Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08482


This item is only available as the following downloads:


Full Text
--------
A"'10
de T87.
Quarta-fera 7
n n ii;M puMiea-sc todo 05 diaj, ajM no
coH' : o |""ero I aiinatiir.i Kc de
""m* r. r<" Tl'"'lel' I"*"0* ":n'\la'in?- O n-
*' m issi 'inntei si iiiseridnj ras'io le
,inri< .------J-ir------..
5if.pr,'0?"r
41) rs. em lypo dill'erentc, c as
.,, ,,;la inetade. 0 que 10 f rem aas;;.--
"^'pT'o 80 i pOrllllha, elO:>c:ii lypo
I girante, l'or Cada pdbUcacfo,
pHASB DA LO* NO MEJ DE JUCHO ^
I i,- ., '-, a <> hora 6 23 inin do mnn'i Vi.
v 12 *' 9 horas o 15 inin. da inanha
'"" rente, a 2". *' in ',or',s e3' ",in- da manha
""'clicia' "5 7 'lor'15 e *7 inia' lla tan'e"
PAUTIOV DOS CORREIOS.
fvoianaae Paralivha, s segundas esextas (elraa
Rio-tlrande-dn- Norte quintas leiras aomeio-dia.
Cabo, SeriuliSem, l\o-Fonnoo, Poilo-Calvo e
Maceio. no I.*, ai II e Jl de cada mei.
CaraaliunS e Bonito, a 10 e 21.
Roa-Vista e Flores a 13 e 18.
Victoria, s quintas feiras.
Olimla, todos os dias.
PREAMA.t DE HOJE.
Primeira, s 0 lioias a 30 minutos da manha.
Segunda, as 0 horas e 51 minutos da larde.
IARIO DE
de Jnlho.
Anno XXIV.
X. Ufi.
DUS D\ SEMANA.
5 Secunda. 3. Athantuo. Aud do J. dos or-
nhoi, do o\>0 da ? v. e ia J. II. Ii '.' v
8 'Ierra. 8. Traipiillim. Aul. do J, do civ.
da I. v. e do J: de '.>/. do 3. dilt, de I.
7 QuarU. S, Pulquera, \ul do >. lo civ. J
v c 8 Quima, S. Procoplo. Aud. do J. da orph.
e do J finmicipd da I, ran
!> Sexla. S. Cjrillo. And do J do civ. da I. v.
e dn .1. de pal do I. ilisl' ile l.
10 Sahhado. S Jauuirio. Aud. do J do civ,
da I. v. e do I de pax do I dist de t.
11 Domingo. S. Saliino.
CAMBIOS NO DI A DE JULIIO.
lamino sobre Londres ..JC'/s'l P- ( C,
u ,i Paria 156 por franca.
i i Lisboa IOS depravo.
DlC, .le fe: ir..: de hoas lrMU le Vi 7o mcz
O,4ro-O.r.s I'mdmImIm.,. Mf*0
, Uoedasth BfiM vcl.. I#W0
, a de UflO:' nov IG|MO0 a
de 1 rooo..... fMO a
Prafcl Patacu........ '^^ ;l
n Pesos colirnmrcs. .. IIMO
n Ditos meileaooi ... i^'G11
i, Miud.v..... ...,,.. ijom a
Aceta da comp.do llclierilie de 5Q.J00O N
ItSjilOR
I6fl">
.....
i#io
i .y "
IjS-m
||9t0
ao par.

PWVTE OFFICIAL.
Govern (Ib provincia.
EXPEDIENTE DO DA 30 1)0 PASSADO.
OfllCO Ao commandanle tas armas, rerommen-
I dando mande fazor honras fnebres aocapilo das
extinctas ordenancas, Manool do Carino Inojosa, que
llallecera.
lulo Ao niesmo, declarando que vai encaminliar
I a secretaria de estado dos negocios da guerra o seu
Inflicto acerca do julgamcnlo do desertor Antonio
I joo da Silva.
Dito Aojuiz relator da junta de juslica, trans-
niitlindo o processo do to Antonio Joaquim da
Cosa. ,
Dito -- Ao inspector da lliesoiirana das rendas pro
[viiicines, ordenando faga a.liantar ao destacamento
I policial do Broto os veciinenlos correspondentes
I ios mozos de jnlho a setembro deslc anno. Partl-
|cipou-sc ao conimandantc geral do corpo de polica.
Dito-- Ao inspector interino do arsenal de mini-
Inlia, validando o contrato por que IVetra o brigtie-
Icaeun Hcnriqucla pela quanlia de 2:800,000 is. pa-
lia ira illia de Fernando, c d'ahi voltar ao porto des-
la cidade.
Hilo -- Ao cncarregado da estatistica, instando pc-
I las relacOea das cidades c villas da provincia, que se
Ihe exigiram a 17 de setembro do anno prximo pas-
pado.
DEM DO DA I.* DO CORItENTE.
Oflicio Ao commandante das armas, scienlifi-
lcandO-0 de baver concedido ao soldado Firmino Joa-
iiuim Patriota a licenca que para continuar n estudar
requeren elle na pctieio que S. S.1 informara a 30
'ejunlio ultimo.
Dito -- Ao niesmo, significando que o brigue-es-
iina //eiinjuerodeveialiir para a Iba de Fernando
10 dia 8 do crrente. Ofiiciou-se ao inspeclor in-
clino do arsenal de maiinba para prevenir o do ar-
senal de guerra da sabida desse navio ; e piticipou-
le no segundo dos mencionados directores.
Dito Ai Inspector ti* tbeaouratia da fazenda,
rvenindo-o de ter o juiz de ilireito do crime da co-
narca do Cabo participado presidencia, que, por
rdoenlc, ileixava ilc recolber-se respectiva comarca
Dito-- Ao administrador das o liras publicas, or-
deando mande tapar de pedra e cal as duas janellas
lio lado do norte da cadeia desta cidade.--l'arlici-
pou-sc aocliefedo polica, que requisilia a expodi-
i;So desta o dem.
Portarla Nomcando a Jofio Jos da Silva subdele-
gado dodistrlcto de eorrentc. Partcipou-se ao
cbel'ede polica.
INTERIOR.
iuo i.i: .3 .\!:mo
NOTICIAS DIVEItS VS.
O Sr. Franca Leil podio liontcn I7 de jutilio;
urgencia, no principio da sesso, para apivsenlar a
SftguintO indirac.lo, que l'oi rcmeltida cominisso
Je constilui^flo e poderes
Indico que se remollam com urgencia com-
mssilodo COnslituic.no lodos os projectOS de refor-
ma conslituQao na parte relativa a noineacAo e
eleicilo le senadores, a
Conlnuou depoisn discussfio do requerimento do
Sr. Ferraz sobre o processo Lirio. Falln o Sr. Sou-
za Franco, que anda licou com a palavra para con-
cluir o seu discurso,
Approvou-se cm seguida a resolucao que admiti
matricula Jos Caelano dos Santos, com as emen-
das anotadas: na adopcQo, porm, cabio a reso-
lucilo comas emendas.
Passou-sc discussfio do parecer da mesa sobre
a vota cito por escrutinio secreto em negocios parti-
culares. Fallaran! os Sis. Franca l.eite o viscondc
de Coynhna, e licou a materia adiada para pasear-
le a segunda parle da ordem to lia.
Terminou a sessHo com a conliuuacao da discus-
aflo da Ihacfb das rcas do trra, na qual lomaram
parte os Sis. Olivera Lisboa, ministro la guerra e
Franca Lcile. A cmara ninstrou-se hontcni dese-
josa de ver acabada esta dlscussSo.
-0 Sr. Sor i'ranco concluo bonteni 19 deju-
nbo na cae. .. temporaria o sen discurso sobre o
processo Lir >
OSr. Mcirelles apresentou um projectoreforman-
do as escolas de medicina.
0 governo Oca autorisadO desde ja a despender
i quanlia de vooo.ooo de rs. para oestabeleciman-
todalinba de correio pela nova estrada, entre as
provincias de S.-Paulo e Cuiabi. GommI GmMo
tionleiro de Vendonfu.
COLLEGIO ELEITORAL DA CORTE,
PBESIDI'.NTK O KM. SU. 11*11 A DB CkYM) .
Secretarios, os Srs. : comincndador Gabriel Ge-
tulio llonleirodeMendoncae o concelhelro Manool
Jos deSouza Franca.
Escrutadores, os Srs : desembargador Manool de
Jess Valdelaro e Jnaquim Pinbeiro de Campos.
Reunido o collegio e recolhidas na urna StO ce-
dulas, oblcveo ICxm. Sr. ministro de oslrangeiros,
l)r. Saturnino de Souxa e Olivera, 198 votos.
(Jornal do Commercio.)
Ilontem (I" dojunho fo o Sr. ministro la ma-
rlnha, acompanhado poto sen ajudante de ordena, a
bordo la Trgala Irancc/a I.Africane, pagar una visi-
ta ao Sr. vioe-almirante Lalne. A' despedida, salvou
a fragata com I" tiros, sendo correspondida pela cor-
vela airioga.
-PoraVISO da secretaria de estado dos negOCIOSda
Justina,de 15 locorrenleijniibol toram derogadas as
diposic0es(todoa9doabril ultimo, licando stibsis-
lenles Uidas as dispensas do servco da guarda na-
cional concedidas aos inspectores do quarteirilo.
Fallecen anle-bontem, em Nileroby, e foi se-
pultado na igrejn la Concecao, o Sr. doutor Manoel
daSilveira Rodrigues, liando esta indicia, diz boje
0 Diario :
. Era anligo medico da cmara, e.como tal, assis-
tono nascimento do s. M. o Imperador; foi emento
lente la escola le medicina da corte.
dVoVaTooiKTsoueno que autora.o^V^^^*m^~J-
J ^^fl^ So'u?. ^,ins, juiz d,sf,,os veito da humanidatto : ^Z^?^^
lili 'i;t < --* ^ da lazenda, dous anuos de licenqa com o ordenado
respeclivo.
'''Tcrmtoou a sessio com a discuss.ao da uxacHodas doutor Silveira eslava l'lylic.
Cilicio f Do secretario da provindia a l.uz J. de
[Mello, J. C. de Mello c Joaquim Tburcio Ferreira.
Icliamando-osa rom prestar juramento, o i ."de V.",
lo 2." de 5. c 0 3." deC." supplcnte do delegado do
|l'oco-da-Panell.
DEM DO DIA 2.
Cilicio Ao inspeclor da tbesourara das rendas
provincines, validando o comtralo por que Joaquim
Marones da Silva Santiago se cncarregou la eohranca
do dizimo cavallar do municipio do Bonito, o bem
assim aquello por que Francisco Xavier le l.nna ar-
romatou a de oulros impoatos.
Dito- Ao mesmo, declarando-se inteirailo da ns-
tallacHoda mesa do consulado provincial.
Dito Ao mesmo, autorisaiulo-o a azer cITeelva
a cobranca lo imposto sobre o tabfio pelo icgulamen
to que S. me. organisra.
Dilo Ao cliefe de polica, recomiTiendaudo que,
cm cumprincnlo do aviso le 12 de maio prximo
passado, ordene aos dclcgadoae subdelegados'so|i
siia iuriadiceSo obslcm o corte das niadeiras reserva-
das por le, e o incendio das mallas que as con-
lcii ,ii
Dilo Ao inspector interino do arsenal le mari-
nlia, determinando mande vaccinai o rcciula Bcnlo
Jos.
Commumtn das Armas.
OIARTF.L DO COMMAMiO DAS ARMAS NA CIDiDB
1)0 Itl-CII L (i DE JI.UO DE 18*7.
Addiciunal a ordem d; dia. t
Convindo que o servco militar nesta ci.lade se
nica com aquella reguluri.lade que determina o
legulamenlo, o conimanilante interino das armas
determina que do amanhfia em (liante lodos os
contingentes dos (lifferenlcs corposJcsta guarnicflo,
tiue devem entrar do guarda, se acbem um quarto
do boca antes da bora determinada, para as guar-
das marcharen a seos destinos, em parada no lar-
go do palacio, foi mudas em liulia dando a dircila
ao palacio da presidencia. O Sr. ollleial que entrar
de superior lo din lambcm ah se achara, para
manilar a mesma panilla, na forma das ordena cs-
Inbelocids: o Sr. ajudante que ir delalbado ser-
vir do ajudante da parada : os balalhes 2o. do ar-
tiiharia e 6. de caca.lorcs allernariio cnlresi, man-
dando cada dia os seus cometas ou tambores para
locar a assembla na parada ; e as qulnlas-feiras a
msica do 6. batalhao de cacadores : o Sr. supe-
rior do dia vira ao quartel do commando das armas
a llorada ordem, que ser s 11 do da, para rec-
belo santo, e dar parle das novidades que occorre-
rem em parada ; e os Srs. ajiulantes de todos os cor-
pos de linba a mesma hora, para receberem a onlem
do dia.- Feliciano Jos* heces Gomaga. commandan-
te das armas inlerino.
torcas de tena, na qual lomaram parte os Srs. Car-
vallio c Silva, e lavares bastos
A sesso da cmara temporaria prmcipiou bon-
lem (20 de jniiho) com um discurso do Sr. .Moura Ma-
galbes sobre o processo Lirio, (cando a materia
adiada'
OSr. Pmenta Bueno preslou juramento o lomou
nssenlo como depulailo por San-Paulo.
A cmara approvou unaninonle a resolucao sol.re
a lixacflo das foicas de trra.
Continuando a discussfio do parecer da im'sa so-
bre o escrutinio secreto nos negocios individuaos,
rallaran) oa Sonborea Rehoucas, Souza Franca, vis-
conde de f.oianna e Carvalho e Silva. Discutida a ma-
teria, toram releitadoa o parecer I emenda do Sr.
Maiinhn e approvada urna emenda doSr. visconde
de Goianna, para que as votacoes em negocios mdi-
viduaca sojam nominaos.
Knlrou em diacussflo o projecto sobre socorros as
provincias do norte ; foram apoiadoa variosartigos
additivos, etoiludo rcmetlido connnissao de Ta-
l'assou-se depois segunde discusso do projecto
sobre juro convencional : orou o Sr. Jos Pedro da
Silva, e licou a materia adiada pela hora.
Conlnuou boutem 22 dojunho na cmara los
deputados a lisctissao do requerimento sobre o pro-
cesso do ex-lbe.sourero Lirio. Orou o Sr, Ferraz, quo
lem o conliniiar boje com o seu lscurso.
I'assou-se diacusaflo lo parecer da mesa sobre a
publieacfio los trabalbos da camaia : licou adiado
Upoisdelallarem os Srs. Nones Machado e Mu/.
Brrelo. ,
OSr. Ferraz coneluio bontcm .23 dejunlio) oscu
discurso sobro a qucslio Lirio.
Conlinnoii depos 11 discusso do parecer sobic a
publicacflo dos dbales, ne ficou a.hada depoia de
fallaremos Sis Lbano, Muniz Brrelo e Ferraz..
Enlrou depos cm discussfio o ornamento do impe-
rio. Orou o Sr. I). Manoel.
-Principioii bonteni (25 de junlio, a asilo da c-
mara dos deputados com um discurso lo Sr. Souza
Franca sobre a questo Lirio, que anida licou adiada.
IVm a palavra para hojeoSr. Limpode Abren
Enlrndo-so na ordem do lis, (onlinunu a discus-
so do parecer da mesa sobre a publicado .los 1ra-
haibos da cmara. OrouoSr. BarroaPimental, que
ollereccu a segtiinte emenda : Depos de coinmu-
nicadoaoJori/a/oterinodo contrato, conceda-sc a
Vazeta (Wcial \ impressodos trabalbos da casa me-
diante o subsidio de 1:300,OOU mensaes em lugar do
2:000,000 ,to rs qtlc percebe o Jornal do l.omuierao.
A discusso ficou adiala.
Pasoou-ae fcdiaooaeflo do orcamenlo do Impero,
Fallaran! os Srs. Rodrigues dos Santos I). Manoel e
Junquera. I-oran, apo.a.las assegu.nlcs ememlas:
O governo lca aolorisa.lo a doapender desde ja a
quantia Me importarem os tobos de Ierro que se h-
zerem na fabrica da Ponte-da-Area para o ..icamen-
I,. das agos da Tijuca. Gabriel Getulio Monleirode
Mendonra.
u O governo he aulonsado para comprar o lliealio
dcS -Pelro-de-Alci.ntura,alim le ser elle incorpora-
do aos proprios i.acionaes, ou para proceder a sua
desappropnacflo no caso do nao concordaren! os pro-
nrielarios na venda, sendo applicado para um ou
oulro caso o producto das lolerias, que para suston-
taco do mesmo Ibealro se aeliam concedidas.
Paco dacamaia, 96 de junto de 18*7. t. b.
Dias da Molla.
Arl. additivo. O governo lica autoi'isadopara con-
ceder-aos agentes do correio em todas as provincias
do imperio as gratificacOes que mereccm a licm do
servido. lieboucas.
procuraram om v8o o hbil pratico ; lombem sua
morte toi geralmente sentida. Havia n annoaque o
- viva vida le dii-
II fllllllia v?uin (iiiii'ij." ;- ,
res adquiri a paralysia em Macaco, ondo rol man-
dado pelo governo quando as robres invadiram e as-
solanim 11 populaco d'aquolla onlr'ora rica e llores
cent.- villa do Ro-de-Janeiro. Anula n esae deplora-
vel estado, nunca o doutor Silveira recusou OSSOC-
corros de sua arle a qnem o procurava Morreo c.i-
bertoihis bcueos de lodoa os quotivoram a relici-
dade de eonliece-lo.
A trra Ihe sola leve!....
Hontem 21 dojunho) pelas seis horas da larde
toi sepultada, na igreja de Santo Anlonm.a priim'i-
ra dama da companhia lyrica hanceza, Madama >!-
ge. Aind.i ao moto-dia a vimos ajanelln de sua casa,
ehia de vida, mocidade o belleza, poneos minu-
tos depoia jazia morta, coherta desangue.1 Oesvai-
iado pelo mais violento ciume, juatifieado aonne
gcralmento se diz] por actos doauamulhor, M.aie-
gcdisparou-lho quelma-roupa dous tiros, um na
lala, cima da tonta dircila, que fez sallar os mi-
los ; oulru as costas, que varn o pulmfio : ao prt-
mcirollro, a deatracada, lami um grito, cahm;
mando receben o segundo ja eslava na elomidade
M. Mge lomou depos urna |ioieo do veneno nue
linlia comprado, esahiosem que enconlrasse emlia-
raoo algum ; chegando ao Campo-da-.\cclamo?no
lancouoalmoco ecomeate o veneno Entilo enca-
niinhou-so para a secretnria da polica, que dista
poucos paSSOS do lugar em que perpetrara O-del ICIO,
oentregou-sc prlsHo.MadamoMgeconlava M:anr
uos, eaeu marido anda he mais moco-so tmnam
11111 lilho le 2 para 3annos.de iilaile.
Grande perda be para a companhia lyrica Iranceza
a morte da ntereaaanU cantora mas o Sr. Joflo Cao-
tano do-. Santos, dando ouvldoa smente 10 sen bem-
fa/eio coracno, eesquecendo, atom de oulros, os
raiistoi uos'.iiie Io ti iste aeonlecimcnlo leni.le eaii-
sar-lhe, porquanlo dkninue consideravelmente o
repe lorio la sua empieza, ruidou prcasuroso em
Ihandar dar sepultura a Infeliz, com a devida decen-
cia, e remover para a sala livre da prlaUo do aljulie o
oulro infeliz cpie, cgo le paixo, coinnielleu a 011-
cura de arrancar a vida a mi de seu (lino, a mullier
que amava perdidamente e por qiiem havia sacnlica-
do todo o seo futuro. .
II. Mge he lilho de um anligo militar francoz ; re-
cebcu distincla cduca?o, c acbava-se quasi a lor-
mar-se em direilo ha 3 anuos, quando, por causa de
seu casamento, abandonon a nobre carreira a que
se tiiiha destinado.
Ilonteiu, (22dc junlio) una bora da larde,
receben s. ai. o Imperador, no paco do San-Chris-
lovain, as deputaci'irs lo sciudo e da cmara (los do-
pillados, encarregadas do aprescnlaro voto de gra-
U. OsSrs. harffoJ)otTaudis c vicc-almiranto Lai-
ntiverain a lioura de ser receblos pur S. M. o
mperador, na quinto la Boa-Vista, pelas 6 horas da
larda de 19 do correlo (junho).
Ambas as cmaras legislativas nomearam lion-
tem .2-2 da junho) deputac">es para opporlunamenle
felIcitaromS. M. o Imperador polo prjimo e espe-
rado feliz successo de S. M. a Imperati iz.
Ante-liontem (22 de junho) eomlemnoii o jui j
da cirte apena de gales perpetuas o preto brtcio,
port.-r assassinado son senhor, o DrvJtfK Barbosa
Uimares. Nao havia outra prova que a*tonliaafto
lima commissno composta los Srs. I)r. Jua-
uim Candido Soares le Meirelles; cbcle le divisao
Jraduado. Antonio Pedro de Carvalho; e cojilador
coral interino da inariuba, Antonio Jos da Silva,
foi encarregada pelo governo do investigar escrupu-
losamente qtiaes as causas da estranhavel mortulula-
IdequescobscrvanohospiUlde mannha, e propor
BUCO
as medidas que ulgar necessarias para lomar aquel-
lo estahelecimenlo apa/ de bem prooncher os hns
que doli reclama a marinha le guerra.
Pordecrcto'n. 514, de .7 de junho, fm reho-
gado o ai ligo43 do novo rogulainenlo dos crrelos,
le 21 de dezembro de 1844, na parlo quo diz respeito
s nomeacOcs, por (itulo imperial, los agentes a aju-
dantes las agencias respectivas, determinando-so
que d'ora avante so expeijan taca litlos por porta-
rlas assignadas pelo ministro e secretario de estado
los negocios do imperio.
- 0 peridico Carranca, que so publica om Por-
nambco, aecusou do prevaricador o Sr. Chichorro,
presidente daquclla proviiicia. por lor embarazado a
partida doSr. brigadeiro F. Sergio de Olivoira para
a ilha do Fernando cujo commantUHhc tora cncar-
regado pelo governo iiupvrial/ em COlISCquenCia O
oppOr-se a esta partida o Inleresso commoroial do
mesmo Sr. Chichorro, Acensado por esta BSSeicSo,
foi o rosponsuvcl da Carranca absolvido peto jury da
cidado do Recito; oappeltouo Sr. Chichorro deala
senlenca para arelaeo de Pmamhuco, quo iniu-
dou proceder aovojulgamento. llocor,rcu entilo o
rcsponsavol para o supreinu tribunal dejusliija, que
concedeu a revista por unanimidad* <' votot, lesig-
nando a relaeoda corto pora o julgamento.
--- o instituto historie o gcographico brasitoiro,
para coinmemorai a saudade que sent pela per la do
sen presidente honorario, 0 serenissiuio principo
imperial, resolveu celebrar para esse lini, no <'
ilejulho prximo futuro, urna reuniitoopocial. De-
pos le una allecucao do presi.lente la associacjlo,
anloga ao objeclo, seguir-se-ha o discurso lo ora-
dor, 0 as pecas, em prosa ou verso, que os socios ijui-
zcrem recitar: de ludo se formara um volme, un?
pressoconi luxo, tirando-seso500 ejemplares, quo
serao distribuidos pelos socios.
Pelo patacho liamburguoz /lomeo foram romel-
tidas para Angola 300 moedas de ouro, le meia lo-
hla, producto da subscripclio promovida nesta corle
n ravor los Portuguezes alli degradados por motivos
polticos. A subscripco contina, sondocaixa o sr.
losl.ui/.Notasco, ra do Oovidor. n. 82, seguinlo
andar.
Um homcapalha ;o Sr. Joo Vicente Marlnis di-
rigi acamara dosdoputados um bffa*ecimonu, quo
foi lemeltido a conimisso le sad publica, pelo
qual diriga-se, por si e poi collegas de sua conlian-
ca, a tratargiatuita o homcoopalhicamento, por es-
paco do un anuo, os oxpostos da santa casa da Mise-
ricordia deta corte, tornecendo sua cusa todos os
medicamentos precisos, o subjeitando-se a solirer
una inulta le dous coutos le res a favor do institu-
to histrico geographieo do Brasil, dado que a
moilandado queo Sr. J. v. Martinaasseverater si-
do sempredo mus demetadetios oxpostos, o ohegar
este auno a dous rjMj uo venha a ser menor quo o
tormo medio dos ltimos dez anuos.
... O governo .leclarou que no dia 29 dejulho, an-
nivorsario natalicioda sereniasitna princeza D. Iza-
bel, so deve pralicar o quo so ',servava l,'a ein
que razia' anuos S A. o principo imperial.
___O sr. Dr. Soares le Meirelles apresentou ante-
llOIltem 21 le junho, a cmara dos deputados un)
projecto de lei relonnaudo as escolas de medicina do
imperio.
__Pelo vapor Todos-os-Sanlot, quo enlrou sabbado
dos porios lo sul, alcamjam as dalas do Porlo-Ale-
..,e te 10, do Rio-Grande ate ti, e le Sanla-Catha-
rinaal 15docorrcnlO. Nada consta de importan-
cia.
A 25 do maio ullimo dosapparecou do sua casa o
negociante Gordas, llanoveriano, e no da scguinle
toi eiiconlrado mor na praia do Cristal, a urna le-
gua da cidade; suppunha-se que na tlnha sido vi-
lima de violencia, mas que se suicidara.
Yeio do passagem ueste vapor o Sr. desembarga-
dor Josa Antonio Pi menta bueno, encarregado de
negocios lo Brasil no Paraguay, para lomar assento
lia cmara dos deputados, deque he menibro. Pelo
quo lomos om nina loilia do Rio-Grande, parece-nos
queoSr. Pmenta Bueno vem rosolvido alomar
grande paite mis qucslOes conccmonle as nossas ro-
lacOes com Buenos-Avies e Montevideo.
SenlincUa da Monarclna.)
-
TRlBKt IK) JUliY.
TERCEIRA SKSSAO F.M 5 DE UU.0 DF. 1817.
Presidencia do Sr. Dr. Gen asi Goncalrtt da Silia.
Ao meio-dia, toi la a chamada, verilica-su cataren)
prsenles 36 Srs. jurados.
SUooprogoadoaosreosotestemunliaa.
OSr Prndente noma para defensor do acensado
ao Sr Dr Mcanl'ora.lo, e declara que vai proceder-
se ao srtelo doconeelho que lem dejulgar ao reo
Joo Francisco Regis, indiciado em cnnie de furto
Sorteado o coocolho e prestado o juramento do
coslume,
O Sr, Jule faz ao reo o segtiliilo
UTsaaootTaiO.
Juiz: Como se chama i'
Rio : Joo Francisco Regis.
Juiz. Onde cata va no lempo emquo foi preso '
lio : Na Boa-.ViaU.
Juii: Sabe qual foi o nrotivo da sua pnsilo?
ico Fui preso para recruta.
Juiz: Sabe que foi furlado a Manool Ignacio do
Avila um cscravo?
Reo ; Seuhor, csso cscravo nio se achou em mi-
I MUTILADO
;


jT
s
,2
nlia casa, mas sim na casa de Alcxandre Joaquim
Vianna.
Juiz : E como he que foi preso ?
lito O Vianna foi preso, o logo depois sollo, e
cu entilo fui preso para remita, fui para a marinha;
eoSr. chefc de polica, om lugar de me soltar, inan-
dou-rne em casa do Sr. subdelegado, que, empai-
xflo de eu nflo di/.er o que nao sabia, mrttcu-nie en-
tflo noste procgsso o qne poseo provar con nlgu-
m.is lostoniunlias como o Sr: Cazuza Monteiro, e ou-
tros a proporcBo : mas einfim no lie preciso contar
uqui esta historia, pe por pe.
Juiz: Quem foi que levou o escravo para rusa
de Vianna?
Mo -. Senbor, cu nfiosei, porque nflo morava
dentro de casa eom elle ; mas contare! a historia co-
mo a ouvi do Vianna quande eslava na cadeia, c cu
ia visita-lo.
Indo pear urna junta de animaesque linlia cem-
prado, isto em un lugar denominado llartholomou,
ilii encontrara esse escravoque nflo sabia fallar nem
dizor quem era sen senhor. o foi leva-lo em casado
coinmissario de polica, o Sr. Costa; este Ihe disse
que viesse para oRocifo, eprocurasse no senhor do
esclavo, oi|ie ellofez: nao Ihe sendo, poroi, pos-
sivi'I doseobri-lo, voltou casa do commissario, e
Ihe disse isto mnsmo, noque elle responden que o
gunrdasse dn sua casa, porque elle nao tinll.i onde
t lo, e que no outro dia voltasse o Recite, para en-
1,11 annunciarpolo Diario. Reste tempo essas teste-
miinbas, que imam no processo, o que eram seus
inimigos, foram peranle o subdelegado da Casa-For-
te denunciar quo a junta d animaes era furlaila.
Nesse dia as 8 horas da nolte foi olle preso, por cau-
sa dos animaes ; e, dirigindo-se ao Sr. Costa, Ihe
porgiintou : Porque vou preso, Sr. Costa ,v Ao
que este Ihe rospondeu : Eu mo sci, Sr. Vianna ;
essa prisflo be la por causa do Sr. Alejandrino e do
Sr. Custodio, o que eu suuber depois Ihedirei.
l'ois bein, Ibo disse o Vianna, lomo emita do escravo
que Ihe ilisse, porq'ue nflo pode ficar entre a familia :
nflo foja elle, e me di trabadlo. O que sendo ouvi-
do pela Sr. Custodio disse: Ali! n Jo he s a junta
dos animaos, ho lambetn o escravo que elle furlou ?
Veio para oliooife, apresentou as suas testemunhas,
e soliaram-no mas l'oi embargado- pelo Sr. ebefe do
polica para ir mostrar onde eram urnas covas que
os Sis. Jos do llego e Xico-Maeho tinbam feito, o
que elle fez, e onde se achnram uns ossos; 0 isto o sa-
bia elle, porque, estando la algum lempo, um escra-
vo do Sr. Jos do llego, Ibe.lisse um dia : Sr. Vi-
anna, quer saber o que esta naquella tena que esli
niechidu t....... He um hoinem que foi all enter-
rado.
Depois disto sueredjdo, o Sr. chefe de polica, que
lhc linha promettido soltura, dissc-lhc: Faz um
reqiierimi'iilo para le soltaren), que eu nao me im-
porto coni isso; e foi sollo, n Entilo fui eu preso
para a marinha, e qneriam lambem que eu dissesse
onde eram as toes covas: eu quo nunca eslivecom
o Sr. Jos do llego, c para saber o que elle faza era
preciso saber de seus maos filos- nada disse; c por
islo me envolverm ueste processo, o cnlflo levaram-
me em casa doSr, subdelegado. Estn lo atli o ne-
gro e um i infio de senhor do dito negro, este, pon-
do a titilo sobre o hombro do soldado que Ipeacom-
nanhou, pergunlou ao. negro: Nflo foeslc que lo
levou la, la!' Ao que o escivu disse que sim eom
a caheca : o que ouvido pelo Sr. subdelegado, lovan-
lou-sc, p disse ; Hasta, eu ja irranjo a Joflo Fran-
cisco Itegis ; e repetindo a pergunta ao negro ba-
tenilo-lbe no hombro, o negro disse que sim: mas
nolem Vv. Ss. que al" no eslavam leslemunlias,
nem sequr oescrivflo; s eslava eu, o subdelega-
do, o negro, o rmfio ilo senhor do negro e o soldado
que me levou; e nessa ocensiflo o subdelegado me
destratou, chumando-me ladino; quiz-me dar.....
Paiecia-me una lera!
Juiz: Vossno heenleado do Vianna?
leo : Sou, Sr., sim.
Jui:: Nflo morava em conipanhia dellci1
Ufo : Nao, Sr.
lindo o interrogatorio, o escrivflo l as pecas do
processo, que silo: i.o, o ollicio Jo subdelegado,
participando ler remedido Vianna para a cadeia,
por se Ihe ler dado busca em casa, e haveroin-so
adiado ahi 3cavados e 1 escravo: 2.a, o termo de
fichada: 3.", o.dcpoimenlo do7 testemunhas, quo
confirmaoi a adiada das objectos Curiados, urnas por
lerein-na presenciado, nutras por haverem ouvido rc-
fcri-la ; o das quaes a l. declara que fora informada
do ler sido Joo Regs o rouhador do escravo em
quostfloj e a quinta aflirma que, acbando-se em
casa do subdelegado processnnte, ouvira dzer ao
irmfie do aonbor desseescravo, que una negra o in-
formara do ler sido o dito llegis quem furlara o pe-
lo do que se lala : A., linalmente, o interrogatorio
em que esse preto declarara ante o precitado subde-
legado, que, havendo-se, um corto dia, dirigido a
uiiBCOqueiroa que fieavam prximos casa do se-
nhor, o em horas em que este anda nflo dormia, fu-
ra assallado por tres homens, dous montados e um
. a pe, entre os quaes rcconbecra o acensado; e que
esses homens/) levaran) Comsigo, depois de haver-
llie um delles (o que nao eslava cavado; tapado 1
bocea com um leen para quo mo gritaste.
OSr. Dr Promotor pede .que sejarn imposlas ao
reo, no grao mximo, u penas do artigo 957 do c-
digo penal, combinado com o decreto oe 15 de outii-
luo de 1837, visto comodflo-sc nscrcumstnncias- ,a-
gravantes dos^." e 17 do artigo 16 do nicsmo c-
digo : e para provar a justiga desse pedido, chama a
nllencilo doconcelbo para as pecas do processo, que
llcam mencionadas, notando quu releva serdevida-
nicnle apreciada circumstaucia de perlencer o dito
reo a essa afamada quadrilhn do Arrnial, lito celebro
em aclos idnticos a esse por quo o aecusado tem do
serjulgadoj ebem assim ad sor elle consocio de Vi-
anna cujo nome figura em diversos procesaos, qur
ultimados, qur pendentes, formados para conhecer-
.se de.crime igual ao conimettido pelo referido acen-
sado, eque fina posto em liberdade por lerobtido or-
den de habeas-curpus, e uo pelos motivos que Re-
gia cavilosamente allegara.
Ao concluir, observa o mesmo Sr., que oumpre
naoallribuir asuggesldes do subdelegado do Pogo-
da-i-aneilaa ingenua declaracflo do pelo roubado-
00 so porque esta deolaiagflo esl completamente
oe accordo com os depoimentos das testemunhas,
<,unli0rq"e, l" rel"ov'"'o procedimento repugna
o.^""'* e prpbida Sr ^'rZ,l,V1,,,''-se ,!e sun iuriadicVflo para
viigdr reaentimentos particulares.
_?.%. A***H*0 dadefesa pondera a nocessidade de
cimento, que ha pouco tinha tido lugar, da queda do
ministorio, dou isso molivoaqueum dos da mesa,
se levantando, dsso dous vivas a S. M. I.,que foram
com cnthusiasmo applaudidos : foi isso bastante para
so aprosentar o delegado com urna grando patrulha,
e ordenar sultnicamente que nflo quera gritos, no
que responderam nlguns, pondorando-lhe quo ello
nao dovia impedir um;i reunido do pessoas conhe-
cidas no lugar, para llns honestos como fosso o de
so divirlrcm, e que os gritos nflo eram subversivos
da ordem publica, e nem causa va m o mentir escn-
dalo ; rolirou-so, porm, o delegado, e longedear-
repender-se do ler procedido com tanta prociptac,flo,
insinuado la I voz por pessoas mal intencionadas que
o dirigen), foi antes, pelo contraro, cuidando em lo-
mar do nosso comportamenlo, quo elle intefpretou
como urna offensa. una vinganga completa, e as-
sim o praticou.como passoa informara V. S. Appro-
ima-so odia 23, vespera de S Joflo, cuja nole he
festejada pelo mundo conhecido; eo delegado que
com rasflo suppz ser esse um dia propro para nos
apanhar reunidos, e oti fosso por conjeeluras, ou
quo nlgucm Ih'o asseverasse, o corto ho quo ello
dous dias antes foi a Itarra-dc-Camaragibe, o de
volts apresentou no mencionado dia 23 perlo de
cen guardas nacionaes daqucllc lugar dos Morros,
armados a municiados, como para prnndor crimi-
nosos^ que, como para so cxercitarem.amnnhoeeram
matando caos o cavados, a tiro do bala pelo meio
da povoacflo a titulo.'de correiQlo. Nflo obstante
esse apparato bellico e aterrador, reuniram-.se no
sobrado do ex-lcnenle-coronel Joo Marinho Falcflo
12 familias que compunham urna companhia de 18
senboras, alguns meninos, e viole e tantos homens ;
e inda nflo lindamos dado principio sos jogos e di-
vert montos do costume, quando ja a ra so achava
apinhada de soldados divididos em dous pelotoes,
que commandavam dous individuos, a quem dias
antes se havia de proposito investido do cargo de
inspectores, porterem sido demilidos os que oxis-
liam pelo crimo de se nrliarcm na primeira reunido,
que o l)r delegado reputou criminosa ; nomeagOes
i|ue nflo podem, por forma alguma, fazer honra a
quem as fe/, nflo s por haverem recahido em pes-
soas misernveis e do muito mo conceilo, cpmo
0 nosso lachigraplio, a quem boje coube apanhar mesmo por serum delles conhecido porJilahi, e o-
os trabadlos da retacan, declarou-nos que deixra
do deseinpenbar.ilir.iti, por nflo ler podido ouvir
o Sr. desembargador de semana quando esle publi-
cou os feitos.
falla do Itegis, he mals que muito suspeita, pois que
Uvera lugar mez c meio depois de ter sido nchado o
declarante em casa de Vianna, o nflo immediatamen-
te a essa achada; noontanto que he sabido que o
subdelegado do Poqo, de cuja eapacidado nfloduvi-
do, tivera cnlflo o preto por dous dias sob .scu ilo-
minio, e que nesse espago do lempo bom podera pro-
ceder ao interrogatorio, para pr-.so acoberto de
qualquerconjeclura de parcialidade: analysa esse in-
terrogatnro, e mostra que ello ho lodo suggestivo,
o so resente da laltada Imparcialidade que (leve do
caracterisaro funecionario publico quando desem-
penha importante mlssflo do deseobrir o autor de
um delicio, para impor-lhe a pena o que esse delicto
osubjoita: nota quo soinelhanle falla nimia mais
se reconbece quandoso allende que, allegando Vian-
na que repartir com 0 inspector do sou dstricto o
producto da adiada do escravo que so diz furtado,
nenhuiiia diligencia se emprogara para averiguar
esse facto ; c termina solicitando o ahsolvigflo do seu
cliente.
Replican) os Srs. Promotor e Adrogado.
O Sr. {'residente faz o relaloro da causa, e entrega
osquositosan presidente do concedi, que, tendo-se
recolbido sala das conferencias, volta pouco depois
a dos debates, com a resposta nos mesmos qnc-
silos.
O mesmo Sr. Presidente, confonnando-se comade-
cisflo do concedi, absolve o reo; condemua a muui-
eipalidade as costas, o levanta asesso.
IMiW U l'EiliAililL'i;!).
nscire. 6 de jlho dz 1847.
O vapor San-Sehastiilo, chogado boje dos portos do
sul, trouso-nos gazetas do Rio-dc-Janeiro al 2t! do
assado, o da Babia al 3 do corronto.
No lugar competente acharan os leilores o pouco
quo conlinham os peridicos da corte.
Na liahia nada havia occorrido de extraordinario.
i .'oiTCvSii^.i'.Uijicia.
ESTADODEPI.OR.WEL DA PROVINCIA DAS AL.VCOAS.
Senhorts lledactores: Nflo ho s em Perniimhuco o
em mitras provincias, quo agentes de polica, le-
vados do Infernal espirito do partido que os domina,
leeiii eouimottido altenindos dignos do completo
desprozo do publico sensato : as Alagas oulro
tanto tem acontecido,c un caso bom recento, posto em
platica no Passo-do-Caiii.iragihe, me moveu a pedir
a Vinos, a inserc/iodos ollicios e documentos queao
vico-presidente e ao chefe da polica dirigi o juiz
de paz em exorc.icio no mesmo lugar ; por olles co-
nliecer o publico a quaulo chega a protervia do ho-
mens, que no eonnoeem deveres quando se trata!
de deprimir scus desa{pgoados; eo que esperar se
podia de um delegado nimiamente estpido c furio-
so, aconseihado por outros de igual jaez"? do um
subdelegado que alm do possuiym summo gro.as
propiedades- do primeiro, ja assassinou com sita
propria nflo a un mlseravel coiJDbcido por Manoel
Camisa! [o que provaremos sea isso nos obrigarcm,
io obstante sor esse fado de lodos sabido; o de
inspectores, laes quaes descrevo o juiz de paz no
sou ollicio Ndamenos que estes e nitros aconte-
c inen tos peioros, que podem Vira dar em resulla-
do pessmas consequencias. Tenilo, porm, 0 juiz de
paz participado s autoridades ac'ina apuntadas,
aguardamos o resultado ou providencias ; porque
precisa comeflilo estar muito prevenido, para nflo
enxergar nos ollicios a expresso sincera dos fac-
tos occorr'idos, e entilo taremos do voltar: no en-
lanto, eom a publicngflo muito obrigaio ao seu
leilor
Um que escapan das garras da polica ussassina
alllm e litm. .Sr.Na qunlidado de juiz do paz em
exercieio nesle deslriclo, fallaria no nieu deverso
nflo palenteassc a V. Ex. as oecurreneias que bom
p'odiam ter dado lugar a ser alterada a ordem o se-
gu canga publica; o para-nao estar reproduzindo o
que iiesia data liz chngar ao conhociment do l)r.
chefe de polica, remello a V. Ex, copia fiel do -
ficio quo dirigi ao 'mesmo Sr. : por ello conhecer
V. Ex. al que ponto se lom deslizado do seus de-
veres o Dr. delegado do termo ; e inda mais entra-
ra v. Ex. nesse conhocimenlo, quando, indagando,
souber quo esse delegado foi o proprio que obleve
da presidencia mandar retirar daqui um destaca-
mento de tropa de linha que 8ompro.se conservou,
medida que revela toda a provinjue o delegado,
piolendenilo obrar ezcessos que)ij rasflo repugna
na lei desapprnva, no enconirava nos soldados de
linha [gragls sejarn dadas n essa briosa corporagioj
instrumentos pegos de scus caprichos desreglados,
como boje pratiea somier ao monos quem Ihe faca
urna obsorvaeflo. lie quauto lonlio a dizer a V Ex.
em nomo dos mcus dhttrtclanos, que esperam que
V. Ex. remova seus padeeimontos, de wii maneia
digna ile V. ILx. Deus guarde a V-. Ex. muitos an-
a quem veio djrigida, aflm deque V. s. obre n
julgardojustign Aproveitoessa oer.asiflo pira J!!!'
uificara V. S., em resposta asen offlcio do 86 it"
mez prximo passado, em que me pede informVcrt "
sobre os ditos vagos que lee.m chogado ao sen conh"
cimento, a rospeito da emlssflo de notas falsas !'
nflo sflo simplesmenlo ditos vagos, e sim urna 'r^
dado, cujo trafico se tecm feito com tanlo oscanrlain"
queossa prova que.dou fara V. S. conhecer facili'
dado com que ellas gyram nesto districto. A n,ri
policial, que tem este juiso, nada tem podidonprov/
lar, pelo nenhiim resultado que toen) tido sons ira
balhos, jiorquo delles s tem colhidoo odioso, eo'n
ha pouco succedou com n remossa, ao subdele^iio
do corpo do delito foij.0 nos forimontosdo Mara Pas!
tora, o outros exomplos que excuso mencionar-, n
entanto, npezarde ludo, sompre que seoffereceroc-
casiflo me presto ao servigo puhfico com a maior boa
vonlade, porque com isso (lea a niinha conscencia
tranquilla, do que nflo coopero para a imptinjdadcdos
eri mes. Heos guarde a V. S. Sexto districto do Passo
5 dejunbo do 1.8*7.-- Illm. Sr. Dr. CaldinoAugus-
to da Natividade, subdelegado do tormo.Jos M-
pollinario de Varias, juiz de paz supplenle.*
N. 3. Foi entregue o ollicio queacompanha-
va urna carta assignada por Jos Paulino de Almeida
Lima com urna nota do 2,000 rs. o que tudo cnbria a
presento capa. Passo, 5 de junho de 187. Galdino
A. IV*. Silra.
Alfande^a.
RF.NDI.MENTO DO DIA 6. ........,. 8:705,M
Detcarregam hoje, 7.
Galera -- Sieord-Fish queijos e presuntos.
Briguc Cesar mercadorias.
Patacho Johana vi n lio.
Rrigue -- Polydora mercadorias.
Rrigue Dos- Hermanos vi nhos.
Rrigue W'slmorland hacalh o.
Rrigue George-Robinson dem.
IMI'OKTACAjO'.
Jesusa, brigue liespanhol, vindo de Rarcellona, en-
trado no corrente mez, consignado a J. P. Adour &
Companhia, manifestou nseguinte:
161 pipas vinho linio, 60 molas ditas azclte doce,
tO barris ditodilo; aos consignatarios.
Hapid, pntacbo sueco, vindo de Antuerpia, entra-
do no corrente mez, consignado i l.enoir l'tiget &
Companhia, manifestou o seguidle :
que um dos Inspectores, chegando-se para a porta, a- i caixa livros impressos ; a Santos & Companhia.
21 caixas papel, II barris pregos, 3 caxas pan-
nos, t embrulbo com A espiviladores ; allrendcri
Brandis.
6 barris e 2 caixas rame de latflo, 2caixas alfine-
tcs ; a F. H. I.utkens.
!) caixas marmore ; a N. O Bieber & Companhia,
68 barris pregos ; a W'ilch <\ Companhia.
10 barris sal com sal d'epsora ; a, II. Floquet.
70 toneladas carvflo do podra ; a Lcnoir Pugel &
Companhia.
caixas rendas; a Cox e Deeostin & Companhia.
0 Cnnna -.inln i. novosill.
1 caxa 67 volumes iinpressos ; a C. l'uget.
licial de forreiro, indiciado pelo publico de crimino-
so o assassino : elles,pois,para alerrarem os reunidos
vieran! i poda do sobrado, ealli meSmo manda-
ram ver podras de fogo, dislrihuiram cartucliame,
etc., o ludo isto acompanbaram com ditos.pican-
tes e palavras provocadoras: os da sociednde, po-
rm, que lindara llns bem diversos do delegado
o scus inspectores, desprezando estas bravatas,
continuaran) a se divertir, al que, julgando a ho-
ra opporluna para se rccolliercm, principiaram a
fazo-losahindocoiii suas familias: ro nessa occasiflo
liro urna encelada emum Portnguez, de Pernainbu-
co, de nomo Rafael Jos Garca, que lambem dcscia
ilo sobra lo, sendo a pancada seguida de oulra por
um soldado no mesmo Portnguez, o qual, vendo-sc
aggredido sem motivo, deilou a correr; c nina confu-
sflo geral de gritos de mata o prende se oiiviam rio
meio das familias que so retiravaui, esperando-So
sem duvida que npparecesse a menor opposigflo a
una piovucagflosemelhante, para seconsuminaremos
espaueamentos e assassinos, premedilados pula pri-
meira auloridado do lugar, e poslosein prtnc polos
guardas que Ihe sflo confiados para manutcngflo o se-
guranga da ordem publica, contra a qual se preten-
deu tentar sem duvida, porque do um comportamen-
lo Bemol liante pOderlem resultar terriveis conse-
quencias, a nflo ser a pruiloncia e amor da ordem
que as pessoas da reuniflo sempre teem dominado; e
as pancadas dadas pelo proprio inspector e soldados
mostram queso tentn contra a seguranga indivi-
dual. Ilemsev, purlanto, quo o autor do toda essa
tragedia foi o proprio delegado, tanto pola pro-
vengflo de mandar vir gente armada de fra, como
nflo confiando que a do logarse preslasse a tflo nefan-
do mandato, como m>Mjiflpor ter nessa uoite viudo-
mais o subdelegado Jos Silvestre em seu soccorro
com qarenta e lanos homens da matriz do Cama-
ragibe; c anida mais claiose mostra o plano de pro-
vocar, quandoso vir que o pmiuguez espancailo, tcn-
dn sido preso do imite, foi sollo noilia seguinte ( i or
onde se inostra neuhun crimo ter), o qual, envergo-
nliado polo insulto quo solVreu, rctirou-sc nesse mes-
mo dia. E como, Illm. Sr., comparar esse comporta-
menlo do doulor delegado com o abandono c des-
leixo em que se acha a polica ueste lugar, como cu
provaria com immensos fados a querer r.iubar o
lempo a V. S. : porm, mencionare! as segundes:
remetti ao subdelegado o corpo de delito procedido
nos feri montos foitos na pessoa de Mara Pastora; po-
rm nonhum andamento deu a polica, apeiar de es-
lar presenta a autora dos ferio.entos: remelti ao de-
legado nina nota falsa de 2,000 rs., como V. S ver
dos documentos na. 1,2c3.Saiba V. S. doliese a*
guma providencia deu a resneilo, ao passo quo Con*
l'essa-Ihe constar a missflo iic- notas falsas; manifes-
tando-se anda mais sun complacencia, quando cu as-
severara V. S. que O ollicial que com.mandou a tro-
pa he o mrsmo Jos Paulino de Almeida Lima, quo re-
mellen a ola falsa, por miin.apprchendida e remet-
lidaao delegado, lio quanlo se lom passado nesle
districto, que continua a solfrer os sustos quo laes
factos acairelan), e seus dstiiclauos esperam de V.
S. o remedio a se nflo reproduzirem, como aulori-
dade que so iileressa no publico soccego. Dos
guardo a V. S. muitos anuos Sexto districto do P.isso-
e-Camaragihe, 25 de Junho de 1817. Illm. Sr.
nos. Sexto districto do Piisso-de-Camaragilie, 2.>de|l,.r- Joo Paulo de Miranda, chefe de polica da pro-
junho do1847.lilm. e Exm. Sr. Podro Antonio da *
Cosa, vico-presidente da provincia.-JosApellina-
rlo de 'arias, juiz do paz supplenle.
M''re'fe',',n,'rS'' V "F0*" "nles no processo
Alexandrc Joaqun Vianna, o nflo a
s, que, por forma alguma, deve
Jpdos actos de Vianna, pelo ni-
co fado do Ihe esta, ligado pelos lagos do parcnles-
?',' :5L!?J! "" co"cell.,0> V** deciaragflo do pre-
se I
oao rranciscoRegis, ,jUpf
ser responssbilisadopeloa'a
to, nica pega do mencionado processo em qu
uliim. .sv.-o homem revestido do autoridade, que
lom conaeienoia dos deveres que a loi dio impe,
o que deseja eumpii-los religiosamente, nflo pJo
ser mero espectador dos desatinos o maldades que
ha das teem posto em pralica nesta povoacflo pessoas
menos pensadoras, que alardear do commutter
orioles, oque se acliam encanecidas nuiles; e ludo
autorisado pelos agentes de polica; ;como\assarei
mostrar) por essa rasflo nflo foi poisivol qNe me
sublrahisse a levar ao coiihecimeiitodo V. S ,eui no-
mo ilos inous ilislriclanos,lacios quo^tnalysatlos com
roflexAn, o sem vislumbre de parcialidade, se 00-
iihece com evidencia seren altentatorios da ordem
publica e du seguranga individual. No dia 15 do
Crranle, alguns amigos reun/los na casa do Dr. Ma-
noel .N'unes Hllense, pelas nbvo horas da noile, a
una mesa de cha o a polla/ abortas uioligavam a
ralla do dive lmenlos que ha nesta poyoagflo, coin-
posto esse ajuntamento do | ssoas jo^ucouhecida
piol.ulaile, como fosso o Dr. Vandj^lev, (kex-inajor
earo da Cunlia Corneire de ^lbuquer tonio da Silva Goularl, os j lizes do pai^-^a^guiis
negociantes; o recahiudo a\onversa9L&io acbuto-
viniia. Jos Apoltinario de Parias, juiz de paz sup-
plenle.
DOCUMENTOS.
N. I. Illm Sr. --Tem por ditos vagos che-
gado a nieu conheciinento, que circula mocita falsa
de notas do 1,000 rs. e 2,000 rs., o sto no dslriclo
desla povoago do P.isso-de-Cainaragibe; e havendo
procurado saber quaes as pessoas que as teem, e mes-
mo appreheudor dilas cdulas, no me lom sido pos-
s vel: e como possa melhor por iulermodio do V. S.,
que, sendoojuiz de paz do mesmo districto, ea quem
podiaui os losados recorrer, pego leiiha a bondade
informar-moa tal rospeito. Didegacia no Passo-do-
Camaragibc, 26do maio do 1817. Illm. Sr. Jos
Apollinario de Furias, juiz de paz supplenle desla po-
voago. Galdino Augusto da Naticidade Silva, v
u N. 2. Illm. Sr Acontecomlo agora mes-
mo achar-biu no trapicho, all ehegou Malhpus Po-
len, i Dias dom a carta inclusa o urna nula de dous
mil ris de cor azul, u. 11607, da segunda serio, assig-
nada por Custodio Cardo/.o Fre tas; a qual nota, leu-
do sido reconhecida falsa pelas pessoas que all se a-
cbavam, entro asquaos E luardo Augusto de Aguiar
Eduardo da Cosa e liveira e Jo.^e Chaves de Mora-
es, liz dola apprchensflo o remello a V. S. com u
referida caria assignada por Jos Paulino de Almeida
Lima, um molcque portador della eMalheus Peroira
Consulado.
ItENHIMENTO.DO DIA 5.
Coral........................
Diversas provincias..............
817,981
27,410
845,391
RIO-DE-JANEIRO.
CAMBIOS NO nu 25 I>K JUMIO UK 18*7.
I'rrros iln ultima horadapraca.
Cambios sobre Londres.......27 }
Paris.........344 a 345
llamburgo......645
Metaei. Ongas hespauhlas......29,800 a 30,000
da patria.......29,150
Pesos hospanhes.......1,950 a 2,000
n k du patria ....... 1,850
k Pegas de 6,400, vclhas. 16,800 a 17,000
Prala -............160
Apolicesde 6 por cont.......84a 841/2.
provincaes..........831/*.
(Jornal do Commereio.]
I1AIIIA.
cambios 0 nlA 2 or. jui.no de f8i7.
Londres .'........ 26 3/4 d. a 27
Paris...............3*0 a 345 o franco
llamburgo............650 a-660 o marco
Lisboa..............100al06p.c.dcpr
Ongas hesponblas ......30,000
mexicanas.........29,500
Pegas de 6,400 .. / .. 16,000 a 16,500
Mondas de 4,000.........9,000
Prala............... 10a 106 p.c.
AcgOes do banco 20 por cont de pr. nominal.
(Correio Mercan til.i
lioviiiiOi.lo (lo I'Orlo.
Navios entrados no dia 6.
Rio-de-Janciio, liahia c Macci; 10 dias, e porlo 16 horas, paquete do vapor S.-Sebaslido, de
300 toneladas, commandimlc o primeiro teneale
Antonio Xavier de Noronha Torresflo, cqui.pagcni
31. Passageiros : para esta provincia, Dr. Agosli-
nho da Silva Noves com um criarlo, e oSuissoAdol-
phe Singhtins : para o norte, Dr. Joaqnim de Sal-
danha Marinho com um criado, capitflo Antonio
Jos Los dedliveira, icneule Joaqnim Fereir da
Sou/a Jacaranda com um carnerada, e o cadeto
Paulino Moreira lloclla
Uahia ; 4 dias, brigue brasileiro Sagitario, do 250to-
neladas, capitflo Joflo de Dos Pereira, cquipagein
12, carga varios gneros ; a Santos Braga. Passa-
geiro, Jos Francisco de SanUAnnna.
Navios sabidos no mesmo dia.
Antuerpia ; briguc dinamarquez Cndor, caprino r.
Frielson, carga a mesma i|ue trouxe.
Boslon ; galera nhioricana Uuxbcry, capilo Stcvcn
Woodbery, carga u mesma.
Now-London, galera amcricann|l/t6erna, capitflo Ja-
mes Smilli, carga a fucsina quo Irouxo.
Aracaty ; hiato brasileiro Duvidoso, capitflo Jos Joa-
quil Alves, carga varios gneros. Passageiros Ju"
venci Alves dos Sanios Mondonga, Francisco-Lu-


5-
rtro com um escravo, Antonio Jos de
ci f Jos Francisco, Antonio Luiz Alves Peque-
W ncisco Gomes da Motta Jnior, Jos Tava-
% Antonio Lu, Jofo d>8oua_Pk.to._______
EDITA T.
"""T/^Aoni' Moiiteiro de Andrah oficial da im-
uiquel .'", '. mmllr.irn da de (7 Ansio, e n-
, 'fdtm da llosa, camlleiro da de Chrislo, e ins-
alfandega de Vernambuco, por S. M. o

J"
.''"rnic no dia 7 .'boje) do concille, ao meio-
h ti arrematada- cm hasta publica, na porta des-
"''"ir n lca una cixa dom 600 massas haniburguc-
1 .r chpeos, impugnada,pelo suarda Mililflo
;| llrhoa despacho por factura de llolh &
Jl"gCi,r nb'n I sendo a arremataefio subjeita
lrfoU'"Vf
houndea'. " Miguel Archanjo Montciro de Andrade.
Deca racoes
Ocorretor Oliveira transforio o seu leihtode
fazendas, annuneiado para o dia 6, para lerca-feirn,
13 do correnle, as 10 horas da manhila, no seu escrip"
torio, ra da Cadeia.
Avisos fi versos*
O vapor San-Sebattio recebe asma-
las para os portos do Norle, hoje, as 3
horas da tarde.
ara municipal do Recife.
n-vendo a cmara municipal desta-cidade cum-
|jradolorosa obriRac.no de cc-minunicar aos ha-
ViIatM desle municipio o sentidissimo bito do
fe a I oSr D Affonso, manda publicar o soguin-
.Inirio do Kxm. presidente da provincia, e a ros-
tida mesm cmara.-/co Josi Ferrara de A-
^"ihlioo mais profundo sentimnto, participo
vis para sua intelligencia, o nfim de o Tazeren)
nuTliconoseu municipio, que o. >eos servido cha-
C,r isua sania loria, no da II docorrcnle, pelas
horas e meia da larde, o serensimo principe im-
n -.I o Sr. I). Affons, o qual foi depositado com
0, 'asolemnidade do costume cm una das capcl-
do convenio dos religiosos deS.-Antonio da ciV-
e soeundo me foi commumeado cm aviso de 15
f:nf uiar.le a Vmcs. Palacio de Pernambuco, 28
' hjhO de 187. -Antonio Pinto Chhorro da t.uma
Srs. presidente c vereadores da cmara municipal
''"."/T/m'e'rm. Sr.-Ficainos em posse do oficio
,1,. v EX cm o qual nos coininunica a scntidissi-
ms morte do seroiiissimo principe imperial o Sr.
1, Affonso, o qual oi depositado com todas as so-
lemnidades do costume em urna das cpelas do
convenio dos religiosos do S.-Anlonio.da cflilo, o
seioiilifieados desse trislissimo aconteciuicnto, que
roubou a BS um dos pcnho.es do throno, nos
rociamos a V. Es. quanto ao pezar de que se con-
fossa possuido. Dc.is guarde a V. Ex. Paco da c-
mara municipal do llecifc, cm sessao ordinaria de 6
Lli.iuil.ode18i7.-Hlm. e Cxm. Sr. co.icelheiro An-
tonio Piulo Chichorro da Cama, presidente da pro-
vincia Dr. Ignacio AVy da I-onseca, pro-presiden-
te. -Manoel Cotlho Cintra. Jos Camella do hego
Rtrrot. loii Egidio Ferreira. -lodolfo Josi lmala
de Almeida.
Publicares Litterarias.
Sabio a luz, e vende-se na prac,a da Independen-
cia, livraria, ns. 6e 8, pelo preco
exemplar, o
CATKCIIISMO
lotera dothkatro.
O thesoureiro desta lotera, tendo do expor ven-
da no dia segunda-feira, 12 do correte mez, os hi-
Ihetes da segunda parle da 17." lotera, convida -
qanllas pessoas quequizerem e cos urna m apartar
bilheles por certa e determinada numeraclo, a apr-
senla rem suas listas at o dia sabbado, todo corren-
le, a lim deque possam ser apartados Uies bilheles
antes de seren distribuidos pelas lujas onde leem de
ser vendidos.
0I.1DAD0RN. 193,
contina o importante discurso do lilm. senador
Vasconcellos.
AVISO PAIIA AS PKSSOAS QUE TENC10NAM
SEGUIR VIAGEM.
Na ra do Rangcl, sobrado n. 9, continuam-sea ti-
rar-sn passaportes para dentro c lora do imperio, lu-
do por preco muito o muito commodo: do que ja se
tem dado exuberante prova.
flesappareceu, da Boa-Vista, um moleque por
nome Joilo, crioulo, abestalhado, ile idade 11 annos,
com os seguintcs signaes: chapeo do Chile oleado de
preln, jaquel de riscado verdo, camisa de algodo-
zlaho, culpa de brim usada, urna ferida na perna di-
reia : quemo pegar leve-o ra do Mondego, nu-
mera 5*.
Ausentou-se, da casa de sua senhora, havera
um mez, e anda vadiando, principalmente pelos
bairrosde Recite e Boa-Vista, una preta de nome
Benedicta, de nuefio Cabihda, idade 50 annos pouco
niaisou menos, a qual anda-so inlitulando forra,
vislo a lilha ter-so engajado emsou lugar para segu-
ranza do valor da sua alforria, porm com a condi-
q3o do a mii servir ninda al completar o valor quo
se Ihu adianlou a e.sso lim: roga-so as autoridades
policiaes, que apprehendain a dila preta, o a lovem a
ra da Cruz do Ueeiro, n. *0, primeiro andar, quo
SQrflO recompensadas A dita preta tem duas marcas
no peito, foilas un sua trra quando era moQa.
Offerece-se para ama do casa de honirin sollei-
ro, ou do pouca familia, urna mulher que sabe bein
cozinliar : quem do seu prestimo se quiier utilisar,
dirija-se ao boceo do Azeite-do-Peixe, n. 14.
Precisa-sc de um menino portuguez, de 12 a li
anuos de idade, que saibaler eescrever, para caixeiro
do venda, da qual tenha alguma praliea : na ra l'oi-
mosa, n. 1, por detrs da igreja dos Inglezes.
Precisa-so de urna ama de leite : na ra Direi-
ta, ii. 36, primeiro andar-
-- Offerece-so um Porluguez para caixeiro de ra
mi armazem : na ra de Santo-Amaro, n. 8.
Appurcceu. na iiianhfla do dia 6 do correnle, en-
trando pelo sitio de Antonio Fortunato da Silva, na
ra do Hospicio, um cavallo que se nHo sabe de quem
Fabrica ele machinns e fun cao !c ferro na na do
Bi'iim, no Recife. .
McCallumi Companhia, engenheiros rhachinis-
tase fundidores o ferro, mui respeitosamente an-
nunciam aosSrs. proprietariosdo engenhos fa/.en-
deiros, negociantes, fabricantes e ao respeitavel
publico, que o seu cstabcleciuiento de ferro ino-
vido por machina devapor.se acha em effeclivo
oxercicio e completamente montado com apparc-
Ibos de primeira qqalidade para a perfeita confec-
1^0 das maioros pepas de macbinismo.
Habilitados para emprchender iiuaesquer obras da
sua arte Me Callum & Companhia desejam mais
pnrlicularmente chamar a altenclo publica para as
segiiintes por seren ellas da maior extracc.no nesla
provincia as quacs construidas na sua fabrica po-
dem competircom as fabricadas cm paiz estrangei-
ro tanto cm preco como na qualidade das material
primas e mo d obra, a saber :
Machinas de vapor.
Moeudas de caimas para engenhos movidas a va-
por, por iigoa, ou animaos.
Ilodas d'agoa eserrarias.
Manejos independcnlcs para cavallos.
Ilodas dentadas.
AguilhOes, bronzese ebumacciras.
CavilhOcs c parafusos d? todos os tamanbos.
Taixas, crivos e boceas de fornalha.
ni
de 160 rs. cada
0
EXPLICADAS
Claras esuccintaspergunlas c.respostas, adapla-
I ilas is capacidades novis, acerca de diversos olijec-
los, com o conhccimeiito dos quacs llovera os meni-
nos sabir das escolas de primeiras letlras, para que,
aotraiisporem- o limiar das aulas ma-oies, n"o en-
treni nellas as cegas, e em eslilo do mo pcrcelierein
a lingiiagcm dos preceplore.s cis o que conlem esse
apreciavel livrinho.
I.eiam-no os directores das predilas escolas ; e do
ferio o adoptarlo, do preferencia n outros mullos
que estilo em voga, sem que tenllain o mrito do que
ora sd annuncla.
. Sabio luz a (erceira livrocIo do romanse Al
Set* Cardas da Lyra, por Ceorge Snnd, e ncha-sc
venda, bom como as primeira o segunda livrapoes, na
luja do Sr. Cardozo Ajres, livraria da praca da 1nde-
pendncia, ns. 6 c 8, o na loja do 8. J.E. Cbardon :
preco do cada livraeffo -00 rs.
THEATsToTliLKO.
A grande peca Pedro Cm, que j tere e agora ndo
m,'Tacto porluguez, no reinado cl.egou a esta cidade, e se esla upro.nptando para
benelicio do director con. toda apompa e b re vi,la-
de : os prclendeiUes a camarote, dirijam-se ao mes-
m o thoalro.
seja ; a quem, pois, elle faltar pode all dirigir-se, ou
na arcada da alfandega, que, dando os signaes cer-
tos, Iheser entregue.: advertindo que so nao res-
ponsabilisa pela fuga, caso se sollo do lugar em que
se acha pastando.
onrec-sc um homom portuguez de minio boa
conducta civil c religiosa, para qualquer arrumaqilB,
excepto venda, ou para feitorde algum sitio ou en-
genbo: na ra da Roda, n. 48.
Soxta-feira, 9 do correte, as 4 horas da lano,
na ra Nova, i porta do Sr. juiz lo civel da primei-
ra vara, se ha de arrematar, a quem maisder, a par-
le de um sitio no Arraial, cuja parlo lie de 388,818
rs. correspondente a 1:200,000de reis, cm que foi
todo o sitio avallado: quem pretender dita parto
compareca, pois he a ultima praca.
0 abaixo assignado faz scientc aos negocen-
les desta praca e da Parahiba do Norle, com que
tocio lido IransaecOcs, quo leudo, vendido seu esla-
helecimcolo que i.aquella linba, suppOe ter salda-
do suas Irausacces al boje ; porem, OS que se ju-
garen! seus credores bajam, no praio de 15 das de
presentar na casa da residencia do inesmo, na l ara-
hiba, suasconlaslegalisadas, que prom pa mente 80-
rilOSRtisTeitaS Iteeife, 5 de julbo de 1847.
Sntonio Jacintko do Xmaral Xragjio.
Precisa-sede um rapaz para entregar pao na
ra ; prcfcrin.lo-se algum queja tenha praUca : na
la larga do Itozario padaria n. 18.
--Quem precisar de urna ama com bom teile e
se ni lilho dirija-se a roa das Trincheiras n. 14.
Quem precisar de una nin.i SCCCI para urna
casa de pouca familia a qual sabe ongonimar, di-
rija-se a ra dasTrincheiras n. 14.
Aluga-se urna padaria com lodosos seus uten-
silios prompla de. um tudo a trabalhar ; tem a van-
tagem de ter casa de nioradia para familia, inde-
pcnilenle da padaria : quem se quizer aproveitar do
bello retiro dirija-se ao largo da Soledade, n. 22.
No dia 8 do correte, tem dse ultimar a arre-
matuefio dos restos dos bens do fallecido Antonio
Vicira Coolbo no mesmo armazem da roa Nova ,
n. 45, peranle o Sr. doulor juiz ile orphHos o ausen-
tes e as 1! horas e meia depois quo o dito Sr. juiz
sabir da audiencia.
I'iecisa-siy'de un: liomcni Je boa
conducta, que cntenda ric ninassar c
I.tlA.IS, 1-IIIU3 C lllld3 KIM l.JIM.IMl.l.
Moinhosdc mandioca movidos a mo ou porani-
taes, c prensas para a dita.
FogOcs o fornos para cozinha.
Canos do ferro, (ornciras de ferro ebronze.
Bombas para cacimbas e de repoxo.
Guindastes guinchse macacos.
Prensas hydraulicas c de parafuso.
Fcrragens para navios, carros, obras publicas, ele,
Columnas, varandase grades.
Prensas de copiar cartas 8 de sellar.
Camas do ferro, etc.
Alm da perfeicio das suas obras, Me Callum Companhia garanteni a mais exacta conformidade
com os molde:: e desenbos reincltidos pelos Srs. que
se dignarom de fazcr-lhes cncommendas ; aprovei-
landoa oceasiao para agradecer aos seus benvolos
amigos c freguezea a preferencia com que leem si-
do por elle* Honrados, e assegurar-lhes que nao
pouparao esforcos nem diligencias para coutinua-
rcm a merecer a sua conliaura.
Matbildel.uttkens esoos lilhos meno res/ Em-
ma Malhilde 0 llerrinann, seguom viagem para a Eu-
i'opa- .
Aluga-se o segundo andar da casa da ra do
Queimado, u. 8 : a tratar na loja do inesmo.
Piocisa-se alugar nina escrava para o pequeo
sarvico interno o externo de urna casa: na ra do
Heras, D. 10, primeiro andar.
O abaixo assignado faz certo aos lllms. Srs. of-
liciaes do corpo de arlilharia desta provincia, que
nunca llios vended* nada no son armazem de tras-
tes, na ra da Cadeia de Sanio Antonio; mas que,
bando o abaixo assignado mandado fazer um annon-
cio, por saber lor o escrever miiilo mal, pois re-
lias RSsigHii o seu nomo a resuelto di Pompeo Ro-
mano'dc Carvalbo, por llie ter compra.lo urna obra
o nao Ibe ter pago al o prsenle, ignora ndo a sua
morada c estado, succedeu que, a pessoa incumbi-
da de r.izer o annuncio exccilesso dos limites do seu
pedido, e por ignorancia fosso o mesmo annuncio
imaresso o publicado; por-bsopeda o abaixo as-
siguado aos mesnios lllms. Srs. olliciacs, que llic
desculpem esla falta,e Ibes declara que esta prompta
a dar loda satisfuco cm abono dos lllms. ofleudi-
dos. .Inferno Tcixcira dos Santos.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aterro-da-Boa-
Visla, n. 18, continiiam-se a tirar passaportes.tan
to para dentro, como paratra do imperio; MSim
como despachara so esclavos : tudo com brcvida u-
olticina de rnc.idernatao que o padre r. .
I......os c SHvadirlJe na roa de S.-Francisco a -
tlgaiueute Muodo-Nvo, n (>(>, a.Uasc piou a
mJi tudo o necosaarlo para o bom desen.peniio un
qualqutr obra de cucadcriiacao.poi- mais rleeaV**r*'
assini como Icio c aprooipta quacsipicr riul'lcinas i
propriados ns iiicsina9 obras. .
Oabaixe ssignadd, na tjualiaaae
Je caixada admiiiistniau do casal do br.
Joacjtiim Josc Lourcnro da (osla con-
vida aos Sis. credores do mesmo csala
vireni receber casa do nbaixoassigoa-
ilo, a parle que lites toca de um dividen-
do IVito no primeiro do conentc.
Manoel Antonio de Azevedo.
0 distribuidor deste Diario na cidade de Olin-
da faz publico que ello se encarrega da entrega do
cartas, papis e pequeas eneommendas para antes-
ala cidade, mediante urna pequea gralilicacio, l-
lein das cartas seren franqueadas; imcumbe-so do
tirar provisfiPS para oratorio, confissflo e qualquer
outras; de obter despachos das autoridades da mesina
cidade e tirar cerlidoee de qualquer repartilo ; as-
sim como de conduzir papis do importancia : ello
partir todos os lias das 6 as 7 horas da inanha.e no
dia segiiintes mesillas horas dar solncao do que
Ibe for encarregado.As pessoas, queso qui/.erein uli-
lisar de si'ii prestimo, ilirijam-se, no Hecife praca
da Independencia, livraria ns. 6 e 8. a qualqucrliora
do dia, c em Olinda, na sua residencia, i ua do Am-
paro.
- Didier Golombci ck ('. mudaratn
da ra da
n. 8.
de plau-
AmsuS 111 U llllli >S
seu escriploiio e .nnia/.em,
Cuiv., n r5, para a mesina ra,
Precisa-so de un feitor que enleoda
taeOostteborla, pomar o oocherto: no Alorro-da-
lloa-Vista n 43.
Aluga-se urna preta escrava quo sabe bein
cozinliar : quem a pretender dirija-se a ra da lia- m
dre-de-Deos, n. 36, primeiro andar.
-- L. G. Ferreira & Companhia cmbarean para o
llio-de-Jaoeiro o seo eseravo Cbrislovao.
OSr. Ezequiel de Souza Cavalcanti tem uma
caria na praca da Independencia livraria ns. 6 e 8.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Imperial, n 67, com muito bous commodos, pinta-
do de novo: na ra Nova, n. V2, a fallar com Delliup
GoncalvosPeroira Luna.
__O engenbeiro MiLwensina na sua casa, ra do
Crepo, n. 11, primeiro andar, as seguintcs scien-
eias: ARlTaMETICA, o.i'.omktma, kiABsas, ciivmka
0 PIITSICA.
- Francisco Finio da Co-Ua
Liini, allaialc, morador na
roa larga do lliizario, n. 40, precisa de odlciaes do
seuollicio c costureiras: tem para vender pannos
pretos, akues e verdes; bons brins, velludo e> eha-
malotei UQtoes devosgopratoe branco; linba do car-
rele, de cabera pela o branca; bollandaspara lorros
e alguinas obras follas.
Preeisa-se de um feilorpara um pequeo sitio,
quctrabnlhe, e enlemla do borla cjardim : na ra do
AoiOiim, n. 15.
Aenco.
Jos Joauuim de Novaos participa ao rcspcilavel
publico, que niudou o seo cslaboleciniento de alhua-
te da case dos* cantos da "ruado Queimeqo para a
loj'an 30 da mesma roa, onde se acha promplo a
serviros seus Tregireios com aquella preiAptulao do
COStUmc o a ledas as pessoas que a sua casa se qui-
zereni dirigir} assim como-vende pannos, casimiras,
madanolOes, sarja para vestidos, cortes de colietcs,
linas de lodos M quididades, lencos de seila e de
cassa, bolOesde todas iisqualiihrdcs, retro/es, I.....as,
e mullos outros objoCtOS que sempre lia de havera
venda; assim como havera sempre (duas leitas oc
todas as qualidades, coma mesma perfoleao das de
oncommenda, Ns mesma casavondo-sealpaca 800
r8 ocovadoj panno do linho da Alleinanha a 40
rs S vara; entes de cambraia para vestidos, Ufl BO-
nios padrOes; meias casimiras, as mais ricas que
tecmapparecido, para calcas; cortes do jW**
os mais modernos que leem viudo, para collctes.
sitio com
Aluga-se
Segu para o llio-de-Janeiro com milita .brc-
vidade o brigue-csciina Phara, recebo carga e es-
clavos a fete; tem bons commodos para passagei-
ros: di.ijam-se a Joio Francisco da Cruz, ra da
'*- Piclendc sabir para o Rio-de-Janeiro, i.nprotc-
rivelmenle, boje, .7 do coi rente mez, O patacho ne-
nom\ Nilheroij, porsc acbar promplo: as pessoas
i|iiolccm de embarrar osera vos a frer-, biijam enlender com C. A. de Barros, na pvacinha do Corpo-
Santo, n 66. ... ., ,-
I'arao llio-do Janeiro o hiato Nereida, de pri-
nicim marcha, segu viagem em breves d.as por ter
parto doseu enircgamenlo prompta: para c.ir^ i
Lssage.ros. trata-se na ra da Cadeia do. Recife,
botica n. 01, do Sr. Vicente Jos ti
Le iiot'S.
0 cndor Oliveira Tar leilfln de grande poreno de
mobilia, a mor parle nova, inclusive cimsrflos ca-
denas, mesas de todas as qualidades, carlcira pN
escriploiio, burra .le Trro, loucas, etc.. urna linda
cadeira de arruar, um piano; e sendo alguns de habilidades: sexta-feira, 9 do cr-
lente, as 10 horas da nianlifia, na ra da Cruz, n. t,
primeiro andar.
uear
qu<
sua conducta
n.
for-a*u;
um pcipicno
Inslaiihs arvoredos, larangeiras, cajoci-
ros, cocpiciros, muito boas jacjneiras ,
Loa ogoa de beber a iravsaa do rom-
bal /esquina do becroque val para o s-
nodo Sr. coronel Joaqiiim Bernardo de
rVueiredo por preco oommodo : a tni-
de Almeida, cai-
com Joaquiui Lopes
para o mallo, e de um caixeiro,
IcMiia praliea de-vende e de fiadora
na ru larga do Hoza rio
Almfa-se um eseravo bom trabalhador de pa-
daria, da qual tem muila praliea: quem o pro-
tender dirija-se a lloa-Vista, ra do Piros, n. 23.
Joaquim K/equiel liarhoza, eslubeleeido na
provincia da Parahiba, tem eocarregado de todos
os seus negocios nesta cidade, qur judiemos ,
aucrextrajudiciaes no Sr. Joquim do Albuquer-
qnue Mello, que lica aulonsado com procura^ao
bastante.
IVecisa-sedeuma mullier |>ara ca-
sa de um liomem solteiro, que saiba
bem cngunimar e cozinliar: na ruado
Araffto>, sobrado n. ^5.
Quem annunciou no Diario de 3 do correnle ,
(iiu-rerdar 500,000 rs. a premio com boas Urina,
diriia-se a ra Nova que abi se dna quem precisa
-- Precisa-sc do urna pela ou parda de idade pa-
ra tomar conta de una menina, 0 pa.a andar em
suacompanhia : no Alerro-da-Vista, n. II.
precisa-sc de um forneii o ra da Senzalla-
"Yelha n. 90.
precisa-sc de 3:000,000 de rs. a premio, por
tempo de 3 annos com hypolhcca cm uma casa na
ra Imperial: quera quizer dar anuncie.
c
xeiiodo Sr. Joao Matlieus.
^isv *!# W V* ^!^ ^l* ^!a!**!f }#
i 0 doulor Casanova medico Trances, liaDI-
3 libido perante a faculdado de medicina da Ita- g
i, bia,ocstabelecidouesUcidade, oflerece.no |
% publico o seu prestimo, podendo ser procu- %
%, radoa qualquer'born na ra Nova n/ -, pri-
,;,. andar defronte da matriz de S-An- ^
> Ionio. O mesmo trata radicalmente do ino- a
1 leslias venreas, lano antigs como nioder- t|
MI1S pionicicrde um remedio nao mercurial. &
Cura tainbein radicalmente as dores de den-
los, mesmo estando cariados, cm poneos nu-
m # ^^ ^ ^^ &&2i*m$
- Alu"-scuma casa Ierren na ra Bella com
duassalas, 3alcovas, cozinha fra quintal e ca-
cimba : alralarnarx.adoCelleBo, ...15, segundo
""--l'rain furlados, no dia 26 dejunho, por 1 esera-
vo do aununciante, os objectos segu.ulcs : una cor-
ronle de o uro um pardo brincos do canudo c 3
UlielOcs : quem quizer entregar, tendo comprado ,
ou sendo depositario dos dilos objectos, dirija-se I
ruadaMaugueira.n. 12, ou ao pateo da S.-Cruz,
sobrado por cima do Sr. Perctli que sera generosa-
mente recompensado. -
- Precisa-sede una Poi tuguo/.a que tenha bas-
tante praliea de dirigir nina casa de portas a dentro:
na roa Nova u. 37, se dir quem precisa.
Compras.
Compram-so, efectivamente cscravos de am-
bos os sexos de 12 a 2o annos ; sendo de bonitas
teuros pagam-se bem: lanibom so compran alguns
Uoiaesdesapalero : na ra da Concordia, pas-
tando a pontczinha a direita segunda casa terrea.
..Conpram-sodiarios velhos, a 120 rs. a libra :
na ra larga do Hozarlo ,.n.M, boliquitii da Cova-
' "I 'ompra-se i geometra de Lacrois : na ra da
Aurora-, n.5, segundo andar.
Gompra-se. ou alugn-sc um moleque, que seja
reforQadoesiidio.embora nao tenha habilidades:
na roa da Cruz, no ReoiTo n. 21.
Continua-so a comprar ferro fundido Uronzo
c cobre velho : na ra do lirum, n. 8.
-Coinpram-so, para fra da provincia, cscra-
vos de ambos os sexos : na ra Nova, n 16, sodira
iiuem compra.
1__Compra-so una espada pratoada com pouco
uso, para guarda nacional de infautaria: no Mangui-
nd' padaria n. 51, sedirquem precisa.
Compram-se os \ volumes do Vanorama-. no
caes da Alfandega n. 1, segundo andar.
A 64iO B.',
pares de pentes de tartaruga demarrafa: na ra lar-
f*{S3?aS4 mulos de divida da ihesouraria
eral f exercicios lindos | de cento a tantos mil rs.
Bada um ; dflo-se por melado i na ra do llangel, ...
^'tnSi-emneheribe-de-Baixo, no sitio
das Boas-Noites, ps de ananazes proprloS para
se plantar: a tratar na ra estre.ta do llozar.o,
"'2*'vendem-sc,na ruada Cadeia do Rec ifc ni, os
melliores charutos rega..... c lamben, da fabrica de
S -l'hx aniarellos, crtr decanella, furla-crtres, por
menos preco do que om outra qualquer parto.
Vende-se um esoravoi na ra do Mondego, nu-
mero 51.
ao bom e barato.
(Iiet-ucm, freguezes,
Vendeui-se no Alen o-da-Boa-Vista,loja de ferragens
i 4 superiores sapaloes de bezerro-francez, de sola
Vira, a 2,240 rs. o par; dilos de. bezo.ro da Ierra,
bem trahalliados, a 1,920 rs.; dilos, a 1,410 rs.
_- Venden.-se pecas de madapolOo, limpo e encor-
nado com 20 varas, a 2,500 rs c a retalho a 140 rs. a
vara- sarja preta de seda superior, a 1,280 rs. o co-
vado, e un guar.la-livros moderno : na ra estrel-
la do Rozario, n. io, tercelro andar.
-Venden.-se 2 pelas, de 20 annos, de bonitas l-
gulas, e con. habilidades que se diriio ao compra-
dor : na ra Nova, u. 40. '
Vende-se um violSo de boas vozes, por 6,ooo
rs. na ra Velha, n. 81.
MUTILADO


A

Venriem-se chitas imperiraes chegadas lti-
mamente do liio-dc-Janeiro a fazenda a mais mo-
derno daquella corte : cstilo-se rclalhando n 320 rs
. o cnvario na nova loja do Francisco Jos '. oixeirn
llnstos, nos quatro-cantos da ra doQuciniado n.
20. Itrio-so amostras francamente para os frcguezes
mclhoreonhecorem o bom Rosto o boa qualiriade
Vendem-se caixas de cha hysson, do 6, 12c 13
libras cm porgOes ou a retalho ; caixas de volM
de espcrmacete do5e 6 em libra : na ra da Alfan-
ilegn-Velha n. 36, emcnsa rie Matheus Austin & C.
Veridem-.se 7 cscravos sendo : urna ncgrinha,
hoacostureira de lavarinto e que marca; duas di-
tas do 17 a 20 annos, de bonita figura que engom-
mam ecozinham hcm; duas ditas, proprias para qui-
tandeiras ; un pardo bem moco lo bonita ligura;
wn pretorio boa conducta : no pateo da Matriz de
S.-Antonio sobrado n. 4.
Vendem-sc duas casas terreas, com boas com-
mnriiriarics, quintaos o cacimbas, e urna dolas
com estribara sitas na travessa rio Marisco, outr'o-
ra berco do Peixoto ; urna dita por lodo o prego ,
sita na ra de Mntocolomb nos Afogados esta be
de tarpa o smentu tem a fenle e retaguarda de
tijnlo ; 2 cscravos rio servico de campo ; urna podra
quariraria e polilla para se moer tinta : tu.lo pnr pro-
co milito commodo: a ra lliroita sobrado n. 2fl
Vende-se cha rie muito superior qualidade em
caixinliasrie 6 libras : em casa rie L. G. Forrara &
rompa nhia.
3a:9is:3:s:B:B:a:g:g:g:e:g:g::g5s

fjj Vondc-so um inolecote de bonita figura, i;;
de 22 annos, sem vicios neni achaque* hom Vft!
U ofOcial de pedreiro : na ra das l.arangeiras D
,tq n. 14, segundo andar. i|
S!BIBIBB(ataMIMiiQ)CMMNNi
-- Veiiili'm-sc duas casas tencas com
lions coinniodos, por pm;o mdico : na
ra Direit, sobrado n. ao-
iVa loja noca de Koymundo Carlos le le, ra do
Queimado, n. 11 A,
acha-so um completo sortimento de fazendas finas
rio todas as qualiriaries, assiin como um oxcellenlc
panno do algodo, proprio pura saceos e roupa de
cscravos, a 260 rs. a vara, cujas pegas leem 25 varas;
Jimios lencos"rie soda, proprios para meninos, a 720
linissimos chapeos do Chile ebegados ultima-
ra.
monte, o novos padrOes
tras: ludo baralissimo.
do brins tr.iiicados de lis-
Vende-se um lindo prelo sem vicios
jiein achaques de 22 anuos, com ofll-
eio de sapateiro coziliheiro o que he
hom inasseiro : na ra das l.arangeiras.
n. 14, segundo andar.
Acabam dechegar, pelo ulti-
mo navio, 3 fortes pianos, de pa-
tente Loiulon, todos de Jacaran-
da e feilos com muito bom gos-
to, pelos melhores autores, Co-
lard e Colard; bem como ac
Vgario, armazem n. -,
the & Bedoulac.
ce
Ko-
[Nara dos Tanoeiros, n. I,
vendem-sc 2 cscravos sendo um crioulo peca, de
18 anuos c o outro pardo oflicial de pedreiro c de
allaiale.
Vende-so um moleque ile 10 pannos, official de
I edreiro na ra Nova, n. 14.
Vendem-se, na ra Dircila vendan. 53, de
Antonio Francisco Martina de Miranda, sacos com
tartana da trra milito boa ; aceite de carra pato ,
a 1,200 rs. a caada c todos os gneros pcrlencen-
tes a venda, por prego mais barato, que em outra
qualquer parte.
Vendem-se saccas com farinba de barco, pro-
pria pan cscravos, a 2,500 rs. : na ra Dircila n. 9.
Vende-se una preta moca, de muito boa con-
ducta, parida de 3 mezes sem Qlho.com multo
bom leilc, o que sabe cozinhar bem o diario de una
casa, eugommar liso, lavar do sabio e varrella ;
una dita que saln taser bem engommar, cozinhur,
c fa/er renda e lavarinto : na ra do Vigario II. 24,
se dua quem venda e o motivo por que.
Vende-se, por precisSo um prelo da Costa d
32annos lo qual se afiance a conducta na ruado
Cotovello n. 23.
Vendem-se ps de (amaras, por prego com-
modo : na ra das Flores se dir quem vende.
Vcnde-se um pequeo sitio com muitosjirvo-
reilos novos dn varias qualidarics : na Soledad ,
estrada que vai para o Manguiuho n 19: a tralar
no mesmo sitio.
-- Vende-se sebo derretido a retalho : na ra da
Conceigo, armazem do Itufino, n. 20.
Vende-se superior a le tria tanto cm caixas co-
mo a retalho : na ra .Nova, u. 50.
Vcnde-se a casa n. 3, sita na ra do llum-Su-
cesso, em Ulinda com um sitio soll'rivel, casa re-
edificada de WlVo existinrio denlro dola varios
inaleriaes para acabar alguniascousas que faltam :
na praca da Boa-Vista? botica n. 6.
Vendem-se os amito upe-
tiores sapalos de pala, de Maules;
ditos grossos.laixeados e de 3 so-
las ?- bolins nglezes borzeguins
ditos : tudo proprio para inver-
n; borzeguins de
3.G00 rs. : na ra da
rs.; um dito de fbulas, por 1,600 rs ; 1 dito fran-
ecz por 8/rs.; urna arle rio Sevene, por'5/rs.; Te-
leniaquo ; fbulas do l.afontaine eoutros livros,
todos novos: na rua estrellado Rozario, n.43.
Vende-se urna casa terrea ira ruado Caldoirei-
ro desta praca com duas salas 3 quartos, cozinha
fra, quintal o cacimba : a tratar com Vicente Fer-
reira Comes, na ra do Queim.ido sobrado com a
escaria para o palco do Collegio.
1 ni sir > panno da linho do
Porto a 000 c 800 rs. a
vara :
as pegas do de 800 rs. silo de 16 varas, e as do de
600 rs. de 25 varas cuma torga: meias de algodo
cru, as mais finas que tcem apparocido; um lindo
sortimento de chitas finas, as mais modernas que
ha em cortes de vestidos, a 3,000 rs. : na ra rio
Queimailo, loja n. 11 A, rio Rayinundo Carlos Lr'to
Parecen, de seda.
Novo sortimento das chitas pelas assetinadas,
muito bonitos padrOes, a 240 rs. o covario ; meias
linissimas de linho para houiem ; manlas.de seda ,
para senhora e meninas a 3,000.rs. cada urna : na
ra do Queimailo n. 11 A, loja de Rayinundo Cal-
los l.eito
Vendem-se saccas de alqueire de milito superior
farinba do San-Matheus: em casa de Manuel Joa-
qun) Ramos e Silva, na ra da Caricia do Itecife,
n. 38.
Vende-se um mnlalinlio de 14 annns, muito
lindo com principios de sapateiro ; um ditodo 12
anuos; un molequede l2anuos ; una negrinha rie
Ifacflo, de 13 anuos ; 4 cscravos mogos; 6 escravas de
10 a 30 anuos, sendo urna deltas perita angomma-
rieira ; duas pardas mogas com bonitas figuras : na
ra Direita n. 3.
Vende-se urna casa terrea na ra.da (loria da
Boa-Vista n. 90 a tratar na ra Bella, n. 18.
Na loja de faz indas da rua do
(Jncimado, n. /i(>, de fa-
galiacs & limao ,
vendem-se corles de chilajmuilo fina crie riquissimos
parirOes, a 2,500 rs.; riseados francezes, a 220 rs. o
covado; longos rie seda, a 1,760 rs. ; cortes de fus-
loes de cores a 800 rs ; hrini rie algoriilo, a 320
rs. ; chapeos rie massa, a 1,700 rs. ; cortes rio linis-
simas cassas, a 3,(00 e 4,000 rs ; brini branco rio
linho, a 1,120 e 1,600 rs. ; corles rie cambraia a
5,000 rs. ; cambraia lisa, muito lina a 700 rs. ava-
ra; riila enlri'-lina a500 rs. platilha tic hretania
rio linho milito fina a 4,000 rs. a pera ; esguiflo
muilo fino a (,800 rs. a vara ; eassas de cores dos
melhores gustoso padrOes que leem apparocido no
mercado a 560 rs. a vara ; o um variado sorlhnen-
torie muilas nutras fazendas ,*sein "avaria pelo
mais diminuto proco.
Vende-so urna mobilia de Jacaranda eni borii
uso consistiurio em cadeiras mesas espelbos ,
etc. : no pateo rie S.-Pedro esquina que volta para
a rua de Hurlas, luja de marceneiro, se dir quem
vende.
Vende-se nina cscrava rio bonita figura por
prego commodo : no pateo do Carmo loja n. 7.
Em p rime ira mao,
vende-so urna commoda de oleo um canap de Ja-
caranda cociros do Corlo, sonidos om cores ; cai-
xas com pomada cuntiles com machados e fouces;
tudo por proco coinnioilo: na rua daMadre-dc-l)eos,
armazem n. 26.
Vendem-se saccas com boa fariuha de mandio-
ca ; 3 cscravos proprios para o mallo ou eugenho ;
esleirs do Aracaty COO pares de sapa tos abotina-
dos muito boa opra proprios para tropa; 80 pa-
res de bolins: o que tudo so vende por junto: na rua
ria Cruz n. 20.
Vende-se sal : bordo da sumaca Carila,fun-
deada na voll do File-do-Maltos ou na rua da
Cruz, n. 20.
Vende-se cera de carnauba dita da Ierra, ama-
re I a em porgfio e a retalho por prego commodo :
na rua da Cadeia-Velha ,n. 2, venda rio Jos Con-
galves da Fonte.
I\a loja nova do
Passeio-Publico,
n.
vendem-se cortes !e vestidos de cossa, de muito lin-
dos padrOes c muito linos,a /rs. o corle; chitas em
corles de 10 covados muito tinas, a 2,000 rs..; ditas
minio finas c fixas a 5,000 rs. a pega, c I 120 e 140
rs. o covado ; -lilas proprias para cubera padrOes
e pannos muito bous, a 5,000 rs. a pega o a 140 rs.
o covado ; casimira preta, azul, e vorde-escura ria
largura do panno a 2,200 rs. o covado e nutras
multas fazendas, por prego mais commurio do que
em ou.lra qualquer parle.
Na
(|iad i ria")
rtualidade
monos do tino
Ib
Lisboa a
Cadeia-Ve-
"a, n. 35, Jo ja do Moreira.
* Vcnde-se superior cera de carnauba, por pre-
go mais barato do que em oulrn qualquer parte : na
rua do Itangel n. 50.
Vende-se 1 diccionario Magnum Lexicn por
4,000 is. ; i ditodo portuguez para latim, por 8,000
rua da Sonzalla-Nova, ii. 3o,
vendem-sc juncos de superior
, em porcSd e a relali.o, c por
em oiilra qtiolqncr parle
= Venilein-se moeiiilas de ferio para cngenlios de ag
Miar, para vapor, agua c beatas, por piep commodo ; e giialiiicnie laixas de ferro coado
e balido, de todos os lainanbos : na piafa do Corpo-San
o, n. II, em casa de Me. Calniont Coiupanbia, ou na
rua de Apollo, armazem, n. 6.
Ora, na vertlarie
a loo rs. a duzia ; luvas de seda para meninas a
200rs. o par; pontes de tartaruga, para marraras, a
960 rs. a parelha ; tesouras para cortar papol, com
ferrogom a 160 rs. cada urna ; botes de madre-
perola, 480 rs. a groza; ditos do metal, para
cuicas, a 320 rs. a groza ; loques rie seda a 2,400 rs.
cada um ; brincos prctos e arnarcllos, com enfeit-^s
riourados a 80 rs. o par ; fio rie sapateiro muito
forte o que tambem serve par fojructeiro por
ser muito forte. a 600 rs. a libra; charuteiras rie
marroquim a 320 rs. caria urna ; carteiras rio algi-
heira a 160 rs. caria urna. Chcguem a iinha rie car-
retel, muito. forte, chegada ltimamente pelo
mesmo prego de 320 rs a duzia para acabar. Oh
que riquissimos faqueiros o copciros de rame a
polka chegarios rio Pars. Cheguem, freguezos as
tesouras a 160 rs. cada urna inio estilo acabndo-
se ; ilitas muito finas, dourarias, e caivetes a 240
rs. cada um : nao lia nada mais barato pois isto he
pechincha venham'riepressa que nilo ebega para
todos; riepois nobriguem com o antigo harateiro ,
que elle nio quor andar depois aos|supapos por cau-
sa das pechinchas.
Witch Bravo & C. acabam de receber directa-
mente de Paris urna porg.lo de frascos dH famosa a-
goa hemosttica do Urouhieri, de rujas virtudes o
Jornal do Commercio rio Rio ja tem tratado em dif-
ferentes ailigos mu circiimstanciadamento. Fste
singular medicamento he verdadeiramente especi-
licoe infallivel no curativo rie lorias as feridas, se-
jam ellas pelo instrumento cortante, sejam por ar-
mas de fogo ou provenientes do queimaduras.
Quaesqucr que sejam os accidentes que as com-
pliqucm, lodos ellos dosappareceni com summa fa-
riliilade, sarando a feriria dentro de poucos ilias sem
suporago, sem iiiflamagilo e sem rior. Ainria quo
baja pona do substancia o relmenlos das mais-con-
sderaveis arterias, como a cartida ou outra, nao s
a perda de substancia se recopera, mas'a homorrha-
gia arterial est curaila ilcntro do 30 a 40 minutos,
i e^onoranrio-so as tnicas ria arteria offendida, por
mino de um traha.lho orgnico parlieular. Kilo he
menor acllicacia d mesmo medicamento as he-
morrhagias internas como sanguo jiela bocea, ou
proveniente da bexiga, e sobretudo as hemorrha-
gias rie ulero, que fazem a riesesperagflo dos medi-
cse otormento dos (lenlos. as inslrucges pra-
lioas, que so venrieui como remedio, so ver com a
eatenso necessaria a manolra do applich-loc os
casos em que convm. O prego de cada frasco he do
2,00o rs., odas instrucgOes 2,000 rs.-Os pretenden-
les dirijam-se rua da Madrc-de-beos, butica, n. I.
liiiiuoagoin das Flores.
Cbcgarain estes livrinhos tilo procurados, e ven-
dem-se na livraria da esquina do Collegio : tambem
ihi so acha o novo drama Podro cem, queja leve
o agora no tem impresso no Rio-de-Janciro.
Vendem-se 191 pegas rie cabo do Cairo: na rua
do Trapicho, n 8.
Vcnde-se fio da India proprio para coser sac-
eos : na rua do Trapiche, n. 8.
2
U
^

1>
a
O
s

w
o
r 7
Ses
{" U Q Q
ft < TZ "C -*
- Vende-se superior carnauba,
em grandes e pequeas porjjoes,
por preco commodo : na ra da
Cruz, no Hecife, n. 24, venda de
Manoel Jos de SAraujo.
Aramia.
- Vendem-se bataUs, de arroba par cn
armazem rio Bacelar, defrontoda esca.linh a'" n"
fandega. aa a|-
- Vcndc-seuma mulatinha de H annos
dada c sem vicios ; moinhos de moer niilm' Pen"
de goiaba : tudo em conta : as Cineo-Ponu*
Vende-se o Museu Pittortico, com rir-as ,,
pas.encadernadodenovo : na rua do Oiioim.i'1'"
n. 18. vueimii|0|
Coutinuam-seavendcrsapatOeso snalos
homem mulhere meninos, sola couros m.
quim o maisalguma cousa : na rua Nova, loja n u"
rua No,
e muilo superior fari-
cliegada no ullimo na
A verdadeira
alia de oraruta
vio dci Ivio-de-.lanciio : veiidc se na rua
nov( (i. 3, venda de Anionio Ferr ira
Lima
Vende-se por prego muito commodo, nm ter-
reno dentro riesla praca com sufllciencia para se
edificar 3 boas casas leudo j alicorees para urna.,
j estilo riesenganarios que ningnem assninbra ao
antigo baraleiroeom o ven ler barato.
(I antigo harateiro est vendendo por torio o ili-
nheiro, na sua nova loja rie miudezas da rua do Col-
legio n. 9, papel Imago muito lino a 3,200 rs. a
resma e meia dita a 1,600 rs. A elle freguezes ,
antes queso acabe, por estar no resto. Trinchantes
muito finos sendo faca grande e gario com mola
a 800 rs. cada trinchante; carapugas do algOdOo de
cores, a 160rs. cada urna ; luvas do algodiio, bran-
cas e de cores, para homem o senhora a 320 rs o*
par; torcidas para candieiro, de todas as larguras
e mais nutras bemfeitorias que scrilo patentes ao
comprador ; o motivo da venda he por sru donse
retirar desta provincia : quem o pretender annuii-
cic.
Na loja rie Jos Manoel Monleiro Braga na rua
do Crespo, n. 16, esquina que vira para a rua das
Cruzas, vendem-se cambraias de seda de muito
bom goslo e modernas; chitas linas eoulras mul-
tas fazendas tanto finas como grossas.
l\o Aterro-da-Boa-
Vista, loja n. &,
venricm-.se chitas muito boas, a 4.000, 4,500, 5,000,
6 e 7,000 rs. cada pega de 38 covados c a retalho a
100, 120, 160, 180 e 200 rs ; metim prelq com al-
gum mofo a 160 rs o covado porm lio muito cn-
corpado e serve para so fazer caigas; brins de lislras
do cOr, de bonitos ostos', a 320 rs. o covado; al-
paca, por torios os pregos, a 800, 1,000, 1,600 o
2,400 rs. ; brini branco do superior linho, c muilo!
bom feilo pelo baralissimo prego de 1,000 rs. a vara
dito cor de palha a 720 800, 1,000 e 1,200 rs. o
vara ; longos de seda tanto para algibeira como
para grvala por screm estes do cuadra ; e nutras
militas fazendas que se veiiriero por baratos pregos.
Venrie-se unia cadena da Babia, com pnuco"
uso : na roa ria Cadeia-Velha n. 39.
Onovobarateiro da
va, n. 26,
vende chitas 1120 rs. o covado ; riscadinlios fr,
ce/es,a 210rs. o covado ; cassas do finriissimos
ilrOes; cambraias rie todas as qualidmles |UvP!"
meias; longos; chales de soda muito ricos i!'
rs. cada um ; bicos de seda c do linho; litas'lav
das a 320 e 400 rs. a vara muito largas o deh
qualidade ; chita, a 180 rs. o covario, que nilo lar'
a cOr em tempo algum ; madapoblo largo, a 16 ?
a vara ; fazenda de caigas, a 320 rs. o covado- ili"'
do oulras muilas fazendas queso vendem por nr^"'
commodo. v l
Vende-se um prelo do Angola do 30 a 4o,n
nos sadio c sem vicios de boa figura e ne i
canoeiro por prego commodo : na rua Nova n iT
segundo andar.
Vendo-so um taberna com poucos fundos
bastantes commodos sita na rua das Cinco-PansC
n. 66. '
-- Na livraria da rua do Crespo n. 11, vendem-v
livros muitobaratps: Virgilio, cm hom uso nr
2,500 rs.; Selecta latina, por 1,000 rs.; Horacio
por 3,000 rs.; Explicages ria inlaxe, por 64o rs '
Mestrc inglez por Constancio por 3,000 rs rll'
tropius, por 800 rs.; Cornolii, por 800 rs.; um se-
gundo volumcilo Bocago, por 500 rs. ; Telemaquc
por 1,280 rs. ; Ovidii, por 1,000 rs. ; Salustio, pUr
800 rs.; grammalica portugueza, por Lobato pr
640 rs. cada urna ; nova grammalica franceza' m
M Chapsal, por 800 rs.; Fbulas de Phedro ,' nut
640 rs.; Instiluiges oratorias de M. Fabio Qiiiiiii.
liano, por 2,500 rs. ; Historia de Inglaterra por
3,000 rs. ; Carlas de Echo a Narciso por 800 rs
Arilhinctica de Lacroix-. por 3,000 rs.; dita por
Besout, por 1,280 rs.; o Caslello de Charllon, ou te>.
(menlo singular, por 500 rs. ; Fbulas de Lafan-
taine, por 2,000 rs. Venham ver, antes que se aca-
be m.
Pechincha rarn !
Um fabricante de pcrfiimarias o licores estando a
retirar-sc desta provincia venilo as suas receilas
juntas ou separarias.as queassflorio inuila utiliiladc,
nflo sopara OSSrs. logislasque teem,poifumarias\
como para qualquer pessoa formar Om estabelcci-
mento,sendo algumas muito nescessarias aos pas
de familia a saber : reccitas para fazer licores de
lorias as qualiriaries; dita para genebra ; dita para
espirito do vinho; dita para gingebirra; dita para
agoa de Colonia igual a mais superior que possa
vir de Franca ; dita para dita enlre-flna ; dita para
dita almiscaradn ; (lita para ordinaria ; ditas para
banhas finas o ordinarias, branca e cor rio rosa; di-
ta para hanha'de fazer o cabello preto ; riila para
harina le malar piolhos e limpar a cabeca ; dita pa-
ra agoa de tirar nodoase sebo das gotas; dita para i
tinta rio escrever ; dita para oleo para cabello de
torios os cheiros; dita para goinma dn Perc/a, que
faz estirar os cabellos ; dita para fazer nasccr cal
ii'llos em qualquer falta que baja na cabega : asso-j
ura-soa exacliriiio das mesmas reccitas: os pro-1
tendentes dirijam-sc a rUa do Collegio loja rie ba-
huleiro n. 13.
Galera das ordens religiosas)
e mililares ,
desde a mais remota anliguiriade al nossosdias,
rii|iiissima obra,ornaria rie 52 estampas Iluminadas:
alcm desla acliam-so a venda ontras nilo menos im-
portantes na ruado Queimado botica n 15.
Kscravos Futidos.
Fugio de bordo rio patacho Velicaao umderivo
de nome Hoque, de San-Thom estatura liai.va,
rosto redondo esem barba, com feridas mis peinas
vestido com camisa e caiga azul o barrete inglez.
Este escravo pcrlcnce -o Joo Jos I'creira de Azeira,
do Itio-ile-Janciro. Quem oapprehender, quoirale-
va-lo rua da- Cruz n 66, casa de Caudinn Agosli-
nho de llanos, por quem ser recompensado.
-- Fugiram Aloxondre, cabra, o Marcclliiia, pre-
ta que pertencem a Vunocl Ignacio rio Albuquer-
que Maranliao senhor do engenho novo da Coneei-
go; j foram presos, ou demorados em lgi"s'
su I Inhanion ) ori'ahi tornaram a fugir. I'edf-sc
autoridaries^policiaes e cbpililos de campo captu-
ra dos mencionados cscravos que oslevcm rua d
Cadeia-Velha n.- segundo andar, onde serio rr-
compensados e se pagar.lo todas as despezat hu
porventura se tenham feilo.
Desappareceu, no dia 30 do passndo um P'f-
lo de nomo Benedicto, crioulo de estalura uaiw.
barba seriada cor bstanle preta; representa l
30 annos : quem o pegar leve a scu senhor, na roa
ila Cadeia-Velha loja de ferragens n. 56, quesera
hom recompensado. .
$$^94NM:*fte **#*#*
W rugi, no da 4 do con cute um prelo, do -4
W "omn l,uiz rio nacflo .Moganihiquo; ropre- 4
f>' sonta 50 annos, ou mais, por ler muitos ca- 4
>i bellos brancos, nao lio muito barbado, mu 4
Cinto vermelbo, bastante magro, faltain-Hic 4
# ajgumas uuhas nos (ledos dos ps; lein um* $
V: cicatriz na parte superior do um dos dedos 4
j. das nios, denles linos; lein uus signaos Je 4
sua Ierra as magnas do rosto e na testa ; le- *)
fe vou camisa riealgodo ria Ierra nova caigas 4
4 do mesmo porm ja velhas ; era gaiibador;
<& foi escravo do Sr. lavares, do Manguinlm:
4i' quem o pegar L-a a Joilo Antonio Villa-Sec-
fe fronte do thealro vellio que gratilicara com
< geuerosidade.
M
P I\N.: KA TYP. DEM. F. DE FAMA. ^ V
\
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6U13Z37A_4MWIWK INGEST_TIME 2013-04-26T22:51:04Z PACKAGE AA00011611_08482
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES