Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08453


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annp

1817.
' .
Sabbado
O DlJlttl) publica-se todos o das, qie no
t#m ROrrf" ?*"?> "signatura he de
iiOOl is.poi quartel. P"*-'"* ad iitiimlnt. Os an
uncias 'ls assignanle 18,1 inseridos i n.so de
'',,, ni- ijnlia, 40 rs em ivpu dillVrrnlc, e as
' .-ii*es pila metade. Os que n:".o f rem assg-
'JnicsWrSo 80 P' r.).-, ICO em lpo
,lil!rrfnW, pOread^M.bUeae.o.
PHASES DA LA NO MtZ DE IIAIO.
Mingoante, 1. "I*. da larde.
,,,,, a 14, I hows 3 min. da larde.
' n 1 1. t i taaakaa,!* a 7ll ,l~ (tul
r*ARTI0A DOS CORREIOS.
Coiannae Paraliyl, fe segundas escitas fciras
Rin.Urande-dn>\orta)(iiil*a feias aoiaeio-dia.
Cabo, Serialiient, R-Pormoso, Pmtn-f'alvo e
^ Maceiri iio I.", a-ll eli decaila mci.
Oara.ihuns Itonito. a 10 e 21.
Boa-Vista e Flores a 13 c 18.
Victorl, iis quinta reiras.
Olinda, Indo OS das.
ree.,1>
l.u. chela, ai
s 1i mili, da tarje,
s e 25 miau, da larde
PREAMAii DK IlOJE.
Primeia, & lioia IS minutos da tanle.
Segunda, i a hora a \2 minutos fia maulla.
le Main
mam
Ann XXIJ.
*iiitli-- ffV
N.98.
das d\ sku\n\.
i. Clarenrio. Aud. d.i J do of- Cambio sohre Londres de 5 W/A. p. I r
c da 1 v. e 4o J M. da 2 T
erra. S. Tertuliano. Aud.do i. do,' oi. da
ilo I de pai do 2 ilist, de
Quarla. s, Vital And lo .'. efe t*. d
J v c do 1. ile paz do ? dis. d* l.
70 Quima. S. Pedio Aud do 1. 'le orpli.,
do J. municipal da I vara.
Jo Suu. sT^SHmw*. aud ''"J- dot(f d
I. v. edoJ dsvpaiido I. rii-l.de t
I Sabbado. 3, r'lheS. Tiago.
i Domingo. 6. Att.au/
CaMMOSNOOIA i DE ABRIL.
Puna ta rs |wr franci.
a T.i-Ixyi *a de premio.
le leliras de toas firms I V. P-V mcl-
a y
hese.
"uroOnos lispsnholus..
T Hods'de#tooclli
de f 10. nov
de IfOOft....
Prnlj l'jtacae .....
a Pesos coluumares.
u Ditos mexicanos .
rada
fidO a J|hi>
lefaoo a iron
IdlOOO a I8|0n
9$00H a" 911 o
JfflJO a J|04li
'.'oto a 3|m
iftiH a l*7'U
IJOO a U
\ccoes da comp. do Hdierihe dsfaOjpOO rs. ao par.

DI ARIO DE P
ST Sk *fif
HBC
PRTE OFFiUL.
Oovcnio da provincia.
i:\pfdii:ntf.i)F.i:. do corrente.
0|licioAocommissario-pagador, declarando que
oii.' balaJhSode cncadores ila priineira linha deve
OI|. UUmillilu u" \\"'iwiva un l'iiinviia iniiin ugfC
ser considerado como destacado, o porconseguinlo S(
ooiiiprehendido no artigo 3G das instruccdes de 10 se jllnta lo Porto. AlOm de Janeiro de 1843.
DitoAo delegado do termo de toianna, scienti
tancin, no qual se dirigi Inglaterra. Chogado al-
l tomou o titulo de duqua do Ramalhao. Kilo acon-
tec monto tem dado muito que fallar.
Kulretanto, I). Miguel nao inspira reccios nos li-
beraos, porque a sua inepcia I tic fez perder o pres-
tigio do quogozava. Macn al I que era o sou repre-
sentante, nunca pode reunir mais quo ,000 e tantos
liomens, e depoisda sua derrota em Braga essa Mi-
ca diminuio muito; o uns mil homens que llcaram
ob as ordens do general Rernardino, snbinottoram-
se junta do Porto. Alm ifisso a junta mguelista
de fluimarSes dissolveu-se.por no contar com apoio
u'd' Wguofnitjm oTrequcstospara govemar, sesou oulros impnslus semolhants.o esso direilo loi
I,de inundar demolir, o transferir para a linha do ea tilo goza as sviiipath4da Classe tllustradi da leconhecide porl.ord lluward,,aiiiiislro ingiez, nt>-
rasas, o telbeiio quo eslava no mcio da povoaciio c0 sa poca, junto a cute de Lisboa, o quai n.io proiia-
\ossa-Senbora-do-0', o servia de aQouguo.-oniciou- Parecenun a sua vinda luglatorra fo em conse- ton conlraa medida. Porm agora dilo-so co.no ra-
so a respeito a cmara municipal de (oianna. aiit^dwIiiaUncU ? de"Ribero Saraiva, c das des- ses para a abolcao das ditas duas dcimas as repi c-
bito-A'ndministracno dos estabelecmenlos de S&^^^i S^iS^MUi m Por- scnUeOM dos possudoros dos boni, o Cula
t-aridado, inlelligenciando-a -le ler mandado admit- h/ia, AfsUs I ^as deve es ar &ganaJo, ven- doatoadeque- serilo pagos sen. dtduceotigam. -
V na compa, ,prendi;,es menores, do arse- J* Q S3tigt&gS que o leve ao As inseripcOes ^^S^W^^SS:
''iSoSS^i^U^irentO da do LS^^^^^&t
^t^^&^t^Z^ ^TaSBSSSl ,eabo,ida urna.das de-
. a Si... t. iri.___r... .......- .. i'iui:l nal de guerra o expos
. k.....-.....o-- ga:.........-
nal do municipio detioianna a l.uiz Candido. (Jarne-
i" da Cimba, edemajonlo 6." balalbilo da mesma
guarda nacional a Manoel dalosla Alecrm.Paxti-
cinou-se ao coinmamlante superior da guanta na-
cional do Goiaiina.
HitaDesignando o coronel chefe da segunda le-
Cifio da guarda nacional do municipio deiioianna,
Ututo Jos Ferr ra Itabello, para substituir o res-
pectivo commandanto superior.
DEM DO DI Al 7.
nllieioAo inspeetorda lltesouraria das rondas pro-
vinoaes, dolerminando'quo o procurador do dele-
gado do termo do Bonito laca entregar 39,000,rs. pa-
ra pagamento do aluguel da casa que serve de quar-
tcl no destacamento d'aqtiolla villa.Parlicipou-ae
nchete do polica.
DiloAojuiz de dircito interino do Cabo, docla-
riiiidi) que, salva a disposicilo ila segunda parto do
urligo 33da lei de 19 jo agosto ile 1833, a presiden-
cia do concellin municipal- do recurso daquella villa
inMloncent a qnem estiver no exercico da vara
hiuncipal respectiva.Itemetlou-se copia dcsle of-
lcoaoju/. municipal supplenle do termo do Cabo.
;erior.
(OI|||FSPONDENeiA DO DIARIO DE PERNAMRUCO.
Litboa, 28 de fevereiro de 1847.
Por um vapor ingloz, vindo lionteni directamente
ilo Porto, chegarnm alguns passageiros (r vapor que
naiifragou em Villa-do-C.ondo, cuja noticia desta-
cadamente se conlirnia.
, porAm paree que-nilo bou ve aceito entre
is (ropas desle general o as do conde das Aulas.
J'nicamiiiUaret#(rflarda.daquelleri>i atacada, e pas-
sou-so alguma tropa ao Antas, sobretodo cavr.llnria.
"conde das Antas mo se apossou tambem'de Vian-
na, como so tinlia dito, c retirou para o Porto, oni
oonsoquencia da approximae1o das frcasdo mare-
chal Saldanba. O co'mle do Casal pssou, logo quo
^i'retirou o Antas, doVolenca a Vianna.
o duque de Saldanba temo seu quartel-gencral
oniOliveira-Uc-Azemeis, onde liouvo a feira annual
<1 ne all se cosluma fazor, tendo concorrido'rtitita
hi-nte, e appaaocondo venda muito panno de linho,
-iragor o ouius oiijeclos. 5vaneadas deSal-
'lanN estilo a duas legoasdo Porto, e parece que
marchal lenta passar o Honro omQuobrunles'ou no
ai'vqeiio. Diz-su quo o conde das Antas lbe dispu-
po-
Tomou a espalbar-sc o rumor .loque a cnlaile de
1 iste|lo:l!raneo cabra em poder dos revolti sos;
1 ''im est boato carece Je funda monto
Obatalbao provisorio ijil daqu marebou para o
"I anda se conserva em AldeaJUalega, esperando
p...... vi'iiiciiiirt's in Miiuauuj v .......------ r-
I' o balalho dos Algarvios, composto de q
companliias, e que se organsou em Lisboa.
biz-sc que Jos Estevo marcha do Algarve para
I vora com um reforco dri 400 ou 500 bonicos.
0 vapor ingloz, procedente de Inglaterra, nfo to-
cn no Porto, por causa do lempo, que continua a
oslar Umpcstuoso, c por isso mo trouxedalli iio-
idados; porm annuncou, e as folhas ingiezas ja
"azom disso menean, a ebegada de D Miguel a Lon-
dres no dia 15 do correle. Parece quo a 7 desle
"ez p i-s6do Roma.c chegar a porto de Os-
tia; onde enbrcou n'um barco, quo o conduzo a
mu navio qwjaobro vela, o esperavaa alguula dis-
Hooaleum dos ltimos actos da gerencia de Jos
Antonio Mara deSouza o Azevedo, quo corre paro-
dias com a oelebre junecilo da coinpanbiu Confianca
ao banco de Lisboa; so anda nilo be mais contra a
independencia nacional. As duas dcimas hincadas
nos Aonrfs oslrangoiros pelo docroto do 1 do agos-
to, Coram urna medida quo o governo d'ento se vio
obligado a tomar, nito para igualar lodos os que re-
cebam rendimentos do estado, visto que as nserip-
cocsda divida interna e os orilcaados dos eigprega-
dos eslava nouerados com dua'decimas, mas tam-
bera pelas precarias cireiimslancias omquese aolva
de (;uimarilesUissoivcu-se,por nao contar com upoiu uiu F. j.. ..-..- ,'"," ,,",, .;,. ....
jauo uo termo uo timanna. sc.c.ili- a pj-ovincia do Minlin ; o os propretarios o nobres va o pa. Ora, lo lo o governo, qi a ni o precisa re
lcando-o dehaver a presidoncia approvadoa resr>- .laquella o de oulras provincias tnem recunbocdo efirsos para as suas dospezasjlemairci'oa lanear ts-
IiicIo que tomou a cmara municipal d'aquella vil- ,.,. m.rc| mo tom os requesltos para govorna
zes, gozava da.#iympallas dos liberaos francozese
nglczes. quo lhe"preslannn todos os recursos: t-
?Theodoro Jos do Sena.
_.D0D1A1G.
flicioAo juiz do dircito interino da priineira
vara do crime, eclarando-se sciento do ter S. me.
de irabrira scsslo do jury em Iguarass no dia 19 do
frrente.
DiloA Joo Raptista Paz Itarreto, dizeudo quo
(ira de posse do officio por quo S me. participou
estar no osercicio do cargo de delegado do termo do nlla nas j||,ttS un c,000 o tantos liomens sua ospe
llio-Formoso. ra : e contava com o dobro logo que chogasso an
HorlanaOrdenando que se passom patentes, de pori_0_
coronel chele da prrnera legino da guarda naci- #D Mguci conta apenas com algumas gucrrlhas
no Mi libo, de que lio cheft o padre Casimiro : om
Inglaterra so poder receber os couselbos de Rbei-
ro Saraiva, que tem una taberna em Londres, o al-
gumas insinuacoes de lord lleresfor I; porm nao
poderu obter nom uns 20 contos de ris. lio venta-
do que nas proelamacOes da junta do Porto nao ap-
parecemj as costumadas victoriae^es ranha, e
quealK sotoemdadc vivas a Pedro V ,-quo unsjul-
gm urna sandacao ao principo real, e otitros urna
allusito ao lho do marquez de Loulc; mas disso a
submissAo a D. Miguel vai muito. No Porto acham-
so a maior parte daquellcs, que mais foram perse-
guidos por elle.
Alm disso o gallineto de S.-Ja mes, que ohstou
ltimamente sabida de um navio com pertroclios
do guerra para o Porto, ha de impedir lambcm a
sabida do |). Miguel para este malfadfdo paiz, que
durante annos encheo de sangue e desolacao. Por
conseguinlc o novo duque do Uanialhito ter do re-
signar-sea morrer preleiidcnle como os Stuanls, e
os Bourbons, do ramo primognito; mas dcixando
urna recordacilo mais funesta
Disse-seao prinoipio qufc l). Miguel estay no Al-
garve, porm banio do Moncorvo, ministro por-
tuguoz em Londres, oHicia em dala Je 17, anniMi-
ciando que o preteiidente so acha naquella cidade,
e queja fo visto por alguns Porluguezes.
Oxal que esta tenlaliva de D Miguel roncorra
pira a conclusao de um convenio entre os (oreas bol-
ligerantet. ,,i
Corre o boato que ert consoquencu da chegaua
n .. .1 i ail i A-. n ,..,,.>(* Itnaiie i\Inil ill I.UIIi; W IHiilU" ijin. v,si( ^.^.^^--------------a-------
de D. Miguel a Inglaterra, o governo hospanhol man-,
dra entrar em Portugal, para intervir, 0,000 lio-
mens, pelo lado de Villa-Vicosa, e quo oulros 6,000
O dito vapor Irouxe noticias do Minti, c phrcllas ontranlo por oulro ponto.- mBlii,i.
se sbImi ser certa a retirada do conde do Casal, para O govorro de Lisboa adoplou as mosmas medidas
Valonea; porAm parece que uno hnuve acc.ni ent
a respeito das alandegas do Algarve, quotinliaadop-
Udo acerca da do Porto, isto lie, declarar millos to-
dos os despachos feitos. durante quo as ditas alfan-
degas cslejjkui sob o dominio dos revoltosos.
Ampliando o decreto, de23 dejunho ultimo, sito
mandadas admiltir a ojfeulacao as soguintes moodas
ostraiigeras, com o valor designado, Aguias de
miro dos Estados-Unidos da America do Norte, d
tOpalacascada nina 9,200 ris. -- Meias aguias
dos ditos estados, de 5 patacas 4,000 res. -- On-
cas do otiro peruvianas, cbilenses, bolivianas co-
lumbiahas o do Buenos-Ayres, de 16 patacas ca-
da nina 14,600ris -:Meiasoncas, ditas, ditas, do
8 patacas 7,300 ris. Ruarlos de oncas despa-
lilllas, peruvianas, endonaos, bolivianas, columbia-
nas.odo Buonos-Avros 3,650 res Meios so-
beranos nglczes 2,250 ris, Pataca) dos r
i"r a rfirB".rqlieSa"l i npiP. dos-Unidos da America do Norte --.hrMitora, po-
nera (fireita. do Douro, a < ">ins*aH
de braga epcnafiel, o dall poder forneccr-se com
abundanciai'
si anidase conserva em A dea-t.a ega, esporauuo qu ">< > -<".- -~ '..,.,._.,. mna com- neriouioos, ni>tum ^.c^-... i.........
". combo! deaKitharia de baler que dovo cscol- go-^^;K''K 'VuLliro-se ha slnamenle um jornal
ar. T mha-se dito que de Fvora lvjn-h.do fi.r- '^^^U^l^ "oces.no,
cas para'o" wr'reV exacia. pastora
0 visconde de Setubal ontrou em Montcmr-o-Na. los. _._., -....i,., nuantia de 20 coutos monte, sabio honte
vos a todos oscon eclh os do reino.odoci.' l,^2J'' de,r3tl7,.tt completamente na Malbada, distreto do
uovembro ultimo. _e as mstn-c^e^le 17 d* s U.,. derroU. a l^ i ^ ^ d0| com.
rom sc^mi"" i-Mi i. ub.b., ..----------------- -------
cimas impostas sobro as nsenpeoes da divida inter-
na. 0 conde do Tojal, adiando o decreto de 29 de Ja-
neiro ultimo assignado, o promplo a publicar-se, jetI-
gou que o molhor correctivo quo dio poda fazor; vr
publicar este do'qun Irato, em data de 27 de fevorci-
ro, oqual lira lambom ao lliesouro uns 200 coritos
de ris. No rolaloro que o precede itiz-se quo lio pa-
ra haver igualdade entro os. credores nacionaes e es-
trangeros!... o porque as oondices do decreto do
21 do agosto nilo toem sidocumpridas, visto deverem-
se dous-semestres de juros vencidos.
Diz-soqueos empregados vilo roquerer que Ihe
sejam tambera abolida* s duas dcimas quo pesara
sobre os sous veocimnntos, ou pelo menos nina. \e-
remos como be altoudda a sua i;eprosonlacito,
___Noticias da Prussiadzom quo o re tradenco
Gulhenri! piiblcou um decreto, declarando que pa-
ra o futuro a dieta dos estados provuciacs sera con-
vocada para doeidir sobre emprestimo, hincnmenlo
do imposto, augmento destes, e outras medidas le-
gislativas. *
Idtm, i.' de maree.
Espalhou-so hontom pela manlraa, que depois da
chegada do general Povoas ao Porto tmbam bavido
grandes deuionstraces populares favor desto, o
conlra o conde das Antas, em conseqiiencia do quo
a junta dra o titulo do marquez ao Antas o ao Po-
voas eticara ocommando do exercito aquello eo
entregara a este. Alguem ajunlava que tildo eram
manobras>lQ conde das Aulas, o qual, desde que ca-
'aou. com una menina de 15 anuos, rica c bolla, ja
mo serve para chefe do partido, c por isso se quer
ver livre de toda a rcsponsabildade,,e poder safar-se
para paiz cstrangeiro na occasito maisopportuna.
Para corroborar isto citava-so a sua nacc/.o em ra-
aarro, quando fo derrotada, e.n Torres-Yedras, a di-
visao ds conde do Bomlim.
Diza-se lambcm quo o marquez de Loule lora ele-
vado o categora de duque. -, .
De lardo espalhou-so quo o duque de Saldanlia,
contando com o apoio do alguns ofllciaes que com-
mamlavam no convento da Serra, havia atacado esta
ppicno, tflo celebre na guerra contra a usurpar;,), e
que tora rcpellido com grande peda.
Moje iionhtima tiestas noticias tomou incremento,
o por ssn as julgo totalmente infundadas. O que pa-
rece corto, beque o vapor do guerra portuguez Uu-
que-do-l'orlo que a junta revolucionaria mandara sa-
liirnaoscicumquo destino, s". fez e.n pe.lac.ps no
Cabcdcllo, a sabida da barra do Porto, moliendo o-
da a trpolacao. Parece quo a ignorancia do machi-
nistadera lugar a esta porda
AssoKura-so term chogado da Hgoeira a Lisboa
debaixo de prisao Jos Alexandre de Campos v.ce-
reilor da universidad.', de Coimbr*, o mais alguns
lentes .; nutras pessoas.
O niario publica a demisso e esaulora?;i.) do.,
lentes catbodraticos da mesma unfvorsfdade.Aiilonio
Jos Rodrigues Vidal, Francisco Fo.audo da Costa,
pos-Unido* da America do .Norte hrasiieiras, pe- wv.. 'j^ d sub,lilLltoS AgoMi
ruvanas, cbilensos, bolivianas, colombianas, o de "^^KS.id. e yfiando Venan-
^Sr"eco9bidasd. Ih. da Madeira, consta ci Rodrigues, por serem agentes ou fautores da re-
haverallililo grande caresta de niMlMWOgo- vo f". rulMrdc quo so decidir emeoncell.o de
vernador civil convoco., urna reun o. de pe as J>ge^o^umo q Uo etl re(lLe, ,.,,01^.
r$s>tyrtokt>a*A^bmovrtlw^Mb*- m a a com- peridicos, mas com censura previa
;|,al, o qual dirig.) aosseus diocesano una Ml u'a ^ 'M ^ raill|m. o Eipeclro, orgo
cSnvidando-os a mv,hmtos uocess.ta- ^l^.l^;;l'V'';,,",alujan, se publica elandestin,-
.......____, ^i.in iiiMiierrPiKi um boll artillo, rpro-
..
Obatalbao provisorio, que so acbava om Alda-
Calcaa mardiou para Montonuir-o-Novo. Dz-sequoos
revoltois de Evora izeram um ataque a Kstremoz,
donde foram repellidos, com porda, pelo goneral Sa-
'azar que all se acha.
Ilontemsabiram urna nao o duas fragatas da es-
qadra ingleza que ha tenipo se acbava 110 Tejo.
lira supplemento ao Diario do boje, que acaba de
publicar-se, confirma a derrota dos revoltosos em
frente de Estremoz. O conde de Modo, afrento de
1,000 infantes o 80 cavados, alacou no dia 25 aquel-
la villa, onde commaiida o genoral Sa lazar; e fo re-
pellido com porda de 100 liomens fora do combate,
inclusos 12 morios, dosquaes um be o coronel de
ongenheiros, Marlolli. Da parte dos atacados shon-
ve lies flidos. Os revoltosos rol rara m-se para Vfti.:
ros, na direceo de Portalegre; porm o general *V
lazar parece receiar, segundo o seu olicio, outrp ata-
que, porque pede aovscondo do Setubal, com ms-
lancia, p auxilio da columna do sou commando. Inz-
so queem Evora so licaram a guarda nacional e al-
guns arlilheros.
Nao admira que a (orea revoltosa nao onlrasse em
Estremoz, porque mo obstante all seacharcm pt>u-
cos soldados, a villa lio cercada de muradlas, oque
seoipro be um obstculo consdoravcl para o* ata-
ca oles, niesmo sendo em grande numero.
Nota-se comludo una fatalidado nesta guerca conr
traacausa da rovolla, c he quo em todos os conir
batos sempre morro alguma pessoa de considcrajffo
da sua parte, ao mesmo lempo que do lado daS tro-
pas da 'ranha anda nao morreo personagom algu-
ma, no obstante nio evitarem o porgo. No comba--
te de Vianna do Aleinlejo morreu o captflo do cala-
dores 5, Assodio, ollicial valentissimo de muito
prestigio no seu partido ; c lo i ferido grovemeUtc o
lenle Azevedo Camba, ollicial tambera de prestigio,
entro soldados. Em Torres-Vedras morreu 0 ex-
minislrt) do estado. Mozinho d'Albuquerque, esta-
dista distinelo o boni conhecido na Europa. JJac.bi-
nall, querendo internar-se em Tras-os-Montos, he al-
cancado e morlo, e agora suceumbe em frente do
Estremoz o coronel deengcnbeiros, Marlolli, ollicial
muito disidido. Parece que a sorle nfio favorece a
causad* revolla.
Corrtfp boato de que o brigue Amlai, que comiu-
zio daqdi os todeslerrados para a Madeira odWilgo-
la, oa'troii em San-Miguel, lendo-so rovotuaiona-
do a trpolacao, quando se acha va m na altura d
Azores.
Di/.-seque o director do banco do Portugal, Au-
gusto Xavier da Silva, assignra ltimamente tants
notas, ^ue odoocra de cansaco, o foi preciso san-
,Trtr~$tt<
Tambemse assegura que o celebre Jos Feliciano
deCstilbo, (o das lolorias allemasv o hoje corti-
mandante do balalliilo da carta, fora posto fora do
paco.- ....
Parece que lord Palmcrslon, ministro dos nego-
cios Cst'angeros da (riio-Brclanha, dirigir uina
nota ao gabinete bespanbol. annuuciaudo-lhe que
podia intervir em Portugal, no caso de i). Miguel so
-plroduflir ueste reino.
Continan, os boatos de que o marcchal Saldatitja
li/.ia um reconlicciiiionto sobre o Porto, e queiiljo
fOra feliz; mas por oulro lado diz-so qtl o co*te
das Antas, desgosloso das deinonstracooMae seti-
nham'foilo contra elle no Porto, sal ira daHiieibi.Ct-
dade, acompanliado de 60 cavados, eoiiM) intuito flf>
se refugiar em llespanha. -
Assegura-se quo o conde do Tojal esta trapaltian-
do, para que quanlo antes lodos os pagamentos so
faca.n melado em papel e metade em metal; proce-
dendo-se do mesmo modo em todas as domis tran-
saeces. Oxala que istoassim aconlcQa,e quo 0 novo
ministro da fazenda consiga semilhanto yantagem
com a maior brevidade ; porque alm do fazer des-
cor o agio das olas, 11 pon! quo entilo so vira a snl-
frer, he metade da que boje sesoffre.
NOTICIAS DO UIO-DA-PRATA.
MONTEVim'O, 22 DF. MABCO DE 1847.
Tivomos bonlem noticias de Maldonado at sexla-
feira. Ilavia somonte om frente a praca alguma ca-v
vallariainimiga. A infantaria que ltimamente Toi
do cewito, linha marchado, segundo so dizia na
praca, para Santa-Thereza, ponto que so asaagura
estar o'Snimigo fortificando ou preparando-so para
fortilicar. Diz-se que osla medida foi tomada em
eoiisequeneu de moviineutos de tropas brasiloira* ;
porm antes cromos que nilo he oulra cousa mais
que a execucito de um pensamento muito antigo *
muito afraigado desse pobre coronel Chlaberl, qf
augmoiBOU com um honiem as fileras de Oribtajpj
accresofctou um nome lista dos apostatas dos pr-
i'ipos arque tinham outr'ora combatido.
-NaVjoiledo 18 pira 19, quiuzo liomens da guar-
nco d)- Maldonado, que sabiram com os tinentas
Alfar.) o Lomos, sorprendern! no PIo-dc-Assucar
una forca inimiga duquarenta horneas, commanda-
.Mvcmbro ultimo, e as "slrnccOes -,* -- > ."'^ ,ha; denominad, di Anadia, com-
bro pasudo sobre as roclamacoes dos eonlr.bu.iites, J'^"< ^() caUsando-lbe 11 morios e mui-
acerca da dcima e imposto* annexos. i f,.ridos sendo um dos nrimeiros o otee que era
O iaru.de. boje publ.c. duaac.rU a d. I. a ma U, ? j^ndau JJ sde
u un : o ex'-ju'iz"de di'reto JoaqutTn Rodrigues de C-mpos.
orio.portancm. A primera 'l' ^.r*:" **? (, ano publica urna potaria do ministerio do
rouili.no, dolormiua que liqOom abolidas as mas _"""*'' iraein roer"-'?* medidas contra
rgunJoasfrcasdo thosoure -< duas dcima*
que se Ibes Uraram no ulltmo
.una forca inimiga duquarenta horneas, coinmand
,1a poc um t. iclieco, celebre caudilbo (
i um b'ell arligo, rpro- geuie de. Oribe, oTamoso por seusenmes. OBI
odo /iopijafor. w mo Pacheco e oitros quatro individuos Toram me
tos loda a cavafiada dessa drcji e um numero, que
ignoramos, de ga.h vaceum ficaram ein poder dos
lravos quoexecutaram a sorpresa, a
Na praca nao bavia novidade. Bu
{Comtrcio del l'lala.)
23 de margo.
, :^s ultimas embarcaces ebegadas do An-oyo-da-
Cbina annunciam um successo notavel, sobro o qual
nfio tomos podido obter os pormenores que deseja-
vamos. A maior parte da torca pertenceote guar-
nicito do Salto, queseapresentra, quandoevacuoo.
_____II.. rAnAa n hwi 'viiiri%Rifui. fiwiaM**tftrafaJg
rflo urna rnderanisacao, segunuu ''";"" j""-; ina,r,7,iirm,is ierras aaiclli. frca'na cosa d-Euire-Rios, deaappareceti
swsasrdec,m8S do'reSrs:bm%Ss\'o1^ -
(MUTILALX)


no pnsioneira de guerra. aO forto parece indubita-
vei; ha, porem, grande variedade nos pormenores,
ontam, seaundo una, 200, e segundo piltros, a
300 os individuos que fugiram; diz-sequosflo capi-
taneados polos commandonles Fausto, Earrobla c
ouiros. lia quem diga que.lavaram comsigo muitos
cavallos. Tamhcm nfloso salicom certeza a direc-
cao que tomaran); alguns crem que foram para a
I i'UKuayana. Temos duas informagcs oppostas a
respeito da conducta ilo gobernador (Jrqiza depois
ticia mandn reunir a sua rorga eenvolver gran-
de actividade na persnguic.lo dos/ugitivos : assegu-
ram-nosnutrosque permanecen tranquillo om Cala,
e que nSo foram maltratadas as pragas da guarnigilo
do Sallo, aue se dp\nim fic'H- m Entre-ltio.
As noticias de Buenos-Ayres, recebidas bonteni,
alcaijjam a 80 do correte. Nao recebemos a (ltela
ti? ** sinl Hritiih l'acket do dia 20. Esle jor-
m eomocousa certa que o coronel Rodrguez,
oncarregado de negocios de liolivia, se suicidara.
Mas quom depe sobre este facto ." Como se sabe?
He o que julgarflo os nossos leitores pelas palavras
lo papel inglcz do llosas.
Sentimos ter de annunciar que o coronel Rodr-
guez, encarregado de negocios de Bolivia, se suici-
dou na noito de 15 do corrente em um momento de
'lenienria temporaria. O sen corpo foi adiado, na
manna do dia 16, na estrada da Allandega e da Boc-
ea, com a cabera mutilada, porum tiro do pistola.
Jinda sabido do sda casa ao meio-dia, o aoanoito-
cer ro visto varias vezes rodoando esse liairro com
ar pensativo. SuppOe-sc que este acto violento foi
ommeltido entre !>e 10 boras da noito. Espera-se
que as nformaeoes da polica darilo alguns porme-
nores intoressanles sobreest triste aronleeimen-
lo.
Se nein soqur so sabe a bora da morte senao que
seiuppOe, como alirmar que fui um suicidio ."
A inesma folba annuncia que o coronel Calan lie
esperado a cada momento em Buenos-Avres com of-
'ICi?i ('or.rien,es t,a natureza mais satisfactoria.
Nada maz diz; mas do origem. que temos por
inuitoi boa,consta-nos que o tratado de Alcaraz dra
ile.inltivamenle anullado; queso trata de impor a
corrientes, ontre outras condiges. urna eontribui-
ao pnormea pretexto de iiidemnisacA'o ; que a pro-
vincia a repelle e que se teme ludo.
24 de margo.
Ejs a nica cousa que podemos adiantar ao qi
dissemos bnntem sobre a fuga dos prisionciros do
salto que estavam em Entresijos. Parece que o seu
numero nao passava de 160 bomens, tendo deixado
iloaegui-losmais 50 ou 60 dos que se achavam no
incsrm acampamento, mas >|uc nflo pertenciam ge-
ralmenfe a c asse militar Os prisioneros apodera-
ram-so de algumas armas e de bastantes cavallos :
nao loram perseguidos immedialamento, comquan-
lo fiouvosse no acampamento urna torga que, anda
luejequena, poderia ter-so opposlo ao movmento,
ou tratado de perseguir os prfugos. Ogovernador
l'rqutza nflo se achava entAo em Cala, mas sim na
sua estancia. Mandn varias partidas perseguiros
lugitiws: ale a data das ultimas noticias pilo ti-
iihamoido maltratados os prisioneiros que licaram
-Cartas de Entrc-ltios, que consideramos fide-
dignas, eonfirmam o que liontom dissemos a respei-
lo de Buenos-Ayres sobre a annullagflo do tralado
de Alcaraz. Segundo ellas, no dia 27 do fevereiro
as3|gnou-so um novo tralado entre os governadores
Jladariaga e Cr<|uiza, representando esle a Rosas
correspondente ignora as estipulaces do nov
traladcf, porque ha sobre ellas o mesmo segredo que
liavia a respeito das anteriores; cre.porem.poder as-
segurar que entre outras condigOes ha as tres se-
guintes :
Reconhecimenlo e submissflo de Corriente au
tondade de Rosas em ludo o que he relativo arela-
ccm exteriores.
evogacao dos pactos de limites feitos por Corr
onteso pelo Paraguay.
Indenmisages pecuniarias pelas cmharcagdcs e
carregamentos do comboi apfeadzo em I82, e pelos
prejuizosqucsollreramos emigrados do partido de
Cabral.
O mesmo Rosas e rquiza estavam preparados pa-
ra encontrar una opposigflo geral em Corrientes:
o#iilO, que euidavam em reunir as torcas de Entre-
oa.-. Repetimos que temos ludo isto de origem se-
t aoei ceno, triste be dizer que he inevila-
lugnesdn rnngrossn constituinte que representa a
nagflo, qual todos devenios, obedecer por sor a que
possue a inteira e exclusiva soberana.
Tamhem fui estimulado a seguir esta alvtre pelas
inspiragAes dn meu nunca desmentido patriotismo,
porque, sendo tflo njeessari* a nniTddc lodos os Me-
xicanos para assegurr a fehegada a porto de salva-
mento da nao do estado, acossaila por entre roche*'
dos perigosus, a miuha recusa do nflo aceitar a presi-
dencia complicara a nossa siluagflo, presentando
urna nova criseeleitoral, quehoje nflo poda doixaei
de ser'perlgosa cansa santa que sustentamos con-i
tra a mrbida ambiguo dos Estados-Unidos da Ame-
rica.
Todas estas cnusas, e militas outras que nflo po-
dem escapar penetracno dos representantes do po-
vo, me obrigam, mo grado as minhas objeegocs
pessoaes, a nto recusar esta nova prova deconlian-
ga; mas tolas ellas cessarAo je ler effeito dentro de
pouco tempo, easoperagoeemilitares, deque estou
encarregado, nos permiltirflo, com o auxilio da Divi-
na Providencia, arrojar do solo da repblica esses
invasores injustos, conquistando ao mesmo tempo
urna paz gloriosa que salvara a nossa naciunalidade
e assegurar o futuro bem-estar de nossos filhos. O
augusto congressoannuirao pedido que instant-
neamente Ihe fago, o aceitar a miuha demissflo da
presidencia quando chogar o periodo do que fallei,
c que todos desejamos, permttindo quemo retiro
villa domestica, por ser inhiba resolugflo immutavel
renunciar para sempre ao poder e por termo miuha
vida publica.
.Vilo ser para eslraohar, porquanlo n calumnia be
prolica cm invengOes, em pocas do conflictos de
partidos e de revoltas, que os inimigos eternos da
nossa gloria que silo tamben) mcus inimigos, procu-
ren) fazercrer que esta exposigilo leal c franca dos
meus sentimentos polticos be um inein hypocrita
de oceultardesignios mos c desprcziveis.
Encarare esses ataques com a ndifferenga do ho-
inemque repousa tranquillo na convicgSo intima da
sua propria consrienca, e esperarei do lempo que
tuilo descobre, a minha completa justlicaglo. O que
ambiciono be glora e fama poslhuma. A nica cou-
sa a que aspiro-repoli-lo-he mil vezes be a con-
clusilo eliz da guerra que sustentamos contra a re-
publica vizinha, por meio de um ou mais felos de
armas que terminem a historia dos meus servigos
com alguma accflo assignalada que me d direto as
paginas da historia aos applausos da posteridaJe
Permita o co que dentro de pouco tempo possa
eu ter a ventura de, com o mais profundo respeito,
apresentar ao congresso tropheos conquistados ao
inimigo pelos valenlcs soldados que lenho a honra de
commandar, o que clamam com ardor pelo momento
do combate.
V^Exc. se servir interpretar estos sentimentos
leacs ao soberano congresso, e aceitar ao mesmo
tempo, etc. Dos e liberdade !
Antonio Lopkz de Sant'Ak.\a
AoSr ministro dos negocios do interior eeslran-
geiros.
(Jornal to Commercio.
ve|
o da guerra de Corrientes.
'dem.)

NOTICIAS DO MXICO.
SANTA AMAC A PRESIDENCIA.
Quortel-general do eiurcilo libertador republicano,
SSo-'lMiitde-Poloii,^ dedeiembro de 1846.
Kxm. Sr. Coma nota de V. Ex., de 2:1 do cor-
rente, reeebi o decreto do soberano congresso cons-
tituinte, nomeando-me presidente provisorio da re-
publica.
Por intermedio de V. Exc. desejo palenlear no au-
gusto sanctuano das leis os meus mais sinceros a-
gradecimcnlospor osla prova generosa de urna be-
nevolencia quo tanto me honra, o, o quo para mim
emuilo mais precioso, me reintegra na estima do
inundo civilisado. Os males que. me fizoram alguns
liomens que obravain em nome da nagflo, foram p-
blicos: publica he tamhem agora a roparagilo que re-
cebo da magnnima nacfio mexicana por intermedio
dos seus dignos reprcsentajitcs. .\3o posso adiar ter-
nuis com que exprima aos escolhidos do povo meu
Pprofundo reconhecimenlo; a delicadeza retem
nhas expresses e o silencio torna-se a maior
loquencias. Os que compeni o supremo' poder
lalivo apreciarlo as emoges do meu cora-
Desdo o momento o:n que vollei ao meu pai/, re-
llecti mujto se deveria aceitar o cargo que por cinco
vezes me linha sido conferido, porque cu nao linlia
regressado paraoblcr a presidencia da repblica, e
i para combalcrosi*slrangeiros audazes quo com
un presenga ujoranam o sagradoiolo da patria. A-
linal, vencendo augttba natural repugnancia, aba-
iaitfloeni meu paff nsideragnea particular,
convencido, mais que tudo, de que meus concida-
dos me nflo farSo a injustica'de suppr que voltei
do ostracismo para me reapoderar do poder, reaolvi
l'azer osacrilicio, porque nada ha que cu nao esteja
disposto a fazer em obediencia minha querida pa-
tria..
el aos principios que do exilio manilestei
franqueza e leaIdade aos meus coucidadfios, pri
pos que reiteiei ao desembarcar cm Vera-Cruz, e
que emquanlo me'durar a vida lormarflo o program-
10 todos a jueus actos como hoinem publico, a-
qjlto a nomcagao; porquaulo recusando-a iria de
oocontro a esses principios e desobedecera s reso-
elleannexoa, he de parecer que se defira a peticio-
naria, io-se sua petigao, com os respectivos
documentos, ao Exm. presi lento da provincia, para
jai peticionaria paga pelo cofre daquelles cs-
tabftlecimenlos.
< Rala das commisscs, 29 de abril de 1817.
Sampaio Jnior. Ttijmra de_ Borba. *
A commissao do contas o orgamento das cama-
ras municipaes, a quem foram presentes as contas
La cmara municipal da cidade deOlinda, doanno
qnedecorreii do I de outubro de 1845 a 30 de se-
lembro de 1846, examinando-as cuidadosamente,
achou que a receita foi da quantia de rs. 1:6318971,
e. desta deduzndn-se a despeza de rs. 1 :*80S685,
resultou o saldo de rs. 151/286.
A commissao finalmente achou que as despezas
estavam legalisadas com os documentos queacom-
panharam; e por isto he de parecer que as contas
devem ser approvadas.
Sala das commissOes da assemblea legislativa
provincial del'ernambuco, 28 do abril do 1847.
Pinto d'A/mn'da. L. Roma.
n A commissao de contas eorcamonlo das cma-
ras municipaes, a quem foram presentes as da c-
mara municipal da cidade da Victoria, do auno que
decorreudo 1.deoutubro de 1845 a 30desetembro
de 1846, entrando no sou exame, achou qo a re-
ceita foi orgada em rs. 9:823'203, e searrdcadou
rs. 1:586/039, licando por arrecadar rs. 8:237^164 ;
o quo se tendo smenle despendido desta quan-
tia arrecadada rs. 1:2<)lf6<;, resultou o saldo de
rs. 384/193, 11 ue, reunido quantia que lirn por ar-
recadar, profaza do rs. 8:621/557.
Achou mais a commissao que as despezas estao
legalisadas com os documentos originaos, que acoin-
panharam, e por isto he do parecer, que as contas
devem ser approvadas.
Sala das commissOes da assemblea legislativa
provincial de Pernamhuco, 28 de abril de 1847.
Pinto de Almeida. L. Moma.
A commissao de contas c orgamento das cama-
ras municipaes, entrando em um minucioso exame
das contas da receita e despeza da cmara munici-
pal desta cidade do auno quo decorreu do 1. de ou-
tubro de 1845 a 30 *e selembro de 1846, achou quo
a reccila foi orgada na quantia de rs. 28:438/866, e se
arrecadou rs. 23:453/776, que, com o saldo do an-
no anterior da quantia de rs. 3:083/445, montn a
rs. 26:537/221, e deduzi:ido-se desta a despeza de
rs. 24:218/163, resultou o saldo de rs. 2:319/058, c
que a differenga que se nota da quantia do ... .
rs. 1:901/645 de abale na orgada na(cuiref|iomleu
ao calculo queentao se fez. t
A commissao linalmento examinou os documen-
tos que autorisam a despea, eos achou legaes ; e
por islo he de parecer que as contas devem ser ap-
provadas, conviudo que pelos canaes competentes
se faga lembrar cmara, u.uc o balango da receita e
despeza soja organisado de maneira que o resultado
la renda arrecadada c por arrecadar, ou om divida,
equivalha renda orgada, e quando baja alguma dif-
ferenga para mais, ou menos, se de a rasfio desta.
Sala das commissOes da assemblea legislativa
provincial d Pernamhuco, 27 de abril de 1847.
Pinto d'Almetda. /.. Koma.
OSr. Presidente uomeia o Sr. (.alual para supprir
a Talla doSr. Jos Pedro da Silva na commissao de
fazenda c orgamento. .
:t'on ado, promottor interino, e escrivilo Silva Rg<> ^
Srs. Lopes Neto Snior, ManoaJ Thomaz, e carceriro
Vicente. Assim, pois, nao somos responsave! Pf|ss
uleclaragOes desses dous Srs. Conteste-me o Sr. jQa
quii l.uizde Mello Carioca, que agora sei ser mVii
te de Pedro Alexandrino Alves; conlcstem-mo t*lns
os niasqucmenenn<'i,-para seiei |ay.
o amigo quem'os mdigitou, dar a mie o
fez.
Tenho de agradecer-lhe, Senhor li ,|0 n-
rio del'ernambuco, mais esta publica^
Seu atiento venerador,
Antonio Rorgn da Fonse*
m
COWMERCIO.
Aiandega.
TO DO DIA 30......... 14:84H>77
Descarregam hoje, 1 de mato.
Brigue austraco Buona-Amicitla farinha.
Brigue dinamarquez Anna & Cieilia carvflo.
Brigue portuguez 7aru;a-/'rmeiro tnercadorlas
Barca franceza Zita barricas vasias e farinha
Brigue -- Laura barricas, pipas e barricas vasias
RENDIMENTO NO MEZ DE ABItlI. DE 1847.
liendinieiiln total................193:S9 lis
RestituicOes................... 3600o
M:35,if
188M
M.1U
5.H7
184,300
1:2015,077
53,550
'509,434
355,818
12,44(1
Diroitos de consumo..............
Itcexportagao..................
Expedienle dos gneros do paz, i por c .
Dito dos ditos com carta de guia, 5 por
ceuto......................
Armazenagem de mercaduras.......
Dita da plvora.................
Premio dos assignados, 1/2 por rento. .
Mullas'....-.............
Emolumentos de ccrlidfics.........
Hs.....193:353,146
----------
o escrvaoda alfandga,
Jncome Gerardo Mara Lumachi de Mella.
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 30.
Ceral........................
Provincial..............,.....
Diversas provincias..............
2:357,638
43,222
,014
.. 3:017,874
TRIBUNAL DA/HELACA.
JLLf.AMENTO NO DIA 29 DE ABRIL DE 1847.
Desembargador de semana o Sr. Cerqueira hite.
Na appellagao civel entre Manocl Elias de Moura
eJos Ramos de OJiveira, desprezaram os embar-
gos.
Na dita dita entre Elias Kmelianno Ramos e Car-
losjr'rederico da Silva Piulo, mandaram dar vista s
partes.
Na dita dita entre Jos Higino de Miranda e llarga-
rida Rodrigues de Souza e outros, mandaram dar
visla as parles.
Na dita dita entre Jo.lo Pereira Lagos c Bartholo-
meu Francisco do Souza, mandaram dar visla as
partes.
Na dita dita entre o juzo da provedoria o Jos Ig-
nacio Fernandes e outros, mandaram dar visla ao
curador-geral.
Na dita dita entre Manocl deSouZa Raposo o Nuno
Mara de Sexas, mandaram dar vista s partos.
Na dita dita entre o juizo e Jos Das Fernandes
com JuHoTavarcs Cordoiro, n3o tomaram conheci-
inento da appellagao.
Na dita dita entro o juizo o Antonio Jos Nones
i.uiuiaifies, coulirinaram a senlenga.
Na dita dita entre Florencio Jos Carneiro Mon-
leiro c Francisco Manocl da Silva Tavares, reforma-
ran! a .senlenga cm parle.
Na dita dita entre Agostinho l.'enrique da Silva e
Joaquim G. dos Santos, mandaram dar visla s Dar-
les. K
Na dita dita entre o padre Jos Machado c os li-
bertos Fortnalo o Quilpria, reformaram asenlenca
empalie *
Na dita dita cutre Gerva/.io deSouzooManoel Fcr-
rena do Nascimento c sua niulher, rcroriiiarain a
senlenga.
, Na dila crime cm que silo partes C. Jos do Souza
reo preso, e o promotor publico, julgaram improce-
dente o recurso.
Na dila cvel entre o juizo e Dorolliea Mara do
Espirito Santo, julgaram prucedcnlo a appcllar.ao
interposla.
c llovimcnlo do lorto.
Navio entrado no dia 30 do paitado.
Parahiba ; 6 das, hiato brasileiro*Coni(;o-/'Vor-
dat-Virtuilet, de 24 toneladas, cquipagem.t, carga
loros de mangue; ao capilflo. Passageiros, Mano-
el de Medeiros Carvalho, Jo3o- Cliristiano Pires,
Brasileiros.
Navios sahidos no mesmo dia.
Genova ; polaca sarda Cite, eapitao Jofio Baptsla
Cbiozza, carga assucar c courotf.
dem ; polaca sarda Mara-Emilia, capilflo N. Rag-
gio, carga as.sucar e argo'inlenle.
Canal ; brigue inglcz Yarmottth, eapitao l. Fosler,
carga assucar.
**
!><'( I itracoes.
SliSSAO EM 9 DE ABRIL DE 18i7.
I'RESIDENCIA UO Sil. fl SHA MACHADO.
SUMMABJO. Chamada. Approvacdo de aetas.
Expediente. AUmeacd., deum mrmbro para a com-
missao de fazenda. Adopco da ultima redapedo dos
projectos ns. 10 *32. Pareceres'. Adiamtnto de
um riquenmento do Sr. farrosn, e dos projectos ns
22 e 9, este em terceira, eaquelieem segunda discussa
Approraro do projecto n. 24, em primeira discus-
tdo ; do de n.i:\, em segunda ; edos de ni. 16 e 19 em
terceira.
As II horas o3/4 da mandila, o Sr. l. Secretario
raza chamada, cverifica cstarem prsenles 19 Srs
deputados.
O Sr. Presidente declara aberta a scssOo.
OSr. 2." Secretario le a acta da B6M0O anteceden-
te que he approvada, c bem assim as que se formu-
laran) desde 21 at 28, em que uo houve casa, as
quaes s,1o tambem approvadas.
OSr. 1. Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
Um ollicio do secretario da provincia, remetiendo
urna collegao dos aulograpbos dos actos legislati-
vos que tecm sido saneconados. Mandaram-se ar-
chivar.
Outro do mesmo, transmittindo um ollicio du c-
mara municipal da villa do Pao-d'Alho, acompanha-
do da deliberagfio por ella lomada em sessfto de 17
de dezembro d 1846, e que rra exigido pela assem-
blea. A' quem fe: a requisicdfl. ,
Outro do mosmo, enviando um ollicio da cmara
municipal da villa de Iguarass, acompandado do or-
gamento das-obras, deque predsa a inesma villa. -
A' commissao de rendas municipaes.
Outro do mesmo, remetiendo os "pareceres do
Exm. bispo diocesano e do prefeito do hospicio de N.
S. da Penha, acerca do compromisso da irmandde
de S. Jos d'Agqm. A qttem fez a requisica.
I m re,| uerimeneo, cm que os empregados da se-
cretaria do {overeo pedem que a.assembla resol va
aduvida que ha acerca da intelligencia do$Mdo
artigo 3.' do titulo 1. da lei provincial n.'l92.
A' commissaO de legislaran.
Sao lidos e approvados os seguintes pareceres:
A commissao de contas e orgamento das cama-
ras municipaes, examinando as contas da receita e
despeza da enmara municipal da cidadndo Coianna,
do anuo que decorreu do-I." deoutubro de 1845 a 30
dcsetciiilno de 1846, aehojMiuu a reccila foi orga-
da nVquanlia de rs. 4:686jp^ sendo a dospeza de
rs. 1:642/637, eljcanilo | orarrecadar rs. 3.044|0fi3;
e estando as despezas legalisadas com os dfteuMen-
los que arompanlmram, he por islo de parecer qu
as coiilooJtever ser approvadas.
* Sala (tas comrhisses la assemblea legislativa
provincial doHernanibuco,. 27 de alnil de 1847.
Pinto d'Almeida L Koma. nazareno. BENEFICIO DE CINCO ORPIIAS.
. A commissao de contas 0 despezas provinciaes, nio Pereir.^aZWon" ITomingo, -2 de maio, se representa a vtrdadeira
cimimto de candadodertwBEe,cx.min.udot-niai,Uei(crew ^ e eu P?'" l' ""'f '""ato portuguez Antonio
lentamente oste requerime! e mais documentos | Foram disto tostomuuhas, alm dos Srs. subdele- Lfsboann CnMbo' clH'ga(la P*niciile de
-A mala para Falmnuth pelo paquete ingle
Stcift, fecha-se imprcterivelmonte hoje, primeiro
demaio,as3 horas da larde om .ponto no con-
sulado britannico na ra do Tifjjejii v...... "
12, segundo andar.
O arsenal de guerra compra aceite de carrapalo
e de coco fio de algdSo o pavios e 72 varas de
brim : quem tacs gneros quizer forneccr, manda-
r sua proposta em carta fechada e a amostra do
brim, a directora do mesmo arsenal, al o dia 5de
maio prximo futuro. Arsenal do guerra 29 Ae
abril do 1847. JoXo Ricardo da Silva.
Olllm. Sr. inspector interino do arsenal de nia-
rinha manda Tazer publico que, no dia 5 do prxi-
mo mez, contratar o lornecimenlo de carne vento
para as embarcagOcs da armada e enfermara de ma-.
rinha, polo lempo quo decorrer al o fim dejunho
proximo,ou por mais lempo, so a isso convidar o
prego pelo qual offerega-se fazer o f rneciineiilc
devendo os pretendemos apresentar o as suas pro-
postas em cartas fechadas, no referido dia alaill
horas da inanhSa*.
Secretaria da inspccgfto do arsenal do marinlia d
Pernamhuco, 30 de abril de 1847.
O secretario,
Alexandre'llodrigues dos injus.
(JoiTospoiiticuoia.
Sensor Redactor do Diario de Pernamhuco.
OOior/oJVoDodeaiile-.hontem publicou urna carU
do Sr. Jos Antonio Pereira, datada de Sanlo-Amaro-
dc-Jaboaiao, na qual esse Sr. declara saber apenas
que o impressor do Nazareno Pedro Alexandrino Al-
ves cm casa doSr. Ju3o Baptista dos Santos declara-
ra ler annunciado no mesmo Diario nao ser o nii-
pressordodito Nazareno, para tirar duvidas: e que
ignora tudo quanlo so passa relativo a redacfiu do
nazareno. v "
.Nao tenho a honra de conhecer aoSr. Jos Anto-
nio Pereira Quando rospondia ante oSr. subdoleKa-
Thealro publico.
Aadministragao da compalibia do Btocrbe fa/
scicnlc aos Srs. accionistas cujas entradas se echa m
cm atraso, que najirnxima reuniilo, cm assemblea
geral ile accionistas aprcsenlara urna relagao dos
que nao tiverom completado 80 porcento afim de
so tomar urna resolugao defenitiva a semelbanle
respeito ; a qual pede sercm prcjiii/o ilrWes,-quan-
do lio corlo que a companhia ten: sido prejudicada
mtm a Talla das entradas cm devido lempo. F.scnp-
loflo da companhia 29 de abril de 1847. O se-
cretario /?. J. Fernandes Narros.
MUTILADO I


di
izemosa verdadeira-.porqoeaqui setem repre-
sentado outra coin maos figuras, o do autor hes-
nanhol-Herrera- -
lindar o espectculo com a linda rana
# O FASSADUR DE MORD PAISA.
Nesta vero urna nova dama, em obsequio as tristes
orphlas, representar pela primeira vez, e he por
este noto d pura philantropnia que se Ihe deve con-
ceder toda ajajaigencia e atlencHo ; pois nfo vem
.suscitada porfl^n fim mals do que suavisar asorte
llcsuassenielnirtes.
PnMicaQfto LIterara.
As SETE CQUDA V, romance, por Ceor-
Bc Sand, sane tuz por tWraces de 16 paginas, niti-
dmeiilc impressss em lindo papel e typos novos : o
precodecada livracuo ho do 200 rs. Vendc-se no
Hecil'e loja ito Sr Carduzo Ayres ; em S.-Antonio,
livraria da praca da Independencia ns. 6 e 8; na
Boa-Vista loja do S. J. E Churdn. As primeira
u segunda livracOes ocham-se venda nos lugares
cima indicados.
Publieaco religiosa. .
Ada se sobre' o prelo, e brove sahir luz o livri-
nlio denominado
n NOVO MI/ DR MARU,
OU
MEZ DE MAIO,
consagrado gloria da Mdi de l)eo$.
Esta edieflo he feitasob a verdadeira tradcelo
,1o italiano, o impressa em Portugal, e segundo o
uso dos lions padres capuchinhos de N. S. da Penha
Josta cidado, e ocrescentada coin a novena da me-
dnllia milagrosa; c ser vendida pelo prego de mil
iris, em meia encadcrnac&o, c dous mil ris, em
cncadornacHo inteira, para quocbcguo ao alcanco
ile todos os devotos possui-las.
Avisos martimos.
No da 15 do corrento pretendo seguir para o
llio-Grande-do-SuI o brgue Independate : quom
no mesma quizer carregar carga ou escravos, en-
lenda-so coin o capi tilo Fructuoso Jos Pereira
llutra, ou com Mauoel Alves Guerra.
Para o Aracaty seguir brevemente o hiato Novo-
Olinda, mestre Antonio Jos Vianna quem nellc
pretender carregar, se entender com o mesmo mes-
Ire, no trapiche novo
Para o Rio-de-Janeiro sahe, boje, prinicirode
maio, o patacho S-Joti o que se annuncia para
serein levados na vospera os escravos a frete : ajus-
la-sc com Caudino Agostinho de Barros, na pra-
rinhadoCorpo-Santo n. 66.
O brigue francez llie-Matilde fecha a mala
para o Havre, boje, l.de maio, as9 e nioia horas da
tarde, no cscriptorio dos consignatarios, J. P. Adour
C. .,
-- Para Itio-Grande-do-Sul sahira, em poucos
dia*, o brigue nacional /).-Pedro-Segundo : quem no
mcsiiio quizer embarcar carga e escravos, ou ir de
passagem pora o que lem excellentescommodos,
dirija-se a Joio Francisco da Cruz, na ra da Cruz ,
ii. 46, ou ao eapitilo a bordo.
i^i i ii i pmMinn-iri
l.fita.
Me. Calmonl <5c Companbia farSo leililo.por
inloivcngao do corretor Oliveira do grande por-
eflo de fazendas inglezas proprias do mercado :
terga-feira 4 de maio, as 10 horas da manhila no
sen armazein do largo do Corpo-Santo.
WH'LWaS-U-J __ J-------i- '.....- I I
Avisos diversos.
O NAZARENO N. 27
esl a venda as 2 tiritas na livraria da prca da Inde-
pendencia, ns. e 8. Os freguezes procuren! logo,
para iiTolorem ralla delle, alienta a grande exlrac-
riio, e a estar elle boje inuito bom.
LOTERA DO TilEATRO PUBLICO.
Conlinuam a estara venda os bilheles desta lote-
ra .cujas rodas'leem andamento un dia 12 do cor-
rele; e pela concurrencia quo lem havido na com-
pra dos meamos bilheles o respectivo thesoureiro
nutre esperanzas de qno o da marcado nilo ser
transferido. Quanto inais rpida for a venda com-
pleta dos bilheles, niais rpida ser a extracto da
lotera.
san.
ATOLLIAKA
lUimlgaiage8^^^^
A commissilo administrativa marcou o dia 4 do
eorrentc mez, pelas 6 horas da tarde, para retener
as pronosUS de convidados quo deverito ter ingres-
an na- partida do dia 15 do concille ; e adverte que
ilepoisdo dia mareado nilo amltira proposta ai-
guarla-feira, 4 do maio, ha ai remataran da
parlo de um sitio no losar do Anaial, por exocuciio
pendente por o juizo da segunda vara do ciycf, de-
I os da audiencia, e no lugar do coslnme.
0 holel Torres, alem dos petiscos que prnuiet-
leu, d nulo de varea, domingo osogunda-feira ;
assni como tom q liarlos mili docentes pora familias,
caso qqciram pussar odia.
A viuva quo annuiiciou no Diarto doquinla-
l'eira, para ser ama de casa de pouca familia, dirija-
so a rna de S.-Francisco, n. 46.
Manoel Ignacio da Silva Teixoira, com padana
na praca de Santa-Cruz, junto an sobrado da esquina
'la Rua-Velha, n. 106, contina a fabricar cxccllente.
piioc milito boa bolacha de diversos tamaito^,
'em libras, muito propria para casas particuBres
e para o matlo.por ser fu'rada o massiea, sem risco de
*c quebrar, ainda sendo conduzida em saceos: o pre-
i,o ho rasoavel, segundo o eslado do morcado, e sem-
pre so esforca por servir bom.a seus freguezes; as-
*im como roga a seus freguozes de p1o,que o descul-
pem de iilo serern servidos as horas que deseja/n.que
apezar doler dado as providencias para isso, quem
o v entregar, n uitas vezes as nao observa; |">-
l'in, aendo queiram manda-lo buscar a padana, as
l> httras da manhila oacharao promplo.
Aluga-se uma meia-agoa no berro do arcial
'las Cinco-Ponas, n. 30 --A- por 6,000 rs. men-
faes: quem a pretender alugar entcmla-sc com o scu
propriciario, na ra da Cruz do llccife, n. 12, que be
Jo*o l.eite Pita Ortiguoira.
Precisa-se de uma ama d|MH^^^^uifto se
olha a preco: no Aterro-da-Bod^^^^^^^Bime-
ro andar.
O Sr. Manoel Ignacio, propriatwio da epcentip
Cavaco. mand ver no engenbo Inhaml dous escra-
vos seus que all foram parar: um pardo,e urna pie-
ta.
Jos Epifanio Dnrto de nafliinente piovino ao
publico, para que ninguem edaipre, nem^ca tran-
saccOesalgumas com os herdeiros de Jos da Cunha
Teixeira, a raspeito das moradas-de casas na ra da
Cruz dobairrodo Recito, pertencentes sociedade
que houve entre Francisco Antonio Dtirfto, pai do
annuncianle, e Jos Benlo Fernandes, visto quo so-
bre ellas pende litigio, e determina a lei da ordena--
caT. livro4. titulo 10,que a cousa litigiosa nao se
possa allienar nem vender.
- Preciaa-se de um caixeiro
que entenda d mudezos, e que
escreva offrivel: oa ra da Ca-
deia, n. 9.
Um rapaz portuguez de boa conducta se eflo-
rece para caixeiro do loja de couros, do que lem
pratica : quera de seu preslimo se quizer utilisar
annuncie.
Quem precisar de uma ama para amamentar
alguma enanca ,. dirija-se a Camboa-do-Carmo,
de-fronte do oillo da casa em quo mora o cirurgilo
Miguol Felicio da Silva.
I'urtaram da ra Nova, da cocheira n. 54, dous
relogios sabonetes, com caixas de prata, sendo um
patente inglez, de John Moncns a Liverpool, n. 9297,
e outro horizontal : quem dollcs der noticias, ser
generosamente reeompansado.
PARA AS PESSOAS Qt'E TENTdONAM SKC.l III
VIAGF.M.
Na ra do Ra'ngcl sobrado n. n, continuain-se a
lirar passaportes para dentro o fura do imperio, e
despacham-se escravos ludo com muita brevida-
de o, por prec,o muito com modo, do que j se lem
dado exuberante prova.
A mesa regeilora da irmandade da gloriosa S.
Rila deCassia pelo presento convida a todos os seus
irmos para comparecerem om mesa goral, no con-
sistorio da irmandade no dia 2 do correte pelas
8 horas da manhila para elegerem a nova mesa que
tem de reger a irmandade no auno de 1847 a 1848.
Aluga-se urna casa de 3 andares, na ra do
Amorimj, n. 13: a tratar no caes da Alfaudega,
armnzem n. 5.
-- l'erdou-se, no dia 9i do correnle, una ordem
de 400,000 rs. sacada por Antonio Paes da silva a
favor de Luiz Antonio Annes Jacome conlra Tibur-
cio Valerianno Baplista. Roga-se a pessoa que li-
er achadoe a quizer resliluii a leve a casa de
Antonio Annes Jacome Pifes, no caes da Alfaudega,
quese ficar obrigado : c-tambem previne aoSnr.
Tiburcio Valerianno Baplista para que a nao pague.
-I)-s.e, a um c ineio por cento al
a quantia de 4oo,ooo rs. com penhores
p o uro ou prata : na ra Nova, ti. !), se
dir quem d.
-- QualquerSr. sacerdote que qneira ser capel-
ISo e ensinar primeiras leltras grammatica latina o
maisalguns preparatorios, em um engenho distan-
te desta praca 10 legoas na freguezia de S.-Antflo,
diriia-sea ra da Cadcia do Recito, a fallar com
Jos Gomes Leal.
Precisa-so de uma inulher parda de 30 a 40 an-
nos, sem familia, domuiloboa Conducta, hbil e
diligente, para ama do uma casa de bomem soltoi-
ro,e incumbir-se do tratamento o assistftcia de
aHruis escravos., em um sitio distante desta praca
12 legoas : quem estiver nestas circumslanciasan-
nuncie.
Na ra das Cruzes n, 40, exislem cartas para
os Srs. Jos deMedeirosCabral Rosado, liento Jos
da Costa Guimarfles Manoel de Souza Paos Jo.So
Francisco de Souza c Jos de Medeiros.
~ Precisa-se de uma mullicr idosa para ama do
una casa do pouca familia : na ra da Calcada,
-- l)a-se dinhciro a premio com ponhores : na
ruado Rangel, n. 11. Na mesma casa compra-se
ouro, mesmo em obras quebiadas.
Na ra da ConceicSo, n. 16, enaina-se a 1er,
escrever contar, grammatica portugueza coser,
fazer lavarinto bordar, marcar de todas as quali-
dades e fazer flores, a 1,600 rs. ; tambora se ensina
a msica o se tinge roupa de todas as cores. Na mes-
ma casa recebem-so pretes para venderem varias
qualidades de objeclosde vendagem : tambem alu-
gam-sc por moz.
A nova casa de pa>to da ra das Cruzes, junto
a padaria, contina a ler todos oj domingos boa
mirado vacca eriin guizado para almogo, e diaria-
mente diversas comidas e cafe com muilo assoio :
tambem se ajustara janlares para l'ra, mensalnientc;
e o sorvele contina as lloras do costumo ale lindar
o gelo. '
--Roga-se aoJSnr. J. B. S. haja de vir pagar
6 160 rs. de sorvetes que tomou com sousmigos,
na ra do Rangel, pois para mangaeao e prometli-
mentosja basta c este genero ho comprado a ui-
..!.._.* .RnH*ar ui sn do correnle. vera o
Iha-lo por al^umas 1ojas e fefalto desta
cidade ; -oqual facilmentejde serdilTe-
rencado, por nao trazer efi um dos lados
do lite o sello, o que nao,uM ests depo-
sito, e por vi'r nos rtulos do mesmo Rio-
He-Janebii*' nao Rahia, djerenra tnica
(pie existe, alm da qtialidd, que dif
ferc do verdadeiro (iasse da. BaUia : e
alm disto vendetn mais caro. O nico
deposito (leste rap lie na ra da rux,
n. 4 onde se vende pelo precoj sabido.
Perdeu-se ha mezes um amiel de ouro esmalta-
do, tendo nu centro a lottra--R: qem o tiver a-
chadoou comprado, leje-o ra da Cruz, n. 43,
que se Ihe da rao 10,000 ftk que he mais do que ello
vale.
ADVERTENCIA.
- U encarregado da venda, nesta
provincia, d rap fino, grosso e ineio-
grosso da fabrica de Estevo (iasse ,
da Rio-de-Janeiro, declara ao publico
consumidor desle rap que nao confun-
da o mesmo com um outro fabricado
naBahia com a imitacSo do formato,
papel, rotulo enome de sen commitente,
e que se ocln espalbado por algiimas lo
jase vendas desta cidade j.o qual fcil-
mente p le ser differencado, por nao
trazer em um dos lados do boleo sello de
que usa este deposito, e por vir nos ro-
llos do mesmo -Babia- e n.lo Bio-de-
Janeiro--; differenca nica que existe ,
.-.lin da qnalid&dc que difiere do ver-
padeirdGassedo Biu-de-Janeiro c que
faz coin que vendatn mais barato.
0 nico deposito desle rap be na rua-
da Cadeii do Recife n. 37 onde se
vende pelos precos j annunciados.
Na ra do Sebo, n. 3, empresta-se dinbei'oa
juros com penhores de todas as qualidades, em. pe-
queas poreoes.
- Mauoel da Silva Santos, ven-
de farii/ha de trigo da verdadera
marca SSSF, cliegada ltimamen-
te a este mercado.
Y Antonio Rodrigues Selle relira-se para Lisboa.
-- Henrieta Middleton rctira-se para a Europa.
Precisa-se alugar um escravo quo seja de meia
idado para o semeo do um pequenosilio; pagan-
do-sa mensalmente : na ra
casa cor de chumbo.
Jamos llyde Arkwrigbt
elira-se para a Babia.
OSr. J. X. M. pode cumprir o que prometteu ;
do contrario, nilo se quei#e. A. D. S.
Quem annunciou querer comprar o tanque do
amarcllo, dirija-se a Manoel Antonio da Silva Mol-
la na ra do Apollo n. 27 priiqpiro andar.
A pessoa a quem for offerecido um eliales.alguns
vertidos e pares de meia do senhora, um lenco de
seda e um violio, encaminhe-se ao Aterro-dos-A-
fogados.n. 33; ou.apprehendcndo.annuneic por esto
jornal, quo ludo foi desemeaminhado por occasino
de una familia que se retirando da ra do Cotoyel-
lo, entregou a un prelo ganhador: se houver des-
pesa na apprenhensflo de taes objectos, naquclla ca-
sa/n. 33, alm do agradecer-sc, satisfar-se-ha.
Aluga-se, por 4,000 rs. mensacs, uma pequea
casinha na Solcdade, ra de Joilo Fcrnandcs Vieira.
n. 22 : quem a pretender alugar, falle na ra Nova,
loja n. 58.
-Na ra Nova, loja, n. 58, contina-so a comprar
e a vender calcado da Ierra, alguns couros
mais alguma cousa.
-- Vemlem-se5 accdeaita companbia de Beben-
be, por aeu dono se retirar para fora do imperio :
na rualarfado le miudezas, 11. 22-,
so dir quem vende.
Vende-so uma parda prende'o com uma cria
de3annos; una negriiiha desannos; dous pre-
tos de 40 anuos, propriOs para o campo : na ra
da Cruz, n. 51.
Vende:s#um metnodo de piano de Voguerie,
em bom uso e par, nrooB rom modo : na praca da
Independencia loja de miudezas 11. 4.
na ra da' Trempe sitio da
subdito britannico,
O modernismo no scu auge
Entre os iiltimos espectculos saraos,'
bailse divertimentos, 0|| que abunda
variadamente a capital da JTTinca ( Pars?,
que em mudas, lou^as enfcites de lu-
xo e brilbantes atavos leva a primazia, '
na variedado esublimidade de gostoa to-i
das as cidades europeas, uns riquissimosj
vestidos d'uma fazenda composta e fabri-'
cada do seda e lita denominada Cha- ,
marim serviam de eleganlissimoador-t
no aos bellos dolalhes do madamismo
parisiense, quo so lornava digno de ge-,
ral atteneao. Esta preciosa fazonda com-1
fcBjj posta dasduas mais preciosas teiss,-seda 1
y o 13a, tom uns lislrados do seda, alraves-
'[li^ sados uns, outros assontes sobre um te-
cido parecendo merino, que Ihe da um
realce que a torna mais digna do atiene
5I0 do quo so fora seda s ; pois he uma
maravilha osen bom desenliado c rcal-
<;ado gosto. Omadamiamo pernambuca-
110 com USla rasan apreciador do Uto |
boas qualidades, em uma fazenda intei-
ramente nova para seus vestidosil" bai-
les, nflo deixar de receber cora particu-^
lar altencilo a noticia de qoe ooebama-%
rim so vendo tilo smente na loja nova,
11. 4. ile Ricardo, ao p do arco de S.-An- f
tonio a troco do 1,200 rs. cada covado.
Apregoa, leva lonjea faina,
Levanta osom meu clariin;
Esbeltoscorpos das bellas cinge
C'os lindos vestidos de chamarn).
sola e
Compras.
nheiro; e so o nilo lizer al 30 do correnle, vera
seu nome por extenso o depols nfio diga que sou M.
-JosRibeiiodaSilva, Portuguez, relira-se para
o' Rio-Grande-do Sul.
- Precisa-so de uma prela captiva quo saina co-
zinhare tratar de meninos : quema tiverdirija-si
a praca'da Independencia, livraria, ns. 6 e 8
fallar com o caixeiro da mesma liviana.
Precisa-so do um fcilor para um sitio porto
dosta pra?a : no Aterro-da-Boa-Visla, n 37, ler-
ceiro andar. ,,,.
Precisa-so de um caixeiro para venda que te-
nha alguma pratica, de 12 a 16 annos: om l-ora-uc-
,,0riaHcnri9q2ue Julio CaluUno da Silva l'onlcs ensi-
na a tocar flauta violio e cantar por prego com-
uiodo, na ra das Flores, n. 20. As pesaoaa que
qzerem aprender dirijam-so das 6 as 9 horas da
manhila e do meio-dia asduas da tarde.
ADVERTENCIA.
O cncarregodo da venda, nesta pro-
vincia, do rap lino, grosso e meio gros-
so, da fabiica de Paulo Gasse, da Baha,
declara ao publico,
- Compram-se nos acougucs de Joflo Dubois, ao
n dos quarteis moedas de prata de 160 rs. a 102
por cento de premio sobre papel, c a mais a cento
por cento em pagamento.
Compra-sc um sellnn de mola, quo nao estoja
roto: na ra da Cruz, 11. 43.
- Conipram-so 100 pl de larangeiras sondo da
torra niclhor; 10 1 es de frucla-plo : na ra da
Concordia sobrado de um andar n. 5.
- Compram*saffettivameiite escravos de ambos
os sexos de 12 a 20 annos, sondo alguns olliciaes
de sapateiro ; sendo do bonitas figuras, pagam-so
bom ; na ruada Concordia passandoa pontcznba,
a direila segunda casa terrea.
Vcm jdas-
rnnsuiiiidor desle ra-
,) que nao confunda o mesmo com outrO|iraeasade fam|a:
fabricado no ftie-deJai.eiro, com a mi- ceiroandjr^^^
('asa da F
na ra estrella do Rosario, 11. .
Nostocst.il.clecimnU)acliain-sc a yenda as cau-
telas da bem acreditada sotena do theatro publico
desta cidade, para cujas roda osla annunc.ado o an-
damento para o dia 12 do mato proxi.no futu.o.
Nesto eslabelecimcnlo Umhem ae achara a venda tres
irancelins de ouro dcJHem fcitio: a elle quo sao
de muito bom goslo.^l J.,,^
- Na primeira casa passando oquartei do los-,
fricio vendem-so quartinhas da ttalna em quan
lidado por pi eco commodo.
_ Vende-so papel branco para escroair, roguc-
teiros cigarro, amostras de asaucar 011 cartucho ,
pelo prego de 1.70O rs. a rosma : DMPia dos Quar-
teis hoje larga do Rozario 11. 9*
Vende-seiimaparda.de mtnto bpnila hgura ,
3uc cozinha bem o diario de uma casa lava'
o sab3o e varrella co^ cho o be muito boa pa-
a ra do Collegio n. 16, ter-
lacao do formato, papel, rotulo e nome
do seu commitente, e que e acha espa-
.endem-setreg niil tclhasde muito boa qua
lidade por barato prtco : na ra de S.-Rita des-
tllaglo de Franca* IrmSo.
Vende-sc um negro do 25 annos do idade : no
boceo do Lobato, n. 4, as Clnco-Pontas.
___ "Vende-se, em Santo-A maro, na
Jravessa do Lima para o Veigas, o caixSo
de uma casa em respaldo, com aliceres
para um p'rimeiro andar, com trinta pal-,
mos de frente, cen de fundo e cento 6
vinte de quintal, leudo promptas nAi'tas
obras de carpina, como portas, janenas,
etc. ; assim como mais cento e quarenta
.palmosde frentes, em respaldo, com pro-
poreoes para sele casas tencas, e coindu-
zentos c vinle de fundo ; tudo junio 011
separado, a dinbeiro ou a praio : tr%
lar na ra Nova, n 3, com Antonio Fer-
reira Lima.
__ Vende-se cera em velas, vinda de
Lisboa, sortimento' vonlade, em eaixotes
pequeos ; mercurio doce, em caixibas
de 3 libras; vinbo tinto, do Porto, mui-
to superior, em harria de oilavo ; dito en-
garrafado, em eaixotes de 18 garrafas ca-
da um : na ra da Cruz do Recife, n. 54,
escriptorio de Meques & Tarroso.
Vendem-se ensacas de superior pan-
no preto, sobrecasacas de mcriti jhuito
fino: no Aterro da-lbi.i-Visla, loja do
alfaiate da esquina do Uccco i.nfimm*
recebem-se aprendizes.
A' 2,^000 rs. o corle.
Na loja do Guimarfles Serafim & C, confronto ao
arco de Santo Antonio.n. 5, vendem-so corles do cas-
sa do padrees agradaveis o cOresHxas, polo diminuto
proco de 2,000 rs. o corte ; longos francozos grandes
linos lingindo soda, a ixo rs. cada um; loncos de
cambraia cora bico, a 640 rs. cada um; ditos de dita
muito linos cora renda o bico, a 900 rs. cada um.
i Vendem-se superiores chapeos de
JLLuC'i.stoi', pretosebrancos, por prego
muito barato : na ra do Crespo, loja n.
t 2, de Jos Joaquim da Silva Maya.
- Vende-so caf moido o inclbor possivel ueste
ranero: dito ordinario, para menor pceo, para
as vendas ; arroz torrado que serve em. lugar de ce-
vada sendo qualqucr dclles torrado o moio sem
alguma mistura ; a qualfnadohe que faz o prego :
no pateo da S.-Cruz junto ao sobrado da esquina
da ra Velba n. 106 e na travessa da Mare-ai
Dos aonde foi rofina<;iio onde tambem ba p_a
bolacha. Na mesmas casas compra-se papel.
Vidros de espellio
de divenws lanianlios, vend.in-sepor prelfo mullo com-
inodn : na 111:1 da Crui n. 10 ainia/em de Kalkinann
& i|osenmnd.
__ ISa'rua da Senzalla-Mova, n. do,
(padaria) v*>dm-sc juncos de superior
qiialidade, em porco e a retalbo, e pos-
menos do que em outra ipialquer parte.
RAPE" PRINCESA NOVOMSBOA.
Acaba do ebegar pelo ultimo vapor uma nova re-
raessa deste cxcellento rap, rauito-fresco o com de-
licioso aroma, e contina a vender-ae no deposito da
ra da Senzalla-Velha, n. 110, e em todos os lugarea
do costumo, ate boje aimunciados. a
Deposito de vinagre, da turica
da ra Imperial, n. 7,
na fabrica de licores, de Frederica-Chaves, no AtW-
ro-da-Hoa-Vista, n. 17, oad* ae achara sempro
[grande porgilo e por pre^o ommodo.
1 j
e-de.-


~^4lH
*



Novos gaoibreoes.
Naloja de Cumarles Serafim & C, confronte ao
arco de Santo Antonio, n. 5, vendem-se nOvos gam-
breOes a 1,iOo rs. o corle Je tras cnvatlos e raeio;:cs-
ta fazenda lornu-se recommemlavcl para a cslago
presante, por ser fazenda encorpada ees/ura; e tinge
a casimira franccza por ter padres imitantes;] cin-
tas a 120 a <4o rs. o covado, alem disto um com-
plelo sorli nenio do toda a qualidade de'fazendas.
Vtiide-se unta canarberta grande,
ja usada, q^|e pega em um milliciro de ti-
jotas de alvenaiia., por preco commodo :
a tratar na ra de Apollo eom Joo Kste-
v%^iva-,
Vetiaem-se aecoes da ex
Vfta compdnhia de Pernambuco
Tarahyba: no escriptorjo de Oli-
veira Irmos & C, rua da Cruz,
n.9.
Vendcm-se 40 accOcs da conipanhia de Ucbe-
ribe : no pateo da Matriz de S.-Antonio, n. \, se-
gundo andar.
.-- Vende-so um piano de milito boas vozos e por
prego commodo : na ra das Trincheiras, n. 18, so-
brado de um andar.
- Ha, na ra da Cadeia-Vellia,
lo ja de miudezas, n. 9, um comple-
to sorlimenlo de eslojos finos, e
caixinhas proprias para as senho-
ras guardarem as sitas galanteras.
Venden-se ceblas cliegadas pelo
ultimo navio.- no armazem do Hraguez,
juntoaConceic3o.
xgr- Vendemj-sc por preco commodo,
dita* canoas de conduzir agoa ; c una
lila ineia aberta : na ra de Apollo ,
a fallar com Joan Esteves da Silva.
-Aviso a nieus 'reguezes e ao
mal que quizerern ser,
G3- sendo beni servidos. a
Joaquim Antonio Ciirnciro tic novo avisa a todos
oaseus freguezes que boje recebeu urna grande
porcnodaquellas verdadeiras bichas hamburguezas,
que esta vendendo aos ceios e a retaljio, por me-
nos preco do que em outra qualquer parle; assim
eomo tambem aluga c vai applicar a qualquer hora
dodia, ou da noilo para commodidade dos pro-
tendentes. Venham, freguezes, poisaqui he sonde
ha boas bichas que dflo sade a quem a nao lem.
Vende-se um tronco em boni es-
tado : na ra da Senzalla-rVova n. 7.
Vende-se urna caixa de ouro para relogio com
B oitavas a 3,500 rs. a oitava : na ra do Crespo ,
loji de miudezas, n. ll.
Yelem se duas pretus mocas de boas figu-
ra* urna parda de 18 anuos poueo mais ou menos ;
todas com principios de costuras, boas cozinheiras,
lavadeiras, e proprias |iara lodo o servico de
casa ; duas negrinhasde 7 annos, proprias para an-
darcm com changas em casa : na ra da Cadoia de
S.-Anlonio n 25.
Vendcm-se chapeos de sol.de scda.lazenda muito
superior,'a 6,400rs. cada um : na ruado Queimado,
n. 42. loja do Jos Joaquim da Costa.
se um rico npparelho de
[impa superior e de boa seda ,*
* estreita do Rozario, n. 10, Mr-
42. loja de Josf
1 Veiide-s
metal
Nava
lodo pi aleado o bordado
loja de ferragens, n.
na ra
5.
A' 800 rs. o corle.
de Cuimarles Serafn i C, confronto ao
unto Antonio, vendem-so lindos corles de
Mgs (xas, pelo barato preco de 800 rs. o
achilas com llores, linas o largas, suecas
e ingizasj*240rs. o covado.
1AmX*#c urna casa '.enea de laipa cucha-
men^OTlijolocral ,-com 3quarlns, -2 salas, CO-
y.inba Wrae quintal dJL64 palmos de fronte e 500 di-
tos de fundo com vatros a rvoredos de fructo o mais
Umifeitorias sil" entre as duas pontea da Magda-
lena em chaos foreiros ofl'crccendo grande van-
tagem aooflmprador, por se fazer todo o negocio ,
tanlo no aloramcnlo com por venda : na na do
lueimado, n. 15.
Vendem-sc cscravos baratos na ru das
Larangeiras, n. 14, scgumlo andar, a sa-
ber: um molecotedeidado 15 annos pouco
inaisou menos.de elegante figura, com
algum principio do cozinha; um dito de
idade de 20 annos, muito faite; um dilo de 18 annos,
de linda figura; um mulequo de idade 10 annos, bom
parase Ihe ensinarqualquerofiicio; um negro muito
forte-, por400,000 rs ; um dito bastante forte, por
300,000 rs.; urna negra de eleiante figura e mais al-
guna cscravos, quesos pretendentes se moslrarito.
I\a loja de Francisco Jos Perei-
- ra Praga, na ra do Crespo, n.
*8, ao pedo arco de Santo An-
,on' .^,
^Buder chitas de padres oscuros pe-
lo prego de 100 rs. o covado; pecinhas de
dbraia lisa, a 3,600 rs.; cortes de cambraias ada-
^HPi a 5,000 rs,.
is inglezas; ditas de filela
pedir nglez em latas
^Has; pecego; nl>
ra em calda da mesma fructa : marmeluda efe
tudo do superior qualiJade, por prego corwppdo
na ra d Cade*VeIha n. 2, venda de Josi
caKerda Fonle.
eiide-se nina parda de bonita figura, quo co-
se e lava coro perfeigo, por commodo preco: na
ra do Crespo loja le Antonio da Cunta Soare
Cuimure, n. 15.
Vendem-sc chitas limpas, de bons pannos, a
ado o a peca a 4,800 rs.; ditas
^^H|^^^Httealgumas
i meia pataca o covado, e a pega a 5,600
rs. ; sa
1,280
ceiro andar.
Ve.ndem-se nuiles de guaras, vindas prxima-
mente do Maranhfo : noarmazom do Hraguez, ao
pe do arco da Cdncaigfo.
A' 12^000 rs.
Na loja n.5J|fpronte ao arco de Santo Antonio,
vendcm-se rico^frtes de chaly de lila e seda, pa-
dres modernos, pelo barato prfco de 19,000 rs. ca-
da corle; risrados francezes finos e mo'derjios, a 240
rs. o covado; zarte azul encorpado, da fabrica por-
tugueza, a 200 rs. o covado: esta fazenda he propria
para escravos. .
Vciiue-se iu braco de baianga com conchasC
correntes um lerno de medidas de pao, dous ditos
de ditasde folha um temo de pesos de 8 libras ale,
meiaquarln, u^i marco Mm balanca para rap,
tudo anda novo o j afcridfli dous Irados para tu-
rar pipas, novos: na ra da S.-Cruz defronte da-
ribeira da Boa-Vista sobradinho n. 60. Na mesma
casa precisa-se de umeaixeiro para venda.
Vende-so um mappa quarlcirilo do sul, em
bom estado, por preco commodo : na ra larga do
Rozario, n. 21.
Vcndem-se dous pretos, viudos do mallo oro
pagamento, bonstrabalhadores : no Fortc-do-Mat-
tos prensa de Joaquim Jos Kcrreira.
Vendem-se capsulas do gelatina com. balsamo
de cupabiba simples ; ditas com oleo de ligado de
hacalho ; dilas com dito de ligado le arraia ; ditas
com balsamo do cupabiba e cu bebas: na ra ila Scu-
zalla-Nova, n. 40, primeiro andar, das9 horas us 10
da manhna e das duas as 4 da tarde.
A' 7$00Q rs.cada urna manta.
>i loja de l.uirnara.'s Seralini (\ ('.., confronte ao
arco dcSanloAnlonio, n.5,vendem-se manas de seda
modernas para senhora, pelo barato preco de 7,000
rs. cada urna; riscr.doifrancczes finos, padidos mo-
dernos, a 240 rs. o covado.
Vende-se ou arrenda-se o silio do Cajuciro ,
com varias casas queso acham dentro: a tratar no
mesmo silio.
Vendem-se superiores vinjios engarrafados,
moscatel do Setubal, Madeira-secca e Porto ; agoa-
ardente de l'ranra ; latinhas com biscoulo inglez e
conservas : linio por proco commodo : na venda do
Miguel Joaquim da Costa i\ Companhia na ra da
Cruz, n. 66.
Vendem-sc, na ruadosTanoeiros, n. 24 por
prego muito commodo, os seguidles instrumentos ,
em mcio uso : 4 cirmelas, (las Irompas, um pis-
tn urna enmela de chaves e um clarim.
Vende-se um escravoquoentende de cozinha,
o besapaterojum mulatinho de 12 annos; urna
por; l o do barricas do sebo; esleirs em porcOeSj"
cairas que parecem ser de tartaruga muilo em
conta ; sola c couros miudos : na ra da Cruz, no
Itecife, n. 26.
* Vcndem-se caixas de fo-
Ihas de ('landres c a retalho por prego commodo :
na loja de ferragens de Joo Jos do Carvalbo Mo-
ntes na ra da Cadciii-Velha n. 53.
Veudem-so 3 lindos inolcqiies de IB a 18 an-
uos sendo alguna de nagiln ; um pardo de 18 an-
nos ptimo carreiroeproprio para pagem ; 3 pre-
tos de 20 a 24 annos, sendo umdelles bomcarreiro;
urna parda de 24 annos, com habilidades ; cinco pre-
tas de 20 a 30 anuos sendo algum as dellas de na-
giTo, e com algumas habilidades : na ra do Colle-
gio, n. 3,segundo andar, se dir quem vende.
Vendem-sc duas casas terreas com bons quin-
taos e cacimbas independen les, sitas defronto da
fortaleza das CincjcI'ontss; urna dila na ra Au-
gusta com urna mei'agoa no fundo, que faz fren-
te na ra do Alecrim ; um pequeo silio na Torre,
a margem do Cabiharibe com cen palmos do fren-
te e 700 ditos de fundo, casa de pedia e cal, boa
cacimba d'agoa de haber, o todo o arvoredo plan-
lado ; urna casa pequea na tiavessa do Marisco; a
posse de um terreno na ra do Alecrim com dous
mil palmos de fundo: na ruada Concordia, n. 25,
primeiro andar.
Vende-se na ra do Passeio, loja nova ti. 19 ,
um cmplelo sorlimenlo de fszendas de linho I fia
c algodlo ; ludo pelo nielios prego possivel.
NA VENDA DO PATEO DO TERCO, N. 7,
conliniiB.se a vender Unta de escrevor inglcza ,
engarrafada em garrafa grande, a 3-20 rs. e meia
garrafa a 200 rs. ; graxa n. 97 a 160 rs.; oleo de
linhaga em garrafa e a libra a 260 rs. ; espermacele,
a 720 rs. a libra ; velas de.carnaba, a 240, 280 e 320
rs. a libra ; sebo do Porto c banha de porco a 30
rs. a libra ; loncinbode Lisboa ,a 240 rs. a libra ;
manteiga a 480o 640 rs. a libra; cha hysson a
2,000 e 2,560 rs. a libra; dito perola.cm caixinhas
de duas libras, ca relalb, a 2,240 rs ; chocolate ,
a 280 rs. a libra ; cafe moido a 160rs.-a libra, e em
grflo a 140 rs. n libra ; cevada a 120 rs. a libra ;
farinha doMaranhio, a 80 rs. a libra ; dita de ara-
i uta a 200 rs. a libra ; arroz a 8 e-KO rs. n libra ;
aletria ; lalbarim ; pussas; lnsoicagj paios;amen-
doas; pregos de todas as qualidads, a retalho, por
prego commodo ; enutras muilos generps do lodos
quacs se alianga a boa qualidade.
Vende-se arroz branro de superior qualidade,
em saecas a peso e alqueire velho {.4B vermclho:
ludo por prego milo commodo : na ra da Praia ,
venda n. 39
fundos de barricas; taboasafnericanas de todos os
romp de 3 palmosde largura: alrasdo
tlieatr m do Joaquim Lopes de Almeiua,
loAHathcus.
Yidros para vidracas
em caixas de cen pe cobicos, vendem-ie por prreo
commodo:-na na Cruz, n. 10, armazem de Kai-
Kmann Si Rnsrnmiinrl.
Tinta verde de oleo ,
em latas pequen" veilde-je por prco coiiimodo : na
rua da Cruzan. 10, armaem de Kalkiuann & Roseiimimd
Venham, venham C(rrcndo e
fragui diaCii'0 p/'S CO!-
prar s pechinchasdo u-
lico baraltiro. .
go barateiro esta queimando por todo o di-
na sua loia nova da rua do Collogio n. 9 :
O anli.
nheiro a sua loja _
papel de poso inglez de primeira sorte a 1,760 rs
a resma; dito almago, a 2,600 rs. a resma; dito
proprio para foguctetros, ou para embrulho de fa-
zendas,a1,600rs. n resma, sto he para acabar
com o resto do todo elle agora : cheguem aos cai-
vetes limpos sem ferrugem a 240 rs. cada um ; to-
souras grandes e finas com ferrugem proprias pa-
ra cortar papel, a 160 rs. cada urna; trinchantes,
sondo faca grande e garfo com mola, a 800 rs. o
trinchsnto ; carapugas de algodlo do cores, a 160
rs. cada una ; tamancos para homem e senhora,
a 240rs. ;{ditos para meninos, a 160 rs. cada um;
cartoiras do algiboira a 160 rs. cada urna; brincos
pretos com enfeites douTados, a 80 rs. o par; ditos
ama retios-, a 60 rsro par ; fio do sapateiro, n 600 rs.
a libra, he muito bom, fino o t.lo fortc.qtie ninguem
he capaz de o quebrar? linissimas charuleires, n
500 rs. cada urna ; torcidas para candieiro a 100 rs
a duzia, de todas as larguras ; bico blanco a 20
rs. a vara ; chicles inglezes, a 800 rs. cada um. A
elles, de pressa, aodepois nlo fugam barulho com
ojbara tetro.
Na botica da ruadollangcl, vendem-sc os re-
medios seguintes, dosquaesa experiencia tem con-
firmado os nielbores ell'eitos : dentiliro que tema
propriedade de limpar os denles cariados c resti-
tuir-Ibes a cr esmaltada em muito poucos das;
o uso do dito remedio fortifica as gengiyas e tira o
inao chciroda bocea proveniente tifio so da carie,
como do trtaro que se une ao pescogo desles or-
gilos; o remedio he designado pelos numVos pri-
meiro e segundo : orChala purgativo mui til as
criangaseas possoasde toda e qualquer idade; lio
cotnposta de substancias vegelaes, mo conten
mercurio, nem droga alguma que possa prejudicar :
remedio para curar calos, em poucos das ; dilo pa-J
ra curar dores-veneras antigs, e que tectn resistido
ao tralamento geralmcnte upplicado; dito para pro-
vocara menstruagilo e accelerar a acgflo do ulero
nos partos naluraes em quo nflo se precisa das ma-
nobras scicidlicas da arte ; .dito para resolver tu-
mores lympliBticos vulgo glndulas ; ditos para
curar boubasc cravos seceos, o tnaisefllcaz que se
conhece al aqui; dilo oximel de ferro, muito til
lias clilorozes vulgarmente chamadas frialdades;
pos atili-biliososdeManoel Lopes, capsulas de ge-
atina conteudo balsamo de cupabiba ; dilas de
oleo de reeinospurificado ; dilas lie cubebas em p
fino; ditasde assaftida ; ditas eom pos purgantes ;
ditas de millardo da China; dilas de sulphalo de
quininode 1 c 2 graos cada capsula; algaleas; veli-
nhas elaslicaijfaplulas das Caldas ,-enligada prximamente ; remedios que
cui am a l'rialdaiie dentro do 40 das mesmo estan-
do inchido ; oleo muito bom para conservar o ca-
bello, quo, alem de nao deixar cahir o cabello, I i m-
pa a caspa ecujo uso continuado faz rea [parecer o
cabello perdido ; pillas especificas para curar as
gonorrheas ebronicas quando a leslo nfi'o pnssa da
urda ; igualmente um xaropo anti-henioiragic,
applicado nos casos em que se deitasanguo pela boc-
cii.*l e os bons resollados da sua applicagfto he que devom
fazer sua apologa.
- Vende-se a verdadeira e su-
dr>s a 5,800 rts,e o co.vado a 160 ris; casimiras de
algndfto, padres inleiramepigjnodernos, o cortea
1,600 res; lencos de seda mimo modernos para ho-
mem, a 1,440 ris ; ditos decambraia muito fina a
400 ris; cortes de chaly muito moderno, a 500
ris; mantas de seda, padres chiiiezos, no Aij$
moderno gosto, a lOelSmil ris; olgod5o azule
riscado para cscravos,do 4 palmos de \mio
encorpado, a 200 ris o covado. Tem m lindo sor-
limento de sedas modernas no goaUl chinez, rece,
hidas e desemliarcadas hontero, UM ,, moda de
Paris, para veslido de bailes, ^ vende muio
barato, assim romo todas as fazendas do luso
assciado gosto, notando-se un frnj,
para senhora, da melhorseda deg Ttepes, pa-
dres nunca nesta praea, vislos,a6,c
Pa loja de Jos Manel Ilion-
teiro Braga na rua do Cres-
po, n. 10, esquina que vira
para a rua das Cruces,
vendem-se ricos corles de vestidos de seda de coras e
brancos, para casamentos ; ditos de cambraia de
seda com flores adamascadas; ditos de cambraia
com barra; chales e mantas do seda, o mais rico pos-
sivel ; longos de linho para mito; atoalha lo adamas-
cado para toalha guardauaposdo mesmo adamas-
cado ludo do puro linho; casimiras francezas de
listras e lisas, as mais modernas c de melhor gos-
to; brim Irangado de listras, de linho; chapeos
pretos francezes, os mais modernos; ooutras mui-
las fazendas, tanto finas coma grossas.
Vcnde-.ie cal virgem em lueias barricas, clir|>ila
ultini'ainente ; caixas vastas para assucar uma porfi
de pesos de ferro, de ditas arrobas; serras grandes para
serrar inadeira ; tudo por preco commodo: na rua da
IKoeda, arinazeio n. 17.
POTASSA DA ItLSSIA, A 180 E 200 RS.
Cunha & AmOrim vetidcm potassa russiana nova c
de boa qualidade pelo diminuto prego de nove vin-
tens c dous tustes a libra : na rua da Cadeia-Vellis,
n. 50.
Vend*m se -V'ELAS de cera do
Hio-de-Jan.ero c de I isljoa grande o
completo sorlimenlo : na rua da Srnial-
la-Velha armazem n. no, de Alves
Vianna
= Vendem-sc moendasde Trro para cngcnliosdeii-
mear, para vapor, agoa e bestas, de diversos tamanlie<
por preco commodo; e igualmcnlc talxas de ferro coado
e balido, de lodos os tamanhos : na praea do Corpo-Saa-
to, n. 11, em casa de Me. Calmont & Comnanlila, ou di
rua de Apollo, armazem, n. 0.
NA KIM pQQJiPtlpO, N. ii,
V tidcMii-sc lindas mantajjj c'o seda,
muito finas ,'as mais modernas que ha,
proprias para scnliora e meninas, a 3,">oo
rs. ; cttes decassade rres fixas, ede
lindos padrScs, a 4>000 i Si"'ja 'ICS"
panhola ; dita franccza los pretos ; lu-
do por menos de sen valor, por \rv aca-
bado a Qiraresma : na loja nova de ]{
G. Leile.
Vendem-sc varias obras ile ouro para honieni
e senhora ; uma serafina de excellenles vozes pro-
pria para menina aprender ou para igreja ; appa-
relbos para cha, a 3,200 rs.; platos de vidro; ga-
Ihcteiros.; copos; sardinbas.e oulros muilosobjec-
tos por prego commodo : na rua do Rangel, n. II.
salitre refinado de mui-
Vende-MLl
lo boa qtialidlfcle, "jior menos preco do
que cmoiilra qualquer parle : no escrip
torio de Claudio Dtibettx, na rua das
Larangeiras ti. 8
Vendem-so charutos da Baha regala, non-
plus-iillra ede varas morcas da superior qualida-
de, e juntamente deS.-l-'elix a 2,000 rs. a eaixa :
na rua do Crespo, loja do miudezas n. 11'.
~ Vende-se uma solire^saca de panno verde-gar-
rafa, ||rta a mod i gak de velludo, por es-
"R or menos de sevnor : na ru da Cruz ,
perior potassa da Bussia, branca
e em barris petjuenos: na rua da
adeia (jo Kecife, armazem n. \2,
de Baltar & Oliveira.
Pol&ssa da Iiussia,
pelo prego de 180 rs. a libra, em barris pequeos:
na rua da Cruz n. 10 armazem de Kalkmaiin &
llosenmiind.
-Vende-sc uma excedente casa terrea, com rom-
modos para uma grande familia siln nesla praea
a tratar fio principio da rita Imperial, n. 0.
Gaz.
Loja de Joiio r.barclon ,
; leiTo-da-lk>a-V.sla, n.5.
Nesta loja aclia-se mu tico sortimenlo de I.AMPEOES
Escravos Frfgidos
Fugio, nodia 21 do.passado, una nrcla ^K nome Joseplta do gento do Angola; reprc-
JS. sonta ter 40anuos, de estatura alia bastante
gorda rara M#ga andar descansado; levou vestido
de metim prefoainda novo, panno tln Costa wul
eom listras brancas; a qunl se siispeita esteja es-
condida n.| outra banda pois ja foi vista "
pateo de S.-Pedro <( na rua do l.ivramento, com sala
de chita branca e panno da Cosa. Csla pela fm
escrava dotr. Joaquim Antonio de Parias Barboz,
a quem foi comprada o mez passado : quem a pegar
leve a rua das Larangeiras n. 18, quesera recom-
pensado.
Ftigio o prcto Joo escravo de l.tiiz da Costil
l.eto morador na ria Nova, loja 11.58; o pelo
tem urna frula nopeitodo pdireito no (jual lhe
falta o dedo grande; Ictn um boceado da rnliera
pelladoqunsi acimn ta otelha.
Um escravo de nomo Innoceiicio croulo de
16 a 18 anuos, alto, secco do eorpo, bracos o dedos
das mlos linos e compridos pernas tambem finas e
na direila tem urna chaga pelo lado.-de fura no ineio
da perna cabellos alguma cousa vermelhos, ollms
grandes e brancos, denles lambein brancos o li-
mados os do cima desnpparceeii, ou foi furlndqtio
principio de marco prximo passado. Hoga-sc a
qualquer pessoo ijiio o no compre o no caso con-

em- ras, com* boas bal uma mitlalinha boa
pira ser lacada ; 3 escravos, bons para o traba-
IIiq doc"awPnu'm dito bom cozinliciro: na rua do
lv9seio, loja*)
-- Veiufcnirse cadeiras de
pitillo, a polka para sseiilo
de porlas de lojts; un novof
sorlimenlo de taboas de piuho,-de costado e cosla-
dinho assoalho e forro srtosas e lambein para
i aiaua/. com seus competentes vidros accendedo- frailo licaa rcsponsavel por ludo a sen legitimo
res e abaladorcs.
Estes ea odie ros ** 0i tMme
mais modernos quoexisteni hoje : recoiniiiendaiii-sc ao
publico, t.iiUopHaseguraiifa e bom gusto de sua boa
eonrecfio como pela boa qualidade di lu, economa e
asseio de seu servico.
.\a mesma loja os consumidores sen.
prc acharo um deposito de GAZ. de cujo se alianca a
(|iiali(ladf t. cm porfi bastante par consumo.
P/\!SNSi;l\KTOSl'l\(>S
e novos na loja ; velludo prelo; chanta-
lote de.sada, para col telen e gollaa ; se-
tiin macau ; o vetdadeiro .brim Irancado
le listras de cores : na rua do Queimado,
loja nova, n. ii,rle Kayinundo (jarlos
Lcil.
Barateiro da ioja nova.
0 novo barateiroRicardo--, dn loja nova n. 4ao{
pe do arco de S.-Antonio, est vendendo pecas di
chitas muito finas, cores multo fixas c
dono, queofferecelioa paga quemo levar aprima
(le Pcrnanibuco ao Sr. brigadero Anlonio Rodrigues
de Almcida, o na provincia do flio-CMUdo-d"
le,-na povonglo da Nova-Cruz ao lenle rpro-
ncl Jo^Soares to Mello.
Nodia 29 do prximo passado, pelas 7 .horas
da tardo, fugiraoidoiis escravos, com os stgWa
seguinles : Aloxandrc croulo ccjftacinzenlada,
altura pouco mais que regular, corpo icgular.na*
n/chato, pes apalbelailos ; reprsenla ter 18 a.20
anuos: Miguel cabra uieio acaboclado do 1"* j"
Jios allura menos que mediana reforgado do
niorineiile para os pedos rosto chalo e afi-
oparabaixo. Kslus cscravos fugiram junios, C
forain vislos pelas mesmas horas na rua da Cadcia
do bairro do llecife calgados, e dirigiram-se ao ca-
mnho dacidade delinda caminbopor onde vie-
rain, ha poucos das, da villa do Ciato dislricto do
.un escravos de Joaquim Lopes Raymun-
r. Roga-se a polica e os capittics O
is apprehciideruui e levarem a rua da
PKU, 6. 39, a Joaquim Folix Machado que re-
pensar.
t)KM.
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENEH55D0U_JVLEN5 INGEST_TIME 2013-04-26T23:50:10Z PACKAGE AA00011611_08453
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES