Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08374


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1846.
Sexta feira 21
O Z>/ C,r,.(n de guarda: o preco da asstgnalurn lie de
itfoOO rs. Pr iuftrtc'. Pagos adiantados, O*
nuucios dos assignantes sao inseridos n raifto
j, JO ri por linfa, 40 ris en typu difleren-
,- c as repetices pe! metade. ( Os <]ue nao fo-
rc'm assignantes pgo 80 ris por linda, e 160
iypo dillerente.
PIIASES DA LOA NO MEZ DE AGOSTO.
i ni, clieia a 7 u 3 hora e 39 minutos da man.
tjioantea 13 as 8 horase 31 irtn. da Urde.
Lua^nora a 21 as 0 horas 5 mo. da larde.
Cresceule a 23 ai 7 horas a 58 minutos da Urde.
PARTIDA DOS COBRF.IOS.
Goianna e Parauvlia Segundas e Se tas feiras
Rio Grande do Norte, cliega as Quartas feiras
no mcio dia c parto lias mesillas lloras as
Quinlas feiras.
Cali, 9erinhaem, Rio Formoso, Porto Calvo e
Maccvd, no l., II e 21 de cada mez.
Garanliuns c limlo a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as Quintas feiras .
Olinda todos os das.
PREAJUR DE HOJR.
Primeira as 4 horas e JO minutos da Urde.
Secunda as 4 horas e 54 minutos da manhSa.
de
Agosto.
Anno XXII
N. 184.
DAS DA SEMANA.
17 Segunda S. Vamede ou-. d> J. dos orf. a
do J. do 0. da 2. v., do J. M da 2. v.
Tere S. Crispo, aud do J do, civ. da I.
v., e do J. de pal do 2. dist. de t.
Quaita S Mariatino, aud. do J. do civ. da
2. v e do J. de pai do 2 dist. de t.
20 Quinta S Kcrnardo aud. do J.de orphos,
do I municipal da I. vara.
21 Sexta S Joanna aud, do J. do civ. da I.
v. e do J. de paz do 1. dist. de t.
22 Sal,liado 8. Timotlieo, aud. do J. do civ. da
l. y., do l. dist.e do J. de t.
23 Domingo S. Filippe Benicio.
CAMBIOS NO DIA 20 DE AGOSTO.
Cambio sohrc Londres ?6 d. p 1 r 00 d.
Paiis 355 ris por franco.
Lisboa IOS "/o de premio.
Desc. He letras de boas tirinas I '/, p. 7,aonies.
OiiroOness hespanlinlas.. SlfOOOa 3l#5n0
Modasdc GJIOO vcl. IGjOOO a 101700
) .> de 0*400 nov. l.'OOOa I0|j00
a de 4J000... 9#tl00 a 9H0O
Prnla PatacOes........ U60 a IfSIS
a Pesos columnares. I#960 a 11970
Ditos Meticanos. I920 a IJD40
Miuda... ...... l|7K0 a 1*780
ecesda Comp. do Itebcribe de 501000 ao par.
DIARIO DE PERIVAMBUCO
PARTE OFFICIAL,
DECRETO N. 461 DE 27 DE JULHO DE 18*0.
Jltgulando os vencimenlos dot empregadoi de finada
nos casos, em que subtiitutm os impedidoi, ou extr-
cem interinamente empregus vagos.
Tendo ouvido a lecgao do meu concibo de eilado, a
que sitio encarregado o negocios da faienda : hei por
hu, que, emquanto i assemblea geral legislativa nao
decretar outrai providencial lobre os vencimenlos dos
empregadoi de faienda, nos caioi de lubsttuicio, por
viga ou impedimento!, ib observe o seguinlo :
Artigo 1. Todos o empregadoi de fazenda de qual-
qoer reparticio, que servirem un por outros, que le
icbarem inpedldoi, por molestia ou licenca, com ven-
cimebto de ordenado por intoiro, fario leui tudos o
emolumentle talarioi, que pagarem ai partea peloi ac-
totdol empregos, que servirem ; mal nada heverSo da
hienda nacional, a titulo de ordenado, emolumentos ou
porcentagem, que pertencerid aoi impedido! ; e so-
monte pudereo ha ver quaesquer gralificac.dos de ejerci-
cio, que Ibei forero consignada!.
Art. 2. Quandd o impedimento daquellei, por quem
teriirem, not casos do art. antecedente, paliar de qua-
renta dial, poderiS haver dme praio por diante a quin-
ta pirtedoi ordenados e porcentageo, que competirem
aoi impedido! ; pata o que (ario declararlo em lempo,
afitu de *e laier a averbacio no respectivo assenta-
Diento.
Art. 3. Se o empregadoi eom lie enea perceberem
lmente metade ou oulra qualquer quota dot respecti-
vos rdonados e porcentagem, a quinta parte para o
que o lubitituirem seri dada pelo colre da aienda na-
cional, e por conta da parte, que de menoi le dei aoi
licenciados.
Art. 4. Se o impedimento fr proveniente de pasta -
rem o empregadoi a servir temporaria e provisoriamen-
te outro algum emprego ou cargo, deque recehio ven-
cimento, baverio os que os lubitituirem a quinta par-
le dos ordenadose maia vencimenlos legaei, por conta
di fazenda nacional.
Art. 5. O metmo se pratienra noicaioi, em que o
empregadoi, indo servir temporaria e proviioriamente
algum emprego ou cargo lora da reparticio, optaren)
comtudo a continuado doi ordenadme tnaii veocimen-
lot, que neiia Ibes competiio.
Art. 6. Se o impedimento remltar de frrico gratui-
to, a que o empregadoi lejio cbatnadoi em virtude de
de lei, ou de amencia, noi termos do art. 33 da cons-
tituicio, nada haverio os que o lubitituirem, di mes-
mi ou diversa reperlicio, nem doi ordenadoi e venc
mentos legaei, que tompelireaj aoi empregadoi impe-
didoi, nem da faienda nacional.
Art. 7. Quando ot empregadoi lervirem interina-
mente lugares ou empregoi vagos, baverio a quinta
parle dot ordenadoi e legaes vcncimeotot, por conta da
hienda nacional.
Art. 8. Acontecendo, que, por nio haver em urna re-
particio quem deva ou posta substituir o empregado
oipedido, na forma doi artigo! primeiro e seguales,
la se enorregar da lubsttuicio algum de diversa repar-
ticio de faienda, observar-se-ha oque fioa diipuito nos
referidos artigo!.
Art. 9. Quando o empregado impedido de qual
quer reparticio !<>r de ciaste e dominarlo, em que hajio
dousou niait, ainda que com difieren le grduaco>s or-
dinarias de primeiroi e legundoi, etc., nads baver a-
quelle desta meitna claiio e denomioacio, que o subs-
tituir. *
Antonio Franciico de Paula e HollandaCavalcanti de
Alliuquernue, do meu conceibo, mioittro e lecrelario
de citado dotnegocioi da fazenda e pretidente do tri-
bunal do tbeiouro publico nacional, o tenba aitim en-
tendido, e fa(a eiecutar com o despechos neceisarioa.
Palacio do Riode-Janeiro, em 27 dejulho de 1846,
A LBA. (*)
pop. fffOfrrn ^Q\t\
SEGUNDO VOLUME.
XVII.
IITEaaOOAIOHIO.
Algumaa horas depoia, eslava Amab em ana cata, tran-
quillo einni nr limito iiiditlercnte, ou viudo contar ai
eui aprendiiea un grando attcntadn, eonimettido, a-
4uella noitr, na ma Jouherl. Noiue algum se havia pro-
nunciado; fallava-aa de urna duntella engaada, que,
<'' lugar de se encontrar com u amante, a quem aroava,
'cachara com amante, a quem nio amavn. A'esaas
l'ilavrat, um dos duoipulua diste a gargalhadaa, quo s
u Jouberl era a roa dos quipruqnos, e quo seria mullo
ara nr, ae iaio huuveaae acontecido na ineiina esta da
>
) Yide Diario n. 182.
vigsimo-quinto da independencia e do imperio.Com
a rubricados. M. o Imperador. Antonio Francisco
do Paula o Bollanda Cavalcanli do Albuqutrc/ut.
DECRETO.
Tendoouvido o meu conceibo de estado reunido lo-
hre o parecer da tecci'i do metmo concolbo, a que per-
lencem onegocioi da faienda e ustica, a respeito das
duviilas sobro a eitinccio, que deve ter s lei numero
>42, de 25 de novemhro de 1811, sobre ai cautas da
faienda provincial, e conlormando-me com o voto do
eoncelbsiro de estado Honorio Hormetro Carneiro
Lelo, dequ, nao cabendo nai attnbuicoes dai asiem-
hlsi provinciaes a creacio de um juio particular par
ai causas da fazenda publica dai proviocias, todava
team o direito de decretar, que cauta! corri no loro
commum, ou perante o juiei privativos creados pelai
leis geraei, auim como podem eitabelecer aa regrai,
que miii Ihei parecerem conducentes paraa boa arreea-
dacio e ficalisacio dai ditti rendas: hei por bem de-
cretar, em lolucio das referidos duvida, que ai aisem-
bln legislativas provinciaes (eom direito de decretar,
que ai causal da fazenda provincial te processem e cor-
rio no foro commum, ou perante o juizes privativos,
creados pelai leii geraei para ai causal da fazenda pu-
blica nacional, eestabelecer as regrai, que maii Ibes pa-
recerem conducentes psra a boa srrecadacio o fitcaliis-
cio daireodas provineiaes; poil que lem eita facuMade
leria Ilusoria a que ellas leem, de crear as mesmai ran-
da!.
Antonio Frsnciico de Paula e Hollnela Cavalcanli
de Albuquerque, do meu concelho, leador do impe-
rio, minilro e lecretario de estado doi negocios da fa-
ienda e presidente do tribunal do thesouro publico na-
cional, o tenha assim entendido e faca eiecutar com ni
deipachos neceiiarioi. Palaciodo Rio-de-Janeiro, em
H do |ulho de 1846, vigsimo-quinto da independen-
cia e do imperio.Com a rubrica do S. M. o Impera-
dor. Antonio Francisco de Paula t Uotlanda Caval-
canli do Albuquerque.
Governo da Provincia.
EXPEDIBIfTE DO DI4 99 00 PSIADO.
Offlrio Ao inipector da theiourarfa dai rendui pro-
vlncfaei, validando o termo de arrematacio, de cujo
conleudo se evidencia, que Bernardlno Nunei de 011-
velra, enancado por Antonio Ferrefra Lima, obrlga-ie
a recolher ans cofres daquelia thesourarla a quanlla an-
nual de 151/000 rs. pelo producto do dilimo dos cjlcos
no municipio de Serinhaem.
Dito Ao presidente da relacio, eilglndo o seu pa-
recer a respeito do que no odelo, que Ihe remelle, re-
presenta a cmara municipal de Naiareth sobre a elel-
Co do juii de pai do 3." dlstricto de Trecunhiem.
pito Ao administrador da mesa do consulado,
dando-a-e por inteirado do fallecimento do respectivo
arqueador, Francisco Jos Marlnbo.
Dito__Ao padre Joaquim Antonio Marques, conce-
dendo a dispensa, que solicitara, do lugar de escrivio
da administracio do patrimonio dos orpbios. Para
substituir o dispensado, fol Horneado Francisco Sim5es
da Silva ; e para presidir a metma admlnistracao, no-
meou-se a Jos Machado Freir Pereira da Silva.
Dito Ao commandante superior do Hecife, autori-
sando-o a faier passar para o respectivo esquadrio de
cavallaria os vinte guardas, mencionados na relacio,
que acompanhou um ofllcio seu.
Dito Ao chele de policia Interino, determinando,
faca quanto antes entrar em ejercicio o segundo sup-
plente do delegado de Flores, ou o seu Immediato ; e
eiigfndo soa opiniio obre a validada doa motivo, que,
para ser dispensado do cargo d primeiro supplenle do
mesmo delegado, allegou Manuel Vicente da Cunha.
Dito Ao Inipector interino do arsenal de marfnha,
Indagando da poca, em que o engenheiro Luli Lger
Vautbler comecou a dirigir a obra do caes, que em fren-
te dn mesmo arsenal le esl construlndn.
Dito Ao metmo, ordenando, que administracio
dos eitabelecimentoi de caridade, para o tervico destet,
mande entregar mals dous dos Africanos llvre, reco-
Ihidos ao arsenal snb sua Interina Inspecco. Parli-
clpou-se i administracio dos estabelecimeotoi de ca-
ridade.
Portarlas Demiltindo o subdelegado da fregueila
de Taquaritinga, Joaquim Jos Camello Pessoa r o aos
respectivos primeiro e sexto supplentes, Jos dos Santos
Barros e Francisco Jos da Fonseca. ForSo substitui-
dos : o 1.% por Brai de Viveiro Camello Pessoa ; e o
2.', por Antonio Pereira da Costa : e participou-se ao
cbpfe de polica Interino.
Dita Dando a Joio Ribeiro Pessoa de Lacerda a
dispensa, que pedio, do lugar de subdelegado da fregue-
ila o Llmneiro. Nomeou-se, para substituir o dis-
pensado, a Joaquim Theodoro de Vasconcellos Aragio ;
e para primeiro supplente deite, a Francisco Joaquim
da Silva.
Ditai Nomeando para mpplentes do juii munici-
pal e de nrphiins do lermo de Cimbres : em primeiro
lugar, a JosCaotano de Medeiros ; em aegundo, a Pan-
taleio de Slqueira Cavalcanli ; em lerceiro, a Leonardo
Beterra de Siqueira Cavalcanti ; em quarto, a Joaiiuim
Manoel de Medeiros ; em quinto, a Antooio Leite Tor-
re fallindo ; e em seito, a Joio Leito de Oliveira.
Fizerio-se as convenientes partlpacdei.
dem iiiv mu 30.
Ofllcio Ao Eim. presidente da Rabia, inlcirando-o
de haver o brigadeiro commandanle das armas declara-
do, que nao perlencia guarnicio desta provincia o
primeiro sargento Manoel Joaquim Tavares.
Dito Ao presidente da relacio, eiigindo seu pare-
cer acerca do cnnteitn do olllcio. que Ihe remello, em
que o inspector da Ihesouraria de faienda declara a du-
vida, em que se acha, sobre o modo de contar os vencl-
mentos dos juites municipaes e de orphios.
Dilo Ao padre Joaquim Antonio Marques, decla-
rando, que das duas chaves, que, quando escrivio da
administracio do patrimonio doi urphioi, tinha em
seu poder, deve entregar urna a Jos Machado Freir
Pereira da Silva, e oulra a Francisco Simos da Silva.
Portarla Demitllodo Antonio Pedro de Figueirpdo
do lugar de prolessor adjunto cadeira de geometra no
lyiflo desta cidade. Para substituir o demittido, fol
nomeado o bacharel Candido Autran da Malta e Albu-
querque ; e participou-su so nomeado, ao inspector da
thesourarla das rendas provinciaes e ao director do
lyco.
Dita Reformando, no eiquadrio dn cavallaria da
guarda nacional do municipio do Hecife, oa capi'aes
Jos Francisco Mamede de Almelda e Francisco de Pau-
bella dama, que eicrevra a Amab, o da qual ae aprovri-
tra Carlos. Esta appruximaflo do factoi feeslreroc-
reraAmab, que todava deixou correr os gracejos em
derredor de si, como ae so tr.itasse dos aventuras de Te-
lemaco. Comtudo, impacientado por eaiaa picada! de
golba, qua a cada instante oallingiio, j elle ia iiupr
silencio ani seus discpulos, quando o criado, esie, que
o deixra por algn dio, o que vollra ao eu servico,
Ihe annunciou a viaila do marques da Mnniajeu.
A inminencia do pergo restiluio inteirsinente a tran-
qnillidade Amab, que deixou patheta o piuco, c foi
ter com Mr. da Mnntaleu na salo contigua i olliciua ;
saudott-o como quem ae lisongeava com a honra de ee-
melhante visita....... offereceo-lhs urna cadeira; mas
recnsoii-a o mafSJiiei, ditondo-lhe :
Nao se podera. vuvir da ullicina a coiiversacio, quo
vamos ter P
Perfeitamentf.
Passemna para oulra parte.......
Como V. excellenoia quiter, responden Amab, a
quem eala precoujio advertiu, que dovo eatar da oau-
Icla.
E fet entrar o marque para um quarto do aposento :
o marques aenlou-se. gmii te com aipecto grave,
tritio o preoccupido ; profundo uspiros Ihe cscapavio
do peito. Amab, tentado em rreito dclle, niostrav-e
cuino quem nada enmprehende do myalerio, que ae Ihe
reclama, nem daafflii;io, qo so ihe raanifesta. Una
noila e ama licio muito haviio aproveilado Amab.
la Corroa de Araujo. Participou-se ao respectivo
commandante supeiior.
waaiunmianimi. ,i.,rv
INTERIOR.
Rio*d@-Janeiro.
NOTICIAS DIVERSAS.
A sessio da cmara doi deputados estete bontem
de agosto] intereisante.
Depoisde approvar-te em primeira discussio o pro-
ecto, que cria um archivo publico, e de licor ainda
adiada a disouisio do requerimeolo, que remello b
commissio o projecto lobre a divia doi limites doi mu-
nicipios de Rerenile e de Areiai, passou-se a importan-
te quesillo da reforma judiciaria-,
Foi rejeilada por maioria de nove votos um reque-
rimonto do Sr. Carvalho e Silva, para que a proposts do
governo se disoutisso porcapitulos.Continunu, purtanto,
a discussio do artigo 1.'
O Sr. Fernandei Torres, ministro da juslira, entrou
com :lur na tuilenlacio da proposta do governo, rei-
pondendo ao discurso proferido na sessio antecedente
pelo Sr. D. Manoel. Delendendo o artigo, que cata-
belece a incompatibilidade entre os empregos de legis-
lador e de magistrado, S. Ese. declarou, que vai para
I afanos, que esta convencido, quo esta agglonieravSo
de uitril.uu <"'. he incompativel com o interesie publico
e corn a boa administracio da justira, Dsej, que te
jio defendido! o direilos da magistratura, firmada sua
estabilidad*', respeilada sua independencia; mas ba de
Leona fu-ana .ilifeil,i do prinieiros pS>o do leu dii-
cipulo, nio tem receio da cuiisequenciu ; porque elle
eslava a braco com lemeriiio adversario.
Van. aabe, em do vida, du aucecaaos da noile pas-
aada ? disse-lbe o niarquei.
Que tceoslo ?
Vm. eicrevco a madcmoiiclla Tliore.
A inadcniuiella Tliur ?......... Nunca, quo c
laib.
Ma ella dit ler rceebido urna carta su.
MiiiIi.i? ....... Tiiuibi'in leu irmao diz haver-me
eoripfo, segundo me afllnnou Mr. do Monriou....
Mai eu nem eterevi a iruiaa, nem recebi carta do
irino.
Atienda, leiihnr, que em lodo lito homo anaiai-
nato, violencia....... He negocin de ir ana tribunaca,
se boje me.nio e nio concluir entro n.
Cunrluir-sc-b.i onde lor uuuveniento, que e con-
cilla....... io da respoilu ai inlereisadu, replicuu
seccamente Amab,
Nio vai a enfadar, icnliur; hontcm Vm. fui a cata
de Mr. Thur?
Sim, aenhor.
Vm. conlou-lbe aa cautai da deiippsricio do
Corlo?
Sim, aenhor....... c cnat cantal conlrio-lh'ai
a V. xeellencia ?
Eu ignoro-a; Vm. a confiou ua honra; e,
bsm que is trate boje da lalvaciode ma flha, en hon-
esforcar-se por tirara adminitracio dajuilif do"cshoi
em que te acba. O anno panado, S. Ele. votoo con-
tra o artigo, que exclua o magittradoi de lerem olei-
tos, pnrque o arbou anti-constitucional ; na sua opi-
niio, nio so pode prohibir, que teji votado!; mai,
depoii de pleitos,deve-iereconbecer a iocompatibilidade
de um com outro emprego. Quem he juis teja juis,
quem he legislador sej i legislador.
O discurso de S. Eic. foi multo apoisdo; entre-
tanto, considerou-ie geralmente na cmara o requeri-
miento do Sr. Carvalho e Silva como umi questio pre-
liminar, pe qual se poda conhecer a orle provavel da
proposla; equi-se enxargar na rejeicio do requer-
ment o preisgio da torte, que espera os pontos cr-
dese Jo projecto.
Fall irio depoii de S. Exo o Srs. Franca Leite e
'ouza Ramos, que combalrio a propista.
(j. do Commercio.)
Na sessio de hnntom (4 do corrente) quando fsl-
lava o Sr. ministro da juitica, delendendo o artigo da
proposla relativo i aposentadora dos magistrados poli
ticos, um Sr. deputado por Pernambuco, o Sr. Nunes
Machado, replicou-lhe em um aparto, quo appellavs
para o povo ; quo ao povo compela a tolueno delta
questio. O aparta do nobre deputado, que de nin-
guem teri S'm duvida pasudo desapercebido, envolve
em ti a mesma ideia, que a todos leso occorrido, e que
principiou a circular na populacio da capital, desde
quo nos doui ramo do poder legislativo foi votada a no-
va lei de eleicfies. (Queremos fallar da disiolucio da c-
mara dosdeputadoi, que devo teguir-se pasiagem da
lei, como urna consequoncia imiiie lala, impreterivel,
e altamente poltica. Preicindindo de quaeiquer ou-
lra* considerantes, que alii apresentao-ie de tropel ao
espirito de quem medita sobre a conveniencia de le-
melbanto medida, bastara de por li o motivo grande e
gloiuso de dar urna satisfacao it necessidadet coniti-
tucionaes do Brasil, para que tem mais demora aca-
mara, infeccionada em sua ongem pelas instruccOei
policiaes de 4de maio, fOsso substituida por oulra, elei-
la lob a influencia da lei nove, e que lignilicise o sul-
fragio espontaneo oliva- da populacio de noitat pro-
vincial.
De toda a parte diz-ie e ropercule- e oecbo, bs qua-
tro snnoi ; quo ai urnai u enlem que eom inl-
truerel taei nio te compadece a liberdade do voto
que ern enmaras auim eleilai em vio prucurar-se-bia a-
char a expressio verdadeira e fiel da opiniio publica.
Pois bem I Abi lende urna lei, que, segundo a opiniio
unitona do todoi os partidos, apagar os ultimo! ves-
tigios dos abusos passados, e, resliluindo ao povo o di-
reito real eeflectivo do obter representante! de iua et-
collia astentari sobre a sua verdadeira base o edificio
deslocado e vcillanle do governo constitucional. Uque
se eipera cnlio, para quo o paii nio seja deide ja dota-
do com a fruivio dos beneficios, que Ibe afiaoca are*
forma eleitoral ?
Emquanto ella nio exista ainda, era preciso acom-
modar-nos a lei irrcsitlivel da necessidade, servir nos do
que potsuiamot, apascentando-not com a esperance de
um fuluro melhor. Mas. gracat i Providencia, s re-
forma eliminou da legitlaco dopa ene decreto nu-
cido nos maus das de crite e de tormenta para nonas
insliluiei ameacadai. Aguardar depoit diito o mi-
nitlerio ainda quasi dous annoi, para que ella seja exe-
cutada, dous annoi, que falli, para o lermo ordinario
da legislatura, dous anuos, dentro dol quacs leem de ser
ir que n-qu rem urna cmara cheia de frca moral, cuber-
a dos prestigios da opiniio I
Da discusiio e votaeo da reforma resultou o reco-
nhecimenlo solemne, ofllcial e irrecusavel de ludo oque
o clamor publico havia ennunciado contra ai deleslaveis
instruccoea de maio. E cuida-te acato, que acamara,
cuja eleicio ellas dirigirio, nio perder* com iiso gran-
rnda genio nio aejulga deiligada da patarra, que a Va.
deo.
Amab inolinnu-ie ; cliav-e slliviado de nma hor-
rivel appreheniio ; porque nio o havia animado a coa-
fesor a Len a eonfidencia feta Tbor eiua inulher.
O velho marques continuoii:
Vm. leve tuna conferenoia com eiia familia,
deixou-a para ir a easa de madama deCambure ?
Tudo :sso !. vordade.
Vm. foi a cana dola ?
Queira perdoar-ino, senhor rotrquet; eu em nin-
guom recunhvca o direito do me interrogar, como V.
excellenoia fai.......... Elrei anto iMV,j'tix procei-
sante?
He para evitar, quo Vm. la ohegue, que eu aqu
vini.
Agradeyo a V. excellenoia a ua hondada mi,
como nao temo ohogar ealreiiiidade, oom que V. es-
cellcncia me anuafa, rogu-lhu, me permita eaperar at
l, anm do responder aquende, que, au moni, ine
eran f it.it eiu virtude de um pudor, a que rae dovo
ubjeiiar.
__ .Minio bem, teiihor, diite o marques........ lem-
bra-nie Vm. o incu dever....... Suu lagialador, ainda
na para reapeilar duque para faier a lei. Tera
juti(a a ua marcha.
Tenha-a embura, diste Amab, inolinandu-te, com
are de qaem te v deieiubarafado de una viaita im-
portuna.
I


**m
,2
de parte do leo conceto politieo, o prioeipal elemento
de sus forcs ?
He intil, que noi derooremoi em toda II reflexOei.
que eite graveissampto lugere. A d issolucio da cimi-
ra be para o (...iz urna oeceasidide, e para o ministerio
um dever, de cujo cumprimento nada o pode itentar.
Sejloqoees forem 01 pequenoi inconeneotei di me-
dida, elieidevem denppareeer diinte da exigencia dos
grandei prineipioi da nona forma de goverao, e dos in-
te resaei lirioi do Krisik
Hoje (10 de agosto), pelis 11 hom damanhaa,
borne um pequeo incendio n'um sobrada di ra di
Allindega defronte da igreja de S.-Goooilo-Gareii.
(O Mvtantil).
Pela crrela americana Plymoutk entrada de
Montevideo em 11 dina, le labe, que o doii bitalhdei
inglezeideinfantarii de linbi, que guarneeiio aquel-
la praca, tinhio embarcado para o cabo da Bol F.'pe-
ranca,que os oKeiaPS dos navios do guerra ingleiei e
francotes desembarcarlo livremenle em Ruenot-Ayre,
que o general Rosas tinha ordenado a luipensio das
hostilidades contra os navios, que descesiem do Para-
n; que se tinhi mandado gahir o correioi, suspen-
sos durante a guerra, para o Paraguay e Corrientes; e
que no'dia 22 de julho le eiperiva M. Hood em Bu
ceo. para entender- se eom o general Oribe.
Todas as cartai recebida de Buenos-Arres issegurio
a terminadlo da guerra.
A chegada da Iragati francesa Proierpine veio de
algum modo confirmar as noticias, que corrro nesta
cidade, e que tomrio miii corpo, depois que se lou
be ter pastado pela Rabia um barco de apar inglez, le-
vando a seu bordo um agente dos governol intervento-
res no Rio-da Prata.
Com efTeito. desembarcou em Ruenos-Ayre o Sr.
Hood, agente confidencial los governos francez e in-
gleijnnto ao da Confi.lerseo-Argcntini ; e tses ero
es ordena d'aquelles governos, que o baroo de vapor,
que conduzia o Sr. Hood, nio tocou em Montevideo !
He voi geral em Buenos Ayrcs e meimo em Montevi-
deo, que oSr. Hood bo porladar de propositos de
paz.
Se he possivel levantar urna ponta do veo, que cobre
os negocios diplomticos do Rio-da-Prata, parece-nos
poder assegurar, que nio tarda, que termine a inter-
ven(io anglo-lranceza noi negocios da America do
Sul Lord Aberdeen e M. Guiot nao podem nio
queiem continuar nesieestado anmalo, que nom be
guerra uem paz, em que se acbo a Franca e a Ingla-
terra para com a Confedaracio Argentina ; em conie-
quencia leria aconselhado ao Sr. Sarratea em Paris e ao
Sr.Moreno om Londres,que apresentassem alguma pro-
posta tendente a por termo a esse estado de relaedes.
Nao ((firmamos, mas rasOes ha para acreditar, que, -
proveitando as bases das pro.osices, que o general
Rosas oderecra h Inglaterra e Franca, e deque fra
portador M de Mareuil o Sr. Sarratea apresentaria
um novo | rojeclo de acommodacin, que aeria acceito
por M.Guiznt em Paria e por lord Aberdeen em Lon-
drei. O Sr. Hood viril, portinto, encarregado de com-
por toda n cousas com o governidor da Buenos-A y
res.
Nio damos por cerlos esles fictos; acreditamo-loi
provaveis e possiveis, mas confessamos, que faremos
votos porque le reilizem. Acabada a interven{io, a-
raba-se a guerra,e o Brasil pnderi enlio lomar em con-
siderarlo os seus interesses no Rio-da l'rat defioi-los
e garant- Ion pelos meios conveniente.
( Diario do-fio-do-Jantiro. )
.odia-20 do corrente (junho), leve lugar a inrtal
lacio da villa da Estrella, criada pela le provincial do
Rio-de-Janeiro n. 397, de 20 de meio deste anno.
Na fragata Contt\liii(io, que no dil 10 do cor-
rente parle para Plymoulb, onde vai concertar, seguem
para Inglaterra, alm do ministro plenipotenciario da
Grio-Rretmha unto ao governo imperial, o Sr. Ha-
miUon.que, por seu estado de lade.ie retire,-u Sra,
cheles de esquadra Joio Pascoe Greenfell, e doutor
Ernesto Frederico Pires de Figueiredo Camargo ; o
primeiro dos quses vai, com sua familia, residir, como
ja dissemos, em Liverpool eomo cnsul geral do Brasil,
c o segundo commiinonido pelo ministerio da marinba
para estudar a organsacio e economa dos hospitaui
martimos dos tres reinos.
Por occisiio da eleicio, a que se. procedeo na pro
vineia de Min.a-Geraei, para preencher-ie i vaga, que
na cmara temporaria deixou o Sr. ministro da justici,
obteve o Sr. Fernandei Torres 232 votoa nos collegioi
da Ouro-Preto, Msrianni, S. -Joio-de-EI-Rei, Bir-
bacena, Quelu S.-Jos e S.-JoSo-Nepomuceno,
que contavio 263 eleilores.
>. M. o Imperador acaba de condecorar ao Sr.
doutor Candido Borges Monteiro, medico da imperial
ciman, com a commenda da orden da Rosa.
{Sentinella da Monarchia.)
O marques ergoeo-ie, tomou o chapeo, procurou at
Invas, a bengala....... Volloii-se para cortejar ; mas era
claro, quo nio quena retrar-ic. Etna tbida falta ha-
via aido predta Aniel) por Leona, que 1 lie cimera :
Talves qni) elle deaca, te mella na rarruageni, tere-
tire; maad'ahi a um quarto d'bora etlor de volta a
proeura-lo. Eniquaiilo elle esperar poder abafa-lo, nao
deixari rcapirar um negocio, em qnetoaclia envolvido,
unr qiKiliiuer maneirjue rj, a nonio de aeu lulrinbo.
Adniirou Amaba pretcieaoia de Leona, quando u vellio
marques llie diaae:
11 Vm. eniao como madama de Cambure, e quer
a deshonra de Gualavo f
Trnlio ves de pedir contaa a Mr. de Munrion de
parte de tea proceder a roeu retpeitu....... maa para it-
ao nio lie aoa tribunaea, que me liei de dirigir.
De que proceder quer Vm. fallar .
Itto be um negocio grave.......
Puit falle, leuhor, talle.......
Perde-me, tenliur marques....... V. Ex. eal era
minha ...i, para me fallar de uto aconlocimonto, etn
que te trata de atiatiinato, de violencia, de uina carta
etcripla por miro, quando eu oMamo tenlio a reoeiar
fiaver aido o ludibrio de alguma indigna intriga.......
V. excellencia cmo qneaccuaa...... Maa que be o quo
huove?....... que acontecen?
Quel V tu. nao tabe, que liunteiu mademoitella
Ttiore fui altrabida fra de aua casa por urna carta
eu? ^
DI4RI0 DE PERV'AIBUCO.
Chegtu at 11 do corrente oa j..rnaea do Rio-de-Ja-
neiro, que not irouxr o vapor Imperador, entrado hon-
tein dot pnrtot do Sul, cora 7 diaa de viagiro.
No dia 29 de julho ultimo, pelae 6-J horat da tarde,
S. M. a Imperatris deo i lus urna princesa, que, al a
sabida do vapor, aooontervava vigoro.
A augusta etpota do nono eoberane, ao paaaar pela
rnais perigoaa daa vicitiitudoi, a que dem eatar mb-
jeitat peuai de aeu sexo, nada liavia aoffrldo em aua
importante aaudc, e ficra Loa.
Como nionarcliittai, que tomoi, rendemos gra(asao
Omnipotente, por noa ler, com esse felisenocoaeo, pro-
porcionado maia uro meio de tornar-te duravel no Bra-
sil a dvnastia do Senbor 0. Pudra I, a quero tanto dc-
vem oa naturaca deale imperio,
A commiatlo, que pelo ainado tora ouoarregada de
felicitar S. M. o Imperador, pelo proapero naaoimento
da princesa, o fes, por intermedio do aeu orador, o Sr.
Paula Albuquerque, com oteguinte diteurto.
Sp.niior Que doce emuclo nto repercute om ne6-
toi peitot, ao apreienlar-noa ante a augusta proaenea de
V. M. Imperial, para o fin do felicitar a V. M. Impe-
rial, pelo felisauoceato da exoelaa Imperatris, espesa
idolatrada de V. M. Imperial ebemdila de todoa oa aeut
subditos!
Mo he tomante o interetso publico, que rearesoe
"gora com ona nova vergontea da dynaatia illuttre, que
e arraiga no imperio do S.mta-Crus: alo tarobem ut
entinienlot generuaoa do Brasil inteiro, que se roaui-
mi de alegra no puro amor, que ellea tributan sa-
grada petsoa de V. M Imperial, c n inclyla e virluota
mii do miinoto fructn, que acaba de naacer inclume.
Qual nova eitrella, que lesa de al.rilli.inur i fami-
lia de V. M. Imperial, lutente noiiin lem prugeiiiloret,
vem cate rvoem-naacidn pimpollio da maia autiga ei-
lirpe diiurar a aurora do r......I> de V. M. Imperial, c
etpargir uui dia ot efluvina da dofura e geuiilesaa ma-
ternal, para eiemplo do aeu trio, u dolo dat virgeua
brauleira, fasendo, no cnlanto, ai delician do paco im-
perial, e o ornamento da ainitade fraternal. Queira o
Supremo Arbitro do Univereo fortalecer aeus diaa etilo
cmilrariar na ouidad" palernaet!
Atam vai, Senhor, a Providencia dilatando o tron-
oo da inagettade (implantado lia pouoo pelo famoso fun-
dador da iiioinirrliin conatituoional nenia abenyoada
plaga), como q.lerendo otlraliir tuda a altencAu, o
gotto dot puvot conterrneos, para o maia bello proto-
lypo da ordom social, e aperfeicoar aqu aciviliaucio
ii aun .il.iiiin-.il comu o flhu toe inuilaa veses ataulajir-
te ao pai.
O senado, Senhur, aculo toda a ctfuiio de prator,
que llie inspira qual'|uvr auccuaau gluriuau, uu grato a
V. M. Imperial. Posaa elle, toda a vez que liver de di-
rigir-te ao throno, abranger no aeu jubilo imiuedialu
lio cliurnt o aublimes ubfeoloa,
Taeatio, Sepliur, ut detejot maia ardentea, que
not mal podemot exprimir einteunomc, oque, com-
penetrado! do memuc jubilo, reipeitoeaiuenie doposi-
lamoa aob o aolio imperial. >
Ao que S. M. Imperador te dignou rotponder :
Summaniciile mu penlioro os auiiiiiuuiiioi, que etn
o- me do senado me inanifeslait ii'um dia do taalu rogo-
siju para miro. >
Na cmara dut depuladoa, cuja meta fra roeleita, o
quo deniait intcrome ae disoutia era o projeclo du re-
forma jiidici.iria. Etaa dincuiaao, de quo trula o Jornal
do Commeroio no artigo, que em lugar competente tica
liautcriplo, deo lugar a quo o Sr. Nunoa Machado, em
uni aparte ao Sr, luinislro il.i jmi.ea, que nella i..niara
parte, declaraste, que appellava datua opiuriu para a do
povo, romo roleie o Mercantil em um oulro artigo, quo
tambera copiainoa, e no qual, tratando a reapectiva re-
d.'iecAn deste f.icto, e notioiando a pataageiu, cm am-
bat ai caiuarat, da nova lei de eleiee, detnonalra o
necetaidade de ter quanto antes diatulvida a tempo-
raria.
De ludo quanto no sonado ae trotan, o que de maia
i'n.i attencao noa parece bu una propusla do Sr. Paula
Sousa, pura que se noiuO) urna coosuiiasao eaperial,
que, ineiliiaiidu sul.ru o niodo, porque deven) tur feitat
ai ii Uno.n do cnutliUiifio, indii|uo a maopiniao rai-
peilo, e qual o prooediiiieulo, que ao ineniuo aunado
compro tur, caao ae porto a unir cmara como nu pri-
meiro reforma.
O aoliinl adminialrador do Rio-du-Joneiro, o Sr. Pu-
dreira, alm .lo outroa acto, com que lia provado, qiu1
eiio mullo revolvido a fazor ioin que os habitaniea da-
quella pruvinoia au conliuuem victima dapolitieade
oppruiiio, que pelo eu autecetaor fra detcuvolvida,
acabo do pralicar um, que ainda iuai uuiitiriiia eaa re-
olucao, o que inuito u boiira, exigiudu dujuis de di-
rrito de Vonoiirai a raain, porque c ochava prcio om
Pirahy o bacharel Joto Joaquiui Machado, que fra ro-
nluto, a rci|uiti(ao do delegado do pulirla deS.-JoSo-
dn-l'rineipe, e cujo nico criino, diz o Braoil, oontia-
lia em ter por vetoi, na qualidode de advogado, invu-
cado a juanea contra o dominadores dene luunioipio.
U pi.i7.ij i|iir etava uiaroadu para o troco daa oodulat
de IIUUSMII. RlilS, fui etpataado at o dia 31 do de-
leiubro cle.io auno.
llu de 17 duito mes a ultima dala doa peridicos da
Babia, que recbenlo por ta barca.
No da 4 u Sr. Andrea fot entrega da presidencia da
provincia ao Sr. Metiiat de Lelo, como un lu ultima
Miuha ? Mat eu llie nio eacrevi.
ISem; mat nio anbe, que ella foi eondutida aun
opoteiitii de madama de Cambure, e que l encontrn,
ou ante lindarlo a aeu encontr Monriuo, bebado,
luurup
Mr. daMonrinn? mas eu o vi em cata de Mr.
Thor.
He verdade, e etsa caria foi entregue a mademoi-
tella Thor, algum lempo dejiois da aua atiiila.
Eullo devia eu eatar ainda t-m oaia du Mr. Thor.
Su, tenliur.......
E lena eu eicriptu a mndeun.iiella Thor, em-
quanto eatava em aua cu.a?
Etaa caria disia-lbe, que t ella poderia obter o
livraiuenlo de Carlot.
E l-la-hia eu incitado a temelhante arlo, quando
eu u.einio com aeua paia cogilava u meio de o con-
aeguir?
I'erdo, icnhor; cumpre diser-lhe ludo; maa aup-
poe-ie, que querido atlrahir cata malaventurada molli-
na ao infame laco, em quo a Hserlo cahir.
E teria eu feilo iato na menina uccaiito, ere quo
pedia aua nilo?
Eu repito todoa o receioa de auimoi deteipera-
doa i poder-te-bia julgar ene proceder como orna cau-
tela de man.
Em lodo o cato, icnhor marques, ae eu tiveaie a
grande arto das prcoaucea, te-las-hia tomado de os-
neira, que Mr. de Monrioo se nio aproveilasse da aua
0>rta nnosao correspondente dalli noa affirraou, aueoe-
deria.
O nobregoneral, depnla de haver recebido muitas de-
monstracea de reipeito, reconhecimenlo e tympathiai,
departe da gente niail grada, depoia de ler aido obee-
qoiadn com nm roui eiplendido baile, embaroou 16.
na curveta D.-Franoiioa, com dealino ao Rio-de-Ja-
neiro. .
En ootra parle enoenlraraS oa noiaoa leitorea, o que,
alm do qneextracUdo deixamot, de mait curilo vi-
mot nai folhai da orle, tanto no qno dia reipeito aoa
aegooioi do pais, como uu que tuna_aiia de Montevideo.
COWMERCIO.
Alfandega.
BjmDIafBRTO DO Da. tO...............'. 8;907#229
Dttearregdo hojt 21. '
PolscaMaria-Antonuttamercidoriis.
PaticboExprwidem.
BircaMary-Quun-of-Seotdem.
Consulado.
Rudimento do du 19.
Geral.
Provincial.................... .....
Oiversii provincus..................
256*617
98*382
8208
363i207
Carral- vinda do Sul pilo eapor Imptrador, ,m
de agosto de 1846
20
1DBM DO DU 20.
Geni............................ 2:1261524
Provinciil. .................... 827*012
Diversas provincias................. 53*655
3:007*191
RIO-DE JANEIRO.
CAMBIOS DO DU 10 DB AGOSTO.
Preeo da ultima hora da praca,
Cambios sobre Londres
Paria .
a Himburgo
Metaes. Dobrdei heipiobei.
a da patria .
a Peiot bespinbes
a di patria .
Peen de 6,400, velbis 16.000 a 17,000
Prata.....106
Apolices de 6 por canto 78
provineiiei 76.
(J. do Commercio.)
27
348
645
31,300 a 31,600
31,000 a 31,100
2,050 a 2,100
1.955
BAHA, 17 DB AGOSTO DB 1846.
Cambio.
Londre......26 3/4 por 1,000
Paria.......365 o franco.
Hamburgo ...... 680 o marco.
Liaboa ......120 p. / de premio.
Oncaiheipinhlii. 32.0001 32.600
mexicana.....31,500 l 32,000
Moedii de 6,400 .... 17.600 18,400
Ditu de 4,000 .... 9800
Prata.......105 a 106 por caoto.
(Correio Mercantil.)
Augusto de Figueiredo Pires N. .
Antonio Amiril Rotelho .
Lopai Viinna ....
Marques de Oliveira .
Bernardina Sena Silva ...
Bernardo Antonio Loureiro .
Cirlota Espioea......
Candido Benicio di Silva
Domingos Jos Birbosi
Perei Rnodio
Filippe Vctor de Ariujo .
Francisco Alvesde Mirindi G. .
Gnpir Jote dos Rail ....
Henrique Piymte.....
Joaquim Fabriciode M. .
Jlo Baptisti Furtodo M. .
p de Carvslho Rapoio .
Luis Ribe'ro de Fara .
Pereiri Moutioho .
Jote Jicomo Timo.....
Joiqum Ferraira Magilhle
Loureoco A. W. C
l.uiz DiaiCorreii.....
Manoel Forreiri de Soase Birbot
Pedro de Alcntara .
Nicomedei Mirii Freir. .
Pedro de Alcntara Lima .
Vicente Angelo Monteiro .
Vireimo Mximo do R.....
CartaaJorniei,
, 1
, i
3
. 1
. l
, 1
1
t
, l
. 1
1
, i
, 1
. i
i
, 1
1
1 1
, 1
. i
'BEBEBDBBo..
Ocuxa da cornpanbia de fiebenbe tero de apresto
tar tuai contal I admioistnclo, no 1.* de seUmhro;
previne aoi Sri. accionistas, que nio le responsibilisi-
r por oenhuma dn entrad, que nao fr realisidi al
o ultimo do enrrente.
Uecife, 20 de agosto de 1846.
M. G. da Siltm,
O 1.* batilbiode carjadores de linbi precincoo-
prir bandas de Ha pin inferiores, grivalas asipitoi:
a quem convior encarregar-se de tiei fornecimenloi,
compireceri nisecretirii do meimo batilbio, hoje,
21 do corrente. Joio Goneahei Netto,
Teneote igeola.
Movimento do Porto.
Navio mirado no dia 20.
Rio-de-Jaoeiro pelos portos intermedios, 7 din e 23
horas, e do ultimo 18 horas; paquete de vapor Im-
perado' oommandinte o l.'tenente Joaquim Salo-
m Ramos, equipagem 32. Tras a leu bordo: pi-
ra esta provincia, o coronel Fr.nciico Jos Mirtina,
cadete Jaciotho Baneto de Castro, Jos Correa de
Mendonca, Luiz Antonio Martim Monteiro, com 1
escrivo entregir, C. Sinder, com sua lenbori: pi-
ra n domis proviocin do Norte, o cipitio Gregorio
Antonio da Silva, alfere Miguel Gomos de Aievedo,
com 2 escravos.
S.-Mitbeui; 9 din, sumica brnileiri S -Crux, de 78
toneladas, cipitio Boltliazir Jos doi Reii, equipa-
gem 7, cirg firinbi ; ao propritario, Caetano Se-
risco da Costa Moreira.Deiiou o capitio em Ierra,
eieguiopira o Aracaty, por con ti do proprietirio-
A'it'ioi taludo nomeimo dia.
Hivre-de-Grice pelo Pari; brigue frincei Yolof, ea-
pitio Joio Mirii Falome, cirg assucar.
Porto; brigue porluguei ,1/an'a Felit, cipitio Anto
nio Luiz Gomes, carga assucar o couros. Paisigei-
ros, Juiquim Goncilve Maii Joaquim Antonio
Ciroeiro, Joio Joaquim Sara iva, Joiqum Pinto Mo-
rein e Joio Jos da Sil Nunei.
Dedaracoes.
=0 vapor Imptrador tira ai malai pira o portoi do
Norte, hoje, 21, as 2 horas di larde.
infamia....... poia que elle he, que ae aprovoituu dol-
a....... Toca-roe agura ftscr tambero urna pergunta,
aenhor atirques : Eiia carta etonpta, ao que disem, por
roiw....... onde eal'*
Nio te podo achar.
Ah de veraa!
Maa mademeiaella Thor jura perante os ceos e i
trra ler recmihecidu a aua leitrn.
lio uiua mentira 1
Ah | eeehwr, eaaa menina eal a morle......... eati
louca........maa nio mente........nio he verdade.......
a lettra era ma.
Minha lettra disto Amab como quero reouiava
a eaia ioexplicavel difouldade........... Mal a quem
perlenoe eaae apoienlo, a que Icvlrle madeuoiaella
Thcre?
A Monrion....... Ao menos, foi alugado en seu
nomo, por cello eriado....... um tal Joto.
A' essa palavra soltou Amab um grito.
Ah lenhor! Ah senhur!......... uto he liar*
roroao......... he lerrivel......... aenhor.........Ob] que
infamia!
E disendo etlaa pilavrat, punha Amab ot olhoi no
co, balia com o pe o chao, getliculava, de roaneiraque
o marques se vio obrigado a luoilera-lo, eapergunlar-
llie o que nal suaa ultima palavraa havia de to extra-
ordinario.
O que ha, aenhor? V. excedencia ae ha da recor-
dar, per oerto, da priaaeira vea, que Uve a honra de o
Theatro publico.
DOMINGO 23 DO CORRENTE,
sbito, atcena um noto drama do imigne Porlugutt,
e Sr. Garret, intitulado
A TORRENTE DO SAVERNA.
Acto \.*j4pouKtda.KtKo 2.* Oawulnuma-
daver.Acto 3. O vtntno.
No lugar competente, em que o Ilustre autor pi
um baile, le diociri a polka.
Sendo este drama (como Ii diietn) (re furos scian
da pecaEspido di Vneta; previne-ie ios amintei
e protectore issiduoi do theatro, que tomem eom aun
ntecedenrii os seus esmerles, pin olo ficirem setn
alies, como Ihei iconteceo ni recita pimdi.
Principiar* ii 8 hom e ineii.
Avisos marilimos.
= O brigue porluguez T^rujo-Sigundo icdi-m
alastrado e prompto i partir para o Maranbio, at 21
do corrente. Este navio alm de ter bulante veleiro,
eflorece o melbore commodoi posiiveii pin pam-
geiros. Ai pesioii, que te quizerem transportar em o
dito navio, tratem com Firmino Joi Felii da Rossi
Irmlo na roa do Trapiche, n. 44 ou eom o cipitio,
Jos de Oliveiri Fineeo.
Vende-se o brigue americano Ri-
chtnond de i53 toneladas forrado
encavilhado de cobte e prompto em
ludo a seguir qualquer viagetn. Os pre-
tendentes podem examinar o dito brigue,
que se acha Tundeado defronte do caes di
Alfandega e entender-se com os con-
signatarios, Henry Forster & G;
=Pin o Rio Grinde-dp-Sul segu com brevidide,
por ter pirte di cirg prodSpti, o brigue-escunt BiUf
Virginia : quem no meimo quiser cirregir, drtje-
se Joio Francisco di Crui, rui da Senialli-Velb,
o. 134.
=Para Macei, muilo breve, legoe vilgem barca
S. -Benedicto, lem parta de seu carregamentoproaip-
vr cm cata da Mr. de Monrion, astini curo dome qu>*
dro, que Ihe nio quis vender por preoo algum ?
Seni llovida.
Poia bem quando V. excellencia ae retiren, "'
nhor aeu vobrinbo dilae, que nio era hutnotn a loffr"
una recuaa, e que, na falla delta tela, quera a iuiuIh
vida....... que mu insultara ; eu julguei-o lutico.......
Ah elle o est etiffi fffsilo, uisas o assrqas!.
No dia aeguinle, encontr Mr. de Munrion, q<"
roe calende'a mo, c graceja, nio sei porque, aoeroa i
preferencia, que elle noneede ao mixtelu sobre a ims-
gem, Nio dei atleiiciu a iaao; maa vejo, que nio et>'
palavraa aollaa au vento....... Sabe V. esoellenoil o 4"'
duicobri hoje em minha oaia ?
Eolio que foi ?
Tiuha eu uro criado, que rae pedio lioenfa p
auaentar-ae por oito diaa, offereoendo-me paraosuot-
tiluir oro aeu oamarada....... Cunaenli....... "" ro
nhio, em lugar du aubatitutn, vejo o roen eriado, ,q
vultira ao lervifo, iem me diser nada....... Mu'"
onntente oom isio, inlerrogo-o, eiifadu-mr, '""'""j.
e iei,queo lubatlulo era juilamenle o criado grl<*
Mr. de Monrion, una tal J..io David....... ene, deque
ero duvida acaba detallar V. excellencia; ase. ^"V* ,
uiandou du novo o meo criado, disendo-lbe: r
ir para o leu lugar ; a farra eal representada.
He poaaivel? dine o marques aniquilado. Maset|
que intuito P


tt: qttem quizer nelli carregar, ou r de pissagem,
dirija-*-' bordo da mesma, no Forte-do-Malo, que
cbir com quem tratar, ou Joeqoim RibeiroPon-
le, d ra da Cadeia do Becile, o. 54.
= Para Macei, com brevidade, ett aabir o pata-
cho Flor-da-Vrdaie, forrado de cobre edeprimeira
marcha: quein no metmo quier carregar, dirija-ie ao
irmai-m de farinha do cae* do Collegio.
Para o Aracsty ai. impreterivelmenle no da 30
do correte a aumaca Flar-do-jinaem ; anda re-
ceba uma pequea porclo de carga : trata-ie com Jo-
te Franciico da Silva, oa ra da Cruz, armaiem n. 61.
liCiles.
- M. S. Miwion, teodo de retirar-ie para Inglaterra,
lar leillo. por interveocio do eorretor Oliveira, de to-
da a mobilia da aua caa, conaiitiodo em meiti, etdei-
ra, leito, camaa de vento marquetas, oommodas,
bancas, toucadores, lanteraai, lougs e vidros, qoa-
drot.e.alem de muitosoutrosobjeetos.de um esplendido
piano de Jacaranda,perpendicular, de eicellentet votes ,
de uma meta de sotar, nova,e de muitas obras de prata:
segunda -feira, H do correte, as 10 horas da manbia,
no segundo andar da casa. o. 2 ra Nova, com'Vntra-
da por detras da igreja malrii do Sacramento.
Kalkmann & Rosenmund
fazem leilo, por intervenco do
eorretor Olivein de um sorti-
mento geral de fazendas todas
proprias deste mercado: hoje, 21
do corrente, as 10 horas da ma
nha no se armazem ra da
Cruz.
Avisos diversos.
O SAQUAREMA.
O n. 8 acha-se a venda na prafa da Independencia,
livraria os. 6 e8.
O NAZARENO N. 43,
est a venda ao meio dia, na praca da Independencia,
livraria nt. 6e 8, e na ra ettreita do Rosario cata a
Traz muitoi artigos de intereiset, e dignos de serem
lidoi: o redactor eonta, qoe cada vei ir em mais erts-
cimeoto o concurso dos amadorea.
Digo eu abaiio astignado, que o meio bilhete da
lotera de Nossa Senhora do Livramento, n. 232, per-
tence ao Sr. Joaquim Teiteira Arouea^ do Kio-For-
molo. Franciico Ftlix Si Millo.
O Sr. Antonio Finio deSouza Bri-
to, querendo receber asencommendas e
cartas, vindas de fra pode dirigir-se a
ra da Conceicao, armazem de sal nes-
tes dous das, por ter de relirar-se a pes-
soa que as tem; ou annuncie sua mo-
rada, para se Ih'as entregar em mo pro-
pria.
Na ra do Fogo o. 41 oogomma-ie, laya-se
e coiinba-te para'fra; ludo com o maior meio e
promptidto postivel por preco mais commodo que em
ontra qualquor parte. Na mesma cssa tambem se cose
costuras grossas, e aa chamadas da poote.
= Alugi-se o solio do sobrado da ra Nova n. 5,
com commodos para familia : a tratar na loja do mes-
mo sobrado.
Queco aonunciou querer comprar a algebra d
Beio'jt quereodo comprar o curso oompleto de mi-
tbematicas purss desse autor, dirija te a ra da S.-
Cruz, n. 38.
Furtirio na noitede 18 para 19 do corrente ,
do abaixo astignado da cata de sobrado, que est
edificando na ra da Concordia cinoo taboas de as-
toalbo duas de orro, e dous pedaco de costado j lo-
do de amarrado e juntamente uma canoa de carga de
600 lijlos de alvenaria groase : quem do dito roubo
der noticias ser generosamente recompensado.
Manat Firmino Ferreira.
= Alaga-se urna casa terrea oa ra Bella com 2
talas, 3 qusilos, cotinba lora quintal e cacimba; et-
t hmpa e asaeiada : a tratar na ra do Collegio n.
15, segundo andar.
Dentista.
M. S. Mswson, cirsirgio dentista, participa ao res-
peitavel publico que pretende laxar uma viagem para
Inglaterra pelo fim deite mez e por ittp convida a
todos os Senhorea que quiterem usar do teu presumo,
oio se demorem em procralo, que ahi est o na-
vio Sutord-Fi', pude ser asuisahida aprestada, e a sua
demora fra desta praca se estemleri a mais de 6 me-
tes. Na ra Nova n. 2, segundo andar
= Qoem annunciou querer comprar a colleccSo do
l.idador, dirija-so a praca da Boa-Vista venda 8
> Aluga-se a cssa de dous andares da rna do Bur-
gos n. 7 : a tratar no Aterro-da-oa-Vista n. 63 ,
segundo andar.
Precisa se alugar um moleque ou negro leito,
que nSo tenba vicios e seja bem hbil e diligente pa-
ra o servico externo de nina casa de pouea familia. Di
rigir te a rus do Rangel, n. 59, segundo andar.
Deteja-se fallar aos herdeiros do Reverendo vi-
gario de Pilio-Arcado padre Joto Caprislano de Mo-
raes Sarment a inleiso dos metmos : nesta typogra-
phiate dir aonde.
=s A pessoa que aonunciou querer 200,000 rt. a
premio dirija-te a praca da Independencia loja o. 3.
me. Qoem Ihe faltar um casal de gneos, dirija-se ao
titio de Gabriel Antonio que tetn a eisa grande na
beira do rio, no Cordeiro.
= Aloga-eo, para paitar a fetta oo por anno 1
urna easa no Poco defroote da igreja, comoommo-
doa para grande familia : a tratar com a dona, na met-
ros easa. .
=s A easa de sorvetet do pateo do Carmo deixou de
continuar porque o dono aa acha doeote ; mas oi
transferida para a ra do Rangel sobrado novo de um
andar, enelle ha boaa commodidadet para aeoho'as
quando quiterem lomar aorvetes. A entrada rouito
desempedida pela venda.
O meio bilhete de n. H99, da pri metra parte da
terceira nova lotera de N. S. do Livramento perteo-
oe aoSr Joaquim Jo* Barboza Jnior do Cear.
= Precisa-se de um sitio com casa pequea, e dis-
tante de qualquer outra casa e qoe seja no Rotari-
nbo Afilictot Poote-de-Ucba, Cata-Forte, Ar-
raial Monteiro Apipucot, ou Beberibe ; e junta-
mente te precisa de um bomem capat para eatar com
um doente oo metmo sitio : oa ra Nova n. 10.
sa Precita-se de um rapas portuguez de 12 a 16
annot, que tenba alguma pralica de veoda e queira
ir para fura da praca : na ra da Praia armaiem de
carne n. 13.
= O abaixo assignado declara ao Sr. JoioGoncel-
vet Evangelista que nao era capsx de o chamar a jui-
to sem ter testemuobas psra provar que elle Iho de-
via ; pois o mesmo abaixo assignado nao esta em
circumstanciat de precisar de seu dinbeiro, como pa-
rece, ter querido inculcar o Sr Evangelista quando
bateo na caite-ira. Qnaoto a ter o mesmo ameacado ao
aonuneiante de envergonba-lo muito podara elle
diter, mas recolhe-se ao silencio o entrega ao des-
prezo essa bravata. = Venancio Fisiro Henriquei de
Mello.
A fabrica de C. E. & F. Arnoldi, em Gotha ,
fax oanot de pedral queimadat, para condcelo de agoa,
muito em eonta e que lio convenientei para jardn,
engenhos 4o. Quem quizer mandar vir lestes canos,
pode dirigir-se al-'. H. Lutlkns na ra do Trapi-
che n. 16 que dar as informseoes necessariss.
= abaixo assignado roga as peisoas.com quem tem
tramacc&ea a respeilo de sua venda na ra da Maiire
de-Ueos, o. 24, que apreseotem suas contas, no prato
de tres diss, por deixar de ser seo caixeiro (em boa con-
venci} ese retirar para (ora da protiocia o Sr. Albino
Barbota dos Santos.
Simplicio Xavier da Fonseca.
Albino Barbota dot Santot telira-te para fra
provincia; julga oio dever nada; e se alguem se julgar
seo credor, apiesente sun cootas no prezo de tres dias,
para ser embolsado.
Os abaito assigosdos declario ao publico, que,
desde que teem lido cootas com o Sr. JoSo Alvesde
Souta, nio tem havido a menor diflerenca em ditas
contal. oueley te faymond.
Manoel Flix da Rosa, por
haver outro do mesmo nome, se
assignar, de hoje em vante, por
Manoel Jos Flix da Rosa.
^Mariana Margarida Pereira dot Santot embarca
para fra da provincia a sua esorava crioula, de nome
Balbioa. Knnn
= Aluga-se um solio em boa roa, por 50UO rs.
mensses, muito proprio para bomem aolteiro : a tra-
tar na esquius do Livramento, loja de 6 portss.
= Aluga-teosotlo da casa o. 3, na ra do Li-
vramento com muitos commodos, proprio para 8 a
lOpessoas: a tratar na esquina da meima ra loja de
6 portas.
__ Fugio, oa furtirio no dia II do corrente de
um sitio ao pe do tbeatro de Olioda um oavallo ru-
co carregador baixo a meio cauda cortada ( com
signaea encobertos ) alguns dentei quebrados e j nio
he novo ; foi em algum lempo de um tal Sr Braoco ,
de Apipucos : a peisos, qae o tiver pegado ou dalle
der noticia dirija se a ruada Cadeia do Recife lo|a
de Joio da Cunha Meg.lbSes que ser recompensada
generosamente.
= Quom tiver 800.000 ra., e quizer da-loa a juros,
aobre lirmaaconteolo snouaeie por esta folba.
Senhor marques, dase seteramerrta Amab, una
carta de minha U-ltre, e que u nloesoravi, foi entre-,
gae a nwderooiiella Tlior, para faie-la cahir om una
rilada infamo, onde encontrn Mr. de Monrion........
e SU oarta deaapparoceo......... Mr. de Monrion hav
misto em minha oaia um agente seu, que podia livre-
iente aervir-ae do papel., qao o .j.i...i= a fingir
a minha leilr........ Esaa caria he um crirae de ralei-
dode...... ,
Senhor n.eu, dine o marqnrs, ergnendo-ie.......
He um capitulo de aeoosaclo, que haviaraoa omil-
lido, meu senhor, diaae Amab cora inaolenoia, entre
oa nuiroe, de quo V. exoellencia me fallou....... maa eu
o nio eaquecerei.
Vai. nunca esorereo madama de Cambure f
Nunca....... E deraaia, que (em madama de Cam-
bure coro eiteacouiaa?....... Nio f..i ella, creio eu,
quem mandou aervir-me o criado grave de Mr. de
Monrion. ... ,. ,
_ Maa est Vm. bem rerto do qoe diar
Poiao desengaar a V. excellenoia nesto mesmo
miente pelo meu criado.
_ E Vm. nao deitnu fra esae patitef
_ Sai de minha cas amanilla. -^ .
Permillir-me-ho, qoe eu o foca aafBB^rr
__ fie o une eu conlava faaer. ...
A aegnrid.de do Amab, e o inexpioavel *J>.
qoe eavolvia todas as ciroomstaooiae desla minga, ha-
Aloga-seoprimeiroaodardosobradoda ra da
Penba com fundos para a ra Diroita n. 9 : a tra-
tar na loja do mesmo sobrado.
Roga-se ao Sr. Jlo Vax de Oliveira ue baja
de declarar por eite Diario, quaerslo os tigntes vitiveis
e invisiveis, qualidade de roupa que levoo vestida, e
a dacio, de Aptonio Pinto Soares; pois, comoeu teoho
vontade de ganhar os 50,000 rs. que o Sr. Vas tem
para dar a quem deicobrir aonde esta o Sr. Pinto Soa-
res, que existe debalxo d > telbado, no dcimo andarde
torres-velbaa e sou o filho do ganha dinbeiro, de-
sojo saber d'esses signaos.
Concertio-se as alampadas chsmadas crceles ,
com machina oo sem ella com toda a perfeiclo e
promplidio ; responsabilisando-ie o coocertador pela
falta do andemeoto e por preco commodo: na tra-
vesea da Concordia o. 13. detris da torrado Carmo.
- Fstem-te qusesquer cortinados tanto para ca-
mas como janellas e mesmo para decoraQea de salas
de bailes, ou de sociedades : fatem-se tambem fura-
c6at do cadeirat, de qualquer feitio que sejlo ; eol-
choes elsticos de lodosos tsmanbos ; e em fim tu-
po quanto he coneeroeote a tapetara : tambem pOe-
se tapetes, e esleirs; ludo com a maior piomptidln ,
e por pretjo ratosvel. Na travesa da Concordia o. 13,
detrs da torre do Carmo.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio numero 10 e no Aterro-da-
Boa-Vitta loja o. 48, tirio-te pattaportet para dentro s
fra do imperio,assim comodespachlo-seescravos:tudo
com b'evidade.
=0 Sr. Jote Augusto Marques queira dirigir-se a ra
das Crutes, n. 41, a negocio de seo interesse.
Aluga-se uma casa na rus Imperial, com 2 li-
las 3 quartoi eo/inha (ora : a tratar oa ra Di-
reita o. 66.
Joio Gomes do Cunha e Silva, tubdito portugus,
retira-te psra lora da provincia.
Aluga-se um sitio a margem do rio Capibaribe.
por anno, ou lmente plo lempo da festa, viiinbo do
litio, onda mora o Sr. cnsul ingles, ns Capunga: diri-
jlo-se ao mesmo litio.
=Na ra do Queimado, n. 8, engomma-se com
sseio e promptidio, e por prec,o commodo.
- Roga-se aoSr. J. T.S.B. o (avor de mandar pagar
a Sra.D. Maria Francisca Monteiro o aluguel, que ficou
devendo.de umasnoe Un tos das,da casa,em que morou,
no lugar do Mangninho.ee nio quer, que seu fiador se-
ja executado, ou que paguo por elle. Adverte se ao di-
to Sr., que, ib o nio fuer, paitar pelo deigoito de
ver o leu nome publicado; e que quem obra as-im, tica
desacreditado, esem merecer, que Ibe confiem ou o a-
bonem em cousa alguma.
Um bomem portuguez, de probidade, com pratiea
de negocio, se oflerece a quem precisar, para tomar
conts de qualquer estabelecimento ou administrado,
ou paracobrancas. Elle garante a aua condula. Quem
o preciiar, aonuncie por eita folba.
-Aluga-se uma caa terrea oa rna dna l>teaitnra,
n. 6: na ra larga do Kotario, n. 38.
=Aluga-se. por 7,000 rs. meotses, otegundo indar
do sobrado, sito na ra Direita, n. 11, com poucos
commodos, ptimo para bomem aolteiro ou para pou-
ea familia : a tratar na ra Direita, padaria.o. 21. ou
na ra do Collegio. terceiro andar do sobrado n. l.
= Precisa-so de dous odiases de cbaruteiro ; em
Fra-de-Portas, roa do Pilar, n. 84.
- Aluga-se uma preta boa co/iobeira que sa-
be eoiaboar, lavar de varrella engommer perita-
mente, que est acostumada a tratar de erianca, para o
que tem geito e eit apta para todo o lervico domei-
lioo de quslquercasade familia : quem a pretender ,
dirija-se a ra da Soledade n.29, ao peda Trem-
pe at ai 7 horai da manbia ou dai 6 as 9 da noite.
= Preeia-se de um moleque, bom cozioheiro. que
tenhal8a24annos de idado. saiba lomar eonta do
una coiinba e que seja muito experta : na ra No-
va n 14, se dir para o que be preciso. Na mesma
osts precin-se de um bomem capst sem familia, e
que leja poiianto ; paga-se bem.
= Preci.a-se de um trabalbador de masseira, e que
tenba freguezia da vender pi ; d-se bom ordonado :
na ra Direita padaria n. 24. Na mesma padaria
d-se pi de vendagem a pretas ou moleques res
poodendo sous leohoret pelas faltas.
= Precia-iede um bomem, para criado, que en-
lenda de tratar de oavallos, e, se entenJer tambem de
coiinha, roelhor lera leudo moco ; na ra dai La-
rsngeirai, caa da afericao te dir quem pretende.
Precisa-sede uma ama para o orvico de urna
casa ; no principio da ra de Hortsi.jK 5
Compras.
Conpra-se um bacamarte de cano de brooze ,
obra muito bem feta da que ao cottuma a encom-
meodar; pagase bem ; quem tiver, annuncie.
- Comprarse, na ra do Cres-
po, n. 17, loja de Santos Neves
& Guimares urna pega de ca-
simirairerde.
__Convio-sa todos os nmeros do Ltdador, desde o
primeiroal* esta data, estando em bom estado : quem
tiver, annpncie. .
_Comprlo-se os nmeros I. 80 e 21 do anno de
I840,daeollecpiodo Atckwo Popularlo numero4
do aono de 1843 : cesta typographia.
= Covpra-se o methodode piano por Adi, an-
da sendo em meio uso; na roa da Sentslla-Velaa ,
n. 40, ou annuncie.
Comprio-se psra lora da provincia, esersvot
de ambos o sexos ; oa ra Nova loja de ferrageni ,
n. 14.
= Comprio-se 3 escravss, de 20 s 30 snnos ; pa-
gio-se bem : ns ra da Florentina n. 34'.
Comprase um preto ou preta, ainda mesmo
com dad* bastante, sendo ssdia, e por preco commodo;
oa rus do Rangol n. 26.
Cainpra-se um piano perpendicular em boca
estado : oa casa junto ao thestro a fallar com o Sr.
Tosseli.
Vendas.
O Sr. Antonio Pinto de Sou
za Brito queira por esta folha de-
clarar a sua morada, para se lhe
mandarem urnas encommendas,
vindas de fra, com urnas cartas.
__ Precisa-se de um bom lorooiro ; paga-se bem,
agradaodo : oa cidade de Olioda na padaria d
do Amparo.
rilo poalo ainda mata perpleao ,o elho marques, que,
ooino madama Thore, naojulgava Amab muito crimi-
noso : para elle, madama do Cambla, fada male?ula
e imiiivel, era quem toda essa trama havia urdido ; roai
nao podia travar em parle alguma da mo, que ludo i-
nlis encamiiihadu ; Leona hara seropre interpotlo en-
tre ella o oa contocimentoa um agente oego e inno-
cente, que haria executado aa auaa funestas ronlades.
Ealaaa, pnia, Mr. do Montaleu aitunilo, e oinBro or-
den iirteie, que o aaainava, oancluinda pr diser
a Amab : .
Far-lhe-hei ainda uma pergunta, que aera a ulti-
ma que lhe dase maderaa de Cetubure, quando Vm.
fui bonica a aua eaaa ?
_ Qu,* exigencia de M. Villon, acabar ella de
dr a liberdade Carloa.
E Ves. nio ae deo prena a ir levar essa folia uoli-
eia *na familia
Sorquis, eme Carina eataria eoro ella.
Poia Vm. nio fui ao menoa aasegurar-ae, aa ma-
dama de Cambure lhe disia a verdade ?
Acrediioi na sua palavra.
Tem Vm. exiraordiuaria oonfiaiioa nessa dama.
V. exoellencia bom v, que easa oon6anca me nio
engatiou
alegra do aua familia ; porquo podia, devia, ilepaia do
teu podido, conaiderar a familia do madama Tlior co-
mo aua. .
_ Depnia do meu pedido, aonnor marques, receui
urna resposta qnaai evaaiva......Iiavia-se prorogado a
decalo da minha rontura para dopois da soltura de
Carloa.
__. poit bem i o momento era favorarc!.
Carlos leria proveveliuenierevelac,6eaa faieri sua
familia, ero que nio me aeria perrailtido (tomar par-
te......Julguoi oonrenienu a minha rt-.i-rra......e pen-
s, que iolguei bem poia quo ib por V. exoellencia he
que viro a ser advertido da Tolla certa de Carloa, e das
desgrasas c.ta noite.
Equaeaaloasauaa inlencea a respeilo de made-
aaoiaellaThnr?
__ Ol! ico luir......diaae Amab, abaixando oaolhea.
O marques enearou-o, e dopois replicn :
Perde, ulo me dir, eomo he que Vm. ulo ou-
be, que M. Thor e sua senhora vierlo eata noe aua
caaa?
Uonlem a noite, deixei eu aqu eaae Julo, criado
deM.de Monrion eata manilla aohei o meu antig" cria-
do, a quera o aen camarade nio lera julgado, acra du-
vida, neoesaario dar-lhe cuta dessa visila m.cluroa.
Vm. entlo nio pasin a noite era oaaa
Hapouoo catara eu na proaenva de um juta........
__Vende-so um molatioho de 14 snnos, muito
bonito a que he proprio para pagem ; uma bonita
eicrava de 18 annos connha muito bem, cose, 0
engomma e be propria para mucama ; uma dita
mopa do todo o servico por 350,000 rs. ; um as-
oravo muito reforjado proprio para todo o servico da .
campo ou armszem: ns rus larga do Rosario, o. 24,
primeiro andar.
Vende-ie lindo damiicode teda de todas as co-
res ; cortes de esmbraias trsnspsreotes, inglesss, mul-
lo ricas psra vestidos de senhora ; casimiras elsticas,
de cores escuras ; velludo lavrado de diderentes gostos,
psra eollele ; pannos finos de vsriss cores; lencos pre-
sos e de cores e tambem le sarja para grvala ; ditos
deaetim pira senhora ; diales de seda ; ditos de se Ja
e lia ; ditos de merino bordados e muito bonitos;
los de Moho brincos e pretos; mantas de esmbraia
adamascadas, muito finas, proprias tambara para cor-
lioadosdecaixilhos de alcova ; espsoadores de dilre-
rentes tsaoanbos, e mui bem feitos ; ludo isto e ou-
traa muitas fezen las se vendem por prego mdico: oa
roa do Caringa Injaa de Peroira C.arAn.
__ Vende-se uma escrara de muito bonita figura ,
moca, e com algumas habilidades ; stris da matrix da
Boa-Vista o. 24.
__ Vende-seuma safra de lavrador no engenbo
Cumbe-de-Baixo,avaliadaem700 pies: a tratar no
mesmo eogenbo.
Vende-se um violao com pouco
uso ; 3 iteiros para cima de balcSo ; lu-
lo por preco muito diminuto : na ra do
Cabug, loja n. 16.
= Veode-se uma rica colleecio de 43 frailados por
Ventura; 20,000.; ums earteira pequea de uma
s face com duas abas ums de cada lado e com o
seu competente mocho de asieolo de palhioha por
0,000 rs. : na praca da Indeper Jencis n. 2.
Vep.dein-se as obrss de Masiillon ; oa ra da
Soledade, n, 42, ou annunciem.
=Vetde-se uma preta de 24 annos de bonita fi-
gura ; um cabrinha de 7 a 8 annos muito experto o
bonito : na ra da Concordia paitando a pontexinha,
a direita, segunds cusa terrea.
Vende-ieum sitio com proporcOes para ter 12
vaccas solas; tem bastantes coqueiros, e oulras ar-
vores o bons commodos que serio psleotes aos com-
pradores: a fallar com o Leite oos Alogados, na roa
de S. -Miguel. .
Franciico Antonio de Carvalho Siqueira venda a
sua taberna tita na ra larga do Roiario esquina
da travesa do Peiie Frito com poucoi fuodot; des-
onerando-oocomprsilordo leu pequeo debitoapraca,
e pagmdo o resto a prato : a tratar na meima venda,
oucom Jos!- Josquim Das Fernsndes, na mesma ra.
as Vende-seexcellenle cera d carnauba, a reta-
Iho ptima faienda por ser muitn amarella e nio
fater rachar ss velas; na rus da Cadeia loja do Joio
Jos de Camino Moraes.
__ Veode-se uma machina de vapor ; uma dita de
later lijlos; uma lerraria vertical; um manojo ; a vis-
ta do comprador se lari todo o oegocio: oo Aterro-da-
Boa-Vista o. 5. _^^^
Mo, senhor, disae aeveramente M. de Montaleu; o
maa a minha idadee experiencia me autonsiu sidixer-
Ihe, ana nada ha de extraordinario em que um hornera
da ana idade passe a noite lora de sua oaia, exoepto na
ocoaailo. em quo acaba do pedir a raio de uma donxella.
Maa, scnlior......
lito he muito grare......
Suri ums amesca !......
Dar-ae-ha a isao o dorido apreco, lenbor meu.
Amab eata va turbado......via. que ajualica nio ad-
mitliria a. cavalleirosaa relieenoiaa do um. '""( "
morosa. Montaba ganh.va terreno ; por folioidado d.
Amab, lcn.bru-.o elle da tifio do Leona.......replt-
eou inimedialaniento :
Sel oomo V. excellencia quer ; em um quario da
hora o meu criado aera preso, o ter do reiponder, que
iiitencOea levarlo M. de Monrion a inlrodutir um eria-
do seu em minha ......e, como dis V. excellencia,
dar-ae-ha a isso o devido aprec......
Vm. niu ha de faaer, meu aenhor, disse-llie M. do
Montaleu......Vm. leroe a estaloda Unto, como eu poa-
so teme-la ; maa agora eatou oerto, que Vm. paaaoo a
iiuile em oaaa de madama de Cambure......Se Vm. roi
engaado ou corupliue, lie o que eu oto aei. Adcoa,
senhor.
-"Temrasia....; mas Vm. nio foi tomar parto nalesuraigora ante um meiire deeaoolaf
i

\CiniirtMr-n-k:)


Vende-ie, ou luga -se o* roa di Capun^s .
urna dj mclhoros rasas, que ha, por ser nova o tor
inuito bons commodjs ; lom duas boas salas 4 quar-
tos um bom solio cotinha fra tanque para ba-
nlio boa cacimba com eicellenlo auoa de beber bom
terreno cnm slgunsarrorcdos de (rucio estribara po-
ra dou ou 3 cava Nos que rio pire escravos. O terreno
be todo murado de novo o com leu portio de ferro.
Cjuem pretender lazer qualquer negocio, dirija-se ao
becco da Lingoeta sobradioho por cima da venda do
fir. Ayre, que achar con queui tratar.
Sirias francezes,a
800 rs, a vara.
Na loja do pano da esquina do Coliegio, com frente
para o largo da Cadeia vende-se brim lranr,ad.> bren-
co, francez, a 800 n. avara. Lleta fazenda be tnuito
encorpsda.o de linbo inteiramento puro;e porisso mu-
t > duravel.
=-\ endem-te 9 escravos sendo : 1 moleque de
16 annos de boa figura ; 2 pardinhos, de 17 annos ,
proprios para pagons ; 1 dito quaii branco, dol a-
il o; 2 protos sendo um driles ptimo canoeiro e o
outro para qualquer servico ; 2 pardal sendo urna
dilles de 18 annos com habilidades, e propria para
mucama por sor bstanlo gil e ser de boa figura ,
e a outra de 23 annos que cozinha, coe chio en
gomma liso o lava ; 2 prelas que corinhto lavo ,
e sao qutandeiras; todos sem vicios nem achaques : na
ra do Coliegio n. .'), segundo andar.
- Veodem-se queijoi londrinos ; ditos parme/'s;
proiuntoi para fiambre ; conservas in^lezas; latas com
saluiao ; ditas com biscouto ingloz ; pussas para po-
dim; ludo chegado prximamente do Inglaterra : na
ra da Cadeia ilo Uecife ,_ venda n. 2 de Jas Gon-
ca'vetda Fonle.
i= Vende se urna pipi vasia ; 3 barril de 5 em pi-
pa ; 7 barricas, que forjo de farinba de trigo : na ra
da Concordia, venda n. 26.
as Vendem-se O escravos de ambos os setos, de 4
a 20 annos com habilidades e d bonitas figuras;
urna pardi, de 20annos, de ptima figura, que engom-
ma muiio liein. cose e cozinha ; que d-se a con-
tento e so se vende para fra da provincia, ou para
algum engenho : na ra Nova, n 21, segundo andar.
=Vende-se-um venda com os fundos a Vonlade do
comprador; he muito afieguezada para a praca e ven-
de a relalho, de 8 a 10,000 rs. por ser em bom local ;
tem um grande quintal que serve para deposito de
lenba de mangue e seu aluguel mensal he de 7000
rs. : na ra e.treita do lio-ario a (aliar com Jos
Murcira da Silva.
Vendem-se 3 moradas de casas terreas peque-
as por preco bailante commodo ; na ra da S.-
Cruz, d. 38.
Vondc um proto l.om eotrmrn do 26 innoi ,
pnuco mais ou menos de bonita figura e possante ;
um preto possanto para qualquer servico ; urna preta
noca que sabe lavar do sabio e varrella cose e en-
gomma alguma cousa: na ra do Crespo n. 15, pri-
meiio andai.
Vende-se cera do Rio-do Janeiro em velas de 5
at 14 em libra pelo mdico preco do 1280 rs. ; na
ra da Cidria do liecife D. 44.
Vndese um preto proprio para lodo o servido,
ummulalinho, de 12 annos; um oculo ; dous relo-
gios de ouro ; couros; solas ; bezerros ; esleirs ; cai-
tas de tartaruga ; na ruadaCru'.n. >{>.
Vendem-se 4 escravos de naco com
guras do servico do campo ; 4 negrinlias
do I i a 18 ..un..s com varias habilidades
do 22 a 28 annos, cozmlio o engoinmo
preco commodo : na ra Uireit, n. 3.
Vende-se azeite doco para luz melhor e man
barato do que o do coco ; e azeite doco fino em gar
raOes do 25 garrafas: no deposito de az-ite da caira-
pato na ra da .V-ozalla-Velba n. 110.
Vendem-se, por mdico prego, as obras de lio-
na ruada Cadeia-Velba n. 14.
bonitas fi-
lie nscao
3 pretaa ,
; todos por
cago
Vende-se vinho de Lis
m boa, de quinto, tanto
q braceo como tinto ; b-
chas prelas, muito boas,
por preco emeonta : na
m ruadas Cruzes n. 41.
Vende-ie un bonito escrito. de 25 annos ,
para lodo o servico ; na ra ta Moeda delronte da
caa n. 9.
Vende-se cera em velas do Rio-de-Janeiro tor-
^ tmenlo completo del a 16 em libia, em caiai
as libras a vontade do comprador : na ra da Senzal-
I.- Vnlia, n. 110, armazem de A Ivs V lanna.
.Vende-se potassa branca, do superior qualidade
em barris pequeos : em casa de Malbeus Auitin &
Companhia, na ra da Alfundega-Velba n. 56.
= Vende-se um berro de angico em muito bom
estado por ler pouco uso por nreco commodo ; na
ra di Matriz da Boa-Vista n. 33, primeiro andir.
Attenco!
Vendem-se ancora com stiperior cal
virgen) de Lisboa a mais nova, que te-
moa no mercado. Este ohjecto olTerece
ao comprador grande vantagem por es-
tar muito bem acondicionado e as an-
coras serem arqueadas de ferro, de con-
ta para carga de cavallo e capazes de
receberem qualquer liquido depois de
despejadas: e vende-se por preco mais
commodo do que ern outra qualquer par-
te. Na ra da Gadeia, loja n. 5o.
Cortes de eambraia
a 2240 rs.
Na loja da ra do Crespo de Guimariei Serifm i\
Companbia vendem-se cortes de vestidos de cimbris,
com 11 covadoi cida um a sete patadas. Cita fazen-
da be de um tost moderno ; tem a eicellente quali-
dade de. niio desbotar e ba muito barata: qualida-
des estas, que a lornfio aisaz recommendavel aoi com-
liradore: o pretndante! podem mandar pedir araos-
Ira queie dar lobreo competente, peobor.
Veode-ie um relogo de ouro ; na ra do Ran-
gel n. 10.
- Vende-so cera em velas muilo bem sortidas,
ero caitas contendo de 3 a 12 em libra ; bichas pre-
tal chegadas ltimamente de Lisboa, pur preco com-
modo ; oleo de linbsca, em hotijai do 3 galdei, a 220
n. a libra : na ra do Trapiche n. 44 a tratar com
Firmino Jos Feliz di Rosa & Irmao.
- Vende-so cal virgem.cm meias barricas, chega-
das ltimamente por preco commodo ; na ra da
Moedi irmizem n. 15.
- Vendem-se 7 pretos de 20 a 30 annos; 4 mo-
loques, de 12 a 14annos; 2 mulatinhos de 12 a
14 annos ; 2 pardos, sendo um sapateiro ; 4 pardal ,
de 16 a 20 annos ; 2 prelas de 16 a 20 annos; todoi
proprios do servico de casa e campo e sao de boas fi-
guras : na ra da Cadcia de S. -Antonio, n. 2o.
Vendem-se alguddeszinhos americanos liaos
proprios para fazer saceos de farinha por preco com-
modo ; em casa do L. C. Ferroira & C.
= Vendem-se 18 escravos mocos, de bonilai fi-
ligurai rhegados pronmamente do Aracaty sendo
negros, negras mulatas e mulatinhos ; todos por pre-
go commodo: na ra da Cruz n. 51.
Continuio-se a vender pszinbos de diversas ro-
seirai de todas as qualidades ja annunuiada por
diversas vezei assim como p'i de dalias, de todas as
cores, e de outras llores mimosas ; na Solodado indo
pela Trompe quasi ao p da igrej, n. 7.
Vende-se, por preco commodo, o
bem acreditado rap de C'ordeiro Filho &
G.j chegado do Hio-de-Janeiro no ulti-
mo vapor : na ra da Cadeia loja de
Guedes & Mello.
Vendom-se 5 pretal mocas, com habilidades, urna
das quacs engomrna, cozinha o cose; urna negrinha ,
de 10 annos ; um moleque do 16 annos, de bonita
figura ; um preto para o servico de campo ; um dito,
de mua idade, por 180,000 rs. : no pateo da Matriz ,
n. 4.
POTASSA.
Vende-se superior potassa da Hnssia ,
em barris pequeos ; cal virgem de Lis-
boa, da mais nova, que ha no mercado ,
por preco muito commodo ; tambem se
vende um resto de potassa da safra pas-
sada muito barato : na ra do Trapi-
che armazem n, 17.
Tarlatana, a 3$ rs.
Na loja do passo da esquina da ra do Coliegio, com
frnte para o largo da Cadeia,vendem-ie cortea de testi-
di pira ienhoia.com nove covados de luir tana. Elti
fazenda tem urna vara do largura; be estampida com
flores matizadas; e, pela sua transparencia e rigeza do
fio,imita urna laminha d alto preco.
Na padaria do Aterro-da-
Boa-Vista, n. 41, vende-se
bolacha
Lisboa em barris e caixas che-
gada ltimamente : no escripto-
riode Francisco Severianno Ra-
bello &F.H10.
--Vende-se lagedo de Lisboa ;
noescriptoriode Francisco Seve-
rianno Rabello & Filho.
Farelo.
=Veodem-se ncca muilo grandei com farelo : noi
rmanos de Bacelar e do Guimtroi, no caei di Al-
landoga.
mi Vende-se cerveja branca e preta de Londres ,
Barclay & Companbia a melhor que ha em porcio,
ou a retalbo : vinhoa de Tenerife Mado'ra, o de ou-
trai quilidides; igo'ardente de Franca engarrafada,
e de mperior qualidade : na ra do Trapiche n. 40.
-Vendem-se esleirs da In-
dia, para forrar salas; fio por-
rete, fino: na ra do Trapi-
che, ii. 8.
Lindeza, o covado
a240rs.
Na loja do passo da esquina da ra do Coliegio, com
frente para o largo da Cadeia vende-se lindeza para
veitidos de lenhora, a doze vintens o covido. Os de-
lenhos desta lazenda lo Intrads,sobre asientos cliros e
euros, fingindo seda; o campo imita lia; sao corea
que nao deibolio, o be lazenda inteiramente nova.
Farinha SSSF,
da melhor qualidade, e a ulti-
ma ebegada a este mercado;
vende-se em porcoes grandes
ou pequeas: a tratar com
He. Calmont & Companhia ,
ou com J. J. Tasso Jnior.
-Vendem-se taboas de pi-
tillo, a 40 rs. o p ; atrs do
thcatro.
commodo
andar.
no Alerro-da-Bo-Vi.ta n. 5, prmeiro
DEfc POIPPAS N8'
Neiti loja do bom barateiro ha um novo ior-
licuento de caisas em eoitei, dos mais moder-
nos e bonitos padrSea que teem vindo a es-
ta pri(i ; assim como chita* e rucados rm-
cezei, e um oompleto lortimento de midapo-
lei, de 2500 a 6000 n. e outras mu tu |.
tendal (inai e ordinarias, entre ai quaes ha i|.
gumai do lempo doreivelho,que le vendem por
lodo o preco,l afim He sorlir de novo; pois en-
tre ellas apparecem bou piebinchai que o
Jg freguezes do bom e barato nio devem perder.
I
que existem
pao ,
, bolachinha, biscouto,
biscoutinho ; tudo fabricado das
raclhores farinhas,
no mercado.
Vendem-se superiore charutos regala, fieos,
e muritibanos em raixinhai de 100, 225 e 250, por
preco muilo commodo o chcgailos ltimamente pe-
lo vapor, da Babia ; na ra do Trapiche n. 34, ter-
ceiro ailar.
Vendem-se as obras seguintes :
Moral do hispo Monte; Theatro de Vol-
laire 5 v. ; Mestre inglez por Costan-
do ; Ilhtoria Srtgrada por Bernardino
Freir de Figueiredo, a v. ; Cornelio
Nepotis ; Fbulas de Fhedro Lunario
P
Vende-se na ra da Cruz, n.
6o, cera em velas, chegadaltima-
mente do Rio-de-Janeiro, de una
das tnelhores fabricas, em caixas
pequeas, de 3 a \6 em libra e
por preco mais commodo do que
em onIra qualquer parte.
in-
eipeluo ; Calepino. a v. ; Mestre
glez por Jac : na praca da Indepen-
dencia livraria ns. 6 c 8.
Vendem-se 12 escravos, sendo pretal e mole-
quei, com algumas habilidades, de bonilai figuras e
mocos : na ra Nova n. 21, segundo andar.
Pi. 40, ra do Trapiche relogios de ouro de
patente inglez muito boos ; correnlinhas do ouro
psdrio= Principe Alberto; e um chronometro pan
navio o>ui bem regulado : ludo so vende a presos
commodoi.
Gravatas,a>ftOOrs.
Na loja do passo da esquina da ra do Coliegio, com
frente pan o largo da Cadeia,vendem-se lentos de eam-
braia, acrusadorada um. Estes leocos sao estampados
com raminhoi miudinboi, atrepideiros e ultras, com
variedades de cores; e estas fiai e capazes da prova de
lalo,
as Vendem-ie 4 eicnvoi, bons para todo o lervico ,
tanto do cimpo como da praca ; um dito bom canoei
ro ; um dito bom official de toda obra de ourives ; 4
eicravn mocil de boas figuras, e com boas habilida-
des ; 1 parda de 30 annos, boa mucama e que co-
se, engomrna e cozoha : oa rui do Crespo, n. 10, pri-
meiro andar.
--- Vende-se cal virgem de
Na ra do Crespo n. 12, loja
nova de Jos Joaquim
da Silva faia,
vende-se um novosorlimento de vestidos para lenhora,
da rica faieoda chamada indianna ; a qual alm de
ser de cores escuras, tintes lims, e ricos goitoi tem
um tecido que finge ler de sedi e o leu diminuto
preco he de 3000"fi. cada corte ; bem como tambem
da l.-i/einla Mduria a 4000 11. cada coite ; os quaei
ollerecem as mesmas vantageni 101 compradore, por
serem oscuro! e por iiso se tornao recommendaveis
pin a preirntfl esteco: igualmente um rico sortimen-
to de casimiras pan calcos ; chitas para vellidos; e ou-
(rai multas latendti que serio preieolei, e te ven-
ders por presos commodos.
Gambreocs, a
. 1#440 rs.
Na loja do puso da eiquini da ra do Coliegio, com
frente pan o largo da Cadeia, vendem-ae notos cortei
de eali-ai com (re cotidoi e meio do gamhieOos,
por quatro patacas e meia cada um. Esta fatenda be me-
lhor do que a que,ha tempoi.ie annunciou.e le tendeo
cesta loja, peloi padrfiei serem mais moderos, e 01
pannoi muito encorpadoi Dar-ie-ho amostras a quein
os pretender, sobo competente penbor.
# Vendem-se pregos ame-
ricanos, n. 4, novos, em bar-
ricas na ra do Trapiche ,
n.8.
ATTENgAO!
Vndese rap de Lisboa, do
ultimo chegado, bem fresco ,
formidavcl aroma, e boa cor.
Os tomantes que gostao da
boa pitada venho a ra da
Cadeia, loja n. 50, confronte a
ra da Madre-de Dos, que
se garante a boa qualidade.
Vendem-se duii moradas de casal ierren, litis:
urna na roa do Queimado o. 65 e a outfa na Poo-
le-Velha na Itoa-Visla n. 14: na roa da Cadeia do
Reeife, o. 60, caa, cuja entrada pelo Kecco do Cipim
Vende-se um piano de boas rom, por preco p
O LIVRO DE TODOS
ou
MANUAL DA 8ADDE ,
Contendo
todos os esclarecmentoi theoricoi e pralicoi neeeiti-
rioi para poder preparar e empregar iem o loccono
do profeisor o remedios e se preservar e curara
promptamenle com poueo dispendio di mor parla
dai molestia! curaveis e oooseguir um allitio quui
equivalente saude, as molestia! incimteis.
Seguido
de um tralamenlo especifico contra a coqueluche e t
regns higinicas para prevenir ai moleitin ;
pelo doutor G. de Ploeaquellec.
Preco 4000 rs. em brochura.
O lupplemento, indispemavel a quem tem a obn
d-ie gratuitamente aoi compradores. O dito lupple-
mento Ira ai tres difTerentei receitn pan a eompoii-
cSo da agoa sedativa eite precioso remedio, que
tamanha reputacio j& lem ganbo, e que deve eiiitir
om toda iscisai para remediar promptamenle ios acci-
dente! e ioeommodos repentinoi.
Vende-se na praca da Independencia litriril.
ns. 6 o 8.
= Vendem ie cBrai de jogar franeeras, pan rei-
trete ; na ra do Queimado, loja de miudezss, n. 16.
= Na botica da ra do Rangel tendem-se os re-
medios seguimos, dos quieta eiperiencia tem confir-
mado os melhores elTeilos : dentiiieo que (em a pro-
priedade de limpar o denle cariados, e restituir-loei
a cor esmaltada em muito poucoi din ; o uso do di-
to remedio fortifica ai gengitai e tira o meo ebeiro da
bocea proteniente nao l da carie, como do trtaro,
que le une io peicoco desle orgioi ; o remedio ha
designado pelos nmeros 1." e 2.: orchata purgatita ,
mu til aa crianca e as pasin de todi e qualquer ida
de ; he composta de lubstinciai tegetaei nlo contm
mercurio, nem droga alguma que pona prejudicar:
remedio para curar caloi, em poucoi din; dito pin
curar dore tenereai enligas e que teem resistido ao
tratamento geralmente applicado ; dito para protocir
a menslruacio e accelerar a accSo do tero nos partos
natunei, em que nio le precin das manobras celen-
tilicas da arte ; dito pira resolver tumores lympbacoi,
vulgo glndulas; dito para curar bba e cravoi lec-
coi, o mais elTicaz que le confiere at aqui ; dito oii-
mel de Ierro muito til nai chloroiei vulgarmente
chamadas frialdades ; pos anli-hilioioi de Manoel Lo-
pes ; captla: de gelatina contendo balsamo de cu-
pe hiba ; ditaa de oleo de reciooi purificido ; ditas de
cubeba em p fino ; ditas de astalelida ; ditas com pi
purgantes ; ditas de ruibarbo da China ; dilat de tul-
phelo de quinino de 1 e 2 ;raoi cada captla; sigi-
len, velinbn elaiticat; pillas de lal de cabicinlio ;
tgoi das Caldas, cbegida prximamente; remedios que
curad a frialdade dentro de 40 disi, mrtmo ettindo in-
cbado ; oleo multo bom para conservar o eabello, que,
alm de nio deiiar cihir o cabello limpa a caspa a
eujo uso continuado lar reapparecer o cabello perdido ;
pilulal eipecificas para curar ai gonorrben chronicit,
quando a letio nio paita da ureta; igualmente um ja-
rope anli-bemorragico, applicado noi calos, em que ti
deiti tangue pela bocea : o preco de todoi etlet reme-
dio! be mu i raroavel e os bous resultados da sut ap
plicacao be que devem f.ter sua apologa.
= Vendem-ie moendat de ferro para eogenboi de
aisucar, para vapor agoa e beatas de divenoi ttmi-
nbot por preco commodo ; T igualmente laiai de
ferro coado e balido de todos os tamanboa : ja pra-
ca do Corpo Santo n. 11, em casa de He. Calmont &
Companbia ou na ra de Apollo armazem, o. 6,
Escravos Fgidos.
Fugio, no da 18 do correte, um cabrioha de
nome Aleaodre do 12 annos, pouco maii ou m-
menos bem perecido com o cabello cortado nuil
curto atrs que adenle; levou oamia e calen da rit-
cado arul, miudo. Estecibrioba (oi'visto no litio do
Pombsl e tendo mandado pegsr pelo Eim. carao
de Suaaiuoa e Iraier a leu leohor, se evadi de no-
vo ebedeoppor, que aode por algum aitio junto
ao Pnmbal onde tem um lio. eieravo do Exov bario.
CJuem o pegar, leve a ra da Crui, o-. 3 qoe ter
recompensado.
Fugio, em mi reo do correte anno um eicra-
vo de nome Benedicto cr oulo de 27 snnot et-
tature mediana, ebeio do corpo, bem esptdaudo,
pouca ou neohumi barba testa e olhos grandet, falle
perra e cirregando no R, pt grandet, pernal alacont-
dai, andar bameiro ; tem urna cicatrii oa barba e ou-
tra no dedo grande do p eauada por um lilbo da
machado : quem o pegar, leve a leu aeobor, Jote
Franciteo de Licerdi, na villa de Souia da provin-
cia da Parehibi que ter generotamente recompen-
sado.
d
.
NA
TYP. DE M. ti DE KAMI-- l^b


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX4A35QNR_9KYTPC INGEST_TIME 2013-04-26T22:40:10Z PACKAGE AA00011611_08374
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES