Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08344


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de, 1846.
Sabbado 12
O DlARfOfnMici-fe tollosos fnrpm de ii*rtl.t: o pre^o daimiisnitiir* lie 400O rs. por qiiartel, pagoi adinntarint. O
anuncios dos assit^narites alto inserido* a raio
ilf 50 ris por linU, 40 rii en typo di'lfcreu-
te, e a. re(>ctir6c pelt metade. Os que no fo-
rrin si;naiilei p-go 80 ris por linda, e ISO
eni ijpo difireme
PIIASES da la-no mf.z de df.zembuo
l.ua clieia a I, ai < horas a 56 minutos da tarde.
Min"antet 10, as6 llorase i.'i min. da larde.
La ora a l. as 10 libras e 11 min. da maiili.
Cresceule a la, as 4 horas e Id min. da manli.
PARTIDA DOS CORRF.IOS.
Goianna Paraliviia Secundas e Saltes toras
Hio Grande do Norte, chega tas Quartas feiras
ao meio da e pule as mesmas horas Das
Quintas feiras.
Calm, eiinrnem, Hio Kormoso, Porto Cairo e
Mhcpvo no I., II e 21 de c.di me.
Oaranli'uns e Rondo a 10 e 24.
Ro-Vista e Flores a 13 e 2.
Victoria as Quintas feiras .
linda todos os das.
PREAMAll de hojk.
Primeira i II h. 41 minutos Ja manha.
Secunda a 12 ii. (i minutos da tarde
de Dezembro.
A nno XXII.
N. 259.
das da semana.
7 Secunda. S Amliroiio. Au I. d > i. dos or-
plosedoJ.doC.da l.v.,do I M. da l Y.
& Tere. ** Contelriio le Nossi Senliora,
padroeira do imperio.
9 Quarle.S. I eoes din. A mi. do J.doci. da I.
v e do J. de par do 2 dist. de t.
!0-Quinta S. Camello. Aud. do J. deorpliSos,
do I municipal da I. Tara.
I Sesta. S Dmaso. Aud. do J. do civ. da I.
T., e do J. de pal do I. dist. de t.
12 Sahbado. S Justino. Aud. do J. do civ.
da l. v., e do J de pai do I. dist. e J. de I.
!3 Domingo. S. Luiia.
CAMHIOS NO DA II DE DEZMBftO,
Cambiosohre Londresl'/,a28'/.d.p. I# a 0 d.
a l'aiis 55 ris por franco.
I.i*hoa 9S / "* P"mm
Desc. de letras de boas firmas I '/P- Va, meI"
OumOneasliespanliolas.. 80*000 a lOfSOO
a Modaade CJtOO vel. ISjIOO
a deojtoonov. iti|ooo a
> t de 4)000... 9/000 a
Prata Palaices......... U9f0 a
Pesos columnares. if'.iO a
a Ditos Mexicanos. I910 a
, Muida......... IfTOO -
I 1*00
tefioo
9IOO
2/000
5|00O
lIMO
l|780
Acjasda Coaip. do llebariba de M1J000 aopar
DIARIO DE PERHrAMBUCO
""^f^f
AVISO.
,\o ultimo deste mez fin da o
prazo, por que fra prorog ido o
(jue eslava marcado para o troco
das cdulas de 2^000 rs., eslam-
padas em papel bronco.
\
PA TEOFFICIU
Joverno ra provincia.
EXPEDIENTE DO 1. DO CORREMTE.
Ollcio -- Ao jai/, de paz supplento do priineiro difl-
uido da ciflade da Victoria, declarando, que, tima
vez queja se ocha no distrielo o eidadflo, a quem
nesse exercicio S. me. substitua, deve passar-Ihe a
respectiva vara.
Dito A/ cmara municipal do Bonito, declaran-
do-se scienle de liaver dividido em cinco compa-
nhiasa batalhflo de guardas naeionaes de Bezerros,
e marcado as paradas para ellas
Dito Ao director do arsenal de guerra, ordenan-
do, que deconformidade com as observares do com-
missario-pagador exaradas as copias, que llic re-
melle, b smente a vista de requisico do comman-
dantc das armas, he que dora em diante deve man-
dar manufacturar farda ment e outros objertos
quaesquer para a Iropn de primeira linha. Partici-
pou-se 10 enmmissario-pagador.
Dito Ao delegado do termo de Nazarelh, signifi-
cando, que, ltenlos os motivos cxposlos pelo pre-
sidente do concelho gcral desaluhridade no oflieio,
(|iielletransniittc, o dadilo Joflo de Luna Freir
nfio pode ser nomead delegado do mesmo conce-
lho, era aquello municipio.
Portara--Resolvendo, que, para desfazer-so o
engao, que se den, q uando forlo nomeados majo res
os cidadflos Manoel Antonio Das Jnnior e Joaquim
Ci.eJho do Lima, se passe patonle a oslo para exercer
o dito posto em o quarto hatalhito da segunda legio
da guarda nacional de Sanlo-Antio, e aquello para
oecupa-lo em o tereciro batalhflo da mesma legiflo.
-- Pai lieipou-sc ao commandante superior da referi-
da guarda nacional.
Commanrin das armas.
(i lllm'. e Exm. Sr. Tcnho presente o olTIcto de
V. F.xc, datado de 21 do correnle, que me d conhe-
rimento do modo, por que dora em diante ter lu-
gar os cortejos nos das do fcslividade nacional. Nflo
-sendo o prugramma estabelecido a precedencia aos
ciilados, que por sua posicao social costumiloo-
eompanhar o presidente em scmclhaiile conjunclu-
ra; cumprc-me do anlemio prevenir, que, depois
lo v. Exc. edos Kxms. bispos, cabe-meapreceoen-
(ia qualquer outro desses cidadios,que tiverom de
neompanha.r a V. Esc, no acto solemne, do que so
trata.
n Dos guardo a V. Esc. Quartel-general nacida-
do do Recite, 23 de novembrd do 1846. lllm. e Exm.
Sr. concelheiro Antonio Pinto Chchorro da Gama,
presidente da provincia.Amonio Corra* Sera
lllm. t Exm, Sr. Meo scienle de havcrV.
Exc. expedido ordem para o recnlhimcnto dos des-
tacamentos de linha ora existentes na cidade deO-
linda cfreguezia do Poqo-da-PaneHa. Quercndo V.
Exc. dar guarda nacional actualmente empregada
no servido da guarni^ao a folga, que fnr possivel.cxi-
fii.ido.que para esse fin infrmele a tropa do linha,
que resta, com as pracas, que se mandilo recolher,
pode fazer tal servico nos domingos com excepto
da guarda da cadeia, que ser semprc dada pelo eor-
po de polica, cumpre-me significar a V. Exc, que, a
fccolbcr-sc tambem o destacamento da freguezia dos
Afogados, ndaa tropa de linha forneccr diariamen-
te as guardas, segundo o delallie ltimamente esta-
belecido. edirr toda a guarngSo fmenos a guarda da
cadeia) nos domingos, comoV. Exc. quer, posto quo
leja pela experiencia convencido, que essas guar-
ilaa nfio sero completamenle rendidas no da 'se-
('tiiiilc, o que concorrer nfio sopara o atropello da
ropa de linha, como para a indisciplina pela irregu-
ardade.com que em taes circumslanciaso serviQO he
feito. Sendo a guarda nacional pela mor parle com-
posta de homens artistas e agricultores, que em seos
Irabalhosseoccupio nos das litis, desva-Ios des-
tes trabalhoscm qualquer destes das sera um mal,
e eomo aos domingos estejilo desoccnpadbs.entendo,
que melhor conviria obriga-los ao servico nesses
"as, como semprc se'pratcou.scm duvida pelas ra-
soea, que cima pondero, e que a considcraclo de V.
Exe -iubeo. Se fase-BOSjivH fa/er regressarao
oorpo o"destacamenlo de linha, que permanece na
villa de Iguarass, quo esta cm Iranquillidade c sem
feeeos de ser alterada, mormente agora.que para al-
h seguio, ou tem do seguir um juiz dotado de pru-
dencia, a guaruiefio se podero fazer com a tropa re-
B'dar e menor atropello da guarda nacional, que
"este caso Hcaria subjeta smente a dar tima ou duas
"ardas diarias. F.isoqucsome offereco dizer a V.
Exc. em resposta ao seu ollcio, do hontcm datado.
Dos guarde a V. Exc. Quartel-general na'cidado-
loltecife, 1 de dezembro de 1846.lllm. cExm.
Sr. concelheiro Antonio Pinto Chichorro da Gama,
Presidente da provincia.--Antonio Concia Seara.n
EXTERIOR.
BONGRIA.
PESTII, 29 l>E SETEMB80.
Ha algum lempo, que os Hngaros, especialmen-
te a gente mais nova, teem estado animados do um
espirito ultra-nacional, que so tem manifestado prin-
cipalmente para com os Allcmfles, e at para com os
Hngaros do origem allemla, que sfo muito nume-
rosos naquellepaiz. lia duas noites, desenvolveo-se
esse odio de*urna maneiradeploravcl no theatroal-
lem.lo desta capital. A ccHo era os Mt/sterioi de l'a-
ris, drama allemilo lirado da novella franceza. Ape-
nas appareceo em scena o director, Frost, que repre-
sentava-uma das personagons, foi recebido com ex-
traordinaria assovios egritos dea Fra, fra! nao
queremos mais tolerar o vosso thcatro allemilo.
Forst, que he actor de grande mrito, e quo linha
sido at all muito acolhido, approximou-se s lu-
zes da hocca, e qniz fallar ao publico; mas os asso-
vios e gritos augmenlrilo, c nao llie foi permitlnlo
fallar. Porto de cen mancebos salanlo entilo por
cima da orehestra para o secnario, bradando, Mal-
dito seja o thcatro allemio. (Barzn nemel tzin-
lay)\ e agarrando Forst, lanqrfio-no a ptihtapcs
fra do thealro; e depois conduzirSo-no para sua
propra casa pelas ras, dando-lhe assovios e bor-
doadas, e atirando-lhe cara batatas e ovos. A poli-
ca s chegou no momento, em que Forst a a entrar
em sua casa ; mas eonseguio prender muitos dos ag-
gressores. Forst est muito mal, cm consequencia
dos tratos, que recebeo.
Emqtiauto os Judcus na Hungra so regosjavao
pela abolicilo do imposto da tolerancia, e por tal mo-
tivo rondilo gracas as synagogas, expedio-se um
gravoso decreto, que convertco a sua alegra cm tris-
teza, por ordenar, que se relirasse una parte d'a-
quelles Judcus, que com lironda das autoridades so
haviflo estabelecido nos dstrictos mneiros da llun-
ria c Sebcnburgor.
SUF.CIA.
STorKiioi.Mo, 29 i>a setembro.
0 concelho commercal de Stockholmo propoz ao
re a reorganisaeflo de todos os consulados suecos-
norueguezes. Segundo o plano proposto, devem os
76 consulados ser n'duzidos a 54; e propoem-sc 19
consulados geraes. Vilo confiar-se func?0es diplom-
ticas aos cnsules geraes de llamburgo, Bruxellas,
Madrid, Lisboa, Florcnca, Alhenas, Constantinopla,
New-York c Rio-de-Janciro. Os consoles geraes de
S.-Petcrsburgo, Abo, llelsingor, Amslcr.lam, Lon-
dres, Parta, Argel, Tnger e Bueuos-Ayres hilo de
recehor ordenados fixos, cj Ibes he pcrmiltido en-
trar em transacQocs commorciaes. Devem estabelo-
cer se novos consulados em Calcula, Singaporc,
atavia, Canillo, Vera-Cruz, l.agtiajra, Panam,
Guaaquii oValparaizo.
POLONIA.
vAnsovn, 5 oe ooTunno.
Nol.* dcoulubroforoos Judeus de Varsovia o-
brigatfos a apparecercom o trajo proscripto pelasau-
loridados. Foi um da do luto para mullos, quctive-
rilo por derogatorio da sua f o appareccrcm como
trajo europeo, e tornou-se gravoso para muitos, a
quem fallaviti meos para obter os fundos necessa-
rios. Alguna dos Israelitas ricos anda conservaviio
oscu proprio costume, pagando urna pesada laxa,
sob a qual coiidcmna?flo Ibes he permittido consor-
va-lo at 1850.
RISSIA.
nir.A, 30i>r^ETiMBBO.
A convenefo dos nohres da Livonia tem estado em
sessHo, ha dezdias; ella se oceupa em discutir una
nova eonsttui?iio para os camponezs, projeclaila
na primavera passada por urna commisso especial
cm S-Pctersburgo. Ella tendea dar aos campone-
zs maior grao de independencia do quo a deque
ellos gozilo presentemente. Alguns do clero errde-
reco-rln urr. memorndum convomSo sobre a nc-
cesstdade de urna reforma na organsacTio das escolas
tiara as classes laboriosas. _'
(Daily Nem.)
PERNAMBUCO.
(amara municipal do Becife.
QUARTA SESSA ORDINARIA DE 4 DE DEZEM-
BRO DE 1846. .
MESinEKCIA DO SERBO CARME1BO MOKTEIRO.
Presentes os Srs. Cintra, Nery, Aquno, Egidio
I'erreira e Barata, faltando com causa os Srs. Reg
: Alhuquerque, e Barros, abro-se a sossio, e foi lida
i approvada a acta da antecedente-
O secretario leo um ollcio do Exm. presidente da
irovincia,remetiendo por copia o aviso expedido pe-
a seorelaria de estado do9 negocios do iraporio, que
letide varias duvida* acerca do lei regBlaiwataf a?
'loicocs. luleirad'a, e niandou-se publicar.
Outro remoliendo a copia da duvida proposta nc-
i cmara municipal da villa de IgtiHiassu, sobre
intolligencia do artigo 3* capitulo 1. titulo 1" da loi
. 887de49de agosto do correte auno, e da decisfio
ada por a presidencia.--Inteirada.
Outro, participando, que conceder a dispenso, pe-
uida por Jos Machado Freir Pereira da Silva, do
emprego de tereciro supplente do juiz municipal da
primeira vara desta cidadeInteirada.
Outro do cidadfio Gaudino Agostinho de Barros,
ecusando a reccpcJJo do oflicio da cmara,que o cou-
ida a tomar assento como [vereudor supplente, e
participando, que por em quanto no Iheerapossi-
vel comparecer, por se acnar incommodado em sua
sade.-Que se offlciasse novamentc, scientiticando-
o, que deve justificar a sua escusa, conforme o dis-
poslo na lei do 1.' de outubro do 1828.
Outro do fiscal Mathias, participando, que as mul-
tas por nfi-arcOcs, em o mez de novembro findo, im-
portado na quantia de 76,000 rs.Inteirada.
Outro do fiscal de S.-Jos, fazendo igual participa-
rlo, sendo de 100,000 rs. a quantia das multas.In-
teirada.
Outro do fiscal da Boa-Vista, fazendo o mesma par-
Mcipacfio. sendo de 138,000a importancia das mul-
tas, e pedindo o pagamento da quantia de 3,200 rs.,
para o eirurgiilo, que o acompanhou as corridas sa-
nitariasInteirada, e mandou-se passar mandado.
Outro do fiscal de S.-Jos, apresentando o mappa
do gado morto, em todo mez de novembro lindo,
para consumo, c do que morreo do mal de tingui, e
de sangue.--Inteirada.
Outro do fiscal do -Poco-da-Panella, apresentando
tambem o mappa do gado morto para consumo d'a-
quella freguezia.Inteirada.
0 Sr. vereador Aquino fez o seguinte requenmen-
to, que foi approvado, c por virtudo do qual se.ofi-
ciou aos Srs. llego o Alhuquerque, e Reg Barros.
Requeiroa execueflo do artigo 28do titulo 2. da
lei dol.* de outubro de 1828. Recifc, 4 de dezembro'
de 1846..471/no.
O mesmo Sr. vereador fez mais os dous seguiutes
requerimentos, que torito approvados, c em conse-
quencia expedirilo-seos conveniontes oflicios.
Requeiro, quo o fiscal do bairro dflS.-FreiiPe-
dro-Cone.ilvcs examine a casa de sobrado do um
andar da esquina da travessa do Vigario, e proceda
conforme as posturas municipaes.sealgumasdesuas
partes ameagar ruina. Sola, 4 de dezembro de 1846.
Aquino.
.< Devendo esta cmara procurar remover to-
dos os focos de infracq.lo, requeiro, que se oflicie
administradlo dos estabelecimentos de caridade, pa-
ra quo mande osgotar as ogoas, que desdo algum
lempo evislem na esquina da casa dos expostos ,
dando ella as providencias, para que d'ora em diante
nao se depositem mais agoas naquellc lugar. Pac,o
da cunara, 4 de dezembro do 1846.Aquino**
Forlo concedidos tres mezes de licenca ao fiscal do
bairro do Recife, a achando-so doenle o supplente
dosle, determinou a cmara, quo o fiscal da fregue-
guezia deSiuito-Antonio tosse all exercer os res-
pectivas fu acetos.
Entrando em discuss.lo a resposta do arrematante
da afcricilo sobre o fiscal dos Afogados, deliherou a
cmara nomear um de seus membros para tomar co-
nhecimenlo do negocio, e cm consequencia nomeou
o Sr. I)r. Nery, e neste sentido se olficiou, remetien-
do os papis respectivos.
Despactiarlo-se aspeticoes do Manoel Ignaciode
Oliveira I olio, JostioncalvcsFerreira e Silva, Anto-
nio Jos Cocino do Rozarlo, Thomaz de Aquino Fon-
seca, Francisco Antonio do Olivcira, e dos protecto-
res do itif ho da ra das Trincheiras; e levanlou-se
a sessilo. Eu, Joo ot Feneira de Aguiar, secreta-
rio, a subscrevi.Carntiro Vvnteiro, pro-presidente.
(inlra Manoel.-- Dr. Ktry da I'ovseca -llrala.-A-
quino.
COriA 1)0 AVISO, A QUE SF. REVER A ACTA SUrlIA.
o lllm. e Exm. Sr.--Sendo ouvida a seccflo do con-
celho de estado dos negocios do imperio, sobre o of-
licio do 99 do vez pastado, em que o juiz "de paz
mais volado da villa de S.-Sebastto propc as se-
guiutes duvidas a respoito da lei regulamenlar das
eleicOes: Primeira, se o presidente da cmara muni-
cipal, sendo um dos supplentes dos eleitores, deve
ser convocado para a foi manilo da junta de qualilica-
efio, ou se deve ser considerado impedido, na quali-
dade de membro do concelho municipal, a quem
compete conheccr dos recursos interpostos da mes-
ma junta, nos casos doart 35 da dita lei. Segunda, se
um dos supplentes, que se acha demente, pode ser
chamado para orgaivisar a junta, a despeito deste
i in pedi'menlo.que he publico e notorio. Tcrceira, quo,
sendo onze os eleitores da parochia da villa, o de-
vemlo, para organisar as turmas,excluir-seo mais vo-
lado, no caso de comparecercm todos, visto ser im-
par o numero; acontece, que os tres primeiros tc-
nho o mesmo numero de votos; o quo pOc em du-
vida qual delles se deve considerar como mais vota-
do, c ser cooio tal excluido. Quarta, que, feila a ex-
cluso do mais votado, lira rao dez, dos quacs se do-
vcrO tirar para compr a junta o 5." e o 6.*,' este por
ser o primoiro da segunda turma, e aquellepor ser
o ultimo da primeira, mas, havendotres eloitores
com igual direito de oceupar esses dous lugares, por
tercm todos tres o mesmo numero do votos, que re-
soliiQilo se dever tomar neste casoi' Qninta, deter-
minando a lei no art 52, que o numero dos eleitores
seja provisoriamente regulado na rasiio de quarnta
votantes- por eleilor, sem que cm caso algum exce-
dfto ao menor numero dos que a parochia dco cm
1842, ou 1844, com o accrescimo da quinta parto, con-
velo decidir-se, todas as vezes que urna freguezia ti-
ver tal numero de volantes, que lhe compita dar
mais eleitores, do que o menor numero dos que
dra em qualquer daquelles annos, deve ella nomear
mais urna quinla parte, mesmo no caso, cmque'o
excesso dos votantes no seja tamaito, que corres-
ponda a esse augmento. Sexta finalmente, se o juiz
de paz he obrigado a publicar por editaes, que nu-
mero de eleitores tem de dar a parochia, parsque
sai hilo os votantes quantos notnes devem conter suaa
cdulas, ou se basta, que conhecito clles a disposi-
(o do art 52 da lei E tendo-soS. M. O Imperador,
por sua immediata resoluto de 31 do mez findo,
conformado com o parecer da referida secc/io, exa-
rado cm consulta de 30 do mesmo mez: Houve por
bem declarar. 1. Que nao pode entrar cm duvida, dar o seu parecer com urgencia.
que o presidente da cmara municipal, urna voz que
seja eleitor, ou supplonto dos comprchendidos na
disposiQto do art. 4. da lei, deve ser convocado pa-
ra organisar a junta de qualiicaco, licando, no caso
do formar parto dclla,inhibido de servir no concelho
municipal, como he expresso no art. 33 da lei; mas,
que no caso de nlo sabir designado para compora
dita junta, nflo obstante ter sido convocado para or-
ganisa-la, fura parte do concelho municipal.3.* Que o
juiz urna vez que tcnlia sido legtimamente declarado
tal, declaraclo, que o mesmo juiz pode pedir a au-
toridalc competente, quando a julgue necessaria,
licando comtudo na nlelligencia de que a falta des-
so supplento n.lo deve supprr-so, pois que nflo po-
dem ciamar-se outros supplentes, quo n.lo sejoos
que expressamento designa o art. 4. da le, embora
se achc limitado o seu numero por morto, ausencia,
ou impedimento de alguns. 3." Que se deve proce-
der ao sorteio entre os tres primeiros eleitores do
igual numero de votos, consderando-so como mais
votado, e sendo como tal excluido, o quo pela sorte
fdr indicado. 4. Que pela mesma rasiio deve a sor-
te decdirqual dos tres eleitores do igual numero Je
votos far parte, em 5." lugar, da primeira turma, e
qual entrar em primeiro lugar na segunda, deven-
do, tanto ueste caso, como no precedente, preceder-
se ao soiIcio com a nublicidade, c na poca paraca-
sos anlogos indicada no decreto n. 480 de 24 de ou-
tubro deste anno. 5. Que, representando oseleito-
res os cidadlos activos em rasiio do seu numero, e
s em rasiio deste; c prescrevendo a lei, que haja um
eleitor por cada quarnta votantes, lie claro, que
nenhuma parochia podera nomear maior numero de
eleitores do quo o numero de vezes, que contiver
quarnta votantes;' e daqui se segu, que, marcando
interinamente a mesma lei, como mximo do numero
de eleitores em cada parochia, o menor numero dos
quo ella (leo as eleic/ies de 1842 e 1844, com o aug-
mento domis a quinta porte, nlo quiz com islo,
quehouvesse sempre esse augmento, mas sim so-
monte, quando pelo numero dos votantes tivesse di-
reito a elle a respectiva parochia; c nunca, portanto,
dentro daquclle mximo poerO os eleitores ex-
ceder ao numero correspondente a um por cada qua-
rnta votantes, senio no caso de haver, alm de um
mltiplo do quarnta, urna fraccito de mais de vinte.
.Finalmente, que he conveniente publicar o juiz do
paz, por editaos o numero de votantes da respectiva
parocliia, e consequentemento o numero de eleito-
res, que em virtudo do disposto no art. 52 da lei,
tem ella direito a nomear. Oque ludo communfeo a
V. Exc. para seu conhecimcnlo e governo.
Doos guardo V. Exc. Palacio do Rio-de-Janei-
ro, em 2 de novembro de 1846. Joaquim Martelli-
no de tirito.Sr. presidente da provincia de Pcrnam-
buco.Cumpra-se. Palacio de Pernamliuco, 18 de
novembro do 1846. l'inlo Chichorro. Conforme,
rancheo Xavier e Silva, oflicial-maior interino.u
QUINTA SESSO ORDINARIA DE 5 DE DEZEMBRO
DE 1846.
PRESIDENCIA DO SI-NHOB CABNEIRO MONTEIRO.
Presentes os Srs. Cintra, Nery, Egidio Ferreira, A-
quino e Barata, abrio-se a sessao e foi lida o appro-
vada a acta da antcecdcnle.
O secretario leo um ofiicio do procurador, parti-
cipando achar-se prompta a casa, para onde tem de
mudar-seo paco municipal; e pedindo a expediento
da conveniente ordem para o pagamento da quantia
de 249,500 ris. despendidos com ospreparosneces-
sarios A mesma casa para ficar no devido estado de
asseio e decencia. ~ Inteirada, e mandou-se passar
mandado.
Outro do mesmo procurador, fazendo algumas ol>-
MrvacOea relativas a desapnropriario, que lhe foi or-
denada cm portara de 24 do passado mez do novem-
bro, de tuna pequea casa junta ao quartel do Hos-
picio, perlencenteaos proprios nacionaes. Que in-
tente o procesao dedesappropriac.fio, urna vez que a
(hesoui aria nflo podo por si s contratar a allienacflo
de um proprio nacional, o entretanto que esse acto
deve ter a sua exocucao, por haver sido Icgalmente
decretado.
Outro do mesmo procurador, participando, que
haviadado principio remetter para a contadoriaas
contas e documentos necessarios para organisaefio
do balanc,o da receita e despeza municipal findo, e
que o linha feito, a proporeflo que os ia organisando
com a devida clareza c ordem, o formando tambem o
seu bataneo conforme lhe he preciso, para conferir
com o da contadoria ; c fazendo ver ao mesmo lem-
po as causas, que teem occorrido, pelas quaes n.lo
tem podido apresentar no devido lempo csses docu-
mentose halaneetes. Inteirada.
Outro do fiscal Mathias, participando, que no pe-
dia hoje comparecer na cmara, por se adiar bastan-
te oceupado em servico da municipalidade. In-
teirada.
Foi litio e approvado um parecer da commissSode
edificaeflo dado sobre a pretenQro da viuva de Jos
Ramos do Olivcira, sondo despachado o requerimen-
to, que o motivou.
Ficro adiados um requerimento do Sr Dr. Aqui-
no, e um outro parecer da mesma commissito, apre-
sentado sobro a prelcncflo de Theodoro Machado
Freir Pereira da Silva.
Mandou-se registrar o diploma do Dr. cm medici-
cina Carlos Muller, vislo haver provado por docu-
mento, que lira no archivo, a ideutidadedo pessoa.
Ofllciou-sc aol-.xm. presidente da provincia, re-
metiendo a planta do Atlerro-do-Afogado, que prin-
cipia dos finada ra Augusta e ultima ao peda pon-
te, e pedindo-se sua approvaqflo.
Foi rcmettida commissflo de edificaeflo a planta
dos terrenos entre o Manguinho o a Solidade, para


Expedio-se ordem aocordeador para comparecer
na casa da cmara em lodos os das de MASOS.
Dcspachrflo-ee s peigocs da viuva de Jos lia-
mos de Oliveira, Amaro de Barros Corroa, Jos Ane-
clclo .la Silva e Antonio'Duarte deOMveira llego; e
livantoii-sea sesso.
En, Joo Jos Ferreira de Aguiar, secrelario a suhs-
crevi -- Carneiro Vanteiro, pro-presidente. l-'errei-
ra. Cintra Manoel. Parala.-- Aquino.
PAHFCF.K, A QUE SF. BFFEREA ACTA CIMA.
a A commissilo de edificaeflo, a quem fi> presente
o requer ment du viuva de Jos Ramos de Oliveira,
em que pcile approvagan ile um plano, que junlou ao
sen rcqiiorimentn, e pelo qtial pretende construir
dous predios, segundo a perspectiva do referido pla-
no, he de parecer, qneseja o mesmo approvado,
guadadas as posturas sobre asdimenses de portas,
janellase altura do referido predio. Acamara toda-
va deliberar o (pie for inais justo. Hecife, 4 de dc-
zembro de 1846. llanta.
jiizo dos naros da fazenda.
lllm. e l'xm. Sr. Km conformdade do que com-
muniquc a V. Exc, em meu oflicio de 2* de outultro
do corrente anno, remello a V. Exc a inclusa rel-
celo, sol) on.H.n, de 130devedores liscacs da pro-
vincia, que, achando-se compreheudidos as rcla-
efies, remeltidas ao juizo dos feilos pela rerchedoria
de rendas provneiaes, desde o anuo financeiro de
18tl a lHi-2 al o de 1845 a 1846, anda nSo Cftro
ejecutados, 6 sob numero 2.", a de 6 devedores, men-
cionados em diversas conlas da tbesouraria provin-
cial, que tinhflo sido expedidas no nicsnio espago ile
lempo ; c isto al o dia, em que recebi 0 ollicio de V.
Exc. sob a dala de I 1 de nutubro ultimo.
Da primeira dessas relages ver V. EXC. que 19
dos devedores nao pdenlo ser encontrados, e que,
portento, o sen numero se acha reduzjdo a III, e
talvaz anda fosse menor, se cxislissem em juizo08
mandados anteriormente passados, para porclles se
conhecor qnaes os devedores, que cstejflo em iguaes
crcumstancias.
Da segunda conbeeer V. Exc., que, pare execu-
c3o dos devedores nella mencionados, se teem empre-
gado os meios legaes, c expedido cartas precaloras
para os lugares, einque ellas se tomavfln neressa-
ras. E eomo as reUcftes e conlas, remeltidas para o
juizo dosfeitos nos cinco anuos linanceiros.a que me
reflro, conlinhUo 1067 devedores. e estes se aden)
reduzidosa 117, espero, que V. Exc. so dignar re-
cor.hecer ueste faci, se nao una prova de que a ar-
recadaeofiscal judiciara foi rpida e prompla, ao
menos a deque nfio falln ao juizo dos feilos o zelo,
quclheera possivel desenvolver eom os poucos of-
liciacs de justca, de que elle dispOe.
A prova desta midia BSSrgflo pareee-mc cabal, se
V. Exc: quizer laucar as suas vistas para o mappa,
que envo sob numeso 8.0, demonstrando as quan-
tiasrecolhidasasrepaitigAes fi'scaes da provincia no
espacode 8 anuos (nanceiros, qualro anteriores ao
rcstahelecimento do juizo dos (tos, e quatro posle-
i lores, pnrquanln doliese v, que a cohranga lineal,
tendo sido nos prinieiros, quedecorrem de 1838 a
1839 ate 1841 a 1842, de reis 26:917,845, passou a ser
nos ltimos, a eontar-se de 1842 a 1843 ale u de 1845
a 1846, de ris 90:027 185, conforme ludo consta le
ccrlidOes aulhenticas, quctcnlio em meu poder; o
que constitue una difl'erenca tal, que V. Exc me
permillira chamar enorme, para provar a vantagem
da nirecadurfln feila pelo juizo privativo sobre a une
leve lugar pelnJuizo cominum.
Julgo, que desta surte tenbo cumpri.lo o oflicio de
\. Exc deUdeoutubro ultimo, reteirado pelo de 11
ilc aovembru lindo
Dos guarde a V. Exc. Cidade do Recfe, 7 de de-
zembro de 1846.-lllm. eExtn. Sr. Antonio Pinto
i hichorro da Gama, presidente da provincia. 0
jnizdos feitos da fazenda, Jeronymo Alariimaiw li-
gueira de Mello. ^r-
Uappn dmaulrattoo da importancia rtcolhida wlo
j uno dos feilos em rada mu dm atmox fuitincrins, ile-
rurnilos de 1838-39 ale o Ir 1845-46.
\N\OS
IINANCKIltOS.
18:1818.19
18;<11810
1840-1841
184118(3
Somata
184218431
18i3184i
18H1815
18'.:> 1816
Semina
IMPORTANCIA ISECOI.IIIA PELO JUIZO A
Th contraria
7:9198711
7:919871
-'3:827 SS Iv
lo:0r.lS8.i2
9:19384-20
M:038>-'7
6l:l()9Si9l
Hei
d-
bi'iliiii.i
' 1I nilns
TOTAL.
8
8
:279SI03
7198031
II:
_7:
I8:998"8T34
T:
5:
2:
11
28:9I7SG9T
:B24S8I8
1618061
I 58682
:40lS720
26:9178845
26:9178816
32:15-86-10
20:>I5S796
11:6198102
25:7398657
90:0278183
Variedade.
KSTATISTICA GERAL DA FRANCA.
Por M. J. II. Schnitzler.
A cstatistica he o budgel das eousas, disse \a-
poleilo; (i aestalislica be o leilico da economia,
disse Lamartine, Oprmeiro he um nytagorico, que
er as cifras; o segundo um platnico, que er as
ideas.
Como M. Schnitzler, julgamos possivel, que a esta-
Ii-tica se reconcilie com a sciencia, rom lano que as
cifras reiiuncicm aosyalama de complacencia, que
faz com que ellas, a nianeira dos orculos, se'mpre
tenbfio duas palavrs e duas opnoes. Estamos per-
suadidos, que a obra de M. Schnilzler concorrer
liara essa rtCODCiiiagfio, para cssa amnista da arilh-
inelica com o pensament, porque o autor se nao pru-
pAe a defender urna doulrina, a demonstrar um Iheo-
rcma; apenas nos quer informar da siluacao polti-
ca, administrativa, territorial, industrial, cnmmer-
cial, geographca e inlellectual da Franca. (18o nos
aprsenla problemas, massim documentos.
Esses documentos conteem militas questes, mili-
tas prophecias, como vamos demonstrar. Na analy-
se.que vamos fazer a este livro, no quadro BITasoado
das suas materias, que vamos olferecer a nossos lei-
tores, seguiremos o melhodo do hbil e sabio estads-
tico Comecaremos pela cidade de Pars, onde ludo
aflluc, e donde tudo emana; esse esludo phvsologi-
co da vida nacional, qur sob a forma da agricultu-
ra, qur sob a do commurcio, qur sob a das rique-
zas, qur sob a da produccAo, qur sob a das despe-
gas, quer sob a das artes, e qur sob a das ideias.
uuaiido, em um da d-.- oulono, vindes Pars, pe-
lo tado doSudoeste.atravissais os campos da Beauce
planos como asagoas do mar em lempo de bonanca!
c i umita mente cobertos de colmo. Sobre essa ca-
rnada de cereaesnflo se vC, nem tapetes de verdura,
iiern curso d'agoas, nem pomares, nem bosques, mas
s e smenle as quatro muralhas alvas das berdades,
e as pyramides de paveas, cobertas de laminas, que.
devem preserva-las do incendio. Destas pyramides,
as mais pequeas teem urna especie do moinhns, isto
he, grandescaixas caronchosas, que gyrilo sobre ei-
\o-, e cobertas com urna especie de barrete. Estas
vclhas ('arruinadas machinas, triste o melanclica-
mente dito rolla a um pedaco de panno, preso em
suas longasantennas, ecom a mesma ndifferenca
recebem todos os ventos, que passo. S;*lo ellas as
nicas personagens animadas desse campo tedioso,
sobre que, no entretanto, eleva-se e sol e ca o nrya-
Iho, mas sem trazer nem flores, nem perfumes, nem
fructas; o sol e o orvalho traiisformo-se em trigo,
> ltimamente em farinba; porque mu prximo Ibe
lca l'aris, sen'preesfaimado, que quer s suas por-
fi do Oriente, cstende e co urna cortina; porque,
segundo o calendario de longitude, contao-se em ca-
da anno 57 das de calor, 58degeada, 12 de nev,
180 de nevociros, e 140 de chuvas.
Apenas amanbece o da, ha alguma cousa de tris-
lonbo no ruido da pedra contundida pelas rodas dos
carros, novai-vem de homens oceupados, que pas-
sfloe repassiloem sentido inverso, no linter dos-pea
dos cavallos, nos estallos dos chicotes, nos gritos dos
vendedores: he a penuria em lodo o seu rigor, o
trahalbo em toda sua crueldade.
Vera a noite, a cidade cbammeja: grandes bolas
de fogo fluctuao, agrupan-se, e cali un em cachos so-
bre as piiiiics, sobre oshoulevares, mcrgulhando-se
nos regatos como meteoros,que se entranh3o n'agoa;
entfio os continentes presurosos cnlregSo aos praze-
a, vos haveis de enfastiar de tanto pao.
Se vindes a l'aris pelo lado do Sueste, vedes a
immensidadc devdeiras, que cobrem as colimas.
Smente respiris os vapores de lagares; apenas ou-
viso oslrepito do malbo sobre asaduelas das barri-
cas: ao lado dasvideiraseslendem-se osrebentaes e
os mallos da N'ievre, e ascorreutes do Yonne, i.oire e
Aller, trazeni ao mesmo lempo ao Sena jangadas
earregadas de vinhos, c maderas amarradas em for-
ma deesas mesmas jangadas, invenefio de Joan Bou-
vet, que, nodeeimo-qunto seculo, foi celebrada por
batas e rogos de artificio.
Se vindes a l'aris pelo lado do Oesle, encontris
caminbao pelas extremidades da estrada. Essas ma-
nadas veem da Normandia, que be um prado, assini
como a lieaucc be um campo e a Hurgonha una vi-
uda. Emfim, pelas estradas do Norte, atravessiiis um
semicirculo de bosques, que se estendem desde llain-
hoillet at Fontainehleau, passando por Versalitas,
SRo-Cermano, Compigne, Villers-Cotterls, Cliaa-
lilly, Snart eVnrennes, immensas pilladasdoca-
^a, que abastecem milboesde mercados.
Mas urna capital nSo precisa s de pao, carnee v-
nho; necessita de pedras; tein preciado do gesso, do
lijlo ilc IiIi lllm, da cantara. Aloutmaslre Ihechi o
prmeiro; Vaugirard o segundo; Eoutanebleau a
lerceira. Gigantescas rodassobreposlaa as colimas
de MouIrouge levAo homens cem.pes abaixo da Ierra,
e de la trazem roebedos, que, depoisde pulidos, for-
mio as grandes fachadas, i|ue se ohscrviio as ras
de l'aris.
Eslas eousas, porm, gfiq apenas as mais inmedia-
tas para as ncccssiilailes de urna capital. Em urna ex-
tcnsfio de cincuenta a sessenta leguas, essa iiictropo-
le privilegiada conten: o mar, que Ibe produz o pei-
xe, e Ibe trazos gneros COloniaes; urna grande quan-
lidade le i ibeiros e correntes d'agoa, que fcilmente
pode reunir por meio da canalTsaC/lo; e as feriis
planicies do Norte, que a suppreni de vveres, azeite
e carvao-de-pedra. Para ohler as riquezas, os recur-
sos c as industrias dos rircumvizinhos, tem ella seu
rio, fcilmente navegavel na sua maior parle, enri-
quecido de numerosos anllenles, e accessvel a todos
os caiiacs.
Fcil he de comprebender, que urna capital, com
suas extraordinarias necessidades, com seu mons-
truoso appelile,de alguma surte absorva o surco nu-
tritivo da Ierra, em muitas e muitas legoas. O cam-
po est estiolado; as aores da estrada quas sem
folhas, Icnrotas, cobertas i|e cicatrizas, trapentas.
Os arrabaldes sflo inmundos: nelles se nflo cncon-
tiao, nem pomares, nenalas de pilritciros, e nem
nenhuma das perfumadas remenisceucias da poesa
de nossos burgos. Ah apenas ha Ierras lavradas, c
monluros, que, por equvocos avancos, grangefio as
sympalhas dos corvos.
De quando em quando, una casa solada, cercada
de muros como um convento, silenciosa como um
niysterio, dexa apenas exhalar, no meiodessescam-
pos, um rraquissimo vapor. He ella a morada de al-
guma industria misantliropa, que tein necessidade
da solidan.
Quem parar na chBa, que domina Paria; emliont-
rpuge, vera a esquerda, no horizonte, urna sombra
azul; be a cadeia de collinas, que se perde por Iras
de S&o-Germano: oler a frente de si oamnnitliea-
Iro de Moutinaslre, de Charoahe ede Dellevillc, im-
menso guardavento que abriga l'aris dos nordestes.
Nos flancos desse vasto circo ondulfio as forliflca-
{Oes de l'aris, que teem nove legoas de circuito, e
que encerrfio urna poreflo de burgos na lulia de
apila dezascis fortes deslacados, e de seu continuo
mbito, essa iniiralha de liabylonia, destinada a re-
ceber duas mil pecas de ai til hara; e que habilita a
Franca a fallar a Europa, como a voz do monte Si-
uai, no meio de urna iiuvein de logo.
Nos ]res ngulos de lim triangulo, formado por
.Moulniailre, Menilmonlaret, e o monte Parnaso, ele-
vo-se oulras tres cidades silenciosas e melanclicas,
que lamben! tem seus palacios: palacios demarmo-
re, he verdade, mas de una perspectiva demasiada-
mente acanhada, All apenas si ouvem preces em voz
baxa, ou o siblar dos venios nos ramos do cy-
preste.
Agora vamos ver Paris desenrolar-se a nossos ps;
um sol taciturno, seu venladeirosol, lauca sobre es-
sa cidade um olhar ohliquo alravs do nevoeiro.
A principio apercebemos em sua circunferencia as
grandes massas desses monumentos, que as cidades
desle rao em suas portas; os matadouros, as prisOes,
os hosptaes, os quarleis, as fumeganles fabricas,
que, pelo alio respii adorno dassuns cbamnes, vomi-
tflo ros de fumo na alhmosphera.
'ludo isto nada mais he (toque as trivilidades da
de Paris, que, por urna secreta adherencia chimica
se enche de toda a substancia nacional, que a si al-
trahe ? Agora, que pouco a pouco augmenta
appendices, seus caminhos de renos, para habilitar-
se a apoderar-sede todas as paites de seu territorio
nao perecer a Franca-do urna congestao cerebral ?
Continuando na analyse daeslalistca geral da Fran-
ca, oceupar-nos-heinos desta grande que~
Eugi:\k Prlletan.
Tmercio. !*
las lanas legoas de Ierra regadas. I'ara o lim da yi- rea suas riquezas, suas mil excitages; entilo, como
dizem os moralistas, a grande prostituta paramenta-
se com suas Joias, e derrama ros de vinhos, de per-
fumes, de msica, de lascivia
Eis o corpo, o ente vivo, cuja anatoma fez M.
Schitzlcr. Elle nos da a cifra da populagiio de Paris,
o budget de suas despezas, e de seus prazeres; conta,
molcula por molcula, a aspiragao eexpiragio desta
monstruosa madreposa, que seeslende sobre duas
legoas quadradas de terreno, c que, pelos quarenta
e olo orlicios de suas barreiras, absorve, ou despe-
de urna i fio grande quantidade de alimentos.
Ha em Pars 30,000 casas, e a populagiio, que, em
1800, era de547,000 almas, em1841, he de 912,000
caravanas de bois ec'arneiros, que, em'longas filas, almas, oque faz 1,500 pessoas porhectaro, isto he,
maior numero de pessoas do que o de arvoreS, que
poderia conteressa porgilo de teirono. Em cada cem
desses habitantes, cinc.oenla sao Parisienses pro-
pramente ditos; dous nascidos no departamento lo
Sena; 41 em oulros departamentos; 4 em paiz es-
trangeiro; e 3 se nao sabe onde, l'aris hef pois, a ci-
dade de todos os Francezes. Nascem em cada anno,
qur bom, qur mo, 30,000 meninos, e destes,
10,000 sao (ilbos naturaes At 1809 a morlalidade
era superior natividade: presentemente esta a pro-
porgSo mudada. He no mez de margo, que se contilo
mais nascimehlos. Isto prova, que omczdejiilho
nem s produz revolugfles.
Me tambera no mez de margo, que se contilo mais
bitos. A vida tem sempre a heras duas portas, no
entretanto que por urna entra este, sabe aquelle pe-
la oulra. Emfim, ha 9,500 c.asamentos por anno, e he
no mez de maio, em queaflluem asandornbas, que
os desposorios tambein aflltiem. A estalstica \la um
desmentido solemne ao nosso antigo privilegio de
conlrahir amores em todas as cstages.
A populadlo heassim distribuida : prolssOes I i be-
raes, propretarios c renderos, 125,738 individuos;
profissdes commorciaes, 70,727; profissiles mec-
nicas, 337,921; profissoes assalariadas, 172,890;
militares, 78,586.Examinando algumas das enu-
meragOes emgrosso, acbar-se-hao 640 magistrados,
1,480 notarios, procuradores-de-causas, advogados,
etc.;3,170 empregados do governo;1, 423 mdi-
cos;80,000 individuos com cartas de oflicio, o de-
cimo-selimo de todas as cartas dessa especie, que
lia no reino ; 20,000 eleitores, o decmo-quarlo dos
elelores de i-ranga; 800 padoiros; 400 carncei-
ros; 2,500 especeiros ; ~ 800 estalajaderos; 800
limonadeiros; 900 casas de pasto; 2,300 merca-
dores de vinho;-10,000 cocheiros; 50,000 criados
e 80,000 indigentes inscriptos; porm, na realidade,
ha 200,000 pessoas, que participan dos socenrros das
inslituiges de beneficencia. Quando um quarlo da
populag.Ao esta condemnada a essa niendicidade lein-
poraria a discreta, que recebe csmola em casa, os
economistas deven! COrrigr suas hom i I ias sulire a
prosperidade das classes operaras, mormenle quan-
do o monte-po empresta 20,714,000 francos por au-
no, e se rrcolhem caxa econonu'ra 40,437,222,
somma coilsideravel na verdade, mas para a qual
apenas contrihue aquarta parte dos operarios. Sao
principalmente os criados e os mais pobres rende-
ros, que vio levar seus penhores ou suas econo-
mas a suprainencionada caxa.
Quem devora esse ntiumeravel pessoal de pobres
e ricos?
A cidade de l'aris consom por anno, 576.700 sac-
casde farinba ;--180,000 heclolitres de legumes sec-
eos;774,875 hectolilres de batatas; 992,000 carre-
tas b chalupas de fruclas; 500,000 cestos de uvas;
77,543 bois; 20,951 vaccas;-83,282 vitcllas; 459,470
carneiros; 3 millules de kilogrammas de toucinho;
120milhAesdoovos; SmilhOes de kilogrammas
de manteiga; 4 milhoes de kilogrammas u> quei-
jo;-12 milboesde kilogrammas de peixe do mare7
milhoes de duzias de ostras. Emfim, segundo a es-
tatistica de 1844, a nica, que existe, relativa saves
6 a caca, l'aris anda consom 931,000 pombos ;
174,000 patos; 1.289,000 frangos ; -251,000 ca-
pes; 549,000 pers; 228,000 gansos ; 131,000
perdizes ; 177,000 roelhos ; 29,000 lebres. Mas,
como rasoavetmente observa M. Schnilzler, estes
ltimos obiecios de consumo devem abundar milito
nos mercados de l'aris, gragas ao augmento de boc-
eas, e rapidez das vas de commuiiicagito,
Entretanto que o immenso-polypo devora essae-
norme quantidade de alimentos, em a qual se nao
conta goni as massas, com o arroz, com o assucar,
etc., as nascentes d'Arcueil, de Prs-saint-Gervaia,
de Belleville e de Monilmontant, as bombas de Gros-
Caillou, e o posso artesiano de Grcnellclhe derra-
man 107 milhoes de litros d'agoapordia, sem con-
tar cun os 100 chafarizespublicos.com as 1,500 In-
cas, e com os 2,500 chafarizes particulares,
l'aris consume, alrr. dislo, 964,000 heclolitres de
Alf.mdeftn.
BEND1MENT0 DO DIA II. ... .
ORSCAnnroA iioje 12.-
Patacho^rcAmrdMhacalho.
Consulado.
RE.ND1MINTODODIA 11.
Geral............
Provincial..........
Diversas provincias.......
15:498,025
3:129,517
1:780,762
8,159
4:918,438
Uovimento do Porto.
Navios sahidos no dia 11.
Ro-Grande-do-Sul e l'orto-Alegro ; brigue brasileiro
Cunceic/lo-C.abaelo, capitflo Joaquim Jos de Sr-
queira Porto, carga sal. Passageiros, Januario Sos-
res do Oliveira, Jos Gnngalves da Silva Portu-
guezes, e 5 escravos a entregar.
Bahia e Itio-dc-Janeiro; paquete inglez Potril, com-
mandanto o tenente Gresser. Passageiros os mes-
mos, que trouxe.
Rin-de-Janeim; brigue brasileiro Saudades-de-San~
tos, capitilo Joaquim Francisco Vieira, carga a
mesma, que trouxe.
Mar-Pacifico; galera americana Josephina, capitn
Hiram B. Iledges, carga a mesma, que trouxe.
Parahba ; hiate brasileiro Conceic.o-l'lor-das-Vit-
ludes, capitflo Antonio Manoel Alfonso, carga va-
rios gneros.
HsasaasM
Va
lilac.
O Dr. Jos Thomaz Kabueo de Araujo Jvnior, /dalgo
caralleiro da cosa imperial, camlleiro da ordem de
Chrislo, e juiz de direilo da segunda rara do civil, e
procednr de capillas e residuos detta cidade do llerift
de l'ernambuco e seu termo por S. t. o Impera-
dor, etc.
Determina, que as confiaras, sem excepgflo das
ordens-trceras, Ihcapresehtom no prazo de 8 das,
que Ihes assgna,oscompromssos,pclos qaes se li-
gera, para que elle proveja, como Ihc cunipre, a res-
pailo das ditas contrarias, e. sejflo os referidos com-
promissos registrados no livro competente, eoulro-
sim, que no mesmo niazo as mencionadas contrarias
Ibes apresentem tambera os tombos dos bansdellas:
sendo que pela omissflo ou desobediencia deslo
preceito proceder o raesmojuiz contra ellas,confor-
me a ordenagflodo livro 1. titulo 62verso : =Capcl-
las, hosptaes, albergaras, c eonfrarias=.
E para constar, mandn publicar esto edital.
Becife, l." de dezembro de 1846. Bu, Caldino
Them'j'tocles Cabralde Vasconcellos, osubscr&vi.
Jos Thomai Animen de Araujo Jnior.
Ao sello 100 rs. Valha sem sello, tx-causa.
Nabuco de Araujo.
-- ODr. Jos Thomat, etc.
Determina, que os administradores de capellaslbes
apresentem, sob as penas c procedimento determi-
nado na ordenagflo livro 1." titulo 62, as inslituiges
das capellas, que administrao, e isto dentro do pra-
zo de 8 das, que Ibes assigna.
E para constar mandn publicar este edital.
Jlccife. 1 de dezembro de 1816. Eu, GaldinoThe-
mytoles Cabral de Vasconcellos, osubscrevi.
Jos Thomat Nabuco de Araujo Jnior.
Ao sello 100 rs. Valha sera sello, ex-causa.
Nabuco de Araujo,
O Dr. Jos Thomaz, ele.
Faz publico, que as arrematages do juizo tent
lugar agora na sala das audiencias, e depois dellas.
E para constar mandn publicar este edital.
Hecife, 9 de dezembro de 1846..
Jos Thomaz /Vabucjo de .Irnvjo Jnior.
Deca rae, 5es.
AIinSMATAgAl), QUE PERAUTE A TIIESOUIUIIIA DASIIEMHI
rnoVINCIAR, IHIA' l'.KALlADA EM O DIA 16 DE OEZEMBH0
coiihemte.
O empedramento de 270 bragas da 1.' parte do 8.'
lango da estrada do Po-do-Alho, feilosegundo osys-
tema de Mac Adam, principiado um mez, e acabado
auatro mezes depois da arrematagao, c pela quantia
e 2:160jOOO rs pagos em qualro prestages, e pela
maneira proscripta no artigo 15 do regulamento pro-
vincialdell dejulhode1846.
0 brigue-escuna Laura recebe a mala para o
Maranho boje 12 as 10 horas dodia.
espect-
culo de miserias, que entilo se Ibes ofU-rece; vosso
corago enti islecer-sc-ha, quando viris inullieres,
de carvao-de-pedra, 98,1100 de p'-dc-carvilo,
2,783,011 de carvao de madeira.
Os transportes do exterior ao interior occupflo de
vtkm. ** JV r%r
igrejas, dos palacios, dos edificios, das pragas publi-
cas, dos armazens Entilo, o viajor e, sent, admi-
ra, agita-se, he assaltado por ideias ou emogoes He
o verdadeiro Paris, que renousa. ora sobre um oto
profundamente excavado,' ora sobre as catacumbas,
ora sobre os carneiros, ora sobre as galeras de es-
gotos, oulras ras subterrneas, ora sobre conduc-
tores d'agoa, ora sobre conductores de luz, porque
ahi se concentra o solem um lubo.'e por 671,900 re-
gistros se dilfundcm os seus raios.
Depois de tilo profundamente se haver enraizado
na lena, Paris eleva casas de cinco a seis andares, e
cima dessascasas zimborios, coplas, c torres, on-
de o ciilavento vai buscar um sopro, e um thele-
grapho fazer um signal a outro tbelegrapho do oulro
lado das collinas.
Por cima de tudo isto, como dianle de um sanctua-
purtagilo de 120 milhoes por anno, e da lugar a 300
sociedades e oulros tantos falimientos.
Mas Paris nao bes ura immenso apparelho de
consumo ecirculacao; ,:!: tarabem ha pc-nsanientus
esenlimeiitos. Conlin 24 theatros, que fazein 7 mi-
lhoes de recitas; 37 bibiiothccas dasquaes 8sflo
publicas; 6 museos, o do Jardim-das-l'lanlas, oda
Artilharia, o do I ouvre, o do hotel Cluny, odasAr-
tcs-e-Ollicios, e o do I.uxembourg; 7 collegios, as 100
cadeiras do Museo, da Bibliotbeca real, da escola de
Charles, das Bellas-Artes, da Sorbonna e do colle-
gio de Franga, etc.
Urna nica prova bastar para demonstrar a expan-
s3o continua do pensamento nacional. Em dez an-
uos, tem duplicado o numero de exemplares, que
os jornaes costomavflo tirar.
O que se deve presagiar desse continuo augmento
A adiiiinislragao da compendia de Heberihe con-
tratara -a arrecadagAo da laxa na caxa d'agoa e nos
chafarizes da Soledadc e da praga da Boa-Vista, por
lempo de 6 mezes a nontar do primeiro de Janeiro
prximo futuro em dianle : os prctendentes podem
remetlcr as suas propostas, em cartas fechadas', o
secretario da companha, al o dia 20 do corrente,
declarando logo os seus (adores. As 'mesmas pro-
postas serSo a bertas no dia 23 era presenga di au-
n'inistrsgno ese far.i o contrato cora quem m*'S
der e melhor garantas offerecer. Escrptorio da
companhia 9 de dezembro do 1846. O secreta-
rio II. J. lernandes llarrut.
A VIS! s
martimos.
Frea-se, para qualqiierdos portos do Norte
at o Cear ou piara o Sui al o rio de S.-Francisco,
a bem construida e veioira barcaga Hor-do-lttcife ,
tundeada defronledo caes do fallecido Jos Rr.mos :
a tratar com o mostrea bordo, ou com Manoel Jos
Gongalves Braga, ao p do arco de S.-Antonio.
I


.3l
Obrigno franccz Armorique fecha a mala no da
15 do corrente ao meio-dia, cm casa dos consigna-
tirios DidierColumbiez & C, n da Cruz.
Sefie vlagem para o Acararu coma maior
hrevida possivel o patacho Emulado : quem no
mesmo quizer earregar, on ir de- passagem dirja-
se ao capitana bordo do inesmo fondeado defron-
te do trapiche novo ou ao oscriplorio de Manoel
Goncalvesda Silva na ra da Cadeia do Recite.
I'ara o Porto seguir, iinpreterivelmente no (lia
indo correte, o liriaue portuguez Ventura-h'eliz .
piule anda receber pequea quantidnde de garga a
fete; assim como passageirns. Trata-secom Mendos
i Tarroso, na da Cruz, n. 54, ou com o capullo An-
tonio Francisco dos Santos, na praga do Commer-
cio.
Para o ltio-de-Janeiro, ate 18 do correte, sai
n linda e veleira escuna Caanle-Marn, pregada e
forrada de cobre; recebe carga, passageiros eesera-
vos a fete: a tratar na ra da Moeda, n. 9. com
Silva Grillo.
Para o Itio-de-Janeiro sabir*, em poucos dias,
o bngtio brasileiro Kcho, por tero seu carregamento
quasi prompto; recebe algiima ca/ga miuda, passa-
geiros e cscravos .- os prelendentes dirijilo-se aoca-
pilflo, Manoel Luiz dos Santos, ou na ra da Cadeia-
Velha, aoarmazem n. 12.
Para o Rio-de-Janeiro est a sabir em poucos
dias, por ter pai tedoseucarregamento prompta, opa-
tacho nacional Thtrtza, forrado e pregado de cobre;
tem encllenles commodos para passageiros : quem
no mesmo quizer earregar, ou embarcar escravos, di-
rija-so aoarmazem n. 44 da ra do Trapiche, ou a
.Novaos & Companhia, na mesma ra, n. 34.
BSWMB _.__. ni .._
No sobrado ao p da porta principal do thealro,
precisa-se de urna ama, que trate de um docnte.
Quem precisar de um criado portuguez, que
tem bastantepratica de servir a mesa, ou mesmo
para buliciro pois de todo sabe, e que d (ador a
sua conducta, dirija-se a ra da Gloria, n. 30.
Moje, 11 do correte, depois de
fintla a audiencia do Sr. Dr. juiz do civel
da o.1 vara tiesta cidade, se lia de arrema-
lar, a quem mais der, por venda, um so-
brado de dous andares e solao, em cliSos
pronrios, silo na ra doQueimado, n. aS
os
hora
A usos diversos.
ANNUNCIO IMPORTANTE.
Existcm, para ser procurados por quem livcr in-
l teresse, as demarcagoes e litlos autigos das propie-
dades seguintes : -- domarcagao das tenas no rio
Cucau, termo de Serinhaem, por provisto regia, que
alcaucou Manoel de Araujo Lima ; dita das trras do
engenho Roa-Vista do termo de Serinhaem, por pro--
visito regia, que obteve o sargenlo-mr LuizTeixei-
ra Lima ; dita das trras dcS.-Jos da Aldea do mes-
mo tormo do Serinhaem ; dita das trras do en-
genho Fernandas; dita das tenas de Paratibo de
baixo; dita das trras ontre as duas estradas, que
vilo para Reberibc de baixo e de cima, que forilo
de Jos Marcellino Rodiigues Colasso ; dita das tr-
ras da Cachocira de Taniataupeda freguezia deTra-
cunhfiem; dita amigavcl entre as trras do e.ngeho
Ilom-Jesus o nropriedadc do Parol, termo do Pd-
do-Alho; ttulos Je divsao or una vistoria entre
os engenhos de S -Francisco da Vanea,0 Santos Cos-
me e Damin, produzidos cm quesillo sobre a poste
e dominio das trras denominadas Partido da oulra
banda ; ditos do partido denominado Senuin, pro-
duzidos em qucstio entre os senhores dos engenhos
de Camaragibe e Jaguar, termo de Serinhaem ; di-
tos das trras denominadas Cama'leflo, na freguezia
de lina ; ditos do sitio denominado Rrago-do-Mcio,
ou Capoeiras dos Duarles, e mus terrenos annexos
aos engenhos Vicente-Campello, c Riacho-d'Anta ;
ditos das Ierras do engenho Coras, da freguezia da
Luz; ditos da propriedade do Forno-da-Cal; ditos
do sitio de trras de criar gados, no sei tio de S.-Jo-
s dos Rezerros, denominado Son a-do-Ayres; ditos
das trras do engenho S.-Guncalo de Tracunhiiem,
chamado vulgarmente dos Martos ; ditos do sitio
de lirias Tamatua-Mcirim, na fri'guezia de S.-An-
tiio ; ditos do engenho Jaguaribe ; ditos desterras
do engenho Arariba dcima, termo do Cabo ; ditos
da hienda Panellas denominada Queimada*-covas ;
ditos dii engenho Pitrib, por innovacio Alinas-San-
tas ; ditos de urna legoa de Ierras para urna e oulra
parle do ro Tamulape, que forao de Jos Camello
de Vascouccllns; ditos das lenas de Campias, que
forilo de Andr de Alhuqucrque, junto as trras do
engenho Alaga-Crainle ; ditos das Ierras ntreos
engenhos Sibirg e Jussarj.
N. II. Os ttulos mencionados teem referencia a ou-
tros terrenos, com os quaes limilao, e por isso po-
ili'in inleressar nos senhores confinantes: as pessoas,
qiiequizerem haver laes tilulos c demarcagoes, di-
njflo-se ao armazem da ra Nova, n. (7.
O abaixo assignado, capitn do briguc francez
Armorique, niio pode retirar-se desle porto, sem a-
presentar seus sinceros agradecimenlos aos lllms.
Srs. capitfio do porto, c comniaiidante do brigue de
guerra Caliupe, pelos-promplos e enrgicos soccor-
ros, com que acudrilu em salvamento ao dito navio
ArmnTique, quando na tarde do da 2 do correle, sa-
liindo desle porto, enc.ilhou na praia doRrum, com
cuja promplidao e trabalho activo das cquipageus
das respectivas lanchas seconseguio desenealhar
navio com pouco prejuizo, quando no mesmo lugar
outros muitos se teem perdido com toda a carga. I-
guaca agradecimenlos tribua o nbaixo assignado ao
lllm. Sr. patrao-mor pelos mesaros aervicos. Quci-
lao, Srs. Redactores, publicar este agradecimenlo
em sua folha, o qual conservara sem pie em seu co-
racilo O seu venerador
Parlrl,
Capilto do brigue armorique.
Tendoum pelo deixado de entregar em o lu-J
gar, quelite fora indicado, um barril de nianleiga
franreza, quelbc fora dado pan carregar, emodia
9 do coirente; o dono do mesmo barril pede ao de
alguma venda, onde fbssc elle parar, ou qualquer
pessoa, quedelle livcr noticia, que o mande levar,
"u avise na Iravessa da Madre-de-Heos, n. 10; na
'-iti'/.a de(iir alii recelieri boa recompensa.
Precisa-se de 400,000 rs premio, e bypotheca-
se em garanta una inorada do casa terrea cm
"ta boa ma, desembaracaa de duvdas ou ques-
ees: as Cnep-Ponlas, n, 62, se dir quem faz este
"'gocio.
Manoel Rodrigues Vcira rclira-so para fora do
imperio.
Hoje, ao meio-dia na sala das audiencias,
anude se faz a praca do Sr. doutor juiz do civel da
segunda vara sena de arrematar anta casa terrea
"a ra do Jardiin por execucao de Jos Vicente Fcr-
'eira Barros.
Pelo juizo da segunda vara do civel cm a sala
-23 aurcigs ,Se l.i<~> (' "i iVii'iaiii" algiS iliOVCIS
pi'iiborados a Roinfo Antonio Terrona, por execu-
V*o de I). Mara Rosa de AssiimpcBo ; o que lera I ti
Rr hoje, as 11 horas da manliaa.
Os Srs. Jos Luiz de Alm.eida Mariins e .Manoel dos
Santos Franco queirao apparecer na na da Cadeia,
n-6 primeiro andar, parase Ibes entregaremear-
l"s, viudas de Lisboa, de SUSS familias.
Hoje, ao nteio-dia na sala das audiencias,
Eelojiii/o da segunda vara do civel, escrrvfio Reg ,
ea ultima praca da adjudcalo do sitio e sobrado
n* estrada de Uelm penhorados, por execucao do
foiisul de 8. al. Rrilaiinica aos herdeiros do (inado
Joao Pinche.
icilanles compareco no dia e
aplazados, por ser a ultima praca.
-- No dia 14 do corrento, a porta do Sr. doutor
juiz de orphflos, as 4 horas da tarde se ha de ar-
rematar, por ser a ultima praca urna casae sitio
no lugar do Bemfca avahada por 6:000,000 de rs.,
pe ulioiada a viuva c herdeiros de Joaquim Leocadio
u'Olivera Guimaracs, por execucao da viuva do lina-
do Bento Jos Alves.
Oflerece-seJ urna mulherpara ama de urna ca-
sa de horneiii solteiro, que sabe cozinhar e engom-
mar: quem deseu prestimose quizer utilisar, di-
rija-se aobeccodo Burgos n. 3.
O annuncio fcilono Diario de Pernambuco no
da* do corrente mez de urna carteira que se
perdeo no da2dodlo coirente mez ,a dita cartei-
ra est amarrada com urna fila de ludio com varios
papis de importancia dous bilhetes da lotera do
l.ivrainento um valedo coronel Joaquim Jos Luiz
de Souza o qual ja se acha seente para que nao pa-
gue a pessoa alguma, quejlbeapresenlar, csao
inesmo annunciante : e como estes papis nao ser-
yem a pessoa alguma c sim ao proprio dono ; por
isso roga-se a pessoa que a tiver adiado, o favor
de mandar levara ra do Crespo, loja da esquina,
que vollaparaa ra dos Cruzes, n. 16, que ser
recompensado.
-- Precisa-sede umeaixeiro portuguez, quo le-
nha pratica de venda eque d fiador a sua conduc-
ta: na travessa du Concordia, fabrica de licores,
n. 17.
' oje, ao meio-da, na sala das audiencias, tem
de se arrematar na praca do juiz do civel da segun-
da vara a parte de um sobrado de um andar na ra
do Livramento, e una casa terrea na ra do Agoas-
Verdes por execuc^io de Bartholomeo Francisco de
Souza contra Joao Pe eir Lagos e sua mulhor, es-
crivao Santos.
No dia 5 do corrente, apparceco nollondcgo, ca-
sa n. 141, urna preta de nomo Flippa, que diz ser
cscrava de Jos Joaquim de Mello, morador cmCa-
becciras de Pajeh-de-Flores; cuja escrava procurou
dita casa, por ja ter criado uella urna menina : pr-
tanlo, o annunciante adverte ao dito Sr., que mande
lomar conta della, pois que mo se respousabilisa,
por moi le ou desapparecimento, que a mesma possa
ter.
Precisa-se de um caixeiro para venda : na pra-
ca da Boa-Vista, n. 15.
Perdeo-sc na ponte do Rccife um bonete de vel-
ludo, pertencente a um menino: quem o achou, que-
rendo restituir, leve-o a botica do Bartholomeo, na
ra do Rozario que recebera 2,000 rs. de grali-
ficacao.
Precisa-se de um caixeiro para armazcm de
carne do Cear, e queja disto tenha bastante pra-
tica dando iador a sua conduela : na ra Uircilu,
sobrado n. 29.
Aluga-se urna casa com bastantes commodos no
Poco-da-Panella : a tratar na ruado Queimado, loja,
n. 8, com Caetano Jos da Silva.
Aluga-se a excellente casa desobradodo fallecido
Antonio Pereira da Cunha sita no Varadouro da
cidade de Oliilda, com muito bom banho, grande
paireiral, ebaixaeom capim para 4 a6 cavallos ,
contras militas vanlagens, que s vistas podem-se
avahar; aluga-se por festa ou por anuo, e a casa
sem o sitio oucom elle, a vonlade do alugador :
na ra da Cruz, casa da Viuva n. 23.
- Aluga-se, pelo lempo da festa, urna casa nova,
com sitio, no lugar da Torre, muito perlo dorio,
contendo grande porcao de ps de coqueiros, por
60,000 rs. : na ra Nova, loja n. 67.
Precisa-sede nina lavadeira, que d fiador a
sua conducta : na ra estreita do Rozario, n.30, se-
gundo andar. '
Joaquim Marques S.-Tiago participa a todas
as pessoas, tanto dcsla praca como do utalto que
com elle tiverem negocios que a sua residencia
nesla praga he no Recco-Largo segundo andar do
sobrado n. 1 aonde morou o Sr. Mello.
[ Aluga-se una casa terrea com urna meia-
agoa no undo na ra das Ciico-Pontas ; quem a
quizer ver, dirija-se a venda do Sr. Joao Jos do Mon-
te, na mesma ra e para tratar na travessa do Veras,
sobraden. 13.
Augusto Tappcnbcck retira-se desta provin-
cia.
= O abaixo assignado, vendo nos Dinriot um remedio
para bobas e pravos seceos, cujo remedio be cousn ex-
traordinaria, e lendo eiigriiho, ha muitos anuos, e leu-
do perdido diversos escravos, e desde o annuncio des-
le remed, tendo salvado lodos, e por liiu sua srnho-
ra, que padeca esta molestia a poni de ji nfio se poder
calcar, c com esle remedio lieoii peiTeiininente lia, e
t.imh>-iii.tini tilho de iil.ule de20anuos: e como vio rsle
remedio produzir esies ell'eilos, por isso faz esle annun-
cio para beneficio dos Sis. de cngcnlio, leudo visto ne-
gros aleijados e perdrrem a vida, par causa drtla ilion**'
lia. Faz este aiinuiuio pai.i beneficio da liumanidade.
a iiinnio Carrafa l'tuoa le Mello.
A viuva de Manoel Bernardino Monteiro, cons-
taiido-lhe, que o dito finado sen marido licasse a
dever a algumas pessoas, e nao sabendo ella a quau-
to monta csse debito roga a todas as pessoas, que
se julgarem credoras do mesmo, lenhao a bonda-
:!e de comparecer no dia 12 do corrente as
Novo importante aviso.
I'OMMATKAU CUTELEIRO, ATERR0-DA-BOA-
VISTA, N. 5,
'tem a honra de prevenir ao publico que acaba de
receber, pelo ultimo navio chegado do Franca, um
grande sortimento de mercadorias todas (le pj-i-
meira qualidade e do ultimo goslo cont: clnco-
tinhos delicados o bcngalinhas guarnecidas de prata
una ; pertenecs para cagar; polvarinhos de diversos
tamanhos, chumbeir.is de 1 e2 canudos, saca-
trapos, ferros para desparafusar, forma de fazer ba-
las de varios calibres para pistolas, espoletas de
primeira qualidade chamins deago fino para es-
pingardas de espoleta ; esponjas finas; cscovas pa-
Ao Jiiaflamismo
T
2000 rs. porcada mantinha de garga para grava-
lado senhoras muito proprias para o madamismo
de bom gosto usarnos passeos e por casa, por se-
rem muito leves c galantes. Os baratissimos cha-
peos de crep estflo se acabando; as senhoras, quo
anda nao compranlo queirao habilitar-se quanto
antes; pois he objecto indispensavel para as festaa
rampeslrres do Natal : vendom-se por 6000 rs., na
loja de Antonio Luiz dos Santos & Companhia na
ruado Crespo, n. II.
Yende-se um terreno na
ra denles e para unhas; ferrinhos para limpar e ti- travessa Real da ra Real, ou estrada do Manguinho
4
horas da tarde em seu sitio na estrada de Joo-de-
Barros acompanhados de suas competentes clare-
zas ou mandar, alini de se lomar nota, o pro-
curar-se o mellior roco dos seus pagamentos; o mes-
mo porque, tendo de se proceder inventario, Ihe he
preciso declarar os dbitos, que o casal est a dever.
Precisa-sc de dous lavradoies ; em casa do Uoura-
dor, ou fabricante de caudiciroi de ga na ra No-
va n. a
Aluga-se,, pela festa, ou poranno, um sitio na
margem do Capibaribe na Capunga com boa ca-
sa estribara cocheira, baixa para capim : a tratar
no mesmo sitio lodos os dias de manhaa e de tar-
de ou na ra do Itaugel, n. .r>9, primeiro andar.
Aluga-se o andar terreo ou loja do sobrado n.
12 da ra da Aurora, cwin ptimose muito asseiados
commodos nara moradia de honicm solteiro ou de
pouca familia: quem o quizer alugar, dirija-so ao
mesmo Sobrado qualquer hora.
Alug3o-se os segundos andares do sobrado da
travessa doQueimado, ns. le3: a tratar na venda
do mesmo.
rar denles; instrumentos do ciriirgia; fundas de
todas as qualidades ; frcios ; esporas; obras de
prata lavrada como eolheres para cha e de tirar
assucar, muito ricas ; facas com cabos e folhas de
prata para comer fructas-, e lambcm com cabos de
prata e folhas de ago fino; navalhas de barbear de
primeira qualidade ; tesouras de todos os tamanhos
o de ago fino ; e geralmenlc tudo quanto pertence a
cutelari ; eslojosde mathemalca e necessarios de
costura para senhoras. Tambem faz do encommen-
da toda a qualidade de fundas, e concertos de es-
pingardas.
-As quartas-feiras e aos sabbadoscontina a amolar
toja a qualidade do ferros ; advertndo aos seus fre-
guezes. que d'ora em diante elle mesmo se oecupa-
r especialmente deste ultimo trabalho.
Perdeo-se, no dia 2 do corrente, desde a casa
doSr M. A Guerra, na ra da Aurora, at ao Aterro-
da-Roa-Vista, una cassoleta de vidro com caixi-
Iho de ouro lavrado obra franceza contendo den-
tro emlcttrasde ouro sobre campo preto, as se-
guintes firmas de urna lado M. R. B. e de outro,
* A B. : quema tiver adiado, ou a quem tenha sido
ofTereeida ; querendo restitu-la, dirija-se a ra da
Aurora n. 12, primeiro andar.
-- Luu Antonio Mesquita FalriTo manda seu filho,
Carlos Mana FalcHo.ao Rio-de-Janeiro.
Precisa-se do um ou dous Portuguezes soltei-
ros, que tenhilo pratica de tratar de vaccas de
leile, c tle vender o mesmo leite : quem estiver
putas ciivuiiistancias dirija-se a estrada nova casa
de paredes azues defronto do engenho da Torre ,
para entrar em ajuste.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico
nlernode urna casa de pequea familia : na ra do
Livramento n. 11. Ma mesuia compra-se una mo-
Ieca,de12a 18aunos.
Manoel Ignacio da Silva Teixeira participa a
seusfreguezesde pao, que tem quem o va ovar'pa-
ra as partes da Passagem-da-Magdalena alaos Re-
medios Soledade, Belm Hospicio e em qualquer
lugar da Boa-Vista cRecife : quem se quizer ulili-
sar d parte na padaria de urna s porta na praga
da S.-Cruz indicando o tamaito e moradia para
ser servido a horas convenientes.
, D-se dinhcro a premio em pequeas quan-
lias sobre penhores de ouro, ou prata : na ra l)-
reita loja n. 78, se dir quem d.
Fugio, no dia 17 do mez passado ( novembro),
pelas 8 horas da noite, da casa de Manoel Alves Fer-
reira um escravo de nome Antonio de Angola, de
18 anuos com os sjgnaes seguintes : grosso do cor-
po sem barba, estatura regular, bem fallante ; tem
unta belida pequea na menina de um olho, ca-
bello grande ; tem em um lado do peito um C com
um travessflo, cumas cicalrizes de ventosas; levou
calgaa de brini sujas, Camisa de meia manga, de
algod.lo grosso chapeo de palha ordinaria tinto de
preto e mais una trouxa contendo caiga camisa,
jaqueta de ganga azul o um lengol. Roga-se a todas
as autoridades policiaese capites de campo a ap-
prchensao do dito escravo, entregando-o no boceo
do Thealro, por cima do botiquim do Sr. Paiva,
ondcoapprchensorsera generosamente recompen-
sado.
Joaquim Jos da Slvera comprou a rcfinagilo
da Miadas Cinco-Pontas, n. 106, e roga aos fre-
EUezesda mesma, que continen! que serflo tilo
bem servidos como dantes.
Aluga-se, por commodo prego, o segundo andar
com solfto do sobrado n. 20 airas do Iheatro : a tra-
tar na ra da Cadeia do Recife, n. r>2.
Fabrica de chapeos
de sol oa ra do Pa-
seio-Piibro, n. >.
TJoao Loubct adverle aos seus freguezes que
queirao desenganar-se por urna vez sobre os
objeclos abaixo declarados, tanto cm prego
como em qualidade: tem nesla occasiao um rico
sortimento de chapeos de sol furta-cores e pe-
los com barra lavrada, os mais modernos, que teem
apparecido ueste mercado de igual sortimento; e
tambem chapeos de sol, de panninho de todas as
crese ultimo goslo da rainha da Escocia ; e para
senhoras um completo sortimento dos mesmos, de
todas as cores pois seus gustos sao da ultima moda
ue Pars. No inesmo eslabelerimento se acha um
completo sortimento de sedas c panninhos de todas
as cures, proprios para toda e qualquer obra, que
se quizer fazer pois que gflo proprios para csse lint.
Tambem se concertao chapeos de sol, tan lo de ho-
mem como de senhora, com loda a perfeigilo por pre-
go commodo, o com a maior brevidade possivel.
Na mesma fabrica tambem se vendem baleias para
espartilhose vestidos.
Compras.
== Coinpro-se escravos de 1G a 20 annos de idade,
sadins, sem vicios, com ofiicios e sem cllca: na ra l)i-
reita, sobrado, n. 29.
(.ompra-se cobre para troco a 2 por cenlo : na
ra larga do Rozario loja de miudoza n. 35.
Compra-so, para fra da cidade, um preta
que seja muito moga de bonita figura c com habi-
lidades : no Aterro-da-Boa-Vista n. 37, primeiro
andar.
Compra-se urna espingarda de espoleta, de
um ou dous canos sendo mesmo usada : na praga
da Independencia loja n. 34.
Compra-se um pardo de bonita figura, que ;to-
nha ollicio de sapateiro, ou carpina ; um moleque,
que entella de carpia, e seja de boa figura; pagao-
so bem : na ra do Crespo, n. 9, loja do Domingos.
-- Compra-se a obra intitulada Conde de Monte
Christo : na ra Nova, n. 11, loja de Guerra, Silva
& Companhia.
Vendas.
Vende-seum relogiode ouro, patente inglez :
na praga da Indepeuilcncia, loja u. 3.
para a ra da Soledade, chaos proprios, murado
na frente, com 9* palmes de frente, e 420 e tantos
de fundo, cercado dos lgdes", com varios ps do
larangeiras, 2 ps de eoljueiros, e outras diversas
arvores de fructo com aheerees de 30 palmos do
largo c80 de fundo, cozinha fra,cacimba j a berta,
com boa agnado beber, quartos ja divdidos.proprios
para casa terrea ou sobrado da cordeagflo para
dentro 30palmos, comsoleiras, urna na frente, o
duas, urna para cada lado da sala de diante : a tratar
na ra estreita do Rozario n. 7, com Jos Anale-
to da Silva.
Vende-so urna porcao do sola e couros miudos:
no beceo da Lapa, n. 20, primeiro andar.
Alegras.
Continuo-sc a vender as cambraias
alegras, que teem tido grande extraccSo;
e se recommendao s senhoras do bom toa
como fazenda do ultimo gosto, de tintas
lixas, de qualidade muito lina e de liudis-
s irnos gos tos.
Vende-se um um oplimo escravo de linda (i-
gura de 20 a 22 annos: na, ra da Cadeia-Velha ,
n. 3.
Vende-se urna pequea casa terrea, na ra dos
Calos, emOlinda, com um terreno ao lado, por
prego commodo na ra estreita do Rozario, n. 43,
segundo andar.
Vondc-se um sitio com boa casa para grande
familia, com alguus arvoredos, boas trras para
plantare ter vaccas do leite; ha no fundo do sitio
urna olara com barro para toda obra : airas dos Re-
medios, sobrado, que tem olaria.
Vende-se um bom piano de armario, e do Ja-
caranda por prego commodo: no Aterro-da-Boa-
Vista n. 5, primeiro andar.
Vende-se urna preta moga bem vistosa sem
vicios nem achaques e que sabe coser, engommar,
cozinhar, e tem leite para criar : na ra da Cadeia
do Recife, casa de Jos Comes Leal.
Vende-se urna casa terrea na villa de Po-do-
Alho na ra do Taiba, ondo morou o secretario
da cantara da mesma villa : na ra do Rozario, boti-
ca de Joao Pereira da Silveira.
Vende-se rap princeza de Lisboa, chegado ul-
timamenle a 3600 rs. a libra e a 40 rs. a oitava :
na ra do Crespo, loja de miudezas, n. 11.
NA lU'A DA CADEIA-VF.I.1U I.0JA N. 29, DK
J. O. ELSTER ,
vendem-sc os seguintes vinhos engarrafados c de su-
perior qualidade : violto do Porto, muito velho; di-
to da Madeira ; Rueellas ; Caryollos ; Sherry ; Rhei-
no ; Bordeaux ; liern -cordial ; Tencrilli; Cham-
pa nha marca cometa ; e tambem superior genebra
hollandeza; ago'ardente de Franga ; vidros con
conservas ; boioes de doce de frnctas da Europa;
bismutos linissmos de ilamburgo; velas de com-
posigao; cha preto; dito hysson ; ptimos charu-
tos em caxinhas de cen.
Vende-se urna mcia-commoda, por prego com-
modo ; na ra do Livramento, n. 21.
Rape Principe Imperial.
Esle rap he o melhor que tem apparecido do
Rio-de-Janeiro, por ser o seu autor o mellior fabri-
cante deste genero, e por isso he desncessario fa-
zer elogios a sua qualidade; portanto roga-se aos
tomantes da boa pitada que concnrrSo a compra
do mesmo as seguintes lojas : de Victorino de Cas-
tro Moura ra do lio/ario, n. 24; Antonio Domin-
go es Trro ira, ra do Crespo, n. 11; Joaquim Jos da
Costa, ra do Cabug ; Joaquim Monteiro da Cruz
& Companhia, ra doQueimado; Cuedes & Mello,
ruada Cadeia do Recife, e cm porgos, na ruado
Crespo, n. i, loja de Francisco Joaquim Cardozo.
. -- Vende-se urna escrava moga de bonita figura,
prorria pnra qualquer servico: na ra da Cadeia do
Recife, n 43.
Vcnde-se um palanqun m bom uso, por pre-
go commodo : na ra do Rangel n. 69.
Vendem-se cadeiras de Jacaranda novas, de
bom gostoe ptima coustruegao; ricos c grandiosos
sophas.tudo chegado prximamente; mesas de
jogo; e alm destes trastes outros com algum uso,
como sejfio : mesas de meip de sala; commodas ;
espelhos; e outros objeclos, quo constiluem oar-
ranjo de nina casa : na ra do Cabuga n. 16.
Vende-se urna parda, de 20 annos, bem pare-
cida ; um moleque muito bonito, de 12 annos;
todos por prego commodo na ra da Cadeia do Re-
cife, a fallar com Joao Jos de CarvalhoMoraes.
Vende-se um eavallo de cor alaziio novo,
gordo e muilo bom andador de passo ate esquipar,
de bonita figura e sem achaques em Olinda, ra de
S.-Pedro-Novo, ns. 6 e 7, do lado do Norte, a toda
hora do dia
= Vende-se, por prego commodo urna escrava
moga do gento de Angola propria para todo o
servico por ser muito robusta : na ra estreita do
Rozario, n. 45.
Vende-se a venda da ra do Collegion. 21, com
os fundos, que o comprador quizer, ea prego muito
commodo, em rasao do donoachar-se muito doente,
c ser preciso retirar-se : na mesma venda.
Vende-so um jogo de balangas grandes com
um temo de pesos completos de duas arrobas a
meia quarta ; urna chapa de fog.V, inglez ; duas pe-
nerasde rame novas; o um balcSo : na ra de
Fra-de-Pnrtas n. 122.
Ainda se vendem cadeiras de angico : na ra
Augusta, n. 31, ou na ra Imperial, n. 145.
Vendem-se 3 lindos moleques, de 14 a 16 an-
nos; 2ditos,de 7 a 11 annos: 2 pardos, ptimos
para pagens, de 17 annos tendo um delles o olcio
de banqueiro de engenho; um cabra, de 25 annos
bomcarreiro; um preto de 30 annos canoeiro-
duas pelas do 20a 25 annos, com habilidades'
sendo urna deltas de nagao, com urna cria mulati-
nha.de 2 annos; urna parda, de 35 annos, com al-
gumas habilidades ; 2 negrinhas do 7 a 9 annos
na ruado Collegio, a. 3, segundo uudar.


A
bs Vendem-se moendas do ferro para cngenhos de as-
ucar. para vapor, agoa c brslas, do diversos tamaitos,
porpr09O commodo; o igualmente taixas deforro citado
e batid, d todos os t.-iiiianlios : na prava do Corpo-San-
to, ii. II, em casa deMo. Calinont 4 Conipanliia, ou na
ruado Apollo, armazem, n. 6.
= Vonde-se potassa branca de superior qualidade,
cin barris pequeos eni casa do Mallieus Ausliu Companhia. na rua da Alfandega-Velha, n. 36.
= O corretor Olivelra teni para vender cobre em fo-
lha e pregos de dito para forros de navios : os preten-
demos dirijo-sc ao incsino, ou aos Scnliorcs Mosquita
& Dulra.
CARNAUBA.
No armttrm de farinlia do caes do Collegio, conli-
mia-se a vender cora de carnauba, a relalho, de inul-
to superior qualidade
= Vende-sc cal virgein em meias harneas chega-
d.i pruxiuiainente por preco coinmodo na rua da
Moeda arniazein n. 15.
I\'a rua do Crespo, lo ja nova
n. 12 de Jos Joaquim
da Silva Vaya ,
rende-se brim Je puro linlio de quadros e listras de
cures c que sao limito proprios para a festa pelo ba-
r.tiissinio proco de 720 rs. cada vara ; ricos cortes de
casimiras elsticas parn raleas a 6/ o 8/000 rs. cada
corte ; alpaca preta a800e i#600rs. o ovado ; pannos
finos, preto e decores, por barato preco; corles de col-
loto de velludo seliui egorguro ; ludo por proco ba-
rato assiin como mu ricosoriiinenlo de lencos de soda
para grvalas, inuilo proprios para a fosta.
-- Vende-se pofassabranca, da
mais recem-chegada por mdi-
co preco : em casa deL. G. Fer-
reira & Companhia.
j\a rua do Crespo loja nova,
n. I2.dc Jos .Joaquim
da Silva Ufa ya ,
vendem-se ricos chapeos de seda lindamente enfeita-
dos para seuhora chrgadns ullimaiiiente de Franca,
polo diminuto proco de 1-2/000 rs. cada un ; mantas do
grande tom a 6/000 rs. cada una as quSes so tomao
nciiiiimondavcis para as. senliuras que costiunao ir
passar a festa.
Na loja da esquina
confronte ao arco de S.-
Antonio, n. i> ,
de fiuimares Seralim & Companhia, vendem-se
cambraias largas, de padrOes os mais modernos, que
tecm viudo a osle mercado, pelo diminuto preco de
3:20 rs. o covado; corles de chali lino, muito mo-
derno pelo barato prego de 3200 rs. o corte; alm
destas fa/endas, ha uin completo sorlimcnto, e tudo
se vende por prego milito cbmmodo.
Ka rua do Crespo loja nova
n. 1, de Jos Joaquim
da Silva Haya ,
vendeni-so superiores cobertores de algodao proprios
para esclavos a 1/000 rs. cada un ; una fazenda do
lilil" escuro tainbom para rmipa de escravos ou sac-
eos de assucar por ser do umita du1a9.no por barato
proco.
Folassa.
cada um; ricas cambraias com listras de soda, aG#uO0 rs.
cada corte; ditos de gosto chines, a 51000 ra. cada um
corte; cassas chitas para vestidos, a 2^8000 e 3#500 caria
corte; cambraias de quadros de cores escuras, para ves-
tidos, a3/500 rs. cada corte; calcinitas para meninas do
escola a 400 rs. cada um par; meias linas para meninos,
do dilierentCs tamaitos; e outras muilas fazondas, que
Indo se vender por proco barato, assltti como mu resto
das ricas c baratas lanternas com caslicaos do linissimn
ci--liiii.il 1, c que se vendein por 9, i0 e 12 mil rcij cada
par.
Sal de Lisboa fino e alvo, a 1600 rs. o nlquet-
re velho e sendo poreflo dar-se-ha por menos : na
rtia da l'raia armazem n. 18.
Vende-se um sitio na Capunga, plan-
tado do arvores de fruclo com casa
de vivenda cacimba com boa agoa
d beber, o banho muito perto: na rua Direita ,
n. IB.
ATTENCAO!
Na rua do Crespo, na esquina de S.-Antonio que
vira para a cadeia, ha um grande sortimonto de
bons chapeos do Chile, dos melhores, que presente-
mente ha no mercado c que vendem-se a 0500, 7/ e
8000 rs. A clles antes que se acabem.
Yendc-sc sal do Ass, a bordo da barcada Flor-
do-llecife, Tundeada defronte do caes do fallecido
Jos Ramos ou em casa de Manocl Jos Connives
Braga ao pe do arco de S.-Antonio.
Vende-se
Vende-se a bem conhecida e
superior potassa da Rtissa, ulli-
mamenle chetjada a este porto, e
igualmente vinlio da Madeira, en-
garra fado, o melhor que se tem
conhecido: na rua do Vgario, ar-
mazem n. 4,de Kolte&liidoulac.
'a**
Vendem-se, por preco mais barato do
que em nutra parle, lanzinhas linas, os 3
mais ricos padrOes que leem apparecido if,
c pelo barato preco de -30 rs. o covado ; j,| v
cassas de novos padrOes o cores fixas a s^
2500 c 3000 rs. o corle ; riscaditihos france- i
/es linos para vestidos a 200, 220 e 240 >*
rs o covado ; lencos de seda da India a $g
1440 rs.; mantas de seda, as mais ricas que () ;
teem apparecido; cortes de cambraia de [t"
bom gosto ; ricos chales de seda; corles de i$B
collete de todas as qualidades; brins de li- h-
nho, de cores e bronco; casimiras para cal- fH
fal ; esguines finos ; bretanha de liuho ,
muito lina ; lencos de setim preto ede co-
res naragravata ; eoutras limitas fazen-
das de bom gosto : na rua do Queimado ,
nos quatro-cantos, loja nova, na casa ama- R
relia, n. 29.
urna canoa aberta que pega de 700 a 800 tijolosde
alvenariagrossa., calafetada de novo por commo-
do preco; tamhem se troca por obras finas ou grossas:
na travessa da rua da Concordia, sobrado de um an-
da: n. 5.
Venrlem-se terrenos na nova es-
trada que vai da Trempe para a es-
Irada do Mangiiinho, e da Fassagem,
cujos terrenos leem nuiitaextensao, e por
isso sao proprios para se fazerem grandes
sitios e eddicar ; por preco enmmodo : a
tralar na ruada Aurora, n. 58.
--Vendem-se os seguintes escravos : um lindo mu-
latinho, de 14 annos, proprio para pagem; um preto,
de 20 anuos, para todo o servido de casa e campo;
2 pardas, sendo una deltas muito boa lavadeira c
eostureira com urna cria do 5 para fi annos; urna
preta,de24 annos, pouco mais ou menos, propria
de todo o servido : na rua da Cadeia de S.-Antonio ,
n. 25. ,
Vendem-se 6 escravas mogas com boas habi-
lidades, urna deltas cose, engomma e cozinha;
urna parda, boa engommadeira c que cose e cozi-
nha ; 4 cscravosbons para otrabalho de campo; um
dito bom carreiro ; 2 moloques, de 12 anuos: na
rua do Crespo n. 10, primeiro andar.
Vende-se urna mesa de jantar, comdous apara-
dores, por 24,000 rs.; urna cama de angico para casal
com colches c enxergoos, por 40,000 rs ; urna mesa
de engommar; um fogareiro de cobre de, se por den-
tro de banheiro, por preco commodo; nesla typo-
graphia, se dir quem vende.
Vendem-se 3 escravos, por prego commedo a
saher: una preta ptima lavadeira, tanto do sablo
como de varrclla cozinha bem e faz o mais servido
de urna casa ; 2pretos bons trabalhadores de cam-
po : na rua Direita sobrado n. 29, a Tallar com o
Burgos.
Vendem-se 4 escravas muito mocas, de 18 a
22 annos, com prendas o sem ellas ; um preto, de
20 annos nerfeilooflicial desapateiro, tanto para
casa de familia como para loja; um bonito moleque,
de 12 annos, proprio para pagem de algum meni-
no : na rua larga do Rozado, voltando para os quar-
teis n. 24.
Cheguem as pe-
chinchas !
O antigo barateiro est torrando por pouco di-
nheiro, na sua nova loja na rua do Collegio, 0.9,
chapeos deso, para senhora, com franja c sem ella,
a 2880 rs. cada nm; ditos de panninho, para homem,
a 1200 rs. cada um ; pelles de marroquim a 1280
rs. cada urna; luvas brancas e de cores de algodao,
para homem e senhora a 320 rs. o par; bonetes de
panno para homem, a 480 rs. cada um ; ditos de pa-
Iha para tomar fresco pela festa, a 100 rs cada tim;
bicos estreitos, a 40 rs. a vara para acabar len-
cos de seda para aigibeira, a 800 rs. cada um; ditos,
a 1200 rs.; bengalas do canria da India, a 1920 rs.
cada urna.
se vende nos tres balrros dacidade: no do Recife em
casa dos Sis. Jos Diaa da Silva e Pontes ti Sampaio, to-
jas de ferragens rua da Cadeia-Velha ; no de S.-Anto-
nio em casa dos Srs. Antonio Domingos rorrea rua
do Crespo, n. 11 ; Joaquim Jos Loy, loja do miude-
as Hia larga do Rotarlo ; Jos Joaquim da Coala lu-
ja de miudezas na rua do Calinga ; no Atrrro-da-Uoa-
Vlsta lojas de miudezas dos Srs. Antonio Ayros tro S Companhia, Antonio da Silva Guinfariics c Tho-
iiik I'rroira do Mallos Estima.
m Vende-se graxa superior, para vapores, engenlion
fabricantes de. volas e para dar em encerados, a 200
e 240 rs. a libra, c sendo em porcao dar-se-ha por me-
nos ; a fallar na rua da Piala, anuasetn, n. 18.
Vende-se um pardo, de 28 a 32 annos, perfeito
bolieiro e muito humilde sadio e sem vicios : na
rua Imperial, n.29.
Vondem-se ca xas com sebo muito superior, do
Porto: no armazem de Francisco I). Ferreira, no
caes da Alfandcga.
t.
t
Vendem-se moleqties negrinbas, prelosje
pretas, com habilidades e sem ellas, mocas e de bo-
nitas figuras : na rua Nova, n. 21, segundo andar.
Yeniiem-se bichas grandes de llam-
hurgo chegadas ltimamente; e lam-
bem se alugio, por preco commodo ; no
Aterro-da-Boa- Vista primeira venda
ao p ti'*, ponte, n. i.
Na loja da esquina confronte ao arco de S.-An-
tonio, n.5, deGuimarnesSerafim & Companhia,
vendem-se chales grandes de cadarco, lingmdo la e
seda padrOes muito modernos pelo barato preco
de 2400 rs. cada um; lencos do cambraia estampa-
dos a 140rs. cada um ; brim francez escuro, en-
corpado e de puro linho, a720 rs. a vara.
Na rua do Crespo loja nova,
u. 12, de Jos Joaquim
da Silva Maya,
vende-se um restante dos bem acreditados cortes de in-
dianas para vestidos de senhora, pelo barato preco de
2/800 rs cada um; cortes da fincada victoria, a^foOO rs.
Clieguem ao barato
O anligo barateiro est dando a troco de pouco di-
nheiro na sua loja de miudezas,na ruado Collegio,
n. 9, botos de duraque linos e de seda com palmas,
a 200 rs-. a duzia ; carteiras para aigibeira a 160
rs. cada urna ; earapncas de algodao de cores para
homem a 100 rs. cada urna ; torcidas para can-
dieiro, de lodas as larguras a 100 rs. a duzia ; cor-
das e hordes para violao e rabeca ; fitas de seda
UN i.ulas do melhor goslo possivel ; tesouras finas,
para unlia e costura; riquissiinos caivetes finos,
para pennns ; e outras muilas miudezas, que se
venderO a troco do barato.
Vende-se, em porc.no ou aos molhos, a melhor
palha de carnauba, que aqui tem rindo, por preco
commodo : na rua da Cruz, armazem n. 54.
heguem freguezes
O antigo baraleiro vende a troco de pouco dinhei-
ro na sua nova loja de miudezas da rua do Collegio,
n. 9, ricos pentes de tartaruga para prender cabello,
com enfeiles domados a 4000 rs.; travessas de tar-
taruga para marraras a 960 rs. o par ; chapeos de
cambraia enfeilados para meninas, a 2560 rs. cada
um ; luvas de pellica, para homem e senhora a 800
rs. o par; ditas de seda do cores, para meninas a
200 rs. o par ; ditas de seda preta, para senhora a
1200 rs. o par; leques de seda de muito bom gosto,
a 3000 rs. cada um ; caixos de llores muito lindos,
para enfeiles de chapeos a 480 rs. cada um ; lencos
de seda preta para homem a 800 rs. cada um; cha-
peos do Chile, para cabeqa pequea, a 2800 rs. ca-
da um.
Vende-se urna preta de nacSo, de 24 annos de
bonita figura que cozinha o diario de. urna casa,
lava de sabio e varrella, e he quitandeira ; um
moleque, de 16 annos de bonita figura; urna pre-
ta de 35 annos boa para o servico de campo ; na
rua da Concordia passando a pontezinha t direi-
ta segunda casa terrea.
Vende-se urna escrava cabra de 22 annos do
bonita figura, que engomma liso, cose chao, cozi-
nha e lava de sabilo; urna dita, de 24 annos, de
boa figura, que cozinha, lava e cose chao; urna pre-
ta de nacto, de 40 annos para o servico de cam-
po por 250,000 rs.; um escravo de Angola, de 26
annos, para o servico de campo : na rua das Cruzes,
n 22, segundo andar.
Vendem-se 6 escravas, sendo pretas c pardas
de 15 a 25 annos com habilidades; um escravo car-
reiro, de 20 annos; 2 prctos de 25 annos, do boa
conducta e bem robustos ; 2 pelos, de meia ida-
de um dclles he carpina : no palco da matriz de S.-
Anlonio, n. 4.
Vendem-se duas casas e 1 terreno, em que se
podem fa/.erScasas na rua da Concordia ; urna ca-
noa grande e ora, que carrega 1300 tijolos : na rua
estreita do Rozario, venda n. 45.
PARA OS AMANTES DO QUE HE BOM !
j Vendem-se latas pequeas e grandes da
Ss muito e rccommendavel bolachinha do ara-
^ ruta, propriamentedita, ltimamente che-
;f5 gada no brigue Virialo, bem torrada de dif- ffi
\-\i lerentes feitios c cheirosos maisagradaveis, m
L que se [todem desojar como 'sejo : flor de gj
M laranja, baunilha, berva-doce, lim3o, &c.; 3g
f| em porcloea relalho, por barato preco : no |
j armazem de Dias Ferreira nc caes da Al- r^
S fandega. E9
$ P
I BE?SS SBEEE K CS2 S^ E*?* I
Vendem-se, por precisiio, dous moloques, c
urna negrinha : na rua estreita do Rozario n. 23,
primeiro andar.
Vendem-se dous pardos, umde25 annos e o
mitro, de 30 muito hulmides, sadios, sem vicios
o de bonitas figuras : no armazem defronte das es-
cadinhas do largo da Alfandega.
Vende-se um relogio de ouroi patento inglez ;
um par de brincos de ouro, com diamantes; 2 al-
finctes de peito, dito dito; Sanncis com ricos bri-
Ihantescdiamantes; urna cruz toda de brilhanto ;
umfronlimdedito; todas estas obras silo de ouro
de lei sendo novase de bom gosto por preco mui-
locommodo; una rede toda bordada, manufactu-
rada no Para, por preco commodo, sendo esta no-
va : na rua estreita do Rozario, n. 30, segundo an-
dar.
Vende-se urna escrava de uacto.de 30annos,
que cozinha, lava e trabalha bem em servico de rua,
por proco commodo : no beco do Padre, n. 10.
Vende-se urna venda com poucos fundos, no
berro dos Portos no fundo da casa n. 48 da ruada
Senzalla-Velha : a tratar na mesma venda.
Vendem-se dous escravos, um de 30 annos e
Otilio de 60, ptimos para sitio, ou ongenho, sem
vicio algum por preco em conta; na rua do Li-
vramento, n. 32.
Carttfs francesa? de jopar
para voltarete as melhores, a,uc ha no morcado; pon-
tos de tartaruga para marrafas pelo diminuto pre-
co de 640 rs. : na rua larga do Rozario n 24.
Aos amadores da boa Cliam*
parcha.
A inda ex i-Ir in alguns gOS do sope-
or violto Champan lia de Sjilleiy, na rua
da Cruz, no Uecife D. 16. As pefsoas,
que se qtiizeiem prevenir de bom vinlio
para lesta devem piocuia-lo quanto
antes.
=Vendem-se passas mludas, para fazorpodins ; cere-
tas < ameixas seccas; forjos ; ervilhas ; lentilia ; chatn-
panha ; vinliodo Porto; Scheriy; Madeira vinho do
Rhono ; Saiiternes ; Clarello', em quartolase caitas di-
to engarrafado a 400 rs. muito bom; superior cognac;
rlnim de Jamaica; arrae ; genebra de Hollanda ; vinho
de Malaga vellio, em molas garrafas ; frascos de tudas
as qualidades de fructas da Europa ; ropollios conser-
vados ; barris pequeos do caviar, de urna libra ; mos-
t.-i na fin necia e ingina ; Sclierry cordial; latas' do sal-
inaii ; sardlnlias; ervilhas e mais outras conservas de
peixe e carne ; conservas de pepinos e cebollinhos; cor-
veja preta o branca da celebre tuerca liarclay ; azHle
(luco superior ; cli ; charutos regala. Estes goniros
sao todos da mollior qualidade c so acliao amostras
para os scnliorcs compradores, noariiiazciu de Fernau-
do de l.in-i a na rua do Trapiche n. 34.
CHOCLA TE DE SAUDE.
ATERRO-DA-BOA-VISTA. NA FABRICA DE LICORES,
DE FREDERICO CHAVES, 26 ,
ha sempre um grande sortimenio do chocolate de todas
as qualidades Moselat preciso diteras boas quali-
dades, por ser conbecido e por sor bem superior a
(nitros quaesquer, que leem vindo e que voem das ou-
tras provincias do impeli como lamboui da Europa ,
porque o mismo fabricante nao se tem poupado a tra-
balhos para o obtor superior a todos os que pndem so
api ('sentar. Os procos das qualidades sao : saude [ca-
li. II i e baunlllina400 rs. ; o chocolate ferruginoso a
1/000 rs. a libra. Este ultimo se aclia agora mu co-
nhecido o em toda a Europa aclia-se mu vangloria-
do, porsuas virtudes tnicas; e por esto motivo J,orna-se
mili iiocessario nos paizrs quontes, onde sempre se pa-
decem as fiouxides de estomago e nos quaes os tni-
cos se tomao Indispeusavois. a uiesuia fabrica lia li-
cores do todas as qualidades e de todos os procos, com
ricas tarjas douradas, c por pre90 mais commodo do
3iio em outra fabrica ; genebra ago'ardentedo reino ,
i'a de auiz dita de Franca, em caadas ou em garra-
fas ; vinagre braneo e linio muito forte., a 400 e 500
rs. a caada ; espirito de vinho de 36graos.
N. U. = Ourm comprar o chocolate cin arrobas, o dite-
ra mais cin conta.
Vendem-se vid ros para espellios ,
de vnt-ios (amaulies; ditos para vidracas:
na rua da (Jruz n 10.
Rap princeza Kovo-IJsboa
a 18000 rs. a libra.
De todos os raps, que a Industria braslleira tom ate
boje fabricado, ni nlium imita melhor o verdadeiro ra-
p princeza portugurz do que o intitulado RAl'fi PRIN-
CEZA NOVO LISBOA, fabricado no Rio-de-Janoiro, sen-
do to perfeita a sua seuiellianca, que os mais veteranos
tabaquistas o tomao pelo genuino rap princeza de Lis-
boa.
Igualmente o fabricante dcste rap teve a maior
felicidade em conseguir imilar perfectamente os ra-
Lps Areiaprela, Meio-gro$to e Commum quo nio s
igualou no aroma e suas qualidades, como na in-
dentica forma dos boles e edr dos papis, sendo
dillicil dislinguir-se a copia do original.
' O deposito dcste excelloute rap, he no armazem de
Aires Vianna, rua da Senzalla-Velha, n. uO; e tsinbein
Escravos
Futidos.
Fugio, nodia 1-2 de agosto, da fazenda Boa-
Ventura distante da cidado do Penedo 3 legoas,
um escravo crioulo, de 25 a 30 annos, de nome Mar-
cos de bonita figura alto e espigado do corpn,
cor fula rosto barbado e comprido; tondo levado
no dia, que fugio, suissas em todo rosto olhosabo-
toados e os drneos dos ditos vermclhos, qneixo
comprido; tendo na cara mu pouca carne, bocea
regular ; tem um dente tirado na frente do lado es-
qtterdo do queixo superior, nariz regular, nem
muito chato ncm aGlado, orclhas pequea, beicos
grossos c vermelhos testa pequea e estreita per-
nas compridas, ps proporcionados c no direito tem
urna costura antiga de um talho queden, junio ao
concavodo p; tom mais decomprimento da cintu-
ra para baixo, do que para cima e um tanto deita-
do para diante; tem o peito um tanto sabido para
fra; he muito~pachola e muitocheio de labias,e por
isso a pessoa, que poder pega-lo nilo se dove con-
fiar nellss, devendo logo immediatamente p-lo de
baixo de toda a seguranca c leva-lo na cidade de
Macei, a Joo da Silva Reg e Mello, ou na cidade
do Penedo em casa do commandante superior, Fran-
cisco Antonio Fernandos Pentieiro Jnior, ou, na fal-
ta, em casa do abaixo assignado em sua fazenda
Boa-Ventura, que ser recompensada com 30,000
rs., ou mais, conforme a longitude em que for pega-
do o dito escravo : assim como d-se a mesma quan-
tia a quem provar,que o dito escravo esteja acui-
tado por alguem, e promette-se protestar contra
qualquer individuo, que para isso concorra.
Ghr'i"tiln Jos* Throtonio do Reg t Mtllo.
Fugio, no dia 3 do corrente, polas 7 horas da
manha, o escravo Francisco, de Angola, de 20 an-
nos pouco mais ou menos, he baixo', bstanle
reforjado; tom um signal no rosto, junto a orclha
direila ,ciijosignal parece ler sido de ferida ; tem
bonita figura ; foi escravo de Joto Raptist Fragozo
Jnior, e actualmente perlence a Antonio Leile Pe-
ro ira Bastos, em Rio-Formoso.
Fugio, no dia.7 do corrente, um preto do na-
cto Benguela, de nomo Joaquim, bem barbado, ps
pequeos, com bastantes marcas de bichos, rosto
pequeo com dous denles abertos na frente com
principio de barba e esta bastante crescida altura
regular bem parecido na cor bem fallante ; li'vou
camisa branca e calcas de brim. Roga-se as autori-
dades policiaes e capitcs de campo, que o peguem
e levem a rua da Cadeia n.48, a entregara Joa-
quim Jos de Seixns, que generosamente recom-
pensar.
Fugio, emoutubro do corrente anno, um par-
do de nome Miguel, de25 anuos, pouco mais ou
menos, alto, um tatito secco do corpo, bem alvo,
cabellos crespos eum tanto ruivos; tem n'um bracu
una marquinha de um tiro, que levou e outra no
peito de ump, de um golpe de machado, nariz
um tanto afilado, cara fechada pouca barba; le-
vou umcavallo rucoj velho, passeiro e furta-pas-
seiro, ajunta-boccado c com urna mo indiada:
quem o^icgar, leve ao engenho de Palos a Manoel
Corroa da Silvcira, que ri-cmpensar.
Fugio, ha dous para 3 mezes, a escrava paula,
de nome Mari, de estalura regular, rosto com-
prido e alvo, cabellos bom cacheados, cintura grns-
sa ; tem marcas de ftidas as pernas olhos apata-
dos com um signal de borrupa no nariz entre os
o|hos; he bastante, viva e regrista; tom denles alvos e
limados; desconfia-, que estoja asvKda para as
bandas de Maricota por se ter visto all vedendo
miudezas. Roga-se a todas as autoridades policiaes
e pessoas particulares, por quem possa ser encontra-
da, a mandem entregar no paleo da Penha, so-
brado n. 4, quo se recompensar generosamente.
ENIGMAS
PITT0RESC0S.

& K
1 .,IUb.
.UECIFRACAO
Astronoma. Clocara.
PERrf. NA TTP. D*
M.r.W FAnlA.T-l84C(


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJQBYDT4E_YF7AWN INGEST_TIME 2013-04-26T22:40:31Z PACKAGE AA00011611_08344
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES