Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08387


This item is only available as the following downloads:


Full Text
""
-
"v
,no de 1846.
Sabbado
n DIARIO puhlici-se todos os das que n"o
. t guarda: o preco da assignatura lie de
i Mili) rs. P01' quartcl, pagos admnlados. Os
I uncios dos assignantcs sao inseridos a raio
JjnD2n rtis por linda, 40 ris en typo ditTereo-
t l fenetices Pe'a metade. Os que nao fo-
[* ,55goantes pago 80 ris por linoa, c 160
,iypo
'diferente.
Ipil ASES DA LA NO MEZ DE SETEMBIIO.
cheia a 5 as 10 hora e 58 minutos da man.
JiLoantea 12 as 9 horas e 11 mi. da man.
Il ua nova a Jn a i horas e 13 min. da Urde.
lresce""** ,8 i boras e 8 minut0 m*a-
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahyl>a Segundas c Suts feiras
Rio Grande do Norte, cbega as Cuartas feiras
ao meio dia e parte as mesmas horas as
Quintas feiras.
Cabo, Seriuhaom, Rio Formoso, Porto Calvoe
Maceyd. no l., 11 ell de cada mez.
Garanhuns e Bonito a 10 e 24.
Roa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as Quintas feiras .
Oltnda todos os dias.
PREAMAR DE MOJE.
Primeira as 4 horas e SOjminutos da Urde.
Segunda as 4 horas e 54 minutos da manha.
de Setembro.
Anno XXII N. 197.
DAS DA SEMANA.
) Segunda S.Raymundo, aud. do J.dos or.
do J. do C. da 2. r., do J. M da i. v.
, TercaS Emygdio, aud. do J. co ctv. da I.
v., c doJ.de pas do 2. dist.de t.
! Quarta S B atavo, aud. do J. do cit. da
2. v.edo J. depir do 2 dist. de t.
3 OuintaS Arisllieo, aud. do J.de orpluos, e
do I municipal da I. vara. .....
4 SexU S Gandid, aud, do J. do eiv. ua i.
T. edo J. depaido I. dlst. de t.
5 Sabbado S Antonino. ud. do J. do civ. da
1. v., e do J. de paido I. dist. e do J. de t.
0 Domingo Nossa Seuliora da Penha.
CAMBIOS NO DIA 4 DE SETEMBRO.
Cambio sobre Londres 26 d. p..if a 60 d.
Patis 355 ris por franco.
>. Lisboa ion8/ de premio.
Dse, de letras ele boas firmes I '/.P- %aome?..
Owro-Oncashespanholas.. Sl'000 a 81*100
. Modas de 6*100 vel. 10J600 a l|700
| de 4J0O... /000 a >10n
Prata PaUces........ I980 a 1*990
Pesoicolumnares. I980 a 11990
Ditos Mesicanos. 1>020 a l#940
aliuda.......... i#0 HTI80
Acedes da Comp. do Beberibe de 50*000 ao par.
DIARIO DE PERKfAMBC
PARTE GFFICIAL.
Governo da Provincia.
KTPKDIMTE DO DIA 28 DO rASSADO.
Officio Ao Exm. presidente do Ro-Gnnde-do-
|Norie, declarando, que. apenii ebegue da corte o sup-
IprimeDto. qae, em ceduls do um e doui mil ris, 10-
llicitou a Ihesouraria da faienda, sedo por eita forneci-
Idosaodaquella provincia oa 10:000*000 de ris, qae,
letn notas delta especie, ella peilio.
Dito__Ao commaodante daa arenal, detertninindo,
leipoca aoaa ordena, para que o tenente do oitavo bata-
lllo de uzileiroa, Jos Cyriaco Ferreira, reeolba-se a
I curto, assim que melhorar dos 1111 padecimentos pby-
jjcw.
DitoAo inspector da tbeiounria de faienda, re
eommendando aeiecucSo da ordem imperial, que, para
o concert! do edificios do arsenal de marinba desta
piovincia, manda por a ilsposico do respectivo ins-
pector interino a quantia de rs. 5:077*400. Partici-
pou-se ao inspector interino do arsenal de marinba.
Dito A' cmara municipal da Floresta, dando-se
por inteirado de havs|r sido ella inslallada eempossada.
DitoA' mesma, eomprometteodo-se a faier sentir
i aisembla legislativa provincial, quando se ella reunir,
a necessidade de aa edificar urna cadeia naquella villa.
Dito Ao segundo supplente do juii municipal e de
orpblos do Rio-Formoso, doclarando-se scieote de lis-
ver S. me. assumido a respectiva vara ; e significndo-
le, que, pelos meios legaea, deve procurar obtor do ha-
chare! Fernando Alfonso de Mello, que a mesma vara
oceupava, a chave do cofre dos orphaos.
DitosAo eogenheiro em chele e ao inspector-fiscal
dss obras publicas, scientificando-os de ter approvado o
contrato, por qoeante athesouraria das rendas provin-
[ ciaes Manuel Joaquim do Reg e Albuquerque encar-
regou-se de mandar faier 163 bragas de empedramen-
to em continuado ao stimo laen da estrada do Pao-
do-Albo, e 926 de carnada de barro sobre o dito Unco.
DitosAos mesraos e ao inspector da Ihesouraria das
rendas provioeises, scientificando-oide baver resolvido,
que o escripturario Joaquim Francisco de Mello Santos
paisa da iospecdo-fiscal para o gabinete do engenheiro
em chefe, e desta para aquella o amanuense Antonio de
Paula e Mello Jnior.
Dito Ao commandante geral doeorpo de policia,
significando, que para as dspotas com o destacamento
da Boa-Vista, que devemier leitas pela maneiro, que
na informado, que Iheenvia, indica a Ihesouraria das
rendas provinciaes, requisite a eita as necessarin quan
lias. Ofciou-iea respeito ao inspector da Ihesouraria
dss reodn provinciaes.
PortaraDemittindo Agostinbo Nogueira de Car-
valho do cargo de subdelegado de \-Jose de Ingaieira.
Para substituir o demittido, foi nomeado Joaquim
Bsptista de Azevedo; e participou-se ao chele de policia
interino.
DitaAo inspector interino do arsenal de marinba,
ordenando, mande por em liberdade o recruta Jos
Csetano de Oliveira.
DitaAo commandante da fragata D.-Januaria,
determinando, que, a seu bordo, d transporte para a
cortea Manoel Jos de Sant'Anna, soldado detertor do
qoarto batalbio de funleiros. Participou-se ao com-
mandante das armas. ^aaa.
Comm.'iiido das Armas.
EXPEDIENTE DO DIA 26 DO FA8SAD0.
OfficioAo presidente da provincia, remettendo.pa-
ra seu conhecimento, a relado nominal doi cinco oIB-1 he concebida a ordem do dia do Eirn. Sr. general
ciaes de diflerentes guarniedes, que oesta proviooia se I mandante das armal da corte, publicada na cnnju
acbo actualmente empraxados de seguirem seus des-Ido ter eiecucSo a senten?a proferida e confirmad!
tinos, conformemente asrdeos do governo imperial, lostribunaes do foro competente, leja penetratu
__!-. -.i!... u...;C..J.i mi.nnilma.t. Crida mn T a I i il (I A m n (111 n fnpimn hrffadeirO Ira
peles motivos especificados marginalmente.
DitoAo mesmo, enviando, de conlormidade com a
exigencia da repartid0 da guerra, manifestada no offi-
cio de S. Exc. de 17 do corrente. as segundas vias
dos cinco mappas e relaco nominal da ofBeialidade das
iclassesdo exercito. comprehendula non. 3, parten-
cenes ao mez de maio deste anno, por isso que os pri-
meirai vin le desencaminbsrSo.
Dito Ao mesmo, participando, em vista do aviso
circular do 1. do corrente me, que, comprehendido
no anterior aviso de 29'de outubro d> anno prximo
passado 10 existe pasablemente nests guarnicao o te-
nente do 8. batalho de fuzileiros Jos Ciraco Ferrei-
ra, que, terminando os tres mezes de licentja, que ob-
teve Rio-Grande-do-Sol achase doente, como le certo
por attentado, e eit comprovado pelo acto de inspec-
Co, a que se mandou proceder pelo respectivo faculta-
tivo; documentos, que.em proprios origioaes, remettia a
S. Exc, afimdeque houveise de resolver, le, mesmo
no estado, em que se acha dito offical, deve seguir pa-
ra o seu destino na crvela D, -Januatia.
DitoAo mesmo, communicando, para ser levado
ao conhecimento do Exm. Sr. ministro daguerra. que,
dSo pode ter exeouco o aviso de 11 de maio ultimo,
pelo qual se ordenou a baixa do cabo de esquadra do
1." batalhSo de cardadores, Andr Xavier Vianna, por
ter dito cabo desertado a 8 de abril do corrente anno.
DitoAocommissario-pagador, enviandoa nota das
salvas dadas no mei anterior pela fortaleza do Brum.
Dito Ao mesmo, enviando o officio do tenente-
coronel commandante do quattobatalbo de artilharia a
p, declarando, qoe o mejor Joz Olinto de (larvalbo e
Silva foi considerado doente no quartel a 3 de junbo :
com o que estava respondido o seu officio de 20 do cor-
rente.
DitoAo doutor presidente do concelho geral
com-
otora
la pe-
, aeja penetrativa em
toda moralidade, manda o mesmo brigadeiro traoscre-
ve-la, para queseja lida aoscorpos desta guarnijSo.
Ordem do dia 14 de agotlo de 1846.
Camaradas!...... Esta vingacla a lei e satisfeita a
fuitica Este desgratjado leve a honra de hombrear
com'noseo as fileiras do exercito ; mas leus critnes,
erimes horrorosos, de insubordinado e de aleivosia pa-
ra com seu superior, o tornario indigno da nossa classe,
e o riicrio d'entre 01 vivos !.... Miseravel!.... Seja es-
te exemplo, que acabis de presenciar, um poderoso in-
centivo, que ma e mais firme em vossos corajes as
virtudes sociaes docidadio tranquillo, e ai disciplina-
res do soldado prestante, para que sempre vos mostris
modelo de ordem em lempo de pa, e corajosos defen-
sores da patria em tompo do guerra contra os inimigos,
que ousem invadir a trra da Santa-Cruz Tamhem, se
um orina lacanhoso deve attrahir toda a nossa indig-
naco, se o soldado dove ser austero e bravo para com os
infractores da lei,* vingadaeata, perdoemos, ao entrar
no tmulo este infeliz, a oflensa, que, allucinado. nos
irrogou, manchando a classe, a que pertencia. Elle nSo
leve horror ao crime; afastou-se da senda dos seus
mais sagrados deveres ; mas a nobreza d'alma, tfio in-
tima classe militar, nos impelle a compaixSo o indul-
gencia para com aquellos, que, victimas do seu frene-
zi, commettem um grande attentado: perdoemo-lo sim,
e fagamos ainda fervorosas supplicas ao Dos de miseri-
cordia, para que, avista do arropendimento, que elle
patenteou, Ihn outorgue o eterno deacanco. Eia, cama-
rada* facamos esforQos, para que, quando nao nos cat-
ba occasiao de levarmos nosso nome & ro9tef'dade nos
fastos da historia por feitos gloriosos, como anhelamos,
ao menos nosso tmulo seja reipeitacio, desorle q
Em consequencia do que, houve S. M. por bem or-
denar, que em acco de grs?as pelo assignalado benefi-
cio, que nos conferio a Divina Providencia, se celebre
em todas as i orejas da monarchia om solemne Te-Dtum-,
que bajo illuniinac5"s publicas; e que a corte se fista
de grande gala por tres dias, em manifestado daiitn-
fado, que sentem todos os boni catholicos por to fau-
toauccesso. Dos guarde, etc.
CaNKJA.
r MADRID, 27 DBJCSHO.
Pemava-ie, que nadaie omittiria afim da reeondu-
zir Narvaez; e que, para iito se comeguir, se apreaen-
liril o estado de Portugal e 01 perigos, que amoado a
Hespanha, como de um carcter terrivel.
Os passos dados pelos agentes do governo nal pro-
vincias, preparatorioi para as eleicoes, devilo c00"0.-
cer a todos, de que ha pouca ou nenhuma probabili-
dade de successo para os progressitas, na prxima con-
tenda eleitoral. Pde-ie positivamente affirmar, que lu-
do se Tara para arreda-los das juntai ; e lio hbilmen-
te lem sido dirigidas as disposicOes para isso, que lera
eitraordinario ver ainda utni memoro d'aquelle par-
tido as corles. Em alguns districtos pareciio 01 libe-
raos dispostoi a disputar a victoria aos seus contranoi,
e n'outrosestavSo inclinados a cedfl la como intil. A
negativa do chefe poltico de permittir es costuma-
das reuniesdos seus chefes para concerlarem as medi-
das necesarias, o que 1180 loi recusado aos absolutis-
tas, o a circular do chele poltico aos alcaides, lo es-
pcimen! da conducta das autoridades, onde se trata de
liberdade de voto. Os progressistas cbcgarSo solem-
ne convicco. de que nSo Ibes resta esperanca lenao na
revoludo. O paii estava novamente tranquillo, e essa
tranquillidade poderia durar por todo o mez leguinte :
porm o que Ibe traria o mez de agosto era outra
ao menos nosso umulo sCia re.peitaoo, ue.u... y. J-^;^^ *&$ ."S Zi
quando por elle pa.sa.em o. -^ P^ JlX>?%?$mWv a yronnic. do go-
com hoorosa recordado : Aqu |aem os restos mw
laes de um camarada, que loi inalteravelmenle fiel i orno
outo
teCi
51-
lubridade put %. aecusando recebido o exemplar
colleccn dos seis trabalhos,relativos ao primeiro anno,
que veio nonexo ao seu officio de 24 deste mez.
DitoAo tenente-corooel commandante doquarto
balalbio de artilharia a p, dizendo, que fwesse efec-
tiva a portara de 7 de julbo ultimo, acerca da baixa
do soldado Joi Marcellino Marcos, por ser o mesmo
indi' mencionado no aviso da repartiedo da guer-
ra de 10 do mesmo mez.
DitoAo mesmo, intelligenciando lobreomodo,
por que ia ser satisfeita a requisido da roupa indis-
pensavel para 01 doentes do hospital, indicado no offi-
cio do commissario-pagador, que por copia traosmit-
tira.
DitoAo subdelegado da fregoe/ia dos Afogados,
aecusando o recebimento do seu officio de 25, empre-
sentado do soldado do quarlo batalhSo de artilharia
a r, Pedro Alves Peixoto, quo hontem mesmo se au
sentara da guarda principal, e (Ora preso pela polica,
em Tigipi.
Quarfei-tjiiraZ nacidade do Rtcife, 2 deu-
tembro de 1846.
ORDEM O DIA N. 121.
O brigadeiro commandante das armai faz publico,
que no dia 14 do prximo passado moz foi fuzilado o
soldado do primeiro batalhao de artilharia S p, Faus-
tino .da Silva Vasconcelos, por haver ferido ao Sr. nu-
jor Manoel Jos Vieira. E porque a doulrina, em que
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
por aieyanorc untis.
PRIMEIRA PARTE.
INTRODUCgO.
III.
V. .. .\
Ilon ve um ailencio de alguns segundos, durante o qnal
o descoiihecid ccmio quo recolheo tudas as suas deias,
e afiual contiiiiicxi:
__ Senhorei. dase He, podis deiaar as espadas, que
vos canafio ossfrfos sem provecto, e prestar-me ouvi-
do aliento, t^Vque tereia ruuito, que saber naspouena
palavras, crf^o dirigir.
DupliroBa^erc*0- ...
_ a_ naxsaaTnle ''", 8,,n"M ""* "e quaai sempre divi-
na, e he naW"0 deiconliecida ; por exemplo o Nilo, o
*t
() Vida
trio n. 195.
aagmimKmm^m^am^mmammmmmmnmmim 1 1 asi'sana
Ganges, o Amazonia eu aci par onde voy, mas ignoro
donde venhu. Oque roe lonibra nicamente he, que,
quando us ollioa do entendimento se me abrirao por-
cepcao doscibjeotoe exteriores, achei-me em Medina,
nv ciclada santa, a correr pelo jardins do rouphti Sa-
laaym.
Era elle um vclho respeilavel, a quem ainava eu corno
pai, e que alia o nao era ; pnrqne, se me Iratavn enm
amor, coro respeito roefallava ; tres veies por clia.roe
deixava elle, para vir ler cunnnigo onlro anciao, oujo
nome janiaia pr.ifiro sem reconhecimento mi-turado de
cerror : esto velho respeilavel, receptculo augusto de
todas as scieneias humanas, instruido pc<> seto cipiri-
los superiores em ludo, quanlo oa anjua ensino para
romprehender Dos, chan.a-se Allholas; foi meu ato,
foi meu mealre, o no ainda meu amigo, amigo venera-
vel; porque lero o debro da idade do mais velho d en-
tre vos.
Esta lingoagem solemne, oa gestos roagesiuso. c o s-
cenlo cheio de uneco e severidade ao mesmo lempo,
produzirio na asserobla urna deasas impresifles, que se
redusem a longos eslremcciraentos de anciedade.
O viaior cuniinnou:
_ Quando orfava pelos quinxe anos, era eu ja ini-
ciado no. prinoipaea H.y.lerioa da naturexa. Sabia a
botnica, no essa acaudada soiencia, que cads sabio
ciroumscreve ao canto do mundo, que balita, mas
conhecia a.ae.senta mil familias de plantas, quo vege-
ta por todo universo. Sabia, quando o roe.lre a
is.o nio obrigava, pondo-me aa mua sobre a fronte, e
fazendo deicer aos meus olhoa uro raio da luz celeste,
sabia, por orna ronlomplaco qua.i aobrcnstural, en-
ohergar aob as ondas dos mares, e classifioar easas
roon.truoaas a indescriptiveis vegetacoes, que fluctan
e oscillao surdamento eulre duaa oainadas d'agoa limo-
patria, lei e ao Imperador.
Viva Sua Maseslade o Imperador
Viva SuaMaaestade o Imperador. j rainha, e ft.zer o .ervico
Amonio Binario de Miranda e Bn.o. m.rech.l de Grao, a fo mar co t. u. ^ ^
campo, commandante interino das armas.
Antonio Correia Sera.
auaaxase>aaBaasBasBBaasasaaBaaaaaBi
XTERIOR
HESPANHA
As ullimas noticias de Madrid recebida em Londres
ero de 29 junho prximo passado ; mas. cmquantoa
poltica interna daquelle paiz, nada continbSo de im-
portancia. No dia 28. esntou-se all um Te-Dtum em
todas as igrejii, em aedo de gracas pela elevado do pa-
pa. A rainha e a c6rte deviao partir a 8 de julbo de Ma-
drid para La-Granja. O correspondente do Timet ac-
cre.centava, queccem algumas partease entretinho ap-
prebenses, de que, n8o vendo os progressitai perspecti-
va alguma favoravel ao seu partido lem um movimento
insurreccionado, talrez o tentassem brevemente. 0
resto da sua correspondencia era dedicado aos negocios
de Portugal, que representava o'um estado verdadera-
mente ameacador. .
A Cozea continba a seguinte circular do ministro de
graca e juslifa :
O ministro de estsdo em data de bontem me com-
munica o seguinte: Kxm. Sr. O ministro plenipo-
tenciario deS. M. em Roma me participa, no seu des-
pacho de 17 do corrente, que na tarde anterior fra o
cardeal Joao Mara Mastai Ferrelti elevado ao throno
pontificio, sob o nome de Po IX.
.gBgaaaasraaujsuiiiisawaii 11 vn'*w^
e cobrem coro os giganlesoos ramos o berso de lu-
dos esses monstros hediondos o quasi informes, que ja-
mis allingio vista dehomem, e que Dos dove ler es-
quenido desde o dia, em que os anjos rebeldes torearlo
a orea-los osea poder, por nm momento venoido.
Havia-me eu tanibem pplicad no cstudo das lin-
goas murtas e vivas. Conhecia todos os diurnas, que se
falli desde os Dardanellos al o cstreito do Magalhes.
Lia esses misteriosos jeroglyphoa, escriptos sobre esses
livros de granito, a que charolo pyramidea. Abrangia
todos os roiihecimenloi desde Sanchonialon at Scra-
tes, desde Moyss al S. Joronyiuo, desde Zoroaslro al
Agrippn.
Tinha csludado a medicina, nio s por Hippocrates,
Galliano e Averroes, mas lombem pelo grande ineslro
chamado a naturesa. Uavia aorprendido ossegredos dos
Cuphtas e Drusoa ; colindo as aemenlea fataes e aa feli-
xea. Podia, quando o timoon () e o furacio me paasa-
vlo aobro a oobeca, entregar-lfies ao sopro grlos desoo-
uhecidos, que ilo levar lunge demim a inorle ou a vi-
da, conforme havia cu condemnado on aben$oado o
paiz, para o qual mltnva roalo irado ou risonho.
Foi no meio desies estudos, desaes trabalhos e via-
gens, que cu attingi os mena vinte annos.
Uro dia, foi meu mestre ter comroigo a grulla de mar-
roore, a que roe eu relirava, quando aubia o calor du dia.
Tinha ello o aspecto severo e riionbo ao mesmo tom-
po....... Na rulo levava um fraseo.
Acharat, me disso elle, setnpro te lenho dito, que
nada nasce nem murre no mundo qoe o berfo o o tu-
__ ..!_ _fi. .'___x._ _____.'. t\.Il._ ** lu ano til llHI Fl Clfl"
iiiuiu (( 11 uiaua f aub \/ ai^- ^---------
ramente ver as psaselas existencias, essa lueidea, que
o far igual a Dos, pois qae, logo que a houver adqui-
(*) Vento pestuero e ardentc dos desertas da frica.
* 1 ki
Um regiment de cavallaria, o de catadores de Ma-
na Chri.lna, recebeo ordem de marchar para La-
durante a sua estada all. Na sua volta de La-Graoja,
ella passaria algum lempo no Escurial, onde um consi-
dera vel numero de familias ja tinbio tomado residen-
cas, para escaparen! ao calor abrasador da capital, que
durava, haviao mais de tre lemanei. Taes ero pelo
menos as dsposiedes; mas no era improvavel, que el-
las (ossem modificadas, segundo as circunstancias.
PERN.AMBUCO.
Cmara Municipal do Recife.
4* SESSA ORDINARIA, DO 1. DE SETEMBBO
DE 1846.
PRESIDENCIA DO SENHOR BKCO ALBUQOERQOK.
Presentes os Srs. Mallo Cavalcanti, Carneiro Montei-
ro, Dr. Nory, e Altes Ferreira, faltando com causa oa
uaiaSn., brio-so a aesslo, a foi lida e approvada
a acta da antecedente. ...
O secrelnrio leo uro officio dn vereador iigidio fer-
reira, parlicipando, que, por incommodado, nio podia
comparecer por esses dias a sessio. lnleirada.
Outro do presidente do ooncelho de salubridade, pe-
dindo a expedicSo dos convenientes ordena, para que
Ibe fusaein reroettidos os ttulos do boticario Jos da Ro-
cha Paranhoa.aStu de serem pelo mesmo ooooelho exami-
nados com mais atlencio. Officiou-se ao fisoal respec-
tivo para exigir os litulos, queaoima so menciona.
Bagaje:
rido, sentir-se-hn iromorlal oomu Dos. Ora poia eu
achei a bebida, quo dislipa aa trevas, emqoanto nio
descubro a que repelle a morte. Achara!, hontem beb
o que falta ueste frasoo, bebo hoja o reato.
Tinha eu grande confianca no meu digao roeitre,
consagrava-lbe suprema veneraclo; mas a mo tra-
mec-me, a., locar no frasco, que Altbotaa me apreson-
lava, como tremeo aom duvida adeAdlo, ao p6-ia no
pomo, que Eva Iho ofFerecia.
__ Bebe, dase elle, aorriudo.
Eno pox-me as mos na cabeca, como cestumava,
quando quera dotar-me moraentanearoeute da Tislo
beatifica. ,
_ Dorme, medisseellc, e reoorda-te
Adormec iinmedintaroenle. Sonhe. enllo, queestava
deitado sobre urna fognera de sndalo e aloe; uta1 aojo,
quo passava, levand do Oriente .0 Occidente a ventado
do Senhor, tocou-a coro a pota da a.a, e a fogeira in-
H.mmou-.e. Mas, cous. i.ca v.sta. em ve. de me ai-
sostar, e temer essa ch.cnma, ostend.-ra,e Toluptuoio
nomeindaslingoa. ardenles, como faz a phen.x, que
vai beber nova vida no pricipio de toda a vida.
Bnto ludo qnanlo havia material em mira dessppa-
recco ficen s a alma, conservando a forma do corpo,
roas transparente, in.palpavel, ma.a Sublil que a atmoi-
phera, en. que vivemos, o cima da qual ae ella elevou.
Enllo, como Pyihagorss, quo se lembrava de ter es-
tado no cerco de Troia, reoordei-me das trinta a duaa
xistencias, que eu tinha vivido. Vi passar ante mira
nada na.ee nem murre no mundo ; quo o berfo o o u- "'" d rande,'alloi6a,. Reco-
mulo .80 irmlo. ; quo s falla,. .0 hornero par. ^&mXXS nome., de que u.lr. de.do
.beei-me ob 01 differente. nome., de que u.ra de.da
dia do oeu priroe.ro na.cimento at o da minha der-
radeira morte, poia bem saben, nieus iruiloi, o he um
dos pontos raaii enenoiiei da nona creoca, quo ai al-
rMUTILADO


Outro da oaraara munoipal do Cabo, representando
contra i.procedmenl do arremtenlo da arercio doate
inunioipi, Antonio Goncalves do Moraes, por obre-ar
o alguna almncreves a aferircru ancnrna i ateridas por
aquella municipalidad*. Rop,>nde-se, q0 eata ca-
inaranaoappr.ivava Mesante*, porm nao tinha prT.
denc... a dar, por n3u ler n.pecci.i aol.re o arrema-
tante.
Ontro do procurador, participando, que contratara o
errc.id.menlo da casa Ha prefa da Independencia n. 37
con. Jau Luis Pinto, pelo reto de lempo, e oom ai mes-
illa, coi.dicuea, por que hafia .ido arrendad ao falle-
cido Thomat Filippo da Silva ; a.nin. nomo, que da
racima forma, arrendara Antonio Bento de Araujo
a cana n. "Jo, que te aobafa fechada ; acudo eata aol. fl-
anea de rerrei-n & Braga, e aquella ...b anca de Jo.-
quim Johi- Barbota Labal. Maudou-ic lanar os ter-
mua de arreiidaiiicnto.
Outro do ordi-ador, podindo n cmara diac sa auaa
ordena ao procurador, pan Iba pagar a despetaa raiii-
da, que fuer rom alguma* cordearce. Mandou-ie
o procurador aoppn'r ealaadeapetaa.
Outro do fiacal deS.-Jo., ..pro.cntand o mappa do
fiad niorio para con.umo, .- ,i que uorrra de liogu
ial.1 deade a 1.0 ,te ultimo de j||,0 fido. Intci-
raav.
O.itr ,1 fi,| aupplcnte d Itecifo. participando,
que a multa impostas eni ana fregosla, cm O niel de
goal ultimo, chegara 1.2,000 ra. e pedindo a ne-
'caaana urden) para o pagamento do eirorgiao
acuiupanlion uaa corrida. Iiiterada, e ma
pastar mandado.
O Sr. vercador Melln Cavalcanti, fet o icguinle re-
queriiuent.i. q fj appruvad, o por virtude dcllo ae
eipedirao aa conveniente ordena.
Kequeiro, que ae ordene ana fiscaes daa freguotia.
fe S.-Aroaro-Jabuatao, PoC-da-Panella. S.-LouronC"
da Malta, e Atugados, remeta., a eata cmara uu.a rea-
ci semanal .loa bine, que ac innlo par. uunanmo doa
habitantes de .na. freguetias, taaendo observar naa re-
jacos o numero do gado, que, aeno destinado para
consumo, i,,er morrillo do roolcal.ai. Rccife ei lea-
. taralcanli.
O o.i -ni
2
chefe daa obrai publicaa peloa oaclareoiraentoa por elle
ilailoa, acba. que nao conven) munioipglidnde a modi-
ficaos, que na planta ae pretende faier; pnrqito, em
vei de melharar a edifioaco, como julgava, peiura.
Sala das acaldes da cmara municipal, l.Ode aelem-
bro de 1846. Alves Ferreira.
A eommiselo de edifleacan, examinando com
toda a alinela o requerimeiito de diveraoa foreiroa de
terreno do marinlia, existentes na praia de S.-Rita
frcgi.Ptia deS.-Jo.e, c igualmente informaces jun-
ios, dirigido a S. Ex. o presidente da provincia, infor-
mado duai vetea por eata cmara, c remedido terceira
mala florecenlos, nessa meim poca, eslava preitei a
cooflagrar-se.....Ah apparecoo o Sr. Antonio Ignacio
de Aievedo, todos os cidadaos voltario ao seto de suas
familias, e conseK'.'io por termo 4 luda, qua j ae tloba
coraecado a desenvolver com o sangue, que j tlnba
emanado do paito d-> infeliz Pedro llcha e de outros.
Emlitn. a relacS) deata capital, que nem por isso me
recia multas sympathias, se nSo be hoje a melbor, ao
menos pode hombrear as ptimas do imperio, para o
que multo concorreo o Sr. Antonio Ignacio, como aeu
presidente.
Agora, poli, vista das altai qualidades, que ornio
ve* a mvama para se fater na planta do cae. de S.-Rita [o Sr. Azevedo, estamos persuadidos de que multo Ra-
'i tartaleta das Cinco-Ponina a modificaran, que ditos' nnu. a Babia com a nomeacao de S. Etc., e que elle
foreiroa podein no sen requerimouto, e prnposta pelo "5n iia de servir de Instrumento a partidos, quaesquer
que o
idou-sc
Sr. vercador Mello Cavalcanti, como .
csrregado da inappcSo da obra, que ac fea no matadouro
d" C".....-Pona., aprescntoii o ,e parecer a respeilo,
c sendo ppr.,va.l..,:,indon-se paasar mandado de paga.
manto riaqoanlia de 580,156 rs. ao Brreiuatanio d...
ditos reparos.
Forao igualmente approvadoa tres pareceres da c.im-
nu.a de cd.ficnc.8o .obre na peticee de D. Mana
i'ranciscad'Alineida, de diveraoa foreiroa de terreno i
de mariiil.a Pii.lentea na praia de S.-Rita, esobre a edi-
ncncAo, qua e est fatendo no arsenal do marinha.
Deapachirlo-ao aa pelicc. de Luit Leger Vantbier,
Antonio Jo.e d'Albnqoerqoe, Mareellino Jos Lopes,
Antonio Victorino tiuimarac, Antonio Rodrigue d'Al-
buquerquo, Antonio J..ac Vivir daCunba, Marcellino
Alumno da Silva Pava, c Thoiuai
tu, Jodo Jote Ferreira de Aguiar, secretario, a aubscrt-
vi. Reg Alhuquerque, presidente. Dr. Neru da
o'weca. Mell Cavalcanti. Larneiro Monleiro.
Altee terrena. Barro:
r-ARECEBES, A QUE SE HEFF.BE A ACTA SPBA.
Hltutrittimos Senhoret.Ei cumprimciilo do des-
pacho deata cmara, datado de 20 dejulho do corrente
uno, laucado no roqueriroento de Antonio Victorino
unimeriea, no portancia d. onceno e reparoa do maiadoiiro das
Unoo-Pontaa; saber 430,000 rs. importo do ooncer-
lea oreado e arreu.alado. e 150.150 rs., valor do cano
c lijlo, que posteriormente aeres, ecuja uiilulado fui
rcc.'nliecida como indispensavel| tenl.o a informar, na
qoaltdade de enearregade dainspeccio deaaa obra, que
uppirantc est no caso deaei pago da referida quan-
lia .vial estar o obra CDiiiplelaiutnte Concluida. Reeife,
Jl de agosto de 1846. O vercador, Lui, Francco de
mello Lavaltanti.
A oinnii.iflo dccdificncSo, tendo tomado ei
ronsideracSo pel.cio .le Mana Francisca d'Alinci.ln,
mrigida i S. E. o preadente da provincia, e remel-
tida segunda Vea t esta cmara para informar, cm a qual
pede, aoaubstitua por una ra de/i0 palmos a praca,
'jur, pela planta da eidade, se marin em uw terreno,
le que aaopplieante he foreira, e que ti,-,-, por det.4. da
i ua do Vigano, entende. que, cumquanto cala cimera
"teas* ja informad lavur.veliuente, todava nlo deve
onur na pretenclo da supplieanto, vista da informa.
cao Un angeobeiro cnchete das obra, publicas; por
qnanti, basta olbar-.e para .. grai.de motimeuto do
ftairro do Rccife e cslrcitea de suas ruaa, para sentir-.c
aaeeei.id.de, .,ur elle tero, d praca. e ru.sl.rg.., e
e, por talla dos es. larrcimcntoi pr.-.i.o deo esla c-
mara aquella informscSo, poia nao consta quo foaao o l-
vida a competente oomnisalo ou o eilgenbeiro da c-
mara, he agora raaunvel, que retiro n intornucao: por-
Innlo.he a. omiiiiaa de parecer, que. devolvend- ao
EJtm. preadente da provincia a polic, se Ihe informe,
que, conferiiisndo-.e com o parecer do engenheiro em
"geiilieiro em chefe da obra publica, nenliuma rn-
flo*a tem fater au despacho do Exm. pre.idsnte d
provincia, A viata daa valioaaa ra6ea apresentada pe-
lo aupplioente o engenhnire em nhefe: por Unto, he a
commiaaao de parecer, que ae ordene ao engenheiro da
cmara, remetiendo.e-|he a peticao e informaffle, que
1^9 na planta a reforma propoda por aquello engenhei
ro, c apreaento-a quanln antes u eata amara, e que en-
tretanto acodicie a Exm. presidente da provincia, par-
licipando-ie-lhe, que em cunjpriiucnt.i do aeu despa-
cho etpedirSo-sc aa cnnveuientc ordena, para ao fater
na planta a tal modificar;!), e que, logo que esta ae can-
dila, ser siibmetlida ti ana appnivnca.
Sala daa ara.Sea da cmara municipal, 31 do agosto
do IS'iO Alvet Ferreira. Barros.
A coninii.aao de edificacA, prcatando a devida
altciicio A infbrmaolo doengcnhciroemchofe da obras
publicaa, aobreo uflicio deata cmara S. Et. o preai-
denie d.i provnola, em que reclama providencia contra
a edificaco, que se cata fatendo no ar.enal de marinha,
por ella ir de encontr i planta di eidade, segundo re-
preaento o fiacal du bairro do Reeife, no ofllcio coberto
pelo deata cmara, nao pdeemittir o cu parecer em
ouvir ao referido fiscal, dequem parti a reprosantacanr
perianto, reqoer, que ae Ihe remella ludo, para, de ac-
eerdo oom o ungenbeiro, examinar circumatancads-
mente b queato, informand a enmara do resultado,
para esta trnu.snitti-l ao Exin.pro.wlcnte da provincia,
em comprmanlo d ., despacho, em que manda eila
Cmara informar.
S'la da. ee6c. da cmara municipal, 1.0 de aelem-
bro do 1846. Alvos Ferreira.
Communicado.
que sejio, nem ISo pouco se ha de limitar ao simples
expediente, esse rotinelro processo de admioistracio
quasl exclusivamente adoptado por todos os presiden-
tes das diversas provincias do Imperio; outra ser a
base, em que S. Etc. fundamentar as sympathias dos
seus gnvernados. O vasto campo das lettras, da agri-
cultura, dos melhoramentos materlaes, tSo desprezados
no n'isso Brasil; o espirito de nacionalidade, ba tanto,
garroteado, a todos os momentos meoosprezado, at
por aquelles, que vida, nome e beoss devem ao Bra-
sil, at pelas proprlas prlmelras autoridades, he o em
que um administrador hbil tem de desenvolver toda a
sua capacidade : he essa a obra, que ba de Ihe conquis-
tar a estima e respeito das massas, dos horneas (Ilus-
trados, e, na posteridade, o renome.
Receba, pola, o Sr. Azevedo as sympathias e sauda-
des sinceras de todos os Pernambucaoos honestos; e,
como homeoagem de gratido publica, o voto cordial
de respeito, que Ihe tributa
Um Pemambucano.
OESPIAODEVENEZA.
Dansa a polka.
Principiar as horas do eoslume.
Muviiueiito do Porto.
Navio entrado no dia 4.
Genova, Malaga e Gibraltar; 49 diaa e do ultimo
porto 26 aias, brigue sardo Oai'no, de 179 tonela-
das, capitio Domingos Buzzaoo, equipagem 12,
carga vinhoe mais gneros do paii : a Oliveira Ir-
mioa. Passsgeiroi, Jeronymo Scheatteoo, Sardo.
Avisos maritinios.
Para Angola segu com brevidade o brisn
sualidade; recebe Jmente alguma carga miada-
justar, assim como para passageiros, com Gand''
gostinbo de Barros, ra da Crut, n. 66, 0d **'
capillo, Maooel Ignacio Corroa, a bordo. C0B|'
=Para o Ass segu, at o da 6 do correte k
gue nacional Despique: para carga ou paiiigero| ."*
la-se com o captfio, Jos Joaquim Outrte, on' "'
Machado & Pinheiro na roa da Crui, n. 0 "*
- Para o Marauhio e Para sai, com a tuaorb,. i
dado possivel, por ja ter parte da carga protnpta n ""
lacho nacionsl Diligente, forrado e pregsdo de'tok*'
quero no mesroo qoiter carregar ou ir de piMu r,;
dirja-ae a Novaos* C, roa do Trapiche, n.3_
=Segue para o Cear com toda brevidade, pM i,
a maior parle da carga prompta, o brigue Feiiz.Dtit'
no: quem no mesmo quizer carregar ou ir de MJ
gem, drija-se ra da Cadeia do bairro de Santo"
Antonio, n. 25, ou ao cipito, o Sr. Manoel Psreiri
deS.
- Para a Bahia sai, al o dia 10 do corrate, o as-
tacho liom-Conselho; anda recebe carga a frete- nir
o que podem fallar com Novaes 4 C. na ro
Trapiche, n. 34.
Avisos diversos.
Edita!.
A NOMEAfO DO SR. ANTONIO IGNACIO DE AfEVKDO
PAI1A PRESIDENTE DA BAUIA.
mas, esas innumeraveis eroanacVs da divindade que
a cada um do cu .opro se escapgo do peto de De,
a. alma, pov r, di.lribuem-.o em ni.meru.aa je-
rarcniaa, deade as linas sublimes a. interiores, o
hornera, que, na hora do naaoin.ento, aspiro, tal.ct ao
ca.o, umadea.a. alma preexi.tente., a ro.t.tue, na
hora d paa.amenlo, una nova correira, e a .uoce-.i-
vas transforniares.
E.e, quea..im fallara, com tal nocente de convic-
cin fasta, com iflo sublime ctprc.aao levantara .
olhoa ao ceo, que neitc periodo do aeu penaamcnlo
onde aercauniia luda a aua crenca, foi ii.lerrompido por
um murmurio de adrnirafl, quosuccedia ao e.pnnto,
como este succedra culera.
Quando desperlei, conlinuou o Iluminad, sent,
quo era tnais que honieni, cuniprchendi, que era qua.
um deo.
Nee ponto, resolv volar nao s a existencia actual,
maa lmbelo ludas a existencias, que tciiiiu de viver
ventura da huiuanidadc.
No dia aeguinte, Alth.ita., com ae adivnhira o raeu
projecio, velo miar, odisao-me;
fdeu filho, ha vinle annoa, que tua mai expiro
ao dar-te la do dia ; ha vintr auno., que uro obsta.'
culo invencivel impede leu illuslre pai de se le dar a oo-
nhecer ; nos varaos continuar uossas viagen ; entro o
qoe enconlrarmoa achar-ae-ha leu pai, que te abracara,
ra. tu ignorar, que elle le abraca.
Do-se s veres na ordem physica, assim como na or-
den) moral, certns phenomenos, que, depnis de terem
cansado a intelligencia dos pensadores, flcao por II m
esquecidos e despreados, lendo apenas obtido, por ni-
ca e ultima soluclo, um eterno porgue. Nesle caso se
achao quasi todas as nossas administraedea passadas, e
sobre ludo as que, depois de -i de fevereiro de 1844, bao
dirigido os destinos da naco brasileira !
Com elelto, quem ba ah. que, reunindo em urna
synlhese luminosa e mparclal, os actos heterogneos
dotas doas ultimas admlnistracdes, possa definir e ca-
racterisar o pensamento, que as tem animado?! Para
ellas especialmente tomou-se nullo o principio de soll-
dariedade ministerial, principio, que deve ser a alma
de urna administracSo legitima e regular, donde nasce
que um ministro, por exemplo, proouncia no seio da
representacao nacional o pensamento, que deve ser o
lypo do que ha de laier a admlnistraco, e logo outro
minislro, e at os seus proprios delegados as provin-
cias obrSo em sentido diametralmente opposto.
Ora, para prowmos estas assercOes, nao faremos
outra cousa mais do que chamar a atlencao dos que nos
lerem para os poucos actos praticados pelo actual mi-
nisterio. E como a mor parte dos seus aclos, anda re-
petimos, nSoexprimem um pensamento collecllvo, mas
-un a opiniao individual de um ou outro de seus Miem-
bros, acontece, que nem todos sao marcados com o ca-
racler do absurdo ; e he isso o que se verifica com a
nomeacSo do Sr. Azevedo para presidente da provincia
da Bahia.
Sbelas provas dejustica e prudencia j tinha dado
as provincias das Alagoas e Maranbao, nos lugares da
magistratura, que honradamente ah servir, e multas
sympathias tambem tinha elle grangeado nessa duas
piovincias. Mas ainda Ihe eslava reservado representar
un. papel mais importante, e ol nesta Ierra, Pernam-
buco, o Iheatro, que para isso Ihe destinara a provi-
dencia.
Com effeito, q jando em 1842 as exagerares do ga-
binete de enlo cxcilrSo I no sul do Imperio as sus-
ceptibilidades hberaes dealguns homens, que, em des-
peno, ptomovrSo os movimentos revolucionarlos, quu
c entre nos tambero fizero echo, achava-se nesse tem-
po testa da polica o Sr- Azevedo, co'a prudencia e
aclividade muito contribuirSo, para que nosso paiz nao
visse reproduzcas as scenas de matanca, que as ou-
tras eras Ibe ensanguenlrao o solo e o flzero desandar
para o passado. Mas ainda aqu nao paroo a benfica
influencia do Sr. Azevedo. lima das nossas comarca
A cmara municipal da eidade de Olinda e uu termo,
em virtude da iei, ete.
Faz saber, que porolcio de S. Exc.o Sr. presiden-
te da provincia, datado de 24 do correle mez, Ihe fora
communicado ter a D"vDa Providencia felicitado a este
imperio com o nascimenlo de urna princesa, que S, M.
a Imperatrz deo luz, com feliz successo, no dia 29 de
julbo ultimo, segundo Ihe foi communicado em aviso
da mesma data : o desejando esta cmara, que se (a-
cao as demonstraedes de jubilo, por tao feliz successo.
rogaaos habitantes de seu municipio, h.jao de Ilumi-
nar as frentes de suaa casas nos das 5, 6 e 7 do mez de
seterobio prximo vindouro.
E para ebegar ao conhecimento detodoi mandou pas-
sar o presente, que ser publicado nos lugares do cos-
tume e pela imprensa.
Cidade de Olinda, 31 de agoslo de 1846.
' Jote Joaquim de Almeida Guedet,
Presidente.
Joio Paulo reir,
Secretarlo.
8*
Thpatro publico.
uiixraurto t>a
c
erdoat-roe, aenhorea, a ojiaba cniocflu, ao lembrar-
me dalo; um da, um honiem veneravel meabracuu, o
nao aei que eatreroeciroenlu mnravilhoao roo revolvao
todo a Mturese, que enti baler-nie o coraco.
bra o .chenf de Meca, principe niBgnificentis.inio e
niuilo illuilre. linda vialu cera balalhaa. o cum o gesto
d braco curv.v. a. c.be9as de tres milhoe. de horneo..
Altliota, v|tuu-o para nS nblar-.e, para e nu Ira-
nir lalvcz, e contiiiuraui o nossu caminlio.
Entranbamo-nos na Asia i aubimoa o Tign
rao P niyra, Dama.cn, Siuyria, Con.l.nliiiopla, Vien-
n, B-jlin, Drcada, Moscou, Stockl.olm, Pcter.burgo
g,nbep{ttb<
O director, grato aos briosos espectadores.'que ISo
decidido acolhimenlo teem prodigalisado actual com-
panhia, vai por o thealro brilhaolissimo, com uro ri-
co papeld'ouro do maior cuito, que veio do Ro-de-
Jaoeiro a casa dos Srs. Guerra Silva di G.desia cidade;
igualmenle est fazendo todasas obras indispensaveis na
platea, lorro, camarotes, interna e externamente; assim
como no parche scenio e vestuario, alim de apreteolar
um espectculo digno do
GRANDE DIA DO BRASIL.
Neste representar (alm do drama) a magestosa
peca
O CAMPEAO DAS MONTANHAS DA ESCOCIA.
Ptrionagens.
O iei Arlhur, instituidor da ordem da cavallaria. .
O cavalleiro Negro. Oc.mpeo O mancebo in-
cgnitoEtelvina filha do cavalleiro Negro.Le-
ontina, dama ingleza. Carlv. escudeiro. Cavallei-
ros. Soldados Pageos e meneslrris.
No da 8, se representar a j coohecida o muito a-
preciada pera
vio tinha viudo .o encontr do DuMu vinto legoa no
mar, e don. cavalleiro. da Ordem, depoi de roe aauda-
rem enbriicarein Allbolas, noshavi condumio ero
iriiiinpliu au palacio de grao-mettre Pinto.
de Irinta e dua exialenria, queco j tinha vivido, ba-
v.a ja visitado a me.mu. cidade, que roe admir-
ro, pela mudanca, que .,. havilo operado no hu-
men, que a li.bitavio. Pude entio librar ero eiprilo
aoimn do. acoolecmenlo o eguir a marcha da huma-
nidad,-. Vi, que lodo o. espirito, tondilo a prugredir
e que prgre..o condut libcrd.de. Vi, que lodos o
propbeta..uccc..vau.nle apparecido orlo su.citado.
peloSenhor, para .o.ter a marcha tacillanle da huma
nidade, que, ..(.indo do ber5 cega, d em oada cu-
li, um pan para a lut : o. seculu. .au os dia* do.
povos. '
Entao diaae eu coromgo, que tanta, cou.a. anblime.
nao me havilo .ido revelada., para que a. epulta.e era
miro, que de balde guarda mi.nl.nh as vea, de ouro
e o ocano e.conde a. p.rola. ; porque o raineir per.e-
veranle penetra na entranl.a. de urna, o u tncrgulh.dur
ii.cn ,i iii-iJi.ii.li,.., .. .___._ .. ._
Hoje, 5 do correntente, principia
haver sorvete de ananazes e oulras fruc-
tas, na ra do IIngel, na venda e a-o-
brado de Luiz Jos Marques, das 6ho-
ras at as 8 da nohe em vante. ^
=- Quem Ihe faltar um cavallo, que ia eitraviado,
as 10 horas da noite do dia 3 do crranle, para a poeta
do Manguinho, dirija-se a ra Nova, veoda, d. 65
que se dar noticia do lugar onde eiiste, e dando m
sgoaes certos, e pagando > despeza, Ihe ser eitrs,
8"' Se.
Francisco (roncalvf da Silva Pn
reir caixeiro que oi do finado Sr,
Francisco da Silva tem feito sociedade
com Antonio Soares Ferreira dos Santas
na loja de fazendas que de novo abri-
ro na ra da Cadeia do Hecife onde
outr'ora oi a do Sr. Joaquim Goncalves
Cascao a qual vai ser representada pela
firma de Fereira & Santos.
= Francisco Goncalves da Silva Pereira deiiou di
ser csiteiro da casa do finado Sr. Francisco di Silva,
desde o dia 17 de agosto proiimo passado.
= Precisa-sede um rapaz portugus para caixeiro,
de 12 a 16 annos, para fra desta praca; na mido
Crespo n 14.
= O abaiio assignao em vista do annoocio do
Diario n. 19b* do Sr. Manoel Lucas de Araujo Pi-
oheiro em que dii ter em seu engenho apparecido o
eseravo de nome Jos, pertencente ao Sr. Fro-
cisco Miguel de Siqueira previne ao mesmo Sr., qoe
lie. em diligencia de mandar participar ao seu ami-
go Siqueira com quem tem relacdes coannerciaei;
que bemassim se recis, que elle faca nova fu-
ga fara favor remette-lo a este cidide pira sar
recolhido a cadeia. As despeas, que o mesmo Sr fi-
ter com seu aviso o abaixo assignado prompli-
menteas pagar.
Manoel Jote de Magalhit Bailo.
Aforo-se, e tambem se vendem por precos r*>
soaveis terrenos de 200 a mais de 300 palmos de luo-
do a maior parte com arvoredos de fruclo e todoi
ventajosos para se edificar, pornio precisare de ator-
ro, as ras notamente abeitas, nos lugares de S.-Jo-
s-do-Manguiobo eCapunga : a tratar na rusVelhi,
o. 55.
Casa da F,
na ra estreita do Kozario, n. 6.
Neste estabelrcimentoacbao-se a venda as ciutelii
da bem aereditada lotera a favor da igreja deN. S. o
Livramenle, cujas rodas devem andar infallialmenta
no dia 10 do corrente mes de setembro : o Iregue-
zes concorrSo a comprar o resto destas cautelas, e ""
tem com boas sortes.
Dettomodo ludo em mim, como nos cleilos do fie.
nh,,r, dev.a ser ray.terius paaaado, pre.enle, fu-
turo.
H
...e .des.., ao muphli Sala.jm, que ,e ,bencooll e
Idea, aeni duvida, porgnnlar-me, senhores, como era
o musolina,,,, Achara! recebido oom tanta honra por
aquelles raesraua, qo era seus volo.iurSo .. ealerniini,,
inhei. O cu he, que Althol... oatbolioo, e lam-
ben, cavalleiro de Malt., me h.vi. fallado de um Deo.
podero.o, o univcr.al, que, com aji.da do. ...ju., .eu.
mni.tr., rstabele. r., a harmona gerol, e dera a esse
lodo harmonios o bello e grande nome de Cosmos.
Eu era, em tim, tlieosupho.
Mn.haa viacens eslava terminadas; ma. a vista de
todas essa. cidades de diverso, nomes, de os.tume. uu-
po.lu, iienliuiii espanto me liavia cansado ; porque na
dr.KnT Ui|,0r?U0"-rinno' loeoqoo pare, .epou.ar,
daaobo.ol era novo para niiin porque, no decurso | nlo he porque de.calu para Ir.,
reni um impulso, .fin de ir.nsprom algum obilsoul".
ou quebraren! alguma difllculdade.
A Kraiifa cata na vanguarda das inerte, j pr.nliatoos-
Ihe um ardile na in5o, ainda que a incendie; porqu
a chamoia, que a devorar, ser proveiloaa, puis <\"e '"
lumiara o mundo.
Por ido he, que falta aqu o representante d. Fran-
ca ; talve tenha recuado ante a aua mina....... 0D7
vera um hornera, que na recue aada....... eu iris
Franca.
V eslaia em Franca, bervuu-lbe o presidente.
Siro, he o potl.i mai. importante......... litmS'9
para mim ; he a obra mai perigo.......... eiicarrego-
me della.
Eotao, va labeia o que se pana em Franca? pef"
gunlu o presidente.
O Iluminado .orrin-se.
Sei o qne ha, porque eu mearan o di.put: ora re
voltio, timorato, oorrupl, purera menos telbo, meo
timorato, menos corrompido, menos desesperado .inda
do que a monarohi, que elle representa, est* aenlade
no ihronu de Franca. Poucos annua tem a vivar, "o
preciso, que o futuro aeja por nos eonvenieiit"""1"
dispuslo para o da da sua niurto. A Franca bee ehavo
da abobada do edificio; arranquera oa acia oiillo"
maoa, que se ergucra uro signal du Circulo supremo,
easa pedra angular, e o edificio monarchico e.boroar-
e-ha, o no dia, em que se louber, que tita h o1"* r'1
en Franca, o. soberano, da Europa, que rifa n.olen"
cmdirf>ene.ZL. H """"""" ^"^V T^^ '" M '" """<. .cn.iro tal v.rlig.a. I"
Z ,.! fie. VtZ .ll t T V ,"n",O u\*' .. e Isocaro no aby.rao, qoe hiunt^f
de i. ^r.n., f" / .'.'' "-,"'" ^lT ""' do gde esboroamento do thronu de S Luis,
oe.uno, par. que forjo creado. Elle marohio dooon-I
e ae acaso rcoulo, I
maa ai ni para toma-/ (Conii
leseo a profndela do outro ; e quo melbor fra. a
en. lugar do imitar a raot.t.nha e o oce.no, fiie.se eu'
curoo o M ..tu he, e.pargia.e o. raeu. e.plendurc. .0-
uro o mundo.
Agora ooraprebende, oreio eu, que nlo foi para
de.en.penb.r simples ritos macunicos, que en vim du
neme. Vim para diter-vus: Imito., tomai a. ata. e 01
olhoa da aguia, elevai-voa aoiraa do round, .ubi oom-
roigo -orme d. rooiiianha, para ondeSslanat arrobe
lou Jcius, o laucai os olhos por cima desses reino, da
Ierra.
MUTILADO I
..


fe
= A' vista do annuncio oerto no Diario di Ptr-
nambuco n. 195. de 3 do correnle, do Sr. Manool
Lucas de Araujo Pinheiro, do engenbo de Covas, so-
bre pretender laber quem be o dono do escravo, o mu-
lato Jos, que loi ter com o dito Sr. no dia 30 do
panado, duendo aer escravo do St. Francisco Miguel
deSiqueira, taltex para Iludir ao mesmo Sr. Pinbei-
ro, previoe-se ao dilo Sr. Manoel Lucas de Araujo
Pinheiro, que, a aer o dito mulato doa signaos do an-
nuncio, que abaixo vai transcripto, que he meu, ne-
nhuma duvida terei em o vender ao dito Sr.; po-
dendo-se entender commigo nesta prae.a, na ra es-
trella do Rosario, casa do Sr. Antonio Joaquim de
Mello Pachaco, sobrado, n.8.
O abaixo assignado faz publico, que, ao amanhecer
do dia 5 do correlo, Ihe fugira um seu escravo de
noroe Joaquim, sendo este mulato, de estatura regu-
lar, bastante corpolenlo e espadusdo, cor clara e ala-
loada, cabellos pegados so casco, sem barba, apeiar
de ropresentar ter 25 annos de idade pes grandes,
bastante grossoa e mal feitos, a imitagio dos de Galle-
go, falla mansa, e ainda maia quando. com medo, tem
de responder a alguem,que,pela b'imildade,parece que-
rer chorar : levou vestido calca de ciscado atol de lis-
traa miudas, camisa de algodio americano, jaqueta do
mesmo panno, porm azul, chapeo de couro cortido
dos de serta nejo, e, por furto, urna calca branca, urna
camisa de algodio americano e urna rede, roupa esta
delle; e do abaiio assignado duas camisa* de msda-
polao fino, e at engommadas, um anellio de ouro
com diamante, que ludo se veriOcou por exame leito
depois da luga do mesmo; lendo por vicio fumar ca-
chmbo, isto amiudo; cujo escravo havia comprado o
abaiio asiignado, a 30 de abril do corrente anno, a
Jos Francisco da Silva morador nesta praca, por
remesu que delle, e de outroi, Ibe fuera aeu mano do
Aracaty, de nome Francisco da Silva Caiaico ; e por
informacea do vendedor, com quem ae foi o abaiio
asiignado entender no dia da fuga, soube ser o dito
mulato natural do terlio, do lugar denominado Bar-
riguda, e depois mudado para o lugar denouiidado
Sarra-de-Luiz-Gomes, onde presentemente mora ose-
nhor, que foi delle, de oome Antonio Vieira, lavra-
dor este de Goocallo Joi de Mello, tambem morador
no menoionado lugarSerra-de-Lui-Gomes. Este
escravo foi visto hontem, dia da fuga, na caa de ran-
cho do Sr. Rufino Gomei da Fonieca, lituada na ra
da Coneeicio do bairro da Boa-Vista, procurando com-
boi de sertanojos que estivessem a partir para o Ass,
IcePianc; por isso, o abaixo awgnado quer mere-
cer o favor de a todo o comboieiro, que elle aqui pro-
cure, nao s deatei, como d'nutros quaesquer sortoes
para com elle seguir, tilve ioculcando-se forro ou
mesmo que espere por ditos combois lora, de o agar-
rarem e o entregaren) i autoridade policial do lugar,
oodo qor qne elle sejs por ventura agarrado; rogndo-
le ao mesmo tempo aos donoa dos ditos combois de
prevenirem aoi leus conductores, com toda a reeom-
mendaco, de, urna vez o dito mulato com alguem se
entendendo, sem detencia, o agarragem; e o mesmo
implora o abaixo asiignado com instancia a todas as
autoridades desla capital de Pernambuco, e suas comar-
oaa, termos, povoacdes e villas, e mesmo s d'outras
provincias, onde por ventara tenba de apparecero men-
cionado mualo; assim como a todos os capitales e mes-
tres de embarcacdes, com particularidade as de nave-
gado de cabotageni, da carreira dos tcrtes, e de ou-
tras quaesquer provincias do imperio, o maior escr-
pulo no recebimeoto de patsogeiros, ou mesmo de es-
cravos a frete, afim de que nao sejio Iludidos; e o
mesmo favor se implora aos eapities de campo e pessoas
particulares, concorrendo o abaixo assignaoo com to-
dss as despezas. Sendo a captura pela polica, e por
outra qualquer pessoa, sedar urna gratificaco van-
tajoss, podendo, urna vez capturado, leva-lo casa do
Sr. Antonio Joaquim de Mello Pacheco, na ra estrel-
la do Roztrio, n 8, onde presentemente se acba o
proprio dono, que, delle lomando conta, inmediata-
mente recebera a pessoa, que o levar, a importancia das
despezss e gralificacao oilerecida ; e sendo que a esse
tempo ja Dio se ache nesta prac,a o abaixo atsignado,
o poderd conduzir ao engenbo Ubaquinba, em Seri-
nbaem, onde o acharad; e, a nao couvir ao apreben-
lorallio levar, o poder entregar ao dito Sr. Anto-
nio Joaquim de Mello Pacheco, que aulorisado enlio
ficar para ludo satisfacer.
Pernambuco, 5 de unbode 1846.
\Jodo Francisco SaniotdiSiquiira.*
=Olerece-se urna parda para ama de casa de pouca
familia, a qul engomma, coiinba, ensaboa, e fax o
mais arranjo de urna casa : em Fra-de-Portsi, o. 8,
casa terrea entre dous sobrades de um andar.
- O Sr. M. L. V. queira ter a bondade de man-
da pagar a diminuta quantia de 5900 ri. a M. L. da
V. : e depois faca que nio nos conhecemos
Tem de ser arrematada, em praca publicado dou-
torjuiz dedireito da 2.* vara do civel, urna morada de
casa de sobrado de um andar no Alerro-da-Boa-Vis-
ta com 36 palmos de frente e 120 ditos de fundo ,
penborada a Francisco Dominguea da Rocha, por exe-
cucio de Joaquim Jos Ferreira sendo a 3.* praca
boje, do corrente mez, as 4 horas da tarde. Os lici-
tantes poderO comparecer do dia e bora indicados, na
porta do dito juiz.
= Quem precisar du ama imi para o servico inter-
no de urna casa diri|a-se ao becco do Tambia, n. 2.
- Sfbasliio Jos Gomes Peona compiou, por con-
ta e ordem do Sr. Manoel Joaquim de Meira um bi-
Ihete inteiro, o. 834. um meio, n. 2411, da 1.' parle
da lotera da matriz da Boa-Vista estreida em 27
de junho do correnle aooo.
- Pelo juizo da segunda vara escrivo Beso se
ba de arrematar, nosdiss 5, 9 e 12 do corrente, a ren-
da annual do sobrado de dous andares e loja, n. 7, no
pateo do Carmo avaliada em 500, rs. annuaes.
= Aluga-se o sobrado junto a padaria de urna s
porta na praca da S.-Cruz ; cujo aluguel ser em
conta : a tratar na meima padaria.
= Aluga seo sitio juntos igreja de S.-Joi-do-
Manguinho com diversos arvoredos de Iructo ca-
cimba de agoade beber, boa casa de vivenda reedifi-
cada de novo e pintada com gosto contando 3 salas ,
cinco quartos um gabinete copiar cozmba ra ,
estribara para dous cavallos e ruis um excedente so-
lio com urna sala edous quartos: a tratar na ra Ve-
lo., o. 55.
Aluga-se um sitio na estrada do Remedio, com
?;voredose boa cass de vivenda marnem dorio; na
ra d'Apoilo, n. 10, ou na da Alegra, n. 18.
Alugio-se os primeiro e segundo andares do sobra-
do da ra da Seozalla-Velba, parede-meia da cass do
Sr. Lassorru, erran jados de novo e bem pintados : o fal-
lar na loja do Sr. Jos Gomes Leal.
= Preeisa-se de um caixeiro portoguez, que d
fiador e seja gil para armasen de carne secca, prefo-
riodo-se agum, que tenba pratica e conbecmento pa-
ra o mallo: na ra da Praia, n. 53, se dir quem pre-
cita.
=No engenbo Estrella, comarea dn Rio-Formoso,
pari dous escravot, um chamado JoSo, afio Angola,
e que dix ter sido do padre Jos Pereira. ja fallecido; e
o outro de nomeLuiz crioulo.e que diz ser de Francisco
da Costa Guimaries; quem se julgar seu dono, queira
procura-Ios no mesmo engenbo. A proprietaria nio
se respomabilia por morte ou fuga dos mesmos escra-
voi.
= Precia-se alugar urna escrava, para o servico in-
terno de ama casa de pequea familia : no Aterro-da-
Boe-Vista, n. 36.
=r Aluga-se urna negra boa eozinheira e engomma -
deira; ensaboa, lava roopa de varella, e coze perfeita-
mente : Irala-se com aeu senhor, na roa da Soledade,
o. 29, ao p da Trompe.
= Deseppareceo, no da 25 do passsdo um cabo-
clinbo engajado de nome Jsronymo, de idade, que
representa ler 10 annos; tem um signal na parte poste-
rior da cabeca, de um tumor, que leve; tem os dedos
dos ps bastante abertos; levou calca de riscado azul de
algodSo, e camisa de algodioiinbo : a pessoa, que o
tiver acoitado, e nio vier entrega-lo, sera responsabili-
lada: e quem o prender o cooduza a secretaria de poli-
ca, no Aterro -da-Vista, n. 45, que ser recompensa-
do do seu trabalho.
Furlarao ao abaixo assignado, de cima do baf-
ci do Sr. Victorino, na ra dos Acouginhos, um em-
brulbo, com as seguintes obras de ouro j usadas: um
signo-salamio.um corarn, urna meia-lua com urna ca-
liera, um rozarin com crucifixo, um crucifixo, um par
de bolot-s i!"' punbo, um annel d'abracoe, um dito soli-
tario, urna laquioba, urna corrente de braco com co-
raos : por isso o mesmo abaixo essignso'i roga aos Srs.
ourivrs deste praca ou a qualquerpessoa.a quemditas o-
bras forero oflerecidas, que as bajio de lomar, e mnda-
las entregar ca ra da Cadoia do Recile, loja do Sr.
Joio da Cunba Magalhies, que, alm de satisfazer qual-
quer despeza, que com a apprebensio del las faci, re-
compensar generoramente.
Jote de farroi WandirUy Jnior.
Perdeo-se, ou furlrio urna cadella de fura, com
orelhas grandes malhada pelas costas e dos lados, pe-
quena ainda e muito esperta : quem a acbar que-
rendo restituir dirija-se ao Aterro-da-Boa-Vista n.
5, que ser recompensado.
Aluga-se um preto bom amassador de pi, oque
enlende alguna eouaa de fornear; os pretendeotesdiri-
jio-se ao Allerro-da-Boa-Viita o. 66.
Jos*' Joaquim Alves Teiieira embarca para lo-
ra da provincia o seu escravo Francisco, crioulo.
O bilhete n. 33o3, da primeira par-
te da terceira nova lotera do Livramen-
to pertence a Jos Flix da Cmara,
l'imentel e o den. 1648 a Flix Josj
da Cmara Pimentel.
No dia 17 do correte mez, perdeo-se, desde o
Afogado at oGiqui urna patrooa pequea con-
tendo urna cdula de IOOOOO rs. branca, porm lab
sa com urna assignatura no veno Araujo e
mais ios rs. em cdulas, que nio ba certeza em que
notas: quem as perdeo be um pobrehomemiohrecarre-
gado de familia, e que veio buscar um frele no Recifo:
quem as achou, querendo restituir, dirija-se as Cinco-
fontal, n.71, que se gratificara com 204 rs., ficando
tambem com os 45* rs.; poiss se quer a de cem, para o
pobre humen) a nio pagar como boa a quem a manda-
va para esta prega em pagamento, aondo foi rejeiUda.
Fazem-se chapeos para se-
nhora e meninas, bem feilos e do
ultimo gosto ; e tambem touca
clinhos para meninas; na ra do
Cabug, loja n. 6.
= Aluga-se urna boa cssa terrea, com grande quin-
tal, plantado de bortalice, parrerss, 6gueiras, romeiras
e niuilas outras aivores, no principio da estrada dos A -
flictoi, ao pedo Manguioho ; urna outra casa com so-
lio corrido, muito alegre e fresca, por ler 4 jauellas de
vidraca, no becco do Serigado : trata-so na ra da Ca-
deia do Recile, n. 25.
= Arrenda-se um sitio a margen) do rio Capibari-
be, do lugar da Capuoga, com estribara para qualro
cavallos, coxeira, boa casa, frente murada e excellente
banbo : na ra do Rangel, o. 69, primeiro andar.
= Na ra do Queimado n. 8, cose-ie, engomma-
se e lava-so com asseio e promptidio por preco com-
al odo.
CDULAS BRANCAS 'DE 2*000 ris.
Na esquina do Livramento, loja de 6 portas
recebem-se cdulas brancas de 2000 n. sem descon-
t a troco de faxendas.
Desappareceo do trapiche novo urna barrica com
a marca GR, com 118 libras de raix deliro florentino;
a qual eslava despachada para a Babia, por Jos Car-
los Ferreira Soares Jnior, e por conta de Crispim
Rodrigues Coelbo, da cidade da Babia. Nio sessbe
qual fosse o extravio; e suppOe-ie ter embarcado por
eugano em algum destes barcoa, que estavio a carre-
gar paia o Norte, Aracaty e Aearacn, e por uso roga-
se o favor a qualquer dos meilre doa ditos barcos ou
outra qualquer pessoa, que acbar a dita barrica, da a
remetter para o dito trapiche novo, ou ao dito des
pacliante, que se pagar toda a deipesa, que com a
meima se tiver leito.
= Faiem-ao quaesquer cortinados, qur de cama,
qurdejanellai.qurparadecoracesdebaile ousoeieda-
de; fazem-se quaesquer furacoes de oadeiras, de sofs,
colxdes elsticos, em fim tudo quanto for con-
cernirte a tapecerie ; e tambem se vai | r tape-
tes e esleirs em qualquer lugar que seja; tudo com
per eicio e a precos rasoaveis: na transa da Concordia,
n. 13, detrs da torre do Carmo.
=Alugo-se dous sitios, um na ra e outro na cam-
pia ila Casa-Forte, ambos com bons commodos; o se-
gundo andar do sobrado amarello da ra Augusta,
com sotao e bons commodos; a loja do dito com tres
portas, propria para venda; urna loginha e urna casi-
nha na travessa do Monteiro; os lorceiro o quarto an-
dares do sobrado da ra do Amoriui, n. 15 : trata-se
no primeiro andar do mesmo.
O primeiro secretario avisa aos socios que os bi-
Ibetes para a n cita do dia 7 do correnle se distribuem
na casa do Sr. thesoureiio na ra do Collogio n.
5 oosdias 4, 5. Ge 7.
asss Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 annos ,
que tenha pratica de venda : na ra de Agoas-Verdes,
lo. 48.
Oflerece-se um preto forro para criado da qual-
quer casa ; o qual colinda o diario de urna casa, e 'he
muito Imm bolieiro: quem o pretender, dirjase
a ra da Cadoia do Recifo n. 52
= Urna pessoa, de soflrivel leltra oque escreve
com alguma correcrio deseja empregar-se em algum
servijo de escripia ou deconlahilidade quem de seu
prestnno se quizer utilsar dirija-se a livraria da pra-
ca da Independencia ns. 6 o 8.
= Precisa-ie de um cozinheiro perito em tudo ,
que diz respeito a cozinha e que seja forro : na ra
la Cadeia do Recife n. 52.
Compras.
Compra-se um par de dra-
gonas para olicial subalterno da
guarda nacional ; na ra Nova,
n. 23.
= Comprio-se escravos de anchos os sexos com
habilidades OU sem ellas ; tendo bonitas figuras ,
psgio-se bem : na ra Nova, loja de ferragens, n i6.
= Comprio-se escravos de ambos os sesos, de 14
a 20 annos com habilidades ou sem ellas ; sendo
de bonitas figuras, pagio-se bem : na ra das Cruzes,
n. 22, segundo andar.
Comprio-se 3 escravas do 20 a 30 annos ; pa-
gio-se bem : na ra da Florentina n. 34.
= Comprio-se duas escravas, urna quo seja perfeita
costureira e engommadeira, e outra ptima engomma-
deira e eozinheira afiancando-se seren sem vicios,
nem molestias, pelo que se pagano bem : no Aterro-
da-Boa-Vista. n. 36.
= Compra-se urna escrava, que lenha leite para
criar, sendo ainda moca e de bons costumes: na ra do
Hospicio, n. 26.
n Compra-se urna canoa de carreira de bom ta-
oiaubo e de um s pao ; na ra da Cadeia do Re-
Icife loja de Manoel Gouiei da Silva.
= Compra-so papel para embrulbo ( diarios), em
libras e arrobas : na travessa da Madre-de-Deos, o. 13,
e na S.-Cruz padaria do urna s porta.
= Comprio-se escravos de ambos aexoi de 12 a
30annos; na ra Direila, n. 3.
sai Compra-se una cama de armacao em segunda
mi ; quem tiver. annuncie.
Vendas.
= Vmilr se Kluber, Direito das gentes; Vattell, di-
lo dito; Scbmalz, dito dito; Marten, dito dito; por pre-
ccommodo: na praca da Independencia, livraria ni
6 o 8.
=Vende-se ou permuta-se urna cain nova no prin-
cipio da estrada dos Afilelos, com qualro quartos, duas
salas, cozinlia fra, quarto pBra prelos, estribara, ca-
cimba, com boa agoa, bomba e tanque para banho to-
do murado, umacoixeira principiada com lodosos nia-
leriaes dous porles na Irenle travejado para so-
lio escada moderna e forrado e chaos foreiros.
Uui'in a quizer comprar ou permutar, annuncie.
- Vende-se urna carteira de amarello para escripto-
rio, de tres assentos, em bom estado : assim como
urna porfi de cera de carnauba mu boa, tudo por
precoa commodos : na ra da Cruz, d. 21.
= Vende-se 5 moloques, de 12 a 14 annos, duas ne-
gras de 18 a 20 annos, ouas mulatas da mesma idade.
coslureiras, engommadeiras, corinbeiras e lavadeiras,
qoalro pretos, sendo tres de 20 a 22 aonoi, e um de
30 annos pouco mas ou menos, lodos de muito boas
figuras : na ra da Cadeia do bairro de Santo-Anto-
nio, n. 25.
= Cbegou, ha poucos das urna porcio do bem
acreditado rap princeza Novo-Lisboa : e porque sa-
bio ainda mais superior do que o antecedente por
isso avisa-se aos freguezes, que se acba a venda no He
cife :ra da Cadeia, as tojas dos Srs. Vas & Borges,
Cunba & Amorim Moraes, Jos Garlos Ferreira Soa-
res Jnior, e Joio da Cunba Magalhies: ra do Cres-
po Antonio Domingos Ferreira : ra dos CJaarteis ,
Victorino & Guimaries e Victorino de Castro Mou-
ro : Aterro-da-Boa-Visla Tbomaz Pereira de Mal-
los Eslima.
Cal virgem.
Vendem-se ancoras com a mais superior e mais
nova cal virgem de Lisboa que temos no morcado ,
por preco mais commodo do que em outra qualquer
parle: na ra da Cadeia loja o. 50, confronte a ra
da Madre-de-Deos.
-Vende-se a artiiaeAo,e a pe-
quena porco de fazendas, da
bem conhecida loja da esquina do Livramento, o. 1 :
a tratar com o Burgos.
Vende-se, a bordo do bergantim
lndependente, sebo em rama e carne
nova muito superior, por preco ba-
rato.
\ende-ienma caixinba de muiica qua toca 6
pecas com repetijio e todas de bom gosto ; na roa
Direita. n. 9.
= Vende-se panno verde fino, proprio para bilbar;
urna cadeira de arruar forrada de seda ; macacos pa-
ra arrumar carga ; encerados para cobrir gneros : na
ra do Amorim, 15.
= No armazem de farinha do caes do Collegio ,
ba urna porcio de farinha avarisda que serve para es-
cravos o criaedes ; vende-se por preco muito em
conta.
=Vende-se urna parelha de embonos de sedro, bas-
tante seceos, para qualquer barcaca, tendo 62 palmos
de compriJo o 6 V de grosiura : em Fra-de-Portas,
'casa 'le Gaspar Jos dos Res.
=Vendem-se 4 escravas mocas com boas habili-
dades ; urna moleea de 16 annos, que be recolhida ,
cose, engomma, e cozinha ; urna parda de 25 an-
nos ; urna dita de 20 aoooa boa mucama cose ,
engomma e cozinha ; 6 escravos bons para o trabalho
de campo e praca ; um moleque de 12 annos. mul-
to ladino : na ra do Crespo, n. 10, primeiro an-
dar.
= vendem-se, na livraria da ra do Crespo, o. 11,
1 diccionario classico de portuguez para latim; 1 com-
pendio do Direito Natural por Zeiler; Primeiros Ele-
mentos Pra ticos do Foro Civil; HorasMsrianas.rioa en-
cadernario; os Puritanos da Escocia, 4 voluntes, 3j rs.;
o rovo Compadre Matbeus, 3 volumes, 1 $280 ri.; car-
tas do papa Clemente, 6 volumes, i} rs.; 3*je 4 volu-
mes do Panorama do 1839 e de 1840, por 3* ri. ca-
da um.
Chales escocezes ,
a 2240 ris.
Na loja n. 3, do barateiro da ra doCreipo ao p6
do arco de S.-Antonio vendem-se chalet escocesas .
lazenda inteiramente nova e do ultimo gosto, com
quadros de diversas cores o outros de um lavrer ada-
mascado, que apparentemente finge seda, ou touquim;
por cujo motivo se tornio recommendaveis as seohoras
em goral. Dio-se amostras deixaodo o competente,
penhor.
Vende-se a venda da ra de Apollo n. 1, de-
fronte das casas do Sr. Angelo junto ao porto das ca-
noas, mui bem afreguesada ; vende-se por seu dono
se retirar para fra da provincia com sua familia : a
tratar na mesma venda.
=Vende-se urna canoa de carreira de um s pi ,
muito forto : a fallar com Manuel l.uiz da Veiga na
ra da Madre-de-Deos, n. 36.
Vende-se na loja do ferragens de Joio Joi de
Carvalho excellente cera de carnauba em porcio
ea retalho
Vendem-se 4 lindos moloques, de 16 a 20 an-
nns, sendo um dellesofRcial de pedreiro ; 2 pardos,
de 18 annos, ptimos para pageos, sendo um delies
quasi branco, de 11 annos ; um pruto, do 30 annos ,
bom canoeiro ; urna parda, de 25 annos cozinha, la-
va, engomma liso e cose chio : na ra do Collegio,
n. 3, segundo andar.
Vendem-ae 70 saccas com farinha da Ierra; urna
espingarda de caca ; um jogo de pistolas para via-
jante ; urna faca apparelbada de prala muito rica;
tudo por preco commodo ; e 14 oitavas de ouro velbo,
sem feilio: na ru do Pilar n. 7.
A's bellas Pernambucanas.
A' loja de Antonio Luiz dos Sanios &Compsohia ,
na ra do Crespo, n. 11, acaba de chegar um grande e
lindo sortimeoto de cambraias para vestidos intitula-
das-bellas pernambucanas-,as melbores e mais mo-
dernas, que teem vindo a esta praca; as quaes lornio-se
recommendaveis, nio s pelo seu subido e variado gos-
to, como pela lindeta e fixidade das tintas. Na mesma
loja vendem-se ricos cortes de seda, proprios para ooi-
vas, s.i! |.i- hespanhnlas, setins imperiaes, mantas, cha-
les e outros muitos olqectoi recem-cbegadoi.
DIRE1TO DAS GENTS E DI-
PLOMACIA.
Na livraria da esquina do Collegio estao
venda as obras seguintes : Direito
das gentes por Vattel, augmentado de
urn terceiro volume de notas por Silves-
tre Pinheiro, publicado receotemente; Direito das
gentes moderno da Europa, por J. Kluber com refe-
rencias aos tratados e muitos outros documentos inter-
nacionaes, apuntados na obra, em 2 vol.; Direito das
gentes, por Martens, addilado por Silvestre Pinheiro,
2 vol. em 8.'; Guia diplomtica ou tratado doi direi-
to dai imniunidades o dos deveres dos ministros pbli-
cos, agentei diploinaticoi e consulares pelo bsrio
Carlos de Martens, nova edicio muito augmentada, 3
vol. em 8.
3= Vende-se um bsnbeiro francs de la tomar ba-
nbo a chuva obra muito bem feita ; um taixo grande
para refinar;io ; um moleque, de 14 annos: na Solada-
de, padaria n. 14.
Vendem-se ricos cortes de vestidos
de barra ao gosto da rainha Victoria ,
e ultima moda da Inglaterra ; na ra da
Cadeia, loja n. 5o confronte a ra da
Siadie-de-Ueos.
=-- Na roa do Caldeireiro, o. 82, vendem se barre-
tinas de seda Gna, para officiaes de guarda nacional,
com apparelbos ricos, por 22 rs.; ditas para officiaes;
de polica, por l.'u rs.; ditas sem apparelbo a 4| ra.;
ditas de oleado a 3 rs.; assim como outros quaesquer
objeclos, pertencentesa officina decbapeleiro.
Vendem-se 6 pretas mocas urna das quaes en-
gomma, cozinha e cose o 2 de trabalho de campo ; 2
pretos, de meia idade por commodo prejo ; um mo-
leque bom coiinheiro; urna preta, para fra da pro-
vincia : no pateo da Matriz, n. 4.
= Vende-ae urna escrava crioula de 26 annoi ,
com urna cria de 14 mezes e j desmamada, de bonita
figura ; a preta engomma cose chio cozinha e lava
de sabio ; urna dita de naci Angola de 30 annos,
com as mesmas habilidades : na ra das Cruzes, o. ii,
segundo andar.
Vendem-se 20 acr;5es da companhia de Beberibe,
pelas entradas ( 70 por ceoto ) ; na travesa do Ve-
ras n. 15.
T
v


Vende-se azeite doce para lux uielhor e mais
barato do que o de coco ; o azeite doce fino em gar-
rafa do 25 garrafas: no deposito de aznle de carra-
pato na ra da >cnzalla-Velha n. 110.
Vende-se cera om velas do Rio-de-Janeiro sor-
timento completo de 1 a 16 e;n libra em caixas e
ai I i liras a vootade do comprador : na run da Sema I-
la-Velha, n. 110, armazem do Alies Vianna.
POTASSA.
Vende-se superior potassa da Russia ,
em barris pequeos ; cal virgen de Lis-
boa, da mais nova, que lia no mercado ,
por preco muito commodo ; tambem se
vende um resto de potassa da safra pas-
sada muito barato : na ra do Trapi-
che armazem n. 17.
Vcndem-se prcgos ame-
ricanos, 11. 4, novos, em bar-
ricas na ra do Trapiche ,
11.8.
N. 40, ra do Trapiche umchronometro para
navio de Londres perfeito e mu bem regulado;
relogins de nuro patete ioglez muito hons bara-
tos ; correntinhas do ouro padrlo Principe Al-
berto.
Vcndem-se esteiras da In-
dia, para forrar salas; fio por'
rel, fino: na ra do Trapi-
che, n. J.
Vinbo de Tenerife, em barris, de ezcellente
qualidade ; coneja branca e preta a melbor que ha
= Barclay & Companhia em porcSo. ou a retalho ; e
fio de apateiro por prejo commodo : eode-se na
ra do Trapiche n. 40.
Farfolla SSSF,
da melhor qualidade, c a ulti-
ma chegada a este mercado;
vende-se em porcoes grandes
ou pequeas: a tratar com
Me Calmont & Companhia ,
011 com ti. J. Tasso Jnior.
= Vcndem-se moendas de ferro para engenhos de
nasucar, para vapor egoa e beatas de diversos ta ma-
nilos por preco commodo ; e igualmente taitas de
ferro coado e batido de todos os tamanhos : da pra-
ca do Corpo Santo n. 11, em casa de Me. Calmont &
Companhia ou na ra de Apollo armazem, n. 6.
Vcndem-se tahoas de pi-
nhu, a 40 rs. o p e receben-
do-sc em pagamento cedidas
brancas de SOOOrs.; atrs do
thcatro.
Na ra do Crespo n. 12, loja
nova, de Jos Joaquim
da Silva IIaia,
vende-se um novo sortiniento de vestidos para senbora,
da rica fazeoda chamada indianna ; a qual alm de
ser de cores escuras tintas fizas e ricos gostos tern
um lecido que finge ser de seda e o seu diminuto
preco he de 3000 rs. cada corte : bem como tambem
da (azenda victoria a 4000 rs. cada corte ; os quaes
ollerecem as mesmas vantagens aos compradores, por
seren escuros e por isso se loroao recommendaveis
para a presente estacio: igualmente um rico sortimen-
to de casimiras para calcas ; chitas para vestidos; e mi-
tras muitas fazendss que serio presentes e se ven -
dorS por presos commodos.
se Vende-se potassa branca de superior qualidade ,
ai barris paqueos ; em casa de M.itbeus Austin &
Companhia na ra da Allandega-Velha, n. 36.
Tinta de escrever,
a mais superior possive! ; vende-se na ra larga do Ho-
zarlo, n. 24.
Vende-se cera do Rio-de-Janeiro, sortida do bran-
dos at velas de dei em libra ; atrs do corpo Santo,
n. 66.
= Vende se urna obra de theologia moral, do his-
po Monte por 254 rs.; outra dita do mesmo por
20j rs ; Historia Sagrada por liernardino Freir de
Figueiredo, 2 v. por Gf rs.; Musir inglez por Cons-
tancio, 1 v. .1000 rs. ; dito por Jac, 4000 rs.; to-
das estas obras em liom estado; papel de peso azul,
superior a 4000 rs. a resma : dito almaco segunda
sorte a 2400 rs. : na praca da Independencia loja
de livros, ns. 6 e 8.
Chales ele lan/mha,
padrocs da rain-lia da Es-
cocia, a 2^000 ris.
Na loja o, 3, do barateiro da ra do Crespo ao p
do arco de S.-Antonio, vendem-se chales de lanzi-
nha para senbora padroes da rainha da Escocia ,
fazenda esta integramente nova e que se afiam/a nao
ler deleito algum, pelo mdico preco de 2| rs.; por cujo
motivo se torna merecedora da concurrencia em geral.
Os preleodentes podem mandar buscar as amostras ,
que se Ibes dsrO deizsndo o competente penhor.
zVendem-se duas escravaa urna dellas parda.de
15 a 16 aonos e a outra preta, de 20 annos, de bo-
nitas figuras ; ao comprador se dirn as habilidades:
na ra do Hispido n. 28.
Vende-se a venda da ra deAgoas-Verdes, n. 15,
com poucos fundos : a tratar na mesma.
= Vendem-se os seguiotes esetavos ebegados do
Aracatv: sendo 2 mulatinbos, de 6 aonos; 1 mole-1
leque de 7 aonos ; 1 rr.olatinlia de 10 aooos com
principio de costura ; 1 negrinha, de 7 annos ; 1 par-
da, muito clara que cose e engomma ; 4 pretas de
16 a 20 aonos, com habilidades; 2 moloques de 11
annos ; 7 pretos e psrdos de 20 a 25 annos com
habilidades, ou sem ellas ; todos por preco commodo :
na ruada Cruz n. 51.
Potassa.
Vende-se potassa americana ,
muito nova, por ser prxima-
mente chegada, e cuja qualidade
he a melhor, que tem vindo, por
prego commodo : na ra da Ca-
deia do Reci'e armazem n. 12 ,
de Baltar & Oliveira.
= Vende-se urna preta do 18 annos de linda fi-
gura, cozinba engomma lava e cose chao, tudo
com perfeicao propria para casa de familia por ser
de Irna conducta ; na ra do Collegio n. 3, segundo
andar.
Saracas de cores
fixas a ICOrs. o corado
Na loja da esquina da ra do Collegio de (unita-
rios Serafim & Cornnanhia vendem-se urnas chitas
novas com assentosescuros de sofirivel pauno eco-
res fizas, a meiii pataca o corado. Esta especio de
chita-sariga he da mesma qualidade daquella, a que,
na Europa preferem para seu vestuario, as-cria-
das de servir e as mullieres de mediocre fortuna: e
como a economia no s no preco da fazenda como
oa duracao d'ella he quem determina essa preferen-
cia deveests chita ser comprada pelas mucamas e
por aquellas das lixtiitantes d'esla cidade, que. suppos-
(o nSo sejao abastadas, tenhio todavia ao asseio o amor,
de que em goral sao dotadas. D3o-se amostras a quem
as pretender. Nesta mesma loja continua-se a ven-
der, a 800 rs. a vara, o ezcellente brim francez cor
de palha e pardo-escuro em cuja manufactura s se
ompregou o mais puro e duravel linho ; e bom assim,
a 400 rs., lencos do gravatas, de cambraia muito fi
nos; lencinhos de carnbraia brancos com cercadura
aberta ; ditos pintados de recorte ; e oulros com
barras de cores ; todos de cores fizas e proprios para
enhora e dos quao dar-se-hao amostras, urna vez
quo doizem penhoresos que asquizerem levar.
Vendem-se 5 casas
terreas, no Coelho sendo duas grandes, na ra dos
Prateres feitas a moderna com duas salas oinaal-
cova 2quartos, cozinha fura quintal murado o ca-
cimba cada urna, e urna dellas tem um grande quin-
tal com mais de 20 ps de fructeiras j dando es-
tribara para 2 cavados, casa de pretos e letrina tudo
de pedra e cal; 3 ditas pequeas, na ra do Jasmim
cada urna com 2 salas, 2 quartos coiinba quintal
e cacimba ; ludo por commodo preco: na travessa da
Concordia sobrado de um andar n. 5.
Vende-se urna porc5o de estacas ,
de qualidade com perto de 25 palmos,
proprias para aterros ; na ra da Flo-
rentina, n, iG.
sa Vende-se farinlia de trigo, de muito boa quali-
dade em meias barricas chegada, ba poucos dias :
em casa de L, G. Ferreira & Companhia.
Vende-se, com a cotnmodid.ide de
se exigir smente a vista met ule de seu
valor, e com a permuta de urna casa
terrea, por conla urna grande proprie-
dade com duas casas na frente exten-
sr quintal com arvoredos de fructo, con-
tendo todas as proporcSes para um gran-
de estabelecimento no centro desta ci-
dade tendo excellente porto de desem-
barque e nova frente para a ra do Sol,
que d terreno para outros 3 predios de
90 palmos de frente : a tratar na ra da
Florentina, n. 16.
]\ova pelle do diabo,
a l#4AO rs.
Na loja da esquina da ra do Collegio de Guima-
raes Serafim & Companhia vendem-se cortes de cal-
cas com 3 covados e meio de pelle do dinbo por
quatro patacas e meia cada um. Comquanto julgue-se
desoecessario mencionar as boas e ezcellentes quali-
dade desta fazenda .porque a primeira porfi que
dol se vendeo nesta cesa e, ha lempos foi annun-
ciada neste Diario.mur as demonstrou, assevera-se to-
davia aos compradores que a por(5o que agora
receheo-se, excede em hondada 3 primeira, tem meo
modernos cores escuras, consistencia e grossura
de lona ; e finge bem as modernas casimiras francesas.
Dar-se-hio os cortes a amostra a quemes pretender,urna
vez que deize o competente penhor.
A
Potassa branca,
da mais superior qualidade em
barricas pequeas, e desembarca-
cada no dia 30 de agosto prxi-
mo passado, vende-se por pre-
go commodo : emeasa de L. G.
Ferreira & C.
Vende-se urna gaiola de rame, muito bem feita ,
propria para um bicudo, ou para outroqualquer passiro
pequeo ; na ra Augusta n. 38.
=-Vendem-se 5 redes oovas.de pesciria,sendo de de-
ferentes tamanhos, e juntamente urna, que tem 36 bra-
?as de comprimento e 3 de altura e feita do lo de
macabiba : na rus Imperial, padaria n. 37.
-"Vendem-se superiores cor-
tes de barege, fazenda de seda ,
da ultima moda para vestidos,
pelo barato prego de 12^rs. cada
corte ; na ra Nova, n. 12.
ATTENCO!
Vende-se o formidavel rap princea da fabrica de
JoSo Paulo Cordeiro & Companhia no Rio-de-Ja-
neiro. Este rap he, sem ezageracao, superior a todo
o rap fabricado oo imperio; a sua boa qualidade tem-
ido adquirido grande crdito as provincias do Rio-de-
Janeiro e Bio-Grande-do-Sul aonde he bem co-
nhecido pelo rap Paulo Cordeiro. Os amantes da
boa pitada venhaoa ra da Cadeia loja o. 50, de-
fronte da ra da Madre-de-Deos.
=Vende-se a casa de 2 andares e solio n. 24,
Aterro-da-Bos-Vista ; na ra Velha n. 55,
ATTENCAO !
Vende-se rap de Lisboa, do
ultimo chegado, bem fresco ,
formidavel aroma, e boa cor.
Os tomantes que gostao da
boa pitada venhao a ra da
Cadeia, loja n. SO, confronte a
ra da Madre-de Dos, que
se garante a boa qualidade.
Superiores meri-
nes.
Na loja n. 3, do barateiro da ra do Crespo ao p
do arco do S.-Antonio, vendem se os melhores o mais
superiores merines de duas larguras proprios para
sobre-casseas a 4500 e 5000 rs. o covado ; os quaes
pude-se, sem contradirn asseverar serem os mais su-
periores ezistontes no mercado. Os pretendentes, que
quizerem levar, ou mandar buscaras amostras, promp
lamente se Ibes dar.
Vende-se urna machina de vapor ; urna dita de
fazer lijlos; urna serrara vertical; um manojo ; a vis-
ta do comprador se far todo o negocio: no Aterro-da-
Boa-Vista n.5.
Itap-Gasse.
Avisa-se por esteannuncio aos freguezesdo rap de
Gasse que, ba dias ebegou do Rio-de-Janeiro, urna
nova remesas do muito superior rap grosio e meio-
grosso e se aclia a venda no lugar dn costume e na
ra da Cruz no Rocife n. 38.
Cotins de linho, a
I&AOrs.ocorte.
Na loja n 3, do barateiro da ra do Crespo ao p
do arco de S. -Antonio vendem-se cortes de cotias de
linho puro a quatro patacas e meia o corte. Esta fa-
zenda be de tal maneira fabricada de linho sem mis-
tura, queso pode, sem admissio da mais pequea con-
trariedade, asseverar e efiancar aos amantes das (asea-
das durativas e econmicas, que a prova do pritnei-
ro corte jss"gurai a prompta continuacio da concur-
rencia a compra dos outros. USo-se as amostras sob pe-
nhor.
=Vende-se umjcabrinhe de 13 annos; 3 escra-
vos mocos e que sao carreiros; 4 oegriohas muito
lindas com varias habilidades ; 4escravas, cozinbei-
ras lavadeiras, e quitandeiras: oa ra Direita, n. 3.
x4goa do Ja pao
para o cabello ; tem o presumo de fazer crescer o ca-
bello e impedir a caspa fortifica os cabellos e os con -
cerva Esta agoa he bem contienda oa Europa, e Rio-
de-Janeiro aonde tem merecido toda approvacio, po-
los seus effeitos Vende-se nicamente, na ra da Ca-
deia do Recite loja de fazeodas o, 55.
O barateiro da ra
do Crespo, loja n. 5, chi-
tas a 140 rs. o covado.
Na loja n. 3, do barateiro da ra do Crespo ao p
do arco de S.-Aotonio vendem-se abitas baratas de
booitos e novos deseohos a 140 rs. o covado; ditas
,i..i.
Hniln Initrt,
I..,
p.MIUU. UUfU. u Ut
o covado; ditas, taro
r.bem de
excedentes deseohos a 160 rs
bem de padroos ricamente istimpaJos em bons pannos,
a 180 rs. seguras de tintas; algodaozobo a 160 a
vara, boa fazenda e boa largura ; madapolio a 160,
180e200ri. de soffrivel qualidade, e largo; dito,
a 240, 260 e 280 rs. a vsra o mais fino e largo pos-
si vel ; chitas finas, com desenbosos mais moderaos],
e estampadas as melbores labricas da industriosa
Mancbester, a 240 rs. o covado. Ha tambem um bel-
lo e rico sortimento de todas as fazeodas finas como
sejSo: brim trancado branco, francez de puro li-
nho o melhor, qua ba no mercado a 1600 rs. a va-
ra ; cortes de cambraia lindamente estampada com
11 covados, pelo diminuto preco de sete patacas cads
um ; lindeza para vestidos que imita, pelos seus bri-
llantes deseohos, a qualquer lanzinha ou seda a 240
rs. o covado; cortes de tarlatana a 3000 rs. ; grva-
las deasseiada csssaestampada, a400 rs.; meias grva-
las, a 20U rs.; lencos de cambraia com cercadura ,
320 rs. cada un ; liadissimas maotis escocesas e de
setim para senbora das mais modernas, que pr.
senternente ezistem; pannos finos; cambraia lisa mn
to fina. Recommenda-se aos respeitaveis concurrrenu,"
que se dirijio a este estabelecimento que em nad
desmentir este limitado annuncio : e querendo rain
dar buscar as amostras, se Ihes dars sob o come
tente penhor, ou se mandarao as suas casas casas
acompanhadas de um caixeiro.
Vende-se urna porco de barricas valias, promn.
tas a receberem assucar por serem muito novii
lirppas, quasi todas americanas; na prega di S.-Crn,
padaria de urna s porta.
- Na ra Nova o 18 loja de M. A. Cijo., ,,
um grande sortimento do casimiras de listras q,,^
modernas a 5000 rs. o corte e ha muitos pirJr,,
para so escolher ; grande sortimento de velludo da co-
ros, moito modernos, para collete a 6000 e 7000 rt
setim preto de Maco o mais superior que hj 2
mercado ; assim como um completo sortimento d>
obras feitas de todas as qualidades ; chapeos do Chile
muito finoi; ditos franceses e de castor preto; os!
traf muitas fazeodas, que a vista dos compradores u-
Vende-se grata do Rio-Grande superior, p(n
velai e machinas de vapor a 200 rs. a libra e ,
porclo dar-seha miis barato ; na ra da Praii, ou.
zem n. 18.
Vendem-se, no im da ra da Aurora n. 4, J
caldeirotes de ferro coado, grandes ; um terno da Um.
boresdemoer em p ; rodetes e aguilhoes intigor
tudo por preco muito barato.
- Vende-se superior cera de carnauba em porclo
e retalbo; latas com bisooutiobo fino ehegadts
ltimamente de Inglaterra-, caixinhas com alatria 6oi,
com quatro libras cada urna ; tudo por preco codibio-
do : na ra da Cruz, no Reoife n. 46.
\ endem-se 14 escravoa sendo pretss con bi.
bilididei pretos e noleques e entro estes um bom
coiinheiro e com principios de pedreiro, o quil ven-
de-so para lora da provincia : no pateo da Matriz di
S.-Antonio n. 4. segundo andar.
= Vendem-se temos de livros em branco, igusImeoU
um chronomelro do melhor autor de Londres: ni ra
da Cruz, n 15, 1.'andar, eicriptorio de Ridguijjf
mison & C.
=Vende-se um bonitomolequodenacao.de 19a
14 annos, proprio para p.igem ou otficio : os rui
larga do Rozario n. 24, primeiro andar.
Vende-se superior rap da fabrica dejlo Piale
Cordeiro, no Rio-de Janeiro : na rus da Crui, a, 60,
Escravos Fgidos.
Fugio, no dia 5 de agosto do anno 'prozimo pli-
sado urna escrava de nomo Marcellina de naci
Cabioda de 35 a 40 annos pouco mais ou menoi,
alta, magreirona caracomprida mal feita de pe,
e que sio bastante grandei, com os furos das oralbn
rasgadas, nao de todo cabellos ainda pretos, mil
enjorcada do corpo, e meia banzeira quando indi.
Pede-se, portanto a todas as autoridades, e meimo ei-
pitaes de campo de a mandarem levar a seu seobor,
na ra larga do Rozario n. 24, primeiro andar, que
se pagar toda a despeza.
= Deiappareceo na noite do dia 22 de junbo pr-
ximo passado depois das 8 horas, tendo ido faiet
limpeza no Receo Largo o moleque Francisco de
naci Angola cor fula altura regular, com um ti-
Ibo oo rosto do lado direito assim como um criro
nopdireito: quem o pegar leve ao seu senbor,
Antonio Jlo da Silva no Reoife.
=rNo dia 26 do passado, desappareeeo um preto de
nome Manoel,nacao Cabinda.baixo.cdr pr;ti, rosto re-
dondo, pouca liarla, falla grossa, tem sido encontn-
do com bonete de pauno escuro, esteve trabalhindo en
casa do Sr. Mesquita & Dutra: roga-se a quem o pe-
gar, leveo-o a prac,a da Independencia, loja, o. 3,
quesera recompensado.
Htttt
PITTORESCOS.
degifracaO
O re i, que cntlicsoura, ajuu
ta milhes, nas nao g
coraces.
PKRN. ; Vk TYP. DE M. F. DE FA.HI*
i46


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELX4ISJY2_QS8RBV INGEST_TIME 2013-04-26T22:45:52Z PACKAGE AA00011611_08387
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES