Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08279


This item is only available as the following downloads:


Full Text
lAnno de 1846.
Ter9a feira 19
O DIARIO publlca-se todos os diasque
5o (orein de guarda: o preco da assigna-
lura lio de 4,#D00 rs. por quarlcl pagoi adian-
Li/iis. Os annuiiclos dos assignantes alo In-
fiel idos a raiao de 20 ruis por linha, 40 rs.
Tem tjpo dilerente, cas repetlcSes pela me-
Jtjule." Os que nao forem assignantes pagao
80 rs. por liuha, e 160 eiu typo differente.
PBASES DA LA NO MEZ DE MAIO.
Crescente a 3 as hor. e 31 min. da man.
La eheia a 11 as 3 hor. e 46 min. da man.
Mincoante a 17 as 11 h. e 6 min. da tard.
'tua nova a 25 as 2 hor. e 24 min. da man.
PARTIDAS DOSCORREIOS.
Goianna, e Parahyba, Segd." e Sextas feiras.
Rio Grande do Norte, chega as quartas
lenas aomeio dia, cparte as mesmas ho-
ras as qulntasfeiras.
Cabo, Serinbaem, Rio Formoto, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1., 11 e 21 de cada mez.
Garanhuns c Bonito a 10 e 24.
Boa-Vista c Flores a 13 c 28.
Victoria as quintas feiras. ,
Olinda todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Prlmeira as 11 h. e 42 minutos da inanhaa.
Segunda as 12 h. e 6 minutos da Urde.
de Maio.
Anno XXII N. i 19.
DAS DA SEMANA.
18 Segunda S. Flix, aud. do J. dos orf.
e do J. do C. da 2. v., do J. M. da2. v.
19 Terca S. Pedro, Celestino aud. do J. do
civ. dal. v.,e do J. de pazdo2. dlst. de t.
20 Quarta S. Columba, add. do J. do c.
da 2.* v., edo J. de paz do 2/ dist. de t.
21 Quinta jfot Ascenco do Sen hor. S.
M un,o-;, S. Valentc.
22 Sexta S Quiteria, aud. do J. dp civ. da 1.
v., e do J. de paz do 1. dist. de t.
23 Sabbado S. ltazilio, aud. do J. do civ.
da 1. v., e ilu J. de paz do 1. dist. de t.
24 Domingo S. Rita.
CAMBIOS NO DIA 18 DE MAIO..
Camb. sobre Londres 26 /, d. p. 1/a 60 d.
a Parla 350 ris por franco.
i -!>o i 105p. c. pr.nor inez.
Desc. de let. r" boas firmas 1 '/, p. % mes.
0ro=Oncas h.-spauholas 311300 a 3>00i>
. Moeda do tV-liii) vel. IBjHno a 16
i'r 6^400 nov. 16*600 a 16>800
de 40000 !>#000 a 8/200
Pra(a=Patac6es .... l.aWO a I ?"ID
Pesos Columnarcs 1 sMSn a .non
Ditos Mexicanos KrtMI a IllCil
Prata Miada. U680 a 1/700
Acedes da C* do Beberibe de 50/000 ao par.
DIARIO DE PEENAMBUCO.
obs; rvcAo.
Na relacloda peiioai do bairro do Recito, que subi-
crevrio para o necessilaJos do Cear etn lugar de
Antonio da Silva */ Cunka, lea-io Antonio da Sil
va Companhia 20.000.
Anda neo fo publicada a lilla doi lubicriptore do
bairro de Santo Antonio, por nlo te ter ainda obrado
auuicripcSo de alguna senhore, que aisignirio.
PARTE OFFiCIAL.
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DU 9 DO CORRKNTB.
OfininA" onmmaiidantoda* armas, declarando., qne
acceila a renuncio, que o capillo do primeirii baialhin
de cacadores, Francisco do Paula Albnquerqne Grilu,
na intencln de requurer lioonca ao govornn imperial
par ir tratar.de sua sado no Rin-Grnnde-do-Sul, Hie-
ra da que, por tres meten, lite conceden a presidoncia,
de (lonfurmidade eom o parecer da juma sanitaria
DitoAn Kxm. e Hrm. bispo dinoesann, onnvidandu-
o 6 ir celebrar a uiisaa votiva au Espirito-Santo, que
lew de preceder reunilodo collegio eluitoral desta oi-
dade, que ha du formar-so no dia 17 (atno-honleio) deste
mes, vm a matriz Santo-Antonio.OILciou-so respei-
to a cmara iiniiiicipal du Iteoifo.
DitoAo director do arsenal do guerra, ordenando,
faca oom urgencia concertar as armns do adarme 17, em
u mesmo arsenal existentes, Rui do li.ibilitar-se a aa-
tisfater a requiaiclo du ooiniiiaiulaiito do segundo bata-
IIiJii do orlilliaria p. Participou.se ao cumiuaiidou-
te das armas.
dem do da 11.
OflleioAo oumniandanlo das armas, aoieniinoandn-
o de ler mandado furneccr, pelo arsenal de guerra, n It-
vro-meslro reqnisitado para o segundo batalliio do arlir
Diaria a p.
DitoA" Jui* relator da junta de juatica, tranamillin-
do, para serum definitivamente julgadoa, os primeaseis
dos Soldados, Filippo June de Santo-Anua, Julo F. Mar-
ques, Juai|iiiui de Barros, e Gabriul dos Anjus Peroira ;
o primeiro da companhia de artfices, o segundo do de-
posito, eos dona ltimos do segunda batalhlo do enj-
illara k mi.
DitoA" juii de direito do criino da comaroa de Ga-
roiilmna, declarando, que oom a noinoaclo de Franoisoo
Ignoeio do Paira para delegado da mlle termo, espera,
li|ue o pnlicia da mmmi comaroa no catado, ein que se
deve ochar, e desapporrcio oa malos, contra os quaes S.
me. representa em cilicio do 1.a denlo n.ct.
Dito Ao director do araenal de guerra, ordenando,
monde admittir na cunipanbia dna apreudiiea menores
do mesmo arsenal o expoato Prxedes, por coja ailmis-
aiu S. me, ao pronuncian cm oflieio de 9 du crrente.
l'.inn ipou-se ii admiiiistraclo dos ealabelouimentoa de
cariilado.
DitoAo inspector do lliosouraria das rendas prnrin
ciaes, deteriuinaudo, Faca abrir arrematvcld para as o-
braa do 12 Lineo da estrada do Pao-d'Allio. Parlici-
|iuu-ae ao engvnliciro em elide, c ao napoctor-Hscal
doa obras publicas.
DitoAu ngente da companliia das barcas do vapor,
rec.omincnilanilii.-fjci transportar para o Rio de-Janei-
ru, cm primeiro Vapor, que deate puno para ua do
Sul seguir, o capitn do fragata Cartann Alvea do Soma,
que pelo governo imperial fui oliamadu n corle. Par-
ticipnu-ae ao referido capillo de fragata.
dem do da 12.
OflioioAn enlomndome daa armas, aoienlifieando-
o do i oicr ciicaiiiinli.ido secretaria do citado dos ne-
gocio da guerra o son cilicio de 9 dcsle mez, acmnpa-
liliado da rclacAo das iracas da guarnilo du Itio-Grau-
de-du-Norle, queso acbu addidas ao quarto batallilu
de artilharia p.
TEVERINO. (*)
PHANTASIA.
por lmr, (&forfl J3anlr.
XVI.
BAS HORAS DA TAHDE.
Na cabana do guarda fui, que Sabina deapertou ; mas,
antes que rila ruidasse em deaembaracar-ae du longo e
silencioso amplexo de Leoncio, o penetrante ulhar de
Tcverino havia sorprendido o casto inyalerio deasa re-
'oiu iliaca. Vio Leoncio osen auiigavel aorriao, ecumu
tenlasse respondvr-llie rom reaerva, u cigano, niustran-
dn-llie o co, e proai guindo o recitativo do Taereis,
que elle na vcapera havia entuado no meamo lugar, cau-
tou rata onira palavra, onde, eiu trua nolaa. Rossiui auu-
be conoentrar tonta dor e ternura: Amtnaide !
E to profundo, lo verdadeiro accento llie pos Te-
, verioo, que Leoncio llie dase, ao deaccr da carruagcoi
para fallar ao guarda :
Bastara uuvir-lo pronunciar aasim ease nonio, e
i cantar essan tres nolaa, para se recunherer, que a un
j grande cantor, e coiuprehendea a musita oumu um
[ nieslre.
(*} Vide Diarit n.* 111.
Dito.Ao nieanio, scientifioando-o de ter S. M. o Im-
perador licnnciadu pur seis mezas, nom os respectivu
vcnciineiilus, o alferes do primeiro batalhio de cayado-
rea, Joaquim Cardnso da Coala, e o cadete do mearon ba-
talhlo, Antonio Cantoso da Costa.OITioiou-so rospei-
to ao Exm. vice-proiidento das Alagas. por oujo inter-
medio foi rrcebido o aviso, que conceda a liecnca, do
que cimo se trata.
DitoAn commandanto superior da guarda nacional
do Recifc, participando ter appruvado n proposta, que
veio oom o sen oflieio de 9 deate mez, de doua alferes
paran respectivo terooiru batalhlo.
PortaraAo inspeotor interino du araenal de mari-
nlia, ordenando, que, por eraprestimo, mande fornecer
ao adminiatrador da obra do ourso jurdico do Olinda
um codornal cora eatropos, o quatro plumas. Parlici-
pou-se ao referido administrador.
Gotnmando das Armas.
BXPBDIBNTE 00 DU 7 DO COItllENTE
OflleioAo presidente da provincia, rogando llio a
eipedicio deiuasordeof, para seren recebidos e trans-
portados ao Ceara, na barca de vapor Pernambucana,
o) soldadoi daquella guarnijio, Jote Florentino e Ma-
noel Joa Pereira.
Dito Ao mesmo, enviaodo-lbe, em proprio origi-
nal, o oflieio do coronel commandanto do segundo ba-
lalhao de artilharia p, ponderando, quo no araenal
de guerra nlo baviiio espingardas diaponiseit, para la-
tisfazer a requiaicio daa que sSo preciaai ao deitaca-
menlo de Fernando, fim de que S. Exc. providencial-
le, como enlendesie.
DitoAo mesmo, Irammitliodo-lbe,informado,o re
querimento do'tenente ajudante da forlalea do Bruui,
que ao governo imperial pede o pagamento da quan-
lia de 33|200 ra., coaslanle do titulo anneio a la
upplica, proveniento de gratificarn, que deixou de ro-
ceber, durante o exercicio de 18 i2 a 1843.
Dilo Ao meimo, informando o requerimento do le-
gundo sargento, Joaquim Jos de Santa-Anna, da coin-
paohia lia de catallaria, no qual pedo ao governo im-
perial ser eacuso doaervico, por ter concluido o lempo,
a que eslava obrigado a servir como recrutado
DitoAo meimo, envtando-ihe, em proprioi origi-
naes, os pareceros da unta sanitaria, que inspeccionou
os toldado! da companhia do artfices, Antonio do Bar
rol Uarboza, Antonio Basilio, e Manuel Ignacio de Bar-
ros, comprehendidoi no leu oflleio do 2o de abril pr-
ximo pausado ; e hein assim outro parecer concerneole
ao soldado da mesma companhia, Belarmioo Batbalbo
Lini, que foi julgado incapat do ^ervico.
DiloAo mesmo, tranmittindu-lbe, para ser envia-
do ao Rim. ministro da guerra, em deiempenbo do avi-
so de 12 de Janeiro deite anno, o conceibo de inquir-
cSo, que, na lrma do artigo 2.' 3.'da ledo t.'de
dezembro de 1841, ae procedeo contra o meo conipor-
tamenlo habitual do reverendo capelln I' r. Marmol do
Santo Sepulcbro,, quo, pelo citado avilo, foi mandado
considerar capellSo do exercito.
DitoAo general commandante dai armaa da corle,
communicando-lhe, que bavia mandado archivar no
iiunrtn ba'.alho do ai tillara p, aqui em lervico, o
proceiso verbal, eomprohondendo o esbo do primeiro
bstalbSo de fuzileiros, Marcolino Gomes da Crui, e
soldado, Antonio Roque de Carilargo, do dito l.'ba
talhSo ; lendo sido aquello coodemnado, pela juntado
iuitica, ao lempo de priso, que havia aoflrido, em con-
lequencia de fuga de pretoi, cuja sentenca (Oro publica-
da na guarnicio da provincia daa Alagai, em 14 de no-
vembro de 1845.
DitoAo lenente-coronel commandanto doquarlo
Comprolieiido o amor anda melhor quo a muaica,
reapondeu Teveriinti e vejo com praier, que oniuecaa a
faser outro tanto. Acredito-me, qusndo o amor le fallar
an coroc,au, eleva esae curaclu a Dos, quo bu todu
manauotude e bondade. Senli-lu-has entlo do inquieto
e ferido, turnar-ae tranquillo e aingelo, como o de um
menino.
'_ Entilo o senlior marques he quem vai anda con-
duiir-nos? dase o vigario, ao vr Teverino tomar o
aaaento do cooheiro. Ser ao menos moia prudente du
quo honlem P
Eata cnlAo o meu choro vigario deaconlenle com-
migoP aeonteceo-llie o menor accidento? Alero do que,
nlo vai aeatar-ae junto mm pera inoderar-me o ar-
dor, ae me eu arrebatar?
Varaoa l! o senlior faa de mira o que quer, e ae
Barbara visse como me leva pela punta do naris, teria
sena ciuihea, e reclamara o monopolio. Ocerlo he, que
eu comeco a habiluar-nie a suas loueuras, e que nlo
possu diier, que nlo he o senlior um amavel euuipa-
nlieiro. Anda, Coila, cocheirui cun lauto que mile-
nios hoje direilinlli a Sauto-Apolliiiariu, e ndo torne-
moa a paaaar eaao analdilo riacho, que paroco n cada
matante querer arrebatar a ponte e quautoa por ella
psalo !.....
Para evilarinoa o riacho daremoa uma Vulla, meu
niiiii he melhor!
batalbao do artilharia p, remeltendo-lhe, para ser
archivado, o procetso verbal comprehensivo do loldaJo
Antonio Roque de Camargo, do hatalho do seucom-
mando edo cabo do primeiro de futilheiros, Marcolino
Gomei da Crur, que acahava da receher, com outroi
man, do coronel commandante das forcaa das Alsgdai.
DiloAo mesmo, restituindo-lbe o recibo, que o
cadete Roiendo Pereira de Oliveira passou ao ampara-
da, que a bordo da emburcacau, que o traniportou
corle, Ibe fez entrega do leu armamento e equipa-
mento,
DiloAo coronel commandante do primeiro hata-
lho decacadorea, fsieodo-lbe remrssa doi proceiso
verbaei, que acabava do receher do coronel comman-
dante dai lorcal da provincia dat Alagas, perlencenles
ooi rof Jos Olegario, Antonio Pedro de Alrneida, o
r'ranciico Cordeiro do Soma, soldados do halalhiu do
seu commando, jn afimil lentenoiados pela una de
juslica, e copia dos que se organisrSoem primeira ins-
tancia, relativos eos roi Vicenle Ferroira, Nicolao Pe-
reira, Roymundo Valente dos Sanios, e ManoelGon-
V'alves de Souza, lambem pravas do teu batalbao, aRm
de icroui lodos archivados.
""iiiririnsrffr'-^TH
PEHNAWBiCO.
ELKICAODE D0US SENADORES.
C0LLEGI0 DO III CU'...
Os Srs. Voloi.
Antonio Pinto Chiehorro da Gama 121
Mancel de Souia Teixeira 116
Ernesto Ferreira Franca 110
Franciiro Honorio Bezerra de Mcnei.es .103
Manuel Paulino de Goveia Muniz L'*eijo 102
Hsnoel Barboza da Silva 'H
Antonio Joaquim de Mello 45
Bailo de ltamaraca 41
Viscnndo de Goianna 37
Bario da Boa-Vista 33
Podro Francisco de Paula Cavaleanli do Albu-
querque 30
Padre Francisco Ferreira Brrelo 25
Sebastiio do Reg Barros 21
JUIZO DOS FEITOSA FAZENDA.
Illm. Sr. Remet a V.S,, inclusa por copia, aor-
dem do tribunal do Ihesouro publico nacional, de II
de abril prximo lindo, aRm de ficar na intelligencia
do seu conleudo, emandar-lho dar cumpnmenlo pela
parte, qu llie loca.
Dos guarde a V. S Thesouraria do fazenda de
Pernamhuco, 7 de maio de 1846 Illm. Sr. doutor
Jeronymo Martiniano Figueira de Mello, juiz dos (ti-
tos da fazenda delta provincia.
0 inspector
Judo (ioncalvti da jilea.
N.3Manool Alvea Bronco,presidente dolribunaldo
lliosouro publico nacional, em vista do relalorin do
procurador-fiscal da thesouraria da provincia de Per-
namburo, que acompanhou o officio do raspeclivo r.
inspector, de 8 de Janeiro desle anno, sohl.eadver-
tindo, quo, no quadro da divida activa, esli figurando
comoeiislenles mullas dividas, que se acbio presenp-
tas, nos termos do capitulo 210 do regiment da la-
tenda, ordena, que o mesmo Sr. inspector envi uma
relacio circunstanciada,sobro informacodo dito fiscal,
de lodas as que com efleito se acharen) no caso do di-
lo capitulo, para se declarar a sua prescripcio o se a-
verbarem como prescriplea, para mais ae nio relaciona-
iha frca magntica, depois que ello passou para o mar-
ines, que d'ora em diante he s a nos-a busaula.
nlo qae-
charo vigario, para
D-ae a volta I daae o vigario, que havia embica-
do sobre uaolhua o ohapo inaneira de insubordinado,
ftieopsone, raiino; uma hora de nisis ou dmenos,
ein viagem, nada importa ; eati va tan, va btna.
Toiuou-se oulro eaiuiulio, e Sabina purgunlou a Le-
oneiu, ao realineiilo vollavio i|Blata.
Eu o espero, respoudeo elle; mas, na verdade,
uo aei. Devo ooafeaear, que toe abandonou toda a uii-
Enllo ponbo-me em revnlta declarada ;
ro sor dirigida aenlo pur voss.
uca, senhoro, disse Teverino; supponha, que
ninsoii mais do i|ue o lene, eqnoobedeco i iiio de
Leonuio. O senlior vgariu he, que lio a bussola; a seu
olhar est sempre voltado para o pulo, o a estrella polar
lio dona Brbaro, ana veneravel orna.
Muiti. bem dito, niuito hein dilo eiclamou o vi-
gario, riudo-se oum grande goatn.
Fui o rominhu longo, porem bello. Teverino bolca-
va com prudoncia, e parava em todos oa aitios notarais',
para ns faser admirar por aeus companlieirus. Seu r
alegre o de bondade, e saMM uioneiras reapoitoaaa para
eom Sabina, a irauquillraario pinico o pouoo. Pareca,
que elle punha lodo o aeu empeiiho em faser-lheesque-
t.vr um inomeiil'i de fraqueaa. Muilu rcconhccida llie
hiun ella por isso ; mas o lerno ulhar o as palavros gra-
ciosas su para Leoncio furto.
Entretanto, tiomecando o calor a faicr-se aenlir, tor-
nen ella a adormecer, o Leoncio, eoru u guarda-sol,
a abrigara com peraeveronto sulicilude. Quando des-
perlnu, vio-se cun sorpresa no meio de um claustro
golhiro.
Acbava-se a carruagem em um grande paleo, sobre
abundante rclva e junto a urna fonto de repulo. Amigas
cunalruccdes, de extravagante elegancia, rsideavio esta
parle exlerna do mualeiro. Atrases das ponlaguilas ar-
cadas deacobria-se, de um lado, a profunda perspectiva
de um valle encantador i do oulro, avistavlu-se, muilo
acuna dos extremos da nn liiteclora, os ridos ealeaiili-
lad'ia pinearos da inoutaiilia. Em Irenle, urna largo gra-
do f chava o segundo recinto du cuuvenlo o deixava a
descobertu, em torna de um prado uistiaado de flures,
edificios mais moUeruoa, mais bem oonsarradoa, e oar-
rem. Quaoto as providencias, que propoe dito fiscal a
respeilo da arrecadario dos bens de defunlos e ausen-
te!, e bem vagoa, com quaoto teji admissiveis, lio,
com tudo, dependentes do actos legislativos, que poda-
rio ser opporlunamente colicitado*. Sobre a dee'araclo,
que o mesmo fiscal pede a respeitu do recolbimeuto
ao cofre dos pagamentos, feitos pelos deredotes da laico-
da nacional, demandado! o quo costurnaser feiln pelo
solicitador, declara, que, sendo irregular e illegal o
cstylo de haver qualquer empregado como intermedio
no pagamento, que se deve faier bocea do cofre, daa
quantias bavidas dosdemandados, ou apuradas em exo-
cuclo, quando o devodoros demandados querem fa-
zer os psgamenlos das suas dividas, elle* meamos as de-
ven) levar ou mandar levar ao cofro, com guia do res-
pectivo escrivio ds causa, o apreienlar o conhecimenlo
no juizo.para se aunlar aos autose bavrr devida qui-
lacio: o quando, por virlude do execufo, su proceder a
arrematadlo dos hem,devorad os arremalautcs proceder
da mesma forma, faiendo as entradas no cofre, e Ira -
zendo os conbecimenlos, para ae unlarcm aos autos, u
'nlo m Ihei paisarem o competentes titulo*. Pelo
que pertenco a duvida dn procurador fiscal a respeitu
dos livro*, que devem haver para o lancamento da rola -
cao dos devedores da fatenda nacional, e do recibo do
mesmo fiscal, para os executar, e a respeilo da maneira
de se eflecluar a entrega das quantias recebidas; de-
clara,que, devendo sem duvida haver ea doua livros, um
as collectorias e metas de renda*, na furnia do moilclo
n. 4, annexo ao regulamento de IB de junho de 1814,
outro as Ihesourarias, na eonformidade da ordem do
24 de ouluhrn de 1645, deve o mesmo procurador fis-
cal lazer entrega do que arrecadar dos devedore, na
estacio, em que houver dado recibo dos titulo* de divi-
das, para lo ajui'arem. Thelouro publico nacional, em
II de abril do 1846. Manat Alces Branco.yt
Conlormo. O ofljcial-maior
Ignacio doi Santot da Fonttca.it
NECIiOLOGIA.
No dia 7 do corroo te mez, pelas 2J,4 horas du
tarde, fullereo, om Olinda, o llvm. conego Ma-
noel Ferreira da Ascencflo, e foi sepultado no
dia 8, depois de um solemno officio, celebrado
na ralhedral. .Nom osesforr;osda nicdiciiui, tem
ns temos cuidados de sua inconsolavcl familia
llie podrflo prolongar, por mais dias, tSoapre-
ciavol existencia .. Ilcsta-nos agora a terna
lembranca de tilo botn amigo Dotado, como
era, de uma alma benifazeja, o tetulo recoliirlo
de scus pais urna escolente cducagSo, dedicou-
se, por inclinacio, ao sacerdocio, que soube
sempre honrar com sitas virtudes e cxemplo, no
nIo pequeo decurso dequasi ciiicoenla ututos.
Qnanlas pedas ein um s homem !.....A
igreja perdeo um de seus ornamentos ; a patria
um lint" cidndo ; a familia o melhor bem, quo
possuia; o amigo a mais sincera e lirme amiza-
de ; e, linalnieiite, a pobreza o mais caridoso
arrimo!.....
Bom lllho, bom amigo c bom cidadilo, mor-
reo com setenta C cinco anuos do uma existen-
cia toda dedicada ao hem da humanidade Acd-
bou como um bom chrisloc sacerdote !.....
Basta ; Itfio precisa de maior elogio!!!...
Existe com Dos o meu amigo!.....Uma la-
grima sobre o seu tmulo !..... Eu a depo-
sito! ...... A. *
(Coihmunicado).
regadua de ornatos, ao gusto do scculo desasis. O vi-
gario, com a cara collada i grade, abalara com vigorosa
mo a sunnra aineta, c algumaa figuraa do frado, que
aciidiiu ao estrepito, appareoilo no clarn-obacuro de
nutra porta de nimbada, quo dava communicaclo para
tercoiro recinto,
i.r ein, mvlady, que ao nlo enfadar coromigo, por
have-la conduiido a estes bous padres. Ealoheocou-
venlo de N. S. do Refugio, e o nosso bom vigario en-
lende, que um posteo de ropouso o refresco aformosea-
ria esta puelica parada. Vamos pedir ao prior a permis-
slo do a introdoiir no interior da casa, o, para oble-la,
fa-la-heinos pausar por tima velho Irlandesa ullra-ca-
tlii'lion. Ahane, porlauto, o seu reo, o faca, que llie
nao vejlo a* feicOea e tal he, antea de aborta a grade.
Estes bons frailea alo maia finos do que tu, disse
Leoncio, e II veaij o irroi pnrteiro olhar de perto
para a uusaa joven o bella viajante.
Ucpois de haverem parlamentado, consentirlo os fra-
iles, que a uiiilhercs ciitrassc-m para o prado, pnrm nlo
mais para o interior ; e enllo, cm alto bom mudo a
affabilidade, fiserlo tirar os oavallos ds carruagem, a
eouduiirlo os viajiros para uma aala freaca, do pilto-
roana deooraflo, onde Ihes foi servida uma exoellento
roleiclo.
Aiii ae eaiaeicoeo um rogo n.ianta dequest6, rs
que a ingenua curiosidade desses santos ociosos era-
haracou, mais de uma ves, a pr udenoia do vigario. Foi-
Ihe preciso prcslar-se as mentiras de Teverino, que fex
affoutaiuoiile passar Leoncio por lord G..., maridado
Sabina, e que asseguruu virem em direitura de Santu-
Apollioariu, onde u vigario havia ditu raissa pela ma-
nilla, autoa de aeprom earuinlio. Adrairou-ae o prior
do nao ter lord G... u accento ingles, e de ter viudo a
carruagem pelos labuleiro* da niontaiiha, em voido vir
pele fundo do valle. Teverino a tudo aohou reapeita,
I


-
SOSJ
Publicagues a pedido.
Do novo transcrevcmos os documentos abaixo, pa-
ra remediaralgamasinextctidOes, coa)flae, dasou-
tras vezes, foro publicados.
a Illm.Sr. inspector da thesouraria. Dizcm Anto-
nio da Silva & C, que prerisilo, que o respectivo car-
torano, a vista do livro dos lancamentos das laxas
de ncrancys c lepadas, que servio no anuo de IKi'O,
Ibes passe por certidilo o teor dos pagamentos das
laxas das bei ancas dosherdeiros do fallecido Anto-
nio Rodrigues da Cunba Vanna, feitos pelos suppli-
cantes, como testamenteiros do mesmo fallecido,
cm 16 c 20 de marco do referido anuo de 1820.
. Portanto, pedem a V. S., Ibes delira como fr de
jiisiica, e recebero merc.
Passe, Thesouraria de Pernambiico, 2 de
maio de 18i(. Silva.
Km cumprimento ao despacho supra, certifi-
co, que, revendo o livro de lancamento do sello dos
papis, laxas e berancas, que leve principio cm 21
de outobro de isio e Dnalisou em 31 de agosto de
182, dclle, a folbas 77 e 78 verso, se achilos verbas
de pagamentos do sello das berengas, que Antonio da
silva & C na qualidade de testamenteiros do falle-
cido Antonio Rodrigues da Cimba Vanna, recolhe-
rflo na repartidlo competente, cujo teor he o s-
quiote :
1820. Margo 16. N. 1021. Thereza Maria
Comea, heranga, que lite tocn de sen fallecido ir-
mSo Antonio Rodrigues da Cimba Vianna, de quem
Ionio testamenteiros e procuradores Antonio da Sil-
va & C, 257*904 rs. .\. 1022. Maria Rosa, por
si e seus lilhOS menores, Manuel Rodrigues da Cimba,
Quitea Mana, dem 257/904 rs. N. 1023. Joo
Rodrigues e liallbazar Jos Rodrigues, dem 257/921
rs. N. 1024. Jos Rodrigues da Cunba, dem
257/904 rs. N. 1025. Manoel Rodrigues da Cunba
Vianna, dem 257/904 rs. N. 1026. Quiteria Ma- gencrosidade, porque com tal discurso ha indirectamen-
ria (ornes e seus llhos, dem 225/004 rs. N. 1027. le um pg em excedentes rasOet, o liiongeiroi lou-
Jiianna Maria Rodrigues, dem 257*904 rs. Margo vore. Pelo que, te por um ludo ellea teem algum
?iiV00.- ~.,;l,?."lu Josp AITonso, heranga de seu Jinbeiro de menos, por outro Ihei deitei alguaias vir-
' ,T, .?, 'n A''n'o Rodrigue da Cunba Vianna, ,., de mais. queelles mesmo, de.conheciio oque
b- quemiaao testamenle.ros Antonio da Silva & C.,Lm (lu,illn M,B bem 8 ommai que agldinh,X
Nem ludo so avalis em dinbeiro, nio lie aisim T
moco, be justo, que elle o desructem : mas como
queroinabe-lo, rapaiei ?
Vi nao podis nunca, estamos persuadidos, nio
podis nunca ser tuipeitos de fraude. Quem ae lembra
disio? A mocidade be sempre ingenua, generosa e fran-
ca ; o vosso fallirnonto sera, pois, sempre considerado
innoceole, c o be na realidada ; o mais be urna ma-
lignidade perversa, e que l coracSet depravad, i po-
dnm acolher, porque cada um julga os outros por si. O
que (iiestes tos T Etlreattet o negocio sem a necessaria
lctica, aem o conveniente exime, que verificaste a vos-
sa idoneidade mercantil. E o que resultou? (testes al-
gumas temeridades, que forio mal succedidasoutrs
cousa nao podia ser... Mas o que be sio ? urna louco-
r.i da mocidade. Ora, lodo rapas he eslouvado, e a mo-
cidade rcclsrna, s reclsmsrs m inHni o tempes a in-
dulgencia de lodos, anda dos mais severos moralistas.
Quem nio dir : a he um rapaz, que nio enteode do
negocio, rnnveni perdoar aos mocos alguma cousa, com
o tempo he que riles se bio de formar verdadeiros e ha-
bis negociantes Isto he de rasio, e podis contar com
essa rasio. ou justificacio.
Alm disso, qual o rapaz, que nio oferece materia a
urna banca-rota lentimmlal i' Os trabalbos da mocida-
de sio por naturea sympalbicos ; ninguein pode per-
millir, quo soflra quem anda nio leve ocessiio de ol-
fender, e portanto conlai com a efficacia do ttnlimen-
talumo. Qualocrcdor, que se nio renderi, onvindo
um discurso palhetico, que va dreilo ao corecio? Qual
virludes, e nobres soflrimentos. sm, feliz, por terop-
portunidadede obsequar-vus, a vos, que amis lerna-
mente a lodos aquellet de quem comales o dinbeiro ?
E de mais, nio ba da parle de vossos credoret inlcirs
1,789 barricas farinha de trigo, 400 barriquinhts
bolacbinbsi, 200 barril baoba deporco, 125 taceos pi-
mentada India, 8o caisasch, 12cadeiras de balao-
go, 10 lardse 23 caitas algodioiinbo, 667 barriest
abatidas, 32 ditas lampos, urna porcio de arcos de pao
para as mesmas; sos consignatarios.
Consulado.
Renoimknto do da 18.
(Jeral____
Provincial
Alogoas. .
Rio Grande.
'2:191*867
908*275
21*916
897
Florentino Sonor, Florentino Velbo de Si p,,.
nciito
|
i
Pereira d,
Alves, Franoisco Augustir de Aievedo Silva' Pr.
o-----? -----. _..' lraocisco
Movment do Porto.
Navios entrados no dia 18.
Sidney; 117 dias, barca ingleta Jam-Goudie, de 288
toneladas, cspilio John Goudie, equipsgem 18, car-
ga lia, couros e mais gneros; ao capitio. Condui
14 patsageiros.
Lisboa; 31 dias, brgue porlugei S. Domingo, de 200
toneladas, capitio Manoel Goncalves Vianna, equi-
pagem 18, carga vinbo e man gneros do paii ; a
Joaquim Mendes Ferreira uimaries.
Edilai.
32*232 rs.
< V. para constar, passei a prsenle, i visla do mes-
mo livro. Cartorio Ja thesouraria da fazenda de l'er-
nambuco, 12 de maio de 1846. Ocarlorario
Judo Jos Jipes Jnior.
Variedade.
CONSEQBNCIA DO PRECEDENTE, OU OS FALLIDOS.
Em um teculo como este lio depravado o cupido, di/
um celebre e.eriptor, seria falla de gosto doclamar, em
lom de pedagog >, contra um vicio lio acreditado, como
ofallimeolo, e portanto o mais cordato be seguir o
lom dominante, h considerar semelbante crime pelo
lado ridiculo. Com estas vistas publicamos em um dos
Utariot ltimos st nossat reccilas, para enriquecer que-
brando, ou para quebrar enriquecendo, mas nunca
pen-mot, que alguem as lomasse em serio, equefos-
seiiioa lio importunados com frequenti-s viriles de pci-
soas. que querem receitar-te, e inslio comnosco para
Ibes darmos algum espumeo para assuss circunstan-
cial. Obrigados a ceder em parle a lio reiterados pe-
ludos, nos comprometamos a dar mais algum desen-
volvimenlo ao imperismo das ditas receitas, am de
quo fsse mait fcil A qualquer fallido fa/er por si mes-
mo a spplicacio deltas. Mis declaramos, que nunca
pensamos, que bouves se nio nosen^anamos, vemos os caracterea de urna epi-
demia. Se o mal fr por diante, entio brevemente se
nio perguntar mais quem be, que quebrou, mas sin,
quaei es pessoas, que sio quebrarlo. Lisongeando-nos.
pois, deque prestamos algum servico a lodos esses en-
fermos, que noiconsultarao, oamuilos outros, que
gemem cm silencio, oflerecemos boje ao publico falli-
do, e por fallir, o resultado de nossos ulteriores Ira-
balbot.
Porcm, romo a primeira pessoa, que leve a bondade
de visitarnos foi um rapaiilo imberbe, nos deiejamo*
serulil, anlcs de ludo, a lodos os imberbes. Nao vem
ao casodizernos, que filamos admirados deveropro-
breiilodizer-nos, que era negociante, porque em ou-
tro lempo os mogos nio principiavio lio cedo a carrei
ra do commercio, e antes do30unnos se nio via nin-
guem leitoebefe de urna casa de negocio. Tinba elle
apenas 20 annos de idade; bavia dous, que se linba
eslabelecido, e eslava j quebrado Vendo elle a nos-
st admiraiio ; diise-nos, que bavia alguns nobret col-
legas seus, que, sos 30 annos, ja linhao feito Ires que-
bras, acomido mait oe 40 conloa de ris aos seus ere-
dores Eolio etcliirmoa: tanta gloria para tanta mo-
cidade maa logo diiscmoi comncico : be o secuto dos
Rapazas, nos vamo9concluir, terminar tantas inler-
rogaces; nio reparis na abundancia dolas, eslava-
rnos na mar de interrogar, em outra occasiio estare-
mos na de admirar, fazei-nos ao dopoi) o lavor de e-
quelibra-las, para que baja o modut in rtbut. Rapaies,
quantu sois afortunados.' Altendei; a vossa ettralada se-
r sempre um divelmenlo para o publico, entremeiado
do incidentes, que muilo o fario rir. O Ingle/ dando ao
domo, o usurario engaado, o avarento logrado I Ora,
quem nio recobrar b m bumor com as angustias de
tal gente? Este protesta ; aquello anda perguntando
aomle lia de protestar; aquella lenta um arranjo clan-
deslino, etc., etc. Oh I nio sabis, rspaios eslimaveis,
|ue partido ventajoso podis tirar detta disposicio do
publico, a rir a cuss dos vossos credores ? Faiei, pois,
que todos os tombadores e brincalhdes vos tomem de-
baito de proteegio: se o conseguirdes, ficai certos, que,
sem demora, ha de capitular com vosco a mainria dos
vossos credores, e oblareis, sem didiculdade, um trata-
do, ou tratada fdvoravel aos interesses communt Nio
julgueis dillicil alcancar esse valioso recurso. A gente
do commercio, he, por habito, ou nalureza, gente toda
gaiata, o nuito mais inclinada a chasquear dos tolos,
do que criticar os velbacos. Ora, vos nio sois tolos
velbacos, quem vos pode chamar? Ainda inlerroga-
cao .Mus esta admiracio final j indica mudanga de
tom. Omni varela daleclal.
Em outra occasiio, os velhos serio servidos da ma-
neira, que nos fur possivel: taltez abundemos entao em
admiracdes, se lamem nio fizurmos o nosto fallimen-
lo, em malaria de escnplura ; porque o mundo da ri-
queza, ou a riquea do mundo nio be para os que es-
crevern.
e, para acabar com esaaa quc.iflcs, IraUo de asiallar oa
padrea, e oceupa-loa c boa |iioim;;i, t-. |. 1.1 t-n l.i lioapilalidade.
Depoi. da rtficao, pedio licinta, ao menos para os
h.....'" verem a igsriaees claustrua inlenioa, o dcale
modo prop..rrionou Leoncio novo e tranquilla collu-
qnio com ahina, a quii cale n.'m cjuii Jeuar .
Sio caiadinboa du frasco, diste ello baixii'iho ao
prior; V. reverenci lem aqu religiosos, quo mu liara-
cem muilo bonitoa rapaiia. Mvlord bo cioao, al do
maia iiinocanlo e respeiloao olliar, laucado & aua nobre
eaposa.
, Todoofrade guala de segredinhoa e conndencia.ii-
baa, Apeiar do que eata linlia de mundana, orno-te
o I" ni pndiv, eanudou, com ar maligno, o proiendido
lord G..., convidando- a collur florea par titylntly.
Li (iiciu e t cnnipanbeira, depon ,le ba vareta ad-
nirada o vigor das plastas cultivada, com lano amor C
srit-ncia, rnliaraVao prinieiro paleo, enjoa edificios ar-
ruinadua o planlaa abandonndat linliin mais carcter e
1'1'in.i. Era rale lugar complctaiuenle deacrlu, eauaa
aiuigaa conalrnr^c, abrrlaa para n campo, acrviSo
le iirmairna u tcllriroa. A mua do prior, ni vejada pela
idade, p.alava com niclancolico aciublanlc, c tmenlo o
arrulbar do pon, boa sobre ot Iclbadoa coberloa do mus-
go, o murmurar monoiono da fonle, e as unilorme.
pancadaa do relogio, que, minaciuao, aiiuiinoiava cada
uarcalla de lempo, que .ceicoava, iulerrompilii o ,j-
lenciu ,le..e lugar, ude o lempo 4o i.nlia verdadeiro
emprago, e onde a vida pareca estar .o.peo.a.
babma, .rulad. ,,'ulll b.nto junio fonle de marmo-
m negro, paree. a c.,.,u. da .rlancolia. Ima rrvolu-
-o cumple.. arh.. opr.ado, da.de m.nb.a, na.
".oe.r.a, ..mudo e rtprc.au dr... hall, pase*, a
dado entre ella o ella. Nio ara mais da.deubosa bello.
CUIYIMEHCIO.
Alfandega.
IIi-.mumknto lu ni a 18...............15:437*937
eicarregdo hoje 19.
Polaca Emeitinahlalas.
UarcaEikfannba o farelo.
Brigue /Irmoriquebatatas.
Hrigue Floraca vio.
BrigueA'iordgarrafSes vasios e farelot.
liiircu l.arcellonezvinbo e sabio.
Barca Navarremercadorias.
IMFORTACAO.
N4VAHRB; barca americana,
delpbia, entrada no corrente
Luiz Gomes l-'crreia & C., manifeslou o seguinte :
inda de Pbila-
mes, a consignado de
Augusto Homem, Francisco Augusto deOliveir p ,C
cisco Antonio Marques, Franoisco Ceriaoo Pereirl*!?"
Brito, Francisco da Costa, Francisco Carlos Cor
Lima, Francisco Correia Vieira, Francisco Dumin^"
Alonso, Francisco Domingos da Silva Araujo, pr/*
cisco Farreira, Francisco Ferreira de Mello, ...,1*
co Comea da Silva L.. Franciieo Goncalves" da Cos'
Francisco Goncalves da Silva Pereira, Francisco J0|'
Maria, Francisco Ignacio Ferreira Dias, Francisco J
s Correia da Silva, Francisoo Jos* Fragozo, Francis^
Jos de Medeiros, l-ranoiseo Jos deSouia, Pflncj.
....................... 8y/ Lopes, Francisco Luis de Abreo, Francisco Luciiij0
q-isi.qRR NeTe*' F'ineisco Macado Brideiro. Francisco sjwi
3-122*955 Coelbo. Franoisco da Rocha, Frtncisco de S Jl
nba, Francisco Urbao di Aibqucrqc l'i.nf
Var Pereira. co
Gustavo Cancio de Paula, Giaaomo Baja Gabavli
Heur Fri Ailora Esquer. '
Juliio Antonio Guimaries, Julio Cezar Aadri|
Jerooymo Jos Ferreira, Izidoro Luit de Souza Moq-
teiro, Ignacio Rodrigues da Costa, liaquiel da Silvsiri*
Jacintho Ignacio Indio, Jacintbo de Medeiros Martina'
Jacinlho Manoel, Jacintho Manoel da Silva, Joaquio.
Isabel, Joaquim Aoastacio N., Joaquim Antonio Stn.
tiago, Joaquim Ouarte Teixeira S., Joaquim da Crqi
Barrozo Joaquim da Costa Vieira, Joaquim Izidro di
Cosa G., Joaquim Francisco de Alm, Joaquim Frin.
cisco Paredes, Joaquim Jos Corris, Joaquim Joid|
Gama, Joaquim Jos Fi.lalgo, Joaquim Jos da Mou-
ra, Joaquim Jos Pereira Borges da Silva, Joaqun,
Jos de Siiss, Joaquim Jos da Silvs Lima, Joaquim
Marques Santiago, Joaquim Pereira Xavier deOhvei-
ra, Joaquim Kamalbo da Silva, Joaquim Xavier di
Castro Lacerda, Joaquim dos Santos Condi M., J0I.
quim dos Ssntos, Joaquim da Silva Mourio, Joaqun
Sou/a da Cunba, Joanna Margarida, Joio Alies Ha-
chado, Jlo Antonio de Souza Guimaries, Jlo Uer-
nardino Botelbo, Joio Baptisla Bruno, Joio llipiin,
Fernandes, Joio Baptista da Matta, Joio Baptisla de
Medeiros, Joio Baptisla dos Passos, Joio Cabial, Joio
Correia deCarvalbo, Joio Cbimandetde Oliveira, Joio
da Costa, Joio da Costa Botelbo, Joio Cordeiro dos
Sanios, Joio Domingos Paces, Joio Ferreirs Pachaco,
Joio Francisco, Joio Francisco Coelbo B., Joio Gon-
calves Res, Joio Homem de Menezes, Joio Ignacio
Machado, Joio Ignacio de Menezes, Joio Jos de Go-
veia, Joio Jos Gomes, Joio Jote ds Silva Veiga, Joio
Lobato, Joio Luit Forreira, Joio Mendes Basto, Jola
Marques Dias de Brito, Joio Macado, Joio Manoel dt
Oliveira Joio de Oliveira Barbota, Joio Paulo di
Cosa N., Joio Pedro da Rocha, Joio Rapozo Fer-
nandos, Joio Rufino da Silva Ramos, Joio da Silva
Leite, Joio da Silva Tavares, Joio Vioeote di Silva
Cesta, Joto Vas da Costs, Jotepba Maria Gomes.
(C'onl.nuar-te-Aa. j
.0 arsenal de guerra precisa comprar, para os Ira-
balboa da oflicina de ferreirot, qustro duiiaa de limas
Migutl Archanjo Monttiro dt Andrade o/peiat da
imperial ordim da Rota, eatalleiro da de Ckristo ,
intpeelor d'alfandena de l'ernambueo por Sua Ma-
gtitade Imperial, que Deot guarde, ele.
Faz saber, quo no dia 22 do corrente, se bao de
arrematar em praca, so maio dia, na porta da allandn-
ga, as seguintes fsiendas, que forio transmiltida pelo
ebefe de polica, e que seschio depositsdas na mesma
alfandega: duas mantas de seda, no valor de2t,700 rs.,
quinze lencos a dous chales, no valor de 25,784 rs.
tez o meia varas qusdradas de casimira, no valor de
37,800 rs., e qunrenta e seis covsdos de setim preto,
no valor de 46,000 rs.; sendo a srremseio livre de
direilos ao srrematante.
Alfandega, 18 de maio 1846.
Miguel Archanjo Monteirodt Andrade.
Derlaracoes.
Lilla geral dat cartat tntradat, no eorreio detta cida-
de, em todo o met de fevereiio de 1846.
Anna Josepha Dellina Anna Mara da Silva A-
leandrina Roza Gomes Almo de Couto Ameri-
co .Militan de Frnitat G. Amandio Iloncio Ale-
xsndre Pereira Coelbo Arsenio da Silva Cardoso ,
Antonio Camello de Hollanda Antonio Cardoto da
Silva Antonio Ferreira Pinlo Antonio I. Rodri-
gues Antonio Francisco Antonio Francisco Con-
tra-mostr Antonio Francisco Cordeiro Antonio ...... > Mu..,u uu.,0, uo ,
Francisco Domingues Antonio Francisco Martins batas, de Upollegadas, tres ditas de ditas, de 12 ditas.
ngui-
profunda,
za, eceptica a rr.peilo do amor real, orgulboaaiuenle
asaltada com n ideia de uto sai que omor iileial eimpos-
ivcl, ao qual iiciili.im murtal lite pareoi. digno de ser
Disociado em tcua aonbos. Easa forja do caraeter, e.aa
peno.ii lcn.no da vontnde, que Lulo bavio aaau.tadu c
irritada o Leoncio, Usable cedido urna mulla lan
det, iiio.i in.IctH tocante, urna meditad
urna serie de menciraa terna, o meigaa, cujo ubjaeiv
era so elle. Era ama ralbar muida, trmula o pro.ira-
do, e, pela primria vet, liaba para ele um utiraclivo,
que a dc.coiifinnfa o o audo n&u gelavtu.
Ntu tu aeniia elle acanliado em aua preaenca, podia
fallar e rcapirar, aciu temor dea.ea |Mc.nle. ee.pintuo-
oa inolejua, que, (lu.pertandu-lliu o espirito, con.ar-
v.viu-lbo o coraclo em cautela coiilra alia, e contra ri-
le me.mo. >o preoiaaea atis affeclar, curan na vr.pe-
ra, aaaa papal de dotitor e do inyairrtuao pedagogo, in-
.ipido a forcado gracejo, que laiilaa emucoa o de.pcito
eneobri. Agora, cru para ella ura verdadeiro proleotor,
iini medico d'iilma, quasi quouin luaalret e, quando o
In.moni .ente, que dirige e domina, lie opal dopardoar
ludo, e al a inridelid.de, que lite fat sangrar o amor
propriu.
Seiiluu-se ello ao. pea da aua dcil penitente, e, de-
pois de ura longo .ilenoio, no qual lalvez Ibeoprouve
prolungar-lbe iuquici.cio e limidet, perguntou-lbe
>e tito ae li.via diininui.l.i a .ffeicSo dclla, par caso pe-
nosa i.....fidencia, que I lio bavia uuaado faier.
Talvet, Ihe rr.pondeu rila, ae uto vil.c em vos.
um amante, que me deixa, e ura amigo, que me lio rea-
Kluiiio. M... ao o amigo me curar sita fend.a, que em
asas Aa, ratai ama praeer deaappaaaaas o amanto para
.einprc. Por esta luaneiru, o meu orgulbo nio pode aof-
frer porquantu, ae o mor lie orgulliuao e .u.captivol,
ae o aeu perdi lio buu/ilbaole a inacoeilavel, o da ani-
sado be o mait santo e grato beneficio. Ah reja, uieu
de Miranda Antonio Francisco da Silva Anto-
nio Francisco Vargas, Antonio Gcorge, Antonio Go-
mes da Silva, Antonio lacintho Cavalcante lreyr, An-
tonio Joaquim Goncalves, Antonio Joaquim Pereira,
Antonio Jos de Luna, Antonio Jos Lopes da Silva,
Antonio Jos Nogueira, Antonio Jos da Silva, Anto-
nio Jos Villas-Boas, Antonio Lopes de Oliveira, An-
tonio Luit da Silva, Antonio Maiia da Cosa V., An-
tonio Muniz Machado, Antonio Nunos, Antonio Pe-
reira, Antonio Pereirs Cardozo, Antonio Rodrigues
ItuartH Antonio Rufino Ferreira, Antonio Rabello
da Silva, Antonio dos Santos, Antonio Reabra Lima,
Antonio Sebastian dos Santos, Antonio da Silva Tor-
res, Antonio Venancio de Souza.
Barbota Felicianoa I'., Barros & Compaohia, Ber-
nardino Jos Peroira, Bernardo Jos Angelo, Bernardo
Ignacio de Azevedo, Bernardo Jos da Silveira, Ber-
nardina Antonio da Silva L Bento Correia de Mello,
Bento Ferreira Marques B. Bento Jos Antuoes Pe-
reira.
Cietano Aureliinno de Csrvalbo, Castao Alberto
T. Cavalcante, Caetano Reg Toscano, Cosme de Si
Pereirs, Candido Forja > de Lacerda, Candido Julio de
Medeiros, Candido dot Santos Xavier, Candido Ro-
drigues dos Santos.
Dellonso Manoel dos Ssntos, Domingos Jos Peixo-
to, Domingos Rodrigues ds Costs, Domingos dos Sao-
tos Alvoreda, Domingos Teiieira Bati,
Emilia Adelaida Teiieira Emigidio Pereira da
Silva.
Fortunato Antonio C Feliz Bezerra de Mello Lei-
tio, Fortunato de Mello Pereira B., Filippe Carnei-
ro, Firmino da Costa, Fernando Caetano da Silva C,
asa
tres ditsa de ditss de 8 ditas, dusa ditas de ditas do6
Jitss, duas ditss de ditss, de 4 ditss, duas ditu ds
mein caonas, de 14 ditaa, duss ditas de ditas, de 19 di-
tas, duas datas de ditss, de 8 ditss, duss dilts de ditas,
de 6 ditas, duss ditas de ditas, de 4 ditss, duta ditas
chatas murgas, de 8 ditas,duas ditsa ditas mtiiscinnit,
de 6 ditss, duas ditas de limates, de 4 dita, duat di-
tas triangulares, de 4 ditas: quem laes ganaros tiier,
podera mandar suss amostras e propostas em csrts fe-
cha Ja, at o dia 22 do corrente me.
Arienil de guerra, 18 de maio de 1846.
No impedimento do eteripturatio O amanuense
JoOo Ricardo da Silva.
COMPANUIA DE BEBIRIBE.
A idministracao da companhia de Bebiribe miods
avisar eos Srs. accionistas, quena prxima reunioge-
mI, que deve efiectuar se no corrente mez, aposenta-
r s relaeiode todos squelles, cujas entradas te schi-
rem em straio, para que a asiembla tome umi deli-
berarlo definitiva a semelbante respailo: as eotridis al
agors exigida* corresponden! a 70 por cento sobre o va-
lor das spolices.
Eacriplorio ds compaohia, em sestio de 2 de maio dt
1846. Oaacrelario, B. J. Femandet tarrot.
-asa Tendo de aer insugursda a caita d'agoa da Boa-
Vista, no dia 21 do corrente, pelas 10 horas da machia,
sio avilados os Srs. accioniltsi, e todas as pessoas, que
quizerem asaistir s ease acto de publico regoaijo. 0
secretario, B. J. Fernandes Barros.
charo Leoncio, quantu ote divino eentirnento be mais
puro e nidia procioao do que o outro I Como, em ves de
diminuir e atormentar, ennobrece e purica! Huntem
nio bnveria en acceitadn de voaa nem aocoorroa era
coHipaixio. Hoje uto me eiivergunliaris du lli'o. pedir
do joclbut.
Al, in i nli,i eliar.i amiga, que ainda vosa nfo eal
na verdado paaaou de um eteraao a outro. Ilonteiu
de.pret i va de maia a emitada : boje etalta-a da.modi-
damenl. Vos. nio pode perder a talas oclo, que for-
raou por tanto tempo, de.tea dona senliiuentut, o que
empre turna-loa etolu.ivoa unido outro; a uniio doa
ictoa .o be verdaderamente idci.l e perfeila, quando
eilea ae reunem em doua nobrra peiloa. O que buenttu
mu amor verdadeiro, ae nio he urna nuiiziide exaltada p
Sim, o miior lie ..minado levada ao entliiiiiaaino. Oitem,
que o amor be cegn Qoaudo a aniiaado lena boa viala
lie Un fria, quo eati preatcs a morrrr. Creia-iue, ae a
aua falla ano pareuca.e gravo e noperdu.vel, ao mu ins-
tanle de perlurbacto e dvifalleciruento a tornaaae, i
neu. cilio., indigna do conhecor e de aeulir o amor,
nio aeria eu aeu amigo, e doveria voaa repellir aa mi.
ola cooaulacfiee,^em vat de acceitt-lne. Na juventude,
iiauacaniaa laullier, que ao uto dearja mala, e quo ae
v .cm ciuiue noa brt;o. de ouirena, A palavra de atai-
tade be eniin urna meulira, u pre.erve-iue Deua dedi-
tcr-lha, qna a amo por caso teor! Obi deixe-iue coti-
la..ar-ibe, que padeco morlalmente pelo quo lionlein .c
paaaou, e que ealuu irritado oonlra voas, de sorte que
no aciio ainda naaii prximo do odio que di anu,le,
tal qual voai o defino. Nao lie decabida e deapretivel
que voaa me parece ; lio iojuil, oruel, culpad, para
commigu a, quo a amo, o que mereca a ventura, que
voaa concedeo a outro.
Vo.t tuda maia nao aanedronla pelo mea erro,
disse Ssbins trmula. Crt), por ventura, que me nio ta-
nbn oceorrido ene periiamento ; a quo me nio acensa
de Ihe lia ver feilu raie mal pea.oal ? Ho Deo, que uto
cu cunte.o.
E porquu tito he a uiiin tambera, a mira tobre to-
do? eiclanaou Leoncio, Iravando-lhe, cora forca, daa a-
gilada mtoi. Den. ja Iba perdono, Soas bem osaba;
m.a eu, uto quer voas aoaso, que Ihe ou perder, como
amigo e como .ruante i
Poupe-raeene tormento, di. Sabina, aovrfu-
gir-lhe o orgulbo. Lea no meu ooractn, e coauprebeu-
da eolio, qual be o aeu tnaior motivo de dr.
Pui. bem bumilli.-io ale ahi, rrplioou Laonria
exaltado, poia que lio a tnaior pruva do amor, que nina
mulbrr, como lu, pude dar! ditc-me, que peocaate oon-
lra i" i ni; erguo para o aeu a oobeca altiva, e affronta-o,
ae queros, pouoo ane importa. Nio lenbu ini.alo do -
roe{r-te cora a aua colera ; mas aei, que me quebraste
o oorncao, e que me devea coufesia-o. Se te uto arro-
pando, de.io crimo, he que nio qneroa repara-la.
Poii entio, Leoncio, perdoa-m'o i o para m'o pro-
varoa, apag. para aempre o veatigio deaae odioiu beij".
" Elle nio exilie maii, manea exiilio, exolamou Le-
onoio, aperaando-a ao coraciu ; e agora, disse elle, tor-
nando a ajoelhar-ie, oalca-ma teui pi, te he la von-
tade, pui, .ou aeu eicravo ; una ferro eru brat. me quei-
mo oil.biai, lecllei proferirora jmaia ama oen.ura,
alluiio qualquer outro beijo, quo nto leja o
urna
mou
Nene momento deo o relogio do oonvento duai ho-
ra, e a porta do prado abrio-ie para deixar tahir una
frade .inda moco, vellido com o habito branoo doi no-
vijoi.
(Cniiaar-K-Aa J


Theatro publico.
por brevidide, uaosSo aqu claiiilicadoi ; assim como
do superiores vinhos engarrafados, e do Igumas obras
de prala : boje 19 do torrente as 10 hora* da
manha, na caa de la residencia, na roa do Ser,
por Jotra* d'Aurora, e contigua 10 collegio Santo-
Antonio.
= Adsmson Howie & Companhia fario leilio. por
intcrvencin do oorrelor Oliveira de un sortimenlo
completo de laienda ingleiii todaa propria* do mer-
cado : quarta-feira 20 do corrente, ai 10 boraa da
manhia, no leu armatem ra da Alfandega-Velha
Avisos diversos.
TEBCEIBA. BBPRBSENT\gM5, QUAITA-FKllt A,
20 do cbrente.
O Sr. Saltn ejecutar apassigem do chapeo da sol,
de urna maoeira diflerente d'aquella, por que apre-
seotou em a ultima nbute.
A initanciai de muitas peuoss, o meimo .Sr. Sut-
ton, far, e dar a beber aos euidigooi espectadores,
o delicilo e encantador caf mgico, tanto coa leite,
como sem elle.
Pela primeira vei, o Sr. Sutton trabalbir com n
trgolaa magica cbinezis.
OSr. Sutton cortar o narii dequalquer dos espec-
tadorea, que a esta operacio le quier lubjeiter.
O Sr. Sutton usar, tambem pela primeira ver, de
urna machina magnetico-galvanica, com a qual galta-
nisar algum do* auitentei, que o queira.
Terminar o espectculo com differentei icenat de
ventriloquio.
Principiar aioito e meia hora* da ooute.
Procos de entrada, como do costume.
PUBLICADO LITTEKABIA.
OS MTSTEBIOg DA INQDlSft*0
Acaba de chegir do Rio-de-Janeiro o restante dos
nmeros deata importante publicacio, que finalisou do
oumero 73; o Srs. signantes podem maodar rece-
bar na praca da Independencia, livraria, di. 6 e 8.
Avisos martimos.
Para a Babia ubir boje o biate Sanlo-Anlonio-
Flor-do-fio; anda lem lugar para pasiageiros: quem
quier ir de pssssgem, entenda-se com Jos de Oliveira
Campos, na ra do CJueimado, o. 4, cu com o mes-
I re, a bordo.
=0 brigue-escuna Adelaidt sabe para o Rio-de-
Janeiro quarta-leira: o Su. carregidore tenbio a
bondade de mandaros conhocimeotoiem can de .Novaos
& C. ra do Trapiche, o. 34.
Para a Babia seguir breve a veleira aumaca
Africana : quem na mesmi quier carregar, pode tra-
tar com Amorim Irruios na ra da Cadeia, n, 45.
Para Porto-Alegre e Rio-Grande seguir, em
poucos diai o veleiro brigue Argot ; pode receber es-
cravoi, assim como pasiageiros, para o que tem bons
comm idos : trata-ie com Amorim Irmaos, ra da
CaJeia, n. 45.
I'reta-se para os portos do Norte isto he Ceara,
Aracaty ou Ass o patacho Belleta-do-Sul: quem
pretender, pode entender-se com Amorim limaos, o*
ra da Cadeia, n. 45.
P. Lacombe, capilao da barca franco/a tmily, ar-
ribada a este porto, por cauta de avahes, na sua via-
gem de Valparaizo para o Havre de-Grapa, precisa
tomar, a risco martimo sobre a quilha e frete- da dita
barca, a quantia de 17 contoi de ri$, pouco niais ou
mol: a pessot, a quem convier este negocio, poder
comparecer no da 22 do conente, ao meio dia em
ponto, na chancellara do consulado de Franca nesta
cidade, onde aieondicei terio pateoteadasaos preten-
dentei, e onde tainhem a adjudicacio ter feita publi-
camente equem offerecer maiores vantageni.
=Vende-se a beiu conbecida e veleira barca ame-
ricina Wavarre forrada e encanillada de robre e
prompta para qualquer viagem ; quem a pretender,
dirija-se a casa dos consignatarios, L. G. Ferreira & C.
Vonde-se a sumaca brasileira Comanle -Ami-
tade, a qual le echa fundeada no caes do Collegio, para
se vr : trata-iecom Gaudino Agoitiohode Barros, na
praemba do Corpo-Santo, o. 66.
= Para o Rio-de-Janeiro legue breve j brigue
Albano por tor sudlciente lastro ; pode, pvrm, rece-
ber slguma carga, eicravoi e paiiageirui : quem qui-
er carregar, pode ronimunicar com o capilao ou com
Amorim Irmlos, na ra da Cadeia, n. 45.
Par* o Meraohlo o bem conhecido brigue na-
cional Allante, forrado e pregado de cobre, labir no
dia 26 do corrente, por ter de sabir com a carga, que
tiver; recebeassucar a 160 n. por arroba, e o mais
fretes a porporcio : quem nelle quier carregar, ou ir
de paiiagem, par* o que oflerece eicellentes commodos,
dirija-se a Francisco Severiino Rabello & Filho, ou na
ra da Cadeia-Velfaa, n. 12, a fallar com o capil&o Cus-
todio Caelano.
Para Lisboa *abe, com a m*ior brevidade possi-
vel, a mui linda e veleira escuna portuguea Milhei-
ro-Primeiro, de primeira marcha forrada e encati-
lhada de cobre ; recebe carga e pasiageiros para o
quaei tem os melhore commodos poniveii : o pre-
tendentei dirijo se aoi consignatario! Oliveira Irmaos
& Companhia na ra da Crui n. 9, ou ao capillo
Joio Ribeiro Palha.
Aluga-se urna barcica de 16 a 20 caitas, para
navegar daqui para a Parahiba : quem a tiver dirija-
se a ra larga do Rozario, n. 18..
Leiles.
= Charles Roope, tendo de retirarse com toa fa-
milia par* Inglaterra, far leilio, por interveoclo do
corretor Oliveira, de toda a mobilia da sua caa, eon-
sistindo em consol*, tolas, cadeir**, baen para jogo,
mirquem, mes** redonda e comprid* par* meio de sa-
la, ditai de sotar e outras pequeas, leitol ingieres de
msdeira e de ferro, guarda-vestidos, papeller* e es-
tantes, ludo do melhiir gosto, urna machina para en-
gommar roupa, loucas, vidroi, lanternas, trem de co-
linba, muitoi outros ohjeotol uteis e oecessinos, que,
= Antonio Jos de Jeiui Monteiro previne ao pu-
blico, para que, de futuro, lenio allegue ignorancia,
sm, rnmn nm dos herdeiros forcidos de su* mii, a
Sra. Joiepha Maria de Jess, est na mais firme dii-
poiiQio de annullar qualquer doacio, venda, ou per-
muta, que dita sua mii fier, de teui bens, qur mo-
vis, e de folego, qur de rail ; iito porque ella
em urna idade j decrepita, ji pouco disceroimento
(em, ecom muita facilidade pode ser Iludida.
= No dia 20 do corrente mei de maio, vai ter arre-
matada em praca publica do Sr. doutor juii do civel da
leguoda vara, a cata de banboi, que se acba collocad*
junto a ponte do.Recite, avaliada em 1:500,000 ri.,
por eiecucio de C. Star & C contra Jos da Mua.
= Quirti-feir*, 20 de maio, be ultima praca,
por ser di* da audiencia do juio da segunda vara, no
lugar do costume, dos objectos constantes darelacao,
que le icba em mi do porteiro, por eiecucio* de Fre-
derieo llannen contra Miro-lino Jos Rodrigues
Clico, da loja de chapaos, a este pertencenle.
O POSTILHAO.
O d. 3 (ez a diitribuicio da mala hontem, e aeha-ie
a venda, na praca da Independencia, livraria ni. 6 e 8.
O CLAMOR PUBLICO.
n. 93 achs-se a vend, na praca da Independen-
cia, livraria ni. 6 e 8.
Offerece-se, para lora desta praca,
um rapaz Brasileiro, branco, casado com
pouca familia, para ensinar prime iras let-
tras, gramtnatica e rancez, por ter j
oceupado este lugar, o qual ensina
os seus alumnos com o melhor zelo
possivel : a pessoa, que quizer utilisar-se
do seu prestimo dirija-se rita Nova,
o. 39, segundo andar a tratar com o
mesmo, o qual data conhecimenlo da sua
conducta, e mesmo do tratamento dos
seus alumnos.
as Quem precisar de um* parda de muito boa con-
ducta pin ama de casa de bomem lolteiro que libe
coser, engommar com perleicio e coiinbar o diario
de urna casa, dirija-te ao paleo de N. S. do Terco
o 16.
Joiquim Machado Portella embarca para o Rio-
de-Janeiro a sua escrava Aona, crioula.
Roga-ie, por livor, 10 Sr. Mette-Vista da rui
Preia, baja do nao tratar os leui patricio! lio mal
como 01 coiluma tratar na ausencia por mirlos
marotinboi e nurotei ; quando elle he o maior ma-
rolo e adulador, que ha na ra da Paia ao depois,
ao depois, ao depon, Sr. Melle-Vista. = Observador.
Alugio-se dous serventes uiuito booi para qual-
quer servico oosta prava ; na ra do Queimado, loja
de Antonio Joi Rodrigues de Souza, n. 13.
Aluga-sc um prelo, que cozinha loflrivelmente,
lava bem roupa, trata bem de crianzas, e lai o trri-
co domestico de qualquer caa de familia, ou de bomem
lolteiro : a tratar com seu dono na ra da Soledade ,
o. 29 ao p da Trompe.
Dio-se 200,000 ou 250,000 rs. a juros lobre
penbores de ouro ou prala ou mesmo sobre alguma
i'scrava que nibi engommar e coiinbar ; tambem ie
lar o meimo negocio com algum escravo possanto e
liel, ou se dar em pequeas porcdei: trata-so na ci-
dade de Olinda venda da esquina que sobe para 1
ladeir* da Ribeira onde ji foi loja de fatendas.
O abaixoassigoiJo rog a pesioa, que furtou
llie o seu escravo de nome Joaquim do idade de 12
annoi, crioulo, olhoi glandes ; tem um taino lobre a
ohrancelba do o lio direito lulo, falla bem eiplicado,
de o mandar entregar na Ribeira de Una.no lugar
chamado Panellai de-Miranda; do contrario, proceder
com todo o rigor da lei, e far verao publico, qual foi
a pessoa que o furtou. Manotl Jote de iabra.
Bernardino Domingo! Moreira avisa ao Sr. the-
oureiro da lolerii de S. Pedro Marlyr, que nao pa-
gue o meio bilbete a. 1085 senio ao mesmo annun-
ciante villo o dito meio bilbete le ter perdido ; assim
como tambem ivisa-se a qnem o tiver echado, que,
querendo entrega-lo, de dirija-se a ra dasCruzei, ven-
da o. 40.
Preciii de urna ama com bastante leite para criar
um enanca, que cit em meii criado : na ra dai
Cruiei, n. 22, legundo andir.
Aluga-se o totio do sobrsdo n. 7, da ra Nova,
oquil be muito grande e fresco proprio para bomem
olleiro ou pouca familia por diminuto preco : a
tratar na ru do Cabug loja de larenJas n. 6.
Na ra da Mangueira travessa da Alegra para
o convento da Gloria, o. 9, reeebem-se merlinas pa-
ra se ensinar a ler, escrever, coatar, coser, bordar, fa-
ter lavarinlo e marcar, por preco commodo.
Precisa-se de urna iimajpira comprar, coiinbar,
e engommar para caa de ponea familia ; na ra das
Laringrirss, n. 15.
xFurtario, na noute de domingo para leguodi-
feira un poucos de saceos vsiios, de conduiir isiucir
em canoa* da cicada doiobrado de tros andares, da
rus do Creipo, o. 14 : roga-se a pei:c:, s qnem lorem
ollerecidos baja de 01 apprehender e anounciar por
esta folba para terem proeuradoi, ou maoda-loi em
dita can.
A pesioi, que annunciou querer comprar umarubeca
usada, dirija-ie a Fra-de- Portas, ra do PiUr, o. 74,
segundo aodar.
Francisco Ribeiro Pire* embarca para o R10-
Graode-do-S'ul a sua escrava crioula de nome Joa-
quina.
L. V. Deseados retira-ie pira a Europa.
= D6-ie tieseDloi a qualrocentos mil rii a premio
a um meio por cenlo, lobre penbores do ouro 00 pritat
naruaPenba, n. 31.
Trancelint Ha .m-inn-r ,..._..j^i.j.
derecoi, pulceini, brincoi, Seo.;
feito possivel e por preco mdico.
PILULAS VEGETAES DO DR. BRANDRETH.
Eslai piulas, coja eitnccio ha sido lio geni nesta
provincia, que de bt muito le Ibe reconhecem minvi-
Ihosas virtudes grande numero de observaces atlos-
tio sua elTicscia, podendo, sem engeracio, dizei-se,
que be o remedio natural do bomem, constiluindo um
medicamento lio simples como til, e infallivel contri
lodis as molestias, assim chronicas, comorecentes: a ex-
periencia diariamente confirma estes factos: lornio-se
assaz recommendaveis ditas ululas mormonle ai
pesioai, cujo estomigo contando superabuncancia de
bilii, repugna todoi os purgante! em forma liquida
Litas pilulasnio somonte limpio a bilis, fazendo-aeva-
coar, mas at restabelecem o appetite, o sjudao eficaz-
mente a digeitio ; be remedio approvado oas moles-
tias do ligado dispepsia de intestino* bemorrhoidas,
dores de cacee* &c. Os pretendentei devem ter cui-
tado em comprar 11 geouinaie unica verdadeirai; ai
quaei esli a venda na botica do abaiio assignado,
ruada Cadcia-Velht n.36;o qual est autorisado
por um diploma do doutor Biandrelb datado de 17 de
lesembrodo snno pretrito, cujo diploma est legah-
sado pelo cnsul brasileiro nsquelbs estados
V. J. de Bnto.
Precisa-se de urna ama desimpedida para o
servico do urna casa de pouca familia, que mora no
matto : na rui do Aragio sobrsdo n. 12.
- Precisa-se alugar um moleque que seja dili-
gente e sem vicios, para o servico de urna casa de pou-
ca familia. Dirigir se a ruado Rangel, o. 69, legundo
andar.
= Precisa-se alugar urna ama de leite que o te-
nha em abundancia, sejasadiaede bomcostumei. Di-
rigir-se a ra do Rangel n. 59, legundo andar.
Casa da F,
Na ra estreita do No/ario, n. 6.
Nio tendo sido possivel conseguirse o mdamento
das rodal da lotera da malrii da Boa -Vista no dia 14
do correte como le achava marcado pelo grande
numero de bilbete*, que ficrio para ser vendidos,
e traesferio o andamento das rodas para o dia 29 do
presente mei : e pan que nio baja nova mudanca ,
cuja so serve do dosgosto a quem emprega o seu cobre ,
a lim de melbora-lo, o caulelisla da casa cima, pede
aos mantos deste in(eres9ante jogo, concorrio com
brevidade para a compra do resto dos bilhetes a fin
de que nio se (ransfira mais o anJimenlo das ditas ro-
das para outra vei; cerlos de que, nao se vendendo os
b'lbeles nio temos dinlieiro fresco para passar a fes-
ts do Espirito Santo. Na casa cima vendem-ie bilbe-
te!, meios ditos, cautelas de 1000 o 300 rs. quecbe-
gio para lodos que gustio deste jogo.
Lotera da matriz da Boa-Vista.
Antonio da Silva Gusmo, thesoureiro desta I iteiia ,
tendo pelas rasoes que j eipos designado nova-
mente o dia 29 do corrente me/, para o andamento in-
ivol das rodas da primeiraquarta parte- da terceiranova
lotera, o quo ter lugar os oilo horas da manbia do
dito dia, no consistorio da igreja da Conceicio dos mi
litares, convida aos ioteressados neste jogo 1 darcm
prompta eitracco ao resto dos bilbetes que conti-
nuio a estar a venda nos lugares ja annunciadoi l-
mente at o dia 28 do correte ; por isso que, no dia
do andamento das rodas, se nio vender um s bilbete.
loioch
.MMM^^^|iw^||1ffpfyirT|[ri-imTn
=r O primeiro secretario da socioJade theatral Thi-
liense aviis aos socio! di mesma que podem ir, bo-
je e amanhia receber 01 bilhetei para a recita de 20
docorrnte na calado thesoureiro, na ruado Colle-
gio numero 5. O meimo adverle aoi mesmoi Srs.,
que vio huicir os ditos bilbetes e que anda
mesmo quedeiiem de ir, sempreellei esto respon-
savenapagar ai las mensalidadcs, na cooformidade
do artigo 00 doi estatutos.
= No largo de S. Josa n. 68, onde tem urna ta-
boleta tinge-se de prelo e de varias cores, com pe -
feico d'arte mais moderna, tanto do leda como de lia,
anegurando-ie nio lujar a roupa branca por nio lar-
gar p preto como acontece a algum curiosos; por
preco commodo e com a maior brevidade possivel:
pde-ie tratar at al 8 borai da noute.
Ol abaiio tssgntdos lendo eigotido todoi os
meios migaveii e conciliatorio! com seu mino Luiz
Pire* Ferreira a fim de eviUrem pleito* dengnd*-
veii, com o msior petar decidi que elle nio pode
vender nenbum dos bens, que pnssue, movis eiemovon-
te* e nem berengas; porque deve aos annuncinles ,
divida directa e por girantia, que Ibe prestou o pri-
meiro dellei, quantia de cenlo e nove contoi qua
tone mil quinbentoi e noventa e seto rii, que Ibe
esli demandando por libollo,,ecrivio Molla; e cons-
ta que tambem deve a outros nesla cidade, e esta
fallido : o que se prova a tod 1 a luz com a escriptura
de bypotheca especial, que elle celebrou com seu lo-
gro Diniz Antonio de Alnese Silva, em deiembro
do onno passado ns qual Ibe bypoibecou todos os
leus bem por 92:000* de rii. Recife, 16 de maio
de 1846. Manotl Piree Ferreira. Antonio Pirts
Ferreira. D. Julia Anglica Piree Ferreia,
- Aluga-io o primeiro, ou segundo indar, como me-
lhor convier, na ra Direita, confronte *o beeco da
Penha o. 28, por commodo preco : a tratar no mei-
mo sobndo.
OSr. Joaquim Iiidro da Coila Vieir* lem um*
carta de Lisboa, na casi do Gaudino Agoslinho de Bar-
ros, pracinha doCnrpo-Sinto, n.66.
= Joaquim de (Jueiroz Monteiro fai saber ao Sr.
J. S, P. que, no praio de oilo din, baja de vir rei-
gltir os ponhores que deixou empenhalos e no fim
do praro marcado nio os vindo buscar serio ten-
didos para pagamento da quantia que nio ignora ;
ficando ohrigado pelo restante se 01 ditos penhore*
chegarem.
Aluga-se urna pequea ra* n* Soledade por
iuO rs meniaes ; n* ra Nova, iuja ">. 5S.
O arrematante das aferi-
cOei deite municipio do Recife fu de novo iciente a
quem convier que o praro, mireido para revisio dos
peins medidas e balancas inalisa-se no mei de
junbo protimo futuro ; e por isso, quem tiver de rever,
haja de o larer anles de se approximar o dito praio ;
poisque nio be possivel deiiarem-se todos pira o fim ;
porque hatera demora em serem despachados com a
brevidade, que he de costume ni caa dai alericSes ,
na ra das Larangeirn n. 29, dn 8 horas da manhia
ai 5 da larde.
= Jos Maria da Cnsta Csrvslho, testamentlo do
fallecido Joio Antonio Martina Novaes, fai publico ,
que, achando le entregue da mesma teitameotsria, por
deliberado do uiio competente be por comequencia
o nico habilitado liquidar todas l! Iransaciei da
mesma cata ; pelo que, roga 1 todos os devedorei. ve-
nbio quinto antei remir ieui crditos, para nio se ver
na precisio de retinar 1 arrecadacio por meioi judi-
ciaea. U innunciante mora na ra das Flure, defron-
te docartorio do Sr. Francisco Joaquim.
Joio Bapliita Fragoio Jnior embarca para o
Rio-de-Janeiro, a entregar a seu cunhado Fnncii-
co Duirte da Costi Vidal, sua escrava cnouli Mar-
colima.
Andr do Medeiros Cast*llo-Branco, lubdilo por-
tuguez retira-ie para a ilha Terceira.
O cirurgio Miguel Policio da Sil-
va mudou a sua residencia para o so-
brado da ra das Flores, a. 1.
DENTISTA.
M. S. Mawson cirurgiio dentiiti, participa aoi
Sn. leui amigo! e ao reipeilsvel publico desta cida-
de que ebegou de Mareiii, iquese acba ni conti-
nuado do eiercicio de sua irte na qual far todoi o
eslorcos para agradar a tod s 01 Sn. que li igora
Ibe tcem oceupado. Reside na ra Nova o. 2, legun-
do andar.
Aluga-se, por preco commodo, o armazem da ca-
sa n. 18, na ra da Cruz, no Recife, que bota de ra i
ra, todo lageado de pedra, proprio para fazendn in-
gieras, ou lerragonn, por nio ser hmido, ou pan le 10-
colber qualquer outra marcadoria, por eitar em boa
localidad : -truem o pretender, falle com Joi Saporiti,
no sogundo andar da mesma caa.
=Alugio-i" 2 cninba na travessa do Monteiro ,
no burro de S. Jos ; assim como os terceiro e quarto
andar* do sobrado da ra do Amorim, n. 15 : a tratar
no primeiro indar do mesmo sobrado.
Madama Millochau, modista frinceza, mudou lu
casa de modas da ra Nova para o A Ierro- d*-Bo- Vista,
n. I, primeiro andar, onde as senboras de bom gosto a-
cbard sempre um grande sortimento de objectos de
modas, laescomo vistidoi do baile, de fil bordado,
gerc, cambraia de linbo, fil de dito, e de leda, ele,
cassas lisas e bordadas, pereale ejacooa*, bicos brin-
cos e pretos, valeneiennes, bicos de linbo, Mondes, fita
de setiin e de tafeta de lodas as larguras de muitai
variedades, ptima! fiore pan calamento, ornamento
e vestidos, plumas finas, lencos bordados de cambraia
e de dita de linbo, lencos de pescoco, grivitn, veo,
colarinbos, cibecSe cestas, bonetes, bibidoi de fi-
l bordado, ditos de bico e jaconai bordadas para vel-
lidos, e superiores fitas pretil de crele de velludo de
seda, luvas de pellica e fil pin homem e senbori, pu-
nmanaria*. cordes de seda, trancas, fitas de linbo,
eipartilbos, chapeo! de palha. e mullos objeclol de
miudezas francezas, ludo chegado pelo ultimo navio
do Havre. Madama Millocbu cootina 1 fuer vel-
lidos e chapeos de senhuras e meninas, di ultima moda,
e preco commodo,
XAROPE ANTI-ESLROFULOSO
0D PANACE \ VEGETAL DO DR ALI.AN ,
\Jembro da tociedade real de medicina e da acade-
mia real de cirurgia de Ftanca, ele.
Desde 2o de fevereiro smenle, esta este remedio a
venda no Kio-de-Jaoeiro, ej ha numerosa! prova de
sua efficacia e ai pessoas. que o leem tomado teem
obtido melborai, que nem metes do uso continuido dos
robes, etc. tem podido produiir.
Este sirope, cura de um modo prompto e radical, ai
molestias secretas, ou syphiliticsi, lejio recenlei. ou
anligil, bobllieccn c hmidas a (lea-Oes da pello ,
e escorbticas rheumatismo, goli dores mi juntis,
causadas pelo uso do mercurio etc.; be muito agr-
davel 10 paldre muito promploem iui operacio. Pi-
ra molestias miii intigu. 3*4 garrafas, 10 mu ,
lio precisa* e para ai recente!, duii lio biitinlesv
Vende-ie lmente no Rio-de-Janeiro, por Goulbire
Ronun & Plmer, pbarmiei* ru doi OunvM. o.
81, preco 4000 n. garrafa ou 40.000 n. 1 duna.
Compras.
Compr.-ie um civallo que MJI bom e entina-
do rara erro ou troc.-se por outro, que he de bom-
t* figur* e de nd*res ; no Atterro-da-Bca-Vuta ,
Compn-ie a troco de telha lijlo de ladrilho,
ou de oulro quilquer de birro fino, urna canoa oova ,
ou em bom estado aind* que leja das de conduiir
*go* com linio que pegue mil mil e quinbenlo* ti-
joloi grossos ; tambem se compra urna canoa pequea ,
berta, ou fechada em o mesmo eitado : na primeira
olaria do Cotcuello depois do beceo dn Barreiras.
= Comprio-ie eicaatoi de imbos 01 icios, de 12
a 15 sonos; na rui Direita o. 3.


Compra-se um cavado que teja bom e ensilla-
do para carro ou troca-se por nutro quo (em an-
dares e de bonita (gura ; quem ti ver, annuncie.
=Compra-se um escrava mofa, que saiba coier,
bordar e engommar com perforan paga-ie bem ,
lando eitaiqualidadei ; na ra do Queimedo, n. 4.
Compra-te papel diarios velhos, a 3840 n. a
arroba ; na ra larga do Rozario, ni. 15 e 38.
tes Compra-se uma preta do meia iiiade quo nio
ten ha vicios e nem achaques e saiba co/inbar ; na
ni i da Cadeia-Velhs n. 60.
Comprao-ie, para Tora da provincia escravos de
ambos ni seos de 13 a 20 annos ; sendo de bonitas
figuras, psgio-ie bem : na ra da Cadeia dS. Anto-
nio, sobrado de um andar, de varanda de po n. 20.
*&
Vendas.
= Vende-so Di/eito das Pessoas por Mello Freir,
traduzidoem portuguez ; na praca da Independencia,
livraria, ns. 6 e 8.
Vende-se o livro doi Instiluicio Moral e Religio-
sa ou resumo do Novo o Velho Testamento por cin-
co patacas : na praca da Independencia linaria m.
6e*.
- Vendem-se resmas de papel olmaco a imitscio
do meia bollanda da melhor qualidade, que ln por
preco mais barato do quo em outra qualquer parte : na
|ii. i i da Independencia toja de miudems n. 4.
=Vemleiii-se caitas do traques de 40 cartas, a ra-
siio do 140 rs cada carta chegada ltimamente do
Rio-do-Juneiro : na ra do Crespo,' n. 4.
Vende-so urna parda, do 14 a 16 annos pouco
mais ou menos de bonita (gura, engomma, cose e
i /mili sem vicios : no sitio do Mondego que (ai
esquino para a I'assagem l..go adianto do do Sr. Luii
Cuines.
= V ende-se a Inja de chapeos sita na ra da Ca-
Iria-Velha n. 27, com pouc s fundos : na ra da
Sctualla-Velha armazein n. 144.
= Vendem-so 2 inolecas, do 14 a 10 annos, mui-
to bonitas, com principiodo premias o ptimas pa-
ra soeducarem ; um molequo, de |i; a 18 annos, pro-
prio pura pagnm, e serve muito bem a urna casa ; urna
preta do somco do campo ; urna dita de bonita figu-
ra engommadeira cotinheira, o muito ilesombaraco-
da ; un..i nogrinha e una mulotinba muito bonitas ,
sakendo ja coserem muito bom ; um bonito escravo ,
de 22 annos, perfeilo carreiro e bom (rabalhanor de
machado efouce : na ra larga do Bozerio n. 24 ,
primeiro andar.
as Venile-seuma negrota de naci Angola, de 16
anuos, do bonita figura engomma liso, coiinha o la-
vo do sabio ; urna dita, de 1\ annos ptima quitan-
deira um mulatinho de 17 annos prnprio para pa-
geiii por ser de bonita figura um dito, de 2-2 annos,
buril canoeiro e carniceiro ; todos por preco commodo :
na la das Cruzei, n. 22, secundo andar.
= Vendem-se 4 escravos, sendo: 2 moloques, de
17 annos um ptimo cozinheiro e o outro proprio
para qualquer servido ; urna preta, de 24 annos, boa
quitandeira ; um pelo, do 30 annos, canoeiro e pes-
cador de rede; todos sem vicios non .achaques: na
ra do Rozario, venda da esquina n. 39.
= Ycndem-se 14 escravos, entre ellos varios molo-
ques, sendo 2 bonscozinliciros do diario de urna ca-
sa ; 3 negrinhas; 2 pretas boas engommodeiras ; 1
escravo de naci bom canoeiro: na ra Direita ,
o. 3.
Vende-io urna venda, com os (undci a vontndo do
comprador sita na ra de S. Jos n. 2 : a (aliar
na ra Direita, com Antonio Francisco Martina de Mi-
randa.
- VenJe-sc, para fura da provincia ou para a
inesma um cabra de 25 annos, de bonita figura ,
lem vicios nem achoques bom carreiro ; na ra de
S. Jos n. 10.
Vendem-se, ou trocio-so por escravos, tres casas
terreai pequeas com bons commodo* sitas na ra do
Jasmiui que rendem um por cento ao me/., urna na
ra dos Prazeres, grande, cum bons couimodos e to-
das novas o (eilas a moderna, ern chios proprios ,
I ivres e desembarazadas, por seren (citas pelo vende-
dor : na Iravessa da Concordia, n.D.
Vende-se um bote em bom uso, urna catraia
grande ; peneiras de rame ; cal virgom em barricas
bichas de sangrar ; ancorlas com azoitonas; caixas
com masas aletria talharim o ma.arro- sebo em
velas de G em libra do Porto ; rodas de arcos para
barricas; barricas e meits ditas com farinha do trigo
SSSF e SSl' ; uita americana ; retroz de piimcira sur-
te ; galio de | alhel ; j ilutas da familia; (echaduras
de broca, grandes, pira portal de armazem ; ludo por
proco commodo : na ra do Vigario, armazcm n II.
Vende-se
Vende-ie urna cadeira de arruar nova ; ora
piano da muito bou vo/es e de forte conslrucr,8o ;
maca para arrumar carga ; encerados para cobrir g-
neros: na ra do Amorim n. 13, primeiro andar.
Vende-se azeite de carrapato a 6 patacas a ro-
talbo e de moio quartilbo para cima a cinco patacas
e meia ; na ra Direita loja n. 18.
Vende-se, ou troca-so por lijlos de alvenaria
roisa, uma canoa nova.de amarollo, que carrega 800 a
Mili lijlos; na ra larga do Rozaiio loja n. 22.
Vende-se a verdadeira essencia de- aniz badianne,
em libras, ou em ooca; na ra deS. Rita, reslilacio,
o. 85.
Vendo-se arroi de casca branco e vermelbo ,
por preco barato ; na ra da Praia, n. 40.
vcuo- ui irawu c-uipiciu e coi
iiiuki.
puta =
geographia pbyiica e commercial por Catado Giraldei ;
2 veas brincos, grandes bordados, de fil de linho ,
por preco commodo : na ra do Crespo n. 11.
-- Vendo-se urna canoa aborta, nao muito grande,
nova, que carrega 500 lijlos de alvenaria por preco
commodo ; na ra larga do Rozario, loja n. 2.
= Vende-so, por precisio, uma escrava de bonita
figura engomma liso e cozinha; na ra de Agoai -Ver-
des loja do sobrad:) n. 86.
- Vende-so farinha de mandioca em saccas, vin-
das do Rio-de-Janeiro por preco rasoavel : no ar-
mazcm do Antonio 1'eixeira Bacelar no caes da Al-
fandeg defronte da escadinha.
=Vendem-se chapeos de castor branco talvez os
mais superiores quo ha nesla praca, polo mdico pre-
go de G00O rs. cada um ; assim como lencos de cam-
bra ia de linho o maiirico posiivel o muito proprioi
pan noivas : na ra do Crespo, loja nova n. 12, de
Jos Joaqun) da Silva Maia.
= Vendem-ie 8 escravoi pojas bons para o tra-
halho ilo campo e da praca ; dous ditos bons carreiros;
2 moleques pecas, do 18 annos ; um prelo, de 40 an-
nos por 250c rs, ptimo para um sitio sabe tra-
tar de vaccas e tirar leile 2 escravas mogas : na ra
do Crespo n. 10. primeiro andar.
MUITO BARATO.
Na ra Nova n. 18 loja de \l. do Amparo Caj ,
vendem se, pelo diminuto preco ticos ; dilos bordados a 1Mj rs. ; ditos ordinarios a
8 rs.; mantas para os mesmos, do panno fino, de-
hrunhadas de velludo, a 3 n. ; borzeguins para bo-
mem o 5j rs, ; botina de lustro a 7 rs. ditos de
bezerro a ,> rs. ; tpalos de dito, a 2 rs. ; dit< s de
lustro para meninas, a 1000 rs. ; ditos pora meninas ,
a 1800 rs. ; ditos do seliin parasenhora a 1600 rs. ;
chales ilo seda para senhora, a 1*2,000 r. ; ditos do lia,
a400rs. ; ditos mais pequeos, a 3600 rs. ; lencos
de vapor a 800 rs. ; luvas de pellica para bomem, a
1000 rs. ; meias do soda para sonhora; fitas de seda pa-
ra cinto a 500 rs, a vara ; ramos de muito finas flo-
res a 1800 rs.; plumas do peonas, atuet o brancas a
800 rs. ; ditas brancas o cor de rosa, a 2500 rs. ;
marroquim amarello, a 1200 n verde rouxo o en-
carnado, a 1300 rs.; honecras Irancezas, a 210 rs. ;
garrafas finas para vinho, a 25U0 rs.; clices para cham-
pagne a 400 rs. ; globos para candieiro a 1800 rs. ;
tintciroide vidro albOOrs. ; mangos do vidro com
imagen a 2000 rs. ; ditas crucificadas, de metal a
5000 rs. ; ditas pequeas a 1500ri. ; Iravosiil de
tartaruga para marrafas a 1000 rs. Estas fa/endas
voltiio da llahio, c, para os acabar se annunciio por
esses diminutos presos,por que, a vista do suas qualida-
des, os prelendentes as compr-ird inlallivelmenle. Na
inesma loja ha um completo sortimento de obre! feitai
como tambem todas as qualidades de lazendas para se
as lii'/erein,
a
bnita figura muito bom carreiro e canoeiro no
Atorro-da Boa-Vista Toja de babus n 55.
Vende-se na ra da Cruz,
n. 6o, e no armazetn de Fernando
iE6PQR3SN^
^mmcmw
*^T!esta loja do bom e barato lia um bello sorli-^T
Jj/.imento de riscadoi e chitas france/as do mclhor&j
regusto possivel ; corles de chitas muito finase de5*
bonitos padrdes, a 2800 rs. ; pecas de nuda-v?
i^polno para forro de sapatoi, a 2700 ri. ; casimi-w
aras muito encorpadas allOOrs.; meias pretas,*,
para meninos, u 160 rs.; cbapeo de sel, de se-fc
na ra do
Crespo, loja n. 14, de Jos
Francisco Das, ricos cortes
de vestidos de garca com lis-
tra de seda, pelo diminu..
preco de O^OOO res o corte.
Vende-se farinha de trigo SSSF
da marca verdadeira, chamada llamo, em
pequeas e grandes porcies, a vontade
dos compradores : no escriptorio de
Ralkmam & losenmund, ra da Cruz,
$^^^:^&&
Vende-se CERA EM VE-
SLAS do Hio de Janeiro, sorti-
ineiili) completo de hogias de
J^ uma libra al 16 em libra, cai- &
I xas sortijas vontade do com- *
ai^'aooris cada libra : no armazem
de AIvm Vianna ra da San-
j zalla-Velha, n. no.
$ da a 6000 rs. ; luvas de seda preta e de cores ,
parasenhora, a 320 rs. ; hienda para habito dej
terceiro de S. Francisco ; e oulras muitas a-tp
^zendas de boa qualidade, por preco muito com-JS
^Vmodo, #K
r^flS^raaMM-3
Vende-se um lioa preta quitandeira lavadora ,
ecozinbeira do diario de uma casa, com uma cria de 2
annos, ou sem ella ; na ra larga do Rozario no pri-
meiro andar do sobrado da esquina, que volla para a
ra do Cabug, so dir quem vende.
= Vende-se uih prelo do Angola bom canoeiro ,
e padeiro de 35 annos pouco mais ou monos; na
ra larga do Rozario a. 18.
= Vende-ie urna flauta de bano uoa.com 4 cha-
ves de prata e bomba ; na ra da Gloria sobrado n. 7,
ou annuncie.
- Vende-se vinagre branco
nacional, a 400 rs. a caada ve-
llia: na fabrica da ra Imperial,
n. 7; ra Direita, n. 53, venda
de AI. Miranda; no Alerro-da-
Boa-Vista, fabrica de licores de
Frederico Chaves; e na ra do
Trapiche, armazem de molhados
do icolle.
= Vendem-se nioenda de ferro pan engenhoi de
aisuear, para vapor agoa e beslas de diversos lma-
nnos por preco commodo ; e igualmente taitas de
fero coadoe batido de lodos os lmannos : na pra-
ca do Corpo Sanio n. 11, em casa de Me. Calmont &
Oompanhia ou na ra de Apollo armazem, n. 6.
Vende-iB um
prelo orioulo de 23 annoi, do|t igreja, n. 5
o Jos Braguez, cera em velas, vin-
VJ da ltimamente do ttio de Janei-
Sj ro, de uma das melhores fabricas,
t| e he ptimo sortimento por ser de
9 3 at 16 em libra e por preco
mais barato do que em outra qual-
i^ quer parte.___________
Vende-se, por melada do seu valor a dmhei-
to, qu a praio, e mesmo le troca por predios nesta pra
i;a a bem conbecida laienda Asga-dal- Antas ,
muito perto da villa de S Antio com caa de viveuda,
cozinha fra estribara para 6 mallos, curraes para
gado armazens para depsitos, engenho de desca-
mpar algodio casa de larinha senzalla para pretos,
dous acudes de boa agoa 3 quartos de legoa pouco
mais ou monos de ierra muito propria para se plantar ,
por ser muito boa ; lamhem be superior para criar e
tem muito* foreiros, que pagio ; tambem le onde
com algun escravoi, ou sem elle*: a tratar na ra dai
Larangeiras caa das afericOes, o. 29 a fallar com o
arrematante das oiesmas afericOes.
Vende-se um sobrado novo de um andar e gran-
de solio em cbios proprio e em boa ra, por pre-
i;o commodo ; na ra estrella do Rozario botica ,
n. 10.
Vende-ie a dinbeiro ou a prizo ou troca-ie
por escravos um sitio no lugar da Piranga freguezia
dos Afogados com 3 moradas decaas, cozioha lora,
en/.il.i estribara rom um viveiro, diferentes ps
de fructeiras: na ra das Larangeiras n. 29 citadas
afericOes, a tratar com o arrematante.
RAPE'NOVO LISBOA.
Este excellente rap que se tem acreditado por si
mesmo por ter um anima igual ao verdadeiro de Lis-
boa esta a venda em porcOes, na ra da Cadeia-Ve-
Iba armazem n. 12 ; ea retalbona mesilla ra, lujas
dos Srs. Vaz & liorges, Abreu Jos Carlos Joio da
Cunha Magalhics ; ruado Crespo, Antonio Domin-
gos I erreua ; ra dos Quarteis Victorino de Castro
Moura \ iclorino & Guimaries ; Boa-Vista Tilo-
ma/, l'ereira de Mallos Estima e Manoel Francisco
Rodrigues.
Deposito de farinha.
No caes do Collegio armazem do porta larga ha
farinha de mandioca de S. Mathcus, e S. Cathari-
iii proiimamenlc ebegada a este porto ; e se vende
pela medida velba, por preco mais lavoravel do que em
outra qualquer parle c sendo em grandes porcOei ,
mais lavoravel sera, por haverem duas oinharcuyoes (
venda : quem pretender dinjs-se ao mesoio arma-
zem quesera bem servido.
=Vendem-se ricus cortes do vestido para senhora ,
de laienda indianna imitando seda o mais superior,
que (em apparecido tanto pelos bonitos goslos, cores
fiai e do muita duricio corno pelo diminuto preco
de 3000 rs. cada corte ; dilos do la/enda victoria, de
mui lindos goslos e de superior qualidade pelo ba-
rato preco de 4000 n. cada corle; ricos chales de seda,
tanto (.raudos como insis pequeos por muilo com-
modo proco ; ricas mantas de leda para senhora, as
mais modernas, queseusio na Europa, pelo barato
preco do 10 a 12 000 rs. cada uma ; novos corles de
cassa-chitas para vestidos do senhora de cores fizas,
do ricos podrOes, pelo diminuto preco de 3, 4 e 5000
rs. cada corte de vestido ; cambraias muito linas, com
listras do diversas cores para vestidos deienbora, pe-
lo baratopnco de 4500 n. cada vellido ; casimiria pa-
ra calcos pelo barato pceo de 900 rs, cada covado ;
lilas elsticas e de duas larguras, as mais superiores ,
que teem vindo a este mercado por preco muilo com-
modo ; alpaca preta, a 800 rs. cada covado; dita muilo
lina, a 1600 rs. o cov ado; ricos cortes de colletes, tanto
de velludo como desetime gorguro de omito lin-
dos goslos, por preco muito em conta ; assim como bo-
nitos (uslOes para colletes a 800 rs. cada covado ;
meias do soda de peso, pira senhora; ditas pretil para
bomem a 000 rs. cada par ; ditis decOre a 1600
rs. o par; ditas pretas de algodio, imitando a teda ,
a 320 rs. cada par ; lazenda cura para roupa de pre-
tos ouilo folleo barata ; brini de linho, brincos e
de cores para calcas ; assim como um grande sortimen-
to de cambraias o fianjsi para cortinados de camal, e
janollai; e outras muitai fazendas por preco commodo;
bem como um rico mantelete para senhora chegado
ltimamente de Franca por preco commodo : na ra
do Ciespo, n. 12, loja nova do Jos Joaquim da Sil-
va Uaia.
As verdaderas punas vege-
taes do Dr. Brandretli.
Por autorisaco dos agentes pelo Bra-
sil no Bio de Janeiro, vendem-se, dora
em diante, as ditas pilulas, pelo modera-
do preco de
800 ris a carnuda :
na botica franceza do Sr. J. Soum, na
ra da Cruz, n. aa.
Ro escriptorio de Lenoir Pu-
get & C.a, na ra da Cru& veu-
de-se farinha SSSF de marca
verdadeira, chamada amo,
em pequeas e grandes por-
coes, a vontade dos comprado-
res.
=Vendem-ie fa'elos de muito hoa qualidade: no
armazem de Francisco Dias Ferreira no oses da Al-
landega.
Vende se arroz branco de boa qualidade Dor
preco commodo ; na ra do Rozario, esquina, conrfl J
, por tua senhora se retirar para Liib0l|
recolhida do gento de Angola d, .'j
tn lianiiA A f\ P m r>a> 11 rt C\
=Vende-se vinagre tinto a 46,000 rs.a pina-a* I
lo branco a 35,000 ri. dita : na ra Imperial,, 7
= Vende-se um ptimo carrinho de duas roda'i
preco commodo ; na ra do Aragio, cocheira, n 171
Vendem-se lelbas do vidro groisas e grande '
na roa da Cruz n. 46, primeiro indar. '
- Vendem-se sacsas com boa farinha de mandiou
thegadas ltimamente do Rio-de-Janeiro, com 9 nu, 'I
tas novas a 4800 rs.; 00 deposito do larinha da ,'
daCadeiadeS. Antonio, n. 19.
Vende-se ,
uma negrioha recoll
a 13 annos ; nobeccodo Campello n. 2, iiguQ^|
andar. '
= Vendem-se 2 rieo jarros de pedra mirao,,
de flores por preco commodo ; na ra dai LariD| I
ra, n. 9.
=Vende-se uma por?io grande de pi de coq
ro bona pira serem modados, e lodos de qoalidsd,
colbida, por junto, ou divididos; no Salgadioho en
uma renda, defronle do silio di.Ticaruna.
m Vende-se genebra em frsiqueiras da fibriei I
mais acreditada em Hollinda ; na rui da Crui, 0.6}
escriptorio de lirender a Brandis.di C.
Vende-se salitre refinado, a j<0
rs. a libra e a 220 rs em barris M
ra do Cabug, botica de Joao Morein
Marques.
- Vcndom-se ps de roseiris amarellis di| j,
iluquo doOrlcans, ditos de pero la ditos de espirra-
deira branca ; na Soledade indo pela Trempe qui-
si ao p da igrejs, n 7.
= Vendem-se 30 accOos da compinhia de Bebiribe
pela sua entrada ; na ra larga do Rozario, loj 0. 22
= Vende-se uma porjio de harnean aun, que
forio de bacalbao por preco commodo; cisies de
pomboi boni batedores pelo diminuto preco de 500'
rs. cada cual: na ruaFormoia, o. 1, por detras di
igreja dos Inglezes. i
Vendem-se saccas de arroz branco a 9000n. 1
sacca ; na ra estreiU do Rozario, venda n. 8.
= Vendem-ie amendoai descaicada, muito em
conta ; na ra Direita n. 10
Escravos Fgidos
~ Cootinuio a estar fgidos, desde o dia 21 dt
abril de bordo do brigue Mentor 01 eieravos me-
rinbeiroa de nomei: Jos de naci Cabio repre-
senta 50 annos", estatura baia e barbado ; Manoel,
de naci Congo representa 20 annos, bsizo. eiem
barba : aquello foi eicravo do casal do coronel lenlo
Joi da Cosa e (oi seductor do segundo e por isso
devo saber de lodos os lugares da provincia: rogase,
por isso, a todas as autoridades policiies e capilies de
campo a sua apprebemio cortos do que quem 01 le-
var a bordo do dito brigue ou a Amorim Irmios, ni
ra da Cadeia n. 45, seri gratificado generosamente.
O abaixo assignado declara, que
no dia i3 do corrente, pelas 6 horas da
tarde, desappareceo o escravo Joaquim,
pertencente ao Sr. Joaquim Goncalves
Casco, levando camisa de algodao bran-
co, e calca de algodao azul: Jevou mu
surro de couro de carneiro com roupa
dulciente : he alto, falla muito desean-
cado, olhos grandes e avermelhados,
tem em urna das peinas cicatriz de urna
grande ferida he meio zambo das per-
as muito ladino, cor retinta oflicial
de pedreiro ; levou uma por^o de pallia
de fazer chapeos ; foi comprado a um
moco dos Touros ; por isso o abaixo as-
signado roga a todas as autoridades puli-
da es e capitaes de campo, que o pren-
deren), o facao conduzir ra da Crin
do lenle, n. (io, ou ra da Cada, n.
4o, aonde serao recompensados de seus
trabalhos c despezas.
Manoel Goncalves Cascao.
= Fugio, no dia 14 do corrente da forlileri do
Brum, um preta crioula, de nomo Paula estatura or
dinaria cheia do corpo natural do sertio do Jagua-
ribe vinda ha pouco, do Aracatj ; lem as pem
arqueadas ; levou saia do aliento brinco com flore)
encarnadas ; quando falla pucha muito pelo It : quem
a pegar, leve a dita fortaleza, a entregar ao urgilo
almojarife que recompensari generosamente.
= Fugio, no dia 10 do correte o moieque Da-
niel de idade de 20 annos, pouco mais ou menos, do
hoa estatura anda oio (emiignal de barba, cor lu-
la ; tem uma cicatriz da parle direita do olho e outra
pequea por cima do olho eiquerdo beicos grouos;
levou camisa e calcas de riscado ; gosls muito de indir
sem chapeo ; ulga-se andar no rio, hiendo (retel,
porque no dia que elle fugio tambem denppereceo
uma canoa do mesmo Sr. ; o dito uiolcque hecinoei
ro, e a canoa be de carreira ahert e curta, o pi-
neirohede tirar epr mas tem uma tiboa de menos
no meio ; tem por cima do mesmo paneiro outro pe-
queo he encavilbada na proa e popa com cavilbaadr
cobre, nio se conhece a cor, de que foi pintada, porqu
ja largou a tinta e est ludo em brinco : roga-ie a to-
das as autoridades espilles de campo ou oulra qual-
quer pessoa que o pegirem ou tiverem noticiis, do
participaren) em Fra-de Portas n. 95, que serlo
bem recompensadas.
= Fugio, no dia 30 ci abril um eseravo .da-
me Fraociico, de idade de 40 annos do gento de
Angola, pernas grossis estatura regular cara to-
sigosa ; levou camisa de madapolio calen de riscado ,
e chapeo de palba : quem pegar, leve a Tbomaz Jo*
da Silva Gusmio, na ra do Sol, ou a seu lenbor, n"
engenho Buonos-Ayres, na fregueiia de.TJoa, qu0
seri generosamente recompensado.
PKHH. J ATVP. Dg M. r DE tUUA *
846


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMDO1NXB5_D75F78 INGEST_TIME 2013-04-26T22:40:39Z PACKAGE AA00011611_08279
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES