Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08513

Full Text
nno deI847.
Quinta-feira 19
.
MARIO puhilca-se lodos os dias, iioe no
ile cu''," pre ''* ,,iRn:",,rn he He
""* iJ, qiiurlel. pie-" ndianladnt. Os ao-
4#n0" jj,, asskn.intes sao inseridos a raso de
nuncio jn|1Jlt (0 rs. eiu typo ilill'ei-enle, e as
50 ".-JL pla metade. Os oue nSo f-rem si!S-
"C'tLo gors por lilil, elOOem typo
r&!pr^d-'"i""c"^0-
PIIASES DA LA NO IWEZ DE AGOSTO.
i 11 lwre 40 min. da inanhln.
Mi"S" ', |,j 10 horas eT min.iia inaoliaa
''" n.e' a I. *s J Uorase Jimio, da manhSa
Crerf (ij' 5i i horas e 48 rain, dajuauliSa.
PAI\TID\ DOS CORREIOS.
(ioiannaeParalivba, as segundas esextas toras.
Rio-tirande-dn. Norte quintas feiras ao meiu-dia.
Cabo, Seriohem, Rio -Pormoso, Poito-Calvo e
Macelo no I.*, a 11 e Jl de cada me/..
(aranliuns e Ronilo. a' 10 e SI.
Boa-Vista e Flores, a ti e 18.
Victoria, as quintas feiras.
Olinda, todos os dias.
PREAMA.l DE HOJE.
Primeira, s 6 horas s 'i minutos da manlia.
Segunda, s C horas e 80 minutos da Urde.
fie Agosto.
Armo XXIV.
N. 179-
DAS DA SEMANA.
0 Segunda, 'i. Romiio. Aud. do J. dos o
ph;os.loI.doc..l.5.toJ.M.da:r
n Ierra. 8. Lou.eiico.
II Ouarta. S. Tiburcio. Aud. do.', do civ.
5 v edoJ.depszdoJdist. .le t.
t Quinla. 8, l'.iara. Aud. do J. de orpli. e
doJ. municipal da [I. vara. .
13 exta. S. Ilypolito. And do 1- do civ. di
iv.edoJ 14 Salibadu. liiuehio ileLovolla. Aud. do J
do civ.da I. v. e do J de ns do I dist. de t.
15 Domingo. Assumpro ncNossaSenbors.
CAMBIOS NO DA II DE AGOSTO.
Cambio sobre Londres a 57 d. p. M rs. a.du.
, P-ris 844 rs por franco.
, Lisboa 105 a 110 de premio.
Dcsc. de letra, de I., (mu. de /. a I /. K
Oro-O.ic.slesp...holas.... JSJW a
, MoedMd.*.00Telb.
de 0f 400 no.. I#00(. a
- de 4^000..... "
Prad_ Pataco^. ... >fr"> "
Pesos columiiares... If*u
Hilos meiicauos... i#'8D
Miud.............. 10
J9J00O
I0H00
|6#|00
atloi'
i#0mi
iflsO
l|800
II' o
Ac'ces dacomp.do'rieberibede 50JI00O rf.o pr
DIARIO DE PRWAMBUCO
amamaia.^ _^_ _,
!
PA TE OFFICIH.
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DA 2 DO CMBENTE.
OHlco-Ao Exm. vice-presidente das Alagas,
iratismittindo a informaeflo do commandante das ar-
mas interino, acerca dos motivos pelos quaes so nflo
Pi).ic recolher a essa provincia o pnmeiro sargento
joaquimGarcia dos Santos. ''
i, l0 .- Ao commandante das armas interino, de-
clarando que, em vista do contcdo no parecer da
iunli de sade, remullido por S. S., concede tres
n'/es de licenca, para tratarse, a Vicente Ferreira
;a"(:l.agas, 8ol-lado do segundo batalliflo de artillia-
iy.Jf- ao inspector da thesouraria da fazenda, de-
terminando que daquota votada para as despezas
secretas da polica nesta provincia faca entregar ao
subdelegado dos Afogados a quant.a de 15,366 res,
nara indemnisacao do que tem despendido com o
furnecimento de azeitc c agoa ao respectivo desta-
camento. larticipou-se ao chefo de polica.
Dilo-Ao juiz dedireito docivel da comarca (1c
Saiito-Anlo, dando-so por inteirado de haver S. me.
passadoa vara ao respectivo juiz municipal, em con-
seqnenciade se achar doentc. ......
Dito Ao delegado do pnmeiro districto da cida-
de da Victoria, significando que o eserivilo vitali-
cio dos orphflos da mesma cidado pode exercer as
funecoes de juiz de paz, so, nos termos da le e or-
dens em vigor, tiver passado o seu oflicio a outro o-
dadflo.
EXTERIOR.
MXICO.
DO F.XEftCITO DO GENERAL TAYL0P..
Tinliam-se rccebi.lo om Nova-Orleans noticias de
Brazos at 25 do maio, de Montercy ate 15, e de Sal-
tillo al 1*. _.
Por urna carta do Dolta consUva que o general
Taylor brevemente so poria on marcha para an-
Luiz-Potosi.
DA CIDADE DO MXICO.
Supvotta eleieo de Herrera. Triumpho do partido da
pa,. IHnvimmtv de Sant'Anna. Sua falla ao
povo mexicano. O /tierna deguerrilhas, etc.
Por via de Tampico recebeu o Picayune collecc0es
de jornnes da ciliado do Mxico at 19 de maio, o,
quaes adiantavain mais 11 dias do que os anie-
riores.
A 15 procedeu-so olcicno de presidente, e sappu-
nha-se ccralmento que o Seor llenera era o canm-
dalo vencedor. Julgavao Picayune que este, nao era
o ex-prcsidcnlo Herrera. A noticia da floicao c a
muilo imperfeita. Angelo Fras, goernador aeicm-
Inaliiia, obteve os votos da provincia ilo -*"- >
Uniera vencen em Qucretaro; Puebla votou em O.
MelcliorOcampo. u ComnurcM T>m"" fl""
ai chrgra da capitula Vera-Cruz nolicftideiU0 rora
eleilo llenera. O escriptor, sol. cuja aulorj.adc era
dada esta nolicia, attribuia a causa do WNMM
to a un desejo de paz geralmcnte u.lrido n re a
parle pensante da populacao. A noticia careca ue
conllrmacSo. ..:,
Sanl'Anna linha deixado o commando do excrcuo
do oriente para assumir as funcrjOes de presidente.
Deva entrar na capital a 19. N'uma carta publicada
nos jornaesdziaquo linha oslado industriosamente
organisando Irocosdeguerrilhas. Fizera un mani-
fest nacilo, mas nSo se linha anda lecebido na-
quelle paiz copia alguma delle, que se devia publi-
cara 20. Publicoii-se a 15um relalorio das suas o-
peraces no oriente. Neste se gabava ello largamen-
te do que fizera; masnilo fallava mullo no futuro.
Copiamos un paragraplio delle, escripto, segundo
pensava o l'icamtne, para grangear um favoravcl a-
colhmento na capital. Alludindo a Pueblo dizia
(He- __
Todaapopulacfiodesta bella cidade eslava em
mov monto entrada da minha divisHo, c dava sig-
naos do mas ardente cnthusiasmo. Mal poda eu an-
dar rodeado de militares de cidadilos, quo victoria-
vama independencia e a repblica, o davam largas
ao seu odio contra os nossos invasores. Ncsses mo-
mentos era o meo coraciio agitado por diversos sen-
timenlos, quando olhava para um povo eninusuis-
mado queme pedia armas para se defender, dando
as mais decisivas provas do seu amor a liberdaile do
seu paiz; e quande reflectia sobre a reeponjaDilida-
de daquelles, que, leudo os meios a sua disposicao,
haviain neglgenciado de se aprovcitarem das boas
disposicesdo povo; sendo a nica cousa que ralla-
ra tiesta cidade, homens propros para promovcrein
a defesa da causa nacional.
O governo tratava de algumas medidas para a sol-
tura des Americanos presos na capital.
El KtpMicano procurara oulra vez excitar os te-
mores do povo, expondo os designios do partido mo-
i.archico. Secretos agentes, dizia elle.trabalham por
mudara forma do governo. .
Os habitantes da capital parecan descuidados das
fortificaqfles da capital. As folhas os convidavam a
prover sua seguranca.
P Ksperava-se lodos os dias a partida do genera Va-
lencia da capital frente de 5,000 homens da guair.li
nacional, para unir as suas forjas com as do general
SanfAnna; masainda dSo havia tido lugar a ulli-
'"oVseno.as C.utierreze Irvartcl.aviam resignado as
Laguna, Frontera o outros portos da costa Em La-
guna levanlou o bloqueio, dando instruccOes ao of-
ficial que o commandava para impftr >,m* n"v" r -
fa sobre todos os gneros importados, e um tr.bu o
de 10 por conlo atl valorem sobro lodos os exporta-
dos para as despezas da guerra. !
Tnmou posse do forte da foz do no .uasacualco
inutilisou as pecas do inimigo que nelle chou, mu
o pavilliilo americano no mesmo forte, OBUe auwa
nuctuava, e saudou-o com urna salva Mil ""B
canhao. Seguio algumas vinte milhas pelo
ma ate tuna povoacr.o, deque lamben! tomOUMCI
fiea poseo, e onde igualmente arvorou a MMOtM a-
mcricana, com urna salva nacional. OBtWMM
algumas povoacoee vizinhas foram, omquanio c lo
alh esleve, ..ITereeer-lhe a pacifica posse dos seu
respectivos districlos.
Constara que apenas os vasos commandados poi
Pcrry rcccbesseui o carvao necessario, tcncionava
ello locar em Tobasco, onde so dizia quo o mimlgo
tiuha urna frea em numero de -2,000 homens de tro-
pa recular, esperan.lo-0 para llie oppor res.slencia.
b (Norh American.)
I ommui.iculo.
pastas da guerra ejuslica. p ^eiroftowbrtilu^
!io palo general AlcotvU, oIpgundo^r D. Lu ue ia
^"senor Dorando conlia'iiava como linistro dos
DTSu.S.^&..fd... o Vicayune, eslava oc-
cunii,d,e,:j;nichrs^^er:^a1,anuma
esquadra de seis ou oito velas, da qua cslavarr. pres-
tes a desembarcar mil homens para toma.cm a ci-
scarlas de Mazatlan dizia que se faziam alli to-
dos os preparativos para a defesa : mas que, se a m-
vasao fosse feia com tflo grande f.Mca como se di-
zia, nnose Mo poderia onpr.....Mree^MUu
ulras noticias referiam que o poilo de San-Illas
laiiibcu. eslava nnicacado pela esqu..dra americana,
e que era de suppr que o intento dos Americano.-,
fosse desembarcare tomara cidade.
DE VERA-CRUZ.
O vapor James- L-Day cl.egou a Nova-Orleans, a
31 de maio. Parti de Vera-Cruz a 25, de Tampico a
27, e de Brazos-S.-Tiago a 8. Depo.s da saluda do
lmttlo, a 22, n3o linha alli chegado mais noticia
alguma do exercilo do general Scoll. A dihflMta
do Mxico, que-devra chegar a 21, anda DO eia
chesada a 25, al a sabida do Day.
O commandante Perry linha voltado ''osen corso
a Sacrificios. Durante a sua ausencia tocara elleeni
MEMORIAS DK UM MEDICO. (*)
pob aicjfanfire turnas.
Dizc-me, este qnarto he deteu gosto?
D-me ordem para que eu veja.
__ V !
Oh que bello aposento! disse ella.
Entao, agrada-le ? pergunlou o conde com
"""o."! sin.: abi eslflp-M ores da minha p/ilflo,
SEGUNDA PARTE.
CAPITULO XIX.
DUPLA aatisTwciA. o aoaiJio.
Ualsamo recuou deprompto ao aceno do ampe-
se 'os bracos de Lorenza abracaran, oar, ecah.ram
"^orenzr.ns^e'naU.mo, queres tu conversar
C Oh Sfdssc ella; mas porque me oto fallas
i., maw vezes? Gesto lauto da lua voz !
- Lorenza, lu me lens dito militas vezes, que se-
rias mito feliz se podesses viver comm.go, a.uda
niip sruarada do mundo inteiro.
qUlTvcroade ; essa seria a ""''aventura
- Poisbem tenho realisado o leu desejo, Lo. en-
78 Nes e aposento ninguem nos pode perseguir, nem
chegar R eslamos^osinhos, inle.ramente sos.
- Ah anida bein.
(*) Vide Diario n.* 178.
os ...cus heliotropos. as minhas rosas encarnadas os
meusjasmins da China. Obr.gada, meu temo Jos,
q .'" paco o que posso por gradar-te, Lorenza.
Oh 1 fazes cem vezes mais do que eu mereco.
Entflocoiivensnisso?
~ c'onfessas, pois, quo foste bem malignaj>
Muilo 1 Oh! sim. Mas tu me perdoas, nao .
_ Pcrdoar-lc-hei, quando me Uveros explicado
osse esuanho n.yslcdo,contra o qual lulo desde que
l6-Ouve,'Balsamo. Em mim ha duas Lorenzas mui-
lo distincts : urna que le ama, e oulra que to detes-
ta ss m como ha em mim duas existencias oppos-
tas' "una durante a qual absorvo lodos os prazeres
do pa-aizo, outra durante a qual solro lodos os tor-
mentos do inferno.
Essas duas existencias silo, urna o somno, ea
oulra a viga, nflo he assim ?
He assim. ,
E tu me amas, quando dormes, e me detestas,
quando velas.
He verdade.
__ E porque he isso?
N9o se i.
Deves sab-lo.
Z. Saga bem, olha para ti mesma, sonda o leu
proprio coraco.
__ Ah sim..... Comprehendo
Falla.
i agora.
A ASSOC1ACA0 DA ff: catiioi.ica no imperio
DO URASIL.
Installada nesla cidade do Itecife, a 3 de .lezc.nbro
de 184), pelo Eim. hispo resignatano de Olinda D.
Thomaz de Noronlia, de accordo com os Exms. Sr.s.
I). Iton-.ualmo Antonio deSoixas, arcebispo da Haba,
primaz do Brasil, e I). JoKo da Purificado Marqut>
PerdigSo, prelado diocesano, a assoc.acao para
propagac.no e cnsino da religiao calholica no Brasil
levou submissamente os MUS estatutos a augusta
presenta de 8. H. o Imperador, que hoitve por bem
nao sconceder-lhe a sua imperial ipproyaeBp,, ae-
i.ao tamben permitlir-lhe que da santa 80 sol.c. as-
se as gracasespinluaos de que l.av.a miste., cono
roi comunicado ao governo desta provincia no, -
viso da secretaria do imperio, em data do 17 de lo-
Vem consequeiicia mpelrou igualmente a mesma
uaaociac.10 neeessana approracflo da santa se, re-
g da nt o pelo SS. Pa.1,4 Gregorio XVI dcsaudosa
memoria, que Ih'a OUtorgOU pelo seu breve pon-
lirio .Jo i!" do marco de 18*6; o qual aba.xo tram.-
0rFo7ac...is.,omco do 4. auno da sua existencia
que se vio a associacao da f privada da sabia d rec-
eflo do seu eximio instituidor, cuja se. l.d.ss.n
.norte deixou a sua lill.a predilecta na mais dolorosa
,,rTorna?po.m, asi dodesmaio que Ibe cansan,
tflo ai.enl.vcl nenia, reronhece.i ella, que Ibe cum-
pri. "honrar a memoria do seu fundador: -nmN
o seu primeiro ilevcr era curar da sua conservaeflo,
visto como co. pos moraes de tamanl.a ut.l.dade ja-
mASa,PpeoT'o to louvavel e.npenho resolve-
r ,n s membos .'estantes da direceflo convocar, e
observancia doart. 9. S doi seus eslatulo., mi
concelbo de 20 associa.los activos, IMN f
para procederen. a cleicflo de urna nova directo,
Sue continu a regar os pose presta., te al l s
de tflo prolicua quanto religiosa associacao .oque
verificou .... dia i." do corrente, em o mattern
lia TOneravel Ordem Terceira de San-Franciscos sa-
K'r'S o nvmo.Sr.viga.io Francisco f e,
Ad7uKoRv\no.Sr. padre Francisco Jos Tarares
da Gama ;
aoawKita^aB*.**-.'. s*
_ Quando Lorenza est despert, heRonana, a
filha supersticiosa da Italia : er qua a sc.enc.a he un
S T or umpeccado. nlflo temrnedodo
s "lio Balsamo, do bello Jos. 0 W ewhfW to
dase une amando-te perdera a alma, e assim tt
fgira aCpra'Se continuo, atofln. do mundo.
_ E quando Lorenza dormer1
Oh! isao entilo he oulra cousa; ella w
mais Romana, nem supersticiosa, he mull.er. EnlflO
Snocoracflo e noespirito de Balsamo; vqueesse
o efl a.na, que esse genio med.ta WWHHh
nies^:nlfocomprch,ndequflo^uca = ..^U
ueur^inde ue o S^nunciasse devagari-
oo n. n.e de Lorenza ao n.esn.o lempo que elle h.
d proclamar em alto e bom so... o nomo de..... La
Kl-8lteenlflo com esse nome que cu bei de vir a ser
celebre?
Zgir^uz'^0tu enflo amars oten novo
r'l'EUe^emoHo mais rico do que quantos n.e
tensjadado.masnaobo.porissoqueoa.no.
"* KeT.ron.eUes habita-lo commigo.
Z Si? sabes, pois, bem, quando dormes, que te
mo ardentemenle, com paixflo I
""^Sir'eu'o'vejo, disse ella; e todava, accres-
ceto!I comn, suspiro, hacerla cousa que amas
n"^rtalo0o,que? pergunlou Balsamo estreme-
cet.do.
1 0 teu sonho.
__ Dize a ininha obra.
A lua ambiguo.
Segundos secretarios, os Srs. Jos Aflbnso Ferreira e
dotitor Manoel Ferreira da Silva ;
Procurador-geral, ollvmo.Sr. padre Joaquim Jost
Brrelo;
Thesnureiro, o Sr. Jos dos Sanios Neves.
Releva, perianto, que os habitantes desta cidade e
provincia, (cuja orthodoxia ho proverbialJ para hon-
ra e gloria delta, se presten, a coadjuvar os .toe
da nova direceflo, alistando-se sob a hande.rs da fe,
novamente arvora.la em l'er.iambuco, a.flmi de con-
quistarem para o gremio da igrej.i militante as al-
"sd lanos ...ilhares de Brasileiros que disper-
sos e errantes pelas espessas fioroslas do Brasil .in-
da iazem as trovas la ignorancia c barbariai Tal
le o principal o o mais nobro ttm que se propOe o
,- Vo da associacao da f, cujos bous .lesejos o
rectas intencOes licarflo in pectore se como a chama
leciri a nflo communicarem a todos os corajes pa-
triocoscateligiosos!
., Ex audientia SSmi. habita die prima Martii 18*6.
Cum SS.....S. Dominus Noster Gregorius Divina
Providenlia PP. XVI, n.e. infrascripto Arttoptog
I hessalonicensi Saca, Cong.vgatio.iis de *r
,la F,|eSecretario referente accepent, Arclnep.seo
pum Bahiensem i., Brasilia, el cleres ill.ua Imi-er.
Kpiscepoa consilum susccp.sse socielate n Fi.lu i
ti o ion Propagalionis nomine des.gnatam i. v.stis
sima illa regiuue, Serenissimo ipso Brasilia; lmpera-
.'"e consenUen.;, instituere, cui Societate propos-
tum sil eleen.usvnis, aliisque subsid.is al. lomni
bus QUl Socielati ..ornen dederinl. acc.p.end a, Ec-
clesi totoillo Imperio ac pressertim toOMpm
memo.-aim regionia andigenarum converaionom ad
Catholicam Pdem jurarer s.mulque pal ere ul Se-
des Apostlica societatem ipaam Pr '',e'^ls1 ''rs' "'
libuagratiisdonaredignaretur,eade^mS.^HMau.,
en. lolan. aecurate perpe.ulens, mag. ainqie ut I
.tem consideraus, qme cx.nde ad Religionem in
H, a lie. si mi crio amplilicandam poler.t proficsc.
BplMoporom, qui consilum ..nst.tuende wcitUtia
ieru.'.l, slu.Uo, Societatem .psam Aj.Mbl.iMJkJJ
lorii-ile robavit, alque E.dem, et Socns omnmus,
q, Soc^s paVticil.es erunt, Indu^cnt.as omnes
...ilo est, qum Socielati Propagation.s Hdc. .n
Gaffita insl lu a- ai. Apostlica Sede hactenus con-
SsnL -l.alumho1,.aex/Edibus dicta. Sacra
Congregalionis (lie, et auno quibus supra. (.ralis
sino ulla omnino solulione quocumque bllO^-
J0.....es ArcbiepiscopusTI.essalon.ce.isis do Propa-
ganda FidoSecrelarius.
i. Com audiencia doSantinimo Padre, no 1.
demnrc9 de 1816.
..Corno oSantissi.no Padre NossoSenbor Gregorio,
pela Divina Providencia papa XVI, ouvisse em rcla-
orio leilo por mim arcebispo de Thessalonica, se-
crotario desagrada congregacSo da propagagilo da
V que o arcebispo da Baha, no Brasil, e outros b.s-
ps daquelle imperio, lenconaram ...st.tu.r urna
associacao designada con. o nome de propagac.no da
calhoiica ..aquella vaslissima reguo, foncofdlia.
do o voto lo mesmo Serenissimo Imperador do Bra-
sil, a qual associacao tc.ha porl.m ajudar, por meio
deesmolase outros subsidios que devam prestaras
pessoas que se liverem alistado na assocacflo a igre-
a em todo aquello imperio, e pnucipaln ente a con-
versflo dos indgenas infteia ao gremio da fe catho-
,'ae que juntamente pediam que a se apostlica
se dignasse approvar c beneficiar com gracas espi-
luaes esta mesma associacfloj Sua Sant.dade oxa-
mando elle mesmo attenlan.ente lodo o exposte, e
considerando a grande ulilidade que daqui podera
__Dize. a minha gloria.
_ Oh I Jess, meu Dcos .
Ocoracflo da moca opprimio-se, lagrimas silen-
ciosas Ibe cahiam las palpebras cerradas.
Seta quevesi' pergunlou Balsamo admi-
ro dessa medonha lucidez, que algumas vezes a
*SF?fS** quaes gyram.de-pp.re,
le^!o-sTem! disse alegre Balsamo e isso nao te
torna mais orgulhosa por meu respeilor"
Oh tu s tflo bom, que nao precisas ser gran-
dc_AUm (Mu eu me pn.curoem todaessa multi-
Jfloquete ladea, e nao me vejo
mais abi..... Eu nflo estar, ma. al.
tristemente.
_ E onde estaras tu
__ Estar! mora.
iaTmora!n,Xni Lorenza 1 exclamen elle
nflo, nflo, nos vive, emos juntos, e para nos amar
mos.
Tu nflo me amas.
Oh! nflo eslarei
i, iiiurnii.ii>n ella
__ Oh '. que sim.
_ sao tanto quanta deves, replicou ella Iravando
com ambos os bracos da cabeca do Jos..... pelo me-
nos nflo o que basta, accrescentou pondo-lile na
fronte os labios Bidentes, que multiplicavam as suas
caricias.
__ Do que me aecusas lu f
De tibieza. Vs, lu recusas. Queimam-te os
meus labios, para fugires assim aos meus boijosi
Oh' reslitue-me a minha serenidade de rapariga,
,, nicu convento de Subiaco, as noitesda mi oh. cel-
ia solitaria, llestitue-me os beijos que me enviavas
L
MUTILADO
K
m


'.. i I .. ...-:.- -..^ '
f
resiiltaraoengrandceimentoda religiflo no imperio
do Brasil, c milito racom mondando no mesmo lem-
po o telo do arrebispo e bispos que deliberaran! ins-
tilnircsta assoeiagflo, approvoil por autoridade a-
pos tollos a mesmaassoeiagflo, eassim a esta, como
a todos os associados que dola patticiparem, conce-
den todas as indulgencias que at aqu foram con-
cedidas pela s apostlica Hssochic.no da propaga-
cfioda fe instituida ero Franga. Dado em Romano
palacio da cima dita congrogagflo da propagigflu
da fe, diae anuo sobredi los Gratis, e absoluta-
mente sem algum emolumento, debaixo de qual-
querlitulo. JoSo, arrebispo de Tliessalonic, se-
cretario da sagrada cougregaeflo da propagagflo
Utt IC.
E requerendo-se a S. M. o Imperador, que conce-
desseo seu imperial beneplcito para que o mencio-
nado breve podesse ter execugflo, obteve-sc o se-
gu nle despacho:
MandaS. II. o Imperador pela secretaria de estado
dos negocios da juslica accordar o seu imperial be-
neplcito, para que se possa executaro breve deque
trata o presente requer monto. palacio do Rio-de-
Janeiro, einS de agosto de 18*6. Jos Joaquim
rtrnandee Turres.
formam tem de o fazer um dos dous mais votados,
mo sei por que acto do ministro, ao quo nflo estou
disposto ceder, sem ser por um acto qunlquer do
poder legislativo gcral; porque pens que, se um
laj proeedimento do ministro produz efTeito, escu-
dado he i gerencia do poder legislativo no goven.o
d" estado. Enlrclanto venho pedir-Ibes o parecer a
rospelto, e o aguardo para meu ulterior proeedi-
mento, fazondo-me o favor de imprimir esta e seu
dito parecer, para conhecimenlo do publico e do
seu constante leitor c assignanlo
O luiz malulo.
COSVSWE CSO
Declarares.
Comquanto ja fosse publicado 0 summarindas in-
dulgencias concedidas a favor da obra da propaga-
gflo da fe, todava, attendendo a relaefio qne elle
tem como breve cima transcripto, novamontc o
publicamos.
SUMMAnioius IRDMOEKCUS.
Esta obra, que por militas vezs tem sido objecto
jo urna instante recommendagflo da santa s, tem
por lunajudaras missOes estrangeirasem ambos os
heniysplierios. para ser sen memoro bastam duas
cousas mu simples: i.-, applicar urna vez para sem-
pre por sua intencflo o I-adr .Xoiso C Are Mura da
oragfloifa manhn.i, ou da noite, ajunlan lo-lhes to-
os os das esta invocacflo: .Sn Francisco Xavier, ro-
gapor nos: 2.', dar a esmola eslabelecida.
OS summos pontifices l'iu Vil, l.eflo XII, Pi VIII, e
t.regorio XVI, pelos sous rescriptos de 15 do marco
o 1823, 11 de maio de 182*. 18 de setembro de 1829,
2>deselemhrode1831 o 15 de novembro de 1835,
""torgaramatodosmembrosda obra da V;-, ,, .
da fe, nasdioceses ondeestiver eslabelecida cun ap-
provacao do ordinario, assim em Franca, como em
todos os sitios unidos a obra de Franca, as segu o los
indulgencias, que podem applicar-so pelas almas do
purgatorio;
i. Indulgencia plenaria no da das tosas da inven-
(ilo da Sanl. Cruz, e de .Sun Franeiico Xavier, e urna
vez por mez, no da quo o associndo oscolher, com
tanto que em todos os desse mez telilla recitado as
oraces indicadas. Para ganliai'cstas indulgencias
lie preciso esiar verdadeiramenle conlricto, ter-se
confessadoecommungado.o visitar com toda a dc-
voefloa igreja ou oratorio da associagao.se os bou-
ver, c, quaiulo nflo, a sua igreja parochial, fazendo
terrorosas oracOesa Dos pela prosperidade da sania
igreja, e segundo as inlengoes do su mino ponlilice.
Us associados impoiaiblliUdos por molestia estilo
dispensados da visita da igreja parochial, com lano
(pie satisfagan! as mais condiges, segundo pode-
rem, e o prudente conselho do sen confesor. Nos
lugares, ondea assoeiagflo nloesllver eslabelecida,
podevisitar-se OUtra qualquor igreja, ou oratorio.
A indulgencia das festividades da invengfloda San-
ta Cruz, e de-San Francisco Xavier, podo o associado
ganna-lanodlaqueescolher: isto be, no da rosta,
emum da suaoilava, ou finalmente naquelle que o
ordinario livor designado para sua colebrscfio, com
tanto que cumpla as mais Condicflos.
2.' Urna indulgencia de eem din, todas as vezes que
o associado, estando pelo menos contrito verdadei-
ramenle, rezar as macos A assoeiagflo, der alguma
esmola a favor das nnssOos, ou Qzer oulra qualquer
obra do piedade, ou caridade.
Correspondencia,
Airan (lega.
IMPORTACAO*.
W.-Husiell, barca inglesa, vinla de Liverpool, en-
trada no crranle mez, consignada a Ruase (i Hcilora
& (!., uianifeston oseguiite :
143 toneladas carvflo do podra, iflo barra alca-
ilrao, 100 ditos pixe, 100 ditos bren, 10 ditos ver-
Iniz, loo ditos chumbo de munieflo, 50 longes de
IChun>bo,S5 liareis eslanlio, lODeaixas tullas de Fia n-
dres, ou ditas e 21 lanos fazendas de algodflo, 7
i ditas ditas delinbo, 1 lardo di las de laia, 1 caixa
lima machina de copiar cartas: a Russoll Mcllors
(S c.
2* taixas de ferro ; a Me. Calmonl & C.
3S taixas de ferro; a S. I. Jobnslon & C.
8 Farduse3caius fazendas de algodflo; a Adam-
son Howie & C.
2 fardos fazendas do algodao ; a James Crabtree
& C.
6 caitas lolhas de cobre ; a Barroca & Andrade.
Consulado.
ItENMMENTO 1)0 DA II.
O arsenal de guerra compra dous cadeados
srandes bem fornidos: quem dito genero quizer
l'ornccer mandara sua proposta, em carta fechada,
a directoria do mesmo arsenal at o dia 13 do cr-
lente. Arsenal de guerra 9 de agosto de 18*7.
Joo Hicardoda Silva.
Contrato a celebrar-se com a thesouraria das rendas
provinciaes no mes de agosto corrente.
Dia 16.
0 doestabelecimento de urna linha de mnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, de 30 de mar-
go deste anuo, facilite o transito desta cidade a qual-
i|iier ilos seos arrabaldes e Olinda. -- Este contra-
to ser realisado depois que a presiuoncia assim o
determine, vista das propostas que por intermedio
ila thesouraria I he forcm anresentadas.
hiranos apprehendidos pela polica.
Cosme que, ha tres mezes, confessra pertencera
Bernardo hilarte, do Ico : Francisco, crioulo, de 18 a
19 anuos, que aliena ser rorro, mas que se reputa cs-
cravo, por ter andado em companhia deciganos, e
nflo declarar ubi certo, nem naturalidade. Aeham-
se nacadeia de Nazareth ; e se nflo forem reclama-
dos dentro de 30 dias, a contar de 2 do corrente agos-
to, terflo destino, sendo o primeiro entregue aojuiz
ilc ausentes, e o segundo posto em liberdade.
Geral..........
Diversas provincias .
!)I7,9I7
2,318
920,235
Srs. Iledaclare* : -- Snhjeito.no final do artigo 2 \ o
ao disposto no artigo 3.'da lei, na qualidadedo lor-
ceiro votado as ultimas eleigoes geraes para juiz
de paz da mmlia fiogue/ia, liz a convocagflo dos o-
lollores e supplentes para loimagflo da junta de
qualibcagflo, em cujo acto me foi disputado o lugar
para um dos dous primeiro votados, ao que nflo ced,
por torca e especial man lato do artigo HOdasdis-
posices geraes: 0 presidente da junta de qualifica-
eflo sera (O^sempre o individuo que houver feita a
convocagao dos eleitores e supplentes para a forma-
dlo da junta, e como tal certo do presidir a assoin-
idea parochial: (artigo 39 da lei) eis que me in-
^""^""ummmmieimts:.jomms>w.b>>..- -.--.-.- -..;;-
nas azas de mysteriosos zephiros, e que quando dor-
ma va eu virem a mim como sylphos de azas d'ou-
ro, e que me derretiam a alma em delicias.
Lorenza Lorenza !
Oh! nao me fojas, Balsamo, nflo me Hijas, por
quem es ; i a-inu a tua milo para aporta-la ; os leus
ODOS para beija-los ; eu son, euiGili, tua niulher.
Sun, es, minlia querida Lorenza, sim, es mi-
nba niulher muito amada.
EsoflVes que viva cu assim junto de ti, intil
desprezadl; tens nina flor casta e solitaria, cujo por-
lume te convida, c repelle esse perfume I Ah bem
ovejo, II0 80U nada para ti.
I'elo contrario s ludo, mu ha Lorenza, pola
que fazos minh.i forga, meu poder, meu genio, pois
que sem li nada podara eu. Cessa, pois, do amar-mo
comessa febre ardente, que perturba as imites das
numeres da tua Ierra. Ama-me como te eu amo.
Oh isso nflo be amor, o que tu sentes por mim
nao be amor. '
He ao menos o qua de li exijo ; porque me das
quanlo desojo; porque ossa posso d'al.na mo basta
para ser feliz.
Feliz! disse Lorenza com ares de desprezo
chamas a isso ser reliz?
Sim, porque, para mim, ser feliz he ser grande
Lorenza sollou um longo suspir.
mi7fc?.; sf tusoubesses, minha meigo Lorenza, o
que he le claramente no coraeflo dos homens, para
domina-los com as suas proprias paixfles '
Sun, sirvo-lhe para isso, bom o sei
livTofrnV.Tf6 na- Teusoll,os 'em por mim no
livro fechado do porvir. Oque nflo pude aprende-
ce nnm, a T "C ll,1,0,eS ""^V nimba d V-
, BS T..r0(i?',lCe '"'ra' ">'> ensillas, quando
qeres. Tu mea lu.n.as os passos, a que tantos ini-
inigos arman, ciadas; o meu espirito, de qm de-
penden! a minha vida, fortuna e liberdade, tu o di-
latas como oolho do lince que vC de noiio. leus
lioviuiciito Navios enlradus no dia 11.
Lima; 98 dias, briguo ingle/ lllack-l'rince, de 299
toneladas, capitflo Edward Martin, equipagom 16,
carga salitre o lita ; ao capitflo. Vem refrescar
e segu para Liverpool.
llio-Cramle-do-Sul j 2 dias, briguo brasiloiro Mei-
canlil, de 199 I.....dadas, capitflo Antonio da Silva
Soares,cquipagem 12, carga carne; a Amorlm li-
mflos.
dem ; 31 dias, briguo brasileiro Neto, de 193 tone-
ladas, capitflo Joaquim Pedro deS Faria, equipa-
gom 11, carga carne ; a Leopoldo Jos da Costa A-
raujo.
Montevideo ; 29 dias, polaca hespanhola Joven-Dolo-
res, de 137 toneladas, capitflo Itavmundu Col, e-
quipagem II, carga carne; ao capitflo.
Nanlea; 40dias, barca sarda Crelo-Segundo, de 258
toneladas,capitfloSicardo, em lastro; aordem.
Palmouth ; 19 dias, brigue sardo Monte-Camello, de
2l toneladas, capitflo Gernimo Cabrera, equipa-
gem (3, ero lastro ; a l.enoir Pugot & Companhia.
Navios sahidof no mesmo dia. ,
THEATRO PUBLICO.
ir.lltr.l DE ,tLEJYC*lSTHO.
DOMINGO, 15 no CORRENTE.
Beneficio de JoSo Jos Lopes,
que envidar todas as suas fdrgas, coadjuvado pe-
lo director, para ser desempenliaila em represen-
lneflo o deeoragoes o melhor possivel. A senhora D.
francisca e o Sr. Sania itoza cantarfln no lugar com-
petente as oaligos que pode seu autor. Itcmalar o
espectculo com a oxcellento farga
O A lardo na Aldea.
Publicares Litteraras.
Sabio a luz o resumo de arithmetica, extrabidode
S. F. Lacroix, pelo professorpublicoS. H. do Albu-
querque: acba-se a venda na livraria do Sr. doutor
Coutinho, na esquina defronte do Collegio prego a
6*0 rs.
Ilrevecomegar a dislribiiigflo pelos Srs. assig-
nanlo?.
--- Descripcflo histrica do Brasil Columbi.i e
Guiana, publicada por urna sociedade, c impres^a
em Lisboa, 2 volumes. Vonde-se na ra do Collegio.
leja, n. 3.
Nantucket; galera americana Calumba, capitflo Wil-
liam Coleman, carga a mesma que trouxe.
Itio-de-Janeiro ; barca americana llaltimorc, capitflo
John LeBroil, carga a mesma que trouxe.
"-l"
EDITA L.
Tendo a Divina Providencia felicitado o impe-
>cnm o nascimenlo de urna princeza, queS. M. a
em o (lia 13 dejulho ultimo,
as
le |iublico re-
Impemlriz don a luz
conforme a participara feita a cmara municipii
desta cidado polo Exm. presidente da provincia,
mesma cmara convida aos seua municipesa illu-
minurcm as frentes do suas casas durante as noites
de 13, i* e 15 do corrente, coi si
gosijo por tflo fausto motivo.
Pago dn cmara municipal do Recife, em sessflo
de 11 de agosto do 18*7.
Manuel Joaquim do llego e Albuquerque,
Presidente.
JoAo Jos l'errcira de Aguiar,
, Secretario.
anaaj
bellos oihos, quando se fecham luz deste mundo
aDre.m-so urna claridadesobrehumana, velan) por
mim. I u os quo me Tazos livro, rico, poderoso.
E tu em cambio disso me razea desgracadai
alalnou Lorenza desfeita em amor.
E mais vida que nunca, abracou Balsamo, que
tambem impregnado da chamma elctrica, ja resista
liara inenle. '
67. poim, um esforco, e desden o lago vivo que o
NOVO DICCIONARIO DA LINCOA NACIONAL.
I'm diccionario nflo be obra que deuuia vez possa
sabir perlita : as diversas edirgoes, eos variados au-
tores que exislem. provm o que deixamos dito,
para se locar a mxima JpeiTeigflo, eainda mesmo
Para se ir apurando, eiigfem-se os trabalhos sucees-
sivosdo mullos homens eruditos e laboriosos. Sem
nos compreloiulermos nq numero dcstes,
ios ilreveiii] a carroj urna podra para
i
le
envolva.
-- Lorenza! Lorenza disse elle, porcompalxflo '
Son tua mulber, biadou ella, o nflo tua lilha I
Ama-me como um esposo ama a sua mulber, e no
como meu pal moamava.
Lorenza, disse Balsamo tambero todo convulso
tosejes, nflo me pecas, eu le rogo, outro amor
quo nao soja o quo le posso dar !
Mas, exclamou a mega ergiiendo desesperada
os bracos ao Co, isto nflo he amor, nflo, nflo he
amor! '
Oh! que be amor, sim..... porm amor santo
o puro, como lie devido a urna virgein.
Lorenza fez um movimento brusco, que Ihedes-iso
enrolou is longas trancas dos cabellos pretos, c os-
com l n do
este mo-
numento, e A nflo iiuiova.oos cousa alguma ao que
a existo, ao menos compilamos em urna so obra o
que est rspalhado por muifts,\ o demanda cabodal
aviillado para se possuir.
Vamos, pois, la ligar ao piolo um novo diccionario
da linooa nocional, que leve por base a ultima edic-
eflo do diccionario do muito digno Iliterato oSr.
Moraes, publicada om Lisboa no auno de 18**, e qu
por corlo nflo tem as faltas que o Sr. Constancio I he'
nolou na suaediceflo de Paria de 18*5. Seguimos
em tudo osystema daquelle eximio lexicographo,
porque a sua autoridade, ja por si SO bastante res-
peilavel accrosce hoja a edicgflo sobre que funda-
mes nosso Irabalbo, a dos Ilustres Fr, Francisco de
San-Luiz Souza Monteiro o padre Castro. Ajunta-
mos-lhe alguns vocabulos que se acham em o Sr.
Constancio, e em oulros autores mais anligos; e
bem assim um diccionario dos tormos homnimos, o
outro do synoninios.
Porm, pequeo ser o resultado da existencia de
una obra tflo til como a deqiie.se trata, se osen
prego uo for tal, que habilito a to.los para poderem
Obte-la. ComtUdu anda nos ufanamos por ter conse-
guido a resoluefto deste problema, por isso que o
prego por assignatura sera o de 20,000 rs., pagos em
duas preslagoos.
Assigna-so em casa do editor, na ra Formosa. nu-
Sahio luz, e vende-se na praga da Independen-
cia, livraria, ns. 6e 8, pelo prego de 160 rs. cads
ejemplar, o
CATECHISMO
EXPLICADAS
Claras esuccintasperguntas e respostas, adapta-
das s capacidades novis, acerca de diversos objec-
tos, com o conhecimenlo dos quaes devem os meni-
nos sahir das escolas do primeiras lettras, para que
aotransporem o limiardas aulas maiores, nflo cn-
trem nell.is s cegas, e em estado do nflo perceherem
a linguagcm dos preceptores : cis o que conten ce
apreciavel livrinho.
Leiam-no os directores das preditas escolas; e de
certo o adoptarflo, de preferencia a outros muitos
que estflo em voga, sem que tenham o mrito do que
orase annuncia.
No dia 31 de agosto corrente sahir a luz em casi
de E. o II. Laemmert, ra da Quitanda, n. 77, e se
assigna por 10,000 rs., em 5 volumes encadenados
nteressante
lEISTOKIi IIVERM
desde os lempos mais remolos al aos nos-
sos dias, relatando os acontecimentos
mais notaveis em todas as pocas, e os fei-
los dos homens mais celebres de lodosos
povos, crmpudta sobre o plano de Bre-
dow por um Brasileiro, ornada com a4
gravuras finas.
Desde muito lempo era entre nos desojada urna
boa obra sobre a historia universal. Possuimos ape-
nas nlgumas traducgites, eessas mesquinbas o mu
pouroao par da justa curiosidade e reelamages do
estudo. lio com o fin de suppriressa lacuna que nos
propozemos, dando luz esta obra, offerecer ao pu-
blico um livro completo e digno de sua escolba.
Subscreve-se na esquina do Collegio a 10,000 ris.
visos martimos.
mero 2.
"JV..i.._. .
dizer, culpa de Dos; porque fez Dos de ti esse an-
jodeolhar ndaliivol.. em cujo auxilio submelterel
o universo? porque les tu em todos os corages
atraves domalonal envoltorio, como so l n'um pa-
pel por dolas de um vidro? lio porque s o amo de
pureza. Lorenza! lie porque s o diamante sem
mancha; he porque nada annuvia o leu espirito;
be porque Dos, ao vressa forma inmaculada, pu-
ra u radiante, como a de sua santa mal, clsenle em
baixaraella, quando invoco em nome dos elemen-
tos que elle fez, o seu sanio espirito, que de ordina-
rio so libra por cima dos entes vulgares e srdidos,
por nflo achar helios um lugar sem impureza, em
Loren-
lendouoalvo o membrudo braco quasi ameacadoj
para o condo.
--Oh! que significa isto entflo? bradou ella com
voz breve e consternada. E para que me fizaste
abandonara minha Ierra, meu nomo, minha familia,
ludo, ale Dos, ja quo o leu Dos so nflo parece com
o meu. Para que me approximaste de ti i para que
ornaste sobre mim esse imperio absoluto," que me
raz tua escrava, que faz da minha a tua vida, do meu
oteusangue? Ouyes bem? Para que lizeste todas
renza?USaS' "" S cholr*"" virgem Lo-
melnlSd^IiS.!!lSpir0U11U,nl,e,,, conternado da im-
"vi,,- u"""!01' a 9uem Parlia u coragflo.
-Ai. d.ssoello, he culpa tua, ou para melhor
que possa pousar. Virgem, s vidente, minha
za ; mulber, nflo serias mais que materia.
Enflo queras antes o meu amor? exclamou
Lorenza, batendo com ra va as bellas mitos queso
tlngiram do purpura, enflo prefores o meu amor a
lodosos sonhosqiie prosegues, a todas aschimeras
quo invenas? E me condemnas a castidade da reli-
giosa, com as tenlagiies do ardor incvitavel da tua
presenga? Ah! Jos, Jos, tu cominettes umerime,
son eu quo t'odigo.
Nflo blasphemcs, minha Lorenza, exclamou
Balsamo; porque eu, como tu, tambem padego. Olba,
olha, lenomeu coragflo, he niinlia vontade, udize
anda que te nflo amo.
Mas entflo porque resistes a ti mesmo?
Porque.quero elevar-te commigo ao throno do
mundo.
- Oh a la ambiguo, Balsamo, murmiiroua mo-
ga, a tua ambiguo, dar-le-ha jamis o que te da o
meu mor ?
Fra de si tambem, Balsamo deixou cahira cabe-
ga sobre o peilo de Lorenza.
Oh sim, sim, exclamou ella, vejoemfim que
mo amas mais do que a tua ambigflo, mais quo o
poder, e que a tua esperanga. Oh tu me amas, om-
llm, como le eu amo !
Para o Maranhflo seguir, em poucos dias, o pa-
lacho Laurentina, capitflo e pratico Joaquim Marlins
dos Santos Cardozo ; anda recebe alguma carga e
tem ptimos com modos para passugeiros : a tratar
com Lourengo Jos das Neves nu ra da Cruz, uu
com J. Baplista da F. Jnior, na ra do Vigario ,
,n. 25.
I Para o Aracaty sai, em poucos dias, a sumaca
(Mrlota, inestre o pratico Joflo Antonio da Silva,
por ter a.sua carga quasi prompta: para carga e
passageiros trata-secom o mesmo mestro, ou com
Luiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz, n 26.
Para Lisboa sabe, impreterivelmonte no dia 22
do corrente, o brigue portuguez San-Domingos; ain
da recebe alguma carga miuda, assim como passa-
geiros, para o que tem excellonles commodos tra-
ta-sr com os consignatarios, Mendos & Tarroso, na
ra da Cruz, n. 54, ou com O capitflo, Manuel Con-
exivos Viiiiuia, na praga do Commercio.
Para o Hio-de-Janeiro sahe, com a maior brevi-
dado possivel, o muito veleiro brigue nacional Bom-
iesus, por ter a maior parle do seu carregamento
prompta: para carga e passugeiros, a tratar com
Caudillo Agostinbo de llanos, roa da Cruz, n 66.
Para o Itio-de-Janeiro sabe muito breve o bri-
guo Sociedade, forrado c cncavilhado de cobre, de
boa marcha, e de bous commodos para passageiros:
para carga ou passageiros, a fallar com Jos Fran-
cisco Collares, na luja de Terragens, esquina da ra
daCadcia, ou com o capitflo Jeronymo Jos Tellcs.
Para o Havre segu com a maior brevidade pos-
sivel o briguo francez Jteaujeu: quem nelle quizer
carregar, ou ir de passagem dirija-seaos consig-
natarios B Lasserre & Companhia na ra da Sen-
zalla-Velha 138.
Avisos diversos
L'nia mulber do honscoslumesse offereco pa-
ra ama decasa de familia capaz, Quem precisar di-
rija-sca Iravessa de San-Jos, n. 16.
A Sr." I). Boza Thereza da Cuiilia tem urna car-
ta, viuda de Lisboa, na ra do Quoimado, luja n. 6.
Prcrisa-se fallar com o Sr. teslamenteiro do
fallecido Jos da Silva Botelho : na ra da Cruz, n.
52, ou aniiuncie sua morada por esta folha.
uummeiw*m!X'*- i st.sst.(Sk-*b':ei
Balsamo procurou sacudir a nuveni embriagadora
que ameagava offuscar-lbo a rasflo. Oscuesforgo,
porm, foi intil.
Oh pois que me amas tanto, disse elle, pou-
pa-me
Lorenza nflo ouvia mais; acabava de fazer dos
dragos urna dessas'nvehciveis caaeas, maisleua-
zes que a cai.toeira d'ago, mais solidas que o dia-
mante.
Am-te como quizerea, disse ella, rafia ou
mulber, virgem ou esposa, mas d-me um beijo,
um s.
Balsamo eslava subjugado; vencido, proslrado
por tanto amor, sem Torga para resistir mais, com
os olhos ardentcs, o peilo arqucjanlc, a cabegader-
reada, ipproximava-se de Lorenza, atlrabido Iflo
iuveucivelniontu cuino o lio o forro pelo imn.
Ja os sous labios iam tocar os de Lorenza !
Subilocohroua rasflo.
Sacudi com as mflos o ar carregado de embria-
gantes vapores.
Lorenza exclamou elle ; dcsperla, lie inhiba
vontade!
Im mediata mente abrio-se essa cadeia que ello.
ii A o podera quebrar, a (Tro u xa rain os bragos que o
enlagavam, esvaecou-se languidu, como um resto de
vida no ultimo suspiro, o son su ardeuto quo sepa-
rava os labios resequidos do Lorenza ; os olhos fe-
chados se Ihcahriram, as pupillas dilatadas se cor-
rarain; sacudi ella os bragos com esforgo, espri-
guigou-se de cansada, o lurnou a cahir estendida,
mas desperta, no sof.
Balsamo, sentado a tres passos delta, soltou um
profundo suspiro.
Adeos sonho, murmurou elle, adeos ven-
tura.
(Continuor-se-ha.)
\
MUTILADO
..


V.
Casa da F
na ra estreita do Hoza ro, n. 6.
TMido-sn transferido o andamento das rodas da
linda parte da 17." lotera do theatro para odia
f."' corrente. espera o cautolista da casa cima,
i os seus freguezcs concorram a comprar o resto
suas cautelas que se achain a venda certos de
nnellas lirario lioas sortea. Aellas, que so pou-
> eos procos diminutos.
Muga-sea casa do Exm. Manoel do Carvalho
n,7deAndrado, sita no Corrodor-do-Rspo, a qual a-
ihadi'ser desoecupada pelo Sr. F. H. I.uttkens: os
prftendentcs dirijam-se ao corretor F. G. do Oli-
V 0 dislribuidor deste Diario na cidade do Olin-
i~f publico que ello se encarrega da entrega de
eirtas, papis o pequeas cncommendas para a mes-
mi cidade, mediante urna pequea gratificaclo, a-
lem das cartas serem franqueadas; imcumlie-sc de
irar provistos para oratorio, conlssao e qualquer
nutras" de obter despachos das autoridades da mesina
eidlde'e tirar certidoes de qualquer reparlic.no ; as-
sim como de conduzir papis de importancia : elle
Birtir lodos os dias das 6 as 7 horas da manhna.eno
la segundeas mesmas horas dar solucilo do que
lhe for encarregado.As pessoas, que se quizerem uli-
lisardc sou presumo, dirijam-se, no Recife praca
da Independencia, livraria ns. 6 e 8, a qualquer hora
do dia, e em Olinda, na sua residencia, ra do Am-
paro.
Alugam-se tres casas terreas, no
hecco do IVixoto, pelo preco de cinco
mil res cada una : a fallir na rita do
Crespo, n. 15, com A. da C. S. G.
PARA AS PESSOAS QUE TENGIONAM SEGUIR
VIAGEM.
NaruadnRangel sobrado n. 9, tiram-so passa-
\ ,s para dentro e fura do imperio despachan) -
> "icravos e correm-se Iblhu; ludo com muita
hrevidado e a preco muito e milito commodo.
-.JosPradinex, cuteleiro, avis.i ao rospeilavcl
nublicodesta cidade, que se acha estabelec do na
ra doCabug n. 12, e que sempro estara promp-
to para fazer quaesquer ferra mentas, ou instru-
mentos de cirurgia .trinchantes o outros: lambe ni
concerta espingardas, faz f re i os para cava los, es-
poras de todas as modas, e ludo o mal que for
concernento ao seu olllcio. Tambem amla as ter-
cas, quintas e sabbados.
Aolttcina di: encadernac.3o que o padre F. C. de
Lemos e Silva dilije na ra de S.-Kranciscn, aii-
gaiiieulc Mundo-Novo, n 156, adiase prvida
de todo oiiecessarlo para o bom descuipenlio de
qualquer obra de encaderna(o,pot mais rica que teja :
assim como lea c aprompla quaesquer emblemas ap-
propriados as uietiiias obras.
i1'
ri Vende-se um bonito molequo pega, do 17 a -H
18 anuos, de milito boa conducta, sem vicios .U
B nem achaques, c que lie ptimo para pagem ; U
n.i rua do Vigario, n. 2i, so dir quem vende, w
--Francisco Xavier das Ghagas Sicupira participa
ao publico, que, tendo aceitado urna lettra da quan-
tia de 373.640 rs. no dia 3 do concille, acontecen
que depois de sellada levara dscaminho, por cujo
motivo tica inutilisadac sem vigor algum; por ja ler
aceitado outra com a data do dia : o para quo nBo
baja duvida (cara seincffeilo algum a outra que
foi aceita no dia 3.
OSr. Joo da Silva tem urna caita na ra do
Crespo, n. n vinda do Cear, remettida por um
seu illiouii existe naquella provincia.
Aluga-se a casa terrea n 101 da ra do Coto-
vcllo, por barato preco : na ra do Vigario, ns. 5 o 7.
AVISO AOS AMANTES DA HORTICULTURA,
No Atterro-da-noa-Viita, n. C, casa do Sr. Oliveira.
Arnol Pere & Fils menihros da sociedado rea)
de Horticultura do Paria, ltimamente chegadosa
i'Si provincia, leem a honra do participar ao publi-
co, que vilo expora venda urna grande e bella col-
leooo ile plaas, flores e ni vores de fructos, lars
con'io perciras, macieiras, ccregeiras, parreiras, etc.
etc..das mclhores origensda Europa; una grande
vario hule do amarilio, dalilias, peonas um sor ti-
mn to de gritos de hortalices o de flores: ludo mul-
to fresco e ern perfeito estado de ronseivacno e por
procos os maiscommodos possiveis. Para facilitar as
conveniencias dos Srs compradores, clles se obri-
gam a fazer por si mesmos as plantagoes de todos
os productos quo venderem, dando assim aos mes-
mos Sis. urna completa segurancia sobre a germina-
g.lo das semenles e reproducgiln das plantas.
I)-se dinheiro a premio sobre penliores de ou-
ro e prata hypotheca ou boas firmas : na ra es-
trella do Kozurio o. 30, segundo andar, se dir
q-. Precisa-sede uma mulher para amn ue c.,Sn Gontina-se a comprar ferro rundido, cobre e
que saiba bem cozinhar: na ra das Cinco-Puntas, bronze velho : na rua do rum, n. 8.
1 .- #.-___.............aunnu (l* pina i>
LOTKRIA DO THEATRO.
No dia 13 do corrente andam infallivelmente as
rodas desta Ioloria dbmo tem sido annunciadn, vis-
to que a venda dos respectivos bilheles soacba mili
adianlada pela influencia que tem liavido em conse-
quencia do novo plano que he na verdade milito
vanlajoso e o mois bem confeccionado. He, porm,
preciso que esta influencia nlo arrefeca o que os
amadores deste jogo concorram para que os mes-
mos bilheles so acabem certos de que ainda flean-
do alguns em pequeo numero, sero entregues na
vespera do andamento a sociedade organisada, e no
dia marcado as rodas nno dcixarito de fazer o seu
gyro.
Um inleressado na casa de Frecheira da fre-
guezia da Escada comarca da cidade da Victoria,
declara que se vai proceder Miviso dos bens per-
tencentcs a mesma casa amigavel, ou judicialmen-
te e por isso avisa a todas as pessoas que liverem
transaeges, dependencias, ou outros quaesquer
negocios com a dita casa que {cania de nenlium
effeito todos osados posteriores a esta declararlo ,
visto que o aununciante. n;1o presta a sua assignatu-
r a nenhum dessesactos protestando desde ja rc-
vendicar todos aquclles bens que forom, ou liverem
sido alheados da dita casa, pois que nenhum her-
deiro podia nem pode dispor delles sem
a divsfo de que se vai tratar.
Furtaram, no dia quarla-feira da semana pas-
sada.da casa de Kaustina l.uiza do Franca, na traves-
a que vai da Casa-Forle para o Poco-da-Panella, as
obras de ouro seguiolcs : 2 voltas de trancelim rom
urna medallia, um par de brincos de ouro com lio-
res, um alfenetc de senbora, qualro aunis, tendo
dous diamantes, dous pares de hntes pequeos,
um bolilo de abertura, duas argolinlias lisas emais
algumas cousas miudas, e um dedal de prata : quem
descobrir, participe na referida casa que sera recom-
pensado.
I'recisa-se deum rapaz portuguez para caixei-
ro de venda, que tenha pralicar d pessoa que alio-
ne sua conducta: na rua do Livramenln, n. 38, ven-
da junto ao lampeilo.
I'recisa-se de um tortor que trabalhe de enxa-
da.enteuda do vaccas, borla e pomar: na Magda-
lena, estrada nova primeiro porlilo de ferro.
Precisa-se de um hoinein forro para o servico
de padaria que emenda de masseira e tenha al-
gumas freguezias de vender pao para a Roa-Vista,
para ir com um pelo que tambem tem alguns
freguezes c d fiador a sua conduca: pnga-se-lhe
bom ordenado cda-se-llie o sustento : na rua larga
do Rosario, padaria n. 18.
Permuta-se, por un sitio perto desta praca, que
tenha terreno sufllcienle para pequea oriaeflo eplan-
tagfo de cannas casa de vivenda una formidavcl
propriedade nesla praca que rende W.000 rs. men-
saes em clnlos proprios livree desembameada :
a pessoa deste negocio prefereo campo, por nfio go-
zar saide a sua ramilia. Quem este negocio quizei
fazer annuncie.
-A pessoa que annunciou precisar de urna ama
deidade' parn o servico de urna casa de homem
solleiro dirija-so a rua da Pcnlia tenda de barbei-
ro que se dir com quem deve tratar.
-I)eseja-se fallar com os Srs. doulor llahiense.Jose
Maris de Castro Nones e Elias Marinho Falcflo de
MbuiiiieniueMaranhno, a negocio que Ihos interes-
sa : e porque a pessoa que Ibes quer tallar esta
dnente, pede aos ditos Srs, quo se dirijam ao pa-
leo do Carino, venda n. 1.
O abaixo assignailo, autor do nnnuncio no Dia-
rio de Pernambuco ns 175 c 176, aceVca da preta Del-
lina, declara que esla foi pelo abaixo BSSignsdoen-
Ireuue.em 7 do corrente, ao Sr Manoel Antonio ref-
reir Gomes, suhrinho da senbora D. Mana Ignacia
Ferrcira, a quem a referida preta dase perleiicer ; e
por eu reconbecer no Sr. Manoel Antonio Ferreira
Gomes toda a probidade, lhe liz entrega da mesma
para a remeter referida senbora.
1 Joo Vai de Oliveira.
-Na loja da rua do Queimado, n. 30, de Jos
Joaquim de Novaos alni do sorliniento ja aiinun-
ciadodeobrasfeila.se fazenilas, lia chapeos da ul-
tima moda chegadoa ltimamente de Franca ; "un-
to bous casimiras; chapeos do Gbili muito linos;
caixasde perfumaras surtidas muito proprias pa-
ra toucador de senhora pelo barato preco de 5,1100
rs.; lencos de cassa para nulo de senbora e pescoco
de homem ; multo bous corles de chita
--Aluga-se o segundo andar da casa n. 34 da rua
do Trapiche com escolenles comniodos, varan.las
de ferro adianto e alias, e bonita vista para o mar :
a tratar no armazem da mesma casa.
Aluga-se um sobrado do dous andares, sito na
praia do Eaguildes, ll. 25: a tratar na rua das Uu-
-'- Aluga-se um primeiro andar-, por 10,000 rs.
mensaes, silo na travessa da Madre-do-Deos, n. ^
a tratar na praca da Independencia, n. 13.
LOTERA do rio-de-
JANE1UO.
Vendem-se bilhetes e meios ditos, da
ai. lotera do tlieatro de S.-Pcdro de
Alcntara.: na loja Je cambio de'Manoel
(oiiiph.
Na nova loja do Francisco Jos Teixeira Ras-
tos, na rua do Queimado nos qualro cantos, n. 20.
vende-so algodnoda trraencoipadoe largo,em por-
C1o e a rclalho.
~ Vendem-se lenQos d seda para meninos a
7-20 rs. cada iim.ilo padrOesos mais lindos possi-
veis ; cortes de chitas linas a 3.-200 rs.; cobertores
proprios para escravos a t.000 rs.; os memores
chapeos do C.hili que ha, a 6,000 e 10,001) rs.; algo-
dno trancado ; dito mesclado azul; dito cor de cafe;
picote de lislras, a -200 rs. o covado: na rua do Quei-
mado, n. 11 A, loja nova de R. C. Leilc.
Vcnde-se por pouco dinheiro por querer aca-
bar-se una porc.no de rolas de llamburgo todas
juntas, ou separadas, entre ellas algumas mesticas
o todas mu boas criadeirns; assim como algumas
. gaiolas grandes e novas, para as mesmas Na traves-
nue se faca sa do Veras, sobrado n. 13.
que s ___ V(,Mdem.se mn|t0 SU|,eriores cordas de tripa ,
bordoes para violilo e rabeca, papel pautado para
msica, de todas as qualidadese por menos preco 'lo
que em outra qualquer parle. Na praca da ^depen-
dencia, n. 4.
Xa rua da adeia-
Velha, n. 9, loja
de J. O. Klster,
vende-sevlnhodo Porto, do diversas qualidailes;
dito da Madena ; dito de Sherry ; dito de BordeaUS ;
dito clialcau-la-rose; dito de S.-lulien ; dito de I"'.-
neiifc; dito do Rheino ; dito de liueellas e Carca-
vellos; dito de Lisboa; dito de Malaga: dito San-
terne; dito de graves; dito champan! sellery;
Bgo'ardento de franca ; Kirseliwasser extracto de
iihsinlhe ; Gherry-cordial ; SgOa de flor do laranja ;
frascos com conservas de verduras ;,dilos com Iruc-
tas da Europa, em calda do assucar; ditos .le litas
em cognac ; dito de moslarda ; sardmlias em atas
e vidros ; petits-pois ; salame do superior qualida e,
vindo no Ultimo navio de llamburgo agua de sell/,
em botijas; azoite doce de Marselha linissimo;
velasdeeomposic.no; cha protO, bysson e perola ;
charutos de llavana e regala. Adveite-se que ludo
he excedente e por preco commodo.
Casimiras elsticas
a Ifl rs. ocova
Vendem-se supelores casimiras elsticas pelo
barato proco do 1,000 rs.,. o covado; ditos france-
zas. supei'K'i'-se de bonitos padrOes, a 0,000 i, o
corte ; dita preta muilo lina a 3,500 rs. o eovado ,"
panno nieto de boa qualidade para pannos de pre-
ias a 3,000 rs ; superiores brins l'aeados bianeos
e depuro linho pelo barato preco del.OOO, 1.SM0 e
1 600 rs. a vara ; ditos amarellos de puro linho e
muito finos,a000el,000rs. a van. ;dios de listras
decOres a 880 rs a vara; riseadii.bos trancados,
proprios para meninos a 210 rs. o covado; n be...
KKditHda fazenda chadrez do linho, par^Jd(|Uetas,
a 400 rs. o ovado; *"a,le (le Vi,ra rgura a 240
rs. 0 covado fazenda nimio propria para i-retos ;
algodes trancados azues de listras e mesCladOS a
220 e 240 rs. 0 eovado ; superiores pecas do breta-
nha de puro linho muito lina e com ( varas o mola ,
a 5 600e6,500rs./macedonia mesclada para ral-
eas a 4*0 e 500 rs. o eovado; chitas escuras, linas
.-decores lixas a 5,000 rs. a peca ditas raneczas,
de vara de largura ,a 280rs. o covado ; meios cha-
les de camhraia de quadros a 440 rs. ; hamburgo
do linho, a 260 rs. a vara; I111111 trancado, pardo e de
linho, a 640 rs. avara; ineias para senhora, a 240
rs o par; cortes de camhraia lisa com varas e
ineia muito lina, a 5,000 rs. ; 8 nutras minias fa-
zendas, por preco muito barato: na rua do Colle-
go, loja 11. I.
AdiiiiraveLnavalhi de
da China.
Lausperenne co Kozario. ^
Vende-se na praca da Independencia livra .
6e8, por milis., um livnnho contendo c no
Mez le Maris novena da Concedo, c o Lausie
ne do Rozario do N. Senhora.
Gaz.
Loja de JoSo Chardon,
vIri-ro-da-Boa-Visla, n.5.
Nesta loja aclia-se um rico sortiiiienlo de LAMPEOb
PARA 0A com seus coniptentes vidros, accendeao
res e abafadores.
EstOS CaydiCrOS melhorea e
mais modernos queexlstem liojc : rrcommendaiMe o
publico, leuiupelascgurauca c bom goslu ue ""
eonfecao, como pela boa qualidade da luz, economa e
isseto (U* sen servido.
Na llieSma loja consumidoresem-
pre acharao oin deposita deGA'A, de cujo se aflaoca a
qualidade e em porcao bastante para consummo.
O BOM BAl?\TElRO.
Na loja de miudezns da rua do
Cabug quim Duarle ,
vendem-se ligas de borracha a 120 rs.; uvas de
seda, para meninas a 120 rs.; ditas para homem ,
de cores e brancas a 240 rs. ; ditas de pellica a
480 rs. ; cartas de colchetes a 400 rs. fitas do vel-
ludo ,a 120e 160 rs. a vara; linba de carretel, a
340 rs. e de 200 jardas a 700 rs. ; aguWieiros
ilevidro. a 200 rs. ; caixas de obreas a 60 rs.;
tranceln! do borracha a 80 rs. balaios para cos-
tura a 800 rs.; papel almaco e de peso ""A""1'
rs. a resma; capachos para ornarsalas, a 800 rs. ;
litas de linho leudo o maco doze pecas a 200 rs ;
iranias brancas, para cortinados a 160 rs. ; poma-
da rranceM a 80 rs o pao ; hcelas de pii.lio re-
dondas e grandes a 800 rs. do meio a 600 rs. o
dedifrereDtosUmanhos.de80a400 rs ; phospho-
ros contendo 104 palitos que nfo ralham a 20 rs ;
hotoesde duraquo, :20 rs. a groza ; ditos do seda,
a I 600 rs. ; um sorlimento completo de neos no
diversas qualidades; caisas de linba grossade maica,
contendo 16 novellos ,.a 160 rs.; botos Unos pata
calcas, a 300 rs ; brincos dourados a 200 rs o pa ,
nenies linos de prender cabello a 100 rs. ; ditos do
tartaruga, para niarrafa, a 1,200 rs. o par ; aljofares,
a 120 rs. o lio.
<">
Compras.
n 16.
Aluga-se urna padaria no Recife, na rua do Bur-
gos culoaluguel se recebera em p3o : a tratar na
prac;a do Gnrpo-Sanlo n. 13
Aluga-se urna casa atrs do muro da Patina por
seto mil rs. mensaes : a tratar na rua do Queimado,
n.40, segundo andar. Na mesma casa se alugain
prctas para venderem azeite do carrapalo.
Jaeinlho Jos de Souza. com venda na pnvoacno
dos Apipucos adverte as pessoas i|ue leem ido pas-
sar i festa na mesma povnncao, hajam de ir pagar o
que fiearam devendo na sua taberna no pra/o de
1> dias ; do contrario, senlo os seus nomes publica-
dos por extenso nesla folha. O inesmo adverte as
pessoas que anda lhe devem do 1845 a 18*6.
Quem precisar de um homem para o servico
de campo ou feitor dirija-so a rua de S.-Hom-Jo-
sus-das-Crioulas, n. 18.
. Quem precisar de urna ama com leito, dinja-se
ao hecco da Carvalha, n .
Quem precisar de urna ama de leite, dinja-se
a rua dasGruzes, n. 12.
Fazem-so costuras, lava-se, e engomma-se com
perfccio e por preco commodo : no Recic becco
dasMiiidinhas n. 8, segundo andar
Convida-so ao lllm. Sr. doutorOlmda.que man-
de pelas encommendas e carias vindasdo Rio-de-
Janeiro, na ruado Pilar, n-10*
ze veiim : na ">' "" "> ...
fiompram-se peonas de ema, para pennachos :
na rua cstr.ita do Rozario, n. 34, primeiro andar.
Na mesma casa Iroca.n-se duas imagens, sondo uma
,1c S. Jos ea outra deS. Joaqun. ambas de palmo
c mel de altura. .....
-Compram-seSescravaado 20 a 30 anuos: na
ruada l-'lorenlina n.7.
-Compra-so una fazenda de gado, sendo em
bom seilao : no hecco do Sarapatel sobrado n. Ib.
__Compra-sc urna esciava moca de boa ligura,
que saiba cozinhar e lavar, e uno tenha VICIO: agra-
dando paga-se bem: na Roa-Vista, rua Velha,n.|8.
Quem a livor, deve apparecer das II horas da ma-
nhfia s 3 ila tardo. .__ ,i
Compram-se escravos de ambos os sexos uc
12 a 20 anuos, com habilidades, ou sem ellas: sui-
do de bonitas figuras, pagain-sc bem: na rua da
Cruzes. n. 22, segundo andar.
Jiiiiin" *----------------- i
Quem annunciou querer comprar o compen-
dio Piloto Instruido -, dirija-se a rua do Pilar,
a cxi
xa loja n.5>dcGui-
raaraes Serafina
e Companliia,
ano l'asseio-Publico, n. 15, yende-se casimira
ranceza encorpada e de quadros e listras, pa-
dn^seiiros, Uoo'rs cada covado; NntMtaM
de cabraia do cores lixas, com lindas cercaduias, a
400 rs. cada um.
Medicina universal.
Patalas vegetaes de Jumes Morison.
\ medicina vegetal universal he o resultado do 2o
nnos de investigados do celebre James Morison.
1,'Slas pitillas consegiiio seu autor Inn"
. .:. -....' .I.u.ln <,d rTiter .
s curas, desde as aflucf.-.p^ .,
morase adininu.,. .. ... ^ot.s que
io au. as ,oieslias chro-
fll.
Vende-se nina preta, de ao e tan-
tos anuos, que cozinha, engomma, lava e
he propria para vender na rua : na rua
do Cabug, loja tie miudeas, n. i D.
Na rua estrella do Rozario, n. 13. vende-se fa-
rinha do trigo de superior qualidade, em barricas o
, meias ditas, peneirasde rame, mdeca, pilulas de
triz da Boa-Visto n. ?. i parte.
Tem a vantagom de cortar o cabello sem offenca
da pello, deixando a cara parecendo estar na sua bri-
llianteiuocidade.
Este ac vem exclusivamente da (.luna, o so nene
tralialham dous dos melborese mais abalissdos cu-
trleirosda nunca excedida e rica cidaJe de 1'eUiin,
capital do imperio cbim. A0T0R SHAW.
N. B. He recommendado o uso deslas navalhas
maravilhosas por todas as sociedades das sciencias
medico-cirurglcas, tanto da Europa como d America,
Asia e frica, nao s para prevenir as molestias da
cutis, mas tambem como um meio COSMTICO.
Ha-so a contento, e responde-so pela sua boa qua-
lidade: pois s se vendem as verdadeu as, na rua larga
do* Roza rio, n. 2*.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20.000.?000 de rs.
Na loja do cambio do Viera da Silva na rua da
Cadeia-Velhe.n. 24,vendem-se bilheles e meios ditos
da 22.* lotera a beneficio do tlieatro S.-Pedro de Al-
cntara do Rio-de-Jauciro, cojos bilhetes vilo asig-
nados por Vieira da Silva,para clareza do comprador,
ao pagar dos premios. A elles, antes que se acabem,
e cheguo o vapor com a lista.
Compendio Doloroso.
Vende-se na praca da Independencia, livraria ns.
6 e 8 pelo proco de meia pataca o Compendio Do-
loroso de N. S. das Uores, eonfrme o uso da igreja
de N. S. da l'enha accrcscentado com o regulamen-
loda vida para cada estado e outros mudos can-
ligos espirituacs ; ludo impresso a cusa de um de-
voto ao qual tnicamente os reverendos padres
Capuchiiihosccderama propriedade.para queosven-
desse ao publico por um prego que chegasse as clas-
ses as mais pobres o que elle salislaz, venden-
do por meia pataca um livrinho que vale pelo mo-
nos, um sello.
itacamas enancas de p
nicas do ndito.
A Europa saudou este remedio como remedio uni-
versal para todas asdoeneas e al boje ainda nfo
foi desmentido tal titulo.
Esta medicina vem acompanliada de tima receila
que ensilla o facilita a sua applicajlo. Consiste em
tres preparacoes, a saber : duas qualidades de pi-
ulas distinetas por nmeros e um p : cada qual
toza de modoseaccoes diversas.
As pillas ii. I silo aperitivas; purgam som abalo
os humores biliosos e vicosos, c os expulsan com
odesela.
As den. 2 expulsan! com esses humores, igual-
menlo com grande l'rca os humores serosos, acres
c ptridos, de que o sangue se acha a miiido infecta-
do; iiercorrem todas as partes do corpo, e socessam
de obrar quando teeni expulsado todas as impurezas.
Aterceira prepara^Bo consiste em uma limonada
vegetal sedativa : he aperaliva, temperante c: ado-
gante torna-seemeoinmum com aspljulas e facili-
la-lhes os melhoreselfeitos.
A posigo social do Sr Morison a sua fortuna in-
dependenlo. repellem toda a ideia de charlatanis-
mo; o as admlravois curas, operadas com o sou
svstema no collego desnudo de Londres, so mais
que garantes da ellcaeia do seu remedio.
Kecoinmenda-seesto medicina, que mo pede nem
resguardo de lempo, nem de poslgfio da parto do
joente.a lodosos que, atacados de molestias ju1-
gadas incuraveis, se quizerein desengaar da sua
virlude.
Oxala que a humanid.ide fcheos ouvidos aos m-
leressadosom desacreditar estos remedios tflo sim-
ules tao cnmmndos e (:1o verdeiros.
Vendem-se smente em casa do nico o yerda-
jeiro agente J. Klsler, na rua da Cadcia-Velha ,
n.29.
Venderse, na rua da
Cruz, n. 23, cera etn ve-
las, de superior qualida*
de, fabricadas no \io-de-
Janeiro, em caixas pe-
queas, sorlimenlos ao
gosto do comprador,
e por prego mas brato
do que emuulra qualquer
parle.
n.
i
i I


jL
"


-4U-
I'

Vendem-se duasarrobas e mca de milito boa
cera de carnauba ; rem formas para fazer velas de
dita cera por metadedo seu valor sendo de 6, 7,
8 e 9 eiri libra na ra larga do Itozario, n. *8.
Vende-so um escravo de 16 a 17 annos, do mui-
to bonita figura sem vicio algum e com odicio do
sapateiro no largo do Carmo, venda n. I.
Vcn1(,^'S9 DOr*eguins gaspeados para ho-
&10IR, fi3,C00 Ta ; bolins do Lisboa, a 3,000 rs.
meios ditos de dita a 2,000 rs.; sapatos do lustro
para senhora a 1,600 e 2.000 rs.; borzeguins para
homem, a 6 e 7,000 rs.; ditos para senhora a 3,500
c 4,000 rs. ; sapatoes inglezos a 3,000 rs. ; ditos de
entrada baixa a 2,60o rs. ; sapatoes de lustro para
homem, a 4, 5 e 6,000 rs. ; e outras muitas quali-
dadesde calcados, que sero vendidos por comino-
do prego : na praga da Independencia, ns. 13 e 15.
Vende-se urna morada de casa do dous anda-
res, sita na ra do Rangel, n. 26, om chaos pro-
prios : no Aterro-da-Roa-Vista no primeirO andar
da casa de Bernardo Jos Carnciro Monteiro.
ilaloja n. i#, do
Passeio-puhlieo,
vendem-se pecas de algoditozinho, com 22 jar-
das a 1,280 rs. ; dito com as mismas jardas, sem
.Ilcito algum a 2,000 rs. a pega.
Vende-so um mappa da costa do Brasil
Jicompanhando um eadcino-de expliesgoes ao nies-
mo, cminglez : na ra doQueimado loja do fer-
ragens, n. 37 A.
: Vende milito bom cha liysson c pe-
rola em caixas de t, 8 e io libras,
na
7, 8 e to libras, eni
grandes e pequeas poicSes, chegado
nllimnmente : na ra lo Vicario, arnn-
zem n. 4, le Hollie Se Bidoulac
Na loja nova do Passeio, n. 1 >,
vendem-se cassas modernas, de cores fixas e largas,
a 24 pannos a 4,500 rs. a peca o a 120 rs. o covado ;
ilin deslas, ha um completo sorlitnenlo dofazen-
das de todas as quididades : ludo por preco com-
modo.
opoiuuioj
o5o.id ,iod o sapupnenh b sepoi op BBpuazij ap oj
-noiii|i.ios o]a|Jiuoj 11:11 siiisap hjo[i: o s.i oog' ,!
, souuiid suoq asajojiip gailipop i>iiiaiiii|josoA<> u
un o|ibaoj uin apeo -sj 0Sf'l op o5.i.id ojejaq opid
*i;jiiS.ii| op soui|nd ,>i,isi ap asitojSMffd itz.ioui.id ha
-un i: .>s-,i|Mi,u -|| oilloluv-'S p 09JB 01 J|UO.lJ
-iioj BM|uiduio:) ?? Ul9l98M\nmi|nj)0[i ufo| bjj
0|)IA
o),SJo8r^i v
Vendem-se caixas de cha hysson, de 6, 12e13
libras cm porotos ou a retalho ; caixas de velas
de espermacetede5e Geni libra : na ra da Allan-
dcga-Velha n. 36, emeasa de Matueus Auslin & C.
Violto do Chainpanlia
da superior e niuiloacrcditada marca
Cometa,
vende-se no armazem deKalkmann & Itosenmund,
lia ra da Cruz, n. io.
fc^* EM PRIUE1RA llAff, ^
vc'nde"--.sc caixas com velas decorado Kio-dc-Ja-
neiro e ile .ishoa; o tambera brandos bogias c,
tochas: na ra S Scnzalla, armazenm. lio.
PTIMAS NAVaLMAS
Pelo piocesso das temperas das meiho-
res jahricas da Guimores.
Kxcellt-nlc fabrica cm Lisboa.
Estas navalbas sao leitas do tnais fino
ac da furcia e temperadas eni agoa (|ii<'
conten os meamos principios que se en-
coulram na mu afamada de GuimarSes ,
e para pro va r a sna superior qualidade ,
bastar saber-se que sao preferidas poi
quem ma vez as cxpcriineiitou, a quau-
Vendem-se iC barris com mel
ra da l'raia, venda n. 38.
Xi no va lo jan, 17,
do Passeio-publico,
com frente pinta-
da de verde,
vende-s um novo sorlimento de riscados francezes
de padres modernos oscuros e milito largos, pro-
prios para vestidos por sercm de cores fixas a 200
rs. o covado ; novas o ricas cambraias escocozas de
cores (xas, muito largas, a 320 rs o covado; urna
porgflo de cortes de chitas escuras e de cores fixas ,
com 10 covados, a 1,000 rs.; chitas do ramagem pa-
ra cobertas de bonitas cores a 180 e 200 rs. o co-
vado ; e outras muitas fazendas de quo ha grande
smtmenlo, por mais commodo preco do que em
outra qualquer parle. As amostras dflo-se com pe-
nliores.
-- Vende-se milito superior panno de
algo iao da trra, largo c encorpado : na
rita do Crespo n. sa.
Por 150 j?000 rs.,
vende-so :ima canoa de coudu/.ir agoa toda cons-
truida ile amarello c sicupira : os pretendentos nao
lei xa rao do faier negocio a vista do objecto edo pro-
co cima declarado que lie o mais barato possi vel :
na ra da Senzalla-Nova venda de Jos l'ereira se
dir qiiem vende.
Vende-se um Mostr nglez por Jaita : na ra
deS -Francisco, amigamente Mundo-Novo, n. 66.
Vende-se superior arroz branco da torra, lau-
to em saccas como em alqueire por proco muito
com modo : na ra da l'raia, n. 46.
Vende-se, ou hypot!ieca-so um sitio, om que po-
de ter-se 8 vareas de leilo c com casa : na ra de
S.-Josc, n. 54.
- Vendem-se 8 escravos, sondo : pretas o pardas
do 14 a 22 anuos com habilidades ; prelos e par-
dos : na ra das Flores, n. 17.
Na ra do Trapicbe-da-Alfandega-VcIha casa
n. 44, primeiro ailar, escrlp torio de Firmino Jos
Flix da llosa vende-se reiroz do Porto, sorlido
de todas as coros por preco commodo ; bom como
chumbo do munic^o.
- Vende-se um cofre de madeira, rom chapas ile
ferio e segrodo dentro e fra, por milito commodo
proco : na ra das Trincheiras n. 42, segundo an-
dar.
cobre para forro de navio; dito para caldeirciro, em
porgos grandes c pequeas : na ra de Apollo, ar-
mazem n. 6.
Vende-se cal virgem de Lisboa, em
barris, da melhor que ha no mercado, e
l>or preco muito rasoavel: na ra do
Trapiche, n. 17.
\ setecentosrs. a
vara.
Na loja do GuimariesScrafim & Companhia ven-
de-se brim trancado francez bastante encorpado
e de puro linho, pelo barato preco de 700 rs. a vara.
lisia fazenda se torna recominendavei pela boa qua-
lidade.
Vendem-se taboasde pinho de 1 a
a 3 palmos de largo chegadas agora da
America : atrs do theatro armazem de
Joaquim Lopes de Almeida caixeiro do
Sr. Joo
poucas
Malhcus A ellas
que
lina do nova loja dcsirguciro. ^
Lima
vendo uniformes militares para todas
as paleles do legio, cavallaria o in-
fantaria da guarda nacional ; galOes de
ouro e prala; chapos invernizados para
pagens.
Cruz.
Sa
Deposito de vinagre
da ra Imperial,
da fabrica
n. 7.
m
tas veemde Inglaterra Franca e onlros
paizesomle a arte de cuidara esl in
questionavelmente em grande adianta-
mento.
Tem n.aisas supraditas navalhas aira-
portante circunistancia de conservarem
por muilo lempo a afiacao de corlarem
com rapidez o cabello da barba e final-
mente de nao olTenderem nem levanla-
rem a pelle, oque astornam mu reconi
mendavejs.
Vendem-se unicanicnlc na ra do
Crespo loja n. 8 de (ampos & Maya ,
onde nao se duvida dar para os prcten-
di'iilcs as experimeutarem.
Farooeni de seda.
Novo snrtimento de chitas pretas assetinadas, a
240 rs. ocovado os padres sao muilo mais boni-
tos do que os das piimeias; chales de lia, a 2,400;
novas mantas do sc.la, a 3,200, 4,000, 10,000, 14,000,
18.000 e 20,000 rs. ; lindoa lencos de chal, com
franja de retro/ ,-a 1,500 rs. : na ra do gueimado ,
loja nova de Bay mundo Carlos l.eite, n II A.
Vende-se urna boa escrava com bom leile
para criar e quo sabe coziuhar e cnommar : na
ra Jo Livrtmeiilo n. 3.
Vende-se um sitio com bastantes arvoredos
novos e maieriaes para fazor umu casa na Soleda-
de, estrada do Manguinho : a tratar no niesmo lugar,
II. Ij.
Vendem-se 3 escravas, sendo : duas de idailo de
16 a 18 annos, com habilidades j urna dita de 26 an
nos ptima quitandeira e lavadeira :na ra das
Cruzas, n. 22, segundo andar.
Vendem-se corles de
cambraia de seda,de no-
vos e ricos padres pro-
prios para bailes; lencos
de cambraia de linho ,
bordados,mu ricos;paii-
nos finos e casimiras ; e
outras muilas azendas
de osto : ludo por me.,
nos pi eco do (pie em ou
Ira qualquer parle : na
nova loja de Jos Mora-
ra Lopes & C., na ra
do Queimado,casa ama-
relia," n. Vendem-se casaos de pombos, muito bous bate-
dores grandes ede expeliente raga; bemeomon-
I lio tes muilo gordos : ludo por prego commodo : na
ra da florentina n. 16.
Xa nova loja lio 17,
com frente para o
Passeio-Publico,
pintada de verde,
vende-sc um grande sorlimenlode chitas finas de
cores muito fixas o padrOea agradaveis a 100 o 120
rs. o covado e a pega a 3,800 e 4,500 rs. ; pegas de
algodilozinho largo sem avada c com 18 jardas, a
2/rs.; longos de cambraia para grvala padres
ricos, a ico rs.; duraquo o alpaca cor de cafe mui-
to lustrosos, a 600 is. o covado ; e nutras muitas fa-
xendas, do que ha grande sm tmenlo, por prego
maisrotninodo do que om outra qualquer parte,
para chamar a altenglo dos freguc/es.
.Ni> armazem do Hacelai, no largo da
Alfandega, n. 3, vendemse latas com
superior bolacbinba de aramia ebega-
fas no ultimo navio viudo do Uio-de-
J neiro.
Vendem-se duas prelas, sem vicios nem acha-
ques sabendo nina dellas coziuhar o diario do orna
casa e ambas lavando de sabfio o varrella e sondo
proprias para lodo o servigo ; urna parda propiia
para lodo o servigo-. lodas por prego barato: na
ra do Crespo n. 12, a fallar com Jos Joaquim da
Silva Maya.
Vende-se estopa propra para saceos : na ra
do Trapiche, n. 8
Vende-se lio da India, proprio para coser sac-
eos : na ra do Trapiche, n. 8
Vendem-se 191 pegas de cabo de Cairo : na ra
do Trapiche, n. 8.
Vende-e ferro da Suecia ; folha de Flandres >
na fabrica de licores, de Frederico Chaves, no Ater-
ro-da-lloa-Vsla, n. 17, onde so achara sempre
grando porgilo e por preco commodo.
= Vciidt'in-se t..... ii.las de rorro para engenho de as-
lUcar, para vapor, agoa e heslas, de diversos lainanho,
por prefo cominodo ; c igoalnteotc taixas de ferro coado
,. balido, de todos os lainanhos : na pra;a do Corpo-San
lo, n. II, em casa de Me. Calmont i Companlna, ou na
rua de Apollo, armazem, n. 6.
Frederico Chaves, fabricante
de licores, chocolate e es-
pi itos, no A terro-da-Boa-
Vista, n. 17,
tema honra de participar ao respcitavel publico e
com particularidade aos seus rreguezes que leni
sempre grande snrtimento do bem condecido cho-
colate do sado canolla baunilha e ferruginoso,
esle muito approvado para as pess.oas que padecem
duestamago ofrialdade por ser muito tnico. O
bom conceilo que tem litio este chocolate faz com
que boje parlieinu's pe.ssoas que ainda nflo lizeram
usodelle, o fgi...lnionle aos sous freguezes que o
leem procuratlo, e por inconvenientes o nao teeni
adiado. Os pregos sao sempre os mesmos sade,
canolla e baunilha a 400 rs. a libra, o ferruginoso ,
a l.ooo rs. Tambem vende ago'ardeoto do reino e
Trama, de primera qualidade; espirito de 36 graos,
sem chairo, em garrafas e em caadas; genobra
em botijas ecm canadas ; ago'ardontc do .-miz c de
canoa j vinagre timo, ago'ardento era pipas, nos
graos que quizerem ; licores cm garrafas prelas e
brancas com ricas tarjas douradas o bocea pratea-
da : cssencia deaniz em ongase garrafas.
o w#t0 %i0 *0 w %\@ ^0 ^0wj
0 Vende-se bolachinha de agoa e sal de 20 f|
^ cm libra, todas furadinhas.e muito boas 0
Q para cha e caf; bom como de loite e ovos que 9&
^ servem niesmo para doentes, por nflo torom B
0 composigOos oleosas ; biscoutos redondos i
^ doces e trovos ; bolacbinhas; faliasdos mes- @
mos: ludo feito com todoasseioe das me- ($
^ Iboresfarinhas quo lia boje no mercado: tam- j0
$ bom se vai fabricar bolachina de araruta : no ^
pateo deS.-Cruz, padaria n. 6, dofronte da Q
i groja.
Vende-se um palanquim usado: na rua do Col
legio n. 2, loja de marceneiro.
Vende-se urna parda do 17 annos, que ensao
bem e entendedoarranjo de urna casa; sebo
barricas, por commodo prego: na rua da
n.3.
-Vendem-se, no engenho Vinagre, sete bois man
sos de carro, e gordos.
Vende-se um piano muito om conta na ru
da Florentina, n. 8, das duas horas da tarde em
diante.
~ Vendem-se dous lindos molequesde 18 annos
um serrador e o outro cozinheiro e official de ai'
faiate; um dito de 12 annos ; dous pretos de 24 tf,l
nos, um oflicial de sapateiro e o oulro proprio pr
qualquer servigo ; dous pardos ptimos para pagens
sendo um delles perito oflicial de ma/ceneiro d
18 a 20 annos ; duas pardas, urna de 22 annos, coni
habilidades e a outra de 12 annos com principios
proprios para se educar; 3 pretas de 20 a 30 annos
com habilidades; duas negrinhasde 11 a12annos'
com principios de habilidades : na rua do Collegio '
n. 3, segundo andar, se dir quem vende. '
Vende-so urna iirmagft"o de urna venda siu
na rua da S.-Cruz em um bom lugar, e oollrada
em urna casa que offerece grandes commodos para
urna familia sendo o seu alugucl muito em conta:
SO atrs da matriz da Boa-Vista, n. 4.
~ Na rua Nova n. 18, loja deM. A. Caj ha pa-
ra vender um grande sorlimento de obras foitas de
alfaito, tanto superiores como mais inferiores' o
ile todas as qualidades; bem como toda e qualquer
fazenda para qualquer obra de cncommenda, que se
patontearito aos pretendontes. As obras ser3o feitas
muito a vontade de seus donos.
Vendem-se sellins inglezes superiores, deeou-
ro do porco, para montara de senhora ; ditos cls-
ticos, de patente para homem os melhoresaue ha
no mercado; loros; filas para cilhas; estribos de
casquinha ; carneiras brancas, etc. : na rua da Cruz
n. 2, casa de Geo. Kcnworthy & Companhia.
Vcnde-so o Curso do historia da philosophia
por V. Cousin traduzdoom portugus : na ora /
da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Vendem-s caibros de- 3o a 5o pal-
mos de madeira de lei e porco deiles,
proprios para fazer estribara e para es-
leios por preco commodo : na ma Hel-
ia, n 4o.
>'a rua da Cruz, u. 58 ,
acha-so a venda o superior e muito apreciado rap
prneeza prosso e mein-grosso da fabrica de Esto-
vflodeCasse do Rio-de-janero : seu prego lindo
1,280 rs. a libra cm porgues de 5 libras para cima.
Vnde-se una preta de 25 annos do bonita fi-
gura que. sabe coziuhar, ongom mar e lavar de sa-
hiloc varrella nito tem vicios nem achaques: o
motivo da venda se dir ao comprador: na rua da
Concordia passando a pontezinha direita segun-
da casa terrea se dir quem vende
Vendem-se dous escravos sendo um molequo
de 18 a 20 annos, e um prcto de 30 a 35 anuos : na
rua doQueimado, n. 6.
Cortes delanzinha,
a 3^600 rs.
vendem-sc superiores cortes de lanzinha com
25 covados para vestidos de senhora a 3,600 rs.:
na rua do Collegio, n. 1.
Casimiro Garnier, rclojoeiro,
na rua Nova, n ,
acaba de receber, pelo ultimo navio francez um
bello e rico sorlimento de joias consistindo em
aderemos brincos, allinetes, aunis, cassoletas, gar-
gantillas pulseiras, trancelns, lindos relogios pa-
ra senhora. Igualmente tem um grande sorlimento
de relogios de ouro e prala ; ditos patento inglez,
o sussos horizonlaos ; elegantes correntes de holg;
lunetas de ouro joculos de alcance; ditos de 2 vi-
dros. Os pregos sao os mais commodos; pois que o
annuncante.recebondo estes objectos directamente,
contenla-se com um rasoavel lucro. Na niesma casa
acba-se um rico sorlimento de relogios de cima do
mesa e de painel com msica do ultimo gostq de
Pars ;eum piano de superior qualidade, e muito
commodo para viajar.
9
Attencao.
Xa rua do Crespo, loja n. f!,
ilc los Joaquim da Silva
Haya,
vendom-se chapeos tic seda para eabegas de senhora,
os mais ricos, o mais modernos que leem viudo a esta
prega; assim como se vendem chapeos de seda edo
palllioha para meninasde dousn 12 anuos; toucas pa-
ra enancas, do muito lindos goslos. Todo chegado
do Franga pelo ultimo navio, e por muito commodo
prego.
Vende-se urna preta de nagio, do 30 annos
que lava, engomma e cozinha : na rua da Cadeia
de S.-Antonio, 11. 19.
\n lejaele Jos Alanocl Mon-
te ir o lirada, na rua do Cres-
po, ii. 10, esquina que vira
para a na das Crii/.es,
vendem-se ricos corles de cambraia de sedada ul-
tima inoila para vestidos de senhora padres in-
teirainenle mais novos qu6odos que leem appare-
eido nesta fazenda; cbamalole de listras, de muilo
boa (jualiilado ; e outras u.uilas fazendas finas.
Vendem-se 3 caainhaa de laipa no Alerro-dos-
Afogados em Ierras do Sr. Pavao com seus quin-
taos bem plantados tendo o terreno CO palmos do
frente 100 de fundo : na rua do Amorim n. 22.
lisera vos Fgidos.
Fugio do bordo do patacho Vtlicano um escravo
ile nomo Hoque, de San-Thome estatura baixa,
rosto redondo escm barba, com feridas as pernas,
vestido com camisa e caiga azul e barrote inglez.
F.slc escravo pertence a Jo3o Jos Pereira de Azeira,
to Rio-de-Janeiro. Quem oapprehender, queira le-
va-lo rua da Cruz n 66, casa de Gaudno Agosti-
nho de llarros, por quem ser recompensado.
Fugio, no da 6 do correnle um nioleque de
nagilo, de nome Pedro, estatura regular, de 18 20
anuos, ps grossos c apalhelados, nariz bstanlo
chato beigos grossos bstanle ladino ; mas, sen-
do interrogado com aspereza, principia a gaguejar.
Itoga-sc as autoridades policiaes toda a vigilancia ,
e aos capilHes de campo, que o peguem e Inven a
Jos da Silva Oliveira na rua Direila, n. 2, segundo
andar, quo gratificar generosamente.
-- Acha-se, desde odia 16 do passado fgida a
piola Joaiiua, de naeSo lleuguela de 30 anuos pou-
co mais ou menos ; he bem conhecda por usar do
de vender sapatos para senhora, fructas, bolos, etc.:
he alta, secca do corno cor fulla rosto comprido,
olhos fundos, nariz um lano afilado denles lima-
dos beigos grossos; leni urna marca anliga no la-
do esquerdo do rosto proveniente de urna denta-
da que lile deram bragos finos e compridos pes
seceos e tambem compridos, pernas cheias de veas
o cncarogadas; lio bastante ladina. Ksta prela.por lor
mullos conbociinenlos, julga-se estar acuitada : por
isso proti'slu-se usar de todo o rigor da lei contra
quem admilli-la cm sua casa e muilose recom-
menda as autoridades policiaes capilesde campo
e mais pessoas do povo a captura da mesma escrava,
pi'omi'llendo-s ios ullimos boa recompensa se a
levarem ao Atorro-da-lloa-Vsla n. 17 fabrica de
licores de frederico Chaves.
PKRN
.-iJii-U-UMI IL1... -I ..I II U 1.I..HI \,m~
t*A TVP. DEM. F.OK FAillA. 1*547'
MUTILADO l