Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08336


This item is only available as the following downloads:


Full Text
wr
Anuo -ele 184G.
Quarta-feira 2
O D14/110 \mh\\ci-f tocios o Hiii que no
orem de euaril.t: o preco da msi-ntura he de
401100 ra. por cpjrlcl, pagos adiaiiUuint. <)j
snnuncios d#s asstgnan'es s i i rnzo
de JO ris |>or liona, 40 rcii o n jh|>0 filfcreu-
le, a > repelicoe pela inclade. Mpi uo fo-
rein assigii.inlcs pagio 80 ris por linlia, e 110
em lyp diflarente.
PIIASESDA LA NO MEZ DE DEZEMBRO
l.uk cuela l!,' tWai a 30 minutos da tarde.
MingoanWt 10, as* dorase SS min. d larde.
I na nova a II, as 10 horas e 21 min. da nuinli.
Crescenla a la, as t horas 10 mi, da manli.
PARTID* POS CORRFIOS.
r.oiiinna e Paralivlia', Seriadas c Sextas feiras"
Rio Grande do Norte, cliega nu Quarlas feiras
no meio din u pirte uas mesillas Loras as
Quintn feii as.
Cahn, Serinfcaarn, Rio Kormoso", Porto Cairo e
Macey. no I.*, II e ? i de carta me*.
Garanluins llonito a 10 e 24.
Boa-Vista a Flores alie Js.
Victoria as Quintas Cairas .
Olin.l.i todos os ilias.
PREAM.R DE 1IOJR.
Primein i 1 h. 42 minutos da trdc.
Saturnia a 4 ti. S minutes da mantiia.
de Dezembro.
Anno XXII.
N. 71.
das da semana.
80 Segunda. S. Andre Apostlo.
1 Terca. S. Eloi Aud. do i. do civ. da I, v. e
do .1. do paz do ?. dist de t.
2 Quarla. b. Bibiana. Nao lia despacho.
3 Quinta. S. Sofaldas. Aud. do J. re orphos,
ilu I municipal da I. vara.
4 Sexta. S. Herbara. Aud. do J. do civ. da I.
v., e do J. de pai do I. dist. de t.
i Sabbado. S. Geialdo. Aud. do J. do civ.
da I. v., e do i de pai do I. dist. e J. da t.
4 Domingo. S. Nicolao.
, CAMUIOS NO DA I DE DEZEMBRO.
Cambiosolue Londres2y,a28'/.jd.p.tf a0 il.
PauslaS ris por trauco.
Lisboa 100 /, de premio.
Desc. de letras de boas lirmas I '/, p. "/.orne*.
OiiroOnrashespanliolas.. SOJ00O a Solano
Modasde JtOO ?el. ItalOO a 161300
de 0*400 nov. itljooo a lflOO
> de 4|000... jVOOO 9IO(i
/'rala l'alaces.......... IMH) i 2/iiO
a Peso coluannarcs. I#0 a 21000
Ditos Meiicanos. #920 a l|tto
a Muida... ...... i|10 a l*70
Accoesda Comp. do Heheribc da iOjOOO a por a
DIARIO DE PERNAMBUCO
AOS PBCIOSOS A1S
e &> & imperial e Constitucional
bem fundado. Suppe-sc Cora toda a probabilidade,
que ella se reunir no prximo futuro mez de Janei-
ro, e tora de discutir aquesto da escassez tle provi-
sOes, eos meios de .remedia-la. Dizem, queoscom-
m8sarios ja frflo enviados Hungra e America pa-
ra comprar trigo na importancia de tres milbes de
llorins. Projecta-se revend-lo no nosso reino por
um preco inferior, pelo qual talvez se perca meio
milliao de llorins.
zmawsrwrwm-.
Um Semideo s em nuvem cor de rosa
No co do Pernamb'oco se desliza,
0 meu CasaiarM, que o divisa,
Os joelhos curvou na lapa umbrosa :
P6e sobre a trra a planta portentosa;
Scu hlito oHecif. aromatisa;
Os /.euros ameigo rija brisa
U da viuva oied magestosa.
Km o Grande, o Immortal fedro primeiro
Que inda mesmo no Empreo nfio se olvida
Do scu dilecto Povo Brasileiro !
a Salve, oh Provincia, ao LENH0 sempre fida!
a Exulta (disse o Santo Mensugeiro)
F.is o katai daflue/le, a quem dei vida.
Poa M.
PARTE OFFICUL
LE N. 171, DE 19 DE NOYKMBR0 DE 1846.
Permille, que cada urna dar ordens religiosas da pro-
vincia reetbdo novicos brasitiros, al en. de l.
Antonio Pinto Chiehorro da Gama, presidente da
provincia de Pernambuco. Taco saber todos os seus
habitantes, que a assembla legislativa provincial
decretou, e cu saneciouei a resol ucilo segitintc :
Artigo nico. He permiltido a cada una das .or-
dens religiosas hesta provincia, da data desta em
dia ole, receber novicos brasileiros al o numero de
doze,
Ficflo revogadas as Icis e disposicoes em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem
o conhecimento e excciico da referida lei perten-
ccr, que a rumprflo e faefio cumprir tito inteira-
inente como nella se conten. 0 secretario interino
dcsta provincia a faca imprimir publicar c correr.
Cidade do Recife de l'crnamhiico, nos 19 dios do mez
de novembro de 1846, vigsimo-quinto da indepen-
dencia e do imperio.
I.. S. Antonio Pinto Chiehorro da Gama.
Cari de lei, pela qual V. Exc. manda executar a
rc.solucio da assembla legislativa provincial, que
permilte a cada urna das ordens religiosas nesta pro-
vincia recetor novicos brasileiros ate o numero de
doze, como cima se declara.
. Para V. Exc. ver.
Ignacio Antonio Horges a le/.
rilada e publicada tiesta secretaria da provincia
di: l'et nambuco, uos 19 de novembro de 1846*.
Antonio Jos de Vliveira.
Registrada a folhns 304 do livro 1." de registro de
Icis, que serve hesta secretaria da provincia de Per-
nambuco, aos 19 de novembro de 1846.
Manoel Jos de Souta Luna.
BERLN, 5 DE OUTUBRO.
A respeito da recusa do governo de Saxe-Wcimar
de permittir associacilo de litteratos allcmfics, que
se rena naquella capital, sabemos, que esta rcsolu-
cftofoi adoptada, em consequencia de urna conven-
8o entre os governos alleniHcs, pela qual nao ser
concedida tal permissilo, sem que o presidente da
associagilooii reuniSo em quesllo seobriguo ou d
promessa de que a discussito limitar-se-ha ao as-
sumpto proprio da associacflo, e que sern inteira-
mente evitados todos os objectos polticos, nem se
fura delles em caso algum discussRo publica.
iden, 11.
Assegurio-nos, que se dirigi urna rigorosa orden-
de gabinete s autoridades de Nuremberg, por causa
da resoluco, tomada pela municipalidade.de nSo en-
viar representantes dicta, em rasSo da despeza e de
suo inulilidade. 0 governo informa os habitantes de
3ue ellos nfio teem j o direito, mas tambrn o dever
e eleger um representante; e a isto accrcsconta-sea
ameaca de dissofucSo da assembla dos delegados do
municipio.
TRIESTRE, 3 DE OUTUBRO.
Nao podemos absolutamente fazer coro com a la-
mcntncao gcral acerca da temida escassez de trigo,
depois que limos no jornal do Lloyd Austraco,
n'uma carta datada de Galacz, a 9 de setembro, que
perto de 700 navios, favorecidos por um vento do
sul, tinhilo partido do Rosphoro, cora destino aos
diversos portos do Euxiuo. do Mar-de-AzofT e do Da-
nubio, l'de-se julgar, qucimmcnsa quantidade de
trigo deve-so accumular all, pelo facto do nflo ser
bastante este extraordinario numero de navios, de
surte quemutos maisserllo precisos,e sobcondiqOcs
muito vantajosas. Tem-se feito muito negocio no
nosso mercado, e as vendas durante a ultima sema-
na fui -fio muito consideraveis.
Necrologa.
ELEITORADO DE HESSE. CASSEL, 10 DE OUTUBRO.
A Atns-Ca-elle de Cassel de 2 do corrente conten
O segrale decreto, relativo cxccucilo do 2. da
resolucfioda dicta,de. de julho de 18:12, publicada a
20 do mesmo mez o anuo, eerca da prohibiese de
associacoes polticas :
Nos, Frcderico Guilhermc, prncipe cletor, co-
regenle de llesse, referindo-nos ao nosso decreto de
SO de julho de 1832, acerca das medidas ulteriores
resolvidas pela confederacHo germnica para mu-
nutencriu da urdcni legal o da tranquillidade na Al-
lemanha, fazemos saber o seguinte : Tendo a dieta
federal resolvido na sua 23." sessfio de 6 de agosto,
3ue as associa^es communistas devem de ser consi-
as como comprehendidas expre#samente no 2
dos resolucoes de julho de 1832, donde se seguo, que
os autores, chefe, ou membros de tas associacfles,
emquanto nutrem planos de alta traic.lo, csto sub-
jeitos em todos [s estados da confedratelo pena
do alta traicao, segundo as leis estabelecidas: as au-
toridades e todas as pessas, a quem este inleressar,
sao chamadas a preslar-lhe altencrio.(Assignado por)
Krederico Cuilfcerme, koch deAmberg; 8referen-
dado por Bickel. -- Cassel, 2 de oulubro de 1846.
Quis desiderio s\l pudor aut modvs
Tam cari c api lis?.......
IIORAT. LIT. I.'odeSI."
Que pejo ou modestia poder abafar
a saudade de tRo cara vida ? .
Finou-so urna vida pura ... deixou de pulsar um
coraclo bem formado I... vou mansSo dos jus-
tos urna alma anglica! ... D. Anna Barbara de Mon-
donga !... j nflo perlenco aos vivos!
Quarenta c oito annos de urna existencia amargu-
rada, mas toda ennobrecida por virtudes cvicas c
religiosa, tiveroo seu termo fatal nodia 25 de no-
vembro prximo Cuido, as 8 horas da manhSa !
Dia de dor, de magoa e de aUlicflo para seus que-
ridos esposo e lilhos, que a carpem f dia de conster-
naclo e de saudade para todos aquelles, que forAo
lifrrados com a sua amizade, ou favorecidos com os
setisiKenelicios ; dia, porm, de gloria para a sua al-
ma b\uiav>nturoda, que foi receber das mios do
Creador o premio de suas virtudes !
Nascida no anno de 1798, no reino de Portugal,
veio para o Urasil, na idade de dous annos, em com-
panhta de seu pai, o desemhargador Manoel Joaquim
de Mallos Castello Rranco, despachado entilo minis-
tro para as Alagoas.
Casada com oSr. tenentc-coroncl Bernardo Anto-
nio de Mendonca, comeqou aquella virtuosa Senho-
f*v representar desde logo na sociedade o grande
papel deheroiua, que Ihe eslava destinado.
Matrona intrpida e patritica, esposa tiel e extre-
mosa, ella salvou em dfferentes pocas a sua casa,
e prestou relevantes servicos ao paiz, queadoptou por
patria !
Em 1824, na ausencia de seu digno consorte, que,
esbulhad pelos revoltosos do cominando do bala-
Ihlo de Porto-Calvo, fra ctlrtedo Rio-de-Janero
receber as ordens de S. M. o 1. Imperador do Brasil,
ella de tal arte se houve, que na sua volta achou el-
le 3,000 homens bem armados edispostos a resta-
belecer o governo legal na capital da provincia.
Foi fiessa mesma poca, que ella soccorreo e pro-
teico muitos nfeli/.cs, que andavflo refugiados pe-
los matos para escapa rom sartha de seus crueis per-
sea oidores.
En 1831, qtiandoapparcceo aguerra dos cabanos,
serillo seu marido perseguido injusta c atrozmente,
ella se conservou sempre como lirme atalaia da sua I
casa
pa
I.ins e Mello, e Paulo Caetanode Albuquerque, que,
levados do urna amliicno criminosa, se apossrSo da
lodosos mpus hens, a pretexto de me a,char aliena-
do!!! Mo obstante, porm, a chioana por el les empre-
gada, tenhoobtido tres sentcncas favoravos, sondo
a ultima embargada, apenas se publicou em audien-
cia, o que prova a m vontade dos meus adversarios
em abrirem mito do que he meu, e que com muito
custo adquir.
Sou scu assignante.
Sebastido Mauricio Wanderley.
Francisco Joaquim Pereira de Carvalho, fidalgo ca-
valleiro da casa imperial, caralleiro profrsso na ordem
de Chris/o, e tscrivio de orph&os da ciaade de Santo-
Jntunio do llecife e seu termo, provincia de Pernam-
buco, por S. M, l C o Senhor D Pedro 11, que Utos
guarde, etc.
Certifico, que, vendo os autos de justificado do
Pedro de Albuquerquo Lins e Mello e Paulo Cae-
tano de Alliiiiiueri|iic, contra Sebastian Mauricio
Lins Wanderley, eo appenso a elle, que heoautoa-
mentodorequermento doSebastiilo Mauricio Wan-
derley, nelles se achilo as sentertcas pedidas por cer-
tidfio, as quaess.lo do leor seguinte
o Vistos estes autos, etc. etc.Reformando a sen-
tenca embargada, julgo nullo e de nenhum ofleito
o processo de ralbas 11 a ralbas 16, pela falta de ci-
lai-ao do curador, constante a folhas, que uclojui/.i
de orphlos da comarca do Cabo foi nomeatlo ao em-
bargado, e bem ussimo procedimento de folhas ti a
folhas 7, por nao ser bascado em provas, quando,
pelo primeiro exame de folhas 3, a presumpcio de
direito era entilo toda a favor do bom entendimen-
to do embargado ; e mando, que nesle sentido se la-
vre edital, quesera,alm de publicado nos jornaes,
iixados nos lugares mais pblicos; e pago as cusas
2uem as promoveo. Recife, 18 de julho de 1846.
uis Uuarte Pereira.
a Julgo improcedente para o lim, a que so di-
rige, a presente justifleacflo, pois que, comquanto
se prove, que o justificado tcm tido alguns ataques
cerebraes, que o bao privado do uso de sua rasilo, he
sem duvida que actualmente elle se acha em seu per-
feito sizo e cnleudimenlo, como se manifesta do
exame, a que ltimamente so procedeo ueste juizo,
constante do appenso, e como tal no caso de governar
sua pessoa o hens, nos termos da ordeiiacito livro 4,
titulo 103, 3: c, assim o declarando, mando, que fi-
que de nenhum effeito todo o procedimento havido
sa, assallada Jims vezes por ferozes bandldos;-am-|conlra 0 mesmojustificado,' a requerimento dosj
rou aguamos se valrflo della, e impoi respcitoltificanleS; quo pagarao as cusas. Recife, 21 de
TtRIOR.
AI.I.EMAM1A.
(Do Saale.)
J disaemos, que as negociaefies da corle dina-
marqueza comaigumas cortes da Allemanha, rela-
tivas a outro casamento do principe hereditario da
coroa da Dinamarca se iliziilo inteiramento mallo-
gradas. Alm disto, deve-se observar, queum novo
casamento do principe hereditario da coroa com o
''cito conJen ti monto do grilo-duque reinante de 01-
'lenlitirgo SchleswiK-lIolstoin nilo teria o effeito de
habilitar para a succi ssfio os futuros descendentes do
principe hereditario. Segundo as Icis da dynastia de
^chleswig-llolslein, a inais velha das duas linhas
principales, descendentes de Frcderico I, isto he, as
buhas Glucksladt c Gotlorp, he a cabeca daquella ca-
sa> como o grito-duque declarou no seu ultimo pro-
Icsto. a cabeca da dynastia lem o bem conhecido di-
filo do dar oseu consenlimento aos casa mentos dos
Hembras da familia, para que sejao validos, como
innlrahidos, segundo as les da dynastia. Porm o
n>ais velho d'ainbas as lindas he o grilo-duquo de Or-
b'ans, oqual nasceoen 1783; pelo contrario Chris-
li uin vil! nascco em W&6.
RUEO, 2 HE OUTUBRO.
Ja est consummado o divorcio do principe here-
ditario da cora de Dinaniare e sua consorte A
piincezadeMecklcntorgo-Strelit/ rcassumio o titu-
lo de prinecw heredroma da corda e todos os. apa-
"agios, cdntratar-stvha imiiicdJrtamente um novo
1 smenlo ; porque anda so espera |ur termo des-
,:| maneira a disputa a respeito da snecessHoao thro-
"o da Dinamarca, excepto no ultimo extremo.
STUTTOARDT, 1 DE OOfUBRO.
I'odemos alllrmar, sob boa auloridade, que o boa-
' da convocacao de urna dieta extraordinaria he
FRAMFOS.T, 9 DE OUTUBRO.
Oprecodopilo tem augmentado meio kreutzcr por
pilo de seis libras. Em Sluttgardo pilo de seis libras
rusta TDte e oito kreutzers. Fortnou-se, ha pomo,
emFrankfort urna sociedade de banqueiros e capi-
talistas para comprar grandes partidas de trigo e fa-
rinha estrangeira para ser vendida aos padeiros pelo
primeiro custo ; as casas de'Rotbschild, Bethmann,
Grunelius, Metzler eoutras, pertencem sociedade.
idf.m, 10.
A anxicdade causada pelo temor de dissencoes po-
ticas, devida ao negocio doscasamentos hespanhoes
tem acalmado. A Austria permanecer como at a-
qui n'uma posicio neutra. Todava, o estado da bol-
sa nilo he muito satisfactorio. O mercado monetario
est abatido por falta le numerario, o quesedeve
attribuir principalmente mana de cspeculagOes
em caminhos do fenp, assim coma tambam ao su-
bido preco das provisOes. 0 governo prussano toma
medidas enrgicas em auxilio da bolsa de Bcrlim;
vlo-se emittir novas notas do banco na importancia
dedezmilbOesde pesos, e o banco real vai fazer a-
vancos sobre papis de crdito. Algumas das com-
nantiias de caminhos de ferFO, que em consequencia
da falta de moeda estavio a ponto de parar com as
obras, recbenlo directo auxilio do governo; vflo-se
adiantar 200,000 |>esos para a linha do Madgcburgo c
Viltenberg. Esss enrgicas medidas saivaro a Al-
lemanha do escndalo de urna banca-rola sobre ca-
minhos de ferro. A suspensflo das obras as circums-
tancias presentes, em que o preco do trigo vai em
augmento, e o invern esl prximo, teria produzi-
do graves consequencias. As noticias do Bcrlim t-
verao favoravel effeito sobre o cambio de Fraokfort.
dem, 11.
A dicta germnica na sua sessio de 30 de setem-
bro, prometteo um premio de 100,000 florins ao pro-
fessor Schonbein, e aodoutor Boettiger, se, depois
ido exame de uina commissuo militar, fosse a sua in-
vencioido algodo inflaminavel) declarada propria
para se abandonar o uso da plvora.
{Day Newi.)
aos.rancorusos inimigos da sua familia pela sua pre-
senta de espirito e animo varonil.
Anda noannopassado, quando a revolta ergueo
o collona provincia das Alagoas, desta cidade mes-
mo concorreo ella, pela influencia c prestigio de que
gozava, para a sua pacificagiio, escrevendo para a
corte, iHide linha rclacOes ; c at se pode dizor, que
por seu respeito seguio para aili, como presidento e
pacificador, o F.xm. senador Lopes Cama, que assim
o declarou.
Mili desvelada na educaeflo de seus tornos filboj,
ella soube formar-Ibes o coraclo, infundindo nelles
pelo scu cxemplo e sila doulrina raras virtudes e ex-
cellentes qualidaires. Ella os acompanhou para a ci-
dade deOlinda, afim de ser lestemunba ocular de
suas boas ou ms accoes; ah residi cotncllcs, al
que concluro a sua a sua tormatura em direito ; e
entilo passou-se para esta cidade, onde fallccco. -
Assim dotou ella a sua patria adoptiva com tres
cidadans prestentes e i.1 lustrados, que j comecarilo
a fazer-lhe servicos importantes.
Caritihosa mii dos indigentes e desvalidos, ella es-
tendeo sempre mlo caridosa e beneficente ao'or-
philo, viuva, e ao necessilado, exercendo igual-
mente uniros muitos actos de virtude e rcligilo.
Ha annos, quo a sua constituico physica experi-
menlava os mais dolorosos soffrimentos, nilo obs-
tante baver ella esgotado todos os recursos da me-
dicina ; mas sem encontrar lenitivo aos seus males
Sobrcveio-lhe em.fini um cancro no peito, e aps
esto outros, que Ihe causaran hoyos e mais crueis pa-
decimentos, por espacp de mais de seis mezes; os
quaes supportou com resignacilo verdaderamente
cbristila, lomando sempre a mlo omnipotente, que
Ib'os enviava, i|int;a para sua completa purilicacao I
Ella presen lio, quo se approximava o seu lim ; o
que tomou porum favor do Co 1 Itcccbeo com in-
signe devoclo e recolhimento os Sacramentos, que a
Santa Madre Igreja ministra aos fiis em taes occa-
siOes Chamou e reuni em torno do seu leitode doi
todos os seus charos lilhos, a quem lancou pela ulti-
ma vez a heucio maternal! Exbortou-os a observa-
rem inviolavelmente as suas mximas e os seus pre-
ceitos Fez-Ibes as mais ternas e saudosas despedi-
das, que a lodos traspassou da dor a mais aguda \.
finalmente rendeo em serena paz o seu espirito ao
supremo arbitro do mundo !
Alm Je ol tros legados pios, dispoz em seu testa-
mento da quantia de 1 600,000 rs. para ser distribui-
da por qualro orphSas, quando casassem, alforriou
algumas cscravas, etc.
A tena lite seja leve I .. w
Transidos de d>, n3o podemos todava deixar de
concluir com o poeta latino, com quo principiamos
este tosco bosquejo de sua preclara vida,
Durumf sed Utius fil patienliil
(uidquid corrigen est nefas.
Cruel deslino! mas mitiga-se pela
paciencia a dor, que rara be possivel sanar.
us -
no-
vembro do '1846.Jos Nicolao feguira Costa. Fiz
escrever e assignei. Francisco Joaquim Pereira de
Carvalho.
----------------------1----------r

Variedades.
_
NOVAS MXIMAS DOSR. MARQCEZ DEMARICV.
Correspondencia.
Srs. Redactores. Rogo a Vmcs. a publicefio das
sentcncas abajxo transcriptas, alim de que o publico
ajuizedo comporta ment de Pedro de Albuquerque
No governo dos tolos os vclhacos silo os seus va-
lidos
Mal vai aos tbronos o governos, quando recor-
re m aos seus inimigos, para quo os defeiidilo e sus-
tentem. -
Como iis baleas.navegilo nos grandes mares, os
maiores velacos frequentao ns altas cortes.
Os rebeldes amnistiados nilo perdoilo aosho
jnensordeirose leaes, que nsdebcllarSo.
" A ignorancia do porvir faz feliz, muita gente,
que goza no presente, desconhcccndo os males, quo
tem de padecer no futuro. '
A allianca eum os mos, atiarcbistas, demago-
gos, insurgentes e rebeldes, he o maiorargumento
da fraqueza e imprudencia das monarebias absolu-
tas ou representativas.
O bem be ordeiro o conservador, o Mii-dcsor-
deiroe destruidor.
.lima cabeca m arruina ocorpo inteiro.
A sorte final dos validos, que abusSo da privan-
za dos principes, em damno desles o dos povos, he
bem conhecida pela historia : decadencia e queda,
desprezo eaversSogeral.
Quem confia em traidores, a si proprio alraicoa.
Os thronos vacillSo onde os rebeldes blasonan
de ser ou ter sido lacs.
Conhece-so a capacidade ou imbecilidade dos
que governuo, pela esculla que fa/.eni dos homens,
para os lugares mais importantes do estado.
He triste e precaria a eomlicao das monarebias,
quando recorrem aos anarehistas, demagogos, ingra-
tos, traidores, conspiradores e rebeldes para as sus-
tentaren!, conferinio-lhes poder, honras o aulorida-
de, e permittindo-lhes, que maltrteme persgiloos
bous, leacs egenuinos monarchislas.
Preferimos o engao, que nos deleita, verda-
de, que nos iucommoda.
Sem antagonismo ou opposico nilo ha mori-'-
mento; ncm accSo.
Os validos reinio com os principes,.c, ordi-
nariamente, sobre elles.
Os insignificantes pela ordem, ioi nao-se im-
portantes pela desordem.
Os rebeldes incorrigiveis quulificilode patri-
otismo emovimentos generosos os seus crimes o
ttentados patibulares.
UmaconslittiiQ3o liberal em um povo ignoran-
te e immoral he anel de ouro cm focinllo de porco.
Os velhacos sito cavallciros, os tolos caval-
gaduras.
Estranha-se a simplicidade dos principes, quo
conspinlo contra si proprios, fazendo allianca com
os ingratos, traidores, e inimigos da ordem e da mo-
narchia, e esperando delles defesa o seguranca dos
seus thronos c auloridade.
Verdades ha, que amargSo como o fcl, e menti-
ras, que teem o sabor do niel.
J MUTILADO


------
_ Ni dawe do* animaos os mniores aduladores
sin os ffea, na dos hnmens os cortezflo*.
Os validos p'T velhaeos, eonsegiicm om pouco
tem", o que nflo airando em Inda a vida os mais
honrados, activos e loaos servidores dos mona. fias.
_ \nscharlatfles nunca faltflo palavras OBCtvi-
jade: aopanegyriaUadeil ptopriosede
_ os bous servidores dos principes s,.o ordinaria-
mente os monos atlcndidos o premiados: sabem me-
Ihor servir do que pedir.
_ Surgen, e somem-se, as revolaos polticas,
celebridades ephemeras c brillianles como os me-
th-rNem os leaos so pode unir aos traidores, nem
estes com aquellos; lia urna lorca repulsiva entre
e les qm7o I./ diamclralmrnte oppostos o adversos,
ilies.queos .|e () vc| fon(1.,i|lcao cnlrc ontrinas e
partidos di imclralmento oppostos: silo ndispensa-
veiacombates, victorias, derrotas, vencedores e ven-
Cl Ha muita gente m, que nflo consento, que a fa-
? A tomo explica muitos dos actos c phennmenos
sooiaes: a olla se deve rrequenlos ve/xs a mudanCS
lapida e mystcriosa das doutrtnas e opinies de mui-
L'A^amiliaridadc encurta o respeito e rcbaxa a
*UNM monarehias representativas os que se 111-
culcflo por demcratas, nu sflo tolos, que merece!
ser desprendo, ou velharos, que soapresent.io a
venda e desejf.o ser comprados. ,**
- o atlgma da rebellfio Beatndelevel nos rebel-
des ainda inesmo depoia de amnistiados.
Sem cobros, pouco valem nobres.
_ os sabios nunca forflo nem serflo validos dos
principes : sflo nimbis observadores da etiqueta e
ceremonial das cortes, mo poden, mentir nem adu-
lar, & monos intrigar e cabalar para up|riantKg
una o precipitar a outros, nem halmenteocei,|>ai-se
c entreter-sc com as companh.as, conversares e
"^"o Imr" datrdade excluc a lisonja e adulacao,
""llsE'nrendem sua custa, os avisados i
t C"T ,\s sociedades humanas estflo por tal modo tro-
vadas de amores e instinctos sensiveis, que se con-
servo compactase indissluve.s o dcspeito dos cr-
ios, desaceitos e irregularidades dos goveruos e go-
*e2*Os anarchistas ambiciosos passaocm progresso
_de traidores, conspiradores e sediciosos- a ici.ei-
' F.m poltica as convercocs sao Uto frequentes
quantu maioressflo as vanlagcns, que se antolhiio aos
que nitulio de opinies e doulrinas.
_ os principe*, ganhariiio niuito na opiniilo pu-
blica, se vistasseVos sabios, onde os ha, para baver
dellesdoutrina, verdades econsclhos, quenflo po-
dem receberdos seus cortczflos e aduladores, gente
ordinariamente indouta, interesseira o ambiciosa.
Os rebeldes amnistiados maltralflo e persegucm
os honiens lenes e honrados.
Os validos sao plantas parsitas de nalureza c-
phemera, que nao podem sobreviver ao a-yoredo,
que Ibes da arrimo, importancia e subsistencia.
_ o applauso dos nescios he para os sabios as-
suada.
RAMIOS DO MAR.
Se acrrdilarmosPllnio-o-Velho, osRomanoJ, po^lodo
cios so podem einpregar om qualquer outro mister, com*
lauto que audera sonipre em Rvro pelas mas. F.nlre
liosos gallegos das esquinas podiao ser uns excf lientos
jrali I...lililantes.
LAGARES.
(NOVO ItiVEVTO.)
Consta, que o Sr. Domingos de Snt'Agnta, com fa-
brica de movis de ferro, e outros objectos de sarra-
Iheiria, na ra nova da Trindadc, roquer privilegio de
uns lagares de sua invenido, que, segundo pensa,
m"lhorar consideravelrnontc o fabrico do vinho,
azeite, e qualquer substancia, que seja necessario
compellir por este meio mecnico aexj-remer o su-
mo, que se precisa, .lulga oSr. Sant'Agata, que o me-
canismo de sua invencfio fara produzir maior quan-
tidade de liquido, em milito menos lempo, c maiH
perfeito, do que os lagares ordinarios, e que seria,
sobretodo, vantajoso para a azeitona. Accresce ainda
ser este mecanismo, na opinifo do seu inventor, sin:
gollo e solido, maiseconmico, de forca superior a
que be necessario empregar, sem estar subjeito a
concertos, c collocavel em qualquer parte, que se
queira com pouca despeza.
Quando um processo mecnico tito necessario
importante cpmO esto he, se aprsenla melhorado
com taesaperfei*oamentos, a estes serem reacs, a in-
vcncSodeve ser singularmente apreciada. Eu enten-
d), que a inveneflo do Sr. Sant'Agata abrange tanto
a materia da bacia do lagar como o meio compres-
sor. A primeira he com mum mente de podra,e esta ma-
teria, be a que lem sido sempre tida por melhor para
o vinho : as bacas de ferro, que talvez (basen* prefe-
riveis para o a/cite, serillo nocivas para o vinho, e
desle modo toda a oombnacflo de materia, em que
entrar o forro, parece-me inconveniente para os la-
gares de vinho. F.mquanto a prensa, ha di Reren tes
mothodos. No nosso paiz o melliodocommum sao as
piensas de fuso fixo ou assente sobre o piso, partindo
dolas a vara, que vai prender no trincho, que com-
prime o Crudo Este fuso he movido forca de bra-
cos. Asmelhoies de todas as prensas serillo ashy-
draulicas, sonaocustassem tilo caras. Parece, que na
Outra-bauda, n'um sitio a que chamfloPera-rf'-naia'o,
freguezta dcCaparica, ha urna destas prensashydrau-
licaa, que pertence aocollegio dos Ingleziiihos de
Lisboa, que s com tres caadas d'agoapde tritu-
rar alo a aniquilaos*) as substancias, que se poze-
roiii d -haixndo trincho. A sua mesma forca, pnrm,
a ser demasiada, lio um defeito, porque o liquido ex-
imido necessariamente ha de car sujo com a bor-
ra do fructo assim macerado em extremo. .
Como querqueseja, estas machinas sil o andamili-
to i.nperfeitas *m toda a parte e os smis melhora-
mentos silo urna das necessidades rec amadas pela
agrien tu*, de todos o paizes. Eu muilo esUmare,
ue o Sr. Sant'Agata tenha conseguido ao menos pAr
m v?ade progresso o aperfelcoamento >nco do
meio eompressor; eque ache en "Vm'^1
tegendo a sua invencf.o e an.mando-o, tenha a glona
de dotar paiz com urna descoberta, que asoUl
como se afllgura ao seu autor, he com etTeito impor
tantissima.
lie muitocuriosa estatistica lidapelo secre^rio
da sociedade de Temptranfa-da-Vntverso. n urna las
ultimasaessoes em Londres. Desta estalistica^resulta,
que o consumo medio dos espirituosos na I. gla-
terra anda por 7 caadas e. 1/9 por cabeca, na Irlan-
da 3 caadas, na Escossia 23 caadas. Clca\-,
queem Londres 1.a 12,000cianeas educada no, vi-
e'io; 3,000 homiziados, 4,000 sentenciados todos os
annospor crimes, 10,000 que v.vem de ra.tunicea,
oo 000 mendigos, 30,000 ladrAes. Todos estes indi-
viduos consomem mais de 500 conloa por annode
bebidas, cujo resultado he apanharem-se pelas ras
"looobclwdoa cada anno; 150,000 pessoas v.vem
ciiregues aos excessos alcoolicos; ha 5,000 casas de
incontinencia, einnumerave.s casos de violacOo no
diade domingo. Parece, que a tempornea vai fa-
7endorapTdosnProgrcssos entre a classe do marojos
da Inglaterra e Estados-Unidos.
Lisboa tem 34 chafarizes; 354 ras, 216 travessas,
65 calcadas, 119 beccos, lipracas ou largos grandes,
48 menores, 5 passeios pblicos, 39 freguezias, 5
thcatros.
O Porto tem lOhospitaes, 36 chafarizes, 156 ras,
25 travessas e viellas, 10 pracas ou campos maiores
o 18 menores, 4 passeiose ljardim 'pblicos, / fre-
gue/.as, e 2 theatros.
Nostheatros dos Estados-Unidos da America in-
trodu/io-seagora um bonito costumede applaudir
as artistas; cm lugar de corAas e ramalhetes atirilo
com dinheiro ao palco. Parece, que ltimamente u-
ma dancarina recolhera assim quasi um cont de
ris. He que l nfo ha notas, quo trocar.
(Revista Universal Lisbonense.)
. a grande nomcada, que tem adquirido seu autor, W
sulliciente rara elegi ileao historia.
THEATUO PUBLICO
GRANDE OGO AUTIHCIAI,
nOJE, % DE UEZESIBRO,
A aniversario de S. M. I. e C.
Concordando algn benemritos patriotas em aprr-
sentnr um brilhante fogo de arlilieo. desde a rua di
Cadea al palacio, o director do tlieatro c lembrou de
construir um tablado seguro, e decentemente guarne,
cldo com as corea naeionaea, para toda as familias, qUe
lomarcn camarotes, goiarein giatuitainente do dito ta-
blado : e para combinar as horas dos dous dlvertlmeu-
tos, principiar infallivelmente as 8 horas em ponto, e
acabar as lO horas e uieia, hora propria de principiar o
fogo de artificio.
A' chegada do Exm. Sr. presidente, se representar
um novo drama, em que, flguro: Ollnda, o Despotismo
ea Liberdade.'
Em seguida subir a secna a magestosa peca nova
D. JOS; II
na locanda de Armenstad, chegada do Rln-de-Janeiro
prximamente no vapor S.-SebaitMo, composta pelo Sr.
i amillo Jos do Rozarlo Guedes, prlmeiro tachlgrapho
da assembla geral.
O director do theatro declara ao respeitavel publico,
que est autorlsado pelo Sr. Andr Alvcs para annun-
tiar aapparlco de um novo panno de bocea, em que
mostra, que nao sa precisa mendigar auxilio rstranho,
quando o genio brasileiro quer lanf ar mSo dos recursos,
que prodiga llie liberallsou a naturezk (palavras do
proprio artista, a que se refere o director).
Parece, portanto, (ora de toda a duvlda, que he este 0
mais brilhante anniversarlo do nosso Augusto Mimar-
cha, pois que, principiando as sociedades patriticas de
Apollo eThallonse a festeja-lo desde o dia l. a pro-
prla Diana presidir no seu brilhante carro, at a an.
rora do terceiro dia.
I'iihlie.iyo a pedido.
um
uso
de
ncrlodo de arfacenloa airBo, sermo devedores ao
dos banlio's, tomados de todas as maneiras, da gran-
le vantagem de poderem passar sen. mdicos : OU,
Mlc.menos, de que a modados ba.il.os generahsada
por todas as classes. exerceo, sobre a s.u.de publica e.n
ton.a, .una tal Influencio, que as molestias forao rans-
simas em lodo aquello espato de lempo.
os banlios filos fossem a principio
a quo elb's nao con-
nem so indagavao as contra-indlraoe, que os
evein, nem ie prevenlo os seus abusos: eanul
pelos Orientaos, mas descoahfcMoa lodos pi loi
neos modernos; COMltl.....os l.inlius Mol forao adoptados
,i exclusivamente em Roma, depols da cura hydro-
.alhica do imperad... Augusto; o porlanto pai-l.cq.ao
'ainda dos mararilhosos .lcitos, que Plinto attrlbue aos
banhos em ge.al. ,.-..!.
Por mata exagerada, porm, que soja esta onlnlSode
Plinlo, omaiurengulidor de carapcloes do toda a am-
uijado, parece incontistavel, que o uso dos bai.hM
p,,de o dele exercer na sat.de publica urna grand.ss na
inlluencia, tanto polo lado da byg.ena como da thrr.i-
""roentanlo o uso universal dos banhos, como meio
l.Tienico ou como medicamento, a par de suas nume-
rosa" vantagens deve te. ta.ubem ......los ...conve....-..-
Ie; non. de corto ser acertado Bppllcs-los cogai.iente.J
Os banhos d.. mar em especial sao taire?. Muelles,
e... quo mal cautelas se necessilao, e que, todava, to-
dos lomo sua vontade e inultos por d.vo.t....enlo.
Dcs-tracadsmente um cstudo ser.oaeste.respe.lu nao o
l.avia. Non. so tratava das precauSAes neeessarias. nem
se rxaminavao os teinperaiiiento^
veem
nroscrev
est como de um bello meio hygienieo e iherapeul.co
tordo muita vetes resultado inco.nniodos e inconveni-
entes graves, que se poderioter evitado.
Conteste Hin, um medico Iraucez, o doutor Le l ceur.
de Caen acaba de publicar unta ob.aco.no titulo de
fittMf mtdiral el hygienique rfu ou.gneur, que vejo gab.ida
en. UMiltol ornaos franceiei r de .|ue me parece., deve.
dar noticia a medico, e banl.istas. nesta quadra pro-
.,', |a dos banhos. A obra he dividida o... quatro partes.
A p.in.eira s.o conalderayoe, que se riizrm ...t.-ressan-
te sobre os banhos en. geral, ee.tos da sua appllca-
Cio80corpobumaBO, tanto elle, or .orno inleriorllen-
le H-eundo as dillcr. nt.s couslilu.c.Vs ; observacoes
m.u.os .limas evaiiedades.lop.aiaspa,a os !,.,.,...
cuia escolta parece,me he li.d.flor.-i.to; sobreaa
,, ,p.i.dados pl.vsicas e hin.icas da agoa do mar, c so-
breas causas e etieltol da sua phospfcor. scencla,
A s.c.i.da parte trata das appl.cacoos, C particular-
mente da rcacfSo. Como se sabe, nao ha baol.c fro sem
Cao, aqual consisie na vnlta ...ais ou menos apldj
do sa H'O supe.licio do co.po, donde de ..pete ti-
nhafgdo" con.-ei.l.and. -se no ,.,omento da .ne-
S o nde-se diz.r, que noste phoi.o.neuo residen, en
grauo pane as propiedades bygie.n.cas c tberapeuu-
MAfe.l,na?,0e,nher. respeito da bvgiena, ou rgi-
men, que se Aove guardar para auxibar a accao do. ba-
jillos iluunar o da. loica aos seus elleitos.
A anana parte, finalmente, chamada pelo autor de
variXdes, traa dos objectos divertidos, que toen, rola-
cao com o assuu.pto. Un resumo dos pr.meiros soccor-
ros, que se deven administrar nos diversos gneros de
asphyxia, que os banhos podem producir, completa a
EPSTOLA CONGRATULATORIA,
dirigido no Um. Sr. Joo Francisco marte Jnior, poroccnsio de receber o grao de bacharel formado em scien-
,< jurdicas c saetees IW academia de Olnula, aos 17 de oulubro do torrente anno, por o lllm. *-**
Demore Una, profeuor de arla t theotoyianaumvcrsidadc de Glascou-, e deputado ao senado provnmal de
Australia, Vero admodum eximio,
Utriusque juris peritssimo,
Qui.hodic, in tediluis f.ollcgii inclyti Olindincnsis, Brasiliorum,
l.egum Baccalaurcalus gradum ct honores mrito ae summa laudo
Conseculus est,
Ut omnia relieia austa que evenianl,
Necnon, ut summos ad honores, nter Jurisconsultos celebrrimos
Imper llrasiensis,
Otiam citissime pia-dioalur,
Dcun Oplimum .Mximum, per Jes.i.n Christum hominum Lmciim Redemptorem,
humillimeuc lubentissime precatur,
Joannes Dumuorc I-ang, Scotus,
niversitatia (laasuenaisapud Scotos alumnus,
ArliuinMagsterelTIieologia-, iu eadeni Unvcrsilatc, Doctor,
Necnon, per suffragia civium suorum,
ln Colonia Britannic, qua;, in Terra? Australis partibus Oncntalibus sita est,
Jiabitantium,
Inus eSenatu Provincial! istius Colonia*,
Nunc in civitate Pernambucensi, rei frumentaria* causA, biduumcommorans
Cras iu Biinlauniam navigaltirus.
Olindie, Brasiliorum, Dcimo Sexto Kalcnd. Novembris,
A. 1). IsiG. _____________
Avisos marilimos.
Para Lisboa sai com brevidade por ter a maior
parte da carga prompta, o bom conhecido brigue
portuguez Josephina & Emilia, do que he capilSo
Izidoro Avres de Souza : quem nelle quiier carre-
gar, dirija-se ao mesmo capitao, ou a Francisco
Severianno Rabello & Filtio-
Para o Maranliflo sai, em poucos das o bn-
gue-escuna/.ouro, de primeira marcha : para car-
ga e passageiros, para oque tem escellontes com-
modos, trata-secom'ocapitfio na praca ou com
Novaes & Companhia, na rua do Trapiche n..34.
Para o Havre sabe o brigue franco/. Armon-
gue no lia 2 do correle : a mala sera fechada as
3 horas da tarde em casa dos consignatarios, Didior
Colombicz & Companhia na rua da Cruz.
Para o Asss, com escala pelos portos dos
Touros Caicra o Petitinga segu, jaren smente
em o dia 6 do corrento o briguo Sajitono; recebe
carga e passageiros : a tratar no armazem ao lado
da cadeia, n.23. ., ,
-- Para o MaranhSo sahe, com a maior brevidade
possivel.o lindo brigue-escuna Josephtna,dc primeira
marcha, por ter a maior parte de seu carregamentu
engaiada: para o resto e passagciros.aosquaesouereu
excellentes commodos, trata-se com o capitao, Jos.'
Manoel Barbosa, ou com o consignatario Firmino
Jos Flix" da Rosa. .
Para a Babia sahe o hiato nacional Uor-ao-itra-
fe, forrado e pregado de cobre : quem nelle qinzer
carregarouirdepassagem, dirija-se a rua do Vica-
rio, armazem de cabos, n. 5. __
-Para Lisboa partir com a maior brevidade pos-
sivelobem conhecido brigue portuguez larvjol,
forrado eenravilhado de cobre, de que he capiliio
Manoel de Oliveira Faneco; lem 2/3 do seu carrega-
mento promptos: para o resto e passageiros, para o
que tem excellentes commodos,- trata-se com o con-
signatario Firmino Jos Flix da llosa, na rua do
Trapiche, n. 23, ou com o capitfio, na praca.
Para a Babia sahir breve o veleiro brigue
capitflo Bento Jos de
CGMIflEftCIO.
Alfandega.
REND1MENT0D0DIA1.-.......11:500,401
l>l-Se.AHIIEr,AO so DA 3.
Calora Suord-Fish mercadorias.
BrigueGuiare- bacalhao.
CoiisuIjuIo.
nT.NMMKNTODO DIA 1.*
Geral.
Provincial
1 :!IC6,248
510,755
2:477,003
Vic-
quem no
obra de M. LeCreur.
A affluencia dos annuncios em Londres tem suscitado
a ideia de um novo systrma de publicato. Veem-se ho-
iepor toda a cidade boniens vestidos de blusas brancas,
as quaes traiem esciiplos em grandes e mui leglvell
caracteres os no.nes das cousas, que se .iiieren. vender.
loviruehlu co l*ui-io.
Aario.- entrados no dia i.
Harbor-Crace (Terra-Nova) ; 39 dias, brigue inglez
Guiare, do 183 toneladas, capit.'.o William An-
derson, equipaaera II, carga 1,987 barricas de ba-
calhao; a Me. Calmontc- Companhia.
Rio-de-Janeiro} 21 dias, barca chilena Romana, de
288 toneladas, capitao George C JohnSon, equi-
pagem 13, un. lastro ; ao capitflo,
liiu-i.rande-.lo-Sul; 31 dias, brigue brasileiro tVm-
btlina, de 240 toneladas, capitao Venancio dos San-
tos Fraga, equipagem 12 carga carne; a Jo.'.o
Francisco da Cruz.
A'uio sahido no mesmo da.
Mar-Pacifico; galera americana Caame!, capitflo Ja-
mes T. Skenner, carga pe trechos para a pesca.
Ortufdo.
Fundeou no lamcirflo, para acabar de carregar, a
polaca austraca Conde-de-Hurtig capitflo Antonio
Perswick.
Dcclara(;6e.s.
e os preSos c lugares, onde ellas se comnrao. tste me- -; f--V r d ,gw
iod tem ainda a vanugem de que os boirtcns-aimuii- VincialUeH aejuuiuuc io
ARnSHATAt}Ai, QUF. PEBANTP. A TIIESOURAHlA DAS KBNDAs
l'll. V.>CIAK, tKRA' KGALUAUA EM O UIA 16 DE DEZEMIRO
CORREXTR.
O ompedramento de 270 brabas da 1.* parte do 8."
lanco da estrada do Pao-do-Alho, feito segundo o sys-
tema do Mac Adam, principiado um me/, e acabado
quatro niezes depois da arrematat*rio, e pela quantia
do 2:160-000 rs., pagos em quatro preslat}Oes, c pela
maiioira prescripta no artigo 15 do regulamento pro-
0 escrivao da recebedori de rendas internas genes
servindo no impedimento do administrador fai saber
lodos os devedores dos impostos de lojas abortas do
anuo corrate, da laxa dos cscravos, do anno lindo c
corrente, c da segunda decima de man mora, que, se
nao satisfizerem o que esliio a dever ate o hni do mea
de deiembro (corrente), serao ejecutados judicialmen-
te : incorrendo os que licarriu a dever os impostos "
multa de 3 por cento dos seus dbitos.
Rcccbedona, 27 dcnovenibro de 1846.
Estanislao l'ereira as Oliveira.
0 abaixo assignado, secretario interino do cur-
so jurdico de Olinda, faz publico que os Sis. cs-
tudantcs, que se examinrflo nos preparatorios do
mesmo curso, podem procuraros competentes cer-
tificados cm sua casa,"na rua de S.-Pedro-Apostolo,
cm Olinda. Eduardo Soares de Albergara.
C0LLECT0R1A DA CIDADE DE OLINDA.
0 collector da dcima o mais impostos da cidade
de Olinda manda fazer publico, que do primeiro
de dezembro principifloa contar-se os 30 dias uteis
marcados no artigo 21, capitulo sexto do regula-
mento de 16 de abril de 1842, para a cobranza,
bocea do cofre, da decima urbana,do l.'scmestredo
corrente anno finauceiro, de 1846 a 1847; c que, fin-
do esle prazo, icarsubjcitos os que deixareni de
comparecer a pagar a multa do tres por cento,
na rrma de terminada no paragrapho primeiro do
citado artigo, e serio executados : outro sim faz
lanihcir publico, que no mesmo prazo far a co-
brancadasmaisimposicOcsascu cargo; assim co-
mo que estilo promptas as relaces dos devedores,
que deixrflode pagar al o fim do anno finaneciro
de 1845 a 1846, para serem ajuizadas quanto antes :
o que manda publicar, para nflo allegaren! ignoran-
cia. Collecloria de Olinda, 24 de novembro de
1846. -- 0 escrivao, lodo Guncalves Rodrigues l'ranfa.
Os credoics do fallecido Joaqnini
Anlonio Ferreira de Vasconcellos so
convidados a reunirein-se n sala da ns-
sociaco commercidl no din 3 de dezem-
bro corrente, ao mcio-dia em ponto.
loria, capitflo liento jse uo imeida
mesmo quizer carregar, ou ir de passa^...,
cntender-se com Amorim Irmflos, na rua da taea,
'- 'para Porto-alegre e Rio-Crndo-do-Sul segui-
r breve o brigue Conceico-Caboclo capitao Jot-
qum Jos doSiqueira Porto : recebe cscravos e pas-
sageiros para o que se pode tratar com Amorin
Irmflos, na rua da Cadeia, n. 45.
e- maneira prescrib
l-eila.
= Scbafhcillin & Tohler farflo leilfo, por intervcn-
Qflo do corretor Oliveira, de grande sortimcnto *
fazendas as mais prqprias do mercado: quinla-tcira,
3 de dezembro, as 10 horas da -tria ulula, no seu ar-
mazem, na rua da Cruz.
Avisos diversos.
Pubicacad litteraria.
o HOTEL LAHSEST
Historia Cumtemiwranea
roa
Eugcne Sus .
Acabado chegar do Rio-de-Ianriro, e vende-se en.
tres voluu.es na praca da Independencia, livraria n. 6 e
0 NAZARENO N. 66
est a venda na pra*a da Independencia, livraria
6e8, ena rua estreita doltozario, casa da Fe, n
Traz artigosextrahidos muito bons, e de casa, um
sobre o anniversario de S. M. L, e outro soure"
embarque do quarto batalbflo de artilharia, cuja eo
turase rcconimenda: os fregue/.es procuren* l">
porque pode a venda ser apressada, como aconic
muitas vezes.
No dia 28 de novembro, fugio do engenho u
ga*ari, um preto por nomo Antonio, nacflo Ang .
tendo a cara talha.la, propria da nacflo, baixo,
forcado, bom parecido e do 25 anuos: quem o pega.
leve-o ao dito engenho, termo do Iguarassu, ou i
principio da rua Imperial, sobrado, n. 31, que si
recompensado. -,-.
Precisa-se de un homem branco e semian.i"
para criado de homem soltciro : a rallar na rua a
va, n. 44. ,.
O Sr. I. T. S. mande quanto antes pagar urna u.
tra da quantia de 17,400 rs., quo scceitou a 3''
gosto de 1845, a 20 dias, ao Sr. procurador do i
visto ter-se tido muita cootcmplagAo con" Sua n
c, e se nflo poder mais esperar: nflo pngann> s
tes dias, ver seu nomo por extenso, c myis alg<
cousas. O Sr. T. A. M. M. tenha a bondade*do "'"",.,
pagar ao mesmo procurador a quantia de-75,,,u '.
do urna leltra, queStia merce acceitoua 11 de o
bro de 1845, a 2 niezes: e nao fazendo nestes da,
r seu nome por extenso, c mais nlputra c0',s*'rec-
Na praca da Boa-Vista, sobrado n. 13 P e
Sa-sede urna mulher, que cntenda de cozm > j
de um rapaz para criado.


*3.
LOTERA
d* matriz da cidade da Vic-
toria.
No dia t i do correnle moz ndito inlal-
livclmente as rodas desta loleria.no con-
sistorio da groja da Conccico dos Milita-
res, c os respectivos bilbeles vender- se-
hao smente at o da anterior. Espera,
portanto, o tliesoureiro, que os amadores
desie jogo concorrao completar a extrac-
cao dosmlheles, que resino, ficando assim
habilitados a passar urna festa feliz.
Antonio da Silva Gusino.
Antonia Francisca de Albuquerque viuva de
Mauoel Bernardino Monteiro, faz scicnte que ella
se n3o rcsponsabilisa pelos endossos de lettras ou
liangas, que dilo sen marido tenha fcito poralguem,
ou quaquer outra alguma ordem que o dito lina-
do seu marido tenha dado para algum supprimento
degeneres, oudinheiro, protestando desde j n8o
panar nada. Recife, 30 de novembro de 1846.
--.IO\Ql>IM DAMI.VA LOPES pede as autoridades poli-
ciaca e apilaos decampo a captura de um cscravo de
nome Josc de naco Roblo, estatura .regular ; falla
tan bem qu parece aer crioulo ; representa ter 35
anuos: tem op esquerdo inuito grosso, e na peina
una re ida. hsle escravo fo de Mauoel Hcnrique* da
Silva, da citado de Guianna, c foi embargado por divi-
da n.-sla praca, e arrematado em pra9a publica pelo julz
da segunda vara. Quem delle der noticia, dirlja-sc a
ra da (.adela Velha n. 20.
* Jos Antonio dos Santos Coelho embarca para
IHa a sua escrava Mara, do gento de Angola.
Os abai\o assignado* rogflo aquellas pessoas, que
teem penborosem sua milo.quc hajflo de os resgatar
no pra/o de quinze das, lindos os qunes serflo ven-
didos para pagamento das quantias, porque estiloem-
penhados: e para que depos nilo se chamem igno-
rancia, por isso se faz o presente, nilo se levando em
ronta quaquer rcclamacfto depois de (indo o pra/o.
Joo Antonio Carpinleiro da Sitia $ Companhia.
Precisa-se deum mogo portugticz, para traba-
Ihar em padara, principalmente para vender pao na
ra a frguezia da mesma padara: Irata-se na pada-
ra do Manguinho, n. 51.
c= No da 26 do mez lindo, desappareceo um ca-
xorro d'agoa, com os signaes seguintes : tres ma-
llas cor do caf, sendo duas no loiTibo e urna no olho
direito, tem o cabello corlado do meio do lombo para
a cauda : quem delle estver de posse, poder cntre-
ga-lo na ra larga do Roza rio, n. 29, que se gratn-
cara generosamente.
= Joflo Baptisla da Cunta, mestre barbeiroe san-
grador, estabelecido no largo da matriz do bairro
de S.-Antonio, n. 2, clicgado ltimamente da cidade
do Porto, querendo mostrar aos habitantes desta ci-
dade a habilidade c presteza de sua arle, se achara
prompto a quaquer hora para desempenharas ditas
funecOes; assim como se olferece pobreza gratui-
mente.
ATTENgAO.
Nao tendo comparecido numero sudicientc de ir-
milos, para, na rrma doart. 18 dos estatutos, procc-
der-se elegijo do novo juiz da irmandade de N. S.
da Conceigao dos militares, licou transferida a reu-
nio para o da 4 do correnle, s 4 horas da larde, e
a mesa regedora convida a todos os rodos que
nanfaltumconi tilo sagrado dever; cortos de que, nflo
cotnparecendo maioria de irmfios, a mesma mesa
proceder eleicjio com aquelles, que se acharem
prsenles.
0 Sr. Joiio Francisco Duarlc quera ter a bonda-
de de mandar na travessa da Concordia, n. 19, que
a pessoa est doente.
0 tcnente-coronel Jos Vicente de Amorim Be-
zerra, commandante do quartobatalhflo de artilha-
ria, nSo podendo, pela rapidez de sua partida, despe-
dir-so pessoalmenle dos seus amigos o de todas as
pessoas, a quem deve respeilos e attengoes, e que o
Imuraruu com suas visitas, quando chegou i asta
provincia, o faz pelo presente annuncio, rogando-
llies, se dignem desculpa-lo; e offerece seu diminuto
presumo na provincia da Bahia, para onde agora cn-
barca em servigo, ou em quaquer outro lugar, em
que porventura se aclie.
- Aluga-se o andar lerceiio do sobrado n. 31 da
ra cstreita do Bo/.ario, com um grande solfio com
"quarlos e 2 salas, cura giando mirante com muito
boas vistas, e por prego com.modo : a tratar no ar-
mazem do mesmo.
- Quem acbou, no dia 30 de novembro prximo
passado, urna carteira pequea em cima do baldo da
loja de livros na praga da Independencia,n. 6 c 8,con-
tendo 34,000 rs., com as cdulas segumtes: tres di-
tas de 10,000 rs., urna de 2,000 rs., papel cor azul, e
duas de 1,000 rs., papel branco : a mesma pessoa que
.1 tiver adiado, e a querendo restituir, poder entre-
gar na mesma loja, quo ser generosamente gratifl-
- Aluga-se o terreo andar ou loja do sobrado n.
12 da ra da Aurora, com ptimos e muiloasscados
commodos para moradia de homcm solteiro ou de
pouca familia: quem o quizer alugar, dinja-se ao
mesmo sobrado a quaquer hora. '
-Quem quizer urna tinlureira de laa, seda e*M-
godao, e do todas as cores, por prego commodo, diri-
ja-searuada Motila, n. 48.
- DIo-sc 500,000 a premio de dous porcenlocom
segurancacm urna casa nesta praca : quem precisar
annuncic. .
-Aluga-se um Sitio na estrada do Rozarinho, con-
fronte aosiio do fallecido Mauoel Jos de Almcida :
quem o pretender, dirija se a ra Augusta, n. 3b.
--.OiTcrccc-se um rapaz solle.ro para criado de
urna casa ou para outra quaquer occupagilo e
que nao sabe ler ncm esoreyer : quem de seu nres-
timo se quizer utilisar dinja-se a ra da (.adciadc
S.-Ai.lonio, loja de trastes, n. 18. O rapaz he dos che-
gados acora do Porto.
- Aluga-se o primeiro andar do sobrado do pa-
lco do Hospital, esquina que volla para a ra da
Roda, multoffestoecom linda vista.lendodua
salas e 3 quarlos : a tratar no segundo andar o
mesmo sobrado.
Novo importante aviso.
POMMATKAL CUTEI EIRO ATERRO-DA-BOA-
VISTA N. 5 ,
tem a honra de prevenir ao publico que acaba de
receber, pelo ultimo navio chegado de FrMCa,.um
grande so, tmenlo do mercadorias, todas de^pri-
mera qualidade o do ultimo goslo, coto : tinl.osdelicadosebcngal.nhas guarnecida,, de ala
fina jpertences para cagar; polvarinhos de diversos
lmannos, chumbeiras de e 2 cauudos, saca-
sa
trapos, ferros para des parafusar, forma de tazar ba-
las de varios calibres, para pistolas, espoletas de
primeiro qualidade ,chamincis de ago fino paro es-
pingardas de espoleta ; esponjas linas; escovas pa-
ra denles e para unhas; ferrinhos para limpar e ti-
rar denles; instrumentos do cirurgia; fundas de
todas as qualidades ; frcios ; esporas; obras de
prata lavrada como colheres paro cha e de Urr
Msucari muito ricas; facas com cabos e folhas de
prata, para comer fructas, e tambem com cabos de
prata o folhas de age- fino ; ua val has de barbear de
primeira qualidade ; tesouras de todos os lmannos
o de ago fino ; e geralmente tudo quanto pertcnce a
entelara; estojosde mathemalica e necessarios de
costura para senhoras. Tamhemfaz de encommen-
da toda a qualidade de fundas, e concertos do es-
pingardas.
As quartas-fairas e aos sabbados continua a amolar
toda a qualidade de ferros ; advertindo aos seus fre-
guezes, que d'ora em dante elle mesmo se oceupa-
ra especialmentedeste ultimo traballio.
-- L'm liomem destes ltimamente chegados
Porto, que quera trabalharcm renagao, dirija-
a ra da Senzalla-Nova, n. *.
Precisa-sede umbom criado, ou criada, ...
lodo o servigo, inclusive o de compras, para ca-
sa de um homem solteiro : na ra do Livramento
n. 38, primeiro andar.
Precisa-so de urna ama de leite : na ra da ma
triz da Boa-Vista n. 46.
Precisa-se alugar um sitio para pequea fami
lia .queseja na Magdalena e sendo com urna ca.
s, sera preferido ; este negocio se far por 3 annos
lixados: quem tiver, dirija-se a ra da Cruz,
n.43, primeiro andar.
Luzia Mara Sebastianna embarca para o llio-
Crande-do-Suloseu escravo Malhias, crioulo.
Aluga-se um sitio na Magdalena, estrada da
Torre, com boa casa, cozinha fra,'cacimba e
quartp para preto o estribara : a tralar na mesma
estrada, n. 78.
Precisa-se deum preto forro ou captivo que
queira servir em um sitio, na Ponte-do-Uchoa:
quem esliver nestas circunstancias dirija-se a ra
do Trapiche, n. 18.
Antonio Jos Vieira faz publico, para conheci-
mcnlo de quem convier, que pessoa alguma nao po-
de conlratar negocio algum sejaellede que gene-
ro fo'r com a casa sita no Abreu-dc-l'na do pro-
priedadedoSr Jos Pedro de Mello, visto achar-se
este debitado com o annuncianle : e todo aquello,
que a contrario lizer correr o risco; pois que,
para isso, o aniiunciaiitc passa judicialmente a exe-
cularaquelle Mello.
JosSoares de Azevcdo, professor do lingoa
frnceza no lyceo tem aberto em sua casa ra do
Rangel, u. 59, segundo andar um,curso de UIII.-
TOIUCA e outro de GF.OCRAPHIA. As pessoas, que
desejarem estudar urna ou outra tiestas disciplinas ,
podem dirigir-se indicada residencia a quaquer
hora, excepto em dias santos ou feriados.
INo Aterro-da-Boa Vista, loja de
VI a noel .loaqiiim Venancio de Sonza, fa-
zem se casacas e sobre-casacas de superior
panno, merino e alpaca; assim como
todas asmis obras com a maior brevi-
dade, perfeirao e preco commodo.
Pede-seaoSr. Silvano Thomaz de Souza Ma-
galhaes que, no caso de mo saber a moracha das
pessoas, que assignrflo e pagado para o sen com-
pendio de geometra linear e plana, tenha a bon-
dnde de designar o4ugar, onde os assignantes devem
receber o dito r<(mi>eiidio.
Anda esto-qjara se alugar as casas terreas de
ns. 25, 27, 29 e 31 sHa,na ra Real, prxima ao
Manguinho com quintaes murados cacimbas ,
mutos commodos para familia c serventa para
acamboa: a fallar com Manoel Perera Terscira,
morador prximo aquello lugar.
Aluga-se o sobrado do dous andares da ra do
AragffO, prximo a botica, com mullos commo-
dos para grande familia quintal com serventa
para a ra do Tambi grande eocheira o estribara :
a tralar na botica inmediata, ou com seu proprie-
tario Manoel Percira Teixeira morador prximo
ao Manguinho.
Quem precisar de um destilador de ago agoar-
dente e que est acostumado a trabalhar segundo o
svslcma moderno aiinuncie.
Oabaxo assignado declara pelo presente an-
nuncio, que fez venda do casco da sumaca bra-
slleira Santa-Uaria-lloa-Surle aos Srs. Joaqum Jos
e Joiio da Trndadc : e por isso, que nada mais tem
como mesmo casco. Itecifo, 28 de novembro de
1846. Por nrocuragao do Joaqum Teixeira F.eite ,
Ficlorino Teixeira hile.
Precisa-sede urna ama, que tenha bastante
leite para acabar urna criagSo; paga-se por sema-
na oito patacas : na ra das Cruzes, n. 22, segundo
andar.
-- Aluga-se, por mdico prego, o segundo andar
e sotlo do sobrado n. 20, atrs do theatro : a tratar
na ra da Cadeia do Recife n. 52.
Jos Pires dos Reis, por haver outro de igual
nome, se assignar por Jos Rodrigues Pires da
Rosa. ,. ,
Aluga-se um sitio na ra da Casa-Forle com
copiar e gradara de ferro na frente eocheira es-
triba ria, c com muitos commodos ; varias casas,
por prego commodo, tanlo na campia e ruada
Casa-Forte, como na estrada do Pogo; o primeiro
andar do sobrado amarello da ra Augusta; a loja
do dito, propra para venda ; urna loginba na tra-
vessa do.Monleiro ; o segundo andar do sobrado do
palco do Livramento; osterceroo quarto andares
de sobrado da ra do Amorim, n. 15 : a tratar no
primeiro andar do mesmo sobrado. _
O Sr. Joaquini Pinto de Mello quera dirigir-se
a ra da Florentina n. 14, a negocio de seu inte-
resse
= O abaixo assignado, vendo nos arioi um remedio
para bobas e eravos seceos, cujo remedio he cousa ex-
traordinaria, r tendo er.genho, ha muitos anuos, c ten-
do perdido diversos eseravos, c desde o annuncio des-
te remedio, tendo salvado todos, c por fim sua senlio-
ra, que padeca esta molestia a ponto de ja nao se poder
calcar, e com este remedio ficou peru-itaineute san, e
tambem un lillio de dade de20 anuos: e como vio este
remedio piodn/.ir estes elleilos. por isso fax este annun-
cio para beneficio dos Sis. de en8enlio. tendo visto lie-
mos aleados e peiderem a vida, por causa desta inoles-
fia Faz este annuncio para beneficio da liuiiian.dade.
Antonio Corrtia Prima de ello.
precisa-sc de urna ama de leite para criar urna
menina: quemestiver nestas circumstancias, di-
rija-soao Aterro -da-Boa- Vista, casa da esquina da
ruada Aurora .segundo andar que so paga gene-
rosamente. ... A 1 1
Aluga-se melade do primeiro andar do sonro-
d da ra do Rangel, n. 11 proprio para pequea
familia; tambem se aluga todo.
cisco, ou ao arma/.em p.3, denonte da respectiva Or-
dem I'erceira.
Compras.
Ti.incrlins de quaquer modelo anneis llores, fitas,
aderecos, pulceiras, brincos, ele. ; tudo o mais bem
feito possivcl por preco mdico.
Mr ATTENCAO c3
Os festeiros de ]\. S. da Con-
ceigoda Ponte pedem aos mo-
radores da ra da Cadeia at ao
becco do Cacimba, quehajo de
limpar as suas testidas, no dia 7
do correnle vespera da mesma
festa ; assim como no dia da fes-
ta ter as suas imicllas com col
chas e decentemente ornadas,
para lornarem mais brilliante a
mesma festa.
AO BOM TOM PARISIENSE.
BA NOVA, N. 7.
TEM P RTTF, A LPAI ATE ,
lein a honrarte participarnos irus Iwguczcs que dis-
solveo desde o dia 15 de selenibro do auno passado,
a sociedade que linlia com os Srs. Colombie/. & Com-
pauliia largando ao mesmo lempo a loja dos sobredi-
tos Srs. As pessoas que oquizercm favorecer com a
sua frguezia o acharad na sua loja na ra Nova ,
n. 7. Tem pannos para calcaa, colletes e casacas, de 10-
dasasqunlid.idcs os mais novos chegados de Parla, e
a colleeea dos mais recentes ligiiriuos e reeebeo no-
vameiiteuiu lindo sortiinento de objeclos de luxo e
pli.-in i.m.1, de diversas qualidades.
Km o Passcio-Publico, na loja de chapeos de
sol de Joiio l.oubet, se achao ricos sorlimcnlos de
chapeos de sol, de seda, tanto para homcm, como
os de mais lindos gostos para as senhoras, queapre-
ciio o tempo festivo eque em lugar algum dcste
mercado os ha de tilo boni goslo ; e seus baratos
pregos animilo aos Srs. compradores. No mesmo
csialielccmcnto se acliiio a venda ricos casloes pa-
ra bengalas c mesmo ponleiras e bolotas para as
mesillas. Outro sim tem de presente inventado
uns chapeos de sol grandes de 32 pollegadas ,
para sennores de cngenliosdellesusrem no campo.
Na mesma loja seconcertuo e cobrem-se conrper-
feiglo e asscio e isto sem demora : tambem se ven-
dem chapeos do Porto.
lliia (le Apollo, ns. *,'{ e 5o.
Troca-se, por casas terreas e tambem vende-sc a
diuheiro por preco rasoavrl, como eonvier aosprclen-
denles, um grande terreno quedeilao fundo para a
nioi : oi|ii.il ist.i estacado r aterrado e tem un ay-
niazrm edificado dos nmeros cima declarados, e lie
de esquina : o seu bom local menee toda a preferen-
cia para quem qui/er levanlar um elegante predio e
ollcirie raniagi'iu a quem saiba apreciar a boa locali-
dadedo dilo terreno: a tralar toiu .loao Ksleves da
Silva.
Precisa-se de um caixero, que tenha pratica
de venda : na ra Ilircila de Fra-de-J'm'las passan-
do a intendencia, n. 185,
l'reeisa-sc de dous lavradores em casa do doura-
dor, ou l'aln ieaiile de candieiros de gaz na ra No-
va u. 52.
Aluga-se um preto por lempo, prego c servigo,
que se tratar : na ra Nova, loja, n. 98.
Aluga-se una casa terrea na Solcdade, propria
para passar testa,por ser fresca, e o aluguor barato:
a tratar na rus Hireita, venda, n. S3.
JJiaz Florentino Ilcnriques de Son-
sa, estudanlc do segundo auno do miso
uridko, propc-sea dar liroesde pliilo-
sopliia, francez rlielorica e gcograpliia
qnclles Srs. que se quizerem habili-
tar para os exames destes preparatorios
cin marro : os que de sen presfimo se
quizerem utilisar, podem dirigir-se a casa
da sua residencia na ra do Queimado, n.
4}2, primeiro andar.
Jos Antonio da Rocha e S retira-sc para Por-
tugal.
- Precisa-sede una ama que tenha bom leite ,
preferindo-se escrava : na ra l)ire'' n. 81.
D-se dinheiro a premio co hores mes-
mo em pequeas quantias : na r .tangel, n. 11
Arrenda-se o sitio do Arraial,. ,va de llurgos &
Klhos, que oll'crcce glandes couimo,...idcs para nume-
rosa familia : este silio lie murado, tem encllenle casa
sobradada, cercada de um espicoso e lindo jardim, co-
zinha fura, com aiiiiatein; tem sobrado para pombos,
easaz para feitor c eseravos, estribarlas, curial para
vaccas, duascocliciras, e una dellas com solao, que se
arista parle da cidade de Olinda; 24 eanleiros, pontee
um grande lianluio; todas estas obras sao de pedia e
Cal; un boa agoa dorio, que passa pelo silio, viveiro
de peixe, baixa para capini, e numerosas iructeiras:
quem o pretender, dirigir-se-lia a na Direila no sobra-
do, n. 23, que acharxoiu quem conlratar.
Precisa-se alugar um silio, prximo da cidade,
preferindo-se a inargrm do rio com boa casa de vi-
venJa balxa para capim eocheira : no Aterro-da-
Boa-Visla n. 3o, se dir quem precisa.
l'reeisa-sc de umaama forra ou escrava que
saiba cnsaboar, engommar c fazer o servigo interno
de urna casa de pequea familia : na ra da Alfandc-
ga-Velba, n. 5.
-Os Srs.donosde
obras c mestres pedreiros que precisaren! de algum
maieriaes, como cal branca, dita prcta, barro amarillo,
dito preto, arcia fina de fingir, dita grossa, telhas, li-
jlos de ladrilho, ditos de frenara batida, dita gros-
sa, lijlos de tapamenlo largos, ditos estrello*, tudo
mais em conla do que cin outro deposito, queirao diri-
Igir-sc ao anuazcui n. 8, por deus da nu de b.-Frau-
-- Comprilo-se eseravos de ambos os NXMi na
ra Nova loja de rorragens n. Iii.
ComprilO-Se l^ cadenas de jacaianda.inogno ou
angico, 2 bancas e 1 mesa para Bicio de sala, 1 ca-
nap, marqueza ou sof, que seja commodo no pre-
go : na ra Nova, n. 18.
Compra-se una rotula de porta em bom uso ;
e diarios, a 80 rs. a libra : na ra estrella do Rozarlo,
venda, quo volla para o Carmo, n. 17. -
Compra-se chumbo velho : na ra da Praia ,
venda n. 16. .
Comprao-se eseravos de 10 a 20 anuos de idade.
sadios, sem vicios, com ollicios e sem elles : ua ra Di-
reila, sobrado, u. 29.
Compra-se um almofariz de bronzo quo te-
nha do peso arroba e inea para mais : no Mlero-da-
Boa-Vista, loja da esejuina do becco n. lo.
-- Compran vaccas de boas qualidades : na ni.t
dos Pescadores n. 22.
Vendas.
Vendc-se una venda com pequeos fundos, ou
sem elles, no becco do Carioca : na ra larga do Ro-
/ario, n. 29.
Vendem-se dous eseravos de bonitas ligaras por
pregos commodos: quem os pretender, dirija-sca
ra do Mundo-Novo, n. 23, que achrra com quem
tralar.
Pechinclias na loja
do nidio !!!
Na esquina do Livramento, loja d.o nicho, vendein-
se pgasele algodao/nho largo com 18 varas a 1,800
rs.,carnizas de meiaa 1,000rs., chapeos de sold
panninho imitando seda,a2,000rs.;e recehem-se c-
dulas encarnadas de 30,000 rs. sem disconto.
Na ra do Queimado loja encadernagilo ,
n. 43, junto ao becco da Congregagilo sevendem as
seguintes obras: Pecadas do Barrps,24 v., por 25/rs.;
diccionario de agricultura de Rosser, traduzdo por
F. Soares Franco v., 10,000 rs..; historia chrono-
logiea dos sucessos mais notaveis desde a poca
han reza 8 v. 10,000 rs,
Yende-se lila deovelha e cera de carnauba ,
por-prego commodo : na ra da Praia de S.-ltta ,
n.43. -
Vcncle-se urna escrava de nagfo, boa coznhci-
ra por 400,000 rs. ; urna dita, que cozinha lava
eengomma-, de 24 annos, por 850,000 rs. ; urna di-
ta do 25 annos, de boa conducta por 330,000 rs. ;
tima dita, por 250,000 rs. boa lavadeira ; una par-
da boa ama de casa por 350,000 rs.; um bom mo-
leque de nagilo de 17 annos por 160,000 rs. ; um
escravo muito robusto de 25 anuos, por 350,000
rs.; um dito proprio para lodo o servigo, de nacfio,
de 22 anuos, por 120,000 rs.; um pardo bom CO-
zinheiro por 430,000 rs.; todos estes eseravos do-
se a contento, o so atianguo as suas vendas : na ra
ci Agoas-Verdes, n. t.
Superior fardo.
Fardo de Trieste, em bar-
ricas de i> arrobas ; o qnal se
recommenda como o mais nutritivo dcquanlos aqui se
Importao e por isso o mais proprio para mcllior en-
gordar os cavados : vendc-se no primeiro annaiem do
caes da All'audegn indo do arco ou em casa de I J.
Tasso Jnior.
Na ra do Crespo loja nova,
o. 1*2, de los tJoaqmm
da Silva .liava,
vende-sc un restante dos bein acreditados cortes de In-
dianas para vestidos de seuhora, pelo barato proco de
2/800 rs cada um ; cortes da (asenda victoria, a ."UBOO rs.
cada um; ricas cambalas com lislras de seda, au/000 rs.
cada corte; ditos de goslo chinos, a 5/000 rs. cada um
corte; cassas chitas para vestidos, a 2#8000 o 3/500 cada
corte ; eanibraias de quadros de cores escuras, para ves-
tidos, a 33O0 rs. cada corte; caleinhas para meninas de
escola a 11! rs. cada um par; lucias linas para meninos,
de dillcTcnies tamanhos; e nutras umitas fa/endas, que
ludo se vender por prefo barato, assim como mu resto
das ricas c baratas laiilernas com casticaes de tinissiina
easquinlia, e que se vcndeinpoi 9, lc 12 mil rls cada
par.
Na fabrica de sabo da ra Impe-
rial n. 116, vende-se sahao amarello
epieto, muilo superipr e muilo secco ,
pelos preros aLaixonicncionados e tam-
bem no aimazein <1o Sr Jos Rodrigues
Perera na ra da Cadeia do Recite
Sabao amarello encaixado, libra a io5
Dito dilo a granel a too
Dilo pelo encaixado a loo
Dito dito a granel,H .qS
Sendo partidas de meis de 5o caixas ,
abale-sc alguma cousa no preco, e man-
da-se levar aonde ur mais commodo ao
comprador.
A livrara da esquina do Collego acaba de re-
ceber de Lisboa algunscxcniplarcs da soguintc no-
va e interessante obra
O raslorfdelissiiiio ou detesa
da n-lijjiao catholica:
conlin adoulrina mais ata sobre a independencia da
aulnridaile da groja nocessidade da divina mlssao c
jurisdieco legitima para exercer seus actos o o ina-
naucial donde estas einauao .sobre a alta dignidade do
sacerdocio dorares dos subditos dospais de familia .
autoridades e iiupcrantes provado tudo de un modo
irreluctavel com fados histricos innegaveis, autorida-
des sagradas, e rasdesas mais poderosasc conipiehen-
siveis at dos llilteratos : i v. de mal de 400 paginas
om lu malo de oilavo Trancec : vendc-se por V/41M rs. ,
pceo correspondente ao de Lisboa 1/100 rs.


-
^"
^

A
= Vendem-se mocndasde ferio para cngcnhos de as-
ucar, para vapor, agoa e bestas, de diversos taannos,
por prefo commodo ; e igualmente tai vis de ferio coado
c batido, de todos os tamaitos : na iiraca do Cnrpo-San-
to, n. II, em casa de Me. Calmont i& Coiiipanliia, 011 na
rita de Apollo, armazn, n. 6.
= 'Vende-se potassa branca de superior qualidade,
tttl barra pequeos ; eni casa de Maihcus AtltllU fil
Compaiihia. na ra da Alfandega-Velha, n. .'Ki.
c= O corretor Oliveira Icin para vender cobre cin fti-
Iha e presos de dito para forros de navios : os preten-
dentes dirijan--.se ao inesmo, ou aos Senhorcs M esquita
& Dutra.
= Vcndem-sc 7 pretas coni habilidades, de 16 a 25 an-
nos de idade; 1 inoleque de 18 anuos de elegante figura
e de mili boa conducta; 1 pardo bom carreiro, de 20 au-
no e bein robusto; l nielo de nieia id.ule, por barato
it da matriz de S.-Anionio, sobrado n. 4.
CARNAUBA.
No armaiem de farinba do caes do Collegio conti-
nuare a vendercera de carnauba, a relalho de mul-
to superior qualidade
ea Vendein-e as inais modernas caixas de tartaruga,
de riqulssimo goslo, com chapa de ouro ; superior ra-
p de Lisboa utuito fresco : na ra l;irga do Rozarlo ,
n. 24.
a? Vende-se cal virgem cin meias barricas chega-
da prximamente por preco cummodo; na ra da
locda arina/.em n. I.'i.
IVa na do Crespo, loja nova
n. 12 de Jos Joaquim
da Silva SI aya ,
vende-se brim de puro linlio de quadros e listraade
cores e que sao milito proprios para a festa pelo ba-
ratsimo preco de 720 rs. cada vara ; rico cortes de
casimiras elsticas para calcas ,a6/ c 8/000 rs. cada
corte ; alpaca preta a 800 c 1/600 rs. o covado ; pannos
finos, preto e de corea, por barato preco; cortes de col-
lete de velludo seliin e gorguro ; ludo por preco ba-
rato ; assiin comnum ricosorlimentode lencos de seda
para grvalas limito proprios para a festa.
Vende-se potassabranca, da
mais recem-chegada por modt*
:o prego : em casa deL. G. Fer-
*a & Cmpanhia.
!Na ra do Crespo loja nova,
n. i'i, de Jos Joaquim
da Hlva Maya ,
vendem-se ricos chapeos de seda lindamente enfila-
dos para senhora chrgadns ltimamente de Franca,
pelo diminuto preco de 12/000 rs. cada um ; mantas do
grande toin a 6/00(1 rs. cada una as quaes se toruno
recoininendaveis para as senhoras que coslumao ir
passar a festa.
Na rua da Cade a Yelha, loja
n. 20, de J. O. Elslcr ,
vendem-sco* seguintes vinhos engarrafados, de su-
perior qualidade ; viuho do l'nrto milito velho ; dito
da Madelra ; Huidlas; Careavellos ; Sho ry ; heino ,
Bordeaux ; Cherry-cordial ; Teucrille Clianipanlia ;
marca cometa ; e tambera superior genebra hollande-
7.a ; ago'ardenlc de Franca ; velas de composlcao ; cha
preto.
Ventle-sc farellomuito bom o novo, em sac-
casde 3 arrobas : no armn/om do Bacelar, dofron-
teda csradinha, e na rua da Cruz, n. 52.
Casa da F,
na rna psti-rita il Hoza rio, n. fi.
Nesle cstabelecimento acho-se a venda as cau-
telas da lotera da matriz da cidade da Victoria,
cujas rodas ndito no da 12 de dezembro. A ellas :
iImiitcus sio os do coslume.
Vende-se, una preta, de 18 annos, de bonita
figura, queczinha, lava, he muito habilidosa,
e sabe tratar de meninos ; nilo tem vicios inm acha-
ques : na rua do Rangcl, n. 36, primeiro andar.
Vende-se urna casa terrea no sitio, que fica na
IravessadoMnleiro, c que serve para passar a festa,
por set muito fresca; e juntamente alguna terrenos
junto ao rio Capibaribe, e com 150 palmos de fundo :
quem pretender, dirija-so an mesmn sitio.
Vende-se palha de carnauba ehegada prxima-
mente do Ass, em porcilo ou a relalho, por preco
commodo : na rua da Praia, armazem, n. 34.
Vendcm-se 35 escravos de ambos os sexos, en-
tradles bonitos moleques de 12 a 15 anuos, 2 ne-
ginhas, de 10 annos, 2 mulatos, sendo 1 proprio pa-
ra pagem,de idade de 16 annos, eo outrode(3; tutlo
por preco commodo ; na rua da Cruz, armazem, n.
51.
Vende-se um negro e urna negra mocos e de
bonitas figuras, proprios para todo servico de rasa e
decampo; assim como um mulatinho de bonita li-
gura, proprio para pagem : na rua da Cadeia de San-
to-Antonio, n. 25.
Conlina-se a vender barato calcado para ho-
mens, senhoras e meninos, decouro, 'marroquim c
de lustro, obra hem feita : na rua Nova, loja, n. 58.
Vende-se sal do Ass bem grossn c claro; a bor-
do do brjgue Paquete-dc Ptrnambuco, ou a tratar com
Leopoldo Jos da Costa Araujo.
Vcnde-se urna rica mobilia de sala, de Jacaran-
da, duas commodas, e urna riquissima cama france-
za de dito com seus cortinados, lanternas, randiei-
rofrancez, toucador, etc. etc., ludo muito novo, e
sem o sem o mais pequeo defeito : na rua da Auro-
ra, n. 24, segundo andar.
CHAPEOS BE MASSA A POLKA,
A 2400 e 2500 RES.
Vendem-sc ditos chapeos no escriptorio da rua
Direita sobrado n. 29.
Vende sr, na rua da Cruz, n. 6o,
cera em velas do Rio de-Janeiro, de 3 a 16
em libra, em caixas pequeas, e por'preco
mais commodo do pie em outra qualquer
parte.
~ Vende-se urna cadeira de armar, forrada de
seda r macacos para arrumar carga ; encerados para
cobrir gneros na rua do Amorim ik 15.
Vende-se um carro de qualro rodas, com os
seus competentes arreios : no largo da iraca da iioa-
Visla, cocheira, n. 30.
Vendem-se presuntos e queijos iuglezes ; latas
com biscoutinhos finos e marnielada; ludo muito
novo : na rua da Cruz, no liedle venda n. 66.
Na rua da Cadeia-, loja de Jos Mara Seve ,
vendem-se ricos chales e lencos de seda, de cores e
pretos; superiores mantas de seda da Italia; lencos
de seda, para algibeira; ditos de cores e pretos, para
grvala; chapeos de sol, de seda c paoninho, com
asteas de baleia : tudo recentemente chegado : Ce
outr.is uiuilas fazendas, por prego commodo.
= Vende-se, ou permuta-sc por um sitio perto da
praca, urna escolente casa terrea: a tratar no
principio da rua Imperial, n. 9.
Vendcuirse suecas com superior colla, fabrica -
ila no Kio-Crandc-do-Sul, por prego barato; barris
do varios tnmaiirros, de viuho do Porto, Figucira e
Lisboa : na rua da .Mcala armazem n. 7*.
Sal de Lisboa fino e alvo a 1600 rs. o alquei-
re velho, e sendo porcilo dar-se-lia por menos : na
iua- ila Pitia armazem ji. 18.
l\o AteiTO-da-Joa-
visla, loja n. 14,
vendem-se lencos de seda para homem c senhora,
a640e 1000 rs.; chitas linas, a 110 rs. o covado.
Vende-se um preto bem procedido, trabalhador
de enxnda por 350,000 rs.; 3 canoas de enrreira a
saber: duas aberlas novas, pintadas a oleo, de car-
regar familia e urna pequea de um s pao: na
rua cstreita do Rozario, botica, n. 10.
Vendem-se4 lindos moleques, de 14 a 18 an-
nos; 2 ditos de 7a 11 annos; 1 pardo ptimo para
pagem de 17annos; um preto bom canoeiro, de
30 annos; 2 pelas com algumas habilidades, sen-
do urna de nacilo, com urna cria mulatinha, de 2
annos, com todas as habilidades; urna parda, de
25 annos, com algumas habilidades: na rua do Col-
legio, n. 3, segundo andar.
Vendeni-se pulhas verdes de coqnei-
ro, para banltciro, por preco commodo:
no armitzem de f'arinlia, da rua da Cadeia
de S. Antonio, n. in.
Vende-se ou aluga-se urna canoa
nova, com mais de30 palmos de compri-
menlo e 7 de bocea : na rua de S. Rila,
n.85.
Alerta freguezes !
Na rua do Collegio n. 9, loja do anligo bara-
teiro, rontina-sc a vender barato botos de ma-
dre-dc-perola a 480 rs. a grosa ; bico estreito a
40 rs. avara; meias de meninas e meninos, a 240
rs. o par; pellos de marroquim, a 1280 rs.; ditas
de rouro de lustro a 1600 rs.; torcidas de candiei-
ro de todos os tamaitos, a 100 rs: a duzia ; caixas
e carteiras deagulhas franeczas, de fundo doura-
do, a 280 rs.; botos fufados, de metal brancb e
preto a 300 rs. a grosa ; medidas de marroquim ,
fiara alfaiale, a560rs. cada urna ; luvasde algod.To
iranro e decoros, para homem e senhora a 320
rs. o par; ditas de pellica, para homem e senhora,
a800rs. o par; carteiras de algibeira a 160 rs. ca-
da urna ; pecas de fita de Ia para debrum de sapa-
tos, de todas as cores, a 160 rs. ; bico de litibo do
Porto, a 100 rs. a vara; bengalas de caima da India,
de difierentes qtialidatles a 1920 rs.; bonetes to
pallra para o fresco, a 100 rs. cada um ; carapu-
casde algoduo tle todSs as cores, a 160 rs. cada
urna; chapeos de sol, depanninho a 1200 rs. cada
um ; bonetes tle panno para homem e meninos a
480 rs ; lencos de seda de todas as cores, a 1280
rs. ; litas de seda e setim de todas as qualidades;
ditas aviadas; relroz de todas as cores, a 120 rs. a
oitava ; botos de duraquo eseda para casaca a 200 'guezes acharad sempre .....variado toril nimio de bous
rs. a duzia ; luvas de camurca, para cavallaria; bi-( nul"rros. O pagamento das que saliirao premiadas
eos de todas as qualidades; ricas tesouras finas para
uro ; nrincos; anneles; anneis; medalhas; e
Oulras militas obras de bom gosto.
Vendem-se bichas grande dell.im-
liurgo (llegadas ullimamenle; e lam-
lieni se alugo, por preco commodo ; no
Aterro-da-Boa-Vista primeita venda ,
ao pe' da ponte, n. 2.
Na loja da esquina
confronte a o arco de S.-
/Antonio, 11. i ,
de Cuimaraes Scrafim & Cotnpanhia vendem-se
oambraias largas, de padres os mais modernos, que
teem vindo a este mercado, pelo diminuto preco de
320 rs. o covado ; cortes de chati fino, muito mo-
derno pelo barato proco de 3200 rs. o corte ; alrfli
destas fazendas, ha um.completo sortimento, e tudo
so vende por preco muito commodo.
i>a rua da Cadeia Yelha, loja
11, 29, defrontc do Becco-
Largo,
vende-se um grande sortimento de pe!
lucia d seda fina e mais utensilios para
chapeos bem como: chapeos de papclo,
a 800 rs. e de massa a T'2oo rs. ;
chapeos de polhitiha de no a 64o rs. j
bonetes de dita a 48o is.
Polassa.
Venderse a bem conhecida e
superior potassa da Russia, lti-
mamente chegada a este porto, e
igualmente vinho da iMadeiia,'en-
garrafado, o melhor que se lem
conhecido: na rua do V gario; ar-
mazem n. 4,de Kolte&bidoulac.
>'a rua do Crespo loja nova
n. I'i, de Jos loaquim
da Silva Maya ,
vendem-se superiores cobertores de olgodao proprios
para esclavos a l>000 rs. cada um ; urna fazenda de
linho escuro t.unhrm para riuipa de escravos ou sac-
eos de assucar por sej- de inulta dura;ao, por barato
preco.
Vende-se urna morada de casa terrea na rua
Imperial n. 91 com bstanlos commodos, feita
a moderna : no pateo de S.-Pedro n. 9.
As cautelas da lotera da cidade da Victoria adul-
se de boje em dlante expostas venda no Aterro-da-
Hoa-Vista. as lojas dos Srs. Caetnno Luii Ferreira,
n. 40; Tliomaz Pereira de Mallos Estima, n. 54; Leal
Si IrinSo, n. 58, c Antonio Ayres de Castro, n. 72 ;
assiin como na travessa do Veras, n. 13, onde os fre-
na paliada lotera do Livratncnto, contina a ser fei<
como d'antes a toda e qualquer hora do dia, seuYex-
ccpi'ao de domingos e das santos.
ht Alcrro-da-Koa-Vsta so
brado n. 1, casa de modas
franeezas, de llillochnu,
vendem-se reos e muito lindos chapeos de seda bico,
rene e pallia lina para senbora c meninas ; toncas
enfeitadas para as ditas ; chapeos c inanias para lulo ;
unha e de outras qualidades e de todos os lmannos;
Caivetes linos para penna; e outras militas fazen-
das, para acabar.
Vende se utn preto, de 30 annos, canoeiro o
pescador, sem vicios nem achaques, por preco
commodo : no Atcrro-da-lloa-Vista fabrica de li-
cires n. 26.
Vende-se una cscrava criolita, de 22 annos ,
de bonita figura que cose chao cozinha lava de
salino c lem principios de engoinmar ; urna dita do
nacao, de \Q annos, que cozinha, lava c vende na {"""s'l'i'os e ricos capotes brancos de fil bordado e
casas dita paia senhora ; cortes de vestidos bordados,
de fil, camliraia e tarlatana ; eambraiat lisas e bor-
dadas; tai latana fina, branca e de cores; mantas de
bico preto ; ditas de tarlatana bordadas ; boas rilas de
setim e tufet de todas as larguras ; ricos bicos de
blondo ; ditos de linho; flores linas para chapeos e
enfeitesde vestidos ; ditas para lomados; lencos de
seda, para gravatas de senhora ; ditos de casia lina ,
para lioinem ; luvas de pellica para bonWtll e senho-
ra ; luiii'oos para lucilinas; ditos para baptisado ; lu-
vas de seda, curtas e comprlas, para senhora; bteos
rua, por 2.10,000 rs.; umescravo de nacao, de 24
anuos, de todo o servico de campo : na rua das Cru-
zes, n. 22, secundo andar.
SAO FEITAS NO CEAJt.
Na rua da Cadeia do llecife loja de miuderas ,
n. 37 ha para vender duas excellentes redes fci-
tas no (loar, tle linha de rrir, por barato proco
- Vende-se um escravo, de 20 annos, proprio
para campo; um bonito moleque, de 12 annos,
proprio parapagem de algum menino; urna preta,
de 16 a 18 anuos, com prendas, que se farSo ver
ao comprador : na rua larga do ItozarLo n. 24, piH
meiro andar, voltando para os quarteis.
Vcnde-se, ou troca-se por urna cscrava cozi-
nncira um preto bom pescador e canoeiro, sem
vicios nem achaques; na rua da Aurora, n. 20,
segundo andar.
Vendem-se, por preco mais barato do "V:
que em nutra parte, Ianzinhas linas, 09 H
S mais ricos padres que teem apparccido $
. ,, epelo Innato preco de 320 rs. o covado ;" |i
al cassas de noxis padres e cores (xas a 21
rj 2500 o 3000 rs. o corle ; riscadinhos rrance- SS
9 zcs finos para vestidos a 200, 220 o 240 ?||
r^- rs o covado; lencos de seda da India a g|
fi;' 1440 rs.; mantas de seda, as mais ricas que 0,
5$ teem apparecido; cortes de cambraia de ($1
jgj bom gosto; ricos chales de seda; cortes de |i)|
lf& cohete de todas as qualidades; brinsdeli-
<' nho, de crese branco; casimiras para cal- |i>*8
U cas; osguies finos; bretanha de linho, Wti
?! muito lina ; lencos de setim preto e de c- H
*J|j res para grvala ; e outras muitas fazen- K
*j das de bom gosto : na rua do Queimado *|J
1 nosquatro-cantos, loja nova, na casa ama- f<
k9 relia, n. 29.
ps ^reo-preta, Meio-grosto t Cmmnm, que nSo s
igualou no aroma o suas qualidades, como na in-
dentica forma dos botes e cor dos papis, sendo
ililticil distinguir-se acopia do original.
O deposito dcsto exceilente rapi', he no armazem de
AlvesVianna, rua da Scnzalla-Vellia, n. n0;c tanilieiu
se vende nos tres bairroi da cidade : no do Recfe em
casa dos Srs. Jos Diai da Silva e Poiitci & Sampaio, lo-
jas do ferrapens rua da Cadeia-Vclha ; no de S.-Anto-
uio em casa dos Srs. Antonio Domingos Ferreira rua
do Crespo, n. 11 ; Joaquim Jos Lody, loja de miude-
ai rua larga do Rosario ; Jos Joaquim da Costa, lo-
ja de miudezas na rua do Cabug ; no Atcrro-da-Boa-
Viita lojas de mludc/as dos Srs. Antonio Ayres de Ca-
iro & Cmpanhia Antonio da Silva Guioiaraes e Tho-
maz Pereira de Mallos Estima.
DE6 PORTAS Nji^
----------- ~ -. v > ......i i i i i i i lala i iiiniiii i i i i -
de lindos padres para cabeces ; lencos burilados ,
de cambraia de linho ; ditos de cambraia; ditos de cam-
braia imprimida ; meias de seda para senhora; ditas
de linho para meninas ; lindas bejouterias francesa! ,
imitacao perfeita ; tiras bordadas ; ditas de fustao ; c
mullos mili os objeelos de moda. Xa niesina casa fa-
zem-se vestidos de casamento do ultimo gosto, por
ter todos os fieuriuos os mais novos e tudo o mal, que
necessita o toilete de tuna nolva.
Vende-se um diccionario de Moraes da quarta
ediefio,alada em muito bom uso; um execiiente
oculo de alcance dos melhores, que se teem des-
coberto ; urna espada com roca com muita boa fo-
Iha; una pluma pa .i olUcial a cavallo ou olllcial
superior; na rua to Crespo, loja de miudezas .
n. 11. '
Vende-so una commoda nova de amarello,
c duas camas tambem de amarello, por preco com-
modo : na rua Direita n. 17.
O restante da louoa o vidros da loja de louca da
rua da Cadeia do Kecifc mudou-se para a rua do
ftangel, n. 11, aonde secontiuaa vender por todo
o preco; assim como duas carteiras; cordOes de
=Vendeni-se passas miiidas, para fazerpOdini ; cere-
jas e aincixai seecas; feijrtes ; crvilhas ; leutiha ; cham-
panha } vinho do Porto; Seherry ; Madeira ; vinbo do
lllieuo ; San tinos ; ( larellc, em quarlolas c caixas di-
to engarrafado a 400 rs. muito bom; superior cognac;
r bu i u de Jamaica ai rae; genebra de Hollanda ; vinho
de Malaga velho, em nielas garrafas ; frascos de todas
as qualidades. de fructas da Europa; repolhns conser-
vados ; barris peijuinos de caviar, de uina libra ; inos-
tarda rraneeia e inglesa ; Seherry cordial; litis de sal-
inao ; sardinhai; crvilhas e mais outrai conservas de
peixe e carne ; conservas de pepinos e ceboiluihos; cer-
vejn preta c branca_, da celebre niara barclay ; azelte
doce superior ; eh ; charutos regala. Esles gneros
sao todos da melhor qualidade e se achilo amostras
para os senhores compradores, no armazn de Fernan-
do de Lucca na rua do Trapiche n. 34.
. YenoY-ser na rua Nova, loja ti. 38,
o snp| lemenlo ao vocabulaiio porlnguez
e latino, por Bluteanx, olira prima ra-
ra e interrssanle para os amadores la
lingos nacional.
Vendem-se vidros para espelhos ,
de varios l;iniuili .s; dilos para vidraras:
na rua da (Jruz n io.
Kap princesa i\ovo-Lisboa
a ISOOOrs. a libra.
Re todos os rapes, que a industria brasilrira tem ate
hoje l.ibrlcado, nenhiim imita mellior o verdadeiro ra-
p princeza pormucz do que o intitulado IIAP PRIN
CEZA NOVO LISBOA, fabricado no Rio-dc-Janciro, en-
do tao perfeita a sna scmclhanta, que o mais veterano
tabaquisus o tomao pelo genuino rape priuceza de Lis-
boa.
Igual mente o fabricante deste rap teve a maior
felictdadecm conseguir imitar perfeitamente os ra-
Pechlnchas novas para a festa, a saber : cor- V
Stes de velludo da mellior qualidade e lindos #
padres, que teem apparecido, a 6/000 rs. ; di- 9
ftos de ictiiii de cores, de (liras e quadros a ^
2/TiOO rs. ; merino de duas larguras a 2^000 rs. 0
o covado ; alpaca superior a 1/280 rs. o cova- ffc
j do ; panno fino verde cor de garrafa a 6^000 2
* r. o covado ; dito preto a 4/5O0 ri. ; tenyos 5
^ de sedada India, a 1/280 rs. ; sedas de cures, A
file lindos padres para vestido, de senhora JJ
a 1/000 rs. o covado ; nielas cumplidas, estam- J
padas com bonitos desenhos, imitando seda, a (S
jtt 320 rl. ; luva de pellica .para homem i 11?
W n ; ditas para senhora, a 320 rs ; alltn destai J
'jy ha outras muitas fazendas bein como: ricas fifi
fcambraias de cores; lindoi riicados para vesli- *
dos de senhora, por iiiiitarem cassas, de diiUv 2-
rentes cores. $<
KflWfl^ftflWRWWrfW"|
~ Vendem-se C Talerfiacosem franceza 1300 rs.;
oculos para todas as idades ; ditos com cabos pan
theatro; luvas brancas, a 1000 rs. o par; bico pre-
to e branco ; suspensorios a po|ka ; e mais cousas
baratas para fechar contas; assim como urna mula-
tinha', muito linda com principios de costura, ebe-
gda do Aracaty, ha 3 dias: na rua larga do ozario,
loja de miudezas n. 35.
Vende-se um quarlodecangalha : na padaria
do Manguind, n. 51.
Sapatos, a ll'iOrs. o par.
Na esquina da rua do Cabug junto a botica ,
vendcm-se sapatos de marroquim francezes do to-
das as cores, muito bous, chegados polo ultimo na-
vio de Franca.
Vende-se urna preta do gento de Angola de
18 a 20 annos de muito boa figura : na rua larga
do Rozario a fallar com JoOo Manoel Rodrigues Va-
lonea.
Vendem-se 4 garrotes grandes, proprios para
carro ; na rua da Cruz, armazem n. 54, se dir
quem vende.
Vende-se a posse do um terreno nos Afogados,
em muito bom lugar, com cento e tantos palmos de
frente e bastantes fundos: na rua estreita do Roza-
rio, n. 19.
Vende-se um preto denaco', bastante alto,
proprio para parelha de cadeirinha robusto o pa-
ra todo o servico : na rua da Cadeia-Velha loja de
ferragens, n. 59.
31 :irmelad a *?
superior em qualidade muito nova em caixinhas,
vcnde-se por preco commodo no armazem de (Jui-
marflos confronte a cscadinha da alfandoga.
CHEGUEM, FRECUEZESI
Na rua Nova, n. 8 defronte da Camboa-do-Car-
mo, luja de A na ral, se encontrar um novo sorti-
mento de sapatos de marroquim e cardo vilo, para
senhora a 1120 rs. o par ; estes sapatos fotilo des-
pachados no dia 29 do mez passado, e. he a melhor
fazenda, que seencontra no mercado: ricas man-
tas de seda do melhor gosto^ que teem appareci-
do ; luvas de pellica para homem senhoras e me-
ninas; sapatos de lustro e borzeguins para senho-
ra ; chapeos de palhinha, para meninas ; lindos le-
quescom plumos; chapeos de sol furia-cores, pora
homem ; crep de todas as cores; lindos cortes de
cambraia para vestidos ; luvas de seda sem dedos,
curtas e compridas, para senhora; tife preto para
fumo ; chapeo de sol, para senhora ; i hales de seda,
de lindos gostos; bicos de blonde ; ricas litas de se-
tim lavradasj e outras muitas fazendas do gosto,
que se vender por monos preco, que" em outra
qualquer parle.
-- Vende-se, na ilha de S.-Migue!, na villa de
Alagas freguezia da S.-Cruz, una heranca : na
rua dasCruzes, n. 30.
Vende-se una mulatinha, d20 annos, que
lava, ongomma e cose, tudo com porleicao ; na rua
larga do Rozario, n. 35, primeiro andar.
Vonde-se urna preta de nacilo do 17 annos,
de muito bonita figura que lava desalio e varrel-
la e cozinha o diario de urna casa ; na rua da Ale-
gra n. 9.
Vendem-se duas negrinhas, de 14 annos, re-
colhidas ; una dita de 20 anuos, que cozinha o
lava ; urna dita, de 22 anuos com as mesmts ha-
bilidades; um pardo, do 18 annos; um ptimo
moleque, de 14 annos; tres escravos do servico do
campo : na rua Direita, n. 3.
Na loja da esquina cnnfronle ao arco de S.-An-
tonio n. 5 de CuiuiarflesSaralim & Cmpanhia,
vendem-se chales grandes de cadarco, flngindo laa c
seda, padres muito modernos, pelo barato prec>
de 2400 rs. cada m ; lencos de cambraia eslampa-
dos a 140rs. cada um; brim franeez escuro, cn-
corpado^e de puro linho, a720 rs. a vara.
Escravos Fgidos.
-- Fugio no dia 23 do passado, urna escrava,
donme Mara, de nacilo Angula, de 18 anuos,
pouco mais ou menos ; levou urna porcilo de roupa ;
he batan do corpa ; tem uinn pequea cicatriz em
um braco, rosto redondo, nariz chato, olhos pe-
queos, cabellos grandes, muito ladina : quem a
pegar, leve a rua da Cruz no Recite, n. 26, que so
gratificar generosamente.
PEltN. HA TTP. DEM. F. DE FAIUA. 1^0.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMHEMH7UH_4FRNHP INGEST_TIME 2013-04-26T23:50:41Z PACKAGE AA00011611_08336
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES