Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08497


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ma
Lnno^eJSiT;
SabbadoT54
Ir:'"
lUblca-e 'o110 os d"< 1u,e n.
, o prero d awgnalur he de
..riel. 9knl "dimiladnt. Os an-
E* SK*S?:;n i,,scriM d r":de
V!'P L-amelada. Oi que "o fnrem tltig-
|f4"|> 80 rs porliA, o 100 em typo
^ DA LA NO MEZ. DE JI.HO.
I PB
|lliS<"1,,e
a 6 horaC 33 "a. da manlia;
jjpunWi bJ 9 |,or,j e is min. da manliaa
|J.iu"oT*,*,'ij tohoraseai rara, da manha
CfMccntc, u 7 ,10H$ e 47 ralo, da Urde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
GoiannaeParaliyha, s segundase sextas feins.
Rio-drande-dn-Norte quintas feiras aomeio-dia.
Cabo, Scrinhem, lUo-Formoso, Porto-Calvo e
Macelo, no I.", a 11 o 21 de cada mez.
(v.irnuliuns e Bonito, a 10c 21.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 58.
Victoria, s quintas feirai.
OH ma, todos os dias.
PREAMA* DE HOJE.
Primeira, s 2 horas 0 minutos da tarde.
Segunda, s 1 lioras e SO minutos da maula.
de Julho.
Anno XXIV.
N. 165.
DAS da semaba.
19 Segunda. S. Arecnio. Aud.do J doj orpli
os do J. doc. da I v. e do J. M. d.i I v.
7(1 Terca. S. Elias. Auil. do 3. do civ. da
t. v'. e do J. de Paz do 2. dist. de t.
21 Quarta. S. Prxedes. Aud.do I. do civ.
S v. e do J. de paz do 2 dist. de t.
22 Quinta. S, Mcneleo. Aud. do J. de orph.
e do J. municipal da I. vara.
23 Sexta. S. Aportillarlo. And do I do civ. la
! v. edo.1. ile pax do 1. dist del.
2* Sabbado. S CUristina. Aud. do J do civ.
da I. v. e do .1 de pal do I dist. de t.
25 Domingo. S. Tiago.
CAMBIOS NO DA 2J DE JI.HO.
Cambio tHfUtm *'/? "'
ii P.ris 3.S5 rs, por tranco.
Lislioa IOS de premio.
Desc. deleltra s BrroU de V, a I h
Onro-0.icsl.es[Mnliola.... 29.*""
Muedasdco.oovcll.. I'*
,, dcCOOnov.. 1#">0>
,!e t'00ft..... 9*100 a
Pr,,(a-Puc0e,......... #'
.i l'csos colu.nnares... I|92" "
ii Ditos mexicanos ... >'00 a
,, Miuda............. j' a
Accesdacomp.do HcberiLede SOjOOOrs
60 d.
ao mez
29iS00
11)0100
DJSOO
1*940
(JtO
IJI800
1,920
,ao par-
DIARIO DE rERUfAMBUCa
IMIIO DE PBBSA1BDC0.
BlCir. 23 BE JCI.HO DE 18<7.
Chpgou hoje do norte o vapor Imperador, c trou-
pe-nos diversos peridicos.
Os do Ceir alcancam.a 17 do correnlc.
k asscml'la dossa provincia estava fnnccionando
J! a presidencia do capitflo-mor Joaquim Jos Bar-
,. niie tinha por companheiros na commissflo de
liria o vicario Justino Furtado do Mcndonca, na
Cliddcde p.mciro secretario, c ollr. Ilypolilo
rassiano Pamplona, em a de segundo.
O Amw annuncira, 12, a nomcaeflo do Sr.
nr Marcos Antonio de Macedo para substituir o Sr.
{jr! Zacaras do Goes o Vasconcellos na presidencia
jo pjauhv. ,
i Ao dar ssa noticia, a redacto da gazeta, que aca-
bamos de citar, foy/um pomposo elogio ao nomea-
do ccougraliila-secom os Piauhyenses pelos bene-
ficios que lhes lino de provir danovaadm.nistragito.
1-Fazemos votos ao Tooo-Podkhoso, para que assim
aconteca ; pois que nito somos ndiflerentes aos bens
ou males dos nossos concdadflos, seja qual for a po-
licio ceoRraphica do solo que ellos habitara.
I segundo o Mi, secretariado Exm. Sr. Vasconce-
los na propria presenta de S. Exc., e apezar das ad-
mocstacocs que Ihe elle fazia, depois de haver nsul-
Itado a tim tal Sr. Sucupii a, por ter deaado de cum-
primenla-lo com o respeito a que se suppunha com
dircito, provocara esse Sr. a acompanha-lo ate o pa-
teo de palacio, afim de r'eceber ahi a justa recompen-
cada sua incivilidade 1! liste facto, a ser verdadei-
ro, he, por si s, mais que sulliciento para Tormar-se
luma ideia approximada da maneira por que v.lo cor-
frendo as consas no Cear.
As folhas do Maranhito cliegam a 1* deste mez.
Osmcmbrosdaliga.que teem assento na assom-
Ibla, continuavam a csfor?ar-se por prestar ao Exm.
Sr. franco de S os meios que elle solicitara para ha-
|bilitar-sc a dolar a provincia de todos os beneficios
Idequeajulgacrcdora, masestavam sendo embara-
leados pelos deputados pertencentcs parcialidade
Iquc.alinal, su resolver a romper com 8. Exc., e a
Ifaier-lho ISo injusta quanlo acintosa opposicHo ; os
I quacs, coadjuvados pelo Sr. Angelo Muniz, que in-
felizmente se acha dirigindo oslraballios da referi-
da assembla, ora procrastinam as discussOes, para
que se nao verifique avotacao; ora retiram-sa da
casa, para que, lieando ella em minora, nao possa
proseguir na apreciaciio das materias dadas para
ordein do dia ; ora, emfim, deixam de comparecer,
para que n.lo haja sessilo, c assim se va passando o
tempo, sem ncnlium proveito, o antes coin reconhe-
doprejuizo daq'uelles que, por sem duvida Iludi-
dos, llies confiaram a importante missfio de promo-
ver osinteresses da comniunhiio inaranliense, que
por cerlo nao silo os desse partido tito extremoso,
Uo rdante, tflo deaarresoado, que repelle, que
guerrea, que tenia desacreditar o prestante cidadilo,
que, conscio dos sagrados deveres do um adminis-
trador de provincia, tentou colligar como em urna
s familia os individuos cuja sorle llie frtro confiada
porS, II. o Imperador, e em grande parte tcm con-
seguido realisar esse. nobre ponsamento, nio obs-
tante as mesquinlias artimanbas desse partido, que,
lempo vira, lia de ser nullificado; cao desapparc-
cer, ir acompanhado das malces que o povo soe
lancar sobre qutm qurque ousouembargar o pas-
so do homem generoso que urna vez procurou con-
duzi-lo senda da civilisaclo, --do engradecimen-
to,-- da prosperidade einlim.
O l'rogr esto refere que em urna das sesses da so-
ciedado Phiomalica-Maranhcnte appareceram amos-
tras de cxcellento cobre das minas da Chapada; -
de velas stearinas, feitas na fabrica que possucm os
Srs. Bottentiiil & Chavannes na cidade de San-I.uiz,
eeiiiiiada inferiores foqu se manufacturan! nos
paizes estrangeiros, e alli sfo importadas; de su-
perior sabfo preparado em a mencionada fabrica ;
edeenxofic, salitre, cobalto, &c. extrahiJos de
diversas minas da provincia.
A 8 fallecer na precitada cidade o arcediago da
respectiva calhcdral, provisor e vigario-geral do bis-
pado, Joo Ignacio ile lloraes llego.
Atdojunho lindo, entregara a alma ao Creador o
capitflo Estevo Jos da Molla, que, diz a Iteviila, per-
lencia a una das principos familias da comarca do
Guimaraes.
A 3 do prximo passado maio, Eufrasio Ferreira do
Monte reccbCra, perlo da Chapadinha, um tiro de
emboscada; e morrra dentro em poucas horas.
A 16 do segundo dos citados mezes, fora assassi-
nado no llag, districto da Tutoia, um sujeito do no-
mo Joflo da Silva.
O ultimo exempiardo Treze-de-Maio vem datado
de 10 do presente julho.
O Para gozava de Iranquillidade.
OExm.Sr. Ferreira Peona dcixra a presidencia,
afim de ir tomar assento na cmara temporaria.
S. Ex. heuin dospassageiros da barca, cujache-
gada noticiamos cima.
S. Ex. Rvm. vem gozar do urna licenca de seis mo-
zos que solicitara dogoverno imperial, sol) funda-
mento de achar-se gravemento enfermo, e ter preci-
sito de mudar de clima.
Correspondencia,
AO PUBLICO.
Seja licito a um filho, que v injustamente aggro-
dido seu pai, oceupar algumas columnas de una fo-
Iha emsua defesa, que alias nito ser inteiramentc
indifferente todos, pois que (xa a opinifio, que al-
guem possa tw duvidosa, sobre o roubo da pagado-
ria militar desta provincia, de que he chefe met pai,
oSr. coronel Jos do Brito Ingloz, acontecido em 2-2
de abril de 1845, mas trazido oulra ve/, a discussito
em o numero do /.dador do 2fi do maio, a que nao
respondera, se o honesto e patritico communicador
nloomandassotraiiscrever DO llio-de-Janeiro em o
numero da Senlinella de 94 de jiinho. E como quer
que no seu prembulo seguinte Um dos thermo-
metros, por onde melhorse podo avahar a morali-
dade e decencia de qualquer ministerio he a capaci-
dade e a honradez das pessoas quu emprega, ou dos
funecionarios pblicos que conserva.... e mais a-
Jiaixo: asespertezas praticadas pelo Sr. Brito Inglez
na pagadoria militar de Pernambuco do direito a
todo otidadito honesto para admirar-se de que ain
da soja conservado semelhanto empregado- so per-
coba algum resaho de poltica, estou que os seos
letorestomaronissoalgum interesso, o receberao
benignamente esta defesa, antes da qual obscrvare
que. ahi mesmose ferio esse cidadilo honesto, ja por-
que he claramente parcia^dade argir um ministe-
rio de tito recente dala, por nfio praticar um acto
que demandara informaefles, o por conscguinle al-
gum tempo, j porque a COnservacBo desse emprega-
do por varioMministerios, em algum dos quacs deve
de ter confiado o communicador, he contraprodu-
cente. ... j.
Mas, contendo o dito communicado objectos diver-
sos, dividiroi a defesa em duas partes: na primeira
tratarei do roubo da pagadoria militar como a que
mais interossa; na segunda de outras arguyes, que
posto ello as recoiiheca carecedoras do prova, com-
ludo, por abundancia de honestidade, servio-se de a-
ponlar em resumo, para por, honestament; em duvi-
da a condeflo o carcter de meu pai, o que faz lam-
bem necessaria urna resposta.
seguro. E que querie* que flzessc, estando o cofre
naquelle estado, o sem se devor tocar nelle, ate que
o presidente resolvosse ? Como cumprir as mstre-
cies em um caso tal, mpossivel ? Da sinceriilade e
W/oVirfedcsta accusac.no conclua o publico a Jus-
tina e boa volitado do communicador para com o
commissario-pagador.!
Nflo menos digno de lastima he o argumento que
no sen prefacio tira da repetido do artigos nos jor-
naes sobre o mesmo objecto; como se hoje houvosso
no
pet
Comeca o honesto correspondente transcreyendo o
rnio a que se procedeu na pagadoria miliUr ao
f
termo a que se proce....
recotlhecer-se, no acto de se fechar o cofre as duas ho-
ras da tarde, quebrada urna argola do fenollio do
mesmo. E porque nesse termo i.fose lez mon^o a
quanlia que ficava guardada, levanta a edificante
honestidade do correspondente uiu alando leroz, per-
guntando: porque tanta considoracflo dada a ui-
laceracflo do cofre, que merecen o termo... sem que
una s palavra se desse acerca do dinheiro, que dis-
se o escrupuloso couimissario-pagador se achava no
mesmo cofre T E conclue: Mas para que acuan-
tia desapparecida de um cont treze mil o
ris fosse mencionada no referido termo, era
paiz quem ignore quo as folhas estilo sempre re-
lindo cousas improvadas o improvaveis como as
verdades mais correntes, ombora rebatidas victorio-
samente urna o muitas vey.es/!
Outro argumento, finalmente, he o ditoda Carran-
ca numero 4, de que no dia 18 de abril de 18t;i prxi-
mo aofim do expediente como ello confessa, "ole-se
bem) nao se elfectuara um pagamento por falta de
dinheiro. E fortifica istocom a requisicHo do dinliei-
ronodiaaiaotliesoiiroiro, aqual se nao feria, so
exislisse algum no cofre. Ja cima se Ihe responde
que n.lo se podia bolir nelle, por estar o caso anecio
ao presidente, autoridadeaquem o commissario-pa-
gador he inmediatamente subjeito; o quanto a esse
nao-pagamento por falta de dinheiro, ou esse faci
nao existi, OU,se OXistio, a Causa foi sem duvida
ter o commissario-pagador encerrado o seu trabalbo
de pagamentos, 0 tirado sua minuta para seu gover-
no, e nao qnorcr distrahir-se do outros ramos
publico servico; sabida, como he, a correspondencia
continuada que tem comas autoridades. E domis,
ninguein Ihe pode marcar por onde devo comecar,
ou acabar o seu servio, nom os que teem de receber
dinheiro podein exigir dclle, que lhes pague a hora
quo seapresentain, como nossecaso allegado, mas
nflo verificado, prjimo ao fim do expediente; alem
de que sao cousas mui ordinarias esta escmelhantes
escusas, que, se nao sflo legitimas, seria, no caso ver-
tente, a ter existido, inculpavel.
Transcrevendo um periodo da defesa do commis-
sario-pagador no processo feito e-*-officio, no qual
diz que nflo Bzera transferencia do dinheiro para
a thesouraria.pornao Ihe chegara autonsac3o do
Exm. presidente, nao obstante esperar por ella ate a
hora do se fechar a thesouraria (cuja ultima porta,
ja se disse cima, taniheni techa a pagadoria militar-
tanto mais quanto, oslando o cofre debaixo da chava
do escrivflO da pagadoria, nitojiodia elle so porsi la-
zeruma mudanca do dinheiro nelle existonto ac-
ortaeenta com inqualiflcavolcynismo: Para, rol-
soravel, na carreira de tanta infamia o de tantas fal-
sidades .' O cofre debaxo da chavo do escrivflO / E
nao he expresso nesse termo, a que dais tanto peso
om-noactodeserfechadosodeu comaargolaquebrada?
Nao eslava ja, pois, fechado duas chaves ? Se por o
cidro se poder abrir, iudependenlenienle das chavea,
he urna falsidade dizer-se que eslava debalxo da
chave do cscrivao, tambeni nesse caso nao se pode-
rla dizer que eslava soba chave do commissario-pa-
nador, sendo obvio que, embora o cofre, se podesse
abrir sem dependencia das chaves,nwua se pieria
tirar o dinheiro, em acto de sen-ico, senao a brindo as
techadoras, e o cscrivao poderla com no_raouaar-
se a prestar i sua chave para
tantos
misler
gloriar-so de por lim s fraudes e prcencher o hm
do seu zelo pelosdinheiros pblicos; (documento
junto1 se tudo isto nflo prova directamente para o
caso em questSo, d ao menos lugar a prosumpcao
mui valente de que tal zelo o servicos s;1o incompa-
tives com esse carcter quo se nttrbue a meu pai.
N.lo contente o autor do communicado, a que me
redro, de oflender a meu pai no que o homem tem
de mais melindroso, tentn tambem attrahir-lho a
indisposcao e ridiculo publico, como moio quo
sabe, ouo instinto do mal Ihe ensinou ser condu-
cente ao fim honesto que se propoz. Kelizmcnlo
possoah mesmo contradize-lo com toda a vanla-
Qiio meu pai nunca foi criado de servir, que, pelo
contrario, he das-pwnripaes familias da cidade de
Tavrano Algarve, nrovaoi BXuborantomonte a fe do
ollcio junta, passada pelo commandaftte do sen rc-
giihento, o pai do Exm. ex-ivgeute Lima, quo se re-
fero ao< lvro mestre, mdese achava o assento
seguinle -Jos de II. I. ldade,ftC,foi roconhocido ca-
dete em 3 de maio do mesmo anno, i sos : e note-so
que entflo as provas para cad.de nao eram tao ligoi-
ras, nom so admilliain fraeces de cadetes'loi alfe-
res por decreto de 2 de abril de. 1808 ; e bem assim
OS alteslados.do teiiente-general loflo Shadwell (.011-
nell, que governou as armas do Algarve; do eapol-
lao do sen regjmento.ddous alfares do mesmo,a do
cscrivflo do hospital real, de que todos.. conhecoram
cadete, bem comportado e inteligente, sendo to-
dos, menos o general, MUS condiscpulos as aulas
defllosophia e rhotorica, ou as militares, eaBtr-
mando que era das primeiras familias do favira ; no
nalmente invocare! o testomunho dos 8rs. coronis
Ghabv c Rosado, do Sr. Azcvedo com toja no M-
terro-da-Boa-Vista e o de son pai, todos do mesnt-
reino ; e o do Sr. lenonte-eoronel Mendonca das Ala-
coas, tiue lia pouco l estove. .
Que meu pai nao fora inimigo da independencia
se prova fcilmente, pois quo no Para, onde, ello es-
lava, nao se fez opposicBo quando la fo. o rom man-
dante C.renfell proclama-la; pelo contrario, deu-so-
Ihe o commando do reg.monto cujo coronel Mra
preso por adverso ; foi dopo.s mandado levantar
urna fortlflcacBo em Gorap, &c. Sobre isto podan
ser ouvidos os Exms. Srs. arcetnspo da Baha, u pre-
sidente interino desta relacllo, Sr. desembargado.-
Hamos alm dos lillios do Para aqu existentes.
Nao menos infundada he essa calumniosa assor-
cao. trazida balha, da connivencia com osebanos
do Para, qual, posloa n.ao desse o seu autor por
iirovada vou responder tanto mais quanto certo ex-
moradV de Olinda, na sua volta do Itio, a deu por
essa transferencia ar-
superior; o
i y.or, por es-
tar urna das chaves na mflO do escrivflO ESO be exae-
itraria, einquanto se mo dsse orden
uc equivale a dizer que nao o podia faz
Aos ouvidos dos letores chegou, sem duvida, o
boato que, vai para ilous mezes, corre nesta capital,
de ouo o nosso dislincto comprovinciano, o Lxm. e
Rvm Sr. I). Carlos de San-Jose, dignlssimo bispo do
Maran ho, projectava deixar a diocese para vir estar
comnosco por algum lempo. ,-- f,.
Pois bem, este boato verificou-se felizmente, fo.
boje restituido cidade do Recito o nobre Peraltar
bucano que jamis a dcixra, se nao tiyesse de cum-
prir dever tilo imperioso, qual o de ir abencoar a
genio, cuja direcefio espiritual Ihe fora conliada.
no deixa duvida acerca da ndo existencia do dinhe,ro
no cofre, foi feito, como esse mesmoOerncidiz, 6*
duas horas da tarde no acto de ser fechado; uan^d,, to-
dos so retiravam, lindo o expediente, o guardados
os docu
Fez alg
assignados
a queseoppozesso
all o amanuense, Sr. Bastos, que vio guardar o res-
to do dinheiro, nessa occasflo ? Nao he isto una
prova de que todos o julgaram desneccssario, por-
que nao esperavam ver atacado o cofre dentro da re-
particao quo ficava debaixo da chavo do seu porte-
ro, c guardada dentis por outra porta, toda chapea-
da de ferro, de que levava a chave o porteiro da the-
souraria, urna e outra soba vigilancia de urna guar-
da militar, ja provenida especialmente, a requisito
do commissario-pagador note-so bem) de vigiar a
sua reparticao, que tinha janellas para o caes, como
so nde ver dos documentos juntos aos autos l (.orno
explicis vos a abertura de duas portas a cargo de
dous homens, as quaes se adiaran abertas, e so...
cuja abertura nao se podia chegar ao colrc ? Dize.s,
que tal dinheiro nao exista no cofre Mas, se o pre-
sidente, a quem foi presente o caso na manhaa do
dia 19, concordasse, como concordou depois no da
21 em hora muito adiantada, que o dito dinbe.ro
fosse levado para a thesouraria, como seria ello a-
presentado se 1a nao exislisse ? Entretanto, dos do-
cumentos juntos aos autos se prova a rcquisiqao, lei-
la pelo commissario-pagador, dessa medida, assim
como que esperou por ella al mui tarde do dia 21,
vespera do roubo. Nao estava o dinheiro no cofre, e
instava-so para que elle fosse recebido .' /1 Jira a oc-
casiuo mais opporluna quando apenas tinha um con-
t o tanto ? TSito poderia fazer o com.nissai io-paga-
dor um pedido do mui avultada quantia, guarda-la
no cofre quebrado, para depois apparecer o roubo ?
Entretanto, nflo confessais vos, que ello fura, no dia
21, pedir ao digno thesoureiro, Sr. Nory, dous coti-
los de ris para os pagamentos daquclle da, guar-
dando s duas horas da tarde na thesouraria, o em
poder do referido Sr. thesoureiro, os documentos da
desiieza feita eo saldo cin dinheiro? Accusa.s ao
coui.ni.ssario-pagddorporir guardar nesse lugar o
21^ por-ou-tras medidas quefembra, poderla
cofre, como se tal argola nflo estivesse quebrada; he
tamben exacto que nao poderia fazer a tianslereii-
cia por sis, ou, por outra, porque eslava deDaixo
da chave do cscrivao. Em todo o caso, quando essa
coarctada nao valosse para o defender da negligen-
cia em transferir o dinheiro para a lliesourar.a,
nunca poderia dahi concluir-so nada no sentido do
tal communicado.
Eslranha o aontito communicador, quo o com-
missario-pagador lizesse elogios sua honradez na
defesa que produzio; mas creio que ninguein recu-
sar aduriltir que um homem, que nunca se enxo-
valhou nos varios empregos que servio em eras
bem afortunadas, e quo viveu sempre pobre, nao ca-
bina na sandice de se cmporcalhar no fim da sua vi-
da, e com a quantia de 1:013,890 rs., j>rcsumpcflo ve-
hemente, que em todos os lempos e paizes foi sem-
pre ad.iiilt.da.
E se a opin'.ao dos tribunaes, dos superiores c au-
toridades merece algum conceito, ah esta a senten-
ca dada pelo intelligentc, probo e austero ju.z, sr
Regeira Costa, que o absolveu, vista dos documen-
tos que foraui juntos aos autos: (documentojunto
ah est a cxposic3o do estado da contadura geral
da guerra, que fez parte do respectivo rclatorio ue
1846, um anuo depois desse roubo da pagadura mi-
litar, onde no artigo Pagadoria ir.litar de 1er-
nanihucodiz lie de todas as quo existen a que
molhor desempenha os llns para que fora... preadas,
o quo he sem duvida devidp ao zeloso e ...le ligcnto
chefe que lem, o coronel Jos de Br.to togjez, a
quem muito devo a reparticao da guerra ^e o zelo
incausavcl com que promove a fiscal.sacao da des-
pe"a" cortando por inveterados abusos Hapi|H
Soria remelle as suas contas documentadaa, *M-
hor. orden possvel. Veja-so maja o a
u.oraimr ile ininua, in u .. >" ,--------r
correte para so inculcar versado nos successos
do paiz [pedante !) e pergontarei: Era o tenenle-ge-
neral Hanoel Jorge Uo bronco, quo nflo percebes
quem Ihe revelava os segredos para consorya-lo, no
caso de ser mou pai, tanto lompo ao pe do si, ato
quo coi.sentio em que elle se ret.rasse para Mara-
nhito o Ihe dsse urna honrosa inlor.nacao depois
disso em sentido todo contrario? Documento junto)
Ouc l.avia a esperar do rebeldes, sem principios,
sem moral, sem um homom de prestigio frente o
se... dinheiro i' E se, dada essa connivencia, naode-
veria a sua casa ser respetada 1 Ah es a, porm, o
documento junto, donde se v que ella lo. oda sa-
queada : Rnalnente se he cr.vcl que umolucialdo
patento subida, que merecen ser enearregado do
CommissOes graves, (documento ciado se ayenl,.-
rasse em urna revolucflo Ubi som^ps, ien beca?
Nflo terninarei sem pedir ao honesto autor desso
papel, que explique lealmeute quacs as gentilezas
6 espertezas do commissario-pagador, que en. seu
empego serflo facis de provar, sol. pena de con-
victo de ma fe e de calumniador; ao he queja so
nao acha inourso nessa censura 0 que tem o despe-
jo e audacia de imputar, sol. o anonymo lacios tao
indignos, sem dar disso prova, ao menos plausivo!.
Dr. iVuno Ayque a"Alvcllos Atines de Unto Ingle:
Um. Sr. Dr. juii de direito da 2." raro do civel.
Diz o coronel da classe do cxereito, COmmttSB-
'io-pagador, chefe da pagadoria militar..esta_ pro-
junto do Sr. ollicial maiorda secretaria da guerra,
-' ido-so ai
la os sfciTiy"-' -----v
pazas militares, e a aptidao do commissario-pagador;
que, rerarindo-so o tempo que servio de contador
gen I, atiesta os servicos na nscalisacao da des-
' .... ___.___...,t ... "Vil i
rcsun -
iran, o sendo passada
equermenlo :
loes dirigidas ao supplicante :-Os quaes como uun-
c, che-aran, tao porfolios em quanl.dade do peso,
como em quali Jade, o que he devido ao systema por
V S adoptado.....continuando assim, devev.S.glo-
riar-se de ter posto termo a continuada lula de se-
ren os gneros, para aqui remetlidos, do inferiores
cualidades, diminuidos em peso e medida; e loin-
brando outras cousas : diz, dirigndo-se ao suppli-
cante c inl'allivelmentc preonchido o fim do zelo
deV. S. pelos dinheiros do ministerio da guerra, a
le V. S. nesta provincia :
a o oue na allcslacAo do ollicial-maior da se-
Tlo^^S^^Z^^\c^^^ dos negocio, ^e^icisc^
iSsarioq-pagador;eque: L^l^aX^^^^
tercm nunca chegado all osgencros tap perfeila-1
mente como agora
lado pelo comm
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
l:
,t


'hjm
al
i

*ueoccupou o mesmo ofllc/al-maior o lugar de con-
tador eral la reparlcffo da guerra, se acham as
seguintes cxpresses .---Observei os valiosos servi-
Cos que o Sr. coronel Jos de tirito Inglez prestara,
como commissario-liscal do ministerio da guerra,
aos interesses da fazenda nacional na fiscalisacflo
das despezas militares, distinguindo-se softroma-
neira pela sua reconhecida aptidito, e constanto do-
dicacflo aos mellioramentos daquelle ramo do ser-
vico :
< Art. 3.a Quena exposcflo impressa da contado-
ra gcral da guerra, de 30 de marco do 1846, pagina
o, assignada pelo respectivo contador Joflo Jos de
fcouza Silva Rio, se ada o distincto o honroso con-
cedo que elle faz da pagado! ia de l'ernamliuco do
modo seguintc :He de todas as que existem a que
melnor desempenhaosfins para quo foram creadas;
o que he sem duvida devido ao zelozo chefe que
tein, o coronel Jos de Brito Inglez, a quem muito
le a reparlicflo da guerra, pelo zulo incansavel
com que promove aflscalisacao'da despeza, cortan-
do por inveterados abusos : esta pagador remelle
as suas coplas documentadas na melhor ordem pos-
siyel :-cu exposicffo fez parte do rclalorio do mi-
nisterio (la eiiorra. nr<,rm.> r. .i...,i...... ______
rio da guerra, conforme o declara c
ro. adorern olTic.o de 18den.aiodo.nesmoa..no(
dirigido ao sujipl.cante :
loi/: f' Q"e ""se'Ucnca constante dos compe-
Mta *?Si ''V*de.aosl de 1845, proferida polo
,iin L Kre'| JS Nico,a "nucir Costa a res-
ello do roubo da pagadnria em 2 ,le abril desso an-
iio, sc acham as seguinlos expresscs com quo co-
.'-Iuh,,^'16"^ :-c?n'q"anto nao resullo contra
"'" d.OS ros mals 'eve indicio de criminalida-
I nem dos exames a folhas quatro o a folhas es,
!;' l">r,;?UC" Josdepoimontosdas oilo testemu-
',o fm *i ? ^0|,as 55' P'8 i) r9os e,'! eri''' u,,e l>rcju r \?Sitn[ df tra"srerir dinhclro para a the-
-sourana, emquantose conrertava o corre, cinstan-
cT.tof ?">0'is^-^ '1'"-, c pelos mlKS-
,,', Jl?' osuPPl'M"tc livro de indicios de cri-
na, sendo a mesma sentcnca confirmada pela icla-
ss daane,r^m de,?3 de 8elembro do mes' 0,
passaua pela chancellara :
.le"e^rn5;.Que "" ?erti,d1 Pflss'"a na secretaria
tn,. dos.neS<"'s uerra, de 6 de abril des-
te anuo, assignada, em impedimonto do olicial
maior.porLibamo Augusto da Cunha Mallos se
dtatrauerapto um oniciode informaeflo do Exm
Manoel Jorge Rodrigues, datado do Rio-de-jSni-
ro em 3 de setembro de 1838, ao Exm. ministro di
ucrra, Sebastiflo do llego Barros cu ffltoK
o aviso dirigido ao conde de Villa-Flor, datado no
Rio-de-Janeiro em \ de marceo de 1820, assignado
pelo Exm. ministro de estado, Thomaz Antonio de
Villa-Nova Portugal, pelo qual S. M. o Sr. D. Joflo
VI encarregouosupplicanto da inspeceflo interina
de diircrentes arligos, isto he, cstabelecimentos,
serraras do madeiras, amarras e de outros, e do
examinar o estado do jardim quo se achava eslabo-
lecido, estando-a certidflo reconhecida :
" A.*!:i3- -uo na Publica forma authentica seacha
iim offieio do governador das armas do Para, de 21
de abril do 1822, Jos Mara de Moura, ao ministerio,
acerca dosupplicante, com asseguintes expresscs :
~ llecebondo eu muitos soccorros dcste olicial, em-
quanto nflo adquiro as luzes necessarias sobre o pes-
soal e material dos corpos, pracas e destacamentos
espalhados de 50 a 400 legoas, declarando outros
motivos anda da necessidade do seu servico de a-'
judante do ordens, e do encargo da secretaria-do
commando desarmas, emoue j achara osudd-
canto: r
Art. 14. F-'iiialmente, que o imperial aviso de 3
de novembro de 1829, assignado pelo Exm. conde do
Rio-Pardo, ministro da guerra, verifica que, por de-
creto da mesma data, S. M. o Imporador nomeando
commandante militar o supplicante para o Rio-Ne-
gro, o mesmo augusto Senl.orhouvora por bem quo
continuasso na inspeceflo interina das amarras o
manteigasde tartaruga, de que eslava encarregado :
Portanto, pede a V. S., Illm. Sr. I)r. juiz do direi-
lo da segunda vara do civel, se sirva atlender o sup-
plicante, deferindo-lhe na forma requerida. E. R.
Me. --Recife, 21dojulhodo 1847.-- Jote de Brlto
Ingles.
Qualquer tabclliilo passo a cerlidlo requerida, o
na forma que se requer. Recife, 21do julho de 1847.
-- Nabuco d'Araujo.
tabellio publico
Pernambucu t seu
. Pedro 11, que
Manoel Antonio Coelho de Oliveira
de nulas nesla cidnde do Recite de
termo, por S. DI. I. eC.o Senhor
Dos guarde, etc.
Certifica que por parte do supplicante, o coronel
da quarta classo do exercito commissario pagador
diere da pagadona militar dosta provincia Jos de
Unto Inglez me foram apresentados os documen-
tos indicados nos arligos do sua petieflo cujas ex-
Dr. Antonio Vicente do Nascimento Feitoza
D. Joanna do Rozario de Guimarfles Machado
Frcderico Amante Chaves
Major Jos Gabriel do Moraes Mayer
Dr. Jos Eustaquio Gomes
Joflo Manoel de Barros Acioles
Joto da Silva Moreir
V. B. C. R. B.
Joflo Pinto Regs do Souza
Francisco Mayer
Jos Machado Malheiros
Vicente Jos Gomes
Esmolas arrecadadat dos devotos por Jos Satur-
nino de /.ages, asseguintes :
O Exm. bispo diocesano
Bernardo Femandes da Cruz
Sebastiflo Mauricio Wanderley
Victorino Francisco dos Santos
Joflo Manoel de Siqueira
Francisco Jos da Silva Araujo
Jeronymo Manoel do Jess
Francisco Pereira da Silva
Manoel Joaquim de Bourbon e Castro
Antonio dos Santos
Jos Pereira de Oliveira Macieira
Laurianno Jos de Barros
Joflo Concalves Lucas
Domingos dos Passos Miranda
Joaquim Pereira da Costa Larangeira
Jos da Costa Torres
Joaquim Bernardo dos Res
Um anonymo
Arrecadadas por Lu* Btterra Monte ir o Padilha
e Joaquim Esperidido da Silva GuimarSes,
asseguintes :
1,0001 Antonia Joaquim Vidal
l,000l Alexandreda Silva Fragoso
1,0001 Francisco de S Leitflo
1,000 Francisco Baptista de Almcida
" Francisco Alexandrino de Vasconcollos Calassa i 2!
Jos Antonio Pinto J'*10
1.000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
640
640
12,000
5,000
3,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
2,000
1.000
1.000
Jos Mauricio de Oliveira Maciel
Marcolino da Costa
Joflo do Nascimento da Silva Porto
1). Ignacia Mara da Concecflo
Antonio Jos dos Santos Bonifica
I). Joaquina Mara Leopoldina
Joaquim GoncalvesMava deAzcvcdo
Antonio Manoel da Silva Mava
D. Joaquina Leopoldina
Antonio Joaquim Ferreira e Souza
tresnes que nos mosmos arligos se contem a res- Joso or0""a da Silva
om effeito cs-l Mara da Concecflo
pe lo do mesmo supplicante estilo com efTeito es-1 ?- Mar,a da Conceicflo de Miranda Castro
criptas nos ditos documentos c estes nflo tcom in-1 Maiiaiina llermorgones da Concecflo
dicio algum de viciados, que reclamem algum
oxame ; e acbei exacto o simples resumo dossobre-
dilos documentos que nos ditos arligos se mos-
Ira. O referido he verdade, e consta dos referidos
documentos e pelieflo ; cujos documentos reconhe-
qo verdaderos e a elles c aos referidos
quedeixe em duvida
escripias, entre n
motiva a informa
meado o suppli
paravel de din e
I
preci
sendo ,,.a..uauo a casa do Exm. e Uevm. bispo :.
X.iraJ.n.t6r^S!e.ule dc ,crel'-o do commando
das. i mas, coadjuvando o expediente da secreta-
ria do govoruu : que nflo ll.e constou queem al-
gumade tantas scd.cOes, que linl...../havido ,a
provincia do Para, o supplicante livesse parte que
$!r ^!fler5",008uPP,1i.<'nteoompieUmenie
roubado : que, cmfim, o supplicante prestara servi-
co muitos relevanlcs pela cr.se en. que se achava o
governo.aba..donando o que era seu para prettar-Sfl
a bem da ordem. '
tal APt' 6-*?.uec,n1u,,,reIue,''e"tO'io'supplican-
. nvl"f'"*lm-Man0el Jo,ec Rodrigues, estando
o govemo embarcado, enobloqueo da cidade do
rara sc acha o scguinte despacho : O supplicante
mostrou-se sempre zeloso na execueflo dasminhas
oidens, e nunca descubr nelle cousa que o li/esse
suspc.to causa da legalidade. Bordo' da fragata
Computa surta na baha de Santo-Antonio no Para,
1!) de novembro de 1835. Rodrigues, presidente :
," Art- 7,v 9U. ">cerUdao dos autos dejustitica-
Sflocm 1835, juizo de direito do crime no Para, cs-
cnvflo Wali ni, est a sentenca em que sc i.rovou
que a casa dosupplicante ora roubada e saqueada
en. agosto de 1835 pelos revoltosos '
Art. 8. Que na f de oflicio do supplicante, pas-
sada em 6dc marco de 1812 no !\o-dc-Janeiro pelo
coronel do pnmeiro regiment dc infantaria de li-
riba, Jos Joaquim de Lima c Silva, se acha declara-
do : Que o snpplicantc assentara nraca de volun-
tario soldado, em 2 domado de 1801, e fra reco-
nliccido cadete em 3 de maio desse mesmo auno
U- ,l'.?.-\Que !la aUtstaQilo passada cm 20 de
maio de 112 assignada, o com sello de lacre, por
Joflo Shadwell (.onnell, concelheiro de guerra te-
nente-gencral estilo escripias as seguintes expres-
hOes : Que, tendo a honra de governar as armas do
reino do Algarve, conhecra o supplicante cadele do
regiment dc u.rantaria de linl.a de Tavira. em aue
sery.ra com muila intclligoncia, e o mostrara as
d.flerentcsvezesqueestevoassuas ordens, conhe-
cendo-o sempre com urna regular conducta, assim
como ser de urna das principaes familias daq Jella ci-
Art. 10 Que asattestaces do capellflo do ick-
rnento do infantaria da cortn. 1, o padre Jos Ro-
drigues Malheiro Trancoso Souto-Maior, de 22 de fe-
pelicffo me reporto; e liz passar o presento em obser-
vancia ao despacho retro do doutor juiz do civel da
segunda vara desla cidudo Jos Thomaz Nabuco de
Araujo Jnior. Nesta cidade do Recife do Pernam-
tn,l, ,, A i ""O" '"=, tuju unir O ('
rTLnhf 't0dl)0.m 8erT ,l0 supplicante no
I ara sobo governodo mesmo Exm. Manoel Jorge
Rodrigues, nao se leudo no oflicio ideii alguma
uto un duvida esse servico estin.i,? ,w.n,!li, \.~?~-----"'.' m u nwnn u i-ernam-
i muitasoulras expresscs' rom ,mo "(0S wn.ta U,m dejul,, de mil oitocentose
arave de dia e noite sendo muito til ao servico
rT,!TCaduv'da,'a expr-se ao fogo quandofoi
rec.so, c o fez particularmente no ultimo dia
endo mandado a casa do Exm. e iieVm. biann .'.
verciro de 1812; as dos alferes do segundo btalhflo"
alias do segundo regiment de infantaria da cOrte
Antonio Coelho Antflo, de 10 de marco de 1812 d
Jorge Coelho Antflo, de 9 do mesmo mez
a do cscrivflo do hospital militar da corle,
dc Paula Vasvelho, do 4 do citado mez e
de
e anuo ; e
Francisco
- mez eanno; to-
das harmonisam e concordan, com a declarado da
le de olhcio, e com a que fez o predito general Con-
iiel a respeito de ter o supplicante servido na clas-
80 de cadele, e do conhecimento de sua familia e
que estas altestagoes se acham reconhecidas eps-
I'ublica^fio a pedido.
sadas
por India e Mina, com excepcao da ultima,
que se acha somonte reconhecida pelo tabelliflo n
ie.,ro Jose Anfoni?. ios Santos Ameno, e
hem assim a propria f dc oflicio :
CONTA COnKKXTE DA IIECEITA F nESPEZA FEIT.V COM A FES-
_TA DE ROSSA SEMIOHA DO FRONTISPICIO UO CONVRNTO 1)0
CARMO DO RECIFE, NO CRREME ANNO DE 1847.
MacSo de eleicdo.
Joaquim Speridflo da Silva Guimarfles
Joflo Cavalcanli de Albuquerqiio c Mello
D. Antonia Rita de Azevedo Lisboa
'"irmino Jos de Oliveira
Silverio Joaquim Martilla dos Santos
Joaquim Jos Pereira dos Santos
. Joaquina Pereira do Nascimento
I). Cordula Mara Monteiro de Paiva
Manoel Ferreira de Souza Barboza
Jos Joaquim Ferreira de Souza
Sebastiflo Luiz Ferreira
Luiz Bezerra Monteiro Padilha
Joflo Antonio Alves da Silva
Jezuino Ferreira da Silva
Manuel Jos Tavares da Silva
Joaquim Flix da Costa
Ignacio Firmo Xavier
J ofl o M o re i ra Marques
Jos Machado Freir Pereira da Silva
Francisco Jos do llego
Esmolas arrecadudaspor Silverio Joaquim Mar-
tins pelos devotos, as seguintes :
Jos Francisco llibciro
Antonio Manoel llamos
I). Josepl.a Mara do Sacramento
I). Genoveva Baptista da Silva
Manoel Joflo da Costa Albuquerque
Francisco da Costa Albuquerque
Manoel do Souza Bastos
Augusto Muniz Machado
Manoel Antonio Piulo
I). Mara llenriqueta Concalves da Fonto
Jos filippe dos Sanios
Flix Jos de Cantalicia *
Leocadia Francolina Res Gomes Lcflo
Major Jos Mara Martins
Marccllino Concalves da Fonle
Laurianno Josft da Costa
I). Senhorinba Mara do Sacramento
Benedicto Duarte Cedrim
Goncalo Jos du Costa e S
Joaquim Jos das Nevos
Antonio da Silva Ferreira
D. Joanna Mara do Sacramento
I. Cerlrudes Germana dos Passos
Flix Marques da Cruz
Innocencio Jos do Espirito Santo
Esmolas arrecadadas dos devotos por Jo3o Anto-
nio Alves da Silva, asseguintes:
50,000
20,000
55,000
15,000
20,000
10,000
20,000
8,000
20,000
20,000
10,000
10,000
10,000
5,000
12,000
10,000
10,000
8,000
5,000
2,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
1.000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
500
320
inrtjn. ..-------..,. c uciicdua comitiissiio de
c Pifania 'firNmp0rlamen,t0 d0 Sumador d,
D. Izabel Ramos de Oliveira
Joaqun. Aurelio Pereira de Carvall.o
Thonia/. de Barros Wanderley
Jeronymo Cezar Marinho Falcflo
Desembargado!- Francisco de Paula Cerqucira
Le te
Coronel Felicianno Jos VevcsGonzaga
Ricardo Jos de Freitas Ribuiro
Manoel Jos Marques
Joaquim Jos de Miranda
l> Izabel Ribciro Pires Ferreira
l) fosepha Mara da Paixflo
O. Auna Eduarda P. Ferreira
UnMdeVotJoASUnlPCi'0 ,esusQucirz Guedos
Juliflo Poiiella da Silva
10,000
5,000
5,000
4,000
3,000
2,0O0
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
Francisco Antonio do Lima
Maxin.anno do Oliveira Mussurcpo
Jose Mara Martins
Vicente Moreira da Silva
Antonio Leandro da Silva
Bcvm. Antonio Francisco da Trindado
Antonio Prieto
Antonio Germano das Neves
Bernardo Francisco do Azevedo Campos
Itevm. Bernardo Lucio Pexoto
Claudio Dubeux
Domingos do Souza Azevedo
Flix Francisco de Souza Magalhfles
Domingos Antonio de S
Jose Aneclelo da Silva
Joaquim Goncalves Maya *
Joflo Pedro da Rocha
Joaquim Jos Barboza Lobato
Joao do Santa Roza Muniz
Joaquim Jos Themotio Pinto
Rodrigues do Almeida
Manoel Jos da Costa Oliveira
Joaquim Baptista
Miguel Jos de Almeida Pernambuco
Manoel Antonio da Silva Ros
da Costa Torres
Narcizo Jos da Costa
Pedro Alexandrino Rodrigues Lins
Rufino Jos Femandes do Figueiredo
Jose Luiz de Almeida Martins
Martins do Castro
de S Lopes Femandes
Antonio da Silva Jnior
Francisco Xavier de Moraes
D. Rita
D. Ignez Valeria do Espirito Sanio
u. Thereza Mara Joaquina
I). Mara dos Santos Pinbciro
D. Clara Clementina Carlota
. Rita Maria da Natividade
Hev. Mauricio da Costa Borges
Jose Jeronymo de Souza Limoeiro
Irancisco Pinto da Costa Lima
Joflo do Castro Oliveira Guimarfles
l'r. Crangeiro
Manoel Jos de Souza Lima
Joflo Baptista Bodrigues deSoza
Antonio Jos Duarto Jnior
Antonio Francisco de Azevedo Campos
Antonio Jos Rodrigues de Souza
rancisco Joaquim Pereira deCarvalho
rancisco Manoel de Almeida Calanho
l'iaiicisco Antonio Pereira deBrito
Joflo da Malta de Miranda Castro
Jose dos Santos Lagos
Jose Das da Silva Cardial
Joflo Francisco Regis dosAnjos
Dr. Jose Francisco de Paiva
Joflo da Silva Loureiro
Joflo Evangelista deSampayo
Ignacio Thomaz de Freitas
Manoel Antonio de Jess
Manoel Jos da Mola
Manoel Antonio de Andrado
Manoel Martins de Almeida
>r. Pedro Ignacio da Cunha
Pedro Tertuliano da Cunha
Antonio Joauuim de Mello
Dr. Vicente Ferreira Gomes
Jose da Silva Oliveira
D. Joaquina Candida Xavier
>. Fortunata Perpetua Ferreira Gomes
Jose Joaquim Pereira de Oliveira
D. Ponciana
Antonio de Oliveira Passos
Hev. Jos Matilias
Marca I
Amaral
Jeronywo Ferreira de Moraes Portella
Lina devola
Urna dita
68,000
10,000
8,000
8,000
6,000
6,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
4,000
3,000
2,000
2,000
? 2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
1,200
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
Francisco Concalves do Cabo
Antonio Francisco de Oliveira Baduom
Francisco do Prado
I). Antonia Maria Monteira
JoSo Joaquim de Figueiredo
Antonio Thomaz do Souza Magalhfles
Pedro'Antonlo Teixeira Guimarfles
Jos Heginio de Souza Galvflo
Emeterio Maciel da Silva
Dionisio Jos da Costa GuimarSes
Jos do Oliveira Campos
Manoel Alves Ferreira
Manoel Joaquim Ferreira Esteves
Francisco Jos de Campos
Jos Joaquim Lopes Moreira
Francisco Martins Ferreira
Manoel Jos Bastos e Mello
Manoel Ferreira Denis
Joflo Jos do Monte
Jos Aqu no Fonseca
Antonio Alves Barboza
Jos Antonio da Costa e S
Antonio Coelho dc Mello
Jos Joaquim de Miranda
Guilherme Frcderico de Souza Carvalho
Arrecadadas por Manoel Ferreira de Sousa
Barboza, a saber:
Joflo Baptista Accioli Lins
Joflo da Silva Moreira
Antonio Augusto Maciel
Jos Joaquim da Silva
Jos Ignacio Costa
Joflo Manoel Peres
Joflo Ferreira da Costa
Manool Gomes da Cunha c Silva
Jos Maria Ferreira da Cunha
Francisco Jos Pereira Braga
Manoel Bento de Souza
Francisco Jos Pires
Joflo Ignacio da Cunha
Caotano Cyriaco da Costa Moreira
Jos Maria Thomaz da Silva
Jos Ferreira Brito
Manoel Pereira Lamego
Domingos Sorianno (.01.calves Ferreira
Bernardo Jos da Silva Guimarfles
Joaquim Pereira Arantes
Caotano do Reg Tosca no
Elias Ignacio de Oliveira
Arrecadadas por l'irmino Jote de Oliveira, a taber
Guilherme Patricio Bezerra Cavalcanli
Major Anlonio Francisco de Moura
Joflo Ribeiro Pessoa dc Vasconcellos
Francisco Felicianno Rodrigues Selle
Antonio Bernardo Rodrigues Sette
Jacome Gerardo Maria Lumachi de Moli
Jos Antonio Lopes Guimarfles
Jos Fernandez da Cruz
Gabriel Alfonso llegueira
Joaquim Jos Ferreira da Rocha
Aulu.lio Pedro das Neves
Francisco Borges Mendos
Joflo Ferreira d'Annunciacflo
Jos Higidio Ferreira
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,001
1,000
1,00
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
5,000
5,000
5,000
5,000
5,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,0011
1,000
1,000
1,000
1,0M
2,000
2,000
2,000
2,000.1
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
Importam as esmolas arrecadadas em lis.
Despeas com a mesma ftsla.
Importe do fogo de vista a Joflo Mi-
guel Teixeira
dem de 15 duzias do fogo do ar ao
mesmo
Msica de orcliestra a Jos Marceli-
no da Costa
dem militar a Anlonio Maximian-
1.0 da Costa
Importe de 44 duzias de fogo do ar
a Jflo Nascimento
dem da armaeflo da igreja a Mano-
el Esteves Quinteiro
dem de cera a Antonio Joaquim
875,460
Arrecadadas por Manoel Pedro de Sousa, a taber
Francisco Augusto da Costa Guimarfles
Joaquim de Pontos Marinho
Jos Ramos da Cruz
Jos Luiz de Souza
Jos Francisco Colares
Luiz Antonio Barbosa de Brito
Manuel Joaquim Soares
2,000| D. Joaquina da Conceigflo Torres
2,000|Quirino Joaquim de Barros
1,000
1,000
1.000
1,000
1,000
1G0
Ferreira e Souza
dem dita a Joflo Antonio de Ma-
celo
dem dita de carnauba a Joflo da
Silva Loureiro
dem de 6 figuras a D. Maria Joa-
quina de Oliveira Amaral
dem do sermflo da festa a Fr. Joflo
da Encarnarlo
dem do dito do Te-Deum a Fr. Lino
do Monte Caruiello
dem dc pintura do poda bandei-
ra a Sebastiflo
dem dealuguel de globos devi-
dro a Joaquim Antonio Pereira
dem de caibros a Joaquim Francis-
co de Torres Galiudo
dem dos resistos a Manoel Esteves
do Nascimento Quinteiro
dem de 3 machinas
Papel c impressflo das cartas
Madeira para o tablado e pyra-
mide
Concertos de lampees
Ao carpios por armar a pyramide
Ao provincial.da mlssa da bandeira
e festa
dem ao Fr. Castro na madrugada
da festa
Tinlas para pintar a pyramido e
painel
Importe de 10 capacetes para os
meninos que acompanharam a
bandeira
Doce para as figuras
Diversas despezas
Importe da msica da ladainha do
oitavario a Jos Marcelino
dem da inpressflo desta rclagfo
130,000
30,000
120,000
100,000
88,000
60,000
45,650
41,800
33,910
30,000
20,000
20,000
3,000
3,200
3,280
30,000
16,380
5,000
7,960
4,260
4,240
10,000
2,000
6,040
3,360
1,920 f
28,620 /
10,000 "^
10,000
oce fi-30
5,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
2,000
RS. 6,8W
Saldo restante que pass mflo de
FermnoJos de Oliveira
Pernambuco, 8 de julho de 1847.
Joaquim Speridido da Silva Guimarlei-
Sitterio Joaquim Marlint dos Santo.
Firmino Jote de Oliveira.
Manoel Ferreira de Souza Barbota.
Manoel Pedro de Souza.
Luiz llezerra Monteiro radilha.
Joo Antonio Alves da Silva. 11
Andr Saturnino Laget.


Movimento* do Porto.
Navios entrados no dia 23.
. ,hln Rio-Crando do Norte, Cear t
? ^Tias' o do ultimo porto 13 horas,
rasileiro
Jante o
J. Traz
pira
hilw
e Para-
vapor
Ymnerador, de 20 toneladas, cmman-
- lorente J. Eugenio Tavares, equipagem
f Traza seu bordo: --o Fsm. Sr Hercuhno
ira Penna e seu fllho II. C. Ferreira Peona,
Fer pravos, o Iilm. e Exm. Sr. b.spo do Mara-
!T m escravos, Jos Vicente Rodrigues de
fihnco ura escravo, Benedicto T, Pacheco,
2V VoreiraLima, Jclo Keller, Jos Joaqaim
S'1 com um escravo, e o recrula Tertuliano
rotaWir. 7Y09 a entregar no Rio-
a. e ro a diversos, o 2 para esta provincia,
i*, indias, brigue portuguez San-Domingos,
sba, ""'.' capitao Manoel Goncalves Vian-
d"Z inaiom 15 rg. vinho, azeite doce e mais
lero aMendes & Ta'rrozo. Passageiro, Marceli-
CrquePereira Portuguez
Navios sahtios
no
no memo dio.
Rio
10 fio (andido Forjaes de Lacerda, carga varios
"f'':'s Vassageiros, Manoel Jos Poreira, portu-
fuez o 2 escravos a entregar
IN w prt barca americana America, capitfto II.
Smyly, carga a mosma que trouxe.
a raques.
Para o Rio-Grande-do-Sul pretende sahir bre-
ve o brigue Austral, por ter o sou carrosamente- en-
gajado; pode, porm, receberalguns escravos a le-
te, eassim tambem passageiros: para osles a tratar
com ocapitSo, o para aquelles com Ainorim Irmios,
na ra da Cadcia, n. 45.
O brigue nacional Felis-Destino acha-se carre-
gado e smente recebe escravos a frete, seguin-
do para o Rio-do-Janeiro no dia 28 do corrrontc :
quem pretender mandar escravos entenda-se com
o Sr. Manoel Goncalves da Silva na ra da Cadcia.
LeiSao.
GeorgcBurnell, capitto da barca ingleza Achilles,
legalmcnte condemtiada neste porto, contina o lei-
Iflo da mosma barca, om presenca do lllm. Sr. cn-
sul de S. M. B., e por intervengio do corrotor Oli-
voira, de vergas, veame, botes o ostros muitos
pertences da dita barca, que nao foram arremata-!
dos no primeiro leililo por falta de tempo: boje,
24 do correntc, as 10 horas da manhaa, no mesmo
armazem. em que tevo prensa o Sr. Manoel Ignacio,
no Fortc-do-Mattos.
lot. ra do theatro.
A os 3 e6:000s000 rs.
O progressivo augmonto, que vai tendo a venda
dos bilheles desta lotera, habilita o respectivo ine-
sourciro para assegurar que as rodas da 2.' Parl'' 'la
17." lotera andarao imprctorivelmcnto no da 30 no
correntc: c para que mais so aceclere esto acto, roga
nos amadores dcste jogoque coneorram a comprar
o resto dos bilhetes que existem, c que cstHo a venda
nos logaros do costume.
Roga-se aoSr. queannunciou para se lhe pa-
gar um bilhete do camarote de theatro, declaro so
esse annuncioso entondecom llonrique Cavalcant.
deAlbuquerque, pois que no dito annuncio venias
iniciaes II. C. I... pelas quaes lio mais conhccido.
Procisa-sa de um preto para iodo o servico de
urna casa: na ruado Qucimado, sobrado n- 27,pn-
moiro andar. .
Perdou-so na rua.Augusla, na noite do logo,
um botito de ouro, de abertura, cravado com um
~~. f..n,ln ,, mm lima ai'guiliuio
o tiver adia-
do e o queira restituir, dirija-se a ra das
Vende-so una mulatinha mu
bein oducada de 10 a 11 annos
inda e mu
com prin-
Avisos diversos.
O vapor Imperador recebe as malas pa-
ra os portosde sul, hoje, (24) a urna
hora da tarde: e as correspondencias
que viercm depois desta hora, paga-
'^VS^eCrasda tarde, fecho a mala para o
iHaeokiguefrancez Cesar, na ra da Cruz, casa
insSri Avriallrmilos.
llnie as 11 horas da nianlila, fechan mala para
Himbura o brigue liamburguez Johanna na ra
Scrazcasado.Srs.N.0. Biober & C.
A administraeflo geral dos estabelocimentos de
cardade, tendo concluido araedilcacao das casas
nt 116 aa ra das Cinco-Pontas, cll da ruados
scadores, manda fazer publico, que no da 26 do
I porfcnte, na sala das suas sessoes, pelas 4 horas da
tarde ir praca a renda das referidas casas
'iVquedecorrerdo dia da arrematacSo
Sode1850. Administragno geral dos estabclcci-
K>sdecaridade,l9dojulho do1847. -escnp-
turario, F. A. Calateante Cousmro.
A companhia de aprendizes menores compra
nra sustento dos mesmos: arroz branco; assucar
branco; bacalhao; carne secca; cafo em gri1o; fannha;
fiiSu- lenha; toucinho; sendo taes gneros de boa
aualidado: quem quizer contratar o fornecimento
Jos mesmos, mandar suas propostas em cartas fe-
chadas ao lllm. Sr. coronel director do arsenal de
guerra, at o dia 25 do corrente mez.
Companhia de aprendizes menores do arsenal de
| guerra, 21 dojulliodel847.
Ftlix Cavalcante de Albuquerque Mello,
Pedagogo.
pelo
a 30 de
- Como o Sr. Victorino Jos dos Passos prove-
dor da irmandade do S. B. J. das Chagas nao res-
pondesse as perguntas que lhe fez o Irmao espanca-
do no consistorio torna outra vez a perguntar o mes-
mo : 1.', se he ou nao verdade o que lhe pergun-
ta, e so lio o contrario prove: 2.% se tendo sua mer-
c feito este anno quatro mesas geracs o todas com
onumoro suflicienle de irmaOS, antes do se pro-
ceder a eleicSo, porque o nao lom agora conse-
guido : 3., tendo sua morce privado o cscnv.lo ,
como j disse sem commetter falta em seu empro-
go porque nao Tez o mesmo com aquelle que Tez
vispora com o rendimento da eloico 4", so quizer
sabor o nome do Irmao espancado no consistorio res-
ponda as perguntas que se te ni feito, que com a
mesma resposta continuar o Irmdo espancado no
consistorio. ,
- Aluga-so o segundo andar do sobra Jo Un ra
da Guia, n. 29 : a tratar na ra ostreita do Rozario,
botica do Sr. Prannos, ou no sobrado da esquina
la ra larga do Rozarlo n. 52, ato as 11 horas do
dia.
- I)iIo-se 500,000 rs. a premio de um o um quar-
to por cento ao mez com hypotheca, ou boas tir-
inas pelo tempo que se convier : na ra da benzal-
la-Volmi n. 96, se dir que d.
-- Vai a praca, por venda peranto o Sr. juiz de
orphaos, segunda-feira 26 do corrente pelas 4
horas da tardo um bom sobrado do um andar com
um grande sotiio e em muito bom estado Rito na
ra do Amorim, n. 12. Declara-so quo nao vai a pra-
ca por dividas e sim a requer ment dos herdci-
ros do mesmo sobrado. Quem o dito sobrado qui-
zer comprar compareca as referidas horas na por-
ta do mesmo juiz no Aterro-da-Boa-Vista. A elle ,
quesoacha avaliado muito barato.
-Quem ahnunciou querer comprar um cnvallode
_:_ .11.::. rua (JO (.0110-
diamante grande, sem fundo o com urna arg
para cordflo muito fino : a possoa quo o tiver a
doe o queira restituir, dirija-se a ra das ranco-
Pontas, n. 40, que ser gratificada. Tambem pede-st
a quem qur quo soja offerecido, de O apprelienuir,
eannunciar a sua morada para ser procurado.
-- Sebastio Jos Gomes Penna torna, pelo pwsen-
leannuncio, a participar aoSr. Jos Mana, l ortu-
gue/., casado, e de pouca familia, que morou per o
do ongenlio Timb, so dirija a ra do Collegio, paia
rallar-lhe a negocio de seu grando interesse, oquai
lhe esclarecer vista do urna carta que recebeu de
um senhor de engenho. -_,,
-A pessoa que annunciou querer 800,000 rs. sobre
urna casa terrea, annuncio sua moradia, para ser
procurada. __ .. ,-
-F.ngomma-se roupa com muita prompluiao e
selo, por preco commodo : na ra do Padrt-l lo-
"--An'tonioios da Cunha faz publico que, tendo
6 lettras garantidas por EstevaO Casado UMJ"
nontam a mais de um cont de res, o procuran-
do fazer, por mandado do juiz competente .em-
bargo nos escravos desto Sr. elle maliciosamente
os occultou, a ponto de se passar a dar B\U9
por mandado do juiz o nao
servi-
do Hor-
rejo
Co(ra provnciaes no mez dt agosto prximo futuro.
Dia 11.
Oda illuminacSo agazdas cidadesdo Rccife c Olin-
da, na forma do artigo 3.'da lei provincial n. 191, do
30 de marco de 1847.
Dia 16.
Odocstabelecimento de urna linha de mnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, de 30 do mar-
co desle anno, facilite o transito desta cidado a qual-
querdosseus arrabaldes e Olinda. Este contra-
to ser realisado depois que a presidencia assim o
determina, vista das propostas que por intermedio
da thesouraria lhe forem apresenladas.
bom andador, dirija-se a ra
ama que saiba bem cozi-
interno de urna casa de
estribara,
gio n. 6.
seram adiados :
oraVcsKte\e7edoV";'amdos escravos quo j".
tom una mobilia velha ; o no enllanto consta que
elle solicita o procura com cmponlio vendar q es-
cravos: e como esta von.la he fraudulenta, comoIm
de nio pagar e como as leis uflo consentem vcnda.s
desta ii'aUrezla.eoannuncianto esta W
procurar o seu dreito contra quem for por unoTai
o presento annuncio, para que n.ngue.nlaqa tonlH-
tos com o dito Estevo Casado Luna sobro os escia
vos que ello possue. :_'
-Jos Ferreira Marinho embarca MN o Kio-
Craiido-do^iul o sou escravo l.ui/, crioulo.
- Ao Sr. que lema habilidade de la-
zcr cartas anoiiyinas Lio smente para for-
jar intrigas de urna para outra familia ;
pede se, pela alma de seu pa e vida de sua
ni, ((pie tantos trabalhos passou para o
parir ) baja de se corrigir c se o nao li-
- Na noitede 13 para 14 do cor en e julbo, des_
appareceu da estribara do sobrado unto ao co
legioS.-Antonio, um avallo rodado inte.ro
emboas carnes. Portenco a Bernardino rreire
Figueredo Abreu o Castro.
Aluga-se urna grande casa terrea, na
ra Augusta com lions commodos, para
grande familia, pelo preco de det mil res:
a fallar com A. da G. S. G., na ra do
Crespo, n. l5. An
O engenheiro HiLarensina na sua casa, ra
Crespo, n. 14, primeiro andar, as *'" **^
Cas: AH.TIIMET.C, OBOMETalA, ALOEBnA, CBYUIC
o riirsicA.
6 .1
L| uuill uuuvauu t .----------- iw
SI cpiosde costura, o que he minio _desomua- ^
'i racada n Imlnl : na ra do Vinario, n. 2*, p|
-A\ so dir quem vende.
- Precisa-se de urna ama para o pequeno
qo interno e externo do urna casa :
tas, n. 16, primeiro andar.
-- D-se dinheiro a premio sobre penhores de ou-
ro ou piala mesmo em pequeas quantias : na ra
Direta, n. 2, primeiro andar.
- Precisa-se de um rapa/, para tomar conta do
urna venda por bataneo, anda mesmo dando-seso-
ciedade : a tratar na ra do Rangel. venda n.8l.
- A cocheira ingleza da ra do Cano recollie ca-
vallos o carrinhos por prcr;o commodo, tanto men-
salmcnle como por .lia : o dono desto estaboleci-
nento se obliga a tratar ludo com o maior zelo pos-
" ~ Acha-so cm praaa, de renda, o engenho deno-
minado Almesca, situado margem do rio de Una,
niocnle o corrente, con. safra criada : tambera so
vendo urna propriedade independonto do ongenno,
margem do mcsino rio. demarcada, com boas var-
zcas esufflcienle para levantar um bom ongenlio,
com maltas virgens. Os prelendentos procurcm nes-
ta praca a Manoel Goncalves da Silva, na ra da ca-
dcia do Rccife, ou no mesmo ciigonho ao. propn-
etario. .. ._
Precisn-so do urna ama que saiba bem coz-
nhar e engommar, que faca o servico interno de urna
casado pouca familia, ed fiador a sua conducU .
naruadeJoilo-Feriiandcs-Vieira.n. 42.
- Para nflo liaver engao ou ignorancia, negocio
algum se faca com I). Maria do Espirito-Santo.Cara-
pello o seus lilhos, tendente aos bons. que em sou po-
er tem, do finado Feliciano de Barros Araujo. e 1 .
Auna Narciza de Barros : desdo ja protesta-so re.iiy.
icar era qualqoer mffo onde se achc, visto se aclia-
liantadosem suas legitimas, como se preten-
roni a.
' Cadeiras vagas tprimeiras lettras.
A de Caruar, cujo concurso ter lugar logo que
a contar de 28 de junho ultimo, se completar o prazo
de 50 das.
Objectos que a reparticSo das obras publicas pre-
tende comprar.
Um milhero de nregosde batel grandes.
Publicacoes Litteiarias.
Jos pais de familia, capitfte* de navios,
fazendeiros e a todos em geral.
Organon de Ilalincmann, ou exposic5es
das doulrinas boma>opatbicas, a volumes
pequeos.
Manual do pai de familia, do capitao
de navio e do tazendero, ou noticias ele-
mentares da homo3opatbia, coutendo a
accao dos a4 principacs medicamentos
liomoeopatbicos, i volume pequeno.
. Ycndcm-se por preco commodo, no se-
gundo andar da casa n. 7, da
Cruz.
nhar.oqueracaoscrvico interno ue uw
pequea familia : na ra da Mfandega-Velh .n 5.
r i___ una casa terraa sita na ra do Mun-
do-Novo"," r 81, com muito bons commodos : a
tratar na ra da Senzalla-Velha, 11.70.
_ OfTereco-se u.n Portuguez do proh.dade e que
d fiador a sua conducta para se cncrrogar .le
qualqucr estabelecimento ou mesmo panLMh
ro dreobrancas : pois que tem milita ortica de ne-
gocio nesta pracj. "quem de seu prestimo se quizer
ll!Tprdo llm: Sr doutor juiz da primeira
vara do cvel, no dia 26 do corrente, serio arrema-
tdos por ser a ultima praca a casa do sobrado
si o terrenos perteneces ao casal do finado, joflo
Rafael Cordeiro penhorados por exccucio de Fran-
cislo l beirodeBrito : por isto, com tempo se avisa
ao dei ais credores do dito casal, que devem ap-
,n cll aras sl,as esecucOese remelle-las para pcar-
KdoescrivfloBego.aondese deve proceder ao
ratcio, por ser a execuefo maisantiga.
Quem quizer dar ir a cinco eoli-
tos de rs. a premio, pelo tempo que se
convencional-, dai.do-se por seguranca
predios nesta praca annuncie, ou din-
ja-se a ra Nova, n. 39, segundo andar,
que se dir quem lie o pretende-ule.
_ OSr Jos da Bocha Lins, morador em Olinda
nueir.tiirigir-scarua do Queimado, 11. 4, para rc-
Eun a carta de importancia, viuda das Al.goaa.
Na racima casa existo urna carta para o Sr. Lourcn-
co Francisco Pimcntel
1 I A 1 1 1 1 > 1 1 I I
1 na
da
PORTUGAL.
RccordacOes do anno de 1842, pelo principe Licli-
nowsky, traduzidodo allcmfio, segunda cdic?To, cor-
recta e annotada. O consumo rpido da primeira e-
dieflo, o sua procura pormutas pessoas quo ficaram
sem ella, induzo o traductora roimprcssflo desta o-
bra curiosa, quo contm a apreciado dos caraclo-
res mais notuvois do paiz, dos scus acontecimcntos
politicos, monunientos e lugares principaes, reila
por esse principe prussano, que all v.ajou no anno
citado --1 folhcto .lo^20 paginas. Vende-sc por
I.OOOrs., no segundo andar da casa, n. 7 da ra da
' '"-''Sanio luz o 10.u n. do trogreiso, coniendu u
seguiotes arlgos: a todos, reformadores soc.aes,
rercrrma do ,vslema penitenciarlo, revistas sc.en-
lfica e poltica", romaneo Q variedades.
-Jos do Almeida Bastos, portuguez, retira-so
rTlSSSSttSU Ponuguez.para caixei-
ro dedado do 12 a 16 anuos, que seja fiel 1 n-
^^pSVde um^apaz brasi.eiro nato ou
adntivo que d fiador a sua conducta o que sai-
be lereescrever, para entregar pilona ra : na ra
larga dogozarlo amigamente Jos Quartcis pada-
"-'pMmuta-se um sitio pequeo, com casa nova,
comdousquartos.cozinha, boa agoa de beber,
o al"us a?voredos de ructo por urna casa nesta
'prisa, o vende-so o mesmo sitio : a .tratar na ra
Direta, n. 16.
_ O abaixo assignado faz scient,> s pessoas com
um leem transacefieseommerciaes, que fe
zer, se lia de arrepender.
O Queixoso
-Do sitio do doutor Jos Bento c.n Ponte-de-
l!cha!desaPpareceu no dia 12 docorrente, urna
canoa de carreira aborta, UBI MW' voijib ,, icm
dous bancos as taboas do estrado da {***$
gadas.e ro calafetada ha poucos das : quem ova-
la ouder noticias certas no Aterro-da-lloa-\sta,
11.37, segundo andar, ser generosamente recom-
-- Francisco Pinto da Costa
Lima, alaiate, morador na
roa larga do Rozarlo, n. 10, precisa de Adaaada
e cilicio c coslureiras: tem para vender pannos
,Vto azuesc verdes; bons br.ns, ve mo o ha-
n .lote- bolOes de osso preto e branco; hnha deca
Sfi eabeca preta o branca; hollaudaspara forros
o al"iiinas obras frutas. ,. _.
C "ATinda esiao para alugar al casas Unwft
27, 29 e 31, silas na ra Real junto no ttopwbO.
cora bastantes e bons commodos quintal e porto
do embarque : a tratar con. Manoel Perca Te.xoi-
a morador prximo aquello lugar.
PASSEIO-PUBL1CO, N. 5. <>
$% JoSo l.oubet participa a todos os seus^R.
IVetues que recebeu ltimamente um grande soi-
monto de chapeos do sol. do ultimo gosto pari-
sc.se, tanto para senhora como para hornera; os
nuaos se loman, mui recommc.dave.s pela sua qua-
ida.le e variaces do gosto sendo elles de boas
edas e panmuhos, pois se conservara as suas cores.
la"esto mesmo estabelecimento um grande sorli-
metode boas sedas de todas as cores o auperio-
refoanninhos trancados c lisos, de muito boas
oom"55icpbrir chapaos de sol. Tambem se fazem
todos os concertos que o, mesmos precisaren., con.
promptidio c diminuto preco.
le justificar no inventario a que se vai P^cder:
i Aluga-se um pequeo armazem nas ras barga
do Rozario Direita o Nova ou Atierro : quem li-
vor d?nja-se a ra do Qucimado ,.. 60, ouannun-
C'- Pelo juizo da segunda vara do cvel, Je que he
escrlvao Manoel Jos da Molla ,*'" P"g" a,
ser arrematado de renda animal, por 700,000 rs., o
so bn do Te um andar sito na ra da Gloria ; o qual
vaiaoraca a requeriment de Manoel Pires Ferrei-
ra'."por aresto feito a Lu.z Pires Ferreira Cj- fc-
romatacilo se ha de ofTeituar, lindos os das da le. :
So arrematante obrigado a pagar a renda por
trimestre.
- Aluga-se um
fresco e em boa
soto, muito
ra proprio
para homem solleiro : a tratar na
esquina do Livrament loja de
6 portas
Compras.
.. Comoram-se 9,000 lijlos de alvenaria batida ;
aOMmtosde tapamcnlo\ 1,000ditos de alvenam
arossa- ludo de bom barro e bom coz.do : algum
(j|0S>d lu.iu u ______..,lo 1,., ,.,.,-|.i- pela ne-
o ciin que so quizer cncarregar de fornecer esta pe-
oMnaporcao de material, dirija-so a ra daSen-
z la Nova .venda de Jos Perera ou annuncio.
-Compra-sea obra- Diccionario de pontos -.
nuo conm casos do moral, mesmo estando era
mouso "a ra Augusta 11. 52, ou annuncie.
- Com an.-seduas escravas e urr. moleque, que
tenbara de 12 a 20 anuos e de boas figuras : na ra
NO-Compra-se um Diccionario de Constancio
bom uso : na praca da independencia l.vrana
barris vasios: na
em
ns.
~ comprara-so
n. 9.
ra Direita,
>ra Discursos moraes e evan-
-^-'som-eviclore virtudes, por Fr. Antonio
elicos
Je
S -Francisco, nova, ou mesmo usada anda mes-
toa%KvC\^odT.rpWeK"queteem nrVfaltando-n.e o terceiro tomo: na ra da Praia.
m*^toWUf*i*!^*W armazem..
to'trap'oTo's qabs jacslo promptos os vilo bus
car7io prazo de 8 dias ; do contraro, serflo vendidos
por todo o prego que
achar pois nao pode ter
Aisos maritimtis.
o mis tompoenpt.doosculrabalho: por issofaz
o ..esente annuncio para scus donos se nao cha-
mronla ignorancia.
ATTENCAO'.
Os senhores negociantes quo tiverem boa1 divi-
das fra desta praga o quizercm que o abaixo a
SSto Va' obr-;/, paTa'o que so" ju.ga Mto-
meXLbi.itado.poisnnopagaaadvoga.^^
Recife, i5dcjulho de 1847.
Antonio Jos Rodrigues de ftou.a
- Offerece-se urna mulher para ama secca de por-
..- --- dentro na ra da Penba, n. 27.
"t-rja-se dinheiro a premio mesmo om pequeas
nuanlias, com penhores do ouro e prata; 0 comp. ani-
se estes dous metaes, ainda que seja cm obras que-
bradas : na ruado Rangel. n. II-
AQU NAO'HA USURA.
D-se dinheiro a premio sobre penhores de ouro ,
mesmo em ^quenas quamjas: BimeM dosMar-
^sS^^^S^^^^^^e um KR!Sde sapat28ro' rorr u
ra carga ou passagem trata-sc no armazem ao captiv0 : na rua do Trapicbe-Novo, n. 28.
do da cadcia, n. 23. r
becco do
mil ris
gna
de Mello Oxal.
Aluaain-se tres casas terreas, no
Feixoto, pelo preco de cinco
cada urna : afiliar na rua do
n. i5, com A. da C. S. G.
rtmiXstraVftmerfgenho^
Vendas.
HOITA ATTENC-A.
- Vende-se um sitio no Calde.re.ro; com1 bastan_
g arvores do fructo junto ao dSr. coronel rran
cisco Jacintho com boajan.je v.v en d.., ue^
dra ecal, cora du.sg a ndess a q ^^
torrado adianto e atrs_u'' *-"' nmmolios nue
terrado adianic, --- cornmodosque
senzaUa P P^l%'.^o Chora-Menino casa
r0mcm.tnVterV.;ueraoutr-ora servio de theatro
M!l.PVenndnem-se obras de ouro, para homem e se-
uinacaixadc prata dourada ; um relog.o
a 1,280 rs.; vidros para
garra!..
rs.; ditas grandes e Finas, .,
candiciro a 120 rs.; e outros nimios v.dros elou-
ca, por barato prego : na rua do Rangel, n. 11.
Vcndem-se3 escravos bons trabalhadores de
enxada por prego commodo : na rua Direita so-
brado n. 29.
~ Vendem-so btalas de urna arroba para cun,


A

MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
.-.


A
Vendem-se caixas dechhysson, de6, 12ol3
libras nm porgos, ou a rctalliu ; caixas de velas
de esperraacetedeSoSem libra : na ra da Alfan-
dega-Velha t n. 86, ero casa de Malhcs Austin &C.
AOBAIIATO.
Na nova loja de Francisco Jo-
s Tcixcira Bastos, nos qna-
tro cantos da ra do Quci-
mario, n.O, que faz esquina
para a ra estrella do Boza*
rio, vendem-se
fazendas novas bem como : brim pardo trancado
depurolinho, a 200 rs ocovado;dilo superior, de
cores as mais modernas a 1,500 rs. a vara; algo-
dolrangadode listras, americano, a 180 rs. o co-
vado dito encorpado, a 200 e 2*0 rs. o ovado ;
chitas escuras de cores (isas a l<>0 c 180 rs,j, e finas
donovos padrees aSOOra. o covado ; ditas impe-
Haes, a 300 rs. o covado ; ditas escuras e ordina-
rias ,a 120c 140rs. o invado ; corles de camhraia
fina, de ciVes a 3,200 rs.; pecas de bretanha de rolo
COm 10 varas a 2,000 rs. ; dita de puro linho a 320
rs a vara ; dita muito fina a 610 rs.; merino pio-
lo lino o de cores a 1,280 rs. ; panno (no prelo ,
:i 3,000 rs. o covado c de outras coros e qualidadcs ;
ni lias para meninos a 80 rs. o par ; ditas para me-
ninas a 200 rs. ; ditas prclas e curtas a 120 rs. ;
ditas milito linas a 280 rs. ; ditas para senliora a
210, 330 e 400 rs. o par; mantas do tilo de linho a
i,(oo rs.; cassa escampinada, propria para cortina-
dos, a 3,200 rs. a peca ; ramdraia lisa muito fina a
640 rs n vara, Dflo-se amostras francas ios compra-
dores. .Moni di'stas ha outras militas fazendas inoder
as por presos rasoaveis.
so a vender, por prego commodo saccas de muito
superior farinlia de S.-Matheus.
Vendem-se saccas com tarlo de trigo: na ra
da I'raia annazem dcGuilhermeSoares Botelho.
Casa da F
na ra es tro i ta do Rozario, n. (5.
Neste estabelecimento acham-se a venda as cau-
telas da segunda parte da 17.* lotera a favor das
obras do thcalro publico desta cidade ; cujas rodas
devem correr no da 30 deslo mcz. A ellas: os pro-
cos s;1o os do costumo.
Xa loja nova do Passeio. n. 1 o\
vendem-se cassas modernas, do cores fixas c largas,
a 240 rs. o covado ; chitas do novos padresc bous
pannos a 4,500 rs. a peca c a 120 rs. o covado ;
alem destas, ha un completo sortimento de fazen-
das de todas as qualidadcs: tudo por prego com-
modo.
Vende-se cera do carnauba da mellior
y qualidade que tom apparecido tanto a
m retalbooomocm porgos: na rua da
i\i Larangeiras n. 14
junto a relinago.
se
ATTENCAO'!
Frentico Chaves, fabricante de gaz hy-
drogeneO liquido, COin aarica de li-
cores, chocolate e espiritas, no /Herra-
da Bou Vista, n. 17,
tem a honra de participar ao respeitavcl publi-
co, e com particularidadcaos Srs (|iie usam deoan-
dieiro do gaz, que na sua fabrica sompre aoharo
grande porgflo de gaz bydrogenoo liquido, de boa
qualidade, pelo diminuto proco de 320 rs. a garrafa
A 640 11
s
*
a demarrafa: na rua lar-
111 11-
prego commodo
pares no pontos de tartaru
ga do Rozarlo, 11. 24.
Vendem-se 3 osera vos mocos. do bonitas figu-
ras ; urna porgodo calcado para 'liomeni sapatos
e hotins ; urna pnrgo de esleirs o saccas com
to boa familia de mandioca
na rua da Cruz n. 20.
A bordo da sumaca Cortla, fondeada na volta
do Forle-do-Mattos, vendo-se muito bom sal do As-
su por preco commodo : a tratar no mesmo bordo.
011 na rua da Cruz, n. 26.
He corlo (|ii(! se vendem charutos do regaba os
inaissuperioresquoha no mercado, a i,400rs. a
oaixa; cha hysson a 2,320 rs. a libra; cale emea-
roco a tOrs.; dito moido, de 4 libras para cima,
a 160 rs. pois lie o molhor que pode haver : na rua
Direira, n lO,
Vendom-so os seguinlos escravos : urna parda
de bonita figura de 18 a 20 anuos ; 2 pardos sapa-
leiros muito mogos sendo um delles escolente
para pagem ; um moleque de 12 a 14 annos ; um
lindo mulatnhodea 8 annos: na rua da Cadeia
do S.-Antonio n. 25.
Vendo-se una venda na rua do S.-Jos com
poneos fundos o com commodos para familia : a
tratar rom Antonio Francisco Martins de Miranda ,
na rua Direita, venda n. 53.
Vendem-se escravos baratos, na rua das
Larangeiras n. 14 segundo andar : 1
proto de elegante figura de 22 anuos ,
JCT sem vicios nem o mais pequeo acha-
,-' ..,.,- que com ollieio do cozinheiro ; um dito
de bonita figura de SO annos, com ollieio de pe-
prciro ; um moleque de 13 annos muito esperto o
sadio sem vicios nem achaques ; um pardo de 22
annos, de boa conducta com ollieio de sapateiro .
011 troca-se por urna prela moca, anda mesmo qu
nfio tonha habilidades; um prelo de meia idade ,
por 250,000 rs. ; 3 pardas de 15, 18 c 22 annos con
algumas habilidades ; duas negrinhas do 7 a 10 an-
nos proprias para seren educadas ; ;i pelas mui-
to fortes que estilo acostuinadas ao trahalho de
Campo ; e mais alguns escravos que se moslrario aos
compradores.
Ncsta loja, alm do un grande sorlimonto da fa-
zendas de lodas as qualidadcs aeda-so um rico sor-
timento de obras l'eilas, como sejam : casacas e
sobre-casacas do panno, merino o alpaca; palitos
de panno o la ; rohes-de-chamhro ; rolletes ; cal-
Cas; lencos para grvala ; chapeos de castor, bron-
cos o pre tos; botos pretos de massa, proprios pa-
ra ofilciaes de caladores, por Icrem coroa, por pro-
co barato.
Vendo-se. ou I roca-so por outro mais pequeo ,
um oratorio ou sancluario, foituno Porto, obrado
muito bou; gosto, com tres faces de vidro cin F>-
ra-de-Porlas, rua do Pilar, n. 145.
Vende-se nina prela recolhida, de 20 annos,
do muito boa figura perfeita coslureira o engom-
maileira o que faz lodo o mais servico do unta ca-
sa ; nina parda moca com as mosinas habilidades;
um moleque de SO annos, bom cozinheiro; um di-
to bom pagem .oque he offlcial de alfaiale ; dous
protos, bous para o trahalho de campo o da praca ;
11111 moleque le 1 (i annos: na rua do Passeio, loja
n. 1.
Vendse um sitio
barato possivcl: na rua da Sehlla-Nova venda do
Jos Pereira so dir quein vende.
Vcndcm-socalugam-se bichas do liamburgo,
por mais barato prego do que em outra qualquer
parto : tambem se vflo appcar, para mais commo-
didade dos froguezes, a qualquer hora do dia e noi-
te; bem como faz-se todo o maisservigo pertencen-
to ao oflicio de barbeiro na rua do Trapiche-Novo,
n. 28.
Vendo-so urna venda em muito bom lugar, e
muitoafregnezada para a Ierra: na rua da Guia ,
n.9.
Vende-so superior cerveja branca fabricada
em Prcslon-Pans, chegada ltimamente sendo es-
ta a mellior o mais forto que vem a este mercado ;
a rctalho em garrafas grandes c poquenas : na rua
do Trapiche-Novo, n. 10, cm casa do Joos Patn &
Companhia.
Vcndc-sc una elegante canoa de carroira de
um s pao, imito boa de vara love do coro, e que
leva 5 pessoas : a tratar na rua de Apollo, com Joo
Estoves da Silva.
~ Vcndc-sc urna canoa para agoa, do um s pao ,
que carrega 11 ivo patacas ainda est em bom uso :
cm Fora-dc-Porlas, rua do Pilar n. 126.
Vondem-se duas toalhas do lavarinto, urna to-
da aborta, por 16,000 rs. oa outra toda em roda,
por 14,000 rs, ; tudo de bom gosto : na rua do Ca-
linga loja 11. 9.
Vendem-se mcios de sola tanto cm porgo
como a retalhn por prego commodo; um pardo,
perito olficlal de pedreiro do 25 annos ; urna litei-
ra usada : na ruados Tanociros, n. 1.
b
Na loja nova do
Passeio-publico,
n. 17,
&

g Vende-se um sobrado do um andar e
snto, acabado ha muito pouco lempo todo
corrido,cm chaos proprios, silo cm urna ba
rua do bairro de S.-Antonio a troco de di-
nheiro, ou de escravos de ambos os sexos,
idades oqualidades : na rua dasLarangeiras,
Vi 11. 14, segundo andar.
Vinnho de Champanha
da superior e muitoacreditada marca
Cometa,
vende-se no armazcm deKalkmann Ar Roscnmund
na rua da Cruz, n. 10. '
Veude-seum sobrado de dous andares e soto
por prego muito em conta, o qual rende 70,000 rs
mensaes: na rua das Larangeiras ,. 11. 14, segundoJ
Vende-so urna negrinha de 11 annos, muito
propria para re appcar a todo o servico ; 2 canoas
de carreira ; alguns cascos vasios que lora 111 de vi-
nno c azeile : na rua da Scnzalla-Velha, n. 110
i\o cscnplorio de Manocl Joaquim llamos o Sil-
va, na rua da Cadeia do Recife, n. 38, coulinuam-
no lugar prximo
i povoacao da Koa-Viagrn, com 3o ps
de coque ios de fructo, o Laixa paraca-
pim e verdura, por dentro do qual passa
o rio Jordao. Este sitio foi do inajor Car
valho Mendonca, Os pretendeutes diri-
jam-scrua do Cabug, toja de mtudetas
de Francisco Jouquim Duarte
Parecein de seda.
Lindos chales de ISa cOres oscuras a 2,400 rs.;
formidaveis cobertores do algodffo, muito encorpa-
dos proprios para escravos, a 1,000 rs. : na rua
doQueimado loja 11. II A, do It. C. I.cite.
Nao sito s os Otilios locistas
quo vendem barato, tambem
vende Francisco Joaquim
Duarte, na sua loja de miu-
dezas da rua do Cabug, n. 1.
Escovasde limpardentes, a 120 rs., ordinarias,
6 linas a 400 rs. ; ditas para laclo a 800 rs. ; cai-
xas lo pus para limpar denles a G0 rs. ; fitas es-
trellas, a 40rs. a vara o de meia largura a 80 e
100 rs. ; franjas de algodfo brancas, a 160 rs. a
vara ; ditas de coros a 240 rs. ; pontos lo prender
cabello, de laboa estreita a 100 rs.; grampos de
vidro, para cabeca que so usam no llio-de-Janeiro,
a 1601*8. ; botOosdemadrc-perola, a 360 e 500 rs. ;
hiinoos dourados com um pequcuo toque de avaria,
' -....."8. o par; carteiras do lino dourado a 320 c
500 rs. ; bicos finos do diversas larguras e pretos ;
agulbas em caixas, a 300 rs ; I uvas do pellica, para
senhora a 480 rs. ; ligas de borracha a 120 rs. o
par ; lacas pura escriptorio a 160 rs.; oculos de ar-
mneoes, do boas graduagea a 1,000 rs,; caivetes
com um pequeo toquo de avaria, a 100 rs. ; ra-
me para chapeos do senhora a 320 rs. a pega ; ca-
pas, a 120 rs. ; tullas de palha para os mesmos a
600 rs. ; machinas de ilhozes a 1,400 rs. ; mcias
para meninos a 200 rs.; ditas para meninas, a 240
rs.opar; aljofares de diversos tamaitos a 120
rs.; carteiras grandes do guardar cdulas a 3,500
rs.; peanas de ago, finas ,a 500rs. a groza ; pares
de pentes de tartaruga, finos, a 1,200 rs.; espoletas
propnaspara os apaixonadosda caga a 50o rs.; facas
- cabo de chifre de viado a 7/ rs. a du/.ia, o mi-
de
lando cabo de marlim de balingo a 8,000 rs. a
duzia ; longos pelos para grvala a 500 rs. ; buh-
les lo visita a 1,500 rs. o cenlo; caixas com massa
de aliar navalhas, a 200 rs. ; litas de velludo de
diversas cores,a 120 rs. a vara.
--Vendem-se muito bem feitos vasos para flores
pias para preservar as formigas ; pequeos cacos
para vender llores ; jairas o oulras obras: tudo
muito barato o de muito bom barro : na rua da Flo-
[rentina n.. 16. Na mesma casa precisa-so de um
mostr oleiro para fazer urna unconunenda impor-
tante.
Vendem-se casaes de pombos, grandes, mui-
to bonitos c hons batedores; bem como filholes
muito gordos : ludo por prego commodo : na rua da
Florentina, n. 16.
Vende-se urna prela de 22annos, sadia de bo-
nita ligura,eque tem habilidades: no Alerro-da-
Boa-Vista, n.80.
Vende-so urna canoa de conduzir agoa toda
construida de nmarello e sicupira, pelo diminuto
prego do 130,000 rs., a qual pode servir para canoa
aborta .tirando o convs fra, quo lio do taboas de
amarlo ; os pretendeutes mo dexaro de fazer
negocio a visla do objecto e do prego, que he o mais
vendem-se pegas do algndfiozinlio sem avaria, a
1,600 e 2,000 rs.; riscadinhos a que chamam linho,
para camisas do escravos com 4 palmos do largura,
a 120 rs, o covado ; e oulras militas fazendas mais
baratas do quo em outra qualquer parle.
Vende-se fi da India proprio para coser sac-
eos : na rua do Trapiche, n. 8.
Vendo-se estopa, propria para saceos : na rua
do Trapiche, n. 8
Na botica da rua doltangel, vendem-se os re-
medios seguidles, dosquaes a experiencia tem con-
firmado os lucidores eleilos : denlilico que tema
propriodade de limpar os denles cariados e resti-
tuir-lhes a cor esmaltada, em muito poneos dias ;
o uso lo dito remedio fortifica asgengivas e tira o
mao clieiro da bocea proveniente nlo s la carie,
cmodo trtaro que se une ao pescogo (lestes or-
giTos; o remedio de designado pelos nmeros pri-
meiroe segundo: orchala purgativa, mui til as
criangase as pessoas de toda e qualquer idade; he
com posta de substancias vegelaes, nlo contm
mercurio, nem droga alguma que possa prejudicar :
remedio para curar calos, em poucos lias; dito pa-
ra curar loros veneras antigs, e que teom resistido
ao tralamonto geralmenle applicado ; dito para pro-
vocara menstruagHo e accelerar a acgSo do ulero
idade de20 annos, muito forte; um dito de 18 annos,
nos parios naliiraes em quo nao se precisa das ma-
nobras scientificas da arle ; dito para resolver tu-
mores lymphalicos vulgo glndulas; ditos para
curar bou has o cravos seceos o mais clfleaz quo se
condece at aqui; dito oximel de ferro, muito til
aschlorozes, vulgarmente chamadas frialdades,
ios anl i-bi liosos de Manoel Lopes, capsulas de ge-
latina contendo balsamo de cupahiba ; ditas de
oleo do rocinos purificado; ditas de cubebas em p
lino; ditas de assafolida ; ditas com pos purgantes ;
ditas de ruibardo da China; ditas do sulphato do
quinino de 1 o 2 graos cada capsula ; algaleas; pilu-
las de sal de cabacinlio; verniz de gomma copal, da
primeira qualidade, viudo da Frange ; remedios quo
curam u frialdado dentro de 40 lias,mesmo estan-
do luchado; oleo muito bom para conservar o ca-
bello, que, alem do nao deixar cabir o cabello, lini-
pa a caspa e cujo uso continuado faz reapparecer o
cabello perdido ; Diluas especificas para curar as
gonorrheas chronieas, quando a lesfio nao passa da
ureta ; igualmente um xaropo anli-heniorragico
applicado nos casos em que se deilasangue pola boc-
ea. O prego de todos os remedios he mui rasoavel
o os bous resultados da suaapplicag.lo lie que devem
fazer sua apologa.
ma venda, ou no segunda andar por cima da mes-
ma so dir o motivo da venda.
Attencao fregu-
zes.
Na loja nova do Passeio-Publico n. 19, de Ma-
noel JoaquimPascoal Ramos, est elleresolvidoa
nSo vender fazendas ordinarias, pois quem com-
pra chitas de 120 rs., no outro dia est chorando
peloseudinheiro. Ello tem muito finas, alio, ioo
180 e 200 rs.; pegas de madapolo muito fino a 3'
4, 4,500 o 5,000 rs.; ditas do algodilo.a 1,280
2,000 rs.; longos de seda, a 1,120 e 1,440 rs.; pe
gas de plathia a 1,300 o 2,000 rs.; lengos 'para
grvala a 200 e 240 rs.; olida, a 2,000 rs. a pega
e 80 rs. o covado; cortes de cambraia lisa a 2,5o
rs. e a vara a 400 rs.; pello do diabo a 200 rs. o
covado ; lanzinha para caiga, a 320rs. ; brim tra'n-
gado branco a 400 500 o 1,000 rs.; ditos de co-
res a 1,000 rs.; o outras muitas fazendas, por
muito diminuto prego.
Vende-so a cscrava Rosaura, crioula de 22
annos boa mucama, o que do ptima engomma-
deira : Margarida ,de24 annos, boa escrava para
todo o servigo de urna casa : Mara Rengela do
25 annos, quo he boaquitandoira o lavadeira : Fran-
cisca e Dellina molccas de 13 a 14 annos: Rosa e
Bonifacia boas para engenho : Victorina Mogam-
bique de bonita figura e que he muito habilido-
sa : Lourongo moleque de nagSo, de bonita figura
de 16 annos : Vicente carreiro : Joo-, Angico d
30 annos: Francisco, canoeiro: na rua de Ago'as
Verdes, n. 46.
Vendem-se 80 o tantas barricas que foram de fa-
rinha vasias: na rua do Rozario, padarian.48.
Vende-se um bonito alfinetede peito na rua
estreita do Rozario, n 34.
Vende-se um quadro dourado com o retrato
de S. M. I. oSenhor I). Pedro II, pelo prego do 25#
r.. : na rua das Trincheiras, n. 17.
Vendem-se ps de parreira, por prego com-
modo : na rua do Caldeireiro n. 70.
Vendeni-se reos de salsa pan ilha,
nova, e muito boa : no armazem do Bra-
guez, junio ao arco da Conceicao.
' VENDE-SE, A SETE VINTENS VARA,
madapolo limpo e muito forte proprio para forro
e roupa do meninos, toalhas ; e pegas com 20 varas
a 2,500 rs. : na rua estreita do Rozario n. 10, ler-
ceiro andar. .
Vende-se, na rua da
Cruz, n. 23, cera em ve-
las, de superior qualida-
de, fabricadas no Hio-de-
Janeiro, en> caixas pe-
queas, soi lmenlos ao
goslo do comprador,
e por preco mas barato
do que cmoulraqualquer
parle.
J8
Vende-so um sobrado no largo do Tergo, n. 26,
em chos proprios : a tratar no mesmo.
Vende-se urna loja do miudezas, com poucos
fundos, propria para quem se quizer estabelecer,
porscrem um bom local, he bastante afregueza-
da; a qual vende-se por o dono no poder conti-
nuar por motivos de molestia e ter-so do retirar
para fra ; pelo que, se faz toda a vantagem que for
usta : a tratar na mesma loja, sita no Aterro-da-
oa-Vista, n. 58.
Vende-se um pequeo sitio com muitos arvore-
dos novos, de varias qualidadcs, o materiaes para
fazer urna casa na Soledado estrada quo vai para
o Mauguinho : a tratar na mesma estrada, n. 19.
Vendcm-se2mulatinhosdel2a 14 annos; um
moleque denago ; urna escrava moca ,'do bonita
figura, boa coslureira : na rua Direita, n. 3.
Vende-so urna farda nova, de panno muito fi-
no por 9,000 rs. ; urna barretina para ofiicial infe-
rior por 4,000 rs.; urna banda do la, por 2,000 rs.:
na rua Augusta sobrado de um andar, 11. 9*.
Escravos Ftigidos.
Fugio de bordo lo patacho Pelicano um escravo
do nomo Roque, do Sao-Thom estatura daixa,
rosto redondo e sem barba, com feridas as pernas,
vestido com camisa e caiga azul e barrete inglez.
Este escravo pertcnco a Joo Jos Pereira do Azeira,
do Rio-de-Janciro. Quem oapprchendcr, queira le-
va-lo ruada Cruz n. 6G, casa de Caudino Agosti-
nho le Ranos, por quem ser recompensado.
Fugio, na noite de 20 para 21 do. correnla o
preto Joo, le nago Angola de 30 annos pouco
mais ou monos muito barbado c muito bom fallan-
te ; levou una troxa com ioupa,e entre esta urna re-
de. Este escravo veio do Ico para ser vendido nesta
praca. Quem o pegar levo a Joaquim da Costa Villar,
na rua da Cadeia do Recife, loja do Sr. Joo Jo-
s do CaminoMoraes, que recompensar genero-
samente.
~ Fugio no dia 20 do correte um escravo ain-
da bastante rapaz de nomc Vicente, do 19 annos
pouco mais ou menos estatura regular refor-
gado, bem foito o bonito, crprctaeum tanto afu-
lada agradavel em suas maneiras de fallar; tem ga-
forina alta do nago Mogambique quo se mostra
em pequeos signaos na testa o no rosto ao p das
orelhas ; levou caigas brancas camisa de riscado
azul, e um longo preto que llic sema de cinto.
Muito se rccominenda as autoridades polieiaes e ca-
lillaos le campo de o appredendorem e levarom a
rlia Imperial n. 67, primeiro andar que so grati-
ficara com gencrosdade.
Iloga-se as autoridades polieiaes, oapiles do
campo e mais pessoas quo appreliendam a prela
Benedicta de nago Camundongo estatura regu-
lar rosto comprdo falla apressada corpo gros-
so barriga grande queso presume prende, com
umearogoem um dos dragos; a qual ausentou-so
ha poucos dias, e so suppo aceitada
Vende-se ferro da Suecia ; folln de Flandres ;
cobre para forro de navio ; lito para caldeireiro em
porges grandes e pequeas : na rua de Apollo, ar-
mazem n. 6.
Vendem-se superiores chapeos de
caslor, pretos e hraucos, por preco
muito barato : na rua do Crespo, loja 11.
ta, de Jos Joaquim da Silva Maia
Vende-so um pardo de bonita ligura de 22 an-
nos : na rua do Passeio-Publico, loja de fazendas
II. 21.
Vcnde-se
por barato preco ; urna cadeirinha toda
pintada e ornada de novo : na rua Nova
n. 3q, segundo andar.
- Vende-se urna venda na rua da Roda, defronte
da coebeira, com poucos fundos : a tratar na mes- WtiiR
em algum
mesma nago, para as partes
quilombo de protos la
da freguezia da Vanea. Quem a~fe7a7na'ru7oNo-
gueira, n. 26, ser recompensado.
-Fugio, nodia 20docorrenle, a prela Mara, de
nagao Angola de 20 anuos pouco mais ou menos,
baixa do corpo, bem ladina com cabello grande ,
bastante secca do corpo; tem em um brago dous
signaos do ferro e 110 outro drago um tudo feito na
sua trra ; levou urna saia branca camisa do esto-
pa o panno da Costa ; costuma andar vendendo na
rua : quem a pegar leve a rua da Cruz, no Recife,
n. 26, que sera gratificado.
Fugio as 8 lloras da noite do dia 21 do corren-
te a preta cozinheira de nome Germana do 30
arinos pouco mais ou monos, de estatura regular,
um escravo de meia idade I,",'" pouco fulafoi escra do Snr. escrvo de
1 1 ,' orphaos Francisco Joaquim Pereira de Carvalho:
quem a pegar leve ao actual aenhor, Francisco Ig-
nacio de Atalude que gratificar.
fSA TtP. DEM, F. DE FAHH.-ltq
U
/,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERFSUFR8Z_NK3NFJ INGEST_TIME 2013-04-26T23:04:16Z PACKAGE AA00011611_08497
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES