Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08155


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1844. Segunda Fera 16
de Setembro
li^'i^ / "ST*'-\ y it", '""** *!''' ''* ""* mMmix' .I aoesi i >' .1. r l-r/---; i"- e e.'r,:ia: .-.>.-
^~S5y >V/// T 7 --' "mo* CUBIU pfineipikmo serem! t|.....ad urafiau enlre nj ee maia
'Sm/M' //: fiv-.' ,:""- araiil.)
.;
_ 11101 NO bit !1 liK fKTEM1B0, '* renda
7 Cambios sobre Londre >'l| nom, V ? '" <7.jii0
wfTL ''*"" '' por/raneo N 17.000 7,i00
J W' u Lisboa 20 ocr JOO de premio I lM) M0
i Pru--ricVa ,91 0 OO
R^P' I*o-da de cobre ,. |,,r I......... '1:0
|6*?J dem le letras .. I,,,,, ;ir ,, | ,r j i, ,i, _..(J1)0
DIAR
Anno XX. N. W7<
O ll|.n.r i, ".-., lodos l dias mani forra, santifica. <>s : o prego de asii.aiura
he .le lre3 >m< rs. por qaartel pagosadianladns. O, aimunciosdos a asignantes sao inseridos
gratie. o o dot que nao inrem i raan ,le 80 rea por hnh. As reclamacoes devem ser diri-
gida* n ata iyp., ra das Cruze n. 34 ou t praga oa Independencia loja de iivroan 8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
HOWHU.c t'hrahjba, segunda.- sextas feiras.io Grande do Norte, chega a 8 e % e par
tei* 10o-'4.Cabo, Serinliaem i'.io Formoso, Macer, Porto Cairo, e Alagoas: no 1. :
11* rt de radamea.. Garanbuna e Bonito a le '-'de ca.ia mei Boa-rula a Fio-
esa d;to.(Jidae ... ,. das da semana.
10 "-rg s. Cornado. Aud. do J. de l). da 8. r.
i' lery. s Pedro Re aud. .lo J. de D da 3. r.
18 Quarla s. Tborai Aud do J. de D. da 3 t.
i) Quieta s Isuosrio. Aud do 1. de D da 2. T.
20 Sexta. Eustaquio. Aud do J de D da 2. T.
i-1 Sal. i M.tbeus.
22 Doan testa d.s Dores de N S.
i~iiFmmisriniiPi i iuwaj sifeaaiisasnesTiil
PB ISES DA ''' i ND MEZ DE SETEMBRO.
I..acV.,,;r, 4u h.,ras e .i min. data La or a a 4i ..', e 55 min.4a.aali
Mmsaaal*atai7horao22 in da tardo |Crescentea (j ., h ,:, .,.,,;
Pr>
"'" 7 hor" 4-' .." boraa 6 minutos da i
^iif'.-ris ..ilaMsaaaanBsnnmMaMaaaaarioKafc:^..
ituanMasta ,;^ kwa, ai... 2 Cig^:^-j-m-a--.. ..-
^ r'tli'iwi...........!.....u -uma^.
^ r

r i^iak..
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 10 DO COMIENTE.
Officio Ao Inspoclor da Thesouraria da
Fa/enda remetiendo a guia do Coronel Com'
mandante das Armas d'esta provincia Hen-
rique Marques de Oliveira Lisboa, a fim de
que I he mande abrir o competente assentamen-
to abonar-lhe a importancia das quatro ca-
talgaduras, que Ibe competem epagar-lbeo
sold e mais vencimentos do mez de Agosto
ultimo.
Dito Ao Comrhandante das Armas deter-
minando em cumprimenlo d' ordem Imperial,
que mande dar bnixa ao Cabo Joo Antonio
Galdino o aos soldados Manoel Soares Macha-
do Tboms Jos* do Aquino Honorato Ca-
valcanti de S Campcllo e Jos Baptista de Al-
meida.
Ditos Ao mesmo e ao Inspector da The-
souraria da Fa/enda scientilicando-os d'ha-
ver S. M. 0 Impt-rador concedido seis mezes
do licenca com sold, para tratar do sua sade
nesta provincia ao Tenente-Coronel do lis
tado-Maior da 1." Classe Antonio Pedro de
S Barreto.
Ditos Aos mesmos intelligenciando-os
de ter chegado no patacho l'irapuma para
servir na companhia de Artfices, o Alferes
do 4.* batalno de Fuzileiros Luiz de Franca
de (larvalho.
Ditos Aos mesmos, enviando copia da
relaco dos Olfiiues, que por decreto de
13 de .lulho ultimo orao promovidos para o
2." batalhao d'Artilbaria p.
Ditos Aos mesmos, participando ter S.
M. O Imperad r exonerado do lugar de Direc-
tor do Arsenal de Guerra u'esta provincia ao
Tenente-Coronel Jos Maria Ildefonso Jaco-
me da Veiga l'essoa e nomeado para o subs-
tituir ao Tenente-Coronel Ignacio Correia
de Vasconcellos.Uficiou-se ao Tenente-Co-
ronel Jos Maria para fazer entrega do Arse-
nal ao nomeailo.
DitoDo Secretario da provincia ao Ins-
pector da Thesouraria da Fazenda tiansmi-
tindo para seren executadas as ordens do
Tribunal do Thesouro do nmeros 106 167,
168, 174, 175, 176, 177, 179, 180, 18i,
183 e 184.
DEM DO DA H.
OfficioA<> Juiz de Paz da freguezia da ci-
d.ide da Vcl ria, declarando em resposta aoseu
oHicio de 10 diste mez, que nao pode S. Me.
presidir Mesa Parocbial e mandar, que o seu
upjilente presida os tiabalhos ficsddra; |ior isso que n<> faeulla a lei que o
Juiz de Paz e o seu Suppler.ie funecionem ao
mesmo lempo : que todos esles actos devem ser
ppt'nchidos por S Me.. e na sua ialta ou im-
pedimento pelo Supliente; e que, seo tempo
maread para as reelamacSes he curio, deve a
Junta traialhar tambem de nmile, (linde ven-
cer todo o servico, e cumprir-se exactamente o
que a tal respeito determina o decreto de 4 de
Maiodel842. '
Di loAo Delegado do Bonito, ordenando,
que, apenas este receber e no caso de nao ser
indispemavel, para restabeleier a tranquillida
de publica, a lorca armada, que ha reunido,
faca dispersal-a; o recommendando-lhe, que,
quando para aquelle fim seja absolutamente ne-
cessario o em prego da dita forca, obre com to-
da a circumspercao e prudencia e sempre nos
termosdalei.Communicou-se ao Juiz Mu-
nicipal e de Direilo interino do Bonito, que
semelhante respailo officira Presidencia, re-
commendando se-lbe ao meeino tempo, que fi-
zesse dispersar u forca, que incompetentemente
requisitara dos Subdelegados da comarca, sem
er por intermedio do Delegado; obraste com
muita prudencia e reffexao no desempenho das
funcedes seu eargo; e procurasse manter bar
zenda, transmitlindo para fazer cumprir, o de
creto de 15 de Julho ultimo, pelo qual houve
S. M. o Imperador por liem nomear a Manoei
da Fonseca e Silva para o lugar de Amanuense
d'Alfandega d'esta provincia.
DitoAo mesmo, scieutificando-o de terS.
M. o Imperador concedido demissao do lugar
de Porteiro do Curso Jurdico de Oliuda Jos
Antonio Fernandes, e nomeado para o substi-
tuir Manoel Rodrigues do Passo Tambem
se coiiiniunici.ii ao Exm. e Rvm. Director do
mencionado Curso Jurdico.
DitosAo mesmo e ao Presidente da Rea-
cao, intellgenciando-os d'haver S. M. o Im-
perador concedido seis mezes de licenca sem
vencimento ao Juiz de Direito do ('.rime da co-
marca do Garanhuns, Firmino Antonio de
Sousa.
Ditos Ao mesmo e ao Commandante das
Armas, participando que S. M. o Imperador,
por decreto de 23 de'Agosto ultimo, manlou
passar para a 1* c'asse do Estado maior do Ex-
ercito o Capitao de Estado-maior da 2* classe
Antonio Francisco de Souza Magalhaes e o Ca-
pitao de Infantaria Manoel Fernandes da Cruz.
DitosAos mesmos, communicando, que
veio com passagem para o segundo batalbao de
Arlilharia o Sargento do primeiro batalhao da
mesma arma. Jos Alvos de Souza.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Varinha,
scientificando-o de ter S. M. o Imperador de-
terminado, que Jos Faustino, Mestre d'appa-
relhos e da casa de velas d'aquelle Arsenal los-
se nomeado Mestre da Casa de velas do A rsenal
de Marinha di Corte, esubstituido por Baltha-
sar Jos dos Reis; e ordenando, que em cum-
primenlo do Imperial Aviso de 22 de Agosto
ultimo faca recolher dita Corte o mencinalo
Jos Faustino na primeira occasiao opportuna.
DitoAoJuiz de Paz Supplentedos Afoga
dos. determinando, laca constar aos moradores
d'aquella freguezia que no dia 13docorrente
vao c ntinuar os trabalhos da Mesa Parocbial
para a eleicao do Juiz de Paz e Vcreadores da
Cmara Municipal, quetem de servir no qua-
triennlo da prxima futura legislatura; e que

18H.Jernimo Francisco Coelho Confor-
me, Francisco do Paula Vieira de Azevedo.
Est conforme
0 fficial-maior. Antonio Jos de Oiveira.
ffenrique Marques d'Ulheira Lisboa.
Quarteldo Commando da Armas de Peinam-
buco, 11 de Setembro de 18H.
Ordem do dia n*4.
Por aviso de 27 de Agosto ultimo expedido
pela Secretaria de Estado dos Negocios da
Guerra a S. Ex. o Sr. Presidente desta provin-
cia, forao concedidos por S. M. o Imperador ao
Sr. Tenente-Coronel de 1* classe Antonio Pe-
dro de S Barreto, seis mezes de Ecenca com
sold para tratar de sua sade nesta provincia.
E por decreto de 6 do mesmo mez d'Agosto foi
exonerado do lugar de Director do Arsenal de
Guerra desta provincia o Sr. Tenente-Coronel
Jos Maria Ildefonso Jacome da \ciga Pessoa;
o nomeado para o substituir oSr. Tenente Co-
ronel Ignacio Correia de Vasconcellos, segun-
do me loi communicado por officio do Exm.
Sr. Presidente com dala de hontem.
____Uenrique Marques de Olivtira Lisboa.
a%a*a "^T"-""
DIARIO DE PEBNAHBC ,
QITS TULERIT GRACIIOS DE SEDITIONE
Ql'.ERENTES.
Quem pode suportar o D. novo, fallando
de manejos de perturbaces, e dedesordens;
elle que he o echo de urna pandilba, que s nos
manejos, as perturbaces, e nasdesordens
pode achar recurso contra a manileitaeao es-
pontanea da opinio publica que a condem-
na ? je comparadlo lem as eleicoes que se
bao feilo em 18r2 com o presente simulacro,
em que as fraudes mais torpes,as violencias,e per
seguices.o pun hale o baca marte tem prostituido
a virgindade das urnas? De que lado tem partido
os escndalos ; quem perturbou a ordem as
freguezias de Sanio Antonio e Boa-vista em 18
do Agosto, fazendo da casa de Dos, urna pra-
ca de mercado ? Nao forao os agentes de poli-
Ihe lem opposto rom quantas forcas Ibes assisle
Edepois de todo isto que admiracio pode
causar a desvergooba veem di/erque o batalbao ligeiro que sercunio
nos Afogados foi urna reunido de povoi toda '-
nerme atrahida pura alli pelo loque dearrebate,
que se nao praticou nenhuma violencia ncm de-
icato que tudo quanto se tem dito be puro
invento? Esto despejo lie urna bagatclla ,
quando se compara com o oulro. Nem de tal
pandilba se pude esperarcousa alguma que n8o
tenha o lypo da infamia.
He crivel por ventura que hoinins que lano
aviltarSo a posicSo de governista a quem 12o
abjecto pareci defender o Governo, que quan-
do opposieionistas todi s os seus adversarioserSo
aduladores e escravos eslejao de boa f nessa
posicao e al se bonrem de occupal a.9 Nao;
vos nao sois govornistas, isto podemos us asse-
veral-o ; mas nem ao menos sois ministerialis-
tas, bu se o sois devois confesar quea vossa in-
famia uao lem exempla E se rom (oda essa
infamia queris carregar se com effeito per-
tenceis ao lado mimslerialista por que guerre-
is aquelles que com mellmres rasfn s o sao do
que vos ? 'ara que trazeis por diante os trapi-
eia da gente praera ? O que tem havido por
d'islo avise previamente os demais membros "da i Iuarass Goianna, Nazareth Paod'Alho,
MesaOfficiou-seao Di legado do 1 disfruto "' Formoso, Serinhem e Bonito, quemo
deste termo, para que alli se conservasse at se tem praticado, nao sois vos, que procuris com
a forca suprir a opiniao, que vos abandona em
todas as parles ? E ento como perversamente
atril uis ao partido da ordem aquillo que heso-
uiente vosso, e s proprio de vos! Enganais-vns
ultimarem as referidas eleicoes
Commando das
rmas.
Quartel do Commando das Armas ie Pernam- moatroa, se ju'gais poder en.bajr o publico
buco 10 de Setembro de 1844. |com vossas perfidias ; ellas leem sido umitas ,
Ordem do dia n 3- !<> povoj vosconhece.
Para que tenha a devida publicidade, e sejao Eisaqoi un trecho tirado de um artigo do D.
contemplados os agraciados no goso e excrcicio i novo que tem a mesma epigraphe que adop-
de seus poslos, vai abaixo transcripta e relacao tamos para o nosso, com pequeninas alleracoes,
que sob seu officio d'hontem me remclteo o ; e que ninguem dir que nao assenta com a mais
Illm. e Exm. Sr. Presidente desta provincia. I admiravel juste/a na pandilha praieira. E na
lielago dos O/ftciaes promovidos por tecreto verdade quem podo supportar ajlesvergonha
desta data para o segundo batalhao d'Arti- e insolencia com que os escriptores dessa |ian-
Iharia a p. dillia nos assaco a pecha de anarchistas el.es
Para MajorO Major Graduado Adolfo Fer- que ainda ha tao pouco tempo nos aecusavo de
nandes Pinheiro. I nos accommodarmos com todos os Governos ?
Para 2*Tenenle-Ajudante0 Sargento-'-! Elles que durante dous annos procurarao des-
I 1 1 M A I 1 1 I- 1 I '. 1 I.___' _. _. 1*1___ ( > > i i.vi>.j.ij.i..< I i n> I ... I .,. a. a
truir todos os principios de ordem, todo o es-
pirito de subordinacao em todas as classes, to-
Para Capitao da 5a companhiaO 1 Teen- do o respeito s leis e s autoridades? Elles qne
le Hermenegildo de Albuquerque Porto-Car- proclamarao esantificarao as revoltas? Elles que
judante do 1 batalhao de Artilharia a p Eloy
Manoel de Olivcira.
reiro.
Para Capitao da 8* companhiaO Io Tenen-
te Francisco Camelo Pessoa de Lacerda.
Para primeiros TenentesOs segundos Te-
nente. do Io batalbao Antonio Pedro Lecor,
Luiz Affonso de Escaragnolle, JoSo Carlos Vil-
s I
monia e boa intelligencia com as differentesau-
torida
DitoAo Inspector da Thesouraria da Fa-
procii
injuriarau todos os poderes da naeo, que de
sacataro o Monarca ? Elles que conspiraro e
conspirao ainda hoje em clubscontra a tranquil
lidade da provincia? Elles que anda agora mes-
mo incitan as massas e Ibes mettem as mos o
racete-e opunh.il? Elles que estabelecem na
provincia em noaie do Governo Imperial una
especie de Coverno a parte que insinuo a
desobediencia a certas autoridades que nao se
presto aos damnados intentos da pandilha?
cizo Bahienso de Almeida Quatenosim, Emi- Elles em fim que ous8o concitar a genlalha ;i
vingancas, o como he publicissimo al Ihc
tem fallado em saque ? Oh he preciso
muita malvndeza muito habito do i-rime ,
e muito cinismo, para que tal gente coberta
lagran Cabrita, e o Io Tenente addido Joao
MarinhoCavalcanti de Albuquerque.
Para segundos TenentesOs Alferes Alum-
nos Jos Pedro Nabuco Pereira da Cunha. Nar-
liauo Boza de Senna c Antonio Theodoro da
Gama Boza; os Cadetes do mesmo batalhao
Francisco do Reg Barros Barreto, Francisco
Rafael de Mello e Manoel de Siqueira Cam-
pello.
de lautas iniquidades, aecuse daquillo que s
Palacio do Rio de Janeiro em 23 de Julho de_ ella tem feito c vai fazeudo aos que sempre se
cheiros as vossa questoes dos fogsdos, f.imo-
eiroiic.se nellas os minislerialistas do tempo que
eris opposieionistas nao tiverao parte alguma ?
Nao vos faz conta confessar urna s verdade e
esta derrotara todas as vossas alicantinas.
Dizeis que nao tendes inleresses em desor-
dens: mas quem vos acreditaPNosera mais una
irnpoilura que vos traria rubor cara ; quando
lanas ve/es as manejis. Mas supponbamos
por um momento que com effeito boje as desor-
dens nao vos pndem convir ; ainda assim eia
preciso conceder-VOS urna habilidadoou an-
tes fortuna que anda iiehhum concitador teve;
a qual he poder lonter s massas por elle conci-
tadas e cha mal-as de novo obediencia. Por-
tento ainda assim essas desordens por vos exci-
tadas, ser-vos-hio mputaveis sem ao menos
pdenles evitar mal que houvesseis causado.
Mas esta supposicSc tao lem lugar : a verda-
do be que as desordens apparecem e que vos
as promovis mesmo de presente, e por neces-
cidade, e pelos vossos infames inleresses. Essas
basofias departido nacional, de grande maoria,
de urna s vontade he urna mentira porca ,
he urna ridicula iinpoituro. A maioria iln
lado opposicionista que hoje he ministeria-
lista, nao pregara a desordem, como vos ; nao
[ir imovia desrespeito s leis e as autoridades
corno vos ; be verdade que vos servia do apoio,
c vos fazia parecer menos raros ; mas lendo in-
tiTrsses opposlos aos voseos, seguifido princi-
pios differentes dos vossos, se he que alguna
principios leudes, boje que vos julgais de ci-
ma o queris dominar, ella necessariamento
vos ha Je rcpellr. vos ha de entorpecer a mar-
cha; o como se dissesseis isto estaris perdi-
dos, callis a derrota que sents, imputis aos
ministeri.ilistas paseados as tranpolinas que sao
vossas, e queris codilhar os outros ministe-
rialstas. E como o nao podis fazer senao
pelas desordens, e eslas alias erao metera que
ja havieis preparado, dallas lanzis mSo. Ora
se ja houve um partiilo mais infame nao foi
por cerlo cm nossa provincia que elle viveo.
Pensis sem il41 vid,i que a nopuiacto desta
cidade ignora os attentadoi praticados pelos vos-
sos cacetistas as noiles de 8 e 9 em algumas
roas, e os insultos que a muitas prsoas se di-
rgirao, e por isso com a vossa costumada des-
vergonha dizeis que a cidade eslava no outro
da tranquilla, ocommercio em seu giro, o
povo em las 00cupat}5ei. e que tudo he paz e
tranquilidad!-. Sim, tudo est em paz e tran-
quilidade para vos que planlastes a desordem :
que o commercio tem suspendido as suas tran-
sac(,'oes de maior mcula sabe-o todo o mundo
menos vs ; que 08 gneros de primeira neces-
sidada tem subido de pie. o, sabe o ledo o mun-
do, menos vos; que, sederSo pancadas em'
diversas pessoas da ra Direita, estreita do Ro-
:ri!' e Hartas, c na Bou-vista; sabeoi-oa-
araai
mmatm


quellcs que forao victimas dos vossos cceles,
menos vos; que ps insultos Corto continuos
durantes os tenebrosos dias7, 8 e 9 queos
lfHurrat se re el a ) i cada cont ; sabe-0 todo o
mundo menos fus; que a gentalba le toda a
especie andou nesses dias armada de cacses ;
de orle que o Sr. J 1/ Municipal Rigueira
Co*ta que n'uma dessas noi.tes se esolveo a
policiar tainlii' 11 acidado, e bs patrulhas de
poliiiiu tomaro mais de duzeqtos so em
u:ia noule ; sabe-o lodo o mundo me-
nos vos. E tudo isto la n vosso modo
Je encarar as cousas, he paz, he tranqui-
lando be urdem. Isto be urna vez que
todos os perigos, todas is aflronlas. iodos os.
rues partan do vosso lado, e as victimas per-
lencSo ao lado opposto or ao grande circulo dos
pacilicos, ou em tirn aos que nao trahalho Ilu-
didos pelos vossos srdidos interesses, malvad" s
egosta, nao lia desordem, nao lia nada. He
esta a vossa opinio publica:' be assim que se
ella manifesta em vosso lavor? Nsvol-a-a-
bandonamos.
SANTO AM'AO.
P< ssoa fidedigna tis cidade da Victoria na co-
marea dcS. AntSo em data do 13docorrente,
referlndo-nos todas as frtudes e Iraficancias,
empregadas pelos praieiroa daquella cidade,
especialmente os Srs Juiz de Pa/ Antonio lien
riques, I'iburlino e Ferra/, ns quaes nao repo-
timosaqui, porque sio as mesmissimas que es-
ta cidade lem % isto praticarem se nos metes
passado o corrente, isto be, lista affixada c ar-
rancado inmediatamente, para ninguem poder
saber o mysterio de iniquidade ; nomessuppos-
tos para fazer grande numero ; exclusao de
muit css ias de outro c edo ; mimes 1 e ou-
tras troca los ; insultos, ataques, violencias, &c.
c; accrescenta que, nao contente com tudo
isto, o -lu/, de Paz guardara asumas com os
voto, em sua casa, onde se rodeara de (oreas re-
qu'sitadas, nao ao Delegado, como 1 to cum-
pria, mas ao !>r. Piburtino, e com este e com o
ouiro comparco na noute do 12 viciarlo as lis-
tas que ainda estavSo poi apurar, e introduzirao
<;;' 1 terem visto na apuradlo que as suas
insiouaccs nao tinbao sido rigorosamente oh-
servadas, trahindo assim aquellos mesmos, que
em grande parte Ihe haviSo satiseito os capri-
chos ; o que se viera a conliecer por seacliarem
no outro di., na urna, onde Be guardrao os vo-
tos para Juiz de Paz do l.'districto, listas de
mais, c passando se a examinal- as, se vio esta-
rci muil i vic idas; sem que todava se exs-
minassem as outras que provavelmente terSo
passado pela mesma operaco. Diz mais o nos
so correspondente, que, apanhado assim em lia-
grante o praieir Juiz de Paz, se dra por doen-
te, e a Mesa suspender osseus trahalhos, dan-
do parte do uccomdo Presidencia Por toda a
parte pois se manifesta essa opinio publica,
1 i espontaneidade da populado em favor da
piaieirada, com que ella todos os dias com tan
grande desvergonba nosatordoa.
O annuncio que appareceo em nosso ultim
numero sob a assignalura do Sr. J s Estoves
Vianna, nao he (leste Sr.. e sim de algum in-
trigante que se servio do seu nome, para o fa-
zer inserir.
'. *lsam*vamww)"-" Coii meados.
AS eeeice do limoeiro.
At boje ai.ida nao consta (pese lzesse clei-
c em alguma fregue/ia, onde a praia nao te-
oha posto em execui80 seu tenebroso plano de
corromper e falsificar; e quando esta arma nao
be sumViente, entio Invenios b em prego do
fusile da lorca Imita. Sob a influencia das bai-
onctas, uela co rupcSoe pela falsificecSo, acaba
o partido praieiro de vencer na villa do Limoei-
ro; e nao contente com ito, anda quer chamar
sob eos homens di ordem todas as odiosidades
que resultan de seus proprios crime: be assim
que o D. norode14 uo crrante injuria e ca-
lumnia o Sr. Dr. Joao Mauricio, porque en-
tende a praia queesae respeitavel Magistrado, 6
maneira dos DuarUs los Barbosas, ios Cunha
Machad 18 e outros, devo servir d'instrumento
sua amtii.,a 1 e fazor o vil papel d'executor de
leus planos As 6 horas da tarde de 27 de A-
gosto p. p., afThoii-se tirria lista na villa do Li-
moeiro, quando nao era mais possivel lr-se, e
na manhaa do da 28 ja essa isla tinlia dcsappa-
recdo As pessoas que estavSo as circurns-
tancias de votar, perguntavSo se tinhao sido
alistadas; mas quern Ibes respondera 1 O Juiz
(j,. Paz?no,porquetinhatodooii)teresseem nao
;r.vir BO plano que a praia Ihe l.avia traca-
do o t3o heirs fb ejecutado resta cidade : o
EscrvSo ? no, porque osen arrojo nao pode-
r, 1 les nar lo a ponto de revelar um n \s
terio, em que se fundava o triumpbode seu Juiz
e do Delegado do Sr. Urbano.: logoo qi;
./er ? 1 omparecer ,iM da '
nio torio chamados; reclamro o direili
votar que as suas circumstancias e a lei funda-
mental do imperio Ihes gkrantio, nao forao at-
tendidos: para'onde recorrer? Quando a au-
oid.de publica comba desta maneira dos di-
reitos dos cdadSos, quando a opprcssaose ma-
nileUa de urna forma tan inslita, nlo faltariaj
quern julgasseJusto o emprego da forra; mas os
homens d 1 ordem no Limooiro, sempre fiis ao
principio da moderaco, sempre appelland pa-
ra os mi ios lepaos, resignarSose e retirrao-se
sem que podessem figurar na urna mais de 600
listas que, juntas as que por favor especial fo-
rq admiltdas, devenSo manifestara vontade
da maioria da freguezia Na vespera, e em to-
dos os das (|ue durou a ehco, a villa do Li-
moeiro apresentou um verdadeiro campo em
que se pretende dar urna batalha; guardas, ron-
das, sentinellasem todas as portas da Igreja,
embargo algumas pessoas, viva? tumultuarios,
ludo foi posto em movimento, e entretanto es-
ses pseudo-liheraes ainda clamao conta oquel-
lesj quena vencem por meios tao infames: nao
ha duvida, a praia se manifesta la! qual he, tal
qual tem sido.
Parece que essa gonte tem declarado guerra
i tudo que he licito, tudo que he honesto,
porque nao he capaz de praticar um acto qual-
quer em que 1180 venhao d'involta a fraude
mais escandalosa o o despejo mais refinado.
Para vencer se, he necessario espesinhar so a
lei? Sulloque sea lei : para triumphar-se he
preciso commetter um ou muitos crimes! Com-
mett8o-se, porm tiiumphe-se : eis o credo,
eis a enha da praia. Para atlerrar a populacao,
na occasiao da eleicao, entendrao os desordei-
ros do Li'moeiro quo era preciso que se achasso
em campo o Subdelegado, obrando como auto-
ridade policial, pon m sendo este Juiz de Paz e
estando em exorcicio, deixou a Presidencia da
Mesa Parnchial para andar no meio do povo
impondo as suas vontades e entregando listas,
rollocando em seu lugar o Supplente. Verdade
he que nada hojn nos dove admirar o surpre-
hender; mas nunca se observou em parte algu-
ma o que se praticou na villa do Limoeiro.
''entre os poucos individuos do partido da or-
dem que foro alistados pelo Juiz de Paz, ruan-
do algum era chamado e que ia pe8roalmiite
entregar a sua sedula, apparecia um Inspector
ile quarteirio com nutra sedula de igual nome,
e entao a Mesa promptsmenlo a recebia, regei-
t imlo a do cidadao que se achava presente I Por
mais tratos que sedessem as pessoas mais anti-
gs da fregoeta.1 nao poderao conliecer os indi-
viduos cujesnomes figuravo na encommenda-
da lista do Juiz de Paz, e que formavao a maio-
ria dos volantes do partido praieiro. 'Pal foi o
despejo, tal loi o escndalo que, comparecendo
quasi lodos os volantes (da praia) sem sedulas,
a proporcao que erao chamados, as io receber
dos Inspectores de quarteirf.es encarregados
d essa destribuigao; e no fim do todas estas pa-
lifirias, diz o I), noto que o partido da ordem
quer promover a desordem, e trata de oppri-
mr llavera paz p.ssivel com tantos desatinos?
Olhe o Exm. Presidente seriamente para a co-
marca do Limoeiro.
A faeco desordeira chamada da gente da
praia pertende anarquizar Pernambuco e in-
titulando se exclusivamente Ministerialista, e
partido Nacional quer levar o terror por toda o
i>arte, para o que tem insuflado a nfima genta-
lba e regularisado um plano de desordem por
toda a provincia, (ucrem vencer as eleir,es.
Onde o pndem fa/er por astucias cabalas e
toda a casta de pa'.ifaria pralicao-nas; onde
se conhecem vencidos, armao-se, e promovem
a guerra civil como se vio no Po do Albo ,
no onito que la esta em grande desordem ,
e na povoacSo dos Afogsdos.
Toila esta cidade vio no meio de sustos os
grupos armados de cceles correrem d'aqui para
aquello lugar capitaneados por um Juiz de
Direito do crime : nao se ouvio por toda a
|>arle, se nao gritos sediciosos demorrao os
Baronistasfra ("avalcanlis e viva o partido
nacional ; e (oda esla anarqua era observada
pelo Sr. C'.hefe de Polieia que ou nao a poda
conter e neste caso tem perdido toda a lona
moral ou poda e nao o fez c heconven
te com os planos inernaes da genio da praia.
As qdalificacoes tem sido fe i tas vontade
desses Srs. ficando excluidos os homens princi-
paes das freguezias. as portas das Igrejas tem
elles postados os sous grupos armados de cce-
les para intimidarern a todos que nao perten-
cem ao partido da desordem, isto he; aosprai-
eiros. O que estes querem he vencer pelo ter-
ror. E se tues desaforos, o insolencias tem el-
les praticado as eleicoes para Jui/cs de Paz o
Camaristas, oque nao larao no dia 22 as e-
lecoes de Eieitores ? Elles dizem em seus jor-
naes que sao o partido nacional que tem a
sen favor a maioria da provincia : e corno lan-
eio mSo de laes meios para vencer ?
campo das eleicoes. Se tal for a desgraca, que
o Governo nao posa manler a ordem publica .
nem fazer dispercar os grupos de cacetistns e
faquistas, que o club da praia manda para i.s
portas das Matrizes armai-vos lambem reu-
ni os vossos amigos, eadherentes, moslrai-vos
dispostos a resistir aos desordeiros; que estes se
aquietarao ; por qne a nossa fraqueza faz toda
a sua forca. Nao he possivel, que tantos ho-
mens capazos, tantas familias honradas fiquem
a discrirao da gente desordeira e dos homens
do ccete, e do punhal. A praia tem decre-
tado o exterminio da familia Cavalcanti e corn
ella o de todas as familias Ilustres pacificas ,
e honestas,que Iheeslao ligadas por parentesco,
por afinidades, porsimpalhia, &c.
Advirla-se que Ministerialista nao he sin-
nimo de praieiro,antes lodo o verdadeiro Minis
terialista, todo o cidad8o pacifico, o amigo da
ordem nao pode deixar de horrorisar-se dos pro
cedimentos do club da praia, d'onde partem to-
dos os planos da anarqua ; e de ter os chefes
dos praieiros como os maiores inimigos do Go
verno actual ; porque nao pode haver Governo
regular, e em seu juizo, quo queira sustentar-so
com a forca dos faquistas e anarqui'adores.
O Exm. Presidente chegou a cdocer de des-
goslo por ver a desordem commandada, e con
sentida por aquelles mesmos,que a devino con
ter : dizem, quiz passar interinamente a pre-
sidencia ao Exm. Vicc-Presdenle mas que l
forao ter com elle os Srs. Urbano, eNunes Ma-
chado, e Ihe prometlero, que nao haveria mais
desordem: logo em suas mos esteve o conter a
anarchia dos horrendos dias 8, e 9: logo Ss. Ss.
dispe desses grupos de cacetistas. A provin-
cia de Pernambuco eslA a discric8o dos capri-
chos, d'ambicao, e das vingangas dos Srs. Urba-
no Nunes Machado, e cnmpnhia. Oh dor!
oh / vergonha oh oprohrio !
CT-ga 1 ni 1 mam i ngwMWBj.nu..ni.-TT7?-i
Correspondencia.
Srt. Redactores. Parece que os homen
da preja sao gente de nova especie ; por qu
os seus altenlados anarchicos apregoo-oscom
virtudes c a repulsa dos seus adversarios h--
estigmatizada como um crime ; e isto be sem
pejo algum feito as folbas publicas e a res-
peito de fados presenciados por todo Pernam-
bucano. Assim, diz o Sr. Nunes Machado em
sen aran/el publicado no D.-novo de 12 do
corrente ; que sabendo haver nos Afogados se
perturbado a ordem, depois de haver dado laes
e taes providencias, a laes huras da tarde do
dia 7, montou a cavallo e all foi accommodar
aquelle desaguisado; porm rifo diz que foi
acompanhado d'um grupo de homens armados
de cacetes, o que de distancia em distancia Ihes
gritava avanca cantaradas avanca meus filhos!
esta circumstancia ficou lbe no bico da penna :
nao disseque no dia 8 foi conduzira sua gente, e
que veio na retaguarda del la at oRecife.porque
seria o mesmo que confessar ser um dos chefes
da anarchia. Entretanto o que he o Sr. Nunes
Machado para dar taes o taes providencias e
marchar para os Afogados capitaniando urna
fore;a ? Queentidade prestigiosa be S. S. par
ir al I i accommodar as desordens occorridas ?
O ser chefe de um partido d-lhe o direito
de dispor das vontades d'aqueiles que nao o
querem seguir (por conhecerem sua incapacida-
do e nullidade) ohrigando-os por meio de urna
forca queapresenta em campo a receberem sua
lei, dictada pelos seus clubs ? OlhemeuDr.,
tenha paciencia o epteto de anarchista be
seu ; eo que Ihe cabe pelos seus Jeitos do dia
7 e 8, he vergonha e opprobrio ante o respei-
tavel publico que nosespreita as secos ea
sua carta foi um lihello lamoso contra si mes-
mo ; foi o seu propriocorpo dedelicto.
Mas, Srs. RR. : eu creio que o nosso Dr.
depois que se lan ou na cama e consullou os
seus traviceiros, a conscicncia fez seu dever ,
o que muito arre pendido dove estar do seu de-
sassisado proceder e corrido de vergonha por
laes..... despropsitos. E em attencao a isto,
e por nso zangar mais o Dr., he que Ihe nao
faco cestas perguntinhas. Sou. Vrs.RR &c
O inimigo d'anarchia.
gaeBSBBgBgf^a^^^ggjgBg" ...ni <
rn
n
U
Alfandega.
Rendimento do dia 14........Il:778f607
Descarrega hoje 16.
Barca Maryfarinha.
BarcaElizn Johnstondiversos gneros.
BrigueScienciadem.
BatachoConceicaofumo.
pn.vgA no recipe, 14 desktembrodp. 18H-
fevila mercantil.
I'ern.iml'ucanossisudos e honestos cida-
que ten des s perder fazenda honra e Can bio Pelo paquete inglez houveraotran-
saesoes avultadas a2i 'i d. Dor lf n
vida nao vos acobardis no desamparis v
a cujo cambio nao havia mais letras
a sabida do dito.
Algodao As entradas forao diminutas,e hou-
verfio vendos de 4,800 a 4,900 a .r-
roba.
Assucar Nao soTreo alteracao de prego, ten--
do as entradas diminuido.
Couros Em apathia.
Ac de Milo V'endco se a 24JJ o quintal
Amendoas doces dem a 7,000 a arroba:
Bacalhao Existem do 100 a 150 barricas,
que se esto reta I bando a J i.,000 rs.
Batatas Vendrao-se de 800 a 1,000 rs. a
arroba.
Carne secca O deposito est elevado aoOOO
arrobas, em consequencia de um car-
regamenro chegado do Rio Grande
doSul, tendo-se vendido no decurso
da semana de 2,400 a 3,000 a arroba.
Dita de porto \endeo-sea 21 # o barril.
Chumbo de munico dem a 19 o quintal.
Estopa dem a 170 a vara.
Farinha do trigo Entrou um carregamento
de 2,500 barricas de Trieste tudo dn
marca SSS, que foi vendido a 18* rs.
a barrica. O carregamento uolado a
semana passada foi da marca Pon-
tana, o vende -se a 17* a primeira
quaiidade, e 15*. a segunda ; ambas
estas vendas forao fetas a especulado-
res : existem em primeira mo 3,800
barricas.
Louca ingleza ordinaria Yendeo-se a 230
por cento de premio sobre a factura.
Manlega Houverao vendas da francesa a 345
rs. a libra, o alguma em meios bar-
ris a 360, o do ingleza de 435 a 460.
Massas Vendrao-se a 5,000 a arroba.
Oleo de linhaca dem de 1850 a 1,900 o ga-
lao em cascos.
Passas dem a 4,000 a caixa.
Pimenla da India dem 170 a libra.
Sal estrangeiro dem a 1,150 o alqueire.
Vinagre de Portugal dem de 40* a 42* a
pipa.
Vinho de Lisboa PRR dem a 118* a pipa.
Enlrrao durante a semana 7 embarencoes e
sahirao8; existem no porto 43, a saber : 3
americanas, 1 austraca. 24 brasileiras, 1 fran-
ceza, 2 hespanholas, 5 inglezas, 4 portuguezas,
2 sardas a 1 sueca.
waMMMRHMaaSNM
e-*^v-*r,-',
Movimento do rto
Navios sahidvs no da 13,
Rio de Janeiro, brigue inglez TuoFrendi,
CapitSo Priaulo carga : a mesma quo
trouxe de Cdiz.
Falmoulh; paquete ingle/. Lxnnet Comman-
dante Duckens.
ma
Edita!.
KJHiM&ontli'nim "u. i irmin,: .. j
1 r O Engenheiro em Chefe da provincia
manda fazer publico que 1111 virlude da or-
dem do Exm. Sr. Presidente com data de 13
docorrente, acba-se aborto um concurso para
o lugar de Ajudante- dos Engenheiro que
existe vago nesla repartirlo conforn e as dis-
posicoes additivas ao artigo 21 do reguhniento
das Obras Publicas, o qual concurso ter lugar
no dia 30 (leste mesmo mes no palacio do Go-
vergo e constara das marerias sbaixo especifi-
cadas. Reparti(8o das Obras Publicas, 14 de
Setembro de 1844/.. L Vaut/ner.
Principios geraes de geometra, das linhas,
planos e solidos.
Principios g-raes de arlbmetica, compre-
hendendo as qualro operacoes elementares so-
bre nmeros intein 1 c quebrados, a exlrrccao
das raizes quadradas as propor(oes e pro-
gresses.
ExecucSo de um desenlio linear com a icgoa
o o compaco.
Explicacio do uso dos divers> s instrumentos
grapbieos, como sejSo alidade, bussola, gra-
pbometro, e nivel d'agoa
.ingoH naeional e ortographia.
O coi.curso seri verificado por um conseibo
d'exame composto do Engenheiro em (hele,
du Inspector Eisral o d'um outrfi Eugenbei-
ro. O Escriturario Jto BapUstadt S. 27)
w*m
U-IHTB^i'
*T','.-T"
lAXlH- :!
I>*elirOi s.
I O Conselho Administrativo do corpo
de polieia compra seiscentos covados de panno
asul: os interessados sao pelo presente convi
dados s comparecer com as amostras na secre-
taria do mesmo corpo no da 17 do corrente
pelas lOhoiasdamanhia. (6
3 O Sr. Inspector do Arsenal de Ma-
rinha, ein oisen 11 1 ia do im| erial aviso do Agosto Gndo, manda / ul i',<> ove pn-
gaj.i dous nioldadores de obras de Ierro
para servirem na fi |eriu esta-


r
-. Maian.,
belecida no Arsenal de Marinha da corto, pelo
tempo de dous ou mais annos, se nisso convie-
reni. As pessoas de se me I han te profisso a quem
convenha o engnjamento sao convidadass pelo
iiiesino Illm. Sr. Inspector a comparecerem
quanto antes n'esta Secretaria, a fim de trata-
ren d'esse negocio, e assignarem o respectivo
termo.
Secretaria da Inspeccao do Arsenal de Ma-
rinha de Pernambuco 12 do Setembro de
184-4. O Secretario ,
Alexandre Rodrigues dos Anjos. 16)
Admini$tr 6Perante a AdministracodoPatrimoniodos
Orpbaos si- lia de arrematar a quem mais der
bg rendas da casa u 4. sita no largo do Hos-
pital ilo Pa raizo : as pessoas que Se propo-
zerem a arremarar ditas rendas podero com-
parecer na casa das tessSes da Administraco
nos das 9 e 16 do corrente mez as 4 horas
da tarte com os fiadores.
Sala das seseos da Administraco do patri
moniodos Orphaos, 28 de Agosto do 1841.-
J. M. da Crus Escripturario.
- Avha-se a pessoa de certa ra no bairro do j mesma casa, quesera recompensado. (6 outro qualquer negocio, nSosenJo venda nem
Recie, quetem coitado o muleque Eduardo, I 1 OSr. Igoacid Jos d'Alhuquerquo Mu- padaria, oc|ual d fiador, annuncie.
de 11 annos de idade, gordo, bem pretinho e ranho dirija se ra do Sol n. 1, para receber A pessoa que annunciou pelo Diario do
fallante, com a marca de um P no peitodre-! urna carta vinda de Lisboa. (3 sabbado H do corrento,, precisar de um oeg
i i0
' iloes.
2 Johnston Pater & C continuaran
por intervencio do corretor Oliveira i
seu leililo de grande sortimento de (atendflS
ingle/asas mais proprias d'este mercado, in-
clusive muitas outras reeem chegadas pelo Co-
lutnbus : teroa-feira, 17 do corrente as 0 ho-
ras da manha no seu arma/em, ra da Ma-
dre de Dos. (8
' "?"' a&HSKBM.;.' HJ.'L- .IX. J.
Avisos diversos.
- Pergunta-se a certo valento.ex Captaode
G. N. de pollas de lora se est disposto a apre-
sei.lar no da 22 do coi rente a mesmacoragem
que em 183 V mustrou quando foi nomeado
para commandar a linba da direita da guar-
da avancada no ataque de Jacuipe; pois ,
como Chele da pandillia do seu ligeiro batulho
aconselha-se qne mude do rosoiuco e dei-
xe-se de mandar fazer acintes e ataques a ci-
dadaos prub n e honrados, jomo aconteceo na
elegao do dia 7 do correrlo me/, ne bairro do
Reoife ; por que anda p^t muito recente a sua
covardia o infamo r,raticada n'aquclla occasi-
o que chegou a ^onto de arrancar o galo do
bunn escondeva banda por dentro da farda,
o at oh verronha das vergonhas, abandonon
a linha. o ti'.;>u do ludo opposto do rio de Una
desc ilsan I o.dizem.as botas,e com as calsas.....
quanJo oiiviusomonte um pequenotirotoio, e
so &P perecea depois que loi lomad.) o dito
Pljrto com a sua resposta ter outras pergun
tds, que Ihe fazer o Defunto Africano.
i Quem precisar de um rapaz Brasileiro
a/.ado {um pouca familia para caixeiro de
qualquer arrumaeo, anda mesmo para fra
da praca em qualquer engenbo eu feitor ,
pois de tud > tem pratica por JA ter cocupa-
do tolos os lugares, o he bastante ahil e deli-
genle para todos os serviros e presta fiador a
sua condui la; quem do seu prestimo se quizer
utilizar, dirija-se a ra do Gotuvello n. 29,
que se dir quem pretende. (10
lssQiiarta-feta 18 do corrente pelas trez
horas da tarde a porta do Sr. Dr. Juiz de
Direito da segunda vara do civel Jos Thomaz
Nabucode mujo, ter limar asegunda praca
do urna casa terrea na ra de S. Concallo, me-
lada Je um sitio e olaria no boceo das Barrer
ras e sessenta palmos d terreno com trez mil
de fundo, us quaes se acho sitas algumas ca-
sinhas Je taipa no Atierro dos A Togados; por
execucio que muve Manoel Anlunes Vllaca
contra o ca al do fallecido Manoel Jos de Ve-
deiros; as pessoas que quizerem langar, sao
convidad is pelo presente a comparecer no dia e
lugar referidos para oflorecerem os seus l-
eos, (la
1 De bordo do patacho nacional Neptuno.
fugirio na noute de 13 paru 14 do coi rente os
escravosCaetano de naci, intitula se crioulo,
de 3S annos, estatura mediana, cor fula, re-
forjado do corpo. com pouca barba olha mal
encarado levou calsa e camisa de brim alca-
troado, foi escravo muitos annos ua Parahiba
(para bdeju.ltca-se ter hido) d'omie foi envia-
do aos >r*. Saisftet & C e lizerao venda ao
Sr. Isidro Jos Cap-rica que o mandou para
Maranho e alli foi tendido e ltimamente
remetilo pelo dito patacho pelo Sr. Joao de
Almeida A/evedo a Jos Baptista da Fonseca
(o, de o virou mandar entregar no Atierro da
Boa-vistan. 65, que do contra ti > se annun-
ciar o seu nome pelo Diario, para conheci-
mento das autoridades policiaes, o se persegui-
r com as penas da le; pois foi visto o mul
que entrar na dita cJsa e prometiese na en-
trega guardar (agredo o pagar seu traba I ho
GAUTELLA CONTRA AS FALSI'I-
CACES.
Constando a Mcuron C, que em algumas
vendas e lojas d'esta cidade se vende um rap,
coma falsa denominad).) o rap ara preta ,
com astuciosa imitaco dos botes, rtulos e sel-
los da sua fabrica fazetn sciente aos seus fre-
guezese ao publico que em resguardo da sua
propriedade o dos seus direitos, accrescentao
firma ao sello do nico deposito do legitimo ra-
p ara preta, que permanece no mesmo lugar,
ra da Cruz n 26.
Portanlo qualquer outro rap que se incul-
que debaixo dcsta denominacao he urna falsi -
ficaco dos productos da fabrica do Mcuron $f
C. inventores, e nicos proprietarios das fa-
bricas do rap ara preta, tanto na Bahia no
Bio de Janeiro e Maranho, como em Pernam
buco e rogo aos Srs compradores de a cau-
lellarem-se contra as fraudes, sendo as maioies
no rap, que se vende a retalho. (21)
Prevenido contra os Falsificadores.
Estevao Gasse, sabendo que em algumas lo-
jas e vendas desla cidade se vende um rap
feito oesta provincia com o titulo de princesa ,
e falca imitacilo de botes rtulos de sua fabrica,
previne ao publico seus fregue/es que a bem de
direito do propriedade sua, acressenta nos ver-
dadeiroi botes de sua fabrica um sollo com sua
firma e insinuacao do nico deposito do legiti-
mo rap princesa nesta provincia. A vista do
exposto, qualquer outro rap inculcado com a
denominadlo assima he falsilicacjio as fabricas
de EstevoGasso nico inventor e proprietario
do rap princesa (leito no Brasil), tanto no Rio
de Janeiro Rabia, e em deposito no Mara-
nho Para, assim como em Pernambuco na
ra da Cruz do Recie n 38. (16)
=a Deseja-se fallar para negocio de seus in-
teresses com os Srs. abaixo nomiados, Manoel
de Britoda Costa, Ignacio Mendos da Rocha ,
ntonioGoncalves Lima, Innocencio Correia
de Mello, Francisco Lopes Lima. Joao da Cos-
ta Velloso, Manoel da Costa Velloso, Juao Dias
da Fonseca, Joao de Souza Monteiro, JoSode
SouzaaeAraujo.Joao Correia da Silva, Felippe
de Moura Varejo, Ar.dr AI ves de Soaza, Joa-
quina) Jos dos Reis.JosFranciscodeSouza,An-
tonio Correia de Mello, AndrGomesdaCruz ,
Lourenc.oda Silva eAraujo, Alexandre Pereira de
Ylendonca,Manoel Viegasda Costa,Joao Jos de
Araujo,Francisco Pereira da Cunta, Francisco
Vntonio da Ressurreico, Jos Alberto Barbo/a,
Francisco da Silva Guimares, Manoel Soares
Pimentel, Jlo Francisco de Mello, Jos Pires
Magalhaes; os mencionados Srs. queiroannun-
ciar as suas moradas pois se deseja fallar com
.imita instancia
1=0 Sr. que por cassuada tirou do boleo de
urna sobre casaca urna carteira encarnada com
urna porgao da sedulas cuma lettra eobriga-
coes eordens e meis papis de importancia
que s servem a seu dono; cuja pessa ou rouho
foi feita publicamente no dia da festa Je Nossa
Sen hora da Penha logo que se ac bou oser-
mo, tenha a bondade de a levar a seu dono pois
so acha assignado na mesma carteira e boje
mora por detraz da ra do Crldeireiro ou entio
baja de entregar na loja do fa/endas de Joao
Antonio Martins Novaos, na ra do Queimado
n. 29, e se assim 0 fi/.er se guardar silencio e
seno vera seu nome por extenso publicado no
Diario pois bem so conhece pois mora no
hecco do Padre. (16)
ro
i O abaixo assignado faz saber a todos os para tender pao, sendo anda queira um prelo
Scnbores que mandan canoas buscar agua naa queja tem alguma pratica, procure na ruada
bicas do Monteiro, que do 1 deOutubro de Madre de Dos n. 22.
I84- em diante pagars, porcada canoa que > Aluga-se um negro para vender pao na
encherem, 480 rs. (5 ra, do que ja tem alguma pf tica ; quemo
Antonio Pereira de Miranda. pretender dirija se a ra da Madre de Dos
Precisa-sede um primeiro andar para ho- n. 22,
mem solteiro.quenSocoziuhaem casa;masbado Alugo-se o 1.andar da casa Ja ra da
ser as seguin tes ras de S. Antonio *do Crespo] Cruz, porcuna da botica de Antonio Mara
do Collegio, do Rozario larga ou estreta, pa- Marques Ferrejra; tr.it i be com Joaquim Gon-
tio do Carmo edo Paraizo ou ra do uei- salves Cascao, na ra da Cadeia do Recife
mado; quem t ver annuncie ou dirija sea n. \Q.
- Quem precisar d'u na mulher para ama
de casa de liomem solteiro ou de pouca familia,
na povoaco do Monteiro, com 4 drija-se i ruado Rangel n. 22.
quartos, cosin\ia (ora, com sua cacimba, quar-l 2 = A medicina popular americana e as
tos para negros, dous quintaos murados, com pululas vegetaes que a muitos annos, estSoem
[lorto e sabida para o rio, e .las estribaras ; uio em todos os pazei ios, lemse prova-
quem a pretender dirija se ;' travessa do Veras' do con o urna medicina inestimavel, sendo ir.'
(na Roa-vista) sobrado n. 15. (7 parada de proposito para clima quente, e com-
1 Oflerece-se um moco cstrangeiro para posta de ingredientes que nem requerem dieta
criado de qualquer casa particular dentro desta nem resguardo o pede ser administrada a cri-
praca, ou mes no para fra, o d conhecimento '. am a mais tenra.
ra larga do Rozario n. -1\.
1 Aluga-se, para passara festa, urna casa
terria sita
sua conducta ; quem de seu prestimo se qui
zer utilisar, dirija-se a ra Direita n. M. (5
1 Na ra das Aguas-verdes n. 42 fazeo
se bons ornamentos do igreja por preco muito
commodo. Vendse tambeni o Commentario
dos Kvangellios de S Joao, por Silverio, em
latiin, por preco commodo. B
1 Francisco Eduardo Alvos Vianna, mu
Cada caixinha leva 0 sen reeeituario, rusta
IjOOO risa medicina pupuiare americana de
:10 pululas, e S00 i sas pululas vegetaes do .' r,
Brandrcth ^c-1'.') pululas,
\\i-.a-se ao publico que a medicina populai
ainda nao appareceo falsificada e para maioc
seguranca das verdaderas pululas vegetaes ,
vende-se de bojeem diaolecada caixinha em-
dou a sua residencia da ra d'Apollo n.9, para] brulhada no seo receitu rio fe.rliado com a firma
a ra da Senzalla-velha n. 110 (.">
1 OIerece se um rapa/. Brasileiro de 16
annos para caixeiro de ra ou de escriptorio, o
qual escreve solTrivel ; quem quizer dirija-se a
ra da Cru/ n. 35. (4
1 OTercce-se um liomem para criado de ca
sa, ou para ajudar a cosinhar, ou para feitor do
CARROS DE
ALUGUE/..
1 Fredcrico Hansen abri um estabeleci-
mento de carros e cavallos de aluguel na ra do
Passeio Publico n. 15, as possoas que precisa-
ren! podero dirigir-so fabrica de chapeos
da ra do Collegio n 3, onde achant com
quem tratar: promette-se muito asseio e
promptido. (10
1 Aluga-se urna casa para assougue sita
no becodo Padre, com grades, tarimba, pesos
lodos os mais pertonces do mesmo,como la ni
Jnior: na companhia do dito escravo foi o: bem so vendem os mesmos peiiences: trata-se
reto Antonio crioulo do aranh.o, de 25 an-; na Praca da Independencia n 28. (5
nos de idade, estatura relugar, pouca barba 1 Precis-se alugar urna boa preta qui-
beicos abortos, que moslra os denles claros, i tandeira para vender na ra, quem tiver an-
levou carniza de baeta ja velha calsa de brim nuncio. (2
alcatro do gargalheira ao pescoco, que he de i Roga-se pessoa que na Passagem da
Mjppor a ten.iu kirado. com ludo mostra osig- Magdalena, casa n. 27. que folla para o Ca-
Pr trazido ; quem os peg r leve a ma jo-oro, aehou una cadeira de palhmha na nou- andar
, |..',, ;i7 lar.que tede 13 do corrente, que por esquecimento j Quempre
foujy wm )l, (3 nao au wcolheo, quereadorsliluil-a, umja-se cauciro u aigut
d
sitio ou de engenbo, quem de seu prestimo s
quizer utilisar dirija-se ra estreita do Rosa-
rio, venda n. 8. (5
O'Pnenle Coronel Ignacio Antonio di-
Barros Falcocomprou, por contado Rev. Co
neg Joao Rodrigues de Araujo, os bilhetes in-
teiros do ni. 475 e 486, este da 2.* parte da 2.a
lotera de S. Pedro Marlyr da cidade d'<'linda,
e aquello da 1.* parte da 16.a lotera do thoa
tro publico da cidade do Recile.
Roga-so ao Sr. Manoel Alves gera o
obsequio de entregar, ou mandar a carta de fl-
anea que S. S. tem do sobrado o loja da ra di-
reita, visto o ler aiugado, do fiador que quer
desonerar-se da fianca ; assim espera
U affiantado.
Precisa-se de 200,000 rs. a premio, so-
bre hypotheca em urna inei'agua ; quem quizer
dar annnuncie.
O Sr. R. S. A. S que comprou uns li
vros, ha bastante tempo, e nao os pagouat o
presente, tei.ha a bondade de o la/er antes de
retirar-separa Fernando, pois do contrario ser
publicado seu nome por extenso.
Manoel de Sousa Guimares comprou,
por conla do Sr. Antonio Joa Pinhero, mora-
dor nos Barrciros, um meio bilbele n. 2305 da
2.* parte da 2.* lotera da matriz de S. Pedro
Martyr deOlinda.
Precisa se do duas mulheres Portugue-
zas, j de mais de meia idade, para serem amas
no mato, distante desta praca 20 a 26 leguas e
ao menos una que saiba ler, escrever e contar,
para ensinar duas meninas da mesma casa;
quem estiver nestas circuiiistanciasdirij.i-se a
ra da Praia, a fallar com Manoel de Sousa
Guimares.
O Escrivo da irmandade do SS. Sacra-
mento da freguezia deS. Jos avisa aos irmos
mesarios da mesma, que ha mesa domingo (15
do corrente mez). s 9 horas da manbia.
1 \lanoel Jos do Magalhacs Bastos partici-
pa ao respeilavel publico, que liontem (13 do
corrente) se Ihe desencam nhou urna letra com
dacta do i do corrente, a quatro metes pi ci-
sos, passada ordem do mesmo Bastos, aceita
por o Sr. Jos Rodrigues d'Oliveira Lima, in-
docada pelo Sr. Ignacio Nery da Fonreea ; a
pessoa que a tiver adiado, querendo restituil-a,
sera generosamente recompensado : ao mesmo
tempo pede tanto ao aceitante como indotante
que se Ihe for apn sentada, nao a pague, pois
nao tem = pague se= pessoa alguma. (12
O abaix'i assignado faz publico, que nn-
guem faca negocio nlgum com Maria dos Pra-
zeres deSiqueira sobre uns escravos, pois nao
houvo inventario nem partilhas de sua mi Ir
sula Maria dos Santos.
Innocencio Ferreira de Stqtttira
1 OlTerece-se um caixeiro portuguez para
loja de fa/endas ou ineudez. s, do que tem bas-
tante pratica, ou para cobrancas ; quem preci-
sar dirija-se a iu<> do lo/ario larga n. -10, 1."
miar (6
t de um liomem capaz para
dos nicos agentes para o Brasil uo Rio Janeiro.
\ ende-se nesta pra< o em casa do nico agen-
te Joao Keller ra da Cru/ u. 18, G para maior
commodidade dos compradores na ra da Ca-
deia em casa da \ 'uva Card iso Ayres, ra No-
va Guerra Silva e Companhia, Atierro da Boa-
vista, Salle; e Chaves. 24
:t (I Reverendo I)r. Antonio de Andrada Lu-
na mudou a sua residencia e escriptorio de
advogacia para o primeiro andar do sobrado da
ra do Collegio n. 1S. (4
8O agrimensor, abaixo assignado, oflerece
os seus servieos s pessoas que tiverem proprie-
dades demarcar e afiance a mais escrupulo-
sa exactidao c o maior zelo no (iesenipenbo da
sua arte ; devendo todos os que do seu prest -
mo se quizerem ulilsar,dirigirem-se (porcarta)
ao mesmo abaixo assignado, na Rua-direita
sobrado n !21 Joaquim da l'onnca Soa-
res de Fiyueietlo (9)
9 M.c-Callum i Companhia respeitosameu-
te aviso aos senbores de engenbo e ao pu-
blico em geral que na nova ra do Itrum, que
passa p.r (letra/. d<> Arsenal de Marinha teem
estabelecido una ferrara ( sendo a ultima do
lado do poente da mesma ra) onde lazem
cavilboes, atracadores, parafuzog de apellar e
outras ferragens para-engenho, eixos trilhos o
outras ferragens para cairos parauzos e pur-
eas de todos os tamanhos ferragens para na-
vios, varandas, portaes, carros de mfio e toda-
as mais obras de ferreiro; e como os seus appas
reinos recen temen te chegados de Inglaterra sao
seus freguezes tanto na qualidade da mao
d'obra como no precoe promptido. (6
2 Joo Joaquim Comes, Africano, segu
viagem para Angola. (2
=rNo pateo do Hospital loja do sobrado n.
18, precisa so do urna preta escrava, [tara an-
dar com una m ilher loria vondendo fa/endas ,
paga se bem ; quem tner pode dirigir-se ou
annunciara sua morada.
LOTERA \)\L s. PEDKO
MARTYR DA CIDADE
DE OLINDA
Em consequencia da grande influencia das
eleit'Oes nao pode ter lugar o andameuto das
rodas no dia 12 do crente coniope tinha an-
nunciado porm ter agoia inlalivelmente no
dia 10 de Outubro prox..... vindouro ou an-
tes se venderem se bem o resto dos bilhetes que
faltao: por assiru ter determinado o Exm. Sr.
Presidente da provincia os bilhetes existen)
venda no Recile lojas de cambio dos Srs. Vieira,
Manoel Gomes; Santo Antonio ra do Cabug
lojas defazendas dos Srs. Pereira & Guedes ,
botica do Sr. Joao Vioreira Boa-vista I ja de
ourve s do Sr. Jacintn, e em Olinda, nos qua-
tro cantos loja do Sr. Domingos : ra de S.
Bento sobrado n. 12. (19)
2Joao Jos de Almeida- cidadao Brasileiro,
retira-se para o Cear levando em sua com-
panbia Cosme Jos Ribelro Joao Francico ,
JoSoTetxeira e dous escravos Aotonio e Joa-
quim. (5
2Perante o Sr. Dr. Juil do civel da 2.' va-
ra se ha de arrematar no dia 18 d correse por
ser a ultima praca, uma casa terria no largo da
Ribeira do bairro de Santo Antonio n. 1 ,
ava liada em 1:2008000 como costa does-
crpto em pudn .1 porteiro ; quem a preten-
der comparece no dito dia as 4 horas da larde.
uixuuia. casa iogieza ou nicsiuoparaj na ra do 5"1 fuiz
i)


.\ .*!>
i O abaixo assignado ropa a quem quer que
ei, em cuja mu pare urna carta vinda tle Ll-
varpoo' peia jalera Columbus^u por alguem
lbe haver entregado ou por havel-a tirado do
eorreio que Ihe a restitua fin toa rasa na na
Nova, loja de linos n. 34, anda mesmo quan-
do ja se aehe aborta ; sendo que por tal favor
muito agradecidolhe ficara o abaixo assfgnado,
Bex Deshayes.
O 8r Manuel Jos de Olivelra dirja-sea
roa de Hortas n. 68 para receber urna carta
viuda do Porto ; na mesma casa so vende Dina
cosa com boni terreno sila na matriz da Var-
zea.
1 O armasem de deposito de viveros na ra
da Praia becco do Carioca n. I, por balso do
sociedade Pliilo-Thalia. que pertencia a Valen-
tn) Jos Crrela desde odia II do correte ,
tica pertenceodo ao seu ex socio Manoel Joaquim
Rodrigues de cujo contrato se passou papal d<
venda c duas letlras a 3 e 6 niezos. 7
1 No dia 18 do corrento so ha de arrema-
tar orn iraca publica na porta da casa do Sr.
I)r. Nabuco Juiz do Civel da segunda vara ,
u na morada de casa de sobrado do 3 andares
na roa Direila o 7 escravos, tudo porexecu-
cao da viuva c filhos de Antonio da Cunta Soa-
res Guimaraes contra a viuva e Ribos de Lui/
Eloy DurSo. 8
1 Km lins do mez do Jullio prximo passa-
do rugi do poder de RodolphoJoo Barata de
Almeida quein o tem arrematado, urn Afri-
cano de nomo Aurelio, com os signaos segun-
tes ; estatura regular, cheiodocorpo cor prc
ta pouca barba cara gorda com urna mar-
ca do logo ou tonda do lado direilo abaixo da
fone ps grandes e um delles um pouco en-
Chado de erysipela denlos alvos, (alia bucal
e um pouco arrestada ; consta que tem andado
pelo Forte-do-Mattos; qucm o pegar, leve a ca-
sa do dito. Barata, na ra da Cadeia do burro
de S. Antonio n. 16, que ser gratificado. (l.">
A. Pilaux relojoeiro Irancez chegado
ltimamente a estacidade faz reloglos de tor-
ro, i-de quadros com msica reguladores pa-
ra sala c se obriga por qualquer irregularida-
do durante um anno ; o tambem concerta todos
os instrumentos de maihematica p msica do
todas as qualidades tudo com muita prompti-
dfio e commodo proco ; no Atierro da Boa-vis-
ta n 3.
1 Madama Lavessire, modista francesa ,
faz sciente ao respeitavel publico, que t.m mu-
dado a sua residencia da ra estreila do Rosario
para o Atierro da Roa-vista n. 3, primeiro an-
dar onde se propSe a fazer toda a qualidade
de minias com luda a promptido posslvel ; a
mesma madama aluga melada de sua casa a al-
guma familia. 8
1 .Manoel Jos.' de Maga!liaos Baslo embar-
ca para o Rio do Janeiro o seu mualo de no-
me Uanoel (3
Aluga se urna armasam no becco do Porto
das Canoas, proprio para casa de pasto, ou
outro qualquer eslabolecimento; na ra da Cru*
n. 0,'primeiro andar.
Antonio Lopes Pendra de Carvavalbo des-
pidio-seda casa do Sr. Luiz Jos Paudra desde
o dia 13 do correlo. 7
Quem precisar de urna rapaz BrasNefro de
16 annos para caixoiro de cobra ocas ou do es-
criptorio, nnnuncie
Aluga-se Diqa pela para todo o servico de
urna casa ; quem a pretender, dirija-s a ra
do Mundo-novo n. 1".
Precisa-se de um menino, que queira
aprender acharuteiro, ou fazer calas para clia*)
peos ; na ruado l.i.ramento n 14.
Pede-se ao Sr. J. A. S. V. bajadepagai
a divida na fallecida Luiza Mara da Conceicio,
se nao se tar ver ao publico as suas boas obias.
iAluga-se o segundo andar da casa n. 7
da ra do Qaeimarjo; a tralar na ra do
Cttspo luja i. \ ou na loja do mesmo so-
-ferado. (4
2 Boga se a Senhora I). Tiieresa do Jess
Antunes Torres, de apparecer, ou dar solu-
cao oestes 8 dias do negocio que tem na ra
Nova loja n. ii. faz-seeste annuncio por ter-
se ido varias vezus na sua casa sein so poder
fallar com a dila senhora. (6
2 Pede-se por muito favor ao Sr. Raimun-
do Candido dos Passos, Furriel do Corpo de Po-
lica que va a ra Nova loja de alfaiate
n. 'i i Alug8o-se o primeiroe segundo andares
da casa n. 142, da ra da Senzalla-velha ,
rectificada de novo ; os pretendentes, dirij&o-se
a ra da Cadeia do Recite loja do chapeos
n. 58. (;>
"2 Aluga-se o terceiro andar do faqueiro na
ra do Amorim ; a tratar na ra do Queimado,
loja n. 9. (3
2 Aluga-se um, ou mais andares do sobra-
do n. 16, no Trapuhc-novo ; a laliar no se-
gundo andar do mesmo sobrado. (3
2 Continua-so a fazer eaixas para chapeos
do todas as qualidades para homem assiin co-
mo para lojas francesas, por menos prego do
que em oulra qualquer parte ; na praca da
Roa-vista, loja de chapeos; na mesma loja
precisa-sc dedous meninos para aprenderem o
olhcio. (7
2Na ra da Florentina no quintal aon-
de houve o cirto Olmpico de Bernab alu-
gao-se ptimos cavallos para passeioa.
2 Joaquim Jo> Ferreir en.barca para o
Rio de Janeiro o seu escravo crioulo, donme
Anastacm. (3
2 Precisa-se de um huinem para citor do
-ampo em um engonhi porto da praca ; na
-ua Dlratta n. i'. (3
2 Arcenio Fortnalo da Silva precisa pa-
ra a sua capatazia externa de alguns serventes
at ll do N.ivembro oque participa aquellas
pessoas, que Ihe tem fallado para admitir ser-
votes que os nao manda avisar por se nao
I nbrar quem sejiio. (fl
2 Aluga se um solao com muito bons
commodot para urna pequea familia d-se
oais em conta a lignina senhora viuva de boa
conducta; a trstar na ra das Cruies loja de
pintor e vidracelro. (5
2 Aluga-se um negro para traba Ihar no
servico do campo ; quem o pretender, dirija-se
ao sitio que Tica na travessa do finado Monteiro
n. 9. (4
2 Na ra do Rsgalo. 31, escreve-se toda
a qualidade do papel judicial, pertencente a
aitorio e mesmo outra qualquer escriptura-
gao com muito boa lottra brevidade e por
prego commodo. (5
2 Bota-so em qualquer obra ou atterro ,
canoas de arpa por proco cornrnodo ; quem
pretender dirija-se a ruado Bangel n. 34. (3
2Con(inua-se a correr folhas, tirar pas-
18portes para dentro o Tora do Imperio e des-
pachar escravos, tudo por proco mais com-
modo posslvel ; na ra do Rangel n. 34. (4
2 D-sedinheiro a premio sobre penhores
deouro, ou prata em pequeas quantias;
na ra da Florentina n. 2. |
LOTERA DotiUADELUPE.
Os bilhetes da pequea e mui acreditada lo-
tera do Guadelupo que mui prximamente
deve correr, achao-se a venda as lojas de cam-
bio da ruada Cadeia do Becife, dos Srs. Vieira,
eCunha; na do miudosasda praca da Indepen-
dencia, do Sr. Fortunato Poroira da Fonseca
Bastos ; na botica do Sr. Moreira Marques, ao
p da matriz; na Boa-vista, bolica do Sr. Igna-
cio Jos de Couto ; e nos Quatro-cantos em
Diinda loja do Snr. Domingos Jos Alves da
Silva. (12
i O abaixo assignado, engenheiro civil,
acha-sc no seu escriptorio desde a 9 horasda
manha ale 3 da larde, no largo do Corpo San-
io n. 4, primeiro andar.Alfredo deMornay.
novo; um bote de forma engragada, com seus Monteiro confronte ao sitio do fallecido Joao
remos igualmente em bom estado e pintado do I Rodrigues de Miranda. ^
novo; ambos estes vasos pestencerao a um navio 1Vendom-se 311 pipas do ago'ardente de 20
inglez ; para ver e tratar, dirijao-se a casa do graos a 40# rs. ; na ra das Larangeiras casa
pasto francesa do becco da Llngota n. 2. [1 de Claudio Dubeux. (3
2Vende-se um illucidario das palavras ; c 1 Vendem-se os seguintes livros ; a vida
um diccionario inglaz ; na praga da Indepen- de S. Agoslinho, o diccionario ingle/., dos gran-
dencia ns. 0 e 8. (3 des, por Vieira e as cartas goographicas em
4Vende-so excellente farinba de trigo da formato grande ; no Atterro da Boa-vista lo-
marca SSSF, prximamente chegada de Tries- ja de miudezas n 54. rj
te; no armasem de Jos Bodrigues Poroira # IVcndem-se 7 escravos, sendo duas pretas
Companhia no Becife, ra da Cadeia na es- de 18 annos, engommao, cosem e cosinhao bem;
quina do boceo do Capim. (5 \ um moleque de 1S annos oflicial do seleiro ;
2Vendem-se bules ecafotoiras grandes de 3 pretas de bonitas figuras do 20 annos, boas
metal de difieren tes gusto. e chegados de pro- quilandeiras; urna negrinha do 10 annos, pr-
ximo ; na ra Nova, loja de ferragens n. 41 ( prK> para mucama ; na ra Velha n. 111. fl
2Vende-se muito boa e nova carne de por- i--Vendo-sc urna bomba do cobre por pre-
co.da America do Norte, a ICO rs. a libra, opli- go commodo ; na ra da Calca -alia n. 12 ao
ma para.feijuadas na venda da esquina da p de S. Js. (3
ruado Aragao n. 43. (4 1 Ver. dem-so 3 escravos do neciot entre
2Vende-se urna porcSo de telhas mui bem elles um bom offlcial de Ferrol, de '22 annos;
cosidas e do bom barro e outra porcao do ti- I urna escrava do 22 annos, cose engoroma e co-
llos quadrados ; na ra da Florentina n. 16 ; sinha ; duas dith s lavadeiras e quitandeiras
na mesma casa precisa-se de dous rapazes para
aprenderem a oleiro, e nella icarem trabalhan-
do a jornal. (6
2 Vendem-se meias barricas vasias para
assucar, em grandes e pequeas porcoes, por
prepo commodo ; na ra da Moeda armasem
n. il. (4
Compras
2 Compra-se urna rotula para janolla e
oulra para porta quo anda esteja em bom
uso ; na praca da Boa-vista loja n. 26. (3
2 Compra-se papel de embrulho de todas
as qualidades; na ra largado Rozario n. 15;
na mesma casa faz sciente a todas as pessoas,
que liverem penhores deouro os vo tirar no
praso de 8 dias. do contrario sero vendidos. [6
1 Comprao-se elfectivamente para fra da
provincia mulatas negras, e moleques de 12 a
20 annos pagao-so bem ; na ra Nova loja
de lerragens n. 16. 14
Compra-se urna, preta de bonita figura,
que engommeecosinhe bem ; na ra do Cres-
po loja n. 9.
Comprao-se 3 saccadas de pedra de 9 pal-
mos cada urna ,- urna dita suplmento de 2 pal-
mos e meio reforjados ; um dita de dous pal-
mos ; na ra do Vigario n. 23, segundo andar.
Comprao-se eircctivarnente para fra da
provincia mulatinhas amulas, e mais osen
vos de 13 a 20 annos, pagao-se bem sende
bonitos ; na ra larga do Bozario n. 3 pri-
meiro andar.
2Vende-se sal do Ass a bordo do bri-
gue Sagitario ou a tratar na ra da Moeda ,
armasem n. II. (3
2 Vende-se urna porcSo de barricas de cal
virgem muito nova ; no trapiche da Alfan-
dega-velha a fallar com Henrique Maria Perei-
ra Guimares. (4
2Vende-se familia de mandioca muito boa
e barata em saccas do um alqueire cada urna;
nos armazensde Antonio Annes e Dias Fer-
reira no caes da Alfandega. (4
Vende-se a venda da esquina da ra Im-
perial n. 2, com os fundos que quizerem, ou s
a armacao ; um braco de balanza grande com
conchas e.*orrentes de ferro e os pesos que
precisarem ; urna porcao de eaixas vasias do
Porlo, tudo muito barato ; a tratar com Joa-
quim Pinheiro Jacome na mesma venda.
Vendas
8Vende-se um porlao du ferro do modelo
do enuradamento do Sr. Luiz Gomes; na fabri-
ca da Man> el Carnoiro Leal na ra Nova. (3
4Vende-se excellente farinba para bolaxa ,
e para fabrica de chapeleiro, a 7, 8, 9 e 13/ rs.
a barrica ; na ra larga do Bozario n. 18. (3
3 \ende-scuma negra de nacao, de 30
anuos bonita figura engomma com perfei-
cSo lava cosinha o he boceteira; na ra No-
va n. 65, primeiro andar. 4
3 Vende-se excellente bolaxa a 8 10 e 12
patacos a arroba, sendo a pi uncir muito com-
moda para casa de familia na ra larga do
Bosarlo n. 1S. (4
3Vendem-se meias barricas com farinba
superior, por prego commodo; na ra larga
do Rosario n. 18. (3
3 Vende-se laJriiho de marmore da mar-
ca grande a 240 rs. ; na ra do Vigario n. 19. 2
3 Vende-se um cavallo para car roca por
preco commodo'; na ra da Aurora, cocheira
n. 2. (|
3Vende-se um burro de Horacio ao p da
lettra ; na ra do Sol n. 23, primeiro andar, ao
poda venda de garapa.
3Vende-se um grande sitio na estrada de
S. Amaro para Bellem passando a ponte do
lado direilo, primeiro porlao denominado
silio do Mirante com casa para duas familias,
bastante Ierra para plantar, ou ter 10 a 12 vac-
i as do leilo lodo o anno com bastantes arvo-
redos de fruto de varias qualidades, e com 3
viveiros ; a tratar no mesmo sitio ou no Reci-
' 111 Luiz Antonio Barbosa dolirito. (9
4Vende-se um negra de nagao de 20 an-
uos ,i:(oui habilidades, ou troca-se por um
ivo, que tenha alguoi olllcio; na ra das
Trini boiras n. 19. (4
l=Vende-se farinba de mandioca de supe-
rior qualidade, ebegada ltimamente de Grve-
las, e S. Malheos, e por preco mais commodo
do que qualquer outra pessoa vende, por se
querer concluir com esse negocio ; no tanque
d'agoa que foi do defunto Joaquim Jos da Cos
la Oliveira, junto ao tbeatro velho. (7)
Vende-se um methodo para flauta enca-
dernado de novo com nimias msicas, por
prego commodo ; na ra do Crespo, loja n. 12.
Vende-se na ra Direita sobrado de urh
andar n. 33, ao p de dous do varandas doura-
das vende-se doces de caj muito bom do
figo goiaba pitanga e do outras muitas qua-
lidades e tambem se fazem bolinhos e biscou-
tinhos de patente.
Vende-se um batelo que pega em 5 a 6
pessoas com vellas, 3 remos e todos os
mais pertences do mesmo ; na ra da Floren-
tina n. 8.
Vende-se urna porcSo de travs de louro
c de outras madeiras com diversos tamaitos
e coinprimentos ; urna porcao de aduelas de
parahiba e amarello para barricas tudo por
pre?o commodo ; nosAfogadosem casa de Tho-
m Pereira Lagos.
Vende-se um propriedadede Ierras na fre-
guesia da Muribeca no lugar denominado
Barbalho, a qual flea no centro dos engenhos
Novo, Salgadinho Pinandubae S. Salvador;
a tratar no mesmo lugar do Barbalho com Jos
Gomes Velloso.
Vendem-se ricos cortes de laa e seda pa-
droes modernos a 8500, 9/e9o00 rs., chapeos
prttos de massa francesa, formas modernas a
7/ rs. riscados oscuros de algodao proprios
para roupa de escravos a 160 rs. veludo preto
liso com algum mofo a \/{ rs. mantas de to-
quim preto e amarello a HiOO rs. fustdes do
cores para col lele a 320 e 360 rs. redes do Ma-
ranho a 7 e 8# rs. chales de cassa com qua-
dros de cores a 440 rs.
todos se dao a convenl na rt,a Direila n. 3.
1Vende-se um ^ardo bom pagem e offlcial
de alfaiate, ptimo pt'raservir a urna mesa do
grande familia, por esta r a '-$Sf applicado, mo-
fo osem vicios e declara -se (lue nunca fugio ;
najruado Queimado, casa de Jos Joaquim de
Novaos, na esquina do largo JoCollegio. 6
I Vendem-se cortes de seo8 escocesa para
vestido letim lavrado branco ei.'e cores, man-
tas escocesas para senhora, ditas dh seda boida-
das do matiz ditas de laa capellas n11" finas,
ramos de fiordo laranja luvas de pe'ica com
guarnicao, ditas curias ditas do cre.s Para
homem e senhora ; calcado do duraquo do Lis-
boa para senhora dito francei para senhoi a e
meninas botina de bezerro para homem, e 00 "
tras muitas fazendas chegadas ltimamente do
Franca; na ra Nova, loja francesa n. 6, de
J. F. Mamede de Almeida. 12
Vende-se urna casa de sobrado, na ra (do
Aragao ou troca-se por urna casa terrea no
bairroda Boa-vista; na ra da Gloria, casajun
to a fabricado fallecido Gervasio Pires Ferreira"
Vendem-se4 escravas com boas habilidades'
urna dolas he boa engommadeira o cosinheira;
duas ditas de 18 a 20 annos ptimas para se-
rem educadas ; urna dita boa quitandeira ; 4
escravos para o servifo de campo; um dito bom
canoeiro ; um dito bom offlcial de alfaiate de
roupa de padre ; um pardo de 30 annos. bom
bolieiro e criado de um casa ; um mulatinho de
16 annos de muito boa figura para pagem; um
moleque de 12 annos ; na ra larga do Bozario
n. 48.
Vende-se arroz vermelho a 7500 rs. o al-
queire da medida velha; na praca da Boa-vista
n. 13/
Vende-se, ou troca-se urna canoa de car-
ga de 600 lijlos, por telhas, ou tijolos de ai-
venara grossa ; na ruada Palma, primeira ca-
sa do lado esquerdo.
iVende-se constantemente aseite de coco
ern grandes e pequeas poigoesa 1920 a caada
da medida velha ; na ra Nova de S. Amaro ,
casa nova de dous andares e sotu n. 6. (4
1 Vende-se urna preta da Cosa propria
para o campo ; urna dita de Angola ,*boa ven-
dedeira de fasendas ; um bom cavallo, por pre-
go commodo ; na ra Nova de S. Amaro casa
de dous andares n. 6. (5
Escravos fgidas
No da 7 de Julho fugio da casada Mano-
el Joaquim Pascoal Ramos, a sua escrava de
nome Theodora de 40 anuos, alta, secca, ros-
to compndo o descarnado ; he muito lalladeira,
gostadese embriagar, j andou rendando miu-
di'sas pi lo mallo foi cria da casa de Joo Mar-
ques Riicalho : quem apegar, leve a ra lar-
ga do Roiario n. 4S, que ser bem iecompen-
sado.
1 Fugio um preto de nome Joaquim Ma-
ranho do 30 annos, estatura icgular cbeio
do corpo com algiimas marcas do beclngas
pelo rosto falla muito de vagar ; qucm o pe-
cortes de cambraia i gur, leve a ra do Vigario n. 3, que ser grati-
adamacadas de padrees modernos a 5/ 1 5500 ficado. 'Q
rs. ditas lisas a 2#rs e outras muitas fa-1 !_'Fugio cm Julho p. p. o preto Manoel',
zondas por preco barato; na ra do Queimado do nacao Angola alto, magro, pornas finas ,
n. 29 casa amarella loja de Novaes.
Vende-se urna ptima escrava de 16 an-
nos cosinha bem faz todo o servico de urna
casa he recolhida o nao tem vicios; ua ra da
Praia becco do Carioca armasem de vveres,
por baixo da sociedade Philo-Thalia.
1Vendem-se 5 torneiras de metal, proprias
para qualquer liquido ; dous toneis de duas
pipas e meia cada um um foi de a.eile de car-
rapa to e o outro de ago'ardente ; no paleo do
3 Hospital, venda n. 14. ',.
1Vendem-se moinhos de ferro para moer
caf, superiores vinhos engarrafados de Madci-
ra-secca Malvasia e Bucellas de 183'2 por
prego commodo; as obras completas do Vol-
taire em 7 volumes em quarto nova edigao
com estampas, e encadernada, pelo baixo pre-
go de '. 5' is. cada obra; as obras completas
de Cames em 3 volumes ultima edigao por
6400 rs. cada obra ; na ra da Cadeia do Reci-
te n 37, primeiro andar. (10
1 Vende-se, ou aluga-se por prego com-
modo para se pascar a festa um sitio com casa
de laipa ; com commodos para familia (em
3Vende-se urna lancha quasi nova e em j varias fruteiras c ha porto do banho ; a tratar
bom estado com todas as vellas, e pintada de I no mesmo sitio; que fica entre a Casa-forto e
con urna cicatriz do urna ferida em urna dellas
o outra no pescogo do um talho ma/cas do
bechigas apagadas no rosto, com offieio de car-
n(cairo ; quem o pegar, levo a ra do Sebo n.
18 que ser recompensado. (7
Boga-seas autoridades policiaes ecapitaes
de campo a apprehencSo do um moleque de
nome Eduardo de 11 annos bonito e gordo,
muito esperto e Tafia bem-, tem sobre o peilo
direilo mrcalo um P levou camisa do
algodaozinho, de mangas curtas, e caigas bran-
cas, tudo novo, e um taboleiro pequeo do
pao pintado de verde; foi visto na ponto do Be-
cife, levado por um homem de jaqueta jul-
ga-so ter sido urlado;loi visto no dia 12 docor-
rontejquem o pegar, leve ai Aterro da Boa-vista
n. <5 quo ser bem re-compensado
2Fugio na noulo do dia .1 do correte, urna
preta de nomo Mquilina, denacSo Cabinda, mus
parece crioula em rasfio de ter viudo pequea
de sua torra tem urna marca de leuda junto
ao torno/elo tem pelos paitos o bracos muitas
marcas de custicos ; quem a pegar, leve a ra
da (lona o. ;>.'>, que ser recompensado. (7
RaciFH aTtp. 01 U I na.1844,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1192NYXW_WIBZ6Z INGEST_TIME 2013-04-26T21:33:35Z PACKAGE AA00011611_08155
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES