Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08385


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1846.
Quinta feira 3
O VIABIQ publics-se iodos os dias que do
forem de guarda: o preco a. Msignatur he de
jiion rs. por quartel, pagos adianlados. US
.'nuncios doJ assign.ntes sio inseridos a ratao
3, ?0 ris por linfia, 40 ru ei. typo difieren,
e es repelicei pe meladc. Os que nao fo-
rera asignantes pagio 80 ris por liona, e 100
tni tjpo differeote.
PI1ASES DA LA NO ME' DE SETEMBRO.
l,ua che" iwe minutos da man.
Miogoanlea lilM.n m,n. da man.
I La ora JO a i *ora* e IS min. d tarde.
Descante a 8 as b oras e 8 minutos da man.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna c Parnliyl. Segundas e Seitas feiras.
Rio Grande do Norte, chega as Quartas feiras
o mcio dia, e parte as mesmas horas as
Quintas feiras.
Caho, Serinhaein, Rio Formoso, Porto Calvo e
Macev, no l., II c 2 I de cada mez.
Garanhuns e ilimito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as Quintas feiras .
Olinda lodos os dias.
PREAM\R DE HOJK.
Primeira as horas e S4 minutos da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da raauha
(]e Setembroa
Anno XXII N. 195.
das da semana.
3i Secunda S. Raymundo, au.4. do J. dos orf.
e o J. do C. da 2. T., do J. M da 2 v.
i Tcrr.S. Emygdio, aud. do J. do cv, da I.
v. e do J le patdo 2. dist. de t.
2 Quarta S fistevo, aud. do J. do cT. da
2. v e do J. de pal 3 QuintaS Aristhe, aud. do J.de orphos, e
do I. municipal da I. vara.
Sena S Candida aud, do J. do civ. da I.
v. edo J. dr paxdo I. dist. de t.
5 Sabbado S Antonino, aud. do J. do civ. da
l. v., e do J. de pal do I. dist. e do de t.
0 Domingo Nossa beuhora da Peuha.
CAMHIOS NO DIA DE SETEMBRO.
Cambio sobreLondresied.p. l#a0d
PaiisJSS ris por franco.
,. Lisboa 100% de premio
Desc. de letras de boas firmas I '/ P-- */
OuroOncashespanholas.. Sf'000 a
. Modasde OJtno vel. 16*600 a
deBJIOOuov. I|0i10 a
> de 4|000... *>00 a
Prata Paueoes........#80 a
Pesos columoares. I #980 a
ii Ditos Me tica uos. ifOIO a
Miuda.......... l|"0 a
Accesda Comp. do Bebaribe de iOJOOO
aomez.
Sl#400
I#700
U#ion
|IOi
1*990
I990
ifato
l#780
ao par.
DIARIO DE PERKfAMBCO
____PARTE OFFICIAL
Governo da Provincia.
KXPEDIIltTB DO DIA 11 DO PaStADO,
OfRcio Aocommandante das armar, recommen-
dando, mande fuer ai continencias, que, segundo as
lea, leem direilo o Exm. preiideole do Pira, Manoel
Pinnhoi da Silia Velloso, e o nomeado para a provin-
cia da Babia, Antonio Ignacio de Aievedo ; e preve-
nindo-o de ter de ter dada pelo corpo de polieia a guarda
de honra, que deie aniitir ao embarque de SS. Eici.
DitoAo iriMtno, accuiando remeta do imperial a-
iiode20 de ulbo prximo panado, que preicreve a
maneira, por que d'ora em diante, cumpre, sejio lor-
mulada ai nformacdei senmlre doi corpoi do exer-
cito.
DitoAo mesmo, inleirando-o de haver (eito coni-
tar (O ministro da guerra, que, por ter fallecido o sol-
dado do quarto batalbSo de erlilhsria p, Jos Ph-
lippe de Soma, nao foi cumprido o sviso, que Ibe man-
dila dar baisa.
DitosAo ni rimo e ao commiiiario-pagsdor, icien-
tifiesndo-os de ter o alfere do ptimeiro batalhio de ca-
cadores, Antonio Pedro Ferreira Csmpello, oblido pas-
isgem para o quioto da tneima arma.
DitosAos mesmos, inteirando os de baver o gover-
no imperial resolvido, que a Francisco da Costa,Reg
llonteiro se cont a antiguidsde do posto de primeiro
lente do segundo batalhio de artilbaria b p, deide
18dejulhode 1841.
DitosAos mesmos, intrlligrnciando-os de bsver o
coronel Frsncisco Jos Martins, commandanto dai ar-
tnai nomeado para a provincia do Par, comeguido
permissio do governo imperial pira deiiar aqui, a con-
tar do 1.' de setembro (corrente), a consigns{io men-
sa] deJO'000 rs.
Dito Ao inspector do arsenal de marinba, determi-
nando, que, emquanlo ouii couta se nio resolve, man-
de fsxer o registro do porto pelo enesrregado do pba-
rol.
DitoAocommandante superior da guarda nacio-
nal do municipio do Recife, inteirando-o de baver ap-
provado urna propoita para capito do respectivo quin-
to batalhio.
Dito Ao engenheiro cm chele das obras publicas,
participando lliu ter o ministerio da guerra indeferido
>ua poieBsSo a urna gftlificscio pela direccio dai o-
btai militarei.
DitoAo mesmo, dcclarand.0, que, por estar i guar-
da nacional isenls de lervico, deisa de dar a dispensa,
que delle solicitou para os conservadores da estrada da
Victoria.
dem do da 25.
OflirioAo commandanle dai armas, preienindo o
de terem sido encaminbados ao Exm. Sr. ministro da
guerra os scus doui olcios acerca da necesiidade de ser
preenchido o lugar de rapellio do primeiro batalbio de
desdores de primeira linba.
DitoAo mesmo, recommendando, que, em exrcu-
cio do imperial aviio do 1 deste mei (agosto), d ai
timii terminantes urden, para que os militares, que,
licenciados, aqui se acliio, sigio para os lugares, onde
esli seus corpos, a lempo que, ao Gndsrem ai reipec-
livas licencas, a t-llcs estejio recolbidos.
DitoAo mesmo, declarando, que o fornecimento de
roupa o hospital rtgimcnlal deve ter feito pela manei-
ra, queindiea o commissario-pagador na informado,
que Ibe remette.OHiciou-se a respeito ao commissa -
rio-pagador.
DitoAo chefe de polica, interino, recommendan-
do, proceda, como for de lei, aeerca do que, segundo a
parte, que Ihe envia, criminosamente pratiesra eom urna
preta viuva o inspector de quarteirio da ra Imperial,
Joio de Dos Cabral.
Dito Ao instructor geral da guarda nacional do
municipio do Recife, significando, que, na forma da
deciiio do governo, n. 196, de 22 de Janeiro de 1810
os instruetores parciaes, emquanto eitiverem em seu
empregoi, leem direito aos respectivos vencimenlos,
ainda mesmo que por motivos, dependentes de sua
vonlade, nio estejio em eflectivo exercicio.
DitoA'administrscio do patrimonio doa orphios,
inleirando-o de ter indeferido o requerimento de Joio
Manoel Pinto Chaves.
Porlaria Reformando Manoel Marques da Costa
Soares no posto de capillo da segunda companhia do
eiquadrio de cavallaria da guarda nacional do Rio-1 or-
inlo.Parlicipou-se ao respectivo commandanto su-
perior, scientificsndo-ie-o de baver sido approvada a
proposla para o meimo esquadrio.
DEM DO DA 36.
OfRcio Ao commandanle das armas, declarando,
que o destacamento de Agoa-Preta so pode ser suppri-
do pela collectoria do Rlo-Formoso, se no pagamento
do pret e etape respectivos adoptar-se o expediente lem-
brado pelo inspector da thesouraria da faseada.
. Ditos Ao mesmo e ao commlssarlo-pagador, scien-
tiBcando-os de smente pertencer o vencimento de 20#
rs. mensaes aos padres Bernardo Lucio Pelxuto e Ma-
noel do Santo-Sepolcbro, viato bave-los o goveino im-
perial mandado considerar como capelles de forlalea.
Ditos Ao juii relator da junta de justlca, transmlt-
lindo, alm de serem defloUlvamente julgados, os pro-
cessos doa soldados desertores do 2. batalbio de arti-
lbaria a p, Francisco Jos de Sanla-Anna, Manoel lte-
zerra Cavalcanti e Joaquim da Crux de Olivira.
Dito Aocommandante da liba de Fernando, eil
glndo seu parecer sobre um requerimento do ex-solda-
do do 4. batalbSo de cacadores, Ambrosio Manoel da
Silva, que naquelle presidio se acha cumpnndo sen-
tenca.
Dito Ao inspector da thesouraria dai reodas pro-
vlnciaes, ordenando, que ao destacamento policial do
Brejo faca adianlar os sidos de selembro e oulubro des-
te anno. Communlcou-se ao commandanle geral do
corpo de polica.
Dito Ao eneenhelro em chefe das obras publicas,
declarando, devem ser arrematados em hasta publica os
pos. que, mandados depositar pelo primitivo arrema-
tante na ponte de Goianna, se acbio ao p desta, e le-
vada em conta a respectiva importancia na execucao,
que ao mesmo arrematante se move.
Dito A' irmandade da matris da villa do onlto,
approvando a nomeecao de Manoel Jos Vielra da Silva
para Ibesoureiro das lotertas concedidas para as obras
da mesma matriz.
Porlariaa Ao commandanle da fragata l).-Janua-
ria, ordenando, que transpone para a corte osferos
Jorge Rodrigues Sldreira, e o ex-soldado do I." bata-
lbio de cacadores, Joaquim da Silva Santos. Parli-
cipou-se ao commandanle das armas.
DEM do da 27.
Ofilclo Ao commandanle das armas, provenindo-
de haver levado ao conhecimenlo do ministro da guer-
ra que por ter desertado desde 8 de abril deste anno o
cebo d esquadra do batalhio de cacadores, Andr
Xavier Vianoa, delxou de ser executado o aviso, que
Ihe mandava dar baixa.
Dito Ao Inspector da thesouraria da faxenda, de-
clarando, que Frederico Robilllard deve soffrer as penas
dos arts. 227 e 228 do regulamento das alfandegas, vis-
to como foi desprezado o recurso, que elle Interpoira
i presidencia.
Dito Ao mesmo, ordenando o assentamento de pra-
ea do corneta Joaquim Jos Mondes, que lora engajado
para a seccio de batalbio ao norte da serra de Nasaretb.
Communicou-se ao ebefe da respectiva legiio.
Portarla Rcsolvendo, que, dado o impedimento de
lodos os Juies municipaes, ou aehando-se sement um
em exercicio. sejio pelos seus supplentes substituidos o
juies de direito, cuja substituto a elles competia, se-
gundo o regulamento de 15 de Janeiro deste anno.
Partfcipou-se ao presidente da relacio, ao inspector da
thesouraria da latenda, ao juls dos respectivos leltos.
aos juies de direito do erlme e eivel do Recife, aos mu-
nicipaes deste termo, e aos dos de Olinda e Ignarassu.
EXTERIOR.
MEMORIAS DE UM MEDICO. (*)
por aieyanorc J^umaf.
PRIMEIRA PARTE.
teaa 3&2iSABe.
I1NTRODUCCAO. .
11
EOO;8UM QUZ 8XJM.
No centro de urna clareira formailnda por vidociroi,
que a velhice drsfulhara, le ergua o rea do Hijo de un
desiea caaltlloa arruinado, que ua barea feudaea em
nutro lempo lemcrio] na Europa, ao vollar daa cru-
tadaa.
O. prtico* escultado* de deliiniloi ornalir, e ruja
cavidadea, em vez de estatua mutilada e prcripiada aa
pe das |iaredes,|i*brigavlo moulna de Inju ou florea n-
grestes, desouhavlo em um cu|ciuienlo aa ogivas ar-
rendadas pela destroicio.
O viajor, ao nbrir oa olbea, achou-ae ante os drgrrtu*
hmidos e mutgosoa do prtico prinripal: no primeiro
dessrs drgroi eslava em p o phanlasma de'mo ossi-
fica. que o havia condutido al all.
PORTUGAL.
(Corresponrfi'ncsa do Timet).
LISBOA, 27 I.K JUNHO.
Deido 1\ do cnrrenlo lem a cidade de Lilboa gotado
do perfeiti. ancrgn. Naquelle din o nao apparecimcntn
da lei para a orgaimacio da guarda nacional servio de
pretexto para una Hniativa do ncsnrdem. Rennirii-ae
grandes grupos no prnca de D. Pedro e as rusa oircum-
vitinhaa, pela manhfla cedo. A delongn dos minialrus
deo asaumplo paro largos tnnimentarioa; e inuitus ludir
tiduos, bem conlueiilo pelo fu rarat ter revuluciona-
rio, andavu arengando ao BOVO. Este estado do cousas
dnrou todo o di al pertu daa 4 hora* da tarde ; em-
ito manifealou a plebe dispusiese para fater tuiuullo.
limito especial cuidado em providcniiar, que ella nio
lenlaaae ir a Belin ; porque co'ria 0 boato de que era
tua nlcncao dirigir se pe-asualiucnte i rainha, para nbter
ilella Hlisfclu das'suas exigencias, com as armna nos
mioa. Feliimcnle urna denionatracio de firmea, da par-
le das auloridade, leve um effeito iinniedialo, ea plebe
dispersou-se seni comnietter violencia alguina. Hie-
fin-so duas tentativas n'onlra parlo da cidade, para
sorprender aguarda no ar.eiial do guerra; mas, adan
do-n alerta, a plebe abandmiou esta cmprea. Nioaedeo
um tiro, para o crepsculo, depoi. de dnrciii alguna
vivas, enea inliluladoa pnlriotu. relilrlo-ao para a.
invernas. A'nnitc, as ras dv.Lisboa npresentavio o seu
eiiatuiuado onpeeto. _
Pur derretii real do. 23 dejnnho fnrJo admiltidas na
Oiraalacio as aeguintes moedaS por um valor delernn-
nndo : oa pesoa ouliimnares liespnnhoca e OS palaroea
mexicanos por 920 r. i a rao. daa do einoo franco*,
SSO r*. aa oncas lirspnnholn, 14,000 rs. e os sobera-
no, 4,500 r. Pelo valore referidos alo eslaa inoed.i
rcrebi.ln. em todaa a* Irananrpfio publica e parlieulo-
re. Tomou-ie cln medida para unvuar d'algum mudo
a |.,li.i ,le ii.....erario, que Mcxpcrimenlava em ennie-
qamcia da *u*penio do banco. O ll.c.ouro publico ja
espcrinientou o beiiciicc elle.loa desta le. nos paga-
mento da nlfandega, ondo pouena ola do banco e
apreaenlirlsr, depuis que so pos o dcercio c
'"publieoti-se finalmente a lei parn n orgsnianctn da
gunrilanari.ii.nl. A obriga^u desle corpo osl
mente indicada, sustentar o llirono e o caria, u mauUr
apa publica. O ministro do reino um especial ins-
peeclo obro i. guarda uai-i.nial, e por ua auloridade
pude alia er chamada para qualquer ervijo. Helo ao-
lune regulaiuei.loa, leen, do er Humeado pelo gover-
.... oaroinmaiidaiilaa o ofliciae do estado maii.r; a
con.panbiai elegem os seus ofliciae ; e os que iiau *ao
de palele ano nomendos pelo* ospilies, ma* aubjeitoa
apprnvscio do* oomin*nd*nte. Aln da qnalifiosoio
do pagamento do 1,000 rs, de ropostos para aor eligt-
vel para o alislamentu, a eommiaslo, noineada palo go-
verno para organisar a presento lei, introduiio outra
restrieefle, que limilarO forca numrica da guarda,
ma aegurnr-lhe-ha.i rcpeitnbilidde. O grande da-
feito dngutrda nacional,qi.ando e|elln nrgaiiison n'on-
lra srattsiea, era a indistineta adinissio da lado o ho-
mem capai de pegar e.n arma. A consequencia natural
foi, que o asis tiirbnlenlo* conservavSi. a cidade n'um
estado de alarma; a em vea do aer una froa. esn que
e pndesie depositar cot.fianca para man ter a pas, era o
gnverun nbrigado n sustentar um exeroito, para preve-
nir qualquer rompinienlu da parle do* oidadlu* arma-
dos. A olse de pessoas, chamada agora ao ervico,
lio urna garanta aufllcieiile de quo e*o corpu *er ad-
vngado da ordem, e nio inslrumento obediente do qual-
quer demagogo, pnra obrigar um Ministre asati*f*aer
a .-::::: extravagante* exigencias. Rm Li*boa numero
de batallior he dsele, do 1,000 liomc.i* cada um, e
um e*i|uadrto de cavallaria. No Porto fuimin-ae trea
balalhfie de forca igual daqnelle. Por todo o pas
i-iiiii|uVm-so os regimentos de uuntingenles daa diffe.
rentea ridades e villa. Do afinco, oo.u que *e reelama-
va a iaimediata organiwcin da guarda nacional, *e do-
via eaperar, que l.ouveaie maior influencia no alist..-
mento ; mas em Lisboa o povo pnrecoiulicito de qui-
var-se a ela lio.ira militares, viioonde de Si da llau-
deira foi nomeado mimnia.ulnnto em ohefada guarda na-
cional da Lisboa. Tamben cali muendo uaooroneia
.loa difTcrcnle balall.rir, lodo proprietario* o n* ma.
deridicluS oppoi.cionista ao ministerio Cabral. No Por-
to lan.bein se fiseriu as iu.mcar.fic ; uina daa quaos foi
uuilo censurada; por haver reoaliido aubre um notorio
parlidiila do D. Miguel.
E\peilio-so ordem para se lomar a abrir a unier*i-
dade de Cimbra no i." de julho. E*le patso prora, que
o governo eulei.de, que n trnoquillidnde e*t em grande
parle reslabcleoida. O ministro da Justina no.neuu urna
commisti para rever o regiment do salarios, qun so
pagio de presente nos tribunac. Grandea o repetidas
qoeixas se teem feito contra as excoasivaa deapesss, que
eustiooprocen*judiciae nele pas. Muita* tentati-
va pnra levar a effeito uina refrtna conveniente calo
puni toril, falloi lo. O anuo passadu, fex-se uroanova
lei para esto Asa, a qul, e bem que pn.iluxis.e alguna
buns resullsdos, anda se jnlga insuflioienlo para curar
o mal.
A corte lomoo lulo por um mei, em consequencia da
morlo de Sua Sanlidado, o papa Gregorio XVI. Mendi-
riu-ae faier exequias ero toda a igrejss di reino. Fe-
cbarto-se a rcparlicoe publica* por tre* das, esn ig-
ual de reipeito. O fallecimunlo de Sua Sanlidado foi
objertn de d pora c.lo pas ; | orque n ua prudencia o
inudoracio he nltribuida com toda ajsjaiisja a final sulu-
Cio da ....lila queitea inlrincadaa, que eiliverio pen-
deuios entre aa duas cortea.
Pelo vapor do Porto cliegou o realo do regiment 16 ;
c, para su evitar oulra cona tal, como a que e presen-
cien, ha alguna das, derio-se orden* para a tropa dei-
cinbarcnrxemOeiras, peqaena villa fo do Tejo. He
digno do Wparo, que ete inenu.i regiment, contra
queni loesAnu tanta indiiposicao, se veja agora mon-
tar guardrtcm differeiuca parles da cidade, o nAu excito
a aturtojiu publica, c muito menea anirooaidado.
T DEM, 30 DE JUNHO.
"Tccin-se infeliimonle realiaado oa reoeoa, que ae on-
irelinbio, ha algum lempo, de que o psrtdo ntigiielia-
la, alentado pelo nio e.lndo actual dos negocio desla
pas, fiie.se alguma tentalva para restaurar D. Miguel.
Km Moirtalegr, villa deTrai-os-Monle*. foi o ex-in-
fante proclamada da maneira a mal tolemnr. Mandou-
se um forte destacamento de tropa regular de Chave*
Um longo sudario o envolva da cabeca aoa pea; anb
aa prega* da morlalha fascavio-U.o aa orbtaa sem vis-
ta; linba a descarnada mo e.tendido para o interior da
ruina, e pareca iodicar ao de.conbecido, como termo
de ao vagem, uina .ala, cuja altura cima do tolo en-
eobria aa partea inferiores ; mas pelaa brechas da abo-
badas se via bruxulear nina lu sarda c mvstcnosa.
Inolinuu o viajante a cabeca em signal do oonsenti-
menio. Subi o phanlaama vagaroao, um e um o eai
tropel, oadegroa, e penetrou na* ruinas; ogu.o-o o
doconl.ecido com o mesmo Iranqnillo o solomne paaso,
peloqual regular* seropro a ua mnroha, ubio tam-
bem o. puso de6ro, que o phanlasma baria subido,
e enirou. ,
Aps ello fecbou-*e a porta principal com tal estam-
pido, como se forlo as paredes de sonoro bronie.
O phanlaama havia parado i entrada de urna aala cir-
cular, allumiada por Ires lampadas de reflexos esvea-
deados. .
A des passos delle parou por sua ves o viajante.
__ Abre oaolhos, duse o phantassua.
Estou vendo, rrspondeo o deaconhecdo.
Com rpido e allvo geslo lirou enllo o phanlasma
destella do *udrio una espada de dou gunic, e atrou
um golpe a uina colua.na de bronxe, que respondeo com
inctallico mugido.
Immediaiamcnte e de todua u* canto* da sala *e le-
vautirio lago*, donde forlo sabindo phanlasinas seni
nuaiero, scmclhni.lcs o primeiro, armado, cada un da
sua espada dedoingun.es, e toroarln lug*r na* banca-
da circulare, onde esDcialmento reflectia a I OS esver-
que pi
() Vido Nersen.|IV3.
.Irada ds tres Uro
pedr*, pela
mbre ped
e onde elle, confundido com
iumobilidade, pareclo estatuas
dessas estatuas humanas desenhsva-se ex-1
grao, naa quaea sentnvu-se seis plinnlasmaa
oito cheles ; um dos assontos eslava vnso.
O queestsva sentado nacndeira do meio, erguou-ae.
_ Quanlos somos nos aqui, meus irmluaP pcrgunlou
e, voltando-sc para a assembla.
_ Tresenlus, rctpondflri u pl.nntasmaa com vox
unisona, que eslrondoa na sala, e fui quasi o mesmo
lempo nniorieaer-se no forro fnebre d paredes.
__ Tieientol, replico., o presidente, oa.la um dos
quaea representa det mil socios ; Ircaei.las espadas, que
valen, tres iiiill.oes do piinhne.
Depoi voltou-e para o viajor, o perguutou-llie:
Que querea tu ?
Ver a lux, reipondco cle.
Oscauiihus, que conduiem luonlanha dero-
go, .ao speros e diflicci; nio lomes tu meltcr-te
aalln?
Eu nada temo.
Logo que tenhaa dado umpasso, nio te sera mais
permillido vultar atria. Pensa nato.
S psrsrci, so ehegar .
Eslis prompto a jurar ?
__ D.ctem-iuo o juramento, e eu orepelirei.
O presidente levanluii a mi, e com vos pausada e
solomo pronuuoiou a legui.le* p*lvra*
Em nome do Filho crucificado, jursi quebrar us
vinculo camaes, que aiuda vos prenden pe, mai.
rsaaos, nula., mulher, prenles, amigas, amantes,
res, bemfeitore., ea toda a qualquer crealura, a qiiom
leobaia prumtiudo fidelidade, obediencia, gralidto ou
serrico. .
O viajor coro aegura vo repeli aa pslsvras, quo me
aoabava do dictar o presidente, que peSSOU ao seguudo
periodo do juramento, e proseguio eom a mearon pausa
uapparato:
D'or* em dame cst*i*relev*do do preten*ojn-
porianio, revo-
anto hon-
f-
Cad. un. StfXXZ^ZZZSZZJi ...o feito a patria e a. lei. j....., por,.,
iravjgameuicnie sobra o lufre prcio.f qu^ y 1| ,0 novo chafo, que reuu..l.is, ludo qu
S.. cadrira. stavo collocaAs ante primeiro d.-| verde, visto ouieito, l.de ou ouvido, sabido
..hado, e al investigar o ospreilar o que aa voa uto of
fereccraoa ollio*.
O presidente oalou-.e, e o de.conheoidn repeli aa
sitas palav as.
Hoiira e respeitai tuquatoffana, replicou o pre-
sidente sera mudar de tom, como um meio tilicas, segu-
ru e nocossario de expurgar o glubo pela morle ou es-
luittearoenlo daquelles, que procurio rebanar a verds-
de, ou arranca-la de nossas ralos.
Um eubu nio loria mais fielmente reprodosido eataa
palavraa, do que o fes o doaconbeoido ; o preaidente
ooniiuiiou : .
_ Fugi da Hespanha, e Napulea, fugt da toda a
ierra maldita, fugi da lontacio de revelar oouaa eiguma
do que idea ver oouvir; porque o rao nio he saait
nrouiplo eniferir do que o ser en Itingir-Voa. oes
qualquer psrte que catej.i., o invisivel e laevttavel pu-
**, V*Ml em nome do padre, de filho e de eapirito
"Apir da araeaca, que estas ullimss linhsa oonUnhio,
nu foi possivel descobr.r emocao igoma .... .v.~.
do de.conheo.do, que pronunoiou o final do jur.ns.nto
e a invcelo, que se Ibe .egu.o. oom lio tranquillo
acecino, como pronunciar o comeo.
Agora, proseguio o presidente, cmgi a fronte do
recipiandario oom asurcla aagrada.
Approximarao-ao eolio dou. phantaaraae do dcsoe<
nbeoido, quo abaixou a cabeca ; uro dellea appliooii-lhe
fronte una fila amareila oheia de caraoleres de praUt,
oom aimagem de Nona Senhora do Lorelto; o ootro
atou-lhe atria as puntas.
E relir*rlo-so, deixando de novo so o desoouba-
mdo.
Que pedes tu? disse-lhe o presidente.
Trea ouusas, respondeo o reoipiaiidario.
Quaes?
A mito do farra, a espada de fago, Lalaooa de
ou
i sw-w ----
adivi-1 diamante.


aquello lugtr, a oon.og.no d>perstr a gucrrilhe. Se a
tnanirestacio ao ImuTe.ie liraitadoquella villa, poder-
ae-hia dar por terminada a revolta ; mu tinto lor do
accreaeentar, que no menos decididaa provas doadhe-
S.n 6 rauaa do D. Miguel ae toom dado na provincia d
Beira. Do Coimbra ae mandarlo tambero destacamentos
pora euffooar o mnvimento contra a rainha actual, e
oonaeguirSn n aeu fim om Condciaa, onde furto Captu-
rados alguna migueliatas.
No devo haver reroio acerca do Itimo resultado di
qualquer rebelliio, que au proponha restaboleccr D
Miguel e a sua odiosa tyrannia ; ao meamu paaio (|ue
qualquer roovinienlo deata nnturea devo de causar
grande anxiedade ao governo. O Mano, por ncrasiao
de dar noticia do moviincutn miguelinti, convida cm-
phaticaroento todos o liberad a onirein-se, ea esque-
ereni-ao daa auaa queiai de partido, o a cnipregarem
a seusesfnrcos parn eamagar o inimigo rom mu ai.
O 7.* regiment de infantina ten ordem de embar-
car para o Porto poia que o enverno eit determinado
a mostrar a sua forra por medidas enrgicas.
As noticias recebidas do Porto, e das provincias do
norte, silo bem pouco satisfactorias, por se lia ver mani-
festado uro espirito deopposicio aluda aautoridade.
Devede paasar alguiii lempo, antes que o povo, acost-
niado liconca inherente a urna lucta revoliiciunarii,
patea er indiuido a collar as suaa antigs oceupaede*
panificas. Todava, ufo poiihn duvidn, cid que a adop-
flo de ineilidiia firmen, o ao nirsiuo tvuipo concilialo.
ras, da parte ras autoridades, It-nlilo o desejadn cfFcilo
de aquietar rata ferninntacio temporaria.
"cOMMRCa'
O imposto de 2*600 r. por cibeci de gado, que
lor consumido nos municipios de :
Brejo...............
Cimbre ............
por 2:000*000
1:000*000
Alfanriega.
Kbndimiwto do du 2.................6:016*864
Uesearrega koje 3.
ISsrca-Navarrefarinba, bolachinhi e potas.
Consulado.
Rendishnto U0 du 2.
ir8.1:......................
Provincial........................
1:001*955
359*023
1:360*978
Theatro publico.
c^uuixrsarlo bd ^nb Avisos diversos.
0 NAZARENO N. 48,
estira a venda ao meio din na praca da Independencia,
litraria, ns. 6 e 8, e na ra estreita do Roiario, cata
da F, n 6.
Traz artigoi de lora tnuito inlerossantes, e alguna
de raa, dignos do serom lidoi, principalmente oque
diz reipeito a remetsa de mil contos para o Rio.
Os Srt. Francisco Flix de Freitas Brrelo e An-
tonio Luis de Oliveira Azevedo queirio dirigir-se a roa
O director, grato ao. br.osos espectadores, que lio doQeim.do.n. *., pan receberero urnas encornaron-
das, viudas da Babia.
= Precisa-se alugar urna escracs, para o lervico in-
decidido acolhimenlo teem prodigalisado actual com-
paobia, cai pdr o theatro hnlhantissimo, cotn um ri-
co papel d'ouro do maior custo, que ceio do Rio-de-
Jineiro casa dos Srs. Guerra Silva & C.deiii cidade;
igualmente est lazendo todasasobras indispensaveii na
platea, lorro, camarotes, interna e externamente; ssiim
como no parche seeoio e vestuario, alim de ipresentir
um espeetseulo digno do
GRANDE DIADO BRASIL.
Neste representar (alm do drama) a migritosa
peca
O CAMPEO DAS MONTANHAS DA ESCOCIA.
Ptrionageni.
O rei Arthur, instituidor da ordem da cavallaria.__
O cavalleiro Negro. Ocampeio. O mancebo in-
cgnito. Etelvina filhi do cavalleiro Negro.Le-
ontina, dama ingleza. Carly, escudeiro. Cavallei-
ro*).Soldados Pageos e menestreis.
Nodia 8, so representar a j conhecida e muito i-
preciada peca\
SPIAODEVENEZA.
Dansa a polka)
Principiara as horas do coslume.
Avisos martimos.
Moi intento do Torio.
Navio tnlrado no da 2
Bihia ; 8 ditt, sumaca brssileira S.-Anna, de "2 to-
neladas, capillo Joo dos Saolos Pereira, equipagem
8, carga cal, charutos e mais gneros do paz ; a
Novaes & Compaohia.
Navio taludo no mesmo din.
Macei; barca ingleza fostndal, espito Edward D.
Goulding- Vaicarregar.
Ubuiva^o.
No dia l.'.nioentrou ncm sahio embarcaco alguma.
Edital
A cmara municipal da cidade de Olinda eieu termo,
em virtude da lei, ele.
Fsi saber, que por oficio de S. Etc., o Sr. presiden-
te da provincia, datado de 24 do correte tnez, Ihe lera
communicado ter a D-vina Providencia felicitado a este
imperto rom o nascimeolo de urna princesa, que S. M.
a Itnperatriz deo luz, com feliz successo, no dia 2'J de
julbo ultimo, segundo Ihe foi communicado em aviso
da mesla dsta : e desejandu esta cmara, que so fa-
ci as demonstrarais de jubilo, por lio feliz successo.
roga sos habitantes de seu municipio, bajio de Ilumi-
nar as frentes de suai casas nos dias 5, 6 e 7 do ntez de
setembro proiimo vindouro.
E para ebegar ao conhenmrnto de todos mandou pai-
sar o presente, que ser publicado nos lugares do eos-
turne e pela imprensa.
Cidade de Olinda, 31 de agosto de 1846.
Jote Joaquim de Almtida ('.urdes,
Presidente.
JoBo Paulo Ferreira,
Secretario.
De
Haracoes.
ARREMATAgES, QUE SE TEEM DE F.FFEI-
TUAR PERANTE A THESOURARIA DAS REN-
DAS PROVINCIAES.
H0JB.
Ai obras da cadaia da villa do Brejo, oreadas em
8:484*670 rs.
Para que queres lo a mo do forro ?
Para dar garrnlo i lyraiinia.
Para que desejas tu a espada de fogo ?
Para repellir da trra a impurea.
Para que procuras tu a balanca de diamante ?
*~ *r, Pe"r os deslinos da hunianidado.
tala preparado para aa provas ?
0 forle est dispnsto i ludo.
Procaa! provas! exclararfio algunas voaea.
Volts-te, disse o presidente.
Obcdeceu o descunhecido, e deo com os olhos em um
bornean, pallado como a morte, amarrado e acalmado.
Que vea tu? perguntou o presidente.
Um criminoso, ou una viotima.
He um traidor, que, prestando o juramento, que
Mi preataate, revelou o segredo da ordem.
Enlio lie iini criminoso.
Sim: e em que pena incorreoP
Na de morte.
Os Iresentua phanlastiiaa repetirlo:
N* O mol le
No mesmo inalanta, o oundemnado, a despeito de so-
Lrehamanes eaforcm, foi arrastrado para o fundo da sa-
la; o deacciihecido o vio debalei-ae e eslorcer-se *
nios dus seos verdugos, ouvio-llic coi confuaa e ron-
ca pelo obstculo da raardeca. Uro punlial brilhon nos
ares, refleelindo como um raio lus das lampadas dc-
pois ouvio-ae aroa pauoadn aurda, e reaoou lgubre-
mente bulba de um oorpo, que oai com lodo o peso
aobre a trra.
Est a justica salisfeila, disae o desconocido,
volundo-ie para o circulo aterrador, cujos vidos
ulhos havilo por entre as roortalhas decorado esao ca-
pee taoulo.
Brido, disae o presidente, approcaa a exacucio,
que acaba doler lugar?
Sita, ae o axeculaslo era verdaderamente crimi-
noso,
Para Aogola segu com brevidade o brigue Ca-
tualidade; recebe smente alguma carga miuda: a a-
juslar. assim enmo para passageiros, com Gaudino A-
gostinho de Barros, ra da Crai, n. 66, ou com o
capitn, Manoel Ignacio Correia, a bordo.
=-Para o Rio-de-Janeiro sai em poucosdisso pata-
cho Amazonas, forrado e encavilhado de cobro; anda
recebe alguma carga niiuda, escravos e passageiros ;
para o que tem excellentei commodos : os pretendentes
dirijto se a ra do Vigario, n. 5, ou ao capitio, a
bordo.
=Para o Ass segu, al o dia 6 do corrente, o bri-
gue nacional Deipit/ue: para carga ou passageiros, tra-
ta se com o capitio, Jos Joaquim Duarte. ou com
Machado di Pinheiro na ra da Cruz. n. 60.
Para Baha sabir esta semana o biate Santo-
A'nlonio- Flor-do-liio : para carga, ou para pasta-
dero, trata-so com J. O. Campos, ra do Quejando,
n. 4.
- Pira o Maranhio e Para sai, com a maior brevi-
dade possivel, por j ter parle da carga prompla, o pa-
tacho nononil Diligente, forrado e pregado de cobre:
quero no mesmo quizer carregar ou ir de pa'sagem
dirija e a Novaes &C. ra doTrapicbe, n. 34.
= Para a Kahia seguir com brevidade o hiate Ten-
tador, lorrado e pregado de cobre, de superior marcha:
quem no mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
trate com Silva & Grillo, na ra da Moeda, n. 9.
=Seguo para o Cear com (oda brevidade, por ter
a osior parte da carga prompte. o brigue Feliz-Deiti-
no: quem no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gem, dinja-se ra da Cadeia do bairro de Santo-
Antonio, n. 25, ouaocaptto, o Sr. Manoel Pereira
deS.
-Para a Babia sai, al o dia 10 do correte, o pa-
tacho Bom-Conselho; ainda recebo carga a frte: para
o que podem fallar com Novaes & C. na ra do
Trapiche, n. 34.
terno de urna casa de pequea familia : no Aterro-da-
Boe.Visla, n. 36.
= Alugio-se duas casal terreas ni Bos-Vista, na
ra do Rourio, n. 42, e ni roa Velbi, n. 111 : trata-
se oa ra da Aurora, n. 44.
=s Aluga-se urna negra boa cozinbeira e engomrna-
deira; ensaboa, lava roupa de varella, ecoze perfeita-
mente : trata-se com seu senhor, na ra da Solodade.
o. 29, ao p da Trompe.
asa Roga-seaoSr. Jos da Maii, que tenba a bon-
dade de apparecer no Aterro-da-Boa-Viita, fabrica de
licore n. -26, para negocio que nio ignora.
= Desapparecoo, do dia 25 do passado um cabo-
clinbo engajado, de nome Jeronymo, de idade, que
representa ter 10 anoos; tem um signal na parte poste-
rior da cabeca, de um tumor, que leve; tem os dedos
dos ps bastante abortos; levou caira de riicido azul do
algodio, e camisa de algodiozinbo : a pessoa, que o
liver acoitado, e nio vier entrega-lo, ser responsabili-
sadi: e quem o prender o conduza a secretaria de poli-
ca, no Aterro da-Vista, n. 43, que ser recompensa-
do do seu trabalho.
- Joaquim Teizoira Duarte Simpiio, phirmaeeuli-
co exudante da botica do Sr. Bartholomeo, retira-ie
para o Araeaty, a tratar de sua sade; e nio podendo,
pelo estado da mesroa, despedir-se peisoalmente de
saui amitos ecoohecidos, o far por meiodesle, tribu-
tando etern gratidio quelles, que particularmente
se teem interessido na sui side.
= A vend a n. 86 di ra do Pilar de Fra-de-
Portil, precisa .le um caiieiro de 12 i 14 innos.
Furlario lo abaizo assignado, de cima do bal-
rao do Sr. Victorino, ni rui dos Acouginbos, um em-
brulhn, com as seguidles obras de ouro j usadas: um
sioo-sslamio, umeoracio, urna mcia-lua com urna ca-
beca, um roiario eom crucifixo, um crucifio, om par
de botSes de punho, um aonel (Tabucos, um dito soli-
tario, umafaquioba, urna correte de braco com co-
mes : por isso o mesmo abaiio assignado roga aoi Srs.
ourives desto praca ou a quilquer pessoa, qoe ditas o-
bru forero oflerecidas, que is hajio de tomar, e manda-
las entregar ca ra da Cadeia do Recife, loja do Sr.
Joioda Cunba Migilhies, que, ale'm de satisfazer qual-
quer despez
compensar generotamente.
pelo juizo da segunda vara do civel: os licitantes D
derS comparecer oo dito lugar, a indicada bori.
= A commissio directora do baile da sociedad
Reuniio Fraternal Brazilieose faz lber aos Srs. i0c
que podem ir receber os seus cartoes em casa do a"'
soureiro at o dia 5 do corrente ; o que, para ajii'
confusao o equvocos, nenhum socio ser idmittid"
sem apresentar o seu oarto.
O bilhete n. 33o3 da primeira p;
te da lerceira nova lotert>do Livrame
to peitencc a Josd Flix da Camar,
'imentel e o den. 164H a Flix J0
da Cmara Pimentel.
se
:=Iiabcl Francisca fa scienle ao reipeitavel publico
que por mandado, expedido pela subdelogicia de s'
Antonio no dia piimoiro do corrente dio busri
cisa do padre Antonio Pereira do Aievedo e ijrou
sua oscraca de nome Maria que o mesmo padre ||,
quera usurpar ficando ainJa no podar do nfj.
ferido pidre Azevedo umi porcio de ouro o um .
cumentos de dinheiros qua a annunciante tem pig0
de dcima de suia chis foros das mesmas a um rs
cibo,panado por Tbom Peroira Lagos, di quintia di
250,000 rs ; cujos ouroi e documentos a annunciiu..
te com a aepio competente os vai exigir, viato que
Sr. padre Azevedo os tem em seu poder, por meio da
fraude!; e pelos mesmos meios propoz hontem, 3 do
correte, pela segunda vara do civel um horroroso
libello no quil quer descaradamente usurear di an-
nunciante 800 e tantos mil rs ; o aioda criminuu.
mente este mesmo padre fabricou uro papel, no nuil
diz, que a annunciante Ihe ceder todoios seus beai
e, por esti nio uber ler nem eierever, aisignou 1 aeu
rogo Domingos Barboza solicitador de csusss, cojo
pipel veio 10 conhecimento di annunciante por de-
clareci de seu fabricante e de Domingos Barbn
que tem dito a muitas pesioas, que asiignou alguns
papis contra a fortuna da annunciante, Iludido pelo
Sr. padre Antonio Pereira de Azevedo. O Sr. padre
Azevedo he incapaz de vestir .0 habito sacerdotal
porque, abusando do mesmo, tem lornado-se lobo f|.
minio das fortunas das pretas forras que teem tiuV 1
infelicidade de deiiarem-se illudir pelas labias desli
traficante. A annunciante declara dude j que he
nulla quelquer venda, ou traniecgSo quefactoSr.
padre Azevedo com os heos da annunciante ; porque
este mesmo padre nio os compreu nao 01 herdou ,
nem Ibe forao doados! be nulla, porque de laclo e dm].
reito perlencem a annunciante ditoi bens ; e finalmen-
te he nulla,porque o Sr. padro Aievedo he conheridopot
trampolineiro por algumas pessoas e baja visli aj
demandas fraudulentas que este aicerdote tem pro-
posto at contra seu proprio pai contra o Sr. Cai-
gas, boticario, e contra a infelii prela, que, nelle 1
positando confianca dco-the uina casa para seu pa-
trimonio: porm este n.esmo padre,abusando da gene-
que com a ipprehensio delln faci] re- rosidade dcsls preta aprescntou-lhe urna demanda,
'tiizemto ser sua a casa que a pobre preta na bos fe.

Isciles.
=Jo8o Keller & C. farao leilio, por intervencio do
corrotor Oliveira, de grande sorlimento do fazendas,
propries de,te mercado: boje, 3 do corrente, s 10 ho-
ras da manbSa, no seu armarem ra da Cruz.
= Kalkmann & Rosenuiund farao leilio, por inter-
vencio docorretor Oliveira, de sorlimento geral de fa-
zendas, proprias do mercado: seita-feira, 4 do cor-
rele, as 10 horas de manhia, no seu armazem ra
daCrur.
Jote de farroi Wandtrhy Jnior.
- Perdeo-se, ou furlrSo urna cadella de fra. com
orelhas grandes malbsda pelas costas e dos lador, pe-
quena ainda e muito esperta : quem a achar que-
jen (I. restituir dirija-seso Atorro-da-Boa-Viita n.
5, quesera recompensado.
Aluga-se um preto bom amasiador de pi e en-
lende alguma cuusa de fornear; os pretendentes diri-
jio-se 10 Atterro-ds-Boa-Vista n. 66.
Jos Joaquim Alvis iTcixeira embarca para f-
ra da provincia o seu escravo Francisco, crioulo.
Oflerece se urna ama de leile com boas qua-
lidades ; na ra do 'l.'arabi, n. 2.
= O ahaixn assignado far icienli 10 Sr. Fnncisco
Miguel du Siqueiri morador na comarca de Pajabu ,
E fars Isa um brinde morle de todo o ho-
rnero, que, como elle, trahir oa sogredoa da aooiodade
santa'
Fa-lo-hei.
Com qualquer bebida que seja ?
Com qualquer.
Traiei a uca, disse o presidente.
Uro dos verdugos cl.egou-se enlio ao reoipiandario,
e aprosenlou-lhe um licor cermelho o momo, oro uro
ortico humano, engastado ero pe de bronxc.
Toibiiu o dcsoonhecidu o tara das roaos do verdugo
e ergupiido-a cima da cabeca:
Bebo, disso elle, morle de lodo o hornero, que
Iralnr os segredos da aaaut'iacu saula.
E, aballando n laja a altura dos labios, despejou-a
alea ultima gotla, c enlregnu-a friamenlo quem Ih'a
liavia aprcsciilado.
Um murmurio de approvaclo eorreo por toda a aa-
semblca, c os phanlaimas como que olliario ,ly ,,ara
os ontrn alrave. dna auderios.
Est bem, disto o |.residente. A pistola !
Uro phantasma clieguu-se au presidente, com urna
pistola n'uina mo, u una bala deohunibo e una carita
do plvora na oulra.
O recipiendario apenas se dignou collar oa ulboa para
esse lado.
Proroeltos, pala, obediencia possiva a aesoniacio
sania i" perguntou o prcsidenle.
I'roiiiotto.
Ainda quando essa obediencia seis coaira ti
mesmo?
Quero aqui enlra nio he seu, he do todos,
A.siro que, obedecers a qualquer ordem, quo tt
que, no dia 30 do prximo panado agosto, ebegou
sua casa, pedindo-lbe, que ocomprasse, o escravo par-
do de nome Jos, que diz peiteneer ao mesmo Sr.
Siqueira ; e comqusnto oabiixo assignado tenba pro-
metido compra-lo e muito deseja, que elle nio to-
me nova fuga todava se nio responsabilisa por elle.
Sendo, porm, que o mesmo Sr. tenba nesta praca pro-
curador que faca as suas vezei, quein declarar por
esta follia, para que, sendo procurado com mais bre-
vidade se trate deste negocioEngenho Covas, 1 "de
setembro do 1846. -Manoel Lucat de Araujo Pinheiro
= Hoja, 3 do corrente pelas 4 horas da Urde Da
ruada Praia no armazem do fallido Seraim Joa-
quim Vinhaide Moronvil, se bio de arrematar 110
arrobas de urne secca embargadas ao dito fallido ,
Toma esla pistola e earrega-a.
Pegou o desconhecido da pistola, deilou-lhe a plvo-
ra no cano, mette-lho urna buche, dcixuu cahir dentro
a bala, quo segurou eom segn da buche, e afina! escor-
ro u-a.
Ihe tinba confiado A annunciante,acienlifiea ao mes-
mo Sr. padre Azevedo, que nio arrepie de sus pie-
tenrio de querer-se apossar dos bens da annunciaate;
porque pretende que o Sr. padre no tribunal compe-
tente recoba o castigo de suas iniquidades. A annunci-
ante est promptsaprovar ludo quanto ha dito doSr, pi-
dre Antonio Pereira de Arevedo e dosafia-o para qua
chame a rrsponsabilidade.aK O procurador bailaoli,
Joaquim Franciico de Albuquerqui Santiago.
= Precisa-se de um ofilcial de charuteiro ; ns rus
da P'iia. becco do Carioca.
= No dia 17 do corrente mez, perdeo-se, desde o
Afogado at o tuquia urna patrona pequea cos-
iendo urna cdula de IOOjOOO rs. branca, porm fal-
sa com urna assignalura do verso Araujo, <
mais 45s' rs. em redulas, que nio bi certeza em que
notas: quem ss perdeo be um pobre bomemsobrecarra-
gado de familia, e que veio buscar um frele no Recife:
quem as acbou, querondo restituir, dirija-se n Croco-
Pontss, n.7l, que so gratificar com 20j rs., ficando
tambem com os 454 rs ; poiis se quer a de cero, psrso
pobre bomem a nio pagar como boa a quem a manda-
va para esti prar;a em pagamento, aonde (oi rejeitads.
= Aluga-se, na ra da Cadeia-Velba do Recife, 1,
16, o primeiro andar, para escritorio e armazem ni
mesma, com a frente para a ra da Senzalla -Velbs.
=0flerece se urna mulher para ama de urna can di
bomem lolleiro, que sabe engommar, o fuer todi
qualidade de comida: quem desta rnulhei precisar,
dirija-se ao becco do Ateite-de-Peixe, cesa, n. 14.
ea derf
Obedeeerei.
Mesle uessno instante P
Sito.
Suia hesitar? .
Sena Jieailar.
Todos os (risica habitantes da exquisita morada o fi-
lavJo'em silencio, que s o ciciar do vento pelai arca-
das rotas perturbara.
A pistola est rsrregads, disse imrassicel o desco-
nhecido.
Ests bem cerlo disso P perguntou o presidente.
Um sorrisn passou pelos labius do recipiendario, que
lirn vareta, e doiiou-a oahir dentro do cano da arma
onde ficou duas pollcgadas fura.
O prosidenle inclinou-se ero signal de que eslava
convencido.
Sim, disse ello, esl cora effeito carrejada e bem
carregada.
Que devo faier disto ? pergunanu o. desconhecido
rina-a.
Armou o desconhecido 1 pistola, e no meio do pro-
fundo silencio, que oooinpanhaca os intervalos do dia-
logo, ouvio-se o estalo d co.
Agora, disse o presidente, applica a bocea da pis-
tola a tiu testa. '
O recipiendario obedeceo stmliositar.
O silencio da a,embica lornou-se ainda roaia profun-
do ; aa lampadas corno que mpalledeirio, o eases
phaiitasmas cro verdaderamente phantaamas, pois que
nio respiraviu.
aos roais inconteiilaveis, pois quo algumas vuses gri-
tarlo :
Fogo! disae o presidente.
O galilho muveo-se, a podra faiscou no fusil; mas s
ardeo a escurra, e uenhura rstrondo acunipanhou a
eplicmera chamma.
Qoasi lodo, h peitei sollirio um grito do admira-
clo, e o presidente, por um incvimeiilu iiialinctivo, es.
tendeo a mao au desconliuoido.
tas oo ero aero duvida auflicieolea duai provaa
O punhsl, o punlial!
Vos o exigisP perguntou o presidente.
Sim, o punhal, o punlial replicarlo as meirnli
vozes.
Traaei, pois, o punhal, disse o presidente.
He oscusado, disse o desoonhcr.ido, moneando 1
eabeea ero ar de desdero.
Como he recusado I exclamen a assosnbja.
Siro, he esculido, replioou o recipiendario coa
voz, que robria todas as nutras, porque perdis aa
lempo precioso.
Que he o que alai diseis ? exclatnoii o presidente,
Digo, que aci todos os vossoa segredos, que ealas
provas, por que me fazeis pasear, so brinooa de crianess,
indignos de oceupsf jror um unanle a hoincus seriei-
Digo, que esse individuo ssassinido nao morreo; di-
go, que eaic singue, que Ubi, era vinho, dequeesisvs
cheio um odro aohatadn sobre o pcito e escondido sol
os vestidos deaie suppuslo condeinnado ; digo, que
plvora e bala dessa pistola oaiiirio pal uro vio da Bure-
ara, por ruciu de nina mola, que se mote, ao armar-la
ocio. Gardai, pois, a vossa arma impotente, ba par
aasuelar poltrooe. Ergue-tc cad-ver luoiiliresu, lo ni*
siiie.li nntarji o vario forle.
Um grito lerrivel ao levantou, c fea retiir as alia-
ba daa.
Tu condenes os uossos misterios, braduu o/**''*
denlo ; enliutens espirito vidente, ou s nin (raid"'-
Quem tu ? pergunlrio unisonas iresenias ce-
ses, 10 mesmo lempo que violo espadas brilhaviu "'
mos dos plianlasnins mais prximos, e vinillo, per 11W
movimciUo regular, como de urna exercitada ishalan-
ge, abaixar-so e reunir-so sobro o peilo do descunb*
trida.
lias elle, risonlio e sereno, crguendo a cabeca, k'"
loteando os cabellos deseiupoattya, catados s curo a fi-
la, quo Ihe haviio passado na fronte


- JosSosres de Arevedo, lente de lingos frsocere
do lycflo, tem abeilo ora sus casa, ra do Rangel, o.
59, segundo andar, um curto de puilosophia e oulro
do LiNGoA fiuncbza. As pessoas, quequizerem eiludar
uma ou outra deltas disciplinai podem dirigir-se a
indicada residencia, de rmnhia at a 9 borai, ede
tarde a qoalqaer bora.
-Precisa-so alugar um moleque ou negro feito,
que teja betn iotelligente e aein vicios, para o servico
externo de uma caa de pouca familia. Dirigir-se a ra
do Rangel, n. 59, segundo andar.
= Preeiia-se de uma ama secce, de bons coitumei,
que saiba coiiobar, tarar e engommar, para un-.a casa
de pouca familia. Dirigirle i ra do Rangel, o. 59,
segundo andar.
=Odoutorem medicina, Cosme de Si Pereira, eit
morando no bairro do Recife, ra da Cruz, n, 49;
d'onde oflerece o servico de tua profissio, Unto aquel-
lai penoai, que podem gratifica -lo, como aquellas, que
sao diinaa do caridade. Estar em casa, pela msnhia
ati1 as 9 boras, e pela Urde, das 3 em diante.
=Offerece-se um bomem portuguez, para feitor de
qualquer sitio perto desta praca; do que tem muita
pratica : quem o pretender, annuncie por esta folba,
ou dirija-se a ra da Cruz do Reeife, n. 46
= O abaizo assignado faz publico,principalmente ao
commercio, que a firma garante de leu negocio ser, da
data deste em diante, de Brito & Arantes.
Jote l.uiz de Brito.
Precsate de 900,000 rs. a uros dando-se se
goraoQa a contento : na ra da S. -Cruz, n. 66 dai
9 at as tO boras da manliaa.
Offerece-se uma parda para ama de um bomem
soltciro ou easado com pouca lamilla ; a qual tem
muita pratica : quem de teu prestimo iu quizer til i
ar, dirija-sea ra dos Guararapes, em Fra-de-Por-
tai o. 59 ou annuncie.
as Manoel Jos Fernandos Barros, escrivio do uizo
de paz e da subdelegada da freguezia de S. Fr. Pedro
Goneslves mudou sua residencia para a ra da Crui,
o. 48, segando andar.
= O Sr. Antonio Pereira Machado, com venda na
Crui-de-Almas queira ir ou mandar atrs do tbeatro
velho armazem de taimas de piobo a negocio.
Fazem-se chapeos para se-
nhora e meninas, bem fetos e do
ultimo gosto e tambem touca-
dinhos para meninas; na ra do
Cabug, loja n. 6.
Furtario, da casa do abaizo asiignaJo, nodia 28
do correte, um relogio borizontal, de prota.com uma
correte de ouro de le, do 3 a 4 oitsvas: roga-ie a to-
da pctsoa.a quem fr oflerecido o dito relogi >,ou a cor-
rente, baja de apprende-lo e traze-lo a cala do abaizo
aisigoado, que prometa : uardar legre lo, o dar de
gratificacao 30,000 rs., as Cinco-Pontai, n. 21.
Franciico Tavnrtt Corrtia.
=aQuem precisar de um rapaz portugus, para cai-
zeiro de loja de fazenda ou de outra qualquer arruma-
eio, o qual di fiador a sua conducta, dirija-se a ra da
Iravessa das Cruzes. n. 14. -
Desappareceo da casa de Arsenio Fortunato da
Silva, no Hospicio, n. 4, um cachorrinbe capado, todo
preto, com uma pequea malba branca no peito, ore-
ihaicortadat, d raca ingleza : quem o achar e quizer
restituir, dirija-ie a dita casa, ou no Recife defronte do
Corpo-Santo, n. 11, que ter generosamente gra-
tificado.
= Aluga-se uma boa casa terrea, com grande quin-
til, plantado de horlalice, parreiras, figueiras, romeiras
emuilaioutrai simes, no principio da estrada dosA-
flictos, so p do Manguinho ; uma outra casa com so-
lio corrido, muito alegre o fresca, por ter 4 janellas de
vidries, no becco do Serigado : trata-se ns ra da Ca-
deia do Recife, n. 25.
= Arreoda-se um sitio a margem do rio Capibari-
be, oo lugar da Capuoga, com estribara para quatro
cavallos, coxeira, Loa caa, frente murada o ezcellenle
binho : na ra do Rangel, n.59, priiueiro andar.
= Oflerece-ie una-parda para ama do casa; a qual
libe co/inbar, engommar e fazer lodo o mais servico de
uma casa de portas dentro: ns ra do Codorniz, n. 16.
segundo andar.
= Aluga-se uma casa terrea com tres quarlos e so-
lio, no pateo de S.-Pedro, com porlio para a ra do
Horlas: traU-se no paleo do Carmo, sobrado de um
ndar.n. 16.
= Arrenda-se a casa n. 84, naroaVelba do luir-
roda Boa-Vista, com tres qusrtos, duaa salas, corinb*
furo, e bom quintal, com cacimba de muito boa agoa :
a fallar com Bernardino Francisco de Araujo Campos,
na venda da ra ostreita do Horario, n. 47.
= Na ra doQueimado o. 8, cose-se, engomma-
se e lava-se com asseio e promptidio por preco enm-
moJo.
= Na ra Nova, loja' o. 58, se dir quem di 70,s
rs. a premio, sobre pen boros de ouro prsta. ou hypo-
Ibecs em casa terrea. Na mesma loja compia-se uma
pedra de tocar ouro, qu seja bos.
CDULAS BRANCAS DE 2*000 ris.
Na esquina do I trmenlo, loja de 6 portas,
recebem-se cdulas brancas de 2000 rs. sem descon-
t s troco de hiendas.
Ds-se 1,190 rs. a juros de um e meio por cen-
to por lempo de um anno com bypotbeea em pre-
dio nesta cidade livre e desembarazado : oo prioci
pi do Alerro-doi- Afogados, o. 25.
=A Sra. D. Anna Mara dos Panos queira mandar
recebor uma carta, vinda do Maranbfo na ra do Vi-
gario, n. 25, primeirnandar.
Precisa-se de trabalhadores de eniada, para um
silio : quem se propozer, dirija se rus do Collegio,
n 15, primeiro andar.
=Perdoo se um cscripto de venda de ferrsmentas,
motis e mais utensilios, cujo papel he asignado por
Eduardo Hadiene, como vendedor, e reconbecdo pe-
lo labelliio, e sellado com o sello nacional : roga-se
a pessos, que o tenba acbado, de leva lo ao paleo da
matriz de Santo-Antonio, n 2, ou annunciar sua mo-
rada, para ser procursds; pois o dito papel nio tem
valimentn senio psrs o seo dono Henrique Barlbo-
lomeo.
as* Ha pretoa para alugar para todo servico na
ra Nova, n. 52, primeiro andar.
= Deieja-ie fallar com o berdeiroi do eapito-mor
Antonio Jos Soulo, a negocio de seu interosse : na
ra do Rangel, n. 17.
Compras.
= Comprs-se um cabrinbs, de idade de 10 a 12 u-
os, por oome Manoel, o qual veio do Aracaty paia
ser vendido : na ra Direita, n. 121.
= Comprio-se escravos de ambos os sesos com
liabiiidadis ou sem ellas; tendo bonitas (guias,
pagio-sebem : na rus Nova, loja de lerragens, n 16
= Comprio-ie eicravos de ambos osseos, do 14
a 20 annos com habilidades ou sem ellas ; sendo
de bonitas figuras, psgio-se bem : na ra das Cruzes,
n. 22, segundo sodar.
asa Compra-se um metbodo de piano, anda sendo
em meio uso; na ra da Senialla-Velba, n. 40, ou an-
nuncie.
Comprio-se 3 escrava, de 20 a 30 annos ; pa-
o-se bem : na ra da Florentina n. 34.
= Comprio-se duas escrsvss, uma que seja perfeita
coitureira e engommadeira, e outra ptima engomma-
deira e cozinheira afiancando-se serem sem vicios,
nem molestiss, pelo que se pagano bem : no Atorro-
da-Boa-Villa, n. 36.
Compra-se uma escravs, que tenha leitop.ua
criar, sendo aioda moca e de bons costuines: ns ra do
Hospicio, n. 26.
s Compra-se um par de dragonas deofficial supe-
rior, tendo novas e de gosto moderno : snnuncie.
- Compra-se uns canoa de carreira de bom U-
manho e de um s pi ; na ra da Cadeia do Re-
cife loja de Manoel Gomes da Silva.
= CompiSo-te efectivamente diarios, novot e \e-
Ihos, a 3500 n. a arroba ; na ra larga do lio/ario
acougue n. 38.
Vendas.

Ajo um quiwm, disse elle, eutou qium iou.
I', Ianc.uu un olhoa iubr a murallin liumjii.i, que ea-
trellaiDenle o cercava.
Au aeu olhar dominador, ni espadas te bailarlo por
iiiuviroentos desiguaes, conformo (> que u dotconhecidu
abata oom eiieiillmr, cedan inilnnlaiieainenle a un in-
fluencia, ou pmcuravAu combale-la.
Tu pronunciaste nina pnlavra imprudente, diste o
presidente, e o iealo tem duvida, porqoo llio nio co-
uheers o alcance.
O eatrangoiru wonuou, lorrindo, a cabera.
Reapondi o que devin responder, disse ell?.
Donde vena tu cutio? perguntou o presidente.
Verfhu do pas, dundo vciu a lu.
Mus as nunsas instrueces amwnciio, que venida
Suecia.
Quem vem dn Suecia podo vir do Oriente, repli-
ouu o eslrangeiro.
Pcli SCgulld: ci, lla iliu iu uoll'uouaiuoa. Quejo
a lo?
.~~ Queiu en iou...... V.i l, replicn o desconliecidu
dir vo-liei logo, pon que finga nio roe oumprebtmdcr;
porm quero diier-vus SU tea ujuem aoil vos.
Oa pimisimas estremecerlo, e ae espadas chocrio-
ae urnas naa outrai, tu passarem as da eaquerda para
a direita, e ao elevarera-aa 4 altura do peito do dcsco-
ubecido.
Sejaa o primeiro, proaeguio o oilroogoiro, esten-
deudn a mo para o presidente, tu, que mo fallaa, tu,
que le eres nm deo*, e que nao es mais que um preour-
sr, tu, representante dos oiroulos lceos ; dir-le-hei o
leu nomo, para nio precisar diter-le o dos outros :
Swedenborg, os anjea, quo comtigo convenio fauili-
armente,nio lo revelrio, quo aquelle, que esperava,
-*e linvia |miiio oominlio?
He verdade, responden u presdeme, descobrindu
um moco o roslo para tr melbur a quera astiia Iho
tllva, olles ni'o disserlo.
=Vende-se um bonito moleque de naci de 12 a
14 annoi proprio para p geni ou officio : na rus
larga do Rozario n. 2, pjimeiro andar.
Vende-se superior rsp da fabrica de Jo&o Pinto
Cordeiro, no Rio-de Janeiro : a rus da Crur, o. 60.
Cal virgem.
Veodem-se ancoras com a mais superior e mais
nova cal virgem de Lisboa que temos no morcado ,
por preco mais commodo do que em outra qualquer
parte : na ra da Cadeia loja n. 50 confronte a ra
da Hadre-de-Deoi.
E aquelle, quo levantava u sudario contra todoa os ri-
tos e usos da eociedado, moslrava, ao descobrir-se, o
roslo venorando e a barba encanecida de um ancilo de
oilcuta annoa.
Bem. replioou o eslrangeiro; agora, tua eaquer-
da est o representante do crculo inglez, que iireeide
loja da Calcedonia ; vivei, milnrd ; ao n sanguo do vosao
ar reviver ero vos, pode a Inglaterra esperar, quo a
uteitiucla aeaccendade novo.
As espadaa abaiirlo-ee; a prnpurciu quo dcsapparc-
cia a colora, rnanifostava-so o caparlo.
Ab aoia va, capitn, conliiiuou o desconliecidu,
dirigindo-se ao ultimu elide, collocadn esquerda du
presidente ; ero que porto denostes vossu bello na-
vio, a que queris cuino a una amanto ? lio uma rica
fragata a Providencia, nio be assim ? e tem um nume,
que far felit America?
Dcpoia, vollando-so para o que ficava direita do
presdante :
Seja agora a la ves, diste el[e, propbela de Zu-
ricb, ora vamos, encara commigo, Iu, que leus levado
i adivinliacn n sciencia physiugnoiuica, o diic em al-
ia vos, se, pelas liuliaa du mou roslo, nio rccunlicccs u
lestemunho da minlia miasio.
Aquelle, a quem istu ao diriga, recuou nm paaso.
Vaiooa la, conliiiuoii ello, dirigindo-se au aeu vi-
linho, vamos la, desccndcnle de Pelagiu, Irala-ao de ex-
pellir segunda vos ua Muurua da Heepanha, ao oa Caile-
Ihanoa nio perderlo para sempre a capada du Cid.
O quinto chelo ricuu mudo o imuiovcl ; dissercis, que
a do descoiilieoidu o bavia transformado em pedra.
E a mi in, acudi [o sai lo cliefc, a tal hondo as pa-
lavraa du doseonliecido, que pareca eequcc-lo, nada
leus que mo diior ?
Sun, por certo, reapondeo o viajante, fizando nci-
lu um desses otilares investigadores, que revulvem- o
coracSe, situ, pur ccrlu : tenbo a diter-le o qie Jess
dase a Judas, e logo i'u direi.
fe
Voodo se cobre psrs forrar navios; em cssa de
Me. Calmont &Compsnhis na pracs do Corpo-Ssn-
to, n. 11.
- Venderse marmelada ; na
ra da Praia, n. 24.
Vendom-se ricos bicos finos, do linho ; chales ;
lencos ; luvas ; meias de seda para lenhora ; lenroi de
seda para grvalas do melhor gosto ; luva para bo-
mem ; chapcot do sol, do soda ; chicotes; bengalas;
meias de algodio para bomem oiulher e meninas de
toda ai idades ; lnhas de 200 jardas carreles gran-
des* polka; cha hysson do mai superior, que ba
neste mereado ; e outras muiUs miudetas e queoqui-
Iberias por bsratos precos i na praca da lodependen-
dencia loja n. 39.
Vende-ie a loja o. 78 do Aterro-da-Boa -Vista ,
a praso com seituranca com msior ou menor por-
fo de quenquilberiss ; ns praca da Independencia ,
n. 39.
= Vendem-se bolfle deduraqoe ; ditoi de vellu-
do; ditoi de selim ; ditos de sarja para casaca a 260
rs. a alintuadura; ditos amarellos para cavallaria; ditos
para allendega ; ditos de Pedro II ; ditos liaos para di-
versos fsrdsmentos; ditos amarellos para casseas dos
melhores mjelos ; ditos de osso para lardamento de
tropa de linha a 110 rs. a groza ; um completo sor-
timento deaviamentos para fazer chapeos de senhora ;
papel dourado e prateado ; um sortimenlo de estam-
pas de santos, em lumo e coloridas por mais bara-
to preco quo em outra qualquer parte ; bicos e rendas
de diversas larguras ; bonetes psrs meninos, de gos-
to moderno ; facas e garfos de cabo de viado a j rs.
a du'ia : na ruadoCabugi, loja de miuderai n. 1 ,
de Francisco Jusquim Duarte.
= Na ra do Rangel n. it, simia ba para ven-
der uma corrente para senbors ; 2 ditas psrs bomem ;
relogios ; annelSe; trsocelini; cordOei; botoes; brin-
cos ; I gargantilha ; 2 estrellas para official; e outras
muitas obars de ouro de goslo.
Vende-se ums pretade boa figura ssdis e sem
vicio slgum cose cbio, lava bem de sabio e cozi-
nha alguma cousa ; na ra da Cruz n. 3.
Vendem-se 20 acedes da companhia de Beberibe,
pelas entradas ( 70 por cenlo ) ; na iravessa do Ve-
ras n. 15.
Vende-se aarma quea porcao de fazendas, da
bem conbecida loja da esquina do Livramento n. 1 :
a tratar com o llurgos.
Vende-se, a boido do hergantim
Independente, sebo em rama e carne
nova muito superior, por preso ba-
tato.
Vende-se 5 moleques, de 12 a H annos, dun ne-
gras de 18 a 20 annos, cuas mulatas da mesma idade,
coslureiras, enguinma deiras, corinheias e lavadeiras,
quatro pretos, sendo tres de 20 s 22 annos, e um de
30 annos pouco msii ou menos, todos du muilo boaa
figuras : na ra da Cedis do bairro de Santo-Anto-
nio, n. 25.
=Vendem-se lernos de litros em branco, igualmente
um ebronometro do melhor autor de Londres: na rus
da Cruz, n 13, 1." andar, escriplorio de Hidguay Ja
mison & C.
Vende-se uma prels de 20 annos, de bonita
figura ; uma dita, de meia idade que corinba o dia-
rio de urna casa, e he quilandcira ; um prelo de
meia ilade por 180,000 is. ; um cabrinha de 7 a
8 snnos ; um mu'alinbo, de 12 a 1 i annos, de bo-
nita figura para pagem : na rus da Concordia pas-
sandoa polezinba a direita segunda casa terrea.
= Cbegou, ha poucos das, uma poreao do bem
acreditado rap princeza Novo-Lisboa : e porque sa-
bio ainda mais superior do quo o aulecedente por
isso avisa-se sos freguezes, que se acha a venda no Re-
cife :ra da CadeiB, as lojas dos Srs. Vaz & liorges,
Cunba'di Amorm Moraes, JosCarloi Ferreira Soa-
les Jnior, e Joio da Cunba Magalhaes: ra do Cres-
po Antonio Domingos Ferreira : ra dos t^&arle'.s ,
Victorino &Guimaraes o Victorino de Castro Mou-
ro : Atcrro-ds-Boa Mala Tbomsz Pereira de Mal
tos Eslima.
Vendem-se G pretas mocas uma das quaes en-
gomis, corintia e cose e2 de trabalbo de campo ; 2
prelos, do meia idade por commodo preco ; um mo-
leque bom cozinlieiro ; uma prela, para (ora da pro-
vincia : no paleo da Matriz, n. 4.

= Vende-se uma cscrava crioula de 26 annos
com uma cria de 14 mezes e j desmamada, de bonita
figura ; a prets engnmma cose ebio cozinhs e lava
de sabio ; uma dita de nsgio Angola de 30 annos,
com as mesmas habilidades : na ra das Cruzes, n, 22,
segundo andar.
3= Vende-se um bsnbeiro frsncez d' se tomar bs-
nho a ebuva obra muito,bem feita ; um Uizo grande
para refinscio ; um moleque, de 14 snnos: na Soleda-
de, padaria n. 14.
= Vende-se um psr de adragonss riess para offi-
cial superior da guarda nacional; na ra da Cadeia do
Recife loja o. 58, de Seve & Irmio.
Vendem-se ricos cortes de vestidos
de barra a o gosto da rainha Victoria ,
e ultima moda da Inglaterra ; na ra da
Cadeia, loja n. 5o confronte a ra da
Madi e-de-Dos.
Veode-se um quartio capado ; uma prets boa
cozinheira engommadeira e eosaboadeiri: oa ra
estrella do Rosario, venda o. 1.
Chales escocezes ,
Cssc, a quem se diriga, tornon-se mais branco quo n
niorlalfia, emquanto um murmurio geral como quo pe-
din explicocio au recipiendario dessa estranha aecu-
sa?Jo.
_ Tu esquoces o representante dn Franca, dase u
presidente.
Esso nao est enlre nos, responden altivo n es-
trangeiru, o tu bem o anbes, tu, quo tallas poisquunlii
est sna cadeira desoecupada. Agora, lembra-le, queos
artificios faiein sorrir aquelle, que v naa trevas, que
obra a deapoilo dos elementos, e que vive aperar da
inorte.
Tu es moco, replicn o presidente, o fallas aulo-
rativo como um dos.Reflecte Lem, por tua ves, que
a audacia s asaombia oa huinens irresolutos uu igno-
rantes.
Um sorriso de supremo desdein rocou oa labios do
estrangoiru.
Vos sois todos irresolutos, disso elle, pois uadu
podcia sobre uiim ; soia lodos iguursnles, pois quo nio
sabis quero en iou ; quando ou, pelo contrario, le
quem soia ; conseguira, porlanlu, u quo uuiesse de
vos s eoro a audacia ; mas de quo servo a audacia o-
quelle, que he lodu poderoso ?
Vejamos a prova dcase poder, dase o presidente,
a prova d-no-la.
Quem voa convucou? perguntou o desconliecidu,
passandu do papel de interrogado au de inlcrrugadur.
O circulo supremo.
N.io fui icio alguui fim, disae o eslrangeiro, vol-
lando-se para o presidente e para os cinco cliefes, que
vieates aqu, vos da Suecia, vos de Londres, va de
New-Yoik, va de Zuricli, va de Madrid, tos de Var-
auvia, va todos cmfim, cunlinuou elle, dirigindu-ae
mullid iu, das quatro parles do inundo, para vus reu-
nirdca no santulario da le terrivel.
Nao, sem duvida, respundeu o presidente, nos
vimos ao encontr daquelle, que fundou um imperio
m y tierioso no Oriente, quo reuni os dous liemisphe.
a 240 ris.
Na loja n. 3, do barateiro da ra do Crespo ao p
do arco de S.-Antonio vendem-se chales escocezes ,
laienda inteiramenle nova e do ultimo gosto, eom
quadroi de diversas cures o outros de um lavror ada-
mascado, que apparentemente finge seda, ou touquim,
por cujo motivo se lornio recommendeveis ss senhoras
em geral. Dio-se amostras drissodo o competente
peobor.
Vende-se ums morada de casa com muitos oom-
modos para grande familia, dous bons quinlaes, um
murado com bastantes arvoredos de fructo, estribara
para tres cavallos, e passs o rio no fundo ds casa, na
povna(io de Beberibe ; oulrs ns rus ds Alegra da
Bos-v iita ; nutra ao p da traveisa do Veras na Boa-
Vista ; una parte de um sobrado no pateo do Carmo ;
quarenta sccSes da companhia do eocaoamento daa a-
goss, teodo-se ji entrado com 70 por cento ; tudo por
preco commodo, idinheirooua prazo, por seu dono
ter de retirar-se : na ra do Rossrio estreita, no segun-
d > andar do sobrado, n. 17, do Sr. Jos Domiogos No-
ves, ou ns ra do Queimado, na loja de lerragens, do
Sr. Cordeiro.
= Vendem-io 4 escravas moess com boas habili-
dades ; uma moleca de 16 annos, que be recolhida ,
cose engomms, ecozinba; uma parda de 25 so-
nos ; uma dita de 20 annoa boa mucama cose,
engomma ecozinba ; 6 escravos bons para o trabalbo
de campo e praca ; um moleque de 12 annos, mui-
lo ladioo : na ra do Crespo, n. 10, primeiro an-
dar.
Vndese cal virgem em meias bsrricss che-
gads prozimamento por preco commodo ; oa ra da
Mee a, armazem n. 15.
= vendem-se, na livraria da rus do Crespo, n. 11,
1 diccionario classico de portugus para lalim; 1 com-
pendio do Uireito Naluial por Zeiler; Pritneiros Ele-
mentos Praticos do Foro Civil; Horas Marianas, rica en-
cadernacio, os Puritanos da Escocia, 4 voluntes, 3| rs.;
o novo Compadre Matlieu.t, 3 volumes, I i280 rs.; car-
ies do papa Clemente, 6 volumes, 4 rs.; 3*,e 4," volu-
mes do Panorama do 1839 e de 1840, por Ai rs es-
da um
= Na ra do Caldeireiro, o. 82, vendem se bsrri-
(inas de seda fina, para ofliciaes de guarda oaciooal,
com apperelbos ricos, por 224 rs.; ditas para ofliciaes
de polica, por l.V> rs.; dilas sem apparelbo a 4j rs.;
ditas de oleado a ;ts rs.; assim como oulros qusesquer
objeetos, perlencenles a oflicina decbapeleiro.
\ ei iie se iimu pnrelha de embonos de sedro, bs-
tanle seceos, para qualquer barraca, tendo 62 palmos
de comprido e 6 '/ de grossurs : etn Fia-de-l'ortu,
casa ne Caipar Jos dos Res.
A's bellas Pernambucanas.
A' leja de Antonio Luis dos Sanios &Compiohs ,
na tua do Crespo, n 11, acaba de ebegar um grande e
lindo sorlioiento de CBmbraias para vestidos intitula-
bas ~ I ellas pernamhucaoas ,as melhore e mais mo-
dernas, que teem vindo a eita praca; ai quaes loroio-se
recommcndsveis, nio s pelo seu subido e variado gos-
to, como pela lindeza e fizidade das tintas. Na mesma
loja vendem-se ricoi cortei de seda, proprios para noi-
vsi, sar|ss bespaobolas, setioi impenaes, msotss, chs-
les e outros muitos objeetos recem-chegsdos.
.--waani'^awaBaaHBHiinai la...........lwamsms
ros em uma cuminunidade de crencae, que entrelacuu
as mios frntcrnaa do genero humano.
Ha alguin aignal oerto, pelo qual puaaaia reoo-
nbec-lo?
Si ni, disse o presidente, e Deoa dignoa-ae deaoo-
brir-m'o, por intermedio dos seua anjos.
Enlio, s va conheeeia este aignal ?
S eu o eonheco.
A' iiinguero revelaates este aignal ?
A' ninguem do mundo.
iieio-o em alia vo.
O presidente boaitou.
iiei, repeli o ealrangeiro, era tom de quena
mnndava, disoi; porque he chegado o lempo da reve-
lJo.
Ha de traser sobre o peito. disse o chefe supremo,
urna placa de diamante, anbre aquel brilhar6 as trae
primeiraalcllraa de uma divisa, s delle conbecida.
Quaes sio easaa tres letlraa ?
L. P. D. ,. ,
Abri o eslrangeiro rpidamente o gilao o o col-
ele, o aobre a camaa de fina cambraia appareceo, rca-
plaodeoeute como um foco de luios, a placa de diaman-
te, aobre a qual relampejavio aa Iree letlraa de rubia.
BLLE! ezclamou, aisuslado o presidente; aerta
oll8? .
__Aquello, que o mundo espera i diaaerao anoioaoa
oa ebefes.
_ O grando Copina ? mormurarlo Irsaentaa vosea.
Ora bem exolamon o eatrangeiro con ares de
triumplio, acreditar mc-heis agora, quando vosea re-
petir pela segunda vea : Eu son quera sou ?
Sun, disserio os plianlasmas, proitraudu-se.
Fallai, mestre, diaseru o presidenta e os cinco
ebefes, com a fronte inclinada para a trra fallai,
na obedeceremos.
(Cesaiisnar-aa-fca^


^
i
I
1
__ Vende-se azeite doce pira lu, melhor e tnai
barato do que o de eoco ; e azeite dooe fino em gsr-
raf5e$ do 25 garrafal: no deposito de azeite de cirn-
pato na ra da Seozalla-Velha n. 110.
Vende-se ceri em tela do Rio-de-Janeiro lor-
tioiento completo de 1 a 16 em libVa em caitas e
as libra*, a vootade do comprador: na ra da Senzal-
h-Velha, n. 110, irmareiu de Alies Vianna.
POTASSA.
Vende-se superior potassa da Riissia ,
em Larris pequeos ; cal virgem de Lis-
boa, da roais nova, que ha no mercado ,
por pretjo muito commodo ; tambem se
vende um reslo de potassa da safra pas-
sada inuilo barato : na ra do Trapi-
che armazem n. 17.
Vcndem-se prcgos ame-
ricanos, 11. 4, novos, em bar-
ricas na ra do Trapiche ,
11.8.
N. 40, ra do Trapiche um cbronomelro para
navio de Londre perfeilo e roui bem regulado;
relogios de ouro patente ioglez muito boos e bara-
to! ; correntinhas de ouro padrSo as Principe Al-
berto.
-* Vcndem-se esleirs da In-
dia, para forrar salas; fio por*
rel, lino: na ra do Trapi-
che, n. .
n Vinhode Tenerife, em barris de ezcellente
qualidade ; cerveja branca e preta a melhor que ha
as Barclay & Coinpinbii em porcio, ou a retalho ; e
fio de tapateiro por preco commodo: vende-se na
ra du Trapiche n. 40.
Farinha SS8F,
da melhor qualidadc, e a ulti-
ma chegada a este mercado;
vende-se em porcoes grandes
ou pequeas : a tratar com
15c. Calmont & Companhia ,
ou com I. J. Tasso Jnior.
as Vi'ndein-se uioendaa de ferro para engenuos de
ssuctr, para vapor agoa e beatas de diversos tima-
nboi por preco commodo ; e igualmente laixas de
ferro cnado e batido de todos os tamanbos : aa jpta-
5a do Corpo Santo n. 11, em casa de Me. Calmont &
Companbia ou na ra de Apollo armazem, n. 6.
Vcndem-se taboas de p-
ubo, a 40 rs. o pe e receben-
do-se em pagamento cdulas
brancas de 2000 rs.; atrs do
theatro.
aWBM
Vende-se na ra da Cruz, n.
6o, cera em velas, chegadaltima-
mente do lAio-de-Janciro, de urna
das melhores fabricas, em caixas
pequeas
de 3 a G em libra e
por preco mais commodo do que !
H em ontra qualquer parte.
.Vi ra do Crespo n. 12, loja
nova de Jos Joaquim
da Silva Hf aia ,
vende-se um novo sorlimenlo de vestidos para senhora,
da rica lazeoda chamada indianna ; a qual alm de
ser de cores escuraa, tintas fizas, e ricos gottos tem
um lecido que finge ser de seda e o seu diminuto
preco he de 3000 rs. cada corte ; bem como tambem
da faienda victoria a 4000 is. cada coite ; os quaes
ollerecem as mesmas vantagena aos compradores, por
serem escuros e por isso se turnio recommendaveis
para a presente eslaeao: igualmente um rico sorlimen-
lo de cssimiras para calcas ; chitas para vestidos; e ou-
tras mitas fazendas que serio presentes e se ven-
ders por presos com modos.
Cassa da Suissa, a
240 ris o covado.
Na loja o 3, do baraleiro da ra do Crespo, ao p do
neo do S.-Antonio, vendem-se casias suissas, a doie
vinteos o covado. Esta fazenda be muito moderna no
paiz ; be lislrada em quadros, no ultimo totn : e, para
calar louvore, om vestido! imita qualquer iaminua ,
ou seda de alto preco e, alm diaso, he de cores muito
Gzaa. Os prctendeotes poden levar as amostras, d
lando o competente peobor.
Vende se vinho do Ulieno, iloch-
heitner, de superior qu'alidade em cai-
xas de duzia ; assim como vinho de Bor-
deaux de Madeira, e de Malaga, engar-
rafado j cerveja da Baviera perfeita-
mentc conservada : na ra da Cruz n.
lo, emeasa de K.alkmann&Roscnmund.
Aterro-da-Boa-Vista,loja n.I4,
vendem-se pannos pretos de superior qualidade e cor
fiza a 4 e 5600 rs. o covado ; merino, e 1920 e 0000
rs. o covado ; lencos de seda tanto para aenhora co-
mo par uonem pelo barato preco de 800 1600 e
2000 rs. ; ditos de cassa pintada e brancos a 200 ,
260 e 320 rs. ; chales de eicurcei, pequeos, a 600 rs.;
chitas escuras a 160. 200. 240 o 280 rg. ; ditas fran-
cezaa de 4 palmos de largura, a 360 rs. muito finas ;
brim de linho braoeo superior, a 1280 r. ; dito par-
do e cor de palha a 800. 900,1000 e 1200 rs. a
vara ; ditos de quadros e titiras, a 200, 240 e 320 rs.
o covado ; casimira de algodio dobrada a 500 rs.
o coi ado ; lia de superior gostu para calcas, a 480 rs.;
madapoln de 2800 at 6000 rs.; ,e fazenda groisa de
qualquer cor para roupa de pretos, por preco com-
modo.
z= Vende-se potassa branca de superior qualidade ,
em barris pequeos ; emeasa de Matbeui Austio &
Companhia na ra da Allandega-Velha, n. 36.
Cortes decambraia
a 2240 rs.
Na loja da ra do Crespo de Guimares Serafim
Companhia vendem-se cortes de vestidos de cambraia,
com 11 covados cada um a lele patacas. Esta fazen-
da be de um gosto moderno ; tem a ezcellente quali-
dade de nio desbotar e be muito barata: qualida-
de estas, que a tornio-assaz recommendavel aos com-
pradores : os pretendentes podem mandar pedir amos-
tran, que se der;5 sobre o competente peobor.
Heios chales de la e seda, a
1000 ris.
Na loja n. 5 da ra flo Crespo ao p do arco de
S.-Antonio vendem-se meios chales a dez tuildes
cada um lio de lia e seda e de padres muito bonitos;
da-se a amostra deizando o competente penhor.
liis pcllc do cliabo a 1440
rs. o corte.
Na loja n. 3 da ra do Crespo ao p do arco de
S.-Antonio, vende-se a bem conbicida fazenda pel-
lo do dialjo o corte a quatro patacas e meia. Esta fa-
zenda por ser lahricada de lia e algodio e ler um
corpo quasi de lona alm de ter una duracio admi-
ravel os podrOes imitio a casimira frauceza e as tin-
tas sio constihtemente'izii.
Tinta de escrever ,
a mais superior possive! ; vende-se na rus larga do Ro-
zario, n. 24.
Vcndc-sc um sitio
a margem do rio Capibaribe defronte do Sr. Fran-
cisco Antonio de liveira cum casa de vivenda dita
de fazer farinha com aviamentos eslribariu para 2 a
3 cavallos com ilues grandes latadas do columnas pa-
ra parreiras 2 pocos do goajde bebor. Todas estas
obras sio fritas'com tijolo e cal : e o sitio se ach todo
plantado de roca e mais outras lavonus com muitos
ps de frucleiras novas baina para capim que sus-
tenta 2 cavallos pelo verio. A tratar na travessa da
ra da Concordia sobrado de um andar n. o.
Vende-secera do Uio-de-Janeiro, sortida de bren-
daes at velas de dei em libra ; aires do cotpo Santo,
n.66.
m Vende-se urna obra de theologis moral, do Lu-
po Monte per 25 rs.; oulra dita do mesmo por
20 rs ; Historia Sacada por Uernardino Freir de
Figuciredo, 2 v. por 6* rs.; Mestre inglez por Cons-
tancio, 1 v. ,4000rs. ; dito por Jac, 4000 rs.; to-
das estm obras em bom estado ; papel de peso azul,
superior, a 4000 rs. a resma : dito ilmaco leguoda
sorle a 2400 rs. : na praca da Independencia loja
de livros, ni. 6 e 8.
Chales de lanzinha,
padres da rainha da Es-
cocia, a <#000 ris.
Na loja n. 3, do bsrateiro da ra do Crespo io p
do arco de S.-Antonio, vendem se chales de lanzi-
nha para aenhora padrn da rainha da Escocia ,
fazenda esta ioleiramenle nova e que se afianca nio
ter deleito algum, pelo mdico preco de 24 rs.; por cujo
motivo se torna merecedoia da concurrencia em geral.
Os pretendentes pudem mandar buscar as amostras,
que te Ibeadarid deizando o competente penhor.
Vende-se urna emoa aberta, quepegaem 1200 li-
jlos de alvenaria muito forte ; um preto de meia
idade proprio para engenho por entender de plin-
l ac es ; um par de rodas novas, propriss pira carroca
decngenbo: a tratar com Manuel Antonio da Silva
Motla na ra de Apollo tanque de agoa junto as
taitas de ferro.
=\ endem-se duas escrava urna dellas parda, de
15 a 16 annos, e a outra preta, de 20 innos de bo-
nitos figuras; ao comprador so dirao as habilidades:
na rui do Hispido n. 28.
ATTENQAO !
Vende-se rap de Lisboa, do
ultimo chegado, bem fresco ,
formidavel aroma, e boa cor.
>s tomantes que gosto da
boa pitada venho a ra da
Cadeia, loja n. 50, confronte a
ra da JVJadre-de Dos, que
se garante a boa qualidade.
Vende-se potassa da Rus
sia, verdadeira; na ra da
Cruz, n. 10, em casa de Kalk-
mann & Rosenmund
Vende-se urna machina de vapor ; urna dita de
fazer lijlos; urna serrtil vertical; um manojo ; a vis-
ta do comprador se far lodo o negocio: no Aterro-da-
Boa-Visli n.3.
__Vende-se urna esenva moca a ndi, boa cot-
nbtiri e livadeira eogorntua lisoe cose chao ; na ra
da Cadeia do Recife loja n. 67, de Seve& IrtnSo.
__Vende-se urna em terrea na ra di Gloria da
Boi-Viili em muito bom estado com 3 quirtoi ,
cojioba fra, quintal cimba e em chios proprios ;
nopateodaS.-Cruz, padaria n. 6. .
\ ende-se urna parda de 30 annos cozinba o
diario deumi cisi coiechio e lava bem de sabio e
varrella ; ni rui di Coneordii, passando i ponteti-
nhi a direita secunda ona terrea.
Potassa.
Venderse potassa americana,
muito nova, por ser prxima-
mente chegada, e cuja qualidade
he a melhor, que tem vindo, por
preco commodo : na ra da Ca-
deia do Recife, armazem n. 12 ,
de Baltar & Olivira.
LanZinha para Ves-
tidos, padres a nova Alhe-
nas, a 520 rs. o covado.
Na luja n. 3, do baraleiro da ra do Crespo ao
do arco de S. -Antonio vendem se lanzinhas para ves-
tidos padrdet escuros da nota Alhenas listrsdos de
varias cores, pataca o covido. Eata fazenda, sendo
moderna, he propria da presente estscio para sendo-
ra, be demasiadmente mdica no preco; pelo que
so torm assaz recommeodavel. As pessoii, que pre-
tenderen), dirijio-iB a dita loja, que se Ihel diriS ai
amostras, deizando o competente penhor.
Vende-se a venda da travesa dos Mirtyrios n.
8, com poucos fundos: a tratir ni meim venda.
Vende se a vend du Cinco-Punlis, n. 91 : a
tratar na estrada de Joao-Ferreira, n. 19 indo da So-
ledade para o Manguinbo.
= Vendem-se os seguintes esclavos cbegadoi do
Aricity: lendo 2 mulatinbos, de 6 innos; 1 mole-
leque de 7 innoi; 1 n.ulltinhi de 10 annos, com
prioeipio de costura ; 1 negrinha, de 7 annos; 1 par-
da, muito clara que cose e engomma ; 4 pretss de
16 a 20 annos, cum habilidades; 2 moleques de lt
annos ; 7 pretos e pardos de 20 u 25 annos, com
habilidades, ou sem ellas ; todos por preco commodo :
na ra da Cruz n. 51.
*0| u ifo| 'odsfljjop enj su : opoiuiuoo olud jod
opn) oiiii11 ap maquiai sodsuspunit sp simp oinn a
o)u iuiucIuioo op si)Jinb a svjb 9 uios euij o)iniu
' opeosuiu[> oqui| ep iq|90| aj auin eg-apua^
Os velhos tornando-se mocos.
as lojas da ra do Quei mido, ni 31e33, conli-
nua-sea vender sgoa de tingir cabellos e suissis. U me
(hopo de spplicir a dita agoa arompanha aosvidros.
Vendem-se os melhores couros de cabra, do Ara-
caty por preco commodu; na ra do Vigario, n. 25,
primeiro andar.
Na ra do Crespo, n. 8, loja de Campos & Maya,
vendem-se ricos cortes do cambraia de cores escurii ,
imitando seda i rainha Victoria a 5000 rs. ; asiim
cono lindoi corles de tarlatana bordada e de listrai
de cores fizendi di ultima moda pelo muito bin-
lo preco de 4000 rs. com 14 covados ; superiorea
coitcs de velludo muito modernos, a 3 e 6 rs.
Vende-se a armario da loja de miudezai nal
Cinco-Pontis n. 108: a tratir ni estrada de Joio-
Fcrreiri n. 19 indo di Soledide para o Mangui-
nbo.
-= Vende-se urna preti de 18 annos, de linda fi-
gura, cozinha engomma, lava e cose chao, ludo
com perfeirao propria pin casa de familia por ser
e boa conducta ; na ra do Collegio n. 3, segundo
andar.
Sarao as de cores
fixas a 160 rs. o covado
Na loja da esquina da ra do Cullegio de Guinria-
ries Serafim & Companhia vendem-se urnas chitai
noval com issentos escuros de soffrivel panno e co-
res lizas a meia pataca o covado. Esta especio de
cbta-sarai be di mesmi qualidade daquella, a que,
na Europa preferem para seu vestuario, a cria-
das da servir e is mulliere de mediocre fortuna : e
como a economa nio s 00 preco da fazenda como
oa duracio d'ella he quem determina esa preferen-
cia deve esti cbiti ler comprada pelas mucamas e
por aquellas das habitantes d'esti cidade, que, suppol-
lo nio sejio abastadas, lenbio todava ao aiseio o amor,
de que em geral sio dotadas. Dio-se amostras a quem
as pretender. Nt-sis mesma loja conLinua-se a ven-
der, a 800 rs. a vara, o ezcellente brim ,'rancez cor
de palba e pardo-escuro em cuja manufactura s fe
ompregou o mais puro e durivel linho; e bem asiim,
1 400 rs., lencos de gravatis, de cambraia, muito fi
nos; lencinhus de cambraia brancos com cercadura
aberta ; ditos pintadas de recorte ; e outroi com
barras de cores ; todos de cores fizas e proprios para
senhora e dos quaes darse-bao amostras urna vez
que doizem penbores os que af quizerem levar.
Vendem-se 5 casas
terreas, no Coelho sendo duis grandes, ni ra dos
Praieres fetss a moderna com duas salas urna al
cova 2 quartos, cozinhi fura quintal murado o ca-
cimba cada urna, e urna dellas tem um gnnde quin-
tal com mais de 20 ps de fructciris ja dindo ei-
tribirii pira 2 cavallos, can de pretos e letrina tudo
de pcdr* e cil; 3 ditas pequeas, ni rui do Jasuiim
cada umi com 2 salas 2 quartos cozinba, quintal
e cacimba ; todo por commodo pirco : na trivessi di
Concordia, subrado da um andar n. 5.
Vendem-se 2 bonilai eicrivn, da 18 a 20 an-
nos de todo o servico ; um dita, que cozinha muito
bem ensaboa e compra muito bem ; um bonito es-
crito, do lodo,o servico e quej be ganhador e multo
bom serridor ; um mulitinbo de 14 innos, muito
bonito proprio pin pigem ou cilicio ; urna preta
moca por 350 ri. : na ra larga uo notario
24, primeiro andir.
a Vende-se um firdimento completo para gDtr(1(
nacional do esquadrio contando 2 fardas barretin,
obsrretio, talrm, canana, pluma espada, eellicn ,
crrante; tudo em bom ettado por preco commodo
oa ra do Crespo loja ds esquina que volti p, j
ra das Crujes.
No va pelle do diabo,
a l#A0rs.
Ns loja ds esquinada ra do Collegio de Guian.
riei Sarifimi Companhia vendem-se cortes da Ci|.
cal, com 3 covadoi e meio de polla do diabo por
quitro pataoai e meii cida um. Comquinlo jolgue-tt
Jeineceasirio mencionar ai boas e ezcelleotes qm||.
dadei desti faienda .porque i primein por,0 qQa
dalla te vendeo oesti can e, ba lempos, foi anoui.
ciada neite Diario,assaz ai demomtrou, assevera-ieto.
davia aos compradores que a porcio que agori
recebeo-se, eicede em hondade a primeira, tem riico,
modernos, cores escuras consistencia e grotsuri
de lona ; e finge bem as modernas casimiras iraocetu
Dar-se-bioos cortes aamostra quem os pretender, um
vez que deize o competente penhor.
Vende-se una porcSo (le estacas
de qualidade com perlo de 25 palmos,
proprias para aterros ; na ra da Fio.
rentina, n. G.
Potassa branca,
da mais superior qualidade em
barricas pequeas, e desembarca-
cada no dia 30 de agosto prxi-
mo passado, venderse por pre-
co commodo : em casa de L. G,
Ferreira 8c C.
Superiores meri*
nes.
Na loja n. 3, do bariteiro da ra do Creipo, io p
do ireo do S.-Antonio, vendem se os melhores o mm
superiores mennes de duas lirgurn proprios pan
sobre-caucas a 4500 e 5000 ri. o cosido ; os quiu
pde-se, som contradigo nseverir terem os miissu-
periores ezistentei no mercido. Os pretendentes, qm
quizerem levar, ou mandar buscar as amostras, proma-
tamente se Iheidaro.
Vende-se um eicravo de 18 annos mm bow
principios de upiteiro sem vicioi nem ichiquei, ds
bonita figura com leu fardamento novo de pagem ; o
motivo di vend ; se dir io compridor: oa rus larga
do Hozario n. 39 primeiro indar, defronte di igse-
ji de 1 liora di tirde em diante.
Veude-se, com a coinmodidade di
se exigir smente o vista metade de seu
valor, e com a permuta de urna cm
terrea, por conta urna grande proprie-
dade com duas casas na frente exten-
s< quintal com arvoredos de fructo, con-
tendo todas as propotcSes para um gran-
de estabelecimento no centro desla ci-
dade tendo excellente porto de desem-
barque e nova frente para a ra do Sol,
que da terreno para outros 3 predios d
qo palmos de frente : a tratar na ra da
Florentina, n. 16.
Vende-se umi banda com borlas de ouro, e mi
espada priteidi, de roca : na ra Auguiti, casi non,
junto io ultimo dos sobrados de um indar que nsw
rui edifiira o Sr. Jos Mara Placido Magalhiis.
= Veode-ie larinlia de trigo, do muito boa quali-
dade om mein barricas cbegadi, bi poucos das:
em casa de L. G. Ferreira & Companhia.
Escravos Fgidos.
Fugio, no dii o de agento do inoo ;proiimo pr-
iado umi eicrava de nome Mireellim de ose*
Cabindi de 35 a 40 annoi pouco miii <">""*
Ita, migreirom can comprida mal fet de '
e que sio bastante graodei, com o furos dis orn
rasgadis nio de todo cabellos inda pretos,
enjorctda do corpo e meia binzeiri quindo ll
Pede-ie, por tanto a toda as autoridades, e meitooc
pitaes de cimpo de i mandaren) levar a i.u seo o .
ua rui larga do Bozario o. 24, primeiro andar, q
te pagara toda a despeza. ... ^
Fugo, da casa do abaizo aisigaado o "
Rio-Fcrmoso. no dis 27 de pssssJo, o prefo B*w*"
de naci Costa, alto, ps grandes e algum lano rae
doi, tilboi mi ficei .tendo de um lado d*""'
outro um deidontido oa frente falla 1,r*'e*"$(,
fanbosa ; julga-se ter ido para esta pri{i- "0o',"
quem o pegar, de levar ao abaizo issignado o
rui de S. -Biti-Nuvi n. 64 cisa de Jo*" m
Silva. =Joaquim Airts de Almtida Fretl**1 .
*= Fugio, do engenho Sicupeini um prelo c''
lo de 25 annos alto, pichla no andar,
empinadas denles ippiridoi < Recomoieodi-"
licii ios cipitlesde campo apprebaosio do ^
es rivo. Quem o pegar, leve ao dito engeobo ^
ra de Agoai-Verdes, n. 44, que lecebcra 60/ '
gratificafio.
PFRN. 1 M v TVP- DI U. F.W l)E FARI
A^,8<6


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3ZBOFZP9_ID64CJ INGEST_TIME 2013-04-27T00:13:01Z PACKAGE AA00011611_08385
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES