Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08123


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1842.
Segunda Fera
Todo agora depende de ni i
nuemot cobo priatcipiamoa ,
culta.
esmos ; da nossa prudencia anodeuco e energa ; mn-
e tere moa aponladoa cum admiradlo entre aa Nacftea naia
(Proclamaco daAaaembla Geral do araiil.)
PARTIDAS DOS COR REOS TERRESTRES.
G.mmWi P'' ) e Kiogrand doNorie, aegandaae aexlaa feiraa.
Bonito Garantuna *0 e 24
Cabo Serinhaem Rio Formoio Porto Calva Macei e Alagoaa no 1.
j)',:ei'i'13. Santo Anito qninlaa feiraa. Olinda todoa oa diaa.
DAS DA SEMANA.
e !., a. Antonio M Aud d J. de D. da 2. t.
0 Si, I ib'"' V- M: ReK *"a o J- ^ D' d,- T-
7Qj,rt", jejiim a Joo P Aod. do J. de D. da 3. t.
K Ouint Naliridade de N. Scnhora.
,, }./ a. Serio P. od. do J.de O. da i'. .
i) Sato. Nicl- d Tolcntioo. Ral. Aud.do J. da D. da 5. r.
*l f en. O SS Nome de Mara
M.
de Setembro. Anno XVIII. N. 191.
O Diario publica se todos os diaa aoc n.'io forem Santificados o prcfo da asaignalara ha>
de trea mil reia por quartel pagoa adianladoa. Oa annunrina dos aaaignaalea alo aaerido.
gratis oa das que o nao (urem raz.'io de 80 reia por linha. Aa reclamanor-a dartaa er
dirigidas aeata i'rpografia ra dasCruies D. 3, ao a praca da Independencia luje Tr>IO
Numero 37 e 38.
Cambio askre Londres 24 nominal.
a Paria 385 reia p. franco.
a i. Lisboa 400 por 100 nom.nal,
Moeda de cobre 4 por 400 de descomo.
dem de letras de boaa firmas le 1 e j.
e seteuiuio. compra ven
OOKO- Moeda de 6,400 V. 16,300 16.50
a N. 16.10J 16,39
1* > da 4,000 9,100 9,300
PliTA - Patacea 1,880 1,809
1 Peros Columnaraa 1,880 1,8W
dito Mexicanos 1,880 i.mw
u ic; ud a 1.6W 1,73
Preamar rio din 5 de Setembro.
l."a 5 hora a 18 n. da manfcS.
2. a i I-ora e 42 m da tarde.
PHASl'.S DA I.A MO MEZ UE SETEMBRO.
La Nova 4 a 7 hnraa e 22 m. da tard.
Quart. cresc. a 11 -- a 1 hnraa a 42 m. da lar''.
La cheia a 15)-- eojiotaa a 5 o- da tard.
Quart, aaing. a 27 a 0 horas e 'i7 m, da tard.
im\i;io ni; pei.naiibij<:o.
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 1. DO CBRENTE.
Oficios Ao inspector da thesotiraria de
fdzenda e ao do arsenal de marinhi, intel-
li^enciando-09 de haver sido ordenado pelo
governo imperial que se ja reconhecido co-
mo transporte Britnico o patacho brasileiro
= Santo Amafo = comprado ltimamente
por conta do govrno Inglez.
Ditos Ao commaudante das armas c
ao inspector b thesouraria da fazenda re-
metiendo copia de dous avisos<, expedidos p'-
la secretaria de estado dos negocios da guer-
ra em data de 3 do inez prximo findo ; de-
clarando um : 1, que s podem ter metade
do respectivo sold os ofliciaes presos que
cnlrarem em conselho de guerra : 2. que os
olliciaes doenles, qunr nos hospitaos, quer nos
seus quarteis nao tem direito gratificares al-
gumas : 3. que os ofliciaes julgados incapa-
zes do servigo de campanha nao teem direi-
to a gratilii-ago da terca pa te mas que,
quando em pregados nos depsitos, pravas,
ou outro qualquiT servigo moderado devem
percebjr a addicional, eas, que possao com-
pclir-lhos pelos exercicios em que se aclia-
lem : i. que aos cirurgioes militares em-
p regad os nos hotpitaes bem como aos de
brigadas j e divs.-s competem as g-alifi-
cagoes marcadas no artigo 7. da le numero
190 de 24 de Agosto de 1841, os sidos
correspondentes s suas patentes : 5; que as
ctapes o calvagaduras marcadas na tabel-
la de 28 de Margo de 1825 devem ser abo-
nadas conforme os poslos efectivos, e nao
em relaco s graduaces : 6. finalmente ,
que os olliciaes em exercicio de commandos
superiores aos seos postos que nao tem ven-
cimentos marcados na mosma tabella devem
recooer as gratificagoes etapes e cavalga
duras designadas para taes ejercicios embo-
ra correspondentes postos mais elevados : e
outro obrigandoos Encarregados das Ihesou-
rarias caixas militares ou commissarios
liscaes da provincia onde fallecer qualquer
olficial ou praca de pret, que tem deixado
em outra o seo sold ou parte d'elle
participaren) ex-oflicio odiado fallecimento
aos tas provincias onde se pagavo taes
consignagoes fim de serem suspensas ; e
determinando o caso em que so devem passar
certides sobre assentamentos d'olficiaes fal-
lecidos.
Portara Ao inspector do arsenal do ma-
rinha ordenando qu informe com urgen-
cia que porga o de Imguados de ferro existe
nos respectivos armazens o qual se pode
dispensar para ser remetlida corte.
Oilicio Ao juiz municipal de Iguarag ,
di/.endo que a disposico do artigo 20 do
rcguUmenlo numero 120 qin utorsa os
juizes municipaes requisitarem forga arma-
la para manter a ordem e seguranza publi-
ca e outras diligencias, exclue muitoex-
pressamenle a intclligencia que S. m. Ilie
d em olficio de 30 do passado, pertendendo,
que a torga armada esteja sua disposicao e
t|ue se possa distrahir do servigo um dos sol-
dados destacados para estar diariamente s
suas ordeus : e que p r tanto obmu milito
conforme lei o chufe da legio d'aqut lie mu-
nicipio quando mandi.u recolher aodesta-
raento, |iara fazer servigo, o soldado Ignacio
Joze da Fonceca chamado illegalmentc por
k. m. para estar s suas ordena e cotiduzir
arlas por quanto s Ihe compete requisitar
forga armada no momento, em que aparega ne-
vessidade d'emprcgal-a n.-) publico servigo ,
indicado no referido artigo em que se nao
"'prebende o empivgo de correiu.
i>ito-Aocommandante das armas trans-
mittindo, para que tenha o conveniente des-
lino a {juia dos olliciaes pertencenles ao
8. bttalho de cacadoresde linha vindos da
corte e que se achilo nesta provincia.
Dito Ao mesmo determinando, em con-
sequencia d'ordem imperial que declare o
nome do lente que pelo mappa da forga
de linha do mez de Junho d'este anno consta
ter fallecido.
Dito Ao mesmo remetiendo em sa-
lisfaco de pedido seo 1 exemplar do decre-
to de II de Dezembro de 18I*> o plano
que se refere o dito decreto.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda ordenando em altencilo sua infor-
macaode3l do mez findo, que mande pa-
;ar ao b iticario Jozeda Rocha Paran los a im-
portancia dos medicamentos por elle form-
cidos ao hospital regimental,, na conlormida-
dedos pareceres do commissario fiscal o do
oflcial encarregado da contabilid-.de militar.
Dito Ao mesmo transmiltindo a or-
dem do thesouro publico sob numero 04 a-
comoanhada da primeira via d'iima leltra da
quantia de cinco con los de reis sacada a fa-
vor de Joaquim Pinto de Azevedo ausente,
Gaudino Agoslinho de Barros-
Dito Ao Vigario de S. Pedro Martyr de
Olinda approvando as nomeagdes que fez
le Antonio Nunes de Mello para escrivao e
de Joze Joaquim de Almeida Gnedes para the-
soureiro da lotera concedida ;i favor das o-
bras da igreja da respectiva matriz.
TRIBUNAL DA BEl.Af^O'.
SESSADE O DE SETEMBRO DE I82.
Na appellacao civel da Comarca do Santo
Anto appellantes o Tenenle Coronel Se-
bastiHo Antonio Accioli Lina, e D. Anna
Francisca Accioli Lins, appellado Francisco
(lomes Vellozo de Azeve lo escrivao Jocomo;
se mandou ouvir o Doutor Curador geral dos
orfos.
Na appellacao civel da cidade da Fortaleza
do Sear appellante Narcizo J.ze Ferreira ,
appellado escrivao Ferreira ; se julgou nul
lo o processo condenado o appellado as cus-
tas.
Na appellago crime do Julio da 1. vara des-
ta cidade, appellante o Doutor Promotor Pq-
blico appellado o carcereiro Joze Vidal Nu-
nes escrivao Ferreira ; so julgou pela n for-
ma do despacho de que se recorreo e proce-
dente a denuncia eobrigado o denunciado
a livramento, como licurgo no artgu 160 do
Coi. Pen.
Os embargos de D. Mara Joze LinsSorian-
no contra Manoel de- Albuquerque Barros, ao
accordAo contra ella proferido na cauza de
appellagao desia cidade escrivao Poslliumo ;
foro disprezailos.
Do aggravo de petigao do juizn dos orfos
desta cidade de Policarpo Joze de Fritas
contra Antonio de Mello Pacheco nao toma
raoconhecimento.
O agjravo de petigao de Manoel Ribero da
Cunha Oliveira do juizo da I. vara do civel
desta cidade no inventario de Mara do as
cimento Teixeira teve provimenlo.
Por accordAos desta data se mandou q'dcsces
sem os seguintes procesaos, para nos juicos
que se designio proceder se em conforinda-
de do decreto de 0 de Abril lo corren te anno,
artigos i e 0 procedendo se a competente
avaliagao
A appellagao civel da Comarca das Alagoas ,
appellante LJrsuIa Mara eappellada Lucin-
da Vieira Guimarfles escrivao Reg Bangel ;
para o juizo da 5. vara do civel desta cidade.
A appellagfio civel da Comarca do Cabo ,
appellante Francisco AIv^s de Miranda Vare-
jo appellado Antonio Fernn 'es Bibeiro ,
escrivao Jacomo ; pira o juizo da 2. vara.
A appellagao civel d3 Comarca do Porto A-
do Francisco de Moraes
Bego
langel ;
para o juizo da .
go appellado
escrivao Reg
vara.
A appellacao civel da Comarca do Penedo
da provincia das Alaqoas, appellante JoAo
VeriRego, escrivao Ferreira,- para o juizo
ra 2. vara.
A appellagao civel desta cidade appellan-
te l/.idoro da Cunha Mittos por si e como tu-
tor de seos sobrinhos appellados Catharini
Carneiro de Senna e Manoel Marques Vi-
auna escrivao Bandeira ; para o juizo da I.
tara.
A nppellagAo desta cida le appellante Nu-
no Maria de Seixas appellado Jacomo An-
drea escrivao Bego Bangel ; para o juizo
da 1. vara.
A appellagao civel desta cidade appellan-
tes Diogo Uurnett & C, appellado Joze Fran-
cisco de Borja Cacarllo escrivao Poslliumo ,
para a 2 vara.
A appellagao civel da cidade da Fortaleza ,
appellante Joze Antonio Mchalo appella-
dos Joo Zel'erino de Oanla Cava lean te e
sua mulher escrivao Bego Bangel para a
2. vara.
A appellagao civel da Comarca de Goianna ,
appellante Tilomas Antonio Guimaracs ap-
pellado Joo Joze de Menezes escrivao Jaco-
mo
para o j'.iizo da 1. vara.
A apellagao civel da Comarca de Santo Au-
Uo appellante Dionizio Gomes do liego ,
appellados Joaquim Wanderley e sua mulher,
escrivao Poslliumo ; para o juizo da 5. vara.
KXTEl.lOB.
A's noticias do Portugal temos do acres-
centar o seguinte :
A junta preparatoria da cmara dos De-
putados tinlia approvado as eleigoes do Minho,
Beira Alta Alemtejo e Algai ve Tras-os-
Monles Beira Baixa e Douro. Conlinuava
a discussAo do parecer da segunda commissAo
de poderes sobre a validade das eleiges da
Fslremadura ; as quaes annnncia o Nacional
que os Deputados ministeriaes prelendiao an-
nullar, para oque havio feito varias reunios,
mas anda era duvdoso tal proposito.
AqiHIc mesmo jornal propala boatos de
adiamonto das Cortes depois da verilicagao
dos poderes e d'alteragAo no ministerio ,
t>m razAo Terceira -, por. m no seu ultimo numero re-
ceido (de 28 de Julho) acrescenta que se
diza ler adiado graves obstculos a recompo-
zigao ministerial e que por isso nada se ar-
raijaria por ento 5 que o Duque ira para as
caldas coro licenga conservando as rasas, c
ficando a servir em s u lugar o Snr. Sarm. n-
to ; e que as Cortes seriao addiadas no sba-
do (30 de Julho.;
|)e Port'alegre se esrrevia a 12 que se ia
approximando da raa de Portugal um cordlo
de tropas hespanholas5 quo o quartel gene-
lal da 7.* dviso militar (Al-mtejo) se mu-
dara rep> nlinamente para Elvas ; dzia-se que
n'aquella praga se ia tazer um grande pro-
vimento de vveres e forrasens; masque o
objecto d'aquellas tropas era evilar a entrada
das guerrillas de salteadores na Hespanlia, e
nfto o cordao sanitario por causa da peste bu-
bonica, como se havia dito.
LISBOA 12 de julho.
Pelas noticias da India sabemos que nodia
27 de abril, ib' madrugada, teve logar em
Ga um movimento de insurreigo da parte
do balalhfio provisorio mani.'ado de Lisboa ,
em conscqucncia do qual o governador Lopes
Lima para evitar a effuso de sangue con-
vocou o conselho de governo em cujas maos
rain o movimento sao estas :(> governa-
dor Lopes Lima mandou embarcar para Ma-
co urna onipanhia do batalbAo provisorio,
a qual embarcou sem a menor opposigo a
bordo da crvela Infanta Begente. Um
oflcial do hatalhao foi tlepois a bordo preten-
deitdo insurreccionar a companhia com a fal-
sa noticia de que eslava preso o commandante
do batalho. Esto oflcial faldn no intento ,
mas um segundo quo se apresenlou assoa-
llundo o mesmo boato conseguio fazer-se a-
erditar c a companhia voltou para trra,
depois do que unida ao resto do batalho pas-
in deste primeira excesso ao de pedir, junto
com os seus camaradas, a demissodo gover-
I ador. Oexercito da Provincia nem ne-
11I11M11 dos habitantes lomaram parle no mo-
vimento, o que demonstra o also fundamen-
to com que entre nos os jornaes da opposigo
gntavAo contra as medidas do governador.
Este con serva va todas as esperangas vista
da boa disposigao do exordio o dos naluraes
de em breve ser restituido authoridade de
quecouslrangida e iliegalmenle foi obrigado
a despojar-se.
Seccao de Muinlia.
O intendente de Marinha da cidade do Por.
to em seu oilicio de 12 do curente par-
ticipa que tendo sondado a Barra daquelte
Porto em difl' rentes das do mez de Junho
prximo passado, por occasiAo do mans de
II narto de La, acbou sobre o Banco a O. da*
Lagos marca nova o Alijo, 21 palmos de fun-
do e dalii para o S. at a pedra do Cao, 22,
25, 21, a 25' palmos sendo este o fundo por
onde algumas Emharcagoes tem sabido, o
mais para O. da referida pedra 27 palmos pa-
ra o N da dita marca e ao O. de Filgueiras
21 a 2G palmos, sendo este o Canal mais fie-
quentado para a entrada e sabida das Em-
bareagOes quando o vento e o mar o permitle.
\ ponta do Cabedclo se tem aproximado mais
para o N. na direcgAo da meia L Tanja dei-
xando urna restinga de areia de trinta bra-
gas de distancia pouco mais ou menos na
direcgAo de N. O.
rn.vN't,:*. Pars 14 de julho.
Pormenores da desastrosa morte do Duque
de Orle ms.
Nodia 15 de Julho ao meio da devi*
partir o Duque de Orleans de Pars para St>
Omer onde havia passar revista a alguas re-
gimentos destinados ao corpo de operages so-
bre o Mama. As equipagens estavam prepa-
radas e promptos os da sua comitiva. To-
das as disposigoes se tinham tomado no Pavi-
Ihao Marsan para S. A. all passar o da de-
pois do qual tencionava reunir-se Duqueza
sua Espoza que eslava em Piombieres. A'*
onze horas san o Principe de carruagent ,
dirigindo-se u Neully para comprimentar
II. 1 a Bainha e a Familia Roa!. A car-
ruagem era de quatro rodas, tirada por dona
cavallos conduzidos por um creado. Deste
modo costumava o Principe fazer as suas di-
gresses a pequea distancia de Pars. Hia
inteiramente s nao tendo per mi tt ido a ne-
iilnim dos seus ofliciaes que o acompanhasse.
Chegando perto da porta Maillot, ospantou-
se o cavado do postilho e correu a toda a
brida. O carro rodava-com extrema veloci-
dad e pelo caminho da Revolta. O Principe
vmdo que o sola nao poda suster os cavallos,
poz os pos no estribo que ficava muito perto
do chao e saltn para baixo quando a a
r 10 do caminho que vai desde a porta Mail-
1 t. O Principe tocou o chao com ambos os
! i'-s, mas era tAo grande o impulso que le-
resignou a authoridade de que eslava revest- va va que cao, dando com a cabega contra o
do, retirando-se para Bombaim onde fui a- pavimento. 0 elT.'ilo desta queda foi terri-
-olbido com toda a aflabilidade pelo governa-
grV,rappcllanle Flix Manoel do Moraes Be-1 dor inglez. As circunstancias que precede-
vel porque S. A. ficoii em tena sem dar ae-
cArdo de si. Algumas pessoas correram m*
1.1


2
mediatamente para oru>lir-IIie e o levaram
para casa de lira con le le ro ao lado di estra-
da a pequea dista: cia defrontedas eochei-
ras de Lord Seymour. Eulr "tanto o postilhSo
consejyuiu domar os cavados ; voltou a carru-
age-n c veio para a pora da casa onde
o Principe jaxia. S. a. nunca rccobrou os
sentidos. Foicolloeado n'um quarto sobro o
chao, o mandou-sc procurar algum medico ou
oirurgo. O);-. Itmiiiy medico daquello
sitio foi o primeiro que appar eceu. Sangrn
o Principe, mas >em cifeito algum. A no-
ticia do acontecimenlo foi levada a Neully.
A rainha sahio logo a p, c o rei a sigui. S.
M. devla estar aoinoio da em Pars para as-
sislir a un consclln de ministros. As car-
ngcns (]ue estiva:]) promplas receberam
SS. \IM. e madama Adelaida ea Princesa
Clementina. Dirgiram-se casa em que se
a^iava o Duque que j cntAo eslava somi-
rauoT P";le nnginar-sc mas impossivel
de descrever-se a dr de SS. M.VI. e A A. ao
ver la! espectculo. O Dr. Pasquier jnior ,
primeiro cirurgiao do Principe Real veic lo-
go. Pouco depois os Duques de Aumalo c
Muntprnsier chegaram de Courbevoio, e Yiu-
cennes. O Dr. Pasquier vio-se obligado a
declarar que o caso era da mais grave nature-
za porque lodos os symptomas indicavo lia-
ver Urna eflfusiio de singue no cerebro e
o perico augmenlava a cada instante. Algu-
ttMs palavras em alloman pronunciadas pelo
Principe, deram urna espiranea momentnea,
que bem depressa se desvanece.). Os Mare-
cha>s Soult eGerard, os Ministros da justi-
ea neg'ios estrangeiros interior, mari-
:iha, f.izenda, e trabalhos pblicoschegaram,
e'forana introducidos na estancia mortuoria
do Principe. O Chancellar o Prole i toda po-
lica, os generaos Pajol, e Aupick cornos
ofciaes da casa de SS. JIM. c AA parti-
rn) paiao logar fatal, e icaram em torno
di casa n'um espigo cercado de senlinellas.
A's duas horas tornando-so cada vez mais
desesperado o caso maudou o R "i chamar a
Duqueza de Nemours, que tinha tirado em
eully.
VeioS. M. acompanhada dassuas Damas.
Nao pode descrever-se a angustiosa scena que
apresenUva esta Casa quando a Duqueza de
.Nemours chegou e juntou as suas amargas a
grimas s o resto da familia. A Rainha e as
Pincezas estavam de joelhos orando e bi-
Africa serviram de escolta ao sen cor-
po exanime -Mui tos delles choravam e
recordavam o bullanle valor com que o Du-
que deOrlear.s tinha accommettido o iniuii-
go e ao mesmo tempo a benevolencia com
que ello tempera va o necessario rigor da dis-
ciplina militar. A's cinco horas camnhava o
prestito funeral para a Capaila de Neully. O
General Alhalin i diante do fretro que
era levado por quatro oflieiaes. Atrs .i o
Rei a Rainha a Princeza Adelaide, a Du
queza de Nemours a Princeza Clementina ,
o Duque de Aumale, e o Duque de Montpen-
sier. Seguiam-so os Marochaes Soult. e Ge-
rard os Ministros, os Generaes, os Oflieia-
es da Casa do SS. JIM. e AA. e nm nume-
ro inmenso de possoas.
O squito funerario e solemne dirgiu-se.
pela estrada do Sablonnville o atravessando
o antigocamnho de Neully entrou na quinta
real a travez da qual chegou Capella. SS.
MM. e AA. depois de se lerem proslrado di-
ante do altar dexaram o sen amado filho e
irmo entregue guarda de Dos. A noito
toda a familia Real esteve reclusa excepto o
Rei, que eonf M-encou com os ministros. A's
sete horas Mr. Berln de Veaux tim dos of-
lieiaes ile ord Chorno!, primeiro medico de S. A. R. par-
tirn! para Plombieres onde a Duqueza de
Orleans eslava tomando agoas. No meio da
sea propria afTlicQo ueste desastroso dia o
penvimento da perda des'a infeliz Princeza
minease affastou da sua familia, e o nome
della era muitas vezes repetido as suas la-
mentaco'.s. Resolveu-se que a Duqueza de
Nemours, e a Princeza Clementina fossem
nos differentes interrogatorios que se Ihe lem | cada; nJ mo sabemos quando ella hade soar
feilo a opniao vagava entre variadas conjee- mas mo pode estar isso muilo longe.
turas e incertezas. Diz-se que a pistola es-
lava, carregada com plvora e com Iragmenlos
de um cachimbo ; com ludo a este mesmo
respeito ha va differentes versos. O que po-
rem ccrlo que u noticia espalhando-.;e lo-
gj pela capilal exctou um scnlimento de
geral indignoslo. Continuam co n a diligen-
cia que to grave e atroz caso exige as invos-
tigaefies acerca delle. O scelerado disse cha-
mar-se John Otman ; mostra tor de lo a 1G
annos de dade. Negon tercommellido o cri-
me que so Ihe imputava ; mas cu as con-
tradiques maisgrosseiras quando Ihe lizero as
primeiras perguntas. Soube-se depois que
o seu verdadeiro nome John Willam Rean.
eque tem 18 annos.
A son tenca de pena capital le Francia ti-
nha sido commuta la na de degredo perpetuo
par urna das colonias lustraos.
Tinhani-se receido noticias favoraveis lan-
o da China como da India. As tropas ingle-
zas havim aleaneado duas importantes victo-
rias sobre os chins. Urna forca chine/a de
10 a 12 mil homens alacou o Ninupo. Os in-
glezes para os atlrahir nio llies lizero oppo-
siejio ao principiochegaram a entrar na
cidade ; porem accommetten lo-os depois vi-
gorosamente, os pnzerao om poneos momen-
tos em completa Jerrota deixanlo muitos
mortos sem que as tropas britannicas lvcs-
sem a menor perda.
Igual sor te teve mitro 'ataque que fizaran)
contra a guarnico de Chinhae.
A stuaco das tropas britnicas na india
tinha melhorado consideravelmonte. O ge-
ter com ella com cartas do Rei o da Rainha. neral Palhek linha entrado em Jall.-ilab.nl. Os
SS. AA. partirn) as nove lloras acompa-
nhadas de M. Angelct, e do General Rimii-
gny. A's dez horas o Duque d'Aumale a.om-
panhado polo Conde de Montguyon que era
um dos Ajudantes de Campo do Principe
Rea! sahiram para o Pavilhao Marson o ,
em obediencia s ordens do Rei s llaram
todos os papis do defunto. Mr. Carne ,
um dos olticiaesde ordens do Re, foi man-
dado ao Palacio de Eu para trazar o Conde de
Pars e o Duque de Charlre. A's onze ho-
ras de hontem o Duque d'Aumale voltou ao
Palacio de Neully onde est com o Duque de
Montpensier. Foi mandado um correio ao
Duque de Nemours e outro a Toulon com
libando de lagrimas as ruaos .Jo smi rnoribun-1 ordens de f^zor partir um vapor para a Costa
doilho e irmo to querido. As Princozas da Sicilia onde sa iulga que se acha a es
quadra do Almirante Hugon, u onde por con-
scqnoncia deve estar o Principe de Joinville.
( Galignani's Messenger. ;
nao proferiam palavra, e os solutos quasi que
assolfocavam O Re eslava em p silencio-
so e immovel notando todas asaiteragOns que
apresentava o semblante do son expirante
herdeiro. Vn- fra em volla da casa de mi-
nuto a minuto se augmenlav urna conster-
nada multido. 0 Cura de Neully e a sua
Clerezia pelas ordens do Kei lindan) vin-
do para Sablonville. A influencia dos pode-
rosos medicamentos s produziu o cffelo de
proJon;ar mais a agona do Principe. A vida
osvaocou-se, mas lentamente, e nao sem
urna lula violenta contra a precoce deslruic/io
de urna forca lo juvenil. Por um momento
se Ihe desembaracou um pouco a respiracao ,
e o pulso se tornou perceptivel. Como os
coracoes afflictosse abragamcom todas as es-
peranzas, esta scena de amargura era inter-
rumpida por alguns instantes de quietaco :
mas esse i aio (le 'Oiisolacao passoo. A"s qua-
Iro hor.is u.otrau o Pincipo mo equvocos
signa'es de marte e em meia hora mnis on-
tregou a alma a Dos expirando nos bracos
do Rei seu pai, que no ultimo trance apertou
os labios contra a fronte do sen desgranado fi-
Iho molliada pelas la rimas de sua incon-
sulavel mal o familia Apenas o Principe ex-
pirou o Rei conduziu a Rainha pan ujn
quartoproxira, ondeos Ministrse Mare-
chefes inimigos estavam quasi abandonados
dos seus. Os inglezes Jispunham-se para lo-
mar vigorosamente a offensiva.
Conlinuavam a preparar-se em Inglaterra,
e a partir suoeessi va mente para a India re-
forgos de todas as especies.
Nao havia ulteriores noticias dos Estados
Unidos as do Oriente eram de um carcter
pouco satisfatorio. A Syria estava em um
estado de perfeita anarcha e receava-se to
dososdias alguma violenta exploso. Di-
zh-se que existiam graves desinlelligencas
ntreos Representantes das grandes potencias
junio Porta Oltomana e que esta pelo seo
procedimento sempre indeciso e dobre com-
plicava cada vez mais os negocios do Oriente.
onge.
Copiaremos alguns artigos da imprensa do
Rio de Janeiro pars que em Portugal Sl} Ve.
ja como naquelle p iiz se conduzem os bosbos
autigoa D fiis adiados, Sirva-nos de conso-
laco a sortoq' oulros commum romnosco
h a osperanca de que tanta violencia ter por
fim a devida paga.
RESPANBA.
Tnhfio liavido novos alborotos em Barcel-
lona no sentido demagogieo. As autori-
dades haviao-se mostrado firmes e enr-
gicas e a tranqulidade ficava inteira-
menle restabelecida lendo sido presos os
principies instigadores da desurden) em cu-
ja numero figuravAo alguns mancebos estou-
vados, e individuos sem importancia e pe-
la maior parle de nm carcter suspeito.
As pal ti das de bandidos oonlinuavao a per-
tu bar o socego d'algumas pov(a(j(es em dif-
fer-rntes provincias sem que tiyesse havido
al agora entre ellos e as torcas que 0s per-
seguirlo encontr algum decisivo.
Consta va por ndici oflicial que fora cap-
turado o faoinoroso Felippe chofj dos ban-
didos que nfestavao a Catalunha ; e dizia-so
que fora fusilado em Vich a 2 de Jullio mas
que Pastoret o substituir no commando dos
facciosos.
Depois de ultimados os negocios pendentes
era coi les eneerraro-se a tfi de Jullio par um
decreto qu loo o presidente do consolho na
cmara dosdepulados. v
a respeito das relaces entre a Hespanhan
Portugal le-se no Diario do Govemo de 28
de Juiho o seguint) :
As noticias que so recebara de todas as
aulhoridades fronteiras de Portugal mani-
festoas melhores disposiedes por parte dos
nossos visiuhos &e.
LONDRES 9 DE JUI.BO.
O parlamento britnico oceupava-se de me-
didas relativas a adminislraco interna do
paiz.
Parece lora de duvida que um outro malva-
do aljenlara contra a vida da Rainha Victo-
ria cornludoas circunstancias que acom-
p.mham este facta to grave sao de tal manei-
ra extraordinarias, que nao possivel for-
mar um juizo seguro.
No dia 3 do crrente, Domingo, pouco de-
pois do meio dia saindo do palacio de Bu-
ckingham para a Capella Real de S. James ,
S. M. R. em companhia do Principe Alber-
to o S. M. o R 'i da Blgica viu-se um in-
dividuo, corcunda e de urna apparencia
mui desagradavel apontar unw-^TisTola para
a Rainha e disparal-a posto que nem a
escorva ardesse. No meio da con'uso e dis-
l-aco do grande ajuntamento quasi que esla
acc/io passara inapercebida ; entretanto um
mancebo que a notara e se achava porto
do aggressor lancou-r.e a ella e levando-o
ComsigO o foi a presen lar a um odkial de po-
lica, dizendo-lheo que se havia passadO. Es-
te reputando mera nvene/lo o que nuvra, nAo
fez caso algum nem do aecusador nem do de-
cusado. Passou-se o mesmo com outro of-
licial de polica ; porem o aprehensor apesar
de ler largado o criminoso deu parte au-
loridade superior e lendo esta tomado em
e
ch.aes reunidos se lancaram a seus pe*s es-
forando-se para consola-la. Enlo S. M.
a Rainha exolamou : Que desgrana cu'u so-
brt) a nossa familia; mas quanlo ella anda
maior para a Franca !. A sua voz foi
sufocada pelos solueos o pojas lagrimas. En-
to o Rei vendo o Marcehal Gerard absorto! seria e devida cnsderCo o depoirnenlo ,
em ma-iM (omou-lhe a mo e Iha apertou havendo-se informado dos sgnaos do indicia
com urna Qjpressodo reconhocimonto po-j do ex podio logo ordens aonmpanhadas da
rom mostrando ao mesmo lempo urna firmo-! resenta dos ditos signaos para que elle fos-
za yerdaiieirainente rea!. Os restos morlaes|.se procurado p preso. As ordens produzi-
(oberla com um pumo branco. A Rainha preso a pesar de se haver um pouco disfar-
i- -c-iison entrar na carruajera declarando ajeado. Foi reconhecido pelo aprehensor. Sou-
sna re.solucao de acompanhar a pe* o cadver be-so que havia diascomprara a pistola com
dn seu filhont Cipella de Neully onde que apuntara Rainha 6 apparceero tes-
ilisse (ie.s -java >;-i" .d!e Tosso levado Em con- (munhas afili mando que por vezes Ihe ou-
sequencia un.a companhia do 17. ligeiro de viro louvar o attentado de Francis etc. Ila-
Jiif.intin'a p-utiu immcdiaUm',iite de Gour va ama somma de indicios e provas, que
beyolapara fazer alas procissflo e assim nao permitlia duvidar da reaidade da tenta-
estpf bravos soldados, que narfeciparara dos llva ; porem como se ignoravo os esclareci-
perjgos do Pincipe na passogem das portas menlos que a auloridado tero obtido e se
OS ISGLBZBS NO i:r\zii..
A immensa riqueza dos fidalgos inglezes e
a marcha dos acontec montos e da industria
em lodo o resto do mundo tem produ/ido
na Inglaterra a horrivel miseria de tres quar-
tosda sua povoaco. Os jomaos d'aquelle
paiz vem continuamente cheios de expectaou-
los o de queixas que espantan) a humanidade-
e que meltem medo a quem os l: ; as esmo,
las os soccorros de loda a casta com qu a
aristocracia procura aliviare distrahir a fome
da immensa maioriadoseu povo j nada va-
len) porque no estado actual da Inglaterra ,
nao possivel salva-la. Eis om que parou a
grandeza a opulencia d'aquella nacAo; gran-
deza e opulencia devidas a um svsterna randa-
do 00 ar, esperanzado som nte em que os
iuglezos liaviam de ser os tecelrtes os fer-
reiros os oleiros e os navegante de todas
as outras nacfles: mas cada um dos oulros
povos tambem quer tecer forjar fier hin-
ca e navegar por sua conta ; e por mais que
a Inglaterra isso se opponlia os oulros
tambem ho de ter fabricas e navios.
0 governo inglez para conjurar e demo-
rar a crise, inquieta todo o mundo. Ocom-
mercio da escravatura hoja o seo principal
pretexto ; para ningnom levar osera vos da A-
frica para a America quer a Inglaterra que
ninguem tenda a liberdadede navegar Dores-
sesma res de Dos : erra hom porqus OS
ocanos lcariam propriedade da banjeira bri-
lannica.
1
NOTICIAS ELEITORAES.
Tivemos em nosso poder as autenticas de
todos os Collegios Eloitoraos da Provincia ,
excepto o de IguaraQ e a vista dolas e de
urna copia particular da votago do dito Col-
legio de Iguara^ fizo ios o resumo que se
segu c que se pode julgar definitivo.
Os Seo hores.
1 Kvm Prczd //nr-'o da Z?oa-vsla 9.'i7
2 Conclhei'ro Selwslio do R. Barros 790
3 Yicc Pic/d. Dr. Pedro F. de P. Caval-
cante (1'Allxiqiierqnc 708
4 E*m. oncelhiiro Anlonio P M. nloateiro 03!*
5 r Fcl frivolo de Bvilo e M -tos
0 Dr. Jo/.e Tilomas [Vabiieo 7 Dr. Alvaro BarlwH o Uclioa (Javalcante 428
8 Dr. I.oiz de Carvalho l'aes He Andrade 417
0 Dr Manoel Joa'|iiim ("aneiro da Ciioha 411
10 Dr. Joo Jo/.c t'erreia de Miniar 7
11 Drzeml)ir^ad.ir Uanocl Ignacio <-'. Lcenla 3(53
i2 Dr Urbano Sabino Pessoa de 11Uo. 3 i o
13 Dr Manoel Mendes da Cunda Azevedo t9
14 Padre Venancio llcnrique de ie.semle 323
ib Dr. Agostiaho da Silva Naves 3i7
iC Dr. Joaquim Minies Machado 30C
17 ajor Manoel Ignucio Carvatbo Mendonca 302
15 Dr Jo-o Joxe Pinto 294
i!) Dr Francisco loo Crrneiro da Cunlia 287
20 Majar Amonio (ornes leal 281
21 l'r Alexamlie Hernardino dos Heis e Silva. 281
22 Apolinaiio Florentino de Alb. .' aranlio 2Tf
23 Dr. Joaqnini llauuel Vieira de Mello. W
24 Procurador Fiscal Antonio Jnaqiiiinde Mello. 2S
25 Padre Miguel do8 Lopes (lama 2 53
20 Dr. Jernimo Martiuianno FiiUeira de Mello. 215
ara isso se nquietam portugueses hes-
panboos americanos e francezes ; atormen-
ta-se o governo humano com tratados, di-
eilos de visita &c. e faz-se agora, com o pre- Deiembargador Lcenla.
Volaco para D -pillados Geraes no Collegio
da Roa-vista ( Cabrob), de 75 Eleilores
Autentica.
Os Sonbores.
Exm. Barfioda Roa-vista.
Dr. Alexandre Rernardino.
Monleiro
Prancjsoo Domingues.
Sebasliao do Reg.
Na buco de A. Jnior.
Zacaras GoPS.
edro Francisco.
Bernardo Rabello.
Padre VVinmeio
Dr. Aguiar.
Figueira de Mello.
Francisco de Paula Raplista.
texlo de escravatura o mesmo que por ve-
zes se tem feito com o argumento do contra-
bando de guerra. E' urna segunda ou ter-
ecia ou vigsima parta do bombarda-
melo e entrada de Coppenliague em plena
paz.
Mas nao basta islo. O commerco do vene-
no na China, as inaiores atrocidades na In-
dia, todas as questf.es imaginareis com lo-
dosos peizes da trra ludo aproveita o gover-
no inglez para arranjar qnem Ido compre al-
gumas varas de chita algumas navalhas de
barba e rocliaduras nos poneos de pralos c
ninas pon 'as d : chicaras.
.Mas de balde trabalfia. A hora es! mar-
Dr. Agostinlio.
Padre (ama.
M.ijor Leal.
Dr. Parias.
Luis de Carvalho.
u Joze lenlo.
I>r. Manoel .1. C. da Cunta:
(i Felis Poxoto.
Teen te Coronel Apolnaric-.
Dr. Cietano Santiago.
Antonio .I(i.:.* Je Oiiveira.
Dr. Geliranna.
Custo lio Guimaraens,
Nuiles \iacii.ido.
Pinto.
75
73
73
72
f.O
84
46
41
58
36
55
32
30
20
2
lo
25
19
18
18
17
16
16
15
15
la
I."
II
II)


* '-'
3
Antonio da Costa Reg Montciro.
j)r. Coimbra.
Mondes.
Urbano.
Vigario Major Manoel .Ignacio.
Dr. Alvaro.
Antonio Joaquim de Mello.
Dr. Manoel dos Passos Baptista.
Joaquim Manoel Vicira d Mello.
Amaro Baptista Guimar.es.
PARAHIBA.
Collegios da Capital, Alhandra, Pillar, Gua-
rabira Maranguape Cahaceiras, Campi-
a S. Joo e Brejo d'Areia.
Exm. Presidente.
Dr. Antonio Joze Henriques.
Joaquim Manoel C. Cunha.
Dr. Assiz Jnior.
Frederico d'Almeida Albuqucrquc.
Joze Maria Udephonso V. P.
Trajano Alipio Ol. Chacn.
RIO GRANDE no NORTE.
Collegio Capital, Extremos S. Joze
Touros.
Vrczdente.
Joze Domingos Atabide Moncorvo.
JJazilio Quaresma Torrio Jnior.
280
258
21(>
214
211
105
151
1
1
A nolieia
COUMUNICADO.
A quem pe tencer.
i que nos deo o Diario do Pcr-
nambuco de 29 de Agosto de se ir fazer urna
comporta bicas &c. no lugar do novo rom-
bo entre a povoago deste nome e o muro de
Santa Thereza suscitou-me afumas rofle-
xo-s que asoflereco eonsideragAo do lllm.
Snr. Engenheirocm cheto. Com-quantocon-
sidero de ncressidade a comporta para maior
escoamenlo das agoas as grandes cheias :
comtudo urna vez que se vai gastar esse di
nheiro parecc-me que com algum mais ,
mesmo com o quadruplo ou mais anda ,
seria melor fazer huma repreza com essa
comporta bicas &c. na altura da cruz do
pal rao poucu mais ou menos. As vantagens
l9la obra sao salientes a primeira he a
comuncagAo fcil ea qualquer hora entro as
duas Cidados pois todos sabem quo d'esse
ponto em diante nao falta agoa para as canoas
nadarem ; a dilficuldade est em supprilla
d*ahi para Olinda o que se consegue pola
continuagAo deste acude. A segunda he a e-
dieagAo de cazas de campo beira do rio 601
continuarlo da ra da Aurora pela commodi-
dade do banbo d'agoa duce sempre ser o lu-
gar fresco e estar porto do mercado. E en-
tio que prospectiva nao ofl reccria as dnas
Ciilades unidas So assim se podor conser-
var a velha Olinda ja amoagada de perder o
Curso Jurdico ; os seus edificios pblicos
pdenlo prestar alguma utilidade os dos
particulares niio se perdero ; e a decima o flo-
recer ao Estado hum rendimento seguro pela
afiluoncia ila popularn, atrahida pelo alu-
guer mais bar-lo das cazas salubridade do
lugar e facilidade de ir pola ra d'Aurora ao
Roeif.. Quanto palio para mangas com
ceja eraevitarem-se os rombos biennaes, que
apezar das comportas sempre apparecero pelo
mo estado dos longos atierros que contem
as agoas do pantano, e pelo interesse de ami-
tos nessa especulago. A quarta era o torne-
cimento d'agoa s fortalezas e Embarcage.
E a quinta a comunicarlo do isthimo para o.
out.ro lado. As mais referidas no novo me
tlio.lo So 11 ti: ii attorro de ambos os lados da
repreza para esti tirar mais pequea seria
menos dispendioso que hum lo/igo paredo,
be no que en me nao mello. Nem se tema
qu Uto desanime os empizanos do encana-
monto ( mas se elle se niio realisasse mais per-
lo licavd a aaoa do beberib-) das agoas poti-
veis; porque niiignem de cerlo preferir be-
be desta agoa comquanta imundicievemdesses
sitios pelo rio cima e na qnal as lavadeiras
langAo bem boas quotas pura e aceada .
fornecida pelos chafrteos : e se o de bebiribe
se tomara gratis a con lucilo elevara o seu
prego cima do da outra. Elevadas as bicas
luifii pouco sobre a preamar o rio ficaria
quasenestelivel, e nAohaveria perigode inun-
dar os terrenos contiguos visto que r.as
grandes cheias que este anno houve, do
ca piba ribo e b biribe a o mesmo lempo nun-
ca aconteceo isso. Humas loteriaszinhas
para esta obra ero mais que justificadas se
este lligelloja nAoestivesse lo adianlado ja
que ge conoideo ate__quase que afino a ra-
hece Entretanto o Exm. Sur. Presidente,
a rujo zelo devemos nao raparmos sedo aqu,
on lo nos passa hum rio pelas barbas bem
P"l'ra dar hum geito/.inho para que esta
obra de lano interesse publico se ell'ecluasse.
i seria mais este um dos monumentos de sua
administragAo As elcigoes j estfto acabadas,
e eu que segundo o correspondente de nao sei
quem tenho impedimento dirimente para me
nteressar por esta porgAo da minha patria,
nem me lembro de sorDeputado!.....
FiscalizagSo do Ministerio da Guerra.
Romoto a V. Mee. as inclusas copias das
tbsorvagrtos fritas pla contadura Geral da
Guerra no examc dos documentos das deape-
zas militares J'essa provincia, pagos nos me-'
/.os de Janeiro e Fcvereiro do prezento anno ,
para que quanlo antes faca cessar as ir- !
regularidades observadas e envi una cir-
cunstanciada intormacAo rom os e.sclareci-
itentos exigidos pela mesma conladoris as
referidas observares. Doos Guarde a V. Mee.
Palacio do Rio do Janeiro nm 8 de Agosto de
l8t. = Jos Clemente Pereira. = Snr. Josa
le Brito Inglez commissaro fiscal do mi-
nisterio da guerra.
A' PEDIOa
III.mn e Ex.m" Snr. llontem recebi o of-
icio de V. Ex. firmado em 50 do mez findo ,
a cuja primeira parte rumpre-me responder
a V Ex. que logo que me constou o movi-
menlo revolucnario do Ex tomei as me-
didas preventivas que jtllgucf conveniente
para seguranra d'esta comarca e preparci a
torga policial, para marchar para o ponto ,
que me fosse indicado pHo delegado do Calo,
a quem ja antes de arrebentar a reboo eu
tinha ofiererido a mesma forra e lornei a of-
ferecer, quandn respond ao seu ollicio de 21
do sobredito mez, que devolv a V. Ex. ; nao
se efleiluando a marcha pela debantlada dos
rebeldes que em dala de Iroz do correte
communqiiei por um proprio a V. Ex. As
occuirenoas do mais importancia communi-
quei a V. Ex. por proprios, que exped, qua-
ze na mesma hora em que ellas cbegrAo ao
meu conbecimento julgando ter assim satis
feito as louvaveis vistas de V. Ex. Foi-me
milito agradavrl a noticia da completa pac-
ficagAo de S. Paulo. Aproveitoa occazAo pa-
ra traiismiltir a V. Ex. o offirio incluzo do
delega lo do Crato em resposta a os quo Ihe
dirig em 20 e 27 do p. p. deVendo acres-
rentar qu^ de cartas particulares de datas
mais recentes consta estar oCariri em com-
pleto socego e ter-se ali concluido tranqui-
lamente as eleges primarias. Esta comar-
ca continua a gozar de tranquilidade e os seus
habitantes estAo inteiramente desassomlirados,
e seguros de que a paz ser duradoura. Doos
Guarde a V. Ex. Pombal 11 de Agosto de
1812. .111.m' e Ex.-- Snr. Dr. Pedro Ro-
ilrigues Fernandos Chaves, Presidente da
Provncia.=0 chefe de Polica interino Eran-
cisco de Assis Pereira Bocha Jnior. = Con-
forme. 0secretario interino Jos Antonio
Baptista.
III.m0 Snr. Quando recebi o offiecio de
V. S. de 26 do passado, recebi depois do
urna hora o oiitro de 27, a que acompanhou
o armamento, que me remet u. Eu jipar-
ticiprai a V. S. o resultado dos movimenlos
do Ex por isso nada mais me resta a di-
zer-lhe do que dar a V. S. os meus devidos
agradecimenlos pela promptdAo, com queso
prestou a auxiliar esta comarca cujos habi-
tantes, verdadeiros amigos da ordem tribu-
to boje a V. S. sinceros votos de gratidAo e
simpata. i\Ao voltAo as vinte granadeiras ,
porquo sendo este lugar muito despiovido de
armamento, e sempre ameaca Jo de gitacoes
pola grande distancia em que osla dos re-
rursos do governo julguei prudente Picar-
me com ellas e isso mesmo levar ao conbe-
cimento do Ex."" Presidente desta Provincia.
J eu tinha sabido da pacilicacao de S. Paulo
por cartas particulares que ti ve do Ico : essa
noticia alt-grou demasiadamente a populagAo
desta villa ; duas noit'S que tem decorrido
depois do rec'biir.cnlo ile lo feliz nova as
frentes das casas se tem Iluminado e os cida-
dos reunidos divagAo p* las ras acompa-
nbados de msicas, intoando hyninos de ale-
gra e repetidos vivas. Neste momento te-
ve lugar um solemne Te-I'eum, urna Parada
decenio e Irinta pragas de torga regular, e
salvas de arlilharia e mosquetaria e para
a noite preparAo-so illuminages. Sinto po-
rm o disprazer de ver que no meio de um
entuziasmo quazi geral algumas pessoas ,
que aqui sAo intiluladas chimangos ou car-
i-apalos a menor demonstraegao nao dAo de
prazor, antes parecem enfadar-se com o aplau-
so e alegra de todos os oulros. Eu nao cos-
sarei rom V. S. minha Correspondencia. Os
soldados que trouxerAo as ai mas voltAo com
lodosos carluxos. Doos Guarde a V. S. Gra-
to 2 de Agoslo iie |8i2 = lllm.8 Snr. Dr.
Erancisco do Assis Pereira Rocha Jnior chele
de Polica da Parahiba.=Mguol Xavier Hen-
riques d'Oliveira delegado de Polica. Con-
forme. O Secretario interino Jos Antonio
Baptista.
COMMEllCIO.
ALFANDEGA.
Rendim nto do dia ode Setcmb.
1:092*202
DERCARRKr.\rt IIOJR 5 DE SETBMRRO.
P.arca Ingleza =s W. Bussell = Eazen las .
e outrss mercadorias.
Rrigue Porliiguez = Conceigo de Maria
Rape', drogas oaixas com vinlio e
soblas.
Algodo
PRAO.V D0RF.CIFR 5 RF. SFTF.MRRO DG 1812.
Revista Comercial.
Cambi 'S Houvaro tranzagos para o Pa-
quete Irrglez Penguim sabido
honlem de porto de I.. 8000 a
2I1|2 d. por 1> parte a GO
dias, e parle a 00 t polo mes-
mo Paquete o Barca Casimir
Delavigno sabido para o Havre
fo mesmo dia zero-so avul-
tadas remessas cm mot/ies.
As entradas da semana forAo re-
gulares, e as vendas se conserva-
rlo de ; 000 a 0000 por ,.
Assncar As entradas torno diminutas, e
o (epozilo pequeo e em ge-
ral de m quali lado ; continu-
ando a vender-se a 55o por |
sobre o ferro 8 caix^s escolla-
das a Roo res.
Couros Sao procurados a I i5 rois a Ib.
Bacalho U depozito est reduzido a I ROO
barricas e as vendas torao a
9:000.
Carne secca Entrn um rarregamento com
o qnal augmentou o depozito a
56:000 te de inferior qualidade; as
vendas forAo de 1:200 a 2:210
a.
Cohre para torro Vondeo-se a 6*0 a Ib.
Earinha de trigo 0 lepozilo tem diminui-
do e nao excede de 2000 bar-
ricas.
Vinhos l'm carregamonto da 196 pipas
chegado da Figueira foi vendi-
do a 'IS, res a pipa e 20o pi-
pas chagadas de Lisboa aindase
nAo venderAo.
Resumo da exporlagAo da Provincia
para tora lo Imperio no mez
de Agosto del 8 i2.
AlgodAo saccas 875 com 1:069 1 Ib.
Assuear Caixas 700 )
^cho*J*;Com 58:402
Barricas 2/>0 ]
Caras e la tas 02)
Agoa-ardente pipas 100 )
81b.
com 27:502
caadas.
21
505
1:68 i
8 595
19:800
1:115 libras.
17 alqueires.
95 @ 18 Ihs
Caadas.
Quartolas
Carratoens
Arroz Alqueires
Gouros salgados
Ghires
Charutos
Dores
Earinha de madioca
Fumo
Melaco 100
M-deiras taboas 12
Peles de animaos miadas 200
Sola e vaqueta 1:51 i
Tatajuba 12 1|2 q.q.
Toucinho 54 Moeda Bs. 808*170
(eneros miudos e
gastosdosnavios Bs. 2:872*975
Valor da Expor-
tado Bs. 141 0l*l7i
Direitos Rs. 19:724*088
f-ahiro para tora do Imperio 10 Embarca-
goes sendo 1 Brazleira \ Britnica 2
Portuguezas 1 Americana 2 Hospanhollas,
2 Dinamarquezas e 1 sarda contend)
2:051 1|2 toneladas, tripuladas por 158
pessoas.
LISBOA 28 DE JIJLHO DE 1842.
Patacas ilittas .
Dittas Brasileiras .
Ouro cerceado por
l|8
,91920
A9I7
1.)010
sSSr
*92;
i 920
lrf930
HO VI MEMO DO PORTO.
NAVIO F..NTRADO NO DIA 2.
Cutinguiba : 5 das Hiato Brasileiro Espe-
culador de 58 tonel. Capito Bernardo
de Souza cquip. 0 carga couros o
tornos de torro : a A. Schramm.
EDITA L
Manoel Ignacio d'Oliveira Lobo fiscal do
Rairro de S. Erei Pedro Congalves Ac.
Pelo prezento toco saber aos habitantes1
do referido Rain o que deverAo ter as frentes
ilas casas do seos eslabelecimentos ou mo-
radias com aquella limpoza o assoio quo
exige a Postura Municipal c sero restrita-
mente pun ios com a pena na mesma Pos-
tura COmminada, iquellesque o nao compri-
r.'m ; e para que se nao chamem ignoran-
cia mando publicar o prezento. Recife 3 do
Sclembro de 184-2. Eu Candido de Souza
Miranda Cont o escrevi.
Manoel Ignacio de Oliveira Lobo.
DECL A BAGUES.
tsy D'cnlem do Sr. Inspector do Arsenal
de Marnha se faz publico, que nconsequen-
ria da requisigao da Thesouraria da Eazenda
desta Provincia so vender em hasta publica t
na porta do Almoxarifado do mesmo Arsenal,
em o da R do corronlo pelas 11 horas da
manila 12 arrobas de plvora arruinada ,
ora existentes na fortaleza do Buraco, as quaes
forfio entregues a esta repartigfio pola Escuna
de Guerra l. = de Abril. As pessoas a quem
ronviera compra da dita plvora sal convi-
dadas pelo Sr. Inspector a comparecer no
mencionado da c. hora.
Secretaria da da luspoegart do Arsenal de
Marnha de Pernambuco 5 do Setembro de
1842. ss Alexandre Rodrigues dos Anjos ,
Secretario.
AVISOS MARTIMOS.
C^ Para o Ass pretendo seguir viagem
com brovidade o Brgue S. JoAo Baptista do
que hocapiao Joo Gonsalves Rocha, para
carga e passage;ros (rata-secom Joze Gon-
salves Cascfio na ra da Cadeia do Recife n.
45 ou com o dito capitAo a bordo.
LEla.
tsr Hojo ao moio dia se ha do proceder a
leiAo das tozend.is e ar maguo da loj* do falle-
cido Joze Antonio Maia a rrquerimenlo da
viuva do mesmo com assitencia doSr. Dr.
Juiz do OrlAos cujo leudo nao leve effeito ,
no primeiro do corrente por circunstancias
quo oceorrerAo. Os licitantes comprelo as
mencionadas horas munidos de seus fiadores,
caso nao posso pagar a vista o que arremata-
ren) : na ra larga do Bozario D. 5.
BT Davis 1 Companhia fazem leilo no
dia Odo corrente pelas II horas da manhfi ,
no terreiro da Allndega, do 8 barris de car-
ne de porco salgada.
A V 1 SOS DI VERSOS.
CAMBIOS.
Londres .
Paris .
Hamburgo
Genova .
Trieste .
.f)4 por
527
48 1|2
823
4:o

1000
3 fr.
1000
5L
florin.
Meta; S.
Peras de Ouro de 4|8
Duras Ilespanholas .
Compra
7>8u0
11#550
Venda.
7*820
14*600
COLLECIO SANTA CRl'Z.
Tendo de proceder-so a exames no mez de
Xnvembro p. f., fieam d'hoje em diante sus-
pensas al ao resultado final as sabidas par-
ticulares dos Pensionistas, principalmente dos
propostos a exame. Se as frequentes sabidas
ibes sAo sempre prejuoiciaes, muito mais
Iboserao, quando o espirito e a atlengio
demandan) a maior tranquillidade, E' im-
possivel que os dignos pas deixem de con-
formir-se com esta disposigo.
Declara-se que o actual ajudante da ct-
deira 2.J c 5.' o Snr. Manoel Francisco
Coelho cujos conhecmerlos grammalicaes
sao reconhocidos o confessados pelos peritos,
e pelos que Ihe tem presenciado trez pti-
mos exames pblicos.
Snrs. Redactores.
O dezejo que temos de ver representar o Sr.
Antonio da Cimba Mondonga no tbealropu-
blieo desta provincia nos move por meio da
su i bem conceituada tolba a pedirmos ao
II'." Sur. Francisco de Freitas Gamboa o fa-
\ : (visto j nos constar estar escriplurado
dito Snr. Mondonga) de dar-ms o gosto de
ver-moa em Scena. Aproveitamos esta oc-
a/io para tribular-mos ao digno Empreza-
' io muitos louvores por nao poupar nada que
possa concorrer ao brillianlismo dos seus es-
pectculos cscriptnrando o Snr. Mondonga^
isto Ihe pedem
Alguns amantes da Scena.


f- Francisco Rihero da Silva eidadlo
Brasiletro ; retira-se para o Acarac levan-
do em sua companhia o seu escravo Anto-
nio preto crioulo.
cr No da r do crranlo pdas 7 horas da
8, entrn pela porta dentro do abaixc
as.ignado um molequo novo que diz cha-
mar-se Domingos-, quem se jolgar seo sr. i-
ri]a-seaiua da mooJa defronte de Fumino
Jc.FeIis.da Roza que dando os signaf-s
certoslho ser en treguo adverlindo-se quo
O annuncidiilo se nao responsabelisa por coli-
sa alguma quo ao dito moleque possa acon-
tecer.- Rarlholomeo I.ourenoo.
= Aluga-se urna grande casa do sobrado
cora suficientes commodos para numerosa
familia, coxoira estribara, cacimba, um
quintal murado e nutro grande seicado com
bastantes, plantas grande parreiral de 2.'
palmos le largo o 52o de fundo portan ao
lado da casa pintada de novo no bairro da
boa*vista no lugar denominado a liba com
trente paia Palacio velbn, c fundo para o hos-
picio o com estrada para o mesmo os prc-
' tendentes dirijo-se no Reofe na ra da Con
oeicao casa n -2'S e 20 a fallar com o
ou proprietario Joo Mara Seve.
Fabrica de Rape.
Jernimo da Costa Gumares e Silva. Pro-
prietario da fabrica do rap movida por ma-
quino de vapor silla no beco .fas llarreiras
no burro da Boa-vista desta Cidada tem o
piazer d'annunciar ao respeitavel publico ,
que -m seos depozilos ja se acba grande sur-
si ment, tinto para consumo d'esta praca ,
como para exportarlo do mais exelente rape'
riLULAS VRGETAES E UNIVERS.VES AMERICANAS.
Estas pilulas ja bem conhecidaspelas gran-
des curas que tem feto, nao requeren) nem
dieta, e nem resguardo algum ; a sua con-
posicao tao s mples que nao fazem mal a
mais tenia enanca : em lugar de debilitar ,
forlifico o systema punlicao o sangue ,
augmentfio as secrecoes em geral: tomadas ,
seja para molestia oh roica ou somente co-
mo purgante suave; o melhor remedio que
temapparecido, por nao deixar o estomago
naquello estado de constipado, depois de sua
operario como quase todos os purgantes fa-
zem e por serem mili facis a tomar e nao
causarcm incommodo nenhum. O nico de-
posito dellas cmeasa del). Knoth, agen-
te do aulhor: na ra da Cruz N. 7.
N. R. Cada caxinha vai embrulhada em
seu recoituario com o sello da casa em la-
cre preto.
= A abaixo assgnada nao lendo noticia de
seu marido Joaquim Joze Tuvares o qua!
se ausontoii sem o dar a saber a pessoa algu-
ma ; faz isto mesmo sciente nos credores do
dito seu marido, para de commum accordo
tomarem ( se quizerem ) conla de seus bens;
devendo comparecerem terca feira 6 do cor-
renle : na na das Larangeiras loja I). 15.
Albina Emilia Tavares.
= (Juem liver urna canoa do carregar a-
goa e a queira alugar annuncie ou dirja-
se a ra do Cardereiro ). 45; na mesma casa
existen) as chaves de urna casa para se alugar
a qual de 8,000 mil reis meneaos e offerece
commodidade por ser em lugar perto de dis-
peijo e ontras vantagens para o pobre,
cr Na padaria da viuva de Joaquim Lopes

nunciantes ; e como sendo, em virlude do
espentido, convocados os credores pelo Di-
ario n. 178 a im da deliberarem a cerca do
que nielhor Ibes convesse, nao .comparece-
ro suficientes passo os mesms annunci
antos a levarem a respectivo Juizo dos Orfos
ludo que ao casal administrado partencia afim
dse descrever ou de ter o destino que Ibes
dar o Juizo, ficando os annunciantes li-
vres de toda e qualquer responsabilidade que
nao soja a de prestar cuntas do tempo da sua
administradlo.
COMPRAS
CT Um transelim e urna cruzinha do o uro
bom com meio feitio na praca do Com-
mercio no botcquim do Almcida.
cr m rozaririho fino de ouro sem feitio
quem liver annuncic.
cr Effeti va mente para fura da provincia
muiatinhas crelas c mais cscravos de bo-
nitas figuras de 15 a 20 annos o so pago
bem agradando : na ruada Cadeia do Red-
ten, o prmeirc andar, das ) horas as i da
tarde.
dolinhoa 2G0, azues a 160, e finas parn
aenhoraa 400 o 480 rs. bala a 500 pam,
da costa a -iO suspensorios finos a 200 rs
fusls para coletos a to e 480 e outras
mais fazendas baratas : na loja D. 2f.defionle
do oito do Livra ment. ,
y Caixas com 200 charutos da Rabia por
i i res: na ra do Rangel D. 5g.
tsr 300 oitavas de boa prala em colheres
garfos e facas a 200 rs. a oilava: quem qui'
ser annunci". ^
Vtsr Os scgiiinles livros r.ovos chegados de
Lisboa: Jornal Mo/aico cj-n estampas ^ Ce-
lestina ou os Esposas sem o serem : Quixo"
le do seclo 18 ; Dial,,, coixo ; Eslevbih
Consalves; Crimea dos Jesutas; Ruinas dos
Imperios por Volney Geografa de D. J,ze
le UrciihV ; Bvscobrimenlo da America'.
Viagensiie .An tenor ; Robison de 12 annos '
VENDAS
nella :
Lista Ceral da Lotera do Poco da Pa-
na praca da Independencia n. 57 o K
Duas
negras de nac/io sendo
que sem exagerado principia a aparecer n'os- \|,X( 'Y3 n i* ,. JaqU"n Lo'
le Imperio Machado na ra Direita D. 34 continua-se a
Osen bom aroma em ludo semelbante ao bXa ffiJST?10a,*8" 77*0**
rape de Lisboa d'onde o Proprietario no le'l fabr.'ada so das melhores far.nhas e
1 precos muito favoraveis olhando para seu as-
seio e qualidade.
obler a receila o estilar moderado sem'que
ganbe bolo nos narizes e sem os ferir o
conservar-se por muitos mezes sem que se
teteriore nem mofo nem seque o niaior
caprixo sobre n limpeza o aceio com que be
l.ibricado este rap s.io propriedades estas
(pie o torho assz bello c recomendavel.
A superior qualidade d'este rap intitulado
rea preta e firmado rom as letras inicies
lo Proprietario patente,! a verdado do que
se leva dito, e a mudanca que mu tas
pessons de bom olfaclo tem feto deixando de
tomar o rap- de Lisboa pira tomarem d'este
no qual nao acbaro r. pugna ocia as tem fe-
to declarar que ho rap mu bom e que es-
te, e oulros gneros j nflo se Ihe sent a
frita dexando de vir da Europa.
Os D-psitos sao no Atierro da Boa-vista
loja do Proprietario I). :,. o na na da Ca-
deia Velha no armazn confronte com a ra
<\ Madre de Dos a (radar com Antonio Co-
mes da Cunha e Silva.
Os depozilos s.io para vender de ;j |bras
para cima n proco lxo, o sendo-llus tamben)
concedido vender a relalhn somnte pelo pro-
co porque os compradores do f libras para
cima podem vender,
. Aluga-so por prego commodo, o arma-
zaoi da casa do sobrado de 2 andares junto a
r.sa da esquina com assougue no beco do
Lampallo do Recife a fallar no mesmo ra
da Conc ie,io luja da casa N 28.
T 0 Thezonrciro da lot ra de X. S. da
Salida parla da prmera lotVia hoje ", 0 0 <
16 do crrenle das ) horas da manlift as 3'da
tarde, e depois todos os das Illeis das 0 ho-
553- Pede-se encarecidamente ao Snr. Dr.
Oenriques Jorge Rebello, que annuncie sua
morada para se Ihe entregar em mo propria
urna carta vinda du Para.
C- /
arr=fflB=t.--*i fmsz&rsrz
o tem pra lie de ser vico de padaria, quem
pretender dirija-se a praca da Independencia
nium-ro; na m^sma vende-se dous alquei-
rea de (amiba b.ia em sacas por 8^000.
C3- Urna crela capaz se offerece para
ama de caza de ppuca familia para todo o
servico de portas dentro : na ra do Facun-
dos D. 22. 6
cr O'iem annunciou querer comprar um
rozannho de ouro sem feitio dirjase as o
ponas venda D. 2." onde tem o lampio.
C5" A pessoa que deseja saber aonde mora
oauthordoannuncio para ensinar prmeiras
letras, latim e francez dirija-se a ra da
Alegra caza pegada ao lampto defrontc do
largo quo vai paran Gloria.
BT A pessoa que no dia Quinfa feira pri-
mouo do corrento levou por engao, ou por
graca da Alfandega no quartoondo os em-
pregados guardo os chapeos, urna bengala
de ganxo de cana da india queira a r por
no mesmo lugar, poisja haalgumas suspeilas
e se o nao fiz^r ter o dessabor de ver o seii
nomo poreslenco nesta folha.
KS5- Aluga se urna raza na Soledade ao
pe do Nie.ra cambista com commodos para
imilia, e quintal: a tratar no pateo do Car-
1110 caza de Gabriel Antonio
I crRoga-.se a todos os Srs. que tem com
prado barricas com hacalhu a Mendos &
; morimd. dia 0 de Agosto p.p. omdanle
Me ultimo carrogamenlo ( da marca St
cria de S mezes muilo robusta, para qualquer
serv.50, e mesmo para campo, o a outia luva,
cozmha e faz todo o maisserAQo de caza
no principio do atierro dos ahogados em caza
de Silvestre Joaquim do Nascimento.
T Farinha de mandioca de S. Catha-
nna, em sacas de 2 alqueires e meio do Rio,
ro 88 59 na rUa da(:a(leiad0 Recif0 Mme-
cr Una mulatinhade iG annos anconi.
mal,so,e cose chao: na ra do Amorim
caza terrea D. G.
tsr Colelo de les portuguezas Com le ,
Repertorio das leis extravagantes e oulros
hvros de d.reilo, com pouco uzo e por pre-
[\ovellasescoll.idas; 0 lindos quadros da adl
ministracao do Mrquez de Pombal ; um lin-
natimcom \ Chaves de prata ; mappas de
bandeu-as Saluslio traduzido ao pe'da le
Ira a 2> rs. Trafico da esccavalura ; Evaristo
e J heodora ; Arcnivo theatral ; Orlhografia
de Madureira ; e os Dramas novos: Mrquez
do Pombal 5 Caminbo escuro, Chnstierno
gal de Dinamarca ; ftoberto na Fraconia
Minas da Polonia : Desembarque de D. Po-'
dro c no. Porto ; Joze 2. ; sino de duas
horas : na na do Crespo loja D. 4.
tu- l'niaeserava crela U para fora da provincia engomma cozinha'
lava, cose, faz todo o niaisservico de urna
caza e he milito carnhosa para' criancas
na ra Nova ladodireiloao entrar na ponto
segundo andar por cima do Dr. Alcanforado'
ET Lm nc^ro mogo de l)onita figura '
para todo o servio : na ra de Agoas verdes
j lado do naaeenteCasa terrea D. 17.
cr L'ma casaca de panno fino verde no-
va para pessoa scrca um bahu grande em
meio tizo, para guardar roupa um banco
-ja boa banca
para advogado e um panno desencordado
por preco muito em conla : na ra da praia
no pnmeiro andar do sobrado junio a TeVpsi-
cr Urna meza para jantar feita a mo-
Dimita' D. S? a"da nA f0 SerVda : "a rua
CT Excelente tahoadede pnho america-
no e da sueca por preco commodo por se
precisar do armazem: no armazem at az do
tbeatro da parte da mar.
tsr BQ cavallode meio mutobom pas-
Zx \ dc.bon,,a Cor d-S" Por prego com-
modo por nao estar muito gordo; aasld, co-
mo troca*>robre por adules con, dous por
daia D fJ "' a rUa dS Uuarl,,,s na"
cr fon bom transelim le ouro o feitio
moderno : po pateo do Carmo venda D 7
CT Travos de varios lmannos c groaao-
ras r.pas, telhas tijolos, e a,oa do Monleiro
a 20 rs o caneco: no porto das canoas do Re-
cife onde tem earrocas.
m Um penacho proprio para official de
infantera : na rua do Cabug loja de miu fe-
zas junto do Bandeira
grande para escada urna cama de angico
ra casal um pralo grande da india Com flo-
res douradas : na rua de Agoas verdes D. 10
do /do ile S. Pedro.
CT Aparelhos para cha de porcelana don-
endose pintados linos ditos azues, ditos cor
e, roza aparelhos de meza azues e oulros
de mais cores de muilo bom gosto o mangas
da Vidro lapidadas e ditas lizas inlez,s Jan-
ternas .le vidrode divercos gostos ditas de
casq.i.nha e chicaras de porcelana finas e
casticaes de vidro campolei.as para doce, de
ciislal Uno, garrafas para vinho copos pa-
ra agoa calis jara vinho, e I Hdo de muito
hom gosto, frascos de boca larga para bichas
de divercos tamandoa e outras muit.is fa-
zendas por proco commodo : na rua do Livra-
niento D. 3.
CT l'ma osera va de nncao angola emgo-
ma l.zo cozmha o ordinario e he lavadeira
e tem bonita Bg0Pa: na rua do Palacete a fal-
lar com Manuel JoaeGalvao.
cr Superiores e muito lindos corles de
lanzinha para rostidos
D. ti lado do sul.
na rua do Crespo
ESCRAVOS FGIDOS
rasao mCeo d na sua prenoa^ nucirle "do I Saf"?^* *
Mallos. : ;"nos > que tonl'ao a bondade de vir con-
cr OS,-. Antonio da SilveiraRor.es. dk 22? TS^B?,It* >, no
cr No dia 2l de Agosto p. p. fugio um
--------------.,,vw 07 IIIIUII
rija-sea rua da Cadeia do^ Recife'n'^ ': w"""' \ Jaq"im ^naalvea Vieira Gui-
reeeber urna carta vinda da Villa do Wi ~-*~d? .W*. "U de se ti-
W Precisa-se de 200,y ,s. a premio de
ume meio por cr.nto ao mez sobre pinho-
ros de ouro ou prata: quem quser dar an-
nuncie.
rarsuas cenias, visto que se offerece um en-
sao de algumas barricas no carregamenlo
e como alguns Srs. naoassignarlo no livro de'
saluda o seu lanCamcnto com he de costme
' Precisa-se de urna ama parda ou creo I Pl^?"T"1" "'"' l' *' enwno-
laque seja capaz, para todo o serven XL ,d a'Temata'lte n*o dizmo de
urna caza de porta dentro o q lnben? S" l P 1 Monlcro S,io d*
saina -trat* de meninos, sendo 'que ", ,^'?' laffoa S ?nrs pa,,-se!em: a tratar na ru do Anvimvill TT CaP'm p0,?m a, Procur.ro
com Antonio Joao Ramos. Amo"Hi ddo arrematante que cati constantemente
cr luga-se urna morada de caza rmnl JL wi ^
muilo commodo para f.milia quintal mu ''ni^S"*"" ** 2'" jr0S sobrp
r.ido estriban:, ,,ara dous cavalos e do o ^ pequeo sil,o com raza na
einlnn,,,., n porMo : a^ar na rua So'U- \ ffttr anTneS ^ ^ ^C qU"
5S24i.rB SU Pr0preUr0 ^ ^--^-daCost.Soares, e Joo
lar Na rua de tgoas verdes D 10 do la ? r l *!* *" A',nii"'"I'-adores da ca-
dodeS. Pedro. em palha oaderaV -ana" fL? ?,",nP' An,on0 M"^lm ,,a
pes das. fambem se engomma c coso-se t\ ,ZZ r S,'"'nk! B" fml*^ e
lano costuras de alfeiate como nutra nuTlI ";' a. ,Pm ro,ri',,'lir H''fi ^''-lo-se findo oes-
qnep : a-im como .vcebe-se crias para t ^, T V*? M Conoor,,i'la edi-
enainar^roser, borda.-, lavarinto e do,,- Kaimnto eeSSITP Pr M
igualmente espirado as funecoes ouo na una-
carregaaO arrobas de peso nadita carrooa
no poemho da panella as cazas novas do Sr'
Marcelino, parede o i.eia do tanque d'agoa'.
CT Espadas praliadas para officiaos da G
N j^ na rua Nova loja do ferragens de Joze U-
cr \1 Ira ves de louro com 7,0 a 58 pal-
mos de comprido c palmo em quadro :
quem quizer annuncie.
WT Pontos de tartaruga lizos o ahertos ,
dios de marrafas assim como se consert
toda obra de tartaruga com toda perfeiclo e
por menos proco que en, oulra qualquer r-
doA^Ppz eass,icar '*"
pagem
20 annos bom coznheiro s^-m vicio algo
un. bonito mobque de 18 annos (re/ sera
lnhii!rr.,0',0(! SeT"C"' > boas
habilidades, duas lindas nogrinhas de 11 an-
'nna Cbiisj ludo muilo em Cunia.
III ... -------J- !! un una-
Iidado do Administradores exercitavo os an-
lo tem a cabrea oreihase olhos peqeunos,
I nariz curto e bem grosso, rosto meio curto,
lem o beico de baixo mas crescido denles
curtos bem limados a alvos bastante bar-
ba no qoe.xo de baixo porem pouca suissa ,
tom opeitocabelado, bracos compridos, os
'Clos das mflos empiidos, parece ter a unha
do dedo do meio da mito direita machucada de
vclho que por isto nao est conforme as nu-
tras lem as pernas rompridas o grossas, po-
rem nao sao barrigudas lem as cojas das
pomas bem fechadas urna e oulra que bem
se ve quando anda, os ps a proporcu porem
os dedos grandes mais cumplidos, falla mo-
i bonito mnLirwin 10 L ,JoradiH' toca viola tem principio de'pedri-
oOicW le Ceim 1 M1 T ""^ Mgi t eSCraVo anrfU m
twoelro, un. escravo de eumpanhia do om .al Joze maxixe que mo-
rou em S. Antao e mudou-se para o serfo do
iianc: quem o pegar ser gratificado com
00. res b vandoa rua do Queimado loja do
feriMgons I). 2.
CT Roga-se as Aulboridades Policiaes ,
e.pilaes de campo e p-ssoas particulares da
Jaranita do Norte a aprelrencao da escrava
Joanna de uaqio angola cor fula que mi
< o upitao Nicolao T .leniino de Vasconcellos
da mesma ptovinca a lem do ser al conhe-
daporJoannamaribondo, tem um signa!
aasasvisivel que he o dedo do p bstanle
W : quem a pegar leve ao vago meslre
una escrava engomadeira com um lilho
11 os
de 2 annos : na rua de Agoas verdes'b' "g
tJZ Lfa,Y',aVaoaJbra< ''n?ommaop'tima:
nnnie, cozmliao ordinario, lava de sabio
o varilla sem vicios n.-m achaques no
principio (hrua (Ja Gloria, segn I o indar do
iPbrado 0.3 junio fabrica de Gervasio
-.cr Chilla azul a UiQ n 0 f0V(Jo _
MttUl UUrie al20rs. franeeza a <0
raneada a <80 .., brim de forro a Ho
luslnmaSOO ra,, chitas do ramagem a 240
e escuras a 2 rs. brancas
floartUhera que gratificar.
a ICO meiasIRECII-lfNA TYP. dTm. E. DE F.= 18*3
il


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJJVSIZME_5449UP INGEST_TIME 2013-04-26T23:28:53Z PACKAGE AA00011611_08123
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES