Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08454


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mmm
Anno de 1847.
O PUMO pul'lica-se lodo os din, que nSo
ile fiwd o preeo da nuignatura he de
rio" tJ. po' qrel- VR0' dianladn,. Os an-
orins dos asaignantea iSo inseridos i msiio de
iii'la nnrlinlia, "> VPo'Hifferente, a as
eces p-'a metade. Os que ni"o f rem asvg-
.v^o80" p?r|i,iha' ijpo
ulerete, porcad. publicado.
PHASES DA LOA NO MEZ. D MAIO.
MlnROsnW, 7, os 1T min. da larde.
Quarta-feira 8
PARTIDA DOS CORREIOS.
GoienoaeParaliyha, A, segundas eseitasfeiras.
Kio-(,rnc1e-itn.Norte quimas feirasaomeio-dia
Cebo, SerioUSem, Rio-Kormoso, Poilo-t.lvo e
__ Macelo no I.*, 11 e ii dcada rae,
(arauhunse Ronilo. a lOell,
Boa-Vitta e Flores a II e U.
Victoria, s quintas feiras.
Oliada, todoi oa das.
I.ua oo!
:M,
. dora e S min. da Urde.
..""ente, aM. a I I'om tnn. da tarde.
La cheia, a 1, aa i hava 4 miou. da larde.
PREAMAR DE I10JE.
Primelra, a 8 liotas SO minuto da maohia
Segunda, S liaras a I minuioi da Urda. '
de Mao

Anno XXIII.

DAS DA SEMANA. ,
I Seronda, ijuji Inve-fio da Santa Cruz. S.
Rodopiano.
4 Ierra. 8. Montea. Aud. do J. do ci. da I .
a do i. de paa du 2 !. Quarta. S. Po Aud do .'. do cir. da
1 e do J. de paz do 2 dist. de I.
6 Quinta. S. Joo Damasceno. Aud, do J. de
orph., edo I. municipal da I vara.
T Seita. S Estanislao. Aud,do J. do ci. da
i. e do J. da pal do I. dist. da t
I Saldiado. S Heladio. Aud do J do ci. da
I. e do J de pai rio I dist di't.
t Domingo. S. Gregorio Natianuoo.
CAMBIOS NO DA DE MAIO.
Camino nh'~ Londres a *nTdL por IJ rs.
i I'ris 31 !> rs por franco.
a a Lisboa 96 de premio.
Destf, de leltras de lioas firm.s I'/, P-'/n
OuroOncas l-rspanliojas..,. ISJ&OO a
. Modasdeufinftrclli. llfSOn a
' a ile f00 or.. lofflOO a
a de ono..... UfOOO a
Praia Patace.......... 2|')20 a
*> Pesos columnares... 2|i't0 a
ii Ditos mexicanos ... >#28o a
Milicia............ li'MI a
A cedes da co ni p. do llebcribe de &0f 000 rs
n 6M.
ao me,
29f islftoo
mfjon
'010
1lro
li(IO
aopar.
DIARIO DE PERJSTAMBUCO
P*TE OFFICIAL
LEI N. 192, DE 12 DE ABRIL DE 1847.
Orea rectita $ fiza a despesa da provincia para o anno
firtaiiceiro de 1847 a 1848.
Antonio Pinto Chichorro da Cama, presidente da
provincia dePerrwmbuco. Fatjo saber a todos os seus
.abitantes, que a assembla legislativa provincial
jecrelou, e eu sanecionei a le seguinte :
)
f TITULO I.
Despeza provincial permanente.
Art. 1.* 0 presidente da provincia no autorisado a
despender, do 1." de julbo de 18*7 ao ultimo deju
ni) de 1848, a qtianlia de quinlientos sessenla e cin-
co contos tresentos e doze mil tresenlos e quatro
ris, com a despeza permanente, e cento o quatorze
contos seiscentos setenta e cinco mil quatrocentos
eseis ris com a extraordinaria.
Ai i. 2." Com a assembla legislativa provincial, a
saber;
1. Com o subsidio dos membros da
assembla, na conformidade da le n.
159, de 13 de novembro de 1846 12:780,000
2. Com a indemnisacSo de ida e
volta aos mesmos 1:600,000
3. Com os empregados da secre-
taria 3:250,000
4. Com a publicarlo por tachy-
graphos, incluida a quantia du qui-
ndenios mil ris, que se devem no an-
no financeiro cerrente, segundo o con-
trato 4:000,000
5. Com o expediente e asselo da
casa 400,000
Art. 3. Com a secretaria da presiden-
cia, a saber:
1. Com os empregados, autorisado
o presidente da provincia a crear, desde
j, mais dnus lugares de oflicaes, com
o ordenado de bitocentos mil ris ca-
da um, eumeontinno com o de qua-
trocentos mil ris, pertencendo aos
mesmos empreados, repartidmento,
os emolumentos das patentes dos oili-
ciacs da guarda nacional, iguaesaos que
agavain os olllciaes das antigs mi-
mas 11:200,000
2. Com o expediente c asscio da
casa 600,000
Art. 4." Com a thesouraria das ren-
das provinciacs, a saber :
1. Com os empregados,autorisado
o presidente da provincia a reformar
esta reparticjlo, e as demais encarrega-
das da arrecadaeflo dos direitos provin-
ciaes, conforme as conveniencias do
servico publico 13:700,000
2. Com o expediente e asseio da
casa 600,000
Art 5. Com a arrecadacffo das ren-
das, a saber: .
S 1. Com os empregados das rendas
internas, continuando a.commsso de
nuco por cento, e incluida a quantia de
lu/entos mil ris, que sedara ao thc-
souriro para asquebras
% Com o expediento e asseio da
casa
J 3. Comascollectoiias dascidades
de'linda, Goianna e Victoria
$ 4. Com as demais colleetorias
Ji 5. Com a agencia do tabaco, e l-
quidos espirituosos
Art. 6. Com a inspocao do assucar
e algodfo, a saber :
|, Com os empregados
2. Com o expediente e asseio da
casa ,
Art. 7. Com os doze ajiidantes do
prticuradbr-flscal a tresentos mil ris
cada um '. ,
Art. 8. Com o solicitador provincial
Art'. 9.* Com o lyco do Recife, a
saber
1. Com os professores e emprega-
dos, continuando a autorisacSn dada
no presidente da provincia na lei do or-
camrnlo vigente, e inclusive a quantia
de setenta e cinco mil ris para comple-
tar a gratificarlo que compele ao pro-
l'essor de relhorica 15:375,000
2 Com o expediento e asseio da
casa 300,000
Art. 10. Com os professores de latim,
sendo o ordenado do substituto das tres
cadeiras da cldado qufhbentos mil res
annuaes 4:500,000
S nico. Com o alugucl das casas dos
professores da Boa-Vista o S.-Jos 400,000
Art 11. Com os professores de pri-
meiras letlras de toda a provincia, con-
templadas todas as cadeiras novamen-
te creadas 36:266,660
S nico. Com o aluguel de casas, se-
cundo a lei do ornamento vigente, o
mais cincoenta mil ris annuaes para
os proessores de fofa da cidade 6:100,0.00
Art. 12. Com o concelho de salu-
bn.ia.le 7:200,000
Art. 13 Comafrca policial, a saber:
% i. Com o corpo de polica noseu
ado completo e ordiuario 147:598,000
9:800,000
300,000
2:650,000
500,000
3:000,000
12:160,000
240,000
3:600,000
300,000
2. Com armamento, equlpamenlo, :
utensis, agoa, luzes, fornecimento de
pparelhos, roupas ao hospital, e resto
desupprimento ao mesmo 9:600,000
Art. 14. Com a illuminacio publica 37-130,440
Art. 15. Com asobras publicas, con-
tinuando a autorsac3o dada an presi-
dente da provincia, quanto ponte dos
Afogados a saber :
1. Com osmpregados 16:620,000
S 2. Com o expediente e asseio da
casa 500,000
3. Com a conservarlo e reparos
das estradas c pontes 5.000,000
4. Com a estrada de S.-Antflo 25:000,000
[i 5. Com a de Po-d'Alho 25:000,000
6. Com diversas puntes 15:000,000
J 7. Com ascadeias 6:000,000
8. Com ostrabalhos graphicos 2:000,000
S 9. Com obras imprevistas e despe-
zas evenluaes 5:000,000
Art. 16. Com a associacflo dos artistas 500,ooo
Art 17. Com os reparos das capollas-
mres, destinadas as quantias de dous
contos de ris para a matriz do N. 3- da
Gloria do Guita, um cont de res para
concert do corpo da igreja de Po-
d'Alho, e um cont de ris para cada
urna das matrizes dg Goianna, Gara-
nlnins e SerinhAem 9:000,000
Art. 18. Com os parodise coadjuto-
res de toda a provincia 28:000,000
Art. 19. Com o guisamentoe fabrica 1:574,931
Art 20. Com o seminario de Olinda,
sendo os ordenados dos professores um
cont de ris annuaes, e do substituto
de seiscentos mil ris annuaes 3:850,000
Art.*. 21. Com os religiosos capu-
chinhos 864,000
Art. 22. Com O recolhimento da Coti-
ce i qflo de Olinda 400,000
Art. 3. Com osostabelecimeotosde
caridade, a saber i
<* 1. Com o hospital de caridade 6:500.000
2. Com o aluguel e reparos da casa
do mesmo hospital 2:000,000
S 3. Com o hospital dos Lazaros 3:000,000
4. Com a casa dos expostos 3:500,000
Art. 24. Com o sustento e curativo
dos presos pobres 8:000,000
Art. 25. Com os aposentados 4:195,770
Art 26. Com os jubilados 6:450,000
Art. 27. Com a concesslo feita a Jo-
s Pedro Velloso da Silveira 1:600,000
Art. 28 Com es ordenados do admi-
nistrador do theatro 1:800,000
Art. 29. Para pagamento do que se
levo c.miara municipal do Brejo da
Madre-de-Dens, aluguel da rasa que
serve de cadeia*; desdo o.* de Janeiro
de 1837 ao ultimo de agosto de 1841 448,000
Art. 30. Para pagamento da primeira
lettra da companliia do theatro, Inclu-
sive qs juros do seis por cento 15:586,503
Art. 31. Para pagamento da melado
da divida da viuva do Jos Ramos de
Oliveira, proveniente do caes, e rampa,
que construid na praia doCdlegio 2,773,000
Art. 32. Com despezaseventuaes, in-
clusive a de contralo das impressOes
ilos Ira lia I los de todas as rejisrlicOes
provinclaes, o a despeza da plvora
rom as salvas na abertura da assembla*
provincial 20:000,000
13. Com a cadeia do Bonito, autori-
sado o presidente da provincia aman-
da-la construir de novo, se asaipn julgar
conveniente
S 14. Com o concert da cadeia da
de da Victoria
S 15. Com a d>rttiirunc,*lo do caes de-
nominado Ramos na ra da Praia
a terminar em linha recta com o pri-
meiro oitilo da casa de Antonio Vicha,
e duas rampas
Art. 4. Com os eslabelecimentos de
candado, a saber
$ 1. Com o concert dos predios
j 2. Com a collbcacffo da. primeira
peora do grande hospital Pedro II *>,
Art. 5. Com os juros de um armo a
seis por cento, que hilo de vencer as di-
vidas fundadas de Manoel Joaquimtlo
Rogo Albuquerque.e Joaquim Pedro do
Reg Cavalcanti
2:000,000
400,000
4:000,000
6.000,000
4:000,000
1:143,966
1
TITULO II.
Despeza extraordinaria e transitoria.
Art. 1.' Com duzentas pravas de prct
do corpo de polica, inclusive seis infe-
riores para os destacamentos 44:892,000
Art. 2.' Com o theatro publico 20:000,000
3.' Com as obras publicas, a sabor:
Art.
1.
2-
< 3.
Com a estrada da Escada 5:000,000
Com a estrada do norte 5:000,000
Com a estrada do sul 5:000,000
4. Com o principio da ponte de Ja-
po'inini, e abertura do canal do rio Goi-
anna 3:000,000
5. Com oagude no lugar Riacho-
do-Rainalliiiein l'aja 3:000,000
6. Com o acude daCloria-de-Goit 1:000,000
'fc 7. Com a iemo<;i*o da sede da cabe-
(a da comarca do Cabo para Nossa-Se-
nhora-do-O' 1:002,000
8. Com a casa da cmara do Agoa-
Preta 1:00O,OOO
9. Com o concert do agude de Tra-
cunhnem 200,000
10. Coma cadeia"do Brejo,fazendo-
se nella um andar para commodidade
dos jurados e cmara municipal 4:000,000
, II. Com d'ez lampeos para a cidade
do Olinda, e outros dez para a povoacfio
dos Afogados 1:039,440
^ 12. Com a 'abertura das cachoeiras
do rio Una, e factura da ponte d'Almeco-
ga,autorisado o presidente da provincia
a contratar esse ervico com uina com-
panhia, se assinvjulgar conveniente 3:600,000
TITULO III.
Heceita provincial.
Art. 1. A roceita provincial he oreada para o anno
desta lei na quantia de seiscentos e trinta contos tre-
sentos e cincoenta e um mil dusentos c quarenta ris,
para effeituar a qual be autorisado o presidente da
provincia a fazer urrecadar as reudas designadas nos
paragraphos seguintes:
1. Tres por cento do assucar exportado.
$ 2. Cinco por cento doalgodflo, caf e fumo ex-
portados.
$ 3. Taxa das caixas, fechos, barricas, saceos de
assucar e sacras de algodfio.
4. Decima dos predios urbanos.
5. Dnus mil e quinhentos por cabera de gado
vaceum consumido nos municipios do Recife, Olin-
da, Iguarass, Goianna, Vazareth, Po-d'Alho, I.i-
mociro, Santo-Antilo, Cabo.Serinhem, Rio-Formo-
so, Agoa-Preta e Bonito, e nos outros municipios s
pagarilo este imposto aquelles que talharem carnes
fiara negocio, e os criadores pagarilo o dizimo, que
lea estabelecido como d'antes.
6. Dizimo do gado cavallar.
7. Dizimo do capim de planta nos municipios
do Recife cOlinda.
8. Dizimo dos cocos.
9. \ inte por cento do ago'ardcnte do consumo.
$ 10. Sello das herancas e legados.
11. Mciasizadosescravos.
^ 12. Cinco mil ris por escravo despachado para
lora da provincia.
S 13. Kmolumentos de polica.
14. Dez por cento dos novo e velhos direitos
dos empregos provinciacs.
;. 15 Doze mil e oitocentosris do cada olaria,
serrara, fabrica de tabaco, de charutos, de chapeos
e casa de cambio.
16. Imposto sobre o (abaco c charutos do con-
sumo, excepto o do fabrico da provincia, sendo 60 rs.
por libra de tabaco fabricado, 600 rs. por arroba do
nao fabricado, e 500 rs. por milheiro derharulos.
8 IT. I in po.-ic.ao sobre as casas de modas.
18. Dez mil ris de cada leilo, que nio fr feito
pnrordcn de autoridade judicial, ou administrativa,
Meando suppriinido o irfrpostosobre a cas de leilo.
19. Quarenta ris por caada de bebidas espiri-
tuosas do consumo, exceptuada a ago'arUcnte do fa-
brico provincial.
20. Oninhcntos ris sobre a arroba dosabfiodo
consumo, exceptuado o do fabrico da provincia.
H. Matricula das aulas do I yeco, do seminario
deOlinda e das aulas de latim, a 10/000 ris annual-
mente, rcrolhidas o cofre provincial.
5 22. Taxa da barreira das estradas e pontes, in-
clusivemenlc da ponte do Bujary, o da estrada do
mirle, e das que de novo se establccerem.
*i 23. Rcndiinento do evento.
24. ApprehensOes pela polica.
25. Rendas do jardim botnico de Olinda.
*j 26. Mullas por inlVarcocs do regulamentos ede
contratos.
S 27. Reposi^Oese restituices.
S 28. Meios sidos c sellos correspondentes aos t-
tulos dos olllciaes da guarda nacional.
S 29. Venda dosfjeneros e utensis previnciaes.
$ 30. Metade da divida activa das rendas provin-
ciaes anteriores ao I. de julbo de 1836.
;i 31. Divida activa provincial.
$ 32. Supprimento feito pelo cofre gcral.
a mandar levantar a planta e orcamento de um edifi-
cio que sirva para cadeia, casa de cmara e de jura-
dos na villa do Rio-Pormoso, o que transmitir
esta assemMa
Art. 6." rica igualmente autorisado a contratar
com qualquor particular, ou companhia nacional, ou
estrangeira, a construccAo de um caminhode ferro,
quecommuniquaestacidade com a deOlinda, con-
cedendo o privilegio at vinto cinco annos.
Art. 7.* O artigo 1 da lei provincial n. 82, de do
main de 1840, que estabeloce vnlo cinco annos de
servico para aposentadora dos empregados provin-
ciacs, comprehondo tambem os servidos prestados no
corpo de polica.
Art. 8.* Ficam revogadas todas as Icis odisposi-
$esem contrario.
Mando, pnrtanto, a todas as autoridades, aquom o*
conhecltncnto ectecucilo da referida lei pertencor,
que acumpram e fac,am cumprir tilo int'ciramonto,
como nella so contin. O secretario interino desta
provincia a faqa imprimir, publicar o correr. Cidade
do Recife do Pernatnbuco, em doze de abril de mil
oitoecntos e quarenta e seto, vigesimo-sexto da in-
dependencia edo importo.
n'onio Pinto Chichorro da Gama.
L. S.
Carta de 'lei, pela qual V. Ex. manda executar o de-
creto da assimblea legislativa provincial, que houve por
bem sanecionar, oreando a receita, e fixantlo a despeza
para o anno finaneciro do 1.' dejulho de 1847 ao ultimo
dejanho de 1848, na forma cima declarada.
Para V. Ex. ver.
Paulino Augusto da Silva Freir i fez
Sellada e publicada nesta secretaria da provincia
do Pernambuco, aos 14 de abril de 1847.
Antonio Jos d'OUoetra.
Registrada a folhas 14 do livro 2.* do registro do
leis, que serve nesta secretaria da provincia de Per-
nambuco, aos 14 de abril de 1847.
Manoel JosdeSousa Luna.
-------------------------------------------------------~ ---------------------------- "---------------------------;
INTERIOR.
RIO-DE-JANERO.
NOTICIAS DIVERSAS.
S. II. o Imperador sahio de S.-JoJIo-da-Barra para
TITULO IV.
DisposicSes geraes.
Art. 1.' Continuam eminteiro vigor as disposiefles
das leis anteriores do orcamento, relativos a arreca-
dac,Ao e administrarlo das rendas, que se nSo oppo-
zerem a presente lei, e bem assim todas as autorisa-
qOcs dadas ao presidente da provincia
Art. 2. As despeza extraordinarias contidas no
titulo 2.serilo calculadas segundo osaldb que resul-
ta da compararlo da receita com a despeza ordinaria,
servindo-ilic de supprimento o augmento da receita
oreada, e igualmente as sobras que possatti haver
as despezas ordinarias decretadas.
Art. 3.' O presidente da provincia he autorisado
a fazer desda j, d'entre as despezas extraordinarias,
aquellas que julgar mais urgentes, podendo dispr,
para isto, das sobras que hajam nos artigos de des-
peza' do anuo linanceiro vigente.
Art. 4.' Ficam isentos do imposto dos cocos, ca-
pim de planta, e niiunc,as, os predios quopagam de-
cima urbana.
Art. 5.' O presidente da provincia Oca autorisado
regressar a Campos na mandila do da 10 do corren-
le, e all chegou s 5 horas da tarde.
Em S.-Joo-da-Barra, S. M. mandou dar 1:000,000
de rs irmandade da villa ; vio latida r agoa o bri-
tio Elisa, ao qual dpu o nomo de Theresa-lmperatriz;
foi visitar a aula publica de meninas, o assistioao
baile quelhe foi offerecido pelo palrfio-mr Joa-
quim Thomaz de Faria.
No da 11, S. M. dignou-se assstir no consistorio
da rgreja do Tcnjo installacSodo lyro de Campos.
A' imite foi ao bailo dado em casa da Kenhora D. An-
ua Bernardina Barroso pelos vereadores da cma-
ra municipal de Campos onde dansou at s 3
horas.
No dia 12, peas 6 horas da mandila parti S. M.
para a freguezia de S.-Fidelis, que dista 9 legoas de
Campos; chegou as 5 horas da tarde. Fui logo vi-
sitara igreja que be timadas mais notavosque tem
o linisij.
Foi edificada pelos jesutas (diz urna carta que*
tomos vista) pelo risco da de S. Pedro de Ruma. A
parle concluida coinprehende smente a capella mor.
lie sem llovida para admirar ipic tres frailes, em tilo
remoto lugar, podessem conseguir a edificarlo do
obra to grandiosa devida propria habilidade e co-
nheciinonlos, s esmulas dos liis, e a dedicarlo de
ofllciacs do ollicin que trahalharam gratuitamente
annos inteirqs. lie sobreludo dignu do notar-so a
perfeicao e conservadlo das pinturas, cujas tintas
foram pelos padres exlrahidas dos vegetaes do lugar,
mo havendo nenhuma importada de fura.
No dia 13, foi S. M. examinar o rio, no lugar em
que forma um grande sallo; fez segunda visita A
igreja de S. Fidelis, e regressou a Campo.
No dia 14, deu S. M um esplendido baile que du-
rou at depois das tres horas da mandila.
No dia 15, pela urna dora da tardo, levo lugar o
beijamilo de despedida : nessa occasiflo pOblicaram-
se os despachos que ahaixo transcrevomos.
No dia 16, apezar de estar o lempo chuvoso, sahio
S. M. de Campos para.Quissman, onde se dignar
servir do padriuhd de casamento a urna filha doSr.
visconde do Araruama. DeQuissaman lencionava S.
M. regressar por trra para a corte, passando por Ma-
cah e Cabo-Fro Presume-se que o augusto viajan-
te naochegar a Nitberohy antes do-dia 28 do cor-
rente, a menos que, por alguma circunstancia, a-
presse o seu almejado regresso.
RELACO DOS DFSPACIIOS PUBLICADOS NA CI DA-
OR DF.S.-SALVADOR DE CAMPOS, NO DIA 15 DE
ABRIL DE 1847.
TTULOS.
O ha rao de Araruama, viscondo do mesmo titulo
com grandeza.
Manoel Pinto Neto Cruz, barfio de Murihahc com
grandeza.
CapiUo-mr Manoel Antonio Ribeiro de Castro,
banlo tle Santa-Bita.
Tenente-coronel JoSo Carneiro da Silva, barfio de
Urutahy.
Gregorio Francisco de Miranda, barflo da Abb*-

J MUTILADO
_


CAS* IMPKMAL.
Toro le fidalgo ea%llero : -taita de Almeida Pe-
.r" F.uiz Antonio de Siqueira, Dr. Antonio Jos
1Ueaaa'imperal cmara piarda-roupi honora-
iria Pinto Neto
Moro
rio : Joqum Pinto Neto dos Res
Dona de palacio lionoriria : -- D. Ma
CT0,'mgo do capella imperial honorario: --Padre
Jos Rodrigues Barbosa.
ORDIMDE S.-BEMTO-DE-AVIZ.
Commendador: Joaquim de Souza Meirelles, to-
nente-coronel, fazendciro em Macahe.
OBDF.M DE CBRlSTO.
Cnmmendadores : -- Jos Martins Pinheiro, pres-
danle da cmara municipal; Bento Benedicto de
Almeira Baptista, veicador da cmara e fazendeiro ;
padre Anacido Jos Ribeiro, lente do curso jurdico
C avallaros: --' Dr. Jos de Assis Alvos Branco Mu-
ni7 Brrelo, deputa'do provincial; l)r. Antonio Ma-
nopl Fernandes Jnior, dito; Raphael Pereira de Lar-
valho. dito ; Francisco Domingues do Araujo, pro-
prietario em Maca li; Jos Leilo Gumarfles.dito ;
Jacome Prospero Ratton, dito; Henriquo Coe.ho An-
tflo, presidente da cmara, idem ; Manoel Antonio
Ribeiro de Castro lilbo, fazendciro em Campos ; pa-
dre JoHo Jos da Silva Peeanha Baptista, vigano da
freeueza de Santo-Antonto-dos-Garulhos ; Beinar-
di.foJosMaciel, cheto de legiflo da guarda nacio-
nal: Candido Baptista Pereira, tenente-coronel da
dita ; Manoel Rodrigues dos Santos, secretario geral;
Manoel Carlos da Silva Araujo, ajudanle d ordens ,
padre Mariano Le i te da Silva Escobar ; bacharel Joflo
de Souza Nunes Lima, juiz mumcipal em Campos;
i u i z u e
proprie-
o S -jofta-da-Barra ; Joaquim Can.lido da
dito Francisco Soares Rernardes de Gouvea, juiz de
orplilos dito ; Andr GoiiQalves da Graga, proprie-
tario em S -Jofta-da-Barra ; Joaquim Candido Ha
Sunha S Menezes, tenente honorario; Flix Alves
a Scrra, fazendeiro.
ORDEM DA FOSA.
OUlciaes : Dr. Fernando Sebastiito Dias da Mot-
ta, depuiado provincial; Dr. Jos Augusto Comes de
Menezes dito; barita de Lages.dilo ; Bento do-
ea I ves da Silva, major da guarda nacional e lazon-
deiroj lr. Joflo Lopes da SJvn Couto.juiz de dire-
ro em Campos; Joaquim Ribeiro do Castro, lazon-
deiro em Campos; Julflo Ribeiro de Castro, dito;
Francisco Ribeiro de Castro, dito; Jos Ribeiro de
Castro, dito; Manoel Jos Rodrigues .unes, major
commandante do esquadrflo da guarda nacional; Jo-
s Alves Rangel, presidente da cmara municipal de
S.-Joifo-da-Barra. _.!
Cavalleiros : -- Manoel Domingues de Araujo, pro-
prietarioemMacab; Julin Jos Barccllos, junde
paz e subdelegado; Antonio Ribeiro de Castro, ra-
zendeiro em Campos; Jeronymo Ribeiro de Castro,
dito : Francisco Raplista de Souza Cabral, dito; Jo-
s do Siqueira Tinoco, dito; Agostinho dos Santos
Collares, conego honorario; padre Antonio Jos
da Silva Peeanha, propietario em Campos; Manoel
Joaquim da Fonseca Figueiredo, negociante ; Anto-
nio Luiz Ferreira Pinto, dito; Thome Jos Ferreira
Tinoco, dito e vereador da cmara ; francisco de
Paula da Silva Pacheco, dito ; Jos Joaquim de Mo-
racs, commandante do piquete da guarda nacional;
Relarmino Joaquim da Rocha, alteres, dilo; Jjise Lo-
pes Martins. capitflo da guarda nacional; Manoel de
liveira Guimarfles, dito ; Germauo Rodrigues Pe-
xoto, dito; Manoel Jos Teixeira. dito; Jos Joa-
quim Pereira Baptista, dito; Jos Comesde Viveiros,
major, dito; Lourenco Concia da Silva, dito; Do-
mingos Pereira Pinto, Tazendeiro ; Dr. Joaquim Ma-
ndiles Brrelo, dilo; Cbrisanto Leito Pereira de So.
dito; Jofio Bernardes de Ahdrada, dilo; Joaquim
Peganha Campista, dito; bacharel Luiz Ferreira da
Silva Maya, juiz municipal em S-Joflo-da-Barra ;
Joaquim Thomaz do Faria, propietario, dito ; Jos
dos Sanios Pereira e Souza, tenente-coronel com-
Hiandnnto da guarda nacional, dilo ; Joaquim Alves
da llora, capitta, dito; Sebastiita da Cunha Azevedo
Coutinho, razondeiro; Jos Joaqun. Alves da Cu-
nha, dilo; Francisco da Cunha Azcvedo Coutinho.
dilo; Feliciano ManhOcs. Brrelo, dito; Dr. Joflo da
Silva Cordciro, dito; Antonio Tello Barreto coju-
do ajudanle d'ordens do presidente da provincia ;
Manoel Baptista Pereira de Almeida, tenente-coro-
nei da extincU segunda linda; padre ManoeNoa-
quim da Rocha Campista, vigano em S.-Joflo-dn-
Itarra; padre Manoel Jos de Faria, dito em S.-Gon-
cnlo.
Palacio dacidade de S.-Salvador-de-Campos, 15
de abril do \M7.Anlo,tio hrancitco di l'aula Hul-
latula (aralcuntide Albuquerqiu.
Por dnelo da niesma dala foram perdoados do
feslo das penas que estilo cumprindo, os reos : Vi-
cente Ferreira da Costa, Isaas Jos Ferreira.
Da caria do nosso correspondente.quu acompanhu
S. M. o Imperador na viageni a Campos, copiamos o
seguinte trocho sobre a bella igreja de a. Fidelis:
Este templo, queso eleva n'uma vasta varzea cer-
cada de altas monlnhas, correndo-lhe pequea
distancia o soberhoPaiahyba, olha para o norte co-
mo que para lembrar os liis que a rcligiflo deve
ser o norte de suas aeges.
A obra, feila a costa de esmnlas, e quasi nica-
mente por tres devotos capuchinhos, os Revs. Fr.
Victorio de Cambiases, Fr. Angelo de Lucia c Fr.
Thomaz de Castello, sondo o primeiro o archilecto e
pintor, o segundo o cavouqueiro e pedreiro, e o ter-
ceiro o carpintciro, est concluida cm grande parte,
faltando s acabar um dos corpos da Tachada orien-
tal, e o braco septentrional da cruz, que os fundado
res quizerain que fosse latina, mas que, por falta de
dinheiro e de plano, fica quasi grega. Este ediliwc
comecou em 1799, e sua capella-mor foi sagrada a
23 de abril de 1809,couiosc veio una inscripeflo la-
tina qua.se acha por detras do altur-mr, em baxo
de uraaetabulo representando o martyrio de S. Fi-
delis.
A fachada principal compoe-so de duas ordens so-
brepostas do pilastras toscanas, cada urna de qua-
Uo, leudo uma porta no centro, e-sendo as supe-
riores menores, cornadas pelo frontflo; c a quo olha
para o rio lambem consta le duas ordena de pilas-
tras, a superior corynlhia, o a outra tuecana, cada
urna com sua porta no centro, cuberas por un fron-
to, em cujocimo esta a estatua do Sanio exhortan-
do o povo-, fu i la de barro por um dos capuchinhos;
crescendo do mais para ambos os lados al a altura
da primeira ordem dous corpos de duas columnas
toscanas cada um.
l'or cima de ludo so ostenta a bem tragada cpula
octogonal, em cojo apico se erguo uma lorrczinha
je oito lados com pilastras toscanas, dominada por
urna cspicra e a cruz.'
S. H. o Imperador, tundo entrado pela porta fron-
til ao rio, encarainhou-so para debaixo da cpula;
e admirando-a, testemunhou o contentamente que
Ihe cansa va uma obra tilo perfeita.
Ointeriordn cpula ho simples,conserva a mesma
ordem toscana que o resto do templo, recebe bas-
tante luz, e linha atigamente por ornato emquatro
de seus segmentos os retratos do* Evangelistas, de
queso existem vestigios, em consoqunncia dos repa-
ros que exigiram os estragos produzntos pola cheia
de 1833, em que o rio, apezar da ribanceira nita ser
bai'xa, cobrio seis palmos das paredes do edificio.
Na direccflo vertical e descendente (lestes paineis
quasi do todo destruido, grande altura comtudo,
se abrem qualro nichos, nos quacs estfto, segundo
creio, Santos da ordem. .
Depois foi S. M. ver a capella-mor, para a qual se
sobe por bem langados, anda qu.o estreitos, (logra-
os, e oxaminou o altar feito de barro, e algumas ou-
tras pecas da mesma materia, ludo fabricado, sem p
soccorro da roda, pelos ditos misionarios, com re-
levos, e pintado com cores ainda multo vivas, extra-
hdasaqui mesmo:'o que da alguin valor a estas
pinturas, pouco abonadora do mrito do autor que
nem mesmo noseu retrato se esmerou, como obscr-
vei na sacrista, onde se acha collocado com o do Fr.
Anecio no acto do ensinar a resar aos coboclu.nos,
que mil tregoitos razorn antes de se poderem per-
signar. .
O braco occidental tifio dcixou do merocor a at-
tencflodeS. M. 1 que exprimi o sou sen ti ment
por se ter estragado a pintura do retabillo, de que
exstom duas figuras smenlo.
Tendoo Imperador entrado no baptisterio, que
fica na extromidade do braco oriental, e cuidadosa-
mente examinado a pia fabricada de barro, e com
alguma arto para os motos de quo podam dispor. e
o quadro do baptisamento de Nosso-Senhor-Jesus-
Cluislo, e subido at tribuna do lado esquerdo, re-
tirou-se, tencionando amanhfla ir ao ponto mais e-
levadoda cpula, donde se devo neccsSanamente
gozar de una excellente vista.
S. M. gostoumuito de ver este templo; e como
nflo ceder ao encanto que produz esta potica ren-
niffodaarleeda natureza para dlrigirem louvor
ao Creador! ,
Quando no Jornalan Commereto de 13 do crreme
:abril;, annuncmos a chegada do transporte ame-
ricano Snuihumpton, que do antemflo se sabia ser por-
tador da soluQflo que linham tido as reclama^Oes on-
laboladas pelo nosso ministro em Washington acer-
ca do procedimento doSr. Wise e do commodorc
Rousseau, por motivo da prisflo do tenento Davies o
do tres marinheiros da corveta Saratnga, dissemos
que pessoas que se davam por bem informadas asse-
guravam na pra?a que a conducta do Sr. Wise e,do
commodore Rousseau tinha sido approvada pelogo-
verno dos Eslados-Uni'los; que o ministro brasileiro
em Washington tinha dado uma saUsbiQftoiio gover-
no da Umita peto supposto insulto feito a bandeira
dos Estados Unidos com a prisflo do tenente Davieaj,
e que, admillida essa satisfacita como plena repara-
cita do supposlo insulto, ordenara o gabinete de
Washington aoseu ministro nesta corte que conti-
nuasse as suas relaeoes diplomticas com o governo
_----.-----------!L4
_ 0 governo concedej ao ex-soldado do ext'meto
hatalhflo provisorio da provincia de S.-Pedro, Jos
Ferreira Alves, que per.leu o braco esquerdo em de-
fasa da integridade do imperio, a pensta annual cor-
relnondenteaosvencimentos de uma praca de pret.
RD.Therezn Joaquina de Mallos Cardozo em ro-
muneracita dos servi?os prestados porseu ralleci.lo
marido, o capitflo Dnmicimo Ernesto Das Cardoso,
.!, nonso annual correspondente ao sold do dito ca-
pilflo, comprehendido n'esla o meto sold que ella
,C! oTDrctoreral dos correios foi utorisado
para esta.el.ecorums nova linha do corre.o entre aa
provincias da Babia o de Minas, po o intermedio das
agencias do Slncora e villas de Cete Rin-P.rdo.
e (Diario do Rio de Janeiro.)
BA.HIA.
Ilontein f30 de abril) pelas 4 horas da tanto foi ton-
cado ao maro lindo brigue-oscuna nacional Cnpa,
construido pelo segundo tenente primeiro construc-
tor do arsenal de marinha da Baha, o Sr. Manoel
Fernandos da Silva. Canpv he o nomo de uma bri-
rtwTrnnPararua7au^ siluadil na extremutodo a ma.sme-
fr"dWHW5rS direccflo., provincia *-?XS^S
.lenominado este vaso de guerra da armada bra-
curso e exame dos oppos.tores h fregujsz.a de> Scr"
ment desta crtrto, sendo oppositores os eve;rendos
Senhoros vicario encominendado Lopes e conego a-
rnho Principiouoconcursos9horas da mannaa
oterminous7 1/2da noite, fazendo o Sr concito
Marlnhft 69 pontose o Sr. vigano encommendado i*.
-Aiissembla legislativa provincial resoveuhon-
tom (21 de abril) mandar uraa deputaQflo do 6 mem-
iSrosao encontr de S. M o Imperador emS. t-on?a-
lo, e acompanha-lo at a cidade do Nithoroy. A de-
putacflo co.nnoe-se dos Srs. v.ce-presidente da M-
semidea Dr. Joaquim Jos Te.xe.ra, Joaqu.rn Jos de
Souza Breves, Joflo Gomes Ribeiro de Aveltor, Mano
el Martins do Couto Reis, Nuno Eulalio dos Res c
Dr. Manoel Joaquim da Silva. uni-m
0 paquote do vapor Paraenie, entrado hontom,
Y25dc ahril!trouxo-nos folhasdePorto-Alegroa 16,
e do Rio-Grande at 17 do corrento (abril). Nadado no-
vo tinha occorrdo na provincia. Foram presos na
cidade do Rio-Grande Jos Borges Ribeiro da Costa e
Ne'reu Apollinario Pereira de Moraes, indiciados co-
mo assassinps de Antonio Jos Caetano da Silva.
OSr. Pimenta Bueno, encarregado de negocios ao
. i__. i...Li il \ jan iri il-i
imperial.
Escrevendo esse artigo accrescentamos que nflo
podamos dar crdito ao que se drzia, posto partase
de pessoas que nos merecam o maior conecilo. Pa-
rec'ia-nos impossvel que o nosso ministro em Was-
hington, desviando-se das suas iustruccOes, que por
sem duvida deviam estar em harmona com osados
pblicos do nosso governo, praticasso um acto que
a nossa penna so recusa a quallicar. Engaiiino-nos,
o hoje nos vemos nadolorosa necessidado de dzer
queja nflo he dado duvidar da exactidta dos boatos
que referimos.
Todos sabem que pouco depois do chegada do .*>u-
thamplon a este porto expedio o governo um pro-
prioaSua Magestade o Imperador para communi-
car-lhe as noticias recebidas de Washington ; hon-
tem (22 de abril regressou esso projiro, e hedecrer
que o governo em breve d conta ao paiz do desfecho
de uma questflo que tilo de porto alTecta a sua digni-
dade e soberana. No entretanto apressar-nos-licmos
a communicaraos nossos leitorcsoconteudo de uma
carta particular datada de Quissaman em 18 do cor-
rente :
Ciogou aqu um propro mandado pelos mlnis-
i tros, e divulgou-se logo que trazia a noticia de ter
o nosso ministro em Washington dado satistoeflo
i< aa governo dos Estados-Unidos, em vezdeexig-
la, pelos actos que praticaram o ministro Wise a o
commodore Rousseau. Itoje assevera-se ser ver-
dado o que liontcm sediz. eanirma-se que S. II
. l. desapprovra o procedimento do seu ministro, e
quo ordena para a corte quc.seja demiltido.
Nflo ho olTical esta noticia ; mas ho tal o concert
em que temos a pessoa que a d, que nflo hesitamos
cm garant-la. 15, pos, se tomos demasiadamente
scepticos, quando pozemos em duvida os boatos que
consignamos no Jornal do Commereto do 13 do cor-
rente (abril), nflo nos engaamos quando dissemos
que, a verificarem-se, seria desapprovado pelo go-
verne imperial o procedimento do sou ministro em
Washington. Nflo accrescentaremos, porm, hoje,
que nos satisfaz a noticia que publicamos, porquan-
to em queslflo tita grave no pode contentar-se o paiz
com a demissito do Sr. Gaspar Jos Lisboa ; mas, co-
mo este acto nlo pode ser um acto solado, como ou-
tros o devem acompanhar quo ponhem a salvo nos-
sos dreitos, confiamos que uto ho este senilo o pri-
meiro passo que d o governo em prol da dignidade
nacional, Uta gravemente nflendida.
__Os jomaos que rocebmos do Valparaizo pelo
brigue de guerra inglcz 'ro/ic alcancam smenlo 9
de fevereiro.
No Chile nada linha occorrido de novo.
Do Lima ha datas at 21 de Janeiro. O gove no pe-
ruano exigi ser investido com facilidades extraor-
dinarias, o que motivou urna discussflo rendida no
concelho de estado, ficando empatadas na volaeflo
todas as moQes, e resolvendo-se alinal que fossom
chamados os ministros dos negocios strangeiros e
da marinha para declararen as rasoes de estado que
linham para pedirem essas 'acuidades extraordina-
rias, afim do concelho de estado lomar uma delibe-
rafflo.
0 brigue de guerra inglez Frelie passnu pelo.Es-
treito-de-Magalhiles, onde se demorou tres semanas
para susponder o brigue inglcz Cmnning, que linha
i.loapiquoodiaUdedezombro prximo paseado
junto ao porto Taminfl. Este brigue sabio d'lslay pa-
ra Londres com una carga de 10a, salitre o numera-
rio, o manifestando-se a bordo uma combuslflo es-
pontanea fez explosflo em menos de um quarto de
hora,salvando-sea muitocusto parte da guarniQflo
e porecendo tres marinheiros.
O t'rolie consoguio encalharos restos do malfada-
do brigoc cm pee ineio d'agoa, o tirar de bord 17
mil pesos i urna porefio de prata em pinha, cojo va-
lor he oreado em igual quanlia.
Teve lugar ante-hontem (20 do abril) o con-
o Rio-Grande, nflo tinha chegado a Porto-A logre no
,.ia15deabril. Faltava tambem o correio do Para-
guay, oque dava motivo a presumir-se que a cora-
muncaeflo porCorrientes eslava interceptada.
O general Paz, sahido d-Assumpgio alguns das
antes daquello cm que tencionava sabir o Sr. I inten-
ta Bueno, tinha chegado a Pelotas; mas cumpro re-
cordar que o general Paz alravessou Corrientes no
passo do S.-Nicolo. isto he, quasi na linha divisoria
!lo Paraguay, eque oSr. Pimenta Bueno tencionava
vir aS.-Borja. .,, ,,..
No Rio-Grande havia noticias de Montevideo ate 10
do corrente. No dia 6 falleceu oSr. D. Santiago Vas-
quez, que eslava nomeado ministro plenipotenciario
para esta corte. Na pra?a nada tinha occorrido de
interesse. ..
-- Por sentenca de 13 de abril o supremo tribu-
nal de dstica julgou imprecedente o processo de
responsabildado do ex-presidente da provincia de
Malto-Crosso, o coronel Zefenno P.mentol Moreira
Freir, vista dn resposU por elle dada o dos docu-
mentos que a acompanham. _.,
-Temos folhas do Buenos-Ayres ale 3 do corrente
(abril-. Nada contem de interesse Em Montevideo
donde temos datas ot 30 do paseado, nada tambern
tinha occorrido de novo.'Os vapores Clitmere,tuuon e
Harpu que transportaran! para llaldonadoo general
Rivera e as fnjas que esto tinha em Martn-Garca,
regressaram a Montevideo no da 26 do passaiio.
-- Os jomaos dos Estados-Unidos que hontem (24
de abril) recebemos alcancam a A de margo.
O Sr. David Tod to nomeado ministro plenipoten-
ciario dos Estados-Unidos junto ao governo brasi-
Foirejoitado na cmara dos representantes o bil
queimpunhadireilosde importacao sobre o cale e
cha. A mesma sorte teve o bil para a dimiiiuicflo
do preco das Ierras publicas que nflo linham actiai o
compradores ao prego mnimo fixado por le, vi nao
assim a ser rejeiladas as medidas propostas peto pre-
sidente para o fim de augmentar a renda publica.
Do thealro da guerra nada ha de novo. As torgas
americanas continuavam a convergir para Tampico,
mas o general Scott quedove commauda-las, anda
eslava om Brazos-de-Santiago. Urna torga pequea
que avangra por oulro ponto at Galeana na pro-
vincia de Nova-Lciio, foi sorprendida petos Mbxi-
conos. ... ,
DVera-Cruz ha datas at 2 de fevereiro. Como
all seacredtavageralmenteque os Americanos a-
biiriam a sua segunda campanha peloataquedaquel-
la cidade, tratava-se seriamejitcdo p-h no melhor
estado de defensa e de fortificartodos os pontos mi-'
litares na estrada da capital.
Dos movmentos de Sant'Anna nada se sabe.
Recebemos hontem (25 de abril) folhas de Lon-
dres de 5 do margo. De Inglatorra nada ha do novo.
De Pars temos datas al 3. *' *
OduquedePolignacfalItceiiem Pars no da 2. O
Courrier Frnjale rerero que linha partido para Tu-
lls umofilcial da secretaria de estado dos negocios
estrangeiroscoma resposta do governo rranc.cz ao
pedido que flzora o bey de auxilios contra o sultao.
Accrescenta-se que esta questflo se acha multo com-
plicada. ,
. Bm Pars atigmentova o alarma excitado pela sa-
bida dos metaes preciosos. 0 banco de Marsolba,
quo tinha sido obrigado poucos dias antes n pagar o
a 6 milhOes de francos, tinha de pagar mais 3mniics
no ilia 5 de margo; e o estado em que se achava
aquelle estabelecimento, inspiravo receles a respei-
lo dascircumslaneias provaveis em que se encon-
travan os bancos das outras grandes cidades de
Franga. Dizia-se que o banco de Franca tencionava
elevar ainda mais os descontos, e alRrinava-sequeo
governo contradira umemprestimo de 200 milhOes
de Trancos.
O prego do trigocontinuaya a subir em todos os
departamentos. As ultimas noticias referen que,
comquanto os supprimentos tvcssem sido mais a-
bundanles, era tal a anxiedade com que o povocom-
prava, que dava sem regatoar o prego que so Ihe pe-
dia.
0 Liverpool Maii de 6 de margo publica o seguinte
artigo sobre o queslflo do Rio-da-Prata:
Decidio-sc que os governos inglez e francez fi-
zesscm uih novo estorgo para conseguirem o ajuste
das differengas que ha tanto tempo existem entre as
repblicas de Montevideo o Bueuos-Ayres; dilTeren-
gas que tilo ruinosas leem sido ao nosso commercio,
oquesem uma interforoncia positiva como aquella
que ora se resoveu adoptar, paree que nunca aca-
baran!. Lord Howdon e o conde Walesky, pessoas
admiravulineutoqualificadas parosla missflo, vita
partir munidos de plenos poderes, eapouca duvida
pode haver de quo proinptainento conseguirilo o seu
projecto." O povo do Rio-da-ITata dove estar conso-
lado desta conlenda.- Se a embaisada tor bem suc-
cedida, mil o quindenios militas de magnifica nave-
gagflo interna que ha seculos est recitada ao mundo,
seabririoa todas as nages.
Embarcarain hontem (25 de abril) pelas 7 ho-
ras da manhfla no arsenal de guerra, com destino a
provincia do Rio-Grande-do-Sul, 200 progas de pret
do deposito de recrutas da Praia-Verinelba. O vapor
Imperador transporta este conngcnlo a sou des-
tino. _
{Jornal do Commereto.)
Este brigue-escun tom 73 ps do quilha, 23 de
bocea, e 10 de pontal, com 8 portinholas por ban-
do. A carroira foi feita pelo novo invento, encelado
j no arsenal do marinha peto constructor belga
Wandenbusken, porm multo melborado agora pe-
lo Sr. Manoel Fernandes da Silva, o quaj conhecen-
do que esse furo aberto na quilha para por meto d.J
um cabo reter o navio trra, lho fazia abrir as cos ^
turas na proa, em rasflo de ficar o casco" entregue a '
todo o seu poso, quando livre dos mais obstculos,
fez accrescentar quilha uma calha de madeiro, on-
de he torta esta seguranga, ficando assim corngido
este nolavel dotoito. bem cmo outfos de menor
gravidade, masqueVam tambem prejudiciaea.
(meroantii.i
PERNAWBUCO.
RENDIMENTO D V MESA DA RECEBF.D0R1A.DE RF.N-
D\S INTERNASGERAES, NO MEZ DE ABRIL PR-
XIMO FINDO.
A SAPEE :
Foros de torrnos de marinha ..... 8,219
Laudomips........... |.]5
Siza dos bens de rarz........ K"**
Direitos novse velhos......... in
Ditos do chancellara.......". ol^
Dizima da dita .... '^
Matriculas do curso jurdico........ I.noeA
Sello fixo '............. 1:496,960
Dito porporcional........... ^"I'So
Emorumentos do certidoes....... J.^"
Cartas de hachareis ......... .w
Imposto de tojas abertas........ ooann
Ditodesegesecarrmhos.........TT.nn
dem de barcos do interior ........ ^Moo
Taxas de cscravos............ aio.uw
RS.~ 8:389,005
Recbedoria, 4 de mato de 1847.
No impedimento doescrivflo, o.escripturano,
Manoel Anlono Simio do Amaral.
"BMRIu 1)1! miYilMDCO.
Bzeirs, 4 DEMAIO B i*'.
O vapor hnperatrii, chegado hojo dos portas do
sul, Irouxe-nosjornaes do Rio-de-Janciro ale 25 do
abril ultimo, e da Babia at o l.'do corrente.
Na corle conservava-se ludo no tlalu quo.
S. M. a lmperatnz e SS. AA. II. nada baviam solin-
do cm sua preciosa sade. -
S. II. o Imperador devia partir de Macahe para a
barra de San-Joflo, a 23 do primeiro dos citados me-
zes : chegado a esso lugar S. M. deniorar-se-liia um
da; paseado elle, seguira pare Cabo-Fro, o depois
de haver assistido a um baile, que ah se Ihe prepa-
rava, lomara camiiiho da corte.
A assembla provincial prosegua em seus tra-
ba I los, g^
O imsso mu digno comprovincianno, o fcxin. r-
hispo de Chrysopoles, achava-se gravemente enter-
mo. S. Ex. havia sido accommettido de urna retire
intermitiente.. ,
Ficava a partir para aqu o mtssionano apostlico
Fr. Anglico de Rogliano, a quem o governo incum-
bir o entchese e civilisagflo de nossos indgenas.
O mesmo governo tinha mandado ouvir o presde-
le desta provincia cerca de utn requerinieiiio em
queAntoruo Francisco da'ttosta Braga pedia per uo
da pena quo Ihe tora imposta pelo enme de sieiuo-1
nBEint)utra parte encentrarflo-os leilores os arligos I
que por hoje podemos extractar do Jornal do oo
mcrcto c Jo Diario do Itiop i,..,hM
Deum dessesextractos- verflo elles es despaeltf
quo foram publicados na cidade de Campos etn
15 do nvez prximo lindo ; e de oulro, qual asoiu
go que tveram as toctoinagOcsque t. nosso niinis
tro em Washington tora enea; regado de fazer ao go
verno dos Estados-Unidos pelo comporta monto ju
Cr Wise e o coinniu-
linsultuosas ***
O Sr. Jos Dias Pimenta foi demiltido do lugar
de patrflo-mr da barra da provincia do Rio-Grande-
do-Sul, e nomeado para subslitui-lo o Sr. capitilo-
lenent Jorge Joaquiie^res.
___ys sis. Joflo lUidrigues Ribas e Boavenlure Ro-
drigues Barcetlos foram Humeados mogos da cmara
da imprial guarda-roup, honorarioe,
tveram para com o do Brasil o Sr. Wise e o coinnio-.
doroRousseau.quandosuppoze.ain insultuosasa w
deira dos mesmos Estados a prisflo do tenente Uavio
c a de tres marinheiros da fragata Saratoga; c bem i*
a deinissiio oo
fnecionario brasileiro que, dando ao estraiigc'"
simqueS. II. o Imperador decretara a demiasflcio
tonecionario brasileiro que, dando aoestraiiB--
uma satisragflo a que nflo linda direto, comprme
tra a dignidade do nagflo.
A Bahiu eslava tranquilla.
Sua assembla ainda irabalhava. ,.
O artigo do Mercantil, quo na parte interior m ,
crevemos, d as diuinnsOos do bi igqe-escuria tan
que tora rabricad pelo 2." iciiente 1.' constructo
arsenal de marinha -lessa provincia, e langau"
mar no dia 29 do abril pelas 4 horas-da Urde. Sr
A Senhora viuva Fetal bavio P,ese1nl^0I.-s;.,l,i5-
cheft de polica uma denuncia contra Joflo
lao da-Silva Lisboa, pelo facto horroroso de que
oceupmos om o n." 97 deste Dtarto.
Os Amigos do criminoso buscavam atlentiar a B (
vidude do delici, allegando por toda *?",*' ?dna-
ra a loucura que o lovara a pratcar tilo extraorun
ro acto. i_niB carp'I
A morteda infeliz D. Julia era geralmenle car^ i
da : o Mercantil e o Commercio pblicam algu"s .1
netos allusvos ao seu trgico passamenlo.


M.


^
-
f.1_____X-l
, nnrSa*-Salvador, que tndem hojo che-
w. "Jados do norte, recebemos gazetas do Cca-
pnu d|6 ,1o Maranhflo al 2*, e do Par al 17 do
me* Pr0.*'g" l|essas provincias nada liavia occorri-
Nf 'itrnordinario : continuavam as chovas :
1,11 t II e.oCearenu, ou se alacavam reciproca-
0 n diriaiam seus liros contra a gente do equi-
menle, ou e
''^'aunda havialn appurecido robres de mo ca-
a diversas pessoas linham sido acommotlidas
r* ,scliuvas eram abundantes, o linham pro-
inTiilo o desvanente de du.as casas.
. iercoira, fra barbarainenlc assassinado, em
.. ..rnnfiacsa, Jos Monleiro de S eAlbuquerque.
n.Vwssino pode cscapar-se; mas a polica flcavirna
dii^ociadeapprehend-lo.
DeclararSo.
i'ffla carta do Rio-Cranda-do-Nurtc, quo ora tc-
visla refere que os habitantes dessa provin-
"'" simia lilam coni a fume ca miseria, mas que es-
fiinAnl esperancados de vence-las, ajudados pelo
invern que geralmenle se manifestara
COMMftciO
Alrandega.
nENDIMKNTO DO DIA 4.........
Oescarregam hoje, 5.
169,280
. nriRue austraco lluona-AMcWa- farinha e papel.
finiera inglez--Co/um6i-ferro.
4ri"U0 porluguez reru/o-/,nmeiro--mercadorias.
I Brig^e brasileiro -- Laura- forro em barras.
SSSbbdbb
A administradlo da companhia do Beberibc faz
scienle aos Srs. accionistas. cujas entradas so aeham
._ _i____. _____._____I _.T._1. _. ....r,hl.
~ Aos Srs. assignantes do Panorama avisa Joaquim
da Silva Sales quedohoje em dianlo deverao re-
ceberdelleosns que fallam 14 e 16 a 18 o nem
assim os quo chogarem de Lisboa dos ns. 21 a se-
guir hem.como so vendem novas assignaturas : na
ra do Quomado n. 11. .
--J. J. Tasso Jnior embarca a sua escrava Julian-
na para fra da provincia.
"lenocl Ignacio da Silva Teixeira, com padaria
-S;n de Santa-Cruz, junto ao sohra.lo da esquina
un-Velha, u. 106. contina n fabricar oxcellenli;
pilo o muito boa bolacha de diversos tamaitos ate
20 em libras, muito propria para casas particulares
e para o matto.por ser furada e massiea.sem naco de
C |'Ilfl U 1llflltii,}illl Wi im<".......-ww.^r-i----"-----------------
se quebrar, ainda sendo conduzida em saceos: o pro-
co he rasoavel, segundo o estado do mercado, e sem-
Kv.~, .... .,.......,...<. n|MCi)D...o.o ..- ,--------, pre se esforc por servir boma seus freguozes; as-
que nflo tiverem completado 80 porcenlo afim de
scienie 008 !>rs. accionistas cujas entrauas so acnam se quebrar, anda sendo coniiuzaa e
em atraso, quo na prxima reuniito, em assembla qo he rasoavel, segundo o estado do
gcral de accionistas apresenlara urna relajo dos pr0 se esforc por servir boma sei
ntl0 nftn livprom PAmnlntailn QA nnrri'.ul. D1IIT1 (I aim nnmi. vnfin ii sAiia fro .(... ....u ..~*>.v... ..ll. ,-|. .,|.|U .... ,,.,.----------- ,------------
sn tomar urna resolucflo defenitiva a somclhante
respeilo ; a qual pode ser em prejtiizo dclles, quan-
do he certo que a companhia lom sido prejudicada
com a falta das entradas em devido tempo. Escrip-
lorio da companhia 29 de abril de 18*7. O se-
cretario B. J. Fernandt$ llarro$.
Publicaba o Luterana.
As SETE COHDASDA LYRA, romance, por Ceor-
gc Sand.sahe luz por livracos de 16 paginas, nti-
damente mprssas eni lindo papel e typos novos ; o
preco do cada livracio he do 200 rs. Vendc-se no
llecife luja do Sr Carduzo Ayres ; em S.-Antonio,
livraria da praca da Independencia ns. 6 e 8; na
Boa-Vista, loja do S. i. E Chardon. As primeira
e segunda livraces acliam-se venda nos lugares
cima indicados.
BH
Consulado.
RBNDIMENTO DO DA
*.
Geral.
provincial
1:651,623
755,715
2:407,338
Avisos man tunos.
RIO-DE-JANE1R0.
CAMBIOS 10 DA 24 OK ABRIL DI 1847.
l'refos'da ultima hora da profo.
Cambios sobre Londres.....; 28
Pars..........337 a 340
. llamburgo......632 a 635 .
Melaes. Oncashespanhlas......28,900a29,100
da patria ........ 28,800a 29,000
Pesos licspanhus......1,950
, >. da patria.......1,820a 1,830
k Pecas de 6,400, velhas .... 16,600 a 16,800
Piala.............99 a 100
Apolicesde 6 or cento.......82 i a 82 J
)i provinciaes..........80 a 9i
{Jornal do Commtrcio.)
RADIA.
CAMBIOS NO DA 30 DE ABRIL DE 1847.
Londres ............ 29
Pars...............380 o franco.
llamburgo ........... 640o'marco.
Lisboa...............lOOalOSp.c.depr.
Oncag hesponhlas .......30,000 a 30,500
mexicanas....... 29,500 a 30,000
Pecas de 6,400........ 16,000 a 16,200
Moedas de 4,000.........9,000
piala............ ... 98 a 105
Apolices do seguro Lealdado 20 p. c. de pr. nominal,
a do governo 55 por cento de descont.
AccOes do banco 20 por cento de pr. nominal.
(Do Mereantl.j
Os Srs. que fallaramompassagens para o Cea-
r no brlgue-escuna Hmriqueta quoiram compa- je f o por pre^o muitoc
recer boje (5 ) por lodo o da na ra da Cadeia-Ve- ^,d0 exulferante prova.
Iha n. 17, segundo andar para tratarem deltniti- A (j
viniente sobre as mesmas.
Nodia 15 do corrente pretende seguir para o
Rio-Crande-do-Siil o briguo Independenle: quom
no mesmo quizor carregr carga ou cscravos on-
lenda-sc com o capitilo Fructuoso Jos l'ereira
Dulra, ou com Manoel AlvesCuerra.
Para o Araraty seguir brevemente o hiate Noto-
Olinda, mostr Antonio Jos Vianna quem nellc
pretender earregar, se entender com o mesmo mes-
Ir*, no trapiche novo.
-- Para Rio-Crande-do-Sul sahira, em poucos
dias, o briguo nacional l).-l'edro-Segundo : quem no
mesmo quizer embarcar carga e escravos, ou ir de
passagem para o que tem excellentes com modos,
dirija-sea Jofio Francisco da Cruz, na ra da Cruz,
n. 46, ou ao capitflo a bordo.
Para o Rio-de-Janeiro sabe em poucos lias o
hriguc nacional Lisia; recebe alguma carga miuda :
quem no mesmo quizer embarcar escravos, ou ir
de passagcm.para o que tem excellentes commodos,
dirija-seao capilo.ua praQa.oua Novaos* C, ra
da Cruz, n. 34.
sim como roga a seus freguozes de pSo.que o descnl-
pem de nlo screm servidos as horas que desejam.que
apezar do ter dado as providencias para isso, quem
o vai entregar, n uitns vezes as pito observa ; po-
rm, sendo qu.-iram mandn-lo buscar a padana, as
6 horas da manhfla o acharo prompte.
Pelo novo destino quo deu ao edillcio da sua
residencia na ra do Hospicio, poderoDr. Sarmen-
t receber em sua casa doenles que desejem vir
tratar-so nesta cidadti. Sordo recebtdos nao so os
doenles do qualquor sexo e condicilo que sejam,
mas tnmbem as pessoas, ou familias, que os quize-
remacompanhar.
Furlaram da ra Nova, da cochoira n. 5, dous
relogiossaboneles.com caixas deprata, sendo uin
patente inglez, de John Moneo* a Liverpool, n. 9297,
e outro horizontal : quem delles der noticias, sera
generusameqle recompensado.
PARA AS PESSOAS QUE TENC10NAM SEGUIR
V1AGF.M.
Na ra do Rangol sobrado n. 9, continuam-so a
tirarpassaporles para denlroo fra do imperio, e
dospacham-so escravos ludo com multa brevida-
de o por preco muito commodo, do quo ja se tem
Casa da F
na ra ej>lrela do Kozorio, n. C
Nesle estabelecimento acham-so lJi "'-
t,.|as da lien, acre.litada lotera do Iheatro n i Mico
,l,.s,a ci.lado, para cujas rodas esta ""' J*0U"^
damonlo para o dia 12 do maio prximo r,ltu-
NerirelMeci,,,enlotambe.nse.cl.a.navendHlres
trancelinsdeourode Ici semfeitio: a ellos que s8u
do muito hom gosto. ...
Vende-se cera em velas, vinrta RB
Lisboa, sorlimenlo vontade, em ca'ixoles
pequeos; mercurio doce, em caixinhas
de 3 libras ; vinb'o tinto, do Forto, mul-
to superior, em barril de oitavo ; dito en-
garrafado, em caixotes de 18 garrafas ca-
da nti): na ra da ^rui.do Berifr, n. 54,
escriplorio de MerTlTeT& Tarroso.
A' 2^000 rs. o corle.
Na loia de Gnimarles Serafim & C, confronte ao
arco de'Santo Antonio.n. 5, ve.ndem-so cortes ele cas-
sa de padrOes agradaveis o cores fixas, pelo diminuto
preco de 2,000 rs. o corte; loncos rrancozes grandes
e finos llngindo soda, a 480 rs. cada um; lencosi de
cambraia com bico, a 640 rs. cada um; dttes de dita
niiiilo linos com renda e bico, a 900 rs. cada um.
V Vendem-se superiores cliapeos de
JtaVcaslor, prctos e brancos, por prcro
muito barato : na ra doOrespo, loja n,
i?, de Josc.Joaqt.im la Silva Maya.
- Vcndem-so 5 accOcs d companhia de Reberi-
be, por seu dono se retirar para fora do imperio :
na ra larga do Rozario loja de miudezas, n. 22,
se dir quem vende.
AUengo.
Jos Joaquim de Novaes participa ao respeitavel
publico.qtie mndou o seu estabelecimenlo de alaiale
da casa dos 4 cantos da ra do Queimado para a lo-
ja n. 30 da mesma ra onde so acha promplo a
servir os seus freguezescom aquella prompttd.to ilo
coslume o a todas as pessoas que sua casa so qui-
screm dirigir; assim romo vendo pannos, casimiras,
madapolfles, sarja para vestidos, cortes de colleles,
luvas delodasasqualidades, lencos do seda o de
cassa, botOes do lodos as quaiidades, retro/.es, n-
nhas, e muitos outros objectos que sempre Ha do
haver venda; assim como havera sempro obras
feilas de todas as qualidados.com a mesma perreicao
das do enrommenda.
I.cilao.
Nu loja de Jos Manoel MonteU
ro Braga, na run do Crespo, n.
16, esquina que vira para ra
das Cruces, vende-se
nova fazenda intilulada-donzelas- IMWtljli
de senhoras.de muito r.cos gustos e pad. s os ma,s
mo.lernos que teem apparec.du; vonde-so tanto ico
vado como a vara para ma.s ccinmod.dadedosco n
pradores; c bem assim multas fazendas de mullas
qualiiiades.tanto linas como grosaas.
- Vendem-sc8 escravos, sendo: 9 pretos mo-
ros, de bonitas figuras; urna preta de 16 annos; urna
cabra com urna filfa de 10 anuos ; 2 preUs de ser-
viro de casa e quo s3o boas coznhciras ; 2 ditas
X habiHd.dosq: no palco Ja Matriz deS.-Antonto,
sobrado n 4.
AO DARATO, FREGIIEZES.
Veodem-se chitas linas, de bonitos Padcs, e que
nao larsama cor, a 180 rs o covado ; nscadinhos
Vancezes, de padoes modernos a 220 rs o cova-
do ; lencos de cbila imitando seda a 320 rs. reas
mantas ue seli m .matizadas, a 0,000 rs cada na.
-Me. Calmont & Companhia farfio lcililo, por
intervencllo do corretor Oliveira de grande por-
cilo de fazendas inglezas propnas do mercado :
hoje 5 de maio as 10 horas da manhfla, no seu ar-
mazem do largo do Corpo-Santo. ......
AvisTs diversos.
A commissao administrativa marcou o A\ ii do ""K^^KK^ ."onfeilado
^T^'^^^&^^ -Meas fitas e fio,, por 24,000 rs. vestido esto
as propu ._.,.__,. c adverte que

'.llovinienlu lio Torio.
NaviOt entrado no dia 4.
Para, Maranhflo, Cear, Rio-Grande-do-Norte e Para-
hiba ; 13 dias e 5 horas, e do ultimo porto 15 bo-
las, vapor brasileiro San-Salvador, de 300 tone-
ladas, commandante Antonio -Carlos de Azeredo
Continho. Traz a seu bordo : para esta provin-
cia, desombargador Agoslinho Ermelino do Leflo,
sua Sra. I). Mara, um filho, 10 escravos e um cria-
do, Joanuim Jos M. Pimenlel com 3escravos, Jo-
s Samieo, Joaquim Teixeirn l.eite o tres escravos
a entregar, Antonio Francisco Perolra Jnior com
um esrravo, Antonio Francisco de Oliveira. 1 des-
ertor, Francisco Gomes do Souza, Antonio Fer-
nandos Lima, lliasilelros; Francisco Coelho da
Fonsrra com dous escravos Manoel Jos Salgado
com dous eocravos, Francinco Ruarlo Frritas, Por-
tugoezes ; Edward Power, Inglez : para a Babia,
JoBo Carlos Saldanha Guerreiro, Porluguez : para
o Rio-dc-Janeiro, O depulado Dr. Felizardo Tosca-
no de Brito com um escravo, Dr. Theohlo G. de 0-
liveira, Romualdo Antonio da Silva, Ignacio Anto-
nio da Silva, Hrasileiros, 8 escravos a entregare
55 recrutas para o exercito '
Portosdosul; 9dias, o do ultimo porto 16 horas,
vapor brasileiro Imperatriz de 467 toneladas ,
commandante o capitflo-lenenlo .Jesumo Lme-
lo Costa, eqoipagem 30 Traz a seu bordo :
para esto provincia, lente Joilo Carlos devil-
lagrona Cabrita, Manoel Rufino c sua senhora,
llespanbcs eom dous llhos Brastleiros, Manoel
Goncalves da Silva, Paulo Joaquim Teles o sua se-
nhora, los da Cunta Coulinho, Brasileiros, e 2
cscravos a entregar; Jos Joaquim de Barros,
Francisco dos Santos Neves, Joaquim Jos Ferrei-
ra Costa, Porlugurzes Carlos de Mornay, Freori-
co de Mornay, D Mara de Mornay, Inglezes : para
o Para, Frcderico Beschtold, Antonio Itistcr, AI-
leeies; cadete Bavmutrdo de Oliveira Pantoja :
par Parahiba, D Mara Carolina do Nassimcnlo,
BahiTe Macei ; 14 dias, e do ultimo porto 16 horas,
briguede guerra b.rasileiro Caliopt, commanduule
o capilflo-tenenle Eliziario Antonio dwsSantoa.
Baltiivore; 30 dias, briguo americano Vtciurtne, do
239 toneladas, eapitflo Gcorge Hohbs, equipagem
11, carga farinha de trigo ; a L. G. Ferrera.
Navios sahidos nomtsmi dia.
Rio-de-Janeiro; briguo americano Ficlorinecapi-
taoGeorgeHobbs, carga a mesma que Irouxe.
Nantucket; galera americana Washington, capuao
Slephen Bailey, carga a mesma que Irouxe.
Baltimorc ; hiate americano Juhet, carga assucar.
Passageiro.C. Besselt.que, sendo cpiUo do navio
Chtnil que seguir para New-Bewford a 3 de mar-
co, licara neslo porto para curar-sc.
O NAZARENO N. 28 '
-est a venda as 10 horas da manhfla na nreca dain-
dependencia, livraria, ns. 6 e8 De muito ...lerbsse
he a leitura desle numero que.se rf',;,'mnei;,'a.^.'
eialmenle. Traz urna resposta a vanedade do Oiarv,
NoT. respeito .le Portugal, em defraa do.. ..
M/..iodoseieiiOBOf,i-oino o iario noto chaina
Dor escarneo aos Portuguezes.
LOTEBIA DOTIIEATRO l'L'lil-ICO.
Coutinuam a estara venda os bilhotes desta lote-
ra cujas rodas teem andamento no da 12 do cor-
rente- c pela concurrencia que tem havido na com-
,.ra-iis mesmos bilhetes o respectivo.lhesoure.ro
nutre esperancas de que o dia marcado nflo sera
transferido. O.i.into n.ais rpida for a venda com-
pleta dos bill.cles, mais rpida sera a extraceflo da
U--rprecisa-se do um calxeiro que tenha pratica de
venda para tomar cont.i do urna dita por balanco :
no largo do Terco venda u. 7. ___
-O Sr. que foi buscar um tranceltm grosso na
venda da paca da Boa-Visla n, 26 Q"*' "J1'*-
gnrem M norte J do contrario sera o seu nome pu-
blicado o so proceder na forma da le.
S. H. T.
so na par ida do dia 22 do corrente ; e adverte que
depoisdo dia marcado nflo admilt.ra proposta al-
8U-n-a4ntonio do Souza Leflo segu para o Aracatye
Ccara levando em sua companhia seus dous cscra-
vos de nomes Balbino o Joaquim Antonio o um
criaobranco, de nome Vicente Ferre.ra dos San-
l--Alusa-se urna casa db 3 andares, na'ra do
Amorim n. 13: a tratar no caes da Alfandcga ,
ar!"-BnCl-se'inheiro a premio com penhores : na
ruado Rangel, n. 11. Na mesma casa compra-sc
ouro mesmo em obras quebradas. ,.,
... Na ra do Sebo, n. 3, empresta-so dinhet-o a
juros com penhores de todas as qualidades, em pe-
uueiias porcOcs. ,,
1__pordeu-so ha mezes um annel de ouro esmalta-
do, leudo no centro a letlra-R-: quem o tiver li-
diado ou comprado, levo-o a ra da Croj, n. W,
que se Ihedarflo 10,000 rs-, que he ma.s do que elle
"l Mauoel da Silva Sanios, ven-
farii la detriio da verdadeia
de
marca SSSF, cliegada ullimamen-
te a este mercado.
Compras.
na ra Nova loja n.
0 concelho deliberativo da sociedade Harmonico-
Tlieatral convoca extraordinariamente a assomblca
coral para o dia 6 do corrento, os4 horas da Urdo
-- I'rccisa-sc de um caixeiro para tomar conta de
urna venda : na ra .le S.-Rita, n. 85.
AO PUBLICO.
Jos de Barros Falcflo de Lcenle e mais herdoiros
da finada D. Maria Magdalena de Sa e Mello julgam
de seu .lever ratificar agora os ennuncios, que to-
ra m publicados nos Dar.o* de femambaco ns. 189 ,
OO 191, 193, 195 e 196 de 27, 28 e 29 do mez de
agosto e do 1.', 3 e 4 de setembro, todos do anuo
de 1845 relativamente ao direilo que .es assiste
norngenlio Ubaquinha ou Ubaca-de-Ba.Xo s.te
em Scneem em consequenca de se ter juIg-do
millo por tres sentanca, o vinculo em virlude
nuil s acl.aVa 0 bal do Sur. Bonventura de Mello
Casleno-Branco .'.a adinini^rac^ <|o ...to ougotiho :
e protestamos mesmos herdeiros usar de stui ire
io', o haver o que legitin.amente Ibes BPrtencer,
viste alie 0 dito Sr. Castello-B.anco nflo tem ttulos,
que o^ossamautorisar para dlspor do supramen-
cionado engenho. j_i...n om
japerdeu-so urna carteira com algum dinhelro em
,. ,.ji... ..Ia o. IhImiuii ha-
-- Compra-se um braco' do balanca com con-
chas usado : no largo do Terco venda n.-7.
--Compra-se umcordilo grosso de ouro de le,
sem reino ; dous pares de brincos mo.lernos tam-
bem de ouro de Ici e sem foit.o; urnas Horas Ma-
anitas ominlo uso o que cstejam em bom osla-
do: na ruado Collegio, n. 19. ..m
- Compra-se um casal de porcos bahes, o um ma-
caco de Angola : no ar.nazemde molhados, por bai-
xo do sobrado do reverendo vigario do Recite. -
- Compra-se urna laholela que tenha 15 palmos
para cima e dous de largo i na travessa do Rozario,
deposito it 39.
Cdulas encamadas de ttO,j? rs.
Continuam-so a comprar at o lim do mez com
pequeo abalimenlo cdulas encarnadas de v.nlc
mil rs : lia ra da Cadeia loja .te cambio n. 24 ,
de Francisco Antonio Vieira tht Silva.
- Con.prain-so os cxemplares que liouvc/em do
l'rogre>so ns. 1 e 2, publicados em jullio o agosto do
animproximo paeaado : na ra estrella do Rozario,
n. 28. segundo andar. .
--Co.iirra-aeumsellimdcmola, quo nfloesteja
rolo- ns ra da Cruz, n. 43. .
- Compram-aelOO ps de larangeiras sendo da
terra meHior ; 10 pee de frucla-pflo : na ra da
^Perdeu-sc urna carteira com algum mi neiro V '" '^a"'"80'baj de un. Mida. n. 5.
cdulas e duas letlras aceitas pelo Sr. Ante.tic, Do- l ^^J*^Xuvnonte escravos de ambos
mingues Pinto, c como do nada s.rvam sen. o aos | -(. '"l,ra";a820 annog, sondo alguns ofiietaes
abaixosassigr.adopor '^ m aJ"6-", *^"''^?,b",Datoiro ; mo de bonilas figuras, pagam-se
10,000 rs. de gratilicaQflo. Campos & Souna. j .;!3S.-,--j------- --------_
-Quem ennunciou querer alugar urna escrava | VeOdaS.
dira-se a ra da Cloria n 89.
---------------.. dentro de casa,
, n 89.
Aluga-seum urna escrava para
co, licara nesto porto pan"irar-oe.,,n ,.hn Con_Lue gabe be.n engommar e cozinhar : apessoa que
Liverpool; barca ingleza Marj, cepiUo John Con q> anaunci8e P,ra ser procurada.
neD, carga a mesma que Irouxe. iB I"1"' """ *
Vende-se urna duzia de cadeiras de angico,
novas e muito baratas: na ra do Rangel, n. 7.
que vale mais de 50,000 rs
26, de Tinoco & Bocha. ,,.
-'-- Vende-se urna porciio de pe, acos' depedrade
cantara, quocstflo no qu.nlaf da ordem tercera
do S.-Francisco : na ra das Cruzes, n. so.
Vende-se um excellento piano perpendicular,
novo por preco commodo : na ra do Vigario, n.
23 ca.a de Russell Mcllors & Companhia.____
-Na ra do Crespo, loja^i.S, de Campos &
Mava ha um novo sorlimenlo de cortes de cassa-
cbi'las de gosto muito moderno pelo muito com-
modo preco do 2,240 o 3,500 rs. : cortesi de cembram
harego, de delicados postos, imitando seda a7,ooo
rs. selim preto do Maeao de superior qualidade .
a 2,000 rs. o covado chitas francuzas largas, de co-
res escuras, pelo niuilo barato preco de 200 rs. o
covado ;e 'outras muitas fazendas por commodo
A LOJA NOVA N. 17, DO PASSEIO PUBLICO DA
PRAIAD0C0L1.LGIO.
Este novo estabelecimento, hiendo hoje' su a"
berlura, o estando de antemilo prvido e complete-
mente sonido de pechinchas e fazendas .nte.remen-
o "ovas que n.ereccm particular atteneflo aos an.-
doros da economa, e disposto a patentoa-las pelo
nais mdico proco, compatvcl com suas boas com-
p" Ssa afnheiro,e smn compet teres n,o merca-
do esnera ouo o presente annuncio, soando aos ou-
vuJos dos atantes do bom e barato, hca a dev.da
impressflo para que com sua enrgica concurrencia
Lo Kelec inonte possam devidamenle conhecer o
apreciar tudo qu.nte levo dito. E para que com ma.s
nranlia POam ajuiIar e fazer ma.s acertada conc-
oo letam os procos algumes dessas que
a me noria traz colleccflo.-Pecas'de mapapolflosof-
Mvel, a 2,000 rs., o a. vara a 100 rs.; r.scados de 4
palmos de' largura, fazenda muito boa para escra-
KeiQOrs o covado; dito muilo propr.o para ca-
misas, a 140 rs. o covado; chitas, as melhores que
aThoje teem apparecido, por 160 rs ovado,
ra de largura, a 840ft, a v..ia, ^ 500 fs. ca.
''"'te istras a 20 rs o' vUoTdito trancado hran-
,c a 360 rs' a vara assim como urna porQflo dcsa-
Cpa*,Oes3mu?oapr"Prios Pra a est.qflo presente, a
1,440 rs. o i r.
Na loja de Jos Manoel Montei-
ro 'Braga, ra do Crespo, es-
quina que vira para ra das
Cruzes, vendem-se
ricos cortes de vestidos do seda, e muitas outras fa-
"^NVSeir. cas. passando oquarlel do Hos-
picio vonde.n-so quattinhas da Baha, omquan
lidade, por preqo commodo.
MUTILADO




Novo8 gambreoes.
arco d?SninG1U',ma fles Seraflm & C- confronte ao
brefleYa t innAntom?' n.5' ndem-ne novos gam-
t.ffzP,l'f rs' erle de tres cov's o rneioY'es-
ores(Mio nrrna"re' recommendavet para a esUclo
mS/?, 8er faze,,da encorPada e escura; e finge
tu at ?Anceza por terpdroes imitantes;) ch.'-
nltntnrif r8<> covado, e alm disto um com-
pietosorii manto de toda a qualidade de fazendas.
- ende-se urna canda aberta grande,
J'"MJa' que pega em um milbeiro de t-
joios de alvenana., por preco commodo :
a tratar a ra de Apollo com Jo3o Eate-
vesdaiilva.
Vendem-se acedes da ex-
Uncta companhia de.Fernambuco
e Parahyba : no escriptorio de Oli-
veira Irmos & C, ra da Cruz,
n. 9.
-- Vende-se ama sobrecasaea de panno rerde-gar-
raft, reita a moderna, com gola de velludo, por es-
trear, e por monos de seu valor : na ra da Cruz ,
n. 43.
Vemlem-se 4 escravas mocas de boas figu-
ras com boas habilidades; una mulatinha boa
para ser educada ; 3 escravos bons para o traba-
Ino do campo; um dito bom cozinhoro: na ruado
Passeio loja ora n. 19.
Polassa da Russia,
pelo preco de 180 rs. a libra, em barris pequeos:
na ra da Cruz n. 10, armazem de Kulkmaun &
Rosenmund.
-Vende-se urna cxcellenle casa terrea, com com-
modos para urna grande familia sita nesta praca
a tratar no principio da ra Imperial, n. 9.
algurpa mistura ; a qualidade he que faz o preco :
"jo pateo daS.-Cruz junto ao sobrado da esquina
'la rua Vellia n. 106 e na travessa da Madre-dc-
Deos aonde foi refinacilo, onde tarabein ha pTo e
bolacha. Na mesmas casas compra-sepapel.
Gaz.

Vendcm-se 40 accCcs da companhia do Bebe-
rse :. no pateo da Matriz de S.-Antonio, n. 4, se-
gundo andar.
Vendem-se,-por proco commodo,
anas canoas de conduzir agoa ; c urna
dita mera aberta : na rua de Apollo,
a fallar com Joo Esteves da Silva.
Aviso a meus freguezes e aos
lats que quizerern ser,
t* sendo bem servidos, a
Joaquim Antonio Carneirod novo avisa a todos
aeus freguezes que hoje recebeu urna grande
porcnodaquellas verdadeiras bichas hamburguezas,
|e est vendendo aos centos e a retalho, por me-
nos preco do que em outra qualqtier parte; assim
romo tambem aluga evai applicara qualquer hora
uouia 0uda noile, para commodidade dos pro-
lendentes. Venham, freguezes, poisaqui he sonde
na Doas hienas que dflo saiide a quem a nao tem.
Vende-se um tronco em born es-
tado : na rua da Senzalla-Nova n. 7.
Vende-se um rico apparelbo de
metal, iodo praleado e bordado : na rua
Nova, loja de ferragens, ri. l5.
Loja de Joo Chardon ,
Uerro-da-Boa-Visla, n.5.
Neta loja aclia-se um rico lorlluienlo de LAMPEOES
competentes vldros accendedo-
PARA GAZ com seus
res e abafadores..
Estes c.-uidii'iros :.-
io Oi iiiclhnrcs e
Venham, veiiham correndoe
Iragam dinheiro para com-
prar as pechinchasdo an-
liff*> barateiro.
O antigo barateiro est queimando por todo o p-
nheiro, na sua loja jiova da rua do Collegio, n. 9:
papel de peso inglez, de primelra sorte a 1,760 rs
a resma; dito almajo, a 2,600 rs. a resma; dito
proprio parafogueteiros, 011 para embrulho de fa-
zendas a 1,600 rs. a resma, isto he para acabar
com o resto de todo elle agora : rheguem aos cai-
vetes limpossem ferrugem a 240 rs. cada um ; te-
souras grandes e finas com ferrugem proprias pa-
ra cortar papel, a 160 rs. cada urna; trinchantes,
sendo faca grande e garfo com mola, a 800 rs. o
trinchante ; carabucas de algodTo de cores, a 160
rs.cada urna; tamancos para homem e senhora,
a 2*0 rs. ;Jditos para meninos, a 160 rs. cada um;
carteiras dealgiboira a 160 rs. cada urna; brincos
prctostom enfeites dourados a 80 rs. o par; ditos
amarellos, a 60 rs. o par ; fio de sapateiro, a 600 rs
a 2,600 rs.; ditas de cambrala lisa a 3 son,.
tes decalcas de brim branco de linho 'dT l;cM
perior que tem apparecido, a 3,600 rs. 0 c
,,,,, ,------'w..........-". maienos, a 60 ra. o par; fio de sapateiro, a 600 rs.
Publico..n, TC '" ''Jc: "commendam-seao ahbra.hemuitobom, fino o tflo forle.quc'ninguem
puDi.co, tanto pela segurai.ja e bom gusto de sua boa I he capaz de-o quebrar; finissimas charuteiras, a
conreceo como nela boa mmlid.id a in> ..,.,,,,u,. MH) rs. cada nina : tmriilns mn r..n,i,.;..,, inn..
A' 800 rs. o corte.
* il0jc d? Gui,na,Ies Sernm & C, confronte ao
?,, V-,Ue,anto Antonio, vendem-se lindos cortes de
ius ao, cores hxas, pelo barato preco de 800 rs. o
torte; cassa-clutascom flores, linas o largas, suecas
e inglezas, a 240 rs. o covado.
si"rvfn.,0defn"9ech!U8,imPns' dc^ns pannos, a
setevintens o covado, n peca a 4,800 rs.; ditas
.liaiu ^"'*e 88 '"",es alun'as !"" '"I" bona
paoroes a fnea pataca o covado, e a peca a 5,600
oQMrja prfila ,,m|'a *iP'"or de b(/a seda a
ceimnda"*1'"8 eslreila do Rilario 10. *<"-
m^.VHn,Ifm"8Pr,leS(le g"81-" vindas proxima-
lffi^!i&mmm d0 '". -o
A'12^000 rs. i
Na loja n. 5, confronte ao arco do Santo Antonio,
dXs;? cir?.d..o ?-. p--
confeceo como pela boa qualidade da luz, economa e
asseiodeseu servlco.
i\a IIK'SIlia loja o consumidores cm-
pre acharao um deposito de GAZ de cujo se aflanfa a
qualidade, e em poreo bastante para consumo.
PANNOSPRTOSPINOS
e novos na loja ; velludo preto; cbama-
oledeseda, para cohetea e gollas ; se-
tim macau ; o verdadeiro brim trancado
de listras de crc-s : na na do Queimdo,
loja nova, n. t, de Raymundo Carlos
Leite.
Vende-se cal vlrgein em nielas barricas cliegada
ltimamente ; calxas raslas para assucar ; urna porfo
serrar madeira ; tudo por preco commodo: na rua da
Moc da, armazem n. 17.
000 rs. cada urna ; torcidas para enndieiro a 100 rs
a duza, de todas as larguras ; bico branco a 20
re. a vara; chicotes inglezes, a 800 rs. cada um. A
elles, de pressa, ao depois 11T0 faeam barulho com
o barateiro.
" Vendem-se escravos baratos na rua das
Latangeiras, n. 14, segundo andar, a sa-
ber : um bonito molecote de 18annos
sem vicios nem o menor achaque, pro-
_ pno para pagem por entender alguma
cousade bolear; um mulatinho de 20 annos, de
bonita figura, sem vicios e do boa conducta; um
moleque de 15 annos t com algnns principios de
cozmha ; 3 molecolcsdo 18 annos, sem achaques;
duas pretas, ptimas para o campo, por 700,000 rs.;
urna preta muilo moca por 350,000 rs.; urna dita
do 20 annos por 450,000 rs. ; e mais alguns escra-
vos que se mostrarflo a quem os pretender
Pa rua larga do Rosario, n. M
vendem-se charutos da Babia do todas asl^L.
des, a saber: regala, de superior qualidS
1,600 rs. a caixinha para cima ; marca d "' '*
S.-Felix; cigarros de la llavana, que tcem tidn
deexlraccSo pela sua hondadee diminuto m!
i;800 e 2,000 rs. ; frma-regalia superfino, Tt
e 1,500 re., e dflo-se por menos, confer
e outras muitasqualidades, que se mostrad
compradores, o por menos que em outra au
parte. ^,
Vende-so urna cscrava do nacflo mtd
gommadeira ecozmheira e que "he prooria-
casa de familia por nSo ter vicio algn/, n*"
too doCarmo, loja n. 7.
Vende-se um bonito osoravo de 18 anno .
ofllciode^apateiro, e que he proprio para n
um escravo crioulo, de 25 annos,proprio paral
vico decampo; urna linda mulatinha de 10 fc
propna para ser educada ; um lindo moleauMH?'
annos, proprio para ollcio : na rua das Cruz*
22, segundo andar. M'
Vende-se um moleque do 12 annos in ....
ro:dDUf!T'tod-',dataD,U,D^%l
-- Vende-so um cavallo de estribara, selha, i
enfreado, mmto bom esquipador e carrc,d0 1
xo : na rua Velha sobrado n. 49. rrg,d0r I"-
MT.,^n,Je"S,, Um preto d-e 3- annos com ollcio d* I
padelro.forneiro e carniceiro : na rua da Gu/a
Escravos Fgidos.
Barateiro da loja nova.
drflMinT 1 c,""y d0 i'1 c seda, pa- ue i.isnoa grande c
rta nArin. i' 'c "' i"v i,uuora. ca-
da corte; rucados francezes finos c modernos, a 240
re. o covado; zuarte azul encorpado, da fabrica or-
XTcraavos00rS-Oet,VadO; M *** I-1SSS
A' 7^000 rs. cada urna mana.
Na loja de Guimarfes Serafim & C, confronto ao
arco oeSantoAnlonin,n.5,vendem-se mantas de seda
modernas para senhora, pelo barato preco de 7 000
rs. cada urna; riscados francezes finos, padroos mu-
demos, a 240 rs. o covado.
Vende-se ou arrenda-se o sitio do Cajueiro
com vanas casas que se acham dentro: a trotar n
mesmo sitio.
Vendem-se superiores vinhos engarrafados
moscatel de Selubal Madeira-secca c Porto ; asoa-
ar.lente de Franca; latinhas com biscouto incita e
conservas -. tudo por peco commodo : na venda de
rr5! ,0'Vm da Cosla & ^m^nhia na rua da
i.ryz, n. 00.
Vendem-se, na ruados Tanoeiros, n 24 por
preco muito commodo, os seguintts instrumentos
em meio uso:4 clarinetas, duas trompas, um nis^
ton urna corneta de chaves e um clarim.
Vende-se um escravo que entende de cozinha
c he sapateiro ;um mulatinho de 12 annos; um
porcBo de barricas de sebo; esleirs em porcOes
caixaa que pareccm ser de tartaruga muilo em
conta ; sola e couros miudos : na rua da Cruz no
ecife n. 26. '
~- Vendem-se caixas de fo-
il*id-!r,V,dres?*l!e,,,h0 PrP*Co commodo:
na loja de ferragens de Jofo Jos de Carvalho Mo-
nea na rua da Cndca-Velha n. 53.
..IT Vend.emL-sc duas casas terreas com bons quin-
"?. f ca^,mb?? 'ndependenles, sitas defronto da
fortaleza das Cinco-Pontas; urna dita na rua Au-
gusta com urna mei'agoa no fundo, que te fren-
te na rua do Alecnm ; um pequeo sitio na Torre.
taSn ,rb,!il,e' Cm wm palmos do frej.-
tee 700 ditos de fundo, casa do pedra e col. boa
cacimba d agoa de baber, o todo o arvoredo plan-
tado ; urna casa pequea na tiavessa do Marisco a
E^r'."^""^ nn ,ua d0 AlecriI" em d0'u
PTimPeiSa^rrnnd0:narUad" COnCOrda' 25
um-coSe^
ealgodflo- tudo pelo menos preco possive" '
- V ndc-se arroz branco de superior qualidade
1 saetas a nrsnpilmui ii. j.-7.. "u".uei
0 novo baratero-Ricardo-, da loia nova n. 4ao
pedo arco de S.-Antonio, est vendiendo pecas de
dS *T I""8' corcsJ"lu^ nxaa e novo, pa-
?S'5- 80, r,s>? cv- 1 ZlrM* P",! CS ,?leiramente modernos, o cortea
mem .4 kto2u *,.f* modernos para ho-
400 rV.k.',Ae'S ^'/Vecambraia muilo fina, a
?K m.',.l5S de .cha,v I""'10 moderno, a 5,000
Llrl ,d se,,a' l,adr0es chinezes, no mais
moderno gosto, a 10el2mil ris; algodHo azul e
nscado para cscravns,de,4 palmos de largura mu lo
Umento n'e T f 0|COV'do- Tem ""^o s. -
lmenlo de sedas modernas no gosto chinez rece-
bidMA desembarcadas honlem, da ultima moda de
bS 'o^assim1^ *,"]"> *) *<"* """ "'^
norato, assim como todas os fazendas de luxo
assoudo gosto nolando-se uirs lencos com ronja
para senhora, da melhorseda de groa de Naples a-
dres nance nesta praca vislos.a 6,000 ris. P
- Venden se VtLAS de cera do
de-Jnneiro e de Lisboa grande e
Vinlio deBordeaux
de superior qualidade, em caixas de duiia, ior preco
coin.nodo : vende-se na rua a Cru. u. tO armaxcui
de Kalkmann & Roicninund.
Vidros de espelho
mod^T"0,' lan,an.M' veudem-epor preco mullo com-
Na rua da Semalla-Novo, n. 3o,
(padana) vendem-se juncos de superior
qualidade, em porcao e a retalKo,e por
menos do que em outra qualquer parte
, armazem 11. II0. de Alve
la-Velha
Vianna
= Vrudcm-se moenda, d.e ferro para engenho. de a.
ucar, para vapor agoa e bestas, de diverso, tamanhos,
por preco commodo; c Igualmente taixa. de ferro coado
l Tu ,S ,.a'"anht": na "raa d0 t-orpo-Sanv
' de ,1" C"a e MC- La,",0nl A tomnanhi.. ou .u
rua de Apollo, armazem, n. 6.
NA HIJA DOQUKIMaDO, N. 11.
Vendem-se lindas mantas de seda
muilo finas, asmis modernas fue lia'
proprias para senl.ora e menina*, a.3,->0 o
. ; cortes decassade (ores fixas, ede
'indos padroes, a 4,000 rs.
n f,ooo rs. ; sarta bes-
; dita franceza ; los pretos tu-
, por ter aca-
aloja nova de H-
Pi rnmmm a -.____ .. "'J***'
do por menos de sen valor.
ba G. Leile.
Nesla loja vendem-se'
corles re cassa de boni-
tos padroes c finias has
a S^f.100 rs.
ihIi 1 mj 1 ti 1
^2aBSB3SR*ar:
da de24 annos, com habilidades ; 4 pres de on a
gundo andar, se dir quem vende ''
- Vendem-se rolas do Hamburgo casaesn ni
le.ras, muilo barato: as Cinco-Ponas ,n7|
DEPRESSA.DEf'RESSA, FREGUEZES,
Fugio, no da 21 do passado urna wela A.
nomeJosepha.do gentio de AngX ^
- scnla ter 40 annos. de estatura alta bM
gorda cara larga, andar descansado; levu V3S
de melim preto anda novo panno da toaU S
com listras brancas; a qual se suspeita es > 2
candida na outra banda pois j foi vTsU S
pateo de S.-Pedro e na rua do l.ivramento, omJS
de chita branca o panno da Costa. Esta 2V%
escrava doSr. Joaquim Antonio de f.ras B 2
a quem mi comprada o mez passado : quem mti
penesa8doUa "S L",Bri. ,8> < enre"
- Um escravo de nome Innocencio, crioulo. ,
16 a 18 annos, alto, seccp do corpo; bracos ded*
das mito finos e compridos pernas tamhetn fin,,.
na d.re.ta tem ame chagn pelo lado de fra no Zk
da perna, cabellos alguma cousa vermelhos, olhw
grandes c broncos, denles tambem branco,e
modos os de c.ma desapparecu, ou foi birlado m
pr apio de marco prximo passado. Hobo-m ,
HTal PeSSa que niI comPre' e no c" on-
trono ficora responsavel por tudo a seu legitimo
dono queofTerece boa paga a quemo levaron r
de I'ernambuco ao Sr. hriga.leim Amonio Rodrigue!
de Alme.da e no provincia ,1o llio-Crandc-do-Nor-
le na povoaCao da .\ova-Cruz ao lente coro-
nel Jos Soares de Mello.
ore't/Trir.,'."0 d" 28 d0 abril Drximo P"s"*
preta ihereza que representa ter 25 a SO anuos-
chiatl* ,firfada' bem PBrecida: '"v"" sb" d
f. nlll Um dos br"8- E8,a *nva eslava n-
ZT 8Fenal ha 12 dias tend0 s'd wmellid de
( omanlfil08 S,S- LUZ Ant,'ni0 Alves M"teiro &
nlo" Paru>Prsua cotila, ser vendida aqui
mnr^fnrTn,nlc' A- Jos Santos & Companhia,
moradores na rua do Crespo, n. 11. Recommeud'
ri aPPre'ensnoatodasas auloridades poli-
naes, e quem a pegarscr recompensado.
dnVii.inh ?-d.i.".s de dezembro do atino passado,
d f. n.P',,u um Pard0 de nomc '"ci,
clfrli lfB-U,"P.roMO d0 corP. Pes-obalo,
vn .Pirhrajnl'0ll,osbrancos- POUM barba; le-
,Z/.\T Bn"itf"mc ceroulas de algodn di
nomo' l,rU m"hm sua companhia a mulher.de
mZ. fina '*)Ula b0ni,a n8ura Ventea li-
corZ bcn?.prela, mtiito regrista : quem os |ie-
na rua L r !l W"?' fre8uezia da Escda > ou
na rua da Cadea do llecifo n. 43.
S hTr?. Tnh1Ta 'lo dia 3 d0 enfrente, das 7 para as
AnidJ Para casa do Sr.'tnajcr
nt inJ ni 'S'ln usn,So un,a su escrave preta, de
do pno7'a,,,a eS.la' no A'erro-da-Boa-VisU.dei an-
A "rJJu ""' doPor'-lor que a conduzio, lugia.
nT.ir tP i"ed0 Aneola> ^rn ladino, e rc're.
esta.,' ndi",ade 30 annos Puc" O" menos
o de ,t,.^u",,a' TP? ch<*! P>r*m magro; ten
e em ambas
grandes, ele-
ido escuro de chita com flores brancas e en-
tos .>n.- .... ......""" o uniros muitos o iiec
n?..~on{Lnl"n'bem ? VCndcma Pre/ocomVir8
mas a contento : na rua larga do lunario, n. 18.
ao Passeo-Publico, na loja nova de fazendas n 10 S de i tr.l""r,a' CVrP c,,eio- P>r*m
deslonoe Joaquimfascoal Ramos, onde"s ach ^s ,,t"f.nde ,0 P ''reito alcijado, e
umcompleto.sortimento de fazendas finas^eordina- vo, (ia lBun'chges bastante g,,.
nhor,aCO,"o^a,0 : rCHa chitas P"re vestidos do se- carnadas nn? dcc,!U com flores brancas e en-
nliora a 240e 280 rs.; ditas 140 16n ii if h 3 "' e por cm,a s preta de lila cfoi embru-
g^ ** P-r cobe, tas a 40 '160' 2 Jada S," ^ <<" de^inho com 'ba bncat
dh(t?i?rS-; bre'anhade puro linho, a 00 n Cl n / ,U'"H ,rofla poniendo um lencol de al-
dita de I-ranea ,a800rs. ; lencos de seda ilpm'L'lK '>oaqualidodo,al,440 e 1.600 rs-nrfmnr.10 HnrJ P.e*"r le
vestidos do sen.ora, de mu'fbomtu SIJJ"" doueSn"o,
0 covado : cortea dstVl.ii nL"m..g 'r a ?20 rs- recompensada
',a,Bur8S' .7fi*5ff2MW Svo
em saccas, a peso e alqueire voltio > dito vermeh!
tudo por.pfcO muilo c^mmdo : ti. rua daTra
venda n. 39.
Vende-ie salitre refinado, de mili-
to boa qualidade, por menos proco do
que em outra qualquer parte : no e>crip-
torio de Claudio Dubeux, na rua das
Larangeirtta, n. 18.
LIVROS EM CONTA
venciem-sc os seguintes livros: um misaal em
Z'uSXrsUd0'crplt'l e!K!to"
Arn T ;um '"resiguiere por 2,000 rs.
f OOOrs Ma.rtlCa M'.l (:olon'l! clelienne
i-n Maln!ffi' Pl"losophie, 1,500 rs ; Tratado
ecW,coraS0ende ba"e'. V00 ,M-1" 'anualeneyclo"
Vision ,o i?00; i Parlldas dol'ndas, 1,000 rs. ;
doRwri^'- "d'ue .OOOra.: na.rua estreit
uo Hozar o loja de encadernaco.
,nr."^,!'um"seduas moradas de casas de taina
ehCnrnabangae0Ulra "a rua 'nperial; esU an
m. ?, W?' e aquella e,n ennos forciros; toda
muilo em conta : ira rua das Cinco-Pon las, n 65
Na mesma casa compra-seo livro CuiHiern e fcll
em bom uso ; paga-se bem. *
nem+M?F n'?id' mclhor P0Mvel neste
10. para menor preco, para
ce-
"v'.a, cuiueiitio um lencol...
"ilo.c outrof vestidos e roupos. Quem a deseo-
leve-a a casa do ditoSr. Gusmflo. na rua
recompensad0*,0" "' r"a Araeao' n" 27' 1uescr
vllld.ff11 a S:An.na' do Antonio Dias, da pro-
6hs' rug,,am- no dia 8 de Janeiro Pro-
aZT, ra C"'C0 CSCravos send0 ous cabras o
Lannn"8 8I-nae8 seHu"tes : Rozilio, cab.o.de
niai n 1T ma'?u0U n|enns, baixo,grosso,princi-
toa I ?n.a|.t "r olhos.Prelo.s. rosto redondo, dc-
nio ent ,! 'Z'7- re,ar' cabr"o Picliaim : nto-
Sro^on^M^T08' ff"Urae ressura regulares,
re ar nnV.l '. ll.'0sprelos' na,iz erusso* bocea
X' Fu arb.a cab0" PC'''n>' Manuel,
00 hna '" reg,""r dc 28 "os. secco do eor-
cmnic^n. rqUCn.S' cr f"'a. nariz grosso, ulli-
co mau o r" : 'V"'0"i0' cri0,". d<-' MI anuos POU-
18011 menos- cr fula, llura regular, Som
brajas lisas finas de varo \ii> larourl'' ..
varas e meio a 4 finn r ", non g L P.ecas com 8
.000 e 1,120 rs ; corles de mcia casimira a 2 ion
re[^
- Ve..dim:sen2:!^eqluheas'peb0absrd0enia,8a 20 ^ --,!, fS'JSUSMff^f^ '-'- -
nos bons para o trabalho doH campo e da oraea
d.Ib T C02'",,l,re; 4escrav.s mocas edo ,
Hv,irf. ",u,""ri. Pn nienor preco, para
veda?i ti 'T0Z ,torrad? Sue 8erve cm de ce-
vadaj, sendo qualquer dellestorradoemoido.aem
, -----...., iiuh par
""Passeift,, loja nova,n. i
Na loja de Francsc6 Jos Pare,
ra Braga ,
n u.. ,-."o^""" .-u setinor, o capuao
l ,q" L'nS P,,raua.O" na praca de l'ernam-
.Svernfln1.Tr,le'Vle' S! J.oiirenco Jos
""" nes, na rua da Cruz, no Rocife n ci Tme re-
compensar. Advertc-w 'ooe T!./. "Ji'.^ le-
varan! 11 m jogo
ram a seu seu s
~ que os ditos escravos
pistolas do brotizc que roubv
'4>
PERN. ; KA TYi
M. F.DE FABIA. 1847.

fiS


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBPK0RB8F_5H9BQX INGEST_TIME 2013-04-26T23:51:30Z PACKAGE AA00011611_08454
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES