Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08392


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1846.
Sal) lia do I'2
O DIARIO puhlict-se lodos 01 diu que nao
forem de guarda: o preco da a*signatura lie de
4fo00 rs. por quartel, pagar adtantados. Os
anuncios dos assignantes sao inseridos a razao
de io rei por linha, 40 ris e>n typo difleren-
te, e es repetirles pela metade. Os que nao fo-
rem assignantes pago 80 rii por linda, e 160
un typo diflereute.
rH ASES DA LA NO MEZ DE SETEMBRO.
Iji cheia a 5 as 10 hora >S nulos da man.
Mingoanlea 12 as S llorase 11 min. da man.
La nova a 20 a I horas e 13 min. da tarde.
Crescente a 28 as 5 horas e 8 minutos da man.
PARTIDA DOS CORRF.IOS.
Goianna e Parahvlai Segundas e Seitas l'eiras.
Rio Grande do Norte, chega as Quartas l'eiras
ao meio dia e parte iris mesmas lloras as
Quintas feiras.
Cano, *eriohaem, Rio Formoso, Porto Calvo e
Maceyd. no I.*, 11 e 21 de cada raez.
Garaabuns e llouito a 10 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as Quintas feiras .
Olinda todos os das.
PREAMAR DE HOJB.
Primeira 5,10 horas e 6 minutos da manilla.
Segunda as 10 horas e 30 minutas da Urde.
de Setcmbroa
Anno XXIF
IV. 90!.
das da semana.
7 Segunda S. Pampbilo. Annivrrsario da In-
dependencia do llrasil.
8 Terca ijl iff- Natividad* de Nossa Senliora ,
S. Corb..iiano.
9 Quarta S Sergio, aud. do J. do civ. da
2. v e do J. de par do 2 ilist. de t.
i0 Quinta S Nicolao aud. do J.d orplios, e
do \. municipal da I. yon. .-
11 Sexta S J.cintho, aud. do 1. do civ. da I.
v edo J. de pai do I. dist. de t. '
12 Ssbbado S Juvencio. aud. do J. do ci. da
I.., edoj depazdo I. dist. e do J. d6t.
13 Domingo S. Filidpe,
CAMBIOS NO DIA 11 DE SETEMBRO.
Camliio sobre Londres 6d. p l#a 60 d.
ii Paria 3SS res por franco.
. Lisboa 100% da premio.
Pese, de leiras de boas firmas l'/iP /""*'*
0m-Oncas l.esnanl.olas IlfOOO a l#4i'(l
. ModaadetiJtnOvel. I6j70o a IGJSim
n de00uov. I #000 a 16*2 10
a deaOOO... a* a 9J20i
Prala Palacoes...... uOsP a 2j00(.
Pesos columnares 11980 a 2|000
l Ditos Mesicanos. i|*80 a I #900
Miuda.......... Ifln "7B0
A croes da Comp. do Itchcribe de 0J000 ao par.
DIARIO DE FERN AMBUCO
EXTERIOR.
FRANCA.
EITtlCTO D JOltrUI riUIsCEtIS snBRE o RECIRTE ATTEH-
TADO CONTRA A VIDA DE LUIt PUELIPPE.
a O paii, dit o Journal det Dibatt
Nlo baria da orr, que aa lurnasso a commetler
M lal crime, entrelantu assiin aounteoen.
Atirriii s.ilire o rei esta noite fdo 29 de julho) I
A isiel proteneto d* Providenci*. quo desafia a
pertinacia a o furor do* aseaesiuue, sslvou pela ttlima
vea ama eiialenoia to chara, e lio preciosa para a
Franca.
Nesn o rei, ero alguna dos que eercatlo S. M., fui
farido.
Esta noticia ha deeepalbar uma contterncclo pro-
funda pur lodo o pas; pela nuisa parte, mal podemos
OuDler a nossa enmelo a magna.
Eis-aqui oa pormenores, que podemos onlber cer-
ca desee allenlado iiioompreheneivel:
Bala imite, s 7 horas e meia, na momento, ero que
o rei, aeoanpenhado da rainha e real familia, no ineiu
das acclamacoea do poro, se aprsenla veranda daa
Tolherias par* onvir O concert, dispararlo done lirua
de pistola sobre 8. M.
O rei, oom o admiravel sangue-fria, que minea Ihe
falln en snnelhanles eircuroitancias, tranquillisou a
rainha e as princeas, apresenlou-so ao povo, para re-
mover aa suas epprchensoe, e depuis deo ordem, para
que oonlinuasse o concert.
O* dnus tiros de pistola forlo disparadoa pelo met-
alo individuo.
O assasaino foi iaimediatamente capturado pelas
pestoas, que estarlo porto delle, que nu nppnt resis-
tencia alguma. Au ser interrogado, declarou chamar-so
Jos Henriqoe. Ten. 51 anuos de idade, e he fabricante
d'enfeitea d'ec.o. Deo-se depuis mu virejo no sen domi-
cilio. Elle confestou o crime, e reooobeoeo pur suas as
pistolas, de que se liavia servido psra commetler o at-
teutado. Parece alem disso, que elle concebera, lia mili-
to, oaeu projeclo; porque declarou, que meditara a aua
exrcufln no t. da julho, da, em que rali vera de tervi-
co esos guarda naeional naa Tulherias.
As pi.lula* sin de grosan calibre, e o assasaino re-
ferio hav-laa carregadu cun un pedaco do metal.
Ella he pequeo e frantiuo de figura ; eslava mui
limpainenle vestido, approximando-so a elegancia ; e
sobarlu-se-lho 140 francos em ouro na algibeira.
fea Na mesnia noite reunio-te o concelbo de ministros
'a paco, ao qual te decidi, que fo**e julgado pelo Iri-
u un I do* pares.
nt O ra volloii, depoi* do eunielbo, para ocastello de
Neeilly, e deve partir amanilla (30) para o castcllo
de Eu. a
O Journal dos Itibati acrrsientou depoi* os seguintes
puruienures:
a O rei calava na varanda i e a *eu lado eatavio a rai-
nha, madama Adelaida, as princesa*, Mr. Duchalel, mi-
nistro do interior Mr. Deleaserl, prefeitu de polica i
e o general Jarqueminol. O rei aind* nlo se iinh.i as-
sentado ; e ronircava a tgradecer a* acclamecciet, com
que a mullidlo o .sudara. Elle liuha a mi sobre o cu-
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
por aiorane Bumt*.
PRIMEIRA PARTE.
relo obra aquello ooracin, que lem lerapre palpi-
tado pela Franca. Ouviu-ae um leve estrondo, e o rei
exclamen Aquillo he para mini. Aa peasoas, que ro-
deavlo S. M., imaginarlo, que era alguma eiplmlo do
fugo d'arti finio ; mas n rei reapondeo tranqnillamente
Ni", bonve d'us tiros de pistola, que se dispararlo
daqaelle lado ; e indicou o lugar com o dedo; e oom ef-
feito assim foi. Ura miseravel asslssino, quo se hsvia
poslado da parle de fra dos jardn* reservados, atrs d
estatua chamada Venu* Agachando-aa tinha dia-
parado doua tiros lie pistola sobro o rei. No meio da
consternadlo universal, o rei Hcou immovel ; adbntou-
se para a frente da varaqda, mostrando pelos seus gesto.,
que nlo lilil* sido ferido ; e ordenou a urobestra, que
ooiilinuasie a locar a* aria* naciunae*.
a O regicida Manrique foi visitado na quinta teira
'30;, dit o Conslituliounel, por Mr. Dufresne, inspeotor
das pri.oes. Interrogado, eraquanlo aus motivos do sen
allenlado, o preso respondn, que, rat nulo prximo a
fallir, e nlo possuindu bastante coragem par* suicidar-
se, tinha aborto o cdigo para vnr, se liavia elgum pri-
me, cuja pena correspoiidento fise de niorte, sem ser
preoilo matar algueui, que enllo concebeo o designio
deatirar sobre o rei, mas sem intencln de matt-lo,
nfim de que se Ihe iropotesse a pena capital, por bave
allenlado contra a vida do rei.
A Gomia doi Tribunaei tras o seguinte sobre *s pri-
fies,que tirerlo lugar no jardim das Tulherias, na quar-
ta feira (ttj, o noite :
Annunoimoe hunlem a prislo do tres mancobos no
jardim das Tulherias,por proferirem palvvras sediciosas
contra o roi, puuno antes de Jos Henrique faier fugo
sobre S. M. Din jornal aniiuncioii errneamente, que
ellos forlo posto* em liberdide, depoi* de um breve in-
terrogatorio. O (eguinle foi o que realmente se passou.
A' pouca distancia do sitio, onde eslava Heurique,
tres mucos mostiavto grsndes signis de impaciencia
do nlo chegar o rei i varanda, para quo ooinrcasso o
coneerlo. Elle pareciio baver bebido no jantar mni.
milio, do que o ordimrio, e a (ua conversarlo lornoii-
e cm breve su ni mamen te iusulluus* ao rei e a familia
real. As pesaos, que ettavio prxima* a elles, forlo
gradualmente recitando, para evitar urna contanda, que
pareciio nio eslar dispostaa a Iravar. Fui smente de-
puis quo aeespalhou o boato do ter-se alirado (obre o
rei, que a* peonas, que linliio ouvido a linguageiii dos
tres meco*, se penetrarlo ds gravidade d* circumslan-
eia. V oltandu ao lugar, onde oa tinliio deixado, acha-
rio-no* anda prolenndo palavra* injuriosos contra o
re mas ignorantes, como depoi* declararlo, do que
havia ocrorrido, Oa iuiic.ua forlo enllo presos; um.de
19 annus de idade, he caixeiro d'uiu mcreadur i u se-
gundo, da mesnia idade, he cscreveule il'um sdvogado ,
e o teroeiro, de '20 atino, tein um emprego temelliante.
Quando foriu levado* presenta do comiaiasario de pu-
lira do quarteirlu da* Tulherias, nlo negarlo a lin-
gOsgetu, que Ihe* er* imputada, mas attriboirio-na a
ten ni bebido demasiado vinlio ao jantar. Negado ter
mis iiitencos contra o rei, uu aua familia; e, quinde
ibes foi perguiiladu, se uiu linhio sido indiiiidus u isso,
por elguiu partido poltico, um driles, hu demostrar,
ue uenhiiin motivo de inleresse pessoal os havia im-
pedido a faier o que tiuliio feito, a|iresentou um bilhe-
te do nioiiie po de uma casaca, que havia sido ompe-
aaaxaRsaaajaaanavaTiir^iiaMirTaafrrTTis'risjiM'T-* tt^ 'iraiT"ita
*aa a^a8Aa0
CAPITULO UL
lOlIMIA rIOIAatI.
Agora referiremos que se passou no exterior daear-
ruagero, emquanlu na iulerior eonversavlo o viajar e o
philoaopho.
Ao cahir o raio, que derribara oa cavallot da guia, e
Hiere empinar o* de tria, dissenios, que mulher havia
desmaiado.
Fir.iu ella privada do* sentido* pur algn* momento i
roas, puuco puuco, como o seu desmato tora davido
nicamente au niedo, Inrnou a si.
Oh! met Dcoi, diise ells, eatou aqu abandona-
da, seui succorrn, e nio ha uma crealura humana, que
ao conipadcua da mita !
Senliora, diste uasa vol tmida, aqai e*tou eu, se
Ihe poseo prestar para alguma cousa.
A esta fot, que quasi que Ihe suave ao ouvido, a jo-
ven dama endireitou-te, e, deittndn cabrea e bracos to-
ra da* cortina* do cabriole!, deo com os olho* cm um
mancebo, que'esleva em p no estribo.
Fui Vio. que me fallou, meu senLor t diaae ella.
_ Sin. aenaior*, raapoudeosi mancebo.
E ufferecee-me-u san presuma?
Sun.
Pnmeir*mente, digi-me, o que be que liuuve ?
Houvc, tenhora, que ua* raio acaba de caliir qua-
si eaa cima do Vm. e que," ao cajiir, arrcbvntou o* ar-
(; Vid Diuri m.' Mi.
reiot din cavallot do dianle, quo fugiru, levando cura-
aigo o poatilhio.
Dlhou em derredor de si a mulher, com a eipretsiu
do msis vivo detaaaocego.
_ E....... a o quo boleav* o* ctvalloe da lanca, onde
ella? pergunlou ella.
Entrou para a oarruagem, teuhora.
Nlo Ihe aoouleceo nada ?
Nada.
Vm. etl bein certo ?
Pelo menot, vi-o apearlo deum talto, como quem
eilava slo a alvo.
A b I louvado *ej* Deo* !
A dama respirou msis livre.
Mas onde estar* entiu Vm. senhor, para lio a
proposito me ufferecer occorro?
Sorprendido pela travoada, abriguei-roe quelle
vio escuro, que all v, e que nlo he oulra cuma oais,
que entrada de uma pedreira, quando vi de repente
deserobnecar daqurlla volln uma carruagero, puchada a
lodo u galope. Pensei a priuoipio, que os cavallos ha-
vilo deaembestado, moa para logo vi, que, ao contrario,
crio guiados pur mo segura, quondo de improviso ca-
bio o raio vom estampido to trrrivel, que cu niusiuu
me julgiici fulminado, e pur um instante Gquei como
mono. Istu ludo vi eu comun'um sonho.
Enllo nio tem cerns de que o homem, de quem
fallei, eateja na carruagem ?
Qh ts-nho, aiin, euhora, j havia tornado mini,
e ti-o perfeiuroente entrar.
Pijo-lbe, que se certifique de que ello anda la
esl.
Como?
_ E*cut ando ; ie elle eitiver no interior da oarrua-
m, Vm. ha de ouvir duai faiei.
O mancebo sallou no chlo, cheguu-se caixa eap-
plicuu o ouvido.
Sim, senhor, disse elle, ao reliar, la esli.
Fe* a dama um gcslo, como quem ditia esi bem
mas ficou oom a cabeca aneualada i mi, a como absor-
ta em profunda madilsclo.
Durante csse lempo tese o mancebo oocasiio deexa-
inina-la.
Era uma wulber de una vinte a tres a vmta e quatro
siinos alva, na* de uma dessa* alvuraa de.bol.d.., mais
encantadoras doqua as vivaa o cor de ros*. Os bello.
ulhu.asues, postes uo cao, que/ella como que interro-
gara, brilavl coito aauellaa, e oa oabello* negro*,
nhada pira furnecimento de fundo* par* o jantar. Elle*
forlo remottidos & prefeitura de polica, e posto* dii-
posicio do* procuradores da 0ur6a, Um ((iisrlo indivi-
duo, igualmenln acusado de haver proferid gritua se-
diciosos, nre.liii.eto de prufisslu, e da 49 annoa de
idade, pouco mais ou menos, tambero foi preso.
(aRltM).
Correspondenoin.
Sr. Itidaclorei. Teodn-me cssualmele iodo s
maos caria |onla, dirigida a meu mano, o bicharel
Fernando Allomo de Mullo, p ir o rbula do Rio-For-
moto, Jos Luii da Silva Guimariei, de quem me te-
nho j oceupado ; julguei coovaoiente eipur ao respai-
lara! publico a leitura da meim, bem como as brevet
annotacSut. que me pirecfirio I propoto l*zer-lhe.
Por eisa cartt conhecer-te-hio.qutei lio a* vala* da-
quelle kerr, que, qual oulra enregelada vbora, amea-
c* querer picar feotn a pona de su i espada) o leio dt-
quellei, que caridotamenle o aquerero.
F. por esta neessiio, tsmhem Ihet rogo, Sn. Redacto-
res, bajo de publicar ai cartat juntai lo meimo rbu-
la, a fin de que o publico sensato e imptrcial conhec*,
que a denuncia, por elle dada contra meu irinio. nlo
he mais do que o infame paito do deipeito e di vingtn-
Qtj be um tecido de calumnias arleinmente forjsdo
para arredar a meu irmao do lu^ar de uiz municipal
do Rio-Formoio, em que ene rbula nio poda impu-
nemente continuar a traficar com a justics, emquiato
lili o ttveste por juil; lie lioilmonte a prov* mait ca-
bal da honra, probidada e imparcialidad!!, que iumpre
ha presidido ios actoi dette magistrado, boje objeclo
da rain diquellei, que se julgio cotu direito a domi-
naren! na comarca do Rio-Formoio. e a quem ene r-
bula terse de testa de ferro, como bailo e vil ioitru-
tneolo. Tanto he eisim, que o lal rbula, (emendo ter
descoberto a cadt momento, ora recoinmenda tegredo
io homem, em quem te confiav, ora que te finja do
ente, ora que sdente o que dina, pan nlo cabir em
cootradic(6ei, e acaba finalmente por descompor ao
eicrivio Coelho Jnior, por ameaca-lo, etc., etc., etc.,
s porque ette nao poda, netn evia continuar maia
lervir io vergooboio plaoo de petaeguitao contra meu
Iranio.
Eu,Sn. Redactore, sou, etc.
lUanoel Firmino dt Mello.
Amigo e Sr. Dr. Remedo ena carta, que veio
do Recife, esses dout requerimenlot ptra despachar, e
o Diario tetko, em que labirlo os nonos eleitore, etc
f 1) No Diario Novo do I.'do eorrenti-, vem uma cor-
respondencia e uma repreientacio au goierno sobre ai
eleifdei, que not arrasa, e a V. S. multo mait. etc. Eu
(1; Entretanto que, quando le acha neiti cidtde,
denomina leui o eleitore do chimado partido prai-
eiro.
leobo tido e iou mu amigo (2). e teoho-lba dito algu-
ma coust tobreenei malulos, que noi cerdo, com os
quaes i se psssa horn, trazendo-os peta ponta daetpa-
dt (3), e tratndote com impostura, como os mait jai-
es teetn feito (l); porm a tui bondade de se brir
com todoidi lugar, ai vezei, lo aboccanharem. V. 5.
deve responder meii-duria de deiitoroi (5), e, quando
nada, chamar o da correspondencia a reaponssbildado
(6), devendo contar commigo. io Ib for prestavel (7). e
logo fallramos; e slndi nao vio o Diario, que o Julo
Antonio tem, eu Ih'u mtnlarei, por o ter recabido bo-
je, n nlo o mando j, porque ociiieiro doCunha, o
Sr. Filippe, o levou. Sou seu amigo obrigado
truimordtl.
S.C., 3deoulubrodel8H.
i|iie nio crio pulvilhado*, opetir da moda daquellea
lempos, caliiio-lhecm aunis de mem bu sobre um eol-
io de mimosa cor.
Do sbito, como quem liavio tomado a tua rciolucio,
pergunlou ella ao mancebo :
Onde estamos nos aqu, aenhor?
a estrada de Strasburgu a Pars, senliora.
E pin que ponto drlla?
__ A dual legoat do Pierrefiltc.
En quo he Picrrcttlu '
He um burgo.
E que ierra te legue a Pierrrfille ?
_ Bar-le-Duo.
_ He uma cidade?
_ Sim, aenhora.
Populosa?
be quatro a cinco mil almas, creio eu.
Haver algutu csroinbo daqui a-Bor-le-Duo, que f
mait direilo lii, do que a estrada ?
Nlo, senliora, pelo menos nio sei.
Pecrto! murmurou ella dcvngarinho, e rcoo-
lliendu-se para o cabriole!.
O rapas esperou anda um punco, a vr, se ella Ihe
pergumava mais iilguma cousa; suas, vendo, que guar-
dara silencio, deo alguna psssut, cuino para rcli-
rr-te.
Esto movimento tirou- da tua meditscio, *o que^pe-
rece ; porque loncou-te precipiladamenle lubro a dian-
leira do cabriole!, e brailuu :
seoi.or ral tavi.r ?
O mancebo vollon-*e.
Aqu esluu, aenhora, dase elle, approximan-
do-*e.
Permitl*-rae, que Ihe facs anda uma porgunla.
Diga.
Nio liavia atado traieira da carruagem um c-
vallo?
Sim, aenhora.
E anda li eaia?
Nlo, senhor*: a peisua, que enlrou pra a car-
ruagem, desprendeu-o de li, para o amarrar uma mo-
la de Ira*.
E tinibem nio acontecen nada ao cavallo?
Creio, que nlo.
He uta animal de grande valor, e ao qual quero
muili. ; detejra ccrtificer-rue por niim suesma de que
esta ao e salvu ; mai como bu de eu II ir por etta
lana ?
2) Smente com o lim de poder nena quslidida tra-
hir a meu irmao, como o tem feito publicamente.
(3) E que tal o bomem ? Pois sera isiim, que pre-
tende elle pagar o generoso e favoravel acolhmento,
|ue le Ihe prestou, quando, i maneira de nejro d An-
gola, foi detovado as nosiss plagas? E porveolurt
considrale S. mr. ilgunia coust no Rio-Formoio, pa-
ra pretender levar es seus haliitant'i i ponta de espa-
da ? Ok tmpora oh mo veja como trata o brioios e retpeitaveii cidadioi pro-
pietarios daquella comarca, que S. me. tisna com sua
Lame e escandalosa pretenda I
Olbe, que nlo esl na iui trra, e nio le apavooe
com a tua inculcada familia, que a nlo tem, ou nio dit
f de S me.
(4) A' islo Ihe respondi os dernail jaizrl, intecei-
sore de meu irmio ; o veja o publico mais uma prova
da verdade do que tenho affirmado, a respeito da ouia-
Ji* e atrevimenlo desse rbula. Cumprindo-me obter-
vtr tqui a etse rbula, vil detractor, que nio teja lio
audit e calumniador ; pois que, le amaste a verdade, ao
menot devia eieeptuar a alguem ; como, por ejemplo,
o Srs. Un. Mtnoel Teixoirs Fetioto e Alvsro Barba-
IhoUchoa Cavslcanli, u quem certiment caber a pecha d'impoilor.s, que, por urna tal maneira,
lltei quiz irrogar eise inltme rtbula.
(o) Era precito, quo ineu irmio livetse o carseter
de S. me.
(6) Seo conceito dette infame rtbula valesie sga-
me cousa, visto ett, que be calumnia, ludo quaolo
agora vomita contra meu irmio. Porm, independen-
temente de ser essa folba chimada a responsabilidada,
como insinuou eise rbula, bem deve elle lber, qua
meu irmio enlio lejuatilicou cabalmente, da miseravel
calumnia, quo abito lh tisicoii; istim como agora o
ba de cunieguir eonlra ai calumnias do seu vil delator.
(1) E pin que, Sr. Guimaries ? Pelo amor de Ueot I
Que preilimo poderia meu irmio adiar em tua pessoe,
iu antes cousa ? S se lusse para poder arranjar algu-
ma boa cotila para cun ai thesourarias, relativamente
aa sitas, e meiat sitas, etc., ele., em que S. me, na
verdade, ba mostrado rara babilidade !
I'oaao liaier o cavallo aqui, diste o rapas.
Ab, sim I exclamou a dama, fica-me itio, eu Ib'o
peco, e Iho fiearei omito ubrigaila.
O mancebo eheguu-c ao cavallo, que levaalou a ca-
beca, e rinchou.
Nio recre nada, replicn a dama do cabriole!, el-
lo lio manto como um cordeiro.
E, aballando a vos, murmurou:
Djerid! Djorid!
Conhecia u animal som dovida essa vot pela de aua
senliora, perqu esteudeo a inlclligenle erboca a as fu-
roeg.inles venta* para o lado do cabriole!.
O rspat apioveituu-so do ensejo para desata-lo.
Mas rile, apenas sent a arreata em mos inliabeia,
leo tio forte saeudidelU, que viu-se livre, e de uro sal-
to poz-so a vinlo pasaos da oarruagem.
Djorid repeli dama oom carinhosa rol, aqui,
Djerid Aqu!
E o animal, obediente, veio apreseular a cabeca a
mo, que se estcndia par* afaga-lo, oom passos oaden-
le, como te arguisse urna nula do msica.
Entio, a dama, segurando com essa afilada mo a or-
do cavallo, e nom o oulra firmandu-ae na dianteir
> cubriolet, saltua ns < II oom ligeirct desses ph*n-
tasmas das bailadas allemles, que puli ua jampa do*
cavallos, o se garri acinture du* cs*lleiros.
0 mancebo deilou-se pera ella, que oum iosperioio
getto o iiispendeo.
Ouua, Iho iliaae ella, posto que moco *ej. ou an-
te porque he moco, deve Vm. ter enliuieiito* de hu-
inanidade. Nio se opponhi, aeia, a nunlia partida, hu
fujo do um homem. a quero amo, mas primeiro quo lu-
do sou boa calhulioa romana. Ora, este perder-roe-ha a
alma, te eu firar oum elle por mai. lempo; lio un a-
llioo, uro feiliceiro, que Deus acaba de advertir pela
vuxdotrovlo. Assim se aproveilo olle do aviso. Diga-
llie o que cu aeabu de diser-lho, o Deus Ibo pague o aoo-
corro, quo me deu. Adeus!
E, ligeira como esses vapoies, que fluotiiio por oima
dos brejoi, parti e desapparcoeo arrebatada pelo gale-
|ie arrio de Djerid.
O mancebo, ao v-la fugir, nlo pode oonler um grito
do sorpresa eespanto.
Era ess grito, que harsi restado no interior da oar-
ruagem, dispertado o viajante.
{Contimmar-oo-kmJ
*i
TT
___,





a

Illm. Sr. Coelho. Delermina o Sr. doutor juir
do erime, pela porliri. que o Sr. Caetano Ihe remelle,
que Vmc eontinuasie no exercicio do leu emprego, fi-
cando ten cfleito a suspeicio do doulor juiz munici-
pal. O Sr. Pedro Ibe dir alguma couia a esle reipeto,
havemfo sogredo, e Vmc. nio laca servico elgum em da-
ta de 8 Jo correntH, devendo estar aempre firme no que
represento!, au Sr. doulor juiz do crin.e e so Exm. pre-
sidente; porque esle negocies, tendo lido afleclot a al-
ies, rio sio brincedeires, que hoje se diga uoia cousa
e maoba outra. Sou seu obrigadu e criado
(turnarn.
o Em JO de novembro, tic.
Illma. Sra. ComniBre.Recebi sua estimada, e
vejo o que me di. A justific ^'n que elle deo, da na-
da vale, por ser produzni com leste'iiunhassuipeites, e
sem c i lucio Je parle, e fui bi>m o Raymundo diier, que
vio os autos viciados em casa do Deinescena ; embora
te nlo etcreves'e, qusndo o diste publicamente; e pre-
cita tomar nota de quem ouvio elle dizt r isso. Vai o
protesto asiignado, pare o Sr Santot licor com elle no
cartoiio, pastar a cerlidio da inlimacan e dar a cerlidio,
comose requereo; e vai outro requerimento, para.de-
poisde assisnado pelo compsdre, ser despachado pelo
Sr. Joo Manoel afim do ser cumplido na lima re-
querida. Voltio as ceitidrt, peie guarda-las 16, para
o que for precito, as quaes esli boas; o quanto to Sr.
Joio Manoel chamar o compadre, achodeacerto, que se
elle vi a Coelbat, o se o garantir a respeito de qualquer
violencia, que se recolta aocailorio, estundo sempre
com (eices de doente, e de lenco amarrado na cebeca.
barba grande, etc. porque, se elle nao vier, pode agora
o Fernando, aconselhando ao Sr Joio Manoel, porque
se livra de responsabilidade, faier com que elle obre tu
do, quemo Ihe fr lembrado, com arrombamenlo de
cartorio, etc., e eu eslou, que o Sr. Joio Manoel oio
concorra para taes violencias; porque, a retpeito de
pmcesso, elle se defender, e o que careco smenlo be
o compadre sustentar sempre o que se lia feto. e o que
tem aconleci lo, para nao ser spanhado emcontracliccio;
porque os negocio* nio esli de brincadeira, e peior se-
ra entio para o con.padre, e em beneficio do Fernan-
do. O compadre deve iraCotlhas com outra pestoa,
ou iresmo com o Sr. Apollmario, tendo senlido, que
nao Ihe escapo nada, em que se apanhe contradicho:
e dena-lo o Fernando dar por paos, e por pedrs; por-
que a ti agora, por meto de protesto, est de mos atadas,
e ludo compele ao Sr. Joio Maooel, que o nao ba de
precipitar, a contento do Fernando, e nem tal proceder
he i rn. I, | orlan! decido-uie.com outras opinioes, que
elle se va spreseolsr ao Sr. Joio Manoel, e que ereco-
Iha ao carlono, obrando em ludo, como levo dito. Man-
de essa carta para Caiueira, com o requerimento, para
ser stsiiinedo, e elle o levar para Coelbat, nio te apar-
tando de sustentar, que o procesto do Rocha, entregn-
os elle juiz, que elle loi quem borrou o rol de culpa-
dos, que o outro rol deculpadot e procesis, que eli-
gi, nao sao de seu lempo, e que ot tulos de Juo Lo-
pes Ihe lorio por elle entrcguet no celado, em que te
tchio. Sustente ludo assim, e nada lema: e como nao
escrevo ao compadre, mando-lhe niosmo esta caita, pa-
ra tile ver e mostrar to Sr. Caetano: se o Sr. Pedro et-
liver ah, pode mostrar lamhem a elle, e onlregue essa
outra carta ao Sr. Apollinario. Sou de Vmc .compadro,
ubrigado Joi luiz da Silva GutmarHes.
Em 20 de novembro de 1845.
o Illm. Sr. Coelbo. Amanilla val o Dr. Fernando ;
e Vm. sempre se laca doente, com lenco amarrado na
calece o barba grande: ,. se fne lhe mandar algumas
portaras, pedlndo cerlidfies dos autos do Albino, ou dos
eulos contra ot herdeiros de Manoel do Nasclmento da
Silva, Vm passe smente do que constar dos autos, a
que elle se referir, e nada mais; e se liver duvidt em
alguma eiigencia delle, nio passe cerlidio sem consul-
tar o Sr. I'edro ou a mim, nio se apartando nunca do
que se ha feto, para nao cahir em contradicho ; por-
que \ ir. ha de saber, que o Keymundo disse, que vio
os autos borrados, qusndo o Damascena Iti'os mostrou ;
que eu vou por is-o em lempo, e nada tema ; porque o
que Fernando Ihe fizer, eu desmanchare! : so o que
quero, para bem de sua defesa, he, que Vm. se nio apa-
nhe em contradicho, por que possa ser pegado ; flcan-
do cerlo, que ludo he a nosso favor; e baja tegredo,
pois que at o escrivao Santot te tem porttdo para com
Vm. como eu sempre esperei, Uto he, minio e muito a
meu e seu favor.
n Adeos. Sou seu amigo e compadre (uimares.
Em 21 de noumbro de 1846.
Illm. Sr. Manoel Antonio Coelbo de Oliveira.
Rio-Formoeo, 18 de Janeiro de 1846. Por malt que
me prevrnf, logo que aqu cheguei, em oulubro proii-
nio passado, com a quena, que del, do Fernando ao
presidente, para me nao envol'er com seu Ribo, a res-
peito das eiigencias, que delle havia faier o mesmo
Fernando, para sua delesa ; o qual j bem eonhecia, e
me nio era eslranho o seu procedimenlo ; pelo contra-
rio, Ferntndo o tperta publicamente em Serinhiem,
para Ihe passar ceriiiioi s falsee; elle vale-se do subde-
legado, no engenho Cachoeira, que, por ser pessoa de
rumba familia, nio s o prctegeo em ludo, fazendo del-
le gente, dando-lhe cavallos para suas viagent, gente
para o arompanhar, e dando at providencias uecessa-
riat, tanto ofliciaes como particulares, contra oteu per-
seguidor ; alem de me envolver tambem na mesma pro-
teccio, em servico de esiripturecao, eom seu escrevente
Apollinario, em leu beneficio ; tabindo de minha asa,
edenoite, para levar teu filho para ata, defeodendo-o
11 pinte o Dr. Ajres, das aecueaedee de Fernando e de
cinco lestcmunbss, contra elle bem ensaladas, para o
prenderem, alem do pega, que live, de paiavrtt, nesta
occasiio, com o Fernando ; emprettando-ibe o meu di -
nheiro, por estar parado, para suas preeisOes, e outras
multas coutat, que relata-las pelo miudo seria um nun-
ca acabar : afinel, apreteotou-te teu filho de mos da-
das com o Fernando e tua caterva, de commum accor-
docom um Joio Damatceoa, qjeja o descorr por e amen-
to u de ccele publicamente no cartorio ; contra o incl-
ino subdelegado, teu protector, contra mim o lodot os
mais, que o epoiiio e protegerlo, nao obstante o Fer-
nando suspende-lo publicamente, em audiencia, e des-
compo-lo, cbamando-lhe ladrio, e outros nomet taet e
quaes ; e na resposts, que deo so presidente, pttsa-liie
urna descompostura, que te nio pode diter mais. lito
be, como Ibe agradece os seus servidos porque seu fi-
lho be de condicio tal,que so, tendo tratado mal, amea-
(ado e detcompotto, be que traja bem ai petsoss, que
o proteger e Ibe mostreo amiade ; porui desde Ji Ibe
disjo, que com esta accao perdeo multo, e para o lutu-
ro veremos o que bateri ; porque erros de oOlcio, lm
dos que lem commeltido, estaos commelleodo todos ot
das, e a respelto de pregulca, esta mora eom elle, visto
que semanas le pessSo, tem que elle pegue em pena pa-
ra preparar os eitos alrasadot; he inteiramenle des-
manchado ; nada ganha. porque nio trabalha, e vive
pedinchando vergonhosamente a todo o mundo, qusndo
se ve preciso i rs arranjode casa, queja aborrece.
a Corre at noticia, que tres cartas, queeu Ibe escre-
vi, em que fulla va no subdegado e em oulras pestoas, e
mais cousas perticulares, elle as deo, ou mostrou so Sr.
Joio Manoel e Joio Damascena; esta, que, inda ba pou-
cos dias, quasi Ihe furta dous autos, e que be agora o
seu escrevente, por ter despedido o Apollinario. em pa-
gamento de ter andado eom elle e o guiado para tudo,
pondo-lhe al nota de ter commigo arraneado orna fo-
lia mi rol de culpados, e borrado uns autos, qne urna
das testemunhat do Fernando disse, que. qusndo o Da-
mascena Ibe mostrou os autos, que ji estavio borrados,
de que teoho documentos : porm, como ia dizendo,
respeilo descartas, apeiarda noticia de as ter mostrado
ou dado, comtudo muito duvido ; porque, neste caso,
torna-te o negocio mais serio, e persusdo-me, que elle
e nio metteri nessa camisa, a que chamio de orne va-
ras ; e eu tambem tenho a carta, que o Sr. Joio Maooel
Ihe fez, em que o chama a passar em Coelhas, ns occa-
siio, em que assignou a carta a favor de Fernando, em
que disse, que ludo, que havia Jeito, Ibi por cooselbos.
e que eslava arrepentido, sem fallar em nome de al-
guem : mas tambem corre noticie, que elle dera outrs
carta, mais explicada.
i Ura, se Fernando, estando de bsixo e eom a igregi-
nha prxima a cahir, seu filho se porta assim, que faria
se elle estivesse de cima ? Elle ignorari, que essas pes-
soas, a quem tem oflendido com suss falsidsdes, inda
possao ser seus juizes, e que nio precisar mais de pro-
leccio para algum de seus costumados feitos, por es-
lar todos os dias commelteodo faltas ? Vai muito mal
guiado.
A mim, nio tem conta as grosserlat e molecagens,
que me tem feilo : inda agora requer ao Dr. Ayret, pa-
ra elle me declarar por cerlidio, o dia, mez e anno, em
que fui tuspenso pelo Fernando ; bem como a por-
tarla, que defeno a sutpensio, e elle nao s tem man-
gado em a nio passar, como al tem tratado mal ot por-
tadores que vio a seu cartorio eligir cerlidio ; Ji re-
quer neste sentido ao Dr. Ayres, e elle despsebou, que
passesie a cerlidio em continente, ou declaraste a duvi-
da, que tem ; cujo requerimento, tendo-lhe sido apre-
sontado, elle lornou a tratar de resto o despacho : e que
tal, Sr. Coelbo ? Porm de nada Ibe valem estes subter-
fugios, porque elle sempre passa a cerlidio, porque eu
eslou disposlo a requerer o que for preciso ; o que ser-
vir a V. S. de governo.
<> A' vista do que levo dito, que nio he nem um terco
do q'.e deveria diier, ver V. S o procedimenlo de seu
filho, que, sendo excessivo contra os favores, que tem
recebido, e os que ba de precisar receber, j se toros
inloleravel ; e eu, tanto porque elle he meu compadre,
como por ser seu filho, para V. S. estar sciente do que
se lem passado de mais aggravanle, e mesmo por elle se
acbarabi, beque me ei ao trabalho de dirigir-lhe a
presente, para nio ter que dizer, se lor necessario re-
querer qualquer cousa, por isso que da forma, que vai
indo, j se nio pode supportar; e se elle Ibe contar
qualquer cousa de encontr ao que tenbo expendido,
ludo he falso e mentiroso ; porque o que levo dilo sio
fsetos pblicos, sem conlestaco.
Eslimo, que telilla tldo lalas felizes, em compe-
ndia de sua Ilustre lamilla, e crea, que sou de V. S.
muito venerador e obrigado ciado
Josi Luiz da Silva GuimarSci.
Todos estes documentos estavio reconbecidos.
Editaes.
Rodrigo Theodoro de Freitas, catalleiro da ordem de S.
Bento d' Atit, condecorad com a medalha da reitau-
raco da Bahia, capildo de fragata d'armada nacio-
nal e imperial, impector -interino do arsenal de ma-
rinha detta provincia, a nella oapito do porto, por
S. M, o Imperador, que Beo guarde, etc.
Fat constar, para cnnhecimentu de quem pertenoer,
que todas as eanoae e outras embnrnncfle, nnpregadaa
no trafico dos rintnavegaveit daeta cidade, naopnderiS.
enb pona de multa, (indo o prato da 8 dial, oontadoa da
data deate, continuar nesee servico, sem terem lieenca
para no da e>pitania,e aerem nella arrolariav, paraoojo
fim he preeiio, qne ot proprietariot apretenlem Hnon-
inento legal, relativo ai dimenifiei, que tiverem na bon-
ea, puntal, quilha-limps, o comprmanlo de roda a ro-
da; attim como, que desde ji ett prohibido, tob-pena
de multa, pnilerein taca euibaroacoa lrarareia, para
trro, lustro dos navio, ou para qualquer oulro inis-
ter, i uto ter no lugar Corda-dus-Paaaarinhot ,
cmqnanto a capitana nlo designar nutro qualquer.
Capitana ilu porto de Periiinibueo, 9 de setembro
de 1846. Rodrigo Theodoro de Freitas, capillo do
porto.
Ilodrigo Theodoro de Freitai, tic.
Fai constar aos carpinteiros de machado e calafate! de
diversas clistel, residentes nesta cidade, que 01 hs con-
iderido comprehendidoi no numero dos qne sio pre-
citos pera ot Iribilhot, que occorrerem nette porto, dos
neviot da marinhe de guerra ou mrcenle, e que, em
ennsequencia, deverto epresenter-se os capitana, no
dis 13 do corrente, pelel 7 buril di msnbis, e nos
dous domingos ou dista untos, que seguirem, i mes-
ma hort, ptre terem nells matriculadas, na forma de-
terminada no ertigo 65 do regulamenlo dascspilani-
sob pene, oo ceso de desobediencia, de ser-Ibes
imposta a multa eutorisads pelo mesmo regulamenlo.
Faz constar,em additemeoto so editsl publicado com
ata de 9 do corrente me, que si embarcacdei miu-
des, nelle referidei, que devem ter lieenca di espit-
me, para poderem continoar no servico, em que se a-
rliao, e serem nella a'roledei, lio tambem aquellas,
que excluiivsmento se empregio no trafico do porto e
berras desta cidade.
Capilanis do porto de Pernsmbueo, II de setembro
de 1846. Rodrigo Theodoro de Fr$itas, espilio do
porto.
COMMEBCIO.
Alandega.
KMUMKMO UO DIA 11................-l:il Jj-iitj
eecarregad hoje 12.
Brigue-escunaJosephtnamerendonas.
Itrigue sar.to Duinoelbos e betatas.
Barca ingieraEltta-Johnionmercaduras
Galera ingieraColumbutidem.
Iirijue /eatija,idem.
Sumaca5. -Armachai utos.
1MP0RTACA0.
Daino, hiigue sardo, vindo de Genova, Gibrelter,
e Malaga, entrado no corrente mez, consignado a O-
liveira lima. > & C., rnanifistou o leguinte :
De (nova.
I"> pipas, 20 meiss ditas i, quarlolat e 50 cai-
ras unbo, aOOceixaa masses, 40 lardos e 30 canas pa-
pel de escrever, 1000 ladrilhos do mermorel, (i7 cai-
tes, 6 barris e 5 lardos drogas, SIS fardo* papel de
embrulho, 17 ditos fio, 10 caitas agua do flor de la-
ranja, 49 latas de oleo e esiencia, 1 birril pedrs po-
mes, e ums porclo de cebolla ; a ordem.
Vt Malaga.
ISOquailolatvinho, 60 berris dito, 20 quarlolat e
20 barril szeile, 50 berris aieitouas, 600 ceixai e
200 meits ditas pastas; a ordem
De (ibraltar.
6 caixas e hocetes drogas. 1 porcio de batetat, 1
dita de estopa, 170 remos, 140 pedral para lastro, 1
hocete ignora-se, 15 itccei amendoas, 400 quaitos
de caixas e 90 oilavos de ditas patsai, 3 csixes ssngur-
.ugas, 3 ditas amostiai de cartas, i emlrulltoi pepe
pintado; a ordem.
A cmara municipal da cidade do fen fe, tic.
Fat publico, que peranleella le bio de arrematar
boje, i quem mus der, o contrato di a ferelo das ba-
lances, penn e medidas dette municipio; ai ribeirn
doi mercados deste bairro, e do da Boa-Viiti; osle
Ihoi doi acougues pblicos; cus ds ra Imperial,
cbamida da plvora; e duas carrocei pira boii, tudo
por lempo de um anno, a contar do 1." dejoutobro se-
Kuinte, menos iscarrocai. Os licitantes i laei objee-
(os dever. caca das sessoes da rnesm i camera, em o da indicado.
Paco de cerner municipal do Recite, em 12 de se-
tembro de 1816.
Manoel Joaquim do liego AIbuquerqtii,
Presidente.
Joio Jote Ftrrtira di A'guiar,
Secretsrio.
Theatro publico.
Domingo, 13 do corrente, se represeotsri a muito
eppleudida peca A Engeitada e a grande panto-
mima lormalA Heeruta na aldeia, com a danca do
tricac, t Lundum figurado.
Principiara ai borai do coilume.
ivisos niarilimos.
Consulado.
lU.NiiiMhvru do DU 11.
(ieral, ,,.......,......,, ,
Provincial.........................
Diverts provincial.. ..............
420*237
137305
3*53*
561076
=At 16 do correte mez de setembro pretende ia
hir pin o Anuo patacho Oliveira; recebe carga i Ire-
le por uienot que oulro qualquer : a tratar com
Joio Ves de Oliveira, na ra da Cruz, n. 51, primeiro
andar.
= Pera o Aracatviai com muiti brevidide o lar i
gue Deo-te- Guarde, por ter meltde da carga promp-
le: quem no mesmo quizer ctrregar, enlenda-le com
o rapilho, Manoel Jos de Azevedo Senloi, o da Cadeia-Velba, armazem, n. 12.
Para o Rio-de-Janeiro, por estes din, o patacho
Amazonas, forrado e enetvilbado de cobre, anda re
cebe alguma carga miud, eicrivol e pnsigeiros; psra
o que tem escolenles commodoi : os pretendeoteidi-
rijao-iea ra do Yigario, o. 5, ou ao cepillo Ma-
noel Mercieno Ferreira.
= Para Macei lebir, ofellivelmente no dia 12 do
correle, o Lele S.-Joie Gluiiuio: pira carga ou pai-
tagem, Irata-se com }. 0. Cempoi, rus do Queioaedo,
o.4.
Vende-te o brigue brsiileiio Desengao, de lo-
te de 313 toneladas, com um carregamenlo de sale pa-
lhe de carnauba, prompto a seguir visgem, e tambem
te vende tem o carregamenlo : quem o pretender, diri-
ja-so a Jos Antonio Bailo, pan tratar do ajuste.
=Pira a Babia seguir com brevidade o biale 7iai-
lador, forrado e pregado de cobre, de superior marche:
quem no mesmo quizer csrregar ou ir de paitigem,
trate eom Silva tt Grillo, na ra di Moda, n. 9.
l.ciles.
Alo.miento do Torio
JVavio entrado no dia 11.
Rio-Grande-doSul ; 26 dias, btrea bruileira Tigre ,
de 154 toneladas, capillo Domingos Ferreira, equi-
pageu. 10. carge carne; a Nascimeolo Amoriin.
A'neiot saludos no mamo dia.
Assii ; brigue brasileiroy^i/i/-,eipillo Antonio Jos
dos Res, em lastro.
Portos do Sul ; polsca betpanhola Cavallo-Alarinho,
capilio Eitevlo Mercenario carga a uetuu qUt.
trouxi.
- Le Bretn Scbrimm & C. ferio leilao, por inler-
vencio do rorretnr Oliveira, de bot porcio de srinhs
de trigo avariads, vinde prximamente de New-Or-
leans, pelo patacho sardo Providtntia, capilio Mar-
cos Ivolicb : segunda-'eir, 14 do corrente, asIObo-
res da msnbis, no srmazem deSrs. Viuva Guimariei,
por detrs do tbeatro vellio.
I-Joio Kellcr & C. ferio Icilio, por intervencao do
enrretor Oliveira, de grande veriededo de fajeodei, in-
eluiive multas recentemente deipacbadat, e todas pro-
prias do mercado : lerca-leira. 15 do corrente, ti 10
boris da maolia, no seu armazem, ra da Cruz.
na roa da Cadeia do mesmo bairro, peohorsda fj00
to Vianna & Filbo por exeeoclo de George K
nworth &C, e ootros credores. Ot licitante! po *"
comparecer no din indicados.
- Perante o juix ds 2.* vsra, o Sr. doulor NibnM
eicrivio Reg, se bio de arrematar, nos dias 12 e i
do corrente, a "armacao e mais objoetoi, que e icbs
colloeados no irmizem do sobrido n. 28, di rui /
Cruzes, que deiioa Jlo Jos Godztgs, ai iua [."
para pagamento doi alaguis do mesmo. '
=A arremtlsclo da case de sobrado de um tnjt
no Aterro-da Boa-Villa licou transferida para 0 a
12 do corrente, ai A horas da tirde, na porta do dotn
juiz da civel da 2.'vara, por ser esta a ultima p,1Cl.
cu|i cita leri impreterivelmente arremitida nessa di i
poreiecugao de joaquim Jos Ferreira contri Fren,
eiieo Domingos da Roeba.
- Deiappsreceo, no dia 9 de setembro, as 10 nor|
do dia.om menino, de nome Jos,cor de mameluco: ro.
ga-se as penois, que souberem sonde elle etli, nUe;
rio fuer o Isvor do mender entreger ni rus do '!>.
piche, n. 30, ou annuneiar por etti folhi.
A casa de drogas des Cinco-Pontsi perlence i
Francisco de Si Peixoto, desde o dia 28 di agosto di
1846.
= Na ra Nova, n. 8, Joja do Amarel,convnolo., i
vender espatos freneexes de marroquim eeordeviopi.
ra lenbors, s 1,000 rs o par; ditos de panno para di.
tal, a 880 rs. : adterle-se, que eitet tpelos sio oilo
novoi e chegadoi pelo ultimo navio: codos de casias i,
muitoi gostos e padroes modernos; riieidoi frineeisi
de lindos padrOes e eommodos procos ; ricos chales d,
eda; cortes de seJn branc pan vestidos de noividor
bicos de seda e de blonde; e outm muitas fazeadst di
bom goito, e por menos preco, que em outrt qualquer
parle.
O abiiio asiignsdos, tendo deisppsrecido desu
cidade o Italiiniio de necio. Jos Luir de Gtrdet, offi-
cial deourive e abridor, tendo levado varias obrat de
ouro de diverts pessosi, tendo timben devedori
outros, de que oio deo eontn de nada, e bivendo tols
a certeza de se ter posto em fuga, por salar fechada i
sus loja e a cass, onde morara a familia, pedes* ai au-
toridades policitei toda a viailaneie, a fim de ser el|s
eipturado./oslo Pereirn Lagot. Carlos Uardy,
>-Aluga se, pera o servico interno de qualquer caa
de familia, urna eserava boa coxinheira, que tamben
engomma liso: a tratar eom Manoel Luiz da Veige, ni
ra da Madre-de Dos,- n. 36.
Na rus do Padre -Florianno existe um novo esta
belecimento de (intureiro, que te leba prompto i di*
sempenhir com todo o siieioquaeiquer obras, linio
de tedi como de lia, por mdico preco; iflisnciodo
sitiiftier bem a seus freguezei.
:Nodial5de lelembro corrente teem de ser ir-
rematada! na portada cando Sr. doutnr juix do civil
da 1.* vara, por ter a ultima praca, varias fszendasda
Miguel da Fonieci Soaiei e Silva, por execugio, qui
contra elle movem Johoiton Ptter & C.
=Arrenda-se, pm fesls ou por anno, o sitio doiCoe-
Ihoi, que foi de Antonio Coelbo de Silva: quem o pie-
tender, dirija-se so sobrado da praca da Boa-Vuti,
n, 6.
O NAZARENO N. 51,
etti a venda na praca da Independencia, livreti, ai.
6 e 8, e na ra eitreiti do Rozario, can da F, o 6.
Merece ser procurado.
Com este numero comees a quinta serie; os Sil,,
pois,que a espersiio para abrir sua auigaatura, podera-
o fsrer logo nos lugeres cima, e no eseristorio da rs-
dtcclo, rus da Cedeia de Santo-Antonio, n. 2.
- Cirios Deten, lubdito allemio embai pare o
Rio-de-Jaoeiro com toda su familia.
= Preciie-ie de um homem filbo das libas, pin
feitor de um engenho, dislanle desta cidsde 20 legn:
a pessoa, a quem esle arrsnjo convier, pode dirigir-ss
so beco du Berreirai ni Boa-Viita, caa de Jos Anto-
nio Altes da Silva, a tratar do ajuste.
= Precisa te de um feitor para um engenho, dis-
tante detta praca 10 legn, que seje homem foite s
actiio acottumido a andar ao tol e a chuta ; qoea
eitiver neites circumstancies dirija -se ao escritorio
de Caetano Pereira Convites da Cunba, aa ra di
Cruz n. 43.
= O guerdiio actuel do convento de S.- Antonio
desta cidade faz publico que em seu convento tem el-
lo reunilos promptos a qualquer bora do dia oo di
noitc por miii invernosa que ella soja, para ouii-
rem de confisiio, e preitirem os consoladores soccor-
rosds religiae aos moribundos, em qualquer dos bur-
ros deste cidade. As pelln, que se qunerem eproni-
tar deate voluntario oflerecimeoto dirijio-te (O dito
convento, que serlo promptsmente ii ivilai, sem dii-
tincio de quilidide e condicao de petioi.
= Fa/em-ie qoiesquer cortinados, qur de cerne,
qurde janelles.qurpsradecoracSes de baile ousocieds-
de; fezem-ie queeiquer furaefles de cadeirai, de toft,
colines elaslicoi, em fim tudo quanto for con-
cernenle a tapecarii ; e tembem se vei por tap-
tete esleirs em qualquer lugsr quesejs; ludo cos
perfeico e a precoi rsioiveii: na travesa da Concordii.
n. 13, delris da torre do Cirmo.
= Alugio-ie no sitio do Cajueiro, quitro cus" pan
ge pnaar a leste, ou por snno, com muilos bons coro-
modo, e um bsnbeiro psra banhos ; um litio con
bom sobrado na Passagem-da-Magdaleos, perlo do
rio; e dous sitios nos Afvgsdoi; ludo por precos coro-
modos: quem os pretender dirija-se ao mesmo sitio di
Csjueiro, a tratar com Francisco Ribeiro de Briio.
Avisos diversos.
'/' -^~ < k-,
"i: t \\\\
=Noidiu 12, 16 o 19 do correte mes de letem-
uro, tem de arremeter se em prsca publica, na porta
dodoolor juiz do civel da 2.* vara, no Aterro-de- [
Boa-Vial, urna cese de sobrsdo n. 33, de dous an-l Traneelias de qualquer modelo, sonis, llores !
ueree.ns ra do Amortm do bairro do Recife, e umalus adeiecos puleeires brincos, &c. ; tudo o mu
paite da outrs tasa de sobrado de tres andares o. 27,iban feilo po.iivel por preco sdico.


I
= D-ie um cont da rii a juros, eom bjpothaea
em ilguma propriadade livre e desembarazada oeila ci-
dida : na ra Direita, o. 36, primeiro andar.
Dumingoi Jos Francisco Maia fai sciente, que,
da boje em diante, te essignar por omiogoi de Csatro
Maia.
= Quem livor alguma enanca, para criar deleite,
com todo mimo e amor: dirija-ie a travessa da Vira-
lio, n. 10.
me Preciaa-ie alugar una preta : qaem tirer, d-
riji-se a ra da Palma, n. 15.
= Aluga-se urna casa terrea, na esquina da ra do
Nogueirs muito propria pira venda por aer de es-
quina e ler um grande solio para morada, quintil,
cacimba e portio : a tratar na praca da Independen-
cia livraria, ni. Ge 8.
=- Manoel Pinboiro de Mendonca lendo neile
Diario um annuncio do Sr. Jos de Alenquer SimSos
do Amaral, em que faz publico ter desligado a socie-
dade lob a firma de Amaral & Pinbeiro adverte ,
que esss sociedade nlo esta aindade direito separada ;
porque nio se leehirSo ai reipectivaa contal, encomi-
es: OSr. que preciiava arrendara candi roa Ve-Juncia nesssria para ielUr-ie o trato da soprselo :
Iba, 0.28. depoii do dia 7 do correte, ie ainda pre-1 sendo todava certo qoe desde odia fO de julho esto
eisar pode procurar ai chaves da mesma.
= J. R Fraocks retira-se para fra do imperio.
= Quem annunciou querer comprar um mobilia
dejicaraod com poueo uso dirija-iea Boa-Vista ,
atril da matriz n. 26. segundo and.r.
Aluga-iea toja do sobrado do Aterro-di-Iioi-
Vista, n. 21 : a tratar por cima d > ineimi toja.
mm Hoje, pelai 4 horas da tarde, na praca do joizo
do ci.vel di aegunda vira no Aterro da-Boa-Vista ,
leu de ae arrematar urna eserava, por ter a ultima pre-
ci peoborada a Tito Fiock Romano, eiorivo Mi-
galble*.
^" O Sr. Revm. vigario da freguezia de Jkgois-Hel-
ias qoeira aonuociar onde est hospedado, para aer
procurado ou dirija-se a esquiua do l.trmenlo ,
o. 1, que io Ibe desoja fallar.
= Hoje. pelea 4 horaa da tarde oa praca do juio
de civel di segunda ara oo Aterro-da- Boa -Vista ,
tero de ae arrematar um eaeravo por aer a ultima prs-
(a por execucio de Manoel Jos Vieira da Silva eon
tra Antonio Anoes Jaoome Prea escrivlo Seoiei.
-= Fica iero efleito a procuraco bailante, qoe pu-
sei a meu euobado, Joio Frederico de A breo Seg ,
com data de primeiro de agosto de 1838; e por mo
qualquer prooedineotojudieial ou contrato particu-
lar, que, em virlude da dita proeuraelo se faca em
meo nome... ser nudo e de nenhum efleito ; por isso
que oesta data tenbo conferido novoi poderes e outroi
procuradores : o pira que ae nlo allegue ignoraooia ,
faco o prosele.= Recife, 10 de setembro de 1846.
/fyoilinAo /'mandil Catunho de Vatconcttlui.
Jos de Oliveira Marlini retira-ae para Mangoa-
pe levando em aua companhia om eicravo de oo-
me Lourenco.
Aluga-se, por menos do que te tem alugado ,
orna caa terrea na ra do Mondego delronte do
becco das Barreiras : a tratar alias do tbeatro velbo ,
o. 20, seguodo andar.
Aluga-se. por aono, ou por (esta um sitio a
roargem do Capibaribe, eom muito boa caa, cocheire,
estribara e escolente banho no lugar da Capuoga:
s tratar os ra do Rangel n. 69. primeiro andar.
= Joanna Francisca de Menezei viuva de Jos
Antonio Cirm-iro,participe a todas ai peisoaa, que teem
penbores em sua mi desde o anno de 1842 aleo
presente, bajaOdeosir tirar no prarode 16 dias ou
pagar os uioa que tratarlo ; do cootrario os vnde-
la para seu pagamento e publicara os seus oomes por
eilenso oesta folba, visto ignorar aun residencias.
Precisa-se de um caiieiro para venda : em Fra-
de-Portss, ra dos Gusrarapes n. 38 acharad com
quem tratar.
Precisa-se de urna preta para o (cvico de urna
cssa francea de pequea familia : na ra Nova, n.
69 ao pe da ponte.
Aluga-se um sobrado de 2 andares e solio mui
irascoi sito oo pateo do Hoipital: a tratar no pateo
do Csrmo, sobrado de um andar, n. 16.
Cdulas brancas de
S#000 rs.
Na esquina do Livramento loja de 6 portas, re-
cebem-se cdulas brancas de 2000 rs. sem descon-
t a troco de faiendas.
< Joio Vaz de Oliveira embarca para fra da pro-
vincia o seo eseravo de nome Pedro, de naci Congo.
= Ni ra do Queimado o. 8, cose-se, engomma-
io a lava-so com aiseio e promplidio por preco com-
meJo.
Aluga-se ums esersva para sersico de cssa de
pouca familia, que laiba cozinbsr o diario da mesma a
comprar na ra : a quem convier, dirija-ie ao sobrsdo
n. 20 no piteo de N. S. do Terco, seguodo aodsr.
Alugs-se urna eisa terrea na ra 31, com duas salas, tres qosrtos, coiioba fra, quintal
e cacimba;he do ladoda sombra e por isso muito Iresca,
a por preco raioavel : trata-so no pateo da Saota-Crus,
sobrado, n. 2.
Oabaixo assigoado roga ios credores da seohora
doeogeohoRio-Formoso, quetenhio ahondado de,
munidos de seus tituloi e cootis, dirigir-ie a sua ca-
si, oo pateo de N. S. do Ti reo, n. 9, dude hoje aleo
dia 17 do correte, das 6 asl borai da machia edel
al ii 4 di Urde, a fio. de se tratar dos seus pagemeo-
tos, pois que para isso seacha pela mesma seobora ap-
lomado. Omesmo abaiso assigoado ainda se pode in-
cumbir de algumas questoes e cobrancu jodieiaes na-
quella comarca, e por mo de novo se eflorece sos que
de seu preitimo se quizerem aproveitar.
Lmenlo Avtilino di Albuautrqut Millo.
"~ Oflerece-se urna mulber para ama de casa de bo-
mam lolteiro, ou de pouca familia : oa ra de lionas
n.28.
Alogio se duas cssii de om aodsr, com muitos
commodos pira familia, com quintal e boa cacimba :
quem preUader, dirija-se a vendada eiquibe, que bota
para o viveiio do Muoii, no Gm da ra Augusls, o. 94.
Dio se a juros de 500# rs. para bailo, at peque-
as quintiu, loure penboies de ouro. ou firmas con-
lento : oo Aterro da-Boa-VisU, n. 58.
Aiada alio para alugar n casos de'numeros 27,
29e3l. sitas na ra Real, proiima ao Minguiobo.
eom bom commodos, quintil murado, cacimba, e por-
to de en.buque : a tratar eom o seu pioprietario. Ma-
noel Pereia Teiseira, morador prolimo quelle logar.
Hiplito Seint-Marlin retira-se da provincia, i
Irstir de sua iide.
&Preciia-aeslugsr urna eserava..para o leivico d
urna easa de pouca familia, qoe laiba comprar, cosi-
nbire eoiaboar,daodo-ie-lbe o sustento, e 10#rs. men-
>* : oa Soledade, indo pela Trempe, lado esquerdo,
""> n- 42, junto das do Sr. Heiculano.
verbilmente contntados para a referida sepiraco
assim como be ventado qoe o abaiio assigoiJo le
acha em a loja o. II da ra do Cabug onde o en-
contrars leus freguezes. =Manotl Pinkiiro di Min-
=s Domingo! Jos Marques, solicitador de pri-
meiro esegunda instancia, e tambem do loro ecclesiai-
tico, cnudou sua residencia para a ra do Collegio, n.
8, primeiro aodar. Aspessoas, que o quizerem pro-
curar, deveriO comparecer de manhia at as 9 ho-
ras e de tarde das 2 as 4.
A mulber de bom coitumei, qoe se enesrrega
da chatio de meninos de peilo impedidos e desimpe
didof, e tambem recebe meninos para desmamar no
que promette esmerar-se mudou a sos residencia pa-
ra a ra Auguata loja do primeiro sobrsdo novo, vio-
do deS.-Aolooio : quem de leu prestimo se quiser
utilisar, dirija-se a dita caa. Na mesms essa veodem
se 3 varia de bioo largo de ramageni e recorte! de
muito bom goito e um berco ainda em bom uso.
Casa da F,
na ra estreita do Rozario, n. 6.
Nlo sendo posiivel ao ibes lureiro da lotera de N. S.
do Livramento concluir o andamento das rodas no dia
marcado pela pouca ennecio que houve, na venda
do reito doi bilbetes, traniferio o andamento das ro-
das para o dia 14 do correte mei iofallivelmenle : e
por esta causa ocautelista da casa cima dividi maii
cautelas para ai veoder ios seus freguei.es que as nio
comprarlo e entre estas schio-se excelleoles nme-
ros qoe de certo nio deiiio duvida en, ser premia-
dos. Aellas, que lio pouess.
Na ra do Rangel, aobrado n. 9, tirio-se pa-
saportes para dentro e fra do imperio deipicbio-
se eacravos e correm-se folbn ludo por preco com
modo, ecom muita brevidade.
Compras.
=Comprio-ie tres flsndres com as competentes me-
dida!, para venderaieitede carrapalu: na ra das Cru-
jes, n. 36, 1.* andar.
= Comprio-se psrs fra da provincia etcravoi
de ambos os sexos de bonitas figuras ; pagio-ie bem:
na ra Nova loja de ferrageoi. n. 16.
= Compra-se a troco de tijolo de ladrilho e lo-
Iha urna canoa nota ou quasi nova que pegue em
800 a 1000 lijlos grossos e se afianca a honda-
do do material que pode ser viilo por quem o pre-
tender : oa otaria do Mondego primera, passanJo o
becco dai Baireirai, aonde que.n negociar o tijolo gros-
io, de que precisar para qualquer obra, lera o lijlo fi-
no e lelba por menor preco que o por que geralmen-
te se vendem na rasio de mil rs. em milbeiro. A mes-
ma olaria se pode dirigir qoem precisar de areia man-
dada botar em canoas, por commodo precio.
= Compra-se urna bomba que lenha 21 a 22 pal-
mos de comprido e que seja maneira sendo de fer-
ro ou de pi ; no Porto-das-Cioois, no Recife, tanque
d'agoa junto ai taixai.
Compra-se urna preta, com leite e com cria, ou
sem ella ; oa ra estreits do Horario, o. 16.
= Comprio-se effectivameote eicravos de 12 a 30
anoos ; pagio-se bem agradando : na ra larga do
Rosario n. 24, primeiro andar.
Comprase, sem fetio urna tisoura de espevi-
tar velai, com bandeja, ludo de prati: na ra do (Quei-
mado, n. 30.
Compra-ie urna mobilia de jaearandi, com pou-
eo uso ; na esquina do Livramento, loja de 6 portas,
se dir quem compra.
Vendas.
= Yeode-iecal virgem em meiis barricas, chegada
prximamente, por preco commodo na ra da Mot-
il, srmasem, n. 15.
=V'endem-se qoeijol loodrinoi; presuotoi para
fiambre; cooierva inglezai,; ditas de frutea, para
podios; ditas franeeiaa, de lardinbas; nimio em
Utas ; litis com biscouto fino ingle; moslarda in-
glesa e francea ; licorel finos. de difidentes quali-
dadei ; vinhoi do Porto, Madeirs. Cberry Moscatel,
Setubal Bucellas Oval Careivelloi brinco o linio,
Livradio Colarea Malvisia Msdeira linio ; ago ar-
dente de Fnnca ; sag; sraruta muilo nova ; cen de
carnauba em poni e a rclelbo ; ludo de superior
qualidade a por preajo commodo : ni ra di Gadeu-
Velba n. 2.
= Na ra do Rangel. o. 11 anda ha para ven-
der muitai obm de ouro dai ja aonunciadis ; urna fa-
ca apparelbada de prala ; um par de esporas ; 2 cei-
xii para np.
= Vendem-ie 6 preias mocas Cuui bioiiidii.es ,
urna dai qoaes eogomma eozioha e cose com perlas-
ci e outra cose e fax renda ; 3 pretos, um dos
quaes he de meia idade por preco commodo : no pa-
teo da matrix sobrado o. 4.
Vendc-se urna eserava moca qoe cimba, lava
e engomms : na ra da C.deia do |Reeife n. 60, se-
guodo andar,
__ Yentie-se om grande morada de can uta ou
Mooteiro di parte do rio; Umbem so iluga : na
ra Direita padaria, o. 69.
= Vendem-ie ni veodi di Umanoeira ao p da
Cioi-de-Alinai. 12eeiieide pomboi batedorai.
Veodem-se loneguioi, pelo barilo preco de
3600 rs opsr; sapatoi de cordovio de Lisboa a 800
rs. opar;eum sorlimeoto de esledos inglezes : ni
rui di Cadeia do Recife n. 35.
as Vende le um oratorio e um violio por preco
commodo; oa ra Noia o. 66.
Medicina Universal.
Punas vegetaes de James Morison.
A medecina vegetal universal he o resultado de 20
annoi de nvestigac&ei do celebre Jemei Morison. Por
meio destas pilulas conseguio o seu autor ionumera-
veisa admirareis curas, desde as.afleecSes, que alacio
enanca de peito, at ai molestias ehronices do an-
ciio.
A Europa saudoa este remedio como remedio uni-
versal pira todas ai doencas, e at boje ainda nio loi
desmentido tal titulo.
Esta medicina vem acompanhada d'uma receita que
ensina e facilita a sos applicaeio. Consiste em tres
preoaracaes, s saber : dun qualidadei de pilulis dis-
uadas por nmeros, e um p ; cada qual goxi de mo-
dos de serfles diversaa.
As pilulas n. 1 lio aperitivas ; purg > sem abalo
o humores biliosos e viscosos, e expulsio-os com ef-
ieicia.
As do n. 2 expulsio com esses humores, igualmente
eom grande forga, os humores serosos, icre e ptri-
dos, de que o singue se acha enviudo infectado; per-
correm tortas as partes docorpo. e s cessao de obrar,
quaodo teem eipulsado todos impuretai.
A terceira prepararlo cooiiste em urna limonada
vegetal ledaliv ; be aperitiva, temperante e adocanle;
lorna-se em comoiooi com as pilulas e facilita-Ibes os
melhores efleitos.
A policio social do Sr. Morison, a sua fortuna in-
dependente, repellem toda a ideia de charlatanismo; e
as admiraveis enras, operadas com o seu systema no
Colligio duadi di Lotidm, sio mais que garantes
daeflicscia do seu remedio.
Recommenda-se esta medicina, que nio pede nem
resguardo de lempo, nem de posicio da parte do do-
ente, a Indos os que, atacados de molestias julgadas
iocuraveis, se quixerem desengaar da sua virtade.
Osal.-i, que a humanidade feche oa ouvidos aoi in-
(eressados em desacreditar estes remedio! lio simples,
lio commodos e tao verdadeiros.
Vndese na ruada Cadeia, n. 46.
- Vende-se a posse e dominio do um terreno,com 300
palmos de trente para a estrada nova, que vai para
Olinda, lendo no fundo um grande viveiro com peixe
|a criado. F.sU vend ie fax para liquidar algumas con-
las, e por isso se fari negocio por preco muito bsrato.
A tratar com Manoel Luiz da Veiga, no Recife, ou em
Santo-Amaro, com Joio Antonio da Veiga.
= Carlos Monteiro Teixeira vende i sua venda, li-
la na rui da S.-Crur, n. 3, eom os fundos a vootade
do comprador, ou s a armario: trata-se na mesma
venda
=Vende-se muilo bom vinbo do Porlo engarra-
fado lia mais de 4 annos, a 660 rs. a garrafa, dilo
mais novo a f80 rs. ; dito de feitoria a 800 rs. ;
dito da Madeira a 610 rs ; muito bom cha hysson ,
a 2660 rs. ; dito, a 2240 rs. ; presuntos, a 480 rs. a
libra ; chouric s a 320 e 400 rs. a libro ; inanlei-
ga inxle/i a 800 rs. ; dita francea a 640 rs. ;
espermacele a 720 e 800 rs.; toucinho de Lisboa a
280 rs. ; macarrao e alel ia a 280 is ; bolarhioha
inglesa muito nova a 280 rs ; tipioca, a 100 rs. ;
cal em grio a 160 e 180 rs. ; e lod s os mais g-
neros de venda : oo Aterro-da-Boa-Visla venda da
esquina, defronle da matrix, n. 88.
= Vende-se com a permu'a de urna casa terrea e
rnente a vista o pagamento de urna hypolbeca com
a espera do restante ou tambem se srrenda urna ex-
tensa propriedade rom duas casas terreas pora a ra
da Florentina ni. 16 e 18 contendo grande quintal,
com arvoredos de fructo ptimas parreiras moscateis,
sapotis, romeins, e limeiras urna grande olaria so-
bre arcadas e terreno para se edificar 3 predios de 30
palmos para a nova ra do Sol : os preleodenles ,
podem ir ver que acharad quanluse afianca na ruu
sis Florentina n. 16.
= Vende-se por preco muito commodo urna
olaria de pedra e cal com mais de 200 palmo! de
tundo, e 00 de largura mu bem construida, com
porto de embarque, e com um sitio, no lugar do
Monteiro a margem do Capibaribe acbando-se o
sitio muilo bem plantado com diversas fructas, tanlo do
paii como de tora, com boa baixa para cspim; os pre-
tend-ules dirijio-se ao mesoio lugar do Mouleiro.
a fallir com o seu proprietario Joi Camello do Re-
g Barros, ou oesta praca na ra estrella do Roa-
ro n. 31, terceiro andar.
Vende-se um relogio patele ioglex por pro-
co commodo; nai Cinco- Puntas sobrado da esqui-
na do Peixoto defronle da matiiz nova de S. -Joi.
= Na casa de M.Ba Milocbau no Aterro -da-Boa-
Vista n. 1, delronte do chafark vendem-se cam-
braias e filos bordados largos e finos ; vestidos bor-
dados, de cambraia e de tarlalana ; mantas de fil de
seda preti ; ditas de larlatana ; veos de montana; dito,
prelos; tiras bordadas ; um completo sortimenlo de
collarinbos bordados para senhora ; flores finas para
calieca ; repellas e enl'eites para veitidus ricos ; bicos
largos para cabecio ; chapeos de todas as qualidades ,
paia senhora ; ditos de palhinba bordados; filas; len-
cos ; grvalas; luvn de pellica e de seda; bicos; blon-
des ; mercearia francea &c.
Vendem ic queijoi frescaei ; grasa ingleza n.
97; chocolate de Lisboa ; vinbo do Porlo, eogarra-
fado ; vinbo brinco e tinto de Lisboa; assucar refina-
do de lodss as qualidadei; fsrinha de trigo; velai de
espertnaceje ; cbirutoi da Babia ; caf moldo ; fili-
aba do Maranbio ; banba de porco muito alva ; se-
bo de Hoends ; manleigs ; cb ; ludo muitu bom ,
eem conti: ni rna de Hartas venda o. 62 na es-
quina, quo volts psra a rui de *.-There?i.
= Vende-te um enneloo, um alfinete, urna crui ,
um fronlim ; loda estas obras sio de bom goito e
com riquillimoi brilbantel ; um alfinete um annel,
com diluanles e de bom goilo ; um correntio de
ouro de le : oa ra estreita do Rosario o. 30, se-
gundoandir.
= Vendem-ie 110 meioi de sola ; 31 bezerroi;
87 cipoeiroi; umi rede com vareada!, muito booitai:
na ra eitreita do Rosario, n. 30, segundo andar.
Vende-se urna canoa quecarrega 1000 lijlos,
por preco muito commodo ; tambem se troca por li-
jlos : os ra da Crux o. 62.
Veodem-se 2 boldei de brilhanles um com 7 ,
e o outro lolilano ; urna clin de prala dourada pa-
ra rap ; ludo por preco commodo : no ciei do Col-
Na ra do Crespo, loja nova
n. 12, de Jos !oaquim
da Silva Haya,
vende-se om rico sorlin>ento de cortes do vestidos pira
senhora de urna l'/.enda quasi toda de seda de gos-
to chine, e os mai l;ndos. que leem apparerido, n que
por isso setornaO recommendaveis nio s pariassenhonl
do bom lom como pira aquellas que uilo de eco-
noma por ler o diminuto preco de cidi cort" de 6
rs. Na mesma loja se veodem outras muitai fixeodas
de goito, por barato preco.
asa Vende-se urna casa terrea em Frs-de-Portss ,
delronte do pharol o. 14 a qual est alugada por 8j
rs. mensaes ; vende-ie por precislo de se remir umt
hypotbeca : em Fra-de-Porlas, ra do Pilar, n. 108,
das 6 as 10 bom da mantisa das duas as 4 da
larde.
Vendem-ie 12 esersvos sendo : 2 prelss de
18 s 20 stinos; 2 pardas, do meia idade ; 6 moleques,
de 12 a 14 ann'S ; 3 prelos. de 20 a 30 annos ; todos
de muito hoas figuras sem vicios nem achaques e
proprios do servio de casa e campo : na ra da Cadeia
de S.-Antonio n. 25.
=-Vende-ie na ra da Crux o. 26, um moleque,
de 10 aoaos; sola ; couros tniudos ; bexerros ; caixai
ile tartaruga leitas no Aracaly; esleirs; sebo em
barricas; nmoculode ver ao lonsje ; um relogio de
ouro : na ra da Ciui, no Recife, vendada LuizJos de Si Araujo.
=Vendem-se temos de livros em branco proprios
para qualquer casa de commercio ; um chiooometro ,
dos melhores autores do Londres perfeito e mui bem
reitulado ; fardos com fio de sapaleiro: oa ra da Crut,
escriptnrio de Ridfinay Jameisoo & Companhia, n. 13.
= Vende-se urna esciava de 16 annos, coxinba,
lava de sabio e tem principios de enitommar ; ou se
troca por outra de meia idade : na ra da Florenti-
na n. 34.
= Vende-se urna canoa pequea, que csrrega tres
pessoas ; na ra da Concordia na esquini da travei-
sa da mesma ra.
= Vende-se urna casa na ra dos Prarere, na Roi-
Visla por preco commodo ; quil tem dual salas ,
qualro qusrtos coiinha fra bom quintal murado,
e cacimba rom excellenle agoa. Esta casa loi eoni-
truid em 1843 ; tem 30 palmos do frente 85 de
lundo e oilOes dobrados. No paleo da S.-C.ru/ o,
4, so diri quen: vende.
--- Vende-se superior cera de
carnauba, em porc/o e a retalho ;
latas com biscoutinlio fino, che-
gaitas ltimamente de Inglaterra;
caixinlias com aletria fina com 4
libras cada urna ; tudo por pre*
yo commodo : na ra da Cruz ,
no Recife, u. 4G.
legio fabrica de chapeos de sol, o. 6.
As bellas Pcrnambuctinas
A' le i de Antonio l.uiz dos Sanios & Cnmpanhia,
na ra do Crespo o. 11, acaba de chexar um grande
e lindo sorlimeoto de carnbraiaa para vealidos intitu-
ladas = bellas pernamliucanal = as melhores e maii
modernas que teem vindo a esta praca ; a quaes
lorniu-se reroinmendaveis nios pelo seu subido e
variado gesto como pela lindeza e fixidac das lilas.
Na mesma loja vendem-se ricos corlea de leda pro-
prios para noivas sarjas hespanbolas setios impe-
riaes mantea, chiles e outros muitos objectos recem-
o bagados.
Hfj- O modernismo.xa
Vendem-se novse ricos corles de vestidos com o
bem spropriado nome de lawa de-ouro tendo
lindos e variado! padroei como sejao de listril ,
quadros, flores &c. ; dit s de.parisienses com bel-
los e Jiflerenles goslos : Unto esle como aquelles sio
mime smente lavrodos de seda : cambraia jacunetes ;
dilas cravinas ; e outras inuilas diversidades de csssss :
na luja de Antonio Luiz dos Santos & Companhia oa
ra do Crespo, n. II.
Vende-se urna preta de 20 annos ; urna dita
dn 12 a 13 com principios de habilidades; um mu-
latinho de 7 a 8 annos ; um dito de 12 a H an-
nos ; urna parda de 50 aonos que cozinba o dia-
rio de urna casa cose chio e lava de aabio e vairel-
I. ; 8 pelos bons para o servico de campo ; todos da
honiUs figuras e sem vicios nem achaques : na ra
da Concordia passandoa pontezinba segunda casa
terrea a direita.
asss Chegou. ha poucos diss urna porrio do bem
acreditado rap princeza Novo-Lisboa : e porque ss-
bio linda mus superior do que o antecedente, por
isso avisn-se aos freguezes, qoe se icba a venda no Re-
cife :ra da Cadeia, as lujas dos Sri. \n & Borges,
Cunta & Amorim Moraes, Jos Carlos Ferreira Soa-
res Jnior e Joiu da Cunbs Magalhies: ra do Cres-
po Antonio Domingos Ferreira : ra dos (Jearlois,
Victorino &Guimaries o Victorino de Castro Mou-
ro : Alerro-da-lioa \ isla Tbomaz Pereira de Mal*
tos Ksii na.
- Vendem-se 4 lindos moleques, de 16 a 20 so-
nes, sendo um delles official de pedreiro ; 2 pardos,
de 18 snnos, ptimos para pageos, sendo um deltas
quisi branco, de II snnos ; um prelo, de 30 aonos ,
bom canoeiro ; ums parda, de 26 annos coiioha, la-
va engomma liso e cose cbio : oa ra do Collegio,
n. 3, segundo andar.
Cliitas-cassas
a 2240 rs.
!*>
Na loja n. 6, da esquina da ra do Collegio, de Gui-
msries Sera fin Compaohia vendem-se chitis-ws-
iii em cortes de vestido, com 7 viras cada um ; e en-
tre ellos ha tambem esmbraias pelo diminuto prego
de sele patacas. Igualmente se vendem pannos finos
entre-finos de cores azues, verde-escuro a rrcto
a 2400 rs. o covado.


A
^ Vende-ie azeite doce para lu, melhor e mt
barato deque o do coco ;e azeite doce fino ein gar-
rafn* do 25 garrafas : nu deposito de a/, 'ilo de carri-
pato na ra da Senzalla-Velha n. 110.
Vende-so cera om velas do Rio-de-Janeiro sor-
timeoto completo de 1 a 16 ein libra un caixas e
a lihra* a volitado do comprador : na ra da Senzal-
W-Velba, n. 110. trmazein de Alve Viaoaa.
POTASSA.
Vende-se superior potassa em liiiii is pequeos ; cal virgem de Lis-
boa, da mais nova, que lia no mercado ,
por preco muito commodo ; tambem se
vende um resto de potassa da safra pas-
eada muito burato : na ra do Trapi-
che armazem n. 17.
N. 40, ra do Trapiche um cbronomelro para
nato de Londrn perfeilo e mui bem regulado;
relogios du ouro patente ioglez muito boas e bara-
tos ; correntinhas du ouro padrio Principe Al-
berto.
\ inlm de Tenerife em barris de eicellonte
qualidade ; cerveja branca e preta a melhor que ha
= Barclay & Companhia em porcao. ou a retalho ; e
fio de apateiro por pre(o commodo: vende-te na
ra do Trapiche n. 40.
Farinha SSSF,
da melhor qualidade, c a nlli-
na dictada a este mercado,
vende-se em porgues grandes
ou pequeas: a tratar com
Ve. Calmont & Companhia ,
ou com I. J. Tasso Jnior.
= Vendem-se moendas de ferro para manilos de
aisucar, para vi|>or ngoa e tiestas de diversos tama-
itos por preco couimodo ; e ixualmente tainas de
fero coadoe batido de todos os tamanhos : ,ia pra-
Ci do Corpo Santo n. 11, em casa de Me. Calmont &
Companhia ou na ra de Apollo armazem, n. 6.
Ycnilem-se taimas de pi-
nho, a 40 rs. o p e receben-
do-se em pagamento cdulas
brancas de iOOO rs.; atrs do
thcatro.
ai Vende-se potassa branca de superior qualidade ,
m barris pequeos ; em casa de M.ilbeus Austin &
Companhia na ra da Allandega-Velha, n. 36.
- ViTiilfin-si' 01 seg.inle esclavos, chegados do
Aracaty : sendo 2 mulatinbos de 6 annoi; 1 mole-
leque do 7 aonos; 1 ir.ulalinba de 10 annos, com
principio de costura ; 1 negrinha, de 7 annos ; 1 par-
da, muito clara que cote e engomma ; 4 pretas de
16 a 20 annos, com habilidades; 2 molequea de 11
anuos ; 7 pr. tos e pardos de 20 u 25 annos com
habilidades, ou sem ellas ; todos por pirco commodo :
na ra da Cruz n. 61.
liap-Gassc.
O encarrrgxloda agencia do Rap-Gasse nesta pro-
vincia tem a honra de participar aoa seus freguezes ,
que so acha a venda no deposito da ra da Cruz no
Hecife n. 38 urna das melhorea fornadss que aqu
teem vindo do Rio-de- Janeiro, do muito apreciado ra-
pgroioo mcio-grsso, fabricado com as melhores
qualidade de fumo da Virginia cujo aroma rivalisa
ao man superior rap princ sa de Lisboa.
Potassa.
Vencle-.se potassa americana ,
muito nova por ser prxima-
mente chegada, e cuja qualidade
he a melhor, que tem vindo, por
preco commodo : na ra da Ca-
deia do Hecife, armazem n. 12 ,
de Baltar & Oliveira.
Saracas de core$
fixas a 160 rs. o cavado.
Na foja da esquina da ra do Collegio do Guima-
ries Serafim & Companhia vendem-se urnas chitas
novas, com asientos scuros de suffrivel panno e co-
res filas a meia pataca o covado. Esla especio de
cinta-saraos be da meima qualidade daquella, a que,
na Europa preferem para seu estuario as cria-
das de servir e as mulheres de mediocre fortuna: e
como a economa nao so no preco da faienda como
na durecao d'ella be quem determina ella preferen-
cia deve >( chita er comprada pelaa mucamas e
por aquellas das habitantes d'esta cidade, que, suppos-
to nlo sejio abastadas, tenbio todava ao asseio o amor,
de que em geral sio dotadas. Do-se amostras a quem
as pretender. Neiti mesina loja continua-se a ven-
der, a 800 rs. a vara, o eicellente bnm franeei cor
de palba e pardo-escuro em cuja manufactura s se
mpregou o mais puroeduravel linho ; e bem sisim,
400 rs., lencos de grvalas, de cimbris muito fi
nos ; Jencinbos de cambrua brincos com cercadura
abarla ; ditas pintados de recorte ; e outroi cun
barras da cores ; todos de cores lisas 0 proprios para
senbora e dos quaes dar-se-bio amostras tima vez
\ue doiiem penbores os que asquiserem levar.
Vendem-se, no fin da ra da Aurora n. 4 2
aldeiroles do ferro coado, grandes ; um temo de tiro
bores o moer em p ; rodetes e aguilhdes aoligos ;
ludo por preco muito barito.
Vendem-se meados euros, fraocetts a 200
rs. o covado ditos lavrados chamados lindeza ; ditos
largos tambem escuros, a melhor faienda quo tem
vindo a este mercado ; uns e outros a 280 rs. o cova
do. Dio-se amostras francas eos compradores por ser
faienda mui boa. Alm destaj, ha um sortimento de
faiendas finas. Na ra do CJueimado, nos quatro-can-
toi, vindo do Rozario primeira loja di esquina,
\ova pelle do diabo,
a #40rs.
Ni loja da eiquina di ra do Collegio de Guima-
r5es Serafim & Companhia vend*m-ie cortes de cal-
cas com 3 covados e meio de pelle do diabo por
qualro patacas e meia cada um. Comquanto julgue-se
deinecessario mencionar as boas e eicelleotes quali-
dade desta faienda .porque a primeira porfi que
della se vendeo nesta cesa e, ha (ampos foi annun-
riada neste /Jiario.asssz as demonstrou, assevera-ieto-
ilavia aos comp'adores que a porcao que agora
receheo-se, excede em bondade a primeira, tem riscos
modernos cores escuras consistencia e grossur
do lona ; o finge bem n modernas casimiras francesas.
Dar-ie-hio os cortei a amostra a quem os pretender,urna
vez que deiie o competente ponhor.
Continuo se a vender lindens escuras pro-
prisi para vestidos de senbora a 280 rs. ; riscados
escuro) franceses a 200 rs. o covado ; ditos largos
a melhor lazenda possivel a 280 rs. ; brins de cures,
padrdei modernos, de puro linbo, para calcas a 1000
i. a vara ; corles de cambriia branca de listras de co-
res para vestidos fuenilo moderna a 3000 rs
ditai matizadas de i or a 4000 n. ; sarja hespanbola,
a melhor possivel e 2000 rs. o covado. De todas eslai
faiendas se do amostras frsncas par os comprado-
res conhecerem a tua boa qualidade. Alm deitn ha
um completo sortimento de fizendas final, por com-
modo preco. Na rus do Queimado vindo di ruado
Crespo primeira loja do 3 portas, n. I.
Potassa branca,
da mais superior qualidade em
barricas pequenns, e desembarca-
da no dia 30 de agosto prxi-
mo passado, vende-se por pre-
co commodo : emeasa de L. G.
Ferreira & C.
Superiores meri'
nes.
Na loja o. 3, do birateiio da ra do Crespo ao p
do arco do S.-Antonio, vendem- se os melhores o mais
superiores mermos de duss larguras proprios para
sobre-casica a 4500 o 5000 ri. o covado ; o quaes
pde-se, sem contradirn asseverar serem os mais su-
periores eiintenleS no mercado. Os pretendentes, que
quierem levar, ou mandar buscaras amostras, promp-
tamenle se Ibes daro.
Aagoa do Japao
para o cabello ; tem o preslimo de fazer crescer o ca-
bello e impedir a caspa fortifica os cabellos e os con -
serva: tambem serve para evitar as eipinhas do rosto.
Rali agoa be bem conhecida na Europa e Rio-
de-Janeiro aonde tem merecido toda approvacao, pe-
los seuseffeitni Vende-se nicamente, na rui di Cl-
deia do Hecife loja de fezendas n. 55.
= Vende-se urna escrava crioula de 20 annoi ,
com urna cria do 2 annoa ; a qual sabe engommar,
coiinbar e lavar de varrella ; o motivo da vendase
.lira ao comprador: na ra das Larangeirai, o. 29,
casa da afericao.
O barateiro da ra
do Crespo, loja o. 5, chi-
tas a 140 rs. o covado.
Ni loja n. 3, do biriteiro di ra do Crespo ao p
do arco de S.-Antonio vendem-se cbitss baratas de
benitos e novos desenbos, a 140 rs. o covado; ditas
sem defeito ilgum tambem de padros novos e de
trxrellentes desenhos a 160 rs. o covado; ditas, tam
bem de padroes ricamente tstampidos em bons pinos,
a 180 rs. seguras de tintas; algodaoiiobo, a 160 rs. a
vara, boa fazeoda e boa largura ; madapolio a 160
180 e 200". de soflrivel quslidide, e largo; dito,
a 240, 260 e 280 rs. a vara o mais lino e largo pos-
sivel ; chitas finas com desenhos os mais modernos ,
e estampadas as n.clin res latineas da industriosa
Maochester, a 240 rs. o covado. Ha tambem um bel-
lo e rico sortimento de todas as fazendas finas como
sejao : brim trancado branco, francs de puro II-
nlio o melhor, que ha no mercado a 1600 rs. a va-
ra ; cuites de camtraia lindamente ettaoipada com
11 covados i'clo diminuto preco de tule patacas cada
um ; limlea pan vestidos que imiti, pelos seus bri-
ihanie desenhos, a qualquer iaminhl ou leffa UQ
rs. ocovsdo ; corles de tarlatana a 3000 rs. ; grava-
tai de useiada cassa eslampada, i400 rs.; mein graia-
tai, 1,200 rs.; lencos de cambraia com cercadura ,
a 320 rs. cada um ; lindissimas msntss escoceiss e de
setim para senbora das mais modernas que pre-
sentemente existem; pannos finos ; cambraia lisa mui-
to fin, ltecoinuicnda.se aos respeitiveil concurrientes,
que se dirijan a rste estibelerimeoto que em nada
Jeimenlir eite limi'ido annuncio : e querenJo man-
dar buicar ai amostras, se Ibes daro sob o compe-
tente penhor, ou te maodiraS ai iuii esm, acom-
pinhada de um caiieiro. .
jas Vendem-ie varioi eieravoi sendo : um mole
que peca, de 17 aonos coiinheiro de Torno, musas e
bslo eqoe he ptimo pagem ; 1 dito, de 90 aonos,
Vende-se urna machios de vapor; urna dita do
aier lijlos; urna serrara vertical; um manojo ; ,|t.
ti do comprador se (ira todo o negocio: no Aterro-di-
Boa-Vista o. 5
ATTENgAO !
Vende-se rap de Lisboa, do
ultimo chegado, bem fresco,
formidavcl aroma, e boa cor.
Os tomantes que gosto da
boa pitada venho a ra da
Cadeia, loja n. 50, confronte a
ra da Madre-de Dos, que
se garante a boa qualidade.
Cal virgem,
recenlemente chegida : no armazem de Antonio A,n-
oes, unto a alfiodega.
Vende-se roel, muito superior, em
barris ; na ra Direita, n. g.
wm Ve*Ue-ie umi eierava de naci Angola da 20
innoi de bonita figura engommideira. eose ehio
counba bem o diario de urna caa ; urna dita de naci'
de 30 annos, que engomma, eose ehio coiiobi ,
lava; umadita.de 20 annos, de nielo Beo.oeli
que cotinhi, e Uva ; urna dita, de 16 annoi, de ni-
elo com prioeipioide habilidades; um pirdioho, di
16 innoi de boniti figura com principios da offi-
cio de sipateiro e que he proprio pan pagim: di
ruadas Crutes, n. 22, segundo andar.
= Yendm-se liranjn da China e da Ierra; no
litio grande envidracado na estrada do Mooleiro
do dia 13 do torrente em diante.
= Vende-se ums porcio de esticas de qoilisida
proprias para atorros, com 25 palmos de comprimilo;
na rui di Florentini o. 16.
;= Vende-se orna boa carteira, com bons amnjoi
para urna pesioa eserever; urna mirqueza de aogico;
2 bou cisicas de pinno preto ; una lobre-cmci de
panno de cor ; lodo fino e novo ; e se vendem per nlo
ervirem ao dono que he penoi limpie sidi; 8un
9 barril com mel: na rui da Crui, vend n 4(3.
Vende-se, a retilbo, ou em firdoi, ptimo fu-
mo o melhor do mercado proiimimeots cbesido
da Babia; aa ra da Praii, n. di.
Escravos Futidos.
Co de campo ; 1 dita, que cozinha engomma cose ,
faz doces e bolioboi; 1 pirda pira fra da provin-
cia oo eogenbo. com todas as hsbilidades: na ra
Nova, n. 21, segundo andar.
Vendem-se, ou troci se as obras seguintrs ns
ra de S.-Francisco aotigamente Mundo-Novo n
66 : latinos Salustio ; Selecta ; Virgilio ; Cornelio ;
Fbulas; Cartas de Cicero; UracSes de Cicero; e des-
tes algun traduzidos eom portuguez ao lado; Tbeo-
logia do Monte ; Horacio, de diflereolei edicSes ; e
outrss muitas, que se nao anounciio por nio tornar
muito extenso o aun unci.
= Vende-se urna linda canoa de carroira nova ,
mui bem construida, de amarello ; urna poni de pa-
utas decoqueiro : na ruada Semilla-Volba o, 110.
Vende-se colla di Babia moito superior ; ni
rui di Senialla-Velba n. 110 -ermaiem de Alve
Vianaa.
Vendem-le 2 bonitos moloques, de 14 anoos, de
nscio proprios para officio ou pageos ; 2 eseravas
de elegantes figuras com prendas; 1 dita moca, por
350s n.; 1 parda, muito moca de 20 annos cose ,
engomma e cosinba : oa roa larga do Rosario, o. 24,
primeiro andar.
=Vendem-se cuses de pombos, boos bitelore, e de
excellente nci; ni ra da Florentina, n. 16.
Yende-se urna parda de 40 aonos, pouco mais
ou menos, coiioba, lava e Ga que tem sido s sua oc-
cupa(io por preco commodo ; oo Conedor-do-Bis-
po a fallar com o major Mayor
Cotins de linho, a
I4>i0rs.ocorte.
Na loja n 3, do bsriteiro da ra do Crespo ao p
do arco de S. -Antonio vendem-se cortes de cotins de
linlio puro a quatro patacas e meia o corle. Esta fa-
ienda be de tal maneira fabricada de linbo, sem mis-
tura, que se pode, sem admissio da mais pequea con-
trariedide, isseverar e iliancir aoi amaotai das lateo-
dis duraliva e economica, que a prosa do primei-
ro corte assugurara a prompla continuarlo da concur-
rencia a compra dos outros. Dio-se is imoslras sob pe-
nhor.
Vendem-se duas obras de
Theologia do bispo Monte, en-
cadernadas, todas em bom esta-
do, pelo preco de 20^000 rs. ca-
da urna ; na praca da Indepen-
dencia, livraria, ns. Ge 8.
No Aterro-da-Boa-Vista
loja n. 14 ,
vecdem-ie pinnoi pretoide eflr fia i b i jj rs. o
covado; merino, a 1100 e 4600 rs. o covado ; ris-
cados francozei, de cores fixas a 220, 240 e 280 rs.;
fustdei muito tuperiore em quilidide e goito a 640
ri. ; e outris fazenda pira colletes de bom goito a
800 e 1800 rs. ; murc,ulma de corei. pidrdei muito
bonitos pelo haritisiimo preco de 280 rs. o cosido ;
caisn | miadas, a 2000 e 3500 rs. o corte ; lencos de
cambraia para senbora com nomes a 440 rr.
chales de lia muito grindes a 2600 e3000 rs. ; bi-
coi ingleses largos a 120 rs. a vara e outns fi-
tendis por muito barato preco.
Loucainha,
a 280 rs. o covado.
Na loja n. 3, do barateiro da ra do Creipo ao p<
do arco de S. -Antonio.|vende-se lou(iinba, a qualorze
vintens o covado. O propietario d'esta loja tendo
saliifacio de eonunciar ios seui atlenciosos freguezes
esta mui bella e moito nova fi/endi proprii pira
vestidos, toma a liberdidede obiervar, principalmente
sienbons em geral, que, pela boa manufactura, ri-
cos e brilliantes desenhos em listras da tedi em qua-
dros de varias cre acampos, ora claros, ora mais
ou menos escaros, e finalmente pels segurioc e rcal-
e d'em ciei ella apreienta as vezes urna bella e
lublime viiti outras icriedade e grafa e outras um
ave-Iludido que a faz tomir por sedi ; e que por
iisoieloroi mui recommendivel e digna de grande
concurrencia ; tanto uiiii a um to moderado preco ,
de cerlo inferior ai iuii boas qualididei. Na mesma
loja vendem-se lindiisimos lencos de finissima cam-
briia de bellas cercaduras e outros sem ellas, com
urna especie de abertura arrendada maiorestinhos do
que o ltimamente inounciidos, proprios para o
amavel sexo e cujo diminuto preco he de um cruzado;
assim como peciobu de fioissimis cambriiii.com 6 va-
ral e meia, proprias pira vestidoi de seobori pelo
muito mdico preco de doze patacas esda urna. De to-
das estas fazendas e de qusesquer outrai, que nesli
cata existi, dar-se-bio imostris a quem por elln dei-
xar penhor.
Na ra do Crespo loja nova
n. 1% de los Joaquini da
Silva Al aya,
veode-ie um rico sortimento de castieses de finissima
casquinba com as suas competentes linleroii de
gostos os mais lindos que teem ippirecido pelo di-
minuto preco de 8i? lOj !2f000 rs. cidapar.
=Vende-se urna eicrisi crieuli, de 14 annoi, com
priocipioi da costura ; em Fra-de-Portas, ra do
Pilar, n 6.
Vendem-se riscados france-
zes, 160rs.o covado; no Ater-
roda-Boa-Vista loia n. 14.
- Vende-se urna neg.inba, mito linda, com prin-|,r08a cipios de costura e propri para mucarnbi ; um opti-
> Fogio na noile do dia 8 do corrate da am
o. 3 de Franciico Jote Pereira Braga na roa 4o
Crespo ao p do areo de S.-Antonio odia pnli,
de nome Severioi. crioula, estatura baixa de 351 40
annos pouco miis ou menos qo<*, bs coosi da 3
meies, bavia chegado do lerlio ; traiia vestidos os tri-
jes proprios do campo que consisliio em uaaa nii i
camia de algodlo groiso tamrem lencol do aseinio
panno ; com um ro/ario de contal no peicoro ; Usos
mais um bilaio com um vestido novo de riscido nul.
Roga-ie a qualquer pesioa oo capillo de campo, qui
i apprebender, a queira conduzir a dita casa ou loja
de fitendis que ser gratificado.
Fugio, oo dia 6 do rorrete, am cabra, de oo-
rae Florentino vendedor de leile, de 22 annoi, pou-
co mais ou menos de boa altura ; levou caifas de es-
topa camia de algodio/inho e outra de baeta ss-
camada por cima ja osada um bonete, tambem nu-
do : roga-iea todas as autoridades, e mesmo espi-
lles de campo d. o mindarem levar a ra do Colle-
gio n. 15, terceiro andar que Se pagara todi i
deipexi.
PITTORESCOS.
1 E CIF K A C A 0
A fortuna sem virtudes he mais des***
de bonita figura ; i preloa, de 25 annoi propnoi pa-Jmo preto carreiro moco e que enlende de todo o
ra campo ; 3 negriobu de 12 a 14 annoi, com bi-jiervico decampo : ns rus estrella do Rosario o. 31,
bilidades, e de lindas figura"; 3 pretil para o serv-1 primeiro andsr.
PERN. NA TTP. DI Ha F. DE FAIUA
|H46;
MUTILADO I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8VL7XG93_4BB8TI INGEST_TIME 2013-04-26T22:37:38Z PACKAGE AA00011611_08392
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES