Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08409


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Lino de J84?.
Quarta^fera 5
n DI 4RIO puldica-se todos o das, que tilo
ilc guarda i o prero da asignatura he de
'"!! rs poi qiiHrtel. papos adianladn*. O in-
< dos assignanles si> inserido] a rasip de
"1'r'oorlinli". 40 m lJP ddlerenle, e as
,,'-uc< pal metade. Os que nao I rem ass.'g-
"l,-na-ro 80 r por linlia, e ICO cin typo
h;irere.rt?porC.A,p*!.
PHASE8 DA LOA NO MZ DE FKVEREIRO
ingoaute, 8, > II liom *. da inanl..
" s T, |b, s 9 lioras e S mm. da manhiia.
!;re"sc'euw'. a 22, i I (ora e 2 min. da roauhSa.
PARTIDA DOS CORRRIOS.
Goianna e Parali vl>a, as segundas e sextas Cairas.
Kio-(raiide-d Mi, Scrinlicm, llio-l'ormoso, Poito-Calvo e
Macelo no l.\ a 11 c Ii de cada mei.
(aranliuns e Ronito. a me 21.
lina-Vista Flores, o (3 e 28.
Victoria, s quintas feires.
Olinda, todos os dias.
PftF.AMAit DE I10JE.
Primeira, s 6 lioras e SI minutos da manlia.
Segunda, s T horas e 18 mininos da tarde.
<1c Fcvereiro. Aun XXf I.
N. 26,
Mas d\ semana.
Segundo. S. Ignacio And. loJ dosorpli ,
do J. do c da e do .1 M. da 1 v.
2 Terca. ** A Pin ilicaro da lVossa Se-
nhora. .
J Quarla. S. rai- Aud. do '. do civ. da
2 v. c do J. de pal do 2 dist de t.
i Quinta. 8. Avenlino Aud lo J. de orph.,
do J. municipal da I ar.
5 Sexta. .-. gueda. Aud. do I. do civ. da I.
y e do J. de pn/. do I. disl. de I.
6 Sabl>ado. S.Amando. Aud doJ.dociv. da
I. v. e do J de pat do I dist. de t.
7 Domingo. S. Romualdo.
CAUMOS NO da I de ff.vfrf.iro.
d p. ifi;
Camina aobrslandre*, !". .a M
u Pan 220 rs por limo
a Lislnia 9.'. do preiiii.
DcJO. de le dehoaslirin-s l*/s *'/ P-
MuroDuras I espantiola*.....
a Wpedasde #uio velli M
de C/IOi1 nov..
, de 4000 .....
Pi(i/,l Ha incoes .......
i) Peaos enlmmiaies...
Dilos mexicanos ...
Miud
/ MOIM
tafos
i altea
ie|i00
OjlOn
IfOtO
}|0?l>
il-v
IfltO
Acces da com"i7. do'licbeYhe d &0JO00 r.o par.
ISfOOfl
lijo o n
MtH
Jlimii
14720
I .iJ.UI'-.M'il..'-'
DIARIO DE PER1V AMBUCO
^i-i.

EXTERIOR.
A rainha responden da maneira se^inte:- __ l^&JSt2fe*",fM' ZItZA^^i^^&^
HKSI'AMIA.
A Gazela de Madrid, de 29 de novembro, traza o
bcguintc, sol) o titulo de
FM'OSIIO ENDF.RRCADA A S. M. A RAINHA POR S.
A. R., O INFANTE D. IIENRIQllE.
o Senhora. -- Por una parte solicito de que a mi-
nha conducta lique istmia de toda aapparencia de
nliscuridado.e por oulra desojoso de dar a V. M.no dia
da Santa to seu nome urna prova de respeito e adhe-
so, de patriotismo e de profundo apego vontade
constitucional de V. M., e decisio dos legilimos re-
presentantes da naclo, tenhn determinado de minha
propria vontade desapaxonada, llvrc de toda a influ-
encia, e cedendo s s suggestOes de minha consci-
enria, annullar de urna maneira solemne o meu pro-
testo assignado em hnt, a 9 de setembro ultimo, a
lim de que nunca mais tenha frga alguma, ncm pro-
duza o mnimo effeito.
., Confio que V.M. se dignar de acolher henigna-
menle estes meus leaos sentimentos, ede receher a
rospeitosa homenagem da adhesflo e fidelidado do af-
leciuosoc obediente primo deV. M., quo beija os
renes ps de V. M.,
a Henrique Mara.
Bruxellas, 19 de novembro.
A correspondencia particular do Tima, datada a
30 de novembro, dizia que, tendo o ministro da jui-
ca aposentado, no dia antecedente, rainha a resg-
naoslo do Sr. Pacheco, procurador da cora, 8. M
recusou aceita-la. Na mesma tarde foram os minis-
tros em corpo offerecer a S. M. a sua resignagflo ; e
no dia seguinte mantlotiS. M. chamar o marquezde
Vilumn, e autorisou-o para formar um ministerio.
Depoisdcteromarquez consultado os seus amigos,
participou a S. M. que as actuaes circunstancias
julgava impossivel satisfazer os desejos de S. M. A's
:i horas mandou a rainha chamar o Sr. Isluriz, e
clicgada deste declarou-lhc que eslava resolvida a
saneeionara resignaeflo doSr Pacheco; e quecon-
seguinteiiicntopniliamellc eos seus collegas reas-
sumiro poder. Depois de alguma hesilaciJo, consen-
lio o Si. Isiuriv ; f. o govorno he dirigido como antes
di'st ilesagradavel oecurrencia.
Cartas do t. de dozembro confirmavam o annun-
cio de que a criso ministerial cstava terminada, o
Sr. Isturiz e os seus collegas permaneciam por en-
tiio no poder, havendo a rainha consentido com re-
pugnancia em assignaro decreto, aceitando a resig-
nacffo ilo Sr. Pacheco do seu cargo de procurador da
cora no supremo tribunal do justiga. Todava, pou-
ca confianca se depositava na estabilidade do gabi-
nete Isturiz.
Anda conlinuava o fogo as repartieres do go-
vorno, mas sem se estender, em consequencia da
grossa chuva que cabio durante todo o dia 1..
Carlas particulares de Madrid, com dala de 2, diz-
ain que com quanto os ministros livossom escapado
da demissSo por entilo, todava cria-se que a sua
conlinuacfio no poder n1o seria longa ; pois que el-
los cstavam divididos entre si. Diza-se que i um
concelho de ministros reunido na noitc antecedente
suscitou-se una violenta disputa enlre os Sis. Mon,
l'idal c Armero, d'uma parte, o os Srs. Isturiz, Ca-
lleja e Sauz, da outra, a respeito d'inna intriga que
se lizia ir em progreaso para elevar M. Mon a pre-
sidencia do gabinete; oque foi esprobrado ao Sr.
Isturiz.
Conlinuava a reinar muto excitamento em Ma-
drid, em consequencia das prximas eleicoes; c
cria-se quo serian) rceloilos por aquella cidade dous
candidatos progressistas os Sis. Lujane Mcndi-
78 D Al
Os jornaes e carias de Madrid, do 3, n.lo continham
noticias de importancia. Reinara perfoila Iranquil-
lidade naquclla cidade, nao obelante O excitamonto
necessariamente nseparavcl d'uma eleicao geral.
Madrid,* de dezembro. O conde de Thomar loi
admillido a urna audiencia de S. M. hontem as b ho-
ras da tarde para o lim de entregar as suas creden-
ciaea como enviado extraordinario c ministro ple-
nipotenciario da rainha de Portugal.
O conde fallou rainha da maneira seguiBie:
Senhora. Tcnlio a alta honra de por as re-
gas rnos de V. M. estacarla, em virtude da qual
S M F. a rainha de Portugal, me acredita como
seu enviado extraordinario e ministro plenipoten-
ciario junio a V. M. _
, Tenho nestn occasi.lo, Senhora, o maior prazer
emdaraV. M., da parle da minha soberana, segu-
ros do vivo desojo que a anima, de estrellar anida
mais os vnculos do amizade que tao felizmente sub-
sisten) enlre ambas as coras. na cspcianca de que
or este mcio serf.o anula mais promovidos os mu-
tuos i.Ueresses dos seus respectivos subditos.
He para mim extreuiamente agradavol eslai au-
torisado" para prear a V M os sinceros votos
due faz S. M. F pela prospendado de V. .ede
sua real familia ; c de manifestar a sua diligente so-
licilude deservir a V. M. a todos os respeitos.
Pelo queme respeila pessoalmentc, Senhora, ja
tenho sido honrado e distinguido por VM ; eaoa-
rl,ar-me no centro dcsta nacao, cujos destinos. aprou-
ve a Divina Providencia confiar a V. M. o que iflo
geierosameute me presto,, asylo e prolecQao na po-
ca la minha pcrseguicSo o desgraca, podo V. M. Jul-
SSmJS da honra e f^ ^g^Xt
lo em esforcar- me por cumpnr com efficacu, os de
veres da minha posicao, e tornar-me d s arte d gno
da confianca qu.-em mmdeposito^mirtaiwbera-
na, assim como n.oslrar-me merecedor da bene o
lecia de V. M., em conformidade dos reaes desejos
delta.
l.lllilin I ua|.-iii^t w !.......... .. ri.......
.. Recebo o aceito conxmuita satisfac.ilo asearlas
que vos acreditam como enviado extraordinario e
ministro plenipotenciario de minha inuito amada ir-
mila oprima,a rainha de Portugal, junto a minha
pessoa.
Os vnculos que tcom sompro unido ambas as na-
cocs adquirem hojo um novo penhorda sua duracuo,
pelo Taclo de haver sido confiado o dever do estrlla-
los a urna pessoa que por tilo longo periodo merecen
a conlianca da sua soberana, e que desde entilo teve
oceasino de conhecer quao respeitadas sito na Des-
palilla as ooiisidernces devidas desgraca.
Peco-vos pois, Sr. ministro, que transmitais a
vossa ranl a expressilo dos desejos, cada vez mais
ardontes, que nutro em meu corac.no pela sua felici-
dade, e pela da sua real familia, assim como dos vo-
tos que faco ao eco pola paz e prospendade da nohre
naciloquea Providencia Ihe conliou.
ideu, 5. AseleicOesquo deviam do enmelar no
dia (i. oceupavam completamente a altenclo publi-
ca. Cria-se que os candidatos minisleriaes obtenam
urna grande matara. A colobrciu-se em Madrid com
extraordinaria pompa o funeral da duquoza de San
Fernando, prima do fallecido rci Femando \ II. A-
companharam-na seis magnificas carruagena per-
tencentes a corle, juntamente com as da nohreza. A
duqueza havia pedido instantemente que nlo se se-
pullassom os seus restos, sem que mosliasscm symp-
tomas de decomposi?no. Esta ordem bri religiosa-
mente cumprida. .
O Clamor Publico dava por bem fundado um boato
de que lodo o gabinete tinha outra vez resignado, e
que se formara um novo, de que faiiam parte os Srs.
Mon e Pacheco. .
dem, (i. Cartas particulares annunciavam a cne-
gada de D. Ileiuique a Madrid no da :>, acompanha-
do pelo Sr Vicente Cotzales Arnao, secretario da
embalsada beapanhola em l'aris
Quatro dos seis dislrictoseletoraes, em que se di-
vide aquella capital, linhain formado a as suas me-
tai a favor dos candidatos piogressislas. Nos outros
dous tinha o governo vencido. A formacao da mesa
he considerada mais ou menos como um signal to ul-
timo resultado das eleicoes.
Correu na larde do dia 6, em Madrid, um boato
geralniente acrediUdo de que alguns dos ministros
linham dado as suasdemissocs.
nislrodeS. M. C.albolica em aplos.
A's 4 horas da tarde. O Heraldo, que acaba do
apparecer, dmittequo scrSo reeleitostres candida-
tos progressistas por Madrid, a saber o general
Evaristo San Miguel, o Sr. Mendizabal e oSr. Lu-
jan. N'uma grande capital, diz elle, maior npposi(1o.
O candidato progrossista de Colara, um dos ds-
Iriclos cxtraniiiraes de Madrid, teve urna grande
malaria a noile passada. 0 govorno he acensado de
offerecer o pagar 2i pesos a cada eb'itor que volar
por elle. Tamhem se diz que esta manhila so man*
daram listas addieionaaa aos dstrictos, para supptir
a perda de hontem em Madrid. Os prtenos das re-
partieres do governo, agentes de polica e onlros
que nio teem direito de volar, hilo sido mandados
a urna. O Heraldo diz que em todo o reino serilo
elelos para as prosimas corles 30 a 40 progressistas.
Taiiihem diz quo o contrato com o banco de S. Fer-
nando acaba de ser assignado por M. Mon, sob as
mosmas eondicoes que d'antes.
Anda circulan) boatos ilOOllldanca ministerial.
Soubc do boa parte quo taWttt saiam Sauz ministro
Ihos do finado Antonio Jos,- pinto,
vista ao doi'.tor curador geral.
Na appellaciloem quesiln parles Flippe da Concei-
eM Civaloanti e sua mullier, e a viuva e mais bei
deiros de Francisco da Rocha Guedes, dcspiczaram
os embargos.
Negaran) proviinenlo ao aggravo as causas (le Jo-
sda Costa Albuquerquo eMello e Jos Joaqun) de
Hesquita, e na de Eliaa Prancisco do Mndello e Pau-
lino Francisco da Silva Mndello.
mes. {
7. ( Correspondencia particular do Ti-
V* J a
No me enganei muilo hontem as minlias pro-
visoesdequcavantagemoblicla pelos progressistas
na votaQilo, quanto as mesas cleloraes, poda ser
considerada como um signal muilo favoravel para a-
quelle partido. At onde subi a votacao a noitc
passada. obtveram os progressistas um successo
iuasi correspondente, o qual, se for boje continuado
Mesurar tres depulados progressistas por .Madrid.
Fu passo a expro estado da urna ate a ultima hora
da noitc passada, e espero que so encerr a VOtacOO
muilo antes da hora do coneio, a lempo de lialuli-
tar-nie para dar boje o ultimo resultado.
Talvcz soja mistar preludiar, dizendo que a ci-
dade de Madrid, islo he, o espero fechado pelos mu-
ros, est dividido em seis dstrictos cleiloracs, cada
um dos quaes he subdividido em duas sec?oes. Em
cada socc.floelegc-souma meta como a dos depulados
para registrar os votos. A eleico da mesa he geral-
mente a primeira prova de Mica. A volacao Icm lu-
gar n'uma igreja, ondiosla estacionada a mesa.
, No primeiro dislriclo ubliveram hontem :-o ge-
neral Fvarista San Miguel, candidato progrossista,
190 votos; c Martnez do la Rosa, ministerial, 109
Maioria em fawirdo progressta, 81.
No segundo dislriclo, Don Francisco Lujan, pro-
grossista, ii votos; Vicente Juan Prez, ministe-
rial, 108. Maioria em favor do progresssta, 113.
a No teiceiro dislriclo, o Sr. Mendizabal, pro-
gresssta, 186 votos; o marque/ de Perales, minis-
terial 103. Maioria em favor di) progrossista, 83.
No quarto dislriclo, Don Pedro Come/, de la Ler-
i, nrogresssla, 119 votos ; o marque/ de Povar,
ministerial, I3. Maioria em favor do ministerial, 13
No quinto havain tres candidatos.-Don Manocl
Cortina, progrossista, Don Aloxandrc Mon, ministe-
rial c o Sr. Salamanca, da opposiQIo conservadora.
Onrinciro obteve 124 votos; o segundo 117; eo
Lereeirott. Nesle dislriclo, logo que se veriheou
o estado davotacSo, vendo o Sr. Salamanca que a
sua nerseveranca s servia de enflaquecer a loica
dos progressistas, sem produzir vantagem alguma
para si, com grande generosidade nnuncou ajaii
ntenc-no de retirar-se da roulcnda, o de Ira. fe. ir o
seu valimcnto para o lado progrossista. So is o l.vo-
se sido feto no principio o honvessem sido dados o.-
Mvotua ao candidato progrossista, vCr-se-b.a que
sr Mon loria obtido hontem urna maioria de um
so voto. Como o Sr. Salamanca goza de muita in-
fluencia no mencionado dislriclo, cre-sc que a sua
reFirada da conlenda far pender boje a batanea a
avr do candidato progresla HeeseuM.lam.
lirmos sobre o cfie lo quo nroduzna a derrota do
Sr Mon n seu proprio dislriclo favonio O annun-
cio da retirada 'de Salamanca foi olxado honlen. a
tarde as paredes da igreja.
. No sexto dislriclo obtveram :-o marque/, del
Socorro, candidas progresssta, MlvolM, Uon Pe-
dro Joa.'Pidal, ministerial, 1*7. Maioria em favor
do ministro do interior, s6.
Amda guando acomenda termine com a elcic.no
do dous depulados progressistas aumente pelo capi-
tal seria sio considerado como um r.umpho por
aauolc partido, mrmente attcndeiido-ae a que o
IororooPnada tem omttido, qur legal quer .le-
Kal i.ara assegurar a victoria aos seus candidatos.
B7llon.en.aqu chegou o infante >. Heiinque^uej
foi immediatamente visitado por ei-ru,
UIIBI III! l'EH\,\lil]fiO,.
REOirE, 2 DE rr.VEftEIRO SE 18*7
He do 7 do mezprximo lindo a ultima datados
ornaos que recebemos pelo vapor S.-Saowlo, che-
gado hontem dos pollos do Norte.
Vamos cominunicar aos notaos lubacriptoraao jui-
zo quo, acerca do estado das provincias quo nos re-
metieran! esses jomaos, sumos levados a fa/.er pelo
contedo nosdilrerentea artigoi que ncllei hvamos
ldo.
I ni ponen desassomhrado dos reeeins de urna fomo
igual aquella do quo anteriormente tinha sido victi-
ma, por ja terem apnarecido copiosas chuvas; litro
por oinquanto das luctuosas o sanguinolentas ace-
as, em que contra Indas as tendencias do um cora-
cflobem formado, os mais chogados prenlos, os que-
so haviam jurado lirnic eduradoiira amizade, por
mais de urna vez cruzaran) o ferro homicida ; o Coa-
la neiii por sso aprsenla um aspecto liaongoiro,
Rem por sao se torna menos digno da mais seria al
leneao, do mais aculado cuidado da parlo daquelles
quo, cscolhidos polo 1)0*80 inonaroha, e do algiimii
surte apoiadoa peloa ropreaentantes da soeSodado
brasleira (os membroa ta antemhlca geral legisla
Uva), se achaineneai rogados da honrosa, mas ans-
.-'lili'* \H. l/l/ll j'ill I- IIIU lll'- JHinna -n.tn, .........
da guerra Isluriz [presidentee ministro de oslado),
e Caneja Ule graca e juslic.a Sohouvcr probahilida-
do de urna grande opposicao, ou de que os progres-
sistas ganliom lorrenn no parlamento, crc-se que to-
do o gabinete sera derribado, clora lugar una mu-
denca total. F.m tal caso he provavol que Narvaez so-
ja chamado para organisar un novo ministerio. No
caso que saiam s Isturiz, San/ o Caneja, entilo re-
se que sera Mon o novo presidente do concolho
Acaham de recolhor-so os votos; mas O escruti-
nio mo comee sendo s 4 horas e meia. Di fllci I men-
te so pollera sabor o resultado antes da hora do cor-
rolo que he as 5. Todava croio que resta pouca du-
vida acerca da eleco do San Miguel, Mendizabal c
Lujan. Deixo a caria aborta at o ultimo momento.
i. Fin \leala-de-lleuares,olitivorani hontem:O Sr.in>.i,, i
Campoamer candida.o ministerial, 77 votos Neur- cada o diffleultosa in.ss o dod.rlgi. ntodoeaUdo
'. ._____l.aft._a._. i,,,., uim um. hu: i, j mu i tills I 1 11 t'\U ClUilUHs | lipi, .1 >U.l
il lll| 'i'.I li:t i tnmiiuniv.iii......v.....,.....-
;a, progrossisla.fili; e o conde Cortea, lamben) pro-
grossista, 91.
F.mColmcnor e Torrija, venceram os progres-
Em Toledo, obtveram os progressislas 9.'i votos;
eos moderados 4G. .
Fm lllcseas, livcran. os progressistas niaiona
do (>
i, El Popular, fblha minlalerial, diz na sua ultima
hora, que be provavol que t rerldque a mudanra do
ministerio Segundo clle.sahem todos os nii.ns ros.
A causa a que elle attribuc o prcconceilo "menta-
do nos circuios elevados contra o Sr. Armero 0
Sr. I). Ilenrique. Se Armero rr obrigado a .\\i ai o
gabinete, acrosoonta elle, os seus collegas lecm i er-
teza de compartir a suasorio.
OS jornaes c cartas de Madrid da mesma data ,)
lamben, annunciavam a provavol eleicfloje tres^can-
didatos progressistas os Srs. San Migued le.th/a-
b.| e Lujan, por Madrid ; com 3 candida ni...^g.-
rerno -os Srs. Mon, Pidal, o o marquoz del I ova
Anda circulava... boatos de nuidanca o ministe-
rio. Cria-se que resignaran! os Srs Isluriz, San/, o
Caneja, e que M. Mon seria nonieado presidente do
CTP|l!,0Nodia lidcdczemhroaindanno tinha cho-
gado a.....is mala de Madrid, posterior a data dej.
A de Londres esUva igualnicnleem adaso. A causa
presumida disto era o estado das estradas, que por
toda a parle cstavam eobcrlas de novo.
PERNA.V.BHCO.
TRIBUNAL DA RELACAO.
lOiatliBirrO no mi I.' de FRvaaEino nn 1847.
{Desembargador de semana o Sr Yilforu.
Itera ni provmenlo ao aggravo na causa em que
Antonio da Silva Moma litiga con) Joflo Evangelista
da Costa o outros.
Na appellacao em que sao parles .loso Higino de
Miranda, por s ecomo procurador do Francisco Jo-
so Raposo, c Francisco Joso Avies, julgaram por sen-
lenca a desistencia
Na appellacao de Jnflo Pcrora Lagos e llerculauo
Joso doFreitas, conlrinaiam a sontonca.
Na appellacao em que silo partes Joo Antonio Soa-
ros de Abroo e l.ourenco Joso Corroa, receberam os
embargos, reformando a sontcnca em parte.
Na appellacao entre parles, Joso Alvos da Silva
Cuiniaifles e Millquct, confirmaran) asenlcnca.
Mandaram dar vista asparles as appellaeoos om
que como lacs figuram: Manocl Carneiro Leal, co-
mo administrador de aua mullier e outros, o Vicen-
te leiroiradaSilva por seu procurador; Domingos
Rodrigues de Araujo e sua rinfla, e Jos do Lima P.i-
beiro o outros: Neulel Nonstron Aloncar Araripc c
outros, e Jos Victorino de Alnieida, sua mullier e
os herdoirosdo fallecido Joso da Costa c Silva Jos
Antonio de Souza Machado e Francisco Alves Viaiina.
Nfio deram provmenlo no aggravo na causado Joao
Pereira Lagos o llerculauo Jos de Freilas.
Na appellacao de Antonio Joaquim de Mello, Me.
Calmonl&Companhiaeoutros, confirinaram asen-
tenca. ir-'
Na appellacao de D. Calbarina Francisca do Eapt-
rilo Sanio c a fa/.enda provincial, deram vista ao
desembargador procurador da cora.
Na appellacao de l.uiz Jeronyiiio de Albuquerque o
oulros, c Joao Lins Cavalcanli e sua mullier ; relur-
niaraniasentenca, mandando que so procedosse a
partilha de conformidade com o testamento.
io i Na appellacao em que sao parles Cactano Pmlo de
seu irmao.' Veras, como administrador de sua mulher, c o dou-
Divdda em dous Doni extremados grupos, a sua
populaofl,quedeveria vive*Uounida como sedo
irmaos IV.ra composta, curarnicadatnente se guer-
rea as crencas polticas de um individuo qualquer,
ouocxpiVm ir mais pronunciada persegun-ao, o o
esbulham do gozo de todos os foros do cidadflo, so
pnrventura portenco ello no />rlJo aue osla lora poder, ou o pflein ao abrigo do rigor das leis, por
mais criminoso que soja o sen comporta monto, so
por acaso faz elle parto do lado dommanlo: a im-
prensa, desviada do son verdadeiro e tao nobre hu,
sii per amdensse necupa dos iiiterossoa inoraos o ma-
teriaes ilu pai/, quasi qiiotidianamenle su chafiirda
no lamacaFTmmundo das descomposturas, e com n-
qualilicavol frenes osmerlba o denuncia os actos dn
vida privada dos adversarios dos homens que della
dispooni, cune por tal modo a vffQ desnaturalisan-
do : as auloridades, desrespeiladas, eobcrlas de bal-
das, acensadas de injustas, de refractarias, e ato do
concussionaiias, ja mo leem frga moral, a por con-
lOguinteae nao acham em oircumstancias do gover-
nar, pois que hoesse o primeiro dos elementos dos
funeconarios do poder, que, perdido elle, lornam-
so quaes oulros ospanlallios, do que todos zoinbam.
do que lodos escarnecen! : a rrga publica que, sus-
tentada polo pOVO, pois que lio oslo que paga os tri-
buios a cusa dos qiuies olla 80 iiuintm so deveria
servir para proteger o mesmo povo, ajuas que nao
lie mais que o instrumento de vinganoas particula-
res; quasi que nao lio mais que um bando de sicarios
,W cilio braco forte a sen hel-pnizer dispAc quein
qiirque oroinniauda ; dfcasi que nfio lio maisdoquo
unidosnieiosdeqiio alinal so lulo deservir os des-
organisadores para completaron) a obra da destrui-
cao, ja tao adianladn all, e que dentro om breve se-
r concluida, se o Tooo-PooaaOso ae nao dtgnar de
estender sobre os Cea i cuses um maulo protector,
que, aguardando-osdo medonho o triste futuro que
Mies enxorgaiiios, o vendando ao mesmo lempo os
olhos dos conductores do carro da anquilacilo, que
taoaprossadamenle cono, faga con) quo estesesbar-
iciii notrlhopor que dosempcgadamcnle o levam,
e que de tantos cadveres ja se acha juntado !
Medonho, com olfelo, be o quadro que acabamos
deoabocar: transido de dr nos dcixon oedracflo;
mas he verdadeiro, e os tragos de que para elle nos
servimos foram tomados do uuicoorigin.il donde os
podamos haver, islo he, dos periedicos que se ini-
primem na provincia a que he elle relativo.
Desviemos, porm, os olhos desse qiiadro assusla-
dor, c depois do bavennos lamentado os males dos
nossos i i inaos do Ccara, depois de 1er chorado a sua
triste sorte, vamos eangraliilar-nos com os Mara-
nhenses pelos bens que sobre Rea continua a derra-
mar a cuidadosa 0 patrioliea admmislragao do Sr.
tranco de a, desse cidadflo, coja conduela presi-
leucial he mais urna prova de que nao pensam bem
os que suppnom que 0 menos apto para governar
urna provincia qualquer he aquello que nclla tem o
seu bcrgo, be aquello que nella con la grande nuini;
ro de prenlos, o nao menor porefio de amigos.
Diminuidas despoza, para que tambem diininuu
o dficit de que o Maranhao se .acha ameagado no
correnlo auno linanceiro; reparadas algumas das
mala palpitantes Injusticss platicadas pelo seu ante-
cessor ; ordenados os colicortos de que nocessitavan
diversas das obras publicas; emprehendido o me-
Ihoramcnlo da nica estrada quo communica a capi-
tal da provincia com o seu interior ; encelada a
abertura de um novo caminho desta para outra es-
trada ao ponto extremo do lado meridional da Iba
denominada Estiva; punidos os funeconaros p-
blicos pouco zelosos lo cuuiprimento dos seus de-
vores, bem como suc.cedeu ao vgaro da Iregueza
do Burty, quo, por ter abandonado a parochia por
seis mozos, sem licenga da presidencia uem do bis-

;'


po diocesano, foi mandado respnnsabilisar; extinc-
ta ti nlhivi.to de pequeos e insultantes peridicos, o
remitida a imprensa a publicar smente o Progresso,
a Revista e o Publicador-t/aranhensc, cuja lingnagom
comedida o decente bonra aos seus redactores ; cm-
penha-se o Sr. Tranco de S ein fazer substituir pe-
la cultura da caima dcassucnr, que tantos lucros
nfloreoo ios que a ella se do, a do alumino, que
alem de srmenos vantajosa aos agricultores, no
sen pensar, lie alli a causa principal dos atrasos
dessa tilo importante classe da sociedade ; e baldo
dos meios necessarios para animar essa substitui-
dlo, pedeao govemo peral quo Ih'os forneca, man-
dando por asua disposicAo, dos fundos ennsigna-
doe para as despezas evenluaes do ministerio ilo im-
perio, a ntiantia de vinte ou trinta cantos de ris,
para ser distribuida em premios, pelos lavradoros
que provarem haverem sido os primeiros que no res-
pectivo termo ou comarca teem cstahelecido un on-
gcnhoqtie produ/a mil on mais arrobas de assucar
bein fabricado
No meio, porem, de ludo isso, alguns factos appa-
reccm, que, ao mesmo lempo quo denunciama cor-
riipcilo do siculoem que vivemos, altestam que por
mil nores que sejam as inlencOesde urna autoridade
qii.Hqner, por mais desvelada queella seja, aconte-
e.mentus ha que Ihe mo be possivel prevenir, mas
apenas remediar.
Taes sao: -os homicidios de duas meninas do 12
nono, que na c.dade de Casias, foram moras a pan-
cadas pelos barbaros e degenerados pas; os de Ali-
na de tal e de um menor, de nome Luiz Fernandos de
Lima, que. achadosem adulterio pelo marido dessa
infeliz e depravada mulber, foram por elle asesi-
nados; alguns oulros acoipanhados de circunstan-
cias mais ou menos aggravanles, e diversos espanca-
inentns. '
Mas, como os autores desses aclos criminosos fo-
ran promptamentc perseguidos, edentre elles se a-
ciium proeessados e devidamente pronunciados n-
quelles cuja prislo se conseguio, be mui provavcl
que se mo reproduzan tilo desagradaveis scenas;
pois que be subido que silo mais raros os deudos
nos lugares onde os que os commettem contam com
rigorosa e prompta punidlo
O Para conserva-se no stalu quo
OTrezt-de-Maio, nica folba que dalli temos vislo,
11 mi la-so a publicar os trabalhos do governo. e ne-
nhum artigo traz, cujo extracto ou transcripto pos-
>a intcressar aos nossos leitores.
Correspondencia
22,
desposta ao artigo do di \ rio-novo n
he 28 de janeiro.
Srs Redactores- Comido de calumniador e des-
truido cm suas assercoes, tao desorientado ioouo
autor dOi artigo, que nAo foi capaz de contestar
nenhiim dos pontos de nossa correspondencia e tal
covaidia mostrnu que, razendoouvidos de mercador
ao desafio que ihe h'zemos para mostrar a veracidade
do Tacto do navio, que elle allirmou ler laucado a
carga ao mar, sabio-se com o disparate de nao ine-
recermos as honras de urna resposta. Nilo esper-
ramos por certo lauta fraqueza e leviandade da liar-
te do autor do artigo, vista da ostentadlo de sua
atrevida Imgoagem, e nem nos persuadimos queso
nina ameaca de desafio fosse bstanlo para desmas-
earar a impostura do autor do artigo. Desesperado
da posicHo vergonhosa em que o collocmos, procu-
ra como doudo o autor do artigo um meio de salva-
<.)>, i-suppomlo encontra-/o nos bataneles proviu-
c.aes, qual misero naufragado, laucado no centro
das encapilladas ondas do mar sofreg, alira-seao
primeiro lenho com que Ihe depara a providencia
onde espera encomiar a salvaoilo e a vida, assim
autor do artigo vido so afierra aquelles, com os
quaes pretende provnMios o contrabando em grande
escala ; c sobre as bases que Ihe fornecemos dos 400
mil votemos deduz, de una multidAo confusa de
algansmosa queappellida calculas malhematicos, o
extravio dos direitos nacioiiaes : e suppondo ter com
isloresolvido o problema da qiiadratura do circulo,
tao fascinado ficou desta ilescoberta que, delamben-
do-se de sua vaidade, n si proprio da-se os piirahens
por ter sido muilo feliz quando em sen auxilio invo-
cou o tcstomunho da ra de Apollo, por termos-llie
indicado e levado com a maior ovidencia aofiuique
l'rocurava. '
Extasiado poetisa um pouco, imaginando o con-
trabando coberto de um veo, da-o como rolo por
nossas proprias mlos, e faz voaros seus fragmentos
pela regulo atmospberica de toda provincia, aquem
diz que nos seja agradecida por Uto feliz descoberta
cacaba (nalnientegalhofeando-nus de fiel armasena-
rw do dos Apollo, e &c. Anda Uncinado de lan-
a ventura suppoe-nos o autor do artigo mordido
deaiva por noshavermos trahido a nos mesmos, c
da-nos as ponas do argumento bicrneo (aigumento
derrade, tao bicrneo como o proprio autor, para
que nos finimos com urna das ponas, e com a oiitra
aos trapicheiros. liando por perdida de toda com
as nossas descoherlas a associaclo eommcrcial, iri
ISO compromeltida com anua m-nliras, conclue o
autor do artigo dizuudo aos nossos colleras que nos
amarrem as unios para nilo per.le-los de todo, e fi-
nalmente que estamos em manifesla conlradiccAo
com a associagao por querermos a inspecdlo nos ar-
mazens, e ella a nAo querer de forma alguma. lie
isto pouco mais ou menos a que dizoautor do artiiro
no Mario-novo n. 22: com efleito be bastante
lgico! A associacflocommerfialjulgou um mal a
inspecdlo nos volumes pequeos de assucar, e deu
as rases por que a julgou ; se boas ou mas, la se ha-
venha o autor da artigo.com ella; e represei.lou
contra a le que a mandou fazer: nos, cujos inle-
resses diversillcam inuitodos da associaeilo, poique
nos limitamos a compra e venda dos assuca es iie-
nbuina opposicAu lizeinos a lei; porque bem u'ouco
se nos d que os assucares solTram esta, ou qual-
quer oulra fiscalisacAo ; apenas representamos so-
bre a impossibilidade do levarmos os volumes aos
trapiches, pela falta absoluta de bracos, &c &c
que nos trar alm da parausadlo de manejo inter-
no de nosso negocio, outros muitos incovenientes
que nilo estamos dispostos para minuciosamente
rclatarmos ao autor do artigo, procurando assim
concillaros nossos interesses com o do fisco : mas o
autor do artigo, qudnos envnlvo sempre em seus ar-
gumentos com os negociantes exportadores da aaao-
ciacAo, e nos suppe ligados aos inesn.os interes-
ses dcstes, enxergou una contradiccilo manifesla
as nossas palavras quando dissemos que quera-
mos, c nossubjeitavamos a toda e qualquer liscali-
sadlo nos armazens, c nAo nos trapiches, e d'ahi
concluio quo nillgucm nos entenda.
Bem se ve pois, Srs. Redactores, que a illacfo nSo
be exacta; e das duas .upa : ou o autor considera
quearmazenario, quo se Umita a comprar o assucar
para fabrica-lo em volumes pequeos, e vender em
seu armazem, quer dizer o mesmo que negociante,
que o compra quelle para exporta-lo, envolvendo
os mteresses leste com os daquelle, as dilliculda-
iiescom oue hita aquelle com a inspecclo e emliar-
que tora de suas casas com as despezas, paralsacHo
de negocio e mais lianstornos que est subjeito o
negociante por qualqqer insdente que se opponha
as suas transaeces, o por conseguinte labora em
omerr., de pandado ; ou cavillosamente considera
oarn.azenario, o negociante em commum allianca
paia losa, a naCno para d'ahi tirara illacfo do con-
t-ahando em grande etnata qr de una qur de ou-
tra lorma est em gravissimoerro o autor do artigo :
se o cncararmos pela primeira parte dodilema, o des-
o paremos por ser (ilho do entendimento; mas se
pa segunda parle, carece de castigo pela malvade-
za ; e bem mereca que chamassemos agora em nos-
so soccorm o gordura, fiel e inseperavel socio do
somnmbulo, queoulr'ora tantas vezeso servio em
iguaescasos, quando chamava contaso decantado
Amtgo du foro, que bem boas ovas de palmatoadas
me cascou as mfos. Passaremos agora, Srs. Ile-
dactore-s, a destruir o sophistico argumento lirado
nos balancetes provnciaes a que se offereceu o au-
tor do artieo, com a veracidade do calculo que fize-
mos, .los 400 mil volumes, com o que mostraremos
aoloquaz autor do artigo, que,-quando escrevemos
para o publico, he ja munido dos dados necessarios
paraa certeza das provas, c depois domadura re-
llexilo, |iara no darmos por paos, e por pedras,
e nem o espectculo da irrisilo do desfrute.
Como nilo carecemos de sopliistiear para Iludir,
como carece o autor do artigo la para seus fins, nilo
nos servimos de balancetes de pocas remotas, que
nada provam respectivamente presento, para ba-
searmos o nosso calculo. Toi vista do balanceto
do anuo financeiro de 45 a 4C, o do primeiro somes-
tredo de 40 a 47. que calculamos em mais de 400 mil
volumes pequeos de assucar o que tem de nos dar
cm resultado a presente safra ; e l va i (ambem ar-
gumento com a prova nilo bicrneo, nmsestra-bi-
corneo, para fazer remner de raiva o autor do artigo.
Exporlaram-se na safra linaneeira de 45 a 4617:665
caixas, 73:052 barricas, 255:033 saceos de 5 e 6 arro-
base 203 cimbeles de igual peso, quodloem resul-
tado 328:8H8 volumes pequeos, fia as caixas :
o primeiro semeslre de 46 a 47 apenas den 2:562 cai-
xas ; temos portanto a diminuidlo consideravel de
6:270* caixas comparativamente a qualquer dos se-
niMlreade 45 a 46, decrescimento estedevido a im-
Nam'ot takidoi no mesmo da.
Genova ; brigue sardo y.-Senhora-do-Auumpto, ca-
pitilo Manoel Copela, carga assucar.
Trieste; luger sardo Andre-Doria, capitSo 11. Molens,
carga assucar e couros.
Genova ; polaca sarda Contlanlina, capitlo Jos Ra-
petlo, carga assucar.
Cottenbourg; brigue sueco Clara, capitlo Gustavo
Brignen, carga assucar.
Ro-Grande-do-Sul ; brgue brasileiro Ftliz-Dettino,
capitlo Manoel Pereira de S, carga assucar e mais
gneros. Conduz 9 escravos a entregar.
Navio entrado no dia 2.
Itio-Crande-do-Sul ; 31 dias, brigue brasileiro l'tli;
de 187 toneladas, capitlo Alexandre Jos AI ves,
cquipagem 17, carga carne ; a Firmino Jos Flix
da Roza. Passageiro, Filippe Nerv dos Santos, Bra-
sileiro.
Navios sabidos no mesmo dia.
Genova; polaca sarda Calharina, capitSo Francisco
Masson, carga assucar.
Londres; brigue inglez Queen, capilo James Wright,
carga assucar.
ObservafSo.
Fundeou no LameirSo (no dia 2; para acabar de car-
regar o brigue inglez Cynthia capitlo W. Gold-
wostliy.
prestacAo pedida, e suppondo ser isto devido a es>
quecimento. por ver na relacAo do omitsos os nd
mes de pessoas que coslnmavam ser pontuaes, man-
ila rogar aos Srs accionistas queiram completar s
suas entradas (setenta e seis por centol al o lim oes-
te mez, visto ser preciso remetter para Londres o sal-
do que alli se deve, e nAo ser justo que o caixa con-
tinu asoffrer empate dos adiantamentos qne tem
foilo. Escriptorio da companhia do Beberihe, |.<
de fevereiro de 1847. O secretario, B. J. Fernmdts
Burros.
A aula publica dlatim do bairro da Boa-Vista
acha-se em seu exercicio, na ra Velha, n. 55.
i i __i. i -- -auuijBB
Avisos marilinios.
" Para o Araoaty sahe, com muita brevidade,
por ter a maior parte de sua carga a bordo a suma-
Et litaos.
-------ww wH .*- .. -, '" M.n un un C31CIIFTMJU rt MU-
portacAo deslas em saceos. Demos no segundo se-
mestre de 46 a 47 igual diminuicilo ao primeiro, se
nao fdr para mais, oleremos a eqiiacAo de 12:541
caixas menos no total da safra de 46 a 47, que na de
45 a 46: prova: 12:541 caixas de 50 arrobas he
igual a 125:410 saceos de 5 arrobas, estes unidos aos
328:888 volumes da s ifra linaneeira passada dln o to-
tal de 454:298 volumes pequeos na presente safra ;
temos pois anda a favor de nosso calculo 54:298 vo-
luntes, que entregamos ao autor do artigo para fa-
zer delles o uso que molhor Ihe parecer, o se isto
Ihe bzer muilo peso ra swi forte consciencia, aconse-
Ihanios-lhe de os entregar ao Ze do trapiche que Ibes
d"i,i mu boa sabida. A Vista disto nAo resta duvi-
da que temos aniquilado em seus alicorees o iiii-
colialuaite cm que se acaslcllou o autor do artigo
para nos atirar a uielralhada de algarismos que nos
aluoii no Mario-Nero, e justificado oslamos da po-
cha de contrabandista com que por tantas vezes nos
mimoscou o autor do artigo : dcixemo-lo pois ge-
mer envollo nos destroc de sui ruina, entregue
propria dr de ge ver oxposto a irrisao publica, c
pawemoa a responder a satyrica comparacAo que
nos taz do arrinrot, eribeirinhos com o allusivo e
bein disposto rlfflo de quem mo quer sor lobo nao
Ihe vista a palle. Com islo oslamos sat'sreito. Fi-
nalmente ja que chegamosao fecho da correspon-
dencia da julor, vamos u hespanhojda de que tuda
a orluna dos trapjcheiros, t mais a de todos os ai mu
zenanos he poma para o fazer mudar de ling.agem
aecroscculamos' bem semelliantoa do earatlaro da
lancha, o respondamos que bem poderiainos ava-
har da suscepliliilidade do autor, se o veo que an-
da o encobre estivesso de todo roto; entilo desco-
liertos ambos com a intrepidez que nos caracterisa,
dinamos quesem ser preciso toda essa fortuna que
alardoia desprezar o autor do artigo, um s leve
aceno do niinislro de estado lalvez fosse bstanlo
para o transformar cm imperfeilo automato, que
ebafaria emsua forte consciencia todos os estimlos
da Imgoagem que ora ostenta Devolvemos o mais
ao autor do artigo, e o aconselliamos que so retraa
do lana afouteza. Nerfl mais palavra ao autor do
artigo, aquem lambein nos cabe a vez do dizermos
o nosso adeos per omnia scula ieculorum. Amen.
O armazenario do pollo.
Alfandega.
RENDIMF.NTO DO DIA I. .
MM Al.III I.AM UOJF 3.
GaleraStra/iAna--mercaduras.
Brigue-- Maseppa bacalhao.
(Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 1."
Ceral............
Provincial..........
Diversas proviocias.......
LISTA DOS CIDADAOS QUALIFICADOS PELA JUNTA
REVISORA, EM 15 DE JANEIRO DE 1847, PARA Jl-
ZES DE FACTO.
[Continuando do numero antecedente.)
458 CapitAo Luiz Cesario do Rogo.
459 Dr. Luiz de Franca Muniz Tavares.
160 Duarte Pereira.
461 Luiz Borgcs de Cerqueira.
4fi2 Lucio Candido Pereira do Carvalho.
463 Luiz de Franca e Mello.
464 Ladislao Jos Pereira.
465 l.ourenco Jos dos liis.
466 Luiz Antonio Gouveia.
?67 deSiqueira.
468 Dr. Manoel Duarte de Faria.
469 Manoel C Cavalcanti de Albuquerque.
470 ii iii.ii| liiin Wanderley.
*" Antonio Monteiro de Andradc.
*72 n ii Nnncs .Machado.
*73 o Eugenio da Silva.
474 Florencio Alvos de Moracs.
475 da Fonseca e Silva.
476 ,i Francisco Coclho.
477 Joaquim Pereira Esteves.
478 JosGalvAo.
? ilos Santos
480 Lopes Maciel.
481 Lobo do Miranda llenrique.
482 n Zelirino dos Santos.
483 Marcolno Alvos de Moraes.
48i Mathias Muniz Tavarcs.
485 Manoel Joaquim Pascoal Ramos.
486 [i Jos Lopes Braga.
?87 Cimillo Pires.
488 489 Figueira de Faria.
490 u Fcrreira Ramos.
?91 Goncalves Fcrreira e Silva.
492 Filippe da Fonseca Candi.
493 Dr. Manoel Jos Pereira do Mello.
494 Manoel Francisco da Silva.
495 Antonio de Jess Jnior.
496 Fcrreira Antuncs Villaca.
97 Francisco Coimlira.
*98 do Amparo Caj.
*9! Carnciro Lal.
jOO u Antonio Alves de Brito.
501 (i Joaquim Rodrigues de Souza.
502 Commendador Manoel de Souza Teixeira.
503 Manoel Jos Pacheco de Mello.
^94 de Souza Luna.
505 da Silva Fcrreira.
*99 Jnior.
597 Filippe do Carmo Nunca.
508 u Jos Tavarcs.
509 Antonio da Silva Rios.
510 Fernandos da Cruz.
511 Miguel Jos deAImeidaPernambuco.
.Connor-M-/ia.;
pui voi i inaiiii |iaivo un aun >i (* #" auillfl-
ca Carlota, mestre e dono Jos C.oncalve Simas
3ucm na mesma quizer carregar ou ir de paasagem
irija-se ao mesmo mestre, ou a Luiz Jos de s
Araujo na ra da Cruz n 26.
Para Lisboa com escala por Gibraltar pretende
sabir com brevidade o brigue brasileiro Flor-do-Nor-
le, cap tao Antonio Monteiro de Almeida : quem
nelle quizer carregar, ou ir de passagem dirija-sea
ra da Cruz, n. 45, casa de Nascimenlo & Amorim.
O briguo brasileiro Fiel partir para o Rio-
Grande-do-Sul dentro de poneos dias; podendo re-
ceberalguma carga a frete assim como passagei-
ros, para oqueoffereco excellentes commodos : os
pretendontes dirijam-se ao propiietario, Firmino
Jos Flix da Rosa, na ra do Trapiche, n. 44.
Parao AracBty o hiate Nereide segu viagem
com muita brevidade, porlcr o seu carregamento
quasi prompto : quera quizer carregar ou ir de pas-
sagem dirija- se a ra do Vigario, n. 3
Para a Babia salina, at o dia 5 do corrente
mez de fevereiro, a sumaca S.-Anlonio-de-l'adua;
tem parte de seu carregamento prompta : quem qui-
zer carregar ou ir de passagem, dirija-sea ra do
Vigario, n. 5.
Vende-scou freta-se o muilo veleiro briguo a-
mericano Eagle, de ptima construccAo, encavilhado
de cobre c forrado com o mesmo ha seis inezes.quc ao
mesmo tompo foi appaielhado de novo, acba-so
prompto a seguir viagem para qualquer porto, e he de
lote du lio toneladas: quem pretender dirija-se aos
consignatarios, L. G. Fcrreira & C.
Para o Porto sahir com brevidade a barca M-
la-Pernambucanu, por ter parle da carga prompta;
quem neila quizer carregar ou ir de passagem, para
o que tem excellentes commodos, dirija-se ao capi-
tAo na praca, ou ao consignatario, Antonio Francisco
de Moraes, na ra da Cadeia do Rec.ife, n. 51.
-- Parao Rio-de-Janeiro seguir breve o veleiro
brigue nacional Mtalla; o qual anda recebe alguma
carga, escravos e passageiros, pura o quo tem excel-
lentes commodos: dirijam-se ao consignatario JoSo
Francisco da Cruz, ra da Cruz, n. 46.
I.eila.
Deca racoes.
.Itoviiuenlu do Porto.
Navios entrados no dia 1."
Antuerpia ; 50 dias, brigue sardo Due-Fralelli, de
231 toneladas, capitlo Seralim Cheli, cquipagom
13, carga fazendas e mais gneros; ao capitlo
Despachou para Pernambuco o Baha.
Para, Maranhilo, Ceara, llio-Grande-do-Norte e Para-
hiba; 14 das e 18 horas, vapor brasileiro S.-Sebas-
tido, de 240 toneladas, coinmandaiito o capilAo de
fragata .Manoel Francisco da Costa Pereira, equi-
pagem 30. Traz a sen bordo : para osla provin-
cia. Manool Jos Anlunes, dnutor Francisco de Pau-
la Rodrigues de Almeida. com 1 escravo, Dr. Gra-
ciano Adolpho Cavalcanto de Albuquerque, Pedro
Antonio llernardino Jos Luiz Pereira de I ima
Manoel Marques Camacho, Antonio Francisco d
r ,eih,? C,m. i e"cn,va enlre8a''. ''"utor Joflo
l.oelho Bastos, com 9 escravos : para o Uio-de-Ja-
neiro, Jofio Jos Pe. eir de Faria, com 3 escravos
a entregar,19 recrutas paraoexercitoe2ditos ca-
ra a marmha. v
0 vapor S.-Sesbatido recebe as malas
para os portosdoSul, hoje, 3, a urna
hora da tarde.
0 arsenal de guerra compra cento equarenta c
seto covados de baetillia: quem este genoro tiver
mandara sua proposta em carta fechada, com a a-
mostra, directora do mesmo arsenal, ateo d a 5 do
107,609 corrente mez Arsenal de guerra, 1 de fevereiro
de 1817. Joio Ricardo da Silva, amanuense.
O escrivAo e administrador da mesa de rendas
internas provinciacs tem de remetter para o juizo
competente urna retadlo constante dos Srs. proprie-
tanos abaixo transcriptos, relativa a decima que
esto devendo de suas propriedades; o que ter lu-
gar impreterivelmenlc no dia 5 do fevereiro vindou-
ro; e por issoos previne para que, se quizerem pou-
par as despezas do juizo, comparecam na dita mesa
antes do citado dia, solver seus dbitos. Recite
28 de Janeiro de 1847. Cloriudo Fcrreira Caldo. '
O Exm. barilo de Suassuna, berdeiros deAntonio
Coolbo, Anua Maria de Carvalho Ucha, Antonio
Pereira Tyranno, Dr. Antonio Peregrino Maciel
Monteiro, Antonio Xavier da Silva, Antonio Cardozo
de Queiroz Fonseca, Alexandrina Fortes de Almeida
rhome Pereira Lagos, Joaquim Jos de Farias, Car-
ru Ho|l,les. A"ia Joaquina, berdeiros de Joaquim
I heodoro Alves, berdeiros de Antonio de Souza Cir-
nes, Cosme Vicente Ferreira, Antonio dos Santos
Fcrreira, berdeiros do Dr. Bernardo Luiz Ferreira
ditos de Ignacio Teixeira Combra, Francisco das
Chagas Cavalcanli Pessoa, Jos MachadoSoares.
- A matricula da aula de obstetricia se abre no
1, eser encerrada no ultimo de fevereiro as |-
COes comecarilo no dia 15.
O correlorOlivcira far leilAo em um s lole,
do casco e mastreacAo do navio Phebe, regularmen-
te condemnado nesle porto e actualmente ancora-
do defronte da Lingoeta ondeos pretenden les po-
dem ir examina-lo com antecedencia ; e assim mais,
em diversos lotes, do veame, cordoalha ancoras,
correntes e mais utensis do mesmo navio : boje ,
3 do corrente mez as 10 horas 0a manhfla no
largo do Corpo-Santo.
Kalkmann & Rosenmund tranferiram o seu lei-
lAo de grande sortiment de fazendas de todas as
qualidades, cas mais proprias do mercado que ha-
viam annunciadoem 29 do mez prximo passado ,
para hoje, 3 do corrente, as 10 horas da mandila,im-
pret ci ivelmente no seu armazem da ra da Cruz.
Joilo Keller & Comoanhia fanlo leilAo, por in-
tervenclodo corretor Olivcira de um soberbo sor-
limento das melhores fazendas a mais proprias para
animar a concurrencia de seus freguezes: sexta fe-
ra, 5 do corrento as 10 horas da nianhfla em ponto,
no seu armazem da ra da Cruz.
Avisos diversos.
3:450.290
1:024,492
152,804
4:627,586
BBBEQOBBo
Tendo a caixa da companhia prestado hoja cuntas
a administradlo, nolou osla que anda se acha em a-
o recolhimento de seis por cento da ultima
Aluga-se o terceiro andar do sobrado da esqui-
na da ra do Rozario defronte da igreja : a tratar
na ra das Ci uzes, n. 11.
Anda se aluga o segundo andar da casa da ra
do Collegio n. 17, propria para familia : a tratar
na ra do Vigario, sobrado n. 5.
Antonio Borges da Fonseca advoga, tanto no
civel como no crimo : pode sor procurado ate as 9
horas da manhla na casa de sua residencia, no Ater-
ro-da-Boa-Vista, n. 49, e das 10 as 3 horas da larde,
na ra cstreita do Rozario n. 6, primeiro andar.
Precisa-sede um trabalhador de maceira : na
padara da ra larga do Rozario, n 48.
Aluga-se urna preta por dez mil ris mensaes,
para oservico de una casa : na ra do Queimado,
n. 9, terceiro andar.
Francisco Joaquim Antes, Brasileiro, retira-se
para oRio-de-Janeiro,edeixaporseu procurador An-
tonio Ferreira da Hora.
SOCIEDADE THEATRAL MEI.POMENBNSE.
O primeiro secretario avisa aos socios que, nAo
tendo sido possivol elTecluar-se a recita marcada
para o da l.o do correle, por causa de um incove-
niente forte, ficou olla transferida para sabhado, 6
do mesmo. Podem os socios procurar seus bilhelcs
no lugar do costume.
Offerecc-so una mulber para ama de casa de
nomcm soltero,ou pouca familia: boa cozinheira :
quem de seu prostimo quizer ulilisar, diria-seao
becco do Azeitc-de-Pexe, casa n. 14
Na ra do Queimado, n. 15, no primoiro andar,
ensinam-se meninas a ler, escrover e contar- gram-
matica portugueza, costuras, lavarinto, bordar: mar-
car, e costura ebria.
Antonio de Vasconcellos Menezes de Drum-
mond, tendo derelirar-se para o Rio-de-Janeiro'no
vapor S.-.Sebastwo, o nao podendo pessoa I rpente des-
ped r-se de todos os seus amigos, pede-lhes por sao
desculpa, oRbrecendo-lhcs o seu diminuto prestimo
naqtiella capital.
Quem precisarle um bomem p.ar: aerad minis-
trador ou caixeiro de engenim, e quo ao mesmo
tempo pode servir para o ensino de pi imeiras lottras,
para o que tem as habilitacoos precisas dirija-so a
ra estreita do Rozario, bolica n. 10, quo achara com
quem tratar, ou annuncic por esta mesma folha
para ser procurado, p annunciante tem pessoas qu
abonam a sua conducta. -
.,T I'reciaa-so de urna pesaoa para ensinar latim,
distante desta praca 5 legoas, que seja casada, e
oue ana aenhora so encarregue tambero de ensinar
duas meninas: quem estiver nesta circumslaiicias
annuncie.


5
ni-se dinheiro juros con penhores le ou-
Tnrata ,rebatem-se sidos ordenados menos
'me costumam vender um ordenado a mais
je uma Pe8S0* : n* rua do IUne1' 3C> prmo-
rl. Jos Antonio Fernandos faz publico, que, por
,,.Cr nutro de igual nome, de hoje em diante se as-
iirnar Jos Antonio da Costa Fernandos.
Quem annunciou querer fallar a Antonio Fran-
co do Modeiros, dirija-se a rua dp.ltangel, loja
"'_.' Aluga-seum sobradinho de un andar, com
,nll(os commodos para grande familia quintal o
mba, sito na rua Adgusta, dolad
lar na rua do Crespo loja n 15.
cimba, sito na rua Adgusta dolado da sonara:
' ,ratar na rua do Crespo loja n 15
lima pssoa que tem muito boa lettra sem-
,mbc de tomar para copiar todtfe qualquer es-
rinturac.lo, meiliante um prego assarasoavel, com
milito asseio e promptidflo : quem de seu prestimo
"o otiizer tilisar annuncie. A mesma pessoa tam-
i,o,n pode tomar para fazer em sua casa encommen-
lm deenfeitespara msica, fronstepios de livros,
lie ludo com muito asseio e brevidade.
' Oqe Ae bottt noseperde'.
Manoel Pereira Caldas relira-se para a Europa,
tratar de sua saude levando em sua companbia
,ua senhora, urna preta o um preto para seu sorvico.
O Sr. Manoel Joaquim da Rocha queira appare-
ccr na rna do Crespo, n 9, loja de Domingos Cuima-
riles para receber urna carta do importancia viu-
da dMrronhflo.
-Joaqutm Lopes de Almeida embarca para os
nortos do Sul o seu escravo Joaquini, de nacfio Ben-
g"_ Precisa-se saber onde mora o Sr. Antonio I.uiz
do Amarale Silva.
Manoel Maximsimo (.uedes embarca para o
l\io-de-Janeiro o escravo Jds de naglo Congo, por
nrdem do respectivo senhor, Bernardo Paes de Men-
. 1 Hoje, 3 do corrente so ha de arrematar em
praca publica do Sr. doutor juiz do civel da segunda
vara, logodepois da audiencia e na casa desta um
escravo por execugao de Manoel Comes Viegas con-
ira Jos Paulino de Almoida, como administrador de
sua mulher, herdeira do devedor Manoel da Cunha
Miranda.
Pergunta-se, a queinsoubor responder, sena
ultimamente descoberto algum meio ou mode de so
fazer machinas de vapor moendas de ferro rodas
d'agoa, ele, etc., sem que para isso bajam operarios
cstrangeiros, visto que nos ferreiros de Fra-df-l'or-
tas infelizmente ainda nilo estamos habilitados para
semelbantes obras; u se alias ser o gosto de ver
seu nome cnchendo as columnasdo Diario em um
continuado e enfadonho annuncio para desfarte
pilhar algum papalvo ? Isso pergunta O Apren-
di: de ferrtiro.
Adverto-so a quem pretender comprar a Ierra
entre a duas pontos da estrada da Magdalena an-
nunciada com 100 palmos de frente e 500 ditos de
fundo, pelos Otarions 21, 22 e 23, que, nSo que-
rendo envolver-se em quostOes judiciarias, dever
antes entender-se com o morador da casa de sobrado
n. is da rua Vclha.
Companbia gcral
da agricultura das vinhasdo
Alto-Oouro.
O abaixo a99gnado,ogenle desta com-
panbia nesta praca de l'ernambtico, acaba
de receber pela barca Bella-P etnambuca
na una remessa de vinho daqella com-
panbia drpois que ella fui rehabilitada
pela legislatura de Portugal, e dolada com
fundos pblicos pela lei de 11 de abril de
1843, para levar a lodos os mercados os
padresc balisas do vinho genuino e pu-
ro do Alio-Douro, geralmenle conbecido
pelo nome do vinho do Porto, efim de
servirem de guia ao commercio. fcsta
remessa. toda de vinbos da mais escolla-
da qualidade, deve olFerecer aos Sis. con-
sumidores, 11S0 s a certeza da sua pu-
reza, mas tambem o lypo verdadeiro doy
cxcelenles vinhos do Porto. Espera,
pois, o al-aixo assignado que os Srs. con-
sumidores se di-rigirSo rua da Moeda, ar-
rnazem n 7, para trutarem do ajuste de
(jiialquer porcSo que desejarem.
Antonio francisco de Moraes.
t'recisa-sc de um caixeiro para venda, prefe-
rindo-so que tenha pratica da mesma, ou alias, al-
gum que tenha vindo de fura : 00 Manguinho, ven-
da n. 53.
Fabrica de machinas e fund-
cao de ferro na rua do
Briim. no Becife.
Me Callum & Companhia, engenheiros micliiiii-
lase fundidores de ferro, mu. respetosamente an-
nunciam aos Srs. proprietariosde cngeiihos 1azeo-
deiros, negociantes, fabricantes e ao ^pe.lavel
publico, queo-seu cslabclecimcnto ferro, mo-
vido por machina de vapor, so acha cm effec110
oxerclcio, c completamente montadcom appare-
Ihos de primeira qualidade para a perreita conlcc
cao das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer obras da
sua arte Me Callum & Companhia descj ^ mais
particularmente chamar a attencao publica para as
seguimos or serem ellas da maior oxlraccao nesta
provincia as quacs construidas na sua fabrica po-
dcmcompotrrcomasfal.nca.lascm pa.z eatrangei-
1 o tanto em prego como na qualidade das materias
primase miod'obra, a saber :
Machinas de vapor.
Moendas de caimas para engenhos movidas a va-
por, por agoa, ou animaos.
Bodas d'agoa e erraras.
Manejos independentes para cavallos.
Bodas dentadas.
Aguilhoes, bronzes e chumaceras.
CavilhOcs e parafuss d? lodos os lmannos.
Taigas, crivos e boceas de tomaina.
Mtanos de mandioca movidos a m3o ou por ani-
maes, e prensas para a dita.
I Fogdes o romos para cozinha.
Caos de ferro, torneiras de ferro e bronze.
Bambas para cacimbas e de repuxo.
fiuindastca, guinchse balancas romanas.
Prensas hydraulicas o de parafuso.
Ferragens para naVios, carros, obras publicas, ele.
Columnas, varandas e grades.
Prensa* de copiar cartas ede sellar.
Camas de ferio, etc.
lando a occasiiio para agradecer aos seus benvolos
amigos e freguezes a preferencia com que teem si-
do por elles honrados, e assegurar-lhes que n8o
pouparfio esforijos nem diligencias para continua-
rem a merecer a sua confianca.
I)-se dinheiro a premio sobre penhores e hy-
potheca ; e rebatem-se ordenados de empregados :
na rua dasTrinchciras sobrado n 46.
OlTerece-se um mogo brasilciro para caixeiro
de qualquer cousa menos venda e loja, para o que
d pessoa que pelo mesmo se responsabilisa : quem
do seu prestimo se quiler utilisar dirija-se a Cam-
boa-do-Carmo, n. 29.
Precisa-se de um homem portuguez para caixei-
ro de encaixamentoe outros servidos de eugenho e
que d fiadora sua conducta: no engenho Novo da
Muribeca.
Precisa-so de um caixeiro para loja de ferra-
gens preferiudo-se que tenha pratica da mesma ou
deoulro qualquer negocio: na rua Nova, n. 25.
- Arrenda-so o engenho Perapihi, sito na fre-
guezia de Iguarass moenle e corrente : a tratar no
mesmo engenho, com o sau proprietario.
BOA CAPELLANA.
Precisa-se de um Snr. capelllo para um enge-
nho distante desta praca 5 legoas, entrando no con-
trato o onsino ile mu menino do 9 anuos, as pri-
meiras leltras. Para as demais' explicables, na rua
de Agoas-Verdes n. 21 se achara com quem tratar.
Preciea-se de um mogo para entregar pilo com
um preto: na ruadoQueimado, loja de miudczas ,
n. 16.
Precisa-se de duas ou tres pretas para vende-
rem azeite do carra pato todas as lardes; paga 111-se
400 rs. por caada e d-se a medida com lavagom
sufliciente para n.fo haver quebra : na rua da As-
sumpgao, n. 94
= Aluga-se urna preta para alguma casa cstran-
geira a qual cozinha bem lava e engomma com
perfoiglo : quem a pretender annuncie.
Aluga-se o andar terreo ou loja do sobrado n.
12 da rua da Aurora, com ptimos e muitoasseiados
commodos para moradia de homem solteiro.ou do
puiira familia: quem o quizer alugar dirija-se ao
mesmo sobrado qualquer hora.
Fabrica de chapeos
de sol na rua do Pas-
seio-Publico, n. 5.
Joflo I.oubct adverte aos seus freguezes que
queiram desengannr-sc por urna vez sobre os
objectosabaixo declarados, tanto em prego
como em qualidade: tem nesta occasiiio um rico
sortimento do chapeos de sol furta-cores c pretos
com barra lavrada os mais modernos que teem
apparecido neste mercado, de igual sortimento
tambem chapeos do sol, do panninho de todas as
crese ultimo gosto da rainha da Escocia; e para
senhorasum completo sortimento dos mesmos de
todas as cores, pois seus gostos silo da ultima mo-
da de Pars. No mesmo estabclecimcnto se acha um
completo sortimento de sedas e panniuhos de todas
as cores, proprios para toda e qualquer obra que se
quizer fazer pois que silo proprios para esse flm.
Tambem se concertam chapeos de sol, tanto de ho-
mem como de senhora, com toda a pcrfeigilo, por
prego commodo, e com a maior brevidade possivel.
Na mesma fabrica tambem se vendem baleias para
esparlilhos e vestidos.
ncia de passaportes.
Na rua'do Collegio n. fO, o no Aterro-da-Boa-
Vista loja n. 48, continuam-so a tirar passapories
tanto para dentro, como para lora do imperio; assim
como despacham-so escravos : tudo com brevidade.
__ Jacinlbo Soares de Menezes faz sci
ente ao icspeitavcl publico desla cidade,
e principalmente aos seus freguezes, qu<-
a loja de alaite sita na roa Nova n. aG,
por elle administrada, mndou-se para a
mesma rua, n. 35, ao p da fabrica de cal-
deireiro do Sr. Leal, onde se acba babili
lado a fazer toda e qualquer obra de al-
faiate, com toda a perleito c presteza.
AO PUBLICO.
Em mu crescldo numero contavam os mdicos
at agora molestias incuravos, contra as quaes so
era permittido ao paciente resignagAo para solTrer
um mal de que j nilo havia esperangas de poder li-
berta-lo, e ao medico pliiiantiopico a dor de yer
muitos de seus semelbantes, victimas de enfermida-
des, contra as quaes so declarava impotente, po-
dendo apenas lamentar a fraqueza da inteligencia
humana. Mas, gragas aos progressos da medicina,
ragas ao zelo de homens incansaveis que, n3o des-
esperando da perrcclibilidado da sciencia, se teem de-
dicado & investisagilo de remedios que possam al-
liviar humanidade de alguns males que a allligem, o
numero das molestias reputadas incuraveis vai de
da em dia diminuindo. Assim, adiar depois de
longos trabalhos, de profunda meditagno e reitera-
das experiencias, medicamentos que nos restituam o
uso dosdous mais importanlantes sentidos, de que
he dotado o homem, quando estes ja seacbavam no
simposio estado de incurabilidade e inteiramcnle
nerdidos, he por certo um dos maiores servigos, que
ie poda prestar a humanidade; eis o 9u^ re-
servado um homem philantropo da c.dadc .le llra-
W, em Portugal, cuja sc.enc.a. cijo amor de se s
semelbantes se tem feito geralmenle conheccr (s
remedios que ora offerecemos ao publico, nao -
tram na classed'aqnelles queo vido eousado char-
tanismo inculca com roucos e dcscompassados
brados, e que o crdulo vulgo por "goranc.a rece-
be na boa fe e sem discern.menlo,achando-se, depois
illudidoitem porm de oceupar mu disti cto lugar
entre os medicamentos quemamresl^
Um ao homem: consUm elles da d.ssoluguo aa.uosa
de extractos de planUs med.c.naes, de virtudesi mu
reconhecidas e verificadas. O longo uso, as conti-
nuadas e severas experiencias, a que por toda a.par-
te teem elles sido submettidos, sem que urna sO vez
"-*-- e desmentido
Manoel lg-
ilasaudieu
arn.
. '' rua larga
do Bozario n 3, continuani-se a vender bichas de
Lisboa o do Hespanha em qualidade ignaes as de
Hainburgo grandes e escomidas, ;640rs. o as
immedialas, a 400 rs., o as pequeas a 160 rs.: em
porcOesse darlo mais em conta
Quem precisar de urna moga porlugue/a rara
criada de alguma casa eslrangeira annuncie.
Francisco Malaquiaa Soares Giesleira faz pu-
blico ja ter dado principio a sua aula na Magdalena ;
assim comoqoe leccionara em casas par ciliares em
o mosmo lugar.
Precisa-se alugar um andar que tenha commo-
dos para urna familia, cm alguma rua das prlncrpaes
do bairro do S.-Antonio preferindo-so casa que te-
nha um s andar : quem tiver annuncie.
Alugam-se os segundo e terceiro andares da ca-
sa do Aterro-da-ltoa-Visla, n. 49; a tratar no pri-
meiro andar da mesma casa onde tambem se in-
ga a rasa n. 3 da rua do Pires tendo commodos pa-
ra grande familia, e por prego commodo.
inventor, llie teem grangeado constantes c repetidos Custodio Joaquim da Silva Braga, subdilopo
elogios dos mais sabios e rcspeitnvcis mdicos, as- tugue/, que, por engao, sabio Brasil, no reni.
sim na Europa, como da America, que unisones so para Portugal, levando em sua rompaniua o mu
abonam proclamam sua acgnosemnrc certa e lie- criado Bernardo. .
ngna. Um destes licores be destinado a combaten Hoje 3 do fevereiro se ha de arrematar uim m-
as molestias de olhos, e tem por principal virtude liona rua Bcal, com casa de vivena nu. uris,
restituir aos orgiios da viso suas l'uncgoes; reani- terrenopara plantar capim, pela ren.ia luinuai
AU\m da perfeicflo das suas obras, Me Callum & mare fazer reapparecer cm sua natural perreigao 200,000 rs peitencente a Anlonm herreira jia^o-
Gompanhia garantem a mais exacta conformi.la.lo vista, quando esta esliver frara ou quasi extincta, la Braga e sua mulher, por exeeoeno u
com os moldes e deseilhos reniettidos polos Srs que com tanto, porem, que nao naja cegueira absoluta, naci de Oliveira. ao meu>-dia na sal
se dignarein de fazer-Ihes cncommendas; aprovei- com desorgunisagilo das partes; nilo menos til e cas pelo juizo do civel da segunda vi
ovles enrgico he para desfazer as cataratas, destruir as No botiquim da Cova-da-Onga ,
nevoas e de promplo debelar qualquer nfiainmag3o
ou vermelhidlo dos olhos. Nao causa dor, nem es-
timulo na parle
Outro liquido restituc a faculdade de ouvir os sons
ao ouvido tocado desurde?, ainda que inveterada,
urna vez que o mal nSo seja de nascenga, sem causar
cm lempo algum o menor inommodo aodoentc, e
sem priva lodo cuidaromseus negocios.
l.NSTBUCCES PAPA O USO DOS REMEDIOS.
O do olhos emprtga-se do minio seguate :
Odocntc pela manhf.a, cm jejum, urna hora pou-
co mais ou menos depois quo erguer-se do leilo, lo-
mar sobre a palma da m8o pequea porgao daqel-
la agoa; c com ella molhara bem os olhos, fa/.endo
que algumas goltas caifio sobro o globo ocular :
semoslimpar, os conservar molhados ale que na-
turalmente enxuguem : ao deitar-sc a noilc pratica-
ra o mesmo. durante o lempo que usar do remedio
evitar o calor, aegilo do fu maca e o vento; far abs-
tinencia do comidas salgadas, azedas c adubadas
com especiaras.
O remedio dos ouvidos ser applicado do modo que segu :
Odoente pola manliaa, urna hora pouco mais ou
menos depois de orguer-se, ainda cm jejum, fara
derramar dentro dos ouvidos quatro ou cinco goltas
do liquido, tapando-os depois com algod5o em ra-
ma; a noite aodeitar-se repetir a mesma operagao.
Durante o uso do remedio evitar expor, os ouvidos
principalmente, a aegilo do calor e do vento, afini de
evitar grande IranspiragAo. bavendo cuidado cm nao
molhar os pes em agoa fria; finalmente deve abs-
ler-se de comidas salgadas, azedas e adubadas.
Estes remedios estilo a venda na botica de Bartho-
lomeo Francisco de Souza, na rua larga du Hozario
n. 36, nico deposito em Pernambuco, pelo prego
de d.OOO rs. cada vi.lro.
Alugam-se as seguintes casas: um sobradi-
nho de um andar com sotflo, lojas c quintal na rua
do Sebo, n. 50, por 300,000 rs. annuaes; o segundo
andar e as lojas do sobrado da rua do Bozario es-
trella, n 0 ; a loja do sobrado do Aterro-da-Boa-
Vista, n. C, com proporgoes para qualquer eslabcle-
cimenlo; os dous terceiros andares dos sobrados ns.
4 e C, no mesmo Aterro, por 300.000 rs. annuaes; os
dous andares do sobradinho do paleo da Santa-
Cruz, n. 14, todos piulados, o arranjados de novo
por 20,000 rs. mensaes; duas casas terreas rom
quintal c cacimba, e mais commodos para grande
familia, na Trompe, ru i da Soledade, ns. 31 e M
quem pretender dirija-se ao eseriptorio de F. A de
Oliveira <* Filho, na rua da Aurora, n. 26.
T...w w>, .^v..v -..------..-o-- i OSr. Joaquim Athanazio de Araujo Lima quei-
queiram desenganiir-sc por urna vez sobre os ra dirigir-se a ruada Cadeia do Reeife, lojadeJoao
objectos abaixo declarados, tanto em prego da cun|,a> ,mis muito se Ibe desoja fallar a negocio
de seu nteresse; ou queira aiiiiunciar a sua morada,
para ser procurado.
Precisa-se de um caixeiro para urna venda ; de-
trs da ribeira da Boa-Vista, n. 25, so dir quem
precisa.
Desappareccu.no da 26 de dezembrn passado,
umaescrava coriboca, chamada Eleuloria; altura re-
gular, cara larga o com algumas bexigas, nariz gros-
so eorpo cheio; com marcasderelho as costas, andar
vagaroso, e Tallas puncas: roga-so a quem pega-la,
que a leve a rua do Queimado, u. 8, que recebera rs.
25,000 de gralifiragao.
Arren.la-sea prnpriedade do padre Manoel do
Muro, as Cinco-Pontas com muitos commodos ,
e grande quintal: a tratar na rua do Queimado, loja
n. 18. ..
Precisa-so de quatro contos c quinlienlos mil
rs. a um por cento ao mez com seguranga em um
predio nesta praga no valor de dozc contos deis. :
quem tiver annuncie. ...
r'erreira & Braga socios de um estalieleci-
mento do loja de selleiro e chfeos nesta praga na
rua Nova, n 24 e 43, fazem sciento aos eredoresda
mesma que ellesamigavelmeiile dissolveram a so-
ciedade que linliam cm ditos ostabelccimentos, no
ultimo de Janeiro .leste corrente anuo ; por isso
que (icou a cargo o mesmo estabelecimeiilo do so-
cio Domingos Jos Bodrigucs Braga responsave1
Compras.
Compra-se um casa pequea em qualquer das
ras desta cidade quem tiver annuncie.
Compra-se o diccionario de Moraes da ultima
edigilo, usado : na rua doCollegio, n 12.
Compra-se cobre a S por cento ou mais : na rua
larga do Rosario, laja de mantecas, n. 35.
Comprarse ouro, ainda mesmo em obras que-
bradas : na radollangcl, n. II.
Compra-se urna canoa de amarello de 25 a 30
palmos de comprido para enrreira : na rua do Vi-
gario sobrado n. 5.
Ainda se continua a comprar robras de viano
vivas para remedio: na praga da P.oa-Vista. n. 33,
segundo andar.
SHPS^^
Vendas.
2"5^5ia^^srKri;s=3ar5:
quelicaasatisfazcr lodoopassivo que a dita soco-
dade at aquella dala deve nesta praga debaixoda
mencionada firma assim comolica aulonsado a re-
ceber todo activo, que qualquer deva aquella socic-
dade: e para constar ao publico fazem o presente an-
nuncio. Becife, 29 de Janeiro do 1847.
Ferretra llraga.
Domingos Jos Rodrigues Braga socio que foi
na firma de Ferreira & Braga, faz corlo que .lissolveo
a sociedad.- que tinha com Joaquim Candido Ferreira
as duas lojas ns. 24 e 43 na rua Nova desta cidade;
portanlo por lodoopassivo que a mesma socie.lade
bou ver de dever al aquella dissoluglo elle he o
unic a responder, como jumamente cm rece-
ber todo o activo que aquella sociedade qualquer
pessoa deva: e por isso faz o prsenlo aiinuncio.para
assim constar,
Domingos Jos Rodrigues Braga.
Joflo Francisco da Cruz embarca paraos Por-
tos do Rui a sua escrava de nomo Cosma crioula.
Da-sc dinheiro a premio com penhores, mes-
mo cm pequeas quantias : na rua do Bangel, n 11.
Antonio Jos Zacaras de Carvalho avisa ao
respeilavel publico que ninguem contrate com I).
Francisca Maria de Carvalho c Sa viuva que tolde
Antonio Jos Pereira de S ou seu marido Domin-
gos Jos Das de Oliveira a respeito de bens alguns,
qur movis, qur de raiz; porque, estando ella
na posse dos ditos bens deixadns por seu finado pal,
Jos Zacaras do Carvalho ate o presento nilo eon-
cluio o inventario a que deu principio, por ser cha-
mada a juizo pelo annunciante.
Domingos Jos de Lima, mes-
Ir al filate,
bem conbecido nesla praga acha-sc com estabcle-
eimcntn de seu ollicio o qual tem pciToito conhe-
cimento das ultimas modas c que esta promplo a
fazer qualquer obra, lano de homem como do se-
nhora com a maior perfeigHo possivel, na rua do
Queimado n 1, cssaem que morou a viuva do Bur-
g-l Quem lhe faltar urna cabra preta bicho), diri-
ja-se a rua Bella, n. 40, que dando os signaes lhe
ser entregue.
__Alugam-se ou compram-se dous pretos, sendo
bons e robustos, para o servigo de padaria : na pada-
Vende-se um relogio patente inglez de our.
muito bom regulador ;e nutras obras de ou
US-ro de varios gostos, lano para homem cora.
para senhora : na rua do Bangel, n. 11.
Vcndem-se bichas grandes e lambem se alu-
gam, por prego c.mimodu no Aterio-rta-Boa-Visu,
na primeira venda ao peda ponte, n. 2.
Vende-se urna crioula'do 26 annos, panto
lavadeira, e que tambem cozinha, e be de boa con-
ducta ; urna parda do 23 annos, quo engomma, lava
ecosc una dita de 25 annos. propria para engenho ;
um cabra preto de 22 annos.honila figura; e um nio-
leque crioulo de8 annos .no largo dp Forte-do Mal-
tos, n. 6. i i
-- Vcndem-se 6 eangalbns; um jogo de malas uo
couro; urna liteira com seus perlenccs; urna man-
a de couro de onga com pouco uso: ludo muito cm
conta : na rua dos Tanoeiros, n. I.
Noviciados blbliographicas
em -pnriiiptiez.
3 edicffo do Digesto poriuguez accreseentadp pe-
lo autor em 1815; Dimito romano, ou annotafoesa
Waldeck por Al M. Bruschy, 1845, 3 grnssf. V. 8.
francez; LieOes de dirrilo criminal, Coimbra 181..;
Cancionciro del-reiD. Diniz, pela primeiravez lm-
presso conforme o manuscripto do Vaticano, com
algumas notas Ilustrativas o urna prcfacg.lo histo-
Hco-lilleraria.peloDr. C. L. do Moura, 1 v. grande
ISiT, enca.leriiagilo rica; Viagem ao valledas I ur-
nas, na llia de S.-Miguel, obra curiosa com minios
documentos nleressanles, ornada de vinhelase di-
versas estampas coloridas, 1 v. \., 1845; Historia de
Inglaterra por O Col.lsmitle continuada ale 1815 por
Cll. Cnote, e at notaos das por M. A. Arago, com
xarias notas de Thierrv, llaranle, Norvms o Tlners,
verano porlngueza, 4 grossos v 8." francez com es-
tampas; Historia lilleraria do Portugal desde a sua
mais remota nrigem at o presente, seguida de dille-
rentesopsculoque servem para sua maior illus-
tragao por I rancisco Freir de Carvalho, 1 v., 1845;
Bosquejo histrico de litlcratiira classica grega, la-
linae portugueza por A. C. Borges de Figueiredo,
Coimbra 1846, 1 v. as Satyraa e Epstolas d'Horacio,
IraducgSo do Dr. A. L. de Scabra com annoIagOcs ao
texto indispensaveissua inlelligencia, com minias
noticias e obse-vagoes curiosas c inslruclivas, 2 v.
8.* francez com estampas, 1846; Encyclopedia indus-
trial, ou ai te de ganhar a vida, Iralando de lodosos
recursos, indicando todos os meios para fazer, con-
servar c augmentar a fortuna em qualquer estado,
obra ulilissima lauto ios mais modestos^ artistas,
como aos mais ricos especuladores, 1 v. 8." francez;
diversas obras eommereiaes de Ferreira llorges, no-
vas cdigOos augmentadas; Ensuio sobre a nrlhogra-
phia portugueza, enntendo una exposigilo. bases c
regras orthograpliicas, abundante vocabulario, ns
nomes proprios, os hnmonymns que se distinguen)
pelo orlliographico, olas, etc., por C F. Vicir.i, IV.,
185; nova edigao do Feliz liidcpendente, S v. 1845;
Osmia, cont histrico lusitano, 1 v. ; tratado theo-
ricoe urlico sobre a coiistiurgo de fogos de sala
econmicos e salubres, pelo visconde de. \ilarinbo
de S.-Piom1o, publicado pela academia real das ci-
encias, 1 v. R. francez, 1841; collecgilodc receilas o
segredos paiticulares, necessanos para o tinliireiro
e para a maior parle dos artistas, manufacturas, olb-
cios, fi outros dilTerentes objectos, por J. B. Lucio, t
v. grossos8.*com estampas, 1845 obra preciosa, oa
melhorque tem apparecido neslo genero, elogiada
na Revista Universal lisbonense,; Curso de agricul-
tura t de economa rural pelo Dr. A. J. do Flgueire-
do, enntendo 5 tratados, lavoura, borlas, arvores o
arbustos, jardins, economia rural, 4 lomosem 2 v.
com annotagoes e eslampas: na livraria da esquina
do Cnlleaio. t
Sa rua Nova, n. 35, loja-de alfaia-
te, atham-sea venda, reccntcmcntc che-
gados, botSes de massa com corda para
fardas de oliciaes de caradores, casemiras
encarnadas e de ontras cores, pannos fi-
nos, merinos, etc., alm de um grande
sortimento de obras feilas de todas as rjna-
lidados, c por preco cummodo.


A
Na loja de Guimares Se*
rafim & Companhia, en (ron le
ao arco de S -Antonio, n. 5, ven
dem-se lencos de vapor, de pa
dres modernos, pelo barato pre-
go de 480 rs, cada um ; lencos
francezes de cores finas e fixas ,
fingindo seda a 480 rs. cada om;
brim escuro franca (raneado, de
puro linho, a 720 rs. a vara.
= Vende-e polatia branca de superior qualidade,
rm barra pequeo : ,>, casa de Malheia Amtln &
Companhia, na ra da Alfnndega-Velha, n. 36.
FERRO FERRO ,
de todas as qualidades e cohro para forro de navio ,
de 18 at 28 ongas, em grandes e poquenas parti-
das : no armazem do A. V.da Silva Barroca, defron-
to da igreja da Madrc-de-l)eos.
= Veudem-ie inoendas de ferro para engrudo de as-
ucar, para vapor, agoa c beata, de diversos tamanhos,
por pre9o coininodo ; c igualmente taixa de ferro coado
e batido, de todos os tamanhos: na nraca do Corpo-San-
to, n. II, em casa de Me. Caliiiont i Companhia, oti na
ra de Apollo, aruiazein, n.-6.
Vendc-sesarja de seda larga, hespanhola,
milito superior; setim de varias qualidades
para vestido ; dito do Maco para rollete ,
o mais superior que ha ; casimira preta ,
elstica, superior; panno prelo muito fino;
dilo do cores, de todas as qualidades ; vel-
ludo preto; merino prelo do todas as qua-
lidades; dito, o maissuperior que lem ap-
parecido; chamalote; casimiras francezas,
sem pello, de bonitas cores; damascos para
col xas, muito superiores e debons gustos;
eoutrasmuitasfazendas que a vista dos
pregos e da sua qualidade o comprador nfio
deixara de comprar : na nova toja da ra
do Queimado, nos qualro-canios casa
amarclla, n. 29.
>^
CARNAUBA.
No armazem de farinha do caes do Collegio, con-
tina-sca vender cera de carnauba, por prego com-
inoilo tanto em porces como a retirlhn e heche-
gada agora una porciJo da mellior qualidade que lem
apparecido.
A ijfOO rs. o coi ario!
Na loja de Gumaraes Serafn.
& Companliia confronte ao ar-
co ile S..Antonio, n. 5, vendem-
se casimiras francezas, sem peU
da ; setim para colleU; tudo por prego commodo ;
fustoes para collete?; e outras muitas fazendas,
tanto para calcas como para vestidos de senhora;
ludo pelo barato.
Vende-se um preto de 20 annos pouco mais ou
menos proprio para todo o servico ; urna preta boa
lavadcira.eque cozinha o cose sofTrivelmente; um
mulatinho do 1* annos, proprfo para pagem ou
para aprender qualqucrollicio : na ruada Cadeia de
S.-Antonio, n. 25.
Vende-se cha preto, o melhorque ha em cai-
xinhas de 16 libras, proprias para familia: na ra
do Trapiche, n. 8, casa de llenry Forster & Compa-
nhia,
~ Vendem-se varios escravos mocos, de bonitas
figuras ecom habilidades e sem ellas: na ra No-
va n. 40.
Vende-se urna preta que cozinha o diario de
urna casa he muito fiel enflo tem vicios : na ra
do Trapiche, n 44
Vende-se urna liteiracm bom estado, por pre-
go commodo : na ra do Collegio, loja n. 15."
loaqiiim da Silva Lopes,
no sen armazem n. 20,derronte da porta da alfande-
ga vende papel de machina azul e branco de pri-
meira, segunda o lerceira sorte primeira qualida-
de que vem a este mercado.
Vende-se urna venda em muito bom lugar, bem
afreguozada para a Ierra, e que tem commodos para
familia, eom os fundos a vonladcdo comprador,
comalgum dinheiro a vista, ou com desobriga a
praca : na ra da Cadeia do S.-Antonio, n. 2 con-
fronleao becco da viuva Cunha, se dir onde he.
AVISO
aos Srs.deengenho
Na ra do Crespo, loja n.l,
de Jos Joaquin da Silva
.11 aya, Vendrni-se
cobertores de algodifo muito encorpados, proprios
para escravos; bem como urna fuzenda de linho
imilagitodc estopa, forlee propria para roupa de
escravos e saceos para assucar; ludo por prego mui-
J, Vende-sena ruada Cruz, n. o3, S
H cera em vetas, de urna das inelho- ffl
IR res fabricas do Rio-fie-Janeiro |
fe 80rtirnento vontade do compra- [)
lp dor, em caixas pequeas, e por l\
i preco mais barato do que em ou- j
Vi tra qualquer parte.
Restam vender 2 duzias de cadeiras pelo di-
minuto preco de 4,500 cada una, a quem com arar
todas; e umacommoda por 35,00v ro. ; iudo de l-
gico e novo : na ra Imperial, n. 145.
Vendem-se quatro maslros depinho em bruto
reccnlemcnle ehegados dos Estados-Unidos : os pre'
tendentes podemexamina-los no Forto-do-Maltos
estaleiro do Sr. Jacinlho, eentender-se com llenrv
KorsteriiC. *
Na loja de Guimares, Se-
rafim & C. vendem-se pannos
finos, de cores, pelo barato pre-
co de 2^400 rs. o covado; e de
outras muitas qualidades, de va-
rios precos.
Vende-se um adereco de ouro para pescoco; um
par do brincos ; um alfinete : na ra das Cinco-Pon-
tas, n. 1(6.
Vende-se urna crioula de muito linda figura,
moca, que engomma e tem principios de costura :
na Iravessa da ruadas Flores v casa de 3 portas, ao
pede umportflo largoe novo, defronte do cirur-
giSo Miguelinho.
Grammaifea do Salvador,
sexta edigSo correcta o augmentada : vende-se na
livraria da esquina do Collegio.
Potassa da Russia,
verdadeira
por preco
Cruz, n. io, em casa de Ralkmann &
Rosen ni und.
e nova, em barr pequeos,
muito commodo : na ra da
lo, linas de lindos padioes e
prelas pelo barato preco de 2500 ,qulilla,)c, nil rna d Tr.nid,*,
rs. O COVado; ricos Cl'tes de clia-j Vendem-se dous lindos moloques de 16
to barato.
Na livraria da praea da Independencia ns. 6 e
8 vendem-se compendios resumidos de potica ,
com o titulo de Breves tingues de potica impres-
sosem oulubrn do auno passado proprios das au-
las, para ns quaes l'iulo composlos por um profes-
sor substituto de rhelorica : preco 1000 rs.
Vcnclein-se
redes do Maranho, de muito boa qualidade : na na
daCadeia-Velha,n. .10.
H^SSE3 Vende-se um forte-piano, de patente l.on-
rTTV don dos autores de Colard & Colard: na
ra do Vigario u. 4, arriazemde Rolhe& liidoulac.
Vc-tideiii-ac sarjas prelas ; e ineias
pretal, de seda e algotlao, de exee
leme
annos; um dilo de7 anuos ; um
a 18
ardo ptimo pa-
, de 18 annos, e que he bastante hbil
Iii. i anuos;
i de laa e seda, com barra, a doze'r iBe
IHl'l l'.s O Cl te (para outro qualquer servico;" um dilo de 10 annos;
'* juina prela de 25 annos. com habilidades; urna pre-
ende-sea/eilefinodc gerselim, para comer e ta de idade por 200,000rs,: na ra do Collegio,
para \i : no deposito de azcile de carrapalo na ra n. 3, segundo andar.
daScnsala-VcIha. u. lio. -v o
ramilla.
no-
na
VELAS DE CERA 1)0 RIO-DE-JANEIRO.
Vende-se completo sortiniento de urna a 16 c
gias de 4, 5 e 6 : no armazem de Alves Vianna
ra daSenziilla-Velha n. 110
- Vende-se, ou permuta-se por um sitio perlo da
praga una cxcclleiite casa terrea ,
commodos para tuna grande familia
ca : na ra Imperial, n. 9.
Vcndc-sc farinha muito superior, em saccas ,
por prego muito commodo : na ra Direila, n. 9.
Vendeni-se 4 escravos, bous para o trabalho
decampo, entre ellos utn he bom carreiro ; um
i n .,, prelo de 40 annos, muito forte e bom para traba-
"- Ihar e botar sentido a um sitio; um pardo de 20 an-
nos muilo lindo pagem ; dous moloques um de
10 anuos, eooutrnde 15; 4 cscravas mogas que
serven) bem a urna casa e vendcni na ra; urna dila
que engomma cosee cozinha ; iluas pardas, sen-
do una follas boa para ama de casa: na ra do Cres-
po, n. 10, prinieiro andar.
Vende-se urna casa terrea cmOlinda, sita na
ra do Amparo n. 32 : a tratar no Becife, bairro de
S.-Antonio, ra do Nogueira, n. 10.
Vendem-se8 escravas de bonitas figuras, de
16 a 28 annos quecozinham e lavam bem ; duas
ditas que engommam e cosem com perfcic.to ; um
moleque do nacflo de 14 anuos ; 3 escravos do ser-
vicodc campo: na ra Direila, n. 3.
4?f^z- Vendem-se oculos azues de4vidros, de pa-
tenle, vindos ha pouco de Inglaterra por serem
encommendados, feilos |ielo mellior autor que all
existe c que servein para encobrir qualquer defei
muitas fazendas que serlo patentes los comprado- ""' (lh"s !,riloe,lcas. para viagens, ler de nou-
]\a ra do Crespo,
loja n. 12, de Jos Joaqun.,
da Suva Maya,
vende-se superior sarja preta hespanhola ; nobreza
rflxa, muilo superior c muito prupria para raiias
doSr. dos l'assose outras irmandades; ricos cortes
do seda para vestido de senhora ; nieiasdeseda pre-
las e brancas, as mais superiores que leen) appare-
cido, tanto para bomem como para senhora; luvas
de seda; chales de seda muito modernos e de lin-
dos goslos; camhraia le tinho, muito fina; lencos de
cambraia de linho bordados, para senhora, dos mais
linos que ha por muito barato preco; esguiflo de
puro linho e muito fino ; platilha de linho ; e outras '
= Vendem-e barrica e niela dila com farinha gal-
lega muito niprrlor; barrica c metas dita com cal
vlrgem de Lisboa ; barricas com potaisa branca e preta;
ferliadiiras para pona de arinatrin ; penetras de rame;
rodas de arco para barrica ; bichas de Hamburgo ;
tildo por pre90 commodo : na ra do Vicario arma-
iciii n.. 9.
Vende-se um buhar em muito bom
estado e com todos os seus per-
tences ; a fallar na ra da Cruz, o.
20, com o dono da mesma casa.
Vende-se sarja de seda preta muito boa e lar-
ga ; setim preto de muito boa qualidade; dilo ma-
cao, muito superior; chapeos de massa, cinzentos,
para meninos e outras muitas fazendas por pre-
go muilo commodo : na esquina do Cabug, loja
junto h botica do Sr Moreira.
Vendem-se duas excellentes escravas, sendo
urna parda eoulra crioula: na ra de S.-Jos, n. 60.
Vcnde-sc um pequeo sitio na
na principal de C"punga.
DE6 PORTAS WJ2
8
M O barateiro da esquina do Livramonto par-
Z ticipa aos Seus freguezes das boas pechin- 3
?J chas, que elle tem um novo e completo sor- ***
B tmenlo de fazendas que, avistada boaqba- $
p lidade o preoos commodos, merecem o tita- U
W lo de boas pchinchns, das quaes ge mencio- *
? nam algumas, como: cortes de velludo dos 3
*r mais modernos, a 5000 rs.; ditos de selim
f do cores, com listras, a 2500 e 3000 rs.; se- <$*
H da de cores para vestidos de senhora a 1000 ffi
<* rs. o covado; luvas de pellica para homem, 2
D a 1000 rs. ; ditas para senhora, a 640rs.; di- :
' tas de seda, a 320 rs.; mcias pintadas imi- 9
> tandoseda, muito proprias para as seuhoras f
| andarem por casa a 320 rs.; longos ada- Q
4 mascados muito Tinoso proprios para senho- ^
P ra, a C40-rs ; um grande sorti ment de ma-
* dapolOes, de 2000 at 6000 rs. tirando-so *f
) entre ellos algum que imita panniriho su M
I com a diflei-enea da qualidade ; um com- jD
a pleto sortimento de chitas, do 140, 160 e 180 *
rs. e entro ellas apparecem algumas quo fO
pelo prego he urna pechincha ; bem como 5
| tima porgSo de litas prelas de retroz a 640 #}
I rs a pega de 20 varas; um resto do roupa fci- 4
I ta para escravos, que he urna pechincha, **
' por ser cada urna pega de obra a 500 rs. ; J?
* suspensorios de meia proprios tambem pa- $
t ra os mesmos a 40 rs.; o outras muitas f- M
i fazendas por barato prego, e recebem-se ce 5
, dulas encarnadas de 20,000 rs. o brancas de **'
t 2000 rs. JB
.CttWttttaWM*MGi!
Escravos Futidos.
res epor barato prego.
JNa loja de Guimares Se-
rafim & t otnpanliia, confronte
ao arco de S.-Anlonio, n. 5, ven*
denj-se cass s finas, largas e fian
cezas, pelo barato prey de 480
rs. avara; chitas francezas, lar-
gas, a 280 rs. o covado.
AOS 20:000,000 DE BEIS.
Vendem-se meios bilhetes, quartos, oilavos e vi-
gsimos da lotera a beneficio do convento de S.-An-
tonio ;e lambom a beneficio da matriz do Cear
que deve ler sido extrahida no Bio-de-Janeiro a 30
Jopassado: no Itecife.loja de cambio do Sr Vieira
A elles ,dos de S.-Antonio) antes que chegue o vapor
Ka ra do Crespo,
loja n.l!, de Jos Joaquitu
da ^ilvn Maya ,
vende-se alpaca preta a 800 rs o covado; dita muito
fina preta e de cores, por barato preco; merino
preto, muilo superior; panno lino prelo e de cO-
res; casimiras elsticas, de duas larguras, para
caigas, a 6000 rs. o corte; velludo; gorgurflo de se-
te, estudar, etc., porque osseusvidros servem pa-
ra todas as vistas, e leem a propriedade de nflo can-
sarem na ra larga do Bozario loja de miuilezas,
doLody, n. 35.
Vende-se,
StH N" ruade" ar<"'9frai, n. 14 segundo
y andar,
Kji um moleque de nagflo, de 16 annos,
Cji, muito esperto e de bonita figura; um
\& dilo de 18 annos, muito forte, hu-
Pln mildeede bonita figura; um preto do
na ello, de 38 anuos, muito sadio o forte,
proprio para o servico de una casa por
ser muito diligente ; um dito bom ca-
noeiro, de 38 anns; urna prela de 3fi
anuos pouco mais ou menos, milo di-
ligente que lava de sabilo e varrellae co-
zinha o diario de urna casa; um pardo
de elegante figura, de muilo boa con-
ducta;lodos se vendem muito em conta,
l* que he para liquIdagSo de contas.
Vendem-se 15 cadeiras do Jacaranda duas
bancas, um sopha urna mesa redonda
com pouco uso ; todos esles ohjeetos sio
modernos, estrvendem juntos ou separa-
^dos, por prego comnfodo : na ra Uireits,
adianle da ponte o segundo sitio do lado direito ,
em chiios proprios, com 120 palmos de frente e 300
ditos de fundo pouco mais ou menos com boa casa
de yivenda cozinha e dispensa fra de pedra e cal,
cacimba com boa agoa do beber, diversas arvores
de rructii., com boa vista para o campo da Estancia ,
Manguinho e outros diversos lugares. Vende-se lam-
bem um terreno com 120 palmos, pertencente ao
mesmtisitio, com boa cacimba e diversos arvoro-
dosde inicio; vende-se por orecisSo : a tratar na
ra do Bozario, com Jos Adelo da Silva.
Vende-se o grande sitio denominado liria, si-
to na Campma-Grande, na Parahiba : na ra do
Queimado, loja n. 31.
Vende-se, pelo diminuto prego do 2500 rs., urna
algebra del.acroix, om francez, mui bem enca-
dernada : quem quizer annuucio.
-- Vendem-se 3 moradas de casas na ra Imperial,
ns. 46 e 48; duas ditas do taipa ; 3 canoas, sendo
nina aborta, urna de carregar agoa e oulra para se
abrir; una cadeira de arruar: na ra Imperial,
n, 214. '
Vendem-sc varios escravos de ambos os sexos,
de 8 a 24 annos, leudo entre ellos alguns com habi-
lidades, como sejflo: cozinheiras, costureiras e
engommadeiras : na ra da Cruz n. 51.
Vendem-se pelles de cabra e meios de sola : na
ruadosTanoeiros,n. 1.
Vende-se urna espingarda de espoleta, de muito
boa qualidade: na ra Nova, loja de fazendas 12.
Oh que pechincha
tem o a ntigo ba-
rateiro !
O enligo barateiro tem, como;pechinchas de pouco
dinheiro, na sua nova loja de iniudezasda ruado
Collegio, n 9, tamancos para homem e senhora,a 280
rs o par; ditos para meninos, a 160 rs. cada par;
tesituras finas com toque de ferrugem a 160 e 240
rs cada urna ; caivetes finos para pennas a 160
e 240 rs. cada um; carreteisde linha branca fina e
grossa, a 320 rs. a duzia e sendo em porgao de 50
duzias para cima sedar mais em conta ; caixinhas
com 100 peonas de marfim a 320 rs. a caixinha ; ca-
rapugasdealgodilodecOres, a 160 rs. cada urna;
torcidas para candieiro de lodosos tamanhos, a 100
rs. a duzia ; carteiras de algibeira a 160 rs. cada I desta citado do Becife, edeetn parte na ra estreita do
urna; cachos de flores para chapeos de senhora e Hozarlo, casa terrean. 37, quo se gratificara com
enfeites de cabello a 320 rs. cada um ; botOes de
metal para caigas, a 320 rs. a croza; ditos de du-
raque para casaca a200 rs. a duzia ; ditos de ma-
dre^de-perola a 480 rs. a groza ; luvas de seda pa-
ra meninas, a 200 rs. o par ; (inissimas tosouras ti-
nas, para iinhas o mais barato possivel; e oulros
inuilos ohjeetos de miudezas.
Vende-se superior pal ha de carnauba alva e
grande : na ra da Cruz n. 64.
Vende-se um currinho novo para um caval-
lo, com assento para duas ou qualro pes-
soas : quemo pretender achara o dilo car-
rinhona coche ira doSr Miguel, no Ater-
ro-da-Bna-Visla, e pde-se entender com llenry Kors-
ter & C. na ra do Trapiche, n. 8.
Vende-se urna linda muleca recolhida, propria
para inucamba : no principio do Alerro-dos-Afoga-
PERN. I KA TTP. DE M. F. Djj FAIUA. I$47
Fugio, no dia 18 do passado, urna negrlnha,
de nome Marcianna, de 19 a 14 annos, com
urna queimadura na face esquerda, umaempi-
gem na direila e nina oulra queimadura na perna
(incita ; levou vestido rxo e panno da Costa ; tem
cabello cortado : quem a pegar leve ao l'asseio-Pu-
blico, fabrica de chapeos do sol, que ser genero-
samente recomponsado.
fugio, do sitio de Jos Antonio Basto, na Pas-
sagem-da-Magdalena, 1 preto velhb.do nagSo Angola,
de nome Francisco, com poucos denles, barba gran-
de pes cheios de bichos, quandn anda parece cam-
bado equando falla fecha os olbos : quem o pegar
leve ao dito sitio ou no Becife na ra da Cadeia,
n. 34, que sera gratificado.
Fugio, no dia 30 do mez prximo passado a
preta Bomana, da Costa ; he bastante alta;
tem talhos pequeos no rosto e estes bem pre-
tos, mais que a cor do mes'mo rosto;he alguma cousa
fula,labios grossos; lem falta de cabellos n meio da
cabera; esta pejada que pouco se divulga; falla
muito grosso; he bastante ladina mas finge-so
bruta ; levou vestido de listras rosas, com saia por
cima, de algodflo trancado azul j desbotado e pan-
no da Costa velho ; anda sempre com o vestido des-
atacado em cima. Boga-se aos capites do campo e
pessoas ila polica, que a levem a ra do Bnngel,
n. 36, primeiro andar queserilo recompensados.
Fugio, dia 14 do prximo passado, do sitio do
Arraial, urna cscrava crioula, de nome F.me-
rencianna, natural do Ico de 20 a 22 annos
pouco maisou menos, altura regular, grossa docor-
po dentes limados rosto redondo beigos grossos,
olbos grandes testa larga bocea grande ; levou
ao pescogo um rozario vestido de chita escura com
listras largase ramos camisa de algodflo america-
no e urna trouxa contendo ura vestido de riseado
azul ,,um roupflo de riseado rxo cobertor de hae-
tilha camisa dealgodiio americano, com as ledras
K. I", o B. F feitascom linha encarnada um len-
go de chita azul eoutro de cassa branca com rarni-
nlios, metade de um chales azul de lila, uina saia
de riseado com babados, um par desapatos de como
preto e mais outros objectos. Boga-se as autorida-
des policiacs e empregados do registro do porto,
bem como aos capitflcs de campo, 0 favor de a ap-
prehenderem c mandarem a ra da Aurora casa de
Angelo Francisco Carneiro, ou na ra do Sol, casa
de Elias Baptista da Silva, que, al6in.de pagaren to-
das as despezas. darflo 50,000 rs. de gratiticagilo.
Fugio, no dia 26 desclembro do anno
prximo passado, um escravo, de nome
JosNobre, crioulo, official de alfaiale,
altura regular, grosso do corpo, levou
vestido calca e jaqueta preta, por estar de
uto do seu Sr. Este preto foi escravo do, fallecido vi-
gario de S.-Antonio; he bem conhecido de todos. I'01'
ser pagem ter andado com o mesnio Sr : esup-
pOe-se estar trabalhando em alguma tonda de alfaia-
le Boga-so a todas as autoridades policiaes, ou capi-
tfies decampo quo o pegaren!, recoiham-no a cadeia
50,000 rs.
ERRATAS
do communicado publicado no n. -25 do t. do torrente.
I'ag. 1.'col. 4" linhas 81em lugar de devida,
leia-se devidas. Pag. 2." col. 1." linhas 21 cono-
cencia, leia-sc coherencia. Lionas 36 rogula-
menlos, leia-se regiilamenlos, Col. 2.'linhas f>*
desempenhou, leia-sc desempcnbo. Linhas SH
desanossieis, leia-se desarrosoeis Linhas 107
necessidade, leia-se necidade.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9QYZBWYX_5TW093 INGEST_TIME 2013-04-26T23:36:47Z PACKAGE AA00011611_08409
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES