Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08252


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ann de 1846.
Sexta fe ira 17
O DIARIO publioa-se todos os das que
nao Ibrem de guarda : o preco da assigua-
ra he de 4/000 rs. por qusrtcl pagos aMn-
arfos 0 anniinidos dos signantes sio ln-<
erdos a rawo de 20 ris por llnha, 40 rs.
om t,po dirftrente, e as repeltcoes pela me-
tade Os que nao forera asslgmntes pagao
80 rs'. por linha, e 160 ein typo differeute.
PHASES DA LA NO ME2 DE ABRIL.
Crescente i3ul hor. e 51 mi. da tard.
I ["chela a II as 3 hor. e35 min. da tard
Mlngoante a 18 as 6 h. e 4 min da tard.
Zuuon Stt a 2 or. e 28 snln. da tard.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Goianna, e Parahyba, Scgd." e Sextas feiras.
Rio Grande do \orte, chega as quartas
feiras ao meio dia, eparte as inesmas ho-
ras as quintas feiras.
Cabo, Serinbaein, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, Macey, no l., 11 e2I de cada mes.
GaranhiiDS e Bonito a 10 e 24.
Boa-Vista e Flores a 13 e 28,
Victoria as quintas feiras.
Oiiuda todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Primelra as 10 h. e ti minutos da manhaa.
Seguuda as 10 h. e 30 minutos da Urde.
de Abril.
Anno XXII N. 85?
MAS-DA SEMANA.
13 Segunda 9 S l.'Oltava. Ss. Hermene-
gildo, Agathonica eQuintiliano, nuil.
14 Terca 2.' Ollav. Ss. Tiburcio e Va-
leriano, min.
15 QnartaS. Hazilra, aud. do J. do clv da
2.' v., e do J. de paz do 2." dist. de t.
10 Quinta Buroo, aud. do/.dos orph.edo
J. M. da 1 v.
17 Sexta S Elias, aud. do J. do civ. da 1. v..
e do J. de paz do 1. dist. de t.
18 Sabbado S. Galdino, aud. do J. do civ.
da 1. v., c do J. de paz do 1. dist. de t.
19 Domingo da Paschoella, S. Scrates
CAMBIOS NO DIA 16 DE ABRIL.
Camb. sobre landres 26 '/, d. p. 1/a 60 d.
Parla S50 ris por franco.
Usboa Ift.i p c. pr por mrx.
Desc. de let. de bou ItriStH I 7. p-"/ "*
Ouro= Oncas hi.pinliolas 3l*,illHI a 31*5111
. MoedadetWlIvel. l6*!IMIa 17-0 m
d.-OflftOnov. HifllHl a 16 500
de 4^000 88I>0 a !l#W0
PraloPnlacioa .... la*.*) a l"!>70
Pesos Columnarcs 1#>)70 a 2i>00
Ditos Mexicanos 1Y20 a 1^040
. Prata Mluda. 1*080 a 1/740
Accoesda C.'do Beberibc de 50^000 ao par.
DIARIO DEPERU AMBUCO
PARTE OFF'CUL
N. 135.
Antonio Pinto Chicharro aa^am, presidente da provin
cia de Pernambuco. Foco taber a toiot os seus habi-
tantes, que a assemblia legislativa provincial decretou
e tu sanecioneia retohteto seguirte:
Artigo 1.* Pica oreada groa fregosla na povoaelo de
Coruinii.
Art. i.' Os limites da nova freguetia principiaren pelo
come da ierra Mescarenbas, onde ae Umita a Iregueila
de lom-Jardlm, seguindo lioba divisoria pela dito
eume ale a naceoca oriental da serrs ; d'ahi continuara
llnha al o C.pibarib'e-Meirim, desmembrando-se das
'egueitas de Naiaretb e I tamb para a nova todas as
goes, que ponderen ao riacho Caruaogl, al ac.-
duenda delle eotn o Capibaribe-Melrim; proseguir da-
lii a mesas linha, pelo alteo do C.pibaribe-Melrtm ci-
ma, al* a confluencia do riacho da Crui, e dt-sta con-
fluencia ate limitar-te c >m a provincia da Parahyba, se-
parando-re da freguetia do (tamb para a nova o terri-
torio kquem da dita llnha ; e seguir palos limites da
provincia da Parabybi alo o referido cume da setra Mas-
caienfcat
Art. 3.* A matriz da nova freguetia ser a capaila de
N. S. do tetarlo de Curuangi.
Art. 4. O parocbo da aova fregosla ter mesroa
congrua a rendimentos, que os demal parochos da pro-
vincia.
Art. 8.' Picio revogtdas todas as lels e dispostcSe
em contrario.
alando, portsnto, a todas as autoridades, a quem o
conheclmento eexecucio da referida resolucao perteocer,
(jco a cumprao e fac.3o cumprir tio Intetramente como
nellaae conten, (i secretario desta provnola a faca im-
primir, publicar e correr. Cidade do Recife ae Pernam-
buco, aos 31 de narco de 1846, vigsimo quinto da inde-
pendencia e do Imperio.
! L S. | Antonio Pinto Chichorro da Gana.
Carta de le, pela qual V. Etc mana eiecular a re-
solucio da assembla legislativa provincial, que houve
por bem isnccloner, creando urna freguetia na povoaelo
de Curuangi, na forma cima declarada.
Para V. Etc. ver.
Jote Ignacio Soaret de Macedo a fe.
Sellada e publicada nauta secretaria da provincia de
Pernambuco, aos 6 de abril de t'irt
Vicente Thomaz Piret de Figueiredo Camafgo.
Registrada a f. Mi do livro I." de registro das leis, que
serve nesta secretarla da provincia de Pernambuco, anS
o de abril de 1810. Francisco Xavier e Silva.
Governo da provincia.
EXr nIXTE DO DIA 8 DO CBRENTE.
Oflicio An juix relator da junta de jnitic, trantmit-
lindo, para seren, definitivamente jiilgadna, n. pmcri-
snt dos toldados do quarlu batalhao do nriilliaria A pe
A->rip Altes Pri-vlc, :::< Laii .Ir F....vs-ri: reira da Silva, Felicito.> Jos de Molln, Antonio Jas de
Mello, Antonio Ju de Moura e Simplicio de Carvalho,
DitoAo Exm. e Kviii. bixpn dioccaanii, declaran.lu-
le tcienle de ter S. Exe. de ir celebrar os actos da ema-
na-nnta na ealhedral, e do nusentar-se da capital, por
alguiis das, terminado' ellea. .
DitoAo jnii municipal do Limociro, signifieando,
que deve continuar a substituir, no enrgo de iuis do di-
reiin rl.uiiii'llii curii.irea, no liae.liari'l Joo Manriein Ca-
valeanti da Roolia Wanderlev, cni qiimilo elleae nao n-
|iroseniar a cumprir publicamente ni deverea a seme-
lliante cargo inherentea.
Dito Ao inspector interino do arsenal de roarinha,
ili rlaraiulu. que a embarcaban, que ae o rnoarregnil de
fretar para P( ruando, devo wr do meaui lulo da que
para aquello prealdiu cundutiu o coronel Francisco Jos
Martina.
ilu A' cmara municipal da Boa-Vala, determi-
nando, que em exeoucio da le provinoial n. 50 de 30
de marco deate anuo, insulte a Villa do Ex.
DaoAo director da arsenal de guerra, scientirlnaii.
dn-o de baver mandado pagar, pela tlieaour.iria da F^-
seiida, a deapea, que por aquello arsenal ae fet onm
bandera imperial, que se furneoeo ao segundo balalhu
.la cuarda nacional do municipio do Reoife.
Dito Ao procurador-fiscal da theaouraria das ren-
das provinciales, ilitendo, que para i'oiii os devedores de
dcimas, oujoa predioa estn penhorados, e na cnbrau-
ca da do edificio, onde os Ingleses praticao na se.tos de
sua religito, deve proceder ooino niaia conveniente For
aoa ntereaaes das mesillas rendas.
CircularA's cmaras munir.ipaes de Olinda, Bonito.
Plores e Bna-Visla, remolteud.i copia du artigo 3. da
le provincial n." 146.
Portara Noiueaiido aiipplentea do juisn miillioipal e
de orphaoe no termo do Ex: em prmeiro lagar, ao
bar.harol Julo Clemente Pesaos do Mello ; em segundo,
ao tencnte-uoroiiel Roque Carlos do Aloooar Peixuto ;
ro terneiro, ao tenente-uqronel Cnrnelio Carina Peitwtu
le Alenoar em quarlu, ao eoronel Jo> Severo Granja ,
m quinto, a Manuel Carlos de Alinear Sald.uilii; o ein
sexto, a Antonio Geraldo de Curvalho. Partieip ni-se
ao presidente da relaeSo, ao inspector da lliesouraria da
faienda, eamara da Roa-Vista, ao respectivo juis de
dirrto eao municipal. .
DitaOrdenando, que a Guillierme Jos da Silveira
Barros ae pasae provimento interino de esonvao dos jisi-
os e tabellin de notas da nova villa du Et.
DitaDis|teiisando a J,iao de Siqaeira Campello do
lugar de instructor du esquadrio de cavallaris da guar-
da nacional do rouuioipio du Reoife. Parlinipou-seai
respectivo nommandaute superior e ao inspector da trio
aoiiraria da faienda.
DitaDcinitiindo do etnprego de secretario do I vedo
desta cidade a Joto Facundo da Silva Gtiiinaraea. Pa-
ra substituir u demando ful Horneado o enhila i Joto
Pedro Pessoa do Mello i e participnu-se a directora du
lyco, e a theaouraria da rendas provinciaea.
Variedade.
Sob-e a mtekanica Sua historia, >tus progrcnoi
sua influencia na prosperidad* dat nacos*.
Nada iiihis natural para aonlieoer a fundo uina coia,
do uue averiguar pr,i*,ciro a sua origen! e as.ons SKBa-
iludes para poder entrar plenamente, e nmn o.onlieei-
mento de cansa, no xame do assumplo, que se quer ex-
planar. Qoo he a nieelianica P He esta a priincira pe -
yunta, que occorre quelle, que trata de examinar esta
materia. A mechanica tilo he uutra cousa mais do que
o conliocinienlo dos meios, pelos quacs se pode aug-
mentar o estoico do una potencia.
Esta seiencis, aeaaaim se Ihe pderlismar, leve n seu
iiaseiinento, onde tantas nutras a titerlo, na Grecia
uaquell i Ierra claasina do talento e da sabedoria Foi un.
ile Architas, sabio pliilosopbo, laucn os primeiros Fun-
dsnientoi. da obra, que pouon a ponen se fui ongrade-
cciido al oliegar a ser un colosao. Arohitas tinha nas-
cido para a silencia, e constantemente recusou os bri-
Iliantes cargos, que se Jilo orlerceeru ; purijiic, apelar
de i]no sabia quanto deve um cidado soeiedadu duque
he ineiiiliro, quera antes ser util aos seus cidadJus ti.
vida privada. Dcdiiou-se cum limito interese s seieu-
eiaa exactaa, e na geoiuelria fet grandiasimos adenla-
menina, servindo-llio oa roiiliecimeiilos, que adquira,
para irdeduiindo cuniequeucins de cousequeiicias, for-
mando urna classifieaeo de objeotos, e aiialysainlo as
suas prnprirdades. Julgon por estas descobertiis, que se
poderia fsier uso dellaa pia determinar o niovi-
uieuio e para augmentar o etforco de mua potencia, e
poa por obra o seu plano. O sei; primeiro eiiaaio, se de-
venios erer historiadores acreditados e respeitavea, fui
urna p cimba artificial, que iiuilava o v6o das naluraes.
Alguna mallieiualioos leer julgado ver iiiato urna exa-
(eraclo, o al teem repudiado por iinpoasivul, que pa-
ra a sua primeira deseaberta liveaso inventado urna omi-
sa tio maravilhoaa ; pnrin este juiso den motivo a va-
rias indagafdes sobre a verdad desta materia, quejus-
ti6erao Arehitas eos seut hiatnriadores.
Em seguida descubri a pol ou roldana, e immedra-
tamente auhuu o parafuso. lio esto urna ntachuu com-
pusln de nm eylindro, au redor du qual ual envollo un
plano inclinado,que forma a pasaagem do p.ir.iloso.e di
outro eylindro i'icn em Forma espiral, no qual enlrito a
roseaa do paraFnso. Esta m elnu i serve para faier su-
bir um peso, o neala aeco excede a quantas ina ihina
te lem inventado depnis para este rffoito. Estas duas
descobortas erlo ja um bmn principio pirn a theuriada
ineoliiuici, eera natural, que so explirassoiu os princi-
pios denlas machinas, o que indiibilavelinento lena con-
dolido a nutras deaonbertas ; porui n.i i se c nilieee.i
prefo du sumelhaiiles invencoea, n as pessnas, que pode-
riiu lelis conliecidn, as despreran, ou fiserio didlas
um objeclo de duvida, ein lugar de Ibes dar impulso pa-
ra o seu desenvolvimento. Em todas as oponas, o entre
I odas as pessnas lia de encontrar o genio obstculos, que
o impossibililem do seguir em aeus adiamntenlos! Ar-
ehitas linha desooberlo estas machinas, valeudo-so pa-
ra laso da geometra, applicamlo-a ao inovimento, e
Plato rensuroii eremeiile esta applieac;i,nom nnja au-
luridade aa resfria rao os uniros malltemalinoa, quo, no-
mo Ardillas, (crian doensaando pratieameiiteas tlieo-
rias, quo poasiiiio. Abandoimu-sn por onlio niee.ha-
uioa, e quando ae necessitava angineular o esF^rcu de
una potencia, ou so appellava para recursos eatravagan-
tes, que eausavio grandus despetas; mi os dettroa srlis-
las nireiitavo machinas improvisadas, onm que ocuor-
iiao, bem ou mal, 1 nunessidades do moinento.
Aratoteloa quit, dopus de Arehilas, redmir a proble-
taas de faoil resolucS'i as questocs da nienlianiea, e al
eompoi um livro de qii-sloem meohanians; pnrin o sa-
bio philosophu adianluii punco tiesta materia, enau da-
se quaai nada du novo, neni digno de um grande ineri-
lo. He turdade, que miiiloi aristotlicos, levados mais
das patarras, que das couaas, quiterao dar uma toiei l
verdadeaoa raciocinios do ten mestro, do tal forma, que
ae livettein ouiiiii pontos inuouimversos ; porcina eslas
ideias louvaveia pelo I mi deseju,coiu que se ettabelee-
rio, oppox-se o desenvolvimento do talento humano e
dat seieneits, e o etfnrr.o daqiiellat almas elevadas, que
nao te doman teiiAo evidencio e cuuviec'io. 0 graudt
Areliiiueilcs quit rodulir a miiclianiea a lea, o o oun,-
gnio, .rdua era n eni|ireia. que tinia rominetlid, r
deria vencer obstculos iiisu|ierateit para ohegarao de*
sejado ponto ; porai, que nflo veneein a oontlnnea o o
laleiiio i Para aso roncluio cmn uma verdade, que he
o principio fundamental da menliauica : o equilibrio,
di-te, devo subsistir entre oa petot ou potencias, quan-
do eslo du punto para as dislaiieat propnroiunaet aos
cus pesos. Detta verdade toi liraudo mu serie du con-
seqiieiieina. ale que cniieguio u ten objeclo.
Naquelle lempo so era conhecido por ni chinlsta o
que la medes ; porai poueo lardou, que alcancasse este Ululo,
e de uma maneira tal, que linmortalitou o seu nome.
Varias f5o as machinas, que seduetu Inventadas por
Archtmedes ; porin actualmente so seconhecem o pa-
rafuao sem fim e a espial inclinada. O prlirrelro he um
genero de parafuso, que peoelra numa roda dentada :
aerve para superar ou vencer grandes resistencias, e pa-
ra deter um muvimento por largo lempo. A secunda he
urna machioa hydraulica. que lem a figura de um ey-
lindro, 6 roda do qual d voltas um tubo em frena espi-
ral. Esta machina he especialmente mu digna de obser-
varle ; porque a mesma pmpenso, que tem o peso
para cahlr, serve para fate-lo subir. Du-se, que a In-
ventoo Archlmedes no Egypto, para lirar com rapidei a
agoa, que ficava estanoada os lugarea baiioa, depots
da Innundaco do Nilo.
Inventou depols a pol movel, e achou, que, multi-
plicando as poles, ae augmentava consideravelmente o
esforpo de uma potencia. Daqui oumptehendeo a forca
das alavancas, e ebegou a acreditar, que, com muitas
alavancas bem combinadas, era cipas de levantar o
mundo. ll-mo um ponto, dira a Hieron, e altrevo-
me a levantar a trra. Que nao se poda esperar de
um hornero desta tempera ? Porm os eouheclmentos de
Archimedes nio pertaociio aquella poca, e quaai pas-
sario desapsrcebidos. Chateaubriand disse mu oppor-
lunamente em seuspensamentos moraes : Osbomens
da tlenlo sao ordinariamente Aillos do seu seeulo, e co-
mo o seu co.upundio ; sio os qua representio as luies,
as opimo 's e o tslento ; porm Ismbem nascem s ve-
tes demasiado cedo ou demasiado larde. Se oascera
multo cedo, a tiles do seu s 'culo natural, passo ignora-
dos, e a sua gloria comees, quando files j nao eilslem;
isto he, quando bulla o seeulo, a que deviio ter perten-
cido. Se. pelo contrario, nascem demasiado tarde, de-
pois do.seu seeulo natural, be nulla a sua Influencia, e
o seu nome nao he duradouro. Olha-se pira ellas um
momento por curiosidado, como se olhara em uma pra-
ca publica para um velho, que passelasse oom o trajos
da sua moeldide. Os homotis de talento, que nascem
demasiado tarde, sao lio desconheci'dos, como o quo
nascem demasiado cedo ; porin n teem, como estes
ltimos, um futuro, uma poiteridado e uns descenden-
tes, que estabeleeo os fundamentos de sua I irla, a
Este peasameoto parece leito de proposito pera Ar-
chimedes : os habitantes de Syracusa, entre os quaes vi-
va o sabio, o ulna vao con c.irfi temor supersticioso ;
porin nio podrao lser justica aoa seus talentos, por-
que os nio conhecio. Archimedes morreo s mios de
um soldado romano, no sitio, que Marcello pos a Syra-
cusa, ao mesmo lempo, que eslava resol vendo um pro-
blema de matnematica. Marcello conhecia e espeitava
o sabio mechanico, e, nio tendo podido evitar a sua
morte, honrou ao menos a sua memoria, mandando-o
enterrar com mutta pompa, e concedendo grandes isen-
coos e privilegios aos seus prenles.
Que aoooteceo mechanira com a morte de Archime-
des ? Por espaco de mais de 200 aonos esteva completa-
mente abandonada, e anda que alguns uiathemalicos
quiterao later progresos, tivero querctirar-se. decla-
rndole vencidos. So um hornero dopovo, sem conhe-
cimentos nem instruccio de neol una espacie, conse-
xuio fster algum progresso pelos melados do su.:ulo X,
antes da vinda de Jess Chnsto : fot esta Ctesiblo, Albo
de utn barbeiro de A'evandria.
Uma casualidadu fol, que Ihe manilestou o gosto, que
linha, para a mrclianiea. Deseando um espelbo, que
baria ni luja do aou pal, obiervou. que O peso, non s-r.
via para o subir e descer, e que para esle eflfeilo eslava
encerrado nutn eylindro, firma va um som, queprodu-
tfa o rouipiinento do ar, nnpelli lo com violencia pelo
peso. Eteminou com cuidado a causa desie som ; e lo-
go que a averiguou, Julgou. que poderla faier um orgio
hydiulico, cujas votes e formassem com o ar a agoa
Pot por obra o seu pensamento ; e, tendo-se sahido bem,
emprrh ndeo outra cousa mais Importante, que fol, va-
ler-se da mechanica para medir o tempo, e o cooseguio,
por ineio de urna machioa hydraulica.
Conatruio com esle obeito uma clepsidra, que, for-
mada cum aitoa e regulada com rodas dentadas, fatia
com que a agua, cahndo, inovosse aquellas rodas, que,
pela sua parte, commuoicavio o movimentu uma co-
lumna, na qual eslavio tratados uns caracteres, que
serv'io para disl n.'iiir os metes e.as horas. Ao mesino
lempo, uue a agoa mova aa rodas, levanlava uma es-
pecie de Irade, que, com urna varnha, indicara os me-
tes e us horas, quo eslavio Iracados na columna.
Hieron. discpulo de Ctslbiu, quit imitar o seu mes-
tre, e o exceden multo, conslruiido oulrss machinas,
tainbem bydraulicas, e redunr.do alavanca as dille-
rentes potencias mechanicaa, combinando-as de diver-
sas rnaoeiras pelos diftVenles usos ou oecessidades da
vida. I aiiibein fet fulites enssius do machinas de rento,
nos quaea achou um us j proveitoso da elasticidad do ar,
apelar de que ignorava, que tivesse tsl propnedade.
Us trabalbos dos sabios nio se limiltrio a servir i
bumantdade, dedicando-se t a ella lodos os sacncius.
>em todos os quo seguirio as pisadas de Ai chitas erio
lio plnlosophos como elle; e o que elle emprehendeo
CLAUDIO STOCQ. (*)
por Airar. Cl). Hrubnui.
Vil.
TESTAMENTO
Ficava a cniinba, para onde entrara a velha criada
eoiu o menino, contigua eala, era que te coma i ia
mar a hora da rea, e oa convivas thegavao uns aps OO-
>rut. O capitn de Champdivers foi dos que entrarlo
priiueiru ; e, quando atittou, atreves da porta, Verni-
ca tentada a nm canto, com Roberto no regajo, espe-
rando paciente, que Ihe iiidicatteiii um qusrlo para pas-
*ar a uoile, fi ter com ella. Era um homeiu muco, bem
parecido, e aawatava-lbe adiniravelsnente o seu unifor-
me rtn.ee, n*o era asna pliysioiiomia a de um rude
militar, r por entre as suas maueiras bruscas e desemba-
rcadas transluiia um natural bom o pacifico; primei-
ra vina cnnliecia-ie, quo esse mancebo niotinlia os cua-
tunin ferotet do toldado. Falluu o seu benvolo turnio
anta da bucea, quando elle ae dirigi a Vcruuica, di-
eiido-lbe:
(*) Vide Dimrio o.' 84.
_ QUe bella enanca tem voat, mulla boa mullier;
por Deut que he om lucuino Jesut!
Meu seiihur, ditse a velha, ao reoonhecer-lbe a
vos, devu-lhe o favor de ser aqu rerebida esta imite:
se V. senhoria qiiiiesse anda ter a bundade de duer,
que me cundutiu para onde devo pastar a imite, far-
(e-liia urna etmula ; j cu o ped, mas as palavraa do
pobre nio sio cesculadas.....
Espero um momento, acudi o estalajadeiro, que
uuvira esta supplica; antes de deixa-la subir la para
cima, he iiecetsario atsenlar no meu regitlio quem Vm.
be, e diilide vein. Os tneus tenhuiet da uleavala n,1o
brincan ueste ponto; querein. que orecenteaiuonlu teja
exacto...... e, com os diabot. teem raalo. Os hiiguem
les andio a cada canto ; e nao he mo saber onde ellea te
aiiinhio. Vamos II, n aeu noroeP
Vernica Uards'l.
E a sua morada ?
Sciilii em Valoit, responden a velha drpois de um
momento de hesilacSo, mas nio som iuleiiclo: espe-
rara, que assni o estalajadeiro Ih'e talla.su du Julo Co-
ruailles.
Coineffeito, exclamou ello iinmeiliatniueiite :
Ha uin burgus dessa Ierra, que vinha aIj;ninas ve-
tes i esle easa ; Vm. lalves o ouiiheca ; chama va-te Juiu
Curoaillet.
Sei, aei, ditae a velha, be hornero de una quareota
anuos, do ar grave e boiiachio.
He isso inesuio; mas a gente nio se deve fiar nes-
tti earaa. Joio Curuaillea be hugurnole.
Aqu oeslalsjsdeiro fet o sigual da rrut.
__ D-se acaso, que nio tuubettem disso esn Senlis ?
replioou elle. '
Vernica meneou a oabaca.
Posbein! en o sabia, disse o estalajadeiro ernper-
liyandn-ie, c aervi de leitrmuiiha no tribunal daoatnara
ardenlc. Olhe, quo lie um catu de Ircmer lia., de ta-
ter-lhe a xactra, t todo o mundo a cantar pelas russ.
Juiu Cnroailles est entio julgadu? pergunluu
Vernica com terrisel nquietajio.
__ Anda se nio sabe a teiiicnca ha de ter amanhia
sem duvida.
__ E sua mullier? port qneelle era catade, Ninguem
a vio mais emScnlt, va para dout inexet, diiem alo,
que Fui presa com o marido.
Eolio monera na prisio ; porque ella nio figu-
rn m> processo....... Ah! ello era catado?
Vernica nada responden ; os solucus, que a auffuna-
vio, l-ls-hiio Habido. Felitmtnie a etlalajadoira olia-
niuu o marido, que te rrlirou, duendo anda:
__ He um damnado huguenote otal Juiu Curoaillet!
Durante ette culloquio o capillo ui de Champdivers
levara o menino para a ssla, e o lisera lomar, a mioi
elieat, biliiihus e Fructas. Em breve setrsvou o ouuhe-
ciinenlo. Roberto, de repeine detpurtado pela pusse
draiat gulodiret, Irepou-te nat pernos du seu novo a-
inigo, e cua com bom appelilc, diiendu eada boc-
eado :
Eu gotto milito de Soldados! ........ 11. ju mis cn-
c./iiti amos uro, que me pos a ea vallo com tigo eu ufe
tuili medo ; ira com elle guerra; mas Vernica uiu
liavia de querer. h co:no ficaria eu ooiileute de tur,
cuiuo elle, um bello arcabuz e uma espada!
O capilio oompraiia-se de admirar a grace e belieta
dette meniiiu ; aceumiiluu-u de tiricias; e, quando ve-
rnica o t'hamou, pensando ello que fuste sem duvida
algum puureiiuhu iieoettitado) cjuia dar-lbe uma nioeda
de prata.
Ubrigado, obrigado, meu tenhor, ditte Roberto
com uma especie do orgulho ; iwinlia inai ralbara ouia-
inigo, te cu turnise itto. He una couta Feia !
Como te chaina tua mii? date o ul1ici.il torrindo-
so deste pundonor infantil.
Chama-se Calherina.
Pois bem! dte de tainlia parte senhora Calhe-
rina, que ella lem, por Dos! o man bello rapante,
que tenhn vala em niiiiba vida!
Veruniea ettava porta da tala; o menino oorrao
ella, eenviou, ao retirar-te, un beijo au oflicial, que te
pot a meta, diiendo :
Seeu tivetae a oertexa de achar uma mullier que
me dono uiu fillio como eise pequeo, ossaa-mo s-
ui.illlia.i.
Vernica paaaou a noilo em un quartinho, que o et-
alajadeiru Ihe dera, com rea de oompaso
Em quanto Roberto duriuis, pentava a velba no da
erguale. Do Fundo da sua prisio Joio Coro.illot Ihe
hav.a enviado .un uientageiru aSenl.ti ella sabia, que
.cu amo a e.pera.a euro sea filia, e a .de., do que pe-
netran, na. ir.te. do Graod-Ch.telrt, que lomara a
v-lo .inda qe ni" ><> ""I0 Pur Um, """ ab-
.urvia luda; tuat o aeu (nMOienio oto uu.ava ir mais
Apiar da sua ardenle Fe o submissio vontado de
Deut, nenlia-te quati pretlee a blaaphamar ao lembrar-
e, uue talves Juo Corua.lles estivesse j oondamuado.
Ai palavraa do estalajadeiro vinhiu-lbe de continuo
idei. e linha boiror do aohar-se sob o teoto daquelle,
que lluvia jurado contra aeu amo.
Quando aiuauheceo o da, aeurdou Roberto, e deacoo
a eotiuhs, levanduro pela mi.
Aqu tem Vtu. pela uotta pomada deau noile, di-
I
t;


para dar ida ti naco>s s excita-las ao (rabalho, pro-
porcionando-Ibes, com um methodo simple e 1(011, 01
meioi de superar os grandes obstculos, i|uo se Ihea op-
punho, oapplieario os seu' i mentos lalveide oppressio e tjiannia. Jaln, hbil
geomlrs de Byzencio, succedeo a Hieron no estudo da
mechenca, e, com os conbecimentosdeixados pelo seu
predecessor, compoz um tratado sobre 01 balistea e
catapultas, que erio urnas machinas de guerra, qua
scrriio para lancar pedras e dardos as cidades cercadaa
Segundo Vitrofio, a catapulta compunha-se de duai
pecas de madeira, que se feila dohrar ou curvar com
cordas puchadas por um torno, punhio-se eolio diante
dos madeiroa roolhos de dardoa. e eflmoxando-os de re-
pente, era tal a forca de replalo, que levavio, que baa
tata para lancar os dardoa dentro de qualquer eidade,
por mais altas que fossem as suas murelhas.
Os Carlhsgine/es inventario tambero outra machina
de guerra chamada Arieii, porque linha a (gura de
orna csbeca de carneiro. Urna grossa viga, ferrada noi
doua Iremos, num dos quaes eslava a cabeca do arie-
te, e suspensa com dus cedrias, ou posta sobre dous
rolos, lormava loda a machina. Punba-se em movi-
mento com as osdeias, ou com os rolos, e o seu impul-
so era lio violento, que multas rezes conseguia fazer,
que iremessem at oa fundamentos dsa muralhas, que
batia, qusndo nao cahiao desmoronadas fachadas m-
teiraa,
ErSo estas as sppliescOes, quese tinbao feitodas des-
coberlas s sabios, e o grande Archimedes nio beai-
tou em pflr em aecio lodos os segredos da sciencia, que
possuia, para deslruii urna frota romaoa, que amea-
cava Svracusa.
A ultimas machinas, que se linhio inventado, nio
estavio de accordo com a philosopbia da bumanidade,
tatu se conheceo melbor quando Be introduzio o ebris-
tianismo, disaipando as trivas, de que o culto gentlico
tinba cobeito os olhos deseua sectarios. Porm, bri-
Ihou um novo dia, a luz evanglica allumiou toda a tr-
ra, e os homens conhecrio o verdadeiro Dos, que os
tinha purificado e remido. Urna religiio, cujo emble-
ma he a pai e a caridaJe, invadi desde o tbrono do
un iit. ha at a cboupana do pobre, occu ando-lhes to-
da a sua alma, porque a religiio be como Dos, ou lu-
do, ou nada.
No pnmeiro scula da era christia parece, que al a
natureza quit descamar, e nio produtio hornees ha-
bis na mecbanica. A mesma soile liverio as outras
sciencias exactas, permenecemlo esquecidas por espaco
de mil eduzentosannoa; e, anda que principiarlo a
lorerer depois deste lempo Torio tio Traeos os seus
principies, que s pareca, que era a primeira ve/, que
se comecavio a cultivar.
Principiou-se por commentsr as queslfes ntechani-
eai de Aristteles, ajuntando aoB seus mos arrasoados
oulros arrasoados peiorvs. Asiim, para explicar, por
oxemplo, a raiio, por que urna pedra se move quando a
atiri, ditiio, para sabir do apuro, que era iuipellida
pelo ar, que a seguia atrs. A gravidade dos corpos, di-
io, que dependa de um certo desejo, que lein, de
unr-se ao centro da Ierra,e que as pedras e outros cor-
pos erio dotados de urna qualidade oceulta, por meio
daqunl podiio mover-so.
So livesae existido um mediano conhecimento das
scienciaa exactas, be claro, que ae tenio despreado,
como merecan, rasoes tio inexactas, o que 180 pouca fOr-
ca tinhio para convencer os nimia j nnrrn linbs se
Aristteles pelo apostlo da philosopbia, e teria sido
urna blasphemia querer oppr-se o; prinn'piosarislul
lieos. Comtudo, nos comeos do secuto XIJl houve al-
guns gemetras, que sacudirio o jugo rulioeiro, que
al enlio tinhio toflrido as sciencias etaclas, enlabola-
ra a polmica para destruir albeias crencas, e para
crear urna nova doutrina, que illustrasse tanto, como a
que seus primitivos predecesores tinhao publicado.
Um delira, chamado Jordio Namprario, examinou
o efleitos do equilibrio Seguirio-o no auno de lOO
Tartalea e Cardona, e depois o marquei Guido Ubaldi,
e lodos elle derio novo impulso e nova vida i mecha-
nica com aa suas descoberlas e concluyes, e a tanto
grao de esplendor ebegou, que, o* malhematicos diri-
girlo a ella todos os seus esludos, como urna aciencia
nova e interessanle. Simio Hevia e Galileo adiantrio
anda mais os conbecimentos da sciencia, e enriquece-
rlo a mei'li. nica com tantaa descoberlas, que absoluta-
mente a li/i rao mudar de aspecto. Com este fim na -
nilestou Galilo o priocipio fundamental da mecbani-
ca, que nenhum malbematico tinlia imaginado at eo-
lio reduzido a que o que se ganha um frca se perde em
tempo, donde concluio, que aa machinas mais simples
si o aa melhores ; primeiro, porque ae perde mais lem-
po naa machinas composlas, coinmunicand se o esfor-
(0 da potencia mais lentamente aoa peaos, ou i resisten-
cia, que se quer vencer ; e segundo, porque esle eifor-
co se diminue pelas fiicioes.
ae ella, dando duus crutadoa ao ealalajadeiru, que per-
arga ai criadaa eabu de rasaoura, para ai por nu tra-
balho.
Ah ah exclamnu elle, Vm. j ae pfieao freico,
niinha amiguinha! e entio, onde vai eeaim?
Que llie importa, responden Voronica Meramente
Vi, rata pago, e eu nada man tenho a diser-llie, urna
vn que eitamoa quilee.
E deo-ldu aa coala, e parti, em qaanto elle ros-
nava:
Vai, tai faier o teu ninbo longe daqui, coruja
ri-lha I O Sr. do Chainpdivera tinha eiuprrgado bein u
sua proleccAo. Ah! deata gente, que chrga eem baga-
gem, e parte da uicania serte, lirre-jneDeue! eemelhan-
le freguesia lie a deshonra de una caaa. Em tim deata
vez eatou livre.
Segnio Vernica pela ra Saint-Martn para alcanfor
o (jraud-Chatelet; tasia-lhe sudar a cabera ruda a va-
rinda luultidAu, que entibia aa ruaa da velha Paria. O
gritos dua vrndedeirae, a oanipaiiiba do Viatioo, a vos
la dua uieridigui, o tropel dua cavallue, frma-
la uui t-oncertu di.iori.trUe ......ium, que ilumina va
a toada doa sinos, que annuuoiavAo a mina dae sote
hurae.
Huberto marchara com a cabeca no ar e todu imbai-
do i a cada matante para va ante urna loja, cujas table-
la e objeelua expoalua tora da purta tomavo a meude
do camiiihe.
Ob I ub I veja, Vernica, diiia elle ooru ingenua ad-
miracAo, aqu he um paaleleiro; tera bolos maiurea do
Galilo era netsa oecaailo professor da universidad*
de Pisa. Ensinava-se ento a doutrina aristotlica, e
na qualidade de professor de urna univeraidade eslava
obrigado a argir e a explicar as doulrioaa, queae ti-
nhio admittido. Um dos principios desta doutrina era,
que as velocidades doa corpos erio proporcionadas ao
seu peso. Nada ha no mundo maia difficil, que o ho-
rnero pensador comprimir o sen peosamento, e reduzir o
seu tai-oto a termos dados; he islo um absurdo lio
grande, como querer materialisar urna cousa loda espiri-
to. Galilo, como Archimedes, oto se convenca so por
autoridades e trsdice5es, que por mais respeitaveis, que
fossem podiio comtudo nio ser certaa : o talento ,
di'ja Galilo, nao se devo domar senao evidencia; e,
apoiado nesle priocipio, julgou, que a obrigacio, que
oa profesares da universidade tinhio, de aeguir a'dou-
trina at eolio admiltida, oio devia estender-se senlo
ascousas verdadeirat, ou que passsssem por tses, e nes
te conceito manifeatou publicamente, que Ihe pareca
um erro muito craiso o principio de Aristteles, sobre
que a velocidade he proporcionada ao peto. Aquellea
homeni encanecidos sob um systema tradiccional e ru-
tineiro, que se julgavio autorisados, por serem velbos,
a desprezar os mancebos, que se lancavio na carreira
das scienctas atrava de mil escolhos, que forrosamente
devia encontrar, estes homens, ebeios de orgulbo, olha-
rio com desdem para Galilo, aoatbematisirio suas
manifestaides, e al se ririo del le na sua presenes. Of-
lendido o amor proprio do mancebo, e quriendo de-
monstrar, que nio he a idade, mas sim o estudo e o
talento, o que di o saber, appellou do sru juizo para a
experiencia, e diante das peuoaa tnaisdistinctaa de Pisa
deixou cabir do alto da meia-laranja da igreja varios cor
pos de peso muilo desigual porm quasi do m>-smo
volume, e lodos virio, que quasi nio havia difirenos
alguma no lempo da aua queda.
Viogrio-se os velbos doutores de Galilo, nio po-
deodo perdoar-lhe, que tivesse manifestado lio clara-
mente a ua ignorancia o servilismo, e ebegou o seu
odio at ao extremo de dar a entender aoa magistrados,
que era digno de castigo o maocebo, que, despre/andu
a auloridadc de seus mestres, Ibes oppunba a demuns-
tratio e a experiencia para oa desacreditar, quando el-
los sainan mais que a demonstrarlo e a experiencia.
Convencido Galilo de quinto se expunba, se ficava em
Pisa, parti para Flurenca, e alli conliouou o curso
daa suas expeneociaa. A maia nolavel be a que fez com
dous pndulos de urna mesma loogilude cairelados de
pesos mui desiguaes. Vio. que estes pendulus faiiao as
suaa vibraedes quasi a um mesmo tempo, e dalla infe-
ri claramente, que a difierenca da queda dos corpos
dependa da resistencia du ar, o em geral dos tueios, por
onde cahiio ; assim que, calando os corpos por um va
cuo, anda que sujio de peso desigual, devem cabir em
lempos iguaes. Amachina pneumtica, inventada de-
pois dasuamorte, acreditou esta verdade, porque se
vio, que a mais leve penna cahe com tanta velocidade
como a prata, o ouro, ou qualquer outro objecto pesado.
Sempre fecundo em seus principios, d-senvolveo Ga-
lilo com lio boas ra/oea e lio provados rac.ocinios a
theoria dos movimentos dos corpos, que descubri, que
dous pndulos desiguaes puatos em movimento fare.tn,
no mesmo lempo, vibracocs, que sio reciprocamente
como aa railes da sua longitud. A primeira applice-
cao, que fui, deata descoberta, foi medir a altura desa-
bonadas das ijjrrjas. Pera este fim comparou o numero
i" iilir.ii Oes das alampadas all penduradas com as que
liii.i ao mesmo tempo um pndulo de urna longiludo
condecida, e deste modo determmou a aua altura. Ten -
do condecido, que o mesmo pndulo fazia as suas vt-
bracoes no mesmo lempo, ettabeleceo o grande princi-
pio dos relojtios de pndula, com os quaes lio exacta
mente se mede o tempo. Porm. para que enumerar
urna por urna as descoberlas que fe/ ? Maleiia he esta,
quenecessita algum espaco mais que a estreiteza de um
artigo de jornal. Galilo loi perseguido p-la Inquisi-
cio, e posto a tormento, porque a ignorancia nio poda
r com traoquillidade o prestigio e a gloria do talen-
to. Suppox-se, que era leiticeiro, e que as suaa dou-
trinas erio contrarias A f, o esta iccusago gratuita
Ibe acarretou perseguires e tormentos, e al a moile;
porque, depois di ter ficado ceg, eoi coosequeocia dos
mos Iratamentus, que tinha aoflrido, a sua vida se lu
extinguindo medida que se persuada de que era um
ente intil no mundo, e do que os seus conhecimen-
tos e a sua doutrina estavio proscriptos pela ignorancia
epelo fanatismo (Lontinuar-sa-Aa.j
Brigus Fortuna taloado e aleatrSo.
HisleSenhor Jeiut-de-Naiaretkmercadorias.
Barca Glttbtntraidoro.
BrigeJuanetevinho e alpiste.
PolacsJosefina (arioba
PatachoMana.Joaquina vinhos.
Brigue 'J'arujo /.dem.
Consulado.
ENDIMKUTO 00 DIA 16.
Geral..........
Provincial.........
Diversas provincias
3:556027
1:525*208
5:159>390
O arsenal da guerra compra 200 vassonras d
limbo ; quem as tiver para vender manda ao meim
arsenal sua proposta encarta fechada al o da i
do corrate.
Movinienlo do Porto.
Navios entrados no dia 16.
Rio-de-Janeiro ; 11 dias brigue auatriaco Skhyii,
de3S2 toneladas,- capilio Nicolao M. Bielovueicb,
equipagem 13. em lastro ; a ordem.
Rio-Grande do-Sul: 27 das, patacho brasileiro fellt-
za-do-Sul, de 154 toneladas, capitio .Manuel Go-
mes, equipagem 14 carga carne ; a Amoritu Ir-
inao & Compendia.
Aavioa lahidot no mismo dia,
Kalmoulb ; barca inglesa Julia, capillo Thomss Vi-
bert, carga a mesma, que Irouse.
New-Bedford ; galera americana Newton, capillo R.
Morum, carga a mesma, que trouxe.
Directora do arseoal de guerra. 15 de abril do lgjp
O escripturario,
Francisco Sera/ico di Assis Caread,
= O 1-* balalhlo de capadores de linha precisa con
tratar o fornecimeoto do caf, pi, asaucar, carne sat
ca, feijio, farinba, toocinbo e arroz: quem taes geD(
ros quier (ornerer, poder apresentsr auas propoitii n*
aecrelaria do hstalhio. (roa daa Agoas-Verdes, casa
-T-'e i 86], DO da 20 do correle, pelas 10 horas d. nnoka,'
_!__ I Ctnd,do ^"o -ww
Aderes agente.
Acamara monicipal desta eidade 'atasssion.
traordinaria amanbia, 18 do correte, e nwaaa ~m.
dia leri lugar a ultima praca para arrematarlo dos ren!
di niutos dos prpprios munioipaes. em virtude da rM>
cislo do contrato de Caetano Tbeodoro Aotuoei Vil
laca.
- A barca nacional Gtntroia recebe a mala 01
Rabia, boje 17, is 4 horaa da tarde.
O brigueeteuna Itabtl recebe a mala pareo Ri0.
Grande-do-Sul, boje 17, is 4horas da tarde.
Ivl.lal.
COMMEriCIO.
Alfandega.
Rekdiiiimto do da 16...............27:994*328
Desear rego ha je 17.
Brigue Araaoalca trio.
ve! eeataabotaa! e ealea chpeos! Ah cumu he bo-
nito !
Anda drpreaaa, Roberto, diiia Vernica com o eo-
raco aperlado deata alegre adiniraflu; nos Tarooa ver
teu pai.
A ealae patarras, o rapaiinho ealtava, e andava mais
deprcaaa, gritando:
Ah! tanto melhor! Voraoe! eulhedirei, queme
traga aqu uulra ves; porm antea iremos ver miuha
mii.
Aaaim ebegrio em frente da Pont-aii-Change. Ahi
ao ergua um rdificio, cujea negras pareilea, flaouueada
de tornillo, domissav.o todas ae oaeae viiinhaa: era o
rand-Chatilet
Esta velha fortalexa, edificada nn tempo da primeira
dynaatia para deleaa de Paria, havia, ha Baila tcnipo,
mudado de destino ; era a lde de mua alia iurisdircao,
c eervia au mesmo tempo de prieto, de tribunal e de re-
aideocia du prebuele-oir.
S*|>|iosera a velha criada, que bastara apreaenlar-ae
purudeeee tremendo Iug.r, paranhi sci lotroduti.U,
p*melr.r ale uode ee achava J..I.. Creaillea ; a., .-
tee de aloancur eaae trate favor, leve do dar milita Vol-
tee. Kepcllida pruueir pelee eemiiiellaa egeole do car-
cereiru, fi Locar-ee aua pea do preboete, eeiufim
blese aurdesa, que devia br.r-lho a pri.So de J,.l
Luroaille. Serie cutio mrio-dia.
Vultuu Vernica portara da prieto, e exibiu a or-
dem du prebuste. Era a portara orna grande luja, por
onde era precito paeaar para penetrar oaa prieea. A
_ porta eetava euiutameuieiile fechada, e oa que ae apro-
qne a l..rre do bo Kirul I..... E eela^ uarae de hoeurmlaenlavio erio primeirmiirnte renonheoidoa atrase, da
|H .,durad. ,,ur cordoesi uc.l outra luja I.....que euuia grade. E.te lugar tri.teo euro linha .. a.necto de uiu
taoexHuiaital..... alo de seda pretal..... E eaua lu-'oalabuuvu; aa janollas tinhao forte, grades de ferro
O doulor Jos Nicolao Rijueira Coila, juit nnini-
cipul da segunda vara do termo do fteife, $ pri
vatwo,nesta provincia, dos Afetanos mita importa-
dos depois da Iti de 1 de novembro de 1831, por S.
M, I. e C,, que Dos guarde, etc
Fato saber a todos aquelles, que arremalirio ser-
vicos Je Africanos lires por tempo que ji estoja
lindo, que devem faier apresenlar neste jui/o os mea-
mos Africanos oo improrogavel teimo de 15 di. s, coo-
tados da publieacio deste elital, sob as peoas da le.
E para que rbeguo i noticia de todos, mande i lavrar o
presente, quesera publicadu pela imprensa, e afiliado
nos lugarea do costume. Dado e paseado neata eidade
do lenle, sob meu signal e sello deste juno, ou ra-
lba sein sello, ex-causa, aos 2 de abril de 1846.
Eu, Jos [fumo Guedes Atcanfjrado, escrivio o
escrevi.
Jos Nicolao figueira Costa,
PUPL1CACA0 LITTErURIA.
0 CREPSCULO.
Peridico instructivo e moral do ihstituto lit.
tkrabio da fakia.
Para este peridico, que se publica duas va/es ter
me/., subscreve-se a 3j rs- por semestre, na livrarii i,
esquina do Collegio, entregando se logo os nmeros
ehegados. Contm inleressantei arligos de boas pannii
sobre sciencia, artes e lilli-ratura, sendo bam impreiw
e em bum papel du frmalo Universo Pillormeo.
Derlaragoes.
asi O Illm.Sr. inspector interino do arsenal de ma
rinba manda noramenle la/er publico que, na con-
formidsdedasordens do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia ltimamente recehidas, frelara um navio mer-
cante de 150 a 200 toneladas, para o fim, jl aonuneia-
do de cundu/ir a ilba de Feroaodo800 saccas de feri-
oha de mandioca o diversos-outros objectos, que ae
remetiera Aquella ilba e Irazer, oa volta, luda a por-
cio de pedra de calcar que poder receber e os pre-
sos o demaispessoas, nn d'alli bouversrr. de rcgrci.i ;
devendo os prelendeoles apreaeotar as suas propostas
nesla secretaria em carias fechadaa no dia 18 do
correte pelaa 10 horas da manbla.
Secretaria da inspeccio do arsenal de marinba de
l'eroambuco, 11 de abril de 1846.O secretario,
Alexandre Rodrigues dos An\oe.
O lllm. Sr, inspector interino do arsenal de na-
rinda, em rirlude d'ordem do Exm. Sr. piesideote,
tein de contratara compra de um carregameotode ari -
nha para a provincia do Ceara, e assim o respectivo
transporte em navio, que lenba para isso as davidas
proporcoos, e em coosequeocia manda declarar, que
para urna e outia cousa receber neata secretaria as
respectuss propostas, apreseotadas al o dia 18 do cor-
rente, as 10 lloras da manbia.
Secretiria da inspeccio do arsenal de marioba de
Peroambuco, 16 de abril de 1846.
O secretario,
Alexandre fadriguei dos Anjoi.
= O lllm. Sr, inspector interino do arsenal de ma-
rmita manda lser publico, que comprara, no dia 18 do
crrente, 40 a 50 pecas de cabo de linbo de primeira
qualidade, de 1 '/ a 4 '/ pollegadas: devendu os pre-
tendes apresenlar nesla aecrelaria, al esse dia, as suaa
proposlas em cartas fechadas.
Secretaria da inspeccio do arseosl de marioba dePer-
nsmbuco, lo de abril de 1846.
O secretario ,
Alexandre Rodrigues otos Anjoe,
pendentes daa paredea li.ivi.1n arcabuiea e pialla ; un
meio ei.tar.-i nina mesa, onde ue agonice du caroereiru
jngarto ae carias.
Quando o pequeo Roberto aoolio frehar-se a porta,
leve grande medo, u chuguu-se para Vernica, dixeu-
du-lhe:
Queru me ir daqui para fra! diga, diga deprca-
aa, que ooa maudem euibora,
Ne vaiiioe ver leu pai! reapondeu ella.
Aqu! fes o menino com grande eepauto; e pot-se
a chorar.
Nio comprehendia elle oomu isa era, mas, por ins-
tinclu, conheceo, quo grande desgreca havia cahido so-
bre seus pais.
Avisos maritimos.
= Para Liados sai, imprelerivelmenU no dia 8 de
maio rindouro, o bergantn) portuguez Tnumplitnti,
capillo Paulo Antomo da Rocha; recebe camas passs-
geiros, para os quaes tem excedentes eommodoe: os ais-
tendentes dirijiu-se aos consignatarios liveira I nulos
dt Compaobia na ra da Crui, n. 9 oa so referido
capillo.
Frela-se, para qualquer porto do Mediterrneo,
preleriudo-ie llamburgo, a barca portuguesa E-pee*-
lacio, de primeira marcha, torrada e encavilbida de co-
bre : quem pretender, dirija-se aos consgnetenos li
veira IrmiosdiCompanhia, na ra da Crui, o. 9.
Para Lisboa sabir com loda a brevidade possi-
vel por ter parte do carregamento prompla o bri-
gue purluguez J res de Soma : quem oo mesmo quier csrregar oo ir
de passagem dirija-se a Nascimenlo Schaefler 4 C. ,
na rus da Crut n. 45 ou ao dito capitio.
Para a Rabia segu com breridade o brigue-barn
Generoeo, por ter paite do seu csrregamenlo; pude re-
ceber qualquer porcio de carga, assim como tem booi
commodos para passageiros: os pretenden tes podem hi-
lar com Amone Irruios, ra daCadeia, o. 45.
= Para o Havre sahira com breridade o brigue
Irancez Nhe Matkilda, capillo Guilbert : quem qui-
er carregar ou ir de paaeagem dirija-ae aos eoasif.-
oetarios J. I'. Adour & Compaobia ra d C'/ui,
o. 21.
Para o Aracal; sabir, no dia 22 du correle mez
de abril, a sumaca Felicidade, de que he mritre Jos de
Frailas, por ler seu carregamento quasi promplo, po- >
dendo aiud receber alguma carga miuda: quem qui-
er carregar ou ir de paieagem, trate com dito enealrs,
ou com seu proprielario, Antonio Joaquim de Sooza
Ribeirn.
Vende-so urna lancha nova, vinda do Porto: quesi
pretender, trate com Antonio Joaquim de Souu
Hibeiro.
Os carregadores do patacho Conctico queirio
levaros coobecimenlos em casa dos consignatarios Fir-
mmo Jos Flix da Rosa Irmio, ra tio Vignio,
n. 23..
Avisos diversos.
Rogase so Sr. chele de polieia, baja de publi-
car, pelo prelo, a chapa do partido praieiro para a sili-
cio dos dous sensdores por,esta provincia a fim de se
desvanecer a crenca quese vai estabeleeeodo de qua
o mesmo partido tem excluido della ao seu oais li-
tigo e genuino correligionario, o Sr. Antonio Joaqun
de Mello. O amigo de um dos intireisados.
Jos Monteiro de Aguiar vai Europa.
-.....tt---;------ na
Obi eu tenho med! tenho muito tuedo! Viaiei
deprrsoa ler em meu pai 1. ...
.Meu lilli! meu Hlh brada Jlo Cnroailleii
e u estrepito daa oadeiaa ee confundi cun ea eicli-
nisca.
Heeonheceo-o entio o menino pola ri; lanfuu-ie-l"
nue brao,e, em qnaiilu Vernica, auffouada deaolufli
ae ajuelhara juntu a eeu amo.
Por um qoarlo d'liora niiiguem filion, a ae ouvilo
e gemidos, prant de Vernica, e ua brijos, que o p'
iliiv.i au filh. O guarda-chave havia eahid e e/irrva
l'ra do eulbuc^>. Aindn que habituado a aeelAii"|e
Ieoenaa, eela havia abalad mu pone. ,
Vernica, disee eiiifim JoAu Coroaillee, aabes oo
est roinha miillier t
Ail que nA, reiponden a velha; ninguesa l*
iriifund .leo- sabido diter onde a leviro. Estivo duaa vetee em Clisa-
rn depois una viole degtol. Ileiuava |
ei ocia parle do edihei ; oa rumorea exleriurea uhe-
gavAo alli oomu un ocho liiginqu,aeiuelhule a oioiar
doa rentos ou daa onda. U calical, que u porleiro le-
v..,,i im iiho, luncava aeue fraouS reflexoa sobre aa pe-
dras ennegrecida da abobada, e mal turnara risireu
s profundas treraa deaaea deaoladoa lugaree.
Ue aqu, na Gourdaine, dieee o guarda-ebarea,
au abrir um acaudado calaboiiyo, baixo eeacurocomo
um iiuiiiiliu. Bntrou adiaute elerautuu a lux.
Vernica lobrigou um homein eentado oa palha.
Una gruude ondea, filada na parede,dara-lhe rolla ao
peseoco como uiua gargalbeira ; a barba biraola e em-
marauhada Ihe oohria a melada do rosto; na abeca li-
nha o ni i pui preto.
A velha 'na tevecoragem de aran jar arrimou-se,
choraudo, porta, e Koberlo griluu
n I Ir depoie da degra( du dia de paaoliua i quera tal-
lar a Claudio Sloeq, lancar-uie eou pea, lupplh'ir*
Ihe, niov-lii om a aiud de De : >< ir/ranmia Pl-
paUa ma repriiirio ouui pancad.ie, e patarras deanou''*-
ia. Depon anudo, que Claudio Sii'.q havia partid *
uumiiira do nuideelavel...... Aiualdicuadu seje ellu per
Oeoe, pelo mal, queaVin. tem ft-n !.....
Meu pai, diese o menino, vamo-iwe embore d
qui...... Que noile IAo eaoura! 14 fura heda; ircuiai
paaaearao awl, e procurar minba ra5i vanan.......
Tinha-ae elle erguido do regacu do.pai, ,e iravou-l
daa mAu.
Jlo Coruailllea levauluu acadeie, o dieso oom cons-
ternada tui: |H
E.l iu suda), Roberto, |e nio pnaao maia aahir da- |;|
qui, mas sahiris tu, uicu luido menino; lfifira *


LIDADOR.
O n. 102 icba-ie a venda na pfaca da Independencia,
I ivraris di. 6 e 8.
O ESQUELETO.
O n. 11 achar-ie-ba a renda ao meio da, na praca
da Independencia, linaria ni. 6 e 8.
Troca-ie uma cata oo pateo de S. Pedro, n. 12,
eom vista para a roa de Horlai, por outra na Boa-Va-
la Unibem te faz negocio de vend da dita caa
I da urna redoma eom o acto do descendimeoto : a tratar
na meima caa.
Precisa-fe de um bom encadeina-
dor, a quem se dar trabalho effecliva-
mele; nesta typographia.
Aluga-se um moleque para toJo o
I servico : na ra do Hozario-Larga, no se-
I gnndo Andar do sobrado n. 3o.
= Arhou-ie uma pequen obra de ouro na ponte
I da Boa-Vida ; quem for leu dono, djrija-se a ra No-
I a loja n. 58, que, dando o lignaei cortos e pagan
I do o annuncio Ibe aera entregue.
= Furlrlo na noute de 14 para 16 do corrente ,
do quintal da cali n 41, na ra da Agoat-Verdet ,
doua grandes tachoa de robre aeodoomaior capaz d
levar doui baldes d'agoe e o outro menor: roga-ae
\ a quem touber onde eiiatem taea ohjcctos ou a quem
orem o meimoa ofTerecidoa por compra oa appre-
benda a participe em a dita caa que ser recom-
peoaado
Precisa-se de um bom cozinbeiro ; a bordo do
.patacho Vielorta-Filis.
I Aluga-fe um tobrado novo em Fura de-Portal ,
o 30 cora frente para at dual marea eom eommo-
doa para familia : a tratar eom Jnaquiut da Silva Lopes.
= Aluga aa um aegundo andar na ra da Carteia-
Velbi, eom nuiloa eommodoe para familia : a tratar
eom Joaquim da Silva Lopea.
Arrenda-ie o engnho Limoririnho da fregue-
lia da Eaeada ; arrenda-aeeom 40 boii, 50 e tantos
animaea da roda 5 ou 6 escravos ; tambem venda-fe
a aafra que eata criando : a tratar na ra do Quei-
mado loja n. 6
= TendooSr. Bernardo Goncalvet Oren asigna-
do uma fettra que be garantida pela armaeSo e mais
uleoaillugde la botica tila no paleo do Terco, n. 6,
segundo a condiglo da meima lettra avisa-se ao rei-
peilivel publico para aeu conbeoimenlo.
= Joaquim Ferreira dos Santos retira-ae para o
Porto.
= Precita-se arrendar uma rata eom grande quin-
tal ou filio a'' a Soledade qur teja polo Corre-
dor-do Hispo, qur pela Trempe ; na ra da Concei-
ci da Boa-Viste, n. 8.
Dio-eea juroa 50# al lOOl ri. eom penhoret,
ou hypolbeea; na ra da Coooeiclo da Boa-Villa,
a. 8.
== Joaquim Rodrigues de Almcida embarca para o
1 Kio-Urande-do-Sul o ecravo Patricio, crioulo, per-
' trcenle a Domingos fienriques de Oliveira.
!)> b:r onda :s s mitteia 4a Si. Fran-
cisco Je Paula Tavaros Coulinbo ltimamente alle-
gado do Araeal* na sumaca Felicidad.
Koga aeao Sr., que.eni fina de fevereiro.nuprin-
eipios de marco,foi laber a casa do Sr. Antonio Joaquim
de Mello Pacheco te Joto Franciico Santoa de Si-
queira linha um esoravo fgido doquil o meimo Sr.
diise, que labia onde eiialia por intermedio de um
sea migo de Macet e tendo o meamo Sr. Mello Pa-
checo, prevenido do panado a leu cunbado.Jolo Fran-
cisco Santos de Siqueira e por isao estrja de tudo in-
formado aaaim como doa aignaea do meamo; tenba
porlanto o dito Sr. a hondada de ae dirigir a ra estrei-
la do Rotarlo n. 8, a flm de dar a cer lea do lugar da
estada do meamo que por este incommodo lera pelo
mesmo, segundo ordens de seu dono bem gratificado,
uma vei que receba, como be de esperar, o dito ei-
cravo.
Bernardino Moreira Dusrte declara, que quem
se ulgar seu credor aprsenle suas contas oestes 5
diaa.
= Ofl. rece-se um rapas portugus de 20 annoa,
pata padaria ou venda do que tem bastante prati-
ca : quem de aeu presumo aa quiser utilisar, dinja-se
a ra do Caldrireiro n. 60.
= Manoel Itento Machado embarca para o Porto, a
entregar a seu geriro Lino Ferreira da Silva, oa dous
escravoa de oome Urbano, Angola e Domingos,
crioulo.
la preta
Francisco Moreira Dias embarca para o Rio a
sia Tberea.
por Inngui annoa... Deoa abencoar o sen piivo, e caa-
ligara na acua perseguidorea ; o dolo de Ruinn rahr
per Ierre, o a nuva Igrejn ae erguer aubro a# minas do
templo de Itaal.... Se Deo oavir minha ultima auppli-
, lu aerna um doa pinturea dvssc immenm rebanho,
aaeu amad hllm Roberto, quando cucuiilrnrea la
i, rnnanla-n ; buui fillu. para ella, que cu auencu
do tundo da niiuha priaio. Calherinn | minha querida
Cailia-i na 1 lili! ao cu pudeaie anda t-la nr,n> inundo,
anula que faae lmente para diicr-lheadeus I Mna u ieo
reman cala ciinai.lac.flo nirua uliimoa momento! .
O que! interrumpen Vernica, tremendo de ludos
01 rocnbrua, a aenlciica [....
Kt dad.i, c cu i'ondcninado, condemnado mor-
le, reapuudeii Julo Cnmaillc, deixando o fillio.
Vcruniea anltuu um grito.
Ah I tliite ella balendo no peilo, bavilo-rne dito,
qie nio!
Ksuiu condemnado a mora! repeli Julo Cnroail-
'*. e ipu pallidu a uobre temblante ae animuu de aanla
'eaion.^a-
"~ Deoa ao amercear do nos! eirlanmu Vernica,
"B'iindo-ae; nao dotara aaaim iiincumbir o justo, il-
*'-l"-ha de sena niiuigoa I El-rei pode agraciar. Eu
l'veroi elle menino, proalrar-uos-hemua a aem pea.
Julo Coroaillra nicncou a cabrea.
"~ Se eu fdra um ladran, um aaaaiaino, poder-roe-
* e'-rc agraciar; mas eou calvinisla.... Deua perde
os que vi dcrraninr o meu
! e illumine o nio-
aangue !
iiiMi-ri-i. que n>lna conaelheima cxciliu nosaa perd.i 1
'i ruinra, approxiina-ie, e cenla brm o que vou dizer-
r; lie uecearariu vpruvetar caira uliiuiua mumeutoa. A
prraenea de Huberto me ubriga a cuidar aiuda de iule-
reites teniporaea.
= O abaixo asaignido como procurador batanle
de seu aogro, o Sr, Francisco da Silva tem autoriss-
do ao Sr. Antonio da Coila Ribeiroe Mello para co-
brar as dividas da loja do dito seu sogro e por itso po-
derlo os devedores a referida loja satisfazerem que se
Iba levaras em conta oa recibos pastados palo dito Ri-
beiro, = Joto Nepomuceno Barroso.
= Albino Frsncisco Diss relira-se para fura da pro-
vincia .
Aloga-te o pritneiro todar do sobrado da ra
Nova n. 5 comcommodoi para bstanle familia :
a tratar na loja do mesmo sobrado.
Jlo Luis Diai Tararea subdito portugus ,
retirase para o Par.
= Manoel Marcellno de Medei.ros, subdito por-
tugus, relira-ie para ilhi de S. Miguel.
Na ra do Hospicio, n 17, aula de prlmeiras
lettras, recobem se meninas pensionistas e se en-
tina eom todo o cuidado e desvelo, tanto at primea-
ras lettras como costura cha e bordado de toda a
qualidade. Na mesma cisa vende-se uro sitio eom boa
cata de pedra e cal por l:'200j'rs oo principio d
estrada de Bebiribe ; bem como o milagroso uleo para
alporcas e se ensina ao comprador o aeu uto e dieta.
Precisa-se de um homem que tenba bons pre-
paratorios equesequeira encarregar de educar um
menino, distante detta praca 4 leguas; no principio do
Aterro-dos-AfugaJos n. 31.
as Aluga-se um segundo andar na ra dasTrin-
ebeiras, eom cummodos suflleienles para uma familia,
por preco commodo : trata-se no 1.* andar, n. 38.
= Precisa-se, para uma casa eitrangeira netta pra-
(a, de um caiteiro, que tenha boa lettra e entenda baa
lante das lingoas franceza e ingiera, para poder cor-
rectamente copiar oettea idiomas : os pretenden tes di-
rjlo-se, eom carta lechada, escripia e assignada pelos
metmos, i esta tjpographia.
Precisa-se de um moco portugus, de 12 a 16
snnotde idade, e que tenha alguma pratica de vender
fazendaa lora da cidade,: na ra do Crrspo, n, 4, loja
da Joaquim da Silva Castro. Na mesma loja precisa-se
do um homem chegadq ba pouco, para feitor deen-
genho.
= O abaixo assignsdo faz sciente ao respeitavel pu-
blico, que, lendo-se manufacturado em sua loja diver-
sos objeclos para o arsenal de guerra, autoriiou ao seu
csixeiro Vicente Jo.- da Costa para receber a importan-
cia deales gneros, e este recebeo da Ihesouraria geral
umvale da quantia de 116j rs., pastado em seu oome:
a,romo o dito Vicente deizasse de ser seu caiseiro.eoio
Iba leoba querido entregir o dito vale, pretextando o
ler-se desencaminhado rog'a u mesmo abaixo assigna-
lo ao Sr. inspector da Ihesouraria geral, que nio pa-
gue sem sua ordem o referido vale, e eom oqueprevine.
que ninguem faca transacclo alguma, visto que elle ibe
perleoce, pois declara serem os objectos de sua luja.
entonto Ftrilira da Coila Braga.
= Precisa-se de um caixeiro de 12 a 16 annos de
idade; na ruada Sentalla-Nova icfinacio n. 4,
Atterro-da-Boa-Vista, n. 5.
Pommateau cutileiro e amblador de lodosos fer-
ros que perlencem a cutilaria, previne aos seus fre-
gueses, que, alm dos ferros de sua arla lambetn fa-
brica-an na ana nlficina qualquer obla de ar.o t-orn to-
da a perfeico, como sejlo esporas e freios de lodos oa
feilios lodos os instrumentos de cirurgia e de dentis-
ta concerlosde espingardas, fazendo pegas novas,
sendo precisas. Quarla-feira e ssbbadu de cada sema-
na alo os dias destinados para amolar toda a qualida-
de de ferros crlenles.
No mesmo estabelecimepto tambero se alugSo espin-
gardaade caca, pagando o aluguel de cada dia.
Tambembe para vender uns pucaros de uma mista
composta de ingredientes infalliseif contra a lerrugen,.
1,olera de S. Pedro llartyr
de Olinda.
Por existirem anda bi I he tes por vender,,
cujo valor sobe a quantia de 8:o4o'oo,
ris, deixro as rodas da lotera de leo
andamento no dia primeiro do correnter
para esse lim marcado mas o mesmo
andamento ser realisado impreteiivel-
mente nu dia a5 deste mez, seja qual fr
o numero de bilhetes que fiquem os
quaes continuSo a veuder-se nos lugares
j annunciados, e em Olinda, ra de S.
lenlo, casa do vigario da l'reguezia, a fa
vor das obras de cuja matriz foi esta lote-
ra concedida.
Loare neo Jos dss Neves remelle para o Rio-
Grande-do-Suloseuescravo Joo, Camundongo.
- Quem precisar de um Portugus moco, para
entinar aa primeirat reltras fra deala praca annuncie
sua morada.
= O Sr. que porengsno, levou ds arrecadsc;3o da
irmindadedo Espirito Santo, na noute da prociaalo
de Enterro um chapeo prelo novo, deixando aubsti-
tuindo-o um outro usado sirva-te de o ir destrocar na
lenda do andador Lima na ra das Outei, o qual
nJo ignora quem loi u individuo que eisim se porlou,
m vulude de o ver tirar do lugar onde elle meamo o
linha depositado ; porm por 0*0 saber o lugar da
sua residencia fe faz o presente annuncio : e, aendo ,
. .,,, .. pme.- breve esp.Co o nao reat.tu* ver o seu nume
murtn ..!.,. I. i" V T d mudou atoa residencia da ra das Tnncheirat para a
mente merece.
= Precia-te de um feitor de campo para um en-
genho oito legoat distante detla cidade; no Aterro-
da-Roa-Vista n. 63, segundo andar,
o*Farem-se colchSet elsticos, eom loda a perleicio,
e conceriio-se velhos: fa-ae e concerta-se quil-
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, botica n. 10, e no Atierro da
Roa-VUta loja o. 48, tirio-se passaporles para dentro e
forado imperio,assim como despacbio-seescravos:tudu
eom brevidade.
=Jot Antonio ds Cunhs, subdito portugnei, reti-
ra-se para fura do imperio, levando em sua companbis
sua tia. Luir Leonor da Coila.
;_ A fabrica de tabeo da ra Imporial do Aterro
prinripinu a trabalhar no dia 14, e do dia 13 em diante
poderl furnecer tabao aot fregueses de qnalidade su-
perior ao que vem de fra e por preco aempre infe-
rior ao dos armaren! de deposito deste genero.
= Domingos Jos Marques solicitador da primei-
HaAOiinffa iMlin.i, m lni.l..i. J. C.^ ..J.JUIL. '
<
para
ra do Queimado, n. IV, segundo andar ; at pettots.
que ae quilrem uliliiar de leu pretlimo, relativamente
aaeu emprego doverfl procura lo al ai 9 boras da
manbla e a larde dts 4 em disnte que prometa so-
licitar o mais commodo que for possivel, e eom acti
vidade.
A pessoa, a quem perleneerem umts s: ceas que
dizem ser de srroz e fejo, rindas em uma barcaca de
Porto-Calvo, a qual ai deixou para se tirar, e, a pedido
do meitre se tomlrio dirija se a rus da Cruz, ven-
n. 46. que, dando ossignaes certos, e pagando o Irete
e deipezas, serlo entregues,
Sociedade Ti.cal a al Ifclpomc-
nense.
O thesoureiro a visa aot Srs socios, que os bilhetes
A'estas palavraa tomn n menino us bracos e enano
que ae recullieo por um ninmrnlo :
Ouvea-iue, Vernica ? diaae elle.
Sun, meu orno, responden ella em p leu lado,
na altilude de profunda dar.
lato he u tealaiuenlu, en ni que murro, proaeguio
elle eom menme vot; dimite de Deua aerea reaponaavcl
pela execuclo de minliaa ullimat vontadea. Jiilo Curu-
illea ii.1n he o meu verdadeir minie ; outro tenh, he <
le meu fillin. Eit aegrcdn, Vcruniea, a de miada niii-
llicr era coiihei-iilo, e de ilion pcalna, quem nntr'or
devi vid. So Deoa, cni aua infinita iniaericordia, real
til o ir Roberto aua boa nili.etla I he dir, um dia. quru
fui leu pai; mas ao Catherina for murta.... Cht-ga- le
maii, Verunioa.
Ella inclinou-ae para elle, que diaae-iheao uuvido al-
guma palavraa.
Grande Deoa do co! exclamou a velha rom uma
admiraclo, que abafou todaa aa uutraa nnprcaaea.
Siin, diaae elle, ergueudo o nlhua ao reo. duaa
vesea mariyr i Earuta, proseKuio depota de um uiuuiiii-
to deailenoio, ha em nosaa caaa om lugar inculto, qui-
to, mnheca, n.i parede da aala do rea do ohlu por Irla
da guariicao da jmila.
Vernica fes aignal, quo tudo ato Ibe era presente.
Ptiiabem! oontinuou Julo Coroaillea, neaae ei-
condriju, que o pai de Catherina maudou tairr, achatas
um rorretiull prelo ouro guanina de ferro, onde callo na
papria, que prosio o que acabo de ditcr-le. He precian
enterrar eaao cutre na adega de noaaa caa, para que
leal o ferro iiem o fugo poaain deairuir n que ello cuo-
lem. Se quciiiiarem e arraarem a noaaa cata, o. lituloa
do iiaiciuuiuo de Roberto hcarao assim contervadot.
toctos
para a recita do dia 18 do corrente se dtslribuem na
ra Ja Cruz n. 43 ; e o mesmo faz tciente aot mes
mus torios que cobrar duas mensalidades.
O arrematante do imposto de 20 por cenlo so-
bre o consumo das agoas ardenles de prodcelo brasi-
leira avita aot Srs. que anda nio pagarlo dito con-
sumo, venhiolaie-lo nosdiai 15, 16, 17,18, 19 e
'O do correte na ra Uireila n. 80 lindos os
quaes se proceder na lrma da lei contra os quedei-
laretn de pagar.
*" Deseja-ae saber a morada da Senhora D. Mara
Joaquilfa de Albuquerque, a lim de Ibe ser entregue
uma carta do Sr. capillo Fiancisco Joaquim Cerdoso ,
do balelbi i Sello de racadi tes.
- A pestoa deOlinda que quer vender um par-
do tapateiro dirija-se coro elle a ra estrella do Ro-
tariu n. 18.
= O abaixo astignado faz sciente ao reipeitavel pu-
blico que Antonio Jas Ribeiro Jnior deixou de
ser seu caixeiro desde esta data: em contequencia de
que, avisa aquellas pessoas, eom quem o meamo tenba
conlrabido sl^um debito, para que compareci na ra
de S. Rila n. 91 a lim de ter pago dentro do pra
zo de 4 dias, depois do qual so nio respomabtlia. as
Recife, 16 de abril de 1846.
Joaquim enlamo de Santiago Lena.
- Quem precisarde uma ama eom bastite leite ,
e bom para criar dirija-te a ra das Cruzes o 22 ,
tegundo andar.
= O doulor Pedro de Alhahide Lobo Moscoso, me-
dico mudou a sua residencia para a ra Nova n 7
tegundo andar, defronte do oitfo da matriz de S. An-
tonio ; as pessoas, que precitarem de teu pretlimo
podem o procurar netta cata a qualquer hora do dia.ou
a noute e continua a curar gratuitamente as pessoas
pobres.
= Precias se de uma mulher forra sendo criou
la, oude urna escrava para ama de urna cata de pequea
familia quesaiba cozmbar ; na ra da Trempe para
o Mondego, litio que tem a frente ds caa cor de
chumbo.
aa l'urtiro da casa do abaixo assigna lo uma ataca
de diamantea miudot. obra antiga ; quem della tiver
noticia ou tenha comprado oj empenhado tenba a
hondada de levar na ra da Concordia cata lerret,
junio a pequea cata do doulor liaplista que tudo se
pagar muito generosamente.
Jodo Germana di Paula.
- Aluga-se o primei'o andar do sobrado n. 7 da
ra do Queimado eom commodos para familia : a
tratar na loja do mesmo sobrado.
= A venda da esquina da ra larga do Horario ,
n. 39 precisa de um rap*z estrsngeiro, de 18 a 20
annoa que lenha pratica de negocio e d fiador a
ua conducta.
Offerece-te uma mulher para ama de urna cass ,
que sabe engommar, cozinhar loda a quahdadedeman-
jares ; quem de seu pretlimo te quizer utilisar, dirija
se ao becco do Aieite-de-Peixe n. 14.
=: O Sr. Guilherme Pinto Henriqucs queira pro-
curar urna caria, vinda de Portugal na ra Nova
n. 8.
quer guarnido de lega cortinadoa de qualquer feilio,
tanto de sala como de rama, armaedes de camarn,
e em fim tudo quanlo for concernenle a tapecaria por
nrero commodo: na travessa da Concordia, n. 13, e o.
6, atrAi da torre do Carmo por a ra da Concordia.
Descncaminbrio-se 279j rs. em cdulas, de
difiranles valores oodomingo das 10 horas al ao
meio dia; quem achou querendn restituir, dirija-se
a ra larga do Roxario. venda n, 33, que, se Ibe dara
ossignaes, ou mesmo a quem der alguma noticia, fe
recompensar generosamente.
= Perderlo se duaa apolices do Ihesouro de ns.
20 e 21 de quintil de 400i rt. esda urna rece.hidas
na Ihesouraria detta provincia e unida as mesmss
dousronbecimeotoi, sendo um da quantia de 60r rs.
e outro de 40i rs. dadas em psgamento dilai apol-
nea a Jos Antonio de Oliveira a quem perlencem.
MJCIEDADE HARMNICO THEATRAL
A commissio administrativa convida, pela segunda
ver, ans Sis sncios em geral para reuniio da sociedad*,
na furnia dos artigos 4 e 41 dos ettitutoi domingo 19
do crrenle, prlit 10 borss da roanhia, no sallo do
theelro d'Apollo.
Perdetio-se, desde a ra dos Quarteitalea ra dot
Aguogumbos, dous conloes de ouro eom uma medalbe;
a pettoa, que achou, querendo restituir, dirjate ao
Atern-da Boa-Vitta, loja n. 46, que sera generosa-
mente tr librada.
Precisa-se de um Portugus para feitor de um si-
no perlo da praca, que entenda de plantai/ies; quem
ctliver nesttt crcumslancias, anouncie, ou dirija-se
ra do Quciniado n 30.
ca Precisa-te de um rapaz porluguez para vender
po junto eom um prelo: na ra da Guia, padaria
n. 58.
Cedem-se 30 acrOei da Compsphia do Bebiribe :
a tratar na ra Nova, n. 35.
Manoel Lopet de Araujo retira-te para fra do
imperio.
Zefrrino Aurelii.no de Figueiredo avisa ao Sr.
Antonio Joaquim de Oliveira, que nio satislaca o im-
porte de urna ohrigailo, por r'.ln pesiada, como deve-
dor, Manoel de (.brillo Grangeiro e Mello, tenlo ao
meamo Sr., ou pestsoa, que fa- o prsenle annuncio.
Oulrosim, adverle a qualquer p> sana, que a dita ohri-
gnco Ibe fra tirada |ufilamente eom uma caileira,
sendo a tupradila obrigaejo de 75s rt. de principal ,
lm dot |uio de 2 p /. que ae tem vencido deadeo
lia, em que devia ter sido ella resgalada pois fei
pinada no anno de 1837; e que, por tanto, gratificar a
uem Ih'a entregar em caa de Jos Marunno no
hainoda Boa-Yuta, na ra Nova do Seve, por delrf
lo sobrado nmo do Sr. Eliai Baptisla.
Compras.
tiver
Aqu tremen Vernica, porque receiava, que na pi-
Ihagcni hnuveaaein deaonbcriu e entregado ichainmaa
Odepeailo, que Jlo Curuaillea Ihe confiara.
Agora, comineen elle, puehnndn o filhn a ai, anda
e anda nina ves, Roberto ... Eu le obencu, meu fi-
llin.... Oh Dena! a ininha forcea e meu npnin neate lerri-
vcl linimento Mai corageni he precian para deixa-lo
do que para niocer/
Mu podo o deaaventurado pai, esiaa palavraa, ron-
ter oa mneos; aa croncaa rrligiuaaa, de que elle quic-
ra icr npnaldu e inarijT, uo o coiiaulavlo ueala ulti-
ma acpara^lo, e o amor do filhu Iriurophava do amor
de Deua.
Puuoo lempo iliirou, porm, eale cnmbnto ; o fervo-
rlo hiigiivnuir fei aignal a Verunioa de tomar o meni-
no, o dale eom quebrada vos :
Kiicoiilrar-noa-henioa um dia no teio de Deoa!...
' 0 guarda-chavea entrn, pegn nn raalieal rom lima
mo, e coin a nutra levo a hiiiuaiiidude de tuairr Vcru-
niea, rnjoa joelhoa ae dobravlu ; inipello-a braiidiiinrn-
le para fOra, a a peaada porta ae ferlimi apacllee.
Meu aenlior, dalo Vvrunica perturbada. Va, me
havia enganado, elle cala cundemuado, e condeiunado
i inerte... Agora he preciso, que eu aaiba, era que lu-
gar.... e ao aera breve; ol he, lie necciaariu, quo m'u di-
ga... pnrqoe eu anda lenho una cap-rauca.... El-rei
pode roniinulai-lhe a pena.... Pode, uto he?
laso tem-ae Valo, respondeo o gnarda-ehave;
vamoa, touie animo, e le\e drpreiia para fura calo pe-
queoo, que eal ludo dVefeito.
Maaa aenlanca, a aenlenoa interrumpen Verni-
ca, ichi ouaar pronunciar a palavra, que Ihe fafia arre-
piar oa cabelloa; onde aera ella execuiada?
Conipra-touma porco de guano ; quem
annuncie.
= Compra se o tratado de Eleclricidade por Bec-
querel, de 1834, ou o de Arago eom lano que seja
em bom uto ; qu Comprio-ie carrinbotd" moi, novos ou j ser-
vidos ; m ra do Crespo, lujs de faiendas, n. 9.
= Compra-so urna barcaca que lenha bom aneo-
lamento ; no principio do Aterro -dus-Afogsdos, n. 31.
= Comprio-se quartlos e bestas sendo novos ,
ainda mesmo sendo magros ; no principio do Aterro-
dot-Afogados, n. 31.
= C mipra-se uma eterava de nato, moca, de bo-
nita figura que aaiba cozinhar, engonimtr e coser ;
ni ra da Madre-de-eos, n. 9.
CompraS-ie un enfeites de ouro pira cn eiro de
menino : na rus Direils loja o. 61.
Em Senlit.
Oh meu Deoa! e quo lempo noa reataP
Doui dina, taires.
Vero, Roberto, vem, exclamou Vernica, de re-
ente animada de capernnca e valor, noa vamoa pedir a
el-rei a gra^a de leu pai.
O guarda-chavea fei um geato de coinpaixlo.
Como le llavera Vm., para fallar el-rei?
Irei eipera-lu porla do Louvro, ficarei l Indo e
da e tuda a imite, al que n veja, e. na aua paaaagem,
laiijar-roc-hei a acua pea, Roberto Ihe pedir agraca de
aeu pai, El-rei ao curnpadecer de na, nio achar
lio neceaario fmer una prlicjo, dale o guarda-
chave, edepoia Vm. ver.... Tenha animo.
Vamoa! vaiuot depretia, Roberto, eiclaruou ella.
Qiiando aeella vio fra, roliou-ie anda para o guar-
da-chavea, e diaae-lhe:
Don din, ainda doot diai Deala ves Vm. nio rae
engaa?....
Ohl nio, dille o guarda-chavea, fechando a grade.
Quero? o hiigiieuole da Guurdaine? pergiintuu
um doa oompanheiroa; he para amanilla, beilallilu
Eu beo aci, mai nio gmto de diter eilaa oouaas :
e demaia, vs lu, Biplula, iilu de nlu aaber o luoiiiento
eonaola; quando elle tem panado, a gente toma roelhor
o seu pariidu. Tenho notado, que ae lamenta iujis antea
qoe depnia,
Podo ter | dii.e o notrocom indiffrrenca e ealen-
ilen lu ai caima ut niela, tre asea e quiula de vlete....
G hiIil-i !
(CaasItaHsaf1 m ka.)
t


h
ComprSo-se, pera (ora da provincia escravos de
ambos 01 sesos, de 14 a 20 noos com habilidades ,
ou si'in ellas; seodo de bonitas figuras, pego-se bem :
na ra das Cruiea, n. 22, segundo andar.
'= Compra-se urna senda que lenba poueoa fun-
dos, sendo em bom lugar, tanto para a Ierra como
para o Mallo; quem iiver, annencie.
Vendas.
I,vrinhos das .Santas IIsses.
Vende-se por qtntro vintn o livri-
nho das Santas Missdes, com o regula-
mento para ser santo feito pelo reve-
rendo padre preleito da Penlia : na praea
da Independencia livraria n. 6 e 8.
= Vendem se ricas cambraias abortas com lettrasde
cores, rainba Victoria, a 7800 rs. o corte ; casss-cbi-
tas de quadros, dos tnais modernos gostos e cores fizas,
a 4800 rs.; ditas a 7000 ra. ; ditas, a 4000 rs., corn
6 aras; corles de rucados linos, a 3500 rs. ; chitas Ti-
nas de ramagem para coberla pelo mdico prego de
200,e 280 rs. o covad.i; superiores brins trancados de
quadros de cures para calcas a 320, 360 e 400 rs o
i nudo ; riscados largos franceses a 320 rs. o corado;
luvus de alfolio escuro para hornero, com principio de
mofo a 400 rs o par ; cortes de chitaa pelo barato
prer;o de 1500 rs. ; cortes de cambraias de listraa de
cures, a 3500 ra. ; eoutras muitas fazendas por mui-
to com modo preco : na ra do Crespo loja u. 8 de
Campos & Maia.
=Vende-se algodio mesclado entroncado, muito
rccommeodavel para roupa de escravos e mesmo para
Irabalbadores, por ser fatenda muito aturativa pelo
barato proco de 180 rs o covado ; zuarte azul a 240
rs. novos cortes de cass.i a 2000 rs.; ditos finos,
padrSes modernos a 4000 rs. ; e outras muitas fa-
zendas por barato preco : na ra do Crespo n. 14 ,
luja de Jos Francisco Dias.
= Vende-se um bote inglez com 4 remos ; um
guarda-louga; um guarda-roupa ; urna correte de ou-
ro para relogio ; ludo novo e por preco eommodo : na
ra da Matriz o. 33, segundo andar.
= Vende-se urna casa terrea na ra di Conoeigio
da Boa Vista, n. 43; na ra da Matriz do mesmo
bairro n 35, primeiro andar.
= Yende-se urna preta moga de bonita figura ,
vioda do Ass ; na ra Nora o. 55 cuja entrada
be pela ra das Flores defronte do oscrivao Francis-
co Joaqun).
= Vende-se louca ridrada de todos os timando ,
corno sc|o : cacerolas, papeiros, panellas, alguidares,
servidores, vasos para flores, boiOes para maoleiga, por
prego comino.lo ; na ra da Madre-de-Deos n. 9, e
na ra do Encantamento armsem ao p da cacimba.
= Vende se urna eicrava de naci, de 24 annos, de
bonita figura, ptima quitandeira ; um mulaiinho ,
do 17 annos, ptimo para pagem ,e com principios
de carpina ; um cabra de 22 annos, de ptima fi-
gura bom carniceiroe canoeiro ; um escravo de ne-
co, de 30 annos, com officio de aerraaor : na ra
dasCruzes.o. 22. segundo andar.
v Vende-se superior oalda de tomates as libras e a
retasan ; na ra daCadeia do Recite, n- '5, '"!"
BourgarJ.
V uodem-se varios escravos, sendo moleques ne-
grotas pardos. parcas o prelos todos de lunillas fi-
gura; atrs da matriz .le 5. Antonio n. 1, primei-
ro andar.
= Vende-se urna preta de Angola, de boa figura,
simii vicios muito moga lava, ensaboa, cozinba e sa-
be andar com meninos e vender na ra ; no largo do
Carino, venda n. I.
Vende-se um tranceln) um conloo urna moe-
da de ouro eocastoada um corceo, um cordo groa-
so com 38 oitavaa, tudo sem fetio ; no largo do Car-
ino venda o. 1.
liis 500.
Cartas francezas, para voltarete, muito
periores: na ra Nova, n. i5-
= Vende-se urna casa terrea sita em Fra-de-Por-
detronte do Pilar com bastantes commodos, quin
murado: na ra do Collegio o 16.
=Vende-se mel de furo por preco muito eommo-
do em grandes porcoes e Umbem da-sede venda-
gem ; no pateo da Ribeira loja do sobrado n. 15 Na
mesma loja vende-so carvio, lenha e gomma.
Vende-se, na ra da Cruz, n.
6o, armazem de Fernando Jos
Braguez, ra da Caricia do Re-
, file, cera em velas, recebida
$ ltimamente de urna das inelho-
res fabricas do l\io de Janeiro,
e he de ptimo sortimento, por
ser de tres at iGcm libra e por
preco mais barato, do que em ou-
tra qualquer parte.
su
I
Yendem-se latas com superiores j
t bolachinhas de gomma de araruta,
# simples, e com gosto de laranja, e
4 ervadoce, muito excellentes para
W presentes-, pelo preco de 2s'4ooris, fc.
,5 pata se fechar conta de venda: no
# armazem de Bacellar, no caes da Al-
$ fandega, defronte da escadinha.
2
99999999#^ff9999999999
I>'o escriptoriodeLenoirPu-
get & C.a, na ra da Cruz, ven
de-se farinba SSSF de marca
verdadeira, chamada llamo,
em pequeas e grandes por-
coes, a vontade dos comprado
res.
Potes para a pobreza
pelo barato preco de meia pataca, e dous
tostoes cada um: vende-se no caes da
Alfandega, junto a escadinha.
Yendem-se redes de dormir, do ulti-
mo gosto, de cores, fio dobrado, obra
superior, 'eitas no Maranliao : na ra do
Crespo, canto da ra da Cadeia, loja do
5r. Francisco Gomes.
Veode-se um preto cridulo, de 25 annos pouco
mais ou menos de bonita figura ; oa ra do Queima-
po, n. 4.
= Vende-so urna parda moga s>dia sem vicios
nem achaques cose, engomma e lava de sabio ; na
ra da Aurora casa do coronel Joaquim Jos Luis de
Souza.
Contina a estar venda o sitio
dos Afogados, que Coi do finado Joaquim
Ignacio Concia de Bnto : quem o pre-
tender dirija-se ra Direita, casa de
um andar, n. 56.
=>Vende-se, por bsrato prego um pequeo sitio,
em trra propria com casa de vivenda coqueiros ,
banho a porta muito fresco e muito pertoda prsga ,
por aer no Remedio ao lado da Passagem : na ra de
Agoas-Verdes, n 21.
= Vende-se farinba deS. Metlieus, e da Ierra en-
saccada, ou pela medida velha ; milho nevo ; feijio
mulstinho ; tudo por preco comiaodo : no armazem
de porta larga no caes do Collegio.
Veode-se urna preta perleita engommadeira ,
costureira e propria de todo o mais servido de urna ca-
sa muito moga sem vicios nem achaques ; urna
parda de 16 annos de muito luida figura ; um mo-
leque do 14 annos ; urna negrinb'a da mesma idade;
um preto pega de 20 annos, pouco mais ou rtenos ,
proprio de todo o servico : na ra da Cadeia de S. An-
tonio n. 25.
Vende-se o armazem de sal, n. 40, no Aterro-
dos-Alogados em boa caaa com commodos para fami-
lia : a tratar com Silvestre Joaquim do Nascitneoto ,
no mesmo Aterro.
= Vende se urna escrava de bonita figura eose, la-
va e co>inba bem ; 7 escravos, bons para qualquer ser-
vigo ; 5 moleques, de 10 a 16 annos e alguns pti-
mos para pagens: na ra da Cruz, n. 3.
Preparos para bordar.
Vendem-se sedas frouxae francezas, de todas as co-
res, em meiadas chatas e de fios desembarazados; lia
branca e decores tambem em meladas; jgulhas de bor-
dar talagarga de varias grossuras ; estampas de vanos
desenbos para modelo para quem se quier appliear ;
suspensorios e chinelas de talagarga ; bslaios com prin-
cipios de bordadoa e varias outras pecas j i bordadas,
proprisi pare qoadfoa, ou roberas de tamhoretes; um
sorlunenlo de luvas, rucias, raleados de to.las as qoeli-
dades para bomem, senbora e enancas cordas de tri-
pa bordoes papel paulado para msica Amias, vio
Ides, rebecas, clarioetas, metbodos para os ditos ins-
tiumenlos; e oulraa mais faiendas que oostuma ter
as lujas franceras : na ra Nova n. 9, loja de Domont.
Tresse tendo de retirar-se, faz venda de seu si-
lio em S. Amaro, com duaa casas de pedrae cal, uaia
grande com solio com commodos para grande lam -
, urna estribara casa para gado, forno, boa agoa
de beber S viveiros de peiie muitos ps dearvore-
dos de (rucio pasto para ter aoouslmeote 6 a 8 vac-
cas de lale baisa para capim ; e vender tambem
urna casa terrea sita na ra larga do Hozarlo : esles
predios sio de terrenos proprios : os pretendentes di-
njfio-se a fallar com o mesmo proprietario no mesmo
sitio, em S. Amaro, na estrada quo vai para De-
le m onde lem urna tabolela.
ata Vende-se a padaria do Corredor do-Bispo n
8, prompla de ludo e bem afreguezada : a tratar na
n.esma padaria.
= Vende-se otn boi pertencente a urna carroga ; no
Corredor-do-Hispo, n. 8.
Vende-se uina armacio pequea propria para
qualquer negocio principalmente para venda por
ja ter servido neste oogocio e o aluguel da casa, onde
ella est collocada, he em conta ; na ra aslreita do
Rozario n. 6.-
- Na loja da esquina da ra do Collegio, com frente
para o arco de S. Antonio, vende-se retroz do Porto ,
preto, azul-ferrete e sortido em cores, em libras; meias
curtas de linbo leitaa em Braga ; bom papel slniaco
branco ; tudo por prego eommodo.
= Vendem-se 5 moleques do bonitas figuras ; na ra
da Cadeia do Becife loja de Joo da Cunta Miga-
Mes.
= Vendem-se 25 escravos, chegados prosimamen-
te do Araealy com algumaa habilidades, sendo : 12
pretos de 18 a 20 annos ; 3 moleques da 11 a 13
annos; 2 pardos de 20 a 24 annos ; 3 pretal, de 20
annos, cosem, eoiinbio e lavio ; 2 negnnbas de 11
allanos; 2 mulatinbas, de 11 a 12 annos; urna
parda de 18 annos, cose engomma e cozinba ; to-
dos de bonitaa figuras por prego eommodo : na rus
da Cruz, armazem n. 51, a tratar com Jos Francis-
co da Silva.
tas Vndem-se noos cortes de faieoda indiana, imi-
tando seda o maia superior, que tetn apparecido ,
tanto pelos bonitos padroes como pelaa cores lisas e
pela muita duragio seu diminuto preco be 5000 rs,
cade curte ; mantas de seda para senbora as mais su-
periores que teem apparecido tanto pelo bom gos-
to coaso pala boa qualidade seu prego be de 3000 a
\1t ra. cada urna; sarjada seda preta para vellidos,
a 1440 rs. ocovado; dita hespanhola, larga, muito su
penor a 2600 rs ; meias de seda preta para horneen ,
a 2000 rs. o par; ditas de algodio, preUa imitando
seda, e320rs. o par; meiasde linbo para bomem e
muito finas a 600 ra. o par; luvas pretas sem dedos ,
as mais superiores que lia a 1000 rs. o par ; casimi-
ras muito eocorpadas, a 900 rs. o covado ; ditas els-
ticas muito superiores, e de duaa larguras, a 4200
rs. o covado ; caasa-chitat muite finas, a 3000 ra. o
corle; ditas mais superiores, a 4000 rs ; chales de
seda do mais rico gosto, qu leevn vindo ,- cambraias ;
parisienses; chitas francesas, largas eestreitee para ves-
tidos ; chales de lia muilo boa lerenda a 3200 rs. j
brim de linho eom lislras ezues proprio para bomem
de officio, a280rs. ; asim comenm bom sortimen-
to de fazendas para calcas; eoutras muilea fazendas,
por prego muito em conta : oa ra do Crespo loja no-
va n. 12 de Jos Joaquim da Silva Maia.
-- Vende-se vinagre brancoJ,
nacional, a 400 rs. a caada ve-
lha : na fabrica da ra Imperial,
7; ra Direita, n. 53, venda
n.
de M. Miranda; no Aterroda
Boa-Vista, fabrica de licores de
Frederico Chaves; e na ra do
Trapiche, armazem de molhados
do Nicolle.
= Vendem-se nioendes de ferro para engenhns de
assucar, para vapor ogoa e beatas
por prego eommodo ;
de diversos tama-
nhoa por prego eommodo; e igualmente taitas de
ferro coado e batido de lodos os tamanhos : na pre-
ga do Corpo Santo n. 11, em casa de He. Calmont t
Companbia ou na ra de Apollo armazem, n. 6.
Vende-se vinagre tinto a 45,000 rs.a pipa ; di-
to branco a 35,000 rs. dita : na ra Imperial o. 7
-= Vende-se potassa americana, ltimamente che-
gada em barra grandes e pequeos ; lengos pretos,
de scdsda India ; selim preto o Maceo; velas de es-
permacete de 4, 5 e 6 em libra ; cera atnarella ; al-
godio grosso para saceos; tudo por prego eommodo :
em casa de Matbeus Auctins & Companbia na ra da
Alfandega-Velha n. 36.
= \ ende-se urna commoda de amarello nova, por
preco eommodo ; na ra das Cruzes n. 12.
Vende-se um preto perito olieial de lanoeiro o,
qual tambem aerve para pagom por ter urna elegante
figura ; no Aterro -da-Boa- Vista, n. 58
Vendem-se 3 pares de brincos, 4 cordSes 4
anneldes 3 Irancelins, 2 correles para relogios, 2
relo;ios de ouro silva de prata e outras muitas
obraade ouro.eprita modernas por prego eommo-
do ; urna cadeirinha de brugos urna manta de vellu-
do um panno para mesa ; pratos, a 880 rs. a duria
catticaes de vidro, a MO rs. o par; orinos a 240 a
32o rs. ; queijos, a 960 re ; toucinho de Lisboa e
240 rs. a libra e oulros muitos objectos de venda ,
por prego eommodo : na ra do Bangel, n. II.
Vende-ae, ou permuta-so urna casa na ra da
Gloria n. 81, com baitantea commodos para urna fa-
milia ; a saber : 2 quartos, urna alcova sala adianlee
atrs, cozinba (ora quintal murado, com sabida pa-
ra tres, e com sua competente cacimba ; oa ra d
Cotovello, venda o. 31.
Vende-se um torrador em bom uso ; Da rus da
Sonzalla-Nova, refinagio o. 4.
= Vendem-se peonas de escrever muilo boaa
3200 ra. o milbeiro a dinheiro na ra da Cadeia do
necife ioja de jlo Jos de Carvalbo Moraos.
-.Vende-se um almofarit com seu pilio, ou mo
de gral esterado das duaa bandas; urna corneta de
pisides, muito boa com seu competente metbodo
urna espingarda de espoleta de dous (rol, muito boa:
na travessa da Concordia n. 13.
Vende-se na fabrica de
S. Rita, o.
Ago'ardentedeanit
Dita do reino
Dita de Franca
Dita de canna
Espirito de vinho
Geoebra
Dita embotijada
Licores sortido* engarrafados
Ditos ditos finos
Ago'ardente cachaca em pipas preco conforme o grio.
Champagne da marca C & C, vin-
da no ultimo navio de Franca : vende-se
em poredes e a retalho, em casa de Me.
Calmont & C*
= Veode-se ums cssa terrea na ra da Gloria n.
24, ou troca-se por outra maior em qualquer dos bsir-
ros voltaodo-se o que for jualo ; a qual tem duas sa-
las 2 quartos grandes, quintal murado e bastante
grande com porlio para a ra da Alegra alguns ar
voredos de Iructo e cacimba com boa agos : na ra
do Sebo n. 13
Vendem-se dous mulstinbos, de 16 a 18 annos;
dous moleques, de 13 a 18 annos; dous escravos pti-
mos paia lodo o servigo ; 6 esclavas, sendo duas boas
cozioheiras ; urna parda com bonita figura cozinba e
cose : na ra Direita, o. 3 defronle do becco de S
Pedro.
Vende-se a botica da ra da Crot no Recite ,
n. 60 eom frente para a sacrista do Corpo Santo.
Desnecessario he fater elogios a boa localidad*, e nem
es commodidades, que em si lem : a armagio oto po-
de ser de melhor gosto a alm disso he loda envi-
dracada ; a guarnigio dos vasos alo pode ser mais ele-
gante ; o lagar he muito fresco e em susnma lem lu-
do o maia moderno : a tratar oa ra da Cadeia do Re-
cife, o. 40.
= Vendem-se sedientes de bortaca de todas as
qualidades, ckegadas ltimamente da Lisbo,; aa ra
da Cruz, no Recite botica n. 60.
Conlinua-se a vender o superior doce de araga ,
na venda de Jlo Jacintho Moreira, na roa das Cruzes.
Veode-se um escravo ds Costa de muito souita
figura alto, bos grossurs e desembarazado em tudo ,
que se Ihe manda fazer ; o motivo de se vender este
escravo be ter de retirar-se a pesaos que o vende: na
ra da Cruz no Recite, o. 60, ou oa ra da Cadeia ,
o.40.
= Vende-se um moinho grande de moer caf, um
torrador una batanea graado com 6 arrobas de pe-
sos dous tachos de arroba nada um ludo eom pouco
uso e por preco eommodo; no A Ierro- do- Boa- V isla ,
o. Si.
Vendam-ie ot seguintei livro em Irancer: gram-
espiritoi na ra de
85,
caada 640
800
960
480
1000
720
duzia 2400
19rt>
4800
mstica por Sevne ; Voltaire ; LaFootaiue; Telen,,
que ; Pensl de Laibnetz ; diccionario clnico ,
portugus ; e outros mais livros, todos em bom esta-
do : na ra da Cruz, o. 44.
= Vende-se um mulatinbo de perfeit figura j,
15 annos muito proprio para um bom pagem ,oupi.
ra algum officio por ser muito lindo; urna prelada
nagio de idade de 17 annos de bonita figura pro.
pria para casa e be muito amoross para criangas ,.
be lavar e fazer o mais servigo de urna casa : na ruiaU
Apollo no Reoife n. 32, segundo andar.
= Vendem-so um escravo e urna escrava mogos a
de bonitas figuras sem vicios uem acbaquea repre-
aenllo o primeiro 20 annos, e a segunda 16 Uiodo
esta principio de costura, engomma, ensaboi n lava Varrella ; na ra doQueimado n. 19, icguodo .
dar. dai6 la 9 horas da msnhia e das do* ai 4 di
larde.
Casa da F,
Na ra estreita do Hozarlo, n. 43.
Na caa cima eontmuio-se a vender al cautelas 4|
lotera de S Pedro Marlyr de Olinda eujas rodas an-
darlo no dia "25 do crranle.fique o numero, que flor,
de bilbetes por se vender. Ns mesma casa vendara*
bilhelee e meios ditos da mesma lotera.
= Veode-se. por preco eommodo a dinheiro, o
a prazo um aobrado de 2 aodsreae solio na trav*.
sa da Madre-de-Deos, o. 1, em cbios livres ; tamben
se recebem lettras, sendo de bou firmas: tratar oar
da Crui n. 30.
=Vendem-se as Santas MiesSea com aecreioimo di
palavra de Daos emfolhet>i| enosdeaados a 80
rs, cada um oo pateo do Tergo, venda n.7.
** Vendem ae luvas para senbora a 240 rs.; dti
para bomem a 320 re ; meias arelas da aadK, a 1500
rs.; suspensorios a 200 400 ra ; tisouras lian, ,
160 rs; franjas de algodio a 240 ra. a vara ; ticos
e reodas de diversas larguras ; chapeos de sol para aa-
nbora a 1800 rs. ; liaba da carretel. a 310 rs. a da-
lia ; abotaadurea de eetioi, a palava., a- 808 n ; ditii
deduraque, a 280 rs.; diles de velludo 320 ra.;
lamaocos pequen >s a 160, 200 e 240 rs ; papel al-
maco a 2800 rs. ; dito de.peso a 5100 rs.; peonas
de pal, das melhores possiveis a 8500 n O milbei-
ro : aa ra do Cabugi loja da miudezas, de Fria-
cisco Joaquim Duarte. Na mesma veode-se Um preto
proprio para trabalbar de anchada,
AO PUBLICO.
as lojas do bom barateiro, de Guerra Silva 4 Com-
panbia, na ra Nova, ns. 6e 11 aeba-se a venda o se-
guinte : um completo sortimento le lia e seda de to-
das as cores para bordar ; talagarga d todas as largu-
ras e desenbos em papel teodo tambem deseases ja
principiados em talagarga para facilitar a sua conclu-
sio pelas meninas que comelo aprender com o
quaes, independente de meetra, podem aprender a la-
ser o ponto e a eiecutar todos es desenbos; agulha
propnaa para eate mesmo bordsdo ; ditas superiores
para todas as costuras; um sortimento completo it
papel de todas ss corea e qualidades pera forro barras s
guaroigdea de salas, a, entre elle, duas salas oompletii,
douradas e a selludadas; instrumentos de lodas as qui-
lidadea para msica militar ; e lamliem rabecSes ri-
beras, violoes, flautas e clarioetas de todas asquili-,
dades e varios pregos; ricos espelbos com moldan
douradaa de diflorentas laman bol; candimos de lo-
dos as frmaa para san lojas, e eatudanles ; liadas
sedas escocezas para veatidos a 1200 e 1400 rs. e co-
vado ; fitas lavradss de lodas aa larguras, a 120, 160,
200 210 ,320 400 e 480 rs. a vsrs ; ricas laa-
tinhaa para veatidos a 320 rs. o covado ; sapaloa da
marroquim para meninas de 10 a 12 annoi, a 500 ri.
o par ; damasco verde a 1280 rs. o covado bor-
zeguios para senbora a 1600 rs. o par : e aindshi
um resto de tpalos de selim a 320 rs. o par; e ou-
lros iiioiloi objectos de gosto, ebegados prusianamente.
Veode-se urna casa terrea na ra deS. Bom Je-
ss das Crioulas u. 3 na ra de Hortas sobrido
0.48.
Vende-se urna porcao de laceas vtsias de alca*
dao propriaa para ae eocberem de farinba de mandie-
ca ; na ra da Cadeia-Velha armazem de assutar,
n. 12.
Vende se um piano hamburguez com boai va-
zea, e em meio uso pelo barato prego de 80s n. ,-
na ra do Crespo n. 12.
Batatas
superiores em qualidade vendem-se no armeaem Bacelar, delronle da escadinha da Alfandega, a U
rs. cada gigo.
= Na praga do Commercio, n. 6. vendem-se aaceas
de superior farinba da (erra por prego eommodo.
Vende-ae um cobocnho, de 11 annos, proprio
para aprender qualquer ollicio ; oa praga do Commer-
cio, o. 6.
tisera vos Fgidos
Fugio, na noule do dia 15 do correte de bar-
do do briguo nacional Stnono ancorado na erando
Collegio, um preto de nome Antonio, alto, gordo,
olbos pequeos bem retnelo ; levou camia de vis-
eado caiga! de brim branco barrete encimada
urna pequea trouxinlia com sua roupa e 50 patacoes
que roubou de um marojo de bordo ; este escravo coi-
luma a lugir e a embreagar ae : roga-so ss sulo"J"'*'
policiaes, ou a qualquer capitio de campo > 1"'.
pegar, de o levar a bordo do dito brigue ce aeRU""1
por esla f Iha. .
Tendo desappareeido, no dia 13 de octubre de
1845, a escrava Escolaatica, que representa 24 anoos
de Idade d altura regular cheia do carpo ; q,n"
rio rail parfee ter a beec cheia ; oatrii iW' ""
bello ponteado e andar se sacudindo ; leudo levido
saia de lila e panno preto e mais alguns vestidos da
chita ; e como baja notieias, que ella se acha em ua>
litio oaPonte-de-Ccbdaservindoa um Ingles o0
torra : portelo pede-te a peesoa, sonde ella se atoar,
ou mesmo qualquer oulra qoe delta lenba noU'a,
de dirigir-se ao largo do Celle|ie loja de chapaos ,
a. 6.
PERN.
NAtYP D U. P. Dlr-ABIA 8q6


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKDHWN0RF_8QRAZU INGEST_TIME 2013-04-26T22:37:58Z PACKAGE AA00011611_08252
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES