Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08461


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1847.
Sexta-fera 14
m
(1 DIJR10 ntibca-ae l<"lo oa'diai, que no
- ,'e ciiH i pre d aRntura lie de
.".rtOOis mi qrlfl. prfC'"*'"'"'"'. Oan-
!?"f ijrlioh. *0r) em tve drente, o as
nrt'uw P'1" ,net"''- *-'* 1ue ni* ^'re'" ;g-
Jnaar3o ,0 r* po'linh", e 100 ein tvpo
PI1ASES DA LOA NO MEZ DE MAIO.
nos 27 min. da larde.
u maule. '' "". dl
(\UtenW.*l. ll.1oc e S* m>n. da tarde.
Lii cliti. ,9> '' 'lorM l ". la larde.
partida-dos correios.
OLiina a P,r,l,jba. ti ieBnnd!i escitas feir.s.
Kio-Grande-dn.Norte quii,, feras .omeio-dia.
C.alm, Senohaem, Rio-Formo. Poilo-Calvo
Manto, no I.', a II e Jl dacad. mez.
t.ar ilmnse Ronito. a 10 e 21.
Rna-VUa e. Flores a 13 e ?8.
Victoria, s quintas feiras.
Uliiida, todos os das.
PREAMAi DK HOJE.
Primelra, t hoiai a II irinutos da larde.
Segunda, i \ liors e 6 minutos da maolia.
fie tyao
Anno XXfT.
N. 107.
sea
DAS D.V SEMANA.
0 Secunda. >. Anlonim. Aud. doJ.dnsor-
lios, do J. doc. da J e do J. M. da v.
erra. S. Anast>cio. Aud.do-J. do civ. da I
T. e do i. de paz do 2 dist, de t.
II Qtiarte S. .I nanita Aud. do .'. do civ. da
2 v e do -'. de paz do 2 dist. de t.
13 Quinta. Hftff Ascenra doStnlior. S. Pedro
Recalado.
14 Seta. El. Gil, Aud doJ. dociv. da I.T.
do J. de paz do l. dist. de t
15 Salitrado. S. Iridofo. Aud. do J do civ. da
I. e do J_ de paz do I dist. de t.
6 Uoiningo. S. Joio Nepomuceno.
CAMOS NO DA i: DE MAIO.
ramliio sobre T.ondres a >* d. por \ n
Pris Jli rs. pnr (rabeo.
a Litbna SS de |irenio.
Desc. dcleilr.i. do boa lirin.s I Vi P-Va
uroOirs hespanholus.... ISjiOO a
Moed is .le J ou velh I6AI0O a
a a de 6f 100 no IflftO a
> de 00fl..... 9l0U a
Prata l'auccs ....... #019 *
a Prsos cnlumnares. 2/"20 a
Ditos mejicanos ... iJTflll a
Miuda............ lJn a
Acres da comp. ilo Hrlierilie de iOJ000 rs
fld.
iotaei.
2|-0
i#5no
I6|300
Jton
51011
jfnio
IftTO
l*0
ao par.
DIARIO DE PERKFAMBCO
gaMSll .+mnz.*J[m'iM* .-----
.' ..:;..----- -.-. .-----1..TU4.- .:..:
PA'-iTE GFF.CML.
MINISTERIO DOS NEGOCIOS ESTRANGEIR0S.
I.egncflo argcnlinii. Viva a Confitlernclo Argentinn !
Rio-ilc-Janeiro, 3 do abril de 18*7. Anno 38'-da
l.ilicnlnde, 32'tla Indupendencia o 18 da Cotife-
terajflo Arpentina- Aolllm. e Exm Sr. harilo
deOnyr, ministroesecretario tle estado dos ne-
gocios eslrnngciros.
0 Jornal o finniercio do 1. do correte piiblicou
em sen artigo de fumn a noticia seguinle:
a lia das que se a (Tirina que urna Torga oriliista,
composta lo 600 homens, apodereu-se de utna por-
Cfio do territorio biasileiro junto tle Arroyo ou I lliis
de S.-Luiz, como alguns llic cliamam, prximo a
Bag, esobro a liuba divisoria que sopar* a provin-
cia doHin-Grando-do-Sul do Estado Oriental.
Accrescenta-se que o commandatite 'da nos.a
fronteira cnmmunicot immedialamenlc ao presiden-
teda provincia este acoiitecrmenlo imprevisto, inex-
plicavel, e oITciisvi da dignidade e soberana do im-
perio; c que o Kr. GhIvJo o submetleu no conbeci-
inenlodo governo.
Mazela Offieial i\i-st data, dando o resumo do
Jornal, guardn silencio sobro tilo gravo incidente,
eopublico nTo pode receb-lo como o desmentido
da noticia publicada pelo Jumal.
Em ronsequcucia, o abaixo assignado. enviado
extraordinario e ministro plenipotenciario da Con-
federaefio Argentina, roga ao Exm. Sr ministro de
relacOes exteriores, se sirva fazer-lbo conbeecr seo
governo imperial ten alfitima aeguianc.a ofllcial de
que o dito territorio prximo a Ba^, ou aigum ou-
tro reputado do Brasil sobre a linba divTsoiia, te-
njia sido oceupado por funjas do ejercito confede-
rado.
Porm.qualquer ilelles que livor occorrido, im-
poita ser posto perante o publico na sua realidade,
lirando-lbe o odioso carcter com quo tem sido pu-
blicado. Ecom estefim, o abaixo assignado roga ao
Sr. Lano se sirva communicar-lhe, so tem bavido
duas invasoi's no territorio do Brasil por tropas de
cada un dos estados do ltio-da-1'ruta, ou smenteo
que annuncia a danta Offieial, o, ein um o nutro
caso, pedo a S. Exc. os esclarecimcntns que obliver
Sara proceder em conformidad' com a poltica jus-
e pacificado governo argentino para como Bra-
sil.
0 Sr. banlo nn estranbar que o abaixo assigna-
do insista em prem claro o negocio da cecupardo
territorial. A'sua alta penctra<;So nlo pode occultar-
se o resultado de publicaces como as que tcem
dado lugar a esta correspondencia, e urna vez que
ellas induzem necessariamento o cpmmcrcio a urna
ruinosa incerteza, ao passo quo assustam os povos
Ointercsse tas natjes comprebendidas na qnestilo
reclama n conliecimcnlo da verdade, daqucllo que
|iossa o deva revela-la. Perianto, se o Sr. minsico
niojulgara proposito dar luzessa corresponden-
cia, como o teih pralicado com oulras do monor
transcendencia, liavidas entre o ministerio com a
legaeflo argentina, o abaixo assignado julgar do
seo dever publica-la.
A legaQilo mo se decidira a adoptar este arbitrio
com o nico fim de remover llovidas solire um acto
contrario reclido do governo da Confederacilo,
sem n convic(Io em quo est, por communicagOes
lideilignasquo recebeu do Itio-nrande, com a mes-
illa dala das que cita a G *ela (ff/icial, de quo, se em
algtima parte da fronteira daquella provincia livcs-
se penetrado partida algutna do exercito confedera-
do, uo pode sor senilo pela falta do limites visiveis
que ilividam ambos os estados, e por accidentes
transitorios e inevilaveis em urna guerra, que os
| refugiados no Rio-Grande sabem frequenlemenle
Sem essa circums-
Oabnixo assignado nlo tema menor ideia de tal I para"fazcr un Banda-Orienta
successo, e connecendo i'.erfeitameiite a lealdaVe el tancia excepcional, o Sr. ministro tifio pode ignorar
"' que partidas do exercito imperial tem avancado em
oulras occasiOcs dentro do territorio-da repblica
confuante.
Deosguaarde a V. Exc. muitos nnnos.
Thomaz Gdioo.
'3.' SRcg*0 k. 8. aio-DK-jAsniRO ministerio nos**-*
COCIOS ESTUANflEinOS, KM 12 DE ABIIL DE 18t7.
O abaixo assignado, doconcelho do S. M. o Impe-
rador, tendo recebido a nota do Sr D.TliomazGuidn,.
enviado extraordinario e ministro plenipotenciario
da Confodeacilo Argentina, datada de 5 iliTcorrente,
em quo, referindo-se a-Caseto Offieial, e resposla do
abaixo assignado a respoito da noticia publicada nos
jornaes dcsla corle, de ter sidobecupado pelas funjas
belligerantcs no Estado Oriental um ponto da fron-
teira do imperio, limitar-se-ba por ora a manifestar
que a differenca ou contradicgiio queoSr. Guido
er adiar en Ira a dcclaracflo da 6'a;etooa nota to
abaixo assignado, consiste em que o Sr. Guido pre-
lende dislingujr.no territorio oriental forjas do duas
entidades soberanas, as ordens do general Oribe,
quando o governo imperial mo lecoubece inaisquo,
forcas argentinas sub o mando daqucllo general,
desde que ai ente dolas invadi a repblica do Uru-
guay e as colunia ma.
Quando o editor da Caaeto de Buenos-Ayres tem
publicado invectivas, tanto sobre Matados secretos
foitos por ministros brasileiros para apossar se de
una parto do territorio oriental, como sobre sonda-
dos planos do governo imperial-para estabelecer
protectorados em prejuizo da soberana das rep-
blicas iniilropbes, nunca as legacOcs do imperio-,
nem o p-opiio governo pediram cxplicagito alguqia
do tacs pul)licuQOWcerlos de quo ucnbuin valor ou
resultado podein ter.
Quanto a publicacilo das nota do Sr. Guido so-
brtro asstimpto em quesillo, o governo imperial pro-
ceder a este respeito., segundo lem pralicado, re-
fcti va ment as nutras notas do Sr. Guido, que, na o-
piniAo do goyerno imperial, merecem publicidade.
(oin este motivo o abaixo assignado reitera ao Sr.
D. Tbomaz Guido as expresses de sua particular
eslima o distincla cousidvrafo.
(Assignado.j Baba de Cavbu'.
circtimspcccrio do seu governo c do da Itepuldica do
l'ruguay, alliada Confedcraco Argentina, n1o he-
sitara em nega-lo ja, se nilo julgasse possivel que
alguma evciitualidade transitoria, inopinada, e ab-
solutamente contraria a poltica e s ordens da auto-
ridude suprema da repblica limitrophe, tivesse da-
do origem noticia em quesillo.
Porm, soja como fr,- o abaixo assignado desojara
que a opiniiio publica nSo fosse indtizida em um er-
ro fuioslo, sobre um facto transcendente moral do
exercito confederado e aos principios de seu chefe
para com o imperio; e confia que o Sr. banlo tle
Cayru estar habilitado para elucidar o caso, servin-
do-so commnicar an abaixo assignado o quo houver
de cirio acerca da citada occupacjlo.
Dos guarde a V. Exc. por muilosannos. Tbo-
maz Guido.-
s.'sessag !?; 6. ni0-df-ja.\eiiio, ministeiiio dos
rrg0cio8 estitanceiros, em 3 ob adril db 1847.
0 abaixo assignado, do concelho de S. 11. o Impe-
rador, mWlstroe secretarlo de tstado dos negocios
eslrsjigpiros, acnba de receber a nota do Sr. I). Tbo-
maz Guido, enviado extraordinario e ministro pleni-
pnleneiario da Confederaco Argentina, com tlatatle
liojn, em que Iranscreve um artigo do Jornal do Com-
inercio, relativo occtipaca'o do um ponto do territo-
rio brasileirn por urna frca do exercito da Gonfe-
derstjSo Argenlina que se aeba no Estado Oriental; e
que, nao tendo o Sr. Guido noticia de tal successo,
desoja saber se dflle tem conliecimeiito o governo
imperial.
O abaixo assignado tem de significar ao Sr. Guido
em resposta no contexto da sua referida nota, quo a
noticia recebida polo govorim de S. M. o Imperador
a respeilo do enunciado acontecimento, nimia care-
ce di- esclarecimentos para que o abaixo assignado
se dirija ao Sr. ministro argentino sobre um suc-
cesso de tanta gravidade, como be a invasilo do ter-
ritorio do imperio por una fnja perlencente ao
exercito dx Gonfodefa^o.
O abaixo assignado reitera aoSr. D. Thomaz Gui-
do as expresses de sua particular eslima e distincla
consideradlo. iaraO dr ctuii'.
Legado Argentina. Viva a Confederadlo Argen-
tina llfo-dc-Janeiro, ein 5 de abril de 1847.
Anno 38* dn Uherdade, 3J,da Independencia e 18"
da CoiifeileracfM) Argentina. Aolllm. e Exm.
Sr. liaran de Gayr, do concelho de S. Sl. o lm-.
perador, ministro e secretario de estado dos nego-
cios eslrangeiros, etc., etc., etc.
A resposta, datada de 3 do coi rente, do lllm. e
Exm. Sr. ministro de relceos exteriores, banlo de
'ayr, iilerptdlat;.lo quo o abaixo assignado leve
a honra de dirigir-lio no.inesmo dia, estabelece o
faclojle ler o governo do S. M recebido noticia do ter
sido oceupada urna parle do territorio brasilciro por
/"divas doexercilo da Conftderaco Argentina que le acha
no Etiadn Oriental; porm que a noticia anida ne-
cessila de 'esclarecimentos para dirigrr-se ao abaixo
assignado.
A; Caseto offieial publica esta manhia que o pre-
o sidentc da provincia do S.-Pedro do itio-Crande
comniunicoii, em ollicio do II de margo prximo
o passado, haver recibido noticias, por ofliciaes
cbcgailos da campanlia, de lerem osOrientaes do
o conipMiido do coronel Valdt /. evacuado o territo-
u rio denominado lilla de S.-I.uiz
, EsIcmvsos eslabelecem duas invatBet do territo-
rio do Brasil: tima de tropa argentinas; oulta das
da Itepublica do Uruguay. U abaixo assignado_ com-
ludo*fc||^supj^aiiU.s um erro na transmissSo
|deamD|^si(Hjj p>do que a existencia dos dous
MINISTERIO DO IMPERIO.
Jllm. e Exm. Sr. Foi presento Sua Magestde
o Imperador, com o oflicio do V. Exc, de 7 do mez
pascado, o que Ibe dirigir o jtiiz municipal c deor-
pbiloa da cidade da Victoria, pibpondo as segunUa
duvidas que occorrem na cxdicucao da lei regla-
mela r das eleicOcs :
I." duvida. Se, durante o lempo que elle juiz mu-
cipal esliver oceupado na ix-esidencia doconcelho
de recurso, deve passaras varasilo municipal o de
orpiflos para o substituto, ou se podo continuar ik>
exercirio das mesmas, mo obstunte ler de.estar 15
dias occupatfo naquellc trabalbo.
2.'ioesles 15 dias silo successivos o nlo inter-
rompidos por domingos, o dias santos ou.feriados,
ou se soulei.s. ...
3 Se, nfio obstante o presidente da junta de qna-
lilicacilo nfio faibrpartictpacfio alguma quclle jui-
7.o, de haverem exclusOes para ter sobre que traba-
Ibr o dito coneellio do recurso, deve todava seril-
lo installado em cumprimenlo da leT; eexercer snas
runecots nos referidos 15 dias, indepciidenteroentc
de bavercm reclamcOes a fazer.
*. So, no leudo a junta de qualificagiloallcndido
a urna segunda lista remetlida pelo juiz de paz de
um dislricto qualquersubjeito ao poncejho, uor vir
fra de temiio, c nflo estar por alte assignada, deve
o mesmo concelho admittir as reclamagOes dos in-
dividuos nclla contedos, ou desprcza-los igual-
mente.
5.' finalmente. Se, fra dos tros casos apontados
no arl. 35, apparecer alguma nova especio do recia?,
macilo nilo comprehenditla nelles, mas que tetilla
connexflo, pode sor ella admitila pelo concelho, ou
se deve cumprir litteralmenle o artigo.
E o mesmo augusto Senhor, leudo otivido a sec-
qflo doconcelho de oslado dos negocios do imperio,
ha por bem declarar:
1." Que no sendo incompativeis os cargos de pre-
sidente do concelho municipal de recurso ednjuiz
municipal e de orphfios, scmlo quando pela aflluen-
cia de recursos nlo seja possivefo oxercicio simul-
taneo de ambos, no esta o juiz municipal o de or-
phSos inhibido das funcc.0cs tiesto cargo, quando,
nfio obstante estar oceupado nellas, pode desempe-
nhar as daquelle; cumpritulo-lbe consequontemen-
te passar as varas para o.subsliluto, quando, poro
mo fazer, deixarde preencher satisfactoriamente Os
devores de presidente doconcelho.
2. Quo silo uteis os I.", dias que o art. 36 da lei
das i'lcii.'i'- marca para a rouniio do concelho de
recurso, tanto porque os nilo declara successivos
como no ai l. 22, como porque, podendo concorrer
muitos recursos, he conforme equidade entender
o citado arl. 36 no sentido mais lato, alim de que por
falla tle lempo nilo deixem de ser examinados ede-
ididos os recursos, que para elle frcni inter-
postos.
3 Que o concelho municipal do recurso deve
reunir-so o conservar-se reunido por 15 dias uteis,
aiinfa que se nio aprcsenteni recursos pois assim
o prescreve o mencionado arl. 36. Nem os presiden-
tes das juntas do quaiificacAo teem obrigacilo de
Commnicar aos concelhos os recursos para elles
inlerpostos, pois nem lei, nem deliberagfio do go-
vcrlio imperial o tem deterininado.
(" Que xi concelho de recurso nfio condece das
rcclamaees quC nao tenliain sido dcsalteiiidas
pelas jumas de qulilcu artigo 35 da citada lei. Quando', pois, nina junta
do .qualilicaqrto no tiver allcndido a urna segun-
da lisia remetlida pelo juiz de paz de qualquer de
seus disti icios, c alguiis ou todos os cidadilos Hal-
la incluidos recorrern) para o concelho respecti-
vo, este tomara conbecimento do recurso, e nunca
eonheecr de reciamaedes, que nilo sejam por esta
forma levadas ao seu conbecimento.
5." finalmente. Que fora dos lies casos apontados
no dito art. 35, nio podem os concelhos de recurso
conhecer de quaesquer outros, embora tenbam com
elles a miiior counexfio; porque a lei s para a de-
cisilo dos tres menciona losllie con feri jurisdiccSo.
Oque tutlo communico a V. Exc. para sua inlelli-
gencia e governo, recommendando por esta occa-
siao a' V. Exc de ordem do mesmo augusto Senhor,
que, semprc que reponer ao governo geral, para que
decida alguma duvida. exponha circumstanciiida-
niente as rasOes de duvida, de, maiieiraque possam
ser exactamente entendidas o avahadas.
lieos guardo a V. Exc. Palacio do Bio-de-Janeirn,
em 6 de abril de 1847. Joaquim Morcellino de Ari-
to. Sr. presidente da provincia do Espirilo-Santo.
lllm. e lsU> Sr. Subi aresenca de Sua
Magostado o Imperador o ollicio do V. Exc, de 17 do
mez passado, n. 220, com a tluvida que Ibe filia a-
presentada pelo presidente da junta de qualilicacilo
la capital dessa provincia, a respeito do lempo por
pie devo servir o cidadilo, que, t)a conformidade do
art. 29 da lei de 19 do agosto de 1815, he nomeado
para substituir a qualquer membro da junta : o o
mesmo augusto Senhor manda responder, quo V.
Exc. declUio acertadamente quando declarou que o
cidadilo chamado na conformidade daquelle art. de-
vo somonte servir, cmquanlo so n3o apresentar o
membro a qtiein foi substituir.
Dos guardo a V. Exc, Palacio do Rio-de-Janciro,
em 8 de abril tle 1817. Joaquim Uarcellino de tiri-
to. Sr. presidente da provincia do Rio-Grande-do-
Norte.
Jllm. e Exm. Sr. Tendo sido ouvida a seCQo
do concelho do estado dos negocios do imperio, so-
bre a decisDoque V. Exc. deu a duvida, quo Ibe fra
presentada, relativa a inlelligencia do art. 110 da
lei regularmcntar das cleices : manda Sua Magosta-
da o Imperador communicar-lhe, que bem decidi
V. Exc. quando declarou : I', que aquelleart. mo
excluo o 2., 3." ou 4." juiz tle paz do presidir
junta dequalilicac/io, quando o mais votado tenha
impedimento pbysicoou moral, embora liaja oulro
monos volado felo a couvocatjo dos oleitores c sup-
plentes, o que se deprebende da segunda parte des-
so artigo, lias palavras o seus substituios, eta. :
2.', que, se algum jaiz de paz menos volado preside
a urna junta de qualilicacao de qualquer parochia,
estando promplo o mais volado a fazo-lo, obra ille-
galmente, e deve eslo reclamar o apresentar-se na
L hosguarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-Janeiro, I podem hWW'to*
em 13 de abril do 1847. -Joaquim Marcelltno de Un- pensosporaflo do goju
lo. Sr. presidente da provincia do.Sergipe.
Jllm e Exm r. Foi presento a Sua Mages-
requerimento de rcrlamacilo foi apresenlado junta
de quali(icat;loj com prejulzo de outros servidos p-
blicos e de seus itilcrcsses privados.
2.* duvida. So o concelho municpal pode deferir
as reclaniatjiles quo pnr va de recurso Ibe frem of-
ferecidas no 15 dia deslas sesscs; pois ovidento
he que em tal occasiflo, da deciso do mesmo con-
celho difficil, se nSo impossivel, ser a inferposicAo
do recurso para a relacilo do dislricto, por faltars
partes interessadas o conhecimentn do occorrido, e
por nio se acliarem com a prova appareldada, com a
qual legaliscm suas pelic/ies, o nem Ides ser licito
juntar novos documentos e allegacOes quando as ti-
verem de por na presenca da referida relacilo.
3 "duvida. Se, suspenso de voceador/ Cica O dito
presidente,jwo-/acto,'ilespidoda qualidade de mem-
bro do concelho municipal ; porquanlo a lei jamis
quiz que aos presidentes de provincia licasse perton-
cendo o poder de por meio de suspensOcs arredar dos
trabadlos eleitoracs aquellos cidadlns que silo cha-
mados a elles ; intelligoncia estaque so dedurmui
claramente do disposto no sen art. 2."; sendo de no-
tar que as rasos, que moveram os legisladores a
decretar a medida preventiva desse artigo, cotn
maior fr?a preponderare quando se trata dos mom-
brosllo concelho municipal, j porque elles silo era
menor numero, e assim suspenso um dclles be mais
fcil aos presidentes de provincia ter por esso acto
ta suspcnslo o concelho municipal ao sou bol-pra-
zer, e ja porque he de mais importancia o concelho
do que a junta qualificadora, visto quo aquello pode
desfazer 08'actos desla ; o como por tima sabia e
recia inlerprelaclo, varios avisos imperiaes do uns
artigas lulo deducido asdoutrinas nelles encerradas
para fazer applicaveis a oulros arligos, nosqtiaesa
lei julgou esctisado reprodtizi-las ; por isso resol-
veti elle proprtr a duvida para a conveniente decislo.
E leudo o mesmo augusto Senhor otivido a scctjilo
do concelho de estado dos negocios do imperio, hoti-
ve por bem declarar i
1.* duvida. Os concelhos mttnicipaes do recurso ce-
lebraran as suas sosses em 15 dias uteis, principian-
do as 9 horas \la mandila, e terminando ao sol posto,
como esta proscripto nadita lei a respeito das juntas
dnqtialilicac:lo, pois as mesmas rasOes quo motiva-
ran) a disposloBo do art. 20, mililam para que as ses-
sbes diariasdos concelhos tenliain duracilo iguala das
juntas de qualiicacilo. Se nffluirem muilos recorsos,
priucipalincnle eni municipios do numofosa popu-
lacffo, com didiculdade so conseguir a fleeisilodel-
les no prazo marcado na lei, anda durando as ditas
sessflrs desdo s 9 horas da manhila af o por do sol.
Nilo tleve, porm, entender o presidente represontan-
le, que cumpre aos concelhos estarem effeclivamen-
tc reunidos por lodo aquella espaco de lempo, ainda
que nao lenliam recursos dos quaes conhecaiji; mas
sim quo, em quanto houver trabalbo. nio o adiarlo
anles do sol posto para ooutrodia,' bem como quo
incumbe ans seus memoras eslarem promplos a rc-
unir-sc duranto os mencionados 15 dias, logo quo so
presenten! recursos Sua decislo.
2." duvida. Os concelhos municipaes devem cs-
m-jrar-se em decidir todos os recursos quo Ibes f-
rem apreseutados, inda no ultimo dia de sua mu-
lo, visto quo a disposicfio do decreto n. 511, do
18 de marco ultimo, nao podo ler chegado noti-
cia dos ditos concelhos a lempo de ser por elles ob-
servada : e portanto, quando mo tomarem conhe-
ciinonto dos recursos por qualquer motivo, cum-
pre-lbes observar o que a respeilo dasjuutas de qua-
lificagilo determina o art. 9 do decreto ti. 500.
3.* duvida. 0 vareador suspenso por acto do go-
verno, ou por pronuncia em crime do responsabli-
dade, lca inhibido de fazer parte dos concelhos mu-
nicipaes tle recurso: porque, sendo chamado ao oxer-
cicio tas funecesdeste, como membro da cmara
municipal, mo I lio he permitilo cxerce-las as
circumslancias mencionadas, por Ibe obslar o art.
166 2. do cdigo do processo criminal. O juiz do
paz inais votado preside as jimias qnalilicadoras, a -
tad'e o Imperador o ollicio de I8le marco ullimo, en.
quo o presidente da cmara municipal San-Scbastio dessa provincia pede esclarecimen-
tos sobre as seguintes duvidas, quo Ibe occorreatn
ta execueflo da lei regularmentar de elcicoes :
1.' duvida. Se por argumento deduzdo do arl. 20
da lei devem as sessOes doconcelho municipal de re-
curso comecar as 9 horas da manhSa e terminar ao
por to sol, ou se basta que elle se ache reunido das
9 horas at moio-dia, pois parece grave ouus lerem
os membro* doconcelho de estar reunidos durante
15 das, pelo espaco de muitas horas quotdianamen-
te, sem
(comoaconl
nda que auspenso por acto do governo, ou pronun-
ciado em crime de responsabilidades porque o art. 2.
da citada lei expressamonte o declara, o mo he da-
do ao interprete fazer extensivas disposices excep-
cionaes a casos que ellas expressamente nao com-
predenderam.
0 que ludo communico a V. Exc, para seu conlie-
cimcnlo e governo. .
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-Janeiro,
em 13 do abril de 1847. -Joaquim Uarcellino de ari-
to. Sr. presidente da provincia do San -Paulo.
lllm. e Exm. .Sr. Foi presente a S. M. o Im-
nenador o ollicio de 9 de evereiro ultimo, em que o
uiT unicii 'la cidade da Parnabyba pedesolucao
das segui'us duvidas, que encontra na cxccuc3o da
lei regulanienlardas eleices:
1 -duvida. Seum juiz municipal que he presi-
lenle do concelho municipal, e um presidente da ca-
niira municipal que he membro do d.lo concelho,
nilo obstante estarem sus-
no, ou por pronuncia em
crime do espnisabilidadc. ___
2 duvida. Se o eleitor mais votado podo fazer
parle do mesmo conceldo, estando como empregado
publico suspenso por acto do governo, ou por pro-
nuncia emcNine de responsabilidade.
E tendo o mesmo augusto Senhor ouvido a seccao
do concoldo do estado dos negocios do imperio, hou-
ve por bem declarar:
1.' duvida. Ojuizmunicipal o o presidente da c-
mara municipal suspensos por acto do governo, ou
por pronuncia em crime do responsabilidade, nSo
podem fazer parle do concelho municipal do recurso,
comoj sodeeidio em aviso circular de 13 do cr-
ranle, porque o artigo t65 do codrgo do processo en-
so acliarem empregados em servigo algum minal, no2.% os declara suspensos do exercicio ao
onlecra naquelle municipio, ondo umsSItodas as funcqes publicas, o llies nSo heapplicave


r
mmm
1.
5,
o artizo 2.da le das eleiges, porquesua letlra'com-
prehende so anjuizdepaz mais votado da matriz, presidente lia junta le qualificacno; e as
rasesqncinilitaram a favor desla cxcepcilo da le
geral, nfocomprehendem os memhros do conoelho
municipal ilc recurso. A stispenso decretada pelo
governo prnduz o mesmo elTeito que a pronuncia,
quanlo ao excrcicio das funeces publicas, ale que
a autoridade competente resolva pronunciando ou
n*io ao suspenso.
2.' iluvida. A dncislio dada I.1 deve ser applica-
vel 2.
Oque tudocommunicoa V. Es. para seu conhcci-
mento e governo.
Dens guarde a V. Ex. Palacio do Rio-de Janeiro,
em 14 de abril de 1847. Joaqun Morcellino de Un-
to. Sr. presidente da provincia do Piauhy.
Hit*, e Fxm. Sr. Foi presente a 8. M. o Im-
perador o nfllcio do presidente da cmara municipal
da Villa-Rclla-da-Princeza. de 5 do mez passado, em
que aprsenla a seguinte duvida so os substitutos
de juiz municipal e de orphiins, que nao estilo em
exercicio (lestes cargos, teem impedimento para ser-
virde vereadores da enmara municipal, ou se o de-
creto de 9 de agosto de 1815 comprehende somonte
osjnizesmunicipaes eos substitutos que esliverem
em ejercicio.
F. o mesmo augusto Senhor, ouvidn a scegao do
concelbo de estado dos negocios do imperio, manda
declarara V. Ex., em soluco aquella duvida, que,
n.lo sendo incompativeis por sua natureza os cargos
de vereador, juiz municipal e de orphos, mas sim
por nilo ser possivel odesempeoho das funcgOes de
ambos, pois que pode acontecer que no mesmo mo-
mento, em que esteja oceupado no servico de un,
seja necessario attemler ao deoulro, rulo est inbi-
bido do exereer as FunccOes de vereador o substituto
do juiz municipal e do orpliBos, quo nilo esta no
exorcicio deslcs cargos.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Rio-de-Janciro,
em 14 de abril de 1847. Joaquim Marcrilinu de tiri-
to. Sr. presidente da provincia de San-I'aulo.
Illm e Fxm Sr. Tendo sido ouvida sergao
doconcellio de estado dos negocios do imperio so-
bre o olieio de V. Ex., de 17 do mez passado, D. 37,
noqual representa que a junta de qualilicacflo da
freguezia da capital eslava procedendo coin algum
descomedimenlo, maltratando de palavras no cida-
dfio, enegando-se a despacbar rcquerimenlos das
parles qHp reciamavam.o seu direito, comopralieou
com o cidad.lo Jos Ramos da Silva, confessando a
mesma junta que mo aecitou o requerimento desla
par, tan lo pelas expressOes desattenciosas, em que
era concebido, como por se nfio julgarcom direito a
coubecer do mesmo lequerimento : manda S. H. o
Imperador declarar a V. Ex. quo no decreto n. 500,
de 16dcfevcreiro ilesle auno, artigo 9", esta satis-
factoriamente prevenida esta hypolliese.
assignado para o fim doreclamnrem, erestit.uirem
os dircitos legtimos da soberana desleiremos a
muilo alio e tnuito pudoroso rei o Senhor Dom Mi-
guel I; e como assim foi reaclamadn e restituido aos
ditos legtimos direilos o lito augusto Senhor como
roi natural, o legitimo symholo e penhor da uniln
da familia porlugueza ; "o por isso selavrou este au-
to n.i piescncaMos sobreditos Senhores, clero, noble-
za e povo; e val por todos assignado : o eu Jos M-
ximo de MagalliHes, escrivilo do publico, que no im-
pedimento do respectivo da cmara o escrevi, e as-
signci. Declaro quo a este aelo se aehava tambenv
presente, com toda a sua officialidade reunida, o
Illm. Sr. sargenlo-mrdestoconeelho, Manuel Pinto
Ribeiro; sobredi escrivao, o escrevi, declarei eas-
signei. -- Antonio Pinto da Costa Ccrqueira Araujo,
capitno-mr do Couvcia. Manoel Pinto Ribeiro,
majuciiminandante. --Manoel Barbota Cabra!.
Jos Ribeiro Pinto.Manoel Sevcrino Pinto Barbrj-
sa. Francisco Ribeiro de Miranda. 0 abhade de
San-Joio de Orillo, vigario da vara do districto. -
Joaquim do Madurera Barbosa.--Jos Ribeiro do
Carmo. ~ Fernando Cueles do Moura. Manoel
onteiro. Jos Lopes ila Silva. 0 padre Antonio
le Sonsa Vieira. O reitor Remani Jos Poroira de
Carvalho. O padre JoBo Alvos do Freitas. Mano-
el Ribeiro Ouleiro, lente ajudanlo do batalhao do
Baldo. Manoel da Cruz Ribeiro, capillo comman-
danle da segunda companliia. Francisco de Sonsa
Vieira de Magalhaos, capitn. Manoel Barbosa, ca-
pilito. Jos Joaquim da Fonseca, sargento cem-
mandanle da sexta companliia. -- Jos Monlero de
Queiroz Bairroa, alferes. -- Bento Barbosa, alleres.
Luiz Jos Barbosa Rbeiro, sargento. Manoel
Pinto Rbeiro, ajudaiitc. Jos Pereira do Sousa Lo-
bo. Jos Joaquim Pereira o Silva. -- Antonio Al-
vos do Freitas. JosJoaquim Vieira Joaquim de
Sousa Vieira. --Jos Ribeiro de Carvalho Monteiro.
Antonio Joaquiin.de Carvalho. Antonio Ribeiro
Rorges. Antonio Jos Borges. -- Domingos Ribei-
ro ile .Miranda. -- Jos Ribeiro de Miranda.Jos
Perera. Joaquim Pinto.
{Diario do Cocerno.)
AI lan(lega.
16:869,062
RENDIMIENTO DO DI V 12........ .
Descarregam hoje, 14.
Brigue dinamarquez limite rarinba Rarca ingleza Jamrs-Stwart bacalho.
Barca porlugueza Ligeira-'-vinho6 miudezas.
imIwFacaO'.
Isiuitc, brigue dinamarquez" viudo de Trieste, en-
H avio entrado no da 13.
Mar-Pacfico, tendo sabido do {jew-Bedford ha 21 me-
tes, galera americana Cantn, de 280 toneladas,
eapi'tfioCoorgc Tahor, equipagem 24, carga azeite
de peix ; ao capitflo. -
Liverpool: 29 dias, barca ingleza Onlden-* leece, (te
312 toneladas, capitflo James Patelhrope, equipa-
gein 16, carga (amidas ; a Rnssell Mellors & C
Navio fallidos no mesmo dia.
Baralina; ketch bespanbol Adriano, capilBo Fran-
cisco Oliver, carga algodflo.
Prto-Alegre; brigue brasileiro Argos, capilno Jos
da Costa P menta, carga assucar c escravos a en-
tregar.
Observado.
Fundcou no LameirAo, pnra acabar docarregar, n
galera americana llaxar, capitao T. C. Simpspn, com
a mesma carga quo tronxc.
Editaes.
Theatro publico.
Beneficio de Zcbedco Cztir.
Em consequoneia da moita chova que houve do-
mingo. 9, ficou o espectculo transferido para domin-
go, 16, impretorivolmehle, com a grande pepaFAI-
EL' ea farga--vAS0FL Muas--.0 beneficiado espera
que s scus benignos proteclores levem a bem a dita
transferencia que fui em beneficio do rcspcrtavcl pu-
blico.
I-------- M
Avisos martimos.
Miguel Archanjn Monteiro de Andrade, official da im-
perial ordem da Rosa, caralleiro da de C.hrito,.e ins-
pector da alfandrga de l'er'namhuco, por S. M. I. o
.Senhnr /). I'edro II, que Dos guarde, etc.
Faz saber que.no dia 14(hoJoJ dcorrento,ao meio-
ilia, e na porta da alfandega, se lilo de arrematar 39
obras-Semana-Santa-, no valor do 133.000 rs., o 13
historias do imperador Napolelo, no valor do 28,500
rs., impugnadas pelo amanuense Congalo Joso da
Costa e Sa.no despacho por factura de Policarpo Jos
La y me; sendo dita arrematacilo subjeita ao paga-
mento dos direito.
Alfundega.il de maio de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archmjo, etc.
Faz saber que.oo dia 14(boje)do corrente, aohioio-
dia,ha porta ila alfandega.se hilo de arrematar em
hasta publica 13 obras impressas, no valor de 381,900
rs., impugnadas pelo guarda Jofio Canrio Guimarnes
daSilva.no despacho por factura de Policarpo Jos
La) me: sendo tal arremalagao subjeita a direilos.
Alfandega, 12 de maio de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Deca raees.
Dos guardo aV Ex. Palacio do Rio-de-Janeiro, I Irado no correle mez, consignado a N. 0. Bieber &
. iV l_'i i_ ....- l______lh....Mr..J. #>...' '~....__i.:.. ~__ir....,...........;! i
em 14 de abril de 1847. Joaquim Manellin de tiri-
to. Sr. presidente da provincia d Santa-Calha-
rina.
EXTERIOR.
PORTUGAL.
Considerando quo asdespezas dos diversos ramos
do servico militar teem augmentado na propnreflo do
extraordinario incremento do ffircas que diariamen-
te recebe o exercilo nacional; considerando quo a
qualquer sacrilico, por avultado que pareca, se pres-
lain senipre. de bom grado os bravos e leaes defenso-
res do prununcamenlo popular, qiiando de tal sacri-
ficio depende olriiimpho completo da presente lula
contra un governo liberticida ; considerando linal-
nienle que a incetta duracao desla lucia aconselha
desde ja a mais severa economa : a junta provisoria
do governo supremo do reino, em DORIO danagfioe
da rainha, decreta o seguinte
Ailigo 1. A contar do 1. de marco em diante,
os olliciaes de linha, e empregados civis ou Uiilita-
res do excrcto, receberSo smenle. sendo generaos,
ou superiores, vinte e quiltro mil res de sold ; son-
do capitncs, subalternos, ou'empiegados ci\s, ou
militares, douslcigos do sold correspondente s
suas pllenles ou empregos, e metade das gratifica-
rlas que porlei Ibes competem, sem deducgrio do
quaesquer descontos, e luiloeui melal.
Arl. 2. Nenhuiu niililar ou empregado civil do
exercilo receber mais que urna raefio diaria de pao
e etape.
Arl. 3. Os miniares ou empregadosevis do exer-
cilo que tiverem diroilo aires ragoes de forragom
diarias s perreberao duas, e os que tiverem direito
a maior numero dellas s perceborBo melado em
racOes inleiras, licando tambem para liquidar as
fraccOes resultadas dos nmeros impares.
Arl. 4, Iguaes disposices serfio lomadas quanto
ao numero de cavalgaduras de bagagem.
Art. 5." A liquidaban de lodos os vencimenlos em
divida, com rclerencia s tabellas estabelecidas, se-
r feila mensaluienle pela HSpeccAo fiscal, quanlo
ao que perlence aos sidos e gralificges; o pelo
commissariadu quanlo aoquo perlence a rugos de
pflo, etape, e fonagens c a cavalgaduras de baga-
gens, devendo ser entregues logo aos inteicssados
os competentes ttulos.
Art. 6." Os ttulos do divida de que trata o artigo
antecedente, principiado a ser recelados no paga-
mento da dcima, as alfandegas, na compra dos
bens e foros nacionaes, c em todos os cofres pbli-
cos, como moeda metlica, tres mozos depois de ins-
tallado em Lisboa governo legal. Os cncarregados
das repartices da guerra e fazenlla o lonhan sssio
entendido e fagam oxecutar. Palacio da junta provi-
soria do governo supremo do reino no Porto, 24 de
margo de 1847. Conde da Antas, presidente.
Jote da Silva Pastos, vice-presidento. iebastio de
Almeida e II rilo. Justino terreira l'into llastos.
Frandico de i'aula Jxibo de Avila.
Comnanliia, manifostou o seguinte:
1180 barricas com familia de trigo, 15 caixas rom
missangas, 90 caixas cum papel; aos consignatarios
Ligeira, barca porlugueza, viuda de Lisboa, entra-
da no correte mez, consignada a Francisco Seve-
riauno Rabollo, manifeslou o seguinle : '
20 ludios de sal, 86 pinas vinho tinto, 13 ditas dito
brauco, 45 barricas sarilinhas, I caixa e 1 emlirulho
livros, 73 barris vinho tinto, 4 ancorlas dilo dito,
2 barris presuntos, 10 ditos paios, toditos chouri-
eas, 10 caixas toiicnho, 18 pipas vinagre, 4 meias di-
tas ilito, 2 caixas chapeos para homom, 9 ditas di IOS
para senhora, 22 barris azeilo doce. 6 saceos cevada,
f barril g:ioru-se, I caixa com um chapeo para so-
nhoia; S Francisco Sevoriaiino Rabullo& Filho,
31 podras de cantarla labrada, 4 caixas comba-
laiislros, 1 dila livros ; a Angelo Francisco Car-
neiro.
2 caixas drogas, 1 dila azul de Prussia lino, 2 pa-
colos pellica lina ; a llouiingos da Silva Texeira.
1 caixa livros, 1 saqunho iguora-se; a Joao Pinto
de Lomos & Flho.
2 caixas peras soccas; a Jos Fcrreira de Mallos.
1 barril alfa/.ema. t dilo giz branco, 1 dilo mol,
1 dito pcdra-uine. 2 caixas drogas, 1 dita acido sul-
pliuiiro e agoa-forle, 2 ditas vid os soitidos, JO an-
CSjrelas pei se frito do escabeche; a Polycarpo Jos
l.ayine.
20 barris azete doce, 1 cmbrulho ignera-sc; a
Tliomaz do Aquino Fonseca.
2 caixas lampos e illiargas de madeira para vio-
las ; a Joao Jos da Cruz. *
1 barril vinho tinto, 12 gamellas cera branca; a
Jos Pereira da Cunha.
21 podras do cantara lavrada, para a matriz da
Boa-Vista.
10pinas VintO Unto, 25 barris dilo dito; n Amo-
rim IrmBos.
1490 mlhos de ceblas, 16caixotes ditas, 40 bar-
ris sardinlias, 5 gaiolas pastaros, 2 vaccas e 2 crias;
a Joao Antonio Gil.
1 barril gessn-matla, 1 caixa drogas; a Barlhulo-
meo Francisco de Kouza.
10 pipas vinagre, 4 ditas, 3 barris e 4 ancorlas vi-
nlio tinlo, 10 barris azeito doce; a Machado & Pi-
li heii o.
20 barris vinho tinto, 4 fardos capachos de esparlo,
2 barris peixe do escabeche; a Augusto Cesar de
Abreu.
10 barris azeite doce; a Manoel Ignacio deOliveira.
1 barril vinho linio, i dilo mos o lingoicas, 1
cmbrulho ignora-se ; a Manoel Caetanu Suaros Car-
neiro Monteiro.
6 han is azeite doce; a Jos Pereira Cardozo C.ui-
maraes.
15 barris vinho tinto, 5 ditos dito dito, 10 meias
pipas vinagre; a Antonio Joaquim de Souza Ribeiro.
1 vacca o 1 cria ; a I'edro A. Gomes.
1 caisffo obras de prata, 2 caixoles com vasos e fi-
guras de barro ; a D. Genoveva Ro/.a da Silva.
1 gaiola com 4 coellios; a Vieira Cambista.
1-embiulbo livros.
0 arsenal de guerra compra cinco duzias de ti-
gellas de louga branca de p do podra: quem dito
genero quizer fornecer, mandara sua nronosta em
caria fechada c amostra adirectoria do mesmo ar-
senal, al o dia 17 do correte mez. Arsenal de
guerra 12 de maio de 1847. Jodo Iticardo da Mira-
- O arsenal de guerra compra oilocentas saccas
de farinha do mandioca; quatro milheiros de tolhas;
assucar branco, 10 arrobas; azeite-doce, 1 barril de
20 caadas; bolacha, 8 arrobas; cha hyson, 2 ctixas
do 13 libras ; gomma de araruta, 1 arroba ; vinho
branco, 10 caadas; vinagre superior, 10 caadas;
sabilo, 1 arroba; sag, 1 arroba; oleo de linbaga, 1
barril; arcos de ferro para ancoretas, 4 arrobas; ago
para mola de granadeira, 8 libras ; rame de lati
soi tido, 8 libras; dilo de ferro sortido, 16 libras ;
bombas menores para scrralhoiro, 2; cravos de fer-
ro sonidos, 5,000; cabo do Mamllia de-quatro e
meia pollegadas, f pega; carvao de podra, 2 tonela-
das; chapres do sicopira, 2 ; dilode amarelln, 1 ;
enrquite para tanoeiro, 1; eolberes de pedreiro, 24;
enxoso goivas pequonas para tanoeiro, 2; ditas in-
glezas pequeas para tanoeiro, 2; folie de forroiro
comalgaraviz, 1; formos estreitos, 12; ferro em
barra, da Sueeia, 5 quintaes; goivas largas, 4; ditas
deenxovai. 6; giz'ino, 8 libras; junco para concer-
t de cadeiras, 1 arroba; lengol de latSo lino, 1 ;mar-
telossoitTdos para empina, 6; ditos de pedreiro,
12; ditos do ferreiro, 12; ditos para funileiro, 6;
marrlas de ferro de 20 a 40 libras, 8; pregos c-
braos, 10 milheiros; ditos de guarnigao, 6 milhei-
ros; poilas de embira branca, de 20 a 30 bragas, 50 ;
pegas de. cordas para andamies, 400; paos do jangada
para balsa, 12; parafuso de puxar fundos, para la-
Para o Hio-de-Janeiro pretende sahir, no dia 18
do corrente mczde maio, o veleiro patacho Htprrm-
pa, capitao Joaquim Antonio Concalves Jo Santos,
aida pode receber alguns escravos a froto epassagei-
ros: noescriptorio de Manoel Joaquim Ramos t Sil-
va, ou a tratar com o mesmo capitao. .
No dia 19 do corrente, segu para o IVio-ilo-
Janeiro o hiato nacional Maria-Firmina, por ja ter
seu carregamento prompto : quem quizer ir de pas-
sagem, ou embarcar escravos, dirija-sc a ru- da
Cadeia-Velha, n 34, primeiro ailar.
Para o Aracaty pretende sahircom brevidadeo
liinle Naro-Otinda : quem nelle pretender carregar,
ou ir de passagem, enlenda-so com o mestro do mes-
mo, Antonio Jos Vianna, no Trapiche-Novo.
Para o Itio-Grande-do-Sul e Porto-Alegre pre
len le seguir em poneos dias e tao breve como o
lempo permita o embarque do seu carregamento, o
brigue Argot, bem conhecido polas suas viagens;
para os ditos portos recobe escravos e passageiros,
jiara o quetem superiores aecommoilages i quem
pretender podo entender-so com Amorim Iranios ,
na ra da Cadeia n. 45.
. Vende-se a barcaga denominada S.-Jos-Dill~
gente, de loto de 16 caixas, bom construida, c promp-
ta a navegar : quem a pretender pode examina-la
junt) ao trapiche do algodaoe tratar na ra do Vi-
gario, n. 5. I
O b' igoe portuguez Tarvjo-rrmeiro, forrado
,e encavilhado de cobre, de excollente marcha, pre-
tende sabir para -Lisboa, com a maior brcvida.de
possivel, portera maior parte de sua carga engajada:
quem no mesmo quizer carregar, ou ir de passagem,
para o quo offereco asseiados commodos.e Iralamen-
loi, trato como consignatario, Firmino J. F. da Hoza,
na ra do Trapiche, n. 44, ou com o capitao, Manoel
deOliveiraFaneco.
No dia 15 do correlo pretende seguir para o
Itio-Grande-do-Sul o brigue Independate quem
no mesmo quizer carregar carga ou escravos, en-
lenda-se com o capitao Fructuoso Jos Pereira
Dutra, ou com Manoel Alvos Guerra.
I.eilcto.
L. G. Ferreira & Companhia farao loililo, por in-
tervengilodocorretorOliveira, e por conta e risco
de quem pertencer, da porgao do caf avariado o
limno, quanlo baste para reparos e costeio da gale-
ra natar, capitao Simpsor. K arrilxula a esto porto,
na aclual viagem que fazia do Rio-d-Janeiro com
destino a New-York :sabbado, 15 do corrente, as
lOhoras da manhaa imprcterivelmente no arma-
zem do Sr. Jos VollozoSoares.
Avisos diversos
O NAZARENO N. 32,
est a venda ao meio-dia na praga da Independencia,
livraria, ns. 6 e 8. Conlm materia de muito inleres-
se ; una ode muito'rica, e uns documentos relativos
a quesillo do governo actual com Bolivia.
Desappareceu do collcgioSanto-Aiilonio.na noi-
1c do 11 para 12do corrente, urna canoa de um so
pao, o bstanlo comprida, levando 6 baldes cheios
d'agoa: suppe-se ter sido carregada pela corrente
das aguas na vasante da mar. em a aebar quei-
noeiro, 1;plainas com capa e cepo. ; ditas peque- ,.,H,.var ao nicsino collegio que sera recompensado
erlences, 1; pise, 1 barril; RCCOmmenda-so
Auto de reaelamaedo de el-rei o Sr. D. Miguel I.
Anno do nascimento de nosso Senhor Jesus-Chris-
lo de mil o ((lcenlos e qu.ii enla c sele, aos quator-
ze dias do mez dejajieiro, ueste julgado de llaio, e
casa da cmara dolle, cm arto do cmara geral c ex-
traordinaria, reunidos os membrosdella os lllustris-
simos Senbores Manoel Barbosa Cabral eJosejtibei-
ro Piulo, juize ordinarios, e Francisco Ribeiro de
Miranda, e Manoel Sovoi no Pinto Barbosa, e Jos Ri-
beiro Gomes; este procurador, e quelles vereado-
res; cachando-so presente o lllustrissimo Senhor
Antonio Pinto da CosU Gerquoira Araujo, capir.o-
iiior de Gouvea, cominandaulo das frgas populares
realistas empregadas na restauragao do throno de
SuaMagestade el-rei o Senhor Dom Miguel I, com
ocurrencia de clero, nobreza e povo, todos abaixo
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 12.
Geral...........
Provincial.......
Diversas provincias.
3:135,751
1:797,313
128,177
5:061,241
Alovimrnto do l'orlo.
A'ori'ot entrados no dia 12..
Grenock ; 31 dias, brigue inglez Druid, do 342 tone-
ladas, capitao Roberl Me. Kirdy, cquipagom 16,
carga lastro; a Me. Galmont & Companhia.
Glasgow ; 48 dias, brigue inglez Iniian, do 230 tone-
ladas, capitao John llrown, equipagem II, carga
fazeudase plvora ; a vdamson & Howie.
nas, 4; pa com os p
lipas, 200 duzias; serilos grandes, 2; ditos peque-
nos, 4; ditos de costas fixas, 4; Irados do tanoeiros
para pipas, 2; ditos finos sortidos para c#rpinleiro,
2; travadoiras, 4 ; tarracha para ferreiro, 1; verru-
mas cavilhares pequeas, 2; ditas caixares, (; ditas
cailiraes, 12; alvaiade, 1 arroba; ail, 1 libra; brasas
de pintar, sortidas, 12; (lilas de caiar, 12: fezcsd'ou-
ro, 8 libras; pos pelos, 16 libras; verde ebrome, 16
libras; zarcilo, 16 libras ; peonas doescrever, 400;
lapes finos, 50; folhinha de porta, 1. Quem taes g-
neros quizer fornecer. sendo da melhor qualidade,
mandara sua proposta em carta fechada c as amos-
mnslras d'squellos gneros, quo for possivel manda-
rem-se directora do niesrufl arsenal, al o dia
12 do correte mez.
Arsenal de guerra, 17 de maio de 1847.
JoaO Iticardo da Silra.
O arsenal de guerra compra alcool ratificado,
12 garrafas; acido nitroso alcoolisado, 1 libra; dito
velriolico alcoolisado, 1 libra, assucar candi, 4 li-
bras; balsamo peruviano liquido, 4 ongas ; cevada,
32 libras; canfora, 2 libras ; orcmorlarlaro, 2 libras ;
extracto de beladono, 1 onga ; emplastro confortati-
vo, 4 libras; flores de sahiigueiro, 8 libias; ditas de
rosas, 4 libras; grauniia, 3 libras; gomma safti-
da, 2 (liras; hidriodalo de potassa, 1 onga; jalapa,
4 libras; man, 32 libras; oleo de amendoa-doce, 8
libras; dito do* cravo,1 onga; dito do canella, 1 onga;
dito de rosas, 1 onga; dito do flor de laranjas, I onga;
dilo do horlelaa-pimenta, | inga; dilo de Hlfazema,
4 ongas; papoilas brancas, 4 libras; puntas do viudo
calcinadas, 4 libras; oleo ile rocino 6 garrafas; raiz
dealleia, 32 libras ;-cerveja preta, 12 garrafas; sal
d'Epsom, 32 libras; raiz de chicoria, 4 libras; se-
iii ente de linho, 32 libras; tridaei, 1 onga; xa*rope
peUoral, 12 garrafas; dito de espargo, 12 garrafas;
livros em brapco nautados, pequeos, de 50 a 100
folhas, 8; dito grande de 400 follias, 1; folhinha de
algibeira do presento anuo, 1; bonecas do gomma-
graxa,2 ; papel almago, 4 resmas; dilo de mata-hor-
rao, i resma; compasso, I; lira-linbas, 1. Quem taes
gneros quizer fornecer, mandar sua proposla em
carta fechada direcioria do mesmo arsenal, al o
dia 12 do corrente mez.
Arsenal de guerra, 7 de maio de 1847.
Joao Ricardo da Silva,
A administragao geral do eslahelecimentos de
caridade manda fazer publico, que no da 17 do
concille pelas 4 horas da lardo, na sala de suas
sessos, rilo a praga as rendas das casas lis, 1 o 2 da
ra do Cabuga polo tempo que decorrer do pii-
meirodo julho prximo futura a 30 de junbo de
1850. AdminislrugBo geral dos eslabclecimcntos
de caudado 10 de maio de 1847.O escritura-
rio ,7renc#o Attltnio Cavalcanli Cousteiro.
a lodosos cauoeirus, princ|ialinen-
to aos quo a conhecem, do por toda dil i gencia, pois
I desucceder quo lenha sido tambem hieda por al-
guem; quo sera bem recompensado aquellefuea
Irouxer, ou dola de noticia.
podeiu levar ao abaixo assignadoa negra Jose-
fa, de nagBo Cagange, cor pela e lustrosa,idade de 17
anuos, denles da parlo superior limados, alta, c-
suda, soio alacado, touligogrosso, bem fallante; le-
vou camisa de algodaozinbo nova, vestido de chin
cor de caf com lislras azues, com branco o verde
de mistura, panno da Costa com matamos brancos;I
pode ter mudado de roupa por ter alguma tora a la-
var-se; comprada no dia 6 a Antonio Garios de Sou-|
rza o Mello, c fgida no dia 10 do correlo.
'Antonio .Hnnos Jacome Vires Jnior.
No dia 12 d Crranlo furlaram no Alerro-da-
Boa-Vista, loja de marceneiro, n. 37, um relogio ds
ouro de bom lainaulio, com os signaes seguintes:
noamostradorseacha o nomo de seus autores llru-l
guel cFils, e nas costas as lettras ini caos G. II .1
gravadas: quem do dito relgo souber, c rnlregarj
na mesma casa, receber 20,000 rs do gralifica-
cao. ,
-Oabaixo assignado hi procurador bstanlo ooi
\\r. majar LuizSoares Raposo da Camera, e lem po-|
dores especiaos para novamenlc arrendar o seu mor-1
gado na ilha de San-Miguel, quo dove espirar o ul-l
limo arrcndamenlo em agosto do corronlu anno:|
quem, pois, esso negocio pretenda fazer, dirija sel
ao abaixo assignado, que tambem faz coi lo que t"i|
desoiicnido do procurador, desdo 2g do fevereiro uoi
correlo anno, o ox-procurador o Sr. Jeronymo t-|
bral Raposo da Cimera.
Jos Dias da Silva.
OSr. Antonio Pereira Guimarfles, quando tive'
occasiito de vir ao liccife.queira apparecer na loja '
louga, atrs do Corpo-Sanlo, n. 68, a negocio.
- OSr. Francisco Antonio Ponliial queira din-
gir-so a loja do louga atrs do Corpo-Sanlo, n. 68, a
negocio,
- O Sr. Antonio Raymundo da Silva, morador cm
Areias, dirija-seao Recie, atrs do Gorpo-Ssnto, n.
68, que seibo desoja Tallar.
Piecisa-se de um caiseiro de boa conducta, que
cntenda de ferragens, e que seja hbil para o balea
quom estiver nestas circuiiislancias annuncie sua
inorada, para ser procurado. L
Pela primeira vara do clvel, escrivflo Reg, lio-1
je, f4 do corrente, se arcemalarap. os bens pe-j
nhoradosa Gandido Leal Ferreira, por,exocugflo qmj
llie movo Joflo Cavalcanli do Albuquerque, noluga'l
do coslu me. I
precisa-sefallar ao Sr. Jos Correis^Canipci'o,!
na ra da Cadeia do beirr doanto-*"
n. 25, para negocio de inleress!
se Correjs^Gami
^nlo-Alteio,


^
,
LOTERA DO TIIEATRO PUBLICO.
Em conscquencia de so nitp ter completado a von-
ila H<> lllietes dcstn lotera, e existirem alguns a-
i'nln pm ser, o respectivo thesoureirodcixon de fazer
o efTectivo o andamento das rodas no da !2do cor-
...e e o transforja para o .lia 29, iio qual espera rea-
lisarirrOillivpImenlo o dito andamento; e pede -
niicllas pessoas que leem mareado e apartado billie-
les que 0!i viln receher al1' *ia 26'
_'_ joo Jos de Carvalho Moraes, agente, nesta
praca, do contrato do tabaco do reino do l'orlugal,
participa o respeilavel, publico que pelo ultimo na-
vio rhegado de Lisboa receben onlem daquelle
contrajo para de boje cm (liante poder vender a re-
talhoo rap princesa de Lisboa, a 3,200 rs. cada
hole, o om caitas a 3,000 rs a dinbeiro a vista ;
bem como declara que nilo troca rap a pessoaal-
guma pnroulro motivo que n.to-seja mofado.
__ Precisa-se do un Tortor quo entenda de plan-
tacoes e poda para um sitjo pcrto da praca : na ra
da Cadeia do Recite, casa n. 37.
* Na ra das Cruzas, n. 25, existe urna carta para
oSr. Jos Jacinlho liento mbar, vinda de Por-
tugal.
Quem precisar de um rapaz brasileiro de boa Mu soja diligonte e sem vicios! para o servicocx-
condiicta, para caixeiro ou oulra qualquer arruma-1 r" ',0 um" casa ao Pn,,ca familia. Dirigir-se a ra
cilo, tanto para aqui como para fra da cidade, di-
rija-tea loja de miudeza de Joaquim llcnrique da
Silva, no arco de Santo-Antonio.
Aluga-sc o sobrado de um andar- o sotilo sito
na ra da Praia, n. 74 : a tratar no armazem por
laixodo mesmo.
Quem anniinciou precisar de um mogo de boa
conduela c que cnlenda de escripia e seja activo pa-
ra cobrancas, sendo que anda nao tunha, dirija-so
a ra Imperial, n. 37.
Quc-m precisar de urna ama com bom Icile, for-
ra, dirija-se a ra larga do Rozario, indo para o
quartel, n. 21, segundo andar.
Quem quizer dar 800,000 rs. a juros com hypo-
Lheca em una casa terrea ivio e desomhai agada,au-
nuncie para ser procuiado.
Precisa-se de una casa de urna dons andares,
com aecnmmodages para numerosissima familia, e
eni lugar assaz areijado, em algum largo, pfir exom-
jilo, e o mais cen al possivel do lauro de Santo-
Antonio : quema tiver para arrendar, dirija-se a li-
vraria do Dr.Coulinho.na esquina do ra do Collegio,
ou annuucie por esta folha.
Turto.
Furlaram.das 5 para as 7 borasda larde do dia 10 do
correnlc, do primeiro andar da casa n. 50 da ra da
Caileia-Velba.um relogio palente inglez.d'ouro, com
vidro, levando urna chave ordinaria presa a urna fi-
la : roga-se a pessoa a quem for offerecido, ouque
saiha a mfo em que para, de avisar na casa cima
(lila a Cunba & Amorjm, que se gratificar.
Peranle o Sr. I)r. juiz do civel da segunda va-
ra no da 15 do corrento, na sal das audien-
cias, depois dolas, se ha de arrematar urna casa
terrea, sita na estrada nova cm trras foreiras, por
execucilodo Mannel de Jess Jordfio Caldeira con-
tra Angela de Jess Soarcs da Silva quem a preten-
der comprela.
--0 abaixo assignado faz saJier que so ach' dis-
solvida a sociedade que tinba na luja de fazendas ,
DI ra do Collegio ,.n. 3, que priucipiou gyrando
com a firma de Fcrri1o& Pinbeiro : por isso declara
o abaixo assignado, que nilo lein gerencia algunia
no activo ou passivo da mesma sociedade ; e para
que a lodo o lempo o abaixo assignado nilo lenba
responsahilidade faz o prsenlo anuncio. = Re-
cife, 10 de maio de 1847 Joo Jos ('ornes l'inheiro.
Precisa-se do um -forneiro : na ra larga do
Rozario padaria n. 48.
A pessoa que annunciou precisar do 1:400,000
rs. o oulra quelambein quer 800,000 rs. dirijan)-'
so a ra Nova, n. 63. Tamben) avisa-se ao Sur.
Paulino Ferreira Nunes, que apparcea na mesma
casa afim de resgatar uns penhores, visto nilo che-
pa re m para o pagamento; do contrario serilo ven-
didos.
Franeisco.Carneiro da Silva, arrematante do
Imposto do gado vaccuin de toda a provincia no
triennio financeiro de 1847 a 1850 nilo leudo eflec-
tuado as vendas dos municipios de fra, novanicn-
le convida a todas as pessoas que qilizcrem arrema-
tar qualquer dos municipios de fora e bem assim
as freguezins desle municipio do ftecife, a compa-
recerom as 10 horas do dia 15 do corrente, tiuini-
dos de suas competentes garantas, em casa do seu
socio Anacido Jos de Mondonga, na Boa-Vista ,
casa dos Coelhos, n 2
A pessoa que annunciou no Diario de Per-
namliucu de II do cmi ente precisar do um caixci-
so para escripiuracjfo e ra, dirlja-se a Passagem-
genT-oa-Magdalcna ao pedo caes da ponte, n. 37,
que achara o prelendento, Jos Daniel da Costa Ca-
valcauti.
Perdeu-se, no mez de abril, urna carteira com
vanos papis pertencenles a Joo Antonio Sparcs de
Abreu : quem a liver adiado e a quizer restituir ,
entregara ao mesmo Abreu, na ra da Cadcia-Velba,
n. 11 que gratificara.
--A quem pertencer urna laixa de ferro, que se
aeha ao pe das escadinhns da alfandcga querendo
vendo-la dirija-se ao palea do Carato n. 17, ou
anuncie.
Quem annunciou querer comprar o catecbis-
mo de Jofio Baptisla Say dirija-se a ra larga do
Rozario n. 8, piimeirO andar. Na mesma casa ha
urna grande poreuo de .muito boas obras p.ara se
vender m muito em ronla.
-- Aluga-sc a casa terrea da ra da Pontc-Velha ,
n. 94 : a tratar com Dominarte Soriauuo Concalves
Ferreira na ra do Trapiche armazem n 19
Aluga-se oariuazcm do Forle-do-Matlos, n. 14,
com mu i tos com modos pana ler preas de algodo,
ou mesmo para recolher gneros de estiva a tra-
tar com Manoel l.uizda Vciga todos os das uleis ,
no caes da Alfandega armazem n. 5.
Precisa-se de. KOo.oo rs. a premio dando-se
por seguranza urna casa no bairro do Roa-Vista ,
!|uc rende 10,000 rs. mensaes : no armazem n. 3, de-
ronte la onlem (erecira lo S.-Francisco.
Offereee-se para caixeiro, um moco de 18an-
no natural da provincia do Cetra, o qurld fia-
dor a sua conducta : quem de seu prcslimose qui-
zer ulilisar, dirija-sea ruada Cruz, n. 51.
A Senhora I. Anna Joaquina Coelho anuncio
sua morada para se Iho entregar urna carta, vinda de
Lisboa.
, Na ra do Sebo, n. 3, empresta-se dinbeiro a
juros cormpenhores de todas as quididades, em pe-
quenas porcoes.
-- Raymundo Piulo de Abreu mudou a sua resi-
dencia para o palco de San-Pedro, n. 10.
Manoel da Silva Santos, ven-
de farinha re trigo da verdadeira
marca SSSF, chegada ltimamen-
te a este mercado.
-; Aluga-se o segundo andar da casa da ra Im-
perial n. 1C7, com muilo bons commodos a tra-
tar na ra Nova n. 42 comDelliuo Congalves Pc-
reira Lima. ^ *
-- Aluga-so a cazinha, n. 101, do Alerro-dos-Afo-
gados : na ra Nova, loja n. 58.
Precisa-sealugar um escravo ou escrava cozi-
nheira : na ruado Alerro-da-Roa-Visla, n. 1, pri-
mouo andar. '
t)eseja-se fallar ao Sr. Jofio Marinho PaesBar-
reto :e como se ignora a sua morada, faca o favor
64. .
A pessoa, a quem fallar um relogio de prala, que
se eomprou por diminuto preco, dirija-se ra do
Collegio, n. 6, botica de Cypriano Luiz da Paz.
Precisa-se alugar um molequoou negro feilo ,
do Hangel, n. 59, segundo andar.
--OS. KM. queira mandar pagar o aluguel do
sobrado em que morou na roa Jo Hangel no an-
uo de 1842: alias se declara o seu aonie por exle li-
so para que os proprietarios do casas couhegam
como este Sr. procode.
--Offerece-se um rapaz para caixeiro de escripia,
ou mesmo de ra o qual d fiador a sua conduela :
quem de seu presumo se quizer ulilisar annuneie.
--O arrematante dasaforigesdoste municipio do
Recife pala ultima vei, faz corto a quom interessar,
que o lempo da revista da mesma afericlo se est
concluindo, e que Ihc nflo he possivel despachar a
todos,'guardando-so para os ltimos das, do que
os previne para qucjiflo alleguen)ignorancia em lem-
po algum.
_--() arrematante dosdizimosdos cocos desto mu-
nicipio do P.ecife faz certo aquellos pessoas que an-
da no pagaram a rnllerta dos mesmos cocos de
junhode 1846 a 1847 queemjuiiho prximo futu-
ro faz um auno por issoprelendc cobrar judi-
cialmente ; pois que, uo leudo sido possivel que-
rerem pagar amigavtlmcnte nao obstante a gran-
de condecedeucia que tem liilo com as mesmas, nilo
Ihc resta senflo dar andamento ao quo a lei empoe
aos que negam-sc a pegar.
Manoel Luiz de Veiga e mais herdeiros do fina-
do Manoel Luiz da Veiga previnem ao publico, que
uingiieiii trate negocio sobre uns terrenos que Jofio
Cavalcanti de Albuquerqiie e Itulino Jos Fcriiandes
de Figueiredo obtiv(>ram como terreno do marinha,
no seguimento da estrada nova de Luiz do llego;
cojo terreno he de propriedade dos annuncianlcs, e
so ada em questes judciaes.
Flix Crosdidier, chefo de orchcslra retira-
se para a Europa.
Attengo.
Jos Joaquim do Novaos participa ao respeilavel
publico,que mudou o seu estabelecimenlo de alfaiale
da casa dos 4 cautos da ra do Queimado para a lo-
ja n. 30 da niesuia ra onde so ada prnmptoa
servir os scus freguezesenm aquella promplidfiodo
costme e a (odas as pessoas que sua casa so -qui-
serem dirigir; assim romo vendo pannos, casimiras,
madapolfles, sarja para vestidos, cortes do colleles,
linas lie todas as qualidades, lencos do seda c de
Compram-so desde os primeiros al os nltimos
nmeros dos jomaos Panorama o Revista Universal,
desde seu principio ateo fim de 1816, ou cOlleccOes
annuacsccgnplets'is, em bom uso; quem tiver an-
nuneie, utiilirila-sa a ra da Madre-dc-l)eos, n. 14.
Coinprain-se, para nina encommenda, esrravos
de ambos os sexos, pelos e pardos,' de 10 a 40 an-
uos i!e idaile.e pagam-se bem, logo que agradeni: na
ra cstreita do Rozario, primeiro an lar, II. 31 .
Compra-so um jogo de gamo, que esteja em
bom oslado, com lodos seus perteuces: na ra da
Ciuz do Recife, n. 64.
Compra-se urna cria, com idade de
dous a oito niezes: na Cantboa do Carino,
n. 8, se adiar com quem tratar.
Comprsm-se psde larangeiras cm estado de
serem mudados : na ra Nova n. 42.
Compram-sc escravos de ambos os sexos : na
ra Nova, loja do ferragens, n. 16, se dir quem
compra.
Vendas.
('asa da F
na ra cstreita do Hozario, n. 0.
Nesteestabelecimentoaoliam-so a venda as cau-
telas da bem acreditada lotera do theatro publico
desta cidade, para cujas rodas est aiinunciado o an-
damento para o dia 29 desle corrente mez. Nos-
te eslalielecimenlo tambein se acham venda Ires
Uancelins deourode lei seni felio: a elles quo silo
de mullo bom goslo.
A PARISIENSE,
NOVA E inil.HANTK
para piano : vende-se na ra da Ca-
deia, loja n. 31 ; proco 50o rs.
Vende-se urna escrava do 10 annos de boni-
ta figura : na ra da lloda derradeira venda.
No Alerro-da-Boa-Visla, re*
fronte da calimba ,
vende-so urna porfo de sapatdcs brancos c prctos ,
parahomem, tanto por junto como a rctalho c
outrosmuitos calcados, por preco Commodo.
Aviso aos Srs. mcslrcs c
amadores da msica.
Flix Crosdidier chefe de orcheslra temi de
icio ai-se para a Franca lem a honra de participar
aos Srs. meslres e amadores da msica que vende-
r, nos das 10, 11 e 12 do corrente, na sua residen-
cia ra da Cruz n. 10, segundo andar urna col-
leco de .msicas, consistindo cm sinfonas para
grande orcheslra, valsas e quadrilhas quarlelos c
quintetos para rabera viola o ranecao ; um gratule
numero de operas majadal em armenia para mu-
sica militar; assim como vender tambei\i bordos
para rabecao grande, ccstaulcs para urna orcheslra
de 20 pessoas.
Vende-se a casa lerrca n. 3, sita na ra do
Bom-Sicesso em Olinda, por a quanlia de 1:200,000
rs., leudo um silio solfrivel, o a casa reedificada de
cassa, holoes de todas as quadades, retrozes, li-jnovo, existindo dentro dola varios malcraos para
rdias, e muilos oulros objeclos que sempreha de acabaralgumas cousas que faltam: na praca da l!oa-
haver venda; assim eoio llavera sempre obras
feilas" de todas as qiialidades.com a mesma perfeic&O
das de encommenda.
Wrecisa-se de tres ofliciaes de marce-
nciro, eslrangeiros : em casa de J. Be-
ranger, na ra da Florentina, n. i \.
v
l'recisa-sc saber quem lie o
procurador do Sr. Manoel
Ferreira Lima o qual es-
t em Portugal.
l)fio-se 100,000 rs. a premio a dous por rento.com
pcnhoicsdeouro ou boa firma : na ra" do Rozario
da Boa-Vista, n. 8.
OSr. Jos Joaquim Ferreira queira ir pagar o
que deve a Iras de Corpo-Sauto, n. 68.
Jciiil lio Soares de Menezes faz sci
ente aos amadores de bom gosto, que lie
chegado sua loja de allaiatc da ra No-
va, n. 3f>, um completo sortimento de
corles de colleles bordados ao ultimo gos-
to de Caris, e por preco commodo. A el-
les, antes que se acabem!
I'ni taroni, de 5 para G docorrenle,
um vestido de sarja preta, urna manta de
seda com lislras, dous lencos de seda, sen-
d( um por embanbar, um par de sap.ntos
novos, c o mais com pouco uso : quem
apprchenn'er o dito furto, leve praca da
Independencia, n 19, que sera gratifi-
cado.
Visla, botica 11. 6.
Vende-se urna prcta de nacfo: em Fra-dc-
Portas, 11. 110, ra do Pilar.
ii
Vendem-se tesonras de Lisboa mu lo linas, '
i
^
para costura, a 2,000 rs.: na ruado Lvra-
mento, n. 23.
-"rrr-r?~rr*?~r: i r? r:~rrr:rr~j
1
Compras.
Comprara-so diarios velhos, a 3,200 a arroba:
na ra do Livranienlo, n. II.
Contpram-se pe de larangeiras ta trra; assim
como 60 ditos de parreiras moscateis : na ra de A-
Vendem-se 3 escravos, sendo um negro, de 20
anuos pouco mais ou menos, urna mulata de 18 an-
nos, c um mulalinlio de 7 para 8 anuos, todos de
mu lindasadguras, c da mulata se dir ao compra-
dor as habilidades : na ra da Cadeia de Santo-An-
tonio, n. 25.
Vende-se urna carleira de una l'.ioos, um
(leiro proprio para qualquer eslabolccimento.e urna
mesa redonda do meio do sala, em segunda nio :
quem quizer comprar, annuneie.
Vendem-se dous lindos moloques de nacfio ,
de 15 a 18 anuos; um pardo de 18 anuos, oplimo
carreiro, e que he proprio para pagem ; 3 prelos de
24 anuos bons para qualquer servico sendo um
del lea bom carreiro { urna parda de 24 annos com
habilidades; 6 pretasrom algumas habilidades, de
20 a 30 anuos, sendo algumas de nacfio : na roa do
Collegio 11. 3, segundo andar, se dia quem vendo.
Vende-se urna liteira quas. nova, cobei la toda
de sola : na ra do Hospicio, casa n. 50.
Tres herdeiros do fallecido Alvaro llarbalho U-
cha Cavalcautc veudem as parles que leem no en-
golillo San-Salvador, sito na freguezia da Muribcca,
o qual foi avalijdo, cm 1836, por 12.800,000 rs. I
mesmo engenho ne muilo bom d'agoa, e est mo-
ente e correnlc. Os pretendenles podem dirigir-se
aopdesla typographia, sobradnho do um andar,
que acbarocoin quem tratar.
Vende-se ou trocarse por ca-
sas terreas, ou ul^um silio perto
da praga, urna casa de sobrado de
dous andares (a excepeo de urna
parte de dous conlos de res que
perlence a oulra pessoa),.cuja ca-
sa lie feila de muito poucos an-
nos, e repartida moderna; lem
urna excellente vista, bem como
um bom desembarque para o mar:
'-* JM-se dinbeiro a^OToa com penhores, o com-
rp njesmo emvfcbTas quebradas': na ra do
ra*pu
aifeel, n
,mt
pollo, n. 8:
- Compram-se pes de larangeiras, para'planlar, quem esta COmOll OU troca Olll
edilos dcliniflo, para cerca : na ra ireita, n. 10, M .. ^ f 1 r**,,
ou annuneie. zei' lazer, dirija-se a ra do Cres-
-Compra-soocatechismodcJono Raplista Say,' r 11 j |n||Il|:m (la
traduzido para portuguez : quem tiver annuneie. pO a rallar COI11 JUjC Jt^KJlilIU UU
- Compra-sc urna escrava moca que engommo Cjl va j\Java.
ecozinhe : na ra do Queimado, n. 4. I J
__Compra-so papel de diarios, a 3520 rs. a arroba:) Vende-se ou troca-se por urna casa terrea com I libra a 140 rs.; cevadacm caroco,a 100 r. a libra: na
na ra Direita, n. 104. 'quintal, ou por algum pequeo silio com arvores'rua Direita, 11. 104.
de frueto, perto do Recife, um sobrado novo todo
forrado, com um grande soto, paredes dnhrada-S
elios proprio*, o qual ronde por mez 34,000 rs.: a
ra cstreita do Rozario, 11. 10, tereeiro andar.
Tinta vctIc de oleo ,
em lilis peqoen.iH vende-se por prrfo commodo : na
Na da CriU-.ii. 10, ariiiairui de Kalkinaiin & Hosenuuind
Vende-se una prela rrioiila, de honila (gura,
de 23 anuos, boa engominadoia, ensaboadoira.e que
co/inlni o diario de urna casa : na ra Ilireila, n. 07.
Na bodea da roa do Rango!, vendom-so os re-
medios segiiinles, dos (paos a experiencia tem in-
firmado os melhoros elTeilos : denlilico quo lema
propriedade de limpar os dontes cariados o rest.-
iiiir-lbes a cor esmaltada em muito poucos dias ;
o uso do dito remedio fortifica as gengivas e tira o
niao olicro da bocea proveniente nilo s da carie,
como do trtaro que se uno ao peseoco (lestes or-
gflos ; o remedio ho designado pelos nmeros pri-
meiro e segundo : orehata purgativa mui til as
enancase as pessoas de toda e qualquer idade; lie
eomposta de substancias vegetara, nfo conten
mercurio, nem droga alguma que possa prejudicar :
remedio para curar calos, em poucos dias ; dito pa-
ra curar dores veneras antigs, e que teem resistido
ao tralamento geralmente appicado ; dito para pro-
vocara monstruaeo', e aecelerar a acefio do ulero
idade de 20 annos, muilo forte; umdilo de 18 annos,
nos partos naliiiiics em que uo so precisa das ma-
nobras seieutilioas da arte ; dito para resolvor tu-
mores lymphalicos vulgo glndulas; ditos para
curar boulias o chivos seceos o mais cllieaz que so
conhece at aqui ; dito oximel de ferro, muito til
nasolilorozes vulgarmente chamadas frialdades;
nos anli-biliosos de Manoel Lopes, capsulas de ge-
latina contend) balsamo de cupahiba ; ditas do
oleo de rocinos purificado ; ditas do cubebas' cm p
lino; ditas de assafetida ; dilas com pos purgantes;
dilas do ruihardo da China; ditas do sulphato do
qiiininndn 1 e 2 graos cada capsula; algaleas; veli-
nhas elsticas : pilulas de sal de cabacinlio; agoa
das Caldas ,ohegada prox:mamenle ; remedios quo
curam a Moldado dentro de 10 dias, mesmo estan-
do lachado ; Oleo muilo bom para conservar o ca-
bello, que, alem de uo deixar eahir o cabello, lim-
pa a caspa e cujo uso continuado faz reapparecer o
cabello perdido ; pilulas especificas para curar as
gunorrlieas chronicas quaiidn a leso nfio passa da
urda ; igualmente um xarope auti-bemorragico ,
appicado nos caaos em queso deilasaague pela boc-
ea. (> prego de todos os remedios he mui rasoavel ,
e os bons resultados da sua applicaciio be quo devora
fazer sua apologa.
O barateiro da Boa-Vista
est vendendona sua loja do Aterro, n.10, a pri-
inora indo da ponto) fazendas tfio boas e baratas
qUO causara admirarlo por sua ptima qualidado o
baratos procos, e mesmo por se nfio acliarem em
oulra parle. Ahi acbarflo os freguezes amigos do
hora o baratp as segiiintcs pechinohas : chitas escu-
ras, proprias para vestidos do trazer por casa, a 120
rs. o oovado; um completo sortimento do outras
mais linas, llevaras COfao padrOes, a 140, 160, 180
c 200 rs.; algodOesamorieanos de lislras para roupa
de escravos, por serem muito eneorpados c bem l-
culos, a 200 rs. o covado ; gambrooes para caloas,
Atonda proprio da presente estacQo por ser de po-
dres oscuros imitando casimira, a 1,000 rs. cada
corte de tres covados c meio ; cassa lisa com vara do
largura, a 220 rs. a vara; dita de quadros e lislras,
a.110rs. j madapolcs limpos sem avaria, fazonda
sofTi ivel, a oito patacas e nica a peca;ricos cortes do
cassa celeste para vestidos de senlioras.a 3,200 rs.; o
pecas de bretaiiha do rolo com 10 varas, a 1,410 rs.
Vende sea verdadeira e superior
polassa da (ussia, branca, e em barris pe-
quenos : na ra da Cadeia do llecife, ar-
mazem n. 13, de Buhar cV Oliveira.
Vende-se urna oplima escrava parda, de ida-
de de 30 anuos, ongoinmadeira, coziuheira, cos-
tureira, e muilo propria para ama de urna casa, por
sordo muilo boa conducta e bastante entendida :
na ra cstreita do Rozario, I. "andar, n. 31.
~ Contiua-sc a vender calcado da Ierra, para
homem, mulheres e meninos ; sola; couros o mais
alguma cousa, por precio commodo: na ra Nova,
loja, 11. 58.
Vendo-so por todo o proco para liquidar ra-
tas o segnule : vestidos de cassa, de varios gestos;
ditos de seda; ditos deselim; ditos de cambraia ;
ditos do chita ; pecas do dita ; ditas de madapolfio ;
(lilas de baniburgo ; dilas de algodfioziiiho ; chales
dobla eseda; ditos de seda ; ditos deba; muilos
sapalos de lustro ; loncos; cassas, para hallados, e
outras militas fazendas de goslo ; o diccionario por-
tuguez o latino; o Indicador do cambio, banco o
commercio ; varios nmeros do Panorama do 1843, 8
algumas obras dcouro : na ra do Hangel, n. 11.
Corra ni, corra m depressa, fre-
gueses,
ao Passeio-Puhlico, na loja nova n. 19, do Manoel
Joaquim Pascoal Ramos, que se aeha do novamen-
te sortida do pechinchas, ludo por melado do seu
valor.como sejam: cortos de cassas-chitas napolita-
na, com 9 varas, a 2,500 rs., e em covados a 200 rs.;
Cortes d* chitas francezas.a 1,800^2,000e 2,400 rs.;
chitas linas para cobortas, a 110, 200 e 220 rs.; ditas
lias para vestidos.a 110,160,180.200,220,210 o 260 rs.;
riscadinbos francezes, a 220 c240rs.; primor com
listras de seda, para vestidos a 320 rs. o covado ;
longos de, cambraia, pintados e muilo grandes, a
400 o 480 rs.; mciosditos para grvala, de cambraia,
com listra de cores o de quadros, a 320 rs ; ditos m-
teiros para dita, de seda piola, a 1,000, 2,000 c 2,500
rs. ; cortes de meia casimira franceza, a 2,400 rs;
dilas i 1 lando/as, a 2,600 o 3,000 rs ; ditos de pello
do diabo, a 1,400 rs.; ditos de lila para caigas, 1,500
rs: ditos de sempre-dura, a 1,300 rs.; madapolfio
muito lino, a 2,000, 2,100. 2,800. 3.600, 4,000, 5,000 e
5,200 rs.; cambraias lisas de vara de largura, a pe,
Ca a 4,500 rs., c a vara a 610 rs ; algodiio de lislra-
a 160, 200, 220 e 240 rs. ; dilo mesclado eazulflo, a
220 e 240 rs.; e outras muitas fazendas pelo dimi-
nuto prego do quo cm oulra qualquer parte.
ATTENC AO AO QUE lili ROM E BARATO.
Vende-so caf moldo de superior qualidade, de
quatro libras para cima, a 140 e alGOrs. a libra; dito
decevada cm porco do qualro libras para cima, a
140 e a 160 rs. a libra; chai u los do regala, os melhoros
que hojo ha, a 1,400 rs. acaixa; assucar refinado, a
2,720 rs. a arroba, e a libra a 90 rs.; manteiga ingle-
za muito boa, a 720 rs. a libra; cha hysson, a 2,320
rs. a libra; cale de carogo, a 4,000 r. arroba, e a


.
o Veodrm-ie moendaj de ferro para engenhoa de
mear, par vapor, agoa e beata*, de diversos tamanhoi.
por pire coinmodo e igualmente taix.is de Trro coado
e balido, de todos o tamaahos : na praca do Corpo-SaiK
lo, n. 1], em cata de Me. Calmont & Companhia, ou na
ra de Apollo, armazem, n. 6.
Gaz.
Loja de Joo Chardon ,
Mcrro-da-lioa-Vista, n.5.
Nesta loja aclia-se um rico ioi lmenlo de LAMPEOES
PARA GAZ com aeus competentes vidros accendedo-
res e abafadores.
Estes eandieiros <> o, nexbottt c
mals modernos queeiistem boje: rrcoinmrndam-seao
publico, tanto pela seguranja e bom gosto de sua boa
confeceo como pela boa qualidadc da lu, economa c
asseio de seu servico.
JVel llieSfna loja consumidores em-
pre acharo utri deposito de GAZ de cujo se afianca a
qualidade, e em porco bastante para consumo.
Novos gambreoes.
Na loja do Guimarfles Serafim & C., confronte ao
reo ile Sanio Antonio, n. 5, vendem-se novos gam-
breoes a 1,400 rs. ocrteile tres onvadose meio;;es-
ta razenda torna-so reeommendavel para a CSlacflo
prsenle, por ser razenda eneorpada e escura; e finge
a casimira Tranceza por torpadres imilantes ;i chi-
tas a 120 e 140 rs. o covado, e alm disto um com-
pleto sorti.liento de toda a qualidadc de fazendus.
A* 800 rs. o corte.
Na loja de Guimarfles Serafim & G., confronte ao
arco do Santo Antonio, vendem-so lindos corles de
Tuslflo, cores fixas, pelo barato proco de 800 rs. o
corle; cassa-cbilas com flores, linas o largas, suecas
e inglezas, a 240 rs. o covado.
sa de padres agradaveia e corea flxas, pelo diminuto
preco de 2,'000 rs. o corte ; lencos francotes grandes
e linos flngindo soda, a 480 rs. cada um; lencos de
cambraia com bico, a 640 rs. cada um; dos ale dita
muilo linos com renda o bico, a 900 rs. cada um.
Polassa da Russia,
pelo preco de 180 rs. a libra, em barrl9 pequeos:
na ra da Gruz n. 10 armazem de Kalkmann 6
llosenmund.
- Vcnde-se cal vlrgem em nielas barricas chegada
iiliinamcnte ; calas rasias para assucar ; nina poreo
de pesos de ferro, de duas arrobas ; serras grandes para
serrar madeira ; tudo por preco coinmodo: na ra da
Horda, armazem n. l7.
Vriide-*e nm fortepiano de paten-
te London dos autores de Colard e (..o-
lard ; cxcellenle vinlio branro da Ma-
deba, engarrafado : na rua do Vigario,
armazem n. j, de Rothe & Bidoulac.
0R0M F. BARATO.= 31,000 RS.
Vende-so Tollia de ("landres da mais superior
que lem Vndo a este mercado, tanto em lustro
como em qualidade, pelo diminuto preco de21,000
rs. cada caixa ea 100 rs. a retalho : na rua Nova ,
loja de ferragens, n. 25 de Teixoira & Andraile.
7$000 rs. cnd.'i urna manta.
Na loja de Guimarfles Serafim & G., confionlc ao
arco deSanloAntonio,!).5,VCiidcm-M mantas de seda
modernas para senhora, pelo barato prest di' 7,000
rs. cada urna; riacados francazes finos, padrOcs mo-
dernos, a 240 rs. o covado.
possiveis no mercado, notandp-se com especialidade
asseguintes fazendas: chales de lila lindissimos
pailroes surssns para senhflaja a 2,000 rs. ; lencos
de(Inissima cambraia piulada e recortados, para
inflo ito senhora ,a 400 rs. ; alpaca a mais fina e
lustrosa que existe para sobro-casaca a 1,280 rs.;
nm completo sortimento de pannos finos, piolo ,
azul, verde, cor do azeitona vordo-escuro azul-
escuro dc3,500 at 8,000 rs., do melhor fabrican-
te e mais acreditado tanto em suas cores como no
fabrico ; princeza muito fina a 800 rs. o covado;
madapolffo, sofTrivel fazehda, a 2,720 rs. a peca,
ea 140 rs.a vara ; dito muito fino ,a 3,500, 3,800,
4.000, 4,500 e 5.000 rs., c a vara a 200, 220, 240 o
260 rs, ; lirios de linho de quadrinhos para jaque-
tas o cairas muito lindos padios a 640 rs. a vara;
dilosbrancoe cOr. de caima de puro linho tran-
cado a 1,000 c a 1,200 rs. a vara ; chitas muito fi-
nas e de cores fixas., a 160,180, 200 o 240 rs. o co-
vado ; lencos de cambraia bordados com libertos ;
sedas para vestidos; corlea de'collcte de (ustfio brin-
co edo cores; ditos de lila e seda, a 800 o 1,000 rs.;
cortes de cambraia ; ditos de Illa e de IfJa e seda ;
chapeos de sol, de seda para senhora, de cores,
c com franja ; riscadinhos francezes muilo lindos
padres a 240 rs.
A'
seda
NA HUA DO QU RIMADO, N.
Vendem-sc lindas mantas de
muilo finas as mnis modernas que lia ,
propriai para senliora e meninas, a 3,>oo
rs. ; cortes decassa de Corea fixas, ede
lindos padroes, a 4ioo rs. ; surja lics-
panliola ; dita franceza ; los pretos ; tu-
do por menos de sen valor, por ler aca-
bado a Quaresma : na loja nova de l*
C. Leile.
-- Vcndc-se o restante da superior farinha, a
3,200 rs. a sacca : na rua Dircita n. 9.
Va rua do Colle-
gio, n. 17, loja
de molhatlos.
HPERIAL
DE I1APE FINO
rw
FABRICA
NACILA!.
A* 12.7000 rs.
Na loja n. 5, confronte ao arco de Santo Antonio,
vendem-se ricos cortes de ehaly de liaeseda, pa-
drOcs modernos, pelo barato prego de 12,000 rs. ca-
da corte; riscados francezes finos e modernos, a 240
rs. o covado; cuarta azul cncorpado, da fabrica por
tugueza, a 200 rs. o covado: esla razenda he propria
para escravos.
-Na rua da Gruz, n. Stf, vendem-sedous bous es-
cravos, proprios para todo oservico.
PANNOS pftETOS FINOS
novos na loja ; velludo pelo; chama -
lole tle seda, para colleles e gollas ; sc-
tiin macau ; o verdadeiro britn trancado
de listras de cores : na rua do Queimado,
loja nova, n. n, de Haymundo Carlos
Leile.
Vendem se "VF.LAS de cera do
Kio-de-Janciro e de Lisboa, grande c
completo sortimento : na rua da Senz.nl-
la-Velha, armazem n. no, de Aires
Vianna
VI Vendem-se superiores chapeos de
>fi^.casrftr, pretos e branCos, por preco
muilo barato : na rua do Crespo, loja n.
la, de Jos Joaquim ila Silva Maya.
Na rua do Crespo, n. 12, loja de
Jos Joaquim da Silva Maya ,
vendeta-sc ricos coi tes de cambraia para vestidos de
senhora ; ditos de bauzulinas, para vestidos : razen-
da esta muito propria jjara a cstacilo de invern, por
ser decOres escuras; um rico sorliinenlo de manas
tle seda e de seda e [fia para senhora; manlinhns para
meninas a duas patacas cada urna ; chales de seda
de bonitos gostos c diflt-reiilrs lamanhos; meias de
seda brancas eprctas, para senhora o honicm as
mais superioresjuc leem viudo a esla piara; pan-
no lino prelo e tle cores ; alpaca a 800 rs. o cova-
do p muilo fina a 1.600 rs. ; cambraias para cor-
tinados de camas e janellas assjm como franjas pa-
ra os mesmos ; cortes de calcas de casimira france-
za elstica e muito superior, a 5,000 is. cada corte ;
cortes de colleles de velludo, gorgurflo, setim c de
rustio', por preco muilo barato; panno de linho, a
400 rs.a vara; cobertores para escravos, e nutras
muilas fazendas que todas se vndenlo por procoa
muilo baratos.
Vend,cm-sc bolins e meios dilos francezes, a
3,000 rs.; ditos de Lisboa, a 2,000 rs. ; borzeguius e
sapatos americanos de duas palas, a 2,800 rs.; s-
palos de cabra; ditos de tamanco, a 500 rs.; no A-
lerro-da-Boa-Vista, n. 84.
= Vende-scuma parda de muilo bonita" figura ,
que cozinha bem o diario de urna casa lava
de sabaoe-varadla, cose chao, che muito boa pa-
racas de familia : na rua do Collegio n. 16 ter-
ceiro andar. '
.i.TVende-m"* dous rrclos sendo um delles ofii-
cialdecarpina ; urna preta e urna parda com urna
cnadesmezes; urna inda negrinha de 7 innoa
propriapar. andar em casa com enancas: na rua"
da Oadeu de S.-Anlonio n. 25.. -rua
A' 2^000 rs. o corle.
Na toja de Guimaraes Serafim & C., conrronte ao
arco de Santo Antonio,!. 5, vendem-so cricade caS.
Esto eslahelecimento abrio-se, ha poucas dis,e
romo esteja com um sortimento de todos os gene-
ros romc.slivos a seu alcance, leva ao conherimeii-
lodo publico que sen proprieta rio est disposto, pa-
ra chamar a alteiicfio dos fregueses, a vender pelo
mais mdico preco i ossivel c talvez sem exemplo.
Alt'in disso alianca-se que ueste estiibejecimanto ,ha
o niainr a.sseio o delicadeza nos cnVilos, para bem
servirseus rreguozesi ha bom vinho do Porto, Lis-
hoa e da Kigueira ; bom presunto para fiambre,
ipaios lingbicas, azeilonaa, sardlnhas, cerveja ,
ele. ; ludo novo fresquinho c em ronla ; e muito
ekoellentes queijos londrinos, a 1,760 rs., muito
fresca es
Vendc-se urna boa vacca de leite, com urna
hezerra grande; j da pouco leile he boa para criar
por sercrioula c muito mansa por preci) comnio-
do : no Aterro-da-Boa-Vista fabrica de licores,
n. 17.
-- Vemlc-se, ou permuta-sc por terreno dentro e
perio tiesta praca urna casa de taipa, muito bem
nia (oda ladrilhaila o rebocada na principal rua
de Pedras-de-Fdgo: no Alcrro-da-Boa-Vista fa-
brica de licores, n 17.
Sement rfe horlalirc.
Ramanos, ral.anetes nabo, chicoria, senoulas ,
chicarolas, se I gas salea, alfacc ceblas broco ,
repolho, pimpinelas aipo, espnafre, couve, almei-
rfio; tudo muilo novo o chegado ltimamente de
Liaboa, vende-se na rua da Cruz, n. 22."
Vendem-se 8 escravos sendo : 2crioulos de 22
a 26 anuos sendo um del les ollicial de sapaleiro e
o oulro de todo o servico tanto da praca como de
campo ; 4 negrinhas de 11 a 12annos, proprias para
mucamas e para sercm educadas; una mulatinha
clarada n'ir de 13 anuos ptima para ser muca-
ma c ser educada ; urna paula de 26 anuos, muio
possaute para o servico de urna casa e mesmo para
o campo: lodos estos escravos silo de bonitas figu-
ras sadios sem vicios nem achaques, e vendem-
se por preco com modo: na rua das Cruzas, n. 22,
segundo andar.
Vende-se cerveja branca e preta bocea de
prata mante X* a melhor que vem a este mercado ; assini
como o mais excellente e delicioso vinho de Bor-
deaux engarrafado, e em caizinhaa de duzia;
chnmpanha lamhcm do muilo boa qualidadc : tudo
por preco com modo: na rua da Alfandcga-Yclha ,
ii 42, casa de Adamson Howie& Companhia.
Na loja nova do Iasseio-Iu
blico n. 17 ,
vendem-se pecas do cambraia branca lisa, muito lar-
ga o fina, com-e;varscmea, oque muito bem da
2 vestidos, a 2,560 rs. a pe va. A ellas, antes que aeabem : ilepois uflo digam que se lazem annuncios
sem lera razenda. Igualmente ha uns riscados ilc
quadros, de linho puro, muilo
q tulas, a 400 rs. o covado. -
Vende-se um sellim para montara de senhora
A grande oxtracc.lo que lem lido esto rap, depois
que foi exposto a venda heprova inconlcstavel do
bom acolhimento que tem merecido. O nico de-
posito he ha rua do Trapiche, n.34, e a retalho
vende-se as lujas dos Srs J J. de Carvalho Moraes,
A. F. Pinto & Inulto A. B. Vaz de Carvalho, Cu
nha & Amorim Ponles & Sampaio na rua da Ca-
deia do Itecirc ; A. t). dcOliveira Bego na rua da
Madie-de-Deos; Campos & Almeida, na rua do
Queimado; T. A. Konseca, llmbelino Maximino
de Carvalho, na rua do Cabug ; C. G. Breckemreld,
praca da Independencia ; Caetano L Kerreira Tho-
maz I. M. Kstima e Antonio l'ereira da Costa o
Gama Alerro-da-Boa-Visla.
Vendem-se duas vaccas torinas, com duas crias,
chegadas de Lisboa no ultimo navio: no porta da
airandoga boje, 14 do corrate.
Vendem-sedous escravos de naco bonsca-
noeirosc um por 300,000 rs.', o o oulro de meia ida-
do, por 150,000 rs. ; ou trocam-so por duas pretas
sem habilidades e que sirvam para Irabalhar no
campo: atrs da matriz de S.-Antonio n.20,ou
no cscriplorio de Beruardino Freir de Figuoiredo
Abren e Castro na rua da Cadeia do Becife n. 3.
Vende-se a quanlia de 1:000,000 do rs. em moe-
da de 640 rs. em prata : nesta tvpographia se dir
quem vendo.
--Vende-se um pequeo si-
lio de boas Ierras, com alieer-
ces j promplos e divididos para casa terrea ou
sobrado com a frente murada e cercado dos lados,
com dous ps decoqueiros e varios de larangeiras ,
contrasarvores de Crudo na projeclada rua Real ,
que vai da rua da Soledade para a estrada co Man-
guinho, junto ao sitio do Sr. I'anasco : a tratar com
Jos Anacilo, na rua eslreita do Rozario n. 7.
Vendem-se, na loja de miudezas da ruadoCres-
> ''. oculos de armaefio de grao a 800, 640 e
400 rs. cada um ; conhecinien'los, a 20 rs. e a 1,000
ao Canto; chicotes Trnceles do ultimo gosto, a
00 e 3,000 rs. ; Irascos de graxa de lustro, a 500
is. cada um ; a qual tem lido grande extraecno.
vo de me ia (dado; um pardo de 20 annos; urna ne-
grinha de nacfio de 16 annos ; duas ditas de 20 an-
nos que cosei o engommam liso ; 6 ditasdemeia
idade; urna parda de bonita figura, que cose o
engomma : na rua Direita, n. 3
Vende-se um sobrado no pateo do Terco n.
26, em chaos proprios: a tratar no mesmo sobrado!
A' #o00 o corte.
Na loja de Guimariles Serafim & C conrronte ao
arco de Santo-Antonio, n. 5, vendem-se ricos cor-
tes do cassa dos padrOes mais modernos qug tem
vindo este mercado, o lindos desenhos pelo bara-
to prec;o de 4,500 r. cada corte; chapeos de sol, da
panniuhn riancez a imitacSo de seda, com lindos
cabos, a 3,200 rs. cada um.
Vodem-se escravos barata, na rua das
Larangciras.n. 14, segundo andar um
molecote inelegante figura sem vicio!
nem achaques, com olllcio de sapalei-
ro e.de pintor; um-dito de na^ilo, com
olllcio de sapaleiro o ptimo copeiro ; um mulati-
nho de muito boa conducta, ptimo para um pagem-
dous pretos, por 700,000 rs.; urna nrcta que nflo \\
velha por 350,000 rs.; urna dita de 20 annos, por
470,000 rs. ; urna dita que cozinha e engomma, e quu
esla pojada ; e mais alguns escravos que so mostra-
rflo aos compradores.
Escravos Fgidos.
rugi do poder do abixo
assignado, nm escravo, de no-
mo Domingos, do 20 a-22 annos, ciir par-
da baixo, musculoso, barbado e de
sujssa lechada cabellos pequeos na-
riz grossoe um pouco chato tientes al-
vos," com tima cicatriz semicircular no
anle-braco dineito, de urna canivetada
que levou ; he muito esperto e loquaz ,'
trabadla do dilTorenles ofileios e l al-'
' gunra cousa Como estivesse no Rio,
O Baha e AlagOas, dondo he natural, con- *
la historias (lestes lugares ; e sendo pos-
sivel que tenha sabido da cidade pode
illudira qualquer de quohn Torro. Ik'j-
appareceu n noitedo dia 10 do prximo
passado; levou camisa de chita azul [
QaJ calcas de hrin pardo li aneado, chapeo,
de pello voltio e sapatos, peis anda cal- i
cado; alm de urna trouxa com roupa.
Quem o pegar leve a rua larga do Roza-,
rio, n. 30, segundo andar,*que ser]
heni recompensado.
Doutof M. A. da Silva Pona.
proprios para ja-
quasinovo; urna canoa de carreira, para 8-pcssoa'
urna maloca de 11 annos, muilo lindj : rua da'
(.adcia-Velha, n. 27.
Vemlc-se um e.crayo do naQflo Congo de bo-
nita ligura e que he inlelligenle : na rua do Ouei-
mado, n. 11. v
Vende-se um molenuc crioulo do bonita fi-
gura do 28a 29 annos, e que he muilo sadio ao
comprador so dir o motivo por que so vende na
casa n. 7, dcfronle do porlilo do hosbital de cari-
dade.
- Vcndc-se. um piano horizontal, do muilo
inda construccfiQ de exccllenles vozes, c de mui-
lo acreditado autor: na rua da Airendega-Velha
n 42 casa de Adamson llowic & C.
Loja nova, o. 4 ,
ao p do arco de
^anlo-Anloiiio. na rija
do Crespo,
Nesta
vendem se
lisa, a
cores
e dos
corles de cambraia
1,280 rs.; (lilas de
fixas, a Sfi.'.MiO rs.;
mais finos c mclhorcs pos-
tos que lecm appreeido |
msla praejn a 4,00 rs.
Vende-se urna preta de 13 a 14 annos do bo-
nita figura : na rua do l.ivramento n 21.
Vendem-se enxeilos de larangeitas de cnibi-
go c selectas; ps de Trurla-pio ; dilxis de apgico ;
ditos de laiaiigeiras da China; dilos de limfio para
corra, c ditos de sapotis : na estrada dos Ailclos.
sitio ao pe do do Sr Quintella.
--Vende se, )or barato re-
co, um jequeno sillo de ex-
cellontes trras, com casas de taifa, porcm bem
edificadas conlcmjo duas salas, 4 quartos corre-
dor no meto cozinha e dispensa foro ,"do pedia e
Cal urna grande cacimba o outra menor, ambas
com excedente agoa do beber, varios ps de fruc-
teiras,4 pos de mangueiras, grandes e de muito
boa qualidade vanos ps de cajueiros jaqueirase
larangenas novas: alm disso, lem excedente bai-
xa para hortalica e capim ; lem muilo boa visla pa-
ra o campo da Eslancia Manguinho o oulros luga-
res ; he muilo proprio para morar, ou mesmo para
recreio por ficar porto desta cidade ; tem 240 pal-
mos de frente c 300 ditos de fundo pouco mais-ou
menos, com bom cercado e porlilo situado na roa
principal oa Capunga logo o segundo depois da
ponte, do lado direilo : a tratar com Jos Ade-
lo, na rua estrella do Rozario, n. 7.
Vende-so urna venda e casa de pasto dc-
baixo do arco do Sr.-Hom-Jesus-das-l'orlas : a tra-
tar na rufl da Roda no segundo andar do sobrado
defronte da cocheira do Sr. Pessoo.
--Vende-seummolequede 12annos; um escra-
Ftigio, no dia 6 do crrante um preto, de no-
me Pedro de uacilo Benguela alto cheio do cor-
po, hoi'cos grossos; faltam-lhe alguns denles na rren-
to; levou caigas de llnhagem grossa, camisa do
algodfio, pela parte de detrs azul ; btbe soffrivel-
menlc ; he de suppor que de vez em quando se cm-
behede ; desconlia-sc que elle anda pelos arredo-
res dosta cidade. Rnga-se as autoridades policiaes
o capijos do campo de o apprahcndcreni e levarem
a ria da Cruz, no Rccire, n. 26, venda de S Araujo,
que gratificar generosamente. -
Fugio.'do ongonho Boacica freguezia de Ipo-
juca comarcado Cabo, o pardo Joaquilti de 23
annos secco do corpo estatura regular, falla inei
tatara, denles limados; he carreiro. Quem o pegar
leve ao dito engenho ou na rua das Gruzes, n. 30,
que se recompensar.
Ftigio, no dia 9 do corrente, um mu-
lato de nonie Estanislao escuro, que re-
presenta ler 5 annos, pouco mais ou me-
nos, ollio.s |io| lenos, estatura baixa, gros-
so do corpo, cabellos bem pegados ao css-
co, feicOcs regulares, pouca barba, pesc-
lo curto, quebrado ou defeidioso, pernas
grossas, ps t lalos ; nao ie sabe com que
roupa fugio ; lem o vicio de beber, e lie
l.-eiii l.il hiiil c e pacliola : rogase s auto-
ridades policiaes, campaniles, ou qual-
quer pes.soa, o preiulam, ou laram pren-
der cjevar a seu Sr. Francisco Joaquim
da litii l i Falcao, no cugenbo San-.lose,
em a freguezia de San- Loureiiro, ou na
rin das Cnizes, n. 41), a Domingos da
Silva Campos, que serao generosamenle
recompensados.
Na manh.ta do dia 3 do crrante, das 7 para as
8 horas, sendo conduzida jiara casa do Sr. niajor
Antonio da Silva Gusmlo urna sua eacrava pre|, do
nome Romana, esla, no Atorro-na-Boa-Visla.doixa^-
do-se ficar atrs do portador que a conduzia, lugio.
A referida preta he de, Angola, bem ladina, e repre-
senta ter do idade 30 annos pouco mais ou menos,
estatura ordinaria, corpo cheio, poiem magro; tcni
o dedo grande do p direilo aloijajo, c em ambas
as pernas algu'mas chagas bastante grandes, e le-
vou vestido escuro de cinta com flores brancas en-
carnadas, e por cima saia preta de lila, e Ioi embiu-
Ihmla em um chale cor de vinliocom barra branca:
levou mais urna trocha, conlendoum loncoldeal-
godiio, e outros vestidos e roupas. Quem idesca-
brire pegar leve-a a rasa da ditoSr. Gusmlo, na m*
do Queimado, o na rua do Aragiio, n. 27, quesera
recompensado. ,
Fugio, no dia 8 do eorrenlc.um moleque de no-,
me Victor, de idade, pouco mais ou meims, le la-
os, de nacilo Congo, pom os signaes seguintes :
tem em cada'um olho nina belida, e poi rsso ve pou-
co; he bastante bexigoso: levou vestido u'*"'
branca e calca de riscado desmaiado, e uro bonete do
panno. Roga-sea todas as autoridades policiaes ea
capitaes decampo que o possatn apprcPPenuer, io-
vcm-noaFtirH-de-l'ortas, ruadoTilar, n. 145, que
sorflo rccoipensados.
PERN.
NA TYP.
. F.DK rAu. 1847'
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5PZJGN9L_Y7EDFD INGEST_TIME 2013-04-26T21:50:07Z PACKAGE AA00011611_08461
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES