Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08277


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 1846.
Sabbado 16
0 DIARIO publlca-se todo os diasque
nao forem de guarda : o preco da asslgna-
mra he de 4/000 rs. por quarlel pagaiadtan-
,.An\ Os annuncios dos signantes sao In-
seridos a raiao de 20 is por liaba, 40.
* upo diirorente, c as repetaos pela rac-
n'de" Os que nao forem asslgnan tes pagao
80 rs". por liuha, o 160 eui lypo difireme.
PIUSES DA LA NO MEZ IE MAIO.
i'rescenic a 3 as a hor. e 31 min. da man.
i,a chela a 11 as 3 hor. e46min. da man.
Mlnitoante a 17 as 11 h. e 6 min. da tard.
La nova a 25 as 2 hor. e 24 min. da man.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Goianna, e Parahyba, Segd." e Sextas feiras.
Rio Crande do Norte, cheganas quartas
feiras aomeio dia, cparte as mesmas ho-
ras as quintasfeiras.
Cabo, Serinhaem, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no 1., He 21 de cada mci.
Garanhuns e Bonito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28.
Victoria as quintas feiras.
Olinda todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 9 h. c 18 minutos da manhaa.
Segunda as 9 h. e 42 minutos "da tarde.

de Maio.
Anno XXII B. I i.
DAS DA SEMANA.
11 Secunda S. Srzlno, and. do .1. dos orf.
e i! J. do O. da 2. v.. do I, M. da2. v.
12 Terca S. Nerra, aud. do J. do civ. da
1. v. e do J. de paz do 2. dist. da t.
13 Churla S. Pedro Regalado, aud. do J. do
da2.a v.. cdoJ. de paz do 2." dist. de t.
14 Quinta S. Gil. aud. da J. dos orph.e do
J. M.dalv. ,
15 Sexta S Isidoro, aud. do J. do civ. da 1.
v.. e do J. de paz do 1. dist. de t.
1(3 Sabbado S. Ubaldo, aud. do J. do civ.
da 1. v., e .l.i J. de paz do 1. dist. de t.
17 Domingo S. Aquilino.
C VMBIOS NO DIA 15 DE MAIO.
Camb. sobre Londres 26 /, p. 1/a 60 d.
n Paris 350 ris por franco.
Lisboa 105 p. c. pr.pnrm.cz.
Dwe, da let. de i>o is Ormai 1 Vi v-
Ouro -Onc.-n hcspanholas 3I500 a
. Mocda de W-lnu vel. IttJMO a 17M0
.leftV-ltlOuov. ItlJ'i" > libOO
> de 4fOO0 U*"000 a
Prola=Patac(Vs 1/XiO a
Pesos (.'oluinnares 1.970 a
. Ditos Mexicanos 1/940 a
Prata Miuda. 1/720 a
% IHCl.
32*000
9/100
1/970
1/990
1/960
1/760
Acedes da C." do Heberibe de 50/000 ao par.
't+mmymfppm
DIARIO DE PEMAMBUCQ.
PARTE OFHCIAL.
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO Otk 8 DO COBEEICXI.
OfReoAo oororaandante das armas, declarando, que
ao coronel Franoisco Jos Martina, qoo, ro oflioio de 6
desto raes, S. Exo. dit acW-aeproropto a oumprir a or-
dem imperial, qua o reanda rceolher oirte, deve in-
enmbir o ajuste do sua passagens ero qualquer navio
mercante, para aer paga pela pagadura militar.
Dito-Ao inspeotor da thesouraria dafaienda, orde-
nando, mande indemniaar o arsenal lo marinha de res
27o,uG. quer, em o mes nltimo, despende com n sus-
tento e curativo dos Africanos livres, que ello se aohku
recolliidoa.Partioipou-ae ao inspector do arsenal de
marinha. J
Djt,,Ao director do arsenal do guerra, acouaando
reinessade umollciodo nommandanto daarmaa.aconi-
pinhado dos pareceres da junta de aade Acerca dos sol-
dados da enmpanhia de artfices Antonio de Barros Bar-
bota, Antonio llasilio, Manuel Ignacio do Barros, o Be-
larinino Barboza Lins, que, requisicio do S. me., fo-
rio inspeccionados pela mesma junta.
DitoAo inspeotor da thesouraria das rendas provin-
oiaes, determinando, fnen por cm arrematado as obras
de um arco e aterro em oaininho da Captinga. Parti-
eipou-se ao engenheiro em chrfo daa obras publioas.
DitoAo misino, ordenando, rcconiiuende ao arre-
matante dn illiuninncio publica desta cidade, faca col-
luoar un Imnpclo junto cacada provisoria, que, para
embarque desembarque, o estabelece no caes, que
se est i'Oiillruindo em trente do arsenal de marinha.
Parlieipou-se ao inspector interino do referido arsenal.
DitoAo capillo de fragata Caetano Alvea do Suuxa,
rerumtriciidando, exccuto liclniento a ordein imperial,
que o manda rccolher-e quaiito antes corte do im-
perio.
DitoA' cmara municipal do Bonito, declarando,
em respostaao seu offlcio de 2 do abril ultimo : 1., quo
nao devem volar aquelles dos elcitores pronunciados,
cuja pronuncia lenlia sido sustentada pelo juito muni-
cipal ; 2., que no cliamamento do supplentes, para
substituireni os eleitores impedidos, deve observar as
dispusiedes do artigo 31 do docrclii n. 157, do 4 de
maio de 1842.
Dito Ao inspector interino do arsenal de marinlia,
exigiudo, para babililar-so a cumprir urna ordem impe-
rial, informe sobre rcqueriiucnto, que I lio remelle, de
Antonio Fjinisi i. dos Santos Braga.
DitosAo engenheiro cm clu fe .las obras publicas,
significando cm rosposta ao sens oflleios de 23 do pas-
sado,o4do oorrente, que o pagamento t..|i.i;ein da cumbos prxima a ponto da Taoaruna deve
ser feto pur eonln da quota, que n lei do orcomento vi-
gente votoii para a mciinos obras, c o dos vcncimcnlns
do cucarrrgado da iuspeccSo dos conservadores e obras
arrematadas da estrada do Pao-d'-Alho, pela verba vota-
da para a commsslo da referida estrada.Participou-se
a thesouraria das rendas provinciaes, e a inspeccio-fis-
cai das obras publicas.
Commando das Armas.
Mande Vino., d'ordem dn Sr. genersl commandanlc
das armas, apretentar no < befe de polica, boje as cinco
horas da tarde, duusordeiiancas, para ircui cm diligen-
cia, quo peder durar por oito ou des diaa, segundo a
ordem do Exni. Sr. presidente da provincia desta dala.
Dos guardo a Vmc. Quarlcl-gencral na ciliado do le-
nle, 0 do maio de 1846. Joti da Silva Guimardei,
ijiidanic de ordens. Sr. Sebaslilo Lopes GuiniarSes,
e.ipit.'io cu m man da n te da compauhia de cavallana.
O Sr. general ennimandante daa armas, cm conse-
presidente, determino, quo don urdenancaa da compa-
uhia dn commando de Vmc. tejan luje, as quatro liorna
ila (n-do, presentados ao dcsembargoiior chele de po-
lica, que reqnisitou laes ordenancas, para seren empro-
gadoa na conducto de varios oflcios, por espaco de oi-
lo das, o que ludo coiuiminico a Vmc. para seu conlie-
cinieuto. Dos Guarda a Vmc. Quariel-gcncr.il na cida-
de do Recfe, 10 de maio de 1846. Jcsii da Silva Gui-
mardei, sjudanle de ordens. Sr. SebastSo Lopes Gui-
mnres, capitn coininandaiilo da conipanbia de caval-
iaria.
De ordem do Sr. general commaudanto das armas,
mandar Vmc. presentar no engenheiro em chefo dns
obras publicas, os cinco hornada manilla do dia 14 dos-
te mei, um ordenanza de cavallaria, por assini liaver
exigido o Exm. Sr, presidente da provinpia, em uflieio
deala dala, dirigido au mcaino Sr. general. Dos guarde
a Vmc. Qdartel-gene.-al nn cidade do itecife, 13 do maio
de \S!i(>. J Sr. Sebasliio Lopes Cuiuiaraos, capillo conimandante
da compauhia de cavallaria.
EXTEHIR.
AMERICA SEPTENTRIONAL
ESTA DOS-OBI DOS.
A queilao do Oragoo ainda Dio lerminou. Do 6'our-
titr and Enqutrer eitractmos o seguate breve resu-
mo dos Irabalhos das dass cusa do congreiso.
Wsshingtoo, seguoda-feira noite, 2 de mareo.
SEBADO.
Mr. Atcbison, relator ds commissao de negocios mi-
lilsres, apreientou uro *iW para orgsnissr e armara
milicia no regoo.
Mr. Dsylon propoz urna resolueio, para que o seere-
tsriods marinha informe ao senado, se, na sus opimio,
&o Uei ai circumitanciss das nosiai ieli(uet eiteriorw,
queeiijio augmento de forva naval ; e quaei sio esias
circumitancias.Fica sobre a mess.
Mr.Semple spresentou resolucOes da legislatura de
Illinois, inslruindo os sous senadores, etc., a respeito
de todo o Oregoo..
Mr. Hannegsn propoi, que se paliaste i ordem do
dia.
Mr. Breese.dirigio entio a palavra ao senado sobre a
queitio do Oregon, seguindo o mui batido Irilbo dos t-
tulos. Dille, que o executivo liaba foito o seu dever, a
oasa Ismbem, e restava o senado a obrar. Elle se op-
punha ioleiramenle a todas as negociarles ulteriores,
menos aquellas, que tosiera nescemriss para garantir a
cotnpanbia da baha de Hudson do prejuio, que ella
soflreria com a repentina interrupcio do seu commercio.
Elle oppOi ao arbitramento urna objeccao, que conside-
rava como fatal, a saber : que no baria poder alguin,
quo tornaue obrigstorio para as psrtes o juio arbitral.
Elle coocluio, examinando e confrontando as ea pac ida
desdas duas nacos, a Giio-Bretanba, e os Estados
Unidos, para a guerra, e deduiio urna compiracio fa-
oravel aoseu paii,
Mr. Dayton tomou depois a palavra.
Levantou-se a sessio.
Tertja-feira, 3 do marco.
0 presidenle desta cmara apresenlou, parante ella,
um communieacio do secretario da marinba. com o to-
latorio das forcas navaes das differentes naeges da Ierra.
Mr. J. M. Clsylon propflz urna reolugo, pediodo
ao presidenle (da repblica), que communicasse au se-
nado copias da correspondencia cerca do Oregon. que
houtessu lido lugar entro oseurjoverno e odaGrilo-
Bretanba, depois da ultima, que le publicou ; ou aquel-
la parte della, que oto osse incompativel com o inle-
resse publico.rica sobre a meta.
Paisou-se a ordem do dia.
Mr. Dayton dirigi ao senado, por espaco de quaii
duas horas, um discurso caracteriado por aquella jus-
tea de raciocinio, e graca de diccao, que distingue in-
variavelmente o estylo deste cavalheiro. Ello lastimou a
(alta de um porto fixo na discutsao, que ora prosegua,
a qua! (disse elle) liaba ccmevado, e tema, que aca-
basse por generalidades ; mas, se elle estivesio lau nu-
cilo pela acquisicao de todo o Oregon, como alguna
senadores do oulro lado, faria um ponto til, e seria es
te, que, em vez de procurar urna san la inmediata i
qucsUo do Oregon, como qiiem busca aventuras, nada
so devia fuer. Kilo quera atncar a Gro-Bret inlia un
seu mesmo posto, quando ella duia, que so Oposse po-
da conferir titulo ao territorio. Os noSSUl cnneidadSos
iid-so durrainanilo all un proporgio do HMI para um
dos sena. Nem elle receiava esae perign do collilio, l
quo linha nlludido o senador de Misaouri (Mr, lienton), e
alguinn ennso feliiinenlc esolarecido, citando us patriar-
abas antigOS, havia baslante lugar > espn^o pura os re.
hanhos, e as manadas de lodos os pastores, c nenliuiua
necessidade de contenda entro elles. Mr. Dayton passou
depois cm resenha as negnoiacies, onfllrniou, que, ape-
lar de todos os tactos irrel'ragaveia e argumentos ndilu-
sidos, nenhumo nina luz se tiuha derramado sobro a
ooiitroversia ; ora mesma historia sediea, quo liuha si-
Jo repelida por lodosos negociadores, ha 20 anima. El-
lo conceda ao iioaso negociador (Mr. Buchanan) inques-
liouavcis talentos, e desculpava n insuflioiencia dns suas
olij.ie.ie aa arbitramento, porque o assuiiipio nSo a.l-
millia nutras inelhores. Sobre oslo ponto manifestou el-
le alguiu receio, de que o mundo civilisado julgasse a
noasa liuha de conduela como aophiatica e punco satis-
factoria. Depois passou olle ao discurso de Mr. Brese,
proferido huntm, e mostrou a fulilidade de tantas das
premisaas e doduccSes do senador de" Illinois, que clara.
mente obrigou eate cavolheiro curar, hilo provoii se-
ren falsos, Qteiramento falsos, algnns dos sens clen-
los (de Mr. Brese), a respoito das capacidades dns duus
paites para guerra, a promptidSo, com que ns nossos
paquetes podiao ser oonverlidos cni navios de guerra,
etc. Entro nutras cousas linha Mr. Brese perguiitado,
por que rasAo, so a Giio-lli el.inli.i li-iha nena sincera
uonfianca no sen litlo ao Orogon, havia ella ficado de
bracos crinados, oiuquanlo to gitoii noasa quctto
com aBussia? Mr. Daylou responden a uto, que o
nobre senador, por Illinni, eslava engaado a respailo
do facto ; e propi, que se Igssc mu documento do se-
nado, pertcncenle ao congreso 18.*, do qnnl n'.ii se li-
nha retirada o precoito de sagrante, para prnvar esta pu-
s\-o. Elle julgava, que nao haveria inrouveuienlu eiu
fute-lii, pois que propunha, que so lise delle smenta
aquillo, do que o governo ingles ja tivesso conliooi-
mento.
Mr. Wcbatcr aqu voltou-se, o pergiintoii-lhc, se el-
le (o preceitn do segredo) nSo tiuha sido retirado, como
obturo o documentoP
Mr. Dayton respondeo, quo linha sido publicado par..
uso do senado, e conseguio-o da secretaria,
(Aqu houve alguma aensacan, o manifeston-se varie-
dado de opinidea, snoslrando-se una desejusos de ouvir
Icr o exlraclo, o oppondo-so otstros 3 !" Inilural.
Mr. Sevier objecin Icitura, o entendoo-sc, que a
mesa apoiava a objeccao.
Mr. Dayton renuncioii promplaraenle ao miento, o
ierra, quem 16 um livro americano ? Todava, boje
parece, que um dos nossos documentos f.irnoooo o racs-
uiii fiabuhim i onaa dos lords ingleses (risadas). Era urna
opiniSo geral, que a guerra, urna guerra de partidos,
era popular ueste pait. lsto era verdado a respeito das
guerras, oin que nos lnlmmos empenliado, purquo oa-
da urna e todaaellaa orlo guerraa de principioa, e nao
do propriedade. Sobre calo punto elle no tema confiar
no bom sean, o na opiniio do pino : aagulha da opi-
i.i.i.i publica podero no principio vibrar-se duvidosa i
rana, por ultimo, puntara trmulo, porom verdadeira-
ineiile para o Norte,
MXICO.
Os jornaes americanos nao publicavio mas noticias
do Mxico. Tinliiicliegado a Novu-rloans, por Texas,
o boato de que O no" governo de Paredes eslava f.iion-
do tortee preparativos para oni asalto frontera dos
Estados-Unidos. Duia-se, que todos os oflleiacs do gn-
verno nao uddidos livero ordem de ir irtroedinlaiuonte
para o eicrrito, que se concenlrava no Rio-Grande
antiga cavallaria, 3,000 liomrus, n.....Iioo ordem para
entrar cm serrino, para n infesto de Texas ; o o exere-
lo devio ser elevado 60,000 hemetii. Pensamos, que
estes bnnt.s no mcieceui crdito
[Time.
NOTICIAS DIVERSAS.
ABERTURA DO CAMIB1I0 DE FBRRO BA JAMAICA.
A construcco do urna linha do railway i caminho de
ferro) de Kingstown a Ipanishtnwn. na Jamaica, he
um exetnplo atiradsvel deemprea colonial, e demons-
tra, que a energa desse povo nao foi eitincta pulas ca-
lamidades seseras de Jgos e tormentas, inleliitncntu
:5o freqtienlei naquella ilha. lis pouco mais de dous
annos, que relatamos o abratamento de urna grando
parto da cidade de Kingstown; mas lm com sentlmen
tos mui dilTerontes, quo agora chamamos silencio para
esla cidade. como um termino do railway, recentemen-
te coostruido.
A abertura tova lunar no da 21 de novembro do anno
r_ssado O evento ful por muito tompo aociosamonte
antecipado ; e, adro de dar-lbe a do vida importancia,
S. Etc. o overnador, o intendenie-governadir, os cha-
fes das diferentes repartic5?s eivis e militares, os mem-
bros do coocelbo o da assembla, e um grande numero
dos mais opulentos cldadSos, forao onvldados para a
ceremonia. Grande mullido de espectadores ajuntou-
se ao redor das tlalions estancia*,', houverio barra-
cas espacosas, cheias de senliora, elegantomonle ves-
tidas.
S. Eic.,o condo de Elgin, chegou pouco depois de 11
horas, acorapanhado de seu irmo, o tono ule-coronel
Roberto Bruce Depois de conversar com o Sr. Guilher-
me Smith. projrctor e dlreclor-flscal da companhia, S.
Exc. foi conduzido ao magnifico carro, preparado para
a accommodacao do represenlanle deS Mages'.ade, e a
machina locomotora, chamada projector, sendo logo
unida, o irain comboi de carros) principiou a primei-
ra viagem por railway, as Anlilhas-llrilannicas.
No aterro, que atravessa o pantano chamado As-I-
Ihas, o train parou ; e S. Exc. detceo, com o teoenle-
coronel Bruce, o Sr. Smilh, e o engenheiro da compa-
nhia, o Sr. Miller, aflm do oamnar esta obra difflcul-
tosa. Na ponte, sobre o rio Cobre o Irain parou outra
tei, para tomar agoa para a machina, e chegou no ter-
hxino de Spanishtown, meia hora depois do meio dia :
a velocidade linha sido mantida muito lenta, para toda
a distancia, aOm de permillir aos passagetros verem as
obras, e de cortar a possibilidado de accidente entre a
mullido de espectadores, nos trminos o ao longo da
linha. Em Ipanisbtown o governadordesceo, eeami-
oou os ediflcios e mais arranjos daquelle termino.
Enttetanto, a machina locomotora lol removida para
a outra extremidade do Irain; e S. Exc. e os outros
passageiros, tendo retomado os seus assentos, poicrao-
se de volta Kingstown, onde chegaro em 40 minutos.
Nesla occaslao, a velucdade foi consideravelmenle au-
tnentada, em urna porcSu da linha, ato a raso de 30
milhas I 10 legoas ) por hora.
I.iuco depois de urna hora, S. Exc, com a sua il-
lustre comillv.8, um grande numero do autoridades ci-
vis e militares, e os principaras senhores da cidade, as-
senliro-so a um sumptuosodfjunrr, preparado 4 cus
la da companhia, em cclebracao da abertura do primei-
ro caminho de Ierro na ilha da Jamaica.
(Illustrated London-News.)
...... -
Eim. Biipo D. Tbomst 12.000
Dr. Francisco JoSo Cirneiro da Cuobi 10,000
Oeiombargador Antonio Josquim deSiquaira 15,000
Dr. May 50,000
Vicente Jeronymo YVanderley 10,000
Desembargador Domingos Nunet Ramos Fer-
reirs 10,000
Francisco Sergio de Mattoi 6,000
Joan Ignacio d'Avilla 1.000
Jos Jacintbo Silveira 6,000
Antonio Pires Ferreira 10,000
\ iclorino Jos de Souza Travasso 10.000
Jos Peres de Albuquerque Msraohio 3,000
155,000
IIIlRUI IE l>El!*AIIIIICO.
II1KI.V di; I MA ESCOLA AGRCOLA.
Teiido-iios mis oceupado successivainente com o
meios dumclhorar a cultura dos principaus artigo
iiidigonas da provincia, donde tantos o tuo variados
recursos pndumos tirar, vimos boje naturalmente,
como quinn qnerroduzir a tinidadc as observaQdes
que ha reito,' appresenter mediUcfio do governo o
dos li.uncus Ilustrados, que desejSo colloear os pro-
piios rpita es em cnipro/as honrosas para clles e
para o paiz, a duia d'tima escola agrcola tlicorica e
pratica, que crie entre noi as especialidades, que nos
fallan na cultura dos campos, coiiserva^o dos bos-
ques ccilucaciiodus animaos dclavoura; e sora este
um ensaio poderoso, que, pelo seu exemplo e resul-
tados, poder em pouco genealisar-so em todo o
Brasil.
Quizecamos nos, pois,que l'cniambtico desse o mo-
delo ile semellianle escola, e eis-aqui as bases, sobre
as qiiaes nos parece que ella devia ser fundada.
Alem do edificio, que o governo ou a companhia
empreliendedora teria de deslinar para 0 gymnisioe
residencia dos prol'cssores, em BlgDDl dos suburbios
do Itecife, pensamos nos, que um grande campo do
denionsliaciies pralicas se devia annesar escola,
e desojramos, que no curso de agricultura, que de-
via durar tres annos, se cnsinassein as seguintcs ma-
lcras :
PRUIKIHO ANNO.
I'roduccdo:
Semenlciru, e eolheita das plantas em geral.
Cultura da caima, doalgodo, do tabaco, do ail, do
caf, do cha, do arroz, &C.
I aliiico do assticar. Ereccflo d'engenhos. Manu-
factura de licores. --Trata ment do algodilo, do
cafe, do cha, do ail, do tabaco, &c., at a sua
exposicSo venda.
Cultura d'arvoies fructferas.
PE^NAMBCO.
Jlelacdo din pestoat, que tubscrevrdo a favor dos ne-
ce'sit lados, que teem lido victimas do flayello da sec-
ca na provincia do Cear.
BAIIIRO DI lio- vi- r \.
Dr. Jeronymo Martinianno Figuuira de Mello 50,000
Maior Manoci do Nascimento da Coila Mon-
riisse, que o que elle quera, que ao lase, mostrarla
mui ooiicliidentemonie, que a Gro-BreUuba nio fioou
sileneiusa nessa i.coasiSu, mas aguosaniento v.gilanlo
do aeu mercase. Para o Km das suaa obser.acoos allu-
doMr Dayton ao boato, que linha circulado, deque
c.la questso havia do ser ultimamento cotuposla pela
ccsslo de certas vanlngens cquivalentca ao nos.o ad-
versario. Elle nao quoria diitr, que osaim toase, mas
certaraento alguna niovimentus parecio oorrobora-lo.
Outr'ora, era uma pargunta feita a proposito na ngla-
teiro
Antonio Carlos do I'inho Borges
Arceoio Fortunato da Silva
Antonio Jos de Araujo
Francisco Joaquim Pereiri deCervalbo
Antonio Jos Gomes do Correio
Exm. liaran du Itamarac
lenlo Jos da Costa
Joao Goncalve da Silva
Jo'Thomar de Campos Quareima
Ignacio Ferreira Cabral Canlanil
Dr. Jlo Capistrano Bandoira do Mello
C. Star & Companhia
Francisco Antonio de Oliveira
Augusto Frederico de Oliveira
Miguel Augusto de Oliveira
30,000
10,000
10,000
10.000
10,000
10,000
5o;ooo
10,000
10,000
10,000
5,000
25,000
30.000
ao.ooo
10,000
10,000
Horticultura ejardinhagem.
roducefio dosanitnacs de lavoura, e dos rebanhos
cm geral.
Tecbnologia rural.
SEGUNDO aHItO.
Maltas.
F.x|ilorac"o c cultora de maltas virgens
Botnica florestal.
Caca.
Corte c commercio de madeiras.
Economa rural.
Con tabilidade agrcola.
TERCKIRO ANNO.
llamos auxiliares.
Mathematicas applicadas agrimensura.
Historia .Natural, u scicncias physicas.
Archilectura rural.
Desenlio, especialmente applicado a machinas.
O ciisino da llieoria devia aqu ser confirmado por
todas as dcmoiistracocs necessarias, sobre o campo
de experiencias, de que cima tallamos; e algumas
visilas.qiie oa discpulos lizesscm.em companhia dos
prol'essores, aos engeiilios c lavouras mais prximas
da escola, Ibes servil o de mui importantes licflea
pralicas, que os conlirmassem nos principios tlicori-
cos.que houvcssom aprendido. Depois, julgamos nos
consa d'absoluta necessidade a anncxacaod'uin jar-
dim ed'iini pequeo muscu casa da escola, onde
com aa plantas indgenas se cultivassem as exticas,
que fosse possivel obtV, e se colligisscm as amostras
das Ierras c dos objectos de mineraloga, de botnica,
de zoologa, de zootomia ; os productos agrcolas la-
brieadoSjC modelos d'iMtrumentOS aratorios, eappa-
relhos mathematicos physicos echlmicoaj quetudo
servisse aos alumnos de ncessante estudo.
O lim principal da escola seria dar uma mslrucco
acabada e substancial aoslilbosdoslavradorcs ese-
nhores d'engcnho, que com suas propnas mao de-
vino cultivar aterra uestes tres anuos do tirocinio,
para depois dirigirem, chcios de sciencia, toda a cco-
nomia iloscampos: unsporsi mesmos, comoli-
Ihos do povo, outros por sens servos c escravos, co-
mo filhos da moderna aristocracia de dinbeiro. b era
este o nico modo de irnios preparando msensivel-
menle a inleira abolido da esclavatura no Brasil,
como tanto desejao dccoracilo os amigos da huma-
Didade, e o devem desojar mo menos os nossos eco-
nomistas ebornena destadosinceros.
Para completar, emfm, os beneficios, que de 13o
til instituicilo devia esperar o paiz.dcsejaranios nos,
quehouvesse um jornal especial, onde se publicas-
sem semanalmcnte todas as experiencias feitas na
escola, e para o qual envassem os homens da scen-
cia, naciotiaes e estrangeiros, as suas observar0es
e trabalhos pessoaes; deserte que os methodos no-
fot aa propagassem em lodo o Brasil com extrema
rapidez.
O governo da provincia, ou uma companhia de em-
picliendedores, auxiliada pelos homens, quecslariao
no caso de coadj uva-la emsemelhanto euipcuho,dara



w
o desenvol vi ment nccessario s idcias,quc aqu cs-
bocamoa, solicitara da auloridade os privilegios
,, inherente! a iim gymnisio desta ordem, formularia
<>s scus estatutos, e levantara, em lim, para si o
maior monumonto de gloria,a que hoje alguein pode
aspirar no Brasil, dando ao nosso paiz, eminente-
nente agrcola, os meios de florecer solida c cons-
tantemente. Ja uina de nossas maiores capacidades
econmicas, ha hoje nove annos, tinha (ido vistas
quasi semelhantcs, quando creou, romo ministro da
roroa, um curso de agricultura e outro de botnica
no itio-de-Janeiro,com o lim de fazer saliir os nossos
poneos instrumentos aratorios das unios da rutina,
que ainda hoje os meneia, e entrega-Ios a uina gera-
gio de plantadores Ilustrados; mas o pensamento
generoso doSr. Vasconeellos nunca foi traduzidoem
obra, como devia ser, porque elle resignou o lugar
de ministro, e porque ha entre neis o costume dos
povos infantes, miando se traa de lialialliar : pe-
gunta-s quem da o plano, erejeita-se a analysede
lodo o pensamento. De mais, as benficas idc'ias do
Sr. Vasconeellos nllo abracav>o.em toda a sua exten-
siio.as necessidades d'uma escola ni ral-modelo como
a da que hoje nos oocopamos, e que nos parece dever
levantar-se na actualidad! : seoutra provincia hade
daresso passo.seja Pernambucoa primoira,que o d.
He com eslabelecimentos desta natureza, ccotn a
suhsequcnte organisacSo do trahalho, que. o Brasil
ha de levantara lace abatida.e sabir do torpr vergo-
nhoso, a que o lem levado a huta dos partidos, reco-
nhecendo por urna ve/, que aliberdade dos povos
sustentarse com a riqueza e commodldades dos indi-
viduos, e n So com eleicoes e outras rrandulagena po-
hticas.com queataqui asclasseshumildes hffo si-
do ai alentadas, o completamente escarnecidas. He
somentecom instituicoes desta natureza e rom aor-
ganisaefio scicntifica do trahalho, que o Brasil pode-
r em lim lomar o lugar respeitavel, a que he chama-
do na ordem providencial das nacoes da Ierra.
Communicados.
prai-
I XI-
oom lunima
pcli eortetia
li.mra i i.-1-1-1.1 r em relacOOS imiumiat.-is cun u lntparcial,
s levamos noiso nrtigu a um amigo do viaeoude, e aran
EJ-EICA DE DOUI IHfADnaBt.
Arbamos do ver n Diario-noto do boje, 1? riiiie, <|n icve. a bandada do responder lo nono artigo
obre n rielcto de doui senadores, o no quil.eom.i
eiro.aotleataveraoi n candidatura do noaso ami
Donde I Goianns, Comees o Diario-noto
wlanidade a ile.iuicntjr-ii.ia porhavertaoa ailOgurad. ,
cpiu n nofto artigo lora repellido pelo Diario-noto ;
amito obri;iiln pe) eorleii.i I au (vnioii n cjmtiucta
honra el
e '
.le praieiro, para que all c. aseste publicar, c foi eue
nnii{" ipiem noi atievorou, que le Ibe exigir*, e.....o
'.....dieio eaaeneial, o exequtur di directore, alo lio,
o impiima-t dea SS. I". I'. cA.a., o que era abaolii.
laroriiie Iropoisivel, porqae nemeatlo preaentea.
r, quera mentir!, o nuaau amigo, ou o Diario-
noto? Pareen, que > pilula foi Uo grande, que engaegou
au -o rechic 'ii., con......do..intereasadoi na uiulu-
'.....Im nobre fieonde, u..... que uo dia inimodiatu
abro a mentira desroentind.i a fardada. Quer o Diario-
oro que assignemoi i......a corroipundencia para ver
eaomoapraieirot, poitbem, afeito: porem n!o fu-
mo! o provocadores, apena Bicmoa urna reipoala a ,-.-
tupida a aadica latioa de utu inlitulidu amigo do vi-
conde, pedindo que nlo votaieeni nelle, cama ae bou-
veaie alguem.que acredlUaae em qua haverta amigo i
torne; e dealeal, que finase da amiuda ara jugo pan
maUHeri per tanlo amigue priman, o nomo purea.
tenv '' :......->- ......
con
tanto mmediatanienta,
Diuil quo Da iomol praieiro: quem osera
queno*? Al agora lamoa unaienUdo oaprineipioi da
praia oom urna lenaeidade.qoe no faz honrj; o vos, ,,.
eaiaii garroteando o partido, que .. eaiaia umainaudo
i cinc a violacao clac mm, doulrinat, eoiu
Ma baucle
im, u lal iiixundi.r', que >u amignou amigo do tit-
nde de Coiauna que ma proweiemoa fler nutro
que essa geote, oo tenba emprego productivo, ou re-
ttneeda aoi lugares, que abandooou.
I'ara o governo Ibes dar emprego seria preciso, que
o governo tivesse vistas e meios de intentar grandes
obras publicas: para o governo faier conduilr esta gen-
te aos seus antigos alvergues, seria preciso ahi dar-lbe
meios de subsistir, em quanto a trra nao vlesse em
soccorroseu. Nesta difflcil posicio do governo, onde,
mais que tudo, combate qualquer medida a iodispeosa-
bilidade do emprego e consumo de avultadas soturnas,
occorrem duas ideias : t.', a colonisacio, ao menos da-
quelles, que se negassem a voltar para donde vierao ;
2.', a creacSo de urna companhia, por aecns, para o
levaotamento dos acudes municipaes, encanllaselo dos
ros e levantamento dos acudes particulares, com em-
prego desses bracos, comecando desde logo, tomando o
governo numero de accoes, promoveodo a distrlboiclo
delias na cArlA i na nrn!n^isa m.U eoasdcrsvc!."
animando e ennobrecendo os accionistas, a juem so con-
ferirs os beneficios consignados no memorial, inserto
neste Diario, n. 107, o o privilegio da navegacao dos
ros, por vlnte ou mais annos. Ainda que serla de
maior utilidade, para as provincias beneficiadas, que o
eyslema dos acudes fosse adoptado, da mam-ira consig-
nada naquelle memoria', por flear o beneficio immedia-
mento as provincias, em proveito dos propietarios
li.-llas. comludo, como, pc.r meio de companhia ou
companhias. entrando na creaco dellas, comocoodi-
cao, o emprego, desde j, desses bracos amontoados oa
l-'ortalea c Aracaly, esla providencia palpitante fa
calir aquelles Interosses ; entretanto que a creacao da
companhia ou companhias nSo exclue aos propietarios
dessas provincias, do certo os mais interessados no com-
plemento da ideia, do se inscrcveruin nella com as ac-
edes, que Ibes aprouver.
A colonisacao pode ser applfcada a dous empiegos :
a agricultura e a mineracao. Em quanto s colonias
agrcolas, nao direi, que possao uiultiplicar-se muitona
provincia do Cear ; porque, nos locaei mais prximos
costa, esses terrenos eslao possuidos u oceupados, go-
imi de um preo subido, o mesmo nao sao to vastos,
que nellet se admita a possibilidade de fundar seme-
ntantes colonias ; mas urna grande extansao, assim
inesino, aprepriada a este emprego, existe ainda. quasi
ertna, nos confina da proviucia, e sua fronteira com a
provincia do Piauhy ; fallo da extensa, frtil e apraii-
vel serra de Ibiapaba, onde percorreinos urna planicie,
que partea le sido anivelada, numa extenso do 24
legoas, que tantas se contao de Villa-Vicosa a Villa-No-
va-d'EI-Rei. A lertilidade da trra, a amenidade do
clima, a abundancia de aguas potaveis, a bartela dos
terrenos, tudo indica este ponto como o mais apropria-
da ao objecto; onde, a par dos productos tropicaes,
muitos producir dos exticos.
Nessa cordllheira houvo urna antiga cxploracio de
r.itreiras, de 18U0 a 1806, e que s desordens da Euro-
pa, nessa quadra, deveo o abandono. Nella se encon-
trad varios metaes, como o ouro, a platina, o ferro,
ele. e qualquer destes em abundancia, que bam entre-
teriao somma de bracos a respailo das nitreiras, de-
vem ser exploradas por conla do governo, o em quanto
s outras, por companhias, que podfrio aproveitar as
riquezas dos riachos Curumatan e Jur, to abundantes
de ouro, assim como as minas de prata do Curuayu, no
lugar dos Picos, fechadas, em consequencia dos extra-1
Movioiento do Porto.
.Veii-io mirado no dia 16.
Trieste; 70 das, barca ingiera Eik, de 317 tonela-
das, capito Robcrt Crocket, equipagem 12, carga
farinba e farol o ; a Kalkmann & Rosemund.
.\uviol tahidoi No mesmo dia.
Philadelpbia ; escuna americana Colorado, capillo
George F. Charcb, carga assucar o couros.
Alcobaa; biate brasileiro S.-Jodo-Ftliz, capitao Joio
Rodrigues da Conceicao, em lastro.
dem ; biale brasileiro 5 -Jot-Vtnctdor, capillo Joa-
quim da Silva Gomes, em lastro.
Genova ; briguo sardo Alcibiadi, capillo Jlo Baplii-
taVilli, carga asquear e couros.
----------
Declaragoes.
- O arsenal de guerra compra 7 cadeiras com aa-
seato depalbinha 144 raras de brim 6 colheres de
ferro (bal Jradeirai) 8 marmitas da ferro e duas ps
de dito : a pessoa que taes gneros quizer vender,
mande ao mesmo arsenal suas amostras e proposta em
carta fechada at o dia 18 do corrente mes.
Directora do arsenal de guerra, 15 de maiode 1846.
O escripturario.
Francisco Sera feo de Astit Carvalho.
ssO oscrivao da mesa de rendas internas geraes, ler-
vindo de administrador no impedimento deite, (az sa-
ber a lodos os devedores dos impostos de tojas, escra-
vos, seges o carimbos, e barcos do interior, que, se nlo
satisfizerem o que devom at o fim do corrente mez, se-
rlo seus nonos e dbitos remeltidos para juizo a fim
deserem judicialmente executados.
Recite, 8 de maio de 1846.
Eitannlo Pereirade Oliveira,
No impedimento do administrador.
ana abaiio assignado, encarregado do consulado de
de S. M. Sarda em Pernambuco em virtude do avi-
so recebido do cnsul geralde S. M. Sarda, no Rio-de-
Janeiro participa aos consignatarios ecapitles do na-
vios sardos nesta praca, que, quando ditos navios se des-
tinen! para os portos do estado oriental, bajo de apre-
sentar os sous manifeitos&pagente daquella repblica, na
falta do que, esto subjeitoi a pagar urna multa quan-
do l ebegarem. Pernambuco, 7 de maio de 1846.
O encarregado do consulado sardo,
Thomas Foriter.
Oprimeiro batalblo de caladores de linba pre-
cisa mandar pintar de verde-escuro alguns cantiz que
devem tamhem levar a numeraco de praca, a que ca-
da um pertencer, de tinta preta : quem te quizer en-
carregar desta pintura e por commodo preco com-
parece na secretaria do mesmo batalhio na ra de
Agoai-Verdesm. 86, no dia 20 do corrente.
Tenente agente,
Joio Goncalves Neto.
Vende-ie o patacho Ftlicididt da coaatroceL,
brasileira, orrado de cobre, da 136 toneladas pro
lo a carregar, com todos o seua ptirtencei, umi ?
lancha e bote : para se examinar a bordo, fundei/
defronte do caes de palacio, o para se ajuttar com Am
rim Irmfios, na ra da Cadeia, n. 45.
Para o Maranhio o bam conbecldo brigae n
cional Allante, forrado e pregado de cobre, sahiri n
dia 26 do corrente, por ter de aahir com i carg, aB
tiver; recebe assucar a 160 rs. por arroba, e os'saai
fretes a porporcio : quem nelle quizer carregir ou -
de patsagem, para o que oflereoe excellentei commodo,'
dirija-se a Francisco Severiano llabello & Filho, ouu'
ruada Cadeia-Velba, o. 12, a fallar com o capillo Coi'
todio Caetano.
Para a ilha Terceira a S, -Miguel aahr, imprauj-
rTc!niEnt" no dis 1!5 do corrente s berssatis --
guez Terceira, capitao Casimiro Msria de Urito; 1
cebe carga e passageiroa, para os quaea tem excellniJ
commodus: o pretendentes dirijjo se aos cooaigni-
tarios Oliveira Irmlos& Companbia na ra da Cruz
n. 9, ou ao referido capillo.
Para Lisboa sabe, coma maior brevidade pon.
vel a mui linda a veleira escuna portuguea MiUiii.
ro-Primeiro, de primeira marcha forrada e enciii
Ibada de cobre ; recebe carga e pasaageiros, pin .
quaes tem os naelbores commodos possiveii: os nra.
tendentes dirijio-se aos consignatarios Oliveira Irnioj
di Companhia na ra da Cruz n. 9, cu ao cid i ti o
Joio RibeiroPalba.
Aluga-se urna brcaca de 16 a 20 a caitas, pin
navegar daqui para a Parabiba : quem a tiver, cftrija-
se a ra larga do Rozario, o. 18.
O hittt S.-Anlonio-Flor-do-Recifi sabe pm i
Babia no dia 19 do correte; recebe alguma titst
miuda boje 'C : a fallar oom o mestra oocaet di
Alfandega.
Leudes.
,t
u escarne-
It-ira, 8 obre ludo, roa, c|uc grila.ie, ui
publicas contra Bahtanoa, a eatraogairua? Poique poli
nlnbavemu .le volar no viaconde daQuanna? Aca
ignoraia, que Iba dainoa para d. putad maja de iresentoa
vele.? e que te fizerio dme, piaieir.,, qUD, ,
voaaa vontade, oountra a. voaaaa cabalas, votara,, enlio
im uolre >monde? Puia bem, lodua elle, volar,,,", ,,.
la carga .errada 00 .lobrad.1 ra.., oaqaella UoM
uanoaioi utos erlo perdidaa, o agora te....., t'|,, a
certeta, que oomellea .c-ra ,. nobre visoondeo maia vo-
lado, < por ounsequenoia um do. escolhidoi
Quer| ,. Diario-noto, que iienhum praieiro vote ,,
viaeonde taa, euiiio se diaseaau nao volei em quem lem afFeice ,-
simpatbioa na provincia, da qual ho fill, vii ,011ien-
10 una ealraulina, que aao oa do noaao credo Ale agora
eauvaniuacertos.qoe o partido praieiro i advocara
cau.a do. Pernambocauoa, tanto que a a,,;, bandatra fui
aernpra contra oaeatranhoa, e fo. eM0 .,.lltl,| ,,,.
un ali.luiiKia deado o principio na. ,a, fl|e4ril \,u
je, porem, den. bandeiro, o venblo os da tora' ,,Ue o.
de .asa .Su tc.doa ralazaiina, e mnriasocaal o cala? Cu,
quo o TiKonda ja au be Pernambucano, ftMotM ^
ral &c e o Line.lo? Poi.u.u.to bem, Sr.. eiehi a
Jiuiilia chapa: "nl
Vi.conde de Goianna.
Antonio Joaqnim de Mello.
Franciaoo Hunorio lirrn'IdeMcnczes
Manuel do Soma Teixeira.
Manuel liarb.ua da Silva.
Manuel Paulino de G-icia Monis Feij.
Vede agora, .c ola chapa lie ou nao ,1c uii,
l'raitiro i dirtitat.
A popula?ao do Cear tem sollrido diminuicao multo
rnnslderavel. primeiramenlemotivada pela fomeemise
ra, ebeje pelo lypho, quevai disseminando o novo auc
fcapou, e principalmente a pobreza, em quem maisV
cahira o effeilo da fome. As ultimas noticias do litoral
conslernao, ,- be de suppr, que no interior da provin-
cia seja aindamis aterrador esto ultimo flagello por
isso qnc, sobre ler soflndo muito mais da lome, all'i nao
ha alguns dos recursos, que os flagellados enconlrio
belra-mr, como facultativos, remedios e caridade No
he com mesquinbos subsidios de farinha e legumes que
se pora aquelle povo ao abrigo de novos males ; muito
mais he necessarlo no presente.e desde agora, Irabalbar
em prevenir os males, que ameacao renovar-se com
maior intensidade e furia.
dna.,nU1"li-?,i,,,B" se P|Dhrao smenle as
,ZJT?"lt?lM'"* For,ale" Aracaly ; e esta
uT .,BdU,dUM' red""dos a nimia pobreza, pre-
tr: ora, sendo oa --"' Dece,s,dde de os evi-
vios pratcados pelos empregados do governo de eulao,
i- que dirigiao a explora(3o
Estes meios nos occorrem para arredar os males in-
minentes, que pasao sobre o Cear: eu os oiTereco
sabia mcdita(d da assembla geral ; e muito desejo,
que, sendo desprezadas, ao menos despertem a adop-
cio de oulrosapropriados e applicaveis A siluacao ac-
tual. Nenhum Irabalho ser mais agradavcl t dlvinda-
dc e melhor acceito dos homens do que aquolle. que
llver em reullado o allivio dos padecimentos humanos.
h'Hippe Menna Callado da Fonseca.
Correspondencia.
r Jledacloret.Tendo apparecido repetidos ao-
nuncios, para fa/er crfir ao publico, que me achava de-
mente e louco, c at sabido edital, declarando-me in-
terdicto e incapaz de exercer os meus direitos civis, nao
obstante ler havido um came de mdicos a meu fa-
vor, leudo requerido segundo, c conseguido poder fa-
zer .cpparecer a verdad.-, peco a Vmcs. a oselo da
sentenca abaixo transcripta, pela qual conbecer o pu-
blico, quo nao eslou demente, e me acbo no pleno go-
zo dos meus direitos, sem efleilo a ioterdiccao e seques-
tro contra meus bens decretados.
Sebailio Mauricio Wanderley.
aDit Sebasliao Mauricio Wanderley, que, para bem
seu precisa,que o t-6crivo Pereira de Carvalho, a vista
dos autos, Ihe d por certidlo o leor da senlenja, por
V. S. proferida, julgando o supplicanle, a vista do exa-
me dos mdicos, oogozo dos seus direitos civis, e requer
a V.S., quo assim o mande.P. g V.S., Illlm. Sr. dou-
lor jui de orpbJos, que Ihc delira E R. M.
SebaiUao Mauricio Wanderley.
( D-se-lhe. Recife, 15 do maio de 1846.
_, Figueiredo.i
rranciicoJoaquim Pereira de Carvalho ele.
Certifico, que, vendo o autoameoto do requari-
mcnlo de Sebasliao Maurio Wanderley, nelle se acba a
sentenca do leor seguinto ; A vista dos exames de
lolbas e folbas, felos pelos facultativos, na pessoa de Se-
baitiio Mauticio Wanderley o julgo no gozo das suaa
(acuidades inlellectuaes, e capaz de administrar a sua
pessoa ebens, e assim no gozo de seus direitos civis:
pague as cusas quem as causou. Recile, 13 de maio de
1o4o Lourenco Jote de Figueiredo.
Ficad deferidos lodos os requerimenlos. e sem ne-
nbutn efl ito todo o anterior procedimeoto. Recife.
I i de maio de SiG.Figueiredo o
COMPANHIA DE BEBIRIBE.
A adminislraco da companhia de Bebiribe manda
avisar aos Srs. accionistas, quo na prxima rouniSoge-
ral, que deve elfectuar se no corrente mez, aprsenla-
tv a relaclo d tod nnll_ nlaaantrada e acha-
rem em atraso, para que a asieuibli tome urna deli-
beraclo definitiva a semelhanle re. agora exigidas correspon Jem a 70 por cento sobre o va-
lor das apohcea. '
Eicriptorio da companhia, em testio de 2 de maiode
1846.O secretario, B. J. Femandet fiar rol.
= Tendo de ser inaugurada a caia d'agoa da Boa-
Vista, oo dia 21 do corrente, polas 10 horas da manda*,
slo avisados os Srs. accionistas, e todas ai pessoas, que
quizerem asiistir a esse acto de publico regoiijo. 0
secretario, /?. /. Fernanda Barros.
O corretor Oliveira continuar o leilio das hien-
das da loja do fallecido Joio Antonio Martini Novias
e de mais 3 eicravoa : legonda-feira, 18 do correnta '
as 10 horas da manhla na metma loja, ra do Quti-
mado.
= O leilio das hzendas e eseravea, annuneiado na
loja da ra da Madre-de-Deo, penhoradoi a Couto
Viaona e Filbo por execucio da George Kenwoith
& C. para o dia 13, ficou transferido o ordem do
Sr. doutor juii do civel da segunda vara pira hoja,
16 do corrente depois de meio-dia, na meima loja.
= Charles Roope, tendo de retirar-se enm sua fa-
milia para Inglaterra, fara leilio, por interveocio do
corretor Oliveira, de toda a mobilia da sua casa, con-
sistindo em consolos, sofs, cadeiras, bancas para jogo,
marquesas, metas redonda ecomprida para meio de sa-
la, ditas dejsntar e outras pequeas, leitos inglejeade
mideira e de ferro, guarda-vestidos, papelleira e s-
laotes, tudo do melhor gosto, urna machina para en-
gommar roupa, loucas, vidros, lanternas, trem de co-
rinba, e muitos outros objectoa uteis e neeeisirioa, que,
por brevidade, nlo slo aqui claudicados ; issin como
de superiores vinbos engarrafados, e de a!ttD?s? ehra
de prata : terca-feira, 19 do corrente, as IU horas da
manhla, na casa de aua residencia, na ra do Seta,
por detrs d'Aurora, e contigua ao collegio Santo-
Antonio.
Theatro publico.
COMMEfaCIO.
HOJE, 16 DO CORRENTE.
o Snr. Sulton dar o segundo espectculo, apresen-
lando lano no ventriloquio, como na mgica outros
muitos actos alm dos manifestados na primeira repre-
sentacio, eexecutando na concertina (novo instrumen-
to, inventado em Londres) a pepa de msica a Som-
nmbula', de Bellini, e far nova* e eicellentei m-
gicas.
Avisos diversos.
Alfandega.
Rkmumknto do ou 18................2:218jOS9
, Deicarregdo hoje 16.
tingueFloracaivio.
Galera Columbuedem.
Barca^ar//oneibarrilha.
Briguo Kwo-ferragens.
Polaca"- zTrnMiinamercadoriai.
PBLICACAO LITTERARIA.
OS MVSTEBIOS DA INQUISIA
Acaba de chegar do Rio-de-Janeiro o restante dos
nmeros desta importante publicacio, que finalisou no
numero 73; eosSri. assignantes podem mandar rece-
lar na praga da Independencia, livraria, ns. 6 e 8.
Avisos martimos.
Geral........
Provincial
Consulado.
REN 1)1 MKNTO DO DI* 15.
-io. p^aZe" r^ZTLrrDl,ot de r n^'.".''.::::*:.v;:;::
930a797
382*578
60*614
1:373*989
=Vende-se a bem conhecida e veleira barca ame-
ricana flr'avarre forrada e encachada de cobre e
prompta para qualquer viagem ; quem a pretender,
dirjase a casa dos consignatarios, L. G. Ferreira & C.
= O brigue Joiepkina ty Emilia pretende aahir pa-
ra Lisboa no da 23 do corrente, e ainda recebe alguma
carga a (rete.
Vendo-ie a sumaca brasileira Comante Ami-
tadt, a qual se acha fundeada no caes do Collegio, para
se ver : Irata-se com Gaudino Agostinho de Barros, na
pracinba do Corpo-Santo, n. 66.
= Para o Rio-de-Janeiro segu breve o brigue
Albano por ler sufliciente lastro ; pode, porem, rece-
ber alguma carga, escravos o passageiroa : quem qui-
zer carregar, pode communicar com o capito, ou com
Amorim Irruios, na ra da Cadeia, n. 45.
A CARRANCA.
O n. 80 achar-se-ba a venda ai 10 horas da mi-
nhia, na pracada Independencia, livraria ni, 6 e 8.
O SAQUAREMA.
O n. 2 achi-se a venda, na praca da Independen-
cia, livraria ni. 6 e8.
O POSTILHAO.
Far diitribuicao da mala amaobiade tarde
AndrMillerretira-ie desta provincia.
ELIXIR ANTI-CHLOROTICO
PARA AS FLORES BRANCAS,
Falia de mentiruaedo, irregularidades emaitmolit-
tia$ da* ittnhoras.
O elixir anti-cbloroticodo doutor Alian cura ra-
dicalmente e em muito pouco lempo, as molesliii
cima mencionada meimo as maii antigs I reslaura
as forras das pessoas debilitada! abre o appetile e da
urna cor rosada a aquellas que alo naturalmente pil-
lida: e sendo o seu sabor ogradavel ea doie dimi-
nuta ai pesioai ai maii fastidilas poden tema-lo
em repugnancia.
Vende-ie gmente no Rio-de-Janeiro por Gou-
thire Roan & Palmer, pbarmacia, ra dos urives,
n. 81 pre?o 6 n. o vidro ou 60 ra. a duzii.
UNGENTO DETERSIVO
DO DR. ALIAN ,
Memoro da eociedadi real de medicina e da acade-
mia real de cirurgia de Franca, ele.
Composto ioleiramente Je.ubstanciai vegetan e mi-
maos ai maia unctuoiai, que produi a natureza : este
uogoeoto be recommendado para toda a qualidade de
chagas ulceraa e feridaa como : formigueiros, alpor-
caa etc. ; alliiiando desde a primeira applicajio a
curando,em mui pouco lempo,as mais inveteradas e an-
tigs. A uianeira de uta-lo ha mni simples, evai aeom-
panbado das diieecdes bem applicadas.
Vende-ie no Rio-de-Janeiro somante, porGootbi-
re Roan & Palmer, pbarmacia ra doi Ourire,
o. 81 em litas de 7 e 12,000 ra., conforme o ta-
manho.
Fogio.no dia 10 de outubro do auno panado
(18*5,), o preto crioulo, de nome Izidoro de 21 an-
noe desdada, retinlo locco do corpo,. estatura re-
gular falla lina oficial de alfaiate andava calcado
e muilo basa vestido; era timbem o bolieiro do Sr. ba-
rio de lUmaraa! residente no Recife de quem fon
eacravo eo vendeo a seu atual seohor, Alves Viaona,
morador na ra da Seaaalla-Velba o. 110 ; o qual
offerece 100* n. de graliSasclo a quem Ibe deicobrir
o referido escravo.
Agencia de passaportcs.
Na ra do Collegio botica n. 10, e no Aterro-da -
Boa-Vista loja n. 48, tirio-se passaporles para dentro e
fura do imperio,assim como deipachao-ae escravos: tud o
"com brevidade.


O LIDADOR.
0 n. 109 est desde bontem venda, ton. 110 cbsr-
ha amanhaa, ni praga da Independencia, turara
i. 6 e 8.
CLAMOR PUBLICO.
O d. 92acbar-se-ha afeada, ai 3 horas da tarde ,
|bj praca da Independencia, linaria ni. 6 e 8.
= Jos da Silva Porto morador no Araeaty ,
|icbni)-se neati praca previne a toda e qualquer
Ipesson, que te jiilgue iua eredora que no prno de
3 das seapreientena ra do Alecrina n. 2 cotn at.
[iriiru ou obrigacei, que tlverem, para lerem pi-
gat.
_ O Sr. Joaquim Izidro da Costa Vieira tem urna
Icaria de Lisboa na cala de Gaudioo Agostinho de
larroi, pracioha do Corpo Santo n. 66.
Andr do Medeiroi Castalio-Branco, tubdito por-
logoez, retiri-ie para ajilba Terceira.
- O Sr. Jos Antonio Goncalves Bastos queira ter
ibondadede mandar receber urna carta, vinda do
Porto, qoe, por engao, se recebeo, na ra do Cres-
po, n. 2, ao p do arco de S. Antonio.
= (Juem quiter alugar um segundo andar na ra do
Trapiche procure na casa n. 16, da tneima ra.
- Alugi-ie o primeiro, ou segundo andar, com mo-
llbor convier, ni ra Direili, confronte ao beeco da
Penba n. 28, por commodo preco : a tratar no mes-
|mo sobrado.
= Joaquim de Queiroz Montairo fu lber ao Sr.
[]. S. P. t <|ue, no prito de oitodiii, bija de vir res-
(catar os penhores que deixou empenhaJos e no fin
Ido prato marcado nlo o indo buicar soro ven-
cidos para pagamento da quantia, que nao ignora ;
I .canil i obrigido pelo restante se os ditos penbore
fnio cbegarem.
= Jos Maria da Costa Cirvilbo, testamenteiro do
I fallecido Joio Antonio Martina Novaes fat pablico ,
Iqoe, achando-se entregue da niesina testamentaria, por
Ideliberacio do juio compatente he por consequeocia
lo nico habilitado a liquidar todas as traosaccQet da
I mesma casa ; pelo que, rogaatodos os devedores, ve-
Ilibio qanto antes remir seus crditos para aSo se ver
[aa preciaio de realiiar a ir'reeadaco por meios judi-
(ciaes, 0 aonunciante mora na ra das Flores, Uefron-
|le docarlorio do Sr. Francisco Joaquim.
Joio Baptista Fragozo Jnior embarca para o
lio-de-Janeiro, a entregar a seu cunbado Francia-
leo Duarte da Costa Vidal, luaescrav crioula Mar-
Icellina.
DENTISTA.
M. S. Mawson, cirurgiSo dentista, participa aos
ISrs. seus amigos e ao respeitavel publico desta cida-
que chegou de Macei, uqnese acba na conti-
nuaciio doexercicio de sua arte na qual far todos os
leslorcos para agradar a todos os Srs. que at agora
libe teem occupado. Reside na ra Nova o. 2, segn -
|do andar.
= CJuern precisar de um moco porluguez de 19 a
|20annos, pira criado, ou bolieiro, dirjase ao Mon-
c u. 7.
Offerece-se para fura delta praca um rapaz
Ibrasileiro braoco, casado, com pouca familia para
lensinar primeiras lettras grammatica e francez por
I i ter occupado esto lu;ar ; o eosina os seus alumnos,
Jcom o melhor zelo possivel': quem de seu preitimo le
quier utilisir, dirija -su a ra Direiti n. 69 que o
mesmo dar conhecimento de sua conducta, e trata-
|meoto de seus alumnos.
Antonio Kenriquo Rodrigues retira-se para
iLisboa deizando incumbido de seus negocios, o Sr.
|ji >e Joaquim Alves, e,m falta deste.o Sr. Manoel Joio
|de Amorim.
Precia-ie de um caiieiro portuguez, de 14 a 1.6
linnos, pouco mais ou menos, para urna loja perto dei-
|ta praca; na ra da Cadeia-Velbt, n 30.
= Na ra do Rangel, n. 36, primeiro andar, preci-
Iaa-se de um caixeiro para padaria que de fiador a sua
conducta ; e tambern de um bom trabalhador de tnas-
I(eir que uibi cortar massa : quem estiver oeslas
circunstancias, compareca de maobaa at ai 8 horai,
e de tarde das 2 ai 4.
Lotera da matriz da Boa-Vista.
.'vio leodo sido possivel fluctuar o andamento das
rodas desta lotera, no dia 14 do correte mez, para es-
sa lim marcado, nio obstante haver o respectivo thesou
reiro feito todas a* diligencias; poisque, apezar dos an-
nuocios, que ha publicado, apenai tem conseguido ven-
Jderdoiecontoi de rii de bilhetes, o que fiz persuadir,
que fcilmente se nio pode obstar o pernicioso costu-
jme de se reserrarem muitai peisoas para lmente sk
Iprevenirem de bilbetei no momento do andamento, ao
Irnesmo lempo que outras injustamente, esomatten-
[fao a esta ponderosa circumstancia acremente censu-
[io os thesoureiros, pelai repetidas trensferices do an-
Idamento das rodas, como se ellas fossem obrigadoi i
Ipraticar impossiveis, entretanto que os que concorrem
para essas tricsferigdei allego, como rallo mui ro-
busta, o nao quererem soffrer o empate de 8, 12, ou
M6?fi.. que sio na verdade grandes capitaei! !
Declara o meimo tbesoureiru, que, tendo ja exibido
Iprovas da boa f, com que se ha portado, a qual dse -
j*> por todos Ds meioi honestos, minter i Ilesa, de novo
|tem designado o dia 29 do presente mct para anda-
jmcnto das rodas al.'quarta parte da 3." nova lotera
| nutriz da Boa-Vista, previne aos interessados em
lobter os respectivos premios, que dos mesmos interes-
ados depende o realisir-se esta segunda designacio.
IComprem o resto dos bilbetei, a lotera correr, at
['otesdo dia 29.
= Na padaria de urna i port, na praca da Santa-
Cruz, continuadamente te fabrica muito bom pao e bo-
lacha, e pde-te asaeverar, que, se nao excede, ao menos
h igual ao melbor, que se faz em Pernambuco ; pois
P>ri iiso eapricha em ler ai melbores firinbii, bons
| ''ibslbidores, e igualmente se acba ai seis boraa da mi-
nbii promplo na travessa da Madrs-de-Deos, n 11,
onde podem procurar, ou dirigir suas eneommendas.
que serio servidas com promptidio e esmero : as mes -
"as citas se vende muito bom caf moido, eevada lor-
iada e em grio.
Precisa-se de urna ama de leile que seja desim-
bedida e lenba bom leite para acabar de criar orna
|f fa que est em meia criacio ; na roa das Cru-
i i o. 22, legando andar.
= Manoel Jos Cabral convida a todos os seui cro-
dores pira tomarem coota da venda e mais bens, que
possue na povoicfio di Boa-Viagem ; viito que nio po-
de continuar em o negocio, por perdis repetidas, que
tem soflrido, e nao querem seus redores continuar a
suppri-lo na taberna.; e como de mui boa f ie tenhi
onvidido a cada um doi credore para tomarem conta
daeaia, a vista do inventario, que se Iheiapresenlou,
e nada tenbio reolvido, pelo preiente de novo oicon-
vidi. para nlvir-ie de qualquer reaponsabilidade.
Tendo fallecido Jos Zacariai de Cirvilho, e dei-
xido diverts dividas a abaixo assignada, como tilba
mais velha do dito fallecido, e eredora, convida todoi
os credores e interessados, pira que compareci em ca-
sa de sua residencia no beceo do Azeite-de-Peixe, n.
18, ai 10 bom da manhia do di 18 do crrante,
para nnn Ihiuaeja einosto o "Stado da Casa, e tomem
as providencial para 'cobrante e verincacao ss divids,
eo mais que lor conveniente aos ditos credore e in-
teresados. Franeiica Maria di Carvalho e S.
A pessoa.que annunciou ter urna escrava para em-
penbar, dirija-se ao pateo do Cermo, sobrado de um
andar, junto do da viuva do fallecido Pene
Tiro-se passaportes para dentro
e fra do imperio e despachao-se es-
c'ravos, tudo por pre?o muito commodo ,
e a meior brevidade possivel : na ra do
Rangel, n. 9.
Ni rui Nova o. 44 precn-ie alagar 2 escra-
vos para servico, pagando-fe generosamente o seu Ira-
balbo.
Aluga-se urna casa na ra Bella com 2 lalaa
3 quirtoi, cozinha fra, quintil e cacimba : a tratar
na ra do Collegio, n. 15 legundo andar.
Aluga-se, ou vende-se urna can terrea na ruA
do Manguinbo, n. o : tratar ni ra da Senzalli-No-
va, n. 130.
Manoel Luiz de Almeida livein subdito por-
tuguez, retira-so para Portugal.
O Sr. Joaquim Nogueira Freir queira larer o
favor de anounciar a aua morada, parale I he entre-
gar urna carta de importancia ou dirija-se a rui de
Apollo, armazem de assucar n.8, de Pedro Alexan-
drino Gomes.
--Victorino Jos Montciro, subdito portuguez, reti-
ra-se para a Europa, a tratar de suasaude.
= Precisa-se alugar urna prela, que seja diligente e
sem vicios, que siiba comprar e fazar o lervco externo
de urna can. Dirigir-se ra do Itaogel, n. 59, se-
gundo andar.
= Precisa-se de um bom amassador, e nio se pde
duvida dar o ordenado conforme o seu merecimento :
na Santa-Cruz padaria de urna soporta, junto ao so-
brado.
= Jos Joaquim di Coiti avisa ao respeitavel pu-
blico, que por baveroutrode igual nome, se assignara
d'hoje em diante Jos Joaquim da Costa Maeiel.
A pessoa, que quizar dar 200j rs. sobre um es-
cravo, ficando os servidos do mesmo pelos juros', dirja-
te a ra larga do Rozario, n. 24.
= Precisa-se de um bom forneiro para padaria: na
ra da Senzalla-Velha, n. 100.
P.-eeia-ae de ut.5 ama, qaeeoiial ; en-
gomte e faja todo o mais servico de urna cata de pou-
ca familia, dando conhecimento de aua conducti: di-
rija-ie ao-largo da SoledaJe, cata o. 13, voltando pira
Belem.
Aluga-se, por preco commodo, o armazem deca-
a o. 18, ni rui da Cruz, no Recife, que bota de ra
ra, lodo lageido de pedn, proprio para fazeodis in-
gleas, ou ferragens, por nio serhumido.ou prate le-
colher qualquer oulra mercadoria, por estar em boa
localidade : quem o pretender, falle com Jos Saporili,
no segundo andar da mesma casa.
Na padaria da ra Nnva, se esta fizendo o melhor
po, que presentemente ba nesla cidade ; assim como
bolicbi, hiscoulo e bolscbinba: quem se quizerulili-
sar do bom, diriji-se a mesma padaria.
=Aluga-se o segundo andar da casa da ra da Cruz,
n. 37, com um bom solio corrido, para urna pequea
familia, por commodo preco; quem o pretender, di
rija-se a venda por baixo da dita casa, que la achara
com quem tratar.
Madama Millocbau, modista franceza, mudou iua
casa de modas da ra Nova para o Aterro- da-Boa-Vista,
n. 1, primeiro andar, onde as tenhorii de bom goslo a-
cbara sempre um gnnde lorlimento de objectot de
modal, taes como vtslidos do baile, de fil bordado,
garca, cambraia de linho, fil do dito, o de seda, etc,
csssas lisas e bordadas, perealea ejscoos", bicos bren-
eos e pretos, valeneiennes, bicos de linho, blondas, fita
de setim e de tafeti de todas larguras de muilas
variedades, ptimas flores para casamento, ornamento
e vestidos, plumas finas, lencos bordidos de cimbris
ededita de linbo, lencos de pescoco, grvalas, veos,
colarinhos, cabeces cestas, bonetes, babados de fi-
l bordado, ditos de bico e jaconas bordadas para ves-
tidos, e superiores fitas pretas de crese de velludo de
eda, luvas de pellica e fil para homem e senbora, pas-
samanarias eordes de seda, trancas, filas de linho,
espartilbos, chapeos de palbe, e muilos objectos de
miudezis francozas, ludo chegido pelo ultimo nivio
do Havre. Madama Millocbau contina a fazer ves
lidoiechapotde leoborase meninas, daultima moda,
e preco commodo.
Em Olinda, ra do Balde, loja do
sobrado do Sr. Joaquim Lopes de Al-
meida, ha urna pessoa que se encarrega
de apromptar qualquer comedoria, que se
encomendar ; e mesmo se offerce a dar
comedorias mensalmente, tudo com mui-
to asseio.
__ Na ra de Jlgoas-Verdes, n. 16 se diz quem di
dinbeiro a premio mesmo em pequesii quantiat.
A mesa regedora da irmandade do
Divino Espirilo Santo convida a todos
os rmaos da mesma irmandade para
comparecerem no consistorio no dia 17
do corrente, pelas 8 horas da manha,
para o fim de se eleger a nova mesa.
O arrematante das aferi-
cei deite municipio do Becifo faz de noro sciente
quem convier, queoprazo, marcado para revisSo dos
pesos medidsi e bataneas, finalisa-ie no mez de
junbo prximo futuro ; e por isso, quem tiver de rever,
baja de o far.er antes de se approximar o dito praio ;
pois que nio be possivel deixarem-se todos para o fim ;
porque haveri demora em seren despachados com a
brevidade que be de costume ni casa das aferices ,
na ra das Larangeiras o. 29, das S horas da roanbaa
as 6 da tarde.
Compras.
Tnocelini de qualquer modelo, aoneis, fitas, dores,
aderecos, pulceiras, brincos, &c.; tudo o mais bem
feito possivel e por preco mdico.
Aterro-da-Boa-Vista, n. 5.
Pommaleau cutileiroe amolador de lodos 01 fer-
ros que pertencem a cutilaria, previne aos seus fre-
gueses, que, alm dos ferros de sua arte tambern fa-
brica-se na sua officina qualquer obra de ac com to-
da a perfeico, como sejao esporss e freios de todos os
feitios todos os instrumentos de cirurgia e de dentis-
ta concerlos de espingardas fazendo pegas novas
sendo precisas. Quarta-feira eiabbado de cada sema-
na, sio os das destinsdos para amolar toda a qualida-
de de ferros cortantes.
No mesmo eslabelecimeoto tambern se alugio espin-
gardas de caca pagando o aluguel do cada dia.
Tambern ba para vender uns puesros de urna massa
composta do ingredientes infalliveis contrs a ferrugem.
Aluga-se um segundo andar com cominodos Bul-
lientes para urna familia : na ra da Cadeia-Velba ,
n. n.
Offercce-se, para ama de casa umS parda sem
familia, que sabe coziohar, lavar, engommar e faier
o mais servico interno de urna casa : na ra Direita
oja de sapateiro, n. SO.
Jos Antonio do Magalbies Bastos embarca para
o Kio-Grande-do-Sul a sua escrava Micaela de An-
gola.
Manoel Joaquim do Reg Albuquerque embar-
ca para o liio-Grande-doaSul o seu escravo de nome
Jacob.
=Os administradores da casa do finado Joio Maria
Seve fazem sciente ao publico, que sobre a olaris e casa
sita oa ruado Cotovello da l!oa-Vista, penhorada por
execucio de Francisco Vaz Pereira contra Francisca
Maria do (.armo, que tem do ser arrematada em praca
publica, nos dial 16 (hoje)e20do corrente,por l:850,s
rs., pende, no tribunal da relacio, urna appellacio dos
supplicantes, como senhores prejudicados, contra
exequenle, acerca da avaliacao dada a mesma olaria o
casa; assiui cuiu que toda 6 qualquer pessoa, que
arrematar, (cara subjeila a nova avaliacao, at final
sentrnca da mesma relacao: o que so la/, presente, para
que ebegue ao conhecimento de todos, e em lempo al-
gum se cbamem a ignorancia.
Joaquim Lopes de Barros Ca-
bral, pintor senograpliico e retra-
tista, faz sciente ao publico, que tira
retratos a creao por 12S00, ditos
coloridos a aosooo, miniaturas de
3osooo, 40*000i 5o,ooo e Go.sooo,
e a oleo a 3osooo, 40s00 6osooo,
So.sooo, 100/000 5rc, conforme os
tamaitos das tollas: e contina a
leccionar o desenlio e pintura a oleo,
e encarrega-se de fazer os ilesenlios
de quaesquer edificio ou proprieda-
de dcliaixo de todas as regras de ar-
chitectura e de melhor goslo; assim
como os planos e boa distribuicao
% dos ditos: quem do seu prestimo se
" quizer utilisar, procure-o na ra
d'Anollo, n. 20, primeiro andar, das
9 as 2 da manha.
J
+
>
?

*
*
?
*
t
>
?
4
?
XAROPE ANT1-ESCROFLLOSO
00 PAKACBA VEGETAL DO DR. UUI .
Falla di mtnsiruaqUo, irreguiaridadn e raaii motesltai
das tenhorat.
Desdo 88 de fevereiro smente, est este remedio a
venda no Rio-de-Jaoeiro, e jaba numerosas provas de
sua efDcacia e aa pessoas, que o teem tomado teem
obtido melboras. que nem metes de uio continuado dos
robei, etc., tem podido prodozir.
Esle sirope cura de um modo promplo e radical, as
molestias secretas, ou lypbiliticai. teji recentes, ou
antigai, bobas seccas e bumidii afleccdei da pelle ,
e escorbticas rlieumatismo, gola dores as untas,
causadas pelo uso do mercurio etc.; be muito agr
davel 'ao paladar e muilo promptoem sua operacao. 1 a-
ra as molesliii mais antigs, 3 a i garrafas, ao mais,
sio precisas, e para ai recenle dual lio bstanles.
Vende-se smente no Rio-de-Jsneiro, por Goutbire
Romn & Palmer, pbarmacia ra dos Uurives, n.
81, prego 4000 rs. a garrafa ou 40,000 rs. a duiia.
= Oflerece-se urna ama branca para ama de casa
de homem solleiro levando em sua companhia urna
escrava : quem de seu prestimo se quiter utilisar, diri-
ja-se a ra da Guia n. 17, primeiro andar.
= Aluga-se urna pequea casa na Soledado por
4000 rs. mensaes ; na ra Nova, loja n. 58.
=Alugio-se 2 casinbss na travessa do Mooleiro .
no bairro de S. Jos ; assim como os terceiro e quarto
andareado sobrado da ra do Amorim, o. 15 : a tratar
no primeiro andar do mesmo sobrado.
- Compro-te, para fra da provincia etcravoi de
imDos o tesos de 13a20annoi; tendo de bonitu
figuras, pagio-se bem : na ra da Cadeia de S. Anto-
nio, tobrado de um andar de varanda de pi n. 20.
Coitiprio-te 'i casaes de veados capoeirol; 3 di-
tos de macocas, 3 ditos dejacs; 3 ditos de jacontuin-
gas; 6 ditos de jabutis ; urna capivara por tolo o
preco : no Alterro-dos-Afogados, n. 31.
= Compra-se, para balcio, um brarc le bilmci do
autor llomio & C. que tenba de 3 palmos e meio a 4,
em bom estado : no pateo do Caruio, venda de Narciso
Jos da Costa.
a Coinpra-seum quarlo para cangalba que nio
seja velo e manso ; na ra de S Francisco, palacete
.ovo.
i Compra-so um cava'lo ;e ""> e ensina-
do para corro ou Iroca-se por outm, que he de boni-
ta figura ede andares ; no Allerro-da-boj-Visla ,
n. 36.
-Compra-se um escrava moja que saiba coser,
bordar e engoinmar com perfeir;io paga-se bem ,
(endo estas qualidades; na ra do Queimado, n. 4.
Compra-se um calis e um missal que estejio
em bom uso e por preco commodo ; na ra Nova ,
n. 57.
Compra-so um sellim com seut arreios, em bom
uto ; na ra Nova o. 57.
Compra-te a troco de lelha lijlo de ladrilbo,
ou de outro qualquer, de barro fino, urna canoa nova ,
ou em bom estado ainda que seja dat de cooduzir
agoa com tanto que pegue mil a mil e quinbenlos li-
jlos grossos; tambern se compra uina canoa pequea ,
aberla, ou fechada amo mesmo estado: na primeira
olaria do Cotovello dopoisdo beccodas Barreiras.
Vendas.
S Vcnde-sc CERA EM VE- {
tf> LAS do Rio de Janeiro, sorti- Jj
Ht> ment completo de bogias de $
*S urna libra al 16 em libra, ca- Jjj)
* xas sortidas vontade do com- J
H piador, e pelo mdico preco de tV
1 s mu ris cada libra : noarni3zem
Alves \ iiiiii ra da
JCIII w.
San- jg
, zalla-Velha, n. 110. t>
si Vende-se, na bem acredilaJa olaria do becco das
Barreiras muilo boa telba e bom lijlo outros mais ruateriaes por preco commodo.
= Vende-se urna flauta de bano boa, com 4 cha-
ves de prata e bomba ; na ra da Gloria sobrado n. 7,
ou annuncie.
- Vene-se farinha de mandioca propria para
animaet : na travessa das Cruzcs venda da esquins,
que vira para a polica.
iVo.-.do se um: escrave do geniin de Angola, de
IHannos com principios de coslureira rendeira e
engommadeira sem vicios nem achaques, na ruado
Campello n 2, segundo andar.
Vende-se um boa prela quilaodeira lavadeira ,
ecoziobeira do diario de urna casa, com urna cria de 2
aonos, ou sem ella ; na ra larga do Rozario no pri-
meiro andar do sobrado da esquina, que volts para a
ra 1I0 Cabug, se diri quem vende.
= Vende-ie um prelo de Angoli, bom cinoeiro ,
e padeiro de 35 annot pouco mtis ou menos; oa
ra larga do Rozario i). 18.
__Vendein-se travas de 40 palmos de comprimeolo ,
iniii..s janellas e grades, tanto de louro como de ama-
relio ; na ra da Praia airas da Ribeir*, ns. 9e 11.
_ Vendcm-se 2 pretas de bonitas figuras, de 24 a
a 28 anuos muito sadias, e proprias para lodo o ser-
vico : na ra da O lea do Recife, loja de Joio da
Cunha Magalhies.
= Vende-se urna cadeira de arruar oova ; um
piano de muito boas vo/es, e de forte construegio ;
macas para arrumar carga ; oncerados para cobrir g-
neros: na ra do Amorim n. la, primoiro andar.
Vende-se irrite de carripilo a G palien ro-
lalbo ede meio quartilho para cima a cinco palien
e meia ; na rui ireila loja n. 18.
=Vende-se urna rabeca muito boa otada, por \0)
rs.: na prar;a da Independencia, n. 3.
VenJc-teuma mesa de amarello com pouco
uso para jantar, por prego commodo : na ra dis
Cruzes n. 12.
Vendem-se mein iiccat de superior fsrinha da
Moribeca ; na ra do Collegio n. 4.
Vende-te, ou troca-se por lijlos de alienara
grossa, urna canoa nova.de amarello, que carrega 800 a
900 lijlo ; na ra larga to Rozario loja n. 22.
Vende-se a verdadeira esseocia de aniz bidiinm,
em libras, ou em oncas; na ra de S. Rita, restilacio,
o.85.
__ Vendo se arroz de casca brinco e vermelbo ,
por preco barato ; na ra da Praia. n. 40.
Vende-se um cavallo de ambas as sellas, e em
boss carnes; na ra estreita do Roztrio venda, n. i.
Vende-te um tratado completo de cosmogrephia e
geographii pbjiici e commercial por Citado Giraides ;
2 veos brancos, grandes e bordados, de filo de linho .
por preco commodo : na ra do Crespo n. 11.
- Vendem-se pe de roseiras amarelln ditas de
duque de Orlesnt, d.tot de parola d.toi de espirra-
deira branca ; na Soledade indo pela Trampa, qua-
1110 peda igrej n 7.
= Vende-te, por precitio, ums eterava de bonita
figura engomma liso e coxinba; na ra de Agoai -Ver-
det, loja do tobradD n. 86.
- Vende-se farinha de mandioca em saccat, viu-
das do Bio-de-Janeiro por preco rasoavel : no ar-
mazem de Antonio Teixeira Bacelar no caes da Al-
fandeg* defronle da eicidinht.
= Vendem-ie 30 iccei da companhia de Bebiribe,
pela tui entrada ; na ra larga do Rozario, loja n. 22.
.-^ Vende-te urna canoa aberla, nio muilo grande,
nova, que carrega 500 lijlos de alveoaria por prego
commodo ; na ra larga do Rozario, loja n. 2.
r*.



T"


^r
mm
A
Vendem-te 14 escravot, entre ellet viriot mole-
queso negrinhai, muilo lindas, o ptimas para muca-
mas sendo: 2 moleques cozinheiros, uui dilo, de 30
annos, bom canoeiro ; uma parda coin urna lilba de
7ennoi: na ra Direila n. 3, defronte do becco de
S. Pedro.
=rVendem-se 5 escravos sendo : 1 de 16 annos ,
de nnrii i, com habilidades ; 1 dita de 24. annos ,
ptima quitandeira ; um bonito escravo de naci do
servio de campo ; um mulatinbo, do 17 annos, pti-
mo para pagem ; um dito, de 22 annos burn carni-
ceiro e canoeiro na ra das Cruzei n. 22, segundo
indar.
Veodo-ae um lindo e bom eicravo crioulo de
19 ancos proprio para qualquer trrico que se
queira appli:ar por ser de ptima conducta : na ra
estreils do Rosario, n. 31, primeiro andar.
Vende-se um pardo de 15 annos ptimo para
pogem; tambem se troca por una preta, ou mole-
quo : na ra Nova, n. 16.
= Vende-se uma secretaria com pedra aiarmore ;
na ra da Matriz da Boa-Vista n. 33 segundo an-
dar.
Vende-se um quarto para carga ou sella na
ra das Larangcires n. 18.
= Vende-se una fivela de ourodo lei para cinto,
33S0n, aoitava, som feilio; um rico elinete de
diamantes, por 30 rs : no largo do Carmo venda
n. 1.
Vendem-sc liirioboi com a novena de 5. Joio ;
na praca da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
as vnde-ie uma armario de venda 2caii0es en-
vidacedos e varios temos de medidas; na ra Im-
perial, n. US.
= Vcndem-se 15 escravos aendo : mulata mo-
fe<|ues o negrotas com habilidades que se diroao
comprador: airas da matriz do S. Antonio n. 16 .
primeiro andar.
= Vende-se um ardamento novo de official de
guarda nacional da Boa-Vista por preco commodo ;
atis da matriz de S. Antonio, n. 10, priweiro andar.
es Vendem-se chapeos finos de massa a 2400 c
3000 rs. ; ditos com abas estreitas, tambem de massa,
,a 960 rs. ; cassa lisa a 2700 rs. a peca e 280 rs. a
vara ; bretanha lina de lindo a 480 rs. a vara ; fustSo
pintado, a 520 rs. o covado : na ruado Qucimado,
lojan. 8, do Caetano Jos da Silva.
liua de S. 'rancitco amigamente Mundo-
Novo n. 60.
Continuadlo da lista dos livros que vendem-so ,
ou Iroco-se por outros seja qual ur o seu estado ,
com tanto que Ibes nao Ulc-m folhas : Theologia do
hispo Monte; Arillimetica do Itesout ; Telemaco de
diflereiitesediroes; diccionarios france/ea pottalis e
de Fonteca ; ditos IVIagnum l.eiicon. latinoa de de-
ferentes edicors ; dito de composicao latina ; Selecta ;
Virgilio, Fbulas; Cornelio ; Tito Livio ; Ovidio;
Sllottio ; Tberencio ; Cartas do Cicero ; Horacio; ar-
tes latinas ; historia universal por Barbosa ; SiDlaie de
D.mtas ; Pope ; historia da Grecia e Telemaco en n-
gfol ; Gengrapbia moderna por Lavapeur ; Director
Espiritual; Dos he todo puro amor ; noticiada his-
toria dos pontfices romanos ; Ministerio parochial ;
cdigo iln NanoleSo ; compendio da doutrina Cbristila;
Manual da missa ; Principios do desenlio linear ; lio-
manres do Voltaire ; Eipotitor portuguez ; manual de
Sanie j Elementos da historia ecclesiasliea ; Quinti-
liaooi latinea por Soares lartiosa ; ditos dos queso en-
tinan as aulas ; compendio de potica ; Escola nova;
Vida chnsta ; Horacio lalim de um lado e porlu-
gue/dooutro; Saluslio tr.iduzido ao p da letlm ,
lano ern brochura como encadernado ; Fbulas, latir
deum lado eportucuei do oulro ; diccionario da f-
bula; arte latina du Jos Vicente de Moura; Biblia
sagrada ern portuguez ; dita em lalim ; sermSes de
Irei llonloda Trindadu em6v. ; Theatro ecclesiasli
ca ; Tratado da religilu traduiido pelo doutor Gas-
par, em brochura e encadernado ; Gil Braz com es-
tampas ; alguns volurr.es do Panorama.
=Veudem-se chapeos de castor branco lalvet os
mais superiores que ha nesta praca, pelo mdico pre-
0 de (000 rs. cadaum; assiin como lencos de cam-
braia de linho o mais rico possivel u multo propri >i
para noivas : na ra do Crespo loja nova n. 12, de
Jos Joaquim da Silva Man.
- Vendem-se 8 scravos pec,ia bons para o tra-
halho de campo e da praca ; dous ditos bous carreiros;
2 moleques pegas, de 18 annos; um proto.de 40 an-
nos por 250f rs. ptimo para um sitio sabo tra-
tar de vaccas e tirar leile 2 escravas moca : Da ra
do Crespo n. 10, primeiro andar.
RAPE'NOVO LISBOA.
Este encllente rap que se tem acreditado por si
mesmo por ter um aima igual ao verdadeiro de Lis-
boa esta a venda om pon oes, na ra da Cadeia-Ve-
Iha armazem n. 12 ; ea retslho na mesma ra, lujas
dosSrs. Vai & Itorges, Abreu Jos Carlos, Joao da
Cunha Magalhaes; ra do Crespo Antonio Domin-
gos Ferreira ; ra dos Quarteis Victorino de Castro
Moura N ictorino & Guimaraes; Boa-\ isla Tbo-
max Pereira de Mallos Estima e Manoel Francisco
Bodrigues.
Vendem-ie 300 a 400 botijas vasias foitas no
paiz a 50 rs. cada uma ; na ra des Crures n. 40.
Vendem-se 20 accoos dacompanhia de Bebiribc
pelas entradas ; quem aa pretender annuncie.
Deposito de farinha.
No caes do Collegio armaiem de porla larga ba
farinba de mandioca de S. Malheus, e S. Calhari-
oa proiimamente ebegada a este porto ; e se vende
pela medida velba, por preco mais lavoravel do que em
outra qualquer parte e sendo ern grandes porcdei ,
mais lavorarel aera, por havereni duas embarcacoeii
venda : quern pretender dirija-te ao mesmo arma-
uto que sari betn servido.
= Vende se uma preta, de 22 annos, sadia e de
bonita figura ; sabe perfeitameote coiinbar e engom-
roar: no Hospicio o. 42.
= Vendem-se ricos cortes de vestido para senhora
de liienda induona imitando seda o mais superior
que tem appirecido tanto pelos bonitos gostos cOres
lisas e de mulla duracao como pelo diminuto preco
de 3000 rs. cada corle ; ditos de (arenda victoria de
mu lindos gostos ede superior qualidade pelo ba-
rato piecode 4000 rs. cada corte; ricos obales de seda,
tanto grandes como mais pequeos por muito com-
alo preso; ricas maulas de seda, para senhora, as
mais modernas, quesousao na Europa, pelo barato
preco de 10 a 12,000 rs. cada uma ; novos corlea de
cassa-chitas para vestidos de senhora de cores (xas.
e do ricos padrdes, pelo diminuto preco de 3, 4 o 5000
rs. cada corte de vestido ; cambraiss muito finas, com
listras do diversas cores para vestidos de senbora, pe-
lo barato preco de 4500 rs. cada vestido ; casimirsa pa-
ra calcas pelo barato preco de 5100 rs. Cada covado ;
ditas elsticas e de duas larguras asmis superiores,
que teem vindo a este mercado por preco muito com-
modo ; alpaca preta, a 800 rs. cada covado; dita muito
lina, a 1600 rs. o covado; ricos cortes de colletes, tanto
de velludo comodesetim e gorgurio de muito lio
dos gostos por preco muito em conla ; assim como bo-
nitos (ustSes para colletes, a 800 ra. cada covado ;
meias de seda, de peso, Vara senbora; ditas preUs para
liomem a 2000 rs. cada par : ditas de cores a 1C00
rs. o par; ditas pretas de algodio, imitando a seda,
a 320 rs. cada par; laienda escura para roupa de pre-
tos muito fotle e barata ; brinsde linbo, brancos e
de cores para calcas ; assim como um grande sortimen-
(o de cambraias e franjas para cortinados de camas e
jancllas; e outras muitas fazendas por proco commodo;
bem Kinni un rico mantelete para senhora ebegado
ltimamente de Franca por preco commodo : na ra
do Crespo, n. 12, loja nova de Jos Joaquim da Sil-
va Maia.
Vende-se um bonito escravo de elegante figura ,
de 21 annos perfoilo carreiro bom trabalhador de
machado o foucfl ; 2 prelas mocas de 10 a 18 annos ,
uma engomma, corintia e cose, o a outra be do todo o
serservico quitandeira o lavadoira ; um bonito mo-
leque do 10 annos, serve muito bom a uma casa e
lio bom para pagem ; um dito, official do marconeiro
urna negrinha e uma mulalinha ambas de 12 annos ,
proprias parase educarem : na ra larga do Rozaro
n. 24, primeiro andar.
= Vendem-se 7 escravos sendo : 3 pardas de
17 a 23 annos, com habilidades ; 3 pretas 2 perfei-
las co/.inheiras e 1 costureira i r |na para mucama
1 preti bem robusto sem vicios uem achaques: no
pateo da Matriz do S. Antonio n. 4, 6egundo andar.
as Vendem-se folhinhas bomeopsticaa; na praca da
Independencia livraria ns. 6 e 8.
Vendem-se superiores cassa-ebitas de listrcs de
Milito moderruJgosto o de cores fizas, pelo moito ha-
reto preco d-; 2M)0 rs. o corle de 6 varas ; ditos do ris-
cadua muito modernos e finos, com 11 covados, pelo
mdico preco de 2400 rs.; cortos de cambraias ebertas
com listras do cores rainba Victoria, a 7000 rs. ;
len{"8 do cassa-chitas para grvala a 320 rs. ; o ou-
tras muitas fazendas por barato preco : na ra do Cres-
po n. 8, loja de Campos & Maia.
a VenJom-sc, por preco commodo 12 escravos ,
ebegados ltimamente do Arataty, 3 prelas, de22 an-
nos ; 2 pardas, sendo urna de 22 annos, ea outra de
40 annos; 1 mulatmho, de tO annos ; 1 preta, de20
annos ; 2 cabras de 16 annos ; 3 mulalinhas de 10
annns ; alguns teem habilidades e sao bons Iraba-
hadores de campo : na ra da Cruz annaieiii n. 81.
a tratar com Jos Fernundes da Silva.
Vende-se um cavullo de bonita figura carrega-
dor por preco muito commodo ; no Atcrro-da-loa-
Viati n. 3<
= Vende-se arroz branco de superior qualdado ;
na ra do /tange/, n. 10.
= as lujas ilo bom harileiro ilo Guerra Silva & C ,
na ra Nova ns. 6ell, tendem-se cestinhos envor-
rii/.nios do ludos os tainanhiis o fetios tanto para
fiuclas como para costura de senbora tendo entro el-
ics alguns em forma de carrinho para brinquedo de
mininos ludo chegado rcce.itemenle.
Vende-so um prelo de nacao bom serrador e
liahalhadoi de cmada representa ler 30 annnos de
dado ; nn ra da Aurora, n. 30.
;-=\ende-se vinagre tinto a 45,000 rs.a pipa di-
to branco a 35,000 rs. dita : na rus Imperial n. 7.
= Vende-so um ptimo carrinho do duas rodas, por
preco commodo ; na ra do AragSo. ccebeira, n. 17.
Vende-so, por milade do seu valor a dinh.i-
ro, ou a prazo, e mismo se troca por predios nesta pra-
C a bem conhecida lazenda AlagOa-das-Anlas ,
muito porto da villa de S Antao com casa do viveuda,
oozioba fura etlnbaria para 6 ravallos, curraes para
gado armazens para depsitos, engcubo de desca-
roc,ar algodo casa de farinha senzalla para pretoa,
dous acudes do boa agoa 3 quartos de legoa pouco
mais ou monos de trra muito piopria para se plantar ,
por ser muito boa ; laubcm be superior para criar c
tem minios foreiros, que pagao ; lamhem se vende
com alguns ocravos, ou letn elles: a tratar na ra das
Larangeiras, casa-daaafeiiccs, n. 29 a tallar enm o
arrematante das mesmasafcricOes.
Vende-se um sobrado novo do um andar e gran-
de solio ern chaos proprio o em boa ra, por pro-
co commodo ; na ra estrella do Rozario botica .
n. 10.
Vende se a dinbeiro ou a prazo, ou troca-se
por escravos um sitio no lugar da Piranga freguezia
dosAfogados com 3 moradas de casas cozioha lora,
senzalla estribara com um viveiro, differenles ps
de fructeiras: na ra das Larangeiras n. 29 casa das
afericoes a tratar com o arrematante.
Vende-se na ra da Cruz,
. 6o, e no armazem de Fernando
os Jiraguez, cera em velas, vin-
< da ltimamente do Rio de Janei-
3 ro, de urna das melhores labricas,
e he ptimo sortimento por ser de
3 at 16 em libra, e por preco
mais barato do que em outra qual-
uer parte.
ferro coado e batido de todos os tamanhos : na pra-
ca do Corpo Santo n. 11, em casa de Me. Calmont &
Companbia ou na ra de Apollo armazem, n. 6.
Livrinhos das Santas Hissoes.
Vende-se, porquitro vintens, o livri-
nho das Santas Mjssdes,* com o regula-
mento para ser santo 1'eito pelo reve-
rendo padre prefeito da Penha : na praca
da Independencia, livraria ns. 6 e o.
- Vende-se vinagre branco
nacional, a 400 rs. a caada ve-
llia: na fabrica da ra Imperial,
n. 7; ra Direita, n. 53, venda
de M. Miranda; no Aterro-da-
Boa-Vista, fabrica de licores de
Frederico Chaves; e na ra do
Trapiche, armazem de molhados
do icolle.
As verdadeiras pilulas vege-
taes do ]>r. Brandreth.
Por .i iitori,sarao dos agentes pelo Bra
sil no Ilio de Janeiro, vendem-se, d'ora
em diante, as ditas pilulas, pelo modera-
do preco de
000 res a caixinha :
na botica franceza do r. J. Soum, na
na da Cruz, n. a i.
=Vendeovse (reos de muilo boa qualidade
armaiem de Francisco Diai Ferreira no caes da 'a?0
fandega.
= Vende-iearroi branco de boa qualidade, D
bco commodo ; na roa do Rozario, esquina con'lrn
prev-
ia a igrej
52.
Escravos Fgidos,
Vende-se oeogenbo Conceicio na povoacao de
Bebiribe; tambem se arrenda e oflerecem-so vanta-
gensao comprador: a tratar na ra de S. Goncelo
n. 2, com Manoel Elias de Moura.
Vende-se um preto crioulo de 23 annos de
bonita figura muito bom carreiro e canoeiro ; do
Alerro-da-Boa-Vista loja de babus, n 55.
= Vendem-se moendas de ferro para eogenhos de
assucar, para vapor agoa e beatas, do diversos tama-
nhos por preco commodo; e igualmente taiua de
''_Nesla loja do bom e barato ba um bello sorli-'
jutmenlo de riscados e chitas frauceras do roeJhor<
tr gusto possivel ; corles de chitas muilo finase dea
^bonitos padrCes a 2800 rs. ; pegos de nuda-fft
.'.ypoliio para forro desapalos, a 2700 ra. ; casimi-n
Mras muito encorpadas a 1100 rs. ; muas prelas^
3.para meninos a ICO rs.; chapeos de sol, de se-jb
jila a 6000 rs. ; luvas do seda preta e de cores ,]?
impera senhora, a 320 rs. ; farenda para habito de J^
<1 teiceiro de S. 1'inncisco ; e oulaas muitas /a-U
HzoodM de boa qualidade, por preco muito O0m-B
<>mndo. f.
mSSb
Esta muita superior marca de vinlio champagne ,
muito ronbecida na Europa o nos' Estados-Unidos da
America, acaba de chegar a esto mercado e vende-se
na ra da Cruz n 20 casa de Atrial Irmaos.
= Na botica da ra do Baritel, vendem-se os re-
medios seguintes dos quaesa experiencia tem confir-
mado os melhores effeilos : denliico que (em a pro-
priodade do limpar os denles cariados, e restituir-Ibes
a cor esmaltada em muito poucos das ; o uso do di-
lo remedio fortifica as gengivaa o tira o mi cboiro da
bocea proveniente nao i da carie, como do trtaro,
que se une ao pescla desles orgios ; o remedio be
designado pelos nmeros I. o 2." : orcbala purgativa,
mui til as chancas e aa pessoes de toda e qualquer ida-
de ; he composta de substancias vegelaes nio cootm
mercurio nem droga alguma que possa prejudicar :
remedio para curar calos em poucos dias; dito para
curar dor"s veneras antigs e que teem resistido ao
tratair.ento geralmente applicado ; dito para provocar
a n,enslrus(,'io e accelerar a accio do tero nos partos
naluraes, em quo nio se precita das manobras fcen-
tilicas da arte ; dilo para resolver tumores lymphalicns,
vulgo glndulas ; dilo para curar boba* e cravoi sec-
eos, o mais elTicaz que se conhece al aqui; dilo oji-
mel de (erro muilo til as cblorozes vulgarmente
chamadas frialdades ; pus anti-biliosos de Manoel Lo-
pes; capsolasde gelatina conlendo balsamo de cu-
pabiba ; ditas de oleo do rocinos purificado; ditas de
cubebas em pi'i fino ; ditas de assaletida ; ditas com pos
purgantes; ditas de ruibarbo da Cbina ; ditas de sul-
plialo de quininode 1 e 2 i;ros cada capsula; alga-
leas, velinhas elsticas ; pilulaade sal de cabacinbo ;
agoa das Caldas, chegada proiimamente; remedios que
curs a frialdade dentro de 40 diaa, mesmo estando in-
citado ; macella nova, a 240 rs. a libra ; pilulas es-
pecificas para curar as gonorrbeas chronicas, quando
a lesio nao patsa da ureta ; igualmente um xarope
anti-beroorragico applicado nos casos, em que te
deila sangue pela bocea : o preco de lodos estes reme-
dios be mui raioavl e os bous resultadotjKa sua ap-
plicacao beque devem fazersua apologa.
Cbampagne da marca C &c C, vin-
do no ultimo navio de franca vende-se
em porcoes ea retalho, em casa de Me.
Calmont &c C*
Fio escriplorio de Lcnoir Pu-
get & C.a, na ra da Cruz, ven-
de-se farinha SSSF de marca
verdadeira, chamada llamo,
em pequeas e grandes por-
coes, a vontade dos comprado
res.
O abaho assignado declara, que
no dia i3 do corrente, pelas 6 horas da
tarde, desappareceo o escravo Joaqun
pertencente ao Sr. Joaquim Goncalves
CascSo, levando camisa de algodio bran-
co, e lea de algodao azul: levou nn,
surrao de couro de carneiro com rouna
diiTerente : he alto, falla muito descan-
sado olhos grandes e avermelhados
tem em uma das pernas cicatriz de ama
grande ferida he meio zambo das per-
nas muito ladino, cor retinta, olicial
de pedreiro ; levou uma porco depalha
de azer chapeos: Ib i comprado a um
.moco dos Touros ; por isso o abaiso as-
signado roga a todas as autoridades poli
ciaes e capitales de campo, que o pren-
deren), o fac3o conduzir ra da Crut
do Hecife, n. 6o, ou ra da Cadca, n,
4o, aonde serao recompensados de seus
trabalhos e despezas.
Manoel Goncalves Cscelo.
=^ Confinlo a estar fgidos, detde o dia 21 de
abril de bordo do brigue Mentor os escrivos mi-
rinheiros de nomes: Jos* de nacao Gabo repre-
senta 30 annos,- estatura baia e barbado ; Manoel,
de nacao Congo representa 20 annos, bailo, etem
barba : aquello ib escravo do casal do coronel Beato
Jos da Costa e foi seductor do segundo e por isio
deve saber de todos os lugares da provincia : rogase,
por isso, a todas as autoridades policiaei, e espilles de
campo a sua apprebensSo cortos de que quem o le-
var a bordo do dilo brigue ou a Amonte Irruios, ni
ra da Cadeia n. 45, ser gratificado generosamente,
I'ugio, no dia 5 do correle niaio, o preto Jlo,
de Angola de idadede 40 a SO annos, estatura re-
gular reforcado do corpo ps alguma cousa grosior;
cabellos e barba alguma coosa brancos, bem ladino,
levou camisa e calcas de algodiozinho, chapeo de baelt,
preta.de pastor; levou mais ornas calcas brancas de Lrim
de listras : este preto foi do Reverendo padre Flippe,
boje reilor do seminario de Olinda, e ha pouco veiodo
Rio-Grande-do-Norle preso por andar fgido ; leudo
estado 6 mezea na cadeia da cidade do Natal ; elle coi-
tuma pescar em jangadas no alto e por islo pode se
introducir a traballiar como forro em alguma jangada,
ou barcaca : roga-ae a peisba que o pegar ou dil-
le liver noticias de dirigir-se a ra Nova venda n. 3,
ou a ra Imperial fabrica de rap n. 1bi que so
gratificar.
= Fugio. no dia lOdo corrente, um moleque de
nome Daniel de idadede -20 annos, pouco mais ou
menos boa estatura ; tem marca de uma ferida di
parle esquerda da testa outra em cima do olho direi-
to ; levou camisa e calcas de ritcado atol, collete de
panno prelo : quem o pegar, leve em Fra-de-Porl ,
n. 95, que ser recompensado.
= Fugio, no dia 4 do crtente um pardo, de Do-
me IIymuodo de 2(J annos, bstanle claro cabellos
pretos e linos, rosto redondo poucs barba denles
limados alio e ebeio do corpo ; levou camisa de ns.
cadinho routo claro e calcas de dito azul americino:
roga-so a todas ai autoridades policiaca e pitaes de
campo a sua apprebenslo e que o conduzao a ra di
Cadeia do Hecife, loja de Luiz Aolonio Siqueira que
recompensar generosamente.
=Fugio, no dia 3 do correle maio do engeoho
Bomfim Ja freguezia de N. S. da Escada um prelo
da Cosa, de nome Ignacio de estatura ordinaria di
25 a 30 annos; quando anda carrega sobre a pcrnirt-
querda que mal ao divulga ; foi escravo do Se Co nel Merlina ejulga-se andar na cidide do Becife:
quem o pegar, leve ao dilo engenho ou ao largo do
Carmo venda n. 1, quesera bem recompensado.
Fugio, no dia 7 para 8 do correte, um chi-
vo de nome Joao de 30 aonos, pouco mais ou menoi,
edr preta rotto redondo tem barba o beijo infe-
rior cabido tem denlet, altura e corpo regulares,
p't ochados e apalbetadoi, o tercairo dedo da mo di-
reita aiejjado ; tem o corpo lodo cicalritado de bOlii,
que leve; tem uma cicatriz, imitando um talbo, no coa-
cavo do p direto pelo lado de lora andar vagaro-
so e meio cabido para frento ; levou camisa de algo-
daoziobo e calcas de ganga azul ; foi visto nos Arrom-
badot, tabbado 9 do corrente, e teila-a'"' D0
Maoguinho ganlmido ; foi escravo do Sr. Joto Ca-
valcanti Monteiro Wanderley e vendido ao Sr. Jota
da Fooseca e Silva: quem o pegar, leve ao Atterro-dos-
Afogadbs, a Silvestre Joaquim do Nascimento ou en
S. Amaro a D. liosa Mana da Conceicio que K"
generosamente gratificado. Assim como peda-w
mesmo Sr. Wanderley, que, no caso de apparecer o
diloeteravo por tua faieoda o appreheoda e mal-
de entregar nos lugares cima ditot, que te satisfar
(oda a despeza que baja de fazer na condumio
Ibe (cara elernaqiente agradecido. .
Fugio, no dia 6 do corrente uma preta criouls.
de nome Paula, com otsigqaes tpguiolet : alta c^J1
do corpo, cara redonda vpei,los pequeaoa falli11"10
ciciota como de cantiga; be* natural de Beterraa,
ou de Carutr donde, ba pouco, veio ; levou ""
do de chita parda e panno fino ja velho e om t-
boleiio grande com galot de (olha de Flandae* < D0*
caqtot, euma grande abarla pelo meio da taboa: qu
a pegtr, leve a eslrads de Joio de Barros no sido do
cirurgioo Manoel Barnardino Monteiro que "coa'
pensar.
TTTT
PEBp, ; NA TYl>. D? H. U m FABIA-
i4<\



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8GHTN7DY_G6OZ66 INGEST_TIME 2013-04-26T22:33:54Z PACKAGE AA00011611_08277
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES