Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08401


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1846.
Quar.ta feira 25
O 0//f"fl/Opohiici-se todos o dias que n-"o
forero le guarda: o preco da assignaliir* 'c de
Ijjnoo rj. pov quartel, paitos adiantailns. Qs
iiioiich>s Je 20 reis por linl>a, SO ris en lyp diteren-
U e a< repeliles pe" inetade. Os que nao fo-
rera asignantes pK5o80 r.S por liaba, e 160
em lypo dilTereiite._______^^^
PHASES DA LA NO HEZ DE SETfiMBRO.
1 ii chela a 6 as 10 hora 4 minutos d man.
Miogoanlea las horase ll.mi. da man
La ora aJOa i liora e 18 min. da larde.
Crescente 18 as 6 horas e 8 minutos da man.
PARTIDA DOS COMRFlOS.
Golaona r Parahviia Serondas e Sils feiras
llio Grande ilo Norle. chega nis Cuartas feiras
inri dia e parte lias mesinas horas lias
Quintes feiras.
C ilm, *rrahaem, Rio Formoso, Porto Calvo e
Maceyrt. no (.", II e 21 de cada ium.
Garanliuiis e llonito a 10 e2l.
|'>i-Vista e Plores a I Jfl 28.
VictorTa uas Quintas farras .
Olanla todos os illas.
- i
PREAM\ft DE UllJR.
Prinseira as 6 h s 51 minutos da manhaa.
Seagada as 7 h. e 18 minutos da tarde.
de Setcmbro.
Atino XXIT
N. U.
DAS Da SK.UANA.
21 Secunda S. Mall.cus .p. c Evangelista ; s.
Eliaei.ia. .
22 Terca S. Mauricio, aud do J do civ. da
I V., c J si Quarta S Pollieoa. aud. do J do civ. da
2 v c do J. 'le par do 2 dist. de t
24 Quinta S ('..Tardo, aud .lo J .de OTpblOS, e
do municipal da I. vara.
2i Sexta S Pacilico, aud. do J. do civ. da I.
v edo J. de paz do I. dist. di-1.
20 Satinado S CvprilUO, aud. do J. do civ. da
I. v., e do J de paulo I. dist. e do i. do t.
22 Domingo S. Aderito.
OMMOtJ NO DA 2? DE SF.TEMBRO.
Cambio sobreLondres 27 d. p J#aG0d.
i) Pa.is 355 ris por franco.
. Lishoa 1011% de premio.
De*0. de le iras dr Ixias fumas I '/ti'- '/
OuroOnras hespauliolas JOJIOOO a
. Moi-das da i"0 vel. 18*700 a
de IjjtliOnov. ItifOOl) a
de IjOO... 0/000 a
Prata Patacocs....... 1*900 a
j Pesos columnarcs 1(880 a
Ditos Maicauos. i|900 a
Mluda.......... ir>*
Accesda Comp. do Heberibe de 50*000
aomei.
Sl(200
16*800
18*200
9'2n
2/060
7(000
I #920
1*800
ao par.
DIARIO DE PERWAMBUCQ
PERMAMBUCO.
E5TATISTICA DA PROVINCIA
BNTirCA
sobre a demanda propona para a reidiio rio contra-
trato cotn o cncarreoado dula obra.
Valos estes utos, etc. Allega A. que, sendo o
presidente d> provincia autorisado pela le provincial
o, 87, artigo 36, a despender com a estatiitica da pro-
vincia a quanlia de 4:000* rs contralou com o reo a
vinleecao da malina estilstica^ em 17 da evereiro de
1841, para ter presentada no predi pmo de (re ao -
nos. sob ai con.licas constantes do documento de lo
Ibas 9 ; que o reo requeres prorogats do praro esti-
pulado, oconseguio-ai em 7 de Janeiro de 1843 e 21
de evereiro de 1845. as quaes prorogaces muito ex-
celrlo ao prii estipulado ; que ellas prorogacei lo-
rio illegalmenle concedidas, nao <> porquo nio houve
motivo pliuiivel, sena tambem porque os presiden-
tes, que as concederlo, nio linhio autoridade; que, ce-
lebrado o contrato.e remedido a assoinbl provincial na-
da podiiooi dout prndenles innovar, poig que o mes
mo contrato eslava dependente da approvafao da ai-
sembla (litigo 41 da lei provincial n. 110) ; que, por
deliberacio da assemhla provncalCdoo. I. 8) so man-
dou resiliro menciooido contrato; que o reo receheo
doicolreiprovinciaes a quantia de 1:000* rs..pur co-
udo contrato : pede, que esteseja rescindido, a o reo
condemnado a le-tiluir odinbeiro recebido. Defend'-
ie o reo com i materia de la contrariedade a folhai 11.
O que ludo visto, e o mait que dos autos consta,
prove produnda, e rs5ei finaei : atlendendo, que o
actoi da assembla provincial nio obrigSo, seriio re-
ducidos a lei. e al formal preicriptai pelo artigo 11$
1 e migoi 13, H, 15, 16, 17 e 18 do acto aditicio
oal que o parecer di commissio (olhas 8, destituido
das mencionada* formal, nio he obrigatorio ; que, ni
lando o referido parecer autoridade alguma, compele i
este jui'0 apreciar ai raiei, que ie dio pira a reseli-
clo do conlialo, competencia, que aliis se funda na
jurisprudencia universal, segundo a qual a resnluclo
dos contrito! nio le opera ipiojure, mu por meio de
sentenca judicial (artigo H84 codig civil trances. P-
thier, trat. dai obrig. parte 3. n. 636. Coneia Tellei,
Dig. porl. arl. 101 vol !.) : atlendendo, qu.'o artigo
41 da lei provincial n. 110 smenle se refere ai aulori-
sires conlerida a preiidencia lobre a clausula da ap-
provaco da aisemblra provincial ( palavrai do dilo
irligot/ipourfiuame/'e-'" d i/a oi-imi/ea), lendo
queessaseutorisaces, deque falla oditoarligo, como
delle se >. So aquellas, que, impnriandouuia faculda-
deeitraordinanae delegada, e nfio propria do poder
idminilraluo, devem ser ejercidas por urna s vei, nos
termos, e com a clausuli do cilfdo artigo, al que o
seto, queam virlude delta se obra, seja subn.etlido a
assembla provincial, sio aquellas conferidas por diver
sas leis provinciaes psra rogulamentos de natureis le-
gislativa, sobia arreesdeilo de imposlos, reforma do ly-
ele. ; atlendendo, que a autorisav,a<>, <|ue o srlipo 36
da lei provincial o. 87 conferio a presidencia, e que
alias lmente leve por fim a consignacio de fundos,
nio est no mesoio caso df antecedentes : 1.*, porque
a or*gmsci da estalistica. sendo, como he, uo> traba-
Ib de detalhes e de naturea adminislraliva, profiri d
poder eieculivo, Ibe compete prover lobre ella sem au-
loiisacioda assembla. alias neceaiaria lmente para a
comigmeio de fundoi ; 2., porque, quindo meimo
Dio fosse, por sua natur.za, propiia do poder admmis
trativo, a organisacSo da estatutica. ou a sua fiscalisa-
cio eimn.ediata dirccc5o.be sem duvidi. que a dele
gacio e o eercicio desia allribuicao nao P' diio denai
de durar li o complemento do seu ohjecto. e desem-
peoho dalla -.atlendendo, que o fado de hsver a as-
sembla provincial mandado rescindir o contrato pro-
va, que ella o considerou consummado sem a sua appro-
vacio. einuependei.iemente della. e que por conse-
queociaao dito contrato nio be apphcavel o artigo 41
da lei provincial n. 110: atlendendo, que, nio lendo
applicacio alguma o precitido artigo 41 da le n. 110
ao caio.de que ie trate, 01 doui premenles, concedeodo
as dilisprorogacCes, usario Jo direilo, que Ibei com-
pela, pela naturea de iuai altribuivai adminutrati-
vaa, de apreciar a luffiriencia e conveniencia do lempo
para organiacio da eslatistiea. e as rasei eipeciaes
do impedimento do leo, como enesrregado della : at-
lendendo, que aa rases, que le detio para a concesiio
dai duu prorogacoei, nio se podemdeiiir de ter por
jusl.se ponderosas, porque vem aosolhos de lodos, que
o eiercicio do urna presidencia reclama attencio eiclu-
tiva e incompalitel com o eitud.. e observicio neces-
sarios para a estatislica, e que a ausencia do reo desta
provincia o inbabililou de^xigir e recolbcr o elemen-
toi necenarioi psra o deiempcnbo de iui commissio :
atlendendo, que tambem releva em lavor do reo o fle-
to, provado pelos documentoi de folbn38, 39 e 41, de
Iba nio houveram sido remeliidos os documento*, que
exigir para a cooleccio da estatislica, e i cuja presta-
cao se obrigou o goverooda provincia pelo contrato o-
Ihai9. irndo queo rono pode ser responsavel |
i,'.. ..--". -,,-----------.--------- --
i(cflei concedidas ao reo, o nio sendo vencido o lempo
delln, o mt'smo reo linda nio fallou ao contrato, que
pr consequencia nio pSde ler reicindi.lo ; julgo nio
competir A. a acrio intentada, absnlio o reo, a quem
todava condemno as cusas ex cuma.
Itecife, 4 de lelembro de 1846.
Jote Thomai Sabuco de Araujo Jnior.
plemento: atlendendo. que.validis. como so. as proro-{ver.lade. para deprimir a replselo dsquelle, contra
DIARIO DK PnSlIlOGO.
No centro desta cidade, onde, na verdade, alguma
illuslracio se di ; ni foco desta capital, semeada de
temploi, decujos pulpitos, de vz quando, sos a pala-
vra deB'iS, e he pregada 1 religo cnlbolica, apoilo-
lica e romana ; quando, maii que nunca, te tem Iraha
lindo na vinha do Sum ir, cmo mui bem o atteslio
.' 1 preisslo do Penilencia, de qu-s ji nos oceupamol,
i as eontinuida pregicei dos Itilisnos Capuchinhos,
com effeilo incansaveis em cumprir com ai obrigag*!,
le que, comocalhechislis, le encarregirio ; na poca,
em que, por asiim dizer, revive a devocio, e com fer-
vor, ha muito nio visto, pratiej-se o culto, que deve
mol a Dbos e aos leus tantos ; um ichisma como que
de sbito se desenvolve, e com tal lores, que j i.m
seus marlyres ; um crioulo, sem duvida demasiadamen-
te ardiiiiso. pode Iludir algumai peiion simples, O-
culcar-se-lhei como pelol coi encarregado de lun-
darumaiiova leiti, e lazfi las persuadir da vinda d.<
um messjaa, que diz ser o verdadeiro,
Esle crioulo chama se Agoslinbo Jos Pereira ; mo-
ra na ra Augusta, onde foi capturad pels polica ; a-
cha-ie na cadeia. e a quem, levado pela curiosi lade,
vaiabi v-lo, lustenla p hondada daquillo, quecbama
sua doutrni, e dii que sua mulhor acba-se pe|da, ba
cinco annos, eso parir, depois que apparecer o mes-
sias, cuja descida i trra calorosamente proclama.
Tem ello por companheiros de prsio os crioulos
Joaquim Jos deSant'Anna. Amaro da Assumpcio,
Manoel do Nascisnento, Ldi bem Torio agarrados pela polica; e o Alncano Jos-
quim Jos Marques, que se denunciou, diiendo, que-
ra compartilhir a mrte do seu divino meslre He
ailm. que cbimio ao (al AgoiUinho Jos Pereira, Dio
s este pobre fantico, como lodosos oulros, quo se
leem deixado levar de suas alicantina!, e que, asse-
terio o recluios, monlio a meis de Uesentos.
Esperamos, que as autoridades a quem o conheci-
mento desle laclo compele, o tomem na devida consi
deracio. e busquem acabar com essa assocuco. que.
por isso mesmo que he composta de genle lio desma-
s,admenle crdula o estpida, que pamente acredita
em todas essas Irioleiras, quo referidas deixamos, po-
de 11 ui fcilmente ser conduzida a fins anda puiores,
do que aquella, com que ora se aprsenla, se assim
porseolura aprouver ao leu 881010 ebefe, ou a al-
guem, que delle te queira aproveitar.
quem conspira nal trevai.
Pujarei aos felos. Avancs Fr. Caneca em ieu Ittne-
fario que o dia li de letambro de 1821. que es-
colhra para essa viita frtra, por urna latalidade, o
mesmo marcado pela perfidia etraiclo. para se abri-
rem as portas da cidade ao nimigo
Eis a primeira calumnia ; pis como poderla meu
nobrepai. que no acampamento dos Pialares nenhu
mas relecoas enlrelinha com os chafes das lorca i'iipe-
raeidemare trra, e lim o presidente Cirvalho. e
quo eslava baldo de noticias, e rodeado de immensa of-
ficialidade, que o obiervava. e com elle bihltava, co-
mo poda, digo, marcar ao inimig dia para a sua en-
trada no Mee 1 fe ? Esquereo-sa Fr. Caneca, que nos
Praieiei se achsva tambem o lente Mendaoha, pa-
triota rdanle e corajoso, qua n^o se daixana assim il-
R que ha dns pr.ivas desla ridicula e nlame as
sercio ? Quem podarla ir naquella occasii aos f'810-
res, que ni Insta im.neliatamento vi-lo e examinado ?
Por que meios erio faltos essi avisos i um inimig.) m-
visivel, lo quem s o presidente tinha noticia 1 Ab .
Sr. Canaca, Vm. mentio mpud"nteinenle .
a E. por urna fatalidad.', o da, que aicolhemos para
essa visita (a dos pontos), foi o da 12 de saleml.ro,
a o mesmo marcado pela perfidia e traicio. para 10 a-
Coirespondcnci \.
Srs. Itedactorit. Amo muito a rn.-u nobre pai. o
Sr. coronel Jos de Rarrui Fiicio de Lacerda. e res
paito a opiniio publica, para quo DOSSS denar pai
lardeiiiercebidamente qualquer propolicio, que an-
da do leve ollender possa a sua honra ; emhora esta es-
leja firmada sobre bases inabalaveii, e de lodos seja co
nhecda sua reputacio, qur publica, particular, pol-
tica ou moral : e he por isso. que rogoa Vms le dig-
nen) tranicrever em tua acreditada folha a resposta, que
passo dar, eiperando, que este meio deadsfacio. le-
gal me teja permittido, ltenla a gravidade da olTen
11, que i meu reipeitavel pai foi irrogada, e qu he de
meu dever pulverizar com a evidencia de minina isser
roes Eis o caso :
Lendo por icaso o impresio inlilulado Annunct
ante, no quil vem transcripto o Itinerario, quo le dn
eicripto em 1824 por Fr. J. do A. D. R. Caneca, em
ua digreiiio pelo cenlro da provincia ; e percorreodo
o 2. do meioio Itinerario, nelle notei, comomnor
assombro, ss seguinles expresaes, que pira logo des-
perlirio meu nobre orgulbo. Ei-ln :
E por urna lelalidade odia, que escolhemos psra
essa visita, foi o dia 12 de aetembro, o mesmo marca-
do pela perfidia e Iraici/para te abrirem ai portal
a de cidade eo inimigo : eilis foiio o poolo do enge-
c nbodeS.-Anna, que, lendo o nico, por onde 01
Imperialislai le deveriio melter no Reeife, loi de
c proposito o menos fortificado ; por laso, pouco depois
de cbegarmoi ao ponto doi Prarerei. tivemol in
< (aulla novadeser loreadoo ponto deS.-Anna, ese
c haver o inimigo lenhoreadodui A Togados.
Eltis exprenei, Su. Redactores, que lorio dictadn
pela mi f, despeto a intriga, revelio s a perversa
ndole, e o carcter vil e desaforado de seu sulor ; pois
que*staoiituradaiderevoltmtei insultos, ede prfidas
e inauditas calumoias. '".
Tanta abjecioj tanto cyniimo. Unta degradacao nio
era certamenle poisivel cooceber-ie em um ministro de
Christo, em om escriptor publico.
111*11', cisi % *--------- r -
: S-s; e.!.'S;;7.:3bue!nq:e0,;un:
^ felo, qoe nio he seu e nem a .ssemb'. pode pe- r ojser .. n de ^ ^ ebfg,r
r!S^S-r^a8^^^
. hrirein ai portal da cidad ao inimigo, to
Eis a segunda mentira Caneca nio labio, por fata-
lidad d Kecife para os pontos o dia 12 de s-lenibro.
orno Jir, com o fim somanta de viiilaloi; pis qua
isso poderia elle ter feto n'oulro qualquer da : o ver-
dadeiro fim, qua levou aos Praieres. sahindo desta ci-
dade em compinhia do presdanle Carvalh. iau inti-
mo amigo, e d'oulros .mprometlidos na rovoluri 1, em
a mantiia dasso da, que foi 0 da passagem do Inimigo
para e-la cidade, palo pont d. S.-Anna loi, sem duvi-
da, ialvar.se i pressa no navio ingl.'Z. que receheo o
presi lenta Carvalho, o qual nio desconhacia os movi-
mentos do inimigo. e nem tena daixa I da iniciar n
ses myslerios asen amigo inlimo, conselheiro e co
dente, o mesmo Fr. Caneca.
a Ella lorio o ponto do engenho do S.-Anna. que,
sendo o nico, por onda os imperialiltas si deveriio
. metler no Reeife, foi de propoiilo o menos (oriifl-
u cado ....
Ora, essa nao esparava eu do Fr. Caneca Pois, sen-
do rncu honrado pai um perfilo e traidor, na pulida
ebraie desse Irado, sabia defender o fortificar 01 pontos,
onde ie achava. e que eslavSo dehaixo do sua inmedia-
ta autoridade e inspecci. de manera tal, que nio era
possisel. como ni 1 foi, aperar dos esforcol do inimigo.
seie.n forcad.il pelos. Imperialistas ? Pois sao osles os
meios, que emprega um traidor par., chegar ao lim de
suas maebinacaei? Ab! o frade nio coniiderou, em
seu rancor e precipitacio, na miserovel conlradiccio.
em qun cahia .' O despert e o medo o allu. inanio, ou
enlo a deficencia de recursos he que o levavao a apro
veilar-s deaccusarei lio banaes.
(uanto aos pontos de S. -Anna e Afogados, quo elle
di/seren d proposito os menos lorlilicados. lora ao
presidente Carvalbo e mais autoridades que cxi-liio no
Itecife, o delenderem-se ; pis que he cerlissiino, que
eases dous pontos estallo car.o do mesmo presidente,
o qual foi quem 01 mindoa fortificar e guarnecer, e
nomeou os respectivos commindanle, pessoas de seu
cnbecimento e inlima confianva, como elle derlarou.
por vezes. em seus oflicios ii meu nobre pai, quando es-
ta empenhav a estar alerta, e a dohrar 01 meios de
deb'sa nessel pontos.
Eu meimo e o niajor Carapeba lomos, dias antes da
entrada do inimigo nesta capital, portadores de urna re-
comiiiendaclo semelhante. de meu digno pal para o
mesmo presidente; o qual. recebendo-nos i nr. pergun
lou-nos, se vjnhamoi relugiar-noi as segundea h-
nbaa de delea, e ordenou. que vollasiemos para 01 Pra-
zeres. para onde Ibe conslava, que le dirigir o inimi-
go ; e que respeito deS Anna e Alogadoi nio livei-
semoi cuidado ; pois que aquellei ponloi ello guarda-
das por sous amigol. Mas Fr. Cineca, que i norava, ou
finga ignorar esta circunstancia, nio so envergunhou
de mentir impunemente pela terceira vez, 10 para ter o
diablico praier de calumniar aquello, que elle odiava
em tegredo, com lace de amigo em publico Retalian!
Eu invoco a esle respeito o tesiemunbo do mesmo Sr
Carvalbo e dos meus bravoi e briosos companheiros de
armas, que ainda exisllo. Cumpre anda advertir, que
o ponto de S.-Anna esta encrasado r;a proprioJade do
Sr. Carvalho e sua familia. Ede mais, porque os de-
lensores daquelle pont, que erio amigos d > Sr. Carva-
lho. o nio podem ier suspeitoi, nio noi aviilrio da ap-
proiimaclo do inimigo, que i essa hora nos enlrelinha
na vanguarda com um vivo liroteio, para os irmus loc-
correr ; e nioie luilentrio 00 seu pollo, emquaolo
chegassemos ?
Porqu, estando ellei em urna Tamnae pnsieio, e com
urna peta de calibre < lupponhoj, bem servida e guar-
necida, nio se baieio em deTesu do seu pooto, que era
a cbave da cidade. como di Fr. Caneca, com a mesma
blsarrla e coragem, com que o fes depois nos Afogados
um punbado. de cidadios milicianos do KeeiTe, rom-
mandados Interinamente pelo bravo e denodado capHio
Bernardino Pereira de Brito ? Pois lodos os successos
felfies eiio dovidos eos oulros, e s a meu honrado pai
cabilo os desastrosos ? Que maldade nio serla precisa
para estar assim a sacriBcar os seus amigos, e ver im-
pawivel tantas desgrac!! O frade Ulve Tone disto c*>-
pai, e por essa rasio he, que s yla so redor de si per-
lidia e tralclo !
A quarta mentira do frade he a aegulnte :
Por Isso. pom-o depois de chegarmos ao ponto 08
Praieres, tiramos a Infausta nova de ser Toreado o
.. ponto do S.-Anna, o se haver o inimigo senboreado
.. dos \Togados. _
Ji Oca demonstrado na segunda mentira, que Kr. ta-
naca nio sanio desta cidade por Malldade no dia 12 de
selembro, como diz, para visitar os pontos, o sim para
evadirse, abandonando seus amigos e companheiros de
InTortunio, como meu amado pai. os quae iicavio ei-
postos a lodos os perlgos, encurraladoi, comoieacba-
v8i. pal inimigo.
Agora passarei a demonstrar, que Fr. I.sneca Impl-
gl nos a quinta mentira, persuadido tilvet, que se per-
darla a memoria desses acontecimentos. os quaes, pelo
contrario, estio gravados na mente de Indo.
Ri- la. Quand Fr. Caneca chegou, pala manhia do
dia ti da s-lembro. com leus companheiroi de visita,
aos Prareres. nenhu na noticia resplrava no acampa-
mento, do lugar, emque existia o Inimigo, e de seus
movimenlos.
Pal o pre;i lente Carvalho quem nos avisou de que o
Inimigo eslava en Suassuna ; o que lee mflrm ou pela
Intimacio di ganaral Lima, que foi onli entregue a
Carvalho, quo a moslrou a me;i honrado osl. rl s
depois da partida d>i Carvalh e de Fr. Caoe.a, que nem
assislir qul.erio ao concelho, qua mau honrado pai la
convocar, para se deliberar nelle s .bre as medidas, que
em circunstancias taes convinha adoptar, e | pela Ur-
de, auo nos foi dada a noticia de ter sido toread.) o P1"'
tode Santa Anna, o de haver embarcado o presidente
Carvalho. E-ta triste noticia, longe de ter sido dada nos
Praieres a Fr. Caneca, cimo elle impudentemente afur-
ma ; foi-nos, pelo contrario, por elle proprlo commu-
nicada, na occasii 1, em que, de volti da prala. regres-
sava a este pont 1, nio por vontade. mas obrigado pela
fraqiea d animal, qua cavalgava. o qual Ihe ni 1 per-
mlttlo p .der alcancar seus companheiroa, que le adiao-
lirio delle com precipitada marcha.
E se meu honrado pai, Srs. Redactores, abri as por-
tas da cidade ao Inimigo. como he que sua lamilla, oes-
______>.> ', aiaa ..Uanno
"nfi" lio momento de perlgo? ludo Igoora'va, e. Ja ao alcaoce
das halas do Inimig o. pode apenal talvar-ie, embiroao-
do para Olinda ?
E como, lendo elle protegido a entrada dos Imperia-
listas na cidade do Itecife, deixou de ser respeitada a
sua casa, cujas portas frio arrombadas. e eiieve tres
dias exposta ao saque dos mesmos Imperialistas ?
Contina Fr. Caneca, no mesmo a." S de seu Itinera-
rio, a diier :
i. Como qur que se completassem os fataes dias,
marcados pela perfidia para a entrega da chara pa-
r tria, lomos advertidos em segredo, que nos occullas-
.. sernos, porque eramos procurados com empenho : o
.. com quo nos fez esta advertencia, debaixo da taco
., da ainiade, foi o filho do mesmo t... Jos de Barros
k Falcan de Lacerda, governador das armas e chee des-
u la divisa, nos entendemos, que, longe de ser aquel-
la revelacio um elTeito da amiade, era um meio de
1. nos separar do quartel-general, adro de nio obler-
.. varmoi os perversos planos do t...; nl. purrn,
lancemos man do aviso, e traamos de nos evadir ;
pois j observavamos a officlalidade dividida em gru-
.. pos. fallando em voi baixa, Indicando urna aecreta
a manobla. .1
Eis-aqui. Srs. Redactores, o que se chama raciocinio
de um malvado He a Tabula do l.bo com o cordeiro,
a quem quena devorar em sua Tome canina I Bis-aqui
patente o carcter refalsado e Intrigante desse monstro
de perfidia e ingratidi Eis-aqui, emflm, Fr. Cane-
ca I (Jue apparencias de mansidio e justica em um
c.raci de vbora Que virulencia Que odio Quo
protervia Como torce elle os Tactos, como os desfigu-
ra, como invectiva, como invenena as mais innocentes
aeces. s para ter o satnico prattir de calumniar a vic-
tima do seu odio e rancor! Que rMigioso Que escrip-
tor Como he pequenino, mesqulnho. abominavel i
traidor em aua miseravel vinganca Quanto veneno em
suas palavras I Oh I meu Daos, perdoal-lbo lanas 'ra-
quetas, tanta immoralldade!
Srs. Redactores, slnlo, que nio exista agora Fr. Ca-
neca ; lalve nio tlvesse elle a coragem de publicar lio
impudentes calumnias Todavia. vamos analyse del-
tas, pois q-;e aluda existe muila genle, que lestemuoboo
estes Tactos.
Faltando j em Olinda dinhelro para pagamento das
tropas, e das despeas leilas com as municSes de bocea
e guerra, que lio escasseando ; estando cortadas as nos-
sas relaces com as demaiss Torcas, que nos legulio, a
estavio espalhadas pelo interior da provincia ; appare-
ceodo i slolslros symptumas de deslalleclmento as ro-
pas ; e, aobretudo, lendo vollado mesma cidade, na
tarde do dia 16 de selembro, os emissarlos, que a c-
mara municipal respectiva, em falla do presidente da
provincia ( que a esse lempo se achava i bordo da cr-
vela Inglea, na qual havia embarcado, quando' "liara
com Fr. Caneca do poni dos Praieres, como rica dilo
em oulra parle j, o meu hnralo pai, como governador
das armas legal, e commai.d.nle da divisio ou exerclto
de Olinda. havilo enviado ao general Francisco de Lima
e Silva ; em coosequencia do que se havia resolvldo em
grande concelho, por meu digno pai convocado, como
elle aila. lempre que tinha alguma medida a adoptar
(oqueprova claramente a sua franqueta e lealdade,
como olnguem poder conteilar, viito que at Fr. Ca-
neca o conleiia ); lendo voltado, digo, com a resposta
ou ultimtum dado i proposices, que ao mesmo ge-
neral Torio apresentadas por parle das sobredltas aulo-
idades, das quaes propositos leve lodo conhecimento
> mesm.i Fr. Caneca, que al redactor foi de um de seus
jiligos, cuja redsccao, de sua propria lettra, conservo
cuidadosamente em meu poder, e '.k tlvo occasii do
mostrar aos brs. Dr. Lopes Nelo e LuRuma, o aun-
MUTILADO



=
trat pettoat ; foi eral a consternar/So, e ninguem acer-
tava com os meios de arredar o perigo.
Ma, desde que. convocado de noo o conceibo por
Itieu respeilavnl pai, pura |.trento ello lr seo ultim-
tum, e resolver te sobra o (|ue conveniente osse, in-
formarlo com toda leuldade, le (|ue eiio dotado o>
rretmn emitanos, que, a'tiii do que se conredia no
dito ultimtum, nada mais te deveria rasoavelrnontc
etperar do momo gener-l, ipeiar dos lions ienlimen-
tos, quo mostrav, e detuo rnaneirsi ofticiotas ; pois
que files inductivamente tudo linhio prtticado, para
ohlarem do fiteamo general maiores coneetsnet; eque
dous rommandintei de noisot corpot declarario na
mema occisiin, queja se laiia sensivel a desercio dos
notaosluldsdot ; poique sou corpot, que antea <
compunhlo de tresentat e lanas praco, eslavio n'a-
quelledio reduzrdns a im ihk dn cincoents, nao conhe-
cendo ellei meios de ohtlar a desercio, e que at re-
ceievio urna r-volla contra os cbefes,. se|cun tc| i, que inanileitavio, de vollar logo an Iteeile, onde
tinhiosuas hiiiiI s, (! iijtii rint'cia cita rom em poder
ds Iini erialislas : nio houve mais eaperancai. e nin-
gut-m propoi e neni fallou em resistencia. Pelo contra
rio, foi asanlado, que, valo nio baver mait noticia do
presidenta da provincia, e nem n o para continuar
raeislencia em Olinda, onde os cheles ou caber;* da
revmucio coiriio ruco de seren presos em alguma su-
blevarlo, lugo que losse conliecido da tropa o ulti
malum, o qual garanta a vida dos subalternos e de
tollas as praco de prel.se dltsoltetse naquella noite
(do momo da 16) o ejercito, fim de dar lempo, que
01 nieimot eabecas, que ero os uniros eire|ituados do
ultimtum, Vvetttm lom|o de tomar suas medidas.
e se jioreiii em teguranca.
Foi ne.ia triste conjunctura, que meu honrado pai.
tnais solicito d.i .irte de leus amigos e companbeiros
de infortunio, do que da propria. e da de sua familia
que deixava abandonada, niandou preturoso transpor-
tar para lugar seguro seu bravo amigo e companhairo
o major Carapeba, que ferido te acbava do aUque da lo
D lioa-Vitta; e, cbamando-me de parle, nrdenou-
me, que fosse immediatamenle avi-ar ao ingrato e alei-
voso Fr. ( aneca o n Lispoa, do perico, que comi. e
rontinuastem licer em linda. amellados, corri es
lavamos, de urna MiMevei.'.'io da tropa, quamlo tci'-n -
le foste do rebultado do ultimtum, e que, como a-
inigo, Ihet aronselhava, que aahissem de Olinda, e ga-
nh M'in terreno, oinquanlo era lempo, e nio chegava a
noite: poit que ludo ettava perdiilo, como de (acto a-
contecro, ditolvcndo-se o exercito netia mesma noi-
le Je 16, sendo que mu honrado pti. por nio ha
ter preparado um atylo para ti, te fio expolio a ser
victima dealgum alteolado ; e foi nesle eslado, que a
Providencia o salvou, permiltindo, que seu amigo e
companheiro, o honrado capilao de artiihana Manuel
Ignaiio Carvallio de Vlendoiifa, o procu'asse, para li
gar a sua i sorte de meu nobre pai, occultando-se com
elle.
F.ste, Srs. Redactores, foi o recado, ti que allude
Fr. Caneca em sua ratilmada, e que eu mesmo Ihe dei
nem mesma taide de 16, em cata do lenente-coronel
(.arneviva, onde Indos nos achvamos; a qual sorvia
enlin de quarlel geueral : este foi o proprio e verda-
deiro recado, que eu tranca o innocentemente dci, e
nao o que maliciosamente descrevo Fr. Caneca, tor
cenilo, mudando, detfigur ndo e interpretando tinis-
tramente n mhas nugaveia cxprestes : foi esto sim o
recado, que lie dei, nio em segredo, como ello ca
lumniotamenle is.setera mas em presenta do menino
Carneviva e de alguns cnmmandanlea de cornos, que
prsenles estri, e haviio assi-tido ao roncelho.
Mas, como pode Fr Caneca detcobrir Iraiiao e Bii
f em um recado, dictado pela amirade e pelo mleres-
te. que nos mova a tua trale policio, a nio tur ella
um peivrrso, um aleivoso e um ingrato, que atsim pa-
gava a bospedagom e os ofliciot de amizade, com que
enipre o traamos, ouvindo-o em todas ai circuins-
tancias, em que nos achavumnsP
Poiseu fallei i cise liomem em cousa alguma, que
ie parec sse com o ter elle procurado com empeuho,
ou Ihe diste, que poderia lalvci ter victima, couio no
oulroa. de alguma conspiradlo da tropa ? Como men-
tir as.un Pois dissolver-se o exercito, por acrordo do
conceibo, e por ja falharem os meiot de defesu eni II
linda, he o ruesmo, que se terem completado ot fu-
laet das marcados pela perfidia, corno diz otse frade.
para entrega da chara patria ? I'on meu n eni suas luios o detlecbo dos aconlcciiienl t ? Knlio he
elle urna Providencia. Mi, se a distolucio do exer
cito deOlinds,fni,comodemontrdo lie.o resultado do
que se resolveo em concelho, drve meu Ilustre p u ser o
nico, que carregue com todo o peto da retponsabi-
lidade, anda dado o calo, que fosse isto um pasto im-
prudente ? Ou daf)se-ba cato, que todo o concelho
tiveue lido traidor ?
Para que lnn pon menlio tio impudentemente
Fr. Caneca, desenvolvendo at toda a perspicacia de
tua madelicencia contra a briosa oflicialrdade do exer-
cito que figura dividida em giopos, tallando em voi
baila, indicando urna secreta mai.nbla ? Pon tem-
bem cita brava officialidade, que 'antis vezei tinha
eflrunlado o inimigo, era traidora e neremlava cons-
pirar nil Ireat? Ab Kitava decretado, que todo
mundo deveria, na revoluf;iu. figurar de traidor e que
so eme frade rancoroio e carrancudo eria nella o ni-
co bomatn de bem.
aA
como um honrado patriota, elle oda mais era,que um
vil ospiio, ou eniao eipreitata a victima de tau gratuito
rancor para entrega la lalvez om qualqqer entejo la-
voravel ao estilete de alguin arden te, leu correligiona-
rio, poit que meu nobre pai ja urna vez bavia felizmen-
te escapado de urna cilada na porta da casa da residen
cia do presidente Carvalbo, quando com eile Iratava
detaperceliidamente de negocios importantes, tende-
les a mesrna revolufio. e acabava de Ibe dar aa mait de
citivat provat de tua lealdide
Se fflsse permiiiido crr Srs. Redacloret, que meu
honrado par po leste por um momento declinar daquel
les principios de honra, em qu lora embalado para r 10-dia.
ihandonar a causa, que elle havia esposado, e defendi-
do com sen prestigio e populnridade. que goiava nio
deixaria cerlamenle, i nio ter um louco, de o fizer a
principio, quando Ihe nio restava deiar algum; quan-
do lantoi, e tio sedudore offererimentoi e liiongeirat
(iroinessai Ihe foro accenadat por parte do Imperador;
'luando uin hrllhanle futuro Ihe sorna e quando fi-
nalmente tinha A sua diaposicio tantot meios faceil de
realisar qulquer empreza; para querer depoit aventu
rar-se sem glnria ii eventualidades de urna miseravel
conspirarlo, que tao arriscada te Ihe deveria antolhar,
e que t poda cobri-lo do p, ern qun te chalurdio teus
vis detrtctores.
Corno, Sn. Redactores, ainda existi nesta cidade
militas petsoat respeitaveis, que lorio contempornea
daquella revolucio e devio ain la estar lemhradas do
que nella te passou; desejira, por isto, que ie diguas-
tern contestar todas, mi aL'iimas de minhat aiiercoet,
e inetriiu que te puhlicatiem pela imprenta at nolat,
que I ni" supprimiilat no Itinerario, i que me faco
caigo de re|ionder agnra ; porque t assim medira
antrabalbo de compulsar os ilifrerentet documentos,
qur impretsos, quer manutcriplos, que cuidadosa-
menle conservo, esio os mait importantes documen-
tos, que tervem par a hitloria do ann.v do 1824, e
para com ellet confundir ot calumniadores, que por
entura ainda poatioapresenlar-se, assstsinando a nun-
ca itesmeniida conducta de meu illutlre pai, o Sr co-
ronel JimhJ de Barros FalcAo do Larerda, a queai peco
perdi de hiver, contra a sua vont do, tertido-me do
eu rime, pira le/er delle o oljeclo de urna diteussio
publica.
Son. Sr. Redactores, de Vmct, ele. Francitcu de
Hairot Falco Cavaleanli de Albuquetque.
neressaria para inteligencia de viriis paiiigeet di Sy
nopiii, onde vem citada.
Avisos martimos.
Pea o Rio-de-Janeiro sai, mpre-
lerivelmentequinta-feira, 24 d torren-
te, o patacho amazonas : os Srs., que
leem de embarcar escravos hnjio de os
por a bordo, no dia mencionado at o
Para o Rio-Grande-do-Sul partir, al ofimdo
presente mei. o bemeonbecido brigue filit, forrado e
encavilhado de cobre, de que he capitio A'exandre Jo-
te AIvet. Esta embareicio oflerce eicellenlet conimo-
doi pira pattageirot e eicravoi a fele. O pretendentei
diriji'i-se a Firmino Jos Flix da Roa, ra do Trapi-
che, n. l. ou an eapitio.
- Aluga5-te at teRuintei casis um Ionr|.
um ndr com totio Indo piolado de novo n,
do Sol, n. 23 ; o-tereriro andar do aobrr|0 ""
rimeiro e lerceiroi indires dnt ohradoins i ''
n__ VTi.i. ____um nn fi
nt p
do Aterro da-Boa-Viita
por 300 000 n.
lnDQm .
I.ciloes.
aa Johmlon Palrr & Cnmpanhia fario leflio por
intervencio do c uretor Oliveira de um tortimento
geral de fazendat inglezat : boje, 23 do correte, at
10 horu da manbsa em poni no aeu armazem da
ra da Madre-de-Dem.
Jos liaptiiti da Fonteca
cont i e ritco de quem perlencer
t tobrado de um andar comsolSo, lojat e grande en'
tal, todo ciidn e pintado de novo na ra do S K~
n. 50. por 300 000.1. annuaei : duat ois ltf '
grandes com quintal. cacimba e mais coinm,,?"
para grande fimilr, na ra Formte n. 5, ', ijnj.M
n. 3. : uma dita pequea na ra da Uoo, n | .*'
pnrtl.OOOra. meotaet; dut dita p,qa9n,,' *
do Sebo?.' ni 62 e M por 8000 re. mrnu'M u
meia-agoa na Soledad n. 37 por 8000 ri ta,""
aet : qgeui aa pretender dirija te ao eierpio,0 /
F. A. de Oliveira 4 Filbo na ra da Aurora, q. jj'
- As ppttoai, qu tiverem peohore em podr ii
Jlo Biptiita de Souu. bajo de o realitar, noprizorj'
8 diat; do contrario, terlo vendido para leo ru '
melo : na ra Direita, vendan. 23.
Um preto moco, vestirlo de calc
de brim e camisa de chita eqne se j.
culcava por caiador furtou, no dia n
do corrente da casa n. 3, na ra do
Livramentn, uma caixinha de reloo-io ,\e
com um trancelim de ouro
alcribeira
tinto dn Marselha, virnlos do Maranhio, no brigue-es-
cuna Josepkina: boje. 23 do corrente, at II horas da
msnhia, a noria da alfandega.
= Rothe & Bidolac fario leilio, por intervencio do
corretor Oliveira, de variado tortimento de fazendat.
lodat proprin da mercado : quiola-feira, 24 do cor-
rente, ai lOhom da manbia no teu armazem, ra do
Vigirio.
1(7 ------ w i v C
passadir, dilTeiente na cor ; um alfine-
lede |)i'ito, tanibem de ouro polillo : urn
Avisos diversos.
CCIVIME^CIO
Alfandega.
ItBNMMF.NTo oo di 22...............13:521 229
linear regaB hujt 23.
BrigueI.auiemercadura.
Barca ingleza Elua Jnhnionferro.
BrigueVe/ia-A/aMi/izemercadura.
E como he potlivel Sn. Redacloret. que na occa-
tiio, em que ludo era per ndo. e a divitio eslava prei-
let a dissolver-se te cuidaste om empregar meiui [que
al entio te nio lnviioempregado) de separar do quar
tel-grneral a fre Caneca, como elle nio te peja de af-
Crmar ifim de nio observar ot perverso planos do
traidor ? Poit, ilem da ditiolucio da divisio, havia
milalgum cout fazer, que podesie aproveilir ? Se
planoi, be lerdide, que te formtvio, oulro niodeve-
riio, e nem pdenlo ser, lenio o aecordo doi meiei de
eacipir.em circuiMlancias tio momenlotai, a macbadi-
Oeral....
Provincial..........
Diversas provincial..
(Consulado.
I! i Mn.vir.io mi di* 22.
932j876
373*255
6tiaS8l
1:372*712
RATIflCACA.
O cambio na nossa revista pulihcadnem odia 21 do
corrente. he 7. e rio 27 >/t tori.o tahio.
I)e< laia<;ao.
= 0 Sr. que tiritn na adminittrocio do corrrio ai
cartai par Macei, para os Srs Andrade & Azevedo.
Antonio liento Barbota, Domingo Lopes de Amorim
4 C. e Francisco Jote Rodrigues Aflonto, quein
ir taliifazer o porte, para ellai poderem seguir o leu
destino.
Thcairo publico.
Por ie nio terem concluido as tret vist s
nunciadas para o beneficio da 1.* dama
transferido pera domingo, 27 do curente.
onvai. an
ficou elle
be ritel, que, sendo meu illuilre pai um traidor, e que
eat.ndo o fraile comencido diisu. corno ottenta, qui-
zeite. aten ser i iuo contlrangido, ficar lempre com el-
le al o ultimo momento d* revolucio, tem recei.r en-
tio ter victima de alguma trarcio Ah Kne frade et-
qoadrinhava enlao o tentmenloi de meu nobre pal
julgando encontrar oelle vrlinias. que em leu oden-
lo curaca abrrgav .' Sim finando-te migo do meu
nobre pi,abunodo de tua boa f,e ionnu.uuo-se-lho
PUBI.H.ACAO LITTERARIA.
Acha-se a venda por G.0I0 rs. cida exemplar, nal li-
vrariai da piafa da Independ ncia n. 6 e 8, e na
eiquina dn largo do Collegio, a muito inlerestante o-
bia intitulada
SINOPSIS,
ou
PtdutUo chronologiea dos fados mais nolariii da
kiitoria do fraiil pelo general
i I l>K A lilil' K LIMA.
autor do compendio da meima historia.
Alm de toda historia do Brasil, deide o leu des-
eohrirnenloati'- 1843, comm esta ioleressante obr o
excerpto de toda a legisUco orgnica do pas din es-
llbelecimentoi publicoi, fundacei pin, e um reros
pecio sobre a historia da America desde a mait remola
anliguidade. Cnntm mait n datas de lodas ai bulla*,
brevet pontificios e fescriptot acerca do Brasil, ai dos
tratados e convences, que se referem i notsa historia,
e at intliluicei de todas ai ordeni honorfico e reli-
giosas, com ot nomet de totlos os donatarios goverru-
doret, cipiliei-generaei. vice-reii, prelados, bitpot e
arcebitpot do Hratil, incluindo os facloi man oolaveit
de mas admmistrales. Kst obra eocerra finalmente
annaei do Brtil, alirangendo toda a sua historia ci-
vil, poltica e .-eclesistica at o prsenle.
Um t volume em 4.* portuguei com 450 pagino
em eicelenle papel, edicao ntida e feita com lodo o
cuidado eegiitero.
Nio reeommendan.oi a obra, porque todoa conbe-
cem o teu utor ma podemo asteverar, que na lin-
goa porlui:ueza nio existe uma prodcelo quilquer,
nhi do algot. como em concelho le havia decidido. E Jlu*'be posta ter comparad, tanto pela utilidad, corno
pelo methodo novo e timplei de eterever a historia chro-
i.obigetrnente ; nio b individuo alnuui, de qualquer
Nal mesmo Injn. cima mencionadas, achar-te-bs
tambero venda por 2.000 n. cada exemplar a bem
eicripta Reipotll ao padre J-nu*no pelo mesmo au-
lor, ou Elucidicio doa ponlot controverliveit da bu-
Inri do Brasil. Eata obrioba be muito ioleieiianle e
0 POSTILHA.
0 n. 16 lez a diitribuicio d mala boje e acha-ie
venda, na praya da Independencia livraria numo
ros 6 e 8.
0 NAZARENO N. 53,
esta a venda, an meio-dia em ponto, na praca da Inde-
pendencia, livraria, n>. 6 e 8, e na ra ettreita do
Roiario, cata a F, n 6.
Traz arligoi de intereise, ooticiat da corle, ai quaei
ainda nio derin oioutroi redactores, obre a rfemiisio
d,; Chichnrro, e tambem a respeito dai detordenl, que
vio por Nataretb e Pio-do-Alho.
Por caula de molestia do redaetor. nao tem tbido
o Vuz-ircno, e nem sabir regularmente esle das.
Aquellei dosSn asiignintes do Nazareno, que nio
rereiierem t folha,queirin procura-la na livraria cima.
= Arrenda-se um litio grande com do cos de
pedra e cal, para uma grande familia, com 5 viveirui de
peiie, paito annual pira 8 lOvaccti boa agua de
beber, muiloi pt de Iructeiro de virio qualididei,
boa haixa para meloei e melanciat, e capim ; quem o
pretender, dirija te ao tnetmo s lio em Sanio Amaro,
logo do principio da estrada, que vii para Belm, a
fallar rom leu proprielario, J. B. C. Tre.te.
= Alugio-te o tegundo andar e solio do sobrado n.
38 di ra do Rangel; a chaveacba-to no 1.a andar
to mesmo : e dual casas lerreas, uma na ra da Glo-
ria n, 4, e nutra na ra Velha : ludo por coinmodo
preco : a tratar na ra V-lba, n 55.
=0 doutor Lob Motcoco, medico, contina a re-
sidir ni ru d. Aurora, n. 24, teguodo andar : at
resten, que quizTem se utilisar duieupretlimo.de-
vem prncura-lo al at 9 boro da minhia, e dai 3 da
tarde em diante.
= Prrcisa-se de um rrixeixo, que tenba prilici de
venda, e tambem de escripia: em Fra-de-Portn,
n. 135.
-- loga-ie ao Sr., que, por encano, levou. di ordem
lerceira do Carmo, um chapeo de tol de teda novo.
dentudo Ulti usado, quena ter a hondada de ir tro
ca-lo podendo eotrega lo ao siebrislao da mesma
ordem, e d'elle receher o teu *, quando nio, veri o
teu nome por extenso nesta lolhi: poil nio te ignora
quem foi.
= A peisna, que annunciou ter de enmmunicar ne
ocio de particular intereise para o Sr. Corloi Joaquim
\V ylep.queira ter abondadede dirigir-ie ios abano al-
tignadoi, correspondentes do mesmo, na ra da Cruz,
i 63. Ettnder a frandts Q C.
= Precita-se de um caixeiro para venda: na ru.
di Gloria, n 116.
= Aluga te a coa de tobrado, tila na lioa-Vista,
ra do Seve. junio ao collegio de Santo-Anlooio, con
bastante cummodidade pira qualquer familia bom
quintal com grande parreiral, e excellente vial. Igual-
mente ie ilugio os dous andares da caa n.il, da ra
dai Cruxet, bairro de Santo-Antonio : quem i pre-
tender, dinja-ie au Itecife, ra da Cdeia, a tratar com
Jos Gomes Leal.
= D-sea jurot.de 50* al 400* n.. tobrepenho-
re de ouro e i rulo : na tua da Cadeia, n 46, no Re-
eife.
Um rapaz bnsileiro. brinco, cando, com pouei
lamilla, te oflerce. para, fra deala praca, entinar pri-
merrat lellrai, gummalica e fianrcx. 0 annunciante ct-
ti bastante habilitado par tilitfaier o teu offerecimen-
lo, poit por diverso vezo te tem dislo orcupidu ; be
mui zeloio com ot discpulos ; e tua aenhora tamben
entina meninas. As pcisotl, que le quizerem utilitar do
leu presiimo, dirijio-te a ra Direita. o. 69. a tratar
com o meimo, o qual dar conhecimeoto da aua con-
duele, e do Iratamento dos seos alumno.
Aluga se o segundo andar do sobrado o. 26. a-
tret di matriz da Boa-Villa, com commodot para gran-
do familia : a tratar na mcuna ra. n. 2i.
_s Aluga-te um optim coi terrea, tita n ru dos
Pire, muito fresca, com quintal, cacimba com boa
goa, toda piolada tratad daoso: quem quier
annelo de ouro lavrado, com diamante.
qualquer
Roga-se aos Srs. ourives ou a
outra pessoa, a que m sejaoiTerec'itlo este
rcubo ou parte ..delle oapprehenrJo^
ou deein noticia delle na mesma casa, que
generosamente se recompensar e, sen-
do preciso, se guardar segredo.
Preeita-ie de om rapaz portuguet psra caixeiro
dn venda que ten ha boa conducta ; na ro Direu
retn telo n. 10. N mesma cata compra-te pipil di
diarioa a 4000 rt a arroba.
= Aluga tu uma cas terrea na ra do Nogaein
com 3 quattot cotinhi fra e grande quintal mu-
rado com cicimha : a tratar na ra dai Trincheirsi
n. 19
= Alugt-te uma cata na Soledade iodo parto
Maoguinho n 26 com duat salas na frente 4
quartot, cozinh fra quintal grande com arvuieM
tlefiuelo: a Ira la r defronle da ordem lerceira de $.-
Francisco, n. 3.
Km appn hendido um pardo, de nome Jniqein,
que tinha mudado o nome para Pedro bastaole turra-
do de relho ; representa 22 anno ; trazendo cointiito
om cavallo caslanhu : quem for teu dono dirij ,-si i
Iguarais a fallar com o capilio-mr do cimpo di
Tabatinga.
= CJuem preciurde um destilador de ago'ardaait,
e que etti aeottumado a Irabalbar segundo o syil-
ma moderno annuncie.
= Cyprinno Luiz da Pat embarca para fra di
provincia o teu escrito Marcellino crioulo.
Lucio Ignacio de Alhahide relira-te con mi
familia.deita provincia para a do Maranbio.
Precio-te de urn forneiro que teja entendido
bailante a tal respeito ; paga te bem : n ra larga do
Roiario parlara o. 52.
Lu' Manoel Rodrigue! Valenca mudou a lili
residencia para a ra do Queimado n. 5, terceiro
andar.
Aluga-ie uma can terrea na ra do Padre-Flo-
riano; ouira com solio corrido, na travrtti do Ser igxlo;
ambas muito fresco, e comcacimbo de excellente goi;
uma outra com do talo e seis quartos, connhi fra,
com grande quintal, muito bem plantado de hortaliee,
com parreiral, figueirat, romeirat, e mudas oulro rt-
voret de (rucio, cacimba com agoa de bel er, a melbor,
que a lem viilo, sita no principio da estrada doi A-
fltcloi o p do Maoguinho : trata-te na ra da Cadeii
do Beeife, n. 25.
Na leja de lunileiro e latoeiro do Aterro-da Bol-
Vitta precita-te de um rapaz para -caixeiro de hl-
elo que taiha hem ler, eterever e contar ; precita H
tambem de um official de ,'unileiro e de ouliode latoei-
ro : o pieteudentet podero procurar na dila lojl
o. 65.

Aluga-se um sobrado de dous
andaras na ladeira do Varadou
ro, em'yOIinda, defronle de S.
Sebnsliao com muito bonscom*
modos : a tratar na ra da Ca-
deia do Recife, n. 5, ou emOlin-
da, na refinayo da ladeira do Va-
radouro.
Cdulas brancas de
2^000 rs.
Na esquina do Livramentn loja de 6 portal, rt-
cebem se cdulas braoca de 2000 ri. tem descol-
l a troco de faxendat.
nologieamenle ; nao Da individuo alvum. de uualuuer l,..,.r A...;.... Z A ^-------. ""'""
cla.se uueondiciu. que leja, que no nb, nrecull' J"'1''-"'" I"'"0 dt *'-&. obrado, n
decontulliroude i.b.r urna dala. p,ee,,lQ|TO- P" ''cou. u. propr.et.ria.
Agencia de passaportes.
Na roa do Collegio numero 10, e no Aterro-da-
Boa-Viila loja n. 48. tirlo-ie pastaporles para dealro e
fora do imperio, iiiim comodeapachio-te etcravoi: ludo
com brevidade.
___ 1 V
4>,hJ^^
''*! <'\\:\\v
Trancelint de qualquer modelo anneii, floral, f
derecot pulceirai brinco &c. ; tildo o Bti'
Um failo pouivel por preco aaodico.
MUTILADO I


-"-
= Aluga- Caranga d.j Udo do rio o da sombra com duaa sa-
laa cinco quartoa, cozinha frira lugar para estriba-
ra ; os prelendeolee drijio so a fraca da Roa-Vista,
botica n. 6, ou a eata typograpbia qua te dir quem
alaga.
- Aluga-se urna elegante casa com trapeira no
lugar JeS.-Anna-de-Olveire com 4 grandes alai .
7 quartos, counba lora atrillara cocheira com
um jarJimao Udo alguna arvoredoa de fructo ter-
reno e capim plantado para um canillo temi a van-
lagem de fir.ar perto da etlrada e do rio; oa pretn-
danles dirijlo-ae a pra(a da Boa-Vista, botica n. 6, oa
a eata typograpbia, que ae dir* qaam aluga.
= Alugi-an o armatam dn sobrado da ra da Praia,
n. 58 o qual serte para morada i para negocio : a
tratar na praca da lo lepen.lencia, linaria, ns. 6 e 8.
as: Lava-ae rom prornptidio e perfeicio tanto de
arrulla orno de aabo a aa afiance exacta entrega das
pegas: na ra Direita sobrado n. 29, se diri quem
diato ae enesrrega. **
= Pracisa-se alagar um moleque.para lerar pi com
om moco a alguna freguer.es aeodo daa 5 horaa da
manhia t as 9 : na padaria de urna so. porta oa
praca da S.-Crui.
Joio Cyprianno Rannel desapart-u amigarel-
mente a sociedade que tinha na padaria do Cor-
redor-do'- Hiapo ri. 8 cnm Joio Alaes de Mello; li-
oando pertencendo aa dividaa aoa doua aocioa na co-
branza.
= Precisa-se alugar um sitio que lenba casa
eomrooda para grande familia e que seja nna luga-
res aeguinles : Mangunho, Paisagem Afilelo*, Hu-
lero ou Pnnte-de-Ufha.
_ Truea-ae urna linda imagen) da Senhora da (ira-
ca ; na rus da Praia, armetem o. 24,
=? Luiia Joaquina de S.-Jos Ferreira retira-se pa-
ra O Rio de-Janeiro, com aua familia.
Preeisa-se de um feitor para n engenhu Cam-
pello na freguetia da Escada ; a fallar na ra Nora,
D.H.
Aula de oavegacao.
Agoatmbo Fernandea Catanho de \ asconcellos con-
tioi a ensinar oavegec,lu pratica e tbeorica na roa
Imperial n. 39.
A Senhora D. Francisca Mara do
Rozarlo queira annunciar a sua morada ,
a negocio, que Ihe diz respeito.
= Hojo, 23 do crente pelaa 4 boraa da tarde ,
a porta do Sr. doutor juido citelda aegunda vara a
requerimento doa rredorea do fallido Seralm Joaquim
Vinbaa de Monrnval, ae ba de arrematar um eacravo ,
moco conobeiro e sem icios, avahado por 3004
ria.
= Aluga-ae um sitio pequeo com caa de vi-
ven da para pouca familia e que leja pello da praca :
quem o tiver, annuncie.
= Aluga-ae um aobradinho na ra de Fra-de-
Portaa. n. 126, com duai salas, tres quartos e cozmba ;
convm muilo a bomem aolteiro ou de pouca lamlia, e
d ae por preco commodo : trala-se na mesma ra, pa-
daria n. 122.
=* O abaiio aaaignado aviaa ao respeitavel publico ,
que oio faca negocio de qualidade eltuma com doua
escravoi.de oomei .Manoel e Calliarina que possae
Joao Luis Salgado e que sao perlencentea ao casal,
visto nio ler anda feito o dito Luiz inventario, pelo lal-
lecimento de aua nulher, D. Mara Candida de Albu-
querque; ese aeharem. alm dislo, osmeimos escravoa
bypoibecados a Joio Mauricio (Je Albuquerqne Wan-
derley, presentemente fallecido porm representado
por aaus herdeiroa. = A//on$o Jo$ d Albuqutrque
Mello.
= D-se dinheiro a premio aobre penborea de ou-
ro mesmoem pequeoai quantiaa ; na ra de Aguas-
Verdea, o 15.
Aluga-ae um ptimo m< leque : quemo preten-
der, dirija-se a ra ile S.-Rita-Nova n 62
A mesajegedora da irmandade de N. S. do
Roierio, do Irenro de S Antonio do Recile faa sei-
enle ao respelavel publico, que lodoa os lieos per
tenrenlesaChrispim Marques Noguera le acbio em-
bargados pelo |uiio do eitel da primeira vara, para in-
demniseeao do roubo leilo a n.esma irmandade.
=r Alugio-se duaa casaa lerreai, na ra du C
deireno desla cidade na. 40 e 42, com duaa aalaa 3
quartos, cozinha fra graode quntale raeisnba ,
por commodo pre^o : a tratar oa ra larga do Roiario,
o. 44. .
= Aluna-se, annualmenle,ou por lempo de fesle, o ai-
tio de Jos Joaquim Pereira.na Panagem-da-Magdale-
nn ; ruja lucal.dade, r. creio e goioa que oflerece ,
lio bem eonbecidoa e o lornio rrcoeimendevel : a
tratar na ra do Cabugi. n. 16.
se Preciia-ae de urn bomem Mire, para cozmbeiro,
e que arja perito em aua arle ; na ra da Cadea do
Recife, o. 52.
Uflereee-se um bomem branco para criado de
qualquer casa.e que entend algumacouia de cozinha;
quem de aeu preaiimu ie qui>or utilsar dirija-ie a
ra da Cadea, o. 52. ou annuncie.
__ Aluga ae urna casa terrea, oa ra Bella para
grande lamiha com 2 graodea salas 4 alcovaa co-
unba lora diapensa quintal e cacimba : a tratar ca
ra do Collegio ii. 15, leguodo andar,
"aa Da-ae dinheiro a premio com penbore mes
dio em pequroaa quaoliaa ; na ra do Kangel, n. 11.
Antonio Callos l'ereira de Burgos
l'ouce de Le8o isz scienle a quem con?
' vier a seus amigos, e aos Srs. de en-
genho que teem de llie consignar as-
sucar de suas safras, que elle se a cha re-
meio uso e oom lodos oa aeui pertenees: na ra da'
Cruzo, n. 50.
= Compra-sa orna venda em bom lugar a di-
nheiro. ; oa ra Hortai, n. 84.
Comprio-ie dual eacravaa aadiaa aendo urna
boa coiinbeira e a outra pereita engmm adaira ; pa
glo-so liem : oa ra do Crespo, o. 11.
Comprs-se om estojo de compasaos, psraa arte
de piloto novo ou meimo osado ; na ra daa Laran
geiras, n. 18.
Compra-ae ama grammatica italiaoa e portu-
guea por Antonio Fumo; na ra da Cru*. o, 26.
= Compra-ae urna bomba de peo, de 13 a 16 pal-
mos noa, oa em bom estado ; oa caaa da afencio ,
a fallar com Antooio Goncalve de Monea.
aaa Compra-ae um eacravo preto, moco bom pe-
dreiro; um dito, que toh principios de msrojo; um
dito, moco e si lio; 4 ditos, mocos e ssdios, proprios pa-
ra marujoa : na ra da Cruz, o. 45, em casa de Naici-
menlo & Amorim.
=Comprions eaeravos de ambos os sexos: oa roa
Nova, luja de Tarragona, n. 16.
Vendas.
--Vende-se ama prela, de 15 annoa qoe cotinba
o diario de urna casa e cose alguma musa ; urna dita ,
de 12 a 13 annos ; uma dita de 2 annos ; um ca-
brinha, de 8 annoa da bonita figura; uma parda,
da 30 annoa que coiinha, cose cbio e lava de sabio
e vnrrella ; todoa de bonitas finuras sm vicios nem
achaques: oa ra da Concordia a direita, a segun-
da casa terrea,
= Vende-se ums padaria, com todoa oa pertenees,
bastante alreguesada, e em uma daa melborea ra des
ta prava ; aceeitio se lettras em pagamento : quem a
pretender, annuncie.
t^ ATTENg\0 A' PECHINCHA! ^
Nodepoaito de bichas d Joaquim Antonio Cernei-
ro, na ra da C'UZ do Roilu, n. 43, vendem-se aa me-
Ihores bichas hamburguezas, por menos 10.000 fS. do
que em outra qualquer parte ; a retalbo e de aluguel
dio-se por menoi 80 n., em cada cenlo ; Umbem se
as vio applicar, a qualquer bora, que a- precise, de da
ou de noite. 0 annunciante preslar-se-ba igualmente,
qualquer hora do dia ou da noule ou da ooile a
qualquer chamado para sangrar, ou exercer qualquer
functio de iua arte. Venho, lreguee's, ao bom e ba-
rato : primeiro aqui do que em outra parte.
= Vendem-ie 10 easaes de pombos, bons baledores,
e deexeetlente raca ; na roa da Florentina n. 16.
= Vendem-se chsrutos regala, e maia inferiores ,
emcaiiinbaa de 100 e 250, por preco muilo connno-
do : em caa de Novata & Companhia, na ra do Tra-
piche n. 34, terceiro andar.
s= Veode-se om piano em meio uso por preco
commodo ; no Aterro-da-Boa-Vista, n. 5 primeiro
andar.
=r Vndese um ezcellente carro de 4 rodas, em
muito bom estado, com aeua competentes arreios : no
Aterro-de-Boa-Vista, coieira do Miguel.
Casimiras escuras,
a800rs. ocovado.
hidindo na ra Direita sobrado n. ng
junio ao do Sr. doutor Ignacio Nery <)a
Fooseca aonde tem aberlo o f eu escrip-
torio eut o primeiro andar, e continua
a receber assucar em commisso.
compras.
.-kConprio-io douiMli.ni ioglez, quot*Uj*o aa'Boa-Viiia n. 60.
Na loja de 3 portas n 3. do barateiro da ra do
Crespo ao p do arco de S. -Antooio veodem-se
caaimiraseacura8.de quadrinhoa e liatraa, a doua cru-
radoa o covado. Esta fazenda, pela aua duracio e m-
dico preco, merece ser recomnieodada, e he digna de al-
inelo ede grande ooncuriencia Dao-se aa amostras
aos prelendentes. Tamhem na mrsma loja vendem-se
corles de brins de puro Imbo padrOes escuroa eo-
Iraocados de fabrico francei e de corea filas pelo
moderado prepo de doua mil rs. o corte com duas va-
ras e ama quarta cede um ; oosquaease dio amostra
sob o competente peobor.
= Na ra Nova n. 8, vendem-se dous cortes de
vestidos de selim branco, bordados de prals propiios
para repreienlscdei detheatro.
__Vende-ie um pardo, de bonita figura, de 20 an
oos bom bolieiro official de corrieiro e lapaleiro ;
oa ra do V'igario o. 14.
Vende le um pulo crioulo de 20 annoa. mui-
lo lindo pa(em e bum official de alia.te ; 3 escravoi,
bons para o liablho de campo ; 1 dito de 35 annos,
por 300 rs. ; duas pardas recolhidaa que cosem ,
engomiiiio e coiiohio; 4 eacravaa com boaa habilide-
d-a : na ra do Creapo n. 10, primeiro andar.
sea Na ra Nova, loja o. 8, delmnle da Camboa-
do-Carmo vendem-se sapatoa de lustro para aenhora,
a 1920 rs. o par ; sapatoa de marroquini e cordovio ,
a \ rs. ; lapatoi de panno, a 880 rs ; ricos cortea de
cambraia de corea ; Im.oacbalea de seda ; ricoa cor-
tes de seda branca e de corea ; bicos de blonde ; borte-
guins para senbora a 3840 ra. o par ; aapalo de lus-
tro para bomem ; e oulras rouiUa fazendaa de goslo ,
por preco mata eomwodo do que em outra qualquer
parte.
Farinha SSfcF,
da muilo acreditada fabrica de Molino Straiig seo-
do a bllima chegada a te mercado em piqueoaa e
grandes poicdes : a Iralar com J J. Tasao Jnior.
AGUA DO JA PAO.
Kala agoa, lio acreditada em Peroambuco.ierve para
impedir a caapa limpar a cabea e amaaeiar o cabel-
lo assim romo limpar as eapinhas o empiogens alt
que fique o rollo alo e a cabeca pe fallamente lim-
pa. Nio ae lem podido deacobrir oulra igual, Eita agoa
eiti approvada e tem mencido toda a eatima lano
no Jepio e Europa como no Brasil. Vende-se na
ra da Ceue do Becile o. 55 ; Alerro-da-Boa-Va-
ta o. 22; em S. -Aotomo ra do Livremeoio, bo-
tica o. 21. __
= Veodem-se duas preUs mocaa. de 20 annos.
de muilo boas figurai propriaa para todo o "'o.
e meimo para o.ucamaa ; doua molequea, de 12 a H
annoi proprios pira oflicio, ou pageos; uma parda,
de 20 annoa, com preodaa. que le fario ver ao com-
prador : na 'na larga do Rozara o. 24, primeiro
andar.
=Vendem-ie e tambetn se aluglo-se bou bubas de
Hamburgo ; oa loja de baibeiro da ra do Boiatio da
Chales de la
e seda, padrocs de Roberto
do diabo, a l#000 rs.
Na loja n. 3 do baraleiro da ra do Creapo, ao p
do arco de S.-Antonio, receli6rio-e novamontee ven-
iem lechales de lia e seda a dez lusles. Esle cha-
lea, sendo maiore do que oa ulna que por enta lo-
Iha ae annunciirio teem de mais a mais a particula-
ridadede nio i nio eieederem no preco como at seren
melhores em qualidade; alm de quemis recommeoda-
vesse tornlo por terem padrcVs maia earums e mo-
dernos ; motivos estes, que levarlo o annunciante a
fare-lus conbecidoi doa te daa senhora em geral e por seren applicaveis ,
principalmente as men competente penhor. Vendem-se tambero por nova-
mente ae haverem recebido,ehalea brancos de cambraia,
ricamente bordados com hrilhantes lavrores com
variarSes as cores dos lavrailos ; he lazenda nova e
seu tsmanho, nio sendo demasiadamente grande nem
pequeoo, os torna recommeoJaveis pelu diminuto
preco de 1 440 rs.
= A bordo do brigue Paquflt-ie-Pernambueo ,
fundeado defronte do trpiche do algodin vendein ae
saccas com a mais superior colla, feita no Rio-Gran-
de-do-Sul ; asstm comoiebo em rama em qualquer
porfi.
Cassa~chitas,
a 320 rs. ocovado.
Na loja n. 3, Jo baraleiro da ra do Cre-po ao p
do arco de S -Antonio vendem-ie raasa-chitas de
qu-idrna com urna vara de largura a 320 rs o cova-
do. Esla fatenda se recommenila as senhoras em ge-
ral tanto pela la srguranca como pelos seus agrada-
reis e mimosos desenlios ; sendo uns mais clarse nu
tros mais ou menos escuroa entre os quse* ha tam-
hem algumas rouxinhas para as uuaes algumas se-
nhuras teem mcliiiacao. Do-se amostras sob o com-
petente penhor.
Chales de a r-
ca c seda a napolitana, a
/OOO rs.
Ns loja do tom, n. 3. da ra do Creapo ao p do
arco de S. -Antonio vendem-ae riquissimoa chales de
garpa e seda a qualro mil ri. 0 proprietario deste
estabelecimentobedeamasiadameoteiocaosavelemoaor-
tir com fazeodaa, que, sendo proprias e applicaveia ao
paiz ao meamo lempo rivaliaem com oa maia moder-
nos gostoa daa principara capitana europeas. Ohserva-ae
na fa/enda, que ora se snnuncia, ler nio s oovissima
no pai<, corno al, an primeiro relance de visla, parocer
com qualquer fazenda da melbor aeda e de maia ricoa
padroei ao passo que seus brilhanlea desenhna ea-
lao a par das modas, que, segundo os figunnos ltima-
mente recebidoa estio introduiidas na Franca, Ingla-
terra aples. Tamliem se recebeo notamente um
ricosortimenlo de chitas finas, aegurissimas em sua-
dotas maravilhoiamenle estampadas no g>ilo chinei,
com o maia bri'hanle realce de tintas e que vendem-ie
a 240 ra. o covado. Anim como tamben igualin>nt>'
le receben mais um novosorlunenlo aenda loucainha sem baver alleracio no preco ; pelo
que rerommenda-se a algumaa pessoas que ji nio
achirlo doi padrdea que prelendiio ae dirijio no-
vamente a esta loja que acharados padidei, que, por
ae lerem acabado, deiiirio de comprar. Do-se amoi-
traiiob o competente penhor.
= Vendem-ie moendaa de ferro para eogeoboadr
aitucar, para vapor agoa e beatai de diversos tama-
nbos por preco eomoiodo ; e i^unlinenle lanas de
ferro cnado e batido de todoa o lamanhoa : aa pra-
ca do Corpo .Mallo o. 11, ero casa de Me. Calmool &
Companhia ou na la de Apollo trmazem, o. 6.
Vende-se urna parda moca sadia sem vicios e
robusta que sabe engomnor, counbar e coier : na
ra da Aurora a fallar com o coronel Joaquini Jote
Lua de Souza.
Fotassa branca,
da mais superior qualidade em
barricas pequeas, e desembarca-
da no dia 30 de agosto prxi-
mo passado, vende-se por pre-
<;o commodo : etncasa de L. G.
Ferreira & C.
Na ra do Crespo, loja nova
n. 12, ele Jos loaquii
da Silva Al aya,
vende-ae um rico aorlimeoto de corlea de vellidos para
leohora de uma lazenda quaai loda de seda de gos-
lo chine/, e 01 maia lindos, que teem apparecido, e que
por isio lelornaO recominendaveis nio sparaaatenhois-
do bom lom curro para aquellas que usio de eco-
noma por ser o diminuto piten da cada corte de 64
ra. Na Diesaia loja se veodem outras multas fatendas
de goito, por barato preco.
Vendeui-se as memorias
do Dr. Automarchi, ou os ulti-
mes momentos de apoleo, 2
vol. in 8., encade ruados: na li-
vraria da ra do Collegio.
Vende-ae uma machina de vapor ; orna dita de
laier lijlos; ama aerraria vertical; um manojo ; va-
la do comprador te lara lodo o negocio: no Alerro-da-
Boa-Viata o. 5.
FJrros receb'dos (Je novo, e
venda mi Uvrarin (hi esquin"
do Collegio, a 2,000 cada
exemplar.
As mulheres celebres da revolucSo
francesa, ou o quadro enerp'co das almas
sensiveis, i vol. ; aceas da vMa contem-
pornea, i vol. ; memorias de Mara Ga-
pella, por ella eieripla, 2 vol. : eata obra, que fes |rao
de seoscio em Froca, e acaba de er vertida em porta-
guer pelos traductores lishonaoses do Judto Errm*lt,
contm as mairias eguint-i: um diabrelar, reeorda-
efl^a da infancia, om doudo. o collegio de S. Dinil, -
migo da infancia, festa de Alsacia, eoredos matrfmo-
oiaes, as minhai tend">ncias, 01 vizinhos, dislraccdas,
entrada no mundo, Pari, oulra irma, golpe aobre
Kolpe, emfim. a casa alheia, onegredoi, irmla tereei-
ra. um casamento na familia, um coraQSo de molber,
morte e vida, as carias, principio de om romeoee da vi-
da real, a minha sombra, um desencanto, o meu amigo
e amiga velhs, declaracio, os paaseios a cavallo e ro-
da a desandar, reconciliacio, uma Iraquese, nan lobis-
bome, primeiros traeos d'ohrs grande a noaaa loja de
onrives, vida de folgancaa, meu marido, preparativos,
scena do O'leans. Glaudier, visita ai forjas, novas
provac5''S, corte na al eia, reformas, os diamante*,
uma Iliterata, experienciaa, hospedes, projectos, meu
retrato, vinda e ciumei, o rotalgar, auspeitai, calum-
nia, a juitica, prisio.
xittencao !
Na roa da Cadea, loja n. 50 de Cunha & Amo-
rim continua-SH a vonder o formidavel rap Paalo
Cordeiro do Rio de-Janeiro em botes a as oilavas.
Tamhem anda resta para vender uma pequea por-
cfio de aneoraa com cal virgem de Lisboa.
Na loja n. SO do bom
barateiro, da ra da Gadeia ,
vndese um novo sorlimento
de cambraias com listras de
cores, e de lindos jjoslos, pelo
(limimilo pceo de 5500 a 5$
rs. o corte.
ti
He chegado nesta loja, das boaa pechinebas,
ij um novo e completo sorlimento de tafeadas jtj
5i com i sejSo: cassas muil finas, ede padrdea os I
a mais engracsdoi ; risrados eaeoceies, de rtlres JM
bonitas e filas ; chales de sede, muilo superio-
, res ; dilos de lia e aeda de exquisitos e mn-
Y demos gnsloi ; riicadinhoa muito largos, de V
V lisiras e quadroi miudinhoi muilo proprios **
k'' para cnm isas por seren ile rOres filas, e imi- H
P> lando linho ; e outras militas fazendas finas $
j comosijio: casimiras modernas de muilo JJ
f. bom (oslo ede lia pura ; cortea de colletes 2*
4 superiores; e juntaoenle um reatioho das pe- ^
r chincbaa do lempo do rei velho.Recebem-se em V
* pagamento al cdulas branca! de 2000ra., lem ***
1 descont. V
Chapeos da festa.
Na loja n. 3 da ra do Creipo, ao pe da esquina ,
confronte ao arco de S. -Antonio do bem eonhecido
liaraleiru, receb Chile os maii luperioi exilenles oo mercado ; pa-
lo que e pnreslarmoa prximo! a quadra da feata en
que elleiie turnio man procurados, por seren uteil
e propnoa da enlacio para oa amadores por ino le
tornio recommendaveia principalmente pelos mdi-
cos precos de 5000, 7000 e 8000 rs.
= Vende-ie um sillo acallado de novo em larris
do engenbo da Torre com iw palmoa de Ireole pa-
ra o rio Capibaribe, e 1200 dilos de fundo muito
boa Ierra ji pa otado de bastaotes arroces de fruclo ,
ursnde purcao de mandioca e maeacbeira um exeel-
lenie bananeiral, csaa soflnvel a bordo do rio, bai-
la para capim ; tica bem defronle do mangue do sitio
daviuiado tallecido Manoel Comea Sirgueiro en-
tre o Maogui'bo e I'..nl-de l.iba : oo niesoio litio
ae dir com quem ie deve tratar.
Vende-se un. bali com um bom aegredo, no qual
te pode ler coima de grande valor lem terem deseo-
bertas anda mesmo ulando aberlo ; 5 eovadoi da
pinno verde-escuro proprio para fardameoto do
pagem ; 3 diloi cor de cali ; a Criarlo do Mundo,
com estn pas ; Mil e um quarto de boraa; Historia do
Gil-Braz ; Tbeiuuto de meninoa, com estampas ;
Sermes de quareame ; Epilbome da grammatica pbi-
loiophica applicada as auiaa; ludo por barato pre-
co : oa ra do Rangal, n. 50 segundo andar.
as Vendem-se oculoa de aro azul para todas aa
id.Oa rei-eiiteinrrite i hegados e em coala ; oa ra
larga do Rozario, loja de imuueas, o. 35.
sssa Veodem ae, pur preco baalaote commodo duaa
tercas parte do uma caaa lita na ealrada do centro, no
lugar do Marro distante oieia legoa deata cidade ; aa
uuaes couherao a una berdena de Joio Jun de Car-
valbo ; fas parte da mrsma propriedade urna excelleo-
te caaa de rsocbu boas plantas de capim ; ludo em
terreno alorados : a tratar na ra da Penba n. 23 ,
2 oand<-r que ah ae'informar do outras circumiUn-
ciaa relativas ao oegoeio piopollo.
Fardo novo,
em uceas graodes vende te oo arniazem do Bacalar,
confronte a eacadinba da alfaodega a an caa da J.
J. Taiio Jnior, na ro do Anoiiib, n. 35.




l>
A
VenJa-iu izeite doce para lu melbor e miia
barato do que odiicoco ; e azeile doce fino om gar-
rafdei do 25 -amias : no deposito de ai ite de carra-
pato na ra da Sen/alla-Velha n. 110.
Vende-se cera em telas do Rio-de-Janeiro lor-
tloienl completo de t a 10 em libra em caias e
ai I i liras a tontada do comprador : na ra da Senral-
la-Velha, n. 110, armaren! do Alie nna.
N. 40, ra do Trapiche un chronoinelro para
nato de Londres per fe i (o o mui bem regulado;
relogioi da ouro patente ioglez muilo hons e hara-
toi ; correnlinhaa de ouro, padrio Principe Al-
berto.
m- Vinho de Tenurifo em Larris de ejcellente
qualidade ; corteja hranca e preta a melhor que ha
Barclay & Companbia em porcio. ou a retalho ; e
fio de lapsleiro por prego commodo : vende-se na
ra do Trapiche n. 40.
Vende-se pnlassa branca do superior qualidade ,
ni barril pequeos ; od cana de Milhcus Austio &
Compaohia na ra da Alian leja-Velha, n. 36
= Vende se a tanda das Cinco-Pontas n. 91 ,
com os gneros que tem dentro ou s a armacio ;
todo o neg irio te far : a U.it ir por cima da meima
tonda ou na estrada de Joio l'Vrreira indo da So-
ledade para n Manguinho n. li).
= Vendo-sea srwagio da luja ile miudezai nal
Cinco l'i'iiins n, IOS; todo o negocioso far a
tratar na ra Nota, n. 51.
= Vndese um catallo foteiro, muito manso e no-
to, rom alnuns andan s e proprio para viagom j ten-
de-te por proco riimrii do ; na rus do Pilar em Fora-
do Portal, n. 137, aegundo andar.
Potassa.
Venderse potassa americana ,
muilo nova por ser prxima-
mente clie^ada, e cuja qualidade
he a mellior, que tem viudo, por
prego commodo : na ra da Ca-
deia do llccife .irmazem n. 12 ,
de Bailar & Oliveira.
= Vende-se urna linda canoa de earroira nota ,
mu liein construida, do aniarollo ; una poigio Ibat de coqueiro : na ra ila -onz illa \ Iba n, 110
Vende-ae rolla da Babia niuito auperior ; ni-
ra da Senialla-Volba n. 110, ermazein de Altes
Vi.nna.
= Vendem-se 3 lindo molei|uea de 13 a 16 an-
nos ; 3 pardos, de 16 a '0 annoa oplimoi para pa-
gena ; 3 pretoa um dos qu*es he ranoeiro de 30 an-
noa e oulio carreirn ; um dito da Costa de bonita fi-
gura proprin pare lodo o artico ; urna catira, de 25
annoi que rot Bha, ongomma liso rose ibao u lata:
na ra doCollegio n. 3. sesundo andar.
Vni.ic .ruin pardo, de 20 annos de boe figu-
ra para pagem o que cuzinha, lata de sabio engom-
ma coso de alfaiate proprio para casa de liomem
aolleiro : na ra do Collegio n. 3, segundo andar.
Na ra do Crespo loja nova
n. 112, dcJo.sc Joaquim da
Silva Maya ,
ende-se um rico sortimento de castigaos de finisiima
cas>|umha com aa suas competentes linternas de
gosloa os maia lindos que toen apparccidj pilo di-
minuto prego de 84' lOi o IgfOOO n. cada par.
Vendem-se iscados france-
zes, a IGOrs.o covado; no Aler-
roda-Boa Vista loj n. 14.
Medicina Universal.
Pilnlas vegetaes de Jiitnes Morison.
A medicina vegetal unitersal he o resultado de 20
annos de intestigagSe do celebro Jemes Morison. Por
meio destas pilulas conseguio o seu aulor innmera -
veis e adniirateis curas, desde as atiendes, que stacao
crianca de peito, al ai molestias chronicas do an
ciio.
A Europa saudou este remedio como remedio uni-
versal para todas as doengas, cat boje ainda nao loi
desmentido tal titulo.
Ksla medicina te_-acompanbada d'uma receita, que
ensina e facilita a soa applicaclo. Consiste em tres
preoaracdei, a saber : duas qualidados de pilulas dis-
lieclas por nmeros, e um po ; cada qual goza de mo-
do de ai-r s diversas.
As pilulas n. I sao apetitivas ; purgio sem abalo
oa humores biliosos e viscosos, e eipuisao-os com ef-
icacia.
Aa do n. 3 eipulslo com esses humores, igualmente
com grande forga, oa humores seroros, acres e ptri-
dos, do que o snnguo se acha aimudo infe l.ulo; per
correm todas ai partes do corpo. e s resso de obrar,
quaodoteem eipuliado todas as impurezas.
A terceira preparado consiste em urna limonad
vegetal sedaliv<; he aperitiva, temperante e docante;
torna-ae em commum com as pilulas e facilita Ibes os
mrlhores efleitos.
A posi^ao social do Sr. Morison, a soa fortuna in-
dependente, repellem toda a ideia de charlatanismo; e
as admirateis curas, operadas com o aeu sistema no
Colltgiit deiud di Lond'tu, lio mais que garantes
da eficacia do seu remedio.
Recommende-se esta medicina, que nio pede n*m
reaguardo de lempo, nem de posivao da parte do do-
ente, a todos oa que, atacados de molestias julgadas
incurateis, sequiaerem desengaar da aua virtude.
Oala, que* humanidade feche os outidoi aoa in-
tercalados em desacreditar estes remedios lio simples,
tio cornmodos e lio terdadeiroi.
Vende-se na ra ala Cadeia,* n. 46.
Vendase um sitio na Capunga-de Cima com
cala de titroda arvoredos de fructo cacimba com
boa agoa de beber e com banbo muito perto por
preco loiiiii'uiio ; na ra Direila, esquina do boceo de
Si.-Pedio, n. 16.
N ru di Concordia, u. 25,no aruincoi d cspini,
veindem-se tembem madeiras, encharnela de 20, 22
25 palmos, inSos-tratessai de 25 a 30 ditos, caibros de
25 a 30 ditos : ludo por preco commodo.
l\a ra do Queima-
do, loja 11-7
tondem-se os mais modernos e apreciareis chales de lar-
latana lencos de cores e com franja para meninas
os ricos e elegantes cortea de cambraia d todas si co-
res ; cortes de cassachoga-a-lodoi ; brins de quadroi
o listras, a 1 j; casimiras e meias ditas), a 11 e 1200 rs.
o cutado ; merino preti a2300ri. o cotado ; e ou-
ras rnuitas fazendas, que se acharad patentes aos
compiadoies ; ludo por barato prego.
-
21 -<
~" 8 Q
*f?8
_ i a v. 2
2 g' 2_ *
-j s Sr s
pa
ps S C fi C2 2
sSi-S.fl =5
x

M
i' a
' "' 2
o o o a> S= 5?
isa S&f&s's
o 5
3 = 3
V f*. o> o
IScf f ii| 3
s
CB
S
a.
n
s
"3 T
-1 Vi
q re
o *
1 2.
!niPift
S8
O)
5.1
- o
- e
-i ^-.
S W
II
a.1
-5_
S-S-9 -
O a
i s ss }t
5
8-
3 :
Vi
j2 9
2.3?*
s.'SS
O .
n
o
<
u
O
III
c- =
1
o =" =
o 3
o
- '* o
3
s 2.
83
--la
a n 3
8?
O) ;
3 =
sr 3
3 2"
2
S"3
-i ce
a) o
Q. -i
o ~.
J- s
j. 3
O
I Q.
= '?
v-
N
i*
a =
s c
m
1 -i
*I*SW ISOS-^-^SO
*. i* ct o o i ^i*c^w
o
D.
"3
3
^1
99B Vendem-se duas prelas. de 16 s 20 snvios, e urna
muala da mesma idade, roiinbeiras e lavadeiras; cozem
soflriteln ente e engomii.ao e sio ile muito boss figu-
ra; quatro moleques.de 12 a 14 anoos,o 3 pelos, pio-
prios de lodo o servico de esmpo: na ra da Cadeia de
S. Antonio, n 25.
BILHETSDO HIO-E JANEIRO.
Bilheles, relos, i|Uiil a e oitatos desta lotera
8rliaii-se a vemla na ra da Cadeis do Kecife loja de
cambio do Vieirn. A ellos pois fui nesla casa qu
tendeo n n. 20I ijuetirnu o premio le -2:0004
de leis o nudos maia premios.
= \' me se. por preco commodo, a Biblia Sagrada
em portuguet e lalim por Antonio l'ereira de Figuei-
redo ; l.inii| oiidio da bialona do Brasil pelo general
Abreu e Lima ; Curso da historia da pbilosopbia por
Cousin em portuguei por Fiuueiredo : na ra do
Amparo, n 50. a tallar enm o distribuidor do Diario.
Vendem-se lencos de cam-
braia de linho, muilo fina, bor-
dados, para mo de seuhoras a
8,9 rs.cada um: na ra do I abu
g loja de Pereira & Guedes.
as VenOo-se um cabra do bonita figura de 18
annos, nffirial de Muate ; urna preta, de 20 annoi ,
pouco mnii ou menos, de bonita figura lava e tem
principios do corintia e engommado: na ra da Cadeia
do Kenle loja de nnudc/as de Guedes & Mello.
=Vende-se cal tirgem, em meias bsrricss ebega-
da pruiimainente nnr pre{o commodo ; na ra d
Moeda armazem n 15.
Vende-se um trencelln noto, de ouio de lei, de
muito bom goslo e que serte para senbora por pre
in em cunta ; na rui larga do itozrio loja de unu-
le/BB. n 35.
= Vendm-e duas pretal crioulas. dii'^m com
algumas habilidades e que sao proprial para o ser-
tico de campo, ou sito ; na ra da Cideii de S. -An-
tonio n 13, segundo andar
Vende-se um palanquim em bom uso por
preco commodo; na ra do Itangel, n. 50. Na mes-
ma i ..su compia-S'' um lellim ingles com algum uto.
=Vendem se 2 embonos de cedro com 62 palmos
de coinpi imenio e 7 de grossura ; 2 plot da sapu-
raia-ile pilto um com 34 palmosde comprimenlo e
14 pollegadss ero quadro eo oulro com 29 palmos
ile comprimento e 12 pnllegadas em quadro; a fallar
com Gaspar Jos dos lien.
= Vi ii le .so una canoa que catrega para mais de
mil lijlos ile altenaria muito forte; ou a troca por
lelha ou tijol s de altenaria ; asiim como se tende um
preto da Costa, de'todo o seri(o para lora da pro
tincia ; um par de rodas notai, proprial para carro-
ce de condcelo de cannai ; no fim do Boceo-Largo,
taoque d'agoa, junto ai tanas, de Manuel Antonio da
Silva Molla.
ib Vnnde-se um catallo, bom carrfgador biiio e
esquipador ; um dito, proprio para carrora : na ra
Nota n. 59. Na mesma loja le Jira quem vende um
relugio de ouro patente suisso.
Vendem-se lingoas do Rio-Grande,
muilo boas ; na ra da l'raia, armazem
n. 66.
= Vende-se urna parda, muilo dar que cosa ,
engomma coznba e lava ; um moloque, de An-
gula de 18 annos : na ra da Gru, n. 51.
= Vende-se um catallo gordo e bom anador;
na iui larga, do Roiaro n. 38.
- Vendem-ie cbapeoide palbinhi enfeitidoi, o
miii ricos, que leem apparecido no mercado, muito
proprios para meninos e menina* cbegadoi ultimi-
mentedeP.iris ; lutss de pellica com lagos; ditas de
seda psra senbora muito proprias para bailes; ludo
por proco commodo : oa ra da Cadeia do Recife, lo-
ja de miudeai. de Guedes & Mello.
Aos Srs. propieta-
rios de engeuhos.
Vendem-se taixas de ferro cosdo e moendas de can-
na para agoa ou animaes; rodas dentadas ; crivos ;
boceas de lornalha ; e mais ob|eclos necessarios para
engenho por preco commodo : na fundigo de ferro
de M Callum & Compsnhia oa ra do Brum, no
Recile.
= Vendemie sellini ingleses linio de montaria
de homem romo de senbora ; cibecida rolicii, de
rouro de lustro, preto e brinco ; barretinas com appa
re I hos ricos tanto de officiaes como de soldados de es-
tallar ia e infanlaria ; tallins e cananas de oouro d-
lustro brinco e preto ; couro de lustro de superior
qualidade; ludo por prego mais commodo doquoom
outra qualqccr pule : na la Nova ns. 5 28 e na
la da Cadeia n. 49, lujas de Braga Silva di Corn-
il inlm
Meias casimiras. a
3ftOO rs. o corte.
Na ra da Cadeia, loja n. 60, de Cunba & Amorim,
tomlem so fortes do meiis casimiras com 3 cotado*
e meio cada um, pelo baralissitno proco de dex palien.
Laas a 24^0 rs.
o corte.
Ni loja n. 50, do bom birsteiro di ra da Cadeia,
defronte da ra da Midre-de-Deo, vendem-se cor-
l'i de superior la para caigas 7 pilleas o corte de
lies cutidos e meio.
ATTENCAO!
Vende-se rap de Lisboa, do
ultimo rhegado, bem fresco ,
orii.id.ix el aroma, e boa cor.
Os tomantes que gostao da
boa pitada venho a ra da
Cadeia, loja n. SO, confronte a
ra da Madre-de Dos, que
se garante a boa qualidade.
Ba rege de algodao.
a 2S60rs.oeorte.
Na ra di Cadeia loja q. 50 do bom barteiro ,
tendem-se corles com 14 corados do barege com lis-
tras de cores pelo diminuto pngo do oito patacaa o
corte. Cuta faienda he ptima para vestidos e mosque-
teros pela sus transparencia e lindos goslos.
Pelle do diabo e
drap a ISttO rs. o corte
Vendem-se cortei di bem conbecida fazenda pelle
do diabo com tns covidos o corte ; e de drap, com
duas tirase urna quarla pelo baratissimo preco de
quatro patacas. Esta farenda be de puro linho pa
drdeaeicuros.de quadios, e ptima para caigas, pela
sua consistencia e por encolmr o su|o.
!SSSiS38
= Vende-se um ptimo carro de duas rodas n0(
prego muito commodo; o rui do Arigio, a, 12.
Escravos Fugdos.
6*5
ce


1
o
**
s
*
1
m
u
cj ^:
2^
n c
a _c
i
es
a.
e
O "
n _--.
if?*t''MCO'>vX'N
^ O ,
V ra
o.
Sa
ea v
'C u
> a-
ES
3^=
CJ O _
a O u
.e o
cz o S
-=-- Denppareceo, de bordo do brigue Cairo-Pri-
miiro desde i Urde de 13 do corrente um eterato
marinheiro, de non e Benedicto pardo, alto, groiio
do corpo pouc barb bem fallante e eipidocU;
representi 30 annoi pouco maii oo menos; |,oa
calgn de brim cinta encarnada, oimia bnnc, chi-
peo de oleado. Recommeoda-se a captara do mesrno
escrito aoi espities de campo o toda n lutorid.
del, certo de que qOem o ipprohender e lotir i
bordo do dito brigue ou i rui da Cideii o. 45
em casi de Amorim Irmios recebar boa gritifi.
cigo.
= Continulo a eitir fgidos desde 21 de abril
prximo pissido de bordo do brigue Mtiior os es-
critos mirinheiros sendo : umde nome Jos, da na.
rio Giblo ; representa 30 annoi pouco miiioo me-
nos estatura baia, barbado ; foi escrito di cm do
coronel Bento Jos di Costi : o oulro de nome Mi-
noel de nigao Congo ; representi 20 e linios annoi,
bailo, sem barba ; tem aa orelbn muilo pequeas: o
primeiro foi oieductor deste por saber de todos 01
lugares da provincia. Qs abaiio asiignados odercrem
e obngio 1 fuer eflectita a gratificagiode ISOj rs,,
oual maialnuma couii. a quem 01 ciplunr qu- r
nesta quer em nutu provincia. Pdese iguilmenti
a lodas al autoridades policiaes luda acautela em quies-
quer escratos capluradoi, poii que nada he mais fcil,
do que trocirem 01 nnmei: perloncendo 01 inntin-
riados ao Sr. Jos Maris de Si negociante do Rio-
de Janeiro.= ilmorm Irmot.
=a Sabbado, 19 do correte desappireceo de ir-
mizem do Sr Serifim ummoleque, de nomo Ven-
tura de naci Angula de 14annos com falta di
cabelloi ; ten. urna belida em um olbo; veio de Ci-
riryi Novos em compinhie iie leu lenhor, Luiz Jorga
da Silva que le ichata arranchado no dito armaiem.
Itoga-se 1 todis li autoridades e capilies de cimpo 1 ip-
prehensio do dito, moleque, e que o leven 1 roa Nota,
n. 25. Ijada Teiieira & Aorado, que serio bem
recompenndos.
1 Fugio, no dis 2 do correte, orna preta, de oo.
maltosa, do gentio de Angola alta, acecido corpo,
piapalhetadoi e com rachadurii de ontoi seceos;
te ni o m lobinboem um hrago urna pinba de cabellos
brancos na frente da c>beca e por toda ella cabellos
brancos; representa ter 40 annos de idade ; he fula;
levoo vestido de riscado ja velbo um saia de chita arul
eomfloreiimirelln. (uem a pegir, late 1 rui do
Itangel n 31 que ser generosamente recompon-
ssdo. Proteita-se proceder com ludo o rigor da lei
contra quem a li ver oceulta poii ji se sabe, que 1 diti
escriva eit icoitidi nesta prsgi.
= Fugio no da H do corrente pelsi 6 horsi di
miohli um mulatioho de nome Cornelio de l!
a 14 annos, bom fallante ; levou camisa de brim e cil-
1,'is do ilgodlo sem cha peo ; coma ter ido para o en-
genho Tapirema pelo o mesmo ter mii em o dito en-
genho eier escratodoSr. Manoel Catalciuti de Al-
ImquerqueLscerda, senhor do engenho de Canosl a
mano do senhor do eogenbo Tapirema. Roga-ie 1 lo-
das as sutoridadei o proprielarios, por onde oditoes-
crato paliar de o approhenderein e remetle-lo a ilil
da Cadeia, loja de calgado, de Jos Fernandos Bas-
tos que gratificara.
= Dcsappareceo, no dia 20 do corrente um pu-
to, de nome Antonio, de naci Angola; representa
ter 30 e tantos annuf estatura regular, eheio do cor-
po pouca barba com marcas de beiign que,
pouco, tete ; letou csmiii e ceroulaide algodaonnho
trincado, noto: quem o pegar, lev. a roa da Auro-
ra n. 30, que aer gratificado.
ENIGMAS
PITTORESCOS.
5 ggo ._.-=. -oSSSjS
Milla,
u > <_
o > s
1
i
o
3"r= ;
: E > o 3 =
1 "-"
52'Csnc
3 2 ^<2 a

Vende se a pidnia do Corredor-do-Rispo, a.
8, com todos 01 utensilios promptos 1 trabalhirem, a
dinheiru ou a prazo; todo onegoeio se Tar : a tratar
ni estrada de Joo-Ferretra iodo di oledide pira
o Mangumbo, n. 19.
=Veodem-ieeicutoi de ambos 01 seos ; aa ra
da Ciui, o. 61.
suA -----=_ t IIECIFIMClO
He no ceotro da gloria a morada dos
justos.
PKN. J MA TYP. DE Mi K. DE YkVAk
Akiai46


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECBANXN5I_75W5TL INGEST_TIME 2013-04-26T21:39:59Z PACKAGE AA00011611_08401
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES