Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08173


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1846.
Sabbado 10
n n/IR/Opublica-e todos 03 das que
- forei de guarda: o preco da assigna-
mrahede 4*rs. por quartel Pigoi ndianla-
j'< Os aniiimoio' dos assignaiites sao inse-
ilosai i/-a de 20 reis por liulu. 40 r. em
uno diferente, eas repetirles pela inetade.
L me nio forem assignantes pagao 80 rs.
porlinh, e 160 em typo dillerente.
PIUSKS DA LA NO MEZ DE JANEIRO.
rrMcenie a 4 aos 5 minutos da tarde,
...chea a 12 as 11 hor. e 41 uiin. da man.
Migante a 20 a 1 hor. e 31 m. da tarde.
},"* ovaa27as7h.e2mn. da manhaa.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Colaona, Parahyba, e Rio Grande do Norte
Segundas e Sextas (Viras.
Cabo, Serinhaem, Rio Formoso, Porto Cal-
vo, e Macey, no l. 11 < 21 de cada mea.
Garanhuus e lonito a 10e24.
Boa-Vista e Flores a 13 e28.
Victorls as Quietas feiras.
Olinda todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeiraa 2 b. e54inln. da tarde.
Segunda 3 a b. e 18 minutos da manhaa.
de Janeiro.
Anno XXII N. 7.
DAS DA SEMANA.
5 Secunda S. Telesforo, and. dn J. dos orf.
edoJ. do\di2 v.,doJ M i *,
0 Terca 3< 9 Dia de Reis Magos (Bplfanl .
doSi'iihor) S. Gaspar.
7 Quarta S. Thcodoro, and. do J. dociiy
da 2.* v., cdn -I. de pa/. do 2 dllt. de i.
8 Quima s Loarenco, aud. do J. de'orf,
r do I. M. ila 1. v.
9 Sexta S. Julio, aud. do J. do clv. da I.
v., c do I. de paz di> I. dist. de t
10 Sabbado S Qoacai, aud.do J do olv.
da I. v., e do J. de pa/. do 1. dist. de I.
11 Domingo S. riygino.
C.VM'UOS NO DIA !) DE JANEIRO.
Camb. sobro Londres. 27 V.d. p. 1(7
l'.'i/. 3*7 ivis por (Va
> ii Lisboa 112 n e. pr p.
Iie-r. de let. de boa, linnas I '/..aa*!1
0.iro-iin, is hesntnholas olOO i
i Uoeda de6*00 v.i. 167500
i. a de (i (10 I IIOV. Ki/ll II 1
>. de 4s"io:i 81600 a
Prala- PatacOes .... li*M ..
. Pesos ijilii-iiiiares I.CIM) a
Ditos Mexic wos IW I I i
Pro ti n.ii.0a l.frTiOO i
AcccsdaC." Uu Hebe.ibe de JUst-000
a 60 d.
L me/..
'.VtWOO
HijW'M)
I6j')0
X/SIMI
lelil
I"i40
I.SSO
lirtiOO
lo par.
DIARIO DE PERMAMBUCO
EXTERIOR.
NOTICIAS DO RIO-DA-PRATA.
Montevideo. 22 de novembro de 1485.
Cbegnu hoje o paquete ingle de Buenos-Ayres, e
conJut 170 passageiros, s mor psrle vaioos. Dizem
esle, que tinho principiado as degollarlas naquella
w/ile pela moz-boreo. e entre outroi casos cito o
eyim Italiano, a quem principiaro por coitar as per-
nal e concluirio separando-lbe a cabeca. Aecrescen-
o, que o encontririo no meio de uma ra mettido
emumsacco. (Comtilucional).
24 di novembro di 1845.
Ai carta de Buenos-Ayres e da Colonia, que aca-
bamos de receher nada di/em, que mereca referir-se.
As da Colonia confirmio a noticia |a publicada de se
terero apresentado 12 a 15 vascos pesiados, oiquaes
repetem os horrores, de que j tiobanios conheci-
menlo.
No dia 16 ficerio na lincea do Guan 36 embarca-
cds mercantes do comlwi e 15 em Martin-Gercia. Na
da se sania dos viios do guerra, que subirlo o Paran.
0 que sobre isto diiem algumas cartas de Buenm-Ay-
res nio passa de rumores sem oenhum fundamento e
mosir.o contradictorios.
A COnVETA PORTUCEZA D. JO5 I.
Montevideo.. 24 di novembro da 1S45.
O piquete ingles Spider avistou no dia 19 ama em-
barcaciode Ires msstros que navegava pflpa no ru-
mo do O., e pouco depois pareceo ter encalhado no
banco Ortii O Spider fez I lio signaos mas nao Ihe
responderlo. Julgou, que (oise a corveta portuguesa
D. Joao 1.
A escuna brasileira liabel, entrada hootem, confir-
ma esta noticia. A corveta portuguesa encalbou com-
pletamente oo banco Orliz. Tioha lancado ao mar
3,000 balas, 10 pecas de artilharia, lodo o lastro e to
das as pipas de agoa.e baldeou para a escuna Isabel ou-
trai 10 pecas, que forio traiidas para este porto pa-
gando 100 patacOes de frele Fallimos com o mestre da
liabel. e elle nos informou, que a crvela demandava
17 pe. quando encalbou, e que ficava em duas bravas
quando a escuna uella se separou no dia 21. Os cascos
de inbo e outros artigos, que lancou ao mar, tintino
sido amarrados para nao se perderem. Eslava auxi-.
liando a corveta o pilot-boat oriental Amelia, e tinba-
to mandado buscar uma sumaca Colonia. O ponto
do banco, em qu" encalhou a corveta D. JoOo 1 be.
segundo diz o mestre da Uabil, entre o Sauce e o Ro-
sario. A corveta nio eslava tombada, e bavia tres dias
que se ochava encalliada.
25 de novembro de 1845.
Chegou honti ii. o pilot-boat Amelia, que tinha
ficado ausiliendo a corveta O. Jado l. O leu patrao ,
ni quem fallinos, diz, que no dia2l loi mandado
olonia com o segundo lente da corveta para pedir
mullios, mas que o cominaodan e da praca nonbuns
ihe podra prestar. Que o brigue de guerra francs
)'Altai e o brigue de guerra ingle* Philomel envia-
rn logo aa suas lanchas, com cuj.. auxilio loi lirada
a corveta da sua perigosa situscao. No dia 22 ficava
tundeada em 4 biscas d'agoa, e oceupavao-se em ro-
cegar os objectos tanca Jos ao mar. Ainda nao sabemos,
su a cortla sdico averias, e quaes sao as suas verda-
deras [urdas.
(Commercio del Plata.)
26 de novembro de 1845.
SSopoucasede pou'co inleresse as nolicias.que temos,
porque nada, positivamente nada sabemos do interior
dos nos, que be onde, por agora, esta fiza a atlencao,
Hontem rbegario alguns barquinhos de cima, e duem,
que nada se saina em Martin-Garcia, nem uo Guaiu
ia ezpedicto, que subi no dia 7. Os barcos mercan-
tes, em numero de 50, esperio naqoelles dous pontos,
quo te retnovSo os obstculos, que Rosas levantou no
Paran, e que consisten), como ja Ibes dis.e, em uma
balera lorie na Volta de Obrigado, e em uma cadeia
de embarcacoes unidas, que fecha o canal.
Do buenos-Ayres sabirio seis balieirss, armadas e
tripoladas de Americanos e outros estiangeiros pa
ra laverem a guerra por sua coota no Paran. No
dia 14 agarrarlo duas lanchas, que desciio o rio com
lenlia, pertencenlea so trafico do mesmo Paran.
Estamos aqu em paz octaviara, Nio se ouve un
tirosenloquaodo ha salvas.
Quando chegou a esta o cnsul bespaobol, deis-
rio as armas alguns individuos dessa naci, poim pou
coi. O Sr. Creus pedio a Oribe, que permitlisie.
que as largassem tambero aquellas, que se echavao em
suas fileiras, e que nio qni/essem continuar a servir,
Oribe quii a principio, que o tratassem como presiden-
te legal, o que nio cunseguio.
Veio depois a difBculdade de nio baver agenle acre-
ditado, que concedesse papeletas, e quiz Oribe, que a
crediUssem u.n junto a'elle. Segunda negativa. Por
Em convelo se em que uma commissio nula de Hes-
psnbes e Orientaos laria ts classilicagoei e doria as
papeletas. De eolio para ci nada oais sabemos senio
que alguns vascos de Oribe priocipiirio a apresen-
Ur-se posados.
0 comboi mercante, que sobe o Paran!, compOe-se
muiros tantos
A osaemblea do Cerrilo deo Oribe /acuidades ex-
ii iiv
a Lo
traordiiariat por uma reaolucio recente. A junta de
S.-ia*n do faeuldadei extraordinarias ao seu gover
nadnr Benavides, leeleito pela quinta vez : a junio de
Tucuman reelegeo tamben, o seu governador, edeo-lhe
fatuidades exliaordinariai. Abi teem Vmcs. oque he
o sem outra lei que nao aeja a vonladd de quem go
verni.
DESTarjICAd das batbrias da volta db obrigado.
Montevideo, 29 de novembro de 1845.
No dia 20 do corrente forjo atacadas as poticons do
inimigo no Paran pelas forcas combinadas anglo-fran-
ceai. A resistencia loi tenacsima. O combate ilurm,
com igual calor, desde as 10 horas da manhaa at as 7
da tarJe, momento, em que todas as bateras fdrao to-
madas, e o inimigo derrotado com terrivel perda.
Achario-soem uma das bateras 250 morios, e na ou-
tra 160, todos elles pretos. Tomrio-se 22 pecas de ar-
tillara No momento, em que a infantana inimga co-
mecou a ugir, a sua propria cavallaria fez uma carga
sobre ella para obriga-la a volver ao combate. Assim se
peleja voluntariamente a favor de Rosas.
A perda das forcas combinadas he a seguinte : tiverlo
o Franceses 18 morios e 70 ferid >s. Entre osprimei-
roi o lente Micbau. immediato de S. Martn: entre
os feridos os officiaes Helio, do mesmo vaso; Vernez, do
Pandour; Simonoeau, da Bxpditivi, e David, do
Fulton.
Os Ingleses ti verlo 10 morios e 25 ferelos. Entre os
primeros se contio dous ofHciaes, o lenle Bnckdale.
da corveta Comui. eo Sr. Andrews, do Dolpkm,
Este vaso recebeo no ca^co 107 balas; o Fulton 104,
e o San Marin ficou cj-ivado.
Os Franceies aiiririo 1.600 halas. Varias pecas ini-
migasestavao desmontadas, quando se operou o desem-
barque, que (erminou a aeran.
Tomamos de onte segura os seguintas pormenores,
|ue eiplicio todo o successo.
No da 18 fundeirao as forcas combinadas em distan
cia de tres milhas da pona de Obligado. Ao amanhecer
de 19 fizerio-se reconhecimentos das posiedes ininigas;
os doua cheles acbrio, que tanto a escollia do terreno
como a construcciodss bateras mostravio muito tino e
babilidado; as baleras erioquatro, duas elevaJas a 00
ps da linba de sgoa e duas nos bsixos intermediarios;
compunhio-seao todo de 22 pecas de 32. 28, 24, 18 e
12, coberUs com lories obras da manposteria ; uma li-
nha de 24 einbarcac<5"s, lustenlada >or tres correntei,
fecbava o canal do rio, que tem slli 800 arda de largu-
ra. Em um dos entremos desta tinha se acbavo de/ va-
sos incendiarios e no outro uma escuna armada com 6
pecas. Segundo todas as nfonnaces, o numero dos qu
defendiao as posicoes passava de 3,000 homens das lies
armas.
O plano de ataque combnou-se da maneira se-
guinte : formrlo-se duas divisOes. A do Norte, ao
mando do capillo T.houart, compunha se do brigue
San-Martim que elle commandava, da corveta Comu
commandante Inglelield, Pandour lente Duparc, e
olphin lenle Leviug,
Asegunda divisio, comando do cspilfui Siillivun,
i'.ompunlia-so do brigue Philome dehaiio de suaa or-
ilens, da corveta ipditive lente Miniac, brigue
'anny lenle Key, e brigue frocida lente Marir
de la Rivire.
Estas divitc.es devjlo tundear ao Norte e Sul a 700
jardas de dislanca, emquanlo os vapoies Gorgon com-
mandante Holliam (official mais antigo), Fulton com
mandante Ma/rei. o Firebtand commaodanle Dopr,
fuodeanio a 1,500 jardas da balera mais distante.
O dia 20 aman1 eceo com milita neblina; aclarou is
8 boras com uma brisa fresca do Sul. A's 8 horas e 4o
minutos, a divisio do Sul luspendeo, e pouco depois
suspenderlo o San IHartim, a Comu, o Dolphin e
Pandour. A corrente era de 3 milhas.
A' 9 horas e 50 minutos as bateras romperlo o fogo
sobre o Philomel e sobre toda a divisio do Sul.
A divisio do Norte foi immediatamente com o moior
denodo oceupar suas posicoes O vento aflrousou, logo
que a csnbonada se tornou geral, e alguns navios liverio
de tundear a distancia de duas amarras dos pontos de-
signados.
A's 10 T|2 to'rnouse a accio em geral. eo efleit
dos tiios de bordo nolou se logo pela irregularidad.: do
fogo das bateras. Com ludo a resistencia era tenacsi-
ma : os bomens arrebatados das pepas pelo fogo das em-
barcacoes erio substituidos immedialamente ; verdsde
beque a cavallaria, abrigada no m ote, carregava e
cutilava a infantana, que mlentava fugir.
A' inea hora depois do meio-da, a escuna inimiga
/(ouolicoiiu iiwuciii urna granada do Uolpkin; os
brulotes nio podiio operar por causa da crreme
A en* hora o capillo llope do vapor Finbrand sal-
tou ao leu escalcr e foi cortar ascadeas o xilo coroou
o seu arrojo esbiio uma passagem, por oode, a uma
imra Ja tarde penetrou o Fulton o flanqucou as bate
ras iomigas : foi seguida inimediaUmeiite pelo Gor-
gon e pelo Firebrand t
Antes dessa hora o fogo de trra tinha maltratado se-
veramente ao San-M<.it o inimigo so dingia com especial empenho para o pn
meiro, o qoal, colladas pelos tiros as suas amarras, so-
tiventeou e recebeo cousa de 100 balas. A Expdilive
a Coma Torio em apoio dos flu)i|o,eadorus, e colloca
rio-su a tiro Je espingardas das baleras.
O fogo deslas tinba principalo graJustmenle a di-
minuir, e s 4 horas atiravio apenas um ou outro tiro.
\ essa horao chafe ingles lezsignil (i empadra para a
aromptar os .'Scsleres, dando por ponto do reunilo ns
mtidos do Gorgon e do Firebrand. O ohefe Irance/
preparava-re ao mesmo lempo para sustentar o desem-
barque com singular intrepidez. _^
A's cinco horase \"> minutos dosembarcou ocapitio
rlotbam 325 homens dn infamara do trra e mar; urna
{uerrilha eorninindada pelo capillo Sullivan foi recobi
di ao subir o outeiro com vivo fogo do mosijuetaria; mal
i chegada do resto Ja forea com o capillo Hmllo fe/
retirar o inimigo. Qnsi ao mesmo lempo oflacluava o
cbela Irancez o su ilesernbarque e apoderava Sii rjf lre<
piimeiraa htlerias, que comee IQ loga a desmantelar. O
inimigo nio fe reiitlencia ao desembarque. N< manhla
s.v.-yiule frao Ierra novas forcas. o completarlo a des-
trucio total das posicoes : embarcarlo 10 pecas da
hronze e lancrio as oulraa ao rio.
Julgandn pelo numero de morios, quo se adiarlo as
hateras e pelas carretas, que no decurso do dia recb-
Ihilo os feridos. calculase a perda do inimigo em msi*
de 400 homens No dia 21 permanecrio em trra as
forcascofibinadas sem serein nem leve.nunle incommo-
dadas.
Assegura-senos, que o capito Hothain nio acha ox-
pressdes, com que elogiar ao seu collega francei, o ca
pitio Trhouart, a quem escreveo duendo : Se ha
quem merecao nome de valent--, he V. S o s suastri-
polaces. (Commercio del Plata.)
BUENOS-AYRES.
A Gaxeta Mercantil, na publicado dos documentos
relativos A negociadlo entre llosas e os minislr l de
Franca e Inglaterra,omitlo a nota legunle do Sr. Ou-
seley ao ministro Arana :
Vapor deS. M. liritannica Firebrand, l. de agos-
to de 1845.
Oabaiso asignado, ministro plenipotenciario da S.
M. B. leve a honra de receber a ola, do 29 do pasia-
do, de S. Ene. o Sr. ministro do- negocio* eslrangeiros,
incluindo copias de communicaedm particulares, con-
fidenciaes e nutras, |.intainenle com aUuns docuinen-
los, que se diz serem minutas, ou r.'corducSes de varias
converssces, ou conferencias reservadas. S. Esc. ac-
crescenta, que transmute esses papis para provar a
dignidade, lealdade e franqueza, ou boa fo do gover no
(uanlo aquellas dessas coinrnunicacrVs, que se refo
rem a recordacoas de reuniooa e de cominunicacoe par-
ticulares, e conlidunciaes enire o Sr. Arana, o Sr. Bren!
e o abaixo assignado, s pode esle referir-se as suas com-
municacoes de 28 de maio. 20 do |unho o 18 dejulho
as quaes nada lern a accrescentar. Comiudo tem a hon-
ra de fazer observar, que a exhibicao, ns corresponden-
cia official. decoininunicacesconliilenciaes e particu-
lares, sem prvio a.cordo das parles nellas inleiessadas,
be, pelo que a experiencia do abaixo assignado em ou-
tros pai-es Ibo emina, opposta inteiramente a'corlo/ia,
esos usos diplomticos; nem ci o lio pouco, quo^se-
melbante conducta possa considerar-se, em circurs
tancia neohuma, e ern nenhum pas, como prova de
digmdade, lealdade e /rangurza.
O abaixo assignado aproveita esta occasiio para ro
novar ao Sr. ministro dos negocios eslrangeiros a segu-
rarla da sua disluicta consideracio.
(Assignado) IP. G. Ouseley.
conniBNTKS.
Eiquadra nacional.
Ao Exm. Sr. director da guerra, brigadeiro D. Jo-
s Mario.Paz.
Exm.)6r. Tenbo a salisfacio de participar a .,
Exc. o triumpho de nossas armas as agoas do Paran!
em frente a Bajada. Tres dias trernulou a han Vira da
liberdade i vista dos escravos do 4yranno. Si lio co-
bardes como o amo, a quem servem. Com 4 pecas de
miliaria e mais de 400 homens postados em tres pon-
tos distinctos, nao podiio car a sua bandeira senao a
meio peo. Na nianhia e na noulede30 de selem-
bro houve um fogo vivissimo a tiro de pistola. O re-
sultado desta expedicio be de seis bkreos presados
com alguma carga e pouco armamento, e tresembar-
cacO.s queimadas.
Dos guarde a V. Exc. Riachuelo de la Esquina,
7 de outubro de 1845. Jote CarJaii.
Filia Nueva, 20 de miembro de 18<5.
Ha alguns diaa spresentario-se, vindas do Salto,
quatro embarcacoes pequeas armadas em guerra,
commandadaspor um olliciai italiano chamado ooniia
co, que commandava a esquadrilba de Rosas oo Uru-
guay, e fundeou no porto da Uruguayana. Dalli veio
canhonear aa caas desta povoacio, e depois psssou ou-
tra vez para a Uruguayana, o que deo motivo a uma
reclan.acao do commaodanle da nossa forca ao do Brasil,
que foi laliifactoriomeiito atlendido, pon a ti horhs
da noule n.andou prender o chefe e ai tnpolacdei dos
qualro barcos por nio Irorcrem patente.
' (Commercio del Plata.)
O APIIESAMENTO DONEGREIRO BRASILEIRO S.-XA-
VlEn NACiSTA d'afiiica.
Par ii, 22 de oulubro de 1815
(I .v.-.Vnw ormaJo no Rio-de-Janelro pela casa
de Luil Verguoiro eC que acaba Je lallir, parlio da-
iuel!e porto en oulubro pira Ooy na costa do ('. .Ulnr,
e ehi'gan lo all, recebo em 21 horas um i carga de 450
460 negros esahio immejiamente No mesmo da ap-
pareceo um Irrigue do ciuieiro, e sabendo por um na-
vio americano, que o S. Xavier tinha I.rg.do poucas
horas antes no rumo d i O. seguioo nessa dir-ccio.
Esto hriue encootrou pouco depois umi escuna ameri-
eoaoiohlo di Bihia, muito veleira e armada com um
rodillo, dplurou-a, e rnett.io-lhe a bordo 30 homens
i'omminJaJos por um t'nente o um aspirante Esta es-
cuna, assim esquip "la, do logo caca, e no da seguin -
te alcancou o S.-Xavier, abordou-o o meH,'0-lhe al-
guma genio sua cm o aspirante por comaunlanle do
presa, ficanJo o lenlo com 22 homens na escuna, e
fazendo pasyr para osla grande parlo da tripolaciio do
S. -Xavier
QuanJo so soubo, que os dous navios iio navogar de
conserva para Serra-Leoa, o capilla do S. Xavier, um
fulano Silva, natural da Iba de S uit. -i) ithanria, man -
dou S"U sohrinho a pr.li para communicar a sua gente,
iiie eslava pro.npto o resolvido a ludo para nao ser con-
dolido Si-rra-l.eiji ; que, pois, se preparassem para
ajuda-lo ao primeiro signal. Responderlo, que esla-
o promplos. e que obranio ao primeiro ngnal. Silva
|ulgnu conven'etc combinar o seu ataque com os pu-
cos marinheiros da sua tripolar,'io. que linhao ficado a
bordo Jo S -Xavier, ('.onsequenlernenle obleve licen-
ca do lenle inglet para mandar seu sohrinho e dous
marinheiros a bordo da presa buscar ns liabs, quo all
deixra.
Chegando a borJo do S -Xavier, peJio ojohrinbo
de Silva ao espiranle que Ihe deixasse levar lambem
urna espingarda de cag,co^ipromettenJo-se a descarro-
ga-la antes do sahir do bordo. Sendo-lhe concedido o
seu p-dido. foi para a popa do navio e descarreou no
ar a espingarda.
A escuna eslavo muito prxima, e o capillo Silva to-
mando 0 tiro pelo Bienal da accio que esperava ver
principiar a bordo do 5. Xvitr, prenpilou se s .lira
0 lenle inglez que d nada dosconliava, e apunha-
lou o; o sua genio fui onlro lant a respeito dos ma-
rinheiros inginas, que eslavo sem defensa, e dentro de
pouros minulos ficlrao os sul levados sen dores da oscu-
na i' nella icario a sua bandeira dopoil Je lerern morto
22 loglexes, cojos corpos lanclrao ao mar.
Alas o lumullo desla revolta pi em alarma o 5 -Xa-
vier, o aps algumas vias Je lact. insignificantes, o aspi-
rante e ojseus posarlo a lerros os Urasileiros A escu-
na veio enti dar um tiro Je metralba ao 5. -Xavier,
que matou alguns liomens. e o capillo Silva, depoil Je
b/r tornado a carregar a peca com o nico carluxo. que
tinia a borJo. dispunha-so a tomar por ahordagem o
seu antigo navio, qumJo. apparecendo o longe uma
barca de vapor, nenhum recurso Ihe ficou seno o Ja
fuga. Anles de anoulecer eslava o ca,alio Silva em
poder dos Ingle/cs. sem tor podido determinar a sua
genio a arriscar a vida con a espada na mi. Bolo re-
signado dos morinbeiroi nao os livrou Je serem mal-
trataJos, e mesmo Je serem morios alguns no primeiro
momento de indignado.
CdegaJos aSerra-l.eoa, forio mandados para Ingla-
terra todos os presos, que tomarlo paite na revulta.
Os que so achavio a bordo do S'-X'avttr forio absol-
vidos em piiu.eira inslancia en. Serra Lea : nio havio
provas nem principio de execuci, que os i.nplicaise na
revolta. Em quanto se piepirava a apellacio lugirio
em um navio, que seguia viagem para o Brasil.
(Preue,)
(Jornal do Commercio.)
DUAS SICILIAS.
aples, 29 de outubro.
Asearlas do Palermo, que recebemos bonlem, nos
annuncilo a chegada do imperador Nicolao aquella ci-
dade no dia 23 de oulubro, e nellas encontramos os se-
guinles por menores. S. M I. fez a viagem ecompanha-
dopela i.nperatriz. gra-duquea Olga, e principe Al-
berto da Prussia. no barco d. vapor russo hamtickatka.
que ia seguido do vapor lleisarabia. SS MM. recusl-
rio todas as honras, que as autoridades sicilianas qui-
ero tributar Ihe. e desembarcado no caes da cidade
sem uma salva de .miliaria A irnper.lr.i nio qu.z ac-
ce.t-r pesua alguma siciliana para o seu serv.co, nio
obstante ter 0 .ei de aples designado par. es a. func-
roeo a princea de Pa.t.na e O duquo de Serrad, ais... A
familia imperial da Ruosio dir,g.o-se logo a Ol..a/xa.
onde bavia tres casas decampo destinadas para sua ha-
bilacio. Notavio-se no corlejo imperial alguns teherken

!,< (ii.niaiili'ir a rnrrna-
passeios. A imperalriz eo
u guarua i".|i
Rem da imperalriz nos seu
gria-duqueze Olga oceupo a casa do campo da prioce-
z, Badali Butera.
A chegada imprevista do imperador Miclio cauou
uma grande sorprea a todrsoa que eslavio encarrega-
dos deassistir a recebimenlo da imperatnr, e loi pre-
ciso preparar a t ida a presia uma habitarlo competente
para o imperador na casa de recreio Badali Butera. O
principe Alberto, o conde de Nesselrode, ministro dos
negocios eslrangeiros, o conde OrlofT, ejudanlede cam-

^


V
po do imperador, o conde Sehoimloft, marecbal da cor-
te da imperatru, e o bario de Meyendorf, ministro da
Rusa em Berln, occuprio ai casas de campo dt, Ser-
radilalio e de Monte'eone.
As autoridades de Palermo procurarlo fazer ludo
quanloeslava aoseu alcance para turnaren) o mais sgra-
davel que Ihes lo'sse possivel a babitacio da imperatriz
na Sicilia.
O arcebispo de Palermo, associandose aos seus dse-
los, manduu publicar una pastoral coocedendo lioenc"
aos jornaleiros de poderem trabalhar aos domingos e
oulrue das santificados para os lestejos, que se prop-
rio a fim de obsequiar a ini| cratri/. da Russia. A cicla-
do de Palermo tomou como por encanto um noo aspec-
to : is ras, cujas calcadas se acbatSo destruidas, lorio
concertadas, as frentes das casas rebocadas e caiada*.
Todas as eslrailas principacs, que conduzem a Olivaxta,
rio reparadas com o maior cuidado; em summa leva -
rao-so os preparos a um requinte tal, que al se pint-
ro com as mesinas cores adoptadas na Russia aa guan-
tas das sentinollas postadas (liante da morada imperial
Chegando a Palermo eniou o rei um doa seus aju
dantos decampo cncarregedo de peguntar ao impera-
dor quando p.deria visita-lo; masS. M. I. linhn-se an
(acipado, e dirigio-so ao palacio do rei do aples com
tal pres(eia, quo encontiou esle monarca na escada. Eo-
lio os dous soberanos so abracarlo, e poucos momento
depois se dirigirlo ambos ao palacio du imperatriz. O
roi do aples levava vestido um rico uniforme com o
collar ruiso de Santo Andr pendente sobre o peito.
Suppe-sr, que o imperador Nicolao ni > permanecer
mais do tres semanas em Palermo, e quo tem loncfio de
passar alguns dias em aples. ,
O rei de aples saliendo quanto o imperador da
Russia gnsta das revistas militares, mandou concentrar
algumas lotgas do exercito napolitano, quena verdado
se acba no melbor aceio o disciplina.
_ SS. MM. II. niostravaoyse oiui satisfeitas da sua ba-
bitacoem Olivazza, que conten inui bellas galeras, o
esta situnda no meiode magnficos jardins. impera-
dor passeia Irequentemento so polas ras de Palermo,
acompanbado do um criado, que Ibe serve de guia.
O duque de Genova, e o principe do Carignao, che-
gro Sicilia. Annuncia-sea chegada do'principe d
Piussia, e assegura-se, que o duque de Brdeos manifes-
tara a intencio de faier urna visita ao imperador da Rus
ITALIA.
Milito, 6 dt nurtmbro.
Escrevem de Palermo, em dala de 31 de outuliro,
dizondo, que a reuniao dos dous soberanos da Russia e
das Dims-NciliBS produz un nioviuiento extraordinario
naquella cidade e villa de Olivazza, sitio onde reside a
familia imperial. Alapora nao tem havido feslss nem
lecepcOi-s, e ninguem be aJmiltido em Olivazza, senio
por convite expresso do imperador e da imperatriz. Mas
ha fiequentes reunies e passeios campestres, nos quaes
a imperaliiz toma grande parte. No palacio < quinta do
rei do aples, denominada a Favorita, he ondesempre
aiiiioi a 11 os dnus soberanos e antio no do imperador : a
imperatriz da frequenlemenle os seus passeios pelos jar-
dins dos ditos palacio! Estas distraerles, unidas a do-
cura do nosso clima, tem influido ja muito na suJe da
imperatrir, e os seus mdicos espeiio, quo em breve se
reslabelecer. A giaa-duque/a Olga ho objeclo de urna
atlenciogeral, sendo dotada de urna admiravel belleza,
e mui pa.ecidi com seu pai. Actualmente da so por
cei'to o casamento desta joven princeza com o archedu-
que Estevio de Austria. Este principe conta buje vinte
e oito annos de idade e he lilbo do arebeduque Joao,
casado em piimciras nupcias com urna irmla do impe-
rador Nicolao. O arebeduque Estevio he filho de urna
princeza de Aubalt-Beruhurgo-^chamuburgo. Segundo
as leis fundamentaes do imperio rus-o, toda a princeza,
que casa com um czar, be obrgada a abracar a religiio
grega, e tambem toda a princeza da familia imperia
que se unir a um principe estrangeiro, deve continuar
no paiz do seu esposo a professar a lelgiio em que as
ceo. Acorte da Russia linha-se mostrado at boj ri
gida observante desta Ici, mas parece, que altas conside
ra(cs polticas a induziiio a ceder das suas exigencias
sobre este poni Com r Arito assegura-se presentemen-
te, que a mudanza de rehstido, que ja outr'ora lez rom-
per o projecto de uniio eotre o areboduque Ksteiio,
a gria-duqueza Olga, ji nao be boje um obstculo. O
imperador Nicolao, que deseja ardentemenle este casa
ment, contente emlim, que a sua filba abrace a reli-
giio catholica, e s se espera a prsenca dente soberano
em Vienna para se regularen) as ultimas formalidades.
O rei de aples reuni todas as tropas da guar-
nicio de Palermo, quo formiouns 4:000 homens para
urna revista passada pelo imperador Nicolao, a qual se
realisou na falda do monte Pellegrioo. Os dous sobera-
nos dirigiro-se all ambos eni um< carrinho descoberlo,
acompanhando-os tambem o conde Trapani. e o princi-
pe Alberto de Prussia. O Imperador levava vestido um
rico uniforme de hussar com a ordem napolitana de Sio
Fernando, e o rei de Njpules vostia o uniforme de ge
neral, levando pendente o collar da ordem de Santo An-
dr As tropas executrio umitas manobras e exercicios
de fogo. O imperador mostrou-se rnyito satisfeito da pe-
ricia com que ellas manobrarlo e do aceio com que se
apresentrio.
O duque de Monlebello, embaixador de Franca
em aples, ebegou bontem a Palermo, onde teve mi
entrevista com o rei, ediz-se, que deve regressar bojea
aples.
Anda te ignora o lempo que o imperador perma-
necer em Palermo, e a estrada que seguir quando re-
gressar aos seus estados; ninguem conhece os seus pro-
jectos; mas assegura-se, que dentro em poucos dias ir
com o rei de aples fazer urna visita 6 rninba, que se
acba grvida, e que vollar depois para o lado da impe-
ratuz em Olivazza, onde permanecer at meiados de
noten.hro. An*irni-e, qye o c::r ss de ir Ro
mas be provavel, que nao lomar sobre esta viagem urna
resolucio difinitiva, sem ter urna entrevista com Mr. m
Boutenniefl, seu, ministro plenipotenciario junto Ssn-
ta-J, o qual mandou comparecer em Palermo.
(Prute.)
sontenca, e que o chele driftso fosse pre-o e transferido
para Conslantinopls, onde pretende te instaure um no
vo processo. No caso de repulsa, Mr. de Bourquenev
s.-.hiri de Constantisopla, e para o exige uun promp-
ta resposts ; masa porla nio se mostrs disposta a co
der por ter encontrado um forte apoio nos embaxado-
r-'S da Russia e da Inglaterra, que nio approvSo a an
nullacjioda sentenca. Em taes circunstancias be par
receiar, que o assuropto tome um carcter grave, e que
laca cim que Mr. Hourqueney petja os seus pasaportes.
Os Francezes residentes nesta capital receiio, que a
Franca fiqu iprocedendo separadamente comoem 1840,
e desconfiio muito das outrss potencias.
30 de oulubro.
As ultimas noticias das provincias, que se recebarlo
ltimamente nesta capital, an nunciao, que se teem com-
mettido algumas desordeos parciaes em varis provin-
cias. No Mossul o governador Mahamet-Pach parmit-
tio, que se eslahelecessem as tribus nomidas a quatro
legoas de distancia da cidade, sobre a margena do Ti-
gre, porque ao deserto todis ss fontes e lagos haviS
-oreado. Em virtude desta licenrja as ditas tribus levan-
taran vinte mil barracas; mas logo depois comecrlo a
commeiter roubos eassassinatos, obrigando este proce-
dimento o govornador a revogar a licenca, que Ihes ha-
via outurgado, e a preveni-liide que as expulsara dal-
li; advertencia de que ellas nio fizerio caso. Eolio o
pacb resolver expulsar eflectivamente as ditas tribus.
Com efleito o general Anessi, auxiliado pelos rabes, as
combateo ederrolou, obrigando-asa retirarem-se, doi-
xando em poder do vencedor muilus mil csrneiros, ca-
mellos e egoat rabes.
Em Serajew a populacSo turca saqueou a synagoga.
com o pretoxto de que um Israelita tinba violado urna
n.ulhor turca. Nio contentes os Turcos com isto, pene-
triro em varias casas dos Israelitas, as quaes roub'io,
levando comsigo alguna driles em refeiis, para ealor-
quir-lbes sommas consideravais. Parece, que as auto-
ridades se conservrio passivas sem darem provideocia
alguma para obstar a estes excessos.
(G. d'Augibourg.) '
SUISSA,
Zurick. 31 dt oulubro
Oassassinio de Mr. Leo, ebefe do partido conserva-
dor do cantao de Lucerna, que teve lugar, ba alguna
meros, e que tanta sensacao causou, deo motivo a mul-
las conjecturas sobre quem seria o seu verdadeiro autor
Ceralmente allribuia-se este crime ao partido democr-
tico, e fizerio-se as mais seve'ss nvestigacoea 0 lem-
po, que lem o poder de faier esquecer ludo, fes sen-
tir a sua influencia nesle incidente, e j quasi se nSo
f 11 lava nelle, quando um tal Muler, que se acbava pre-
so por suspeito de ser implicado no assassinio de Leo
declarou ser elle o autor, e que nio tinha commetlido
o i rimo por um senlimento de vinganga, mas sim se-
duzido pelas bnlhanles promessas, que Ibe fizerio os
inimigos.polticos de Leo. Ha quem diga, que esta de
clareci fon. feila com o fim de perder os membros
mais nplaveis do partido liberal, fazendo-os appsrecer
cmplices neste assassinio. Tuto isto assim pode ser.
maso certo be, que se tem feito muitas prisOes de nota-
bilidades de te partido, o que lem produsido grande a-
gitacioem Lucerna, As tropas estavio em armas, eo
conceibo tinha sido convocado extraordinariamente.
{Gazetic de Zurick.)
ALLEMANHA.
A/argens do Hheno, *dl dt oulubro,
O celebre Rouge continuava a percorrer os paites do
meio dia do Allemanha, pregando as suas doutrinas.
ltimamente vista de um nmerosnuditorio prooun-
ciou urna celebre orando, na qual dirigi terriveis in-
vectivas contra os jesutas, dando a entender, que elle
nao combata o piotestantismo, mas sim o catboiicis-
iiio romano.
Todo o mundo er, que Rouge (izara esta declaracio
com o fim de apresenlar-se lavoravel nenie aos olhos
dos principes prcteslantes, para que Ibe permitan pre-
gar nos seus estados. Asaim, cada dia be mais diflioil
cornprehender a que religiio perlence este impo. Mul-
los emissariose discpulos, que Rouge mandou Bavi-
era, lorio expulso* daquoile paiccorn todo o rigor, e
na diocese da Colonia tambem nio h/erio progresso al-
gum. (Hazme dt Colognt.)
ASIA.
As noticias, que se recebrio de Eslerabad, porto
importante da Persia sobre o mar Caspio, confirmio o
rumor, que ba ternpos circulou de trabalbarem os
Kussos por formarem all umestabelecimento. Com ef-
leito isto concorda com varios passo dados pelogover-
no mascovila nsquella regiio. Em 1843 estabeleceo
esle um servico regular de barcos de vapor, que iio des-
de Astrakan, cidade russa, pelo mar Caspio al Esle-
rabad, [faiendo escala por erbelete, Bakon e Eune
li. Esta circunstancia deo nova actividade ao cornmer-
iio rumo. No mez de junho ultimo o governo do czar
pedio ao shab a competente autonsagio para eslsbelecer
um correio russoem Eslerabad, como fim de proteger
os negociantes desla naci, que vinbio all estabelecer-
o em grande numero. Em fim brevemente Eslerabad
ser urna cidade russa, como Aden he urna eidade in-
gleza. (Comnwre.)
(Diario do Governo.)
INTERIOR.
TURyUlA.
Coitfiantui'ipla, IB de oulubro.
Constando a Mr. de Bourquenev, que o ebefe drusso
Abou-Nekel tinba sido absolvido por um tribunal com-
posto e presidido por Cbekib-Efleodi, dirigi immedia -
lamente urna nota i porta, exigindo a annullacao da
RIO-DE-JANKIRO.
Conrlnio-seanle dionleii) (10 de desembro) o exame a
|i,e DiimdiKi proceder oSr. ministro dafaienda em on-
Keqnenoia do roubo nltimainciite dearoberlo no theanurii
poblio naeional. Coiiheieo-aeque4,649 billieli-i de di-
veraaa lolrria e valore na importancia de 56.046{ r.
i|ue haviao aido pagos peloa Iheiuureiroa daa Menas, e
>oli.i.. erirbiTfd- > ublraliiiloaf pagos oulra vei|ielo Ihe.ouro pnblioo, pa
recauda lereiu corrido pelo Iraiiamte ordenados im
c-ooi.id. nia (eral doreiiafti), sondo puriq falsas as lei-
iraa o firmas do enipregndua de repartijao q.io e fi-
zerio figurar como oonferenle o reviore do dito bi-
Ihelea. Cumpre notar que < bilt.eie quo Foro pago
segunda vet pelo ex-fiel do lheoMreiro goral, imito
iodo anota de pagos pota pelo theaoureiroa das lo-
leria.
O juit de direilo enoarregado da Forniacio e organi-
aaou do proceo prooeilro tamben) a ouiro eianie lia
ala onda e arebivto o bilhele da lotera, e euiiheeao-
aa que para ir para sosa sala he indispensavel psssar-se
pela thesnnraris, o quo se nio podem tirar oa bilhele
d> armario em que eatln sen o auxilio do aaoada, o
que parece indicar mamteiUmente que na aubtrarclo
lo I,;:.:.-; nS.i ntcrTfi--peM-'a estrar.ha repartico.
Proaeguem aind as diligencias.
Anle-lionlem fui siispe)io, na forma dalei, o 8r. con-
nelhalro thrsoureiro geral do thoanurn publico Basilio
los Pinto, al se conheeer judicialmente o perpetra-
dor do roubo. Neale mesmo dia oSr. ministro da faxeii-
la nomeou urna commiasio composta do tros membros,
que ato oaSr.:
Camilla Jo*" Valdrtaro,
Thom Mari da Fuares e Silva,
Francisco Alve de Brilo,
para aervir dorante a auspendo do thoaoureiro geral.
Paaaon eU oommiaaio no mesmo dia tomar oont
do dinhrirus pblicos a cargo do thesoureiro gersl,
. como era de esperar, nao .oachosi a mais pequen
difforenca uaa aommas qoo o Sr. Basilio tinha da en-
tregar.
Entretanto sentimos ter dediter que o honrado ir.
Exilio, como recompon de tanto annoa debomser-
vica, tero de repr a quanlia do56:046800 ra.. ub-
trahida ao thrsouro. e que, flt'> de meioa, e para !-
vr iu familia d miiori, e cha rrdnxido i tr)le w-
eessidade de acceiUr urna subteripcio promovida pelo
cu amigo.
Et sobacripcio moni j a qnarenla corno de re.
So mrio d degrca que veio petar sobre este digno
rmpregado, dove servir-lha deoonsolco e allmo, nio
anuiente a epnntaneidde com qoe Ihevalrto o seu
.migo., mil ainda o aeulimento manife.tado por tuda
populacho da capital do imperio ao ver o probo Sr. Ba-
ilio victima de tanta pervrraidade.
Hontem, (H de dexembro), lendo-ae feito vela a
corveta Berlioga, quo aeguia para a viagem de inslrue-
9o da companhio do guardas-marinhas, auccedeu qoe.
bonancando o terral, o aubrevindo urna denaa nevna. a
furca da maro a;fiteaao atracar nom o vapor inglet Cy-
elopt, apeur do reboque do esoalerea do navios de
guerra naciunaea e daa providencia do oumraandanle,
resulunda algumas averia, que serlo reparadaa em
poucoa dia.
Ososcaleres das embarcacoea de gnerra nacione e
rstrangeiras acodrlo com todos os auxilios e com a
maior preateza, aiaim oomo aa lanohas do arsenal.
Eslimamna pode/ anounniar que o paquete de vapor
S.-Sebnilit, queaejulgira perdido, se podo oonsiderar
buje salto. A carta arguinle, quo honlem (11 dodeiem-
br.i) no foi communicada, d nteretaantoa pormeuorea
obre ete asaumpln.
Macohi, 8 de dexembro de 1845.
O gerente da oumpanliia doa paquete chegou qni
no dia 0, a 10 hora da m.nhia, enm 20 hor.a de vi-
grm. A rugo aeu fundeou a Campla aop de S. Sebai-
lido. que veio enconirar choio d agm cobrindo todo o
eogrnlio e locando a lata do envs. Baldeada imme-
diata))iertte por a barca a gente qoe trono ni mi que
no momento era nee.e.orio, s 11 hora j se estavio
cullocnndo a boinbaa que tierio.
De larde conircnu um lempo horroroso de chova,
que tem continuado com pequea interruprSea al a-
Kora. Nao obttanle porm eto grave inconvenienlo,
eomegiiio-ae, com ajuda do delegado Campo, cuja pro-
leerlo o orneo eieedcro a lodoa os elogio e agradeoi-
inentos, reunir o bordo 230 e tantos homens, o cora el-
le comecou, 3 \ hora da madrugad du dia 7, a es-
i;ol.ir onavio, com 6 bomba e g.moie. Ao meio dia
alimn a ficar em nado, e pela valla das2$ horaa da
tarda consrguio-6-vasa-la a poni da conheer-ao pur
onde faaiaagoa: era nn proa pelo palilhto, por den-
Ira do qual jurrava euro, torca incrivel como urna ca-
choeira. .
Logo que o egotamcnlo o permittin, mettrlo o
arpinteiroa o calafatea mo obra, eom aotividadoe
diligencia nio ooroumns, e cmprrgandu o nico meio
posirel de quanto ae imaginarlo, a Saber: br)jea, ea-
tupa, gala-gala, lijlos, argamaca e chumbo oanvem-
cntementc dipotu (i|5o pennillinda o lugar fater-ae
um caitlo), nui)egoio-o estancar a agoa a ponto de
convencer-no quo aquella er a-parte vulnerada a im-
porianle, r ni ouir qualqucr por onde entra alguma
parte de agoa que ainda f.
Par completar o reparo esjquivel ofim de poder
Ivvar-ao barca aoRio-de-Jaueiro, falla ainda pr-llie
por tora urna vela alentroada e com eatopas nu brim,
imn-raperiode coiin-(qiii ic cl apromplando) amar-
rado por modo quo SBJli C quanto fr (Kiasivrl o ingre-
i da ugo ao que ajudar a pre.ln dol inoama oontra
o coxim, causada pela marcha d barra.
. Com ene reparo puderi o S.-SibaettOo ehegar a
salvo ao Rio, mas nio ir por vapor; tonto porque o aba-
lo que o inovimrnto da machn causa, poden Huir O
comerlo, como tambem porque urna grando parto do
rngenhu est desmontado. E porquanlo a prudencia a-
ennxlhn quo lambein )i Jo le arrisque a euntingenoia
de urna viagem a vela e tle.acompanhada, cumpre que va
a reboque o em lempo aeguro.
. Aqu ludo ooixider.viu a barca perdida, o a et
upinio lio espalhada e devo o de.mantel.menlo a que
dell ae procedeo, e que agura ae tral de reparar. .
(Do J. do Commereto).
diario oe .Eu\adUco.
de
Recebemos jornaes francezes, que alcaofiio a 28 de
noven,bro ultimo. ,.,,,
O rei liaba chegado no dis 27 so meio-dia s robe-
ras, onde presidio ao concelho dos minislios; e is 5
ioras da tarde voltou ptra Sant-Cloud.
Segundo nolicias da Inglaterra eslava a viscoodess
uu Villars, filna de Sir R. Pel, doeote da escarlatina em
L'pton-House, no Warwicksbire. No dia 20 i Urde os
symplomss erio lio terriveis, que se expedio um cor-
reio para a cidade, e dahi para n Windsor, a fim de la-
var esta triste nova s Sir R. Peel, que eslava em visita
junto a raioba. Logo depois de ter vislo o correio, Sir
R. Peel tornou s entrar na cidade com a intenclo de se
achar inmediatamente oa compaobia de sui filba.
Escreviio de Aocooa em data de 1* de novembroo
seguate:
"c As numerosas compra de cereaes, que tszem as
Iegac8es os negooiantes inglezes, csusirlo entre as po-
pulscOes um grande descontenlamenlo. Teme se sl,
que dahiresullem tristes conflictos. Em Bimini accom-
metteo o povo rouitos bateos cerregados de trigo, que se
expediio para Anconi, e desearregou-os eom viva lor-
es Noutros pontos est a populacio muito agitada, e
qurroppor.se exportado do trigo. A nosss edsde es-
t perfelsmente tranquilla, e nella reins presentemen-
te um grsnde movimanto cdtiiiuereial. *
Os lngle/esteem osou Abd-el-Ksdr na Nova-Ze-
landia : he um chale indigena ehaasdo Hekt, o qusl
sesba dfszsr esperimontsr revs fio terrival, que sua occupac,io est seriamanbj
compromettida. Uro grande numero de soldados fdr|0
lorto, a inuiio oulro gravemente lerioo. Ca,
msis slguns combates como esse, exclsmava o 5lan.
daid de 26, acabar-se-ha o exercito inglez oa Nova-Ze-
landia.
0 jornal ministerial pronuncia-te altamente por eiu
noeaiiio contra oa flieiaca, que cummetlrio o erro de
deipresar muito a forc do ten advertario. Melirlo-
o, dis ello,|a ai o aoa aeu oldadaa n'um lucia moriifer,
rm Mlarem baatantemrnle cerloa doa meio detahir
d'ella violoriotoa, o sacrificarlo aaim um grande nume-
ro de bravoa, conheceudo muilo larda que linhlo a Ira.
lar eom um inimign hbil, adulo, e prvido de exil-
enle mein de defea. O yiandard emiienha ogovernu
deoloniaprovetar-e dVila triste, lilo, a nlu ex.
por mai a influencia inglesa a um d'esses reveses, que
deslroem a obra de muito nn.
Cartas de Csdiz e de Sevilha annuncuvio, quei
expuriacio dos trigos para Inglaterra comeeava i sai
considersvel. Ja tinbio partido de Sevilha numerosos
carregamentos. eoutros se dispoobioa ssbir.
Por ocessiio do anniversario do naseimento di rsi-
nha D. Isabel foi o general Nsivaez nomoado duque ds
Valenca e grande de Hespanbs.
Segundo ama carta de Roma, citada pela Gattta di
Augsburgo, devia o imperador da Russi disar Paler-
mo* 21 de oovembro para ir aples, oV pssssri
alguna diss por convite do rei. De aple tria o im-
perador a Roma, onde se prepsrava ludo para i sai
recepcio. O papa deo ordem de se Iluminar a cpula
de S. Pedro por occisiio da sua chegada.
Em Vienna tambem se aziSo grandes prepantivor,
dis a mesma Gaula, para a recepcio do imperador di
Russia.
AITirms-se, que se tratava em Vienna de urna non'
organitacio da Bolsa, o dizia-so, que ss possoss inte.
ressadas oas opers5es seriio obrigadss s juslificsr i
sua solvabilidade e a posse da um capital, sobre o quil |
teriio de pagsr um direilo.
0 conde de Lutzow, embaixador d'Austria e mi ni
tro da Toseana junto SaoU S, acabara de enviar 11
sua demissio i corte do grlo duque, em consequencU
da medida concerneote sos refugiados das lega?8es, to-
mad pelo soberano de Florenea, segundo se disis,
Pensava-se geralmeote, que nio seria acceita. Com
efleito era provavel, que nio fosse mais do que um seto
de cortezia para com a corte pontificia, ordenado pela
Austria ao seu ministro.
A proxims chegsda do imperador Nicolao era eadi
ves mais screditsds ; eslava designado o cardeal Ber-
netti para fazer as honras da cidade ; os artistss pis-
pa revio umsexposicio de belles-arles a seu arbitrio;
e tambem se fallava n'uma illuminacio da copula, OU I
n'ums girndola : todsvis, sflirmava-se, que nao taiis
lugar demonstracaoalguma publica. '
Aquesliode gsbinete, proposta na Blgica ceros
da diseussio da mensagem, foi reolvida em favor do
ministerio. A emenda apreientada por M. Van ds
Weyer, e qoe envolva urna plena confisnea no gsbi-1
nete, foi votada por urna grande maioria na sessiodsl
22 de novembro. A mensagem foi approvada em globo |
por 63 votos contra 25.
Havia noticias do Porto-Prinoipoda 17 de ootubro.
A 12 publicou o presidente urna proelamacio decs-
rsndo em estado e bloqueto os pontos ds psrte hesp-1
nbols da ilba.
Os barcos, qoe tocassem n'esses portos e ebegassein
ao do Porlo-Principe seriio confiscados. Diversos
negociantes rccebfiro ordem de sabir iiiimediatamenl
de Porlo-Principe.
Tivemos jornaes inglezes, cuja ultima data be de 17
de detembro p. p.
A questio dos cereaes produzio na Inglaterra umi
crise ministerial, em consequencis da qual e depois di
muitas reunidas do conceibo dos ministros, em que da-
terminarlo propr" ao psrlsmento s Inteirs revogselo
dss leis sobre os cereaes. deo Sir R. Peel a sus demissio,
com s qual icou dissolvido o ministerio Tory; e foi Sir
Jobon Russel chamado pela ra nba para organisar novo
ministerio, que provsvelmenle seris lodo composto d
whigs : porm, nio obstsnle bsver o seu ebefe convoca-
do varios meetings deste partido, a que assistirio todsi
as notabilidades delle, ainda nio tinba sido pusiivel or-
gaoissr definitivamente o novo gabinete.
Recebemos pelo briguc Carlota Amelia, entrado hon-
lem neste pwto, jurnaea do Luboa que alcan(io at 6
de desembro.
SS. UM. o Allesal conlinuavio em Belm.o Btnlior
nooinmodo linhlo suffrido.
A cero do ministerio nada de novo havia occorrido.
Oa jornaes ainda ae oceupao da polmica acerca di
orive Huam eir.
Consta que o governo intimara a compendia VnUU\
Commercial, que empregaate o fundo da raiza econ-
mica em in.cripcoea de juro, e quo rala ae recusara,
nio obstante haver aido amracada rom oiui; entlo dsll
entrada. Do reauludo d'cat reouaa ainda nio tralioas|
gatela.
No lugar competente deixamos transcripto o que di I
mais importsnte achmos dos jornaes, que nos lro|
do Rio a barca Ftrmtza.
No numero seguinle eoneluiremos a publicaclo di |
inleressante nota do Sr. Liuipo de Abreo.
COMMEHCIO.
Alfandega.
RBiroiitnrro oo du 9.................S:79#30i
DcicarrtgaO hojt 10.
Barcar?//a-Prnom6ucanomercadotiis.
Galera Columbutdem.
UrinueTarujo II dem.
BrigueEiptraica barricas valias.
BarcaPrrciosofarnha.
BarcaEtptnto-Smntoltlo de passiageiroi.
Brigue H*icul*t-r bolla.


I
Consulado.
BENDIHBNTO DO DI* 8.
Geni............
Provincial.- %"
ier profinciM
3:033*134
9*3*160
197*978
4:174*273
llovimeiilo do Porto.
A'avioi intrads no dia 9.
liverpool : 21 dia e7 hora., galera ingleu Colum-
bul de 3I9 <"eladai, capito Daniel Green, equi-
' m 20. carga 'alendas ; a M. C.lmont & Com-
pinhia. Paaiageiro, Jounkheyn, Hollandez.
(Ja. |g diai, brigue-esruna bratileire- Corrtio-do-
Brasil, de 137 tonelada, etpito Domingo Jos
Caelano, equipagem 12, carga sal e palha ; ao ca
i pillo -Segu para o Rio-de J.neiro.
LitbO ; 28 dial, brigue portuguei Carila Amilia.
de 1i tonelada, capillo Maooel Joaquim doi San-
toi equipagem 15. carga inho,aal o mei genero;
, Franciico Seeriapno Rabello. Paiiageiro, Jote Vi-
sir, de Car.albo. Bra.ileiro.
Rjo-de-Jeneiro ; 15 dial, barca brai.leira Firawia. de
224 tonelada, capillo Manoel Joi de Sanl Ann,
enuip.gen.18, carga genero do paix : a Gaud.no
/oiiinho de Barro. P ageiro. o capillo-tenen-
, teV.rm.da oacional Fil.ppe Joi Ferreira, com
[.- finos menore, e Jlo FraneiMo de Vaiconcello,
Vora ua enhora _________
Avisos (versos.
Na roa DireiU, n. 56, (obrado de um andar, pre-
cita- de urna ama de leite, que o lenha bom e en
abundancia.
Manoel Gome Loureiro, embarca para o Rio-de-
Janeiro o teTTetcravo orioulo da nome Similo.
D'ordem deste juizo.oporleiro Joao JanuarioSer-
ra-Giande traga a pregio de ende e arremalacln orna
eterna du nome Maria, de naci Angica, de idade. que
representa 45 anno, com a mos loveira e cravos nos
p, de tervico de ra, avahada em 200* r. penbora-
da ao padre Jos Gome Flore por eiecuclo de Jos
Gonc.lve. Ferreir e Silva. Recite, 10 de outubro de
1845. -Oecrilo, Rijo.
Esta escrava le deve arrematar boje, a 4 hora d
larde, na ra do Sol, na praca do Sr. doulor juizdoci-
el, Jos ThomazNabueo de Araujo Jnior.
= Se alguma embarcacio de guerra, ou mercante
com destino'para o Rio-de Janeiro, oo Nofa-Orlean,
precisar de um bom coiinheiro fr.ncez, dando-lbea
pagem pelo leu trabalho annunciem, ou prucurem
na ra do Atierro-da Ba Villa. loja^B. 26.
= Aluga-se o primeiro andar do loorailo d ra do
Allerro-da-Boa-Visle, n. 26, com muito bom eom-
modos, e por mdico prego : trala-ie na fabrica de li-
cores.
Uabaixo aaaignado fat publico, que deixou de
continuar com aiua taberna no heccodo Quiabo, Treguo
tia doa Afogado. por nio achar inters: e para nao se
complicar com mai debito, fe da dita taberna entre
Jaeintho Pae de Mendonca embarca para o eo
engenho em Porto-Calvo, os eu eteravos Joaquim ,
Flix Redro e Antonio.
tjWje, pela 4 hora da tarde na ra do Sol na
praca dvuaizo do civel da segunda vara tem de le ar-
rematar fle onda urna morada de cata na potoaciu
do Monteiro por s,er a ultima praca por execucio
de Rartbnlomeo Francisco de Souza contra Antonio
Jos: de Oliveira e ua mi, escr.vio Santo.
A pessoa, que aonunciou querer ser ama o
pelo tuitento querendo ir para urna caa' de pouca la
milia dirija-ie a ra da Cadeia Velba, n. 60.
D-iedinheiro a premio ubre penhores de ou-
ro e prala em pequea e grande quantia ; na ra
rslreila do Rozario n. 30, segundo andar.
Tendo a fabrica de sabao do coro-
nel Martina sita na rita Imperial do
Aterro n. 116, passado a novo proprie-
tarip no mei doulubro lindo, soffreo al-
gumlparalisac.o, em quanto se montava
de um modo mais conveniente, e se aper-
cicoava o fabrico dosabao : um c ou-
Detlaracoes.
=0 anenal de guerra compra 200 auour de tim-
b quem a pretender tender, mande amoalra e
emposta em carU fecha a directora do memo ane-
nal no dia 10 para e elactiiar tal compra.
Directora do ar.enal de guerra 7 de Janeiro de
1846. O ewripturario Fronciieo Serfico de Aun
Carvalko.
= O Illm. Sr. coronel director do arenal de guerra
tem de comprar dilTerente medicamento epo-loadi-
posici'i do Exm. Sr. commandante da arma, para e-
rem remedidos para Agoa-Preta, e sendo Ibedadoiot
precodee medicamento por dou Sr. pharmaceu-
ticosdotmai acreditado deta praca, manfla convi-
dar ao outro Sr. da meima proiiilo, que quixeren.
lorneeer os dito medicamentoa, para que bajo parecer neita directora al o dia 13 do andante me.
I par, vista do referido preco,deelararemeom quanto
por cenlo a favor da azeoda nacional Ihea fax conla fa-
ler a venda ; na certera do que ludo deve er de bo
qualidide e lubjeito a exame de uro facultativo. Direc-
tora do arsenal de .'tierra, 9 de Janeiro de 1846. O
escriturario, Franciico Serfico Astil Carvalho.
COMPANHIA DE BEB1RIBE.
tro fim esto preenchidos hoje, e o novo
proprietario tem j para offerecer ao pu-
blico nao so o sabao preto, que dantes
se fabricava, como o omarello igual em
cor ao melhor sabao inglez e superior
-' a este na massa e mais qualidades, como
gaao Illm. Sr. lente coronel Manoel Joaquim do Re- tamhem em ,do 80 que se fabrica no im-
o e Albuouerque, a quem a tinha comprado; e cumo \ i- ,
o annunciante nio tive..e podido .ati..zer o resto de peno \ he um sabao leve, mu consisten-
r.._:...i-----------j(_os ca80S ao mes-
, sendo os precos
em quanto elle aonunci.r.'SvelTjoS: "S" "T? ^ ^ ^ ^T
mente, laz a arrecadaC6e do que se Ihe deve, oque deposito desla tldade : e, COmpraildo-se
ultimado, promplamente inilenmisara aoi Senhorei. de grande porco do relerido genero COin-
quem.econ.tituedevedor, e a quem mai. g'">*' p.omette-s o proprietario a f oelo obsequio pedido. Afosado, 9 de Janeiro de lo*o. i ____
P Ionio Flix Pereim. duztr em emoa para o lugar
Urna lenhora, que, j ba anno, ensma primeirai modo no comprador,
lettra, e que deixou de exercer esta funcvlo por se ler prec>8 sedeum felor para um engenho; no
retirado para (ora, agora acba-se de novo no meimo xterro'doi-Alogados n. 31.
exercicio, na ra do Hospicio,]n. 17, e alianca, que
Aluga-se urna casa terrea lita na ra do Coto-
alm das primeira nocoes, sabero marcar, fuer lava- vello o. 81, com duas aalas dou quailo cozinba
rinto, e bordar de toda a qualidades : na misma
oasa vende se o efcax e nico remedio para curar al
porcat, jt muito approvado. -*
Ca'etano Xavier Pereira de Brito embarca para
a provincia da Babia, levando em sua compinhia o
leu eicravo Joaquim, prelo.
A Viuva Brito &Flhoi o.barco para o Rio-de-
Janeiro o ieu eicravo Joaquim, criqulo.
=Perdeo-se na noute do dia 8 do crranle, da ra
di. Gloria at a ruada Alegra, um longo de cambraia
com lavarinto e bico em roda ; a pessoa, que o tiver
acbado e qutzer restituir, dinja-se a ra do Rangel,
liUiirniHiin w -......------------- -p-------- .
Ocaixaavia ao Sr. ccionita, cuja entrada se obrado de um andar, n. M.
achiorm alraso, que no dia 20 do correte se linda o
acolo em atraso, que no oa zu ao corremo ao nuu u n pt..-, ,-~------------- -
nr.zo concedido para e completaren! a preitacOes at na ra da Roda, dirjale a roa do Collegio, cata n
V.________ ol.-.t. inj.;...j.lJf, '23
'60 por canto. Recife, 10 de ianeiio de 1846.
M. G. da Silva.
PRODUCCAO L1TTERARIA.
Publica-se na curte do Rio-de-Janeiro temanal-
menle um folheto sob o titulo
09 MYSTBBIOS DA INQUlStv*8
E oulrai lociedadei leerrlas de Heipanka,
contendo cada numero oilo paginas do formato de
oilavo Irancer pelo preco de 160 r. pagos no acto
da entrega. Acbio-ae ja publicado! 16 folhetoi que
sero dados pelo preco estipulado a quem assignar pelo
reto da obra que ao lodo compSe-se de 80 folheto.
Ha entre nos tanta falta de escrjplo a respeito da bis-
ria da Hespanba, e dos horrorosos actos all praticados
pela in<|usicio,e lio nelta obra expostot com tanta cla-
reza algunadelles que mppomoi far urna boa acqui-
ic|ii qualquer, que delle se quizer prover : acquisicu
tanto mais fcil quanto be tio diminuto o preco da ai-
tignatura. Subtcreve-se na praca da Independencia ,
livraria n. 6 e 8.
Avisos martimos.
=Freta-ie para qualquer porto o muilo veleiro liia-
te Andortnha, de lote de 71 toneladas e meia, forrado
de cobre e fabricado de novo : quem pretender, pode
dirigir-te a bordo du meimo, ou fallar com Jos Anto-
nio de Magalbaet Bailo, na ra dat lirutet, n. 28, se
gundo andar.
Para o Porto legue viagem tt o dia 25 de ror-
rete mez de Janeiro, o brigue portugus Importa-
dor capillo Jos Franciico Carneiro : quem quizer
carregar ou tr de patiagem dirija-te ao dito capillo ,
ou ao teu contignatario Manoel Joaquim Bamoi e
Silva.
=0 bergaolim nacional Fiif, de que be capillo
Manoel Mareiano Ferreira achate carregado e
promplo a leguir para o Rio-de-Janeiro, no dia 13
do correnle ; recebe eteravos e pawageiroi por m-
dico frete, e alguma* miudexaa : a tratar com o capi-
llo, ou com teut comigoatarioi Firmino Jote Flix d
Rosa & Ir mo.
A earuna portuguesa Tarujo $Ftlkos, de que he
capitio Francisco Antonio de Almeida, ni para Lisboa
nodialS-do correte, impreterivelmenle : para gar-
ga e psttagf iros, trata-se com 0 capillo, ou com os
A pessoa, que aonunciou vender urna cata terrea
_ i ma U mu "'"v "** ~
muito veleiro patacho nacional S.-Jo-^mericano;
quem no netmo qui/er carregar, ir de pauagem. ou
mandar eacravos, falle com Gtudino Agottinho de
Barro, na ra da Crux, n. 66, ou com o capillo a
bordo.
= Vndese o muito veleiro hiato merieano Almi
ra de lote do 94 tonelada forrado e encavilbado de
cobre promplo a seguir viagem para qoalquer porto :
tratar com Matheus Austini & Companbia ua rt
da Alfandega-Velba n. 36.
23.
OsSrs. Jlo Csvalcanti de Mello Albuquerque,
Jlo Fredericp de Abreu Reg, Theopbilo Jos de
Lemos, Flix Bezerra de Mello Leilio, Manoel JosC
Teixeira Bastos, Francisco Borges da Atsuropclo, A-
lexandrino Pedro do Amaral, Francisco Berenguer de
Almeida Guedes, dirijo-sa a ra do Rangel,n. 11, para
reahiarein negocios, que nio ignorio.
Troca-se um Santo Antonio de pao, de palmo e
coito de altura, obra muito bem feita : na ra dos Pi
re, n. 14, na Boa-Villa, ou annuncie para er pro-
curado.
=Precisa-n alugar urna eicrava moca para servir
de ama tocca : na ra da Moda, o. 68, dar-ie-biu
os preciso eactjaecimentiis.
Joio MPgue Xavier faz ciento ao publico ,
quo mudou o eu nome para o de Joio Xavier Vidal ,
por ter encontrado outra pessoa de igual nome.
__ Na olaria do Cotovello pretendem-se duat canoas
a troco de tijuloi ou telliai; urna pequea lechada ,
ou meimo aberla outra que pague em 500 lijlos de
alveoaria grossa ambas em bom estado : a quem es
te negocio convier. dirija-se a mesoia olaria a qualquei
hora do da, uu annuncie.
Antonio Flix Pereira de Cantaliea pedes todas
as pessoas que Ibe sio devedora, o lavor Je Ihe sa-
tisfaxerem seus dbitos no prato de 25 dias conta-
dos da data deste a fim de poder tambem saldar to
daa as suascontas com os seus credores : do contra-
rio passara a cobrar judicialmente, por ser j lempo
sudicienle e nio poder esperar mais.
D>-se dinlieiro a uros com penhores de ouro e
prala mesmo em pequeas quanlias : na ra Direita,
n. 23.
Precin-ie de un feitor porluguez para um sitio
distante desla praca um legoa, e que tenhade40 an-
,, a uu mala uu uiwuw.| w- w -
nos para cima ; na roa da Frea, n. I Qw( e ,a ufn ,ranw|jm de ouro com passador, urna
= OlTerece-se, par criado e cozmbeiro um bo- .eUra ,je iqO rs vencida, junlamonte com a cdulas
roem forro que tabe faxer toda a qualidade de com- en|roJe uma- ca'r,eira gr.nde 5 ou 6 pecat de seda
da : na roa da Guia, n 13 rfe c^ mtid0i de \\ a 15 melrot cada urna 4
= Quem precisar de um foroeiro Unto aqu na atr* preta lendo urna de tarja bcpanhol,
pr.v como para o mallo d.rii.-.e a roa larga do Ro- ^ma ca de|a,radameia ordinaria, uma peCa de groa
zario, ao p do nuartel-de polica, o 19 de Napes de qualidade superior e odlra da mesma qua-
Fraocisco Joaquim Pereira Lobo embarca a es- h(J-(i/um pouco 1I10r,da 11 chales de seda, graodes.
cr.valxabel.de naci Angola par. ter entregue no uaiJro/e |jcttrstt. ,fDdo. 2 ou.3 com flore, todo
Bio-de Janeiro aocorooell-.rminoHercul.no de Mo- co^ ranja mui,0 riCOs. cu.Urio a 16*000 r. cada
rae Ancor. 2 lencos de teda axul foul.rd alguoi cortei de
- t^t^t^B^BBBBH Ja lfed*A
fura, quintil murado com cacimba de boa agoa in
dependente devizinho ; a tratar na ra eslreila do Ho-
zarlo n. 30, segundo andar.
Do litio do contul inglez na Capunga, fugio no
dia seis do correnle mei om cavallo pedrczde temando
regular, que carrega meio e galopa bem, elsl fogo-
so, porquotem Irabalbado muito pouco : este\a\llo
fugio em iallim n>-m arreiot : rogase a qualquer pes-
oa, que o achar. ou delle liver noticia.dirija a estri-
bara de Braemer, no fim da ra da Guia, quo ser!
generosamente recoinpentada.
Precia-se de um caixeirode13 a 16 anno de
idade para uma venda : na ra da Penba venda ,
n. 33. -
Precisa-ie de uma peoa quequeira ir trba-
Iharde padeiro, distante detta praca 10 legoaa : atte-
gura-se-lbeum bom ordenado: a tratar com Dogo
Jos da Cotia na ra Nova n. 12.
__ Francisco Jos de Brito lai ver a Senhora Anto-
nia Francisca da S.Iva, que. no praro de oito di*s nao
vindo buscar os seus trastes oo se reipoosabilisa pelo
extravio que nelles houver.
Uma mulher portugueza viuva capa dego-
vernar uma casa te propoe a er ama de qualquer ca-
sa de bomem tolleiro oucadocom pooca familia,
para o que da fiadora sua conducta : quem de seu prei-
limoie quizer ulihsar dirija-e a ra da Madre-de-
Deo, n. 36, primeiro andar.
= Arrendao te o primeiro andar e dual lo|a do
obrado, n. 18 da ra do Fogo : tratar na ruadas
Cruxei. n. 20 primeiro andar, nos dial terca, quin-
ta esabbado.
cae Miguel Pedro Baptitla relira-e desla provincia.
= Um rapa porluguez e oflerece para retinar ai-
sucar, do que tem bstanle pratica; quem de seu pres-
talo se quizer ulilisar, annuncie. ^^
Aluga-seuma casa terrea, com quintal eqca-
cmba, edua portasejanella de frente, na ra das
Larangeiras, n. 29 : a tralar na praca da Independen-
dencia, lo ja, n. 3. .
= Jo' Soare de Axvedo, profettor de lingoa iran-
eeza no lyceo tem aberto om ua casa ra eslreila do
Rosario n. 30, lercero andar um curso de hue-
TORKAeoulrodeGKOGBAPlllA As pessoas que de-
srjarem esludar uma ou out.a d. slas disciplinas, po
dem dirgir-se a indicada residencia, a qualquer bora.
= HypolltoSaint-Marlin.com loja na ra Nova,
n. 10. torna alambrar ao publico desla cidade o rou-
bo que Ihe fizerao ..a noule de 20 ,ara 21 de dexem-
bro levando uma burra de ferro com a quantia pou-
co mais ou menos, de douscunlos de ris em cdulas ,
Precita-se de uma prala coxinheira para uma
casa de pouca familia ; no Trapiche-Novo, eicriptono,
n. 6, ou annuncie.
Precisa-se de pretas para venderem azeite dan-
do,- te 400 ra. por caada : as Cinco-Pontas, o. 160.
Alogt-se o lerceiro andar do sobrado n. 9 ,
na ra do (ueiuiado : a tratar na loja do mesmo so-
brado.
D-se um cnnliecimento ou nota
do Ihesouro de 5461 rs. por uma escrava,
que saiba coser e eugoinmar, e que seja
M-iii vicios : nesta typographia se dir.
Manoel Anlonio Rodrigues Samico
sientifica ao respeitavel publico, que a
loja de lartartigueiio n. 34, da pra?a da
ni3o, que seu fallecido pai, Anlonio
Rodrigues-Samico, admiftistrava. conti-
na a traballiar, como dantes, sob a di-
reccao do anunciante.
Aluga-se uma loja meia go, sila na travetsa do
Trata: lrta-ie na ra da Cruz, n. 51, com Jos
Francisco da Silva.
= Pcrdeo-se, nd dia 2 do frrente do Aterro-da-
Boa-Viitaao largo do Collegio um bollo de ouro,
que e despregou ao un collele cujo boto be peque-
no e tem a face boleada com pequea car : roga-
se aos Su. ourivesde nio ocomprarein, o a quem o li-
ver echado favor de leva-lo a ra do Aragio sobra-
do n. 1^*que er gratificado.
Aluga-te um tobrado com muito bom commo-
do para qualquer familia ilo na traveita do Expol-
io 11. 18: quem o pretender, enlenda-se com Joio
Manoel Rodrigues Valenca.
COLLEGIO S. ANTONIO.
No dia 12 do correnle se sebara abertal todas as au-
las de pieparatorios, queseensinio neste eslalieleci-
menlo. 0 director, Bernardmo Freir de Fiouiire-
do Abieo e Castro.
Ensma v- tambem as ferias, com perfeicio ,
latim pbiloopbia e rbelorica na ra Nova, n. 52,
primeiro an lar.
= Aluga-se, na Iravessa do Martina no bairro da
Boa-Vista um bom armazem com grande quintal
murado e plantado todo de capim prop io para caval-
lance, ou ouiru qualquer estsbeleciniento : a tratar na
ra do Ai agio, n. I, segundo andar.
Antonio Jos A Ivs porluguex vai a Babia.
Precisa-sede um ceixeiro para venda, que le-
nha ou nio pratica ; na ra da S. Cruz n. 3, se di-
r quem precita
Aluga-se, por preco commodo uma boa e as-
seiada cesa tendo 6 quarlos, due talas cotinha, co-
piar e quintal murado na ra Imperial annexa
ao sitio do finado Machado : a tratar na ra Direita,
n. 82, primeiro andar.
Precisa-se laxer negocio com a venda da ra da
Agoas-Verdes, n. 15: se siguen, te julgar com direito
a ella, queira declarar por esta folha no praio de 3 dia.
__ Alua-te um sobrado de um andar, sito na Bot-
Vist, na Iravessa do Veras, com muito bont commo-
do : a tralar na meima travesa, obradti"n-" 15.
?a.JUin Bratileiro casado', com familia de 30 e
tanto! annos de idade morador nesta cidade do Re-
cife, te oflerece paro caixeiro de cobrancas. tanto nes-
ta praca como no mallo por ler disto muilo pratica .
ou mesmo para outra qualquer oceupacio do cornmer-
cio ; o qual da fiador a sua conducta : quem de seu
presumo se qui/erutilisir annuncie. ^ ^ ^^ ..
- Troca-se cobre por cdula, endo de 60' r.
para cima em premio algum : na ra da Moeda ,
" Lotera de S. Pedro Martyr
de Olinda.
Os bilhete desla lotera achio-se a venda no luga-
res do cotlume. Brevemente sera annuncisdo o da nn-
pretenvcl do andamento das rodal.
;oiiijhis.
-----A ga-se O ScgIidC andar do SObre p,;0 CR .oral oma.cruz de ouro pequea
do da ra Direita n. ao, catado e pintado tr.ncelim de retiox preto. um par de brinco, de lila
j .: 1 -. ;. aria rande, c man outro par de brinco, com pe-
de novo.com commodos bastante*, multo ;; ra queb;.dot. pei,p081i qu, ,e qu,xer.m
fresco : na ra do Collegio, segundo an- occupBr detabere procurar, aonde eU etcoodido o
liar do sobrado n l4- roubo. bst. avisar ao annunciaute o lugar smente
= A mulber que 00 Diana de 9 do eorrent*. an- da casa aonde estiver o roubo, que egu-rdara redo,
nunciou tabei cozinhar o diario de um caaa e coier e e obriga tambem o annunc.anle a dar meuoeoe
cbio qoe e offerece tpelo tuttento e ttuno. di- tu o quanto se acbar.
rija e a ru. do Cbug. loja franca.a da Amaral & Manual joaquim Ranio. a ^ Iva mudou .
PjJnhero# residencia para ra da Udoia caa, o. 00.
X Compra-se, parafra de Fernam- J
V buco, um hbil ofliciul de carpintei- J
J ro, pieto, c que seja moco sema- ^
{ chaqus OU vicios e nao se olba A
a preco. Quem o quizer vender, J
J Uiriia-'se ra da Clriu, n. 45, em Z
* casa de Nascimei.lo vScbaelcr & C
>m>e>e> *
= Comprao-te eteravos de ambo os sexos ; endo
mocos pagio-se bem : no caes do Cllegio depo..-
to de farinha do polla larga.
_ Comprio se escravas bem prendada!. de bonita
figura, que lenbio de Ua 20 anno pagio-e bem:
na ra de'Moeda, n. 7. ,
_ Conipra-aa orna cata terrea em qualquer do.
ba,rrod..t. cidade. .endo o ira valor, pouco man
uU menos, de 8004 r. n. ru. da. Cuites, n. JO
_ Comprio-tedousetcravo, um pedre.ro e ou-
tro earpina. par. urna encommenda do R.o-Gr.nde-
do-Sul ; na ra do Collegio armazem n. I.
_ Comprio-.e. par. lirada provincia, etcr.vo.da
,3 20nno.;.endo de bon.taa figuras p.glo-.eb m
o. ra da Cadeia de 5. Antonio, sobrado de um an-
^^Cori'-utbio de b.l.nf. que Po... Pa-
rl.,robemcadaconcb.. nietmo em conch.;
ll Comp'rJo-.e penn. de r.bo de junco ; o Boa-
Viata. rudotPire. n. 14. ... ,
_ Compr/.-e moeda do cobre vanlha-lunda. e jun-
tamente papel de jornaes ; na ra Nova, anda. n. 65.
Compra-tea tradcelo da novella Guncalo de
Cordov. de Florian na ra do Collegio, 0. 10.
= Comprio-te 5 temos de medidat de lolh.. para
molliadoi a um temo de pi para ecco ; quem ti-
ver, annuncie.




M.~JCo!rpr'"MoLn,br,fodo Mta i"*
pesos de duas arroba; ni raa da Peoh
d. 33.
renda
Vendas-
FOLHINHAS
DE
Porta e Algbeira
Vendem-se na praca da In-
dependencia, loja de livros n. G
8; na ra da Madre de Dos,
venda da esquina defionle da
i#reja; na Boa*Vista, def. otile da
matriz, botica do Sr. Moreira;
no pateo do Collegio, loja de li-
vros da esquina; e no argo do
Tergo, venda n. 7; em Olinda,
botica da ru do *
J
r.
mparo, e loja
do Sr. Domingos, nos Quatro
Cantos.
P= Vcndem-se moenJas de forro para eogenboide
acucar, para vapor agoa e besUi de diversos tsma-
ribos, por prego commodo ; e igualmente laixas do
Ierro coado e balido de todo ot lmannos : na pra-
Ca do Corpo Sanio n. 11, em casa de Me. Calmunt &
Companhia ou na ra do Apollo armazem, n. 6.
Vende-se potassa ameri.ana, ultimainonle ebe-
gada em barra grandes e pequeos ; lencos pretos.
de seda da India ; setim preto de Mecao ; velas de es-
permacete de 4. 5 e6 em libra ; cera anrnell al-
godSo grosso para saceos ; ludo por prego commodo :
em casa de Matheus Austins & Companhia na ruad*
Allandega-Volha n. 36.
= Vendem-se saccas com firinha de Mag a 4800
rs.; dita de S. Matheus, a 4200 rs. e alqueire me-
dido a 3800 e 4500 rs. ; saccas com milho a 3600
e 4500 rs. ; arroz branco a 2000 rs. a arroba ; sac-
eos de estopa, novos, para farinha o milbo a 500
rs. ; gommedeengommar a 10,000 rs. o alqueire :
na ra da Cadeia de S. Antonio deposito de arioha ,
n. i.'.
Farinha de mandioca.
No deposito de port larga no caes do Collegio ,
ha para \end.r farinha de S. Catharina cS. Matheus!
muito nova o boa por menos prego do que em oulra
qualquer parte em grandes e pequeas porgoes on-
saccada ou medida pila medida velba ; assim como
arroz pilado e milho.
- Vende-se vinagre braneo
nacional, a 400 rs. a caada Ve-
lija: n fabrica da ra Imperial,
n. 7; ra Direita, n. 53, venda
de M. Miranda; no Aterro-da-
Boa-Vista, fabrica de licores de
Frederico Chaves; e na ra do
Trapiche, armazem de molhados
do JNicolle.
Vendem-se dous novos eexcellcntes pianos fabri-
cados por dous mais accreditados lahricant'S, J. H.
Torcbiani <& Collard and Collerpde Londrea : na ra
da Cadeia do Roa fe, n. 39, em oasa do liussellj Me-
JhorsdC.
Vendem-se noventa palmos de ter-
reno, j com alicerces para tresproprieda-
des, sendo sessenta na ra Augusta, e trin-
ta na ra Imperial : tratar na ra da
(Cadeia de S. Antonio, n l4-
= Vende-se farinba ensaccada por preco commo-
do e gamelas de amarello : no arco de S. Antonio ,
casa do Manoel Jos" Goncalves Braga.
= Vendem-se biebas do Lisboa, grandes a 16ff
rs o ceuto e a retalbo de 10 para cima a 240 ra.
cada urna ; em casa de Firmino Jos Flix da Roa di
Irmao.
VENDE-SE,
Na na da Madre-de-Dos, n, 5,
primeiro andar,
cera em velas recebida directa-
mente de urna das mclhores fabri-
cas do Rio de Janeiro ; he de o ti-
mo sortimento por ter velas de 3
at i6 em libra, e vende-se por
preco mais commodo do que em ou- *
tra qualquer parte.

\ende-se urna morada da caaa terrea sita na
ra da Roda desta cidade que rend 10,000 rs men-
sa es porque se tem tido silencio com o inquilino ,J oulra qualquer parte por se ter de descarregar a dita
eooio ede excellentes vozes por preco commodo ;
na raa do Queimsdo, n. 5.
= Na botica da ra do Rangel vendem-se os re-
medios aeguintes, dos quaes a experiencia tea) confir-
mado os melbores efleilos : den tilica,, que kltoi a pro-
priedade de limpar os denles cariado? < restituir-lhes
a cor esmaltada em muito poucos dias ; o uso do dito
remedio fortifica as gengivas e tira o mo ebeiro da
bocea proveniente oao s da carie como do trtaro,
que se une ao peseogo destes orgioa ; o remedio he
designado pelos nmeros 1 e 2: orchata purgativa ,
mu til as enancas e as pessoas de toda e qualquer ida-
de ; be cou.posta de substancias vegetaes nao contem
mercurio, nem droga alguma que possa prejudicar;
remedio para curar caloi, em poucos dias; dito para
curar dores venreas antigs, e que teem resistido ao
tralimeotogeralmente suplicado ; dito para provocar
a menstruacio e accelerar a acoso do tero nos partos
nalurai-a em que nao se precisa das manobras scien-
lilica Ja arte ; dito para resolver tumores Ivmphaticoa ,
vulgo glndulas; dito para curar bobas e cravs seo-
cus o mais eflicaz que se conhece al aqui; dito oxi-
mel de ferro muito til oas ehloroies, vulgarmente
chamadas frialdades ; pos anti-biliosos de Manoel Lo-
pes ; capsolas de gelatina conlendo balsamo de ca-
pabiba ; ditas de oleo de recinos purificado; ditas de
cubebaaem pfino; ditas de essaletide ; diUs com pos
purgantes; ditas de ruibarbo da Chita ; ditas de sul-
phato dequininode 1 e2 graos cada capsola ; alga-
leas velinlias elasticaa ; pilulas de sal de cebacinho e
agoa das Caldas, ebegada prximamente ; remedio que
cura a frialdade dentro iim 40 dias mesmo estando
iocbado ; macella nova a 240 rs. a libra : o preco de
toJos estes remedios he mui razoavel, e os bons re-
sultadoe da sua applicacio he que deven azera sua
apologa.
=Vende-se um terreno com 82 palmos de (rente no
lugar Baixa-Verde na Capunga terreno bom
de plantar ; na Soledade n. 22
tm Vende-se um relogio patente ingle; na ra
da Senzalla-Velha n. 9V.
= Vende-se um preto de idade do 19 a 20 annos ,
bom canoeiro e sein achaques ; um molequu de 12
unnos, tambem sem achaque algum ; em Fra-de
Portas n. 9o.
= Vendem-se doces de calda em barril de 8 librea,
como teji : caj, sidrio, groxelas, pitanga, laranja ,
ananas, calda de tamarindos, barriada 4 arrobas de
polpa de ditos; na ra do Trapiche, n. 38.
ss Vende-se urna cideirinha de bracos com pouco
uso e feita a moderna ; colberes de prata para soupa
e cb ; annelos ; corddes ; brincos; trancelins ; re-
logios ; e outraa muitas obras de ouro e prata sem
fitio ; pratos, a 880 rs. a duza ; castigaos de vidro, a
l4t rs. o par; copos, a 100 e 120 is. ; e outros
amitos objectos perteocentes a armazem de molhados :
na ra do Rangol, 11.
= Vendem-se, por preco commodo, livros novo e
usados, para aulas do direito, pbilosopbia medicina ,
geograpliia, poesa ; novellas em portuguez fraocez,
inglez e lalim : na ra do Crespo, o. 11.
= Vendem-se, por preco commodo os objectoa
abaixo desc ripios pertencentes a una destiladlo to-
dos de boa construegio e em muito bom eatado por
lercm prestado servico smente duas safras; a sabor:
um alambique de cobre com esquenta-garapaa do mes-
lo duas serpentinas de estando 3 torneiras grandes
e brides duas ditas para respiro 50 parafuzos 12
grampas urna grelba de ferro com vergas e porta I
resfriador de madeira de amurello 21 cubos da mes-
ma madoira, um tanque da meama madeira urna can-
Implora de cobre 3 taixas de ferro sendo urna de
Ierro toado e duas de dito batido 2 bombas do ma
deira de amarello com braceletes de ferro, 2 toneis
grandes e outros differentes ohjectos miudos : na ra
da Aurora n. 42, segundo andar, se tratar qual-
quer negocio, e se dir ondese acho ditos objectos.
= Vende-se, por 19/rs. o diccionario de Horaes
da quarta edicio e outros mais livros em uso ; cou-
ros de cabra ; sola ; sapatos; espaldee ; beierros ; urna
porgio de bicos brancos de 2 a 4 dedos de largura ,
e algumos outras farendas, por commodo preco para
se mudar de genero : na ra Nova, loja, n. 58.
Vende se um sopbi. urna mesa redonda duas
bancas 12 cadeiras, urna mesa quadrada, de amarello,
eo mais deangico por proco commodo; na ra es-
trella do Rozarlo botica do Sr. Paranbos.
= Vende-se urna linda cnaula de idade de 14
aonos ; sabe fazer o diario de urna casa e he propr
para mucama : na ra do Rangel n. 17.
Vende-se urna preta cnoula, de idade de 18 an-
nos, propria para todo o servico ; avista do compra-
dor se dir o motivo da venda : na travessa de f Jos,
n. .11.
Vendem-se, ou alugo-se muito boas bichas ,
ebegades ltimamente de Hamburgo por muito com-
modo preco; na ra estreita do Rozario esquina do
becco do Rozario, n. II.
= Vende-se o mais lindo taboado de pinho ameri
cano que neste mercado tem viodo sendo laboas de
10 a 40 palmos de comprido e at 3 de largura
muito alvo e reforcado em grossura sem mil, pro-
f rio para envernisar asnim como da Suecia costado
costadiobo assoalboe forro para fundoa de barricas,
tudo por prego commodo : atrs do tbeatro arma-
zem de Joaquim Lopes de Almcida caixeiro do Sr.
Joio Matheus.
= Vende-se urna porgio de arrobas de cera ama-
relia ; na ra larga do Rozario n. 29.
=o Vende-e a Lordo da sumaca Lagarto, Tundeada
defronte ao caes do Collegio farinba de mandioca ,
de superior qualidade e por menos proco de que em
senao renderia oais : quem a pretender annuncie para I sumaca com brevidade.
ser procurado. Esta casa acha-se obngada a urna di-
vida que ba de ser paga no acto da venda.
= Vendem-se dous enoelei, urna cruz um al-
unte do peito um frontim ; todas estas obras sao d
ouro com brilhantes e de bom goslo ; na ra estreita
do Rozario n. 30, segundo andar.
"Vende ae superior farinba de S.-Catharina a
bordo do brigue I*bo, fundeado defronte do trapiche
do algudao.e d'alli se pode chamar um bote do navio para
ira bordo, onde se vende a preco commodo: e mais ba-
rato ae vende chamando o dito lite, por se nao pagar a
mandinga ao* bulo r canoas de aluguol : tambem se
vende na ra de Apollo n. 18.
Vende-se um violto do fabrico fraocez, com pou-
= Vendem se muito boas bichas, a 10# rs. o can-
to e a retalbo a 160 e 320 ra. cada urna ; na raa da
Cruz, no Recite venda 9. 62.
= Vendem ae seis escravoa de naci de bonitas fi-
guras de idade do 18 a 26 annos ; urna negrinba ,
de idade de 15 annoa, cose e engonma, urna parda, de
idade de 20 annos com as meamaa habilidades; urna
dita', de 28 annos ; 3 escravas de navio de idade de
18 a 30 annoa (avio e coznbio bem ; na ra Direi-
ta n. 3.
= Vendem-se 3 escravos, sendo um dalles serra-
dor carpina e canoeiro e outro com principio da;
coiinbeiro ; no Forle-do-Malto, ra do Amorim n
33, segundo andar.
Vende-se o muito superior doce de
goiaba em raminho, dito de banana, dito
de goiaba, dito de arac, dito de caj,
dito de mamao, dito de laranja, dito de
limJo, tudo em caix&esznhos, muito bem
feitos: na ra do Crespo, sobrado, n. ij,
no terceiro andar, e na venda do Sr. Joo
Jacintho Moreira, na ra das Cruzes.
= Vende sea muito bem conhecida e afreguexada
venda da Ponte-Velha n. 86 coro poucos fundos,
a dinheiro ou a praxo e tero com modos para mo-1
rar familia : s tratar na mesma venda.
= Vende-se um sitio na estrada dos Aducios, que
fica contiguo ao la 10 direito da caa de M. P. Quiotel-
la : na ra do A regio n I, segando andar.
= Vendem-se A escravas mocas, duas coiem, cozi-
nbSo, e eogommio ; urna cnoula, de 16 annos, boa
para se educar ; 4 escravos bom para o trabalho do
campo; um mulaliobo de 16 annos, bom ofBcial do
sapateiro e bolieiro ; um preto velbo por 1001 rs. :
na ra do Cresa* o. 10, primeiro andar.
Vende-se, por barato preco, urna cadeirinba no-
va mui bem pintada e dourada ; na ra Nova, loja ,
o, ->2
= Vendem-se chapeos finos de castor; na roa do
Trapiche-Novo n. 5, casa de Joio Stewsrt.
Ointioua-se a vender chocolate novo, a 240 rs.
a libra ; caf moido a 160 rs. ; dito em grlo, a 140
rs.; cevada a 100 rs. ; litria a 240 rs ; espermace-
te a800 rs.; carnauba de 7 e 8 em libra, a 320 n. ;
cha bvsson a 2860 ra.; dito perola a 2400 rs. ;
dito uchim, a 1600 rs. ; caixCesde doce de goiaba com
5 libras. a 800 rs.; barris de dito em calda a 2660
n ; paisas noval, 360 rs. ; manteiga inglesa a
880 rs. ; dita franceza a 640 n.; dita de porco a
400 rs. ; axeitonai, a 200 re. a garrafa : no pateo do
Carmo esquina da ra de Hortai, lado direito o. 2.
= Vende se, por barato preco, um apparelbo no-
vo de louca azul inglesa de boa qualidade e padrio
bonito ; na ra da Cruz, 00 Recife n. 47, botica de
Luiz Pedro das Neves.
= Vende-ie sal do Assu' bem grosso e clsfo a
bordo do brigqav Paqutle-di-Pemambueo ; ama por-
cio de cera de carnauba ; pipas de Lisbos sbatidss ;
na ra da Moeda n. 7.
=Vende-se potassa muito nova e de soperior quali-
dade em barris pequeos ; na roa da Cadeia-Velba ,
armazem de assucar n. 12.
= Vende-se milho aos alquoires pela medida velha,
a 2560 e 300 rs.; saccas com arroz de casca; dito
pilado ; ditaacom feijao mulstinho; ditas de farinha ;
barris de mel deengenbo cheios 00 mallo ; estes g-
neros so proprios pera [embarcar pela sua qualidade
ser da melhor que ba 00 mercado : na raa da Cadeia
do Recife, armazem n. 8.
Vendem-ie 6 pretoa de muito bonitas figuras e
mocos sendo um bom official de sapateiro e ootro
pedreiro, proprios para pagena ; dous pardos sendo
um dnlles carreiro ; urna parda boa eogommadeira ,
lavadeira e cozinbeirs ; urna preta de boa ligara co-
'infaeira costOreira e propria de todo o servico de
urna casi; urna negrinba de muito linda figura com
principios de rendeira e coslureira ; urna preta para o
servico de cata e de campo: na roa da Cadeia de S.
Antonio n. 28.
Vencletn-se pellos de be-
zerros francezes, grandes c de
superior qualidade: na ra da
Cadeia do liedle, u. 55,
= Vende-se urna venda na ra da Praia, n.46, com
bastantes commodos para familia, e he em bom lugar,
por ficar no meio dos armszens de carne : a tratar na
ra do Rozario venda, n. 1.
=Vendem-se os mais superiores e generosos vinbos
de Rordeauxe Burgundy em caixinbaa de doria ; os
quaes se lornio asss recommendaveis parase presenlea-
rem'as pessoas de bom gosto, e se apresentarem em urna
mesa por seren os msis oxcellentos a deliciosos, que
se podem encontrar nesta praca ; assim como Cham-
pagne e ceneja branca e preta de superiores quslidadea
e gostos sublimes ; ludo por prego commodo, tanto em
poredes como por volumes: emeesa de Adamson How-
ei & Companhia ra da Allandega-Velha n. 42.
Vende-se o mcllior junco, que aqui
tem vindo para tecer cadeiras ; charutos
regala, meia regala, e superfinos, che-
gados ltimamente da Babia ; saccas com
trinha de superior qualidade, chegadas
ltimamente de S. Matheus : tudo por
menos do que em outra qualquer parte :
na ra da Cruz, armazem, n. f 4, a fallar
com Manoel Antonio Pinto da Silva.
Km casa de Novaos & Companhia na raa do
Trapiche, o. 34. segando andar, vendem-se superio-
res charutos de regala por prego commodo.
i Vende-se farinba superior, ebegada recente-
mente de S. Catharina vende-se pela medida velha aos
alqueires meios e quarles doi prego maitissimo ba-
rato e conlorme as porgdes se far proporcional aba-
te : a bordo do brigue Sagitario ancorado prximo
a ilbarga do caes do Passuio-Publico. Abter-se-b 160
rs. por alqueire aos compradores que cbamarm e
forem conduiidos pela canoa do referido brigue.
i Vende-se um porta-licor em sua competente cai-
ta de faia eovernisada, muito boa obra, por prego mui-
to commodo : na ra de Horlas n. 62.
A 4^500.
Saccas de farelo de tres arrobas cada
urna, CiiCgSuuS iiituCu'C I HG rHuZCui'
de Braguez, ao p do arco da Conce-
cao, e no de Gnimaraes, no caes d'AI-
laorlega.
VENDE-SE TODO O ANNO
figura engomma, cose bem cozinba elavadesibin-
* escravas de naci Angola de 20 a 30 annos. de bo!
nitas figuras com habilidades; um escravo crioulo
de20anoos.de bonita figura, ptimo bolieiro; B
pardo de 20 annos, muito poisante para todo o 1..
vico ; um escravo da nigio, de A0 annos, ptimo pal
dreiro por prego commodo : na ra dai Cruzas B~
22, segundo andar.
Vendem-se sementes de bortalica da rabanoi
rabanetes, repolbo salea alface coentro de tocai-
ra feijio ervilbeiro. ervilha, nabos, salgas, trinchud
esabois: na ruada Cruz, c. 62.
Vende-se potassa ameri-
cana,
chegada ltimamente, e de superior
qualidade em barris pequeos a 35o
re. a libra ; em casa de J. J. Tasso JV
nior.
No caes do Collegio, n. 9
existe um novo armazem com farinba de S. Metheui,
milbo, ludo, tanto a retalbo como em porgos, e mede-
aea vontade dos compradores, medida velha raa, ou
caculada como de matulo, e por meaoado queem outra
qualquer parte : os preleodentes dirijlo-se ao mesmo
armatem, ou a ra da Crui, n. 64, a fallar com Manosl
Antonio Pinto da Silva.
EM PRIMEIRA MAO.
Vende-se CERA EM VELAS da malbor fabri-
ca do Rio de-Jsneiro em canas a as libras, sortub
a vontade dn comprador; COLLA DA BAHA,,sur-
rior aa arrobas e as libras ; VINAGRE DE Vl.Nlo
TINTO a 600 rs. a caada velba : na raa da Seo.
zalla-Velba n. 110.
Escravos Fgidos
= Fugirlo. do abaixo assigoado na madrugada
do dia 7 do correte um pardo de nomo Eduardo ,
com oflicio de sapateiro ; e um moleque crioulo de no-
me Jos com oflicio de carpina : o primeiro be bem
claro; foi escravo do Sr. dootor Manoel Cataleanti de
Albuquerque ; tem de idade 26 a 30 annos: o segun-
do foi escravo de Joio Lopes Lima, do Aterro ten 20
annos, alto, bem feito de corpo bracos groaros; he
alguma cousa surdo ; carapinha alta ; sabe ler e es-
crever: sapp6e-se terem ido calcados e bem vestidos,!
andarem nos arrabaHr: fi><'Je. Roga-se aos cepilles
de campo de os apprebenderem, e leva-Ios a roa da Moe-
da, n. 7, que serio bem recompensados.
Leopoldo Jote da Costa Araujo.
FugirSo, no dia primeiro do correte do enga-
nbo S. Crux da villa de Porto-Calvo dooi escravos
eumaeacrava, todos crioulos, um.de nome Andr ,
de idade de 30 annos estatura regular barbado, es-
padsudo olhos grsndes ', oariz pequeo peseoco
corlo: outro moleque de 14 a 16 aonos, de non
Camillo cor lula, pes largos; tem urna cicatiz no ros-
to de um couce que Invou de Um cavallo ; a escrava,
da mesma idade do moleque cor fuls, rosto compri-
do altura regular seoca do corpo. Quem os pegar,
leve a seu senbor, Diogo Sosres Csrneiro de Albu-
querque noditoengenbo, ou neste praca a Victo-
rino de Cutro Mours que recompensara.
Gr-ificagao do 100*000 rs.
= Roga-se ss autoridades policiaca, ou qualquer
pesaos a quem seu conhecimento ebegar, o obsequio de
a preheoderem dous escravos do abaito assignado f-
gidos ou furUdosa 14 de fevereiro de 1842 com m
signaes seguintes, eque julga-se estarem para ai partes
de S. Louronco da Malta, e be de suppor eiteiem don-
me mudado : Caelano de nagio Congo, bano, gros-
so do corpo com falta de denles na frente do queiso
superior falla um tanto descantada, barbado ; be ser-
rador e foi do Sr. Joaquim Pereira de Meodonga:
Joio, de nagio Cabuodi olbos avermelhados meio
bucal quando fugio bem preto, secco do corpo de
bonita figura queixos Isrgos : o primeiro represente-
va quando fugio 25 a 30 annos e o segundo de 181
20 annos Quem os pegar, leve a Fra-de-Porlas, raa
do Pilar, n 96, a leu tenhor, Joaquim Lopes de Al-
uioida caixeiro do Sr. Joio Matheus.
esappareceo, no da 8 do crrente do en-
genbo Itepirema-de-Cima um moleque de nome
Marcos, de nagio Congo, de idade de 16 a 16 annos,
bem preto e limpu do corpo; quando falla be um tsn-
to deseancado ; foi drsencaminbado por um cabra da
nome Daniel morador em A lagos Grande do Peb :
ha indicios, que veio para esta cidade, para ser ven-
dido. A quem for oflorecido annuncio por este Dia-
rio, ou procure na ra larga do Rozario venda 0.
46, de Joio Manoel Rodrigues Vallenga que grati-
ficara ; ou 00 mesmo engenho o seu proprietario.
= Fugio, no dis 7 do correte um pardo da no-
me Antonio ; levou calcas e camisa branca de baba-
dos calgado de sapatos, denles limados, cabello abar-
lo, sem barba muito prosista: quem o pegar, leve a
ra da Cruz no Recite n. 21.
Fugio, no dia I9de dezembro p. p. um preto
da nome Joio de nagio Cabunda alto, corpo regu-
lar cor um tanto fula com urna costura em urna
das ventas proveniente de um lalbo com um talbo
no pulso de um doi bracos, pouca barba de idade
do 40 e tantos annos; leou camisa de estopa nova e
caigas de dita velba, e chapeo de palba ; quaii sem-
pre anda bebado e muito trmulo das mios ; tem sido
viito no Mondego e Manguiobo. < Roga-se a qualquer
das autoridades polieiaea tanto desta prega como de
lora, ou outra qualquer ptiaoa, que delle tiver noticias,
de o appreheodere remoller a seu senbor Francisco
Msrlioi da Lemos, morador na ra da Praia de S. Ri-
ta sobrado, n. 1 quepromptamente selislart toda
a deapeza que com o mesmo se tiver feito ; assim
como protests com todo o rigor da lei contra qualquer
peasoa que o tiver oceulto em sus caaa.
Ainda eatio fgidos os pretos Msnoel, IVngue-
la bsixo, cheio do corpo, pes rossos pouca barba ,
cor lula, unda de vagar ebe official de ferreiro ; Gil,
de nacJlo Quigama boixo, ebeio do corpo rosto re-
dondo anda aem barba olbos e testa pequeas ; o
azeitedecarrapato, em grandes porgos esseanadas ,1 Primei' 'gioafide Janeiro, e o aegundo a 24 de
por menos do queem parle alguma: no deposito da'|m,rco do *nno P->:
p.: quem 01 pegar, lase a
I Aurora n. 30, que leri bem recompensado.
ra da Senzalla-Velsa n. 110.
Vende se umrelogio de ouro horisontal ma-
china de platina e com 8 robim ; na ra Nova, o. 6. 1 .,
= Vende-se urna parda de 85 annos, da bonitaJPMU. } ka ttp de m. rt DH fabi* iti^O, )


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EV4XQSLAJ_S8SMVB INGEST_TIME 2013-04-26T21:47:42Z PACKAGE AA00011611_08173
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES