Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08146


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de l?<.
Quinta Feira
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
Guiar) KJ .ihyl.. jRundMi mxIm feirM. Rio Grande do Norte, cbega 8 2:> pr
lr '' -r Cabo, .Serinbaem ilio Formaso, Macer, PortoCalro, Alagoae: no i.'
i >'' roei.Gartnliun e lionilo a l e -'i de cada mei Boa-finta Flot
r> '. i:i dilo. Cidade da Victoria quima* feiras. Olioda todea oa dia
DAS da semana.
2 .' a. EataaOO. And. i!u J. de I), da 2, t.
Terca a. Eofemia Ral, aud. doJ. dt I).da 3. T.
Qua.-ie s. Rota, Aud do J. de D. da 3. .
QlUBIa a Aiitonino. Aud do J del) da 2. r
Saile Libaaia, And do J del) d2. t.
SaJ loto. Ral. aud do.) de !> da l.r
" i:,'":- .:
Natmdadeda Noaea Scnhora.
de Setcmhro Auno XX. N. 1^8.
iJaUawaaiMi.Li.aMi1 '-"
aajfji aja aBjaaajajBajBjaajajail -s
urfo e-ora d>p-:; B uetaoa; da nona prudencia. udaraj<
til i.-in..,
cultai
como piinoijiiamoa a eiem apooladoi eom admuajo otra aa *,
(Proclame; j da \Memhlea Gerel do iratil.)
a energa: e;n-
t> aacda ai-
civaiot
mbioe e#c*re LeeteVee U a i| nom:
" u Paria Zb'. rea por franco
g Liaboa 410 por 100 dtprto
Mo.-da ce cobro ao par.
Ideu ce letraa Je liuaa firr.ae i oatop
Dli DI SKTPMero.
Oura-.Moeda de 6,400 V.
i. N.
.. a de 4,001
PrattPatacSai
u Peao* poluinmaarri
Ditos iaewanua
ooaapra
17,960
17.0
s.aoo
4.9M)
i.OOO
l.WW
T*d
I7,e
I7,i*>>.
,00
i o n
MI
2.00(
THASFS da LA 30 iiez be setembro.
Lna o!iaiaa?fia 10 huras e 5( rain da m LuaBOYa a fj |() h. e .">? min da aran.
uir.Rua.ite a 1 as 7 harpa e J.' min di tarde I Crescmte a 19 aja 6 h a $? ra da taanh.
Prenmar de hoje.
.-r.\ ms.t. ,-,'faiTtTSxaM v
Primeira
' 10 r.oraaa 51 n"n da enaobria ['rgunda < 1 1 borra e 18 minutos da I
tf-^xznamrrxmmmmmamma/.MBs m n i aaaaawwaEBWaeaWaWaM5:: jtatsaai
DIARIO DE PERNAM
aSSS*aWaBaaaKBeaaMKamHa
.a
tmMi^^my^wz^jauaus^LitSirjkxiBt..

r iiaiiajii ajajn aiaiiiiii ni n
[\o clin 10 do onrrente
fina I isa o pra/o marcado
para o troco das cdulas
de8#, IO, c Obris, e
quem as nao trocar per
der 10 por cont cm ca-
da ni ez.
SBBHSBB*!
..-C? :,:L.
Coinmando das Armas.
EXPEDIENTE 1)0 DIA 12 1)0 PASSAPO.
OTcio Ao MajorCommandantedocorpo da
Guarda National destacado, exigindo a f d'offi
ci do soldado desertor Antonio Joaquim
de Santa Anna, que ia responder a concelho de
Guerra.
DitoAo Capilao Commandsnto da compa-
nhi de Artfices, enviando-Ihe o requorimentodo
ex-sold:>do Francisco de Carvalho Lessa.a fim de
examinar se tinha direito a ardamentos de que
nao fusse pago oranisando logo a conta eni
duplcala no caso de se llie dever.
dem do da 13.
OTicioAoCommandantedo balalbao segun-
dode Artilhara a po, a fim de enviar aoSubde-
legadoda freguezia da Boa-Vista urna rclacao
nominal das pracas, (uo estilo nascircumstancias
dosariigos 91 e 92 da constituido do impori-
al para votaren. naseleicSes primeries, se-
gundo requisilara o mesmo Subdelegado.
i\'o mismo f-enlido se olTiciou aos Com-
mandanles, docorpoda GuardaNacionaldesla-
cado odascompnhias de Cavallaria e Ar-
liices
dem do da 14
ficioAo Bxm. Presidente, Taiendo-lhe ver
neeessidade de rccolber aocorpo o pequeo
destacamento existente na Comarca do Bonito,
coiiimandado por um Cabo d'esquadra visto
que liio consljva que outro destacamento de
Guarda Nacional do lugar alli se chava au-
xiliando a polica.
DitoAo mesmo ExmSr enviando-lbeuma
requisiio lidade para os doentes do hospital regimental,
a fim de ser sutisfeita nao obstante estar su-
jeita decisio imperial a requisicaoda roupa,
utensis e instrumentos cirurgicos precisos no
mesmo hospital
DoAo mesmo Exiii.'t.sobro a diaria dos
calcetas existentes na fortaleza do Brum das
quaes anda nao tinliao sido abonados.
DitoAo Delegado da commaroa do Bnjo,
a cerca do troco das notas de subido valor.que o
Tenente Commamiaote do destacamento de Ar-
tilheria Icvou para pagamento da tropa.
DitoAoCbefede Polica, acensando a entre-
ga dos desertores Manocldos untos,.Manoel Braz
da Silva e Francisco Ignacio mencionados
noseu olTicio desta ata
DitoAo Delegado da cidadeda Victoria, res-
pondondo o seu ollicio de l'ideste mez, no
qual participava a absolviao do Alteres Caeta-
no Jos Mendos e Sargento Kelis Simoes de
raujo Torres convindo que bouvesse de de-
clarar o dia em que esta absolvicao leve lugar ,
a fim ile ser lancada em seus assentos.
DitoAo Subdelegadoda freguena da Boa Vis
ta.dizendo-lbe.queem cousequoncia da suare-
qusicio expedir ordena ao Commandante
do segundo hatalho de Arlilharia a p para
Ilio remetter com b evidade a rclaeSo nominal
das pravas que esto as circunstancias de votar
na< eleiiocs primarias.
DitoAo Tenente Coronel Commandanta
do bitdlbao de Artilharia communicando-
Ihe as providencias tpie havia tomado a cerca
do troco das notas, que o primero Tenente
Barboza levorj para pagamento do destacamen-
to do Brejo.
DitoAo Commandante do Deposito pa-
ra que fizesse constar ao Alferes Ignacio Pires
da Silva que o Exm. Sr. Presidente expedir
ordem para o abono da diaria que sollicita.
Tlfosouraria da Fazcnda.
EXPEDIENTE DO DIA 21 DO PASSADO.
DitoAo Exm. Presidente da provincis ,
informando sobre os oflicios do Commandante
das Armas em que pedio esclarec montos so-
bre as vantagens que competiao aos membros
da commssaonomeada para inspeccionara Ilha
aaaaaaaaaaajaeaii de Fernando do Noronha.
DitoAo mesmo Exm Sr. idem relativa a
tabella da avaliacao das etapes e forragens, fei-
ta por a Thesouraria para a tropa de primeira
linha no correle semestre.
DitoAo Administrador da Becebedorja de
Rendas remetiendo seis exemplaresda decla-
racao do Tribunal do Thesouro Publico de 30
de Julbo ultimo s circulares de 18 de Junho
de 1842 e 12 de Janeiro desle anno a res-
peito das justiiieacoes e habilitaces quo nao
erosujeitasao pagamento do imposto dos dous
por cenlo em substituico da dizima da Chan-
cellara para que Ihe desse execucao pela par-
te que Ihe tocava.
DitoAo Juiz de Orphaos da cidade do Re-
cita idem um.exemplar, para que se dignas
se publcalo, e dar-lhe execucao pela parto,
que Ihe tocava. Iguaes odicios lorao dirigidos
aosjuizes Municipaes e de orphaos do termo
de OlindaGoanna Santo Anto Cabo
Bio-P'orrnoso e Sernhaem-' BonitoFlores
Brejo e CimbresGaranhunsNazaretePao
do AlhoBoa-vistaIguaras; e ao Procura-
dor Fiscal da Thesouraria para seu conheci-
nv nto.
DitoAo Inspector da Alfandega partici-
pando ter ajustado com .\Iaximiano Gomes da
Costa mestre da harcaca Santa Clara que
se destinava para a provincia do Rio Grande do
Norto a condueco dos 45 barrs de plvora ,
que se achavao no deposito, vindos ultimamen
tes da Corte, na sumaca Perola com destino
para a dita provincia, pelo frete de 500 res
cada barril ; e quo cumpria de intelligencia
com o Inspector do Arsenal de Marinha, e o re
erdo mestre, dar as providencias para efleituar
embarque, o para ascommissSes da remessa.
DitoAo Administrador da Mesa do Consu-
lado uizendo em resposta do seu ollicio desta
dota ter ajustado a conduccao da plvora de
que trata o precedente ollicio.
PortaraAo Collector de Diversas Rendas
do municipio do Rio-Formoso recommen-
dando pozesse em execucao tudo quantoesta-
va dos hens de luntns e ausentes e do orphaos.
DEM DO DIA 22.
OlicoAo Exm. Presidente da provincia,
informando os requerimentos de Antonio Ma-
noel Estevo e Bernardino de Sena Argemiro
Soares, este Cirurgiao nomcado para a liba de
Fernando de Noronha. e aquelle Escrifio do
Almoxarifado, em que pediro o abono dos seus
vencimentos, adiantados como era pralica, e de
lempo mmemoriavcl, para se poderem trans-
portar, a que se oppoz o Commissario-Fiscal do
Ministerio da Guerra.
DitoAo mesmo Exm. Sr., idem de Jos
Pires Viai-na, em que pedio a S. M. o Impera-
dor urna pensao correspondente ao ordenado de
Guarda d'Allandega desta cidade, que vencia
no anno de 1834, em que foi despedido do ser-
vico, por nao ter sido contemplado na nova or-
ganisacao da dita repartico.
je se proceden, vem oedir a V. Exc. justase
acertadas providencias quo o caso pede e que
coartando o mal, e mesmo punindo o BXcesso t
despotismo com que so ha calcado os seu9 drei-
tos, se Ibes restitua o gozo destes, o a plena li-
berdade do voto, que o governo de V. Exc.
imparcial, e justo se tem proposto defender,
Exc. Sr se as eleices nao sao fados consum-
vado prncedimento. Assim entregue a eleico
vontade do Jtii/ de Paz, e a pessoas estranhm
aos dislricfos. contina o seu processo, e nao
pdem as abaixo assignados avahar, que de'a-
buzos, e fraudes se ten lio de mais commetti-
do. Os abaixo aasgnados, ni5o por desconhe-
cerem seus direilos, obedecerlo to arbitra-
ria e excessiva ordem do Delegado, mas sirn
mados nicamente, como alias s em pretender' cooctos, e tendo permite si una forca armada
esses espiritos vertiginosos, so quando feitas pe-
la forc,a, arbitrio, e pela fraude, como taes se
de 70 homons, que desdo as 2 horas da madru-
gada se tinbiio postado a porta do Matriz, to-
nao devem julgar, porque um acfo nullo ne-' dos embalados dirigidos pelo proprio Delega-
nhum efleito podo producir que valido soja,! do, que at percorna a igrejn, nao com dous
certo que nestes dous districtos nao bouve elei- soldados, mas com dous sequases queempu-
ces: a lei que as tem regulado, suas formulas' nhavao armas privadas, e a todos ameacavao
ainda as mais essenciaes. lorao prevertidas, e
menos prezadas, e finalmente s a vontade do
com seu aspecto feroz.
Por tanto, Exm. Sr.,
he visto, que nao
Jniz de Paz, sanecionada pelo poder da Polica pode proceder urna elcieao, cuja meza est il-
deu a norma a um acto de tanta magnitude. O legalmente organisada, e s constituida pela
Juiz de Paz nao alxou a lista geral dos votan- volonca, ecoaccao; urna eleicfio para a qual
tes, contra a expressa determnacao do artigo 5. V afluirao pessoas estranhas aos districtos respec-
da lei do 1." de Outubro de 1828, e s no dia tivos, sendo abandonada pelos verdadeiros in-
da eleicao, e quando j assentado na cabeca da teressados. por efleito de urna ordem, que con
mesa, appareceu com urna lista desurpreza.e armas selhesmpcz: urna eleicao emflm para
ignorada por todos e nunca publicada : a igreja a qual nao concorreo nom o dcimo da popula-
enchia-se de um lado de pessoas estranhas aos lacao, que a ella tinha direito. Se pois, ro-
districtos da eleicao, quede proposito, e por ef- mo se persuaden) os abaixo assignados, V.
feito de um plano concertado, forao convoca- Exa. nao consentir jamis, que o facto se
das para intervirem, e disputarem com os ver- converta cm direito, a fraude em meio licito, o
dadeiros districtanos o pleito da eleicao, que s se em summa V. Exa. se interessa pela tron-
a estes com^etia, e por mais que so requnresse quillidade publica, o toma a peito defender e
o cumprimento das ordens dessa Presidencia garantir os dircitos doscidadaos confiados os
para que fosse vedada a interferencia dseme- seus disvellos, esperao os abaixo assignados,
Ihantes pessoas, ellas continureo em seu pro- quo tao escandalosos abusos, e palpitantes in-
cedimento reprovado, e o Juizde Pazcomo que fraccoes de lei, sejo porV. Exa. severamen-
eosapoiava, surdo e indiferente a lodosos recia- le punidos, tomando urna medida que faca
mus. Chegada a occasio em quedevia o Juiz crer. que a lei he mais alguma couza, que a
de Paz proceder a nnmeacao da mesa, elle, quo vontade de um Juiz de Paz, e os caprichos do
se collocou nacapella-mr, separando-so do po- um Delegado de Polica. E: R: Mc: = (Se-
vo por urna grade, em cuja entrada se acliava, guem-se 438 assignaturas reconhecidas).
comode scntinclla, o proprio delegado da co- --------------------------
marca, equatro guardas armados, e embalados, Lula dot voltiles do dittricta de S. Pedro
que absolutamente vedavo o accesso de qual- Mrtir de UI inda para ai prxima elei-
(it ae Juiz de Pat t Vereadores.
Os Sen hores
"
PERNAMBUCO.
ENEICES.
llm. e Exm. Sr.= Os abaixo assignados
cidadaos habitantes do l.'e 2.distncto de paz
tiesta freguezia e cidado de Goanna, expondo
perunte V. Exc fiel e sinceramente os abu-
zse irregularidades que se dero as eleiroes
quer pessoa ; d'ahi sem concordar com o Pro-
Parocho, come o devfjra faier em face do artigo
l.o das instruccoes do l.o de Uezombrode 1828, Alexandre Lopes Ribeiro.
propAz para Secretarios e Escrutadores a quatro Alexandrin Cezar de Mello.
individuos, que logo lorao rejeitados pela mai- Ambrozio l.eilo da Cunba.
oria dos cidadaos presentes, e que atundamen- Brigadeiro Antonio Borges Leal.
te, e pelo espaco de 4 horas insistirao em altas Dr. Antonio Borges Leal Jnior.
vozes pela proposta do outros individuos, que Antonio Francisco do Barros Leite.
mefecessem s sus ccRianca, o COuiu funda- Capitao Antonio Ignacio Xavier.
ment de sua justa, e legal pretencao, requer- Dr. Antonio Jos Coelbo.
ao a execucao do aviso do 1. de Marco de Antonio Jos da Silva.
1833, para que pela maioria numrica se evi Corone! Antonio Jos V Borges da Fonseca.
denciasse a desaprovacao em que estavgo os ci- i Antonio Porlrio Leite.
dadaos propostos. Mas, Exm. Sr. quando os Xavier de Carvalho MendonQa.
abaixo assignados esperavao, que o Juiz de Paz Aristides Justo Mavignier.
se curvasse ao preceito de urna lei. o que se nao Bernardo Das l'errera.
arrojasse em publico a desobedece-la, os propos Dr. Carlos Fernando Ribeiro.
tos toman as-ento,por permissaodo delegado que Domingos Barboza.
Ibes facultou a entrada, e cathegoricamenle de- Dr. Francisco Antonio de Oliveira Rozele.
cide, que nao proceda a votacao simblica, e Francisco Jos do Amparo
nern se preslava a contar o povo, como at por Gregorio Jos de Santa Anna.
escripto so Ibo requereo, em nomo, e com as- Ignacio Jos Rodrigues,
sistencia do mesmo povo, como tudo so prova i Ribeiro da Silva.
com os documentos juntos. Jacinto Soares Botelho.
D'squi concluir V. Exa. a minora em Joao Antonio que estavo aquelles, que com o Juiz de Paz de Dos Vai Salgado,
epprovarflo os individuos propostos. Nao po : Tenente Jo3o Estoves da Silva,
dendo ento o mesmo Juiz de Paiz obstar ; Joo Ferreira da Silva.
continuacSo dos reclamos, que se Ihe faziao,! Padre Joao Francisco do Espirito Santo,
a Polica interveio, e foro as abaixo assignados Joo Francisco da Silva,
e muitos outros, que por falta de lempo nfio Rodrigues
podrao prestar suas assignaturas, mandados Joaquim de Barros.
despeijar da Matriz, para quo nao disputassem PadroJoaquim de S. Escolstica Mavignier.
mais osseusdireitos. Foi d'est'arte Exm, Sr., J Jaaquim Jos Jocome.
que se organisou urna meza, que em comfor-j Jos Antonio de Moraes.
midade do artigo 9.* das instruccoes citadas, | Camillo Freir de Alviar.
quando unnimemente approvada. devia! r> Eleuterio Carnriro da Cunba.
funecionar. A vista de tao extraordinario pro-
cedimentodo Delegado rctirrao-se immedia- Jos Joaquim de Santa Anua.
Padre Jos Francisca de Arroda.
lamento os abaixo assignados, e todos qusntos
no approvro a mexa, para representaren! a
V Exa. como mesmo Ihes indicon o Juiz de
Paz em seu despacho, presumindo sem duvi-
da, que V. Exa., quando nao sanecione seus
para seus respectivos Juizes de Paz, o o que ho J actos, ao menos ser indiflerenle a tao repro- \ ario Leonardo Antunes Meira Henriqucs.
Rozendo.
de Medeiros.
Pedro do Mendonca.
Tenente Jos Pedro da Silva.
Jos Teixeira de Lemos.
I


Luiz Figueira do Mello.
Jos de Medeiros.
Siqueira.
Manopl Baptista.
Tenente-Coronel M. I. de C. Mendonca.
Manoel Ignacio de Salles.
Lopes Machado
Rodrigues de Araujo.
Seralim.
- Valentim Francisco.
Major Miguel Jos Teixeira.
Dr. Nuno A. d'A. Annes de Brilo Inglez.
Pedro Seleslino de Siqueira.
Jos Fernandes.
Porfirio Antonio Esleves da Silva.
Ricardo Chrisostomo Rodrigues.
Salvador da Cruz de Farias.
Severino dos Santos.
Simo Dias Ferreira.
Thomaz Joaquim Coelho.
Thom Feroandes de Castro ."\ladeira.
Trajano Gomes di Silva.
Dr. Umbelino Ferreira Cali.
Vicente Ferreira (do Quarteirio)
Aleandre Antonio de Lina.
Antonio Anlunes.
Jos H Costa,
Machado,
bernardo Joaquim d'Azevedo.
. Boaventura de Jezus.
Cosme Damiao.
Dionisio Benedicto.
Eduardo de Fieitas Gomes.
Elias Thomaz da Silva.
Filippe Antonio de Urna.
Ignacio Francisco da Silva.
Ju Baplista Damaceno.
Nepomuceno Baptista Freir.
Paulo Ribeiro.
dos Passos.
Reg-s.
Jos Felis de Arantes.
Ferreira Marinho.
Francisco Caelano de Vasconcelos.
Romo da Costa.
de Torres Bandeira.
l.ourengo Jos dos Sontos.
Manoel Francisco \ ieira.
Ignacio da Silva.
f> Joo do Espirito Santo.
Jos do Nascimento.
Lou renco.
Saraiva.
da Silva
\ cente de Moraes
Pedro Antonio de Olive ira
Francisco Alves
\ i.mna
Vicente Ferreira Marinho
Ado Jos Cardoso
Andrr Pereira de Sant'Anna
Alexandrino Caetano do Ulinda
Antonio Bernardino Ferreira
Joaquim de Santa Anna
Sebastio da Silva
de Sousa Crouveia
Ronilacio da Encarnacao
Francisco Amaro Barboza.
das Chagas
Jos da Encarnacao
de Lomos Duarte
Luiz dos Santos
de Paula
(jongalo Jos de Sant'Anna
lncKii'iri Hnmoc '"r.:c.-i
Jernimo J P. de Albuquerque Maranho.
Joo Baptista
de Azevedo
de b Pereira
Carneiro de Moraes
de Dos
Evange lista Soares
Fausti no
Francisco de Almcida
Cura Joao Francisco da Cunha Salgado.
Joao Jos Rodrigues do Miranda
Luiz da Cortceicjio
Mendes de Oliveira
Pau'o dos Santos
Joaquim Ferreira Viesas
JosAIvesda Encarnacao
liste ves de S Pereira
Joa quim Fernandos da Silva
Lu 'z do .Monte
Major Jos de Oliveira doi Prazere
Joso Patricio
de Sousa .Marques
Y jetorino dos Santos
Julio Jos Moreira
Julio Alves da Cruz
Lourenc.o Juslinianno
Lui* Antonio
Lino da Silva
Major Manoel Alves Monteiro
Manoel de Carvalho de Andrade
Francisco do Jc/us
Ignacio de Salles
Rodrigues de Araujo
(i de Souia
Vicente do Nascimento
Nicacio Jos de Almeida
Pedro Celestino
Simplicio Jos de Araujo
Thom de Je/us
Victorino Pereira de Santa Anna
Aniceto Salvador
Antonio Felicianno do ("armo
Filippe Nery de Bareelloi
Joaquim Pereira da Silva
dos Santos Falco
Vctor Correia
Ralbino Jos do Mello
BrazilianoOquelmede Almeida
Carlos Correira Mendes Simes
Jos Carneiro
Filippe Joao de Santiago
Felisberto Correia da Silva
Firmino Candido dos Santos
Francisco Caetano Velloso
das Chagas
* Pacheco
Joao Baptista da Encarnacao
Francisco dos Santos
Joaquim Bernardo
Jos Goncalves de Oliveira
Jos Caetano de Mello
Felis de Oliveira
Luiz Jos d'Assumpco
Manoel Alves
Antonio dos Santos
Jos
do Nascimento Pereira Dultra
da Paixao
Proeopio
n Qilvara
Paulo Alves da Luz
Rufino Jos dos Santos
Severino Jos dos Santos
Tiburcio Gomes Ferreira
Vicente Juslinianno Bizerra Cavalcanti
Felil da Paixao
Firmino Maximianno dos Santos
Francisco Antonio de Carvalho Siqueira
Camello Pesso
Joo da Purihcaco
Jgnacio Manoel Alves
Joao Antonio de Carvalho Siqueira
* Jnior
Bizerra
Jos de Fontes
Sabino de Lima
Joaquim Lobo de Abro
Jos Joaquim de Sant'Anna
* Brrelo
de Mello Cezar de Andrade
Luiz Vanoel de Mello
Manoel Antonio Baplista
Brando de Jezus
Marques Santiago
Miguel de Souza
Patricio Jos dos Santos
Raymundo Jos do Espirito Santo
Tristo Francisco de Torres
Vicente P'erreira da Silva
Vicente Ferreira (do 5'QuarteirSo)
Raymundo Nonato da Cunha
Padre Raymundo Carlos de Oliveira eS
Manoel Nunes Vianna
Jos Martins
Joo Gomes
deJe/us Pinto
da Costa Moreira
Carneiro
Caetano da Silva
Antonio Jos de Moraes
Bandeira de Mello
Coelho
Francisco de Almeida
da Silva
Romualdo
de Torres
Valentim de Almeida
Bernardo da Silva Guimares
Candido Nunes Vianna
Francisco Caetano Ribeiro
Cosme Damiao
Ludgero Nunes Vianna
Nunes \ ianna
Joao Braulio Correia da Silva
Antonio Ferreira Ouator/.o
Cnrdim
Francisco Regis
Jos do Nascimento
Paulo Ferreira
Paulo Lino Pinto d'Aguiar
Joaquim Jernimo da Concedi
m Jos da Rocha
do Sacramento
Severiano Ribeiro Dantas
Padre Jos Jacinto Becerra Borgei de Mezezei
Jos Manoel de Farias
dos Santos
Nunes de Paula
Pinheiro Velho Cabral de Mello
da Rocha Pita
de Santa Anna Oliveira Miranda
de Souza da Silva
Leocadio Cabral Raposo da Cmara
Manoel Antonio de Jess
i. do Monte
Padre ManoeF Antonio Thoumg de Aquiuo
Salvador Henrique de Albuquerque
JooCancio Prospero Montanba
Damazio do Sacramento
Lins Cavalcanti de Albuquerque
Juliao Correia
Joaquim Francisco da Conceiclo Oliveira
Jos Manoel de Barros
Advogado Jos VellezdeGuivara
Jos Justino Fernandes Sousa
Paulino Lopes de Almeida
Eustaquio Maciel Monteiro
Joaquim Jos de Santa Anna
da Silva
Luiz Gonzaga Barroso
Dr. Luiz Paulino Cavalcanti Vellez de Guivara
Capito Manoel Antonio dos Passos e Silva
Conego Manoel Ferreira da Assumpgo
Manoel Gomos dos Santos
Padre Manoel Joaquim de Miranda Lobo
Manoel Jos da Malta
> Nunes de Mello
da Hora de Araujo
Miguel Gomes dos Santos
Severino da Silva Lisboa
Padre Pedro Gomes Ferraz
Simio Jos da Silva
Thomaz Marinho
Umbelino Guedes de Mello
Vicente Ferreira (do 6. quarteiro)
Tenente Ancelmo Jos Ferreira
Padre Antonio Baptista Espinla
Antonio Baziliode Mendonca
Conego Antonio da Cunha Mello e Castro
Tenente Coronel Antonio Joaquim Guedes
Antonio Jos Goncalves
ii Luiz Gonzaga
Tenente Antonio Manoel Lobo
Antonio Domingucs de Arago e Mello
Martins de Moraes
Nunes Vianna
Pereira Pinto
Rodrigncs da Silva
Vctor de Mello
Bernardino de Sena Dias
Bernardo Cezar de Mello
Braz Bazilio de Lemos
Cipriano da Fonceca Barroso
Cosme Damiao
Diogo de Barros Araujo
Padre Fausto Freir de Carvalho
Dr. Filippe de Barros Arauja
Flix Jos do Bom-fim
Francisco Antonio das Chagas
de Paula Dultra Malvinas
Arcediago Ignacio Luiz de Vello
Joao Barroso
Almano Pereira de Jess
Padre Antonio Alves de Carvalho
Antonio Ferreira
Antonio Francisco da Costa
Antonio Joao Ferreira
Nunes de Mello
dos Santos
Vieira
Candido Alves de Gveia
Di. Candido Jos Casado Lima
Conego Jos da Silva Lobo
Constantino Antonio Alves do Sou/a
Domingos Lo'urenrjo Ramos
Dr. Filippe Janeen de Castro e Albuquerque
Florencio Jos da Conceico
Conego Francisco Jos Peixoto
Francisco Manoel e Lima Albuquerque
Pereira Algarve
Xavier do Couto
Goncalo Gomes
Uerculano de Araujo Salles
Honorio Fiel de Sigmaringue Vaz Curado
Ignacio Dias Ferreira de Oliveira
Vgario Juo Evangelista Leal Periquito
Joo Jos dos Passos
Vigario Joo Jos Pereira
Joo Jos dos Pra/cres ^
Nepomuceno
Nicolao Gomen da Matln
Joaauim Francisco Bibeiro Co'.tinho
*
Jos de Santa Anna
Bar reto
Ciraco
Pacheco Vieira
Jos Alves de Farias
Jacinto T.;vares de Arroda
Joaquim de Santa Anna
da Silva
Miguel de Souza Magalbes Jnior
Muniz Furtado
Roberto do Espirito Santo
Romualdo da Silva Gusmo
Theodoro de Moraes Lins
Lourcngo Achiote Wanderley
dos Santos Fradique
Luiz Francisco da Silva
Jos Gonzaga
Manoel Fernandes Simos
Ferreira da Silva
Francisco Constancio
Leonardo Sudr
Vigario Manoel Maria do Amaral
Manoel '' cenle da Silva
Conego Manoel Xavier da Trindade.
Marcolino Marques dos Santos
Nicolao Antonio de Almeida
Simplicio Jos de Araujo
Thomaz da Cunha Lima Constancio
Vicente Ferreira do O*
Jos de Carvalho
Dr. Zacaras de Goes Vasconcellos
Andr Curcino de Araujo Pereira
Antonio Collecto Ferreira da Costa
Dr. Antonio Herculano de Sousa Bandeira
Antonio Manoel de Arago e Mello
Padre Bernardo Raymundo de Souza Bandeira
Camillo do Carm
Constancio da Silva Noves:
Domingos Ribeiro Folhas
Elias Francisco de Souza Barros
Elias Thomaz de Souza
Filippe Benicio da Sania Cruz
Francisco Garca do Amaral
do Reg Barros
Jernimo Rodrigues
Joo Paulo Justiniano
Til'urcio Lopes da Fonceca
Joaquim Marques Santiago
Jos Antonio do Oliveira e Silva
Baplista do Nascimento
Nunes
Leodolfo Herculano Marinho Falco
Dr. Lourenco Trigo de Loureiro
Manoel Gomes de Brito
Jos do Nascimento
Rodrigues da Silva
Marcellino Rodrigues da Silva
Pedro Antonio de Oliveira
Severino Jos
Silvestre Barbalho
Francisco Cosme Pinheiro
Vicente Ferreira do Sacramento
Luiz Correia deQueiroz Barros
Districto de S. Pedro Martyr de Olinda, 1.
de Sctembro de 18W. r. Lourcnfo Trigo
de Loureiro, Juz de Paz.
DIARIO DE PiMHBlM
O DIARIO-NOVO LAMENTANDO O ESTADO DA
PROVINCIA.
O D.-nvvo d'bontem di/, queSo est bom
o estado da provinciaporque o Exm. Presi-
dente tendo armado cm parte o partido da praia
ou nacional, nao cuidou do derrotar e op-
primir de urna vez o partido da opposico; que
assim acbo-so na provincia armados dous par-
tidos, os quaes vo necessariamente salpicar as
urna* de sangue brasileiro.
Para evitar esla catastrophe imminente.acon-
selha oD.-novotS. Ex. depoii.de tel-o cen-
surado lortcmente, e declarado que elle se faz
o commif-sario dss cleic,es do partido Hono-
riano, que demitta todos os empregados e po-
nha a Volteta em maos impurciaes.
Para que apresenta caracteres to dille-
rentes o contemporneo, quantos sao os seus
redactores, para que de Tribuno ardente, e
concitador das massas, passa na mesma occaso
a fazer o papel de hipcrita, e com tanta estu-
pidez ?
Quem he que Ihe noconheco a manba: que
pile o nup niier ?o dt>mpe de Subdelegados
no Bonito, e em outros lugares, para que a
praia fique armada completamente em toda a
provincia, e assim possa provocar urna crise,
que acabar pelas respetas sicilianas 1 Como
he quo o Exm. Presidente ha do fazer nomea-
f,oes de pessoas imparciaes, se o Chefe do Poli-
ca, que as prope he o Sr. Antonio Aflonso um
dos roais ardenes dos praidros ?
(Jal foi o homem imparcial proposto pelo
Sr. Antonio Aflonso ? Nao foro partidistas de-
clarados os Delegados c Subdelegados nomea-
dos depois que este Sr. entrou para a Polica ?
Como pois escarnecer da perspicacia de S.
Ex e do bom sonso dos Pcrnambucanos, para
exigir 2!::ds rnsir. demissocs, para sercr lo-
meados OS propotos pelo Chefe do Policio da
praia ? Confessai antes, que s podis vencer
com a fraude e com as armas, porque o vol
livre de cidadaos honestos vos repelle.
Os vosso Juizes de Pjz com toda a fraude,
que tem posto em pralica anda nao sao sufi-
cientes pura vos dare:n o almejado iriumpho:
os vossos Delegados na niaioria das comarcas
anda nao chego para o que desojis, porque
as suas ameacas, as suas armas nSo basto para
acobardar o brioso povo de Pernambuco; urna
boa porcBo de Subdelegados, quasi todos os De-
legados de Policia ludo he insufficiente para
chegardes aos vossos fins de anarchisar a pro-
vincia, e arrancar-IKe forca os seus suffra-
gios.
He una verdade queo estado da provincia
nao be bom, porque as demisses. e novas no-
meaces eitas depois de 3 de Maio lem-sc re-
sentido da influencia, que o ciub da praia quer
I


ler nos negocios pblicos depois da queda do
Ministerio de Janeiro, e tem relaxado o vincu-
lo social. A anarchia tem sido 8conselhada pe-
lo ) -novo: os seus agentes lancao todos os
dias as sementes, que bao de fazei-a fructi-
ficar.
Seria um remedio salutar pora Policia em
maos imparciaes, tiral-a das mos do Delegado
do Goianna, que enxotou com forca armada o
povo da eleicio de Juiz do Paz, do Subdelega-
do que fez a qualificacao combinado com o
Juiz de Pa*. que fez a Mesa Parochial contra o
voto de 500 cidadaos honestos e commedidos :
tiral-a das maos do Delegado do Limoeiro e de
seu irmiioSubdclegadodeBom Jardim.quetirou
aosiiil.iiians desse lugar o direito do votar, que a
constituicao liio garauto.du Subdelegado deS.
Jos, quo igualmonte conluiado com o Juiz de
Paz tira o direito de eleger aos cidadaos activos,
o improvisa logos e nomes que o Parocho des-
conhece e sabe que nao existem; tire-se a elei-
cao das maos sacrilegas desses limens cegos
pelo espirito de partido, e csquccfdos da digai-
dado do lugar que oecupao, cujas fraudes ahi
estao os Parochos para attestur, que o estado
da provincia nao ser to ma como o U.-
novo julga.
Nao sao os antigos Empreados de Policia,
os homens notaveis de tod.-. fls comarcas por
sua honeitidade e mais qi^alidadcs recommeo-
daveis, nomeados pela a .ministrarlo passada,
os que estao pratioando Sias torpezas, e provo-
cando a desordem na provincia.
O mal que o D.- aovo conTcssa he verdadei-
ro, mas o remed'j porque acorofOP.ria ainda mais os autores destas
desordens e nVjlTersacdet.
Depois de tes feitos escandalosos que os co-
ripbeosea , pratican'jo a vsta (|e todos, depois da denuncia
destes r 8 ac',usar vaga e sempre insolentemente o par-
tid o da ordem de corrompido, tyranno e anli-
c,institucional ?
Quem he que quer tirar ao povo, aos cida-
daos artivos o direito de eleger seus represen-
tantes? (^uem he que quer a ponta de punhal
exigir assignaturas de chapas ? Quem he que
sombra da fraude da maora du votos aos can-
didatos que apparecem em minora as Main
zes ? Quem he que forca de armas corre com
o povo das A.-semblas Parocbiaos? Nao sois
vos ? e com quo vos podis chamar partido
nacional? como usurpis o nome de patriotas
e liberaos?
Quem he que, tendo consciencia de sua for-
<;a, obedece todava a autoridade, ainda que
ella exorbile do circulo de suas altribuices,
ainda que ella queira op|.rmir com baionetas
ou hacamartes? Nao be o partido da ordem,
porque detesta a desorden, a anarchia, para
nao derramar o sangae brasileiro, e levar o uc-
to as f milias? Corno pois nos aecusais ? Co-
mo negis a sincerdade de nossas intengese
a lealdado com que trabalhamos, segundo as
formas do Governo Representativo, pela livre
manifestaco do voto da populaco honesta e
industriosa da provincia, que vos queris escra-
visar. depois de anarchisal-a ? O bom sonso
dos Pernambucanos hado fazer-nosjustiga.
i-mv-u.l-f......"'i -J-t-aj-JM..il'ijn.wiiJL.'Li-jJ
Com mullicado.
dencia nacional tremao os amotinadores da
ordem, e violadores da liberdade individual,
que um da o povo conhecer a vordade e os
castigar, amaldicoando tanta impostura, e pe-
dantismo ; tremao os ridiculos, e infames,
praieiros, pois que a sua queda pouco poder
tardar. Sim era breve os homens, a quem el-
les hao Iludido ( o povo) conhecerooseu ca-
racter falsario, e egosta; em breve ver-se-ho ,
elles (oreados a no poder oceultar por mais!
lempo o celebre tratado que certa pandilha '
(de quem recebem os praeiros as ordens,
para cegamento.e como escravos por em execuc-
cao') formou com os Inglezes os maiores ini-
migos polticos da independencia do Brasil! !
Ah e que diris vos os praieiros, quando o
povo que vos elevou, e a quem ludo deveis, vos
perguntar que haveis vos feito oh egostas?
Para que vendestes-nos ao estrangairo ? Por
que razo consentistes em nossa indirecta, mais
verdadeira escravidao, fazendo um tratado pes-
simo com a nacAo mais inimiga de nossa inde-
pendencia? Para que nos illudistescom o bri-
Ihante titulo de amigos da liberdade quando
vos so o eris de vosso interesse particular ?
Sim homeus udignos porque antes de nos
atraicoardes s tinhes' mel em vossas palavras
engaadoras emquanto que em vossos dam-
nados coracoes guardavois o fel que boje entor-
nastessobre nos? Ah que diris a isto se-
nhores da praia ? litareis mudos? ou tentareis
do novo insnuar-voscom iguaes manbas no es-
pirito do povo pernambucano 1 E pensis por
ventura que podereis continuar ento no vosso
'mbuste ? Nao o pensis, pois que haveis de
sar coubecid js taes e quaes sois realmente : e
praza aos ceos que cntao vos nao arrepentais
de vossas mesmas eiligarias, brando desde ja
certos que boje poucos acreditao vossa lingoa-
gem venenoza e que amanbaa ninguem mais
dar crdito a ella. Assim pensa.
O verdadeiro Patriota.
Ninguem certamente haver tao miope em
potilica, que, comparando as (acanitas e gen-
tilezas da gente da praia (e seus adherentes)
com a amizade que lalsamcnto dizem consa-
grar liberdade, desconheca que, receiosos de
tornarem ao nada (donde sahiro) recorrem co-
mo sempre o izerao, a intriga como a ultima
taboa de salvarlo; para que, semeando a dis-
cordia entre os homens do povo, fazendo-lhes
crer por escriptos infames, e incendiarios, que
os amigos da ordem o ni>o sao igualmente da
liberdade se achem (elles) escudados pelo
mesmo povo em todos os desvarios, que a
ambiguo du governar os possa condu/ir ; cm-
l.,, c,s. e'!"S o* vrdsdeiros !!itpi"Oada nos
sa santa liberdade (baja .vista o que succedeo
na Cabanga, onde um pobre homem por
nao querer assignar urna chapa, que Ihe foraa-
presentada pelo Inspector de quarleiro impre-
so como desobediente !) embora, embora
sejao tiles os proprios. quo ataco a libe:dade,
eseguranca individual de todos quantos recu-
zao sugeitar se s suas nefandas ordens Veja-
se a este respeito o que aconteceo com o Redac-
tor do Nazarena em virtude de querer sus-
tentar como homem de bem sua liberdade de
pensar de um modo diflerente do dessa pandi-,
Iba ligeira Con effeito custa a comprehender
como esses homens diablicos, que a eomp-
cm plantando aqu ccmalguns lugares do
LiatlO clubs iofernses denominados socie-
dades egipcias, carbonarias,amillares&C&C.
tenhao sabido lor?a de intrigas eocadeiar a
orto do poso a sua lorie! mas tremao os in-
dignos apoiadores dos inimigos da indepen-
Publicaco a pedido
JORNAL DO COMMERCIO DE 12 DE SE-
TEMBRO DE 1842.N. 242.
MINISTERIO DO IMPERIO AVISO BE 13 DE AGOSTO
DE 1842.
Ao Presidente da provincia do Santa Catba-
rna, para fazer constar ao Subdelegado da
capital da mesina provincia, que bem opinara
elle, sustentando na junta parochial, deque era
membro, que nao deviao ser incluidos na lista
dos cidadaos activos os empregados pblicos
que, sendo filhos familias, nao contassem a
idade de 25 anuos; porque, supposto pareca
razoavel a opiniao contraria, todava, no rigor
da litteral intelligencia do art. 92 da Consti-
luigao, sao excluidos de votar as assembleas
parochiaesTodosJos menores de 25 annos, nao
comprehendidos em alguma dos quatro excep-
. oes do I o do referido artigo.
1. do art 92 da Constituicao do imperio.
1. Os menores de vinte e cinco annos,
nos quaes se nao comprehendem os casados, e
Ofliciaes militares, que forem maiores de vinte
e um annos, os Bacbareis formados, e Clrigos
de ordens sacras.
Variedade.
FBULA.'
O BURRO E SED SENHOR.
Por umeaminho exquisito,
Su jeito salteadores,
la um homem com seu burro
E bem cheio de temores
Porquanto em um par de malas
Asssdinheiro levava,
E de ser accommettido
Mais que muito receava.
Todo absorto e embebido
Em mil consideracoes,
Eis que ao longe se Ihe antolba
lima sucia de ladrees.
;; Ai de nos! sismos perdidos.
Diz elle ao pobre animal :
He impossivel quo aquellos
Nos nao facao todo o mal.
O' caro burro, amigo,
D te pressa, estuga o passo,
A ver se escapor podemos
De tao funesto emharaco.
Vfique te amo de veras,
Que sou o teu protector ;
E mal por ti, se cahires
as unhas d'outro senhor.
Mas a nada atiende o burro,
A quem ja pede quo corra,
Antes vai sempre marchando
Co'a costumada pachorra.
Ncm Cic'ro pro domo sua
Orou com tanta eloquencia,
Como elle, a vers'instiga
A borrical indolencia.
Corre, corro, ouantos vda
Que os homens j vftem ahi:
S'esses maldictos nos piihao
Que ser de mim, de ti ?
Eis | ara o burro e Ihe diz :
Em que aproveito co'a pressa ?
Venhao embora os ladres.
Que a mim nao me prego possa.
Se nesta sua facanba
Forem elles vencedores.
Nada mais terei por sorte
Que passar a outros senhores.
Ncm duas, ncm tres albardas
Elles jamis me poro,
E levar cargas ser
Sempre a minha condicao.
Que boa licao p'ra o povo,
Por quem diversos partidos
S pelo proprio interesse
Buscao ser favorecidos!
Vencao estes ou aquel les,
Diz a experiencia amarga,
Que o povo em todos os casos
He sempre o burro de carga.
(Parafrase do Carapuceiro.)
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do dia 4.........11:171,j625
DescarregaO hoje 5.
Barca/Variadiversos gneros.
Dita/nnocicfarinha.
Brigue Primaveradiversos gneros.
BarcaCasimiridem.
ir-wn**Y'ri
Movimento do Porto.
Navios sahidos no dia 3.
Portos do Sul ; vapor brasileiro Paraense,
Commandante Joaqun Peixoto Guimaraes.
Londres ; galera ingleza Cremona, capilao
John Rui ley, carga a mesma quetrouxede
Nova Hollanda.
Rio de Janeiro ; brigue portuguez Nictheroy,
Capito Florencio Jote Terra ; carga a mes-
ma que trouxe de S. Miguel.
Navios .entrados no dia 4.
Arribada; a galera americana Calharina Au-
gusta, sabida deste porto para Sumatra, ha
5 dias.
Petuhead ; 48 dias, barca ingeza Europe, de
224 tonelladas, capilao George Lorgeslwood
equipagem 13 ; carga lastro, ao Capilao.
W.lU.Mml_I.J..-H" i.Ji ---------L.'-t.-L' ''<
Edit 1
6 Olllm. Sr. inspector da ihcsouraria da
fazenda desta provincia, manda fazer publico,
quo o praso marcado de seis me/es para a subs-
tituidlo das notas de 5*000. 10,)000 e OaOOO
ris da primeira estampa, finda-se em 10 de
Setembro prximo vindouro; e deste dia em
diante ficar ditas notas sujeitas ao descont
de dez por cento em cada mes, na forma do
artigo 5. da lei n 55 de 6 de Outubro de
1835, e no fin dos de/, mezes destes descontos
sem valor algum, como ja se declarou no Edi
tal de 10 de Fevereiro deste anno. Secreta-
ria da thesouraria da fazenda de Pernambuco
30 de Juiho de 1844. Joaquim Fiuncisco
Bastos. Olicial maior. (15*
Oeclaracoes.
3Perante a Administracaodo Patrimonio dos
Orpbos se ha do arrematar a quem mais der
as rendas da casa n. 4, sita no largo do Hos-
pital do Para izo : as pessoas que so propo-
zerem a arremarar ditas rendas poder com-
parecer na casa dassesses da Administracao
nos dias 9 e 16 do cbrente mez as 4 horas
da tarle com os fiadores.
Sala das sesscs da Administracao do patii-
rnenic dos Orphsos, 28 de Agosto uc 1844.
J. M. da Crux Escripturario. 10)
4 COMPANHIA DE BEBERIBE,
O Caixa daCompanhia avisa aos Srs. Accio-
nistas, que hajao de realisar os 4 por/0 lti-
mamente pedidos para o completo dos 30, al
o da 25 do corrento, visto que elle ten de
apresentar urna relaco dos que o nao tiverem
feito at o referido dia a fim de se por em exo-
cucio o art. 9 dos Estatutos ; assim como se
tem feito respeito d'aquelles que nao realisa-
ro as prestaedes atrasadas. 10
2 O Administrador da Mesa da Recebe-
doria do Rendas Geraes Internas, tendo por
muitas ve/es annunciado pelos Diarios, convi-
dando a todos os coilectados, dos bairros do
Recife, S. Antonio, Boa-vista e A Togado poia
virem pognr a taxa de escravos, bens do mao
mora, seges e carrinhos, ninguem tem compa-
parecido para pa-ar, e por isso pela ultima vez
avisa, que se at o meiado do corrente mez
nao vieren satisTazer o que devem, passa a tirar
relaco.e'Olandar pera juizo, para serem execu-
tados; assim como ja o lez com os devedores
do banco do bairros do Recife e S. Antonio.
Recebedoria, "> de Setembro do 1844.
Francisco Xavier Cavalcanti f!5
Avisos martimos.
Para o Rio de Janeiro pretende seguir breve
o brigue Sania Mara Roa Sorte, capilao
Jos Joaquim Dias dos Prazeres. Quero no
mesmo qui/.er carre-ar, ou embarcar escravos,
pode entender-se com Amorim Irmos ; ra
da Cadeia N. 45.
A visos diversos.
LOTERA DO THEATRO.
2Achao-se venda as lujas de cambio
dos Srs. Mdiioel Gomes, Gregorio Antones, e
Vieira no bairro do Recife, e as boticas dos
Srs. JoSo Moreira, e bagas nodeS. Antonio,
os bilbetes da 1.* paite da 10.* loteria do Tbea-
tro publico, cujas rodas terao o seu impreteri-
vel andamento no dia I.1 de ulubro prximo
futuro. (9
2 A Obtaco do Christianismo, produc-
cao potica de Antonio Rafael de Torres Ban-
deira, se acha venda as lujas do Sr. Cardoso
Ayres, na ra da Cadeia do Recife, e lo Sr.
Figueiroa do Faria, a 1,500 rs cada woL (5
- Aiuga-se' o 1. andar da casa n. 54 na
ra da Aurora, com sulicientes commodos :
trata-se no i andar da mesma ou no Recife,
casa do cambio do Vieira. (4
1Precisa-se fallar com o Sr. Domingos
Lins de Albuquerque. a negocio de seu interes-
se, na ra estreita do liozario n. 21. (3)
l=Aluga-seo primeiro andar de sobrado
da ra estreita do do Rozario n. 21: a tratar no
2.* do mesmo. (3)
= Perdeo-se urna (vela de ouro de sapato,
da ra velha at a matriz da Boa-vista; quema
achou, dirija-se ao Padre Bacalho.que recebe-
r o valor da mesma.
1=0 abaixo assignado, propietario da ca-
sa n 24, sita na ra do Fagundes.faz scienteao
Senhor Fiscal da freguezia de S. Jos do Reci-
fe que mandou tapar um cano que tinha a
mesma casa que esgotava as agoas para a ra
para nao pagar 5,000 r is por anno.
Manoel Jos dos Santos. (7)
1 = A quem Tor oflerecida urna flauta do
modelo inglez de pao bano montada em
metal que parece prata com oito chavos de di-
to dentro de una caixa de pao mogno com
pequea chapa de lato emeima &c. panno verdo
no ossento; queira por obsequio apprehendel-a
e entregal-a ao seu dono na ra da Cruz n. 7,
a quem ella foi furtada ; o querendo ser gra-
tificado. (9)
6 CAUTELLA CONTRA AS FALSIFI-
CA C ES.
Constandoa Mturon $ C, que em algumai
vendas e lojas dista cidade, se vende um rap ,
com a falsa denominaco de rap araprcta ,
com astuciosa imitado dos botes, rtulos e sel-
los da sua fabrica, fa/em scii nto aos seus fre-
guezes e ao publico que em resguardo da sua
nrnnriedade. e dos 8C09 d!r*tOS accresrena
firma ao sello do nico deposito do legitimo ra-
p ara preta, que permanece no mesmo lugar,
da ra Cruz n. 26.
Portanto qualquer outro rap que se incul-
quo dcbaixo desta denominadlo he urna falsi-
ficacao dos productos da fabrica de Mturon $
C. inventores e nicos propietarios dai
fabricas do rap ara preta, tanto na Babia ,
no Rio de Janeiro e Maranhao, como em Per-
nambuco, e rogao aos Srs. compradores de a.
cautellarem-se contra as fraudes sendo as
maiores no rap, que se vende a retalho. (21}
3 Na ra de S. Francisco n. 20 lava-se
roupa e engomma-se com toda a porfeicaoeas-
sc-io prt-t ornas coiiiouOijucoiouia quaiquerpar-
te: isto com toda a brevidade na mesma ca/a se
faz toda aqualidade de roupa tanto para ho-
mem como de senhora. (6)
2= Quem precisar de um rapaz Brasileiro de
idade de 20 annos para caixeiro de qualquer ar-
rumaco ou mesmo para cobrancas, exceptu-
ando taberna ; annuncie sua morada ( 4
3 .-i Furlrao da ra da Senzalla-velba um re-
iogiodeouro, sabuncto patente suisso, como
n 6653 ; quem o adiar, queira entregal-o na
loja de Justino Meroz, que sen bem recom-
pensado 5)
3 Perdeo-se um caixouro inglez, cor preta e
amarella de nome Crib, tendo as costas
una ferida j secca e -om as orelhas cortadas,
quem leval-o a roa da iadcia do Recife n. 39;
receber 10,000 de gratificarlo. (5)
Aluga-su um moleque para trabalbar
com carroca, do que tem bastante pratica, na
Praca da Independencia ns. 13 o 15.


h
..,--.. .-.*^...l_ i.
Lrt*M.l*k.--.f..v Vy*,rU,***
C P* Pergunta-se : se podo ser Offlcia! de | 1 Garnier relojooiro, na ra Nova n.
guarda nacional.o individuo, que nao tem os 22
requisitos exigidos no art. 13 da lei de 25 d
OatQbro de 1839: se pode volar o filho fam
^^^^\^m^^fS^ni% b;!1nco,sdtoS c""enteSpara relogios, ;com ,enle |icenca: os n(ractores incorrerao
lisia dos volantes um estrangeir.i: so um Ofll-lanneis. alfinetcs # r..inoina ,(,,.-,(..; nnrUmc '
Antonioda Silva Gusuio, agente do con-1 ^2 Vende-seuma preta do naciio, de2o an-
os -2-2, acaba de recetor pelo navio Casimir de Im I tracto das carias de jogar (az sciente aos mora-I "os bonita fisura, perfeita engommadeira ,
de j Vigne, um sortimento de joias do ultimo gos-jdores do dislricto dos Alosados que nao n- lavadeira, cosinha, ene boceteira ; na ra No-
.i- t, sendo admeos de brilhantes robins. pe- dom vender cartas sem estarem munidos da va r. 65, pnmeiro an^dernanhaa ato as ',)
cial de guarda nacional he contemplado Offl-
clal militar: so um guarda nacional nao tendo
os (trisitos do art. 92 da Coustituicao, se pode
votar o ser votado : so qualquer individuo, nao
sendo Vicario, ou seus agentes, Inspector de
quarteiro, luitde Paz, ou Subdelegado, p le
andar tirando arrolamonto : so os Subdelegados
pdem ser privados do exorecrem a* suas attri-
buicoos existindo no lugar o Chefe da Polica ,
o o Delegado; so um individuo, que na tem
do que viver existindo as soupas de outro por
nao ter eir riem boira pode votar; quem res-
ponder a estas perguntas, Ihe Bcar obrigado
O Dunga.
Furlrao na noute de dous do corrento,
do sitio do Pisa.-., na cidade de Olinda dous
cavallos um pequeo avermehado e ou-
tro maior, caslanho ; roga-se a quem dos mes-
mos souber, baja do dar parte na ra Nova
n. 39 quesera gratificado com 10? rs. a en-
trega de cada um delles,
O Si. C. J. V. I". P. conbecldo por bom
celoteiro nesta praca, quelra ir pagar o eheixo
que pregou no hotel da ra do trapiche novo, de
l.uk RoberU, do contrario i fio se q ipixe d i des-
feita que Ihe possa acontecer quando for en-
contrado na ra.
Oabaixo assignado vendo no Diario-n. de
hontem 4) ornas asnaticas porgantes, que er
Ihe seren dirigidas ; responde por esta re so-
monte que eom quanto houvesse Bssentado do
nao responder a vis e infames annimos ( como
os perguntadores ) todava para quo saibao de
sua resolucSo a rospeito tom a dizer-lhes, que
os dous perguntadores como ntimos amigos
dos do batalhSo ligelru quoquorom fater ro-
viver pdem rnolhor quo ninguern responder
ao que desojan saber para com lempo so prepa-
raren! os seus iguam a fazer boas prests, e que
finalmente comparando a sua posicao social
cornado abaixo assignado, conhecero acil-
mente, que quem nao tem a honra de ronhe-
cer os hroes da poca nao pode ser chela d/
gente Uto honrada, inda mesmo quando para
isso nao bouvessem pessoas tao habilitadas co-
mo os Srs. perguntadores L. A. a\A. Mello
Pergunta-se so Manool do Mendonca ,
morador na ra do Nogueira n. 12 devo votar
na paroebia de g, Jos, ou na de S. PedroGon-
calves? Parece, quo em S. Jos, onde mo-
ra com sua familia e ondo tocou vabumba na
bella msica de a de Junho ; e nao em S. Po-
dro Goocalves s porque he sacristao da ca-
paila da ConceicSo da ponte. Ah Sr. Vlgario !
Abra o olho com as qualilicaces do bairro do
Recife que all todos qualiflcao ludo quer
cuvaigar, o ser des-Leal a boa f de V. S. e
do.Sr. Subdelegado. O Filho de Isac.
il!m homem casado de pouoa familia, quo
sabe lor, escrever e contar snfTrivelmente tem
bastante pralica de loja de fasendas, e muitos
conhecimentos no ceitao oficete se para cai-
xciro de qualquer arrumaio exceptuando ta-
berna aincla mesmo para qualquer provincia,
e d conhecimento to sua conduela; quem de
seu prestimo sequlter ulilisar dirija-se a ra
Nova n. 19, primeiro andar. [9
Alugao-so3 moradas de casas terreas na
ruada Mangueira do POco-da-panella pelo
lempo de testa, ou por todo anno ; a tratar na
ra da Cruz com a viuva do Jos Antonio Lo-
pes.
1 Joao Pinto de Lomos Jnior tendo de se-
guir para o Rio de Janeiro a datar de sua sali-
do o nao Ihe sendo possivel por causa da
molestia, despedir-se de toias as pessoas de
sua amisade o faz por rucio dosto rogando
aos seus amigos !he esculpes: Ba fulla invo-
luntaria. (7
Na nouto do terca feira do corrento roes
appareceo as tojas do hospital da rdem ter-
ceira de S. Francisco n. '.), urna preta de nonio
Maria a qual nao diz quem he seu senhor ;
quem for seu dono dirija-se a mesma casa a
fallar com Thcresa Maria de Jess,
Quem annunciou querer comprar urna
barcaca dirija-se a ra do Collegio n. 23.
Oabaixo assignado faz publico que no
da 2 do correte acabou amigavelmente a so-
ciodado que tinha eom o Sr. Pedro A. Gomes,
no armas'in de socar assucar r lo n. 8, cujo girava debatxoda firma do Madail
$ Gomes, (loando a mesmn em liquidado ao
cargo do Sr. Duerte V. Madail e para constar
lazo presente annuncio.Felis C. Madail
Pelo presente sio convidados todos os ir-
maos da rdem lerceira de S. Francisco desta
cidade, a rounir-se em seu consistorio no dia 8
do correte fnei asi) horas da manliaa para
conJnnacaodos trabalhos comi-cados nodia pri-
meiro do mismo e so Ihes adverto que se
dar principio com o numero, que estiver leu-
nido, moia hora depois das novo.
Na ra do Crespo n. lo, se dir quem d
800$ rs. a premio com boas firmas ou com
penhoresdeouro, ou prata.
anneis, allinetes e relogios patentes, inglezcs
oSuissos. ^7
1 Arha-se justa e contratada a compra de
urna casa terrea sita no becco tapado do Motft-
colomb no Recife n, 3 com o Snr. Cosme da
Silva rio Nascimento e sua mulher Domingas
Maria d > Rotarlo ; portento quem na mesma
livor algum direito, ou mesmo por divida ou
liypotheca haja do annunciar no praso do 6
das, ou dirija-se a ra do Vigarion. U, se-
gundo andar, findoo qual praso nao Acara a
ditacasa obrigada a divida alguma, e nein seu
comprador o para clarosa se faz o presente an-
n unci. (12
Urna pesso3 particular se ofTerece a dar al-
moco, jantar ecoia com todo aeeio prompti-
dao e por proco mais commodo do que em
outra qualquer parte ; quem do seu prestimo se
quizer utli-ar,dirja-sea ra do Queimado, do-
fronte do becco da Congregacaon. 32, segundo
andar.
3 O nbaixo assignado, engenbeiro civil ,
aeha-se no seu escriptorio desdo a i) horas da
manhaa at 3 da tardo, no largo doCorpo San-
tn. 4, primeiroandar.Alfredo deMornay.
2 Alugao-se o primeiro e segundo andares
do sobrado da ra da Praia de S. Rila n. 37 ,
tendo tanto um como outro commodos suffici-
entes para grando familia e por prego com-
modo ; e tambem se aluga um grande rma-
selo por balso do mesmo sobrado, proprio para
qualquer esiabeleclmento por ter embarque a
toda hora na porta.
2 Aluga-se o segundo andar e so tao do
sobrado da ra Dircita n. 24, com bons commo-
do? boa lata e multo fresco ; a tratar na pa
dara por baixodo mesmo. (4
2 Precisa-sede un criado que d fiador
a sua conducta ; na ra da Aurora casa ele
Angelo Franesco Carneiro. (3
2 Arrenda-se o sitio e casa do Manguinho,
do Exm. Rarao de Hamarac com muitos ar-
ranjos para grande familia dous viveiros, sen-
:alla para pretos, coihoira boa estribara e
diversos arvoredos de fruto; a tratar na ra do
Oortas n. 140. (6
2 Arronda-se, ou vndese um sitio, que
podo sustentar 15 a 20 vaccas de leite; oa ra
do Cebug n. 16. (3
2 Um reco-so um homem para correio par-
ticular, o qual tem feito muitas viagensdecir-
cuinstancias e tem dado cumprimento dos pa-
pis que se Iheentregao e d conhecimento
de sua conducta ; quem o pretender, dirija-se
a travessa das Cruies n. S.
4 Aluga-se o sobrado de um andar n. 49 ,
com commodos para urna familia pequea, si-
to na ra Imperial do Atierro dos Afogados ,
defronte do viveiro do Monis, no canto da tra-
vessa do Lima o qual tem armasen) que serve
para venda quintal murado e cacimba com
boa agoa; a tratar na mesma ra, sobrado n. 31)
as penas da lei.
ms
Compra-se um par de palatilhas de ouro
para oflicial, e que tenha mu poco uso, quom
tiverannuncie. (3
2 Compra-se urna abotuadura dourada pa-
ra jaqu do esquadrao de cavallaria de guarda
nacional com pouco uso ; quem tiver annun- ;
ci. (4
2Compra-se um cachorro atravessado ou
de fila; no Alterro da Roa-vista casa de Joa-
quim do liveira o Sousa. (3
2 Compro-seeflecti va mente para fra da
provincia, mulatas, negras e moloques de 12.
a 20 annos pago-se bem ; na ra Nova lo-
ja de ferragons n. 16. (*'
2 Compra-se, ou troca-se urna negra de bo- i
horas edas duas da tarde crrKdianle.
Vende-se um sobrado da.um andar na
\ ruadoFogo n. 5 ; a tratar com Jos Antonio
i Basto na ra da Cadeia do Recife. (3
Vende-se um negro de 20 annos muito
robusto, e proprio para todo o servico ; no
Atterro da Roa-vista, loja de allaiate de Ma-
noel Joaquim na esquinado becco.
Vende-se um cavallo melado, baixo, novo
de 6 a 7 annos ptimos para ambas as selas
por proco commodo ; na ra do Areal encostal
do ao Pillar n. 7.
- Vende-se urna escrova erioula ptima
cosinheira coso, lata, eengommal; t;a ua
Nova n. 39.
I Vende-se eapim deplaMnbim verde a
2t0 a arroba ; no sitio do feobaslio Lopes, em
Olinda. (3
Vendem-so redes boas o novas para pesca-
rla e viveiros; na ra da Praia de S. Rila n 52,
\ Vendom-se ricos cortes do selim braneo
lavrados chales o mantas de seda, cortes de
sarjas escocezas ditos de Isa e soda e de
nila figura cosinha e engomma por urna
que esteja parida de dous mezes e que seja de ,
bonita figura e muito limpa; na ra Nova n. 33 : ditos de camoraia adamascadas ede tblta
- Comprao-se eflectivamente para fra da I? r8C8d provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20 annos agradando pago-se bem ; na ra
da Cadeia de S. Antonio, sobrado de um an-
dar de varandadepo n. 20.
Comprao-se vidros grossos e grandes do
espolhos, mofados ; no Alterro da Roa-vista
n. 17.
Vendas
3 Furtro no dia primeiro de Setem-
bro corrente, na occasio do sermo da festa de
Nossa Senliora da Penlia urna cartei
ra encarnada que dentro della continha qua-
ronla a sessenta mil rs. sendo urna cdula de
108 rs, encarnada e seis de 5, novase o res-
to em iniudas ; dentro da mesma tinha una
1Na livraria da praca da Independencia ns.
6e 8, vendem-se as seguintes obras traduzidas
pelo |)r Joao Candido de Dos e Silva : Minha s
prtsSes; memorias de Silvio Pellico por2#; com-
pendio de economa poltica por Blanqui por
1600 rs. ; resposta de um chrislao as palavras
de um rente por 400 rs. ; ensaio sobre a ar-
to do ser feliz, por Droz por KIO rs. ; dis-
curso sobre o Obermann de Mr. de Senancourt,
por 240 rs. ; elogio do Imperador Marco Aure-
lio por 320 rs. ; dissertacao sobre a inconti-
nencia e seus perigos, por 640 rs. (12
3 Vende-so#uma prcta de nacao de 22
annos, de boa figura sem vicios nem acha-
ques ; na ra Nova n. 55, com a entrada pe-
la ra das Flores.
3 Vende-se para fra d8 provincia um mu-
alo bastante claro de 20 annos oflicial de al-
faiate, ptimo pagem por estar afeito a este
servico, e a todos os mais interiores de urna
casu
2-
em chaos proprios na travessa do Carcereiro
a tratar na das Gruzes loja n. 31)
2Vende-se o diccionario de Moraes da 4.
edicao, em bom uso e por preco commodo;
no Alterro da Roa-vista, loja de miudezas n. 54
2Vendem-se rodas de arcos para barricas
chegadas do Porto feixes de pinho abatidos,
urna porcao de barricas novas promplas para
socar; na ra do Vigario armasem h.7.
2Vendem-se superiores esleirs de Angola
grandes e pequeas, semenles de hortaliza '
vlndas do Porto doce de goiaba, chocolate da
; na ra da Penha n. 3, segundo andar. (5
-Vende-seuma morada de casa pequea,
irocuraco bastante de Joao Antonio Martins Bania 8 ,otl rs- Pao covadinha de Franca a
CABROS DE
ALUGUEL.
Adolphe Rourgeois abri um ostabelocimenlo
de carros de aluguei no principio da ra da
Aurora por baixo d" sobrado do Sr Moraes ,
no qual acharad as pessoas que precisan m
Novaos e urna letra aeceita por Joao Valentim
Villolla de lOOjrs c urna oidern de 14, mil e
datantorsr.a Viraos e um bilbelede 6,em cobre
de Francisco Jos dos Santos eum recibo acorn-
panbado com urna contu de Francisco Alvos da
Cunha c mais alauns nanois de importancia e
cortos lancamontos portcncentes as casas da Bi
beirar a pessoa que der noticia da que ti-
rou oda earleira dirija-so a ra do (Queimado
a. 29, loja de Joao Antonio Munii Noties que
ter a gratificado de 20. rs. e guarda-se se-
g red o: e declara-se aos mosmos Srs. cima qu
nio paguem a ninguern se nao possou da caza
do abuixo asjignudo ou com sua autorisa-
C.ao. (221
3 Precisa-so de um homem Portuguez e
solteiro para feitor de um sitio muito perto da
pra^a ; quom quizer, dirija-se ao Aterro dos
Afogados armazem de sal n. 218 do Francisco
Xavier das Cbagas. (5)
3 = Aluga-so o 1." andar da casa da r3 d
Cruz por cima da botica de Antonio Maria Mar
ques Ferreira ; quem o perlender dirija-se
ra da Cadeia 3 Precisa-so de urna ama de leite, livre ou
eserava, que tenlia bastante leite e que nao te-
nlia lilbo : dirija-se na ra da Praia de Santa
Rila sobrado n. 1' ("4)
2=0 logisla, a quem, na noute de 2 do
corrente faltou um rolo de lazenda o qual
so spprebendo da mi de um moleque.em ra-
zio de se julgar ser lurtado colligindo se isso
da mesma lazenda edasprovasque elle invo
luntariaaiente do : dirija-se a ra do Cobug
n. 10, que, dando os signaos della, Ihe ser
entregue. r%\
3= Preoisa-se olugar urna casa terrea sen-
do em boa ra e que tenha duas salas e quin-
280 rs. farinha do Maranho a 120 rs.
a,
, lies
preta
hospanhola meias e luvas do soda para homem
jcsciihora, corles do collele de setim Macu
do dilTeronles coros, lencos do setim preto d
dito, ditos escoceses o do Rorja pannos finos
do superior qualidade e mais ordinarios e do
todas as cores merinos, brins do qundros do
muito lindos padroeso do ullimo gusto ditos
(raneados breos muilo finos, cambraia em
cortes com flores decores ditas com listrss as-
selinadas sellins e silbos inglezes de patento
aim de outras muitas fasendas ingle/as de fo-
dasasqualidades, e por proco commodo; na
ra Nova, loja n. 29, do Diogo Jos da'Gosta (18
Vende-se um bonito mulato de 22 annos
ptimo para pagem, e porfolio pedreiro do to-
da obra ; urna preta de 24 annos permita co-
sinheira de furno c Ibgo lava mu bom e en-
gomma ; urna dita do 18 annos propiia para
lodo o servico, e para mucama ; duas dilas
qutandeirase proprias para todo o servico,
mesmo de campo ; urna oegrinha do 12 annos ,
cose mui bem : na ra do Fogo ao p do Roza-
rio n. 8.
Vendem-se duas salvas, um paliteiro, urna
thesoura urna bandeja 24 colhoros desoupa ,
24 ditas de cha tudo novo ; na ra do Livra-
mento botica n. 4, do Rrand iVende-seo liparolio anti-erysipolatoso ;
oes Cinco-pontas, botica n. 4i. (2
Escravos fgidos
cova-
Anda anda fgido, ou urtodo o escravo
de nome Jacinto de nacao Rebollo de 22 an-
nos, bonita figura, bem preto, com urna mar-
ca no poito esquerdo a imitacio de urna ancora,
falla meia descansada toma bastante tabaco ;
fugio no dia 20 de Maio de 1841 ; quem o pe-
gar, leve a ruada Guia, casado 3 andares n.
53, que receber 100# rs. de gratlflcacao, de seu
senhor Manool Anlero do Sonsa Reis.
1 Nodia 31 do p. p. fugio o preto crioulo
de nome Joaquim deidade-de 18 a 19 annos,
altura regular, secco do corpo com todos os
denles da frente ps e naos bem feitos bs-
tanlo preto roslo comprido ; lovou camisa do
da a (iO rs. cafemgrao a 120 rs., alpiste a -algodaoda torrao ccroulas do mesmo .
640 rs. acuia, arroz do Maranho a 500 rgJde algodaozinho ; he bstanle regrista f
dita bolaxinha ingiera quadrada a 280 rs. j'cravo de Jos Thomazde Aquino l'creira mo-
l calcas
o es-
tal com cacimba; quem tiver, e quizer alu-lCo, com oflcio de mannhdro ,
carro* aculados e por preco commodo. 8 gar anuuocie para se tratar do ajuste. (4)' deia do Reciie armasem n. 12.
dita pequea a 240 rs. enchofre a i00 rs.
libra cerveja branca, bocea de prste a 480 rs
a gairafo, dila preta a500rs., baratas a 70 rs
velas de espermacete a 810 rs., ditas de sebo'
imitando a espermacete a 3fi0 rs., dilas de se-
bo de Hollauda a 280 rs. ditas de carnauba a
320 rs. canela nova a 640 rs., graxa 97 a
160 rs. oboio, abanos a 1200 rs. o cont,
cocos a 240 rs. a duzia cordas de embira a
60 rs., proprias para andamies 00 cento a 3500
rs. vassouras de timb a 480 rs. a duzia, azei-
tonasa 280 rs. a garrafa manteiga francesa a
5<">0 rs. banha de porco a 360 rs. ; na ra
estreila do Rozario venda n. 8. (22
2Vende-seno lugar da Baixa-verde um ter-
reno com 40 palmos de frente e 300 do fundo
at a camboa porto de desembarque e bom
baubo iendo urna casa de taipa com 20 pal-
mos de largo ladrilhari com duus quarios,
duas salas; a tratar no Chora-menino, venda
n.D. (7
2Vende-se urna mulata de 40 annos, boa
ama de casa, grande cosinheira o boa engom-
madeira vende-se porque seu senhor vai pa-
ra Portugal ; na ra do Crespo, loja de Domin-
gos Guimares. g
2 Vende-se urna eserava do Angola de 26
annos engomma, cosinha e lava soffrivel-
monte ; em Olinda, sobrado defronle do con-
vento da Conceicao. ^
2Vendem-se dous sofs do oleo feitos no
paiz umjogo de bancas de Jacaranda urna
carteira usada ; dous lavatorios, um toucador
de oleo, um dito do Jacaranda, 3 cadeiras pa-
ra alcova relogios para cima de mesa tudo
porprecocommodo por se querer desoecupar
a casa ; na ra da Cru n. 57, primeiro andar.
2 Vende-se um rscravo crioulo, anda mo-
na ra da Ca-

rador em Rezerro e (reguesia do Limoeiro; quem
o pegar, ievo ao Atierro da Roa-Vista sobra-
do n. 15 de Manoel Caetano Soures Carneiro
Monteiro. \\1
Fugio na madrugada do dia ."> do corrente
urna preta erioula do nomo Maria da i'az, de 25
annos, estatura ordinaria, muito magra e
doentede molest as graves e encobarlas, a qual
lugio por nao querer sugeitar-se a> curativo do
systcma hydropalico ; levou um panno da Cos-
ta com franja as ponas, 3 vestidos dous do
rhila azul o o outio de chita com assento a/.ul
eflores rouxas e algumas camisas em urna
trouxa ; quom a pegar, levo a Fra-dc-porta
n. 83.
I Fugio no dia primeiro do corrente um
preto crioulo de 2 annos ; levou camisa do
maapolao o calcas de panno de quadros de
que se faz sapatos j velha e encarnada bo-
n do pannopreto com urna cicatriz da parte
direita da bocea at ao quoxo; quem o pegar,
leve a ra da Cruz n. 4/ que ser gratificado
generosamente. (g
1 Nodia 29 de Agosto prximo findo fu-
gio do sitio das Roseiras do Mejor Joaquim
Elias do Moiira um seu escravo crioulo do
nome Silvano mostr pedreiro do estatura
regular, secco do corpo bem preto de bonita
fisinomia olhos grandes o vivos, pouca bar-
ba suissas finas falto do denles na mand-
bula superior, quando falla d um geito na
bocea, poitos cabelludos be cantineo, quasl
todo son trabatno he com .< ntioesquerda com
a qual toca Viola per as finas tem urna ci-
catriz no palto do p esquerdo de urna feridaj
quem o pegar, levo ao dito sitio, que ser gra-
tificado. (14
liictfi mTt?. m MF. piFabia.1814.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9J08A55B_HTUOXQ INGEST_TIME 2013-04-26T21:29:14Z PACKAGE AA00011611_08146
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES