Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08161


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1844.
Terca Feira 24
O Di4Rin miblina-fln todos 55
''i: i|uo nio
lores sanlifictdoa : 0 prego di assijrn atura
b de tren tuii rs. jior quanel paco adiantados. Oa annuocioidoa assignsnles io inserido
is reclamacoes deTem acr diri-
ndencia lo ja de lirroan. 6*8
w- --------------------------- ( ^j------- I h "" Kii>auu *^a ata aii. -- -
pralii, e o dos que nao forem rsto de 80 reia por liaba. As reclamacoes derem ser diri-
gida 4 dslaTyp.j ra das Cruze n. 34 o a praga da Independ
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goi\ft!U,c 'arahyba seeandose sextas feirss.Rio Grande do Norte, cheg a 8e2>e par
te lOi- -. ,,.iliu. sennhaein Rio Forme so, Macer, Porto Cairo, Alagoas: no 4. =
lie -1 de cada mei. Garanhuns e Bonito a le '-4 de cada mei soa-Tista e Flor-
es a 43c i8 dito. Cidade da Victorii, quintal feiraa. Olinda todos os dias.
DAS da semana.
'2:1 Seg s. Lino. Aud. do J. de D. da ?. t.
'-'4 Terca s. Gerardo Bel. aud. do J. da D da 3. .
'-'5 Quilla s. Firmin'J. Aud. do J. de D. da 3: y.
-6 Quinta b. Instina. Aud. do J. de D da a. .
-7 Sexta g. Eliiario. Aud do J. de D_ da 2. t.
2S Sab. Venceslao. Bel. aud. do J.da I), da 4. t.
JO iloia^ s. Miguel Arrhanjo.
de Selcmbro
Auno XX. N. i 5.
ludo agora dependa de Aja; sesmo; di nosai provincia. eeoduriqio- t energa: eoa-
tiuacaioe como principiamos, seremos apor.tados oun admirago entre is naijoe sai*
cultas. (Proclamadlo da Asierablcs Oral do iran.)
\f Cambios sobre Londres 84 e \! rom.
' Paris 180 rea por franr-o
11 11 Lisboa i iU per lUu de premio
'loedl .le cobr' ao par,
Idea, da letras .le boas fir^.sa I p'>ro,o
ClHUOt WO PIl CU DE SKTPMBno.
compra yenda
Oura-Moeda ds 6,400 V. 17,900 47,400
ii .. N. 47.UU0 47.-00
, ds 4.J I 9,400 '/'U
PraU-fataeSe 1,960 _> OdO
i Pesoscolummnare 2,000 -'-0
Dito* mei canoa 1,980 '-'.000
anh.
.2 m. damanh.
EGEi
PHASES DA LA NO HEZ DE SETEMBRO.
La oh*iii6i 4() horas e i! min. da ni a La non a 4; asIOh. e jSaaio.da
Mieguant* a 4 a 7 horas r .'. min i Urda JCrasceule a 9 < ,K |,
Preamar de hoje.
___________Primera a 11 hora e i".' rom ds oanba I Segunda ji i J liora a 6 minuto da t
DIARIO DE PERNAMB
mu imaniiNiii i
tmmmBtcn-
-. .,
AVISO.
A pubcidade do j(ligamento he urna das
verdadeiras garantas, nao so do direito das
partes, como da integridado Jos julgadores, e,
sobre tudo, da erudigao dos advogados ; esta
pubcidade porin ser ephemera se se reduzir
ao limitado numero de espectadores que fre-
quento a casa ein que so celebrSo as sessoes
dos tribunaes, he por isso que nos offerecemos
a mandar tirar por tachvgiaphia as discussoes
que tiverem lugar, e a publical-as neste jornal,
quarido ffs parles ou os advogados queirao, me-
diante urna mdica retribuicao ; para cujo im
se poderao dirigir, com antecedencia do 24 ho-
ras, a praca Ha Independen -,ia ns. 6 e 8.
-1BSBBBBBB ...... L
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 16 1)0 CBRENTE.
OfficioA Mesa Parochial da freguezia da
cidade da Victoria, declarando em resposta ao
seu officio de 14 deste mez, que, visto haver-se
descoberto falsificacoes as cdulas para Juiz de
Pal e Vereadores, nulla se torna a apuraco dps
votos,que se tinha feito;e que por isso devemSs.
Mes. proceder ao recebimentode novas cdulas e
marcar um dia para este acto, depois que se lin-
daren) as eleices primarias.Communicou-se
a Cmara Municipal da cidade da Victoria.
DitoAo Inspector da Thesouraria da Fa-
zenda, ordenandoem consequencia derequisi-
codo Commandante das Armas, que mande
entregar ao Capito Sebastiao Lopes Guimares
a quantia de 1:200.) rs para compra de noves
cavallos, que se fazem precisos para remontar-
se a companhia de Cavalluria de primeira Imita;
e que faga arrematar 3 dos referidos animaes,
que por ora nao podem all prestar servicos.
Participou-se ao tommand>>nte das Armas.
Dito Ao Inspector da Thesouraria das Ren-
das Provinciaes, determinando, faca entregar
ao Engenheiro em Chele os objettos, que por
urdem da Presidencia d(- 27 do Setembro do
auno prximo passado forao mandados vir de
J*'ranea, e d'alli acabao de cliegarein o navio
Armorique, acompanh. dos das cartas de aviso,
factura e conhecimento, que vierao annexos ao
seu officio de 9 deste me, c Ibe devolve; e cha-
mando a sua attencao sobre o erro de calculo,
que se nota no lim da factura, e do qual, pas-
ear, nao pequeo prejuiso proveria Fazenda.
Communicou-se ao Engenheiro em Chafe,
louvando-o pelo zelo e cuidado, quo o lerrao
descobiir o erro, de que cima se falla.
dem do da 17.
OfficioAo Juiz de Paz da freguezia do Li-
moeiro declarando em resposta do seu officio
de II do presente mez que se as eleigoes
dos Eleitores se aprespntart'tii dous individuos
com duas cartas de um tnesmo votante, conten-
do cada urna a sua sedula deve ser acceita a
de data posterior por se dever entender, quo
esta tem inutilisado a anterior.
DitoA Cmara Municipal d'esta cidade ,
communicando ter resolvido atientas as ra-
zoespelo Engenheiro em Chefe produzidas no
officio, que por copia Ihe envia approvar as
inodificaces por elle feitas na planta annexa ao
ornamento do caes do Arsenal de Marinha ; e
enviando-lbe a referida planta para que nel-
la mande fazer as mudencas precisasOfficiou-
so respeito ao Engenheiro em Chefe das Obras
Publicas.
PortaraConcedendo trez mezes de licenga
com sold para ir provincia do Maranho
buscar sua familia ao Tenente Coronel Fer-
nando Luiz Ferreira, Caminndote do 2.' ba-
talhoda Artlharia pCommunicou-se ao
Cummandante das Armas.
OfficioDo Secretario da provincia ao Ins-
pector da Thesouraria da Fazenda, transmit-
tindo para ter execucao, a orden do Thesou-
ro sob o numero 174.
11) km do Dl\ 18.
OfficioAo Kxm. e Km. Bispo Diocesano ,
duendo baja de expedir suas ordens, para
que as eleices de 22 d'cste mez seja substitui-
do por algum sacerdote o Parocho da freguezia
dosAogados, quo, segundo participa o res-
pectivo Juiz de Paz anda se acha doente.
DiloAo Inspector do Arsenal de Marinha,
autorisaudo-o a fazer o patacho Pirapama se-
guir para o porto do seu destino depois que
do Arsenal de Guerra houver recebido o arma-
mento que deve conduzir para a Corte.
DitoAo Commandante Superior da Guar-
da Nacional do Cabo significando em respos-
ta ao seu officio de 16 do correnle que breve-
mente ser para all mandado um destacamen-
to do corpo de Polica a lim de guardar os
presos da respectiva cadeia.
DitoDo Secretario da provincia ao Com-
ma.ndante das Armas, participando ter-so or-
denado ao Inspoctor da Thesouraria da Fazen-
da que mande abonar dous mezes de sold .
as competentes comodonas d'embarque e o
tiitis que S. S.1 requisitar, ao Majar do 2.
batalhao d'Artilharia p que em commisso
vai liba de Fernando.
I OEM DO DIA 19.
OfficioAo Padre Joao Mximo Freir, de-
clarando em resposla ao seu officio de 7 d'este
mez que se no dia 22 anda estiver regendo a
fregue/ia de Papacaca, deve ir substituir o res-
pectivo Parocho ne acto das eleigoes primarias.
DitoDo Secretario da provincia ao Delega-
do do Po-d'Alho, aecusando a recepgao do seu
officio de hontem (18), cm que communica a-
char-so tranquilla aquella comarca.
s.
EXPEDIENTE DO DIA 3 DO COURF.NTE.
OfficioAo Exm. Presidente, informando o
requerimento do Cabo d'Esquadra da compa-
nhia de Cavallaria Antonio Xavier d'Almeida,
que pedia um mez de licenca para tratar de sua
sade.
PortaraMandando dar baixaao Io Sargen-
to d'Artilharia Mauoel de Brito Salgueiro, que
ollereceo o paisano, Francisco de Carv&lho l.es-
sa para servir em seu lugar, ficando com praca
na companhia d'Artifices.
DitaAo Commandante da companhia de
Artfices, mandando abrir assento de praca ao
paisano Francisco de Carvaiho l.essa. substitu-
to do IoSargento do balalhaode Ariilbaria Ma
noel de Brito Salgueiro, certo que do Coiu-
irrandanle do dito batalhao, teria de receber ji
ola do assentamento de praca do Sargento de-'-
mittdo, para por ella se regular o lempo a que
estata obrigado a servir o substituto.
DEM DO DI \ 4-
OfficioAo Exm. Presidente, enviando-lbe,
para proceder como fosse conveniente, a repre-
sentacao que acabava de receber do Comman-
dante do corpo de Guardas Nacionaes destarado,
cont'a o proredimenlo de Ignacio de tal, e ou-
Iros agentes de Polica da freguezia de S. Jos,
que obrigio os soldados com ameacas a as-
signarem listas para Juizes de Paz e Eleitores,
e seduzio para que desertassem.
DtoAo mesmo Exm. Sr enviando-lbe os
papis docontabildadedo destacamento da G.
Nacional do Limoeiro, de Julho e Agosto deste
anno, visto que este destacamento nao eslava
debaixo de sua jurisdieco.
PitoAo Capito Commandante do destaca-
mento da comarca do Limoeiro, dizendo-lhe,
que os papis de contabilidadedo mestna desta-
camento nos mezes de Julho e Agosto, foriore-
mettidos ao Exm. Sr. Presidente, visto nao es-
tar essa orca debaixo de sua immediata juris-
dieco.
dem do da 5.
OfficioAo Exm. Sr. Presidente, rogando-
Ihe a expedjccSo de suas ordens, para seren a-
bonados ao Tenente da 4* classe Manoel Jos das
Silva Leite tres mezes de sold adiantados, e a
comedorias de embarque, por ter sido nomeado
para servir na liba do Fernando.
DitoAo Commandante Superior da Guar-
da .Nacional do municipio do Recife, communi
cando-lhe o detolhe da parada do anniversarie
da independencia, na parte relativa a segunda
brigada.
DitoAo Commandante Geral do corpo de
Polica, scientilicando-o de que o mesmo corpo
tinha de fazer parte da segunda brigada que de
via solemnisar o anniversarioda independencia,
e odicaudu-lhe o lugar que na mesma brigada
Ibe compela.
DitoAo Tenente-Coronel Commandante
do segundo batalhao d'Artilharia a p, devol-
vendo-lhe o processo verbal do tambor Manoel
Francisco de Mello, que temi sido annullado
pela Junta de Justica em consequencia de irre-
gularidades, cumpria que fossem sanadas, fa-
zen lo-se novo processo.
PortaraMandando excluir do segundo ba-
talhao d'Artilharia api, a 38 praeas que em-
barcrao para a Corte no vapor Thelis.
1D1.M DO DA G.
OfficioAo Director do Arsenal de Guerra,
para fornecer por eniDrestimo 68 espadas com
que devio ser armadas as pravas que na gran-
de parada do dia 7 tinhaode guarnecer o par
que d'Artilharia.
dem do da 8.
OfflcioAo Major Commandante interino
da fortaleza do Brum, ordenando-lhe, que no
desembarque do Exm. Sr. Concelheiro d'Esta-
do \ isconde d branles que estava chegar
nesta provincia no paquete inglez, fizesse salvar
a fortalesa com 19 tiros regulando-sc pela sal-
va que tambem devia dar a escuna de guerra
existentem lo porto.
dem do di v 10.
OfficioAo Inspector da Thesouraria, com-
municando-lbe, que no dia J deste mez,falle-
cer o Capcllao da forlale/a de ltamaraca, Pa-
dre Pedro Marinho FalcSo.
DiloAo mesmo, dando-lhe os esclareci-
iiientos quo pedir o Commissario Fiscal do
Ministerio da Guerra sobre o abono da diaria
de 400 ti. concedida pelo Exm, Sr. Presiden-
te ao preso d'estado Ignacio Pires da Silva Al-
teres da extincta segunda linba.
DitoAo Coronel do Estado Maior Joaquim
Jos Luiz de Suusa respondendo seu officio do
felicitacSo pela nomeacao e pogso do emprego
de Commandante das Armas.
DitoAo Capito Jos Francisco do Reg
Barreto aecusando recebido o inventaro dos
olijcctos da fortaleza de ltamaraca, organisado
por OCcasiSo de ter assumido o commando
comn ie determinara na ordem do dia do
mez p. p., edisendo-lhe quo icara scenlc do
fallecimenle do Padre Capello e que oppor-
(un>ment providenciara sobre o pessoal da
L'narnicfi da mesma fortaleza.
Luiz da Purificacao e conservar ainda presj
por dous dias carregado com armas por espaco
conveniente o solJado Manoel Izidro a vista da
sua imforniac'io do .'II do mez p. p.
DitoAoTeoente Coronel Comm. da liba
de Fernando de Noronlia dizendo Ihe que
na barca ErmeHnda seguiSo 24- pravas do bala-
IhSo d "ir-tilharia que devifio substituir no
destacamento a outras tantas, inclusive as
que estavo desig nadas no officio de 29
de Agosto ullimo. Dando outras providencias
a cerca dos Officiaes o do pracas que devio
regressar, participava-lbe quo no dia 7 do cor-
rente assuinird o ('o ornando das Armas, co-
moconstava da ordem do dia n. 1, que por
copia Ihe transmiltia
PortaraMandando ligar ao segundo ba-
tilhao d'Artilharia, preenebendo a vaga exis-
tente o segundo Sargento Jos Alves de Sou-
sa, que ficava as suas ordens.
Dita M'andando dar baixa por incapaz do
servico, ao cabo d'esquadra Joo Antonio
Galdino e soldados Manoel Soares Machado e
I liorna/. Jos d'Aquino, do segundo batalhao
d'Artilharia a p, em consequencia do dispos-
to no Imperial Aviso de i\ de Agosto ultimo ,
e ordem da Presidencia de 10 deste mez.
Outra no mesmo sentido mandando dar bai-
xa ao soldado de Cavallaria Honorato do S
Campello.
Outra tambem no mesmo sentido man-
dando dar baixa ao soldado do Deposito Jos
Baptisla de Almeida.
Tl.csoinan'a da Fazenda.
PortaraMandando d'ordem do Exm. Sr.
Presidente da provincia dispensar do servido
do segundo batalhao deG, N. aquartelado o
guarda Joaquim da Silva Reg por ter sido
nomeado EscrivSo do Jui/.o de Paz do primeiro
dislrirto da freguezia de Santo Antonio.
dem do da 11.
Officio Ao Exm. Presidente, informando
o requerimento da viuva Candida Umbelina da
Conceicao, que ao Governo Imperial supplica-
va a sraca de mandar dar baixa a seu filho o
nico arrimo Jos Maria da Encarnago, cabo
d'esquadra do segundo batalhao de artlharia
c p.
DitoAo mesmo Exm. Sr. informando o
requerimento do primeiro Tenente Joao Mari-
nho Cavalcantede Albuquerque que ao Go-
verno de S. M. o Imperador implorava agra-
da do promover a Capito para qualquer dos
corpos do exercito em roparago a injustica
que diz soffrera na proposla de 23 de Julho ul-
timo.
DitoAo Chefe de Polica remetiendo
Iho a nota de alguns desertores e communi-
cando-lhe a sua posse do emprego de Com-
mandante das Armas em o qual o encontra-
ra disposlo a dar-lhe toda a coadjuvago no
que fosse eoncernento ao bom andamento do
ieo publico.
DitoAo Commandante da companhia de
Artfices, mandando soltar o soldado Miguel
EXPEDIENTE DO DIA 6 DO CORENTE.
OfficioAo Exm. Presidente da provincia ,
participando que em cumprimento das ordens
da Presidencia se acha va afretada a barca 'r-
melinda, pela quantia de I:800j000 rs. e com
ascondicoes dos anteriores afretamentos para
ir a Iba de Fernando do Noronba levar a fe-
rinda e o mais que fosse necessario.
DitoAo mesmo Exm. Sr., com o recibo da
Aleres Ignacio Pires da Silva, proveniente da
diaria de400rs.,q' se Ihe abona.oqualduvidou
o Commissario Fiscal do Ministerio da Guerra
dar porcrrente, por nao ter o mesmo re-
cibo o -visto do Commandanto das Armas,
e rogando se dignasse dar as suas ordens para
que a exigencia fosse satiseita ou para que o
pagamento se fizesse independente della
DitoAo mesmo Exm. Sr. informando^
requerimento de Manoel Joaquim Car'neiro
Leal, em quo pedia ser indemnisado da quan-
lia de240.000 rs de 200 pares de sapatos,
que vendeo para o Arsenal de Guerra.
Dito Ao mesmo Exm. ^r., idem dousol-
ficios a respeito do que se ficou devendo pelo
\rsenal de Guerra no anno financeiro de
1842 43, e que por falta de c msignaco dei
xou de ser pago.
DitoAo mesmo Exm. Sr. devolvendo o
officio do Subdelegado dos Afogados com a
conta da despesa de agua e luz com o desta-
camento, que alli se achava para que se dig-
nasse mandar dissolver a duvida do Commis-
sario Fiscal do Ministerio da Guerra ou deter-
minar o que julgasse conveniente.
DitoAo mesmo Exm. Sr., informando o
requerimento de D. Cathanna Miquolina da
Silva, viuva do Alferes de primeira linha Joa-
quim Jos Ribeiro, em que pedio o pagamen-
to do meio sold que se Ihe estava devendo
relativo ao exercicio de 1842-43 e que nao
recebeo por faltado quota.
dem do da 9.
OfficioAo mesmo Exm. Sr. participando,
que pelopaqueto de vapor Imperador se eflec-
tuarao as remessas para as provincias do Norte.
DitoAo mesmo Exm. Sr., a respeito da
requlsico de 30:000,000 rs. em notas novas
de pequeos valores, que fez a Thesouraria da
Parahiba.
DitoAo Inspector da Thesouraria da pro-
vincia da Parahiba enviando pelo Comman-
dante do paquete de vapor Imperador de


.
cootos de ris em notas de 5,000 rs., para
continuar a substituidlo das que se mandaran
fdEM da circulafu uaquoiia provincia.
DitoAo da Thesouraria da provincia do
Ceara idem ; e aecusando a rece pe j do seu
oIBcio de 20 de Agosto prximo linda e de
caitote com a quantia Je 10:1IjjOOO ris em
notas inutilisadas.-
DitoAo mesmo idem 4;690000 ris do
supnriuiento marcado pela ordem do Thesouro
Publico Nacional do 18 de Juilio ultimo re-
lativo ao crrente me/.
PortaraMandando abonar ao Thesourei-
ro di Fa/onda, no livro caixa do exercicio cor-
rente a quantia de 4:690^000 ris de que
tracta o precedente odie o.
Ditadem a quantia de I0;000000 de ris
em notas novas, no livro C3ixa da substituido
das notas, que recebeo o commandanteda barca
de vapor Imperador, para entregar na-Thesou-
raria do Cear. Igual para a l'arahiba.
Dita Ao Tbesoureiro da l'azenda, para
aceitar e pagar no dia de seu vencimento. pela
respectiva caita, conforme a ordem do Tribu-
nal do Thesouro Publico Nacional n. 170, de
JO Je Ago de 2:400,000 rs., que a 15 das precisos sacn
o respectivo Thesoureiro Geral. a ordem F. H.
l.uttkens. Iguaes portaras se passiao para o
aceite e pagamento de mais cinco letras; sendo
a primeira. de 15:239,672 rs.. :'< ordem de A-
morim A Irmos; a segunda, de 10:000.000rs.
ordem dos meamos; a terceira, de 1:876,659
rs a favor de Reg &C.J a quarta, de 4:000.
rs., a lavor de Amorim & Irmaos ; e a quinta,
de 5:500,000. a lavor de Gabriel Antonio, to-
das a 15 dias precisos.
teresse pessoal e anda tereis a ouzadia de ros,que de males vos devem os Pernamanbuca
oor em duvida a vossa infame conducta em face nos E ousareis anda apregoar que sois do
de vossas aeooes assim prezeotes como passa- i partido nacional ? nao sois: a nacao Brasileira
das? .Negareis acaso que estis promptos a vos detesta, e vos repelle como inimigos.
bajular a qualquer que estando no poder vos
acenar com promessas de empregos por mais
pequeos que sejao ? Negai o embora : nin-
guem mais vos acreditar, cambada*de descon-
tentes e ambiciosos do alheio.
cerdadiiro patrila.
A pandilhocracia praieira na impossibili-
lade do confutar seriamente tudo quanto ta-
vemos at aqu dito em seu desabono, e nao
j_uerendo mais confiar das suas capacidades de-
masiadamente sabias o perigo de urna contra-
dictoria ou ultgeirada re-posta mudou de
rumo, e apresenta-se no A-noro n. 206 com
um artigo do gosto moderno (da praia) no qual
tira de si os atavos indispcn*aveis qualquer
praieiro e arremessa os sobre nos sem duvida
para ver se acabrunhsdos de seus doestos deixa-
mos de analizar seus infames escriptos : mas se
tal foi a intencao do ).-r,ovo, desdeja Ihe de-
claramos, que perde o seu tempo; porque diga
oque quizer, continuaremos a patentear os
factos de sua pandilha e relutar as miseraveis
razos contra producentem que os sejs escre-
vinhadores produzirem todas as vetee quelorem
taes que o mereeao, repelliodo igualmente com
milita dignidade as injurias e calumnias,
qua n s assacarem. na carencia de factos, que
maculem nossa reputaco. Isto posto, diremos
a esse quer que seja do D. novo que se as
fraudes, que a pandilha lem commettido em
Correspondencias.
Com mu nicados.
Havemos sempre dito em nossos escriptos que
os praieiros, que se nos tem inculcado por li-
beraes, nao sao mais do que pescadores, que
nao podendo em tempo de bonanza tirar lucro
de suas redes, e engodos lancado ao mar, an-
helo as tempestades para abi ver se fisga > al-
guma sardinba, as aguas tunas das endien-
tes, ou fallando sem tigura, temos aflirmsdo.
que os bomens da pandilha praieira sao infames
intrigantes, com raras excepcoes' que apenas
querem. e tem por nico tim chuchar algum
emprego etc. embora nao sejo para eile ha-
bilitados ; mas quando assim diliamos nao t-
ntame pot fundamento tenlo a prestimpgio
do que se poderia esperar de h"mens de um
partido sem principios tixos, eenhecidos. em
vista dos seus factos pretrito*, que na ver.iade
muito concornao para o seu descrdito ; entre-
tanto agora somos inlormados da existencia de
alguns factos novamente por elles praticados,
que vierto ratificar, ou antes apoiar as nossas
proposices.
O Sr. Francisco de Paula Carneiro Lelo,
liberal da praia >er segundo requereo ao G -
verti de S. M. 1. ser encartado no tenue e
diminuto emprego Je Escrivlo de Orpbos des-
ta cidade. cujo serventuario e proprietario vi-
talicio, anda teima em vivar : e na verdaie se
o negocio no veru a informar, certo era o h -
uieni despachado com o propietario anida
vivo e o que ser isto se nao sea da praia
para pescar ? Outro praieiro de igual jaez teve
tambem oarroio de requerer certo lugar Deca-
pado, embora Ihe constasse que o peixe ja esta-
va seguro em outro antol : qu- tal he o ridicu-
lo pedante que assim mesmo o queria para o
seu bucho de kagado. de sorte que se nao ha
na Corte pessoas que se imcumbirao dp desa is
carar o impostor tica va o homem sem emprego :
quantas iigeirezas hao elles inventad 1? po-
rta por arte do diabo. que desta vez nao quii
ajudar aos seus. a mire va-a\a eolio, e as fegoai
corrio muito ficando por isso a isca do indigno
pescador sem peixe nenbum.
Tambem ha nuem dita mas nao afTirmamos
que o Sr. Joaquim Claudio Monteiro, e outro*
que iaes requerero certos empregos. que se
acho excellentemente prvidos ; mas que taes
preleadentes por misericordia de Dos tirarlo
eorte igual, a dos dois mencionados. Ora'digao
la que os praieiros nio sao patriotas CJuem
depois de accoes lie conspicuas e philantropicas
se atrever anda a proferir semeihaote herezia
potics ? Ninguern : su se cae entender Coeao
os polticos da praia que ser liberal, he cubicar
os empregos. que a outrem lorio concedidos.
pelo seu mrito e capacidade ou em premio de
seus servidos ; que *er liberal he fazer meios. e
modos de ser eleito Deputado seja la isso como
for arranjado, inda mesmo negando os proprios
actos, que o mundo inteiro conhece. oda mes-
mo comettendo quanta villeza ha. e tornndo-
se ura completo sevandija. que ser liberal final-
mente he abracar a todos na adversidade, e
escarnecel-osdepois di char-se cada um eeapa-
leirado, e...... -i-c. Ac Sim senhores pat'io-
la praia que vos haveis apregoa Jo do par-
tido Nacional, eis abi a o*a bandeira o in-
' Srs. Redactores. Com quanto eu pao seja
amigo de questionar i cerca de negocios polti-
cos, todava a maneira burlesca por que so pro-
cedrio as eleiroes de eleitores da fregueiia de 1
S. Jos excitou em mim o desojo de referir ao
publico os mlagres eleitoraes que a praia em-
pregou naquella Ireguezia, o por isso rogo-Ibes
a insercao do que vou expr, que he exacta-
mente quanto vi e presenciei all.
Acabadas as cerimonias religiosas, procedeo
se leitura dos nmeros correspondentes aos
homes dos elegiveis e sua introdcelo na urna,
que foi notavcl, porque o Escrvio muito de
proposito posto em p, com as mos encobertas
pela lampa da urna para a mor parte dos cir-
cunstantes, ia deitando de um lado os que Ihe
agradavao, isto he, os dos praieiros de chapa, e
do outro osdopartido da ordem,para que o me-
nino que era seu tilho ou irmao) j de encorn-
menda tirasse os bilbetes smente daquelle lu-
gar que Ihe fosse indigitado, o que foi frustra-
do pela lembranca dj Rev. Vigario, que revol-
veo todos os nmeros, de sorle que nao dcixou
ninguern em duvida de sua honradez, devendo
notar-se, que durante essa accio do integerri-
mo Parocbo, o Juiz de Paz empalideceo ; olhos
vistos, e otalEaerivio tremia, que quasi tica
sem poder ter-se em p Em seguida, extra-
hio o menino ad hoc) os nmeros quedeviao
e no baria mais nada a boquejar. Fortes ban-
dalhos! Pnis a praia nao sabe que muiiissimos
portuguezes por mil circunstancias difTerenlea
pozero os seus nomos nesses livros chamados
de juramento da constituido? Naosabemcg
sapienlissimos doutores da praia que a quali-
dade de cidadio se nao adquire por esse meio
Ilusorio ? Como sao innocentinhos os marre-
eos fora cambada sois tao vis que acclaman-
do-vos partido nacional acclamacio Pedro-
so admittistes na vossa chapa de eleitores um
estrangeiro cuja nica recommendaciio se fir-
ma em ter a bem poucos annos assassinado um
Brasileiro por cue este def-ndia a sua honra
ultrajada E como j ento o absolvestes, a-
gora Ihe dais o foro que nao lem nem podia
ter e o incitaes a insultar os seus compatrio-
tas nao degenerados e os nossos c ncidados
em virtude da constituidlo E tudo isto vejo ,
Srs. Redactores, quando conheco o tal Pedro
Antonio Teixeira Guimaraes que he de quem
trato desde que para aqui veio muito dppois
da Independencia e foi ser caiveirito do fal-
lescido Pe re ira na ra do Livramenlo; e a praia
a gritar por Ici e liberdade Safa Sou &c.
O relho Pernambucano.
estes ltimos das,e os crimes que projecta Iha
nlobouvesfmefleetadoaBraocctaiataleetaaes.nvnAr ^giwe'qoethlo da deber
elle nao se atrevera a dizer anda Umanha copia MeM< ecn,-0 n?a t milagrosa foj obraja
deasne.ras: como a que appareceo naquelle nu- ,Q Escri>So e Juiz de Paz. por quanto, |on-
niero 206 do seu pasquim, e antes corrdo de
vergonha pela certeza em que deve estar do
nojo que causo suas parvoices, e do nenbum
ge de ler-se o numero que era justamente ex-
trahido da urna, lia-se outro de urna lista de
' nmeros que foi immediatamente posta sobre a
crdito, que gozo suas produeces immoraesk,^ resultando d'abi que em mais de sessen-
e ant.-ordeiras de.xar.a de aparecer no nume- u for^0 fhamados 8penas
rooos eseravinhadoree deau sucia regateira, prtierol. oh que Srte caprc
que por fortuna nossa foi ter praia desm.pe- | Jejra Rde,a 0PServar se q
cando assim as ras e becos. que ate certo | a circulStancia de debrucar-se ..
tempo aeeapavio Com efleito quem leo os; ^^ abendu ,er# esc0|hia os numero
nossos communicados. que tinho por titulo= :......|k ___,s M ^iut .iRon, ii,,
que Ihe pareciao, ou aquelles que alguem Ihe
ordenava Mas como tanto escndalo deveria
ser melhor patenteado. succedeo que tendo-se
trocado o numero de Manoel Joaquim I-albo
oor outro, pouco depois, esquecido o,E*crivao
dessa sua esprtela, cbamou de novo o mesmo
Fialho! !
Ora, concluida a chamada dos que deviao ser
Eleitores da Mesa, e, procedido o escrutinio,
sahirao nomeados um certo Padre Trindade,
e urna cousa a que chamo Couto nao sei de
que" para Secretarios, e para Escrutadores o
mu poderoso Inspector de Ouarteirao Jos
\ iva a liberdade e a Independencia do Brasil =
necessriamente a nao ter na cabeca o furor
Jos praieiros' bavia de ficar convencido, tan-
to das verdades nees referidas como da com-
ta dettruicio que fez o segundo no circu-
lo do ligeiro, nullilicando inteiramente as es-
cupida evazivas da sucia pneira que a seu
igeito toma a nossa expressao=e quica que com
i muito mais infamia = e por isso em resposta ao
I pasquineiro do tai artigo, remellemos os nos-
1 sos leitoree, cssim pralos nossos como para os
seus escriptos e Ibes rogamos que aco o
juuoquemereceremuns estros; advertindo Jacjn0i % CPr,a enlidade denominada Jos
I finalmente e sea race de tagarellas que Dio R$JIDUW|0 M Que Mesa de estrondo '.
adoptamos a sua sentenca=/>onra e prnetto qoU capacidadeda praia Em fim passou-
jiKe cabm n um arc0 = mas que se aceitarse- j M aQ recebimenlo das cedula$> e enlao mttho
01, certamenteo seu lado sabina de pe.or Jou. pregoeiro5i U ajudantes de meirir.bos e
urna ez que toda essa guerra que a sua gente 1;e -^ na 1d)de de procurad res praiei-
ros a entregar as chapas de quantos nomes ima-
ginarios compunbao a lista da chamada, inju-
riando a qualquer do verdadeiro partido nacio-
nal (o da ordem que apresentava alguma ce-
dula reconhecida com procurado bastante, sel-
lada, &c, dizendo que era falsa a sua assgna-
tura ; de sorte que acabada a chamada do pri-
meiro quarteirao que loi o i6.#), e ficando os
para pilhsr a dep
5S0 eos empregos at dos vivos' nao pude
1 obter a excepcao Ja *ua mesma regra. C ita-
doctaotaea queoemsabem ligar duas ideias
sem deixar de admittir entre ellas alguma
couza di e. U verdadeiro patriota.
Muito se ha sentido a pandilhocracia praieira.
Je que os escriptores do partido da ordem des- 1 anti-praieirus com quasi todas as cdulas que
Imascannd. 05 seus desaforos tenhoditoqueto-Mevrao, aresar de terem sido os signatarios
dos os actos at qui por ella praticados derun-i qualificados; e, vendo que aconteca o mesmo
Iciio a existencia de um batalbio ligeiro, bata- com as outras, determinarlo retirar-^e para
,lhao que por vetea se tem m slradu prompto em que nao apparecesse algum insulto que os pro-
esperai o signal Jos seus ebefes. que o sao tam- j vocasse. pois mais que certos estavao de ou nao
iiem oa sucia pandilheira;mas de balde se agas- seren chamados para entregar os seus votos, ou
tao elles eom noaco por pubiic5ra:os aquillo que estes serio eugoiidos por algum cao damoado,
ja Dngoem ignora: por que a gente que o : que a praia poda mandar vir do inferno !
lonpe animada Crda as, e proclan -aces incendiaria*, que se des- de quanto se pa^sou bontem naquella fregue/ia
Itribuem em avulso j Dio e*pera as ordens de S. Jos, e do que fui testemunha ocular;
da praia rara come ar suas proezas, e detenga- perianto queiro dignar-se aier a publicacio
nos a. ccmmercio; concorrend.' por isso elles desta carta para o publico conhecer as fraudes
I mesmos para a prova de sua existencia perigo- e pa.tiarias da gente praieira, accrecentando
za e ameaoaJora. ainda, que me consta baver sido lalsificada a
Nao queremos mais faar dos acontecimentos lista dos qualificados, o que indino-me a crer.
do Honit Pao do Alho. Iguarassu.- .Alogados porque vi que muita genle.que constata-me ter
\c ivc. nao; um ficto mais recente e acn-, sido qualificada, nao foi chamada. Assim, Srs.
tecido dentro desta cidade. demonstra anda Redactores, beque os homens da poca adqui-
|exuberantemente a verdade do que temos tantas rem victoria dos seus adversarios ; victoria de
Ueies repetido, e protado sem replica. Na : que su um partid.) infame e vil se nao envergo-
' madrugada do dia 23 do corrente um formida- nharia. Sou, Srs. Redactores, &c. Ac. Um
vel grupo de proletarios, mendigos, e vadios fregu: de .Jos.
.animados sem duvida pelos anarchistas que
ihf>< proeiettem impossiteis, percorrarSo iu-
as da ireguezia de S. Jos armados de cacetes ,
e sabe Dos de que mais) dando com gritos t
Publicatpao a )er!ido
PARA O EXM. MINISTRO DV Jl'STICV VER.
Que Magistrado he este Sr. Nunes Macha-
do ? Elle capitanea os vivas pela ra, a ren -
te dos cinco mil ; ofilcia ao Delegado que vai
commandar aquella festa nocturna. Elle he
orador quando o povo da apoiados e fras- Me-
za de sua freguezia, abraca a quantos entro
na Igreja para que ponbo-se de seu lado.
Acompanha os praieiros as eleicSes de Iresue-
7as diferentes : dirige os Juizes de Paz e Mezas
fecciosas de S. Jos, e Boa-vista. Manda fe-
char a urna de >. Antonio quando a Meza tem
resolvido attender as reclamacoes; vai redigir
o officio de denuncia da Meza da Boa-vista, de-
safia pelo prelo para um campo incgnito o
membro da Meza que publica este fado. An-
da pelas tabernas, e temas, ora humillndo-
se a pedir votos, ora elevando-se a ponto de
ameacar os pobres cicladnos com a sua autorida-
de criminal. Vai em comissao a palacio com
os que se querem oppor as eleices dos Afoga-
dos, e a oulros actos leges; vai influir entre
os desordeiros, que perturbao o exercicio da
autoridade do Juiz de Paz, e os conduz em lor-
ma de bctdlhao ligeiro armados de ccete, e
ja no cometo da noite para esta cidade, assus-
tando as familias, entre vives e morras. Elle
vai prtsidir a qualificacao dos votantes e elegi-
veis, e servir de testemunha para ser quafica-
do quanto proletario Ihe tem assignado huma
chapa. Vai de capote fazer sentinella a urna
eleitoral as escadas da Matriz de S. Antonio.
Tudo faz o Sr. Juiz le Direito, menos o seu
ofliico de julgar, a nao ser absolvendo os in-
cursos as posturas da Cmara. Nao se pode
aviltar mais a Magistratura.
(O Guararapes.)
COWMSRCi
AI fa 12 f]pg*>.
Rendimento do dia 23 "... .___15:374jOO
Desearrega hoje 2i.
BarcaH. P. Summerarinha e cera.
Movimento do Porto
Srs. heaciores Pensou a pandilha prai-
eira que dando carta de mturalisaco a qual
quer estrangeiro, pondo-ibe no chapeo o tope
que bem se assemelhavao a nivea de cao damna- nacional,bojeredicularisadoumextremo nunca
*ase morra*.cheganJo at nessa occas.ao a visto,p rqueotra;emestrangeiro*,escrav sema
par*rem na Cin o Ponas deronte da casa de lucos, nomeando-o eleitor, e quamlo muito a
homem respeitavel, e ameatarem-o!!! .. presentando urna certidode haver >eu afi'ha
ramtecr.: r~ ? Nao o diris. AL! Praiei- do jurado a constiluilo, eslava tudo decidido
Xaaos entrados no da 22.
Maranh^o; 52 dias brigoe-escona brasileiro
(iuarar pes. Comea, o l.c lente Jos
Secundmo Gomensoro.
Baltimore; 49 dias. brigue americano Tabuis,
de 197 toneladas, Capito Diogo W'hite, e-
quipagem 10 carga farinba de trigo: a
Heorj Fcrster &. C.
A ai lo tbido no mesmo da.
Rio de Janeiro; brigue americano Tabuis. Ca-
pilao Diogo White: c m a mesma carga que
trouxe de Baltimore.
A lirios entrados no da 23
Dundei: 60 dia brigue ingle Cralitude,
de 13i toftadat. Cap tu G. 1). Bruce ,
cquipagem 10. carg? Iaetr< : ao Capito.
Liverpool; 43 das, barca ingleza Cumbtr.and.
de 405 toneladas, Capito Duvid Powell .
equipagem 17 c.rga faieudas: a W. E.
Smilh.
Richmond; 43 dias, l.rigue americane If'arr-
sar, de 194 toneladas, (,1, a.o rWaaea
Harveit. equipagem 9. carga farinba de tri-
go a Henn F< reta v C
W______ -_LL" '-ggggHBgg
Edilacs.
mar Municipal di eidsuit de '
seu termo e,n virtude da .
Fazsaber, que nos dias 27. s e 3



corrent se ha de arrematar por quem mais; vocacia, fugio dai com o dinheiro de multa
der, por tempo de um anno tendo principio i genle cujas causas deitou a perder, &c. &c.
no primeiro de Qutubro do mez prximo vin- i lhe meu Dr. deixe-se de deputacoes; e fique
douro ao ultimo de setcmbro de 1845 : as ca-| certo que se ri5o responder ter o gosto de ver
sinbasda Ribeira o repeso dos acougues, ojmuitas melgueiras expostas a luz do dia, ese
subsidio dos porcos, casa da plvora do Man-
guinho, aferico e reviso dos pesos e medida ,
o contrato dos mscales e boceteiras o o im-
posto sobre as canoas de agoa du Varadouro ;
comparecendo os pretendentes habilitados e
munidos do seus fiadores nos releridos das a-
cima. E para que chcgue ao conbecimenlo de
todos mandou a Cmara fazer o presente que
ser publicado nos logares do costume e pela
imprensa. Cidade de' linda. 13 de Setcm-
bro de 1844. Jos Joaquim de \lmeida Que-
des Pro-Presidente. Joo Paulo Ferreira,
Secretario. (12
?*eclaracoes
O Juiz de Direito da 1.a vara do crime faz
publico, que a reuniao da prxima sessao dos
jurados ter lugar na casa da Assembla Pro-
vincial.
Feliciano Joaquim dos Santos, Juiz de
Paz Supplenle do 2, districto da freguezia de
Santo Antonio, noimpedimento do Juiz de Paz
eflectivo, d audiencia do seu Juizo as quartas
o sabbados tarde, na casa da sua residencia,
na ra da Penha n. 3, segundo andar.
A\ so-* maritsiiKts.
4Para a Babia sai em pouco dias o muito
veleiro patacho nacional Conceico; quem no
mesmo quizer carregar ou ir de passagcm para
o que tem excellentes commodos dirija-se aos
consignatarios Novaes & C. ra da Cruz n.
37. 6)
2Para o Rio de Janeiro segu com brevi-
dado o biigue nacional Ledo ; quem qui/.er
carregar ou ir de passagem, d irija-se ao con-
signatario (judian Agostinho de narros, na
Praca do Corpo Santo n. 66, ou ao Capitao
Antonio Rodrigues Garca a bordo. (6
Leudes.
1D. Maria Theodora d'Assumpcao Las-
serre far leilo, por intervencao do corretor
Oliveira, da mobilia e mais objectos da sua
casa, consistindo em ricas cadeiras, solas, con-
solos, com espelbo, toueadores, bancas de
meio do salla, lindas Irasqueiras, globos e lan-
ternas, tapetes, leitos, marquesas, mesa de
jantar, critaes, vinhos engarrafados, lavato-
rios, collieres de prata novas, e muitos outros
artigos de valor como sejao um excellente cliro-
nomolro de ouro do afamado autor Roskell,
e soberbos quadros de Santos a oleo, sendo copi-
as de originaos dos mais abalizados pintores
Romanos &c. : Sexta feira 27 do correnle pelas
10 horas da manha, rua da Cruz n. 15 (15
2- Poroidem do Cnsul Francez e perante
o Chanceller do Consulado Krancez, na terca-
feira 24 do frrente as 11 horas da manhaa no
armazem do Bolli & Chavannes, se ha de ven-
der em hasta publica por tonta de quem per-
tencer2i duziai e 7 chales de cassa bordadas,
3 dusias c 4 chales de liio bordados avaria-
dos, vindos ltimamente pelo Casimir Dla
vigne do Havre. (9
2jlo Keller far leilo por intervencao
do crrelo* Oliveira, de grande snrtimcnlo de
lazendas francezes, suissas e allomaos tsnta de
seda, la e linho como d'algodao as mais
proprias d'estc mercado : terca-feita, 24 do
correte as 10 horas da manhaa, no seu arma
em da ra da Cruz. (7
2Kalkinann & Posemmund faro leilo ,
por intervencao do corretor .liveira, de sor-
imento eral das mais esplendidas (azandas de
todas as quididades c as mais adaptadas para
este mercado: quarta-feira 25 do cerrente as 10
horas da manhaa no seu armazem, ra da
Cruz. 7)
Avisos diversos.
Pergunla que nao hade ler respusta.
Pergunta-se ao Illm. Sr. l)r. Jernimo Vil-
lella de Castro Tavares mui digno substituto da
Academia Jurdica de Olinda famoso Redac-
tor do acreditadsimo Guarda Nacional e
responder seja em forma de gente que sabe
dar valor ao grao que possun A culpa do que
sa ha de ir sabendo nao be minha ; quem o
mandou bolir com o Dr. das calcas verdes?
Agora tenha paciencia em quanto for su pelo
Mi Formoso bem vsi o negocio; mas quando
passar para o Bonito e a Parahyha o que
ser de S S.? O ang de qmabo.
1= 0 Or. Theberge tem de lazer urna via-
gem ao Cear, deixando a sua familia nesta ci-
dado, e o Sr. Ricardo Chrisostomo Rodrigues
encarregado do seus negocios at sua volta.
1 D-se a juros quantia de 100,000 a
600,000 rs. sobre penhores de ouro ou prata,
quem quizer annuncie. (3
Precisa-se do um homem para tratar de
um pequeo sitio no lugar da Trempe; a tratar
com J. G. Vieira Guimares, no caes da Alian--
dega, armazem n. 1.
Na ra Nova n. 20, 2. andar, tem urna
ama para criar com bastante e bom leite.
Arrenda-se urna caa de um andar com
3 sallas de frente, 2 sallas atraz, 5 quartos e
outros muitos commodos o muito aceiada, sita
na ra do Hospicio ; trata-se na ra da Gloria
n. 89.
1 Deseja-se tallar com o Sr. Joaquim Jo-
s da Costa, mestre pedreiro, ou alguma pes-
soa que saiba noticia ua>, na luadosQuar-
teis n. 24. (4
Jos Thomaz do Campos Quaresma laz
seiente ao publico que Antonio Theodoro dos
Santos Lima delxou de ser seu caixeiro desde o
da 21 do correnle, e que desta data em dianto
nao responde por quaesquer transaecesque em
seu nome faca.
Aluga-se o 1. andar da casa n. 37 da ra
do CJucimado ; tratase na mesma ra, em ca-
sa de Antonio da Silva Gusmao.
1 Manuel Joaquim Pascoal Ramos mudou
a sua residencia para a ra do Crespo sobrado
n. 10 primeiroandar. (3
A pessoa que hade/, mezes estaparte
entregou urna imagenuinha da Sra da Concoi-
co para ser encarnada no sitio da Agoa-lria,
porm que bem sabe onde ella se acba presen-
temente, haja de fa/er o favor de ir vel a nes-
tes tres dias, a contar da data deste em diante,
do contrario ser vendida para pagamento de
quem a encarnou.
Aluga-se o 2. andar ria casa da ra eslrei-
ta do Rosario n. 18 ; trata-se na ra do No-
gucira n. 27.
Troca-se por escravos um sobrado em
Olinda, muito fresco, e com bastantes commo-
dos para se passar a festa ; quem quizer an-
nuncie sua morada.
1Ollerece-se um moco de 22 annos de ida-
do para criado de alguma casa eslrangeira ou
nacional o qual estrangeiro mas falta soflri-
vel a lingoa portugueza e d fiador a sua con-
duta ; quem do seu prestimo se quizer utilisar
dirija-se a ra do V'igario n 13
Aluga-se a casa nova do beco do Srigado
com solao corrido tendo este seis janellas de
vidrassas e com cacimba de boa agua, quem
pretender alugar talle na ra da Cadeia do Re-
na ii. 25
- Pretende-se alugar mensalmente huma ca-
noa do carregar agua que esteja em bom es-
tado : quem a tivpr annunce.
1Precisa se alugar huma preta, para o sor-
vico de huma casa de pouca familia e que sai-
ba lavar e engomar com aceio, na ra Nova
n. 19 # (4
1 Rerebe-se prctas captivas para ensinar-se
a engomar com toda perfeico por preco co
mi do e tambem se engoma toda qualidade de
roupa ; quem qurzer procure no forte do Ma-
to, prensa de Jos Ribeiro de Brito. (5
Roga se ao Sr. J. 8, S. que haja de pagar
o restante d'aquella conta ios quo j faz bas-
tante lempo se nao publicar-se-ba seu nome
por extenso.
Aluga-se a casa n. 13 sita no principio
da ra Imperial, com muitos commodos para
grande familia, com quintal, e cacimba, e
porto para a mar ; a tratar na ra da Madre
de Dos n. 7.
1Tem-se oferido por vezes um mestre de
francez dois mil reis por mez ; ecomo poucos
discpulos tem apparecido', faz-se este para des-
pertar a curiozidade daquclles que se quizerem
utilizar do seu prestimo : d-se tambem licao
cios tendentes a mesma rmandade visto nao i teria do Guadelupe que mui prximamente
haverem comparecido no dia 15 do corrento deve correr, achao-se a venda as lojas do cam-
mK7m ) liio da ruada Cadeia do Uecie, dos Srs. Vieira,
1A pessoa que vendia hostias na ra de <; Cunha; na de miudesasda praca da Indepen-
A_____'i < r,- (enca, do ir. fortnalo Peretra da ronseca
A.go^verdesn 1 passou-se para a rua Dio, a ^ g. n1 b[ira (!o Sr. Momra Marque,ao
n. 67, ah vende hostias, e faz toda qualidade pdfl (|1.itn/. ,,,, Boa-vista, botica do Sr. Igoa-
de costuras adverliniio que na rua de Agoas ver- (jo J()S(. d(. couto ; e nos Cjuatro-cantos em
des n. 2. amito se vende ditas hostias. 6 Olinda loja do Sur. Domingos Jos Atves da
1 Urna mulher de bons costumes se en- i Silva. (12
carrega da criacao de meninos de piito, impe-j 2 Aluga-se urna casa terrea com bastantes
commodos sita na ra da Conceicio da Boa-
vista ; a tratar no Atierro da Boa-vista n. 43. 3
boje aspirante a depulaco: se em sua conci-
encia sendo eloilor de paroHiia dara o seu de noite; o que he muito commodo para as pes-
votinho a um adfogedo que por sua sizudez' oes ecupedos que quiscrcm aprender nSo s
em a comarca do Ro Formoso patrocinando a fallar, mas tambem a ler e traduzir que se
urna cauza do Sr. Manoel Zeferino dos Santos ensina ahi com perfeifo ; na ra Nova n. 48.
("vivo o sao) e oerecendo um inepto iibello, ar- | lO escrivo da irmandade do SS. Sacra-
rasoou(depoisdacontrariedade'iomesiiio Iibello,: ment da freguezia deS. Jos convoca de novo
enchertando outru em seulugar.que por havera nos irmaos mezariosda mesma irmandade para
primeiro leve de compnrecerem quinta-feira 26 do corrent mez
parte apresentado certidio do ,
ergonbosi.....>nto borrar e emendar de noto, e no con torio da respectiva matriz, as 4 horas |
que finalmente nao tendo geito para isto do pe-; da tarde, a fim de em mesa tratarse de neg-, Os bilhetes da pequea o mu acreditada lo- bordar bem ; dirqa-se a Irempc n. rl.
ilidos o desimpedidos o tambem recebe me-
ninos desmamados para curar da sua eduiagc;
no que promelte esmerar-se: quem do seu pres-
timo se quizer utilisar dirija-Sfl ao patio do
Carmo n. 2i. na mesma rasa vende-so una toa
Iba de brelenlia loda de lavaiinto e um lerco
ain la em bom uzo. (9
1Aluga-se por preco commodo urna casa
sita na Sulidado conlronte a entrada do becco
que vai para o Pombal com armacao e todos
utencilios pora venda : a tratar na mesma casa
ou sitio. (5
1 Precisa-se de um eaixeiro para lomar
conta de urna venda por bataneo e tambem
da-se interesse na mesma, dando fiador a con-
teni ; na Roa-vista ra da Conccco n."20. (\
1Arrenda-so o sitio nos Alllitos que foi do
cirurgiao Peixoto conlendo urna das melhores
c mais elegantes casas com commodidade para
urna numerosa familia arrenda-se muito em
conta a quem conservar a mesma e os arv re-
dos do silio em bom estado : quem o pretender
arrendar d>rij-se a ra nova de S. Amaro casa
nova de dous andares n. 6, e achara Oom quem
tratar. (9
Aluga se um grande sitio na campia da
Casa-forte, com asa recem-edificada, com um
helio copiar na Irente, e ptimas accommoda-
ces, cosinha lora, ioxeira e estribara, muitos
arvoredos de truto c campo para qualquer plan-
taro e para capim, aiuga se mensal ou annu-
almente ; na ra do Amorim n. 15, ou na
estrada do Cordeiro sitiode Nuno Maria de Sei
xas.
A casa de pasto da ra das Cruz.es n. 33,
contina a servir aos freguezes com toda a
promptido e asseio ; assm como recebe ainda
encommendas para comida lora : nos domin-
gos e dias santos ter mao de vaca com toda a
perfeico.
Manoel Ferreira Ramos, embarca para o
Rio de Janeiro o seu escravo Miguel Angola.
Roga-se a Senhora D. Therez.a de Jess
Autunes Torres, que no praso de 8 dias queira
apparecer no segundo andar do sobrado n. 15
da ra do b. Rita para resgatar seus pinhores,
do contrario (cara pela divida que elles para
o dito pagamento nao ebegao : faz-se este
annuncio porque nao he possivel lallar-se com
a Senhora em sua casa.
O rupaz que annunciou querer ser caixeiro
de alguma botica ; dirija-se a ra do Queima-
do n. 13 por cima da loja.
2 l)ao-se de 100/' a 600^ rs. a juros sobre
penhores de ouro ou prata ; quem quier an
nuncie. (3
2 Aluga-se o segundo andar do sobrado n.
75 da ra do Bangel, tero bons commodos pa-
ra pequea familia ; a tratar no primeiro an-
dar do mesmo sobrado. ('i
2 O Snr. Miguel Francisco llaposo queira
mandar receber, no pateo da Penha n. 4 urna
caria vinda do Rio do Janeiro. 3
2=Aluga-se urna canoa de dous mil lijlos
p< r prego commodo quem a pretender dirja-
se ao Atierro da Roa-vista n. 24. (3)
1 Precisa-se deum caixeiro de la annos,
que saiba ler, escrever, e que tenha boa conduc-
ta para caixeiro do venda rio que tenha pra-
tica ; na ra do Apollo venda n. 1 defronte
da casa do Sr. Angelo Francisco Carneiro ; na
mesma vendem-se duas redes feitas no serto ,
qi se i mu para tipoia. (7
1 Precisa-te de urna ama de lei.sem filho;
na ra da matriz da Boa-vista n. 35 segundo
andar. (3
1Aluga-se duas moradas do casas terreas
sitas na ra das 1 nncheiras ; a tratar na mes-
ma ra sobrado n. 19. !3
1Precisa-se de um criado que d fiador a
sua conducta ; na ra da Aurora casa de An-
gelo Francisco Carneiro. (3
O armasem e deposito de azeite de car-
rapato no Becco-largo n. 33 tem estado te-
chado por causa de molestia, mas de boje em
diante acha-se abeito como d'anles.
2Aluga-se o segundo andar do sobrado da
ra larga do Bozario n. 'i0; a tratar na ra do
Crespo n. 14, segundo andar. (3
2=Peranle o Sr. Dr. Juiz de Direito da se-
gunda Vara do Civel se hade arrematar quar-
ta-feira 25 do correnle por ser a ultima pra-
ca, um mualo proprio para qualquer semro ,
robusto, avahado pelo barato preco de trezentos
mil ris : quem o pretender comprela na dita
praca as 4 horas da tarde do referido dia. (7
2Aluga-se urna casa terrea na ra da Ale-
gra com muito bons commodos para familia ,
por preco commodo ; a tratar nu ra Direita ,
armasem n. '.>. (4
LOTERA DU GUADELUPE.
- SaxsPerdeo-se desde a ra Nova al a Ponte
da Magdalena una argola com 8 a 9 chaves pe-
quenas comprehendendo urna dita maior;
quem asachou ou achar querendo restituir,
jide leval-os na ra Nova.ao dono do botequim
francs n. 69. 6)
3 LOTERA DO THKATRO.
As rodas desla lotera terfio o seu infalivel
andamento no dia I. de <>utubro prximo
luturo ; os bilhetes achao-se a venda as lojas
de cambio dos Srs. Vieira e Manoel Gomes no
bairro do Recite no de Sanio Antonio boticas
dos Srs. Cbagas e Morona Marques ; no da
Boa-vista lojdo Sr. Jacinto. (8
'.i Alexandrina Vicencia do Rogo Barros,
viuva do finado Antonio Francisco Romao e
herdeiros avisa ao Sr. Joao Leite Pita Ortieuei-
ra ou a quem le comier que (em penhora
nos alugueis na parte quo tem Jos Caetano
FragOS no sobrado da ra larga do Rozario n
i8, e para constara lodos, faz o presente an-
nuncio. v8
8Gabriel Germano de Aguiar Montarroios
como cabeca de sua mulher berdeiro do cazaldo
Sr. Jos Antonio Comes Jnior, previne ao
publico que pessoa alguma taca negocio ou ou-
tro qualquer contrato sobre os bens do dito Sr.
Jos Antonio, por que tendo fallecido sua mu-
lher a 10 annos ainda nao fez. inventario dos
bens que licaro por sua morte, em consequen-
cia do que tora notificado judicialmente para o
mesmo inventario, e apenas prestara juramento,
e nada mais praticara para descrever e avahar os
bens, e tornando a ser citado pedir vista para
espacar a partilba dos bens com seus filhos.mos-
trando-se com designio do antes gastar com um
vegonboso pleito, do que cumprir com o que
a lei Ihe incumbe o praticao os bons pas de fa-
milias. (17
3=0 Sr. que por cassuada tirou do boleo do
urna sobre casaca urna carteira encarnada com
urna porfo de sedulas e urna lettra e obriga-
i'es e ordens e mris papis de importancia
que s servem a seu dono; cuja pessa ou roubo
foi feila publicamente no dia da festa de Nossa
Senhora da Penha logo quo se acabou oser-
mao, tenha a bondade de a levar a seu dono pois
se acba assignado na mesma carteira e boje
mora por detraz da ra do Crldeireiro ou entilo
haja de entregar na loja de fazendas de Joo
Antonio Martins Novaos, na ra do Queimado
n. 29, e se assm o fizer se guardar silencio o
senao ver seu nome por extenso publicado no
Diario, pois bem se conhece pos mora no
becco do Padre. (16)
3 Aluga-se urna casa grande no sitio do
Cordeiro, a margetn do rio Capibaribe com
coxeira para dous carrinbos, estribara para 6
ravallos fo/.inha lora quarto para criado
tamben* (ora, tem excellentes commodos para
giuiiuo familia ; outra dita mais pequea no
mesmo sitio, tambem com commodos suffi-
cientes para grande familia, com estribara para
4 ravallos ; qm-m pretender, para ver dirija-
se ao mesmo silio, e para tratar com Gabriel
Ant nio no patio do Carmo n. 17. (11
Josela Maria do Sacramento Costa embarca
para o Hio de Janeiro ou Itn> tirando do Sul
o seu escravo preto, de nome Theodoro (3
2Precisa-se alugar urna preta para o ser-
vico de urna casa e que saiba comprar na ra,
dando-se o sustento, epagando-sesemanalmen-
te, ou mensalmente conforme se tratar ; no
Manguind uassando a guarda venda n. 43,
ou na rua do Rotarlo da Boa-vista n 48.
3 Acha-se prompta para alugar-se a casa
terrea nova, cimicaria por detraz da casa da rua
da Aurora n. 10 pelo preco de !2# rs. men-
saes com bastantes commodos para urna fa-
milia ; a tratai na rua do Crespo n. II. (&
5 O abaixo assignado, engenheiro civil,
acha-se no seu escriptorio desde a 9 horas da
manhaa ate 3 da tarde, no largo do Corpo San-
tn, h, primeiro andar.Alfredo deMornay.
3 D-se dinheiro a premio com penhores
de ouro, mesmo em pequeas quantias; na rua
Nova n. 55. (3
LOTERA DE S. PEDRO
MARTYR DA CIDADE
DE OLINDA
Correm iofalivelmente as rodas, no dia 10
de Cutubro prximo vindouro e os bilhetes
acb&o-se venda nos lugares j annuncia-
dos. (8
Quem quizer una mestra para ensinar
negrinhas cativas ou meninas pobres a cozer e


y
4
2Precisa-se de urna ama de leite sem filho,
e que tenha pratica dn cria?ao ; no pateo do
Hospital do Paraso n. 20.
Compras
4Compro-se ossos : na ra de Palacio
era frente d,i theatro novo n. 11. (2
3Compra-se um cavallo grande e gordo ;
na ra Direita n. -29.
8 Comprao-se efTectivamente escravos de
12 a 30 annos, pago-se bem ; na ra Direi-
ta n. 3. i (3
2 Compro-se dous cachorros de raca e
mesmo gosos sendo pequeos; para se acos-
tumarem com familia ; na ra das Trincheiras,
sobrado n. .'9. !4
Compro-se efTectivamente para fra da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20 annos agradando pagao-se bem ; na ra
daCadeiadeS. Antonio, sobrado de um an-
dar de varandadepo n. 20.
Compro-se efTectivamente para fra da
provincia mulatinhas crioulas, e mais escn
vos de 13 a 20 annos pago-se bem sendc
bonitos ; na ra larga do llozario n. 30 pri-
meiro andar.
1 Comprao-se efTectivamente paro fra da
provincia mulatas negras, e moleques de 12 a
20 annos pagao-se bem ; na ra Nova loja
de (erragens n. 16. 4
1 Compra-se urna escrava que saiba en-
gommar e cusinhar bem ; no pateo da Penha
n. 4. (3
1 Comprao-se penas de ema ; na ra do
Queimado o. 40, segundo andar. (2
1 Compra-so um deposito que leve qua-
dro mil caadas de liquido ; quera o tiver an-
nuncie. (3
Comprao-se garrotes que estejo des-
apartados e que nao estejo muito magros ;
na ra dos Quatros-cantos n. 3.
Compro-se meiV botijas de barro ou
meias garrafas de fundo rolico que nao se se-
gure em pe ; na ra da Senzalla-velha n. 60.
Compra-se um refe com tercado ; na ra
do Queimado loja n. 13.
Vencas
2 Vende-se no deposito atraz do theatro
veluo, um completo surlimento de taboas
de pinbo, cbegado da Suecia a melhor qualida-
de que a este mercadj tem \ino. sendo pinito
branco e vermelho serrado por vapor de dez a
trinta palmos de comprido de 9 a H pollegaclas
de largura proprio para um lindo f_>rro de as-
soalbo por ser muito alvo proprio para enver-
nizar assim como doquecostuma vir costado e
cortadinbo assualho e forro para fundos de bar-
ricas assim como americano de dez a trinta
palmos de comprido e tres palmos de largura,
tudo por preco commodo a vista da porco e
do comprador: a tratar no mesmo deposito, ou
fallar com Joaquim Lopes de Almeida caixeiro
do Sr. Joo Matbeus. (16
3Vende-se urna preta crioula de 20 an-
nos ; cm Fra-de-portas n. 6. >
3 Vende-se urna elegante escrava de naco,
de25 annos, perfeita engommadeira cosinha
e lava com perfeicao e he boceteira ; ou tro-
ca-sopor urna mulata ou crioula costureira e
cosinheira ; na ra Nova n. 65 primeiro an-
dar. ;6
3Vende-se cevadinha chegada ltimamen-
te de Franca por preco commodo; no arma-
sem do Braguez ao pe do arco da Conceirsn. <3
3 Vende-se um negro de Angola ; na Soli-
dade venda n. 20, na esquina, que volta para
Bellem. 3
2Vende-se um escravo do gento de Ango-
vindo crianza e tem hojd 18 annos, bom
ia
cosinheiro e muito sadio vende-se para se
comprar urna preta ; na ra do Queimado, lo-
ja n. 29, de Joo Antonio Martins Novaes. 5
2 Vendem-se barris com vinho do Porto ,
de superior qualidade e propiamente prepa-
rado para este clima ; na ra do Trapiche n.
26, a tratar com Manoel Duarte Rodrigues, ,-i
2Vende-se vinho do Porto superior, engar-
rafado em 1828, a 9j rs. a dusia ; na ra da
Crut o. 62. t3
2 Vende-se urna escada grande com mais
de 30 palmos de comprido, madeira de pinho
muito iorte e boa paro servir em qualquer obra
de casa por preco commodo; na ribeira da
Roa-vista venda n. 1. o
2 Na venda de Luiz Jos Marques, ;em
para vender muito em conta para liquidar a
casa em virtude de estar despejado pelo do*
no da propriedade o seguinte ; vinho supe-
rior de Lisboa a 1410 rs. a caada e a garrafa a
'OOrs. dito do Porto engarrafado Madeira,
Muscatel, eoutros muitos gneros por atacado
o a retalho at pelas entradas, conforme as
porcoes ; tambera urna balanca grande boas
pipas e toneis para ago'ardento garrafas va-
>ias em porco a 900 rs. ti
2 Vende-se uui opumo moleque de naco
Mocambiqne de bonita figura e muito pro-
prio para parelha de palanquim sadio e de
excellente figura o motivo da venda se dir ao
comprador ; na ra estreita do Rozarlo sobra-
do o. 34. 6
2 Vendem-se sapatos do couro de lustro
para senhora ditos de cordavSo e marroquim
i para homem e senhora sapatinhos e botinzi-
nhos para meninos sapatos de beierrode pa-
la para horaein a 3200 rs. ricas Utas de seda
lavradas para chapeos de senhora meias de
seda branca e pretas para senhora ditas pre-
tas para homem luvas de seda curtas e com-
primas para .senhora meias de algodo branco
para meninas a 280 e 320 rs., brincos doura-
dos e alfinetes para peito de senhora pentes
dourados para segurar cabello um completo
sortimento de perfumaras casticaes de cas-
quinha de bonitos padrdes a 2040, 2880 e 3200
rs. caixinhas de madeira com espelhos e com
um sortimento de perfumara a 12# rs., bons
do veludo para meninos a 1200 rs., ditos do se-
da a 1800 rs., papel de peso de machina e
raeia hollando um completo sortimento de
calungas e raiudesas por preco commodo, na
ra de Queimado, loja nova n. 67, de Ferreira
& Oliveira. (22
2Vende-se um escravo do bonita figura, de
20 annos, bomcarreiroe ptimo para lodo o
servico ; na ra da Cruz n. 51 (3
2 Vendern-se dous pares de brincos, 3 an-
neloes urna correntinha de relogio urna me-
dalha para senhora; na ra Nova o. 55. .5
2 Vende-se um moleque de lo annos, de
bonita figura ; urna negrinha de 18 annos, de
nacao Quicam ; na ra das Cruzes n. 12. [3
2Vendem-se a vida de S. Agostinho em 3 v.,
o diccionario inglez dos grandes, por Viei-
ra em2 v ; as cartas geographicas em formato
grande ; oraces de Cicero para analyses de
rhetorica em 3 v. elementos de geometra ,
l# rs. ; resumo de geographia dito de geome-
Iria memorias histricas de Pemambuco 1
v. 1^ rs. ; trafico da escravatura ; tctica das
Assemblas ; taboas de logarithmos ; primei-
ro e segundo tomo de Virgilio 60 rs. ; o in-
dicador do cambio e commercio em parles do-
bradas ; economa poltica 800 rs. ; sciencia
do bom hornera Ricardo ou meios de fazer for-
tuna 80 rs. ; tabeadas para meninos a 4U rs.
cada urna ; no Alieno da Boa-vista loja de
raiudesas n. 54. (16
Vendem-se dous sellinscom todos os seus
pertences quasi novos, sendo um inglez e els-
tico, por preco commodo ; na rua^Nova n. 67,
1Vende-se um moleque de Angola, ro-
busto ; na ra Nova n. 27 casa de Jos Pe-
reira Texeira.
Vendem-se resmas de papel almaco de
meia bollanda ; na prava da Independencia ,
loja de miude'sas n. 4.
Vende-se a arte potica de Horacio tra-
duzida na margem com esclarecidas notas em
portuguez ; na ra eslreita do Hozario, loja de
cera n. 3.
i Vende-se um bom escravo, proprio para
o servido de campo por ter disso bastante pra-
tica ou para armaseen de assucar por ser
bastante robusto ; na ra da Cadeia do Hecife,
loja n. 20.
Vende-se urna negra de navo, bonita fi-
gura boa la\adeira, cosinha bem e nao tem
vicios ; vende-se para fora da provincia a vis-
ta do comprador se dir o motivo; quera a
pretender auuuncie.
Vende-se urna preta sadia, engomma, cosi-
nha lava, cose e he ptima para todo o ser-
vico por preco commodo ; na ra da Cadeia
n. 30.
Vendem-se 6 escravas mocas de boas fi-
guras com habilidades duas sao boas en-
ommadeiras e cosinheiras ; 4 pietos para to-
do o servico de campo e da prava; um dito bora
eanoeiro ; ura dito de niela idade que serve
bem a urna casa, sabe plantar o trabalhar em
sitio ; um pardo de 30 annos, bom bolieiro ;
um mulutinho de 10 annos de bonita figura
pera pagem ; um moleque de 2 anuos sem
falta alguma; na ra do Crespo n. lo, primei-
ro andar.
Ventem-se pennas de ema, por pre?o com-
modo ; na ra do Codorniz, venda n. 2.
Vende-se urna escrava de navo Angola ,
engommadeira cosinheira e lavadeira com
um filhocrioulo de annos ; urna dita propria
para todo o servico e "Uiesmo para quitandeira ;
ura mulatinho de 7 annos, proprio para pa-
gem de menino ; na ra das Cruzes n 41 se-
gundo andar.
Vende-se a casa da ra das Tiincheiras ,
de urna andar, com bom quintal murado e
cacimba em chao- proprios ; a tratar na ra
da Ladeia do Rtcife n. 2o
\ende-se por preciso a venda n. 2 da ra
Imperial u ou heno ou a praso ; um bravo
de balanva grande com concha e correntes de
ierro um rica mesa de meio de sala urna
porco de caixas vasias do Porto ; a tratar na
misma venda com Joaquim Pinheiro Jacome.
Vende-se um selliu. quasi novo, para
montara de senhora com boa manta de pan-
no fino, por pieco commodo; na ra de Agoas-
verdes venda n 15.
Vende-se no Coelho, na ra dos Praze-
res um terreno com 30 palmos de frente e
125 de fundo com bons alicerces edificados,
e dous pedacos de oites dobVados cacimba de
boa agoa por commodo preco ; a tratar na
mesma ra n. 10, d 6 as 3 huras da mauia.
Vende-fe urna armado d funileiro [ a loja
s tem urna porta ) servindo a armaco para
qualquer olBcio charuleiro $c. ; a tratar na
| mesma loja, na ra Direita n. 1.
Vende-se urna escrava de 16 annos, mu-
cama recolhida engomma e cosinha com per-
feivo ; dous moleques de 12 a 13 annos; um
escravo para todo o servico por 380,000 rs. ;
um dito por 350,000 rs. ; um dito por 360,000
rs. ; um escravo peca de 25 annos; um mu-
latinho de 13 annos bom pagera ; na prava da
Boa-vista n. 19.
1Vende-se urna porco de cera chegada re-
cenlemente ; na ra do Trapiche novo n. 8.
1Vendem-se charutos da Babia de varias
qualidades por barato preco ; na ra da Cruz
n. 63, primeiro andar.
1Vende-so urna canoa do amarello pro-
pria para abrir com 30 palmos de comprido ,
por prevo commodo ; na ra da Cadeia do Re-
cito n. 30. (*
i_Vendem-se sementes de hortaliza sortida,
esleirs de Angola, doce de goiaba chocolate
da Babia a 100 rs. o pao cevadinha de Fran-
ca a 120 rs. cevada a 60 rs. cal em caros-
so a 120 rs. al pista a 640 rs. a cu a, arroz do
Maranho a 500 rs. a cuia bolaxinha ingleza
a 240 rs. enchofre a 100 rs., cerveja branca
bocea de prata a 480 rs. a garrafa dita preta a
600 rs., batatas inglezas a 60 rs. velas de es-
permaceti a 8*0 rs. ditas de sebo do Porto
imitando a espermacete a 360 rs. ditas de se-
bo de Hollanda a 280 rs., ditas de carnauba a
320 rs. canela a 640 rs. grana n. 97 a 160
o boio abanos a 1200 rs. o cenlo vassouras
de timb a 4S0 a duzia, azeitonas a 280 a gar-
rafa manteiga francesa a 560 rs. banha de
porco a 360 rs., cha hisson a 2400 rs. supe-
riores vassouras americanas, proprias para
varrer sobrado, por preco commodo; na ra
estreita do Horario venda n. 8. (20
IVendem-se borzeguins para senhora a 3
rs. ditos de cor a 2560.rs., sapatos do lustro
para homem a 2500 rs. botins franceses a 6
rs. meios ditos a 4# rs. sapatos do pala in-
glezes a 3 e 3200 is., palos de Lisboa a 1/ rs.,
ditosa 040rs. borzeguins pretos a 5/ rs. e
de cores a 1600 o 4/ rs. ditos gaspeados a 6f
rs. .sapatos de bezerro para menino a 21 rs. ,
e outras minias qualidades de calcado tanto pa-
ra senhora como para meniuos ; na praca da
Independencia n. 28, na mesma precisa-se de
urna pessoa, que se queira encarregar da co-
branvadeuma grande porco do dividas nesta
prava pagando-e bem. (14
i Vende-se vinho de Champanhe de pri-
meira qualidado ; na ra da Cruz, casa de Le-
noir Pugetf Companhia. (3
1 Vendem-se 5 escravos de navo com
bonitas figuras. sendo um bom oflicial de fer-
reiro outro eanoeiro e3doservivo decam-
po ; duas escravas do naco de30 annos, co-
sinho lavoe soquilandeiras ; na ra Di-
relia n. 3, primeiro andar. (6
tVende-se urna uuarnico de florete com 7
pecas, pesando 110 oilavas, um par de drago-
nas com 44 oitavas, 4 voltas de coraes encasta-
dos con 19 oitavas e meia, 1 par de fivelas para
sapatos com 10 oitavas urna cora com 14 oi-
tavas e urna quarlo 5 aDneiscom 7 oitavas, 1
dedal com duas oitavas um frontim com 3 oi-
tavas, um corceo com duas oitavas e3 quar-
tos, ura allincle de puto com urna oitava e
quaitos, um cordo pequeo com duas oitavas,
um dito com urna medulha com 11 oitavas, um
dito com urna conceivao com 5 oitavas e 3 quar-
tus tudo de ouro ; um relogio borisontal de
ooro, um dito de dito ingles, desmanchado,
ura dito de prata e 27 libras de prata em co-
Iheres jarros, bules, tijelas, salvas e casticaes;
na ra das Trincheiras n. 18. (17
1 \cnde-se panno fino a?ul e de cores a
2200 e 4/rs. casimiras de quadros a 8U0 e
1^ rs. meia casimira a 560 rs. la de qua-
dro escocesa para vestido de senhora a 400 e
480 rs. brim tran\ado de linho com quadros
de cores a 640rs. dito pardo a 440 rs. dito
liso a 360 rs. castor pardo de listras de cora
2-0 rs. o covado corte de 0 covados de cassa
pintada com vara de largura a 1600 rs. cassa
piulada de assento branco a 240 rs. o covado,
ditas de assento escuro a 200 rs. pecas de cas-
sa de quadro ateras de 12 jardas a '2j rs., me-
rino preto e de cores de duas larguras a \jf rs. ,
asconhecidas bretanha de 10 varas 1900 rs. ,
ditas de puro linho com 6 varas a 3500 rs ris-
cadinhos franceses a 220 rs. chitas de assento
preto a 120 rs. ditas escuras a 160 e 180 rs.,
cortes de lanzinha de bom gostoa 5 e 0 rs. ,
ditos de tarlatana a 4500 rs., ditos de cambra ia
adamascada bi anca e de cures a 4500 rs. de 6
varas cobertores de algodo pintados decores
a 1280 rs. ditos grandes a 1440 rs. e outras
maltas azendas de bom gostoe commodos pre-
cos; na ra do Crespo loja u. 10 da viuva
Cunha Gurmares. 24
1Vende-se urna preta ladina de bonita
figura cosinha mu bem, refina assucar e cose,
ou troca-se por um moleque ou negrinha de
bom tamanho ; defronte da matriz da Boa-vis-
ta n. 81), primeiro andar. 5
1Veude-se cera de carnauba de boa qua-
lidade por prevo commodo ; do Atierro da
Boa-vista, loja de (erragens n. 76. 3
1 Vende-se a dinheiro ou a praso com
boas firmas o sitio que foi do cirurgio Pei
xoto oos AiTlictos, ou permuta-se por predios
na cidade voltando-se dinheiro nn eao de
vaier mais o predio ou predios ; a tratar na
ra Nova de S. Amaro casa nova de dous an*
dales O, 6. t7
1Vende-se urna casaca de panno preto ,
de gosto moderno e que anda nao foi servida;
na ra da Virado, loja dealfaiate de Joo Cos-
me. 4
1Vendem-se couros miudos em porvao e
aos centos; na ra da Cruz n. 26, venda de S
Araujo & lrmo. ( 3
Escravos fgidos.
2 Desappareceo na noute de 20 do corren-
te urna preta de nomo Catharina de 14 an-
nos estatura regular cor meia fula peitos
cm p, tem um dente quebrado e os dedos
dos ps um tanto abortos ; quera a pegar le-
ve a ra da Senzalla-velha n. 42 que ser gra-
tificado generosamente. (7
2D-se 40# rs. de gratificavo a quem der
noticias oudescobrir o preto Joaquim, de na-
Vo Angico o qual gosta muito que o chamem
Miguel representa ler 28 annos estatura re-
gular corpo secco cintura tina tom as ca-
deiras com bordaduras de sua Ierra canelas
finas ps seceos, cara comprida, alguma cou-
sa fula com riscos de sua navo orcinas pe-
quenas denles bonitos tem falta de cabellos
na cora da cabeva por causa de carregar peso,
costuma quando falla rir-se era ganhador de
ra e tambem servente de pedreiro e ltima-
mente estava aprendendo a serrador, do que
j serrava solTrivel tem a Talla meiaatrapalha-
da com a lingoa da ua Ierra ; quem o pegar ,
leve a ra larga do llozario n 21 segundo an-
dar a Henrique Jorge que recebera a gra-
tificavo a cima. (18
2Fugio da olaria de Manoel Antonio de Je-
ss junto a pontesinha dos Remedios, um
preto de nomo Paulo de navo Cavange es-
tatura regular, rosto quasi redondo pouca
: barba he um pouco risouho, meio buval, nao
he bem preto cabello grande com a marca
de um penadirio no rledo poegar da mao es-
querda que demonstra um pequeo alejo ,
toma tabaco e he do servivo de olaria ; levou
camisa eceroulas de algodo da trra e chapeo
de palha ; quem o pegar leve a dita olaria ,
ou na ra dos Quarteis padaria n. 18 que
ser generosamente recompensado. (13
3 Em das de Abril do anuo passado fugio
da freguezia da Macambira termo da villa de
Cimbres, comarca do Brejo da Madre de Dos ,
o preto Antonio de navo Benguolla corpo
secco estatura baixa, tem urna grande cicatriz
na cabeva em raso de urna caectada eslevo
algum lempo preso na cadeia desta ridade, por
ser bens de evento foi arrematado em prava do
Sr. Dr. Francisco Rodrigues Selle, como pro-
vedor decapellas e residuos, em 5 de Agosto
de 1843, pelo Dr. Francisco Xavier Pereira de
Urito ; foi encontrado a 16 do correte em S.
Anta em companhia de um tal Mandum que
loi sargento da guarda nacional aquartelada ,
encaminhando-separa esla prava ; quem o pe-
gar, levte ao Atierro da Boa-vista n. 43, que se-
I r generosamente recompensado (17
1 Nodia 16 do crrente lugio o preto Joo,
I de naco Benguela de 15 annos estatura re-
! guiar, fulo, rosto redondo, nariz chato bei-
vos alguma cousa grossos, olhos meios encar-
nivados o amortecidos como quem est bebado,
ps grandes e cuchados de muitos bichos que
se Ihe tem tirado e anda lem ; levou calvas do
brim tranvado pardo desbotado e com um re-
mend no assento de algodozinio sem ca-
' misa e com chapeo de castor branco e velho ;
I quem o pegar, leve a Solidade n. 36. (11
1 Fugio ura escravo de nome Antonio he
1 alfaiate alto, secco, bem preto barbado, tem
' urna cicatriz em urna das faces olhos agaro-
1 pados, esteve uns dias a trabalhar as obras do
encanamento nos Apipucos e por isso talvez
procure esses lugares; quera o pegar, leve a
, casa do Sr. Manoel onvalves da Silva a Jos
Joaquim de Miranda, ou a propriedade Macha-
Ido aonexa a villa do Rio Formoso que ser
'f bem recompensado. (10
Ainda continua a estar fgida a escrava
Maria de naco Cacjnge alta, nem mu sec-
, ca e neiu gorda tem era ura oos p.iios dous
! bicos cora um B em um dos uravos com
, um dos ps meio grosso levou vestido de clu-
I ta azul com flores amarellas e panno da Costa
j usado ; ba noticias que anda pelas bandas
da Estancia Estrada-nota e Capunga e an-
da quasi serapre com leixcs de caima roleiles,
ou Uranias ; quem a pegar, leve a la do Ran-
gel n. 50, que ser recompensado.
Fugio nodia 20do correnle urna preta de
nome Izabel de estatura re^ulaf, secca do
corpo tem cicatrizes as canelas que pare-
cein ser de ferros, que em algum lempo ine
boli tem as ventas grandes de tomar ta-
baco e entuma orelha tem o boraco maior,
do que a outra e de idade de 35 annos; quem
a pegnr. leve a ra da Cadeia do Recite n. 25 ,
ou no sitio do Boin-sucess't no prmcipio da
estrada dos Afictos qup ser recompensado.
Fugio no da 27 de Marco da cidade de
Oliiida um mulato de nome Antonio baixo ,
pouca barba muito pachoia e esperto tem
muitas costuras que lorode gommas, amia
vendendo miudesas e fasendas com urna pre-
ta de nome Maria bem preta de bonita fi-
gura muito (allante e esperta ; talvez se in-
culque por forro o casado ; consta que >l!e ''"
nm papel laico para innguem o pegar tem si-
do visto em (joianna comprando raiudesas pa-
ra vender em Tabaiaana ; quera o pegar, leo
a mesma cidade que lera 40,000 rs._ de gra-
tificavo.
r> '
lsciFS saTsP. M M F. db Faiua.ls.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZEXT9UKE_XHMXMG INGEST_TIME 2013-04-26T21:27:54Z PACKAGE AA00011611_08161
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES