Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08281


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Unno de 1846.
Sexta feira.ua
to-. Os annuneios dos asslgnantes sao in-
IJ .oven, ae guarda: o preso d.;
fe.
Vivno liffcrente, e as rcpcllces pela inc-
e i. saue nao forem asslgnantes pagao
I son. or 1-nha, e 160 em lypo differente.
PUASES DA LA NO MEZ DE MA10.
I rscente a 3 a. 9 hor. e 31 ma. da man.
I f le a a 1 i as 3 hor. e 46 mln. da man
r^an 17 as 11 h. e 6 mln. da Urd.
**;?. a. 2 hor. e 24 mln. da man.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Golanna, e Parahyua, Segd.M e Sextas feiras.
Rio Grande do Norte, cheganas quartas
feiras ao uitio da, eparte as mesnias ho-
ras as qulntasfeiras.
Cabo, Serhihaem, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, e Macer, no 1.', 11 e 21 de cada mez.
Garanliuns c Bonito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as quintas feiras.
Oiinda todos osdias.
PRF.AMAR DE IIOJK.
Primeira as 2 h. 54 minutos da Urde.
Segunda as 3 h. 18 minutos da inauhaa.
de Maio.
yfnno XXII N. 114
DIASDASKMATIA.
18 Segunda S. Flix, aud. do J. dos orf.
edo J.doC. da 2. v., do J. M. da2. v.
19 Terca S. Pedro, Celestino and. riv. dll. v.,edo J. de paz do 2. dlst. de t.
20 Quarta S. Columba, and. ilo I. do c.
da 2.* v., c.loJ. de paz do 2. dist. de t.
21 Quinta ** Ascenco do Senhor. S.
Mancos, S. Valcnte.
22 Sexta S Quiteria, and. do J. dociv. da 1.
v., e do I. de paz do 1. dlst. de t.
23 Sabbado S. Bazillo, and", do J. do civ.
da 1. v., e do J. de paz do 1. dist. de t.
24 Domingo S. Rita.
CAMBIOS NO DA 20 DE MAIO.
Camb. sobre Londres 26 '/, d. p. 1/a 60 d.
n Pars 350 ris por franco.
Lisboa 105 p. c. pr. por me*.
Desc. de let. de boas firmas I '/, p. *A '"'
Oiiio ^Oncas hespanhol.is 3I500 a 3'OIXI
. Moeda de oflni) vel. 16K00 a 1G*8U0
deOfiOOuov. I6l>00 a 16>S0
. de 4^000 90000 a 9/200
IV Pesos Coluinnares 1*1180 a
> Ditos Mexicanos ll.V) a
Prata Mluda. l iKO a
Acedes da C* do Ucberibe de 50^000 ao par.
DIARIO DE PERKfAMBCO

EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
WASHINGTON, 27 DB FEVEREIRO.
Senhor. Quando recebi da primeira vet, por inter-
medio do mou velh migo, a Sr G. P. M. o ieu pedi-
do i|o forneoer ao Diario de Pemamhaco una corres-
pondencia regular desl metrpole, pouoo pentei nat
difliculdade, quo se npporiao ao doieropcnhu da tirefa
do .ali.faser leitores, de qaem en nada sabia, tenlo pe-
las obra geographioa e oulraa, -ou por occaiionao ar-
Ijini dejornaes. Aeeeilei o convite, ooino o teria feilo
ande qualqner dasnostas fnllias amrrioauas, sem he.i-
lr oas lugo iiioachei perplcxo, sem saber por onde
enmecsr, subre que, e sub que aspecto eiorever.
flo ineimo ultmenlo, em que, na ininlia irresoluoao,
enclava prstese abandonar a ideis, cliegon-mo a ana
collercSu de fnlliai. -Peroorri-as, c formei urna especie
de plano sobre o modo deenlrar em materia, por al-
guna nrli'os, com que nellas depsrei, eitrahidoi de
jurnac inglese. Espero, que Me posea oonvir e aos
eus leitores.
Eitimn iiniiti) ver, quo Vm. tambem deseja seguir o
,ytenia, novemente adoptado pelos nossos principae
peridicos, do tcrero correspondente por fra. Raro he
u jornal d'nlguiu oreditn uos Estados-Unidos, qur seja
inglc, qur alleiHlo, ou francs, que nao receba cor-
rc|inndencias regalares de todas a partes da Uniiu, e
os principae leum-ii'a tambem de fra. Entre ai my-
riada docorre|iondentes domsticos ha certaroeule al-
gn dolado de talento i na. ente sao ponen: sirvan
de prota algn dos grande jornaes de New-York, Phi-
laurlphia, Washington, e New-Orlean. Ha entre elle
prnpnela emenlirosna, homens imparoiae oparoiae,
exgersdures e mutiladoies, cavallieiro e patifos, sa-
bio e estultos. As oorrepondoneia fornecida de fra
aau d'um carcter omito mais elevado; o entre ellas
tal vez u encontr algiuuas das inaia cxoellontea produc-
joesdests eipeeie de litleratura, como, por exemplo, a*
da nion, de Yate-Toril Herald, d'algun do jornae
de Plnladelpliia, do (frunces) Courierdet ElaU-Vnii, du
(allemio; Sehmll-poit, e outros.
Na Inglaterra, j hoje se adopta o roetino >ytema;
e anda que em menor numero, deve-ae confessar, que
a generalidade d > corpos epislalaret nioatra mais talento
du '|iie o homo, fnsendo-te all nielhores leleofoes en-
tro aquellos, a quein lio confiado l*o importante ramo
auxiliar da puLlicidade dos aconlecimunlos, o da divul-
garlo de conlicuinentos geraes. Grande cautela deve
anda baver da parte do leitores cilrangciros em adop-
tar opinioo cmitlidaa, e grando reserva em dar crdito
so faci como sao referido por clles. Inglese san,
e Inglese* er. Faeo esta ob.erv.c5o por cauaa do
artigo, que vi no Diario, a re.peiio dos Estados uni-
dos j sio, pela maior parle, extractos de corresponden-
cias, a.iim cuino, eiu substancias, reflox6es ediloriaea
inglesas.
Moisexplieita e imparrisl informnclo nSe poderia ser
levada a mu povo distante, do que por lioinens bons e
fiis, residentes no lugar, ondo se pnn.au imporlanlen
acontecimentoi. Ile-i par tanto, arcan louvavel o enten-
der este ayaiema de riorreapondenoias, e procurar gran-
gear-lbe a estima e favoravcl aeolliimento do publico
cu; auxilio ha o tnaie esiencial para a tiutentago da
imprenta, < BI>A MACHINA OMNIPATENTE DE HEFURMA E
CIVILI'ACAO.
besa iiiiiiliaa corrrapondenciaa para o Diario tundea-
eni aproduir esc cneilo obro o seos leilore, eu i
julgana a uiclbor recompensa do meo trnballio o doi
nirua eiforcu. A ininlia m'ticia veraaro subre a po-
liiic. interna e externa dus Estadot-Uuidu, e especial-
mente para com o outros governos americanos, come-
candopela administradlo de tfr. Polk, como ponto de
partida, e tocando accidciitalmeulo era quaeaqner oulro
laetu, que poao ser de iuteresso para un leitor es-
Iraiigeiro.
PERNAMBUCO.
ELEICAO DE D0US SENADORES.
C0LLBGI0 DO PA'O-DOALHO.
OsSri. Voloi.
Bario da Boa-Vista.........
Kailo de llamarse........
Selisstiao do Reg Bsrroi ....
Pedro Francisco de Paula Cavalcanli de Albu-
querqua...........
Visconde de Goianna .......
^ igario Franciteo Ferreita Brrelo .
Amonio Joaquim de Mello......
Manuel de Souia Teneira.....'
97
96
92
4
COLLEGIU DO LIM0E1R0.
Os Sn.
Antonio Pinto Cbichorro da Gama
Eroeilo Ferreira Franca.....
Maooel de Souza Teiieira .
Msnoel Paulino deGoveia Muoiz Feij
francisco Honorio Beterra de Meociea
Msnoel Barbosa da Silva
Antonio Joaquim de Mello
liarlo da Boa- Vista......
*icondede Goianna......
C0LLEGIO DE SEBINUiKM.
0. So.
Bario da Boa-Viata......
' iicdnde de Goianna......
..&bi.aWo do llego Barros
DVtio de Itamarae......
Voloa.
. 97
. 97
. 96
. 96
. 96
. 87
. 8
1
1
Votoi.
. 22
. 1
. 17
. 17
Pedro Franeiico de Paula Cavalcanli de Albu-
querque. .........16
Ernesto Ferreira Franca.......
Antonio Pinto Chicorro da Gama .
Msnoel do Souia Teiieira ....
Msnoel Paulino"e Goveia Munii Feij
Vigario Francisco Ferreira Brrelo ....
Francisco Honorio BeserVa de Menetei
Mrquez do Hecife.........
Manoel Barbosa da Silva .......
Antonio Joaquim de Mello......
Uesembargador Joaquian Teiieira Peixoto de
Abreu e Lima.........
Thomai Xavier Gireia de Almeida .
C0I.LEGIO D0 RIO-ruBMOSJ,
Os Sn. vol01-
Bario da Boa-Vista......... 8
Sebastiio do Reg Barroi....... *"
Bsrio de Ilamarsc......... (s
Pedro Francisco de Paula Cavalcanli de Albu-
querqB _........... 1Z
Visconde de Goianna......... **
Ernesto Ferreira Franca ....... ?
Antonio Pinto Cbichorro da Gama..... 4-1
Vigsrio Francisco Ferreira Brrelo
Manoel de Souza Teiieira.......
Msnoel Barbosa da Silva .....
Manoel Paulino de Goveia Munii Feij .
Francisco Honorio Bezerra do Menetei
Autonio Joaquim de Mello.......
Vicente Tbomat Pire de Figueiredo Camargo .
Desembirgador Joaquim Teiieira Peiiotode Areu
eLima............
RESUMO DA V0TACA8 NOS 0UATRO COLLBG10S, II0JE PU-
BLICADOS, E NOS DO RECIPE, OLINDA, IGUARASSU ,
GOIANNA, 8ANTO-ANTA E CABO.
O.Srs. *J
Visconde de Goianna.........**
Bario da Boa-Viste.........|1
Birlo de Itimarac...... *78
Pedro Franciico de Paula Cavaleanli de Albu-
querque *
Sebastiio do Bego Barros.....
Antonio Pinto Cbichorro da Gama.
Francisco Ferreira Brrelo.
Manoel de Souxa Teiieira. .
.Erneito Ferreira Franca.....
Francisco Honorio Beterra de Menexea.
Manoel Paulino deGoveia Munii Feij
Minoel Barboza da Silva.....
Antonio Joaquim de Mello.
418
415
429
42i
419
386
380
348
165

Humo DK I'EIIVIAJIIML
INAUGURACO DA CAIXA D'AGOA DO PRATA, PELA COM-
PANHIA DE BEBERIBE.
Hontem acabou de testemunhar a populaco do
Itecife urna tlessas scenas de Tamilia, que, de quando
em quando, veem despertar o povo do embevecimcn-
to, em que vive com apoltica, aue o dclinha, para
o transportar, risonho e ebeio do movimeiito, para
o campo das realidades. A expsito e abertura so-
lemne da elegante caixad'agoa, que, desde ja, lor-
nece o Recife, e o jorro dos cbafanzes provisorios da
Boa-Vista, que ao mesmo lempo comecario a correr,
foi urna verdadeira resta provincial, dada pelacom-
panhia de Beberibe nossa populagao, que, pela
primeira vez, ha boje 300 annos, ve un manancial
d'acoa, aberto em seu seio. ____
Iiesie as 8 horas da manh3a, que a ra do Pires e
as adjacentcs seacbavflo cobertas de novo : utn ba-
talbflo de linha, postado a esquerda do edificio, Ihc
servia de guarda de honra. **8.11 horas, ad.rcc-
clo da companhia de Beberibe, ass.stida de un mi-
meroso concurso de cidadSos respe.tave.s deludas
as jerarchias, que ella havia convidado com antece-
dencia, appareceo, emeorpo, junio aca.xa dagoa ,
eahi cnegando, logo depois, oExm. hispo d.occsa-
no. he foi entregue, pela direccao urna rica chave
de pata, com a qual elle abo urna das b.cas da cai-
m, que para logo, comecou a Iancar a 13o pura
aea? que todos es.cravao, e que ah fot saudada
com xuema alegra pela mulliduo. Depo.s oifcxm.
prelado subi a hacia de pedra, que, serve. Je apara-
dor, eahi altcoutres vivas a S. Magestade, a ra-
mil a imperial, caos honrados l'ernambucanos, quo
desempenharao econcluirao obra Uto "t'.;cujos vi-
vas foo correspondidos dentro do ed f.c.o com
grande entbusiasmo. E, em seguida, torio lofco
fbertas, pela direccao, as den }' dp?"" "
a atoa, que dellas sahia, inundava toda a ra. Cons-
ta nos que a ceremonia da abertura dev.a ser ese-
culada pelo Exm. presidente da provincia, que, na, a
Uso fra respeitosamente convidado pela direccao;
sentimos bem, que os incommodos de satide de
i uc."he nao permittissem desempenhar este acto
^oTxm'Daslor, assistido da direccSo da companhia,
jo^8?qdu^fsendo%erenpes para o^iublico,
'Tn^m^^^m^ i"^nado o re-
positarioo os douschafarizesdaBoa-Vsta,que,desde
manhSa, se viao ornados com arcos do murta e caf,
e decorados com bandeiras nacionaes o de dTeren-
tes nar;es amigas. Em face de cada urna dessas tres
fntes, haviilo corotos do msica militar; e estees-
pectaculodosuavidade por ahi releve attrahidn im-
menso concurso de povo at de madrugada. Cons-
ta-nos, que a companhia distribuir gratuitamente
ao povo agoa por quatro dias, em memoria do re-
gosijo, que a anima.
Nao he nosso intento enumeraramii asdilllculda-
des vencidas pela companhia do Beberibe, ou antes
pefh honrada direccao, que a representa, n'unw trra
como a nossa, onde tudo sao embaracos para urna
empreza, que se levanta. J nos, em outro artigo,
que, ha algus mezes, consagramos agoa do Prata,
ileixmos consignado quanto tambem sabamos dos
trabalhosdacompanbiadcsdoasuacreacao.fundados,
pela maior parte, nos seusproprios relatnos; boje,
porm, que ella acaba de pousara cupola do sou edi-
ficio; hoje que a companhia acaba de legara nossos li-
Ihoso primeirodos prescnlcs,que as cidades modernas
reclamao, solios cabe felicita-la detodoocoracao.por
tao grande honra.e proprtr os scus nobles esforgos a
quantos d'ora em diante tenlarememprozas de seme-
lhante carcter, como um modelo de persevoranca ede
patriotismo. Poucomais resta fazer companhia para
concluir a sua mlssBO : continuar a ramilicar os
aqneductos desde a ponto da Boa-Vista ate a do Ite-
cife, e d'ahi ate Fra-dc-Portas, e assentar oscha-
farizes permanentes nos lugares, emquedevem li-
car. O maiscsl feilo. Quatro homens cheios do voli-
tado mclte-nlo hombros obra.cercrfio-se depois de
quantos conhecerao a utilidaile da empresa, o, alen-
tados o impellidos pelo distincto patriota, que en-
taosoachava afrente da admiiiislracao da provin-
cia, acabaode levar aocabo oempenio Essea qua-
tro homens vimos nos confundidos por entre a mul-
tidilo, que se apinhoava a ver a ceremonia, ou la-
lendo parle daditeccao da companhia ; mas.aquel-
lo, que Ihodra incremento, aquello, sobcujos aus-
picios a companhia alcancra os privilegios, quo a
suslentao, esse... onde eslava elle ? -- Sumira-o a
aracem do desgosto ; arredaia-o a ingralidao pa-
ra longo desse theatro E todava, nafeata damau-
guracao da caixa d'agoa, que tem d'abastecer o Ite-
cife, era a presenca desse liomem distincto, que ah
todos procuravio com os olhos humedecidos. A in-
veja acusa-o d'elle ter engrandecido a sua patria
com edificios de primeira ulilidade, e de ter man-
dado construir pela provincia muflas puntes c estra-
das Horror, e miseria !
A companhia do Beberibe acha-sc, cmfim, conso-
lidada. Consta-nos, que o capital, que ella tem re-
colhido, he mais que sulliciente para continuar com
ostrahallios, que tem em mfios, eque ja a direccao
iulgra desnecessario emittir por ora mais apolices.
Em breve as veremos subir tiesta prtca, e augmentar
assim o crdito ja robusto da companhia.
O Diario de Pernambiico, que he hoje- chamado a
representar o progresso dopalz, pelas ideas de as-
sociaeao c riqueza, qno mo cessa de inocular em to-
das as elasses, desejara, que ..sitieros eminentes da
companhia de Beberibe fossem em pouco lempo
taes que a deixassem satisfactoriamente compensa-
da de MUS esforcos o perseveranca. Keliz.ncnte este
nosso desejo, que he bem sincero, tcnicm seu livor
todas as probabilidades do calculo.
Honra cgloria companhia de Beberibe .
Coiiiiiiiinicadns.
A indu.lria lie a erigen di felieidnile
del iince, o a pregnica urna pella
em todas aa coua.
ramuM.
Pretender, na poca presente, domonslrar as grandes
vantsgens doi Irilbos de ferro [railtoay) (I) para qual-
uer piis, parece-nos absolutamente desnecesitrio ; mas
e'onvm mostrar, que o pair, que os nao adoptar, por
maiore que sejio as suas riquezas naluraes, tem ne-
cesssriiniento de ficar em atraso, ou de decihir em mul-
to pouco lempo.
Al empresa! deste genero, quo aclualmento seem-
prehendem. bislio para comprovsr esta Ihese : sirva de
eiemplo o gigantesco projecto, que ja deve estar eio-
culado, do railteayt, que vai atravessar a India, de Bom-
biim a Calcula. Sera talve mais conveniente e mes
.no natural, que o Brasil tome, por norma, os Estados-
Unidoi (2) ni adopcio do planos para tao importante
lim e nos psrece ser isto oque Pomambuco deve fa-
er quinto aotei, pois que, a vista di benfica obra do
eocammento da agoildo rio da Prata pira a B.i-Vis-
ta, nio he poisivel, que recuo na carreira das melbo-
ra'. reacs desla bella cididee fertiliniina provincia, mu
antes se deve esperar, que o nascente espirito do atso-
ciicio lafi progresso, o que, em ver de obras acanhadas,
inuteis, ou do mero luio, e dispendiosis, emprehende-
r outns muito miii importantes, que deom glorii e
proveitoiosemprebendedore, e ainda miior inleresse
aos teul deiceodeotei : logo que i ilto citejio decid-
(1) Cunservaiuns o nonio deroiicays em lugar de
|nlhoi ou oaniinbu do ferro, porque, na acoepcio vul-
gar, eatc nao eorrespondeni exaclaiuente a railteayt
__, i|Uc he o carril, uu earreiro de Ierro, subre quero-
dio oa velnoulo, ou machinas du louoinnCao.
(2) No imiurrinns os Americano n.idcpropoiti-
da eipveulafoei, un exorbitante* rmprc.liiu", ncm
no repudio do divida justa. : lae eien.pl... >' P*r* '-
vitar, e no paracliuir-.o pis que nao cunvoiu per-
der o bum crdito, queellei iratio de reouperar.
dos. se achariO aptos e poderosos pira vencer ai dib'cul -
dades.
0 boro xito do railteiyi de Liverpool a Mancheiter,
aherto em 1850, nao s servio pan dar maior eipaniio
aosyilem de railwiys na Grio-Bretsnba, como tam-
bem eiercen urna iiiflunnria muito mais ampia
Mr lluskesson, grande ministro e apolllo do com-
mereio livro, vio nisso um penhor pan a prosperidide
da industria agrcola, manuficluroira c commerciil ; e
o duque do Wellinghton caricterislicimente eielimou :
que bello modo para con luzr tropa e esle idoiis
sio hojo laclo realisados, e a obrs do prodigioso eflei-
to. Desperlou a emularan das niedei, e dos governos
princiiiies di Europa, o a msioria reconheceo promp-
tamente gran.le importancia de communicacdei rpi-
da! e extensivas para o maior desenvolvimonto e perfei-
ciodoisous recursos, e at para a descolarla e crearlo
do nnvns recursos.
A lielgici poi logo em pratics, em lodo o seu terri-
torio, um systema completo de communicacoel por
r si/io- >.; o qual, pela su i eilensio, he o mais peifeito,
Iue at hoje existe. A Franca, posto que mui sensivel A
aquisicio do beneficio), pouco los comparativimenle ;
mas agora escitou-l lo tmbalho com o vigor e ener-
ga natural i mu diitincrio e poder. Com muito bom
enso. e sem monor hesitacio tem empregado onge-
nheiros u milhares de trabalbadores ingleies, j i eiperi-
mentados, e altrahido avultados capitaes da meima
nici; oque redund em proveito mutuo,
Diversoseitados da Allemanhajfirerio muito, tratan-
do de unir pralicainonto o Zollverein, e os oulroi mem-
broi ila grande lamilla allemia Alo a Bussia j fez um
rai'.'ieiy pequeo, mas com bom succesio ; e ictual-
inentu so empresa em projectos 19o consderavfi, que
excedem lodos os da Europa. Apenn bauma, ouou-
Ira oicio, que nio lenha seu projecloi de mi/teay,
hoje nio s importantes, como necessarios io icu bem
estar.
0 bom xito, ohtido ni Inglaterra, aindi deo maior
impuiio i enrgicas lorca deshabitante anglo-moi
los EUidos-Unido. O rpido augmento da iui popu-
lacio, e a manifestacio, ainda mais rpida, dol teu* re-
cursos, eligi a eipansio dos meioi do inlercoinmuni-
cacao, como couia da absoluta necessidide ; e pira el-
le lim nio tirdrio em adoptar os invenios eapplici-
edes doi engenheiroi ingleiei, ibrindo os bracoi cea-
(enirei. ecentenare deconstruelore irlandeiei, e de
iulr s muitos paiies.
Ha 12 innos. que m s Estidos Unidoi principiarlo
osmelhorimentosdoscamnbospara a locomocio', e ja
cont, por toda a Uniio, mais de 150 railvay em
osereicio, computados em mais de 2 0U0 legoaide com-
primento Seguindo o exemplo da Inglaterra, as em-
preai nos Estados Unidos leem lido, quaii todas, de-
vidas a companhiis particulares, excitad! pelo desejo
de satisfazer i ilguma precisio local, o por isso ippare-
ce i falla do um designio capital, e de um sjstem enn-
nexo; o que nio teria acontecido e le tivessein mail ero
vista M inleresses nacionae, como icohleceo ni Bl-
gica. Semdclueidar, por ora, osli questio, basta di-
cr, quo se acha provado, pelaexperiencia, que lodo o
rualquer plano de ra/teays deve ter um syitem ex-
tensivo, e abranger as nielhores localidades, em linba a
mais directo, que lor possivel, de um a oulro poni
cardoal ; e quo as pequea! bnhas s dio ivultidoi o-
teresse, quando parlem de umi cidide pira oulra, que
j tem aro trafico eslabelecido de genero, ou depis-
sageiros; e tanto ho assim, que, apparacendo boje na
bolsa de Londre um projecto novo, trata-ie logo de
indagar, se a linha he estenca ou curta e veremos, pe-
lo que se segu, que noi Estidos-Unidoi te trata ac-
tualmente de unir o pedicoi de roi/tayj, que eita'o
leitos, para se formirem linlin completa du cididei e
portos do Atlantic. para os ligo, nos, e campoi de cul-
tura 10 Norte, Sul e Oeste, e al meimo eos SerlOei, e
centros desso glande continente.
Tal he o resultado, que agora ipreientio ai empre-
sas de railuayi ooi Estado! Unidos, que, entre 150 li-
nha em ejercicio, ba 60 de menos de 7 legoal de exlen-
iSo, e o comprimento medio de lodo! nio excede de
loiegoai. Podemos, com ludo, aponlsr no mippi oj-
io linba principeei, que, para se completaren!, s preci-
sio do obras insignificantes comparitivimente l que ji
so achio feilis; e nio ba duvida le que a conveniencia
geral se epressar em exigir, que eise pequenoi inler-
vallos, ou falla! desipparecio inleiramente.
A primeira destas grandes carreirai decommuniea-
tioterimai de 500 legos de compndo, atravesando
trese doi estados: para completa-la, ba 4 inlervilloi,
que, reunidos, leiSo perto de 100 legos, e que por or
olerrompemo rai/suy de Maiisehusels a Honda.
A segunda gnndecarreira, j* completi, tem o seui
dou trminos em Bolln e em DuOalo no ligo Erie.ie
a dislancia de 170 legoas: obra magnifica e de nnmen-
II importancia ; sondo de notar, que eite ligo existe no
interior da pis, ima da celebre caioeira deNugira.
e que,por umi plinicio frtil,so communieseom oiou-
iroi grandes lago! da Amerie .-do-Norte, coro o rio
S-Lourenco, com as cabeceirss doMeiiiuipe, e com
oulroi rioi notiveii.
A terceira, de New York at o mesmo lago Erie, Ur
150 legn, em construccio, e he lio importante, que
os legisladores deNew-York sulorisirio um empresti-
mo acredito do estsdo de tres milhes de psol pata
mi execuQio. Pelo seto de incorporicao, a cotnpinhia

i
,

'


ohrigou se a completar i quirt parte cmlOannos, a
tnctade em IS. e a conclu- la em 20 ; e por urna clau-
u':i obrigou s" i( transferir o railway ao citado, e el-
le u exigir, pagando-se-lbe ocutlo cum os juroi de 14
por cenlo ao anuo, devendo iito ler lugar smenle cn-
Ire n iO.'e l5.inno. depois do completa.
A qusrla unir a cidade de Pbiladelpbia com a villa
do Erio. no lago do mesmo nome, sendo distancia do
um a oulro termino do 140 legoas.
A quinta rstende-se de Philadelphia a Pillsliurg, no
centro; eomroe-se de railways e canal ; lie de 130 le-
goas, e atrivesii i grande serra das montanhai de Al
legbany. Para vencer ditTiculdades, como a de urna su-
bida de 1100 pi em 10 milbn, e a descida de 1180
ps em 26 inilhn, do oulro lado construir-ce planos
inclinados: no cimo do cada um plano ba duas machi-
nas nas, que puebao para cima carros com o peco de
910 armli. desceudo oulro tanto peso ao maamo lem-
po, e fatem-ie om urna hora dei viaxens deltas. Nao
obstante terem-se frito escsvacdei de 84,928 tracas
cubicas, inclusive 13.486 bracas cubicas, em rocha vi-
ta, o cusi lolal da obr, com machinas e mais eccesso-
los, nao eicedeo de 9400 por milha (3), sendo alies
esto r..i i/-a, o mais dispendioso da Uniao.
A seila se prolongara desde Balllemore al o rio 0-
bio. no centro, com a distancia de 93 legoas; e tem dil-
ficuldades i vencer a ultima, mas inuito menos dis-
pendiosas, e, como essa, j esl om grande adianta-
Dieolo.
Aselima, podo ja tenha alguma coma feita, pode-
so diier, que pouco mais he do que um projectu mag-
nifico: s lio iic ( lurii -ion, porto atlntico, para a ci-
dade de Cinccnsto no centro, sobre o Obio, braco do
Miscistipo, o a distancia lie de 240 legoas.
Aoitata estrada principal consiste emuma empresa,
que lomou a denominarlo de railway central ; ten.
(11 leiioas, e lorma com varios ramos communicacao
entre os estados do Sul e do Oeste, eos do Norte deste,
I slc railway tem urna s luida de caminbo, ou car-
ril com volteios, ou desvos as estancias, paradas, ou
de espiro em espado : os cerrs de ferro esli sustenta-
dos sobre dormenle de madeira, em lleiras continuas
snenle; e toda a obra beoeum carcter mais super-
fina! do que se julgaria conveniente na Europa ; para o
que o clima he avorave!, vislo nao ser necessario pro-
teger os olii erres da geada.
Duvidou se roulo, que os carril, e as hase asiim
fundadas, provassem bem, quanto a firme e lorca ;
mas a eiperiencia de tres annos mmtrou, que, somma-
ds a di terioracOes, ou desarranjos, avullavao eni roe-
nos do que os qun usualmenle apparecem, e que os li-
vres reparos, que so fizerio de mister, forio pouco dis-
peniliocoi, em rasio da felindade, com quo se pode
substituir quslqucr parle da obra. O cusi desta linda,
por este nindoderonslrurcio, foi extremamente dimi-
nuto, islohe, de 2,300,000 pesos; correspondondo a
menos de 2,500 por milha.
I'rreorrrndn rstai linhll nn mappa, riT-se-bn, que
as principias eididn dn Atlntico citan unidas nrrsi>
minlioa internua, o iiuc tuda. e ardi m eonnexlu
Cuta I grande, lugo, c rint do rcnlro no Oeste, abrin-
do-lhei Main as cuinmunicacuc. ooni o Norte e Sol O
rftrltnldealea nicllioraminlni para ele,envolver <> re-
cursos de mu paii habitado por una rae, rniprchende-
dora eindo.lrioia, nomo a du. titado,-Unido, quaii
quo nao ic pede avallar. Com o ret.rno proiperidade
do c. nill.rrrio odllfininca de 1837, paro a 'pial niui-
to ronlribuirlo ai obras, de que traamos, tem-ir reno-
vado .1 eiteimSo, o coinplclaiuciilo do yilcni.i, o em
poneos iinin.s podrr-ir-lia ver FSie pal perfcitaniriit
eortadu ra tudas a. direccAas com oanaea o rasYwsm
Ib,. Que tac. obras deem bom rr-iornu ao repita! empre-
ad,,, niu pode entrar rm dunda, n viatn do malo n.ni-
pnralivanirnlebailo, rom que sin realiada taea empre-
mi na Amerita, uto o btanla 01 grandes juroaea dos im-
hall.aduna u iandi lo < europeo ; e a lila dna flluroos
gigantescos deura pnvu aliento c determinado adtn-
ar Briqueta material do nn pait. Mas, Mjaqual foro
lurrn, grande mi pequeo, .. rerlo lie, quo o estado
i liver rattWeys, lia de tirar deiles |randHmu pro-
qiu
vciti
No nuno de 1840, talrulou-se o inlereiio d capital,
pur lodo lis ciados da Unan, rm 0 por rento apenaa,
inlereaae muio moderado naqorllo pait, mido os lucros
So gi ramenle grande mas lio provanl, que, se Pol-
i'in ralonlados nos deusannosseguintes, seeharia um
resuliadoroa.il satistaetorio, apesar de ler ido ooom-
uirrrio nena, opeen pouco favoravel ; e boje tem duvi-
da apparrccru iiiuito uinis anillado lucro.
Urda nitureu deiln etapretas mulliploar si trina-
nrifie. roniliiercinea, pela faeiljdade, que cffrrcfcni a
menino do oreara industria agrcola o manuraetureire,
em lugares, em que ante nenliuma eiislia ; detorle que
uma linda, qu em sua abertura ganlm apenas para cu-
brir as toasdrspriat, pode, em poucos annoe, tornar-io
una iniprria de mono proveito : c amulo le abrirlo
lindas om circunstancia, maii favornvris, leni-sc vis-
to, em Indos na catot, que o trafico exilenle era lusrcp-
livel du grande externan.
O sjstcmi de railways nos Eil.dua-Unido. lio aind..
ba.ii.uiie recente | a .> dar muilos ciemplos dealaa Irn*.
mut*(oei; mas podem-M apresentar os teauintes :
Um railicay no citado du Nevv-Jrmry, rom 2 legoas
que firou completo, cuitando /i,23U por niillia, moi-
Irou em lai operaron um augmento firme e prtgrca-
itii, lano em paasageirns, como era ganares ; do mo-
do que, em 0 auno, vbrgou o augmento de pasaagaires
a 05 por rento, c o du gneros a 125 por rulo; a ni
menino lapso do lempo, a somata dos rcecbiiiento. lj-
quilina aiOOOOO minln du aiiilo lulal da linda.
ulro no otado de Ncw-York, quo fai parlo dn se-
gunda linda, j descripta, eom 20 leg.-ai, acomUaida
ooin o dispendio de 43,160 pur ntida, rendo, pelas
laxai de poilagriu, que nerdo, ..... de 135 per rrnlo
no nuno. Aleiu das oito grandes liudat, da mu avnliadu
nuinrro de railvays do inainr ou menor eiteuao, uniu
do ni porloi do mar com ridadei e villas inamifacliirei-
ra, e cum os buiquea e uiallai ; ai miniii de cartSo, de
fer'u, e de onlroi roiiiFrarinomoi lagos e ros, oestes
rom m inimriisos o remoioi canipui de cultura do Uc-
' uente, un eorlio inontindii o rorbcdoi, cin quo se
team frito lunneii, raniiudoa lubierraneus do iii,\i. de
mil pea de ooaurimenlo, escavanes o alerros de innii
de 1U0 ps dr altura, o via-duotos de madeira, de 1,500
| l du entlalo ; o outioi montes e valle por difieren
les raeiui, asiim como riot do grande forca
lobro ponlet de di venas conttruccfies, de ferro e dr
madeira, o at Tolantei o movidos por vapor, para nto
impedir a naregacSo.
Comparando com a Inglaterra, o cuito dos railways
na America be mu diminuto, e Isto resulta de varias
circumstanclss : os omprehendedores comeco por poo-
par as enormes despetas de conlestacOes parlamentares ;
nao encontrao Interesses adversos, que tenhSo de com-
prar, nem reclamacdes eiorbltantes de trras para sa-
tisfaier. A presenta de um railicaj, em qualquer dis-
Iricto, hesaudada aacolbida como quero vem trateraos
proprietarios e forelros das trras vsntsgens lio reaes,
que ontendem ser do seu intereste promover a empresa,
cedendo gratuitamente, nu por precos mdicos e rasoa-
vels, as Ierras precisas para a sua installscio ; e pde-
se julgar quinto lito contrlbue pin i econcmli di
obra. Outri circunstancia Importante he, que nos Ei-
tados-Unldos cootentio-ie em viajar com melada di
velocidide, queserequer em Inglaterra : para obter a
euileiia Qi5,8 lota, iid'j 16 r,cCdi>au usseiiiaf a indo
tanto ao nivel, como quando se exige milor prstese, e
conseguinlememe poupao-se mullas despetas de esca-
vano e sierros ; alm diito, em um paiso menos rpi-
do, pde-se admittir curvatura de multo menor radio,
de que o tndispensavel as grandes velocidades. A eco-
noma comparativa do passo lento com o rpido e icce-
lerado, e do melhodo, em que se pode admittir degios
de inclioar.fies e curvas, cum o em que sao inidniissi-
vels, se acha demonstrada pelos fados do modo seguin-
te ; liini machina de loco-moto ordinario, i rasode 10
roilhas por bori, pdepocbr 250 toneladas, IS milbis
130 toneladas, 20milbas83 toneladas, 25uiilbis SO
toneladas, e fi rasio de 30 milhas por hora s pucha 28
toneladas : he evidente, que da mesma forma, que a
foren he exhausta pela velocidide oblldi, issim ser
tambero para vencer uma dillerenc de nivelimeoto, e
esl verificado, que, para vencer a altura de um p em
300, he precisa uma torva de transac(io duas vegrs
maioi do que se requer pan mover a misma carga,
igual passo, em um nivel plano ; pan a altura de um
p ero i K, forca triplicada ; de uro p om 100, qua-
drup'icada ; e para a altura de um p em 75, he preci-
so forca cinco vetes roaior do que om um plano.
Outra caua de economia provm do baito proco das
madeiras, da sua abuodaocii e do muito uso, que del-
tas se Isi, appllcsndo-i, em lugar de pedris da ilvena-
rla, no fabrico das pontea e viaductos ou pistidicos ;
o que ludo fai urna grande dimlnuicao no custo das
obras, nio obstante ser o ferro mais caro do que na lo-
glitem. Lencos considenveis de railtcays na America
sio sustentados sobre estacas, formando uma especie
de ni duiii,e, de construcco inui simples, roas tortee
boa : tatiibem se emprega a madeira em lugar di pe-
dr, pin sustentir os carrlsdo ferro (railt] ; e em al-
guinas lindas os carris mesmo sao de madeira, chapea-
dos com foibas de ferro, pela parte de cima, no lugar,
em que ha o contacto com as rodas
Aqui cabe notar, que se podem aprovel'.ar as madei-
ras rijas do llrasil para os carris, talvet sem inconve-
niente algum, roas sitn com maior vsntigero do que se
pense. lia tambem economa no uso da lenha, om vei
do i'iirvn, para as marino -s de locoroocSo. Mas, sobre
todas as economas comparativas, a roaior he,que qua-
si todos osrailways dos Estados-Unidos, al agora lej-
os, tii in una so linha de caminbo com desvos para
os lados, ou volteios de intervallos, ou as differenles
estancias; entretanto que, na Inglaterra, todos osrai-
Itcays saodobrados, ou tendo um caminbo para ida e
outra para volta.
De taota importancia se julgro os railways na A-
merica do Norte, que at o principio doinnode 1844
poca, a que este rascunho se refere em geral, os diffe-
renles estados baviio autorizado o garantido, sob o cr-
dito de cada um deiles, os einprestiroos seguintes :
Pensilvanli................ 4,964.31)0 pesos.
Seteitemundi ha,quo vio faierem-ie iniiniiaciei len-
"entci cnnpromelter o pardo Luis, e tima carta do Sr.
Callo alleilou a exittencia de pastos dadoa.depoia da dei-
prnnuncia do pardo, para sobre elle reeaUir criminali-
dade, ho evidente, que n.lo F intriga, nem nvencio
altrelo da eiiilennia de plano de iniquidade, ardido
contra o pardo; pah que dola dSn tutteniuodo pesioai,
que te indigitln e mmelo. At a deipronunoia nem o
Sr, Birroto, nem pcnoa alguma da familia, era o pro-
nunciado Joaqaim tinlia cnnviocln do harer o pardo
parte lido no aitatiinato ; porque aiiiro o oonfesiou o
Sr. Barroio, na ultima correspondencia ; eoprova icar-
ia doSr, liirrot Correa j publicada logo, a mudanca de
eonviccSo foi poiterior a deiproniincia do pardo; raat
poii da deipronuncia honverlo iminuacra, ederlo-
e pattot para faier comprometter o pardo : a oome-
quencia pvrece sor, que emi iminnicSe e panol forlo
a cauta delta mudanca. Coma, que o pronunciado ne-
iiIiiiiii inieroate luoitrou pelo pardo Luis; eaeelletivei-
io ron.ciencia de lia ver o pard lulo pane iiuiiuuiim-
10, o dira logo, e nSo te eonterrara era diuturno si-
lencio at apparoeereni nsinuacdei. Pareoa difflr.il ex-
plicar o procedinienlo de interonar-ie o Sr. Barrosu
para o Sr. Callo faterrecahireriminalidade aobre o par-
do, quando cnnfeitou, que linha eonviccSo de tua in-
nucenr.ia; e bem asiim de interetiar-ie depois para tu-
marem-ie contra elle doclaracOai; porque, tendo ai de-
rlaracOea doa reo nctiai circuiDilinciai contra ti a
prriHropfio de terem eiludado meio de arredar de li o
odioto, nlodeviSo fuer decididamente mudar a opinilo
do um liomcn, que, por ler poiioa de caa do fallecido,
ettava, por oiilrai circumttanciai, convencido, auim
como loda a familia, que o pardo nenhumi parte leve
no assassinalo. NSo roo parece caber o epilheto de iin-
puSlor ao Amigo da tardarle, que nlo proeurou com a
capa de jmlica tltiifater tuai prcleiices, ante com
teaiemnnhai e doouinenloi raoilroii o fundamento, que
linda para diter, que havido linha om plano do perdilo
contra o pardo Luis, O publico avahe. Pruoisava-ae do
empenhoi para a juttica pronunciar um deigracado
pardo captivo,le criminlo folie, quando a juMi(i pro-
nuncia v.i uni livre draneo e rioo? Ento para que eni-
peiiliot. eiforcos &c. &' ? Disse o Sr. Barroso, que o
reo confeasou, porque conlava cora rinpriidoi conie-
guir a abiolvicio ; uiat, dciengaiiaiio, quit faier dccla-
racfle contra o pardo Lu. Qiirm foi que o convenceo
Massacliusels............... 4,990,000
S.-Carolioa................ 3.000 "00
Ulinoes.................... 7,400,000
Tennesse................... 3,730.000
Louisiana.................. 500.000
Nova-Ymk................. 3,787,700
Maiyland...........'....... 6,500,01)0
vi'gmia................... 120,0110
Kenluiky.................. 350,000
Indianna................... 3.600,000
*labimi .................. 3,000,000





Michigan................... 2,620,000 u
faiendo o total de 43,871,000 pesos, ou a enorme som-
ma de 77 mil cootos de ris da nossa moeda.
A'iiita deexetnplos (So palpitantes, o que farao os
Brasileiros a bem do seu abencuado solo, da sua nas-
centc industria e do seu amortecido commercio ? O que
farao os Pernambucanos para a reorgioisacSo e prospe-
ridade da sua patria ? Receiar6 acaso, depois do bom
eiile da imporianlissima empreta do encanameoto das
sgoas ? Nao, nao be posiivel I Nao Bcird, por cerlo,
estacioosrios e meros espectadores do adiaotamento do
outros povos, num consentlri, que a provincia, que
tantos recursos tem ero ti mesma, se atrase anda mais
na sua industria, que o eslabelecimento de trilbos e
ferro pode facilitar e promover. Abrir se-bio, estradas
(railways ) para o centro da provincia, e anda para
mus looge : far-se-ha lito pouco a pouco, mis com
animo c persistencia ; e, urna vet dado o impulso, esta
mesma geracao concluir as obras, que omprehender,
pois que ai dlllculdades decrescerfi com as vantigens,
qde deltas necesssriameote hao de provir, a proporcao
que se lorem eslendeodo.
Triti-se de prlocipir por um railway do Beclfe a
Olloda, que ser um bom ensaio ; depois. tratir-se-hi
de um projecto, roiis importinte e lucnilvo, pin a ci-
dide di Victoria I que pma a Dos, seja uma victoria i
e dabi em segultneoto at o Rio-de-8.-Francisco ; e de-
pon outros se apreseotari nio menos interessautea ou
de absoluta neceisidsdo. Feito Isto, renascer a culture
do algodo, outi'ora lio Dorecente e boje em completa
decadencia; e so, dequl a 30 ou a 30 annos descer sobre
esti tern o flagellu da steca, por dliposcio divina, po-
der-se-hs illiviar i milor parte dos soflrimenlos, e sal-
var da lomo rollbares de victimas porque Dos disse
o hornero : Comers o leu pao com o suor do teu
rosto. Succorre ao teu prximo, quando o vires
ero tribulacio.
do erro e o fes deaengaiier Mu teria quera o conven-
cen e deirnganou, que tambem convenceo da necesii-
dade de arredar do ii o odioso, fate-lo recibir sobro
pardo Luii, cstiini ver ir pudia merecer alguma indul-
gencia ? Nao cilio eiaat decliracfiei uro raeio lubiti-
lulivo doa empciiiioH, quo ie moitrou nio poderom ta-
lor obra ? publico racione.
Pnrcrc-me mal cabida a iinputa(io do impostor o in-
trigante frita pelo Sr. Barrlo. EitS provado, que, de-
poii da deipronuncia, algueni deo panoa para compro-
metter o pardo, c deni aiiun, quo na oadeia io tiierlo
iiiMiiiiiiiiir ao pronunciado,como declarou pcnoa, que,
por ir ao lugar, vio o que nio poda ter valo por quera
adi uJo foste, o nlo etliveste, epor ittn nlo pde-se
chamar intrigante impoilor ao Amigo da vtrdade.
Emendo,qno a eurrripondeiicia ultima do Sr. Barroao
conten confis,eie argumentos contra o corre.penden-
te, poieiii nada uiaii dirri,porque ercio que hoja dito be
quinto baila ; o o publico qne avalie.
Sou teu leilor
Santiago.
Sr. Flix l.'amfi de Oliveira. Por amor da ver-
dade, queira declarar ao pe deila, se dine ao pardo
l.uti, quando preso, que, indo a tala livre, como juit do
seguro, vira i ae enar cn.inaiido ao prononeiado Jon-
quim fjoncelvci, como o o que devia diter, alim do re-
radir sobro o dito pardo Luit a imputadlo do crime, dr
que era are usado o pronunciado; c,se quando vosia mer-
c iaao disie ao pardo, e.i.na nagradu um prelo, que li-
nda ido levar alimento ao dito pardo Luis, e permiln-
me poder faier da rcipoiU u uso, quo a bum da verdade
tur niiilor. Do vusa merc venerador Almeida.
lllm. Sr. Almeida. Rcspondendo a carta de
vo.sa merc, leudo a duer-lhe, que he verdade ludo
quanlo nella relata, p.iii ealou diito beru cerlo. Son
do vo.ia mrrr, tervo venerador e orlado Flix Go-
mes d'Oliveira. n
i.Kstavo recoiidocidas.J
2 ciixtobii imprenoi; a Minoel do Niicirnento p
reir.
1 caixote girrafii, i dito roopa, 1 enbrolho igai)
ra-so, 19 barril carnes, 1 caita laoguetogii, i Cl '
do de folba ignora-ie ; a ordem.
50 birris aieite de oliveira; a Hinoal daCaabiGui.
mnraei Ferraira.
1 caixote imprenoi; a Fraocisoo Ssveriino Rin.ii.
& Filbo.
0 taceos notes, 10 birria eiraes; a Augusto Ceiar
de Abreo.
4 barriess p (nio declara a qualidade), I aacco pi.
neiros; a Antonio Henrique Rodrigoes.
81 pipis. 20 meiii ditii e 95 birria vinko tinto
brinco, 30 barril piioi o chourijos, 20 ciitss touci-
nbo, 10 birris iteite de oliveira, 10 pipai Vinagra {
birrion carreja, 10 ditas alpisti, 10 ditas cavada, 20
ditas farolos; a Joaquim Ferreira Mendos Guimariu.
Consulado.
Rbudihehto do du 10.
Geral..........................,
Provincial.........................
Diverts provinein.................
2:88,718
877,818
191*038
3:985*572
Hovimento do Porto.
COMMERCIO.
Alfandega.
Keniumknto do di i 20................7:581*371
uearrego hoj 22.
Polica ErnestinaIsges.
SumacaSant'Annacharutos o fumo.
Barci*firinbi e firelo.
Bri^ueLaurabarricas vititl e bacalhio.
Barca -yVaearri lirinhi e bolicbinbi.
BrigueArmoriauemercadorias.
Brigue5.-Z>omin(>oiidem.
BrigueNiord dem.
Brigue Sagitariobtrrica vniis e fumo.
Correspondencia.
(3) A libra ilerlina _
iiiai. ou n.enn., 9,000 ... da no.aa moeda papel'.
(4) Salcmoi, q,.e, nu prineipin do correte auno d
IS.o eiilr*rl..enio|H.-ra6a. 3000 legoas dinilw
un baladoi-Unidoi, e nuca uaciu vai
jieridade.
i S',-R",ct'"~ Leodo.correipondenciaiilliiu,
do Sr.. Julo >epurour.en Birrot, ,,e acui.na doimpus-
lof e mingante o Amigo da verdade, entend, que nli
ev.a paiiar vera reparu, ,i,,o oomo de cerlo modo po-
do rila for.r a pe,.,.qe por ,d, u, ,ilu,, ,, ^
derc.peilo. entuna, principalmente Ul,do visto em
conh.mra um ducumenlo.jde que depoi. ,,,0 apoe, ; u
qnal, junio ai Cartel do. Sr.. Clin e Barro. Correa ja
publicad., di muila lot ao negocio. E.ie documento
de urna caria (abano Iran.eripta) do juu da cadeia u
qual declarou ler visto rstar-.o rniiumdu ao pronn-
ciugrande pro.-1 nado Joaquim Uoncalvca o quo devia diter para fajer
"recibir crinaiuilidadeiobre o pardo Luis.
corresponde boje, pouco
f
IMPOBTAgAO. .
ESK, barc ingle, rinda de Trieste, entrada no
correte mez, i conugnaclo de kalkmann & Rosa-
mund, msnifeslou o seguinte :
1925 barricas farinhide Higo, 200 ditas firelos; aos
consignitirios. .
S. DOMINGOS, brigue portugus, vindo de Lii-
boa, entrado nocorrenle mez, a consignado de Joaquim
terrein Mondes Guimsries, minieitou o seguinte:
8 barricas cibecas e ps de porco. 91 ditas cal ero
podr o ampo, 630 molhoi de ceblas encaixoladis; a
Holycarpo Jos Liyn
. 5 quartolis o 2 birris ixeile de oliveira, 1 caitote
preparacaeichimica; a Gaudno Agosliobo de Barros.
10 barricas fardos ; a Jos Pereiri di Cunhi.
10 pipas vinagre, 10 ditas e 5 barra vinbo tinto, 20
ditoi aseite de oliveira ; a Machado & Pmbeiro.
15 barril vinbo tinto ebranco; a Aotonio Joaquim
de Anujo.
2 caliles bolachas, 10 barricis e 60 laceas trelos.
15 pipn e 45 barril vinhoa, 11 golpelba imendou.
40 barra carnes, 25 caixis touoinho, 2 f.rdoi capachos,
2camnbss impressoi. uma porsio de cebolat ; a Fir-
mino Joii Feli da Roza & Irmio.
200 roolboi cebolat; Joiquim Guilberma Weddg-
tOD.
Vatios mirados no dio 20.
Van-Demm'i-Lind ; 82 din, barca ingleza Union,
de 327 toneladas, eapitio Mirk Todd, equipigeat
16, carga azeite, lia o trigo ; ao capillo. Condiu
12 pssssgeiros, o segu pin Londres.
Hiriobio por Ceiri ; 24 din, brigue-eicun bni-
leiro Laura, de 163 toneUdss, eipitio Antonio Fer-
reira da Silva Sintoi, equipigam 14, carga virios
gneros; a Novan & Companhia. Pasngeiroi, Mi.
noel Nunet de Mello, eom 2 etcrivoi, Jos Joaquim
de Carvalbo, com i eteravos, Porluguezn; Valero
Riidino de Souu Ucbna, Agostinho Fermodei Ct-
tanbo de Vnconcelloi, Jos doi Santos Godiobo, coa
aua familia e 1 escrivi, Minoel Jos Perairi Gomn,
Brasileiros; doutor Pedro da Silva Guimsries, coa
iui familia e 2 eacravoi, e 9 diloi a entregar.
S.-Citbirina; 22diai, brigue brnileiro Filis, de 188
toneladas, eapitio Alezandre Jos Alvos, equipigam
15 cirg farinha ; a Firmino Jos Flix di Ron
& Irmio.
Sintoi ; 18 din, brigue brssileiro Sagitario, de 2S0
toneladas, capillo Manoel Fraocitco dos Rail, equi-
pagem 11, carga fumo o birrieai vnin ; i Anto-
nio Francisco doi Santos Bragl.
Londres por Falrooulb; deite 64 din, brigue ingln
F'mma, de 185 toneladas eapitio Tbomn Pick-
wood, equipigom !, carga plvora, carvio de pedn
e faiendn ; a Fox Brothers
Navios aludos no intimo dia.
liba de Fernindo ; brigue dinimarquex Fortuna, ci-
pilio Hsrold Botbe, carga farinha e mais gneros.
Conduz o reverendo padre Joo T va res de Mello, com
1 ncravo, CaetanoJos de Freilu, alfere Joiquim
doi Sintoi Novel, com iui familia, 6 soldados, 1
aargeotoe 9 presos de justici.
Mscei ; gilen iogleu Columbus. eapitio D. Green,
carga algodio e assucar Vai acbar de carregar em
Mani,
New-Redford ; galera americana Carnario eapitio
Edward Harding, esrga i mes un, que trouxo.
Londres; barca inglea Jane-Goudi, capillo Jobo
Goudie, carg mesmi, que trouxo.
Htvre-de-Grtco ; barca franceza Ociant, eapitio Du-
casson, carga a mesma, que trouxe.
Navios entrados no dia 21.
Lisboa por S.-Tbem ; 52 din, e do ultimo porto 18,
brigue portuguez lUo-Avs, de 126 toneladas, as-
pido los Bodrigues Din, equiptgem 14, em loe-
tro; i Manoel Joiquim Birooi e Silva. Piuegeiroi,
de S.-Thoro, Minoel de Si, Julo Feroindei, Do-
mingos Gomes, Joio Henrique Biogel, eom 1 cria-
do, Hypolito Jos Vieira Portuguezei; Antonio
Mirtios di Silva, Brnileiro.
Aricity ; 9 din. hiate brnileiro Ntrtidt, de 97 to-
nelada! eapitio Joiquim l'erein eqoipanoi8,
carga couros e sola ; ao proprielario Cirios Augusto
de Morin. Conduz 25 escritos a entregar.
Mar-Pacifico, tendo sabido de Ssg-Hibor, bi 30 mi-
zes, galera americana Afankatton, de 440 tonels-
dai, capillo Meicator, eqoipigem 26, cirga att*
te ; io cipitio.
Navios satiidos ne mismo dia.
Lisboa pela ilba de Foyil ; escuna portuguesa ,Vi/""-
ro-l., cipitio Jote BibeiroPilha, em lastro.
Rio-de-Janeiro ; brigue-eieuna brnileiro Adslaids,
espillo Antonio Alves Mirlhi, cirg virios genero
e faiendn. Pimgeiros, Manuel de Cirvalho PsH
de Andnde, Jos Januario de Carvalbo Paes de An-
drade, Theodoro Mara da Coiti, Brasileiros, a 9
eicravos a entregar.
Ceiri; sumici S.-Jodo, c'pitao Urbano Jos dos San-
tos, cirg lirinlia.
Edital.
5 birrii pos d'ossos queimidoi;
da Silva.
a Manoel Aotonio
1 ciixote capiuln ; a Minoel Maxiroiaoo Guedes.
1 dito linos : i Antonio Meoezei Ynconcelios del
Diamond.
Joo Xavier Car miro da Cunha, /dalgo eavalliir*
da casa imperial, eavalliiro da ordem de Ckristo, *
administrador da mesa do consulado, por S. M.
o Imperador, que Dos guarde. He,
Fu nber, que ni porta desti adminitraclo,
meio dia, le hi irraroitir, no da 25 do correle, umi
ciita de asiucir II, n. 1, marca RF, do engenbo Boas-
bsrds, desta provincia, consignada a Francisco Antonio
l'erein de Brito; e no dia 26 do mesmo duas esiiss,
uma o.3, mirciAM, do engenbo Ariticuin, de"'1
provincii, consignada a Joaquim de S. Lessi, e ouln
o. 5, marea F, do engenbo S. Cvprianno, di provn-
cii de Aligii, cooiigoada a Victorioo de Cnlro Mou-
ri; todn iprehendidn pnr faliificicio de Un: irado
ditas arremataron livrn de deiperat aot irremitinlei.
Mesa do consulado de Peroimbuco, 20 de miio da
1846.
O adminiltridor,
Jodo Xavier Carntiro da Cunha-
nkrn


&
Deelaracoes.
7-0 primeiro bililbio de cicidoroi de linba preoiii
Ireieoloi bonetes de panno azul para aa pracas do
quem quizar liier-loi por eommodo proco,
a ecrelaria do meimo, na ra '.las Agois-
n. 86, com tuaa propoilai, no dia 25 do cor-
jodo Gonfaln Ntllo,
Tenente agenta.
rnesrno;
dirija te
Verde,
rite.
COMPANHIA DE BEBIRIBE.
AO PUBLICO.
Sos dial 22, 23 e 24 do eorrente, ae distribuir gri-
taitamenta agoa do eocanamento, nai bieai da eaia d'-
di Soledad*, da praca e da ponte da Boa-Viita ; e
dn 25 em dianle principiar a aer fornecida, no
oiesmoi porftoa. a20rs. o balde. No dia 2?, cenar
j.p.rimanlo d'agna l caooai em Ponte -d 'Uchos, e pu-
lir a iar aito na ponte da Boa-Villa, 4 U n cada ama
Eicriptorio da eompanhia de Bebiribe, 20 de maio de
J816. Oiecretario, B. J. Fiinandn Barros.
Avisos martimos.
Para a Babia legoir breve a veleira aumaca
Jtricana : qaem na mesmi quitar carregar, pode Ira -
tir caen Amorim Irmios na ra da Cadeia, n. 45.
Para Porto-Alegre e Rio-Grande leguir, em
nioucoi din o veleiro brigue Argot; pode receber ei-
eraroi, auitn como panageiroa para o que tem boni
eruimodoi: trata-ie com Amorim Irmios, ra da
Cadeia, n. 45.
__Freti-se para o portoi do Norte iito he, Cetra,
Arieity ou Ata, o patacho Belltia-do-Sul: quem
pretender, pode entender-se com Amorim Irmioi, na
ruada Cadeia, n. 45.
=Yende-ie a bein conhecida e veleira barca ame-
ricini Navarro forrada e encailbidi de cobre e
prompta para qulquer Tiagem ; quem a pretender,
dirija-so a caa doi ooniignitarioa, L. G. Ferreira de C.
Vonde-se a lumaca braiileira Comanle Ami-
idt, a qual te aoha fondeada no eaei do Collegio, para
Mvr: trata-ie com Gaudino Agoitinbode Barros, na
pncinba do Corpo-Santo, n. 66.
= Para o Rio-de-Janeiro legue breve j brigue
Albano por ter lufficiente lastro ; pode, porm, rece-
ber algumi carga, eicnvoi e pamgeiroi: quem qui-
tar earregar, pode communicar com o capito, ou com
Amorim Irmios, na ra da Cadeia, n. 45.
Para o Maranhio o bem conheoido brigue na-
cional .Ulante, forrado e pregado de cobre, nbiri no
dia 26 do correte, por ter deaahir com a carga, que
tirer; recebe aiiucir a 160 ra. por arroba, e os mais
fretei a porporcio : quem nelhj quizer carregar, ou ir
de piingem, para o que oflerece etcellentei commodoi,
dirija-so a Franciico Severimo Rabello & Filho, ou na
ra da Cadoia-Velha, n. 12, a (aliar com o capitfio Cus-
todio Caetano.
Para o Havre nhiri, no dia iOdejuoho o bri-
gue Irancet Jrtnoriqut: quem no mesmo quier car-
regir ou ir de passagem para o que tem bona com-
siodos, dirija-ie aoi consiguitarioi, Didier Colom-
bier & Companbia.
= Para o Aai e brigue braiileiro Sagitario le-
gue prefitameote em 31 do correte mez, e i rece-
be carga at o dia 29 : trata-ie na ra da Moeda ar-
niaiem n. 11.
Leilao.
= 0 corretor Oliveira far leiljo, para ultimar a ven-
d, tem limite!, dai rollantes fazenda da luja do talle-
cido Joto Antonio Martina Novaei, dai quaei tem re-
lervedo ai melbore, conintindo em caiimirai final,
pinnoi decores muiloiuperiore, ditoi aruei, proprioi
pira firdamento de tropa, brini brancoi e de cores,
rucados diflereotes, lencoi e chiles de algodio pinta
oi, casiai, cambraiai, rneiai de algodio, curtn e com-
pridn, lengoi francetes para tabaco, e omites oulrai,
nrmente em pecas inteirai, tedo-ie j vendido ai em
retilbo : boje 22 do eorrente i 10 boris da mi-
nbia, oa referida toja, ra do Queimado.
Avisos diversos.
Aluga-se um segundo andar na ra do Trapiche ;
i tratar na mesma caa n. 16.
O LIDADOR.
O n. 11I char-se ba a venda, ao meio dia, na praca
da Independencia livraria ni. 6 e8.
Pergunta-se ao intrigante da ordem lerceira de S.
I'rinciico, te temoibreve alguma outra farca ; porque
fumenia igora mais que nunca iotngai na dita ordem,
di vid indo o irmoi, nio t por clauei como pelo nai-
cimento e naturalmente o ditfecho be nova farca ou
gentiletai iguset ai que tem praticido ni ordem: be
ibuisr muito Deveiuamerc relrear-ie, quindo le
nio queiri amentar da grey religiosa,do contrario lerio
inipreiios oneui bom feitoi, que o tornio recommen-
divel; sendo que desde j pode o telo, que inculca,
deoominar-ie phariaico.
O observador.
- Rogo ao Sr. "aut or da crvptogripbva revelada
particular obiequio de Iridutir o pequeo artigo,
que abaito tenbo a honra de Ibe offerecer : cumpriodo-
medeidej declarar-lhe, que, como simples curioso
luesou, nio uta ao meu alame o decilrar criplo-
l'ipbya alguma, que nio teja a doiyitems, que a-
preodi; sendo-me neoessirio, para iuo, a competente
caive, conhecida por mim, e pelo individuo, com quem
"~ ujae oeceiiario corresponder.
Um curioio.
Avqtrnoi, kalritv njwa: alhljb, llbkmmizabaga ,
1 'ryiitwl. a> Jmlmbvbxb
Lotera da matriz da Boa-Vista.
Ai rodal delta lotera andio mpreterivelmente no
die29 do torrente, no lugar j annunciado. e o rei-
'lale dos respectivos bilbetei vende-ie lio lmente at
'eipera do referido dia.
*=Preciia-aede um mol'que ou negra, para vender
"' de veodagem, e tambera se vende a retalbo: no
vano-di Ribeire, o. 15.
Oflereco-ie um rapat de 20 aonoi para qualquer
arrumacio: na travesa do Pocinbo, n. 31.
=Menoel Ferreira Pinto, como procurador de An-
tonio Joto Guimariei, morador em Timbauba, embarca
o leu eioravo, por nomo Benedicto, orioulo, para o Rio
de Janeiro.
Manoel Ferreira Pinto, embarca para o Rio-de-
Janeiro a maescrava, por nome Felieidade, crioula.
=Preoiia-ie de um caiieiro na ra do Hospicio,
ao pe da venda do Leio-de-Ouro,que entenda de ven-
da, e que de fiador a sua cooduta; assim oomo na mei-
ma te dir quem vende urna negra por preoiilo, e que
be de boa figura.
Precisa-se de um bom f'orneiro \
quem pretender, dirija-se a ra Direita,
o., 80.
= Precisase de um rapat de 14 a 15 anuos para
caiieiro; prefere-se doi mais modernos na trra : oa
ra do Raogel. n. 36, primeiro andar.
Manoel Rodrigues de
Carvalho retira se para onde
Ihe convier; se alguem ti ver
contas com o mesmo apresen-
te para satisfacer.
= Preein-ie tomar lOOj rs. a premio para se pa-
gar com estucar nesta futura safra, diodo-se peuoa
idnea que garante a dita quaotia ouie dar aiiu-
car por menos alguma oouia do preco eorrente na
oecaiiio do pagamento conforme o que le convencio-
oir, e mesmo te ficar afregjezsdo para ie remetter
lodo o mais asiucar que houver : quem eite negocio
quizer fuer annuocie.
beieja-ie saber, te miste neiti provincia Joio An-
tonio Silveira Maciel filho do fallecido capillo Anto-
nio Silveira Maciel o qual veio para esta cidade no
brigue Marque? do Pombal, procedente de Lisboa :
o mesmo Sr. ouquemdelle louber dirija-se a ra
do Vigario n. 23, primeiro andar a fallar com J. li.
da Fooseca Jnior, que tem da commuoicar-lbe objec-
loi. que muito Ibe intersalo.
Aluga-se um grande solio pintado de novo, com
muitoi commodoi: a tratar na esquina do Livramen-
to Kja de 6 portas n. 52.
lim Sr. Sacerdote offereee le para cipellio de
algum engenho ; o qual entina primeiras lettras
grsmmatica latina : quemdeaeu preitimo te quiter uti-
litar dirjase a ra Direita, o. 12.
= O alniio auignado, tachigrapbo engajado pelo
proprietirio do Diario do Pornambuco para to-
mar por meio de sua arte or trabalboi da aiiembla
provincial desta provincia alcancou do dito proprieta-
rio a faculdade de entinar a meima arte gratuitamen-
te a toda ai peiioas que a ella le quitaren] dedicar
comecaiidoeale entino no dia primeiro do futuro mei
de junho e acabando em 26 de tetembro do eorrente
anoo dai 7 ai 9 luirs da manbia not dial uteis To-
das ai peisoss que te quizerem aproveitsr do presu-
mo do annuneisnte e da faculdade, que le foi conce-
dida queirio dirigir-ie a ra do Rangel, n. 36, pri-
meiro andar iito al odia 31 do correte ; nio po-
dendu, depois deste dia, ser mais admiltidos.
Luis Antonio Muquita Falc&o.
Arrenda-ie, pelo lempo, que se contratar, o li-
tio e oaia de sobrado da Caacala no lugar da Soleda-
de com grandes commodidadts earranjos proprioi
para quulquer negociante ou alguma familia nume-
rosa tendo o nuil perto que he poisivel, desta pra-
ca ; a belleza deste litio que he a todos notoria e
o seu raioavel preco de 450,000n. annuaea, o (ornad
na verdade procurado : a tratar ua ra de Hurtas, so-
brado n. 140.
Os credores do finado JoiNuoes Vieira dirijio-
le suas coritas ao teitamenleiro, Antonio da Coila Fir-
reira, dentro deoito dial que vai faier inventario no
juio doiorpbos.
os Pede-se a senhora 0. Mara Joaquina de Moraes
Ferreira ou a quem dola souber de dar noticias, ou
dirigir-se a ra da Moeda n. 11 a fallar com Do-
mingos Martini Pontes; pois que helobre negocio de
intereiieda mesma tenbora.
Marcia Adelaide Oliveira retira se para Portu-
gal.
Na ra do Fogo n. 41, cosem-se camin, cal-
cas e jaquetss para lojas por preco muito maii eom-
modo do que em outra quilquer parte.
= Quem precisar de urna ama para alguma caa de
pouca familia dirija-se a ra do Rangel n. .36.
- Quem quier alugar urna casa terrea na Soleda-
de com 5 quirtoi, luas talas grandes e quintal por
preco eommodo, dinja-ie a ra Direita n. 23.
- Augusto S. Corbett, tua senhora 4 lilhoi me-
nores e urna criada lorra de nome Rita, retirio-ie pa-
ra Inglaterra.
= Precisa-ie de um bom foroeiro ; r.as Cinco Pon-
tai psdiria n. 78 assim como la d pi de ven-
dageo a pretal e molequei a 60 n. em pataca.
Pelo juizo do civel da tegunda vara, findoi o
dial da le te ba de arrematar o escravo Joio de
naci Angola por execucio de Jos de Oliveira con-
tra Joio Jacintho de Medeiros : quem quier linear,
comparece na caa da residencia do meioio Juiz, iib-
bado 23 do correte as 4 horas da tarde.
= 0 Sr. Jos Luis de Almeida Martina queira ap-
parecer na ra do Vigario caa de Firmino Jos Feliz
da Rota & Irmio, para te Ihe entregir urna carta, vin-
da de Liiboi.
Aluga-ie metade do primeiro andar do tobrido
da ra do Raogel, n. 11, proprio para pequea fsmilia,
por ter entrada iodependente ou mesmo para algum
advogado : a tratar na vendado mesmo sobrado.
= Di-se dobeiro a premio com peohores mesmo
em pequeas quantias ; na ra do Raogel n. 11.
__ Aluga-se um bom armazem por preco muito
Lcoromodo proprio para recolher effeitos, por ter bom
desembarque na porta sito na frente do convento de
S. Francisco: a tratar com Jos Joaquim da Silva Maia.
na ra doCreipo, n. 12.
= Precia-ie de um ofileial de cbiruteiro que en-
tenda tambem de fumo ; na ra Nova, venda n. 65.
= A peuoa, que annunciou no Diario-. de 18
do correte aaber fallar francet e ngle e ser bom
cozinheiro, dirija-se a ra da Cruz, n. 20.
Doiencamohou-se um cicborro de rifa, cor cn-
?o e com as roaos braoc* e be bulante gordo; jal- bilis, repugna lodoi o purgantes em forma liquida
Ha-ie ter lido lurlido, por eitir, ba pouco lempo, em Esle pilulnnio lmente limpio a bilii, fodo-aeva-
terra; quem o pegar, ou liver emieupoder, queiri leva- cuar, mai al reitabeleeem o ippelite, e ajudio efficaz-
lo na ra do Trapiche, armatem, n.34, que lera re- mente digeitio ; be remedio approvado nal molei-
compeondo. tin do figado dispepsia de intestino! hemorrboda,
Offerece-se, para lora desta praca, dore de cibeca &o. Ospretcndenteidevem ter cui-
tim rapaz brasile.ro, Lranco, casado com ^ F"' genuina.e ?rd*d'j[*'"
' ... _" .<* quaet esto a venda na botica do abano auignado,
pouca lamina, para enstnar primeiras let- ra da Cadeia-Velha, n.36;o quil est auloriudo
tras, grammatica e francez, portera porum diploma dodoutor Brmdretb dmdodo 17 da
oceupado este lugar, o qual ensna|d'"mbr,,do ,n" Pret?rito> -io-iplonia osla legali-
' .i_____ ,, ludo pelo comul bnsileiro niquellei eitedoi.
i melhor zelo| r V.J.dtBnto.
Aterro-da-Boa-Vista, n. 5.
Pommateau cutileiro e amolador de lodoi ot fer-
ros, que perteneem a cutilaria, previne aos seus fre-
guexei, que, alm dos ferros de ma irte tambem fa-
brica-* na aua officioa qualquer obra de ac com io-
da a perfoicio, como lejio eiporis e freios de todos oa
feitios todos os instrumentos de cirurgia e de dentis-
ta concertos de espingardas, faieodo pegn noval ,
sendo precisas. Ouarta feira esabbado de cada iema-
ne sio 01 din deslinadoi pan amolar toda a qualida-
de de ferros corlantes.
No mesmo estabeleoimeoto tambem tealugloeipin-
garda de cica pigindo o iluguel de cida dia.
Tambem ba para vender um pucaroi de umi musa
composta de ingredientes infalliveia contra a (errugetvj.
OS
possivel : a pessoa, que quizer utilisar-se
do seu presumo, dirija-se rita Nova,
n. 39, segundo andar a tratar com o
mesmo, o qual dar conheciinento di sua
conducta, e mesmo do tratamento dos
seus alumnos.
Alugio-ie doui serventes muito booi pira qual-
Juer lervico neita praca ; na ra do Queimado, luja
d Antonio Jos Rodriguei de Souza, n. 13.
Aluga-sc um preto, que cozinha solTrivelmente,
lava bem roupi, trata bem de enancan, e fai o trri-
co domestico du quelquer can de familia, ou de homem
solleiro : a tratar com leu dono na ra da Soledade ,
n. '2!) ao p da Trompe.
= Precisa-se de urna ama com bastinte lete pira
criar um enanca, que esta em moie criando: na ra das
Cruies, n. 22, legundo andir.
Trancelini do quaiquer mdelo, anneis, filas, flores,
aderecos, pulceiras, brincos, &c. ; ludo o mais bem
leito possivel e por preco mdico.
Hernardino Domingos Moreira avin ao Sr. the-
lourero da loterie de S. Pedro Marlyr que nao pa-
gue o meio liilhete n. 1083 senio au mesmo annun-
ciante visto o dito meio bilbete se ler perdido : assim
cumo tambem avisa-so a qaem o liver echado, que.
quorendo entrega-lo dirijase a ra das Cruzei, ven-
da n. 40.
Furtrio, na noute de domingo para tegunda-
lera uns poucos de saceos vasios, de conduiir assucar
em canoas da escada doiobrido de trc andare, di
ra do Crespo, n. 14 : roga-se a pessoa, a quem lurein
oflcrecidoi baja de os ipprehender e annunciar por
esta fullia para terem procurados ou manda-Ios um
dita casa.
Na teoda de barbeiro em Fra-de-Portel, rui
do Pilar n. 114, alugio-iee vendem-so bichas ham-
hurgoezai; tambem le vende urna balanca grande de
RomSo & Companhia.
Aluga-ae a caa terrea, n. 7, da rus da Alegra ,
feita a moderna com 2 salai, 5 quarlos, coiinba fu-
ra quintal grande cacimba, e lelheiro no fundo do
mesmo quintal: a tratar na ra da Cadeia-Velha,
o. 34.
Compras.
= Comprio-ie ilgum cnaei de pomboi bitedorea ,
que teji bons ; oa ra do Vigario, n. 2o, primeiro
andar.
^= Comprio-ie 2 queraos novos com algum in-
dares e tem achaques; na rui da Mltrii da lioa-Vii-
ta n. 55, segundo andir.
= Comprio-se escravoi do 12 a 2 annos; na ra
Direita n. 3.
Compra -se um relogio patunt) ingle com
caita de ouro ; na ra estrella do Roiario, n. 14.
Compra-so ume raa terrea, que tenba quintal
o cacimba e nio seje em ruai exquisitas, e que leu
prego nio leja mail de 1:000* rs. : na ra estrella do
Rozorio botica, n. 18.
Compra-ieporciodefrmii psrs velas de car-
nauba o que j fostem servidas; quem liver, aonun-
ce.
- Comprio-se, pare fon da provincia eierivoi de
emlios os sesos de 13 a 20 anoos ; sendo de bonitas
figuras, pagio-io bem : na ra da Cadeia de S. Anto-
nio, sobrado de um andar de veranda de pao n. 20.
=Compra-se urna eterava moja, que saiba coser,
bordar e engommar com perfeic.16 piga-se bem ,
tendo estas qualidadei ; na ra do Queimado, n. 4.
Compra-so papel diarios velhos a 3840 rs. a
arroba ; na ra larga do Rozario, ns. 15 e 38.
tes i'ompra-se urna preta do meia idsde quo nio
tenha vicios a nem achaques e saiba co/.inliar ; na
ra da Cadeia-Velba n. 60.
Vendas.
Casa da F,
Na ra estreita do Kozario, n. 6.
Nio tendo sido possiiel conseguirse o andamento
das rodas da lotera di matrit da Boa -Viste no dia 14
do eorrente como se achava marcado pelo grande
numero de bilbetei, que (icario para ser vendidos,
le trar.sferio o andamento das rodal pira o dia 29 do
presente mei : e pan que nao baja nova mudenca ,
cuja i lerve de desgosto a quem emprega o seu cobre ,
a lim de melbora-lo, o cauteliila da casa cima, pede
aos amantei desle nteressante jogo concorrio com
brevidade para a compra do resto dos bilbetes afim
de que nio se transfira mais o andamento dai ditas ro-
das para outra vet; certoi de que, nao lo veodendo os
bilbetei nio temos dinheiro fresco para passsr a fei-
ta do Espirito Santo. Na casi cima vendem-ie bilbe-
tei, meios ditos, cautelas de lOOOeSOO rs., quethe-
gio para todos que goilio deste jogo.
Agencia de passaportes.
Na roa do Collegio botica n. 10 e no Aterro-da-
Boa-Vista luja o. 48, tirio-se pasiaportes para dentro e
forado imperio,anim como deipachao-seescravos:ludo
com brevidade.
O arrematante das aferi-
cnes desle municipio do Recife fiz de novo iciente a
quem convier que o preio, mercedo para reviiio dos
petos
tanbi, com ama fila cor de lima e preia pelo pesco-
medidas e balances finaliia-io no mei de
unho proiimo futuro ; e por isso, quem liver de rever,
bija de o la/er antes de le approtimar o dito praio ;
poiique nio he possivel deixarem-sc lodoi pira o lim ;
porque baveri demora em terem despachados com a
brevidade, que be decoslume na casa dai alcmes,
na ra daa Larangeras n. '9, das 8 botas da manbia
ai 5 da tarde.
DENTISTA.
M. S. Mawion cirurgiio dentista participa aos
Srs. seui imigoi e ao reipeilavel publico desti cida-
de que ebegou do Maeei o que se acba ni conti-
nuacio do exercicio do tua arte na qual far todos os
etforcoi para agradar a todos os Sri. que at agora
Ibe teem oceupado. Reside na ra Nova o. 2, segn
do andar.
PILULAS VEGETAES DO DR. BRANDRETH.
Eitai pilulai, cuja eitnccio ba lido lio geni neiti
provincii, que de ba muito le Ibe reconhecem minvi-
ihosai virtudes grande numero de observi^oei ittcs-
lio a tua efGcica, podendo, tem exagencio, dizei-te,
que be o remedio natural do homem, constituidlo um
medicamento lio simples como til, e infellivel conlre
todas ai molestias, issim chronicoi, como recentes:! ei-
periencia diariamente confirma esle ficloi:. tornio-ie
aisaz recommendaveii ditas piluln mormente s
pesioai, eujo eitomigo, contando luperabundancia do
Veode-se o Secretario do Carlas Famihare sobre
todos os a.limpio da vida ; obra mu til e indispeo-
iivel, psra dir urna ideia do eilylo epilolir : oa pra-
ca da Independencia livraria ni. 6 e 8.
= Vondem-ie 2 pareide brinco! de goito pin le-
nbnra ; 3 ditos pera meninas ; 3 cordfle; 4 mneloes;
inedIbas ; 1 relogio de ouro ; 2 bolei de abertura;
I fio de contal do Rio; 2 ciixai de priti para rip ;
pr.it i. a 880 n. a duta : copos, a 120 n, ; urinoei,
a 840 e 320 rs. ; paioi, a 280 rs. ; quejoa a 960
rs.; caiticaeidn vidro, a 1440 rs. o par; o outrui muitos
objectoi de venda por preco eommodo : ni ra do
Rangel, n. II.
= Vcnde-se merino preto e verde, de superior qua-
lidade e de duas largura!, a 610 n. o eovido; meiis-
caiimiras do quadres a 320 n.o covido ; ditas de
lutrai, de pura lia a 600 rs. o covido ; corles de
lia de ultimo goslo, a 4800 rs ; ditos de listrss abor-
tas a 3500 n.; ditos de csssa pintada a 1600 n. ;
ditoi de cembraie rouxo, a 2000 n. ; diloi de iodiaona
de cre, a 3200 rs. ; ditos de linden a 4000 n. ;
superior cambraia pinladede frenceza, com 4 palmos
do largura a 640 rs. a ven ; mantai da lantinba pa-
ra meninu a 400 n. ; ditas de fil de linbo para se-
nhora a 2000 o 3000 rs. ; golas de cambraia bor-
dada da India a 320 n. ; dilia de fil de linbo ,
muito ricas, a 2000 rs. ; pecas de ganga azul da India,
com 14 covados a 1100 rs.; peces de psonioho lino
com 10 varal, a 2400 e 2800 n. ; eotim de pslba a
linbo para sobre-cuaca a 400 rs. o eovado ; fustea
de cores a 320, 400 e 48o n. o eovado ; riicido
francez, muilo fino o de cores finas, 2110 la. o cora-
do ; lencos de sede cor de caf a 800 n.; ditoi de
muito bom gosto a!440n ; ricadoi de linbo, pro-
prios pan camisa a 180 rs. o eovado ; xuarte sjuI ,
da India com 4palmoide lirgura a 240 n. o eova-
do ; algodio trincado azul de chadrex, pin ecravos,
i 200 n. o covido ; aloilhodo de algodio a 300 n. a
van ; guardanapoi, a 2000 rs. a duzia ; e oalrai mui-
laa fazenda de ledi linbo e algodio por barato
preco : na ra do Creipo loja da viuva Cunbs Gui-
miraes n. 10.
Vendem-se o escravoi, lendo : urna preta de IB
annoi, loa costureira ; umi diti. boi conobeira
mail idsde ; 2 pardei, urna de 10 aonoi e ouln
22 annoi; um preto bem robuito por preco cobw
modo : no piteo di Mitriz de S. Antonio sobrado
' = Veode-se ums machina de ferro para fsxer ve-
las esteainai e emina-ieio comprsdor o. modo de
i maoufacturer; no Aterro-di-Roa-Viita, loja da
funileiro, junto mitri.
= Vendem-se 4 escravas com boas habilidades, urna
cose, engomma ecoiioba ; urna dita, para lora de pro-
vincia muito boa engommadeia e fst o mais servi-
co de urna casa; 2 niulitinbn de 12 annoi, muito
lindas, boei pin se icabarem de educar; 4 eicravos
bons para o trebelbo de campo ; 2 molequei, de 18
annoi ; 2 mulatinboi, de 10 a 12 annoi ; 1 dito da
18 annoi, bom pigem e terve bem a urna cus } 1
preto de 40 annoi, por 2i>0.000 rt., bom tribilba-
dor de sitio, trata de vaccis e lira bem lote : oa ra
do Crespo o.,10, ptimeiro indir.
da
da
"


T
^
A

Vende-se o livro do Instituidlo Moral e Religio-
8) ou resum) do Novo o Volho Testamento por cin-
co patacas: na praca da Independencia linaria ni.
Ce 8.
- Vendem-se resmas de papel almaco a imitjk;3<>
de meia hollanda da melbor qualidade que ha por
preco inaia liarato do que em oulra qualquer parlo : na
praca da Independencia \J\? .niudvias, n. 4.
=V endem-se caitas de traques de lO cartas ra-
sSo de 140 rs. cada carta ebegadas ltimamente do
Rio-de-Janeiro : na rus du Crespo, n. k.
Vende-se uuia parda, de 14 a lannos, pouco
mais ou menos de bonita figura, engomma, cose e
cozinba lem icios: notitiodo Moodego que lai
esquina para a Passagem li go adianto do do Sr, Lui*
Comes.
Vende-se a loja de chapeos, sita na ra da Ca-
deia-Veiha n. 27, coin pouets fuodos : m la da
Sonzalla-Velba armaiem n. 144.
= Vendem-se 2 molecaa de 14 a 1G annos mui-
lo bonitas, com princip de prendas e ptimas pa-
ra se educareii ; un moleque, de 16 a 18 annos, pro-
prio p.ira pageni. e serve inuilo bem a urna casa ; urna
preta doservico do campo ; urna dita de bonita (gu-
ra ongommedcira cotinheira, o muito desontbarava-
dl ; urna negrinhaouma mulatinba limito bonitos ,
lal-endo ja coserem muito bem ; um bonito csi-ravo ,
de 22 annos, perfeito carreiro e bom liabnlhaoor do
m primeiro andar.
= Vende-se urna negrota de naci Angola de 16
annos, de bonita figura engomma uso, coiinba e la-
va do sabio ; urna dita, de 24 annos ptima quitan-
deira um mulatinho de 17 annos proprio para pa-
gem por ser de bonita figura ; um dito, de 22 annos.
bom canoeiro e carniceiro ; lodos por preco commodo :
na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar.
= V endem-se 4 escravos, sendo : 2 moleques, de
17 annos, um ptimo cozinbeiro e o outro proprio
piro qualquer servico ; urna preta, de 24 anuos, boa
quitandeira ; um preto, de 30 annoi, canoeiro e pes-
cador de rede ; todos sem vicios ne n achaques: na
ruado Rozario, vendada esquina, n. 39.
Vende-so urna venda, com os fundua a vonlsde do
comprador sita na ra de S. Jos n. 2 : a tallar
na ra Oireita, com Antonio Krsncisco Martina de Mi-
randa.
= VenJe-ie, para fra da provincia ou para a
mesma um cabra de 25 annos, de bonita figura ,
sem vicios nem achaques bom carreiro ; na ra do
S. Jos n. 10.
Vendem-se, ou troci se por escravos, tres casas
terreas pequeas com bons commodos sitas na ra do
Jesroiin quertndemum porcenlo ao mez urna na
ra dos Prazercs, grande, com bons commodos e" to-
das novas, e leitaa a moderna cm chaos proprios ,
livres e desembaracidfs, porserem feitas pelo vende-
dor : na traveisa da Concordia, n. 5.
Vende se um bote em bom uso, uma calraia
grande ; penetras bichas do sangrar; ancorelas com azvitonas ; caias
com manas aletria talborim e mat-arrio-, sebo em
velas de 6 em libra do Porto ; lodas de arcos para
brnces j^barricese meias ditas com farinba de trigo
SSSF SSF ; dita mprie.in ; rctroz de primeira sor-
te ; gxlno depalhi-ta ; pilulas da familia; (echadura
de broca, grandes, pura polis de aruwem ; ludo por
preco commodo : na ra do Vigario. armazem n. 11.
Vende-sc fariuha de tri-
go SSSF da marca verdadei-
ra, chamada I amo, cm pe-
quenas c grandes poredes, a
voutade dos compradores: no
escritorio de Kalkmann &
Kosciiiiiund, ra da Cruz.
n. 10.
Vendem-se 8 pipas com aguarden-
te : na rua da Mocda, n. i5, armazem
do Sr. Vidinia
Vende-se CEBA EM VE- j
a LAS do Hio de Janeiro, sorti- *
ment completo de bogias de <
S uma libra al" 16 em libra, cai- |J
*j xas sortidas vontade do com- *
^ i^'aooris cada libra : noarm'a/em j
fg de Alves Vianna rua da San- j
zalla-Yclha, n. i io.
Boa-Vista, fabrica de licores de
Frederico Chaves; e na rua do
Trapiche, armazem de molhados
do JVicolIe.
Vendem-se sacias coro boa farinha de mandioca,
(hegadas ltimamente do Rio-de-Janeiro, com 9 quar-
tas novas a 4800 rs. ; no deposito de larinha, da rua
daCadeiadeS. Antonio, n. 19.
Vende-se um preto erioulo de 23 annos de
bonita figura muito bom carreiro e canoeiro ; no
Alerro-da-Boa-Vista loja de bahus n 55.
Vende-se, por metade do seu valor a diohei-
ro, ou a prazo, e mesmo se troca por predios nesta pra-
ca a bem conhecida (aienda Alagfla-das-Antas ,
muito perto da villa de S AnlSo com casa de vivenda,
cozinba fra estribara para 6 tavallos, curraes para
gado armazens para depsitos, engenbo de desca-
mpar algodSo casa de larinha seozalla para pretos,
dous acudedu boa agoa 3 quartos de logia pouco
mais ou menos de trra muito propria para se plantar ,
por ser muito boa ; tambom be superior para criar e
lem muilos foreiros, que pego ; tambem so vende
com alguns escravos ou sem elle* : a tratar na rua das
Larangeirss casa das sfericSes n. 29 a lallsr cmn o
(rematante das mesma alencOes.
Vende-se na rua da Cruz, 9
n. 60, e no armazem de Fernando ||
jjj Jos liraguez, cera em velas, vin- j|
14 da ltimamente do Hio de Janei- fox
7^ ro, de uma das meibores fabricas, m
J e he ptimo sortimento por ser de m
M 3 at 1G em libra e por preco M
mais barato do que em outra qual-
quer parte
1
= \eiidern-se chapeos de caslor branco talvez
mais superiores, que ba nesta praca, pelo mdico pre-
o de OOO rs. cada um ; assim como lencos de cam-
braia de linbo, o mais rico possivel e muito proprios
para nuivas : na rua do Crespo loja nova n. 12 d
Jos Joaquiin da Silva Maia.
= Vendem-se uir.endas de ferro para engenhosde
assucar, para vapor ogo* e beatas de diversos lma-
nnos por preco commodo; e igualmente taitas de
eiro cuadoe batido de todos os tamanbos : na pra-
< do Corpo Santo n. 11, em casa de Mo. Calmoot &
Compaohia ou na rua de Apollo armazem, n. 6.
Vende-se uma canoa nova deamarello, de um
spo, com 50 palmos, proprij para coostruccao de
barcaca, por ter mais de palmo de grossura no encolla
ment ; na rua de S. Amaro, o. 8.
Vndese m sobrado novo de um andar e gran-
de solio em chaos proprio o em boa rua, por pre-
so commodo; na rua estrella do Rozario botica
n. 10.
Vende-se vinagre branco
nacional, a 400 rs. a caada ve-
Jlia: na fabrica da rua Imperial,
n. 7; rua Direita, n. 53, venda
de M. Miranda; no Aterro-da-
5
Vende-se a dinheiro ou a prazo ou troca-se
por escravos um sitio no lugar da Piranga freguozia
dos Afugados com 3 moradas de casas cozinba lora,
enzalla estribara rom um viveiro, d i fiaren tes pes
de fructeiras: na rua das Lorangeiras n. 29 casa das
ufi i ii i's, a tratar com o arrematante.
RAPE'NOVO LISBOA.
Este ezcellente rap que.su lem acreditado por si
mesmo por ter um aima igual ao veidadeiro de Lis-
boa esta a venda em poredes, na rua da Cadeia-Ve-
Iha armaiem n. 12 e a retalho na mesma rua, loja*
dosSrs. Vaz i liorges, Abrcu Jos Carlos, Joo da
Cunha Magalhacs; ruado Crespo, Anlonio Domin-
gos Ferie i ni ; rua dos Coartis Victorino de Caslro
Moura Victorino & Guimaries; Boa -Vista 'I lio -
maz Pereira de Mallos Estima e Manuel Francisco
Rodrigues.
Deposito de larinha.
No caes do Collegio ; armazem de porta larga ha
faiinbi de mandioca de S. Melheus, e S. Clcan-
os prximamente chegada a este porto ; e se vende
ela medida velas, por preco mtl lTOWwl do que em
ulra qualquer parte e sendo em grandes poredes ,
mais lavoravel sera, por liaverem duas orubarcates a
venda : quero pretender dirija-se ao mesmo arma-
zem que sera bem servido.
=Vendem-se ricos cortes do vestido para senhora ,
de la/enda indianna tiritando seda o mais superior,
que tem apparecido tanto pelos bonitos gustos cores
lizas e de multa duraco como pelo diminuto preco
de 3000 rs. cada corte ; ditos de Isrenda victoria de
mu lindos gostos ede superior qualidade pelo ba-
rato jileco de 4000 rs. cada corle; ricos chales de sed
lano grandes como mais pequeos por muito com-
modo preco ; ricas mantas de seda para senhora, as
mais moderniis, quesousao na Europa, pelo barato
preco de 10 a 12 000 r. cada urna ; novos corles de
cassa-chitas pura vestidos du senhora de cores (izas,
e do ricos padres, pelo diminuto preco de 3, 4 e OO
rs. cada corte de vestido ; cambraias muito linas, com
lislres de diversaa torc, para vestidos de senhora, pe-
lo barato preco de 4500 rs. cada vestido ; casimiras pa-
ra calcas pulo barato preco de IOU rs. cada covado ;
ditas elsticas e de duas lorguras asmis superiores,
que teem vindo a este mercado por pre^o muito com-
modo ; alpaca preta, a 800 rs. cada covado; dita muito
lina, a 1000 rs. o covado; ricos cortes de colletes, tanto
de velludo como de selim e gorguiSo de muito lin-
dos gostos por preco muilu em conla ; assim como bo-
oitos ustdes para colletes a 800 rs. cada covado ;
meias de seda de peso, para aenhora; ditas pretas para
homem a 2000 rs. cada par ; ditas do cores a 1000
rs. o par; ditas prelas de algodSo, imitando a seda,
a 320 rs. cada par ; lazenda escura para roapa de pre-
los muito (orle e barata ; brins de linbo brancos e
de cores para calcas; assim como um grande sortimen-
to de cambraias o fianjas para cortinados de camas e
lanellas; e outras muitts lazendas por preco commodo;
bem como un) rico mantelete para senhora ebegado
ltimamente de Franca por preco commodo : na rua
do Crespo, n. 12, loja nova de Jos Joaquim da Sil-
va Maia.
As verdadeiras pilulas vege*
taes do l>r. Brandreth.
Por antoiisaco dos agentes pelo Bra
sil no iiio de Janeiro, vendem-se, dora
em diante, as ditas pilulas, pelo modera-
do preco de
00 res a caixinha :
na botica franceza do Sr. J. Soum, na
rua da Cruz, n. aa.
Vende-se vinagre tinto a 46,000 rs.a pipa ; di-
to branco a 35,000 rs. dila : na rua Imperial o. 7.
= Vende-se um ptimo csrrinho de duas rodas por
preco commodo ; na rua do AragSo, cocheira, n. 17.
= Vendem se amendoas descascadas, muito em
conla i na rua Direita n. 10
Contmuio-se a vender, a relalbo chapeos linos
de castor; em casa de Joo Siwart, rua do Trapiche-
Novo d. 5.
Vende-se, para a liquidscao de contal do casal
do fallecido Manoel Luiz da Veiga a posse e domi-
nio de um terreno em muito boa posicao para se edifi-
caren) casas, com proporedes para um grande viveiro
de peiie ; um preto proprio para o servico de campo ,
sem vicios; urna canoa aberta que ca'rrega 1200 li-
jlos : a tratar com Manoel Luii da. Veiga na rua
da Madre-de-Deos n. 36, primeiro andar.
Vende-se nma canoa de carga de mil lijlos, em
bom uso a dinheiro, ou a troco de maleriaes; na rna
de S. Francisco palacete novo.
Vende-se um ezcellente guarda-roupa de ama-
relio eom muito poaco uso feito por um dos mais
balieis marceneiros allemies do Recife e por preco
commodo. Dirigir-ie a rua do Raogel, n. 59 se-
cundo andar.
Vende-se uma canoa aberta, de carga, de um
milheiro de lijlos em muito bom estado por todo o
dinheiro oa trocase por lijlos do slrsRSris ; o rua
da Cadeia- Velha loja n 57.
= Na rua daCrut, n. 26, vende-se um escravo ,
proprio para todo o servico ; um relogio de oo.ro pa-
tente ; sois; couros miudos; bezerros; esleirs gran-
des e pequeas; caias de tartaruga ; cera de car-
nauba.
Vende-se superior essencia de anii em meias
garrafas por preco commodo ; na rua Direita, n. 9.
Vendem-se HO alqueires de bom sal, a bordo de
uma barcaca, de onde se pode baldear: a tratar ni rua
da Crui com Manoel Dias.
-- Vende se uma venda com os fundos que liver, ni
rua do Vigario n. 17 : a tratar na mesma venda.
Vende-se uma preta de Angola engomma e co-
iinba sem vicios nem achaques ; na Trempe, ao vi-
rar para a Solodade n. 33.
Vende-se um moleque, de 6 annos, de bonita
figura ; uma preta de 20 a 24 annos: ni rui ds Cruz,
no Recife o. 43.
Lotera do Rio-de-Janciro.
Vende-se o restante dos bilhetes ; na easa de cam-
bio de Manoel Gomes da Cunha e Silva n. 38.
=- Vendem-se vistas lythogrspludas muito boni-
tas da cidade do Par ; na rua do Trapiche, n. 16.
asa Vende-se uma preta crioula do 18 a 20 annos,
de muito bonita figura; uma parda boa lavadeira e
muito arraojadeira de uma casa; um mulatinho, de
14 a 15 annos: na rua do C)oeimado loja n. 2, de
Manoel Jos Goocalves. Na mesma vende-se ou alu-
ga-se um pequeo sitio no Poco-da-Panella com
casa soffrivel e boa baiza para capim.
Vende-se arroz branco de superior qualidade,
pesado ou medido ; na rua do Rangel u. 10.
Vende-se urna preta do na(io de bonita figura,
e robusta engomma e faz o servico necessano de
uma casa : na rua larga do Rozario loja n. 22.
tas Vende-se um sellim iogle, elstico, e novo,
com seua perlences, ou sem ellos; assim como diver-
sos sellins em meio uso por proc,o commodo : na rua
da Gloria, n. 69.
CALgADOS.
Vendem-se borzeguios gsspeados, a 4, 5 e 7000
rs.; sapatOes de couro de lustro, a 4-, 5 e 7000 rs. ;
bolins Irance/es a 2 e 7000 re. ; spalos de beierro
para meninos, 2i0 rs ; ditos de lustro, a 1600 rs.;
botinsde marroquim para menino, a 320 rs. ; ditos
de colzetes a 24U rs. ; iios com ias, a iu rs. ; bo-
lins de Lisboa, a 3200 rs. ; meios ditos a 2500 rs. ;
sspatos, a Ib'00e2i rs. ; ditos deduraque, a 1120 rs.;
sapalos de pala a 30U0, 3600 e 4500 rs.; bo, teguins
infieles, a 6000 rs. ; sspatos e sapatdcs, a 3000, 3500
e58()0 rs.; cbincllasde Braga, a 1000 rs. ; espartilhos
paraienhora a 1000 rs.; lencos de garija a 320
rs. ; filas de garpa a lodo o preco ; luvas para senho-
ra a 100 rs.; ditas do seda para homem a 320 rs. ;
lilas de algod.io a 320 is ; pbosphoros, a 20 rs.,
graza emcana a 160 rs. ; meias para meminas a
3200 rs. o maco e a 320 rs. o par ; sapatos de panno
para senhora, a 1000 rs. ; ditos para homem, a 1200 e
1440 rs. ; agoa de Colonia a 1000 rs. a duzia ;
tamsneosa todo o preco i e outras mutas qualidades
decalcado tanto para homem como para senhora : na
prapa da Independencia, ns 13 e 15 loja do Arantes.
Cotins de linho, a <,?400 rs.
Na loja da esquina da rua do Collegio de Guima-
rSes Sarafim Si Companhia, vendem-se cortes com i. va-
ras e meia de cotins de linbo para calvas pelo mdi-
co preco de 2400 rs. : esta fazenda he de linbo, e igual
aos brins trancados mas difiere no gosto por serem
mais modernos os desenhos, que sao esculos de listra e
quadros, o por isso he mui propria da presente eslacio :
dar-se lio amostras recebeodo-se a competente se-
guranza.
Alcrro-da-Boa-Vista, loja n. 14
Vendem-se pannos finos pretos, a 4# e 5400 rs. ;
merino de duas larguras a 1100 rs.; princesa supe-
rior, a>900rs. o covado; brins trancados de listras e
quadros, a 320, 400 e 480 is. o covado; algoddes-
Iranc.ados, de listras azues, muito fortes para escravos ,
a 220 rs. ; gangas azues trancadas a 160 rs. o cova-
do ; chitas e riscados linos a 160 rs. o covsdo ; brim
branco de listras muito encorpado a 240 rs. o cova-
do ; cortes de larlalanas modernas a 3200 rs. ; ditos
de cassas modernas, que nlo desbolo, a 3000 rs. ; chi-
tas pretas de cor liza a 180 e 220 rs. o covado ; brim
de linbo muito superior a 800, tOOO, 1200 e 1600
rs. ; dito trancado de algodto, pardo a 400 rs. a va-
ra ; bicos largos de linbo, a 160 rs. a vara; cambraias
lisas a 320,400,480, 640 e 1000 rs. ; cassa lisa a
400, 480 e 640 rs. a vara; panninbo cor de rosa e azul,
do duas larguras, a 320 rs. o covado ; madapoloes a
2800,3000,3800, 4000, 4400 e-500 rs.a pega;
elefante muito fino a 6000 rs. ; chitas de cobert, do
melbor gosto, a 280 rs. o covsdo ; lencos brancos de
cassa a 240, 260 e 320 rs ; e outras multas fazendaa
por mais barato preco do que em outra qualquer parle.
= Vcndc-se Ptliie Hisloire Aooieone el homaioe,
a l'usage des maisons d'edueation, el dea coles pri-
maces ; di prava da Independencia livraria ns. tj
e 8.
-= Vendem-se duas escravaa mofas de bonitas fi-
guras coziohaoe engomm perleramente ; na rua
do Hospicio o. 42.
Vende-se um relogio de ouro patente ingles ,
e novo por prego commodo : oa rua do Cabuga ,
n. 3,
Vendem-se superiores isropes de orcbati, mari-
cuja, Ismarindo, grozele, cidra, limlo, flor de laran-
ja de vinagre, e da verdadeira resina da angico u
muito proprio para molestias de pcilo ; ludo por p,
ommedo: no Aterro da-Bos-Vista fabrica de i
es, o. 26. I,t0-
- vende-se gnmmstiei franeen de Lbomood
correla e novamente mpressa no Rio-de-Janeir0 '
praca da Independencia livraria, ns. 6*8. 'D>
- Vende-se, por preco commodo, um ,|,
francez em meio uso : na rua do Crespo p. 19
=. Vendem-se ou troci se por escravos 3 '.
radas de cssas, qos Afogados na rua do Hotoeolgu
b, ns. 3, 4 e 5 : no paleo d S. Pedro, esquina, au
volta para ra de Horlas, o. 6, segundo andar.'
- Vende-se uma estima cabra, com ilgumis h
bilidides; ni rui da Panha, venda por baixo do lobn
do do Sr. coronel Josqtiim Bernardo.
Ala rua Direita, .n.9,
a sseess com fatinba de 3. Halbeus, e da trra
de qualidade superior por preco mais conmodo di
que em outra qualquer parte.
- Vendem-se e alogio-s bichas de Hlnburn
vindis no ultimo navio, por precocommodo; na rus d
Cruz, no Recife, loja de barboiro n, 43.
Vende-se srroz da Ierra, branco e vernielho
tanto por atacado como a relalbo, pela medida velha '
assim o miudo, pela medida nova, ludo por preco con.
modo ; oa rua da Praia, n. 39.
Escravos Fgidos.
=s Conlinuioa estar fgidos, desde o dis i{ i,
abril, de bordo do brigue Mintor os escravos sds-
riobeiros de nones: Jos de naci Gablo, iiprg.
sents 30 annos, estatura baiza e barbado; Maooel
de oafio Congo represente 20 innos, baizo, esto
barba : aquello foi escravo do casal do coronel Beato
Jos da Costa e foi seductor do segundo e por iiso
deve saber de lodos os lugares di provincia : roga-sa,
por isso, a todas ss autoridades policises, e espilles ds
campo a soa apprebesio certoa de que quem os la-
var a bordo do dito brigue ou Amorim IrmSos, ni
rua da Cadeia n. 45, sari gratificado generosamente.
O abaixo assignado declara, que
no dia 3 do corrente, pela 6 hotps di
tarde, desappareceo o escravo Joaquim,
pertencente ao Sr. Joaquim Goncalvts
CascSo, levando camisa de algodSo bran-
co, e calca de algodSo azul: levott um
siin-iio de couro de carneiro com roupa
diiTerente : he alto, falla muito descan-
cado, olhos grandes e avermelhados,
tem em uma das pernas cicatriz de urna
grande ferida he meio zambo das per-
nas muito ladino, cor retinta olicial
de pedreiro ; levou urna porcao de palha
de 'azer chapeos 1 foi comprado a um
moco dos Tomos ; por isso o abaixo as-
signado rega a tedas ss autoridades bg!-
ciaes e capilaes de campo, que o pren-
deren!, o faco conduzir rua' da Gru
do Itecil'e, n. 60, ou rua da Cada, n,
4o, aonde serao recompensados de seus
trabalhos e despezas.
Manoel Goncalves Cascdo.
= Fugio, no dia 10 do corrente o tnoieque Da-
niel de idade de 20 annos, pouco mais ou menos, de
boa estatura anda nio tem signal de barba, cor lu-
la ; (em urna cicatriz da parte direita do olho e outn
pequea por cima do olho esquerdo beicos grossot;
levou camisa e calcas de riscado ; goats muito de anda!
aem chapeo ; julga-se andar no ri, azendo Iretei,
porque no dia que elle fugio, tambem dessppsiecM
uma canoa do mesmo Sr. ; o dito moleque be canoei-
ro e a canoa be de carreira aberta e curta, o pi-
neirohede tirar e por mas lem uma tabea do menos
no meio ; tem por cima do mesmo paneiro outro pe-
queo he encavilbada .na proa e popa com cavilhas de
cobre, nio se conbece a cor, de que foi pintada, porque
ja largou a tinta e est ludo em branco : roga-se a lo-
das as autoridades, cepilles de campo, ou outra qual-
quer pessoa que o pegarem ou tiverem noticias', de
parliciparem em Fra-de-Porlas, n. 95, que serlo
bem recompensadas.
Fugio, no dia 17 do corrente de Manoel Lui
Goncalves, o escravo Filippe, pardo, altura regular,
cabellos pegados no casco, pouco barbado mal enca-
rado um pouco curvado ebeio do corpo ; represal-
ia ter 30 annos; levou um surrlo com roups, e umi
borracha de conduzir agoa ; o qual loi de Jos Antonio
Pereira, morador em Pajshu-de-Flores : quem o pe-
gar, leve a rua da Cadeia do llecile o. 43, que seis
recompensado.
Fugio, da casa de Oliveira Irmios 4 Compsnhis,
no dia 17 do corrente pelas 8 boras da noute o es-
cravo Domingos, de naca Angola, de 32 aonos, pou-
co mais ou menos picado das bezigas, ebeio do cor-
po ; levou camisp. e calcas brancas de afgodlo ; be to-
do ebeio de regras e preludios ; consta andar pelos lu-
gares do Forte-do-Mstto e Cinco-Pootas: qo*"1 Pe'
gar, leve a casa dos annunciantes oa rua da Cruz, n.
9 que ser generosamente recompensado.
> Fugio, no dia 17 do corrate de bordo do bn-
gde-eseuoa Niro o escravo m- .nhoiro de notos
Jos de naci Angola; levou vestido de algodlo aiul
eotraoeado chapeo forrado de alcatrio ; estatura bai-
la grosso do corpo representa 30 e tantos annos i
tem o olho esquerdo velado : reeommenda-se I >ul
captura a todas as autoridades acepilles de' esmpo >
cerlos de que quem o levar a bordo do dito navio u
a Amorim Irmios rua da Cadeia o%5, seri g""
rosamente recompensado.
Fugio, ba dias, a preta Lueinda do necio Costa, de idade de 18 anuos, com molestia as n>i
ou dedos: quem a pegar, leve a rua Nova, loja n. 5*
pERN. J NA TVP. DE M. r. DK VARIA
i H


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETS0CSI8C_D1CIW8 INGEST_TIME 2013-04-26T22:03:28Z PACKAGE AA00011611_08281
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES