Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08135


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annode 1842.
Terca Feira 20
Tado agora depende de n. mesaos ; d. .., prudencia moderarn e energa r.
(inoeiM* como priampiamoe e seremos tponlados rom admirado entre u Nieei maja
c*,u*' __^^^ (Proclamacao da Asaemblea Geral do mil.) '
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
r.oitnm Firtib e fio gr.wde do Norte, tegandtt e teitts feirtt.
Bonito e Garantais a 40 e 24-
Ctbo Serinbtem Rio Formte- Porto Caire Mtcei e Alagoas no 4. i\f
Boa-Ysla e Flores 43 e 2S. Sanio AntSo quintas feiraa. Olind* lodo os diat.
DIAS DA SEMANA.
19 Se*, t. J"nario B. M. A,td. dj J. de O. da 2. T.
20 Itic. jcjum s Eustaquio M Re. And. do J. de D. del. t.
21 Qjatl Tmporas jejam s. Matheus Ap. e Evang.
2 Quml. Mauricio M. And do juii de D da 2. v.
2' Set. Tmporas jejuin s. Lino P M. Aud. do J. de D. da i' r.
24 Sab. Temp. jejum N. S das Mercei. Ral. Aud. do J. de da 3. t.
25 Dea. a. Firaino B M.
de Setembife Anno XVIII. N. 105.
O Diario publica-ae todos o diei qae nao forem Santificados : o pf*fo da etaigaatnra ha
ile tret mil reit por quartel pagoa adiaaladot. Os anaunCHr tloa tntieaaatcs aao intuidas
gratis e os dos que o nao forem raio de 80 res por liaba. As raclassanoea deitaa aer
dirigidas a eslaTypograa ra da* Cruies D. 3, eu a praca da ladepeadeacia hija de lis-rea
Numero 3? e 38.
t
vend.
-----------------------------------------------------------------------1 -- CAMBIOS no da 19 desbtembro. compra
Cambio aebra Londres 24 .( d. por 4U. Odio-Moeda de S.400V. ,200
a Paria 3.SH reit p. franco. . N. 16.00J
a Litboa 1()( per 400 nominal. de 4,000 ,000
Moeda de cobre 4 por 10(1 de detronto. Pbata Pa.acoea .W50
dem dcletrtt de bou firmas 1 a J. Paioa Coluaaaree 4,860
dito Meiicaaot 4,800
aiuda 1,7 ...... [ H aa utaf
Preamar do din 20 de Seembro.
4. t 5 horas a 42 m. da manfe.
2. i horas r IS m. da tarde.
[MIASES OA LA NO MEA UE SETEMBRO.
Laa Nort a 4 a ? bnraa a 22 aa. da tard.
Quart. rete, t 41 a 4 beraa 42 m. da lard.
La eheia a 19-- at 4horaa a 5 aa. da tard.
Quart, naing. i 27 t 0 borat e 47 aa. da tard.
DIARIO DE PERNAMIIBUCO.
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA GUERRA.
Illm. e Exm. Sr. Foi summamente agr-
davel a S. M. o Imperador a leit'ura da olli-
cio que V. Ex. me dirigi com data de 20 do
corrente, participando o renhido combate
que no mesmo dia leve lugar entre as forjas
imperiaese os rebeldes reunidoj em numero
muito superior no Arrayal de Santa Luzia ,
deque resulto*.; a completa derrota destes e
a sua disperso deixando no campo muitos
morios e 300 prisioneiros entre os quaes
se eoiitao alguns dos mais notareis dieres da
rebellio : eo raesmo augusto Senhor que-
rendo dar mais urna prova do alto aprecoem
que tem os servidos de bravura e valor do seo
imperial exercito houve por bem promover
a V. Ex. ao posto de marechal de campo gra-
da Jo por decreto dsta data em remune-
raco dos relevantes servigos por V. Ex. pres-
tados na pacificaeo das provincias de S. Pau-
lo e Minas: e determinar quo V. Ex. lou-
ve no seu soberano nume a todos os ofliciaes
v. soldados tanto do exercito como da guar-
da nacional, que tomaro parte em to im-
portante l'-'ito de armas : esperando que che-
guem ao seo alto conhecimenlo os nomes dos
que nellemaisse distinguirao por acges de
heroico comportamento para remunerar ade-
quada menta os seus serviros.
E porque as familias dos que perdem snas
vidas combatendo gloriosamente emdefeza do
throno e da lei tem merecido constantemente
a paternal consideradlo do mesmo augusto
Senhor V. Ex. se apressar em remetter
a esta secretaria de estado, com a possivel
brevidade urna relaco de todos os olTiciaes
e soldados morios no sobredito ataque,
acompanhada dos nomes de suas muflie-
res e filhos com declarado exacta do seu
estado de fortuna.
Por esta mesma oceasio, cumpre-me com-
municar a V. Ex que S. M. o Imperador
se -.gnou approvar a nomeago de olficiaes
de commisso que V. Ex. fez no campo do
combate, por ter grande falta delles e have-
rem os nomeados praticado acges de bravura.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Rio de
Janeiro 29 de Agosto de 1842.Joze Cle-
mente Pereira.Sr. baro de Caxias.
FOLMITfl
0 AMOR MATERNO. (*)
A crise das lagrimas chegou emfim para
Mistriss Philipps. Ate agora disse tenho
procurado minha filha ainda por ella nao
pergunlei a ninguem : e chegando-se para um
liomem que ia passando :
Senhor, sabis dizer-me se aohro urna
menina de quatro annos muito linda, ves-
tida de branco; con um avenlal verde e cha
peo cor de rosa ? Senhor eu sou sua mi ;
respondei-me pelo amor de Dos.
Sen hora respondeu elle sabeis-me di-
zer se achro tres mil guineos muito novos
e muito bonitos Ero meus perdi-os no
jogo respondei-me pelo amor de Dos .
A pobre mi julgava fallar cpm um homem :
falla va com um jogaror.
Ktnlim ella achou-se n'um caes; muita
gente eslava reunida em torno de um homem
que lia um prego ; ella confundio-se com a
multido e ouvio atienta : ohomemdizia :
Perdeu-se hojo s quatro horas da tar-
Communico a V. S. em resposta ao seu
officio n. 27 de 16 ie Abril ultimo, em que pe-
dio se deca rasse quaes as honras e continen-
cias militares que competiao aos diversos gra-
os das ordens do Chrislo de S. Bento de
Aviz e de outras anteriores fundadlo do
imperio, que S. M. o Imperador houve por
bem por sua mediata resolugo de 20 de a-
gosto prximo lindo tomada sobre consul-
ta do concelho supremo militar, resolver que
smente ordem do Cruzeiro em todos os
seus tiraos e da Rosa at: oihVial que por
lei se concedero graduacoes militares ; nao
competindo s outras ordens antigs nenhu
ma honra militar pois que por suas crea-
goes nenhumas lhes foro concedidas.
Dos guarde a V. S. Palacio do Rio de Ja-
neiro, em o i. de setembro de 182.Jo-
s Clemente Pereira.Sr. commandante das
armas da provincia do Para.
( ) Vid. Diario X. 201.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 10 DO CORRKNTB.
Officio Ao director do arsenal de guerra,
dizendo em solugo das duvidas que apre-
senta em seo officio de 12 do corrente ; pri-
meiro que as instrueges do commissariado
fiscal do ministerio da guerra de 16 de Ou
tubro do anno" passado claramente determi -
nao no artigo 9., que o commissario iscalise
os presos dos materiaes para dar conta dos
abusos que observar ; o que certamente
nao comprehende o procedimento que S.
S." suppe de ser consultado o dito fiscal
para as compras ; mas somente o de impedir
a conlinuaco do abuso que por ventura ap-
pareca dan-Jo elle parte do que observar :
segundo que o corrente do mencionado Fis-
cal os titulos de pagamento e antes somonte do
despacho de pague-se como he expres-
so no artigo segundo das referidas instrucoes;
pelo que nunhum pagamento por diminu-
to que seja pode ser feto antes d'esta for-
malidade : terceiro que a terminante e cla-
ra disposicod'este artigo resolvo a terceira
dlvida queS. Senhoria aprsenla o es-
clarece quanto quarta que, quando hou-
ver de ser abonada qualquer despesa com os
batalh's, fortalezas, e mais estages por
aquelle arsenal he que se faz necessaria a
previa nota de corrente posta pelo sobre-
dito Fiscal.
Je, urna menina, de quatro annos, quo mo
rava em Euston-Square...
Mistriss Philips chegou-se at o interior do
circulo.
__Trajava um veslido branco, um avental
verde...
A mSi beba as palavras do homem do
prego.
__Avental verde e chapeo branco ; excel-
entes alvicaras a quem a restituir a sua mai.
Ha um erro senhor, um erroem vosso
prego ; a menina tinha um chapeo cor de
rosa.
Olha a ladrona como se atraicoou, gri-
lo mil vor.es n'uma s voz e maldiges c
ameagas e pancadas cahem sobre a misera.
- D-nos conta da menina ladra infame,
da menina que roubaste.
Nao fui eu quem a furtei eu a procuro,
sou sua mi.
__Tu sua mi Tu amarella como urna
criminosa !
Sou sua mi.
Tu com teu vestido esfarrapa.lo !
Sou sua mi.
Tu com esses cabellos desatados cober-
tos de sangue e lama !
:Sou sua mi.
Tu miseravel, sua mi, tu infame, tu
ladra !
Dito Ao commandante das armas, de-
terminando que mande desligar do batalho
d'infantaria de guardas nacionaes destacado ,
logo que seja substituido por. outro do corpo
da guarda nacional, que pertenco o guar-
da Manoel do Carmo ; e significando que
para efiVcluar-se a indicada substituico de-
ve o commandante do referido batalho des-
tacado dirigir-se officialmenle ao do da guar-
da nacional de que he praga o mencionado
Manoel do Carmo.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional do municipio de Goianna orde-
nando faga que o batalho d'aquilla cida-
de eo de Goianninha postem-se em a ma-
nir do dia 12 do mez d'Ouluhro prximo fu-
turo na frente da igreja matriz daquella fre-
iiiesia e a tarde acompanhem a procisso da
Senhora do Rozario que all pretendem a-
presenlarem o referido dia.
Dito Ao vigario da fregnesia de Goian-
na scientificando-odo conteudo no prece-
dente officio.
Dito Ao engenheiro em chefe das obras
publicas autorisando-o i promover, na for-
ma dos regulamentos de 2udeMaio ultimo,
o pagamento da porgo de madeiras cncom-
mendada pola extincta administrago fiscal
daquella repartigo para os concertos da pon-
te do Recife e bem assim o de todas as mais
despesas que nao excedendo quota do rs.
3:000.* para tal obra marcada forem coro
ella feilas.
Ditos Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes e a inspector fiscal das
obras publicas., intelligenciando-os da autori-
sago dada pelo antecedente olicio.
|)to Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda determinando que renov suas or-
dens aocollector do municipio do Rio-formo-
so para que a vista das contas legalisadas ,
que Ihe apresentar o respectivo delegado, sa-
tisfaga as despesas que se fizerem com a
condug" de lecrutas d'aquelle termo para es-
ta capital.
Dito Ao supramencionado delegado ,
communicando a expedigo da ordem anterior
em resposta aoseo officio de 7 do corrente ,
em que a requesitava.
Hito Ao administrador do correio or-
denando em consequencia de requisigo do
Presidente da Relago que d'ora em diante
r asse urna cautella ou recibo dos autos, que
Ihe forem entregues pe!o escrivo respectivo,
Serei o que quizerdes, mas sou sua mi.
Se ssua mi, toma aqu est tua fi-
lha ; disse urna mulher trazendo nos bragos
lima enanca.
Mistriss Philipps precipitou-se e depois re-
cuou.
Nao, disse essa nao minha filha.
E' urna boa mi, urna mi verdadeira,
clamro todos urna ; nao urna ladrona
de criangas.
A crianga havia sido trazida para exami-
nar, se Mistriss Philipps tinha realmente per-
dido sua filha ,^ou se era alguma ladra de of-
ficio.
E como a havio insultado laslimro-a:
como a havio maltratado abragro-a e a-
companharo a em cortejo at sua casa pro-
metiendo procurar sua filha e separro-se
repetindo pelas ras : Perdeu se urna me-
nina chamada Lucy... E as mos que esses
gritos desperlavo espavoridas ahragavo
suas filhas.
I'.rao duas horas da noite havio dez ho-
ras que Mistriss Philipps tinha sahido e dez
horas tambem que Sarah a esperava na por-
ta. As duas mulheres encarro urna para
oulra e se entendero sem se fallarem : jun-
tas entrro e foro sentar-se perto de um fo-
gareiro sem notar que nao havia fogo aceso
e eonservro-sc mudas por mais de meia
com direcgo aos defiranles termos d'esta
provincia; exija por meio dos agentes ou-
tro documento igual do escrivo quem o
mesmos autos forem entregues no lugar de
seo destino.
Dito Ao presidente da relago partici-
pando ter dado a precedente ordem ; e dizen-
do que a mesma providencia Ihe nao com-
pete dar sobre os processos que ho de ir
para as outras provincias do distrioto da rela-
go pela incompetencia do administrador
d'esta para exigir dos das outras o recibo fi-
nal ; e que pode a este respeito dirigir-se aos
respectivos P.-esidentes.
Dito Ao inspector do arsenal de mari-
nha autorisando-o comprar pelo prego
de -i.'i.) res a tonelada o carvo de pedra, que
Ihe ollereceo o consignatario do patacho In-
glez = Amicus=.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda devolvendo o requerimento de Joze
Soares de Souza cirurgio nomeado para a
Hita de Fernando, em que pede o adianta-
menlo de seis me/.es do seo respectivo sold ;
e ordenando de conformidadecom o que a res-
peito informou o commissario fiscal do minis-
terio da guerra que Ihe mande abonar So-
mente ti ez mezes de ordenado que tem
direito.
Dito Ao chefe da |egio de Serinhiem ,
communicando ter approvado as propos-
tas para os postos vagos daquella legio,
que remetteo com officio de 6 do corrente;
dizendo que as faga publicar em ordem do
dia e determine aos propostos que solli-
citem suas patentes.
Dito Ao juiz de direito do crime de Ga-
ranhuns declarando que he aos juizes
municipaes que compete o despacho dos al-
varas de folha corrida por serem elles os
ejecutores das sen tengas criminaes, e peran-
te quem sarvem os escrivaes do crime prin-
cipalmente o das execuges ao qual portara-
ce o processo de ditos airars.
DitoAo mesmo significando, que aqba>
conforme ao espirito das leisern vigor a ias-
trueco que S. m. leo ao juiz munida*! 4'aV
quelia villa de Ihe nao pertencer a jaMttav
lago dos despachos de pronuncia dados pa-
los juizes dedireilo do crime segundo a lei
provincial de 14 de Abril de 1851, antes de
por-se em esecugo a lei que reformou o
cdigo do processo criminal.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
------1-------^T
hora : emfim intermmpendo o silencio ,
Mistriss Philipps disse :
Sarah os que hoje nao jantrio derem
ter fome a esta hora !
Perdoai-me senhora hoje nao me
lembrei do jantar.
Sarah os que nao tem fogo para os a-
quecer devem estar com fri a esta hora !
Perdoe-me, senhora eu vou accen-
der o fogo.
Sarah os que nao tem cama para os
agasalhar devem passar bem m noite.
Perdoai-me, senhora, vou endireitar a
cama.
Sarah Lucy nao jantou Lucy tem
fri Lucy tem somno tal vez...
E depois a mi dirigio-se para a cama, da
filha e beijou no travisseiro o lugar em quo
descansava sua cabeca e endireitou a cober-
ta e fechou o cortinado como se sua filha
estivesse deitada ; edepois virando-se, deu
com Sarah voltou a si e cahiu chorando nos
bragos dclla.
Dous gritos ao mesmo tempo ssbwfc) por
lim de suas bocas :
Sarah !
Senhora !
Ouvis ?
E' elle.
E' elle ?


2
zonda doVelvendo r> requerimento de Vjc-
.torin Ferrt'ira de Carvalho em que co-
mo procurador do cirurgio Joze da Silva Cos-
ta actualmente destacado na Ilha de Fer-
nando pede que so mande pagar os seos
vencimentos at o ultimo do Abril lindo, dis-
pensando-se-o d'apresentar nina nova procu-
raoo visto haver sido remeltida para a cor-
te a qim elle Itie tinha de\ado ; e signifi-
cando que uo podo ter lugar urna tal dis-
pensa.
Portaras Momeando Joze Xavier Faus-
tino Ramos para escrivo, e Joze Antonio
bastos para thesouroiro da lotera concedi-
da a favor da impresso das memorias hist-
ricas d'esta provincia compostas pelo cida-
doJoze Hernardo Fernandos Gama.
OllicioAo juiz municipal da segunda
vara, participando achar-so licenciado por
qualro inezes o juz de direilo do crime d'es-
ia comarca hachare! Joaquim Nunes Ma-
chado, o determinando., que o substtua du-
rante o tempo da referida hcenga.
Dito Ao commandante das armas, or-
denando que faca desligar do batalho d'in-
fantaria de guardas rmcionaes destacado o
guarda Joze Luiz de Faria logo que lhe for
presentado outro que o substtua.
Dito Ao mesmo significando em respos-
ta ao seo ollicio de 15 do crrente que re-
mella a conla do que se ha despendido com
o sustento dos recrutas que por espago do
trez das se tom conservado em custodia,
lirn d'a mandar salisfa/.er pela thesouraria da
i'azenda.
DitoAo inspector do arsenal de mari-
nha, ordenando i|ue ao commandante do bri-
, gue = Imperial Pedro = requisito a prana
lo inesmo' Antonio Martins para a man-
. dar inspecionar pela junta de saude.
Dito Ao suprareferido commandante ,
, scientilicaudo-odoconteudo no precedente of-
iicio em resposta ao seo de 8 do corren te, em
que representa, que a suprainencionada pra-
<;a he incapaz do servico e determinando,
que a mande apresentar ao referido inspec-
tor. logo que este a requistar.
Dito Ao engenheiro om chofe dizendo
em resposta ao soo ollicio de 14 do correte ,
que deve ir ou mandar novamente exami-
naras obras do oitavb lango da estrada de S.
Anlo visto que a visita a que proceder
. em o ilia 29do mez '.indo e na qual diz re-
, condecora que ollas nao estavo conformes
ao orcamento lora anterior adata do des-
pacho, exarado no requerimento do arrema-
tante das mencionadas obras.
Dito Ao juiz de direilo Manoel Teixei-
ra Pcixolo nomeando-o para presidir o an-
damento das rodas da sojjunda parte da ll.
lotera do theatro publico desta cidade.
Dito-Ao inspector do arsenal do mar-
nha determinando que apromple o pata-
cho = Pira pama = ilim de seguir para a
, llha de Fernando conduzr mantimen-
los &c.
Ditos Ao commandante das armas ao
inspector da thesouraria da fazenda ; e ao
chele de polica intelligenciando-os da pro-
- xima sabida do supramencionado patacho :
ao prirneiro alim de que faca preparar, o
que taouver de remoller para a supradita I-
Iha ; ao segundo para que satisfaga as reqin-
sines do respectivo commandante ; e ao ler-
ceiro im de que ex pega suas ordens para
que os sentenciados degredo para a referi-
da llia sigo sondo possivel tiesta occasio.
I
Sm E' Piog sen hora ; como ladra !
dir-se-ia que nos osla chamando !
Traz-me miriha lilha.
Nossa lillu senhora.
Ah meu Dos meu Rog vem meu
lilho !
K ambas descro para abrir a porta.
Era Rog, Rog muito enlameado muto
sujo lendo na boca um grande osso : era o
que tra/.ia : Contai com o instinclo dos a-
nimaes !
.No da seguinte o doulor Voung eslava con-
solando as J.uus mis.
Nao vos doixeis abator espera anda ,
senhora.
Ah vos esperis ainda disse Mistriss
Philpps com um tom de desdom o.de tris-
teza .
Sm esporo que confio na efficacia
de muitos me ios'de que vos nao lembrastes.
I'm signal negativo um leve mov ment
de cabera foi a nica resposta da mi.
Sm contiiiiinii o doulor, raciocine-
mos. Nao se rouho enancas por amor de
eriancas nem para mata-las nem )ara ven-
de-las.
O doulor paren que nao sabia como con-
tinuar seu raciocinio.
Deve-se lor algum fin o esse ui...
0 doutor eslava suando.
INTERIOR.
S. 1'EDHO DO BDIri
!\0 Grande, 22 de agosto.
O Brigadeiro Bitancourt ja esl no acampa-
mento do exercito junto ao Vaccacahy. lima
partida do esquadro legal da Cruz-Alta en-
contron-so com outra rebelde da forga do
Porlinho de 13 homens e apezar de ser
esta de dohrada forra da legal foi completa-
mente derrotada ficando tres morios e seis
prisioneiros gravem-mte feridos riidrrendo
tamliem tres dos legaes que se batoro a
vencer ou morer. No da 21 teve lugar
nesta cidade o langamento da prmeirr pedra
da praga do Mercado Publico ; foi o presiden-
te langa-la por convite da directora a qual
e a cmara se esforgro por dar a este acto
toda a solemnidade e aparato e em mostrar
sua grati Jo ao presidente como creador de
lo til estabelecimenlo : no mesmo da de
manh verificou-se a visita do presidente ao
hospital da Caridade tendo sido elle convi-
dado pela mesa para ir assistir a urna missa
nacapella do hospital ; foi recebido com sal-
vas e foguetes. O presidente penhorado
por lanos obsequios tem tambem augmen-
tado os seus beneficios; alm de outros tom
promovido urna subscripgiio em favor do hos-
pital da Caridade desta cidade que ja excede
de tres contos de reis.
(Carla particular. )
Lr-se no Jornal do Commerciode 2 do cor-
rente :
Parti ante-hontem um propriocom toda a
diligencia para chamar a corte o barao de
Caxias. AsSegra-se que o Ilustre mare-
chal seguir para o Rio Grande com parte
dos bravos que acabo de militar em S. Paulo
e Minas. O aspecto que vao tomando os
negocios do paiz d-nos motivos de esperar
que estar brevemente pacificada a desgra-
nada provincia do Rio Grande. As ultimas
noticias qne dali recebamos annunciavo que
se havia comprado bstanle cavalhada e
que em novembro leria o general 12,(M>0
cavallos para comeear as operacAes. Tudo
nos induz a crer qne com este poderoso o
indisponsavel auxilio as tropas imperiaes ,
commandadas por um militar rodeado de
prestigio e que acaba de dar subidas pro-
vas de talento aclividade, energa e bra-
vura daro ueste prximo verao o ultimo
golpe na rebellifio que ha 7 anuos tala os
feriis campos de urna das mais bellas pro-
vincias do imperio.
O coronel Joo Jos da Costa Pimer.tel
acaba de ser nomeado commandante das
armas da previncia de Minas Geraes.
Conta-nos que foro chamados corte os
coronis Leite Cid e Freilas para respon-
der pela demora que livero antes de avan-
gar para Ouro Preto.
S. Pedro do SuI.
Illm. eExm. Sr. 0 lOcorpo de caval-
laria e esquadro da Cruz Alia que exstem
na serra guarnecendoos passosde Jacuhy com
forra de cerca de 300 pragas sendo sulfici-
Esse fim sempre um interesse : ofle-
recei um interesse maior, vossa filha ser-vos-
ha restituida.
Mislriss Philpps sabio ento do torpor em
que esta va e olhou para o doutor. Este pro-
seguio :
E como sao sempre pobres os que rou-
bao eriancas ollerecendo dinheiro...
Sm sm, exclamou Mislriss Phi-
lpps ollerecendo dinheiro muito dinhei-
ro nossa filha ser-nos-ha restituida. Sa-
rah daime ::ma penna papel depressa ,
dai-me.
E olla se poz a escrever, depressa con-
vulsa palavras illegiveis que riscava que
emondava. Sua mo esquerda applcada ao
peito mal poda conter os irnpetos do co-
raran.
Eis-aqui disse ella o que amanha se
Icia cm lodo os cantos de Londres daqui a
tros das por toda a Inglaterra por tuda a
Europa : eis-aqui Ah doutor Dos vos
inspiro*] um pensamento do arijo. Toma Sa-
rali vai imprensa manda que lirem des-
te annuncio um milho de exem piares, que
daqul a urna hora em cada canto da na ,
leia-se :
l na mina do carvo que rende poran-
k no cincoenta'mil guineos mais duzentas
mi! libras esterlinas de cees da compa-
ente para ter em respeilo aqitelle ponto e
privar que as partidas rebeldes pisseniconio
V. Ex. tanto recommendou para a provincia
le S. Paulo devio ler cuidado de bter al-
guns grupos ao mando do rebelde Porlinho ,
que avangavo s vezes at a margem dreita
daquelle rio. A falta deste prccriirrieito foi
estranhada por mim e tanto a lempo que
o resultado o que V. Ex. ver na inclusa
copia que lenho a honra de dirigir a V. Ex.
Foi um pequeo encontr mas os impe-
riaes mostrro-se decididos j e a perda que
houve de parto a parte mostra que elles bri-
gro com vontade de vencer o que conse-
gu rao. Dos guarde a V. Ex. Quartel ge-
neral na costa do Vaculiy 11 de agosto de
1842. Illm. e Exm. Sr. Sote Clemente Pe-
reira, ministro e secretario do estado dd9 Ne-
gocios da guerra. Joze Mara da Silva Ritan-
court brigadeiro e commandante.
Illm. e Exm. Sr. do meu dever parti-
cipar a V. E<. a noticia que oflicialmente re-
cebi do prirneiro sargento do esquadro da
Cruz Altada sorra do meu commando Tho-
maz Esteves o qual achando-se com soto
homens eril descoberta ao lado direilo do Ja-
cuhy Grande foi acommettidd fio da 23 de
julho ultimo cinco leguas alm do dito Ja-
cuhy por urna partida rebelde em numero
de quinze homens capitaneada por ordem
docaudilho Porlinho pelo neste munici-
pio tu conhecido rebelde Fidelis de tal.
A partida do meu sargento que eslava de
observago levado do espirito que a le e a
consttuig produz nos bons Drazleiros a-
oeitou a carga licando dos rebeldes to mes-
mo lugar tres morios e seis feridos gravemen-
te, e em nosso poder cito armas de fogo duas
espa las quatro cavallos ensilhados e mais
vinle e dous que tra/io por diante. Do=
nossos briosos acommeltidos morrero, nocho-
que que recbenlo, 3 soldados eficrodous
feridos sendo um delieso prprio sargento,
le um golpe no brago esquerdo eno pe-
queo porm j. se acha com muita melho-
ra do feri ment. Queira V. Ex. rece be r be-
nignamente estas primeras proyas defidol-
dade com que servem a Sua Mageslade o Im-
perador os Rrazileiros de que so compele este
esquadro. Dos guarde a V. Ex. Acampa-
mento no deposito em Rutucarahy 4 de a-
gostode!842. Illm. eExm. Sr. Jos Ma-
ra da Silva Ritaricourt brigadeiro e com-
mandante em chefe do exercto. Joo Gon-
calves Padilha tenente coronel. Confor-
me. Casimiro Jos da ''amara e S te-
nente coronel deputado .ijudante general.
Illm. e Exm. Sr. Tenho a honra de le*
var a presenga de V. Ex. a copia inclusa de
urna recente proclamago de Rento Goncalves,
publicada quando recebero as noticias de ter
arrebenlado a rebellio em S. Paulo e es-
palhada em diversos lugares : esta copia foi
tirada de urna espalhada com o est con-
forme do rebelde Manoel Lucas comman-
dante da intitulada brigada de Piratinim ; r
por isso posso assoverar a V. Ex. a sua exac-
tido. Dos guante a V. Ex. Rio Grande ,
18 de agosto de 1842. IC. e Exm. Sr.
Jos Clemente Pereira Ministro e secretario
de estado dos negocios da guerra. Satur-
nino de ouza e liveira.
PROCLAMAgAO.
Rio-Grandonses Ra4ou a aurora da vos-
sa lelicidade Pelos jornaes ltimamente vin-
<( nhia das Indias ( melado do que p<>ssuo ,
doulor ) a quem restituir sua afilela
mi urna menina de quatro annos cha-
ce mada Lucy em Euston Square fregue-
zia de S. Pancracio. Para seguranga da
promettida recompensa deposito-se osttu
los daspropredades em casa do tabellio
Rurns e urna m o jura por Dos e por
sua dr.
O choque desta imprevista esperanga a fez
suecumbir ; ella de;xou-secahir n'.uma cadei-
ra ; seu semblante estava lvido como o de
un cadver, mas um sorriso paira va em seus
labios, lima circumslancia imprevista veio
por lirn a este abatimento.
Dous individuos entraro : um era nierca-
dor de roupa Rog havia dilacerado um por
um todos os vestidos -de changa do cassa .
que estavo expostos venda. Mislriss Phi-
lpps pagou-lhe o damno.
A outra era urna modista que reclamava o
prego de um chapeo do menina cor de rosa,,
que o cao havia estragado. Mistriss Phbpps
pagou-lhe tambem e depois pondo ao eolio
o pobre Rog que de susto trema passou-
Ihe a mo pea rabega o beijando c chegan-
do-se-lhe ao ouvido :
Tu tambem meu Rog procuraste
lucy tu procuraste Lucy i; nlo a adiaste.
...> ira:.UJ. ............ M^^^gg
dos vimos que os briosos Paulislas em de-
lesa da sua patria Cbmecro a guerra con-
tra 0 lyranno do Brazil. J as phalanges Pau_
listas marchar* sobre- o inimigo comrnum ,
jossatollites da escravido tem recebido so-
bre suas criminosas cabegas o afiado gunio
dos lvres rio-grandenses A poca da liber-
dade e da justiga vai a ser marcada em nossa
historia. No meio de lo faustos auspicios,
o governo da repblica rio-grandense ve0
quanto antes convocar o Cottgresso nacional,
para eslabelecer as les fundamentae por que
lano ahnejo os verdaderos republicanos.
Para levar a elT-ito lo grande obra cu
vou dirigir o leme do governo entregando o
commando ao cidado general Antonio Neto.
Rio-Grandenses Reuni-vos ao redor deste
valente chefe obedecei-Ihe, cumpri suas
orden?, ajudai-o corro porfa contra os
oppressores do vosso paiz. O Rrazil em
massa se levanta como um s homem para
sacudir o forreo jugo do secundo Pedro. E'
esle o momento de mostrardes ao mundo que
sois Rio-Grandenses. Se assim o lizerdes,
veris om breve tremular o estandarte trico-
lor em lodosos pontos da repblica. Os Rio-
Grandenses Iludidos viro aos vossos bracos ,
eno s salvareis .a patria como seris os
libertadores do Rrazil inteiro Viva a liber-
dade Yivo os Rio Grandenses Vivo os
nossos irmos Paulislas Viva a futura as-
sembla do Ro Grande. Quartel general em
Caciquy, 13 de julho de 1842. ~ Rento Gon-
galves da Siva. Est conforme. -- Lucas
deOliveira.
BAHA.
Resumo dos collegios publicados no N.
cedente augmentado dos collegios de
seguro e Joazeiro.
Dr. Joze Alves da Cruz Ros
Dr. Francisco Gongalves Martins
Coronel Manoel Joaquim Pinto Pacca
Conc. Thomaz Xavier Garca d'Ameida
Arcebispo da Baha
Dez. Antonio Simoes da Silva
Dr. Francisco Antonio Bibeiro
Conselheiro Manoel Antonio Gal vao
Dr. Joze Antonio de Magalhes Caslro
Dez. Joo Joze d'Olivoira Junqueira
Dez. Ernesto Ferreira Franga
Antonio Pereira Bebougas
Dr. Innocencio Marques de Araujo des
Dr. Francisco Barniro de Assis Coelho
Supplentes.
Dez. Joaquim Joze Pinheiro
Dr. Theodoro Prxedes Fres
Eustaquio Adolfo de Mello Mattos
Dr. Luz Antonio Barboza d'Almeda
Paulo Joze de Mello
Dr., AmancioJoo Pereira de Andrade
Dr. Joze Ferreira Souto.
ante-
Porto
899
83:
827
813
79:;
740
750
700
664
620
614
599
586
392
r>88
382
377
377
572
372
MARIO M PRNAIBI'CO.
A chogada do Vapor Paquete do Sul nada
nos adianlou as noticias que tinhamos das
provincias do Norte donde elle veio. Nem
gazotas nem cartas do Cetra nos trouce ; do
Maranho a mesilla cousa ; s do Para vimos
urna carta que d a provincia por tranquilla .
accroscentando que os Inglezes trabalho ese
fortifico no territorio usurpado ao Brasil, e
A' repetigo do nome de Lucy : Rog soltou
um gemido.
Tu a procuraste como eu'a procurei an-
daste pela lama luda a noite por entra caval-
los e seges '
Rog agtou-se convulso.
Maltratro le como mo maltratro: cx-
pulsro-le como me expulsro meu Rog.
Faiscas elctricas sahiro dos olhos do cao.
Espancro-te como meespancro .
Rog gemou gemeu ; a dor tem urna lin-
gua geral intelgivel para lodos os entes.
Vamos, disse o doutor perigosoo
excesso de sensibilidade a que vos entregis-
Mas doutor disse mistriss PhipP8
banhada em printo se Bog rasgou esses ves-
tidos blancos se elle rasgou esses chapeos
cor de rosa foi porque tambem procurou mi-
rilla Lucy que Luoy quando se perdeu t'ia
um chapeo cor de rosa e nm vestido branco.
Tres annos passrap.
O vento acluiva rasgro de ha multo
os aiiminiis da recompensa promettida
quem lioiivesse a menina... Lucy est para
sempre perdida. Ella leria agora 7 annos
Idade encantadora, sempre presente aos ol"ns
da imaginaco de sua mi olla acompania
lodos os deseovolvintenias da intelligencia e
do rorpo de sua filha.
( Conlmuar-se-ha.;


5
nao contentes com tanto insulto fazem a
sua propaganda concitando turbulentos dopaiz,
e inimigos estrangeiros ; isto he procuran-
do-nos todos os males com a forca e com a
intriga, como insolntese como trahidores.
O Vapor lpiranga frelado pur conta do
Govorno rhegou hoje ( 12 ) este porto
vindodo Rio de Janeiro com 13 das de via-
gem adiantandn-nos por conseguinte as no-
ticias da Corte at 5 do correte. Nos luga-
res respectivos damos aos nossos leitores quan-
to adiamos nos jomaos de mais interestante.
b'ACTuS DIVKKSOS.
= O Brigue Americano-P-capito Is
hon C. Benedict Jnior entrn no porto do
Cear em 5 do corrente com agoa aberta e
l'oi obrigado na sua viagem de Pniladelphia a
Montivido a botar no mar para salvamen-
to do navio, a maior parte do seu carrega-
mento contendo em machinas e barras de
Ierro; o sobre carga chegou a este porto e o
capito, e marinheiros, ficaro no mesmo por-
lo do Cear.
COMMUN1CADO.
Sem contestar os louvores, que um corres-
pondente d ao Dr. Delegado que pode mu
hem merece-los por estar colocado em posi-
4;ao de servir muito ao seu paiz : nao pode-
mos ver com indifferenca, que o oll'endidoem
seus caprisos maltrate tam sem rasiio aquelles
a quem a eslima publica aprecia por suas vir-
tudes privadas, e muito pelo desempenho de
seus deveres'como empregados pblicos.
OSr. Dr. Nunes Machado, que comecou na
carreira da Magistratura dando dicididos ej-
emplos de patriotismo e honradez ora co-
mo chefe de polica, ora como magistrado du-
plica todos os dias os ttulos porque todos o
amamos com a igualdade de sua conducta es-
pecialmente quando se tracta de lazar jusliga.
Mu longedeveria estar elle desse mo tracta-
menlo mas o correspondente que possue
alem de propiedades nesta praga um ger.io
pouco soflredor he urna potestade quedeve
incerrar n'ums prizo o velho advogado (por
ser velho e advogado) e ir adiante salpican-
do de injurias a todos quantos encontrar de
oppozico carreira de suas paixfies. E' por
issoqueno poupou o crdito d'aquelles que
so o correspondente e ninguem mais ouza-
ria offender : fallamos mu pozitivamente do
Sr. Dr. Moraes e Silva.
Admira porem que repartisse por trez as
injurias quando segundo seus principios ,
deverio ser quatro os aquinhoados ; porque
o Dr. Delegado foi juiz na segunda denuncia ,
o despronunciou : Os fundamentos da despro-
nuncia forAo os mesmos que movero ao Dr.
Moraes e Silva e se algu.ns mais acroscero
sao aquelles que nao consentem que o Dr.
Delegado hoje pronuncie essa 5 denuncia
sem flagrante contradcao : maiorias de rasao
favorecem ao denunciado nesta 5. crize.
Estamos convencidos que o Dr. Delegado
reconhecendo nesses elogios que urna parte
nteressada lhe d no momento que depende
de -seus favores um insentivo para favorecer
interesses privados do correspondente dando
diversa direcgo conducta anterior do Snr.
Dr. os despresar.
O advogado Baplista Soares tem sido tres
vezes processado.por denuncia do correspon-
dente por defender na qualidade d'advogado
de Miguel Francisco de Queiroz seus direitos
i escrava Joanna que veio parar em poder
do correspondente por meio illegal corno j
ti tem declarado diversos juizes desse processo.
A revendicacao, e sustentaeo com energa
dos direitos de seu cliente, e assentengas do
juizo a primeira instancia, e da rellaco do
a rasiio dos furores do correspondente contra
o velho advogado. E entao diz o correspon-
dente : foro violencias, e injustigas em favor
de um advogado como se elle o nao tivesse ,
e pessoa de reconhecido merecimento. E
possivel que desde o juizo da primeira instan -
cia al o respeitavel tribunal da rellaco em
urna caliza em que nem a parte aqui appare-
ce, tudo tenha conspirado contra o Sr. Ri-
cardo porque o Sr. Baptista Soares c advogado,
e velho ? Se esse predicado tanta importan-
cia tivesse nao solTrerio tanta mingoa os ad-
vogados velhos, que aqui lanto se queixo dos
3dvogados novos que quasi todo o lucro Ibes
tem roubido. O Sr. Baplista Soares entre
os advogados velhos o que menos influencia
exercita por sua vida particular e retirada :
todos aqu sabem disso mas que havia alle-
gar o correspondente para Justificar suas rai-
vas ? Organizou urna conspirar para apre-
sentar-se opprimido, na qual entrarfio os jui-
zes do civel, e da rellaco, que o condemna-
ro a entregar a escrava a Miguel Francisco de
Queiroz. Em apoio destes todos os juizes
docrime, que nao pronunciaro o velho ad-
vogado por crime de roubo da escrava de Mi-
guel Francisco de Queiroz e ento ahi rem
o Dr. Moraes e Silva Dr. Nunes Machado Dr.
Paiva Dr. Taques, Dr. Mendos (que s es-
te nome importa urna victoria a favor da jus-
liga) e lambem por ventura do velho advo-
gado o Dr. Brando Com effeito urna cons-
piragoem que figuro pessoas to respeita-
taveis, e a quem toda esta cidade rende lio-
menagens pelo espirito de justica que os
distingue deve acobertar o velho advosrado
dos improperios desabridos, que to sem cons-
ciencia langou o correspondente.
E' oque por agora e pressa oll'erecenios
ao publico em abonno da justica oflendida as
pessoas dos dignissimos magistrados Moraes
e Silva Nunes Machado Dr. Taques, e Dr.
Mondes Ac.
CORRESPONDENCIA
Snrs. Redactores.
Quciro ter a bondade de dar ao prello es-
te requerimenlo para esclarec ment do pu-
blico que a tantos tempos andavo Iludidos :
de cujo avor lhe ficar muito agradecido
Seo atiento criado
Miguel Archanjo de Figueiredo.
III.""" Snrs. da Cmara Mnncipal.
Diz Miguel Archanjo de Figuekedo, que
tendo de/embarcado no porto da ponte volha
urna porgo de tijollos lhe fo prohibida ,
a estada dos ditos tijollos naquelle porto at
a sua condugo o como o suplicante nao su-
poe aquelle porto ser propriedade particular,
e alem disto nao supondo qne a lllustre C-
mara concdese, que se izesse no dito por-
to um pequeo atterro para dezembarque dos
materiaes para a obra da matriz e em pre-
juizodo publico : e como o suplicante tem de
dezembarcar naquelle porto alguns mhei-
ros de tijollos por lhe ser mais cmodo nelle
do que em outro qualquer por tanto
P. a V. S.a> sejo servidos
conceder-lhes dito dezem-
barque visto asrazoes expen-
didas de cuja graga
E. R. M.
Independente de licenga desta Cmara, o
suplicante ou qualquer outro pode utili-
zar-se do porto por ser serv lo publica.
Recife em sesso de 15 de setembro de 1S42.
J. R. Falcao P. P. Costa Monteiro Mon-
teiro. Mello Cavalcanti. Mamede. R-
ardo do Reg.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 19 de Setemb. 5:l35#897
DKSCARREGA HOJE 20 DE SETEMBRO.
Brigue Francez= Boy = Vinhos, massas ,
e |iaras.
Polaca Sarda =Samarva = Vinho, azeite ,
papel, massas, e miudezas.
Brigue = Laura = Azeite doce.
Escuna Americana = Rozario sx Taboado.
Barca Ingleza = Columbus = Fazmdas,
MOV MENT DO PORTO
W.
cou-
NAVIOS SAIIID0S NO DIA 17.
Liverpool pela Parahiba ; Barca Ingleza
Russel Cap Robert Bruce car
ros.
Aracaly ; Mate Brasileiro Olinda Cap. Joze
Goncalves Simas carga diversos gneros.
KNTRDO NO DIA 18.
Para Maranho Cear Bio Grande do
Norte, e Parahiba ; 28 dias trazendo 16
horas do ultimo porto, Vapor Brasileiro
Paquete do Sul, Commandante Mathias de
Barros Valente 5 traz 93 recrutas.
SAIIIDO NO MESMO DIA.
Bio de Janeiro ; Galera Dinamarque/.a YYo-
din Cap. B. G. Bondixom com a mes-
ma carga que trouxe de Swansey.
ENTRADO NO DIA 19.
Rio de Janeiro e Bahia ; Vapor Brasileiro
lpiranga Commandante o Capito Te-
nente Antonio Carlos Figueira veio em
commisso do Governo.
DECLARACOES.
vamente convidar s pessoas a quem poss
convir o referido contracto a a presenta rem as
suas propostas porescripto at odia 20 do
corrente, na secretaria da msma thesoura-
ria aonde soro patentes o orgamento, e con-
diges respectivas.
Thezourariadas rendas provmciaes de Per-
nambuco 12 de Setembro de 1S12. = 0 Se-
cretario Luiz da Costa Porto-Cari eiro.
t^ Carta seguras existentes no Correio
geral urna para Manoel Rodrigues da Costa,
urna para llcrculano Alves da Silva.
xrr Pola administrago da mesa do Con-
sulado se faz saber, que no dia 22 do corrente
se hade arrematar a porta da mesma admi-
nistrago urna caixa de assucar branco ap-
prehendida pelos respectivos empregados do
Trapixe novo por nexilido de tara sen-
do a arrematago livre de despezas ao arre-
matante. Meza do Consulado de IVirnam-
buco 17 de Setembro de 1812.
Miguel Arcanjo Monteiro d'Andrade.
= O baeharel Formado Joo Antonio de
Souza Beltro d'Araujo Pereira aviza a quem
convier que se acha no ejercicio da segunda
vara do juizo municipal do termo do Recifo ,
e que d audiencia todos os dias de trabalho
desde as 9 horas da manh al as 2 da tarde
em sua cas na ra de S. Francisco no 2. an-
dar do sobrade em cujo 1. andar mora o
Sr. advogado Jos Narcizo Camello.
LE LOES.
- Por conta de quem pertencer. ordem do
Sr. Cnsul de S M. F n'esta Cidade, e em
sua presenca ou de seu delegado o Corretor
Oliveira continuara' a venda publica de azeite
de peixe, desembarcado da Barca Portugaeza
-Real Principe D. Pedro arribada a este
porto com agoa aberta, na viagem que lazia de
Mocambique ao de Boston ; Quinta feira 22
do corrente a urna hora da tarde no Trapixe
do Angelo.
er Leilo que faz a viuva de Joo Carlos
Pereira de Burgos hoje 20 do corrente pe-
las 9 1|2 horas da manh na loja da quina da
pracinha do Livramento de hacas de ra-
me linhas de carriteis serrles dobradi-
cesdecruz, ditas quadradas e diretas, pre-
gos caivetes aldravas almofagas es-
padas de ponta direta espingardas fitas
largas tintas para escrever : preta e de co
res sabunetes linhas de cores bu toes de
osso ditos de duraque rnartellos culhe-
resde metal para cha ditas para pedreiro ,
escovas para cavado pennas torcidas para
candieiro tinta para marcar roupa sapa-
tos para meninos creiOes de pedra chape-
linhas enfeitadas e outras mu tas azendas
e miudezas ; os pertendentes podero compa-
recerem as mencionadas horas munidos de
seus fiadores para arrematarem a prazo ca-
zo nao quciro pgalas a dinheiro.
tsr- Leilo de urna porgo de fumo no
dia 20 do corrente pela dez horas da ma-
nh na porta do armazem de Fernando Joze
Braguez ao p do arco da Conceigo.
tsy 0 leilo de fazendas ferragem car-
neiras bizerros&c. de J. P. Adour & C. ,
fica transferido para sexta feira 23 do corren-
te as 10 horas da manh no seu armazem
da ra da Cruz.
ts" Joo Stewart agente dos Seguradores
Lloyd's e consignatario da barca ingleza
Middlesex far a venda por Leilo publico a
quem mais der por conta de quem pertencer
e por intervenco do Corretor Oliveira de u-
ma pprco de sacas de l de carneiro a va ria-
das salvados da dita Barca naufragada no
Rio Formozo na viagem que fazia de Sidney
a Londres : quinta feira 22 do corrate no
seu escriptorio na ra da Cruz D. o"i, onde os
pretendentos podero examinar as amostras.
THEZOL'RARIA DAS RENDAS PROVINCIAES.
= Nao tendo comparecido concuri entes ao
contracto do fornecimento de rame precizo
para a ponte suspensa do Caxang. convida-
do pelo annunck* desla liiezouraria de ~> de
agosto ultimo o Snr, Inspector manda no-
AVI S OS DIVERSOS.
Snrs. Redactores.
Cada vez me persuado mais que para o Sr.
Gamboa puder conservar a actual capoeira a
quechamo theatro deve-se lemitar por ora
companhia de funileiros e sapateiros que
actualmente conserva na sua impreza pois
seria urna loucura, o Snr. Gamboa inlroduzir
commicos de outra ordem em quanto se nao
acha prompto o novo theatro; mesmo para ver
se ogostopela scena vai melhorando pois actu-
almente Snrs. Re factores ainJa est muito em
atrazo eu passo a demonstra-Io.
A rogos de algumas pessoas logo que aqui
chegou em novembro doanno passado o Snr.
Giuseppe Marinangelli (omelhor thenor que
aqui nos tem apparecido) deo dous conserlos
demuzica no theatro do Sr. Gamboa equal
foi o resultado i' Foi apenas poder salvar as
despezas 5 hoje vemos Monsieur e Mademoi-
seile Lucci que realmente canto bein e sap-
tisfazem os espectadores darem os seus es-
Si
pectaculos com 50 pessoas na platea. e s
com 8 ou 10 camarotes oceupados! Ao
mesmo passo que a pouco temos visto neste
mesmo theatro com difliculdade poder-se obter
um bilhete de platea, e esperar-se lo dias pa-
ra haver um camarote as representages dos
pulitriqueiros Walli, Robert, Massarat, o
finalmente Jos dos Reis e madaine Amanti.
Por ventura Snrs. Redactores tero estes mais
merecimentos do que aquelles ? Bem longo
eslo disso e he o que neg e negaro to-
dos os que souherem dar o valor s cotizas ;
pois diro como eu digo estes pulitriqueiros
o lugar que Ihes competa para darem as sias
funeges he urna praga de arlequins e nlo
um theatro e madaine Amanti (ainda que
vistoza) deveria ir estudar muzica se qui/er
continuar a cantar em publico pois nlo nos
appresentou urna s pega em que nao houves-
seir grandes faltas rnu/icaes. Os entendedo-
res da materia assim o dizem.
Tenho Snrs. Bedactores demonstrado que
existe falta de gosto nos nossos expectadores,
e approveito esta occazio para dar mil louvo-
res a madamoisclle Lucci que at hoje tem de1
vinamente cantado : o que se uo pode negar;
mas ser lambem bom que o Snr. Lucci nao
se appresente cantando em publico com voz
de urna senhora como fez no duetto da Norma,
porque as pessoas que vo ao theatro entendem
e conhecem que o Snr. Lucci nao se deveri
allastar da sua voz natural que desempenha
sempre bem.
Sou Snrs. Redactores
I, J. G.
Snrs. Redactores.
Atassalhado era meu crdito eemminh
honra por meu irmo o Sr. Joo de Aletnio
Cisneiro, que a todo o costo procura lancar
mo de meios violentos illudindo as autbo-
ridades cerca de minha bem conhecida conduc-
ta sem se lembrar dos servigos, que lhe hei
prestado e de que bem pouco lempo com
minhas fnrgas dellendi a sua pessoa e pro-
priedade nao me he possivel deixar de pro-
testar perante o publico contra um tal proce-
dimento dando um pequeo esbogo das cau-
sas de urna tal irritago. Em Maio do cor-
rento anno tiz sociedad; por tres annos com
meu irmo em o seu Engeuho Campo Gran-
de em Bebiribe, com condieges xharadas na
Escriptura que se acha no Cartorio do Ta-
bellio Guilherme sendo eu o administra-
dor do Engenho, e sobre carregando com to-
do o peso do tr-< balho, succede porem ago-
ra que passados cinco meses procura dito
meu irmioentrodusir-se no Engenho privan-
do-me da administrago a que L'iiho direito
pela mencionada escriptura e engerir-se
no que lhe nao convem quando do bom
ou mo resultado da administrago sou eu o
nico respongavel; mas Snrs. Redactores ,
a indignidade do procedimento do meu irmo
ainda nao est ahi, o que indigno sao os
meios de que ha (aneado mo para laucar-
me fora da administrago do Engenho e re~
siccendir o contracto ; sim tem elle procura-
do as authorid'des Policiaes eate a primei-
ra aulhoridade da Provincia e illudindo-as
tem me representado como homem sobre'
quem as vistas da Polica devem recahir, e
assim trama como me consta que o Dele-
gado do 1." destricto desta Cidade o Sr. Dr.
Brandio se preste as exigencias tio extra-
vagantes prendendo-me como para recruta :
esperamos porem que o lllm. Snr. Delegado
conco de suas bem importantes funeges nao
aviltar o lugar que to bem tem sabido de-
sempenhar, sendo que como homem labori-
oso Cidado respeitador das leis e ofiicial
de patente u9o possa estar sugeito recruta*
ment, ou outro meio violento, contra o que,
qualquer que seja protesto perante o pu-
blico. Se meu irmo se julga com direito de
rescindir o contracto de sociedade que fez
comigo lance mo dos meios judiciaes, de-
cida um Juiz esclarecido da parte de quem
est a raso, e o direito mas noqueira fa-
ser as authoridadas escravos de seus capri-
chos t e paixoes extravagantes. Snrs. Re-
dactores por ora riada mais aventuro ; e
porem continuar a aggressu descerei a pro-
menores e porei calva a conducta dette
homem desconhecido que to enfamemente
me quer perseguir e estou prompto a en-
trar em I ice com elle todas as vezes que
elle chamarme a terreiro e deflenderei a
minha conducta nao com palavras mas com
documentos aulhenticos. Com a insercio des-
tas linhas muito obrigarO a seu venerador e
obrigado
Joo AlemSo da Cmara Cisneiro.
tsr Segunda vez se adverte ao Sr. J. G.
P., mande entregar o dinheiro que receben
para entregar ; alias se declarar mais anu-
ira cotiza.


r.- -.--
1S
4





Vi;'i- se o segundo andar e sotabcont
sullicieh'tes cmodos para urna grande fami-
lia da nropriedade numero I, sita na ra Au-
gusta desLa cidade. assim como aluga-se o se-
gundo andar sotaoda propriedado a esta u-
nida j quemas pretender alugar dirija-se ao
seo propnetafio Jozo Alaria Placido de Ma-
galhes.
csr Bernardo Joze Pcreira Ramalho sub-
dito portugtlez ; retira-se para o Rio de Ja-
neiro.
tsr Thom azLatham subdito luglez retira-
se para Inglaterra.
is^ Da-se 800*000 rs. a premio de 2 por
cento ao mez cun iiypotheca eni urna casa;
quem os pert Vista 1). 9.
= Na padaria da ra Direita n. 40 sobra-
do de 3 andares preciza-se d um bomem pa-
ra massra que seja perito.
^s O Sur. Felippc Figueira tcm urna car-
ta em casa de E. Schaefler na Jo Vigario
'N. 18.
%ST Desapareceo no dia 18 do corren te as
2 horas da tarde, do atierro da Boa-vista ,
umcavallo com cangalha ncam hilos com
os signaes seguintes, cor alazao, 2 pes, e uina
mo calcados c eslrela na testa e urna orellia
um tanto murxa elle velho e capado ,
est bastante magro ; e o ferro lie um Al o
qual est anda por encabelar a pessoa que
o aprender dirija-se ao dito atierro a caza
do padre Me'slro Lopes (ama, que ser re-
corr.pcngado.
tST Auga-se para passar a fesla urna caza
terrea para pequea familia com cicimba
de boa agoa que at se vende pelo lempo de
testa a vinlem o balde cita na caza forte ,
na estrada que segu para o Arraial pro-
pria para alguma familia qne quer estar in-
dependente do barulho da ra o viver em
seu songo, tem 5 quartos, telheiros, e arvo-
res de fructos, a pessoa que a pretender dirija-
se ao cartorio do escrivo Magalhes na ra
da Cruzes que l achara com quem tractar ,
caza onde est colocada onixo.
SS^-Quem llie faltar urna vaca dirija-se ao
sitio do abaixo assignado na estrada que
vai da Magdalena para o remedio, que dando
os signaes certos llie ser entregue ; o mesmo
nao se responsabiliza,por qualquer inconveni-
ente que possa acontecer.
Migue! Correia de Miranda.
tSF Boga-se ao Sur. Manoel Francisco Pc-
reira l.obo que venha realizar o negocio que
fieou de realizar sexta (erra 16 do correte, e
nao aparecen ou annuncie sua morada para
ser- procurado.
tSf A pessoa que anunnciou no diario de
15 do correte querer comprar um sitio,
queira deri>ir-se a Olinda ra de S. Bento
tnica caza terrea de soto,que se inculcar um
sitio nao s com as qualidades que o anun-
('i.'.nte pede como tamhem com oulras militas:
e por preco com modo.
tsr* 0 Snr. Muo More ira Pimentel de
Araujo I.ima queira hir na ra do Cabug loja
de miudezas D. 5 buscar urna carta vinda
de macei.
XSf Quem tiver um prelo ou urna pret-
que seja capaz para vender pao na ra ; dia
rja-seao atierro dt-fronte do viveiro padaria
D. 14 ou annuncie.
ssy Aluga-se o 2." e 5. andar do sobrado
1). 1 da ra do Rozario larga : a fallar com
Joo-de Freitas Bar boza.
= Do sitie lnvisivel fugio um carncro no
dia i S do corren le e consta ter entrado em
Una d'aquees sitios visinhos e por isso o
.. seo (joo Antonio Joze (ornes do Correio pe-
de a pessoa que o tem em seo puder caso nao
seja muilo piulan tropliica baja de o mandar
levar cu avisar para se mandar buscar.
= O hachare! formado Fui/. Paulino Ca-
valcanle Vello/, de Guivara, mudouoseu es-
critorio da ra das Cruzes para a do Collegio ,
1, endar do sobrado junto :i botica do senhor
Cypriano Luiz do Paz onde continua a advo-
gar no crioie e civel.
= Dezaparecerao duas caixas com forra-
menta deearpina a qual se mandou condu-
sirde (ora de portas para a matriz da Boa-vis-
ta, por dois pretos ganhadores que para dita
condueo Ionio samados e dez.encaniinha-
tar Da-sedinhero'a premio mesmo em
pequeas quanlias : no pateo do Car.no ven-
da D. 7.
xsr O Sr. Banto Joze de Senna guarda da
alfandega dirija-se a ra Nova D. 21 a ne-
gocio de seu interesso.
ss^ O bilhele n. 804 da segunda parte da
11. lotera do llieatro publico, pertence ao
Sr. Joze Felis da Cmara Pntenle!, e ica
em poder de F. da Silva Lisboa.
ssr^ Quem annunciou precisar de um so-
brado de um andar dirija-se ao pateo de S.
Pedro sobrado I). 1.
cy Precisa-sede urna ama deleite : atraz
da Pon ha caza terrea D. 12.
cy Quem annunciou querer ser caixeiro
de engenho ou caza de purgar dirija-se a
ra das Cruzes D. 6 segundo andar.
ET Aluga-se urna grande caza no Pogo da
panella envidracada e pintada de novo, com
cacimba senzaia e estribara alem de nu-
tras mu los oommodos : a tratar na ra do
Hospicio com Joao Bufino da Silva Ramos ,
defronte do Coronel Brito luglez.
tr Fma pessoa ltimamente chegada a
esta Cidade se propoe a ensinar a aliar pi-
annos, oque promete fazer por mais mdi-
co preco que outro qualquer ; quem de seu
prestidlo se quiser utlar annuncie ou di-
rija-se a fora de portas ra de S. Amaro n.
4 de manila at as 10 horas c a tarde at
-i dos das uteis.
CT Precisa-se de urna mulher que se en-
carregue de cozinhar o ordinario de urna caza
sem familia, e ao mesmo tempo faca as com-
pras necessarias : na ra do Livramento no
segundo andar do sobrado sem varanda a di-
reila do Sr. Vital.
31 Permuta-se um sitio com grande ca-
za tenas proprias muitas fruten-as de to-
das as qualidades perto da Matriz da Var-
zea e do bando da pedra no rio Capibaribe,
com elegante vista para a estrada publica .
ptimo lugar para se passar a festa por urna
caza em qualquer dos bairros desta Cidade:
a fallar na ra de Agoas verdes D. 3G
= Domingos Carcia estabelecido no beco
da Pol desta Cidade e com loja de calcado
na ra do Queimado D. 11, avisa ao respeita-
vel publico que por haver outros de igual
nome como athe tem aparecido as partes
de polica publicadas neste Jornal que de
hora em diante se assignar Domingos Garca
Parame.
= Feliciano Pcrry Vidal, subdito Aus-
traco retira-se para o Aracaty.
== Quem tiver para alugar urna preta que
sirva para o arranjo de urna casa de pequea
familia; dirija-se ra Augusta casa D. 12 :
na mesma casa se quer urna ama com leite for-
ra ou captiva, e sem (ilhos.
COMPRAS.
t^" lina casa terrea com dous quartos,
Ierra propria quintal murado u grande pogo
de boa agoa ; quem a pretender dirija-so a
ra deS. Joze 1). 18.
cr Cadeirasde Jacaranda tizadas; quem
liver annuncie.
ssy Fm quarto gordo carregador bai-
xo para urna viagem : na ra das Cruzes
f). 6 ou annuncie.
cocommolo: a tratar na ruado Hortas ven-
da da quina n. 2).
r Urna caza na Cidade de Olinda, por
preco commodo : na ra Augusta venda da
quina.
xsy Tijolos de limpar facas e amarellos a
200 rs. algalias e ralas elsticas para curar
carnosidades e dor di- pedra a 520 cada urna,
lamparinas de pao a fio rs. cada caisa fsfo-
ros de pente superior a 50 rs. caivetes fi-
nos para aparar pennas a 2 40 bicos e ren-
das de todas as larguras a 80 rs. at 240 a
vara vellas de carnahuba a 520 a libra ,
thesouras finas do-iradas cartas francezas c
outras muitas couzas : na ra larga do Roza-
rio D. 7 loja de miudezas baratas.
BT 5 pipas vazias que foro de vinho,
por 25* 500 garrafas limpas, e vazias por
25/, eum caixao para ter gneros amostra
em venda por 5 500 otavas de muUo boa
prata : na ra do Amorim vendan. 125.
cr Um prelo de 40 a .">0 annos bem ro-
busto p Terco n. 24 das horas da manh as 0 e
das duas as 4 da tarde.
lar* Por preco commodo 5 vidracas pro-
prias para loja de miudezas ou fazendas : no
pateo do Terco n. 24.
Cf Sacas com farinha da trra com al-
queire da medida velha per preco commo-
do : no armazem do Braguez.
eylJm caza terrea na ra do Coto velo na
Boa vista D. 16 : a tratar na ra do Ban-
gel D. 7.
S3P Fma caza terrea na ra de S. Miguel
nos Afogados : a tratar na ra Direita Deci-
ma 85.
S39~ Collecoes completas das leis do Impe-
rio desde 1822 a 1841 inclusive, por junto
ou em volumes separados : em caza de L. A.
Dubourcq ra subscreve tambem para o Jornal do Commer-
co do Ro de Janeiro.
tsy Pelles de cutirode lustro a lfiOO : na
ra do Crespo as lojasdo Cunha D. 5 la-
do do norte e D. 8 lada do sul.
tssr Barris com breu papel de peso sa-
g em arrobase libras, pimenta do reino,
salitre refinado em barricas em libras e ar-
robas -4 temos de medidas sendo 5 de fo-
llia e um de pao : na ra das Cruzes D. 9.
t^" A colecAo do Diario de Pernambuco ,
de Iulho de 1841 a ditodo 1842 : na ra do
Muudo novo D. 9.
sy Fm lambique de cobre, e urna gra-
de de assougue : na ra do Caldereiro sobra-
do de um andar D. 1.
t^ Farinha de mandioca muilo boa pqr
muito barato preco : no armazem de Anto-
nio Annes Jacome Pires.
tsy 3 varandas de ferro novas e de bom
gosto para janellas urna porgo de dobra-
dices de cruz e tijolos de marmore quadra-
dados : as Barreiras na Boa vista caza de
Joze Antonio Alves da Silva.
ss** Para fora da provincia um escravo de
bonita figura de 20 annos : na ra do Ca-
bug loja detronte da Matriz.
t^-Cerveja de superior qualidade por pre-
go commodo ; assim como urna preta de na
gao, de 18 a20 annos he bastante robus-
la : as 5 ponas n. 27.
t3~ Dous hbitos de S. Bento de Aviz ,
no sobrado de Ane
. u un mnimum.
tsr Efectivamente para fora da provincia, \^\ ^ f^modo : ri
ulatinhas crelas e mais escravos de bo- lel Jo,f de *-endonCa-
mi
nitas figuras de 13 a 20 annos e pago-
se bem agradando : na ra da cadeia do Re-
cifen. 5primeiro andar das 9 horas as 4
da larde.
VENDAS.
ssy 3 escravos mocos para todo o traba-
Iho um delles cozinha bem o ordinario de
urna casa, duas pretas mocas, engommo, co-
zinhao o lavao duas ditas por 550* cada
urna cozinho lavo bem e boas vendeo
deirasna ra ; um preto por 500* optims
para todooservigo : na ra de Agoas verde-
n.41.
ss^" Fm atlas geogrfico com 40 cartas
grandes de ptima e moderna impresso por
prego commodo na loja de iivros do pateo
do Collegio D. 7.
C3~ Figurina para senbora os mais mo-
dernos, t chegados ltimamente : na ra do
Queimado defronte do beco d* Congregaco
por cima do armazem de louga.
tU" Superior sal do Ass muito alvo e
"io:so: a bordo do Patacho Laurentina ou
rao se com as ditas caixas ; roga-se a quem
dt'll.is tiver noticia far obsequio annunciar
pqr$Le Diario ou participar na na nova
Lado do norte penltima loje.
= O primeiro secretario da sociedade A-
inizade, nos une faz certo a todos (.-; sis. so-
cios que ojiarla feira 21 do correle ha sesso i na ra da Cruz caza de Lourengo Joze das
em asseniblca geral pelas quatro horas da tar- Neves.
di p.ua se deliberar dilinilivainente sobre! t& Fma banda em muito Iwm tizo : na
ohjeetos de urgencia na caza de suas ses- ra velha D. 9.
stfs : na da praia por cima do armazem do Cf Fm tambor de torrar caf, e junla-
sr, Piulo 3, andar. mente o fugao, em muito bom tizo e por prc-
ts^ lim rico missal chegado prxima-
mente de Lisboa ; ecompra-se prata velha :
na ra das Trincheiras D. 9.
fg?~ Novoscortes de lanzinha para vestido
de senbora, de superior qualidade : na ra
do Crespo leja D. 6 lado do sul, de Bento Ma-
galhes.
ssy Barricas e meias dilas com farinha ,
presuntos sacas com novo arroz de vapor ,
oda fabrica, rondecas balaios latas com
pilulas da familia e bichas de Hamburgo
ltimamente chegadas por preco commodo:
na ra estrella do Rozario D. 17 padaria de
Francisco Alves da Cunha.
ta^ Queijos londrinos, presuntos para fi-
ambre conservas inglezas licores linos,
vinhos da madeira, muscatel de setubal, bur-
cellas malvazia Bordeaux e do Porto ,
tudo de superior qualidade, e por prego com-
modo : na ra da Cadeia velha venda de Jo-
ze Gonsalves da Fon te.
C^" Fma escra va para todo o servigo : na
ra de Agoas verdes passando S. Pedro e o
beco D. 7.
ey Fmaescrava de nago engomnm ,
cozinl.a e lava bem de varrella ontra dita
de 10annos, com algumas habilidades, c
ontra quitandeira : na ra do Livramento
D. 45.
tSf Dous vvenos engradados de amarelo
de rame de latao cada um com um casal
de canarios de imperio de muilo boa qualida-
de o macho liso o a femia mesliga e cacni u
t;ida por prero commodo : na ra do nicho
da Assumpeo D. 5.
tar Fmaalva para Padre, muito rica,
bordada de susto, feita em panno deiesguio,
4 varas de bico de mais de palmo tambero ri-
co ; urna pipa e tima quartola arquiada- de
ferro do servigo de azeite, e 3 llandrcs com
medidas : as 5 pontas u. 114
tar Fm deposito de assucar retinado no
largo da praca da Boa vista e tambem se
traspassa as chaves do mesmo com o consen-
lnento do seu proprietario oSr. Pedro Igna-
cio Bapli'sta; umacarteira de duas faces; uina
venda com poucos fundos om fora de portas
junto a intendencia de marinha ; urna ;efi-
naco de assucar com seus utencilios ,' esta-
belecida no quintal no fundo da mesma ren-
da : na ra da senzaia velha padaria n. 5t.
SZ7" Farinha de mandioca a 1*fi00a saca:
no armazem de Joaquim Consalves Vieira
Ouimaraes defronte do arco da Umceigo.
t^~ Duasescravas sendo urna moga. Java,
"ozinha e faz o mais servigo interno de uma
caza e a outra de 30 annos de nagao,
vendedeirade na, e propria para todo o ser-
vico de campo : na ra Nova armazem De-
cima 34.
E5" I ma venda com poneos fundos a di-
nheiro ou a praso : no forte do Mallos quina
da ra do Amorim caza terrea calada de ama-
relo : a tratar na mesma.
E2T Fm sitio com caza de sobrado na
passagem da Magdalena entre as duas ponlcs:
a fallar com o sen proprietario Joze Joaquim
Bezerra Cavalcanti.
gj- Fma preta de meia idade de nago
costa *, boa quitandeira, e lavadeira : na ra
velha D. 9.
^cr Fmcrucifixo, 5 vollasdecordo, um
colar um par de brincos de bom ourocom
diamante um ponteiro cruz de abrir e va-
zadas pares de botOes de punho de diver-
sos tamaitos e modelos um rozario co-
razes grandes azues e encarnados encastoa-
dos com muitos enfeites diamantes para
cravadores transelim grossos com passado-
res c linos para senbora um relogio de ou-
ro, horisontal que trabalha em 4 diamantes,
e outro de prata sibonete inglez resplan-
dores para Imagens salvas, colheres cai-
xa para rap e uma poicode prata de bom
toque : as 5 pontas D. 25 onde tem lam-
pio.
t^- ptima carne do serto chegada pro-
xim miente por grosso e miudo, assim co-
mo queijos e hngoigas : na praga da Boa vis-
ta v nda D. 9.
%& Sementes de ortalice chegadas ltima-
mente de Lisboa : na praga da Boa vista Do-
cima Ifi
ssr Fm almofariz de bronze proprio pa-
ra botica : na praga da Boa vista D. 16.
ssr Um sitio de criar ado na cacimba ,
distante uma legoa da Villa de Cabiceiras ,
com cumies boa caza de vivenda, bom cer-
cado e dous assudes com boa agoa de beber, e
tem todas as commodidades para situar uma
boa fazenda de criar : os pretndanles dirijo-
se ao mesmo sitio a fallar com o dono ou em
Pao d'Alhocom o Capito Manoel Framisco
Ramos.
E"S~C RAVOS FGIDOS.
^ ,
tsr Dezaparccfo em Maio de 1840 uma ne-
grinha de nome Luiza nagao songo de ida-
de de 12 a 14 annos estatura baixa cor bem
pela cara redonda e potltuda olhos abugalha-
dos pe tos pequeos e bem em p pez pequeos
e secos nadigas empinadas (piando de-
zapareepu eslava bastante gorda e supe-se
que foi furtada pois nunca sabio roa, e nem
to pouco noticia se tem tido; por isso se offe-
reseaquema troucer ou .ella der notici"S
certas, guardando-se todo o segredo 50*000
reis de gralificaco, na praga da Independen-
cia numero 35 e 54, ou na ra da Ale-
gra D. 10.
ej- No dia 13 do corren le fugio o preto
canoeiro por nome Manoel crelo de boa fi-
gura alto e incorpado lem o rosto um pou-
co descarnado c redondo as orelbas peque-
as penca barba e can hoto tem um lobi-
nlio no braga squerdo junto ao cutovelo ,
bebe bastante quasi sempre traz as pernas
inpoiads de bolhas de agoa que abrem em
ferda como de prezente tem uma perna ,
que por isso i lem mais rossa que a outra
este negro he canoeiro reprezenla 50 a 35 an-
uos levoii carniza e calca de algodao de fo-
ra e carniza de baeta encarnada, e chapeo
de pabia. D-so uma generoza gralilicago
a quem o pegar, e o entregar na padaria da
ra dos Quarteis I). 5 de Manoel Antonio de
Jess.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. = 1842.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFXRVT682_DPTJF2 INGEST_TIME 2013-04-26T22:43:07Z PACKAGE AA00011611_08135
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES