Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08375


This item is only available as the following downloads:


Full Text
s.
Anuo de 1846.
Sabbado 22
O DIARIO publict-se lodos os dias que n*o
forem de guarda: o preo da signatura he ris
4|t>00 rs. por quartcl, pagos ndianjados. Oj
aonuncios dos assicoantes sao inseridos a mo
e ?0 res por liaba,'40 ris en rypo difieren -
M, e ai repetioes pela metale. Os que nao fo-
rem astillantes pago 80 ris ^>or linda, e 160
em lyp9 dileronte.
PHASES DA LA NO HEZ DE AGOSTO.
l,u- cheia a 7 as 3 hora e 39 minutos da man.
Mingoantea 13 as 8 horas e 31 niiu. da Urde,
la nova a 21 as 0 horas e S mo. da larde.
Creseenle a 28 as 7 horas e 58 minutos da tarde.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna Paraliylu Segundas e Sextas reirs.
Mo lraode do Norte, chega as Quartas feiraa
ao meio dia e parta uas mesmai horas naj
Quintas feiras.
Cabo, Sertnhaom, Rio Formoso, Porto Calvo e
Macey, no l., It e 21 de oad mar.
Garauhuns Bonito a 10 e 2 i
Boa-Vista e Plores a 13 e 28.
Victoria uas Quintas feiras .
Olinda toos os dias.
_ PREAM\R DE HO-TS.
Prnneira as 5 horas oil minutos da manha.
Segunda as 5 horas e 42 minutos da tards.
a*
de
Agosto.
Anno XXII
N.
li.
DIAS DA SEMANA.
17 Segunda S. Mamcde au I. di J. dos orf. e
cloJ. do C..da2. v., do I H :1. 1. v.
18 Tere S. Crispo, nuil, do J. do civ. da I.
v., e do J. de pal do 2. dist. de t
10 Quarta S Mariaono, and. do J. do ct. da
2. y e do J. de par do 2 dist. de t.
20 Quinta S. Heanlo aud. do J.de orpli.io, e
do I, municipal da I. vara.
21 Sexta S Joauna aud. do 3. do civ. da I.
t. e do .1. de paz do 1. dist. de t.
22 Sabbado S. Timolbeo, aud. do J. do civ. da
I. v., do l. dist. e do J. de t.
23 Domingo S. Filippc Bcnicio.
CAMBIO!]' NO DIA 21 DE AGOSTO.
Cambio sobre Londres 2 d. p. I a 40 d
i> P < por franco.
I.islma IOC/ode premio,
Dec. de letras de boas lirmas I '/, p. /
OrimOorasbespanliolas., 3ifofl0 a
Mned.li d.' liiinn vcl. I0jl(100 a
>l de ti.) i'. | 001 tlfOM n
da laiinn. .. 0/000 a
Pr.itaPataoMt.. ....... IJ9M a
M Peoi clumiiarcs. I fuco a
Ditos Mexicano!, ifs.'o a
Miuda.......... i .571.-i a
A croes da Comp. do llclieribe de M>jnnn
aomrz.
Slfann
Ifi|70n
ttjpto
' Uton
1*970
l|970
lftO
1*780
no par.
DIARIO DE PERIV AMBUCO
PARTE OFFICIAL
MINISTERIO DA FAZENDA.
EXTRACTO DO EXPEDIENTE DO DI 25 DE JOMHO DI 18*6.
A' thetouriria do Rio-de-Janeiro, declarando, quo,
segando 1 ordem expedida em 6 de maio a theiooraria,
a dispoticlo do arl. 13 do regolatnento de 26 de abril
de 1844 t comprehende em rigor, para o pagamento
do sello ahi eitabeleeido, aquellas ttulos, pelos quaes se
conferem empregos vitalicios, ou do exercicio de mais
-> um anno; olo sendo por isio suf jeitos ao sello pro-
porcional de 1 por cento sobre o veocimento de um an-
no os titulos de nomeacoei temporarias de quaesquer
empregados, por impedimentos ou vagas; os quaes sio
aoicamente obligados ao sello fio do art. 20.
A'da Babia,conforme aviso da juitica de 9docor-
rente, se declara, qae, a vista da circular de 22 de ja
oeiro de l8A4e tnaii*ordnns em vigor, o juir. de direito
da comarca de Urnb reeebeo legalmente o ordenado
durante a licenca at a potie, quetomou na comarca de
Inhambupe e que ao substituto nio compete venoimen-
to algum deste lempo, atiento o principio, que te tem
guardado, de se nio duplicarem 01 ordenados.
Circular. Em conformidade da reiulucio de
consulta do conceibo de estado se declara, que a provi-
sto de 30 de dezembro de 1819 se arba em inteiro vi-
gor, nao obstante o aviso de l.#deoutubro de 1831 em
contrario, e que por ella te deve regular o descont men-
tal e vencimento do monte-pio das mais, flhai e ir-
ruas dot officiaet, al que urna lei especial, ou a orde-
nanza militar, de que o corpo legislativo se oceupe, de
outra mancira o determine.
DEM DO DIA 1." DE JOLITO DK 1846.
Circular,providenciandoiobre a moroiidade.comque
tedetpscblo mi alfandegai ai mereadoriei navegadas
com carta de guia, por eatarem subjeitas ao mesmo pro-
ceno dos despachos de consumo, com eflectivo incove-
oiente aa partes, e desn< cessario trebalho e delonga no
expediente se ordena, que taea deipacboi ae faci por
factura dando as partes um valor raaoavel t tolalidade
das mercaduras subjeitas a despacho, appiuvadas pelo
feilor, que as examinar, e dedutindo-se deiie valor os
direitoi de expediente.
BISPADO DE PERNAMBUCO.
Dom Joo da PurificacSo Margues Perdigtto, eonego
rtgranle di S. Agostinko por graga de Dtot 1 da
santa t poilolica, bitpo de Pernambuco, do eonce-
IkodeS. M.l.eC.
A todo o clero deste bispado sade e pax em oSenhor.
Por suprema resolucio de S. M. L de 4 de junlio de
1820, foi servido o mesmo augusto Senlior confirmar o
alma das ultimas laculdades concedidas, quaoto aoa
concursos e propoitat dos beneficios vagos: e como pre-
sentemente citejio vagas tres cadeirasoma nona santa
cathedral, por fallecimenlo de seus reverendos proprie-
tarios, a saber : um personado intitulado penitenciario,
urna prebenda ioteira e urna meia prebenda : pomos a
concurso, pelo presente edita!, as referidas cadeiras.
Os reverendos oppoaitores a cadeira de penitenciario
responders nove casos de moral e ccniciencis.
iodos os reverendos ecclesittticos, que quirerem con-
correr, apreientetn-tft, dentro do prazo de trinta das,
contados da fixacao deste edital, com os aeua requeri-
mrntos, instruidos das babililarjdes exigidas pelo reta-
ndo alma, e mais documentos, que Ihe fizerein a bem,
precedendo tambero as nossaa informaedes particulares
de vita el mor bus: e feito o concurso, proporemol a S.
-M. o Imperador tres dos mais benemritos e dignos,
conforme 01 sagrados caones e cone. do Trenlo.
Dado em Olinda, sobo nono aignal e sello, aos 22
de agoito de 1846. E eu, o padre Jvai/uim d'Aiiump-
fd'i, eicrivio da cmara episcopal oaubscrevi.Voao,
ki'po diocesano. Esteva o sello episcopal. Anump-
tao.
Edilal, pelo qual S. Exc. Rvm. manda por a concur-
ro as cadeiras vagas desta eathedral, co-jio cima sede-
clara.
Para V. Exc. Rvm. anignar.
Governo da Provincia.
EXPRDIIHTK DO DA 31 DO PASSADO.
OIBcios Ao commandanto desarmas esocommis-
Mrio-nador, i-ts:r:sdo-o: de cr Pedro AOSSS F"r-
rira, primeiro lente do segundo baUlhio de arlilba-
" a p, obtido de S. M. o Imperador tre mezea do li-
ceca.
DitoAo juiz municipal e d'orphioa do termo da O
linde, dando-se por scieote de ler S. me. assamido as
primeiras varas do crime e oivel da comarca do Recile.
Deelarou-se ao primeiro lupplente do juiz municipal
de Iguirass, que ao mencionado juis he que competa
o exercicio deltas varas.
DitoAo commandante superior da guarda nacio-
nal do Santo- Aotio, significando, que, com exclu(|o de
Joao da Cunha e Silva, a quero fallece a idade legal, ap-
provra a propoita pira offieiae* do primeiro doa rea-
pectivos batalhOei.Tambero te officiou 10 coromso-
dinto superior do Limoeiro, acieulifieindo-o da appro-
'yao da proposta do lerceiro batalbfio da guarda oa-
p.*3^' "o en commando.
JitoAo director do arienal de guerra, ordenando,
bue, quando si circunisUaciai o permittirem, lomees
ao quinto batalhao da guarda naoiooal do Recife n ar-
mamento e correiime, pedidoi na requiaicio, quo Ibe
transmiti.Participou-so ao commandante superior
deste municipio.
DitoAo primeiro lupplente do juiz municipal de
Goianna, declarando-so aeientificadodehaver S. me to-
mado conta da vara a 27 deite mez (julho).
DitoAo impector interino do arsenal de merinha,
determinando, que diipoiicio do juit municipal aup-
plcnle da 2.' vara delta cidade, encarregado da distri-
buicio doi Alricanoi livres, naquelle arsenal deposita-
dos, e oojoa aervicoa foro arrematados, mande pr oa
mesrnos Africanos.
Dito^Ao commandante da crvela Carioca, recom-
mendando, faca dar panagem no brigue Captbartbe ao
allores do lereeiro batalhao de fuzileiros, Jorge Rodri-
gues Sidreira, e a cinco deiertore de divenoi oorpos da
corte, que, de ordem do commandante daiarmis, sea-
preaentarem ao do mencionado brigue.Partioipou-se
ao commaodant das armsa.
Dito A' administracie do patrimonio dos orpbaos,
revolvendo, leve a segunda*praca os alugueis dsquellas
das casas, ao mesmo patrimonio pertencentei, A cuja
primeira arrematarlo nio comparecrSo licitantea.
DitoAo commandanteauperior da guarda nacional
do Recife, declarando nio ler ponivel equiparsr ao nu-
mero dai companbiai o doa cornetai do texto batalhao
respectivo, como pede o leu commandante interino.
Dito Ao commitiario-pagad r, aulorsando-o a
mandar entregar a Joio Joaquim de Figueiredo ai so-
bral dos genero!, lornecidos aoi presos, ultimamonte
remettdoa parea ilba de Fernando, eque por elle fo-
rio arrematadas, segundo S. me. participa.
DitoA' cmara municipal do Limoeiro, validaodo
a arrematacio da obra do acougue da Ireguezia do Bom-
Jardim.
Portara-Reformando, na guarda nacional do San-
to-Antio, o capitio Manoel Carlos Cavaicanti de Albu-
querque.e os alfere Filippe Benicio Gomes dos Santo,
Ignacio Pereira doi Sanio. ai<> t;.; m>-
cbido.
IIIEU DO DIA 1." DO COMIENTE.
Ofllcio Ao commandante dai armas, prevenindo-o
de ter trsnsmittido so governo imperial a tua ol servi-
cio sobre a eacuia, que o mesmo governo mandou dar
ao toldado do 4. batalbio de artilhana a p, Isidoro
Gomes da Silva.
Dito Ao mesmo, declarando, que ao bacharel Sil-
va Neves, na qualidade de juiz municipal e de nrphaos
de Olinda, he que na actualidad^ compete o lugar do
auditor da gente de guerra.
Dito Ao inspector da thetouraria dai mndni pro-
vinciaei, significando, que, not lermot do artigo 2.'
da lei provincial n. 82, de 4 de maio de 1842, o abati
dos os annoi, por que Luii da Cosa Pollo Carreiro ter
vio 'lio cArpo de polica, (oi concedida & este cidadio a
aposentadoria, que requereo, no emprego do secretario
da mesma tbeiouraria ; e ioleirando-o de bavrr sido
Aotonio Ferreirada Aonunciacio nomeado para subs-
tituir oapoieolado.
Dito. A nn'iiio, ordenando, que Manoel Gon-
falrea deQueinn Patriota mando pJgar 144,000 rn. ,
pcln que, desde j-inoiro at marico de 184o, r du 1. du
abril oo ultimo do maio do 1840, despenden eun o f"r-
nerisiento da osdein do Limoeiro. Parlicipou-se no
ilirfo de polica interino.
Dito.Ao director do arsenal de guerra, deilaran-
dn-so sriente de ter Sino, embarrado para o Maranhau,
rtm de aercm trniKiniitidn an Para, as duieutni arro-
bas de plvora, que, oum destino a segundo dai men-
cionadas protinoiai, se aohavto depositadas no arsenal
sub su dreccAo,
Dito. Ao coromnn danto superior da guarda naciu-
tial do llecife, approvaiirio as pri'pmtas pora nffleiaei
do respeclito caquadro do cavallaria, e do "-. ba-
talbio.
Dito. Ao juiz de pat do 1. dslricto de Santo-An-
tonio, exigindo, fim de transmiltir ao encarrcgndn di
cstatiitira, inn ninppn do nuincru doa qiialihcndiia vo-
tantes e cligiveit para as rleicdea primarias do 18A2.
__Partinipou-ae ao encarregapo da eatatialica.
Portara. Ao director du arsenal, do guerra, orde-
nando, qiiefec,a recobcr o dar destino a 8 ciningardiis du
adarme 17, i|ue perlenoio ao deposito derecrulat.
Participou-su au commandante dai armar.
DEM DO DIA 3.
Cilicio Au commandante do arinai, nflirmando,
quo a nrdem para o embarque do alterca Sidroira, e para
o de 5 deteriore*, foi paitada no me*mo dia, de quo vi-
iha datado o officio, em que S. Ex. a rcquiitnra ; e de-
clarando, que, em lempo opportunu, de novo dar umo
aenielhante ordem.
Dito. Ao meamo, aecuaando remeta de uroscopia
do imperial avilo, quo pretoreve a maueira, porque
devciu ter mandidoi para s corlo oa relatorim trimen-
lact, que huuverem de formular oa oflloiaea du imperial
corpo de engenheiroi, emprejadot na provincia, ou
qunetquer outrot, quo nclla ealivercm ouenrregadoa de
ubrat militare!.
Ditot. Au commitiario-pagador, rdenaiido, que
o procurador do uuartel-uiettro do'6. batalhio de ca-
.' ... __?- J-- c......._ .. .1.. !..
Dito. A o nnii) ni I mto auporior da guarda nacio-
nal do Cabo, acicnlificando'O d'haverapprovndo bb pro-
Voitat, qne, para o batalliSca 2.0 e 3." da motma guar-
da nacional, vierto onm olTioio leu.
Dito. Aojuii do dimito do crime da enmarca de
Natarctli, indagando, ae j etta em exoroicio o teu eol-
lega da vara rivol.
Dito. A' cmara iuunici|inl do N n uoi'i, doclaran-
ilo ili'HT hit iiiiIIiKimiIj ii|.|en;'io dejllil ll.'|ll |l,ir,l
n dslricto de Car.iliuba; porquo ella nio nssistio o
retpeclivo parodio, nein tacordnte algum, p ir eitc man-
dado, e, nos termos das in.truociSet du 1." de outubro
de 1S28, e 16 de morco de 1824, era do inuter, quo et-
ta atiittoncia se dsse.
Portara. Reformando, no 2. bitallia da guarda
nacional do municipio de Sinto-Antlo, o espilla Ma-
noel Cavaloanti irAlbuquorquo, o o alftre Adrilo Fer-
nando Dallro. Participou-io ao reipcetivo comman-
dante tuperior.
Odlriio. Do secretario da provincia o Manoel Jna-
qimo da Silva, comuiunicando, que, por nao estar creado
por lei o lugar do contador do* hites crimet netta cida-
401100$. M. o Imperador de tomar um uuiuidera-
cio u reqiierinicuto, em que Sino, poilia o pruvimento
ilome emprego.
1DEH DO DA 4.
OfficioAo poniul da Bulgica netta cidade, dizen-
do, i|ue, na forma do imperial ttito du 19 do Janei-
ro STe 1830, deve S. S. retponder perante a onmpe-
tente outoriifade, pelo rrime de calumnia, por que ett
endo proeenada,
Ditn An inspeclnr ih llieaoiiraria dai rendot pro-
prnvinniae*, exignnlo inforinac'io acerca do modo, por
quo o Icnenle Joo Bernardo Fernando* Guna tem num-
pridn o regulamento, i|uo lOri expedido para a oxtrac-
C"iu ila lotera, coneedida paro a impressio dat inuino-
ria hiatoriai, pulo nieinio tcuonlu cnmpmlai.
DitoAo Kxm. director do cur*o jurdico do Olinda,
instando pila remola do iclac&u doa rctpeelivoi lente*,
i|iic au eito em exercicio.
DitoAo eniHiii.iii.iaiiii- lonerior interino il* guardo
oonal dot niuuicipio* du Serinbaem e Itio-l'Urnin-
ii, iiiirlraudo-u do baver ido |>rurogada por tre* me-
tes a lircncB, que linbn ido coucodida jui-tuu *"1'S)------
lor, Krann*en"ar tiano. ltrs-o.
DitoAo riigenheiru om ebefo dai obrai publicas,
oncarregaudo-o da dirooo.io do* cunuerlot, do (|ue pre-
>'-: a Inft.ilor.-i do Bruin, e i|oe loacbl urcailo* coi ri.
1:C00 000. Parlicipoii-so ao coiumandanlo dat anua*, I
o an couiiui**ario-pngador.
Por tarja Uemilliudo o ofliciac da secretar u da j
prcriileneia, joic Xavier Faustino Itaino* cjoie Igna-
cio Soare* de Macedo ; e ao rnpoctivo ainiuiucnte, Flo-
rianiiii Corris du Iluto. Forlo *ubitituidot : o*
don* primoirot por Ignacio Antonio B >rct o Tbeodo-
n> Machado Freir Pereira da Silva ; e o lerceiro por
Joa.jni .ii .la .lilv.i Be.o.
DitoUrdeuando, quo c paito provitSn do uonladur
.1 ti.i -i.'.r..i 1.1 d.ii renda* provinciac a Jnie da Silva
Catiro ; o do ollieial ortbiviita da eci otaria "da pruii-
dencio a Paulino Augusto da Silva Freir.
INTERIOR.
Cailnre, I.
reroa sacre
uix Jeronyino Ignacio dot Sanloa, o oo do al-
tariu d 6. de futiloiroi, Augutto JotPu-
r, pigue ai coniignicOet, quo eise oflioioei aqni dei-
xlo it retpcotiva familias, e que lio : a do primeiro
do 12 menise, is doiegundu de dua lerca partes
d o aoldu de queui a inilitue. Partioipou-io ao oum-
mandinle das armai.
BAUIA.
i iiMJIAMii) DAS ARMAS.
lllm. Sr. Tendo de entregar a V. S. o commando
dai armas delta provincia, convm, que Ihe faca mus
explicituniente a expsita dai furcas, de que toma o
commando, e dos diversos icrvicos, em que ie ocha em-
pregada ; u que alguma cousa Ihe diga sobre os diver-
sos eitabelecimentos militares.
Foreo.
Pelo msppa junto ver V. S., que elle joga com um
total de 1,182 pracas do estado eflectivo, dai quaes exis-
tem neita capital 633, sendo 521 promptas e iil era
diversos destinos.
Que o numero das prscas destacadas monta a 498,
das quaes 26 eslao destacadas nesla provincia, e 262
lora dola.
Eque, Analmente, ha tambem Tora desta provincia
59 pracas em diversos destinos. <
Quinto is 98addidai, constantei domappa, existem
netta capital 16 promptas e 10 em diversos destinos ;
destacadas na provincia, 3 ; e 69 em diversos destinos,
Iota della.
s destacamentos dentro da provincia sio :
Umo forca, debaixo das ordens do mejor Ernesto Emi-
liano de Medelroi, composta de 118 pracas de inlantaria
e 27 de cavallaria.
L'm destacamento em Pio-Arcido, debaixo do com-
mando do mejor Pedro Antonio Velloso da Silveira, de
45 pracas, incluido o commandante. Este destacamento
val ser auxiliado com a presenca de urna forca de caval-
laria policial de 15 bomens.
Um desteesmento, que loi estacionar no Tucano, por
algum lempo, de 33 pravas. Eit em retirada.
lima escolta de 9 pracas na malta de S.-Joo, que es-
tar igualmente em retirada.
E, analmente, 10 hornees da companbla de Invli-
dos na fortalexa do morro de S.-Paulo, e 3 no (arte do
rio Para-Ass antes da Cachoeira.
O uiajor Ernesto Emiliano de Medelros est aulorisa-
do a chamar sold algumas pracas da guarda nacio-
nal, bem como a organisar a forca do seu commando,
do modo que Ibe coovler bem do servio ; e, quando
elle teve urna forca maior, dividio-a em quatro compa-
nhias, e ltimamente a dividi em duai.
Ai gratlflcacSes, que estas organlsacSes ephemerss
exigem, nio sendo autorisadas pelas leii e ordens mili-
tares, que noi regem, estio comtudo autorisadas pelo
ministerio da justica, e correm por esta reparticao, vis-
to pertencer-lhe a qualidade da diligencia, em que esta
forca est empregada.
Os diversos corpos, que constltuem o msppa sobredi-
to, estio squartelados pelo modo seguinte :
O l.'batalha de artllharia a pe e a compaohia de
invlidos esli no quartel da Palma.
IM" quartel est em concert ; e. tendo o governo
concedido a quantia, em que as obras, que poderlo
dttscobrir-ie, Ijriu oreadas, mudrio tanto os precos
dus materiaes ent'e a proposta e a realisacio da cooslg-
nacio, e sobrotudo achou-se um tanla ruina, mesmo a
parte do quartel, quo pouco antes linha sido conctria-
da, que apenas se tem podido concertar nem pouco me-
nos do metade, e se continuar na outra, logo que ha-
lo melos. Precisa concertar-so tambem a capullo e o
mo edificio, que serve hoja de hospital.
O uso barbar, que achei, de ae sepultarem os corpos
dentro dests capella. est removido, e regulado o modo
de se faieroin os entvrros e do paitar as desperes.
As companhias do deposito estio nos quarlois do for-
te de S. Pedro, aonde se teem I -iti alguns pequeos re-
paros, e que precisa de grandes concerlos.
A companhia de cavallaria est no quartel d'Agoa-de-
Meninos, que precisa tambem de rouitot concertos.
Finalmente, a companhia de artfices est em quartel
novo no arsenal de guorra.
O edificio, em que se acha o hospital, eit cahindo
em ruinas, o, quand novo Idsse, he completamente
improprio e incapaz para um tal destino.
O hospicio, que foi dos padres da Ierra-Santa ou de
JeriKalein, eit, a lodos os respeitos, oas circumstan-
cias de ser empregad em um hospital militar. He pro-
prio nacional; tem espaco e arranjos ; agoa dentro ;
banhos do mar prximos ; e horts, para recrelo dos
convalescentes. S falta remover os embaracos, em qua
i.ii posto este eslabelecimento, concedendo-se o uso-
fructn casa pia dos orphios de S.-Joaquim ; o que
nio he urna dnaci ; e ter a- administracio desta casa
arrendado o edificio a um medico, para (arerum hospi-
tal particular.
Nio tratarei de fortalezas em geral, porque o seu
desgranado estado tem sido patenteado em lodos os re-
latnos dados peridicamente ; mas tratarei do forte
d ,Ttf ,.
Concertos Indispcnssveis teem de ser feitos junto
rampa da entrada, porque as vagas teem all causado
alguns estragos ; e mullos outros concerlos, ou antes
urna mudanca total em sua conflguracio Ihe deve ser
[l'eiia ,- mas nio he esse o meu prosete objecto.
Saiba V. 3., que, tendo cu reconbecido a necessldade
de armar melhor este (orle, ped e me viera. no bri-
gue Oriente, 36 pecas de calibre 32, que devem all ser
montadas com reparos novos, retirando-re toda a artl-
lharia, que l existe.
Tinha observado igualmente, que a construccio doa
reparos Onofre eslava nesta provincia multo viciada :
rrsolvi, para corrigir os erros e fazer construir novos
reparos, segundo as regras dadas pelo seu autor, pedir
ao governo imperial, como pedi o me loi remettido do
arsenal de guerra da curte, um reparo 'completo para
pecas de grande calibre, que poder servir de exemplo
na construccio dos quo devem fazer-se para montar a
nova artilhana.
r.ra, comtudo, minha intencio ensaiar primeiro a
construeco de um nielo rodizlo, que facilitaste os mo-
vimentos em todos os sentidos esta arma; o que se nio
consegue facHmente com os outros reparos
A nriilb.M ia, quo sahlr do fulo do mar, com os repa-
ros, que estlverem em bom estado, pode empregar-se
em rcdti/ir a um calibre a pecas de qualquor outra for-
iiiira.,aa armada, ou que convenha approxlrnar a um
promijto armamento
Por aviso de 6 de marco do anno ultimo, que V. S.
receber por copia, loi determinada a esta preidencia
a convergi do hospital militar, mas isto quando o con-
cert do quartel da Palma se concluste. Este concert,
porm, tein-sc demorado, por falta de meios.e serla me-
lhor adquirir primeiro a melhor localidade, de que ci-
ma fallei, para entao organisar o regulamento proviso-
rio, determinado no nresmo aviso.
Como sequencia das molestias fstaes, est a necessl-
dade dos SQflragios e dos enterros; e para isto tive per-
missio deorganiaar uina irmandade militar, que satis-
flzeise decentemente a estas necossidades, e seria esta
irmandade approximada em seu coropromiiio Irman-
dade da Santa Cruz dos Militares, d Bi-do-Janeiro ;
mas este trabalho, e o regulamento da enfermarla, esta-
vio destinados a ser publicados juntamento ; e al-
gum tempo ha j, que os corpos pagio a contrlbulcio
devida; e existem 378/180 rs na pagadoria militar,
que, com a igreja de Santo Antonio da Mourarla e oa
bensdas irmandedes dos corpoi extioctoi, lrtnao um
bun principio para qualqucr irmandade,
O servico da guaroicio eil regulado de modo, que a
forca de primeia linha d dous dias do servico, e a
guarda nacional um.
Todos os corpos de guarda esli completos de quin-
tos utencilios Ibes sao precisos, e lodos em bom estado,
porque acablo de ser reformados ou subitituidos.
Alm doi utenctiios, lew cada guarda um cchete de
boi inadciri, forrado de sois, fechado cbave, ecom-
liu u luuicioucariuioi, que pode precissr, segundo
a sua forca ; pederneirat, e chumbeiras em abundan-
cia, marlelinlioi o sacatrapos; e urna vareta forte do-
brada pelo meio, para caber no cunhete, (xa a om saca-
trapo, com a qual se poder desenclavar alguma arma,
que o prociie As chaves destei cuohetei felo deposi-
tadas em lugar proprio dos tnesmoscunbetes, e seguras
com lacre e cinete.para te nio mecber nos cartuxos sern
precisa real: e quanto aoi pequeos caios, deviio ai
guardas ter ilguns manos de eartuxos olales, que
anda le nio distribuirlo, e que V. S pope exigir para
este fim. Falla por anda nos corpos de guarda um
I MUTILADO
i
1


."
-2

buadro com a indicacio di continenciai, quo devem
ler fettas por ellu.
Fie as meimas guarde um outro qaadro grande de
moldura e vidro, em que se achio determinada ei-
tensio do ditricto de cada uma dai guarda, ai sub
obrigaees, ai obrigacei de cada aenlioella, ea lista
doi uteocilios, pur que (icio reipontaveis os commm-
dantes. ie o receberem eco mao estado, lem darom
parte antea de render a guarda.
Tenfao expoito quanlo me parece conveniente ; e V.
S. dar o impulso, que julgar a proposito, i cousts,
que esli im andamento.
Dos guarde a V. S. Palacio do governo da Babia, 2
de agosto de 1846 Francisco Joi de Souia Soartt
a"Andrea. lllm. Sr. orooel Jos Feliciano de Mo-
raes Cid, commandante das arma d'esta provincia.
(Do Mercantil.)
'.aasaiata
PERNAMBUCO.
Jury do Recife.
SESSAO KM 13 DE AGOSTO DE 1846.
PRES1DEHCU DOSR. DR. SILVA KKVK.S.
Reo Francisco do Reg Barro, decusado pelo cri-
me de furto.
Autora ajastic*.
'^Continuar-do do n. 183.)
O Sr. Ilirgti da Fonceca, advogado do reo, (conti-
nuando): Senhore tarados, cu au posan prescindir
agora de dizer-vos unas palavr'ris o respeitu do depni-
metite do Sr. Callo, e tumbeo! da sua oonfcrenriia oom
n Sr. Il-.i ;; Mondo. V ouvistea aqui o quo voa diste
n Sr. Calilo; (invistes como ello deo espanta aos
en senlinionld di'Sfjusos de jmiir.i, para vos fazer
itvenciT, que, no verdade, o reo lie um dus crimino-
sos, quo (leve snliir dnqoi punido, faiendo-vos acredi-
tar, que l |i-ii tn-j do roo ; jurin, apparccendn ante vos o agente
de ludo este negocio, o Sr. Ilergcs Mondes, vos luoslrm
i..i bem mili lo terminantemente, o de nata maneira cla-
ra, que elle Indo tisera do sute roprio ; que seu cons-
tiliiiule eslava fura, quando esses boatos se cspalliavAu
u i|iie, s depoi* de lercoira carta (nolai beta), quo Ihe
i.creven, fui que acudi o ten, o eolio n Sr. Clao fui a
Otaa do roo, o instancia do ontreiu, nao querondo o reo
ir a casa de Cali, pelo recoio de ser preso, em eonse-
qucneii doi'boloa, que te lnvio ep*lbdo, o quo fo
rao preparados, para se instaurar osle processo ; porni,
o quo dase oreo ao Sr. Cala? DSS0, quo nada sabia
coi respaila a negocio lasa, e nano du aaa eseiavo
eiilrelanto, que faria todas n diligencias para o dcsco-
brir, para que Sr. Cato su coiiveueessu de quo e
[Kirtu algutua tirara no sen deispparooiaieRlo, Ora, na-
da IDlil direito, tuda innis proprto.
Aqu, porrn, nio est tudo ; o depoimento do Sr.
Cutio est bem esclarecido com a pergunla, quo Ibe fz.
Vos ouvistes perguntur Ib eu.se era verdade oquo me
haviau dito, ao ir pura esta casa, de ler ello mondado
boje embargar o leo nacadeia, no caso de que (osse eb-
soUido pelo |ury. e elle rvspouder-me, que sim. Don-
de podia vir ao Sr. Cali a convirti de que o reo seria
bsolvido por seus pares i' Foi por cerlo da su propri
coniciencia ; (oda convierto, em que est, de que es-
tes baluartes ao capucviu .-- -s ,s j,\, nuan-
do (enhilo de ser traiidos peante o tribunal do povo. O
Sr Cutio est bem scientu de toda eila trama; do que
li ve um vista esle processo : estando irnin a par de lu-
do, eotendeo, que era consequencia necessaria o dever
buje tullr ante vos essa infamia : cedo, porm, mister
perpetuar i perseguido contra o reo, sem silencio
tua familia, a seus filhos, quo vivem de seu trabslbo,
mandou anticipar osse embaigo ao carcereiro ; eootai,
Senhore, que.quando o reo fosie porvs absolvido,co-
mo ncrime iie inafiancavul, elle nSo podia ser solt senio
depoit do paasar eui julgado a seotenca ; isto be, depoi
de oilo das: e tudo isto demonstra a aleivosia d'est
processo, a insolencia, a que altingio, e a perpetuacio
dota perseguicao, leita ante a outros, a quem be mis-
ter arredar dos negocios, do que ao mesmo reo.
Um laclo bouve, etn que muito insisti o nobre pro-
. nuil r, o foi a coutradiocio, que deacobrio na contesta
co do leo a quinta lestemunba ; e o quo diiein o Sr.
Lobo e o Sr. Temporal. Eu sei, queo Sr Temporal nio
precisa de defesa ; be a primeira vez, que o vejo, pen-
s eu ; nao tenho lembranca de o ler visto antes; mas
observo, que ellu he jurado, que esta nenia cosa igual-
Muta comvosco ; ecu nio posso deiiar de o conside-
rar muito rrspeitavel ; poique, por certa, ae elle nio li-
vetse nereciii.enl s, nio rslarin aqu juiz tamhom com-
vosco ; a junta qualificadora o teria certamente atiesta-
do desta casa : i, s itso nio tuceedeo ; enlio, elle be
pessoa capaz, como vos outros o sois, e entio, Senbores,
vislo que elle be pessoa capas, como eu supponbo, he
demasiadamente injusta e lerrivel a aecusacio, que,
tal vez sem o sentir, Ihe fez o nobre promotor, quando o
tuppoi menos resoluto, menos capaz de ir diier a ver-
dade, quando era chamado a diie-la, debeiio de jura-
mento ; jurando diie-la, aosiBntoievangelhot...
OtSr. Promotor: Mora no Poco.
O Orador : More annJe morar o Sr. Temporal ;
nio veio jurar, quaodo a familia do rodominava toda
esta provincia, como diz a denuncia ; quando as autori-
dades, que protegiio esta quidrilb, como diz a aecu-
saio, estavio no mando ; veio jurar, qutndo a s pre-
senta do Sr. Manoel de Souza Teixeia na administra-
rlo da provincia espantou toda cata quadiilha, no duer
du nobre promotor, e a fez indar foragida por aqui,
por alli ; e finalmente veio, quando ja nio estavio no
poder os prolectore da quadrilba ; como, pois, receiou
o Sr. Temporal jurar a verdade ? Ainda maia, vos sa-
bis, que anteriormente estad do ir. Souta Teixei-
r.i na presidencia, j exista a polica actual, a polica
do incansavel Sr. Alfonso Fcrreira ; porque esta exis-
te detle 44 : ota, Senbores, desde ete lempo poli-
ca eslu nss mios do correligionario do nobre promo-
tor publico, | por cerlo desde enlio, que ella se li-
aba, esmerado em cotnecir ella obra, que o Sr. Souza
Teixeire concluio : como, pon, resl medo de dizer al-
guna cousa T Parece-me, que isto be meramente ima-
ginario, e (So imaginario, como a eontradiccio, que
encontrou o nobre promotor publico n* contestado do
rio, quaodo diz, que o negro de Vieira Ibe ettava em
casa, a titulo de forro ; isto quando depoil ie aprsente
anla o subdelegado do Poco, e Ihe diz, que bavia man-
dado comprar o prelo a seu senlior : oh que ntate!
CunliadiccBo !! (di' o nubre promotor): pirece, que nio
tebou em todo o proceaso outra prova, para atira-la
obre o reo, para com ella emga-lo ; e logo tos loi di-
tendo : di soi juises de coniciencia ; embora nd
hojdo piova, f'n tabeis da ouadrilha ; porianto pdete
condemnar. Vos ouvisles esta confissSo de que nSo bi-
vilo prora, e ella he significativa ; porm preciso ainda
me be o explicar a eontradiccio.
(I teo tmha em sua companhia, biviio tre tn9>,
esse preto, quepan alli tinha ido, a litlo de forro,
procurar tervico; depoi deste lempo lurlou-lhe dous
cavallos; e, quaodo procurou tegura-lo, pira exami-
nar aonde estavio o civsllos, receioso, esie preto vti
pernte a polica, e dit : eu iou captivo de fulano,
e eitava em poder de fulano. Isto he uma historia
verdideira; oSoeitou improvitando, nem Dos bi de
permittir nunei, que eu venba aqui improvisar. O reo,
quando ehega a caa,libe disto, e teem-se paistdo dous
da; libe, que elle lem-so apresenlado i polica; labe,
que o Sr. Calda o tem mandado levar; comparece ante
elle, e dii-lbe: r fuelle* muito mal em mandar
entregar o eicravo, porque eu quera compra-lo, ele
Tl foi a contestt;io, que o reo fez o ubdelegdo,
accresceotaodo, queo devra examinar, para lber, te
por ventura elle eslava em tu cata como forro, ou co
tro eicrsvo, psra que conttaite todo o lempo, que
esteescravo nio havia sido furtado, mandando-o para
eadeia, e tratando essa averiguaclo muito claramente
Ora, Senbores. aonde est a eontradiccio neite faetoT
Ninguem he capaz de m'a mostrar.
Senhore, uma lestemunba, que tamhetn nao pdt
deixardeter morecido a vossa comderacio, be oSr.
Porlo Crreiro; porque este Sr. menciona um fado seu:
mas o nobre promotor nao Ihe importou examinar esle
laclo; porque podia l -lo etaminado, ou fsier com que
iivesse vindo aqu o Sr. Porto Carreiro, como detia ler
viudo, para ser examinado: ae o livesse feito, taberia,
que.desapparecendo-lheetsa escrava, a lestemunba nio
s procurou petsoa da familia do reo, como metmo ei-
creveo io reo uma carta, por iotermedio do Sr. Bor-
ges Mende, pedndo Iho. que visse, ie Ihe era posii-
vel descobrir essaescriv. Diris v:porque beque
a lestemunba se dirigi ao reo ? Por estes boatos, que
desgraciadamente corneo por toda a cidade; por esta
oz publica, que por ahie espalhava contr o reo, co-
mo preparar os jornaes da faccio selvagem; o que fe
quea testerounh se animasse a isso. E disse (este-
tnunht no seu depoimento,que te dirigir a um himoin
morador em Marciape, e que depoit o reo Irouxe a ei-
crava, conduzida por portadoret do engenbo Marciape,
Entilo, que deduzrd'qui Que a eicrava ettava alli;
que o Sr. do engenho, prente do reo, Ihe pediri, que
della tueste entrega a lestemunba e nada mais.
Senbores, depoit de destruido! pela de'eta o fun-
damentos da eccuss(io, que erio estes dous (acto, na-
da mais existe do que a voz publica dar por existente
oo Arraial uma quadrilba ; mas, como se nio traa de
saber, so existe no Arraial essa quadrilba, nem esta
pergunla vo< pode ter feta pelo Sr. juiz de direilo,
mas -omento, te est provado ter o reo furtado o escra-
v.i tal. u o esclavo tal, nio me resta duvida em mou
espirito, que vos, em vossas conscienciat reectidas
impareiaes, digis, que nisto, que aqui vos foi presente,
nao ha prova contra o reo.
Mas o nobre promotor disto : tdi ton i'ui'zai de
coniciencia ; na falta de provae, legui oquillo, que a
voiia raiao ios dictar, uro, snba,a uo nono paiz
desgraciadamente nio tivesse chegadu ao estado, em que
se acha, a moralidade ; se porveolura a opiniio pu-
blica podeste conhecerte ; te porvenlura ot ergios ,
quo represenlio essa opiniio publica, nio fossein filhos
da fac(io, que elle representan, e roniivuintemente
nan publicassem tmente aquillo, que conven) a esta
laccao; ot factot pronunciado! e denunciados por ellei,
sendo subjeilos discussio e oxame, podan dar prova
contra quem se dissesse autor dollei; ron, no estado,
em que nos acbamos, nao ; porque vos tabeis, que es-
set orgio liverio de crearelementos, para reptezar con-
tra seus adveritriot ; liverio em vittas dar armas a um
iiatildo poltico ; e por taet ineiot he, quo te qner ar-
rancar boje de vi uma decitio seguramente fatal is
conveniencias do paiz; acreditando, d'est'arte, ene
boatos de quadrilbaa eiislentet tob a proteefio dai au-
toridades, que se estendiao sobro (oda esta provincia,
do partido, que se tuppde cabido : se nio lne este io-
leliz estado, em que nos achatos, podieis vos, quando as
noticiaa vagas se conformassem com o conbecimento,
que livesseis, dos fados, dar uro rendid de condamna-
cio ; mas isto, quando nio vot ficatse duvida alguma :
porque, tendo-a, ni a devieis lazer tal, em cato ilgum,
muito mais, quando te requer um pena lio grave como
a que compete ao reo, se se provatte o crime, de que he
secutado; pois he a do andar com uma braga ao pfc por
meio dcsta cidade.
Ainda me resta uma cousa, tobre que reflectir. Dis-
te o nobre promotor, que a familia do aecutado o ti-
nha repellido de li ; porque mombroi podre devem
cortar-ie.
Senhoret, deigracadamente, a historia zoolgica no
ipreienta snimaes, como o lobo, o galo, a cascavel, que
comem leus filhos, que procurio aniquilar tua gerarao;
nio he, poii, muito, que entre a familia do reo appa-
recio membroa com essa idei, ou meitno exiitio al-
gn, que, em deaccordo com o reo, procuren) vingir*
te dallo; mis que a familia abandonasse a um leu mero-
bro, i porque tobre elle petio aecusacoes grivisiimn,
e sem ve-lo convencido, nSo he exacto, e fra fuer
uma ideia muito pequea do sua moralidado. A fami-
lia, Senbores, est na expectativa ; quer, que prove
a accusar;So feita a um teu membro, e. vista a prova,
lem ella de avahar vossa decitio. Como homeni de hon-
ra, abandonares aquello, que ciliver convido, mas nio
o que o nio for ; assim, nio be exacte o pensamenlo
do nobre promotor publico. Provai, Seubor, vo-sain-
tencio; e nao venhais aggravar a metquinh torle do
accuudo com declarares filhaide vossa tna vontado.
Creto, Senhore, que lenbo locado na materia de to-
da a aecuaacio ; ho a base della, e a sua prov uni o
interrogatorio de uma escrava : o tal prova nio pode
comprometter a sorle de um cididio ; porque, se tal
precedente passar.nenbum do v* ie podar dizer lien-
to de, amaoba, senlai-te oo banco dos reo, retpon-
dendo por Jehcto igual; porque tudo te pude de anlo-
mio preparar. Ilellecti bem na contequencias d'ette
proceder; reflacti no estado de otcilaiio, em quo vi-
veoio ; o reconbecerei, que precedente dett ordem
tio bem fatae lodos nos; quo anecio de tal juris-
prudencia aniquilar a nos todos, de todot os partidos.
No ottado actual, vi vendo nos em comante alternati-
va, se astim guardamos a* garanta do nosso adverit-
r'i, devemos eipenr, que astim tanbem guardem elle
nossas; o e boje cutir polo jury platicada eme-
bnto immorliddo. dir-voi-bei, que a tociedado bra-
si|eiraet redozidaaum complot dogra, ost in-
icuamente aoiquilida.
Fico aqui a espora da resposls do nobre promoto'
publico. (Continuar-si-ka.)
WTi) b tTp rKbuco.
Polo vapor Pirnumoueana recebemot folbn du di-
versaproviocidoNorlo, em cujoi porlo ello tocou,
que alcancio a 15 d'otlo taet.
OCeara (pobro Coir*. nt lo lameolimoi!) |z
cont.minido pelo genio do ml!! Aparar das pa oc-
rdoiat oxborticSe do nono mui digno pastor, quo pe-
las ovelhts, quelle apritco rocolhidat, j ferio otiyidis,
pois ai timoi eitampidas em um doi ornaos d all; a-
pezar dos males, quo obre su obecs, o obro si di
innocentes irmlss, tem, com oseu demndmento!,
attrahdo aquellos da mesm ovelbii, que ie ichio
corrompida! o entregue o! maioreidoivir.oi; apeitr
de tudo iito, ditemo, o mmiioo, net malftdada
Ierra, aind nio embtinhou o punbal, ainda nio doi-
artrou o bacimcrte, lioda nio prendeo a calina
cinta.'!! .
A 8 de julho ultimo, um tal Joaquitn, hocnem obt-
curo, morador no Ico. a que viiia intriiado com M-
noel Filipped Silva, teu eomircio. atlribuindo a oite
um tiro, que tobre elle fra disparado, vai a c, la-
es mi de um pistola, com ella empunhida, invade a
habitacio doieu inimigo, o descarrega o fetal instru-
mento di mortesobro um grupo, compoito do infeliz,
que, comqutnto fieawe baleado. msrvilbosan>cnto es-
caps, de uros filinba mi, a quem o terrivol projectil
atlinge, mu nio oliendo muito, o do uma pretinbi, de
8 innoi ipenas, que fallece i inmediatamente!!..
A 12 do correte, ao despontar da aurora, o solre<
flecteseus raioi, i port docbefe de policio di espita
d'esis miieravel provincia, lobre o cadver de um l-
mocrete, a quem, pouca distancia da cidade, outirio
s par roubar o que de mais importante lea em
umai carga, quo fazia conduzir! I! 1!
O Maranhio eitiva tarobJro infectado da potto das
cdula falsas de 2000> n. cor mrells. Dou do
encarregdot d tua introduccao ferio cipturidoi.
Hedesuppr, que algum deiiei espoculidore deihu-
miooi, queao lucro pecuniario iicrificio ludo, ie te-
nba dado a inNoronl empreza de etpalhar pelo Noite
eisa moed llsificda: o, como nd ha deeitraordi-
nirio, om que ella no venh i balar porta, se ji Ihe
niolrnpozoslimire, ler prudente, que noi po-
ohamos em cautela.
O partido do Sr. Angelo Moni, que na auembli
provincial est em minoril, faz todoi o esforcos, par
que, at que se encerr a senio dett, te nio vote a lei
do orcamento, afim de que atiim o Miranheoiei, o
priociplmente o seu clero, que, ba muito, ott quasi
reduxido a meodicidade, fiquem privadoi dos benefi-
cios, quede temelbiote lei lio a contequeocia.
O Pira cooiervi-ie tranquillo. ____ _________
COMWIEBCIO.
Alfandega.
Rbndihbmto oo du 21...............10:923i964
Detcarregdo hoje 22.
PolacaM aria-.4ntoniettamercadori.
Huca Mar-) -Queen-of-Scotcano de Ierro.
l'ata:o Expenmercadori*.
Consulado.
Rendimsnto do du 21.
Geral............................ 47Jj680
Provincial.......................... 169^923
Diversas provincial.................. 37*628
68la231
lIoviuH'iito do Porto.
Navioe entrados no da 1\.
Para e de outros porlos do Norte, 15 din o 11 horas,
e da Parahiba, 12 horat; piquete de vapor Pernam-
bucana, de 240 tonelada!, commandante Joio Mili-
lio Heoriquei, equipagero 30. Traz a seu bordo:
para esta provincia, o reverendo padre Jos Antonio
Lopes da Silvcira, Antonio Goocalve da Silva, Joio
Joaqum Tomam o 3 etersvos s eotregir : psrs as
provincial do Sul, o Exm. pretidente do Pira Mi-
nocl Prannos da Silva Velloso, com u tenhors, 3
Tapuos o 2 eicrivoi, Auguito Nozetl, 2 pri(n para
o crpo de imperte marinheiro, 20 praga de prat
e 1 eicuvo a entregar.
Aracaty ; 12 das, hiato braiileiro Mari.-.-Firmina, de
122 toneladas, capillo Joio Bernarda ds Rosa, eqoi-
pagem 10, csrgs sola e couros ; s Jos Antonio Mis-
to. Pasiageirot: Flix Gomes dos Santos, Joio An-
tonio di Molla, Braiileiro; Joio Luiz Ferreirs, com
8 etersvos e 41 dilot a entregar.
liba do Sal (cabo Verde) ; 22 di, brigue dioamar-
quez i\'tord, de220 tonelada, ctpitio A. Kaufmann,
equipagem 10, carga al; a N. O. Bieber & CSe-
guio para o Ro-do-Janeiro, por oio querer fazer
qnarenta, que Iba foi intimada.
A'nci'ol lahidoi nomesmo dia.
Porlos do Norle ; vapor brtiileiro Imperatrix com-
mandante o 1.' tenente Joequira Salom Ramos. Le-
va leu bordo: -Gatuer Ewot, Inglez ; comiuo.ii-
rio di armada Jo-quim Jon; Fcrreira, e muso que
vierio do porlot do Sul pan odo Norle.
Lisboa ; brigue porluguez fobim eipitio Antonio
Pereiri Borget, csrgs ssiucar e courot. Paisigeiros:
Josquim Joi Gomes Rodrigue, Bruileiro; Antonio
Luiz Alvet Vianna, Francisco Fernindet Chave,
Porlugueies.
Rio-Grande-do Norte ; biile brasilero Animoso, ca-
pitio Aodt Rodrigues de Catiro, carga varioi gene-
ros. Pititgeiroi: Ettevio Jote Barbota de Moura,
Aolonio Dantas Civiicaoti, Loureoco Gome, Joio
Prelinho. Kniilairo.
desta provincia, em eumprmento ds ordeni do tribu-
nal do tbesouro publico nacional, manda fazer publico
que no ultimo de nove/nbro do correte anno finda,pi|j
mesis thesouraria, a subttituicio das notsi da t9g0B.
ds estampa de oem mil ris, papel verde, e de viola mil
ri, papel encarnado, o que don puca em diante i
lerio Irocada no Rio-do-Jneiro, ni caita da aeaorti-
acio.
Secretaria da thesouraria de fazends de Peroambi.
oo, 11 de sgostode 1846. O offleial-maior, Ignacio
dos Santos da Fornico.
O doutor Antonio da Silva Ntve, juit d$ direito iV
terina da I.* vara, do crime, na comarca do scih
por S. M. I.iC, que Dos guarde, ele,
Fico uber, que ni lereeira sasiio ordinaris do jan
deite termo, que, sob minh preiidenci, leve lugar 13
do correte mex compirecerio o servirlo com asiidoj-
dsde comojjuizes de falo lorteadoi, echimido pot
r.omeacio do jurado praiontes no primeiro dii di re.
niio ot Srs.:-Joiqoim Javeocio da Silva, doutor Agoi-
tinbo da Silv Nevo, tenante Manoel Joaqum daSil.
veiri, leoente-ooronel Antonio Cirio dePtnhoBor-
ge, Joio Pedro Peitoa de Mello, Frinoiteo Joaqun
Csrdozo, sdvogado Jos Nircizo Csmello, LuiFris.
cisco de Mello Civilcaoti, Minoel Caetano Soiret Cit.
oeiro Mooleiro, Joio Alves de Carvilho Porto, doutor
Clemente Jota Fcrreira da Cotta. Frsncitco de Piuli
Ferreirs, Luiz de Franca Helio Juoior, mijor Flore.
ci Jote Carooiro Mooleiro, Aotonio Vital de Otjviiri,
Viceole Alvet Riheiro, doutor Vicente Pereira do Rs.
go, Manoel Goncalves Ferreirs ds Silvs, Joio Herma,
negildo Borges Diniz, capitn Aotooio Csmello Peiso,
Fraoci-co Joi Alvet, Friocitco Geraldo Moreira Ten,. ..
poral, Franciico de Souia Reg Monleiro, Vicente Jo- '/|
s da Coit, Vicente Aotooio do Eipinto Soto, Vi-
cente Ferreira de Faria, Jos Alves Guerra, doutor A-
fomo de Albuquerque Mello, Jote Mariano de Albu-
querque, Franeilco Xavier e Silva, teoente Dellino
Goncalves Pereira Lima, tenente-coronel Manoel Flo-
rencio Alve de Moreet, ctpitio Antonio Csrdozo di
Queiros Fonieca, mejor Joio Valontim Vallla, teen-
te-eoronel Jos Machado Freir Pereira da Silva, sa-
pillo Luiz Cetario do Mego, lente Joio Civaleanti de
Albuquerque, Domingos A (lomo Fcrreira, capillo Jo-
te RabelloPadilha; tervirio igualmente quatro din:
Belirmioo de Arruda Camau, mejor Joaqum Blinde
Moura. Joi Pedro do Reg; e por tres din: doutor
Candido Aullan da Malta Albuquerque, Manoel Ju-
vencio da Saboa, mejor Faustino Joi do Santos, l-
enle Firmioo Jos de Oliveira, Joio Rodrigues da
Mtrtoda, Antonio Jos Ribeiro de Morae, e Frsncitco
Borges Mcnuei: lendo ido multado na quantia da IOOj
r.. cada um dos jurados sorteado, que nio compare-
crio, nem mandarlo escusa alguma, Miguel Jos de
Oliveira, Theophilo do Souia Jardiin. e Francisco Ri-
beiro de Mrilo Jnior.
E, para que ebegue o conbecimento aquellos,
quem conver; mande Isvrtr o presente, que vii por
mim signado e lelledo com o sello deite juizo, ou sea*
ellevalba ex-causa, e publicado pela impreou.
Dado e pasudo neits cidade do Mecife, aoi 19 de 1-
goitodel8i6. Eu Jos Affbnso Guedes A/coa/ers-
do, oierivio o eicrev.
Antonio da Silva Nevss.
Manoel Joaguim SUveira, fical da freguesia da Bou-
Vista, em virtual da lei, etc.
Fuco uber so proprietarios e reodeiroi de sitios u
estradas da referida fregoetia, que, em virtude do
(5. titulo (i. dai posturas municipios, do 1^9 de (eve-
rerodel833, e ortigo 1." titulo 3." ds tddicioom,
de 3 de abril de 1840, devem ler a testadit de ditos
sitios litnpat, e as ceress aparada; e que dol."deie-
tembro vindouro em diaole, pno drcumpritnelo
diipoiicio do mencionado! srtigoi contri os omstoi.
E para constar, mande publicar o prosete.
Recite, 20 de agosto de 1846.
Manoil Joaquim Silviira.
Dedaracoes.
= O vapor Pirnambucana recebe a mslas pjiso
porto do Sul, boje, 22, ao meio dia impreleriiel-
mente.
Lulas dai carias viniae doi porto do Norte* pelo va-
por Pernambucana.
Anni Joiquini do Carino, uma; Antonio Joio Rt-
mo, um; Antonio Jos de Freitas, um; Aotooio Jos
de Oliveira Miranda, um ; Aolonio do Ssolissimo
Cortco de Mara, um.
Milbio Mara da Silva, uma ; Benlo Candido di
Moraes, uma; Beoto Jote d Footeca o Silva, uma.
Ftederico Jo' Pereir, um.
Igaacio Rodrigue Chave, ama.
Jerooymo Jote doi Siotoi, uma; Joio Jos di Cu-
nba Lije, uma; Joio Martin de Cnlro, uma ; Jos
Barboza Cordeiro, uma
Msnoel da Silva Ribeiro, ama; Marcos Antonio Ro-
drigues de Soute, um; Maooel Aotonio da Silr, *'
m; Manoel Beoecio Footenello, duai; MtnoelJo"
Dia, uma.
Pedro Weneteow Cinlanbede, umi.
A pellos, que bulou uma carta os ciixi do coi-
reiopira Domingos Jos Nogueira Jagoaribe, para a
villa do Sobral, dirija-te a etla dm inistracio.
Edita es.
O lllm. Sr. inspector da Ibesourarn de fazenda
ATISO 09 ACCIONISTAS EM ATRASO.
A administucio da companhia do Beberib ai"
publicar o segunle trecho da acta da esto de '*
correte :
st OSr. Miooel Goncilve da Silva, eaixi di roo-
panbia, presentou a sua cunts, moslrtndo o is
a leu favor de ri. 2:162,860 ; e reeonbecaodo 1 ""'
niairacio, que esle dficit era devido falta de n r "
da, -e qus nio poda continuar a ter contemplecio & I
O ccionistas em trao, sem prejudicar ao e*'u' 't jo|"
companhia, resolveo por em execucio o rligo "
arUlulo; mu, a pedido do meno eaii, coocoraoo


!^~^l
em ospif r o cumprimento deitt resolu;io il o ulti-
mo de agosto prximo Todouro.
Adverle-se, portento, aos Sr. aceionislat, qus nio
completarlo ai suas entrada at 70 por ceoto, que, fin-
do eite praio, qae (er improrogavel. perders o di-
reitode aeciooiatai 01 qae inda eitiverom em atraso,
reverteodo al prestac,oes realitadat em favor da compa-
Eicriptorio dacompannia de Beberibe, 26 de julho
de 18*6. eeretario,
Rtnto Jote Finantes Barro:
Theatro publico.
DOMINGO 23 DO CBRENTE,
suhii a tema um novo drama do imignt Portugtux,
o Sr. Garret, intitulado
A TORRENTE DO SAVERNA.
Acto 1.'A pomada.Acto 2.O annel n'um ca-
davir. Acto 3.O veneno.
No lagar competente, em que o Ilustro autor pede
um baile, ae dancar polka.
Sendo eite drama (como l ditero) tre furos cima
da peca -Espido de Vneta; previno-so aba amantes
e protectoret iniduoi do theatro, que tornero com maia
antecedencia os leus camarotes, para oto fcsrem sem
elles, como Ihea aconteceo na recita panada.
Principiara ai 8 borai e maia.
PUBLICACA L1TTERARIA.
Oa tereeiro e quarto tomos das Memorial Histricas
dePernambueo eatioiobre o prelo, e brevemente se-
rio dados i luz. Contm o tereeiro tomo a coolinua-
cl da guerra hollndola, e a biitoria da guerra civil ,
^ nominada doa maacatea em 1710 motivada pela
creacSo da villa do Recife ; e o quarto tomo cootm a
narraejio de todoi o lactoe histricos, que liverio lu-
gar netta proviocia eob o goveroo de todo o capi-
ties generaei que goverorio alta provincia at o fim
do sculo XVII. Taoto e guerra doi maaoatei como es-
tei fictos nunca Torio impreiioi.
Preco para oa aiaignantea lmente 2j n. por cada to-
mo, com urna estampa fina lylhogrsphada.
Continuo-se a receber asiignaturai para eita obra,
na praca da Independencia, hvraria ni. 6e8.
Avisos martimos.
=0 bergantim nacional Fi/sai, impreterivelmeo-
(e, para o Rio-de-Janeiro, nodia terca-feira,25 do cor-
lete; recebe paiiageiroi, alguma carga miuda e escra-
oi a Irete : trata-ie com o leu proprietirio, Firmino
J, F. da Roa, na ra do Trapiche, o. 44.
= 0 brigue porluguez T rujo-Segundo acba-ie
alistrado e prompto a partir para o Maranhio at 24
docorrente. Este navio elem de ser bailante veleiro,
oflerece o melhore commodoi posiieii para passa-
geiroa. Ai peaoaa, que se quizerem transportar em o
dito navio tratem com Firmino Joi Feliz da Rosa &
lrmlo na rn do Trapiche, n. 44 ou com o capitio,
Jos do OJiveira Faneco.
Veode-se o brigue americano Ri~
chinond de i53 toneladas, forrado e
encavilhado de cobie e ^prompto em
ludo a seguir qualquer viagem. Os pre-
tendentes podem examinar o dito brigue,
que se acba fuodeado defronte do caes da
Alfandega e entender-se com os con-
signatarios, Henry Forster & C;
=Pare o Rio-Grande-do-Sul segu com brevidade,
por ter parlada carga prompta, o brigue-escune .fltVa-
Virginia : quem no mesmo quier carftgar, dirja-
le a Joto Francisco da Crui, ra da Senzalla-Velha,
o. 134.
= Para Macei, com brevidade, est a sabir o pata-
cho F'lor-da-Verdaie, forrado de cobre e de primeira
marcha: quem n.mesmo quier carrejar, dirija-se ao
armazom de farioha do caei do Collegio.
as Para o Aracaty sai impreterivelmenle no dia 30
docorrente a sumaca Flor-do-Angelim ; a inda re
cebe urna pequea porcao de carga : trata-so com Jo-
s Frincisou da Silva, na ruada Cruz, ermazem n. 51.
^mmmmmmmmmmmmmmm
Leila.
-M. S. Mawion, tendo deretirar-ie para Inglaterra,
tari leilSo, por inlertencio do corrotor Oliveira, de to-
da a mobilia da aua caaa, consistindo em mesas, cadei-
ras, leito, oamai de vento marquesas, commodss,
bancal, loucadore, lanternas, louga e vidros, qua-
dros.e.alm de muilos outrosobjeclos.de um esplendido
piano de Jacaranda,perpendicular, de excedentes vozes ,
de urna meia de |ntar, nova.e de muitaa obrai de prala:
aegunda-feira, 24 do correte, l 10 borstda manbta,
no segundo andar da caa, n. 2, ra Nova, com entra-
da por detra da igreja matriz do Sacramento._______
Avisos diversos.
Aluga-ae um moleque oplimo para lodo teivico,
tanto de caa, como de ra : na ra dai Trineheirai,
n. 46, primeiro andar.
= Itoga-se a peisos, que, por engino, ou esportezs,
tirou do eorreio os Jornaei do Commercto psrs Ma-
noel Ferreira de Sousa Barbota, o obsequio de mtnda-
UssUcgsraplaodoCarmo, =. 17,
= Alugio-se duas caaai terreas, no sitio do Cordei-
ro, margem do riaCapibsribe, com bastanlrs com-
modot para familia, estribara para eavallos, ele. : os
ertandentei dirijio-se ao paleo do Cermo, o. 17, a
aliar com Gabriel Antonio.
Rogt-se a pessoa, que annunciou por elle Dia-
lio, o. 184, ter umaa carlai, com urnas eneommenda,
para o Sr. Antonio Pinto doSouss Brito, qaeira fater
o lavor de as mandar na esquina da Penba, venda por
bsiao do coronel Joaquim Bernardo.
Francisco Xavier daa Chagas, morador do Ater-
lo-dos-Afogadoa, fu certo ao publico, que. de boje em
diinle.iesignar por Franoisco Xavier das Chagas Si-
cupira, para avilar o encontr de igual nome, e neo
soflrer algum incoromodn de ier notificado para dar
coala e pagar o sello nacional, como leatatnaoteiro de
Estevio Jos de Mello; pewo, que nanea ennbeeeo:
'-mesmo ounca fui teslamanteiro de pessoa alguma.
' o Sr. Jos Joaquim Leite Bsitoi.
Sociedade thealral
Melpomenensfci
O l.'secretsrio faz certo sos S's. iocoi em geni,
que boje (22), petas 6 1/2 horas da tarde, haver tei-
sao na caaa doSr. director, travesaa do Veras, para dis-
cussio do projecto de notos estatutos.
Medicina Universal.
l'ilulas vegetaes de James ttorison.
A medicins vegetal universal he o multado de 20
annoide investigares do celebro Jamea Moriion. Por
meio destas pilulaa conseguio o sea autor innumera-
veise admiraseis cursi, desde aa affeccoet, que atacto
a crianes de peito, at as molestia! chrooicas do au-
eiio.
A Europa ssudou este remedio como remedio uni-
versal para toda ai doencat, e al boje anda nio foi
desmentido tal titulo.
Esta medicina vero aeompanhada de urna receita, que
entina e facilita a aua epplicaelo. Comiste em tres pre
paraedes, a saber : dus qualidadei de pilulaa dis-
tinctaa por nmeros e um p ; cada qual goza de mo-
dos de acedes diversaa.
Aa pilulaa n. 1 alo aperitivas, purglo sem abalo os
humores biliosos e viscosos, e expulsio-os oom effica-
cia.
Ai de n. 2 expulsio com enes humore, igualmen-
te com grande uica, os humores serosos, aerea e p-
tridos, de que q aangue se scha amiudo infectado, per-
correm toda as partos do corpo e s celtio de obrar,
quindo leem expulsado todas ai impurezas.
A terceira preparacio consiste em una limonada ve-
getal sedativa; be aperitiva, temperante a adocante;
torna-ae em commum com ai pilulaa, e facilita-Ibes os
melhore efluilos.
A poncio social do Sr. Morisoo, a ma fortuna in-
dependente, lepellem toda a ideia de charlatanismo; e
as admirareis curas, operadas com o leu lystems no
collegio dt laude de Londre, lio mais que garantes ds
efficacia do sau remedio.
Kecommenda-se eita medicina, que neo pede nem
resguardo de lempo, netn depolicio da parte do doente,
a lodoiosque, atacados de molestias julgadas incura
veii, se quizerem desengaar da sus virtude.
Oxal, que a bumanidade fecho os ouvidos sos inlo-
restadoi em dessereditar estes remcJios lio simples
lio commudos e tio vordadoiros.\eodem-iena ra da
Cadeia, n. 46.
ai Boga se so individuo, que tem feito vsrios annun-
cios sobre a camboa dos Remedios, quo deixe do i a -
commodar aa autoridades e mesmo o proprietario; pois
que elle musir o beneficio, que fez ao publico em ter
puchado em liaba recia a dita camboa,a qual linba urna
granJecava, e isto fez por convenci do viiinho : e
de nuil, pergunla-se a Sua Merc, se deo slgutn odju-
torio. Ora deiie-sedislo;pos bem se v,que he intriga,
que Sus Merc tem; e do mais, l existen muitos pro-
pietarios.
Os administradores da casa fallida de Ferreira &
Oliveira, tendo concluido o bslanco da luja de miu-
dezas da dita caaa fallida declario a quem convier,
quo eslo determinados a vender a dita loja: os pretn-
danles dirijio-e a ra ds Cruz, n. 16, que Ibes leri
patente o balanco.
Domingo, 23 do correte, no pateo do Paraiio,
casa n. 4, junio a refinacio. ha, demadrugada, mi de
vacca, gallioba com "Ibas, ditas de cabidella, e ou
tras msis coisis; advertindo, que baver todos o do-
mingos ed'ai santos o que scims so declara, menos
nos diasque lorem de jejuro, e que faiem-se jaotarea
para fra : a tratar na mesma casa.
A passoa, quo tirou uma carta do eorreio, vioda
da Babia, pelo vapor Imperador, para Henrique Payanl.
queira qusnto antes entrega-la na can, n. 18, ra
do Trapiche-Novo, 1 andar: se nio, tere o dugosto
de ver o leu nome publicido nesla folha.
Aluga-seuma casa na ruado Nogusira, cujooitio
olba para a ra de S -Jos, e que tem solio com janel-
las para o oilio e lundo : na praca da Independencia,
Hvraria, os. 6 e 8.
Edevin Forster Adams embarca para o Itio-de-
Janeiro o seu escravo Simio.
= O Sr. major Antonio Goncalve Mello queiraan-
nunciar a aus morada, por elle Diario, para se Ihe en-
tregar uma carta, vmda do Pisuhy.
= Na ruados Piral n. 10 Iszem-se ricos qus-
dros de cabello.
Aluga-se um prelo que entenda de padaria
e refinacio, e he muilo bom desrtico e possanle;quem
quizer, annuncfh.
Boga-ie a pessoa, que pedio urna capa da ir-
mandado do SS. Sacramento do Becife, em dias da se-
mana sania na ra da Cadeia, n. 40, baja de a
restituir, al o fim docorrente mez, no armazem da ra
da Cruz o. 28 afim de dispensar oulro snnuncio.
__ O absixo assignsdo por meio do presente pre-
vine so respeitatel publico que pesaos alguma con-
trate negocia portenda ou bypotbeca, com D. Lou-
renca Mamado Lina da eicrata de "orne Luiza, cu-
ja escrata he propriedade do abaixo ataignado desdo
dezembro de 1842 como consta alo papel de tenda e
tita paga que lem em seu poder : e que por isso ir
bave-ls de qualqner pesioa que ronrnlura a le-
nha negociado.''lUanoel de Medeiroi Doria.
Nos abaixo sisignadoi agradecemoi ao Sr. aulor
do annuncio do Diario o. 181 de 18 do correle de
se valer da firma doa abaixo auignados para preen-
cher seu numero de assignaluras pera com aa caa
francesas a respeito de oio estar subjeilo a pinar re-
cibos dss compras de fasendas ; na declaramos que
nenbum papel assignimos s ene reipeile e a firma ,
que apparece no dito annuncio, be falaa como pode-
mos protar. = Becile, 20 de agoito, de 1846. An-
diadt & lrmo.
__ Avisa-so ao respeitatel publico que, tendo ap-
parecido no dia 17 docorrente, um prelo com um re-
logio patente ioglet e de prala que o andsta ven-
dendo se lomou so dito preto o relogio na ra da
Senialls-Velha n. 94; eosbaixo assignado o en-
tregou ao Sr. Jos Altes Bsinoza morador no largo do
Corpo Santo; poiaque este Sr. o veio requintar: e
como a tiiU doa sigoaes que elle deo se julga nio
ser elle o terdadeirodooo ; por isso o abaixo assigoa-
posta appareeer. Joto 7'eixeira.
s Precisa-se de uma ama para o snico de ama
casa ; no principio ds ra de Borlas, n. 5.
Na casan. 66 da ra da S-Crui, defronte ds
ribeirs bs uma escrata para te alugar psra o ser-
tipo do casi,e compras de ra, e que tambein sabecoz-
nbare di,rio de uma oasa e oogommar.
A mulber de bons costumes que se enesrrega
da criacio de meninos de peito, impedidoi o desimpe-
didoe, e que timbero recebe-os para desmamar no
que promette esmerarse mudou tua reiidoncia para
a ra Augusta na loja do primeiro sobrado noto ,
vindo de S.-Antonio.
= Por execucio de Frederico Robilliird le deVe ar-
rematar em hasta publica, pelojuizo da segunda vi-
ra do eivel, eacrivio Molla, a louta penhorada a
Ludgero Teixeirs Lopes.
= Pelo juiso da segunde vira do eivel continua
boje, 22 do correle pelas 4 horas da tarde a porta
JoSr. doutor Nabuco, no Aierro-da-Boa-Vista a ar-
rematacio de uma barcaca por acabar; mais duas ca-
noas de condu'irem agoa ; I deposito de madeirs; uma
bomba de chumbo ; um banco de carpina e maia fer-
ramenta ; e oulros objectos e trastes; ludo peohorado
a tiuva Maris Ignaciada Concei(io, por execucio de
Henrique Jorge. O pretendentes, que quizerem ver,
diriji5-ie ao Forte-do-Matto, boje largo da Assembls
Precisa-se de um homem ,
que saiba refinar assucar : na ra
da Cadeia do Becife, n. 50.
-. Faz-se grande interesse a
qualquer escrivo de cartorio on-
de esteja uma escriptura do en
enlio S.^Jos us mrgens do
rio Setubal da provincia das Ala-
#as, por possuidor Sebastio
Dias Maoreles, ou escriptura de
sesmaria ou outra qualquer es-
criptura antiga que de as con
IVonlacoes do mesmo engenho ;
e escriptura do patrimonio no lu-
gar do II achilo as margens do
mesmo rio do Reverendo Jos
Correiados Santos. Sendo appj-
reca, annuncie, ou poder quem
descobrir dar parte no pateo do
Hospital do l'araizo, n. 18, para se
mandar participar a quem preten-
de saber.
Na la do Fogo n. 41 ongomma-se lavase
e cozinba-ie para fra ; ludo ton o maior aiieio e
promptidio possitel por preco mais commodo que em
onlra qualqunr parle. Na mesma casa lamhem te cose
costuras grossat e as chamadas da ponte.
= Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra do
Bangel, n 11 todo, ou uietade proprio para pe-
quena familia.
= -se dinbeiro a premio com penboretde ouro,
mesmo om pequents quanliai; os rus do Bcogel,
o. 11.
= Alugs-se o solio do sobrado da la Nota n. 5,
com eommodos para familia : a tratar na loja do mes-
mo sobrado.
Quem annunciou querer comprar a algebra de
Betout quereodo comprar o curso completo de mi-
tbemiticis purss desse sutor, dirjase a ra da S.-
Cruz, n. 38.
Furlirio na noite de 18 pera 19 do corrento,
do abaixo assignado da ca>a de sobrado, quo est
edificando na ra da Concordia cinco laboaa de ai-
soalho duas de forro, e doui pedoco de costado ; tu
do de amarrollo e juntamente urna canoa de carga de
600 lijlos de alvenaria groiia : quem do dito roubo
dor nuticias, lera geneioiarnente recompemado.
.Vanee/ Firmino Ferreira.
= Alega-se uma casa Ierres na ra Bella com 2
las 3 qusrlos cozinhs (ora quintal e cacimba; es-
t hmpaeasieiada : a tratar na ra do Collegio, n.
15, segundo andar.
Dentista.
M. S. Mawson, cirurgiio dentista, participa ao res-
peitavil publico quo irelonde Iszer uma viagem para
Inglaterra pelo fim deste mez e por isto convida a
todos ot Senbores que quizerem usar do sou presumo,
nao so demorem em procura-lo, que ehi esla o na-
vio Stcord-Ftih, pode sor asui sabida apressada, o a sua
demora fra dcsta praca se temiera a mais de 6 me-
xei. Na rus Nova n. 2, tegundo andar.
= Aluga-se a casa de dous andares da ra do Bur-
got, n. 7 : a tratar no Aterro-da-Boa-Visla n. 63 ,
segundo andar.
__ Precisase alugar um moleque ou negro feilo,
que nao teoha vicios e seis bem babil e diligente pa-
ra o aervico externo de uma casa de pouca familia. Di-
rigir se a ra do Bangel n. 59, segundo andar.
=. Quem Ihe fallar um casal do gneos, dirija-se ao
sitio de Gabriel Antonio que tem a oasa grande na
beira do rio, noCordeiro.
= Aluga-se para psssar a fela ou poranno,
uma casa no Poco defronte da igreja com eommo-
dos para grande familia : a tratar com a dona, na mes-
ma casa.
= A casa de lortetei do pateo do Carao deixou de
continuar porque o dono ae acba doente ; mal foi
transferida para a ra do Bangel tobrado novo de um
andar e oelle ha boai commodidadet para senhoras
quando quizerem tomar tortetet. A entrada muilo
desimpedida pela venda.
= Preeita-ie de um litio com caa pequea e dis-
tante de qualquer outra cata e que seja no Rozsri-
nbo, Afilelos Ponte-de-Uehs Casa-Forte, Ar-
raial Hooteiro Apipueos, ou Beberibe ; e junta-
mente se precisa de um homem capai para estar rom
um doente oo mesmo sitio : na ra Nova, o. 10.
=Na ruado Queimado, n. 8, engomma-se com
asseio e nrouiplidao, Ppor pie;o commodo.
- Manoel Flix da Rosa, por
haver outro do mesmo nome, se
assignar, de hoje em vante, por
Manoel Jos Flix da llosa.
A fabrica de C. E. & F. Arnoldi em Golha ,
fax eanos de pedrss queimadss, psrs cooduccio de agoa,
multo em conta e que sio convenientes para jardn,
engenbos 4c. Quem quizer mandar vir dettei canos ,
pode dirigir-te a F. H. Lutikeni na ros do Trapi-
che n. 16 que dir aa inlormacei necetiarita.
O sbaixo assignado rogs as pessoss.com quem tana
traoiacccs a respeito de sua tenda na rus da Msdre-
de-Deos, n. 24, que spresentem sust contal, no praio
de Iret dias, por deixar de aer leu eaiaeiro (em boa con-
venci) e ae retirar para fra da protiocia o Sr. Albino
Barbota dos Santos.
Simplicio Xavier da Fomeea.
Albino Bsrbois dos Sanios lelira-te para lora da
erovincia; julga nio devor nada; o se alguem se julgar
leu credor, aprsente suas contal no prazo de tres das,
psrs ser embolssdo. ^^
asi Aluga-se um tolio em boa ra por 5000 rs.
mensaes, inuito proprio para bomem solleiro : a tra-
tar na esquina do I.itrtmenlo, loja de 6 porlas.
= Alugs-se o sollo da csss n. 3, na ra do Li-
tramento com muitos eommodos proprio para^ 8 a
10 pessoas: a tratar na esquins da mesma ra loja da
6 portas.
Fugio, ou furtrio no dia II do crranle da
um sitio ao p do lliealr de Olinda um eavallo ru-
co csrregador baixo a meio cauds cortada ( eom
signaes eocobertos) alguna denles quebrados e ji nio
he novo ; foi em algum lempo do um tal Sr Braneo ,
de Apipucoa : a pessoa, que o liver pegado ou dallo
dor noticia dirija-se a ra da Cadeia do Becife loja
de J.i i da Cunlia alagalhies, que ser recompeossda
generosamente.
= Quom tiver 200,000 rs., e quizer da-los a juros,
obre firma acntenlo annuncie por esta folha.
= Aluga-ie o primeiro indar do tobrado da ra da
Penba com fundos para a ra Direila o. 9 : a tra-
tar na loja do mesmo sobrado.
Concertio-se as alampadas chamada! crceles ,
con> machina ou sem ella com toda a perfeicio a
promplido ; rcsponsabilisando e o concertado^ pe|a
faltado andamento e por preco commodo: na tra-
tessa da Concordia n. 13. delrt da torrado Carmo.
- Fazem-se quaesquor cortinados tanto para ca-
mas como janellas e mesmo para decorac.Sea de talas
de bailes ou de sociedades : faiem-ie timbem fura-
cSea de cadeirat, de qualquer feilio que teji ; col-
chOes elsticos do lodosos lamanhos ; e em fim lu-
do quinto he concernenle a tapetara : tambem pe-
se tapetes, e esleirs ; ludo com a maior piomplidio .
e por preco rssoatel. Na Iravessa da Concordia o. 13,
detrs da torre do Carmo.
= 0 Sr. Jos Augusto Marques queira dirigirte a roa
das Cruies, n. 41, a negocio de leu interesse.
= Aluga-se uma cosa na rus Imperiil, com 2 ss-
las, 3 quartoa coiinha lora : a tratar na ra i-
reita n. 66.
- Bogase ao Sr. J. T.S.B.o lator de mandar pigar
a Sra.l). Mara Francisca Monleiro o aluguel, que ficou
dovcndo.de umaonoo tanlosdias,dacasa.emque morou,
no lugar do Mangnioho.ae nio quer. que seu fiador te-
j executado, ou quo pague por elle. Adterle-te ao di-
to Sr., quo, te o nio fixer, paitar* pelo deigoilo de
ver o seu nome publicado; e que quem obra assim, fica
desacreditado, e sem merecer, que Ihe confiem ou o a-
boneo) em cousa alguma.
= Precisa-sede um homem, para criado, que en-
tenda do tratir de oavallos, e, se eotenJer tambem de
coiinha melbor ser leudo moco ; na ra das La-
rangeirss, casa da afericio ie dir quem pretende.
- Precisa-tedeum bom lorneiro ; paga-se bem ,
agradando: na cidado de Olinda na padaria da ra
do Amparo. .
AULA DE NAVF.GACAO.
Agostinho Fernandes Catanho de Vasconeellot, pn-
mei-o piloto pela academia imperial dos guarda-msn-
nhos, contina a ensinar nsvegBcio pratica o tbeones :
na rus Imperial, o. 59.
OLIVRODETODOS
ou
MANUAL OA SACDE ,
Contendo
lodos os esclarecimentos Iheoricos e praticoa
.ios para poder preparare empiegar sem o
do professor os remedios ese preservar e
promptaiucnta com pouco ditpendio da mor parle
das niulestias curavois, e conseguir um allivio quasi
equivalente a saude, as molestias incuraveis.
Seguido
de um tralameoto eipecifico contra a coqueluche a ae
regras bygienicas para prevenir as molestiss ;
pelo doutor G. de Ploosquellec.
Prego 4000 rs. em brochure.
"O supplemento, indispensavel a quem tem a obra ,
di-so gratuitamente aos compradores. O dito supple-
mento tro as iros dilTercnles receilss psrs a compon-
cio da agoa sedativa este precioso remedio que
tam.nb. reputacao j tem g.nbo e que deve eilili r
em todas ssessas psra remediar promptamenle aosseci-
dentes e incommodos repentinos.
Vende-se os praca da Independencia Utrsria ,
ns. 6 e 8.
necesia-
soccorro
curar-se
Compras.
primeiro at esta Hala, e.l.ndoem bom esUdo : quaoa
""-L'fomr'.oeo. numero, l. SO 21 do aneo de
,840.da ecW do rcA.,o Popular,, o numero 42
do anno de 1843 : neita lypograph.a.
= Comprs-se o metbodode piano por Adi, an-
da senao em meio uto; na ra da Senx.lle.-Velua .
n. 40. ou annuncie. .
-Compra-aeum preto, ou preta, anda aaesmo
com idade bastante, sendo ssdis.e por preco oommoflo,
na roa do Rangel n. 26.
Compra-se um piano perpendicular, em doob
estado : as csss junto so theatro a lallat com O r.
Toiseli.
)
MUTILADO


.""
sb Compra-ie urna escrava que, alm deler bon
oostume o conducta, soja ir.oca bern saiba ongom-
mar roupa de sentara o bomem, eozinhar, ou
mesmo que ssiba lavar a r. upa que raeamo em casi
ae lava : aiiioi como qua so entregue om conaoca a
pessoa, que a prelonde comprar, aGui de voricar-so, se
tamat referidas habilidades, o meimo aconducta.^uom
urna escrava assim lonha e quo a queira vender, se
podera entender eom a pessoa que mo protondo na
ua eslreitado Roiario cata de aobrado, n. 8 sem-
pre das 8 huras do dia ai dai da larde e daa 5 em
dunte.
= Compro-se 7 varas de bico fino largo de ra-
roageni miudat, ou florea, cum pona moderna ; e ce
ao nSo estejio feitts todas as referida varai eipera-ae
at o niei do novembro, que se completem: na ra Ve
Iba da Boa-Vista n. 5.'.
Vendas.
Veode-seum mulatioho, de 1 i annos, muito
honito e que he proprio para pagem ; urna bonita
escrava, de 18 annos cozinha muito bem cose, e
engomma e be propria para mucama; urna dita
moca de lodo o servico por 350,000 ra. ; um e-
eravo muito retorcido proprio para todo oservico de
campo ou armazem: na ra larga do Hoiario, o. 24.
primeiro andar.
=Vende-e lindo damasco de seda do todas as co-
res ; cortes de cambraias transparentes, inglezas, mui-
to rica para vestidos do cores escuras ; velludo lavrado de dironles gosto,
para oollete ; pannos finos do varia Ores; leen pro-
tos e da cores, e tambem de sarja para grvala; ditos
desetim para enhora ; cialet de seda ; ditos de se Ja
e lia ; ditos de merino bordados e muito bonitos;
los de linhi brancos e pretos; mantas de cambraia
adamascadas, muito fina, propria tambem para cor-
tinado de caixilhos de alcova ; espanadore de difTo-
renlM tamanho, e mui bem feitos; ludo ato e ou-
Iras muitas (azenJasse vendem por prego mdico : na
ra do Cabugft lujas de Pereira & Guede.
Vende-se urna cicrava de muito bonita figura ,
niuca, e eom algumas habilidade ; atrs da matriz da
Boa-Valla n. 24.
^^jVende-euma afra de lavrador no eogenho
CTrTbe-de-IJaixo avahada em 700 pe: a tratar no
mesmo engenho.
Vende-se un violao eom pouco
so ; 3 fiteiros para cima de balcSo ; tu-
llo por preco muito diminuto : na ra do
Cabug, loja n. 16,
Vendem-te a obras de Maisillon ; na ra da
Soledade, n, 42, ou annunciem.
=Vende-e urna preta de 2* annos de bonita fi-
gura ; um cabrinha do 7 a 8 anno muito experto c
bonito: na ra da Concordia pastando a ponteiinba,
a direita, segunda casa terrea.
Vendo-se um sitio eom proporcfiei para ler 12
vacca solas ; tem bastantes coqueiros, e outras ar-
vores o bon commodo que serSo patonte ao com-
pradores : a fallar eom o Leite nos Alogados, na ra
de S.-Miguel.
Francitco Antonio de Carvalho Siqueira vende a
sua taberna tila na ra larga do Roiario etquina
da travesa do Peite-Frito eom pouco luodos; des-
onerando-o o comprador do teu pequeo debito praca,
e pagrndo o resto a praio : a tratar na meima venda,
ou eom Jos,: Joaquim Uias Fernando, na mesma roa.
= Vende-se excellente cera de carnauba, a reta-
Iho ptima fa/enda por er muito amarolla e nao
fjzerracbaratvela; na ruada Cadeia lojadoJoao
Jos de Carvalho Moraes.
>ende-se uma machina de vapor; urna dita de
fazer tijolos; uma serrara vertical; um manojo ; a vis-
ta do comprador se lra lodo o negocio: no Alerro-da-
Boa-Visla n.5.
~ Vende-se um mulatinlio, de
bonita figura de 12 para 13 an-
nos por prego commodo ; na
ra da Cadeia do Recife, lojadc
Joo da Cunda Magalhes.
Uraxa econmica de Na-
polefto.
Nlo he poiiivel faierconbecer ao reipeilavel publico,
no curto e limitado eipaco de um annuncio, a bem re-
conhecida tupeiioridade desla excedente compoiicao
O hroe immortal, que, durante tua carreira de glorio-
sa fadigaa foi quem pela primeira vei delta fez uo,
baita para a tornar recommendavol para um publico
naturalmente econmico e amigo excessivo do asseio.
Um numero immenso de compoiicSe deste genero
tem apparecido na dillerentes nacOes da Europa ; po-
rm nenhuma dellas preenche os dou fins principae
(bom lastro e conservacSo do calcado) como eita, que
temo a honra de annuociar. NSo temos raait a recom-
mendar a tal reipeito: t diiemo e podemos aueverar
que ella graxa he d'aquel la mesma,que luslrou essas bo'
tas.leitemunhas inanimada do gloriosos (eilot de Lo-
dy, Arcle, Marengo, e Auiterlitz. Vendo-ie em
latinbas por mdico proco, em porgSese a retalho, no
deposito da ra do Queimado loja de miudea, o.
10: assim como em relalho em algumas diflorentes lo-
ja.
Vende-se um alambique de cobre eom esquenta-
garapas; dua serpentina de eitaoho; um reilriador de
amarello, e tres taixas da forro : tudo etn muito bom
uso, e por prego commodo. Na ra da Aurora, n 42,
leguodo andir, se dir onde se acbio ditos objectos.
Vende-ie um carro de 4 roda, eom leus compe-
tentes arreio, e em muito bom estado ; no Alterro-
da-Boa-Vit, coebeira do Miguel Segar.
Vondem-se 2 cavallos rucos entinados para
carro'; na travena do. Vera, n. 15.
= Vende-se um escravo crioulo de 17 annos, de
bonito figura sen) vicios nem achaque, e que be ca-
noeiro por preco commodo ; na ra da Cadeia do
Recife n. 10.
Vende-se leite puro ; na porta da venda de Joo
Jacwtho na Jrua da Cruzes todos os dias, as 7
horas.
Vendem-se porta, janellai, caixilboi a grades ,
para portase janellas tanto de louro como de amarel-
lo ; na ra da Praia, atrs da ribeira ns. 9 e 11.
- Vendem-e4 negrinhas, muito lindas e que
taorecolbida, de 14 a 18 annos, cotom engom-
mao liso o coxinbSo o ordinario de uma cata o s$o
ptima paro mucamas ; tres dita de nagao boas
quitandeiras, lavSo bem e cozinhSo; um mulaUnbo,
do 16 annos; um escravo 01090 eom bonita figura',
bom carniceiro; 4 dito proprios para o servico de cam-
po : na rus Direita, n. 3, defronle do boceo de S.-
Pedro.
= Vendem-se os rico cortes de rainba da China ,
para vestidos de senhora, a 5000 r.; dito de cam-
braia de quadros e luirs de core a 2500 rs. ; riioa-
dos fin..s francezes a 240 ra. ocovado ; ohale de la
a bscocia.de 14/1 a 2400 rs. ; casimiras franceta,
de listras e quadros do ultimo gosto. a 1000 r. o
covado ; paono fino azul de cor fixa, proprio paro far-
damento de guarda nacional. a 3200 rs. o covado ; e
outras muitasfazendas por barato preco : na ra do
Creipo loja n. 10 de Jos Joaquim de Freilas Gui-
maret
Vende-se um molaque crioulo, de 12 anno,
de bonita figura : na ra da Cadeia do Itccilo loja
n. 5o.
= Vendem-se cambraia largas, bordada; tarla-
lana branca o de core; fil bordado, muito riooi ; lin-
das grnvatas para senliora o meninas; vn de montara;
bicos de blondo o de linho ; luvas de pellica para bo-
inem e senhora ; chapeos de palbi bordada; ditos de
seda e de crep, da ultima moda por preco muito em
conta : em casa do M. Milloobau no Alerro-da-Boa-
Visla, n.l.
Vende se urna preta de naci Angola de 30 a
40 annos, que cozinha o diario de uma caa, por preco
commodo qua be para liquidar uma conta; na ra
largado Roiario indo para os quartes loja n. 22.
Vende-eum jumento noo muito manto, e
que he ptimo c-rregador; na ra da Cadeia, loja de
Jos Gomas Leal.
Na ra do Rangel.o. II, anda ha para vender
muitai dasobrat de ouro e prata e ouro da j ao-
nunciadai.
mos no mercado. Este objeclo flerece
ao comprador grande vantagem por es-
tar muito bem acondicionado, e as an-
coras seren arqueadas de ferro de con-
ta para carga de cavallo e capazes de
receberem qualquer liquido depois de
despejadas : e vende-se por preco mala
commodo do que em outra qnalquer par-
te. Na rna da Cadeia, loja n. 5o
Cortes de cambraia
a 2240 *+
Brins francezes,a
800 rs, avara.
Na loja do passo da esquina doCollegio, eom frente
para o largo da Cadeia vende-se brim trancado bran-
co, rancez, a 800 rs. a vara. Fita lazenda be muito
encorpada.o de linbo inteiramento puro;e por iiio mul-
lo duravel.
=-\ i'iidutn-so 9 escravos tendo : 1 moleque de
16 annos de boa figura ; 2 pardinhos, de 17 anno ,
proprios para pagan ; 1 dito quasi branco, de 11 an-
nos ; 2 protos sendo urn delles ptimo canoeiro e o
outro para qualquer servico ; 2 parda sendo urna
dellas de 18 annos, eom habilida le e propria para
mucama poraer bastante gil e sor de boa figura
e a outra de 2" anno, quo cozinha, cote chao en
gomma liso e lava ; 2 prelas que cozinhSo lavo ,
e iao qutandeira; todo sem vicio nem achaque : na
ra do Collegio o. 3, legundo andar.
= Vndete uma pipa vasia ; 3 Larris de 5 em pi-
pa ; 7 barricas, que forjo de farinba de Irigo : na ra
da Concordia, venda n. 26.
m Vendem-se 20 escravo de ambos o setos, de 4
a 20 annos, eom habilidades e do bonita figura;
uma parda, de20anno, de ptima figura, que engom-
ma muito bem. cose e cozinba ; quo d-se a con-
tento eso te vende para fra da provincia ou'para
algum engenbo : na ra Nova, n 21, segundo andar.
=Vende-se um venda eom os fundo a vonlade do
comprador; ha muito afieguezada para a praca e ven-
de a relalho, de 8 a 10,000 rs. por ser em bom local;
tem um grande quintal que erve para deposito de
lenha de mangue e aeu aluguel mensa) he de 7000
rs. : na ra etlreita do Rosario a fallar eom Jos
Morcira da ^1 Iva.
Vendem-se 3 moredas de casas terrea peque-
as por preco bailante commodo ; na ra da S -
Cruz, n. 38.
Vende-se um prelo bom carreiro de 26 anno,
pouco niais ou menos de bonita figura e postante ;
um preto possanie para qualquer servico ; urna preta
moca que abe lavar de sabio e varrela cose e en-
gomma alguma cousa: na ra doCretpo n. 15. pri-
meiro andar.
Vende-iecera do Rio-de Janeiro em vela de 3
at 14 em libra, pelo mdico preco de 1280 ri. ; na
ra da Cadeia do Recife n. 44.
Venile-e um preto proprio para lodo o servico ;
um mulalir.bo. del2annot; um oculo ; dout relo-
gioi de ouro ; couros; solas ; bezerroi ; esleirs ; cai-
xat de tartaruga ; na ra da Crur n. 26.
Vende-ie azeil doce para luz melbor e m
barato do que o de coco ; e azeite doce fino em gar-
rafSe do 25 garrafa: no deposito de azeite de carra-
pato na ra da Neozalla-Velba n. 110.
Vendem-ie, por mdico prego, a obra de Bo-
cage ; na ra da Cadeia-Velba n. 14.
Na loja da ra do Crespo de Guimarei Sertfim di
Companfaia vendem-ie cortes de vestidos de cambraia,
rom 11 covado cada um a sote patacas. Cita faten-
da be de um gosto moderno ; tem a excedente quili-
dade de nio desbotar e be muito barata : qualida-
de estas, que a torno aitax recommendavol aoi com-
pradores : 01 pretndante podem mandar pedir amos-
Ira queso dar; sobre o competente peobor.
- Vende-se cera em velat muito bem iortida,
em calas contendo de 3 a 12 em libra ; bicha pre-
ta chegada ltimamente de Liibrja, por prego com-
modo ; oleo de linbaca. em botija do 3" galdei, a 220
rs. a libra : na ra do Trapiche n. 41, a tratar eom
Frmino Jos FeH da Ron & IrmSo. '
- Vendem-se 7 pretos, de 20a 30 annos; 4 mo-
loques, de 12a 14anno; 2 mulatinho de 12 a
14 annos ; 2 pardo, tendo um sapaleiro ; 4 pardas ,
de 16 a 20 annoi ; 2 preti de 16 a 20 annos; todoi
propriot do servico de casa e campo e lio de boai fi-
gurai : na ra da Cadeia de S. -Antonio, n. 25.
Vendem-se algodSetziobo americanos, liios ,
proprio para fazer laceo do farinba por preco com-
modo ; em rasa de L. G. Ferrera & C.
= Vendem-so 18 eteravo moco, de bonitas fi-
figures chegados prximamente do Aracaty sendo
negro, negra mulata e mulatinboi; lodos por pre-
go commodo: na ra da Crui n. 51.
= Cootinuio-iea vender ptzioboi de diversa ro-
teirat de lodat ai qualidadei j annunciada por
divertas vezet, assim como p< 1 de dalia, de todas as
cores, e de outras flore mimosa; na Soledade indo
pela Trempe quasi ao p da greja n. 7.
Vende-se, por preco commodo, o
bem acreditado rap de Cordciro Filho &
j chegado do Rio-de-Janeiro no ulti-
Lindeza, o covado
aSAOrs.
Na loja do pino da esquina da ra do Collegio
frente para o largo da Cadeia vende-ie lneti .,
vellido de senhora, a dozeviotens o covado Od
tenbot desta lazenda ao listrados.sobre ausento c|i,0
eicuros, fiogindo teda; o campo imita lia; ig0 eS"
que nao detbollo, e he fazenda inleiramenle non
Farinha SSSP,
da melhor qualitlade, c a ult.
ma chegada a este mercado
vende-se em poredes grandes
ou pequeas: a tratar eom
Me. Calmont & Companhia,
ou eom J. aj. Tasso Jnior.
Vendem-se taboas de p,
nho, a 40 rs. o p ; atrs do
tbeatro.
da Cadeia loja de
mo vapor : na ra
Guede & Mello.
- Vendem-se 5 preta moga, eom habilidades, uma
das quae engomma, cozinba e eoe ; uma negrinha ,
de 10 anno ; um moleque do 16 annos de bonita
figura ; um preto para o servico de campo ; uoi dito,
de meia idade, por 180,000 rs. : no pateo da Matriz ,
n. 4.
PUTASSA.
Vende-se superior potassa da Russia ,
em barris pequeos ; cal virgem de Lis-
boa, da utais nova, que ha no mercado ,
por preco muito commodo ; tambem se
vende um resto de potassa da safra pas-
sada muito barato : na ra do Trapi-
che armazem n. 17.
Vende-se na ra da Cruz, n.
6, cera em velas, chegada ultima-
mente do Rio-de-Janeiro, de uma
das me I liores fabricas, em caixas
pequeas, de 3 16 en libra e
por preco mais commodo do que
em ontra qualquer parte.
Grvalas,a^OOrs.
Na luja do pasto da esquina da ra do Collegio, eom
frente para o largo da Cadei,vendem-se lencode tm-
brai, a usado cada um. Eitea lenco 1S0 eitimpidot
eom raminho miudinboi, alrepadeiros e Mitra, eom
variedidet de core; e eitas fin e capazes da prota da
'mi.
Ol,
Vende-se vinho de Lis-
de qumi-j iauio
braceo como tinto ; bi-
chas pretas, muito boas,
por preco em conta : na
ruadas Cruzes n. 4l.
Tarlatana,a3#rs.
Na loja do passo da esquina da ra do Collegio, eom
frnle para o largo da Cadeia,vendem-ie eorles de vetu-
lios para ienbora.com nove covado de tarlatana. Esta
fazenda tem uma vara de largura; be eitampada eom
llores matizadas; o, pela tua transparencia rigeza do
lio.iiniia uma lanzinba de alio prego.
Na padaria do Aterro-da-
Boa-Vista, a. 41, vende-se pao ,
bolacha, bolachinha, biscouto,
biscoutinho ; tudo fabricado das
melhores farinlias, que existem
no mercado.
Vendem-te superiores charutos regala fioot
e muritibanos em caixinhaa de 100, 225 e 2B0, por
preco muito commodo e chegado ltimamente pe-
lo vapor, da Babia; na ra do Trapiche o. 34, ter-
ceiro andar.
Vendem-se 12 eteravo, sendo prela e mole-
que, eom algumas habilidades de bonitas figuras e
mocoi : na ra Nova, n. 21, legundo andar.
N. 40, ra do Trapiche relogiot de ouro de
patente inglez muito boot ; correntinba de ouro ,
padro= Principe Alberto; o um chronometro para
navio mui bem regulado: tudo se vende a preces
commodo,
ss Vendem-ie 4 escravo, bon para todo o servido ,
tanlodo campo como da praca ; um dito bom canoei
ro : um dito bom odicial de toda obra da ourvet
ds bos? ""urss
;4
ilii-
e que co-
. 10, pri-
Vende-se cera em vela do Rio-de-Janeiro ,
tmenlo completo de 1 a 16 em libra em caixaa e
as libree a vontade do comprador : na ra da Senzal-
la-Velba, n. 110, armazem de Alte Vaona.
Attencao!
Vendem-se ancoras pin superior cal
virgem de Lisboa a oais nova, que te-
de ; 1 parda de 30 anno, boa mucama
se, engomma e cozinha : na ra do Crespo
oiero andar.
- Vendem-se csteiras da In-
dia, para forrar salas; fio por-
rete, lino: na ra do Trapi-
che, n. 8.
Farelo.
Vendem-se saccat muito grandes eom (arelo : not
rmateos de Bacelar a do Guimtriei, oo cae da Al-
fandega.'
Na ra do Crespo n. 1 % loja
nova, de Jos Joaquim
da Silva Ifaia,
veode-ae um novo sortimenlo de vellidos para icnhori,
da rica lazenda chanada indianna ; a qual alm de
ser de core escura, tintas fizas e rico gottot leo
um lecido que finge ser de teda, e o aeu diminua
preco he de 3000 r. cada corte : bem como tambem
da fazenda victoria a 4000 r. cada coite ; os qutet
ollerecem as mesma vanligen aos compradora por
aerem escuroi, e por isso se torno recommeodueit
para a praiente eitacio: igualmente um rico sorlimea-
lo de casimira para caigas ; cinta para vestidos; e ou-
trai multas azendaa que terio prsenles e te ven-
deriO por prego commodo.
Vendem-se pregos ame-
ricanos, n. 4, no vos, em bar-
ricas na ra do Trapiche,
n. 8.
Vende-ie um piano da boat votes, por preco
commodo: no Alerro-da-Boa-Viita n, 5, primeiro
andar.
: Vendem-se moendat de ferro para eegeohotde
aucar, para vapor agoa e beata de diversos tami-
nhoi, por preco commodo; e igualmente taixas da
ferro coadoe balido de todos os lmannos : na pra-
ca do Corpo Sanio n. lt, em casa de Me. Calmont &
Companhia ou na ra de Apollo armazem, n. 6.
lap-Gassc.
Avita-se por ette annuncio aos freguezet do rap d
Gane que, ba diat chegou do Rio-de-Janeiio, ubi
nova remeta do muilo superior rap grosto e meio-
groiio e ae acba a venda no lugar do cottume e ai
ra da Cruz no Roeife n. 38.
Vende-se zinco em folha e em
pregos proprio para coberta de casa ;
na ra da Cruz n. io.
Gambreoes, a
1#440 rs.
Na loja do passo da esquina da ra do Collegio, eom
Ireote para o largo da Cadeia, vendem- te novot eorUi
de calcas eom tres eovadot e aneio do gambreOei,
por qualro patacaa meiaeada um. Etta fazenda he me-
lhor do que a que,ha lempos, snounciou.a se veodeo
neala loja, pelos padrdes aerem mai modernos, e ot
pannos muilo encorpados. Dar-ae-bao amostra a quem
ot pretender, sob o competente penbor.
fiscravos Fgidos.
Vende-tecervej. branca. pret. de Londres. y^o'l.T
l>i.empo,cao,|recoinpeo7,50/
Fugio, no dia 18 do corrente, um cabrinha <*
nome Alexandre de 1S anno, pouco ai oa sa^-
menoa bem parecido con o cabello cortado aiai
curto alrf que adianto; letou eamita e calcas da rit-
cadoazul, miado. Este cabrinha fot visto ao litio do
Poaobal e sendo mandado pegar pelo Eisn. bario
de Suaaauna e Irater a sao atanor se vadle de no-
to ,e be de tuppor que ande por algum litio junio
ao Pombal onde leen um lio. escravo do Eam. bario.
Barclay & Comp.nh'iaVa'.nbo'r que""b. ,"em"Up7,cao,|("'aem *"*"' ''" "" d' Cn" D' 3 qW "*
ou a relalho : vinhol de Tenorifo Madeira, edeou-'l
Iras qualidadet; ago'ardente de Franca --|-.....U \%\ 7ZZ__________________Z:---------
de superior qualidade: na rtje (o Trapiche o. 40. |m. ; ma typ de h* *..*> hajuai4<3
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1P43ZS1A_KL64OH INGEST_TIME 2013-04-26T21:38:19Z PACKAGE AA00011611_08375
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES