Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08425


This item is only available as the following downloads:


Full Text
uno do 1847-
Segniida-feira 22
O DIJRfO pulilica-se lodos os das, que n."o
... ile ciinr i o prero ,U aniKaAura ta d<
T'<2 rs. I'O. quarlel, pago< adiantagoi. Os an-
;0n ilos ssig'i"tej si> inseridos a rnso de
!''"!' or linliM, Os.emlypo diflranlc, e as
' .,.,'iije pe nUd. O quew.o lorem ass!g-
" ,; pacarJ 80 rt por linha, e 100 cin Ijpo
illcrente, por ead. publicarlo.
flIASES DA LA NO MEZ DE FF.VERE1HO
UjntfH. ",,,or" V6 mi": da m*"U-
Crcenla, a J0 u1- d aul,aa.
PARTIDA ODS CORREIOS.
Goianoae Paraliyha, as segundas esextas feirts.
Rio-Grande-do- Norte quimas fciras aomeio-dia.
Cali, Setiiiliem, Rio-Konnoso, Poito-Calvo e
M acet, no i., a 11 c 2i de cada mea.
Garanhuna* llonilo. a 10 e 21,
,1. e l'lores, alie 18.
Victoria, as quliiu feiras.
Ulluda, lodos os das.
PRKAMAd nK IlJE.
frimeira,s 10 limase 6 minutos da manida
Segunda,, 10 horas e 30miuuloi da larde.
(?C
Fcvereiro.
Anno XXIII.
IV. 42.
das da semana.
S2 Segunda. S. Margarida. Aml. do J. dos or-
plioa, do 1. do c da 2 v. e do J. M. da 2 y
23 Terca. S. Lauro. And. do i. doclr. da I
v e do I. de paa do 2 ilitl. de l
Jt Ouarla. >- S. Malliias And. do .'. dociv.
da 2 r. c do 1. de paz do I dist. de I.
26 Quinta/*. Cesaiio. Aud do J. de orphos,
do J. municipal da I vara.
2B *eila. ?. Tarqualo. Aud.to J. dociv. ta I.
v e do J. de paz do I. dist. de t.
27 Sabanlo. S. Leandro. Aud. do J do civ. da
28
I. v. c do J de pai do I diit dr t.
Domingo. S. Romiio.
CAMMOS NO DA 20 DE FRVRREIBO,
.Ir.
Cambio sobre landres de 29, a /,d p
Pars 31 a n. por franco,
n n Lisboa 8S dr premio.
Diae, de ledras de boas luin.s I '/ P-*/e
(JuroDuras lespanholas.... ISjooO
a Mccilasde8fl00v.Hi. ICfOOO a
de GjftOO uov I 01000 a
> del'OOO..... 1'ifOOO a
rraU 'i-ccs ......... iBfiB a
N Peiot columnares... 1*860 a
Ditos mexicanos ... if01
aml ajjuda .......... U'20 a
omci.
2|600
IftflOO
lOflCf)
9JI0O
ijfooo
i/y>
1,701
Accoes da comp.do llcberibe de 50*00011.ao par.
DIARIO DE PEMfAMBUCO.
EXTERIOR.
"
# 8.203,470
COMMERCIO DOS ESTADOS-UNIDOS.
New-York, 1T do dezembro de 1846.
0 secretario do thesouro apresenlou ao congresso,
na sessfio de 14 do corrente, oquadro annual do
rommercio eda navegado dos Estados-Unidos. Eis
os principaes resultados que d o resumo desse qua-
dro mimbrados com o do anno anterior.
A mportaqSo de I8i5--I84(i Ibi....../121.691.976
Exportarlo...................#113.488.516
lialanco em favor do commereio estran-
goiro......................i
Fsla inferioridade da exportacao, com-
i parada com a importaefio, he muito
v maior do que a de 1844-18*5, que foi
de........................* 2.607.958
DifTerenca contra 1845-1846......../ 5.595.502
Esta differenra lie devida a duas causas que a sim-
ples comparado dos algarismos de 1845 e 1816 faz
sobresahir.
mportaedo. Exportacdo.
1845-18*6...........121.691.976 113.488.516
1844-1845...........117.254.56* 114.616.606
llouve, pois, sobre a impor-
tacao um augmento de. 4.437.412
K sobre a exporlacfio urna
diminuieflo de....... 1.158.090
Compre notar, porttl, que esta diminuirlo nfio
provm de diminuiefio na exportarfio dos productos
indgenas, os quacs ofTerecem, pelo contrario, um
progresso sobre o anno anterior.
Exportacao indgena 1845-18*6...../101.7I8.042
1814-1845...../ 98.453.330
Excedcndo em favor de 1845-1846------/ 3.264.712
Considerando o mov ment commercial no seu to-
do, a vantagem he tanibem a favor de 18451846.
A importaefio e exportarlo de 18451846
foram....................../235.180.492
E em 184418*5................/231.901.170
Excedente em favor de 1845-1846. / 3.279.322
Um facto notavcl he o de terhavido urna baixa sen-
sivel no movimento das especies metlicas, tanto im-
portados como exportadas, e tanto americanas como
estrangeiras. Assm, no passo que a exportacflo das
especies diminua na rasiio de /4 701 263, suba o
valor da exportacflo dos productos indgenas na ra-
sfio de #3.264.712. Se os clculos dos autores do no-
va tarifa silo fundados, o anno corrente devora dar
un novo augmento na exportacao indgena, c dimi-
nuir anda in.-i is o movimento dus especies.
A massa dos productos representados poressas di-
versas sommas foi transportada ein .cmharcaccs a-
mcrcanas e cstrangeiras na proporijflo seguintc :
Americana. Eitrangeirat.
Imporlaglto ....// 106,900,891....../ 15,683,621
Exportarlo g 85,850,175......# 26,938,341
Total......../ 192,551,066....../ 42,621,965
Estes algarismos dilo um augmento de mais de tres
inilhocs sobro o anno anterior no que diz respeito a
mariiilia americana, c de #100,000 somento pelo que
toca ni-riiiha eatraugeira.
O movimento dosportosda uniSo durante 1843
1846, d um total de 14,221 ernbaicaQes sahdas, c
de 13,818 entradas
A tonelag'cm total dos navios sabidos montou a
3,189,565, das quaes smente 958,178 pertencem
marinha estrangeira.
Sobro este numero total de 14,221 embarcares sa-
ludas, foram 7,680 pata portos ingleses; c das 13,818
entradas, vicram 7,887 dos mesmos portos; mais de
melado do movimento martimo dos Estados-Unidos
foi, pois, coma CrSo-Bretanha. Estes algarismos ex-
plican, o segredo da poltica dos dous pazes.
Jnutil fura accroscentar que em tudo o que diz res-
peito ao movimento martimo, o anno de 18451846
offerece novos progressos sobre o anno anterior. Pa-
ra dar urna idea do croscimeuto deste lo importan-
te ramo para a unifio, bastar dizer que no anno de
18451846 se construiram nos Estados-Unidos 100
galeras charcas, 1<>4 brigucs, 576 escunas, 355 cha-
upas e embarcarles para canaes, e 225 barcos de va-
por : ao todo 1,420 embarcaqes.
Este quadro, que bz completo contraste com a ac-
tual situaefio do thesouro, explica a conlianca com
que os Estados-Unidos cmpcnhan o seu futuro para
sahirem dos embarazos do presente.
(Cotirrer det Etalt-Um)
A NOVA CONSTITUICAO DO HAIT.
New-York, 15 de dezembrode 1846.
Temos noticias de Port-au-Prince ate 24 de novem-
bro. 0 nico facto importante quo nos trazem he a
promulgarlo da nova constitnQao no da 15.
Esta constituido nito he senloa reproducc.no, com
algumas emendas de pequeo alcance, da constitui-
dlo de 1816, obra do Ption. Baldadas foram as cs-
perancasque nutramos de ver nesti- nova conslitui-
qffo alguns dessos grandes principios que devem for-
mar a base de toda a sociedade liberal, e muito sen-
timos, no interesse do porvir da repblica haitiana,
que os prejuizos e as ideias rotineiras de certos esp-
ritus vencessein as vistas mais sflas dos homens i-
lustrados do paiz frente dos quaes, mao grado o
uccorrido, continuaremos a collocar o presidente Rt-
ch. Acontece aos povos o que acontece aos homens :
as lices do passado raras vezes Ihes sao proveito-
S88. A nffo ser assim, ter-se-hia lembrado o Hait que
hoem grande parto oxclusao da rara branca que
dove attribuir a perda de toda a parte oriental da ilha,
e teria recciado para O futuro as consequencias d
renovaran deslas disposices prohibitivas.
Os Africanos, os Indios esous descendentes sao os
nicos que tecmdireito de possuir bens de raz no
territorio haitiano e do adquirirem a qualidade de
cidndfios. _
Quanto rclgia, mostra-se a constituido mais
liberal; concedo o oxercicio livre de todos os cultos,
estipulando smenlo protecejo especial o congrua
aos ministros da religilo catholica, quo se diz ser a
i maioria dos cidadaos- llounia medida notavcl no
momento em que o protestantismo faz os maiores es-
forcospara ganhar terreno na repblica negra
Ha monos dccisilo no artigo que declara que o
empregodos idiomas em Hait he facultativo, eque
uno poder ser regulado por le sentlo para os aclos
da autoridade publica e questocs jmlieiaes. lie na
verdade cousa singular que urna constitucao Bfio ou-
se proclamar qual he a lingoa do paiz ; se csle artigo
he una transaego ou concossao, denuncia singular
fi aqueza no corpo que o approvou.
Nao nos demoraremos no exame das outras dispo-
sices, quo nao lecm senDo interesse local. Diremos
apenas que se (ixa om ->3 annos a idade para ser no-
meado representante, e em 35 annos para ser eleito
presidente da repblica. A elciq.ao he indirecta, eos
senadores silo csrolhidos pela cmara cm lisia trpli-
ce de candidatos apresenludos pelo prsidentn.
A presidencia he vitalicia e o general Biche he o
presidente. {dem.)
A CUMIA COM O MEXtCOj NOVO PLANO OE OI'EBAQOsS.
New-York, 19 de dezembro de 1846.
A guerra com o Mxico dura ha quasi oito mezes^
o, mo grado as victorias do nosso excrcito e as se-
veras lices que se tcem dado ao inimigo, ncm o go-
vemo ncm o povo mexicano mostram o menor deso-
jo tle fazer a paz. 0 governo dos Estados-Unidos,

r"^
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
pon aie-jranre pirata*.
SECUNDA PARTE.
jbS'il 3^SiS\339o
CAPITULO III.
O VILHO.
Comreceio de ser perseguido, nao quiz Gilberto
lomar a estrada. Cdrrondo de l.osquo embosque
liirou n'un einfim. Dcvia ter cuminhado legoa c
meiaein tres quarlos d'hora. ...
Oniou cntao o fugitivo mn derredor de s.: eslava
na rcalid.de s. Essa solidan o tranqu.ll.sou. Ten-
tou approximar-se da cslrada que, segundo o seu
calculo, devia CTnduzi-lo a Pars.
lasao avisUr unscavallos quosahiam da I. lea
de toquecourt conduzdos por gente delibre eflr
delaranja, de tal so. te se aterrou que t.cou curado
datentaodeeffronur as estradas otornouacm-
brenhar-sc nos bosques.
(?) Vide Dimrio n. *0.
- Fiquemos sombra destes castanheiros, disse
Gilberto; se meprocurarcm, sera pelos caminlios.
Esta noite, de arvore em arvore, de cncruzlhada em
cncrti7illiada introduzr-me-hei em Pars. Dizcm que
aris lie grande; eu sou pequeo, ah me per-
E tanto melhor llie pareceu a i.lcla, quanto era o
temno bello, o bosque sombro, o chao rclvoso. Os
raios de um sol forte c intermitiente, oue comecava
a esconder-se por detrs dos oiteiros de Marly, ha-
viom seccado as hervas, e exlrnliido da trra csses
suaves perfumes da primavera, que participam ao
mesmo lempo da flor c da planta.
Era chegada a hora do da em que o silencio cahe
mais brando c mais profundo do eco que comer a
nssombrar-se ; a hora em que a floreo. fechar-se ev
comh3nocnlix o insecto al.i adormecido; emque a
do rada e susurrante abcllia procura o carvalho
oco auo Ihe serve de asylo e laboratorio; em que o
passa?o se conserva mudo no ramo, c so se Ihe ouve
ociciardasazas; emque o canto nico que anda
?esa he o assohio agudo do merlo, e o tmido gor-
Cirio do iMiitnrroxo. ,
Com os bosques eslava Gilberto acostumado; co-
hecia-lhes os ruidos e o silencio. Tamben, sem rc-
Qectirmais lempo, sem dcixar-so levar de nuor.s le-
mores, lanrou-sc elle aos mallos mal vestidos aqn.
o all das enrugadas rolhas do invern.
A ida mais : em vez. de in,u,ctar-so sen .a Gil-
berto alegra immenso. Aspirava amp amento o ar
vreepuro; va quo ainda desta vez hav.a tnum-
nliado como home.n estoico de todas.as ciadas ar-
madas a fraqueza humana. Que Ihe V"tog<\\*
nfio ter rSo, iiem dinheiro, nem asylo? Nfio linha el-
le a sua chara liberdade? n3o dispunha elle do s, Ple-
' na e inteiramente P
com urna magnanimdade que receiamos nSo ter si-
do dovidamento apreciada, tem offerecido pordiffe-
rentes vezes o ramo do olveira, c feto saber ao go-
verno mexicano quo desejamos a paz ; mas esse go-
verno, comquanto nao possa dcixar de reconhecer
que a conlinua;.1o da guerra arruinar o seu paiz,
persiste obstinadamente na recusa das offertas que
Ihefizemos, c impOc-nos a rruel necessidade do a-
niquila-lo.
Quandoso espalharam as noticias das gloriosas
victorias de lalo Alto c a Resaca dla Palma, todos
pensamos que a guerra eslava torminada. Os exer-
cilos das duas nagocs linliam vindo as inHos, o com-
quanto a frca numrica do inimigo fosse de Iros
contra um Americano, os Mexicanos foram comple-
tamente derrotados. Eoi cntao que o nosso governo
propz a paz aos Mexicanos vencidos, paz que elles
repelliram. Necessario foi dar-lhes outra licao, c de-
mos-lh'a no assalto de Monleroy, onde o valor e a
disciplina dos Americanos tornaran a tiiumphar.
Outra vez se oflercccu a paz, c, longo de ser ardon-
lemenle aceita, reapondeu-se-nos queanossa posi-
?ao seria submettida decsao do congresso eOnslt-
tuinte, que devia reunir-se nol.* de dezembro.
A derradeira offei la de paz depende, pois, da deci-
sflo do congresso mexicano ; mas a julgar pelo ca-
rcter mexicano e pela sua diplojpacia, poucas espe-
roncas restam ao povo americano de que serio acei-
tas as suas proposirftes.
Tcndo sido baldados todos os louvavcis esforgos
feitos pelo nosso governo, torna-se necessario mu-
dar o plano das operares e dar principio a um sys-
lema que coinpellir o inimigo a aceitara paz que
nslhe diclarmos na sua capital.
O governo do Washington encara as colisas dobai-
xo desle ponto de vista, c temos boje o prazer ile a
presentara nossos leitores o novo plano do opera
cues a quo se vai dar principio inmediatamente,
plano que oblivcmos de fonte fidedigna, e que com-
quanto nao seja olllcial, be Ule authentica quanto
nudo ser. O objecto desta mudanca na nossa tctica
he a tomada do forte deS.-Joao-dc-Ulloa por mar, da
citlade de Vera-Cruz por torra, e a marcha do nosso
exercito sobre a capital.
Os preliminares necessarios para levar a cffeito es-
te projecto do campanha ja Toram feitos pelo nosso
governo, segundo nos infurmam. Em vez de mar-
char o general Taylor sobre S.-Luiz-dc-Potos, como
se suppunha a principio, mo avongar aquello gene-
ral alefll tle Saltillo, cuja praca sera por elle It.rtihca-
da. O general Scott ir para Camargo, onde comple-
tara todos osseus arranjos, e dalli para Tampico, on-
de tomar o com mando das forros quo j all temos
edos sele mil homens que lia pouco so mandaran
organisar, eque tcem onlcm tic rounir-se em lain-
pico, base das operaces do general Scolt. Mqol
marchar este general sobre Vera-Cruz.
O general Tavlor, depois de lorlilicar c guarnecer
Saltillo, marchara com o resto das suas forcee, f tai-
vez com as do general Wool, para a costa do (.olplio,
c rara provavelmcnte junecao com o general Scott.
Iteunitlas as forras, avanc,ar este ultimo general so-
bre Vera-Cruz para atacar a cidade, ao nicsnio lempo
que a esquadra alaca r simultneamente a fortaleza
tic S.-Joo-de-Ulloa. Tomados estes pontos, marcha-
r o exercito sobre a cidudo do Mxico.
llera i il.)
VYash inglon, 1 de dezembro.
Dei iao pouco crodito no boato que correu a sema-
na passada de que bava cm projecto crear um dicta-
dor militar e civil para o Mxico na pessoa do coronel
Itenton, qiicnem disso falle! na nu'nlia correspon-
dencia. Julgue, pois, da ininlia sorpreza ao saber a-
gora que nao s se trata seriamente de pr esse pro-
jecto em execueflo, senflo que o approvam niuttos
incmbros do congresso quo a respeito foram consul-
tados, sondo mesmo dessaopimao alguns dos cena-
dores wbigs. .
A marcha quo se quer seguir he a de crear por le
o posto de tcncnlc-general, c nomear depois o Sr
Itenton para esse posto, nomeacao que eni conlir
inail.i. Esta personagem ter plenos poderes como
e.mbaixadorc como gencralissmo. Dirigir a guer-
ra como entender, e negociar ou deixara de nego-
ciar um tratado tic paz como mais conveniente Ihe
parecer. Os wbigs pensara que, a levar-se a offelto
esta medida, dar o general Taylor a sua demissao,
c nesse coso eonsidern-lo-hao provavelmcnte como, o
melhor dos seua candidatos presidencia.
Todas as notieiasquc noschegam demonslram que
o Mxico nao tem o menor desojo ou leneao de fazer
a paz. As nformacfles dadas ao (Umrrier des hlali-
Unis sao indiibilavclmenle exarlas, slo lie, quo o
congresso mexicano rejeitar unnimemente as pro-
postas dos Estados-luidos.
Oprcambalo.da indicarlo do Sr. Thomasson para
pr termo guerra com o Mxico aprsenla Vistas
singulares. Se a guerra que se faz he una guerra de
principios, o dinheiro quo ella nos costa, diz elle,
nao deve ser causa para a sua oonUnuaqfo. Sustenta
tanihoni que urna na^ao generosa nao deve forrar
um poder mais fraco a pagar as despezas da guerra ;
que os habitantes de um territorio conquistado de-
ven dar o sen livre consentiincnto mudanca anles
de se cstabelceer sobre elles qunlquer jurisdicQao, o
que a acqusigao de territorio por meio de conquis-
ta, a menos que nao seja necessara para nossa con-
servaeflo, repugna ao genio do nosso governo.
As concluses do Sr. Thomasson nao poden ser
receidas favoravelmente pelo povo dos Estados-
I nidos. A sua pronosla be precisamente a mesma
queapresentou o Sr. Me. Kay na ultima sessSo do
congresso. A prngressva democracia passou hojo
mnilo alem dessn poltica, e o Sr. Me. Kay nflo tor-
nar a abrir a boca em sua defensa. O que propo o
Sr. Thomasson lie que se Tara a paz quando o Mxico
ikk conceller o Rio-Grande como limite e pagar o
que deve aos nossos enncitlatiaos. Estas eondiqos nao
podem seradmitlidasImje, c portanto he natural
que a guerra continu por ambos os lados.
Ja nao ha a menor din ida do quo os membros do
partido Clay se opporflo tito decididanicnlo a guerra
como o proprio Sr. Webster.
Os interesses protectores ienniram-sc lioje sol) a
dirccc.no do Sr. Biodliead, da Pensvlvania, o obti-
verain 69 votos contra 97 para que fosse tomada em
considoraeflo a conveniencia de augmentaros direi-
tos de mportacflc.
(Corresp. do Journal of Commerre.
I slendcu-se, pois, ao pede um castanhero gigan-
tesco que Ihe ofTereca brando leto entre os bracos
de duas grandes c musgosas railes, c com os olhos no
co que Ihe sorria, adormeceu.
O canto dospassarosodespertou, apenas despon-
tava o da. A o erguer-se sobre o colovcllo doloroso
do conlelo do pao duro, vio Gilberto desenhar-se
pela trplice sabida de urna encruzlhada o azulado
crepsculo, cmquanlo o rpido coelho com a orelha
cm pe fugia aos pulos pelas veredas humedecidas do
orvalho matutino, o o gamo curioso saltando sbre-
os duros cascos para va no meio do umatalho, para
observar esse objecto desconhecido, deitado debai-
xo do urna arvore, c que Ihe aconsclhava a mais
prompU fgida.
Ao por-se em pe, Gilberto senlio que linha Tome :
nao havia querido janlar com Zamora, como nossos
leitores so bao de lembrar, de sorte que depois do al-
moco as agoas-furladas do Vcrsalhus nada mais ha-
via comido. Mas, vendo-se entre arvores, o intrpido
aerimensor dos bosques da l.orraino eda Gliam-
nagne, julgou-se as mallas de Thaverney, ou as do
Pici rehile, ao despertar com a aurora depois de urna
espera nocturna emprehendida por inlencflo de An-
""verdade he que cniao acliava elle sempre aop de
si alguiii perdigao sorprezo na occasiflo do cliaina-
do (>u faisao morto no puleiro; quando agora so
va a seu alcance o chapeo ja bem nialtratado do ca-
minho, e amollecido pela humidadc da manhaa.
Nao era, pois, um sonho que lvera.como ello sup-
noz a principio ao despertar. Versalhes e Luciennes
eram realidades, desde a sua entrada triumphai em
urna, e precipitada fgida da outra.
0 que porm mais o trouce a realidade foi a fome,
NOTICIAS DO MXICO.
IteiD-York, 23 de dtzcmhro de 1846.
Acabamos do receber urna serio to jornal locomo-
tor de Vera-Cruz ale 90 do mez passado.
A parte oflrial do da 17 conten nina circular, da-
tada a 10. dirigida pelo poder ejecutivo interino aos
governatlores das provincias e onschcfes polticos
dos disti icios, ordenando-Ibes que, cm nttcncBo :
urgente necessidade que ha de inslallar o congresso
com a maior brevidade possivel, apressem a remudo
dosdcputsdoveleitos.
O Locomotor ti anscreve do Otario do (.octrno ose-
auinte ofllcio do ministro do interior ao ministro da
guerra, dando importantes noticias da California.
Com tinta de 28 tic oulubro me communica o
cominissaiiogeral do estado deSenalva oseguinto:
a lllin. e Exin. Sr. Acabo tle receber a noticia
tle Que os infmigos norte-americanos que invadiram
a Alta-California foratn quasi completamente ani-
quilados pelo captfio l'lores, com a pequea frca
quecommandava. auxiliada pelos patriticos habi-
tantes tlaquella pennsula. Toniarnm militas tas lan-
chas americanas, mataram muila gente e lizeram al-
guns piisioneiros. Conla-se com conlianca que o
resto ser inteiramente exterminado, nfio s por sun
grande inferioridade cm numero, senfio tambem pe-
lo zelo con que o nosso povo defeude o sou solo e\
sua causa. .._________________
que cada vez mais augmentova, e por conseguinta
se Ihe tornava mais aguda.
Enlfio procurou elle marliiiialmenle em derredor
de si essas sahorosas autoras, csses abriinhos silves-
tres, essas trincantes raizes das suas florestas, cujo
gosto por ser mais picante do que O do ralianete nao
he por isso menos agradavcl oas lenhadores, que v.lo
pela manhfia, com a fouce ao hombro, procurar o lu-
gar da rolcadura
Mas alem de quo nao era anda chegada a sazuo,
Gilberto s vio por all freixos, olmos, castanheiros,
e essas eternas bolotas, que tanto gostam das arelas.
Ora vamos daqui dreilo a Pars, disse entre si
Gilberto. Posso estar, quando muito, a tres ou qua-
tro legoas, c isto he caminho de duas horas. Que
valesotlrcr mais duas horas, quando ha certeza de
nao sottVer mais depois? em Pars todo o mundo
tompUo, eaovr um rapaz honrado e laborioso, o
primeiro artfice quo ou enconUar, nflo mo negara
o pilo pelo mcu traballio.
Em Pars acha-sc n'um da o sustento do segunde,
que mais preciso eu? Nada, comanlo quo lodosos
das cresta, me eleve, e me approxime en....... ao
alvo a que quero altingr.
Gilberto dobrou o passo; quera ganhar a estrada,
mas havia perdido todos os modos de orienlar-se.
Em Taverney, c en todos os mallos circumvizinlios,
conhecia elle o oriento e occidente ; cada raio de sol
Ihe era um indicio de hora e do caminho. A"noito
qualqucr eslreila, nfio obstante ser-lhe dcsconheci-
da pclonome de Venus, Saturno ou Lucifer, Ihe ser-
via de guia. Mas ueste mundo novo, n9o conhecia
elle melhor as cousas do que os homens, e por entre
urnas e outras, era-lhe necessario acertar com o ca-
minho, sapalpadcUas, -- ao acaso.


UM
MtaaMH


Daqui nada do novo tenho a communiear a V. Ex.
No da 24 chegou a eate porto a corveta france-
za Ja Urilianie, procedente da Alta-California, e foi
por ella que recebi a noticia cima.
Dos guarde a V. Ex.
_ H*o y Tamaiz.
Do Monitor Mexicano da 13 de novembro copia
o mesrao jornal o artigo seguinte, que d raaioros
pormenores sobro a tomada da cidade de los An-
gelos,
- MATABA DE NOUTE-AMfMCANOS Ni CIDADE DE
LOS ANUBLOS.
Matallan, 28 deoutubro de 1846.
Acrvela franceza U frillantn, que acaba de che-
gardo S.-Francisco-de-Montorey, na Alta-Califronia,
traz-nos a seguinte importante noticia.
A necessidade de cobrir aquello tito vasto terri-
torio em muitos pontos, ameagadostodos pelos In-
dias, obrigou os Americanos adeixar em cada um
deiles urna fr^a insignificante; do sorto que em
Monierey, que he a capital e o ponto mais importan-
te, nflo havia senflo 30 soldados o em S.-Francisco
10 ou 12.
i ."?AnSe!os> utr'ora residencia das autori-
dades polticas dos districtos, uniram-se os Indios
aos outros habitantes, cahiram sobre os Americanos
e mataram-lhe 150 soldados da esquadra. Esta noti-
cia, que ate certo ponto he confirmada pela que an-
teriormente publicamos do levante naquclla cidade,
e que parece una censequencia natural daquelle
movunento, he autenticada por pessoas dignas
O commandanle da corveta franceza, o conde
de Bussel, assegura-nos que os Americanos eslflo
com o maior receio de quo ogoverno do Mxico man-
de alguma frca contra elles, porquanto reconhecem
agora que deram um passo muito arriscado oceu-
pand,, a California com tflo poucos meios. O conde
de usset accrescenta que, em sua opiniSo, niJo po-
-icm disLr os Americanos de urna frca com que
tentcm o ataque deMazatlan.
[Journal ofCommerce.)
(Jornal do Commercio )
com 1 escravo, Antonio Francisco Bandeira lunior.
Portos do Norte; vapor nacional Imptrador, eomman-
dante J. II Othera. Alera do rtsaa^eiros que
trome dos portos do Norte > Sul leva a
gen bordo:Joaquim do U
Baha; sumaca hrasilcira Santa-Cruz, capitfo Jos
Joaquim Alves, carga varios gneros. Passan
Thomas Neiil, Manoel Francisco Alves, Antonio
Jos Rodrigues, Sebastifio Lopes do Nascimento,
i homas da Itocha Pita, com 4 escrav liostom; patacho americano ftrt, capit!ff:Jsa|^^H
lyn. carga assucar.
New-Vork; galera americana Meliton, capitlo Wil-
liam Carh, carga a mesma,que troux.
Navio entrado no dia 21.
Liverpool; 45 dias, barca ingleza trl, de 213 tonela-
das, capitflo Topping Watter Young, equipagem
12, carga fazendas; a Latham Hibbort k C.
Navio sahido no mesmt dia.
Liverpool; brigue inglez Gaielle, capitflo Mam Pe-
nott, carga assucar.
PERNAMB'JCO.
TRIBUNAL DA RELACAO.
JULCAMK.VT0 NO DIA 20 DE FBVEBEIRO DE 1847.
Desembargador de itmana o Sr. Sigutira.
Na appellacSo civel entre partes, D. Mara Floren-
tina Correa de Almeida como procuradora de seus
lilhos menores e Amaro Connives dos Santos, con-
firmaran! a sentenca. '
/? nU n".a en,lre parles' D- Maria Helena Pessoa
de Mello, Pedro Cavalcantl de Albuquerque Lins e
Joaquim da Silva Pereira, confirmaram a sentenca.
Na dita dita entre partes, Rita de Cassia Pessoa de
Mello e Jos Fernandes da Cruz, receberam os em-
bargos.
*a,d.iladl,a entre partes, D- Francisca da Cunha
Barideira de Mello cosherdeiros e lilhos do finado
Antonio Jos Teixeira Ilastos, mandaram dar vista
ao doutor curador.
Na dita dita entre partes, Anacleto Jos de Men-
donca e Joaquim Cordeiro Ribeiro Campos, confir-
maram a sentenca.
Na dita crime entre partes, Elias Pereira Dutra e a
justica. julgaram improcedente o recurso.
n? i1 Clv':1 *nlre P''tes, Francisco Goncalvcs da
ocha, Francisco Antonio de Oliveira Filhos e ou-
iros, receberam os embargos.
Na dita dita entre parles, Ignacio Joaquim Fernan-
es e outros, e Manoel Claudio deQueiroz, manda-
ram dar vista ao procurador da cora.
Na dita dita entre partes, Luiz Poudra, Joao Pedro
Adour, Unoir Pouget e outros, desprezaram os em-
Nadiu dita entre parles, Manoel do Nascimento
e a viuva c mais herdeiros de Manoel Ignacio Mon-
le'< rerormaram a sentenca cm parte.
Na dita dita entre partes, frei Jos do Silo Jacintho
Mayiginer, fre Joflo Capistrano de Mendonca eopro-
vedor da irmandade de SSo Pedro, mandaram dar
vista as partes.
Na dita dita entre partes, Elias Coelho Cintra e
francisco Jos de Souza, mandaram dar visla s
partes.
Na dita dita entre partes, o juizo o Bernardo llen-
nques, mandaram dar vista s partes. .
IMPORTA CAO'.
Nonger, barca ingleza, vind'a de Liverpool, entrada
no correte mez, consignada a James Crabtree & C,
manifestou o seguinto:
160 gigoslouca, 53 toneladas de carvaode pedra,
12 caixas fazendasdelinho, 57 fardos ditas de al-
godflo, 78 caixas ditas de dito, 8 fardos cobertores de
algodflo, 3 ditos (zondas de laia, 108 barricas va-
stas, 1 embrulholivros. 1 caira mntra. 9 ^n< h;.
tas, cestos di tas, 20 presuntos, 1 barrica mostarda o
conserva, 2 volumes fio de vola, 2barrilinhos man-
teiga, 20 queijos, Svolumes toucinho,2 caixas cham-
panhe; a James Crabtree & C.
3 fardos fazondasde lila, 2 caixas diUs de dita, 32
'litas ditas de algodo, 10 ditas di tas de linho, 3 ditas
chales, 9 ditas e 79 pecas machlnismo, 3 fardos fa-
zendas de linho ; a Johnston & C..-
5 caixas ditas de algodflo ; a rryderc C.
5 ditas diUs de dito, 2 ditas ditas do 13a ; a J.
Stwart
44 fardos fazendas do algodflo, 1 cixa objectos
para escriptorio; a Deane Youle & C.
85 caixas fazendas de algodo, 13 fardos ditas de
dito, 5 ditos ditas de 1.1a, 1 caixa objectos para es-
criptorio, 2 ditas fazendas de algodilo e sedo; a P.us-
sellMellorsA C.
1 qunrlolaago'ardente deFranea; para uso do navio.
14 caixas linhas de algodflo; a J. Cocksholt & C.
5 ditas miudezas; a Latham & Hibbcrt.
75 barris mnnteiga; a N. O. Bieber & C.
1 caixa livros impressos; a S. Masn.
62 barricas aduellas, 28 ditas tampos, 1 porcilo de
arcos velhos; a M. Calmont & C.
2 caixas fazendas de algodilo, 29 fardos ditas de
dito ; a Kenworthv & C.
10 caixas fazendas de algodo, 16 barras de ferro,
1 reixe chapa de dito, 25 toneladas de Torro bruto,
1 embrulho amostras ; a Ridguay & C.
29 caixas fazendas de algodflo, 10 fardos ditas de prximo findo, manda fzer publico, que, da data
dito, 1 embrulho amostras ; a Adamson & C. Mostea 60dias, vai a concurso a cadeira de primei-
1 caixa ferragens, l barrica dita, 1 ditagrelhas,[raslet'rsdosexoremininoda villa do Bonito, ins-
200 fogareiros e 50 chapas para fgflo ; a W. C. Cox. | durada pela lei provincial n. 181, de 5 de dezem-
bro do anuo prximo passado : qualquor pessoa que
do cobre, tem j a maior njr
1 excellentes commodos par"
equizercarregarouirdena.'
i do Vigario, n. 5.
netter escravos para o l',in-
Crande-do-Sul, no patacho Oliveira, queiram despa-
>s, quc.se nflo houver nconvcnienle.o referida
patacho sahir no dia 24 d correnlc sem falta- nas
doverflo os Srs. carrecadores.antes doin di '--
Declaracoes.
OExm ereverendissimo Sr. hispo diocesano,
querendo combinar o expediente do despacho com 8
commodidade das partes, manda declarar que, nflo
podendo dar audiencia a todas as horas, o espacoqtie
para este fim tem marcado he das 8 at is 10 da ma-
nhfl, salvo em casos urgentes, nosquaesem qualquer
hora ouvir a quem o procurar.
Recife, 20 de fevereirode 1847.
Qpadre Prancieco Jo$4 Tavare da Gama,
Secretario de S. Exc. reverendissima.
aocnm o capilflo do patacho, ou com Joflo Va/
na r* dn Cruz, n. 51, 1. andar.
Segu para o Aracaty.com brevidade, o bem co-
ipiecido c veleiro patacho Emulado; recebe carga ,.
passageiros, para o que tem excellenles commodos
dirijam-se os pretendentes a bordo do mesmo, ou a
Manoel Con Silva, na ra da Cadeia-Jo-Rp
cife.
*-por toda a presente semana, deve ohegar da B.
hia o brigue-escuna nacional Laura, o qual segui-
r em poucos dias para o Maranhflo: quem no mes-
mo quizer carregar ou ir de passagem, 'para o que
tem excellentes commodos, dirlja-se a Novaes & ('
.ra do Trapiche, n. 34.
Segu viagem para o Acarac, com a maior bre-
vidade possivel, o hiate Elisa: quem no mesmo qui-
zer carregar ou irde passagem, at odia 24 do cor-
rente, dirija-se ao capilflo a bordo, ou ao consigna-
tario, Manoel Concalvcs da Silva, na ra da Cadeia-
do-Recife.'Adverte-seque tantoos fretes como passa-
gons serflo pelo mais mdico progo.
-- O Illm. Sr. director do lyco, emcumprimen-
t 'a onlcm do Exm. Sr. presidente, de 25 do Janeiro
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 20.
f;era!- ........... 2:333,569
Provincial........... 806,103
Diversas provincias........ 33 830
3:173,502
PRACA DO RECIFlC 20 DE FEVEREIRO DE 1847, AS
TRES HORAS DA TARDE.
REVISTA SEMAKAL.
Cambios Houveram transaci;Oes regulares a 29 e
30d.p. 1,000 rs.
Algodo Entraram 791 sancas, c houveram vendas
a 6,400 rs. a arroba de primeira sorle, e
5,900 rs. do de segunda.
Assucar Entraram 490 caixas e abundancia de sac-
ras ; os precos silo majs firmes, e houve-
ram grandes vendas de 950 a 1,000 rs. por
arroba sobre o ferro do encaixado ; de
1,700 a 2,100 rs. do branco embarricado
c ensaccado, e do 1,450 rs. a dita do mas-
cavado dito.
Couros l'ouco procurados.
Azcite doce Vcndeu-se de 3,000 a 3,200 rs. o galflo.
Bacalhao O deposito he de 8100 barricas, tendo-so
vendido a retalho de 10,000 a 13,000 rs. a
barrica
Carne secca o deposito he de 24,000 arrobas, in-
clusive um carregamento entrado esta se-
mana e as vendas foram regulares de
2,600 a 3,000 rs. a arroba,
i-annlia de trigo Vendeu-se a retalho de 17,000 a
20,000 rs. a barrica.
Manteiga Vendcu-so de 480 a 530 rs. a libra da
ingleza.
Entraram depois da ultima revista 9 embarca-
coes, esahiram 21, existindo hoje no porto 53 : sen-
do 2 americanas, 27 brasileiras, 1 hespanhola 3
irancezas, 12 inglczas, 4 portuguesas, e 4 suecas,
'"", r
COMMERCIO.
Alfandega.
RENDIMENTO DO DIA 20.......11:772,207
DESCAItlKAM HOIE 22.
BarcaJ?anarmercadorias.
UTigue Broomebacalhao.
Felizmente, pansou Gilberto, vi uns postes, on-
de estflo indicados os nomos das estradas.
Eendireitou para urna encruzilhada, onde vira es-
sea postes indicadores.
Haviam com efleito tres, um indicava ocaminho
de Marais-Jaune, outro de Champ-dc-rAlloiiet(e e o
lerceiro de Trou-Sal.
Mas que adantava Gilberto com isso? tres horas
percorreu o bosque, sem jamis poder sahirdelle.
Tinha a fronte inundada de suor, por muitas vezes
havia tirado a casaca ecollete para subir a algum
castanhero collossal, mas ao chegar-lhcao cimo, s
Vcrsalhes va, ora direita ora i esqueja. Vcrsa-
Ihes paca onde como quo urna fatalidad constante-
mente oarraslrava.
Maio louco do raiva, sem ousar metter-se na estra-
da pela cenvicQflo em que eslava deque Lucienncs
em peso corriu aps elle, foi passando semprc pelo
interior do bosque, a aldeia de Viroflav, depois a de
Chavule e dahi a villa de Svres.
Dava meia hora depois das cinco no castello Je
Meudon, quando elle chegou ao convento dos capu-
cniihos, situado entre a manufactura eBellevue-
uaiii, subindo a urna cruz, cm risco de a quebrar.
nrr,f ser,rodad? ylv0 como Sirven, por sentenca d
parlamento, avistouelle o Sena, o burgo e o fumo
oas pnmciras casas.
in?Jdd P0rcm doSeBa Pelo centro do burgo e
rentodessaa casas passava a estrada real deVcrsa-
Ihes, da qual tanto ulerease tinha em se desviar
n.n.0MU.m inslanV ""o leve mais Gilberto nem fome
^1 ?, 1?; V,ra em,lm no horttODta urna grande
mjiltidflo de casas sumidas nos vapores da manhfla
julgou quo era Pars, para la deitou a correr, os
parou, quando sentio que Ihe ia faltar a
racao.
.Uovinjeiito do Porto.
JVaei'oi sahidos no dia 20.
Portos do Sul;paquete de vapor nacionalS.-Salvador,
comm.ol.0 tenente Antonio Carlos do Azeredo
Coutinho. Almdos passageiros quetrouxe dos
portos do Norte para os do Sul.leva a seu bordo-
para Macei, o doutor Francisco Domingues da
Silva, com 1 escravo, padre AfTonso de Albuquer-
que Mello, padre Miguel Joaquim deAraujo oum
carpinteiro da armada imperial: para a Baha Joflo
Mana Seve, com 1 escravo, alferes Manoel Baptista
Ribeiro de Farias, Jos Pereira de Araujo Pinheiro,
com escravo, Francisco Antonio Vital de Olivei-
ra : |iara o Rio-de-Janeiro, tenente Francisco do
llego Barros Brrelo, Joflo Alves Honorio Bezerra
de Menezes, com 1 escravo, Jos Concalves da Sil-
va, com 1 escravo, Antonio Victor de S Barrcto,
Achava-se entilo no bosque de Meudon, entro Fleu-
ry e Plessis-Piquet
Ora vamos l, disse elle olhando em derredor
do si, deixemo-nosderuimvergonha. Nflo he possi-
vel que nflo encontr algum iornaleiro madrugador
se quizeroppora mencionada cadeira dver com-
parecer nesta secretaria com as habilitacOcs do cs-
tylo, para poder ser incluida nu lista das opoosito-
ras. rv
E para que chegue a noticia a todos, manda pu-
blicar o presente edilal pela imprensa.
Secretaria do Ivco de Pcrmambuco, 9 de feverel-
ro de 1847.
0 secretario,
Joo Pedro Pessoa de Mello.
O abaixo assignado, segundo escripturario da
mesa de rendas internas provinciacs desla cidade ,
encarregado para proceder no bairo da Boa-Vista ao
lancamento da decima dos predios urbanos, faz
constar aos inquilinose propietarios, quedar prin-
cipio no dia 80 do correle mez, pela ra do Aterro ,
e recommenda aos mesmos que tenham promp-
tos os papis de arrendamonlos recibos e outros
quaesquer ttulos que Ihe serflo presentes no acto do
lancamento, para por elles verificar os arrenda-
monlos dos ditos predios, segundo o disposto no art.
10 l.o cap. 2.* do regulamento de 16 de abril de
1842. Recife, 18de fovereiro de 1847. Fran-
cisco dt Paula e Silva.
\visos diversos
WB?5
Avisos martimos.
Para o Aracaty segu, com muita brevidade ,
o hiate Novo-Olinda, meslre Antonio Jos Vianna ,
tendoj a maior parte do seu carregamento trata-
da : queni nelle quizer carregar, ou ir do passagem
falle com o mesmo mestre, no trapiche novo.
Para o Ass seguir, no fim do mez, o brigue-
escuna Henriqueta tocando nos Touros e Caissara ;
tendoj urna grande parte da carga tratada: quem
nelle quizer carregar, ou ir de passagem entenda-so
como mestre, no Ira piche novo, ou na ra da Ca-
deia-Velha, n. 17 segundo andar.
Para o Rio-Crande-do-Sulsahir breve o veleiro
brigue Animo-Grande,por ter o seu carrega monto con-
tratado ; recebe escravos, bem como passageiros,
para o que tem bons commodos quem pretender
entenda-se com Amorim Irmflos, na ra da Cadeia ,
Para o Porto sahir com brevidade a barca Bel-
la-Pernambucana, por ter parto da carga prompta ;
quem nella quizer carregar ou ir de passagem, para
o que tem excellentes commodos, dirija-se ao capi-
lflo na praqa, ou ao consignatario, Antonio Francisco
de Moraes, na ra da Cadeia do Recife, n. 51.
Para Lisboa sahe, com a possivel brevidade, o
brigue portuguez S.-Domingos, por ter a maior parte
da carga prompta: quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passagem, para o que ofTeroce bons commo-
dos, dirija-se aos consignatarios, Mendes & Tarrozo,
ra da Cruz, n. 54, ou ao capilflo, Manoel Concalves
Vianna, na praca do Commercio.
Para a Baha sahe o hiate nacional Flor-do-lle-
Irmandade dos liartvros.
A mesa regadora da irmandade do Senhor Bom Je-
ss dos Marlyrios da groja nova desta cidade, nflo
dando nenhum peso ao annuncio inserto no Diario
de 20 do corrente, com as assignaturas de Jos Pe-
dro de Sant'Anna e Silvestre Antunos, por ser o mes-
mo destituido de fundamento, eso filho dounia
yerdadeira intriga resolveu responder aos seus ^
irmflos eao publico imparcial que a mesa regedora
deliberou apresentar em solemne procissao os mar-
tyrios do Senhor na quarta sexta-feira da Quaresma,
epara esse fim dirigi diversas cartas aos seus ir-
mflos, e imcumbjo orecebmento das esmolas aos
irmflos, Jos da Trindade Grvala, Joflo Raptista,Joflo
Germano, e outras pessoas que Ih'es merecen! toda a
confianca, a quem pdenlo todas as pessoas que
desta mesa receberam cartas, entregar as suas es-
molas sem a menor duvida, Quanto a esse litigio ,
de que os citados Jos Pedro o Silvestre Antunes
quercm agora valer-se, para incutir nos nimos dos
nossos irmflos, que elles silo os legtimos mesarios,
a mesadeixa de Ihes dar a menor satisfaeflo, porqu
nflo he a mente delles mas sim a do illutsrado ma-
gistrado, juiz da questflo pendente, que a tem de
julgar, que decidir se elles devem ou nflo entrar
para o gremio da irmandade; questflo esta que es-
peramos ser, pelo contrario, decidida em nosso fa-
vor; no entanto que nflo silo nicamente os dous ir-
mflos referidos os legtimos representantes do urna
mesa, para fazerem a procissfio, por isso que esta he
feita pelo aecrdo da mesma mesa, e nflo por vonta-
de absoluta de dous homens que querem arrogar
um poder sobre todos. Fica portanto, respondido o
I" mencionado annuncio, e confiamos nos nossos ir-
mflos que, a despeito destas vingancir.has, darflo
as suas esmolas. Consistorio, 20 de fovereiro de 1847.
Manoel do Livramenlo Silva e Mello, procurador ge-
ral. Joaquim Zi-fcrino da AssumpcSo, eserivflo pYesi-
dente. rfrano Jos do Amparo ; Joio Baplitla Lo-
pes ; a rogo de Manoel Urbano, Joo Germano ; Luiz
llamos da ConceifSo : Antonio Joio Pfreir ; a rogo de
Thedoro, Francisco das Chagas Baptista; mesarios.
Joio Germano do Espirito Santo, procurador de
Santo-Antonio. Uy palito Jos da Silva, thesoureiro.
Attencio!
No deposito de bichas de Joaquim Antonio Carnei-
ro, na ra da Cruz do Rocifc, n. 43, so acaba de rece-
ber umagrandequautidade de bichas hamburguezas,
asquaesestfloa vista parase verificar a sua verda-
deira qualdade, o para se vender aos centos c a re-
talho, por menos do que em outra qualquer parte :
tamhem se alugam e vflo-se applicar para commodi-
dade dos pretendentes. Venham, freguezes, emqllan-
to dura a pechincha.
Do 4 para 5 do corrente, furia rain do Barbalho
um cavallo de carga, que representa ter diversos sig-
naos pelos quaes pode fcilmente ser apprehendi-
do ; he ruco com diase cauda aparadas orcinas
cabanas, o tom de mais visivel um ferro na perna di-
reita e na p correspondente duas cicatrizes horizon-
taese pararcllas. Roga-sea qualquer pessoa que o
apprehenderdeannunciar ou dirgir-se a travessa
das Cruzes, n. 8, ou ao engenho Garana, que se re-
compensar.
Recebcm-se escravos para se venderem tanto
para fra da provincia como para engenho offe-
recendo-se toda segranos para os escravos : na ra
Nova n. 40.
necessidade natural. A nflo ser todava que meu r-
mflomcdiga: esta parte que reclamas hedeminha
mullier, c do meus filhos; ou tambem eu sou mais
rorte, e comerei este pflo, mo grado teu.
Eslava Gilberto nestas disposicOes de lobo esfai-
dess nn vtn ia <... i,.,k.....-------'""'T'' r.siava (.noeno nesias
respi-
dos os homens sflo irmflos, c por consoquencia devem de crnicos e golp
ajudar-se mutuamente. Vos tendes ahi mais pflo do
que vos he preciso, nflo s para o al moco, msale
paralodoodia.emquanto cu morro de omc. E en-
tilo elle me dar a melado desse pflo.
A fome lornava Gilberto anda mais philosopho, o
qual continuou as suas reflexoes m.entaes assim :
Nflo he, dizia elle, tudo commum entre os ho-
niens sobre a Ierra ? Dos, essa origein eterna de to-
das as cousas, den porventura a este ou aquello o ar
que fecunda oslo, ou oslo quo fecunda os fruc-
ios? Nflo; o que ha he
mas
sopb
mais do quo um norncni a quem De* emprstou.
E nisto nflo fazia mais Gilberto do que resumir
com intelligencia natural cssas ideias vagas e inde-
cisas naquella poca, e que os homens sentiam gy-
rarnosares, e passar-lhes por cima da caneca, como
nuvens impellidas para um s ponto, at qu amon-
toadas foi mam a tempestado.
Alguns, continuava Gilberto seguindo o seu
caminho, alguns retem forca o que a todos perten-
ce. Pois bem a esses pde-sc arrancar frca o
que elles s teem direito de repartir. Se meu irmfio
que tem pflo de mais para si, me recusa urna porcilo
desse pflo, que devo eu fazer?....... tomar-Ufa
torca, imitando assim *- -*-- -
i. Nflo; o que ha he que alguns teem usurpado ; cruzilhada duas com
.saos ohos do Senhor, assim como aos do philo- ra ocioduZ
pbo, n.nguem possue; aquelle que tom, nflo heasqueasguareciam
h* do quo um homcm a quem Dos emnreslo.. J '"*?.L. "if dmJ
igoas avcrmclhadas, meadas
Na hervosa bordadessas agoas riscadas por todas
as partes por insectos pernilongos, brilhavam, como
urna sementeira de turquezas, numerosas moitas de
myosolis.
O fundo destequadro. sto he, oannel da circum-
fcrcncia, era formado por urna lnha de grandes
raias-pretas; alguns amiciros enchiam coni os fron-
dosos ramos os intcrvallos que a natureza deixra
entre os troncos prateados dos seus dominadores.
Seis alamedas desombocavam nesta especie de en-
s como que subiamao sol, que dou-
arvores longinguas, tflo altas eram
ciam ; as outras quatro, divergentes
comoosraios de urna estrella, sumiam-se naspro-
fundezas azuladas da floresta.
Essa especie de sala de verdura pareca mais fresca
e mais florida do que qualquer outro lugar dos
bosques.
Gilberto entrava ahi por urna das alamedas som-
bras
O primeiro objecto que avistou, logo que,depois de
percorrer com um lamjar d'olhos o remoto horizonte
que acabamos de descrever, ello poz a vista em tor-
ito de si, fei, na penumbra de um profundo fosso, o
troco do urna arvore derribada, no qual eslava sena-
- lando um homem de cabelleira russa, do physioiiomi
azul cobriam bem feilasc nervosas peritas; ossapa-
los de fivellas, omalgumas partes anda com poei-
ra, tinham sido lavados por baixo e as pontas pelo
orvalho matutino
Ao p desse homem, sobro a arvore derribada, es-
lava urna boecta verde, aberta e cheia de plantas re-
centemente colhidas. Entre as pcrnas tinha elle una
bengala de azevinho, cujo gastflo redondo rcluzia na
sombra, e cuja nonleira era urna especie de enchada
de duas polegadas de largura sobro tres de compri-
mento.
Em um abrir e fechar d'olhos vio Gilberto os diffe-
rontcs pormenores quo acabamos de expender ; mas
oque elle avistou primeiro foi u ni pediico depilo,
de que o vellio comia, e reparta fraternalmente com
os tentilhOe.se outros passaros, que espreitavam de
longo a preia 'cubicada, voando sobro ella mal que
Ihes era entregue, e fuginilo precipitados para o uiat-
to com alegres assobios. '
Depois, de vez em quando, o vellio quo os segua
com os olhos nieigos c vivos ao mesmo lempo, mel-
lia a mfio em um lenco dequadros, lirava dclle urna
cereja, e asaboreava entre dous boceados de pao.
limiaqui est o que procuro, disse. CilJierto
separando os ramos, c dando quatro passos para o
solitario, que salnu emfim da sua njedilacilo.
Mas nflo havia Gilberto chegado ao terco docami-
uho, que ao ver o ar ameno e calmo desse homem,
parou, etirou o chapeo.
O velho da sua parte, o conhecor que nflo eslava
80,lancou urna rpida vista d'olhos sobre a casaca
e a boceta.
Abotoou urna e fechou a outra.

(Conhnur-st-ha.)



J-'-1_____L~
Da ra Nova \ loja
n. 10, de Hipli-
tos. Martin cC.
rccebeu-sc P,os ltimos navios, vindosde Fran-
ca, um completo sortimento de fazendas francezas,
do gosto e moda ; ricas mantas de seda, para senho-
ra ; ricos lencas ; ditos matizados, para senliora ;
chales matizados, para sonhora, grandes e pequeos;
ricas sed as brancas para vestidos de noivados ; ricas
cuarnicOeS de llores para os mesmos ; crep de to-
jas as cores os mais lindos que ha hoje ; ricas se-
das para chapeos, detoJs as coros; sctim de Macau,
Irunco e liso ; plumas verdadeiras com passarinhos
brancos e do cores ; cachos do llores com pennas o
semellas, murto ricos ; lencos de garca muito
indos, para senhnrn ; loques de seda, muito linos;
luvas de pellica, curtas e compridas, brancas e de
cores, com enl'eites e sem elles; ditas de seda, cur-
tas e compridas ecom borracha muito ricas; ditas
de pellica para homem de todas as cores, e de seda,
brancas c pretasj espartilhos muito superiores;
chapeos de sol, azuesr verdes, rxos e pretos para
honieme sen hora, muito superiores ; ricas filas do
setim e sarja lavrada; capellas de llores de laranja ;
ditasderosa ; bicos de blonde sedaolinho; sapa-
tos de duraque, marraquim, cordovSo e setim para
senhora ; botins demarroquim para meninos e me-
ninas ; um completo sortimento Je pe fumarias;
scllins inglezes e francezes; jogos de vispora, da-
mas, domin o xadrez ; bengalas finas muito lindas;
chapeos de palha para senliora, meninos e meninas ;
saceos de lila pava roupa ; lencos de setim Macau ,
para grvala; e outras nimias fazendas, tudo por
|nec,o commodo.
I'ermuta-se por casas no bairro de Santo-An-
tonio, ou por un sitio que tenha boa casa e comino-
dos, ou sitio para 4 vaccas do leite nos arrabaldes
desta cidade, na estrada de Bclm ou Jo So de llar-
ros, um agradavcl sitio na ra da Solcdade com
urna casa nova bastante grande, de pedra o cal o
com sotflo bem arejado, a casa com as jnelas todas
envidracadas, o sitio com bastantes arvoredos de es-
piihncpinhoiras, tudo novoequoj da frutos, um
parrciral de 80 palmos ao lado da casa, que de cada
poda d 4 arrobas de uvas muscateis : os pretenden-
tes dirijam-sc no niesmo sitio a seu proprietario, ou
tratm com o procurador Carvalho.
---Aencadernae.no que eslava na ra do Queima-
2, aondo esl e se icha provida dos necessarios pa-
ra fazer luda c qualquer que seja a oneaderiiac.iio,
com polidez e brevidade possivel; tambem tom pre-
paros para encadernar missaes e breviarios, c faz
pastas, carteiras, cartoes de qualquer maneira o ta-
maito ; e vendo por barato preco a obra em 34
voluntes, d Decadas de Barros, e do Couto; Chronica
dos Iteis de Portugal; 3 voluntes do Panorama; fbu-
las de La Fontaine e de Phcedri; Virgilio; l'oppc;
Diadas de Homero; o Indicador dos cambios, 5 volu-
mes, por commodo prego; Phisica por liiot, com
estampas, em i volumes; M. I'abii Quintiliani; alge-
bra, por Lacrois o Bourdon ; Voiltaire ; obras dra-
mticas; Historia do Inglaterra, por Goldmislcr; e
mais livros para principiantes de latim, etc.
I'recisa-se de um caixeiro quo tenha alguma
pratica de venda, e do fiador a sua conducta : na
Camhoa-do-Carmo, n. 3.
Na padara o pastellaria franceza do AterrOrda-
Jtoa-Vista recebeu-se pelo ultimo navio um com-
pleto sortimento de confeilos, amendoas cobertas de
diversas qualidades,doces de assucar cryslalisado do
varios modelos, bocetas de todas as qualidades e
das mais ricas, e confeilos para encher dos mes-
mos, proprios para fazer presentes, a superior agoa
do flor do laranja, agoardente do Franca de supe-
rior qualidade, marrasquino de Zara, absintho su-
isso da marca verdadoira, etc. etc.; igualmente se
aoeitam encommondas de doces finos e bandejas para
cha, ludo por prego o mais commodo.
Jos do Souza o Silva e Antonio de Souza e Silva
com casa e venda na ra da Lingoeta, declaram que
a firma gyrante de seus negocios ficou sendo, desde
19 de Janeiro do corrente anno do 1847, Jos de Sou-
za & IrmSo.
Aluga-se urna casa na ra Bella ao p da mare,
com cinco quartos,duassalas,corredor independente,
eozinha fra, quintal e cacimba : a tratar na ra do-
.S.-Francisco, palacete novo.al 8- horas da manhna.
Offeroce-so um homem casado sem filiaos, para
qualquer emprego de engenho, pois disso tcm al-
guma pratica : os prelendentes dirijam-sc a ra
ire'ita, padnria n. 40.
I'recisa-se de um moco com algum principio
de saber Irabalharem masseira, e para entregar de-
manliSa pfio a alguna freguezes com um prcto; ou
mesmo algum moco que se queira applicar ao tra-
balho de padaria, e para o mesmo fin : na praqa da
Santa-Cruz, padaria de urna so porta, junto ao so-
brado.
Offerecc-se urna ama para o servico interno de
urna casa de familia : na ra do Qucimado, n. 57.
Precisa-so de um rapaz hrasileiro ou portu-
guez para caixeiro de venda, e que tenha ou nilo
pratica : em Fra-dc-Portas, pateo do Pilar, n. 21.
SocietladeTheatral
Melpomenense.
O segundo secretario avisa aos Srs. socios que
quarta-feira, 24 do corrente, ter lugar asessaode
assembloa peral na travessa do Veras n. 15 em
casa do Sr. Travasso; c pede encarecidamente a
lodos os Srs. socios que comparceam, visto ser ue
muila urgencia o que se tom a tratar.
Precisa-se de um caixeiro para venda c quo
tenha pratica da mosma : na ra do l.ivramenlo,
i n. SS.juntoaolampeSo.
\ I ugam-se escravos, ou homens forros para
n servico das 6 horas da manhla at as 7 da noite,
p,Mndo->o800 rs. por dia : alias dos Marlyr.os, ra
dog('ldeirelro n. 46, das dus horas da larde em
dia-lprccisa-sealugar umapieta quo sirva para o
servico de una casa : quem a tiver uir.ja-soa ra
Direila, n. 25, segundo andar, a qualquer hora do
""- Arrenda-se um grande sitio na estrada de Be-;
lm com boa casa de campo estribara para J
avVllos senzalla para prelos bstanles arvore-
doadefructo terreno par pla.nt.gOes um gran-
de viveiro : a tratar no mesmo sitio ^a igroja le W.
s. da ConceiQSo de Jo5o de Barros com o seu pro-
prietario."
1 xrr-crz---------jLmi
: -- Nalojadosofiadonis. da ra ais l.arangei-
ras, aprompta-sa toda o qualquer comida, confor-
me o ajuste e por preco commodo
= Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na ra do Rangel, n. 49.
Ninguem negocie as casas n. 29, da ra de S.-Mi-
guel na povoaco dos Afogados, perlencentea a Jos
Anton,nf.oncalvl.L!!?| por C3Urem hypo;!iccs-
das ao abaixo assignado.
Joe Pacheco de Araujo. .
Jono Uenriqucs da Silva embarca para o Rlo-de-
Janeiro o escravo JoUo, do gentio de Angola, perteii-
cento a Domingos Francisco de Sonsa LeBo.
Precisa-se alugar um at tres pretos que saibam
trabalharem padaria, ou mesmo nflosabendo, porem
que sejam boos escravos: pnga-se bem: na nadara
do pateo da S.Cruz, n. 6.
Precisa-se de um caixeiro para urna venda de
fundos, e que d fiador a sua conducta : na padaria
do pateo da S. Cruz, n. 6, se dir quem precisa
O abaixo assignado declara ao respeitavel pu-
blico que desde o dia 15 do corrente mez deixou do
ser caixeiro doSr. Antonio Carlos Pereira de Burgos,
sem haver da parte do abaixo assignado a menor do-
vida ou desentelligencia pelo que Ihe agradece ,
pelo presente obom tratamentoe acolhimento quo
sempre lhe deu em sua casa, durante o lempo em
3uc esteve de seu caixeiro, o quo muito lhe agra-
ece pelas maneiras obsequiosas e gradas com que
sempre o tratara mostrando-lho muita amizado e
affeiglo. E para que conste e oslo appareca contra o
abaixo assignado alguma susceptihilidado quoopos-
sa desacreditar em seu crdito recorrea esto meio
para nrevon?3o de qualquer juizo que se possa fazer
do abaixo assignado. Anaslacio Alejandrino de
Salles iMra.
A pessoa que annunclou querer comprar um
ber;o, querendo um do Jacaranda em muito bom
estado e de bom gosto dirija-se a travessa da ra da
Concordia sobrado de um andar, n. 5.
Avisa-so as possoas que teeth penhores venci-
dos em poder de Constantino, do os ir tirar, no pra-
zo de 8 dias, da dala deste ; do contrario, serSo ven-
didos para seu pagamento ficando o annunciante
livre de qualquer responsabilidade.
Offerece-se um rapaz brasilciro de 16 annos,
para caixeiro do loja ou de outr qualquar estabe-
leci monto para o queda fiador a sua conducta:
na praca da Independencia, loja n. 3,se dir quem he.
Arrenda-so o sitio denominado Cscala na
Solcdade, com boa casa de sobrado, o muitos ar-
ranjos proprios para urna grande familia: a tratar
na ra do llortas, n. 140.
Avisa-sc aos Srs. quo teem penhores vencidos
em poder do Burgos, de os irem resgatar, dentro de
8 dias da data deste: se nSo, sordo vendidos para seu
pagamento, ficando oannunciaMc livrode qualquer
responsabilidade.
Traspassam-se as chaves do armazom de carne
secca da ra da Praia: n. 54, quem oquizertemde
dar urna pequea quantia do que este he devedor, a
qual se dar com algum prazo, dando um endosso a
contonto : trata-se na ra Direila, sobrado n. 29.
Precisa-se do um forneiro: na ra Imperial, pa-
daria n. 43.
Arrenda-se um sitio no Barbalho com casa de
vivenda, estribara para dous cavallos, alguns arvo-
redos quo dlo fructos, ptimas Ierras de muita pro-
dcelo, e muito perto do rio : trata-se na ra
Queiinado, loja n. 38.
- lie chegado loja de erra-
gens de Jos Luiz Pereira, na ra
"Vova, n. l, um novo sorlimento
de panellas, clialeiras, cassarollas
e Vigideiras de ferro, sob porcel-
lana : os senhores que leem feilo
encommendas, queiram appare
cer com lempo.
A viuva do fallecido Antonio Ferrci-
ra de Vasconccllos vende, para pagamen-
to de seus credores, urna casa de sobrado
de um andar com solao, iendo 35 palmos
de frente e 85 de fundo, acabada por lora,
com vidracas, e dentro assoalbada e forra-
da, con portase enchames, faltando ape-
nas alguns tapamentos: outra pegada, de
iguaes diincnsocs, acabada por fra, e en-
vidrarada, smente travejada por dentro;
um caixo de alicerce para duas< mo-
radas de casas, de 6^ palmos de frente e
7 a de fumlo; todas com quintal em aberlo
do terreno de sua frente, e 292 palmos de
fundo com camboa por dentro do quintal,
sendo os chaos foreiros: finalmente, um
terreno no mesmo alinhamento, com 3i3
palmos de frente e o competente fundo, e
camboa que fica no centro : tudo situado
n:t frente da estrada que vai para a Magda -
lena, e faz esquina com a que vai para o
demedio. Os prctendentes podem-se en-
tender com B. Lasscrre &C, na ruada
Senzalla-Vcllia, n.i38.
f>-sedinheiro a premio sobre penhores : na
ra Nova n. 63. _
Aluga-se umsobradinho na ra da Praia-de-S.-
Itita n. 22, comcommodos para pequea familia :
a ti alar nas Cinco-PonUs, n. U.
Precisa-se de um feitor para um engenho c
que seja capaz de o administrar : na ra da Alegra,
-- Arrenda-se urna casa terrea abarracada, no
lugar do Manguinho, com oito quartos, c muitos
arranjos para familia, por prego bstanle rasoavel :
tratarua ruade llortas, 11. 140.
A pessoa que estiver de posso uc urna lettra ta-
cada por o tcnente Brancoo aceiU por Manoel Joa-
quimdo llego Brrelo, vencida no ir.ez prximo
pausado, da quantia de 60,000rs. pode irrcccbcr
na ra das Cruzes, 11. 40. 1.1.
__Perdeu-se, do pescoco de urna menina, desde
a ra da Praia at o becco da Camboa-do-Carmo ,
um ponteiro de orno : a pessoa quo o tiver adiado .
o tenha cousCiencia querendo entregar, dinja-so a
ra da Praia-de-S -Rila serrara 11. 25, quesera re-
compensada, Tambem se pede a qualquer pessoa a
quem for ofTerecido, de o tomare levar a dita casa.
LOTERA
DA MATI1IZ
)A CIDADE DA VKTORIA.
Acha-sc novamento designado o dia 26 do rorron-
lo mez para tercm andamcnio as rodas desta lotera,
e nflo obstanlc a difliculdaJe na venda do resto dos
respeclivos liilhctcs, causada pela falla denotas de
pequeos valores que facilitem os trooos, todava
espera o thesourerro que ser eflecluada a referida
venda, e que n dia marcado nilo ser espacado. O
Chitas de cores
fxas, 120 rs. o cavado.
Vendem-se chitas de bonitos padroes a seis vni-
tcns o cavado, e aquatro mil rcis a pega : na ra
de Crespo, n. 4, loja i:\ e-qtrin que imita para la-
deia.
Vendem-fe ao<;cs da extmeta com-
panbia de Pernambtico e l'arabiba : no
ra da Cruz, n. 9, escriplorio de Ohvei-
restanle dos bilhetes acha-so venda nos lugares -a |rmao& Companbia.
jannunciados. .. -#^* Manoel Pereira Lamegoembarca para os por- --. VenCiem-Se SUpCHOreS Cr-
das de ripa para violo e rabeca:
na ra Nova, n. 6, loja de Maia
Ramos & Companhia.
Vende-so um liercodoangico, em muito bom
estado, por ter tido pouco uso, com cortinas por
preco commodo : amada Matriz da Boa-\istn, n.
33, primeiro andar.
20:000,000 de rois.
Anida resla urna pequea norc.5odas mu acredi-
tadas cautelas da casa do Fanas; pois foi esla a ca-
sa que mandou os vinte contos do rois, desta ultima
vez, a Pernambuco, a quaes sahiram em vigsimo. A
ellas que so acabam ; pois se acham a venda, na loja
doSr. Thomaz do Aquino Fonseca na ruadoCabu-
g. Adverte-sc qu os premios sorllo pagos na mes-
ma loja c os preos silo os seguintes : vigsimos
1200 rs. oitavos3000 rs. quartos 6000 rs.
Vende-se um caixotc com typos n. lo, com n-
nliasealRiimaslettraspara litlos, nue podem ser-
vir para un peridico de olha anda novos; por-
que, tendo do para o Itio-Crande-do-Nortc, all
quasi nada trabalharom ; vendem-se por preco com-
modo. Chegucm, Srs.polticos: previnam-sc para as
eleicoes, quo a occasu he opportuna. Os prcten-
dentes annuncieni. |
Vcnde-sc urna capa de gerguro mxo para
acompanhara procissno de Passos ou oulra qual- ,
quer para que sirva a mesma capa: na na do Hospi-
cio, venda da esquinan. 1.
Vende-se um engenho em ponto
pequeo, com urna safra fundada, com
bois e beatas necessarios para o manejo do
mesmo engenho, recebendo-se pouco
vista e o mais a prazos. Tambem se troca
por iim sitio pcrlo desla praca legoa e
mcia al duas, pouco mais ou menos,
leudo campo para vacrai de lcite, casa
soffrivel e commodos para prelos, esln-
baria, fcc. O engenho dista desta praca
dez legoas O dono dcsfnz-sc dellc por des-
gostos A fallar em ('linda, ra de Ma-
OITerece-se para caixeiro de engenho um mo-
^o portuguez quo tem muita pratica do mesmo e
at para feitor: quem o pretender dirija-se a
ra da Praia, n. 42.
Dflo-se 200,000 rs. a juros em diversas quan-
tias, sobro penhores de ouro prata e isto com le-
galidade : na ra do Sebo, n 3.
D-se dinheiro a premio sobre hypothera pe-
nhores de ouro erobatem-se ordenados de empre-
gados : na ra das Trincheiras, n. 46.
Oflerece so um Brasileiro para qualquer pro-
vincia do imperio, o qual ho mostr machinista do
fabrico de assucar e ontondo de obra de podreiro
assentamentoe tudoquantn pertcncea esto fabrico :
quem de seu preslimo so quizar ulilisar dirija-so a
ra do llangel n. 50.
OSr. Jos Antonio de Azcdo Moli queira diri-
gir-se a ra Direila n. 39 para receber urna caria,
viuda do Macei.
Precisa-se de um. homem para tratar do um
quintal: na Trompo ao vollar pra a Solcdade
n. 70.
Agencia depassaporlcs.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aterro-da-Boa-
Vista loja n. 48, conlinuam-so a tirar passaportes
tanto para dentro, como para fra do imperio; assim
como despacham-se escravos ; tudo com brevidade.
Compras.
~ Compra-sc a colleccio do Diario de Pernambuco
do mez de novembro do anno prximo passado, pe-
lo prec;o da typographia : na padaria do pateo da S.
Cruz, n.6.
Compra-so urna haronea nova o apparelhada,
que carregue 26 caixas : quem tiverannuncie.
Cmpram-se, para urna encommenda, escravos
deambosossoxos; pagam-se bem agradando: na
ra Nova loja de ferragens n. 16.
Coinpram-se 2 pretos que cntendam de pada-
ria um para a messoira e outro para forneiro : na
ra Imperial padaria n. 43.
Compram-se escravos pretos, de 16 a 20 annos
que n3o tenham molestias : em casa de Manoel Ig-
nacio de Olivcira na ra da Cadeia n.40, primeiro
andar.
- Ainda se contina a comprar cobras do viadol thias Ferreira, com o bacharel .loao Lins
vivas para remedio : na praca da Boa-Vista, n. 32,1 Cavalcante de Albuquerque, ou ncsla
S-ncLnpram-seescravos mocos, bons carpinas.o praca. ra do Rangel, n. .'
pedreiros, o outros de servico de campo : na ra Di-
reita, sobrado n. 29.
Vendas.
Vende-se um preto de nacfto Costa, do 88 an-
nos de idado pouco mais ou menos e por preco com-
modo: ao comprador se dir o motivo por que se ven-
de: trata-se na cocheirado becco da ra da Cadeia de
S.-Antonio, aondo esl o dito prelo.
Vende-se ou aluga-se a padaria do Corrcdor-do-
Bispo, n. 8, prompta a Irabalhar : Irata-se na estra-
da de Joao-Ferreira, n. 19.
Na esquina deS.-Antonio que vira para a Ca-
deia, ha um restante de chapeos do Chile muito al-
vos, pelo prego do 6.500 o 7,000 re., a cllts antes que
se acabem, pois a vista da fazenda he pechinxa : na
mesma loja so dir quem tem 6 cangalhas a moda do
sertnoapparelhadas,a400ca 640 rs., e una corda de
lacar gado que tambem se vende barato.
No Atcrro-da-Boa-Vista, n. 1, defronte do clia-
fariz casa de modas franeczas de A. Millochau re-
cebeu-se pelo ultimo navio um bonito sortimenlo
de ohjectos de modas para a quaresma e para bailes ,
comosejam: vestidos do garca de seda; cabecesde
bico de retroz preto ; ditos de linlio bronco ; capo-
les de bico branco e preto; bicos pretos de rotroz ,
dos mais bonitos padrOcs ; capotes da bico chama-
dos visitas cousa linda e da allima moda ; creps
os mais linos possiveis, para vestidos de baile ; tron-
ca larca e estreita de retroz, para enhiles de ves-
tidos ; cambraia do linho do todas as qualidades;
loncos do dita bordados ; ditos de cambraia impri-
mida; ditos bordados; luvas, etc. Na mesma casa
acha-se constantemente um sortimento de chapeos
que, para so renovar frequentemente, olTercce sem-
pre ao gosto das senhoras una escolha das mais
ultimas modas.
Vende-se urna boa casa terrea de pedra ecal com
chitos proprios, sila na ra dCS.-Miguel, nos Afoga-
dos: a tratar na ra Direila, casa de sellciro, n. 51.
Vende-se urna bomba de sicupira nova, e que
tem dous apparclhos, muito propna para navios,
ou niesmo para cacimba porque esgota muilo agoa:
na ra da Senzalla-Nova n. 7.
Vendem-se pedrasde amolar, muilo superiores,
chegadas ltimamente do rio de S -Francisco, em
porcOes : na loja de ferragens, junto ao arco da
Coneeicflo do llecife, ti. 63
Vende-se urna canoa do conduzir agoa ou pa-
ra outro qualquer fim, ou tambem se iroca por lij-
los de alvenana grossa : na ra de S.-Franoisc, pa-
lacete novo al as 8 horas o ineia da manhiia.
Vende-se urna prela erioula de bonita figura,
lano para fra como para a provincia queengom-
ma, eozinha, he boa lavadeirn o faz todo o servi-
co de urna casa, por ser muilo liabil, por preco com-
modo: naruada Viracfio, n. 25.
Vendem-se 38 escravos do ambos os sexos,
sendo pardos o pardas pretos e prclas e grandes e
pequeos : bem como urna preta de meia idade, por
180,000 rs.; 1 dita quo sabe coznhar lavar e
vender na ra, por 360,000rs. : a tratar no largo do
Corpo-Sauto, n. 23, com Antonio Rodrigues l.ima.
Vendem-se duas protas, urna erioula, sem vi-
cios, de bonita figura c que eozinha o diario de
urna casa, o a oulra do Angola, que tambem
co/inha o diario de urna casa entendo de costura ,
eigomma e lio boa lavadeira tanto de sabSo como
de varrella, nBo tem vicios nem achaques: na ra
do Crespo, ni 12, a fallar com Jos* ioaquimda Silva
Maya.
Vendem-se, na
ii, loja do Antonio
na do Crespo, n.
Luiz dos Santos
& C., superiores cambalas de cores pa-
ra vestidos, padr5es novos, pelo barat-
simo preco de 32o rs, o covado : a causa
de se vender por semclhante preco be a
grande porcao que ha, chegada pelos l-
timos navios de Franca.
CARNAUBA.
No armazem de farinhada ra do Collegio, n. 1,
continua-se a vender cera de carnauba por preco
commodo tanto em porches como a retalho ; e ho
chegada agora urna porcao da melhor qualidade quo
lem appareeido.
Vendem-se gigos rom batatas no-
vas, chegadas ltimamente de Franca :
;jo raes da A Ifandega, por conla e risco-
de quem perleneer.
II na do Qucimado, n. II-
Na loja nova de Raymundo Carlos Lei-
te acha-se um completo sortimento de
fazendas finas, por menos de seu valor ;
brim trancado de linho, com listras, para
calcas ; chancos de sol de seda ; platilha
de linho ; bretanha de dito j e tambem
o algodfio dobrado, proprio para soceos
ou ronpa de escravos.
Vende-se, por 150,000 rs., una parte de urna
casa, sila na ra de S,-Bom-Jesus-das-Crioulas, n.
15, aqualeslalugada por 6000 rs., preco assaz ba-
rato : a tratar com Joo Paulo Ferreira Das, na ra
da Cuino, na Boa-Vista.
Vende-so um sobrado novo de um andar e
grande solfio em chilos proprios, o qual rende por
mez 34,000 mil ris; e agora mesmo quo osmale-
riaes e milo d'obra estao baratos, se oflerece a venda,
por traspasso, 200 palmos de terreno firme, lodo por
junto, ou a retalho, no alinhamento de urna ra,
segundo o novo plano, junio a igreja de S. Ama-
ro, com os fundos de 200 ou mais palmos conforme
agradaran comprador, proprio para nelle ge edifi-
car meia duzia de boas casas, as quaes sem duvida
se alugarilopor hons precos pelo lempo de Testas,
o mesmo animalmente, em rasilo do ptimo fresco
que all gozam os habitantes da nova cidade: vnde-
se no mesmo lugar urna casa terrea collocada no ali-
nhamento da ra da Auroro, em um terreno de 140
palmos do largura o 1400 do fundo, ale junio a
igreja, com algumas plantas, como sciam parreiras,
larangeiras, coqueiros &c., contendo em si um
grande viveiro com 660 palmos de eoinprido e 100 de
largura, com a sua competente porta d'agoa, e bas-
tante pcixe, proprio para o actual lempo quares-
mal: assim como tambem 2 canoas novas, sendo
urna de conduzir familia, eoutra doconduiirenlu-
Iho: O que ludo so vender pelo mais commodo pre-
go possivel, na ra estreita doltozario, botica n.; 10.
Veudem-ie inoruda* de Trro para engenho de aa-
ucar, para vapor, agua c beatas, de diversos tamaitos,
por preco coumiodo ; c Igualmente talxas de ferro coado
e baUdo, de lodos os unianlios: na praca do Corpo-San-
to, n. 11, era casa de Me. Cahnont S Companhia, ou na
ruade Apello, arinazem, u. ti.


# i
SSM


4,
Pannos pretos finos
e novos na loja; setim raaco, sem mistura; cha-
peos de sol, com hastos de aro; chales o mantas de
seda o de lila e seda ; casimira preta clstica ; cha*
peos linos francezes ; ludo por menos de seu valor :
na ruadoQueimado, n. 11, loja nova de Itaymundo
Carlos Leite.
VELAS DE CERA DO RIO-DE-JANEIRO.
Vende-se completo sorlimento de urna a 16 e Lo-
gias de 4,5 e6 : no armazem de Alves Vianna na
ra da Senzalla-Velha, n. 110.
Vende-se, ou permuta-se por um sitio perto da
praga urna escolente casa terrea com bastantes
commodos para urna grande familia, sita nesla pra-
ga : na ra Imperial, n. 9.
S Vende-se na ruada Cruz, ti. a3,
im cera em velan, de urna das meiiio-
(H res fabricas do Rio-Je-Janeiro ,
[jl| 8ortimento vontade do compra-
fp! dor, em caixas pequeas, e por
ij| preco mais barato do que em ou-
- tra qualquer parte.
Vndem-se bichas grandes e tambem se alu-
gam, por preco commodo : no Aterro-da-Boa-Vista,
na pnmeira venda ao peda ponte, n. 2.
J\a ra do Crespo,
loja n. 12,de Jos Joaqun.
da Silva ^aya,
vende-se superior sarja prelf hespanhola ; nobreza
rosa, muito superior e nimia propria para capas
doSr. dosPassose outras inanidades; ricos cortes
do seda para vestido de senhora; meias de seda pre-
tas e brancas, as mais superiores que teem appare-
cido, tanto para homem como para senhora ; luvas
de seda; chales de seda muito modernos e de lin-
dos gostos; cambraia de linho, muito fina; lencos de
cambraia de linho bordados, para senhora, dos mais
linos que ha por muito barato preco ; esguifio de
puro linho e muito fino; platilha de linho ; e outras
muitas fazendas que sero patontes aos comprado-
res e por barato prego.
Vende-se azeite fino de gerselim, para comer e
para luz : no deposito de azeite de carrapato, na ra
da Senzalla-Velha, n. 110.
IVovo panno de linho, a 600
rs. a vara.
FAs pecas s o de 15 varas e he melhor que o pri-
meiro; alpaca fina preta, a 800 rs. o corado; los
pretos muito baratos: chitas em cortes; riscados
francezes; sarja hespanhola superior; e grande sor-
i mieiiio de fazendas de todas as qualidades e hara-
tissimas: na ruado Queimado n. 11, loja nova de
Itaymundo Carlos Leite.
Gaz.
Loja de Joo Chardon ,
Hcrro-da-Hoa-Vista, n.5.
Nesta loja acha-se um rico sortimento de I.AM-
PEOES PARA CAZ com scus competentes vidros, ac-
cendedores e abafadors.
Estes eaudieil'OSsao os melhores e
mais modernos que esistem hoje: recommendam-se
ao publico tanto pela seguranca e bom gosto de
sua hoa confeegito, como pela boa qualidade da luz,
economa e asscio de seu se; vico.
IV a mCSIlia loja os consumidores sem-
pre achanto um deposito de CAZ, de cujo se allan-
es a qualidade, c em porcSo bastante para o con-
sumo
Vende se o gaz a 520 rs. a
garrafa.
Vendem-se saccas com superior colla das fabri-
cas do Rio-Grande-do-Sul, a prego barato: na ra da
Moeda, armatem n. 7.
No armazem da ra da Moeda n. 7, conti-
nua-se a vender sal, em grandes e pequeas por-
ches a rontade dos compradores.
AVISO
aos Srs. de engenho
Na ra do Crespo, loja n.19,
de Jos Joaquim da Silva
Maya, vendem-se
cobertores de algodo, muito encorpados, proprios
para escravos; bom como urna fazenda de linho a
mitacode estopa, forte e propria para roupa de
escravos e saceos para assucar; tudo por preco mui-
to barato.
Vendem-se 3 escravos, sendo : um preto de 18
a 20 auns pouco mais ou menos; um mulalinho
de Uannos, proprio para pagem ; urna preta de 25
annos lavadeira e que he propria para todo o ser-
vico : na ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 25.
Na pa do Crespo,
loja n.12, de Jos Joaquim
da Silva Haya,
vende-se alpaca preta a 800 rs ocovado;dita muito
fina, preta o. de cores, por barato preco; merino
preto, muito superior; panno Ono preto e de co-
res; casimiras elsticas, de duas larguras, para
calcas a 6000 rs. o corte; velludo ; gorgurflo de se-
da ; setim para collete; tudo por preco commodo;
rustoes para colletes; e outras muitas fazendas,
tanto para calcas como para vestidos de senhora;
tudo pelo barato.
Vendem-sedousfortes piano, com escollan-
tes vozes chegados ltimamente de um dos pri-
meiros autores : na ra da Cruz, n. 55.
Vendc-se sauerkohl; sardinlias em latas ; vi-
nho dechampanhi novamcute chegado : na ruada
Cruz, n.55.
!Yo Aterro-da-Boa-
Vsta, n, 84,
vendem-se sapatos do meninos, de 60 a 100rs.,
chancras para senhora a 600 rs.; sapatos de setim
preto e de cores, a 1000 e 1500 rs.; pelles de mar-
roqun*, a 1000 rs.; botinsemeios ditos francezes,
a 3000 rs., o do Lisboa a 1600 e 3000 rs.; de mar-
roquim para homem, a 900 rs., de cabra a 560 rs. ;
couro de lustro avariado, a 320 rs.; sapatos de
borracha, inglezes, de ourello, de cordovfio e de
outras qualidades, muito baratos.
Vende-se a verdadeira e superior
potassa branca da iussia, muito nova e
em barris pequeos, por mdico preco :
na ra da Cadeia do Recifc, armazem n. i,
de Bailar & Oliveira.
Na loja de Guimares, Se-
rafim & C. vendem-se pannos
finos, de cores, pelo barato pre-
co de 2^400 rs. o covado; e de
outras muitas qualidades, de va-
rios precos.
Vendem-se botOes de madre-de-perola para
camisas grandes e pequeos, lisos e lapidados ,
dos mais lindos que teem apparecidp neste merca-
do : na praga da Independencia, loja de miudezas,
n. 4.
Vendem-se milheiros de pennas de cscrever, de
secretaria, muito superiores; relroz preto de pri-
meira qualidade; resmas de papel almaco branco c
azul; ditas de peso: tudo por preco barato : na
praga da Independencia, n. 4.
i\a loja de Jos Ma-
noel 31 ou teiro Bra-
ga, na ra do Cres-
po, n. 16, esquina que vi-
ra para a ra das Cruzes,
vendem-se atoalhados de linho para toalhas, com 8
palmos de largura c de muito ricos padres, toa-
lhas tendo cada urna seis guardanapos, guarda-
apos dos padrOcs do mesmo atoalhado ; tudo de
muito bom gosto : pannos pretos e de cores muito
finos; sarja preta hespanhola, larga, de muito supe-
rior qualidade; velludo preto; chales pretos de se-
da ; ditos de linho; e outras muitas fazendas do
gosto.
tintas, em porcSo e as libras, por preco commodo ;
assim como todo a qualquer sortimento de vidros
para vidraras: na ra do Brom,, fabrica de caldei-
reiro,n. 22.
Vende-se urna pequea morada de casa sita
em Fra-de-Portas, da parte.do mar grande, n. 1* ,
a qualestalugada por 8000 rs. mensaes : a tratar em
Fra-de-Portas, ra doPilar.n. 108, das 6 as 10 horas
aissnfeSa, cdssduss ss jci s Urde; turbes* e
hypolheoa a mesma casa caso nflo baja comprador.
Vende-se urna casa terrea sita em Olinda, na
ladeira do Varadouro, do lado da sombra : a fallar
conrocaixeiro dalivraria da praca da Independen-
cia, ns. 6 e 8.
Vende-se cera de carnauba em porefio eareta-
Iho : na loja de Jofio Jos do Caryaino Moraes
Vendem-se 5 escravas, sendo : 3 proprias para
oservicode campo eduasquo lavam, eosem e co-
zinham, urna das quaes he casada com um cabra
bom serrador; dous pretos bons para o campo : to-
dos mocos e de bonitas figuras: na ra do Queima-
do cun frente para o paleo do Coilegio, u. 33, se-
gundo andar.
Vende-se urna escrava de naco, com um filho
de 12 annos, a qual he propria para lavar roupa : na
ra da Cadeia-Velha, n. 9.
Vendem-se 70 pares de sapatos, ou coturno* ,
por preco commodo : no boceo da ViracSo, n. 25.
Vende-se una toalha toda aberta de lavarinto:
na ra do Jardim, n. 34.
V Vendem-se livros hamburguezes em branco,
pautados, riscados de varias maneiras, e de diver-
sos lmannos, chegados ltimamente: na ruada
Cruz, n. 10.
DEG PORTAS HJ2
Nesta loja existe grande porcio de bicos
pretos de superior qualidade o de todas as lar-
guras por baratissimo preco; meias pre-
tas para meninas a 200 rs.; panno preto de
superior qualidade a 4500 e 9000 rs.; sar-
ja hespanhola, a 2240 rs.; camisas de meia ,
a 1000 rs.; merino, a 2000 rs.; princeza su-
perior, a900rs.; e outras muitas fazendas
proprias para a quaresma.
Oh gentes, que tem
o antigo barateiro
que est venden-
do fazendas por todo
odinheiro ?
to; esleirs; .cora de carnauba ; bauszinhos do tar-
taruga ; couros miudos ; sola e bezerros: na ra da
Cruz, no Recifc, n. 24.
Vendem-se dous sitios c una
casa terrea nesta praca ,
tudo em clisos proprios.
Os sitios silo perto desta praca : o primeiro com
duas casas de pedra e cal, urna das quaes tem slito,
forpo, estribara para dous cavallos e outra para
gado, e ambas com bastantes commodos para gran-
de familia, Sviveirosde peixe, pasto para 8 a lo
vaccasde leite, aunualmento, com mu i tos ptdo
coqueiros larangeirase mais fructeiras; este ren-
de 400,000 rs. annualmente : p segundo ao pe do
dito, com urna casa de pedr e cal, muitos pesdo
larangeirase |outras frucloiras, porteo na estrada.
Ambos os sitios tem boas cacimbas de agoa de beber,
e este rende 200,000 rs. a casa terrea no sita no
bairrodeS.-Antonio, e rende miiaanente 16,000
rs. : vendem-se estes predios juntos ou separado:
a tratar com N. Gadautt, no Manguinho, ou no Aler-
ro-dii-Boa-Vista, n. 21.
Vende-se urna parda moca muito prendada,
com duas filhas urna de 6 annos c a outra de 4 : na
ra da Florentina, n. 11.
Vendem-se 4 lindos moteques de 15 a 16 an-
nos .sendo dous d nagilo ; um dito de 7 annos;
3cabrinhas de 10 a 12 annos, proprios para aprende-
remoflrcio; um pardo de 18 annos, ptimo para
pagem e quo ho bastante hbil para outro qual-
quer servico ; urna preta de 20 annos, com algumas
habilidades; urna preta de idade, por 200,000rs.:
na ra do Coilegio, n. 3, segundo andar, se dir
quem vende.
Escravos Fgidos.
Fugio, nodia 18 do corrcnle as 8 horas da
noite do engenho Gongacari um escravo deno-
me Antonio, de 30 annos, crioulo altura regular,
corpo reforcadn, bem fallante ; levou camisa e cal-
cas de algodito : quem o pegar leve ao dito engenho,
ou na ra Imperial, sobrado n. 39, que se recompen-
sar.
Fugio, nodia 18do passado, urna hegrinha,
de nome Marcianna, de 12 a 14 annos: com
i
Vende-se na ra larga do Rozario, n. 26 primeiro
andar.
Vendem-sc 4 pretas mocas que fazcm todo o
servico de urna casa e vendem na ra; urna dila,
por 300,000 rs. que compra c vendo na ra e lava
roupa ; duas pardas urna dolas he boa para ama
de urna casa; um preto, por 250,000 rs., oplimo
para o servico de urna casa, e tambem para botar
sentido e trabalhar em um silio ; um moleque do
Uannos, muito esperto e que serve bem a urna
casa cozinha e ongomma : na ra do Crespo, n. 10,
primeiro andar.
Vendc-se um piano inglez, horizontal, em
meio uso, de muito boas vozes, e por isso proprio
para meninas ou senhoras aprendercm a tocar, por
barato preco na ra do Crespo n. 12, a fallar com
Jos Joaquim da Silva Maya.
Vendem-sc 8 escravos, sendo : um lindo mole-
que de 10 a 11 annos
O antigo barateiro est vendendo por todo o d-
iihcro, na sua nova loja de miudezas da ra do Coi-
legio n. 9 papel de peso inglez, de primeira sor-
te, arinco patacase meia a resma, e meia dita a
I880rs.; dito almaco, a 2700 rs. a resma, e meia di-
ita a 1350 rs. ; papel branco, proprio para foguelei-
ros, a 1600 rs. a resma; estojos do navalhas finas
com toque de ferrugem a 640 rs. cada estojo de
duas navalhas ; trinchantes de cabo branco sendo
faca grande e garfo com mola a 800 rs. cada trin-
chante ; tesouras finas com toque do ferrugem a
160 e240 rs. cada urna, para acabar; luvas para me-
ninas, de seda a 200 rs o par; ditas de pellica,
pretas c brancas, a 480 rs. o par, para homem e
senhora; lencos de gorgur.lo, a 1200 rs. cada um :
pennas de bico de jandaia a 200 rs. a caixinha de
100 pennas ; bicos brancos estreitinlios, a 40 rs. a
vara ; botOes deduraque muito finos, a 200 rs. a
duzia ; lamancos para homem e senhora, a 240 rs.
o par ; ditos para meninos, a 160 rs. ; caivetes fi-
nos com toque de ferrngem a 160 e 200 rs. cada
um; e outras muitas miudezas, por preco mais ba-
rato do queeui outra qualquer parte.
AVISO
As senhoras do boni
gosto.
Na ruado Crespo, loja n. 12,
de Jos Joaquim da Silva
e; um pardo robusto; um preto do nacflo de boa II 'i vi
conducta urna cabra Jioa engommadeira e costu- reir; 4 pretas com habilidades: no pateo da Matriz, naun'"ovosortimento das ricas mantas de lanzi-
n. 4. n"a e seda para senhora as mais modernas quo se
Vende-se um silio entre a Soledado e o Man- "M"} na Europa; e por isso se tornam recommen-
guinho, com bastantes arvoredos de fructo.c com davcisas senhoras de bom gosto, bem como aquellas
alicerces para urna pequea casa ,e porto de pedra i c*.ue usam ^e economa, tanto pela boa qualidade e
e cal : na ra Nova. n. 56, a vista do comprador, '
far o
poder
porte.
melhor negocio possivcl assim como
esperar por alguma parto do seu im-
i\a ra Nova, n. 26
neos gostos, como pelo baratissimo preco de 500Q rs.
cada una ; ha igualmente um rico sortimento do
corles de vestidos da rica fazenda denominada ba-
zulhna. Esta fazenda he de cAres escuras, bordada
delistrasequadros os mais claros, de lindosdese-
nnos, cores lisas e bonitos tecidos e or isso muito
proprios para o lempo de quaresma e de invern.
-A*
acha-se recentementc chegado um novo e variado
sortimento de fazendas linas de superior qualidade,
(aes como : sarjas pretas; setim macu; luvas; meias;
chapeos de sol; ganga encarnada, a 280 rs. cada
lengo ; cortes do collete de gorgurflo, a 2240 rs. ;
chitas franeczas, largas, a 280 rs. o covado; ditas
inglezas, muito finas, a 200 e 240 rs. ; lanszinhas de
bonilospadroes, a 300 rs. o covado ; merino preto ;
casimira preta a mais superior que lia no mercado; curtas ecoinpridas; um sortimento decalcado para'
alm de oulras fazendas que se vendem por precojsenhora; lengos de seda do todas as qualidades-
Maya Ramos e
V
Ra Nova, n. 6,
vendem superior sarja prela, los do seda preta.de
varios lmannos c presos; luvas de seda prela,
commodo.
Vende-se urna
mulalinha de 15 annos
mais ou menos, de bonita figura quo cose, cngo'm-
ma eentende alguma cousa doarranjn de urna casa :
na ra do Rangel, n. 2, primeiro andar.
Vendem-se duas barretinas, um par de esca-
mas uma canana e dous pares de globos de ouro
para guarda nacional : na ra dasTrincheiras, n. 46.
Vende-se agoa raz, oleo e todo a qualidade de
I perfumadas muito finas: e oulras fazendas por pre-
co commodo
Vende-se uma prela moca, de bonita figura
sadia, que cose chito,'lava roupa cozinha o diario
de uma casa, e tem bom leite para criar : na ra da
Cruz. n. 3.
Vendem-so caixinhascom loo charutos de re-
rilia de S.-Flix da Baha em caixinhas do vidros
b muito superior qualidade; vendem-se a conten-
urna queimadura na face esquerda, uma empi-
gemnadiroita euma outra queimadura na perna
direita ; levou vestido roxo e panno da Costa ; tem
cabello cortado : quem a pegar leve ao I'asseio-Pu-
blico, fabrica de chapeos do sol, que ser genero-
samente recompensado.
Fugiram nodia 16 do corrcnle, do engenho
Cara dous escravos um de nome Manoel, pardo'
de 16 para 18 annos rosto redondo, olhos pretos,
beicos grossos, bem parecido pes grandes e car-
nudos; levou vestido ou em uma trouxa atada em
um lenco encarnado, camisa fina, ceroulas compri-
das caigas de brim branco liso jaqueta de chita ,
chapeo de palha oleado de preto, o que tambem pu-
do ter extraviado; foi escravo de Jos do Reg Ca-
valcanti, moco pobre, morador em Cruang, e fi-
lho de Andr do Reg Cavalcanli, cujo velacho pa-
ra si adoptou por distinco cm mais escravos do
mesmo nome, e talvez inculcando-se forro, era
lugar de mudar o nome uso deste velacho. Jos ,
crioulo preto um tanto avcrmelhado, alto, secco,
rosto descarnado ps grandes, bem mogo. Roga-
se as autoridades policiaes de mandaran pegar, ou
mesmo quem dellessnuber, com particularidade o-
primeiro, que he de m conducta que se recom-
pensariom generosidade entregando-os no mes-
mo engenho Cara, ounesta praca, a Manoel Ignacio
de Oliveira, na ra da Cadeia, n. 40.
Fugio, ha mais de urn mez uma preta, de no-
me Thcreza, de 30 anuos pouco mais ou menos de
nacfio Angola alta bem preta, denles aberlos du
rosto redondo,alegre, bem fallante; levou vestido
chita azul com barra envicsada saia de lila preta e
Sanno da Costa ; anda com duas caixas do folha de
andres, urna grande o outra mais pequea, ven-
dendo miudezas; quando sabio de casa foi para ven-
der no malto e encaminhnosc para os engenhos
Caixito, Penanduba Mandioca, BuIhOcs, Suassuna-
da-Palma Muribeca e S.-Ant.to; para maior signal
tem pelas cosas urnas costuras levantadas. Roga-
se as autoridades policiaes,capilflcs de campo.ou ou-
tra qualquer pessoa a apprehcnsfio da dila escrava a
sua entrega a seu senhor, Jos Saporiti, na ra da
Cruz, n. 18, segundo andar que serSo recompen-
sados.
Fugio, na manlifa do dia 13 do corrente, a pre-
ta Joaquina de nacflo Cagange, de 30 annos pouco
mais ou menos, baixa, cheia do corpo, cOr fula, com
carne sobre os olhos, um pequeo talho na face es-
querda, nariz chato, com falla de dous lentes na
frente, sendo um de cada lado, peitos pequeos e
murchos ; lemas nadegasarrebiladas para tras; fal-
lante que parece crioula ; levou vestido de ganga
azul canda bastante suja de cozinha Esta prela tem
de costume, quando anda fgida, andar mesmo nes-
ta pragaoseus arrabaldes fetaquitandera, ora ili-
zendo que he forra, ora que anda por mandado de
seus senhores. Roga-seas autoridades policiaes, ca-
pilites do campo, ou outra qualquer pessoa, que a
apprcliendam elevem a seu seu senhor,Domingos da
Silva Campos, na ra das Cruzes, n. 40, que gratifi-
car generosamente.
Desappareceu, no dia primeiro do corrente,
uma preta, de nomo Mara Antonia, de nagito Ango-
la de 30 a 36 annos, [cheia do corpo, feicoes gros-
sas com falla de denles adianto ; tem um peque-
o iuchago no pescogo, que ella diz ser de um parlo;
levou taboleiro com milno c feijito que andava ven-
dendo, e costumava lavar ropa : quem a pegar,
leve a Boa-Vista, ruada Gloria, n. 19, que sera ge-
nerosamente recompensado.
Desappareceu, n din 16 do corrente, um pre-
to, de nome Paulino de nagfio Angola, de 24 anns,
estatura mediana bastante retinto ; tem alguma
barba; he iillirial desapateiro o bem condecido por
escravo de Antonio da Silva Jnior: quem o pogar
leve a Boa-Vista na pa da Gloria u. 19, que se-
r generosamente recompensado.
Fugio, no dia 17 do corrente, una preta do
nome Joanna, de nagfio Rebolo, viuda ltimamen-
te do Ico meaidosa, altura regular ; tem alguns
cabellos brancos; levou saia de chita cor de rosa ,
e um rozario ao pescogo : quem a pegar leve a F-
ra-de-Portas, largo do Pilar, n. 14, quo ser recom-
pensado.
MRl, { NA TTP. DKM. r. DI fARU.1847*


uno de i 4i7.
segunda fera 22 de Fevcrciro.
N
BE
ERNMBUCO.
PPKfS DA SOCIEDADE COMMERCIaL.)
Subscreve-se na Praca da Independencia, loja de livros n. Ge 8, por ia'ooo reta por anno, pagos adiantado.
I I .....1-IUI
Pi*E >
a
o.

Cfi
S s
O V o
s-i'i
u ui y i > "i

M
e J
'* .
"Si
i
I
3 m
c
ja
l Ai-
i"
o *>

3 l^ J
tJ
*4
533 3
9
"o
3 -

Sb3i
-3
8
> .
J
52
S"
O -r -> O O <
r* i o o o o
o >'
i O O C* i--
c = -= = ==
0-OJCrJ/c*Oi; *3 w -n r*
; o t- w ^* i^ si
C* M
^NN i
-o o
** > O
WJ

a

i o o
=> o
I C1 *
ooooooaooo
oooooooo*-*oeo
i|Jt.

s 3 s t-S 2
I 3 B 5
1-J 2
> o- p o
i fcl
i a.,

3
'3
3 3 2
i..
-J
-o
ifl fl* (S -J
p
o o o o
- w
r- ^i -*

C O =
o o
o
Je !-**
n
toooo
I- -o o o
c* o

O O O O
O O **
i J o ^ o
Socooooooso
ifl--.WBnt
e*^ *
O O O
, c-5-f O W
--
I
S
E
, ,1,
i'
5 S c~'
i i
^ m S u m g .5 ,
ss'l;^-?"1
*. .-?

i i i
a'
.2
h.'iW
S 'm:
53S2
T
.1
> i
i
i i
I I I
I

0-S
*-
S
5:li:"i
2 vsjr
U O -j m C
V 5 v V
- c S"" "
i. Jl x /i


g-5 E-2
g3
i
5*-5
ai
4^p j: = >x
V -3
O IX u
o
a
-i|J
i TI "S o al
A*
IS v '* -3 >J
i 4
11
2 2
^5.SZ.5.2 1 II
,
J .5
[2 'K
s-

adJSs 5a 3^-3
3 S S t- 2-2 2 = S 3
I 2
E 8.2
- a-
es y
2 3 2.
sil
5 3
:
t 3
o-

3
' -5
1 2
U

j a
53M|3tl
CO'
oooooo o
o x r< u Wm '
n n -i :
cocoo
o =
O C O "

e o
"sos
..rro o
- =-oFteco-*
i c
c c* oe

3 *
a 2 g
SfS 3
U 3
-4Q
E3.^ E
3
SOOO "O<=
* C*00O
o *n -*f O + >f> C
C 0000C
O 00M*0000
OC0 O C o O
I :
I
. O T
o aoTF
O O
O as a9 C
M M
O O
o
r- o w
W*> -* **
a r*
li~sl | I III I II I 1
C 2 S i. ^ ai ^Ha **


o f
%;* *a,*o,
o

o o

o o
-N -

m
c ooeooooe
c
^**-00C
aaariaiat^r *r-
:
I a
t I
'Vi
H
O
o.
^1
- c< -a
0P*
'' 'sil''
'S*!!
I 1 I 1 I
I I I I
' I '_ >
t'K
i
i i
i
< i
o
S-3-S-S
ii asi.
I I
I
'ja
.te

'I
'1
-o
.a
11
a '

! rJTTTitii...... i i i i u
113 &i t 8 4 i i i s
'11 ,|, |. ."S'|. .
.si, ,l,i.,,.. .S 'S = .:
.a ?t 5-ase 9!> .", S id?
te i

2
2 a.itnUi* H s a. >3
i i
l i
'til
' l
TJ
i-g i e s= '
I' '.....' '"
?m i 5 i i i i i i i
< a 3
-a > -s i i i i i
= 2^S-Co=l'|
cc-j5S35a-<:ca.^
.wllifl
'g|l|1Jl
iiiiii
i ... i l
i i i
i I i
r i i i i i r
......> ss
loa' i i-c
i
gte
"8-8 3-8 g-a 8 ia,8 S S 3 o .
1.2- |*| s l-Sifi |=-a
tsS"Sa*J"*o
"ja
I' 'ge'llii
1' '-s-ss-s.ra
|f5j? -8 "|
" m m u o ^= f
tebhtete te te


(*
EXPORTACAO.
d*
AgoarJente Caxaca -
Algodo l. sorte -
5. a -
Assucar branca en ca* -
masca vado -
m barricas ou sac-
eos, brinco -
mascavado -
Couros seceos salgados. -
Meios do Sola -'
Chibes d,a trra
do Ilio Grande -
EXPORTS.
Colton I. qualiiy -
2. > -
Silgarin cases white -
brovvn-----
lor Barris or tlags
white ; -
brown -----
Dry salted hides -
Taime bids -
Ox-horn -
40*000
6J400
6*900
'960
900
1/700
110
SOO0
2ioou
riuc POR
Pipa.
Arroba.
a
Js. ferro
ig\an
ll'10
Mi Libra.
IJJ50 Ilum.
Cenlo.
4 500 a
CAMBIOS.'
Londres... '-...- v-<
Lisboa.....................
Franca....................
Rio de Janeiro.......... ......
PRATA miuda..................
Palacoes Draiileiros.......
Pesos Columbarios.....'. .'
Ditos Mejicanos........
DORO. Moedas de 6**00 vell.as..
Ditas dilas noval..
l)ilas'de 4*000...........
Oncas liespau bolas........
I.etr
Ditas Patriticas..........17*800 a 28*000;
.........................1 . /i 10'd! por-l>*rf. Odias.
. 9!> por cenlo premio, por metal eUecAuado
. 316 res porfrauco.
liar1 .,
ifji a i/SOO.
l|96'0 24OOO.
,f90 1*080.
1*800 a H8S0.
I6*0"0 a 16*100.
lOfflOC a 18*100.
0*000 a *K>0.
38*000 a 38(600.
FRET ES.i
ASSTJCAR.
1 Liverptol....77.'.'.'.7.... Saceos1
Canal, portos Inglezes.......Dito
1 Dito, ditoeiitreHimb.eHavre. Dito
I Geno va ................. Dilo
lllamburgo caitas...............
\ Bltico........................i
I Trieste.................Sceos!
[Estados-Unidos................. ]|
[Portugal......................./ \ 160
I Franca........................ fis 70
Jateos I
Com 5 /.
Com 10%
f 3 0 0
Com i %.
2on
e 10 % i'e prmiagem'
AGODAO;
PortUtai......'.......'...... 600 por (g Mi" pn'mngemnominal
Franca.... ................ 380 por @>*e I0p.,/aocamb. de 160 p Ir- uomal.
Inglaterra.................. /rl' ->ei p. % prlroagei,
liarccloua.................. 4GU ria
COUROS.
Inglaterra Seceos t
I' rallfa.........' .' .
Kslados Unidos........
116 0
por tonelada e 5 por cenlo, nominal,
70 bancos por toneladas, com 10 p cenlo.
IV10 lia.
1 .
'33M"m7.
Di dia II de Novembro de 1844 I* lianle pagars 60 p. c. o rape ou tabaco
de p, os cbarulosou cigarros, o fumo cu rolo o u cm Iblba.
I'agar50 p. eos saceos de canhatnatio, grossaria ou gimes da In.lia, os cai-
vetes era lorma de punlial, asalmofada paracarruagens. as pedral lavraria para la-
gdo, as pedral decantan para' portees, portas c janellas, as pedras (aviadas para
cncanamenlos, cepas, c'ualiaes e cornijas, o assucar retinado, crygtalisado ou de qual-
quer maueira confeitado, ocha, a agurdenle, a ceneja a cidra, a geneura, o mar-
rasquino, ou outroslicores, e os viuhos de qualquer qualidade c precedencia
bal
ra
f
I:,
Pagaro 40 p. c. as ale tilas ou tapetes, o canlnmaco ordinario ou grossaria, as'
ancas de" qualquer qualidade, e roupa falta, nao especiheada na tarifa, asearlas pa-
- jg*ri escovas de cabo-de marlim, o fogo da China em carias, 011 qualquer nu-
tro logo de artilicio, o papel pintado, praleado. ou dourado, sendo de cualidades
linas, o papel pialado para loriar salas cm'collecccs >iu paizagens, o papel de Hol-
anda, imperial, ou outro nao especllicado na tarifa a plvora, os saboneles, o saltan,
o sebo em velas, as velas de Slearina ou composico, as ameixas, ou oulras filelas
ein frascos ou latas, seccas, em calda, 011 em espirito, o chocolate de cacao ordinario,
o vinagre, os carrinhos, carruagerts ou caias, jogos, rodas, arreios para umae ou-
tra cousa as esleirs para forrar casas, os carros para conduzir genie, os sociaveis,
* sillines, os areieirot e tinteiros de porcelana, e qualquer ohiecto de louca nao coin-
preliendido na tarifa-, os lustres, os clices para licor ou vinio de vidroliso ordina-
rio, os de vidro moldado ordinario lavrado ou moldado, e lavradn ordinario da A lle-
muiha e seinelhantes os de vidro liso moldado ou lavrado, de fundo corlado 011 liso,
com molde ou lavor ordinario ; os clices para Chaiiipanhe 011 cervrja, as canecas,
e copos direitos de 10 a I em quarlilbo, as garrafas de vidro at I quarlilhc ou mais,
sendo todos estes objectos de ns. I e 2 as garrafas de vidro prelas ou escuras da
incsuia capaeidade, coinpreheudidas as que serVem para licores 011 Le-lloy j os copos
pira tabernas at orna caada, os frascos de vidro ordinario com rollias do niesmo
al'3 libras ou mais ; ou fem rolha al 2 libras ou mais, os de Itoc larga com rolbas
do niesmo, al 4 libras ou mais, ou sem rolha parB opodefloc os vidros para -
lampadas ou candeiros, ai tabeas ou tullas de moguoou oulra nwdeira liua, e Iras-
tes de qualquer madeira.
Pagaro 25 p. c. o ac, alcatro, zinco em barra 011 em folba, oliiimboem barra
ou leucol, estauho em barra ou em vcrguiuha, ferro ein bal ra vei guinda, chapan
linguados para fuidico, folba de Flandres, galba de Al'epo, lalaem follias, laloem
chapa, marlim, salitre, vime, bacalbo, peno pao, e qlialqner oniro, seceo ou sal-
tado ; bolacha, carne secca ou de salmoura, berva-doce, familia da trigo, pellica*
ranea ou pintadas, cordovocs ou cortes de bezerro para calcado, bezerros e couros-
envernizados, couros de porco ou boi, salgados ou seceos ; sola Liara para sapnteiro
ou curreeiro, cobre e caparrosa.
Pagarn 30 p. c. o trigo em grao, barrilha, canolilbn espi.'-iiilha, freirs, (ios,
franjas, lanlijoulai, palhetas, passainanes, sendo de ouro011 piala enlicliiia, ordina-
ria ou falsa: galoes da mesma natureza, ou tecidns com retroz, lindo, algoilo ou
leda, rendas ou eulremeios de algodo niio bordados ; leudas ile lil, as ile algodo;
retro* ou trocal lencos de oambraia de linho ou algodo, e bandas du retroz de
inalba.
Pagarn 10 p e. os livros, manpas e glolios gebgraphicos, inslriimenlos matbe-
malicos, de physica ou chimica, cortes de vestidos de velludos ou damascos, borda
dos de prataououro fino ; retroz ou trocal, e cabello para cabellenciro.
Pagaro G p c. o canutilho, cordo de fio. espiguilha, fieira, fios, franjas, ga-
lio de fio ou palbeta, lantijoulas, palheta. realas, cadarcos e todos o mais ohjec-
tos desta natureza, sendo de ouro e prata fina,
Paga- 5 p. c. o carvo de podra, ouro para donrar, ou- quaest)uer obras- e
ntcnsis de prata;
Pagars 4 p. c. as joial de ouro ou prata, Ou quaesquer obras de [ouro.
Pagar6 2 p. c. os diamantes e outras pedras preciosas foltas semcnles,"plan-
as e tacas novas de animaes uteil.
Pagar 30 p. c. todos os mais objectos.
Os gneros reexportados ou baldeados pago I p. c. de direitos alm da armase
c--jm e o despachante presta banca at a approvaco desta medida pela Assem-
Ua GeraJ.'
Coneedem-se livref de armazenagens, por I6dias, as biercadorias de Estiva.
dous mezc) as outras e findos estes prazos, pagars,'/ P c- mex a0 rtlP*e
*o Talor.
Os rdireitos das fazendas, que pago por Vara, deve entenderse vara quadrada.
Os direitos nao podem ser augmentados dentro do auno financeiio ; masoGo-
verno poder mandar pagar em moeda de ouro ou prata urna vigsima parte dal que
lorem maiores de 6 e menores de 60 p. c. dos precos das mercadorias, ou mesma
dimlnuil-os, segundo Iba parecer.
O Goveruo est autoritado a estabeleeer um direito diflerencial sbreos geaero-.
de qualquer naco, que" aonrecarregar ds'geiicros brasilehds de rtielor dircilo, que
iguaes de oulra nacao.
Os arligos nao especificados na pauta pago o direito ad valorm sobre a factura
.1 presentad pelo despachante pOdendo poim ser impugnados por qualquer oRcinl
da' Alfandega, que em tal caso paga o impone da factura ou valor, eos direitos,
So cas de duvida sobre a- classifioac da meicadoria, iidde a parle requerer
arbitramento para designar a qualidade e valor da paula, que lile compele.
Sao nenias de diieitos s machinas; anda nao usadas no lugar, (Mi que foiem
ini|>ortadas'.
EXPORf AQ-AO Ol direitos pago^se sobre a avaliaco de uina paula sems-
nal na razo seguinte 1 Assucar III p C Algodo, caf, e fumo Up c. A^oar-
denle, couros, e lodos os mais gneros 7 pe. Alem desles direito pag:'o-ie as
lasa*de 160 rs ein cada caita, de 40 is em cada feoho, de 20 rs, e,u cada barrica,
ou saceos de assucar, e de 40 n em cada sacc.-i- de algodo.
Couros e todos os mais gneros solivres de direitos para os portos do Imperio, a
excepro do algodo, assucar. caf, e fuiro, que pagio p c. e as laxas por voluac
Os metaes preciosos em barra pago de direitos 2 p c. sobre o valor do mer-
cado, e a prata e o ouro amoedado nacional ou eslrangeiro paga nicamente [t p. c
Os esoravos exportados pago 6J0U0 por cada um
DESPEZ. DO PORTO As embactcSes nacionaes, ou esli-angeiras. que
navegas'para fora do Imperio, pago 00 rs de ancoragem por (mirlada: eas
nacionaes, que navego entre os diversos polios do Brasil 9C rs. As que entraren
em lastro e sahirem com carga e viceversa, pagar mi iade do imposto sunra e um
terco as queentrarem, e sahirem em lastro; e mesino as que entraran por fiauquia,
011 escala, quer euirein em laslro, quer com caiga Desla kwposioo po m serio
isnlas arque importareminais de 100 Colonos branca, eas queenlrarem poi arribada
lineada, onin ihiim qtie estas nao carreguem, ou descarreguein sineule os genero
tecessaros para pagamento dos repaios, que fizereitt.
VENDAS DE NAVIOS As embarcacSes estrangeira que pastaren a er
nacionaes, pago 16-p. c e as nacionaes, mudando de pioprielano, ou de liaudcira
pago 6 p, 0. obre o Valor da venda.
REVISTA SEMANAL.
CAMBIOS' Transaccoes regulares aos cimbios quotado.
ALGODOEnlrro'79-1 laceas, fui menos procurado; houverao veudal
1 6*400 rs.
AS-UCA'R Mais firmas, e tem iiavido grandes vendas aos procos quolados,
COUIIOS SILGADOS Pouco procuiados,
l( xCAI.HAO = O deposito ser de 8,100 barricas, e os precos tem reglalo
ile 1 A* a i3Snno rr., a retalho.
FAIUM1A DE THlliO Est-se relalhando ao precos quolados.
CAlIM DE CHARQUE Com lium carregamenlo que ebegou, foi o de-
posito elevado a 24:000 arroba; a s vendas tem sido regulares
Retamo das Embaitacbei existentes neste parlo no da 20 de Ftvereiro dt 1847.
Americana.......................................................... *
Brasileiras .......-. -....'. .... ................ 7
llespannolas ...--........'...... ....
rrancezal .......,-...........,................ 8
Inglezas. ......... ..........*..................................... I*
Porluguezai........................................................... C
Sueca...,.......................................................... *'
Total (*
A Provincia goza tranquilhuade.


1
""!V
(*)
a
LISTA das Embarcaces existentes oeste porto al o da 20 de Fevereico de 1847.
HTIUDAS-
i TjKDlYBaT. | CASCO.
fevereiro o
Setembro

OulubrO l8
Noverobro 2T
18
r
Janeiro

!
18
a 5"
l7,
27
28
31
Fevereiro 2'
*

I
H
'
18
14
18
|'847 Fcvcriiio 4
*
, 14
1847 Fevereiro
Baltimore
Terra-Hov
Baha'
Ass
Au
Rio de Janeiro
Ass
Ara cali.
Ass
Rio Grande do S.
lUhia.
'Rio de Janeiro.
Peneao.
Baliia.
Acarae
Ro Grande do S
Ass
ACsracu
Ass
Rio de Janeiro
ahia
Assn
Ar catv
Parahyha
Acarac
*
*racat.
Rio Grande do 3
Marunlio.
Marseilles
Havre d Grace
:Torreveija
NACA6.
Dezenihro *'
fia Janeiro 2
29
Fevereiro 5
1
. 13
i
/87 Janeno 10
> II
14
JO
f841 Janeiro 2
55
10
Fevereiro 19
'patacho
Itrigue
sumaca
sumaca'
hiate
brigue
brigue
sumaca.
br.-esc.

sumaca
brigue.
hiate.
brigue.
Iii-. te
brigue
patacho
sumaca
brigue
Siatacho
iita
brigue
niale

umaca
.hiate
.sUlllICt.
brigue
hr -esc.
brigue
Amer.
Rraxil.
-U-LJL.-...
NOMES.

Babia
Liverpool.
Terre-Nova.
Rio de Janeiro.
Aricht.
Jersey
Liverpool
Terra-Nova
Liverpool
Rio de Janeiro
lesbia
Porto
Lisboa
Lisboa.
Kihia.
avre de Grace,
Cliulmurg.
:Rio de Janeiio.
Franc
galera
galera,
brigue.
u
a
brigue
escuna
baiC

brigue
patacho
brigue
brigue.
hatea.
brigue.
brigue.
llanovei.
Croom.
Santa Anua
S. Joo
Despique
Animo Grande
'Flor do Sul
Carlota.
Henriqueta.
Piatlnim.
,S. Benedicto.
F.spiito Santo;
Ro-Viagem
Feliz Viajante.
Mara Finninn
filfa
l.aurenttna
Sania Crux
Paquete de Pernamlluco.
Oliveira
Flor do Recife.
Socrdnde.
Novo Olinda.
Fspadarle.
F.n-.ulaco'.
Elisia.
Ralbina.
>>Orma
Josepbinai

Lronidc
Cesar
Beaujein
Het|i Carlota.
It.gl.
Port.
Sueco.
Tyrer
Serafina.
Mezrppa.
Caxelle
Drgent
Carolina
Pandora.'
Hanger.
Manchester.
.James Ray.
Conquest.
Hebe.
S. Domingos.
Bellu l'einiiinbiincana.
Vestal.
Coiiceco de diaria.
Solide.
Annelle.'
Swea.
Nordon.
TONS,
MI
US
02
44
I "
; 109
170
i
- 131
204
43
J00
28
180
128
187
180
74
199
182
38
195
88
21
122
87
404
209
174
II
4&2
133
I0U
334
299
134
176
129
186
106
804
158
283
144
189
200
287
127
100
l 230
I 6
270
300
MESTRE.
CONSIGNATARIOS.
S. Donindson.
ThomasMc Gulre.
JoSo de Dos Perera
Urbano los dos Santos
Joaquim Cerdoso
Jos Ignacio Pimenta
Jos* Goneales Simas.
Jos Joaquim Alvos
J. Martins da Silva Vianna
Joaquim Jos Silveira.
Jezuinn Jos de Souza.
Manoel Ignacio da Cunha
B. A. Alves Bacelar.
Jos Bernardo Roza
Aleandr* Jos Alves
Joo Marlins dos Santos C.
Jos Joaqnim Alves
JooGonralves Res.
Joo Dias Coireia da Silva.
J. Machado Malheiro Braga,
Jernimo Jos Telles.
Antonio Jos Viauna.
Nicolao Francisco da Costa
Antonio Gomes Pereira.
J. C. de Azevedo Serva.
Jos Joaquim Duarte.
Antonio Francisco Pereira.
los Manoel Hailioza.
Cafl
Dromond
lleduchaud.
R. A. Vijant,
L. F.lli
John Tavlor.
James Itor.rni.
A Penot.
David Hepburn.
Wm. Naot
Fjnoiif.
N. W. Pege.
Jobn Beli.
Wm. Ilameford.
J. Wilson.
Tbomaa Anderson.
Manoel Rodrigues Vian:ia.
Manoel Francisco Nogueira
loo da Costa Neves.
A. P. Borges Jnior.
Holtmann.
A Patersnn.
George Gubberlson.
.. F. Wolf.
Henry Forster 8t C.
Me. Calmont it C-
Nov.es Si C.
Jos Mari Barbota
J. A. de Magalles Bastos
Amorm Irmos
Luiz Jos de S Araujo.
Franc. Joaq." Pedro da Costa
Aaaorim Irmos.
O Mestre.
F. J Flix da Rosa.
O Mestre.

Jos Antonio Bastos
Firmino Jos Flix da Rosa
Lourenco Jos das Neves
C G. da Cosa Moreira
LeopoldoJos da Costa Araujo
Joo Vx de Oliveira.
Luiz Borges de Siqueira.
Jos Francisco Collares.
F. Joaquim Pedro da Costa.
O mestre.
Manoel Goncalves da Silva.
M. J. de Magalges Bastos.
Amorim Irmos.
O Mestre.,
OBSTINO.'
Rio Grande do Sul'
Aracali.
Bauia*l5dFV
Baha
Luiz Bruguiere
Avrial S Irmos
B. Lasscrre ti C.
I.enoir Puget c C.
Deane Youle tt C.
Joknstou Paler & C.
I.aihan S rlibbert.
Le Bretn Schramm 8t C.
Deane Youle & C.
Mo. Calmont 8lC.
a
James Crabtree & C.
Latham & Bibbert.
Deane Youle & C.
Le Bretn Schramm S C.
Me. Calmont & C.
Mendes S Tarroxo.
Amonio Francisco de Moracs.
Nascimento & Amorim.
Tliomax d'Aquino Fonceca.
N. O. Beber & C.
Le Bretn Schramm & C.
James Crabdce ti C.
Rothe S Uidoulac.
Havre
Barcelona
Trieste pela Parabib.
Liverpool por Parab.
Liverpool.

S- Petersburgo
Lisboa.
Porto.
Stock holm.
Gotliemburgo'
Pernamhuco na Typo4raplia de M. F. de Faria.1847.

**-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EENJ4BFD0_U1MG0R INGEST_TIME 2013-04-26T22:50:13Z PACKAGE AA00011611_08425
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES