Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08416


This item is only available as the following downloads:


Full Text

~>
-WA~
,4nno
de
1847.
mmmm
Quinta-fcira II
n/jMO publica-ie todos os das, que nao
ile euarda i o preco d signatura he de
"aan rs poi q"rl- W" "diantaHos. Os an
*' < dos g'wnws sH.5 inseridos i rss.'o de
"""'porl.nl.a. *0. em lypo diflcranlc, e ns
i'i-es n'lameude. Os que nao firemkssg-
"',), ngir5o 80 rf porlinl.a, e I6 em Ijpo
p,IASES DA LOA NO MEZ DE FRVEREIRO
u onle, 8, s H ''oras e lOniin. da manb.
i dov, "> *8 9 ,,orM c min- n,M,,'*-
; esceote, M, < ll0ra e IDn- d' n>h!-
PARTIDA DOS. COMICIOS.
KoiannaeParaliyba, lis segundas e sextas feins
Ria-Urandc-ii.-i- >oi!,- quintas fe i r.. i agincip-.ln
Cabo, SeriiiliSem, Rio-Kormoso, Poi
' Macelo no i., a II r Ii de cada meT
(iaiaikliuns e Honito. a 10 e 21.
Roa-Vista e Flore*, i lie 18.
Victoria, as quintas feias.
Ulinda, todos os (lias.
vo e
PREAMAtl DE HOJE.
Primeira, l boiaeSt minutos da tarde.
Segunda; s 0 lime 41 minutos da maulia.
de Fevereiro. Anno XXII.
N.55.
DI AS DA SEMANA.
a Segunda. S Corlnthia. Aud. iloJ dosor-
plios, do '. do e da v. e do J M. da i
9 Terca. Anslierlu Aud.rioJ.doeiv.dat
v. edoJ de pai do 2 ilil. de t .
10 Quarta. S Gnilheime Aud do', dociv.
da 2 f. e do J. de paz do 2 disl. de l
11 Quinta. S. Datiro Aud do J. de orphos.
do J. 'municipal da t ar.
12 Seita. Modesto. Aud.do X. dociT.d I
t e do J. tic pal do l.'disi. de t.
U Saliliado. S. l'enioo. And do J do civ. da
i. v. c do .1 de pai it Domingo. S. Valeutini.
CAMBIOS NO 01A 10 DE FF.VF.nF.lIU>.
Cambio sobre UondresaSO, 2 '.'r'-
ii P.ris 120 rs. por franco.
Lisboa 9!> de picudo.
Oeie. de lettras de boas lirin.s I '/ P-V. ";
Mro-0:icslespanhols....28>nnO a 2#!>0"
MoedasdeBiOOrelb. I6OO0 a II
,- de V'.OOO.....
PraU Pacoei .... ..
1 Pesos ciiluninaics.
Ditos mexicanos ..
a Miuda .
l0|0i>0 16I18O
9|000 a 9JI0II
|J0 a
l/0 a
if-tlll'l a
llin a
i H00
|00fl
I fe Mi
l|7n
Acedes dacomp.do tirbe'ribc de5of000rs.ao par
FERHTAMBUCO
PAftTE OFFICIAL.
diado Ros, declarantio-sc sciente de ter S. me. as-
sumido o commando geni do corpo de polica.
DECRETO N. 490, DE 30 DE DEZEMBRO DE 1846.
tequia a manida dse paisarem ai earlai de habilHaeOo
aot alvmnoi da aula do commercio da cidade do Mo-
je-Janeiro.
Nflo se arpando previsto no regulamento n. 456, de
seis de julho do corrente anuo, a modo por quo os es-
ludantes que frem approvados no curso da aula do
commercio desta cidade hflo de obter as suas cartas
deliblitacflo:he por tem que as roesmas curtas
sejam expedidas cm nome da congregado dos len-
' tes da referida aula, na cenormulnde do modelo
uuecom esta baxa,assignadp por Joaquim Marcelli-
no de tirito', do meu eoncelho, ministro e secretario
de estado dos negocios do imperio, quoaBsim o te-
lilla entendido e faga execular. Palacio do Rio-dc-
Janeiro, cm trnta dedozerabro de mloitocentos e
quarenta e seis, vigsimo-quinto da independencia
c do imperio. Com a rubrica deSua Magestado o
Imperador. Joaquim Marcellino de tirito
Modelo, a que te refere o decreto detla data, da* cartai de
kiibilitaldo do alumno da aula do commercio da ci-
dade do Rio-de-Janeiro.
A cong'regacflo dos lentes da aula do commercio
da cidade do Rlo-de-Janeiro, tendo presentes as no-
tas relativas ao Sr. F.....fllho de..... nascido aos ....
diasdotalmez eanno, natural da piovinciade.....
faz certo aosquo esta virem que o mesmo Sr. F.....
lemTeito os estudos declarados no regulamento n.
456, de 6de julho de 1846, por que. se reg esteesta-
belecimento, e foi approvado em todas as materias
ensilladas. Em testemunho do que dito fica, selhe
passou o presente, que vai assignado por todos os
membros da congregarlo.
Aula do commercio da cidade do Rio-de-Janeiro,
aos tantos de tal mez c anno. Joaquim Marcellino
de llrilo.
DECIKTO N. 492, DE 3 DE JANEIRO DE 1847.
I>' providencian iobre a cobranca do meto por cento
sobre a exportaedo dos diamante.
Tendo ouvido a secefio da fazenda d conrelho de
estado sobre a exectic.no do artigo 13 da lei n. 396, de
2 de setembro de 1846, hei por bem que se observe o
segu n te: .
Artigo 1.' Toda a pessoa que quizer exportar dia-
mantes brutes para forado imperio os apresentara
as mesas do consulado, acompanhados de urna no-
ta, como as cstabelecidas para o despacho dos ou-
tros gneros, em que se declares peso total dos mes-
mes diamantes em oilavase griios.
Art. 2. O administrador mandara por un reilor
pesar, em sua presenta, do escrivlio n to a presenta li-
te, o volme que eontiver os diamantes, sem so abrir;
e adiando que, fcflfcum deseonlo rasoavel pela tara
dclle, o peso orear pelo accusailo na nola, mandara
lacrar o volume pelo lugar da abertura, com o sello
das armas imperiaes, enfc que ficara presa urna lira
de papel que servir de despacho, na qual oslara es-
cripia nelo cscrivnn pagou de meio por cento de
exportaeflo de .... oitavas -- tanto. Mesa do consu-
lado do...... de tantos de tal mez o anuo --Rubrica
do administrador e escrivao.
Art 3. Se no administrador parecer que o peso he
diminuto, far reformar a nota, o conv.ndo o apre-
soolaiile, sAr o despacho ; alias so abrir o noIu-
,e, e se pesa.no os diamantes, o que con. ludo se e-
vitr quando fr possivcl, desattendondo-se peque-
"*S rt l"* Por cada oitava de peso dos diamantes so
cobrarSo 1,500 rs. como equivalente do moto por
cento lo n.nosto. Se, alcm das o.lavas l.ouver
crios e estes excedorem de meia o.tava, cohrar-se-
Kmpostocomosofosse un,if ese nOo excedo-
rertd1P.TSSSin0teSqueforem encontrados en,
acto do embarque sem o sello o despacho do artigo
* serHo havi los como extraviados ao imposto. -
" nio Francisco do Paula o HdH.nd. Cjjfm
ti de Albuquorquo do meu M^.^t^^*
rreixrio de estado dos negocios da fazenda, e Dresi
uente""o tribunal do ll.esouro publico nacional, as-
s, o tenia entendido e faca execular com os des-
pachos .eces.ariiis. Pajado do R.o-de-Jane.ro,

EXTERIOR.
em
2 de ianeto do ,847, vigesi.no-sextp da independei.-
einndoiinuerio Com a rubrica doS.M. o Impc-
Zor-ZP,Z> Franjeo de taula e Hollanda La-
valcanli de Albuquerque,
Governn da provincia.
EXPEDENTE DE 30 DOPASSADO.
Oleios-Ao inspector da tliesourana das rendas
proSe, eAao' aLinistrador da mesa do, consu a-
do, scientificando-os da nomeacao de Uetanio ma.
tPPpreira oara substitu r a Domingos ternandes ue
SouxliX no lugar de spector do assucar. -
Tambem se commuuieot ao vomeado. .
IDFM DO 1." DO CRREME.
ASD^oCa-- Ao desembargado. juizreUtord. junta de
- ^Dito^-Aolenente-coronel Antonio Croelro M.-
ESTADOS-UNIDOS.
Extracto do discurto do Sr. Webtler tohre a poltica na-
cional, proferido na cidade de Boston em Faneuil-
Ilalt, no dia 6 de novembro de 1846.
Sr. presidente e conciddios. Ha seis ou seto sema-
nas para elecm occorrido grandes mudanens, nilos
a respeito dos partidos polticos, senflo' tambem no
que toca aos grandes interesses polticos do Miz.
Muilasdaspessoas aquem hoje tenho a honra dedi-
rigir-me ouviram-me dizer emoutra occasilo que
era e sempre seria didicil manter principios saos se
ro podessemos produzir urna mprcssfio para o bem
na grande porejio central da nossa unido, lamos ad-
miravelmente no Oriente, cxcellentemento no sul o
no sueste, ptimamente no occidente; mas emquan-
lo Ncw-York, Pensylvana o Ohio estavam contra
nos, eram grandes ossas difllculdades. Pediamos-
Ihes que tomassenrparte na grande pbra da susten-
tculo dos silos principios whigs (conserradores), e
ah eslava nossa esperanca, porque confiavamos quo
maishojo maisamanha viriam para o lado justo,
para o lado quo sustenta os verdaderos principios
constitucinnaes. Essedia Chegou. [Applautos.] 0_ al
vordessa manhffaj raiou sobro nos o hoje aqu os
temos, niJo contra nos, mas comnoset. (Vomi op-
plausot.) I.emhnii-vos, Senhtjres, que todas as elei-
cOes, desde que principiou a desenvolvcr-se a polti-
ca da admnistraco, teem sido maisou menos adver-
sas a essa administrado. Os resultados em Mary-
land, em New-Jersey, na Florida, na Ceorgia, em
Ohio, na Pensylvania e em New-York (orondee ap-
p'auot) provam mnha asscrQ.to. E pnilcrn dizer al-
guem que um s estado tenha sanecionado a polti-
ca da administracSo actual ? As dcmonslracoes mais
recentes silo as de New-York. (Enlhusiatticos applau-
eot.) Aquillo quo todos ssabes sobro o oslado des-
sa eleigilo s tenho a accrescentar oseguinte bole-
tim tdcgraphico datado hoje s 5 horas da tarde:
A maioria em favor de John Young, candidato
whig ao lugar de governador, ser pelo menos do ti
mil votos; dos 34 membros docongresso vinte tres
sSo whigs e dos 128 membros da assembla 70
Agora, Senhoros, resta fazer urna pergunta. A quo
he devida esti grande mudanca na poltica do povo t
Sobre este ponto limitarei mnlias obsorvacOes ao es-
tado de New-York, cuja mudanga he amis recente
ea mais importante Algunstecm diloque soffra-
gio universal, quo a opposicilo aos impostos inlluen-
ciariam grandcmeA'te o resultado, e que os mimigos
pessoacs do governador Wrght farihin pender a ba-
tanea dascleicOes para o partido whig. Seja-me per-
mitlido, porm, assegurar-vosque as causas da mii-
danca silo muito mais graves, lia condados no rio
quederam grandes maiorias whigs, onde nSo cxis-
tam essas questOes locaes quo p'odiam influir na es-
culla pessoal dos representantes provincoos; mas
pondo de parte estas elciges e todas asqoestoos l-
caos que a ellas se ligam, temos boje a certeza de que
os whigs olegeram o governador de New-York por
urna maioria de II a 12,000 votos, oque duas (ercas
partes da deputaco congressional silo nossa.
Elegemos 23 membros, mas deviamos ter eleito26
Desgracadamonte na cidade c no condado d'el-rei, os
whigs o os republicanos nativos estavam divid los.
Esta di visito deu entrada ao inimgo He para la-
mentar queaajsim acontecesse, mas no me autori-
sa issoa consorarquem qurquo seja por tal moti-
vo. Silo fraquezas da natureza humana. Dcpois de
amanha voudaromeu voto na villa onde resido.
Hei do encontrar mutos hoinens bem inlencionados
que votaro em candidatos do tercoiro partido, coi-
quanto tenham a certeza de que perdem seus votos
c facilitan a entrada do candidato nosso adversario.
Bem quizera eu poder dirgr-mc sobre este ponto a
lodos os votantes to mou distrcto, para palentear-
Ihcs as consequencias do somelhante procedimento,
seus inevilavels resultado*. Nflo ha a menor llovida
de que s pessoas que votaram em 1844 na lista do
tereciro partido se devo a cleic.no do Sr. Polk, a m-
cornoraeflo do Texas e a guerra com o Mxico.
Vollando, porm, as causas que prodtiziram estas
mudancas nos estados, centraes. perguntare qu es
foram ellas? Deve-se linio s rcenles medidas do
congresso, quelizeram passar para o nosso campo,
nao 50 ou 100 pessoas aqu o all no estado de New-
York, mas sim todos os homens ile rellexilo de todos
os partidos, as massas. Da maneira a
c~
Mcx
tras medidas
Mxico he odiosa em toda a utitilo
Urna eos :-Quem votou por ella ?
OSr Wtbtter:- Minguen.: o presidente decla-
rou-asem nenhuma vulacilo, oisto moinduz a di-
zer uue guerra cm sua origem foi urna guerra p.e-
sido.cial. AconstiluicBoesUlue, porcni, que so o
conciesso tc.n o podrde declarar a guerra : o quan-
do o ledarou o congresso ? To.los sabem que o |re-
sidenle i laudou marchar o nosso exerc.lo d"as Nueces
nan o I io-lirandc, it.vadndo assim um torr.tor.o
para oitiouio___,^ aUoi:ipaiiii so onnozeram a
isso he contra o espirito da constituidlo dos Esla-
dos-Unidos [grande applauso); so congresso tem o
poder de declarar a guerra, o comtutlo he obvio pelo
que acabamos de ver que, so opresidenle sedecdir
a envolver o paiz cm urna guerra, o pode fazer. O
presidente commelteu um erro grave, urna violacilo
de son dever, e, em minlia opiniAo, prateou um ac-
to pelo qual pode ser acensado. (Muito* applautnt.)
Com que fim se faz esta guerra ? Tudo o que. sabe-
mos he quo os -nosso* ejrcitos j chegaram a Mon-
terey.e que, se poderem, chegarHo cidade do Mxi-
co. Eque se far depois? Fortficar-se-ha todo o
paiz, toinar-se-ha possedello como territorio ame-
ricano.-lerrltoro igual formacilo de 40estados no-
vos? Ja he lempo de sahermos quaes sito os desig-
nios do nosso governo. Sci que nilo esta nos hbitos
do povo americano calcular as despezas tic tima
guerra, quando ella he justa e necessana ; todava
ctimprc examinar -o que custa urna guerra como a
do Mxico, principiada pela nica c exclusiva aulo-
ridododepresidonte, e portanlo sT-me-ha perinil-
ti.lo entrar cm alguns ermenores.
Dascontasapresontadas polo thesouroiro dos Es-
tados-Unidos, ve-so que o saldo no ihesouro, em 2.
de abril de 1846, era 12,036,000 pesos fortes.
I* dejiinho
29 ..
27dejulbo
24 de agosto
21 deselbr."
Pesos. I^sos-
11.478,000 Diminuicao em maio ,'>58.OO0
9,310.0110 jun'10 2- 'OOO
7.725,000 Julh 1.58.5.000
5.593.1100 aKosto 2.132.(H10
4,815,000 etbr.0 778,000
Dlinliiuico total fin 5 meses 7,221,000
A
era :
so ni ni a
de agosto
desetbr.
1 de outtibro 2,240,000
de notas do thesouro em circulaeiJo
Pesos.
447,000 resto de rmisssOet antigs
1,090,000 augmento cm agosto
setembro 1,150,000
ellcaz
tig icaram a sua desapprovacflo da guerra com o
exco.da nova tarifa, Ja lei do ll.esouro e le cu-
ras medidas da administraco. A guerra contra o
es ranero; e porque os Mexicanos so oppo/.eram a
es ainvasauaeseuTsoio, appareceu a prodamacao
cSrKcIio. ? Foi tm tgm i 8U.IT.,.
Elev*ndo-se assim oexcessode depeza 'ah-m da
receita) cm 5 mezes a 9,014,000 pesos, o que da um
excesso de 21,633,600 pesos cm um anno Segundo a
mensagem do presidente,cm dezembro do anno pas-
sado, a reeeila total do anno quo arabou em 30 de
junho de 1845 foi 29,769,000 pesos. ** \*''*<"*
no anno corrento, como ogovernoga.su 51,000,000
de pesos por auno, ou antes 60r000,000de pesos, por-
qu os pogamentos nflo andam naltiralmenle em da,
segue-sc que gasta o duplo da renda.
O congresso autorisou o secretario do thesouro a
emittir billiclesdo thesouro oacontrahir um em-
prestimo. Os bilhctes foram emittidos cannuiiriou-
soocmprestimoaojuro alto do 6 por cento. Ora,
romo a divida existente n.lo esta cima do par ),
dilDcilmente se elTectuar esto novo e.mprcstimo com
comlicoes vantajosas.
Seia-mc pcrmitldo dizer agora duas palavras so-
bre a tarifa. A tarifa foi urna das cr.usas quo mais
conlribuio para o resultado da ultima Mofloem
Ncw-York. Em condados onde deba muito nflo ti-
nhainos podido obter urna maioria, temos agora
maiorias em todas as cidades e distrietos. A tan a
dos.lede 1846 prejudica directamente o trahalho do
paiz e os interesses do trahalho. (Muitot applawos. _<)
listrieto de New-York he
disiricio tic liew-ui -...... ~~r
grieola, ea tarifa mata todos os seus interesses A
rifa, a guerra mexicana eos vetos presidenciaes pi
manufaeliireiro o nao a-
ta-
pro-
duziraiii a mtidanca que notamos.
Sr. presidente, duas cousas tomarain de sorpreza
o novo americano. A primeira Aj a escolha do Sr.
Polk na convcnc/io de Ballimore, porquanKi ninguem
por certo eslava menos prr/para.lo para semelhante
escolha do que o povo dos Estados-Unidos. (Applau-
toi ) Quando se espallrou a noticia todos perguntn-
vam quem diaho he esto Jamos K. Polk ? Mas o
espiritoea ldelidade departido eram tilo fortes que
venecram a sorpreza, e convonceram o povo da que o
Sr. Polk era o homeni que niclhor poda sustentaros
inlcrcssesdo paiz, e particularmente os da Pousyl-
vania. jasadas. .\ segunda sorpreza foi a guerra me-
xicana. Quem conlava com ella? Ecomtudo DO dia
11 do maio exista essa guerra, segundo a declara-
c1o do p/esidonte. O nosso exercito achava-se en-
taucinsiluacao nritca. Eu eslava ausente do con-
gresso. poique ncm sonhava com semelhante guerra.
O bll passou no dia 11, volando contra na cmara
quatorze memorse no senado dous. E porque lio
que passou? Pelo quo di/, respeito aos whigs, porque
acharam inesperadamente o paiz envolvido em tuna
guerra, u nosso exercito em posic/io arriscada, e ora
absolutamente necessario suslenta-los. Eu cheguei
a Washingtoivoucos das depois e a ninguem ouvi
dizer quo a votacao desse bil envolvessea approva-
cau da pulitica da adminislraco.
Sr. presidente, vivemos em poca de grande pros-
peridade; o co lom-nos sido propicio aliim de os-
sas esperanzas, estado sanitario do paiz he o mc-
lhor possivcl; florece a educaeflo e prosporam o
commercio e agricultura. A nossa populacHo he em-
piehendedora e vive feliz. Mas, Sr. presidente, o ex-
cesso traz algumas vezes o dcscontcntamento, e te-
mo que at cerlo ponto se verifique esso caso eom-
nosci). Comquanto nao se possa negar que gratule
parte da noss prosperidade se deva a nlluencia fer-
ial do nosso clima, ao carcter do nosso solo c e-
ncrcia do nosso povo, nao so podo contostar quo o
puder protector de todos estes he a constituu;aodes
~~7*) yola. A divida existente dos Estados-Unidos
e eslava de 104 a 106 ale so
tem 16annos a correr,
annunciar o novo emprestimo de 5,000,000 a 6 por
cont por 10 annos. Este novo emprestimo roicon-
Irahdo ao par e a i por cento premio, amor parle
O par.
Estados-Unidos. [Muitoteprolongadosapplamoe.) Rite
por isso que eu ouen dizer com o maor pezar quo
lia .deas de reforma-la. Rcprovo semelhante opinifln.
(Applausos.) Quero que conservemos a cnnsliluiQao
que nossos pas nos deixaram, voncendo e morrendo
com ella. (Grandes applautos.) Reeonhcco que lem s-
do violada ; mas devenios por isso reforma-la, aca-
har com ella? Nflo por cerlo. Devomos restaura-la,
fazer iodos os csfortjos para que nflo torne a ser vio-
lada. (Aiteu.
os mennos k tahua.
Ntie-York, idenorembro de 1816.
Estamos em vespera da abeilura da sessao docon-
gresso, e ja so pude prever a nova altiltidc dos parti-
dos na arena parlamentar. A victoria que as elci- #
eflps alcant;aram os whigs, victoria que lrara graves
mndificaqcs as maiorias, mudou lainbem aladi-
ca doste partido, c parece que ataques mu fortes as-
signa larflo a estra da sessao. O terreno cm que se
ha do dar a batalha continuar a ser o mesmo. a ta-
rifa e a guerra do Mxico, eis 0 duplo cavallo de ba-
talha que os whigs escolliciam contra os demcra-
tas ; mas hoje j nflo so contenlam com algumas
inodilicaQoes, querem a revogaeflo completa da nova
tarifa, e a restaurarlo absoluta esem coiidices da
de 1842; e quanto guerra, om vez de ataques vagos
o geraes, parecem dispustos a accusa-la do inconsti-
tucional, propondo a sua condeinnaco absoluta no
triplico ponto de vista de sua origem, carcter c fim.
Pelo menos tal he o projeelo quo os orgflos demo-
crticos prestam a seus adversarios, piojecto que
alias naonegam os jornaes whigs.
As exigencias desse partido rao to longB como se
diz? Nao seria para admirar que assim acontecesse,
mormenle na primeira embriaguez de um trumpho
com o qual ncm os proprios vencedores ousavatn
contar. Qualquer porm que seja a extensflo deesas
pretences, he inconlcslavel quo os actos da admi-
nistracao demcrata terflo de sollror ataques violen-
tos. Sobre este ponto ha duas consas que cstabele-
cem a questflo com tanta precisao, que formulam o
programma do partido whig com tanta franqueza,
que nao he permiltido ter a menor dtivtda. OSr.
Webster, no discurso que proferio em Boston, o o
Sr Clavlon em urna carta que acaba de dirigir aos
federalistas dcDclawaro, foram a esto respeito o
mais explcitos que podiam sor. A seyeridado com
que o prmeiro so .ronunciou quanto a guorra com
o Mtexico, c com que fallou o segundo acerca da tari-
fa, dflo evidentemente a condemnaeo-destas duas
medidas cerno brado dereuniflo para o partido de
quesflochefes. .
Conseguirilo os whigs os seus designios? Pelo que
toca tarifa, nflo se ndc decidir a questflo sem pro-
ceder ao examo dos diversos elementos quo no con-
gresso so v3b adiar face a faco. Estes elementos,
como'j dissemos quando fallamos das profundas
modificacAes que tendem o fazer-so cm lodosos
partidos, deixamdeser osmesmos quando do ter-
reno das theoras se passa para o dos interesses : os
whigs o os demcratas decoinpoem-so cntflo em pro-
teccionistas o em partidarios da liherdade commer-
cial. Para nos pdennos pronunciar, pois, sobre a
maor ou menor den ota da nova tarifa, seria preciso
discutir as maiorias debaixo de um ponto de vista
intoranioiile iliuerontc, diseussflodilffcil, porquan-
toa mesma administragao, qu esta do record so-
bre os pontos de poltica, nflo o esla tiesta questflo.
OSr. liuchanan, poroxemplo, pronuncia--so pela rc-
visflo da tarifa, e 0 Sr. Polk, apoe tongas hesila?fles,
diclara-soem favor da liherdade commercial, franca
o sincera, como o entoudem o Sr. Ualhotin e a demo-
cracia do sul. Por motivo doste eonllcto, diz-sequo
o Sr. liuchanan esta disposto a sabir do gabinete, pu-
blicando urna profissflo de r destinada arestituir-
Ilie as boas gracas dos seus patricios da Pensylvania
que Ibes chamam renegado. Dar-se-lho-ha como
compensaeflo a embaxada de Franca, e sera substi-
tuido no ministerio pelo Sr. Kiug ou pelo Sr. Mac
Lae.
Em consequencia destas indeoisfles que reinam as
deas do propro partido democrtico, auncaop-
niflo quo se pode emittir com alguma prohabilidado
he a de que a tarifa soffrera niodilicacOes que, sem
Ihe restituir as qualidades da de 1842, Ihc restituirn
grande parle de seus defeilos, o a toi narflo um mis-
liforio informe como todas as obras retocadas em
quo todos dflo asna pincelada. Um jornal liberal, o
Journal ofCommerce, quodefonde a nova tarifa, ro-
conhece, porm, que nenhiim inronveniento haverta
cm augmentar os direitos de importaflo sobre todos
os artigo* nteiramenle estrangeiros, isto he, deque
nflo ha similares nos Estados-Unidos. Se Mr adop-
tado este principio intoiramenlo novo do economa
lnanceira e poltica, o commercio francez lera tudo
perder, e nada a galibar as mudancas propostas.
Quanto guerra com o Mxico, o partido whig le-
va evidentemente Longe do mais suas pretences
quando falla de censurar a conducta do prostdente
edeoaecusar. O Sr. Webster tnlia motivos para
atacar os resultados desta guerra ; mas excedeos li-
mites do possivel c da verdade quando a ataca no sou
principio, dzendo que os Estados-Unidos deviain lo-
mar o rio Nueces por lmite, e nunca aggredr o M-
xico estendendo-so at o Rio-C.randc. Esta aecusa-
eflo, que faria pesar sobre o poder executvo a res-
pousabilidade de urna guerra niqua e arbitrara,
Loderia ser fundada buU'ora, mas j o nflo he hoie.
O congresso nflo declarou essa guerra, he verdade,
mas acelou-a, reconhceendo que o sangue ameri-
smo tnha sido derramado no territorio americano.
E'pos sol esie ponto de vista nflo pode ser aecu-
sado opresidenle do ter obrado inconstitucional-
mente. ., ,
(Courrier des btats-Unit.)
UMELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


w
m
NOTICIAS DO MXICO.
New-York, 21 de nortmbro.
Temos importantes noticias do Mcxicq.
Santa Anna apo lerou-se, i pretexto do assogurnr
a sua guarda, da quantia de dous milhOes de dolais
que conduzia um estafeta do comtnercio, o applicou-
os s nccessidades da guerra depnis de dar recibo
competente. Esta boa fortuna minislrou-lhc os meios
de continuar a guerra com dobrado vigor.
&
Segue-se a traducclo franceza de-grande parte da
exposiglo de principios do Procrbsso............
E conclue assim a rnesma gazeta :
Aps estadeclaragiiode principios, a revista bra-
silera publica : l., um artigo critic e dogmtico
sobre o problema da certeza que tanto haoceupado
os philosophos, desde Aristteles at M. Cousin, pau-
sando por l)esc*rte;j|&pi.iosa, Berklay, Kanleseus
successnn> r 2.' n~nlli J~___V.n_- _..
A mala que a para Monlerey extraviou-se, ecomlsucccssores; 2.',oO)meco de ui
ella um ollc.0 para o general Taylor com os deta-|cstado do mundoem 1816; este pr meiro rtico con"
Ihes do plano de campanha sobro os quaos so que- Vm o quadro da sociedade no XV sccuTo i umi
na ter a nomino do general. mSosdeAmpu.iia, que o mandn a Santa Anna
O general mexicano mostra-se muito salisfeito
com o resultado do combate de Monterey, e procura
persuadir opovo que Tomos nos os vencidos. Am-
pudia declara que foi Taylor quem pedio a cossacn
das hostihdailes o nflo elle. Asaim os Mexicanos Ilu-
didos persuadem-se que se cobren) de. gloria todas as
vezes que soffrem os maiores revezes.
Santa Anna concentra todas assuasforgas para dar
uma batalha em Silo-Luiz-dc-Potosi. Fazem-se os
maiores preparativos, eproinetteu voltar vencedor
ou nflo voltar mais. Merece sem duvida Jouvor pela
sua energa, e confiamos que com a suaaclividade
terminar mais promptamente a guerra do que com
a morosidade dosseus predecessores.
0 segundo ataque sobro Alvarado nflo foi mais re-
liz que o primeiro, e osta circunstancia augmentou
a coragem dos Mexicanos. Alardeiain agora suas
proezas e proclamam a guerra a todo o trance contra
os Americanos Os jornaes fallan) a lingoagem mais
hostil. Confiamos que o terceiro ataque do commo-
doreConner contra Alvarado ser mais feliz que os
dous primeiros.
'Wttkly Herald.)
Jornal do < ommercio).
PERNAMBUCO.
revista po,tica do movimento social; 5.*, n
mel intitulado o Tamarineiro de Mipib e varieda-
des. Quando recbennos a conclusflo do artigo so-
lfeo estado do mundo, pretendemos fazer alguns
extractos.
PuWicacoes luteranas.
Como finalisassomos a primeira serie da nossa re-
vista, o Pn.icpsso, e pretendamos dar asegunda so-
bre novas bases, fazemos o presente para que os Srs..
subscriptores liquem inteirados das condigOos da
respectiva asstgnatura.
OPogbsso sahir dora em vante uma vez por
mez, n'um folhcto de 48 paginas em 8. grande; a
ultima parlo da revista-ser consagrada publica-
eflo de romances dos mais celebres escriplores mo-
dernos; eo prego da assignatura ser 2,000 rs. por
trimestre, pagos adiantados.
Nflo tendo comparecido numero legaJ de socios
que legitimassem a eleigflo da nova direccflo.a com-
missflo administrativa de novo convida aos Srs. so-
cios, para se reunirem segunda ver, fia forma dos es-
tatutos, fim de se,effectuar a dita eleiclo, nodia
Subscreve-se na livrarla da prca da Independen- 12docorrente, pelas 5 horas da tarde. Aindadesta
segJint""1""1*0 20 Jo mosmojornal !-se tambom o
He do nosso dever repetir aos nossos subscripto-
res do domingo que a causa societaria acaba de
enrequicer-se com um novo orgflo. Ha poucos dias
^cenemos o primeiro numero de uma revista men-
tal, o PnocaKsso, cujo programma, deque j publica-
mos um trecho no nosso numero de hontem, he con-
forme em ludo c por tudo com o da Demoeratie. Esta
revista que comecou a apparecer em julho, tratar
as questoes sociaes, philosophicas, polticas, scien-
micas e luteranas. A julgarmo-la polo prmero fo-
meio, nflo duvidamos que denlro em pouco ella con-
quiste numerosas svmpathias.
cia ns. 6 e 8, no Aterro-da-Roa-Vista loja do Sr
E. Chardon, o no Recife, loja do Sr. Cardozo Avrcs.
Acha-so no prelo o 1. numero da 2 serie.
A. P. de Figueiredo.
"Acaba da publicar-sc na Baha e acba-se a ven-
da nesta cidade, na loja da viuva Cardoso Ayres,
Observagocs sobre o commercio do assucar, e o esta-
do presente desta industria em varios paizes, aconi-
panhadas de nstruegocs pralicas sobre a cultura da
canna e fabrico dos seus productos : pelo Dr. G. E.
Fairbanks, socio da real sociedade de medicina de
Edimburgo, e memhro do concelho de salubridade
da Babia. 1. vol: brox : 2,000 rs.
vez a commissflo receber propostas para convidados
partida da abertura em 4demarc% anniversario
do sun installagflo.
--Furtaram da abaixo assignado, do da 5 para 6,
t segunto : urna casaca do panno preto, pouco sa-
la, uma sobre 'de panno verde com Ala ecanhilo
le velludo, uma jaqueta de panno pre nova, uma
''alca de brim trangado nova: qtiemver noticia,
leste roubo, dirja-se a travessa da ra xlo Vigario,
n. 1, primeiro andar, que ser recompensado.
Joa Evangelista, Passos.
Precisa-se de um caixeiro pertuguez para cs-
criptorio,.que escreva 'soffrivolmente, c lenha bein
desembaraco: dando conhecmeuto que ahone'a sua
boa conducta, poder dirigir-se a loja da esquina do
C0MME4CI0,
Cmara municipal do Recife.
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 27 DE JANEI-
RO DE 1847,
PRESIDENCIA llOSa. ll'COALBUQUBaQUB.
Presentes os Srs. Carneiro Monteiro, Cintra, Egi-
dioFerreira, Aquno, Barata e Gaudino, abrio-sea
sessfo e Toi lula e approvada n acta da antecedente.
O Secretario leu um ollicio do Exm. presidente da
provincia, remetiendo por copia varias duvidas pro-
postas por diversas autoridades acerca da lei n. 387,
de 19 de agosto do auno passado, e das decisoos da-
das pora presidencia.lnteirada,accusou-se o rece-
bimento, e mandou-se remetter as diversas autori-
dades.
Outro, mandando juramentar alguns supplenles de
juizesde paz Jas dfferentes freguezias, afin de nlo
licar suspenso o processo da qualilicagflo, no caso
de impedimento dos respectivos jwizes de paz, como
succedeo na freguezia da Muribeca; e oxigindo que a
cmara Ihe participarse de assiin o tercito. Inlei-
rada e respondido.
Outro, remettendo por copia o aviso de 31 de do-
zembro do auno pas-sado que deciile varias duvidas
apiuirccidas na execuefln da lei regulamentar de elei-
coes.luleirada e mandou-se cumprir.
Outro do capflo do porto com despacho da presi-
dencia, mandando a cmara dar s providencias so-
bre o tirameuto de pedras dos arricifes da Boa-Via-
gem ate o Pina, cujo deposito be fcilo no lugar das
Linco-Ponlas, conforme representa o mesino capitao
noseu citado ollicio.- Offlciou-seaoExm. presiden-
te acerca da representaclo cima.
Outro de Mano, I do Nasciiiitmlo da Costa Montei-
ro, participando nao poder por molestia comparecer
a prestar juramento o tomar possedo cargo de se-
gundo supp ente dojuiz de paz do segundo dislricto
tta Boa-Vista.-inteirada, o convidou-se o imme-
diato.
Oulro de JoloArccnio Barbosa, razendo ver c-
mara que, visto ler-se mudado da freguezia doS.-
Jose desde 1844 para a da Boa-Vista, nfto podia poi
issoexercer o cargo de terceiro supplenle dojuiz
de paz daquella freguezia,. para o que fra por esta
cmara chamado prestar juramento. Inletrada, o
mandou-se convidar o inmediato.
Outro do fiscal supplente"do Recife,participando a-
cliar-se reslabclecido.e que passava a entrar no exer-
ciciodesuas funccOes.Inteirada.
Outro do cordeador, participando acbar-se doente,
o niio podOr por isso comparecer na cmara.--lulei-
rada.
Foi remettido commissao decdificaco o ollicio
do cordeador que submetle a consideragHo da c-
mara o embarace em queseacha, pela dilTereiica
que, em vista da planta, encontra na cordeacao dada
pelo seu antecessor Manoel Alves Guerra para edi-
Iicacoes.
Procedeu-se a nomeaglo de fiscal da nova fregue-
zia da Varzea, c foi nomcado Jos Camello Benicio
Bisson.com a maioria de quatravotos, obtendo igual-
mente tres votos Manoel Sabino da Costa.
Ficou adiada para l.'sessflo a nomeacode fis-
calde S.-U.urenco, a requerimento do Sr. Cinlra
Despacharam-se as pelicOes de Antonio Victorino
Gnimaraes. contra cujo despacho volaram os Sis
presidente e vereador Cintra; e de Antonio da Silva
Jragoso, Amaro Antonio de Furias, Bernardo Rodri-
gues Gramoso da Costa.Jos Pereira do Andrade, Joa-
qun) Bernardo de Figueiredo.JoaoConcalvesFerreira
eSilva, Jos Camello Benicio Bisson, Manoel Sabino
da Costa, Manoel Francisco Coimbra, Tbereza Gon-
calves de Jess Azevedo. Eu, Joto Joi la rara d$ A-
gviar, secretario, a subscrevi Hego Albuquerque
presidente.--Came/roi/on/ro.- Cintra-/-errea --'
Aqumo.Uarala.-yigoitinnodeBariof
Alandega.
RENDIMENTO DO DA 10.....
DESCARRECAM HOJE II.
Patacho//anotermercadorias.
Brigue -Cesar dnm.
PatachoPandora aca.'ho.
Brigue-im/(/-dem.
Briguetarnn'n-idem.
Consulado.
RENDIMF.NTO DO DA 10.
Ceral............
Provincial........ ,
Diversas provincias....., ,
13:566,279
. ILivramentn,de Gabriel Goncalves Lomba,onde acha-
A obraelemontar~I..(;oesdeEloquenc.a Nacional- r com auem tr),Ur
pelo padre mestre Miguel do Sacra'mento Lopes Ga-
ma vai ser adoptada como compendio de rhetorica
nocollegio das artes do curso jurdico deOlinda, e
bem assim no lyceo, onde o mesmo padre mestre
est encarregado de reger interinamente a dita ca-
deira d\iranto o impedimento do seu proprietario.
Aleni da loja do Recife e da botica do Sr. Barlholo-
meo vende-se na loja de livros do pateo do Colle-
gio n. 2, a 5,000 rs. cada exemplar de dous volumes
encadernados.
i visos martimos.
3:746,945
1:372,797
127,203
5:246,945
.UoviiiK'Dio do Porto.
flavioi entrado* no dia 10.
Jersey; 38 dias, escuna ingleza Pandora, de 106 to-
neladas, capitflo Philip Esnour, equipagem 7 car-
ga 1306 barricas de bacalhao; a Me. Calmont &
Gompanhia.
Hio-de-Janeiro; 31 dias, patacho brasileiro OUveira,
de 182 toneladas, capilfio Jos Dias Correiae Sil-
va, eq.iipagem 16, carga varios gneros; a Joflo
\az de Olivcira. I'assageiro, o alferes Manoel Fran-
cisco Monteiro.
Balliinnre
49 dias, patacho americano Hanover, de
-_i8co Alves,
o planeante Antonio Jos Rodrigues, olliciaesda
escuna brasileira hunt ma, que se achava fun-
',euda no llavanali,.|uo scpenlo.em consequencia
de um temporal, em llUeoutubro do 1846
O f.AICVAVAL.
A par do seu senhor sentado o servo
Igualdade exprimi dos lempos do ouro;
Poltica firmando at nos gostos
Sagrou-lhe sobre o mar Veneza um templo :
Dos tribunaes as venerandas pollas
Sorrindo-se apparecea libenade,
K rigor, sujeigflodalli removo;
O instante quo seus jogosaununcia,
ha cidade atinada o sizo varre ;
n Entio lei respeitavel er Veneza
Vcstir-se o rosto de emprestada face
Ella ao mysterio d seguro asylo,
Um mortal mascarado he quas um nume.
Mr. orctt.
Theatro publico.
O CARNAVAL DE VENEZA
ou
FOLHA RKAL.
9 P*t8C" OUveira pretende sahir para o Rio-
Crande-do-Sulatodia20docorrente: quem tiver
escrayos a embarcar dirija-se a tratar com Jo3o Vai
de Ohveira, na ra da Cruz, n. 51.
Para o Aracaty sahe em poneos dias a sumaca
(.arlla, por se acharcom a maior parle da carga a
bordo, e para o restante da carga o passageiros tra-
a-se com o mestre, Jos Congalves Simas, ou com
Luiz Jos de 9 Araujo, na ra da Cruz, n. 26.
Para Lisboa sahe, com a possivel brevidade, o
tingue portuguez S.-Domingoi, porter a maior parle
da carga prompta : quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passagem, para o que offerece bons commo-
dos, dinja-se aos consigHaUrios, Mendes & Tarrozo,
ra da Cruz, n. 54, ou ao capitilo, Manoel Goncalves
Vianna, na praca do Commercio.
Para a Baha segu em poucos dias, por ter parte
de seu garregamento prompta, a sumaca Santo-Anto-
nto-de-Podua, forrada o encavilhada de cobre : para
carga e passageiros drijam-sea ra do Vigario, n
Para a ilha de S.-Miguel partir, ate o fim i
5.
corrente mez, o brigue brasileiro Espirito-Sanio, de
muito boa marcha e bons commodos para passagei-
ros : para carga e passageiros. trala-so com Jos de
MedeirosTavares, na esquina do becco do Rozario
n.11. '
Para o Porto sahir com brevidade a barca Bel
la-1ernambucana, por ter parte da carga prompta-
quem neila quizer carregar oa ir de passagem, para
o que tom excellenl.es commodos, dirija-se ao capi-
tflo na praga, ou ao consignatario, Antonio Francisco
de Moraes na ra da Cadeia do Recife, n. 51
- Espera-se do Rio-de-Janeiro, at dia 16 ilo cor-
rente mez, o muito veleiro e superior brigue por-
tuguez Sublime capil-lo Jolo Francisco de Amor
pr.-teude sabir com toda a brevidade pura I isboa
quem no mesmo quizercarregarou ir de passagem
para oque tem os maisasseiadoscommodos. entcn-
da-se com os consignatarios, Olivcira IrmSos&C
na ra da Cruz, n. 9. '
Para o Rio-Grande-do-Sul sahe o veleiro bri-
gue brasileiro Vmbelina; recebe carga e cscravos a
freto, e passageiros, para oque tem excellentes com-
modos: dirijam-sc a Jo3o Francisco da Cruz, ruada
''i u/, n. ^o.
O brigue nacional Alalia sahe impretcrivel-
menle sabbado, 13 do corrente, para o Uio-de-Janei-
ro. Roga-se aos Srs. carregadores mandem os co-
nhecimcntos para scrcm assignados: c quem tiver
escravos a embarcar no mesmo brigue, ,dcve man-
da-Ios para bordo na manhiia do dia cima indi-
cado.
l.eilcs.
Kalkmann & llosenmund farfio leilSo, por inter-
vcngHo do corrector Olivcira, de mui variado sorti-
imenlodemiudezas, inclusive Terragens, couros de
lustro, etc.: hoje, 11 do corrente mez
SABBADO, 13 DO CORRENTE, DOMINGO, 14 TER lras d'haa7n^ que entre ambos
CA-FEIRA, 16 ..~^oS.-P"_?r farii0 l?ilii0- l'l,r inlervengno
_______Cointminicado.
De dous nmeros de 19 e 20 de selembro, da De-
mcrata Pacifique, jornal de Paris, extractamos nos
os trechos que abaixo se lem, porque cllcs dizem
respeilo ao Pbocrbsso, revista que se publica em nos-
. a niusiiaua e briosa provincia
" Fwdacdo deutn novo orgo socialista no Brasil
A idea social, diz a gazeta franceza, caminlia e
n..'!?in" c"'1uls.la d n,u,"'o, a despeito de lo-
r1asTvpaS.obslaCu.,098olheoPl,0'lhilm' i* Por va-
as vezes temos nos noticiado a urouairanda fiu
em nome deF.ur.er nos Eslados-niuosK hoje, le
tES qAe.:"ma voz nmia wpoudo a ossa 'Re-
f!!2l2!-0_Pf'mro numero de una revista socia
Verana, p l'ROoRKsr
--'o desde e mez deii
lacnica epigraphe: I ( avante WfSSSsmS-
5 o mez dcjulho pas
)ft! I I AvnnlM I \ Tr./
guias paginas do seu
m ii,.mi. r '* I"k"o"ksso, quesopu
l^HZZb"^** .m. de Ju''>oj.assado,
com
.. programla,que csl em per-
ieila conliirmidade Com o----
nos so. i.
cont
nfCssim ? 8ynle" SCenliica' Pa0ORE^
em quetinda o Carnaval..
Ncstas tres noites se representarflo os mais jocosos
dramas, ornados de cantonas e (langas de mascaras
Ha alguns armas era coslume em Portugal mandar
vir da Italia um hbil machinista para por em secna
as grandes pegas mgicas, bemeomo-o Annel de
t.iges-.Labyrinto de Creta-, Mgico de Salemo-.elc
"oje, porm, eslflo em voga os dramas jocosos, ter-
minando com os bailes de mascaras, a que sSo admil-
tnlas as pessoas de ambos os sexos, que nestas tres
noites so querem desenfadar dos trabalhos quoti-
dianos, nrecedendo cartilo do director, para serem
admiitidas ras dangas de mascarados: fornecendo-
lt.es a casa mascaras e vestuarios.
1. drama jocosoo Engao Nocturno.
2.* o Calotismo.
8." o Poeta das Asturias.
DANgAS,
0 qumleto-chinez, a polka, mashurka, escoceza,
montencllo gavota, lundum figurado, caxuxa e
oulras dangas dos mascarados; cavatinas e duelos
jocosos, e tonadilhas. 0 que tudo ser executado
pela bi ilhantc companhia das pastoras.
Precisa-so de uma escrava para o servigo inter-
no de uma casa de pouca familia, o que calenda
alguma cousa decozinha; e quem tiver uma preta
quequeira alugar dirija-se ao Sr. Jos Goncalves da
Fonte, na ra da Cruz, lugar aonde pode ser procu-
rado.
Roga-se aoSr. Antonio Bar-
boza Cordeiro de Gusmo, senhor
do en^enlio Purgatorio, haja de
mandar concluir o negocio que
nao ignora, na ra do Crespo, loja
de Jos Jo.iquitn da Silva Maya.
0 abaixo assignado, morador na ra Imperial,
n. 67, primeiro andar, agradecido sobremaneira
honra que alguns Srs. Brasileiros Ibes fizerarn, sup-
pondo-o seu compatriota, tem a declarar a esses
Srs. e a quem mais convicr que lie eatrangoiro,
como provam os seus documentos aindo ha pouco
apresentados s devidas autoridades.
Vicente Thammt dos Santos.
Ainda estSo para se alugar as casas do ns. 27 o
31, sitas na ra Real, junto ao Manguinho, as qtiaes
teem quintal murado, cacimba e porto deembar-
3ue; e o sobrado n. 13, da ra do AragAo, com gran-
es e bons commodos, quintal e cacimba de muito
boa agoa : a tratar com Manoel Pereira Teixeira,
morador no seu sitio .prximo ao Manguinho.
OlTerece-se um homem branco capaz para traba-
Ihar emalgum sitio: no largo doCarmo, venda
n. 1.
Nodia 9do presente mez foi furtado porum
soldado de artilharia umcavallo grande da) cir ru-
Qo-pedrez, cauda torada, porm o cabello da mesma
alguma cousa crescido, carregadorde baixoa meio,
bem carnudo, com sellim e cabegada inglezos, man-
ta de panno com orello, estribo do metal principe,
sendo tudo em bom uso: a pessoa que delle der
noticia, ou leva-lo a ra da Cadeia de Santo-Anto-
nio, sobrado da esquina da travessa do Ouvidor, n.
14, ser bem recompensada.
O morador da casa do sobrado, n. 18, da na
Velha, respondendo oannuncio do Sr. Antonio Pa-
Iheiros Brrelo Accioli, publicado no Diario n. 31, de
do corrente, declara ao mesmo Sr., que a compra
feita a sua mulher f). Anna Joaquina do llego Barros,
da casa sita nos Apipucos em quo seacha residjndo
a viuva de Manoel Flix Nunes de Castro, e a esla
Sra. arrendada por sua, dita mulher, fra foita em
boa f, e por occasiilo de ser por ella offerecida, e que
desde 8 de dezmbro do anno (Indo, se acha residin-
do em uma casa por ella arrendada ao respondente
comprador, e a este pertencente, sita na Passagem-tia-
Magdalena : queestes factos de ter ella por si arren-
dado, aquella como proprietaria, e esla como inqui-
lina, sSo bastantes para justificara boa f da compra
e venda daquella casa, e que conseguinlemente o res-
pondente comprador, que nflo he desconhecido do
Sr. Palheiros, repello a este as suas inmodestas ex-
pressOes, impostura, nulla, clandestina, absurda, velha-
cana, menos dignas de louvor seu, o nw proprias
desua pessoa,cdesparatadaucutcomp&gadas em o
ditoseu annuiicio:ouo o respondente comprador nlo
seraonnsso na sustenlacflu dos seus direlos adqui-
ridos pela dita compra, assim como na guarda da sua
reputagilo; e por isso desde j.desejando evitarques-
tes, convida ao mesmo Sr. Palheiros a que se digne
de franquear-llie a respeilo uma amigavel conferen-
cia, para que por meio desta se ponha termos des-
correlorl ve ra, de avultada poreflo de fazendas dr
seda, Ifla, inho c de algodilo, as mais proprias da
presente etacflo, e por pregos quo muito devem a-
nimarseus.rreguezes: sexla-feira, 12 do corrente
horas da manhfla em ponto, no seu armazeui
ra da Cruz.
? visos diverso
LOTEKIA
DA MATRIZ
DA CIDADE DA VICTORIA.
Acha-se novamente designado o dia 26 do corren-
te niez para terem andamento as rodas desta lotei ia
enfio obstante a difiiculdade na venda do resi,i,i
resto dos
ASSIGNATURAS.
Platea, pelas tres noites.......'
Camarotes de lado, por tres noites, 1.' orJcm
Ditos da ordem nobre, de lado ....
Ditos da 3." ordem, de lado ......
''rentos da I.' ordem, por tres noites .
'litas da ordem nobre, por tres noites .
Ditas da 3." ordem, por tres noites .
Pagos adiantados no theatro.
2,000
6,000
8,000
5,000
9,000
15,000
8,000
e nao oosiante a dilliculdade na venda do
respectivos bilhetes, causada pela folla de nota/de"
pequeos valores que faciliten) ostrocos, todava
espera o thesoureiro que sera elTectuada a reforda
venda, e que o dia marcado nfto sera espacado O
restante dos bilhetes acha-se venda nos lugares
ja annunciados.
-Bailar i Oliveira compraiam.por ordem de JoSo
rerreira Bailar, e corita de Guilherme Luiz do Al-
meida, ambos do Maranhlo, o bilhete inteiro da
1." parte da l. lotera concedida a fovor das obras da
greja matriz da cidade da Victoria, de n. 3,722; cuio
bilhete (ica em nosso poder.
Jofto Maria Scve embarca para a cidade di lia
bia, levando em sua companhia o seo escravo de no
me Antonio.
occorrer possa, e espera de. sua bondade merece-la.
Samuel V. Ilarris relira-se para osEstados-
Unti'or.
Filippe Nery dos Santos embarca para o Rio-
Grande-do-Sul os seus cscravos Gerliudes e Anacleto,
crioulos.
Jofto Francisco de Araujo, Brasileiro, relira-se
para Portugal.
- Desapparcccu de S -Amaro um cavado rugo-
pombo dizem que seguio pela estrada de Belm ,
peadode peo mio, com uma corda : queu. oachar
ou o tiver prendido quera ter a bondade de man-
da-lo levaremS.. Amaro,, na ra da Aurora casa de
Jos Goncalves Ferreira Costa quo ser recom-
pensado.
- Ayisa-se aoSr. MamoelQucrcca, caixeiro do
sr. Bacelar, que quera vir pagar o que tomou para o
seu di vert ment, na ra da S -Cruz, n. 5.
Precisa-se de uma ama para todo o seiyigo de
uma casa de pouca familia : a follar na ra de Hor-
las.n 16, primeiro andar.
Precisa-so de um caixeiro: na ra da Cruz,
V611(u n. 66.
Aluga-so uma casa terrea na travessa de S.-Jo-
se,n.8 : atratar uania das Cruzes, li 11.
O bacharel Vicente Pereira do Reg, professor
da lingoa ingleza nolyceu, e advogado nos audito-
res desta cidade, mudou a sua residencia para a ra
estreita do Rozario, n. 19.
A pessoa queannunciou querer comprar cou-
ros miudos para torro, bezerros e meios de sola di-
rija-sc a ra dos Tanrieiros n. 1. '
I- Francisco Antonio Borges previne ao publico,
que Antonio remandes nada tem no sitio em Pbnte-
d llchOa, junto ao sitio do Tallecido Jos Ramos de
Oliveira, eque toda a transacgfto que se lizer he nulla.' ^,
- H



Iloje, 11 lo correte, polas 4 horas d tarde, pe-
cante oSr.juiz de orphfios, se ha do arrematar a
morada de casa terrea sita na ra Nova, penhorada
,10 testanienteiro e herdciros de' Bento Antonio !)o
mingues, por ser a ultima praca, por execugflo de
Matlieus Auslin & C.
-\ quem fallar um cavallo com urna carga de fa-
rjnha do reino, queira apparecer as Cinco-Pontas,
n 37, ou em S.-Bento,. termo de Garanhuns, a fallar
com Joi A Ivs Bezerra Cavalcanli, em cujo poder
-xiste dito cavallo e carga..
_ltecebcm-se escravos em commissSo para vender-
so oflerccend-se toda a seguranga, o venilendo-se
com brevidaile,por ter o annuncianle militas fregue-
sas, tanto para Tora da provincia como para enge-
nlios, e s se leva deste trabalho 3 por cento em
commissflo : na ra Nova, n. 40.
Jos Conexivos Fercoira Costa contina a man-
dar fazer atorros, abrir viveiros e camboas nesta
praca e. fra della: quom do memo sequizer utili-
zar procuro em sua casa.em Santo-Amaro, no cor-
rer da ra da Aurora, on na botica do Sr. Pinto, na
ra Nova, n. 53.
__U-so dinheiro a premio em porces pequeas
sobre ouro o prala: a tratar com Manoel da Costa
Azovedo, na ra da Cadeia' de Santo-Antonio, n. 18.
Na noite do hoja, 11 do corrente, contina a
trabalbar a sala de sorvete da ra larga do Roza-
rio, n 26, primeiro andar.
precisa-sc, para, caixeiro do urna venda no mal-
lo, de iim menino europeo, que sejn de boa conduc-
ta': quem pertender di rija-so ao Forte-do-Mattos,
prensa d algodao, do Joaquim Jos Ferreira.
Francisco Casado l.inia lem permutado com
Semilo Correia Cavalcante Macambira o seu sitio
dos Remedios com casas e terrenos pertenecntes ao
m'esmo silo por om terreno silo na ra Imperial
desta cidade, com 75 palmos de frcnle, e mil e tantos
de fundo, at a baixa mar do rio Capibaribe, com
urna obra j comecada em toda a largura do terreno,
' com a frente ja em respaldo, e parte dos oitOes.
' Previnem, portanto, os permutantes a toda e qualquer
pessoa que se julgar com direilo ao dito terreno ou
ao sitio, para que, no prazo "de oilo dias depois da
publicaco deste annuncio, hajam de declarar o seu
dircito.
LOTERA DO RIO-DE-JANEIRO.
AOS 20:000,000 DE RES.
Chegaram bilhetes, meios, quartos oitavos e vig-
simos da lotera das salinas de Cabo-Krio ; e anda
existen) quartos. oitavos e vigsimos da matriz do
(para; no Recife, loja de cambio do Sr. Vieira. A
ellos antes que chegue o vapor com a lista.
N. B. O primeiro vapor que chegar do Rio-de-Ja-
neiro s traz a lista da lotera a benclicio da matriz
do Cear.
Manoel Joaquim da Costa Maya relira-sc para
fra do imperio.
Permuta-se um dos melhores sitios des-
ta cicla.le por umengenho moente e
correnle.quesejainleiramente bomd'a-
goae produccao, cercado, etc., para o lado do Sul,
at a distancia de 10 legoas do Recife, mesmo mais
distante, sefor pertode porto deembarque. Ositio que
se ila em troca do engenho he muito bom com ricas
obras de pedra e cal, nasquaesse gaslaram 50 con los
doris, situado no Arraal, junto a Casa-Forte :
quemquizer fazer essa permuta, voltando-s o quo
for justo dirija-se a ra Dircila u. 29.
Quem por engao tirou una caria do
correio, vinda di Babia, pelo vapor F-
rdense, para Jacintho Soares re Mcnezes,
baja de annuncir a sua inorada, ou diri-
gir-se ra Nova, loja de alfaiate, n. 35.
Ofierecc-se una ama parda para urna casa de
homem solteiro, que faz todos os arranjos de urna
casa, e subjeita-sc ao srvigo do portas a dentro :
na ra dasCruzcs, n. 12.
S. H. T.
THEATRO DE APOLLO.
0 primeiro secretario ila dirccgo avisa aos senho-
res socios, que soacha marcada a recita para o lia
13 do correte; e que, portanto, queiram mandar
liojo receher os seus bilhetes,em casado thesnureiro.
o Sr. Manoel Goncalves da Cruz ; e na mesma occa
sino satisfazerem as mensalidades respectivas dos
mezes de Janeiro o feverciro. Igualmente queiram
enviar suas propostas i>ra convidados, um carta fe-
chada, incluindn os bilhetes, ao primeiro secretario,
na praca do Commercio, n. 15.
Graiiflii^iailc fie mascaras, nos
saloea do lh< airo de Apollo,
nos dias de Carnaval.
Sendo uso em as grandes ciliados civilisadas os
bailes mascarados durante o Carnaval, e tendo ja
oomecailo cm o nossn paiz estes divertimentos, n3o
pode o annuncianle deste dvertimento dciSar de ac-
ceder aos pedidos de limitas pessoas, para que elle
seenoarrcguiidadirecgiio desle passa-tempo. O an-
nuncianle roga aos Sis. quo quizerem tomar par-
te neste divortimeulo, hajam de se dirigir ao Ihea-
trnde Apollo, das 7 da manhaa as 4 l da tarde ale
sexta-feira, 12 do corrente. As assignaturas sflo a rs
10,000, pagos vista.
PROGRAMMA
Du baile malcarado w theatroile Apollo.
Ari. 1. A platea do Ihoalro se achara alterosamen-
te assoalhada desde o palco scenico at a entrada.
Art. 2. Olheatro estar decentemente ornado, e
no saino do mesmo estar urna mesa comnosla de
liolinhos, licores, etc., havendo lambem cha o cafo
Art. 3. Os senbores assignantes lerHo dous car-
Irte, sendo um para si, e outro para convite de fa-
milia. ,
Art. 4. Os senhores assignantes que pretenderem
d anear, virflo tnacarados e vestidos a phantasia, e
nio tirarflo as eaas mascaras senflo ao entrar, para
se darcm a conhecer a<> director do divertimontQ,
que se achara om uro quarto para issodestinado.
Art. "> O bailo comecar as 8 horas e lindar as
duas da noite.
Art. 6. Os senhores assignantes, logo que assigna-
rcm, pagaro a quantia de 10,000 ra. pelas duas noi-
te, segando o annuncio j feito.
Art. 7. No caso das assignaturas nto cobrirem as
despezas scr.lo, pelodiroctoi do divertimento, res-
tituidas aos senhores assignantes as suas entradas.
As assignaturas se arham abertas om cas dos So-
nhores Soum, Guilherme( de Santos Neves) e no
theatro de Apollo. .' "'
Ka rua doVigario, casa n. 5, alugam-se dous
bonsiegrosmarinheiros e um canociro; lambem se
alaga o armzem ou prensa, sita no Forle-do-Mattos,
jolargo da Assemblea, n.7.
para casa de familia,
engommar: na praca
Precsa-se de urna ama
tino saiha cozinhar, lavar e
da Boa-Vista, n. 6.
Precisa-sc altrgar um escravo possante para o
servico de um sitio perto desta praca, pagando-so
mensalmenle : a quem convior dirija-so a ra da
Morcnlina, n. 16, que achara com quem tratar.
Precisa-so de um caixeiro portuguez, do 14 a 16
i: na ra Direta, n. 53.
Compra-se um barreteo de oleado; um talim
com pasta urna canana e um banda para inferior
decavallaria da guarda nacional: na ra do No-
gueira, n 45.
Compram-se alguna escravos, comofllcios do
pedreiro, carpinteiroe calafate para fra da pro-
vincia; sendo vistosos e agradando, pagam-sobom :
nr ra da Cadeia do Recife, n. 45.
Compram-se escravos de ambos os sexos, com
Vendas.
-- Precisa-se alugar urna ama escrava, ou livro,; prendas o oflicios, do 12 a 20anuos, de bonitas iigu-
para o srvigo interno de urna casa de pequea fa-ras"; pagam-sebem: na pracinhado Corpo-Santo,
milia : na ra da Aurora, n.44. In.66.
-~ Precisa-se alugar urna preta para fazer o serv- Compram-se duas escravas do meia idade :
go de urna casa de pouca familia : trata-so no Ater-! na ra da Florentina, n. 7.
ro-da-Boa-Vista, loja de trastes, n. 12. Anda se contina a comprar cobras de viado
--Precisa-sede umhomem para feitor, portuguez,'vivas para remedio: na praca da Boa-Vista, n. 32,
ou nrasileiro, sendo solteiro, ou smente com mu- segundo andar.
Iher : na botica da ra larga do Rozario, n. 36
Precisa-sc de urna preta captiva para o servico
de urna casa de pouca familia: a fallar no Alerro-da-
Boa-Vista, n. 3, primeiro andar.
Aluga-se urna casa terrea na ra do Mnndego,
defronte do beccodas Barreiras, por muito comino-
do prego : a fallar na ra do Livramento, sobrado,
n. 8, ou na ra das Flores, n. 11.
Precisa-so fallar com o correspondente ou pes-
soa que tenha relaglo com o Sr. I.uiz Francisco de
S, morador na provincia de Alagoas, a negocio de
grande interesse do mesmo Sr. S: na casa n. 16, em
Nossa-Senhora-do-Terco.
Aluga-sc una escrava que saiba cozinhar c
engommar, e tamhem um moloquc ou mulatnho.
de 10 a 14 annos : quem tver dirija-so a casa n. 16,
em Nossa-Senhora-do-Terco.
--Precisa-se de urna ama de leite: na casan. 16,
no paleo do Torco.
Aluga-so ou compra-se um escravo queentenda
do servico de padaria : na ra Direita, padaria n.
82.
= Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
venda : na ra estreila do Rozario, venda, n. 38.
Francisco l'into da Costa Lima ,
mestre alfaiate, avisa ao publico e a todos os seus
freguezes, que contina com o cstahelccimento de
seu ollicio, na ra larga do Rozario, n. 40, primeiro
andar, e que est prompto a fazer qualquer obra,
tanto de homem como de senhora, com a perfecilo
possivel. 0 mesmo precisa de alguns ofliciacs de li-
bras miudas.e tem liona brin de linho para vender,
holiandas pelas a 2,500 is. a peca, linha de carretel
branca, aduzia ea retalho, linha do cabera bran-
ca o encarnada, botOes de ac, marcas de cobrir,
botos de duraque, meias curtas de linho, ealgu-
mas obras l'eilas: ludo muito barato.
Aluga-se o andar terreo ou loja do sobrado n.
12 da ra da Aurora, com ptimose muilo asseiados
commodos para moradia de homem solteiro ou de
pouca familia: quem o quizer alugar dirija-so ao
mesmo sobrado a qualquer hora.
Na ruada Cadeia do Recife, n. 41, prcrsa-se
de ofliciaes de alfaiate do obra miuda.
Vomito de Carvalho Tavares retra-se para Eu-
ropa, a tratar de sua sade.
Jos Gabriel deMoracs Mayor embarca para o
Rio-de-Janeiro o seu cscidvo, de nomo Benedicto.
Furlaram, na noite do da (> para 7
do corrente, da obra de Jos Goncalves
Ferreira e Silva, atrs dos Marlyrios,qiia-
tro labo.is de amarello, de costadinbo, com
1 palmos c. 1 quarlo de largura, sendo 3 de
meia a urna costaneira : quem soubcr a-
onde existen), ou quem as tirou, dando
parte ao dono, ter aos'000 rs. de gratili-
caco.
Companhia gerat
da agricultura dasvinhasdo
Allo-Douro.
O abaixo assignado, agente desta com-
panbia nesta praca de l'ernambuco, acaba
de icceberpela barca Bella-Peinambuca
na una reinessa de vinbos daquella com-
panbia depois que ella fui rehabilitada
pela legislatura de Portugal, e dolada com
tundo* pblicos pela le de 11 de abril de
1843, para levar a lodos os mercados os
padrees e bausas do vinbo genuino e pu-
ro do Ako-Douro, gcralmenle conbecido
pelo nome do vinbo do Porto, afini de
serviiem de guia ao coinniercio. h.sta
remessa. toda de vinbos da mis escolbi-
da qualid.ide, dtve olFerecer aos Srs. con-
sumidores, nao s a certeza da sua pu
reza, mas tambera o-lypo verdadeiro do.
excedientes viudos do Porto. Espera,
pois, o abaixo assignado que os Srs. con-
sumido! es se diiigirao ra d mazem n 7, para trataren) do ajuste de
qualquer porco que desejarem
Veridem-se dous barumelms; um microscopio;
um otante; duas ancoras de ferro para navios; dous
oculos de ver ao longe; urna rede para dormir, das do
MaranhAo ; tros esleirs da India, para janella ; no-
ve vidros com pos -- Manoel Lopes ; dous denles
de elefante ; urna grande poreflo de lingnados, pro
prios para lastro de navios; seis pecas de arllharia,
das de ferro ; urna poreflo de tnalhas e guardanapos
para mesa ; urna peen de seda para chapeos de sol ;
urna poreflo de espellios, coutra dita de navalhas ;
duas tarrafas de pescar, e mu i tos oulrosuhjectosquo
por miudos se nflo mencionam: na ra du Vgario,
n. 5.
Vcnde-se, ou Iroca-se por tijolos de alvenara
grossa um oalorio com algumas imagens, com
pouco uso: na ra da Soledade, 11. 44.
Vendc-sc urna venda na ra Nova n. 55, a di-
nheiro ou com desobliga a praca ; urna escrava da
Costa sem vicios boa vemledeira na ra de ii
annos; alguns terrenos para se edilicarem casas, por
serem em muito bom lugar : a tratar na mesma
venda.
Vende-se urna toalha toda aberla de lavarinto:
ua ra do Jardim, 11. 34.
Vende-se potassa da Russia muilo boa, por pro-
co coinmodo; muito bom vinlio de Burdeos em caixa,
e uma poreflo de podra de Trieste, ptima para cal-
cada, por ser muito forte, o ser corlada em esquadria:
110 cscriptorio de Jos Joaquim de Oliveira, ra da
Cruz, n. 5.
Attcncao!
20:000,000 de ris.
Acabam do chegar pelo vapor Pararme, entrado no
dia 5 do corrente, os muito acreditados quartos, oi-
tavos e vigsimos da lotera das salinas de Cabo-
Fri, sendo estas cautelas da casa mais acreditada
que ha no Rio-de-Janeiro; as quacs se acliaui a venda
na loja do Sr. Thomaz de Aquino Fonseca, na ra do
Catinga. Adverte-se que us premios serflo pagos na
mesma loja.
V endem-se dous novos e exccllentes
pianos fortes, por preco commodo, na
ra da Cadeia do Becife, n. 3p, primeiro
andar : adverte-se que um be horizontal,
e de boas vozes ; o outro, alm de ser de
nova invencao, he de gabinete, muito pro-
prio para se levar para o mallo, e tem urna
machina para transferir as vozes at mais
oito e meia oitavas.
Vcudcm-se oculos de alcance, por
preco commodo ; na ra de Cadeia do lie-
cife, n. 39.
Vende-se vinbo PKH, de superior
qualidade, em barris de quinto, ao preco
de 28sooo rs., noarmazem de Fernando
Jos Uraguez, ra da Cadeia.
4fHt! Vcnde-se urna casa terrea na roa do Calabou-
-i-*--- co, por 550,000 rs. livre de despezas, c que
rende 6000 rs. mensaes : na ra .Nova, botica do Sr.
Pinto, se dir quem vende.
Vcnde-se a arrcmalacflo do dizimo dos coros
do municipio de Sorinhlcm por tres annos, con
lados de junhodc 1846 a julho de 1849; um turno
novo de tornear melale mesmo madeira com al-
guns ferros proprios para o mesmo, urna farda c
um corroame; ludo com muilo pouco uso; 2 cai-
xOesde pnlio, grandes: ludo por preco mais com-
modo possivel: no paleo da S.-Cruz, ao p da boti-
ca, n. 8. :
Vende-se um adereco para senhora muito
rico, sendo do ouro e cravado do brlbantes com
pulseiras, allinete de peilo, ele. : nolimda ra Di>
reita, aup da igreja do Terco, a fallar com oouri-
ves Joaquim Clemente.
Vendc-sc una prela de nacflo, de24annos, do
quecuziuhao diario de urna casa
ACOA 1)0 JAPAO.
lie chegadauma grande poreflo desta 150 aprecia-
da como ulil agoa a qua! por si se tem fe i to-f-on Me-
cida, pois, temi olla em si n insigne remedio de lim-
par a cabera, amaciar o cabello clarear o rosto .
amaciar a pelle-evilar as espinhas carnaes.cmpigrns,
pannos e sardas, nflo pode deixardc continuar com
estima o aecilaeno. Vende-so unicameuto na pra-
ca da Independencia ns. 13 e 15 a 1000 rs. ; assim
como outras militas pe fumarias o calcados.
Vende-se urna cadeira do arruar, muito rica ,
torrada de damasco, pintada e dourada ; urna pre-
ta excellonto eo/inheira do forno efoglo, queert-
omma o faz renda e he anda moca, por preco
commodo por pertencer a urna senhora quo se re-
lira do paiz : na ra da Senzalla-Velha, n. J10, pri-
meiro andar.
Vende-se a venda da ra de Ago^erdes, rr.
, com poucos fundos, ou s a arj^lO,. cujo
aluguel ho muito barato, por sor 350 por isso lio propria para principiante: a tratar na
Camhon-dn-Carmo n. 3.
Anda esta para se vender o sobrado de dous
andares, na travessa da Madre-da-Oeos, n. 7 ; olTe-
rece-se toda a commodidade ao comprador, e at se
tomam letlrasem pagamento : a tratar na ra da
Cruz. n. 50.
Vende-so urna negrinha de 10 a 12 annos h-
bil para ludo o servido : na ra da Cadeia, a fallar
com.Jos Comes Leal.
Vende-se um moloquc de 16 annos, quo cozinha
e engomma 1 na ra do Crespo, n. 10, primeiro an-
dar.
Vende-se urna preta da 30 annris por 380,000
rs., do muilo boa (gura quo cozinha, lava o vendo
na ra : no pateo do Carino, loja do sobrado n. 7.
-- Vende-se a verdadeira o superior potassa bran-
ca da Russia, muito nova e em barris pequeos, por
mdico prego: na roa da Cadeia du Recife, armazen
12, de Hallar & Oliveira.
-- Vende-se urna escrava de nacflo de 45 annos ,
por proco cummodo na ra do Uueimado, n. N ,
primeiro andar.
Vende-se una das melhores vendas da ra da
Praia; um escravo bom carniccirn : na ra do Ran-
gel, n. 43.
Vende-se urna preta de nacflo, de 18 a 20 annos,
que engomma liso, cozinha com perfeioOo o lava do
sabflo : na ra do Hospicio venda do leflo do ouro.
~ Vcnde-so urna pequea morada do casa sita
na ra Real, n. 5 : na ra da Senzalla-Velha, n. 13(1,
ou na ra da Cadeia, luja 11. U, se far todo o ne-
gocio.
Vende-se gomnia, viuda do Rio-do-Janciro por
proco commodo : na rua do Amorim, n. 41.
Vende-se urna secretaria do Jacaranda um ca-
nap dilo, duas commodas de oleo; ludo novo,
e por prego muilo commodo : na rua da Madrc-dc-
Deos, arniazcm 11. 96.
Vendem-so velas de carnauba do todos os ta-
manlios, a 240 rs. a libra ; una moleca de 18 an-
uos, que trmbcm troca-sc por una preta que saiba
vender na rua : na rua do Calabougo-Novo, n. 6.
Vcnde-se una vacca franceza com cria ; um
garrote da mesma; una dita da tena, por prego
commodo na rua das Grates, n. 34.
Vende-se doce secco de caj, muito cm conla,
e de oulras qualidades lambem se Casen, filhs do
seringa c de oulras qualidades e as pessoas que
quizerem com maior perfeigo devem encommen-
dar anlcs do domingo deentrudo: fazem-so bolos de
varias qualidades c se cnfeitambandejasdcbolinhos,
com flores eramos dcalfininsedo mesmo bolo : un
rua Direita sobrado de um andar n. 33, ao p de 2
sobrados de varanda#douradas.
O barateiro avisa
aos seus fregueses
quo tom pccliiiiclias no-
vas, cliegadas hontrm.
Oantigo barateiro est.vomlendo por todo dinhei-
ro, na sua nova loja do miudezas da rua do Colle-
gio, n.9, umnovo sorlinienlo do cliapeos de sol ,
para senhora pelo auligo prego do 2880 rs. cadu
um ; agullioiros de agullias franco/as finas, a 280
rs. cada um ; longos do gorgurSo para homem, m
1200 rs.*cada um; pellos de marroquim, a 1280 rs. a
pelle; loques de seda com enfeitcs duurailos, a 2400
rs. cada un ; penles do tartaruga para marrafas, a.
960 rs. cada parelha ; ditus para segurar cabello a
2000 rs. cada um ; luvas de pellica para homem o
senhora brancas e prelas, a 480 rs o par; ditas do
algodflo, brancas eilc cores, a 320 rs o par; ditas
de seda | reta, compridas, para senhora, a lOOfl rs. o
par; botes de madre-dc-porola.a 480rs. a groza; di-
tos de metal para caigas a 320 rs. a groza ; dito* de
duraque, a 200 rs. a duzia ; linha de carretel, bran-
ca e ilo cores a 320 rs. a duzia e sendo para cima
du 50 duzias se dar mais em conla ; riquissimos ca-
ivetes linos para penas.de 1,2 o3 follias, de cabo
le chifre de viado ; riqusimas tesouras finas para
unhas e costura de senhora : o oulras militas miu-
bonila figura .
"Jra; urna parda de 20 querpatit.
faz renda e luva desa-
Antonio rancheo de Moraes.
Traspassam-scas chaves do armazem de carne
secca, daruada l'raia, n.54: quem o pretender di-
rija-se a rua Direita, sobrado n. 29.
Compras.
Compram-se escravos de ambos os sexos, de
12 a30annos; pagam-sebem : na rua Direita, n 3.
Compra-so urna escrava quo saiba cozinhar,
e engomma*) n;1o excedendo o seu valor a mais de
400,000 rs., a troco de urna lettra que falla menos
deSmczes para se vencer, aceita por pessoa muilo
segura, que nada deve, e que possuo bastantes pro-
piedades nesta praga, livres: quem l.ver annuucic.
Compra-se urna escrava com as qualidaiics se-
guinles: bonita figura, sadia moga, sem vicios ,
uc venda na rua e sirva para o trabalho interno de
uma casa cozinhar, coser c engommar : quem a li-
vor, dando a contento por 8 dias, dinja-so ao pateo
de S-Pedro, venda nica da esquina.
-- Compram-se pennas de ema : na rua do Kan-
Be Compra-so toda a qualidade do papel em apa-
ras, por mais viudo que seja; lambem "vende
ppenlo para chapeleiro e livreiro, muito bem fa-
bricado ; n* fabrica das Cinco-PonUs- n. 33.
e cozinha ; urna
malpara o srvigo de casa e fra ; uma pa
annos que coso muito bein faz renda o I
bflo e varrclla : na rua da Concordia passando
pontezinha, a direita .segunda casa terrea.
Vcnde-se uma casa terrea sita entre as duas
puntes da Magdalena com bemfoitorias arvores
de fruclo cacimba outios arranjos para familia,
com vantagem para o comprador pelo commodo pre-
go e abale no foro do terreno; o qual lambem se ven-
de, convindo ao comprador nr. rua da Florentina ,
n. 16.
Vende-se um terreno com 32 palmos de frcnle e
80 de fundo na rua da Palma junio as proprieda-
desdoSr. Jos Antonio Correia Jnior : a tratar na
rua da Concordia venda n 26. Na mesma venda
precisa-sede um caixeiro, de 12 a 14 annos, que
tenha pratica de venda ed fiadora sua conducta.
--Vcnde-se uma casa terrea, sita na rua do Cal-
doireiro, n. 90 : na ruadoCabug, loja de Antonio
Rodiiguesda Cruz.
Vende-se, na rua Dircila, venda 11. 53, sebo
deHollanda a 320rs. a libra; banha de porco a
320 rs. a libra ; talharim flnoe grosso, a 200 rs.; ale-
tria a 240 rs. a libra ; pratos, a 960 rs a duzia;
manleiga franceza muilo nova a 640 rs. a libra ;
azeite doce, a 600 rs. a garrafa ; velas de espermace-
ti, a 800 rs. a libra; e outros muilos gneros do yen-
da ludo muite superior c mais barato do quo cm
outra qualquei parto.
"Vcnde-se cha hvsson om caixas grandes c pe-
quenas de 13 libras ; "velas do espermacete do 4, 3
o 6 em libra : na rua da Alfandega-Velha n. 36, cs-
criptorio de Matheus Auslin & Companhia.
Vondem-se 10 barris de agoa-raz recentemon-
te chegadus : em casa do lienry Forstcr A; Compa-
nhia, na rua d Trapiche, n. 8.
-- Vende-se o verdadeiro c superior vinho da Ma-
deira, cm garrafas, por 10,000 rs. a duzia: na rua do
Trapiche, n. 19.
Vende-so uma escrava de nago de 25annos,
de boa conducta, a quom se pode encarregar todo o
srvigo de uma casa; uma dila de 20 annos.com boas
habilidades, por 470,000 rs.; urna dita, queongom-
ma c cozinha ptimamente ; uma dita quilandeira o
lavaileira por 200,000rs. ; uma dita quo cozinha
bem vende c lava por 250,000 rs ; uma dita de
nago por precisflo por 250,000 rs.; um bonito
molequede 20 annos, sem o menor defeito ; um
pardo bom cozinheiro; nina parda que engomma,
cozinha lava,o he muito liel.de 30 annos, por
300,000 rs.; uma preta de 18annos: na rua de Agoas-
Verdes, n. 46. ,
Vcnde-se sal do Assu, bem grosso e claro : a
bordo do bi iguc raqutlt-de-fernamhuco.
Vende-se uma escrava de nagilo Angola, que
engomma, cozinha o diario de uma casa o lava do
sabfio c varrella : na rua do Pilar, n. 66.
Vende-se um|engonhn que moe com agoa, dis-
tante desta praca 4 legoas ; uro pequeo sitio com
boa casa terrea no Noudcgo ; dous escravos do 20
annos, muito bons ; urna porgSo de prala: na ruu
do Pires, n. 19.
Vende-se, por precisao, urna preta crioula,
sem viciosnem achaques, eque serve bem a uma
casa de todo o necessario; cozinha o diario de uma
-- Vende-so um escravo robusto, du scrvi?o do I casa e lava de sabflo e varrella : na rua do Hospicio,
campo; na rua Direita, sobrado n. 29. I casa terrea, n. 17.



< 1
Ii.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


J-
r
^~
^^
I
Vende-se a armagflo, pcrtcnces e os peucos g-
neros que existem na venda da ra da Cadeia n. 1 :
a tratar com Jos Goncalves Torres, ou com Miguel
Joaquim da Cosa na ra da Srnziilla-Novn, n. 4.
Na na das l.aranpoiras, n 14, segun-
do andar, vende-se una prela de na-
gffo Bara de bonita figura de 20 an-
nos, que he boa quitandeira o lavadei-
ra ; una dita de 25 annos, que er-
gomma, cose cozinha c faz doces, de
n.uito boa conducta; urna dita de 36
annos que lava de sab.lo e varrella ;
por 300,000 re.; um prelo bom canoeiro por 380
rs.; um dito lambem canoeiro, por 280,000rs.;
um dito para o trabalho do campo por 250,000 rs.,
um molecote de elegante figura de muito boa con-
ducta por preco commodo; urna parda de 18 an-
nos de bonita figura sem vicionem achaques, por
pre^o commodo.
Pannos pretos finos
e novos na loja ; setim maco sem mistura ; cha-
peos de sol, com hastes de ago; chlese mantas de
seda e de lila eseda ; casimira preta elstica ; cha-
peos finos francczes ; tudo por menos de seu valor:
na ra do Queimado, n. 1t, loja nova de Hay mundo
Carlos l.i'ite.
B&s::6S&&&& :sss;Ga:c!S!53:n
LIMA, &
I rita Noto, n. 2, p'imeiro andar, w
S vende dragonas, ban 'ase fiadores, p
J para officiaes superiores e subalter-
nos da guarda nacional ; pa-tas, m
das iii.iis modernas ; espadas pratea- &
das, com copos dourados ; e ou- i
lr< seis objectosdeseus uniformes, ij
B s::S3:: s::e s::e s::es::e a::e a::e a
Hua do (.Mi (ni a (I o, n. I.
Na loja nova de Raymiindo Carlos Lei-
tc acha-se um completo sortimenlo de
fazendas finas, por menos de seu valor ;
brim trancado de linho com lislras, para
calcas ; chapeos de sol de seda ; plalilha
de linlio ; brelanha de dito ; etambem
o algodo dobrado, proprio para saceos
ou roupa de escravos.
IJ| Vende-se na ruada Cruz, n. a3, Uy
_n cera em velas, de urna das mellio- II
[m res fabricas do Rio-de-Janeiro j
[jlj sortimenlo vontade do compra- <|
(p|l dor, em caixas pequeas, e por l\
ilji preco mais barato do que em ou- tf
'-Vj Ira qualquer parte. |7
A Na loja de Guimares Serafim
& Companhia confronte ao ar-
co de S.-Antooio, n. 5, vendem-
se casimiras francezas, sem pel-
lo finas de lindos padres, e
pelas pelo barato prego de 2500
rs. o covado ; ricos corles de cha-
l de la e seda, com barra, a doze
mil rs. o corte.
~ Vende-se um preto, por 300,000 rs., de 40 an-
nos muito bom para irahalluir o botar sentido a
um sitio ; urna preta por 320,000 rs ,de 35 annos,
que cozinha lava roupa c vende na ra : na ra do
Crespo, n. 10, primeiro andar.
Vondem-se bichas grandes etambem se alu-
gam, por prego commodo : no terro-da-Boa-Vista,
na primeira venda ao p da ponte, n. 2.
Al tencao!
Cunha& Atnorim tcem para vender potassa russian-
Vendem-sc 3 escravas, sendo urna dolas criou- na nova.de superior qualidade, quo vendem por ba-
la, de 26 annos, perita lavadeira; urna parda de 23 rato prego, para fechar contas; cal virgen) de Lis-
annos ; urna cabra do 25 annos, propria para todo o' boa em ancoras c barriquinhas : na ra da Cadeia-
servico por ser forte e sadia muito principalincii-1 Velha n. 50.
te para engenho : no largo do Forte-do-Maltos, n. 6.1 Vendem-se 9 escravos, sendo 3 pretas mogas,
Vende-so, para lora da provincia una bonita'eom habilidades; nina negrinha de 9 annos, que
parda de 24 annos, sem achaques, muito fiel c, faz renda; 2 pardas de 14 a 20 annos, urna dellas
que he capaz de reger urna casa ; he mestra costu- engomma bem e faz lavarinlo ; 2 prctos nem robus-
reira decollar edar prompta una camisa de pregas,, los sendo um dellcs bom caiadore pintor : no na-
H
9
I
do Trapiche ,n. 8, casa de Henry Forster & Compa-
nhia,
VELAS DFCF.RA I>0 RIO-DE-JANEIRO.
Vcnde-se completo sortimento de urna a 16 c bo-
giasde4,5 e6: no armazem de Alvea Vianna, na
ra da Senzalla-Velha, n. 110.
Vende-se, ou permula-s'e por um sitio perto da
praga urna excedente casa terrea com bastantes
eommoilos para urna grande familia, sita nesla pra-
ga : na ra Imperial, n. 8.
Na loja de Jos Manoel lon-
eiro Braga, na ra do Cres-
po, n. 16, esquina que vi-
ra para a ra das Cruzes,
vende-se atoalhadode linho, muito superior e de
bom costo com 8 palmos de largura para toalhas;
guaniaiiapos de linho adamascado, multosupcriores;
toalhas da mesma fazenda com.seus competentes
guardanapos; tudo chegado prximamente; sarja
preta larga ; cha malote de muito bonitos padrfles ;
pannos pretos e de cores; e outras multas fazendas.
Na loja de Guimares, Se-
rafm & C. vendem-se pannos
finos, de cores, pelo barato pre-
co de 2^400 rs. o covado; e de
outras muitas qualidades, de va-
rios precos.
g^SSS
Vendo-so a verdadeira sarja de soda
hespanhola, a mais superior que lem
apparecido; chamalote de seda para col-
letc ; sedas pretas lisas e lavradas; se-
tim preto de Maco; superior lo de li-
nho preto; panno preto muito fino; e
outras muitas fazendas proprias para
a quaresma por prego mais em conta
do que em outra qualquer parte : na ra
do Queimado, nos quatro-cantos, casa
amarella. n. 29.
Gaz.
corta e da prmnpto com toda a perfeigio a moda um
vestido de senhora ho mestra engommadeira com
toda a delicadeza, faz doces de (diferentes qualida-
des, e emi todo o seu servigo he muito asseiada ,
cujas qualidades se allangam sol palavra de honra,
o em Gm he propria pa a ensinar a corlar o coser em
urna casa do familia : na prarinha do Livramcnto,
loja de fazendas n. 45.
i\a loja de Guimares Se*
rafim & Companhia, c nlronle
ao arco de S -Antonio, n. 5, ven-
dem-se lencos de vapor, de pa-
dres modernos, pelo barato pre-
go de 480 rs. cada um ; lencos
f'rancezes de cores finas e fixas ,
fingindo seda a 480 rs. cada uro;
briiii escuio Ii;ni<: puro linho, a 720 rs. a vara.
Vende-se chumbo de inunigSo, sorlido : na ra
da Cadeia armazem de James Ryder & Compa-
nhia n. 48.
AVISO
aos Srs.de engenho
Ka ra do Crespo, loja n.12,
de Jos Joaquim da Silva
Haya, vendem-se
cobertores de algodflo, muito encorpados, proprios
para escravos ; bem como urna fazenda de linho a
imitagflode estopa, fortee propria para roupa de'nwir; alpaca fina preta, a 800 rs. o covado
escravos e saceos para assucar; tudo por prego mu-' nrolos Imi,l ***' cl,ltflS e,n crles
tco da .Matriz n. 4, segundo andar.
FIGlOF.S MASCARADOS.
Vendem-se vpstidos completos com cabellciras e
mascaras finas para brinquedos de entrudo do 3 a
5000 rs. rada um, a dinheiro a vista : no theatro
publico.
IVa ra do Crespo,
loja n. 12,de Jos Joaquim
da Suva Maya,
vende-se superior sarja preta hespanhola ; nnbreza
riAa muito superior c muito propria para rapas
doSr. dos l'assose outras irmandades; ricos cortes
de seda para vestido de senhora ; mciasdeseda pre-
tas e brancas, as mais superiores que teem appare-
cido, tanto para liomem como para senhora ; luvas
de seda ; chales de seda muito modernos c de lin-
dos gostos; cambraia de linho, muito fina; lengosde
cambraia de linho bordados, para senhora, dos mais
linos ijue ha por muito barato prego ; esguiflo de
puro hubo c muito fino; plalilha de linho ; e outras
muitas fazendas que sero patentes aos comprado-
res e por barato prego.
TERRO-DA-BOA-VISTA, N. 84 '
se sapalos inglezes e america-
para homem a 3200 rs., de cou-
ro de wilzou, a 2000 rs. e de duas solas, a 1600 rs. ;
ditos do carncira a 900 rs.; ditos do orello a
1200 rs. ; ditos de cabra a 560 rs. ; borzeguins a
3000 rs.; botins de Lisboa a 2000 rs.; mcios ditos,
a 1600 rs.; sapalos de setim para senhora, a 1000 e
1600 rs.; ditos para meninas a 1000 rs. o par.
Vendc-so a/eile fino de gerselim, para comer e
para luz : no deposito de azeile de carrapalo na ra
da Senzalla-Velha, n. 110.
panno de linho, a 600
rs. a va ra.
rs. a
P] NO ATEI
\c:venilcm-s(
(_>_ nos, para
** OVO
As pegas sflo de 15 varas e he melhor que o
pn-
ls
Loja de Joao Chardon ,
Atcrro-da-Boa-V.isla, n.5.
Ncsta loja acha-so um rico sortimento de LAM-
PEOES PARA GAZ com seus competentes vidros, ac-
cendedores c abafadores.
Estes CandieirOSsSo os melhorcs
mais modernos que existem hoje: recommendain-so
ao publico tanto pela seguranga e bom gosto de
su i boa confecgfo, coma pela boa qualidade da luz,
economa e asseio de seu seivigo.
i\a Uiesma loja os consumidores sem-
prcacharHo um deposito de CAZ, de eujo se afian-
ga a qualidade, e em poreflo bastante para o con-
sumo.
Vende se o gaz a 520
garrafa.
^* Vende-se, no pateo do Tergo venda n. 7
tinta de escrever inglcza, em garrafas, a 400 rs.,
meias ditas, a 240 rs., e frasquinhos, a 80 rs.; oleo
de linhaga a 260 rs. a libra e em botijas e g. a
1800 rs. ; manteiga a 560 e 640 rs.; bauha de por-
ro a 280 c 320 rs.; queijos a 1600 e 1680 rs.; bo-
lachinha ingleza ,a200rs. a libra; tapioca do Ma-
ranliflo, a fio rs. a libra; talharim, a 200 rs a li-
bra ; cha hysson, a 2000, 2400 e 2560 rs. alibra ; pas-
sas a 160 e" 200 rs. a libra ; figos a 80 e 100 rs.;
amendoas a 320 rs. a libra ; cevada, a 80 e 100 rs.;
arroz, a 1500 rs. a arroba e a 50 rs. a libra; ba-
calho, a 2560 rs. a arroba ; ancoretas de azeilonas,
a 1920 rs. ; lingoigas a 320 e 360 rs. ; naios a 240
rs.; toucinhode Lisboa a 200 rs. a libra; copos pa-
ra agoa at20e200rs. cada um ; o mais gneros
dosquacs se aliauga a boa qualidade ; una escrava
de boa figura, de 23 a 24 annos, por prego com-
modo
l\a ra do Crespo,
loja n.1'2, de Jos Joaquim
da Silva Haya,
vende-se alpaca preta a800 rs o covado; dita muito
fina, preta e de cores por barato prego ; merino
prelo, muito superior ; panno fino preto e de co-
res; casimiras elsticas, de duas larguras, para
caigas a 6000 rs. o corte; velludo ; gorgurflo de se-
da ; setim para collete; tudo por prego commodo;
fustes para foleles; e outras muitas fazendas,
tanto para caigas como para vestidos de senhora;
tudo pelo barato.
Fardos de arroz,
fareos de arroz !
to baralo.
Vendem-se 3 lindos moleques de 14 a
nos; um dito de 7 anuos ; um pardo de 18 anuos,
ptimo para pagem eque he bastante hbil para
outro qualquer servigo ; um dito de 10 annos; urna
preta de idade, por 200,000 rs.: na ra do Collegio,
n 3, segundo andar.
Vende-se um pequeo sitio na
ra principal da Capung.i,
adiante da ponte o segundo sitio do lado direilo ,
em chflos proprios, com 120 palmos de frente e 300
ditos de fundo pouco mais ou menos com boa casa
de viven,la nova e mui bem construida com duas
salas, 4 quartos, corredor pelo meio cozinha e dis-
pensa fura de pedra e cal, una grai.de cacimba
com excedente agoa de beber, diversas arVores
de fruclo, com grandes vistas para Estancia, Man-
guind e outros diversos lugares.
Vendem-se mais dous terrenos pertencenles ao
mesmositio, um com 120 palmos do frente, com
urna pequea cacimba de excedente agoa de beber,
arvoredosdefructo, eo oulro com 100 palmos de
frente ecento e lautos de fundo pouco mais ou me-
nos que ludo se vende por precisSo : a tratar na
ra estrella do Rozario junto a igreja casa terrea
n. 7, de Jos Adelo da Silva.
Vende-se cha preto, o melhor que ha em cai-
xinhas de 16 libras, proprias para familia; na ra
francezes; sarja hespanhola superior; egrandesor-
16 'ni-' 'i"1!'"'" de fazendas de todas as qualidades c liara-
tissimas : na ruado Queimado 11, loja nova de
Raymundo Carlos Leite.
- JSa loja de Guimares Se-
rafim & Couipanhia, confronte
ao arco de S.-Antouio, n. 5, ven-
dem-se cass s finas, largas e fran-
cezas, pelo baralo preco de 480
rs. avara; chitas francezas, lar-
cas a 280 rs. o covado.
polassa branca de superior qualidade.
= Vende-se polassa branca de
em barris pequeos; mi casa de Mallieus Auslin _
Companhia, na i na da Alfandega-Vrlha, n. 36.
i= Veudeiii-sr uioeudasde Ierro para engenhos de as-
sucar, para vapor, agua e brslas, de diversos tamanhos,
por preco couiinodo ; c igualmente taixas de ferro coado
e balido, de todos os tamaitos : napraca do Corpo-San-
to, n. II, rm casa de Me. Calinont i Companhia, ou na
ra de Apollo, armazeui, n. 6.
CARNAUBA.
No armazem de farinhado caes do Collegio, con-
linua-sc a vender cera de carnauba, por prego com-
' tanto em pnrges como a retalho e. he che-
A experiencia tem mostrado que de (odas as subs-
tancias nutritivas al boje condecidas para o sus-
riscados. lento de cavados, he inconlestavelmcnte a melhor o
farelo do arroz, que as muitas propriedades reconhe-
cidas pelos que leem alimentado ditos animaes com
tiio proveitosa substancia,rene a de sermuilu fresco
e mais proprio para o nosso clima, privando os caval-
los de algumas molestias a que eslo subjeitos. He -
commenda-se aos possuidores de cavados o uso des-
te farelo para conhecerem as vantagensque em pou-
co lempo descobrirao.
Vende-se nos armazens do Bacelar e Bragucz, de-
fronte da escadinha, e ao lado do arco da Conceigo.
Vendem-se cadeiras, sophas mesas de
meio desala ,tudo de Jacaranda ; urna me-
sa redonda com pouco uso ; cadeiras so-
phas jogos de bancas mesaste meio de
sala tudo do oleo; Gteiros proprios para
qualquer estabelecimento ; umacommoda de aina-
rello; urna dila de condur ; mesas de amarello com
5 palmus eduas gavetas; camas de amarello o de an-
gico; camas de vento com arnagilo marquezas de
oleo e condur ; o outros muilos trastes ; na ra da
Cadeia de S.-Antonio, n. 18.
Vendem-sc, para o baile de mascarados, duas
ricas mascaras, us melhores que leem apparecido:
na ra do Crespo, loja n. 11.
susetquestiones, 1 v. 4000 rs.; Praxios medica;
aucteeta plurimis, 1 v. 4000 rs ; Petri Barbozc
judex luzitani, 2 v., 6000 rs.; Recithistorique sur la
restanrtion de la regence em France, 1000 rs. ; An-
tidote an congres de Rastad 1 v. 1000 rs.; Memoi-
res hstoriques sur la revolution d'Cspagne 1 v.,
1000 rs.; Lettro sur I'Histoirde la Ierre et de l'ho-
me, 1 v., 2000 ; Curso da historia da philosophia,
porV. Cousin,3 v. ; 8000 rs.
Vendem-se 30 acgOes da companhia de TBeberi-
be, queainda restam de urna pessoa que se quer
retirar da provincia : no pateo da matriz de S.-Anto-
nio, n. 4, segundo andar.
Vende-se um ptimo oscravo de 22 annos,
proprio para armazem de assucar ou oulro qualquer
servigo por ser forte e sadio ; um moleque criulo,
de 8 anios ; urna liteira com seus pertenecs ; 2sel-
lins usados : na ra dos Tanoeiros, n. 1.
Chitas, a 60 ris o
covado.
Na primeira loja do Aterro-da-Boa-Vista n. lo ,
vendem-se chitas a tres vinte*ns o covado.
Vende-se urna prela de nagflo \le 22 annos,
com urna cria de 6 mezes : a preta lava bem de sa-
b3o vende na ra e cozinha o diario de urna casa,
nflo tem vicios nem achaques: na ra do Queima-
do, n. 42.
Vendem-se duas excedentes escravas, urna
parda ea oulracrioula : na ra deS.-Jos, n. 60.
Vendem-se duas vaccas, urna parida sem cria,
eaoutra prenhe : no sitio da estrada de S.-Amaro
para Belm, passando a ponte, o primeiro silio do
lado direilo.
Harmelacla .
fuperiorem qualidade, vende-se em latas, por pre-
go commodo : no armazem de Dias Ferreira no
(aeida Alfandega.
Vendem-sc saccas com superior colla das fabri-
cas do Rio-Grandc-do-Sul, a prego barato: na ra da
Mocda, armazem n. 7.
No armazem da ra da Bloeda n. 7, conti-
na-se a vender sal, em grandes c pequeas por-
gues a vontade dos compradores.
,-^-
Escraios Fgidos
modo ,
Rada agora urna porgflo da melhor qualidade que tem
apparecido.
Vende-se, na ra do Crespo, livraria ,
n. 11/Tratado completo de comosgraphla
egeographia ; Historia physita, 4 v., 8000
rs.; Novo diccionario critico e etimolgico, portu-
guez, por Constancio novo, 12,000 rs. ; o Pano-
rama, 4000 rs.; Tractatus de fructibus in omnw ca-
Fugio, no da 18 do passado, urna negrinha,
de uome Marcianna ,'de 12 a 14 annos, com
urna queimadura na face esquerda, umaempi-
gem nuilireita euna outra queimadura na perna
direita ; levou vestido roxo e panno da Costa ; tem
cabello cortado: quem a negar leve ao Passeio-Pu-
blico, fabrica de chapeos de sol, que ser genero-
samente recompensado.
Fugio, no dia 7 do corrente, um preto, de
nomo Joaquim de nagfio Mo'gambique ,
baixo, grosso do corpo, pernas arquea-
das de 16 a 18 annos pouco mais ou mo-
nos ; levou camisa branca com armas
imperiaes na frente, caigas de riscado, chapeo de
pello pardo, e he catraieiro Roga-se a todas as au-
toridades policiaes e capites de campo de o prende-
re m e levarcm a seu senhor, lzidioJosCaparica, no
caes da l.ingota que recompensar generosa-
mente.
Desappareceu, no dia primeiro do corrente,
um preto, do nomo Joio e que usa do sobre-nome
de Peixoto de nagdo Benguella de 25 a 30 annos ,
altura regular, cheio do corpo, pouca ha roa falla
grnssn e tilo desembaragada que parece crioulojdcs-
confia-se que esteja trabalhando em alguma pada-
ria serrara etc. por ser isto costume delle :
quem o pegar leve a ra da Aurora n. 30, quo ser
bem recompensado.
Fugio, no dia 5 do corrente, um prelo de no-
me Manoel, de 26 annos pouco mais ou menos, de
estatura regular rosto redondo nariz chato, bel-
gos grossos, de nagTo Massagana ; levou caigas
de Ifa amarcllada camisa de algodilo c usa de um
lengo amarrado na cintura seguraiido-lhe as caigas e
de urna vara na mfio ; levou .chapeo; costu na
a embreagar-se (cando muilo turbulento ; eslava
alugado na matriz da Varzea c conviva muilo com
as pelas do engenho do Meio : quom o pegar leve ao
largo da Soledade n. 32 que ser generosamente
recompensado.
Fugio, do lugar do Boeiro, Bravo, de no-
me Agostinho motilo, cabega bem piulada bas-
tante barbado ,suissasgrandes,dente limados, es-
padando, olhos afumagados, bastante ladino no
fallar; tem um ca rogo na barriga e dous om cima
da p ps apalhetadns. Lsle t-scravo pertenco a
Joao Gongalvcs du Silveira Quem o pegar leve a
prensa de algudSo, de Joaquim Jos Ferreira.
Fugiram, do engenho Aripib, no dia 3 dede-
zembrode 1846 o pardo Ignacio e sua mulher Dcl-
lina, prela : quem os pegar leve ao dito engenho,
na freguezia da Kscada ou a loja do Manoel Luiz
Goncalves que se recompensar.
Fugio, no dia 7 do corrento, um escra-
vo.de nome Manoel, de nagfio Mogani-
bique, de 20anuos, altura c grossura
regulares, triste de semblante; levou
caigas de algodflo, abortas no cs atrs,
camisa de algodo, de mangas redondas; cosluina
andar sempre cofh a camisa abotuada com butilo do
osso preto chapeo de palhinha de (ranga estreita.
I'ede-se as autoridades policiaes'ecapitfles de cam-
pe que o prndanle levem a Fra-dc-l'orta, n. 145,
quo sero recompensados.
Fugio, no dia 18 de Janeiro prximo pas-
sado .da freguezia de S.-Amaro-Jaboa-
tflo da casa de Amaro remandes Dallro
Jnior q seu cscravo, de -uome Paulo,
com os signaes seguinles : cabra-fulo,
cabello de negro allura menos que regular, seceo
do corpo, pernas delgadas ; ps seceos pequeos e
com cravos uas sodas dos mesmos; tem em um can-
to do odio una marca de urna sipoada ; he bstanle
regrista, e carreiro; levou caigas de riscado azul, ca-
misa de madapolflo com qualro pregas ; consta que
existe nesla praga onde fo enconlrado e tambeo
em S.-Amarinho aonde csteve no dia 7 do corrente
mez. Rogu-sc as autoridades policiaes capitfles de
campo, que o peguern e levem a rasa de Aloxandre
Norberlo dos Santos, na ra ireila, n. 71, ondese-
rflo recompensados com a quanlia de 25,000 rs., se
for preso nesla pra^a., e com a de 50,000 rs., se for
no centro da provincia.
PERN.: NA
TTP. DEM, t. DE FAMA. l84?


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E18BHZFZW_LIUWK4 INGEST_TIME 2013-04-26T23:13:43Z PACKAGE AA00011611_08416
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES