Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08500


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m
nno de 1847.
Quarta.feira 28
nijflO pulilic-f toHoi oj dial, que ro
0 ,i. miarda o prero da apnaliin. lie de
r1'1" o, qiiarWl, TW" dianladnt. Os an-
" < los asiicnantes sin inseridos rosto de
"'"' or linlia, 40rs. emlypo dilTereqle, a as
llalli" K b___ ....UioarSo.
sssr^^H*-*80
pllASES DA LA NO MEZ, DE JOLHO.
,,, o 6 liora e i* min. da manha.
soiiw, ( ^ 9 ,iorM # (6 min da manh|
I;1" ".,e' a jo, s 10 liorai e3l min. da machia
t-rf5Chil' J7( as 7 horas e 47 miu. da tarde.
PARTIDA. DOS CORREIOS.
Ooiannae Para'.iyba, as .eximias e sextas feiras.
llio-Grande-dn-Norte quimas feiras aomeio-.lia.
Caho, Serinliem, Rio-Formoso, Porto-Calvo e
M acei. no I.", a 11 e 2I de cada mei.
Garanlmns e Bonito, a I0e2l.
Roa-Vista e Flores, a I e 18.
Victoria, s quintas feiras.
Olnda, todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, s 6 horas < 18 minutos da tarde.
Segunda, s 5 horas e 42 minutos da manha.
de'Jni fio.
Anno XXIV.
S.166.
DAS DA SEMANA.
J6 Segunda. S. Synfronio. And. i>li.".os ilo.l. 17 Terra. S. Pantale.'io. Aud. do J. dociv. da
t. v! e do J. d< Paz do 2. dist. de t,
28 (.luarla. S, Innoceucio. Audi do .'. do civ.
2 v e do J. ila paz do 2 dist. de l.
29 Quinta. S. Marida. Aud do J. -de oriid.
e doJ. municipal da t. vara.
SO Sexta. S. Iluliuo. And do h do civ. d:i
I-v. a do J. du paz do I. dist de t.
31 Sabbado. S. lunario de Lovolla. Aud. do J.
do civ.da I. v. e doJ depai do I disl. de t.
I Domingo. S. Anua Mi.
CAMBIOS NO DA 27 DE JUI.HO.
Cambio sobre Londres J< Vj d P- '*
a ,, Par* IM r. por franco,
Lisboa Ini de premio.
Deac.de latirs da Iwas firmas de / '
OuroOiicas despanholjs.... 28Sno
> Muidas de Siflil velh 18(11(10
de|0i>nor.. l#oi>o
de 4/00..... 9*0
Priito Pataccs......... I'J>B
l'csos columnares... I|'J30
Ditos mexicanos ... l|760
Miuda............. !*"
Acedes da coinp. do llf Iwribe de S0J000
n.aCad.
/, ao mez
29*000
I0200
lOfio
9JI0I'
ifMO
Iffiif
i sano
l|S20
is.ao par.
DIARIO DE FE
..
PASTE OFFICIAL.
RISPADO DK PERNAMBUCO.
D. Joo da PuriftcacaO Marques Perdigas, conego re-
arante de Santo Agottinho, por graca de Deo e da
Santa S Apostlica, bispo de Pernambuco, d conc-
IhodeS. M. 1. e C, etc.
A todo o clero deste bispado sade o paz em o Se-
Por suprema resolueflo des. M. Imperial, de 4 de
iunho de 1820, fo servido o mesmo augusto Senhor
confirmar o alvar das ultimas faculdades concedi-
das quanto aos concursos e propostas dos beneficios
vacos; e como presentemente estejam vasas tres ca-
".rvVaseni a nossa santa cathcdral, por fallccimento
'efe seus reverendos proprictarios, a saber um
personado, intitulado penitenciario, o duas meias
prebendas : pomos a concurso pelo presente edital
as referidas cadeiras. Os reverendos oppositores
de penitenciario respndelo a novo casos do mo-
ral econsciencia. Todos os reverendos eclesisti-
cos quequizerom concorrer, apresentem-se dentro
do mazo de trinta dias, contados da ixacfloj do pre-
sente edital, com os seus requerimentos instruidos
das habillaces exigidas pelo referido alvar, e mais
documentos quelhefizerem a bem, precedendo tam-
boin as nossas informac/Jes particulares de t'io el
moribtu; e feito o concurso proporemos a S. M. o Im-
perador tres dos mais benemritos c dignos, con-
forme os sagrados caones e concilio tridentino. Da-
do em Olinda, sob o nosso sgnal e sello, aos 27 de
julho de 1847. E eu, o pdre Joaquim da Assumpco,
escrivflo da cmara episcopal o subscrevi.
Judo, bispo diocesano.
Esta va o sello das armas episcopaes
Atumpc&o.
Edital peloqual S. Exc. Rvma. manda por a con-
curso as cadeiras vagas da santa s de Olinda, como
cima se declara.
Para V. Exc. Rvma. assignar.
PERNAMBUCO.
TRIBUNAL DA UELACAO'.
JULGAMENTO NO DA 27 DE JULHO DE 1847.
Desembargador de temana o Sr. Feixoto.
Na appcllacflo civel entre Antonio Joaquim do Lu-
na Rocha e outros e Francisco Cordeiro Das dos San-
tos, reformaran) a sentenca.
Nadita dita entre ojnizo e Francisco Jos da Sil-
va, nomearain para curador ao Dr. Paiva.
Na dita dita entre Albnso Saint-Martn c o curador
Nicolao Gadault, mandaran) dar vista ao Dr. curador
gcral.
Na dita dita entre Jos Ignacio de Miranda e MW-
gariila Rodrigues de Souza e outros, desprezaraui os
embargos.
Na dita dita entre Antonio Goncalves_ Ferreira e
Jos Francisco Guimariies e outros, mandaran) aver-
bar o imposto da dizima e voltar autos a rc-
lacfio.
Na dita dila entre Antonio Joaquim de Mello e Me.
Calmonl & Companhia c outros, receberam osem
bargo*. e para execueflo reformaran) o accordam.
Na dita crime em que sfo partes a justica e o reo
Flix Jos de Andrade, julgarai procedente o re-
curso.
Na dita civel entre Joo Xavier Carneiro da Cunba
e sua mulher el). Joaquina Mara Pereira Vanna, jul-
garam provados os arligos de babilitagao.
Na dita dita entro Joao Pereira Lagos e Bartholo-
mcu Francisco de Souza, juigaram provados os em-
bargos.
Na dita dita entre Jos Rodrigues de Olveira Lima
c Ignacia Mara Xavier, confirmaran) sentenca.
Nadita dita entro Fr. Jos de San-Francisco, Fr.
JlETni'
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
pon aiejcaiiDre JBumajJ.
SECUNDA PARTE
CAPITULO XI.
A E NDEMOBIINH ABA.
Todoessercbolico de estrepitosos carros, toda a
bulha de sinos a repicaren) com toda a frca, esse ro-
lar de alegres tambores, essa m.gcstade, rellexo das
rnasestades do mundo perdido para ella, resvalaram
Jila alma de madama Luiza, eforamext.ngu.r-se,
como a onda intil, ao P dos muros da sua celia
Quadoel-reise'retrou, depois de l.aver tentado
em balde revocar a filha a si, como pai e como sobera-
Joilo Capristano de Mendonqa e a irmandade de San-
l'edro, desprezaram os embargos.
Juigaram procedente o aggravo entre Manoel Clau-
dio de Quoiroz e Ignacio Joaquim Fernandos da
Cruz.
Mandaram dar vista s partes as seguinles appel-
acOes:
Na de Jos Francisco de Olivcira e Manoel Joaquim
Pereira;
Ne de Joaquim Jos Dias Ferreira e Antonio Mara
de Itarros Pimentel;
Na dos administradores do recolbimcnto de !N. S.
daGloria dcsla cidade e JoHo Tavarcs Cordeiro, como
tutor do umorphlo.
fela filo das diversas renda arrecadadas pela collectoria
do municipio do Rio- Formotn, no anno de exercicio
/indo, de julho de 184 ao ultimo de iuii/io passado do
corrente anno.
RF.CEITA CF.RAL.
Imposto da siza dos bensde raiz.......3:294,468
do sello do papel fxo e propor-
cional.................1:227,160
banco sobre as lojas e tabernas 338,100
dizima da chancellara..... 181,129
laxa dos escravos......... 238,000
n.cia siza das embarcarlos oa-
cionaes................ 200,000
do novos c velhos drciros geraes 124,640
Somma total Rs............5:623,797
RECF.1TA PROVINCIAL.
Imposto da taxa do sello das bc-
liiucas e legados. 1:978,438
de decima urbana .... 1:011,240
meia siza dos escla-
vos............ 313,150 3:302,828

11 da
II M

Somma gcral Rs.
8:926,625
A'. B. Do imposto do banco sobre as lojas c taber-
nas, bem como oda taxa dos escravos do anno de
exercicio lindo, anda se no concluio a anecaduc.fio.
Rio-Formoso, 15 de julliodol847.
O collector,
Jos luis da Silva Guimares.
(*) Vide Diario n.' 165.
RECiFE, 27 DE JUX.HO DE 18*7.
O paquete ingle/ I'eterer, que sabra do Rio-de-Ja-
neiro dias antes do vapor Paraense, cliegou boje a es-
te porto, trazendo-nos alguna nmeros dos jomaos
d'al.l, que nao receberamos pelo mencionado vapor.
D'elles colbmos algumas noticias de que sinda
nflo ntei.mos os nossos leitores, e que entendemos
dever levar ao seu conbecimento. I'.i-las:
A 26 de junbo ultimo fallecer e fora sepultado com
as devidas honras, o Sr. bario de Villa-Relia, teen-
to-general do exercilo brasilciro.
A 27, Luciaiino de la Mar, negociante hespanbo!,
de ha milito estabelecido na corlo, suicidara-se com
um golpe denavalha que dera no pescoqo. Stippu-
nlia-se que este acto fra lillio da desconlianca, que
tinhaqtiem o platicara, de nflo haver niui boa opi-
njilo acerca da sua probidade. O infeliz dcixou les-
tamenlo em que, ao passo que constitua herdeiro de
grande fortuna em apolices da divida publica a um
irniilo que Ihe sobrevivir, declarava que nada devia!
A 29, tomara assenlo na cmara temporaria o Sr.
Antonio Manoel de Campos Mello, que oSr. Peixoto
do Rrito tem do substituir na presidencia das A-
agas.
A 3 do corrente mez, o tribunal da relacao da
coi te mandara responsabilisar, por abuso de poder,
o subdelegado de Angra-dos-Rcis, Joflo Pedro de Al-
meda. Oxala queassim procedessem todos os tri-
bunaes a que compete conhecer dos ai tos das di-
no, istohe, por um sorriso a que suceederam suppli-
cas que tinliam visos de ordeus ; quando a de pinna,
a qtiein na primeira intuieflo abalara essa verdadera
grandeza d'alma do sua augusta lia, desappareccu
com o turblhflo de cortezflos, a supenora das carme-
litas cz desarmar ludo, tirar as llores, desple-
gar as cortinas, guardar as rendagens.
De toda a communidade anda commovida, s ella
nflo pestanejou, quando as pesadas portas do con-
vento, por untinstante abertas ao mundo, so torna-
ran! a fechar, rangendo sobre osgonzos, entre o mun-
do e a soldflo.
Depois mandou chamar a thesoureira.
Receberam os pobres nestes dous das de des-
orden) ascostumadasesmolas?1 pcrguntouclla.
Sim, minha senhora
Os enfermos foram visitados na forma do cos-
tume?
Sim, minha senhora.
Deram alguns refrescos aos soldados i
Todos receberam o pao evinbo que V. Alteza
mandara preparar.
Assim, ninguem soffreu na casa:1
Ninguem, minha senhora.
Madama Luiza cliegou janella, c aspirou branda-
mente a frescura embalsamada quosobo do jard.m
as hmidas azas das horas vizinlias da noite.
Esperava respelosa a thcsoureira, que a augusta
abbadessa dsse alguma ordem, ou a despedlsse.
A prnceza Luiza, fs Dos sabe em que pensava a
nobrereal reclusa ueste momento) a prnceza Luiza
desfolhava algumas rosas de urna alta vergontea que
versas autoridades! Entilo, seriam, porvcnlura, mais
respeitadosos dreilos dos cidadaos; entilo, talvez
essas autoridades fossem mais acatadas, e doixas-
sem de ser insultadas pela imprensa pois que te-
mos para nos, que ninguem recorrera a essa arma
parasenielhante lim, se lodos bouvessem certeza de
ver reparadas pelos poderes competentes as ofTensas
que, en) suas garantas, porvnnlura recebessem de
qualquerdos funecionarios pblicos.
A 5, chegra a crte o Sr. encarregado dos nego-
cios di> Brasil em Veqezuella, Miguel Mara Lisboa.
A 6, apparecra o primeiro numero do peridico
intitulado Conservador, que, diz a Sentinella, ser
publicado s tercas c sextas-feiras, o bo completa-
mente ministerial.
A 7, approvra a cmara dos Srs. deputados um
prujcrlo que autorisa o governo a contratar com
urna OU mais companliias O estabelerimento de co-
lonias de Suissose Allemes ; e bem assim a resolu-
5lo que cria um bispado no Rio-Grandc-do-Sul.
A 9, b'-ra-se no senado o seguiute parecer :
A conimissOo de constituicfio vio o oleio do 1.
secretario da cmara dos Srs. deputados, de 10
de junbo prximo passado, em que participa que,
nflo leiiilo adoptado as emendas fcilas pelo senado
- ao projecto de lei que approva os estatutos da es-
cola de medicina desta corte, e que, julgando-o
comtudo vanlajoso, espera pela sua decisiio sobre
ocumprimento do art. 61 da constituicno, para
11 poder solicitar a reunido daa duas cmaras, com o
i lim de deliberar-seo que for conveniento sobre o
referido prnjecto.
a A commisso entende que o senado deve res-
pondera camaiados Srs. deputados, que otum-
primenlodoart. 61 da COnstltulcflO, que de novo
n solicita em seu dito ollicio, depende da natureza
e gravidade do objecto para que se requer a reu-
u nifiodas duas cmaras, o quo ueste sentido Coi
ii que nao pode annuiv i reunio requerida em seu
ollicio de 2 de agosto de 1845. sobre n projeOlO que
ii creava duas relacOea as provincias de Minas e S.-
Paulo, cuja decisao nflo leudo relaOO alguma
.. com qualqucr nutra reunio que a cmara dos Sis.
dcpulados pretenda requerer sobre algum projec-
to que julguc vanlajoso, ser essa reuniflo, que
entflo pedir, deferida a visla do projecto do le
i para que fr requerida.
a Paco do senado, em 8 de julho de 1847.--C. .
a de Mello Mallos.Visconde de Olinda.
Rizia-se que o Sr. Jeronytno Francisco Coelho se-
ria nnnieado presidente desta provincia oque irla
presidir o CearoSr. Dr.Jos d'Assis Alvrs Rraneo
Miiuiz Brrelo, e nflo o Sr. J.' Martiuiano de Alcncar.
Ilaviam sido exonerados do cargo de vice-presi-
dente da provincia de San-Pedro os Srs. Patricio
Coi-rea da Cmara e Tbomaz Jos da Silva, c Hornea-
dos para supslitui-los os Srs. Joan Patricio Mena
Brrelo eDr. Jollo Capislrano de Miranda e Castro.
O Sr. concelbeiro Manoel Ignacio Cavaleanti de
Lacerda fra nomeado juiz relator do concelho su
premo militar de justiqa. na mesma oceaaiflo em que
o fora para adjunto o Sr. desembargador Antonio
SimOes da Sil va.
Tinba sido promovido ao posto de coronel gradua-
do, com direloa contar antiguldade desde 23 de ju-
lho de 1844, oSr. Manoel Antonio da Fonseca (.osla,
lenenle-coronel do estado-maior do exercilo.
Aposentado o Sr. Agostinho Leilao de Alenla no
lugar de inspector dathcsouiaria de Santa-.alhai -
na, fra nomeado para esse lugar o Si. Joao Han-
cisco de Souza Coulinbo que na mesma tbesouraiia
servia comoconlador.
Ao Sr. Jos Alfonso Ferreira se mandara passar ti-
tulo de feitor da mesa do consulado desta provincia.
foram nomeados : procuradorea-fiscaes, os srs.
Jos Antonio Teixira e Francisco Alves da Silva
Campos, este para a thcsoiirarja de Minas, e aquella
para a de l'iauby; o Sr. Francisco Jos de Olivcira,
contador da thesouraria de Sanla-Catliarina ; --o Sr.
Francisco Bruno Pereira, terceiro cscripturario da
thesouraria da Rabia;-o Sr. Raymundo Pinto da
\eiga, amanuense da secretaria da thesouraria do
Maianhflo.
aaauc. .KTiwirir'iwtrn'MiB iwjBTrnri j.. jjfljig
chegava altura da janella, o alguns jasmins que ta-
petavam as paredes do paleo.
De repente uma forte patada de cavallo abalou a
porta dos geraos, o fez estremecer a supenora.
Quein licou em Saint-Denla desses hdalgos da
curte? pcrgunlou aprinceza Luiza.
Sua Eminencia, o oardial de Roban, minha se-
nhora.
Os cavalloscslflo aqu? .
Nflo, minha senhora, estilo no capitulo da ab-
badia, onde elle passara a noite.
Que bulha entflo he essa?
He do cavallo da eslrangeira.
Que eslrangeira ? pcrgunlou a prnceza procu-
'^lUliaa^ue veio bontem, a lard.nha, pedir
hospilaldado a V. Alteza
Ah! heverdade. Onde esta ella .'
No seu quarto ou na igreja.
Que tem ella feito desde bontem. _
Nflo tem querido outra comida senao pilo, oto-
da a noite orou na capella. .,,___. ._
-- Alguma grande criminosa, talvez! disse a su-
periora, l'ranzindo os sobrolhos.
__ Jguoro-o, a ninguem tem tallado.
Quo mulher be essa r
bonita, ed'uma physionomia mciga eorgullio-
sa ao mosmo lempo.
Onde eslevo ella esta manbfla, durante a c.en-
monia.
OsSrs. primeiros lenles d'armada Ignacio Eu-
genio lavares, Joaquim Salom Ramos de Azevedo
e Antonio Xavier de Noronha Torrosflo, e o Sr. se-
gundo lente Jos Leopoldo de Noronha Torresflo,
obtiveram nermisaKo do governo para conlinuarem
a commanaarpaqueles.de vapor, emquanto os seus
servidos nao forein julgados necessanos na predita
armada.
Tocara no porlo do llio-de-Janeiro a fragata la-
charte, com destino ao ltio-da-1'rata, leudo como
passageiros o Sr, Devoise, encarregado de negocios
e cnsul geial de franca na repblica oriental do
l'ruguav ; e os Sis. Jaquel e ile Ciux, addidos le-
gacflo franceza em Buenoa-Ayrea.
Concedera-se passagem para o estado-maior do
primeira classe do exercilo, no posto de capitflo, ao
Sr primeiro lenle da armada Manoel Ignacio Bn-
to,pomdireloa contaranllguidadedoade 2de dc-
zembrode 1839.
O Sr. ascrivSo de numero de nao, Sabino Julio Xa-
vier, fora promovido a commisaano.
A escola de medicina da coito estava sob a direc-
cflodoSr. doutor Joaquim Jos da Silva, por haver
sido licenciado o Sr. doutor Jos Martina da Cruz
Jdbim. i
Tamben) nos trouxe o paquete ga/.etas da Rabia a-
t 24 deslo mez.
\ provincia permaneca tranquilla.
O cambio sobre Londres era de M 3 l a 27.
0 a/ViraniiVadiailta alguma cousa ao que j sald-
amos a respoito dos negocios de Portugal. Abaixo
transrrevenios o artigo, em que so elle oceupa desses
negocios :
Os revoltosos do Setubal, vendo-se cada vez em
i peor eircumstancia, tanto pela desmoralisac.flo que
u entre elles reinava, como pelo continuado e bem
k dirigido logo da divisan do emule de vinltaes, ti-
nham assentido a entregaren) as armas ao general
u darainha de combinacilo com as lorcas alliaaas.
i. Porm depois d'islo prometieren), tentaran) e-
.< vactiar a villa de noite. ; mas o conde de Ninhaes
.< perseguio-OS e ja tinba feito mais de 40!) pnsio-
i neiros, alin dos que ja havia mandado para Lis-
Nodia IScntraramprisioneiros no Tojo em di-
versos vapores o ex-viscondede Sa, oex-condede
u Mello, o cx-conde de Taipa e Jos Eslevflo, 142
chamados olliciaes e mais 400 pracas de pret.
k A cidade de Kvora tinha-se submeltnloao gover-
no darainha, cujo auto da cmara ja se acliava em
Lisboa. .
O l'ovoas, perseguido pela divisao do Casal, se-
guia em debandada para 0 Porto, bem como to-
das as forjas rebeldes espalhadas pelo Minlio, em
.. rasfio de ter sido a praca de Valonea tomada pelas
i Micas hespanliolas 0 portiigue/.as.
Desenvolvia-ae em lodo o remo o melhorespi-
ii rilo de obediencia ao governo legal da rainha;
mas os taeciosos do Porlo diziam que nflo seon-
tregariam senBo vista de frcas cstrangeiras.
l'ovoas tinlia sido Horneado presidente da junta,
entrando como memoro o Iternardino Guedes.
Cerlo do quanto o nosso muilo digno prelado so
nteressa polos negocios eclesisticos da diocese
auc superintende, vamos annunciar-llte um lac-
io, me agora mesmo acaba de ter lugar; para que
s Esc. Rvm., dignando-aedeconsidera-lo dovida-
mente, baja de providenciara respe.lo, de maneira
que elle jamis 80 reproduza. Biso laclo:
Rram, poucomaisou menos, olio hora da no le,
nuandoseapresentou mna pessoa na igreja matriz
,e Santo-Antonio, a solicitar o sacramento da ex-
irema-unccllo para um entormo, que no pateo de
San-Pedro, osUva as agonas da morte: oadm.n.s-
irador de semana, entao presente, oppoa-M a que o
sacristn dsse no sino as badaladascom que secos-
I u ma fazor conhecer que um chriato acha-se as cir-
cumslaneiasdereceberesse sacramento; o sen. to-
mar n roquete, Doz o chapeo na cabeca, Liuqou raio
do vaso do oleo sanio, e com a maior irreverencia,
como mais inqtialiiicavel escndalo, sen) cruz, sem
chelo de anciodade, como se em cada pessoa que en-
trava temesse um inimigo. .
Alguma mulher dessa pobre soeicdadc, ondo
vivi, onde reine!. Mande-a entrar.
A ihesoureira den um passo para retirar-sc.
Ah! sabem-lhe o nomo? perguntou a pnn-
ceza.
Lorenza Feliciani.
Nflo cODheco ninguem desse nome, diso ma-
dama Luiza pensativa ; nao importa, introduzam es-
V'a supcTiora sentou-so num espaldar quo dativa
deseculos; era decarvalho, fora esculpido no lem-
po de llenriquo II. e servir as nove ultimas abba-
hessas das carmelitas. Era um temeroso tribunal,
antcoqual baviam tremido multas pobres novias
colhidas entre o espiritual o o temporal.
L'm instante depois entrou a tliesoureira condu-
lindo a eslrangeira, que trazia um longo veo, o quo
nossos leilores ja conbecem.
Tinba a princeza Luiza osolhos prescrutauores da
familia ; e esses olhos se pregaram em Lorenza Fe-
liciani, logo que ella entrou no gabinete; mas tanta
huniildade, tanta graca, tanta e tflo sublime belleza,
tanta innocencia, emlim, nos grandes olhos pretos
anda rasos de lagrimas recentes lhe reconheceu a
prnceza, que as suas dsposicOes para com ella, do
bostis quo eram ao principio, se loruaram benvolas
e fratcriiacs.
-unaoesieve ...-......,- e fraternacs.
T" No seu quarto, junto a janella, onde a vi, por Approxime-se, seniora, disse a prnceza, o
Irs das cortinas, litar emquantos onlravam um olhar I falle.
MUTILADO



caldeirinha, sern nada Oais, marchou para a casa te se digno esclarecer-me, vou rogar-lhes a insercSo
do moribundo, romo se Cora para um passeio. Idelas pcrguntasa respeito.
Esto acto, lano ruis censuravel, quatito foi pra-1 Sendo O promotor dos residuos e capellas um 0IT1-
ticaifo por um sacerdote, que, segundo nos di/.cm,', cial do juizo, nuem se deu regimentoem data de 20
reiincasfiincc.-sdoadminlstradoras de coadjutor, de marco do 1608, no qual estilo tachados os omo-
e por coiiseguiute be um quasi-paroclio, foi tostemu-
nhado por alguus liomeus respeilaveis, que inme-
diatamente no-lo vieran) revelar. "
km um dus exemplarcs da Gazeta Gfficial n. 58, de
11do crrenle, que com outros ltimamente recebe-
mos, deparamos nos com a seguinte carta, que fra
escripia em Lisboa aos 26 de maio prximo passado.
Consta que ha na Allemanha banqueiros trafi-
cantes de loteras, em que figuram premios de
palaciosecastellos, c tambem do dinheiro, e quo,
apezar de tetemos respectivos soberanos prehihi-
< do semelhantes loteras em sous estados, ellas
anda correm por toda a parte. Em llamburgo cer-
tos individuos ostabeleceram urna especio de so-
ciedade para explorar o llrasil e Portugal com este
jogo; mas, depois dealgum tempo, foi urna tal
sociedadc aceusada perante os tribunaes, e seus
membros declarados culpados deroubo. Um dcl-
les, que dalli foi expulso, passou-se para Aliona,
cidade dmamarqueza, onde nfiochegava ajuris-
dieeflo do tribunal que o julgra, ealli organisou,
com os sous companhoros, urna casa de igual
comnierciosoboutra lirma ; leudo, porm, fallido,
vieram para esta corte, londe liincarani-so na po-
itica e tambem as loteras, tirando daquclla in-
leresse em honras que Ihes naga Portugal, edes-
las dinheiro do Brasil.
O jogo das loteras he fei lo de connivencia com
banqueros de AlU'inanha, a quem compram liado,
bvm entendido, urna porgito de bilhetes pela rhe-
lade do preco estabelecido, os quaes licam hypo-
thecados na nulo do banqueiro vendedor, e a so-
ciedade faz entilo bilhetes do mesmo pa Irfio em
inaior numero, para oque tem chapa propra. Nflo
navendoja em Portugal quem os compre, segundo
se diz, sao todos vendidos no llrasil pela influen-
u ca doalgumaspessoas, epela seduceflo que vem
.. desses palacios ecastellos imaginarios, etc. Logo
( nha, recebe aquella socieciade a respectiva lista I
do banqueiro correspondente, queja vem segura-I
mente viciada, o por ella imprime a sociedadoou-
Ira, em relagfio aos nmeros de bilhetes que ven-
.lera, e he esta a que faz distribuir pelos seus nu-
a morosos freguezes do llrasil nteiro. Q.iando a so-
ciedade ganha alguiu premio nos bilhetes quo tem
comprado, distribue tambem um ou mais premios
pela lista falsa que fabricara, om favor dos blhe-
tes que venden, em ordem a sustentar o crdito
da fraude, e a nao acabar a illusao.iiesso imperio ;
e desta forma lira ella, pelo calculo que se lem
< leito, cerca de 6:000,000 do res liquides em ,'moo-
da forteaniiualmenle da boa ledos Itrasileiros, a
quem, oomo bom patricio, desejo prevenir, e, fo-
goquo mechegue a mfio, como espero, a senten-
.. ca proferida em llamburgo, (ainboin a ollereccrei
ao publico brasileiro.
liste aviso be tanto mais importante para os nos-
sos subscriptores, quanlu, segundo nos informam,
alguem ha nesta cidade, quo, talvez iiiiioceiileuicii-
lumentos, ou salarios devidos ao mesmo promotor,
o, o que mais he ainda mandando o decreto de 19
dcoutuhio de 1833 artigo 4." vigorar o citado regi-
monto; poder o promotor pedir se Ide arbilrem sa-
larios pelo seu trabalhn ? Pdenlo os juzes, a quem um
tal requerimento for feilo, deferir favoratelmente ao
promotor ?
Sou, Srs. Redactores, &e.
* *
COMMEftCIO.
Alrnndega.
ItENIMIENTO 1)0 DA 27........... 6:466,361
Descarregam hoje, 28.
Hriguc --San-Domingos-- vinhoecal.
lirigue -- Conceicdo-dc-Mara vinho, ceblas e ba-
tatas.
IMPORTA CAO'.
te, se acba cncarregado da venda de certa purcfio de
cautelas de bilbeles de una lotera, que muilo s
parece com as de que se elle oceupa, e que por isso
deve ser reputada (leticia.
A pessoa, que nos reveluu a existencia dessas cau-
telas, nlo nos soube dizer qual o lugar em queso
ellas vendiam, e por isso nao o declaramos aqu;
mas, bom sera que a polica, com os meios que tem
a sua disposkffio, Irate de descubrir esse lugar, e de
examinar curiosamente qual o individuo, que, man-
communado com o sujeito que as vende, ou abusan-
do da sua boa fe, busca por em pralica essa nova es-
peculadlo, tilo criminosa quanlo a das notas falsas;
e que, como esta, em nada difiere das arlimanlias
que se soccorrem os gatunos para pilharem
leus de quem quer que os nao conhecc.
a
os vin-
llonlem a noito, ilesabou a coberta do urna das ca-
sas da ra Imperial.
Este exento nao foi, felizmente, seguido dos
males que poderia produzirj pois apenas occaaio
nou o leve ferinieiitodc quatro pessuas.
Hoje, no bairro de Fra-de-Portas, um sujeito,
cujo nonie se nos tifio eommunicou, recebeu, mis
nadegas, duas facadas que Ibe foram atiradasV1' um
oulrocom quem altercava. O oliensor foi imme-
diatamenlc preso, e recolhido a cadeia.
Correspondencia.
Srs. Hedactorei. Lendo no Diario Novo n. 155, de
quarta-feira 21 do corrente julho a respusta da-
da pelo promotor de capellas sobre a quesillo das
elricoes dos mesarlos de S. Hita de Cassia.vi conclua
o dito promotor a sua resposta, promoco, ou cousa
que o valba, da maneira seguinte.-- Ilequeiro que se
arbitre salario proporcional ao meu tiabalho.--(J pro-
motor do juizo, Morun eSilva. Este requerimento
deu-mc que pensar o para que mais alguem pense,
si Mil aimiUBMi i *twnjem-WKur:.iuiv: i
Deu a dama tremendo um passo, e quiz por o joe-
Iho em Ierra.
A i i ii.ce/a ergucii-a.
Nilo he Vin., a quem cliamam Lorenza
ciani Y
Sim, minha senhora.
Edeseja connar-me um segredo?
Oh morro por isso.
Mas porque nfio recorreu antes ao tribuna
penitencia;' Eu so tenho poder de consolar ; um
dre consola e perda.
I'ronunciou madama Luiza estas ultimas palavras
hesitando.
Eu s necessilo de consolarlo, minha senhora,
respondeu Lorenza, alm de que so a urna mulber
ousaria eu dizer o que tenho de contar a V. Al-
teza.
He entilo alguma narraefio bem
liara i'
Sim, muilo extraordinaria. Mas ouca-mo com
paciencia, minha seiihora; s a V. Alteza posso fal-
lar, repito, porque he mulber, edemais porque lie
poderosa, e para defender-mc quasi que me he pre-
ciso o braco de Dos.
Defend-la! E perseguom-nar1 quem?
Sim, minha senhora, perseguem-me, sim, ex-
clamla a estrangeira com indizivel terror.
Entilo, madama, reluca n'uma cousa, disse a
princeza ; e he que esta casa be um convento e tifio
urna fortaleza; que o que agita os homens s pene-
tra aqu para extinguir-sc; que aqui nada se acba
do que pode servir-Ibes contra os outros homens; e
Teli-
lla
pa-
Conrric/lo-de-Varia, briguo porlugucz, entrado no
corrente mez, vindo de Lisboa, consignado a Tho-
mazde Aquino Fonsoca, manifestou o seguinte :
14 pipas vinho tinto, 10 barris dito, 30 ditos dito
brinco ; a F. II. Lultkens.
1 caixote relroz, seda froxa, lila do coros o fita de
seda, S caixas velas do cera, .'! barricas cera em gru-
mo, 56 pipas vinho tinto, 44 ditas vinagre, 20 barris
dito,50ditos azeite doce, 4 pipase 55 barris vinho
brinco, 21 ditos dito dito, 5 ditos raiz de altea, 1 cai-
ta agua de Inglaterra, 1 caixote livros improssos, 4
barris elimneos, 10 ditos paios ; aos consignatarios.
16 pipas e 25 barris vinho tinto, 15 pipas vinagre,
15 barris azeite doce, 20 ditos vinho hunco ; a Ma-
chado ct l'inbeiro.
16 pipas o 24 barris vinho tinto, 5 pipas vinagre,
5 barris azeite doce, 10 ditos chouricos, 40 ditos
paios, 10ilitos presuntos, 10caixas toucnho, 3 pi-
pas o 10 barris vinho branco ; a Francisco Severiano
no (tabello & Fllho.
10 pipas vinagre; a Amorim Intuios.
."> pipas o 25 barris vinho tinto; a Thomaz de Aqui-
no Fonsoca Jnior.
10 pipas o 50 barris vinho tinto ; a Joo Lucio
Mari) lies.
3caixotes mercurio, 2 ditos agoa de Inglaterra, 1
dilolios delinlio, gramuia e raiz, 1 barrica flor de
sabuguoiro ; a Jos Antonio llasto.
72 gamellas cera branca; a Jos l'crcira da Cunha.
5 gamellas cera ; ancapitilo.
i caixotinbo navalhas de barba ; a Antonio Jos
Fenia mies.
1 caixa livroscm broebura; a entregara ordem de
Miguel Jos Alvos.
74 barris cal virgem ; a Antonio Joaquim de A-
raujo.
2 caixas rap princeza cm latas; a Joo Jos de
Carvalho Muraos.
1 caixlo com oleados, 1 caixa mercurio doce, 1
fardo liosdo linho, 1 caixa ignora-so, 11 barris e
seis caixoles com plantas; a l'olicarpo Jos Layne.
4 caixas garrafas de vidro brancas; a Ignacio Jo-
s de Cotilo.
10 pipas vinho tinto, 20 barris dito dito, 20 ditos
dito branco, 10 ilitos azeite doce, I dito paios, 2
ditos chouricos, 2 ditos toiicinho, 1 einhriilho g-
nora-se, 2 saceos com patacas despatilllas e brasi-
'eiras; a Manoel Ignacio de Oliveira;
5 pipase 20 barris vinho tinto, 5 ditos dito bran-
co, Igaiolacom 1 cochicho, 3 barris com vinho, 1
caixa com quadros histricos de Caslilho, 2 embru-
"losrom capachos, 1 porc/io de ceblas; a Anto-
nio Percha ISorges Jnior.
200 barris cal virgem ; a Almcida & Fonseca.
1 bali com 12 coi tinas do damasco e mais objoc-
l raixilo com urna umbella coberta de damas-
co ; a Jomo Piulo de Lomes & lilho.
2 caixas com drogas; a Antonio Jos de Miranda
Falefio.
2 barricas cevada, 2 ditas pos de marlim queima-
do ; a Jordiio Jos Fragozo.
1 caixote drogas, 1 barrica giz, 1 dita cevada, 1
barril ionibose prezuntos ; a Vicente Jos de lirito.
5barrisalvaiado, l caixa verdoto, editas drogas,
I dita assucar candi, 1 barril flor de tilia, 1 caixa
broxas, 2 ditas charope de espargo, 1 barril flor le
sabuguciro, 2 ditos macolla, 1 fardo raiz de jalapa :
a Antonio Pedro das Noves.
2 suecas suniagrc, 1 fardo po-campeche, 1 dito
relallios de pellica, 1 barril azrelo, 1 caixa vidres,
1 barril gesso, 1 dito alvaiade, 1 dito Hor de sabu-
gueiro i caixa drogas, 1 barril macella ; a Mauoel
Elias de M.iura.
1 barril vinho tinto, t dito paios c presuntos; a
Bernardo Antonio de Miranda.
100 barris cal em podra, 25 ditos azeite doce: a
Mendos & Tarrozo.
40* barris azeite doce; a Joaquim Francisco da
Silva.
20 barris azeite doce; a Antonio Francisco da
Silva Carneo.
1 caixote folhetos impressos ; a Jos Diogo da
Silva.
1 caixote potes para botica, 1 barril macella ; a
llarlholomeu Francisco de Souza.
3 caixas cha ; a Antonio Ferreira Lima.
6 barris toucinho ; a Jos Antonio de Magalhfies.
i caixote navalhas de barba ; a Antonio Joaquim
da Silva Maia.
5 caixas cera lavrada; a Firmino Jos Flix da
Roza.
1 caixa chapeos; a Sothero Antonio Rorges.
55 canastras com batatas; a Domingos Antonio
deAbreu. '
1 caixote differentes msicas ; a Jofio Ciraco
Lima.
1 caixote doce ; a Francisco Fernandes Thomaz.
2 saceos com patacas brasileiras o hespanholas. 1
caixotinbo com soberanos, 1 embrulho com pata-
cos ; a Manoel Antonio de Barros.
I sacco com patacas brasileiras ; a Jos Francisco
liarboza.
1 embrulho pecas porluguezas, 1 sacco patacas
columnarcs c brasileiras ; a ordem.
souro, adm de dar as providencias que o caso pedir
sem que com tudo este processo embarasse de modo
algum o despacho das mercadorias accroscida?
Thesouro publico nacional em o 1. do maio de I847
Jntonio Francisco de Paula e Hollanda Catalcan
de Albuquerque. Conforme. J0S0 Mara Jncoij.
na. Conformo. Antonio Luit do Amoral t
Silva.
E para que o- referido conste, e nSo me veja obri-
gado a jmpr as referidas ponas, mandei allixr 0
presente, e publicar pelos peridicos.
Alfandega, 86 de julho de 1847.
Miguel Archanjo Montetro de Andrade.
Consulado.
ii:m)ime\to do da 27.
Cera I..........
Diversas provincias
2:122,361
146,182
2:268,543
Declarares.
Ifmiini'iilo do Porto.
tos,
quo omfim tifie be aqui a casa dajustiea, da Torca
e repressSo, porem simplesmente a casa d Dos.
Oh Isso bo o que cu procuro exactamente,
disse Lorenza. Sim, he a casa de Dos, porque s
na casa de Dos he que eu posso viver em descanso.
Mas Dos mo admitte vingancas ; como quer
\m. que a vmguemos do seu inimigo? Dirija-so aos
magistrados.
Os magistrados nada podom, minha senhora,
contra aquello que eu temo.
Quem be elle entilo ? disse a suporiora com se-
creto e involuntario terror.
Lorenza ebegou-se para a priucoza sob o imperio
de mysteriosa exaltaefio.
Navios entrados no dia 27.
Itio-de-Janciro o Babia ; 15 dias, o do ultimo port
2 o moio, paquete ingle/ l'eterel, commandante
Creser.
Bio-Crande-do-Sul; 30 dias, lirigue brasileiro Echo,
do 250 toneladas, capitfin Manoel Luiz dos Santos,
cquipagem 16, carga carne ; a Jos l'crcira da Cu-
nba l'assageiros, FilippcNery dos Santos com 3
oscravos, Brasileiro ; Jos Malaquias Leal, Jofio An-
tonio da Ponte, Portuguez.
Rio-de-Janeiro; 13 dias, patacho brasileiro Lauren-
tina, de 110 toneladas, capitfio Jofio Martins dos
Santos Cardozo, equipagem 13, carga varios gene-
ros ; a Lourenco Jos das Noves, l'assageiros, Jo-
fin Luiz dos Santos, Ciiilhermo Rodrigues Rre-
ckenfeld, Francisco l'ereira de Carvalho, Luiz Dias
Crrela, Joaquim Rodrigues da Paz Bandeira, Boa-
ventura Joaquim Jos da Cama, Sabina Candida
Mariada (ama, Itrasileiros; Antonio Francisco de
Souza, Portuguez.
Babia; 7 dias, hiato brasileiro Boa-Vagem, de 28
toneladas, capitfio Manoel do Sacramento Carnau-
ba, equipagem 4, carga varios gneros; a Jos
Luiz de Souza.
Navios sahidos no mesmo dia.
Liverpool; lirigue inglcz Westmoreland, capitfio Ni-
cholas Conway, carga assucar e algodfio.
Genova ; patacho sueco llapid, capitfio I. C. Kraeft,
carga assucar.
Contratos a celebrarse com a theiouraria das rendas
provinciaes no mez de agosto' prximo futuro.
Dia 11.
Oda lluminacnoagazdascidadesdo RccifeoOlin-
da, na forma do artigo 3.' da lei provincial n. 191, de
30 de marco de 1847. (
Dia 16.
O do estabelecimento de urna linha deomnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, de 30 de mar-
co deste anno, facilite o transito desta cidade a qual-
quer dos seus arrabaldes e Olinda. -- Este contra-
toser realisado depois que a presidencia assimo
determine, vista das propostas que por intermedio
da thesouraria Ihe forcm apresentadas.
Cadtiras vagas de primeiras lettras.
A de Caruar, cujo concurso ter lugar logo que,
a contar de 28 de junho ultimo, se completar o prazo
de 50 dias.
Publicacoes LiMeranas.
Jos pais de familia, capitla de navio&
fazendeiros e a todos em geral.
Organon de Ilahnemann, ou exposirOrs
das loiiinn.'is homceopatliicas, 2 volumes
pequeos.
Manual do pai de familia, do capilSo
de navio e do fazendeiro, 011 noticias ele-
mentares da liomceopathia, contendo a
acc3o dos a4 principacs medicamentos
liomu'opalhicos, 1 volume pequeo.
Vendem-se por preco commodo, no se-
gundo andar da casa n. 7, da ra da
Cruz.
PORTUGAL.
EDITA L.
Miguel Archanjo Vonleiro de Andrade o/pcial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Chrislo, e ins-
pector da alfandega de 'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faco saber aos senhores negociantes, proprieta-
rios, consignatarios e capitfics de todas as em barca-
cues, que haixou da thesouraria desta provincia, por
ollicio de 14 do passado, a circular do tribunal do
thesouro, do i.de maio ultimo, sobre o abuso com-
mettido pelos referidos capitfics, de trazerem mer-
cadorias fra dos manifestos, determinando a mes-
illa se Ihes imponham as penas dos arts. 155 e 156 do
regulaiiiento, cujo teorhoo seguinte:
Circular.- Antonio Francisco dal'aula e Hollanda
Cavalcanti de Albuquerque, presidente do tribunal
do thesouro publico nacional, tendo sido informado
da continuaefio do abuso, commettido pelos capitfies
de cinbarcaces, de trazerem militas mercadorias f-
ra dos manifestos, oda facilidade com que alguns
inspectores d'alfandegas admittem as declaracOes
de taes accrescimos evidentemente fraudulentos
sem competente, justilicacfio, como determina o art'.
148 do regulamento de22 de junhodo 1836, e a or-
itemde9de setembro de 1842, 11. 108. ordena que
se nfio d por justilicada nenbuma declaraQfio de ac-
crescimoao manifest sem provas evidentes de ha-
ver sido motivado por frca inaior, e sem sombra de
dolo, impondo-se aos coinmandanles as penas dos
arts. 155 e 156 do dito regulamento, o de todas as
justilicaces que os inspectores das alfandegas hou-
verem por boas, darfio parte as thesourarias, para, no
caso deas nfio julgarem taes, ropresentarem ao the-
Bccordacoesdoanno do 1842, pelo principe Lich-
nowsky, traduzidodo allcmfio, segunda edicQfio, cor-
recta e aunla,1.1. O consum) rpido da primeira e-
diefio, csua procura por muitas pessoas que flcaram
sem ella, induzio o traductora reimpressfio desta 0-
bra curiosa.^jue contin'a aprociagfio dos caracte-
res mais notaveis do paiz, dos seus acontecimentos
polticos, monumentos e lugares principaes, feita
por esse principe prussiano, quo all viajou no anno
citado. 1 folheto de 220 paginas. Vende-so por
1,000 rs., no segundo andar da casa, n. 7 da ra da
Cruz.
Avisos diversos.
Quem precisar de urna mulher para ama de
casado homom soltoiro, ou viuvo, ou para casa do
algum padre, dirija-se a ra doltangel, n. 71.
Roga-se ao Sr. Domingos da Silva Ferreira de
ir ao caes da Alfandega, a cumpriro trato aqueSmc.
ficou obrigado para com seus credores.
O advogado Francisco Carlos Urando mudou o
setl escriptorio para o primeiro andar do sobrado
n. 16 da ra do Collcgio, paredee meia da casa em
que morava ; eahi pode ser procurado por seus cli-
entes e mais pessoas a qualquer hora do dia.
Na na do Queimado n. 4 existe
urna carta de importancia para o Sr. Jo-
s da Mocha Lins
Quemannuiiciou, no dia 23 do corrente, que-
rer vender urna cscravacom algumas habilidades,
dirija-se a ra estreira do Rozario, n. 16.
Jos Antonio Corroa Jnior, solicitador do nu-
mero da relacfio e mais auditorios desta cidade, faz
scieiiteaopubhcoeaseusconstituimos e maispossoas
que com o annuncanle lenham ou queiram ter qual-
quer negocio, ou Iransacces, que mudou a sua re-
sidencia para a sua casa da ra da Concordia, por de-
tras du Carino, passando a pontezinha, a esquerda a
quarta casa, e que tem marcado todos os dias uleis
do meio-dia as tres horas, para dar audiencia a
quem I lie pertenderXallar.
Louca, nSobeisto? he o que V. Alteza quer
dizer. Nfio, nfio cstou douda, mas posso muitobem
hca-lo, se V. Alteza me abandonar.
- Endemonnhada repeli a princeza.
Ai
ai
I
tltac
- Quem elle he, minha senhora "! respondeu ella,
he um desses demonios, que fazem guerra aos ho-
mens, e quo Satanaz seu principe dotou de um poder
sobrehumano.
Que me diz Vm. ? disse a princeza filando es-
sa mulber para assegurar-se de que nfio eslava "ella
dolida.
Eeu, eu! oh! quilo dcsaveiilurada sou, excla-
mou Lourenza torcendo os bellos bracos que pare-
can) moldados pelos de urna estatua autiga; eu
que me achei no camiiiho desse homom e eu, eu
que sou.....
Acabo!
Lorenza approxmou-se anda mais da princeza,
e devajarinho, e como assustada do quo ia dizer :
Eu, sou endemouinhada murmurou ella.
Ora, permtta-mo dizer-lhe, que a vejo em lu-
do semclbanto s mais favorecidas creaturas do Dos,
parece-mo rica, he bella, exprime-serasoavelmen-
to, o seu rosto nonhum vestigio tem dessa lerrivel
e mysteriosa molestia, a que cha mam estar pos-
sessa.
He na minha vida, senhora, he as aventuras
dessa vida que reside o sinistro segredo, quo a mim
mesmaquizera oceultar.
Ora, explique-se. Sou eu acaso a primeira a
quem Vm. ralla da sua desgraca : sous pas, sous p-
renlos, e amigos ?
Meus pais bradou a dama cruzando afilela as
mfios, pobres pais, torna-los-hei eu a ver? Ami-
gos, accrescentou ella amargurada, ai I senhora, le-
udo eu amigos!'
Espero, minha lilha, procedamos com ordom,
disse madama Luiza, procurando dar direcefio s pa-
lavras da estrangeira. Quem so seus pais, e como
os deixou Vm. ?
Senhora, eu sou Romana, e morava com elles
em Roma. Meu pai pertcnce a velha nobreza; mas
a maneira de todos os patricios de Roma, elle he po-
bre. Tenho tambem mfii, e um rmfio mais velho-
Lu Franca, disserara-me, que, quando urna familia
ai7lmdem0ni"ha,l'!.!- c"la"'ou a princeza; Vm. I aristocratice, como lie ""a minha' UmTtmTiiho e'uina
esta em seu juizo perfe.to ? nfio estara..... | fi||1B, sacrifica o doto da lilha para comprar aspada
ao lilho. Entre nos sacrifica-so a filha, para ordenar
ofilbo. Ora, eu nenbuma educaefio recebi, porque
era preciso fazer asdespezas da de meu irmfio que
esluda, como ingenuamente dizia minha mfii, alim
de vir i. ser cardial.
E depois ?
Resultou, senhora, que meus pais sesubje/li-
ram a todDs os sacrificios quo estavam a seu alcance
para soccorrerem meu irmfio, e resolvern) fazer-
me tomar o veo no convento das carmelitas de Su-
biaco.
E quo dizia Vin.?
--- Nada, minha senhora.' Desde menina me ha-
viam aprosentado esse futuro como urna necessida-
dc. Eu nfio linha nem frca nem vontade. Alm do
que nfio me consultavam; ordenavam-me, c eu nfio
linha mais que obedecer.
Entretanto.....
Nos outras, minha senhora, raparigas romanas,
so temos desejos, mas nfio podor. Amamos o mun-
do, como ds condemnados amam o paraso, sem o
conhecor. Demais, eu eslava rodeada de exemplos
que mecondemnariam, se meoccorresse a ideia do
resistir, que alias nfio me occorreu. Todas as ami-
gas que eu conhecra, e que como eu tinhain irmfios,
liaviaiii pago a sua divida illustracfio da familia.
Nfio linha rasfio de queixar-me; nfio exigiam de
mim cousa que nfio fossedecostume. Smente mi-
nha mfii me acariciou um pouco mais, quando se
approximou o dia de eu a dcixar.
GI)egou,emfim,o dia em que devia comecar o meu
noviciado, meu pai ajuntou quinhentos escudos ro-
MUTILADO


10TKRIA DO THEATRO.
Osapaifona(1os il^ste jogo e aqnelles quo desojam
i abilitar-se para adquirirem os premios grandes des-
lotera silo convidados, em tempo, a concorre m
ri ultimar-so a venda dos bilhetes que restam nos
uniros do costame; visto que a rapidez com quo el-
utem progredido, faz com que o thesoureiro asse-
r nue as respectivas rodas teriio o sou inWlivel
\ lamento- no dia sexta-feira, 30 do corrente mcz.
Precisa-se de um amassador: na padaria da
SanU-Cruz, junto ao sobrado da esquina da ra
VC_llua-e, para o servico interno de urna casa,
urna Dreta fiel, de 50 annos de idade, a qual sabe co-
,r cozinhar e engommar, e fazer todo o arranjo de
iim casa: quema precisar dinja-se a ra da Cruz, n.
id nrlmciro andar, para tratar-se do seu ajuste.
Roga-se ao Sr. M. P. S. que venha ou mande
ncar a quantia de 480 e tantos mfl rs., que deve ao
,baixo assignado, nestes 3 das; do contrario, se
iblicar o seu nomo por extonco, o se fara ver a
maneja poVqiie foi cotrahido aquello debito, o que
-io o podor honrar : isto o tara, bem a seu pozar ,
nSo obstante urna bem boa enliada de inangacOos.
Luis Gonzaga da Rocha.
Quem tiver para alugar urna escrava que saiba
cozinhar bem e fazer todo o servico de urna casa
de pouca familia dirija-so a ra larga do Rozario,
n 46 segundo andar.
-Oprovedor da rmandade deS. Anna erecta
na groja da Madre-de-Iioos convida aos ir mitos da
ra'esiiia rmandade para mesa de eleicito quarta-
feira 28 do corrento, pelas 4 horas da tarde.
O moco portuguez, que annunciou por esta fo-
Hi-i ter bastante pratica do venda e que so ollero-
ce para caixeiro o mosmo para tomar conta de urna
or balanco dando fiador a sua conducta, que ren-
do tomar conta de urna bem afreguezada para a
torra dirija-se a ra nova de S.-Amaro casa ter-
rea n.'ao.
Fabrica de machinas e fund
de ferro na ra do
-- D. Jacintha Maria de Abreu, tendo sido mal in-
formada que seu marido, Jos Gomos Villar, esta va
fazendo saques contra sua casa, em prejnizo do ca-
sal e de seus I I los, o que neste proced monto se
porta va, como quem niio eslava em seu perfelto sios,
e tendo por tao falsas informacoes foito ao publico;
neste mesmo Diario, de 10 e 14 do corrente mez, na-
nuncios contra' aquello seu marido ; vem declarar,
que, tendo examinado os falsos saques, reconhcccu
nao haverexactidao, ncm verdade as ditas informa-
coes ; e por isso contranuncia, declarando que o es-
tado de sua casa, sob aadministracilo de seu mari-
do, est muilo regular.
Precisa-se de urna'mulhcr branca para dirigir
urna casa de pouca familia : na ra Nova, n. 25.
Quemprocisarde urna ama capaz, para urna
casa a qual cozinha muito bem todas as qualida-
desdo comidas, dirija-se ao becco do Azeite-dc-
Peixe, n. 14.
Ezequiel da lices de danca, a qualquer hora
do dia que se pretenda, tanto em sua casa, como em
Precisa-se alugar um preto quo saiba cozinhar
o diario de urna casa de pouca familia : na ruado
Collegio n. 9, loja de miudozas.
O engonhei'ro Manrensina na sua casa, ra do
Crespo, n. U, primeiro andar, as seguintes scien-
cias: AnmiMETic*. ueomf.tma, m.c.kiiiu, chvmica
e PIITSICA.
-- Francisco Pinto da Costa
Lima, aU late, morador na
ra larga do Hozario, ti, 411, precisa de ofllciacs de
scuoflkio e cosluroiras: tcm para vender pannos
pretos, azues o verdes; bons lirins, velludo e cha-
malote; bolOcs de osso preto c hranco; linha de car-
retel, de cabera prela e branca; hollandas para forros
e algumas obras fritas.
Casa de cotnmissao de es-
Vendas.
cravos.
Na rita Direita, n. 3 ,
sobrado de 3
qualquer outra parto a que Mr chamado. O mesmo
podor prestar-seacnsino do dancas as aulas do andares, deironteuo becco de S.-t earo,
cao
Brnm, no Recife.
primeiras lettras, em horas que lheforemaprazadas,
seassim convior aos respectivos professoros. Quem
so quizerulilisardo prostimo do annnciante, diri-
ja-so a ra do Rangel, n. 48.
abaixo assignado tom a honra de prevenir ao
Jin. Sr. thesoureiro dos ordenados. Luz Rodrigues
Selte, que nSo pague quatro recibos de 25,000 ris
cada um, da gralificacloque percebe oSr. Dr. luz
de Franca Moniz Tavares, como physico-mr da sa-
de, cujos recibos foram dados em pagamento ao
abaixo assignado; vencendo-se o 1. neste corren-
te mez, o 2. cm setombro, o 3. cm outubro, e o
5. em dezc.nbro deste corrento 'anuo : c como o
abaixo assignado passasse urna cntela dos ditos re-
cibos, e estes so perdessem, roga, por isso, ao mes-
mo Sr. thesoureiro do os nflo pagar senito a abaixo
assignado, ou a pessoa de sua familia, por estes an-
da nio soacharem vencidos.
Manoel Antonio de Jess.
Alugam-se pretas e moleques : quem os tiver
dirija-se a ra Direila n. 2, segundo andar.
Precisa-se fallar ao Sr. Alfonso de Almcida
Albuqucrquc ; e como so ignora a sua morada ro-
ga-se-lhc de aannunciar."
Quem annunciou, no Diario de Pernambucon.
155, querer comprar ouro e prata sem foilio, dir
a-se as Ciuco-Pontas, n. 65.
Precisa-se de um fcitorque entenda de borla ,
pomar e cnchertos : no Aterro-da-Roa-Visla, n. 43.
Alugam-se duas casas terreas pequenas, sitas
iiaTrempc, ruado Sebo,.ns. 52 c54, por 8,000 rs.
mensacs : a tratar no escritorio de F. A. de Olive-
ra na ra da Aurora n. 2fi.
-- Na ra Formosa, esquina da limito, precisa-se
de duas criadas para o servico interno.
Joiio Jos de Carvalho Moracs, agente, nesta
praca, do contrato do tabaco do reino de Portugal,
participa ao respeitavel, publico quo pelo ultimo na-
vio chegado de Lisboa recebeu ordem daquelle
contrato para de boje em diante poder vender a re-
talho o rap princeza de Lisboa a 3,200 rs. cada
bote, e cm caixas a 3,000 rs. a dinheiro a vista ;
bem como declara que niio troca rapo a pessoa al-
guina por outro motivo que niio seja mofado.
Manoel Ignacio da Silva Teixcirn, com padaria
na S. Cruz, junto ao sobrado da esquina da ra V-
dil com a frente para a ra do Sebo, continua-
damente tem a venda alm de excellcnte pilo bo-
lacha de difTerentcs lmannos e ludo o que he pro-
priodestesestabelecimentos; una nova turma de
Lolachinha de agoa o sal, de 20 e ma.s em lilira ,
que ha mezes ideiou e pela recommendncflo que
fem tido de mullosSrs. que preferem o bomco tan-
to, le'm resolvido faze-la .smenle da familia mc-
Ihorque houver no mercado e por
preco he a 160 rs. a libra o em ;
promette que continuara a esmerar-se cm ter sem
______.____,i un anrosmil-ir a
e por ora o menor
proco he a rs. a libra o cm arroba a 4,800 rs. i
promette quo continuara a esmerar-se emler sem
pre cousa capaz de se aprescnUr em mesa par caf,
chao para .lenlos, sen.|.re fresqu.nl.a e [aliricada
todos os dias apc/arde poder-se conservar mezes
~1BSSmS ua Silva Ferraz faz scienlc ao
,-espcit "el publico, que deixou de ser caixeiro de
los l.ias da'silva desdo o dia 24 do, corrente. j e ao
irataniento durante
Me Callum & Companhia, engenheiros machinis-
tas e fundidores de ferro, mui respeitosamente an-
nunciam aosSrs. proprietarios de engenhos lazen-
deiros, negociantes, fabricantes, e ao respeitavel
publico, que o seu estabelecimento de ferro, mo-
vido por machina de vapor, se acha em otloclivqj|
exercicio, e completamente montado com appare-
Ihos de primeira qualidade para a perfeita confec-
co das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehendorquaesquer obras da
sua arte Me Callum & Companhia desejam mais
particularmente chamar a attenco publica para as
seguintes .por seren ellas da maior extraerlo nesta
provincia, as quaes construidas na sua fabrica po-
dem competir com as fabricadas em paz estrangei-
ro, tanto em proco como na qualidade das materias
primas e mito d'obra, a saber :
Machinas de vapor.
Moendas de caimas para engenhos raovid i va-
por, por agoa, ou animaes.
Rodas d'agoa e senarias.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzese chumaceiras.
Cavilhes e parafusos de lodos os lmannos.
Taixas, crivos e boceas de fornalha.
atoinhos de mandioca movidos a mao'.ou por ani-
maos e prensas para a dita.
Fugues e fornos para cozinha.
Canos de ferro, lorneiras de ferro o bronze.
Rombas para cacimbas e de repuxo.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hidrulicas e de parafuso.
Fcrragens para navios, carros, obras publicas, ele.
Columnas, varandase grades.
Prensas de copiar cartas ede sellar.
Camas de ferro, etc.
Alm da pereiciio das suas obras, Me Callum &
Companhia garantem a mais exacta conlormidade
com os moldes edesenhos remcllidos pelos Sis. que
sedignaremde fazer-llies encommendas; aprovei-
tando a occasio para agradecer aos seus benvolos
amigosefreguezesa preferencia, com queteemsi-
do por elles honrados, e assegurar-lhes que nao
pouparfio esforcos nem diligencias para continua-
rem a merecer a sua conlianca.
Precisa-se alugar, para ama de casa, quem en-
tenda principalmente de cozinha, quer seja jorro,
quer captivo: no pateo do Nossa-Senhora-do-ierco,
n. 16.
- Aluga-so um segundo andar por 10,000 rs. men-
, na travessa da Madre-de-Dcos, n. 5: a tratar na
praga da Independencia, ns. 13 o 15.
--Quem precisar de urna ama para casa de pou-
ca familia ou de homem soltciro dirija-se a ra de
S-Bom-Jesus-das-Crioulas, n. II.
Precisa-sede um homem para feitor de engo-
lillo perlo da praca que entenda muito do serv-
andar, ou na ra do Vigario arniazcm n. 22.
manos, para pagar o mou doto ao convento, e par-
timos para Subiaco. .
De Roma a Subiaco sfo oito a nove legoas, mas
os caminhos das montanhas silo Uo maos, que ao
cabo do cinco horas do viagem so hav.amos cam -
nhado tres legoas. Todava, a viagem, apezarc Li-
tigante que na realidade era, me nprazia. Soina-
Iheeucomominha ultima ventura, o por lodo o
caminho dizia baixnho adeos as arvo.es, aos mal-
o at s horvas seccas. Quem sa-
havia hervas, pedras, mal-
t)e improviso, no mcio dos meus sonhos, e ao
passarmosenlreum pequeo bosque, e Urna massa
de rochedos escavados, a carruagem parou, ouvi
minha mili soltar um grito, meu pai '"U m',"(l
pistolas. Ku cahi dos cos em Ierra; estavamos cer-
cados por salteadores. __
_. pobre menina, disse madama Luiza, que ca
da vez mais se iuleressava nessa narraciiq.
_ nir-lb'o-hei, minha senhora ? pois ou naofl-
ouei muito assustada, porque esses homons nos ala-
____...^^.... .ire .iif,
saes
recelicin-se escravos de ambos os sexos,
para se venderem de commissao, nao se
levando por este (raliallio mais do que
3 por ceoto sem se levar consa algiuna
de comedoras, e ofl'erecendo-s para isto
toda a seguranca precisa para os ditos es-
cravos.
Anda eslilo para alugar as casas terreas de ns.
27, 29 c 31, sitas na ra Real junto ao Mangumho.
rom bastantes o bons commodos, quintal e porto
deembarciue : a tratar com Manoel Perera Tcixoi-
ra morador prximo aquello lugar.
^&> PASSKIO-PUBLICO, N. 5. <^
'*a Joiio Lnuhel participa a todos os seus Xt
fregus, que recebeu ltimamente om grande sor-
timento de chapeos do sol, do ultimo gosto pari-
siense tanlo para senhora como para hoinnm ; os
quaes se toniam mui rocommendaveis pela sua qua-
lidade e varacocs de gosto, sendo elles de boas
sodas o panniihos, pois se conservain as suas cores.
Ha neste mesmo estabelecimento um grande sorti-
mentode boas sedas de todas as Odres c superio-
res panninllOS trancados e lisos de muito boas
coros para cobrir chapees de sol. Tambera so fazem
todos os colicortos que os mesmos precisaren com
todo gosto promptldao e diminuto prero.
AQU NAO'Ha USURA,.
D-se dinheiro a premio sobro penhoresde ouro ,
mesmo em pequeas quantias : na travessa dos Mar-
tyrios ,n. 9, al as 11 horas do dia e das duas em
diante.
-- Joiio l.oubet avisa a todas as pessoas que teem
em seu poder chapeos de sol para concertar ha mili-
to tempo os quaes ja estrio promptOS os vito bus-
car no prazo de 8 dias ; do contrario, sent vendidos
por todo o preco que se adiar, pois nao pode ter
por mais lempo empatado o sen trabalho: por isso faz
o presente mnuiicio para seus donos se niio cha-
maron u ignorancia.
ATTENCAO'.
Os senhores negociantes que tivercm boas divi-
das fura desta praca equizerom que 0 abaixo as-
signado as v cobrar, para o que se julga eminente-
mente habilitado pois nlo paga a advogado po-
dem dirigir-se ao advngado Jos Narciso Camello ,
--Vendo-so urna protaenouta ,do 28 annos, sem
vicio nem achaques, que cozinha engomm.i. uva,
faz louca de barro, fabricas abito, e cose eMo. por
precocommodo: na fabrica de licores de Hedaico
Chaves no Aterro-da-Roa-Vista, n. 17.
- Vendem-se batatas, do urna arrob para cima,
por prer,o commodo : noarmazeai grande, ooiru
to da escadinha da alfandegrf, do llacelar.
- Na botica da ra do Rangel, vendem-se os re
medios seguintes, dos quaes a experiencia tem con-
firmado os melhoreseffeitos: denulico que tom <
propriedade de limpar os denles cariados e resii-
tuir-lhes ac.iresmaltada, em muito poucos mas ,
o uso do dito remedio fortifica as gengivas e tira o
mo cheiro da bocea proveniente nao so da carie ,
como do trtaro quo se uno ao pescoco .lestes o
g5os; o remedio he designado pelos nmeros pri-
meiro e segundo: orchata purgativa, mu uui a
laneaietspeasoas-detoda e qualquer nlado; no
composta de substancias vegetaes, mo CnlLln
mercurio, nem droa nlguma quo possa prejuilicar .
____i: ........P..I-- .^...AiAiiii dito oa-
remedio para curar calos, em poneos dias; dito pa-
ra curar dores veneras antigs, o que teem rosisliuo
ao tratamiento geralmente applicado dito para pro-
vocara menstruacto ,e accelerar aacc9odo tero
idade de 30 annoa, muito forte; um dito de 18 annos
nosjpartos naturaes em que nao se precisa das ma-
nobias BCientificas da arte ; dito para resolver tu-
mores lyinpbaticos, vulgo glndulas; ditos para
linar bobas c cravos seceos o mais ellicaz que se
conhere at aqui; dito oximel de ferro, muito utn
lias chlorozes vulgarmente chamadas frialdades;
pos anli-biliosos de Manoel Lopes, capsulas de ge-
latina contando balsamo de cupahiba ; ditas o
oleo derecinospurificado; ditas de ruhebas em p<>
fino ; ditas de assaftida ; ditas com pos purgantes ;
ditas de millardo da China; ditas de sulphato co
quininode 1 c 2 graos cada capsula ; algaleas; pitil-
las de sal de, cabacinlio; vernit de gomma copal, na
primeira qualidade, viudo da Frailen ; remedios quo
Curam a frialdade dentro de 40 dias mesmo estan-
do ochado; oleo muito bom para conservar o ca-
bello, que, alm do nilndcixar cahir o cabello, Inn-
pa a caspa, ecujo uso continuado faz reapparecer o
cabello perdido ; pillas ospecilicas para curar as
gonorrheas ebronieas quando a lesfio nfio passa da
meta ; igualmente um sarape anli-hemorragico ,
applicado nos casos cm que se deitasanguo pela boc-
ea. ( preco de todos os remedios he mui rasoavel,
ios bpna resultados da sua appUcacjfa hequodovem
mesmo Sr. agradece o bom
o ten po quo estevo em sua casa.
- O Sr. que vcio na ra Nova venda n. 55 yer
um poucode prala, e que ollereccu 130 rs. poro.ta-
va anda querendo, venha buscar.
- Offcrece-se uina miilher branca, do idade, para
.ma de urna casa de pouca familia obrigando-se a
cozinhar i quem de seu presl.mose quizer ut.lisa. ,
dirija-soa ra da Guia, n.55 ., ., __.
-1 Precisa-se de um caixeiro, de 12 a 14 annos,
que tenha alguma pratica de venda e que d liado,
a sua conduele : na ra de Agoas-Verdes n. 13, se
dir quem precisa
cujas dividas jcobrou o abaixo assignado o ah
dcixarem seus nomos por escripia para o abaixo as-
signado os procurar. Joagutrn Fiancisco Bapusia
de Mello Oxal.
__ Alugam-se Ircs casas terreas, no
becco do- l'eixoto, pelo preco de cinco
mil ris cada nina : a fallar na rna do
Crespo, n. i5, com A. da C S. G.
OSr Joo da Silva tem urna carta na ra do
Crespo, n.ll viuda do Cear remettida por un
seu fllho uno exisle naquella provincia.
Aluga-se ama grande casa lenca, na
rna Angosta com bons coininodos, para
grande familia, pelo preco ele dez mil ris i
a lallar com A. da C. S. G., na rna do
Crespo, n. i5.
as
:arrnlios por preco commodo
dia : o dono dcsle
salmcnlccomo por
moni
svel.
ca
tos, s pedras,
bia, so l no convento
tos e arvores '

arouTr ewM'qutahato escudos.
iro sa-

fazer sua apologa. .
- Vendo-se uma morada de casa de dous ailares,
sita na ra do Rangel desta cidade, n. 26, em chaos
pronrios : no Alerro-da-lloa-Vista no primeiro an-
dar do sobrado de Bernardo Jos Carneiro Monleiro.
-Vende-seum armazem na ra da i'onte-\ eina ,
muilo grande o com Ierras na frente por proco
commodo: na ra da Matriz, sobrado n. 33.
-Na ra do Trapiche-Novo, eincasa do ) renco
Roblliard vendo-se ac em barras, propno para
molas de carros ; machinas para copiar cartas ,com
ppele tinta para as mesmas ; oculos de alcance,
de varios taniauhos e da mclhor qualidade quo he
possivel, chegadns proximamonte ; um ptimo sor-
tiraento de calcado inglez: bem como scllins cora
seus pcrlenccs ; e agoa-ardenle de Irania.
- Vende-se uma porfo de caixiihoscomvidros .
bastante grandes propriog para e.nvulracar uma le-
la completa ; bom como um escriplorio propno pa-
ra se collocar em sobrado ou loja, contando um
gradamelo de amarello baldo c eartaMjOlira
muilo rica ; por mdico proco : na ra do Collegio ,
loja do miudezas, n. 9
Vende-se urna macuca viva. F.ste passaro tom
avrtudedeseromaor contra-veneno conhccido ,
mesmo para a mordedura da cascavel ; serve para
curar de estupor, asthmalico o para desarranjos do
ventre de senhora: na ra Formosa, penltima casa
do Sr. OHveira.
.IKclliodo facilliii.o, quartA
edico, |)i)i Moiitcvcrd.
Estes.livrinhos Ido procurados- para instruceflodas
primeiras idades chegaram linaria da esquina do
Collegio, onde se vendem a mil .|
Corojraphlrt brasilica ,
ou relacOo liistorico-geographioa do Braail jmMa-
du Casal nova ejltlo enriquecida do
Compras.
cu lagrimas do minha m3i a supphca-los, entend
nue ande desgraca, desgraca desconhec.da me
2mea?L" o puz-mo a 'gritar misericordia, por ese
SmentO natural que nos leva a pedir soccorro,
quando sabia que de' balde o pedia, e que nesso lu-
L ormn niiigucm me ouvina.
5SSss!3ffa==u
' uue entr.0 con.prehendi, to pers,..-
ra o terror, se pozeram a jogar com
dados, quo tiraram da a.gibeira, sobre o lenco de um
dC0eque mais me aterrou foi que no ignobil jogo
,,:TrehmiaaoPuremquanto os dados passavam de mfio
em mo; porque entend que eu era o objecto que
e"noSfimemrev.ntou-soum dos ladrees, soltando
um rugido do triumpho emquanto os outros blas-
Dhemavam rangendo os denles, correu a m.m, to-
o-me nos bragos, e poz os seus nos meus labios.
O contacto de um ferro em braza niio me tena fe.-
to soltar mais doloroso grito.
Oh' meu Dos, dai-mo a morte .' bradei eu.
inhamn rolavaem trra, meu pai desma.ou
S6ma espera-Ka tinh. ou &. q.Mg de-
que haviam perdido, me maiasse, em
- Compra-sc uma roda de bomba de ferro : quem
U^oSa-so a comprar ferro fundido, cobre e
bronze voltio : na ra do ISrum, n. 8.
- Comprani-sequatro solciras com oito palmos ,
linda que sejam usadas : na ra da Matriz na Boa-
Vista n. 35, primeiro andar.
- Comnra-se o segundo diccionario inglez o poi-
tuguez por Vieira dacdieao de 184o : no Aterro-
da-lloa-Visla n. 24.
asMenrera, JLLM .'"" imi'MMti
Quando de improviso appareceu na estrada um
homem a cavallo.
Ilavia elle fallado balso a una das senlincl as,
quo oileixara passar trocando com elle un: signal.
Isse homem de estatura mediana, physionomia
magestosa, olhar resoluto, coiitmuou a avancar a
passo, sereno e tranquillo. '
Ao chegar em frente de mim |iarou.
O salteador que me tomara nos bragos, eque ja
me ia levando, vollou-se ao primeiro assobio quo
esso hornera deu no punho do chicote.
O salteador dcixou-me escorregar ate o chao.
__Andac, disse odesconhccido.
F. como o salteador hesitasse, o dcsconhccido for-
mn um ngulo com o braco, imdqwdadM epa
rados sobre o peito; e como so esle signal fra
m do um amo p
mou-so do desconhecido.
salteadores,
um accesso do raiva.
Esperava eu o golpe, esperava-o
e o invocava.
ordem de um amo poderoso, o salteadorapproxi-
rsto cluC-:faCodouvido do salteador. pro-
nuneiou devagarinho a palavra :
Snunciou smente esta palavra ; estou bem cer-
i. uoisaueeu via como quem v o punhal quo o
i mata?, ouvla como se ouve quando a palavra
que so espora deve ser a vida ou a morte.
4 _. lltnac, respondeu o salteador. ____
eoo.s, domado como um loito e rug.ndo como
elle vo tou-se a mim, desatou a corda que me li-
gav os punhos, e foi fazer outro tanto a meu pai,
EnUo, como o dinheiro ja eslava repartido, veio
nova adiclo c he um dos livros ma.s completos
ll, classe de leitoresque se ntaressam pelas
cousas do Brasil. Vende-so na livrar.a da esquina do
C"Vende-Muma ptima cadeirlnha, tom**
damasco com bambinellaa de set.m f*fT*
franja e borlas de retro,,, com saeoo para a M*M
,Otar 0 lene,.., OU outra qualquer cousa Mnkft
prata para B senhora se fechar por dentro PPara-
5aadenovoeem estado de qualquer senhora al.ir
em dias de grande funeflo: na ra Nova, n, JJ.se
gundo andar.
n por sua vez .lepostar a sua parte cmi urna
Pc Ira. Dos quinhentos escudos *&
1 Emquanto isto se passava, sentia-mo eu rcv.ver
nos hracos de meu pai e do minha mar.
n?. aSb. rclirem-se...disse elle aos salteadores^
Estes obedecern., o onlranl.aram-se no bosque
8l^ r~ Foliciani, disse enlao o desconheci-
do lancando-me o seu sobrenatural olhar, conti-
'W^,^:amnn":s1::;;s''aIi,:S.oq!.e,neco-
nh i eq enosn.oconl.cciamos, e mcUeram-se
nk carruagem. Acompanhei-os como pozarosa por-
Se X se! que pooer estranbo, irresisl.vel mo
atrahia para o meu salvador.
Ficouelle immovel no mesmo
rn,ilniiar a proteger-nos.
F fui eu olhanJo para elle emquanto pudo ve-lo,
e s quando o perd inteiramente de vista he que
dcsappareceu a oppressSOque me cerrava o peito.
Duas horas depois estavamos nos em Subiaco.
Mas quem era enlio esso homem extraordina-
rio? perguntou a princeza, abalada pela sirapci-
dade da narracSo.
Digne-se V. alteza ouvir-me anda, minha se-
nhora, disse Lorenza. Oh .' a historia anda n3o a-
cabou.
__Fu ouco, disso madama Luiza.
A dama coulinuou.
lugar, como para
(Continuar-se-ha.)

1 r I '\




Vendem-se caixas de cha hysson, de 6, 12 o 13
libros om portees ou n retlho ; caixas de velas
de espermacetede5c 6 om libra : na na da Alfan-
dega-Velha n. 36, emeasa de Mathcus Austin & C.
AO BARATO.
Na nova lo ja de Francisco Jo-
s Tcixcira Bastos, nos qua-
tro cantos da rua do Que'i-
mulo, n.O, quo faz esquina
para a rua estrella do Boza-
rio, venrlem-se
fazondas novas bom como : brira pardo trancado
do puro linbo, a 200 rs. o covado ;dlo superior, de
cores as mais modernas a 1,500 rs. a vara ; algo-
diio trancado do listras, americano, a 180 rs. o co-
vado ; dito encorpado, a 200 e 210 rs. o co>vado ;
chitas escuras de cores fixas, a IfiO e'l80 rs.l, o finas
denovos padrOes, a200rs. o covado ; ditas impe-
riaes a 300 rs. o covado ; ditas escuras e ordina-
rias, a 120c 140 rs. o covado ; cortes de cambraia
fina, decires, a 3,200 rs.; pecas de bretanha de rolo
com (Ovaras a 2,000 rs. ; dita de puro linbo a 320
rs. a vara ; dita muito fina a CIO rs.; merino pre-
to fino e do cores a 1.280 rs. ; panno fino prcto .
a 3,000 rs. o covado e de outras cores e qualidades ;
nieias para meninos, a80 rs. o par ; ditas para me-
ninas a 200 rs. ; ditas pretas c curtas a 120 rs. ;
ditas muito finas a 280 rs. ; ditas para senbora a
2i0. 320 e 400 rs. o par; mantas do fil do linbo a
1,fi00 rs. ; cassa escampinada, propria para cortina-
dos, a 3,200 rs. a pega ; cambraia lisa muito lina a
610 rs avara. Dfio-se amostras francas aos compra-
dores. Alm destas lia outras muilasfazendasmoder
as por pregos rasoaveis.
Vende-se cera do carnauba da melbor
qualidade que tem apparecido tanto a
retalbo como em porgos : na rua das
Larangeiras n. 14 sogundo andar ,
junto a relinagflo.
ATTENCAO'!
Frerlerco Chaves, fabricante de gaz hy-
drogeneo liquido, com fabrica de li-
cores, chocolate e espiritas, no AIerro-
da Boa-Fista, n. 17,
tem a honra de participar ao rcspeitavel publi-
co, e com particularidadeaos Srs que usam de can-
dieiro de gaz, que na sua fabrica sompre acbarilo
grande poreflo do gaz hydrogenco liquido, de boa
qualidade, pelo diminuto prego de 320 rs. a garrafa
~ Vende-so urna canoa do conduzir agoa toda
construida de amarelloe sicupra, pelo diminuto
prego de 130,000 rs., a qual'pde servir para canoa
aborta tirando o eonvs fra, que ho de taboas de
amarello ; os protendentes nflo deixarno de l'azer
negocio a vista do objecto e do prego, que he o mais
barato possivel: na rua da Senzal la-Nova, venda de
Jos Poreira se dir quem vende.
Parecem de seda.
Lindos chales de lila cores escuras, a 2,400 rs.;
formidaveis cobortores de algodfo, muito cncorpa-
ilos, proprios para escravos, a 1,000 rs. : na rua
doQueimado toja n. 11 A, do It. C. Loite.
Vende-se umn elegante canoa de carreira de
um so pao, muito boa de vara leve de cora, e que
leva 5 pessoas : a tratar na rua de' Apollo, com Joflo
Esteves da Silva.
fregue-
A 640 II
88
f
u
pares de pentes de tartaruga demarrafa: na rua lar-
\ do Rozario, n. 24.
Vendem-seescravos baratos, na rua das
Larangeiras, n. 14, segundo andar: 1
w preto de elegante figura, de22annos,
f / SCm v'c'os nem ma's pequeo acha-
UJmm que com ofliciodc cozmlieiro ; um dito
de bonita figura de 20 anuos, com olficio de pe-
preirojun moleque de 13 annos, muito esperto e
sadio setn vicios nem achaques ; um pardo de 22
anuos de boa conducta com ollicio de sapateiro ,
ou troca-sc por una prela moga, anda mesnio que
nao lenha habilidades; um pelo de mcia ida de ,
por 250,000 rs. ; 3 pardas de 15, 18 o 22 annos com
algumas habilidades ; duasnegrinhaadel a 10 an-
uos proprias para serem educadas ; 3 pretas mui-
to fortes que oslan arnstumadns ao trubalho de
campo ; e mais alguns escravos que so moslrarflo aos
compradores.
fls::as:s:e:9:s:!g::R:;g:g:::ga
fjj Vende-se um sobrado de um andar e Qfl
sotrio, acabado ha muito pouro lempo lodo *
corrido,em chaos proprios, sito em una boa
rua do bairro do S.-Antonio a troco de di-
nheiro, ou de escravos de ambos os sexos,
idadea o qualidades: na rua ilasl.arangeiras,
US n. 14, segundo andar.
Violto de Champanna
da superior e muitoacredilada marca
Cmela,
vende-se no armazem deKalkmann & Itoscnmund,
na 111,1 da Cruz, n. 10.
Vende-se um sobrado de dous andares c sotilo,
por prego muito em conta o qual rende 70,000 rs.
mensaes: na ruadas Larangeiras, n. 14, segundo
andar.
No escriptorio de Manoel Joaqumi llamse Sil-
va, na rua da Cadea do Itecifc n. 38, continan)-
se a vender, por prego commodo saccas de niuilo
superior farinha de S.-Malbeus.
Casa da F
n;i rua estrella do lozario, n. 6.
Nesle eslabelecimento acham-se a venda as cau-
telas da segunda parte da 17." lotera, a favor das
obras do thcatro publico desta cidade ; cujas rodas
devem correr no dia 30 deste mez. A ellas: os pre-
sos sflo os do coslume.
Na lojanova do lasseio.n. 145,
vendem-se cassas modernas, de cores lixas e largas,
a 240 rs. o covado ; chitas de novos padres e bons
pannos a 4,500 rs. a peca o a 120 rs. n covado
aiem destas ha um completo sorliinento de fazen-
daa de todas as qualidades : ludo por prego com-
Vende-se urna preta recolhida, de 20 annos
de muito boa figura, pereita costureira e enjom-
Z ?!!.' q.e fa2 todo n,8is "*> m ca-
no.'m P msa com as mesmas habilidades-
,Um,e<|uede20a..nos, b01" cozinbeiro; un. di
n i P, L traball,<>e campo o da raga
um moleque de 18 annos. na rua do Fasaeio, loja'
Attencao ,
zes,
.Na loja nova do l'asseio-l'ublico n. 19, de Ma-
noel Joaquim l'ascoal liamos, est elle resolvido a
nflo vender fazondas ordinarias pois quem com-
pra chitas de 120 rs., no outro dia esta chorando
pelo sen dinheiro. File tem muito linas a 140,160,
180 c 200 rs. ; pegas ile madapolTo muito fino a 3,
4, 4,500 o 5,000 rs. ; ditas de algodfo, a 1,280 e
2,000 rs. ; longos de seda a 1,120 e 1,4iO rs.; pe-
gas de plalhia a 1,300 e 2,000 rs.; longos para
grvala a 200 o 240 rs. ; chila, a 2,000 rs. a pega ,
e80rs. o covado; cortes de cambraia lisa a 2,500
rs. o a vara a 400 rs.; pello do diabo a 200 rs. o
covado ; lanzinha para caiga, a 320rs. ; brim Iran-
gado lira neo a 400 500 e 1,000 rs.; ditos de. co-
res a 1,000 rs.; o outras militas fazondas, por
muito diminuto prego.
Vende-se um sobrado no largo do Tergo, n. 26,
em ehfloa proprios : a tratar no inesmo.
Vendem-se 88 caixes vasios paraassucar, por
prego commodo: na rua do Trapiche, n. 17.
Vende-se nina boa (lauta nova do
II a n i burgo enn 8 chaves de prata e
um metliodo francez : ni rua do Vigario,
M.
Vende-se em muilo bom estado, c por pre-
go commodo, um fardamento para oflicial subal-
terno de cavallaria ; um sellim com capote e seus
competentes arreios, para a mesma : na rua do
Queimado, n. 37 A se dir quem" vende.
Na estribara da rua da Florentina, ha para ven-
der un quartao novo, e urna besta tambem nova,
por prego barato : os protendentes dirijam-se a rua
do (,'iespo loja n. 12,
Vendem-se 3 pretas nuii robustas sem acha-
ques nem vicios, por prego muito commodo : na
rua do Crespo loja n. 12, de Jos Joaquim da Silva
Maya.
Vende-se urna parda escura de 20 annos que
lava de sabio e varrella cozinba o diario de urna
casa, nfo tem vicios nem achaques vende-se por
una preeisio; na rua da Concordia, passando a
pontezinha a direita, segunda casa terrea se dir
quem vende
Vendem-se 4 escravas sendo : orna crioula ,
de bonita figura de 18annos, perila engnmmadei-
ra e que cozinba o diario de urna casa lava de sa-
bio c coso chfo ; duas ditas de nagflo com habili-
dades ; um cscravo de nagflo de 25 annos para o
servigo decampo : na rua das Cruzes, n. 93, segun-
do andar.
'OpoiuuiOJ
o5a.nl jod o Bpapinmb se snpoi eprtpuezaj ep oj
-uoiiijl.ios oii|diuo3 nin suisop uio|h a -s.i oos't "
' snutied suoq o s.uoj ap si!)]i|j ep trniOUljIJOS OAO u
lun opiAo.) uin epRO 'sj osr-'l ap oSajd oiBJtq o|od
' iuiiS.iki op sompid oas ap 'aeneiarjid ezaoeud ka
-OU B OS-opilDA V -II OIII01U\'-'S Op 03JB OH OJIIOJJ
-uoo eiquedmoo 9 inBejegseBietDjnoep h[o| bu
O pC A
Vendcm-soc alugam-se muito boas bichas
cnegadas ltimamente de llamhurgo: tambem vSo-
seapplicar, para mais commodidado dos pretenden-
tes na rua eslreita do Rozario, defronte da rua das
Larangeiras loja de barbeiro, n. 19.
Historia dos crimes do governo inglez, desde os pri-
meiros assassinos da Irlanda ; por 2,000 rs.; a S.
Biblia contendo o novo e velho testamento, tradu-
zidos em portuguez, por P. A. P. de F.; as Mu-
lhoresquoso tornam celebres pelos seus amores ,
por 240 rs.; o Amigo dos homens por 2,000 rs- ;
Pauta da aflandegH, nova, por 2,000 rs.; Direito pri-
vado natural, de Francisco Nobre Freir 1 v. por
4.000 rs.; c outros muitos livros. Chegucm a pe-
chincha antes que se acabe.
Aos 20,000,^000 de rs.
Vendem-se meios bilhetes da 7.* lotera da cons-
trucg.lo o reparos das matrizesdo Ro-de-Janeiro:
na rua do Collegio, loja o. 1.
Lei regula mentar das eleicoes
de 19 de agosto de 1846, para as cmaras legislati-
vas, assemblas provinciaes, cmaras municipaes
ejuizes do paz do imperio do Brasil: acompanba-
da de todas as resoluges do concelho de estado ,
avisos, ordens e portaras, que deram esclarecimcn-
to aos seus artigos, collocados em notas aos luga-
res competentes, 1 v. mpressono Rio-de-Janciro,
porl,280rs.: vende-se na livraria da esquina do
Collegio.
AOS ESTUDIOSOS.
Vende-se urna estantezinba muito bem feita, e
propria para qualquerSr. esludante: na rua larga do
lozario, loja n. 26.
.Vciideui-se luvas de pellica para
senhora, muito novas, a 800 rs. o par: na
rua Nova, n. 35.
Compendio Doloroso.
Vende-se na praga da Independencia, livraria ns.
6e8 pelo prego de meia pataca o Compendio Do-
loroso do N. S. das Dores, conforme o uso da igreja
de N. S. da Penha accrescentado com o rcgulamen-
loda vi.la para cada estado e outros muitos can-
tigosespirituacs ; ludoimpresso a cusa de um do-
voto ao qual nicamente os reverendos padres
Capuchinhoscederam a propriedade.para queosven-
desse ao publico por um prego que chegasse as clas-
ses as mais pobres o que elle satisfaz, venden-
do por mcia pataca um livrinho que vale, pelo me-
nos, um sello.
Vendem-se 2 casas terreas com quintaos e ca-
cimbas sitas na travessa do Peixoto que rendem
8,000 rs. mcnsalmcnte cada urna ; e por haver ne-
cessidade vendem-se por 800,000 rs. cada uma : na
rua Direita sobrado n. 29.
Vende-se a Historia do Portugal, em bespanbol,
1 v. ; dita deCilbraz; grammatica franceza ; as Ca-
zlas de Lisboa de 1806 encadernadas; uma flau-
ta tercia; tesuiiras de Lisboa, muito finas, para
coslura : ludo por prego commodo : na rua do Li-
vramcnlo n. 23.
- Vende-se uma morada de casa no lugar da Ca-
ga-Forte com bonita vista por ser de pedra c cal;
tem na frente 3 portas, 4 quintos, cozinba fra o ho
bstanlo grande : no becco do l'adr, sobrado
n. 14.
Vendem-so 6 escravos, sendo um pardo de
26 anuos com principios de sapateiro de bonila
figura e bem robusto ; um dito de 11 annos, pro-
piio para aprender qualquerofficio ; 3 pretas*le 18 a
25 anuos com habilidades ; uma dita engomma-
deira e costureira para fra da provincia : no pateo
da Matriz de S.-Antonio n- 4, segundo andar.
Vende-se a venda da rua da Concordia n. 15
com poneos fundos.ou smenteconi a armaglo, bem
afreguezada para a Ierra ; uma morada de casa ter-
rea na mrsina rua com commodos para grande
familia feita a moderna junto as casas do Sr. Jos
Antonio Concia Jnior: ludo se vendo por scu do-
no relirar-se para fra da provincia com sua fami-
lia : a tralar na mesma venda. Na mesma se offere-
ce um mogo para administrador, ou feitorde engo-
lillo do que tem inuita pralica.
Vende-se um moleque de 20 annos; 2 prctos
de 24 anuos proprios para todo o servigo ; um par-
do, bom carreiro, de 20 anuos; duas pardas, uma de
22annos, com habilidades, e a outra de 12 annos ,
com principios proprios para se educar; 3 pretas de
20a 30annos, com algumas habilidades; urna ne-
grinhade 12 annos, com bons principios : na rua do
Collegio, n. 3, segundo andar, se dir quem vondo.
Vende-se urna grande casa terrea, feitaa modor-
na por prego commodo: a tratar no principio da
rua Imperial') n. 9.
Vende-se um escravo de bonila figura com
principios de carpina na rua larga do Rozario.
n. 40. '
Vende-se na livraria da rua do Crespo, n. 11,
Gaz.
Loja de Joao Chardon ,
l terro-da-Boa-Vista, 0.5.
Nesta loja acba-scun rico sorliinento de I.AMPEOES
PAIlAGAZcom seus competentes vidros, accendedo-
res e abafadores.
Estes ca nd reros o os memora
mais modernos que existan hoje : rccommendaiii-se ao
publico* tent |ieiaseguraii(a e bom gosto de sua boa
onfeceo, como pela boa i|ualidadc da luz, economa e
asseio dcscu serviro. (
Nd mesma loja os consumidores em
pre acbariio um deposito de GAZ, de cujo se aflanca a
ijualidadc. e em porcao bastante para consumo.
Medicina universal.
Pilnlas ve A medicina vegetal universal he o resultado de 2o
annos de invesligaedes do celebre James Morison.
Cor meio destas pilulas conseguio seu autor inn-
meras c admiraveis curas, desdo as allecgOes que
atacam as criangas de peilo al as molestias chro-
iiiros do anciAo.
A Kuropa saudou esto remedio como remedio uni-
versal para todas as doengas e ate boje aindanto
foi desmentido tal titulo.
Esta medicina ven acompanbada do uma receita
que ensina e facilita a sua anplioacfio. Consiste em
tres pieparages a saber : duas qualidades de pi-
lulas distiuctas pornunjeros, c um p: cada qual
goza de modos e aeges ilivcrsas.
As pilulas n. 1 silo aperitivas; purgam sem abalo
os humores biliosos e vieosos c os expulsan com
cflicacia.
As den. 2expulsam com esses humores, igual-
mente com grande frga os humores serosos, acres
e ptridos, dp que o sangue so acha a miudo infecta-
do; percorrem todas as partes do corpo, e s cessam
de obrar quando teem'expulsado todas as impurezas.
A terceira preparagflo consiste em una limonada
vegetal sedativa : ho aperativa temperante e ado-
ganle : torna-se em comnium com as pilulas e facili-
ia-lhes os melhorescll'eitos.
A posigilo social do Sr. Morison a sua fortuna in-
dependento, rcpellem toda a ideia de charlatanis-
mo; cas adiuiraveis curas, operadas com o seu
syslema no collegio de sade de Londres, sao mais
que garantes da eflicacia do seu remedio.
Hecommonda-seesta modicina, que nilo pede nem
resguardo de tompo, nem do posigio da parto do
dooute a lodosos que atacados de molestias jul-
gadasincuraveis, se quizerein desengaar da sua
virtude.
Oxal que a humanidadefecheos ouvidos aos in-
teressadosem desacreditar estes remedios tao sim-
ples tiio commodos e 13o verdeiros.
Vendem-se smente em casa do nico e verda-
dero agento J. O. Klsler, na rua da Cadoia-Vclha .
n. 29. '
i\a loja nova do
S* asseio-publico,
n. i?,
vendem-se cortes de chitas suissas, de cores (xas
pannos andazes, a 1,200 ris com 10 covados
lencos de cambraia, para m5o de senhora, a 320
res; merino preto, muito largo o lino, a 1 ooo
1,600, 3,000 e 3,200 rs. ; cortes do caigas d afamada'
pclle do diabo a 1,400 rs.; pecas de algodao tran-
gaco a 4,000 rs.
--Vendem-se 191 pegas de cabo de Cairo: narua
do Trapiche, n. 8.
doTr.Vpic.erSe8qUalr m8SlrS depnh'0: na rn'
Vende-se carne de vacca salgada, em barris
na rua do Trapiche, n. 8.
Vende-se cha preto muito superior, em caixas
do 16 libras, proprio para familia : na rua do Tra-
piche, n. 8.
Na rua da Senzaila-Wa, n. 3o
(padaria) vendem-se juncos de superior
qualidade, em porcao e a retalho, e por
menos do qte em outra qnalquer parte
= Veudem-se inoendas de ferro para engenhos de .
nicar, para vapor, agoa e bestas, de diversos tamanhos
por prejo commodo; e igualmente taixas de ferro cosdo
e batido, de todos os tamanhos: na praca do Carpo-San
io, n. 11, em casa de Me. Calmont & Companbla, ou na
rua de Apollo, armazem, n. 6.
\a loja de Jos Ma-
noel Monteiro Bra-
ga, na rua do Crespo, n. 16,
esquina que vira para a
rua das Cruzes,
vendem-se ricos cortes de vestidos de seda para se-
nhora ; linda fazenda intitulada garca de seda-
de mu ricos gostos e muito modernos, para vesti-
do de senhora; casimiras elsticas, francezas e mo-
dernas de gostos muito agradaveis ; chapeos pre-
tos francezes prximamente chegados deParis;
adamascado tle linbo com 8 a 10 palmos do lar-
gura para toalhas ; guardanaposda mesma fazen-
da ; toalhas mais pequeas ; ditas com 3 varas; e
outras umitas fazendas de gosto.
Vende-se um macaco de
Angola, tle bonita figura : na rua
do Cabug loja do vistoso.
-Vende-se osla menlia para hbitos e capas de ter-
ceiro de S.-Francisco : na Nova, n. 46 loja do Coim-
bra.
Vende-se um sobrado de um andar, sito na
rua do Rangel n. 13 ; uma cadeira de arruar toda
envidragada e de dous dragos por prego commodo :
no Aterro-da-Boa-Vista n. 33, primeiro andar.
Vende-se, na venda da esquina da rua da S.-
Kruz, que volta para a da Alegra muito bom vi-
nho da Figucra a 180 e 200 rs. a garrafa ; mantoi-
ga de vacca, a 400 480, 560, 640 e 800 rs.; saccas
de farinha de mandioca com tres quartasda medi-
da grande a 3,200 rs. ; cha hysson a 1,920,2,240 e
2,500 rs. ; e todos os mais gneros por progos mui-
to rasoaveis.
Vende-so por precisSo e por pregotommodo,
um preto de Angola de meia idade de bonita fi-
gura, sadio o sem vicios he canoeiro entendedo
todo o servigo de uma casa e he bom comprador:
na rua Nova n. 39, segundo andar.
^scravos Fgidos.
Fugio de bordo do patacho Pelicano um escravo
de nome Hoque, de San-Thom estatura baixa,
rosto redondo esem barba, com foridas as pernas,
vestido com camisa e caiga azul e barrete inglez.
Este escravo pertence a Jo3o Jos Pereira do Azeira,
do Rio-de-Janciro. Quem oapprebender, queira le-
va-lo rua da Cruz n. 66, casa de Caudino Agosti-
nho de Barros, por quem ser recompensado.
Fuglo no dia 20 do correnle um escravo an-
da bastante rapaz de nome Vicente, de 19 annos
pouco mais ou menos estatura .regular refor-
gado bem feito e bonito, cor prela e um Unto afil-
iada agradavcl etn suas maneiras de fallar; tem ga-
forina alta de nagoMogambique que se mostra
em pequeos signaos na lesta e no rosto ao p das
orelhas; levou caigas brancas, camisa de riscado
azul, e un lenco pelo que Ibo servia de cinto.
Muito se recoinnienda as autoridades policiaes e ca-
pitaes de campo de o apprehenderem e levarem a.
rua Imperial n. 67, primeiro andar que se gral-
licar com generosidade.
Est fgida a escrava Thereza, de 30 annos pou-
co mais ou menos do nago Angola, alta, bem pre-
la denlos abortos rosto redondo e alegre; levou
vestido de chila usado panno da Costa ; anda com
duas caixas de folhas deFlandres, uma grande pinta-
da de verdee outra mais pequea anda nova, ven-
dendo miudezas; para inaiorsigual tem pelas cos-
tas urnas costuras levantadas. Iloga-se, porlanto,
as autoridades policiaes, espitaos de campo ou ou-
tra qualquer pessoa ,que a apprehendan devena
scu senhor, Jos Saporiti, na rua da Ciuz, no Iteci-
fe n. 18, segundo andar, que recompensar gene-
rosamente.
Fugio, do engenho Vinagre o escravo Luiz, de
25 annos ; tem o olho direito coberto de uma beb-
da e no queixo inferior do lado esquerdo uma lis-
tula cicatrizado; desconlia-se lar do para Nazaielb,
S.-Anto ou l'o-do-Alho onde foi comprado ;
quem o pegar leve ao dito engenho.
Fugio, na tarde do dia 25 para o dia 86 do cor-
rente mez, um preto de nome llufino, nagflo Congo,
nade 40 annos, estatura alta, corpo medio, cor fula,
olhos grandes, nariz e bocea regular, barbado, e com
a perna direita cambada. Quem o pegar leve-o a Jos
remandes Ferreira, que recompensar.
Da olaria de Manoel Antonio do Jess, no lio
Bemfica junto pontezinha dos Remedios, no dia 23
do crlente, tlesappareceu um moleque com os sig-
naes seguintes; Filippo, nagflo Congo, estatura re-
gular, ebeio do corpo, ceg do olho direito, beigos
grossos, falla urn tanto descanasada.com pona do
barba, que representa ter vinto anuos pouco maisou
menos; levou veslido carniza o ceroulas de algoJflo
da torra. Itecommenda-se a todos os capitfles do
campo, ou pessoas particulares porquom possa ser
encontrado dito escravo, o iiiandem pegar e entre-
gar no Itecife, padaria n. 18. da rua larga do Rozario,
junio aoquarlel de polica, aondc se recompensar
com generosidade.
Desappareceu, da casa n. 16 primeiro andar,
na rua estieita do Rozario, no dia 25 do correnle, as
7 horas da noite uma prela de nome Mara do
nagflo Cagange estatura ordinaria cheia do cor-
po ; representa ter 30 anuos ; levou vestido do Ifla
branca j desbolada com llores miadas, argolasdo
ouro corladas as orelhas : quem a pegar leve a di-
ta casa que sera gratificado.
PERK.: KA TYP. DEM. F.DB FAR1A. l^ ,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVRB6W3QU_XYONOK INGEST_TIME 2013-04-26T21:10:52Z PACKAGE AA00011611_08500
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES