Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08451


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1847.
Segfunda-fera 98
aa
,, n/vff/O pu!ilia- todo o dias, que nao
,1, nuard o preo d asgntura he de
roein '" h urle|, papof arlinnlaitas. Os an-
4|nin I ^s,n,ntes sn inseridos rasSode
cunt no ^ r^ ^ em ly[w dffer,nl)Ji ,
,P"'.J-, pla'niewde. Os oue ro forem assig-
n-petioe 1^ 80 n por liaba, e 160 em ijpo
FIJASES DA LA NO MEZ, DE JDNHO.
. -Cal lior e 44 min. da inanha.
Mingo"'' < M torM e J2 mi0i d, Urd,_
':"* w a 10. i> > '"ra I min. da urde,
i ."feheto' t, as ho n>in- damanliU.
PARTIDA DOS CORREIOS.
(loiannae Paralivba, s segundas esejtai feiris.
Ro-Grande-dn-NoVt quintas feiras aomeio-dia.
Cabo, Scrinhem, llio-Formoso, Porto-Calvo e
Maceirt, no l., a l l.e 21 dcada mei.
Garanhuns e Bonito, a 10 e 21.
Boa-Vista e Flores, lie 28.
Victoria, s quintas l'eiraj.
Olinda, todos os dias. .
Luac
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, s & horas 18 minutos da manliSa.
Segunda, as 5 horas e 42 minutos da tarde.
de Junho.'
Anno XXIV.
N. 141.
DAS DA SEMANA.
8 Segunda. S. LeSo. Aud. do 1. dos or-
phos, do 1. doc. da v. e do J. M. da 2 r.
10 Terca, i?' S. Pedro e S. Paulo Apos-
tlos.
30 (Juarta. S. Marcal. Auif. do .'. do civ. v. 2
e do J. de paz do 2 dist. de t.
1 Quinta. S. Tbeodorico. Aud. do 1. de orpli.
e doJ. n-.uuicipal da I. vara.
2 Seita. S. Olhou. And do J- do civ. da I. v.
e do J. de pax do l. dist de t.
3 Sabbado. S. Jacintl.o. Aud. do J. do civ.
Ha l. v. e do J. depai do i dist. de t.
* Domingo. S. Iiabel rainlia de Portugal.
Cid.
CAMBIOS NO DA 26 DE JDNHO.
Cambio sobre Londres a 26'/, d. p. I r
a a Pari l&i rs por franco,
a Lisboa fS de premio.
fesc. de leltras de boas firm.s de Vi Va met
l*M"0
l?0H0 a I6l0#
lSfOOO a I6|l0rt
9*000 a 9#IO
l#910 a l|v'
1/020 a l#00
)fT60 a 1*81
ijDlfta I|20
Acco da corap. do lleberibe de SOf 000 rs. ao par.
ClaroOncas I espanliola
* MoedasdeOOO valh.
i> de flOO nov..
ile 4 *000.....
/Villa Pataces..........
ii Pesas coluipiiares...
Ditos mexicanos ...
Miuda......
DIARIO DE PERMAMBUCO
PAUTE OFFICIAL
DECRETO N. 513, DE 25 DE MAI DE 18*7.
Sobre a maneira por que podem ser admittidos na
marinha imperial os Rrasileiros que tiverem servi-
do na marinha estrangeira.
I le i por bem, para boa execucSo da resol ugio da
assembla geral legislativa de 20 do corrente mez,
decretar o seguihte: Os cidadaos brasilciros, quo se
liabilitarom, nos termos da "mencionada resolucSo,
para seren admittidos no corpo da armada do Bra-
sil, deverSo, alm dos documentos authenticos que
apresentorem de haverem servido na marinha es-
trangeira, para que obtiveram do governo imperial
a necessaria liceuca, a qual ser sempre concedida
wir decreto, sujeitar-se a um examo de sulllciencia,
fpito na academia da marinha do imperio, tondo por
ohjecto as materias que cooslituem o corpo de dou-
trinas ensindas na mesma academia ; e somonte
podero ser dispensados deste requisito, quando a-
presentarcm certifleados dos estados regulares que
llzoratn sobre as ditas materias, sondo ouvida nisto
a congregagao dos lentes da referida academia. Can-
dido Baptista deliveira, do meu concelho, minis-
tro e secretario de eslado dos negocios da marinha,
o tenlia assim entendido c faca oxecutarcom os des-
pachos'noccssarios. Palacio do Rio-dc-Janeiro, em
25 de maio de 1847, vigesimo-sexto da independen-
cia e do imperio.Com a rubrica de S. M. o Impera-
dor, Candido liupttita de Oliveira.
INTERIOR.
RIO-DE-JANCIRO.
NOTICIAS DIVERSAS.
Suas Mageslades Ijnperiaes comquanto estejam
inconsolaveis, nenhuma alteracHo tem tido em sua
preciosa sado.
Iloje (12 de junho), a 1 hora da tarde, no paco de
Sati-Christovo, ter lugar, em grande gala, o corte-
jo de despedida deS. A..I. o'Sr. I). Alfonso. O corpo
do principe ser depois transportado para o paco da
cidade.
Amanilla, pelas 7 horas da noile, ter lugar o en-
terro om S. Antonio.
Eisoprogrammada ceremonia :
l)!in>-i<;ofs para o acompanlinmento e
enterro lo serenissimo principe impe-
rial o Se altor D. Affoiso.
i.
No dial 3 do corrente, pela 1 hora da tarde, ter
lugar no pago de San-Christovflo, em grande gala, o
cortejo de despedida de S. A. I. o Snhor I) Alfonso,
achando-se para csse flm depositado na sala do Him-
no o corpo do mesmo augusto Senhor.
II.
lindo o cortejo ser fechado e soldado o caixo de
chumbo em que ha de ser encerrado o corpo de S.
A. I. om presenca de lodos os ministros e secretarios
de estado, concelheiros de estado e mais pessoas de
distmccSo. sendo este caixSo mettido em outro de
cedro, oeste ultimo fechado em un coberlo de vellu-
do o guarnecido de galflo de ouro.
III.
Lavrar-se-ha o auto de bito, quo ser escripto pe-
lo minislfo e secretario do eslado dos negocios do
imperio e assignado por todo o iiiinislerio, concelho
de estado e mais pessoas de distncc3o.
IV.
A's 7 iioras da noite, o corpo de S. A. I. ser leva-
do por seis gentis-homens de S. M. olmperad/ira
um coche da casa imperial ; eacompanhado pelas
pessoas Horneadas para conduzirem o caixo no da
do enterro, pelo mordomo-mr o por urna guarda
de honra decavallaria, Picar depositado na sala do
throno que estar competentemente decorada.
: v-
Os seis camaristas, que em San-C.hrislovo condu-
zirem o corpo de S. A. I. para o coche, scrilo os mes-
mos que no paco da cidado o tirarlo do dito coche,
levando-o para a sala do throno, onde ser colloca-
do sobre urna eca quo ahi estar armada.
VI.
No dia U, pelas 6 da lardo, concorrer ao paco da
cidade o clero regular c secular para, fazer as encom-
mendaces do eslylo, o formar alas polas ras Dnei-
tt, doduvidor, Ourivcs, Ajuda e S.-Anlonio, pelas
quaes dever passar o prestito.
Vil.
O clero do cada urna das freguezias da cidade Tara
a encommendac.ao por sua vez, segundo aaoligui-
dade das mesmas freguezias, e concluido esse aclo
iicollocar-so as alas com tochas accosas.
VIII.
Findasasencommcnda,qes, sahir o corpo deS.
A I do paco da cidade, sendo oonduzdo ao coche
pelos ministrse concelheiros de eslado para isso no-
meados, osquaes o acompunharSo ate greja, Tor-
mando-se o preslKo pela maneira seguinte :
1." Um piquete d.icavallana. ,
: Batedores, mo?os da maca e portciros da canna
,, pnviiilft
3. Osolciaes da casa imperial que nSo tiverem
lugar ou exercioio determinado no acto, entrando
\
nesta classe os guardas-roupas, os mdicos da im-
perial cmara e os oQlciaes-maiores das secretarias
do estado, todos de carruagom, bem como os se-
guintes :
4.* As pessoas que, n&o tendo de exercer funcgOes
no acto, liverem recebido convite pela secretaria de
estado dos regocios do imperio.
5. Alllm. camaralnunicipal.
6." Os membros dos tribunaes da corte, e as pes-
soas que tiverem o titulo de concelho.
7. Os'grandes do imperio, gcntls-homons o vee-
dores.
8. As deputaces das cmaras legislativas.
9. O*, ministros e secretarios de estado.
10. O mordomo-mr o o reposteiro-mr.
Seguir-sc-ha o rocho com o corpo de S. A. I. entre
o cabido c mocos da cmara com tochas e todos a
p, indo tambem a p os mocos da cstribeira no lu-
gf.r que I lies teca, massem tochas.
11. O estribeiro-mr, advertindo que o pescoco
do avallo em que fr ha de ir junto ultima roda do
coche.
Seguir-se-ha o foche da cora, e aps elle o de
respeo;-que ir coberto como o do corpo.
12. A companhia da guarda imperial de archeiros
formada no lugar que lhe compete.
IX.
A guarda nacional e tropa de primeira linha for-
marflo alas desde o pago da cidade at greja, por
lora das alas do clero regular e secular.
X.
Aochegar o coche ao principio da ladeira do S.-
Antonio, as pessoas designadas para sustorem as ar-
gas do caixSo tirarSo este do coche e o enlrega-
rflo ai provedor e msanos da Santa Casa do Mise-
ricordia.
XI.
0 mencionado provedor o mesarios, recebendo o
corpo de S A. I., o depositadlo em um esquife que
para esse efTeilo estar collocado sobre bancos, o o
conduzirflo no mesmo esquife at igreja, onde se-
r collocado sobre a primeira eca, da qual o hilo de
mudar depois as pessoas que o tiverem tirado do
coche, levando-o para o lugar em quo deve Bear de-
positado.
XII.
Concluidas as ceremonias religiosas, lavrar-se-ha
o termo da entrega do corpo na igreja, o qual sera
escripto pela pessoa nomeada para servir de secre-
tario nesse acto, e assignado por este, pelas pessoas
que tiverem conduzido o corpo o pelo guardiao do
convento.
Honlem(l) do junho), na cmara dos deputados,
depois de approvada a acta da sess3o antecedente,
leu o Sr. 1." secretario Muniz Brrelo o seguinle of-
licio do Sr. ministro do imperio :
mar sua santa gloria oserenissimo principe impe-
rial o Sr. D. Affonso, hontem pelas cinco horas e mcia
da tardo, o nflo podendo por tflo infausto aconteci-
menlo ter boje lugar o recebiraento da deputagao da
cmara dos Sr. deputados que lem de apresentara
S. M. o Imperador a resposta falla do throno, as-
sim o participo a V. Exc, para quo baja de o fazer
constar mesma cmara. .
OSr. presidente Dias de Carvalho dirigi entao a
camara.com voz commovida, as sogmnles palavras :
>< A cmara recebe com o mais profundo sentimen-
to de dr a infrta noticia, do fallecimento de S. A.
Imperial o Sr. D. Alfonso; c om consequencia lovan-
la-se a sessSo, (cando os Srs. deputados convidados
para reunirem-se araanhaa, nesta cmara, hora do
costume. .
Eslas palavras foram ouvidas com religioso silen-
cio, que revelava a profunda magoa de que se acham
possuidos os representantes da naci.
nas e solemnidades do funeral de S. A., quo teve lu-
gar hontem a noite.
Na vespera, pela urna horada Urdo, foram Mijar
maoaoaugusto finado, em cortejo do despedida,
toda a corte, b corpo diplomtico, o corpo legislati-
vo, os membros do supremo tribunal, o concelho su-
premo militar, a junta do commercio, o tribunal do
thesouro, a relacAb, a cmara municipal, os ofllciaes
generaeseofHcialidadedo Ierra o mar, o todas as
pessoas dedlstinccflo. Terminado o cortejo as tres
horas da tarde, foi encerrado o corpo do principe em
um caixao de cedro; este caixSo de cedro, encerra-
do em um caixao do chumbo, foi anda fechado em
outro de madeira forrado e guarnecido do galOcs de
ourn. OSr. ministro do imperio lavrou entilo" o se-
guinteauto deste acto, que foi assignado pelos mi-
nistros o concelhiros de estado, e pelos grandes do
imperio:
AUTO DOB1TO
no ttcrenlMHimo principe imperial
o Sr. n. t/M'onno.
Aos treze dias do raez de junho do anno do nasci-
mento de Nosso Senhor Jesus-Cliristo do mil oito-
contosequarenta e sete, tiesta niuilo leal o heroica
cidade do Bio-de-Janeiro, achando-se reunidos na
imperial quinta da Boa-Vista, por ordom do Sua Ma-
gostado In.pcrial o Sr. 1). Pedro II. Imperador cons-
titucional e defensor perpetuo do imperio do Brasil,
os ministros secretarios de estado, os concelheiros
de eslado, e grandes do imperio, commigo abaixo
assignado, para assistirom ao cortejo do despedida
do serenissimo principo imperial o Sr. I). Alfonso, o
servirem de testemunhas do seu fallocimonto, quo
teve lugar na dita imperial quinta no dia 11 do cor-
rente mez pelas5 llorase meia da tarde, viram o ro-
conheceram o corpo do mesmo serenissimo principe,
que, lindo o cortejo, foi encerrado, om nossa presen-
ta, e de todas as mais pessoas do distineco que
concorreram ao mencionado cortejo, em um caixao
de cedro, que, sendo lampado, foi encerrado em ou-
tro do chumbo, sendo este fechado em outro" de ma-
deira coberto do velludo e guarnecido de galOes de
ouro; e para que o referido conste a todo o tempo,
eu Manoel Alves Branco, do concelho de estado, mi-
nistro e secretario do estado dos negocios da Tazen-
da, e interino dos do imperio, lavrei o prsenlo auto
por mim assignado, e pelas testemunhas cima de-
claradas, o qual dever licar aichivado no archivo
publico do imperio. Manoel Alves Branco,
Nicolao l'ereira de Campos Vergueiro, Saturnino
de Souza o Oliveira, Candido Baptista de Oli-
veira, Visconde do Olinda, Viscondc de bran-
les, Viscoudo de Monte-Alegre, Joso Antonio da
Iva Maya, Jos Carlos l'ereira do Almeida lor-
res Francisco Cordciroda Silva Torres. Jos Joa-
quim do Lima e Silva, Caetano-Mara l.opes (ama,
Jos Cesario de Miranda Bibeiro, BarSo de Monte-
Santo, Jos Pedro Das de Carvalho, Francisco do Li-
ma e Silva, JoaquimJos de Siqueira, Antonio I au-
.. i^j. ,., jiascarennas,
Mo neretiiniimoprincipe imperial o
Sr. n. Jtffonso.
Dorme o Sr. d. afkoks oe aixaktaiu b bourbok o
somno derradeiro na igreja do convento de Santo
Antonio. A capital do imperio, orpliBado seu esperan-
coso e tilo querido principe, presenciou hontem (15
de junho) o seu fnebre saiiimento, clhedisse o ul-
timo adeos. Era do ver como a populacho do Ro-do-
Janeiro se apinhava silenciosa o consternada as
ras por onde tinha de passar o prestito. Beconhc-
cia-se no pezar commum a saudade que deixava o
augusto finado, e a adhesaoe sympatlnas pela fami-
lia imperial, que vira murchar 13o inesperadamente
urna de suas flores mais mimosas, urna de suas espe-
rances mais queridas e mais afagadas. O povo bra-
siletroao contemplar as honras derradeiras do seu
prncipe recordava-se com dr das impresses gra-
tas e solemnes com que (tcolhra, dotis annos ha, o
seu noscimonlo .' Era levado a seu jazigo do morte o
herdeiro do um grande throno, aquello a quom a na-
cffo brasileira, em scus mais'graves pensamentos e
com seus mais frvidos desejos, havia saudado co-
mo successorde seuaugustos ascendentes na gran-
diosa missao de dirigir os nossos deslinos para o fu-
A populacho do Rio-de-Janeiro comprehendia e a-
companhava em consternac3o aquella magoa tao
sentida e 13o de dontro d'alma, que nos pagos de San-
C.hristovSo estavam a prantear as pessoas imperi-
flGS '
Comocoragao inda cortado pela grande perda
queactbamosdosoffrr, vamos referir as ceremo-
linoLimpodeAbreu.l). Jos de Astil
JoilodeSiqueiraTedim, Visconde da 1'raia-t.iande,
Visconde de Baepcndy, Conde do Rio-Pardo, Han-
cisco Mara Tclles, Antonio do Saldanha da Gama,
Visconde de Santo-Amaro, Visconde do Coyaniia,
Jos Mara Correia de Sa, Bario de Alogrcte, Joso Ma-
ra Velho da Silva, Candido Jos de Araujo Vianna,
D. Manoel de Asss Mascarenhas, Anlonio Francisco
de Paula e liollanda Cavalcanti do Albuquorque, L-
zaro Jos Goncalves, Paulo Jos de Mello Azevedoe
Brito, Joao Carlos Pardal, Francisco Xavier Ca non
da Silva Cabral, Bario de Pirahy, Joaquini Alberto
do Souza da Silveira, Bario de Guaraliba, f Munoel
BisnoConde CapcIISo-Mr, Joaquim JosedeSiqueiia
Filho, o Bispo Esmolor-Mr, Bernardino Joso Pinto
Caviao Peixoto, Dr. Jos Joaquim de Siqueira, Ba-
rio de Bom-Fim, Aureliano de Souza e Oliveira t.ou-
tinho, Jos Manoel Carlos do Cusmio, Augusto Du-
que Estrada-Meyor, Francisco Freir Allemio, Han-
cisco Jos da Rocha Filho, Mrquez de Itanliaem,
Visconde de S -Salvador-de-Campos.
A's 7 horas da noite os Srs. camaristas Visconde
do San-Salvador, Aureliano de Souza .o Oliveira Cou-
tinbo, Joaquim Jos de Siqueira, Venia Magalhios,
D Jos e I. Manoel de Assis Mascarenhas, acompa-
nhados pelo mordomo-mr o Sr. Mrquez do Itanlia-
em, levaram o caixio para o cocho em quo tinha do
ser conduzido para o pago da cidade.
Um numeroso acompanhamonto de carroagens e
seges parlio entao do San-Chnstovio seguindo o
coche cm que vinha o caixao.
Na? portas do pago da cidade, foi o caixao tirado
pelos mesmos Srs. camaristas, que o levaram entio
para a sala do throno, onde iicou depositado sobre
urna ega que ahi eslava ricamente preparada.
Hontem perto das 6 horas da tardo comegou a con-
correr ao pago da cidade o clero regular e secular
para fazer as encommendages do estylo, pela se-
guinteordem: o clero da Misericordia, a freguc-
zia da Candcllaria, a do Sacramento, a de Santa-Ri-
ta, e de San-Jos, os religiosos de Santo-Antonio, a
freguezin de Santa-Anna, os religiosos Carmelitas, a
freauezia da CapeIJa, os religiosos do San-Bento, o
cabido Depois do fazer as encommendagOes, o clero
de cada urna das freguezias ia-se collocar as alas
com tochas accosas. ., ,-_.
Terminadas estas primeras solemnidados religio-
sas, sahio do pago corpo de S. A. I. sondo con-
duzido ao coche pelos Sis. ministros do estado dos
negocios do imperio, da justiga, de estrangeiros, o
da marinha, e pelos Srs. concelheiros de eslado Vis-
conde de Olinda e de Monte-Alegre.
O acompnhamento guardava a ordem marcada
de antemao. Um piquete da cavallaria rompa o pres-
tito.
Scguiam-so:
Os batedores, mogos da maga, o porleiros d canna
a cavallo;
Os ofliciaes da casa imperial, os guardas-roupas,
os mdicos da imperial cmara, os ofliciaes maiores
das secretaras de estado; todos em suas Carroagens;
e assim tambem
As pessoas da corte, os senadores, deputados, offi-
caes-generaes, emais pessoas convidadas, quo 'nflo
liiham outro lugar designado no prestito;
A lllm." cmara municipal;
Os membros do supremo tribunal do justiga, do
supremo concelho militar, da junta do commercio,
da relacjto. o as pessoas com titulo do concelho;
Os grandes do imperio, gentis-homens e veado-
res;
As deputagoes do corpo legislativo;
Os ministrse secretarios do estado;
O Sr. marquez de Itanliaem, servindo de mordo-
mo-mr, e o Sr. genlil-homcm Siqueira, servindo
de reposteiro-mr.
Seguia-se eolio o coche com o corpo do S. A. I.
la coberlo entre o cabido e os mogos da cmara cora
lochas e todos a p, indo lamboin os mogos da estri-
beira, som tochas.
Junto s rodas do coche ia o Sr. Visconde de Bae-
pendy, sorviudo de eslribeiro-mr.
Seguia-se o coche da cora, o aps elle o do res-
peito, quo ia tamhum coberlo.
Fechava o prestito a guarda imperial do archei-
ros, commaiidada peloSr. gunlil-liomoin Jos Maria
Correia de Sa. la como lenle da inosina guarda o
Sr. Joio Jos de Almeida Mascarenhas Ramos.
No acompnhamento, ocadatim por sua ordem
segundo o lugar quo oceupavam, iam o Sr. sonador
Aureliano, conduzindo a cora; o Sr. Visconde de
San-Salvador, na qualidade de guarda do corpo do
principe; 0 guarda-roupa Jeronymo Martina de Al-
meida, na qualidade ile porteiro da cmara.
Ilaviam tambem sido nomeados para guarda-ta-
pegarias, o mogo da imperial cmara Luiz Joaquim
do Gouveaj para cslribeiro-menr, o Sr. Antonio
Pedro Teixeira.
O acompnhamento seguio pelas ras Direita, do
Ouvidor, dos Ourives, da Ajuda e de San-\ntonio,
por entre alas formadas pela guarda nacional e tropa
de linha, diante das quaes haviam ainda alas do clero
regular e secular.
Chegado que foio cocho ao principio da ladeira
de Santo-Antonio, os quatro Srs. ministros e os dous
Srs. concelhoiros do estado cima designados tira-
rain o caixio do coche e o entregaran! ao provodor e
niesarios da santa casa da Misericordia.
Depostoem um esquifo, foio caixio levado por
ellos at a igreja, c collocado na primeira ega, que
tinha um degrao c eslava allumiada por sois toxei-
ros, sendo tres do cada lado. Pez-loe ah a primeira
encomniendagio o clero da Misericordia.
Desla primeira ega foi levado para a segunda pelos
Srs. ministros e concelheiros do estado ja menciona-
dos. Esta ega tinha dous degraos e oito tdcheiros.
I'izeram ahi a segunda encominendagao os religio-
sos de Santo Antonio o o clero da froguezia do Sa-
cramento. .
Desla ega foi levado para a torceira, quo tinha tres
degros edoze tocheiros, ainda pelas mosmas pes-
soas. Nesta ultima olliciou o bispo diocesano com o
cabido. _
A igreja eslava armada de velludo e galOes finos,
com toda a pompa c grandeza.
Concluidas as ceremonias religiosas, foi conduzi-
do o caixio para o jazigo na capella onde esta depo-
sitado o principe I). Joo.
Lavrou-se cutio o termo de entrega do corpo do
S. A. servindo de secretario o Sr. ministro do impe-
rio, e de oflicial do secretaria oncarregado do aprc-
senlar esse termo o Sr. Albiuo dos Sanios l'ereira.
Com as ceremonias militares e com as descargas
dos diversos corposquo formaram alas terminaran
as solemnidades do enterro de S. A. I.
A pressa com quo escievemos nao nos permilte
maiores minuciosidades.
TEliMO
na entrega do corpo do serenisnimoi*riu-
cipo imperial o senhor 1>. Affonso, na
ipreja do conralo dos religionoH de S.
.lntonio denla cidade do lllo-dc-Ja-
neiro.
Aos 14 dias do mez de junho do annodonascimen-
lo do Nosso Senhor Jesus-Chrislo de 1847, nesta igre-
ja do convento dos religiosos do S.-Antonio da ci-
dade do Rio-de-Janoiro, estando presentes o sena-
dor do imperio Marquez de Itanliaem, do concelho
de S M o Imperador, e seu cstri.beiro mor, nomea-
do pelo mesmo augusto senhor para exercor o cargo
do mordomo mor nos actos ceremoniaes do acom-
pnhamento e enterro do serenissimo principo im-
perial o senhor I). Affonso, quo Dos chamou
beniavcnluranga ; o senador do imperio Nicolao Pe-
reira do Campos Vergueiro, do concelho de S. M. o
Imperador, ministro o secretario de estado dos ne-
gocios da justiga ; Saturnino de Souza e Oliveira,
do concelho de M. o Imporador, ministro e secre-
tario de estado dos negocios estrangeiros; Candido
Baptista de Oliveira, do concelho de S. M. o Impera-
dor, ministro e secretario de estado dos negocios da
marinha ; o senador do imperio Visconde de Olinda,
0 o senador do imperio Visconde do Monte-Alegre,
ambos do concelho de eslado; e achando-se tam-
bem presente frei JoBo do Espirito Santo, guardia
do sobredilo convento; foi'entregue pelo referido
Marquez, quo faz as vezes do mordomo mor, ao di-
to padre guardiao um,caixio de madeira, forrado
1 de nobreza branca por dentro, e por fra de velludo
MUTILADO

11
i


-~

' '


carmezim, guarnecido de tresgalfles de miro palhe-
ta em cada face, e da mesma orle a tampa, com
upia cruz phi cima de dous cales da mesma quali-
da-'p, ditas fi'chadnras amarillas com chaves diffp-
renles, otros arbolas do ferro de cada lado, forra-
dos de calilo de ottro; pin o qual caixlo disse elle
Marque/, que serve de mordomo mor, e jurou aos
Sanios Kvangelltos, estava um caixilo fabricado de
chumbo, no qual depois de soldado so Iho pea D
tamp urna chapa de chumbo, na qual a gravado o
epitafio seguinteH. C. Alplionsus Petrus princeps
jmpenalis, l'etri secundi Brasilia imperatoris et
Thcrosiff Christinie Marie imporatrcis filius, l'etri
pnmi Brasilia imperatoris et Mane Leopoldina
imperatrieis nepos, Fluminensi civilate proemature
obnt tortio nonas junii anno domini millesimooc-
tingenlesimo quadragesimo sptimoo dentro de-
tecaixaade chumbo estava outro de cedro, forrado
de seda branca, em que foi depositado o corpo do
serenissimo principo imperial o senhor D. Aflbnso
sobre um colxno tambem forrado de seda branca,
levando o mesmo serenissimo principe carniza o cal-
cas de cambraia de linbo com entreraeis do cassa
bordada o renda de Franca, vestido de cassa com
ntremelos bordados, o guarnecido do renda de
Franca, forrado de nobreza azul, com guamicSo de
lagos e fitas azues, meias de seda branca o sapatos
de nobreza preta ; tendo a cabeca descansada sobre
um coxint de setim azul claro com fronha de cam-
braia de Imito, orlada de renda de Tranca, e a face
cobera com um lenco dn cambraia de linho com a
marca P. l.,quo be a abreviatura de principo impe-
rial ; o oual seronissimo principe na sexta-feira,
onze do corrente moz de junho, pelas cinco horas e
incia da tarde falleceu da vida presente no palacio
da imperial quinta da Boa-Vista, o elle Mrquez,
que serve de mordomo-mr o vio, e reconheceu ao
fechar o dito caixlo, trazendo as chavos comsigo, e
acompanhando sempre junto delle, sem o perder de
vista com as mais pessoas cima mencionadas. E
pelo sobredito guardiflo do convento foi dito quo se
dava por entreguo do referido csixfo e corpo nelle
depositado, e se obriga por si e seus successores no
lugar a dar sempre conta do mesmo corpo, ou dos
ossos delle; icando em seu poder urna das chaves
doditocaixflo, ca outra as mitos do Mrquez, que
nesle acto serve de mordomo-mr, para se guardar
onde pertencer: le tudo o que, eu Manoel Alves
Branco, do conceibo de estado, senador do imperio,
ministro e secretario de estado dos negocios da fa-
zenda, e interino dos do imperio, fiz'por especial or-
demde Sua Magestade o Imperador, que se dignou
nomear-me para nesle acto servir de secretario do
seronissimo principe imperial o senhor D. Alfonso,
dous termos deste mesmo leor, um dos quaes fi-
car archivado na secretara de estado dos negocios
do imperio, o outro no archivo publico, indo am-
bos assignados por mim, e por todas as mais pes-
soas cima declaradas. Manoel Alves llranco.N.
P. de C. Vergueiro.Saturnino de Sou:a e Oliveira. -
Candido faptista de Oliveira.Fisconde de Olinda.
Viscond de Monte Alegre.Mrquez de tanhaem.
tr. Judo do Espirito Santo.
Falleceu honlom ;10 do corrente) o Sr. conce-
Iheiro francisco Alberto Tcixeira de AragSo, minis-
tro do supremo tribunal de juslica.
Suceumbio domingo, (3o de maro) violencia
de urna congestflo cerebral, o Sr. Manoel Teixeira da
Costa e Silva, c foi sepultado na capella dos terceiros
do Carmo.
Membro da cmara municipal que com mais im-
portantes obras publicas dotoit a capital do imperio :
encarregado pelo governo da liquidaco de diversas
presas, commissflo esta em quo se houve com o
maiordesinteres.se : juiz do paz na calamitosa poca
das rcyollas de 1831 c 1832, cargo quo excrceu com
tanta imparcialidade e honradez, quo os mais vio-
lentos jornaes da poca nunca cessaramde reconhe-
coroproclamor.-OSr. Manoel Teixeira da Costa e
Silva deixaspguros penhoresde que a sua lembran-
ca Hito ir com elle ao tmulo.
Concedeu-se passagem para o corpo de -enge-
nheiros aoalferes do 1. batalhflo de fuzileiros Ma-
noel Caetano de Gouva.
-O governo deelarou que aos directores geraes
dos indios competem as honras o dslineges milita-
res inherentes ao posto de brigadeiro, cuja gradua-
dlo honoraria Ihes foi concedida.
-OSr. Dr. Antonio Jos Peixolo, mui conhecido
nesta corte como hbil operador, envenenou-se bo-
je, 114 de junho) e acba-se a expirar. Ignoramos a
que se possa atiribuir tflo triste deliberado, que he
geralmento sentida; e fa/emos votos para que an-
da seja possivel salvar-lhe a vida.
O Sr. Carlos Fernando Ribciro, secretario da pre-
sidencia do Maranhflo, foi nomeado 1. vice-pres-
dente da mesma provincia, em substituto do Sr.
Franco le S, actual presidente.
OSr. Franco do S, assim como lodosos presiden-
tes de provincia que sSo deputados, tem de vir oceu-
par o seu lugar na cmara temporaria.
Consta-nos que foram adiadas para4dejulho
as eleicoes dos eleitores que tem de nomear um se-
nador pela provincia do Ri-de-Janeiro, por nao es-
tarem concluidos em toda a provincia os trabalhos
dos concelhos municipaes de recurso da qualili-
CilC.IO.
Consta-nos igualmente que se marcou o dia 24 do
corrente para se proceder a eleicflo de um deputado
pela provincia doBio-de-Janciro, paa preenchera
vaga que deixou na cmara temporaria o Sr. Sou-
za e Oliveira, nomeado ministro dos negocios es-
trangeiros.
O Exm. e Bevm. Sr. D. Manoel Joaquim Goncal-
ves de Andrade, bispo de San- Paulo, falleceu na ca-
pital da provincia s 2 Itoras da madrugada do dia 26
do mez passado.
O cabido elegeu para vigario capitular ao Itev. Dr
Vicente Pires da Motla.
OSr. juiz dedireilo da primeira vara criminal,
Dr. Jos Joaquim de Siqueira, proferio sabbado 5 de
junhoi a sua sentenca de pronuncia nos processos in-
tentados contra os empregados da thesouraria dos
ordenados, pelo desfalque de cerca de 180 contos de
res havido nos cofres pblicos.
OSr. Lirio foi pronunciado em ambos os proces-
sos contra elle intentados, nos artigos 129 8 e 170
do cdigo criminal, como autor da falsificacio dos
livros e do desfalque dos cofres. O mximo das pe-
prfsaoScom1?aVali:oamenCO,,adOS d ann0S de
in.oLMenezes co,">- RUlor da flsiflcac3o, de com-
bin.caocom oSr. Lino, foi pronunciado o artigo
129 8, e como cmplice no artigo 170 o mximo
despenas he de 10 .nnos e 8 mezes'de p^co
e.HnrnJtlJ'M'm? ferreira de Mallos foi
OSr. Felicissimo foi immediatamente restituido u
liberdade.
OSr. Joaquim Jusliniano Velloso foi demiltido
lo empregodeadir'..istrador do corroiod provin-
cia de Goyaz, e nomeado para substitui-lo o Sr. ca-
pilflo Joffo Leite de Azeredo Coulinho.
No dia sabbado, 5 do mez corrente, dignou-so
S. M. o Imperador receber no paco da cidade depois
ilas 5 horas da tarde, em audiencia particular, ao Sr.
D. Francisco de Borja Magarinosdc Cerroto, na qua-
lidade de enviado extraordinario e ministro pleni-
potenciario da repblica oriental do Uruguay.
O vapor inglez Rattler, entrado hontem (16 de
junho) do Rio da Prala, trouxe-nos noticias de Bue-
nos-Ayres at 7 e de Montevideo at 10 do cor-
rento.
AS negociaedos' ontaboladas em Buenos-Ayres mar-
chavam lentamente, como se dovia esperar. Muilas
eram as versos quecorriam tanto naquolla cidade
como em Montevideo sobr as propostasapresentadas
pelos ministros interventores esobre as exigencias
do general Bosas. Nao as repetiremos aqui poris-
so que asjulgamos destituidas de fundamento. O
Depois de havermos communicado aos subscripto-
res urna tSo lastimavel oceurrencia, que, sem duvi-
da, Ibes excitar sentimentos tSo dolorosos, quanto
o s3o os do que neste momento estamos possuidos,
vamos p-los ao corrente desfacto, quo, alem dos
comm'emorados nos extractos quo deixmos feitos,
colhomos em os jornaes cuja recepcao mais cima ac
cusamos.
Ao cabo de rendida disnusso, approvra o sena-
do, a 16dopredito mez, por 17 contra ,13 votos, o
parecer da coirimissSo de coristituieflo, que publica-
mos em o n. 137 deste Diario, e que declara nulla a
cleicBo dos dous senadores por esta provincia.
I'restaram o voto ao parecer os Srs. Velasques,
Mello Mallos, Visconde de branles, Nabuco, Maya,
Vasconcellos, Araujo Vianna, Carneiro Le.to, Cle-
mente Peroira, Cunha Vasconcellos, Visconde de
Olinda, llollanda Cavalcanli, Almeida Albuquerque,
Lima e Silva, Rodrigues Torrea, Conde do Caxras e
Visconde de Mont'Alegre: negaram- Ih'o os Srs. Aur
reliano. Dantas, Alves Branco, Almoida Torres, Alen-
car, Costa Ferreira, padre Marcos, Vergueiro, Barfio
do Pontal, Mrquez de Itanhaom, Lopes Cama, Paulo
que\esabJe com certo grao de veracidado he ose- 'osd Mello, e Mafra : deixaram do comparec^
J^ "ligo 154 do meVmoTod g^por neS"
ca no cumpnmentodos seus devees, or ter assic
te^rtigo'bo0 ST, "i&"
w artigo no de 18 mezes de suspensao do emprego.
que o general
do de sorpreza. No dia 29 respondeu o ministro Ara-
na com um contra-projecto, que no he, segundo se
aflirma, sen.to a reprodcelo das proposicesapre-
sentadas pelo Sr. Ilood, no sentido em que as enten-
da Bosas, menos no que diz respeito a Oribe. Nesle
ponto assegurava-se que propOe separar a questSo
argentina da quesillo oriental, celebrando um trata-
do para a retirada das tropas argentinas levanta-
mento do bloqueio de Buenos-Ayres, dcixando o
ajuste entre ogovevno de Montevideo cOribe para
uina negociacao subsequeute. O interventores res-
ponder m no dia 3 do corrente, mas ignorarse em
que sentido, lima carta de Buenos-Ayres escripia
no dia 7 por pessoa, que nos merece todo o concoito,
diz o seguidle : .
a Os amigos de Bosas alimam quo os mediadores
responderm 110 dia 3 s propostas deste gdverno em
tom* extremamente conciliador. O conde Walcwski
queixa-se,porm,de ter encontrado muita na fe e diz
que encara a solucao da questHo como muito dillieiI.
Lord llowdcn nflo vai taolonge, mas d bem a en-
tender que conta tambem com grandes dilllculddes.
Hoje disse elle a...... que ainda tinha algumat espe-
ran(a>, mas que nada poda assegurar.
Occorreu em Montevideo no dia 28 de mao um
aconlecmento que conslernou toda a popula^ao.
Um soldado da legiflo italiana que se achava de guar-
da no molhe, vendo sabir do caf l.abastie ao capito
Solari, da polaca sarda San-Gallo, a quem aecusava
detorseduzidosuamulher.carregou deliberadamen-
te a espingarda, e seguindo-o ate porta da casa do
Sr. Clanello, disparou queima-roupa umtiro, do
qual cahio inmediatamente morto o capitfloSolari.
A bala, que atravessou o corpo deste desgranado, foi
ferir mortalmente a um joven negociante inglez, o
Sr. Jorge Wlliam Dickson, que se achava a 23 ou 30
passos de distancia na mesma direcc3o. O infeliz
Dickson, moco umversalmente estimado, morreu 48
horas depois.
No dia 20 damaiocelebrou-se um arministicio en-
tre as frcas de Montevideo c os sitiadores, comas
condicesscguintcs:
i.' OsbeHigerantosconservarao por urna o ou-
tra parte os postos quo oceupam, sem que por
nenbum motivo seja pormittido Iranspo-los.
" 2.a Nao eom1111111icar.li) entre si senau por mcio
de parlamentarios.
3.a Ncnbuma bostildade pnder ter lugar sem
que tenha sjdo annuncada 24 huras deantemSo em
cada ponto.
Fste armisticio lornou-se extensivo s pracas da
Colonia e Maldonado.
Cartas de Maldonado do dia 5 de junho annuncia-
vam que o coronel Silveira tinha atacado em Garzn,
a 10 legoas daquella cidade, uina tiva oribista de
300 homens commandada por Laprida, da qual esca-
param so dous sollados, ficando mora ou prisio-
n.iira toda aquella Torga.
OSr. Ouselcy, ex-ministro da Inglaterra em Mon-
tevideo, veio de passagem no Rattler, e seguir para
Inglalearu na corveta Curafoa no dia 26 do cor-
rente.
Temos jornaes de Baltimore al 23 de abril.
As noticias do Vera-Cruz alcancam a 6 do mesmo
mez. No dia 4 foi tomada pelos Americanos a cidade
deAlvarado sem a menor opposicflo, e no dia 5 ca-
hio tambem em seu poder o porto de Antigua.
0 exercito devia marchar no dia 7 sobre Jalapa.
Dizia-se em Vera-Cruz quo Sant'Anna disputara a
passagem aos Americanos com um exercito de 20,000
homens, mas nao se dava crdito a esta noticia.
Sant'Anna estava na capital; no da 24 de marco
tomou.posseda presidencia e nomeou o seguinte ga-
bincto : estrangeiros Mariano Otoro, fazenda J080
Bondero, justica Francisco Triarty, guerra Jos Ig-
nacio Gutirrez.
[De diversos jornaes).
iussaicn
DIABIOD! Pltt.\AB)CO.
ECIT, 27 DE JUNHO BE 18(7.
O vapor Imperador, que hoje chegou dos portos do
sul, trouxe-nos jornaes do Rio-de-Janciro at 17,
e da Babia at 23 do corrente.
Enlutada deixra elle a corto, pelo repentino tres-
passo do berdeiro da cora, do primognito do
Sr. D. Pedro II, de S. A. 1., o Sr. principe D. Af-
fonso.
Restabelecido do ataque cerebral, de que, como em
outra occasiao dissemos, fra acomn.ellido, a 11'
deste mez foi S. A. salteado por 13o fortes con-
vuisOes, que, dentro de 61/8 horas, a ellas suc-
eumbio.
Ojornalismo fluminense, ao annunciar Uo lamcn-
lavel successo, acompanha os progenitores do prin-
cipe na justa dr de quo he natural estejam tepassa-
dos os seus coracOes ; dr que, defeito, nSo pode
deixar de ser compartilbada por todos os Brasi-
leros a cujo conhecimento chegir noticia to in-
fausta.
SS. MM. Imperiaes, n3o obstante estarem incon-
solayels pela perda do primeiro fructo do seu con-
sorcio, nenhuma alterado haviam soffrido em sua
sade.'
No lugar competente encontrarSo os leitores o
programma das ceremonias que precederam ao en-
tenamento deS. A; a descripcuo dessas ceremonias ;
o auto de bito do mesmo Serenissimo Senhor, o o
termo da entrega do seu corpo na igreja do convento
aos religiosos de Santo-Antonio.
ra lodos os meios para que fosse ella feita em sentido
inverso daquelle em que o fra.
A cmara dos Snrs. depulados reelegra para
mcfnbros da respectiva mesa os mesnios individuos,
de que esta se compunha quando commecaram os
seus trabalhos; o upprovra o projecto de voto de gra-
cas, diversas penses, e a fixac3o das frcas do mar
com a seguinte emenda, que a commissSo aprosen-
lra a pedido do ministro da marmita :
No final do artigolaccrescentem-se as seguintes
a alteraces
1.a O corpo de imperiaes marinheiros poder
desdo j ser elevado a 20 companhias, vindo com-
prehendidas neste numero quatro especialmente
destinadas para aprendizes marinheiros, sendo de
106 pracas cada urna das companhias.
2." Ogoverno, quando julgaropportuno, poder
'< desannexar do servico naval e incorporar ao do
exercito o corpo de artilharia d>s marinha; e em
casos de nocessidade para o servico das guarnieres
dos navios armados e arsenaes de marinha, pode-
r empregar at 600 pracas destacadas dos corpos
militares de Imita do exercito, nao podendo as di-
tas pracas estar fra dos seus corpos por mais de
nm anuo. S. R. Coelho. Carvalho de Men-
donfa.
A mesma cmara rejeitra as emendas ofTerecidas
pelo senado a um projecto emque ella d estatutos a
escola de medicina: em seguida approvra, por 30
contra 29 votos, um requerimento do Sr. Anta~o, para
3ue esse projecto fosse julgado vantajoso na forma
o artigo 61 da constiluicSo; o logo depois, por cres-
cida maioria, um outro requerimento do referido
Sr., oqual assim estava redigido :
Requeiro que se offlcieao senado, annunciando
que a cmara dos deputados nao podo dar o seu
i assentimento s emendas que o mesmo fe/ ao pro-
ii jecto de lei adoptado por esta cmara sobre os es-
tatutos da escola de medicina, mas que, julgando
o projecto vantajoso, aguarda o cumplimento do
artigo 61 da constituido que ja tem sido requeri-
do em casos idnticos, atim de pedir semclhante-
mente a reuniio de ambas as cmaras para discu-
tir e deliberar sobre esto ou outro objecto. s
AinJa se discuta na moncionada cmara a lxae,;1o
das Curcas de terrapara o anno futuro;um requeri-
mento em que o Sr. Marinho propoz que sejam
votada por escrutinio secreto todas as decises que
disserem respeito a interossos pessoaes ; e bem as-
sim diverjas outras materias de monos importan-
cia.
Ogoverno declarara quo as escolas de medicina s
podem verificar as cartas de medico, cirurgiBo,, boti-
cario eparleira, por serem esses os nicos ttulos
queasleis Utos permiltern conferir.
O Diario do Ido noticia que o Sr. coronel graduado
Feliciano Jos Neves Gouzaga est nomeado para
commandar as armas nesta provincia. A' vista dos
termos em que a noticia se ucha concebida, parece-
nos quo osla nomcacao he a definitiva, e nao a inte-
rina de que ja imitamos sciencia.
Fra concedida a Jos Gomes Coimbra a servonlia
vitalicia do oflicio de tnbelliSo do registro geral das
hypotliecas da comarca do Bio-Formoso.
O Jornal do Commercio dizque fallecer no Cabo
da B-Esperan^a o Sr. Manoel dos Santos c Oliveira
que all oceupava o cargo de cnsul do Brasil.
O mesmo Jornal transcreve da Gazela de 'ensacla
eilo.S'nn de Baltimoae os artigos, quabaixo copia-
mos, relativos a tomada do Vera-Cruz e do castello
de SJan-Joao-de-Ulloa:
0 vapor do guerra americano Princeton, com o
pavilbao do commodore Conncr, chegou esta ma-
nhfla ;3 de abril) a esto porto e fundeou s 9 i Itorhs,
salvando ao arsenal quando passou. O/Yncetonsahio
de Vera-Cruz em 29 do passado, o trouxe-nos a glo-
riosa noticia do tereni-se rendido disenso a cida-
de de Vera-Cruz e a fortaleza de San-Joao-de-Ulloa.
Fomos obsequiados por um dos olliciaes do Prin-
ceton com o seguinte summario dos successos deste
lu I ha ole fetlo, Ce i t de que resulta maior gloria pa-
ra o nosso exercito o marinha entre asnucesdo
mundo, do que de nenhum dos outros que toom lido
lugar nos nossos animes militares:
Marco 9.Comecou o desombarque das tropas.
14.Poz-se sitio cidadu.
18 As trincheiras de. Vera-Cruz romperam o
fogo noite.
22. Inlimacfio cidade para se tender: ten-
do recusado, sete morteirs principia-
rain o bombardeamento.
25.Urna batera' naval de 3 pecas 4 Paxhan
de 30, e 3 de 68 romperam o fogo de ma-
ullan, na distancia de 70 yardas.
Outra batera de 4 pecas de 24 e 3 mor-
teirs rompeu o fogo. Neste dia a bale-
ra naval abri urna brecha no muro da
cidade ; o fogo causou muito estrago.
26. De madrugada o inimigo propoz Tender-
se. Commissarios americanos os gene-
raes Worlh e Pillw, e o coronel Tolln.
29.--Termnaram-se as negociaces. Acida-
de e o castello enlregaram-se ; as tropas
mexicanas sahiram, e depozeram as ar-
mas. As tropas americanas oceuparam a
cidade c as bateras da mesma, o do cas-
tello; ao meio-dia a bandeira americana
tremulava em ambos, e foi saudada pe-
los nossos navios. A guarnicilo, quu
constava de 4,000 homens, depois de de-
pr as armas, foi mandada para suas ca-
sas sob palavra de na*o continuar a hos-
tilisar-nos. Entro os prisioneiros hasf
generaos, 60 offlciaes superiores e 27o
oMlciaes de companhia.
A perda total do exercito americano, desde o di>
do desembarque, 9 de marco, foi de 65 mortos e f-
O/Jiciaes morios. Capit.lo
ls-
torto. CapitSo J. R. Vinton, do 2 d*
artilharia; capitao Alburts, do 2. de infamara-
guarda-marinha T. B. Shubrick. '
Offlciaes (tridos. Tcncnto-coronel Dicknson. dos
voluntarios deSoullt Carolina, gravemente; teen
te A. S. Balwin,. da.marinha, levomente; tononta
Deiozin Davidson, do 2 do infamara, levemente
tenonteLewis Nelli, do2.odedrages, gravemente'
Todos as feridos vilo bem.
n Entre os Mexicanos diz-so que a carnagem foi
immonsa Ocommandanl am chefe estacionava na
cidade, o oseu immodiatocommandava no castello
Asoafrca regular compunha-se de cerca deS'Ooo
homens, e tinham outros de frcas irregulares Fra
da cidade estava o general La Vega com urna Torca
do 6,000 a 10,000 homens de cavallaria. O coronel
Mamey, com 200 ou 300 dragea americanos carre-
gou e rcpellio cssn immensa frca com terrivel car-
nagem, fazendo-os dispersar em todas asdirecces
Tinham fortificado urna ponte para se defenderem
porm a nossa artilharia destruio logo esso obstcu-
lo, e permiltia gente de Harney perseguidos.
No ataque da cidade e castello, s poderm to-
mar parto os nossos navios pequeos que nSo de-
mandavam mais de nove ps. Pouco fogoso fez con-
tra o castello sendo oataque principal sobre a ci-
dade. Nenhum dos projectis injmigos offendeu os
nossos navios; e o guarda-marinha Shubrick, aue
foi morto, estava servindo em trra,
Com a entrega da cidade perdeu o Inimigo
perangas, porquanlo n3o tinha no castello
scs sufilcientes para ustentar'um cerc"
gado.
n O Princetn he commandado pelo capitSo Enfile-
q liando sahio do Vera-Cruz foi saudado opavilbao
do commodore Conner pelo castillo de San-Jo3o de
Ulloa.% >
O commodore vem como passageiro, pocteraiJ
do substituido pelo commodore Perry antes doce-
meco destas operaces.
Quartol-genoral do exercito. Vera-Cruz, 29 de
marco de 1847.
Senhor.--A bandeira dos Estados-Unidos da A-
merica trmula triumphanle sobre as muralhas des-
ta cidade e do castello de S.-JoSo-de-Ulloa.
i As nossas tropas tomaram posse s tO horas. He
agora meio-dia. O brigadeiro Worlh commanda as
duas pracas.
Os artigos da capitulacSo foram assignados e
trocados hontem a hora avancada da noite. Ineluo
urna copia.
Ja principi \ a organisar urna avancada para o
interior. Talvez seja demorada alguns dias, 4 es-
pora de mais meios de transporte. No entanto ope-
rar-se-ha por terrif e mar contra Alvarado. Nenhu-
ma expedico lateral, porm, intervir no grande
movintento sobres capital.
. Tenho a honra, etc. Winfiblo Scott.Ao Sr. \V.
L. Marcy, secretario da guerra.
II RTICOS DA CAPITULAC/.
1. Toda a guarnic3o ou guarnices se render.lo
s armas dos Estados-Unidos, como prisioneiros de
guerra, no dia 29-do marco s 10 hornada manhSa.
As guarnices saturno com todas as honras da guer-
ra, e deporflo as armas ante os oflciaes que forem
nomeados pelo general em chefe dos exercilos dos
Estados-Unidos no lugar designado pelos commissa-
rios.
2." Os ofilciaos mexicanos conservarlo as suas
armas e pronriedade particular, incluindo cavallos
e arreios, e tanto a ellos como aos soldados so con-
cederfo cinco dias para se retiraron a suas casas.
a ,3.a No momento de render-se a praca e castello,
senlo arreadas as bandeiras mexicanas dos difieren-
tes fortes e postos, sendo salvadas pelas suas pro-
prias bateras, o immediatamcnto depois senlo oc-
cupadas" aS fortalezas de S.-Joo-de-Ulloa, de San-
tiago e da Conceicat pelas frcas dos Estados-Uni-
dos.
4.a Os soldados de linha.depois de renderem-se,
ter.lo o dslino aue Ibes der o seu general em chefe,
e os milicianos rao para suas casas. Os oflciaes do
todas as armas danto a sua palavra, por si o por seus
soldados, do que nfo servirn cmqiianto n;1o frem
devidamente trocados,
5. Todo o material de guerra e tudo o que tol-
de propriedade publica, que se encontrar na pidade
e no castello de S -Joao-de-Ulloa e suas dependen-
cias, pertencer nos ICstados-Unidos ; mas o arma
monto, que nao ficar deterioradoqu inulilisado com
a continuacao da guerra, poder ser restituido ao
Mxico polo tratado definitivo de paz.
ii 6. -Os Mexicanos feridos ou doentes pdenlo fi-
car na cidade com os cirurgics do exercito neces-
sarios para cura-Ios.
7.8 Garante-so protecQBo absoluta s pessoas e
propiedades na cidade, e estipula-so que nenhum
uso Carao as frcas dos Estados-Unidos das proprie-
dades particulares sem previo consentimentodeseus
donos e com equivalente rcmuneraQo.
.' Ca rante-sesolemnoe absolutamente o liber-
dade religiosa
Na Baha corriam as cousas de um modo pouco
satisfacto; io.
O Exm. Sr. Azevedo continuava a ser tratado des-
respeitosamento pela gente que lite faz opposiclto.
A 13 do cadente mez,os escravos de certo marce-
neiro de nomo Lus Bianch, em numero nflo me-
nor do 50, lentaram issassina-lo. A tentativa se
nflo verificara, porque um desses escravos, chegado
o momento da consumma^ao do acto, discordara da
barbara opiniao dos parceiros, e fizera tal alarido,
que cousegura dispertar o senhor u lempo de anda
os poder conten
O Mercantil, dando conta desse faci, observa quo
Bianchi deixra de leva-lo ao conhecimento das au-
toridades competontes, nao obstante baver sido fe-
rido pelo chefo da conspirac3or um dia depois do
descobci ta ella, na occasiao cm que procurava prett-
d-lo para conduzi-lo casa, donde se evadir oes-
se mesmo dia.

CMMERCIt
lega.
Alanllt
RENDIMENTO DO DIA 26.....
Descarregam hoje, 28.
Briguo Esperanca vinho.
Brigue Arago mercadorias.
Calora Seraphina idem.
2611,134


IMPORTACAO'.
Araqo brigue francez.capita S. Deyrieu, vindo de
,,pi|,, entrado em 23 do corrente, consignado a
.iiaeord & Caucanas, manifestou o seguinte :
80 ipas vinh0 lint0> 2 barris dito, 51 ditos dito
81 168 balas papel de embrulho, 28 caixas dito
, "L' 100 ditas enxofre, 50 ditas azeite-doco, 100
n s cl"mbo demunicao, 100 ditas velas de osper-
celo H balas amendoas, 2* ditas alfazema, 20
Mn-ris liiista. 25 ditos azeite-doce, caixas perfil-
aras 20 ditas agoa de flor dolaranja, 10 balis
arfurnarias, 64 fardos barbante, 1 caixa lencos de
va 2 barris ago'ardente, 12 caixas kisch-waser, 6
dlas ago'ardente, 12gigos vinbochampagne, 20 cai-
xas fructas em ago'ardente, 10 caixas confeitos, 1
note doce, 1 caixalame, 20 ditas conservas, 1 p<
rio de nica ordinarra, 2 caixas meias o luvas, 2 di
oleados, 5 ditas sedas, 2 ditas perfumaras, 10 bar-
ricas vinbo tinto, 3 caixas dito dito ; aos consig-
"Ycaixa drogas, 2 ditas bijouterias, 3,000 garrafas
vasias 2 caixas perfumaras, 40 saccas pimeuta, 8
barris ago'ardente, 3 ditos dita, 1 dito licor, 6 caixas
cartas 5 caixa chapeos, 1 dita ditos de sol, 5saccos
rom 5,000 patacOes, urna porgtade sal; ao capitflo
or-
tas
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 26/
Ceral.........-
provincial ....-
Diversas provincias
-
2:256,890
819,466
317,545
3:393,901
PRAGA DO RECIFE, 26 DE JNHO DE 1847,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios.....As transacijOeseffeoluadas pelo pa-
quete inglez Express, que parti es-
\ ta semana para Inglaterra, foram cf-
feituadasa 261/2 d. p. 1,000 rs.
Assucar......Entraran 295 caixas ; naosoffreu
differeiica dosnossos ltimos presos,
c foi pouco procurado.
AlgodSo.....Apenas entraram 146 saceos nes-
ta semana, e vendeu-se a 6,200 rs.
a arrobado de primeira sorte.
Couros......Pouco procurados, eha abundan-
cia.
p,reu........ Vendcu-se a 4,700 rs. o barril.
Bolachinha dem a 4,400 rs. a barrquinha.
llacalho, .... -O consumo foi limitado, e nta
houveram entradas,
Carnesecca O deposito est reduzido adez mil
arrobas, sem alterado de precos.
Karnla de trigo-Chegaram dous carregamentos
dos Estados-Unidos, que anda se nSo
vendern), valendo a americana do
22 a 23,000 rs. a barrica, e a do Tri-
este do 20 a 23,000 rs., conforme a
qualidado.
Entraram depois da nossa. ultima revista 10 em-
barcares e sahiram 2, exisRndo hoje no porto 28,
sendo:2 americanas, 18 brasileiras, 1 franceza, 1
hespanbola, 1 hamburgueza e 5 inglezas.
P.IO-DE-JANE1RO.
CAMBIOS NO Dli 16 DE JNHO DE 1847.
Precos da ultima hora da prafa.
Cambios sobre Londres. ,.....27 $
Pars.........345
Hamburgo......643
Melaes. Ongas hespanhlas. ..... 29,800 a 30,000
da patria.......29,150
Pesos hospanhes.. 1,950 a 2,000
da patria.......1,850
>. Pecas de 6,400, velhas. 16,800 a 17,000
Prata.............100
Apolicesde 6 por cento.......83 3/4 a 84.
provinciaes..........831/4.
{Jornal do Commtreio.)
HA1IIA.
CAMBIOS NO DA 22 0E JUNIIO DE 1847.
Londres.............,27
Paris...............335 o franco
Hamburgo............640 o marco
Lisboa............... 100al05p.c.depr.
Ongas besponhlns.......30,000 a 30,500
mexicanas.........29,500 a 30,000
Pegas de 6,400......... 16,000a 16,200
Moedas de 4,000 ,.....9,000
Prata...............98 a 105
Apolices do seguro Lealdade 19 a 20 p. c. de pr. nom.
o do governo 55 por ceito de descont.
AccOes do banco 20 por cento de pr. nominal.
{Do Uercantil.j
Movinjenlo do "orto.
Vaco entrado no iia 26.
Philadelpbia ; 37 das, brigue americano Pulriam,
do 187 toneladas, capito Joteph Ferrall, equipa-
gem 10,. carga rarinlia, fazendas e inais gneros
do paz; a Fosler & Companhia.
Navios entrados no dia 27. -
Itio-de-Janero, Baha cMacei 91/2 das, c do ul-
timo porto 14 1/2 horas, vapor brasileiro Impera-
dor, de 300 toneladas, commandanto o primeiro
tenenle Joaqum Eugenio Tavares, equipagem 34.
Passageiros : para Pcrnambuco, Rufino Jos Cor-
reia de Almeida, primeiro lenle Jo3o Baplisla de
Olveira Guimaraes, Joaqum Tito do Pinho Lima,
brasileiros; M. Stiorig, Mary A. lxby, Josepli A.
Pailn, W'ilam II. Sewet, George Leserain, Nelson
Caranell, Americanos : para o Maranhfio, Dr. Jos
Hicardo deS Reg com um escravo, Joaqum Ma-
rianno Franco de S, Manoel Gomes da Cruz, Ti-
burcio, escravo, para ser entregue.
Babia : 8 das, hale brasileiro Neretda, de 97 tonela-
O arsenal de guerra compra azeite de carrapato,
dito de coco,, fio de algodao e pavios : quem taes
gneros quizer fornecer, mandara sua proposta, em
carta fechada a directora do mesmo arsenal, at o
da primeiro de julho prximo futuro. Arsenal de
guerra 26 de junho do 1846.
Joto Ricardo da Silva.
Olllm. Sr. inspector interino do arsenal de ma-
rinha manda fazer publico, que contratara", no dia.28
(hoje) do corrento mez, pelas 11 horas da manhfla,oa
fornecimentos de pRo, bolacha e caf moldo, para as
embarcares da armada e enfermara de marinha,
pelo lempo de tres mezes, contados do 1." dejulho
prximo, ou por mais lempo, se os precos a isso con-
vidaren^; devendo ospretendentes apresentarnes-
t secretaria as suas propostas em cartas fechadas,
at o indicado dia e hora.
Secretaria da inspeccao do arsonal de marinha de
Pernambuco, 25 de junho de 1847. O secretario,
Mexandre Rodrigues dos \njos.
A administrado geral dos cstabelecimenlosde
caridade, em cumprimento do artigo 160 do regu-
lamenlo dos mesmos estabelecimentos, tendo de
solomnisaro dia 2 dejulho prximo futuro, anni-
versrioda VisitacSode N. Senhora, padrooira da
casa dos expostos manda fazer publico que no
mencionado dia se franquear entrada as pessoas
que quizerem visitar a predita casa das 4 horas da
tarde as 8 da noite, segundo dispOe o artigo 161ido
mesmo regulamento ; e avisa as pessoas que tive-
rem em sua companhia expostos de qualquer dos
sexos e idade que os deveriio apresenlar pelas 3
horas da tarde do mencionado dia, na revista geral
queso lem de proceder, sob pena de Ibes serem os
mesmos tomados se assim o naofizerem. Adminis-
trag.ta geral dos estabelecimentos de caridade 21 de
junho de 1847. O escripturaro Francisco Anto-
nio Catalcanti Cousseiro.
A administradlo geral dos estabelecimentos de
caridade manda fazer publico, que, no se tendo
effectuado boje a arrematado do fornecimento
dos vveres, de novo convida as pessoas que o quizo-
rom fazer a comparecerem no dia 28 ,'hoje) do corren-
te, pelas 4 horas da tarde, na sala de suas sessOes,
munidas das competentes propostas. Adminstra-
efio geral dos estabelecimentos de caridade, 21 de
junho de 1847.O escripiurario Francisco Anto-
nio Catalcanti Cousseiro.
' -- O abaixo assigado, tabellao do registro geral
das hypothccas desla comarca do Recife, faz sciente
a quom convier, quej se acha no exercico do re-
ferido lugar e que tom ostabelecdo son cartorio
em casa de sua residencia sita na ra Nova n. 68.
Fulgencio Infante de Albuquerquee Mello.
AVISO AOS SENHORES CAIXEIRO^ESTRANCEIROS
DO BA1RRO DO RECIPE.
O administrador da mesa da recebedora do rendas
geraes internas avisa, pela primeira e ultima vez, aos
caixeiros eslrangeiros, para que venham pagar o im-
posto de 120,000 rs. em quo foram collectados, no
prefixo prazo de cinco dias da data deste; pena de so
proceder executivamente e para que chegue a no-
ticia a todos faz o presento aununcio. Recebedora,
25 de junho de 1847.
Francisco Xavier Catalcanti de Albuquerque.
O abaixo assigado, tendo arrematado o diu-
rno do gado vaceum da comarca do Brejo-da-Madre-
dc-Deos doanno financeiro do primeiro de jumo
do 1846 at o ultimo de junho do corrento .anno,
lem de sabir ou mandar arrecadar o mesmo dizi-
mo, do primeiro dejulho prximo futuro em dian-
te marcando e criando, os bezernos que I lie per-
tencerem, o os dexando ficar at o anno vindouro,
tempoem quo pretende fazer junta dellcs para as-
sim evitar conflictos de jurisdcgOos cornos novos
arrematantes. E como nesta comarca hajam algu-
mas fazendas cujos donos moram em outras difie-
ren les ,e quando se vaireceber o dzimo, os va-
queiros nao o querem entregar, dando por pretex-
to nao terem ordem de seus amos usando talvez
destojjxpedienlo para nunca o pagarem ; vindo re-
sultar disto 1180 pequeo prejuizo para o arrema-
tante : por isso faz o presento a'nnuncio aflm do
que chegue a noticia a todos os Srs. que tiverem fa-
zendas de gado nesta comarca para nutorisarem
aos seus criadores ou procuradores para (azerem
taes pagamentos, sob
mente. ~ Brejo, 8 de
Antonio Franci
Precsa-se entregar urna carta ao Sr. Franci
Jos Rodrigues, filho do fallecido Jos ^"cisco
Praca, natural da ilha de San-Miguel, o dr-M-ine
noticia de sua familia: o mesmo Sr., ou alguem q
delle soubcr, queira dirgir-so a praca da Inepen-
dencia, livrarL ns. 6 o 8.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collogio, n. 10, o no Aterro-ila-Boa-
Vista, n. 48, continuam-so a tirar passaporLes tan-
to para dentro, como parafra do imperio; assim
como despacham so esclavos : ludo com brevidade.
Jota Jos do Carvalho Moraes, agontc, nesta
praca, do contrato do tabaco do reino do Portugal,
participa ao respoitavcl, publico que pelo ultimo na-
vio chegado de Lisboa recebeu ordem daquelle
contrato para de hojo om dianto poder vender a re-
talhoo rap prnceza de Lisboa a 3,200 rs.'cada
hote, e om caixas a 3,000 rs. a dinheiro a vista ;
bem como declara quo nao. troca rap a pessoa al-
nena de so cobrar oxecutiva-l guia por outro motivo que nao seja mofado,
lunho e 1847 No J'a 9 Jo crlenle, dosapparecou urna canoa
tico Cordeirode Carvalho. de carreira, pequea, abcrla, quo no paneiro tem a
S. H. T.
Avisos martimos
Vende-se o brigue brasileiro Austral, dolte
de 185 toneladas, forrado do cobro, com todos os
aprestos, o prompto a navegar para qualquer porto :
para examinar, a bordo do mesmo, fundeado no
aheoradouro da descarga da carne secca o para se
ajustar, ta ra da Cadeia n. 45 com Amorim Ir-
inaos. ".
- Quom tiver e quizer fretar urna harcaca ou um
hiato pequeo para o Cear dirja-sc a ra larga
do llozario n. 27.
A direccSo da sociedade Harmnico-
Thealral avisa aos Srs. Socios da mes-
ma, e aos convidados para a recita do
sen anniversario, que, nao tendo sido
possivel, por motivos imprevistos, rea-
lisar o sed divertimentono dia a3 do cor-
ren te mez, comolinlia annunciado n-
cou elle transferido para o dia de hoje ,
segunda-feira, 18 do mesmo, as hora*
do costume tendo validade os bilhetes
j distribuidos.
Furtaram no da 25 do correle pelas6 ho-
ras da mantilla na,rua Vclha sobrado de um andar
quo volta para a esquina doTiocco de Joao-Francis-
co urna volta de cord3o grosso, com um Divino E3-
pirito-Sanlo lima vara do cordao fino, um annel,
com dous corageszinhos um par do pulseiras cu-
fiadas em contas do Rio-de-Janciro um dedal de
prata urna tesoura com canivoto urna volta de al-
jofares com clcheles de ouro. Roga-se aos Srs. ou-
rivos, ou a quem foram offerecidas quaosquer destas
obras, de levarem a mencionada casa, quo s
generosamente gratificados.
Na ra larga do Rozario n. 46 segundo an-
dar, precisa-se de urna amaescrava, quesaiba bem
coznnar e fazer todo o servico de urna casa de pe-
quena familia.
Aluga-se urna boa casa terrea com grande quin-
tal murado na fronte boa cacimba d'agoa de beber,
muitos arvoredos de fruclo parreiras e figueiras .
no principio da estrada dos Afilelos, ao p do Man-
guind ; outra dita com sotao corrido milito fres-
co no becco do Serigado, desta praca : a tratar na
ra da Cadeia do Recife n. 25.
0*10 *10 I* \0 W %!* HWIMWO
O doutor Casanova-, medico francez, babi- O
taboa do meio falta, com um S. na proa o um traves-
s3o de ferro na mesma, correnle nova, e um poda
Sovelho ao p da dita: quem dellA tiver noticia
irija-so a Fra-de-Portas, venda n. 92, que ser re-
compensado.
FurUram, no dia sabbado a6
do correnle, do sitio de Antonio Ferrei-
ra da Costa Braga, na estrada do Man-
guind umrelogio horizontal, suisso ,
com caixa de ouro, e vidroduscober-
to sendo os ponteiros tambem de ouro:
bem como um trancdlim coin urna cha-
ve, tudo de ouro. Koga-se a quabjuer
pes-ioaque do dito relogio tiver n >ticia ,
de participar no mesmo sitio ou ni
ra Nova loja de selleiro n, 18 que
ser recompensado', prometiendo-se to-
do o segredo.
i
Avisos diversos
LOTERA DO THEATRO.
litado peranto a facldado de medicina da'.Ba-
hia e cstabelccdo nesta cidado offerecc ao
publico o seu prestirno, podendo ser procu-
rado a qualquer hora na ra Nova n. 7, pri-
meiro andar, defronte da matriz.de S.-An- s$
Ionio. O mesmo trata radicalmente de mo-
% lestias venreas,_tanto antigs como moder-
to as, por meio de'um remedio nao mercurial.
t Cura tambem radicalmente as dores de don-
S tes, mesmo estando cariados, em poucos mi-
~ nulos.
&m0fc e>?& fo -fia -W ^i* t%$0to5>i*&
Antonio Teixeira dos Santos declara aos lllms.
Srs. ofiiciacs do segHiido batalhflo de artilharia,
que o anuncio publicado por elle sobre a divida
da cania de vento uta se enlende com os ditos
. Srs. oficiaes; raassimeomo Sr. Pompeo Romano
A sociedade que tomou a sua conta o do (:arvai|10, que foi doditocorpo.
rpslo dos bilhetes desta lotera,-para ac- Aluga-se urna casa terrea na ra do Camarita ,
j i ,.1.n.miPiiwlii n. 5,comdua'salcovasenvidraQadas,dousquartos,
bar de todo com os poucos que anda exis- ipenM > cozJn|ia fra > um grande sotilo j quinllll
lem, temresolvdo vende-los a os5oo os murado o cacimba : a tratar na ra da Mangucira ,
inteires, c a }s'5oo osmeios; declarando n-.*Apesso8quecomprou umn vacca parida nesta
que semclbante venda setarasomente ate prflQa,nos flus do anno de 1845, e lhe faltou em
dia I deiunho, vespera do andamen- I846, pode d.rigir-so a praca da Independencia n.
da i. .lejiiuiiu, ve .-.uc., 3, ouaesta typograplua para se lhe dizer onde para.
to das rodas. Vendem-se na Dolica osi. '__ p,.ecsa-sedeum feitor hortelao, o quoentcn-
Joao Moreira, ruado Cabug : no Recife, dadejardim, para o sitio do Sr Francisco Antonio
i- j i- A .. Ma.l TmiiM p do Oliveira, na Pontc-de-UchOa : a tratar no mes-
loja de cambio do 9V. Manoel comes e mosjlJOi
no Aterro-daHoa-Vista, loja de ourives Alugam-seas scguinles casas : una casa ter-
,l ^ U Innnrindn Montp rea grande com duas salas gabinete 6 quartos e
do Sr. Jos Ignacio do monte. *u| grant,ecomcacimba na ra Formosa, n.
$3* Desecaminharam-se, do abaixo assigado 2 2 outfa dila com quilai e cacimba e mais com-
meios bilhetes da lotera do theatro sendo o uu- m'odos para grande familia naTrempe, ra da So-
mero do um l ,818 com afirma do abaixo assigna- lcdade *,,. 29, por 12,000 rs. mensaes; duss ditas
do, e o outro com as lettras (.. J. H. e A (.. cujo nu- DOquenas a rua ,io sebo ns. 52 e 54 por 8,000
mero mo se lembra. Quem os livor e quizer rece- ;s^monsa8 a lralar n0 escriptorio de F. A. de
ber 4,000 rs. leve ao abaixo assigado, no loite-do- 01veira na rua da Aurora n. 26
M.ttn* nrensa de algodao do Sr. Joaqum Jos Fer-
ompras.
lirio, Genovez, com um escravo a entregar.
Terra-Nova 38 dias, brigue ingloz Wemortland, de
195 toneladas, capitfloJicholas Conevay, equipa-
sen) 10, carga 2,147 bafricascom bacalhao; a La-
thamHibbert& Companhia
Iteclaracoes.
MaltOS /prensa de algodao do Sr. Joaq
reir; pois para pessoa alguma ellos nao servem
por j estar prevenido o Sr. thcsourciro.
' Caelano Jos Vendes.
O NAZARENO N. 47
esl a venda na praca da Independencia, livrana ns. 6
o 8. Est muito interessante, traznoticias interessan-
tissmas da corte.
Quem annuncou dar 500,000 rs. a premio sobre
hypothcca em una casa nesta pra?a, procure no
principio da rua Imperial, n. 9.
Quem quizer dinheiro a juros, dinja-se a rua
do Bom-Jezus-das-Crioulas, n. 19, segundo andar
do sobrado que lem venda por baixo.-
As pessoas que annunciaram querer dar a pre-
mio sobro hypotheca em uina casa, um 1:000,000 e
outra 500,000 rs., dirijam-soao cartorio das hypo-
thecas, rua do Hospicio, n. 18, quo ahi se Ihos decla-
rar quem se quer aprovelar do dinheiro annuncia-
do, sob a mesma condicta quo propem os annunci-
Precisa-se fallar como lllm. Sr. doutor J. Car-
dozode Queiroz Fonscca, a negocio que lhe diz
respeito : as Cinco-Pontas, n. 63.
D-se pta de vendagem a 50 rs. por pataca, as
pretas quo distse encarregarem, ficando os se-
nhoresresponsaveisptJasfaltas: as Cinco-Pontas,
"~ A pessoa que, n<~ Diario de sexta-feira e sabba-
da tarue. i
Os abaixo assignados, credores do fallido Anto-
nio Joaquim da Silva Crastro, o cncarregados do
promover, em nonie dos de mais credores, a arreca-
dacita o cobranza do mencionado fallido, deelaram
que entre os bens penhorados o depositadas se
acham as lettras passadas por Manoel Jos Nunes
Guimaraes para pagamenlo das fazendas compra-
das aodito Castro, com as quacs estabelecou loja de
fazendas na cdade deMacei; alim dequoningucm
faca transaecta com dita loja o o dovedor so mo
possa chamar em lempo algum ignorancia, pois
que protestan) usar dos meios legaes para prevenir
qualquer fraude ou extravo. Recio. 26 dejulho
de 1847. Jos Jeronymo Monteiro. -- Me. talmont &
Companhia. James Ciabtree
-Precisa-se de una ama de leite na rua do Quei-
mado, n. 42, segundo andar.
AOS 6:ooosooo U R5,
Na prata da Independencia loja n. 5,
vendem-se meios bilhetes da lotera do
theatro, a 4s'5oo rs, que corre impre-
terivelmente no da annunciado. A elles.,
antes que se acabem.
__Cuilberme Red, subdito inglez, va a Babia. I __
Precisa-so de um feitor portuguez pessoa de |, ,
da confian
pequeo, e
Compram-so oscravos de ambos os soxos do
12 a 40 anuos ; sendo do bonitas figuras, pagam-se
bom : tambem se compram alguns olllciacs de sapa-
teiro : na rua da Concordia, a diroita passandoa
pontozinba segunda casa terrea.
Compram-se, para una encommenda, escra-
vos; sendo de bonitas figuras pagam-so bem : na
rua das Larangoras, n. 14, segundo andar, ou atrs
da matriz do S.-Antonio n. 18, segundo andar.
--Compram-se, sempre, todas as qua-
lidades de frascos de vidro vasios que
serviram d'agoa de Colonia e espiriios
de cheiro: no A'terro-da-Boa-Vista ,
fabrica de licores n. 17.
Compram-so, para fra da provincia, duas es-
cravas que tenliam boas figuras o algumas habilida-
des : na rua Nova, n. 16, se dir quem as compra.
-- Compra-se um solliin inglez em meio uso:
na rua Nova, loja n. 21.
--Compra-se os nono o dcimo tomos do Juueu er-
rante porEugeneSuo, segunda edieflo, impressa
no Rio-de-Janeiro no anno de 1846 na lypogra-
pbia do VHeneuve: na rua da Cadeia de S.-Antonio,
11. 14, primeiro andar.
~ Compra-se. ou aluga-se um moleque, que seja
reforcadoosadio.embora nao tenha habilidades:
na rua da Cruz, no Recife 11. 21.
Viudas.
da Inde-
c em
A 2,500 RS.
Vendem-se pe?as de madapolta limpascom 20 va-
ras a 2 500 rs., ea retalho, a sete vintcns, proprio pa-
ra camisas do meninos, por ser cncorpado; pe?as de
chitas I i mpas, bons pannos, de cures llxas, a 5,00 rs.,
caretalho.asetcvinteiis; algoditazinho largo e en-
cornado, muito tapado,compequeno toquedeavana,
a sete vintcns a jarda; sa. ja prela limpa e superior, a
(,280 rs. o covado: na rua estrella do Rozario, n. 10,
torceiro andar. .
Vende-so um casco do palanqunn em meio uso,
por prego com modo: na rua da Calcada 11. 2.
Vendem-se duas canoas de carroira; duas pre-
tas muito lindas pertencontes a una pessoa queso
retira : na rua da Senzalla-Vcllia n. 110.
Vendem-se pennas para secretaria, de muito
boaqualidade ; resmas de papel almaco branco e
azul imitando meia hollanda ; lucos de filo de Ii-
nho de padrOcs modernos e de lindos gostos, de 1
a 8 dedos do largura ; caixas de colchetes de todos
os nmeros; Inassinhos do phosphoros americanos -
ludo por preco muito barato : na praca
pendencia loja de miudezas n. 4.
Vende-so vinbo de caj em caadas,
garrafas : no boceo da Lingoeta venda n. 8.
Vende-se urna negrnba de 14 a 15 annos, com
principios de costura e engommado e quo sabe
muito bem vender na rua, sem vicios nom acha-
pues; umaditaqueengommae cozmba muito bem
o diario de urna casa ho muito boa quilandoira e
propria para todo o servico de urna casa, por ser
bem desembarajada e muito diligente; Dio so duvl-
da dar-se acontento : n rua cstreita do Rozario,
n. 14, defronto da igreja por cima da loja de bar-
bero.
Compendio Doloroso,
Vende-se na praca da Independencia, livraria ns.
6 e f pelo prego de meia pataca o Compendio Do-
loroso de N. S. das Dores conforme o uso da igreja
de N. S. da Penha, accrescenlado com o regulamen-
to da vida para cada estado, e outros muitoscan-
tigosesprtuaes ; tudoimpresso a cusa de um de-
voto ao qual nicamente os reverendos padres
Capuchinhos cederam a propredade.para que os ven-
desso ao publico por um prego que ebegasse as clas-
ses as mais pobres o que elle satislaz, venden-
do por meia pataca um livrinho que vale, pelo me-
nos, um sello.
Na rua da Senzalla-Hova, n. 3o,
;isa-S0 Oc um iciiur iuiiukuci, |iijga uc 1 1 v
toda conlianga,ouilheo, para cuidar em um slioUpadana) vendem-se juncos de superior
tomar conta dos mais arranjos oxlernoslquaJitla(je em porcao e a retalho, e por
da casa do um estrangeiro na ruado Trapiche-No-|I_ An Jm ;,lfrn niini11 vo n. 10.

I
I menos do que em outra qualquer parte



,1
.
;
A
i
t VenrJem-se superiores chapeos de
.Ja^t, castor, prelosebrancos, por preco
milito barato : na ra do Crespo, loja n.
ia, de Jos Joaquim da Silva Maya
^* EM PRIMEIRA MAff, *&
vendem-se caixas com velas decorado Rio-de-Ja-
neiro e de Lisboa : na ru da Sonzalla armazem
n. HO.
= Vendem-se momitas de ferro para engenhoa de as-
ucar, para vapor, agoa e be tas, de diversos tamanhos-
por prefo conimodo e gualnieote talxat de ferro coado
e batido, de todos os tamanhos: na pra;a do C'orpo-Sau
to, n. 11, em casa de Me. Calmont & Companhia, ou na
ra de Apollo, armazem, n. 6.
Vonde-so fio da India proprio para coser sac-
eos : na ra do Trapiche, n. 8.
Casa da F
na ra estreita do Bozario, n. 6,
Neste cstabelecimento acham-sc a venua as cau-
telas da bem acreditada lotera do theatro publico
desta cidade, Cujas rodas andarflo nfatlivelmente no
lia 2de iulho, fiquem ou mo bilhetes. Na mesma
casa vendom-se meios bilhotescom ganbo.
Atten^ao.
Na ra do Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se chapeos de seda para cabecas de senhora,
os mais ricos, o mais modernos que teem vindo a esta
praga; assim como se vendem chapeos de seda e'de
palhinha para meninasde dotis a 12 annns; toucas pa-
ra mancas, de muito limlos gostos. Tudo chegado
de Franca pelo ultimo navio, e por muito commodo
prego.
--Vende-se cha preto muito superior, em caixas
de 16 libras, proprio para familia ; na ra do Tra-
piche, n. 8.
Na ra da Senzalla-Sova, n. 4a,
contina ahaver um completo sortimento
de laixas de ferro, batido e coado; mo-
endas, e macliinismo de vapor para en-
genho.
Vende-se ferro da Suecia ; folha de Flandres;
cobre para forro de navio; dito para caldoireiro em
porcOes grandes e pequeas : na ra do Apollo, ar-
mazem n. 6.
Vendem-se escravos baratos, na ra das
Larangciras, n. 14, segundo andar: 2
molecotes de elegantes figuras; um dito
oficial de alfaiato ; um pardo, com oll-
cio do sapateiro ; um prcto, por 300,000
rs.; urna preta por 280,000 rs.; urna negrinha de
trtiinnus, denaglo; urna dita de 9 annos ; urna
parda, de muito boa conducta que engomma. cose
e cozinha o diario de urna casa, c maisalguns es-
cravos que se mostrarflo aos pretendentes.
meia dado, por 220,000 rs., bom para trabalhar
emumsitio; um dito bom carreiro e trabalhadoi
de campo : n ra do Passeio-Publico, loja n. 19.
Vende-se urna parda muito propria para o
campo, ou para casa de familia : a fallar na ra da
Cade a do Rocife, loja de Jo9o Jos de Carvalho Mo-
ra es.
Vende-so um oseravn de nacflo Angola do 35
annos pouco mais ou menos; urna escrava de nagSo,
de 20 annos : na ra da Cruz n. 52.

O
a
I
'
t
JS
OJ.2
N
8*

4
>
O
8
i
es
G
6

a i .
3.8
2.3
s
c
I
"'
o
S 2
tn
w
9> o
v
.. 9
2 5.
re
O re
D.J2
3
CU
es
>
o 9
e
-o
o g.
o
o
1.-0
o
"2 "
en
E 5

en
= .2 B ^
c= _j .. _:
S

ti
i
O
za
o
re
re c
r.
1/5
I|l8
-lia
Sf as
9 9 H
o
tic aj ~o
o
ab-sis*
Na loja nova do Passeio-Publico, n. 19, de
Manoel Joaquim l'ascoaI llamos vendom-se pecas
de cima a 2,000 rs., e o covado a 100 rs.; ditas do
chita de assenlocoberto, a 4,500 rs., e a 120 rs. e
covado; ditas para coberta a 6,000 rs., e o cova-
do a 160 rs.; chitas para vestidos, do lindos pa-
dres a 160,180, 200,220,240e 280 rs.; cortes de
chita a 2,400 rs.; pecas de cambraia branca, a 2,500
rs., c a vara a 400 rs. ; cortes de fustOes para colle-
les a 1,000 rs. ; ditos de sarja lavrada a 1,000 rs.;
lencos de seda, a 1,440 e 1,609 rs.; bretanha de
puro linho a 800 e 900 rs ; cortes do meia .casimi-
ra a 2,400 e 2,600 rs. ; ditos de castor a 1,600 rs. ;
lencos para grvala a 200 e 320 rs. ; madapolao a
2,400 rs. a pega e a 120 rs. a vara o muito lino, a
3, 4, 4,800, 5,200 e 6,000 rs; primores para vestidos,
a 320 rs. o covado; cassa lisa muito lina a 500 rs ;
lengos de relroz muito modernos, a 3,500 rs.;
bonshiins decores, a 1,000, e outras militas Ta-
zendas que pelo seu diminuto preco n8o desagra-
darse aos seus freguezes.
Gaz
Loja de Foo Guardn ,
Aterro-da-Boa-Visla, n.5.
Nesta loja aclia-se um rico sortimento de LAMPEOES
PARA GAZ com seus competentes vidros, accende do-
res e bafadores.
Estes eandieiros "o os ...hi,,.,-,..,
mais modernos queexistem hoje : recomniendain-se ao
publico, tanto pela seguraii(a e bom gosto de sua boa
confeceo, como pela boa qualidade da lu, economa e
asseiodeseu servico.
JVa MlCSina loja os consumidores sem.
pie aeliariio um deposito de GAZ, de cujo se atiaiifa a
qualidade, e em niuc.m bastante para consumo.
AO BARATO.
Na nova loja de Francisco Jo-
s Tcixeira Baslos, nos qna-
tro cantos da ra do Quci-
mado, n.'iO, que faz esquina
para a ra estreila do Roza-
rio, vendem-se
cortes de cambraia de lindas cores, muito modernas,
a 3,200 rs. ; pegas de chita escura de muito bom
panno e cores fixas a 5,000 rs. c o covado a 140
rs.; ditas, a 120,160 o200 rs. o covado; pegas de
algodjlnzinho com 17 varas a 2,000 rs.; ditas de
madapolSo largo, a 2,700 rs. ,e deoutrasqualidades
e procos; ditas de bretanha, a 2,000 rs.; dita depu-
ro linho a 320 rs. a vara ; merino preto e fino, a
lf600 rs. o covado ; dilo roxo, proprio para vestua-
rio de meninos e vestidos de montara, a 1,280 rs.;
alpaca muito encorpada a 800 rs.; brim trancado
de puro linho, a 200 rs. o covado; algodoztuho
trangado mesclado a 200 rs. ; dito de listras, escu-
ro eamericano a 240 rs.; meias para meninos ,
80 rs. o par; ditas para meninas, a 200 rs.; ditas
pretas, curtas, a 120 rs.; ditas para senhora a 240,
320, 460 480 rs. o par; lengos de cambraia de tres
pontas^fc 240 rs.; mantas de fil de linho a 2,000
rs.; brins trancados de cores e listras, a melhor fa-
zonda possivel, a 1,500 rs ; cassas brancas, proprias
para cortinados a 3,200 rs. a pega; cassa-chitas
a 320 rs. o covado ; riscados francezes, padrOes mo-
dernos a200e 240 rs. e outras muitas fazendas
do bom gosto por prego commodo.
Vende-se estopa, propria para saceos na ra
do Trapiche, n. 8.
Vendem-se qaatro mastros de plnho : na ra
do Trapiche, n.8.
Vende-se carne de vacca salgada, em barris i
na ra do Trapiche h. 8.
. Vendem-se 191 pegas de cabo de Cairo : na ra
do Trapiche, n 8.
--Vende-se superior sal do Asa, muito erado:
a bordo do brigueTescuna/?ri?ea fundeado do-
rrontedo Forto-do-Matlos ou na ra da Cadoia-Va-
ina n. 17, segundo andar.
. Vende-se um* preta de 30 annos, por 250,000
%, que cozinha Uva e vende na ra; urna dita de
que engomma, ozinh e cose; um preto de
Chapeos finos de
massa, francezes.
Vendem-se os melhores o mais modernos chapeos
de massa francezes para homem : as lojas da
ra do Crespo n. 4, ao pe do arco do S. Antonio ,
e no Passeio-Publico, n. 17, por prego mais com-
modo do que em parte alguma : bem como um rico
sortimento de casimiras francezas o elsticas, de
gostos inteiramente novos, por prego que convida
aos freguezes.
Vendem-se duas casas terreas, com boas com-
modidades quintaes o cacimbas, e urna dellas
com estribara, sitas na travessa do Marisco, outr'o-
ra becco do Peixoto ; urna dita por todo o prego,
sita na ra de Motocolomb, ngs Afogados y esta he
de taipa, o smente tem a frente e retaguarda de
lijlo ; 2 escravos do servgo de campo; urna pedra
quadrada e polida para se moer tinta : tudo por pre-
go muito commodo: na ra Direita sobrado n. 29.
VENDEM-SE
os
MARTYRES
qii o 11 i mu lio dareligiSo chrsliia poema pelo vis-
conde do Chateaubriand traduzido em verso por-
lugucz por Filinto Elysio : na ra do Queimado ,
botica n. 15.
Vendem*se acedes da ex-
tiocta companhia de Fernambuco
e Parahyba : no escriptorio de
Oliveira Irmos & C, na ra da
Cruz do llecife, n. 9.
AVISO
ao madarousmo per-
nambucano.
Na loja da ra do Crespo n. 4, ao p do arco del
S.-Antonio de Ricardo J. K. Riboro e na loja do
Passeio-Publico, n.17, ha um rico sortimento do
chapeos de crep de seda, tanto para meninas como
para-senhoraS o igualmente os hade crep de al-
godito todos no mais moderno modelo e assoiado
gosto de varias e lindas cores que se vendem por
prego mais commodo possivel; advertindo-se que
silo dos ltimos nlicgados.de Paris, o por isso os
mais ricos possiveis : ha igualmente cnfeiles de ca-
brea para bailes c um completo sortimento de
objectos de luxo.
Vcdem-so meios bilhetes da lotera do Thea-
tro, que corre a 2 do jullo infalliveltnente: na ra
Direita, n. 12.
Vendem-se podras de amolar, da melhor qua-
lidade que teem vindo do rio do S.-Francisco, a
retalho e em porgues dar-se-hfo por prego com-
modo : na randa Praia,armazem n. 18.
Vende-se sal de Lisboa fino e alvo,a 1,600
rs. o alqueire da medida velha e sendo porgo se
dar por menos : na ra da Praia, n. 18, aonde tam-
bem se vendem pipas com ago'ardente.
Vende-se urna preta do 22 annos, de bonita
(gura que engomma, cose e cozinha alguma .cou-
sa, e nao tem vicios nem achaques : na ra da Con-
cordia passamlo a pontezinha a direita segun-
da casa terrea.
Vendem-se 6 aegoes d companhia de Bcberibo ,
com as entradas de 80 por cenlo : na ra do Quei-
mado loja ii. 19.
- Vendem-se 3 moloques de 12 a 14 annos, moi-
tolindos; um mulatinho, de 12 annos ; nma ne-
grirthadenagSo ; de 13 annos, ptima para mu-
cama; urna parda de 22.annos, qnecose e engom-
ma liso ; urna escrava, nerita cozmheira e que ei.-
Romma liso; 4 pretos re nago mogos; 10 escra-
vas sendo algumas de nago e com habilidades,
de 16 a 30 annos: na ra Direita, n. 3, defronte do
becco de S.-Pedro.
- Vende-se a casa terrea n. 3, sita na ra do Bom-
Sucesso, em Olinda com um sitio sofTrivel, e casa
reedificada de novo, existindo dentro delta varios
materiaes para acabar algumas cousas que faltan) :
na praga da Bea-Vista, botica n. 6.
Vende-se urna escrava de nagflo, de 14 a 15 an-
nos que cozinha, engomma e cose, sem vicios
nem achaques, e que he muito linda para urna muca-
ma: na ra Nova n. 18.
Vende-se rico fil de linho bordado e
liso o mais tino possivel; casimiras e
meias ditas de ricos padrOes; lengos
de seda de cor, a 1,280 rs.; ditos supe-
riores e de gostos novos; alpaca mui-
to fina ; pannos-finos de crese pretos ;
cassas de cores para vestido, das mais
modernas que ha presentemente ; mur-
sulinas de cores, para vestido, do no-
vos padrOes; bramante de puro linho e
muito fino; bem como um sortimento
de fazendas finas e grossas: tudo por
menos prego do que em outra qaalquer
parte : na nova loja de Jos Moreira
Lopes & Companhia na ra do [Quei-
mado, casaamarella, n. 29.
Vendem-se duas escravas, sendo mi e filha :
na ra do Queimado, n. 14, segundo andar.
Vende-se a padaria da ra Direita, n. 24, que
foi do Caetano .sitaem bom lugar, bastante afre-
guezada para a praga e para o mallo : a tratar na
ra das Cinco-I'ontas, padaria de Manoel Joaquim
Soares ,das6 as 9 horas da mandila, e destas as 2
no largo da Alfandega, armazem do Bacelar. Avi-
sa-se as pcssois que tem fallado sobre a compra da
mesma padaria hajam de entender-se at o dia 30
do concnlu que imprcterivelmento se feixa o ne-
gocio-.
Vende-se iunamorada de casa terrea do podra
e cal, feita a moderna c bem pintada, sita na ra do
Molocolomb, da povoago dos Afogados: quem a]
pretender, dirija-se a ra Imperial, n. 25.
wmmmlmmm
e ptridos, de que o sangue se acha a miudo infecta-
do; percorrem todas as partes do corpo, c so cessam
de obrar quando teem[expulsado todas as-impurezas
"A terceira* preparacSo consiste em urna limonada
vegetal sedativa: he aporativa, temperante e ade-
cente : torna-so em coinmumcom as pilulas e facili
ta-Ihes os melhoresefleitos.
A posigo social do Sr. Morison a sua fortuna n-
dependente,repellem toda a ideia de charlatanis-
mo; cas admiraveis curas, operadas com o se
systcmanocollegiode sadede-Londres, so mais
que garantes da efllcacia do seu remedio. .
Recommenda-se esta medicina, que no pede nem
resguardo de tempo, nem de poigo da parto du
doente a todosos que, atacados do molestias jui-
gadasincuraveis, se quizerem desengaar da sua
virtude.
Oxal que a humanidade feche os ouvidos aos n.
teressados em desacreditar estes remedios to sim-
ples to commodos e to verdeiros.
Vendem-se smente em casa do nico e verda-
deiro agente J. O. Elster, na ra da Cadeia-Velha
n. 29. '
LIVROS BARATOS.
Vendem-so os seguinles livros, um bom missai
Guarda-livros moderno, philosophieLaromiguiere'
Tenue des livres, Mathice philosophie, e outros mais
e de muito diminutos pregos: na praga da Indepen-
dencia, loja de encadernagSo.
Escravos Fgidos.
S
S
3


3
85
CZ5
m
53
S
2 *
j_ M o
5 ,= -
c .a n
2 5
B 3 ca
V) t-
I QJ
u
-8-S
S.3 u
r^^ m .j l
o Z i*
S-3S 8
*"!
O 4>
o2.
n

11*2111 !
ife-Hl
;-0
^o2:S
O
oSz
;
g> 3 3
eSSo
se c~3
o
P C
Jo3
O
3
ai'
C ai 3 -S
O
'I

= a 3
= o
o 0 3 3 2 O 2 3
P, 2 o
Deposilo de vinagre da fabrica
da ra Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, do Frederico Chaves, no Ater-
ro-da-Hoa-Vista, n. 17, onde se achara sempre
grande porgSo e por prego commodo.
Frederico Chaves, fabricante
de licores, chocolate c es-
piritas, no A terro-da-Boa-
Vista, u. 17,
tema honra de participar ao rcspeitavel publico e
com particularidade aos seus freguezes que tem
sempre grande sortimento do bem conhecido cho-
colate de sade, canclla, baunilha e ferruginoso,
este muito approvado para as pessoas que padecem
do eslamago e frialdade por ser muito tnico. O
bom conceitoque tem tido este chocolate, faz com
que hoje participe as pessoas que ainda nao fizeram
uso delle c igualmente aos seus freguezes, que o
teem procurado, e por inconvenientes o nilo teem
adiado. Os pregos so sempre os mesmos, sade,
canclla e baunilha ,a 400 rs. a libra, e ferruginoso,
a 1,000 rs. 'I a inlirni vende ago'ardente do- reino e
Frange, de primeira qualidade; espirito de 36 graos,
semcheiro, em garrafas e em caadas ; genebra
cm botijas cem caadas ; ago'ardente de aniz o de'
canna ; vinagro tinto ago'ardente cm pipas, nos
graosquoquizerem; licores cm garrafas pretas e
brancas, com ricas tarjasdouradas e bocea pratca-
da ; essencia de aniz em ongas e garrafas.
Medicina universal.
Pilnlas vegetae's de James Morison.
A medicina vegetal universal he o resultado de 20
annos de investigagOes do celebre James Morison.
Por incio destas pilulas consoguio seu autor inn-
meras o admiraveis curas, desde as ail'ecgcs que
atacam as criangas de peilo at as molestias chro-
nicas do auciilo. .
A Europa saudou esto remedio como remedio uni-
versal para todas as doengas e at hoje ainda nfio
foi desmentido tal titulo.
Esta medicina vein acompanhada de urna receita
que ensina e facilita a sua applicagflo. Consiste em
tres preparagoes, a saber : duasqualidades de pi-
lulas distinctas por nmeros, e um p : cada quat
goza de modoseacgOos Uivorsas.
As pilulas n. 1 silo aperitivas ; purgam sem abalo
os humores biliosos e vicosos, e os expulsam con)
elljcacia.
Aa de n. 2 expulsam com esses humores, igual-
mente com grande frga os humores serosos, acres
Fugio, do ptder doabai-
xo assignado, um escra-
vo, do nomc Domingos, Je 20 a 22 an-
uos cor parda, baixo, musculoso,
barbado e de suissas fechadas, cabel-
los pequeos, narizgrosso 0 um pouco
chato, tientes alvos, com urna cica-
triz semicircular no anti-brago dirci-
to, de urna canivetada que levou ; he
muito esperto o loquaz, trabalha de
differentes ofTIcios e l alguma cousa.
Como estivesse no Rio, Bahia e Ala-
gdas donde he natural, conta historias
destes lugares; e sendo possivel quo
teuha sabido da cidade pode Iludir a
qualqucr de que he forro. Desappa-
receu na noite do dia 10 do corrente;
levou camisa do chita azul, caigas de
brim pardo trangado, chapeo de pel-
lo velho e sapatos, pois anda calgado,
alm de urna trouxa com roupa. Quem
o pegar leve a ra larga do Hoza rio, n.
30, segundo andar, que ser bem re-
Compensado.-Dr. M.A.da Silva Ponte.
Fugio de bordo do patacho Pelicano um cscravo
de nome Roque, do San-Thomc estatura baixa,
rosto redondo e sem barba, com feridas as pernas,
vestido com camisa e caiga azul e barrete Uiglc.y.
Este cscravo pertence a JoSo Jos Pereira do Azeira,
do Rio-de-Janeiro. Quem oapprehonder, quoira le-
va-lo ruada Cruz n. 66, casa de (andino Agosli-
nho de Barros, por quem ser recompensado.
Fugiram Alexandre, cabra, e Marcellina, pre-
ta que pertencem a Manoel Ignacio de Albuquer-
que Maranhlo, sonhor do engenho novo da Concel-
gto ; ja foram presos ou demorados em Iguaras-
s (Inhaman ) od'ahi tornaram a fugir. Pede-se as
autoridades policiaes e capitSes de campo a captu-
ra dos mencionados escravos que os levem ra da
Cadeia-Velha n. segundo andar, onde serflore-
compensados e se pagar.to todas as despezas que
porventura se tenham feito.
~ Fugio, no din 19 do corrente urna preta crioli-
ta de nome Joanna, de 35 a 40 annos ; comprada ha
poneos dias, e das viudas do scrtiTo; altura legular,
cheia do corpo, fcigOes grossas peitos grandes
e desodos; tem urna cicatriz em cima do ollioes-
i|neido; levou saia de chiln azul de quadrinhos e ca-
begilo do madapollo : quem a pegar leve a ra Im-
perial n. 25, que ser generosamente recompen-
sado.
Fugio um moleque, de nomc Zeferino, cor pre-
ta mal feito de corpo, alto, orelhas muito peque-
as nariz chato sem barba, peitos arqueados;
tem um dos joelhos um tanto meltido para dentro ,
ps chatos, largos e cheios de bichos; tem urna das
pernas um tanto maisgrossa do que outra; levou ca-
misa de algodo da trra, de mangas curtas e cerou-
las do mesmo panno tambem curtas: quem o pe-
gar leve a sua senhora, I). Maria da ConcoicSo Pe-
reira no Giqui que ser gcncrosamenle recom-
pensado.
Fugio, pela primeira vez, no dia 5 do correnle,
o pardo Albino escravo do juiz de direito da co-
marcado Brejo-da-Areia, Antonio Joaquim de 1-
buquerque Mello qjc ora se acha tiesta praga: o
dito cscravo lera 26 anuos de idade; he pardo o n3o
muito escuro de estatura ordinaria rosto com-
prido, barbado o de suissas largas o baixas, cabel-
los annclados, olhos grandes, nariz comprido e pon-
tudo beigos o fallas grossas; tem um lobinbo no
hombro esquerdo ; he sapateiro, cozinhelro, serve
de pagem e anda calgado ; levou calcas e jaqueta de
metim preto, sobro oulra de panno de quadros es-
culos chapeo prcto velho; consta ter dito a algumas
pessoas que queria procurar oulro senhor, e a ou-
tras que procurava urna subscripgao para se liber-
tar. Quemo pegar leve ao dito seu senhor, na ra
deJardim, casa d'aulade primeiraslettras, n. 43,
que-scr bem recompensado.
--No dia 24 do junho dcsappareceu dcsta cidade
a escrava Joanna, crioula, com os signaos seguin-
les : baixa, reforgada do corpo, cara redonda, beicos
grossos, cor fula, natural do aerlSo do Paja, donde
veo ha 8 para 9 annos, com 18 annos do idade pou-
co mais ou menos; levou vestido de cassa com bicos
de linho, saia de algodfiozinho, panno da Costa, o
mais alguma roupa em trouxa. Desconfia-so quo di-
ta escrava fra seduzida, e que se achc nesta oidade,
ou na de Olinda, em podar do alguem, Contra quem
se proceder com o rigor da lei, so logo nfto for en-
tregde a seu legitimo senhor. Roga-se, pois, as auto-
ridades policiaes o capites decampo quo a appre-
hendame levem-na a ra daCadeia, lojajde fazendas,
n. 51, onde se recompensar.

PRN.: NA TYP. DEM. F. DE rARlAi 1874
-


Anuo
de 1847.
Segunda feira 28 de Junho
N;26.
m
Qh
tmQQmm
BE
PEBNHBVGO.
(SOB OS AUSPICIOS DA SOCIBDADE COMMKRCIaL.)
&%
Subscreve-se na Praca da Independencia, toja de livros n. 6 e 8, por laooo ris por auno, pagos adiantados.
PRESOS CORRBNTES DA.PRA(A (Corregido Sabb'do as, 3 horas da (arde.)
j
0a-
---- i"* L1 ~ ^ ^ _-------_____-
5-o o S. 3 <=-;5
O O O O O o o
_ -> O O O oo
o ococooc=
* er*r4OO<0C-

o o
o o
ce o
^ r* -o
o c c c c
o e c v. -f o
O O tO C S*
*l

[mutilado y
V
4


()
I
EXPORTAgO.
Agoardente Ckici -
Algodo I. sorle -
Assucar braoco m caitas -
malcarado -
para em barricar ou
m lacear, branca -
> mascarada -
Couros seceos salgados. -
Meios do sola _
Cbifres da trra -
i do Rio Grande -
EXPORTS.
Rum -__---
Cotton I. quililv -
Sugarin cases wliile -
browo .
a lor Barris or Bag.
while J
brown, -
Drj salted hides -
Taime liides -
On-horns -
PBE90 DA PRAf
#000
14000
0 00
2J000
14*00
ijooo
?fooo
4&JOC0
6|200
5(1700
1100
20100
1*600
110
0200
44500
POR
Pipa.
A rroba.
I. ferro
Libra.
Hum.
Ceulo.
cambios.
L?dref.........................a S81/, d porlj rs. a Odias.
J15"0*.......................... 106 j>orceuio premio, por metalaffi^n^.
J,"0";........................ 66 rU por franco.
Rio de Janeiro.................... ao par
PKATAiniuda................... 14910 a 1/810.
Paiaces Braiileiros........ 14020 a 14940.
Pesos Columiiaroi......... l|20 a I440.
Ditos Meiicanoa........... 14760 l|80n
OURO. Moeda de 84*00 velhas... 16/onn 1641OO
Ditas ditas oras... ItfOOO lOflOO.
Dilas de 44000............ 9*000 a 941011.
> Oncas hespanholas........ a 2;000.
Ditas Petriotieai.......... HjSOO a 2940OO.
''ras....................... >/, e 1 por 100 ao me
FUETES.
ASSUCAR.
Mverprol............... Caitas 4 0 0 k/\
Canal, portos Ingleses.......Dito f 6 10 & 10 0 ^ '
Dito, ditoenlrellamb.e Marre. Dito tilo
Genova.................Saceos {400 Coi 10 /o'
Hamhurgo caitas............... 4 0 0
Bltico........................
Trieste.................Saceos 4 50 Com 5 /, ]
Estados-Unidos................. hnm peso e 10 centos por sacco.
Portugal....................... 100 200
branca........................ fri. 00 e 10 /, de primagem
ALGODAO.
Portugal................,., 600 por @ sem primagem nominal
Franca.................... 400 por (ge lOp.^aocam. de ISOp Ir noininaj,
Inglaterra.................. 711 p d..e 5 p. % de primagem,
Uarcclona.................. 4C0 rif
Inglaterra Seceos (
Franca..............
Estados Unidos.......
COUROS.
i 5 0 0... por tonelada e 5 por cento, | I
............... '0 flancos por toneladas, com 10 p. cen_, I
............... Nao ha. .
>aE3B^mr
.*>.*.
Da dia II de Noremhro de 1844 ) 11 .liante pagarn 00 p. C. o rap ou tabaco
Ja y-j, os charutos ou cigarros, o fumo tui rolo ou em llha.
t'agarOoO p. c. os saceos de canhanusso. grossaria ou gunes da India, os cai-
vetes em Idnna de punlial, as almofadas paracarruagens, as pedras tarradas para la-
gdo, as pedral de cantil ia para portoes, portas e janrllas, as pedras jarradas para
encanainentos. cepas, cunhaes e cornijas, o assucar refinado, crystalisado ou de qual-
quer maueira confeitado, o cha, a agoardente, a cerveja. a cidra, a genebra, o mar-
rasquino, ou oulrnslicores, e os vinbos de qualquer qualidade e precedencia.
Hagar 40 p. c. as alcitifas ou tapetes, o canhamaco ordinario ou grossaria, as
balancas de qualquer qualidade, e rnupa bita, nao especificada na tarifa, asearlas pa-
ra jogar, as escoras de cabo de marlim, o fogn da China em cartas, ou qualquer 011-
rrn logo de artificio, o papel pintado, prateado, nu dourado, sendo de qualidades
linas, o papel pintado para loriar salas em collecces ou paitagens, o papel de llol-
andi, imperial. 011 outro nao especificado na tai la polrora, os sabonetes, o salmo
o sebo em velas, as velas de Slearina ou composico, as araeixas, 011 oulras fructas
em frascos ou latas, sexas, em calda, 011 em espirito, o chocolate de cacto ordinario
o vinagre, os carrinhos, carruagens ou caitas jo^os, rodas, arreios para urna e ou-
|-a cousa as esleirs para forrar casas, os carros para conduzir gente, os sociareis,
a silhes, os areieiroi e tinteiros de porcelana, e qualquer ohjecto de louca nao com
prehendido na tarifa ; os lustres os clices para licor ou rinho de vidro liso ordina-
rio, os d vidro moldado ordinario lavrado ou moldado e larradn ordinario da Alle-
nunha e seinelhantes os de ridro liso moldado ou lavrado, le fundo cortado ou liso.
com molde ou laror ordinario ; os clices'para Cliampanhe ou cervrja, as canecas'
copos direilos de 10 a I em quartilho, as garrafas de ridro at I quartilho ou mais]
sendo todos estes olijectos de ns. I e 2 as garrafas de ridro pretas ou escuras da
mesma capacidade, comprehendidas as que servein para licores ou Le-Roy j os copos
pira tabernas at nina caada, os frascos de vidro ordinario com rolhas do mesnio
al libras ou mala ; ou sem rollia at 2 libras ou mus, os de boca larga com rolhas
do mesmo, M 4 libras ou mais, ou sem roha para opodeldoc os vidroa para a-
lampadas ou candeiros, ai taboas ou folhas de mognoou ontra madeirn fina e tras-
tes de qualquer madeira.
fagaro 25 p. c. o ac, aleatro, zinco em barra ou em folha, chumbo em barra
oulencol, estanto em barra ou em verguinha, ferro em baira verguinha, chapa o
lioguatlos para lundico, folha de Flandres, galha de Alepo, lata em folhas, lalSoem
ehapa, raarhm, salitre, vime, bacalho, pene po, e qualquer outro, secco 011 sal-
tado ; bolacha, carne secca ou de talinoura, herva-dnee, farinha de Irigo, pellicas
ranea ou pintadas, cordovoei ou cortes* de bezerro para calcado, hezerroi e couros
envernizados, couros de poico ou boi, salgados ou seceos sola clara para sapateiro
o u correeiap, cobre e caparrosa.
t-agarifiJO p.c. o trigo emgro, barrilh, eanotilho, espiguilba, fieiras, fios,
franjas, lautijoulas, palhetas, passamanes, sendo de ouroou prata entrefina, ordina-
ria ou falsa : gales da mesan nalureza, ou tecidos com retroz, linho. algodo ou
seda, rendas ou enlremeios de algodo nao bordados leudas de fil, as de algodo,
retrot ou trojal j lencos de camhraia de linho 011 algodo, e bandas de retroz de
malba.
Pagaro 10 p c. os liyros, mappas e globos geographicos, instrumentos mathe-
maticoi, de phvuca ou cliunica, corles de vestidos de velludos oil damascos, borda-
"agarO p c. o canutilho, cordo de fio, espiguiiha, fieira, fios, franjas, ga-
llo defioou palheta. lanlijoulas, palheta, rendas, cadarcos e lodoso mais obiec-
os desta natureza, sendo de ouro e prata fina.
Paga-ao 5 p. c. o carvo de pedra, ouro para dourar, ou quaesqtier obras e
utensis de prata,
Pagarifi 4 f. c. as jolas deouro ou prata, ou quaesquer obras de ouro.
Pagario J p. c. os diamantes e oulras pedras preciosas solas ementes, plan-
ji't racas novas de animaes uteis.
/aaaralOp. c. todos os mais objectos.
Os gneros reexportados ou baldeados pago I p. c. de dire*tos alm da armaie-
"..srat e o despachante presta fianca at a approvaco desta medida pelaAisem-
felea Geral.
Conceilem-se livres de armazenagens, por 16 das, as mercadorias de Estiva, e
dous meses as oulras e fiados estes pratos, pagaraoi'/, p. c. ao mes do respecl
ve /Valor.
OsrdireitMdasfaxendas, que pago por vara, dar entenderle vara quadrada.
Os -oireitos nao podem ser augmentados dentro do anno financeiro ; masoGo-
verno peder mandar pagar em moeda de ouro ou prata. urna vigsima parle das que
forera maiores de 6 e menares de 50 p. c. dos precos das mercadorias, ou mesmo
O Goverao Mi entorilado a astabelecer'um direito differenciaI sbreos gaaeor
de qualquer naco, que sobrecarregar os geueros brasileos de maior direito, qn
iguaes de oulra naco.
v
Os artigos nao especificados na pauta pago o direito mi valorem sobre factura
apresentada pelo despachante 1 podendo porm ser impugnados por qualquer official
da Alfandega, que em tal caso paga o importe da factura ou valor, eos direilos,
Mo caso de durida sobre a classificaco da mercadoria, pode a parte requerir
arbitramento para designar a qualidade e ralor da pauta, que loe compete,
Sao isentas de diieitos as machinas, anda nao usadas no lugar, im que forra
importadas.
EXPORTACAO Os direilos pago-se sobres araUaco de urna pauta sema-
nal na razio seguinte : Aasucar 10 p. c. Algodo, caf, e tumo 12 p c. Agoar-
(lente, couros, e todos os mais gneros 7 p. c. Alem destes direilos pago-se as
Usas de 160 rs. em cada caia, de 40 is, em cada fecho, de 20 rs. eu cada barrica,
ou lceos de assucar, e da 40 rs em cada sacca de algodo.
Couros e todos os mais gneros sao livres de direilos para os portos do Imperio, a
excepeo do algodo, assucar. caf, e fumo, que pago 1 p. c. e as tasas por volme-
Os melaes preciosos em barra pago de direilos 2 p c. sobre o valor do mer-
cado, e a prata e o ouro amoedado nacional ou eslrangeiro paga nicamente '/, p. c.
Os escravos esportados pago 6^000 por cada um.
DKSPEZA DO PORTO As embarcacoes nacionaes, ou estrangeiras, que
navego para fora do Imperio,* pago 00 rs de ancoragein por tonelada: ca
nacionaes, que navego entre os diversos portos do Brasil 90 rs. As que entrareis
em lastro e sahirein com carga e viceversa, pagarn meiade do imposto supra e nn
terco as queentrarem, e sahirein em lastro; e mesmo as que entrarem por lianquia,
ou escala, quer enlrem em lastro, quer com carga Desta iinposico porm leras
isentas as que importaren mais de 100 Colonos lira neos, e as queenlrareen por arribada
Toreada, enm lano que estas nao carreguem, ou descarreguem 1 mente os genere*
necessarios para pagamento dos reparos, que fizerein.
VENDAS DE NAVIOSAs embarcaces estrangeiras, que pasiarem sin
nacionaes, pago 16 p. c a as nacionaes, mudando de proprietano, ou de bandeii
pago 5 p, c. sobre ov'sjrda venda.
REVISTA SEMANAL.
CAMBIO As transaeces pelo paquete Expreu feche.sea 26 '/. d, psr
U0OO ris,
ASSUCAR Sem alteraco: iiouco procurado.
ALGODAO Eotrro 146 saccas: vendasaoi precos quotados.
CU"ROS Abundantes e pouco procurados.
FARINHA DE TRIGO Chegro dous carregamentos dos Estados Unidos,
os qnaes anda nao se vendro.
BAC*.LHAO Sem entradas, sendo o consumo muito limitado.
CARNE DE CHARQUE Deposito pequeo de 10:000 arrobas oa precei
sem alteraco.
Retumo das Embmreaeies existentes neste pollo no dia i6 i* Junho dt 11*7.
Americanas.......................................................... t
Urasileiras............................................................ II
Franceza............................................................ I
II es pan hola........................................................... I
Hainburgueza......................................................... '
Ingleza................................................................. '
Total
A Prorinoia gasa tnnqtilUdada.

IjyiyTjLADOl



()
LISTA das Embrcales existentes neste porto at o dia 19 de Junho de de 1847.
BTluMI
un Junbo
,!,fetn
*
Jimba


1
ti

l
*
10

30
51


52
DONDE TI*.
CiSCO
1817 Junho M
lili Junho H
luiib
Raltimore.
Pliiladelphia.
Bahia
Rio <1 runde do S
Rio-Grandedo S.
S. Malheus
Rio de Janeiro
RioG.doSul
Arribada
Babia.
Caravellas.
Rio Grande do S.
i
P.1.1.
Babia
Biode Janebo.
Ais.
* carac.
Parahvbe.
Kttti
Meiselbe
Baicelona.
NA50.
16
||4T Junho

Junho

5}
lUmburgo.
Liverpool
(lio de Janeiro.
I .iverpool.
Nova Holland*.
Sincerick.
brigtte
Jiimic
palaclio
hrigue
lumaoa
CHacho
rigue
sumaca.
hiate

brigue.

sumaca,
brg-esc.
sumaca
Ealacho
rg-esc.
brigue.
brigne

galera-
barca
brigue.
Amor
Brasil
ROMES.
Kranc
Hesp.
Harot.
Ingl.
J. B. Ripgw.T
Pultiam.
Sania Anna
DnHo.
Victoria
legarlo.
Nitherov.
Despique
Terpsichore
S. Benadicto
Pfnsamenlo Feliz.
Felis Destino.
A ustral.
S.-M.ria-Boa-Sorte.
Sanio Antonio de Padua
Roa-Fe.
Carlota.
Kmulaco.
Felit Ventura.
Henriqueta
Arago.
Esperance.
Chrijliani.
Mary Queen Oftacot.
John Hoirocks.
Serafina,
AcHlles.
Richard.
Tons
iti
187
1
lOt
It!

li
|78
54
44
I
118
185
I
7
116
01
110
I SI
164
178
Mi
140
268
461
l
188
ike
E8TRK.
G. W. Supiulding.
J. Fairell .
Joo de Dos Pereira
Jos Honteiro
Ignacio Piolo Pereira.
Joaquina Soares Mearim.
Joaquina Jote dos Sanio*
Joaquim Jos de Oh'veira.
J. J Santos Moroba.
Mauoel Pereira de Si.
A. f. Lima Fogaca
J. J. Dia*do< Prazeres
Manoel Jos Ribeiro.
Maooel Joaquim dos Reis.
Jos Goncalves Suias.
Antonio Gomes Pereira.
Joo Goncalves Leite.
Jos Joaquim Aires.
Simio Deyriea.
J. Alceua. .
Taggenbrock.
COTlSIOHATAitOta
Wm. Kelly.
S. Sanderson.
John Taylor.
Core* Burnell.
W. Curry.
HenryFroster& C.

Piovaes Se C.
Guadino Agostinhd de B.
Amorim Irmos
M. J. Ramosa Silva.
Guadino Agostinhoda Barros
Machado 8t Piuheiro
a
O Mestre.

Pedio Diaa dos Sanios.
Amorim raos.
a
Luis Rorges de Siqueira.
Nascimenlo Amorim.
Luis Jos de S Araujo.
Mauel Goncalves da Silva.
Manoel Ignacio d'Olivelia.
F. J.Pedro da Costa.
OCapito.
NO. BiebtrltC.
Kalkrrann le Roa.oiuod.
James Crahtree 8t C.
Le bretn Schramm c C.
Jnbnslon P.tCer k.
Me. Calmoot k C .
Me. Calaoot k C.
bMttto.
*****jaaai"
ngolla.
R.-de-Janeiro
Babia1.
Par.
Canal.
Airibada".

1
Pemambuao aa TypogmpkU de M, F. de Fsria.1147.

V
.-'-
)


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELAQAOHJ1_3Y24FP INGEST_TIME 2013-04-26T22:09:50Z PACKAGE AA00011611_08451
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES