Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08389


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1846.
Quarta feira 9
O DIARIO puhlcs-se todos o dias que nao
forcni de guarda: o preco da asignatura lie de
liOfl rs. por quartel, pagos nit inalados. Os
nomnelos dos assigoanlcs sao inseridos a raio
de 2n ris por linlia, 40 ris en typu diaran-
te, e as rcpctirAM pela inetade. Os que niio fo-
rein assgnantcs pago 80 res por linda, e 160
erjl typo dillcrcnle.
PI1ASES DA LA NO MBZ DE SETEMBKO.
l.u clieia a & as 10 hora e Sfi minutos da man.
Mingoanlea 12 as 0 dorase II miu. da man.
La nova a 20 a i horas e 13 min. da tarde.
Cresccnte a 28 as 6 horas e 8 minutos da man.
PARTIDA DOS CORRF.IOS.
Goianna e Parahylia Segundas e S?xtas 1'eiras
Rio Grande do Norte, chegl as Quartas feiras
ao meio da e parte lias mesillas horas as
Quintas feiras.
Caho, Serinliacm, Rio Formoso, Forlo Calvo c
Macey, no f.*, II e 21 de cada mej.
Garanhuns e lnuito a 10 c 21.
Boa-Vista e Flotes a lie 28.
Victoria as (Jiiitita* feiras .
Ulinda lodos os das.
PREAMAR DE HUl?.
Prmeira as 7 horas e 42 minutos da manhia.
Segunda as 8 horas e G minutos da tarde.
de Setembro.
Anno XXIT
ti. 199.
das da semana.
7 Segunda S. Pamphilo. Annivcrsarlo da In-
dependencia do ilrasil.
8 Terra fR >fc Nntividnde de Nossa Scnhora
S (icrbiiiinno.
0 Quarta ,S SargiO, aud. do J. (lo civ. da
2. v e do 3. de par do 2 dist. de l.
iO Quinta S Nicolao, aud. do J.de orphos, e
do I municipal da I. vara.
II Seita S J.ciiitho, aud. do J. do civ. da I.
v edo J. de paz do I. dist. de t.
[2 Sabliado S Juveneio, aud. do J. do civ. da
I. v., e !..! de patdo I. dist. e do J. de t.
13 Domingo S. Filipe.
CAMBIOS NO DA 8 DF. SETEMBRO.
Cambio ibreLondresItd. p i#* co d.
Patis 355 ris por franco.
.. I.islma 106 % de premio.
Desc. de letras de boas Qrtnaj I '/, p, %aomer.
OumOne,-,hesptnholi.. JIJ0O0 a 3l#t00
Meadas da mino re, IJ700 a ir,80i)
a n cler.jtOOnov. 11)0000 a 1(10200
. ii de ifOOO... #000 a fO
Prala I'atacoes....... IJ9SO a 1*0011
Pesos ciilumiiares lS i a 2J000
DilOi Mexicanos. iHO a l|900
Muela.......... I#70 a l780
Accoesda Cuinp. do [eoeribe de iOjOOO au par.
DIARIO DE PERNAMBUCO
PARTE OFFICIAL.
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DO DA 1. DO COMIENTE.
Odelo Ao Exm. vice-presidente do Para, acornan-
do remessa da informacao, que, acerca do que cootta
na pagadura militar desta provincia a respailo do alfe-
rea da quarta claaie do exerclto, Francisco Pedro do Re-
g Barreto, deo o coronel chele da meama pagadura.
Dito Ao commaodante dos armas, exigindo aeu
parecer acerca da paiaagetn, que, do deposito de recru-
tas da corte para o desta provincia, requer Henrfque da
Silva Coelbo.
Ditos Ao munio e ao commissario-pagador, in-
teirando-os de ter S. M. o Imperador permittido, que
passem : da companhia flia decavallaria desta pro-
vincia para a de S.-Paulo, o primeiro cadete Jos Ne-
elroi de Almeida Sarinno ; desta para aquella, o se-
gundo sargento particular Jos Cesar de Sampaio Mel-
lo; e do primeiro balalbio de futileiros paira o primei-
ro de caradores, o cadete Jacintbo llsrreto de Castro.
Dito Ao commandante interino da estsco naval do
centro, declarando, que, visto nSo haver ordem impe-
rial, que derogue a que maodou recolber-se a corle a
fragata .-Januaria, deve ella para all seguir, logo
que Mr possivel, levando a seu bordo os saldos existen-
tes nos cofres da tbesouraria da fasenda.
Dito Ao inspector interino do arsenal de marinha,
ordenando, que a Jos Antonio de Mendonen. ou a al-
guem por elle autorisado, mande pagar 437/(19 rs. pe-
los pranches de amartillo, que, porencotrimena da
repartico a seu cargo, vieran das Alagoas as barcacas
Nova-Vicloria-ds-Aguiar e Conceifo-Feliz; e ao mes-
tre destas barcacas, Domingos Alvos da Silva, o Irete,
a que tiver direlto, na rasan de 10^000 rs. por cada du-
xia de costado. Participou-se ao Exm. vlce-preslden-
to das Alagoas.
dem do da 2.
Quicios Aos commaodantes superiores do Recite,
Olinda e Iguarass, Serinhiem e Rio-Formoso, Cabo, e
Goianna, determinando, facao dispensar do servico os
individuos, que, por documentos expedidos pela capi-
tana do porto, provarem, que se dio vida do mar.
Tambem se ofllciou ao che fe de polica interino, para
que mandasse isentar do servico policial os cidados,
que se achassem as circunstancias daquelies, para
quem fica ordenada a dispensa do da guarda nacional ;
e participou-se ao capito do porto.
luto Ao bacbarel Jos Baodeira de Mello, decla-
rando-so sciente de haver S. Me. reassumido a vara mu-
nicipal e de orphaos do termo de Nazaretb, para que
fra reconduzido.
Dito Ao juii de direito interino da 2.* vara do crl-
me, intelligenciando-o da sua nomeacao para o cargo
de auditor nos concelhoa mencionados em o art. i 10 do
regulamento das capitanas dos portos. Communi-
cou-se ao cspitSodeste porto.
II.KM DO da 3.
Offjcio Ao presidente da relajSo, exigindo o seu
psrecer solire um requeriuienlo de Manoel Joaquim
Goocalves Lessi.
DitoA' Zelerino da Cutira Bastos, doclarando-se
acientede haver S. me. entrado no exercicio dos cargos
de delegado e juiz municipal supplenle do termo de A-
goa-Prele.
PortaraDemitlindo Leonardo Bezerra de Siquei-
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
por aieyanDre punas.
PRIME1RA PARTE.
ra Cavalcanli do lugar de delegado do termo de Cim-
bres. Para substituir o demittido, nomeou-se Jos
Caetaoo de Medeiros ; e partieipou-se ao chele de po-
lica interino.
dem do dia 4.
OfficioAo commandante [da Iragata D.-Januaria,
significando, que, visto ja estar de posse das quantiss,
que tem de condutir para a curte, pode para all seguir.
DitoAo meiino, ordenando, d transporte ao de-
sertor Joaquim Jos Alvo.
CAPITULO I.
A TB.OVOADA.
Oito diaa depoia do acontecimentn, que dcixarooi re-
ferido, pela valla das cinco horas da tarde, sabia de
Poiit-i-Mouttoii, pequen cidndo entre Nancjr o Met,
uina carruagem puchada a quatru cavalloa e guiada por
dona poalilhoea. Acahnva ella de mudar cavatina na M-
talagein da posta, o a dcapeito das instancias da nortes
estaiajadeira, que au limiar da porto espreitava os re-
lardados viajorea, segua caminho de Pars.
llavitu apena desappnrecido, ao vultar da ra, us
quatru cavallos cniu a pesada machina, qoando uns sal-
la rspasitos, e uino duiia do bisbilhuteras, que tinliao
estacionado em redur do carro darauto us ponen minu-
tos, que durara a mudan ja dos cavalloa, se recolhrlo
s respectivas moradas, cun gestos cexclamajea, que
manifeslavao exceasiva liilariilade em una, profunda
admira J&o emoutros.
>a verdado, outra igual carruagem nunca havia alra-
veasadu at cutio a punte, que, cincuenta anima antes,
o Imm re Stamalu Hiera tancar sobro u Mossclle, para
tornar raais facis as commumeajcs entre o aeu peque-
nu reino e a Franca ; anda sem exceptuar esses curio-
() Vida JJiars. n.' 198.
Coinmando das Anuas.
EXPEDIENTE DO DA 27 DO PASSADO.
CircularAos commandanlm dos corpos de linha
desta guarnicS.i, mandando, qu, do presente semestre
avante, losse executado o disposlo no aviso da reparti-
do da guerra o novo modelo das informacCes de conducta, que por
copia se Ibes transmitlio com a do dito aviso.
OdicioAo coronel commandsnle do primeiro lia
talhSo de caladores, mandando desligar o soldado ad-
dido da extincta companhia provisoria de guardas na-
cionaes em destaesmento, Josu de Jess Jardim, que
(inslisou a sua s**ntenca, e fa/.e-lo seguir com guia para
o balalbio da guarda nacional, a que dantei perlencii.
dem do da 28.
OdicioAo presidente da provincia, rogando a ex-
peilirio de tas ordens, para que fusse trsnsportsdo i
capital do imperio o soldado desertor do quarto bata-
Ihi i de funleiros, Manoel Jos do Santa Anna, na cr-
vela D.-Januaria.
DitoAo mestno, participando o procedimento, que
havia tido com duss pracas do segundo batslhSo de ar-
lilharia p, destacadas na provincia das Alagoas, que
lorio all escusas do servico ; e ponderando, que julga-
va mais curial, urna vez que o batalhio existe nesta ca-
pital, que as ordens de baixas para as pracas do mesmo,
destacadas na referida provincia, fossem directamente
para aqu enviadas ; porquaoto hn pelo batalhio, que
se Ihes deve passar escusas, e ajustar suas contas.
DitoAo general commandanto daa armes da pro-
vincia do Kio-Grande-do-Stil, dando-se por inteirad
do que llie communicou em seu officio de 15 de julho
ultimo ; e faiendo remessa da guia do alferes Antonio
Pedro Ferreira Campillo, que, por decreto de 3 desto
niei (agosto), fi/cra passapem do primeiro lntalhao de
cacadores para o quinto da mesuiu arma all em servi-
co ; ind annexa i guia deste ollicial a do soldado Mar-
cellino Antonio, que pertenceo ao referido quinti ba-
lalhio.
DiloAo coronel commandanle das torcas da pro-
vincia das Alagoas, remetiendo, por copia, oofllciodo
coronel commandante do segundo halalho de arlilha-
ria p, acerca do soldado all destscado, Joao Fran-
cisco dss Neves, que linalisou o seu segundo engsja-
mento.
Dito Ao coronel commissario-pagador, euviando
copia dos olicios de 11 e 16 de julho de 1831, dirigi-
dos pela presidencia a esle comnisndo ficorca do cha-
mamento para o servico, e do sold que se devia alio-
nar aos ofticiaes suspensos, e comprotneltidos na rebel-
liao de 1824, e copia da ordem do dia de 8 de agosto do
aja
ana narros da Alsaria, que nos dina de feira traiiSo de
Phalibnurg us phenniuenoa do duaa cabecas, os urfun
daiiiariuos, e a tribus nmadas desses aaltiiubancos, i-
ganos dos pai/.ea eiviliaados.
Ora, acm ser um lueninu frivolo e graeejador, ou vc-
Iha maldiiente o curiosa, bnru so poda parar admirado,
ao ver pasanr esso nioiiuinonlal vehculo, que, suspenso
aobre quatru roda de igual dimetro, eauslcnlado por
fortes mola, avanesva todavin curo bastante rapidez
para jnulificar cata exclamaco dos espectadores:
Eis-ahi urna exlravagonlo carruagem, para correr
a posta.
Permittio-noa os Icitnre, que, por sua folloidado, a
nao viran paisar, que Ih'adoserevanios.
Vamos primeiru n caia principal; e aseim ditemos,
porque era ella precedida ac um euiuu cabriolel; a cal-
a principal, ditemos nos, era pintada de atul claro,
e nos lados tinha um eleganto diadema do bario por ci-
ma das inieiaes I o B, entrelazada com arle.
Duna ioncllaa, nao portiuliola, cura cortinas de
miirculiiiii, davio lux ao interior; maa estas janellas,
quasi que mvisiveis ao profano vulgo, beavan na parte
.interior da lal eaixa, e deilavJo para o cabriole!. Urna
grade permillia ao mesmo lempo conversar com quem
ciuer que li.ibit.iva o inlerior dessa cnix.i, e encuatar-si',
o que, eni eia precaucSo, nao se pndera fater com so-
guranca, oencoslar-se, diicmos n, a vidreca, sobre
as quaea atavio atendidas as referidas cortinas.
Ei eaixa posterior, que musirava ser a parle csten-
cial do estramblico coche, o poda ter dote palmos de
oomprido e nove de largo, s recebia, pois, rlaridade
por essas janella, e ar por unta cor red ice envidracada,
aberta no tejndlbo ; para coniplelar, rmfian, a acrie de
singularidades, que esie vehiculu utTerecin aos olhos,
um tubo de folha, que exceda do tejadillio um bniu pal-
mo e meio pelo monos, voioiuva um fumo aiulado,
que, com a marcha da carruagem, formava um longo
penacho tlucluante.
Em nossns das, oa parlicolaridade so tena o resul-
tado de faicr crer em slgiima invenclo nova e progres-
iva, pela qual o ruachiiiista tivesse aabiamonte combi-
nado a potencia do vapor oum a forft dos cavallos.
E tanto mai provavel seria isto.quanlu a carruagem,
precedida, como disaenioi, de qualro cavallos o dous
1832, relativa ao fallecido alteres Cantillo Leles de No-
roni.t; documentos, que poiliSuorienta-lo n. inlormi-
Qao, que tem de dar, sobre o pagamento de vencimentos
atrasados do mesmo alferes, pedido por seus herdeiros:
com o que licava satisfeila a sua requisicao de 26 do
corrente.
Dilo Ao coronel commandante do 2. halalho de
artilhariaa p, conimunicando.queoseu officio destada-
ta acerca do soldado Joao Francisco das Neves, destacado
ns provincia das Alagoas, foi por copia enviado ao res-
pectivo coronol commaodante das torgas, paraosfins
convenientes.
Dito Ao mesmo, para fazer substituir a escusa do
sollado Simplicio Harbo/.a pela mesma lrma, que se
praticou com o 2.sargento Flix Peroira Jnior; de-
vendo ficsr no archivo a escusa passada pelo comman-
dante do halalho provisorio de linha da provincia das
Alagoas.
Dito -- Ao mesmo, mandando considerar praca eflec-
liva do hatalhio ao soldado adlio Jofio Paulo deOli-
veira.
IHtHlD DE PERVAaoTCO.
'I'ivemns jornses franceies at 9, ioglezes at 23 de
julho ultimo.
Depoif de ter a riiinh reunido a corto e o conceibo
privado no palacio do Huihingham, para receber os
sellos dss maos dos ex-ministros, e entrega- los as dos
seus succetsores, regressou a 9 ile julho para Oaborne-
llouse, na ilha de Wight; donde voltrao para Lon-
dres S. M.. o principe consorte, o toda a familia real
no dia 20; e suppunha-se, que a corte toroaria a ir
piira (Isborne a 2 ou 3 de agosto.
Forai reeleitos membros do parlamento os seguintes
ila nova administrado.
Lord J. Russell (I 'lord do Ihesouro).
Lotd Palmerstoo (secretario dos estrBngeiros).
Sir G. Grey (secretario do interior).
Mr. C. Wood (cbaocellerdoexehequer).
Sir. J. C, Hohhouso fpiesidento da junta de inspec-
clo).
Mr. Laliouchero (secretario da Irlanda).
O coronel Fox (inspector da artilbaria).
OcapitioF, II. Beiklev (lord do almiranlado).
U almirnnle D. Dundas (lord do almiranlado).
Lord NI. Ilill (syndico da casa real),
Mr. J. Jervis (procurador geral). '
Lord John Russell deelarou na casados communs,
em sessao de 16, a linha de conducta, que se propunha
seguir o governo de S. M.arespeilo de muitos bilis,
que -lilao eslavao suhmellidos ;i caa, o que na segun-
da-leira immediata (20) expenderia o plano do mesmo
governo a respeilo dos direilos do assucar, n'uma i om
niisso do toda a cas, e enl5o propnria o adiemento de
sua discussio al a seila-teira seguinle.
Com efleilo, na sessao de 20, desenvolveo lord J.
Russell, em commissio de meio. o seu plano para a
final fixerjo dos direilos do ossucar, cuja ulterior dis-
cussio ficnu adiada para a sexta feira seguinle.
A final fixacao dos direilos do assucar, proposla por
lord J. Russell, lomando por base do escala o mascav-
postillieii, ir.ma amarrado sin Iraieira nutro coval
Esto, (pie, pela eahec.i pequea e direita, pela pernal
fina, peito aperlado, orina espesan clotida cauda, inoi-
trava er dn raja arabo, vinha sellado ; o que indicavn,
que as vete algiim dos ii.ynlevioans viajante dessn no-
va urca de Noo ee diverta em nioiita-lo e galopar ao
lado da carruagem, qual nao era dudo ser puchada com
tal marcha.
Km Punt--Muiisnn, o bulieiro da posta antecedente
baria resabido, com u precooonveneiunado, dupla gor-
geia de urna mJo alva o musculosa, que se introdutira
por entro ns duaa cortinas de euuro, que fecbavo n par-
te anterior do eabriolet quaai lo liermelicameulo, como
n de miircoliiia fechnvao a da eaixa.
(11111 -11111 ." >. iii.ini v i Nm tl.i, tirara muiln depretsn o cha-
peo, e disaera : Ubrgndu, meu enhur. E urna vot so-
nora resp undrn em nllemio, lingtin, (pie anda so ou-
vo, tu nao ae falla mais no arrcduics de Naiicy :
SchneUi ichneller !
U que, irnduiido em portiigiict, quera diter :
Drpretaa, mai depresta.
Os postilhries quaai que cnlendcm todas ns lingoas,
qunnilu as palavra ao acompanhadas decena uiuaica
melalica, do que a prsenle gerac^o lio partioulnrmen-
to apaixnnada ; e por taso o dona nuvos coebeiros Hie-
ran quanlo nclle eoubo para partirem n galopo, ma o
lepois de muitos eafurc,ut, que fatiau mais honra ao vi-
gor dos seus braco do que ao daacanellaa dos caval-
los, ho quo podero conaeguir, cuitiin, de i aojado,
reslringir-ae a um trote conveniente; pois que era vieto,
pie permillia faterem duat leguas o meia ou tres por
hora.
Pelas sele horas, mudavlo-ae cavalloa em Saint-Mi-
hiel ; a mesma man pasrra pelas cortinas o pagamento
da posta caminhada, e a mesma vox deixra ouvir igual
reunminenilajlo,
Esrusado ho diter, que a singular carruagem cxcila-
va a mesma curiosidade, que em Pont-i-Mousson, ni
inaiur ainda ; pois quu a proximidado da nuile Ihe dava
um aspelo mais phanlaslico.
Dopoi de Sunt-Mihiel corneja a inontanha; e ah
forja era, que os viajantes so conlentasscm coman-
dar a passo. Gaslon-e meia hora coi um quarto de
lejoa.
do, que he a qoalidado d'assucsr mais commum, e que
regula todas as nutras qiuliJades. he a seguinle :
Como o assuear mascavado, proJuiido por traba I Lo
escravo, he pretentemento exclui !, por um direito de
03 sidos, e o de producjSo lire estrangeira be admit-
tido na raaSn do 27 sidos, 4 dinheiros, serio um e ou-
troadmittidos.at 5 de julho de 18V7,porum direito da
21 sidos. Nos qualro annos seguintes telo-hio, aquel-
la por 20 i., 18 s. d., oeste por 17 s., 15 i. 6 d. ; e
depois de 5 de julho do 1851, a imposico sobre todo o
assucar mascavado, qur de produejao livro estrangei-
ra, ou colonial ingleza, qur niio livro, ser de 14a.,
que he o direito actual d.iquelle. Por conieguinte da-
qui ate S de |ulbo de 1851 he de osperar, que o esta-
do da receila e despea permita entao outra reducjio
do menos de lis.; mas esse dia est (orado alcance de
uina legislacao modesta e judiciosa.
Na sessao do 22, annunriou lord Bentinck, que pro-
poria como emenda a se.unite retolujSo :
Que no sclual oslado de depressSo da cultura do
assucar as possessdes ingleas la ludia oriental e oc-
cidental a proposta reduccio de direitos sobre o assucar
produtido por Irahalbo osersvo era igualmente injusta
a impoltica, pois que tendera a parausar o progretso
ila produccao por trabalho livre, e daria estimulo addi-
cional ao trafico da eteravatura. Porm temia-se, quo
ord L Russell nio pndesso assistir 6 discussio da pro-
posta do governo no dia designado, em consequencia
a mortu de seu irmSo mais velbo, lord William Rus-
sell, dislinilo membro da casa ducal de Bedford ; o
ualcria-se haver fallecidoem Genova, para oodo ti-
nha ido por motivo de molestia.
Nosjornaes recebidoa, de data posterior ao de 7 de
julho, do qual extractamos as noticias de Portugal, l-
timamente publicadas, nao encontiamos senao um con-
tinuado silencio a tal respeito ; e apenas algumas noti-
cias fugitivas entre nutras de liespanha, que trans ro-
* remos oppotlunamente.
Est emfim passado o vigesimo-quarto sjnlversarlo
da nossa independencia. '
Foi ello, como de ordinario, festejado pelos Pernatn-
bucanos.
I ni tarro trfumphnl, puchado por alguos mojos, de
cal cas o jaquetas brancas e bonetes de seda verdee ama-
relia ; orcupado por un menino, que vinha vestido
maneira dos nossos Indgenas, e traiia om a inao direita o
pavilhao braslleiro ; precedido de uina banda de msi-
ca militar, e de nutras duas acompanhado, assim como
de algum povo, percorreo, na vespera desse dia eminen-
temente nacional, algumas das ras desta cidade, que,
como do costume, conservava-se illuminada.
Na manliaa seguinte, pelas 11 horas, pouco oais ou
menos, e segundo a forma prescripta em a ordem do dia
do Exm. Sr. general coinoiandanto daa armas, publica-
da em o nosso o. 196, o esquadro do cavallaria da guar-
da nacional do liedle, sois dos batalhus desta, um da
de Olinda, os diversos corpos de primeira linha, de pre-
sento aqui existentes, e o do polica, em grande parada,
e sob o commando em chefe de S. Exc, formrSo em
linha, cuja direita tncava o palacio da presidencia, e
que, estendendo-so pelas rjas do S.-Francisco, Cadela e
Collegio, flcava com a esquerda em o pateo deste.
Depois das salvas do estylo, o mesmo Sr. general deo
vivas anlogos au da ; e a tropa marchou urna vez em
No einio la nioniniiha, pararlo o pnalillnjes, para
dallaren respirar um punco o cavallos, e nt que v-
uhao no cabriole! descubrirlo um horisonto externo,
quo os vnpures vespertino eumejnv&o a amiuvinr,
O lempo, que eslivera clnrn o quento ale as tres ho-
ras, havin-se tornado nbnfadnr, pela tarde. Uinngrando
nuvem, viuda do Sel, e que pareca seguir omn preme-
ditaban a rorruagem, nineaeava allingi-la, antes que al-
canjasso Bar-le-Due, onde os pottillie ounlavao a lo-
do o risco parar, e paaaar a nole.
O caminho, aperlado du mu lado pela montauha, e do
nutro pnr urna rampa escarpada, que desee mu valle,
no fundo iloqn.il e v serpentear o Meuse, iffureca,
por espajo de meia lego*, 15o rpido lodera, que fra
perignso desco-la por nnlro modo, quo nao a passo ; a
por 1-i.n foi este andar prudente, que loniro us posli-
Iht'ica, logo que o poieru do novo a caminho.
Ciintiiiiiava a nnvem a approxroar-se ; e, como era
forte eviuhn perto da Ierra, aiigmentnva-so, agglorae-
rando na vapores, que su cxhalavo : dislingua-e, na
Sua sinislra nlvura, como ella repella toda a nnlr.i
nuvem mulada, que so Ihe punhJu a sota-vento, cuino
Em breve, interceptou ella, quo ubia ao co com a
rapidet da endiento da maro, os ltimos raius do aul ;
urna claridade cimenta e baja apenas allumiava a Ierra,
en folha trmula, sem quu correase a menor aragem,
lomro ca tintura negra, que ellas rew.leui s pri-
meira carnada de ubicuridade, quu seguem a ausencia
do rol.
Do repente, um raio tulcon a nuvem, o co feadeo-
to em rhooibo de figo, u o olhos, espantado, podiio
nlcanjnr a- profndela incommonauravei do firma-
mento, ardeutes como as do inferno.
No mesmo instante, um truv&n, saltando dearvore era
arvure te a parte dos busque, que a estrada alravessa-
va, abalou a trra, e fez correr a enorme nuvem como
um cavallu furioso,
Conliniiava a rolar a carruagem, laucando o fumo pela
chamine, quo de negro, que era d'antes, te lornira tub-
til e cor de pala.
Nesle cutremente, escureceo o cu ; a corredija do
lejadilho purpureou-so cora urna lut viva, e fioou illu-
minada ; era evidente, que o habitante do oubioulo aui-
,T>


,2
Continencia ao parto ordinario, cm o largo de palacio.
Finda a continencia, leve lugar o cortejo ao retrato de
S. M. o Imperador; e, terminado este, os corpns desfi-
larlo a quartels.
A' noite, ainda a cidde esteve llluminada ; houve
representacio, tanto no theatro publico, c: to no da so-
ciedade, que se denomina Thaliense; v bem assim um
baile, dado por algumas pessoas, que para esse flm se
congregrSo sob o titulo de HeuniUo Fraternal Iliast-
hente.
He de 2 do correte a ultima dala das gardas do
Norte, que recebemos pelo vapor S.Sebaitio, entrado
hontem nesle porto.
Rendemos gracas ao Omnipotente, por seiramer-
ciando doi n ssos irruios do Cear.
Os numi ros, quo vimos, o Pedro II, nio noliciao
assasiinato algum ; o que proa, quo aquelles desses in-
eliies, quo, do encontr aosmais sagrados deveres da
bumanidade, parecilo ter votado ao exterminio os seus
concidadios, vio a final reconhecondo a enormidad do
seu delicio, e dispO-'in-se a arripiar da tortuosa carreira,
quo 15o errada e criminosamente hs*i9o encelado, e na
qual rom ebominavcl encarnecimento proseguiao.
A assembla dessa provincia tinba ido prorogada
al 5 desto mcz.
O Maranblo conserva se no ttatu qu.
OSr. Angelo Carlos Muni/. continala a solirer mul-
to lorie oppoticio.
A minora, que o sustenta na assembla provincial,
quodetia fechar-e a 20 de agosto ultimo, e tainbem
loi prorogada por seis dias, nao havia coJido do propo-
lilo, ao nosso ver mu censuravel, de procrastinar a dii-
cussao da lei do orcamenlo.
No Para tinba sido aberla, no dia 15 de agosto ulti-
mo, a primeira sessao da quinta legislatura da assem-
bla provincial ; e nada havia occorrido do extraordi-
nario.
Correspondencia.
Sr$. Hedaclorii. Mas vale tarde do que nunca.
Casos ha, em que muitas vezes o homem, por maisque
retirado viva, se v obligado a oceupar as paginas do
seu conceptuado Diario, para denunciar ao publico su s
justas queises; que de outra maneira nao Ibe he conce-
dido o faZ'T
Um destes caso, pois, me impolle a vir boje pela vez
primeira esclarecer o respeitavel publico de urna arbi-
trariedad, platicada contra mim por um tal Francisco
Antonio Bandeira de Mello, bem conhecido nesla co-
marca por seu genio atrabiliario desptico, e da ma-
neira, por que me lem sidoat o presente denegado o re-
curso, que procurei persnle os triliunaes do paii : mo-
tivo pelo qual me vi obrigedo a escrever estas linhas.
Entrarei, portento, a demonstrar a minba proposicio.
Recolbendo-me eu, as 9 borai da noite do dia 11 de
dezemhro do anno prozimo passado, para a casa de mi-
nba residencia, oesta villa do Rio-Formoso, infeliz-
mente encontrei-me, na esquina desta mesma rua.com
o referido liandeira, que, diz, entao se achava om exer-
cicio do cargo de delegado supplente deste termo, lugar
que nunca oceupnria, se nao fora o desgoverno doSr
Chichorro, acompanbado dito delegado supplente de
urna escolta, pela qual me mandava coriar, como se eu
fora boroem suspeilo, sendo alias naseido e criado nes-
la villa, onde tenlio dado tempie provas de homem man-
so epacifico, e exercendo diversos empregos, como sejao,
entro outros, o de escrivao de subdelegado desta fregu-
zia, e ha -1 annos, o de secretario da cmara municipal
respectiva ; c, nio obstante nao ser eu encontrado com
arma alguma, leve o arrojo dn ordenar a mesma escolta,
que me recolhesse ao callebouco do quailel oesta villa ;
t>. inquerindo-lbe eu, nesie acto, qual o uiotivo de tama-
nha violencia, praticada para commigo, re*pondeo-me
esse hach do ciuda, que era por nSo Ihe haver eu tira-
do o nicu chapeo, menoscabando assim a sua autorida-
de I I e, apezar de Ihe haver eu ponderado que es-
ta falta nao era crime peranle a lei ainda quando
voluntaria (osse quanto mais que eu confessava ser
involuntaria, em consoquencia de o nao haver vis-
to, prorompeo em injurias e ameacas contra mim, ea-
niando-me palife, infame e ente miseravel; asseveran-
do-me, que i.ssim proceda, nao tmente pelo motivo
cima exposto, como tambem porque eu o havia cha-
mado ladrao do cavados, e dado-lhe alguna fras, quan-
bulantc, ettranliu mu ai cidentet etterioret, toraava ai
suas preeaucoes contra aooiie, inro de nio sor inlar-
rorupiibi na obra, que excoiilava,
A oarruagen ainda eiUva na ebii havia ainda cumecado a aperar I ma desoda, quando
segundo trovas, mais violento o nuil carregado de vi-
bntjoes meieiieas que o pritneiro, desprenden ., thuva
das unten*; a qual cabio em grande, gottae, elogoior-
roabaala erija, como branda* de sellas, de.pudido*
do reu.
Os |.nslilho>s contullirio-se, a carruagom parou
ErilSo? perguntou a mesma mi, ',',,, desta vea
enictcellento francci, quo diabo fatcinoi nos?
talamos a ver, ao dovcinos ir maii luege, dister,,
na puililliAe*.
Parcce-me, que a mim he, que deviio perfumar
nao, replicn a mesma vui. Andein .'
Havia netta voi um aeoento domando Uo poderoso o
13.. real, qoo oa po.tilhe. obedecerlo, e a carmenen
i i ii.(i, i ii u rolar jiel.i I.hIim .i.
Ainda bem di.ir a voi; e ai corlinaa deeenfu
soabcrias por um momento, ie fecharlo de moto
Mas n mirada, naturalmente srgilosa t. hnmida, an-
da ninin ensopada pela trrenlo da chuva, que caba do
reo, tentn-te de repente 13o cacorregadia, age 01 co-
valloi recularlo raminhar.
Senhor, diste o postilhio, quo montara o cavallo
da lana, be inifioaeivel ir adiatite.
K porque? perguntou a referida vot.
Porque o cavallo* So ando mais; restallo.
A que diiianoia clamo ni da muda ?
Ah| esta be longo, mea icuhor, clamo, a qua-
tro leguas. '
Pois bem! poitill.so, ,,0 ferraduras de prala aot
teu.ca||,,ee|c. ndarO, disto cslrangeiro, ..
brindo cortina., o eaicndeude-lba qualro escudos de
h.r.H.! "T" lnn'de "o 0 postillo, ao recc-
^,r:,:"ldr','i"ntii0" o*,:, ..aP. bou.
11 i T. ,"u1ri"> te tur.,.,.-,.
oim, dts que andenioi.
do se aprespntou as eleic5es passadas, com o manifest
designio do querer perturbar as mesmas eleices.
Desejando eu terminar a ailuviao de tantos insultos,
proleridos por esie miseravel ente, fazendo-o persuadir
(liento isso era aviltante li autoridade, de que se achava
revertido; cis senSo quando, ile ordom sua he hita em
pedacos por a mesma escolta, que o acampanhava, urna
bengala fina, que commigo traiia, com casto de ouro;
e, oSo atisfeito com isso, ainda passou a ameacar me
ion, umsip-po.de quoseacbava armado, e que certa-
mente descarregarir sobro mim, se nao me revestisse da
maior prudencia, e tratasse de refugiar-me dentro de
minba casa, na conviccSo do que perante a justica do
mou paix acharia o remedio contra tantas violencias.
Mas, Srs. Redactores, quSo Ilusoria foi a minba es-
perance I Tiiste he na verdado a condicio do homem
pacifico, quo so procura na le a vindicta de suas o!-
fensas !
Como era do meu dever, tratoi para logo de intentar
minba queixa contra esse facanhudo despota, perante o
doutor |01 de direilo do crime da comarca, niosmen-
le pelos fados cima relatados, que constituem crime
de responsabilidade, corno tainbom pelo fado de haver
ser para ella ouvido o promotor publico da comarca,
como expressamenle o determina o artigo do regla-
mento n, 120, de 31 de Janeiro de 1842.
Mas esta minba queixa, que devia sor acolhida pelo
mesmo juiz de direilo da enmarca, teve de ser despren-
da, quanto a primeiraparte, que medi'ia rospeito, polo
motivo de Ihe nSo competir o seu conhecimento, o com
quanto mandasse proseguir quanto a segunda parle, to-
dava oro tantas as mangaces de subterfugios dos es-
crivaes ( o grande Pimental e songa-mongo Tiburcio),
que perante elle sorvem, que ludo ficou no ttatu quo; e
sendo tanto de notar-so a ligeireza e habituada do tal
Pimental, que, sendo elle o escrivao do jury, e a quem
tinha sido distribuido este proceso, pdde faier por artes
de berliques e berloques, com que fsse elle parar a mi
do Tiburcio, sem constar do seu legitimo impedimento!!
oque ludo importouo mesmo, queimpr-se me um per-
petuo silencio, porque Tiburcio afinal declarou-se sus-
peito, pela intima amizajp,que tinba com o querelado;
suspeic&o, que procedeo, nSo obstante haver eu contra
ella reclamado, subjeit.in ln-me a todos os manejos, que
essa amade podesse produn'r cootra mim a favor do
querelado! Ainda nao he ludo, Srs. Redactores, o meu
direilo individual e de liherdade teve de ser calcado
aos ps por esse delegado monstro, que no respeitou a
occasiSo e o lugar, pois que, poucos dias depois de ha-
ver apresentsdo eu em juizo a tninha queixa, e antes da
recusa do escrivao Pimentel, no dia V\ do mesmo me?
de de7embro, em occasiSo, em que por aviso do mesmo
escrivSo me diriga a rasa do doutor juiz de direilo, pa-
ra prestar o juramento de queixa, ahi, ao transpr o li-
mnar da porta, fui preso por urna escolta, que ahi mes-
mo me esperava a ordem do delegado querelado, e con-
duzido a cadeia, como se eu fra algum re"o de enormes
crimes: sendo de notar se, que nessa mesma occaso
M achava o dito e.crivfio Pimentel a veranda da casa do
doutor juiz de direilo, dando por isso grandes gargalba-
des Cbegado que (Osse a cadeia, all achei um tionco,
quede ordem do mesmo delegado loi aili posto, para
mim e meu mano Manoel Mendes Randoire Jnior, que
nessa occaso tambem fora preso, pelo motivo da minh,
queixa. Intimados que f sernos pora introduzir-
nios os nossos ps em urna prUSo to aviltante, rosisti-
moscom a coragem de homens livros, escudados na in-
nocencia de nossos procedirnentos.e, sem embargo, te-
rinmos pggsado por esse aviltmento dos lempos do des
potismo, se nao lora o numeroso concurso de cidadiios
rrspeitaveis Jesta villa,que, miases vozes, acudirao em
nosso soccorro, a censurar eflicazmento tao brbaro o
atroz procedimento. Toda vis, Srs. Rodadores, live de
permanecer nesla e.linnda priso por espago de 48 ho-
ras, sem crime algum, e smente dola san, depois que
o dito delegado teve a haixeza de solicitar e conseguir a
promt'ssa vocal de urna pessoa respeitavel desta villa, a
quem tributo amizade e muila consideracao, que Ibe as-
segurou, do que eu nao prosegueria em dita queixa.
Eis, pois, Srs. Redactores, exposta ao jui/o publico a
historia fiel da miaba perseguico, e o procedimento
dns autoridades poliches o criminaes desta comarca,
que jame debaixo da viroa frrea, depois quo entnitSo
em exercicio as influencias nomeadas pelo Sr. Chicbor-
ro. do ominosa rocordacSo:e,a vista deste painel, conhe-
'.' o respeita'-'publico, que o partido da praia be na
sUa generalidado composto de facaohudos hachas, que,
'razendo nos labios o doce de nomo liberdade, seus
fados s palpitSo pelo mais feroz ehrotal despotismo.
Basta por ora, Srs. Redactores. Coma publicacSodes-
le linhas muito ohrigariS Vmcs. ao seu constante e
apaixonado leitor.
Rio-Formoso, 16 de evereiro de 1846.
Antonio Mendei Ramo:
Esteva reconhecida.
Publcaciio a pedido.
A05 HROES DA INDEPENDENCIA.
SON T O.
Morte, aniquilacjio, eternidade .
Barreiras nSo valis que a Providencia
Acorda se Iho apraz quando be prudencia,
Volveren, os hroes humanidade.
Eis pois eu te diviso egregio Ardbadb,
Eu te sade Peoro em preeminencia I !
Exists, porque existe a Independencia,
Vivis, porque se alenta a Liberdade !
O l!n cu boje livre, erguido imperio ,
Seus cdigos, seus louroi, seus futuros,
NSo teinern subversio, nunca improperio.
Anokade, e Pedro, velSo nos seus muros :
I! 'liern no seu influ.) alto criterio
Do povo livre os votos sempro puros.
Por J. B. de S.
Francisco Doarte Maced >, urna.
Herculana Maria Jlerlutino, urna.
Ignacia Quiteria Gama, urna.
Jeronyma Candida Eastaquio, ama; Jlo Anln
Alves, urna; JoSo Barreiros de Carvalbo, orna; T
Domingos Ramos, urna; JoSo Lustroze da Cun'bs p
urna; Joaquim Francisco da Silva, urna; Joaquim R '
drigues Vieira, urna ; Joaquim SolomSo Serpa s
urna; Jos Antonio de Figoeirodo, urna; Jote Aot
nio Pinheiro, urna; Jos Joaquim do Araujo Carvlhn~
urna; Jos Pedro Ferroira A., urna; Jos Rodriga
Borges, urna; Josephioa Carolina de Jess, urna.
Lnii Gonrag Moreira L. ama: Luit Cirdo
Moutinho, urna.
Mathias Reiterar P. D., urna; Manoel Dias den.
liveira, cinco; Manoel Moreira Campos, ama; Miouei
de Souza Pereira, ama.
Pedro Wenescop Cantanhede, ama.
Thomaz Pompeo de Souia B urna; Theodoro J|.
cintho de Brito M., urna.
Avisos martimos.
.11 o i ment do Porto.
Navios entradoi no dia 7.
Liverpool ; 45 dias, barca ingleza Elita-Johnton, de
219 toneladas, capillo William Dooaldsoo, equipa-
gem 13, carga fazendas; a Johnstou Pater & Com-
penhis.
Ass ; 26 dias, brigue brasileiro Deungano, de 313
toneladas, espitan Joo Antonio da Silva, equips-
gem 17, carga sal ; a Jos Antonio Bastos. Pasia-
geiros: Joaquim de Franca Cmara. Joaquim Jos
de Miranda, lirasleiros ; Joo do Reg Almeida ,
Portuguex.
.Yurro! entrados no da 8.
Par, Maranhao, Cear, Rio-Grande-do-Norte e Pa-
rabiba; 15 dias, e do ultimo porto 12 horas, vapor
brasileiro S.-Sebaitio, de 240 toneladas, comman-
dante o capilo-tenenle Manoel Francisco da Costa
Pereira. equipegem 50. Trar. a seu bordo : o te-
nente-coronel Francisco Rsymundo Correia de Fa-
rm, com 1 escravo, os escrivies da armada nacional
imperial J. Luiz Carlos de Souza Franca, e Fernan-
do Jos Claudio de Mello, cadete Joao Goncalves
Baptista de Moura, Antonio dos Santos Coelho, Joa-
quim da Silva Coelbo, Jos Pereira GuimarSes, Pe-
dro Antonio Bemardino, Manoel Marques Cama-
dio, Alfred Yuille, 1 soldado, 15 recruUs ealguns
escrBVos a entregar.
Liverpool ; 31 dias, barca ingleza Columbut, de 520
toneladas, capito Daniel Green, equpagem 19, car-
ga fazendas ; a M. Calmont & Companbia. Pasas-
geiros, C. Veaher, com sua seohora e 1 criada, Ri-
chard Royal, Inglezes.
.Vano lahtdoi no meimo dia.
Macei patacho brasileiro liom-Conielho, opilan
Luiz Goncalves Victoria, carga vatios gneros. Leva
3 escravos a entregar.
Hostnn ; galera americana Leonor capillo R. Stao-
w oil raiga a mesma, que trouxe.
Para a Babia sahir, improterivelmente no dii
12 docorrente o bem conhecido hiate S.-lafoitio.
Flor do-Rio ; ainda pode receber alguma carga rniud;
os pretndanles entendi se com Manoel Antonio Pd
lo da Silva oa ra da Cruz a. 54, ou com o capi-
llo do mesmo a bordo defronte da eicadinbi di
allandegs.
=At 16 docorrente mez de selembro pretenda n.
hir para o Ass o patacho Oliveira; recebe carga a fro-
te por menos que outro qualquer : a tratar con
Jlo Vsx de Oliveira, na ra da Cruz, o. 51, primeira
andar.
= Para o Araoatysai com muita brevidide obli-
gue Deot-tt-Guarde, por ter melade da carga promp-
ta: quem no mesmo quizer csrregar, entenda-te coa
o capillo Manoel Jos de Atevedo Santos, o da Cadeia-Velba, armazem, n. 12.
- Para a Babia sai, al o dia 10 do correte, o pa-
tacho Bom-Conselko; aioda recebe carga a fete: pin
o que podem fallar com Novaes di C. na ra do
Trapiche, n. 34.
=Segue para o Cear com toda brevidade, por ter
a maior parte da carga prompta, o brigue Ftliz-Duti.
no: quem no mesmo quizer carregar ou ir de pisu-
gem, dirija -se i rus da Cadeia do bairro de Santo-
Antonio, n. 25, ou ao capito, o Sr. Manoel Peieiii
de Si.
I.ciles.
L>
urlaracues.
Ten alguma musa n cier a islo, carnerada? disse
o viajante < oui vot nllocluosn, porem firme, o que indi-
cava, qoo nii.to poni no loffroria Ouiitradiccio.
Nao, ncnlior, nio sou eu, ato oa oavallos | veii
ellos n.lo querem ambir.
E para quo sericm afilio aa espora* ? (lime o via-
jante.
Ali! bem posto eu enlerra-lli'us na barriga, que
!et nio darlo ara paiso mais; leve-me o diabo c......
NSo pode o postilhio ae.iibara bU.pl,en,ia ; um trovlo
honivel pelo ustruudo e pdu chamma Ibe cortou a pa-
lavra.
Isto i,So bu um tempe ehriatio, diese o pobre lio-
mero. Ora vej.i, senbor...... l vai agora a carruagem
por ai h, ini eiuco minutos ira muii depreasa do quo
queremos, Jess, meu Deo*I ahi vainoa rolando contra
vontade.
Com efleito, a pesada cormngciii, carregando sobre a
garupa dos oavallos, que nio podilo aualenta-la mais
porque nao nriunvi oa ps, toimiu urna carreira pro-
gressiva, quo a mulliplicat;lu da grnvidado rni breve
muiiouciii iinpetiioga rotaclo.
O oa vallo*, oom a der, arrobalrJu-se, o a carrua-
gem vooii, como urna freoba, pela cioura bule ira, ap-
proaimando-ae, n olhos valos, do precipicio.
lints j nSo rol i a vot, poriu tambem cabeca do
viajante, quo labio da carruageiii.
Dcantado! grilou elle, nueres matar-nota todos?
guiaa \ etquerda! a etqucrduf
Al, bem o quitera ea ver aqu, responden o pos-
tilhio aterrado, procurando debaldo reunir at rodeas, e
recuperar tobro o. cavobot a siirierioriJailo, uno per-
der.
Jo*, gritou cutio urna vox de uiillier, que pela
primeira vet ie ouvi*. Jut! acode! acodo! Ah vir-
geiu tantissima |
Era na verdade o perig urgeuto, lerrivel, aupremo,
e poda motivar ena invoracio a mu de Dcoi. A car-
riingem, lempre arraatradra por ten peso, e sem mi e-
gura, que a guiaste, rontinuava a avanenr para o pre-
cipicio, tobro o qual pareci, que um do* dou* cavl-
lot jii e.lnva tu.pi'iiso ; e com iiiai* Iros voli.it de rnd*
cuvallos, carruagem, potlilbet, ludo ticava precipita-I
do, uioido, auiquiiado ; quando o viajaulc, tallando do I
=0 vapor 5.-ebaslio recebe a mala para o Sal,
boje, ao meo-dia em ponto.
Cartas lindas do Norte pelo vapor S. -Stbailo ,
em 8 de elembro de 1846.
Antonio Ferras de Catiro, urna; Antonio Joaquim
Baptista, una; Antonio Jos Alves e Silva, urna; An-
tonio Jos do Fieitas urna ; Antonio Magalbies da
Silva, urna; Antonio Jos Pedro Goncalves, urna.
Caetano Cyriaco da Costa M., urna; Csetano Mal-
los Sin oes urna ; Claudino Benicio Machado u-
ma.
cabriole! tobre a lauca, agarrn a pottilliSn pela gola da
ce.ac o c do calcio, auipendeo-o, como te fra una
erianoa, l*nCOU-o a det patios, paseou a perna na sella,
travoii dea guias, o com vot lerrivel :
A'etquerda, gritou ao segundo postilhio, os-
querda, marolo, quando nSo, deiln-te o* milo* fra.
Tevo a ordem um iffeilo mgico, o poatiihio, que
eonduiia ot dooi cavallos do diante, atoinado pelo gri-
te do teu desgranado companheiro, fet um oiforeo ao-
brcliumano, e, dando impulso carruagem, a trouxe de
novo, podorosinienlo njudado pelo viajaute, a cilcada,
ondo ella comecoii a rolar com o rapidet o estrondo do
trovan, contra o qual pareca luctar.
A' galope! gritou o viajante, galope. Se enfra-
quecoros, pateo-lo por cima, de ti o doa leus oavallo*.
O postilhio via claramente, quo nio era a aioeeca fri-
vola, por isso duplicot a energa ; e a carruagem eonli-
nuou a detcer com medonlia velocidade : distcreii, ao
4-la pastar attiiii, de noite, com lio pavoroso fragor,
obamne ooecta, e gritot abafadot, algorn carro infer-
n.'l, arrastrado por plianlutlioo* cavallo*, o perseguid
por um furacio.
Mas oa viajaiiie* linliSo evitado uro perigo para cali ir
ciii nutro. A iiuvcm eluetriea, que librava obre o val-
lo, imlia atas, o su preeipitava lio rpida como oa oa-
valloi. De quando um quando ergua o viojor a cabeca,
sobre ludo quando a uuvciu era rasgada por tlgum raio ;
a coja lux te podra di*tinguir-llie sobre o rosto um sen-
linientn do iuquictacio, que elle nio procurara ditti-
omlar, porque allis Dos Ih'o podra orpronder. Do
repente, no momento, om que a carruagem chegava
rait da ladeira, e coiilinuava, arrebatada pelo seu ira-
pulso, a gyrar sobro terruo mai* igual, a brutea detlo-
cacao do ar combiuuu at dua* eleclricidade*, nuvoin
abriu-io com ettampido formidavel, para dar paaaageiu
junlaiuente a raio e trovio. Um fugo, ao principio rouxo,
logo everdeado, o depoi* brauco, envolveo oa caval-
lo. ; ot de tra* iiiipinario-to, debalendo a* mi* no* a-
res, eatpiraudo com ettrondo o ar aturado de entofro,
o de diauto cabiriu, conioto a torna iiiea fugira tob os
ps; na*, i|uati oo mesmo lempo, o cin quo montara o
posiillilo toriiou-to a erg uer, e, uo sentir at redcat par-
tida* pelo choque, arrebatou o cavallciro, que detap-
pareceo na* treva, euiquaulo a carruagem, depoi*Hde
= Schafbeitlin & Tobler farao leilio, por interven-
ci do corretor Oliveira do mais perfeito aortimeo-
to de fazendas propriss do mercado : sexs-feiri, II do
correte, as 10 horas da tnaobia, no sea armizem,
oa ra da Cruz.
= Peran le o Sr doutor juiz de orpblos e sutenlti,
proceder -se-ba i leilio dos bees do fallecido Joo Mo-
reira da Silva,que forio sequeslrados por mandado det-
se juizo : cujo leilio (er lugsr boje, 9 do crtente,
as 10 horss da manilla.
Joao Kellcr & C. ferio leilao, por inter*eD(io do
corretor Oliveira, de grande e variado sorlimeolo dt
fsiendas inglesas, francezas, esuissas, tanto de ilgo-
dio, lia e Itnbo, como do seda : boje, 9 do correte,
as 10 horas ds manhia no sea armsiem, roa di
Cruz.
I.alham & ilibbert fallo leilio, por intervengo
do corretor Oliveira, de um sortimento geral de faien-
das inglezn, p lopriss do mercado: quinta- luir, 10
do crtenle, as 10 horss da manbia em ponto, no ten
armazem, ra da Alfandega-Velha.
Avisos diversos.
=Peranteo juiz da 2 'vara, o Sr. doutor Nabuco.et-
crivio Reg, se hio de airematsr.nos diss 9,12 e 16 do
correte, a armacio e maisobjedos,que se sebio collo-
eados no armazem do sobrado n. 28 da ra das Cruiet,
quo deiiou Jlo /os Goniaga, na sua fugs par*pi-
gamenlo dos aluguois do mesmo.
haver rolado ainda una des pasto*, foi eibarrar contris
cadver do cavallo fulminado.
Todo e.iu epitelio havia lulo acompanhado do lasnen-
taveit gritot, Sollos pola mullier da carruagem.
Homo un momento de eitranba confutio, dursnleo
qual iiiiiguom tonbe, te era viro ou unirlo. O propns
viajanlo apalpou-te, para cerlifioar-se da tu* idenli-
dado.
Eslava sSo e salvo, niat *ua mullior ettava detiaaisdi.
Posto que o vi.ijor dcacoiifiasie do quo havia tcunlt-
oido, porque o tilencio mai. profondo uccedr* dore-
ponto ao* grito*, que parliio do eabriolet, nio foi ''*
crimina mullier, quo ello prettou o* prinieirut lc-
oorrot.
Pelo oontrario, apena* pot p em trra, correo es-
leir da carruagom.
All he, quo n bello oavallo arabo, de que fallimos,
aobava espantado, inleiricado, com ai orinal em mon-
mento, como so forio vivontet, o satudiudo a porliaht-
la, a cuja chave clava atado, ettioando vilenlo ''
reala. Kiuliui, oom o* olliot fiot, a bocea ctcunii"lfi
o toberbo animal, depoit de inutui* e*for(o* para que-
brar o lacoi, ficra fateinado pelo horror da tempes-
do, e quando leu amo, atiobiindo como de cuiluiae, I"4
pas,ni, para o afagar, a mi pela anca, deo um lili,1
leltou um relincho, como te n nio reconhecra.
Ora, vamoi, ahi temoa ainda o endiabrado cavslw,
luurmurou alquebrada vot no interior da carruig8"1'
maldito tejn o animal, quo me abala aa paredes.
Drpoii cita vot, dobrando de volunie, [gritou era su-
be, oom u acento da impaciencia e da araeaca :
JV goullao hogoud thaked haffrit / {*)
Nio ae agaale com Djorid, tncatre, di**e o iiJ""
te deamarraudo o cavallo, quo ello foi atar a una rud
da traieira da carruagem, (o pobre animal lovo raedo, *
nada uiaii natural, na verdade, porque o caeo nio era
para raeuoi.
Ao diter ellas palavrat, o viajanto abri a porliabeUi
abaiaou o estribo, o cnirou na carruagem.
(ConitMUr-**-*J
(*; Lila quicio, dsiHOnio.
I


=
LIVRARIA DA ESQUINA
DO COLLEGIO.
PBUCACAO COMMERC1AL.
(* SAHIR EM SETEMBRO.)
Novo tratado de arithmclioa commercial, ou desen-
volvimento simplificado de todas II regras de arithineli-
ca, relativa ao eommetcio acompmhadas de un
grande numoro de exemplos e exercicios, os quaes fa-
cilitan o motbodo de resolver qualquer calculo, que
tenha relaca com o trafico mercantil, por Paulo IV-
reslnllo da Cmara. Um volume em 8.' grande, de
periodo 300 paginaa, excedente papel e irnpressio,
Subtcreve-se por 3,000 n. na linaria cima.
PUBLICACA MEDICA.
(* SAHIR EM OUTTJBP.O.)
O medico e o eirurgiio da Rosta : novo tratado com-
pleto de medicina e cirurgia domestica, adaptado in-
tolligoncia de toda a clatiet do poro, por L I". Bon-
jean, doutorem medicina pela real univeraidade de Ju-
rim, cirurgiao-mr honorario da armada arda, etc.
te. Dous volumes, acompanbadoi de 64 estampai : o
1." contera uuia introdcelo preliminar, relativa i me-
dicina pralica, e a historia geral e parcial da (ebre,
bemorrhagia, nflammtcbei, molettiai cutnea, e da
domis enfermidadei propiamente medica, com as
noces inditpentaveii obre a prenbez, o parto, o re-
cemnaicido, e a ama de leite.
No 2. volume, dividido em quatro parte, trata-e
da molestias d'olhos, da aypbilis, da pequea cirur-
gia, e do formulario e vocabulario.
Subicreve-te por 7,000 r. brochado, e 9,000 r.,
encadernado, na meima livraria, onde se ocha urna
descripcao da obra em ponto maior.
=. A abano asiuoada, 16o com iorpreza o parecer da
commistio de edificacoe da cmara, do l.'do correnle,
respeito ao alagados, que aforou, ba 5 ou 6 annos, no
fundo de suai casa, da ra do Vigario. A annunciante,
vendo, que se tencionava o melhorameoto do porto,
eocanaodo-se o mar.correndose o caes, em lioha recta,
de Fra-de-Porta at o Forte-do-Matlo, requereo a
cmara, que nao teria duvida em fazerocaes em suas
testada, talvez dependendo na construccio 0 a 8 eoli-
tos, urna vez que a cmara a alliviasse de urna praca em
leu terreno aforado, deixaodo lmente urna ra de 40
palmos, para desembocadura doi dous beccot: a cmara
nomeou urna commiiso de leus membros o mai in-
telligentei e de probidade, e estes decidirn, que se do-
via conceder a edilicaco, pois que se na preciaava de
praca, por ettar urna bem prxima no Forte-de-Malto,
que linlia mais de 800 palmos, e attenderem ser mui
conveniente a edificacio, para melboramenlo do porto,
e a cmara nao ter um real a despender com dita edifi-
cacio, e a nao serem o donos das testadas, que faci o
caes, nunca se far, e o porto nunca melhorar; e co-
nbeceo lambem, que, aindaque o engenbeiro deo in-
formacio contraria, so nao devia estar por ella poii
que, lendo um estrangeiro, bem pouco ou nada le im-
porta com o melboramenlo do porto, e s quor tirar al-
gn) proveito para si, emquanlo estiver exercendo o lu-
gar.e talvez isto parta doiprimeiroi proprietarios dear-
ma7ens, que naturalmente o ter con versado, para obstar
a baver mais irmaiens: portsnto, isto so pode ter reme-
diado pelo Exm. Sr. preiidente da provincia, por ter bo-
memindependenlee recto, mandando, por petioetim-
parciaes e entendida), averiguar este negocio, pois que,
tendo-se concedido edificacio a todos os proprietarios,
e a um na roeima projeclada praca, so embirrario com
o da annunciante, talvez por ler viuva, e isto depoil de
ter despendido muito diobeiro com os aterios, e de-
pois da comuiisiio de edificaca terj epprovado.appa-
recer agora urna nutra commisso da cmara, de mem-
bros diflercnle, com opinio do mesmo engenbeiro :
portaolo, parece esta ultima commisso estar tambem
tocada pelos proprietarios de armazens ja (eitos, e nto
querer o augmento de edilicaedes, que jamis se deve
vedar em caso algum, e muito meoo) nesle, para me-
lboramenlo do porto vindo eata ultima committao
com a frioloira de alargar mai, como se o mar tiveise
poder, ou meio de a alargar, ou indireitar: e como el-
le negocio nao deva por firma alguma ficar astim em-
patado, para iatisfacao de ambiciosos, a abaixo assigna-
da tem toda a esperance, que o Exm. Sr. presidente
desmanchara esta meada, que bem pouco honrosa he
a tilma, cmara; e, emquanto no obtem o recurso, que
espera, previne o reipeilavel publico, para ajuizar os
feitoi da nona municipalidade.
Alaria Francisca d* Almiida.
=OIerece-se urna mulber para ama de urna cata do
hornero lolleiro, ou de pouca familia, quebebem
engommar coiinbar toda a qualidade de comida :
quem delta mulber preciar, dirija-se ao becco do
Burgos, junto a padaria, casa n. 29.
= Quem precisar comprar doze barra com mel de
furo, dirija-se ao trapiche da Compaobia, a tratar com
o trapiebeiro.
=-Fugo um eicravo crioulo, para amanhecer hon-
tem, alto, bem parecido, um pouco lulo, de luisas,
deidadede35 annos, pouco mais ou menos; cosluma
estar olhando paro o < bao, e inclinado de urna banda;
levou camia bcenca ou de chila, calsa de brim escuro,
ou ceroula (por fugir demadrugada); e furtou para a
viagem (que se discordia ser para o serlio do Ceara)
um sacco de bolacha e pao, bacalhio, carne do Ceara,
doce, e urna lata de assucar : quem o agarrar, dirija-
as ao major Mayer. no corredor do Bipo, que lera
gratificado.
- Deiappareceoda caa do deiembargador Martinian-
noda Rocha Bastos, no da 5 do corrento, um piri-
quitinbo muito manso e muito Tallador, que eitava em
caa, havio doui anno, e tem o lignaea teguintes: be
\ -rde, e com urna estrella cor de ouro na testa.
CDULAS BRANCAS DE '2*000 res.
= Na esquina do Livramento loja de 6 porta ,
recebem-se cdulas brancas de 2000 rs. sem descon-
t i troco de faxenda.
= Precita-ie de um caixeiro portugus, de 14 a
18 anno que tenba pralica de venda para lomar
contada urna por balanco e que dfl fiador a sua con-
ducs ; na ra da Aurora n. 48.
Aluga-se, pelo preco de 11*000 n. mensae um
ptimo esrravo, proprio pira todo o lervico, tanto de
casa, como de ra :; na ra dai Trinchtir-i, n. 40
primeiro andar.
=A caa de sobrado de um andar,com 36 palmos de
(rento e 120 de tundo, no Aterro-daJBo Vista pe-
nhorada por execucio de Joaquim Jos Ferreira contra
Francisco Domingos da Rocha, annunciada nos Dia-
rios de 26 do agosto prximo pmaado, e 2 e 5 do ro
rente letombro tem de ler hoje 9 do torrante, arre,
matada, pelas 4 hora da tarde, embasta publica, nn
Aterro-dn-Boa-Vista, na porta da casa da riaideocii
do doutor juiz do ciselda 2.* vara, por ser lioje a ul
lima praca, e nao ter tido lugar no dia 5 do cmrento,
comoie lia vi a annunciado, por incommodo do juiz; o
que se faz publico, aim dos licitantei poderem com-
pirecer.
O Sr. autor do annuncio delta folha n. 197,
com ai iniciaes INI. L. V., queiradeclarar,se se entende
com Manoel Luis Vieira.
= Aluga-se urna perita cozinheira a especial em
manas e doces ; lava, engomma e fax todo o mai ser-
vico de urna caa : quem a pretender, dirija-se a rui
Direita n. 91, primeiro andar.
- Alugio-ie as seguintes casas : os 2 lohradoi de
um andar com sotan pintadoi todos de novo na ra
do Sol, ni. 23 e 25 ; ni terceiros andares com sotSo dos
sobrados do Ateiro-da-Boa-Vist n. 4 e 6, por
300* rs. annuaes ; 1 sobrado de um andar com lotio,
lo|as, quintal e cacimba todo caiado e pintado de no-
vo na ra do Sebo n. 50 por 300* rs. annuan ;
o segundo andar do sobrado n. 20 da ra do Rozario ,
em S -Antonio ; dua grandes casas terreas, com quin-
tal cacimba e mais commodos para grande familia,
na ras Formo, n. 5 e da Uniio 1,3; urna dita
pequea na ra da Uniio, por 10,000 rs. mensaes;
oulra dita na ra do Sebo o. 52, por 8000 rs. men-
sae : quem a pretender dirija se ao escriptorio de
F. A. de Oliveira & Filho oa ra da Aurora u. 26.
axe Roga-se a pessoa, a quem lor oflerecida urna an-
corela e urna correntede canoa grande, tendo a cor-
rente seis bracas e o forro 3 arrobas e tantas libras,
hsja de aapprebender, que forinlurtada na madrugada
de 6 do correnle ; ese liver comprado se restituir o
importe guardando-ae segred por ja se saber
quem leja o ladran na ra dos Quartis n. 18; on-
de tambem se recompensar a quem denunciar dito
furto.
= e engommar, dirija-se a roa da Palma, n. 3.
= Aluga-se urna boa casa terrea, com grande quin-
tal, plantado de bortalice, parreiras, figueiras, romeiras
e muitai outrai arvore, no principio da eatrada dos A -
liclos. ao p do Manguinbo ; urna outra casa com so-
lio corrido, muito slegie e fiesca, por ter 4 janellas de
vidraca, no becco doSerigado : trala-se na ra da Ca-
deia do Recile, n. 25.
= Na ra do Queimado n. 8,cose-se, engomma-
se e lava-so com asseio e promplidio por preco com-
modo.
Oflercce-se um preto forro para criado de qual-
quer casa ; o qual colinda o diario do urna casa, e be
muito hom bolieiro: quem o pretender, dirija se
a ra da Cadeia do Recite o. 52
aaa Precisa-so de um cozlnheiro perito em ludo ,
quo dix respeito a cozioha e que teja forro : na ra
Ja Cadeia do Recife n. 52.
- Francisco Goncalves da Silva Pe-
reira caixeiro que oi do finado Sr.
Francisco da Silva tem f'eilo sociedatle
com Antonio Soares Ferreira dos Santos
na loja de fazendas que de novo abri-
ro na ra da Cadeia do Becile onde
outr'ora lu a do Sr. Joaqun Goncalves
Casco ; a qual vai ser representada pela
irmit de Fereira & Santos.
= Francisco Goncalves da Silva Pereira deixou de
ser caixeiro da casa do finado Sr. Francisco da Silva,
desde o dia 17 de agosto prximo passado.
= Precisa-sede um rapaz portugus para caixeiro ,
de 12 a 16 annos, para lora desta prsca ; na ruado
Crespo n. 14.
Casa da F,
na ra estreita do Kozario, n. C.
Nesle estabelecimentoachSo-se a venda as cautelas
da bem acreditada lotera a favor da igreja de N. S. do
Livramento, cuja roda devem andar infallivelmente
no dia 10 do correnle mez de etembro : os Iregue-
zeconcorrio a comprar o resto desta cautela, e con-
tera com boa sortea.
- SebastiSo Jos Gomes Penna comprou, por con-
ta e ordem do Sr. Manoel Joaquim de Meira um bi-
Ihete inteiro, n. 834, e um meio, n. 2411, da 1.' pirte
da lotera da matriz da Roa-Viita exlrabida em 27
de junho do correnle anno.
- Pelo juizo da segunda vara, escrivao Reg, m ba
dearrematar,nosdias9 (boje)e 12 do correnle, a ren-
da annual do sobrado de dous andares e loja, n. 7, no
pateo do Carino avahada em 300* rs. annuaes.
=z Aluga-se o sobrado junto a padaria de urna s
porta na praca da S.-Cruz ; cujo aluguel ser em
conta : a tratar na meima padaria.
AlugSo-se os primeiro e legundo endarc do tobra-
do darua da Senzalls-Volha, parede-mcia da cata do
Sr. Lasierre, arranjadoi de novo e bem pintadoi: a fal-
lar na loj do Sr. Jos Gomes Leal.
= Aluga-ie urna negra boa cozinheira e engomma-
deira; eniaboa, lava roupa de varella, ecozc perfeita-
menle : trata-te com teu lenbor, na ra da Siledade,
n. 29, ao p da Trempe.
Aviso importante.
Declara-se a quem pretender comprar a armaco e
fazendaida eonbecidiiiima loja da esquina do Livra-
mento n. 1 que deverafaze-lo qoanto antei, at
lexta-feira, 11 do correnle : depoi de que, nio aera
mais admissivel nenbum negocio. O pretendentei po-
der6 tratar na referida loja onde encontrares o ba-
taneo dado ni fazenda ; poi aquella, que mail van-
tagem apreientar.ier* preferido.
= Aluga-te, por pre?o commodo, o sr-gundo andar
do (obrado da ra da Trincheiras, o. 46: a tratar no
primeiro andar do metmo.
=Jos Joaquim de Novaos avila ao reipeitavel publi-
co, que, de boje em diante, ningucm fie nada em mu
iiome, tem do meimo recebei ordem por escripia.
SS
ff

s'>i: <\n\xV
Trancelins de qualquer modelo, anneis, flores fi-
la aderecos pulceiras, brincos &c. ; ludo o mais
bem feito possivel por proco mdico.
=Os locatario dos trapiches, denominadoi Alfande-
ga-Velha, Angelo, Pelourinbo, Novo, e Companhia,
fazein publico, que, de boje em dianto, as despe/as a
que sio obrigoilos os diflercnle gneros em ditos
trapiches alfandegados, serio pagas pelos embarcantes,
a exceptando peso das caixis e fechos, que contina a
ser pego pelos lecehedores, emquanto se nao loe em
execucSo a tabella, que lleve regular taes despezas, que
se acba aflecta 6 apptovaegoda tbesouraria.
Assim como, na occasiio do embarque ou sabida
desses gneros para consumo, ou exportacn, |garao
a importancia da -iespeza em vales assignadus, a pagar
ao portador, ou a dinheiro. Recito, 3 de setembro de
l8iti. Antonio Coelho de Millo. Francisco Fn-
namlet Thomaz.Jolb Francisco litbtiro da Silva.
Francisco Augusto da Costa Guimaiaes.
l-'.i/i'in v cju n'.i|iiiT corlinados, qur de cama,
qur de janellas,qur para decoracOet de b. ile ou socieda -
de; fa7eui-so quaesquer furacSe de cadeiras, de sotas,
colxoes elsticos, em fim tudo quanto (or con-
cernirte a (apecaria ; e tambera se vai por tpe-
les e esleirs em qualquer lunar queseja; tudo com
perfeicin e a preco rasoavei. na travesa da Concordia,
n. 13, detrs da torre do Carino.
Aforo-ie, e tambera se veudem por precos re-
soaveis terrenos de 200 a mais de 300 palmos de tun-
do a maior paite com arvoredo de fructo e todos
vantajosos para se edificar por nao precisarem de ater-
ro, as ras novamente abertas, nos lugares de S.-Jo-
s-do-Manguinbo e Capunga : a tratar na ra Velba,
n. 55.
Compras.
S9 Comprao-Sfl para tora da provincia escravos
de ambos os sexos de bonitas figuras; pagSo-sebem:
na ra Nova loja de ferragen. n. 10.
= Compra-se papel para ombrulh ( diarios), em
libras e arrobas : na trqvessa da Madre-de-I)eos, n. 13.
e na S.-ClOl padaria de urna s porta.
= Compra-se a troco de tijolo de ladrilho e te-
Iha urna canoa nova ou quasi nova que pegue em
800 a 1000 li)olos grnstos e se iifianca a bonda-
dddo material que pO'ser visto por quom o pre-
tender : na olaria do Mondego primera, passanjo o
becco das Barreirai, aondo quem negociar o tijolo gros-
io, de que precisar para qualquer obra, ter o tijolo fi-
no e tellw por menor preco. que, o por que goralmi-n-
tese vendem na rasio de rail n. em milbeiro. A mei-
ma olaria se pode dirigir quem precisar de areia man-
dada botar em canon, por commodo pceo.
Compra-so um moleque sapaU-iro tendo boa
conducta ; na ra do Crespo, n. 11.
es Cmpra-se urna iscrava que lenha bom leile .
e com algumas habilidades, ou aluga-se: na ra Nova ,
a. 3.
Compra-se um prelo da Costa sendo moco e de
bonita figura ; um relogio do oum patento inglez ,
que seja bom regulador : na ruada Cadeia-Velha, lo-
ja do calvado n. 35.
Vendas.
_Vende-se Klubcr, Direito das gentes; Valtell, di-
to dito; .'chmal, dito dilo; Martens. dito dito; por pre -
CO commodo : na praca da Independencia, livraria ni.
6e8.
_=Vondo-se um bello terreno de eiquin, no qual
sepodem edificar dous bons predios, (azendo-se ainda
quintal soflrivel para cada um dellei, no bairro da Boa
Vista, com frente para a ra do Sevo ou Uniao. e fun-
dos para a ra do Hospicio, com 40 palmos de frent'
e 320 de fundo, todo aterrado, com alicerce de roda,
sendo do lado da fronte ja prompto com alicerce do
100 palmos de fundo, e toda a frente para subir pare-
de; tem um oilao meieir n tambem urna grande ca-
cimba; oflerece grande ventagem a quem queira edi-
ficar, por ficar na porta o deiembarque dos materiaes;
accreicendo, que o local he o mais lindo possivel: quem
0 pretender, dirij-o a bairro do Recife, ra da Ca-
deia, loja de miudezas. n. 61-
Vende-se urna bonita escrava da Costa ; ao com-
prador se dir o motivo da venda ; na rus do Hospicio ,
n. 26.
=Vende-se o melhor torreno no lugar da Capunga,
callada nova, denominada Raiza-Verde, com 176 pal-
mos de frente e 300 de lundo : outro defronle do
mesmo com 80 palmo do frente e 60 de fundo: na
Soledade, casa, n. 21.
= Vende-se urna armaco de venda, oa Soledade,
n. 21, com seus uti nidios, caa separada para lamilia,
quintal com fruclai, e cacimba de agoa do beber. Di-
rijo-te a meima.
Na ra do Crespo, loja nova
n 12, de Jos Joaquim
da Silva Maya,
vende-ie um rico sorlimento de cortea de vestidos para
tenbora de urna fazenda quasi toda deaeda do gos-
lo cbiner, e o maii lindos, que teem appsrecido, e que
por no setorotd recommendaveis nao s paraanenhoras
do bom tom como para aquellas que usio de eco-
noma por ser o diminuto preco de cada corle de o
is. Na iiieima loja se vendem oulra rouila fazendas
de goito, por barato prec,o.
Vende-se, Jefronle da escadioh da alfandega ,
armazem do Bacelar barra com mel, e cx5e pe-
1 quenoa com pomada por proc.o cuuimodo.
- Vende-se superior cera de
carnauba, em porco e a retamo ;
latas com uiscoutinlio fino, che-
gadas ltimamente de Inglaterra;
caixinhas com aletria lina, com 4
libras cada urna ; tudo por pre~
co commodo : na ra da Cruz ,
no Recife, n. 46.
As bellas Pcrnambucanas.
A' a loja de Antonio Luiz dos Santos & Companhia,
na ra d Crespo, n. II, acaba de chegar um grande
e lindo sorlimento de cambraiaa para vellidos intitu-
ladas = bella pernambucana = melhore e man
moderna que teem vindo a esta praca ; a quae
torna i-e recommendaveis nio pelo leu tbido a
variado gosto como pela lindeza e fixidade das tinta.
Na mesina loja vendein-te rico corle de teda pro-
prio para noivaa. sarjas hespanholas etint impe-
riae mantas, chale e outro muitos objectos recem-
c llegados.
(ts-O modernismo.-
Vendem-se novse ricos cortes de vestidos com o
bem apropriado nome de = livra-de-ouro =, tendo
lindos e variados padres como sejao de listraa ,
quadros, flores &c. ; ditos de prisiene, com bel-
los e diflorentes gostos : tanto este com aquelle sio
mimosamente lavrados de seda : cambraia acnete ;
ditas ernvinas; e outra muitas diversidades de ca> :
na loja de Antonio Luiz dos Sintos & Companhia ua
ra do Crespo, n. II.
Vende-eumapreta,de 20 anno; urna dita
de 12 a 13 com principios de habilidades; um mu-
latinho de 7 a 8 annos; um dilo de 12 a 14 an-
nos ; urna parda de 30 annos que cozioha o dia-
rio de urna casa cose chSo e lava de sabio e varrel-
la ; S prelo boo para 0 servico de campo ; todo de
bonito figuras, e sera vicios nem achaques : na ra
da Concordia pastando a pontezinha segunda casa
terrea a direita.
Vcndem-se pregos de co-
bre, e cobre em folba; de i,
20, 22e 2-4 oncas, para forro
de navios; em casa de Rus-
sell llellors & Companhia. na
ra da Cadeia do liccife, n. 59.
=Vende-se ou permuta-se urna caa nova no prin-
cipio da estrada do Afililos, cum quatro quartoi, duas
salas, cozinha tora, quarto para pretos, estribara, ca-
cimba, cora boa agoa, bomba e taoque para banho, to-
do murad, urna coixeua principiada com todos o ma-
teriae dou porto na trente Iravejado para so-
tao eicada moderna, a torrado e ch5oi foreiroi.
(uem a quizer comprar ou permutar, annuncio.
- Vende-se urna carteira de amarello para escripto-
rio. de tre asiento em bom estado : aiiim como
urna porfi de cera de carnauba mui boa, tudo por
preco commodos : na ra ifa Cruz, n. 21.
= Chegou, ha poucos di urna porcio do bem
acreditado rap princeza Novo-Lisboa : e porque a-
bio ainda mais superior do que o antecedente, por
isso avia-se aos fieguezes, que se acha a venda no Re-
cife :ra da Cadeia, as lojas dos Sr. Vat & Horge,
Cunha & Amorim Moraei, Jos Carloi Ferreira Soa-
roi Jnior e Joio da Cunba Magalhaei: ruadoCrei-
po Antonio Domingos Ferreira : ra dos (^aarteia ,
Victorino & Cuimarael e Victorino de Castro Mou-
ro: Atorru-d-Boa \ isla Thomaz Pereira de Mal-
los Estima.
Chales cscocezes ,
a 2240 res.
Na loja n. 7>. do barateiro da ra do Cretpo ao p
do arco de S.-Antonio vendem-se chalet eicocezei ,
lazenda inteiramenle nova e do ultimo gosto, com
quadroi de divertas cures o oulros de um lavror ada-
mascado, qu opparentemente finge seda, ou touquim;
por cujo motivo se lornio recommendaveil at senboras
era geral. So-se amoslrai drizando o competente
penbor
Vendem-se 4 lindos moleque, de 16 a 20 an-
nos, sendo ura delle olficial de pedreiro ; 2 pirdo ,
de 18 annoi, ptimo para pagen endo um delle
quasi branco, de II anno ; um preto, de 30 tono,
oom canoeiro ; urna parda, de 25 anno, cozinha, la-
va, cniomma liso e cose chio : na ra do Collegio,
n. 3, segundo andar.
Chitas-cassas
a 2240 rs.
Na loja n. 5, da esquina da ra do Collegio, de Gui-
mories SerafimA Companhia vendera-ie chitai-eai-
i om corle de vellido, com 7 varal cada, um ; n en-
tre ellei ha tambem cambraiai pelo diminuto preco
de tete pataca. Igualmente lo vendem panoo fino a
entre-finos de cure zues, verde-ecuro preto ,
a 2400 rs. o covado.
= Vendem-ericoi corle de cusa pintada de co-
res lizas a 2s rs ; dito de cambraita de core a
2400 rs. ; riscados de algodio e seda, de core escuras,
a 280 r. o covado ; dito franceze de muito bom
goito, a 24Qrs. ocovadi ; peca de ganga azul ame-
ricana, propria paaa escravos, com 13 covado a meio,
a 1200 r.; merino preto e verde de urna largura ,
de pura oa a 1000 ra. o covado ; panno lino azul ,
a 3200 rs. o covado : e outra* multas fazenda de te-
da elinho, por bi ralo preco : na ra do Cretpo loja
n. 10, de Jos Joaquim de FreitatGuimariei.
= \ ende-se urna escrava de boa conducta, de 20
annos e de linda figura com habilidades: na ra
ettreita do Kozario defronle da repectiva igreja, pri-
meiro andar por cima do btrbeiro.
~>


A-
Vende-so azete doce para luz oielbor e mii>
barato do que o do coco ; ejzoite doce fino em gar-
rames do -J.'> garrafas: no deposito do azeite de corra-
V pato na ra da Senzalla-Velha n. 110.
Vende-so cera om volas do Rio-de-Janciro sor-
timonlo completo do 1 a 16 em libra om caixas e
ai libras a vonlade do comprador : na ra da Scnzal-
la-Velha, n. 110, armazem do A Ivs Vianna.
POTASSA.
Vende-se superior potassa da
em Larris pequeos
boa, da mais nova que
or preco mtiilo commodo ; tambem se
vende ntn resto de potassa da safra pas-
eada milito Innato : na ra do Trapi-
che armazem n. 17.
Vcndem-se pregos ame-
ricanos, n. 4, novos, cm bar-
Rtissia ,
cal virgen de Lis-
lia 110 mercado ,
ricas na rua do Trapiche ,
n..
N. 40, rua doTrapiche, um cbronomolro para
navio de Londres perfeilo o mui bem regulado;
relogi, do ouro patento inglez muito bons e bara-
tos ; curronlinb :s do ouro pudri =r Principe Al-
berto.
=- Vinho de Tenorifo, em barris de excellente
qualidade ; ser Teja bronca e preta a melhor que ho
= Barclay & Corripanhia em porcao, ou a retalho ; o
fio deeapaleiro por prego couimudo : vende-se na
rua du Trapiche n. i o.
Farioha SSSF,
da melhor (jiialidadc, c a ulti-
ma chegadu a este mercado;
vndese em porcoes fraudes
ou pequeas: a tratar com
Me. Catmont & Compauhia ,
ou com ti. el. Tasso Jnior.
= Vondem-so nioendus de ferro para engcnhnsdc
assucar, para vapor ogoa e bostas do diversos lairia-
nhos por preco commodo ; e igualmente laixus de
ferro emulo e balido de todos os lamanhos : ,ia pra-
ca do Carpo Santo n. II, em cesa de Me. Calmont &
(.ompanhia ou na rua do Apollo armazem, n. 6.
Vendem-se taboas de pU
nbo, a 40 rs. o p e receben-
do-se em pagamento cdulas
brancas de ttOOOrs.; atrs do
thcatro.
Vende-se potassa branca de superior qualidade,
m barris pequeos ; em casa de M.-itheus Austin &
Companbia na rua da Alfandega-Velha, n. 36.
Tinta de
a man superior possive!
zario, n. 2.
escrever ,
verde-se na rua larga do Ro-
i lnlrs padres da rainha da Es-
cocia, a 2,j7000 ris.
Na loja u. o, do barateiru da rua do Crespo so p
do arco de S.-Antonio, vcndem-se diales do lanzi-
nba para senhora padrees da rainha di Escocia ,
fazenda esta inteiramenle nova e quu so flanea uo
ler deleito algum, pelo mdico preco de 2 rs.; por cuj
motivo soturna merecedora da concurrencia em geral.
Os prelendenlcs podem mondar bus-ar as amostras,
que fe Ibes daro deixando o competente penhor.
= Vendem-se os seguintes escravos ebegados do
Aracaly : sendo -2 mulatinhos do G annos; 1 molo-
leque de 7 annos ; 1 rr.ulatinba do 10 annos com
principio de costura ; 1 negrinba, de 7 annos ; 1 par-
da, muito clara qu1 cose e engomma ; 4 pretas, de
16 a 20 annos, com habilidades ; 2 moloques de 11
annos; 7 prdos e pardos, de 20 u 2o annos com
habilidades, ou sem ellas ; todos por preco commodo :
na rua da Cruz n. 61.
Rap-Gassc.
O enearregado da agencia do Bap-Gasse neita pro-
vincia tem a honra do participar aos seus freguezes ,
que se acba a venda no deposito da rua da Ciuz no
lecife n. 58 urna das inelhores lomadas que aqui
teem vindo do Rio-de- Janeiro, do muito apreciado ra-
p gros-oe meio-grosso fabricado com as melhores
qualidades de fumo da Virginia cujo aroma rivalisa
ao mais superior rap princeza de Lisboa.
= Veudem-se 4 escravos sendo: urna mulatinha,
de muito linda figura de 16 annos; urna dita, de I 1
annos; um mulatinho de 15 annos, com boas habi-
lidades por preco commodo : na travessa da Matriz
de S. -Antonio casa terrea n. 18.
Potassa.
Venderse potassa americana
muito nova por ser prxima-
mente chegada, e cuja qualidade
he a melhor, que tem vindo, por
prego commodo : na rua da Ca-
dea do Recite, armazem n. 12 ,
de Baltar & Oliveira.
Vende-se urna bonita escrava perfeitamente
cadia com bom genio sem vicios; lava do varrella,
e eoziobs pouco : oa rua da Crur, n, 3.
Vende-se gra*a do Rio-Grande superior, para
velas e machinas de vapor a 200 rs. a libra, e em
porcao dar-se ba mais barato ; na rua da Praia, arma-
zem n. 18.
Saracas de cores
o
fixas a 160 rs. o corado.
Na loja da esquina da rua do Collegio de Guima-
raes Serafim & Companbia vendem-se urnas chitas
novas, com assentos oscuros de soflrivel panno o ca-
res fizas a meia putaca o covado. Esta especie de
chita-saraga be da mesma qualidade daquella, a que,
na Europa preferem para seu vestuario as cria-
das de servir, o as mulliercs de mediocre fortuna : o
como a economa nao s no preco da fazenda como
na dureco d'ella ha quem determina cssa preferen-
cia deveesta chita sor comprada polas mucamas e
por aquellas das habitantes d'esta cidade, que. suppos-
to nio sejiio abastadas, lenhio todava ao asseio o amor,
ile que mn geral s8o dotadas. Dio se amostras a quem
as pretender. Nesta mesma loja conlinun-se a ven-
der, a 800 rs. a vara, o excellente brim francex cor
do palha e pardo-escuro em cuja manufactura s se
ompregou o mais puro e duravel linho ; e bom assim,
a 'i00 rs., loncos de grvalas, do cambraia muito fi
nos; Icncinbos de cambraia brancos com cerradura
aberta ; ditos pintados de recorte ; e outros com
barras de ron s ; lodos de cures lisas e proprios pan
senhora, o dos quae* ilar-so-ho amostras, urna vez
que dcixem penhores os que as quizerem levar.
Veud em-se 3 casas
terreas, no Coelho sendo duas grandes, na rua dos
Praieres, foitas a moderna com duas salas urna al-
cova 2 quartos, cozinha lora quintal murado o ca-
cimba cada urna, e urna deltas tem un< grande quin-
tal cnm mais de 20 ps de fructeiras ja dando os-
tribaria para 2 cavallos, casa de prelos o letrina ludo
de pedra e cal ; 3 dita;- pequeas, na rua do Jasmim ,
cada urna com 2 salas, 2 quartos co/inhn quintal ,
o cacimba ; ludo por commodo prego : na travessa da
Concordia, sobrado de um andar n. >.
Novapelledodiabo,
al^AOis.
Na loja da esquina da rua do Collegio, de Guima-
raes Serafim & Companbia vendem-se cortes de cal-
cas com 3 covados e meio de pelle do diabo por
quatro patacas e meia cada um. Comquanto julgue-se
desneressario mencionar as boas e excellcriles quali
dades desta fazenda .porque a primeira por;ao que
dola so vendeo ne ciada ueste Diario,tan as deinonslrou. assevera-se to-
dava aos compradores que a porgio que agora
recebeo-se, exrede em bondade a primeira, tem riscos
modernos, (ores escuras, consistencia e grossura
de lona ; e finge bem as modernas casimiras francesas.
Dar-se-h3oos cortes a amostra a queinospretender,urna
vez que deixe o competente ponhor.
Potassa branca,
da mais superior qualidade em
barricas pequeas, e desembarca-
cada no dia 30 de agosto prxi-
mo passado, vende-se por pre-
go commodo : eincasa de L, G.
Ferreira & C.
ATTENCAO!
Vende-se o formidavel rap princeza da fabrica de
Joao Paulo Cordeiro & Companbia, no Ro-de-Ja-
neiro. Este rap he, sem eiageracio. superior a todo
o rap fabricado no imperio; a sua boa qualidade tem-
Ihe adquirido grande crdito as provincias do Rio-de-
Janeiro e Itm drainle-dii -Sul aonde be bem cu
nhecido pelo rap Paulo Cordeiro. Os amantes da
boa pitada venliao a rua da Cadeia loja n. SO, de-
fronte d^ rua da Madre-de-Dcus.
" Vende-se urna porcao de barricas vasias, promp-
les a roceberem assucar por seren muito novas e
lmpas, quasi todas americanas; na prega da S.-Cruz,
padaria de urna s porta.
Superiores meri-
nes.
Na loja n. 3, do barateiro da rua do Crespo ao p
do arco do S.-Antonio, vendem-se os melhores o mais
superiores mennes de duas larguras proprios para
sobre-casacas o 4500 e 5000 rs. o covado ; os quaes
pde-se, sem contradicho asseverar serem o mais su-
periores existentes no mercado. Os prelendenles, que
quizerem levar, ou mandar buscaras amostras, pronip-
lamento se Ibes dar.
ATTENgAO!
Vende-se rap de Lisboa, do
ultimo chegado, bem fresco ,
formidavel aroma, e boa cor.
Os tomantes que gostao da
boa pitada veiibo a rua da
Cadeia, loja n. SO, confronte a
rua da Madre-de-Dos que
se garante a boa qualidade.
\ endem-se, rio fin di rua da Aurora n. 4 2
caldeiroles de ferro coado, grandes ; um teroo da tam.
bores de moer em p ; rodetes e aguilbdes antigua;
ludo por preco muito barato.
Vendem-se 14 escravos, sendo pretas com ha-
bilidades prelos e noleques, e entro estes um bom
coiioheiro e com principios de pedreiro, o qusl vn-
dese para fra da provincia : no pateo da Matriz do
S.-Antonio, n. 4, segundo andar.
Vende-se superior rap da fabrica dejoo Pinto
Cordeiro, no Rio-do Janeiro : a rua da Crui, n. 60.
Vendem-se riscados oscuros, franceses a 200
rs. o covado; ditos lavradus, chamados lindeza ; ditos
largos tambem escuros, a melhor fazenda qu tem
vindo a este mercado ; uns e outros a 280 rs. o cova-
do. Dio-ss amostras francas aos compradores por ser
fazenda mui boa. Alm desta], ba um sorlimento de
fazendas finas. Na rua do Qunimado, nos quatro-can-
tos, vindo do Rozario primeira loja da esquina.
Vende-se excellente cera de carnauba; na lo-
ja de ferragens de Joio Jos de Carvalho Moraes, em
porcio o a retalbo.
= Continnio se a vender lindezas escuras, pro-
priss para vestidos de senhora a 280 rs. ; riscados
escuros francotes a 200 rs. o covado ; ditos largos ,
n melhor fazenda posiivel a 280 rs.; brins de cores.
padrdes modernos, depuro linho, para calcas a 1000
rs. a vara ; cortes de cambraia branca de listras de co-
res para vestidos, fazenda moderna a 3000 rs. ;
ditas matizadas do cor a 4000 rs. ; sarja bespanbola,
a melbor possivel a 2000 rs. o covado. De todas estas
fazendas se do amostras francas para os comprado-
res eonhecerem a sua boa qualidade. Alm deltas, ba
um completo sortimento de fazendas finas por com-
modo preco. Na rua do Queimado vindo da rua do
Crespo primeira loja de 3 portas, n. I.
Agoa do Japao
para o cabello ; tem o prestimo de fazer crescer o ca-
bello e impedir a caspa fortifica os cabellos e os con-
serva Esta agoa ho bem conhecida na Europa, o Rio-
de-Janeiro aonde tem merecido toda approvagio, pe-
los seus effeitos Vende-se nicamente, oa rua da Ca-
deia do Recife loja de fazendas n. 55.
O barateiro da rua
do Crespo, loja i>. 5, chi-
tas a 140 rs. o covado.
Na loja n. 3, do barateiro da rua do Crespo ao p
do arco de S.-Antonio veodem-se chitas baratas de
benitos e novos desenhos a 140 rs. o covado; ditas
sem deleito algum tambem de padres novos ede
xcellentcs desenbos a 160 rs o covado; ditas, tam
bem de padres ricamente estampados em bonsj pannos,
a 180 rs. seguras de tintas; algodaoznbo, 160 rs. a
vara, boa fazenda e boa largura ; madapolio a 160,
180e200rs. de soflrivel qualidade, e largo; dito,
a 240, -260 o 280 rs. a vara o mais fino e largo pos-
sivel ; chitas finas com desenbos os mais modernos ,
e estampadas as melhores fabricas da industriosa
Manchester, a 240 rs. o covado. Ha tambem um bel-
lo e rico sortimento de todas as fazendaa finas como
sejiio: brim trancado branco, francs, de puro li-
nho o melhor, que ba no mercado a 1600 rs. a va-
ra ; corles de cambraia lindamente estampada com
11 covados pelo diminuto preco dsele patacas ceda
um ; lindeza para vestidos que imita, pelos seusbri-
Ihantcs deenhos, a qualquer lanzinba ou seda a 240
rs. ocovsdo ; cortes de tarlataoa a 3000 rs. ; grava-
tas deasseiada cessa estampada, a-100 rs.; meias grva-
las, a 200 rs. ; lencos de cambraia com cercadura
a 320 rs. cada um ; linJissimas manas escocesas e de
setiin para senhora das mais modernas que pre-
sentemente existem; pannos finos ; cambraia lisa mui-
to fina. Recommcnda-se aos respeitaveis concurrrenles,
que se dirijoa este estabelecimento que em nada
desmentir este limiisdo anouncio : o querendo man-
dar buscar as amostras se Ihes dar sob o compe-
tente penhor, ou se mandara as suas casas, acom-
panhadas de um caixeiro.
Anda existe por vender
um resto das mu procura-
das brides com cabecadas e
estribos inglczes ; na rua da
cadeia do Kccife, n. 59.
= Vende-se urna escrava crioula de 20 annos ,
com una cria do 2 annos ; a qual sabe engommar
colindar e lavar de varrella ; o motivo da vendase
dir ao comprador: oa rua das Carangeiras, o. 29,
casa da afericao.
- Na rua Nova, n 18, loja do M. A. Caj, ba
um grande sorlimento de casimiras de listras, muito
modernas a 5000 rs. o corto o ba muitos padres
para so escolber ; grande sorlimento do velludo do co-
res, mnito modernos, para eollete a 6000 e7000 rs.;
setim preto de Maceo o mais supeiior, que ha oo
mercado ; assim como um completo sortimento de
obras fetas de todas as qualidades; chapeos do Chile ,
muito finos ; ditos franceses ede castor preto; e ou-
tras muitas fazendas que a vista dos compradores se-
rio
promptamente com pouco dispendio ds mor
das molestias curaseis e conseguir um a I ] a vi o ''^
equivaleoto saudo, as molestias incuraveis. '"
Seguido
de um tratamento especifico contra a coqueluche i
regras bygienicas para prevenir as molestias- '
pelo doutor G. de Ploesquellec.
Prego 4000 rs. om brochura.
O supplemento, indispensavel a quem lom a 0hr
d-se gratuitamente aos compradores. O dito suodi'
ment traz as tres differenles receitas para a eooiDoi^
gSn da agoa sedativa este precioso remedio 0'
tamanha reputacio ji tem ganho e que devs ijV
cm todas as casas para remediar promptamente aoi ittl"
dentese incommodos repentinos.
Vende-se na praca da Independencia li,r,r,
ns. 6 e 8.
O bom barateiro,
Sa rua da Cadeia loja n. 5o, confronta
a rua da Madre-de-Dcos,
vendem-se cortes de cassa e cambraiss de cores da dil
ferentes gostos a 2240 e 4000 rs. o corte ; lencos d,
cambraia e cassa de diversas qualidades, pira mi,
chales de lanzinha, escocezes e de lis escuras, que Un'
gem seda ; longos de seda e de cambraia de cores, pir,
pescoco ; suspensorios de seda ; superiores hrim j.
linho decores e brancos, para caigas ; corles de eiii,
miras, ptimas para calcas a 3500 rs. o corte da 3
covados e meio ; bons cotins de cores para calcas; cor-
tes de colletes do velludo de cor; bicos de todas n |)r.
guras ; damasco de lia de cores ; boas chitas; b0M
madapoldes e algodesnnhos muito em oota pin
negocio ; e outrsi muitas fazendas por prego muilo
commodo.
Loucainha,
a 28 O rs. o covado.
Na loja n. 3, do barateiro da rua do Crespo, 10 p
do arco de S. -Antonio,[vende-se lougainba, a quitorzi
vintens o covado. O propietario d'esta loja teodo 1
satisfacio de aonunciar aos seus atienciosos freguezn
esta mui bella e muito nova fazenda propria para
vestidos, toma a liberdade de observar, principalmente
assenhoras em geral, que, pela boa manufactura, ri-
cos e brilhanti's desenbos em listras de seda em qui-
dros de varias cores, e campos, ora claros, ora mais
ou menos escuros, o finalmente pela seguranga o real-
so d'essas cures ella aprsenla, as vezes urna bellas
sublime vista outras seriedede e graca o outras un
avelludado, om que a la tomar por seda ; e que por
isso se torna mui recommendavel e digna de grande
concurrencia ; tanto mais a um tao moderado preco ,
de certo inferior s suas boas qualidades. Na meim
loja vendem-se lindissimos lencos de finissima cam-
braia de bellas cercaduras e outros sem ellas, com
urna especie de abertura arrendada maioreszinhoi do
que os ltimamente annunciados, proprios psrs o
amavel sexo encujo diminuto prego he de um cruzado;
assim como peciohss de finissimas cambraias.com 6 va-
ras e meia, proprias para vestidoa de senhora, pelo
muito mdico prego de doze patacas cada urna. De to-
das estas fazendas e de quaesquer outras, que nesti
casa existi, dar-se-hio amostras a quem por ellas dei-
xar penhor.
A os freguezes!
No pateo do Terco, vendan. 7,
vende-se carnauba para velas em libias e arrobas; copoa
lisos para agoa a 120 rs. ; araruta a 240 rs. a li-
bra ; aletiiae talbarim, a 200 rs. ; macarrio ; passai;
bolachinha inglesa ; tapioca, a 120 rs. ; cevada, alOO
ra. ; espermacete, a 800 rs. ; lingoijas a 320 e 360
rs ; toucinhode Lisboa, a 240 rs.; cb hysson, a
2400 rs. ; sequim a 1600 rs.; cal em giio a 160
rs. ; manteiga a 600 rs.; bsnba de porco a 320 ri.;
slpista a 320 rs. oquarteirSo; paioco, a 240 ".i
queijos, a 1000 rs. ; charutos regala a 1000 rs., a
a dous por 20 rs. ; vinho de Lisboa Figueira Por-
to o outros ; papel de todaa as qualidades; oleo de li-
nhaca ; e outros muitos gneros por prego muilo
mais em conta que outra qualquer parle.
Cotins de linho, a
lAAOrs.ocorte.
Na loja n. 3, do barateiro da rua do Crespo ao p
do arco de S. -Antonio vendem-se cortes do cotins de
linho puro a quatro patacas e meia o corte. Esta fa-
zenda he de tal maneira fabricada de linho sem mis-
tura, que so pode, sem admissio da mais pequea con-
trariedade, asseverar o abantar aos amantes das fazen-
das duralivas e econmicas, que a prova do primei-
ro corte asegurar a prompta contiouacio da concur-
rencia a compra dos outros. Dio-se as amostras sob pe-
nhor.
O L1VRO DE TODOS
ou
MANUAL DA SACDE ,
Contendo
lodosos esclarecimentos thooricos e pratjcos necessa-
rios para poder preparar e empregir sem o soccorro
do professor os remedios, e se preservar e curar-se
PITTORESCOS.
IIE CIF K A C A 0
Ilumilhai o vosso amor proprio, "iaS
respeilai o dos outros.
PERN
i NA TTP. DE M.
F.DB FAMA '^
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5M9PFM7I_QW3A1D INGEST_TIME 2013-04-26T23:17:24Z PACKAGE AA00011611_08389
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES