Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08142


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^ mo de 1842.
Sexta Fera 50
Tala cor depende de na* meno ; <1. aom prudencia moderado ( energa : coa-
-i.aemoa coate priaci^iMoi e aeremos apontadoa cub a,lnuracfu> entre NacSe, mi
"*'"*' (Proolemacao daAssemblea Geral do traiil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
r.oiaana, Paraiba e Rio grande do Norte, aegandaa e sexiaa feirae.
Bonito b Garanhuns a 40 e 24-
<;bo Sarinhaem, Rio Formo? o Porto Calvo Macei Alagoaa Bol. 11,
Bo.i-vsla-e Flore* 13 6 28. Santo Antao quintas feiras. Olinda lodo o* da*.
DAS DA SEMANA.
V' Se. a. Cypriano e Jiiatim Mm. And. dj .T. de D. da 2. t.
27 l'eic. s. Cosme e Damiolr Re. Aad. do J. de D. dal. .
28 Qaart. Vencealo Duque M. Aud. do .1. de I>. da 3. t.
?'.' IJuint, -I l, Miguel Arclianjo.
.'10 Sexi. s. Jflrooiaw II Dont da Igr. Aad. do J. de D. da 1,' r.
i Sab. w:. Yiriasimo, Mxima, a Julia lr<. Mm. Bej; Aud. do J. da D. da 3.
2 Doaa. O SS. Horario de f Senhora.
de Setembro. Anno XVIII. N. iO.
O Diario puhlica-aa todo. o din qne nao orea Santificado : o preeo da aaaignalnra he
de trr mil rei por quartel pago adiantado. Oa annuncios do aafignante a.io inaeridn
gratis e oa da que o nao forem rarao de 80 rea por linha. As rcclamacea derem *
dirigida a esta Typograa ra da Cruiea D. 3, e>u a prara da Independeacia lo ja. de livrw
Numero 37 r oS.
CAMBIOS no da 2S dr setemrro. compra venda.
Cambio lohre Londraa 25 Nominal.
a a Paria 385 reia p. franco.
a a Liaboa 106 por 100 nominal,
Mn.ila de cobre Jai por 100 de deaconto.
Ida dr letra da boa* limas 1 j a '.
Orno- Mo.dadafi.400 V. l.i.fiOO
a a a N. 18,40*1
a d. 4,000 8,800
PaaTa Patac<> !,SU0
P.toa Coluainar.a 1,800
dito Meiicanoa 1,8(10
a anuda 1 ,HM
lii.fiW
!l O
l.sio
i.sio
1.8 MI
Prtamar do din 30 de Setembro.
1. I horas a 18 m. da aaanha.
2. a I doras e 42 m. da Urde.
PHASES DA LOA NO MF.7, DR SFTRMHHO.
Loa Nova a 4 -- a 7 boraa e 22 m. da tard.
Qnart. cr.ac. a 11 a 1 horaa 4' m da tarJ.
La ch.ia a 19-- *4horas !i ai. da lard.
Qoart, aaiag. a 27 a 0 horaa 47 m. da tard.
DIARIO DE PERNAlIB'G'O.
-i -
PARTE OFFICIAL.
G.0VERN0 DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 20 DO COMIENTE.
OlTicio Ao conamandante das armas ,
dizendo. que em esclarec ment ordem de
17 do corrente respeto da prestagAo de for-
ga qui devem dar os commandantes dos
destacamentos da guarda nacional s autori-
dades policiaes faga constar aos ditos com-
mandantes que devem prestar-se as requi-
sigrtes de forga ordinaria para qualquer dili-
gencia a qual nao pode exceder da 8 pra-
vas ; e que dado o caso de ser exigido maior
tnumero, d>n parte primeiro S. S.*, pa-
ra o communicar Presidencia im de co-
nhecer-se se convern ou nao a diligencia
requerida para evitar-se que a pretexto
do servido fco-se vexagoes e cause-se ter-
ror ao povo com appaiato bellico desnecessa-
rio como aconteceo na noite de 22 do cor-
rente que o subdelegado de Ylaranguape
com i0 pragas'do destacamento d'Olinda poz
em alarme aquelles povos sem que para s-
so houvesst urgencia.
Portara Dividindo em conformidade
de representago do chefe de polica a fre-
guesia de Santo Amaro Jaboato em dous dis-
trictos : tendo por limites o primero os en-
gento os Guyahudo baixo Garana Jar-
dim Calende, Una, e Pogo, inclusive to
da a parte da freguesia a Teste d'elles ; e o se-
gundo os engenhos Guyahu de cima Flo-
resta Moreno!, Serrara e todos os mais
encravados na mesma ao lado do oeste.
Ditas Nomeando em consecuencia de
proposta do chelo de polica Antonio dos
Santos Squeira subdelegado do primeiro ds-
tricto suprainencionado e Joze Mondes Car-
ufiiro da Cunha do segundo.
Odico Ao chefe de polica, scienliican-
do-o da diviso e nomeacoes supraci-
ladas.
Ditos Aos juizes de dreito da prmeira
e segunda varas docrime e aos 3 munici-
paes intelligenciando-osda suprareferida di-
visflo.
Igual participaco se fez cmara munici-
pal d'esta cidade.
Portara Nomeando em conformidade
de proposta do chefe de polica, I.uz Fran-
cisco de Barros Rjigo para subdelegado da fre-
gtiesa de S. Eourenco da Matta.
0|Tco Ao supradito chufe do, polica ,
participando-lhea precedente nomeacao.
|)(o Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda ordenando que faga sejo exami-
nadas as contas que naquella thesouraria
tem de prestar o primeiro commandant de
companlia do corpo de polica, Severino Hen-
rquede Castro Pimentel da quantia que
receb^o para pagamento das pragas da guar-
da nacional de Santo Antao que eslivenio
destacadas naqindla villa : e recebdo o sal-
do que existe em poder do mencionado o-
ficial.
Dito Ao commandante geral do supra-
mencionado corpo communicando ter ex-
pedido a ordem anterior em attengo sua
requisico feitaem ofllcio de iA do cor-
rente.
Portaras Nomeando sobre proposta
do chefe de polica para supplentes do sub-
delegado do distrelo da cidade de Goian-
na em primeiro lugar Antonio Fran-
cisco Pereira, em segundo Manoel Joze Pei-
xoto Guimares em terceiro Manoel da
Silva Barboza em quarto a Joze Luz da
Silva Barboza, em quinto ;i Antonio f'edro
Tavres e em sexto Luiz Francisco de
Paula Reg.
OlBcio Ao chufe de polica communi-
cando ter feilo as precedentes nomeacoes,
Dito Ao commandante das armas, deter-
minando ordene ao commandante da com-
panhia do batalhao destacado estacionado
na cidade de Goianna tju. fornera aigom
soldado ao supplenle do delegado do termo
(('aquella cidade to soliente para trazer of-
fioos Presidencia, e isto em casos muito
urgentes.
Dito Ao chefe de polica participando
oconteudo no anterior oflicio.
Dito Ao juiz de dreito Manoel T.-xei-
ra Peixoto nomeando-o para presidir o an-
damento das rodas da secunda parle da tor-
cira oteria de Nossa Senhora do Rozario da
R>a-vista.
Dito Do secretario da provincia ao escri-
vao da supramencionada lotera iotelligon-
eiando-oda procidente nom^ago.-
Dito Ao juiz relator da junta de justi-
ga remllenlo o procisso verbal, fuito ao
reo Innocencio Joze de Fretas soldado do
batalhao destacado lim de que depois de
visto, o aprsente em sesso da referida
junta.
Dito Ao Exm. e R.mo director do lyceo,
dizendo quelica interaJo do proced ment
indigno que tem tido alguns estudantes do
mesmo lyceo o das providencias que S.
S.-' ha empregado para os chamar ordem :
esignificando-lhe que pode impedir a en
Irada no referido lyceo ao estudante Joze Al-
ves da Fonceca visto que s apparece para
fazer desordens.
Dito Ao delegado do termo do Bonito ,
intelligenciando-o d'haverm sido entregues os
i remiras que remetteo pelo segundo sar-
gento da guarda nacional Joze Avclino Ca-
ra peba.
Dito Ao commandante das armas au-
torisando-o a mandar desligar do batalhao
destacado depois de substituido por oiitro
do corpo da guarda nacional que perten-
ce o guarda Domingos Fcrreira.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional de Goianna scientificando-o de
ter approvado a proposta para olliciaes do I.
batalhao da mencionada guarda nacional ,
que acompanhou o seo officio de 20 do cor-
rente : e determinando-lhe que a faca pu-
blicar e ordene aos nomcados que sollici-
tem suas patentes.
DitoAo t<*nente coronel commandante
do batalhao de guardas naconaes destacado,
mandando-lhe apresentar o guarda Manoel
Joaquim de Santa Auna substituto do guar-
da Anastacio Joze de Santa Anua, a quem
dovia excluir do mesmo balalha>, e passar-
liieguia para oda guardas naconaes do Pao
d'alho a que pertencia.
Dito Ao mesmo significando llio em
resposta ao seo olficio de hontem datado, que
devia requisilar ao respectivo commandante ,
* volla do guarda Joze Al ves da Silva Reg ,
visto ter-se auzenlado o guarda que o subs-
tituio.
Dito Ao delegado do termo de Santo An-
tao communicando-lheein resposta ao seo
oflicio de 20 do corrente que p'cebera o re-
cruta Francisco Rodrigues de Alcantra que
assenlara praga e nao o de nome Manoel
Joze dos Prazeres constante da relagao que
acompanhou o seo citado oflicio.
PortaraAo lente coronel comman-
dante do batalhao de infantaria de guardas
nacionaos destacado mandando desligar do
mesmo, e apresentar na secretaria militar,
o guarda Silvestre Marlns de Jezus que se
offTeceo para servir na primeira linha.
liNThKlOK.
COM MAN DO DAS ARMAS.
BXPBDIENTK DO DA 2"> DO COllREXTF..
Oflicio Ao Exm. Presidente, informan-
do o requerimenlo do lente Manoel Cavil-
cantede Albuquerque, que pedia o pagamen-
to dos vencimentosa que linha direito pe-
lo tempo que commandou o destacamento da
guarda nacional do termo de Santo Aulao ;
isto de 27 de Junho a, f t de Setembro cor-
rente conforme parlicipju o respectivo de-
legado.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. enviando-
lhe para serem deferidos como fosse de just-
ga os requermentos de Joo Joze de San-
ta Anna llenrique Pereira Gomes e da
viuva Anna Roza que pedio os dous pri-
meiros serem desligados do batalhao de in-
fantaria de guardas nacionaes destacado, e
a ultima igual desligamento para seo filho
Francisco Joze da EnearnagSo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. transmet-
tindo-Ihe informado para ser presente a S.
M. o Imperador o requerimento de Mara
do Sacramento que pedia demisso para seo
filho nico Felippe de Santiago soldado do
batalhao provisorio.
DitoAo coronel do imperial corpo de
engenheiros Firmino Herculano de Moraes
Ancora participando-lhe que se deve re-
colher a capital do imperio em eonsequen-
cia d'ordemdeS. M. I. expedida pela re-
parlgo da guerra em aviso de 31 de Agosto
prximo passado.
RIO DE JANEIRO.
Relagao dos despachos publicados na corte do
Rio de Janeiro pela secretaria de estado
dos negocios da guerra em 7 de setembro
dt 1842, anniversario da Independencia
do Brazil contando anliguidale osoflici-
aes promovidos do faustissmo dia 18 de ju-
Iho do 1841 da sagraco e coroacao de S.
M. o Imperador.
Tenentes-generaes graduados : Os ma-
rechaes de campo, Francisco Jos- de Sonza So-
ares de Andrea e Jos Joaquim de Lima e
Silva.
Marechal de campo effectivo : O mare-
chal de campo graduado Antero Jos Ferrei-
ra de Brito.
Brigad'-iros effectivos : Os brgadeiros
graduados Joao Carlos Pardal, Francisco
Xavier Calmon da Silva Cabral, Jos de S
liilancoiirl Cmara e Joze Joaquim Coelho.
IMPERIAL CORPO DE ENGF.NHEIROS.
Coronis efleclivos :Os coronis gradua-
dos Firmino Herculano de Moraes Ancora ,
Joo Vicente Gomes da Silva e Antonio JoAo
llangcl de Va:oncellos. Os tenentes-corones
ellVctvos Antonio Joaquim de Souza, An-
tonio Nunes de Aguiar e Paulo Barbosa da
Silva.
Tenentes-corones effectivos : O lenle
coronel graduado Polidoro da Fonseca Quin-
tanilha Jordo. Os majores efleclivos Patri
co Antonio de Sepulveda Everard, Pedro de
Alcntara Bellegarde. Jernimo Francisco
Coelho eGaldino Justniano da Silva Pimen-
tel.
Tenentes-csroneis graduados : Os majo-
res eflectivos, Felicio Fortes de Buslamante
e S Frederico Leopoldo Cezar Burlamaque,
Antonio Manoel de Mello Frederico Carnei-
ro de Campos Manoel Estanislao de Castro
e Cruz Ricardo Jos Gomes Jardim e Sebas-
tio do Reg Barros.
Majores (lectivos Os majores gradua-
dos Joze Xavier Garca de Almeida Joze
de Paiva e Silva Jos de Victoria Soares de
Andrea Julio Frederico Koeler e o capito
effectivo Joaquim Candido Guiolbel.
Majores graduados : Os capitaes efleclivos,
Gustavo Adolfo Fernandes Pinheiro da Cunha,
llenrique de Beaurepaire Roan Andr Cor-
deiro de Negreiros Lobato, Luiz Joze Montei-
ro Alexandre Manoel Albino de Carvalho ,
Joze Joaquim Rodrigues Lopes e Jacintho Vi-
eiro do Couto Soares,
CapitAo ell'i'ctvo : O primeiro tenonte ef-
fectivo loo Vito Vieira da Silva.
Primeiros-lenenfes graduados : Os se-
gundos-tenentes Joze Joaquim de Avila ,
Innocencio Velloso Paderneira e Cliristiniano
Pereira de Azevedo Coutinho.
Coronis graduados de arlilharia : -Os te-
nentes-coron 'is effectivos Antonio Cardoso
Pereira de Mello o Cypriano Joze de Almeida.
Coronis graduados de infantaria : Os te-
nentes-coroneis elTectivos Joze Soares da
Costa Reis Jo/.e Gervasio de Qairoz Carre-
ra Manoel Moniz Tavares Feleciano Joze
Xeves Gonzaga Trajano Cesar Burlamaque.
Tenentes-corones electivos de. arlilharia :
Os tenentes-coroneis graduados Ignacio
Correa de Vasconcellos Joaquim Joze Vello-
so Pedro Luiz de Mmezes, Joze Vicenta do
Amorim Btzerra e o m>jor effectivo Joze
Pedro de Alcntara.
Teneute-coronel effectivo de ('.avallara :
O tenente-coronel graduado Joo Antonio
Mmdes Tota.
Tenente-coronel ell'ectivo de infantaria : -
O tenente-coronel graduado Feliciano Anto-
nio Falco.
Tenentes-coroneis graduados de arlilharia :
Os majores efleclivos Francisco Flix de
Macedo e Vasconcellos, Manoel Pinto da Mot-
la Soldonio Joze Antonio Pereira do Lago,
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonga, Joza
Mara Ildefonso Jacoino da Veiga Francisco
Raymundo Corroa de Fana Baro da Boa-
Vista e Antonio Gomes Leal. '"
Tenentes-coroneis graduados de ca vallara :
-Os majores effectivos, D. Joze Carlos da
Cmara Francisco Telles Carvalhal e JoAo
Francisco dos Santos.
Tenentes-corones graduados de infantaria :
Os majores efleclivos Joo Boberlo Ay-
res Carneiro Anselmo Alves Branco Muniz
Brrelo Antonio Joze do Carvalho Anto-
nio Joo Fernandes Bizarro Gabizo Antonio
Fernandes Padilha Porlrio Ennio de Ouei-
roz Carreira Alexandre Maria de Carvalho
e Oliveira e Joo Vieira da Silva. t
Major effectivo de arlilharia : O major
graduado Pedro Antonio Velloso da Silveira.
Majores eflectivos de cavallaria : Os ma-
jores graduados, Antonio Herculano Pereira
Taborda e Joo Antonio de Oliveira Lobo.
Majores efleclivos de infantaria : Os ma-
jores graduados, Manoel Joaquim de Olivei-
ra Pacifico Antonio Xavier de Barrse Joze
Lucs Soares R a pozo da Cmara.
Majores graduados de infantaria : Os ca-
pites effectivos Joze Joaquim da Silva San-
tiago Luiz de Queiroz Coutinho, Sabino
Joze da Gama Lobo Joze Joaquim do Couto,
Joze Maria de Azevedo Joze Pol\ carpo Pes-
soa de Andrade Antonio do Dos e Costa ,
Joze Antonio da Fonseca Nicolao Tolenti-
no de Vasconcellos Joze Antonio da Fon-
seca GalvSo, Francisco Joaquim Ferreira de
Carvalho, Francisco Lopes Jequirig Joze
AiiIonio Pinto Aflbr.so de Albuquerque o
Mello, joze da Silva Guimares jnior e Joa-
quim Rodrigues Coelho Kelli.
Capites eflectivos de infamara : Os l-
enles eflectivos de infantaria Thomaz Joze
Mojiiz Manoel Ignacio de Barros Paim, Ma-
noel Carlos Marlns, Miguel Ferreira Cabral,
Simo Antonio Alves Antonio Joze de Sou-
za Couceiro Generoso Antonio de Moraes
Cambar Antonio Carneiro Sampaio Ma-
noel da Silva Cabral Francisco Xavier Cor-
ilero joze Valente Cordeiro Diogo Garcez
Palha Theodoro Pereira de Castro Joze
joaquim Nabueo de Araujo Justino Francis-
co da Silveira, Salomao joaquim Ramos, Joa-
>]uim Joze da Silva Lisboa, jo<> de Castro e
Silva Basilio Magno da Silva. Eas joze Ro-
drigues da Silva e Hilario Maximiano Gur-
jo.
Tenentes eflectivos de infantaria : Os al-
feres da mesma arma, Manoel Pereira do L*~

1


2

go Francisco Caetano da Silva, oz gorio dejpzus L& lislu H -nriques M i -l X-
ranha Manoel IVreira da Silv.i. joaquim-la
Silva Ferreira jnior Francisco Antonio ilf
Fonseca Galvo, Domingos jowj Freir de
Carvalho, Manoel de Oliveira Guimares,
Pedro joze Pereira joaquim Francisco de
Oliveira Campos joze Augusto de Menezes
Prestes Gulherm.; Leopoldo da Freitas,
Manoel da Costa Falro e Brilo, Gregorio An-
tonio da Silveira .Theodoro joze Ferreira de
Castro, joze Thomaz Hanriques jnior, lien-
to joze Goncalves Joze Teixeira da Silva
Freir Joze Antonio Marinho de Queiroz.
Alferes le cavallaria do exercito : 01."
sargento do esquadrode cavallaria das guar-
das nacionaes da Cruz Alta da provincia do
Rio Grande do Sul, Thomaz Esteves, em
rcmunerago do servigos relevantes por elle
prestados no dia 23 dejulho do corrcnteanno.
Maijores graduados de arlilharia : Os ca-
p tcseffecti vos Joaquim da Costa Pinheiro ,
Jos Caetano de Andrade Camiso Jos
Francisco de Paula Cavalcante Joo Pedro
* de Araujoe Aguiar Gonzalo Severo de Mo-
raes Francisco Jos de Oliveira Manoel
Jos Vieira Hygino Jos Coelho Thomaz
de Aquino Penalva Jos Correa de Castro ,
Francisco Vicente Vianna Jos Macario Vel-
loso Sergio" Tertuliano Casteo Branco ,
Manoel Jos de Sousa Conceigo.
Capitaes eflectivos de arlilharia : Os pri-
mearos tenentes de arlilharia Manoel Jos 0-
nofre Francisco de Assiz Chagas, Joze Joa-
quinTGongalvcs Neves, Dmbellino do Nas-
cimento Fortes Isidoro Joze da Bocha Bra-
sil.
Primeiros tenentes eflectivos : Os segun-
dos tenentes Salvador Coelho de Drummond
c Albuquerque Manoel Lopes Maciel Cle-
mentino Antonio Delgado Antonio Maria
de Castro Delgado Joa Marinho Cavalcanti
do Albuquerque Joze Ignacio de Medeiros
Reg Monteiro.
BAHA.
Revemos a hum amigo a communicaco
do seguinte.
Resumo dos 50 collegios conhecidos da capi-
tal brante Itaparica S. Francisco ,
Nazareth Jaguaripe S. Amaro Feira ,
Maragogipo, Valenga Camam, Inham-
bupe, Caihoeira, Purilicago, Cair, llhos,
ltapicur villa Nova da Bainha Rio de
Contas. Jeremoabo Victoria Jacobina ,
Pombal, Monte ^anto, Caetit, Senlo-S,
Porto Seguro Joazeiro Pamb Maca-
bas Carinhanha Monte Alto, Campo
Largo Urub Chique-chiquc e Villa
da Barra.
*);>:>
906
891
880
850
858
851
775
7o 1
7l9
"18
684
683
G77
Dr. Joze Alves da Cruz Rios
Conselheiro Thomaz Xavier Garcia
Arcebispo da Bahia
Coronel Manoel Joaquim Pinto Paca
)r. Francisco Antonio Bibeiro
Dr. Francisco Goncalves Martins
Dez. Antonio Simos da Silva
Dr. Joze Antonio de Magalhes Castro
Conselheiro Manoel Antonio Galvo
Antonio Pereira Rebotigas
Dr. Joao Mauricio W'atiderley
Dr. Angelo Monz da Silva Ferraz
Dr. Theodoro Prxedes Froes
Dez. Joo Joze de Oliveira Junqueira
Supplentvs.
Conselheiro Francisco Ramiro d'Assis
Coelhu
Dez. Ernesto Ferreira rranga
Conselheiro Joaquim Joze Pinheiro
Dr. Amancio joo Pereira de Andrade
Dr. Innocencio Marques de Araujo Goes
Dr. Joze Ferreira Souto
Dr. Joze Joaquim Novaes Rocha
Eustaquio Adolfo de Mello e Mattos
Paulo Joze de Mello
Conselheiro Joaquim Marcelino de Brilo
Dr. Francisco G Acayaba Montezuma
070
040
050
03.'
033
051
051
027
023
G15
()08
MINAS UERAES.
Pormenores do combale de Santa Luzia.
li|oi. e Exm. Sr. Tenho a honra de a-
presentar a V. Ex. para ser presente a Sua
Mageslade o Imperador a inclusa ordem do
dia 20 do corrente na qual se acho mencio-
nados os pormenores do ataque le Santa Lu-
zia' onde estavo reunidas todas as forgas
rebeldes eumprindo-nic accrescentar que o
numero dos morios da parle dos inimigos tai-
vez seja o dobro daquelle que vai declarado
na ordem do da por isso que nao lendo si-
do possivel explorar todo o campo da batalha
logodepois da acgo por ter esta lindado ;i
noite tem-se dcscoberto al boje mu i tos ca-
dveres nos bosques vizinhos.
Dos guarde a V. Ex. Quartel-general eraJ
Sabara 25 de agosto de 1842. Illm. e
'ah. Sr. ministro e secretario de estado dos
negocios da guerra. --- O general Bario de
Caxias.
Quartel general do exercito pacificador da
provincia de Minas Geraos no Arrayal de San-
ta Luzia de Sahara 20 le agosto de 1842.
ORDEM DO DIA.
Bravo exercito pacificador da provincia de
Minas Geraes E' eludo de prazer e de orgu-
Iho que vou descrever o brilhantu feito d'ar-
mas que hoje leve lugar praticado por duas
de nossas columnas contra todo o exercito re-
belde.
Constando-me que os revoltosos desla pro-
vincia em numero de 3,300, se havio con-
centrado neste Arrayal pela grande defensa
que elle offerece e que aqu se dispunho
para receber o ataque que eu premeditava fa-
zer-lhcs'com duas das columnas que oceupa-
vo a cidade de Sabara e villa de Caeth liz
marchar, no dia 18 do corrente, a 3J co-
lumna ao mando doSr. coronel Joze Joaquim
de Lima e Silva da dita villa pela estrada
da Lapa com drecco a este ponto ; e or-
denei-lhe que arampasse vista das vedetas
inimigas que sa achavo postadas daquelle la-
do : 400 guardas nacionaes eommandados
pelo tenente-coronel Francisco de Assis A-
thaide e dirigidos pelo major do imperial
carpo de engenheiros Jos da Victoria Soares
de Andrea segu rao no dia 19 de Sabara pe-
la margem esquerda do Bio das Velhas at to-
mar urna posigo tal que podesse em pouco
lempo assenhorear-se da Ponte Grande si-
tuada retaguarda deste Arrayal, e ao dito
lente coronel ordenei que aparentasse por
todos os meios ao seu alcance o ataque do
grosso de minhas forgas por aquelle lado ;
porm que nao empenhasse o combate sem
que o fogo livesse rompido pelas columnas ,
que devio atacar pelos dous outros lia neos ;
e esta madrugada testa da 2" columna ,
com mandada pelo Sr. coronel Jos" Leite Pa-
checo que nessa occasio servia de centro de
operages, marchei da predicta cidade de Sa-
bara pela estrada que segu directamente pa-
ra este Arrayal ,.com o intento de acampar a
legua e meia de distancia do principal ponto
de ataque e com o fim de tirar ao inimigo a
attengao pelo lado por onde eu pretenda ata-
car no dia 21 e obriga-Io a cortar a mencio-
nada ponte unir retirada que lhe poda con-
vir; porm ter.do um infame desertor de-
latado na vespera aos rebeldes quaes as ver-
daderas forgas de que eu dispunha e as po-
ziges que oceupavo fizero logo sobre a
forga do dito tenente-coronel Athaide que se
achava do outio lado da ponte um ataque
com dobrada forga da que ellelinha ; o que o
obrigou a ir oceupar a posigo da vespera. En-
>o voltando os rebeldes toda a Ma attengao
sobre a columna do centro com a qual eu
marchava dispozero-se em successivas em-
boscadas desde o Alto do Tamandu at ao
Arrayal que dista legua e meia e ah me
esperro.
A's 8 112 horas da manha encontrou-se
a vanguarda da referida columna com 200 re-
beldes que rompro immediatamenle o fo-
go sobre ella de dentro das vallas e malas em
que se achavo occultos ; dahi travou-se o
combate esempre de posigo em posigo ,
a passo de carga, foi o inimigo dellas rechaga-
do al que oceupou a aita colina que domi-
na o Arrayal.
Nao sendo minha intenco atacar hoje, tra-
tei de tomar posigoes alimde amanha em-
penhar o combate formal ; porm os rebel-
des tomando semelhanle resolugo por fra-
queza reforcro o ataque com perto de
3,300 caradores o urna prca de calibre 3,
coilocada em urna altura que dominava o meu
campo: forooso foi resistir com os 800 bra-
vos que compunho a segunda columna e o
combate pareca decisivo pois que o inimi-
go j nos piocurava Ibinqucar pela esquerda ,
e envesta sobre as nossas duas pegas de ar-
lilharia, que jogavo com pouca vantagem
para a posigo dominante que elle occtipava.
Neste momento ( enlAo 3 horas da tarde) ,
ouviro-se as descargas da terceira columna ;
porque lendo sou bravo chefe, o coronel Jo-
s Joaquim de Lima e Silva ouvido o estre-
pito do renhido combate em que eu me acha-
va empenhado desde as 8 e meia horas da ma-
nhAa apenas com 800 homens contra niais
de 5,000 r beldes bem armados e municia-
dos e conhecendo que o momento do ata-
que ordenado para odia 21 tinha poralgo-
ma oceurrencia que elle ignorava sido anti-
cipado ; sem se importar com a forga que os
rebeldes havio posto de observago sua co-
lumna avancou Com a rapidez do raio, e
ealiiosobre o flanco esquerdo do inimigo. Ob-
servando eu esse movimento chamei a at-
teneao dos rebeldes que me alacayo para,1
maior distancia aim de os fazer descer das
alturas que oceupavo facilitando assim a
entrada da terceira columna no Arrayal: o co-
nhecendo que tinha conseguido o meu fim ,
immediatamente contramarchei sobre elles ,
e com urna carga de baioneta que em pes-
soa dirigi dada pelo segundo batalho pro-
visorio composto, em grande parte, de
guardas nacionaes da vill i de Mag. comman-
dado pelo s"u digno chefe o tenente-coronel
Guilhenne Pinto de Magalhes e pelo pri-
rneiro batalho provisorio de primeira linha
ao mando do major Bento Thomaz Gongalves,
consegu em menos de meia hora desalo-
jar o inimig> do posigoes que parecio inex-
pugnaveis obrigando-o a abandonar a pega
de artilhara que havia collocado na maior al-
tura do Arrayal: bem como grande porgo de
munigoes de guerra e boca muito armamen-
to e cerca de 300 prisioneiros, ficando o cam-
po juncado de cadveres.
Descrever os actos de valor de todos os bra-
vos das duas columnas qu durante todo esse
dia se batro quasi impossivel; todos fi-
zerao seu dever todos se tornro dignos de
admirago ; mas innegavel que o dito coro-
nel Jos Joaquim de Lima e Silva o major
Luiz Jos Ferreira commandante do bravo
8o batalho \ o capito Luiz Jos dos Reis
Monte-Negro, meu ajudante de ordens ; o
capito de commissoAndr Pinto Ruarte, e
o meu ajudante de ordens Carlos Miguel de
Lima e Silva pratirro prodigios de valor ; e
que o tenente Antonio Jos de Oliveira Fra-
gata e os alferes Jos Joaquim de Barros, joa-
quim Francisco de Oliveira, joaquim Cor-
rea de Faria e jos Luiz Teixeira Lopes mui-
to se distinguiro.
Eu faltara ao meu dever se nao patenteas-
se o meu reconheciment aoSr. coronel com-
mandante da 5a columna, por laver com tan-
to discernimenlo e acert carregado sobre o
Arrayal, logo que conheceu que o ataque ge-
ral se tinha anticipado e a elle semduvi
da a quem se deve a gloria dste dia. 0 Sr.
coronel Jos Leite Pacheco commandante da
2" columna com quanto nada podesse fazer
sobre si por isso que eu em pessoa diriga a
sua forga mostrou sangue fri e nesse dia
cumprio muito bem as minhas ordens. O
Sr. coronel Jos Manoel Carlos deGusmSo ,
meu ajudante general, e o Sr. tenente coro-
nel Antonio Nunes de Aguiar quartel-mes-
tre general foro ineansaveis no cumpri-
mento de seus deveres. Os meus ajudantes
de ordens Agostinho Maria Piquet o Gasto
Luiz Henrique Escragnolle que nao loro
por mim encarregados de dirigir forgas ata-
cantes bem como o infatigavel capito en-
genheiro desta provincia Fernando Halfeld ,
o tenente-coronel da guarda nacional Antonio
Pinto Morara c o capito da guarda nacional
de S. Paulo Francisco de Paula Salles que
tamben) se achavao s minhas ordens, foro
inseparaves de mim as occasies de maior
perigo. 0 major de biigada da 2* columna
D. jos Carlos da Cmara a quem encarre-
guei a direcgo da 1 guarda a vaneada foi
quem rompeu o fogo contra os rebeldes em
Tamandu e mostrou que sabia cumprir
seu dever como militar. O major do imperi-
al corpo de eng;nheiros Ernesto Augusto Ce-
sar Eduardo de Miranda mostrou roragem e
inteligencia e outro tanto aconteceu com o
major Fortunato Barbosa de Menezes. O 2o
tenente Ernesto Antonio Lacance ajudante
decampo da 2" columna procurou dislin-
guir-se animando os soldados e communican-
do as ordens com promplido ; o que igual-
mente fez o major do corpo de engenheiros
Felicio Fortes de Bustamante S assistente
do ajudante ceneral ;. e o segundo tenente do
mesmo corpo Antonio Pedro de Alencastro .
assistente do quartel-mestre-general eo2
tenente Carlos de Moraes Camizo. Os em-
preados de saede cumpriio bem suas obri-
gagfles ; por entre as balas eu os vi militas
vezes soccorrer os feridos merecendo espe-
cial meiicSo seu chefe o cirurgio-mr de di-
viso Antonio jos Ramos. O major Manoel
Pinto da Molla commandante-geral de arti-
lhara poitou-se com dignidade e muito
bons tiros dirigi contra o edificio em que es-
tavao abrigados os rebeldes nao obstante a
desvantagem de posigo. Os batalhes de
de guarda nacional de Caeth e Serr com-
mandados pelo coronel Faustino Francisco
Branco sostentrao-se com dignidade todo o
lempo que durou o combate, e o mesmo pra-
ticon o batalho de Sabara.
A victoria nos cuslou 0 ofhViaes feridos ,
ilos qtiacs 3 gravemente ; 4 contusos sendo
um delles o bravo major Luiz Jos Ferreira ,
commandante do 8o batalho de cacadores de
I' linha : o o outro o denodado capito Mon-
te-negro ; 2 cabos a 10 soldados mortos c
0 soldados feridos. 0 inimigo leve vistos
no campo, 49 mortos, grande numero de fe-
ridos e 500 prisioneiros inclusos 10 dos
princpaeschefes da revolla.
A rebellio nesta provincia recebeu o ulti-
mo garrote ; nunca mais os rebeldes ousa-
ro" encarar os bravos e disciplinados soldados
do exercito pacificador ; elles vago em dille-
rentes direcgfies sem chefes exhaustos de
munigoes de guerra e armamento pois que
quasi todo tem cabido em nosso poder. Fa-
zem hoje justamente dous mezes e quasi
mesma hora que eu do palacio do intruso
presidente da provincia de S. Paulo em So-
rocaba annunciava urna victoria ao exercito
daquella provincia ; ella foi sem duvida para
mim de muito maior apreco porque nao
custou derramamonto de sangue brazileiro ;
porm vos sabis que nao temos sido os a^-
gressores; sobre as cabecas oesses ambiciosos
desordeiros recahe a maldigo do co. Nos
cumprimos o nosso dever, sustentando a mo-
narchia e as leis do paiz que nos vio nascer ,
em quanto que elles Ihes desobedecern e a-
narchiso o imperio.
Baro de Caxias, general em cliefe.
HUlilll HE PERNAMBUCO.
SmSmmmiSiSSimSSr
SETEMBRO 29.
Hoje parti deslo porto para o Rio de Ja-
neiro o Vapor lpiranga conduzindo 160 pra-
gas do Batalho provisorio as quaes com as
que embarca rao com o mesmo destino nos
Vapores Guapiassu e Paquete do sul com-
pleto 300 que foro requisiladas a Presiden-
cia desta Provincia pelo Governo de S. M.
Ao ver o garbo com q' toda esta gente embar-
cou, a disciplina com q' o digno eommandaute
daquelle Batalo o sr. Tenente Coronel Fa-
villa o tem criado nao podt mos deixar
de prognosticar que esses 300 homens sao
outros tantos bravos q' vo pugnar pela esta-
hiliiiade do Ti)roo Brasileiro nessas cam-
pias do Ro-Grande, onde o nome Pernam-
bucano se" tem Ilustrado e feito conhecer.
Consta-nos que o brioso Tenente Coronel pe-
dir ao Governo que no caso da igual re-
quisigo se digne faze-lo marchar com os
seus soldados : he huma supplica qub fa-
zendo-lhe honra he de tanta justiga qua lhe
nao deve ser indeferida. O batalho provi.
zorio ainda fica com cento e tantas pragas.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento dodia28 de Setembro 800*412
DESCARREGAf HOJE 30 DE SETEMBRO.
Escuna Americana = Alicia = Farinha e
20 fardos com fazendas.
Brigue Escuna Americano =Bozaro=Taboa-
do de pinho.
Escuna = Calharina = Potassa queijos ,
vidros ferragens o fazendas.
HOVIMENTO DO PORTO.
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 27.
Santa Calharina; 50 das Patacho Brasileiro
Lobo de 115 tonel, Capito Joze Alves,
equip. 9, carga farinha: a Manoel Ignacio de
Oliveira-, passareiro Joaquim Francisco da.
Silve.ira brasileiro.
Rio de Janeiro ; \o das, Barca de Vapor
Brasileira Sao Salvador Commandante
Simplicio Joze de Mello; passsageiros
Brasileiros : Dom Abbade Fr. GaldinodeS.
lgnez, Fr. Antonio do Carmo, Joze Antonio
Fernandes, Leonel Estellitas Femandes Ne-
to Carlos Pretiz Dinamarquez ; Fran-
cisco Frederico Krucbumberg,|Hamburguez;
Joze da Silva Peres e Manoel de Almeida
Bastos, Poi tuguezes; Thomas Goslmg ln-
glez, para o Para.
ENTRDOS NO DIA 28.
Baltimore ; 00 das Escuna Americana Ali-
cia de 99 tonel Capito Dukehard, equip.
8 carga : farinha de trigo e mais gene-
ros a L. G. Ferreira & Companhia.
New Zealand; 4 mezes tendo Sahido de Sag
Babor a 25 mezes. Barca Americana \eno-
phora de 385 tonel, Capito William A.
Jones equip. 2i carga azeite de peixe :
a Joze By.
Monte Video 42 dis Brigue lnglez Sylpn ,
de 154 tonel Capilao Wiliam C. llobson,
equip. 10, carga carne: a Frederico Robil-
liard.
SAIUDOS NO MESMO DA.
Ass; Brigue Brasileiro S. Joo Baptista ,
Cap. Joze Gonsaives Bocha, em lastro ;
passageiros Bento Antonio Torres Hes-


,&
parrliol; e Manoel Cae tao da Silva Por-
luuez.
Parahiba Lancha Brasileira Pureza ra Mestre Joe Mara carga dt Iteren te
gneros.
SAHIDO NO DA 29.
Rio do Janeiro ; Vapor Brazileiro Ypiranga ,
le 120 tone!. ; comoiandante Antonio Car-
los rig i ira de pigueiredo; equip. 14, pas-
saueiro o tenente Jos \lves Pimentel com
100 prajjas e l Pairo Barbadinho.
"editaes.
O Illm. Snr. Inspector da Thesouraria desta
Provincia em cumprimeuto da ordem do Tri-
bunal do Thesouro Publico Nacional do 7 de
Margo prximo lindo manda fazer publico o
Artigo 20 da Le de 30 de Novembro do anuo
passado, eos Captulos209 e 210 do Regi-
ment da Fazenda abaixo transcriptos. Se
cretaria da Thesouraria de Fazenda de Per-
nambuco 8 de Abril de 1842.
Joaquim Francisco Bastos ,
Oficial Maiur.
Artigo 20 da Le de 30 de Novembro de
1841.
Do 1. de Janeiro de l84em diante nao tar
maislugar inscripgAo alguma de divida passiva
lluctuante, mandada fundar pela I,e de 15 de
Novembro de 1827 a excepco daquellas que
ne-sa poca se acnarem em lijudagAo ou
penderern de processo judicial (cando inte-
jinamenle prescriptas e perdido para os ere-
dores o direito de requererem a liquidigo ,
< pagamento delias. Da misma data em (li-
ante lico em vigor os captulos 209 e 2(0
,lo Regiment da Fazenda assim pelo que
respeita a divida passiva posterior ao anno de
1826 existente at boje ea divida futura ,
como pelo que respeita a toda a divida activa
da NagSo. O Governo dar toda a publicidad*
disposigAo deste Artigo e dos referidos
Captulos.
capitulo 209.
Que passando cinco annos as partes que nelles
nao requererem as dividas que Ihes El-
Rei dever perco seu direito.
Por quanto ate agora em nossa fazenda
multas vezes aconteca algumas pessoas dei-
xarem em alguns annos de tirar e requerer
suas tencas assentamenlos corrigimentos ,
e mantimentos que de Nos havio de haver,
e se do ordenadamente cada anno na dita
nossa fazenda por nossos Olficiaes quando
pelas partes sao requeridos ; e quando vinhao
pedir seus despachos era fadiga e traba-
Idos buscarom-se livros, e registros dos an-
uos passados para ver se os tinho tirado ou
nao e ainda sobre isso se recrescio outras
duvidasque muitas vezes os taes dinheiros
lites ero tirados ou passados ou por ou-
tros respeitos e justos impedimentos tirados
porque os nAo deviao haver ou por nosso
mandado ou por satisfaco ou por erros ,
ou trocas ou outras couzas; e quando isla
depois se re.ueria em nossa fazenda nossos
Officiaes nAoerAo em lemhranca das taes cou-
zas por se nao es'reverem algumis vezes ou
seerrarem os tituios delles nos registos, e
umitas vezes aconteca de Ihes serem despa-
chados e irem duplicados os ditos dinhei-
ros e pagos diias vezes e assim os donos ,
u seus herdeiros e outras algumas pessoas
estarem sobre isso em grandes debates e
duvidas nao sabendo que os tinho j assim
havidos ou assim mesmo se Ihes r.Ao despa-
chavo sempre ficavo em duvida se verda-
deramente Ih'os ddViSo ou nao ; oque pela
qnanlia dos annos e mudangas de nossos
OKiciaes e grande negocio de nossa fazenda
a verdade verdadeiramento se nAo podia sa-
ber : e querendo Nos a isso prover deter-
minamos queremos., e mandamos que da-
certido for.posta tero lugar para outros
cinc.t annos poderem requerer, e havorem
seus pigam mtos assim da cinco em cino
anuos quanlo fossera Ues as dividas que
por alguns respetos so nao pol^ssem pagar
no dito tempo : e quem assim o nao fizar ,
queremos que dahi em diante assim mesm >
nAa seja mais ouvido nem mohecido de tal
lvida ; porque por boa ordenacao e Rn
gimento de nossa fazenda e por evitarem
duvidas tuvemos por bem que se faga as-
sim : salvo quando a parte mostrar tal cauza,
por onde se mostr no dito tempo nAo poder
por si ou por outrem requerer nem haver
cerlidfio cima conten la.
CAPITI'LO 210.
Do tempo que se podem demandar as dividas
deEl-Rei.
Mandamos que por nossas dividas se nao
faca penhora nem execugAo nem outro
algum constrangimento depois de serem pas-
sados quarenta annos, alvo se por nossa
parte e em nosso nome for allegado, e pro-
vado que foi feita interrupgo que forAo es-
tas dividas pedidas ou osdevedores penho-
rados, ou houverem de Nos espago ou por
outra semelhante maneira : e do tempo da
intereupgAo nao forem ainda passados os qua-
renta annos.
Vicente Thomaz Pires de Figueredo Carilar-
go Commendador d'Ordem de Christo ,
Inspector da Alfandega dePernambuco por
S. M. I. Que Dos Guarde &c.
Fago saber que em 30 do corrente mez ao
meio da a porta d'Alfandega sero arrema-
tadas em praca duas caixas com perfumaras
impugnadas pelo 2 escripturario Jos.'-Fide-
les Barrozo de Mello no despacho por factura
de L. Brugueire sobn. 1076 no valor de
45 reis sendo o arrematante sugeito ao pa-
gamento dos direitos. Alfandega 27 de Se-
tembro de 1*842
V. T. P. de f. Camargo.
AVISOS MARTIMOS.
Sai para Lisboa u brigue portusuez Jo-
zefina Emilia deve seguir no dia 6 do pr-
ximo Oulubro ainda recebe alguma carga e
passageiros: trata se com o capitAo na pra-
ga do commercio ou com Thomaz d'Aqui-
no Fonceca na ra nova D. 21.
= Para o Aracaty com brevidade o pata-
cho nacional Laurentina capillo Antonio
Germano das Naves : quem no mesmo qui-
zer carregar por cmodos fretes e ir de pas-
sagom dirija-se ao seu proprietario Louren-
go joze das Neves fu da Cruz N. 52.
L E I L E S.
qui em diante qnalquer pessoa de qnal sorte ,
e qualidade que for que dentro de cinco an-
nos nAo tirar ou requerer as Cartas, e de-
sembargos dos ditos despachos cima declara-
dos, dahi em diante nAo Ihes sejAo mais da-
dos nem sejo as partes sobre isso mais oli-
das. Outro sim pelo dito modo mandamos
que a dita maneira se tenha em todas asi" '\ ~ p i ^_
dividas que Nos llevamos, a que sejamos o- Venda ; Tcl ia \jUCIA E5I.
brigados de nossa (azenda asim por nossas I ^am|Jjsja Yieifa JTlia do
= O corrector Oliveira continuar sba-
do l.'d'outubro s 10 horas da manlifi, no
primeiro an lar da casa onde existe o tanque
d'agoa prximo ao theatro a venda de
grande e valiosa porgAo de mobilia de casa ;
um piano, e de muitos outros objectos de bom
gosto e utilidade os quaos ficrAo em ser
do ultimo leilopor falta de lempo, e que por
isso sero vendidos por pregos mais diminu-
tos para final liquidago.
__ A direcgAo da extinta sociedade-Ami-
zadenosUne-faz corto ao publico que hoje
pelas 10 horas da manh de conformidade
com oartigr.i)Odosseusestatutos,SJ venderlo
emleilAo todos os seus utencilios.e entre elles,
muito boas cadeiras de Jacaranda &c. cujo
lelAo ser presidido pelo sr. Doutor juiz d
Direito da 5. vara docivel na caza que foi
das sesses da mesma junto a em que mora
o sr. Arsenio Fortunato da Silva 2. andar.
AVISOS DI VERSOS.
AS rodas da lotera do
Rozaro correm ofa-
Hvelroente a 5 de Outu-
bro, os bilhetes achao-se a
Jlo Joze de Mello subdito Portu-
guez, retira-se para a provincia da Paradi-
na com sua familia.
PILUL.iS VEGRTAES E UNIVF.IISAF.S AMERICANAS.
tsr O nico deposito delias de em caza de
D. Knoth, agente do Author, na ra da Cruz
n. 57.= N. B. cadacaixinha vai embrulha-
da em seu receituario com o sello da caza
em lacre preto.
sar Joaquim Joze Gil, subdito portuguez;
retira-se para Alagoas.
xssr O cirurgiAo Francisco JozeCirlho Lo-
l mudou a sua residencia para o pateo de
S. Pedro sobrado da quina D. 1.
tST O abaixo assignado faz sciente que
ninguem contrate negocio algum com a mi
Jo abaixo assignado a Snr.' Francisca Xavier
do Espirito Santo moradora na rua do Cano
do bairro de Santo Antonio sobro urna es-
crava de nome Mariana de Hade de 18 annos
poiso abaixo assignado protesta anular qual
quer venda ou hypotheca que poracazo possa
aparecer.
Francisco Antonio Bastos.
es Joze Miguel dos Santos subdito portu-
guez retira-so para Lisboa a tratar de sua
saude.
Of" Dezeja-se falar com os Snrs. Joze Fran-
cisco do Reg Barros e Jos Aprigio Pereira
da Silva Castro Sicupira a negocios de seus
interesses na rua Nova D 35.
Quem annunciou nos Diarios numeres
200 e 204 querer falar com Manoel Ignacio
Pereira da Silva queira annunciar a sua
morada para ser procurado quando o mes-
mo for a praga ou dirija-se a matriz da var-
zea.
Um homem cazado ,. e de bons costu-
mes natural d'esta cidado se olterece para
ensillar meninos as primeiras letras letras ,
e gramtica portuguesa com preferencia
para lugar de certAo e tambem entende de
cirurgia ; quem do seu prestmo se qujzer
utilizar annuncie por esta folda para ser
procurado.
__ Quem precizar de urna ama para caza
de homem solteiro dirija-se a rua do Bangel
D 22.
Pede-se ao sr. fiscal da Boa-vista que
haja de dar um passeio para a rua do sebo
para participar do ebeiro que exalla do quin-
tal do sr. Pirette proveniente do sangue
que manda buscar para estrumar o mesmo
quintal isto Ihe aviza um incommodado.
__ A pessoa que annunciou no Diario N.
209 dar 300* rs. a premio dirija-se a rua de
S. JozeD. 18.
__ Perma-se de um muleque para se alu-
gar ; quem o tiver dirija-se ao botequim jun-
to o qdartel D. 8.
__ A pessoa que no Diario de vinte e oito
annunoiou urna escrava par vender para pa-
gamento de urna divida annuncie a sua mora-
da para ser procurada ou dirija-se a rua
da cadeia JoRecife N. 61.
__ A pessoa que no Diario de 28 n. 209 ,
annunciou querer alugar urna boa escrava
vend'deira de rua dirija-se a Jofio Dias Bar-
boza Macudum ou na repartiefio do Correio.
__ Aluga-seoarmazem do sobrado n. 22
da rua da senzalla velha com capacidado pa-
ra qualquer estabelecimento, por ser gran-
de e achar-se redificado de novo : trata-se
na rua da cadeia N. 46 com o proprietario.
A pessoa que vende a escrava com abe-
lidades para pagamento de urna divida dirija-
se a rua de Santa Rita D. 17.
__ O sr. Joze Duarte da Rocha visto nao
querer apparecer na rua da cadeia velha N.
7 haja de pagar o que la deve artes de so
ritirar para Lisboa rom a asignatura C. B.
__ A escrava annunciada no Diario de
quarta feira n. 209 de idade de 20 annos .
queira hir leva-la a praga da independencia
loja de calgado n. 27 para ver se agrada a
quem a pertendecomprar.
__ Arrenda-se para sepassar a festa ou
por anno quatro cazas na margem do riocapi-
baribe com bastantes cmodos; quem as
pertender entendn-se com Joaquim Carneiro
Machado Ros em S. Jozodo Manguind.
Quem annunciou querer dar 300j reis,
porhipotheca tenha a bondade de annun-
ciar a sua morada para se tratar este negocio.
XST Precisa-se de urna pessoa que seja de
e que queira tratar de nm pe-
V
engomar de todas as qualidades borda faz
lavarinto e coze bem de alfaiale ; quem d<>
seu prestimo sequizer ulilisar procure na rua
de horlas sobrado pegado a igreja no segundo
andar.
tarA minha indignaco subi de ponto ? (4
do 33 no 10- 40 no 12 e 67 no 15.)
I'or mais de urna vez tenho sidodirecla e
indirectamente chamado a terreiro por essM
novos especuladores da sociedade A mizado
nos Une nAo comhalendo urbana e decoro-
samente as minhas opinioes os meus erros ,
mas sim doestando-me alirando-me torqne-
zadas e por meu proprio nome. Porem
que resposta tem sido a minha i1 Ncnhuma ,
c ueste animo estou e estarei sempre islo
he ; de nAo fazer caso de cAes gozos que
mordem de furto e mesmo pela muito gran-
de dezigualdade da lula ( veja so bem ) por
que todos sabem em Pernambuco quem he F.
J. de B. e nem eu me oculto ; ao mesmo
tempo que esses meus gratuitos e figadaes
inimigos se cobrem com a traigneira capa do
anonymo e as escondidas he soque me ac-
comettem. Nada, nao quero brigar com
fantasmas de quem tenho muito iredo. Se
querem combater por esto Diario como ho-
inens e cavalheiros pucliem para fura dos
bastidores, irmem com seus nomes seus
proprios aniiuncios tirem as mascaras lar-
guem as capjnhas e as faquinhas de ponta ,
se he que uzAo d'ellas e digAo francamen-
te os vossos antagonistas somos nos e ve-
ro so recuo ou se Ihes volto as costas. Sa-
tisfeita que seja esta minha duplicada exi-
gencia Ihes porei em trocos bem miudos ,
ecom mais alguma cousa.......ove, o meu
annuncio de 21 do corrente que de no-
vo revalido ; nao obstante as grosseiras
expresses que injuriosamente avangaro
os deis bem condecidos zanges que a mini
se derigem no Diario n. 208, supondotal-
ve que fallavAocom S. S. mesmos : eu bem
osconhengo tanto pelo bello frazeado como
pelos seus feitos ; preciza-se por tanto qu* o
respeitavel publico tambem oscondega. assim
como me condece a mim para fazer justiga ,
pois torno a declarar que a nAo annuirem
minda referida suplica ler sempre em res-
posta alem de um eterno disprezo o silencio
de F. J. de B
;. .,. nuisiii w i^ma i *-" boa conducta ,
Cartas Airars, Dezembargos, Cert.does EfpnPTPS Tlia queno quintal dando-se pelo seu trabalho
e lembrangas ; e dos >edores de nossa fazen- COlleg10 &V- lieiiezeS, I lid | ^ ^^ e caza p/ira moraP e roupa para
dO Cabus boCa dO Sr. vestir: naneada Boa vista botica D. 10.
~ a.* .' BT UmaSenhoracapaz proprte-se a aprom-
Moreira praca da Boa
da, o Contadores que para isso nosso poder
tiverem como quaesquer outras obrigagOes,
a que de direito sejamos abrigados de ma-
neira que dentro dos ditos cinco annos hajAo
itisso despacho ou se mostr como as taes
dividas requererAo na dita nossa fazenda e
touverAo dos ditos nosso.s Vudores certidAo
na costas de seus despaedos como se Ides
nao podero pagar porque du da que tal
vista Sr. Saraiva junto da
Matriz.
-- Eduardo Comber, subdito de S. M.
B. re tira-separa fora do Imperio,
ptar almogo jantar e ceia para uma a duas
pessoas capazes encarregando-se de mandar
lavar e engommar a roupa das mesmas :
quem quiser annuncie.
__ OlVerece-se uma mulher para ama de
casa de homem solteiro ou viuvo sabe bem
Adverle-se aos Srs. C S. A. M. C.
A. J. P da C. J. F. R. deS. j. P.
T. M. A. dej. e outros de vigiarem
as obrigag>8 de seus caixeiros para nao se-
rem prejudicados no tempo que Idos roubo ,
applicando-seao bom andamento da questAo ,
que pelo juizo da 3. vara do civel, intenta-
rAo contra dois tergos dos socios, que fize-
rao parte da extinta sociedade- Amizads nos
Une querendo obrigar a estes que com
suas proprias expensas e fadigas, coadjuvem
em beneficiar aquellos que abuzandodos re-
gados da mesma sociedade se hio alls-
tando as filleiras dos vadios e aventureiros ,
cujos exemplosapparicero claramente em n.
duplicado por cauza de taes instituigc'tes e
isloassevera em qualquer tribunal quem
por tal motrvo licou sem caixeiro ; porem ,
anda que tarde honra seja feita a esses ,
que por suas influencias e independencia de
carcter deitarAo por trra una arvore, que
se pareca por um lado accolhersob sua som-
bra os desvalidos da fortuna pelo outro se
tornava o cncer mais terrivel para a perdi-
giio desses mesmos jovens,que salvas mui hon-
rosas excepgoes se ligaro a essa columna
com vistas especulativas _e islo afirma um a-
migo do Tlibias. -
Hoje 30 do corrente pelas 4 horas da
larde na porta do sr. Doutor juiz dos orfos
correm 5. e ultima praga cinco escravos do
fallecido Lourengo de Bruno Rodrigues Lima,
para pagamento d sr. Francisco da Paula
Correia de Araujo.
Mr. Moximde Rruto a pouco chega-
do a esta cidade, vindo de Lisbao faz sciente
queoannunciante he insigne meslre de bar-
bero e sangrador aprovado e que nem s
sangra as veas como tambem na bolga ; pois
o annunciante j deo provas de seu oflicio na
serra da Falperra na provincia do. .nAo po-
ilendo o annunciante trazer atestado d'ou-
de veio por de la ter sabido a marche mar-
che ; quem de seu prestimo se quizer util-
zar dirija-se a rua da Madre de Dos casa D.
P, ou do contrario procure M. jesla Rua
da cadeia I). L., ou na Rua do vigario a Mr.
I!iisha casa D. S.
tsr Aluga-se um primeiro andar com bas-
tantes commodos e juntamente se aluga um
armazem no fundo do mesmo coma frente
para a rua da senzala velha ; os pretendemos
liirijo-se a mesma caza na rua da Cadeia ve-
lha do Recife n. "7 loja de fazendas a tratar
com Manoel Joze de MagalhAes.







l
Snrs. Redactores.
Ja que appareceo em scena osnr. Curioso
para deflender madame Amanti dizendo que
desejava que eu lhe apresentasse quaes sao
os erros muzicaes que madame Amanti co-
melteono desempenho das pocas de msica
que executou no theatro desta cidade seria
utna grande massada que eu dara ao respei-
tavel publico se os quisesse patentear por
meio desta folha ; com tuJo eu posso em
poucas palavras satisfazer a curiosidad'! do
snr. curioso = Diga-me sur. curioso nao se-
r impossvel a urna dama executar a voz de
suprano contralto e baixo ? pode-se can-
tar bem estas trez vozes ? Nao do certo
que nao ; porem madame Emilia atrcveo-se
a faze-lo. Diga-roe mais snr. curioso achou
completas as Volatas do alegro da cavatina
-Casta diva, achou que madame Amanti li-
aba forca para cantar urna cavatina Je pri-
meiro suprano'.' va me dizendo mais que
dira o celebre Bellini se ressuscilasse e visse a
sua m3lhor obra tilo mtssacrada ? Tenha a-
fnda a bondade de me dizer snr. curioso no
alegro da cavatina Ah s'estinto encor mi
vaoi nao reparn que madame Amanti se
esqueceo de cantar alguns bocadinbos onde
exista a maior diffieuldadee que davo o xs-
le aquella bella produccao de Meroadanti i
Responda-rae a isto senhor curioso e se
nao sabe pergunte ao senhor Giuieppe Ma-
rinangeli que lhe hade por forga dizer co-
mo eu digo que quem sabe cantar nao
canta de Suprano contralto e baixo que
sendo assim neseessariamente hade cometer
erros ; veja seo senhor Marinangeli se atreve
a tasar isto, ou se so afasia da sua bella, e en-
granada voz de Tlienor : nAo ? nao quer. Po-
rem madame Amanti como suppunha que
eslava cantando diante de quem nao enten-
da da arte acentou tazar urna completa
cassuada ao respeitavsl publico desta cidade.
Chiquitas e tonadilhas que I he sao pro-
prias, e nao os melhores pensamenlos de
Rossini e Donoizelle. Sou sempre se-
nhores Redactores sem ser o snr. Ginnet o
tsr Joo Gomes Jasmim segu viage
Bahia para tratar de sen negocio at o fim
do vindouro Outubro.
tsr Aiuga-se um sobrado de dous anda-
res eloj na ra da Praia e a loja do
sobrado dos quatro cantos da B01 vista ;
no forte do Mattos preo* de Cirneiro Mon-
teiro
tsr A arremataco dos trastes do falesci-
do Joaqtiim Leocadio d'Oliveira Guimares ,
Coi transferida para o dia primeiro de Outu-
bro as mesmas horas e lu.zar ja annunciado.
X3T Para desengao de pessoas pouoo cor-
datas e at desacreditadoras de familias res-
peitaveis sirvo-se Snrs. K -dadores de de-
clararem se o seu assignante F. .I. de B. e
oautordoannuncio de Monsieur Tas-Frei
publicado no Diario de 28 do correte.
O annuncio de que se trata he de outra
pessoa. "s ""
tsr O abaixo assigp.ado previne ao publi-
co, que ninguem faca contracto algum com
Antonio Francisco do Reg Barros, sobre o
engenho Genipapo, que foi do falescido Fran-
cisco de Paula Nigramonle visto que o di-
to engenho pertence aos orphos fillios da-
quelle falescido, por terem sido instituidos
herdeiros em testamento e mesmo no caso
lo, o dito snr. Antonio Francisco nao pode
alirnar o dito engenho por isso que nesse
cazo deve pertencer aos herdeiros abintesta-
dos entre os quaes deve figurar o abaixo as-
signado como administrador de sua mulher ,
quo I* irm daquelle falescido Francisco de
Paula Nigramonte e para que ninguem se
chame a ignorancia faz o presente annuncio,
prolestanto annular qualquer contrato que
se fizer sobre o dito engenho Ginipapo.
Gaspar da Silva Frites.
O abaixo assignado estudante do 5.
cr A pessoa que annunctod o mentad H
aS^tTb^l T*MK*S q- esteja dando
Ntreiu uo no .ario uoiu. ^^ e,bastatlle,I(,ite ^ CI.iar memno : na
^ rrenda-se lira terreno na passagem ra NoVa penltima lojk'do lado do norte.
VENDAS.
da Magdalena entre as duas pootes com ^
frente para a ra qu tem de seguir para o
manguinho, com 130 palmos de fren te e W
LmocT^seiV-: 'VI I T Um terreno com 120 palmos de fren-
mTsmam lo ul'banho o referido arren- te com alioerce e 140 de fundo .20, o
tonto se far por muito eommodo prego, e palmo no ahnhamento da ra d. Roda
comoprasoque melhor conver ao preten- tratar na mesma ra sobrado de frente ama-
dente: napradnhado Livramenton 29. relia.
v- O abaixo assignado avisa as pessoas.
queem seu poder tem pinhorescom o lempo-J libra
ja vencido, para que os desempenhem no pra-f D. 7.
so de 3 dias contados da data deste e nao o'
Rogias decarnahuba de 6, 7, e H por
a 8.; re. a ar.oba : na ra do Rangel
auno do curso aprovado plenamente em to-
dos os seus actos e examos assim como
plenamente aprovado em concurso na lingoa
latina e delta examinador por vezes no mes
ino Curso continua a ensinaros preparato-
rios por mdico preco prometendo todo o
disvello, c aproveitamento aos seus alumnos:
na ra Direita D. 00.
Jernimo Salgado de Castro Acioly.
tsr Arrenda-=e o engenho Pindoba com
lfi captivos 24 bois e 24 bestas proprie-
dade ao pe' da Matriz de Tracunbaem : a tra-
tar no mesmo engenho.
tsr Quem annunciou no Diario de 28 do
frrente ter urna escrava para vender dirja-
se a ra dasTrinchenas ]). 27> segundo an
dar. .,
%sr Precisa-so r0^daCadeia Hha M segundo fular,
fazendo lcar valiozo papel de tralo que era,
poder do mesmo existe, e para que seno cha- q
mem a ignorancia faz o presente.
Domingos Joze de Lima.
tsr Precisa-se de um rana/, para urna bo-
tica e se ti ver alguna pralica mellior ; na
ra estreita do Rozario botica de Joao Percir a
da Silveira. .
er Na capun;a muto parto do capiban-
he se ach utna caza em um pequeo sitio,
cuja caa tem as proporces precisas para se
passar o varita muito fresca, tem 3 quar-
[os duas salas cozinha lora e estribara,
a o sitio tem alguns arvoredos, bem como
jcoqueiros, e mangueiras : quem o preten
der dirija-so ao Mondego botica de Joo Un-
ci Pereira Ferreira.
tsr Manod Mariano Ferreira, comprou
por conta de Antonio Victorino da Rocha. o
meiobilheten. TU da primeira parte da
">. lotera a lavor das obras da Igreja de A.
S. do Rozario.
tsr A caza lerrea n. 23 cita na Cidad.e de
Olinda ra de Mathias Ferreira arrenda-
se por 3,y rs. mensaes ; quem a P';![v3n^r
dirija-se a ra largado Rozario botica l>. 10.
tsr O annuncio enserido no Diario de 21
do crrante assignado pelo ignorante nao
se entende como primeiro secretario elleito
no .lia 8 do crrente, e sim como nomiado
no dia 13 de Junho p. p.
s^- Precisa-se deum oficial d farmacia ,
portuguez ou brasileiro paga-se um ordena-
do correspondente aos trabalhos de urna botica:
na bjliea do VI >nd '.o.
tsr Novo deposito de rap pnnceza da Ba-
ha acaba-se de estabelecer na ra da Cruz
do Recife escriptorio numero 10. Este ra-
p da grande fabrica da Rahia que pela sua
boa qualidade sempre merecco a geral estima
lo respeitavel publico desta Cidade assim
como do Rio de Janeiro Rahia c\c. e. para
que venha a resultar mais alguma vantagem
aos consumidores deste rape', o fabricante
manda estipular do seu novo estabelecimento
o precio de 000 rs. por libra quando se com-
pre de 3 arralis para cima ( valor da mesma
fabrica na Bahia. )
xsr Aluga-se pelo tempo de festa urna
boa caza e com bastantes commodos cita
no Poco da Pan-lia na ra da beira do rio
ao ne1 do sobradinho que foi do Snr. Lemos ;
quem a pretender, procure a Antonio da
Silva Gusmao na ra do Qu. CS-Constantino Magalhes da Silva Leilo,
suhlito portuguez, retira-se para lora da pro-
vincia
r OsSrs. Antonio da Silva e Jacinto
Machado Tosa queiro anniniciar as suas
moradas que se Ibes deseja fallar a negocio
de seu interesse.
tsr O Padre Lemos e Silva faz scente ao
respeitavel publico que o estabelecimento
de encadernar que elle dirige, passou da Flo-
rentina vellia para a ra da Florentina nova,
caza ultima que faz quina para a ra de S.
Amaro onde se acha como sempre prompto
para receber e apromptar toda e qualquer en-
cadernaco, por mais difcil que seja, accros-
eendo o ter conseguido doiirar pereita-
menteas beras dos livros papel e&c. por
isso se ofi'erece para executar esta difcil ope-
raco lauto nos livros como em popel me-
diante Um pequeo exeesso a outra encader-
nac.o.
cg- Precisa-se aplicar ao commercio um
menino que acaba de aprender as primeiras
letras, se algum snr. preferindo-se estran-
geiro se quiser encarregar delle, annuncie.
C 0 M P R A S
Fma morada de cas* terrea nesta Ci-
dade : no atierro da Boa vista n. 29 sobrado
de Manoel de Souza Rapozo.
tsr l'm methodoue msica que seja com-
pleto para violo ainda mesmo com uzo :
quem liver annuncie.
rz" M<'ia dti/ia do cadeiras le angico nn
Na caza de Fernando Cuecas vnde-
se vinho do Porto engarrafado em 1828, mus-
catel cbampmhe," e difT.-rentes qualiJades,
arenques em barris de 23 a 3j300 batatas,
queijos( Pate Grass?) mostarda sal in-
gles azete doce fino em gigo de urna duzia,
cerveja branca a 3,000 res a duzia licores
linos agoa mineral, chocolate, amendoas,
charutos da llavana, papel de peso ludo
por prec.o eommodo.
SS5- Urna loja de fazen la contendo um con-
t de reis de fundo tambero se troca por al-
guma caza terrea ou sitio pequeo ao pe'
da praQ? ou mesmo por escravos, e tambem
se vende s a arm ico : a tralar na ra Di-
reita N. 10.
tsr 2 canteiros qui arruman cinco pipas
cada urna e 4 caixo-s de pinho do porto ja
(izados proprios para m irciueiro e hihuxei-
ros tildo por preco rasoavel : na ra do L-
vrarr.ento venda D. i0.
OS" Urna escrava do gento de angola de
20 annos boa lavadeira, a vista do com-
prador se dir o motivo porque se vendo : em
fora le portas n. 127.
tsr lima canoa de carreira que pega em
8 a 10 pessoas, muito bem feita por preco
eommodo : na ra da praia caza do Vianna
tsr Fm negro de bonita figura, sem acha-
ques para todo o servico : na rui Nova De-
cima 34.
tsr Fma venda com poucos fundos, no
atterrodos Affogados em muito bom lugar
por licar no meio do armazem de sal aonde
vo todos os matulos e muito afreguezada
para matto e o aluguel da caza lie muito
eommodo: a tratir defronte do viveiro do
Muniz D. 33.
539- Bichas pretas grandes desuperior qua-
lidade ptima carne do sertao ; e muito bom
ag : no atierro da Roa vista I). 19 junto ao
heco do Ferreiro.
V.CF" Fusto pintado para colete a 320 o co-
vado pao da costa largo a 4i0 duraque
preto fimo a 760 o covado chitas finas .le
novos padnVs de 180 a 260 o covado lencos
de fil para hombros de Senhora a 320 ditos
de cambraa a 320 cassa chita de 160 a 320
o covado sida de cores que serve para forro
de panlanquim ou de outra qualquer obra a
210 o covado, brincos imitando aos da moda
a 800 e \,f ditos a 400 e 300 ditos de cor-
nelindaa iOOreis, pedras de marmore ten-
do urna tlor doiiraJa assentada ern cima da di-
ta pedia obra rica que servo para escriptorio
para se bular em cima de papis fitas de se-
da lavradas estrellas e largas ditas lizas ,
bicos das mesmas larguras : tudo na loja de
fazendas na roa Direita D. 30 defronte do be-
ro da Penha.
__ Marques & \eiga na ra do Amorim
vendem por preco cmodo os seguintes efei-
tos prezunto bom a 200 res a libra ter-
nos de ropos de medida saccascom arroz de
casca a 4 reis banizcom 17 galoes de azei-
te noce de Lisboa, ditos de 4 (g> com toncinho
de Lisboa e tambem de Santos de supe-
rior qualidade agurdente do reino de 29
graos saccas com feijao branco de Lisboa ,
barriz com chongas e fardos de fumo para
charutos.
__ Duascscravas de naeSo urna engoma,
cosinha e lava ; outra dita he quitandeira:
na ra direita N. 43 lado do livramento.
l'm cazal de escravos : na camboa do
CarmoD. i.
__ Cazaes de pombos batedores e de boas
qualidades por preco muito cmodo : na ra
do mundo novoD. iO.
__ (lm escravocrioulo muito possantee de
bonita figura prefere-se para fora da trra ,
ou para qualquer engenho ou fazenda : no
pateo da ribeira D. 0.
Saccas de farinha de mandjoca da
provincia e de fora muito nova e bem tor-
rada a 11 12 e 14 patacas a sacca : de-
fronte da escadinha da alfandega no armazem
de J. G. Vieira Guimares.
Barricas vazias de larinha de trigo :
na paderia da camboa doCarmo
Fma mulata de bonita figura Je.28
anuos cozinha o ordinario coze chc la-
va bem urna negra de nagilo de 18 annos
bonita figura propria para todo servico: na
camboa do Carmo D. 11 segundo andar.
tsr Cma duzia de cadeiras, e 1 sof, de ja-
caranda ," uma carteira de urna face, urna me-
za de moguo e um par de bancas tambem de
Jacaranda por eommodo prego ; na ra do
Queimado D. 15 primeiro andar.
Urna negra crela cozinheira en-
ma lava de sabo e varella na Roa-
vista ra Velha D. 94.
tsr Cma duzia de cadeiras de Jacaranda,
e um canap por 30,y reis : no pateo deS.
Cruz na caza ao pe do Sr. Pirete.
As bemfetorias de um terreno com
uma bonita caza de taipa tem 64 palmos de-
frente, e 300 a 600 de fundo ante a ponto
grande, e pequenada passagem de Magdalena
urna bonita e bem executada toalha de lava-
rinto : na ra \ova lado do norte penltima
loja se dir.
tsr As Fbulas de La Fontaine, em Fran-
cez : na ra Augusta n. 8 defronte dos sobra-
dos de Joze Maria ou annuncie.
tsr l'm terreno com 32 palmos de frente
para a ra dos Coelhos 125 para a ra dos
Prazeres um terno de pezos de bronze de 8
libras at meia quarta, 200 al 400 garrafas
vazias : a fallar c>m Joz Fernandes Lima na
venda da ra de S. Cruz pie faz quina para a
ra d'Alegria.
V *s^ Na ra do Queimado loja nova D. H ,
acha-se a venda por preco mais eommodo que
em outra qualquer parteborzeguins gaspiados
para homem e Senhora ditos sem ser gaspi-
ados, sapatos de marruquim, couro de lustro ,
setim e duraque para Senhora f sapalinhos
para menina, de couro de lustro duraque
e marruquim em fim um completo sortimen-
tode calcado Irancez como de Lisboa on-
de o comprador achara alem da commodidade
dos precos a vantagem de ser tudo muito fres-
co e por consequencia de mais duraco.
tsr Lm sobrado novo de um andar, na
ra do Padre Floriano D. 77 com soto e
muito asseado eem chaos proprios, gran-
de quintal murado e cacimba : na ra dos
Quarteis por cima do botequim primeiro an-
dar.
= Fma caza de tijollo e cal, com duas sa-
las quatro quartos cozinha telheiro para
recreio cacimba de beber perto do banlio
do caldereiro : tambem se aluga por 80^000
reis. Dous escravos boas figuras, de 20 e 24
annos trabalho em todo o servigo de campo,
e as caldeiras de engenho de assucar: na ra
do Rozario larga sobrado do 4 andares que
tem botica.
ESCRAVOS FGIDOS.
tsr Em 10 de Marco de 1832 fngio um
preto por nome Joaquim naco angola hade
boje reprezentar 20 e tantos annos tem os
signaes seguintes, baixo, grosso alguma
falta de cabello de carregar pezo o cabello
grosso e enroscado que parece pimenta do rei-
no os olhos algum tanto affogueados urna
pequea cicatriz ao p de um olho, os beicos
bem encarnados por dentro os ps pequeos
o xatos piza com difficuldade que parece ter
a sola dos ps fina. Este preto costuma di-
zer que seu Senhor tinha armazem de carne ,
que a Senhora velha morreu, e que a Senhora
moga pedio ao Ser.bor que o forrasse e que
elle o l'orrou o que he falco tudo. Suppe-
se que este preto he um que furtou uma ne-
gra em pao amarello que foi prezo e que
fugio da tropa : roga-se por tanlo a todos os
Snrs. a quem chegar esta noticia ou a qual-
quer pessoa oue fago prender e remeter a
Goiana a Joze Estanislao Ferreira estabelleci-
do com caza de negocio e d'alfaiate e a esta
praga do Recife a ra dos Quart is D. 4 que
se gratificar bem aos portadores.
tsr Fugio no da 21 do correte Setem-
bro do engenho Santo Estevo um escra-
vo de nome Manotl muito mogo inda sem
barba cor fulla baixo do corpo de naco
baca levou carniza e cumulas de algedo e
bala encarnada ; julga-se que o furtaro pa-
ra virem vender aqu no Recife, ou para o
Certo quem delle souber e o pegar que''
ra leva-lo a Antonio da Silva Gusmo, na
ra do Queimado ou no dito engenho a
Freguezia do Cabo.
tsr No da 18 do corrente fugio da Cidade
db Goiana o escravo Jo/e Quaresma de na-
co africana de 48 annos, estatura : gros-
sura ordinaria cor fula tem ambos os pos
e mAos foveiras ou malbadas de branco fal-
la desembarassada : quemo pegar leve a boti-
ca de Bai tliolomeo Francisco de Souza na
ra larga do Rozario, que ser recompensado.
RECIFE NA TYP.^DE M. F. DE F. =1842-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4Z0382V6_S3M5DI INGEST_TIME 2013-04-26T22:07:32Z PACKAGE AA00011611_08142
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES