Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08496


This item is only available as the following downloads:


Full Text
181*
Sexta-feira 25
'",'. a nrero d ..-natura he de
_* d R""r'l.*rte "w"' ttM&*K Oj an-
#* H? *. 40 eintyi'O ddlerente, e as
J" "
r!li)l|;,>
, ,nBtade. Oj que Bao f.rem iifg-
I so rs por linha, e 160 ein lypo
l^porc^.ublic-^.
l* """
5rt'|""r"0
PH*:
gS DA LA NO MEZ DE JULHO.
, i C liora c 2 min. da mtnhS.i.
- i"' M 9 I""1" e '6 min- d* """''a*
M,n0"'"j'j 10 horas 31 mo. da maullan
P*2 s 1 lior ,nia- di ,arde-
Inl el'"* '
I
PARTIDA DOS CORREIOS.
(ioiannae Paral.yha, s segundase sextas feiriij.
Rio-tirande-dn. Norte quintas feiras ao meio-ria.
Cal, SerinliSem, lUo-Formoso, Poito-Calvo e
Macelo no I.", a 11 e 21 de cada mes.
Garanliunse Bonito, a 10 e 21.
Roa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria, as quiotxs feiras.
Olinda, todos os dias.
PREAMAA DE HOJE.
Primeira, s I horas I minutos datarde.
Segunda, s I lioras e 42 minutos da.nnuuiia.
de Julho.
Anno XXIV.
N. 16?.
DI AS DA SEMANA.
1 Sttood. S. Aracoio. Aud. do J dos orphS.
of'cloJ. doc. ti t. cdo J. M. da Ir.
Vi) Ten-a. 8. Elias. Aud. do i. do cor. da
I. v.'edo J.de Pal do 2. dist. de i.
II guarta S. Piaxcdr.s. Aud. do .'. do civ.
2 e 3o J. <1e paz do 2 dist. de t.
52 Quima. 8. Mrneleo. Aud .lo J. do orpli.
edoJ. municipal da I. vara.
28 Sssta.S. Apollinano. And do I' do civ. di
I- v. e do .1. de pal do I. dist da t.
24 Saulndo. S Clinstitia. Aud. do J do civ.
da I. v. e do .1 de paz do 1 dist. de t.
2 b Domingo. S. Tiago.
CANDIOS NOfllA 21 DEJOLflO.
Cambio sobre Londres a Jfl Va d p. U rs. i
, a P.ns rs por franco.
, Lisboa IOS de premio.
Desc. delettras de Iwas firm. de /,a I /
Ouro-Oncis lespanholas.... 9#0 \loedasdo*.00velh. I6D0O a
, re 80e uov i#n
, de4*00n..... HjtOO a
Prald l'ataeoes........ '#10 a
i Pesos columuares. .. 1192') a
Ditos mexicano ... #""
Miuda............J9'
Acedes da cornp. do llcberibe de SOf 000 rs,
i r,il.
tonel
29JOO
IUIIO*
I#I00
9J2BO
,#940
lf.HO
,20
aopsr.
DIARIO DE PERMAMBUCO
P.VSTE OFFICIAL
GoveriMi di provincia.
EXPEDIENTE DO 1)1 \ 1* DO COMIENTE.
Circular Ao inspector da thesouraria da fazen-
1,1, aodaalfandcga. ao do arsenal de marinha, ao
I.,'ministrador da mesa do consulado e ao chele de
I; La sricnlificando-osdeltaverS. M o Imperador
Iroiiceiliilo beneplcito norr.eaciio le Fernando Itic-
Ibernara exercer interinamente as TunccOes de con-
Llda Succia e Noruega nesta provincia.
nflicio Ao inspector interino do arsenal de ma-
iha deicrminan.lo faca transportar para a llia de
ruando, no brigiie-escnna Uenrtqueta, a mullier e
[dous fillios do cabo de esquadra Joso Antonio de
lltcsendo que destaca para a mesma ilha. l'artici-
liiou-soap commanilante das armas.
I Dilo~Ao director do arsenal do guerra, recom-
Imcndando ponha disposicuo do juiz municipal da
Iprimcira vara (9 pares do machos, afim de habilila-
[l, a rcnieltcr com seguranza para a ilha de Fernan-
Idonosseiilcnciadosque para ahi vuo ser enviados.
Dilo- Ao commandante dh ilha de Fernando, de-
Iclarando que o brigue-escuna Henriqueta leva pa-
ira arguelle presidio800 saccas do familia, diversos
Leeros e objectos, e 20 sentenciados; odizendo
Le, ao voltar para este porto, deve csse navio tra-
[zer, mosoqueS. S. houver demandar, mas lam-
inen) um completo carregamenlo de pedra do calcar.
J Dito -- Ao commissario-pagador, validando provi-
soriamente a tabella de etape c forragem para a tro-
Ipa de primeira linhano semestre do 1. dejulho ao
ultimo de dezembro do correte anno.
I Dito-- Ao inajor Joaquim Ignacio do Carvalho
lendonca, dando-lhea demissfio que pedir do lu-
Igar de cngeiihoiro das obras publicas; o scientili-
|cando-o de havor expedido as convenientes ordens
Ipara que se llie tomem conta as repartieres compe-
Itenles. Paiticipou-se ao inspector da thesouraria
Ida i..tu.I,i c o das rendas provlnciaes.
I Dilo-Aojuizdo paz da freguezia de Ipojuca, de-
Ivolvendo as actas que acompanharain o seu oflicio
de \ dcste inez, para que, om cumpri ment do arti-
Igot da lei regulamentar das eleigOes, e do aviso
Ide 15 de marijo prximo passado, sejam assignadas
ipurtudusos menibios da junta de qualilica^ilo.
DEM DO DA 15.
Odicio-Aoconimnndanle das armas, aecusando
Irerehida relai;iio nominal de 18 reclutas que am
seguir para a rftrle no vapor Pernambucana.
J PHo Ao juiz relator da junta dejustic.a, trans-
Imftlindoo procossO de Justino Jos Antonio, solda-
|do ilo segundo batalhflo dcarlilharia a p.
Dito Ao director do arsenal de guerra, ordenan-
lilu foineea una bandeira imperial ao commandanlo
lilo primeiro biilalliflo da suarda nacional do Hecifc.
mesma junta, as acta? que acompanharam o seu of-
ficio de 9 deste me/..
Dito A' cmara municipal do Fa, recambiando
um oflicio que viera sem assignaturas.
EXTERIOR.
ROT1CIAS DIVERSAS.
o piuuviiu uui.umio na guarna naciuimi .m.
Iiitos Aos juizes de paz presidentes das juntas
le qualilicacBo das freguc/.ias doCabq cMuribeea,
lelc minando que quanto antes incluam na lista sup-
plementar osnomesdus pessoasquo, havendo sido
excluidas da primeira, tora Al mandada* admittir pe-
lo respectivo concelho municipal; eexigindo ara-
sao tic assini o ni\o terem feito at o presente, como
consta de informac1o do presidente ilo mesmo con-
"ellio. Ordenou-se ao administrador docorreio de-
larasse por quem forain encaminhados ao presiden-
Ic do eonccllio, que citado lica. os dous oflicios que
a presidencia Ihe dirigir o 2 e 7 de junho ultimo, e
que elle diz nSohaver recbalo; e participou-se ao
commandante superior da guarda nacional do Cabo
que representara a respoilo.
ah. hispo diocesano.
Dito Ao juiz de paz presidente da junta de qua-
lilicacilo da freguezia da S de Olinda, devolvendo,
para screm assiguados por todos os membros da
Mooello ue AvAREza.-Morreu ha pouco cm Mont-
pelier utnasolteirona, cuja successao offerece algu-
ma semelhanca com a de um individuo que morreo,
nilo ha muito, em Pars, conhocido com o nome de
F.l Selitaire des Ilatignolles.
A nossa heroina, chamada madamoiselle llostalier,
0 de ida.lo muilo avan?a>!a, era pouco caritativa, ao
passo que era muito devota, e vivia sozinha con sua
criada cm urna casa que possuia na ra Argenterio.
Nunca tinha emprestado dinheiro, nem soccorrido
pessoa algtima, allegando u sua extremada pobreza.
A defunta mo tinha Teito testamento, e quando a
juslica prevenia o inventario, os herdciros, que
eram prenles remolos, regisUram com avidez as
euipoeiradas habilac.Oes do madamoiselle llostalier,
cojos movis antigos o estropeados correspondiam
aos seus hbitos do economa e de avareza.
As pesquizas tiveram o seu elTeilo; pois que nilo
tardaram em descobrir-se em varios pontos sommas
consideraveis de dinheiro em ouro e prata, multa
roupa branca, sessenta duzias de lences, e cento o
trinta pares de loalhas. Alentados os prenles com
o bom xito, e guiados por alguns indicios, acharam
debaixodosladrilhos trila mil Trancos em varios
pacotes.
Os berdeiros oceupam-se ao presento em buscar
urna quantidado consideravel de diamantes de que a
defunta fallava muito.
O valor total da successilo calcula-sc em Deos
450,000.
Cburuude nos negrkiros n Arnic*. Escrevem de
Corea (Senegal) (selo dos Tribunaei:
Os commandanles dos navios do guorra inglezes
o francezes, combinados, que cruzam as costas de
frica, consideram como um meio o maisa proposi-
to, o porventura o nico, de reprimir o tranco da es-
cravatura, bloquear rigorosamente os pontos da cos-
a em que os nattiraes teem estabelecidoas suaa rei-
torias de esclavos. Os Inglezes, em conformidadc
com este convenio, tinham tomado a seu cargo o
bloqtieio de Caluas, onde havia um deposito de ne-
gros prximo a embarcar para o continente ameri-
cano.
Tinham-se tomado tnmbem todos os passos, que
os proprielarios, obrigados a alimentar os negro.-.
sem os poder vender, tonmram urna rWOlUCjIo atroz:
com um sanguc fri, sem excmplo, degolaram os
seus dous mil escravos, deixando as calieras ospea-
dasem canoas cravadas na ara. Una oluClaO Iran-
i-e/es, qae fallaran) um pouco depois com aqtielles
chelea inhumanos, os reprehenderam acremente cm
sua conduela; porm ('lies respoiideranf Que lia-
vemos de fazer? Se nflo nos deixa.n tiahcarcom o>
prisioneiros de guerra vr-nos-hcinos na preclsao
de os degolarmos. .
Kwir.Rc/o.-Kscrevem de Colonia il'russia. ao
l'onslilulionel, em data de 27 de marco, o seguiote:
f. 000 emigrados allemies com direcc,ilo a Brema, ao
Havre e a Arubers, para dalli se trasladarcm a Ame-
nC* A maior parle siio paisanos accommodados; o nu-
mero dos emigrados poures nao he tilo crcsculo co-
mo no anno anterior. __.
A cidade de Muiden ncha-sc neste momen o
cheia de emigrados, ese assemelha ao acampamento
de una povoacflo nmada: por falla de pousada, os
estrangeiros estacionan! com as suas bagagen as
ras aguardando a sahida dos flier* que devem.
eo.uozi-los al ao ponto em que embarquem para o
Novo-Mundo. ...
a Calcula-seem 120,000 o numero dosAllemoes
que emigararam este anno. O desejo de emigrar he
gcral em todo o torritorio da Allemanba, dondo nin-
guem havia sahido at agora, principalmente ni rica
e frtil provincia de Saxonia na PruSJiB.
Fragmento de TARTxatks antediluviana. L-se na
(,in:iii universal da l'russia:
O gabinete minarologico do Dresde possue urna
das recordaci.es mais inleressantes do mundo ante-
diluviano; consisle no cndilo occipital de urna lar-
taruga cujas dimensOes podemdar idea exacta Has
porporcocs giganlescas do animal. F.xcodom muito
collossal tartaruga descripta por Cautley e por la -
coner com o nomo de coloso chel>/sallas, acli.da
mis tereeiras carnadas dos montes Siwalik na india
septentrional, quo tinhadozoilo a violo pea de larga
e sote do alta.
Peora he um monumento mSTOnico.L-se nos pe-
ridicos inglezes: .
J se comecou a ilomoliQilo do antigo palacio na
cmara dos lorda, t;1o conhocido antea com o nome ae
cmara pintad i, 0 onde morreo R luardo o confesso.
Dentro de pouco lempo lera deixado do exiatll
edificio tilo rico OBI recordares. Desde 15 deubnl a
cmara se reunir em outro lugar.
DooemxTO curioso. -Escrevom do Stokolmo a
Gazeta dos Tribunaes: .
.. Quando em 1632 foi mortoo re. GiwUVO MolpbO,
na batalba de Lut/.en, nchava-se tilo exhausto
sourodaSuecia, quo os altos digmlanos da_ coi Vi,
Horneados tutores da lilhadaqnelle grande re, (que
depois foi a celebre rai.lha ChrlatiM se virain oh. -
gados a contratilr dividas paraeobnr as despeza.- da
oducacilo da real pupila.
Urna das obrigaQi.es que lirmaram em nomo da
inlia Christina, e cuja existencia Hulla sido ale en-
queleto he o de um homem que vivia antes do dilu-
vio. Ser acaso o do nosso pai Adiio Y
PhoclamacaO revoi.uiionaria.Alguns peridicos
allemies inserem um manifest republicano que cir-
culou no grao-ducado de Beden, sem nome de im-
pressor, e lirmado pela junta rnmonu para o estabttt-
cimento da repblica allemXa. Para dar urna ideia do
principios subversivose de terror que este docu-
mento cncerra bastar copiar as primeiras linhas:
ce lia hornees une nao entram na raso senno
quando o ctelo Ibes separa as cabecas. A Allema-
nha abunda uestes liomens; a lula poderia como-
ear-seom lodosos potentados, ministrse dndo-
matieos.lo paiz. Nenlium homem indicioso podo
Huvidar do porvir ditoso com que brinda na Allema-
nba a prxima revolueSo. lie neeessano que todos
os valenles se preparen para eumprir com os seus
de veres. .....
A polica e a censura nao se tom opnosto a -repro-
dcelo da proclRmacflo nos peridicos: sem dtivit a
acredilaraiii rasoavelniente quo bastaria i publlCl-
dade para desacredita-la.
-Diz o Constitucional :
Acaba ile morrer em Londres o celebre impres-
sor Wi liam Olowes. Kra proprietario do maior es-
tahelecimento typographico que jamis so vio. fcra
de urna cidade a borda do Tamisa. M. (.lowos Wia
artista da fortuna adquirida honrada e pacientemen-
te. Foi elle 0 pi ime.no que inlroduzio na imprensa
a Mica das machinas de vapor. Das suas prensa
sabia meio millio ao menos do folhas por semana,
e nao tardara muito lempo que mo produzsso um
lucimiento parlamentar de mil paginas em (olio.
[Diario do Governo de Lisboa.)
la
S^r"
tilo um mvslerio, acaba de ser apresontada ao ininis
tro da hienda na reclama?ao do seu imposto 0
JU'.,Ksta ohrigacilo monta a 45,000 escudos cm espe-
cies [270,000 francos oappaie.ee hrinadiom Sloo-
kolmo aos 2* le dezembro de 1636 [poca e:n qtua
rainhaChiist.ua tinha 10anuos c:n lavor do San-
tiago Krieves, vizinhodel.ubeck (Allemanha!. Nolla
seaMtiDulava que, transcurridos viole annos, u gover-
no*suec ellaria .'.brigado a paga,- os ,W0 escudos
sem aguardar segunda reclamacHoi que a d,v ., au
prescreveria nunca, e que venceran) nsiI por 100
S inleresse animal at ao da da sua completa so-
"t Ao p do documento acha-so escrpto pela mo
da ramha Cbiistina em idioma francoz:
Approvado Compiegne, 1657.
Christina, II.
Este curioso instrumento foi apresentado ao
ministro da lazenda por urna casa de commerc.o do
Stockolmo, mandatria de Mr. ^SS
Kragt. cura do districto de Waldigk no grao-dui ..do
le Mecklemburgo-Strelilz, que assegura te-lo ac :a-
| ha pouco lempo entre os seus papis de lamilla,
e pretende descender de Santiago Krieves, em cijo
avorseconduzioaobrlgacflo. A somma reclamada
por Mr Knmt he muito consideravel; alem (laqoan-
tidade principal dos *5,ooo escudos em fPOC|e. ou
seia 870,000 francos, pede os interesses de 210 auno,
na raailo de oilo por cento annualque Nbni
782,000 cruzados, em especies, ou sejam .l^.b.ou
francos; total 801,000 escudos (4:806,000 Trancos;
u O governo, antes de responder categricamente
sobre a validado do titulo, convidou a Mr. Kragt a
provar a sua descendencia do Krieves, e o seu direi-
to de propriodade.
Um cadver antediluviano.Lemos na Aurora d?
Miitmizai:
F.nconlrou-se em Ceorgina um cadver humano
entestado de pelriucaQiio: linha a maior parte dos
denles en. urna dasqueixadas, e o Patriota, peridi-
co donde tiramos estes promenores, diz que alguns
dos inlelligentes que o reconheceram, nianilostam
que lies dos denles que Ihe faltan, foran. cxlrab.dos
quando o homem em quesillo perlencia a este mun-
do- alem disto eremos dever advorlir quo os mee-
mos sabios, em attoneflo a posicSoem quo se encon-
trn, no meio de un. bosque, sem %agoa a de/, mi-
Ihas de circumferencia, silo de opiniao deque tal es-

MNI .CIO.
Alhinde
RENDIMENTO DO DIA22. .
ja.
MEMORIAS DE UM MEDICO. *(*)
pt aieicanre ?^uiii?!.
SEGUNDA PARTE.
tfCa 3Ai3ASiOc.
CAPITULO XI.
os eubgd:zis de vabis.
i Eslava com cfTeito o capitulo reunido, como o ha-
viam dito as religiosas a cslrangeira, afim de rular
dos meios de Tuzer a lilha dos Cesares urna bnlbantc
Irecepcio. n .
S. A Real ihaugurava por esse modo cm saini-nems
lo seu governo supremo.
Othcsouro daTabricaeslava quasi exhausto; aan-
(*) Vde Supplemento ao Diaio n.' 161.
tecedcnle superior.-), ao resigna os seus poderes, le-
vara a maior parte dasalfaias, que Ihe pertenciam
como propriodade sua, assim como os relicarios e
custodias, que emprestavam s suas communidades
essas abbadessas quecram todas tiradas das memo-
res ramillas, e, so devotavam ao servioo do Senhor
com as mais mundanas condicocs.
Madama Luiza ao saber que a delphma parara em
Saint-Venia, enviara ummensagciro a Versalnes, e
na mesma noite chegara urna carrosa carregada de
tapecarias, ornamcnlos ealfaias.
Havia ahi o valor de seis ceios mil cruzados.
I'or isso, quando seespalbou a noticia dos reaes
esplendores dessa solemnidHde, redobrou essa ar-
tlente eterrivel curiosidade dos Parisienses, que rm
pequeas lulhas, como da Mercier, bom podem fa-
zer rir, masque razemsomprorelleclir echorar quan-
do se acham todos juntos.
De sorle que desde os primoiros arrebocs da auro-
ra, ; como o itinerario da delphlha se havia tornado
publico, cDtne'caram a cliegar, por dezonas, centenaa
' niilhares, os l'ai ienses saludos dos seus covjs.
Os guardas fianrezes, suissos, e os regiment
aquarleladosemSainl-Denis haviam marchado e for-
niavam alas para conter 0 lluxo e refluxo dessa mare,i
nue j rormava um redomoiuho em lomo do al pen-
dre da baslica, esubia pelas esculturas da facliam,
do convenio. Havia cabecas por toda a parte, meni-
nos trepados nos lelheros das portas, homens c nm-
Iheres nos hlenles das janellas, en.lim milhares do
curiosos, chegados muito tarde, ou tendo prelendo a

sua liberdade, como Gilberto, s exigencias que: sem-
pre impe um lugar guardado ou conquistado na
multidiio, inilhares de curiosos, drzemos nos, se-
melhantesa activas forgigas, Irepavam pelos troncos,
e se derraiiiavaiu pelos ramos dasarvores que desde
Saint-Denis at Muelle bordavain o cammho por on-
de devia pasear a delphina.
Acorte, anda rica e numerosa cm carruagens o
libres, havia comludo diminuido desde que se junta-
ra cm Compiegne. A niio ser um grande fidalgo. mal
se podia acoropanhar o re que dobrava o lr.pl.cava
as mudas do cavados. ___
Os pequeos cortoiflos haviam ficado em Com-
piegne, ou tomado aposta para yoliarem a l'ar.s, e
ileixiuem descansar os seus cavados.
.Jos um da de descanso em suas casas, amos
B cades voltavam a lida. o corri.m a Saml-1)ems,
tanto para ver o povo, como para lomar a ver a del
uhina. que ja tinhain visto. ,.;
' domis aln, da corte mudas pessoas havia que
tinham carniagem ; membros do parlan. ,l0' ,e .
soas ricas, negociantes, mulheres da moda, actr
Zes; havia cavados o carruagena dejjlugu^W.^omo
Deiiisvinte e cinco Parisienses do um e outro sexo.
Consulado.
RENDIMENTO DO DA 22.
Geral........
Diversas provincias
,ljiujj- j.-UiJeasaassi
KI3ITAL.
8.461,550
3:23*,94
141.875
3:376,82
asasfatsaai
hiauel Archanio Vonteiro de Andrade oficial da im-
erilordeJda llosa, caralleiro da de ChnHo e ,m-
peclor da alfandeqa de l'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Ka, saber que no dia 24 do correte ao meio-dia,
, porta da mesma, se hao de arrematar 100 PP"Hlu.s
aoPurados para guarda nacional, no valor e 360 00
reis impugnados pelo amanuense (.abrid Anonso
Riuei! no despacho por factura de Cala IrmSrr
n.265 sendo a arremataco suhje.ta aos d.reitos.
Alfandeua. 22 de julho de 1847.
A"'"' ngurt \rchanjo Monteiro de Andrade.
|)(CluirtCO(J8.
mez. Arsenal de guerra 20 ^^^
... o administrador da mesa *]***JP
rendas internas geraes, em virtud..das orden.ulti-
mas da thesouraria, ten. marcado o *"
lodas as pessoasabaixo declaradas t***"
bam pagare que estilo a dever; ccasei no o facam,
senK.seus dehilos remelt.dos iMBH Pr0
xi.no inez.am de serem executados por^elie:
direilinho en. frente doeonmU^"wjS%!
quando nao bouve mais oieio do adiar iim Iu^ar, se
estendeu ao longo do cammho, por onde ella
comitiva deviam transitar. _____ ^ meio _egga
ISmSS^X i*1 unlidad0 com esp,gas
nim.l dao; iasemsaberparaot.de, para onde ia
a o ul ino : alguns meninos subam a urna arvore,
nftSousou elle tirar a casaca e fazer o mesmo, com
Jujato mu.la vonlade tivesse disso, mas elvegou- e
Sara o tronco. Alguns desgranados, que aJmo ello
L mo podiam orienlar que pisavam j^
- ?"*/- ^StlSSISn T* ? fsexo. W l W a trepadores, e souberan, de um
||S
ifli
Denisvinie eciui-uiiiii3.u..ovo ..-... ---..- ----.|,-j. >__ grande cspar;o vasio entre o
empuados, a b fados e queclicgavamaseu destino de le.que aliados.
m!s larde por certo, do que se ossem ,p<> I conv ido e os ^ .__ ^
Fcilmente, Po.s,se faz una ideado exerc lo f. r- Ammao v carruagens.
midavel que se dirigi para Saint-Denis, na manbla W1^^ avislavam ; mas via-se ao ionge, a
do dia cm que as gazelas e cariases annunc.aram que A. da se n. Saint-Denis, urna gran-
a delphina all devia chegar, e que foi amontoar-e I um quaiio uc ia-b"
MUTILADO




i.



'
1

1 :
i
Rua Nova, Madama Thaard, n. :i2, mo-
das, annos do 18*5 a 1846
Alerro-da-Roa-Vista,M. Victoria Cellot,
n. 1, modas, annos de 1845 a 1816
Ruada Cruz, Antonio Jos Coelho do
Rozario, n. 44, trastes, annos do 1844,
1845 o 1846
Corpo-Santo, Jos Carlos de Lomos, n.
29, trastes, annos d 1844,1845 o 1846
Ra da Florentina, Jubilo Reranger, n.
10. trastos, annos de 1814, 1845 8 1846
Roa Nova, Antonio Domingucs Pinto,
n. 59, auno de. 1844
Aterro-da-loa-Vsta Joilo Raptista
llerlis, n. 27, trastes, auno de 1844
Ra daCadeM d<> Reoife, Jos de Al-
nieida Vasconcellos Castello-ltranco, n. 6,
trastos, annode 1844
Ra .Nova, Antonio Vieira Coclho, n. 45,
onno do 1844
Ra da Cadeia do Recife, Manoel Car-
do/o Ayres, n. 26, calcados, annos de
1845 0 1816
Ra da Cadoia do Recito, Josquim da
Costa Moreira, n 35, calcados, anuos de
1844,1845- 1846
Atorro-da-Roa-Vista, Joo l.ui/. Vian-
11a, n. 48, calcados, annos de 1845 c (846
lina larga do Rozarlo, Victorino de Cas-
tro Moma, n. 24, calcados, anuo de 18*6
Praca da Independencia, Joaquim Pe-
ro ira Arantes, n. 15, calcados, anuos de
1814, 1845 e 1846
Praca da Independencia, Manoel da Sil-
va Sanios, n. 33, calcados, annos de 1844,
1843 e 1846
Ra Nova, Julo Colombier & Di dioz ,
11. 2, calcados, anuos .lo 1845 e 1846
Ra Nova, Guerra silva & Cnmpanhia,
n. 6, calcados, anuos de 1844, 1845 e
1846
Ba Nova, llypolito Sant Martin, n. 10,
calcados, anuos de 1845 u 184-6
Ra Nova, Guerra Silva <\. Compendia,
11. II, calcados, anuos de 1844, 1845 o
1846 '
Rua Nova, Roberto Didiez <\ Compa-
nbia, n. 13, calcados, annos de 1845 e
1846
Roa Nova, l\ Regord, n. 17, calcados,
anuos de 1844,1845 e 1846
Ba Nova, l.ui/ Jos Pondr, n. 23, cal-
cados, annos de 1844, 1845 e 1846
Rua da Cadoia do Itecife, Chrislianuo
Burgard, n. 15, calcados, anuos de 1844,
1845 e 1846
Rua da Mari>-e- va Jnior, calcados, anuo de 1844
Praca da Independencia, Joo Raptista
Marques da Silva, n. 15, calcados, anuos
de 1844 61845
Praca da Independencia, Jos Poreira
Arantes, n. 39, calcados, anuo de 1844
Rua do Cabuga, Percha 6, calcados, anuo de 1844
Rua Nova, Manoel do Ampaio Caj, n.
18, calcados, anuo de 1844
Rua 1I0 Queimado, Joo de Albuquer-
que Mello, 11. 16, calcados, anuo de 1844
Rua do Queimado, Ferreira Oliveiru,
n. 67, calca.los, anuo de 1844
Atcrro-da-Roa-Visla, Joaquim Jos Pe-
reira, 11. 24, calcados, annode 1844
Atorro-da-Boa-Vista, Joo Cliardon, 11.
3, perfumaras, auno de ise
Aterro-da-Boa-Visla, l.eCont, 11. 110,
perfumaras, anuos de 1844, 1845 e 1846
Rua Nova, Carabao 6 Companliia, n.
12, perfumaras, anuo de 1844
Rua Nova, Diogo Jos da Costa, n 29,
perfumaras, auno de 1844
Ba Nova, JosThomaz de Campos Cua-
resma, u. 30, perfumaras, anuo de 1844
Rua Nova, Manoel Jos Anlunes, 11. 35,
pe fumarias, annode 1844
Rua Nova, Jos Mara do Amaral Car-
duzo, n. 65, perfumarlas, anuo do 1844
Rua da Cruz, Antonio de Ca valho, n.
43, perfumaras, anuo .le 1845
Ba do Encantamento, Miguel Esleves
A., u. 8, armazem de luxo, auno de 1845
Ba da Cruz, Jos Francisco, da Silva,
n. 51, escravos, anuo de 1846
Corpo-Sanlo, Antonio Rodrigues Lima,
)i. 23, escravos, auno de 1846
Ba larga do Rozarlo, Jos da Silva Bo-
tcllio, n. 24, escravos, anuos de 1844,
1845e 1846
Ba Nova, Jos Luiz Perda, 11.16, es-
cravos, auno de 1846
Ba Nova, Caelano de Assiz Campos, n.
40, escravos, auno de 1845 e 1816
Una das Cruzes, Jos Vieira de Kiguei- '
redo, n. 38, escravos, anuo de 1846
Buuda Cadcia, Francisco Joaquim Car-
dozo, n. 25, esclavos, anuo de 1846
82,400
82,400
206,000
206,000
206,000
41,200
41,200
82,400
82,400
164,800
206,000
329,600
89,400
206,000
206,000
164,800
Transporte.
Boa do Crespo, Manoel Joaquim Pas-
coal llamos, n.10, escravos, annos de 1845
0 1846
Largo da Matriz, Antonio Joaquim de
Almoida, escravos, annodo 1846
Ba d'Azoas-Verdes, Joo Frederico de
Abroo Rogo, n. 46, escravos, annos de
1844, !815o1846
Rua Direita, Jos da Fonsoca Silva, n. 3,
escravos, annos de 1845 c 1846
5:613,200
164,800
82,400
206,000
164,800
6:221,200
O arsenal do guerra compra urna sesma do co-
vado do panno azul; urna dita de dito de hollanda de
forro; meia l'olha de papelo ; urna manta dealgo-
do ; e urna esleir do perpery : quem ditos gneros
|uizer fornecer mandar sua proposta cin carta fu-
cilada a directora do mosmo arsenal al o da 24 do
corrento 11107. Arsenal de guerra, 20 dejulbo de
1817. Jodn Ricardo da Silva.
O arsenal do guerra compra 16 varas de lirim li-
so ; 2 ditas de lona ; 1 milbeiro de progos dourados ;
4 pocas de lita dcliulio, el milbeiro dotaixas pe-
quenas : quem ditos gneros quizer fornecer man-
dara sua proposta em carta fechada a directora do
mosmo arsenal al o dia 24 do correle mcz. Arse-
nal de guerra, 20 de julbo de 1847.
Joo Ricardo da Silva.
-- O arsenal de guerra compra, para a companbia
dos aprendizes menores, 2 resmas de papel de peso ;
3 ditas de dito almaco; 6 garrafas de tinta preta;
600 pennasde escr.ever; ScoUeccOes de traslados ;
50caitas de abeedarios ; 20 (aliadas de numeracSo ;
1 ilu/ia de caivetes linos ; 12 duzias de erees ; 12
Piiblicacoes Ltterarias.
/los vais de familia, capitSe de navios,
fazendeiros e a todos em geral.
Organon de Hahnemann, 011 exposicoes
das rlonlrinas honujeopatliicas, 2 volumes
pequeos.
Manual do pai de familia, do capitao
de navio e do f'izendeiro, 011 noticias ele-
mentares da liomopopathia, contendo a
acro dos 'il\ principacs niedicainentos
liomwopatliicos, 1 voume pequeo.
Vendem-se por preco commodo, no se-
gundo andar da casa 11. 7, da rua da
Cruz.
Sahio luz o 10. n. do Progrctso, contendo os
seguintcs artigos : a todos, reformadores sociaes,
rorefrma do syslcma penitenciario, revistas scien-
tilica e poltica, romance o variedades.
THErYTKO PUBLICO.
DOMINGO, 25 DO CORRENTO,
a beneficio d'um particular ir a scena o mu lin-
dilas de lapis, c 12 pedras de calculo : quem ditos
gneros quizer fornecer maular sua proposta em
carta fechada a directora domesmo arsenal aleo
lia 21 do crlenlo mcz. Arsenal de guerra, 20 deju-
lbo de 1847. lodo Ricardo da Silva.
A administroslo gcral dos estabelecimentos de
candado, ten.lo concluido a reedificarlo das casas
ns. 116 da rua das Cinco-Pontas, c 11 da rua dos
Pescadores, manda fazer publico, que no da 26 do
crrente, na.sala das suas sossOes, pelas 4 horas da
lardo, ir praca a renda das referidas casas, pelo
lempo que decorrer do dia da arrematacilo a 30 de
jiiiibode 1850. A'lministraco geral .los estabeleci-
mentos de caridade, 19 de julbo de 1847. escrp-
luraro, F. A. Cavalcanle C.ousseiro.
A companbia de aprendizes menores compra
para sustento dos meamos: arroz bruen; assucar
branco; bacalho; carne secca; caf em grflo; fa-inlia;
feijo; lonba; toucnbo; sendo taes gneros de boa
quaiida.le: quem quizer contratar o forneciment
dos meamos, mandar suas propostas em carias fe-
chadas ao lllui. Sr. coronel director do arsenal de
guerra, at o .lia 25 do correte mez.
Companbia de aprendizes menores do arsenal de
guerra, 21 dejulho de 1847.
Flix Cavalcanle de Albuquerqoe Mello,
Pedagogo.
do drama denominado
0 JI DIJO,
no finido qualo actor Sania Rosa, a pedido do be-
neficiado, cantar a j applaudida e jocosa aria, que
lem por titulo
0 MSICO CHARLATA,
e que linda com a seguinte quadrinba em hespa-
nhol
Anda chiquita
D-llie com gracia,
Que me roubaslo
Laal oa.
Terminar lodo o espectculo com o mu diverti-
do enlremez conhecido pelo Ba.Na.NA.
A SOS lliarUllldS.
Permuta-se um sitio pequeo, com caga nn
com dous quartos cozinha boa agoa de be!
e alguns arvoredos de fructo por urna casa ni
nraca ou vende-so o mesmo sitio ; a tratar n. I
Direita, n. 16. n* rua
Nodia 8docorrente, timram da mito de nm
pobre vclha umsacco, no qual ella trazia para
der urna tonlha de lavarintoa roda, seis varas do V
coda torra, cinco ditos de dito ostreito lo Fran""
um par deargolas de ouro, um ponte de seguran,
helio, com a falta de um dente ; 18 covados de cha
de assento rxo e palmas encarnadas; 20 covadost
dita da mesir.a cor; urna duzia de benlinhos do Cir
mo ; 2 pecas de cordita para os mesmos; 2 chave,
um pentinbo de tartaruga eum annel: osacco tV
Para o Ass segu, prolixamento em o dia 3 de
agosto prximo o brigue brasileiro Sagitario : pa-
ra carga ou pnssagem trata-se noannazcm ao la-
do da cadeia n 23.
Para o Rio-Crande-do-Sul pretende sahir bre-
ve 0 brigue Austral, por ler o spu carregamento en-
gajado; pilo, porm, receberalguns escravos fro-
te, c assim tambem passageros: para estes a tratar
com o capito, e para aquclles com Amoiim Irmflos,
na rua da Cadeia, n. 45.
Contratos a celcbrar-se com a thesourar'ia das rendas
provincial no mez de agosto prximo futuro.
Dia II.
Oda lluminacSo agazdascidadesdoRecifeeOlIn-
da.na forma do ai ligo 3. da le provincial n. 191, de
30 de marco de 1847.
Dia 16.
O do estabelecimento de urna linha do mnibus,
que, na forma da lei provincial n. 191, de 30 de mar-
co leste auno, facilite o transito desta ciliado a qual-
quer los seus arrabaldes e a Olinda. Este contra-
to ser realisado depois que a presidencia assim o
determine, visla das propostas que por intermedio
da thesouraria Ibc forcm apresentadas.
Cadeiras vagas de primeiras Irttras.
A de Carnal 11, cujo concurso lera lugar logo que,
a contar de 28 de junbo ultimo, se completar o prazo
de 50 das.
Objectos que a reparticilo das obras publicas pre-
tende comprar.
Um milbeiro de pregos de batel grandes.
<)b,eclos apprehendidns pela polica.
Urna canoa que fina adiada no mar, e est no tra-
piche do Angelo para sor entregue a quem com-
petir.
POBTIOAL.
Recordarnos do auno do 1842, polo principe l.ir
owsky, traduzldodo allemSo, segundaediccffo, o
ch-
nowsky, traduzldodo allemSo,segundaediecno,cor-
recta c annotada. o consumo rpido da primira e-
diclo, o sua procura por militas possoas que ficaram
sem ella, induzio o traductor reimpresso desta o-
bra curiosa, que contm aapreciacfio los caracte-
res mais notareis do paiz, dos seus acontecimentos
polticos, monumentos e lugares prineipaes, feita
por ene principe prussano, que allivlajou no anuo
citado. -- 1 folheto de 220 paginas. Vende-se por
1,000 rs., no segundo andar da casa, n. 7 da rua da
Cruz.
oque eraofidalgo calacaiada, mas ignorava intei-
ramente o que era o burguez,
Vio entre cssa honrada gente, no uso material das
Em Pars, he preciso ser lng.cz ou mudo, hniSE^y^g^Jr^
alravssar urna mu.t.do sem travar conversa con., phia, que. se uo proco......P.Xffo nem dSsic?.:
Itcs, ludia um pouco da de Ras, in extenso.
Apenas Gilberto sedesembaracou de toda cssa gen-
te, acbou a borda de um fosso urna familia de peque-
os burguezes que almocavam.
Havia a Billa, rapariga alta, loura, de ollios azues,
modesta e tmida.
Haviu a mi, mulher pequea, gorda, risonha, de
denles alvos, e tez fresca.
Havia o pai, enterrado n'uma grande casaca do
barregana, que s sabia do armario aos domingos
que ello havia do la tirado por dssa solemne occa-
sio, edaqual seceupava mais do que da mulher
eda filha, certo como eslava de que ellas uo preci-
savam dos seus cuidados.
Havia urna tia, alta, magra, secca e impertinente.
Havia urna criada, que de ludo ria.
Trouxora esta emum enorme acafate um alinoco
completo. Sobessepeso nflo cessara a rapariga de
nr e cantar, animada por seu amo, que com ella re-
vesava a carga algumas vezes.
Meases lempos um criado era da. familia; bavu
urna grande analoga entre elle e o co da casa : ba-
tido algumas vezes; excluido nunca.
Gilberto contemplou com o canto do olho esta
scena completamente nova para elle. Fechado no
cusidlo de faverney desde o seu nascimento, sabia
o mais possivel, e disso
Havia m trazdo comsigo
liravam o melhor partido.
O pai reparta urna dessas appelilosas iscas de vi-
tella assada, de qiib so tao gulosos os burguezes de
Pars. Opetisco, Ja devorado pelos olhos de todos,
ropousava agemmado, seduelor e engordurado na
frigideira vidrada em que o havia sepultado na ves-
pera, entre cenouras, ceblas e trinchas de toucnbo
a dona da casa cuidadosa do dia seguinte, o que a
criada linha levado ao padeiro, que, ao coser o pilo
dora asylo no tomo a vinte pratos semeibantes, des-
tinados a so assarem edourarem em companbia ao
posthumo calor das achas.
Gilberto escolbeu junto a um olmo vizinbo um lu-
gar, cuja herva suja sacudi com o seu lenco de
quadros.
Tirou o chapeo, eslondeu o lenco sobre a herva, e
sentou-se
Vito dava ello altenco alguma aos seus vizinhos,
o que vendo esles, milito naturalmente o notarum.
Alli esta um rapaz cuidadoso, disse a inai.
A hlhacorou.
A donzella corava, todas
GenrgeMurnell, capitlto da barca ingleza Achule,
Icgalmenle condemiiada nesto porto, Contina 0 lei-
Io da mcsina barca, em presenca do lllm. Sr. cn-
sul de S. M. R., o por intervencio do corretor Oli-
veira, de vergas, veame, botes o oulros muitos
pertences da dita barca, que no foram arremala-
dos no primeiro leilflo por falta de tompo :sabh.ulo
24 do corrento, as 10 horas da inanhila, no mesmo
armazem. em que teve prensa oSr Manoel Ignacio,
110 Forte-do-Mallos.
visos diversos.
Pordeu-se, no dia 16 do corrente na igreja de
N. 8. do Cumio um alfinetc de ouro esmaltado ,
pon doas pequeas concilles, obra delicada : quem
o acbou, qerendo restituir, lirija-sea praca da In-
dependencia, luja n. 3, que se gratificar.
Esta justa a compra da casa terrea, na rua do
Caldeireiro, n. 92, com oSr. Vicente Ferreira Gomes,
a qual tamfeem pertence a seu HJI10, o Sr. doutor
Caldino Ferreira (ornes; so nella existe alguma liv-
pollieca, OU qualquer oulro em barago, declaro-se
uestes tros lias por esle mesmo Diario.
OSr. Jos da Rocha LI18, morador em Olinda'
queira dirigir-sea rua do Queimado, 11.4, para re-
ceber una carta do importancia^ viuda das Alagas.
.Na mesma casa existo urna curta para o Sr. Louren-
C> Francisco Pimcntel.
Quom precisar de urna ama para casa de ho-
mein soltoiro, ou casado de pouca familia, procure
no heeo jo Callahougo, casa terrea 11. 20.
Jos do Almeida Bastos, portuguez, rctira-se
para o Rio-Grande-do-Sul.
Precisa-so de um rapaz portuguez para caixei
ro, de idade do 12 a 16 annos, que soja fiel : as
Cinco-Pontas, casa n. 106.
Precisa-se de um rapaz brasileiro nato ou
adoptivo que de fiador a sua conducta, o que sai-
be ler e escrever, para entregar pao na rua ; na rua
larga do Bozario antigamente dos Quartes pada-
nan. 18.
Alli est um rapaz cuidadoso, havia dito
mai.
Com effoito; a primera observaeo que faz a bur-
gueza parisiense, be sompro sobre um defoito ou
qualidade moral.
O pai vollou-se.
E um bonito rapaz, disse elle.
O rubor da donzella augmenlou.
-- Parece bera cansado, disse a criada ; entretan-
to elle nada trouxe.
Preguicoso, disse a tia.
O'sonbor, disse a mili dirigindo-se a Gilberto
com essa familiaridadc de interroga^ito que so nos
Parisienses se encontra, as carruagens do el-rei an-
da estilo lungc'
Gilberto voltou-sc, e vendo que era a elle que se
dirigiam, lovantou-se e cuinprinicutou.
Ahi esta um hoinem civil, disso a m3.
A lilba lornou-se cor do purpura.
-:N;losei, mu.ha senhora, disse Gilberto, mas
ouvidizerquesoavistavupoeira a um quarto de le-
gua pouco mais 011 monos.
Setem vontade.chegue-se, disse o burguez.
E moslrava-lhe o appctitoso almoco ostenddo so-
bre a herva.
Gilbcrloapproximo'j-se. Estava em jejum; o chei-
ro dos guisados seduzia-o comcireito; mas sentio
naalgibeira os seus cinco tustOes, e lembrando-se
tovSt^^J^?M se iratava que pelo torco dasuaforluna leria um almogo til.,
tardo S&VtSSSJSSSXxJ '< "C Z'a l,ansPr-hucculento como o que se Ihe offerocia, nada quiz
f ir os autores ios seus das. aceitar de genio que va pela prmeira vez.
furtado por urna negra a quem a pobre vclha ode
a segurar em quanto se abaixava, oque, abusand
da confianca, desappareccu com ello: roga-sea quem
souber desle furto o levo a rua de Manoel-Coco de
fronte da venda lo Pavflo, a Joseplia do Rozario' via!
va do fallecido Abrahao ,' quo gratificar ; fioaml
certo que nflo escaonram as feicOes da negra, que,
r conheciila onde fr encontrada.
O Espancado faz ver o publico, que no /forjo de
22 do corrento appareceu um annuncio contra Vir
torino Jos dos Passos, provedor da irmandadedo
Sr. Bom Jess das Chagas, que nada toi, e nada sa-
be do que relata no annuncio do que existe escripio
para martyrisar o Espancado: tudo fizeram para mal-
quistar ao provedor, sem ser ouvido nomachado: he
o que tenbo a manifestar ao publico.
Oabaixoassignado faz sciente s pessoascom
quem loem lr,iusaei,'oes coinmerciaes, que teni trac,
passdo assuasduas lojas de ferragens, da rua do
Queimado, sondo a de n. 12, ao sou filho Joo Baptis
ta Rodrigues de Souza ; e a de n. 13, ao outro seu -
Iho de nomo Luiz Jos Rodrigues de Souza; Picando
este encarregado da liquidacSo doaclivo epassivo
Recife, isdejulho de 1847.
An Ionio Jos Rodrigues de Sonso.
OlTerece-se urna mulher para ama secca do por-
tas para dentro : na rua da Ponha, n. 27.
D-sedinheiroa premio mesmo em pequeas
quantias, com penbores de ouro o prata; e compra-
se estes dous metnes uinda que seja em obrasque-
bradas : na ruado Rungel, n. 11.
-- Jos da Silva Neves, capililo do brigue M;.
Destino, retira-so para o Bio-de-Janoiro levando
comsigo um seu escravo de nome Jaco de naclo.
A pessoa que quer saber onde mora quem pro-
cura 800,000 rs. sobre urna casa terrea, di rija-so ao
principio da rua Imperial n 9.
Roga-se aos Srs. que levaram 4 chapeos do sal
do theatro publico na noite do dia 17 do corrcnle,
tonham a bondade de os restituir; do contrario, ve-
rilo os seus nomes publicados por extenso, poisj
se sabe quem sfo
AQU NAO'ha USURA.
D-sc .I i n lie no a premio sobre penhoresde ouro,
mesmo em pequeas quantias : na travess.i dosMar-
tyrios n. 2, at as 11 horas do dia edas duas oq
diante.
O abaixo assignado provedor da irmandade
do Sr. das Chagas nflo pode responder ao annuncio
do Sr. Espancado sem primeiro declarar o seu no-
me por extenso; e quan.lo doixc de o fazer, ser
li.lo por um mentiroso, impostor c calumniador.
Victorino Jos dos l'assos.
Engomma-se roupa com muita promplidilo e
asseio, por prego commodo : na rua do Padre-Fio-
1 i. 1 no. n. 61.
--Antonio Jos da Cimba faz publico, que, tendo
6 lettras garantidas por Estevilo Casado Lima que
montam a mais do um cont do res, e procuran-
do fazer por mandado do juiz competente em-
bargo nos escravos deslo Sr. elle maliciosamente
osoccullou, a ponto do se passar a dar busca e va-
rejo por man.lado do juiz e no seram achados :
ora, este leveilor alm dos escravos quoapossue ,
tem una mobilia velba ; o no enllanto, conslaque
elle solicita e procura com empenho vender os es-
cravos: e como esta venda he fraudulenta, com o fim
de no pagar c como as lcis no consenlem vendas
desta na tureza e o annunciante est de animo de
procurar o seu dircito contra quem for, por issofaz
0 presente annuncio, para que ninguemfaca conl/vi-
tos com o dito Estevo Casado Lima sobre os escra-
vos que ello possue.
Jos Ferreira Marinho embarca para o U10-
Grande-do-Sul o seu escravo Luiz, crioulo.
Ao Sr. que tem a liabilidide de fa-
zer cartas anonymas t\o smenlc para for-
jar intrigas de una para outra familia ;
pede se, pela alma de seu pai e vida de sua
inai, ( que tantos traballios passou pura o
parir ) liaja de se corrigir ; e se o nao n-
zei, se ha de arrepender.
O Qtteixoio.
Tomou-se da mo de um moleque, que de noi-
te procurava vend-la por menos lo seu valor, sBf
pondo-seser furtada, urna colberzinha do prata pa-1
racha. A quom faltar, dirija-se ao Alerro-da-IW-l
Visla, n. 3, lujado Joflo Cliardon, onde so Ihe en- f
1 regar.
Precisa-se de um aprendiz de sapateiro, forro o
captivo : na rua do TrapicheTNovo, 11. 28.
m aift mt:3iwiiKjgjK'io.-. <.^,-.. ^jyiyjpsjuwHgMaaaajaj I
Obligado, men senhor, muito obrigado, diss|
elle, j almocei.
Ora vmosla, disso a burgueza, vejo que \>-
be um hornera precavido, mas uilo ver nada ueste
ludo.
-alas entilo, disse Gilberto sorrindo, Vb. ""'
bein nuda ver, pois est do mesmo lado.
Oh disso a burgueza, nos co be outracou.
temos um sobrinbo que le sargento das guaf |
francezas.
A menina tornou-so rouxa.
Esta mantilla est elle em frente do l>aon-Bleu.
he o seu posto ,
Esem ser indiscreto, perguntou Gilberto, onac
he o Paon-Rleu ? .,
efronle justamente do convento das carme";
tas, replicou a mili; elle prometleu-nos I11"-""
atrs da sua osquadra; tarmosla um banco, c,e'
remos ptimamente apoarem-so das carruagt*05'
Desta vez foi ao rosto de Gilberto quo o rubor su-i
bioj nilo ousava elle pr-se mesa 10111 essa n'
rada gente, mas murria por aconipanba-la. I
Todava, a sua plulosopliia ou antes o sen orP I
Iho, que Rousseau tanto Ihe rccoinmendra coniu
tesse, soprou-lhedevagarinho ao ouvido. .,
-- Ternecessidade deoutrciii, sso he bom I'**. I
mulheres, mas eu, quo sou un homem, noteu 1
bracos e hombros i* m0|
Quem la niio estiver, continuou a oili, c0 I
seadiviuhara o pensamento de Gilberto, cilio"/
pondera, quem l nuo estiver s ver as carruag
MUTILADO 1


.5.
jOT^RIA DOTHEATRO.
A os 3 e 6:000,4000 rs.
, nrneressivo augmento, que vai tendo avonda
. i.itheies dcsta lotera, habilita o respectivo the-
d,lS v.ra assejiurar que as rodas da 2.' parto da
impretorivelmento no dia 30do
"i lata- o para que mais so areelere esto acto, roga
corrmidnri"idpstciofoque concorram a comprar
,0V odos bilhetes que existem, e que estilo a venda
lunares do r.oslume.
1,0 Iilo-se 500,000 rs. a premio de um e um quar-
ln'nMcont aomez, com hypotheca, ou boas ir-
uclo tompo qtio se convier : na ra da Senzal-
i Vi'lL n. 96, se dir quo da.
O abaixo assignado, morador na roa Imperial,
Y- faz sciontea todas as pessoas que tooin pe-
jes om seu poder, com os juros venemos para
Eisd um me/ que os vonham rescatar no prazo
.lidias; do contrario, serlo vendidos para paga-
mento de princinal e juros : e para que so nSo cha-
Zm i "iinrancia faz o presente annuncio. Ite-
JJfe o,Fe iulliode 18V7. ranciaoo Jote Anlunes.
' Alu"a-se o segundo andar do sobrado da ra
..Tilia i, 29 : a tratar na ra estreita do Rozario,
titira do Sr. I'aranhos, ou no sobrado da esquina
j, ma larga do Rozario, u. 52, at as 11 horas do
'!-Do sitio do doutor Jos liento, om Ponte-de-
Mia.desnppareceu no dia 12 do corrento, urna
canoa do carreara, aberta um tanto vellm ; lem
dous bancos, aslaboasdo estrado da proa despre-
ndas, e foi calafetada ha poneos das: quem lva-
la ouder noticias certas no Aterro-da-Boa-Vista,
n. 37, segundo andar, ser generosamente rocom-
sau0, i- *-<
- Francisco fl'into da Costa
Lima, alf.iinte, morador na
tui larca do Rozario, n. 40, precisa de ofciaes de
seuollicio e costureiras: tem para vender pannos
lir,is azuesc verdes; bons hrins, velludo e cha-
Llt: botOes de osso prelo e branco; ludia decar-
relel.de cabera preta e branca; bollandaspara forros
ealgumas obras MU.
.. Aiiida estilo para alugar as casas terreas do ns.
27,29e 3t, sits na ra Real junto ao Manguind,
com bastantes e bous commodos, quintal o porto
do embarque : a tratar com Manuel Percha Teixei-
ra, morador prximo aquello lugar.
-Precisa-so alugar dous prelos possantcs, para
lodo o servico: na ra Imperial n. 37.
PASSEIO-PUBUCO, N. 5. <,.:
<& JoSo Loubel participa a todos os seus^NS
fregus, que recebeu ltimamente um grande sor-
limcnto de chapeos de sol, do ultimo gosto pari-
siense, tanto para senhora como para homem ; os
quaes so tornam mui recoinmendavcis pela sna qua-
iidailee variacOcs de gosto, sendo ellos do boas
'sedas e paiininhos, pois se conservam as suas cores.
Ha ueste mesmo estabelecimonto um grande sorli-
mentode boas sodas do todas as cores e superio-
res panninhos trancados c lisos, de milito boas
cores para cohrir chapeos de sol. Tambem se fazem
todos os colicortos quo os nicsmos precisarem com
todo gosto, promptidilo o diminuto preco.
-Ju'io Loubel avisa a todas as pessoas quo teem
em seu poder chapeos do sol para concertar ha mui-
to lempo os quaesja estilo promptos os Vilo bus-
car no prazo de 8 diiis ; do contrario, scriio vendidos
por todo o preco quo se adiar pois nSo podo tor
por milis lempo empatado osen traballio: por isso faz
o presente aiimincio para seus donos se nao cha-
maren! a ignorancia.'
ATTENCAO'.
Os senbores negociantes que tiverem boas divi-
das fr#destu praca equizerem que o abaixo as-
signado as va cobrar para o que se julga eminente-
mente habilitado pois no paga a advogado po-
dem dirigir-so ao advogado Jos Narciso Camello,
coila i lvidas jcobrou o abaixo assignado c ahi
deiureo seus nomes por escripia para o abaixo as-
signado os procurar. Joaquim Fiancitco Baplista
de Mello Oxal.
Alugani-se tres casas terreas, no
Viixoto, pelo* proco ile cinco
cada una : a fallir na ra do
A. da C. S. G.
O engenheiro M.let ensina na sua casa, ra do
Crespo, n. 14, primeiro andar, as seguntes scien-
Cias:-----AMTBMETIC, GEOMTMA, iLCEDKA, C.IIYMICA
e PI.YS.CA.
Chama-te a alinelo dat auloridadet policiaes e do
publico.
Nanoitedo 19 para 20 do corronle appareceu
roubada a Inja de fazendas ila praia do Collegio ,
n. 17, em frente ao Passeio-Publico: os ladros con-
seguiram dostrancaraporta por um rombo que R-
zeram na mesmn com urna pa ou instrumento
semelhante. Calcula-seo roubo, pouco mais ou me-
nos, de 1:500,000 a 2:000,000 de rs. constando tudo
de fazendas.a maior parte das quaes ser custso en-
contrar em outra qualquer loja e que por isso se
tornam mais condecidas e mais facis de se appre-
benderem. Recommenda-se, portanto.a qualquer
pessoa a quem o dito roubo soja offerecido ou que
lenlia noticia onde elle exisla, a bondade de se diri-
Jensadfa '0Ja' qUe '"* fnerosamenle recom- panino, para scrom pnSas.
N. R.'- Entre outras fazendas que roubaram Pela juizo da segunda vara do civel, de que he
nota-se grando quantidado do poqas .lo lencos de escrivilo MininelJos.ula Molla, an.la empragapaia
seda de cores; um lote de urna lazenda quo ncsla ser arrematado de renda animal, por 700,000 rs.. O
loja se denomina lindeza ou primor o bom gosto ; i sobrado de um andar sito na rua da (. oria ; o quai
urna porcilo de cortes de casimiras elsticas de, vai a praca a requerin.eiilo de Manoel Pires Ferret-
duas larguras; urna porcao do cambraias decores J ra por aresto leilo a Luiz Pires l-errcira cuja ar-
cme dobrado largo ; una grande porcilo de pecas remataeo se ha do olTe.lui.r. lindos os das da le
de.cbil.as linas sendo o arrematante obligado a pagar a renda por
(1 abaixo assignado leva ao conhecimento do. trimestre,
respeitavel publico, que aceilouao Sr. Jos SoareaJ Aluga-se um pequeo armazem no
Pinto Concia 10 ledras na quantia de 1:010/000 Mallos: a fallar na prensa do Sr. rilo.
-- Aluga-se uiti solo,
O capitao 1. de Souza, da barca
franceza Juste, altamente reconliecido ao
lllni. Sr. intendente capitao do porto,
pelos promptisiinos e elicazes soccorros
i)uc S S. mandn prestar ao referido na-
vio, no dia iq do corrente, quando csle-
veem inminente perigo, faz constar pelo
presente a sua gratidao por tao prestante
servico, cpe jamis esqnecer.
Estando a barca franceza Juste, ca-
pitao I. de Souza, prxima a fazer-se de
vela para o Havre, avisa-se as pessoas que
tiverem contas com o dito navio de apre-
senia-las em casa de J. P. Adonr &c (!om-
Korte-do-
rs. por una compra que llie fez no dia 5 de agos-
to de 184( a vencerein-se a 5 de agosto do 1817 e
as que restam, a 6 de fevereiro de 1848 : e como en-
Ire os sacador e aceitante houvessein transaeces o
abaixo assignado fez ao mesmo Sr. Soares pagamen-
to com as mesmas lettras : e como cssas conste ao
abaixo assignado estejam espalbadas pelo commer-
cio ras:lo por que previne que jamis far ditos pa-
gamentos, pois quo existem em seu poder docu-
mentos comprobatorios, que o prohibeni, em virtil-
de das transaccoes cima falladas. Antonio bernan-
des de Aztvedo.
-- Aluga-se uina parda escrava, parida de lidias,
com milito bom loite : na ra dasLarangciras, n. 18.
Qualquer Portiigucz, ou Rrasileiro, que queira
adniinislrar um engeiiho,dirija-se por cima da boti-
ca do fallecido JoOo Kerrcira da Cunha, bairro da
Roa-Vista,'segiindo indar, que se dir quem precisa.
f Ti 99 53 3yEf9tS^333 Wm
Vende-sc una mulatinha mui linda e mui M-
1 bem educada, de 10.. 11 anuos, com prin- }^j
cipios de costura, e que he muito desemba- ,
|*i rucada e hbil : na ra do Vigario, n. 24, M]
i-! se dir aucn vende. lili
Precisa-se de urna am para
(o interno c externo de urna casa
fresco e em boa rija
para homem solteiro :
esquina do Livramenl
6 portas.
muito
proprio
a tratar
o loja
na
de
Compras.
- Vendem-se 2 mulatnhos de 12 a 14 annos.' nila
moleque denaSllo; urna escrava moca de nomi
lisura boa costurcira : na ra Oireita n.
- Vende-se um alambique com todos os seus per
teneos : na ra Nova,n. 50. .rvnre-
-Vende-e um pequeo sitio com mi .tos arvore
dos ..ovos, de varias qualidades o maleriae pai>
fazer urna casa na Soledado estrada que va. para
.. Manguind I tratar na mesma estrada, n. i-
-- Ve.ule-so um sobrado no largo do Terco n. o.
em chflos proprios a tratar no mesmo. nn..PM
- Vende-sc urna loja de ...iudezas com poucos
fundos propria para quem se quizer tah'lecer ,
porserenium bom local, he bastante afrogueM
da; a qual vende-so por o dono nS(o poder jCOnM-
i.uar por ...olivos de molestia, o ler-se do retirar
para fora ; pelo que, se faz toda a vanUgem quo o
justa : tratar na mesma loja, sita noAterro-da-
lloa-Vista, n. 58. ,_
- Vende-se um sitio muito bom, o quei lem
commodos para familia por ser pertc desla praca,
o com livores de frueto de todas as qualulaues h
tratar na venda n 21, dentro da ribeira da Boa-vis-
ta confronte ao ac/iugue. n
- Vende-seum preto do nacilo que be rciina-
ilqrdo assucar coziuha o diario do urna casa de
30 annoa pouco mais ou menos, do boa tiguia, c
bastante possante na ruada Cadcia-Vclha, n. oO,
loja de Cunha & Amorim.
- Vendom-se pedias de amolar, brancas, da me-
Ihor qualidade que teem vindo do rio de S.-Fran-
cisco a retalho e em poreoo por prceo commodo:
na ra da Praia, armazn! n 18.
-- Vende-se sal de Lisboa, lino e alvo, a 1,600rs.
o alqueire pela medida velha : na ra da Praia, arT
mazein n. 18.
Veiidcni-se, na piara d, Indepen-
dencia, livraria ns. 6 c 8, as seguntes o-
liias: um methodo para piano, do gran-
c autor Kodolfo, rom acompsnliamen-
tos e Bolfeios para cantona ; duas obras
de Vollaiie, em cinco voluntes', urna col-
do auno de 1846 ;
o pequeo servi-
lla ra de llor-
tas n. 16, primeiro andar.
-- D-se dinheiro a premio sobre penhores de ou-
rooil piala mesmo em pequeas quantias : na ra
Direita, 11. 2, primeiro andar.
-- Precisa-so de um rapaz para tomar conla de
urna venda por balanco ainda mesmo dando-se so-
ciedade : a tratar na roa do Rangel. venda 11. 81.
- A cocheira ingleza da na do Cano recolbe ca-
vallos e carriohos por preQO commodo, tanto inen-
salnienle como por dia : o dono deste estabcleci-
inento se obliga a tratar tudo com o maior zelo pos-
sivel. .
- OSr. esludantell. C. L. quena vir pagar o im-
porte do camarote que tomn do beuelicio .la joven,
na roa do Mondego, casa n. 51, esquina das Rarrei-
ras ; e se Hilo o lizer at sexla-feira, tera o dcsgoslo
Compra m-se 2,000 lijlos de alvenaria batida;
2,000 ditos de lapa.nenio ; 1,000 ditos de alvenaria
erossa : tudo do bom barro o bem cozdo : atgum
oleirn que se quizer oncarregar de fornecer esta pe-
quena porcOo de material, dirija-so a na daSen-
zalla-Nova .venda de Jos Pereira ou anuuncic.
ompram-seduas escravaae un: moleque, que
tenham do 12 a 20 annos e de boas figuras : na ra
Nova 11. 16.
Con.pra-se um Diccionario do Constancio em
bom uso : Da praca da Independencia, livraria ns.
6e8. .
Compram-se barris vasios na ra Direita ,
n. 9.
Compra-sea obra Discursos moraes e evan-
glicossobre vicioso virtudes, por Fr. Antonio
de S.-Francisco, nova, ou mesmo usada ainda mes-
mo fallando-llie o tereciro lomo : na ra da Praia
armazem n. 35.
bon-
bprco do
mil ris
f'iespo,
n.
15,
com
-- I). Minia Joaquina Mailinsembarca para o Cea
r o seu escravo, de non.e Alexandre, de naQo Re-
bollo.
OSr, lodo da Silva tem. una caria na ra do
Crespo n. 11 vinda do Cear remellida por um
seu llllio uuc existo naquella provincia.
Na nnitede 13 para 14 do corrente jullio des-
appnreceii, da estribara do sobrado junto ao colle-
lcgio S.-Antonio um cavallo rodado, inteiro, e
em boas carnes. Portence a Ucrnardino Freir de
Figueiredo Abren o Castro.
i\luga-se nina grande casa terrea, na
ru.i Augusta com bous cominodos, para
grande familia, pelo preco de dez mil ris :
a fallar com A. da C S. G., na ra do
Crespo, n. i5
',. Twr im
vasas, e f que carruagens vasias pode a gente ver
quando quizer; para isso no vale a pena vir a Saint-
Penis.
Mas, minba senhora, disso Gilberto, minia gen-
te me parece que tora a mesma idoa que Vm.
Sin, mas nem todos torito um sobrinho as
guardas franeczas, para os fa/er passiir.
-- Ah! he verdade, disse Gilberto.
E ao pronunciar este he verdade exprimi as fei-
cOesuma desconsolaban que ..lo escapou a perspi-
cacia parisiense. ,. ,
Mas, disseoburguez babilem adivinharo que
a nnilliiT desejava, o senhor pode muito bem ir
conmosco, so quizer. .
-- o .' sonbor, disse Gilberto, rece.o uicommo-
' L. Essalio boa !* pelo contrario, disse amulher,
Vm. nos ajudara a la ebegar. K. ti.il.amos u.n so
homem que noaaiudasse, teromos agora dous.
Ne.1l.un1 argumento era mais valioso para decidir
Gilbe lo. A ideia de que seria utl. o Je que yg*
ra con. ossa ulilidade o obsequio que so 1 o otrere-
"., punha-llib ., consciencia a salvo, e t,rava-ll.e
d'antemfio todo o escrpulo.
A-COr7,'verenios a quem elle ofTerece o braSo, dis-
SCahia este soccorro verdaderamente do cc.a Gil-
berto. Com elTeito, como transur w> nveCivel
obstculo de urna muralha de nula mil pessoas,
la praca a Manoel Concalves da Silva, na ra da
- .lea do Recife, ou no mesmo engunho 10 po
de ver seu no.ne por extenso.
-- Jos Soares Pinto Crrela roga aomuito
rado Sr. Antonio Fernandos de Azevedo, baja de es-
clarecer o sen anniinrio inserto 110 n. 160 des te
Diario, de maneira que se possa entender, ahm de
queappareca a verdade ; pois, do contrario, orara
- Acha-se em praca, de renda, o ongenho deno-
minado Almesc, situado margen do rio de Una,
moenle c corrente, com safra criada: tamben.
.la Ca-
pri-
-- l-reclsa-se de uina ama que saiha bem coz-
nl.ar e engon.mar, que fac. o servido interno de urna
casado pouca familia, ed fiador a sua
na ra de Joim-Fernandes-Vieira, 11 42
- Para nflo haver engao ou ignorancia, negocio
aluum se faca rom Mara doBaptrito-Santo cam-
nello o seus'lilhos, tendente a..s bens, quo em seu po-
der tem, do uado Feliciano de llanos Araujo e 11.
Anua Narciza de Barros desdeja protesta-se reinvi-
dicarem qualquer ino ondese ache, visto se aclia-
rem adiai.ladosen.suas legitimas, como se preten-
de juslilicar 110 inventario a que se val pro edei.
Aluga-se um pequeo armazem lias ras I
do Rozario, Direita o Nova, ou Atierro: quem
vcrdirija-sea ra do Qucimado 11. 60, ouannun
ci.
arga
li-
leis geracs
leccao il
mu diccionario de Fnwca em portu-
guez; i Virgilio, tres voluntes : todas es*
tas obras em muito bom estado.
VENDE-SE, SETE V1NTENS AVARA,
madapolfio iimpo e muito Torio proprio para forro
o roupa de meninos, toa I has ; o pecas com 20 varas
;i 2,500 rs. : na ra eslreita do Rozario 11. 10, ler-
CeirO andar. a
Vende-se uina balanca grande com pesos de 1
.arrobas a n.eia quera ; dous tainos grandes e forni-
dos, proprios para relinacilo: na ra das Cinco-I os-
las, 11. ">o.
Vendem-se n los de salsa parrilha,
muito boa : 110 armazem do Bra-
ao arco da Conceico.
vender chocolate novo a 280
nova, C
inez, junio
Ven
fias.
HUITA ATTKNCSO.
Vende-se um sitio no Caldeire.ro ; com bastan-
tes arvores de fruclo junio ao do Sr. coronel I 1 an-
ciseo Jacinlho com boa casa do vivcnda de pe-
dra ocal com duas grandes salas qualro qiiailos,
sotilo com suas janellas nos oiloes
muito fresca
-,: Liso que be toda guarnecida de portas, com um
terrado lidiante e atrs um copiar coz.ilia fora ,
senzalla para pelos o mais outros commodos que
0 comprador vera : atraan.,. Chora-Menino, casa
n.l. confronte a que oulr'ora servio de tbeatro
Melpomenense ._,.
Vend.-se uina escrava cnoula de >.> anuos,
boa cozinheira o angommadeira j faz doces, boii-
nhos e pio-de-l; he boa costurera faz avarinto ,
renda espalos para senhora e meninas ; una mente
he rapa/, de icger umafasa quem pretender an-
Vendeni-se e alugam-se muito boas bichas,
chesadaa ltimamente de llamburgo: tambem vflo-
seaonlicar, para maiscommodidadodos pretenden-
tes na ra estreiU do Rozario, defronte da ra das
1 arangeiras loja de barbero, n. 19.
' Vendem-se btalas de nina arroba para cima,
por preco commodo: no armazem grande, defron-
le da esca.linha da alfandega do bacelar.
-Vende-se un. pardo do 18 anuos de bonita li-
gura robusto proprio para lodo o servio : na n
Nova, casa do caldeireiro, 11. 39
_ Vendem-se obras de ouro para homem e so-
nbor.. ; umacaixade prata dourada um relogio
(todito; copos grandes, para cubrir llores; dilos pa-
ra agoa a loo, I20e 160rs.; apparelhos para cha,
a 3,200 rs. ; pr.los ; bules ; chicaras ; galbeteiras ;
Brralas bordadas a 180 rs. ; ditas pequeas a .120
rs. ; ditas grandes o linas a 1.280 rs. ; vidrns DIN
candieiro a 120 rs. ; e outros mullos vulios
ca, por barato prego: na ra do Rangel
Vende-se una larda nova, de panno
no, por 9,000 rs. ; una barretina para (.1
rio.' por 4,000 rs.; una banda do lila, por 2,000 rs..
na rua Augusta sobrado do um andar, n. 9V
Onitinua-sc
a 140
caf inoido a 160 rs.; dito em grao ,
' a 320, 400, 500, 600 1,000 rs ;
360 rs. ; velas de carnauba de
ii.11.
iniiilo li-
oilicial infe-
ra. .
rs ; boa mantei
R'StWE.,r."* ; espermacele de 6 em
1 bra a 800 rs. ; Imlachinha ingleza a 240 rs ,
ssaimoscateis', a 240 rs ; touc.ho ^<^
novo a "40 rs. ; l.om cha bysson a 2,000 e 2,j8
T; d e degoiaba em oaixoes de 6 em arroba a
)(o'.s.; charutos regala de bom gos o a 1,360 n.
MiMI arroz de rasca pela medida velha, 3,8*0
rs dito branco pilado a 10.000 rs.; uaios novos
xA( V a duzia ; queijo Bamengos novos c
,; 31Z,weaVa l loo ra.; e todos os mais gneros
I '..da pnr.nonos que cm outra qualquer par-
le no pale do Carmo esquina da rua de Hurlas ,
lado direito n.S.
- Vendem-se 2 escravas mogas com boas liabi-
lidades?po preco commodo: no palco doC.rmo,
oia do.sobra.lo 11 ,
__ Vendem-se chapeos para senho-
ra os 111 ais bem l'eitos possiveis, e da ul-
tima moda, por preco muito commodo :
na rua Nova, no segn lo andar do sobra-
do n. 7, defronte do oitSo da matriz.
--Vedom-se 3 esclavos bons IritalNg-J
enxada por preco commodo : na rua Direita so-
'"'^"vendem-se varios escravos ; 3 pares de man-
rdevidro! um sellim elstico inda novo; 2
Sredecaslicaes de vidro: UdO por prego com
ronera u-baqu.-s' duoenzinh. .M^
[^o'm^^^^
'"-'v^ldrum'ovoe'SeSnte piano
orte, perpendicular, de muito boas vozes,
or preco commodo: na rua do Yigano,
. casa de Itussell Mello.s & ompa-
lllliil.
B.:tX."JMMUfasgaBW*-' ziJ?!&ef
commoqdaveis do que elle pela classe,
riquezas, Mrgas, e sobretodo pelo habito do tomar
lugar nesses festejos, ondo cada um toma o maioi
qUFora cmflm um admiravel esludo dynamico da
sociedado para o nosso philosopho, se t.vesso e
monos Iheoriaa e mais pratica.
Passava o coche a qualro cavallos como uina
bala
Em cima disto
cima de todos, o
tudo, ou para melhor dlze
lomem da rale do povo, de
', Por
barba
Passava o cocuo 1 i|uon i......- -....... --
de peca d'artilharia pela niullidilo eao pauar O be-
tedor do chapeo do plumas, gtbflo sarapin .id. de
cores vivas, o urna grande caima, precedido algu-
n.as vozes de dous formidaveis ces, arranjava-se
caila um como podia. .
O coche de dous cavallos dava urna especie de se-
nda ao ouvido de um guarda, e la tomar o seu lugar
no adro do convonlo. .
Os cavaUeiros a passo, porem dominando a niuiii-
diTo, chegavam ao ler.no vagarosos, depo.s do ha-
verem supporlado milhares de choques, empurrOes
C Opefl, cinlim, pisado, aperlado, expremido, va-
cando como a onda i.npellida por outras mil, ergui-
do as ponliiihas dos ps, ag.tava-se como Anteo
para tornar a adiar essa mili commum chamada Ier-
ra, e procurando camiiibo para sabir d
oachava, ele va va
pre composta do u
risionse, nico entre
conduzir a tudo, a t
respeitar sem quichotada
carrua-
nom Parisiense, nem
inf.ilivelmeute Sido Mpeai-
imiltidilo; mas, ao ver-se
soiilio-se forlo.
de com que GullivW o faz.a nos trigos le I. Il.| u-
Gilberto, que no era nem grande fidalgo puza
do a quatro cavallos, nem parlament
gom, nem militar a cavallo,
liomom do povo, lena
nbado, csn.agado nossa
sol. a prolecgao do Hurgue/.,
(Iirereceu resoluto 0 braco 1 ll de lamina.
u.l nria.lo disse a lia.
i-/.ram-se em marcha. O pai ia entre. .. .rma
a a hi atrs ia a criada com o cesto no brago.
Mes snhorcs, por quem silo, d.z.a a borgue-
Za^,m oUSeuUfranco'riso : '...ous senbores, porque,,,
s
>n cun u seu iranto n" -----------.; 1.:,.
So? meus senbores, queiram ler a bondade....
'".,. ..'.'.,.: .,. In.viava.n, e a deixavam passar a e la
sua esleir escorrogavam o
e a GiLicrlo, e na
^oT^o!1 palmo a palmo conquislaram as
pouco o pouco recobrado as suas
A doiizella tinha
cores naturaes.
do.
sua mullier que lorcia o '';: pxtrav.gantes
Fez o burguez ^JLJ^J&TdVwfcrio,
SJSte V O-L-am a
veio
seus
ionio.
Immeliatamente, por
Gilberto e aburgueza,
lile ira e.n um
essa fonda, cscorregars.n
. o burguez, a ir.nila, a filha.
, v.iai.d-so con. lerozes olhos, mas a quem
S'pst no> lembraram pergunlar a r.sio de
"VUnSoata a ala, entendeu Gilberto que era cl.e-
,.,, Agradeceu ao burguez, e o burguez tambem
I oauradeceu. A m. procurou delo-lo : a lia ex-
citou-0 a partir, e separaram-se para nunca mais sa
%o"ugar em' que Gilberto se achava, s liaviam
privilegiados ; ganhou, porlanlu, com facilidada a
tronco de urna grande tilia; subi para urna pe Ira ;
fez um encost do primeiro ramo, oesperou.
Meia hora depois desta inslallacao, soarara os tam-
bores, rebombou a a. lilharia, e o sino magesloso
da calhcdral sollou nos ares o primeiro lintiiao.
(Con'iMar--*a.)

1


,1



Vendem-se caixas de cha hysson, de 6, 12el3
libras om porces, nu retalho ; caixas de velas
de ospermacetede5i:6 om libra : na ra da Alfan-
dega-Velha, n. 36, em casa de Matheus Auslin & C.
AO Bill ATO.
Ka nova lo ja de Francisco Jo-
s Tcixcira Bastos, nos qua-
tro cantos da rua do Quei-
mado, n.O, que faz esquina
para a rua estrella do Roza-
rio, vendem-se
fazcndas novas, bem como : brim pardo trancado
de puro linho, a 200 rs ocovado;dito superior, de
('(iresas mi.is modernas a 1,500 rs. a vara ; algo-
dio trancado do listras, americano, a 180 rs. o co-
vado ; dito cncorpado, a 200 e 240 rs. o covado ;
chittl escuras de cores fixas a 160 c 180 rs.l, e Pinas
de novos padrOcs a 200 rs. o covado; ditas 101 pe-
aos, a 300 rs. o covado ; ditas escuras e ordina-
rias a 1-ioo 140 rs. o covado ; cortes de combraia
fina, de cores a 3,200 rs.; pecas de bretanha de rolo
om 10 varas a 2,000 rs. ; djla de puro linho a 320
rs. a vara ; dita muito fina a 640 rs. ; merino pre-
til lino o de cores a 1,280 rs. ; panno fino prcto ,
a 3,000 rs. o covado e de outras cores e qualidades ;
noias para meninos, a80 rs. o par ; ditas para me-
ninas a 200 rs. ; ditas pelas e curtas a 120 rs. ;
ditas muito finas a 280 rs. ; ditas para senhora a
240, 320 c 400 rs. o par; mantas do fil de linlio a
1,600 rs.; cassa escampinaila..propria^para cortina-
dos, a 3,200 rs. a peca ; cambraia lisa muito fina a
640 rs avara. l)flo-se amostras francas aos compra-
dores. Alm destas lia onlras militas fazendas inoder
nas por presos rasoaveis.
A
sadio sem vicios nem achaques ; um pardo de 22
anuos, de boa conducta com oflicio do sapatMrn ,
ou troca-se por urna prela moga, ainda mesmo que
no lenha habilidades ; um prelo de meia idado ,
por 250,000 rs. ; 3 pardas do 15,18 o 22 annos com
algumas habilidades ; duas negrinhas de 7 a 10 an-
nos proprias para seren educadas ; 3 pretas mui-
to fortes, que estrio acostumadas ao trabalho de
campo ;e maisalguns oscravos que se mostrarlo aos
compradores.
Vendo-so un sobrado de um andar e (J)
slito, acabado ha muito pouco lempo, todo
corrido,om chos proprios, sito em urna boa
rua do bairro de S -Antonio a troco de di- Vi
nheiro, ou de escravos do ambos os sexos ,
idades e qualidades : na rua dasLarangeiras,
n. 14, secundo andar.
Vino lio de Cita ipan ha
da superior o muitoacreditada marca
Cometa,
vende-se no armazcni dcKalkmaiin & Roscnmund,
na rua da Cruz, n. 10.
Yende-se um sobrado de dous andares e slito,
por prego muito em cunta o qual rende 70,000 rs.
rnensaes: na ruadas l.arangciras, n. 14, segundo
andar.
Vende-se cera do carnauba da nielhor
qualidade que tem apparecido tanto a
iota I lio como em porgoes : na rua das
Larangeiras n. 14 segundo andar ,
junto a relinagflo.
AfTENCAO'!
o
Freaerco Chr.ves, fabricante de eaz by-
droaeneo liquido, com lubrica de li-
cores, chocolate e espiritas, no Aterra-
da Boa Vista^ .17,
tem a honra de participar ao respcitavel publi-
co, e com particularidadeaos Srs que usain de Can-
dieiro degaz, que na sua fabrica seinpro achara* o
grande porgan de ga?. hydrogcneo liquido, do boa
qualidade, pelo diminuto preco de 320 rs. a garrafa.
A 640
ar-

m
m

i
9
I
4
pares de ppntes de tartaruga demarrafa: na rua
ga do Kozario, 11. 24.
(?*?$ ? ( ????????^????^^?;'C
Vendem-se os muito procurados corles 8
de sapalos a turca bordados de limito di- 9
versos costos; fil de linho liso e lavnfflo 9
muito fino; citcsdo cassa-chila a 2/1 rs, ; 9
ditos de novos padres e cores linas a 3,200 9
rs.; ricos lencos de setini de cores, parase.- 9
nhura ; panno de puro 'linho, proprio para 9
lenccs, com 10 palmosde largura, a 2,700 rs.; 9
dito com 12 palmos, a 3,200 rs. ; damasco f
de 18a e seda, o melhor que tem apparecido; ?
bramante de puro linho, muito lino; um com- (9
piolo sin lmenlo de pannos prelosede todas ~-
as cores o qualidades; nieias casimiras, lin-
) filudo casimira em padrOea e qualidade, mu-
i- toem conla : bem como um completo sor- j?
i* ti ment de fazendas linas o grossas ludo $
k{3 por monos preco que em oulra qualqucr par- J>
9 le : na nova loja de Jos Moreira Lopes & ig
$ Companhia na rua do Queimado nos qua-
tro-cantos, casa amarella.n. 29 y
Vendem-se 3 escravos mocos, de bonitas figu-
ras; una poreflo de calcado para homein sapillos
c botina ; una porgiio de esleirs o saecas com mui-
to boa familia de mandioca por preco commodo:
na rua da Cruz n. 26.
A burdo da sumaca Carlota Tundeada na volta
do Forle-do-Maltos, vende-se muito hom sal do As-
sfl por preco commodo : a tratar no mesmo bordo,
ou na rua da Cruz n. 26.
Mecerlo que se vendem charutos de regala os
inais superiores que ha no mercado, a 1,400 rs.
caixa ; cha hysson a 2,320 rs. a libra; caf em ca-
rneo a 140 rs.; dito moido, de 4 libras para cima,
a 160 rs. pois he o melhor que pode haver : nu rua
Direira, 11. 104,
A 7,500,
*
vendcii.-se mantas de seda de
Hndissimos padrees, ehegadas
ltimamente de Franca ; na
rua Aova, n. 26, toja de Ti-
noco & Rocha,
Vendem-se os seguinles escravos : urna parda
de bonita figura de 18 a 20 annos ; 2 pardos sapa-
teiros muito mocos, sendo um delles excellentc
para pagem : um molcque do 12 a 14 annos ; um
lindomulatinhode7a 8 anuos: na rua da (dei
,' .i
Nesta loja, alm de um grande sortimento de fa-
zend-is de todas as qualidades aeha-so un rico sor-
timenlo de obras feitas, como sejam : casacas e
sobre-casacas de panno merino c alpaca ; palitos
dopannoe Illa; robes-de-chambre: colletes ; cal-
cas; lencos para grvala ; chapeos de castor, blan-
cos e pelos ; botos pretos de massa propros pa-
ra oloiaes de cagadores, por tcreni cora por pre-
go barato.
Vende-se, para fra da provincia, um osera vo
crioulo perfeito meslro de faz.nr assucar, o que tem
niais habilidades precisas a um agricultor : na rua
do Vigario n. 25.
Vcndcm-se 4 escravas sendo : urna crioula,
de 18 anuos bonita figura boa engoinmadeira c
que tem outras habilidades; duas ditas de nagito,
mocas, com habilidades; um escravo de nagfio,
de 25 annos: na rua das Cruzes n. 22, segundo
andar.
Casa da F
na riin estreita do Ivozar'ro, n. (i,
Nosteestabelecimento acham-se a venda as cau-
telas da segunda parte da 17." loteria a favor .las
obras do llieatro publico desta cidade ; cujas rodas
devem correr no dia 30 desto mez. A cilas : os pro-
cos sflo os do coslumc.
Na loja nova do Passeio,n. 1>,
vendem-se cassas modernas, de cores (ixas c largas,
a 240 rs. 0 covado ; chitas de novos padres o bous
pannos a 4,500 rs. a peca o a 120 rs. o covado ;
alm destas, ha um completo sortimento de fazen-
das de todas as qualidades : ludo por proco com-
modo.
Vendem-se saecas com tarlo de trigo: na rua
Ja Praia armazem dcGilhermeSoares Botelho.
Vende-so urna negrinha do n annos, muito
propria para se applicara lodo o servigo ; 2 canoas
de carreira ; alguna cascos vasios que foram de vi-
nhoeazeite : na ruada Senzalla-Velha, n. 110.
No esoriptorio de Manoel Joaquim Ramos e Sil-
va, na rua da Cadeia do Recife n. 38, continuam-
so a vender, por prego commodo saecas do muilo
superior farinha de S.-Matlieus.
Vende-se, ou troca-se por outro mais pequeo ,
um oratorio ou sanctuario feito no Porto obra de
muilo hom goslo com tres faces de vidro : em F-
ra-de-l'orlas rua do Pilar n. 145.
Vende-se urna prela recolhida de 20 annos ,
de muito boa figura perfeita coslureira o engom-
madeira e que faz lodo o mais servico de urna ca-
sa ; una parda moca com as mesmas habilidades;
um molcque de 20annos, hom cozinheiro ; um di-
to hom pagem ,e que lio ofllcial de alfaiale ; dous
pretos, bous para o trabalho de campo o da praga ;
um molcque de 16 anuos: na rua do l'asscio loia
n. 19. '
com
la
--------- anuos: na rua da Cadeia
de S.-Antonio n. 25.
Vende-se urna venda na rua de S.-Jos
ilr0Ur8nUn',.os'e.eom commodos mira familia
na !. nLu llon, 1Fr:,npisc" de Miranda ,
na rua uirclta venda n. 53.
Vendem-se escravos baratos na rua das
l.arangciras, n. 14, segundo andar: 1
prcto de elegante figura, do 22 annos ,
sem vicios nem o mais pequeo aclia-
, *, *!. ""- com omciotic cozinheiro ; um dito
^J,""l?il6Url* e2.0a"n,,s' com c de po-
dreiro;tfm morequede 13anuos, muito esperto c
Vende-se um sitio no lugar prximo
povoacuo da Uoa-Viegem, com 3o pea
de coqueiros de fructo, o baixa para cu-
|)im c verdura, por denlro do (pial pnssj
o rio Jordao. Esto silio foi do major Car
valho Mendonca, Os preteudentes diri-
jam-sc a rua do Calwg, loja de iniudezas
de Francisco Joaquina Duarte
Pareeein Lindos chales de lila cores escuras a 2.400 rs. ;
formidaveis cobertores de algodio, milito encorpa-
dos proprios para escravos a 1,000 rs. : na rua
do Queimado loja ti. HA, de II. C, l.cite.
i\Tr> sau s os outros logistas
que vendem barato, tamhem
vende Francisco foaquim
Duarte, na sua loja de miu-
dezas da rua do Cabug, n. I.
Escotas de limpar denles, a 120 rs. ordinarias,
e linas a 400 rs ; ditas para Tacto a 800 rs. ; ca i-
xas de pos para limpar denlos -a 60 rs ; fitas es-
trellas, a 40 rs. a vara o de meia largura a 80 e
100 rs. franjas de algodflo brancas, a!60rs. a
vara ; ditas de cores a 240 rs. ; pentes de prender
cabello, de lahna estrella a 100 rs. ; grampos de
vidro, para cabega que so usam no Rio-de-Janeiro,
a 160 rs.; botOes de madre-perola, a 360 e 500 rs. ;
brincos dourados com um pequeo toque de avaria,
a 200 rs. o par; carteiras de fino dourado a 320 o
500 rs. ; bicos finos de diversas larguras o pretos;
agu has em es xas, a 300 rs ; I uvas do pellica, para
senhora a 480 rs. ; ligas de borracha a 120 rs. o
par; facas para escriptorio, a 160 rs.; oculos de ar-
magOes, de boas graduagoes a 1,000 rs ; caivetes
com um pequeo toque de avaria a 100 rs. ; ra-
me para chapeos de senhora a 320 rs. a pega; ca-
pas, a 120 rs. ; l'olhasde palha para os mesmos a
600 rs.; machinas de ilhozes a 1,400 rs. ; meias
para meninos a 200 rs.; ditas para meninas, a 240
rs. o par ; aljofares de diversos tamanhos a 120
rs.; carteiras grandes do guardar cdulas a 3,500
rs.; peonas deago, finas ,a 500 rs. a groza ; pares
de pentes de tartaruga, finos, a 1,200 rs. ; espoletas
propriaspara os apaixonados da caca a 50o rs.; facas
de cabo de chifre de viado a 7/rs. a duzia, e imi-
tando cabo de marlim de balango a 8,000 rs. a
duzia ; lencos pretos para grvala a 500 rs.; bilhe-
tes de visita, a 1,500 rs. o cenlo; caixas comjmassa
de aliar navajas, a 200 rs. ; filas de velludo de
diversas cores,a 120 rs. a vara.
Vendem-se muilo bem feitos vasos para flores;
pias para preservar as formigas ; pequeos cacos
para vender llores ; jarras o outras obras : ludo
muito barato o de muito bom barro : na rua da Flo-
rentina n. 16. Va niesma casa precisa-se do um
mestre oleiro para fazor uina encommenda impor-
tante.
Vendem-se casaes de pombos, grandes, mui-
to bonitos o bous batedoros; bem como filholes
muito gordos : ludo por prego commodo : na rua da
Florentina, n. 1G.
Vende-se urna prcta de 22 annos, sadia de bo-
nita figura, e que tem habilidades: rto Aterro-da-
Boa-Vista n.80.
Vendem-se e alugam-so bichas do llamburgo,
por mais barato prego do queem outra qualquer
parte : lamhem so vilo applicar, para mais commo-
didade dos freguezes, n qualquer hora do dia e noi-
le ; bem como faz-se todo o maisservigo pertoncen-
tc ao oflicio de barboiro : na rua do Trapiche-Novo,
11. 28.
a loja nova do
Passeio-publico,
i. iy,
vendem-so cortes de chilas suissas, de cores fixas e
pannos andazes, a 1,200 ris, com 10 covados,
lengos de cambraia parfmio de senhora, a 320
ris; merino preto inuito largo e lino a 1,200;
1,600, 3,000 c 3,200 rs. ; cortes de caigas da afamada
(elle do dia tro a 1,400 rs.; pegas de algodflo tran-
Caco a 4,000 rs.
Atten$ao.
Na rua do Crespo, loja n. 1*2,
de Jos tlfiaquim da Silva
Maya,
vendem-se chapeos de seda para eahegas de senhora,
os mais ricos.e mais modernosqueleein vindoa esta
praga; assim como se vendem chapeos de seda e de
palhinlia para meninas de dous a 12 annos; toucas pa-
a criaugas, de muito lindos gostos. Tudo chogado
de Franca pelo ultimo navio, e por muito commodo
preco.
Queimado; T. A. Fonseca, Umbejino Maxim
de Carvalho, na rua do Cabug ; C. G. Breckemfoi '
praca da Independencia; Caetano L. Fcrreira Th
maz P. M. Estima e Antonio Pereira da Cosi"
Gama Aterro-da-Boa-Vista. e
REFRESCOS.
Xaropede groselho foito do verdadeiro summn
vindo deFranga a 1000 rs. garrafa ; dito de |V
resdelarangeira,a 1,000rs. a garrafa; dite feitod
verdadeira resina de angico, que be muito condec
do e approvado por as pessoas que padecem do me,
to, por j ter feito ptimos beneficios a 1,000 rs i
garrafa ; ditos de maracuj, tamarindos, Ii'rr.2oe la"
ranja, a 500 rs. a garrafa : no Aterro-da-Boa-Vist.
fabrica de licoros, n 17.
Xa liviana da esquina do Col.
fegio, vendem-se
diccionarios de Moraes da quinta edigilo ; ditos i|
Constancio da lerceira cdigio ; ditos francezes d
Napolen Landais odigiio nona de 1846 : todos do
boas encadernagflo.
Vendem-se 191 pegas de cabo de Cairo: na rn
do Trapiche, n. 8
Vendem-se quatro mastros depinho: na riu
do Trapicho, n. 8.
Vende-se carne de vacca salgada, em barris
na rua do Trapiche, n.8.
Vende-se cha preto muito superior, em cixi
de, 16 libras, proprio para familia : na rua doTn.
piche, n. 8.
Na rua da Senzalla-Nova, n. 3o
(padaria) vendem-se juncos de superior
qualidade, em porcao e a retall.o, e por
menos do que em outra qualquer parle
Vende-so urna canoa de conduzir agoa toda
construida de amarclloc sicupira, pelo diminuto
prego de 130,000 rs., a qual pode servir para canoi
aberta tirando o convs fra, quo ho do taboasda
omarello ; os preteudentes nio deixarilo de fazer
negocio i vista do objeclo e do prego, que he o mais
barato possivol: na rua da Senlla-Nova venda d'
Jos Pereira se dir quem vende.
Vendo-se urna venda em muito bom lugar, e
muitoafrognezada para atorra: na rua da Guia
n.9.
Vende-se superior cerveja branca fabricada
em Prestou-Pans, cliegada ltimamente, seniloes-
ta a melhor e mais forte que vem a este mercado;
a rotalho em garrafas grandes e pequeas: na rua
do Trapiche-Novo n. 10, em casa de Jones Patona
Companhia.
-Vende-se urna elegante canoa de carreira, dt
um s pao, muilo boa de vara love de cora, eqtn'l
leva 5 pessoas : a tratar na rua de Apollo, com oto
Esteves da Silva.
~ Vende-se urna canoa para agoa, do um spo,
que carrega nove patacas ainda est em bom uso:
em Fra-de-l'ortas, rua do Pilar n. 126.
--Vendem-se duas toalhas de lavariBto, una to-
da aberta, por M.000 rs. ea outra toda em roda,
por 14,000 rs, ; tudo de bom gosto : na rua do Ca- j
bug loja n. 9.
Vendem-se meios de sola, tanto cm porco
como a rotalho por prego commodo ; um pardo,
perito ofiiclal de pedreiro de 25 annos; urna litei-
ra usada : na rua dos Tanoeiros, n. 1.
Vendem-se o.s pertences do urna venda na ]
Camboa-do-Carmo, n. 3.
t "^ 1 o O r. a o o
i S 9 i I 1
u m V | + S I 3 g.
O -j "* P C "> C L. c ii O o o ^ n 0 .ja 2
$ :d \
m ^5. *, - isllsl
% C5 2
qgpr 5.5
*8 JO* o a. -k > t 3 g i 8
CN 5 3 es S 2 *, '/) > Bl ~ tf)
< .al S r i C W . 2 <- o S c = o %= "I15
a
it^ EM TRIMEIRA MAO', ^J
vendem-se caixas com velas de cera do Rio-de-Ja-
neiro e do Lisboa : na rua da Scnzalla, armazem
n.lio.
= Vettdem-se moendasde ferro para engenhos de as
mear, para vapor, agoa c beatas, de diversos tamanhos,
por prefo coiiunodo; c igualmente taixas de ferro coado
f balido, de todos oa tamanhos : na prafa do Corpo-San
lo, n. 11, em casa de Me. Calmont Si Companhia, ou na
runde Apollo, armazem, n. 6.
Vcnde-sc um pardo de bonita figura de 22 an-
nos : na rua do Passeio-Publico, loja de fazendas
ISPEIUAL
DE IlAPE FINO
r*ff
NACIONAL
ym. ni
A grande extracgHo quo tem tido esto rap, depsis
que foi exposto a venda ho prova inconteslavel do
hom acolliimenlo que tem merecido. O nico de-
posito lie na rua do Trapiche, n. 34 c a rclalho
vende-senas lejas dos Srs J. J. de Carvalho Moraes
A. F. Pinto & Inulto A. I! Vaz de Carvalho Cu'
nha & Amor i ni Pontos & Satnpaio na rua da Ca-
deia do Recife ; A. I). de Olivcira Reco na rua da
Madre-de-Deos; Campos & Almeida, na rua do
Escravos Fgidos.
Fugio de bordo do patacho Pelicano um escravo
de nomo Roque, de San-Thom estatura blilt,
rosto redondo esem barba, com feridasnas pernas,
vestido com camisa e caiga azul e barrete injl.
Fslc escravo pertenee a Joilo Jos Pereira de A Bit,
do Rio-de-Janeiro. Quem oapprebender, queiralfr-
va-lo rua da Cruz n 66, casa de (andino Agosli-
nho de barros, por quem ser recompensado.
-- Fugio, na imite de 20 para 21 do correle, o
preto Joo, de nagfio Angola, de 30 annos pouco
mais ou menos muito barbado c muilo bem fallan-
te ; levou urna troxa com ioupa,e entre esta umre-
de. Fslc escravo veio do Ico para ser vendido tiesta
praga. Quem o pegar leve a Joaquim da Costn Villar,
na rua da Cadeia do Recife, loja do Sr.Joflolo-
s de Carvalho Moraes, que recompensar genero-
samente.
Fugio no dia 20 do corrente um escravo an-
da bastante rapaz do nome Vicente, de 19 ni*
pouco mais ou menos ,. estalura regular, retar-
gado bem feito c bonito cor prcta e um tanto afil-
iada agradavcl em suas maneirasde fallar; tem ga-
forinaalta, de nagfio Mogambiquc que se nWHll
em pequeos signaos na testa e po rosto ao pe d
orelhas ; levou caigas brancas camisa de riscif
azul e um longo prelo que Me servia de cinto-
Militse recominenda as autoridades policiaesert-
pittes de campo de o apprehendercm e levnnnn
rua Imperial o. 67, primeiro andar qoo se gm"-
ficar com generosidade.
--Roga-se as autoridades policiaes, capiU*i *
campo e mais pessoas que apprehendam a l"'fW
Benedicta de nagfio Camundongo estatua regu-
lar rosto comprido falla apressada corpo*'^'
so, barriga grande que se presume proitlie, <*
um carago em unidos bragos; a quei ausent*
ha poneos lias e se suppOe acoitada em WP*
Quilombo de prelos da niesma nago, para as p
da freguezia da Varzea. Quem a levar na rua do .w
gucira, n. 26, ser recompensado.
Fugio, no dia 20 do corrente, a preta Slnria.a
nacio Angola de 20 annos pouco mais ou meno'
baixa do corpo bem ladina com cabello Bri""' '
bastante secca do corpo ; tem em um bn>v "
signaesde ferro e no outro brago um tudo feito'
sua trra ; levou uina saia branca camisa (1 e'
pa fe panno da Costa ; cosluma*iindar vendcndo
rua : quem a pegar leve a rua da Cruz no Rccn >
u. 26, que sera gratificado.
Fugio as 8 horas da noito do dia 21 do correi-
te a preta cozinheira de nonio Germana de
annos pouco nTnis ou menos, do estatura regu.
cor um pouco fula ; foi cscrava do Sur. escrivao
orphos Francisco Joaquim Pereira de Caryain
quem a pegar leve ao actual senhor, Francisco b
naci de Atalude, que gratificar.
H
PlUJIK. I ^A 1V1>. DE M. K. 1>E
rAHiA.-i?J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKIE416KM_CNJPYG INGEST_TIME 2013-04-26T21:05:02Z PACKAGE AA00011611_08496
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES