-
terna com cpula, muitos vros, mu os .nstrumen-
c7dexWmiSs ofhysica, tal era o pr.me.ro aspecto
deASocnabVo Sffi- fundos sentio o cardial que
lhLCpqSer&H.to? perguntou
aqui abafa, mestre; corre-me o suor por todo o cor-
deu Balsamo corrodo urna B"0 9^"" J0' '
ar.to e descobrindo um vasto forno do lijlo, no
canto do qual brilhevam dous buracos como os
nlhos do un. lefio as trovas. ._
Fslave esse forno no meio deoutro compartimen-
to duas vezes maior que o primero, e do qual o
principe nao dera f por estar cncoborlo pela cortina
deIm0hnoh! disse o principe recuando, como isto
he medonho!
" KTeSXvid6", mas o senhor citou Sbakspea-
eno8 che?" naoemenagra:a. Que se cose a.li dentro ?
O quo V. Eminencia pedio.
Z Kr crto, creio que V. Eminencia me fez c> fa-
vor de aceitar urna amostra da minha MBllldaJe.
novia eu smente melter mos e obra depois d a.na-
mas V. Eminencia mudou de parecer I logo
o ue o'vTa caninho pela ra Saint-Claude, accendi o
?orno fin mislun., do que resulta que o.torno fer-
iee ouo dentro de dez minutos lera V. Eminencia
o leu 2ro 'ermiita-me que abra a corred.ca para
daLUS2o?crScadnhos collocados sobr o forno
_. ar-'nos-l.3o d'aqui a dez "-utos ouro ifie> pu-
ro como ossequins deVcneza eos florn do Tos-
cana. ,
*\fio poderemos ver r
sentacSo, senhores, nfio teve, porm, resultado al-
gum, eo commercio neste ponto caminha com as
mesmasdiluculdadeseestorvos.
Instruida a direcefio, pela publicado dos tiaba-
Ihos da assembla legislrtiva desta provincia, de que
urna representaefio lhe tora dirigida em nomo da
cmara do Olinda como tlm de se fazer revi ver o
imposto denominado-das balances-al o anno
de 18M. quando nlis sua cobranga havia sido pre-
cedentemente abolida por le provincial, e nunca o
devra ter sido tolerada depois .le promulgada a
constituido do imperio, quo a proscroveu ; apres-
sou-so ella a representar a assembla provincial
contra a USurpaoSo pretendida Nfio sondo, porom,
acolhidacom favor pelo poder legislativo da pro-
vincia ajusta reclamacao da directora, a despeilo
dos solidos fundamentos em quo so estribara, cn-
tondeu mesma directora do seu dever requerer
presidencia da provincia, afirn de que hoavMse
por bom negar sua sancQfio aquelle aclo legislativo,
levando sua presenca, om a representaefio que so
acharegistadaemolivro dos nossos trabalhos, to-
das as rasoes de direito, quo altamente proclamam
a illegalidado o ineonsequencia de tal medi.ia i si-
te ultimo passo nfio produz.o elTe.to algum ; a o.
toi seccionada, e oaU-aendo o*eculeda,e com toda
ioppressfio prevista e denunciada pAAM
cmsua rcpresenlagao. Contormo vos hav.a amun-
clado no meu precedente relatorio, a dirert. na da
associacao julgou-so na obrigecHo de #"*
legislatura da provincia, reqjierendo a abol efio lo
imposto de 160 rs. por caixa do assucar, 80 rs. por
fecho, oWrs.porsacca do algodfio, estabelecido
expressamente para manutonefio da rsped,va ,ns-
peccao: visto que, achando-se esta abolida, reasado
(avia a rasao da referida laxa. Doloroso, porom, me
he communicar-vos, que, longo de haver acomido,
como se esperava, tao asisada pretencao.a assembla
provincial teve por mais conveniente crear umio-
ra inspecefio, que tamben subieitou os saceos o
barricis de assucar, desaltendendo ess^naojoa
inutilidada de semelhanle creaeflo, como tanibom
aosestorvoscembaracos que creara ao commercio
e agricultura, dilllcultando a exportacao dos nos-
sos producios, e embarac.an.lo o espediente dos
despachos sem a menor vantagem da liscalisacfio,
,ieu. utilidadeda nrrccadacfio, as quaes ambas sfio
commettidasmesa do consulado, para percepcao
dosjlireitosdeoxportacfio. .Semclhanloinciiteaoqiie
hav.a ...tica acerca do acto legislativo relativo ao
imposto das bataneas, recorreu a directora a presi-
dencia alim de que urna tal legislado nfio reccl.es-
se a sancefio presidencial, em altencao aos incon-
venientes quo dola resultaran ao commercio o a
javoura..... este recurso ficou, como ooutro, sem
etieilo.' Mas seus fundamentos subsisten. I.mies e
inabalaveis, para demonstrar a previdencia do com-
mercio c a iustica da sua reelamaefio no ponto em
queslfio; nao havendo boje una so op.n.ao que
nao conde orno na praliea o pensamento que gerara
semell.ante iustituicr.o.
Senhores! lembrados estaris, sem duylds, das
consideracoes, que tomei a lil.erdado de ollercccr a
vossa meditacao no relatorio que ha boje um anno
live a honra de ler nesta associa<;fio, acerca da crea-
rfiode um banco provincial: DflO as repioduz.ei,
pois, para mostrara necessidado absoluta de tal cs-
tabclecimcnlo; pois que, .pelo acodamento que lia-
veis manifestado c.n concorrer com a avultada sotu-
rna do pe. to do 200 contos de ris com que subscre-
vestes, evidenteracnlo lendes dado o mais valioso
testemunho pralico do vosso sentir a este respciio.
Todava sendo as creacOes bancaes om demasa me-
^fcasE>nJEWl'ff',:^,^^
Semduvida; mas tomemos algumas precau-
cOcs indispensaveis.
Sonha no rosto esta mascara de amianto com
olhos de vidro, sem o que poder.a o togo, violento
como he. (iue mar-lhe a vista.
ir f tomemos sentido, tenho mu.lo amor aos
meus olhos, e n9o os dara pelos cem mil escudos
que o senhor me prometteu. ii.a.i
1 He o que eu pensava, meu senhor os olhos de
Y. Eminencia sao bellos e bons
Ocumprimento no dcsagradou de modo a g m
aoprindpe, mudo cioso das suas boas qual.dades
pessoaes.
O'l! disse cll
lindrosasemsuas operae/.os; requerendo ellas para
seu eslabelecimento coqdicoes especiaos de existen-
cia e-le crescimento; pudendo mosmo ser compara-
das a essas plantas que so po.lem naseer e ter medra
Bm urna atmosphera perfeitamenta pura, e sem nu-
vens. que as vovilique o vigore; talvez vos telina pa-
recido nao ser ainda chegada a occas.fio de dar ao
capital subscripto a applic.cfioa que so destino.
Realisadas que sejam as circumstancias necessari-
as rundacao do tfio proveiloso estabelec.mcnto, n-
songeio-me de pensar que vos apressarcis a organi-
sa-lo em or.lem a principiar suas operaefies com a-
quella amplidao o activida.le, quo as necessidades do
nosso commercioe da nossa lavoura manire.sta.ion-
to reelamarem. Aqui termina, seboros, o nUKOria
dos trabalhos da actual directora duran c o ani o
social do 186 a 18*7; c em prosenca dos Tactos, que
aeab.Mleexpor-vos.tcnhoa profunda con vi c? 3o d.
que lamentareis, como cu lamento, a desagradavel o
ponosa situacao cm quo so acham COllOC.doi 0 com-
merciooalavourado Pernambuco. Foutes un a
donde emana toda riqueza da profmCia; C01BB-
nas Riostras do edificio ftnanceiro, om que lanianna
classedecidamos s abruza; eanaos exelus.vosjior
onde circula osanguo da vida, que alimenta e vevi-
fica todas essas pequeas industrias, quo no se oi da
sociedade funecionam e se expandem; O commercio
0 a agricultura do Pen.an.buco n0 podiam seico -
dcmnadoscompress3o o ao padec,mrito ein que
jazem seno peaaxiage influenciada maia omino-.
.sa das'fatalida'des: nem a oulra orlgem M 1P**J
tribuir 0 espirito adverso aos verdaUo.ros ilesos*
co.nmerciaes.quo diclra as medidas legislativas a
C?ina expostas, e particularmente essa oulra, que
ainda vos nflo'fallei, 0 que em vedado so parece cal-
culada para enredar todas as operacoe dcM,or"
cao. retardar o movimento das IransacQOcs c em
urna palavre, comprimir o commercio ilMKl
lavoura- eu me rel.ro, senhores, ao consulado pro-
vincUl ovamente creado para percepefio e arrecada-
cZia respectiva quola. A mim nfio me .cabe por
cortoawSwar os Inndamcntos desta c.eacfio, nem
^aUar-Kutilidado; mas o que ^oj^^,
como assumpto de sciancia ctica, le que o .. c
msltio de semelhanto rep.art.c3o, ala do tal modo
combinado, que bem se pode dUpMar sna''
c, tanto no oue toca aos interesses do "seo como
,,',.;. resneia utilidado do commercio, o qual
linlii-i.l.ido de processos imitis, o pelos emDaracos
o sen rgulamento creara. Nestas circumsla li-
rias senhores, s um recurso resta a esta assoc agflo
para MUabier plenamente a missfiO do^uetotajo-
Vestida, como representante dos mterMM da oca
.lel'er.ambuco.c assim corresponder a coman?
dosneJodnSdesta eldade: este recorso^nanita
m denrmos aos pado thri.io imperial nossas hu-
nm les' "dicas, alia, de quo um tal estado de CO-
asseia lomado em considerado., o o govorno de S
M o imperador, que ten. em sua atoada ta utos; mema
le promover prosperidade de todas as classes rc-
Olvae adopte em sua sabedoria todas as medidas
queorem .llequadas para a.Mviar .co^
lavoura da pesada compressuo de que ora sfii. vicii
mas Mal sucedidos en. todos rocujMS emprega-
dos na provincia para o fin exposto, vos deve.s sen-
fir eo-. o OU toda a necessidade deerguer ...ai alto
o redo ->as nossas reclan.a.cOes; o um c J
ello ..aquella cn.inentoreg.fioaonde ludo he recti
dfioe sabedoria, lenl.o porce.to W*%1
lica. palenles cstfio sobre a mes os livro
le ao por a mascara, dizemos, pois,
que vamor ver ouro ?
Eu o espero.
No valor de cem mil escudos i ____
-Sim, senhor; talvez um pouco mais, porque
Bz una mistura abundaiite. ___ uiHti
O senhor he na verdado *m*j
ro disse o principe com alegre pulsar do corafio.
rLU Menosilo que V. Eminencia, que tem-tonda-
de do mo dizer. Agora P"?p-lhc que so deatfe un.
Z"in5 d.tUc), rf U "'"
momento Ja ebnli.lo. M.e .hi eome( embren-
"oecer o primeito ceoinb. como V. Em.n.ne.i pode
(MlleS OsililO StlIMU a iii^- ---------- ,___
. -
ver he lempo de vasa, amatoria que chcgpu ao
ponto Queira arredar-so u.n pouco, Em.nent.ss.mo
SCoedeceu o principe com a"JSH^eS
con. que um soldado obedece a voz do .che o b Bal
samo deixando a tenaz J quente i elo conUcto dos
cadinhos vermeihos, approx.mou do torno um e
pecie de bigorna de roldanas, na qual eatavami MD
gastadas em formas de torro o.lo frascos cilindricos
^JTqueKto: meu charo feiticeiro? perguntou
'-"iXiio o molde commum cm que vou deit.r as
suas km dsse q pr.ncipe) e dobrou a attencao.
agarrando en. urna g.gantcsca tenaz dest.uaua
guiar o cadinho as curvas ponas :
O ouro ha de ser magnilico, disse elle, e ue prt
"'^mo! perguntou o principe, o senhor vai ti-
^ffjrSSt* sim senhor; oh!
declaro quo poneos fundidores teem destreza o mus-
culos como cu, nfio rcceie nada.
_ Mas so o cadinho arrebentasse.....
_ Aconleceu-me isso una vez, Emincntissimo
senhor ; era em 1399, razia eu urna experiencia com
Nicolao Flamcl, en. sua casa, na ra dos tcr.ra.w,
pertoda capclli San-Jacques-la-Boucher.e. O pobre
Fame quali perde ah a vida, o eu perd. v.nte e cin-
co marcos de urna substancia 'mais preciosa que
Que diabo me est ahi dizendo, mestre"?
A verdade. D
fe Em 1399 o senhor trabalhava na grande obra t
Sim, senhor.
Com Nicolao Flameh
I
'I
il
I
I
i,
.--
P!
MUTILADO


3


velar pelos intcrcssos desta a9sociagflo no novo an-
no que encelamos.
Sala
18*7
guczia, para que se rcnnam no da 19 de setembro
prximo futuro, as 9 horas da mandila, na igreja
. /o*. / xntode Lema,, presidente. dta mesa para a eleigflo dos eleitores, que na forma
da le teem de eleger dous senadores por esta pro-
vincia, em virtudo dasordens do governo, de 8 de
juldo [indo, receidas por intermedio da cmara
municipal, a saber:
Terminada a leitttra do precedente relatorio, pas-
sou-sea proceder eleigflo da nova direcc.lo, eficou
ella assim constituida: presidente, o Sr. Joflo Pin-
to de Lemos; vice-prcsidenle, o Sr. Manoel Concal-
ves da Silva; tdesoureiro, o Sr. Joflo Matdeus; secre-
tario, oSr. Jos Pires Ferreira; osSrs. Eduardo Com-
berjFernando Bieber; Manoel Joaquim Ramos eSilva:
Gaudino Agostinho de Barros; Jos Antonio Bastos.
Correspondencia.
Su. Redactores.--Lendo no seu Diario n. 186 um
communicado do cordial irmflo da irmandade de
Sant'Anna da igreja da Madre-de-Deos, em que in-
crepa os irmflos doSantissimo Sacramento da matriz
da Boa-Vista,de ambiciosos, por terem pedido a S.M.
!. alguns ornamentos e alfaias da extincta congrega-
do de San-Felippc-Nery.nflo me posso conservar em
silencio por urna (al incrcpagflo, injusta e mal cabi-
da aos irmflos de urna pobre matriz; porquanto.sen-
do a referida congregagflo evtincta a requerimento
de sou prelado em 1830, mandn o governo impe-
rial que todos os ornamentos, alfaias e prata fos-
sem recolhiJos a thesouraria da fazciida, para serem
vemlidos em leilflo: vista desta deliberagflo os
irmflos do Santissimo Sacramento obtiveram do
mesmo governo o aviso de 17 de maio do 1839, e
rcalisadocm II de agosto do inesrno auno. Ora, se
a irmandade deSanl Alina era propietaria da igre-
ja, ornamento, alfaias e prata, porque se nflo oppoz
a execugflo da leli1 Para que scconservou em silen-
cio at 1835, em que .li/. o cordial irmflo que a ir-
mandade requeren u obtevo a posse da igreja ? Para
queprestou flanea as pialas que receben da thesou-
raria de fazenda De duas una, ou os congregados
eram os propietarios, como diz o coinmunicado, ou
ou a irmandade, e entilo o governo imperial poda
dar o quedeu a matriz da Boa-Vista; o ueste caso,
maisambiciosa parece a Irmandade do .Sant'Anna,
que nio se conten tou com o que I lio couho.
Nada mais digo, porque muito desejo a prosperi-
dadedaquella irmandade a que portence o cordial
irmlo.
Umirmo do Satinsimo Sacramento da Roa-Vista.
FI.EITORES.
1 Vigario Francisco Luiz de Carvalho.
2 Jos Camello do Reg Barros.
B
4 Tenenle-coronel Antonio Lins Caldas.
5 Major Florencio JosCarneiroMonteiro.
6 Francisco Ceraldo Moreira Temporal.
7 Joaquim Jos Carneiro Monteiro.
8 Pedro Jos Carneiro Monteiro.
9 Francisco Cesario de Mello.
10 Comm. superior Francisco Jacintho Pereira.
11 Major Carlos Martins de Almeida.
12
13 Major JuiTo francisco do Reg Maya.
I* Jos Cesario de Mello.
15 Francisco de Paula do llego Barros.
16 Coronel Manoel Francisco de Paula Cavalcanti.
17
18 Jos Mauricio de Oliveira Maciel.
19 Bento da Bocha Wanderley Lins.
liO Francisco Duerte Coelho.
21 Francisco Jos AlvesGama.
2-2 Monsenhor Francisco Muniz Tavaros.
23 Joflo Francisco Carneiro Monteiro.
21 Major Joflo Ignacio Bibeiro Boma.
85 Manoel Joaquim do Bcgo Barros.
SUPM.ENTRS.
1
2
3 Joaquim Francisco de Paula Estoves Clemente.
4 Antonio Avies Vellozo.
COMfflEfltCIO.
Alfandefta.
RENDIMENTO DO DA 23........... 1:772,369
Detcarrtqam hoje, 24.
Barca William-Russell mercadorias.
Barca Esther-Ann carvflo, ferro e barricas vasias.
Consulado.
RENDIMENTO DO DA 23.
gPl. ..................... 1:056,495
Diversas provincias............... 40,350
====__________________ :0M,845
lliu mm.m.Io i.. {i!.;
Navios entrados no dia 23.
Nova-llollanda ; 114 das, barca ingleza Lydford, do
356 toneladas, capitfio Tilomas Stayner, equipa-
geni 17, carga lila e trigo ; 80 capililo. Vem re-
frescar e segu para Londres.
Liverpool; 42 dias, patacho inglez flighlander, de
147 toneladas, capitfio Francia Cairel, equipagem
9, carga lazendas ; a Me. Calmont 6 Companhia.
IS'avio saludo no mesmo dia.
Portes do norte; vapor brasileiro Pernambumna,
commamlante Joflo MTltuO llenriuues. -- Alm dos
passageiros que trouxe dos portos do sul para os
do norte, leva a seu bordo para a provincia da
Piralliha, o segundo tenente d'armada, Francisco
Duartcda Costa Vidal.
EDITA L.
O eiaaddo Jo*o Itaptista 'ereira Lobo, juiz de paz pre-
sidente da mesa parochial do Poco-da-Panel la, em
virlude da lei,
Convoca aos Srs. eleitores o
n........ua
supplentes
CJIII i
da fre-
Com Nicolao Flamel; cincoenta ou sessenta an-
uos antes, trabalhaudo com Pedro Lebon, desrobri-
inos nos o sagrado na cidade de Pola. Elle nilo tapou
a tempo o cadinho, e cu tive o olho direito perdido
durante dez ou dozo anuos pela vaporaco.
Pedro Lebon ?
O que compoz a famosa obra da Margarita pre-
tiorp, obra que V. Eminencia sem duvida condece?
Sim, e que tem a data de 1330.
He isso mesmo justamente.
E o senhor condecen Pedro Lebon e Flamel.'
Fui discpulo de un, e niestre do outro.
E emquanto o cardial espantado consultava entre
si, se nflo seria o proprio diabo em pessoa, e uo um
dos seus agentes, o individuo que se aedava cm sua
presenta, Balsamo euterrou na fornalda a tenaz de
pernas longas.
O aperto foi rpido c seguro. O alchimista segurou
o cadinho quatro pollcgadas a baixo da borda, corti-
licou-sc, levantando-o um pouco, de que eslava bem
seguro; e por um esforco vigoroso inteiricou os
msculos, e arrancou a horrivel panclla do forno ar-
dente : as pernas da tenaz tornaram-se logo verme-
idas; depois correram pela argila incandescente le-
gos brancos como raios cm una nuvem sulfurosa;
as bordas do cadinho se arroxcarnm emquanto o
fundo cnico apparecia anda cor de rosa argentada
na penumbra do forno ; depois emlim o liquido me-
tal sobre o qual se formara urna nata arroxeada,
encrespada de pregas de ouro, assobiou pelo bico do
cadinho, e cahio em correle flammejanle no molde
negro, cm cujo orilicio apparcceu, furioso e escu-
llante, o jacto d'ourojnsullandocom o seu estreme-
cimcnto o vil metal que o continha.
Vamos aosegundo,dissc Balsamo, passando ao
segundo cadinho.
E com a mesma frca e destreza foi cheio o segun-
O suor corria em bagas da fronte do operador o
espectador lazia osigual da cruz na obscuridad.
Com elfeito era um quadro de brbaro e mages
loso horror. Balsamo, allumiado pelos arruivados
fl Paulino Augusto da Silva Freir.
7
8 Joaquim do Alduquerquc Fernandes Gama.
9 Lu/, de Moli de Albuqucrque Pita.
10 Joaquim Cordeiro Bibeiro Campos.
11 Alexandro Martindo Corris de Borros.
12 Joaquim Fernandes Gama.
13 Jos Luiz Pessoa.
14 Bernardinode Alliuquerque Fernandes Gama.
15 Jos Antonio Goncalves de Mello.
16 Jo3o Severiano do llego Barros.
17
18
19 Jos Ignacio Pereira da Roclia.
20
21
22 Francisco Bclmiro da Costa.
23
24 Joao Bufino da Silva Bamos.
25 Joaquim Francisco de Oliveira Miranda.
Os que deixarem de comparecer sem motivo justi-
ficado se Ibes impor a multa do artigo 126 5." n.
2, da le regulamentar.
Por esta occasiflo convida aos cidadflos qualifica-
dos am de darem os seus votos em cdulas que
contendam 21 eleitores que tem de dar a freguezia,
e suas respectivas occupagOcs.
E para constar mandei fazer o presente edital,
que ser allixado e publicado pela imprensa.
Freguezia do Poco-da-Panela, 17 de agosto de
1847. E eu, Francisco Josi Alees Cama, escriv.'io ju-
ramentado, oescrevi.
_______________ Joo Haptista Pereira Lobn
I lee
la incoes.
Existem na administracSo do correio cartas se-
guras para Antonio Carlos Francisco Silva ; Francis-
co Jos da Silveira e Jos Pereira Vianna.
(i arsenal de guerra compra duzentas vassou-
ras de timbo: quem dito genero quizer fomecer,
mandara sua proposta cm carta fechada a directora
do mesmo arsenal, at o dia 26 do corren le mee
Arsenal de guerra, 21 de agosto de 1847.
Jodo Ricardo da Silva,
Amanuense.
Cadeira raga de primeiras leltrat.
A de Caruar, cujo concurso lera lugar no dia 9
de setembro prximo futuro.
Publicares Literarias.
HISTORIA DE PORTUGAL
P0 B
Alexandre llerculano.
Os senhores assignanles queiram mandar buscar
mi i um
renexos da chamma metlica, assemelhava-se a o'
condonuiailos que Michel-Angelo e Dante estorcem
no fundo das suas caldciras.
peinis havia ahi a emociio do incgnito.
Balsamo nfio respirou entre as duas operages ;
o lempo urga. '
Ha dehaveralguma quebr, disseelle, depois
detercnchido o segundo molde; deixei fervor a
mistura um centesimo de minuto de mais.
Um centesimo de minuto! cxclamou o cardi-
al, sem procurar mais occullar o seu assombro.
lio lempo enorme em hermtica, replicou Bal-
samo ingenuamente ; mas entretanto adi temos dous
cadinhos vasios, dous moldes ebeios ccem libras de
ouro lino.
E pegando com a potente tenaz no primeiro mol-
de, langou-o n'agoa, que ferveu e fumegou por mui-
to lempo; depois abrio-o, o tirou delle um pedaco
dourosein lacha, da forma de um pflo d'assucar
achatado na exlremidade.
-- Temos que esperar porto de urna dora pelos ou-
trosdouscadindos, disse Balsamo ; querer V. Emi-
nencia no enlanto sentar-se e tomar fresco?
$ isto de ouro ? pcrgunlou o cardial, sem res-
ponder a inlcrrogacao do operador.
Balsamo sorrio. cardial era seu.
Duvidara V. Eminencia?
Ora ouca, a sciencia tem-se encanado tantas
vezes ....
v- Eminencia nflo diz oseu pensainento todo,
atalhoii Balsamo. Cr que o engao, e que o engao
com sciencia do caso. Bem pouca cousa seria eu
nieus proprios olhos, se assim obrasse, porque a mi-
rilla awbico uno ira alm das paredes do meu ga-
binete, que verla sabir a V. Eminencia todo maravi-
llado para ir perder a sua admiraco em casa adi
do primeiro bate-folha. Vamos l, meu principe, fa-
ca-me mais honra, ecreiaque, seoquizesse enga-
ar, sena com mais finura, e com fin mais deva-
no, uemais, V. Eminencia sabe como se experimen-
ta o ouro *
Sem duvida, pela pedra do tocar.
ra da Cruz, casa n. 7, segundo andar, o segundo vo-
lume desta interessante obra, cujo prego he o mes-
mo que do primeiro (3,000 ris).
PORTUGAL.
Recordares do anno de 1842, pelo principe Lichnonsky,
traduzido do allemdo segunda edico correcta e an-
notada.
O consumo rpido da primeiraedicSo e a sua
procura por muitas pessoas que ficaram sem ella ,
induzio o traductor reimpressSo d'esta obra cu-
riosa, quo contm aapreciacSo dos caracteres maia
notaveis do paiz, dos seus aconlecimontos polti-
cos monumentos e lugares principaes feita por
esse principo prussiano, quealli viajou no anno
citado. Esta interessante obra, que contm 220 pa-
ginas, vende-se por 1,000 rs., na ra da Cruz n.
7, segundo andar.
Aus pas de familia, capiteles de navios,
fazendeiros c a iodos em geral.
Organon de Hahnemann, ou exposi-
coeu das doutrinas homocopathicas, i vo-
lumes pequeos.
Manual de pai de faftiilia, do capito
de navio e do fazendeiro, ou noticias ele-
mentares da homoeopathia, contendo a
accao dos a4 principaes medicamentos
homooopathioos, i volume pequeo.
f Vende-se por preco commodo, no se-
gundo andar d.t casa n. 7. da ra da
Cruz
O Sr. Francisco Jcs da Silva Pereira, profes.
sordo primeiras lettras de Santo-Amaro-Jaboafo~
quera dirigr-sea ra doCabug, loja n. 6 a t'
tar de negocio,
Pereira & Cucdes lembram ao Sr. Faria ei
alferes do corpode polica, a resposta da carta'quZ
Ihe entregaram. 4
OSr. Joaquim IJos Carneiro Monteiro tem
ma carta na 1 ua do Cabug, loja de Pereira & Cu
des.
Na noite de 22 para 23 do crrente, desapp.
receram do porto da serrara da ra da Cadeia de S
Antonio, n. 13, duas travs do sicupira, com qua"
renta palmos de comprimonto e oito pollegadas er
quadro: quem das mesmas souber, ou der noticia
exacta ser generosamente gratificado.
Caumont, dourador, na
ra Nova n. $2 fabrica de
candeiros de gaz e outros, doura, prata e bronzea
de differentes cores todos os metaes.sejam de (rre:5
militares, ou particulares; concerta e torna a por de
novo todos os objectos do metal; pao os candeiros
de azeite promptos para gaz; troca e compra todas as
qualidades de bronze, por prego rasoavel.
O Sr. Antonio Correia de Brito queira appa,
recer nesta typographia, afim de recebar urna carta"
que, por engao, foi remeltida do correio para
mesma typographia.
rUNDICAO
r
D'A VROR/i.
Avisos martimos.
- ParaaBahia sahircom brevdadeo veleiropa- j] \i \|{|{ V I
taedo Dous-Amigos : quem no mesmo quizer carro- ^V L',{\",I>V \* ProPr,eiarlt>S deste
gar pode entender-so com o consignatarios,Amo- antigoestabelecimcnto.avisamaosseusfreguezeseao
rim Irmos, na ra da Cadeia, n. 45. publico em geral, que elles sempro teem um gran-
--Para o Aracaty pretende sadir at 7 do vndou- dosortimentode moendas de todos os tamaitos,
ro, com a carga que tiver a bordo, o brigue-escuna
Henriqueta, mestre Jos Joaquim Alvos dn Silva :
quem nelle pretender carregar ou ir do passagem,
se entender com o mesmo mestro no Trapiche-No-
vo, ou na ra da Cadeia-Velha, n. 19, segundo an-
dar.
Leilfio.
Richard Royle far lelo, por intervencTo do
corretor Oliveira, de grande sortimento de fazendas
inglezas, todas proprias do mercado : quarta-feira,
25 docorrente; as 10 horas da manhila, no sou ar-
mazein, ra da Alfandega-Velha.
Avisos diversos
Convida-se a todos os Per-
nambucano's amantes da dgnida-
de de sua provincia, e em geral a
todos e quaesquerBrasileiros,para
assistirem reunio eleitoral que
ha de ter lugar, hoje, 24 do corre-
le, pelas 9 horas da manha, em
Olinda, casa do cidado Antonio
Joacjuim de Almeida Guedes Al-
canforado, ra do Bom-Fim.
numero que
O TRIBUNO N. 6.
Est ainda a venda um resto dcste
est excellentc.
OTBIBUNON. 7.
llontem se deixou deannunciar este numero, que
esl a venda na livraria da pra(a da Independencia,
ns. 6 e 8, o na loja de encadernacilo na mesma pra-
ca, n.12.
O TRIBUNO N. 8,
est a venda as 2 lloras da tarde, nos lugares cima;
recommenda-seeste numero, porque est muito dig-
no do povo.
Precisa-se de um feitor para um sitio : na ra
do Trapiclie, n. 42.
V. Eminencia 11S0 ter dexado de fazer a expe-
riencia, ainda que nflo tcntia sido senflo com as on-
cas de llespanba, quo correm muilo no jogo, por se-
ren do mais fino ouro quo da, mas entre as quaes
se acliam muitas falsas.
Isso com efleito me tem acontecido.
Pos bom aqu tem V. Eminencia podra e acido.
Nflo, eu estou convencido.
Faca-mo V. Eminencia o favor de se certificar
de que estas barras sflo nflo s de ouro, mas de ouro
sem liga.
Mostrava o cardial repugnancia a dar esta prova de
increduldado ; mas era claro quo nflo cstava con-
vencido.
Tocou entflo Balsamo mesmo, o apresentou o re-
sultado da experiencia ao seu hospedo.
Vintoe oto quilates, disseelle; vou vasar os
outros.
fabricadas em suas oflicinas, tondo portanto, a
forlidflo. solidez, boa construcQflo e melhoramen-
tos, quo a pratica de longos annos tem mostrado
serem necessarios o que as obras de carregaeflo
offerecidas aqui com tanto empenho, nunca se
aeha. Possuindoosannuncantes para aperfeicoar
as suas obras os apparelhos mais modernos e com-
pletos quo a sciencia vai indroduzindo, nada deixam
a desojar ; e tendo adquirido com grandes despezas
um crescido e indispensavel numero de olficiaes pe-
ritos as suas proissOes, e cscolhidos de entre os
mclhores da Europa acham-se verdadeiramenle
habilitados para ofTerecercm com perfeita confian-
za aos Snrs. de engenho a grande vantagem do po-
derem sem roceio apromptar qualquer obra com
aquellas brevidade e pontualidade tflo indispensa-
veis aos seus importantes interesses. Nesta fabrica
tambem fazem-se rodas d'agoa todas do ferro ,
moendas machinas de vapor, o toda qualidade
de maednsmo por maior ou mais dilTicil que se-
ja. Advertindo-sc que todas as obras sflo garanti-
das, offerecendo desta manera a mais ampia se-
guranza de sua boa e fiel execuco.
Da varanda de urna casa na ra do Queimado,
cabio um cocador d'ouro lavrado com varios em-
feites, tendo o peso do 5 oitavas : roga-se, pois,
pessoa que o achou, ou a quem fr offerecido, o fa-
vor de o entregar na rna do Crespo, n. 16, que ser
recompensado.
Manoel Jos de Souza avisa os seus amigos
efreguezes, que, tendo comprado o eslabelecimento
de barbeirodo Sr. Sera fin Jos Correia de S, sito
na praca da Independencia, n. 36, est prompto pa-
ra scrvi-los, quando precisarem do sen preslimo.
O mesmo annunciante precisa do um oflical do mes-
mo offico.
Precisa-se de um menino porluguez.de 12 a 14
annos, para venda, e que da mesma tenba pratica :
na ra da Aurora, n. 48.
'Ositio que apparece annunciado venda, no
Diario de 19 do correle, por Antonio Itaptista Cle-
mente, aoenlrar da Capunga, seacha hypothecado
por esenptura de 17 de margo de 1843; portanto el-
lo o nflo pode vender. E para que se nflo chamem a
ignorancia, faco a presente declarado.
Antonio Manoel de Moraes da Uesquita Pimentel.
Manoel Rufino subdito hespanliol, com sua
familia vai a Lisboa.
--Jos Nunes de Abreu Brasileiro, retira-se para
Portugal, a tratar de sua sade.
Que ha para rir no quo Iho disse ? perguntou o
cardial.
V. Eminencia, creio eu, oiFereceu-mo o seu
preslimo ?
Sem duvida.
E nflo seria mais a proposito que Iho eu offe-
recesse o meu ?
O rosto do cardial aniiuviou-so.
O senhor me obsequeia. disse elle, o sou o pri-
meiro a rcconhcce-lo; mas entretanto, se o reconde-
cimento que llie conservo douvesso de ser mais pe-
sado do que pens, nflo aceitara o servico : ainda
da em Paria, gragas a Dos, bastantes ususarios, pa-
ra que eu aede metade sobre i-enlidYes, c nielado sob
niiiida firma, cen mil escudos, al depois dama-
ndfia; so o meu anncl episcopal vale periodo vinle
mil.
E o prelado estendeu a mflo, alva como a de urna
mulher, e em cujo dedo annular brilliava um dia-
mante do (amando de urna avclfla.
Meu principe, de impossivel, disse Balsamo in-
clinando-se, que V. Eminencia podesse crerpor um
matante quo eu livesse a inteneflo de ofiende-lo.
E como quem fallava parte, accrescentou :
Admira como a verdado faz tal efTeito em to-
Dcz minutos depois eslavam as duzentas libras de
ouro poslas em quatro barras sobre a estopa que o
contado esquentara.
V. Eminencia veio cm carruagem ? ao menos
ro assim que eu oavislei.
Cem mil escudos, murmurou o Cardial tirando
a mascara, como para ver com seus proprios odos o
ouro que linda aos ps.
E este poder V. Eminencia dizor donde Hi
veio, pois o vio fazer.
Ol.' sim, edissodarei teslemunho.
Nao, nflo, acudi de prompto Balsamo, em
franca nfiogoslam dos sabios : nflo d.tcstemuuho
ae nada, Lminentissimo senhor. Oh! se eu lizesso
. ------------------w W....W. ^i oii CU ll/.tT?(t!
llieorias, em vez do lazer ouro, nflo digo que nflo
hntflo que posso eu fazer em seu favor ? disse o
rincipe levantando a grande custo com
dasmaos urna barra de cinroenla libras.
Balsamo lilou-o, e sem respeito aluum.
a rir. D '
as delica-
poz-se
Oh! be como digo; V. Eminencia offerece-mo
os seus servigos : cu pergunto i V. Eminencia mes-
mo de que nalureza podem ser esses servigos queV.
Eminencia pode prestar-me?
Primejro o meu valimento na corle.
Senhor cardial / Senhor cardial.' Esse valimen-
to V. Eminencia mesmo sabe quflo combalido est,
quasi que preferir eu antes o de M. de Choiseul, que
talvez nem quiiize dias mais seja ministro. Olhe,
meu principe, a respeito de valimento liquemos no
meu. Aqui est bello o bom ouro. Todas as vezes que
V. Eminencia quizer mais mande-ine dizer na ves-
pera, ou mesmo neaae dia de mandila, o eu Id'o pres-
larei a medida do seu desejo; e com ouro ludo se
| tem, nfloocda, Eminentsimo sendor?
MUTILADO


Agencia de passaporles.
a ra do Collegio, n. 10, o no Aierro-da-Boa-
v'-ta n. *8, continuam-so a tirar passaportes tan-
in'na'ra dentro, como parafra do imperio; assim
orno dcspacham -se escravos : tdo com brevidade.
-pelo novo deslino que deu ao edificio da stia
residencia na ra do Hospicio, poder o doutor
Sarment roceber em sua casa doentes que desejem
virtratar-so nesta cidado. Serflo recebidos nflo s
os doentes de qualquerseoo condiclo que sejam,
mas tambem as pessoas, ou familias quo os qui-
eren, acompanhar.
.. Quem precisar de urna ama de le te dinja-se
ao pateo do Carmo defronte da ordem terceira ,
'luga-se uma morada de casa torrea, com
duas portase duas janellas na frente na ra do Se-
ve oudaniao, cpm sudcientes commodos para
cre'scida familia sala forrada e assoalhada multo
grande sala de jantar, cozinha fra casa para pre-
tos estribara quintal bastante grande, todo mu-
rado e com cacimba : a tratar na loja de Jos Go-
mes Leal, na ra da Cadeia do Recifo.
Defronte da venda do Sr. Joaquim Francisco de
Abreu no Forte-do-Mattos, casa nova sem nume-
ro precisa-se de uma pessoa para um deposito, o
de outra para vender pilo com um preto.
Raymundo Pinto de Abreu vai para o sertSo tra-
tar de sua sade e por isso vende'a sua venda da
ra da Praia n. 46 a dinheiro, ou a prazo.
Trocam-se, por escravos 3 moradas de casas
nos Afogados, na melhor ra daquclla freguozia : a
tratar na ra dcAgoas-Verdes n 46.
Junto ao quartel de polica casa n. 10, preci-
sa-se de uma ama O Sr. Francisco A'ntonio Freir tem uma carta
na ra da Cadeia-Velha n. 37.
Precisa se de um amassador: na padaria da
S.-Cruz junto ao sobrado da esquina da ra Velha.
Perdou-se.no da 21 do corrente desde a ra
larga doRozarioata ra Nova, uma pulseira de
cabello encastoada om ouro com uma chapa lisa
no cncaixe : quem a acho querendo restitui-la,
dirija-so a ra Nova loja de Maya & Ramos, n. 6 ,
que se recompensar e se ficar obrigado.
Joanna Francisca de Menezes faz publico, que,
tendo aceitado urna lettra da quantia de 1:040/000
ris, a seu cunhado, Manoel Jos Carneiro, j
tem dado por conta ao mesmo a quantia de 840/
rs., conforme o recibo que o mesmo lhe passou ;
porm como a annunciante tambem tenha contas
a encontrar com o dito seu cunhado por isso faz
scienteao publico, queninguom faca negocio com
o restante da dita lettra, que he a quantia de 200/rs.,
pols que annunciante nflo pagar a dita q uanlia sem
que o dito seu cunhado lhe leve em conta o que lhe
hedevedor. K para que ninguem se cha me a igno-
rancia faz o presente annuncio.
Furtaram, no dia 23 do corrente do armazem
n. 2, da ra da Cruz um maco com pouco mais de
umagroza decolhercs de latflo polido, estando es-
tas um pouco avariadas. Hoga-sea quem forem offe-
recidas, queasapprehenda ou mande prender o
vendedor das niesmas que no dito armazem se
gratificar.
l'erdeu-se, na noile do dia 19 do corrente, urna
subscripQflo, desdo a ra do Collegio at o pateo'da
Penha, cuja subserpieflo foi feita no auno de 1839, e
so achava assignada pelo vigario Luiz Cavalcanti :
roga-se encarecidamente a quem a achar, de a levar
a sua dona, moradora na ra Direita, n. 30, terceiro
andar, que so ficar agradecido.
Desappareceu, no dia 17 do corrente, do sitio do
Sr. George Kenworlhy em San-Jos do Manguind,
um cachorro inglez, preto, da raga galgo, que he fino
do corpo c tem as pernas, focinho e rabo compridos:
roga-so, portanto, a quem dclle souber o favor de
entrega-lo no dito sitio, ou na ra da Cruz do Beci-
fe, casa n. 2, que ser muito bem recompensado.
-- Permuta-sea casa terrea n. 3, sita na ra do
llom-Sucesso em linda com sitio soffrivel, por
outra qualquer nos bairros de S.-Antonio, ou Boa-
Vista : na praca da Boa-Vista botica n. 6.
- Arrenda-se o sitio denominado Cscala
no lugar da Soledade, com diversas arvores de fruc-
to, o uma elegante casa de sobrado, com muitos
bons commodos, estribara, tanque, c muito boa a-
goa de beber; tendo, alm disto, outros arranjos pro-
prios para grande familia, ou algum senhor nego-
ciante, por ser muito perto da praca: trata-se na ra
de Hortas, n. 140.
Na loja da ra Nova, n. 58, se dir quem pre-
cisa de 400 a 500,000 rs., com dypotlieca em casa
terrea, dando-so 4 para del las cscoldor-so urna.
Aluga-se o terceiro andar por cima da botica
da ra do Qucimado, n. 15, pintado e caiado, por
preco commodo : a tratar na mesma botica.
Tudo nflo, murmurou o cardial, passando ao
estado de protegido, c al sem procurar recobrara
sua postilo de protector.
__ Ad .' de veruaile. Esquccia-mc, disse Balsamo,
quo V. Eminencia deseja outra cousa que mo ouro,
um bem mais precioso que todas as riquezas do mun-
do Mas isso uo compele mais sciencia, de da al-
eada da magia. Diga V. Eminencia uma palavra, eo
alcdimista est prestes a passar a mgico.
__Obrigado, meslre, nada mais necessito, nada
mais desejo, disse tristemente o cardial.
Balsamo chegou-se para elle.
Eminentissimo sendor, disse elle, um principe
moco, ardente, dello, rico, e queso chama Itodan,
nflo pode dar semclliante resposta a um mgico.
E porque ? ....
__Porque o mgico lo no intimo do coracilo, e sa-
be o contrario.
__ F.u, sendor, nada desejo, nada quero, repeli o
cardial quasi assustado.
__Suppunda eu, pelo contrario, que os desejos de
S Eminencia crain les, que a si proprio os nflo ou-
sava confessar, por conhecer que sao aspirarles de
re
* o sendor allude, creio cu, disse o cardial es-
Iremecendo, a algumas palnvras que j me disse
quando estavamos com a pruiccza.
__Sim, Eminentissimo sendor, confesso-o.
__O sendor entilo se enganou, e ainda se ongan
agora. .
__ Ksquccc V. Eminencia, que eu vejo tilo claro o
nuo se passa neste momento no seu corae.no, como
claramente vi sadir a sua carruagem dos Carmelistas
de Sant-benis, passar a barreira, tomar o boulexard,
c parar debaixo das arvores a cincoenla passos des-
'"^Explique-se entSo, e diga-me alguma cousa
que me commova.
lotera do theatro.
No dia 27 do corrente mez andam imprcterivel-
mente as rodas desla lotera, visto que lio de espe-
rar que para esse dia muito poueos ou nenhuns hi-
Idetes restem por vender. Em consequencia do que,
o respectivo tdesourero afflrma novamento que,
anda dcando alguns bildotesem pequeo numero ,
as rodas da lotera nilo deixarflo de ter andamento.
Concorram/portanlo, os que ainda nao teem blhetes
a se proverem delles emquanto he tempo tendo
em vista o plano que offerece muito bons premios.
-- O bilhete n. 3,373 da segunda parte da 17* lote-
ra do thoatro pertence a Jos Flix da Cmara Pi-
mental, e fica em poder de Antonio Alves Teixeira
Bastos.
Desappareceu uma canoa meia aberta, que pe-
ga 400 lijlos : quem della tiver noticias, annuncie
para ser procurado, ou dirija-se a estrada nova da
Magdalena, no primeiro portflo de ferro do lado di-
reito, quo ser gratificado.
George Bu nuil, que foi capitao da barca ingle-
za Achules, condemnada neste porto, pretende reti-
rar-se para Europa,e pede que se lhe aprsente qual-
quer conta da dita barca, dentro de tres das, no es-
criptoriodeMc. Calmont&C, no largo do Corpo-
Santo, n. 11, afim de ser ajustada: na falta, nSo
so rcsponsabilisa. *
Jos Joaquim deMesquita annuncia ao publico,
que, tendo em seu poder uma lettra sacada por V.
I.etellicr, e aceita por Thomaz Pereira de Mattos Es-
tima e Caetano Luiz Ferreira, a vencer em 18 de no-
vembro do presento anno, a qual lettra passou por
transaceflo da mflodaquclle V. Letellier para a do
annunciante, e mandando-a este apresentar aoa>-
ceitanles por um seu caixeiro de nome Manoel o isto
por ter visto o annuncio do dito Eslima exigindo a
sua apresentaeflo, para paga-la, n3o obslanle nflo
estar vencida, aconteccu que o dito seu caixeiro a
perdesse; o por isto o annunciante faz o presente an-
nuncio, para que os aceitantes n3o paguem dita let-
tra a quem a apresentar, pois disto mesmo j eslo
scientes; o ninguem faca negocio a respeito dessa
lettra, porque nlnguom tem direito a ella senflo o
annunciante.
-- Sahbado, 14 do corrente, das 9 para as 10 do-
ras do dia da loja de Joilo Chardon no Aterro-da-
Boa-Visla, n. 3, furtaram uma pulseira de ouro, de
corrente chata com uma pedra azul de cada lado ,
e uma perola no meio. Roga-se a quem for offereci-
da de toma-la e manda-la a dita loja que se paga-
r o dobrado valor do peso da dita pulseira.
^ff@@@^ @
*> A o annuncio que se tem publica-
tj do em os ns. i83, 184 e i85 dosle
. Diario, com as iniciaes J. F. M. (i.,
^ s poder responder o Sr. G. A. M.
O Anlropophago.
Quem precisar de uma ama para lodo o servico
de uma casa de pouca familia, ou de homem soltei-
ro, dirija-se aolbecco da Viracflo n. 3.
~ Quem precisar de uma ama com muito bom loi-
te dirija-so a ra da Praia, n. 32, que se dir
quem he, ou annuncie.
O eirurgilo do segundo batalhflo do artilharia
mudou n sua residencia para a ra do Mondego,
n. 44.
Furtaram da ra do Queimado, da oseada do
Manoel Ignacio do Oliveira Lobo, na noile do dia 20
do corrente, as 8 horas,' um taixo grande de cobre,
e que por signal tem o fundo concertado : a pessoa a
quem fr oflerecido, queira tomar, que pelas des-
pesas quo houvcrem, responder e lhe ficaragrade-
cido o mesmo Sr. cima.
Constando ao abaixo assignado, que Jos Pes-
soa, morador no lugar denominadoAlaga-do-
Carro, pretende vender a engendoca que possuc
no mesmo lugar, declara que elle o nilo pode fazer
por lde estar ella liypotdecada com todas as suas
trras e ceessorios de fazer assuoar, por escriptura
lavrada na comarca do Nazaretd, a cujo termo per-
tence. E para que so niio edame a ignorancia, faco
a presento declararlo, visto ser nullo qualquor ne-
gocio que nflo fr por consontimento do abaixo as-
signado.
Antonio Manoel de Moraet da Maquila Pimenlel.
Compras.
*
?
t
t
T +
^??^{f ^T# ^^*#
Precisa-se de ama pessoa dabil, e que lenha os
precisos conhecimentos para lomar conta e direc-
eflo de uma escripia commercil : na ra da Cadeia,
loja de fazendas n.
--Na loja da ra do Queimado, n. 30, de Jos
Joaquim de Novaes alm do sortimento j annunr
ciado deobr fnilaso fazendas da edapeos da ul-
tima moda chegados ltimamente do Franca; mui-
to boas casimiras ; chapeos do Chili, muito finos ;
caixas de perfumarlas sortidas, muito proprias pa-
ra toucador de senhora pelo barato prego de 5,000
rs.; lencos de cassa para mlo de senhora e poscoco
de homem ; muito bous cortes de chita.
Arrenda-se ou vende-se uma fazenda com urna
legoa quadrada de extensflo, sita na freguezia do
Bom-Jardim, comarca do Limoeiro, com una gran-
de safra, no campo, dealgodflo, feijilo, milho, se-
ment de carrapato e roca quem pretender dirija-
se ao escriptorio de F. A. de Oliveira, na ra da Au-
rora, n. 26.
__Aluga-sc o segundo andar da casa n. 34 da ra
do Trapiche com expelientes commodos, varandas
de ferro adianle o atrs, e bonita vista para o mar :
a tratar no armazem da mesma casa.
Precisa-se de 300,000 rs. a promio e d-se por
garanta uma boa propriedade : quem quizer dar
annuncio
Quem precisar de um homem perfeilo amassa-
dor de pilo dirija-se a ra da Senzalla-Nova, 11. 40,
primeiro andar, das 9 horas em dianle.
Se a pessoa que annuncou vender a Gulcria das
ordens religiosas o militares a quizer trocar pelo
Tratado de ltcligiflo, vertido emportuguez, ecom
uma estampa annuncie com brevidade.
Nilo so oque o senhor conde quer dizer, bal-
buciou o prncipe.
Pelo contrario, V. Eminencia comprehende-me
maravilhosamentc. Eu poder locar em algumas cor-
das que vbram em V. Eminencia, para que he, po-
rm, fazor cousas inuteis ? Fui direito que se devia
investir; oh .' essa vibra profundamente, estou dem
certo d'isso.
O cardial ergucu a radeca, e por ultimo csrorco
de descoiiliaiica, observou o olliar tilo sereno, tfio
seguro de Balsamo.
Mas Balsamo com tal expressfio de superioridad
sorria que o cardial abaixou os olhos.
__ Oh .' V. Eminencia tem rasflo, nflo me olhe, tem
rasflo ; porque entilo vejo manifestamenle o que se
passa no seu coracilo ; porquo o seu coracilo he co-
mo um espeldo, que guardasse as formas dos objee-
tos quo rctlectisse.
I Silencio, conde de Fcenix ; silencio, disse o
cardial suhjugado.
Sim, lem rasflo, silencio ; porque nao he anda
edegada a occasiio de mostrar semellianteamor.
Ainda nflo, diz o senhor conde ?
Ainda nflo.
Essoamor entilo tem um uluro 7
Porque nflo ?
Epodcr-me-dia o sendor dizer, se essoamor
nilo de insensato, cerno eu proprio o julguei ; como
ojulgoainda, como ojulgaici at o momento em
que tonda urna prova do contrario t
Pergunta muito, Eminentissimo sendor ;.nada
posso dizer sem ser posto m contacto com a pessoa
que Ido inspira esse amor, ou com algum objecto que
della proceda.
E quo objecto seria necessario para isso?
Urna tranca dos seus bellos cabellos d'ouro, por
excmplo, por mais pequea que seja.
Oh '. sim, o senhor he um homem profundo 1
Sim, o senhor 16, como disse, nos corarles tilo cor-
renleinente comoeu leria n'um lvro.
Compram-se duas escravas de 20 a 30 annos :
na ra da Florentina, n 7.
Compram-se enchortos de larangeira de em-
bigo : annuncie.
Compra-so um diccionario da lingoa 410rt.11-
gueza, por Conslaneio, em bom uso : na ra da Ca-
deia do Recife, loja n. 37.
Contina-so a comprar forro fundido, cobre e
bronze veldo : na ra do Brum, n. 8.
Compra-se uma escrava moca de doa figura,
quo saida cozndar e lavar, e nflo tenda vicio: agra-
dando paga-se dem: na Boa-Vista, ra Velha, n. 18.
Quem a tiver, deve apparecer das 11 horas da ma-
ndila s 3 da tarde.
Compram-se 2 moloques do 14 a 20 annos, com
principios do ollicio do sapateiro e sabendo me-
lhor; tambem secomprain nilo saliendo], c uma prcta
da mesma idade com labilidades : sendo de boni-
tas figurase nflo leudo vicios neni achaques, nilo se
olha a preco : na ra da Concordia passando a pon-
tezinda, a direita, segunda casa terrea so dir
quem compra.
Compra-se um methodo de flauta, por Vienne :
quem tiver annuncie.
Compram-se, para umaencommenda, algumas
escravas e moleques que tenhain de 12 a 20 anuos :
na ra Nova, loja de ferragens, n. 10.
Compra-se uma casa terrea que esteja em bom
estado, nilo preciso de concertos e que tenha
quintal murado c cacimba 110 bairro da Boa-Vista,
em bom local: quem tiver aanuncie.
Vendas.
Lotera do Rio-de-.lancro.
Blhetes e moios ditos da oilava lotera a dene.
(icio do theatro da imperial cdade de Nictheroy
vendem-se na ra da Cadeia n. 38, luja de cambio
de Madoel Gomes.
Vcndc-scum bom moleeote annos; uma negrinha de 13 anuos; urna oplima
mulalinha do 14 annos; 3 escravos, sendo um del-
les bom cozinheiro ; um ptimo mulalindo : na ra
Direita, n. 3.
Vende-so o sitio denominado Pacheco ,
rom mais de meia legoa do trras, muito proprio
paraplanlacilodealgodiloe para cnaeflo do gado ;
tem todas as proporces para so levantar um engo-
lillo ; lem boa casa de vivenda, alm de outras casas;
tem engenho para descarocaralgodflo, e he situado
perto de Mamanguape.da provincia daP.iralnba: lam-
hem se vende uma parte de trras da fazenda de
Manicoda que divide com o riacho de l'ortos perto
le Catol-ilo-Rocda ;e outra parte no sitio Corra-
lindo-de-Baixo que divide com o nodo Pirandas,
trras muito proprias para criare soltar gados, por
terem boas encostas de senas e agoalpermanante,cu-
ja agoa nunca seccou nem mesmo na rigorosa sec-
ca : tudo por preco com modo : tambem se trocam
por casas tiesta pracri : a tratar com Jos Antonio
de Magaldfles Basto.
Vcixlcm-sc bonlas e boas vaccas de leite com
bezerros novos, de pasto muito perto: as Cinco-
Poutas, casa doSr. Luiz Gomes Silveno.
desped na plataforma da Bastilha, junto ao cada-
falso a que tilo corajoso sudio.
__ Ellcdisse-lde isso?.... que o sendor era um ho-
mem profundo 7 .
E que lia nos coraertes. Sim, porque eu o day
prevenido de que o cavaldeiro do Piault o tradiiia.
Nflo quiz elle acreditar-me, e o cavalhciro de Prault
o Iranio.
__ Que singular analoga faz o senhor conde enlre
mim eomeu antepassado disso o cardial mudan-
do de cores mo grado seu.
__He s para lhe lembrar que se deve ser pruden-
te em procurar cabellos, que lhe ser preciso cortar
por baixo de uma cora.
__ y ,.,, corta-Ios seja onde fr, o senhor os lera.
__ [tem, agora aqu tem V. Eminencia o seu ouro ;
creo que iflo duvida que he com ellcto ouro.
ne-me papel e tinta.
__ para fazer oque, Eminentissimo sendor f
__ l>arii passar-lde um crdito de cem mil escu-
dos que tfio generosamente o sendor me emprcslou.
Pois V. Eminencia lemdra-se disso, um crdi-
to, para que ? .
Tomo muitas vezes emprestado, meu charo
conde, disso o cardial; mas previno-o que nunca
recebo. .
__Como fr do seu gosto, meu principe.
- Vende-se um moleque muito linde,, de 15
nos, muito esperto hbil', e que nilo tem v c'0?""1
preto de 22 annos, bem possante o sem vicios, u
miilatinho muito lindo,do 8 annos ; uma W"
16 annos, que sabo lavar, cozndar o fazer o mais ar
ranjo de uma casa : na ra do Vigario, 11. 2,
dir quem vende. .,nimlfl
--Vende-so uma venda com os fundos a vontaaa
do comprador: na ra da Concordia n. 26.^
Lotera do Rio-cleJaiiciro.
Na ra da Cadeia-Velha, n. O.Jcasa de J. O. ElstcT,
vendem-se blhetese meos ditos da lercciru loie-
ria a beneficio da fabrica de papel, viudos no ultimo
Va!rVcnde-se urna rica espingarda de dous canos,
avaliada em 60,000 rs., o d-se por preco commouo
na ra das Cruzes, n. 30.
Vende-se cambraia de linlio multo
fina, para lencos de m5o de scolioras, ou
peitos de camisa, pelo diminuto pre(;o de
3,ooo rs. a vara : na ra do Gab.ng, lo-
ja de l'ercira S Gncdes.
Medicina universal.
Pilnlas vegetaes de James Morison.
A medicina vegetal universal de o resultado do 2o
annos de investigarles do celebre James Morison.
Por meio dcstas pillas conseguio seu autor inn-
meras e admiraves curas, desde as allcccOes que
atacam as enancas de pcito at as molestias chro-
nicas do anciflo.
A Europa saudou esto remedio como remedio uni-
versal para todas as doencas, o at doje anda nilo
foi desmentido tal titulo.
Esla medicina vem acompandada do uma recciia
que ensina e facilita a sua applicaqflo. Consisto em
tres preparares a sader : las qualidades de pi-
llas distinctas por nmeros o um p: cada qual
goza ile modoso aeces diversas.
Aspilulas n. 1 silo aperitivas ; purgam sem adalo
os dumores biliosos e vicosos e os expulsam com
clcacia. .
Asilen. 2 expulsam com esses humores, igual-
mente com grande (oree os dumores serosos, acres
e ptridos, de que o sanguc se aeda a miudo inlecta-
do; percorrem toda* as parles do corpo, c so cessam
de obrar quando tccm'.expulsado todas as impurezas.
A terceira preparaeflo consiste em una limonada
vegetal sedativa: he aperaliva, temperante e ado-
gante : torna-scemcoiiinium com as pilulas e lacui-
la-lhcs os mclhoreseffeitos.
A posieflo social do Sr. Morison a sua fortuna in-
dependente, repellen) toda a ideia le charlatanis-
mo; o as admiraveis curas, operadas com o seu
gystema no collegio de eade de Londres, silo mais
que garantes da ellieacia do seu remedio.
liecomiiienda-se esta medicina, que nao pede nem
resguardo de lempo, nem de pos.cflo da parlo do
doenle.a lodosos quo, atacados de molestias jui-
gadas incuraveis. se quizerem desengaar da sua
virtude. .. ._
Oxal que a dumanidadefoclieos ouvidos aos in-
teressados em desacreditar estes remedios tilo sim-
ples tflo commodos e tflo verdeiros.
Vendem-se smento em casa do nico e yerua-
deiro agente J. O. Elster na ra da Cadeia-Velha ,
n. 29.
(iaz.
loja de Joao Chardon,
I lerro-da-loa-Vista, n.5.
Nesla loja arlia-se un rico sorlimento le LAMPEOE3
l'AIU C>A7. com seus coiiipcleules vidros, accendedo-
res c abafadores.
BSlCS CaildioirOS 3o melhore e
mais modernos qucealatem hoja : rrconimendam-sc a
publico, ionio pela seguranza e bom goslo de sua boa
eonfeCfiO, como pela boa qualidadc da luz, ccoiiomiao
asseio de leokervijo,
Na niCSIlia l(>ja > consumidores sem-
pre aedarao 0111 deposito de GAX, de cujo se alianja a
qualiilade e em porcao baslaoie para consumino.
Vende-se conforme a qualidade, a 320 o 400 rs.
a garrafa.
Vende-se estopa propria para saceos : na ra
do Trapiche, n. 8.
Vende-se lio da ludia, proprio para coser sac-
eos : na ra do Trapiche, n. 8.
Vendem-se t!U pecas de cabo do Cairo : na ra
do Trapiche, 11. 8
naiL :itm|
he um homem de dem, c se nada posso fazer para
que me fique obrigado, permitta-me ter a fortuna do
conservar-meseu.
Balsamo inclinoti-sn tambem, c tocou uma cam-
omila, a cujo soni appareceu Eritz-
O conde diSS9-lhe algumas palavras em allomao.
Abaixou-se Fritz, e como uma crianga carregana
niilro laranjaa, um pouco atrapalhada. mas de ne-
iihum modo curvada ou carrejada, levanlou elle as
auatro barras d'omo embruldadas as estopas.
Este rapaz deum Hercules, disse o cardial.
_ lio bastante forte, sim, senhor, respondeu liair
samo; mas cumpre-me dizer que dcpois que esla
ao meu servico. foco-o beber todas as maiidflas tres
collas de u. elixir composto pelo meu sabio amigo
i. doutor Altl.otas ; e ei-lo que co.neca a aprove.lar,
d'aqui.auiia.inocarrcgaracllc os cem marcos om
U"-. fle m'artTilhoso incompredonsivel murmu-
rou o cardial. Od que nao POdcrc resistir ao dtse-
io de fallar do tudo isto. .
J Faca o que qui/er, Eminentissimo senhor, res-
pondeu Balsamo rindo ; mas nflo so esqueca de que
fallar le ludo isto, ho obngar-sc a ir om pessoa
auacar-me a chamma da foguera, so por acao ds-
se na cabe;a ao parlamento fazer-ino assar na praca
de Grve.
IF acompanhando o Ilustre visitante al a porta-
eocheira, despedio-se delle com respeilosa sau-
dacfio
daflo.
gaflo, cuja orlbographia Tana medo a uma amado
sacristflo de boje
Est direito ? pergunlou ello apresentando-a a
3_1 Muito direito, respondeu o conde mellendo-a
na algibeira, sem ao menos lhe por os olhos.
- O senhor nflo a 16?
Tuiha a palavra do V. Eminencia, e a palavra
Mas, o seu criado, quo o nflo vcjoi"
Foi levar o ouro a carruagem, Eminentissimo
sendor.
Elle entflo sabo onde ella esta:'
Por baixo la quarta arvorc a direita voltando
o boulevard, foi isto que lde eu disse em allemflo.
O cardial levantou as milos ao co, e desappareceu
na obscuridado.
Balsamo esperou que Fritz se recolhesse, e subi
I
II
K

-Os^rinci',^'da sua casa sempre aspiraram alrelc,"^t?lpco'neeum,e^^ irmno de seu uma meia saudagflo assaz significativa da parto del
un, amor grande o avenluroso, nflo sera V. t-m'ncn- h ~VA"0 '"^^0 lS de Rol,an,quando delle mal um homem de semelhante qualidade V. Excellenc.a*
cia que ha de degenerar: neumaiei. iui.ot ,
{Continuar-se-ha).



A

.1
i
1

Vende-se bretanha da largura de 10 palmos ,
milito encnrpada e de puro linho propria para len-
ces a 2,800 rs. a vara no Aterro-da-Boa-Vista-,
n.24.
opouiuioo
obasd jod o sopapinos supo} apsapuazej ap o?
-uaujijos oia|diuoD uin sajsop iu|b a 's.i oos't B
, s'iiiiilil Slioq 0 SO.IOO ap '.'i:|M|.i ,i|i 11111 .-> 111 ii mis- o.miii
ion f opaAoa mn epaa -sj 08'l P o5ajd oiiueq 0|ad
' ir.inr.ii:[ ap soui|nd a)as ap 'asuajsuBd ez.uui.nl ba
-mi b os-opu8A 's u otuoiuv-'S 8P 0Dje B aiuojj
-UOJ luqueduio;) \i iu;|i:j.is s.ir.iuiuin') ap fO[ n\'
OpBA
-oa o -sj OOSitl V
Vende-se ou troca-so um bonito cavallo prc-
to, muito gordo, proprio para carro: na ra do
Livramento, n. 14.
VeHde-se cera de carnauba, de muito
boaqualidade, tanto a retalho como cm
porcilo : na ra das l.arangciras n. 1*,
segundo andar.
Vendem-se escravos baratos, na ra das
Larangciras, n. 14, segundo andar: 2
molecotcs de 18 anuos de bonitas l-
guras ; dous pretos de 25 anuos pouco
niais ou menos ; dous ditos do 35 anuos;
um pardo coin oflicio de sapaleiro de 22 minos;
(este troca-se por urna preti moca que nflo lenlia
achaque*) urna lidda niulatinha de 15 anuos do
muito boa conducta e com principios de habilida-
des ; duas prctas mocas, de naco ; urna uegrinlra
de 10 ;i 11 ii os ; un a dita de 6 annos todos estes es-
cravos vendem se por preco commodo, pois he pa-
ra liquidadlo de contas.
A setecentos rs. a
vara.
Na loja de Cuinarfcs Scrafim & Companhia ven-
de-se brim trancado fraucez bastante cncorpado
c de puro linho, pelo burato prego ile 700 rs. a vara.
Esta fazenda se torna rccommendavel pola boa qua-
lidade.
~ Vcndcm-sc caixas de cha hysson, do 6, 12 e 13
libras em porcOcs ou a retalho ; caixas de velas
de espermacetc de 5 e 6 em libra : na ra da Alfan-
dcga-Velha, n. 36, em casa de Matheus Austin & C.
Aliniravcl navallia do ac
da China.
Tem a vantagem de corlar o cabello sem ofTenqa
da pello, dcixando a cara parecendo estar na sua bu-
llante moeidade.
Esto ac vem exclusivamente da China, e so neiie
trahalham dous dos melborcse mais abalisados cu-
teloiros da nunca excedida e rica cidaJe de Pekim,
capital do imperio chini-
AUTOR SIIAW.
N. B. He recommendado o uso deslas navallias
maravilhosas por todas as sociedades das sciencias
medico-cirurgicas, tanto da Europa como d'Anierica,
Asia e frica, nilo s para prevenir as molestias da
cutis, mas lamhem como um meio COSMTICO.
Ii-sea contento, e responde-se pela sua boa qua-
lidade-.'pois SO se vendem as verdadeii as, na ra larga
du Itozario, u. 24.
Vndese ral virgem de Lisboa,
em barris da uicllior que'ha *ho merca-
do i por preco muito rasoavel : na ra
3 EM PRIHEIRA MAO', <&9
vendem-se caixas com velas de cera do Bio-de-Ja-
neiro e de Lisboa; e tambem brandos bogias c
tochas : na ra da Scnzalla, urmazcni 11. 110.
Isto ho pccli'mcha
1
Doce de caj muito superior em calda a 240 rs.
a libra ; charutos de regala, a 1,400 c 1,600 rs.
a caixa ; manteiga franceza a 640 rs. a libra ; cha
bisson a 2,240 rs. 11 libra ; caf moido a 160 rs.
a libra : na ra Dircita, n. 104.
AO BOM E BAUATO.
Na novaloja de Francisco Jos
Teixeira fiastos, nos qualro-can-
los da ra do Queimado, n. 20 ,
vndese panno preto mullo fino
de orelJo branco, a 3, 4 e 5Jrs.;
dito azul, a 3, 4 e 5$ rs. ; di-
to cor de cae c verde, a 4^f rs :
do-se amostras para os com-
pradores mellior conliecerem a
ua boa qualidade. Na niesina
loja ha um completo sortimento
de outras militas fazendas por
preco commodo.
Vendem-sc balatas muito boas e novas, a 1,600
rs. a arroba : no armazem do Bacelar, defronte da
escadinha.
Vende-se potassa russiana por muitocommo-
do preco ; urna porclo de vinho de Bordeaux em
caixas : na ra da Cruz, armazem n. 5 ,de Jos Joa-
qiiimde Oliveira.
Vcno-se urna mulatinha que cose, coziuba
e engomma ; un cabra moco ; duas pretas, pro-
priasparao campo: mi ra do Queimado, n. 33 ,
com frente para o largo do Collegio, se dir quem
vende.
-Vtende-se urna linda negrinha de 11 annos, com
principios de costura ; um mulatinho de 10 a 12 an-
nos de elegante figura.; 2 pretas para todo o servi-
qo ; urna dita perfeita cozinheira : no pateo da Ma-
triz de S.-Antonio n. 4, se dir quem vendo.
Vendem-se no armazem do Braguez muito
boas batatas inglczas, pelo preco de 2,000 rs. a
arroba.
--Vende-se, na ra do Queimado, loja n. 30, de
Jos Joaquim de Novaos um vestido para senhora
montar a cavallo do muito boa fazenda e fcito do
niel luir gosto possivel, por preco commodo.
^Ada^iUk^^^rib^^^akriiiaferitt *^ *^ *' ******** ***"tMiA -*****-***** *** tfit*
Na ra das Larangeiras, n. 14, segundo an- |
dar, vendem-se sote escravos, chegados do i I
norte ha dous das ; os quaes vendem-se mui-
to em conta,por n3o seren de ganhador.
A f #000 rs.
As melhores luvas de pellica brancas e elsticas
na ra larga do Bozario, n. 24.
Vende-se, na livraria da ruado Crespo, n. 11,
Crammatica italiana c portugueza, 1 v.; Fonseca ;
l.oxicon ; Diccionario de Boqueto ; ConcideracOes
sobre a legislado civil e criminal do imperio do
Brasil ;o Vade-mecum do cirurgiito ou tratado de
simptomas, em porluguez obra muito interessan-
te para qualquer curioso poder curar sem aprender,
om um voluine.
Casimiras clsticas, a 1^00 rs.
o covado.
Vcndcm-sc superiores casimiras elaslicas pelo
barato preco de 1,000 rs. o covado; ditas muito li-
nas franeezas a 1,280 rs. o covado ; dita de su-
perior qualidade clstica, muito fina, o prcta a
3,000 rs o covado : na ra do Collegio, loja n. 1.
Xa loja nova do Passelo-Pu-
blico, ii. t), de Ha noel Joa-
quim Pascoal liamos,
vendem-se riscados francezes, de 4 palmos do lar-
gura e muito linos a 180 e 200 rs. o covado ; chita,
a 2,000 rs a peca c a 80 rs. o covado; chitas linas
I islradas, padres modernos, a 120, 140 e 160 rs.;
pecinlias do madapolSo a 1,500, 2,800, 3 000, 4,000
! 5,000 rs. ; bretanha de puro linho, a 800 rs. a vara;
ditas do rolo a 1,300 o 2,000; pecas de algodiozi-
nho a 1,280 e 2,000 rs., e a jarda a 110 rs.; lencos
dtfseda.a 1,440 e 1,600 rs. ; suspensorios, a 100
rs. o par; lencos de grvala a 160 c240rs. ; pello
do diabo a 200 rs. ; lanzinha, a 320 rs.; pegas de
cambraia branca a 2,500 rs.; brim trancado do co-
res o ile puro linho a 1,000 rs. ; dito branco c par-
do a 1/e 1,200 rs. a vara; c outras multas fazendas
mais baratas do quo em outra qualquer parte.
Vinho de Chaoipanha
da superior e muitoacreditada marca
Cometa,
vende-se no armazem de Kalkmann &. Bosenmund,
na ra da Cruz, n. 10.
Cortes de pellc do diabo, a
1,400 rs.
Vendem-sc superiores corles da fazenda chama-
da pello do diabo com 3 covados e meia pelo h-
lalo preco de 1,400 rs o corte, sendo da matesupe--
lioa quelem apparecido : na ra do Collegio, loja
n. i.
<&/!* V.ondc-se una pela de 25 anuos, do
ptima conducta c de boa Qgura peri-
ta engommadeira e cozinheira; una
dita de bonita ligura de 22anuos boa
lavadeira ; una linda mulatinha de 12
anuos; urna prela milito forte e sadia ;
um lindo inoleque de 14 anuos ; um
ptimo pardo com olllcio do pedreiro,
de 22 anuos e que tem muilo boa con-
duela ; um dilo, proprio para feilor, por
estar acostumads,e que nflo he mo car-
reiro : na ra das Larangciras, n. 14, se-
gundo andar.
-- Vendem-se barris.de diver-
sos taminlios com mel, no ar-
mazem do trapiche Ramos : a
tratar na ra do Queimado, loja
u. 29.
co multo menor quo oda asaignatura, no segundo
andar da casa n. 7, da ra da Cruz.
wj9%mwj9 ii* mu i^ *f W0 *1010&
Vende-se bolachjnha.de agoa e sal, de 20 S
tom libra, todas furadinhas, o muito boas
para cha e caf; bem como de leite e ovos que
fservem mesmo para doentes, por nito terem g
composicOcs oleosas ; biscoutos redondos ft
a doces e d'ovos ; bolachinhas; fatias dos mes-
i nios : tudo feito com todo asseio e das me- fk
tibores familias que ha hoje no mercado: tam- 0
bem so vai fabricar bolachina de araruta : no tt
f pateo de S.-Cruz, padaria n. 6, defronte da 0
igreja. O
>30im0]%0i**m menbumm* ei\*Q
Porta de ferro, por 5!^ rs.
sendo do custo do 42,000 rs.: na ra larga do Boza-
rio, ns 6 o 8, a fallar com JoSo Dubois a qualquer
hora.
-- Vende-se urna preta do 20 annos pouco mais
ou menos, boa costureira, lavadeira, e que est
principiando a engommar; he de boa conducta e de
boa figura ; um mulatinho de 7 annos proprio pa-
ra andar em casa com criancas; um pardo do todo
oservicode casa o campo; urna parda costureira,
e que tem boa conducta: na ra do Crespo loja n.
2, A, se dir quem vende
Vendom-se dous lindos moleques de 18 a 20
annos, sendo um delles oflicial do alfaite o cozinhei-
ro ; dous pretos um odlcial de spateiro e o outro
proprio para todo O servico ; dous pardos sendo 1
bom carrero e o outro proprio para pagom do 18
a 20annos; duas pardas urna do 22 annos, com
abilidades, ea outra de 12annos com principios
proprios para se educar ; 3 pretas di 20 a 30 annos,
com habilidades ; duas negrinhas com principios de
habilidades de 11 a 12 annos: na ra do Collogio,
n. 3, segundo andar, se dir quem vende.
Vemdem-sc ptimos guardanapos de puro li-
nho, os mais modernos que taem Vindo do Portugal,
a 800 rs. cada um; e um novo sortimento de pannos
linos de todas as cores, por diminuto prego : na lo-
ja nova de Raymundo Carlos Leite, ra do Queima-
do, n. 11 A.
Livros baratos.
ComposiCilo de Bulln, com estampas 42 v., por
20,000 rs.; dita do J. J. Uousseau 25 v., por 15/
rs.; dita do Virgilio, 2 v. por 3,000 rs. ; Hita de
Joilo Hacino', 6 v. por 3,000 rs.; Historia do Bra-
sil por Abreu o Lima 2 v. por 3,000 rs. ; Diccio-
nario universal inglez-francez, 1 v., por 4,000 rs. ;
..ilo dechvmica theorica e pratica, 4 v por 6,000
rs. ; La Nosographia general, por J. F. Augostino ,
4 v., por 6,000 rs.; e outras mais obras: na ra
largado Bozario, n. 8, primeiro andar, ao p dos
iiuarteis. ;
---Vende-se urna negra de bonita figura o com
algumas habilidades : no lorto-das-Canoas, n. 48
primeiro andar.
DEG PORTAS W32
m
com um (ilhinho de 7 mezes.e que tem bom e abun-
dante leite e he excellente ama de casa vende-so
portertido filho ; um bonito moleque de 18 annos
de nacSo Angola ; um casal de escravos, bons para
engenno ; um preto Angico muito fiel, de 30 an-
nos faz todo o servico, o que nlo he fujao, tambem
se troca ppr urna moleca ; 3 moradas de casa nos
Afogados; urna dita em Olinda no Varadouro; um
sobrado mui bem acabado : na ra de Agoas-Vcr-
des, n. 46.
Vendem-se os mais ricos cortes
de cambraia de seda, do- mais
modernos padrdes que teem ap-
parecido e muito proprios
para bailes crep de todas as (^)
cores j cortes de ehitas muito fi- (gfc
as e de novo- padres, que pa- ^
recemseda; lencos de cambraia *
de linho, para senhora ; chapeos 0
de massa franceza da mais sope- ira)
rior qualidade e de bonitas fr- (S)
mas; bem como outras militas fa- ^
zendas finas: tudo mais em con- s*
ta do que em outra qualquer '8w
parte : na nova loja de Jos Mo- ()
reir Lopes, na ra do Queima- ,^)
do, nos quatro-cantos, ca-a ama- ^
relia, n. 39. S
Vende-se a venda da ra da -Praia,
n. 39, com os fundos a vontade dos com-
pradores ou com a armacSo s : a tra-
tar na tnesina venda.
AO BOM E BARAT.
Na nova loja de Francisco Jos Teixoira Bastos ,
nos quatro-cantos da ra do Queimado, n. 20, ven -
de-se panno preto, verde, cor de caf o azul, do su -
perior qualidade, c por preQo mais commodo do
que em outra qualquer loja. Na mosma loja ha um
completo sortimento de fazondas por procos ra-
soaveis.
Vende-se urna escrava de bonita figura de 32
annos, boa cozinheira engommadeira e q ue lava
desabito, coso e faz todo o servico de urna c asa : na
ra larga do Rezario n. 26, terceiro andar.
Vende-se urna preta que cozinha o diario de
una casa, lava o cose soffrivel: na ra da Cru z, n. 19,
Escravos Fgidos.
A Itcncao!
Vendem-sc superiores chitas franeezas, de vara de
largura e de cores (xas a 280 rs. o covado ; ditas
finas escuras c de cores lixas tendo algumas que
sorvein para luto a 5,000 rs. a peca ; meios chales
de cassa de quadros a 440 rs.; cortos de lanzinha,
para senhora com 15 covados a 3,605 rs. ; panno
preto fino para pannos de pretas a 3,000 rs. o co-
vado ; chales de lila e seda muito finos a 5,500 c
7,000 rs.; zuarte de vara de largura a 240 rs. o
covado ; cortes de cambraia lisa muito (na ecom
6 varas e meia a 5,000 rs. ; superior brim tranca-
do pardo, de puro linho a 640 e 900 rs. a vara ; di-
to aniarello muito fino a 900 e 1,000 rs. ; dito
trancado de linho branco muito superior a 1,000,
1,280 e 1,600 rs. 8'vara; chadrezes de linho para
jaqueta a 400 rs. o covado ; riscadinhos trancados,
a 240 rs. o covado ; hamburgo de linho, a 260 rs, a
vara ; meias para senhora a 240 rs. o par ; e outras
militas fazendas por barato preco : na ra do Col-
legio, loja n. 1.
Na loja nova do Passeio. n. 15,
vendom-se cassas modernas, de cores lixas e largas,
a 240 rs. o covado ; chitas de novos padrOcs e bons
pannos a 4,500 rs. a pega o a 120 rs. o covado ;
alciii destaa lia um completo sortimento de fazen-
das de lodas as qualidades : tudo por proco com-:
moilo.
OMuitu l'iitorcMCo, jornal do nstruc$iio e recreio,
ornado de bolliaiimas estampas :gvende-se, por pre-
Nesta loja veiylem-se pannos (inos, pretos o de
cores, a 2,500, 3,000, 3,500, 4,000, 4,500 o 5,000 rs.; 0
muito fino, prova do lim.lo.a 6,000, 7,000 e 8/ rs.; sc-
tim macao muilo superior, a 4,000 e 5,000 rs.; sedas
decores, a 1,000 rs. ; lencos hrancos grandes com
bicocm volta, aC40, 800 e 1,000 rs.; ganga azul, a
80 e a 100 rs.; urna grande porcilo do chitas de cores
(isas, do 140 a160rs*; c outras militas Dechinchas
novas que avistados freguezesse farto pateles.
No botiquini Cova-da-Onga--, ra larga do
Rozario, n. 34, vende-se urna ptima roda de ferro
I para moinlio deinoer caf, e seis han is queforam
de vinho.
Vende-se um bonito mulatinho proprio para
pagem.sein defeito nom achaque,equesabe cozinhar
1 o diario de una casa ; urna mulata com principio
! de costura e urna cabra bastante escura: na ruado
i Queimado, no segundo andar da casan. 40
Vcndem-so dous mulatos, sendo um com idade
do 18 annos, bom oflicial de spateiro, de linda li-
gura, e proprio para pagem ; um moleque de 12 a
14 annos; um mulatinho de 7 pouco mais ou
menos; cuma muala de 26 a 28 annos, que cose
sofTrivelmcntee lava rotipa : na ra do Crespo, lo-
ja, n. 2 A, se dir quem vende.
Vendem-se os muito su-
periores quejos londrinos e prezuntos inglezes, che-
gados ltimamente de Liverpool pelo ultimo navio ;
na ra da Cruz do Recifc, 66, venda de Miguel
Joaquim da Costa & C.
Vendem-se tres obras de direito criminal, as
melhores que actualmente existem : em Olinda, casa
contigua a padaria do Varadouro.
Vende-se um terreno com 200 palmos de frente,
em segument da rua'da Aurora, cornos fundos
at a ra do Hospicio, com algumas fructeiras, c com
urna pequea casa e olaria : tambem se troca por
casas terreas. A fallar com a viuva de Francisco Jos
Marinho, na ra larga do Rozario, n. 2fr, primeiro
andar.
Vi-adc-se um cavallo rodado, novo, gordo, de
bonita figura e sem achaques, carregador, esquipa-
dor e brioso : na ra Velha, sobrado, n. 18.
Vende-se urna caileira grande em meio uso,
propria para um escriplorio : na ra do Padre I'lo-
i'ianiio, 11. 72.
"- Vende-se urna armado foita do amarcllo o
louro, propria para qualquer negocio : na rna Nova,
n. 56.
Vende-se um preta crioula, de 22
annos que coziuha o diario de urna ca-
sa engomma liso, cose chao e lava de
varrella : na ra do Hospicio, n. '\i.
Vende-se urna preta moca de bonita figura ,'
quMuzinha e eusaboa eom perfeicHo : na ra da
S.-Cruz, n. 72.
-VendMi-se 3 tanques, feilos de muito boas ma-
deirasebem construidos, proprios para engenho :
na ra da Cadeia de S.-Antonio, serrara n. 13.
Vende-so una escrava de nac3or de 30 annos,,
famosa quilaudeira, oque cozinha e lava do sabilo e
varrella por 300,000 rs.; urna dita de 20 annos,
com habilidades, por 430,000 rs.; urna dita do 25
annos, por 280,000 rs. ; urna dita por 220,000 rs. ;
urna moleca de 12 annos, com bons principios;
urna bonita e bem educada escrav de 17 annos,
Fugio de bordo do patacho Pelicano um escravo
de nome Roque, do San-Thom estatura baixa,
rosto redondo e sem barba, com feridas as pernas,
vestido com camisa e calcha azul e barrete ingle/.
Este escravo pertence a Jo3o Jos Pereira do Azeira,
do Bio-de-Janeiro. Quem oapprehender, quoira e-
va-lo ruada Cruz n. 66, casa de Gaudino Agosti-
nho de Barros, por quem ser recompensado.
Fugio, doeugcnhoMaranhSo, nodia 25 de ju-
lhodocorrcnte anuo 11 m preto crioulo do nome
Bartholomeu conhecido por Berto : he carreiro,
de estatura alta, barbado, com falta de dous ou tres
denles ; tem uns calombos de carne bastante cresci-
dos nos peitos e costas; tem cravos e Tachaduras nos
ps i'signal de chicote por j ter sido surrado ;
bem como marca de caustico em urna banda : lovou
furtado um cavallo melado com cangalha ; julga-
se ter fgido para o serillo. Itoga-se as autoridades
policiacs capules do campo ou outras quaosquer
pessoas.quc o prendam e levem ao dito engenho Ma-
ranh.lo na freguezia de Ipojuca a scu senhor, Joilo
de Souza Le.To 011 nesta praoa, na ra do Apollo ,
11. 23, a Bodrigo da Costa Carvalho que generosa-
mente recompensara.
Fugio, no dia II docorrentc a preta Julin no,
de 45 a 50 annos de naco Mozambique alta, ps
torios e lidiados ; levou saja de algodo velha, e
panno da Costa azul, novo : quem a pegar levo ao
engenho Uchoa, freguezia dos Afogados que ser
recompensado.
Fugio, no dia 19 do corrente um moleque
crioulo, de 9 a 11 annos pouco mais ou menos.gros-
so.cabeca chalajquando falla carrega no B; levou cal-
cas de estopa e camisa de madapolSo; tem marcas
do bexigas c una cicatriz em um dos lados do ros-
to : quem o pegar ou delTe der noticia ser re-
compensado na ra da Madre-de-Deos, n. 14.
Fugio, emlinsde outubrode 1844, o moleque
Marianno: tinha 15 anuos quando fugio; hebaixo, o
grosso do corpo ; lem cabeca redonda, pescogo cur-
to e enterrado nos hombros ps largas cabellos
um tanto avcrmelhados em circumferencia da tests;
tem em um dos bracos urna marca de queimadura,
qu e principia do pulso ateo cotovello.ps um lauto
lar gos adianto, cara 1 lala c lustrosa, falla um tan-
to aperlada nos denles he bem fallante, muito la-
dino caraolho : quem o pegar leve aos Afogados ,
sitio de S -Miguel, ou lias Cinco-Poutas, sobrado
do Luiz Comes ou no Aterro-dos-Afogados, sitio do
fallecido Machado, que ser recompensado com
50,000 rs. ou mais, conforme o trabalho.
Acha-se, desde o dia 16 do passado fgida a
pela Joanna, de nac3o Rengela de 30 annos pou-
co mais ou ljenos ; he bem condecida por usar do
de vender sapatos para senhora, fructas, bolos, etc.:
he alta, secca do corpo cor fulla rosto comprido,
olhos fundos, nariz um lauto afilado denles lima-
dos beicos grossos ; tem urna marca anliga 110 la-
do esquerdo do rosto proveniente de urna denta-
da que lho deram bracos finos e compridos |;cs
seceos e tambom compridos, pernas cheias de veas
e encarocadas; he bastante ladina Esta preta,por ter
muitosconhecimenlos, julga-se estar acoitada : por
isso protesla-se usar de todo o rigor da lei contra
quemadmitli-la em sua casa e muilo se rccoin-
menda as autoridades policiacs, capitaesde campo
e mais pessoas do povo n captura da inesma escrava,
promettendo-s1 aos ltimos boa recompensa sea
levarem ao Aterro-da-Boa-Vista 11.17 fabrica do
licores de Frederico Chaves.
PERN.: HA TYP. DEM. f.OE FARIA. 1&47"
-MMH
-a-U


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMKXCWBN0_B72LQ0 INGEST_TIME 2013-04-26T22:29:13Z PACKAGE AA00011611_08523
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES