Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08460


This item is only available as the following downloads:


Full Text
re
II-
jVnno de 184*7.
" n DIARIO puldica-se todos os di, que n'o
,1, murHi o prero ti astlgnattlra he He
2> ii. p< i""r,el- 'MS1* y""!'"'"; 5 "-
do! 4ii"nle' sao inseridos a ma de
TTot^"' 4*r* "" lTP Hiir'reo,e.
-i'osr* P'1" "*' I"8 n,, f"re,n s:R-
"P; oir5 80 r Prliah''' e t0" eu> lJP
PHASES DA LOA NO MEZ DE MAIO.
M;o.nK, min',dB Urde- '
i no '*' "* e m'n" 'arda,
ricen'te. II. '' llo ,6 ,oin- d" trJa.
i ,i chei, I*. !' ll0n" e I6 minu- dfre.
Quarttffera 12
PARTIDA DOS CORREIOS.
R,o.(,rnde.d.\o,le ,!, fi, omlo.,|ia
.celo, no I.', 11 e ,, de ,,, m
t.araiihunj a Riiuito, a 10 e II
Roa-Vista e Ploras, a H e 18.
Victoria, as quinta, feitas.
Olinda, todos os diai. ,
.V
PREAMAri'DE HOJE.
Primeira, a hoias < 8 minutos da larde
begunda, a I liom e 30 mininos da roanhSa.
de Ivfao
Anno XXX T.
JV..NM
DAS DA SEMANA.
tfi Segunda. .>. Anlonino. And. do I. dos or-
p!ios, do J. do c. da ? r. e do J. H. da S V
II Terra. S. Anast>cio. Aud. do .1. do civ. da I
t. e do I. de' pas du 2 dist. de t.
II (,)uKa S. .'osuna. Aud. do .'. do civ. d;
1 e do J. de paz do t dist d t.
Quima. >Tfi? Asee co dScnlior. S. Pedro
Retalado.
Sel. S Ciil. Aud doJ.docir. da I. v. *
do J*. de paz do I. dit. de t.
Sablwdo. S liidoro. Aud do J do civ. da
I. T. e do J de pat do I dist de t.
16 Domingo. S. Jo'.o Nepomueeno,
l
II
CAMBIOS NO DA II DE MAIO.
Camino solire Londres a 1* d. por IJ rs. a 6* d.
a a Pars I rs. por franco.
a Lislm 85 de'premio.
Dse, de ledra* da Ikms lirin-a I '/, p.*/a aomei.
OaroUiras lespanhol.... 18iam a 1#"M)
a Moeria>dS|>OaveUi. lu 100 a 16*500
a a de Gf 100 no.. IflliOO a 10*300
a de tfOOO..... SfnOO a ftlfO
Prala P.t.ces ....... l|iJ0a- I#0lo
a Pesos columnares... Hola a fn
a Ditos mexicanos ... ifTIO a lf'9
Miuda............. I|0 i #?<>
secte da comp. do Heberibe de i" Jooo rs. *o par.
DIARIO DE PRMMBUCQ
PA3TEOFFICUL.
.Governo da provincia.
EXPEDIENTE IX) DA 58 DO PASSADO.
Ofllcio Ao vereador da cmara municipal do Re-
c'ife, Joaquim doAquino Fonseca, declarando quo, a
vista do artigo 35 da lei do 1. de oulubro de 1828,
asadas das sessoes das cmaras devem ser lavradas,
discutidas o assignadas no fim das sessoes a quo fo-
rcm relativas ; cisto para evitar que nossas discus-
soeseapprovacoes tomem parte os vercadores que
nioaisisliram s mencionadas sessoes.
Dito -- Ao provincial do convento do Carmo desta
cidade, acensando remessa do aviso do 5"do marco
prximo paisado, polo qtinl S. M. o Imperador con-
cede um anno de licenga ao religioso Fr. Lino do
Mente-Car mello, para tratar de sua sade fra do
claustro.
Dito Ao inspector da thesouraria das rendas pro-
vinciaos, validando o contrato por que Francisco
Carnciroda Silva so obrigou a rccolhor aos cofres
da nicsina thesouraria a quantia do 122:000,010 ris
pelo producto do imposto de 2,500 rs. por cahega (le
gado de consumo cm toda a provincia, no triennio
de 1847 a 1850.
Dito Aodirctnrdo collegio dos orphTos, parti-
cipando que, por despacho de 23 deste mez (abril),
mandou entregar a Carlota Calharina do Mello os
seus dous h'lhosjoloo Francisco.
DEM DO DA 27.
Oflicio Ao presidente interino da relagilo, dan-
do-se por inteirado do ha ver S. S." concedido 15 das
do licenga com vencimentos ao juiz de dimito do
crimeda enmarca de Nozareth, Jaquim Manoel Vi-
eira de Mello.
Dilo Ao director do arsenal de guerra, ordenan-
do cm coDsequiicia do conledo em seu oflicio des-
ta data, despega o fiel do almoxarilado, Anacilo Al-
ves da Silva; e recoinmcndando que, concluido o
cxanie dos armazens do niesnio arsenal, participe o
resultado a presidencia para que est mande proceder
contra quem dt direlto for.
Dito Ao commandante superior da guarda na-
cional do municipio do Recife, inteiratido-o de haver
removido para u segundo batalhiio o instructor do
primeiro, o o deste para aqnelle.
EXTERIOR.
PORTUGAL.
MINISTERIO DOS NEGOCIOS DA FAZENDA.
SECRETARIA DE ESTADO.
Ilayendo-me sido presente que na maior parto dos
dislrirlos (lo reino, com excepefio do de Lisboa, se.
niio lem ainda concluido nslancamentns da dcima
e impostosannexos doannoeconmico de 1815-18*6,
em Tasilo dos embaraces o didiculdades que a guerra
civil tcm occasionado; aehando-se em consequen-
cia all a cobraiica destas e de outras contribuicOea
e rendas publicas cm grando atraso, o quo priva o
governo de un interessante recurso que devora ap-
plirar ao pagamento das despezas do servido militar,
e outras nfto menos importantes e indispensaveis ;
e (iiiercndo eu providanciar sobre esteobjeclo da
nianeira mais compalivel com as circunislaneias do
llirsoiiro o dos coiiti'iliuintos, coneo.lenilo a estos -a
permissiio do sntisfazerem a tolalidailc de seus dbi-
tos a fazonda publica em moeda fraca, urna voz que
o verifiquen) n'um prazo corto e determinado : llei
por bem decretar o scguinle :
Artigo 1.' He [lermillido a todos os devedores de
contribui^Acs c rendas publicas, fra do tlislricto de
Lisboa, sntisfazerem a importancia total de seus d-
bitos fazenda publica cm notas do banco, comtan-
to quo o facaw dentro do prazo improrogavel de
tinta dias, contados da data do presento decreto.
Art. 2." Nos concelbos, onde os lancamentos ou
ttulos decobra nca niio ostivercm promptos,poderflo
cffi-etuar-so taes pagamentos vista dos do auno an-
terior, urna vez que nisso convenliam os iuieres-
sados. *
Arl. 3. Fica suspenso, diyanto o referido prazo
de trinla dias. a rcs| eilo dos conlribuinles o deve-
dores fiseaes dos disti icios do reino, excepgilo do
de Lisboa, o cumplimento do artigo 1. do decreto
de 10 de margo deste anno, que delerminou quo lo-
dos os pagamentos, a eonlar do 1." do correute niez
de abril cm diantc, sefagain melado em moeda de
inelal, o a oulru melado em notas do banco de
Lisboa.
Os ministros secretarios de estado das difTerentos
repartieres o tenham assim entendido e facam exe-
euiar. Pago das Necessidades, em seis de abril de
mil oitocentos c quarenta esete. HAIMIA. VU~
cond$ de Ulivtira. D. Manoel de Portugal e Castra.
llardo de Ovar. Conde do Tojal. Jote Jacintho Va-
lente Farinho.
Todava foi combatido por algunsdepulados, en-
tre clles, pcloex-mnslro' da fazenda, cujas Dser-
vigfles resolvern! acamara a adiar esta queslilo
para quandd se tratasse das alfandogas.
Em seguida aprcsentou-seoulra emenda cm sen-
tido contrario, cuja discussao ficou pendente para a
seguintesessflo.
Os boatos de crise ministerial ainda ncsle dia cor-
riam em algunscircuios polticos; allirmava-se que
eram destituidos de fundamento, porque o gabinete
nilo dava indicio nonhum de dissolugflQ.
Ogoneral Pavia j tinha tomado possu do enraman-
ilo.da Catatutlha. Ilavia dirigido una allocuciln
aoexercto, qu"e tinha sido goralmonto bom rebe-
bida.
O guerrilheiro Tristany fuga em debandada ac-
tiva perseguieflo das tropas constituconacs. Toma-
vam-sc enrgicas providencias na Catalunha, eos-
perava-seque mo produziriam resultado nenbum as
loucas tentativas dos sectarios do despotismo.
aUDRin, 26.
A sesslo do congresso foi hontcm curia, porm,
summaincnte inlerossante. Antes dea proceder a
discussTo dos arligosdo projecto de Ir-i autoiisando
o governo para seguir na cobranga dos impostas, se
apresentnu urna emenda saluda dos bancos da mai-
oria, rujo objeeto era declarar que deveria caducar
a autorisago para o arranjo da divida'.' No principio
acredituu algucnrquc era este um acto de bostilida-
le contra o governo, apezar do provarem o contra-
rios nomes das pessnas queassignavam a emenda,
e as segurangas quo tinha dado este governo de nilo
querer fazer uso de semelhante autorisago.
Combalida a emenda pelo Sr. Mcndizabal, foi de-
fendida pelo Sr. Martnez de la Roza, PonZoa e ou-
tros ; e deste debate resullou que nlo era a inten-
tan (lestes deputados manifestaren) desconfianga no
governo de Sua Magostado, mas sim evitar que una
oulorisagilo de, tanta magnitudo o transcendencia
fsse cabiralgum dia as mitos de pessoas que n.rio
soubessem applica-la, comquanto seja improvavel
que Sua Magestade venha a honrar com a sua con-
fianga pessoas quo nao sejam dignas do'apoio do par-
lamento.
Cossaram, eomtodo, as incertezas quando seapre-
senlou oSr. lira fio Murillo acolhendo a emenda e
declarando que o gabinete a aceitava e a defenda.
Rale acontecimento dissipou o ultimo vestigio de
duvida, e a emenda oi approvada unaniniemcnte,
tendo-se abslido de votar alguns Srs. deputados, c
votando por ella alguns que porventura nlo se
acbavam inteiramentc conformes com o espirito da
providencia proposta.
Hontcm nTo se disse nada a respeilo de criso mi-
nisterial ; nos circuios mais bem informados dizia-
se que era mais que provavel a continuagilo do ac-
tual gabinete.
Anda nflo tomos capitlo-gcneral de Madrid.
Minios e importantes projectos de lei pendern da
appiovagto do parlamento. Contam-se entre os a-
presenlados ao congresso e ao senado, a lei de pesos
o modidas, a da moeda, a da contabilidade no mi-
nisterio da faz"nda, a da ordem publica, a da pro-
priedade Iliteraria, a das sociedades anonymas, a da
reforma do subsidio industrial do commercio, a dos
denctos de contrabando, o o cdigo penal. He de
esperar quo os representanles-do paiz deem a cstji
materia a attengao de que carecem.
HESPANIIA.
JORNAES DE MADRID ATP.' 21 DE MAigO.
Conlinuava na cmara dos deputados a discusslo
do projecto de resposta ao discurso da corda; e tinha
sido discutida nq dia 20 a grande e importante ques-
illo econmica entre a liberdade de commeicio eo
syslema prohibitivo.
Odeputad Bermudez de Castro,, um dos autores
da emcnala no sentido da ampia liberdade commer-
cial, defendeu com energa a sua opiniSo, apresen-
tuii vastos conhecimenlos econmicos.
iwi
A facglo carlista da Catalunha vai ebegando ao ter-
mo da sua existencia. Tendo-so acolbido alguns ao
indulto, o leudo fgido oulros para suas casas, pon-
eos individuos seguem actualmente os eliefes re-
beldes. Em seguida transcrevemos o que a este res-
peilo diz o El Fomento de 22:
Nlo nos engaamos quando hontcm no nosso
artigo de fundo dissemosfiue, attendendo ao bom
espirito que os povos, anciosos de paz, linham mos-
trado, e actividade e energa das autoridades, os
rebeldes nilo linham oulro recurso senao passar os
Pyrineos, op subdividir-se om pequeas partidas.
Os nossos prognoslcos realisarani-se em poucas ho-
ras. Consta-nos com effblto que se verilicou a dis-
persad, e que alguns dos allucinados teem vollado
para suas casas, lendo-se escondido oulros as ca-
vernas do costme, e, tendo-se acolbido mu i los as
benficas disposiges do indullo
DeManresa, em dala de 20, lambem nos dizcm o
segur.te :
llonlem sabio daqui b columna de Eaxercs, que
pareco destinada a operar na moiitmilia. A nomea-
gio do coronel llonriques para a commandarcausou
aqui geral salisfagilo; porque ao cmihccimonlo pa-
tico do paiz. u as excellenles qualidades militares
quo o distinguen! reno um carcter afTavcl euma
reelidilo indoniavel.
a Silo ilignas dos maiores elogios as disposiges
que.a favor dos povos acaba de lomar o benemrito
general Pavia. a.
dem, 27.
Confirmam-sc as noticias que'tcmos dado acerca
da derrota da facglo, que intentou fazer dos montes
de Toledo o tbeatro das suas correras. O nosso cor-
respondente dayuella cidade nos diz om data do 25
o scguinle:
A noticia que dei do se lerem apprehcndido se-
to facciosos no termo de Orgaz, verifica-se com a
dilierenga de o lerem sido no de Yebenez, devendo-
se este servigo aos habitantes dirigidos por alguns
guardas civis. Posteriormente serecebeu participa-
Ciiodc te rom fica do prisioneros mais seis rebeldes.
Se a estes juntarmos tres que morreram, e tres que
foram fetos prsioneiros ao p do Sonscca, he claro
que a perda da poquona facglo he ja consideravol.
Outro correspondente la mesma cidade se expros-
sa por este theor na carta quo nos cscreve :
Na noto de 2t do^orrenle, foram roubaaos por
varios subjeitos desconhecidos dous cavallos as im-
modiagOes do Sisla. Ao mesmo lempo outros ho-
mensque tinhai)) vindo de Vargas roubavam armas
e cavallos n'outroi punios da diroila do Tejo nrox-
iiio a esta'c.idado. A frga da guarda civil destacada
em perseguflo dos primeiros foi encontra-los s
onzehoras'da i.oile de 22 no termo do.Marjaliza, do
cujo encontr resullou (icarem mortos dous dos fac-
ciosos,eprisi6neirosmais oulros don, entre o* quaes
so achou o cabecila, D. Joaqun) Mantilla. Na lar-
de do mesmo dia eapturou sete facciosos o alcaide
de Yebenez, auxiliado pelos camponezes. Poueodc-
pois foram presos no termo de Orgaz, tres nesta ca-
pital, um em Vargas, outro apresentou-so em Cuer-
ba, os quaes-se acham entregues autoridade mili-
tar para serent julgados. Do poneos mais bomens era
conipostaa farglo, que, apenas anpareceu, foi siifTo-
i'ada ; os que reslam he provavel quo so aprcsenlem,
e so o nlo lizercm nlo tardar que sejam apprehen-
didos pelas autoridades loeaes ; porquo os povos es-
tilo cansados de rcvolugOes, e nonhum homem hon-
rado, seja qual fr a sua opinilo poltica, quer pres-
Urapoio a unta causa desacreditada c perdida para
sempre.
(amlii iiiani-sr as noticias que demos acerca da
dispersilo dos facciosos da Catalunha em pequeas
nii lidas ; o peior he que algumas dellas se entre-
gan) a lamcnlavcis excessos ; he mister que os po-
vos auxiliem os esforgos das autoridades para so v-
re m quanto antes livres deste llagello. Afllrina-sc
uu urna partida dos taes bandidos apprehendcra
irin liajiitaue de Igualada, o Sr. Valles, por cujo res-
gato pede urna somma avultad.
S. M., annuindo as so'.ieilagfies do general Bretn,
concedeu-lhe quo fsse residir para Barcellona.
(Heraldo.)
L-se no Obsertadur France: o seguidle i
O novo ministro do commcrcio, de instrueglo o
das obras publicas, Roca do Toynfres, desenvolve
grande activida'do. A O'azeta de Madridpubl'tcmt duas
ordenangas : a primeira diz que as academias reaes
e de historia secomporSo do trinla eseis membros;
a segunda funda em Madrid urna academia real das
sciencias exactas, physicas e naiuraes, igual quanto
a cathegoria o s prerogativas s academias hespa'
nholas de historia e de San-Fernando.
A academia actual das sciencias naturaes do Ma-
drid est e fica supprimida.
A demissilo do general Pezucla, como capitn-ge-
neral de Madrid foi aceita, e o mesmo substituido
pelo general Manso que commandava em Valenga,
a eujoeoinniando foi chamado o general D. los de
la Concha. as cmaras apresentou o deputado Mon
novos csclarccimcntos sobre os matrimonios.
A discussfio sobre o projecto do resposta ao dis-
curso do thronofecbou-se; porm houve tilo gran-
de quantidado do emendas quo dizem os jomaos
que nilo bastar/lo quinzo dias para a sua discusslo.
OSr. Isturiz fot nomeado embaixador para a In-
glaterra para substituir o duque de Soto-Maior, pre-
sidente do concelbode ministros.
Osjornaes do Madrid annunciam que a rainha Ma-
ra Chlistna parto para Pars, aonde, segundo o
Heraldo, devera demorar-se dous mezes.
declarou que antes de ludo o governo era hespa-
nhol; mas que havia de vver om paz com todas as
iiages. Disse mais quo o gabinete tomara sobre si
o govoroo do paiz n'uina oecasiilo em.quo a llespa-
nha tinhaoontrahido alliangas, as quaes os novos
ministros haviam de rospeitar. Concluo nesta par-
to, f.izendo referencia a guerra civil do Portugal, e
(Hiendo, a este respeilo, que o govuruo nilo consen-
tira nein soqur que se acliassc cm perigo o Ihro-
no da rainha de Portugal. Itepelimos ai|iii as pala-
vras do ministro Ciim rceeio de que a traducglo Ibes
faga perder parte do valor csignillcagilo que teem :
MMMI declarar aqui, qut no conientlrtmot ni aun
que peligre siquiera el trono de Doni Mana de la Gloria,
No congresso tralou a nova npposigilo do formu-
lar um voto de censura ao ininis,terio, por fazer par-
to ilelle, na qualidade de ministro da fazenda oSr.
Salamanca, o qual tinha pendentes do thesouro no-
gnciagOes importantes, em quo tinha entrado com a
fazenda nacional.
A osle respeilo se apresentou una proposta, as-
lignatla por alguns deputados; porm as explica-
grtes dadas pelo presidente duconcelho e pelo mi-
nistro da fazenda foram causa que a proposta fosse
rojoitada por grande maoria.
As sessoes das cmaras soro interrumpidas por
alguns das, que assim o requereu o Sr. Pacheco,
para dar tempo de apresciilar algumas propostas,
e rever outras quo ja linham sido aproscnladas
lo gabinete transado, para ver se as adoptara
ou nilo.
Das provincias nilo nostlcparam noticia nenhuma
importa ule osjornaes que lomos presentes.
GRA-Br.ILTAiNHA.
LOlbRES.
O offerecimento para o emprestiino lem oceupado
exclusivamente aaltangilo do publico na pra'ga de
Londres. A casa do Rothscild o (linos o a casa do
Baring Brothers & Companhia uniram os seus fun-
dos, o os olTereceram aovabn* do 891/4 om 3 por
ccnlo consolidados. Kslc olTerecimonto foi aceito
pelo chancellor do exclicquer. Prosume-se que est4
cima do mnimo lixado polos ministros, ecuja ci-
fra consequenteinento nao tem sido declarada. (Juan-
do a noticia cbeg*ou cidade bouvo nesta agitagilo.
O cuiipuii (scriptj vendeu-so 8 2 de premio dopois
passou a 1,1/2, 3/4. O chancoller do exchequer no
dizer do Standard ohlcve melhorcs condigOes do que
odiam esperar-se as circunstancias acluaei.
CnnslUutiuntl.)
< I n \ AI S HE MAI'llll AT 2 DE ABRIL.
A crise ministerial, ha tanto lempo annunciada,
e sempre dcsnientiila, verjfieou-so alinal, terminan-
do logo pelandomeiigo do Sr. Pacheco, chefe da op-
posigo conservadora, paia a presidencia .loconce-
Iho de ministros, encarlegado da formagao de novo
ministerio.
Diz-se quo a rainha indicara aoSr. Pacheco os no-
mes de alguns individuos com quem desejava que so
associasso n composigilo do gabinete ; e accresceji-
tam que felizmente coincidir esta indicnglo com
os desejos do primeiro ministro.
O decreto da demissilo do enligo ministerio foi da-
lado em 28 de margo; a mesma tem oda noiiicagio
do Sr. Pacheco.
Acham-se, pois, nnmeados, para a presidencia e
negocios eslrangeiros, o Sr. Pacheco ; para o interior
o Sr. Benevides; para a fazenda o Sr. Salamanca;
para a guerra o Sr. Mazarredo ;-para o commcrcio
o Sr. Pastor Dias ; para a marinha o Sr. Solelo. Falta
o ministro da jusliga, porque o Sr. Arrazola re-
cusou positivamente fazer parte do gifbinele. O
general Concha recusou lambem o ministerio da
guerra.
No mesmo dia 28 recebeu S. Magestade a depula-
gio do congresso quo Ihe foi apresentar a resposta
an discurso da corda ; o Sr. Pacheco assislio ja a es-
te acto na qualidade de presidente do coucelbo.
No dia 29 apresentou-se o novo gabinete as duas
casas do parlamento para explicar qual seria osen
proceder, e fazer solemno declaraglo dos princi-
pios em que firmara a poltica- quo lonciouava
seguir.
OSr. Pacheco declarou, tanto na cmara dos de-
putados como no senado, que pertencia ao partido
moderado, o que havia de governir na conformida-
dc dos principios que leen) distinguido este parti-
dp; o que por conseguidle esperava o apoio do con-
gresso, porque aquellos principios eram os mesmos
que linham servido de fundamento declaraglo l-
timamente feila nesta cmara.
Emquanto a poltica estrungeira, o Sr. Pacheco
HOLLADA.
HAYA
Tcm sido modificada a Icgislaglo da Hollanda no
que diz aespeilo aos gneros cereacs. O governo
deste paiz acaba de submetter consideraglo e de-
tiheragao dos estados geraes um projecto de lei no
qual se lixa para o futuro a tarifa dos direitos impos-
tes sobro os grilos e sobro as domis substancias ali-
mentarias.
SUISSA.
BERNA.
Mr. o coodo de Bod-le-Comtc, embaixador de
Frang junto da confoderagllo sussi, depos de ter
remetido as suas carias credeocaes ao presidente
Jo directorio federal de Zurich, acaba do fazer an-
nunciar no vorort de Berna que chegar Suissa nos
primeiros das do margo e quo finar em Berna a
sua residencia. Infere-se da roputagTo do habilida-
dc de que este diplmala goza, e da cscolha que elle
fez de Berna para sua residencia, quo o ministerio
francez liga alguma importancia asoluglo dasdiHi-
culdadns quo oceupam a Suissa, oque iioparlilha
inieira niriiie das vistas das potencias do no i le, taes
como foram formuladas cm a sua nota.
ITALIA.
i Cartas de Mlo dizem que todo o paiz do Lecco
at Varse est cm porfeila insm rehilo. Perto de
6:000 camponezes se dirigirn) a Lecco, desarmaran!
urna parlo das tropas, Toreando mitra a fugir, e lan-
gando ao lago muitos miliares de alquoires do tri-
go. Muitos boles que quoriam galibar o largo forera
reunidos e as suas cargas la ligadas a agua ; lodos os
transportes de grilos oram interceptados, o opilo
entornado pela estrada. Um regiment de cavallana
doMouza, e um corpo de dilTerenles armas da forta-
leza de Mantua reeeberam ordem para marchar o
mais breve possivel para Lecco. Os camponezes to-
maran! una allitude aineagadora, e pareca quere-
rem oppr urna viva resistencia.
AUSTRIA.
VIENNA.
O novo cmpreslimo austraco foi ratificado pelo
governo. He de 40 milhes pagaveis pela quadrage-
sima parte, em prcslages mensaes. Depnis da con-
clusao do cmpreslimo os fundos de 5 por cont teem
continuamente levantado a piara. Osquefazem 0
emnrestimo silo obrgad.os a fornecer, decorridos os
quarenta mezes, 40 milhes mais ao thesouro, se as
necessidades do estado o exigirom.
l'RUSSIA.
BERLIM.
A abertura da dicta prussiaua, fixada para odia II
MUTILADO


de abril prximo, ser provavelmente adiada por al-
gunsdias, em consequencia da molestia de M. Bo-
delschwig, ministro do-interior. Todos os prepara-
tivos estilo j feilos para a rcuniilo dos estados. Ao
principio lnha7se lembrado imitar o uso do parla-
mento inglez, em que falla do sen lunar cada uro dos
oradores, parece, porin, decidido agora, que llavera
urna tribuna como em Franca.
Slenograpbos ajurainentadns assislirrio a todas as
sessOes. as quaesserilo immediala e textualmente re-
produzidas pela fozela Universal de Prussia, com os
nomes dos oradores.
(Observador Franct:)
NOTICIAS DIVERSAS.
As noticias da Italia alcaneam, as de Boma at 27
de Janeiro. .Silo destituidas de interesse.
Parece, segundo afiirma a Gazela de ,4uo6ur!jo,por
cartas que recebCra de Boma, que as potencias do
norte dirigiram aos differentes governos da Italia
urna nota collectiva convidando-os a vigiar mais
activamente a imprensa, visto que nestes ltimos
tempos osjornaes teem feito todos osesforcos por
minar o estado social.
De Berlin consta que, depois de muitos planos
discutidos erejeilados acerca da sala emquo so (le-
ve reunir adieta, se resolver dar-lbc a forma de
parallelo-gramo, ficando o llirono n'iim dos lados
maiores. A direita e esquerda do throno ficam os
bancos para os ministros, e ao lado destes bancos,
01 assentns para os senhores que compncm a primei-
ra assembla. .....
Dianle do throno hcariio osdeputados, divididos
mi oito seccOes correspondentes s oito provincias
da monarchia. Cada secglo licar separada da outra
por un intervallo. Em cada urna das sccccs os lu-
gares da direita sito dados aos deputados da ordem
cqueslre, eos da esquerda aos deputados das cida-
des e dos communs ruraes. Todos os lugares se-
rBo numerados; mas nilo haver entro elles sepa-
rag.lo.
Esta collocacfio nSo ter lugar no da da abertura
da assembla ; todos os deputados devorflo licar em
p. Parece que todas as festas da corte durante a
reuniflo terilo lugar em l'otsdam aonde o rei
sidir duranie a sessito.
Escrevom do S.-Petersburgo a 17 do feverci-
ro:
O Imperador acaba de dar urna ordenanca que se-
r annexada ao cdigo militar do imperio, e que
prohibo a todos os commandantes dos corpns de
tropas, em que bajam Israelitas, o xigirem destes
algun servico iluranlo os dias de festa em que a lei
de Moyss prohibe oos Judoos o trahalho, para que
potsain cntregar-se s suas devogOes as synago-
8s. ,
Diz-se que o governo hannvcriano acceden
ao tratado concluido entre a Prussia o a Grilo-Bre-
tanha, relativamente propriedade Iliteraria. O
reino de Saxe tinha j accedido a esta conven-
eflo. "
F.screvem de Berlin em 28 de fevereiro:
Mr. de Schaper, director geral das postas, faz re-
digir agora urna tarifa para toda a Allcmanha. Drz-
seque a Austraca Saxe real so l cen mostrado fa-
voravclmentc dispostas para a introduccio das re-
formas de postas allomias. Mr. Schaper encsrrcgou
um fiinccionariosuporior de ir em missflo escories
allomias para oeffeito, e preparar o caminho a urna
disposieflo entre os differentes governos.
___SirWMIongby Colln parti de Londres para
Soulhainpton, aonde lleve embarcar para llombaim ;
elle foi nomcado commanJante cm cliefe das tropas
deS. M. o da companhia das Indias Orientaos na-
quclla presidencia. Sir. Willonghy foi acompanha-
dodoscu ajudante de campo, Sir Adolpho Vane.
___O re da Prussia acaba de conceder a nina das
principaes casas de Berlin, que Huta sido nbrigada a
suspender os scus negocios em consequencia da cri-
seproduzida pela incorporago de Cracovia a Austria,
a somma necessaria para fazor face as suas obriga-
cOes. O rei alm disto poz disposigilo do presidente
superior da provincia de Silona sonimas considera-
veis, afim de prevenir quanto Mr possivcl os sinis-
tros dcste genero. .. ^
[Diarto do Governo.)
Consulado.
RENDIMENTO I) DA 11.
Ceral. .,.."
Provincial ......
Diversas provincias
3-6(9,144
2:077.548
90,435
Avisos diversos
5:787,127
lloviiwenlo do Torio.
ira rc-
' As noticias da Grecia noadiantam nada ao que
soubemos pelo ultimo paquete. Dura anda a dcs-
eonfianca de quesera mili difllcil trazer a um nrraii-
jo amigavel a desavenga entre o gabinete do Alhenas
a porta.
PERtfAMBMCO.
Navios entrados no diaM.
Trieste ; 70 dias, briguo dinamarquez /*. de 207
onedas, capitno N. L. F.lberg. cqu.nagom 9 car-
ga farinha, papel e man gneros; a N. O. B.ebor
& Companhia. .... ... ,i,
San-Matheus ; 10 dias, sumaca brasileira Lagarto, ne
' 65 toneladas, capitn Ignacio nto Perera. !*"-
pagem 6, carga farinha ; a Manocl Joaqun) Rampa
Rio-d'c-Janeiro ; 14 dias, patacho brasileiro NUhe-
rori, de 154 toneladas, capitam Joaquim Soarcs aie-
arim.cquipagem 12, carga carne; a Gaudino A-
gostinho de Barros.
Navio saludo no mesmo da.
Ma-cci e Bahia ; briguo de guerra Ca/op, comman-
danlo o cap.tno-tenente Eziano Antonio dos
Santos.
~..-m. >rjcac7
'[Mi tal.
TRIBUNAL DA RELACACV.
JULGAMENTO DO DA II DE MAIO DE 1847.
Desembargadvr de semana o Sr. Bastos.
Na execugilo de sentenga entre o juizo e oulros o
Manoel Antero de Souza Beis, julgaram procedente a
sentenga exocutada
Na appellagno crime entre o juzo o Francisco A-
maro, reo preso, inandaram desccr aojuizo a quo
para sentenciar.
Na dita civcl entre Maria de Jezus Nazareno e ou-
tros, reformaran! a sentenga. ...
Na dita, dita entro Francisco Jos Martina eLima
Jnior & Companhia, mandaram dar vista as partes.
Na execugilo de sentenga entre Joiio Per reir dos
Tuda. Abrek-Mahomet fra compltame!*- santos e outros, nilo tomaram conhecimento do ag-
Joapezar da resistencia que oppuz as tro- gravo do mesmo Santos. *
Na appellagilo civel entre Antonio Comes Tillar
ministrador de outros, mandaram dar vista
r Cartas de S.-Petersburg com data de 4 de margo
dito noticia de urna g raudo victoria alcangada pelos
russns sobre os moiitanhezes as proximidades do
Assaedol
te derrotad
pas do general Nesleroff.
Eslas executadas com tanta felicidada no rigor do
invern aterraram os monlanhezes e hilo do contri-
buir para reslabcleccr a tr.inquillidade no districto
de Wladikewhas e em toda a lintia do Sundja.
Adiamos nos jornaes de Anvcrsa historia de um
ataque nocturno, he a seguinle: .
Em a imite do 28 de fevereiro para o. de mar-
co, doze malfeilores com a cara mascarada so apre-
sentaram (liante da habitagno de M. Desforgcs, situa-
da no lugarejo de Santo-Antonio no concomo de
Zoersel, o distante pcrlo do um tiro de bala da es-
trada real de Anvers para Turnhout. Depois do te-
rem arrombado a porta principal, por meio do tron-
co de urna arvore guarnecido de dous podagos do
niadeira trnnsversaesdo quo se servirn) em Turma
de ariete, entraram na casa o dispararam duas pisto-
las enrregadas com zagalotes, urna na directo da
cozinha e outra atravs do urna porta de vidra-
S a' Descobrindo entilo M. Desforges e sua mulher,
deram-lheloda a especie de maos tratos, exigmdo
quelhes dessem lodo o dinheiro e objectos pre-
ciosos que possuisscm, o que ellos zeram sem he-
sitar, porquanto viram que toda a resistencia era
intil. ., .
Trazendo depois palbaeum fexc do grvelos,
os bandidos a.ccenderam no meio da casa um grande
Jume, (liante do qual colloearain Madamo Desforgcs,
ameagando-adea queimarcm viva se oceultasso a
menor cousa de valor. Bem que os vestidos de Ma-
damo Desforgcs foram alcangados pelas chammas,
apenas se queimou ligeiramento em um p.
M- Desforges sdeveu a salvago sua presenga
de espirito; porquanto un dos salteadores quiz
dcscarregar-lhe dous violentos golpes com una bar-
ra de ferro nacabega: mas elle conseguio apai a-Ios.
do que ficou bem gravemente ferido
Urna senhora idosa, hospedada em casa do M.
Desforges,oque, ouvindo oestrondo, tinha descido
doseu quario, foi igualmente maltratada, cobriga-
da a dar aos ladrOes um sacco contendo 250 flo-
rina.
Alm dcste sacco rouharam a M. Desforges a
somma de 1,200 francos em especies, assiin como to-
das as joias de sua mulher.
Ao retirarem-so os malfeilores ameagaram do
morte aquelle quo sahisse da casa antes de passar
urna hora. .
a Lugo queM. o procurador do ro levo conheci-
mento desle facto, marchou para aquello lugar a-
companhado do juiz de instrucgilo e de um escrivilo
da chancellara, para proceder urna indagagf.o mi-
nuciosa.
u Al an presente nenlium dos malfeilores Toi pre-
ao. .
O Courier de Nuremberg annuncia, segundo um
rumor que circulavaem Vienna, nos circuios diplo-
mticos, que o governo prussiano piopora um pro-
jecto de lei geral sobre a i mprensa, para todos os es-
tados da cotifedcrago,oque a maor parte dos so-
beranos da Allemanha tinha j dado a sua adhcsio.
Segundo outra verso, o governo prussiano tinha
cm todo o caso intcngSo do turnar a iniciativa a este
respeito, junto da dicta germnica.
Eacrevem de Vienna: He corto agora que M.
o conde do Munds de Bellinghausen nflq voltar a
Franctort. Elle ser Borneado ministro de estado e
adjunto a M. de Mellernich. Acredita-se que ser o,
conde de Scnfft-Pilsach quo substituir o conde co-
mo presidente da dieta germnica.
Oex-dictador Tyasaffski ehegou a Trieste, e
embarcou inmediatamente no Vulcano para vollar
aos Estados-Unidos. O governo austraco pagou as
despezasda viagcui, e recommcndou o cx-diclador
da Cracovia ao seu ministro em Washington, para
lhe assistir nos prmeiros momentos
Miguel Archanjo Monleiro de Andrale, oficial da im-
perial ordem da Rosa, cavaltetro da de Chrtsto.e ins-
pector da alfandega de l'ernambuco, porS. M. /. o
Senhor D. Pedro II, que Dos guarde, etc.
Faz saber que, no dia 14 do corrente, ao meio-dia,
e na porta da alfandega, so hilo de arrematar 39 o-
hras-Semana-Ssnta, no valor do 133.000 rs., c 13
historias do imperador NapoleSo, no valor do 28.500
rs., impugnadas pelo amanuense ConcaJo Jos da
Costa e Sa.no despacho por factura de Policarpo Jos
l.ayme: sendo dita arrcmalagflo subjcita ao paga-
mento dos direitos.
Alfandega, II de maio de 1847.
Miguel Archanjo Monleiro de Andraae.
heclaracoes.
c o ai
s partes.
Na dita crime entre Joio Francisco de MiramJa o
Mara da Conceigilo, reformaram a sentenga do juiz
de direito.
Na dita civel entre o juizo e Me. Calmoiu & Com-
panhia, mandaram dar vista s partes.
Na dita dita ontre Luiz Pires Ferreira, Manoel Pi-
res Fcrreira o outros, mandaram dar vista s partes.
Na dita dita entre Gaudiiio Agosliiibo de Barros
c oulros, mandaram dar vista s partos.
Na dita dila entre Manoel da Costa Pereira e Jose-
pliaHaria da Espirito Santo, mandaram dur visla as
partes. : ,#_
Na dita dita entro rsula Maria da Conceigilo o
outros, conlirmaram a sentenga. ... ,
Nadita dita entro Bernardo Antonio de Miranda
porsi esua mulhere ManoelGongalvesServma e scus
Rlhos, mandaram dar vista ao doutorcurador-geral
Nadita dita entre ojuizo e Jos Antonio de Men-
donga; mandaram dar vista ao procurador da cora.
Na dila dita entre Manoel Jos de Souza Camino,
Joao Alves de Souza Carvalho e ojuizo da fazenda,
mandaram dar vista ao procurador da cura.
Na dita dila entre Joaquim JosCarneiro Monleiro
e a fazenda publica, inandaram dar visla no procura-
dor da cora.
Na dita dila entre Izabel Gongalves de Ungna o ou-
tros, eJos Itomilo Gongalves crhilros, mandaram
dar vista s partes.
Na dita dita entro Joaquim Corroa de Carvalho o
Basilio Jos Ferreira da Cuuha, mandaram dar vista
s parles
JUIZO DOS FRITOS DA FAZENDA.
-Brevemente se hilo do alUxar editaos de concurso
freguezias vagas desla .Hcese. Becife, 7 demaio de
18VT O padre francisco Jos Tavares da hamo,
Secretario de S. Exc. Iteverendissima.
-- 6hiale Iloa-Viagem recebe amala para a Ba-
ha, (boje, 12) as 4 horas da tardo.
A cmara municipal desla cidado faz sessio
extraordinaria, hoje, 12 do corrente.
A ailinini.striiQno geral do estabelecimentos de
caridade manda azer publico quo no dia 17 do
corrente, pelas 4 horas da lardo, na sala do suas
sessOes, frito a praga as rendas das casas ns. 1c 2 .la
ruadoCshug.pelo lempo que decorrer do pn-
meiro do iulbo prximo futuro a 31 de junho de
1850. Adminislrgilo geral dos estabelccimenlos
de caridade, 10 do maio de 1847.-0 escritura-
rio Frontino Antonio Cava'canli Coussem.
VICE-CONSULADO PONTIFICIO (SM PEBNAMBUCO
O vice-consul interino participa a dodos os sub-
ditos do Sua Santidmlo o papa, que. lendo de remet-
ter para o consulado geral na corto dcste imperio
urna relagilo circumstanciada dos que residnem nes-
ta cidado e provincia. Ibes roga queiram compa-
recer ueste vice consulado, ra do Hospicio, n. 23,
para o tlm indicado, e para tambem ah se matricu-
laren!.
Peina mbuco, 8 de maio do 1847.
Angelo Francisco Caneiro.
Tlicalr publio.
It n(fu-id de Zchefleo Cezar.
Em consequencia da muita chuvaque houve do-
mingo, 9, licou o espectculo transferidopa'ra domin-
go, 16, imprclerivelreente, coma grande pegaFAI-
jjl., ea fargamanorl mhsi)bs--.0 beneficiado espera
que s scus benignos protectores levem a bem a dita
Irn sferencia que foi em beneficio do respcitovel pu-
blico.
O NAZABENO N. 81
est a venda na praga da Independencia, livraria ns.
6e8. Sem cxagcracflo este numero est o melhor
que pode, ser, nilo so por ir-excellente artigo so-
bre AlagOas, do llrasii, como por outro a respeito da
polilica portugueza em Pernambuco.em resposta ao
Diario-Sovo,f, pela chronica contempornea que vale
o que pesa : ludo islo por 100 rs he nada.
0 NOVO MESQUITA DE CAPOTE N 4,
est a venda as duas horas da tarde na livraria da
praga da independa, ns. 6 e 8. Esto numero ost
muilissimo demasiado nteressanto, e entretanto
cusa smente um vinttm.
LOTEBIA DO TIIEATRO PUBLICO.
Em consequencia de se oito ter completado a ven-
da dos bilhetes desla lotera, e existirem algunsa-
ima em sor, o respectivo thesoureiro deixa de fazer
boje ocffectivo o andamento das rodas, e o transie-
re para odia 29 do corrente mea, no qual espera rea-
lisar infallivelmente 'o dito andamento; e pede -
quellas possoas que leem marcado e apartado bilhe-
tes, que os vilo receber at odia 26,
OSr. que por affectuosa bondade trou da agen-
cia das barcas de vapor urnas cartas viudas do Mara-
nliSo ulliniainonto n vapor San-Salvador^ o que ah
estavam depositadas para screm entregues a Josa
Joaquim Ferreira do Valle, acadmico deOlinda, e
que por esquecimento at linje as nilo tem restitui-
do, queira por merefl man lar-lh'as levar; pois o dito
acadmico, a quem vieram as cartas, mora om Olin-
da na ruado San-Rento, ou alias declarar por fitla
Diarios sua morada afim do ser procurada.
precisa-se do um feitor que ontenda do plan-
tacfies e podas para um sitio.porto da praga : na ra
da Cadeia do Recife, casa n. 37.
Francisco Ferreira da Rocha Leal fa scienlo
ao publico, que desde o dia 10 do correle deixou
de ser caixeiro do Sr. Diogo Jos da Costa.
Na rua'das Cruzos, n. 85, existe urna carta par
oSr. Jos Jacinlho Rento mbar, yinda do Por-
tugal.- ..
Boga-se pessoa a quem for oflerccida una gra-
do de madeira quo servia de cancella de abrir no
moro, e.qne foi fuitadn da porta do armazem n. 48 da
roa da Alfandug ni noito dsabbado,8 do corrente,
o favor dea apprehcnder e mandar noticia mesrr.a
casa, queso lhe agradecer, gratificando-so qual-
quer trahalho o despeza que possa havor.
O aliaixo assignado avisa o respeilavel publico,
quo deixou de ter armazem na ra da Praia ; e que
qualquer pessoa que com o mesmo desojar fallar.di-
rija-so a sen sitio na Cruz-dc-Almas, onde he sua
casa do residencia, ou na ra da Praia, das 8 as 10
horas, edas 2 as 4, no armazem n. 62, que o encon-
trar.
Joaquim Marques dos Santos Souza e. Mello.
Quem precisar de um rapaz brasileiro do boa
conducta, para caixeiro ou outra qualquer arruma-
gilo, tanto para aqui como para fra da cidado, di-
rija-sea loja de miudeza do Joaquim llcnnque da
Silva, no arco de Santo-Antonio.
___Aluga-se o sobrado de um andar o sotn sito
na ra da Praia, n. 74 : a tratar noannazom por
ha rao do mesmo.
Quem anniincicu precisar de um mogo do boa
conducta e que cnlenda de escripia e Bcja activo pa-
ra cobrangas, sendo quo ainda nilo tonha, dirija-so
ra Imperial, n. 37.
___Quem precisar de urna ama com bom lene, ror-
ra, dirija-se o ra larga do Rozario, irfdo para o
quartel, n. 21, segundo andar. .
___Joaquim Jos da Cuuha Ozerio embarca para
os portos do sul o seu esfiravo Antonio, de nngilo
Angola, de 30 anuos de idade.
Quem quizer dar 800,000 rs. a juros com hypo-
theca em urna casa terrea livrc e desembaragadi,an-
nuncie para ser procuiado.
O abaixo assignado,lendo de proceder a inver-
la rio dos bens que llcaram por morte. do seu falleci-
do cunliado.Aiilonio dos Santos Coelho da Silva, ro-
ga spessoas quesejulgarcm credorasnesse inven-
tario, queso dignem de comparecer ou mandar pro-
curadores scus para tratarem com o abaixo assig-
nado em a ra larga do Bozarip, n., Icrcciro an-
dar, isso dentro do piazode4 dias. a coiar de bo-
je; visto que o abaixo assignado so retirar para o
Avisos martimos.
Para o Aracaty pretende sahir com brevidadeo
Htm. Sr.--Tendo a recehedoria de rendas internas I |,|e jVoro-fJ/nda : quem nelle pretender carregar,
geraes remettido para este jui/o algumas relagoes
de devedores dos imposto* que por ella fie arrera-
dam, acontece que militas das pessoas nellas con-
templadas, na occasifo em que silo notificadas pelos
oflicaics de justiga, lenbam apresentado conheci-
inentos de terem pago os scus dbitos naquclla re-
parlicno, antes da remessa das mesinas rolagOes,
cqueeu tenha rocebido oicios dos administrado-
res da recehedoria, icquisilando-me quo cu raga sus-
pender os mandados que contra ollas so expedirn)
sob o fundamento de terbavido engao na confec-
eflode tacs relagOes ; e porque una tal inexaclidao
sirva fomente de embaragar a arrecadagiio judicia-
ria, e faga suppor a pgssua.4 ignorantes que todo o
vexame por que passam, parle doste juizo, somonte
porque scusempiegados nclla inlCivcem immcdtala-
nicnle. rogo a V. S. que su djjne dar as suas ordena
para quesejam orgauisadas com a maior oxaclido
as ielagoes do dovedores quo aquella reparligilo li-
vor de enviar, c cesse assiin o juizo desfavoravel que
so possa fazer. e a que smente ella da causa. Dos
guarde a V. 8. Cidado do Becife, 25 do fevereiro de
1845111 Sr. Joflo Gongalves da Silva, inspector da
Ihesouraria de fazenda da provincia.-O juiz dos fal-
tos, 1. V. F. de .Vello.
GOMMERC.O.
AHapdega.
BENDIMENTO DO DIA 11. ........... 15:605,903
Descarrega hoje, 12.
Barca ingleza James-Stieart bacalho.
ou ir de passaeem, entenda-sc com o mestro do mes-
mo, Antonio Jos Vianna, no Trapiche-Nova
--Para o Rio-Grandc-do-Sul e Porto-Alegre pre-
tende seguir em poucos dias-, e tflo breve como o
lempo permuta o omba rque do seu carregamento, o
briguo Argos, bemeonhecido pelas suas viagens;
para os ditos portos recebe escravos e passageiros,
para o que tem superiores accommodagOes : quem
pretender pode enlonder-so com Amorim lrmilos ,
na ra da Cadeia n. 45. ..- ,
Vrnde-se a barcaga denominada a.-Jose-utn-
genle, do lote de 16 caixas, bem construida, c promp-
ta a navegar : quem a pretender pode cxamina-la
junto ao trapiche do algodfloe tratar na ra do Vi-
gario, n. 5. ...
O biiguc porluguez Taruo-Vnme>ro, forrado
e cncavilhado do cobre, de excedente marcha, pre-
tendo sabir para Lisboa, eom a maior brovidadq
possivcl, por ter a maior parto de sua carga engajada:
tfuem no mesmo quizer carngai-, ou ir de passagem,
para o que.ollerecc asseiados coinmodosc Iratamen-
tos, trate como consignatario, FirminoJ. F. da Roza,
na ra do Trapiche, n. 44, ou como capilSo, Manoel
de Oliveira Faneco.
No dia 15 do corrente pretende seguir para o
Bio-Graiido-do-Siil o briguo Independente: quem
no mesmo quizer carregar carga ou escravos cn-
lenda-se com o capitno Fructuoso Jos Pereira,
Dulra, ou com Manoel Alves Guerra.
I.cilao.
Kalkmann & Bosenmund farilo leiliio por in-
terveugno do corretor Oliveira, de variado sorti-
minto de fazendns, as mais proprias do mercado :
hoje, 18 do corrente as 10 horas da mantilla no- lar na ra Nova
seu armazem da ra da Cruz.
mallo depois desse lempo, pudendo entilo ser pro-
cunidocm o enoenho Sacatnb da freguezia do ca-
bo, limando de Sn e Albuqueique.
-Precisa-se de urna casa do um a dona aires,
com aceonimodages para numerosissima familia, e
em lugar assaz areijado, em algum largo, por exem-
plo, eomais central possivcl do bairro lo W"1.0"
Antonio-.quema tiver para arrendar, dirija-sea i-1
vraria do Dr.CQutinbo.na esquina do ra do toncgi,
ou annuocie por esta folha.
Furto.
Furlaram.das 5 para s 7 hornsda lardo do dia 10 do I
corrente, do primeiro andar da casa n. 50 daruau i
Cadcia-Vellia.um relogio patente inglez.d ouro, com
vidro, levando una chave ordinaria presa urna n-i
ta .- roga-se a pessoa a quem for offerecido, 0UIP"I
sail.a a milo emque para, de avisar na casa
dita a Cunta & Amorim, quescgratihcara.
-rPeranle o Sr. Dr. juiz do civel da segunda ii,
nos dias 12 c 15 do corrente, na sal-) das audifi i
cias, depois dolas, se ha de arrematar una cai
lerrea, sii na estrada nova cm torras furciras, P">|
cxecucilofc Manocl deJsus Jordilo Caldcira roa-
Ira Angela de Jess Soarcs da Silva: quem a prmn
der comparega. n nen
-0 Sr. quo aniiunciou prcci sar de um fl"
caixeiro do escripia c cobrangas, qiicrendo um q
tem pralica o d fiadora sua conducta d
inadeS.-Rita ,n. 91.
- Precisa-se de urna ama para o servigo ne in
casa de diminua familia, e que saiba cozmliar o un
dinario : na ra de S.-Rila, n. 91. rtl
- Antonio Augusto Dias da Silva re
fra da provincia.
- Na ra do Sclm, n. 3, cmpresla-so ''"ll'c" I
juros com penhores do todas as quahdades, em i r
quenas porgOes. I
- Manoel (la Silva Sanios, ven-
de farii.lia de trigo da verdadei al
marca SSSF, cliegada ultmame']
le a este mercado.
- Precisa-se alugar urna cscrava que sirva, n-n
s para fazer o servico de casa como paia vii
na ra; pagam-se 10,000 rs. mensaes: naruaaan
rentina, n. 38. .mj
Aluga-se o segundo andar da casa da ra i
ueriaj n. 167 com muilo bons cominoils : a
* 42, com Dellino Gongalves I
| reir Lima.


.&
n,PiH-so fallar'com oSr. Francisco Augusto.
c;|ya a negocio do seu (Marease; portan
Az? V.miinciar n sua morada, ou dingir-se a ra
l,aJ 18, primeiro andar.
da K"/! "',.),|correle, perante o Hlm Sr. Dr juiz
,- ll.'JC
lasaudi-
rrematacfin
Joaqui.n da Silva Castro,
por cxecugilo dos seus cre-
"> n do civel >ln segunda vara, na sala i
,!c ^wm'cnavo do Antonio
J'It- ll.e W' penl.orado pe
(lureA nessoa que annunciou, no Mario de 10 do cor-
n orecisar de omeaiseiro de escripia o de co-
[.'JL querendoum homemj de assento, casado
lambcni habilitado em cobrangas, dirija-so ao pa-
LTospiUl, n. 28, segundo andar, ao meio-dia
P ,s ires horas da tarde,
leo
^uo ah achara com quem
Alerro-dos-Afo-
lfaUA!uga-so a cazinha.n. 103, do
Jlos:narua Nova, loja n.58.
Rivmundo l'inlo de Abren roudou a sua resi-
dencia para o palco de San-Pedro, n 10.
Da-se diuheifo a juros com penhores, e com-
prase ouro niesmo em obras quebradas : na ra do
"-Fo'ucm procisar de um rapaz brasiluiro para
piixiro de cobranca, annuncie. Adverte lambem
queja foi estudanle, etemtres preparatorios.
fUNDICAO
n- y HORA.
C. ST\RR t t- proplanos leste
antiRocstaboleCmcnto,nvsamaossensneguczcseao
nblicoem geraj que cites sempre tCem um gran-
losortimcnto de moendas do todos os laman los ,
fabricadas em suas oflieinns, temi, portante, a
forliduo. solidez, boa construcefo e memramen-
os, que a pratica do longos arlos ten. mostrado
ere,. necessaites o que as obra de carreg.cilo
ofrecidas aqui com tanlo empenho,-nunca se
cha Pnssuindoosannuncianlcs para sperreigoar
issiias obras os anparelhos mais modernos e com-
pletos que a sciencia vai iodroduilndo, nula dc.xam
a desojar ; elondo adquirido com grandes dospezas
m crescido o indispensavel numero de <*
rilns as suas pn.fissOes e nscolludos do. entre os
'rnelhores' ,1a Europa cham-se venia, ciramenle
habililados para olorecerem com-permite conl.ai -
(l aos Sni s. de engonlio a grande vantagom de po-
deromsem rcete aprmpUr qualquer Obra, com
aquellas brevidade epontuulidado lo mdispeiisa-
veis'aog scus importantes MeiMM"- '
tuila qualidade
tambem lazom-se rodas d'agoa todas de ferro
moendas machinas de vapor o
de marinismo, por ma.or ou ma.s d.ll.c.l q e se-
ia Advorlindo-so que todas as obrassite gaianti-
das, offerece.ido-dosUi maneira a mais ampia se-
guranga de sua boa e fiel execugao.
L -Alugam-seas seguimos casas: um sobrado de
dous andares o lojas na ra estrella do Hoza..o, n.
20 ; urna casa terrea com quintal, cacimba e mais
co...modos para grande, familia na ra da tln.no
n. 4 por 14,000 rs. mensaos ; outra dita, novamen-
tc rectificad;, o caiada com iguaes commodo para
grando familia na la da Solcdade n. 29,por
12,000 rs. mensaos ; oulra-dila pequea na iuado
Sobo n. 52 por 8,000 rs. mensacs : os pretenden-
tes d.rijam-sc a ra da Aurora, n. 26, cscr.ptono
do I'. A. de Oliveirat Fill.os.
rencia depassaporlcs.
Aterro-da-Boa-
Ag
Na ra do Collegio, n. 10, c no
Vista, loja n.48, conlinuam-se ant>rl]M
tanto para dentro, como parafora do imperio,MI, ni
como despachan! se escravos : ludo com brevidade.
Fabrica le machinas e !
cao de ferro
rternardino Frciro dcFiguelredo AhroueCs-
Iro mudou o seu escriptorio para a ra da ('.inicia
do Recife, n. 3, primeiro andar.
DIo-se 500,000 rs. a juros com penhores ira OU
ro, prata ou hypothoca em alguma casa desembar-
cada : no Forlc.-do-Maltos, ra do Codorniz, venda
n. I, se dir quem d.
Precisa-se alugar um mnleqiic para o scrvic'o de
urna casa : no Alerro-da-lioa-Visla n. (5.
Na manhla do domingo, 9, furlaram na ra da
Cadcia'-Vclha, da casa n. 32, primeiro andar, um pe-
daco da brim tranga.lo branco, com 13 varas; por
isso roga-se a qualquer pessoa que llic fr offerecido
dilo brim, deoniio comprar; e quem soubcr aonde
ello existe, dar parle na dita casa, quesera recom-
pensado.
-- Precisa-se alugar umescravo bom cozinheiro :
nesta typographia se dir quem precisa.
-- Urna pessoa que tem os conhecimentos precisos,
se offerece para fazer qualquer escripturaco com-
mercial com perfcicflu e presteza : quem do seu
prestimo se quizer ulilisar, dirija-so aTuaDlreila,
n. 20, segundo andar.
Precisa-se alugar umescravo ou escrava cozi-
nheira : na ra do Aterro-da-Boa-Vista, n. 1, pri-
meiro andar. .
Aluga-se um escravo bom cozinheiro, de ida-
de de 20 annos .- na ruada l'cnha, n. 29.
Pelo juizoda segunda varado civel, escrivao
Sanios, se nao de arrematar em hasta publica, boje,
13do correnlc, duas casas terreas por cxecug;1o de
Manoel Pe re ira Magall.flos contra Manocl do Al.nei-
da Lima; as quaes sflo construidas ha pouco lempo,
fora.n avadadas i 800,000 rs. cada urna.
Descja-se fallar aoSr. Joflo Marinho Paos nr-
relo :e como se ignora a sua morada, faga o favor
de declara-la, ou dirigir-so a ra da Cruz do Recife,
n 64.
A pessoa, a q.iem fallar uu\ relogio de prala. que
se comprou por diminuto prego, dirija-se ra do
Collegio, n. 6, botica de Cypriano Luiz da Paz.
Offcrece-se um homem de boa conducta para
acompanliar alguma pessoa, como criado, para qual-
quer provincia do imperio: quem do seu prestimo
soquizer ulilisar, dirija-se a ra da Palma, n. 15
Precisa-se de olliciaes .le alfaiate na ra da t.a-
deia-Velha, n. 41. Na mesma loja se lomam apren-
d tes para se ensnar o niosuio officio.
Precisa-se alugar um moleqiieou negro lello ,
que seja diligente o sem vicios para o servigo ex-
terno do.unia casa de pouca familia. Inrigir-se a ra
do Kangel, n. 59, segundo andar.
OS. K. |l. quoira mandar pagar o alugucl do
sobrado em que morou na ra Jo Rangcl no au-
no de 1842 : alias se declara o seu ponie por exten-
so para que os propietarios do casas conhegam
como osle Sr. procede. ... ,
-Oflcrccc-se um rapaz para caixeiro de escripia,
mi mesmo de ra o qual d ador a sua conducta :
quem de seu prestimo se quizr ulilisar annuneie.
o Sr. que annunciou precisar de um ci.ixciro
para cobrangas dirija-sc a ra Nava loja n. 58. O
annuncianlo d fiador a sun conduela.
-Oarromalantc das aferigoes desle municipio do
Recife pela ullinia ver., faz certo a quem inleressar,
,iuo o lempo da revista da mesma afencno so esta
concluindo, equclhc nHo he poss.vel despachai- a
todos cuarda.ndo-.se para os ltimos das, do que
os previne para que-uao alleguen!ignorancia em te.n-
4'--0 arremtame dos dizimos dos cocos desto mu-
nicipio .lo Recife faz corlo aquellos pessoas que an-
da i no pagaram a collecU dos ^'jj
junhode 1846 a 1847, quecmjunho proxni o lu-
ro faz um auno, por issopreteiide cobrar judi-
cialmente ; pois que n.1o leudo sido poss.vel que-
u*em ?agr amigav'tlmente nHo obstante a graii-
|C con lecedencia que tem do com as mesmas o
Ihc resta sei.no dar andamento ao que a le. ernpOe
a..s quenegam-seapogar.
-Manoel Luiz do Veigae ma.sherdc.ros lo I. a-
doMa...oelLuizda Veiga prcv.i.cm Pub'^V?""
ignem trate negocio sobre unallnenos qm Joo
Cavalcanti de Albuquerque e Rul.no WJ
de Figueiredo obliveram como Ierren de nwr nlia,
nosecuimeiitodaeslrada nova de Luiz do lego,
cojo terreno he de propridado dos annunc.anlcs, e
fe ----------
Comprsm-se ps de larangeiras, em estado de
seren mudados: na ra Nova n. 42.
Cnmprain-sc escravos do ambos os sexos : na
ra Nova, loja de ferragens, n. 16, se dir quem
compra.
Compram-.se cfTcctivamcnle escravos de ambos
os sexos, de 12 a 20 anuos sendo alguna oflieines
le supaleiro ; sendo de bonitas figuras, pagam-sc
luir. : ua ra da Concordia pastando a ponlciinha,
a direila segunda casa terrea.
~t Vende-so arroz pilado branco; dito verme
Iho; dito com casca: fe.jao mulat.nho: l^>do. "' "
tosuperior qualidade: na venda da ra da Praia, n.
9,
Vemlis.
Casa ta F
na i ua estreila do Uozario, n. 6.
Nesteestabelecimentoacliam-se venda as cau-
telas da bem acreditada lotera do tbeatro publico
desta cidado, para cujas rodas esl annurfciado o an-
damonlo para o da 29 desle crrenlo mez. Nos-
te eslabolecimento tambem se acbam venda, tees
tiancelins-deoiirodo lei sem feitio: a elleavque silo
de muilo bom gusto.
A PAKIS1KNSE,
WOV E iUlLlUIlTE
para piano
ao
do
la lrica po
cstiange-
nialcrias
cujo L....... .
so ada em queslOes judic.aes
na ra
Brum, no Kecife.
McCallum&Companbia, engenheiros "ej>ini8-.
tase flmdidnres de ferru, mui respe.losamenli.an-
nunciam aosSrs. propielariosde engciihos raien-
deims, pegocianlea, fabricantes c uo respeuaw,.
publico, que o seu eslabelecmenlo de Ierro, mo-
vido por machina de vapor.se ada em ellecl.vo
exercicio, e completamente montado com apparc-
lbos de primeira qualidade para a perfeila conree-
cao das maiores pegas de macliinismo.
Habilitados para- cmpielie.niler quiiesquer obia u.i
pa arte Me Callo... & Con.panb.a desojam mais
particularmente efcamara aUcngiio publica na i.as
segli.ntes purserem ollas da u.a.or etlmMMM
provincia as quaes construidas na sua r-l
dem competir cum as fabricadas em pan!
ro tanlo em prego como na qualidade das
primas e nulo d'ol'ia, a saber :
Machinas de vapor. .." j
Moendas de canoas para engenhos movidas va-
por, porogon, ou animaos. .
Rodas dagoa o serranas.
Manejos in.lcpendcntcs para cavallos.
llodas dentadas.'
AguilhOos, l.ronzcse chumacelras.
CavilhOes o parafusos d? lodosos lmannos.
Taitas, crivos o. boceas de fornalha.
Moinhes le mandioca .movidos a mf.o ou por ani-
maos e prensas para a.dita.
Fogocs c fornos para cozinha.
Canos ile ferro, lornoiras de forro c bronze.
Bombas para cacimbas e de ropuxo.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hidrulicas c do parafuso.
Ferragens para navios, carros, obras publicas, ele.
Columnas, vara..das e grades.
Prensas de copiar cartas ede sellar.
Camas de ferro, etc. .;,
Alm da perfeigo das suas obras. Me Callum *
fomnanliia garanlem a mais exacla conrormidauc
cornos moldsedesenhos reiucllidos peloSrs. que
se diKiiarem de fazer-lhes cncommendas; aprovci-
UndSa occasiilo para agradecer aos scus benvolos
amigos e freguezes a preferencia con. que tcem si-
3o por ellesb honrados, e assogurar-lhcs que nao
pouparno esforgos nem diligencias para cont'nua-
rem a merecer a sua conlianga.
-. -Prccisa-so de um caixeiro para padana.quo te-
lilla alguma pratica de negocio: na roaDireita
n. 89.
acia (MU ii'mu|oju"""v-' _*:.,
-Flix ('.osdidier, chee de orchoslra reina-
se para a Europa.
Attengo.
Jos Joaqun, de Novaos participa to publico.qu.- mudou o seu estabeloc.menlo dMMUate
la casa dos 4 cantos da ra do Quemado par lo-
ia n. 30 d mesma ra, onde se ada |io i|>W
JSer"ir os seus freguozeseom aquella pron.pt.dno lo
coalme c a tedas as pessoas que a sua casa se qui-
soren. dirigir; assim como vende pannos, cas.n.. as,
m d apoiae, sarja para vestidos, corles de col leles
".vas'de lodasasqualidndes, leiigo. de seda 0 de
cassa, botos de ludas as qua.idades, retro/es,
has/ c muilos outros objoc.os que mpreJWid
haver venda; ass.m conw llavera sempre obras
feilas de todas m qualidadcs.coin a mesma perfeigno
das de encommenda.
Compras.
Compram-sc pe de -larangeiras da trra; assim
como 60 ditos do parreiras moscatel : na ra Uo A-
PCoinpram-scps de larangeiras, para plantar,
e ditos de limr.o, para cerca : na ra Direila, n. 10,
""-^Coinpra-se cobre a 4 por cento de lucro : na ra
larga do Rozario venda da esquina ,.n. 39.
--Compra-seocatechisino de Joo Raptista Say ,
traduzido para porluguoz: quem tivcr annuncie.
- co.npra-se urna escrava moga que ongommo
oozinbe : na ra do Queimado, n. 4.
... Compra-se papel de diarios, a-3520 rs. a arroba:
na ra Direila, n. 104. .
Co.npra-se um jogo de gamito, que estoja em
bom csta.lp, com lodos seus pertences: na ra da
Cruz do Recife, n 64.
- Compran) se cdulas de
20^000 rs de cor encama
vonde-sc na ra da Ca-
iloia, loja n. 31 ; prego 50o rs
Vonde-se urna escrava de 10 annos de boni-
ta figura : na ra da Roda derradeira venda.
No Alerro-da-Boa-Vista, de-
fronte da cnlunga ,
vende-so urna porqKO de sapatOes brancos e pelos ,
para homem, lano por junto como a retal lio e
outros muilos calcados, por prego commodo.
Aviso aos Srs. meslres e
amadores da msica.
Flix Crosdidier chofe de orcheslra lendo de
relirar-se para a Franga lem ahorna de participar
aos Sis. mestiese amadores da musica que vende-
r, nos .lias 10, 11 e 12 do corrunte, na sua residen-
cia ru da Cruz. n. 10 segundo andar urna col-
lecito ile msicas, consistMido em sinfonas para
grande orcheslra, valsase quadrilh.is quartetos e
quiutclos para rabera viola e rabelo ; um grande
numero de operas arranjadasem armona para m-
sica militar: assim como vender tambora bordoes
para rabecio grande, e estantes para uina orcheslra
de 20 pessoas. ,
Vende-se a casa terrea n. 3, sita na ra do
Bom-Succsso emOlinda, por a quantia de 1:200,000
rs leudo um silio sofTrivcl, o a casa reedificada de
novo, exisliiido denlro della varios malcraos para
acabaralgumas cousas que faltara: na praga da llua-
Visla, botica n. 6.
__Vonde-se urna lilcira quasi nova, coborta lod
de sola : na ra du Hospicio, casa n. 50.
Conam, coiram depaessa, fie-
jj.ue7.es,
Passcio-Publico, na loju novan. 19, do Manocl
Juaquiui Pascoal Ramos, quo se ada de novamen-
lo surtida do pechinclias, ludo por metade do seu
valor.conio sejam: cortos de cassas-clutas a napolita-
na com 9 varas, a 2,500 rs., o em covados a 200 rs. ;
Corles de Chitas francezas.a 1,800, 2,000 c 2.400 rs.;
cintas linas para cobertas, a 1W, 200 e 220 rs.; .Mas
linas para vestido,.. 140,160,180.200,220,210 e 260 rs.;
riscadinhos fiancezes, a 220 c240rs.; primor com
listrsa de seda, para vestidos, a 320 rs. o covado ;
lencos de cambraia, pintados e muilo grandes, a
400 e 480 rs. ; meiosditos para grvala, de cambraia,
com listra de edres o do quadros, a 320 rs ; ditos H-
teteos para dita, do seda poeta, a 1,000, 2,000 e 2,500
rs cortes de ineia casimira franceza, a 2,400 rs ;
ditas irlandczas, a 2,600 e 3,000 rs.; ditos do pello
do diabo, a 1,400 rs.; ditos de lila para caigas, 1,a00
rs ditos de sempre-dura, a 1,300 rs.; madapolilo
muilo fino, a 2,000,2,400. 2,800. 3,600, 4,000, 5,000 e
5 200 rs ; cambraias lisas de vara de largura, a pe,
r a 4,500 rs., e a vara a 610 rs.; algodito de lislra-
al60 200, 220e 240 i. ; dito mcsclado oazulilo, a
230 0*240 rs.; e outra muilos l'azendas pelo din
nulo prego do quo era outra qualquer parlo.
__Vende-se urna ptima escrava parda, do ida-
de de 30 annos, engonimadoira, co/.inheira, cos-
turoira. 0 muilo propria para ama de urna casa, poi
ser de muilo boa conduela e bastante entendida :
na ra estreila do Rozario, 1."andar, n. 31.
Vende-se um escravo de idade de 16 a 18 anuos,
cozinha, c he ptimo para pagem. por ler cxccllonte
figura- a pessoa que o pretender dirija-se ao con-
vento de S. Francisco, que acliaia co.n quem tratar.
Veiidcm-se duas lindas negiinhas, sem vicios:
na ra Nova, sobrado n. 14, por cima do Sr. Dr. A-
quino, segundo andar.
Vende-se una cama, duas mezinbas, un par
de mangas de vidro e oulro do lanlernas, uina mar-
(uc/a, e mais outros objectos, ludo era bom estado o
inuito barato : na ra belfa, casa da esquina, n. 4j.
Contina-so a vender calgado da Ierra, para
mulheres o meninos; sola; couros o mais
por prego commodo : na ra Nova,
-Vendo-so o engonho denominado Telha, na fre-
giiezia dcSerinhnein, moentce corrente, mu nom
mnoilor com agoa, por ser copciro, de muiia pro-
dlICCflejtem bastantes maltas 0 todas as qual.dados uo
madeicas: -lisia do porto da embarque legua o rnea .
quem o pretender dinja-se ao mesmo engoniio, a
tratar com o propietario, Joflo Climaco.i'ernaiides
Cavalcanti.
O baiateiro da Boa-Vista
esl vendondo (na sua loja do Aterro, n. 10. a pri-
meira indo da ponte) fazendas tilo boas e baratas'
que causara admiragito por sua ptima qual.dado e
barates prego, o mesmo por so mo aebarem em
outra parte. Ah acbarflo os freguezes amigos do
bom e barateas seguintespechlneha: chitaescu-
ras, proprias para vestidos do trazer por casa, a 130
rs. o covado; um completo sortimcnlo de ooiras
mais linas, do varias giles e padrOes, a 140, 160, tt
e 200 rs.; algodOcs americanos de lislras para roupa
de oscravo's, por serom muilo enrorpados o bem tt^
cidos, a 200 rs. o covado ; gambreOes para caigas,
fazonda propria da presente estagilo por ser de pa-
drOes oscuros imitando a casimira, a 1,000 rs. cada
corte do Irescovadose meio ; cassa lisa com vara do
largura,a i ra. a vara; dita de quadros e lislras,
a 310 rs.; madapoloes limpos sem avaria, fazonda
sol". Ivel, a oito patacas e meia a pega;ricos corte do
cassa celeste para vestidos de seulioras.a 3,200 rs.; e
pegas de hretatiha do rolo com 10 varas, a 1,440 rs.
Vende se a vei.ladeira e superior
polassa da Itussia, branca, e em barris pe-
tpi nos : na ra ca Gadeia do Uecife, ar-
mazem n. i-j, de Ball.ir & Olive'n-a.
Vemlem-so dous lindos moloques de naglto ,
de 15 a 18 anuos; um pardo de, (8 annos, oplirao
carreteo, e que be proprio pira pagem; 3 prelOdO
21 anuos, bous para qualquer servico, sendo um
delloa bom earrciro ; urna parda do 21 annos.com
habilidades; 6 poetas co.n alguma habilidades, de
20 a 30 annos sendo algumas de nacilo : na ra do
Collegio n. 3, segundo andar, se dir quoin vende.
Vondnm-seescravos baratos, na ra das
Larangeiras, n. 14, sou'un lo andar: um
raolecote do elegante figura sem vicos
nem achaques', com oficio de sapaloi-
ro ede pintor; inmuto do nacilo, com
officio de sapateiro o ptimo copciro ; um mulati-
nho de muito boa conduela, ptimo para um pagemj
dous prctos, por 700.000 rs.; urna prcla que mo lio
volha, por 350,000 rs.; una .lila de 20 anuos, por
470 000 rs. ; uina dita quo cozinha e engomma, e quo
este pojada ; o maisalgunsescravos quo so mostra-
rlo aos compradores.
sas
.la
-Vende-se ou trocarse por ca-,
terreas, ou alguna silio perto
H-aca, ama casa de sobrado de
dous andaros (a excepeo de urna
parte de dous cotilos de ris que
perlence a outra pessoa), cuja ca-
sa he feila de muito poucos an-
uos, e repai (ida moderna; tem
urna excellente vista, bem como
um bom desembarque para o mar:
quem esta compra ou troca qui-
zer fazer dirija-se ra do Cres-
po a fallar com Jos Joaqun) da
Silva Maya.
A I.OJA NOVA N. 17. DI) PASSEIO PUBLICO DA
PRAIA DOCOLUSCIO.
F.stcnovo cstabelocimonlo.lazendo boje a sua a-
bcrlura. o oslando de antemao prvido e completa-
mente surtido de poeliinchas e fazendas rateramen-
te novas que merecen, particular UmgBMMh
dores da economa, odisposlo a palentea-las pelo
n.ais mdico prego, compativel com suas boOom-
pras feilas I dinliciro.e sem compet loros no mrca-
lo espera que o presento annuncio, soando aos ou-
v d'os los ainanti's do bom o barato, faga a devida
impressno para que com sua enrgica concurrencia
eslabcleoimento possam devidamenlo conhecer o
prooiar ludo quanlo levo dito. E para que com ma.s
I ,...tia possam ajuuar e azer mais acertada conc -
de ag: o abaixo leva,., os preco algumas dossas que
a memoria Iraz ncolleegr,o.-l'ccasde mapapoiaosof-
frivel, a 2,000 rs., 0 a vara a 100 rs.; nseados de 4
palmos do' largura, fa/enda muito boa para, esern-
los, a 200 rs o covado; dUomj..lO JToMM"
lioracni,
alguma cousa,
loja, n.58.
' Vende-so por todo o prego para liquidar coti-
las o acautele : vestidos de cassa, de vanos goslos;
ditos de seda; dilos do selim ; ditos de cambraia ;
ditos de chita ; pegas de d.la ; ditas de niadapolao
ditas de hamburgo; ditas do algodaozml.o ; cha es.
do lila e seda ; dilos de seda ; ditos do lita. ; muilos
snalos de lustro ; longos ; cassas, para babados. e
mitras muilas fazendas de gosto ; o diccionario por-
lalino; o Indicador do cambio, banco
coinnie.cio ; varios nmeros do l'anorama do 1843, t
algumas obras de ouro : na na do Kangel, n. ti.
AfTENCA AO QUE HE BOM E BARATO.
Vcnde-sc caf moldo de superior qualidade, de
qualru libras para cima, a 140 o a 160 rs. a libra; dte
de cevada emporcad do quatro libras para c nw,a
140 c a 160 rs. libra; charutosdo regala,os mell ores
,,,o boje ha, a 1,400 rs. acaisa; assucar retinado.
da! con) pouco deseolo : na l^^^tritt^'SSS.tS
esqnina do Livramenlo, loja
de 6 porlas.
Compra-sc urna cria, com idade de
dous a oito mezes: na Caiuboa doCarmo,
a, 8, se achara com quem tratar.
\ \eTSSrdi J. 7% TOO rs ; ditos do
"Zrn;!e".la,a3000rs:;cssa.,sacomrava-
gorgur;
r do largura
......*-5?:,BKr
Sdlstata ate. o"cv-.doYdite Uangado bran-
2 a 160 s a vara; assim como urna porgo desa-
pili^nuo proprios para a estag.to presente, a
1,440 rs. o par.
A' 4n^00 o corte.
Na loja de (teimariies Serafim & C confronte ao
arco de Santo-Antonio, n. 5, yendeni-se ricos cor-
les de cassa dos padrOes mais modernos que lecm
libra- crdocarogo, a 4.000 rs. arroba, c a vinii0 a esle mercado, o lindos desenhos elo bara-
ibra a 140rs. cevada era carogo.a 100 rs. a libra: nal l0 pre(;o de4,500 rs. cada corte; chapeos de sol, do
ra Direila, n. 104. I panninho francez a imilagao de aeda, com lindos
I Vciide-se, na venda do pateo do cabos, a 3,200rs. cada um.
ftiiuc i i __ Veni|e.S(. un,anegrinhadel2al4annos, que
Terco., n. 7,azeite de c6co, a 2,710, rs. altazlavaririto sorfrivelmeiite: na ra estreila doKo-
(caada j.e garrafas c metas a 3G0 rs. Izario, n. 11, segundo andar.


^-

Vendem-se moen Jas de ferro pra engcnl.os de as
tacar, para vapor, agoa e beatas, de diversos tamaitos
por preco couimodo e igualmente taixas de ferro coado
e batido, de todos os tamanhos: na praca do Corpo-SatK
to, n. 11, ein casa de Me. Lalmont 4 Companhia, ou na
ra de Apollo, arinazetn, n. 6.
G
;iz.
I-oja de Joo Chardon ,
Merro-da-oa-Vista, n.5.
Neita loja acha-se un rico sortiinento de LAMPEOES
PAIIA CAZ com seus competentes vidros accendedo-
res e abafadores.
Estes eandieiros *o 0> meihn.es e
irais modernos queexlstem hoje : recoinmendam-se ao
publico, tanto pela segursnea e bom gusto de sua boa
confeccao como pela boa qualidade da luz, economa e
atseiodeseu servido.
J\a mesilla loja os consumidores sem-
preacharaoum deposito de GAZ, de cujo se~ afianca a
qualidade, e em porcao bailante para consumo.
Novos gambreoes.
Na loja de Guimarfles Scranm& C., confronte ap
reo de Sanio Antonio, n. 5, vndcm-se novos gam-
breoes a 1,400 rs. o corte de tres covadnsc mciuj'es-
ta razenda torna-so rcrommcndavel para a eslagflo
prsenlo, por ser fazenda onenrpada o escura; e finge
a casimira franceza por ter padrOes imitantes ;i chi-
tos a 120 e 140 rs. o covado, e alcrn .listo um com-
pleto sorti nenio de toda a qiralidado do fuzendas.
508, de bonitas figuras; urna prela dei'6 annos; una
cabra com urna fillia do 10 annos ; 2 pretas do ser-
vico de casa e que silo boas cozinheiras ; 2 ditas
sem habilidades: no pateo Ja Matriz deS.-Antonio,
sohrado n 4.
-Vende-so urna armagfloclialcflo que foram do
vendu un torno de modulas de pao; ludo novo e
por barato prego dcfronle da riboira da Boa-Visla ,
venda n. 60.
Vcndem-se dados tanto de nmr-
im como de osso : na rua do Cabug,
loja de mindezas, n. i D.
. V .
A' 800 rs. o corte.
Na loja de Guimarfles Serafim & C, confronte ao
arco de Santo Antonio, vendem-se lindos cortes de
fustflo, cores fixas, pelo barato preco de 800 rs. o
corle; cassa-chitas com dores, finase largas, suecas
c fnglezas, a 240 rs. o covado.
NA HUA DOQUKIMaDO, N n,
Vendem-se lindas mantas de seda ,
milito finas as mois modernas que lia,
proprias para senhora e meninas, a 3,7oo
rs. ; cortes decassade cores futa*, ede
lindos padrocs, a 4,ooo rs. ; sarja hes-
panhola ; dita franceza ; los p re tos ; lu-
do por menos de sen valor, por ter aca-
bado a Quaresma : na loja nova d'e II-
C. Leite.
-- Vendc-se o restante da superior farinha a
3,200 rs.a sacca ; na rua Direita n. 9.
A' 7 $000 rs. cada urna mana.
Na loja de Guimarfles fierafim & C, confronte ao
arco deSanto Antonio, n.5,vcndem-se mantas de seda
modernas para senhora, pclOjharato proco do 7,000
rs. cada urna; riscados francezes finos, padrOes mo-
dernos, a 240 rs. o covado.
Vrnde->e nm fortepiano de paten-
te London dos autores de Colare] e Co-
lard ; exccllenle vinho branco da Ma-
dura, cjigarrafido : na rua do Vigario,
armazem n. /j, de Bothe &c Bidoulac.
OWiM E BARATO.*= 21,000 RS.
Vcndo-so folhl de Flandrcs da mais superior
que tem vindo a este mercado, tanto em lustro
como em qualidade, pelo diminuto prego de 21,000
rs cada caixa ea 10P rs. a retallio : na rua Nova ,
loja de ferragens n. 25 de Teixcira & Andrade.
A' 12,^000
rs.
Na loja n. 5, confronte ao arco de Santo Antonio,
vendem-se ricos cortes de chaly delflacscda, pa-
drOes modernos, pelo barato prego de 12,000 rs. ca-
da corte; riscados francezes finos o modernos, a 240
rs. o covado; zuarle azul encorpado, da rubrica por -
tuguez, a 200 rs. o covado: esta fazenda be propriu
para escravos.
Vendem-se escravos do ambos os sexos do 10
a 30 annos, com habilidades o sem ellas, c de bo-
nitas figuras i na rua Nova n. 40.
PANNOS PBETSFliNOS
* novos na loja ; velludo preto ; chama-
lote de seda, para colletes e golas ; se-
tiinmacau ; o verdadeiro brim trancado
de listras de cores : na rua do Queimdo,
loja nova, n. n,de Raymundo Carlos
Leile.
Venden se VKLAS de cera do
Hio-tle-Janeiro e de Lisboa grande c
completo sortimenlo : na rua da Scnzal-
la-Vcllia armazem n. no, de Alves
Vianna
Vendem-se superiores chapeos de
-^V.castor, pretosehrancos, por preco
muito barato : na rua do Crespo, loja n.
i a, de Jos Joaquim da Silva Maya.
Na rua do Crespo, n. 12, loja de
Jos Joaquim da Silva Maya ,
vendem-se ricos coi tes docambraia para vestidos do
senhora ; ditos de bauzulinas, para vestidos : fazen-
da esta muito propria para a eslagflo de invern, por
ser de cores escuras; um rico sortimenlo de maulas
de seda o de seda e lila para senhora; mantinhas para
meninas a duas patacas cada urna ; chales de seda
de bonitos gostose dilTercnles tamanhos; meiasde
seda brancas e pretas, para senhora o homcm as
mais superiores que teem vindo a osla prega- pan-
no lino preto e de cores ; alpaca a 800 rs. o cova-
do, e muito fina a 1,600 rs. ; cambrainspara cor-
tinados de camas e jan.lias assim como franjas pa-
ra os mesmos ; cortes do caigas de casimira france-
za elstica e muito superior, a 5,000 rs. cada corle
cortes do colletes de velludo, gorgrfio, setim o d
fustflo por prego muito bnalo; panno do linho a
400 rs.a vara; cobertores para escravos, e oulras
minias fazendasque todas so vndenlo por piceos
muito baratos. *
Vende-sc um prela meca que
cose e engomaia : na rua do Cabug ,
loja de miudezas, u. i 1).
Ao superfino.
Na loja de chapeos da rua do Queimdo n. 38,
vendem-se os mais modernos o superiores chapeos
francezes, queexistem no mercado, iguaes aos que
vflo para corledo Rio-dc-Janciro chegados ltima-
mente de ['ranga na barca Zilia ; assim como cha-
peos linos de raslnr,hrancos ti preto, da nllima mo-
da e por prego com modo ; ditos do castor sem pel-
lo, e de todas as mais qualidades, aleo diminuto
prego de 2,500 rs.
Veme-se urna porcao de lages de
pedra,.proprias para ladrilho de arma-
zem ou calcada ; e duas portadas de pe-
dia mulatinlia, da trra ; narua da Sen-
zalla-Nova, n. 7.
Vende-se una parda de muito bonita figura,
que cozinba bem o diario do una casa lava
do sabflo e varrella coscchflo c he muito boa pac
racasa de familia : na rua do Collcgio n. 16, 1er-
ceiro andar.
Vendem-se dous pretos, sendo um delles oHl-
cial de carpina ; una prcla c una parda com una
cria do 8uiezes; urna linda negrinha do 7 annos,
propria para andar em casa com criangas: narua
da Cadeia de S.-Anlonio 11. 25.
A' 2^000 rs. o corte.
Na loja de Guimarfles Serafim & C., confronte ao
arco de Santo Antonio,n. 5, vendem-so cortes de cas-
sa de padr0esagradavei.se cores fixas, pelo diminuto
prego de 2,000 rs. 0 corte ; longos francezes grandes
e linos tingindo seda, a 480 rs. cada um; longos de
cambraia com bico, a 640 rs. cada um; ditos de dita '
muito linos com renda e bico, a 900 rs. cada um.
Vendem-sc bolins e meios ditos francezes, a
3,000 rs. ; ditos de Lisboa, a 2,000 rs. ; borzeguiis e
sapatos americanos de duas palas, a 2,800 rs.; sa-
patos de cabra; ditos de tamanco, a 500 rs.; no A-
tcrro-da-Boa-Vista, n, 84.
Alm de mitras militas
I fazendas,existe anda un
I resto das |jechioclias dos .
I cortos de eassn de U,#500 I
-- Vendem-se baszinhos coberlos de tartaruga
de dilTercnles tamanhos, proprios paiaas senhoras
guardaren! sua costura pelo mdico prego de 2 100
rs. cada um na rua da Cadciado Recifc, i,. 19.'
i\a rua do Colle-
gio, i. 17, loja
de niolhados.
(padaria) vendem-se juncos de superior
qualidade, em porcSo e a retalho, e por
menos do que era outra qualqucr parte.
Sement dehortajice.
Ramanos, rabanetcs nabo,-chicoria senoulas ,
chicarolas, selgas, salea, alface ceblas broco ,
repolho, pimpinelas aipo, ospinafre, gouvc, almei-
rflojtudo muilo novo e cHegado ltimamente de
Lisboa, vende-se na rua da Cruz.n. 22.
Vendc-se um piano horizontal, de muito
linda construcgflo de oxcollenles vozes, e de mui-
to acreditado autor: na rua da Alfendega-Velha,
n. 42, casa de Adamson llowie& C.
Vendem-se 8 escravos, sendo: 2 crioulos de 29
a 26annos, sendo um.delles odlcial de sapatoiro e
o outro de todo oservigo tanto da pi-acn como de
campo; 4 ncgriiihas.de 11 a 12 annos, proprias para
mucamas e para serem educadas; urna mulatinha
clarada cOr de 13annos, ptima para ser muca-
ma c ser educada ; urna parda do 26 annos, muilo
possanie para oservigo de urna casa e mesmo para
o campo: todos estes escravos silo de bonitas figu-
ras sodios sem vicios nem achaques, o vendem-
so por prego commodo: na rua das l.'ruzcs n. 22,
segundo andar.
Vendem-se duas escravas para todo o servigo ;
3 molecasdo 12a 13 annos; urna escrava boa qui-
tandeira o lavadeira por 200,000 rs. ; urna dita
para o campo, por 240,000 rs. ; urna parda que sa-
be fazer todo oservigo de una casa com urna linda
lilhado 10anuos, por 700,000 rs. ; um bonito mo-
lequo do 20 annos perito ollicial de alfaiate; dous
ditos de 17 a 19 anuos; um pardo de22 annos, bom
criado para servir qualquer casa : na rua de Agoas-
Vcrdes, n 46.
-r VCndc-sc cerveja branca e prela bocea de
prata da muito conhociila o acrodita marca dia-
mante X* a mclhnr que vem a este mercado ; assim
como o mais cxccllenle e delicioso vinho de Bor-
deaux engarrafado e em camuas de duzia ;
champanba tamben) do muito boa qualidado : tudo
por prego commodo : na rua da Alfandoga-Velha ,
n 42, casa do Adamson Howie & Companhia.
Na loja nova do P.isseio-Pu-
blico, 11. 17,
vendem-se pegas de cambraia branca lisa, muito lar-
ga efina, com 8>aras o meia, oque muito bem d
3 vestidos, ii2,5C0 rs.a pega. A ellas, antes que se
acabem : depois nflo digam que se fazem annuncios
sem lera fazenda. Igualmente ha uns riscados de
quadros, de linho puro, muito proprios para ia-
qnetas, a 400 rs. o covado.
Vende-se um sellim para montara de senhora
qiiasinovo; urna cainy de carreira, para 8 pessoas;
urna moler do 11 annos, muito linda: na rua d
Cadeia-Velha, n. 27.
Vende-so 11 m*scravo de nagto Congo de bo-
nita figura c que ho intelligente : na rua do Ouei-
mado, n. 11.
Vendem-so ps de sapotis de todos os tama-
nhos, por prego commodo : na rua das Flores
n. 25. '
Vende-so um molequo crioulo de bonita fi-
gura de 28a 29 annos, oque he muito sadiojao
comprador so dir o motivo por que so vende na
casa n. 7, defronto do portflo do hospital de cari-
dade.
Vendem-se pedras de amolar da mclhor qua-
lidade que teem vindo do rio do S.-Francisco a
rclalhoeem porgos, dar-se-liflo por prego com-
modo: na ruada l'raia, armazem n. 18.
este muito pprovado para as pessoasq-ie padeccm
doeslamagoefrialdado por ser muito tnico o
bom conceito que tem tido este chocolate, z c0m
que hoje participo as pessoas que ainda nflo Tlzeram
usodelle, e igualmente aos seus freguezes', que 0
teem procurado, o por inconvenicnteso nflo teem
adiado. Os pregos sflo smpre os mesmos, sade
cancllaebaunilha a 400 rs. a libra, o rbrruginoso'
a 1,000 rs. Tambem vende ago'arderrle do reino
Franga, de primeira qualidade; espirito do 36 graos
semcheiro, em garrafas e em caadas; gonebr
em botijas eem caadas; ago'ardento de aniz o de
canna ; vinagro tinto ago'ardente cm pipas, nos
graos quoquizorem; licores em garrafas pretas c
brancas, com ricas tarjas douradas e bocea pratea-
da; essencia de niz em ongas e garrafas.
Escravos Fgidos.
Fugio do poder do
assignado, um escravo,
me Domingos, de 20 a 22 annos, cOr par-
da baixo, musculoso barbado e de -
suissa fechada .cabellos pequeo, na- i
riz gtossoe um'poucochalo denlos al-
vos com urna cicatriz semicircular no '
ante-brago direito, de urna canivelada
que levou ; ho muito esperto e loquaz
trabalha do diffnrcnlea olTicios e l al-
guma cousa Como eslivesse no Rio,
Babia e Alagas, dondo he natural, con-
ta historias destes lugares ; e sondo pos-
sivel que tejida sabido da cidade pode
illuJira qualquer de quo ho forro. I)e-
appareceu na noitodo dia 10 do prximo
,. passado; levou camisa de Chita azul,
%f caigas de brim pardo trangado chapeo
de pello yelho c sapatos, pois anda cal-
gado; alm de urna trouxa com roupa.
Quemo negar leve a nia larga do Roza-
rio, n. 30, segundo andar, que ser1
bem recompensado.
Doutor Ai. A. da Suva Pontet.
Polassa da Russia,
n1rOuHrrd.e,80rV ,ibr em "' Pequeos:
RoseUnmu(drUZ,n- ,0 armazcm ^ Kalkilann &
- Vendem-aes escr.ve., nodo 1 a pretos ;rao-
Fsteestabelecimentoabrio-se, ha poucas dias e
como estoja com un. sorlimento do todos os 'cene-
ros eonie.st.vos a seu alcance levaao conhecinien-
lo do publico que sen prop otario est disposlo. pa-
ra chamar a .iltongn., dos fn-piiezes, a vender polo
ma.s 1110d.ro prego possivol o talvcz sem cxomplo
Alein disso ahanga-se quo roslo ostabolccimento ha'
o n.a.orasseio e delicadeza nos cffeilos, para be .1
servir seus freguezes 1 ha bom vinho do Po'io I $-
boa e da Figueira ;- bom presunto para fiambre
paios.lingoigas, azeitonas, sardinlias, cerveia '
etc. ; ludo novo, frosquinlio e cm cotila ; o muito'
Ees qUe'J0S londrinos' a V60 r's., muilo
- Vende-se urna boa vacca do leito, com urna
hezerra grande; ja da pouco lei-te he boa para criar
HnrMCrl?u,a Tl ma,,sa 1 Por Prego commo-
do^ no Alorro-da-Boa-Vista fabrica de licores ,
nori'r,VZ'!r^' Perm*utn-se por terreno dentro c
frii .pr,"^' .uma rnsa de t"ip, muito bem
de \ a lad"lha,l,' rebocada na principal rua
bric'^nc^e^n."0 ^"-^-B-Vist'a",1 T
Na rua da Senzalla-Nova, n. 3o,
Loja nova, o. 4 ,
ao pedo arco de
Santo-Antonio, na rua
do Crespo.
Este eslabelecimcnto contina a patentear aos
seus numerosos fteguezes as suas pechinchas, o no-
vamente recebcu um sortimenlo completo, que esta
patento ao publico por pregos os mais commodos
possiveis no mercado, notando-sc com especialidade
assegu.ntes fazendas: chales-de 15a, lindissimos
padrOes suissos para senhora a 2,000 rs. ; lencos
delinissinia cambraia pintada o recortados, para
"'..o do senhora a 400 rs. ; alpaca a nwis fina e
lustrosa que existe para sobro-casaca a 1,280 rs
um completo sortimenlo do pannos finos, pelo
azul, verde cor de azeitona verde-escuro azul-
oscuro do 3,500 alo 8,000 rs., do melhor fabrican-
te o mais acreditado tanto em suas cores como no
fabrico ; prmceza muito tina a 800 rs o covado ;
inadapolflo, solTrivol fazenda a 2,720 rs. a pega
'LV;."," Vala; dil mniln'ino.a 3 500, 3,800,
4,000, 4,500 e 5,0001s., o a vara a 200, 220, 240 o
fO rs,; hrms do linho dcqiiadrinhos para jaque-
tas o caigas muilo lindos padrOes a 640 rs. a vara;
ditos brancoe cor do canna do puro linho tran-
gado a 1000 o a 1,200 rs. a vara ; chitas muito fi-
nas e de cores ixas a 160,180, 200 c 240 rs. o co-
vado ; lengos de cambraia bordados com abertos;
scuas para vestidos; corles de collcte do fustflo blan-
co e do coros ditos do Ifla e seda a 800 1,000 rs. ;
cortes de cambraia ditos de Ifla e do Ifla o seda
chapeos,le sol, de seda, para senhora, de coros
LTl[rZ1lLTlCI,iUfUos r""-zesV muilo lindos"
padrOes, a 210 rs.
JV SE DA' A 5,000 RS. A ARROBA PARA ACARAR
., IIKIMESSA.
o, .h."8.^/!" S".perior I"""8 vo,as e P "r m
.C\armrm,:a8;eV,POrCm0enl,aS: "'
.. .Pn'len"sc6 "ficas grandes, proprias pa-
ra nssucar por prego commodo : na rua da Pra a ,
armazem n. 18.
- Vende-so sal de Lisboa fino e alvo a 1,600
rs. o alqueire da medida vclha e sondo porgflo se
ara por menos : na rua da Praia, n. 18, aondo tam-
bem se vendem pipas.
Fredorico Chaves, fabricanle
ce licores, chocolate c es-
pirito, no Atorro-da Boa-
Vista, n. 17.
lema honra de participar ao rcspeavel publico e
com particularidade aos seus freguezes que (em
sernprei grande sortimento do bem conbocido cho-
colate de sade, canella, baunilha e ferruginoso,
~ Fugio, no dia 6 do corrento um preto, de no-
mo Pedro de nagiJo Rengela alto cheio do cor-
po, heigos grossos; faltam-lho alguns denles na fren-
te ; levou caigas do llnhagem grossa camisa do
algodflo, pola parte de detrs azul; bebe soffrivel-
mento ; he de siippor que de vez em quando se ein-
bebede ; desconfia*-so que ello anda pelos arredo-
res desta cidade. Roga-se a^ autoridades policiaos
o capitflesde campo de o apprehcnderom o levarem
a rua da Cruz, no Recife, n. 26, venda do S Araujo,
que gratificar generosamente.
Fugio, do ongenho Boacica freguezia de Ipo-
juca comarcado Cabo, o pardo Joaquim, de 28
annos secco do corpo estatura regular, falla meia
talara, denlos limados; hocarreiroS Quomopcgar
leve acuito engenho ou na rua das Cruzcs, n. 30,
que se recompensar.
Fugio, no dia 9 do corrente, um mu-
lato de nome Estanislao escuro, que re-
prsenla ler 35 annos, pouco mais 011 me-
nos, ollios pequeos, estatura baixa, gros-
so do corpo, cabellos bem pegados ao cas-
co, feicSes regulares, pouca barba, pesco-
90 curto, quebrado ou deieituoso, pernas
grossas, ps chatos ', no se salie com que
roupa fugio j le ni o vicio de beber, c lie
bem fallante e pachola : rogase s auto-
ridades policiaes, campanbas, ou qual-
quer pessoa, o prcudam, 011 facam pren-
der e levar a scu Sr. Francisco Joaquim
da Rocha Falca o, no engenho San -Jos,
em a freguezia de San-Lourenco, ou lia
rn.1 das Cruzes, n. 40, a Domingos' da
Silva Campos, que serSo generosamente
recompensados.
Fugio, na noilc de 7 para 8 do enrrente do so-
bra do doabnixo assignado sito na rua da Concor-
dia descendo por urna corda da janclla dosotio.a
prela Narclsa de Angola, de t8 annos .estatura re-
gular corpo grosso, olhos bastante pequeose ver-
melhos nariz muilo chalo; levou vestido de chi-
ta de ramagens pretas e sujo, ciherflo de algodflo
trangado; deve ter as mflos ferids ta corda. Esta
escrava era perlencento ao fallecido Jos da Silva
Botelho de quem o ahaixo assignado he leslaineii-
teiro. Os apprehensorcs podem leva-la ,ao dito
sobrado ou a travessa do Queimdo n. 3, que se-
rflo generosamente recompensados.
/Wone. Firmino Ferreira.
Fugio no dja 28 do abril prximo passado 1
prela Thercza, que reprsenla ler 25 a 30 anuos a
he a-Ha reforgaila bem parecida; levou saia de
chita vcrmelha e panno do Costa ; lein algumas c-
calrizesem um dos bracos. Esla escrava eslava nes-
la praga apenas ha 12 dias tondo sido rcnu'ttida de
Macci pelos Srs. Lu/ Antonio Alvos Montoiro &
Companhia, para, por sua corita, ser vendida aqui
pelos annunciantcs, A. 0. dos Santos & Companhia,
moradores na rua do Crespo 11. II. Kccomiitcuda-
so a sria apprehensflo a todas as autoridades poli-
ciaes e quem a pegar ser recompensado.
Na manhfla do dia 3 do concr.tc, das 7 para as
8 horas, sendo conduzida para rasa do Sr. major
Antonio da Silva Cusn.flo uma sua esclava prela, do
nomo Romana, esla, no Alerro-da-Boa-Vista, deisan-
do-se (car atrs do portador quo a conduzia, lugio.
A referida pela he du Angola, bem ladina, e repre-
senta ter do idade 30 annos pouco mais ou menos,
estatura ordinaria, corpo cheio, porm magro; Iciir
o dedo grande do p direilo aleijado, e em ambas
as pernas algumas cbagas bastante grandes, e le-
vou vestido escuro de chita com flores brancas e en-
carnadas, c por cima saia prela de. lila, c foi ombru-
Ihada em um chale cor de vinho com barra branca:
levou mais uma trocha, corilcndo um lengol de al-
godflo, o oulros vestidos o roupa*; Quem a desco-
bije e pegar leve-a a casa dodiloSr. (.usinflo, na rua
do Queimdo, ou 11a rua do Aragflo, n. 27, quesera
recompensedo.
PERN. :na ttp. de m. f.de fara. i47- 'i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED6T9EYDF_VIKNHB INGEST_TIME 2013-04-26T23:31:25Z PACKAGE AA00011611_08460
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES