Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08134


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno.de 1842.
Segunda Feira 19
Tudo arora *Pen^e ^e m" Irls^,0 > da noaaa prudenoia moile riio e enerfcia : cim-
. nemos como principiainoa e eremos aponalos com admiraciio enlre aa Naooea mtis
'"'.. (Proclamaco daAssembla Garal do iraiil )
culi'. *_________________
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
^ ,! ?riba e ftiogrmiae do Norte, tegondae sexiai feirai.
Honiio e Garanbuns a 40 e 24-
r bo Se' ^' ^onn010 > Porto Cairo, Maeei e Alagoaa no 4. 44, t 24.
('a-vial* e Flores 43 e 28. Sanio Anlao qninlaa feira. Olinila lodo o tUa*.
DAS DA SEMANA.
4> Seg. J*nu*rio B- M/ Attd- d' J- ^ a 2 T-
20 l'ei jejum a Emlaquio M Re. And. do J. de D. da 4. t.
21 Q'ja Tmpora jejum s Mallieua Ap c Fvang.
22 Quii. Mauricio M. And do juii de D da 2. v.
Se'.' Twnporas jejum Lino P. M. Aad. do J. de D. da 4.' v.
V Sab. Tmp. .i'jnm N- S das Merco, Re. Aud. do J. da D. da 3. t.
23 Doa. Firmino B. M.
de Setembro. Anno XYIH. N. 02.
O Diario publica-se todo os das qoe nao forem Santificado : o pree0 da aaa.Rnatnra U
de tre. mil rei* po, quartel pa-oa adia.ilados. Oa annuncio. doa aaa.Kn.nlea aao inaendo
rrn.i, e 01 dM o nao forem Ma de 80 rei, por linh. A. recl.m.coe. de..- aer
dirigidas aat.TypojraSa ru. da. Crotea D. 3, im a pr.ca da lndependenc. loj. de I.rro.
' Numero 37 e 38.
CAMBIOS no da 18 de setembro. compra venda.
Cambio aokre Londres 24 \ i. por 4U.
m Paria 3S5 reia p. franco.
i) Lisboa lOfi por 4D0 nominal,
Moeda de cobre 4 por 100 de desoonto.
dem de letras de boas firmas i i {.
Oo.o-Moadad. 6,400 V. 46,200
. N. 46,00J
da 4,000
PiuTa Palace
PeioaColnmnares
a dito Mexicanoi
it alinda
,000
4,860
4,860
4,860
4,720
46,400
46.200
9,200
4.H80
4.8S0
4.880
4.760
Pleamar do din 10 de Setftnbro.
4. a 4 horus e 30 m. da manha.
2. a 'i liorai e 5-i m. da tarde.
PHASF.S DA LOA NO MEZ l)E SETEMBRO.
Loa Nora a 4 is 7 borat e 22 m. da tard.
Quarl. creac. a 41 a 4 Imraa 42 m da tard.
La cheia a 1!) -- aa 4 horas a 5 m. da tard.
Quart. aaiag. a 27 --a 0 h.iraa e V7 m. da lar.l
DIARIO l>E PERNAMJMICiL
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA i DO CORRENTE.
Oficio Ao inspector da thesouraria da
fazenda ordenando que mande indemni-
sar o arsenal de marinha de diversas dispe-
sas, que por conta do ministerio da guerra fo
rao all feitas cm os me/es de Julho, e Agosto
prximos passados na importancia de reis
8:3l8>-r73 dos quaes2l0,y reis despehde-
ro-se com a barca do vapor = Paquete do
sul = 2:438*100 reis com a Pernambucana :
:}:567>>352reUcom o Paquete do Norte ; que
vierSo a este porto em commisso do Gover-
no Imperial: 997G1 reis com o patacho =
Pirapama e 2:003*200 res com a compra
do carvo de pedra que se acha em de-
posito.
DitoAo inspector do supramencionado
arsenal intelligeneiando-o d'liaver expedido
i precedente ordem.
Dito Aoengenheiroem chelo das obras
publicas signilicando que as despesas ,
que se fizerem para remediar a demolido do
arrecife artificial do porto desla cidade so-
ro pagas pela thesouraria da fazenda ; e q ut-
as respectivas contas devem sor organisadas
deconfmnidadedo disposto no regulamento
de 2i de Maio prximo findo.
f)to Ao inspector da supracitada the-
souraria scisntificando-o da ter sido appro-
vada por S. M. o Imperador a autorisago ,
dada pela presidencia ao engenheiro em che-
fe das obras publicas para remediar a demolir
cao 'Jo arrecife artificial d'este porto 5 e de-
terminando que mande satisfazer as despe-
sis que com similhante obra se fizerem ,
estando organisadas segundo o suprareferido
regulamento.
Dito Ao inspector fiscal das obras publi-
cas participando achar-so incumbido o su-
pradito engenheiro da obra cima citada, e
que as despesas ella relativas sero pagas
pela thesouraria da fazenda.
Dito Ao engenheiro em chefe das obras
publicas ordenando que remeta spere
taria os ornamentos do reparo das estradas
feitas, e que informe ao mesmo tempo. quaes
os trabalhos que esto cm andamento.
Dito Ao inspector do arsenal de mari-
nha determinando que faga apromptar do-
ze arrobas de plvora grossa e duas de fina,
lim de serem remetidas na primeira occa-
siAo opportuna provincia do Cear cujo
Presidente as requisitou para servido do bri-
gua escuna s= Fidelidade = alli estacio-
nado.
Dito Do secretario da provincia Anto-
nio de Souza Reis communicando que S.
Es. o Sur. Presidente da mesma provincia
levou ao conliecimento de S. M. I. o patri-
tico otterecimento que fez S. m. d'uin seo
filho para o servigo da armada e que aguar-
da a resoluto do Mesmo Augusto Snr. para
ulterior determinado respeito.
TRIBUNAL DA RELAJ.
SESS.VODE 47 DE SETEMBRO DE 18 42.
Os Embargas de Antonio Pedro de Barros
Cavalcanle contra Francisco Pacheco Soa-
ros na appellacjio civel do juizo de direito des-
ta cidade escrivo Bandeira forAo despre-
sa.Ios, mandando-se cumprir o accordo em-
bargado.
Na appellacao civel da terceira vara desta
ciilade appellantes Jozo da Silva Oliveira e
Francisca Candida da Silva Oliveira escrivo
.1 arome se mandou que descessem os mes-
mos autos para o juizo a quo afim de se pro-
ceder na avaliago determinada pelo decreto
de 5 de Abril do correnle anno.
Na appcllac.o civel da comarca de Maeei
appellante Januario Jozo de Mesquila, appel-
lado Jacintho Joze de Souza escrivo Rorro
Rangel se mandou olivir odoutor curador ge-
ral dos orphos.
Na appellacSo crime dos jurado'-, de Olinda,
appellante o Promotor publico e appclladn o
preto Joaquim Pedro Lopes escrivo Pos-
thumo se julgou improcedente o recurso ,
e nullo o processo de f. em diante.
Na appellago civel desta cidade appellan-
te Antonio Pereira appeUada I). Martanna
Thereza de Jezus Siqueira escrivo Reg
Rangel, se julgou pela reformada sentenca
recorrida.
Os embargos de Sebastilo Antonio de Al-
buquerque contra Ilerculano Joze d<"> Frei-
tras na causa de appellaco civel dest i cidade
escrivo Posthumo forfio despresados man-
dando-se cumprir o accordo embargado.
Na appellaQo crime da cidade da Fortale-
za appellante Manoel Jo/e Cavalcanto appel-
la Jo Antonio Paes Brrelo de Mello es ri-
vo Posthumo nao lomarfto conliecimento
do recurso.
Na appellaco civel da comarca do Rio For-
moso, appellante Francisco da Silva Santiago,
e appellado Francisco Cazado Lima, escrivo
Reg Rangel se julgou pela confirmaeo da
sen tenga appellada.
Na appellaco civel desta cidade appellante
Antonio Domingos Pinto appellado Manoel
Pacheco de Queiroga escrivo Reg Rangel
foi julgado nullo todo o processo.
Os embargos de Felippe N t de Oliveira
Cruz e sua irma contra a fazenda nacional
na appellago civel desta cidade escrjvo
Bandeira foro recebidos c reformado o
accordo embargado.
Naappellagociveld.sU cidade appellante
Domingos Lopes G'.iimares e sua mulher ;
appellado Joo Xivier Carneiro da Cunha ,
escrivo Posthumo se julgou pela reforma
quanto a habilitago f. e confirmada em ludo
o msis a sentenca recorrida.
Na appelUgo crime desta cidade appellan-
te Joze da Cunha appellada a cmara muni-
cipal escrivo Bandeira foi reformada a
sentenga de que se recorreo.
Na appe'lago civel da cidade da Parahiba
appellante Joze R;rnardo da Fonceca ap-
pellado Joo Gomes de Luiros escrivo Jaco-
mo se julgou pela conlinnago da sentenga
de que se appellou.
Na appellago civel desta cidade appellantes
Manoel Joze de Souza Carneiro e outros ap-
pellado Joze Baplista Ribeiro de Paria, es-
crivo Jacomo se mandou descer o processo
para avaliar-seo pedido na confornudade do
regulamento de 3 do Abril.
TRIBI)NAL~DOS JURADOS
Tribunal dos jurados da Cidade de Olinda
prezidencia do Sr. Dotitor Manoel Meiides
da Cunha e Azevedo.Sesso de 5 de Se-
"tembro de 1842.
Compareceo o acuzado Reo prezo Andre
Manoel de Amoide branco, solleiro, natu-
ral de Caliza de idade de 24 annos sabe 1er,
vive de sua taberna nao foi soldado foi
procesado pelo crime de ferimento e fraclu-
rago do brago da preta Thereza esetava de
Alaria Madalena de Moraes e Souza e pro-
nuneiadoem 2i de .lunlio de 1842 pelo
juiz municipal teve por defensor o Doutor
Zacaria deGes e Vasconceilos, acuzador o
Doutor Promotor publico depois de hora
e meia de debate que durou the o meio dia foi
por decizo do Doutor Ju2 de Direito jlgada
a can/a perempta.
Dito Presidencia do Sr. Doutor Mondes.
J-Sesso de (i de Setembro de 1842.
Compareceo o acuzado Reo afiancado Pedro
Nogtieira criollo cazado natural do Reei
i'e "idade de 30 annos nao sabe ler e ncm
escrever vive de ser corneta no batalho de
Pao Amrrelo ; oi pronunciado pelo juiz de
Direito interino da 1. vara do crime em IS de
janeirode 1842 pelo crime de faca de ponta ,
teve por defensor o bacharel Luiz Paulino Ca-
valcanto Velles de Guevara acusador o Pro-
motor publico, durou o debate the o meio
dia evoltando o concelho da salla de suas
conferencias foi o Reo con.lemnado a 36
dias de prizo simples por sentenca do juiz de
Direito.
Na mesma sesso a sima ; sem debate al-
gum e por um simples requerimento do advo-
cado Joze Bernardo Galvafl Alcanforado fei-
to por escripto foi matul ido subir a conclu-
so o processd de Joaquim Francisco Baptista
de Mello Oxal para ser jugado peremplo ,
processado por ferimento feitO em Bernardo
Joaquim de Azevedo bedel da academia
K feixou-se a sesso por nao haver mais pro
cessos.
EXTERIOR.
REPBLICA ARGENTINA.
Buenos-Ayres, 42 do julho de 18 42.
vivv A F8DERC>6.
Nos he muilo grato annunciar que bontem
noite s 8 horas foi recebido em audiencia
de despedida por S. Ex. nosso Ilustre res-
(aurailor das le, na casa do seu despacho, o
Y.\." Sr. enviado extraordinario o ministro
plenipotenciario do imperio do Brasil junto do
governo encarregado das relaees exteriores da
confederico argentina cavalheiro D. Luiz
Mouttiuho do Lima Alvares e Silva, do conse-
Iho de S M. I. a da fazenda etc. etc. etc.
As 7 horas e 31 i o Sr general primeiro
ajudante de campo foi pessoalmente no coche
de S. Ex. conduzir o Ex.""' Sr. Mouttinho
desde sua casa at a de S. Ex. onde o espe-
rava com o Sr. ministro de relago.is eterio
res. Terminada a recepgo regressou o Ex.m"
Sr. ministro plenipotenciario seguido e acom-
panhado da mesma forma.
O Ex.1"" Sr. ministro Mouttinho ao passar
s mos de S Ex. a recredencial pela qual o
seu augusto soberano se digna por termo
sua missflo junto do encarregado das rttgOaa
interiores da confederago pronunciou um
interessante discurso que nao temos a satisfa-
go de publicar n'esto momento como o faze-
mos com a conteslago do Ex m0 Sr. restau-
rador ilas leis porque ainda nao o ha ve mus
recebido. S. Ex. o cavalheiro Mouttinho est
encarregado porS. M. I. de urna nova impor-
tante niisso. Este honrado diplmala bra-
sileiro deixa entre nos as mais gratas e hon-
rosas memorias. Conduzio-se como verda-
dero amigo d'este paiz. Pela nobresa dos
leus sentimentos e por sua conducta sabia se
fez credor de toda a estima da confederago
argentina e da particular de S. Ex. nosso il-
tustro restaurador das leis.Digno he S. Ex.
o cavalheiro Mouttinho dos mais altos enco-
mios por sua virtude capacidade diplomti-
ca, saber, e mrito eminentes. Desejamos-
lhe e sua respeitavel familia urna viagem fe-
liz urna completa saude e as mais cumpri-
das prosperidades.
Ex.n' Sr. ministro. O governo de Buenos
Ayres, encarregado dasrelagesinteriores da
confederago argentina tem contemplado com
particular complacencia a nobre eircumspec-
00 benvola e sabia conducta com que V.
Fx. tem desempenhado a honorfica niisso
qoe recebeu de S. M. para estreitar as rela-
goes da amisade e perfeila intelligencia entre
o imperio e esta repblica. Sensivel pela par-
IjJa de V. I'x. espera que possuido do espiri-
to de jusliea que o distingue so retirar pe-
netrado dos vivos wntlmentos de sincera 8-
mi/ade d'este governo para com S. M. o Im-
perador de seus ntimos votos por sua lelici-
dade venturosa imperial familia e prospe-
ridade do Imperio. (Gaceta.)
VIVA A CONFIDERAi.'AO" arcestina.
Morros os selvagens Unitarios !
Buenos-Avres it do julho de 18 42 annos
33 da ibenlade 27 da independencia e
15 da confederago.
O ministro das relagas interiores ao Exm
Sr. enviado extraordinario a ministro ple_'
nipoteiriario do imperiodo Brasil cavalhei"
ro Luiz Mouttinhc de Lima Alvares e Silva"

O abaixo assignado tem a trata satisfagUo
de passar s mos de V. Ex. o passaporte
que solicitou em comprmento das ordens de
sen soberano.Com tal motivo tem a grata
satsfago de dizer a V. Et. que o Exm. Sr.
govemador llie ordenoii participe ao Exm Sr.
enviado extraordinario qu sua conducta fran-
ca digna honrosa o amigavel, e o em-
penho benvolo com que tem procurado man-
ter as relagoes de amisade e boa intelligencia
entre ambos os governos ser sempre urna li-
songeira e justa reconlago que jamis esque-
cer ; equeV. Ex. tem sabido captar digna-
namente a particular estima e aprego tanto
d'este governo como da confederago argen-
tina.
O abaixo assignado preenchendo lo agra-
davel dever se compraz om expressar ao
E\m. Sr. enviado extraordinario a quem
tema honra de dirigir-so quanto so congra-
tula por havel-o conhecido pelas eminentes
(jii.idades que distinguem a V. Ex. e fazos
mais fervorosos votos para que o Todo Pode-
roso Iho conceda urna viagem prospera e feliz,
e encha em todos os lempos de bengos a sua
Ilustre familia.
Deus guarde a V. Ex. rauitos annos. (As-
signado ) Filippe Arana. ( D. do Rio. )
INGCAEERRA.
Le-se no Standard de 8 de Agosto as
seguintes noticias de Portugal.
(i Recebemos importantes noticias de Lis-
boa trazidas pelo vapor = Montroce =s que
sabio um dia antes do costumado. TinhSn.
sido devidamente ratificados pelo Governo
Portuguez os tratados de comraercio e do tra-
fico da escravatura ; o que parece ter sido a
causa da sabida do vapor antes de tempo ,
por ser mister que o Parlamento Inglez expe-
ga os necessarios actos fim do os levar a elTei-
to ant-s que se encerr a sesso. A quea-
to da pauta dos direitos parece que eslava
em bom p. Tinha havido urna confer-nci
dos dous plenipotenciarios Lord Howard o
Duque de Palmella na casa d'este onde tam-
tem se acharoos membros das commissfiee
Iii le/a e Portugueza tratou-se entlodo to-
do o assumpto, e assenlou-se que se izessem
novas tabellas de lodos os gneros omitlidos
que devio ser reducidos pela commissao Por-
tugueza ctim o intuito de que ella os revisa
e propozesse alguma reduego para eujo
im os commissarios se lornario a ajuntar.
A aproximago de grandes corpos de tro-
pas hespanholas s fronteiras excitavo toda
a sor te de boatos. OSenhor Aguilar tinha
voltado de Madrid carregado de novas exigen-
cias sobre o Governo Portuguez ; entre ou-
tras, a de 32,000 pezos do resgale pagos pe-
lo Senador llespanhol Saenz aos bandidos hes-
panhoes que o tinho apanhadoe levado a-
travez da fronleira portugueza ; e 0,000 pe-
zos pelo resgale de seis estudantes que anda-
vo viajando e que foro levados to mesmo
modo. Presumia-se que o Governo Portu-
guez obrara com prudencia e em recrela
eonformidride com os conselhosdo Lord Ho-
ward de Walden ( Ministro Inglz ) dosor-
l- que nao obstante esta louca oslentagSo de
forga militar a que sempre se recorre da par-
a da Hespanha, esperava-seque ludo sear-
ranjaria em paz. Cria-se em Lislwa que a
<



entrada das Iropas Hespanholas era a causa da
partida do vapor.
As cortes ainda se occupavo cm obje-
tos preliminares. A cmara, dos pares tintn
negado aos fillios do Pares Miguelislas o di-
reito de tomarem assenlo. Os Reputados ha-
viao ratificado as eleigas e se nao houves-
soaddiamento ambas as enmaras terio de
entrar brevemente no assumplo da falla. A-
inda nao tinha havido mudanza alguma no
Ministerio. O Ha rao deTojal tratava de ar-
ranjar outro avanzo de 800 contos com o
Banco e o Contracto do Tabaco.
As noticias do Madrid aleangavo a 29 de
Julho. Espartero estava enlo prestes a par-
tir da capital pira um lugar de bandos ; mas
cartas particulares dizio que a intriga contra
ello para a restanracao da Rainha Cliristina
ia cm activo o. feliz progresso ao quo parece.
Urna correspondencia particular datada de'
Pariz a Gde Agosto annuncia a reeleico de
Mr. Sauzel candidato ministerial para
Presidente da Cmara dos Reputados por urna
maioria de 43 votos sobre as forras combina-
das da opposigo ; o que asse.gura ao minis-
terio urna forte maioria na mesma cmara.
CHINA E INDIA.
As noticias da China recebidas em Lon-
dres chegavo a 12 d'Abril e os jornaes de
Singapore at 5 do Maio.
Dizia-se que Yang commissario Imperial
cstava em caminho para oereccr 40,000,000
de compensagao aos Inglezes pelas despezas da
guerra e pelo opio entregado; e tambein a
cesso de Hong Kong em premio du paz.
Us Cliinezes j tinhao comegado a remover
as ruinas e cntullio como preparativo para re
edificarem os fortes.
Tinhao occorrido alguns combates em Nin-
gpo nos quaes l, tOO Inglezes derrota ro
0,000 chinezes com a perda de 500 a 700
mortos. Os Inglezes tivero trez morios e
40 feridos.
O Agr l'kbar de ideJunho diz que
corra boato de que se ajuntaria um exercito
de observado ern Allahabad na seguinte es-
tago fria.
Scinde Entre os itens das noticias che-
gadas de Scinde, e em que se pode confiar
como authenticas, vem um annuncio deque
avangava de Alushed para Henil um grande
exercito quesedizia ser de 25,000 liomens,
e que se faziao em llydrabad conferencias
multo suspeitas entre os Anseers e oulros as
quaes demandavo a mais vigilante attencfiu
do major Outram. Dizia-se que os Seiks ti
nho forgas no territorio Murec sem se sa-
ber o seu objeclo.
Affghanistan. Ilavia noticias do Jellala-
bad al 2! de Maio.
Akbar Khan linha exigido 10,000 rupias
pelos restos do general Elphinslone. A Ga-
zeta de Delhi de 14 de Maio menciona que
lies tinhao sido enterrados a 30 d'Abril den-
tro dos muros de Jellalabad. AkbarKhan
pretenda que Dost Mohamed fosse reenviado,
e que os Inglezes evacuassem o paiz, deixan-
do um agente em Cabul em troca dos prisio-
neros Inglezes. Jnlgava-se que o exercito
nao deixaria a praga sem que se movtsso para
Cabul, a encontrar all o General Noli de
Candaliar.
O Passo Je Khyber cstava outra vez oceu-
pado pelos Afreedes e toda a estrada at Ca
bul guarnecida e defendida por todos os obs-
tculos que o inimigo podia oppr.
O Capilo Mackenzie tinha voltado a 9 de
Maio do Lughmaii Jellabad com proposites
para soltura dos prisioneiros.
sia oslava fazendo preparativos para urna
guerra contra a Turqua e que devia mar-
char m exercito Persa contra Bagdad e
outro contra Erxorum. J linho marcha-
do tropas de Teherar para Amedan em ca-
:iiinho para Bigdad. Parece que a causa
do desavenga era urna linha de limites dispu-
tada e que o Schah tinha aprosentado um
ultimtum Porta manifestando a sua in-
tengo de apossar-se do territorio em questo,
seno Ihe fosse cedido at 5 d'Ontubro. No
entretanto o Pacha Turco de Erzerum (l'ron-
teira contigua) preparava-se para a defeza.
Tinha-seajuntado um corpo de 5,000 homens
de Iropa regular o estava-se armando a
milicia. (Evening Mail.)
FUNERAL DO DIQUE D'ORLEANS.
(Continuado do numero antecedente. )
O cortejo exterior poo-se logo em marcha
na ordem seguinte:
Na frente oscorpos de infantaiia cavalla-
ria polica guarda municipal guarda na-
cional artilharia cacadores d'Orleans, cu-
jos nomes precedencias e lugares n'este im-
menso prestito foro designados pelo program-
la. A tropa de linha vai de rigoroso uni-
forme com mochilas s costas as bandeiras
e os estandartes cobertos do luto os officia-
es com fumo no braco nos floretes e as espa-
das os tambores cobertos de sarjas pretas
com sordinas os generaes frente das snas
brigadas os coronis e tenentes coronis ,
os sapadores e muzica a frente dos seus regi-
menlos ludo n'uma ordem admiravel, mar-
chando triste e altivamente. A guarda na-
cional rivalisacom a tropa de linha pela regu-
laridado dos movmontos pela belleza das
linhas ; ella nunca f >i lo numerosa nem to
bella. Dous balalhoes tirados da 4. e da 7.
legiao c a 13. toda completa commanda-
da pelo conde de Montalivet e notavel pelo nu-
mero e bom arranjo represento a guarda na-
cional nj cortejo. Todas as oulras legies do
Sena formo ala direita do prestito a mai-
or parle em Irez lilas desde a grade do cas-
tello de Neuilly at o adro da Igreja de Nos-
sa Senhora no espago de mais Je duas legoas.
Para cima de quarenta e dous mil homens es-
lo em armas. A atlitude d'esta grande mi-
licia digna da gravidade dq momento e da
grandeza do espectculo Divisa-so em to-
dos os semblantes urna afflicgo seria e pro-
funda. Ao passardo carro fnebre que con
duz o despojo mortal d'aquelle joven princi-
pe que tambein linha trzido o uniforme da
guarda nacional Parisiense loco os tambo; es
a chamada decampo inclino as bandeiras,
os officiaes superiores fazem continencia com
a espada, os guardas nacionaes apresen lio
as armas ; manifesta-se urna viva emogo e
coiTem lagrimas de todos os olhos.
A ala da esquerda formada pela tropa de
linha desde Neuilly at a ponto redonda dos
(-ampos Elyseos pela diviso exterior d>'
Pariz ; e desde a ponte redonda at a Igreja
de Nossa Senhora pelos regimentos que
formo a guarnido da capital.
0 Tenentc General Jacqueminot q' presi-
dio dehaixo das ordens do Marechal Gerard
a organisagude todo este admiravel arruma-
ment est a cavallo, frente do seu brilhan-
te estado maior na primeira secgo do cor-
tejo. Nota-se ainda all pela regular belleza
do seu arranjo os cavalleiros que formo a
gendarmera do Sena verdadeiros mulos
dos antigos granadeiros a cavallo de velha
guarda depois um magnfico esquadro da
guarda municipal, e finalmente o 2. balalho
de cacadores d'Orleans de garbo sombro e
austero que bem moslravao estar do nojo pela
mortedo seu joven e infeliz general, massa
gravurasd'um godo austero. Urna sega de
estado continha as insignias da dignidade ar-
chiepiscopal.
Descrevemos o carro destinado ao roracSo.
Os ajudantes do campo oescoltavo a cavallo.
Os criados da caza de S. A. R. oseguioa
p % de luto pesado. Depois vnho qualro
seges de dous cavallos onde se achavo to-
dos os empregados da administrago e da ca-
za civel do Principo com o secretario das or-
dens de S. A. R. na frente.
Adianto do carro fnebre ia o cavallo de
batalha do Sr. Duque de Orleans Sid-
Moussa. Elle levava urna immensa gual-
drapa de crep preto bordada com estrellas
le prata e a sella do uniforme de official ge-
neral de que o Principe se servia habitual-
mente. Dous picadoras de grande libr ver-
melha o levavo destra seguindo-o d'um e
d'outro lado. Sidi-Moussa tinha sido to-
mado na frica a um chefe rabe morto no
combate de OueJjer. Ferido com trez Uros
pelos kabylas no momento em que a sua car
reir o arrastrava para o la lo dos Francezes ,
o Sr. Duque de Orleans o linha adoptado. El-
le o montava muitas vezes e foi n'este for-
inoso ginete que elle tiuha entrado cm Pariz
frente dos cacadores de Vinconnes, quando
elles vier8o ha dous annos a Pariz para a re-
vista do Rei.
Aps o cavallo de batalha ss adiantava len-
tamente o carro fnebre entre duas filas de
capites escolhidos na guarda nacional e nos
differentes corpos do exercito de trra e de
mar o encerradas tambem estas duas filas
entre duas alas formadas por quatro compa-
nhias de officiaes inferiores marchando em
ordem de batalha e estendendo-se sobre
um espago consideravel.
Alraz do carro io a cavallo officiaes desti-
nados guarda das insignias. Depois a car-
roagem dos prncipes escoltada direita e a
esquerda pelo tenente-general o conde Col
bert pelo capilo de marinha Hernoux pe-
lo commandante baro Jamin pelo tcente
ile marinha Touchard pelo commandante
Borel de Bretizele pelo capto Reille ; aju-
danles de campo e officiaes d'ordens do SS.
AA. RR. No meio de todo o aeompanha-
mentoera lalvez a carruagem dos principes
o objeclo que mais attraha as vistas pela aus-
teridade e tristeza do seu aspecto. Esta car-
ruagem eslava cubera de preto sem escodo de
armas sem dislinclivo, sem hordadura; na-
da havia n'ella externa e internamente que
nao fosso de cor preta libr negra ; seis ca-
vallos revestidos de lougas gualdrapas de la
preta que mal deixavo enxorgar as ponas
dos cascos pennachos pretos sem que en-
feitealgum viesse interrompar esta severa e
lgubre unformidade ; e nesta carruagem
quatro lilhos do Rei que acompanliavo o
funeral d'um irmo primognito que lhe ser-
via de guia e de modelo a todos. Era este um
espectculo doloroso e grave !
cilo da frica e urna deputacao de officiaes
do 1. regmonto de hussares commandado
outrora peloSr. Duque d'Orleans, e que Un ha o
sido chamados a Pariz por despacho tclegi-
phico para assislirem especialmente ao corte-
jo de S. A. R. Esta deputaco cotriprehen-
dia : o coronel conde de Gouy um chefo
d'esquadra um capilo um tenente um
segundo-tenente, o os trez mais antigos d'en-
tre os quarleis-mestres os brigadeiros eos
hussares. No grupo das pessoas a p nolava-
se tambem o coronel Desales genro do ma-
recbal Vale o o celebre pintor de marinha
Gudin.
2. De todas as tropis de diversas armas
que segundo o programma determinado no
estado-maior da guarda nacional.de Pariz de-
vino formar a cauda do preslilo. Estas tro-
pas amontoadas na antiga estrada de Neuilly
com a sua direita na altura da ra do castal-
io linhao-so posto em marcha com muito
boa ordem logo depois que tinho sido des-
cocerlas neias ultimas carruagens de luto e
se ailianlavo em columnas cerradas por pe-
loto a infantera com a arma sobre o hom-
bro esquerdo e a cavallaaia com a espada
na mo. Um magnifico esquadro do 3. do
lanceiros fecha va a marcha do prestito.
( Coutinua. )
liNTKRIOK.
RIO DE JANEIRO.
Por Decietn de 29 Jo passado foro restitu-
idos provincia do S. Paulo os municipios
quo por causa do estado do rcvolta haviao si-
do della desmombrados.
Por aviso do 26 do mesmo mez fot licenci-
ad ) por alguns das o Exm. Ministro da Ma-
rinha cuja pasta ficou cargo do Exm. Mi-
nistro da Guerra.
As eloicOes do Rio estavo marcadas as pri-
meiras para 18 do correnle as segundas pa-
ca 2 de Oulubro. A imprenta da Corte s
tem aposentado um candidato em que todos
os jornaes ( o Jornal do Commercio exceptu-
ado por seu silencio ) tem concordado ; he
esto o Snr. General Andrea.
Havia cessado o effeilo da suspenso de ga-
rantas no Rio de Janeiro.
O Brasil suscitou a questo da convenien-
cia da abertura das Cmaras no 1. de Ja-
neiro : com tufo ainda se nao fallava em que
o Governo pretendesse fazer novo addia-
mento.
Lembrados estarSo os nossos leitores de
que demos noticia ha poucos mezes do as-
sassinato remmettido na pessoa de Manoel dos
Santos Pinheiro de'arvalho em sua propria
casa no Engenho velho ( nos arredores da Ca-
pital do Imperio ) e de haverem sido presos
como perpetradores do orime a mulhere filho
do assassinado mandantes e um tal Avel-
lar mandatario. Estes reos foro julgados
Aps a carruagem dos'principes *0 os offi-1 ns Bnsdo mez p osado pelo Jury da Corle ,
A victoria do General Salo sobre Akbar i negra e compacta no meio da qual s se via
Khan tinha infundid tal terror nos nimos
do povo que se julgava quo as nossas tropa
poderio mover-so para a capital sem re-
sistencia se a forga nao fosse deficiente em
todo o necesario para m lo grande ex-
ercito.
Cina carta de Sangor de 20 de. Maio an-
nuncia que os Roordelahs tinhao fgido pa-
ra o territorio de Scinda.
(Jjuettah -- Tudo permanece no stalu quo.
Metade da forca de Candaliar linha-se mo-
vido para reforgar Kelat i Ghilzia c fazer
urna demonstrago sobre Ghuxnia.
0 General Englund atravessou o Kojuck
Kothul a 2 Maio coin a perda do quatro ho-
mens feridos smente.
Pela secretaria do Ajudante General se ha-
viao dado instrueges para retirar-se as tro-
pas que si-rvio ao oeste do ludus dentro
das provincias Inglezi.
scintilar armas !
A segunda seceo do cortejo comegava com
as primeiras carruagens de luto precedidas de
dzentos padres marchando em duas filas
direita c esquerda do caminho e conduz-
dos pelo parodio de Neuilly com a cruz al-
eada adiante rompendo a marcha os dous
iiardas-porles da paroquia ; no meio os
curas de S. Germano d'Auxerrois e de S.
Roque, freguezias do pago os conegos
de S. Diniz com a murga e a cruz d'ouro.
Os padres ao cantando o officio dos defuntos.
Os caticos religiosos resoando em meio do
silencio d'esta miiltido immensa preparavo
ciaes inferiores ornados com todas as armas ,
destinados para o transporte do fretro com
um capilo de artilharia na frente.
Seguio-se quatro seges de quatro cavallos,
bordadas e prateadas com remates lavrados,
os cavallos ajaezados desde a cabega alos
ps e os lacaios de rigorosa libr preta aga-
loada de prata.
Na primeira d'estas seges io ochanceller e
o presidente da Cmara electiva ; na segunda
o lerceira os ministros do Rei ; o na quarta,
os marechaes duque de Reggio e conde Se-
bastian i.
A grande deputago da Cmara dos Pares e
a da Cmara dos Deputados seguio em qua-
lro seges de dous cavallos ricamente cobertos
de luto com bordaduras de prata e porteiros
na frente.
Urna decima quinta sege tinha sido reser-
vada para os secretarios das ordens dos prin-
cipes da familia real.
Todos os officiaes da caza militar do Rei ,
capitaneados pelo tenente-general Athalin ,
seguio o cortejo a cavallo entre a carruagem
dos marechaes e a grande deputaco da Ca
mar dos Pares. Nquelle numero se ola
va<5 alguns tenentes generaes; os officiaes d'or-
dens do Rei c dos principes os escudeiros do
Rei e do Principe Real e os cavalleiros ho-
norarios da Rainha e das priucezas. O tenen-
te general 1) loi I antigo ajudante de cempo
do Rei se tinha ajunlado caza militar de S.
Cartas partcula
15 de Julho annuncio
os corages para as emoges dolorosas e aus- M. O lente general conde Pajol figurav
leras que se io seguir. na primeira secgo do cortejo o o tenente-
Com effeito approximava-se o carro que general Schneider commandando a divisao
levava o corago do Principe Real preced- externa de Pariz na lerceira.
do pelas carruagens de luto do arcebispo e do
A lerceira secgo compunha-se :
i. D'um grandissimo numero de pesssoas
seu cloro. A carroga do prelado era puxada
por quatro cavallos ricamente ajaezados ; com ] a p militares ou civis de officiaes refor-
a mulher pena de morte e os dous gales
perpetuas. Essa desgragada que to deshu-
mana s: mostrara para com seu marido, den
mais um exemplo de amor maternal confes-
sando osen ciime plenamente e procurando
salvar c defender o filbo alias pelo que se
colhe des debales com igual parte no crme ,
e esmagado pela circunstancia aggravante ,
a mais horrivel, de atlnlar contra a existen-
cia de seu pee.
L se no Jornal do Commercio :
Urna carta particular de Ouro Preto, com
data de 23 de agosto dando conta da acgo
de Santa Luzia accrescenta : Pessoa fi-
dedigna que estove no campo da batalha no
dia 21 afirma que os rebeldes'morlos muito
excedmi a 200 e que os presos mu lo tem
augmentado em numero. O major Pedro No-
lasco foi fjrido ; mas j se acha quasi resta-
helecido falsa a noticia de ter-se sui-
cidado Anto : consta apenas que o tentara
fazer.
BAHA.
Pelos jornaes que recebemos da Babia te-
mos o seguinte resultado das eleigoes de'27
collegios.
Resumo dos collegios conhecidos da Capi-
tal, slbrantes Jlaparica S Fancisco.Na-
zareth .lagu nipe, S. Amaro Feira Ma-
ragogipa I'alema, Camama, lnhampupfi.
Cachucha Punficacao Caira Hfieos, /-
tapicur, pilla Nova da Rainha, Rio da Cori-
tas Jrrrmnabo Victoria, Jacobina, Pora-
bal Monte Santo Caetil e Sent Se.
Os Srs.
Dr. Jo/e Alvesda Cruz RioS
Dr. Francisco Gongalves Martins
Coronel Manoel Joaquim Pinto Paca
ares do Conslanlinopla de as armas do real finado as porlinimlas a li- mados do exercito do Ierra e de ruar entre Arcebispo la Babia
ncio qne o Schah da Per-1 br de prata e o tejadiliio entalhado com os quaes se notaya minios uniformes do cxer-J Conselheiro Thomaz Xa
vii.i' Garca
votos.
884
825
790
733
776


s*
Djz. Antonio SimSes da Silva. 725
Dr. Francisco Antonio Ribero. 687
Gons,>lheiro Manoel Antonio Gilvo. 680
Dr. Joze Antonio de Magalhaes Castro. 650
Antonio Pereira Beboutjas. 614
Rez. Jo8o Joze de Oliveira Junqueira. 584
Dez. Ernesto Ferreira Franca......... 587
Paulo Jos de Moli...... 577
Dr. Innocenoio Marques de Araujo Ges. 579
Cocnulheiro Joaquim Jos Pinheiro.... 567
Dr. Jaze Ferreira Souto... 566
Dr. Luiz AntonioBarboza d'Almeida... 561
Dr. Teodoro Prxedes Flores... 56n
Dr. Joo Mauricio Wandeley... 558
Dr. Amancio Joo Pereira do Andrade... 531
Concelheiro Francisco Ramiro d'Assis
Coellio....
Eustaquio Adolfo de Mello e Mattos...
Dr. Angelo Muniz da Silva Ferraz...
Dez. Honorato Joze de Barros Paim..
Conselhelro Joaquim Marcelino de Brito.
Dez. Cornelo Ferreira Franca...
Dez. Candido Ladislao Japiass...
Dr. Manoel Maria do Amaral...
Dr. Francisco G Acayaba Montezuma..
Dr. Joze joaquim Novaes Rocha .
Antonio Joaquim Alvares Jo Amaral..
Dr. Jo3o Joze de Moura Magalhaes...
555
549
537
532
526
513
500
499
498
487
473
467
ALAGOAS.
Esta provincia est em tranquillidade. Eis-
aqai o resultado das eleic/ies para um Sena-
dor em lugar do Mrquez de Barbacana :
Votos.
Conselheiro Manoel Antonio Galvfio. 645
Exm. Ministro dos Negocios Estran-
geiros. 634
Ministro da Guerra. 45o
diario he PEimreo.
No supplf ment quedemos ao nosso n. 201
tero visto os nossos leitores a importanlissi-
ma noticia que to anciosamente esperava-
mos da pacificaQfto de Minas.
Bem pouco temos a accrescentar-lhe e o que
ha de mais importante deixamos transcripto
em lugar competente. Eis-aqui como o Jor-
nal do Commercio annuncia esse feliz suc-
ccsso:,
A valente espada que no curto espado de
um mez derrolou os rebeldes de S. Paulo a-
caba de dobellar os de Minas Gcraes em me-
nas tempo .linda. No da 25 do passado, sa-
bio desta corte o distincto general baro de
Caxias ; vinte e seis (lias depois firmava S.
Ex. o officio que deixamos transcripto na
parle ollicial uo qual da parte do brilhante
oito de armas do Arrayal de Santa Luzia a
lm de Sabara. Os rebeldes auimados pe-
las victorias de Queluz e de Sabara bem ar-
reados com muitas provisoes de guerra, cn-
trincheirados em fortes posices e contan-
do tres mil e trezenlos homens romprao o
fogo sobre as tropas imperiaes que respon-
derlo com o niaior denodo e bravura. 0
combate foi renhido e durou desde as81|2
horas da manha do da 20 de agosto ate a
noite. Tivemos 20 soldados morios, 70 sol-
dados e 8 oficiaes feridos. Os rebeldes bale-
re-se com valor, mas destrocados por lim,
lugiro em completa debandada perdendo
300 prisioneiroy entre elles oexdeputado
Ottoni : ignora-se por ora o numero dos
seos morios que de ve ser considera vcl.
E inexplicavcl o enlhusiasmo que produ-
7.0 hontem nesta cidade a noticia do com-
bale de Sania Luzia. A actividade a peri-
cia a bravura do benemrito general baro
do Caxias ero objectos da conversa geral ;
todos porfa se esforcavo por pagar a to
distincto militar o seu tributo de louvores.
Pacificador do MaranhSo pacificador de
S. Paulo, pacificador de Minas oque falta
anda ao insigne brigadeiro baro de Caxi-
as '. Falta a esse lilho querido da victo-
ria mais um lourn que complete a brilhanlis-
sima coroa que j 1 fie adorna a fronte : esse
louro la est as bellas campias do Rio Gran-
do, para onde lhe apona a gloria.
PRACA 00 RECIFE 17 DE SETEMRRO DE 1842.
Revista mercantil.
CombiosDiminutas tranzados se fizero
a 24 1|2 d. por mil reis.
AlgodSo As entradas foro menores, que
a semana antecedente e houvero
poucas vendas regulando o prego
de 5*900 a 6*000 ).
Assucar Ha muito pouco no mercado e de
inferior qualidade ; as poucas ca -
xas que se tem vendido apenas ten
obtido 500 reis por @ sobre o ferro.
Couros Silo muito procurados a 143 reis a
hra.
Aniagem Vendeo-se d! 300 a 320 a vara.
Azeite doce O do Mediterrneo vendeo-se
a 2*300 o galo.
Bacalhtu Entrou um carregampnto de 2000
barricas que se est relalhando a
10*500 tendo pouca sahida.
Cabos de Cairo Vendero-so de 16* a 18*
oq. q
Carne Secca O deposito anda por 43000
conforme a qualidade.
Carneiras Francezas Venderfio se de 15* a
18* reis a duzia.
Chumbo em Lencol dem a 18* rs. o q. q.
Cobre para forro ~ dem a 650 a Ib.
Farinha de Trigo Entrou um carregamen-
to de 1650 barricas vindas de Li-
verpool que nao foi vendido.
Ferro Inglez Vendeo-se a 0* o q. q.
Genebra ~ dem de 2*880 a 5* a duzia de
botijas.
Pmenta da India dem a 170 a Ib.
Sabo Vendeo-se a 145 reis a Ib. do a-
marelo.
Tabaco Maependim -- dem a 5*300 a do
bom.
Toucinho do Lisboa dem de 5*000 a 5,>5o0
a @.
Vinho de Lisboa dem de 90* a 100* a pi-
pa do de authores de menos nota ,
nao havendo dos de PRR.
Dito de Cette dem a 90* o tinto.
Vidros para Vidracas dem a 6* a caixa.
Frutas sazonadas e seccas
Fumo em folha, e charutos
Instrumentos de Muzica
Legumes
Livros, e impressos
Louca e vidros
Magames
Manteiga
Manufacturas de algodo
Ditas de hl
Dilas do linho
Ditas de soda
36:070*625
24:053*301
12:467*94K
20:670*937
16:019*539
116:971*416
23:471*512
287:494*868
2,394:369*070
184:464*410
139:229*459
252:346*
Manufacturas de Linho eAlgodo 15:723*1
Exportado da Provincia para fora do Impe-
rio do Io a 17 de Setembro de 1842.
Havre Barca Franceza Cazmir de La-Vignc
825Saccas de Algodo 7:932 couros
salgados 19:000 chifres 1:424 Ib.
de cobre velho 97 3|8 = oncas de
prata em obras, rs. 28:567:280era mo-
eda, gneros miudos e gasto 643*180
valor do carregamento rs.92:120*001.
Liverpool Barca lnglcza Eliza Johnston 783
Saccasde Algodo 81 caixas e 165
barricas de assucar 3262 couros sal-
gados 400 oncas de prata em obras e
10:238*840 ern moeda -- gneros mi
udos c gasto 226*930 -- valor de rs.
33:376*713.
Hamburgo Patacho Hamburguez Fortuna
200 saccas d'algodo a00 caixas c
um fexo de assucar 5:088--couros
salgados ,101 12 Ib. de doces, moe-
da de prata rs. 188* gneros miudos
egasto 193*815 valor rs.26:683*533.
Dilas de Lae dito
Ditas de'seda e dito
M iquillas Divercas
Marmores Ardosias e louza
Madeiras
Mobilia
Olio de Linhaca
Obras grossas de Lato
Dilas de Seriguero
Ditas do Tartarugueiro
Papel e papelo
Peixe salgado
Perfumara
Plvora
Preparospara chapeos
Ditos para igrejas
Fosfuros
Potaba
Prata ouro o podras Preciozas
Queijos
Quinquilleras
Bap
Roupa feita
Sabo
Sal
Salitre
Sanguexugas
Tintas diversas
Trigo em grao, e oulros cereaes
Toucinho
Veas de spermacete e outras
compozieoes
Vidros para vid raras
Vinhos diversos
Velas de sebo, e sebo em rama
Vinagre
Zinco, estanho bruto,eem obras
2:084*400
21:14 4*000
18:968*420
18:695*480
23:850*340
38:838*500
4:887 *g03
10:090*080
6:814*820
11;720*463
75:627*372
498:294*741
17:338*302
45:252*870
14:479*162
7:000*510
4:015*520
68:457*900
11:857*761
48:578*520
119:749*408
28:062*000
6:589*120
68:398*390
21:251*900
8:623*812
7:861*000
12:283*293
26:98K*840
24:649*638
49:477*485
3:843*720
449:293*596
8:281*215
52:499*146
3:727*315
direitos e expediente. Alfandega 17 de Se-
tembro do 1842.
V. T. P. de F. Camargo.
DECLARAQES.
= O administrador da meza da Recebedo-
ria das rendas geraes internas tendo publi-
cado polo diario de 9 do corrente mez o
regulamcnlo de i I do Abril de 1842, para
governo das pesaoas que possuem escravos ,
ou liverem em seu poder, poraluguel, ou ad-
minis tracto, que cm o 1. de Outuhro prxi-
mo vindouro principiara a coleta no bairro
do Berilio ; mas como inda nilo estejo as
nas numeradas daquelle hairro elle prin-
cipia pelo de S. Antonio por j so acharen?
parte das ras numeradas por isso avza
pela ultima vez a todas as pessoas do ha-
irro do Rcciffe S. Antonio e Boa-vista ,
para que sem perda de lempo, aprezentem
as suas relaces na respectiva mesa com os
requezitosquo determina o ai ligo 5 do ms-
alo regulamento ; e lindo o prazo dos 50 das
que lera principio do 1. de Outubro p. vin-
douro nenhum escravo ser admittido a
matricula sem que seos donos aprezentem t-
tulos por que possuem como determina o
art. 6 e por isso espera que nao ser mais ne-
cessario annuncio algum a semelhante res-
pcito. Ilecebedoria 16 de Septembro de
1842.
Francisco Xavier Cavalcante da Albuquer-
que.
UT O abaixo assignado Fiscal do bairro de
S. Antonio faz saher a todas as pessoas ,
que conservao caes vagando pelas ras que
os fac,o retirar para fora da Cidade aonde
s os podero conservar presos ou acalma-
dos sob pena de serem morios enconformi-
dade das Posturas Municipaes, sede agora em
diante continuaren) a vagar pelas ras. E
para que ninguem se chame a ignorancia
mandou publicar o presente pela imprensa.
Becife 17 de Setembro de i842. = Mathias
de Albuquerque Mello.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Bendimento do dia 17 de Setemb. 3:043*349
DESCARREGA HOJE 19. DE SETEMRRO.
IMPORTACA.
Temos entre mos o mappa das mercaduras
despachadas para consumo durante o anno
linanceiro do 1. de Julho de 1841 a 30
le Junlio de 1842, do qual damos um
extracto dos gneros que mais avulto pe-
los valores por que foro despachados.
Barca Ingleza = Columbus = Fazendas
taxas manteiga feixes de ai eos ,
barricas de ferragens.
Encuna Americana s fiozario = Taboado.
Origue Inglez= Syren = Bacalho.
Brigue Francez= Boy Vinho.
Alcatro, pixe, breu, e rezinas 20:559*700
Azeite de oliveira 84:011*154
Armamento 38:584*200
Azeite de diversas qualidades 65:764*190
Bebidas espirituozas 15:553*472
Rala tas 11:976*594
Barricas abatidas 84:513*110
Carnes salgadas e conservadas 546:361*170
Carruagens 26:039*830
Carvo de pedra 56:416*916
Ceblas e Albos 31:095*500
Cervcja 28:806*265
Cha 108:163*000
Chapeos para liomom, esenhora 76:393*330
Chumbo eni bruto c obras 21:514*119
Cobre em chapa e obras 25:180*220
Couros preparados, e em obras 241:588*550
Cera em bruto e em obras 27:815*000
Cartas de jogar 24:423*000
Especiaras 22:542*767
Especies medicinacs e drogas
diversas 57:019*781
Espiritos diversos 5.330*322
Esleirs de palha 5:390*800
Farinha de trigo 6|9:34*74
Ferragens diversas 249:851*572
Ferro, ac em barras 33:145*919
Flores Artificiaos 5;383#405
RIO DE JANEIRO.
CAMBIOS NO DIA 30 DE AGOSTO.
Presos na ultima hora da praoa.
Cambios sobre Londres. 251(4
Pars. 375
'. Ilarohurgo, .710
Metaes. Dobres hespanhes.
da patria. 30*000
Pesos hespanh('ies .
h da patria. .
Pecas de 6*400, v. 16*600
de un.
Moedas de 4*000 .
Prata......99
Apoliccs de 6 por cento. 71
nnni.

TIIEATRO.
Oexpectaculo annunciado para Sabhado 17
do corrente e que nao pode ter lugar em
consequencia dos principaes Proessores da
Muzica se acharem oceupados na testadas
chagas fica transferido para Domingo 25.
CAMBIOS.
Baha 9 de Setembro de 1842.
Sobre Londres.......26 nominal.
Pars.......360
Ham burgo
Metaes=Ouro=Dobroes Hesp. 29*500 50*
NaO llespanhes 28*500
Pecas de 6*400 velhas 16*200 16*5000
Ditas dito novas.......15*500
Moedas de 4*.......9*000
Prata 102 a 103 p. c.
9*200
UO VI MENT DO PORTO
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 17.
Swansey; 33 das, Galera Dinamarqueza Wo"
din de 232 tonel, Capito B. G. Bondixone'
equip 14 carga carvo de pedra : a N.
O. Bieber & Companhia.
Bio de Janeiro por Babia, e itfacei 16 di-
as Vapor de Guerra Brasilero Guapiass
Commandante o Capito Tenenle Joaquim
Jos d'AImeida.
SAIIIDO NO HF.SMO da.
Hamburgo ; Patacho Harr.burguez Fortuna ,
Capito M. P. Krag carga assucar.
EDITAL.
AVISO MARTIMO.
Para o Rio de Janeiro sahir o mais
breve que for possivel, o vclleiro Bergantim
Nacional Relmpago Capito Joze Antonio
de Carvalho recebe-se carga passageiros e
escravos a frele : no porto das canoas ra de
Apollo no escriplorio do consignatario Joa-
quim Baptista Moreira.
LE LOES.
tj- Joo Stewart na qualidade d'Agente
dos Seguradores de Lloyd's far i venda por
Leilo publico a quem mais der por eonta de
quem pertencer e por inlervenco do Corretor
Oliveira de 24 saoas de l do carneiro, a varia-
das salvados da Barca Ingleza Middlesex
naufragada no Bio Formozo na viagem que
fazia de Sidney a Londres Quarta feira 2i
do corrente, no seu escriplorio na ra da Cruz
D. 35, onde os pretenden tes podero aparecer
para as inspecionar.
cr O Leilo de J. P. Adour & Companhia
tica transferido para quinta feira 22 do cor-
rente.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Camar-
go inspector d'Alfandega &c.
Faz saber que boje 19 do corrente ao meiof
dia se ha de arrematar na porta d'Alfa
urna caixa com um filtreiro no valor
reis impugnada pelo fcitor Joaquim Ber-
nardo de Figueiredo em despacho por fac-
tura de Kalkmam Rosemund n." 972; sen
do o arrematante sugeito ao pagamento de
AVISOS DI VERSOS.
Desappareceo um quarto no dia 17
do corrente ao meio dia estando amarrado na
porta da casa junto rasa da cmara, no
pateo doCollogio com a marca anda nova
do ferro P cor russa escura algum tanto
magro e he de puxar carroca : quem o a-
xar, ou descubrir poder entregar Antonio
Joaquim de Mello que mora na roa do Li-
vramento defronle da torre lado da som-
ora.
xsr Aluga-se o sogundo andar e sotocom
suflicien tes cmodos para urna grande fami-
lia da propriedade numero 1, sita na ra Au-
gusta desta cidade. assim como aluga-se o se-
gundo andar e sotoda propriedade a esta u-
nnla ; quem as pretender alugar drija-se ao
seo propnetario Joze Maria Placido de Ma-
galhes.
Bernardo Fernandes Vianna, com-
contadoSnr. Joze Pinto Coelho da
dous bilhetes da segunda parte
da U. lotera do theatro nmeros 175, e 1780
tsy Bernardo Joze Pereira Ramalho sub
dito portuguez ; retira-se para o Rio de Ja-
neiro,
andega| prou porconl
de 14* i villa do Ico .


'">H.|l '
.4
AS rodas da segunda
parte da 11. Lotera
do Tlieatro andao nfali
vclmeutehoje as JO horas
da maulla; e o pouco res-
to de bilhetes atliao-sc a
venda as lojas do costil-
me.
tsr Anda nao se (ralon o pequeo por-
luguez para doianna annunciado no N. an-
tereden lo no primeiro andar por cima do
botequim da ra dos Quarteis.
tsr Becommcnda-sc aos compradores do
sitio dof.oelho a leilura do contrato entre o
propfietario.e locatario do mesmo sitio.
CT Ainda se precisa alugar urna caza ter-
rea ou sobrado com quintal e cacimba de 8,>
a 12 res.
t^ Idom a crela forra, com as qualidades
' para boa amade pouca familia na praca da In-
dependencia u 55 e 54.
tsr Ainda est por alugar o sitio o olarias
da viuva de Antonio Joze Teixeira Bastos no
Darbalho e que se trata naobia do theatro
rom J.T Peixoto.
tsr Na ra vellra D. 37 tom um preto para
se alugar em qualquer sitio perto da praga ,
ououtro qualquer trabalho, (ambem se vende
na mesma caza um habito da ordem de Aviz
de pedras finas com esmeraldas.
tsr Aluga-se um primeiro andar c lojas
na ra da praia ; c as lojas do sobrado dos
I cantos da Boa vista : a fallar com Manoel
Caotano SoaresCarneiro Monteiro.
tsr Precisa-se de um caixeiro no bote-
quim junto ao theatro.
tsr Deseja-sc saber se existo nesta Cida-
deoSr. Joze Fernandos natural de Portu-
gal que etn 1839 veioda Cidadede Lisboa ,
quei'ra annunciar a sua inorada que se lhe
deseja fallar.
tsr A pessoa que pretende urna caza ter-
rea ou loja na ra da Trompe para um es-
tabelecimento dja-sca mesma ra no so-
brado de mirante com porta larga.
tnr Quem precisar de urna ama do leite
preta captiva dirija-se a entrada da ra do
Fapundrs sobrado de lado esquordo por cima
do Marcineiro.
tsr Joze Ccrqueira Manno retira-sc para
t provincia do ('cara.
ar* Bento Anlonio Torres subdito Hes-
panhol retira-Sh para fora da provincia.
tsr Na ra da Cruz armazem de trastes n.
51 precisa-se de um bom olieial do marci-
neiro que seja capa/, de fazer qualquer urna
peca de obra com perfeico, paga-se-lhe bem;
;issim como lambem se lecebe aprendizes, que
atenho pralica do cilicio, paga-sc-lhe contar-
me o sen trabalho.
tsr Quem precisar de um caixeiro portu-
gus pai,; venda que ja tem bastante prali-
ca annunde sua morada.
tsr Hoje 10 do corren ti pelas 4 horas da
tarde na porta do Snr. Dr. Juiz deOrfos cor-
rea segunda praga dos 0 escravos do cazal do
fallecido Lourengo de Bruno Bodrigues Luna
para pagamento do Snr. Francisco de Paula
T.orreia de Araujo.
tsr Francisca Dorolhea Bodrigues da Sil-
va tendo comprado urna escrava crela de
rime Umbeiina ao Sr. Manoel Claudio Li-
rio morador no sitio Plaina da fregnezia de
Agoi preta acontece que fosse a mesma
escrava sunegada e consta ter sido enviada
para esta praga aondo se acha cccultada ;
cnconseqnenca pois a annunciante faz scien-
tc, que ninguem contrate negocio algurn acer-
rada referida escrava que lhe pertence le-
gtimamente C protesta contra qualquer ne-
gocio que com a mesma izer quem detla ti-
ver lo Ilegitima posse.
tsr Precisa-se alugar um cscravo para leve
servico : na ra de Agoas verdes n. 66.
t^- Precisa-se de un refinador de assucar:
no deposito de assucar da rua do Aragfio.
tsr <> Ihesoureiro da sociedade avcnlurei-
a tem comprado por conta da mesma os bi-
lhotean.* 568, e 5286. e os meios ditos n.
97, 398,545, e 54i7 da segunda pane da
i 1. lotera do theatro.
ttr Precisa-so de nm homem para lomar
conta I na rua Nova loja de Caldcreiro I). 17.
iry O Sr. que anniineiou ter urna carta pa-
ra ebtrear a Francisco Xavier da C.unha ,
vindado Maranho, queira por favor entre-
gada na rua das larangeuas em caza de Clau
dic. Oubeux sobrado I). 5.
= Preciza-se de aforar um Icrrenoque tc-
nha proporcOes para ci iar 0 a 8 vacas do Ici-
ou mesmo tendo aiguma casa de laipa ,
ainda que velha se compra a posse do dito ; e
troca se urna imagem da Conceiico que tenha
um palmo ; quem tiver annuncie ou dirija-
a rua de Moras n. 46.
tsr Aluga-se urna caza na rua da Concei-
co lado do Bozario ou na rua da Bibeira
lodo o posto, que tenha sala na frente e atraz,
5 a 4 quartos cozinha fora quintal com
cacimba da-sc fiador seguro e alguns me-
zcs adundados : quem tiver annuncie ou
dirija so a rua da Gloria D. 26.
tsr Quem precisar de um rapaz portuguez
de 16 annos para caixeiro de engenho caza
de purgar ou oulro qualquer negocio dirja-
se a rua do Bangui venda D. 17.
tsr Perdeo-se no dia 16 do correte urna
sedulade 10,* rs. cor de rosa quem a livor
achado querendo restituir a seu dono diri-
ja-se a rua do Caldereiro sobrado de um an-
dar D. 1.
tsr Thomaz Lalham subdito Inglez retira-
se para Inglaterra.
= Domingos Garca estabelecido no beco
da Polo desta Cidade e com loja de calgado
na rua do Qneimado B. 11, avisa ao respeila-
vel publico que por baver outros de igual
nome como alhe tem aparecido as partes
de polica publicadas neste Jornal que de
hora em diante se assgnar Domingos Garca
Parame.
tsr Aluga-se irma caza na rua de S. Gon-
calo D. 2 quem pretender dirija-se a caza de
junto D. 1 de Francisco da Ghagas.
= Preciza-se de urna caza terrea na Boa-
vista com bastantes commodos e bom quintal,
quem a tiver annuncie.
tsr Quem precizar de urna armagAo peque-
a muito boa e nova, aqual serve para
miudezas ou fazendas procure na rua do
Livramento no sobrado junto ao da Senhora
viuva de Joo Carlos Pereira de Burgos Ponce
de Ledo cuja en Irada be pela rua do Ban-
gel que achara com quem tractar.
tsr Joze Luiz do Naseimento faz sciente
que se retira desta provincia para a do Mara-
nho.
= Feliciano Perry Vidal, subdito Aus-
traco relra-se para o Aracaly.
= Quem liver para alugar urna preta que
sirva para o arranjo de urna casa de pequea
familia; dirija-se rua Augusta casa D. 12 :
na mesma casa sequer urna ama com leite for-
ra ou captiva e sem filhos.
COMPRAS.
tsr Urna mulatinha de 2 a 5 annos: na
rua da Cadeia loja de Joaqum Gonsalves Cas-
cao que dir quem pretende.
S3** ma espingarda ingleza que esteja
em bom izo e seja boa de um a dous ca -
nos : na rua da Cadeia do Recita D. 46.
tsr Apolices de contadoria, na rua do Li-
vramento D. 2 se dir quem compra.
tsr lina casa terrea com dous quartos,
Ierra propria quintal murado e grande pogo
de boa agoa ; quem a pretender dirija-se a
rua de S. Joze D. 18.
tsr Cadeiras de Jacaranda uzadas; quem
liver annuncie.
VENDAS.
%sr 1- Ainda est por vendara cabra com
biilo annunciada no n. antecedente na Soli-
dle 468.
tsr 2. dem o escravo da rua Direita de-
fronte da torre do Terco Si.
tsr 5. dem a tarramenta de tanoeiro na
rua do Vigario 30.
tsr 4. dem a casa nobre terrea da lina
defrontede Palacio velho, no primeiro an-
dar por cima do botcq'iim da rua dos Quar-
teis.
tsr 5. dem o direto Mercantil de J. da S.
Lisboa na rua da Cadeia 45.
tsr 6. dem os quadros de sala na loja de
livros da praca da Independencia.
lt 7. dem o terreno de 150 palmos em
frente do Theatro novo no pateo do Hospit; 1
venda 22.
tsr 8. dem ainda ha carne do certuo na
rua da cadeia casa do fallecido Aunes.
tsr 0. dem cera de carnauba em caza de
Novaes & Bastos.
tsr 10. dem cadeiras americanas na rua
Ju Trapinovo 17.
tsr II. dem tinta de escrever na aula
junto ao Cambista Vieira.
tsr 12. dem cal virgem no armazem de
F. .1. Silveira rua d'Apollo ou na casa do
Bngad#ro Almeida praca da Boa-vista 1 5.
tsr Bandas ricas com bacalhos de ouro
chegadas do Bio : na rua Nova loja de seleiro
que foi do Labuti.
tsr Um preto moco de bonita figura e
proprio para tolo servico : na rua larga do
Bozario I). 7 .segundo andar.
Marques & Veiga vendem por precos
commodos os seguintes gneros, sacas com
feijo branco temos de copos de medida ,
fumo em folha arroz de casca barris com
17 gales de azeite doce ditos com toucinho de
Lisboa.
or Superior salitre refinado em barricas ,
e a retallio a 200 res a libra : na rua das La-
ranjeiras sobrado D. 5 de Claudio Dubeux.
Ntsy A obra completa o Pirata do celebre
meslre Belini para piano e Cantona ; o me-
thodo de piano do Real Conservatorio de Parte
d'Adam ; o melhodo para aprender a msica
e Canto, de Assiol ; tudo em bom uzoe por
prego commodo quem quizar annuncie.
tsr Duas negras de nago sendo urna
propria para servido de casa por saber lavar
e cozinhar oulra muito robusta para o ser-
vico de campo, com urna linda cria de 8 me-
zes, urna bomba de patente propria para
canos d'agoa, ou cacimba no principio do
atterro dos aflbgados em casa de Silvestre Joa-
qum do Naseimento.
= Urna canoa de carreira nova e cons-
truida com pertaicSo, e de elegante figura,
a pessoa a quem convier dirija-se rua de
fora de portas casa N. 215.
t^" 'ma negrinha de bonita figura de 14
annos com principio de costura e urna di-
ta de 18 annos de bonita figura propria para
todo o servigo de urna casa, e um moleque de
12 annos, de nacSo, proprio para todo o ser-
vico urna molata de 28 annos cozinha e lava
bem roupa e coze ch5 urna cabra de 26
annos cozinha engoma lizo coze cha e faz
renda urna negra de nago de 25 annos, co-
zinha o diario de umaca.a, engoma lizo, co-
ze cha e lava de sabo um negro de naco
de 25 annos proprio para o todo servicio e
urna cabrinha de 14 annos-, na rain boa do
Carino D. 11 segundo andar.
tsr Retroz de qualquer cor que se emagi-
ne burzeguins de Snr.' gaspiados sapa tos
de marroquim e de lustro e calgado do me-
nino rap rolo hamburguez amendoas cu-
beras de chocolate, facas de marfim de fe-
char ca tas, pentes de alizar de marfim de
todas os tamanhos meias de seda preta pa-
ra Senhoras e botins de bteerro pira me
nio e bilhetes da loteria da Boa-Vista ; na
rua da Cadeia loja do Bulgar.
Ermitage.
tst Nova fabrica que trabalha sobre o as-
sucar refinado a maneira da Europa vedas
de carnauba, xarutos, licores, conservas &c.
Objectos actualmente em venda.
Vedas de carnauba de primera qualidade
10j a 'ti ea 220 a libra xarutos de prime-
ra dita 1600 o cento, ditos de segunda di-
ta 800 reis o cento xaropes de tamarindo
de primeira qualidade 800 reis ditos de
limAo 640, ditos de laranja 640, ditos se-
gunda qualidade de dita 320 annans intei-
ro conservados em caixa de. (landres 1280 ,
caxas de peixe conservados no azeite 8o0,
mel da refinaco da primera qualidade ca-
ada 610 dito de segunda qualidade 400
a caada caxas de gelea fina de laranja
\S tamarindo conservado em natural 800 a
caixa, tumo picado em caixas 400 reis. Ob-
serva-se que sendo o assucar refinado produ
zido de um assucar branco e novo de pri-
meira qualidade por um simples processo
sem auxilio d'algum oulro agente tem fa-
Ihado muitas vezes, por issoque ainda nao
aparece deste no mercado-, na rua da Ca-
deia de Santo Antonio D 4 na mesma ca-
sa lambem h urna porgo de vinho do Lis-
boa que se vende a i/*200 a caada e a
160 a garrafa o do branco 1440 a caada
e a 180 a garrafa.
tsr Vende-seou troca-se por urna negra
que saiba cozinhar e lavar de varrella una
moleque de 15 a 16 annos: no atierro da Boa
vista D. 0.
= Fm sitio no lugar das Curcuranas com
200 e tantos coqneireiros com parle de var-
zea ; nos A (Togados rua de S. Miguel D. 7.
= Bilhetes e meios dilos da lotera do
Theatro : na loja de Carioca A Sctle rua do
Queimado D. 13.
tsr Na loja de cera na rua estrela do Bo-
zario ha para se v brandoes e a rebotes de boa cera e prego
commodo na mesma rua D. 13 j na mesma
caza charutos feitos no paiz a 720 o cento e
charutos da cachoeira a \ reis a caxnha.
E^ lima venda sita na caza Forte junio
da giimileira rom poucos fundos, e commdos
suficintes para urna familia com quintal ser-
cado e cacimba dentro vende-so por O dorio
querer retirar-se para fora da provincia: a tra-
ctar na mesma ou com Joaquim de Paula Lo-
pes na praca da Boa-vista venda D. 0.
tsr Sacas com farinha da tena p de mili-
to boa qualidade por preco commodo di-
tas com miihoa4500 reis a saca ditas com
arroz de casca a 4tf reis : na venda nova do-
fronte de Palacio da parle do passeio publico.
tsr m sitio de criar gado na cacimba ,
distante urna legua da Villa de Cabiceiras ,
com curraes boa caza de vivenda, bom cer-
cado c dous assudes com boa agoa de beber, e
tem todas as commodidades para situar urna
boa fazenda de criar : os pretend ntes dirijfio-
se ao mesmo sitio a fallar com o dono ou em
Pao d'Alho com o Capito Manoel Francisco
damos.
N u^ Pannos finos de todas as cores a 2600,
e 5j rs ditos superiores casimiras, cha-
les de la e seda do ultimo gosto dilos de se-
da, merino preto superior, cambraias do bom
tom ,. brancas e de cores longos de seda pa-
ra pescoco de senhora ditos do cassa para
mao, fustes brancos e de cores meias de
a!god;io de todas as qualidades madapoloes
enfestados e de todas as qualidades algo-
dozinho chitas asmis modernas eoutras
muitas fazendas por preco barato : na rua do
Livramento caza amarella D. 5 loja de Joze
de S e Souza.
t^" l'ma negrinha de naco, muita linda,
cose, e cozinha : na rua Direita D. 43 lado
do Livramento.
\tsy Fma lanxa em muito bom estado de
construcSo do paiz de lote de cincoente
barris de assucar por prego commodo; pelles
de onca para tapete ; mann em caixas de 16
libras, 5 escravos um carpina, outro pesca-
dor c outro proprio para o servico de cam-
po do que tem conhecimento vende-se a di-
nheiro ou a praso : na rua da Moeda n. 146.
C?* Cadenas He halanco corn assenlo de pali
nha e encslj da mesma marquesas de condu-
r mezas de jantar camas de venia com arma-'
co cadeiras om assento de palliinha americanas,
camas de vento muito bem leilas n #oo i ilas oe
pind a 3#5oo e pinho da Suecia corn 3 polegad;is
de grossura, dito serrado tudo mais em coma do
'|in' em outra parte ; na rua da Florentina em caza
de J. A'erniiper.
"ESCBAVOS FGIDOS.
tsr Um cabra acabocolado de nome Stiro
de 50 annos taio do rosto e tristonho de esta-
tura baixa quem o aprehender leve-o a rua do
Vigario n. 7 que se lhe recompensar seu
trabalho e adverte-se que he p -scador do alto.
t" Fugio no dia ) do correte um escra-
va de nome Antono do gentia de Angola ,
baixo groco, idade 25 a 26 annos, cor
fula tem costume de andar pelo Affogado ,
Jiqui e Boa viagem ; quem o aprehender
leve-o ao armazem de couros do abaixo assis:-
do no beco do azeite de peixe do Recita que
ser generosamente recompensado.
Antonio Joze Gomes d'Arantes.
tsr Fugio no dia 7 docorrente um escra-
vo de nome Antonio casangecom os signaes
seguintes : representa ter 16 annos, alio sem
barba seco do corpo levando carniza encar-
nada de baeta e caiga de brim branco ; ou-
tro no dia 10 de nome Miguel nacSo congo ,
baixo com o braco 1 i re to do cotoveo para
baixo, adeijado de nacencia e muito mais
curto que o outro; quem os pegar ou d'elles
tiver noticia pode-os levar ao sitio da passa-
gem de Olinda denominado Odio de agoa, ou
no Becif roa do Vigario armazem N. 8.
tsr Dezapareceo em Maio de 1840 una ne-
grinha de nome Luiza naco songo de ida-
de de 12 a 14 annos estatura baixa cor bem
j preta cara redonda e pontuda olhos abugalha-
dos peitos pequeos e bem em p pez pequeos
e secos nadigas empinadas quando de-
zapareceu estava bastante gorda e supe-se
que foi Curiada pois nunca sabio rua e nem
lo pouco noticia so tem tido; por sso se ofte-
reseaquema troucer ou >iella der noticias
certas guardando-se todo o segredo 50,*000
res de gralifieaco, na praca da Independen-
cia numero 35 e 51, ou na rua da Ale-
gra D. 10.
tsr No dia 13 do correnle fugio o preto
canoeiro por nome Manoel crelo de boa fi-
gura alto e incorpado lem o rosto um pou-
co descarnado e redondo as orelhas peque-
as penca barba c can hoto t ;m um lobi-
nho no braco isquerdo junto ao eolovelo ,
bebe bastante quasi sempre traz as pernas
inpoladas de l>olhas de agoa que abrem em
tarida como de prezenle tem urna perna ,
que por isso a lem mais grossa que a oulra
esle negro he canoeiro repiezenta 50 a 35 an-
nos levou carniza o caiga de algodo de fo-
ra o carniza de baeta encarnada e chapeo
de pallia. D-so urna generoza gratiicago
.a quem o pegar e o entregar na padaria da
rua dos Quarteis I). *i de Manoel Anlonio de
Jess.
tsr Ainda esl fgido o crelo Pedro do
engenho Amarap, cojos signara eslo dcs-
criptos nos dous nmeros antecedentes.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. = 1842.
*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWEEYCY1K_ZPTHM9 INGEST_TIME 2013-04-26T21:36:46Z PACKAGE AA00011611_08134
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES