Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08125


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1842.
Quarfa Feira 7
11.
Todo (5 (normo coo priBcipiucoi e terenai apoatadoa com a.lmiracao entre is Nicfle mu.
eolt". (Proclamacao daAaaeaabla Geral do iraiil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianna Paraiba e Rio grande do Norte, aegandaae lexlti feiraa.
Bonito Garanhum, dO e 24
Cebo Serinhiem Rio Formoto Porto Cairo, Macei e Alagoaa no 1.
Paje 1S. Sanie Anido quintas feiraa. Olinda todo oa diaa.
DAS DA SEMANA.
5 Se. Antonio M. And. dj J. de D. da 2. t.
(, l=rc. a. l.ib.nia V. M fiel. And. do J. de D. da 1. r.
7 Qjart. jejuia a Jo;"io P. M. And. do J. de D. !. 3. r.
8 Quii. !< Natividad de N. Srnhora.
<) Sext. Vrio P. And. do J. de D. da i'. .
40 Sab. a Nicolao de Tolenlino. Re. Aud. do J. de D. da 3. r.
H Dona. O SS N'ome de M>ni
de Setemlro. Anno XVIII. N. 103,
O Diario publira-ae todna na dia* a] oe nao forero Santificara : o pree>o da ataignatora ka>
de tre* mil reia por quariel pa;oa adianlado*. Oa annunnina doa amignanlea a3o iaaeridoa
grati* e na desque o n'io forem rar.:io de 80 reia por liaba. Aareclama^Sea dere aer
dirigidas a eala Tvpografia roa daa Crmea D. 3, au a pr>?a da Indepeadeaoia loja de lirroa
Numero 37 e 38.
cambios no da o de setembro.
Ooro- Moed* da 6,400 V. 16,300
N. 16,10J
da 4,000
Paita PaUoee
u Patoa Gilumnarea
> dito Mexicana!
u atiuda
Cambio aokra I.ondraa 24 nominal.
Paria 385 reia p. franco.
a I.iahoa Itlfi por 10(1 nominal,
Moeda de cobre 4 por 100 da deaconto.
dem de letraa da boas firma Ir a 1 e j.
compra venda.
16.500
10.300
9,100 9,300
1,880 4,89
1,880 1.890
1,880 1.890
1,690 1,730
Preamar do din 7 de Selemhro.
1. a 0 horas c i>\ m. da manda.
2. a 7 hora* r 18 m. da tarde.
PIUSF.S DA I.UA NO MEZ UF. SI TF.MRRO.
I na Nora a \-- a 7 horaa e 22 m. da tard.
Quart. rreac. a 11 -- a I lioraa e Viro da tard.
Loa ebeia a 19-- la 'i horaa a m. da tard.
Quart, mina;, a 27 -- a 0 horaa a i/ ra. da tnrd.
IHAI.IO li: I E t\ A II BUCO.

32&2-B 2>3 SiBS3ftSa.
Quando dispona a Aurora deste dia no-
bre enthusiasmo lavra em todos os peitos ,
exalto-seo brio esentimentos do Brazilei-
ro e os labios por entre os rizos que do co-
rago abrolho, repetem os doces gritos da
Independencia e Liberdade : enifio rolo em
a nossa imaginagAo as ideias do passado, vol-
vem as pocas da Historia e como que in-
dagamos o cammhoque temos andado desde
a nossa cmancipaco poltica c as vanlagens
que havemos colindo, e nos perdemos em re-
flexoes acerca do nosso futuro ; se nos lizon-
geamos por ventura com o extremado valor ,
e intrepidez que desenvolvemos em a gloriosa
Juta da nossa Independencia se nos ufana-
mos pelo conseguimiento da victoria e pela
generosidad^ que nos illustrou ; o coiago se
nos aperta com a dor e recordaran do nos-
So desconheciment e ingratido para com
o lllustre Fundador do Imperio que nos
guiou para a gloria e que amparou nossa
poltica com a sombra da Monarqua por
que corto perigariamos no pelago horrivel da
desorden) que devasta os Estados Conterr-
neos, so novis e apenas sabidos da escra-
vidao adopiassemos a forma Republicana, e
tal seria ocaminboque seguiramos se o ll-
lustre Fallecido so deslumhrado pela glo-
ria esquecido das sedcenos da Realeza Ab
soluta que em breve Ihe eaberia nao li-
casse entre nos e dirigsse e ajudasse a nos-
sa magnnima empreza : seo crime foi certa-
mente a. sua gloria : a dissolugo da Assem
bla conslituinte que facciosa e despotiza-
da pela avidez do imperio guerreava desabri-
damente o Monarcha e pareca querer fun-
dar a constituido sobre as- ruinas do tbrono
a dissolugo da conslituinte foi a arma de que
se serviro os Inimigos do Senbor D. Pedro
Primeiro para arredal-o dos coraoes Brasi-
leros que ardio pela liberdade nascenle ;
nao obstante haver elle offerecido a Nago e
jurado urna constituido em que predomina o
elemento Democrtico ; asoalharo temores
de despotismo e recolonisago ; e entre ou-
tras pretenges que tendido a nullificar a
Realeza appared-o a de constranger esse
Principe a destituir o Ministerio em quem
confiava e explozou o 7 de Abril e a ab-
dicacjto fora enfastiar aos leitores enume-
rar os males que soffremos o interregno eor
fandade do Snr. D. Pedro segundo as con-
sequencias de um Coverno Provisorio sem
forca e attribuigrtes para resistir a torrente
da Revolugo ; esses males anda os temos
na memoria e o sangue derramado e as
victimas e as familias desoladas esses ma-
les que foro o castigo da nossa impruden-
cia e desvarios ; cangados de tanta lula e
como remorso no peito, e guiados pela ex-
periencia dfisses reveses que nos acontecero
um apoz outro salvos pela mo da Provi-
dencia descansamos boje sombra do Throno
do Snr D. Pedro Segundo que cercado de
conselbeiros sabios resolutos e amestn-
dos pela experiencia ho de salvar-nos dos
escolhos em que perigamos durante o primei-
ro Reinado : mas essa experiencia doloroza
parece que nAo foi bastante para ensinar-nos,
ainda nao sao passados tres lustros e jase re-
tovao as mesmas scenas que provoca rao tan-
las calamidades : espiritos turbulentos di-
rigidos s pela ambico e vinganga prevale-
cetn-se dos mesmos motivos para guerreiar o
Filho como guerreiaro o Pai ; assoalho
temores de despotismo e predominio luzi-
tano excito a desordem que elles proclamo
como um dos meios da opposigo Constitucio-
nal ajudo-st da dissolucao de 1842 como
se ajudavo os seos predecessores (ou elles
mismos) da dissolugo da conslituinte para
indisporem o Throno com o Paiz exigem de
mao armada a destiluico do Ministerio co-
mo oulr'ura e na yespera da abdieagAo se exi-
gir a destituigAo do Ministerio que o Monar-
cha advertido de tantas trahied-s chamara pa-
ra o seo lado : pois bem ; se nos compungi-
mos, porque so repetem os mesmos meios que
no primeiro Reinado se empregaro e que
precedero a esse interregno tempestuo-
so devemos cheios do jubilo e transporta-
dos ainda mais pelo enthusiasmo deste dia
deglorahem dizer a Providencia porque se
nAo repetiro os success.is qu3 coroarao ou
tr'ora esses esforcos que se hoje renovio :
sim saibAo os desordeiros que um movimen-
to popular nAo ser capaz de cauzar a desti-
tuigAo de um ministerio que mereceu a con-
ianga da Coroa ; que as attnbuicoes que
a constituigAo confere ao Monarcha ss de
dissolver a Cmara dos eputados o no-
meiar e dmillir lvremente os seos Mi-
nistros = ho de ser exercitados sem pe
rigo da ordem publica sem o temor de
roaegoes nao ficaro desdora mercA das
faegrtes ; que o Coverno do Imperador nao
he o governo limido da Regencia ; que as
leis que emanaren, dos Poderes l'oliticos do
Estado ho de ser respetadas e nao dero-
gadas por esses Comicios de Sorocaba e Bar-
bacena : estas previzes que augmento o
enthusiasmo, e a gloria desto dia fundo-
se nessa victoria de S. Paulo, que certo as-
signalou o Reinado do Sennor D. Pedro se-
gundo e nos convenceo de que o joven Prin-
cipe est bem advertido pela ligo que Ihe
ministra a vida de Seo Augusto Pai
Sim, pernambucanos, amestrados pela ex-
periencia de tantos revezes vos nao der
ramareis o vosso sangue seno pelo Impera-
dor e pela ConsliluigAo; nao sacrificareis a
gloria que vos Ilustra do ha verdes conforri-
do tantas vezes para a integridade do Impe-
rio e restaurago da ordem nessas Provin-
cias rebelladas ; nao seris arrastrados pelas
suggestes infames dos inimigos do Monarcha:
reflecti sobre a vossa situago lizongeira ve-
de como o vosso Paiz se tem aventajado com
esses annos de paz que havemos saboreado sob
a brilhante administrago do Exm. Baro da
Boa-vista: a Baha vos d o exemplodas con-
sequencias da desordem : eia reuni-vos sem-
pre ao vosso Presidente que vos tem guiado
para a gloria e prosperidad^ e com elle de-
fended o Throno e a ConstituigAo: assim a me-
moria destedia vos ser cada vez mais cara
e nAo acompanhaJa e manchada de tristes
recordagoes.
gencia a auteutia das alelgOos para Deputa-
dos geraes quealli se procedeo.
Portara Ao oommandante da escuna =
primeiro d'Ahril =, determinando que
receba a seo bordo e conduza ao Rio formo-
so o ajudanle do guarda-mor d'alfandega
Manoel Joze Mirlins Rbaro ; e os gmrdas ,
que d'ordem do inspector da referida alfan-
dega Ihe forem para e de lim a presen lados.
Oificio Ao supramencionado inspector ,
nlelligencian Jo-o de haver expedido a pre-
cedente ordem em salisfacio a sua requisicao
de honlem datada. ?
Ditj Ao inspector do arsenal d>. mari-
nha ordenando qu mande inspeccionar to-
dos os recrutas de marinha e grurnetles, que
houverem tanto a bordo dos navios da arma-
da nacional, existentes no porto como n
respectiva enfermara, ou em deposito, c
com praga.
Circular Aos commandantcs do brigue
= Imperial Pedro = escunas primeiro
de Abril Eebre c I.egalidade e do bri-
gue escuna as i\ictheroy= communican-
a expedigo da ordem antecedente.
Officio Ao Exm. e Reverendsimo Di-
rector do liceo dizendo queira expedir suas
ordens para que o substituto das cadeiras
de p'imeiras leltras d'Olmla v substituir o
professor do Ensino-mutuo do colegio dos
orfos ; que segundo participou o respecti-
vo director lem de comparecer na presente
sesso do jury daquella ci.lade.
Dito Ao director do supradito coegio ,
scienlificando-o Joconleudo no anterior of-
ficio.
Dito Ao commandante das armas orde-
nando vista doque informou em seo officio
de 2 do corrento que mande por a disposi-
go do engenheiro em chefe das obras publicts
a porgAo, que elle precisar, das pedras de can-
tara existentes junto fortaleza do brum ,
para as obras do varadouro de Olinda.
Dito Ao supramencionada engenheiro
em chefe intelligenciando-o d'havcr dado
a precedente ordem.
TRIBUNAL DA RELACAO'.
SESS.V l)E G DE SETEMBRO DE 1812.
Na appellagao civel da villa da Imperatriz
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 3 DO TORRENTE.
Officio Ao commandante das armas ,
remetiendo um officio do inspector da thesou-
rariada fazenda acompanhado dos docu-
mentos relativos ao pagamento dos veuci-
mentos de fardamento que pede o ex-solda-
do Antonio Bispo de Villa, lim de que man-ln"' "em^jate'
entre partes Jacinto de Fretas e Mara
Francisca escrivo Posthumo, se mandou
descer para o juzo da 5. vara do civel desta
cidade para ser avahada na forma do Decreto
de !) de abril artigos 5 6.
Na appellagao civel desta cidade appelante o
juizo appellado Manoel Luiz Viraens es-
crivo Reg Rangel, se mandou ouvir o Dr
procurador da fazenda.
Na appellagao civel da comarca do Goianna,
appellante Jos Francisco do Reg Rangel ap-
pellado Antonio Alves Vianna, escrivo Pos-
lliiniio sejulgou pela reforma da senlenga.
Na appellagAo crime da comarca de Goian-
na appellante o juizo, appellado Manoel Be-
zerra da Rocha escrivo .acorn foi julgado
procedente o recurso e nullo o processo de
de satisfazer a exigencia do comissario fiscal
du ministerio da guerra.
Dito Ao mesmo participando ter man-
dado abonar aocapito mandante do balalho
provisorio Luiz de Queiroz Coutinho a ca-
valgadura e forragena que requereo por
se achar naquelle exercicio desde 9 de Mar-
go do crrente anno e lerdireito a tal ven-
cimento na forma do imperial aviso da se
crelari da guerra de 3 de Agosto ultimo.
Dito Ao secretario do collegio eleitoral
de Tacaral aecusando recebida a aulhen-
tica da eleigo que all se procedeo no
dia 14 do mez prximo passado.
DitoAcamara municipal de Iguarac .
ordenando que exija do sec etario do col-
legio eleitoral respectivo e remella com ur-
O aggravo de petico do juizo dos feilos da
fasenda desta ciua le aggravante Jos de Mello
de Macedo e aggravado o juizo, leve provU
ment.
Foi tam bem prvido o aggravo de petigo
do juizo da 3. vara do civel desta cidade ag- ser commandado pelo capitao Grap ,
gravado Joaquun Jos da Costa contra Fran-j 50 annos le vida do mar e 65 cisco
m
Martina dos Anjos Paula.
KXTKIUO.
NOTICIAS DIVERSAS.
ExplosSo. Ilouve ltimamente urna tei-
rivel exploso em Londres as officinas do
laboratorio chymico collegio de pharmacia.
Mr. Ilonnell linha feito um contrato com a
companhia das Indias, para Ihe fornecer u-
ma quantidaile considerav-l de balas de obuz,
cheias de fulminato de ni >rcurio fe i tas do
tal modo que dio sendo maiores que urna
no/, muscada canso mais damno, que
nenhuma das materias destruidoras inventa-
das al agora. A .' d Junho devia emhar-
car-se urna grande quantidade destas bailas
incendiarias para servirem contra os allghans,
ou contra os chns.
0 transporte deste material to perigoso
que necessario mette-lo dentro de vazos do
agua a qual se deve evaporar antes de fazer
uzo das bailas para carregar os obuzes. M.
Ilonnoll eslava Irabalhando s n'um cor-
po solitario do edificio, nesta perigosa pre
parago : tinha acabado a sua tarefa, ese
Ihe faltava misturar o fulminato de mercu-
rio com oulra materia por elle preparada, a
na qual parer-e que consista o segredo da o*
peraco. Fin accidente que ninguom poudo
conhecer porqu M. Ilonnell que era a
nica lestemunha, desappareceo incendiot
todos estes ingredientes. Todo o corpo do
edificio voou as lollias os lijlos e a nia-
leiracahironas ras visinhas. O desgrana-
do Ilonnell foi feito em pedagos em resultado
da exploso.
A>-lilhara.Na fundigo real de Lioge ,
fundirAo-se ha pouco por ordem e contado
pacha do Egyto cinco pecas de artilhariado
sitio de 10 polcgadas de dimetro que sero
enviadas incessantemente para o seu des-
lino.
Navios.Resulta de urna estatslica offici-
al que o total dos navios o barcos de vapor do
guerra em construccAo na Inglaterra eleva-
se ao numero seguinte : Rarcos de vapor j
promplos para o servigo 8i, ditos em cons-
trugdo20, navios desarmados e em com-
missAo, comprehendidos os barcos de 12
pegas GOo. A esquadra ingleza a nuis
considera vi-i do mundo requor em lempo de
paz 35,000 marintuiros 2,000 mocos e
13,000 soldados de marinha oque (orinaat
todo urna forga elfectiva de 46,000 homens ,
e 2,000 grumetes.
Barateza. A concurrencia que fazeni os
barcos de vapor navegando entre Ostende
Londres chegou a tal poni, que um Icnoa
barcos transporta actualmente os viajantes
de urna destas cidades para a outra por S
schilhdgs( 1,200 reis ). Mu i tas pjssoas se
apresento parase aproveitar desta barateza.
Celeridade.As deligencias publicas din
o Journal du Havre de Maio nos derlo hoja*
ocxemplo de urna celeridade que se nao
acreditara se mo fosse presenceada por
tantas pessoas. As duas diligencias reaes
geraes viudas de Pars honlem s quatro>
horas e um quarto chegrio esta man ni
ao Havre a primeira s quatro horas e vin-
tee cinco minutos a segunda um qua to de
hora depois tendo assim feito cincoenta
duas leguas. urna em doze horas e dez mi-
nulos e outra em doz horas e vinte e cin-
co minutos. Com similhante rapidez sao betn
dt'snccessarios oscaminhosde ferro.
D*-o dos navios.Existe nesto momento
no porto d Marselha diz a Gazette du Mi-
di um navio cuja velhice merece ser ci-
tada como um verdadeiro fenmeno. E' o
navio prussiano Kontgen. Este veneraVOl
novio foi construido em 1804 em Schwedtjn ,
e desde que foi langado agua nao deixoutfo
que tete
de idade.
Apesardas ofertas que Ihe lem leito para
commandar outros navios, o capitio Grap
nunca se quiz separar daquello que chama
seu amigo com o qual lem passado quasi
toda a sua vida e affrontado tantos perigoi.
Alem disso ainda outra cousa notavel e ,
que durante o intervalo de 38 annos ainda.
o Konigen n8o soffreo urna avaria.
( O Nacional. )
^



13TEM0R.
SS
^ncw o maorilad do B.mdadoso Osar
lrasiloiro, o Sr. D. Pedro Segundo, por tolos
os principios, e por todos os ttulos muitis-
simo Egregio coni os bracos* abortos esoe-
ii o vosso apoio o vossi reconhecimento ,
' Paria Ws7Cp".|!lo hV^nSTBamS ^ S J^Vm.-JSfci- ^^^ qUC
ofij a lgrej, de n! S. daCneeico 1 os mi InltLtu 5E P ,' ?Uf Wmpre
1 rn S|,, oarcliflipj o modulo da honra c
da fideli lado e que sempre e tem dstin-
PF.RXv MIIKCO.
Falla eu*porocc.isi'io da hencSo da tohhdet-
ra do BatalhSu Provisorio fe,. An! :r.o d
o
lila:
Cmara Jas osle lio o Estandarte da \i-
5 Brasileiu uni, que d-v-i tremolar nas
guido e se distinguir sempre no amor e
d ff.-s i da Ufonarcilla e da Causa legal. Mos-
' ................- u-if>a aa .Dnarcina-, e u.M.ai
ir..s como qual deve.s sempre tra, que sus Pernarabcanos.
rShJVdffTl"^"Wi**- u Vosso nomo asss conhecMo as de-
iSSSU^ ^rS^inJj' HsoUo provincias quecompoemo Impe-
\-n,u,-n,- ,',,,, > p -i r, '"''Sileiro bastara para fazer fugir
niJ ?^Sr^?f,,rW'0 acelralo, o bandido o o anarchisL
LaS^ 'V )'!"1" do#re0|-iSed os propugnados de direitos tao sa-
^^P ,"' Mn '" "" ''''' "** A PodUfafi vos olhar com as-
lew que d s possu.r. !soinl)ro 0 nwja t .
ConUaj sizudamente nos Divino; Orculos O
wrlndeiro e nico Heos de nossos Paes o
Cordeiro Immaculado restaurador de lodo o
universo jamis falla. Sede sempre liis ao
Imperador e ao Governo.
E essas armas que as vossas mos sus-
tentaos ,."so sejfio man.-jadas para defender,
c conservar c un don lo c hmismo os Sa-
grinal lando as vossas frontes Com huros im-
mortaes vos cnclier de bonges pela Mo
do Augustsimo TWonarcha.
Fora d"Elle toda a promessa lie van, e se
executa dura tanto, quanto permanece a
conspiradlo ou a rebellio. A experiencia
o confirma todos as das. Sede tambem o
sobro ludo lrmissinvis defensores da Santa,
no ministro do altar incessantemente suppli-
carei ao suppremo Adonai do Universo, lo-
t inexhaurivel de mizerioordias esse Fo-
to que em sua Dextra portentosa eadmi-
ravel conserva os destinos dos I;np ros, ex-
cruta o oais recndito de nossoa coracAes para
qtjfl sobre vos, sobre o E.xercito Brasileo der-
rama com prodiga mo benignas influencias,
para que assim forlilecidos defendi: o vasto
Imperio da Santa 'Cruz al que livro germen da anarqua llorera prospere a lo-
car abalizada grandezi destinada pela Provi-
dencia em seus o cu I los arcanos.
As victorias nem sempre dependem da
multido dos exordio, sim do auxilio e
vontade de D.-os. Non in muilitudino ex-
ercilos victoria belli, sed de cuelo forttudo
est. Macab. I. i." cap. 7>.0 parag. l!)
Desempcnhai pois tilo sublime como se-
ria misso. Seile religiosos. Sede liis ao
Snr. D. Pedro Segundo o Brazil triumpha-
r Jo abismo.
irp,l_ i ,,. ,. ., ,. (souiu ni iiMinunsimosneiensoivs ua santa,
f^rt,;4l"an ir,ve,s"'7,l,,f|d;'I,?n;-|.|,oi:oRellgH0diJn Cl.rislo, a HHi-
ri Tc'uZ l,,l,,?r,',;',e;'mPe- 8ao Catholica Aposlolica Romana ,
oSmf A T ";!C"", !'"t! \ I" P^^samoa. Nada" porem vos digo a
fJ^ctl t ,' !M"!lesd0S;>M- respeito da ooragem e intrepidez que vos
oncia ao Governo legal s lie cara 'tor distinc-
tivo do mi.viro anarquista, do despresivel ,
e frentico aventureiro que se coxnomina
devem acompanhar porque alem de ser he-
ranga dos nclitos antepassados sera na
ver lade offender o melindro dos actuaes mi-
l> .ii r>,ir-, ir,, i ti r.-i.nuc uiicinifi o iiiKiinnro nos aciuaes mi-
to JWIriSi*. n 'Ti OUOr eam"n" li,'"V *riM* Observ* porem que a
te ta ielicida Je nacional pira s.mis ms. .
Cerrados sejao pois para sempre os vossos
ouvidos esses orculos de a :arquia es-
; disciplina e a un i lo devem ser nseparaveis
de vas. A disciplina lio a causa principal de
ImLhantes e assombradoras facanhas de
rnovEch vin ?Z i ^'U*,n0S0S '! *& **- A unifio a fShdJ e
nutre J o? S T \ 'V\" nmCiX 0,i=",n do Pder naciona| d(! a
"lZl a' ,t "" V',C SJ'te ;I"" :s"-' ProsperSado e grandeza. Nao vos dei-
er^ Te S S ^"P-*f I. poi/aedUZir. Perpetuai na vossa lem-
Hs0bc.t ; !M."a,'C,,a ', C a I' **"*?*' l,raC "* '""si|nas dos sediciosos. Quem nao
H?-m' ," S ,!> ,,'V'XC,n,ila (;st;nc,o' lumulla, nao revoluciona os povos dizem
-rnZ iT't V "niV r,,SU,laJ qUB *"** n;1 tem- P'trloUsmo. Quem nao pro-
" i i Vi, S0"""-! T ,0;''" Pfl,a e insi,,u,1 ideas anrquicas, nao he po-
MARIO DE PER.VHBICO.
aos militaros revolucionarios, qm salto a
birrcira da Honra o vergonliosamnle m-
nosDreso o juramento que espontanea-
monte prestrSo subtrahndo-sa d'esta sor-
tea l'elicidade que devem ao Monarcba.
Imilai somento a;s valerosos campeO'S que
em diil'rentes pocas mostraro valor cons-
lancia e vrdadeiro patriotismo em diver-
sos pontos da America Brasilera o arros-
tandii'impvidos e deslemiJus o inmigo',
repoisfle lesaha.ia o cobsso da revoluco
partidos, nao lie Constitucional. Quem nao
faz tu lo o que a lei prohibe deixa de ser
livre he escravo. Ah nao vos dexes se-
du/.ir. Mais claro. Nao vos preocupe a po-
I i tica. Cumpre-vos somonte obedecer ao Mo-
narcba e as autoridades por File constitui-
das.
Congregados oeste magestoso Templo, on-
de habita o nico Immortal e onde seres
invsiveis testemunhao as vossas accO-s
jurai jurai com lrmesa e constante carac-
nn',liK!^if,.a1rn,nni, i i Jl "' >" i',! '' f ;,,d0 fW* .. ea- ter adl.eso ao Imperador Brasileiro, a Sagrada
n ln aa Jl M 8U" v^0*1 CauS. da Legal idde. Da nestedia um" tes-
en 'V ee,Mn,P0 no.ssb> e lomuubo publico dos vossos sentimentos pa-
! mferr\ r '. v V""' ^T""" "* obediencia ao Coverno legal.
o in vf" C da Pr'a deSCer Sfl me restasse temP eu vos manifestara
Jornia ,qU ""l,re,m "a ofas cultas verdarfi. Fu vos indigtaria
ue aos horro- multas nacos que mullos seclos seguem ,
i*s de lillios racinoras que em lodos os
tempj- acb'rlad)s co-,, o honroso tilulo de
Por cartas de pessoa respeilavej da provin-
cia da Parahiba de 5 do correte recebidas
boje (G) temos noticia da priso dos chef-'s da
revolta do Ev, Joze Lourenco, l.ivio, Tilo
miz Lourengo Joaquim Loureocoda Castro
eSilva o Joaquun Joze de Souza. Esta no-
ticia foi recebida oflicialmenlc uaquella pro-
vincia em cujos limites com o Kio Grande
effectuou a priso a foica de Flores comman-
dada pelo Major Simplicio Joze Per eir que
persegua os rebeldes O Chele de Polica
da mesma provincia recolhendo-so do Pombal
para a capilal confirma a prmera noticia, por
que vio no Pombal os presos, que seguio pa-
ra Flores.
CO.VIMKliUO.
ALFANDEGA.
Bendmento do da 6 de Selemb. 1:884i lT
DESCARGA PAIU O DA 0 DE SETEMBRO.
Barca Ingleza = W. Bussell = Fazendas ,
diversas miudezas macbinismo e
carvo de pedra.
Brgue Portuguez = Conceco de Mara
Vnho vinagre azeile loucinho ,
soblas e drogas.
Brigtie Portuguez = Josefina e Emilia = a-
zete, feijSo grao, caixas com dif-
ferenles objeclos sebolas c albos.
28 Siccas com alpisla ; a Firmino Joze F-
lix da liosa.
10 Volumes com drogas ; a Victorino Fer-
leira de Carvalho.
11 Volumes com drogas-, a Saisset & Com-
panhia.
1 Caxa com drogas ; a Domingos da Silva
Teixeira.
. 1 Caixa com agoa das caldas; a JoaO Joze de
Carvalho Moraes.
1 Caixa rom taboinhas para janellas, a Ma-
uoel Pereira Teixeira.
1 Caixa com doce \ lata com rap, a Joze
Marques da Cosa Soares.
2 Caixas com vidros ; a Marques 1 Caixa com lvros nipressos ; a Antonio
Joze Pereira Das & C.
1 Bahu com calcado; a Francisco Bentode
Medeiros.
i Embrulho com livros impressos ; a Ma-
noel do Nascimento Pereira. -^t^i i.
2 Bacas d'aramo ; a Joo de Freitas Gui-
mariies.
10 Volumes com drogas ; a Joo Joze da
Cruz.
7 Volumes com drogas ; a Antonio Pedro
das Noves.
1 Lata com chocolate; a Francisco Antonio
Vieira da Silva.
Caixas com agoa das (Jaldas ; a Paiva &
Ma noel,
I Caxa com cha a Joo Cardoso Ayres.
Fora do manifest.
2o Molhos de cebollas 2 barricas com vi-
i)ho ; aOrdem.
^ 1 Caixote ignora-se ; a Manoel da Costa
Xeves.
I EmbrulhU com livros ; a Bernardo An-
tonio de Miranda
1 Embrulho com lvros ; a Manoel doNas-
cimento Pereira.
i Caixa igopra-sc ; a Joaquira Gonc.alvcs
Viera Gumares.
I Caixa ignora-se;a Manoel Joaquim Sevc.
0 VI MENT DO PORTO.
SAMO SAHID0N0 DA 5.
Bio Grande do Sul ; Brgue Brasileiro Paque-
te de Pernambuco, Capito Manoel Jos de
Azevedo Santos ; carga diversos gneros.
E D I T A L .
'.linda boje ohservo a forma do Governo
M marchito nica conveniente ao Brasil a
e ambicionao sombra do qual sem a menor duvida he
ordern
dilar
e nao fomentar anarquas desacre-
< promover a desobe liencia formal
a iior da i ilria v bu
!?l anifjuilameiilo.
n nm, ,!..,>..(,,, n pa/, a leiicida Je dos povos mais permanen-
- 'o- ',0I"i Pr0C,,rar aS,,a'"- e a oivlisaco ,'causa primordial da
Q mantera ] prosperidado deqolquer paz sobe ao sen
maor apuro, c toca o seu zenith Eu vos
mostrara emfim oh tras tantas nacd>s que
[ara recobrar o seu primitivo esplendor, a
propria lberdade qu1? anhelamos tem pro-
movido a restauracao do throno.
Firmes poisem principios to claros evi-
a ; r, VI TV" V:V P""^ denles osteotar, defendei quando preciso o
c5 eleJnio TT V^' da ^"rra | Tbrooe augusto, o Throno imperial para
SifloilS, ;>i !'!>!'!03 os 1^ "o de prestigios, que Iheso devidos,
i torne cada vez mais e sempre ncoocos-
a's.iulhorid.li's legalm i;! constituidas a-
pr^gbr doutrinas ideas lioslis e de sub-
i para form..- proselilos ao crime o
d'estari- fuzer bafiiJjetrr os solidos fundamen-
Gran le Dos, .1 >svai os llagellos lerrvois,
qoe posso ameacar o Tnrono a patria
sMirelu-b, a redi-iao. S.m ella ludo lie na -
da. Brasilviro nato, aimla !iln no vigsimo
s-limo auno la minba existencia amestra-
domais, ou monos p;;i historia dos Secu-
Ife edasNuc/.'s. o sobre tu!o pela in
ia dos Hornees n > quadre polico nao
IOSSO f,; Ifi Qutra sor,e_ So!J r,.;|Uro
sou vre nao SO (*!o sistema que, a iopfo \
como n la rejigiau que professo e por isso a
Ve,';Ii,;' i o ftfa a lis.jj dii-ige semoreos
n^oslabios. C is o Esla.ij nllstan-
dqvoS h, oXige fdelidede. Vio quer ou-
ir'>- viadef'S! com o vosso
so, e nabalavel. Os vindourosconhecero,
que fomos livros, porque sempre obedece-
mos u) Monarcha e as suas sabias leis e
as nacfies estranhas admirando a nossa
grandesa e a nossa uniio o reconhecen-
lo o nosso patriotismo valor riquesa e
sahedoria um da confessaro, que o Brazil
be o nrmeiro paz do novo, e velbo mundo.
ibeiecci sempre aos chefes da Provincia,
em que esliverdes porque quando nomea-
dos pelo Monarcba tornfio-se a sua mes-
ma Pessoa e como laes a quem deveis obe-
deeer. Qespeitai e igualmente obedecei
ao vo^so BenemritoCommandantt<, que dig-
no do conceilo dos llluslres. e Patriticos
,..| ..,.. .. >|'wwiiwit8 nos iniisues e rairioucos
o m h W.'T i'" 1I,Ua,nda pwfai dettt ,,rovicia' Polas provas que ha
1,10 laJi*o particular lito deveis sem
lrc \ patria tabi'uuh.ia p ,r tan-
(S males, o !,i por (antas aroiitas
" Wgrati lodi seos ni i:10S prVVl.
de .sua innata pi edos continu-
os vulTc's ii ida ,' di-
gamos asaiai de leos ,
iaacol orvr fel.. o h :
ntfi o o \: lar do !mp
legal
he tambem
dad i da adheso a causa
eredor do vosso respeito oda vossa submis-
-V). Fazei outro lauto em relaco ao servi-
;o publico com os vossos superiores em parti-
cular. Se assim obrardes prometiereis' os
Vossos d -veres seris o prototipo da disc-
pln i militar.
(s vossos compatriotas entio nocessaria-
...,---------- ..........,.,..,....,> i..n.ii.i.", r> fimos con
1 j vos bom lirao, c ou inda que in lig- | lisia da Costa c Silva,
IMPORTACAC).
0 Brgue Portuguez as Concecjio de Ma-
ra = vindo de Lisboa entrado no correle
mez consignado a Francisco Soveriano Ba-
bello
Manfestou o seguirte.
1T)1 Pipis com vnho "O meias com dito,
I O barrs com dito, 2o pipas com vinagre ,
I caixote com panoramas ,0 moiosde sal ,
I embrulho com livros 1 caixote com ima-
gens ; a Francisco Severianno Bbello.
10 Pipas com vnho, 2,>" barriscom dito, 12
pipas com vinagre 2o barrs com azete do-
ce 10 caixas com loucinho S caixas com
chapeos, o caixas Com rap ; a Thomaz de
Aquino Fonccca.
10 Barrs com azeile doce ; a Manoel Joa-
quim da Costa.
1 Caixa com livros impressos; ao Reveren-
do Gaspar Siqueira de Queirs.
1 Caixote com doce; a D. Joanna Perpetua
de Jess Caldas.
.)' Pipas com vnho ; a Joze Aniones Go-
mes.
2 Caixas com obras de lato ; a Joze Aflbn-
QO Morcira.
2o Barrs com azeite doce; a Francisco Mar-
tina Duarte.
20 Rarris com col de pedra 1 condeca com
calcado ; a Manoel Ignacio ifOlivcira.
20 Barrs com cal de pedra a Paulo Joze
Pereira Smiles.
2 Caixas com Chapeos 1 lila com livros
impressos; a Manoel Joaquim Ramos & Silva.
1 Caixa com brac/> para balanca ; a Anto-
nio Joze de S Araujo.
6 Cipas com vnho 20 barrs com dilp 1
barricas com drogas ; a Domingos Joze Vi-
era
SO Pipas com vnho 30 barricas com ai-
pista : a Mendes e\ Oliveira.
4 Barriscom azeite i]t\c, i dito com vnho;
a Jnze l'Vrreira de Rrilo.
20 Caitas com loucinho, 33 canaslras com
batatas 28 giaos com ditas : a Joo EvanKC-
i:,.i. i. i'_ _. i-,-.
- O Inspector do arsenal de marnha em
virluded'authorisacao que recebeo do Exm.
Sr. Presidente da provincia em oficie do
1. do corren te mez, engaja na con form i-
dade do imperial avizo de 20de Junho lindo ,
individuos para o servico d'arniada lano
nacionaes como eslrangeiros que a pre-
senlarem documentos dos seus respectivos
cnsules pelo qual se mostrm desemhara-
cados de quasquer obrigacoes do servico de
suas nacaos com as condiges seguintes :
I. que devero obrigar-se a servir por es-
paco nao menos de 3 annos recebendo co-
mo premio de seus engajamentos no dia em
que assignarem o respectivo contracto a
quanlia do quarenta mil res osqueforem
p.'imeiros e segundos marlnbciros eade
vmte mil res os mogos ou primoiros gru-
metes : 2.. que os primeiros marinheiros
percebero mensalmente dezesseis mil res,
o segundos dozo mil res e os mocos ou
grumetes seis mil res ; contindo-se-Ilie este
vetieimenlodu dia do engajamento.
Osmaiinheiros, c mocos ou grumetes a
quem convier o engajamento por semiUian-
le maneia podem com|iarecer na secreta-
ria da inspeco do nn-smo arsenal todos os
das que forem de trabalbo das 9 horas
da manh ate as duas da tardo afim deque
assignando o competente t'-rmo de conlracto ,
e recebendo o premio estipulado lenhao o
conveniente destino. InspecgSo do arsenal
de marinha de Pernambuco em 3de Sctembro
de 1812. Manoel de Siqueira Campello,
Inspector.
BECLABACES.
= O Brgue Triunfo Americano recebe
a mala para o Rio de Janeiro a manh ( 8) as
lo horas = I Vio Lycep detla Cidade em conse-
queneja da deliberaeo tomada pelo conselho
dos Professores se publicao r.s fallas dadas pe-
los alumnos em o bus de Agosto p. lindo i
a saber.
Nomes. Aulas. Faltas.
Francisco Joze Vellozo da
veira, Filosophia. 1S
(.! 'udino JozcBapozo. 8


5
3=
-
Mr
joze Joaquim da Silva. Filosophta. 7
Frncisco"Xavier dos Santos. 7
francisco Dionizio d'Araujo. 6
M .noel Antoniod'Albuquerque. 5
Maiioi'l Eleuterio do Rozario. 5
Leopoldo Baptista Madureira. 4
Antonio Francisco Mindello. 4
Joze Profiri Gomes. 4
SymphronioPaxeco do Quei-
roga. Geogra pitia A
O Secretario.
Jofio Facundo da Silva GuimarScs.
Em a Aula de Latim da Boavista tivero
maior numero de faltas em o dito mez de A-
goslo. os seguintes alumnos : a saber.
Vicente Antonio dos Santos Corrota. 2o
Antonio Joze deSouza. 2o
Cosme Cavalcante de Mello. 19
Joaquim Theodoro Serpa. 18
Florencio Rodrigues de Miranda. 17
joaquim da Costa Dourado. 10
Bento Muniz Goncalves Lisboa. 7
O Secretario
J. F. da Silva Gtimares.
s= O Thezoureiroda Thezouraria das Ron
das Provincias paga do dia 9 do corren te em
diante a lodos os Empregados Proviticiaes os
ordenados vencidos al o m de Marro do cor-
rente anno conforme as ordens. Thezoura-
ria das Rendas Provineiaes de Pernambuco 6
de Setembrode 1842.
Evaristo Mendes da Cunha Azevedo.
Fiel do Thezoureiro.
COMMISSARI.VDO FISCAL.
III."* Snr. Entro as irregularidades no-
tadas pela contadoria geral da guerra nos
documentos das despezas militares nesta pro-
vincia pagos no mcz de fevereiro ultimo ,
que o avizo de 8 d'agosto lindo me ordena de
iazer cessar quanlo antes ; se aoha a seguinte
ntanos documentos do dito mcz de fevereiro:
documento N. 155. = Dito reformado Jos
Francisco Ferreira : Deve juntar a ordem ,
que 1 lie mandn abonar os vencimentos d'e
tape : alem disto he necessario declarar como
quem recebe, nAosendo permittido que ou-
tro assigne a seu rogo, observando-se o mes-
mo sobre os vencimentos das mais pragas re-
formadas =e devo accrcscentar, que esta no-
ta he relativa um soldado.
Revendo levar o exposto ao conhecimento
do V. S porque parece entender-se que nao
devo consentir que pessoa alguma assigne a
rogo das Pragas de pret reformadas ; mais in-
teressante u urgente se torna esta pirticipa-
cAo pelo embarazo em que estou de conhecer
o modo, que substitua aquella irregularida-
de, que devo cessar quanto antes ; e al por
serem j prximos os das de pagamento do
niez lindo as pravas de pret reformadas.
Mu poucas sao destas pragas as que sabem
screver para poderem fazer os seus recibos ;
o sendo os vencimentos de muitasosde 2#700,
se ti ver m de Iazer procurarlo a fim de os ha-
verem alem da falta que far esta despe-
za ; acho que se sugeitarAo a muitos incon-
venientes inda niesmo unindo-se muitos a
um procurador a respeilo do que experi-
encia poder talvez reerir-se de inconveni-
entes e abusos em prejuizode taes pragas.
A nomeagAo pelo Sur. comnmndanle das
armas do um official, que sirva de quartel
mestre, de cuja mAo recebo os sidos, sendo
responsavel pelos abusos, e pela quanlia rece-
bida para o pagamento ; parece-me um poti-
co dillicil e nao muito adoptavcl: porque
lein de outras consideiages que sao obvias ;
ha o importan t* inconveniente e irr<-gu!a-
ridade de teroquarlel mestre um thesoureiio
accessorio pois que forgozamente hade pedir
urna quanlia para t<-r em sua mo, a fim de
verificar os pagamentos, que nAo tem (como
para as pravas i (lectivas) os dias certos, qttan-
do os reformados se aprezentarem que cos-
tnino faze lo quando querein succedenjo
que huns logo se apresentAo outros no fim
do mez e aiguns accumulAo mezes como
actualmente estou vendo ; e nao acho que
convenha estarem os dinheiros da nago des-
locados sem motivo legal.
Aren ni mua si m mais trabalho ; masjulgo
mais preferivel, e mais seguro, (e legalj por
que nao facilita abusos ; que as pravas de pret
reformadas que nao souberem escrever re-
('''bo da contabilidade militar, onde sao
conhecidas pessoalmenlo, e passo revista de
trez em Irez mezes urna simples nota vista
de seus assentos que fica averbada e por
ella verdicar o thesoureiro o pagamento, es-
tando para isto prevenido a lempo de urna
rellago nominal, e dos respectivos vencimen-
tos, e pondo margem de ca ia noine o signal
de pago por extenso ; cuja rellago depois por
elle assignada tem toda a f, e he documen-
to a jneu ver regular, e competente, por-
que assim consegue-se o pagameulo das pra-
vas que se aprezentao, e o dinheiro nAo
sahe senao o que he opportuna e legalmente
precizo.
Se outra medida ou methodo para tal
pagamento Y. S. julgar mais acertada, como
d mto esperar que evite a irregularidade no-
tada ; sirva-se V. S. quanto antes como a
necessidade urge, de a mandar declarar. e
estabelecer na certeza de nao poder espagar-
se alguma providencia a respailo : e se V. S.
submolter o exposto decizo do Ex ""* Sur.
Baro presidente da provincia queira V. S.
communicar-me para o fazer constar s ditas
Dragas, qucomec,5o a instar ja por seus pa-
gamentos do mez (indo. Reos Guarde a V.
S. Thesouraria de Pernambuco em 5 deSe-
t'-mbro de 1842. III.no Snr. Inspector desta
thesouraria JoAo Gongalves da Silva. Jos de
Brito Inglez commissario fiscal do ministe-
rio da guerra.
TIIEATBO.
Quinta feira 8 do corrente reprezentar-
se-ha a grande e brilhanlc pega = a verda-
deira D. lgnez di Castro = depois da murta
coroada : acabado o 1.a acto Madamoizele
Carmela Adelaide Lucci cantar urna cava-
tina da Opera Sy mira mes acompanhada cum
coros = Bel R*ggio Lusingher = msica do
celebre Bossini. No fim do 2." acto se can-
tar o muito aplaudido Ruello da Opera Gaz/.a
Ladra = Forse un di conosierete. ( Em vez
da modinha Padre. Francisco annunciada an-
teriormente ) c= No fim da pega, Rafael Luc-
ci cantar com sua flha urna grande sce-
na e dueto da Opera L'elixir d'Amor acom-
panhado com coros quanlo A more msica
do Snr. Cavaliero Gaetano Donizelti.
AVISOS MARTIMOS.
tsr Segu com toda a brevidade por ler os
Irez quartos de seu carregamento prompto
para Genova a polaca sarda Giove (Jpi-
ter) quem na mesma quizer carregar ou ir
passagem dirija-se a Gaudino Agoslinho
de Barros pracinha do Corpo Santo D. 07 ou
ao capilAo J. B. Cheorza a bordo.
as Para o Rio de Janeiro segu viagem
com muita brevidade o brigue escuna nacio-
nal Fama ; quem quizer carregar ou em-
barcar escravos pode entender-se com Amo-
rim e IrrnAos na ra da Cada do Recife D. 21.
= A Lancha Garopeira s. Benedilo, segu
viagem para o Bio de S Francisco da Villa do
Penedo; quem nella quizer carregar dirija
so ao mestre a bordo fundiado no forte do
Matto.
= ParaoAracaty o Pataxo S. Joze Ven -
cedor sahir impreterivelmcnte ate* o dia 50
do corrente anda recebe alguma carga ; os
pertendentes dirijo-se a Manoel Joaquim
'edro da Cost,a.
A VI SOS DI VEBSOS.
= No da 0, 7 e8 de Setembro aniver-
sario da Independencia no hotequim da es-
trella do passeio com aquella promplido
decencia e ssseio, seu carectorisco ; havero
almogos de caf cha e chicolale ; ptimas
e excellentes pelisqueiras ; podins e bellos
pastis de nata ; exceilentes refrescos, lico-
res e vinho de todas as qualidades ; achan-
do-se logo aberlo s 4 horas da manh.
Jo quina Dias de Jezus ; relira-se para
a Baha.
^._ Xa ra Nova fabrica de chapeos D 5
acaba de receber sortiim-nlode diversas fazen -
das assim como chapeos (rancezes de ultimo
gosto ditos de castor brancos e pretos, cha-
peos para baille, de vellido e de seda cha-
pelinas de todas as qualidades e um grande
sortimentn dos de ca.4or chegauos ultima-
mente de Lisboa chapeos armados os mais
ricos que pode haver, aparelhos para os ditos,
setins de todas as qualidades, sedas para ves-
tidos guarniges ricas para os ditos, bi-
cos de todas as qualidades vestidinhos pa-
ra meninos sapatos de duraque e marro-
quins metas de seda para Sen hora c para
liomem lengos para grvala tanto pelos
como ile cores, gabo d'ouro para devisas cor-
les de col tes je vellido e salga parrilha e
outras muilas diversas fazendas ; ludo muito
barato o que tem concorrido para a sua ex-
tragAo.
= 0 Commandante Jernimo Bomeu da
barca Portugueza Beal Principe D. Pedro
toma a risco martimo a soma de 6:000 pesos
hespanhoes ou aquella que mais precisar
para occorrer s despesas feitas n'este porto ,
com concerlos e outros reparos em con-
sequtfocia da sua arribada forgada na Yiagem
que fazia de Mozambique a Boston no? Es-
tados I'nidosd'America do Norte. Tendo-se
j vendido em leilAo parte do carregamento ,
para occorrer as mesmas despesas; e reconhe-
cndo-se que os pregos sAo um tanto de-
preciados julga mais conveniente lomar di-
nheiro a risco sobre a carga o seu frole ; e
por isso faz novamento o presente anituncio
pjra as pessoas a quem esta transaccAo con
venha as quaes poderlo n'este caso dirigir
as suas f>ropostas om carta fechada no Consit
lado de Portucal ra de Apollo.
Convindo tomar proviilencias cerca da_
existencia da Sociedade Amizde nos t ne- ;
cuja dissolugAo, contra a letra dos respectivos
Estatutos a DirecgAo tena realizar os So-
cios sAo por este annuncio convidados para se
reunirem no dia 8 do corrente as qualro ho-
ras da tarde na ra do Livramento em a caza
D. 20 primeiro andar, a lim de rezolverom
o que a tal respeilo mais acertado for.
B^- Avisa-se aos Socios da Sociedade Ami-
zade nos l'ne que os membros do ronselho
vendo que mais sedo do que pcncavAo tinho
de se ler do sua caprichosa intengo para que
nAo houvcsse reunio de dita Sociedade em
lija rettniAo sabAo quedeviAo ser demettidos
do sos cargos ; por csse motivo aqnelles Srs.
para nAo descercm de sua dignidade t>m en-
viado alguna de seos Colegas a mendigar as-
signaturas de Socios para dissolverem a Socie-
dade : previne-se mais queem 20d'Agoslo
lo por intermedio de dito ronselho se tem di-
rgido urna denuncia a Sociedade contra elle
consolho cuja denuncia lAo hem o aecusava '
por infractores dos Estatutos em parle que
ordenAo a convocagAo da Asseinbla Oral da '
Sociedade rasAo porque dito consolho he I-
nhabil, para poder deliberar, visto ainda nao
ler convocado a Sociedade perante a qual se
devia deffender e por estas rasOes he millo
quaesquer deliberantes que elle tome respec- '
tivo a Sociedade, econtra ellas protesta
l'm Socio da mesma.
tsy O abaixo assignado declara que a caza
n, 305 da ra do Bozario da Boa-vista per- I
tencente ao Snr. Luis Francisco Correia Go-
mes de Almeida mencionado no Diario n.
183 de 29 de Agosto se acha pin horada pe-
lo Juiz da 2 vara do Civel para se por em
praga por arrendamento para pagamento da
quanlia de 16O468I res de principal, juros ,
e cusas de que he devedor o dito Snr. Cor-
reia Gomes ao abaixo assignado cuja divida
e pinhora o mesmo Snr. nAo ignora.
Joze Antonio deOliveira.
S^ A DirecgAo da Sociedade Amizade nos
l'ne, faz eerlo aos Snrs. Socios em geral, que
pela terminante disposigAo da primeira parte
do arligo 50 dos Estatutos se acha dissolvi-
da a mesma Sociedade c que a referida Di-
recgAo aulhorizada como se acha va i levar a
effcilo o que determinado est pela segunda
parte do j citado arligo 50 e isto em lempo
competente.
=s Na ra d'Ortas D. 03 h para se ata-
gar urna escrava para o sorvigo interno de
una caza e comprar : pelo prego mensa! de
10,)000 rs.
= Qnem annunciou querer 500.>000 res a
juros sobro sobre urna parte de nm sobrado
na ra do Bozario larga ; dirija se ao palio do
Carmo venda D. 7.
tST No beco do azeite de Peixe junto da
esa de pasto no segundo andar : lava se e
engoma com a maior perfeigAo e qualquer
pessoa que quizer dar roupa de toda casta :
dirija-se a sohredita caza.
ts^Quem tiver um sitio que o quizer ar-
rendar sendo em um dos lugares seguintes :
S. Amaro Capunga Solidade 011 man-
guinho, e que tenha bastantea livores de
fruclo e boaagoa de beber annuncie
= Preciza-sede um teitor para sitio que
entenda de plantagAo e cultivo de dores e
frutas -, a lr-.tar na ra do Cabug D. 7.
tST Aluga-se um2. e 3. andar com mui-
tos cmodos, na rua larga do Bozario; a
tratar na mesma rua com Freitas Barboza.
tST Joaquina (fias de Jezus retira-se para
a Bahia a Iralar de sua saude.
tsr Roga-se Snr." D. Candida Boza da
Costa oohzequio de annunciar sua morada
para se lie entregar urna carta vinda de Lis-
boa.
tsr Aluga-se nm escravo muito bom pa-
deiro na rua Direita ao sabir no pateo do
Livramenlo venda D. 20.
= Qu*m pertender um sobrado de um an-
dar e sotao com trinta palmos de iargo c oi-
tenta de fundo todo era salAo proprio para
alguma aula ou sociedade ou mesmo parn
algum prezepio o qual se esl assoalhando, o-
pertendentes podem entender-se com l.uiz
Jos .Marques para azerem o ajuste aiites
de por os reparlimeiitus, a falur na 111a do
Bangel venda D. i I,
Theodoro Mathieu, cirurgiAo
dentista francez, participa ao
respeitavel publico que se re-
tira desta provincia em todo
o corrente mez as pessoas
que se quizerem utilizar do
sen prestimo dirijAo-so rua nova D. 7 sobra-
do do lado da matriz..
tsy Sabio o Carapuceiro X. 47, appresen-
tendo ao respeitavel publico o tractado do
Cahologia 011 regra para triunfar lias elleicOes,
obra do Dr. Fntrica. Na vanedade traz o
dito senlenciozo d um celebro charlatAo o
conclue com una ancdota : vcnde*se na pra-
ga da Independencia N. 37 e 38.
ss~ O Sr. Anl'11 io Joaquim Gongalves do
Moraes queira procurar urna carta vinda do
Pedras de Fogo na rua do Colegio botica D.
3 de Cypriano Luiz da Paz.
*? Quem perdeo urna carta vinda no va-
por S. SebasliAo datada da Rabia, e dirigida
a D. Januaria Candida J. ; queira ir recebe-
la na ultima casa antes de cliegar aponte do
mangu'.nho.
ssr O Snr. Joaquim Percira da Costa La-
ca ngeira que est na cidade do Olinda em
companhia de seu mano, queira fazer o favor
de vir falar com J. V. R. C. na rua da praia
parase Iho falar em negocio que muitoIhe
inlcressa duque se lite licar suinmamente
grato.
t-r Aluga-se um armazem na rua da praia
por prego cmodo : os pertendentes dirijio-
ao rua do Cabug na loja do Snr. Francisco
Garcia Chaves.
ts" Quem quizer dar um moleque para
aprender o oficio de carpina e que sej< fiel di-
rija so ao beco da Lingoeta a caza do Rarbei-
10 que achara com quem tratar.
C3" Alugo-se 2 negros ptimos para qual
quer servigo sahendo um delles trabalhar
em padaria quem os pretender dirija-se
praga da Independencia N. 9 : na mesma caza
ver.de-se 2 sacas de farinha boa por 7j000,
n preciza se de um caixeiro sendo menino
poituguez prefenndo-so algum d'estes ne-
vos.
ssr Roga-se ao Snr. J. M. M. que haja de
hir pagar urna continha em certa venda do
contrario ver o seu nome publicado porex-
lenco.
%& Preciza-se de urna casa para familia,
no bairro de sanio Antonio sendo primeiro
ou segundo andar o as ras do Collegio ,
Cada, Nova 011 das Cruz.es ; quem a tiver
annuncie 011 mande falar no primeiro andar
por sima do bolequim do beco do Thealro.
s-T Preciza-se de um feitor de sitio qu
entenda de plantngoes c cultura de llores ,
fruclas e hortaligas : a traclar na rua do
Cabug D. 7.
w Ba-so du/eiitos mil reis a juros sobre
pinbores de 011ro 011 prata ; quem os quizer
dirija-se rua da Florentina solnadode do9
andares, no primeiro.
tsr Preciza-se do um capelo que vdizer
missa todos os Domingos e dias Santos na
cpela de N. S. dosAflitos qualquer reve-
rendo sacerdote que isto Ihe convier annun-
cie. 011 dirija-sj ao atierro da Boa-Vista lo-
ja do Man od do Souza Bapozo.
cv Preciza-se de urna ama que tenha bom
e bstanlo leite para criar um menino ja com
4 mezes a tratar na rua do Amorim casa
junto ao ferreiro.
ssr Alugao-se 2 cazas terreas om Santa
Anua proprias para passar a festa por preco
cmodo ; na rua do Queimado D. 2.
= O Snr. que no dia 5 do corrente offe-
receo 120$ 000 rs. por urna escrava no at-
ierro da Boa-Vista D. 39, sendo inda a quei-
ra pode hir busca-la ou mandar.
= Antonio Marques da Costa Soarcs, ven-
do oantitincio dos Snrs. Jos Marques da Cos-
ta Soarcs, e Joo Maria Sevg no Diario do
dia secunda feira 3 do corrente mez de se-
tembro a respeilo da administraco da caza do
falecido Antonio Marques da Costa Soares Ato
do aun uncanle declara ao publico nao s
para conhecimento dos meamos Snrs. e do-
mis a quem convier que responsaveis sao
sempre os administradores era quanto as coa-
las prestadas do lempo da administradlo nio
sao julgadas c laes con tas devem ser pres-
tadas com citagao e audiencia do annundante,
edos mais interessados tanto pela razodas
lides que estao pendentes e que ainda nao
fc;ao decididas a pezar dasdeligencias dosio-
I essados quanto porque c Snr. Joo Mari*
' ve nada poda validamente obrar como ad-
linistrador por tor sido illegal a sus nomea-
cao e sobre ella existir desde oprineipio op
ozico nos autos ficando o mais.para a oc-
casiao das contas por n3o caber essi expozU
gao no presente annuncio.
= O Si.r. Francisco Jos Pavio queira di-
rigir-so rua Noya botica D. 29.


T
tsr Francisco Ribeiro da Silva cidado
Brasileo ; retira-se para o Acarar levan-
do em sita companhia o seu escravo Anto-
nio prcto ci ionio.
= Aluga-se urna grande casa de sobrado
coni suficientes commodos para numerosa
familia coxeira estribara, cacimba iim
quintal murado e oulro grande socado com
bastantes plantas grande parreiral de 2o
palmos de largo c 52o de fund porto ao
lado da casa pintada de novo no bairro da
I.oa-visla no lugar denominado a liba com
frente paia Palacio velho, e fundo para o hos-
picio e corri'estrada para o mes nao os pre-
tcndenles dirija)-se ao Recife na ra da Con-
ccigo casa n. 2o 26, a fallar com o
seu proprietario Joao Mara Seve.
tsr Manoel Fernandes Rib< iro subdito
portuguoz retira-se para a Villa do Pcnedo.
= Aluga-se a loja do sobrado N. 56 na ra
do Cotovelo lem commodos para poquena fa-
milia com quintal amura lo, e cacimba, pelo
prego de sote mil reis mensaes; os perlen-
dentes dirijao-so pracinlia do l.ivramento
D. 27.
== Quem precizar do passaportes para Em-
barcarles, passageiros, escravo, c folhas cor-
ridas ou qualqucr despacho martimo diri-
ja-se repartirlo do consulado na sala do
poileiro, que ah por concento do merelissi-
mo Sr. Administrador achara Francisco Jos
dos Santos, com sua banca de despachante
prompto desdo que se abrir at que se fixar
dito consulado a servir a todos com a maior
promptido, obri?ando-SJ a fazer os mani-
fiestos das embarcages e tudo mais que ten-
der a abreviar do que ja tcm dado provas.
= Quem achou urna caxorrinha branca
sem ser milito peluda e a quizer entregar
pode dirigir-se venda da quina da ra das
Larangeiras que se llio pagar O seu trabalho.
= O Thezoureiro da socedade theatral
Philo-Thaha aviza aosSnrs. socios que prin-
epiou (hontem) a destribuir os bilhetes para
a recita de hoje ; na ra do Queimado I).
15 guardada a dispozigo do U art. 11 dos
Estatutos.
4
tsr Na ra da Cadeia .b Recife D. 21 ,
compra-so para fora da provincia, um es-
cravo que seja mogo e de bonita figura com
tanto que seja perfeito em officio de carpina ,
| pedreiro ou tanueiro preferindo-se b do
primeiro sujeitando-se a se mandar exami-
nar no officio.
tsr 8-*varas de bico largo d palmo pouco
mais ou menos inteiro ou em pedamos de 4
varas cada um : na ra Nova D. 26 tercei-
ro andar ; na mesma caza precisa-se de um
fitor para um sitio porto desta praga.
tsr l ma corrente de ouro bom sem feilio,
que tenha G palmos de comprido e que se-
ja grossa : na ra da calca la: alta D. 13.
ssr l'm moleque ou negiinh de 10 a I i
annos, tambem se troca por urna negra de
idado : no atierro da Boa vista D 39.
tsr Meia duzia decadeiras de condur, ou
carvalho, uzadas : quem tiver annuncie.
tsr Dous ou 3 bancos de marcineiro : na
ra da Cruz loja de trastes n. 31.
VENDAS.
engom-
= Roga-se encarecidamente aoSr. Gamboa
e a seus adores o favor de so esmerareni
para ser bem representado, e com brilhantis-
mo o drama que tem de sobir scena no Do-
mingo 11 do corrente intitulado Laludc
ou 33 annos de caliveiro ; se ao menos imi
tarem a ultima represenlacoque esta grande
obra leve no Rio de Janeiro sero dignos da
concurrencia do respeitavel publico, pois bas-
ta dizer que he o milhor drama que tem dado
luz o bem acreditado jornal Archivo Thea
tral. Isto lhe pede um amante da scena que
ja vio a represenlacao desta sublime compo-
zigo.
= Quem precisar de roupa engomada di-
rija-se ao pateo do hospital D, JO.
= Da-se cobro por cdulas dando-se
1*020, por Ij000, na ra do azeite de pei-
xe padaria de Manoel Ignacio da Silva Tei-
xcira.
cr Aluga-se urna caza na ra da Concei-
ca da Boa vista do lado do Rozario ou na
ra da ribeira lado oposto, que tenha sala
na fente o atraz, cozuili a fora 3 a3 quartos
quintal e cacimba e que nao exceda de lOf
d-se fiador e alguns mezes adianlados ;
(jiiem tiver annuncie.
tsr Roga-se ao Sr. Padre que na noile de
21 de Agosto p. p. trouxe da estancia um
chapeo que lhe nao purtence o queira mandar
entregar ao seu dono na ra do Fogo D. 10 ,
do contrario se publicar o seu nomo por esta
felfea.
tsr No da 4 do corrente fugio um pipa
gaio muito falludor com urna corrento no
pe voando do sobrado da quina da ra do
i'eixoto das 5 pon tas e di vis u-se cahir na
ra Augusta ; quem o pegar leve na padaria
de Joo Lopes de Lima que ser recompen-
sado.
tsr Erna cabrinha de 13 annos
ma e cose chao ; urna escravade naco, de
bonita figura engomma liso e cozinha o
ordinario ; outra dita de nag.lo quitandeira
e ptima para todo o servigo : na ra Direita
D. 20 lado do Livramcnto.
tsr Esporas de mollas de superior quali-
dado chegadas ltimamente: na ma do
Queimado D. 2.
tsr 3 grades de ferro novas para varanda,
eumaporcao de dobradgas: no beco das
Barreiras na Boa vista a fallar com Joze An-
tonio Alvesda Silva.
Vs*r Pannos finos e encorpados a 2*880.
3* 3,>200 4* 4*500, e 5* o covado, pe-
cas de chita a 0* e 6*400, e finissimas cscu
ras e de novos padroes a 8* e 0*600 cortes
de vestidos de chitas mui ricos a 3*300 e
3*840, e a 3* ditos decassa a 2*240 e a
2*880 chitas a 140 e 160 o covado chila
a 1 40 lencos de cambraia a 400 e 300 rs. ,
ditos de tabaco a 180 e encarnados francezes
a 200 rs. lencos de toquim da india a 2* rs.
utos do seda com franja a 1 *760 esguirtes ,
madapoloes paninhos, chales de fil de li-
nlio sarja preta e de cores, meia.s para
senhora suspensorios de burraxa miude-
zas e ferragens sem quasi interesse algum por
se querer liquidar 3 cmodas de Jacaranda ,
duas mangas de vidro,um guarda roupa e
louga tudo por mais barato possivel na
quina da pracinha do Livramentoloja de fa-
zendas da viuva do Burgos.
cr DuasmedalhasdS. Rento de Aviz ,
urna grande para farda e outra menor para
casaca 2 relogios um de cima de mo*a ,
o oulro de algibeira de prata bom regula-
dor e boa fabrica : na ra deS. Gonzalo da
com rodas de ferro propria para ser pucha-
da por boi : no alterro da Boa vista loja d;
miudezas df3 Antonio da Silva Gumaros.
'tsr Salitre refinado por prego com mo-
do,, emba^risea relalho : na ra das. la
rangiras sobrado D. 3 de Claudio Dubeux.
tsr 1 40 palmos de terreno at abajxa mar
na ruado palacio velho por preco commo
do : no paleo do Hospital venda D. 22.
tsr Em rico palanquim novo chegado
agora da Baha : na ra do Vigario n. 16
tsr Banha de porco superior a 400 rs.
a libra : no assougue defronte da cadeia.
tsr Erna barretina de pello para oficial
inferior, um barreto de oleado, urna es-
pada de ponta direita com talim, tudo uza-
do e por prego com modo : em Olinda ra do
Balde n. 24.
CT Erna escrava crela com boas hab
lilades perita cosluroira o engommadeira ,
coi ta e faz vestidos do senhora e camisa de
homem e tambem faz lavarinto ; em Olin-
da na ra do Balde n. 24.
tsr Erna preta moga de 18 annos, per-
feita costureira de cortar e fazer urna camisa,
faz lavarinto de todas as larguras; duas ne-
grinhas de 13 a 14 annos ; urna preta eozi-
nheira e engommadeira ; um mulatinho de
I 4 annos proprio para pagem ou officio, um
casal de esoravos por 400* proprios para o
servigo de campo e mesmo para tratar de
gadoe pastar : na ra do Fogo ao p do Ro-
zario D. 23.
tsr Fumo da Baha para as lavernas por
preco com modo em porgad de um arroba
para cima advertindo que a escolha ser fe i
ta a contento do comprador : no Mondego si-
tio que fica para a frente da estiada da Trompe.
tsr Em negro de 30 annos de bonita fi-
gura sem achaques, por prego commodo ,
he bom servente de urna caza e ganhador de
ra a vista do comprador se dir o motivo
da venda : na ra Nova armazem D. 34.
tsr Duas vaccas muito boas leileiras, e por
prego bastante commodo : no atierro da Boa
vista loja de chapeos D. 10.
tsr Na loja de Joao" Manoel Pereira de
Abren na pracinha do Livramento se vend*
urna rede de palha feta no Para do melhor
gosto possivel, naO s para sala como para
lipoia.
tsr Erna commenda da Ordem de Chris-
lo : na ra do Crespo loja de Santos Neves.
tsr Coidas de superior qualidade parra
Bernardo Pinixe
COMPRAS.
.tET Qualquor porgando cera amarella da
torra e pelles da cabra espichadas : na ra
doCollegio D. l.
^tsy lm sabia ilo capoeira que seja bom
cantador ja manso em gaiola ou mesmo da
malta virgen que soja igualmente bom, e
qii'e dj a cpntouto ; quem lver annuncie.
cy A Bddia sagrada, sendo conuntada.
c e'm bom uzo ; quem lver annuncie.
CT Na praga da Boa vista n. 3 por cima'
da botica do Sr. Cotilo continua-so a com-
jrar escravos para fora da provincia, e pago-
se bem.
Boa vista a fallar com Joze
com tenda de prateiro.
es- Em cavallo pombo bem gordo an-
da bem de baixo a meio nos 4 cantos da
Boa vista sobrado de 2andares.
tw Superior palha de carnahuba mui-
to alv'a em porcoe a retalho por prego
commodo : na ra da Cruz n. 52.
ssr Vende-se e lrapassa-se os ulencilios e
chaves do deposito de assucar refinado no
largo da Boa vista que foi de Joao Manoel
I inlo Chaves, com consenlmento do pro-
prietario Pedro Ignacio Baptista o mais urna
refinacaocom seus ulencilios; e urna venda
com poucos fundos, em fora de portas jun-
to a intendencia da marinha a dinheiro ou
a praso : na ra da senzala vellia padaria
numero 31.
tsw Erna escrava cabra de bonita figura ,
de 26 anuos cozinha o ordinario engom-
ma liso cose chao faz renda e refina as-
sucar, elavadesabo e varrella ; urna ne-
gra de naco de 26 annos, engomma cose
chao e lava ; um negro de bonita figura ,
de 26 annos proprio para todo o servigo :'
na Gamboa do Carmo D. H.
"*cs- Os livros seguntes : Magnum Loxi-
con por U rs. a obra de Virgilio 5*300 ,
Saluslio 1<280 Diccionario francez 5*300 ,'
Ouiilianoem latim 2* rs. e em porluguez
triduzido pelo Padre Alarinho 2*360 ludo
com algum uzo ; 'ucm pretender annuncie
1S* 3 escravos, um pescador, e carpina,
oulro para todo o servigo de campo ; man
em caixas de 16 libras, excedentes pelles
de onga para tapetes o urna porgo de casa
es do pombos : na ra da Mo da n. lio.
^523- Pentes de tartaruga lisos o abertos ,
ditos de marrafa ; e tambem se conserta to-
da obra de tartaruga com toda perf.-igo e
por menis prego de que em oulra qualquer
viola e chegadas ltimamente : na praga
da Independencia loja n. 2.
tar Ensalicerces ja allerrados e dividi-
dos para duas moradas de caras com 50 pal-
mos de frcnlo e 00 de fundo, e 60 para
quintal, no atierro dos affogados : a tratar
na ra do Fagundes D. 17.
de coberta a 140 reis o covado dla de ves-
[ tido a 40 reis o covado ditas largas a 180
reis o covado brim Iizo escuro a 280 reis a
vara cassas brancas lavradas a 440 reis a
vara ditas finas a 480 reis a vara cortes de
cassas chitas finas a 2240 rus ditas de cor-
do a 2* res cassas chitas linas a 400 res
a vara cortes de cambraia de cor com 8 va-
ras e meia a 1600 reis, pecas de cambraia l"
za de varas a 2* reis ditas muito finas a
3200 reis a pega cortes de chalim com 13 co-
vados.a 4* reis casssa d'Alexandria a 120 re-
s o covado ; pao alcoxoado para toalhas a
500 reis a vara ineias para Senhora bor-
dadas de seda a 20 reis o par gorgorao pa-
ra ^coleto a 400 reis ; fr*nquelin azul e prelo
a 500 reis o covado ; macedonia de quadro
a 400 reis o covado lanzinhas para vestido'
di bom goslo a 560 reis o covado chales de
mirin de barra grandes a 5* ditos de cassa
de cor adamascadas a 700 reis ditos de chi-
ta azues a 700 reis e alem destas fazendas
outras mais de bom gosto a ra do Crespo '
D. 12 loja do Manoel Ferreira Ramos. '
ssr Na ra do Crespo loja D. 6 da parte
do Sul ha para vender ricos cortes de lanzi-
nhas para vestido do melhor gosto e moder-
nos.
tsr Prczuntos ingkzes chegados ultima-
mente lonas da Russia na ra da Cruz
Decima 60.
CT Em negro crelo de 20 annos, pro-
prio para o servigo de campo : na ra do
Queimado D. 11.
sw Na nova padaria da ra Direita D. 33
junio a padaria do Macnado vende se bo-
laxa fabricada con; a melhor farinha que apa-
rece no mercado e por prego commodo at-
lendendo a sua excellente qualidade bem
como p^o e se d de vendagem a pretas
abonadas por seus senhores.
S2T Em realejo por 40* rs. sem defeito al-
gum ; quem pretender annuncie
cr Em sitio na estrada de Belem da
parlo do nascenle com multas larangeiras ,
raqueras, mangueiras pilombeiras, lama-
rindeiros e oulros muilos arvoredos com
pogo de boa agoa para beber trras propri-
as lem le fenle 280 o tantos palmos e um
e t intos de fundo vende-se todo ou a reta-
lho dando-se todo o fundo a fallar com Her-
culano Joze de Freitas, a dinheiro ou a prazo
dando boa firma ; assim como o mesmo abai-
x assignado tambem compra prata e ouro
Sem feilio.
Ilerculano Joze de Freitas.
ESCRAVOS F E GID O S
S2T. Desapareceo no dia 5 do corrente um
negro, do nomo Joze naco quicam estatu-
tsr lima prelo de nacaO que d 640 por rt regular grosso do corpo bstanle bar-
da um bahu e urna meza de jantarja
uzada : na esquina do Lirramento por cima
da loja do B,istos.
tsr Potassa da Russia nova em barris
pequeos : em caza de Hermano Mehrtens ,
na ra da Cruz D. 23.
tsr Urna porgan do nrroz pilado branco :
na ra d Queimado D. 15 a fallar com No
vaes e Rastos.
N
tsr Abotuaduras de massa a 800
dito de ouro
EST Duas portas de cosladnho, sendo no
vas (emlo a largura ccomprimento que he j parte : na ra do Arago no deposito de as-
nec.'ssario o que scjAo de amarcllo : na ra sucar refinado.
dosQuaricis D. 5. I trj- Lina car roca cm muito bom estado ,
transelim de burracha a 80 rs.
francez obra muito bem feita e por barato
preco, bicos largos eeslreilos e se dao as
amostras e outras mu i tas miudezas baratas:
na ra do Livramento I). f>.
BV Oleo de Iirihagu a 300 rs. e em bo-
tijesa2*100(.gala, tinta verde a 240 a
libra, espermaede a 680 breu a 1*120 a
arroba e 40 rs. a Ib. graxa n. 97a 1 40, lou-
einho de Lisboa a 2 40 e de Santos a 160, ta-
baco simonte em latas a 280 e bitas de libra
a 320 manteiga franceza e ingleza dita de
porco a 440 de tempero americana a 160
papel de peso, almasso e deembrulho, pa-
neirosde sal de urna quarla velha a 520 ,
queijos Hamengos caf;emgraOa 180 a li-
bra ; e urna negra de bonita figura cose ,
engomma e cozinha o ordinario : no largo do
Tergo venda D. 4 hoje 7 pela nova numera-
ga.
tsr Rap de Lisboa de superior quali-
dade em libras e oitavas : na ra do Culh-gu,
loja do Menezes D. 2.
tsr Vinho de Bordeaux, Rheno, e cham-
pando, por prego commodo e cerveja em
grandes e pequeas porgoes : na ra da Cruz
V tsr Pao muito lino em qualidade cor de
vinho a 5200 reis o covado em razo da cor
ter cabido da moda dlo prelo fino a 3,> rvi-
o covado, pegas de bretanha de rolo de i 5 va-
ras e meia drlinho puro a 2240 res mantas
de fil le linho muito finas a 5200 reis ve-
li.dos lavrados de cor a 2400 reis o covado ,
longos de seda de quadros a 640 reis. chitas
hado Ieyou caigas de brim singelo jaque-
la do chita desbotada e carniza de riscado
azul : qu m o aprehender leve na ra da
IVaia sobrado de Joze Egino de Miranda do
que ser recompensado.
tsr Fugio do engenho Jundi comarca de
Nazarelh da nn.Ua no da 12 de Agosto do
corrente anno um negro de nome Rafael ,
crelo de 23 annos beigos grossos e vira-
dos, principia a baibar rosto largo pomas
finas, altura menos que regular, expedito,
falla um pouco rouca ; olhos ptquenos fun-
dos e vermelbos tem cicatrizes de agoites
as parles inferiores sabio com camisa e ca-
rolas compridas de algodo : quem o pegar
conduzr. ao mesmo engenho que sera bem re-
compensado.
ssr D-se 40* reis de gralihVago a
quem aprehender ou der noticia certa aonde
existe a escrava Benedicta de nago rebollo,
ile 14 annos a qual ven lia azeile de carra-
palo em um Handres e quando desapareceo
foi com o mesmo landres e supoe-se ter si-
do furtada lem os signaes seguintes : ma-
gra cor fula cara marcada de bexigas ,
beigos grossos tinha una marca de ferida
no prscogu pela parle de detraz e a junta
da mao direita um tanto grossa que pouco se
conhece a diferenga; a pessoa que souber aon-
de existe dita escrava partecipe a sua Senhora
.Mara Joaquina dos Santos ou na estrada de
Joo Je Barros sitio de fronte das razas do Be-
verendo Vigario Padre Luiz que se guardar
segredo.
tsr D-se 50* reis de gratificago a quem
trouxer um escravo crelo por nome Fide-
boa es-
is cncorpado, retinto e barbado
tatura. o vislozo veio do Maranho a um an-
no e fugio no dia 11 de Julho ultimo para
as mediacoi-s do Monteiro onde anda acoilado:
quem oapiehcnJer le\ando ao seu dono na
ra pensa.
RECIFE NA TYP. DH M. F. DE F. =1842


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9MJHVKQ6_JFS6MD INGEST_TIME 2013-04-26T22:22:26Z PACKAGE AA00011611_08125
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES