Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08499


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
Anuo de 1847.
Terga-feira 27
., QijftIO pul>lic-se todos os dias, que no
ele cuard i o nreco d asignatura he de
TTmiO rs.l>orqurtel.PS".' tojMrtw. Os an-
ns dos assignan'es ""1 inseridos a rnso de
"s'.porlinl'a, 40 rs. em typo dilTereute, e as
..'oes P'l melade. Oj que nao forem ass-g-
"Lti vV> 80 P?1"1'"11' e ,0,) Cln lJP
5'lcrent., por cada puDUca9ao.
PIIASES DA LA NO MEZ DE JDLHO.
incoante, 5. J !* "
nova. 12, > oras e 15
Mceule,aiO. is 10 horas e 31
?cU a .dorase,7
oante, 5> 8 nora e !* min ^* nl,n',5a'
i '""nova.'a 12, "O* e tb rain- da mtnlii
min. da tarde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
(oiannae Paralivba, s segundas esettas ftiras.
Rio-Grande-dn. Norte quintas feiras aomeio-dia.
Cabo, SerinhSem, Rio-Formoso, Poito-Calvo e
Macei, no I.", a 11 c i I de cada mez.
Garanhunse Bonito, a 10 e 21.
Un i-Vista e Flores, a IS e 18.
Victoria, s quintas feiras.
Oliuda, lodos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, is 4 horas < 30 minutos da tarde.
Segunda, s 4 horas e i i minutos da manha.
de'JuIho.
Anno XXIV.
N. 65.
DIAS DA SEMANA.
va Segunda, ii. Synfronio. Aud. do I. dos o.
phos iloJ. doc. da 2 v. e do J. M. iU 2 ti
J7 Terra. S. PautaleSo. Aud. do J. -lociv. da
t. y', e do i. de Paz do 2. disl. de t,
58 Quarta. S. Jnnocencio. Aud. do .'. do civ.
2 r. e do S. de paz do 2 dist. de t.
29 Quinta. S. BtartlM. Aud. do J. de orpli.
e do i. municipal da I. vara.
30 esta. S. Rufino. And do J- do civ. da
r v.e do .1. de paz do I. dist. del.
31 Sabbado. S, Ignacio de Loyolla. Aud. do .1
do civ.da i. v 'l" l de paz do I dist. de t.
I Domingo. S. Auna M.
CAMBIOS NO DA 20 DE JOT.flO.
Cambio sobre Londres a IG'/jd. p. IJ
, a Paris I Si rs. por franco.
Lisboa Ifl.S de premio.
Dcsc.delettrasdc Ihms lirmis de '/* '
OuroOncas bespanholas.... 2#500
Modas de 6.*, 0(1 velh 16(1100
o de 6f40t' nov 16(|noo
desJOOO..... 9?00
Traa l'ataccs.......... I#90
a Pesos coluiniiares... I|930
Ditos mexicanos ... 'f'OO
Miuda............. U'-'Hl
Acresdacomu.do llcberibe de S0|000
i fiod.
/Oaoinez
a 18 i00n
a Hi200
a ljlO(l
a JIlOo
a l#0
a 1#V
1*800
a .#02
rs.aopar
DIARIO DE PERM AMBUCO
PARTE OFF1CIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
Illm.Exm. Sr. Foram presentes a Sua Magos-
tado o Imperador, com o ofllcio do V. Esc., de 26 de
fevereiro ultimo, as seguintos duvidas occorridas
nessa provincia na oxecuefio da lei rcgulamentar das
eleices.
I.' dnvida. O presidente da junta de qualificaQfio
da freguezia de Pacatuba pondera que, designando
o art. 4. da lei, que sejam convocados os oleitores da
parochia e igual numero desupplentespara a junta
de qualificaefio, acontece quo, havendo naquella fre-
euezia 30, elcilores da eleicfio feita em 18*4, apenas
foram eleitos 19 stipplentes ; pelo que procura saber
se devem ser convocados 11 cidadfios para preencher
o numero de 30 supplentes, ou so nicamente com
os 19 existentes so devem compr as duas turmas,
designando d'cntre estes ltimos os outros dous
membros da junta, do que falla o art. 11 da mes-
ma lei. J .. w
2." duvida. O vigano da freguezia de Itabaianna
participa que nfio teve nolificaefio para comparecer
no dia 17 de Janeiro do corrente anno, a assistir aos
tiabalhos da junta qualilicadora respectiva, epergun-
la seo art. 20 da lei o obriga a comparecer indepeu-
dente de ser chamado.
3." duvida. Oditovigario deseja tambem sabor se
pode edevo dar mencionada junta as informaces
que jurgar necessarias, sejam-lbe ou nfio pedidas.
4." duvida. Antonio Carneiro de Menezes e Jos
Antonio de Oliveira, membros da junta cima referi-
da, representam contra o juiz de paz em exercicio
daquella freguezia, Jos Francisco de Menezes, por
terdado ao presidente da dita junta urna lista con-
lendo exclusiio, ou inclusfio arbitraria de individuos,
com a qual se tem querido conformar o mesmo pre-
sidente contra o voto dos representantes ; e por isso
consultam se sSo obrigados a dirigir-so so por a-
quclla lista.
5." duvida. Os mesmos consultam se devem pedir
novas listas e os esclarecimentos precisos aos ins-
pectores de quarteirfio respectivos, e mais pessoas
que, conforme a lei, silo obrigadas a presta-Ios.
6. duvida. Se o referido juiz de paz deve ser, ou
nao, logo multado pela junta.
". duvida. Se o parocho, delegado, subdelegado
o collectores devem dar junta todas as informa-
cOes que forem precisas.
8." duvida. So deve, ou nao, ser multado o presi-
dente da dita junta, por ler deixado de assignar um
ollicio, pelo qual a mesma tinlia decidido pedir es-
clarecimentos ao presidente da provincia sobre a
primeira das duvidas propostas.
9.' duvida. O juiz de paz da villa da Capella sub-
melteu decis.lo do presidente daquella provincia
a questao suscitada por um dos eleitores supplentes
da dita parochia, no acto da formadlo da juntado
qualificacM), sobre ter aquello juiz de paz convoca-
do nicamente 12 supplentes c nfio 19, numero de
eleitores dados pela parochia, por isso que, segundo
dizj smente podiam comparecer 12 eleitores, por
estarem os outros 7 mudados, ou morios; questao
esta que nao decidi o o levou a suspender os tia-
balhos da junta.
10. duvida. O presidente da junta de qualifica^io
de Larangciras pede ser osclarecido, so, tendo con-
vocado na frma da lei os 28 eleitores quo deu aquel-
la parochia e nuirfero igual do supplentes, e verih-
cando-se depola s exislirem 23 elcilores, deve por
isso desavisaros 3 uUimos supplentos para igualar
o numero com o dos eleitores, ou n;1o.
11. duvida. So, sendo odito presidente da junta
eleitor, deve tambem fazer parte das turmas.
12. duvida. Ojuiz.do paz de Maroim consulta co-
mo dever proceder iio caso do ser, como he, o juiz
de paz que est em exercicio, i ompotindo-lhe ao
mesmo lempo a presidencia da junla de qualificacao,
por ler oblido dispensa, por impossibilidade physica,
o mais votado e ser elle o immediato em votos ; vis-
to que o art. 19 da lei determina quo o juiz do paz
em exercicio mande ao presidente da junta de quali-
ficacao, at o fim dedezembro, a lista parcial doseu
districto; marcando o art. 126 6. que as juntas im-
ponham multas aos juizes de paz que as nao remet-
ieren!; oque, sendo elle presidento da junta e juiz
do paz em exercicio, nao pode rometter tal lista a si
mesmo, uem multar-so.
13. duvida. O juiz de paz n3o tendo apresentaiio o cscriv.lo as listas parciaos
doalguns quarteires, escripias intelligivelinente,
esta por esse motivo a junta qualificando os votan-
tes dos mesmos quarteires, segundo as informa-
qes ou conhccimenlo de algunsdeseus membros ;
e deseja saber se esta assim procodendo em regra.
14. duvida. O juiz de paz de Santo-Amaro, em ex-
ercicio, participa que, tendo presidido junta do
qualificacao daquella freguezia, por impedimento do
juiz de paz mais votado o do seu immodialo, ambos
clles agora se dHo por promptos ; pelo que pergun-
ta se, vista do art. 22 da lei, he elle que deve ser-
vir na segunda reuniao por ter servido na primeira,
ou seo primeiro daquelles juizes ontflo impedidos.
15. duvida. Vctor-Manocl Alves e Francisco do
Nascimento Jnior, membros da junta de qualifica-
cao do Campo-do-Brilo, participan! que, tendo a
mesma suspendido os trabamos al que chegassem
os esclarecimentos pedidos ao governo daquella pro-
vincia sobre diversas occurrcncias, isto nao obstan-
te, reuniram-se.ojuiz de paz presidento da mesma
junta, com dous membros mais, e, sem participa-
rem quelles, proseguiram na qualificacao com ma-
nifest transgressao da lei; pelo que pedem provi-
dencias.
16. duvida. Ojuizdepaz de ltabaianninha confes-
sa na sua rcsposla queixa dos dous membros da
junta de qualificacao daquella parochia, que a for-
mou, nao recorrendo sorto para decidir cutre elei-
tores e supplentes, que a deviam compnr, e que li-
nham igual numero de volos; desviando-se assim do
que expressamente determina o aviso de 24 do ou-
tubro do auno passado, que a lempo Ihe foi com-
municado.
17. duvida. Francisco Jos de Oliveira c Rufino de
Oliveira Sampaio, membros da junta do qualificacao
da villa do l.arangeiras, pedem os esclaregam se, ten-
do-se j qualificado una grande parte dos votantes
daquella parochia, deve a junta, porque o requeres-
so um cidadao com estrpito, procoder a nova qua-
lificacao, qtiando para os incluir piccederain todas
as informaces do parodio o inspectores do quartei-
rao, pornaoserem de inteiro conheciineiito da mai-
oria, ou de toda a junta.
18. duvida. Pude ella reunir-so para seus traba-
mos cni urna casa particular, onde mora o presiden-
te da mesma junta, havendo o consistorio da matriz
muilo maisespacoso c commodo para seinellianles
reuuics ?
19 duvida. O presidente da junta de qualiliracao
da frecuezia do p-do-Banco pede se Ihe declare se,
liavendo entre os eleitores um de 19 anuos, que nao
pode sor qualificado entre os votantes, .leve mesino
assim ser contemplado as turnias, ou nao.
00. duvida. Comparecido o dito presidente na
iereia matriz a dar parte de que nao prosegua nos
tiabalhos, em raso da duvida que occorna, sem
que fosse ella decidida pelo governo, houveram al-
tercaces c duvidas da parte de alguns espectadores,
(luerendo que elle continuasse nos mesmos ; e pede
por isso esclarecimentos sobre o modo por que ha de
proceder quando fr alterada a ordem publica.
21. duvida. O mesmo participa que no aclo da
formacao da junta naquella freguezia por anida se
"iiorara disnosiefio dos artigos 3.'e 4.o do aviso de
2 denovembro do auno passado, loi a dita junta
composta por eleitores, entre quem alias -levena
ter corrido a sorte, em coi.sequei.c.a de leun.iem
tonal numero do volos, e procura saber se a dita
jSnta deve continuar seus tiabalhos assim como se
acha organisada, ou se se deve proceder nova for-
macao.
22. duvida. Antonio f.arneiro do Menezes o Joae
Antonio de Oliveira, membros da junta do qualifi-
cacHo de Itabaiana, participam que, rcunindo-sc a-
quella junla para celobrar as scsses de recurso, na
forma da lei, altou por doentc o membro Manocl
Fernandes Pcrcira Lisboa ; pelo quo, pergunlam se,
dando-sc por impedido um membro da junta, aos 3
compele nomear o que ha de substitui-lo.
23. duvida. So, no caso aflirmativo, deve tomar as-
enlo o quo livor a seu Tavoro vol da maioria d'cn-
tro os lies.
24. duvida. Seo juiz presidento, no casoexposlo,
tem voto na mesa.
25. duvida. Se tendo voto o juiz, esso voto com o
do outro membro faz maioria contra os dous votos
ilos outros dous membros.
26. duvida. O presidente da junta de qualificacno
da freguezia de l.arangeiras participa quo os dous
membros daquella junta Ruflno de Oliveira Sampaio
e Francisco Jos de Oliveira repugnam assignar u res-
pectiva acta, pretextando nfio haver cxactidfio el-
la, ou faltarom pretendidas declaraQos; pelo que,
pede esclarecimentos.
27. duvida. O mesmo pcrgunla se, sendo o JUIZ
municipal eleitor supplenle do numero dos convo-
cados, pode fazer parle das turmas, ou deve ser con-
siderado impedido.
28. duvida. O presidente da junta de qualiliracao
da villa do Lagarto, communica que, depoisde osla-
ren) presentes eleitores o supplentes convocados, nao
em numero de 35,.que deu a parochia, mas do 2.
notificados pelo seu cscrivao, quo nao qui/. delibe-
radamente notificar todos os 35, mas somonte os :j,
illudindo o juizo, proceden, mo obstante, com os
presentes 4 formacao da dita junta, para a qual de-
vendo entrar o I." eleitor da 2." turma, acontecen
que os 3 primeiros della tivessem igual numero de
votos ; pelo que, chainou elle o que eslava primeiro
escripto na lista, contra oque nao leudo havido re-
clamado immediatamente, protestaram os outros
eleitores o dous membros da junla no aclo de assig-
nar-se a acta quo recusaram assignar.
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
por aicranDve J^umaj.
SF.GUINDA PARTE.
(ft>aa a^aa^Oo
CAPITULO X.
AS CiBBCaOEllS DO BI1.
Ouvio Gilberto ao longe murmurio ou qasi grita-
ra aue at) approximar-se se tornou mais forte e
mais extenso, esentio um calafrio correr-lhe todo
o corpo.
Gritavain viva el-rei.
Era ainda o costumo nesso tempo.
Urna nuvem de coreis fogosos, cobertos de ouro
e purpura,romplam "afrente: eram os mosquete-
ros, gendarmes, eSuissos a cavallo.
\
(*) Vide Diario n. 162. \
Deoois appareccu um coche pesado c magnifico.
Avistou Gilberto um iiomem com a fita azul de
erao-cruz, com o chapeo na niagestosa cabcta. \ io
OSCintilar vivo e penctranle do olliar real, ante o
nual todas as frontes se inclinavam edescobnam.
Fascinado, immovel, altonito, palpitante, esqe-
ceu-se elle de tirar o chapeo.
i Urna grande pancada o tirou do xtasis; o chapeo
roluu-lhe em tena. .
eu elle um salto, apanhou-o, levanlou a cabe?a,
e reconheceu osobrinho do burguez, que olI ha va com
esse sorriso motejador, propriedade dos militares.
Bntfio I disseclle, nao se tira o chapeo a el-rc?
Gilberto dcscorou, olliou para o chapeo coberto de
P- He rXra vez quo vejo el-rei, e mo esque-
ci do o saudar, he verdade. Mas eu mo s""-.-
Voss nao sabia! disso o soldado franzindo o
b0Hcceiou Gilberto que o n3o deitassem fra do lu-
gar em quo lao Um eslava para ver Andreza, c o
amor que Ihe ardia no peito subjugou-lhe o or-
eulho.
Oesculpe-mo, disse elle, sou provinciano.
E veio educar-se em Paris, meu estudantinho .
Sim, senhor, respondeu Gilberto abafando a
raa"l>ois bem vislo que se est Instruindo, disse o
menlo Lavando da m3o de Gilberto, quo se dispu-
nla a tornara poro chapeo nacabcca.sa.ba do mais
urna cousa; c he, que assim como a el-rei, tambem
se corteja a's A. a senhora dclphina, e assim como
asenloradclphina tambem se cumprimentaosse-
nno es principes, e cmfim a todas as canuagens que
quencia disto, 'e de insultos insuportavcis do padre
Jos Alves Pitangueira, suspciuleu elle os trabamos
da qualilicac.lo, al ulterior delibcracao, que so-
icla.
29. duvida. A junta de qualificacao da villa do Ro-
zarlo do Cateto, pergiintasoo final do art. 20 da le
prohibo que votcm os parochos e juizes de paz, in-
cluidos os presidentes das juntas de qualiflcacOO.
E conformando-seo mesmo augusto Senhor com o
parecer da seceso do concellio d'estado dos negocios
do imperio, houve por bem declarar que bem deci-
dir V. Ex. as primeiras 21 duvidas, explicando :
1.* duvida. Que deve o presidente da junta da Irc-
guezia de Pacatuba proceder com os supplentes exis-
tentes formacflo das turmas, pois nao estado mo-
do algum auiorisado outro procedimonlo; devonuo
os 19 supplentes ser divididos em duas turmas de 9
cada urna, na formados arte. 8.* e 11 da lei referi-
da, comoji tem sido declarado em avisos de 18 de
Janeiro e -0 de fevereiro de 1846.
> o 3 duvidas. Que o vigario dever compare-
cer, nao tendo impedimento, para que sejam me-
Ihor esclarecidos os membros da junla; mas ncm
leni responsabilidade so deixar de o fazer, ncm a-
quelles membros sao obrigados a seguir suas infor-
maces.
4- Quo a junta cabe dar o devido peso, que tive-
rem as lisias dos juizes de paz, organistas segundo
o art. 19 da lei, oque he da competencia das mes
,as approvar as dilas listas, o fazer nellas as alte-
races que julgarem rasoaveis, e de dircito; mas
quecumpre a minora conrormar-se com as decisoes
da maioria. .
5 duvida. Que a junta, nos termos do art. 31 da
lei, pude pedir os csclarecimenlos precisos para -
iiualilicaco respectiva. .
6.' duvida. Que vista do 6." do art. 126 da le,
ilniri!rr""l;r"' -
icem.lloics do lys. Conhecc as (lores de lys, ou be
preciso que Ih'as faca conhecer, meu pequeo !
Nao he necessario, disse Gilberto, eu as co-
nheco. ..
Ainda bem! resmungou o sargento.
As carruagens reees passaram.
Alileira prolongava-se; Gilberto com tal avidez
olhava, que pareca atoleimado. As carruagena, ao
chegarcm urnas apsoutras en. frente da pmla do
convento, paravam, os grandes da comitiva apeavam-
seoperacao que de cinco en. cinco minutos occa-
Sionava un. movimento de alio em toda a India.
IVumdessesaltos, sentioGilberto um eofliohrra
em braza que lliealravessava o corac3o. leve um
alor oamento durante o qual todas as cousas Ihe
Sesaoolreceram aos olhos,\ tilo violento tremor se
a oder'o Selle, que se vio obrigado a agarrar-* ao
ramo da arvoro para nao calur.
Era que em frente delle, a dez passos laufeMt
O emTurna dessas carruagons de flores de lj que 0
sargento lhc havia recommendado cortejasse, acal a-
v elle de avistar o radiante o luminoso rosto de An-
dreza, toda vestida de bra..co, como um anjo, ou
como um phantasma. ._,_
Soltou um fraco grito, e logo tr.umphando de to-
das cssas emoces que delle se hav.ain apossado ao
mesmo lempo, ordenou ao coraco que de.xasse de
bater, e aos olhos que se fitassem no sol.
E lo forte fui o seu poder de conter-se, que o >n-
SegAndreza da sua parte, que queria ver porque ti-
nham as carruagcnsdcado de andar, deitou ac-
bela fura da portinhola, espraiando em tomo do si
deve a junta multar o juiz de paz om exorcicio, que
nao enviar as listas parciaes dos votantes.
7." duvida. Quo os empregados mencionados no
referido art. 31 devem dar todos os esclarecimentos
precisos para a qualificacao respectiva.
8 duvida. Que no ha logar multa ao presiden-
te da junta pelo motivo proposto ; e s ao presiden-
te da provincia competo multar aos presidentes das
juntas de qualificacao.
9.* duvida. Que em ofllcio de 15 de Janeiro ao juiz
de paz de Larangciras expllcou-SO quo deviam ser
convocados todos os elcilores a supplentes em igual
numero, sem se procurar iguala-Ios quando estives-
se ausente, ou impodido qualquer delles, ou doi-
xasse de comparecer, vista dos arts. 4., 5. e8.
da lei respectiva, os quaea nao podem ser por outro
modo entendidos ; e que, porlanlo, bem praticou em
convocar os 7 supplentes para proceder a formacao
da junla na furnia proscripta na mesma lei; sendo
convoniente que contine a haver-ae com esse bem
entendido escrpulo, consultando om casos duvido-
108, e maniendo a regularidade dos trabalhos com
circumspecfio e prudencia.
10. duvida. Que dos arts. 4.% 5.o1l da le se ve
quecumpre convocar os eleitores que der a paro-
chia o outros Linios supplentes, excepto os Impedi-
dos, devendo rormar-sc a junta dos que comparece-
rom pela inaneia ah determinada, sendo indiffo-
rente para a regularidade do respectivo processo,
que comparece numero maior de supplentes que do
eleitores, ou vice-versa ; e assim, mo devora desa-
visar os 3 supplentes, quo excedem ao numero do
25 eleitores. _
11. duvida. Que nao pode comporas turmas, em-
bora seja eleitor, porque j ho presidente da junta
qualifleadora. ,, .
12 duvida. Ouc ncnliuina duvida existe logo quo
se considera que, nao obstante recahirem no mesmo
individuo as runccoes de juiz de paz em exercicio, e
de presidente da juntad? qualiicacao, sSo comtudo
entendidas distinctas; c que, tazando a lista, deve re-
molle-la ao presidente da junta de qualiicacao, sem
considerar que he elle mesmo, ale porque ao lempo
dos seus tiabalhos podo, por qualquer impedimento
seu, locar a outro esse trabalho.
13 duvida. Que as lisias parciaos dos inspectores
sao necessarias a vista do art. 19 da le, posto quo
mo cssenciaes para a validado. E que he mais conve-
niente que o dito presidente e a junta os chamem pa-
ra informaren), ou exijam novas listas, do que expo-
rem-se a excluir possoas que tecm direito de votar,
ou quo admitan! quelles que nao o podem, e que
nfio teetn a renda de 200,000 equivalentesa 100,000 rs.
em piala, como foi declarado pelo decreto n. 484, do
5 de novembro do anno passado. ...
14. duvida. Quo deve servir, na formada Ici.ojuiz
mala votado, cujo impedimento cessou, o pelo qual
como substituto servio elle.
15. duvida. Que bem decidi V. Exc. ordenando
ao mencionado juiz, quo reunisse os membros lodos
da junta, para proceder legalmente I qualificacao,
visto os nao poder excluir por senielhante modo, o
com pena do multa.
16. duvida. Que igualmento bem decidi V. me.
quando ordenou que o juiz do paz convocasso,de no-
vo os eleitores 0 supplentes para da determinado,
alim de formar nova junta, na conformidadc do aviso
de3*doOutubrodo anno passado, o procederom a
qualiicacao de novo, licando sem efTeito aja forma-
da, e istO Bem peda do tempo
17. duvida. Que.se a qualiicacao foi assim lena,
aacham-se Ja incluidos tantos volantes, nonhuma
precisfio ha de proceder-so novaincnlo ao mesmo
acto; pois que se podem corrigir quaesquer engaos
quando novamente se reunir a junla, como deter-
mina a lei respectiva no art. 22. "
18. duvida. Que, havendo o consistorio da matriz,
o de mais Ufo sullicienlecomo dizem, he la quo de-
vem ter lugar os tiabalhos da junta, conformo o art.
4 o da lei, que s permita a reuniao della om outro
lugar, nicamente quando o consistorio nao for bas-
tante espacoso.
wmmmm
os bellos olhos azues, o descobrio Gilberto, eoco-
nlieceu. ... i
Uesconliou este que Andreza ao avista-lo se aumi-
rava, escvollava para o pai sentado a seu lado na
carrugem. ,,
Enflo se enganou; Andreza admirou-se, voltou-
se, c indicou Gilberto ao barflo de Taverncy, que,or-
na do com o lilao encarnado, tomava na carruagem
do rei magestosa postura.
Gilberto! exclamoii o baro, como quem des-
pe rtava solucsallado, Gilberto aqui! E quem toma-
ra cuidado de Mahon | em casa?
Ouvio Gilberto perfeitamente cssas palavras, e poz-
se immcdiaUroento a cortejar com esludado respei-
to a Andreza copai. .
Para cumplir este dever foram-lhc precisas todas
as suas fdreas.
__E nao ha duvida! exclamou o barfio ao reco-
nhecer o nosso pbilosopho. He o patife em pessoa.
TO longe de seu espirito eslava a ideia deque Gil-
berto estivesse em Paris, quo a principio nao quiz
crerosolhosdafilha, edepoismuito Ihccustouato
acreditai osseus proprios.
O rosto de Andreza, que Gilberto observava entao
com aturada altencao," mo exprima mais que sero-
ndade perfeita depois de ligeira nuvem de admi-
rac.'io.
O barfio chamou por gestos a Gilberto.
Este quiz obecer, mas o sargonto deteve-o.
Vm. bem v que me chamara, disse aquello.
Onde ho que o chaina ni ?
Daquella carruagem.
Os olhos do sargento seguirara a direcefio dod-
'
r-V



19. duvida. Que, tondo o eleilor de 19 annos func-
ionado na presentelegislatura, sondo como tal reco-
nheri'1" i-elo respectivo collr-gio eleitoral, nflo he
dado .-\clui-lo; e portante deve elle ser contempla-
do, Meando todava a junta qualilicadora odireitode
exclui-lo da lista dos volantes que organisar, se es-
tiver provada a sua Calta de capacidade para exercer
direitos polticos; e nosta conformidado devo reunir
a todos os eleitores o supplcntes, para organisar a
junta, e proseguir no processo da qualificagflo j tilo
demorado.
20. duvida. Que bem decidi V. Exc, quando ap-
provou o procedimonto do presidente da junta de
qualificagflo da freguezia do P-do-Banco, de osporar
pela decsflo de V. Esc., aquem tinlia sulimettido
aquellla duvida, sem acceder s exigencias o recla-
inagoes, asquees, alias, quando silo fundadas em lei
e rasflo, deveni ser (tendidas por todas as autorida-
des, cujo primeiro timbre (tere ser o exacto cumpri-
ineuto da lei, e uin prorcdimnnto rasoavel e pruden-
te longo do espirito de partido. E que, outrosim,
bem proceder V. Exc. declarando que providen-
ciara panqu se nAo ilterasso a ordum e paz, com
que scmelhaiites trabalhos devem sor feilos, oflici-
andoao delegado e. subdelegado, com quom devia
etitender-se o mesmo presidente da junta, para a-
quello Mm, e para que nflo fosse dcsprcspelada a sua
autorfdado.
21. duvida. Que igualmente bem decidi V. Exc,
que, cm vista do aviso de 2 do novembro do anuo
passado, se devia formar nova junta, e continuaren!
entSo os trabalhos com a legalidade devida, recor
rendo ao meioda socio, como dantea nao se fez.
Quanto, pocm, s seguintes rcsolugoos tomadas
porV. Exc, ha por licui Sua Magostado O Imperador
mandar declarar:
22. duvida. Que V. Exc menos bem decidique
SOS tres memhros da junta compete noinear o subs-
tituto do impedido pois que nao su aos tres inem-
liros da junta, mas tamliem ao seu presidente, cabe
nomear o substituto.
23. duvida. Que igualmente monos hom decidi
que deve tomar assento o que livor a maioria des-
sa votac.lopois que deve tomar assento o que liver
a maioria absoluta, ou relativa, dos 4 msanos que
teem direito de fazer ejla nomeaefio.
como a respeitodo mesmo quando preside me"
sa parochial, dispfieo 4." do art. 46 da dita loi ;
e nflo Im rasflo para que, tendo de ser substituido
um dos membros da junta do qualficagSo, olo te-
lilla o presidente voto quando o confere a loi na
nomeagflodo que ha de fazer as vezes do mesario
impedido na mesa parochial, como ja se decidi
cm aviso de 12 do crranle.
O que tudo communico a V. Exc., para seu conhe-
cimento e governo.
Doos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-Janeiro,
cm 27 do abril de 1847. Joaquim Marcellino de Bu-
lo. Sr. presidente da provincia de Sergipe.
Itlm. e Exm. Sr. Tendo S. M. o Imperador ap-
provado a decsflo por V.Exc. dada ao presidenlo
e mais membros do concelho municipal de recurso
do termo da cidade capital dessa provincia, dccla-
rando-lhesque as regras, que prescreve o decreto
numero 511 do 18 do marco ultimo devem obrigar
desdo que elle forconhecido, como se observa do
seu art. 8 ; o que, nflo tendo o dito concelho mu-
nicipal noticia dello at o quinto dia da sua reunido,
deve tomar conhecimento do todas as reclamaces,
queixas o denuncias que Ihe forein apresenladas o
que tiverem sido dosatlendidas pelas juntas de qua-
lilieacflo : assiro communico a V. Exc. paca seu co-
nhecimento e om respostaao seu ollieio de 25 do
Diez passado.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-Janeiro,
om 5 de maio de 1847. -- Joaquim Marcellino de llri-
lo. Sr. presidente da provincia de Minas-Cera es.
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DIA 19 DO COMIENTE.
Oflicio AoExm. presidente do Para, solicitan-
do a expedicSo de suas ordens, para que, com brevi-
dade, soja para aqui re me tt ida urna porgflo da subs-
tancia denominada assac; o bem assim alim de (|ue
venha acompanhada de instruegesacarea da sua ap-
plicagflo molestia conhecida por morpha. Par-
ticipou-soao presidente do concelho geral de salu-
bi idade, em consequencia do cuja requisigflo se ex-
seca.
paios, 10 ditos chourigos; a Thomazde Aquino Fon-! a contar de 28 de junho ultimo, se completar o prm
Pa Ido 50 das.
Publicares Litterarias.
Aos pais de familia, capites de navios
fazendeiros e a todos em geral.
1 barril azoite doce, 2 ditos carnes, 5 ditos vinho.J
1 dito vinagre; a Jos Francisco Belem.
1 caixolinho velas de cera ; a Brito.
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 26.
Geral........................ 4:592,167
Diversas provincias............... 332,777
4:924,944
illoviiucnto do Porto
Navio entrado no dia 26.
I.oanda ; 20dias, brigue portuguez Rosa, do 125 to-
neladas, capitflo Jos Francisco da Costa Rocha, e-
qnipagcm 16, cm lastro ; a Francisco Severiano Ka-
bello & Eilho. I'assageiros. Jos Manoel, preto for-
ro, Bento Jos de Menozes, Felisberlo Antonio da
Silva o oflo Antonio, Brasileiros.
Navios sahidos no mesmo dia.
I'ortos do norte, vapor brasiloiro Paraense, comman-
dante o capitflo de fragata Manoel francisco da
Costa Pereira. -- Alm dos passageiros que trou-
xe dos portos do sul, leva a seu bordo : para a Pa-
rahiba, Joaquim de Azevedo Pereira Maia; para o
Cear, Manoel Antonio da Rocha Jnior ; para o
Maranhflo, Dr. MartineStrong, Americano.
Marseille ; brigue francez Arago, capitflo Simflo Dey-
riou, carga assucar. l'assageiro, Aloxandre Dcla-
inarre, francez.
filMTAES.
rganon de Hahnemann, ou exposices
das doulrinas homoeopathicas, a voluntes
pequeos.
Manual do pai de familia, do capitSo
de navio e do fazendeiro, ou noticias ele-
mentares da homceopathia, contendo a
acc3o dos 24 principaes medicamentos
homocopathicos, 1 volunte pequeo.
Vendent-se por preco comntodo, no se-
gundo andar da casa n. 7, da ra da
Cruz.
PORTUGAL.
Becordagoes do anno de 1842, pelo principe Lich-
nowsky, traduzido do allcmflo, segunda edicgflo, cor-
recta e annotada. O consumo rpido da primeira e-
dgflo, o sua procura pormuitas pessoas que ficaran
sem ella, induzio o traductor reimpressflo desta 0-
bra curiosa, quo conten a apreciado dos caracte-
res mais notaveis do paiz, dos seus acontecimentos
polticos, monumentos e lugares principaes, feita
por esse principe prussiano, que alli viajou no anuo
citado. 1 folhelo do 220 paginas. Vende-se poc
1,000 rs., no segundo andar da casa, n. 7 da ra da
Cruz.

aliascumprc-lhe votar como lica declarado.
25. duvida. Que V. Exc. menos bem deciJioque,
nflo tendo o juiz voto, nada havia que responder so-
bre a antecedente consultaquando ao contrario
elle (cm voto como qualquer dos outros votantes, e
devo votar em primeiro logar.
26. duvida. Que igualmente menos bem decidi
V. Excquenenhuin membruda junta podo recu-
sar sua assignatura a acta, podendo sim declarar-se
vencido em todas, ou quaesquer decisdes, sem es-
pecificaeflo de motivos, circunstancias, ou factos, a
que j se lecni dado esclarec montos -; pois deve ser
permittido aos vencidos declarar sucinta mente as
rases em que Mrmarom seus votos, bem como fazer
asdeclaracoes quejulgarera convenientes.
27 duvida. Que tambem V. Exc. menos bem de-
cidique o juiz municipal pido fazer parle das
turmas, urna vez que for um dos supplentcs convo-
cados nflo havendo raso para ser excluido vis-
ta do linal do art. 33 da citada lei porque, se um
juiz municipal tem de presidir ao concelho munici-
pal, deve ser excuso de formar pacte da junta pois
nem convinchuinac,s(!in necessidade,supplentcs pa-
ra um servico tflo importante como o do concelho,
nem deve tolrar-se tal pratica, pelo abuso que so
pode commetler, como j foi ponderado em aviso
de 9 de noveinbro de 1816.
28. duvida. Que igualmente menos bem resolved
V. Exc. quea nolilicagflo pelo escriv&o a lodos
oseleitoresnfiolie essencial, servindo a aOOxacSo
de editaos em lugares pblicos para que coinpare-
cam lodos os oledores e supplentes, como se v do
art. 4." da lei ; porque he indispensavel a notilica-
Qflofeila por olliciaesdc juslica pois o mesmo art.
4. da lei das eleices so exprimo por estas pala-
vras: Convocar uomiualmoulo por editaos... c
por nolilicagflo feita por ollicial do justiga.
29. duvida. Quo menos bem resolveu V. Exc.
quo pelo art. SOda lei nflo est do corto o juiz de
paz mais votado presidente da junta inhibido de ter
voto as dccisOesdclla pois que esse artigo se re-
fere ao juiz de paz que estiver cm exercicio o quo
pode comparecer, assim como os vigarios na quali-
uadede informantes; mas que todava o juiz de
paz que presidir junta, nflo tem voto como qual-
quer mcuibru della poiemsimo de qualidade quo
compete aos presidentes em todos ostribunaese
corporaces segundo se acia eslabelecido as Icis
que a especial de eloicOes nao dorogou e portante
se sedor ocaso, que deu na junta qualilicadora da-
quella freguezia, de ficar impedido um dos seus
meHIbros, que tem de ser substituido, conforme
determina o art. 29 da citada lei nflo devo o juiz
de paz presidente votar e sim os outros tres mem-
bros da mesa, por analoga e indenli.lado do rasflo
do que se prescreve nos arta. 10 o 12; Meando V.
Exc. na intelligcncia do que ao presidente da junta
qualilicadora cabe votar, e em primeiro lugar,
B Mil ii iBiiunnakinr- rn>- ra
do de Gilberto, e fitaram-se na carruagem de Ta-
verney.
Permita, sargento, dsse o bar3o, quizera fal-
lar a esse rapaz, duas palavrass.
Quatro, Exm. senhor, c oito, disse o sargento ;
uo Ihe falta lempo, emquanto se l urna arenga a
porta do convento tem V. Ex. urna boa moia hora.
Passe, so moco.
Dizc-m c, velhaco, perguntou o barflo a Gil-
berto, que unga andar o seu passo ordinario, por
que acaso ests tu em Saint-Donis, quando devias
estar cm Taverney ?
Gilbertocorlojou de novo a Andrcza e ao barflo, e
respondeu:
iNflo foi o acaso, senhor, que aqui me trouxe ;
foi um acto de minha vontade.
Como, biltre! da la vontade Tens acaso tu
urna vontade'!
Porque nflo Todo o honiem livre tem esse di-
reito.
Todo o honiem livre! Ali! tu cnlflo julgas-te
livre, miseravcl?
Sem duvida, pois que nfloslibjeitei a minha
vontade a pessoaalguma.
Ora aqui tem, por minha f, um engracado ma-
clo, exclamou Taverney, estupefacto da segurida-
de com que Gilberto ra lava. Que! tu em Pars! e
como veste?.....e por que modo, fazes-me favor de
alzarr
A p, disse Gilberto lacnico.
A p. repetio Andreza, com ares de com-
paixflo.
Equovenstu fazer a Pars, perguntocu? re-
plicou o barflo.
comprehensivo das condigOcs
com que Manoel Antonio dos l'assose Silva arrendara
o telheiro que servio de cavallarice do regiment de
arlilharia, e a casa terrea que lica contigua a osse
telheiro.
DitoAo inspector da thesourara das rendas
provinciaes, declarando que o Mol do thesoureirods
mesa do consulado provincial podo ser ompregado
Como amanuense em qu ilquer das secces da mes-
illa mesa, seinpre que se nflo adiar substiluindo o
referido thosoureiro.
Dito Ao mesmo, ordenando faga enllocar um
lampallo na rampa do caes do arsenal do marinha,
que lica ao lado do Mol da carreira. Participou-so
ao inspector interino do mesmo arsenal.
Dito Ao juiz de paz presidente da junta qunlili-
cadora da freguezia do Tracunhflem, devolvendo, a-
flm de serem assignadaa por lodos os membros da
inesina junta, as actas que acoinpanharam o seu olli-
eio de 8 do crrante.
Portara Nomeando o 1." lente e comman-
dantc do brigue-oscuna Leopoldina, Candido Jos
Ferreif a', para roembro do concelho a queso refore
o act. 4. (lo decreto n. 358, de 14 de agosto de 1815.
Parlicpou-se ao capitflo do podo.
i:;1
A

JO.
!i'
't.
Alfande
RENDIMEM'O DO DIA 26........... 14.099,203
Descarregam hnje, 27.
Uriguc -- Conceic Brigue --San-Domingos dem.
IMl'OKTACAO'.
San-Domingos, brigue portuguez, viudo de Lisboa,
entrado ueste mez, consignado a Mondes & lacroso,
manifestou o seguinte:
98 pipas, 20 meias ditas o ir.o barris vinbo tinto, 6
meias pipase 35 barris vinho branco, 10 barris chou-
ricos, 10 ditos paios, 10 dilos presuntos, 10 caixas
loucinbo, 100 barris cal virgem ; aos consignatarios.
3 pipas e5 barris vinho, 2 pipas vinagre, 3 barris
azeite doce; a francisco Severianno (tabello & Flho.
3 pipas e.5 barris vinho tinto, 2 pipas vinagre, 2
barris azeiledoce ; a Machado & Plnhciro.
3 barris azeite doce, 30 ditos vinagre ; a Antonio
Sebastiflo dos Sanios.
12 pipas e5 barris vinho tinto, 3 pipas c 4 m
ditas vinagre. 10 bairis vinho branco ; ao capitflo
1 caxote rol helos improssos; a Jos Marques da
Costa Soares.
10 pipas vinho tinto, 40 barris azeite doce, 10 ditos
Primeiramentc
minha fortuna.
Tua educac,flo !
Tenho essa certeza.
Tua fortuna!
Assim o espero.
E que fazos por emquanto? mendigas?
Mendigar! disse Gilberto com soberano des-
prezo.
i: entilo, furias ?
Furte-lbe ou jamis alguma cousa, senhor?
disse Gilberto com acento Mimo e altivo, que cha-
mou a utlencflo de Andreza para o estranho man-
cebo.
Que fazos lu cnlflo com essas mflos do pregui-
50SO?
O que faz um homem de genio, com quem que-
ro parecer-me, quando mais nflo soja, na perseve-
ranca, respondeu Gilberto. Copio msica.
Andreza olhou para elle.
Voss copia msica ? disse ella.
Sim, minha senhora.
Entflo, sabe-a? accrescentou a donzella desde-
nhosamente, e no mesmo tom com que dira : voss
mente.
a minha educarlo, edepoisa
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade o/ficial da im-
perial ordem da fosa, cavalleiro da de Chrislo, e ins-
pector da alfandega de 'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no da 27, (boje) ao meio-dia, na
orla da mesma, se ha de arrematar cm hasta pu-
lica urna barrica com 18 grozas do colhores de la-
tflo no valor de 140,000 rs. 42 pares do casticaes de
dito no de 80,000 rs., o lOduzas dllorcs de dito
no de 30,000 rs. impugnada pelo amanuense Do-
mingos da Silva Guimarflcs, no despacho por factu-
ra de Brendor a Brandis & Companhia ; c na mesma
occasflo se hilo de arrematar 12 pares de casticaes
de latflo, 110 valor de 36,000 rs., o urna serpentina,
no de 25,000, impugnados tambem pelo mesmo ama-
nuense, no despacho por factura de Samuel Power
Jobonston & Companhia sendo a arrcinala^flo sub-
jeta a direitos.
Alfandega, 25 do julho de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Sabio luz, e vende-se na praga da Independen-
cia, livraria, ns. 6 e 8, pelo preco de 160 rs. cada
cxemplar, o >,
CATECHISMO
DI
SJ@<3ffifl IBJB.&IIBI
j
9
EXPLICADAS
A cmara municipal da cidade de Olinda e seu termo,
em virtude da lei, ele.
Faz saliera todos os seus nmncpcs, que o Exm.
Sr. presidente da provincia, cm virtude do impe-
rial aviso de 17 de junho prximo passado, tem de-
signado o dia 19 de setemhro prximo futuro paca a
eleico primaria para dous senadores por esta pro-
vincia, para prcenchcrcm as vagas deixadas pelo
concelhoiro Antonio Carlos Itiboiro de Andrade Ma-
chado e Silva e o coronel Jos Carlos Mairnk da Sil-
va Ferrflo ; o o dia 19 de outubro subsequente para
a reuniflo dos collcgios oleitoraes para a eleicflo se-
cundaria. E para constar so-passou o presento quo
ser allixado nos lugares pblicos do costume, e na
porta principal do cada urna das matrzes deste mu-
nicipio, o das capailas curadas que lhes sflo annoxas.
Cidade do Olinda, 17 de julho de 1847. -- Jos Joa-
quim de Almeida Quedes, presidente. Jodo Paulo
Ferreira, secretario.
Declaracoes,
Contratos a celebrar-se com a thesourara das rendas
provinciaes no mez de agosto prximo futuro.
Dia 11.
Oda illuminacflo agaz das cdadesdo Bccife e Olin-
da, na forma do artigo 3.' da lei provincial n. 191, do
30 de margo de 1847.
Dia 16.
O doestabelecimento de urna linha de mnibus,
que, na forma da loi provincial 11. 191, de 30 do mar-
co deste auno, facilite o transito dosta cidade a qual-
quer (los seus arrabaldes e Olinda. Este contra-
to ser realisado depois quo a presidencia assim o
determine, vista das propostas que por intermedio
da thesourara Ihe forom apresenladas.
Cadeiras vagas deprimeiras lettrat.
A de Caruar, cujo concurso lera lugar logo que,
Preguicoso!
A principio decore asaras, e depois como es-
sas ariaa eram escripias cm um melbodo, aprend
pouco a pouco e a poder de trabadlo a lr nesse me-
thodo.
. No meu methodo! disse Andreza no cumulo
da indignaefio, voss linha a ousadia do tocar no meu
methodo?
Nflo, minha senhora, nunca tomara essa liber-
dade, disse Gilberto; mas, como elle Mcavaaberlo
no cravo, ora n'uma parte, ora na outra, procurava eu
ler sem tocar-lho, he o que fazia : os meus odios nflo
podiam sujar-lhe as paginas.
Vers quedaqui a pouco, dsso o barflo, este
ladrflovomdizer-nos quo toca piano comollaydon.
Provavelmenle saberia eu tocar, disse Gilberto,
se me bouvesse atrevido a por os dedos as teclas.
Claras e succntas perguntas e respostas, adapta-
das s capacidades novis, acerca de diversos objec-
(os, com o conhecimento dos quaes devem os meni-
nos sabir das escolas de primeiras cticas, paca que,
aotransporem o limiaedas aulas maioces, nflo en-
tcem odias s cegas, e em estado de nflo pecceberem
a linguagom dos preceptores : eis o que contm esse
apreciavol liyrinho.
Leiam-no os directores das preditas escolas; e de
certo o adoptarflo, de preferencia a outros muitos
que estflo em voga, sem que tenham o mrito do que
orase annuncia.
Avisos diversos
Quem precisar de urna mulhcr para ama do
casa de homem soltciro, ou viuvo, ou para casa de
alguin padre, dirija-se a ra do Rangel, n. 71.
Na porla do Sr. Dr. juizdocvcl da primeira
vara, hoje, 27 do corrente, pelas..* horas da tarde,
por ser a ultima praga, se ha de arrematar um quar-
lo rugo, por execugflo do Thnmaz de Cordeiro con-
tra Thomaz de Encantuara Gomes.
Jos Antonio Correia Jnior, solicitador do nu-
mero da relagflo e mais auditorios desta cidade, faz
scienteao publicoe a seus constituimos e mais pessoas
quo com o annunciante tenham ou queiram ter qual-
quer negocio, ou IransacgOes, quo mudou a sua re-
sidencia paraa sua casa da ra da Concordia, por de-
trs do Carmo, passando a pontozinha, a esquerda a
quarla casa, e quo tem marcado todos os das uleis
do meio-dia as tres horas, para dar audiencia a
quem Ihe pertender fallar.
Pede-se ao freguez do chocolate da venda da
travessa das Cruzos, 11. 14, que queira ir maisamiu-
do na mesma venda para acabar com o mesmo cho-
colate maisdo prossa, pois quo o dono at ao pre-
sente nflo se tom agaslado.
Precisa-so alugar, para ama de casa, quem'en-
tenda principalmente do cozinha, qur seja forro,
quer captivo: no pateo de Nossa-Senhora-do-Tergo,
n. 16.
Aluga-se um segundo andar por 10,000 rs. men-
saes, na travessa da Madre-de-Deos, n. 5: a tratar na
praga da Independencia, ns. 13 e 15.
O lllm. Sr. Dr. Antonio do Souza Cirne Lima
tem urna carta na ra da Cruz, n. 23, primeiro
andar.
Hojc, 27 do corrento mez de julho, se hilo de
arrematar em praga publica do Sr. Dr. juiz do civel
da primeira vara desta cidade tres partes de urna
casa sita na ra de San-Jos, n 60, pertencentes aos
executadosJoflo.Smoes Ferreira, Miguel dos Anjos
Ferreira e Manoel dos Anjos Ferreira. He a ultima
praga.
para serenar o pai;
a exagcragflo exclua a supo-
E Andreza, mo grado seu, langou segundo olhar
a esse rosto animado por um sentimento, cuja idea
nada pode dar, excepto o vido fanatismo do martyr
Mas o barflo, que nao linha n'alma a serena e ja-
telligente lucidez da lidia, senlira accender-se-lho
a colora ao reconhecer que o mancebo linha rasflo
eque em deixa-lo em Taverney em companhia de
Conhcgo as notas, che quanto basta para ser Mahon se haviacommettido contra elle urna desln.
copista, respondeu Gilberto. I man idade.
E onde diabo aprendeste lu as notas, ma- Ora, como dniclmento pordoamos a um infer
rolo?
Sim, disse Andreza sorrindo, onde as aprendeu?
" Senhor barflo, cu gosto profundamente da m-
sica, e como todos os das madeinoisella passava
duas ou tres horas ao cravo, oscondia-me para es-
cular. r
or
a sem-rasflo do quo ello nos pode convencer, o ba-
rflo esquentou a praporgflo que a Mlha abrandava
Ah! salteadorznho I exclamou elle, tudeser-
las, tomas-te vagabundo; e quando le pedem con-
tas do leu comportamento, recorres a frioleiras, co-
mo as que acabamos de ouvir. Pois bem como inflo
quero quo, por minha culpa, se augmente o numero
de ratonciros e ciganos.....
Andreza fez um movimenlo
porque conhecia que
rioridade.
Mas o barflo retirou a protectora mflo da filha. e
conlinuou :
Eu terefommcndarei a M. dcSartincs, o irs
dar um passeio a Bictro, brejeiro de philosoplio.
Gilberto deu um passo atrs, carregou o chapeo
debaixo do brago, e pallido de colera
Senhor barflo, dsso elle, saiba quo depois quo
estou em Pars acbei protectores, a quem M. de Sar-
tines trata com muilo respeito.
Ah! a cousa he assim bradou o barflo, pois
se escapares a Bictre, nflo escapars ao chicote.
Andreza, Andreza, chamai vosso irmflo que est all
perto.
. Andreza abaxou-se para Gilberto, e dsse-lhe com
imperio
-- Est boni, senhor Gilberto, rotire-se.
Filippc, Filppe, gritouovelho.
Retire-se, repeli Andceza ao mancebo, que
mudo e quedo se conservava cm seu lugar, como cm
em exttica conlemplagflo.
Um cavalleiro, que acudir ao chamado do barflo,
correu a porlinhuia do coebe : era Filippe de Taver-
ney, em uniforme decapilflo. O mancebo vinhaao
mesmo lempo esplendido e alegre.
Oh Gilberto disse elle com bondado ao reco-
nherer o rapaz, Gilberto aqui Adeos!... Que deseja
de mim, meu pai ?
Bqns dias, senhor Flippo, respondeu o rapaz.
O que tu desejo, exclamou o barflo, paludo de


ROTERA DO THEATRO.
Osapaixonados deste jogo e aqulles que desejam
hal,ltar-se para adquirirom os premios grandes des-
lotera, silo convidados, em tompo, a concorrem
ara ullimar-se a venda dos billieles que restam nos
{yares do costume; visto que a rapidez com que el-
la tem progredido, faz com que o thesoureiro asse-
,er0 que as respectivas rodas terfo o seu infallivel
andamento nodia sexta-feira, 30 do corrente mez.
__ Precisa-se de um amassador: na padaria da
anta-Cruz, junto ao sobrado da esquina da ra
Vcllia-
__Aluga-se, para o servigo interno de urna casa,
urna nieta fiel, de 50 annos de idade, a qual sabe co-
,er cozinhar e engommar, c fazer todo o arranjo do
urna casa: quema precisar dirija-se a ra da Cruz, n.
40 primeiro andar, para tratar-se do seu ajuste.
'.. D. Jacintha Mara do Abrou, tendo sido mal in-
formada quesea marido, Jos Gomos Villar, eslava
fazendo saques contra sua casa, em prejuizo do ca-
sal o de seus filhos, e que ncslo procedimento se
nortava, como queni no estava om seu perfoito siso;
e tendo por t3o falsas nformacOes feito ao publico,
neste mesmo Diario, de 10 e 14 do corrento mez, an-
nuncios contra aquello seu marido ; veni declarar,
oue tendo oxaminado os falsos saques, reconheceu
no'haverexactidilo, nem verdade as ditas informa-
Cles ; e por isso contramnela, declarando que o es-
tado do sua casa, sob aadministracilo de seu mari-
do, est muito regular.
... perdeu-se, la ra do Hospicio ato a matriz do
Santo Antonio, um alfinete de poito com nove bri-
ihanles pequeos, oncastoado em ouro, com urna ar-
golinha para cordlo, no dia 25 do corrente, as 11 lio-
ras do dia : quem o achar, ou a quem for offerocido,
querendo-o'restituir, dirija-se a mesnia ra do Hos-
picio, n. 15, ao seu dono, o oscrWHo Alcanforado.
-Quem precisar de urna ama capaz, para urna
casa a qual cozinha muito bem todas as quaiida-
rtes de comidas, dirija-se ao becco do Azeite-de-
Peixe.n. 1*.
-. Ezequiel da lic/es do danca, a qualquer hora
do dia que se pretenda, tanto cm sua casa, como em
qualquer outra parte a que fr chamado. O mesmo
poder prestar-sca ensino do dancas as aulas do
primeiras lettras, em horas que llieforemaprazadas,
seassim convier aos respectivos professores. Quem
sequizerutilisardo prestimo do annunciante, diri-
ja-so a ra do Rangel, n. 48.
Oabaixo assignado tem a honra de prevenir ao
lllm. Sr. thesoureiro dos ordenados, l.uiz Rodrigues
Sette, que no pague quatro recibos de 25,000 ris
cada um, da gratificag3o que percebe oSr. Dr. l.uiz
de Frnnga Moniz Tavares, como physico-mr da saii-
de, cujos recibos foram dados em pagamento ao
abaixo assignado; vencondo-se o 1." neste corren-
te mez, o 2." om setembro, o 3." em outubro, e o
5.'em dezo.-nbro deste corrente *anno : e como o
abaixo assignado passasso urna cautela dos ditos re-
cibos, e estes se perdessem, roga, por isso, ao mes-
mo Sr. thesoureiro de os nSo pagar senSo ao abaixo
assignado, ou a pessoa de sua familia, por estes an-
da nilo se acharcm vencidos.
Manuel Antonio de Jess.
Joilo de Carvalho Raposo retira-separa o Rio-
Crande-do-Sul, levando em sua companhia o seu cs-
cravo Domingos.
Hoje, 27 do corrente, se hilo de por em praga,
na porta do lllm. Senhor doutor juiz do civel as
tres horas da tarde, tres escravos' de Joilo Car-
neiro daCunha Albuquerque, por execuco de f)
Anna Joaquina l.ins Wandcrley.
. Alugam-se pretas e moleques : quem os liver
dirija-se a ra Direita n. 2, segundo andar.
Pelo juizo da primeira vara do civel desta cida-
de, a requerimentode Cuclano l'ereira Gongalves
da Gunha, hoje, 27 do corrento se hilo de arrema-
tar os bens seguintes : 10 bois mansos de carro,
urnas garrqtas e alguns animaes cavallares, os quaes
pertenciam a Marcos Bezerra Campello.
OlTerece-sc um Portuguez de prohidade e que
d fiador a sua conducta para se encarregar de
qualquer estabelecimento ; ou mesmo para caixci-
ro decobrancas ; pois que tem milita pratica do ne-
gocio nosta praga : quem de seu prestimo se quizer
utilisar, aununcio.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Nova, n. 5 : a tratar na loja do mesmo sobrado.
Na ra Formosa, esquina da Uniio preci-
sa-se do dous criados para o servigo interno.
Precisa-se fallar ao Sr. Affonso de Almeida
Albuquerque; e como so ignora a sua morada ro-
ga-se-lhe de aannunciar.
Quemannunciou, no Diario de Pernambucon.
155, querer comprar ouro e prata sem feito diri-
ja-se as Ciuco-Ponlas, n. 65.
Precisa-so de um feitorque enlenda de horta ,
pomar eenchertos : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 43.
Alugam-soduas casas terreas pequeas, sitas
na Trempe ra do Sebo, ns. 52 e 54 por 8,000 rs.
monsaes : a tratar no cscriptorio de F. A. de Olivei-
ra na ra da Aurora n. 26.
Um moco portuguez, bastante hbil, so offe-
rece para caixeiro do arniazcm de assucar c como
nilo tem toda pratica necessaria dar algum tem-
po ; quem o precisar annuncie.
Precisa-se de urna mulher branca para dir'8'r
urna casa de pouca familia na ra Nova, n. 25.
-- Quem precisar do urna ama para casa do pou-
ca lamilla ou de homem solteiro, diriia-se a ra de
S-Bom-Jesus-das-Crioulas, n. 11.
- Um mogo portuguez, que tem bastante prati-
ca de venda so oflerece para caixeiro ou mes-
mo para tomar conta do urna por balanco dando
dadora sua conducta: quem de seu prestimo se
quizer utilisar annuncie.
Quem precisar do urna ama para o servico de
urna casa, dirij-ase a ruada Roda n. 17.
Precisa-so de um moco portuguez de 14 a 18
annos, para caixeiro do venda c que tenha pratica
da mesma : na ra do Livramento n. 20
-- Manoel Joaquim da Silva Ferraz faz scionte ao
respcitavol publico, que deixou de ser caixeiro de
Jos Das da Silva desde o dia 24 do corrente ; e ao
mesmo Sr. agradeco o bom Iratamento durante
o tempo que osteve em sua casa.
Hoje, perantco Sr. doutor juiz do civel da pri-
meira vara na ra Nova polas 4 horas da tarde ,
se ha dearrematar urna parte de 388,848 rs. de um
sitio no Arraial, cujo sitio tem o valor de 1:200,000
rs. ao todo: quem pretender comparoga que he a
ultima praga.
O Sr. que veio na ra Nova venda n. 55 ver
um pouco do prata, e quo offereceu 130 rs. por oitii-
va, ainda querendo, venha buscar.
Offerece-se urna mulher branca, de idade, para
ama de urna casa de pouca familia obrigando-se a
cozinhar : quem de seu prestimo so quizer utilisar ,
dirija-se a ra da Guia, n. 55.
Precisa-sede un) caixeiro, de 12 a 14 annos,
que tenha alguma pratica de venda e que d fiador
a sua conducta : na ra de Agoas-Verdes n. 13, se
dir quem precisa.
--Na loja da ra do Qucimado n. 30, de Jos
Joaquim do Novaes alm do sortimento j annun-
ciado de obras fcilas o fazen.Ias ha chapeos-da ul-
tima moda chegados ltimamente de Franca ; mui-
to boas casimiras ; chapeos do Cbili muito tinos;
caixas de porfumariassurtidas, muito proprias pa-
ra toncado!*de senhora pelo barato prego de 5,000
rs.; lengos do cassa para inflo de senhora e pescogo
do homem ; minios botiStCrcts de chita.
Precisa-se do uina ama que saiba bem cozi-
nhar, o que faga o servigo interno do urna casa de
pequea familia : na na da Alfandcga-Velha, n. 5.
Quem quizer dar tros a cinco eoli-
tos de rs. a premio pelo tempo que se
convencionar dando-sc por seguranca
predios nesta praca annuncie, ou diri-
ja-se a ra Nova, n. 3q, segundo andar,
que se dir quem he o preteudente.
Do sitio do doutor Jos Bento cin Ponto-de
Uchoa desappareceu nodia 12 do corrente, una
canoa de carreira aborta um tanto velha ; tem
dous bancos, aslaboasdo estrado da proa desne-
gadas, e foi calafetada ha poucos dias: quem lva-
la ou der noticias certas no Aterro-da-Boa-Vista,
n. 37, segundo andar, ser generosamente recom-
sado.
-- Francisco Pinto da Costa
Lima, alfaiate, morador na
ra larga do Itozario, n. 40, precisa de ofTiciaes de
scuofllco e costureiras: tem para vender pannos
pretos, azues e verdes; bous brins, velludo o cha-
malote; boles de osso preto c branco; linba do car-
retel, de cabega prata o branca; hollandas para forros
c algumas oirs fritas.
Casa decommissaode es-
cravos.
Na rua Direita, n. 3, sobrado de 3
andares, defronle do becco de S .Pedro,
recebein-se escravos de ambos os sexos,
para se vendercm de commissao, nao se
levando por este trajialbo mais do que
i por cento sem se levar cousa alguma
de comedorias, e olterecendo-se par isto
toda a seguranca precisa para os ditos es-
cravos.
Quem precisar de urna ama secca para casa de
pouca familia, ou de homem solteiro, dirija-se ao
pateo do Carmo confronte a ordem tercena, u. 35.
Precisa-se alugar un preto que saina cozinhar
o diario de urna casa de pouca familia : na rua do
Collegio n. 9, loja de miu.lozas.
O ongenheiro Milet cusma na sua casa, rua do
Crespo, n. 14, primeiro andar, as seguintes sc.en-
cias: ahithmetica, ceomrtma, algebra, ciiymica
C -TAcoclieira ingleza da rua do Cano recolbc ca-
vallos e carrinhos por prego commodo, tanto men-
slmente como por dia : o dono deste eslabelcci-
mento se obriga a tratar ludo com o maior zelo pos-
sivel. ____
Ainda estilo para alugar as casas terreas de ns.
27, 29 e 31, sitas na rua Real, junto ao Manguinho.
com bastantes o bons commodos, quintal e porto
de embarque : a tratar com Manoel Percira Tcixei-
ra morador prximo aquello lugar.
*' : PASSF.IO-PUBLICO, N. 5. < >
3"j Joilo Loubet participa a todos os seus5|ej
fregus que recebeu ltimamente um grande sor-
timento de chapeos do sol, du ultimo gosto pari-
sienso, tanto para senhora como para homem ; os
quaes se lornam mu uccommendaveis pela sua qua-
lidadee variagOes do gosto, sendo elles de boas
sedas e panninhos, pois se conservara as suas cores.
Ha ueste mesmo estabelecimento um grande sorti-
mento de boas sedas de todas as cores e superio-
res panninhos trangados c lisos de muito boas
cores para cobrir chapeos do sol. Tambem se fazem
todos os concertosquo os mesnios precisaron, com
lodo gosto promptidilo e diminuto prego.
Joilo Loubet avisa a todas as pessoas quo lecm
em seu poder chapeos de sol para concertar ha mui-
to lempo os quaes ja estilo promptos os vilo bus-
car no prazo do 8 dias ; do contrario, scr.lo vendidos
por todo o prego quo se achar pois nilo pode ter
por mais tompo empatado o seu trabalho: por isso faz
o presento aununcio, para seus donos so mo cha-
maron a ignorancia.
ATTENCAO'.
Os senhores nogociantes que liverem boas divi-
das fra desta praga, equi/.erem que o abaixo as-
signado as va cobrar para o quo se julga eminente-
mente habilitado pois nfu paga a advogado, i>o-
dem dirigir-so ao a.lvogado Jos Narciso Camello,
cujas dividas j cobrou o abaixo assignado o ah
deixarem seus nomes por escripia para o abaixo as-
signado OS procurar. Joaquim Fiancisco Baptista
de Mello Oxal.
Vendas.
FUND CAO
r
D'A tf# 0/?^-
!. ST.tR
. proprictarios deste
antigoestabelecinicnlo.avisam aos seus freguezescao
publico em geral, que elles sempre teem um gran-
de sortimento de modulas do lodosos lmannos,
fabricadas cm suas ollieinas, tendo, portanto.a
fortidilo, solidez, boa eonstrucgfio e melhorameii-
tos, quo a pratica de longos annos tem mostrado
seren necessarios o que as obras de carregagilo
oll'erccidas aqui com tanto einpeiiho, nunca se
aeha. Possuindoosannunciantes para aperfeigoar
as suas obras os apparelhos mais modernos e com-
pletos quo a ciencia vai iudroduzindo, nada deixam
a desojar; e tendo adquirido com grandes despezas
um crescido c indispensavel numero de olliciacs pe-
ritos lias suas prolissoes, e cscolhidos de entre os
melhores da Europa acbam-so verdaderamente
habilitados para offerecorcni com perfeita conhan-
ga aos Sin s. de engenho a grande vantagem de po-
dereni sem recoio aprompUr qualquer obra com
aquellas brevidade o pontualidadc tio inuispensa-
veis aos seus importantes interesses. Nesla fabrica
tambem l'azein-se rodas d'agoa todas de erro ,
moendas, machinas de vapor e toda qualidado
de machiniSDlO por maior ou mais diflicil que se-
ja. Advertindo-se que todas as obrassflo garanti-
das, offerecendo desta maneira a mais ampia se-
guranca de sua boa e fiel exocuco.
- Na nova loja de Francisco Jos Toixeira Bas-
tos, na rua do Qucimado nos quatro cantos, n. -o.
vende-se algodilo da trra encorpado e largo, om por-
ga o e a ictalho.
Chcgou a esta cidade o Medico c o Cirurglao da
Roa, novo Halado completo di- medicina e Clrurg do-
mesticas adaptado ;i iiilclligencia de todas as classc no
povo, por L. F. Bonjean, doutor em medicina pela rci
universidade de Tiirim; clrurglSo mor honorario d
armada sarda ; agraciado por S. M. o re Carlos Alberto
com a nirdalh.i d'ouro com a afflgie do mesmo augusto
monarclia ; approvado pela faculdade de inediciua do
Rlo-de-Janeiro ; ineiiibro titular da academia imperial
de medicina, menibro correspondente i'a ociedade real
acadmica de Sabola, das de medlelna-pratica o medl-
co-pratica, c do instituto histrico de Pari.
2 voluntes aecompanliados de 64 estampas.
Aununclando publicafo do Medico e Cirurgiao de
Rta, os editores se llsongcam de prestar um servico
Importante aos individuos de lodis as classes sociacs,
principalmente aos habitantes do interior do paii, me-
nos accessiveis s visitas protisionaes.
As despcias enormes, inseparaveis da iinpressao de
um liando, oin que .impamente se diseutissem as Ma-
terial Interwsantea i madiolna o ctrnrgla domestica, cn-
careceriam a obra, tornando assim mais difticultosa a
sua vulgarltacSo. O autor do Medico e do Cirurgio da
Roca vencen lao grande enibaraco, alliando a concisao
com a clareza, e pondo as immensas vantagens desse 11-
vro precioso ao alcance de todas as fortunas c de todas
ai intelligeacias. Honra Ihe leja felu!
A ijphTlIl, as bonba o oulras molestias desta ordem,
que reclainavam iniior desenvolvlmento, "oceuparam
com particularidade a escrupulosa alinelo do Sr. Dr.
Bonjean, Seguro com o testeniunho de sua esclarecida
coniciencia, e reflectindo sobre os niales incalculaveU
que estas enfermldadea causain bumaiidade, (|tiando
nSo sao convenientemente tratadas, elle nao recuou
diante de preconccltOS populares que o cliarlalanisnio
alimenta, e atacou esse preconceltos com ai armai da
scicncia e a frannueza t^onsta a obra de dous votumefl .'
O primeiro conUm urna Introdcelo preliminar, re-
lativa medicina pratica, e historia geral e parcial
das febres, hemorrliagias, inllainma((Vs, molestias cu-
laneas, das dentis enfermldadea proprlaineau medi-
cas, com as ococs indispcnsaveii sobre a prenh.v, .>
parto, o receinnascldo c as amas de leile. No ndice
deste voluine deixou-se de mencionar par descuido o
artigo dasGonvulifles ein geral, e das de reeeumaacl-
do em pai licuhripie se aeia pagina n. v>9.
No segundo voluine, dividido em quatro paites, tra-
ta-se das-molestias d'olhosda sypliilisda pequena
cirurgiaedo formularlo c vocabulario.
Na primeira parle o autor orcupa-se da descripcao do
olho c ii ns annexoi da historia geral e particular da
ophllialiiiia ; dos svmploinas, sede, causa, toruiiiiacao
e iratamento della ; de sua dlvliao em simples, especi-
lica C composla ; da descripcao e iratamento das ulce-
ras, cicatri/.s, granulacdes, pannos, leas, manchas,
esenridao, bel ida, hernia e itaphyloma da cornea ; pte-
rygio, fccluioo edilatacao dapupilUj glaucoma ; sy-
nechla interior c posterior; nynoploni hydropbthai-
inla; atropina ; phlecmSo e deeneracao lo olho di
catarata e Illacomplleacao, e dill'erenca da amaurosis ,
dos syihptoinas caracteristicos da catarata e da amau-
rosis iniciantes; da fraqueta da vista; amaurosis ; das
cataratas falsas, suas causas, tratamento c coudi90es
geraei do xito da operaco.
Alugani-se tres casas terreas,
heceo do l'cixolo, pelo
no
preco ie cinco
res cada urna : a fallar na rua do
Crespo, n. 15, com A. da (1. S. ('
-OSr. Joo da Silva tem una carta na rua do
Crespo, n. II viuda do Ceara, remettida por um
seu filho une existe naquella provincia.
__ Aluga-se nina grande casa terrea, na
rua Augusta com bons commodos, para
grande familia, pelo pceo de dez mil ris s
a fallar com A. da C S. C, na na do
Crespo, n. i5.
Compras.
furor, he que castigues ste malcriado, que o soves
com a bainha da espada.
Mas que fez elle? perguntou Iilippe, olhan-
do alternadamente c cada voz mais espantado para o
barSo furioso, e para Gilberto impassivel.
Nilo perguntes o que fez, bradou o baruo, da-
Ihe, Filippc, da-lhecomo quem d n'um cao.
Taverney voltou-se para a rina.
Entilo que fui isto, Andreza, dize, ter-le-ha el-
lo insultado?
Eu I exclamou Gilberto.
NSo, Filippe, nflo fez nada, resi>ondeu Andreza;
mcu pai enfadou-se sem rasSo. M.Gilberto nilo esta
mais a noso servigo; teto, portanto, todo o direito de
ir para onde approuver. Nooquermeu pai en-
teuder as0im, j ao v-lo aqui encolensou-se.
Ileso isso i" perguntou Fihppe.
Nada mais, moumaiio, e nSo posso comprohen-
deroagastamento de M. de Taverney, sobrettidoa
tal resucito, quandosemelhantes cousaso somelhan-
tc gente nao merecen) sequr um oll.ar. Filippe, ve
8eODS;atTdo3o pela serenidade inteira-
"'Gilbenoa^Suacabeca, esmagado por tal des-
mezo Um rao lbe passou pelo coragSo, eque nare-
ci. d lanco.- Preferir elle um golpe mortal.^a es-
pada d Filippe, e al urna sangrenta ch.colada.
ffi?WnTeSiemoDwnlo acabava a harenga,
doP;ue0resUuitunrecobrarem os coches o movunei.to
O do barao desviou-se pouco e pouc-voutros o se
guiram; Andreza evaporou-se como um souho.
Gberto achou-se so, prestes a chorar, prestes a fa-
zer um desatino, incapaz, ao que elle pelmonos
suppunha, de resistir ao peso de sua desgraga.
Urna milo se lbe poz cntflo no hombro.
Voltou-se vio Filippe. que, tendo-so apeado e en-
tregado ocavallo a um soldado do seu regiment,
voltava-sc-lhc sorrindo.
Ora vamos, que aconteceu entilo, mcu pobre
Gilberto, o porque ests tu em Pars ?
Este lom franco c cordial tocou o mancebo.
Oh I -senhor, disse elle com um suspiro arran-
cado ao sou severo estoicismo, que fazia eu em Ta-
verney ? Teria morrillo do dcsesperago, ignorancia
Filippe estremeceu, porque como a Andreza, lho
abalara o espirito imparcial o doloroso abandono em
quo haviam doixado o rapaz.
E tu esperas fazer alguma cousa cm Pars, mcu
pbro Gilberto, sem d,inheiro, sem proteegao, sem
recursos ? fl
Espero-o,senhor: o homem que quer tranainai,
raras vezes morre do fome, onde ha outros homens,
que nada desejam fazer.
A' esta resposta, Filippe estremeceu. Nunca em Gil-
berto vira elle mais do que um domestico sem im-
portancia.
_ Comes tu, ao menos ? disse elle.
Ganho meu pilo, senhor Filippe, e nada mais lio
preciso a quem s se increpava de comer o pao que
Dalec"ehioaquo naodizes isso, referindo-te ao que
todavam era Taverney, meu filho. Teus paiseram
Compram-scduas cscravas e um moleque, que
tenham de 19 a iO annos, e de boas liguras na rua
-- Compra-sc urna rodado bomba de fciro : quem
tiver annuncie.
Continia-se a comprar ferro rundido, cobre e
bronze velho : na rua do Brum, n. 8^
bons servidores do castello. o at tu fcilmente te
tornavas til. ,
Eu, senhor, so fazia o meu dover.
Escuta, Gilberto, continuou o mancebo ; sabes
tiuc sempre te amei; sempre te vi com diversos olhos
Jos outros ; se com rasflO 0U sem ella, o luturo m o
dir. Tua rusticidad.- me pareca delicadeza; a tua
srosseria charoava ou orgulho.
Ah '. senhor cavalleno, disse Gilberto respi-
rando.
Eu quero-te bem, Gilberto.
Obligado, senhor. .
Era rapaz, como tu, infeliz como tu na minlia
posicilo ; dahi procede talvez que to compreho.uli. A
fortuna sorrio-me un dia; dcixa-tne, pois, ajudar-te,
Gilberto! emquanlo a fortuna le nosorri lamben).
Obricado, muito obligado, meu senhor.
Ouc'iueres tu fazer? dize-meca ; 0 teu orgu-
lho n.lo lo permillo quo te ponhas a servir.
Gilberto mencou a cabega com desprezadur sor-
riso. ,. ..
__ Oucro esludar, disse elle.
Mas, para estudar, sao preciaos mestres, e para
pagar mestres, he necessario dinheiro.
~- Eu ganho-o, senhor. -
_ Tuoganhas? disse Filippe sorrindo, dizc-me
c. e auanto gandas tu ?
Ganho cinco tusloes por da, e posso ganhar
seis eat oito. m
Mais isso mal chega para comer.
Gilberto sorrio-so.
A segunda parle respeita as molestias^ syplnliticas.
gbnilderada eni duas classes, a saber t 1. ClaSM, Ai-
feccflCl virulentas, ou sypbilisprimltiva-cancros, as-
ciissos, bulle, e curativo; 2.' classe. Syphilides-dc-
Cnica", aprarieao, sede, Cftr, formas, especies, com-
plicac.Vs, terrainacio, rgimen, e tratamento. A que
dse cumpre .levar o mercurio para d.bcllar a syplu-
lis ? Metliodos de Boerbaave e Bontpelller. l'tyalismo
ou sallvacio | diarrhea eczema e cacliexia mercurlaes.
Accidentes nervosos occaslonados pelo emprego do mer-
curio. Rcilexocs acerca do iodo, ouro, praia c mercu-
rio iua a.bninistracao, modo de obrar, c preparares
appllcada como anll-iypbllltica. Orcbite, quedado
cabellos e niil.as ; tubrculos profundos da pelle. DO- .
res osteocopas; perioslite, osteilc, e gommas.
Molestias pundo-iyfhililctu. Illeiiiiorrhaglaa; estrei-
tainento do canal da uretra; retcncao da urina ; phy-
mose; parnpl.y.nose. Iloubas, sua descripcao, inani-
festacS, Invado, marcha, roodificacao, sede, varieda-
des, dlflferenca da lyphllii, e traUmento.
Prophyloxia ou traUmento peraervatlfo da syphiiis.
Materia da lercelra parte, que versa sobre a pequea
cirurgia -Sangra cu geral : sangra do braco, do dor-
so da ma.i, don < dopescoco. Sanguesugas. \enlosas.
Escarlflcacea. Vealcatorin. Cauterisacao. t-auteno, lon-
tc ou exutorio. Cauterisacao das feridas envenenadas,
do carbnculo, da pstula maligna c bcmorrbagias-
Moxa. Sedenbo. Fracturas em geral. 1 ractura da clavi-
cula, doliuni.ro, ,.,,1,-braco, radio r cubito; dos os-
sos da iniio, lo fmur, da rodela, p c perna. Me.os
euipregados para curar as fracturas, acompaiihados de
84 ,'siainpas reprudutlndo exactamente cssas fracturas,
os meioi de redu/.i-las, e as ataduras, ligaduras e appa-
rellios parata conservar rediiiidas.
O formulario c o vocabulario dos termos scicnlilico
emnregadol pelo autor na confecciio da obra, consli-
tue n a miara parle. No formulario se mencionan, a
prop. edades equandadei dos medlcamentoi aconse-
I a, ,.s ; umitas eceitas par.ieubrcs e ludo quanto res-
pelta 4 preparajSo e admlnlitraco da ergotlna, ullin.a-
nente descoberta pelo IrmSo do autor.
Aimpressaodaobrabc frita com toda a nitidez em
papel excedente.
Vende-se na botica de llartliolomco Francisco de Sou-
/.a, por 8D0O ris.
Maaaaajaiu
O seu prestimo a mim, senhor Filippe.
Sim, o meu prestimo. Envergonbas-to do oa-
ceitar ?
Gilberto mo respondeu. .
Os homens nesto mundo Sao para so ajuda-
rem, continuou M.son-Rouge; nilo ido elles MM
Gilberto ergueu a cabega, e litou os.ntelligentes
olhos no nobie rosto do mancebo.
Admira-te esta lingoagenif disn.o olie-
__ Nflo senhor, disse Gilberto, dea hngoagemda
pdilosobia, mas',,10 cslou habituado a ouv.-la em
g^,snlsn^^avia esta .in|oagem he. da
o-i raco. At o .lelpbim professa estes pr.nc-
os Oa nao te fagas orglboso commigo, eonlinuoa
Hni e o que eu te emprestar pagar-me-has de-
pois. Quem sabe se ...lo seras un. da um Colbert, ou
un. Wauhail?'
Ou um Tronchin, disse Gilberto.
Pois sim Aqui est a minha bolsa, repartamos.
Obrigado, senhor, disse o indomavel mancebo,
locado, sem querer confessa-lo, da admiravel expan-
sao de Filippe; obligado, eu de nada preciso ; com-
tudo .. couitiido lico-lhe ainda mais reconhecido,
creia-mc, do que seaceitasseoseu offereciment.
E com isto, saudando Filippe o estupefacto, met-
teu-se presuroso por entro a multidao e desappa-
receu. .
O mogo capitao esperou alguns segundos, como
quem n.lo podia crer os proprios olhos o os ouvidos;
mas, vendo que Gilberto n3o tornava a apparecer.

n

- oTatalvez"eSu nao me saiba haver para te otte- montn a cavallo e foi para o seu, po^
recer o meu prestimo. I
MUTILADO


21
m
m
^m

Vendem-so caixas de cha hysson, do6, 12o13
libras, om porges, ou a rclalho ; caixas de volas
de espermacetedeSc 6 cm libra : na ra da Alfan-
dega-Vellia, n. 36, em casa de Malheus Austin C.
AOBARATO.
Na nova !oja de Francisco Jo-
s Tcixcira Bastos, nos q na-
fro-cantos da ra do Quei-
mado, n.O, que faz esquina
para a ra estreila do Roza-
rio, vendem-se
fazendas novas, bem como : brim pardo trancado
depurolinho, a200rs. o covado ; dilo superior, de
cores as mais modernas a 1,500 rs. a vara; algo-
(1:1o trancado de listras, americano, a 180 rs. o co-
vado ; dito cncorpado a 200 e 240 rs. o corado
chitas escuras de cores lisas a 100 e 180 rs., o linas
de novos padrOes a 200 rs. o covado ; ditas impe-
laos a 300rs. o covado ; ditas oscuras e ordina-
rias a lOe 140 rs. o covado; cortes lo caml.raia
lina, decores, a 3,200 rs.; pecas de bretanha de rolo
com 10varas, a 2,000 rs. ;ditn de puro linho a 390
rs. avara ; dita muito lina a040 rs. ; merino nie-
to fino e de cores a 1,280 rs.; panno fino preto ,
a .1,000 rs. o covado e de outras cores e qualidados ;
meias para meninos a 80 rs. o par ; ditas para me-
ninas ,a200 rs. ; ditas pelas e curtas a 120 rs. ;
ditas muito Tinas a 280 rs. ; ditas para senhora a
210, 320 e 400 rs. o par; mantas de (li do linho, a
1,600 rs.; cassa escampinada, propria para cortina-
dos, a 3,200 rs. a peca ; cambraia lisa limito lina a
COrs avara. DAo-sc amostras francas aos compra-
dores. Alem destas ha outras umitas fazendas moder
as por procos rasoaveis.
A
~ Vende-se urna canoa de conduzir agoa toda
construida do amarelloe sicupira, polo diminuto
prego do 130,000 rs., a qual'pde servir para canoa
aberta tirando o convsfra, que he do taboas do
amarello ; os prctendentes n3o deixaro de fazer
negocio a vista do objecto e do preco, que he ornis
barato possivel: na ra da Senzalla-Nova, vonda di'
Jos Pereira se dir quem vende.
Parecem de seda.
Lindos chales de lita cores escuras, a 2,400 rs. ;
forinidavcis cobertores de algodo, muito encorpa-
dos, proprios para escravos, a 1,000 rs. : na ra
do Queimado loja n. 11 A, do II. C. l.cito.
Vende-sc urna elegante canoa de carreira, de
um so pao, muito boa do vara leve de corda, eque
leva 5 pessoas : a tratar na ra do Apollo, com Joo
Esleves da Silva.
Vcnde-se um escravo de meiaidade,
por barato preco ; nina cndeirinlia toda
pintada c ornada de novo : na rua Nova,
n. 3y, segundo andar
AeneSo fregue-
zes.
cobre para forro de navio; dito para caldeireiro em
porgos grandes e pequeas : na ra de Apollo, ar-
mazemn. 6.
Vende-se estopa, propria para saceos : na ra
do Trapiche, n.8.
o -S
-
<
n
O
es
a .&
w
2 = S-s
IfS
i. ""
es
a-a s s
es o
'$3
J5 en
m
s
(O
o
o
'Se
I i
II
- a
g -s
w o
o o
o o
o
3
5
f
O
* o
o a

MQ
96
Vende-se cera do carnauba da mclhor
qualidade que lem apparecido tanto a
retalho como em porgos : na ra das
I-arangeiras n. 14 segundo andar ,
junto a renagO.
ATTKNCAO'.'

lrederico Chaves, fabricante de gaz hy-
drogeneo liquido, com fabrica de li-
cores, chocolate e espiritos, no Aterra-
da Boa Vista, n. 17,
tem a honra de participar ao rcspeitavcl publi-
co, c com parl.cularidadeaos Srs que usan, d can-
diere de gaz, que nasua fabrica sompre acharo
SSK?^*'1 Wrogeneo lquido, de boa
qualidade, pelo diminuto preco de 320 rs. 1 gnala.
Na loja nova do Passeio-Publico n. 19, de Ma-
nuel Joaquim Pascoal liamos, est elle resolvido a
nflo vender fazendas ordinarias, pois quem com-
pra chitas de 120 rs. no outro da esta chorando
pelo seu dinheiro. Elle tem muito linas, a 140, IGO,
ISOeSOOrs.; pecas de madapoln muito lino, a 3,
4, 4,300 e 5,000 rs. ; ditas de algodo, a 1,280 e
2,000 rs.; lencos de seda a 1,120 e 1,410 rs.; pe-
cas de platilla, a 1,300 c 2,000 rs.; lencos para
grvala a 200 e 20 rs. ; chita, a 2,000 rs. a peca ,
e80rs. o covado; cortes de cambraia lisa, a 2,500
rs. ea vara a 400 rs. j pello do diaho a 200 rs. o
covado; lanzinha para calca, a320rs. ; brim tran-
cado branco, a400, 500 o 1,000 rs.; ditos de co-
res, a 1,000 rs.; e outras muilas fazendas, por
muito diminuto prego.
Vende-so um sobrado no largo do Terco n. 26,
cm chaos proprios : a tratar no mesmo.
-Vendeni-se80e tantas barricas que foram de fa-
milia vasias : na na do liozario padaria n. 48.
Vendem-se 80 eaixoes vasios paraassucar, por
preco commodo: no ra do Trapiche, n. 17.
Vendc-se nina boa llanta nova de
Ilainbiirgo, com 8 chaves de prata e
um methodo /Vancez na ra do Vgario,

o
H l
t o a
~ c
c
o
5
1!
a a.
N ""
. O
3! 2
ai
o
Jl
REFRESCOS.
A 640 R
.
pares de pentes de tartaruga demarrara: na ra lar-
ga do Rozario, n. oj,
Vendem-se escravos baratos, na ra das
I-arangeiras, n. 14, segundo andar: 1
preto de elegante ligura de 22 anuos,
sem vicios nem o mais pequeo acha-
que com ollicio de cozinheiro ; um dilo
de bonita figura, de 20 anuos, com ollicio de pe-
preiro;um molequede Manilos, muito esperto e
sadio sem vicios nem achaques ; um pardo de '>2
anuos de boa conducta com ollicio de sapaHro
011 troca-se por urna preta moca, anda mesmo que
nao tenha habilidades; um preto de mcia idade
por 250,000 rs. ; 3 pardas de 15, 18 o 22 anuos con!
algumas habilidades ; duas negrinhas de 7 a 10 an-
uos proprlas para seren educadas; 3 pretaa mui-
to lories, que estilo acoslumadas ao trabalho de
campo ; e mais alguns escravos que se mostraro aos
compradores.
jR3:a:s:s::i3:s::i::?::^:R:f;:p;:^v^^ss
tj \endc-seiini sobrado de um andar e {[.'
soto, acabado ha muito pouco tempo todo S
cnrndo.em chaos proprios, sito em una boa
ra do bairro de S.-Antonio ,a troco de di-
nheiro, ou de escravos de ambos os sexos
idades e qualidades : na ra dasl.arangciras,
m B. 14, segundo andar.

'
Vinlio de Champanha
da superior e muitoacrcdilada marca
CtMneta,
vendc-se no armazem deKalkmann & ltosenmund.
na ra da Cruz, 11. 10.
- Vende-se um sobrado de dous andares e soto
por preco muito em conta o qual rende 70,000 rs'
mensaes :11a ra das l.arangeiras, 11. 14, secundo
andar. "
--No escriptorio de Manocl Joaqunn llamse Sil-
va, na ruada Cade.a do Itecilc, n. 38, contiimaiii-
sea vender, por preco commodo, saccas de muito
superior farinha de S.-Malheus.
Casa da F
na ra estreila do l'.ozario, n. G.
Neste estabelecimento acham-se a venda as'cau-
telas da segunda parte da 17.' lotera, a favor das
obras do tlieaTro publico desta cidade ; cujas rodas
deven, correr no dia 30 deslu mez. A ellas: os pic-
eos sSo os do costume. '
Na loja nova do Passeio, n. I ,i,
imoS"?' .CaSS1S nu"iernas' de ^res ixas e largas,
"; ^'^denovos padrdes e bona
pannos a 4,o00 rs. a peca c 10 rs o cnvail. .
a em desla( llH m Smpeto s,.rIi,,M,t de faz n-
ldaS 3S 1uallllad": t"'o por proco corn-
il. 4-
Vcnde-se em niuilo bom estado, c por pro-
co commodo, um fardamento para ollicial subal-
terno de canillara ; um sellim com capolo o sous
competentes arreios, para a mesma : na ra do
Queimado, n. 37 A se dir quem vende.
--Na estribara da na da Florentina, ha para ven-
der um quartao novo, e una bosta tamhem nova,
por preco barato 1 os prelendontes diriiam-se a ra
doCiespo, loja 11. 1.
Vendem-se 3 prelas inui robustas sem acha-
ques nem vicios por preco muito commodo : na
ra do Crespo loja 11. 12, do Jos Joaquim da Silva
-Maya.
Vende-se urna parda escura de 20 anuos que
lava do sabo e varrclla cozinha o diario do urna
casa nao tem vicios nem achaques : vendo-so por
una preciso: na ra da Concordia, passando a
ponte/iiiha a direit.i, segunda casa terrea se dir
quem vende
-- Vendem-se 4 escravas .sendo: urna crioula ,
de bonita hgura de 18 anuos, perita cngomniadci-
ra e que cozinha o diario de una casa lava de sa-
baoocose chao ; duas ditas de naco com habili-
dades ; 11111 escravo de naco de 25 minos para o
seTvico decampo: na ra das Cruzes, n. 22, segun-
doandar.
< opoiuiuoj
oj3.ni .mu o s.ipnpi|iinb SBSiipoi oiisnpiiozBiopoi
-iiouiiijos oiapluioD 111 n snisop luop 9 -Sj oos't
souueil suoq osajoaep BBiiqoop oiuamiiJOSOAOu
ion opBAoa um apnD -sj 08S'l ap oj.ii.I o'ibjho oiad
MiMUi| op BOui|BdBiosep '3siiaisi.ii!drzo3uudBA
OUBOS-UpUOA 'S -II 'OIIIOIIIV-S'OPOO.IBOBOJUOJI
-uoa e|quRdmo3 9 uiubjbs saejuuimo op sfq b
0|>UA
..Vende-so urna venda, sita na ra de S. Fran-
cisco n. 08 : a tratar na niesma venda.
,u7 *.cn,lem-seo alugam-se muito boas bichas-,
legadas ltimamente de llamburgo: lambem vo-
se appncar, para maiscommodidade dos prelenden-
ies : na ra cslreila do liozario, ilelronlc da ra das
I-arangeiras loja de barheiro, n. 19.
Vende-se um alambique com todos os seusper-
cnces: na rua Nova, 11. 50.
Vendem-se superiores cliapos de
castor, pretosehrancos, por preco
barato : na na do Crespo, loia n.
muito
1 2, i
m *um'.eq?e f"l0(loo rnaisservigo de1 uma ct
to bom paKen en, XI' n?'" ''''ro ; un, di-
nretos, bous pa'r^ 2??.l.,ft'I de alf,,i?le dou
um moten,,,. 1, 7.: :""lno de campo o da praca :
um molequede |, .n^T^T PaeCTj
le Jos Joaquim da Silva Maia
Na loja nova do
Passcio-publico,
n. 17,
.ve"dcnV'Lpecas (,e fl|R0,,i^^ho sem avaria, a
i.oooc 2,000 rs.; riscadinhosa que chamam linho,
para camisas de escravos com 4 palmos de largura,
a 120 rs o covado ; e outras muilas fazendas mais
baratas do que em outra qualquer parte.
Lauspercnne do liozario.
Vende-se na pra^a da Independencia livraria ns.
iio,, Por.m,|rs. um livrnho contendo o novo
i? d,' n ".ovena da Concev3o, c o Lauspere-
nejU) liozario de N. Senhora. '
eos n"rdn;S? ,t da.,"dia PrPr'f Para coser sac-
eos na rua do Trapiche, n. 8.
Vende-se ferro da Suecia ; folha de Flandres ;
.Viropede groselhe feito do verdadeiro summo,
nudo ,lo tranca, a 1000 rs. agarrafa; dito de no-
rosde arangc.ra, a 1,000 rs. a garrafa ; dito fcito da
,L, a't'rcsi""'engpo, que he muito conheci-
nil?Piro,v"d, '!0r" !'essoas 'l"e P>dccem do pei-
lo por j,i tor fe.lo ptimos beneficios a 1,000 rs. a
rlni" Jr.1 marac"J, tamarindos, liir.oe la-
S, 1 rs' garrafa : no Alerro-da-Boa-Vista,
labrica de licores, n 17.
1 v".Vd11le?Si;a1,1lisloria do Portugal, em hespanhol,
-,..:, ,'H,r,Z ; Bwnfmatlca francoza ; as Ca-
fr.'.Ji'.;V'il'01'' de,806.'ncadornadas; urna flau-
v,to,;!2TPre?OCn,modo : narila A M-
^~i:le^e'Se ,'na.morad de casa no lugar da Ca-
?em r;C,,,m,lmMI,a visU Pr ser de Pe e cal;
,,!"'" V,ortas' 1"artos' <-^ f o ha
baslante grande : no becco do Padre, sobrado
il!nd?^ ,,',oroncio molequede naco, de
Oannos: Joo A.ig.co, de 30 anuos: Francisco,
bom canoe.ro Mara boa quifande.ra : Dclflna e
Francisca moleeas de 12 a 14 annoa : llosa e Bo-
ds nP46Pr,M Par" Cnge"110 : na rua de Agoas-Ver-
1"mfn.,ICm"S C cs.cravos sendo : um pardo 'de
2(anuos, com principios de sapateiro, do bonita
gura che,,, robusto;,..,! dito de 11 anos, pro-
piio pa.a aprender qualquer ollicio; 3 prelas de 8 a
2o anuos com habilidades ; urna dita engomma-
fJiffS* ; P. ra da provincia : no pateo
da Matriz de S.-Antonio n. 4, segundo andar.
Nao he chalaca do novo bara-
leiro ludo querer vender a
troco de pouco dinheiro, na
sua nova loja de miudzas da
ruado Cabug,n. I,bem como
lucos finos e ordinarios, de bonitos padrocs ; luvas
de seda curtas, al20rs. ; ditas compridas a 480
rs. ; franjas brancas de algodo a 160 rs., c de cO-
res, a 240 rs ; litas brancas de linho, a 200 rs ma-
cos delS pecas, e encarnadas, a COO rs. ; papel lma-
?M?T:?h?2" afesma' brincosVourados,
cida a 800r'''' T^ V0*1" P8ra m,'"i,las d es-
cola a 800 rs.; tesouras com um pequeo toque de
avena caivetes, as rs.; linha de ca eVel a
240 rs. 8 duz.a ; ca.xas de pos para denles, a 60 rs
meias de meninos e meninas, a 160 rs.o par; phos-
I boros de penle contendo 104 palitos qe nofa-
han,, a 20 rs. ; trancelins de borracha a 80 rs 1 -
gas de dita a 120 rs. o par; pentes de tartarca a
1 200 rs.o par; ca.xas de linhas de marca groMS
contendo cada cal 16nvelos a leo ; I olfloJ
de seda para enfeitar vestidos de senhora .a 80 rs a
duz,a;med.daspara alfaiale a 60 rs clcheles
en, ca.xas contendo 12 duzias, a 400 rs. a caxa fi-
lo de nhO lavrado a mil rs. a vara o Ihjo, VtM
;s ; aIjofares, a 120 rs. o lio ; litas de velludo argas"
albOi-,., e estrellas, a iso, rs. avara; pentes de
de prender o cabello, a 100 rs. ,
-Vende-se a yenda da rua da Concordia, n. 15
con. poucosfundos,ou sincnle com a armaco, bem
alreguezada para a trra un.a morada de casa e "
na na rnesma rua, con. commodos para grande
familia feta a moderna junto as casa do Sr. Jos
Antonio Corre.a Jnior: ludo se vende porseu do-
.o relnar-se para fora da provincia con.'sua fam".
la. a Halar na rnesma venda. Na mesma se olTere-
ce um mogo para administrador, ou.fcitor de en-e-
nbo do que lem multa pratica.
lfi^22*2*. annos; 2 pretos
Pauta da aflandega, nova, por 2,000 rs.; Direito nri
vado natural, de Francisco Nobre Freir \ v n
4.000 rs.; e oulrds muitos livros. Cheguem a dp
chincha antes que se acabe. p
Aos 20,000^000 de rs.
Vendcm'-so meios bilhetes da 7.* lotera da con*,
truegoe reparos das matrizesdo Itio-de-Janeiro
na rua do Collegio, loja n. 1.
Lei regulamentar das eleicoes
de 19 de agosto de 18*6, para as cmaras legislan
vas, assemblasprovnciaes, cmaras municinae
ejuizes de paz do imperio do Brasil: acompao
da de todas as resolucOes do concelho de estado
avisos, ordense portaras, que deram esclarecioW
to aos seus artigos, collocados cm notas aos iue.
res competentes, 1 v. mpressono llio-de-Jancro
por 1,280rs.: vende-so na livraria'da esquina d
Collegio.
AOS ESTUDIOSOS.
Vendc-se urna estantezinha muito bem feita
propria para qualquer Sr. estudante: na rua larca'dn
Itozaro, loja n. 26. 8
Vendem-se luvas de pellica para
senhora, muito novas, a 800 rs o par: na
rua Nova, n. 35.
Deposito de vinagre da fabrica
da rua Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, de Frederico Chaves, no Ater
ro-da-lioa-Vista, n. 17, onde se achara semore
grande porgo e por preco commodo.
tf^> EM PltlMEIRA MAO, J
vendem-se caixas com velas de cera do Rio-de-Ja-
neiro e de Lisboa : na rua da Senzalla, armazem
- Vendem-se obras de ouro, para homem e se-
nhora; umacaixade prata dourada ; um relogo-
de dito ; copos grandes, para cobrir flores; ditos lia-
ra agoa a 100, 120 e 160 rs.; apparelhes para en,
a 3,200 rs.; pratos; bules; chicaras; galhcteiras'
garrafas bordadas, a 480 rs.; ditas pequeas a 320
rs.; ditas grandese finas, a 1,280 rs.; vidros par
candieiro a 120 rs.; e outros muitos vidros e loti-
qa por barato prego : na rua doRangel n. II
Vende-so urna loja de miudzas, com poucos
fundos, propria para quem se quizer estabelocer
porseremiim bom local, he bastante aireguezs-
da; a qual vende-se poro dono n3o poder conti-
nuar por motivos de molestia e ter-se de retirar
para Tora ; pelo que, se faz toda a vantagem que for
usa : a tratar na mesma loja, sita no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 58.
x4tteocao.
Na rua do Crespo, loja n. ljj,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se chapeos de seda para caberas de senhora,
os mais ncos,c mais modernos que teem vindoa esta
praQa; assim como se vendem chapeos de seda e de
palhinha para meninas de dous a 12 anuos; toucas pa-
ra crianzas, de muito lindos gostos. Tudo chegado
del-ranga pelo ultimo navio, e por muito commodo
Escravos Fgidos.
, piopr.os para todo o servico ; um par-
do, bom carre.ro, de 20 annos; duas pardas, urna de
22 anuos, con. habilidades, e a outra de 12 amios
com principios proprios para se educar; 3 prelas de*
Oa JO anuos, com Igumas habilidades; urna ne-
Fugio ,le bordo do patacho Velicano um escravo
de nome Roque, do San-Thom estatura baixa,
i-oslo redondo e sem barba, com feridasnas pernas,
vestido com camisa o caiga azul e barrete inglcz.
Este escravo pcrtcncc a Joo Jos Pereira do Azeira,
do Rio-de-Janeiro. Quem oapprehender, queira le-
va-loa rua da Cruz n. 66, casa de Gaudino Agosli-
nho de llanos, por quem ser recompensado.
-- I'ugio no dia 20 do corrente um escravo an-
da bastante rapaz de nome Vicente, de 19 annos
pouco mais ou menos estatura regular refor-
cado bem feito e bonito, cor preta e um tanto ahi-
lada agradavel en, suas maneiras de fallar; tem ga-
rorina alta de nago Mogambique que se mostra
em pequeos signaes na testa e no rosto ao p das
ore has; levou caigas brancas, camisa de riscado
azul, eum lenco preto que lhe sema de cinto.
Muitq.se recommenda as autoridades policiaeseca-
pites de campo de o apprehendorcm e levarem a
rua Imperial n. 67, primeiro andar, que so grati-
ficara com generosdado.
- Est fgida a escrava Thcreza, de 30 annos pou-
co mais ou menos de nago Angola, alta, bem pre-
ta .dentes abortos rosto redondo e alegre; levou
vestido de chita usado panno da Costa ; anda com
duas caixas de folhas de Flandres, urna grande pmta-
.iL,VCI- Seoulra mais Pequea anda nova, ven-
dendo miudzas; para maior signa! tem pelas cos-
tas urnas costuras levantadas. Roga-se, portento ,
as, autoridades policiaes, capitcs de campo ou ou-
" qlqucr pessoa que a apprehendam o levem a
Seu senhor, Jos Sapor.ti, na rua da Cruz, no Rec-
rosamen(eSegUn 'qUe recomPensar Be,ie-
nn^0,,l, enn"0.v'n''gre o escravo Luiz, de
2o anuos; tem oplho direito coborto de urna beli-
da, e no queixo inferior do lado esquerdo urna iis-
tula cicatrizado; desconfia-se lerido para Nazaietli,
S.-Anlo ou Pao-do-Alho onde foi comprado :
."%'den:se' u8Krd.n"dLtS KK" I n^e SZ^T dia VP dia 26 d
n 7n um l,relode "'no Rufino, nago Congo,
idade 40 anuos, estatura alta, corpo medio, cor fula,
omos ffrinflM n .., ,. i...__-_...' *.
...-B-, -, ^oBuiiUO uuuar, se aira quem vonde
- Vende-se urna grande casa terrea, feita a modera
na por prego commodo: a tratar principo Ja
rua Imperial, n. 9. H'mupio ua
Vendem-se 2 casas terreas com quintaos e ea-
c.mbas, sitas na travessa do Pe.xoto que rendem
8,000 rs inensalmente cada urna ; e por llave" no
cess.dado vendem-se por 800,000 rs. cada urna ni
rua Dircita sobrado n. 29. na
- Vende-se, por prego muHo commodo, urna mo-
rrVc"derSOumescravo de bonta figura com
principios de carp.na : na rua larga doToCo
"." V>nde-se i" livraria da rua do Cresno n fl
Historia dos cr.mes do governo nglez, S os '
meiros assass.nos da Irlanda por a 00 m P i
B.bl.a contendo o novo e vello' estamento tradu"
jdos em portuguez por |>. A. P. de F 'aa Mn"
Sqrs0SUmiCaondelebHreS Pel0s "oi";
por 240 rs., o Amigo dos homens porj|2,000 ru}\*ntll*t
rtll, ,__ M --------. -'*-, vui l>\j IIICUIU, tUI IUIOi
olhos grandes, nariz o bocea regular, barbado, e com
a pema d.re.ta cambada. Quem o pegar leve-o a Jos
remandes Ferreira, que recompensar.
- Da olana de Manoel Antonio do Jess, no sitio
Bonifica junto a pontezinha dos Remedios, no dia 23
uo correnlc, desappareceu um moleque com os sg-
naesseguintes; Filippo, nago Congo, estatura re-
gular, cheio do corpo, ceg do olho direito, beigos
piossos, ralla um tanto descanasada.com ponta do
narua, que representa ter vinte annos pouco maisou
menos; levou vestido carniza e ceroulas de algodo
aa tena, llecommenda-se a lodos os capites de
campo, ou pessoas particulares por quem possa ser
encontrado dito escravo, o mandem pegar o entre-
gar no Recife, padaria n. 18. da rua larga do Rozario,
junto ao quartel de polica, aonde se recompnsala
com generosidade.
NA
TYP. DEM. F.DE FAR1A. 1847 \


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EATSG2M7D_2VACWO INGEST_TIME 2013-04-26T21:08:20Z PACKAGE AA00011611_08499
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES