Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08128


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 1842. Segunda Feirft 12
Todo agora depnde Henuimrsnioi ; di nosit prudencia moder";'.o e energa : con
liiiiienu onru jirinopiaisoa e aeranos apon larioa cum a.'n.irac'io entre Nacoea mai
jU|tM ('roclaniae.'io da Acsrmbla Geral do Ir a til.)
PARTIDAS DOS COR REOS TERRESTRES.
Guianna Paraiba eBiograade do Nuria, legand e aextaa feiras.
Bonito e Garanhuns 40 e 24-
Cabo Serinhaem Rio Formom Porto Cairo Macei a Alagoaa no 4.
l>,i W, Snt Antao quintal feirai. Olinda todos os diai.
DIAS DA SEMANA.
4 ,, .. Arta Y. M. And. dj J. de D. da 2 t.
13 i'ere a. Felippe M Re. Aad. do J. de D da 4. w.
4\ Qjn'rt. E*li?ao da S Crnt And. do J. de I), da 3. T.
4i> QuiDt. s- Dominios em Suriano. Aud du juix de U da 2 ?
4(1 Scxt. i, Cornelio, o Cypriano Mnt. Aud. do J. da D. da 4! t.
17 San. As Chajas de S. Francis.-o. Rol. Aud. do J. da D. da 3. r.
i Do. Fesla das Dores da N. Snra.
de Setembro. Anno XVIIT. N. \96.
O T)iiri< pttblida-ae lodoa M dia* 'tu? So forera Saatifcadoa : u proco da asaignalora ha
det.es mil rcis por quartel ii.vi.- aJUataJoa. OlaaminfllAl .los asignantes sao inaeriooa
gratis ni dos |ua o n tu foreal i rasuo de SO reta por linha. As reclamaafiea daten aer
dirigidas a e ... i Cruja D. 3j u a praca di Independencia taja da lirroe
Kuhkiii 37 e
CAMRIOS no da 10 DB8ETEWRO. compra venda.
Cambio sorre l.on tres '?/ '. nominal,
a .> Paria 3 18 raa p. fi eo.
a .i'.hi.a I..:, por KM) u inuRal.
M.ieda .le oobra 4 por 100 de deiconlo,
dem iolatrai da I i Eraaaa le a 1 r J.
Ouno- Mocda da 6,400 V. 46,300
- N. 46,I0J
, de Ooo
I'iTi I'a'.aces
a l'e/os l'.uluainare
.i dito Mes canoa
n> lilla
S, 400
4 ,S,S0
,8S0
4.8S0
4,690
46.500
4o.300
0.3Q
4.SV0
i.ssw
MI
4,730
Preamar dn din 12 de SelemlfO.
4. a ll) horas t 54 m. da man!.J.
2. a \ | horas e 4S m. da larde.
PllASr> IU IX'A lO HEZ E SETEMHRO.
l.ua Noto a 'i ia hnrai e 22 m. da taril.
Quart. erase, a II a I luirs e 42 m. da lar.!.
i.ua clieia a I'.)-- aathniaa tund lanl.
Quart, mmg. a 27 -- ;is huras e 17 ni. da tari!.
MARIO
G0VERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 0 DO COMIENTE.
Oflicio Ao inspector da Uiesouraria das
rendas provinciaes ordenando quo mande
pagar todos os empregados provinciaeso
que se lliesdever at o fim de Marco do cor-
renle anno; e autorisando-o para descontar
as lettras que forein precisas para intei-
rar a somma, em que importar tal paga-
mento.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
y.enda dizendo que o adiantamento re-
<]Usita:lo pelo commandante das armas para
os cadetes mencionados em seo ollicio he
Je um biennio para cada cadete ; e que deve
mandar fazer o referido adiantamento nao
obstante a duvida do commissario fiscal do
ministerio da guerra quo nao procede ; por
isso que elle lera sido feito as demais praQas
de pret de primeira linha com a nica dif-
forenga tle ser fornecido em gneros.
Dito Ao commandante das armas sci-
ontifleando-o do conleudo no precedente of-
ficio.
Ditos Ao inspector da thesouraria da fa-
z-nda e ao Presidente interino da relaco,
inlelligenciando-os d'achar-se licenciado por
seis mezes com os seos respectivos Ven-
cimento* ojuiz de direito do civel da co-
marca do Nazarelh Francisco Elias do Reg
Dantas.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional d'este municipio eommunican-
do teraprovadna proposta para os postos va-
gos ilo segundo balalhao da referida guarda
naci; nal : cordcnando-lhe que a faga pu-
blicar em orden) do dia. e declare aos promo
vidos que podem desde ja entrar em exerci
ci'los mencionados postos, com a condic
rao porom de solicitarem suas patent's den-
tro Ditos Ao jui/. relator e vogaes da jun-
ta de justica participando ter designado o
:liu 10 do 'oriente par rcunio da mesma
junta fim de que compareci hora do
coi tu me.
DitoAo commandante Jas armas, or-
denando que mande avisar os vogaes mili-
lares da citada junta ; para o lim indicado no
precedente oflicio.
Portara Ao inspector do arsenal do ma-
rmita determinando que de escusa ao se-
gundo marinheiro do brigue = Caliope =
Jv.o Domingues Regadas visto ha ver a jun-
ta de saude declarado-o incapaz de todo o ser-
viro.
IFOLKlf TU
OS DENEDITINOS DE S. NICOLA'o O VELHO. ( )
0 superior o esnerava com toda a commu-
nidade que se compunha de uns vinle ir-
iiios em um refoitorio bastante iluminado,
e omb eslava urna mesa perfeitamente servi-
da. O conde iicou pasmado do luxo d argen-
tara com que essa mesa brilhava assim co-
mo da Qnura das toalhas o guardanapos. O
convento linha lirado de seo tb^souro e de
sua raneara o que havia do mellior, para
honrar o scu hospede.
A sulla conlrastava singularmente polo
seo aspecto derrocado com o luxo da mesa :
ei i um vasto salino que em outro lempo devia
I t sido alguna apella e de cujo altar se
rVz tuna charnin toas d'aranha ero os or-
namentos que cobriao as paredes e alguna
murctgoa allral.idos pela luz voavao pelo
( ) Vid. Diario N. 19* c m.
COMMANDO DAS A 11 MAS.
QUARTEL DO COMMANDO DAS ARMAS DEPERNA5BC-
C0 9 DS 8ETEMBR0 de 1842.
Ordem aildicional.
O Commandante das Armas tendo com-
maudado a divisao que formn na grande pa-
rada do dia 7 do correnle leve a satisfago
d'observar que os coros em geral compa-
recerao no milhor acceio possiyel. Obser-
vou m.'ds que as formaturas e marchas .
a brigada da guarda nacional apresentou gar-
bo militar com eapccialidads o 21' batalhfio,
que mu bem marchou em continencia, Na
brigada de linha os corpos posto qu re-
centimenle organisados moslraro boa aia-
rencia e marebaro soffrivelmente sobre-
sahindo na continencia o de Polica pela
sua cadencia c regularidade.
O Comman lano das Armas muito eslima
ter esta oecasiAo para dar aos Snrs. Com man-
dantes dos corpos quj arrnmaro os mere-
cidos ellogios pelo zelo e enteresse que lo
maro no bom arranjodos seos subordinados,
nesse dia lodo nacional e espera quo os-
se zelo longe lido coda vez miis por que s assim se con-
seguir a verdadeira gloria o deriplina mili-
tar, da qual em muito depende a paz se-
seguran^a c prosperidad da Provincia.
Antonio Pedro de S Rancio.
BXPKIalRMTB DO DIA 3 DO CoRABNTB.
Oflicio AoEim. Presidente, transmet-
lindo-lhe para seo conhecimenlo um oflicio
do commandante do forte do Gaib versan-
do sobre dous iuglezes da barca Mi.Ulesex ,
que vinda da Nova Holanda com destino a Lon-
dres dera a costa na barra do Rio Formse
Diio Ao mesmo Exm. Sr., transmillin-
do-lhe competentemente informado o requer
ment do alferes que foi do I." linha Ma-
thias l'erreira de Sou/.a no qual pedia o pa-
gamento dos sidos que delxou de receher a
conlar do 1." d'AgOSlo de 1831, al .Mareo de
1835.
Ditj Ao inspector da thezouraria, envi-
ando-lhe os papis de contab'lidade do desta-
camenlo de Iguarac relactivoa ao mez d'A-
gosto afim de seren pagos no caso de e*U-
rem legacs.
Dito Ao delegado do termo de JU.iraeu.
communicando Ihe o exposto no oflicio ci-
ma e previndo-o que de ora em diante os
vencimentos do oflcial coilfmaodante do des-
tacamento serio eobrados em dous recibos
separados um contendo o sold e outro a
gratificaQao addicional.
Dito Ao delegado do termo uVCaho, pe-
dindo-lhe nformacoes a cerca do recruta Joo
Fcrrcira da Costa que allegou ser oiffio ,
e l r a seo cargo varios rniiios a quem sus-
tenta.
Dito Ao cliefe do batalhao da guarda na-
cional de Miii'iheci dovolven lo-lhe os papis
de contabelidade do destacamento para que
fossem por oulros substituidos no sentido i-
jdieado pelo commissario fiscal do ministerio
da guerra.
Diio Ao delegado do termo de Serinha-
em., partifipando-lhe que se mandara pa-
gar a dispesa l'eila com agoa e luz pelo com
mandante do destacamento nos 37 das que
o mesmo destacamento leve de duracao.
dem do da o.
OflicioAo Exm. Presidente, significan-
do-ihc que t-m ollicio de 51 do mez p. p,
havia molivudo o abono de fardamento man-
dado dar a do"s ca leles do avaUaria e p n
eonse;tiinlc satisfeito o seo despacho do T> do
correnle sobre tal objecto.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional deste municipio, romettenuo-lhe
copia da ordem do dia, que dctalhava a gran -
,c parada do Ani'-ivetsaiio (Jfl Independencia.
Igual Copia 86 remelL-o :u COmmandalltu
geral do COrpo de polica.
Dito Ao director doarcenal de guerra .
remetiendo Ihe por copia os modellos recei-
dos do commissariado Fiscal do ministerio da
guerra com respeitoaos papis de contabe-
lida'de que o mesmo arcenal linha de forne-
cer a thczoiiraiia.
Dito Ao major comman lanle da forca
destacada em Onda ordenando-llie que no
da 0 docorrente a guarnigO da pr.-ea de-via
ser l'eila pela dita forca COinprindo que el-
la Bslivcsse no lugar da parada as 7 horas da
manhia
Circular Aos commandanles de corpos ,
deposito e companhiasde linha envian io-
Ihe modellos dos papis decontabelida le, que
tinhao de dar de 10 em lo das e no .. de
cada mez, a thezooraria, e bem assim os
modellos daafolhaa das obras militares qm
e estivesseni fasendo, ou{arao futuro so fi-
sessem nos seos respectivos quarteis.
Oytra circular se derigio aos commandanles
d. furial< B8S.
Dito Ao lente coronel commandante
do balalho provisorio mandando que fosse
recebido, o conservado preso no estado moior,
0 alferes JoZB AlveS Pimeiilel pelo crime de
i apie estupro devendo mandato apresen-
lar na delegada do 1." d. do termo desla Ci-
rjade ou nojuiso municipal semprequo a
sua [Mescnca fosse ordenada pelo delegado, o::
juis.
Dito Ao delegado do 1. d. do termo des-
ta Cidade communicando-lhe o exposto no
oflicio precedente.
Dito Ao commandante do batalho d'in-
tecto, entrando e sahindo pelas janelUs que-
bradas conorme Ibes da va na vontade. A-
lem disto havia um arsenal completo de ca-
rabinas pittorescamente arranjadas na mura-
dla. O conde laucando a vista sobre ess
aspeeto admirou a abnegago religiosa dos
bons padres que possuindo Ihesouros co-
mo os que brlhavo seos o'.hos viviao en-
tretanto expostos as intemperies do ceo, a
nianera des antigos solitarios do mente Car-
melo e da Thebaida. O superior reparou no
seo pasmo.
Sr. conde diz elle rindo-se eu vos
ero ainda urna vez perdao da ruim mesa e
mo abrigo que encontraos oqui. Tal vez se
vos lenlia pintado o interior de nosso conven
to como um lugar de delicias : eis aqui como
a sociedade nos julga senlior conde. Quan-
do vos reli lardes, con lio q' nos fareis juslica.
__\\ ( geral respondeo o conde cu nao
seise nesta mesa falta adunia cousa ; a ba-
lera de cusinha excellenle ; apenas falta n
viulio. Oh respondeo o superior cai

tranquillo este respeilo ; o vinho bom.
__Bem si o vinho bom nada falta. 'te-
mo nicamente acrescenlou o superior ,
que nossas maneiras vos pareci pouco mo-
nocaes v. g. temos o coslumo de nfla erar
sem um par de pistolas ao alcance de cada um
de nos ; gma precauco centra os acci J"ii
tes que | odem occorivr cada instante n'um
lugar t"io solado como esle. Tende a honda-
da por tanto de escusar-nos si apezar de
vossa presenca nao nos apartamos .1 esse
coslnme. A' estas palavras o superior Ic-
vantou sua tnica lirn da cintura um par
de soberbas pistolas e as pzjunto seo pialo.
Fazei lwi gwal i bffl o qu quizer-
ttes, rc#pondeoo Allemao'; as pistolas sao u
amigo t!o homeiii : eu lo Dona as teuho ; e
notavel quauto as vossas se a rece m com ellas!
bem notavel. Pode ser respondeo o su
petior reprimiudo o riso ; estas sao exa
t-s anuas, que mandei vir d'AHenionha fie
Kukqnreiler. !> Kukenreitrr'.' V- isia jos
ItiUiMite. Fazei virus nimbas, geral le
fautora de ;!i irda nacional destacado para
que estranbasso ao oflcial que sahira de guar-
a da forlalesa do brum no da 31 domezpre-
; rilo o nao ter dado a parte das oceprren-
cias havidas durante as 24 horas de servico ,
nao sendo a Inissveis as rasOS que deo para
cohonestar a sua falla.
Dito- Ao chele de polica, disendo-lho
que mandara abrir asstnto de praca ao recru-
l.i Vicente Fcrrcira qua mencionava o seo
ollicio dSla dala.
Dito Ao delegado supplenlodo termo de
IguaraQ devolvendo-lhe- os p-.peis deconta-
beli lado da destacamento, para de novo os or-
ganisor no sentido da nota do commissario fis-
cal lo ministerio da guerra.
lEPARTjAO DA POLICA.
Parle das oceorrencias do dia 9.
D: parte boje dala pelo commandunte ge-
ral do torno policial consta somente que fo-
i.'io li.ntem presos pelo inspector do quar-
tciro da Soledad Simio Ferreira da Cu-
nda e Antonio Mara do .Monte como pes-
soas suspeitas os quaes loro recolhidos
ia.
Sahirao hontcm d'ordem minha para o
Limoeiro urna escolla de polica compos-
ta de um inferior umeabo, enove solda-
dos, e pira S. Antfio ouira de um inferi-
or os quaes forfto conduzindo presos de jus-
tj.-i.
i:st:i\iu.
P A R A'.
Ni marda larde de trez do correnle AgoS-
lo ;e fez de vela deste porto a Escuna .Rio
r.randensecommanduda pelo Snr. primeiro
tenenle Flix l.ourentjo de Siqueira levau/-
o a sen bordo o Snr. tenle coronel Airto-
no Ladislao Monteiio Baona o sr. rri0le-
ro lenle Francisco Xavier d 'A lean tara, e.o
snr. cirurgiaoda armada Francisco Xa-viordo
Moraes. Consta-nos que a escuna vai a Ma-
rap com escala por Gurupa, e nlarzagfio. O
snr. Hiena vai encarregado de examinar,
informar o (invern da Provincia do estado' da
fortaleza de Gurupa e da praca de Maoapi ,
deslas duas chaves do Amazonas, a ultima das
quaes custou ao estado um mlioequinhentos
mil cruzados e boje se acha amcacada de
grav.'S ruinas. O snr. iiaena deve xaininar
tambem em Marzagflo o lugar denominado A-
nin al e verificar a possibihdade de esgotar
esse pantano. Deve alem disso oceupar-sa
com a lopogralia e historia daquella parte da
P ovincia ; commissOes todas mui aJequadas
as habilitatjOea scientificas do snr. tenenle co-
ronel.
.slao na bigagem para as comparar umppu
co. Depois da cea conde depois da cea.
Ponde vos defronte de mim, ali, muito bem.
Sabis vosso Benedicite ? Em outro
tempoo sabia ; porem j estou um pouco cs-
quecido. Tanto peior tanto peior dizo
geral por que eu con la va com vosco para o
tirar ; porem como o esquocestes prescin-
diremos dMle. Se prescindir responde
o conde, que era de fcil composio se pres-
cindir. Efectivamente o conde servio-seda
spt .sem Biicdicilo noque foi imitado
pelos oulros mongos ; c quando acabou o
ftpituo Ihe passou urna bolelha. Prova
. te vinho, Ihe disse. Oconde, nosup-
mdo o vinho generozo encheo um pequo-
, ropo que eslava diante de si lomou-o pe- '
> pe rxaminou um instante a claiidadeda
iiz que Ihe licava neis prxima, o liquido a-
' mado como o mbar, e, levando a boca, be-
lieo o com a volupluoza pachorra ifum gloln.
E' admir ivel diz o conde, que eu que
criaconhcccr lodosos vinlios nao conhcc,a


cj-fcg~i zvirrr-^amm
2
O snr. primoiro teento Alcntara mem-i
bro da commissAo Uvdrograpbica vai occu-
par-se ni ai^nns trahalhos preliminares que
devem servir como dados para os trahalhos
da commissao quando se achar complta. A
reooheeida capacidad*.' o zoilo.do snr. Al-
cntara nos fazagouraro mel or resultado de
iiias avcrguac/es.
A commissao do snr. Moraes assim como
interessa humani dado tanibein inleressa
sciencia. Vai este facnltiTo munido de re-
medios para acudir aos po tres de Macap ,
victima das Pebres que all reinita. Todos os
que a presentaren) cei tidao do Parodio de nao
terem meios de poder pagar medicamentos e
medico acharo auxilios para combaler a en-
ferrr.idade nos soccorrus i|ue o governo Ibes
manda. O snr. Moraes so quizer esludar as
cauzas e o progresso da enfermidade assim
romo os meios (e combate-la f.ir nisso tam-
ben) servico sciencia como dissemos.
O Snr. Siqueira deve examinar c esludar a
parte da costa que vai percurrer. lia milito
que doveriamos ter empregado nisto como
i se fazia cm outro lempo ofciaes to habis
como o Snr Commandante do Rio Grandense.
No dia 17) do crrenle fez-se de vela do por-
ti rtcsta Cidade para o interior da Provincia o
hiato Mond'jroni levando a seu bordo o Snr.
Commandante das armas Francisco Sergio do
Oliveira que se dirige as fronleiras do Kio
DIARIO DE PERN.4HBDG0.
Hranco c de Marabitanas a funde faz<>r re-
pararas Fortalezas de S. Jos, e po-las em
estado de deflesa para o caso de serem aecoin-
mettidas. Esta medida que em quaesquer cir-
cumstancias seria digna da aprovacaode todo
o bomem sensato faz-se mais conveniente ,
ou antes necessaria, quando aquellas fronlei-
ras se aclio ameaoadas como he voz publi-
ca. Lamentamos que a falta de meios pecu-
niarios c de inn barco de vapor disposicao do
Governo Provincial o nilo habilite para obrar
rom aquella rapidez e energa preciza a lim de
restituir ao seu antigo estado nao s as duas
Fortalezas a cima mencionadas como tambera
as de Tabatinga e Gurupa assim como apla-
ca do Macap.
( Trozo de Maio. )
CEABA'.
7,0!)
7,7,0
7I(
7,1 i
7,11
7,1)7
Resultado da votaco para deputados geraes
n^co-Hnf-i"- i;.ioJ Anuirs, C..ow
' vel. Aracaly Russas Bat: ril Quel-
xeramobim, Impcralriz, Sobral, Villa No-
va e Granja.
I)r. -Miguel Fernandos Viera.
Manocl Joze de Albuquerque.
I>r. Francisco de Souza Martins.
Padre Antonio Piulo de Mendonoa.
Fxm. Joze Joaquim Coellio.
Padre Jeze da Costa Barros.
i)r. Antonio Joze Machado.
Dr. Andr Ras tos do Oliveira.
Rr. Anselmo Francisco Poielli.
Padre Joo Rarbosa Cordeiro. I Ti
Dr. Jo/e Pereira da Graga Jnior. l(i|
Rr. Jernimo Marliniar.o Figueira de
Mello. )7
Rr. Joze Bernardo Gulviio Alcanforado. ;7
Padre Antonio Xaxier de Castro Silva. 4
Dr. Pedro Pereira da Silva Guimaraes. 7,7
Rr. Clemente Francisco da Silva. 10
Coronel Francisco Joaquim de Souza Cam-
pello. 7,
Antonio Ribeiro Campos.
Rr. Francisco Alves Pon tes. 1
Da. Joaquim Victoriano de Alraeida Pi-
i nbeiro. 1
( Pedro II. )
MAIS VAI. TVRIIF. QIE NUNCA.
Huma das mais bellas rulados do Brazit i
a Veneza hrazileira a llucluante cidade do
Recita estava como que sendo deslustrada
(,or um descuido que j se Ida tornando cri-
minoso. Situada na confluencia de dois pe-
rennes ros, circundada de lmpidas verten-
tes, quaz todas serpeando por planicies
sem algum dos grandes obstculos que em-
haracao a direccao das agoas para qualquer
ponto convnhavel : nao se pode conceber,sem
pasmosa admiraco como he que pjr dilata-
do^ anuos de existencia e por muitos outros
de civilisacAo de triunfos o d gloria a
nossa opulenta cidade lenba sido, at boje,
crivada de urna f>nte cristalina ; e que em
lugar do licor primoroso c abundante que
jorra do seio des'os montes circunvisinhos ,
tenha dado a beber a seos filbos urna lynfa
degenerada em immundos charcos ou al-
terada as srdidas canoas que conduzem
ao triste mercado onde novas alteraeoes an-
da sofreno em detrimento da salubridade! !
Fsto ficto que com effeito por si explica
bastantemente a extremosa benignidad*) do
nosso clima, que prodigiosamente lula contra
O tristes cffeitos da nossa imprevidencia, e
falta quaze absoluta de polica medica, ser-
vira mu bem para depor contra o nosso es-
tado de civilisaclo, e raesmo do nosso patrio-
tismo so cansas avulladas que ainda boje
palpilo nos no justilicassem satisfactoria-
mente.
PFescindindo de fallarmos no embolamen-
lo rm que nos adiamos durante o estado de
colonisagao bastar retleclir que as com-
moefies polticas, que preeedero e segurAo
nossa emaneipaco, distrahiro inteiramonte
os Pernambucanosde todas as perteneces, que
no fossem o triunfo das armas em prol da
Independencia e liberdade : e bem que con-
seguida aquella j elles poderiao entregar se
aos melhoramcnlos materiacs de sua Provin-
cia com tudo o mar jas passadas dissensoes
civis ainda achou-sc por muilo lempo cava
do pelas grandes tempestades que o agita-
rlo ; e por outro bdo, (|ue milito poderiao
elles fazer sob o sistema de demasiada cen-
Iraacao, que enlo reinava ?
F'lr/menle a nnrnra, fjno linlia appnas iIcq-
pontado com a nossa Independencia aparece
mais refulgente : o Acto addicional eman-
cipando as provincias tornou cada cidadao
positivamente responsavel pelos augmentas
le sua Provincia; os Pernambiieancs derao
immediatamenteoutra ilirergo sua nobree-
mulacao, e leis sabias partiro da sua Assem-
bla Provincial. Tanto he verdade que os
altelos nobres ainda que violentos pro-
diizem maravilhas, quando convenientemente
240 temperados !
-'-'- Com efl'eito sancionada que foi a provi-
2BR denle lei Provincial N. R> que auCtoriZOU o
este ; a menos qno nao seja d'uma nova vi-
nba. E' de marsala senhor conde um
vinhoque nao sendo conhecido mcrece-o
ser. Ol nossa pobre Sicilia (pie encerra
como este urna infinida !e de tbesouros esque-
cdos Como dizois que se chama '.' per-
gunlou o conde enclioruio un segundo copo.
-Marsala. Marsala .. bem um hom
vi'nbo ; eitcomprarei del le. VenJe-seca-
ro-i'. A' dous sol los a bolelha. A' como .'
tornou a pcrgunlar o conde que pe usa va ter
oiwido mal. A'dous sidos a bolelha.
A'idous sidos a botelha v; habitaos o pa-
raso terrestre geral ; en nao me vou mais
d'aqui faoo-me benedictino. Agradecido
pola preferencia rende ; quando quizeides
vas recebaremos. Ruis soldc* por um i bo-
i -lha repeli o conde cnchendo um tercei-
rocopo. I .na observacAo nicamente devo i
f ifMr-vos o vera a ser que elle lera um de-
l'-iio creseenloii n superior. NYi'i ttinde-
l^iafti respon loo o conde. Perdoa-me ;
ob| mii'to.i cabca.Snb3 muilo cabuj .
Governo a contractar com alguma Companhia
o forneeimento d'agoas polaveis para esta Ci-
dade bomens patriticos a aeolhnro e cui-
daro logo de vencer todas as dificuldades a
im de a por em pratica.
Fntre desnimos de toda especie ; entre
iuvejozas e salyrieas murmuragoes : entre
fnebres vaticinios pode-se em fim estabe-
lecer e formar a Companhia de Reberibe ,
(pie deve ser considerada, nao como* huma
ompreza destinada somente a fundir lucros ,
mas principalmente a soccorrer a humanidad"
com hum genero de primeira necessidade
cuja impureza justamente se atrinuem muitas
das enfermidades quj amolino a moS4 nas-
cente populadlo.
Assim be, que no sempr;i fsst'j rio anniver- i
sario da nossa feliz Independencia a patritica
Direccao da Companhia determinou langar a
nrimeira pedra do encnmento das agoas po-
laveis do Prala que irazidas de mais do du
as legoas d; distancia ., tem de borbulbar as
nossas'praca's e de regara nossa Cidade,
linda, e tenra planta sequiosa no .meio
das agoas. Na verdade nSo poda a
Direccao escolher da mais importante e
approprado ao objecto ; poique he bem ,
que na ellusodo nosso jubilo pelacomemmo-
raco da nossa regeneracao poltica procure-
mos dar um tcstemiinho do quanto a appre-
ciamos. e do quanto pidos resultados sabe-
mos engrandecer a causa. Oxal que nos-
s memoravel da fossem sempre inauguradas
novos padres da nossa prosperidade.
Folgamos milito de ser testemiinhasoccula-
ros de urna cerimonia que em verdade nos
causn a mais viva emocjio de pra/.er. As 10
horas e mea da manha acharo-se reuni-
dos no lugar* do nascente do Prata omle ja
se bavio feito tolos os preparativos para o
oomeco da obra osKxms. Snrs. BarSo da
Roa-vista ; Rispo Diocesano Comniandante
das armas e outras autoridades e pessoas
gradase condecoradas que foro convidadas,
f. finalmente um nio pequeo numero de Ac-
cionistas. No meio desle brilhante concur-
so, o prmeiro secretario da Direccao proce-
deo a lei tur a da inscripgo ( abaixo transcrip-
ta ) queso achava gravada em urna lamina
le metal e o Vice-presdente da Direccao
entregou ao Fxm. Ba o da Boa-vista um
martello para dar os toques doJCostnme : S.
Ex. o ofloreceoao Prelado Diocesano para in-
citar a cerimonia e foi lancada a primeira
pedra dos aque.luetos: dopos de que o Fxm.
Bispo cheio do maior fervor e cordial ter-
nura invocou o auxilio Divino e lancou a
sua benco sagrada sobre os fundamentos do
edificio que i-e vai erguer e para nada fal-
tar to interessante solemnidade repeti-
rAo-se vivas S. !\f. I. a Independencia do
Brazil e ao Exm. Presidente da Provincia;
vivas, que foro harmoniosamente preconisa-
ilos pola excellenle banda de muzica marcial
do batalho de guardas nacionaes destacado ,
offerecida pelo seo mui digno commandanto
Antonio Lins Caldas e desla forma termi-
nou-se nina funego quedeixou maravilha-
nunca pensara de ser um dia visitado por al-
tas persunagens ; do ser o tbeatro de cerimo-
nia lAo esplendida como patritica ; de ser
emfim o ponto onde se ha va de fundar a o-
bra mais til, que ha de ler nossa cidade e
que marca urna nova poca na historia dos
seus melhoramentos materiacs. Honra pois
seja feita ao Fxm. Presidente da provincia ,
principal protector da cinpreza honra ao
espirito de assosciacao dos Pernambucanos :
honra DireccAo do encanamento; honra aos
Fngenheiros que o concebero o. Ihe derAo
o plano o honra aos que o houverem de exe-
cutar.
Nao devenios acabar este artigo sem men-
cionar urna circunstancia que Ihe he essen-
sial. O Snr. Coronel Francisco da Rocha
Paes Brrelo, que comecoii a ser til a
companhia desde que franqueiou a venda das
Ierras necessarias para o encanamento dig-
nou-se oflerecer sua mui decente caza para
ser o ponto de reunio de pessoas que p|a
direccao forao convidadas para assislirom a
cerimonia ; e le vou mais adianto a sua gene-
rosidade aprezentando um almoco primoro-
zamente preparado e servido no rigor da e-
thiqueta : o quedeo ocasio a (|ue os convi-
dados se demorassem algumas horas em urna
siluacao agradavel observando o concurso
de oavalleiros que, como em romaiia, hiffn
visitar a vitrea f ,nte. O dia pois foi comple-
to para coracoes vordadeiramente brazileiros :
queiro os Cos felicita-to eternamente.
Anno do Nascimcnto de N. S. Jezus Chrislo-
de
1842.
sob o feliz reinado
do
SENHCR D. TEDR0 2.
sobe mui lo ca beca diz o conde com des-
dom ; cu bebera meia caada sem que pare-
cesse ter bebido outra cousa mais do que um
copo de charbpe de groselhas. Fntao nao
vos acanhes diz o superior portai-vos co-
i mo si esiivesseis em vossa aasa ; s vos pre-
vino que temos outros.
Fin virtude da permissao accordada, o con-
de so poz a comer o a beber como verdadeiro
Allemao. Porem preciso confessar que
suslcnlouadmiravelmente a reputac&o de que
gosAo seos compatriotas. ls mongos exci-
tados por seo superior nao quizero de sua
parte, deixar atrs um estrangeiro (lema-1 conversac.'S e as caneos aos monlogos.
neira que inmediatamente so rompeo o si- O conde, que nao quera ceder seos hos-
loncu) roligioso que linha reinado no princi- (iodos lolheou seo repertorio anacrentico ,
pe, da cea ; cala um eoinooou a fallar em voz e no momento apenas encontrando a can-
baisa seo vizinho o dopois mais alio a to-, sAo dos bandoleiros de Schiller pz-se a can-
do o mundo. Ao segundo servico cada um i tar com toda a forca de seos polmeg o famoso
grilava do seo lado e narrava as aventuras ] Slehlen morden hurn balgcn ao
mais extraordinarias que se podiSo imaginar, 'que pareceo-lhe que os convivas respondiao
0 conde>, por poucoquesnubeaseo idioma fiel-1 com aplausos universaes. Immediatsmenle
riliano perrrbeo que se tractava de golpes j tudo pareceo pirar em torno d'ello, e se Ihe
atrevidos execulados por malfoitores de con-
ventos saqueados desoldados enforcados ,
e de religiosas violadas. Mas nisto nada ha -
via de admirawl ; a siluacAo solada dos dig-
nos benedictinos, a distancia que os separa va
da cida le, os devia tor tornado mais d'uma
vez tetemunhas d'igu-es aceas. O marsala
9 obraftdo sem prejuizo do syraeusano do
moscatel da Calabria, e do mavasia de l.ipa-
ri. Por forte que fosse a cabeca do con lo ,
os olhos comecarAo a cobrir-se-lbe d'um ne-
voeiro o a lingoi a engrossar. N'esle ponto
os monlogos suceederAo punco a pouco s
aos
salta le selfinbro
aun i versa rio da
INDEPENDENCIA
do
Imperio do Brazil.
0111.m0 e Ex."" Senhor Francisco do Bego
Birros Barao da Boa-Vista, com assisten-
cia do Kx.mo e R.m0 Bispo Diocesano R.
JoAo da PurificacAo Marques Perdgao,
e do Commandanto das Armas; e de
mais Pessoas gradas e conde-
coradas assentou esta
Primo!ra Peclm
do
Encanamento das agoas polaveis para a Cida-
de do Becife do Pcrnambuco.
Foi emprehendida esta obra por urna com-
panhia do Nacionaes co'm o privilegio
exclusivo por 85 annos em virtude da
Cei Provincial N. 46 do anno de
187)7 e dos contractos com o
Governo da Provincia.
Vai ser executada segundo os Planos dos
Senhores Engeiiheiros
Coronel Conrado Jacob de Nicmeyer,
e
Ifajor Pidro do Alcntara Bellegardc ,
pelos Senhores
Augusto Ko'rstinge e Andr Wilmer,
sendo Directores
Os lll.m0" Sn." Com.,,or Jos Ramos d'Oliveira.
Dito Mano* I Gongalves da Silva.
Dito Joo Pinto de Remos.
Dito Francisco Antonio de Oliveira.
Dr. Jos Bentc da Cunta e Figueiredo.
Bunio Jos Alves.
Manoel Coclho Cintra.
Rento Jos Fernandos Rarros.
a^aawHatB
Temos noticias do Norto vindas pelo Pa-
quete de vapor Parense chegado esle por-
to boje ( 11 ) : as provincias do Para Ma-
ranho e Cear icarAo em tranquillidade,
a primeira em 20 e a segunda em 30 do passa-
do, e a ultima em do corrente. Os jornaes do
Para nfio dizem nada sobre eleiees. As do
MaranhAo deviao proceder-se boje (as secun-
darias). Do Cear deixamos transcripto a
votacAo conhecida fallando duzentose tan-
tos votos dos collegios cuje resultado se igno-
rava ; as eleices linhAusilo em 21 de Agosto
tanto para Reputados Geraes como para a
Assembl(!a provincial, que tem de reunir-se
no dia 11 de Outubro: o Exm. Presi-
dente havia-se recolhido capital, tendo re-
cebido a noticia da debandada dos sediciosos
do Ex na villa de S. Bernardo: o Delegado de
Polica do Crato communica ao mesmo Exm.
Presidente a prisao naquella villa dos sedi-
ciosos Francisco Xavier do Souza Francisco
Leoncio e Roberto Francisco de Menezes ,
falando ainda diz o referido Delegado, Ca-
nuto Jos de Aguiar Bemardino Gomes
d'Andrade, Joo de Mello Burburema e
Sivestre Barboza de Lucena.
representou que os mongos deixando cair
seos hbitos religiosos, transformavo-se pou-
co a pouco em bandidos. Essas figuras asc-
ticas vanavo de carcter e brilhavo com
urna alegra feroz, a cea degenerava em or-
gia. Entretanto conlinuava-so a beber, e
ca la vez que se beba erao vinhos novos e
mais fortes tirados da cava do principe de
Palomo ou (la adega dos dominicanos d'Aci-
Eteal. B.i lia-so sobre a mesa com as bol el has
vas,as para vir.mu outras, quebravo scoii
derrihavo-se os castigaos o figo commiiiu-
cava-se toalha e d'esta mesa e em lu*
garrfe so exlingui-lo aliment?.vAo-o com ca-
doiras o bancos. Em um momento a mesa
nao foi mais do que urna i inmensa fogueira ,
em lornoda qual os mor.ges transformados
"m bandidos so pozero a daucar como de-
monios Finalmente, no meiodesse molmi
infernal a voz do capilao ostron diudo : Le monache le monacbe JJm
alarido geral acolhoo essa exigencia. t-'U
instante dopois, abrio-se uma porta, eapa-


COMMERCIO.
ALFANDEGA.
flendimento do da 10 de Setemb. 2:223,028
DESCAUREGA HOJE 12 DE SETEMBRO.
Ur 0 Vinho vinagre azeile o sebolas.
PRAGA DORECfFE 10 DE SETEMIUO DE 18*2.
Revista commercial.
Cambios Passarao-se diminuas somas a
21 112 il. por 1000 pelo brgue
Eliza Johnslon saido para Li-
verpool.
M"odo As entradas foro francas no de-
curso da semana ehouvero ven-
das a *>:'.loo e alguns loles es-
colbidos a 0:000 p. T.
Assucar Ha muito pouco no mercado,
est frouxo e pouco procurado a
foO rs. p. @ sobre o ferro.
Couros Sao ainda procurados a 115 rs.
p. lib.
Azeitcde Peixe Vendeo-se de 1000 a 1100
o galo.
Bacallio Orfepozito est reduzido a 1200
barricas, e tem-se retalhado de
9500 a lOjOOO a barrica.
f.arno sea Com a entrada da sumaca Auro-
ra do Rio de Janeiro odepozito
continua em 56:000 arrobas ,
sendo a maior parto de qualida-
de inferior.
Farinba de trizoAs vendas regularao de
l8 a 19,) rs. a barrica, o u
depozilo apenas de 1200 bar-
ricas acbando-se as padarias
bem supridas.
Folba de FlandresNao lia em primara mo,
e as ultimas vendas foro de 26
a 28*000 a caixa.
Polassa da Russia Tem-se retalhado de 200
a 280 a lib.
Queijos Flamengos Vendero-se a retalbo
de 1000 a 1100 cada um.
Rap de Lisboa dem a 3:000 a lib.
Sal Estrangeiro dem a 1:300 o alqueire.
mo premio de seus engaj a mantos no dia em
que assignarem o respectivo contracto a
quanlia de quarenta mil res os que forero
priineiros e segundos marinheiros e a de
vinte mil reis os mocos ou prlmeiros gru-
metes : 2.. quoos primeiro* marinheiros
percebero mensalmente dezesseis mil reis ,
os segundos doze mil reis, e os mocos ou
grumetes seis mil reis ; eonhndo-se-lhe este
vencimento do dia do engajamento.
Os marinheiros, e mocos ou grumetes a
quem convier o engajamento por seinilhan
te maneira podem comparecer na secreta-
ria da inspeco do mesmo arsenal todos os
dias que forem de trabalho das ) horas
da manila at as dtns da tarde alim de que
assignando o competente bTino de contracto ,
e recebendo o premio estipulado tenlio o
conveniente destino. InspccQo do arsenal
de marinha de Pernambuco em 5 de Setembro
de 1842. Manoel de Siqueira Cimpello ,
Inspector.
A' TEOIDO.
Illm. Sur. inspector do T >eatro Diz Jo
s Goncalves de Faria que tendo justado um
beneficio com o emprimarlo do theatro. acon-
tece que este nao quer dar a r*prezfnlac*o
annunciada em consequencia rl'um annnnap
que hontem sabio no Diario de Pcrnamhu-
co por tanto
I, V. S. se digne dar as providencias so-
bro tal procedimento. E R. M.
Jos Goncalves de Faria.
Informe o Sr. empresario dolheatre. Re-
rife 0 desetembro do lglS.es Nery Fcr-
AVISOS MARTIMOS.
= Segu viagem para o Rio de 8. Fran-
cisco no dia 15 do corrento o cutre S. Bene
dicto quem quizer carregar ou ir de passa-
gem dirija-se ra do Trapiche na venda de
Jozo Verissimo da Rocha ou a bordo a fallar
com o Mestre defronte do Trapiche do Al-
jodo.
KST Para o Rio de Janeiro seguir ate o
dia 17 ilo correte mezo Brigue Escuna Fa-
ma por j ter suficiente lastro inda recebe
carga escravos bem como passageiros para o
que tem boas acomodaces trata-so :a ra
da Cadeia do Recife D. 21 com Amorim li-
maos.
= Para o Rio de Janeiro segu viagem
com mnita hrevidade o brigue escuna nacio-
nal Fama ; quem quizer carregar ou em-
barcar escravos pode entender-se com Amo-
rim e li mos na ra da Cada do Recife 0. 21.
reir,
lilm. Snr. Inspector do Theatro Apare-
ce toda a probabelidade deque o antincin
inserido na Diario grande \. l8i be obra do
suplicante ou de oulros beneficiados m\ lo
a entender que seduzi lo; por mim se veem
na preci/o de pagarem duzentos e dez mil rs.
|sem lucros correspondentes c que esta soma
' reverte toda em meo proveito ; por tanto para
|vrar-me de um to mal fundado eoticeito,
peco a V. S. mande que o suplicante ueste
mesmo requmenlo fassa declarac/io do que
tal compra foi voluntaria o depois de reco-
nhecida a letra por tahelio seja inserida as
iluas folhas publicas desta provincia. V. S.
j porm mandar o que for servido.
Recife 10 de siembro .le t84t. Soude \
S. respeitoso subdito = Francisco de Freitas
Gamboa.
Faca o suplicante a dedaraclo exislda. lia-
cife 10 de setembro de 1842. = Nery Fr-
til OlTercce-se um rapas que escreve e
cunta b'm para trabalhar diariamente em
qualquer escritorio ou rartorio e mesmo pa-
ra qualquer "litro negocio por ter agilidade
para ludo ainda mesmo com a condico
de seajuslar a ceco porque tem casa pa-
ra comer dormir ; quem quizer se servir do
s o prestimo dirija-se ao atierro da Roa-vn-
ta a f.llar na loja de sapaleiro junto ao taii-
qn d'agoa. _>
tjy II-/jase saber aonde mora o sur.
i'adra Francisco Ferrer de Albuquerque, pro-
f.'ssor publico de grammatica latina da comar-
ca do Santo AnlaOj negocio de seo inte-
resse.
\T O sur. Joaquim dos Santos Pinto,
queira dirigir-se a ra da Ouz armazem de
trastes numero "I para rec >her urna carta o
mais urna cncomenda vinda do Aractty.
tsr Chegando ao conhecimonto do abaixo
issignado que Luiz Francisco Correia Go-
L E I L A .
H0V1MENT0 DO PORTO.
NAVIOS ESTRADOS NO DIA 10.
Maranhlo ; 60 dias Patacho Brasileiro S.
Joo de 111 tonel, Capito Felippe Rodn-
gues dos Santos equip. 11 carga farinha
do mandioca,e barricas vazias: a Franciscco
Marques Rodrigues & IrmSo.
Rio de Janeiro ; 2o dias ; Patacho Rrasileiro
Aurora Feliz, de 141 tonel CapitaQ Mano-
el Balbino de Freitas, equip. 12, carga car-
ga carne secca e farinha de mandioca: a Ma-
noel Joaquim Pedro da Costa.
tsr LeilAo que faz a viuva de Joo Carlos
Pendra de Burgos "once de Len em a sua
loja da quina da pracinha do Livramenlo de
muitas porpes do ferragens e miudezas ;
os licitantes deverfto comparecer munidos
de seus fiadores no caso de nao po lerem
arremtal-as a dinheiro nos dias 13. 14 e
!5docorrente pelas 9 horas e meia da ma-
nila.
ED1TAL.
- O Inspector do arsenal de marinha em
virlude d'authorisaco que recebeo do Exm.
S,\ Presidente da provinria em olfieia do
1. do correte mez engaja na conformi-
dadedo imperial avizo de 20de Junho lindo .
individuos para o servico d'armada tanto
nacionaes como eslrangeiros, que a pre-
senlarem documentos dos seus respectivos
cnsules pelo qual se moslrem desembara-
zados de quasquer obrigaedes do servico de
suas nacA-u com as condigilas seguintes :
1. que devero obrigar-se a servir por es-
paco nao menos de 3 annos recebendo co-
AV1SOS DIVERSOS
4S rodas da segunda
parte da II. Lotera
do Theatro andao mpre-
tcrvelmcute no dia 10 do
corrente e os billietcs a-
cho-sc a venda nos luga-
res do costume.
= Arrenda-se para o lempo do festa urna
boaca/a, ecom bastantes commodos. no Pos-
so da Panella na ra da beira do rio 5 quem
a pertender pro. ure fallar com Antonio da
Silva Gusmio na ra do Queimado para
tractar do ajuste.
tsy Benry Mmley subdito britnico retira-
se para Inglaterra.
tsr Rogase ao Sr. M. F. Pereira Lobo ,
de declarar a sua morada, ou dirigir se a
a loja de Manoel Gomes Viegas na ra do
Crespo que se lhe deseja fallar a negocio de
seu interesse.
reir. .
Eu abaixo assisnado declaro que iratei ue
muito minha vontade com o Sr. Gamboa um
beneficio por duzenlos c dez mil reis SlOOOO
' rea e para conbeeimonto do publico fago a
i prezente declaraofio. Recife fO 4c setembro
de 18 42. = Jos Goncalves de Faria.
Estava reconhecida a letra.
tsr Quem quizer urna ama sendo para
caza de homem solteiro dirija-se ra doSr.
Rom Jezus das Crioulas D. 3.
= Preciza-se alugar urna preta para o ser
vqo interno o externo de urna caza 5 na
ra do Sebo D. 21.
= ergunta-seaoSnr. loaquim Joze (,or-
reia o seu annuncio inserido no diario de
I lOdo corrente com as letras iniciaos \. J.
i A. iM ; se seentendecom o Dr. Antonio Jo-
aquim d'Alhuquerque Mello Juizde Direilo
do Rrejo d'Area.
= Lendo-se um annuncio do nr. I.anilina
em que declara que (lea sem effeito os b-nfi-
cios contractados responde-se que essa de-
Claracao do dito Sr. celebre nenbum el-
feilo podo produzir recinrlindo o contracto
filo a cerca dos hrnelirio*. Urna vez que o
Snr. Gamboa tenba recebidoo importe porque
vende os beneficios est h elle* obligado .
salvo se os b mudados voluntariamente acci
larem a rescizao. Por tanto desde ja se. pro-
testa contra tal annuncio do snr Gamboa o
qual tica obriga.lo oganbo que pode resul-
tar de un beneficio, segundo o calculo por
elle feito no mesmo diario: e se precr/.o >r
judicialmente : isto aviza
llum annimo.
C7* Quem por engao tirn urna cariado
correio vinda .le Lisboa no Bricu Conceiljao
de Maria. para Domingos da Silva leixeira,
nueira fazer 0 fvor de. mandar levar na roa
Nova botica D. 20 que se lhe ficara obliga-
do visto ser de alguna, importancia para o
cr O Snr. J. C. L. queira at odia la
vir pagar oque deve na venda sita na sen-
zalla velha. perlencente a Luiz R. S. ojian-
do o nao Taca se publicar o sen nomo per ck-
tenco.
mes de Almeida com intento de Iludir a
pagamento do crescida quantia que Iha he
devedur, pretendo fazer venia simulada de
,luas inoradas de cazas, urna siliuada no beco
do Lobato o oulra na ru 1 do Rozario da Boa
vista, o 3 escravos que lhe hypothecou, apres-
sa-se a fa/.er disto mesmo scienteao publico,
|e declara ao dito Correia Gomes, que ser
judicialmente punido se pozer em pratica
' semelhaiile crime. = Francisco Carlos Bran-
dao.
O Snr. Luiz Jozo le Magalhcs ou
quem suas vzes faca, mande reeeber urna car-
la do Maranbo 5 no beco do azeile de Peixe ,
venda do Sr. Jernimo.
ss: Quem precizarde um caixeiro feitor ,
ou administrador ; dirija-so a mesma casa a-
recerao quatro religiosas, conduzidas por
cinco ou seis bindoleiros as quae3 foro fes-
ejadas com gritos de alegra e de lascivia. O
conde via ludo isto como um sonho e ,
como por sonho pareca que urna forga su-
perior havia pregado seo corpo ao assenlo ,
ao passo que seo espirito ora arrebatado para
outro lugar. Em um instante rasgaro os
vesti los das pobres donzellas e os bmdolei -
ros se apinharo sobre ellas: o capito quiz
f.iorouvir sua voz porem de balde porque
foiabafada por clamores geraes : pareceo en-
tilo ao conde que o capito tomando suas f -
mosasKukenreiter que tanto se assemelha-
vo as suas lhe fez ouvir dous tiros que o
obrigarao a fechar os olhos peloclaro da ex-
plosao. Quando elle os abri vio sangue ,
dous bandoleiros que se revolvio em um can-
to a mais bella das religiosas nos bracos do
capitao e nada mais : seos olhos se fecharo
segunda vez sem que elle tivesse a lonja d'os
abrir as peinas negaro-lhc apoio em fim
dio como urna massa : estava compHamwn-
01,1,11 1
-s Boje 12 do concille pelas 10 horas da
manbfl continua o leilo das fazendas da loja
do fallecido Jo/.e Antonio Maia com assis-
itcnciadoSr. Dr. Juiz de orfos ; na ra do
Rozario larga D. 5 e continua amanh 15
do corrente. .
=: Aluga-se um armazem na ra da l'raia;
quem o pretender dirija-se a loja do Snr.
Francisco Garca Chaves na ra do Cabuga.
Boga-se ao Snr J. B. S. queira ter
a bondade de vir 011 mandar pagar a quan-
lia de onza mil tre/enlose noventa reis, im-
poi tancia de gneros que comprou na taverna
da ra dasCrzes I). I do contrario se pro-
ceder pula forma da le.
Offerece-se para caixeiro de alguma Ioj%
um rapaz de U annos de idade dando fiador
a sua condula bem educado e muito hu-
milde: chegadoprximamente do Porto; quem
o pretender, dirija-se a ra do Cabug n. -i, lo-
1.1 de miudesas.
Quem precisar de um rapas portuguez,
de ida e de 24 annos para cai ero de ven-
,1a ou mesmo para criado 5 dirija-se a ra
do Fagundos venda D. I.
3= Roga-se ao Sr. fiscal das salinas deO-
finda de botar suas vistas sobre a estrada da-
quelle lugar que se ada cntranzitavel do que
so lhe ficar assas obligado
O amigo do bem publico.
OT O Snr. B. F. B. M queira vir buscar
o sen relo.!o que no dia 11 de Margo do cor-
rente anuo empenhou pela q^nti" do
10>780 para o remir no praso de lo das,
oque at- o presente inda nao cumprio Caso
nao venia al o da la do corrente sera an-
nunciado a ven la do mesmo para pagamento
lia quanla a cima e o son neme publicado
porestenco.
ur Aluga-se um preto para algum servi-
co ,"dormiu lo om ca/a o em algum sitio
perto da praeja : na pr.ica da Boa vista De-
cima .17.
te embriagado.
Era j alto dia quando o conde acordou \
esfregou os olhos sacodio-se e, laceando
as vistas em torno de s conheceo que esla-
va detad) dehaixo d'uma arvore na extremi-
dade do bosque toado suadireita o >ico-
losi esquerda Podara em Irente Catana ,
e por Iras de Catana o mar. Pareca ter pas-
sado a noite ao relento deitado sobre um
brando leilo d'area tendo por travesseiro
sua maca e sem outro pavlbo mais do que
o immenso asolado do co. A' principio de
na la se recordou e conservou-se por al-
yum tempo como quem sae de ktbargia \
mas, finalmente, seo pensamento por 0-
maoperacf.u leu la o confusa, repassando o
pretrito, fez-lhe lembrar a sua partida de
Calaa as duvidas de seo arrieiro sua che-
gaila ao convento, sua disputa com o cos-
nheiro, o acolhimenlo feilo pelo geral a cea.
o vinho de Marsala as caones a orgia ,
o ogo as religiosas c os tiros de pistolas.
Olhou nuvamente em torno de s e vio sua
malla seo saco de viagem e sua maca ;
abrindo esta encontrn sua carteira so
cachimbo seo guarda fumo, e sua bolsa .
que com grande esoanto seo lhe parecen
tobem provida como se nada lhe houvesse
uocedido ; abrio-a c>m anciedade achou-
a ainda ebeia d'OUM < alcm d'islo encerra-
va um bilhete no qual lo o seguinte :
Senhor Conde, Nos vos pedimos mil
desculpas por separar-no de vos d'uma ma-
neira to pouco polida j mas urna expedicao
da mais alta importancia nos chama das par-
les de Gefali. Espero que nao esqueaesa
bosplabdade que vos denlo os ben dict.nos
de S. Nicolao o Velbo e que si vollardes
Roma pediris n Monsenhor Morosini que
se nao esqueca dos pobres peccadores em suas
oratjes Vos encontrareis toda vossa baga |
mm a excepcao das Kuk'nreiler quevo-i
peco licenca para as conservar em VMM me-
noria. Don Gaetano Prior de S. Nico-
lao m 10 de Ou'ubro- t808.
O Conde do Weder contou o dinheiro c|
nao fallava um bolo. Quando chegou a Ni-
colosi, acliou loda a aldea em ruvolugfto : na
ve^ira o convenio de S. Clara tinlia sido
toreado a argentara do convento roubada ,
e as quatro mais jovons e mais bellas religio-
sas deMparecidas sem que se soubtsse onde
naravo.
O conde encontrn seo arrieiro 5 lornou a
cavalgara sua mua o voltou Catana o ,
sabendo que um n-vio eslava fazer-se da
vella para aples embarcou-se e deixou
a Sicilia na mesma noite.
I) mis anuos depois leo no Allgemoine
/. itung > que ('..ulano o famozo ebefe dos
b.nddos qnese havia apoderado do convento
,-, S .Nicolao o Velbo no Etna o torna-
>-o spelunca de nialfeilores depois.d um.
rriv I combale, sustentado contra um re-
limento ingle/. lora prez riid.i tisfacAo dos habitantes deCaUn*..
, quem atfa tinba conseguido sujcilar a con-
n,bu,ao,n^;,snv^,,rod,C.d.Ie.^


r imiwhmw ii*umwiiijc jyapww^SSsaMisag^y
4
S57* Precisa-se servir : na ra do.Queimado D. 16 segundo
andar.
tar Precisa se de uma caza terrea, so/.i-
nha em redor da alfandega s que o sen
prego nao exceda de olXb de alugu.d por au-
no : quein liver annuncio.
%St Antonio Joze Francisco Veiga faz sci-
cnte ao publico que Ventura Pendra Penna ,
nao lie mais seu caixeiro desde o dia nove do
corrente.
ase" A Direogo da Sociedade Theatral
Philo-Tbaha tem marcado o dia 1 i do coi-
rente para reunio da sociedade a lim de
tratar de objocios importantes na casa da
mesma pelas G horas Ja tarde.
tf Quem annunciou querer comprar 2
jogos de mallas de precaria em bom uzo, di-
rja-se as 5 ponas D. 23 onde lom o ampio.
tst" Precisa-sed: dar uma mulatinlu a
educar-ss a pcssoa a paz que a tome sem pa-
ga dando-se todava a roupa precisa; qium
dito caza) para pagamento do Sr. Francis-
co de Paula Concia de Araujo ; crcdor do
mesmo casal.
= AI uga se uma negra ; na travessa da
ra do Rozarlo D II.
%& Precisa-se de 4:000ji de rs. a juros de
um e meio por cunto com bypothecaem um
sitio que equivale mais do dobro dessa quan-
lia e a vista do inesmo 8e sabera em bom
lugar perto do banbo de capibaribe pa-
L'an.lo-se o premio todos os annos e pode
lcar-se na posse do mesmo querendo; quem
quiscr dar annuncio ou dirija-se a ra dos
Quistis no segundo andar por cima do olhel,
advcrle-.se que o sitio c toJo plantado e as
fructeiras do fruclo.
quiser annuncie.
. .jar 0 Teen le Coronel Ignacio Antonio
de Barros Falcao comprou por con ta do Rc-
vorendo Conego JoAo Rodrigues de Araujo ,
dous billicles inteirosdo n. 953 e 1020,
este da primeira parte da primeira nova Lo
teria da Matriz da Boa vista, e aquelle da
segunda parte da 11. Lotera do llieatro pu-
blico do Recife.
%ST O Snr. Antonio Rodrigues da Cruz ,
qne annunciou no Diario de 10 do corren le ,
ler uma carta viuda do Rio Grande do Norte,
para Jofio Alves de Carvalho Porto, queira
fazer o favor de anuunciar a loja em que ra
he para ser procurada.
tar No dia 8 do corrente fugio uma rola
sinzenla com gola prela quem a pegar e
afluiser restituir dirija-Sd-a loja da quina
do beco ila CongregacaoD 21 que ser re-
compensado.
tsj- Madama Somjean parteira franceza ,
moradora no pateo da Matriz do S. Antonio ,
D. 8 faz scienle ao rospeitavel publico ,
que se ncba prompta nao so a exercer a facul-
dade de parleira como d sangrar e vacci-
nar para o que as pessoas que se quiserem
aproveilar de seu presumo a achno sempro
prompta a toda e qualquer hora que soja cha-
mada tanto para a piaga cuino para o ma-
to e mostrar o grande conheeimerilo que
tem de sua taculdade do que bastante pro-
va tem mostrado para com as pessoas por
quem tem sido chamada, as quaes tributa
os mais sinceros reconheciui'Milos pelo bom
crdito que da mesma tem divulgado.
QT Os Srs. assignanles do Universo Pit-
toresco, podem dirigir-se a ra da Cruz n. 22,
para rece be re m os n. 17 c 18 do mesmo jor-
nal.
tsy Alu^a-se uma negrinha de 2a 15
annos ou outra de 1 i a 15, crolas para
o ser vico interno de urna caza de familia lio
nesta cxcepluando-se a primeira das negri-
nlias do servigo de lavar roupa e engommar.
por nfio ler disso maior uzo o mesmo se
alugo para algumas vendagens as portas
de quem as pretender, ou acompsnhadas por
pessoas capazas pelas ras, com vendas d>
doces bolinhos c couza scuielliantc por
isso que as ditas ncgrinbas tem sido criadas
scm frequencia desses passeios c por isso
vm pfalica alguma ; assim como da-se a en
sinar qualquer oflicio de carpira, marcineiro.
tanoeiro ; alfaiate pintor o de empalnar
cadeiras a quem do um mulatinbo de 7 a 8
annos, muilo esperto quiser delle tomar
conta e segundo o ajuste que se lizer ; tarn-
beai paga-se a quem quisr encarregar-se de
ensinara ler cscrever contar, o fazer to-
da a sorte i!e costura, a uma negrinha de,
idade de 4 a o annos forra a quem se de-
soja todo o bem : na ra da Soledade de fron-
te do Hospital cazado portas verdes junio
ao Padre Joo.
Of* O Cnurgiao Joze Antonio Marques ,
ruudou a sua residencia para a ra do Vigario
n. i primeiro andar.
tSf Antonio Manoel Pereira Vjanna vai
a l.'nna tratar de >eu negocio lavando em
su i companliia seu lilho Antonio Manoel Pe-
reira Vinaria Jnior.
COMPRAS.
t~T Apolices da conladoria : na ra do Ll*
vramenlo D. 2.
cy Um eseravo que seja bom official de
sapaleiro : quem liver annuncie.
r= Muito bom pao de algodo da Ierra, cm
grandes e pequeas porches, a prego de
220 iris a vara na ra do tospo D. 12.
= Azerlo decarrapalo a2^o60 reis aca-
llada ; na ra do Livramenlo por cima da lo-
ja de sapateirocasa D. 4.
C3" Uma armago de loja franceza ; no at-
ierro da Boa-vista D. 9.
tsr Um balco de loja ; quem o livor, an-
nuncie.
U3" Tres grades do ferro novas de varan-
da uma porgan de ferrage c de lijlos de
marinore ; na Boa-vista hoco das barreiras,
a tratar com Joze Antonio Alvos da Sdva.
= Uma escrava sem vicio o muilo fiel ,
le idade 5o a 40 annos cozinha o diario de
uma caza por preco com modo : no arma-
da ra da Praia D. 9.
S~ Infectivamente para fora da provincia
molatinhas, erioulas, e mais cscravos de boni-
tas (guras de 13 a 20 annos o se pago bem
agradando ; na ra da cadeia do Becife N. 5
primeiro andar das 9 horas as 4 da tarde.
pe- Dois ou trez bancos de marcineiro,
assim como alguma tarramenta da mesma of
Reina ; na ra da Cruz armazem do trastes
numero 53.
= Na ra da cadeia do Recife N. 12, com-
pra-so o seguinlo : 6 a 8 Urfioai do lomo do
largura de dois palmos o 50 de comprido ,
um porto que sirva para sitio e 5 j,nielas
de peito tonda os comprimentos o larguras
necessarios ; assim como se alugao escravos
que sai bao trabalhar no campo.
VENDAS.
ar Regulamento n. 150 para a a r recada-
eao ila dizima da chancellara dito n. ICO
para a arrceadaco dos bens do defuntos. c au-
sentes vagos e do evento; impressos em 4.
.em bom papel : na praga di Independencia
loja de livrS n. 57 e 58.
ssr A dinheiroou a praso um venda
com muilo poucos fundos na ra da Tiem-
po ao voltar para a Soledade.
SSF" Duas arrobas de cera amarella : na
na larga do Rozario D. 0.
SSJ~ Urna pedra de filtrar agoa com sua
competente armario do madi-ira de amarello,
a 1800 o covado lengos de cambraia para
mo com letreirqs, panos linos de todas as co-
res equalidades, meias do algodo finissi-
mas para Sen.liora ditas de seda de todas as
qualidades lilas finas merinos de cores ,
tafetaes o setihs de todas as qualidades.
vsr Urna pequea caza terrea na ra do
Jogo da bola em Dunda com chaos propri-
os, fe terreno ao lado~direito, quo serve ou pa-
ra edificar oulras moradas ou para cercar ,
e fazer plan tacos; tudo por prego rasoarel :
a tractarna ra de Mathas Ferreira sobrado
Numero II.
VC'- Pegas de madapobl a 5500, 4, 4500,
5. ditos ditos pinito supriores a 4"0 a jar-
da cortes de vestidos de bom tom a 8ji .
7500., ditos de cassas pintadas muilo finas a
iOO pecas de algodo a 2(>00 dito ame-
ricano 5200 pegas de bretanhade rolo de 10
varas a 2200 "ditas do lengos en "amados
francezes a 5500, do cambraia com lelreiro no
mio a 000, de cassa liza a 520, brim de listras
pardo a 040 a vara, dito da linho fino a 900 ,
dito lito branco de listras a 580, ganga tranca-
da azul a 140, dita liza a 150, olanda para for-
ro a 5500 a pga chales de mi lim a 1200 e
1100 riscadinbos muito iino's a 180 e 20 ,
chitas finas a 100, 180, e 200, eslojos de
navalhas finas a aj 5500 e oulras mais fa-
zendas por prego em conta: no atierro da Boa-
vista defronte da Matriz loja de fazendas.
iST Duas escravas cabras urna de 20 an-
mos e outra de 50 uma cozinha o ordinario,
e engomma cose chao refina assucar e la-
va de sabo e a outra cozinha, cose, e lava
de sabo uma croolinha do 14 annos com
principio ile costnra e todo arranjo de uma
caza, uma nnlatinlia de 9 a 10 annos com
principio de costura propria para mumban-
da de qualquer menina urna negra de ango-
la do 20 annos cozinha engomma o cose.
chao um preto mogo propiio para todo o
servigo torios do bonitas figuras: na cain
boa do Carino D. II segundo andar.
tS'- Urna loja de lazendas bem sortida de
fazendas finas tanto do goslo da praga co-
mo para o matto em uma das principios
ras de Commercio do bairo de S. Antonio ,
a dinlieiro ou a prazo como melhor convier no
comprador ; quem a pretender annuncio a
sua morada para ser procurado.
WT Cera de carnauba muilo nova renega-
da ullimamento do Aracaty : na ra do
Queimado D. 15 a fallar com ovaes & Basto
VSf Cera do Carnahuba em grandes o pe-
quenas porgos sem alteragio de prego : na.
ra do Crespo loja I). 5 do lado do norte de
Antonio da Cunha Soares Cuimaraes.
ss?" Urna negra moga com algumas habi-
lidades : no beco da Lingoela venda de Joa-
quim Joze Rcbello
t&" Cera amarella em porgo e a retal lio ,
assim como meias curtas de linho pira ho
mem: no beco da Lingoela venda do Joaquim
Joze Rebollo.
= O Federalista obra tradozida do In-'
glez em trez voluntes de 8. em que se con-
lom as bazes do sistema federal, adoptado no
Brasil, suas vantagens inconvenientes, pe-
rigos e remedio. Indispcneavel a todos os
deputados das assemblas legislativas pre-
sidentes juizesdedireito &c, preco 6*000
rs. cada obra : na ra da Cadeia do Hecife
ludo novoe sem uzoalgum : ni ra da Ca- ras lojas dos Snrs. Joao Cardozo Ayres e J
debido Recife n. 9._ C. Ayres Jnior e na praeinha da Uni'io lo-
ja de Manoel Figuoiroa de Faria.
C3" Urna negra de bonita figura, idade 26
annos, e uma cria do 7 para 8 muios as ba-
belcJadesso dir ; na ra do Cabug n-i pri-
meira Joja de ourives D. 1.
xsy Urna loja com muilo pouca fas mda, no
ptimo lugar da pracinlin do Livramepto I.
25 lado da escada ; a talar oom o seo pro-
prietario.
53^ Todas as qualidades de trastes relo-
kos para cima de moza bandejas tudo por
menos prego do que em outra qualquer parte,
assim como lambem se recebe emeemenda de
qualquer pega de obra nao seh lo as que ex-
istem a vonlade do comprador; na ra da Cruz
nrmazemde trastes numero 31.
tSf A propriedade da lbra distante desla
praga legoa e meia com muito boa trra do
plsntagao grande cercado quo pode admillir
00 a 80 vacas do File conservando lodo o
auno gordas com muita malla do madoira
de conslrugao boa casa de sobrado com 1ra-
pixe para embarque sanzalla e uma ca-
pclla : qui'm pertender dirija-se a ruido Li-
vrament sobrado D. 9. Adverle-se que vsla
propiied.idi; tem urna pequea parto que (';
de outioronsenhor.
C?- Vendo-so < u aluga-so uma canoa a-
berla que pega em 500 lijlos de alvenaria,
bem construida quem a pertender procu-
re na ra Augusta casa que fiz quina com o
beco do Peixoto.
SST Livros em branco para repartigo, es-
critorio ou loja do qualquer tamanho, em
grandes o pequeas porgos : na ra da Cruz
I). 4.
= Na na do Vig. rio D. 55 cm caza de J.
O. Flster um earrinho novo de quatro rodas,
grande soi lmenlo de miudezas bom como
lodos os utencilios necessarios para chapeos,
arjas pretas largas o estreilas cambraias
de bom tom meias muilo linas para Snr.",
longos pretos de seda muilo gran es, e ou-
lras fazendas de bom gusto.
V = Tizouras finas a 200 240 rs. trause-
lim de borraxa a 80 rs. filas de Cor 520 n
P'ssa pedias para meninos do escolla a 120
esporas de lalao pira saltos do botins a 610 ,
suspensorios de borra xa, a 500 rs. I uvas de
seda sem dedos a 480 de peliea a 500 rs. ,
de algodo muito finas a 520, caivetes muito
finos a 400 rs. cartas portuguesas a 1200 e
franeezasa 2600 o masso, cbapeozinhos fran-
cezes para meninos a 5:200 botOes de mas-
sa a 800 rs. aboloaduras ditos para caza-
cas de biin 410 a uuzia bicA e canutilho
lizos o crespo muito mais em conta do que em
outra qualquer puto, tranceln) do ouio fran-
co/, e oulras muitas miudezas baratas na ra
do Livramenlo D. 5.
rsp Uma ne'gta d i nagao boa engomma-
deira e cozinheira refina assucar e faz do-
ce na praga da Independencia n. ll.
13^ Urna bar aga a pouco acabada de cons-
truir de boas madeiras que pega de 20 50
caxas o muito veleira ; a tractar com Joze P.
ila Cunha na na da Cadeia do Recife n. 58.
ESCRAVOS FGIDOS.
vw 5 travs de27 palmos, por prego Rom-
modo : no atierro ila Boa vista I). 59.
ts~ Uma negra moga de bonita figura ,
engomma lava e cozinha : na ra Nova
armazem I) 54.
E3~ Uma negrinha de !2 annos: na pra-
ga da Boa vista D. 15.
^S5- Os seguintes dramas :t Desembarque
do ixcrcito libertador as praias do Mindello.
Christicrno Re de Dinamarca Mrquez de
Pombal Roberto na Francfila Camilla no
siiblerrnno Joze 2. Caminlio escuro, Mi-
nas da Polonia Ar.hivo theatral conse-
quencasde um desafio S. Antonio Dover
d" fiio e amante Nova Castro, Henrique
Justiceiro, izaatropia c arnpendimeiito;
("ombale entre dous irmSoa ou o amor
tsy o escravas de nago urna engomma,
cozinha lava tanto do sabo como do varre
la urna dita mui linda com boas h.bilida
des e uma quitandeira : na ra Di re la D.
20 lado do Livram rilo.
i^r Uma escrava de nago de muito boa
conducta sabendo engomar cozer cuzi-
fratorno Trafico da escravalura Ministro
IL'iirque Kalkmann & Rodolfo Seig-I constitucional t; outros mui tos dramas c
fried retiro se pira o Miranho. lenlremezes proprios pura Ihcalio : na ua do
ts?" Marc Lassene retia-se para o Rio Crespo D. 4.
de Janeiro.
C^ Alphonse Tuflier re lira-se para o
Rio de Janeiro.
t-j- Um prato por 300j reis, de 35 annnos
muito forte o robusto para lodo o trabajho ;
Uin moloque peca do 18 a 20 anuos muito la-
SSV* Quem annunciou querer comprar a dio, o bom comprador de una caza: 3 es-
bistoria Fcclesiasiica drija-se o [aleo i!a cravas, coziiiho, engommo, e lava; duas
S. Cruz caza ,'i o pedo Sr Pcrelli. dilas por SoOj ri. cada urna, cozinbao, la-
VW IIoj' (12) pelas 4 horas da lano van a vio, > sfio boas veruleileiras urna nui.l nha
iraga para serem arr cnala dos perante o Snr. de o anuos na ra de Agoas verdea D 44.
Dr. Juiz de Oifaos 9 escravos do eas.il do "* tS" Na luja de Carioca & Selle ra do
fallecido Lomenco deBiuno Ro Irignes Luna, Queimado D. 13 as supriores chitas ila india ,
a requerimenlu do inventariante dpsbcns do i-m cortea o pocas c-semiras finaa para caigas I de 2i 2i l|2giaos.
nhar e lavar, com doisfilhosde dado 3 an-
nos uma bonita molatinba perfeita custu-
reira qualro escravas idade 20 a 25 annos
cosinbAo lavo c engoma-) duas mol"cas
idade 8 a 12 annos 5 moloques idade 18 a
20 anuos sondo um bom cosinheiro, tres
e-cravos e um pardo para lodo o servicio por
c modo prego ; na ra das Agoas verdes de-
cima 58.
cr Duas negras proprias, para oservigo do
campo : na restiilaeo da na de Sania Rila.
OT- Queijo do serillo carne muilo gor-
da e linguigas ; na praga da Boa-vista ven-
da D. 9.
--tET- Tratado pralico dechmica applica-
do as arles e manufactura a Hygiena o c-
n.non.ia domestica com AlhlceporS. F. Gray
historia natural por Huiln rom estampas,
diccionario do chimica cm quatro volumes
por Andreas', ludo em muito bom estado*
na ra por delraz dos Marlyrios I). 35.
X3- No armazem denomina Jo novo, ni
ra da Piis ; vende-se pipas deagoardenle
z*r Fugirao do engenbo Pereira Fregue-
zia cra.vos seguintes- um crelo, bom carreiro ,
bastante alto secco bom fechado de bar-
bas alguna cabellos broncos tem na roo-
loira da cabega um molho de cabellos brancos,
peinas finas lom um lornoz'da do p mais
grosso que oulro falta de denles na fernto ,
as cosas e nadigas lom cieatrizes de surras ,
rosto redondo e cheio e he bastante sozudo;
oulro cabra bom carreiro estatura medi-
ana secco, roprezenla 45 anno<, ps al-
guma couza apalfictados bem fechado de
barbas com algfins cabellos brancos tem
falta de denles muilo sociavel bem filian-
te, o ajuda missa: a iverte-se que ambos cha-
mo-se Manoel e fugir/io em Onlubro do
auno pp. ; quem os aprehender leve os ao re-
ferido engenbo a seu Sr. Joze Candido Ramos
ou a Manoel Gonsalves da Silva na ra da Ca-
deia do Recife que ser bem recompensado.
ST- Fugio doengenho Amaragi um esera-
vode nom Pedro, com" os signis seguinlef,
criouiu 25 annos de idade cor fulla b.mita
eshinra corpulento bstanle ladino que
a' podo passar por forro, esl principiando
a bacar-, rosto largo, cabellopixahiW, lera
um denle lirado na frente levon vislido ca-
rniza de riseado (le algodfnzinho Irangado, e
simula outra de algndozinho lizo, milra
de pao da coata hara encarnada chapeo
de baca de boiras largas quo o poder l trocido, saio o dito eseravo no dia 25 de A-
gosto do corrente auno; quem oapegar ele-
var ra da Hurtas D. 05 lem 50^1 reis
do gratificagfio.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. = 1812.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZU1OW87A_GSAH9N INGEST_TIME 2013-04-26T23:59:17Z PACKAGE AA00011611_08128
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES