Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08341


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo do I84f.
Qtiartafeira 0
O DIARIO puhlic>-se todos o das que n.'o
fiirrm de guarda: o preco 4*000 rf. por quartel, pngot ndianlndni. (U
annuocini do asignantes o Inseridos a rato
de 10 res por linda, 40 res en typo di Sarao-
la, repetifoe pela rhelade. Os que riJo fo-
rero asignantes p*5o 80 res por liulia, e I0B
eni lypo dilTereiite.
PHASE3DALUA NO MEZ DEDEZEMBIIO
Jai clieia 2, 8 horas e 16 minutos da tarde.
Mingoantaa 10, as 6 horas e 54 miu. da tarde.
La uova a 18. as 10 horas e 2] min. da manh.
Craacente a 26, as 4 horas e 16 rain, da manh.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Paralivl*, Seriadas e Sestas feiras
Ifio Cunde do Norte, cliega uas Quarlas feiras
ao meio dia a parte uas mesillas horas Das
Quintal fairas.
C.ilm, Se'rinhaem, Rio Kormoso, Porto Cairo e
Macero im I.', II til de cada mez.
Garanhiin] e llouito a 10 el4.
Boa-Vista a Flores a II i.
Victoria uas Quintas feiras .
Olinda todos os das.
PRKAftUR DE HOJR._
Prime-a il k II minutos da mnnlia.
Secunda a B ti. 42 minutos da tarda.
de Dezcmbr.
Auno XXII.
N. 27(5.
DIAS DA SEMA KA.
S Ambrollo.
Aul.d.i J.dos or-
v.
ora,
7 Secunda. _
ul aos e do J. do 0. da 2. r., do ). M. da J
5 Terca, goln Conccicfio ile Nossa ScoUI
padroera do imperio. t
0 Quarta. 8. 1 ecctdia. Aud. do J. ilo cir. da 2.
v e do J. de par do 2 dist. de t.
10 (utata S. Geinrllo. Aud. do J. deorphos,
do' I municipal da I. vara.
11 Sesla. S Dmaso. Aud do J. do civ. da I.
T edo J. de paido I. dist. de t.
12 Sabhado. S Justino. Aud. do J. do civ.
da I. v., e do J de pal do I. disl. e J. de l.
15 Domingo. S. Luiia.
. CAMBIOS NO DIA 7 DE DEZEWBRO.
Camino sobra Londres jR'/.aJa'Ad.p.#"
a Pai855 res por Iranco.
Lisboa 96 % de premio.
Desc. de lelras de boas firmas I '/, p- D/e n,-
0un>Oncashespanhnlas.. JOfOOO a ns"*
Mndas de 05100 vel. |6j200 a l<
a de niino nov. l^OOO
> de 4{0l)0... 0/000 a
Prala Patace..........#0*0
a Pesos columnares 1*990 a
* Ditos Mexicanos, i p!d a
Miuda... ...... 1160
10|IOO
9 100
2/0 O
2 #000
1*940
|780
Accesda Comp. Jo llel.eribe de 50*000 o par
DIARIO DE FERNAMBUCO
PAtVTE OFFICIAL.
ovorno fia provincia.
EXPEDIENTE DE 24 DO PASSAIJO.
OfNeio Ao Exm. presidente da Baha, transmit-
tindo as nformacfics e documentos, que etn conse-
quenria derequiscflosuacxigiodcquem competa
respailo da baixa, que para Joaquiui Jos da Silva
Helem, soldado do 4.' batalhlo de artilhara a p,
pede Anna Joaquina do Amor Divino, mili do mes-
roo soldado.
Dito Aocommandantc desarmas, determinan-
do, que coni a mxima possivel hrevidade faca ren-
dero destacamento do 4. batalhlo de artilhara a
p, quc.seaehaua villa d'Agoa-l'rcla ; e pedindo o
seu parecer acerca do modo de occorrer com guar-
das naconaes jo desfalque, que, com a retirada des-
se batalhlo, dve sentir a tropa de linha.
Dito Ao inspector da thesouraria da #zcnda ,
declarando, que as disposiefies do decreto de 7 de
mao de 1842 o inhiben) de mandar acceitar o saque
de 20.000,000 de rs., que sobre a mesma thesouraria
fizera a do Ceara.
DEM l>0 da 25.
Oflicio Ao Exm. presidente do Ccar, transmit-
timlo a gua do capilflo Antonio Jos Lins de Oli-
veira.
Dilo AoExm. presidenle da Babia, solicitando
a expediento desuas ordens, para que do t. dede-
zembro em diante a pagadori militar daquclla pro-
vincia reduza a 1!i,0O0rs. mensacs aconsignaeflode
30,000 rs., que allideixra ocapitflo do 1. batalhlo
decacadores, Cuilliermino Jos da Silva.
Dito Ao prefeito do hospicio de N. S. da Penha,
declarando, que pode mandar receber ema biblnthe-
ca do curso jurdico de tlinda os livros, que nella se
achilo com a marca do mesmo hospicio.
DEM DO BIA 26.
Oflicio' Ao commamlante superior da guarda na-
cional do. municipio do Recife, determinando, que,
depos de se haver entendido com o commandanle
das armas, d suas Ordens, para que o servico da
guarniefloda piaca seja dariamento feita pela mea
mu guarda nacional. Tambern se dcterminou, que
a guarda da cadeia fosse dada pelo corpo de polica ;
eparticipou-se ao commandanle das armas.
Dito Aodoutor Joaquim Nunes Machado encar-
regnndo-0 de, eni nina commissflo composta de S. S.
c dos iloulores Antonio AITonso Ferreira e Flix Pci-
xntodeBrito e Mello, tratar com a compaiihia do
thealro publico, acerca da inmediata execuqflo do
art. 2." da le n. 160, de 13 ilestc mez novembro1.
Ofllcou-se a respeto aos doulores AiTonso Ferreira
c Pcxolodo Brito.
PERNAM3CO.
Cmara municipal do Recife.
SECUNDA SESSA ORDINARIA DE 27 DE NO-
VEMBRO Di: 1846.
rnFSH'KNCIA HO til-:MIU* caneibO M0STEIRO.
Presentes os Sis Cintra, Egidio Ferreira, Dr. A-
quinoe Barata, ahrio-se ;r scssflo, e foi lidaeappro-
vada a acta da antecedente.
0 secretario lo un oflicio do fiscal desle bairro,
informando, como se Ihc ordenara, acerca da ediH-
caeo de Antonio Jes dcMagalhflcs Basto, contigua
a ra do Collegio. Mandoo-se adiar at que fosse
juramentado o cordeador ltimamente noineado, pa-
ra tambern informar sobre a mesma obra.
Entrando em discussflo o requciimenlo do Fran-
cisco das Chapas Oliveira, pedindo licenca para abrir
tim nicho na fente de una das casas do paleo do
Carino, o Sr. toreador Aquino fez o seguiute reque-
i ment, que foi approvado.
MEMORIAS DE 13M MEDICO. (*)
ron aifranrt rutn-w.
PRIMEIRA PARTE.
#es) aa3i.5a@o
CAPITULO XXI
EM QUE OIX.BEH.TO COMEO A A MO SENTIR TAMTO
TEB BalDMSO O SEU ESCUDO.
Quando Clberlo lornou a si, e islo foi depois de al-
gn minutos, nOo licou pouco admirado de so ver
collocado, porassim dizer, sobre os pes de urna mu-
lhermoca, que atienta o olbava.
Era um dama de vinlc e quatro a vmle e cincoan-
nos, de grandes olhos pardos, nariz arrebitado, laces
(lucima.las do sol meridional; a bocea breve, Be um
desenlio caprichoso e delicado, dava-Ihe a pbys.ono-
mia aberta e jovial um carcter preciso de han a
eiicuusi.eccSo. Tioha os mais bellos bragosdomun-
I do, que naquella occasiflo se modelavao em mangas
de velludo roxo com bolesde ouro. As pregas uc-
(?) Vide Diario n" ?
Requeiro o addiaoienlo da discussfio do reque-
rimento do nicho. Sala das scssOes, 27 de novein-
bro de (846.tonino.
Nesta occasifio enlrou para a sala das sessfies oSr.
presidente Reg e Albuqucrque, e oceupou a cadeira
competente. '
Lo-se, e entrou em discusso urna pctiijiO de Ar-
cenio Fortunato da Silva, pedindo licenca para usar
de un guindaste em una carrosa; e logo o Sr. Cin-
tra rclirou-se da sala das sessfies, por ler impedi-
mento legitimo, para nilo tomar parle o votar ueste
negocio sendo alinal deferido o mesmo requori-
mento.
Entrn em discusso a informaeaodo fiscal da Ire-
gueziade S.-Jos sobre a poiic.no das fateirasda ri-
beira da mesma freguezia, que pedf.o para seren
ri-t'uniluzidas no lugar, em que outr'ora faziflo praca,
d'onde foro arredadas pelo inspector dequarteirio
respectivo, efeza elle o Sr. vereador Aquino o sc-
giiinlcrequerinicnto, quo foi approvado, sendo, em
virtude, noineaiio o Sr. vereador Barata para osco-
llierum lugar melhor, ondeas mesmas fateiras po-
dessem usar de sen trafico.
Requeiro, que se cncarregue um Sr. vereador
de escolher um lugar, em que possfio vender as pes-
ios, que se occupflo no trafico dos intestinos do ga-
do. Sala das commssoes, 27 de novembro de 1846.
Aquino.
Fez mais o mesmo Sr. vereador Aquino o seguinte
requerimento, que foi approvado.
Requeiro, que esta cmara encarregue aalgum
dos vercadores para ver, se pdealugar o sobrado,
que Jos Joaquim de Freitas (iuimariles est edifican-
do na esquina da ra de S.-Francisco, afim de quo
nelle se possflo celebraras suas sessfies. Sala das ses-
ses, >; de novembro de 1846.^^Mino.
E foi para esse lim nomeado o Sr. vereador Barata.
Foi approvado o requerimento, que fez oSr. Ba-
rata, para que o fiscal do Recife exigissedos proprie-
tarios das casas de msdeira- construidas na ra do
Brtiin a licenca, que liverilo para as construir, alim
de que a cmara a respeito delibere definitivamente.
Approvou-se o parecer, que se achava adiado, da
commissao especial relativamente a exigencia, feila
pelo inspector interino do arsenal de marinha, de ter-
reno para uso do mesmo arsenal, mandando-sc ex-
pedir as ordens convenientes no sentido d'elle.
Despacharfio-se as pclicOes de Arcenio Fortunato
da Silva, de Mara Caclana.dcTherezaGoncalves de
Jczus Azevcdo, de Francisco do Freitas Gamboa, de
Elias Faria Xavier, de Jos Doniingues Fcrnandes da
Luz, e levantou-se a scssflo. Eu, Joo Joi Ferreira
deAguiur, secretario, a subscrevi.Reg t Albuquer-
que, presidente. Cintra Manoel.--Carneiro ilontei-
ro.llarata.--Aquino.Ferreira.
PARECER HA COMMISSA ESPECIAL.
A'commissflo especial, nomeada para conferen-
ciar com o inspector do arsenal de marinha c capitflo
do porlo,Telativamente ao conlcdu em seusofficios
dirigidos a esta cmara, em osquaes exige, alini dos
"230 palmos designados no terreno em frente do ar-
senal para edilicaQes publicas, os 300 palmos, que
se conlio do extremo dcssascdilicacoi's ale a mura-
dla do forte Quebra-I'ralos.segiiindo a direccfloS ro-
mo necessarios para uso do dito arsenal, estando no
plano da cidade, designado para log adouro publico,
nSq fra preciso muito esforc.o para convencer-
se da grande vanlagem, que resulta ao arsenal de
marinha da acquisicio du terreno em quesillo, que,
segundo o plano desse estalieleciniento, lio o lu-
gar mais apropriado para a cdicacflo de oflicinas
e llheiros para o fabrico das embarca^oes da ar-
mada.
. He verdade, que o embelesamento da cidade soflrc
alguma cousa, que a ra nova mente aberta e conti-
gua ao dilo arsenal vem a licar sem communicacno
directa com o caes projectado, e que guarneco o lito-
ral do porto; mas semelhante inconveniente desap-
tuantes de urna saia de seda cinzenta de grandes
ramagens, quasi que enchino toda acarruagem.
Gilberto, com igual espanto seu rcconhccra, que
eslava em urna carruagem puchada pelo galope de
tres cavallos de posta.
Como a physionomia da dama era risonha, c expri-
ma interesse', poz-se Gilberto a olha-la, at licar bem
curto de que nflo sonhava.
E enlfio I mcu menino, disse a dama, depois de
curto silencio, est um pouco melhor?
Ondecstoueui1 perguntou Gilberto, lembran-
do-se a proposito dessa phrasedos romances, que hit-
va lido; phrase, que s nos romances se pronuncia.
Agora em seguranca, mcu charo senhorzinbo,
respondeo a dama rom o mais pronunciado accento
meridional. Mas, anda ha pouco na verdade, coma
Vm. grande risco deseresmagado pelas rodas desta
carruagem. Ora, diga-me c, que lhe aconleceo en-
tflo, para cahirdaquello modo justamente no meio da
estrada ?
Senti um desfallecimcnto, minhasenhora.
lc-no! um desfallccimento! E de que proceda
esse desfallecimcnto ?
Tinha andado muito. .
Ha muito tempo, que est em caminhoi*
Desde hontem s quatro horas da tarde.
E desde hontem s quatro horas da tarde lem
Vm. caminhado?.......
~- Creio, que dezases ou dezoito legoas.
__ Em doze ou quatofze horasr1
Eu sc! corr sempre.
OndiaentaoVm.i'
A Versalhes, minha senhora.
E vem ?
DeTaverney.
Onde he esse Taverney ?
.parecer, logo que se pozer em execuqflo a dmol-
travessa de 40 palmos.
Isto supposto, entende a commissflo, e he de pa-
recerse a cmara municipal ceda do direito.quelem
prac,a, pondo-a a dispos^flo do arsenal demarinha,
exgndo, que o'cofreda municpali.ladc seja indem-
nisado do valor das bemfetorias c despezas l'eitas
com medicos, ttulos e foros, e bem assm queso
petM aogovernoda provincia a precisa licenca para
aterar-se nesla parle o plano da cidade.
u Cabeaqui notara commissflo, queexamnou co-
mo lhe cumpria a questflo ha lempos BUKitada entre
esta cmara c o inspector do arsenal de marinha, re-
lativamente ao alinhamcnlo do muro, que limita da
parte do o arsenal com a ra do Brum, e depos de
minucioso trabalbo achou em resultado, que oali-
iiliamento dado est em ludo conforme com o plano
da cidade, opiniilo esta, que fra em ludo de accor-
do com a do distinelo engenheiro Waulhier : deven-
do assim licar de nenhum cITeilo as representaces,
que a tal respeto ministrara o fiscal i esta cmara.
Julga a commissflo de seu rigoroso dever nolar, que
bastante sorpreza lhe causarflo as edificares de
urnas casinhas de madeira, que encontrara nos fun-
dos do arsenal, obstruindo nada menos de 40 palmos
da ra do Brum, em distancia estimada de 100 pal-
mos Sorpreza esta tanto mais singular, quanto he
a commissflo a primeira em reconhecer o zelo e acli-
vidade do respectivo fiscal.
o Para que a commissflo possa darseus trabalhos
por lindos, compre dizer, que, em satisfaQo ao ar-
tigo 10 capitulo 1.do titulo 2." do decreto n. 447, de
19domaio do correnteanno, c de accordo com o
caplflo do porto, designrflo a praqa do largo da As-
scmbla para Oso das conslruc^ocs martimas dos
particulares,'sem que assim ficasse inhibido de re-
quisitar-se para o futuro outras, que fossem neces-
sarias para taes usos, eque nao vio agora notadas,
por dependercm anda de precisas informaces c ou-
tros estudos.
Batiafeilas assm as ordens desta cmara, julga i
commissflo haver desempenhadoseusdevores, eexer-
clado ao mesmo lempo um acto de sua maior salis-
facffb<
a Sessflo do 24 de outubrp-de 1846.Os-vereadorcs,
Cintra Uanoet.Carneiro Monteiro.n
TERCEIRA SESSA ORDINARIA DE 28 DE NOVEM-
BRO DE 1846.
raBSJDBNCfa 1)0 SESIIOR KECO K tl.BUgUERQUE.
Presentes osSrs., Carneiro Monteiro, Cintra, Dr.
Aquino, c Barata, fallando com causa participada
os Sis, llanos, Dr. Nery, c Mello Cavalcanti, e sem
ella o Sr. Egidio Ferreira, abrio-se a scssflo, e foi lida
e approvada a acta da antecedente.
(i secretario leo um oflicio do Exm. presidente da
provincia, remetiendo os cxeniplares dos decretos
sobre a resolueflo da asscmblca peral legislativa de
ns. 375 a :198, inclusive a lei de cIcqocs; bem como
asdeciscs do governo, tomo 9, cadernosl, 2e3,
pcrlencentes aos niezes de Janeiro, fevcieiroe mar-
go do corrente auno.Intcirada, e mandou-se ar-
chivar.
Outrodo nicsmoExm. presidente, participando a
mancira, por que d"ora em diante serflo feilos os cor-
tejos nosdias de festividade nacional. Interada.
Outro do mesmo presidente, remetiendo por copia
o parecer da commissfio de emitas e orcaincuto da
assembla legislativa provincial, approvando ascon-
tas desta cmara. Que se archivasse.
Outro do vereador Mello Cavalcanti, solicitando
tres mezes de licenca cmquanto ia ao Rio-dc-Janei-
ro o voltava, eretnettendo todos os papis, que exis-
tiao em seu poder, na qualidade de membro da com-
missflo de edilicaeflo.Concedeo-se a licenca pedi-
da, e mandou-se convidar o supplento immediato
em votos para servir durante o tempo de sua li-
cenga
He um castcllo situado entre Pierrelilte c Bar-
le-Dc.
Mas Vm. apenas leve lempo de comer P
Nflo s nflo tivo tempo, minha senhora, mas at
nflo tveosmeos.
Comoasimi'
Perd o meu dnheiro nocminlio.
Entilo, desde hontem, que Vm. nflo come, de
sorte que......
Seuflo alguns boceados depilo; que commigo
troucera.
Pobre menino! Mas porque nflo pedio comer
em alguma parte?
Gilberto sorrio-se desdenhoso.
Porque Sou orgulhoso, minha senhora.
Orgulhoso! He muito bello ser orgulhoso, mas
todava quando se morre de fome.......
Mais vale a gente morrer, que deshonrar-sc. -
A dama llou o seu sentencioso interlocutor com
lima especie de admiraco.
Mas quem he entflo Vm., para assm fallar, mcu
amigo? perguntou ella.
Sou um orphflo.
E como se chama?
Gilberto.
Gilberto de que?
De nada.
Ah! ah! disse adama cada vez mais admi-
rada.
Vio Gilberto, que produzia effeito, c ficou satisfeto
de haver imitado Joflo-Jacques Rousseau.
Vm. he muito mogo, meu amigo, para andar
pelas estradas coulinuoua dama.
Achava-me sozinho o abandonado em um vc-
llio castello, cujos donos acabavSo de o deixar. Fiz
como elles, deixei-o tambern.
1 Deferio-se juramento ao cordeador ltimamente
nomeado, Antonio Feliciano Rodrigues Sette.
O Sr. vereador Barata foi nomeado interinamente
membro da cominissflo de edincaeflo e de peticOes, o
nesta mesma occasiflo se lhe mandn remettertodos
os papis, que cstavflo em poder do Sr. Mello Ca-
valcanti, e mais outros de difiranles materias.
Mandou-se ofllcia, ao procurador, pedindo a rasflo,
por que ainda nflo subsministrou contadura os do-
cumentos necessarios praorganisagflo do balanco
da receita e despeza do auno lindo.
Porto lidos e approvados diversos pareceres da
commissflo de edificaeflo, mandando-se expedir as
ordens convenientes no sentido delles.
Despacharflo-se as petices de Antonio Joaquim do
Mello, de Antonio Goncalvcs de Moraes, e de Mana
Francisca de Je/.us Paradlas; e levantou-se a sessflo.
Kii. Jollo Jos Ferreira de Aguiar, secretario, a suhs-
(.r(!V,_ lego e Albuquerque, presidente. Carneiro
Monteiro.--Cintra Dr. .Iquino.Harata.________
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaajaaaaaaaaaaaaaaajBaRjjaaaa^^
Yarit'dade.
O fA-SEKTF.SCIADO DE POWTOISE.
Na poca, em que a Franca tflo gloriosamente sus-
tentava suas luctas com a Europa, ofTerecia victo-
ria quasi toda a sua mocidade. Um conscripto da al-
dea de Pontoiso, chamado Postolle, angustiado por
so ver arrancado familia, deserta do seu cqrpo.
Soldado refractario, vagabundo, liga-se com bandi-
dos, c torna-so curaplicedestes emumroubo, Coito
i noite, com arrombamento e com todas ascircums-
tanciasaggravantes.
Condemnado a seis annos de prisio com traba-
lhos, cumprida a sentcnca, elle volta ao lugar do seu
nascimento, para viver subjeito a vigia perpetua,
ue pesa sobre o ex-sentenciado.
Entalliador, com inuita difliculdade pode ello con-
seguir ser ailmittido em as oflicinas. Conducta regu-
lar, assidiiidado no trabalbo, bondade de carcter,
dissipflo inscnsivelmente a desconfianza que sen
passado inspirava : o lempo acaba de reconquistar-
Ihe a estima dos compatriotas. Postolle nflo sem-
prega sabiamente os das em seu interesse, mas mili-
tas vezes a'juda aos coinpanheiros; faz-Ibes bons ser-
vicos, c, em multas occasloes, com elles reparte
o pilo.
A viuva de um pharmaceutco, privada de todos os
recursos, nflo lem meios de educar chas lilhinhas,
de mu tenra idade ainda. Postolle compadece-se do
infortunio dessa familia, que da felicidadc passa ra-
Cidamente a urna dolorosa indigencia. O obreiro tia-
alha algumas horas de mais em cada dia, c, com o
produelo desse trabalbo, he alimentada a pobre viu-
va, eas meninas recehem modesta eulil cducagflo.
Balada de pe/ares, a viuva cai perigosamente doen-
te, e nada lhe falta ; Postolle vela sobre ella; o zelo
do bemfeitor crescc na rasflo directa das necessida-
desda beneficiada. A gravidade da molestia exigo
medicamentos, que raras vezes se encontrflo em una
pequea aldea. Para Ih os oliter, Postolle escapa-se
noite ; vai a Pars, e por mais de urna vez repete es-
sasperigosas excurefies, que o expfiem ao severo cas-
tigo, reservado ao cx-senlenciado, que he encontra-
do alm dos limites de sua residencia. Gratas asna
dedicaeflo, salva-se a doeute, mas sua saude lica va-
cillante. Depois de, por doze anuos, haver sido cui-
dadosamente soccorrida por Postolle, ella morre, e
a sua familiazinha uem ao menos Oca com que fazer
as despezas do enlerramcnto. lie ainda Postolle, que
so encarrega desse pi dever i da un tmulo aquel-
la, cuja vida prolongou, o contina a servi-laem seus
lilhos.
Depois de ler feilo da mais velha das meninas urna
honrada e boa costureir, casa-a ventajosamente; en-
tflo, com porfiada atten<;flo, vela sobre a conducta
da mais nova. Quando os trabalhos a chamflo aos
grandes sei oes, Postolle, tal qual um terno pai, vigi-
lante guarda dos costumes do seu lilho, vai leva-la a
Sem fimalgum?
O mundo he grande, cncllo dizem que ha lu-
gar para todos ao sol.
Bem, murmurou em voz baixa a dama, he al-
gum bastardo camponez, que Ingio do seu solar.
E Vm. entflo perdeo a sua bolsa ? perguntou el-
la em voz alta. .
Sim, senhora.
E esta va bem provida?
Nflo tinha mais, que um escudo de seis francos,
disse Gilberto, hesitante entre a vergonha do confes-
sar a sua miseria, e o perigo de ostentar excessiva
fortuna, quepoderiflo suppor mal adquirida, porem
ter-mc-hia sido sullicienle.
Um escudo de seis francos para tflo longo, via-
gem mal lhe chegaria para comprar pilo para dous
lias! Eocaminho, mcu Dos I qiiecaminho! deBar-
le-Duc a Pars, diz Vm. '.'
Sim, senhora.
Assim urnas sessenta a sessenta e cinco legoas,
creio eu?
Vio contri as legoas, minha senhora. Oque liz
foi dizer commigo: lie preciso chegaria; e nada
mais.
Ecom isso parti, pobre doudinho?
Oh! tenho boas pernas
Por muito boas, que ellassejflo, sempre cansflo;
e Vm. lem em s a prova.
Oh! nflo forflo as pernas, queme falhrao, foi
a esperance, que me falleceo.
Com ull'eilo, parece-me, que o vi bem deses-
perado.
Gilberto sorrio-se amargamente.
Que tinha Vm. entflo na idea, que bata na ca
beca, e arrancava os cabellos?


H, o bnsca-la para a casa. Esto hnmrm, infatiga- que Ihcs assignn.oscnmpromissns,pelos quaesie
vel n hoiiofoeneia,
|;i : el1' se torna
, n'o a restringe a urna m'i fami- gem, para que elle proveja, como Ihe compre, a res-
ii ti I. semprc que para isto so Ihe'poito das ditas contrarias e sejflo os referidos com-
|jn todas a.s parles, eni huo un
pergo um acontec ment desgrasado, reclama a
presenca de um homem intrpido, sorvical edosin-
terossado, aoha-so l'ostolle. Vinte anuos de una vi-
da de dedicarlo, prubidade e coragem, adquirrflo
este bomcm, outr'ora reprobo, i estima, a confian-
es de urna populacflo inteira. Os scutimeiilos, que
inspirava, levrilo as autoridadesc os principis ha-
bitantes (la aldea a solicitaron da academia frauceza
a sua admissflo ao concurso do premio Moni yon Ao
terminar o simples e tocante elogio da conducta do
candidato, o maire aerresrenta: So eu quizesse por
a minlia bolsa em seguranca, confla-la-hia a Poalol-
le. < A academia resolveo pedir ao rci o levantamen-
to da viga sobre Poslollc, e a sua rchabililacflo. O
rei examinou esse negocio, e acaba de acquescer ao
podido da academia francoza.
Sea sociedaile soubesse cercar o arrependimento
sincero das felizes circumstancias, que, cumplida a
sentcnca de Postolle, o acaso, e simiente o acuso Ihe
forncoeo, veramos sem duvida, mais vcz?s do que
agora, retomaren! o caminho da vrlude aquelles,
que, como este bomcm, involuntaria mente, e por
um enoadeamerito desuccessos infelizes, dello se
houvessem desviado. Mas, qual o ex-sentenciado
be atirado ao mundo, s, sem apoio .. Que dizenios
nos, sem apoio i' Tudo est disposto da maneira a
mus azada para tornar infructferos os seus mais per-
severantes esforcos. Os criminosos silo enfermos, e
os enfermos tcein dircito a cuidados ; este principio
be nniilas vezesesquecido, e bom be lembra-lo de
vez em quando aos encarregados de perseguir os cul-
pados, esobre tudo aos que dirigen) a sociedad*:
estes ltimos, com elTeito, duveriflo esfor?ar-se em
cercar de inlelligeiites cuidados os infelizes, sobre
quem um primeiro criine tenlia chamado a severida-
de da le.
[Traduiido.)
COMWEHCIO.
Alfandefja.
REND1ME.NT0D0DIA7. .....
descarrecaO nojr 9.
Rrigue--t7tt/iar-bacalhao.
IlrigueEurydice- dem.
Consiliario
RENDIMKNTO DO DA 7.
12:997,634
f.eral. .
Provincial ....
Diversas provincias.
4:059,137
1:760,982
126,406
5:946,525
."loviniciiio lo Porto.
Narios entrados no da 7.
Londres; 42das, barca ingleza Prompt, de 398 to-
neladas, capitflo Joseph Irving, cquipagem 18,em
lastro; a Wllliam Smith.
Terra-Nova; 39 das, brigue inglez Itarkhill, de 175
toneladas, capitflo Thomas Kempt, carga 2,300 bar-
ricas de bacalhao ; a James Crablree & Com-
panbia.
Parabiba; 24 horas, biate brasileiro foa-Viagem, ca-
pitflo Manuel Ignacio da Cunha, equipagem 4, car-
ga toros de mangue ; o Jos da Silva Mendonca
\ lamia. Passagciros: Francisco Itadich, Portuguez;
Samuel, Inglez.
Nuvios sahidos no mesmo dia.
Parahiba ; barca ingleza l'rompl, capitflo John Ir-
ving, em lastro.
Rabia ; brigue inglez liarkhill capitflo Thomas
Kempt, carga a mesina, que trouxe.
Navio entrado no dia 8.
Roston; 40 das, barca america Car Une, de 192 to-
neladas, capitflo O. P. Lae, cquipagem 10, carga
800 harrs de bacalhao, carne de porco e vacca, c
mais gneros do paiz: a II. Foster&C.
navios sahidos no mismo dia.
Trieste; brigue dinaniarquez Louise, capitflo L. El-
berg, carga assucar.
Rio-de-Janeiro; barca americana (aroline, capitflo O
G. Lae, carga a mesma, que trouce.
Editis.
O Dr. Jos Thoma* Nabuco de .Iraujo Jnior, /dalgo
caralleiro da cata imperial, cavalleiro da ordem de
f.hristo, ejuiz dedireio da segunda rara do cirel, e
provedor de capellas e risiduo* dtsla cidude do llecife
de l'ernambuco e seu termo por S M. o Impera-
dor, etc.
Determina, que as confrarias, sem excepeflo das
ordons-terceiras, Ihe apresentcm no prazo de 8 dias,
Gilberto pensou, queno seria mo engrandecer-
se anda com a narraciio da propria verdade.
Com ell'eilo, cu eslava desesperado, disse elle.
E de que? perguntou a dama.
De nao poder mais seguir una carruagem, que
cu acompenhava.
De veras! disse a dama sorrindo; entilo a cou-
sa he urna aventura. Ilaveria ahi amor?
.\flo era Gilberto anda tflosenhordesi, queno
corasse.
Eque carruagem era essa, mcu Catiozinho?
lima das da comitiva da delphina.
Como! Que diz Vm.i' exclamoua dama; a del
phina entflo vai ah diante de nos?
Sem duvida.
Suppunha-a atrs, quando muito cm Nancy
Nflo se Ihe fa/.em entilo honras pelo caminho?
Por corto que sim; mas parece, qucS. alteza le-
va pressa.
Pressa? a delphina? Quem Ihe disse isso?
Presumo-o.
Presume-o?
Sim, senhora.
E donde Ihe vem essa presumpeflo?
De haver ella dito primeiramente, que descan-
sara duas ou tres horas no rastello de Taverncy.
Rem! e depois?
Apenas sedemorou la tresquartos d'hora.
Sabe Vm. se Ihe chegaria alguma carta de
Paria?
Eu vi entrar, com urna carta na mflo, um senhor
de farda coberta de bordados.
Ouvio fallar no nome desse individuo?
Nflo, senhora, sei smente, que heogoverna-
dor deStrasburgo.
Mr. de Strainville, o cunhado de Mr. de Choi-
proniissos registrados no livro competente, onutro-
sim, que no mesmo prazo as mencionadas confrarias
liies apresentem Umbem os tombos dos bens dellas:
sendo que pela omissilo ou desobediencia deste
preceto proceder o mesmo juiz contra cllas.confor-
me a ordenaeflodo livro 1." titulo 62verso : =Capel-
las, hospilaes, albergaras, e contrarias.
E para constar, niandou publicar este edital.
Recite, 1." de dezembro de 1846. Eu? Galdino
Thernyilocles Cabial de Vasconcellos, osubscrevi.
Jo$4 Thoma: Nabuco de Araujo Jnior.
Ao sello 100 rs. Vaina sem sello, x-causa.
Nabuco de Araujo.
O Dr. Jos Thoma*. ele.
Determina, que os administradores de capcllaslhes
apresentcm, sob as penas e procedimonto determi-
nado na ordenacifo livro I.' titulo 62, as insltiiicOcs
das rapollas, que administrflo, e isto dentro do pra-
zo de 8 dias, que Ihes assigna.
E para constar mandn publicar este edital.
llecife. 1 de dezembro de 1816. K, GaldinoThe-
mystole Cabra l de Vasconcellos, osubscrevi.
Jos Thoma: Thoma' Nabuco de Araujo Jnior.
Ao sello 100 rs. Va I ha sem sello, ex-cau-a.
Nabuco de Araujo
O Dr Gerratio Goncaltes daSi/ra,juis de direito in-
terino aa se'/unda rara da crime da cidade du liecife,
porS. U. I.
Taco saber, que tendo este juizo convocado para
odia 9 do correle, s 9 horas da mantilla, a sexta
sessflo ordinaria do jury deste termo; e nflo podendo
ter lugar, por estar anda em trahalho a quinta ses-
sflo, Mea espacada a dita sexta sessflo para odia 15
do crrente s 9 horas da manhfla.
E para que chegue a noticia todos aquelles a
quem convier, mandei passar o presente, que ser
publico pela imprensa, e atusado nos lugares mais
pblicos da cidade.
Dado e passado nesfa cidade do Recite, aos 7 de
dezembro de 18U.Eu,JoseAffonsoGuedes Alcanforado,
escrivilo o subscrevi.
Gervazio Goncahe da Silta.
Avisos martimos.
Dcclarayoes.
AaRKHATACsA, QUE AERANTE A TIIESOURARlA DAS RENDAS
TRlVINCIAEi HU' REALIDAD* EM O DIA 16 DE DEIEMSRO
COKIIENTE.
O empedramento de 270 bragas da 1.' parte do 8."
lanco da estrada do Po-do-Alho, feilosegundoosys-
tema de Mac Adam, principiado um mez, e acabado
ouatro mezes depois da arremataeflo, e pela quantia
de 2:160*000 rs., pagos em quatro prestarles, e pela
maneira proscripta no artigo 15 do regulameiUo pro-
vincial de 11 dejulbode18i6.
O cscriviioda recebedoria de rendas internas (oraos
rvindo no Impedimento to administrador fai saber
a todos os devedores dos impostos de lujas abortas do
auno torrente, da laxa dos esclavos, do anno findoe
corrente, e da segunda dcima de man marta, que, se
nao satisfizerriii o que csliio a dever at. o llm do mez
de dezenibru (corrente), serao cxeculados judicialnicn-
: incorreudo osque licarcm a dever os impostos na
inulta de 3 por cont dos seus debitas.
Recebedoria, 27 de nuvemhro de 1840.
Eslanisto l'trtira de Otivetra.
O arsenal de marinba compra, no dia 9 (hoje) do
corrente, pelas 11 horas'da manhfla pranches de
louro. As pessoas, que se propozerem a vende-los, sito
convidadas a coniparco-rein nesta secretaria no in-
dicado dia c hora, com as suas propostas eui cartas
fechadas.
Secretaria da inspecefo do arsenal de marinba de
Pertiamburo, 7 de dezembro de 1846. O secreta-
rio, Alexandre Rodrigues dos Anjos.
A ooinmissfio administrativa do thcatro publi-
co nacional convida a todos os Sis. accionistas do
mesmo theatro a se reunircm no dia 10 do corren-
te as 10 horas precisas da manhfla na casa do di-
rector, Manuel Caetano Soarcs Carneirn Monteiro
na ra do Quein.ado, 0. 17, alim do deliberareui
sobre una communicaeflo da presidencia acerca da
execueflo do artigo segundo da Ici provincial n. 160,
de ISdenoveiunrodo oorrente anuo : e sendo esta
reunio de toda importancia para os interessesda
conipanhia, a mesma commissflo recommenda nflo
sa todos os Sis. accionistas de nflo dcixavein de
comparecer assim como tambem aos procurado-
res daquelles, que se acharem impedidos.
I'ubica^ao litteraria.
O HOTEL LAMDERT
Historia Contempornea
ros .
Eugene Sue
Acaba de ebegar do Hio-de-Janeiro, o vendo-se om
tres voliimes na praca da Indipemlencia, liviaria n. 6e
o: agrande nomeada, que tem adquirido scu autor, he
suliicicute para o elogio desta historia.
0 brigue Feliz-Destino, vindo do ss no dia 5
do corrente, acba-se ancorado defronle do trapiche
novo, com o carregamCnto de sal: e os comprado-
res, quequizerem comprar, podem dirigir-so a bor-
do do mesmo, que acharan com quem tratar.
. Segu yiagem, por estes quatro de S.rFrancisco o hiato foa-Viagem : quem nelle
3uizer carregar, ou irde passsgenn dirija-se a ra
a Cadeia, noarmazcni de ferragens, n. 63.
_ ParaoAracaly o hiato imcioiiiti Nereide segu
viagem at o dia li do corrente : para carga e pas-
sagciros trala-se na i na do Vigario, n. 5.
Para a BahiS sahira breve o veleiro brigue Tic-
loria,, capitflo Rento Jos de Aimeida : quem no
mesmo quizer carregar, o ir de passagem pode
entender-se com Amnrim Irmos, na ra da Cadeia,
n. 45.
Para Macei segu viagem at odia 11 do cor-
rente a barcada S.-Benedicto, quem nella quzcr car-
regar ou ir do passagem, para o que tem excedentes
commodos, dirija-se aoKorte-do-Matto, onde ella se
acha tundeada, ou ra da Cadeia do Recite n. 54, a
Joaqnim Ribeiro Pon tes.
Para o Porto o brigue portuguez Ventura-Feliz se-
guir imprelerivelmente no dia 19 do corrente; po-
de ainda receber pequea quantidade de carga a fre-
te, assim como passageiros : trata-se com Mondes &
Tarroio, ra da Cruz, n. 54, ou com o capitflo, Anto-
nio Francisco dos Santos, na pra^a do Commcrcio.
Para Porlo-alcgre e Rio-Crande-do-Sul segui-
r breve o brigue Conceicdo-C.aboclo capitflo Joa-
quim Jos de Siqueira Porto : recebe cscravos e pas-
sageiros, para oque se pode tratar com Amorim
Irmos, na roa da Cadeia, n. 45.
Para Lisboa sai com brevidade, por ter a maior
parle da carga prompta, o bem conhecido brigue por-
tuguez Josephina 6 Emilia, do que he capitflo Izi-
doro Aires le Souza: quem nelle quizer carregar ou
irde passagem dirija-se ao mesmo capitflo, na pra-
ca do Commcrcio, ou a Francisco Severiano Rabello
& Filho, largo d'Assembla Provincial.
Freta-se, para qualquerdos portos do Norte
at o Cea'r ou para o Sul at o rio de S.-Francisco,
a bem construida e veleira barcaca Flor-do-Recife ,
tundeada defronte do caes do fallecido Jos Ramos :
a tratar com o mostrea bordo, ou com Manoel Jos
Goncalvcs Braga, ao pedo arco de S.-Anlonio.
1,1'ilao.
seul, Puaire! mais depressa, postilhflo, mais de-
pressa.
Urna vigorosa chicotada respondeo esta recom-
mendagflo, e Gilberto sentio, que a carruagem, pos-
to que j puchada a galope, ainda augnientava em
velocdadc.
Com que cnlflo, continuou a dama, a delphina
vai adiante denos?
Sim, senhora.
Mas ella ha de parar para almfar, disse a dama
como quem fallava entre si, cenlilo nsa passaremos,
a nO ser que esla noite. ..... Parog ella a noito nas-
sada?
Sim, senhora, cm Sainl-Dizier.
Que horas ero ?
(inze horas, potico majs ou monos
Foi para cear. Rom! neressariamente ha deal-
moca : Poslilhiio, qual he a cidade de alguma i.-n-
portancia, que primeiro encontraremos?
Vitry, minha senhora.
E a que distancia estamos nos della ?
A tres legoas.
Onde mudamos nos de eavallos?
Em Vanclre.
Rem. Puche, ese vir una llleira decarruagens
no caminho, previna-me.
Emquanto estas palavras se trocavflo entre a dama
da cairuagcm eo postilhflo, ha vis Gilberto quasi tor-
nado a cahinm desfallecimcnto Ao sentar-se, vio-o
a viajora paludo c com os olhos fechados
Ab pobre rapaz, ei-lo prestes a desmaiarou-
tra vez, exclamouella. Fisto he por minha cul|)a,
pois o fago fallar, quando elle morro, de fome e sede,
em lugar de Ihe dar de comer c beber.
E para reparar o tenipo perdido, tirou adamado
bolso da carruagem um frasco lavrado, de cujo gar-
0 corretorOliveira tara leilflo, por mandado do
respectivo juizo, e a requerimento Jos credores do
fallido Antonio Joaquim da Silva Castro, das fazen-
ilas da toja deste o de outros, que se venders a di-
nheiro ca prazo : sexla-feita, 11 do corrente, as lo
horas da manli.u no seu armazein, na ra da
Cadeia.
Avisos diversos.
Precisa-se de urna ama deleite: no Aterro-da-
Roa-Vista, n. 24.
Ainda esl por alagar, por prefo
comniodo, a grande casa terrea, n. 4?*
defronle d;i igrtji da Soledade, com ca-
cimba e tanque, e bom quinlal bem plan-
tado; a casa est caiada : trata-se com o
taixeiro du Si*. Joo M.itlicus.
Tin ni < lilis do qualqner modelo anneis llores, Olas ,
aderecos, pulceiras, brincos etc. ; tudo o mais bem
feilo possivel por proco mdico.
- Os Srs. donosde
obras e mestros prdreiros que preclsarem de alguns
maleiiaos, como cal branca, dita pela, barro amarellu,
dito prolo, arria lina de fingir, dita grossa, telhas, li-
jlos de ladrilho, ditos de alvenaria batida, dita gros-
sa, lijlos de tapaiuenlo largos, ditos estrello, tudo
mais em coma do que em outro deposito, queirao dlri-
gir-sc ao armazein n. 8, por detrs da ra de S.-Fran-
galo pendia, por urna cadeia d'ouro, umeopinhode
prata dourada.
Primeiro que tudo beba una gotla desta agoa
da Costa, disse ella, cuchendo o copo e apresentan-
do-o a Gilberto.
Nflo cspciou este por segundo convite, ou fosse pe-
la influencia da linda mfln, que Ihe aprsenla va o co-
po, ou porque a necessidade era mais urgente do que
em Saint-Dizier
Ora bem, disse a dama, agora coma um poueo
de po de l; daqi a urna ou duas horas, fa-lo-hci
ahiioear mais slidamente.
Obrigado, minha senhora, disse Gilberto.
E comeo o po de l como beber o vinbo.
Bom, agora, pois que est um pouco restabele-
rido, proseguio a dama, diga-me, se nflo poe duvida
em fazer de mim a sua confidente, que interesse ti-
nha em seguir essa carruagem, que, como me disse,
faz parte da comitiva da senhora delphina?
Eis-aqui a verdade cm duas palavras, minha se-
nhora, disse Gilberto.- Eu morava em casa do barflo
de Tavcrnoy, quando S alteza la chegou, e ordenou,
que elle a acompanhasse para Pars, no que foi obe-
decida. Como sou orpbflo, ni liguen) cidou em mim,
e ahaudonariio-mc sem dinheiro, e sem meios de
subsistencia. Jurei entilo, i|ue, visto como iflo todos
a Versalhes com o soccorr do bous eavallos c bollas
carruagens, tambem eu la ira, masa p, e que com
as nimbas pomas du dezoilo anuos chegaria Iflo de-
pressa como clles com os seus eavallos e carruagens.
Infelizmente as forjas me Irahirflo, ou antes decla-
rou-so a fatalidade contra mim. Se eu nfltftivesse
perdido o meu dinheiro, baveria comido; e selives-
sc comido esta noile, ha vera podido alcanzar os ea-
vallos.
Muito bem, isso he que hecoragem! exclamou
cisco, ou ao armazein n. 3, defronte da respectiva Or-
dem TYrceira.
Em oPflsseio-Publco, na loja de chapeos de
sol, deJoo Loubet, se achilo ricos sortimentos do
chapeos de sol, do seda, tanto para homom, como
os de mais lindosgostos para as senhoras, queapre-
ciflo o lempo festivo eque em lugar algum deste
.....nados ha de Iflo bom gosto ;e seus baratos
precns animo aos Srs. compradores. No mesmo
eslahelecimentoseachfloa vonda riros castes pa-
ra bengalas e mesmo ponteiras e bolotas para as
mesmas. Outro sim tem do presente inventado
uns chapeos de sol grandes, de 32 pollegadas ,
para senhores de engenhosdellesussrem no campo.
Na mesma loja se concertflo o cobrem-so com per-
feicflo e asseio, e isto sem demora: tambem se ven-
den) chapeos do Porto.
Aluga-se o andar terreo ou loja do sobrado n.
12 da ra da Aurora, com ptimos e muito asseiados
commodos para moradia de homem soltciro ou do
pouca familia: quem o quizer alugar, dirija-so ao
mesmo sobrado qualquer hora.
= O abaixo assignado, vendo nos Diarios um remedia
para hlias e cravos seceos, cujo remedio he coma ex-
traordinaria, e leudo er.genbo, ha nuil tos anuos, e ten-
do perdido diversos cscravos, e desde o annunelo des-
te remedio, t'ndo salvado todos, e por fin sua senho-
ra, que padecia esta molestia a ponto deja nao so poder
calcar, c com ste remedio fieou perfeilamente saa, e
tambem nui flho de idade de20annos: e como vio este
remedio produzir estes ell'eiios, por isso fai osle annun-
clo para benecio dos Srs. doengenho, tendo visto ne-
gros aleijados e perderm a vida, por cansa desta moles-
tia. Faz este annunelo para lien,lirio da htimanidade.
/Iiifimiii Correia Petsoa di Mello.
Vai a praca, por execugflo de Joflo Rernardino
de Vasconcellos contra Vlrissimo Santos de Siquei-
ra urna casa terrea, sita entre as duas pontos da
Magdalena, n. 12, e alguns movis, pela segunda
vara do juizo do cvel desta cidade.
Aluga-se o tereciro andar do sobrado n. 31 da
ra cstreita do Rozario, com um grande sulocom
7quarlos e 2 salas, eum grande mirante com muito
boas vistas, e por preco commodo : a tratar no ar-
mazem do mesmo.
AO BOM TOM PAMSIEMSE.
RA NOVA, N.7.
TEMPETTE, ALPAIATE,
tem a honra de participar aos leus fregueses que dis-
solvoo desde o dia 15 de selembro do auno passado ,
a sociedade que tinhacomos Srs. Golonibiez & Com-
pauhin largando ao mesmo tenipo a loja dos sobredi-
tos Srs. As pessoas que o quizerem favorecer com a
sua freguezia o acharad na sua loja na ra Nova ,
n. 7. Tem pannos para cairas, cohetes e casacas, de to-
das as qiialidndes os mais noyos chegados de Pars, e
a collecco dos mais recentes figurinos ; e recobro no-
vamente um lindo sortimento de objectos de luxo
phanlaiia.de diversas qualidades.
Novo importante aviso.
POMMATEAU, CUTELEIRO, ATERR0-DA-R0A-
VISTA N. 5 ,
tema honra de prevenir ao publico que acaba de
receber, pelo ultimo navio cnegado do Franca, um
grande sortimento de mercaduras todas de pri-
meira qualidade c do ultimo gosto, como : rlnco-
tinhos delicados e bengalinhas guarnecidas de prata
lina ; pertenres para cacar ; polvarinuos de diversos
la oa nhos, chuuiheiras de 1 e 2 canudos, saca-
trapos, ferros para desparafusar, forma de fazer ba-
las de varios calibres para pistolas; espoletas de
primeira qualidade chamines de ac lino para es-
pingardas de espoleta; esponjas finas; escovas pa-
la denles e para unhas ; ferrinhos para limpar e ti-
rar denles; instrumentos de cirurgia ; fundas de
todas as qualidades; frcios ; esporas; obras de
prata lavrada como colbcrcs para cha e de tirar
assucar, muito ricas; facas com cabos e toldas de
prata para comer fructas, e tambem com cabos de
prata c folhas de neo tino ; navalhas de barbear de
primeira qualidade ; lesouras de todos os tamaiihos
c de ac lino ; c geralmenle tudo quanto pertence a
entelara j cstojosde ma'hematica c necossarios do
costura para senhoras. Tambem faz de encommen-
da toda a qualidade de fundas, c cunee: los de es-
pingardas.
As quartas-feiras e aos sabbadoscontina a amolar
toda a qualidade do ferros ; advertindo aos seus fre-
guezes, que d'ora cm diante elle mesmo se oceupa-
r especialmente deste ultimo trahalho.
Arrenda-se o sitio do Arraial, da viuva de Hurgos &
Films, que oll'erece grandes coimuodldacs para nume-
rosa familia : este sitio be murado, tem excelleute casa
sobradada, cercada de um cspicoso e lindo jardiin, cu-
zinli.i fura, com armatein: tem sobrado para poinbos,
casai para feitor e cscravos, eso barias, curral para
vaccas, duas cocheiras, e urna deltas com soto, que te
avista parle da cidade de Oliuda; 24 canteiros, pontee
um grande banheiro ; todas estas obras sao de podra e
cal; toin boa agoa do rio, que passa polo sitio, viveiro
de peixe, baixa para capiui, e numerosas fructeiras:
Jui'iii o pretender, dirigir-sr-ba a ra Direita no sobra-
o, n. 29, que achara com quem contratar.
a dama, edou-lbe por ella os para bens, meu amigo.
Mas parece-me, que ha ahi una cousa, que Vm, nflo
sabe.......
Qual he ella?
Ho que em Versalhes nflo se vive decoragem.
Irei para-Pars.
Por este lado, Pars parecc-se muito com Ver-
salhes.
Se nflo se vive decoragem, minha senhora, v-
ve-se de trahalho.
Rem respondido meu menino. Mas de que tra-
halho? As suas niflos nflo sao dejornaleiro, ou ma-
nla
Estudarei, minha senhora.
Vm. me parece j muito instruido.
Sim, porque se, que nflo sei nada, respondeo
sentenciosamente Gilberto, recordando-se das pala-
vras de Scrates.
E posso, sem ser indiscreta, perguntar-lhe, que
sciencia quer cstudar de preferencia, meu am-
guinho?
Creo minha senhora, respondeo Gilberto, quo
a mclhor sciencia he aquella, que permiti ao homem
ser mais itil aos seus semelhantes. Remis, por ou-
tro lado, he o homem tflo pouca cousa, quo deve es-
tudar o segredo da sua fraqueza para conbecer o da
sua torca. Quero vir um dia a saber, porque o esto-
mago me inpedio, que as pernas me carregassem es-
la manhfla, quero tambem emlim saber, se nflo foi
esta inesnia fraqueza d'estomago, quo me fez subir
ao cerebro a colera, afeltra e esses vapores negros,
que me pi ostra rao.......
Ah! Vm. ha dedarum excedente medico, epa-
recfr-mc, que j falla admiravelmentc em medicina.
Prometto-Ihc para d'aqui a dez annos a minha fre-
guezia.


LOTERA
da matriz da cidade da Vic-
toria.
No dia ii do corrcnlc mr-z nndo infal-
livi luiente as rodas diesta lotera, no con-
sistorio da igrcja da Conceicao dos Milita-
ros, c os respectivos billietes vender-s-
hito smente at o da anterior. Kspcra,
portanto, o tliesoureiro, que os amadores
desie jogo concorro completar a exlrac-
co dos billietes, que resino, icando assim
habilitados a passar urna fesla feliz.
Antonio ln Silva Qtitmo.
0 NAZARENO N. 67
est a venda, ao meio-dia, na livraria da praca da In-
dependencia, us. 6e8, e na casa daFna rua oslrei-
la do Rozario,n.6. Traz honsarligos extrahidos; no-
ticiados festejos no dia 3, resposla ao l).-novo de 3,
que insulta o Kxm. general Scra, o outros artlgos
inais, dignos deserem 1 dos
OSr. Francisco de AssizOliveira tem una car-
ta na praca da Independencia, livraria ns. fie 8.
Offorece-se para caixeiro de toja de miodezas,
ou cobranzas e d Mador sua conducta, um moco
lirasileiro, de 16 annosde idade: quom precisar, an-
iiiincio
A festa da Conceic^lo dos Coqueiros da Boa-Vis-
ta fo mudada para o dia 20 do crrante; assim como
se faz ver, que a missa cantada, que houve no mes-
mo dia da Senhora na mesma igreja, foi feita pelo
Sr. Joaquim Jos Ferrcira, que havia feito esta pro-
messa.
(abrid Affonso Rigueira remette para o Rio-
de-Janeiro un preto de nome Antonio, de nac.o
Angola, i seu senhor Manoel Antonio Alvares de Un-
to, para all ser tratado de um cancro, que padece no
o111 o direito.
Iloje, pelas 4 lioras da tarde na praca dojuiz
docivcl, no Alerro-da-Boa-Vista tem do se ar-
rematara parte do um sobrado na ra do Livramen-
to.de um andar, assim como urna casa terrea de-
fronte do oitlo de S.-Pedro por execiiQflo de Bar-
tholomeo Francisco de Souza contra Jo.lo Pereira
Lagos e sua mullier, escrivflo Santos.
Troca-se urna imagem de 8. Antonio: na ra
do Qucimado, oulr'ora pracinha do l.ivramcnto,
n. 61.
Precisa-se, para um engenbo perto desta pra-
ca, de um perito destilador, eque tenha praticado
em outros engenhos : queni estiver nestas circuns-
tancias dirija-sea ra do Vigario, n. 10, a Gui-
Iherme dos Santos Sazcs.
Jos Lefio do Castro participa ao arreinatanto
do dizimo de capim que deixou de vender capim
em seu .sitio no C.ordeiro de junhocni vante.
Precisa-se de um Portuguez de 14 a 16 annos,
para ser caixeiro de umn venda emOliuda: a tratar
na ra Direita n. 137, primeiro andar.
Pretende-se fazer negocio com um terreno ,
sito na estrada de Belcm t com 79 palmos de frente
a :>22deextensao o qual foi pertencento a rsula
Mara das Virgcns.e boje he de Antonio Jos da Silva,
por Ihc ter sido adjudicado em praca ; so alguem se
julgar com direito ao mesmo, o declare, no prazo de
3 dias na ra Direita, n. 10.
Perdeo-sc, desde a ra da Cadeia-Vclba at o
nrcial de F'ra-de-Portas nina carta com urna let-
tra dentro da quantia de 86,280 rs. vencida em 12
de l'overeirode 18*6, sacada por Antonio Aunes Ja-
come e acceita por Francisco Xavier da Rocha ,
morador na Parahiba quemaacbou, querendo res-
tituir, dirija-sea ra daCadeia-V'elha, n. 60, segundo
andar.
D-sedinhciro.a premio com pcnborcs mos-
moem pcqunasquanlias : na ra do Rangel, n. 11.
Perdeo-sc,odia 2do correte, desde a casa
do Sr Al. A Guerra, na ra da Aurora, al ao Aterro-
ila-Uoa-Visla urna cassolela de vidro com caixi-
Iho de ouro lavrado obra franceza contendo den-
tro, emlettrasdc ouro sobre campo pelo, asse-
fiuinlcs firmas de una lado M. R. tt. e de outro ,
M. A. B. : quem a tiver adiado, ou a quem tenha sido
offerecida querendo rcslitui-la dirija-se a ra da
Aurora n. 12, primeiro andar.
Joflo Baptista da Cimba, mostr barbeirocsan-
grador, ltimamente chegado da cidade do Porto,
faz scietile ao respeilavel publico desta cidade, que
se acha estabelccido.com loja de barbeiro, no largo
do Sacramento, do buirro de S. -Antonio, n. 3; o
(jiial se oiTerece para sangrar a qualquer pessoa, e
ue qualquer classe por prego commodo ; c a pobre-
ra-gratuitamente para o que lem os conhecimon-
los necessarios adquiridos em um dos hospitaes Ja
Santa Casada Misericordia do reino de Portugal; e
promelte fazer un semellianto servido sem o me-
nor desgosto c antes com o maior dendo.
Precisa-se de um caixeiro para armazn de
carne do Ccar c queja disto tenha bastante pra-
tica ; dando Mador a sua conducta na ra Direita,
sobrado n. 20.
Precisa-so de urna imilher idosa para tratar do
dous meninos na companhia descu pai na ra da
Concordia, venda n. 26.
Precisa-so de.um caixeiro, que eiitcnda de
venda, e d Mador a sua conducta para tomar conta
de una casa : na ra larga do Rozario, n. 38, segun-
do andar.
Hojeao meio-dia na sala das audiencias pe-
lo juizo da segunda vara docivcl escrivflo Reg
Affonso Saint-Marlin, na ra Nova, n. 14,, se-
gundo andar, por cima da loja doSr. Diogo Jos da
Costa recebeo pelos uitimos navios, viudos de
Franca maissortimento ao que ja tem annuncia-
do, constando do seguinlc : manteletes de grosde
Naple preto, guarnecidos de franja do relroz, mui-
locm moda, os quaesasscntao o mclhor possyol;
mantas da niosina fa/.enda, igualmente guarnecidas
de franja do rctroz; chales de soda milito superio-
res o de padroea modernos ; mantas de seda de co-
rea, para todos os precos.c entre ellas as ha do
que ha de melhor e mais rico nesle genero; cortes
de seda branca o de cores, para vestidos; chapeos de
he a ultima praca da adjudieacodo sitio e um so-, seda para senbora, demuito bom gosto, modelo a
uI de S. M. Britannica nos la Duchsse e a la Pamelas ; ditos de palha da Italia ,
loado em lieleiii pelo consu
herdeiros do finado Jofo Pinche.
Fugio, no dia 17 do mez passado (novembro),
pelas 8 heras da noite, da casa de Manoel Alves Fer-
rcira, o preto Antonio, de Angola, de 18 annos, com
os signaes seguintes : grosso do corpo, sem barba ,
estatura regular, bom fallante; tem nina belida pe-
quena na menina do um olho, caliello grande; tem
oin um dos lados do peito um C com um travessfto,
o urnas cicalrizesdo ventozas ; levou calcas de brini
sujas camisa de incia manga do algodo grosso ,
chapeo de palha ordinaria tinto de preto o mais
urna trouxa contendo caiga, camisa, jaqueta de gan-
ga azul o um Iengol Roga-se a todas as autnrjda-
los policiaes o capitfes de campo a apprchcnslo do
dfloescravo, cntregando-o no becco do Thcatro,
por cima do botiqun! do Sr. Paiva, onde o apprehen-
sor ser generosamente recompensado.
0 padre Leonardo Antunes Mejra IfCnrques,
bacharel em direito advoga no crime e civel; e po-
de ser procurado na ra das Cruzes n. 18, primei-
ro indar.
-- Quem quizer dar 500,000 rs., sobre hypotheca
em um predio ou com duas (irins annuncic.
Precisa-sede um homem para trabalhar era
urna retinagn : no pateo da S.-Cruz, n. 127.
Domingos da Silva Campos fazseicntoas pessoas,
com quem tem transaeges ou possa ter, que Jos
Maria da Silva Pimcntel'um pequeo, que tinha vol-
ta do para casa) nao he mais seu caixeiro desde 5 do
correte.
AdolphoSchmidt embarca para os portos do
Sul os seos escravos Viccncia e Cornelip.
Dflo-se 150,000 rs. a juros sobro penhores de
ouro c prata : na rua Direita, escriptorio, n. 20.
> Quem precisar de um homem para feitor de
sitio, ou engenbo de idade do 20 anuos e natural
da ilha de S.-Miguel, dirija-se a rua das Cinco-Pon-
las, n. 71
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra o servico de urna casa de pouca familia : no Ater-
ro-da-Boa-Vista. n. 3.
r- Precisa-se de um homem portuguez para admi-
nistrar um sitio em Macei dando-se-lhe um sala-
rio correspondente ao seu trabalbo : a tratar na rua
da Cadeia do Becife loja n. 55.
~ Manoel Jos da Cuuha Souza relira-se para Por-
tugal.
Precisa-se de urna mullier para o servigo de
urna casa de pouca familia : na rua de Apollo, n. 22.
Alugao-seos segundo o terceiro andares da
casa da rua do Torres u. 18, pertencente a ordem
terecira de S.-Francisco : a tratar com o vice-minis-
tro Jos Kgidio Ferrcira.
A viuva de Manoel Bernardino Mootciro, cons-
tando-lhc que o dito tinado seu marido ticasse a
dever a algumas pessoas e i\3o saliendo ella quan-
to monta csse debito, roga a todas as pessoas, que
se julgarem credoras do mesmo Icnhao a honda-
de de comparecer no dia 12 do corrente as 4
horas da tarde, em seu sitio na estrada de Joflo-de-
Barros', acompanhadosde suas competentes clare-
zas, ou mandar, alim de se lomar nota, o pro-
curar-se o melhor. meio dos seus pagamentos; c mes-
mo porque, tendo de se proceder a inventario, Ihe he
preciso declarar os dbitos, que o casal est a dever.
Precisa-sc de dous lavraduiea ; em casa do doma-
dor, ou fabricante de candieiros de gai na rua No-
va n. 52.
Alugao-se casas no sitio do Cajueiro para se
passar a fesla, ou por anuo; dous sitios nos Ale-
gados; euma cocheira na lioa-Visla a tratar no
mesmo sitio.
Jos Marcellino da Rosa avisa a todos os seos
freguezes, que contina com relinagao de assucar
e caf moido na rua das Cinco-Pontas, n. 106;
por isso espera, que sejao constantes, assim como ja
Ib rao.
Precisa-sede urna ama para casa de pouca fa-
milia: na rua da Praia sobrado de um andar,
11.22.
proE-SEENCARECIDAMENTE* qualquer pes-
soa,* quem for offerecida urna casaca de merino pio-
lo com gola de velludo e abas forradas de sarja ,
assim como urna caiga de casimira com listras a/.ues,
queira, por bondade levar a runda l'enha, n. 9,
que ser generosamente recompensada.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 82,
na rua Direila, muilo fresco e com bous commodos
para familia : trata-se no !.? andar do mesmo so-
brado.
sos eabertos ,prasenhora; ditospara meninas,
de novos modelos; chapelinhos para meninos, de
2a 8annos,modelos a Bolivare; lengos de setim,
muito elegantes para senhora ; barego verdadeiro,
desse de que se fazem os taes vestidos, que, a justo ti-
tulo, sao tilo afamados; cortes de ganga de qua-
dros para vestidos, imitando perfeitamente seda, e
que nao desbotfio o durflo a enfadar ; sortimento de
luvas de pellica superior, para homem e senhora;
panno preto da melhor qualidadc a 6000 rs.; casi-
mira preta chamada setim zfir muilo superior,
a 1000 rs. Os Srs., que prolcnderem ver qualquer
destes objectos, terito a bondade de mandar avisar
aoannunciante, que inmediatamente lh*os levar
em suas casas.
Quem quizer cncarregar-se de lythographar 500
cxcmplaresde msicac canto, dirija-te a rua do
Vigario, n. 25, primeiro andar.
Agencia dcpassaporles.
Na rua do Collegio n. 10, o no Aterro-da-Boa-
Vista loja n. 48 tirao-se passaporlcs para dentro
e fra do imperio ; assim como despaehao-sc escra-
vos : ludo com brevidade.
O Sr. Joaquim Pinto de Mello queira dirigir-se
a rua da Florentina n. 14, a negocio de seu intc-
resse
Manoel Caetano Soarcs Carneiro Montciro re-
mette para Portugal o seu Mlho menor, Joao Duarte
Carneiro Monleiro.
Nicolao Gadault vai retnlhar a cam-
pia d Santa-Amia, na estrada da Casa-
Forte, principiando defronte da venda
do Sr. Nicolao e seguindo at a margen)
do rio, que faz frente para o engenho da
Torre ; o lugar he muito aprazivel, prin-
cipalmente pelo lempo de festa ; o solo
mui productivo, por ser de massap, e o
ar bastante sadio : os preten!entes po-
dem cntender-se com o mesmo, no seu
sitio.
Nao se tendo reunido tiu*
mero legal de irmos da irmanda-
de de N. S. da Conceico da Con-
gregacao p.ira haver mesa geial
no dia indicado no compromiso,
o escrivo da mesma nova mente
convida a todos os seus inuos,
para se reunirem lioje, 9 do cr-
lenle, pelas b horas da (arde em
ponto.
U senbpr, que na noite de sanbado,
do concille, cnlregou na venda da rna
da Senzala-Vellia una carta demuila iui-
noilancia, queira ter a bondade de esclare
cer mellior o negocio em una oulra carta,
que pos.sa servir de goveruo ao annuuciaii-
tc, ou dirigir-se pcst-oalmcnle mesma
venda, das 8 as 10 horas da manba, e
das i s 4 da tarde.
(' senhor morador na rua do Sebo
ou Trompe da Boa-Vista, que, lia um
anuo, pouco mais ou menos, annunciou
por este Diario, que enlregaria pessoa,
que a tivesse perdido, urna bengala d
(auna da India, com rastao de ouro e fir-
ma, dando os signaes, tenlia a bondade de
annunciar sua morada, para.ser procu-
rado.
Precisa-se do :ino,000 rs. a juros sobre hypo-
theca cm duas casas terreas, cujos alugeis scrveni
para amortisar a divida e pagar os juros convencio-
nados ; as maos renden) 9000 rs. monsaos cada uina;
na rua daCloria n. 23.
Aluga-se pola testa, ou por anuo um sitio na
margcmdo Capibaribe na Cpunga-, com boa ca-
sa eslribarin cocheira, baixa para capim : n tratar
no mesmo litio todOi os das de manliaa e de tar-
de ou na rua lo Rangel, n. ')!, primeiro andar.
Compras.
Comprflo-se cdulas miudas, de 1000 a -20,000.
rs. para trocos : na rua da Cadeia, loja n. 38.
Compra-scum ou dous sellins de mola, velhos,
com arreios correspondentes, sendo baratos : na rua
da Cruz, no Recife, n. 43.
= Coniprao-sc escravos de 10 a 20 annos de idade,
sadios, sem vicio, rom officloi c sem ellos: na rua Di-
reita, sobrado, n. 9.
Compra-se a obra mais moderna e completa ,
que as Antilhus se houvcr publicado sobre a cultura
da canna c fabrico do assucar; urna collecqao do
estampas sobre engenhos e mais apparelhos ne-
cessaiiosparao fabrico de assucar: quem tiver e
poder dar todas as informaertes sobre este ramo de
agricultura, dirija-sc a J. B.da Fonseca Jnior, na
rua do Vigario n. 25, primeiro andar.
Comprao-so escravos de ambos os sexos, de 12
a 0 annos, com otllcios ou sem clles para enge-
nbo distante desta praga : na rua Nova, sobrado de
um de um andar, n.53, por cima da botica do Sr.
Pinto das 6 as 9 horas da manhaa e das -2 as 6 da
tarde.
Vendas.
Farci por merecer essa honra, minha senhora,
disso Gilberto.
npostilhao parou. Ilaviflo chegado posta sem
avistar carruagem alguma.
Tomou a dama informacOcs, c soubo, que a del-
pliina passara hi, liavia um quarto d'bora, e dovia
parar em Vitry, parn-mudar cavallos e almoqar.
-Montou novo poslilhao.
beixou-o a dama sabir da aldeia no andar ordina-
rio, equando chegou alguma distancia da ultima
casa:
1'osJ.ilhao, disse ella, promctle-me voss alean-
car as carruagens da senhora delphina?
Sem duvida.
Antes que ellas cheguem a Vitry?
Apre! ellas 8oa trote largo.
Mas indo nos a galope?
0 postillulo cncarou-a.
Nflo Ihe tomaremos a dianleira? accieseenlou
ella.
Dcvia tor-medito logo isso, rospondeo o posti-
"|f'0, c j estaramos a um quarto de legoa daqui.
All (em um escudo de seis francos por conta ;
leparemos o tempo perdido.
C' poslilhao inclinou-sc para tras, a dama para di-
a"te, as mos de ambos tocro-se, c o escudo pas-
&ou da da dama para a do poslilhao.
Us cavallos recbenlo a repcrcusso. A carruagem
lartio com a rapidez do vento. ,
Emquanlo se mudrao os cavallos havia-se Gilber-
to apeado, e lavado as maos e rosto u'uma fonte, com
" que muilo haviao ganhado, e alisou os cabellos, que
erao magnficos.
Na verdade, dissera entre si a dama, ell naq,
he muilo fefo para um futuro medico.
Esorrira-se, olhando para Gilberto.
Terminado o dialogo com o poslilhao, tornou a
viajera a Gilberto, cojos paradoxos, petulancias e
sentencas muito a divertiSo.
So de lempos em tcmp'os, se interrumpa ella no
mcio de urna gargalhada provocada por alguma res-
posla, que cheirava pbilosopliismo urna legoa em
redor, para estender a visla ocla estrada. Ento se o
brat;o roqava a cara de Gillierto, se o arredondado
jnelho anerlava o lado do seu corepanheiro, a bella
viajora folgava de.ver o contraste do rubor das faces
do futuro medico com osseusolhosbaixos.
Assim caminhrao quasi urna legoa, De repente
soltou a dama um grito de alegra, lancando-se fra
do assento com Uto pouco cuidado, que desta vez co-
lirio com o seu todo o corpo de Gilberto
Acabava de avistar as ultimas carruagens di comi-
tiva, subindo vagarosas urna grande ladeira, pela
qual seestendio vnle dellas, dasquaes haviao-sc
apeado quasi tudos os viajantes.
Cilher'o desemharacou-sc das pregas do vestido
de ramagens, metleo a cabeqa por baixode um bra-
co, e ajocinou-se tambem sobre a banqueta de dian-
te, procurando com ardentes olbos mademosella do
Taverney por entre todos esses pygmcos ascen-
denles.
Pareceo-lhe reconbecer Nicotina pela caifa.
Ah est, senhora, que se deve agora fazer ?
Passar ludo aquillo.
Passar tudo aquillo he impossivcl, minha se-
nhora. Nao se pode passar adianto da delphina.
Porque!'
Porque he prohibido. Irra! passar os cavallos
d'ol-rei! iria parars galos.
(Juve, meu amigo, arranju-te como poderes,
mas he preciso, que eu os passe.
Na rua do Rangel, n. II, anda ha para ven-
der muitas das obras de ouro e prata das j annun-
ciadas ; bem como vidros para candiciro; bules
azues grandes ; travessos ; galbeteiras ; chicaras
azuos ; clices para cbampanha ; o outras muitas
loucas e vidros, por precc> commodo.
Vendem-sc varios escravos de ambos os sexos ;
3cseravasboasquitandeiras, por preqo commodo:
na rua de Agoas-Vcrde-, n. 46.
Vende-seum pardo, de 28 a 32 annos, permito
bolieiro e muito humilde, sadio c sem vicios : na
rua Imperial, n. 29.
Vende-se por3aos'ooo rs. um negro
de nacao, propriopara todo o servico : a
tratar no sobrado da rua do Apollo, n.acj,
do meio dia s 3 lioras da tarde dos dia
uteis.
-- Nn loja de fazendas de Magalhaes & lrm3o na
rua do Qucimado, n. iti, vendem-se pormodicopre-
?o corles do cambraia do ultimo gosto; ditos do
cassa lina e cutre-fina dos mclhorcs padroes ; e ou-
tras muitas fazendas ; chapeos do massa a 1800 rs. :
dao-se amostras a quem deixarpcnhor.
Vende-se cora de carnauba, a 5/000 rs. arroba,
cm porcto o a rctalho ; na rua da Gadeja do Recife,
n. 13.
Vende-se a venda da rua da Madre-de-Deos,
n. 22, com poucos fundos e bastante afreguezada ,
tanto para a tena como para o matto ; todo o nego-
cio se far, por seu dono querer relirar-sc : a tra-
tar na mesma venda.
Vendem-se bichos de mas-
sa, de varias especese de lodosos
tamanhos proprios para prese-
pes por prego commodo: na
rua da Cruz, n. 10.
Na rua do Rozario da Boa-Vista loja do bar-
beiro, n. 0, vendem-se bichas de llamburgo das
ultimas ohogadas e de cxcellento qualidade. 0 do-
no desta loja ira applicar ditas bichas a quem quer
que dellas precisar c que o procuro a qualquer
hora do da ou da noite.
Vendem-se quatro lindos moloques, de 1* a
18 anuos; dous ditos, de 7 a 11 annos ; um pardo,
ptimo para pagem.de 17 annos; um preto, de 31)
annos, cauociro ; duas pelas, de 25 anuos, tendo
urna dellas urna cria mulatinba de dous annos, com
todas as habilidades; urna parda, de 2i annos, com
algumas habilidades : na rua do Collegio, n. 3, se-
gundo andar.
Vende-so arroz branco superior, a 7500 rs. na
rua da Praa venda n. ii>.
Vende-so um cordao grande; um dito mais
pequeo; 2anneis; urnas conlinhasdo Rio-de-Ja-
neiro; um soberano inglez com guarnicao; um
allincte ; tres pares de bolOes; um rozario; urna
medalha; ludo de ouro sem feitio: no largo do
Carmo venda n. 1.
Mas entilo a senhora nao he da comitiva por-
guntou Gilberto, que alo enlfiq a lomara como tal,
suppondo ter-scella retardado, equecm toda a sua
diligencia s vira o desejo de reunir-ses demas car-
ruagens.
O desejo de instruir-sc he bom, respondeo a
dama, masa indiscriqao be m.
Queira perdoar-me, minha senhora, respondeo
Gilberto com o rubor na cara.
F.ntao! que fazemosnsP pergunloua dama ao
poslilhao.
Sei c marcharemos atrs at Vitry. I., scS.
alteza parar, pediremos licenija para passar.
Sim, mas informar-se-hao de quem son, e sa-
ber.....Nao, mu, sso uo me serve, procuremos
oulra cousa.
Senhora, disse Gilberto, se eu ousasse dar-lhe
um parecer....
D, meu amigo, d, e se for bom, scgui-lo-
hemos.
Seria tomar algum caminbo desviado, rodean-
do Vitry, e assim nos adiaramos adianto da senhora
delphina, sem Ihe haver faltado ao respeito.
O menino diz bem, cxclamoii a dama. Posli-
lhao, nao ha aqu algum atalho ?
Para iraonde i'
Para ir aonde voss quizer, comanlo qcc doi-
xemos a senhora delphina atrs.
Al)! com elidi, disseo postlbao, ha aqu a di-
reila a estrada de Marolle, que rodeia Vitry, e va re-
unir-so estrada real em l.achausse.
Bravo! exclamou a viajante, he isso !
Mas, replicou o poslilhao, a senhora sabe, quo,
dando eu cssa volla, dobra a posta.
Dou-lbe dous luizes, se chegar Lachausse
antes da delphina.
A senhora nao teme quebrara sua carruagem?
Eu nao.temo nada. Se a carruagem se quebrar,
conlinuareiamiuha viagem acavallo.
Ea carruagem, voltando a direita, dexou a estra-
da, eiitrou em um caminho de profundos earris, e se-
guo um riacho de agoas turvas, que se vai lancar no
Marne entre I-achausscc e Muligny.
O postilhaodeseiiipcnhou a palavra; fez tudo quan-
to era humanamente possivcl para quebrar a carrua-
gem, mas tambem para chegar.
Vinte vezes foi Gilberto lanzado sobro a sua com-
panl-eira, quo vinte vezes cabio nos bracos delle, quo
soube sor civil sem ser incommodo, o fazer, queso
nao risse a bocea, quando entretanto os olbos diziao
dama, que ella era bem bella
A intimidado nasce de prompto dos balancos c so-
lidan; no fim de duas horas de caminho pareca a
Gilberto conbecer, ha dez anuos, a sua companheira,
a qual da sua parte jurara conhecer a Gilberto desde
o seu naseimento.
Pelas di./! lunas entrara na estrada do Vitry a
Chalos. lm correio, que nterrograo informou,
nao s (pica delphina almogava em Vitry, mas al
que se acliava Uto fatigada, que tomara um repouso
de duas horas : e accrcsceutou, que o mandavo
prxima posta avisar a gente, que estivesse prestes a
servir pelas tres ou quatro horas da tarde.
Ksla noticia encheo de aleara a viajora, que deo
ao poslilhao os promet idos dous luizes, e voltando-
se para Gilberto :
Al i! ora nos tambem vamos jantar na primeira
posta.
Mas eslava decidido, que Gilberto anda l nSo
jantaria.
Continuar-it-ha.)


A
= Vendcm-se mocndasdo ferro pura ongenhos fiicar, para vapor, agoa e lirslas, de diversos lain.iiihos,
por proco connnodo ; c Igualmente taixas de ferio coado
e balido, de todos os tainanlios : na praca do Corpo-San-
to, n. II, em casa de Me. (.almoiit Si Companhia, ou na
rua de Apollo, armazcm, n. 6.
= Vende-se potassa branca de superior qualidade,
em burla pequeos i Pin casa de Matheus Auslin cV
Companhia. na rea da AITandrga-Velha, n. IHi.
= O corrotor Oliveira tem para vender cobre em To-
Iha e pregos de dito para Corros de navios : os prelen-
dentes dirljao-se ao inesmo, ou aos Scnhorcs Mcaquita
& I lntr.i.
CARNAUHA.
No arinairm de Tarinha do caes do Collegio conli-
iia-sea vendereera de carnauba a rclallio de mul-
to superior qualidade
t= Vende-se ral virgem em meias barricas chega-
da prximamente, por proco coimnodo; na ra da
Mor da arinazcm n. 15.
Na rua do Crespo, Iqja nova
n. 12 de Jos loaquim
da Silva Haya,
vende-se brim Je puro linho de quadros r llstras de
cores c que s.io milito proprios para a Testa pelo ba-
ralissimo preco de 720 rs. cada vara ; ricos cortrs de
casimiras elsticas para caifas a 6/ c 8^000 rs. cada
corte; alpaca prrta a800c ilBOOrs. o covado ; pannos
linos, prrto e decores, por barato proco; corles de col-
letede velludo, srliiii e gor^uro ; ludo por preco ba-
rato assiiu como un ricosorliiiionln de lencos de seda
para grvalas inulto proprios para a Testa.
Vende-se pofassnbranca, da
mais reeem-chegada por moili-
co preco : ein casa deL. G. Fer-
reira & Companhia.
I\a rua do Crespo loja nova,
n. 1% de Jos .Joaquim
da MI va Haya ,
vendem-sc lieos chapeos de seda lindamente enfeita-
dos para senhora clirgadns ullimamrnte de Franca,
irlo diminuto prrc.i de r2/t)00 rs. cada um ; mantas do
grande lom a 0/00 rs. cada una as quars se toruno
I rriimniriiil.il ris para as scnllulJS que COSlUlllO ir
passar a Testa
Casa da F,
na rua eslreita do Hozarlo, n. G.
Nesteestabeleci monto achito-se a venda as cau-
telas da lotera da matriz da cidade da Virtoria ,
cujas rodas ndito no da 12 de dezembro. A ellas :
os pregos sao os do costume.
Vendeiu-se luchas grandes dellam-
lnirgo ebegadaa ultimiMiif nte ; e tam-
boril se alngao, por preco conimodo ; no
Aterro-da-Boa-Vista prinicira venda ,
ao p da ponte, n. 2.
igualmente vinio daMadeira, en-
canalado, o mellior que se tem
conhecido: na rua do Vicario, ar-
mazem n. 4,de liotte&Bidnulac.
Na fall icr. de sal)3o da rua Impe-
rial, n. 116, vende-se sabao ainarello
epelo, miiilo superior e muito secco ,
pelos precos abaixo mencionados e tam-
liem no armazein do Sr Jos Rodrigues
l'ereira na rua da Cadeia do Recile
Sabao amarello encaixado, a libra a io5
Dilo dilo a granel a 100
Dilo prelo encaixado, a loo
Dito dilo a granel,.....<)r>
Sendo pailidas de mais de 5o caixas ,
aliate-se alguma cousa no preco, e man-
ila se levar aonde for mais commodo ao
comprador.
,v...... ,,.,,.,,.-,,......i^g
- \-''>-><- -:- I
Vendem-se, por prego mais barato do
Xa loja da esquina
confronte ao arco de S.-
/InIonio, n. S ,
de Cuniar3cs Seraim 6 (.'om|ianhia vendem-se
cambraias largas, de padres os mais modernos, que
tcem viudo a este mercado, pelo diminuto prego de
320 rs. o covado ; corles de chal lino, minio mo-
derno pelo barato proco de 3200 rs. o coi te; alm
tiestas tazendas, lia um completo sortmeiilo, e ludo
se vende por proco muilo commodo.
iVi i na da Cadeia Ycllia, loja
n, tt9, (lefronte do Bccco-
Lnrgo,
vende-se um grande soiiimento tle pe
lucia dtf sedalDu e mais utensilios para
cbapeos bem como: chpeos de papi-lo,
a Hoo is. e de mosaa, a is'2<>o rs, 5
chapeos de palbinlia de 120 a G^o rs. ;
buuetes de (lila a 4^o rs.
CIIF.CIEM, FREGUEZES!
Na rua Nova, n. 8 defronte da Caniboa-do-Cnr-
Bw, loja de Animal, se encontrar um novo sorli-
menlo de sapatosde marroqtiim e cordovo, para
senhora a 1120 rs. o par ; estes sapatos Torito des-
pachados no da 2! 1I0 mez passado e he a mellior
fazenda que seencontra no mercado: ricas man-
tas de seda do nielhor gosto, que leom appureci-
do ; luvas de pellica para homem senhoras e me-
ninas; sapatosde lustro c borzeguins para senho-
ra ; chapeos do palhinha para lucilinas ; hnrlos le-
ques com plumas ; chapeos do sol furla-cres, para
homem ; crep de Indas as coros; lindos cortos de
cambraia para vestidos-; luvas de seda sem dedos ,
cuitase coinpridas, para senhora; Ule prelo para
fumo; chapeo de sol, para senhora ; i hales de seda,
de lindos gostos; bicos de blondo ; ricas litas de se-
tini lavradas; eoulras militas fazendas de gosto,
que se venilea por menos proco, que em outra
qualquer parto.
\a rua do Crespo loja nova
n. I'i, de Jos ijoaquim
da Silva Maya ,
vendem-se superiores cobertores de algodao proprios
para esclavos a i/OOO rs. cada um ; una Tazrnda de
linlin escuro taiiibem para roupa de esclavos ou sac-
eos de assucar por ser de inulta duiacao por barato
prego.
Na loja da esquina confronte ao arco de S.-An-
tonio, n.5, de Cuimariles Seraim & Companhia,
vendem-se chales grandes de cadargo, (ingindo lila e
seda, padrees muito modernos, pelo barato preco
de 2400 rs. cada um ; longos de cambraia estampa-
dos a ilors. ruda n 111; brim Tranoez escuro, en-
corpado e de puro linho, a 720 rs. a vara.
Polassa.
Vende-se a bem condecida e
superior potassa da Hnssia, lti-
mamente chegada a este porto, e
*-V que em outra parte, lanzinhas linas, os Sffi
^j mais ricos padres que teem apparecido *H[
1%. epolo barato preco de 320 rs. o covado; ,;||
SSj cassas de novos padroes e cores fixas a a*
y| 2500 e 3000 rs. o corle ; riscadinhos franco- &t
i>7 1
isi zes linos para vestidos a 200, 220 e 240 j^j
- rs o covado; lencos de seda da India a $ , lllrs. ; inanias do soda, as mais ricas que j,)a
F*| teem apparecido; cortes de cambraia de $
5k4" ,,orn gosto ; ricos chales de seda; cortes de |Q?
Y .
^il nho, tle cores e branco; casimiras para cal-
PR cas; esguines linos ; bretanha de linho,
3 muito lina ; lencos de selim prelo e de -
? res para gravata ; e outras niuitas.fazen-
p das de bom gosto : na rua do Queimado ,
."-S nos qualro-canlos, loja nova, na casa ama-
'iM rolla, n. 29.
' ~r~^ ~T'\T ~IT~z*' C "&*~Z "^;' "^S" "T"?1v~~^~ "-T "" ,P^" J,
1*0;--^ *^s. S/S/VVVMV^WS. Sv*v^ -
Z,., ..... :.'.:; u .jni r .it
>a rua do Crespo loja nova,
n. t4J, de los Joaquim
da Silva Haya,
vende-se um restante dos bem acreditados corles de in-
dianas para vestidos de senhora, pelo barato preco de
2^800 rs cada um ; cortes da Huciida victoria, a 3^(i(>0 rs.
cada um; ricas cmbralas com listras de seda, ab/000 rs.
cada corle; ditos de gosto chines, a i/OOO rs. cada um
corle; cassas chitas para vestidos, a 2^SO00 o 3/500 cada
corte ; camliraias de quadros de COre escuras, para ves-
tidos, a 3/500 rs. cada corte; calcinitas para menina de
escola a 400 rs. cada um par; meias linas para meninos,
de ti i 11 i-, -i la ni.i o bus. e minas militas Tazendas, que
Indo se vender por preco barato, assiin como mu resto
das ricas e baratas lanternas com casticaes de llnissima
casqiiiuha, e que se vcndeui por 9, lOe 12 mil res cada
par.
Sal de Lisboa fino e alvo a 1600 rs. o alquei-
re velho c sendo porQo dar-se-ba por menos : na
rua da l'raia armazem n. 18.
Vendem-se moleqiies negrinhas, prelos e
pretas, oom habilidades c sem ellas, mocas e de bo-
nitas figuras : na rua Nova, n. 21, segundo andar.
Veudo-se Trelo de arroz em barricas de 4 a 5
arrobas, a 3000 rs. a barrica : no armazein do Bra-
gtiez. A experiencia tem mostrado que esta subs-
tancia he a mais nutritiva para sustento de cavallos:
0 Sr. commandantc da companhia de cavallaria de
1 i liba lem constantemente alimentado os da com-
panhia de seu commando, o lie tal a preferencia, que
da que se recommenda aos compradores de se in-
formarem das lanlagens, que se oblcem.
NA LOJA DE J. J. MAYA RAMOS & C. NA RUA
NOVA, N. 6,
vendem-sc ricos chales de seda, de novos padres e
chegados nolo ultimo navio de Franca ; boas mantas
de seda de bonitos goslos ; ricas luvas de pellica,
curtas, com borracha para senhora; ditas de se-
da curtas e coinpridas brancas, bordadas c de
coros para homem o senhora ; chapeos de palha
da Italia, lisos e en fritados, para meninos; enloda-
do de todas as qualidades, para senhora o meninas ;
laa para vestido, a 320 rs. o covado ; espedios dou-
rados, grandes e pequeos, proprios para salas, por
barato proejo por haver porcAo ; e outras multas
Tazendas, negadas, ha pouco, de Franca.
Vende-se um sitio na Capunga, plan-
tado de arvores de fructo, com casa
- de vivenda cacimba com boa agua
de beber, c banho muito porto: na rua Direita ,
n. 16.
A'entb m-se dous excellenles pianos
fortes (ritos em nina das mais acredi-
tadas fabricas sendo um delles de mo-
delo novo c anda uju nao visto, por
ser fabricado por nova invenco : na i na
da Cadeia do llrcife, n. 3q, casa de Uns-
sell Mellors & C
ATTENQXO!
Na rua do Crespo, na esquina de S.-Antonio que
vira para a cadeia ha um grande sortiment de
bous chapeos do Chile, dos melhores, que presen e-
mento ha no mercado cque vendem-se a6500, 7/ e
8000 rs. A alias antes que se aoabom.
Vende-se sal do Assi, a bordo da barcaca Flor-
do-Heci/e, fondeada defronte do caos do fallecido
Jos fiamos, ou em casa de Manocl Jos (inncalves
liraga ao p do arco de S.-Antonio.
AOQUEHF.BOM.
K Vendem-sc chapeos de castor, sem pello,e
| i do ultimo gosto proprios para os passeios
-^3^- do tSatnl : na rua do Queimado, loja de cha-
peos n. 38.
Vende-se
tima canoa aborta que pega de 700 a 800 tijolos de
alvenaria grossa calafetada de novo, por commo-
do prego; tambem se troca por obras finas ou grossas;
na travessa da rua da Concordia, sobrado de um an-
dai, n. 5.
Vendem-se terrenos na nova es-
trada que vai da Trempe para a es-
trada do Manguinho, e da Passagem,
enjos terrenos teem muitaextenso, e por
isso sao proprios para se fazerem grandes
sitios e edificar ; por preco commodo : a
tratar na ruada Aurora, n. 58.
Vendem-seos seguintes escravos :.um lindo mu-
latinlio, de 14 anuos, proprio para pagem; um prelo,
de 20 anuos, para todo o servigo de casa e campo;
2 pardas, sendo urna deltas muito boa lavadeira e
costureira com urna cria de 5 para annos; urna
preta,de 24 annos, pouco mais ou menos, propria
de todo o servico: na ruada Cadeia de S.-Antonio ,
n 25.
ALECP.IAS.
Ao rua Nora n. 12,
acha-se recentementecliegado, um lindo e varia-
do sortimento da fazenda chamada Alegras ,
que se vende por preco commodo, oque muito se
recommenda por suas cores fixas e finura do tecido,
propria para a presente estaeflo c mais que tudo
para vestidos de campo; tambem se contina a ven-
der nesta bem acredita loja a innapreciavel fazen-
da chamada barege cuja prompta extraerlo deo
motivo a mandar-se vir mais cortes.
Pechinchas na loja
do nicho !!!
Na esquina do Livramonto, loja do nicho, ven-
dem-se pecas de madapoliio com 20 varas, a 2000 rs.;
ditas de algodflo largo, a 2560 rs.; ganga azul a
100 rs. o covado ; camisas de meia a 1000 rs.; cha-
peos de sol, de panninho imitando seda, a 2000 rs.;
ditos de seda fina, a 5500 rs.;. pecas de fita de re-
troz, com 20 varas, a 500 rs.: e recbem-se cdu-
las de 20,000 rs. encarnadas, sem descont.
Vendem-secadeiras de Jacaranda, de bom gos-
to e de excollente conslruecno, chegadas proxi m-
mente de fra ; sophs ; mesas de jogo, &c.; tu-
do novo; c alm desles trastes novos outros com
algum uso, comosejflo: mesas de meio de sala;
commndas ; espelhos ; e outros muitos objectos ,
que constituemo arranjode urna casa : na rua do
Cabug, n. 16.
Cartas francezas de jopar
para vollarete as inelbores, i\ac ha no mercado; pn-
(es de tartaruga para inarralas pelo diminuto pre-
co de 640 rs. : na rua larga do Rozarlo n. 24.
-Vendem-se na botica de Luiz Pedro das Neves, na
rua da Cruz n. 47, os ns. em continuac^o do jornal
l'anotama, e na mesma o primeiro volume da lllus-
tracSo.
= Vendem-se barricas c meias ditas com farinha gal-
lega milito superior; barricas c meias ditas com cal
virgeni de Lisboa ; barricas com potassa branca e preta;
ferbaduras para porla de arinaxein ; penriras de rame;
rodas de arcos para barricas ; bichas de Hamburgo ;
tudo por proco commodo : na rua do Vigarlo arma-
zein u. 9.
Vendem-sc beierros francoze. de Nantes, de
superior qualidade os inelbores que teem viudo a
este mercado, por atacado ou mesino em duzias a
vontade dos compradores por mais barato preco do
que em oulra qualquer parte : na rua da Cruz, n 20.
Folliinhcis.
Vcndem-se folbinhas de porta, algibeira e padre;
na praca da Independencia,liviana, ns. 6e8.
Vende-se vinho tinlo eommum, em
qnartolas, pelo baratissimo preco de l\oi
rs. coda urna : na roa da Cruz. n. ao.
Vendem-se vidros paro espelbos ,
de varios liimanhns; ditos para vidracas:
na rua da Crui n 10.
Rap prineeza \ovo-Lisboa
a IgOOOrs. a libra.
Oe todos os raps, que a industria brasileira tmale
hoje I ilnarado, nenhum imita mellior o verdadeiro ra-
p prineeza portiiuuez do que o intitulado RAP PRIIx-
< IZA NOVO LISBOA, fabricado no Rio-de-Janeiro, sen-
do lao perfeila a sua srmrlhanca. que os mais veteranos
tabaquistas o toinfio pelo genuino rap princesa de Lis-
boa.
Igualmente o fabricante deste rap teve a mainr
felieidade om conseguir imitar peifeitamente os ra-
ps Areia-prela, Ueio-grotso e Commum que nJo s
igualou no aroma e suas qualidades como na in-
ontica forma dos boles', e cor dos papis, sendo
ilillicil distinguir-so a copia do original.
O deposito deste excollente rap, lie mi armazein de
Alves Vlanna, rua da Senzalla-Velba, n. n0;c tambem
se vende nos ires bairros da cidade : no do ReciTe em
casa dos Sis. Jos Das da Silva c Pontea 8t Sampaio, to-
jas de Irri ai-1 ns rua da Cadeia-Velha ; no de S.-Anto-
nio em casa dos Sis Antonio Domingos Ferreira rua
do Crespo, n. II ; Joaquim Jos I.ody. loja de miude-
'as rua larga do Rotarlo ; Jos Joaquim da Costa to-
ja de ni indi /as na rua do Cabug ; no A ten o-da-lloa-
Vlsta tojas de miudezasdos Srs. Antonio A) res de Ca-
iro 8t Companbla Antonio da Silva (iuiuares e Tilo-
ma/ Perelru de Mallos Kslima.
O ATEItRO-DA-UOA-VISTA, LOJA N. 3, DE JOA
CHARDON,
acabo de chegar pelos ltimos navios viudos de
Franca ricos r muito tinos chapeos de palha, para se-
nhora e meninas ; llores fi as para chapeos e vestidos;
multo boas fitas de selim lisas c lavradas ; ricos cha-
les e mantas de seda para senhora muito finos; cam-
braiasde linlio Trance/as sem mistura nenhuma de
algodao ; ditas de algodao, multo finas e transparentes;
bonitos coi les de vestidos de cambraia de llslras de co-
res : cassas finas lisas e de cores ; bonitos lencos de se-
da selim c cassa para homrin e senhora ; luvas e
meias do seda e linho ; bous supensorios de borradla;
mullo ricas bengalas ; chicotes de multo bom gosto ,
pura cavallos ; chapeos de sol, de seda e de. panno, de
boa qualidade, para boinem e senhora; um novo e
bom sortimento de perfumarlas finas; calcado para
senhora ; orlos de grao ; chapeos de seda para se-
nhora ; bonitas bljouterias chapeadas de ouro balelas
j para punidlos ; drdaea de afu ; eaixmlias de poi rel-
lana ilinir.na para saboe para guardar escovas; rico*
apparrllios para cha ; e outras mais fazeudas de loja*
Tranee/.as.
Vendem-se 6 esclavas mo^as com boas habi-
lidades, urna deltas cose, engomma e eozinha;
urna parda, boa engommadeira e que cose e eozi-
nha ; 4 escravoslions para o trabalho de campo; um
dito bom carreiro : 2 moloques de 12 annos: na
rua do Crespo, n. 10, primeiro andar.
Vende-so urna morada de "casa terrea nacida-
de de Olinda no largo dos Quatro-Cantos, com
muitos commodos, e em chaos proprios: nasl'.in-
co-Pontas, n. 89.
Vende-se um cavallo rodado, com bonita figu-
ra oque anda bem baixo at meio : na estribara
do forte dos Pratos, junto ao arco de S.-Bom-Jcsus
se dir quem he o dono.
Vende-se cha uchim, pelo barato preco do
1000 rs. a libra : narua do Rangel, n. 11.
Vende-se urna parda de muito bonita figura
com algumas habilidades : na rua Augusta n. 64. '
Vende-se urna canoa de carreira em bom uso
por preco commodo; na rua do Queimado, n. 4.
Uvas brancas de superior
qualidade, vendem-se na rua da S.-Cruz, venda
n....
Vendem-se cadeiras de oleq; ditas de jaca-
randa ; ditas para meninas de escota ; mesas de ja-
caranda para jogo; ditas de oleo; ditas para meio
de sala de jacanand e de oleo ; urna mesa de meio
de sala com pouco uso; meias-commodas de
amarello : urna dita de. condur ; marquezas de
oleo ; camas de angico e amarollo ; urna estante pe-
3uena; umsopha de Jacaranda; torneadores grn-
ese pequeos; tudo por preco mais commodo do
que em oulra qualquer parte : na rua da Cadeia de
S.-Antonio u. 18.
Vende-se urna morada de casa terrea na cidade
de Olinda, nos Quatro-Cantos, n. 12, com bastan-
tes commodos, por preco mdico : as Cinco-Pon-
tas, n. 89.
Vende-se um sitio no lugar da Boa-Viagem, cora
a frente na estrada real com 2 moradas de casas na
mesma estrada com bastantes fundos, com 2001
300 ps de coqueiros e outros arvoredos de fructo,
bastante trra para plantacOes, e barro para lijlo;
tudo por prc^o commodo : na ruaeslreita do Roza-
rio botica, n. 10, se dir com quem se deve tratar.
Vendem-se saccas com superior farinha, por
prego commodo : na rua Direita n 9.
Vende-se urna mesa de jantar, corndous apara-
dores, por -24,000 rs.; urna cama de angico para casal
com coleltoes o coxergoes, por 40,000 rs ; urna mesa
de engommar; um fogareiro de cobre de se por den-
tro debanheiro, por prego commodo: nesta typo-
graphia, se dir quem vende.
Vendem-se 3 escravos, por preco commodo a
saber : urna preta ptima lavadeira, tanto de sabao
como de varrella, eozinha bem e faz o mais servico
de urna casa ; 2 prelos bous trabalhadores de cam-
po : narua Direita sobrado n. '29, a fallar com o
Burgos.
Vendc-se urna venda com poucos fundos, o
com commodos para familia, ou sem ellos, a di-
nbeiro, "oucom dosobriga a praca, sita nos Qua-
tro-Cantos de Olinda defronte da botica ; vendc-se
por seu dono querer-se retirar: a tratar na mes-
ma venda, com Antlre Manocl.
Vendem-se 2 moleques, do 14 a 16 annos; i
negrinhas, de 13 a 16 annos; 3'escravos do servico
de campo; 4 pretas, de 20 a 22 anuos; na rua Di-
reita, n. 3.
Vende-se um bem edificado sobrado em boa
rua; 2 casas terreas, por commodo preco : na rua
de Agoas-Verdes, n. 46.
Vendem-se 4 escravas muito mogas, de 18 a
22 annos, com prendas e sem ellas ; um preto, do
20 annos perfeitooflicial desapateiro, tanto para
casa de familia como para loja; um bonito molcquer
de 12 annos, proprio para pagem de algum meni-
no : na rua larga do Rozarlo, voltando para os quar-
teis n. 24.
Escravos Fgidos.
Fugirilo, no domingo, pola mcia-noite de 29 do
passado, do engenho Caiape, freguezia de lguarassi,
2 escravos de 18 annos, pouco maisou menos, sen-
do um cabra claro, de nomo Luiz, com os signaos
seguintes: tem no peito dirCito um calombinho ,
cabellos meio cacheados, ps bemfeitos; tem uns
momos na bocea, sempreesta rir-se; lovou ca-
misa cceroulas de algodflo da trra, chapeo do Chi-
le, usado c oleado de preto ; lem signaos de chicote
as costase nadegas: c outro moleque, de nome
Calisto, baixo, grosso, ps bem feitos e um tanto lar-
gos adiante, nos dedos, um tanto gago olhos bran-
cose pequeos ; quando anda, entrega-so um tan-
to para diante; tem tambem signaes de chicote
as nadegas c com a mesma camisa ; tem falta de
denles adiante : leva rilo um cavallo rodado, capado,
secco ecomprido, com o ferro-dA-. O cabra foi com-
prado no Aceite a Manoel Joaquim Pascual Ramos,
que diz ter vindo da sorra do Percira.sertflodoCear;
por isso he de presumir ter seguido para ossertes.
Pede-se s autoridades policiaca eeapitfies de campo
de o pegarem c levarem ao dito engenho, a seu sc-
nbor, Joilo Luiz Antonio da Silva, que generosa-
mente gratificar, ou no Recite, rua do Queimado,
n. 7. .
No dia 22 de jtinho do corrente anno fugio, ao
engenho Curado um crioulo, de nome Jos, de 28
annos, pouco maisou menos, estatura regular,bas-
tante preto, bocea grande, rosto oval, pouca bar-
ba ; tem sobre o embigo um caroqo, que representa
ser rotura. Roga-se as autoridades polieiacs e ca-
mines de campo a sua apprehensfo : e quem o pe-
gase levar a ruada Cadeia do Recite, loja n. 21, oe
Luiz Antonio de Siqueira, recebera 50,000 de grati-
ficarlo.
Fugio, no dia 7 do corrente urna preta criou-
la de nome Benedicta beicos grossos, muito nai-
xa, peitos grandes e cahidos ; lovou s a roupa a
eozinha: quem a pegar, leve a rua do Collegio, "
6, quesera gratificado. ,
Fugio, no dia 5 do corrente, um moleque, oc
nome Antonio crioulo, altura regular ; levou ca-
misa ceroulas dealgodilozinho c chapeo-de snia
quem o pegar, levcaoGiquia ,'ns.'123 e 124 a ta-
lar com l'rancisco Jos de S.-Anna que recompen-
sar. .
Fugio, no dia 6 do crtenle, as 7 horas c mei
da noite urna cscravade nago, de nome rTa"1-1**
ca de 40 annos, pouco mais ou menos, de estatu-
ra rgblar, cor fula, heigos grossos algum. cous
cheiadocorpo ja pinla cobellos hrancos. Esta cs-
crava veio do Cear', ha pouco lempo, e descon-
lia-se oue para l tenha ido. ou para o Aracaty, p1
ueste lugar ter urna dina. Roga-se'asautoridaacspo-
liciaos e capitaes de campo do a pegarem e evaretn
a seu senhor na rua do l.ivramento loja de i -
zendas, ii. 18,queserilobem recompensados.
Fugio, no dia primeiro do corrente, urna proi
do nagflo Costa, altura regular, cor bem preta cara
abocetada com 3 talhosdecada lado : queni a pe-
gar, levoaopateodo Carmo na esquina do S.-i"c"
reza a seu senhor, Joilo Pedro ida Bocha, que sor
generosamente recompensado.
PERN. : KA TTP. DIN. F. DE FAR1A.lfi'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6D17N992_GYJ521 INGEST_TIME 2013-04-26T21:45:36Z PACKAGE AA00011611_08341
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES