Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08024


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XXXV. NUMERO 77.
TERCA FEIRA 5 DE ARRIE DE 1850.
Por tres meces adiantndos 4$0O0.
Por tres mez.es vencidos GgOQO.
Por anuo adiantndo 1S$000.
Porte franco para o subscriptor.
0
EICUIE8ID0S l SUBSCRIPClO NO NORTE.
P.arahiba, o 8r. loso Rodolpho Gomes; Natal, o Sr. An-
tonio Marques da Silva; Araraty, o Sr. A. de Lomos Braga;
Cear, oSr. J. Jos de Olivcira; Mnranhn, o Sr. Jos Tei-
lewa de Mello; l'iauhy, o Sr. Jos.' Joaquim Avelinn; Para,
r
;
I
PARTIDA DOS CORREIOS.
Olinda todos os dias as nove e meia luirs do, dia.
Iguarass, lioianna eParahiha as segundas e sexlas-feiras '
S. Antao, Bezerros, Bonito, Caruata, Altioho e Garanhuns. Tribunal do rommerrio: seronda* e quimas.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL
as Ierras feiras.
Pao d'Alh'o, Na/areth, Limneirn, Brejo, Pesquoira, Ingazei-
ra, Flores, Villa Bella, Boa-Visla, Oiirieury e Ex as
q liarlas feiras
o Sr. Justino J. Ramos; Amazonas, o Sr. J.ronvnio da i Cali, Serinhaem, Rio Formoso, Una, Barreiros, Agua Pre-
C'asta. la, l'imenleiras e Natal quintal feiras
. _______ (Todos os crrelos partera as 10 lioras da manhaa.
Rolarn: ierras feiras e sabhadns.
Paseada: Ierras, quimas e sabhadns as 10 lunas.
Juizo do runnnerrio: quintas ao meio dia.
Dito .le orphos: Ierras e sextas as 10 lunas.
Primeira vara dorivl: lenas e sextas ao meio dia.
Segunda vara do rivel: quarlas e Babbadofl ao meio dia.
EPHEMERIOES DO MEZ E ABRIL.
3 l.ua nova as 7 horas e 58 minutos da manhaa.
10 (Ruarlo ereseenle as 0 huras e I minuto da manhaa.
17 l.ua eheia as r horas e 11 minutos da manhaa.
25 Quarto minguante as horai e 2U minutos da manhaa.
PBEAMAR DE HOJE.
Primeiro as I! lioras e minutos da manhaa.
Segunde as 7 horas e 18 minutos da tarde.
DAS DI SEMANA.
i Segunda. S. 1/idoro, are. ; S. Zozimo, e. : S. Plalo.
.'i Terca. S. Vicente Ferrar; S fra, v. m.;S.Zcnio.
ti (.'nana. S. Marcelino, ni ; S-. Diogenea e l'latonidos.
7 Quinte s. Epiphanio, b. ni.; s. Ruiuio, m.; s. I'elu/io
8 Sexta, i ominoinnraro da Paixo de Jess r.hristo.
! Sahliadu. s. Demetrio, b. : S. Waldetrudes, viuva.
lo Domingo da Paixo. S. Exequial, prupbela ; s. Pompeo.
.
ENCARREGADOS 01 SUBSCRIPClO NO SUL.
.Magnas, o Sr. r.landino Pairan Dias; Baha, o Sr. Jos
Martina Alves; Hin de Janeiro, o Sr. Joo Pereira Marlius.
I.M PF.RNAMBIICO.
O nroprietario do DIVRIO Manoel Kigueiroa de Faria, na
aua livraria prara da Independencia ns. 6 e 8.
INTERIOR.
. (ario da constituico do imperio o os espectculo* sino proveniente do exenaein do empego, a juizo
1 da eompanhia I] nca da Sr. Jos Harinangelli. ; de peritos.
O baile de 25 de marro (oi promovido por una \ri. 9, O mpregado publico que nao exereor as
! ooininisso, e esleve milito luz.ido e miiilo concor- fniireesde seu cargo, durante un anuo, ser subs-
Irido. V empreza lyriea do Sr. Marinangelli tem 1 lituido, salvo Heeuea desta aseembla.
agradado uiuilo ao publico pelo boiu pessoal, boa | Art. 10. As lieecas de favor nn sern levadas
esculla o lina execucao das operas. ltimamente ememita as aposentadorias.
Nao sei como comern-i a minha missiva, por-1toi S"?"" **? f'^lioal ''.','' s'repitosament.- j Irt. 11. O emprendo provincial spaderijozar
que uestes ltimos das lem reinado por oqni una applaudido O Sr. Inrnchell, des.nipei.hou mullo i de hcenca fura do imperio, sendo esta concedida
calmarla Ul, que o Slaia gordo, apezar de aliando- l"'"' PaPel ?", Faschoal, e a Sra. Saeharo or- pela assembla.
nar o seu armazem de assucar para saber noticias e '"",". I,aI"7l ^ N"r"ia om >""' elegancia c chis- Art. 12. Sempre que qualq
communirar-mas, nada me orienlnu no seu regres-! )'\ admiraycl A Sra. Sachen) nao desmen
so nu,. r.lh ........n,,-ii,., i/.rt,.- ...,- juizo que ja formn ah no Diario Se Pera,
CORRESPONDENCIAS 00 DIARIO DE PERN1IBUC0
Para Meu caro.
lempo, mi uessa poca, aprMontava egia garanti
era o Brasil; alguiis negoriaiiles. niesmo de Per-
nambuen, se achavam com poderes, como eu de-
moustre naquella poca, do fazer o emprostiraoao
Brasil, do capital que iiorossaiio fosse, ai 1/2 por
cont. En j demonstre! isto aqui, por conaeqaeo-
eia o estado de tiuaucas naquella poca, nao era
tao mo, que ohriaasse a provincia a prestar-se a
lo pesado.
. que valha a pena ncnctonar-lho : todava, co- J""0 '!"> ja oniiou ah no Ihano Se Peruambuco u ordenado continuando i
o o principio sdico, segundo disse o llenrque,: ''lastrado fnd.etmislnda l-arleira. did,. a qualqi.or repart
le todo aquello que contrario urna nbrigarao de- "'a perda scnsivel acaba de solfrer a provincia Vil. 13. *era direilo
ve cunipri-la, salvo o caso de forra maior, vou es- '"' a ""'rUVi,''"n '''' s''null",s Inlenlosus e bou-
forcar-me o mais que puder allin de- salisfazer ao rados- ,-No ain lK ll1""T'" ''" "",la f''1;1'" P'iniciosa,
meucredor, esperando que releve alguma falla que "a ""r u,.,lf """"i*" ,1)r- K>;miiiiilo Vlexaodre Valle
por ventura possa apparecer. d'',a,val ,u- 1"" "'l'^os a ausentes do termo
A Epocha oepois daquelle trecho que dirigi ao'?" caP,ul- "r- ,a"alho era mancebo de mui-
Exm. Sr. Fras e Vasceocellos. nada mail ten, dito las perancas e geralmente .b.:mqinsto. Era sup-
a seu respeito. De leito, reflectindo-se um pomo,, l,,,'"le Ae deuulado geral no circulo da capilal, e
v-e que ella foi alguma eousa exagerada o dema-1 !"una, "dade de 29 annos F.sta perda fo. pro- Paco da asse.nl. lea provincia de feriiamloico 1
siado iojusw, porqueTlodos aqui lcm visto e" esli f'Hidamente sentida pela unpreiisa e pelo publico., de al.nl de. 1So9.-.h.: re Albmouera Marf
convencidos que o Sr. Frias, longe de dirigir-se o ^" Jurnahsmo da provincia ra resurgindo una I-ere,ra.
niesmo incliuar-se para este ou aquelle credo poli- l"'ll"""'a 'ep A linguagem dos convicios ja ap- ORDhM 1)11 DIA,
te ullll
Portante, Sr. presidente, os fados mostraran) qu
Art. 12
le o biin primido, qiiem o me upar lera dimito a perceber o I sueceder, e npeaar de rohecer, que nada enlendo aoaa entendidas o que acceder nao estar con-
rdenado coiitiii.iando naaprestarao de servicos ad-l de linanros, c principalmente quandu aqui seapre- cluida neni no tim .lo annode!860.
rao provincial, al deiUinotsoulavameapacidadeseil1altrae6cs(su3tentandoi|ue '*'" Sr. Dapufodo; Mulla,
ii quarla parle de. ordenado a reccita da provincia augmentara na razao de um Sr. I', de lrilo : .Multa! Islo gente invul-
lalentosos e hon- ulterior. j terco, ou de um quarto, ou nao sei niesmo se dia- i neravel.....
re.-|ieiiiv.i o mpregado jue continuar......sereicio '
de seu emprogo, leudo 25 annosde servi.;o.
Art. I As apoaeotadorias s dio direjto ao or-
denado.
Art. 15. Fcam revogadas todas as disposic.'.es
em contrario.
Paco da asse.nlila provincial de Peri.auhuco, 1
Huir,, Sr. Diputado: Obcigamo-aos a mzer para o seu pabe e nao livease os recelos que hoie O Sr. S. Laetraa :f.st em rontradircao enm o
idoquanto o goyerno geral uzease. nos assaltam em comtcquencia da experiencia do gr. Rrilo, que diz que as pontea sio boaaT
O Sr.P.dt lirilu: Sim, sc.l.ores, a punca I lempo c da maiieira porque se ciimprem as nossas // sr. .1. Caraleanti :A minha queslo nn
udencia que bouve da nosaa parle den lugar ao delibetaedea : Hz. aquillo que faria qualquer outro. ron) 0 ^r> prj|0
IC disseo niihre deputad, a companhia por una i Mas dizia eu, Sr. presidente, que volei nessa oc- ; Sr presidente en aqui neni me omino de estar
nca ou por inf, conseguin que ., goierno geral caaiao pelosdous por cenlo, como volara hoje, se analysando conlradicesinhas de deputados, nao
e mandarse pagar o a provincia f.u arraslada no nu idnticas cirrumslaunas se livesse apresentado r.,.' n. ,,m e.i nao respondo pelo que os OU-
esmu sacrificio. pela priineira vez ama idea desU ordem no me.r ,,.os ditem SP'mn arar em cnlradccao enmigo
Temos anda nova falta. Pelo contrato a ...,- Miz. 'Botando anda hoje, Sr. presidente, que os, niesmo, poden bbre demlado'' calawraV-me' mas
panhia obngada ter concluida a i. secrao da es-1 sacnlicios por maioros que tejam teitos, pelo mine- I uio 0<,.,IKi0 falle quem quizer, en respondo por
r enipregu f..r siip-I eu nan eslava em erru, qi.ando previ u que deca Irada nu li.n dejiii.l.ode I8.i9. mas segundo pea- rio OH pela provincia, eru orden, a conscgiiir-se he-1 |jm
quer dizer, que as
neucioa laes, sao perfeitamenie compensados pelo o ^r y; ]_ncerra __0 qu
lado que quasi sempre se deve ter. Mas acre- poBteg'eslio he... feilas.
O Sr. .4. t'nralcaiiti :Y. eu digo que oslan pes-
tillo tamben), Sr. presidente, que necessario q.n
a assembla nao prescinda j niaisde ter a n.aisciii-
dadusa llscalisai-u na execuca.i daquilh. que orde-
na se faca. Ka lamento, Sr. presidente, hoje, que
i.s naquella poca de eiilhus.asmo, nos deixaase-
simas; que eiigenlieims niesmo, em cuja hahilida-
de eoollo mallo, team dita que as puntes ato fetas
sem a neeeaaaria solidez.
'* Sr. M. llega JlaphaelJ :Esiao mal fundadas,
aso exacto.
O Sr. .t. Citralcanli :E* justamente o que eu
quera saber.
Todos os engenheirns d/.em que as puntes sao
poltica qualquer, ao contrario sonicn- i ? ,)o 1ue l'-"1''-''; ,"
,ado como nico coosalheiro da aua ad- > Kala 1"' Por .'."1'"1 ,
honra da provincia, arroputiu carrt'ira
Ki-ru desabrida nao conrence hojea uin
ando em ftaguagem viraleu-
saiiclii;irin das familias.
i* propria, e mais anda por
\ iingua-
luum.
PErtNAIYIBUCO.
tico ; longe de entrgar-se aos desvarios a quequa- I |,arf,','u ''".' ""^jon.aes. Os respectivos rodadores
si sempre sao arrastados aquellos que se abatido- "
nam a urna
le ti'iu loiii
mlnislranao, a sua luminosa intelligencia, fazendo
somenle aquillo ^ue o- bom senso e a recta razo j
llio acouselham que. faca. Verdade que para es-
ta infeliz e reproba provincia, ( a qual somenle i
lembrada quando precisam de chupar-lhe o sngue
e dinbeiro, como agora est ar.onleceiido ) anula
nao vejo um s administrador, que deixasse de t
cumprir e por em pratica lodos os preceilos que I
os rellectidns e couscienciosos adm.nLslradnres ,
( de que temo* muitns exemplos no paiz ) leu. fei- *
lo, nao se atire tolit ririlm* a um lado poltico j
pratitnndo os maiores abusos qiio a razio pode |
imaginar.
Mas como sabido, toda a regra tem excepcao, i
e a administrar o do Exm. Sr. Frias urna excep-
cao, f nao da'loria ou peremptoria j posta a re-
gra admittida e religiosamente observada pelos seus
anleceisores
ti Sr. I', re Hrlo. \
I bre o ponto de partida
queran)que parlisse dasl
i primeiro egeiihei(
no siio dos peiores.
lic.'Mra desavenca foi So-
Lestrada de ferro, mis
ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
Sesso oriunariv r.ii 1 nr. abril de 1859.
PrenidenciadoSr. Bario de Camaragibe.
(Condasao.)
Sao lidos os seguintes pareceres:
1* V co.n.nissao de legislaco exanil.oii a peti-
cao de varios einpregados da cmara municipal do
Hecife, na qual pedeni um acto legislativo que lhes
conceda apusenladora pelos servos pblicos que
prestan.: e para dar o seu parecer definitivo, en-
ra dbuaiiio impresso na Gazela Omcialte 21 | t.?"dtT,e Rnjeiranieule se deve pedir informacoes
do crranla, um artigo bem escripto, que pelo es- sT' 1. ""'T ,di,,,e T'^T"
i vio e pelas inicies com que est aaalgnado. P*A Jal- la %? T J'rrodalMi.- Theo-
reet ser obra do Dr. Jos Calandri.ii, sobre o esta- | %'it ~ .vencido). /.,:
do da nossa magistratura no Brasil. Em verdade, y '
pelo que cdllegimosda artigo; o Sr. Dr. C.alandri-1 i.,', Sr Sml
ni comprehendeu perfeitamenie a verdadera sita- i *. ., A,^,nr i .. j u
jas inteiramente entregue ao olvido. Rematando
o seu artigo, diz o Dr. Calandr :
E ultimando estes breves rascuuhos, nao pode-
mos deixar de dirgirmos ao honrado meml.ro que
liapooro deixou astileirasda magistratura, o Exm.
Sr. conselheiro Nabuco, para que nao deixe ticar
sepultado na olvido, to saluta.es quao prnlicuas
medidas. >
De feito, queren lo tancar as snas benefleas mitos
sobre esM cohorte de bravos, como Ihe chama o
Dr. Calandrni, com o Din de melhora-la, ninguen.
mais apto do que o Sr. Nahtacoque tanto se ha es-
forrado por ver a nossa inagistralura em um estado
mais lisongeirn do que o actual, que em verdade
digno de lastima.
Ja que Ihe falloi sobre a magistratura no Bra-
sil, vou conlar-ll.e un. caso, na \erdade he... a pro-
posito, que se passou entre u.is estudaules de ili-
reilo.
Eslavam reunidos q.iatro esludantes e conversa-
vaiu sobre a nossa magistratura un Brasil. I m
delles, depoisde discutir bstanle sobre a materia
<'um4t|jA4jMBdo que aaj^uiciMktuaaAtjan
poda cmnvrehefldpr o fflftO ai tumoi JW- H.u-
nicipars podiam passar con. 600J. I.m outro que
aeslaocesiao se achava um tanto pensativo, to-
mou a palavra e disse.: Nada! eu como estndaiile
Priineira diseussio do projeeto o. 59 de 1857.
O Sr. .V. Parlella : Sr. presidente, como inein-
bio da ciiinniissaude eslalislica de 1857,foi submet-
tida miaba consuTerario urna represanlai;o de al-
guna habitantes do uovbado doTamandar e dascir- ,
''"lu. 'f ti'' '.{viiiiiii
cuiuv.ziuhaneas, e ale nicsnio de alguna que n.,- da dl, ia a
ram em lugares mais prximos asede da fregue/ia ,,,, {Jj o li,m.|lii d|l|r
do (na: esla repres.u.tacao merecen a ac.|iiiesceii-:Sr ,!o/ullilv ,lljje SMetA quiz que o pontd d
ca da co.n.nissao d.. estalwtica, porque parecen a liJa fossu ^ ,i|1(.0 p ,,5. iros ainda que-
euu.m.ssau que o que os pel.c.onarios allegavam a I..|ni (lis.,. J() (..u.. do m 0 daqili., Jis.
favor da transferencia da sede da fregue/ia era ra- | Cc)rdin%(, es,ai.|e,.,M, n '
zoavel. En nao lenho ueste momento esla repie-
seram dcunla. Parece-meJ Sr. presidente, que O- l'm Sr. Depulatlo :Issn, prava m ventado.
3C3 genitores lioaucciros lis se salina... bem de ') Sr. I', re llriln .Nao leiihoin voulade,maso .
snas prooes, pelo contrario a rereta nao lem ti- quedesejn 6 que se naoesl.auge.i. osdiuheiror.puhl- 08 ir para o campo das delegos, e que nao l-
do este incremento, e teio Uenmnstrado que este eos,e como sei que islo negocio do fraco contra o for- vessemos lomado as oecessenas centellas para que
..mis que hoje pesa sobre afproviiicia, foi urna pre- le, e sei que a lodo o ten.po que nao pagar-mos os j boje Cotejamos com as mOS aladas sen. poder pre-
cipilacao, oque sem duvjdt o presidente est pro- juros a naeiin forte nos obligara a Liso, soflrerin-1 venir, sem poder obrar; lamento isso, nao deseo-
va.ido, que a estrada de ferio nada lem aproveitado lios o que sflltreu ha punco Portugal por parle da nhecendo que o acto da assembla merece elogios,
para os cofres provincaos, Franca etc. etc. no sentida geral. ..a idea capital, mas merece edn-
I ma dirercio chegou aqti. e logo comecou adis- ll que ten. feito a companhia de gaz entre nos ? I sura pela conlianea illimilada e absoluta queacom-
cordia e desaguisado entre files... j Por ventura nao >abeu. os nobres deputados, que, a I panl.ou esse mesme acto', e que Irouxe como con-
l'm Sr. Dejiularo .Nejocio de nglez. companhia oxcedeu o praso do contrato e que, at sequencia nec.ess.iria a nossa subordiuacao de una
Huiro Sr. Ilepulado :yu sao dos peiores. hoje nao leve rumen, a illuiuiuacao? mancira adn.iravel asrdense deliberaci.es do gu-
t'iuzam-sr Aparttt / \eiuogeral. Digo, Sr. presidente, quela'iiiento.pnr-
ii Sr. I'.slarr.aiinunciouqueasuafundicaooodia (a-I que hoje anda que conbectmos os maiores abusos,
a assembla provincial nada pode fazer. nada pede "'" '"'" c ,M" S1 fr.b""' f'l,a. V* *>** '
^ Ierro estar bem construido, o systema ser bom, mas
lixi.fade.
I m Sr. Deputarn :Vlgu.un que suspelo con-
tra a companhia diz que ellas sao bem feilas.
O Sr. I. Caeali-anti .-K' preciso bem precisar
a mancira por que se eniende esse bem felb :
sentacao em meu poder.nem posso nies.uo examnal-
os documentos com que a instruirn); entretanto
entend quehavia conveniencia na transferencia da
sede da freguezia paia Ta.nandar, por cnnliecer
qee essa povoacao visa um futuro lisongeirn e ser
preciso que esta assembla decrelassealgu.ua me-
dida que podesse conrorror para o eugrandeciinenlo
dessa loealidade, e por isso nio recnei ame a id.-i
de adoptar-se este projeclo ; entretanto a co.ni.iis-
sito nao poda deixar de rellectir um punco na ...a-
ueira porque deca fazer-se essa transferencia, por-
que conhei odor, como eu era, daquella loealidade e
saliendo bem o estado em que se achaca a nica
igreja que l existe, e que esta nao poda prostar-sc
Eapprovado sem dbale po. 1er desistido da pa- a.l:''l,'ua'a" ollcios divinos, piopnz a co.nmis-
___-o. o____ ., : I sana idea, qun fo. por ella ace.la de que essa Iraus-
rada livesse por Ponto
da cadeia nova, mas
da thesourara provincial requereram augmento d_
ordenado, allegando o que de cosime em laes
occasioesallegare.u os einpregados pblicos.
A couimssao de ordenados, qual foram remel-
tidos laes requerimenlos, nao se anima aeonaelhar
a assembla o deferiiue.ito delles em vista do esta-
do Ofm patale das tiuaucas da provincia; e por isso
de parecer que sejam-indeferidos.
Sala das cou.misses 31 de marca de 1859.Bar-
ros Brrelo.Cameiro ra Cinilia'.Calilas Lias.
Adiado por 1er pedido a palana o Sr. Kpaminon-
das de Mello
:i" t) regente do grande Hospital de Caridade pe-
de a esta assembla que eleve o aso ordenado a
l:0U0f para equipara-ln ao do cirurgao do mesmo
hospital.
A ro.umissio de ordenados, alm de nao adiar
que a razia presentada pelo .si.pplicai.le seja bs-
tanle para augmentar oroeaadot, v que o estado
dOS cofres prnvi.ii iaes aconselha a maior eronuuiia.
e por isso de parecer que seja indeferido o reque-
rinienlo.
Sala das commissT.es :!l de marco de 18"i9.
fereneia da sede da freguezia s fosse ellecluada d.v
pol.s que .. igreja eslivesse as crcumslaucas de po.
der salisfazer as necessidados proprias da sede de
urna freguezia. O anno passado, creio eu, bu mes-
uio naquella poca foi ouvda acamara municipal
du Bio Formoso, e o parecer ma.iifastanieiitecon
Ira rio transferencia, moslra ns inconvenientes que ,.siai.j'_ Qn ,|, ,.M
da, ou da estaco fosse no
d ecco.
Vejamos agora sea d-.re^ lo que se den a estrada
foi a ...ais roiivinhavel, o ie hutive alguma cousa
que a fez seguir un. raimo! diverso daquelle que
i "iiviria i provincia.
Senhores, cu leudo de vi arinua quanlia nao pe-
quena para este lm, devo ftercom este Irabalho
lem niarchado, e nao leuhl Sedo o nobre depulado,
queainanlia asaccT.es da airada de ferro teiihaui
urna baixa, porque isso i.aOftra/ a desanimacao, vis-
to que ellas nunca Uvera.:
veram alta, como ho do
mentos e desperdicios da
causa da baixa...
//'. umaparfe..)
H Sr P.de llriln:Ku I
pn.ponho : o ponto de pal
pareccu o mais couvimn
iiionstrado. O que' sucel
pessoas que imporlam os
da eslaco para os ar
arroba..*. ,
I oze : '21) rs. por ca
OSr.P. re Drilo : *
ico-l'onlas. o Sr^Jous- | bricar as letorla para cxlrarrao do gaz e co.ivdou
qu'- veiu para a eslra- | 0 publico a ir emseu eslabelciinentu ver as que l.i
eslava... pro.nptas as ei.lreiaulo a companhia
nao den ci.mp.iinedto ao contrato, nao den co-
u.eco illiiminarau, pn.u o se importando coma blieos, alada que se eooheca o disperdicio, porque j'."1, V !.
f do contrato. .Sao apoiado.i a assembla provincial nao" pode impedir esse des-l t-. _. -j
Sirvais.osenhorpresideuleiparamoslraramaneira'perdico. M;>r%&iM^.l0i!lZffSlT3lF'*?
porque proceden! entre nos as coinpanhias estran-l l-amenlo pois, como disse, que eslejamos redo- P. m ","ennc'ro ""''.habilitado, ha J minio
geiras. zidos a semelffaiile estado, mas lambem nao deixo
0 Sr. Helio Reg [Raphael): QuantO do gaz,' de reconhecer que os dous por cento naquella epo-
nao tem razan. i ra nao podiam ser dispensados para se fazer o con-
0 Sr. /'. de Brilo;Scnl.nr presdeme, parece-; trato, desde que a Baha se aprsenlo.. olTercceiido
me ter demonstrado que a companhia nao tea curo-1 Mais vantagens aoscaptaes estrangerns. Jaque
prido o colralo em cousa alguma e que da minha; P's aasseuibla nao pode evitar o disperdicio dos
illa ; se pois nunca ti-
haixa Osesbanja-
inpanhia que sao a
icgarei ao fin a que me
ida, disse eu, nao rae
, e a pratica o lem de-
e actualmente que as
Acarea desses engenhos
s pagan, ll rs. por
apresenlarque npeca o desperdicio das rendas pu-
blicas, porque baja (i que houver nao temos outro ""T '" '1""'" ^bere se "s pontcs cstao colloca-
remedo se nio pagar os d.nheiros dos cofres pu- I df'^ ",'a"e,ra se8"ra- s" l'' snl!,ss. *
i assenladas no ar, porque podem ellasser lun fci-
mal fundadas.
lenle, os recelo:
enhcro ni mi o
tempo, vejo-os agora realisados...
0 Sr. S. Lnrerda :Para que se guardn para
ca nao podan, ser dispensados para se faV.er o cou- a?"< O Sr. A. Caralca*n ;Elle nada l.nha com a
eslrada de ferro
lAinw Ja.r.l,a. -.-'. ... *. ,, /^,^1.^,-ju social njes.no ., loealidade allinnarftBl que
""Ti iiecesiieria a transferencia da sede
tenho 60| dn mesada por moz : portadlo quando i
bacharotar-me vou empenhar-me com os meus
oais para me mandarem esludar medicina ; me-
fl.nr ser-se estndante. toda a vida com os 60} no
tim de cada mez (porque nao se passa de um m-
pregado reformado e com soldol do que juiz., expos-
io ao ccete e ao bacamarle com 50. Os onlros
sahiram rindo-se e dizendosao incoherencias dn
nosso governo, quarto annista! te.nha paciencia,
porque nos lambem sabemos que qualquer carce-
reiro tem 600g, entretanto estamos consolados.
Nesta capital felizmente a saluhridade publica
goza do beneficio da inallerahilidade, nao obstan te
a uxcessivo caler que tem feito uestes ltimos das,
mas fOra da cidatfe edentro da provincia tem ap-
parecido os sous casos tristes no tocante a moles-
lias. Em Portel as fehres intermitenles nao ces-
sam de, ceifar lodos os dias algumas victimas, prin-
eipalmente no Ai.ap e Pacajaz onde n mal se ha
desenvolvido com a maior intensidad.!.
Nesta villa (de Tortel) anda um irado, que o
frade, menos frade, que os habitantes tem rislo !
A Ululo de esmolas canta modinhaS, cholas, toca
violao, dansa, o vende mapar a B4II rs. a libra e
inissas a lg! i um rataode primena ordem !
E quantos irados e padres nao ha por ahi desle
mesmo quilate 1!
Este frade.de quem venhode fallar igual a um
barbadiho ou missionario que no Amazonas,......i
missiono rio Purs, em vez de calechisar os in-
dias bravios, mandava-os fazer mxira e aiunlar
ovos de tartaruga para vender I
Acha-se tundeada era nosso porto a canhoeira
tajan* chegada ltimamente do sul.
fin com que ella aqui veio chupar sangue,
islo veio activar o recrulameulo e levar pelo
menos uns 100 recmtas porque consla-me que s
troaxsra 4 n arinheiros'
J me ia esquecendo. Aceite os meus embocas
e de lodosos assiguanles do seu mu conreiliiadn
jornal nesla-provncia, pelo excellenle ivpn com
que agora Irabalha. Na verdade sendo o seu Dia-
ria o primeiro do Brasil em ludo, oque esperra-
mos era que Vmc rauito se esforcasse para collo-
ca-to na posicao em que hoje est.
Adeos ; co'ncluo j esta porque o escrirao Albu-
querque esU com medo que Ihe vio tirar os autos
queno seiicarlorio m nomine exislem, os quaes
sao, segundo elle mesmo confessa, do sceulo XIV.
At eutra vez.
Djalma
Manrauah&o *8 de man;.., de 185.
Hontem chegou o correio da Corolina, um dos
collegios do circulo de Pastos Bous, e Irouxe a no-
ticia da volaptoaue houvenaquelle lugar para a
lisia triplico. BHUndo a rotacao que all .o.ive,
sahiram eletlos Dr, Fortunato', o commendador
Belfort, e o coronel Izidoro Jausem. A eleicao da
Carolina, combinada rom a das outras localidades,
d* em resultado o triurapho do commendador Bel-
fort, do conselheiro Vieira, e do coronel Izidoro
Jansnm. Comtudo para harer este resultado pare-
ce-me ser preciso que a cmara municipal approve
a acia do collegio liberal de Caxias, e regeite a do
ollegio conservador. Desto modo Oca Exm. ha-
r o de S. Benlo fra do combate.
Nao ha multo tempo que parti o vapor Piura-
ri para Canas. Dizera que foi una viagem de ex-
periencia.
No dia SO che gou o vapor ao Codo, lugar distante
vinte leguas de Caxias, e nesse mesmo dia enea Ilion,
e nio pode seguir a viagem por demandar mais
agua do que o rio permittia.
O vapor levava a reboque urna canoa, que linha
sido .retada pela companhia, e que tamben) esta
encalhada. Se nao houver chea, se as aguas SjoWd
rio nao crescerem, o vapor Pindart Ucar provavol, fTc.
mente no Cod6 algua* mezes, c ser isto de muito
prejuizo para a companhia, e principalmente para
o publico. Os passageiros censurara acremente a
gerencia, e eulpam-na de ignorar o calado de agua
que demandava o Pindar, e manda-lo rebocar co...
,- j'cas aguas urna canoa demasiadamente ^anega-
da, e assim arrsca-lo a um encalhamento rerto.
Felizmente ( no Codo est um dos directores da
companhia, o Sr. Joo Pedro Ribeiro, homem que
se diz prestavel, e que talvez tudo reniedei. Se for
assim una lanra era frica.
O vapor Paran, que veio ultimamnnte dos por-
tos do sul do Imperio, irouxe para esta provincia
algumas noticias que desorientaram algumas pes-
soas. Uma dessas noticias a nomcacao do Sr.
Dr. Francisco de Mello Coutinho de Vilhena para
quartosuppleute do vice-presidente da provincia, e
a nomeacao do Sr. Dr. Jos Mara Barreto para se-
gundo vice presidente, e nao sabemos qual o motivo
queobngou o ministerio a proceder assim, e ma-
nifestar falla de" conflanca. que certo que a
escolha d Sr. Dr. Barreto foi muito acertada. O
sr. Dr. Brrelo um cavalheiro digno de conceito,
e nao desmerecer por certo a conlianea do minis-
terio.
Nesta calmara podre em que vamos nao tem ha-
vtdo dtslraccao entre nos que mereca particular
menco, excepto o baile de de marco, anniver-
l.ins
Adiado por pedir a palavra o Sr. Kpamiuoudas.
4" O rgario da freguezia de Cimbres, leudo gas-
to uo concert de sua matriz :t27;WOll de mais da
quota marcada o receido do lhesoure.ro provincial,
pretende agora ser dessa so....na uder.insado.
A satisfarn do que pede o vigario viudo a ser
um luncxeinplo para lodos aquellos que, encane-
gados de qualquer obra, nao se rircuuiscrevereu.
aos meios pecuniarios de que dispe.n, mxime
sendo estes provenientes dos cofres provinciaes que
ja se acl.am onerados com nao pencas despezas,
que lio podem ser desatendidas, de parecer a
commissau de fazondae orcainenlo que seja o sup-
plicaulo indeferido
dahi resullarao. Ora, eu devo acreditar e acredito
na veracidad! deslas infor.uacT.es, porque nos sao
ministradas por urna corpnracao importante, como
i a cmara municipal do Rio Formoso.,
Um Sr. Ilepulado :E i...parcial.
0 Sr. .V. I'ortelta : E n.parrial mesmo, e a
mais interessada, sem duvidana boa administraco
do pasio espiritual e mesmo na boa divisSo .-i> it e
judiciaria etc. Em consequnncia disto eu tenho va-
ciiado a respailo da vantgem desla transferencia
> buje nao pnssn dizer si, em vista destas informa-
coes lao claras e inauifestas, ..til ou nao a trans-
ferencia : s razus dns peticionarios inftairam no
meu jiiimo : os documentos queapresenlaram Uzo-
rain poso na coinmissao ; mas boje, em vista do que
se tem dado, e eu acabo de relatar, tico perploxo na
op.ao que devo seguir. De um lado vejo osas-
signataros, algans delles pessoas conhecidas, de
da freguezia ;
vejo de outro lado a .'amara municipal, co.uposia
de raracteres dignos, sustentando a idea contraria,
de ...aneira que eu cont'esso que me nao sei deter-
minar. Talvez, Sr. presidente, que toase conveni-
ente, qne a respeito dosle projeclo fosse nucido o
prelado diocesano.
Um Sr. Depulado :.l foi nucido.
Huiro Sr. Depulado: E desapprovou a Iranste-
rei.cia.
OSr. K. PorleUa : Eu tenho feito eslas obser-
varoes para mostrar casa, que apresenlando o
projeclo meguiei pelas razoes dos peticionarios; no
entretanto eu mesmo que son um dos autores do
projeclo nao lenho urna idea decisiva hoje. De-
Sala das commlssoesl de abril de 1859.-Cme- *parVi"">'r VW> ">' coiihecedoras do lu-
ro da Cuulia.Barros Brrela.
Adiado por pedir a palavra o Sr. Epamiuondas.
Sao julgados objecto de doliberac.io e mandados
imprimir, os seguintes projeclos -
A coinmissao de fazenda e orramenlo, tomando
na devida consideraran o*requermenlo junio, em
que Manuel Gouveia de Soii/.a, arremalanle da har-
reira da ponte dos Carvalboo, pede nina udeinni-
saco dos prejuizns que lera sourd com a dimi-
nuirn que no respectivo pedagjo causou o transito
da eslrada de ferro, de parecer que ao pctiroua-
gar, islo os nobres deputados oleos pelo circu-
lo do Rio Formoso, que tem mais relaroes all, e
aguardo-me para depois de os onvir dar o meu vo-
to, que peder mesmo ser contra o prnjerto, se o
que dissereni me convencer de que el'e i.i.o justo
nem conveniente.
O Sr. Martin* Pereira : Sr. presidente, pouco le-
nho a acrescenlar ao que acaba dedizer o nobre depu-
tado,que sendo pai do projerln.regeila a sua pateini-
dade. Sr. presidente, nestas materias as autoridades
que devem ser ouvidas san aquellas cajas infor.na-
imliem podem chegsr.
lliicoi.veuienle de que
detemo, estes 50, nu20
ran, sobro o agricultor,
rengas chegariain all, comi
i te e receben,in. por un.
sucar...
I'ni Sr. Depulado :A
O Sr. P. de Brilo :- II.
preciso que as mares sejatn moras para que all
pnssam cliegar as alvarengas, e a.lini.a-ine como o .
nobre depulado sendo senher de engenlio, nao sabe
dessa cirriiinslaura...
ti Sr. II. re Lnrerda :Ed 1 senl.or deengenho?
O Sr. /'. de Brilo : I) aeuliorsiui pai, admra-
me que nao saiba disto, quandu eu, pobre medic,
leuha co.iecin.e.ilu dlsso.
parle esloii em meu direito negando o meu vol ai
juro addicional porque entendo que ella ..ao lem di-
reito a elle por nao lor eiiinpndo o conlrat e*on-
leudn qu... (.|1. i,.... menoscabado a provincia.
0 Sr. Souza Re* :(Daremos em nutro nu-
mero.)
O Sr. Cameiro da Cunhu :Senhor presidente,
o nobre depulado que me preceden acabo com ef-
felo con... linl.a principiado o.seu discurso, mas
furioso coniessar que elle nao quera o que pareca
a priineira vista pefu principio e niesmo lm de seu
discurso : o tempo que gastn em manifestar o que
a casa ouvio, nao o pedir explicares eommisso,
era o que elle pretenda.....
O Sr. Sonza llei* :Entra assim na minha cons-
ciencia.
0 Sr. Cra l'unha : Asna conscencia est
se o poni de part- j clara, est ao alcance de lodo o mundo, o nobre de-
irrcnn alraz da casa de pillado a palomeo alto e bom som.
por arroba nao pesa- I Senhores, tctica velha neslas casas, quando se
ue facilmealte as alca- < quer fazer urna censura procurar algui meio. alui
hegam ronslaiitenien- de nao cliaanlr contra s o regiment. U no-
diminuto esse as-
legua.
rs. do engriilio para a
seus cofres, ao menos levemos ao conhormcnlo do
publico, os desmandos, os desarraigos que se lem
dado nesse camin.n de ferro. necessario, Sr,
prssidente, j que nao podemos fazer mais, que Hi-
ramos conhecer do publico a maneira porque entre
mis se gasta o dinheiro publico, os dinhelros da
provincia ; necessario senhores, que faramns co-
nhecer a todos, o que ha de ...alieno nestaempreza.
Vm Sr. Depulado : Com que resultado ?
O Sr. A. Caralcunti : necessario que tacamos
conhecer islo ludo, nao s para que a assembla se
turne mais cautelosa nesses votos de conlianea,como
para que o governo seja mais solicito na liscalsa-
co...
Um Sr. Depulado : l.ogo, pode a assembla
anda alguma cousa.
0 Sr. .1. Caralcunti:Sim, mas smente cora o
lm de nao eslarmos dsposlos a lodosos dias acei-
tar novas euiprczas sem as uecessarias garantas e
cautelas, das quaes em vez de resultar o bem que
deltas devenios esperar resulla muitas vezes nial.
bre depulado censaron o acto da convocaran da
assembla para a vola, o du jurn addiqjona] da es-
trada de ferro, ceiisiirou ...rio da a saron tuna le que c.-t em vigor, o pVjWKle de
enlo............*7
tira, este lim nao eptente, nao claro? Tem
alguma cousa a cn.ninissao com islo ?
O Sr. Sonsa ltei*. Tudn islo foi secundario.
U Sr. C. ra 'unha : Secundario O nobre de-
pulado sabe que nS nao temos nbrigarao de .irn-
lar a sua qualilicariio. Cencurou, senhor presi-
UmSr. Depulado :Mnitn anles de dizer doen-
genheiro eslavam radiados os paredes do encost
da ponte do Pirapama.
ti ^r. A. Cavalcanli:Aquillo que esse enge-
nheiro me disse ha 6 ou 4 mezes acerca das pnnles
do ramiiiho de ferro, que nao tiiiham seguranca,
vejo eu agora realisado quando abate urna tanto que
se considera perigoso passar com a locomotiva
por cima della... v-
(lia um aparte.)
OSr. .4. Caralcanli:Nao convfnha compa-
nhia inlerromper o transito por duas raides: 1.a.
porque deixava de receber o juro durante tempo
daiiiterrupcao ; i.-', porque a .nlerrupcodo tran-
sito traziacomoconsequeucia a baixa das acroes em
Inglaterra.
romper.
O Sr. .1. Craaleaati :Isso que eu contesto
Nao convinha repito, companhia inlerromper o
transito por essasduas razos...
O Sr. S. Lncerda :E a lerceira porque nao era
Eu creio que a va frrea lem trazdo algum bene-i'>rV!'J'"' ,.,.._ .
lirio, erabora leona tra/.ido, por ora, mais inconve- i ; '"ra '"""".:-Esse transito porm devu
nienles, que bens, e sinto, Sr. presidente, que as ""errnmpidn. va a aecusacao an governo,
. ,' ^ l'll!Illl'Hllll;l mi (infll unrn mi i ifiinm (nnni> non ....
vantageiis que se u-m tir.nJo
sido compensadas com os m
sallado
hoje n.'ii) li-iili.iiii
sque lem della ru-
Kuacredito, que as rstradaste ferro ira/em n
dilo, i'uianippgse, seuhtrus, i
mullos
bous ao paiz, acredilo, euiuopift, seuhores, i|iu: ns
sacrificios da provilifia sao degttllpadn-;, tmlas ns
vezes que su lrala de ernpreusff|lftordi-iii ; mas
sinto lambem queessr liniefieio vennaacupipanha-
do de IaiiIos majes, e males que se podiam evitar.
Sr. presidente, acredito liualineiile, que um pre-
s cujas i
rio assiste Inquestionavel'dirAt a" esMindemnisa- % p"m" *W* ''"' B,eu,Podcr- E*m- Mf"
- -:-, diocesano oppoe-se completamente a esla transfe-
raoCpor isso que o motive que o prejud
intersaos nao daquelles que pudiam entrar as
previses do seu contrato, sendo como a estrada
de ferro una empreza concedida e animada pelo
governo, sem dm da o primeiro inleressadn na per-
manencia da f dos contratos com a fazenda publi-
ca. .Vestes termos entende a coinmissao que ao
Eim.Sr. presidente da provincia seja remellida a
priirjn ib- que se lrala, para que ao peticionario
conceda urna indeninisaco proporcional dilTeren-
ca que houver nu preco presente, e oque se elfee-
tuar na prxima futura arrematara da referida bar-
reira, sendo extensiva esta decisao ao arrematante
da barrera da ponte do Motocolo.nb, que esl em
icuaes rircnmslaiicias ; de parecer que se adopte
a seguule resolucao :
A assembla legislativa provincial de Pernambu-
co resolv-:
Artigo nico, l'ca o presdante da provincia au-
torsado a conceder a ndeminsaco que pede Ma-
noel Gouveia de Sonza, depois de feila a devida li-
quidarn dns prejuizos. ^
Sala das eommissTx'S da assembla legislativa
provincial de Peraambaco, 1 de abril delfAO.
Manoel Joaniiiw Carneiro ra Cunlia. .Infonio Kpa-
miuoiida* de Mello. Joaquim Pedro Brrelo de
Mello Reg.
A assembla legislativa provincial de Pernambu-
co resolv. :
Art 1 Fica aborto ao presidente da provincia o cr-
dito de 1:1:1611$ para occooer'jhepeza com o aug-
mento dos ordenados dos faBCOsStarios de que tra-
tara os artigos seguintes : F
Art. 2. Os einpregados da searelaria da assem-
bla provincial lerao: o ullirial-mair l:2INI ordenado e 300$ de gralllicarao, o 1" oflcial 'J60S
de ordenado e -2Wj de gralillcacao, o 2" dita 800JJ
de ordenado e 200$ de graUBekco, o 3" dit > 720$
de ordenado c 180$ de gratificacao, o porteir 450$
de ordenado e 1503 de gralillcacao, o ajudau te des-
te 100$ de ordnado e 110 de gratilicaco, o o conti-
nuo MIJOS de ordenado el 20$ de gralillcacao.
Arl. 3. Os da secretaria do governo vence o ; o
oflirial-maior 1:400$de ordenodo e 4005 de gratifi-
cacao, os seis oflicaes, cada um 1:200$ de c rdena-
do e 300$ de gratificacao, os escriturarios c ida um
1:00og de ordenado e 200J de gratificacao, s ama-
nuenses cada um 600$ deordanado e 200$ di' grati-
ficacao, o porte i ro 1:000$ de ordenado e WOf de
gralitciro, e os continuos 500j> de ordenaldo cada
um.
Art. 4. Os da directora geral da instruijcao pu-
blica perceberao : o director geral 2:00119 de orde-
lo e 600$ de gralillcacao, os dous secretarios, ca-
ura l:200g de ordenado, o bibliolhecarin o de
1:000, o bedel o de 8005, o porteiro de 600S, e
continuo o de 500$.
Arl: 5. Aos da thesourara provincial se abona-
r, de ordenado ao inspector 2:600$ de gralillca-
cao 4009, ao secretario 1:2009 de ordenado e
200$ de gralillcacao, ao official 9609 de ordenado
e 210$ de gralillcacao, ao portoiro 8009 de orde-
nado e 1209 de gratificacao, ao continuo 5HM$
de ordenado, ao procurador Dscal 1:400$ de orde-
nado, ao contador 1:8009 de ordenado e 400$ de
gralillcacao, aos primeiros escriplurarios 1:2009 de
ordenado e 200$ de gralitiraco a cada um, aos se-
gundos ditos 960$ de ordenado e 210$ de gratilica-
co a cada un, aos amanuenses 70119 de ordenado e
3009 de gratiOcaco a cada um, ao Ihcsoureiro
1:600$ de ordenado e 800$ de gratilicaco, ao fiel
1:000$ de ordenado, ao escrivo da receita IjiOOf
de ordenadoe 200$ de gratilicaco, e aos ptancan-
tes 400S de ordenado a cada um.
Art. ti. Os guardas do consulado provincial tero
6OO9 de ordenado cada um e bem assim o porteiro
que mais ter a gralillcacao de 2009 c o continuo
o ordenado de 5009.
Art. 7. Os actuaes erapregados s podero gozar
das vantagens da presente lei as aposentadorias se
o forera canco annos depois da sua execucao.
Arl. 8. As licencas com ordenado por inteiro s
serao concedidas provado que o impedimento phi-
d
Sr. Jonssonn, primeiro engenheiro. quena que
fosse por Sanio Amaro de Jaboalo, Calenda, i Ks-
cada, o Sr. llnzoiiiff apresenluu a idea de sei pilo
l'.abo. Ora, ii.uguein dir que a direeco da estra-
da, sendo por Saulo Amaro, nao fosse a uias con-
veniente, embora o seu custo excedesso, como en-
tre si concordaran) em mais 200 conlos, porque
sendo terreno por Santo Amaro mais solido, mais
forte ; porm o excesso do coslelo seria compensa-
do com as despezas da conservaco que se han de
fazer na actual eslrada, cujo lerreno movedicn e
arenoso : couservacn essa. que segundo o colra-
lo tica a expensas do governo. Perguularei, pois,
se em cerlo numero de anuos, esla conservaco sen-
do fea pelo governo nao ser muilo mais onerosa
do que aquclles 200 conlos de mais do custo da
obra I CrlQ que sim, licando a obra muilo mais
segura, porque excepcao das pontea, que son in-
terinado, esto bem feilas, o mais una desgraca
e urna miseria.
Fallare! anda da factura da eslrada, queja de-
monstre! ler seguido una direeco inteirameiile in-
conveniente, e demonstre! com a opio dos enge-
nheiros.
Sr. presdeme, eu siippnnlin que na provincia
exislem pedreos de alguma hahlidade, que nao
fariam cortos leos da estrada de ferro, pela ma-
neira porque os li/erain os engenheiros inglezes:
eu vi logo no comero da eslrada, deitarem-se pe-
n-le con. aria
reuca, e a oposicao de S. Exc. fundada no que
informen o visitador. A cmara miiuicipal do Itin
Kor.i.oso procurou com mila minneosidade de-
monstrar a inconveniencia dessa transferencia. Mos-
trnu qual a posico actual da sede da freguezia em
I na, e a posico que lera realisando-se seinellianle daros de paos de cqnerns, cohrin
transferencia, transferencia que o projeclo permute ; assentar-se-Ihes iruhos en cima....
expoe os inconvenientes que trar os incommodns I (Ha m aparte).
que pesaro sobre a popnluco com a inudancanro- jf) Sr. P. de Brillo :l'.u quando vi islo, u
Jerlaaa. einli.n, a nenhu.ua rantagem que della I diataiuenlu cnlirmei as minhas ideas que l.ba
provm.
Por tanto, parece-mc que Indas estas nformaces
sito haslanle valiosas para que o projeclo nao .seja
adoptado, e por isso cu voto*contra elle, dispensan-
companba, ao engenheiro ou a quem tocar que eu
pouco me imoorlo. Senhores, o nerigo reconhe-
cido pela companhia desde que ella nao Iraz a lo-
comotiva para cima da ponte.
OSr. /.. Filippe :Nao apoiado ; pode harer
peigo en. passar a locomnlva e nao haver em pas-
sar u Ireni.
O Sr. t. rarafciiiti:Senhores, o perigo nao
existe somenle quanlo se di algum desastre ; o pe-
rigo nao sanio o temor de yin esse desastre se
de ; querer decidir a questo como o nobre depu-
perigo nao existe, que
um.....
sTao saber quando
do-ine de alargar-me na deraonslraco de sua iiiuti-
ldadc, porque me persuado que. o nobre depulado
disse bstanle para que o projeclo seja regelado.
O Sr. Cpnminonra* nao decolveu e seu discurso)
Encerrada a discusso, o projeclo siibmellido
votaco e regeilado.
Continuas a segunda discusso do projeeto de
orramenlo provincial.
Artigo 11 e seus parographos adiado da sesso
anterior.
0 Sr. P. de Brilo :Sr. presidente, com bas-
tante acanhamentoque entro nesta discusso, por-
que a julgo de grande mportancia para a provincia,
i nao ih'scnuhecoudo que nesla casa se ocham pes-
soas miiilissimfliabilitadas para fallar sobre esta
malcra, porm no calor da discusso, que huelen,
aqui leve lugar, a vondn que o nobre engenheiro
emolido nesla casa, iminedialameule lomei medu
da estrada, e fugl della, conliniiou a factura dessa
obra e infelizmente um dia perdi o pnico dn l'.abo,
mas com lauta infelicidade que a sendo victima
con. minha familia, porque os wagonssallaram fra
dos trilhos....
Pai Sr. tputadn: Que fatalismo !
" Sr. /'. de Brillo :Eu nao lenho, romo fata-
lismo, porque eslo.i mnito ao fado do que se pas-
sa nesies camuhus de ferro ; sei que islo aconlece
algumas vezes. mas creio que em retacan lem-se
dado mais ve/.es em Pernambiico do que na Europa
e mesmo nn imperio.
Um Sr. Depulado : Uuantos casos se tem
dado ?
O Sr. P. de Brillo .Seis, ouoito....
Um Sr. Depulado: Equantos no Rio de Ja-
neiro?
O Sr. P. de Brilo :Creio que dous.
Senhores, eu provarei at que esla estrada ape-
i as lem visos de camioho de ferro. Iii/.ia en, Sr.
.nombro desla casa se achava presente e hava pe- l presidente, que a eslrada foi muilo mal feta. e ape-
nut l,ri"ra- f "?PU1 1"! "3 JT lnU'"';u0S- f"P- as as ponles, segundo me dizem a nica obra
pin digo eu, que elle quizease defender a directora' l perfeita
da estrada de ferro, emprciteiros e toda a compa- .. ,
libia, live ento do pedir a palavra, porm feliz- > -f?ra. Sr, presdeme, locare na maneira por
mente observe! que o nobre engenheiro, pessoa 'l'"' S'-'cm.portado a companhia. Ku. Sr. presi-
miiissinio habilitada e entendida na materia, na- .enl,' falU'! ,'1!1 esl'anjameulns. e promet ao no-
da disse em favor da companhia, pelo contrario af- '""'' depulado dizer alguma cousa do que soubesse
lirnion que esses negocios nn niarchavam bem..... a este respen Todos sabem que eu nao lenho as
nc. m-ii n ,n ., r. vislassobre a bnIsa da cninpai.h.a do camioho de
r1!,0r''fe"",7"!'0/,',','""';'-r'Tq,,0 dC|"" ferr. mas falln que geralmenle ...ico fallar; sa-
rava esses embaraces e inconvenientes que se da- | henms .. ni.
vam.
O Sr P. de Brilo :. Sentio que os negocios nao
marcl.avam bem, c lanln, assim que o nobre
depntado fallando sobre n queslo, nada disse em
defeza dessa empresa.
Pelo contraro outro nobre depulado enuncio.,
proposicoes que inteiramente vio contra esla cu-
bemos, ou diz-se que tem viudo engenheiros pelos
fabulosos procos de 30 colos dn ris como por
cxemplo o Sr. Bozouin, istu mesmo inglezes me
alTiriiiaraiu.
I'm Sr. Depulado .E al por quarenla.
O Sr. Pereira re Brilo :Nao sei, mas sei que o
resultado dos trabadlos nao corresponde aquillo
presa: a priineira, foi de que a assembla provu- i que era de esperar de capacidades que receben) lal
cial tiuha enneordado em garantir o juro adicional; ordenado. Alm disto, consla-mc que se tem dado
de 2 por cenlo, companhia coagida. Eu tomei jamares, como por exemplo aquelle para que foi
esta noto, e repela enlo e agora repito, que sup- convidado o ex-adminislrador da provincia, etc.
ponlio nao ler havidocoaeco nesta rasa, puraque Por cousequenc.a parece-me que nao lem havidn
se desse a garanta do juro de 2 por cenlo ; nica- economias, o que o mo porque nos temos de pa-
mente dous membros desta casa, eu o o Sr. Manuel 8ar jaro do custo tolal desla obra.
Cayalcante, lizeram opposico garanta do juro I Sr. presidente, o estado actual da estrada para
adicional, o nobre depulado em ura sentido, e eu mim, mo, pessimo e parece-me que nao resta
cm ouiro ; eu fundadu em que a provincia nao. de- j duvida sobre islo vista da apreciaco (cita pelo
riagarantir os 2 por cenlo, porque a companhia j ex-presidenie da provincia, o Sr. Taques quando
tuiha feito o contrato com o governo geral, e. leudo | mu conscienciosamcnte depois de ouvir o enge-
fco o contrato dcvla sujeilar-se facturada eslra- | nheiro liscal da eslrada de ferro, nn a quiz roce-
da, sem ter este juro adicional; e o nobre deputa- ber, iso porque a eslrada nao linha terminado o
do fallou em sentido diverso, dizendo que no llrasl j lain-o segundo o que estaca eslipulado no contra-
ainda uoconvinliam os caminhos de ferro, ecl. Fo-io, e nao hacia segu ama e solide/, lano assim
rain os dous uniros membros que seupposeram; que elle a nn receben senn provisoriamente, c
:'pou a coinmissao por
infonnacnes para fundamentar o seu roto, ou per-
guntou as razes que teve a coinmissao para mar-
car oslas quanlasenn outras.
Senhores, o nobre depulado parece que nn esla-
va prsenle quando eu hontem, mostrando o orca-
inenlo da thesourara, disse que a eommisso se'li-
nha bsenlo nelle.....
O Sr. Sonso /fei* : E'tava presente e.....
O Sr. C. da Can lia :Eu disse islo niesmo, para
ouvir esta resposta ; o Um do nobre depulado, pois,
foi aecusar a todo 0 mui.de O nobre depulado
quera que a cnmuisso soubesse da thesourara a
razo porque no oreameiilo tiuha consignado 26
conlos, nao allendendo as palavras do artigoju-
ro provavel quiz que lambem houvessc pro-
babilidad!' nos 53 conlos.
Ora, senhores, muita probabilidad.' para a par-
lo de urna eslrada queja funccoiia ha um anuo,
que j a thesourara deve ler feito um calculo u
mesmo oago.
Um $r. Depulado : K (besoiiraria, nada sabe,
lem-se feito ludo pela thesourara geral e o presi-
dente nada tem rommunicadn a respeito.
OSr. C. ra Cualia :-llera, enlo a censura vai
oiitrem, a quem locar, e nao por cerlo i eommis-
so a que... issn compete, e nao sei, pois, porque
ra/ao o nobre depulado a censura.
Senhores, o juro addicional provavel, nunca se
pode lixar uo cerlo porque elle depende do maior
ou menor rcndimenlo da eslrada, por consequen-
cia, sempre que houver de se marcar nina quola,
para islo, hade sera provavel.
Senhor presidente, todas as vezes que se tver de
calcular esla despez, elle nao pude ser fundado se
nio era prbhabili.lade, mais ou menos aproximado.
Olanlo ao pagamento do juro para a pi.meira sec-
eaoj fea, deve ser mais do que probabilidad.:,
deve ser um calculo muilo exaclo, porque a thesou-
rara nao devia ignorar se devia informar-se, para
nn nos indiizr em erro, o que fcil, porque o cal-
culo deve ser feito pelo que j devem ter pago as
duas Ihesourariascom a dl'erenca de una pagar 5
e oulra 2 por cenlo.
Mas o nobre depulado que assim increpo., a eom-
misso, por sen mo calculo, apreseutou o das li-
bras esterlinas, que foi o menos provavel do mun-
do, por cunsegiiie a probabilidad.' da eommisso
foi combatida por una probabilidad!! mais dbil,
mesmo porque o nobre depulado declarou nao sa-
be! quanlo importava urna parte do seu calculo.
Senhores, eu hontem disse que a eommisso nao
tiuha obrigaco, nem linha os couliecimasjtos cs-
peciaes para inspeccionar a segunda scelo da es-
trada de ferro, e saber o estado desses trabalhos,
mas ai.ida hoje o nobre depulado insiste nslo, cn-
leiidcndo que eommisso corre essa obriga-
co.....
O Sr. Sonza liis : Eu nao disse tal....
OSr. C. Cunhu :Bem, suiq.uz que havia dito
isto, mas o nobre depulado diz que nao, eu nao
insistir... nesle ponto.
Senhor presidente a eommisso marcou quota
para a segunda serco, por que devendo acreditar
ue esses trabalhos ho de progredir com maior
arca do que tem tido at aqu, e sendo assim, pu-
dendo ser concluida de necessidade o haver j
urna quota marcada para o juro que a presidencia
obrigada a pagar.
I.imillo-uie a islo e quanlo a essas outras censu-
ras, responda quem quizer e como quizer, eu s di-
gp ao nobre depulado que aquella que me cabe por
ler volado por essa lei da garantia addicional, eu a
aceito, e que .inda hoje volara de igual maneira se
a oeeasiao se apresentasse.....
0 Sr. Souza lleis :O que se segu que o en-
thusias.no contina.
nao desanimar outras empresas novas. Disse sin
constantemente, mas eu nao pens assim, entendo
que o nosso dever vigiar com o necessario cui-
dado na pereita execucao dos contratos que se l-
zerem nao ter s o desejo de fazer obras novas an-
da que ms sajara.
Enteiide-se que a nossa maior felicidad.' ler
muitas empresas com espitaos eslrangeiros, anda
que essas empresas venhaa a cahir em um estado
di'ploravel, mas uo, senhores, a idea que nos deve
animar hoje, que j temos algumas emprezas com
capaes eslrangeiros, nao fazer animar outras s-
meme, o nosso lim principal fazer rom que esses
capitaes se erapreguem em obras, mas obras bem
execuiadas ; enifim, que da applicaco desses ca-
pones resulte vanlageiii publica...,
Um Sr. Depnlaro : E esse nao ser lambem, o
interesse dos capitalistas *
(I Sr. A. Cacatranti: Pdfe ser, mas pensando
sobre o que se passa entre nos, v-se ana o capita-
li-la i'slrangero que tem 7 por cento garantidos,
nao tem oulra idea, alm desla, e pouco se impar-
la com a imporfeiro das obras.
_/.'. Sr. Depulado : E se exceder o orcaraento
nao Ihe diminueo juro 1
O Sr. A. C.ivatranti: O orramenlo feito de
maneira tal, que c.hega para tudo. E de mais, se-
nhor presidente, ha um excedente meio para os em-
presarios tiraren! bem, c o de entregar as obras
se... ticaretn completas...
(Ha um aparte.)
Sr. .1. t a ra Ira nli :Eu fallndonosla casa le-
nho por lim cumprir um dever, v a censura a
quem locar.
Dizia cuque os capitalistas, deudo a garantia de
7 por cenlo,pouco se imporlam romo mais, ealin
(lisio a conservaco sendo cusa da provincia...
I'm Sr. Depulado :Isso, muilo conlrover-
lido.
OSr A. Cavalcanli:sim, senhores, mas o re-
sultado pagar SO. Sr. presidente, necessario fa-
zer o calculo, examinar as c.mdires do contrato
qne exislem, para se conhecer que pagamos dous
por cenlo, ou se Lavemos de pagar 3, i ou 5 por
cento, conforme e dinheiro que se tiver despendi-
po no costeio e conservaco da obra. E' verdade
que podem haver conleslaces, mas eslas ho de
ser respondidas com duas phrasesrazoes de or-
dem superior, e altas conveniencias diploma-
ticas.
Um Sr. Depulado :Aonde eslo essas phrases
to marav.lhnsas ? Leu o parecer do conselho de
estado, vio l isso ?
O Sr. A. Caralcanli :Eu digo que a resposta a
tudo quanlo se disser razos de ordem supe-
rior, e altas conveniencias publicas.....
f'm Sr. Depulado:O governo apreciar, se sao
ou nao.
OSr. A. Caralcunti:Nao estou por isso, por-
que sei que essas razes de ordem superior, sao
resposta para ludo al para oque nao convm....
Um Sr. Depulado :E' bom dar asOJe orden, in-
ferior.
(I Sr. A. Cavalcanli:Senhores, a queslo nao
de palavras, porque os fados domonslram que se-
ja qual for o contrato que se flzer com o governo
elle tica sempre de peior partido e hade pagar: es
la a experiencia dos factos...
Um Sr. Depulado .-O remedio mudar o go-
verno.
O Jr. A. Cavalcanli .O remedio contratar o
menos possivcl : eulende-se que um bem, Irazer
os capitaes eslrangeiros para o paiz, mas eu creio
que um mal lerrvel quando se nao mida da
maneira por que se applicara esses capilaes
\Cruzam-*c aparten.)
0 Sr. .1. Caralcanti:Nodcixa de ler alguma
relacocom o empreslimo.
Sr. presidente, eu me tenho limitado a conside-
O Sr. C. da Cunha :O que se segu que quan-
do se fazem eslas rousas pela primeira vez. suc-
cedem estes fados, aquillo que esl inherente ao
noviciado e como alguma vez se havia de principiar races geraes por ora e tenho dilo mais do que
cuino diz hoje o nobre depntado que a assembla
foi coagida?...
I ai Sr. Depulado : Coagida pelas clicumstan-
cias.
O .Sr. P. de Brilo :Nao houveram circumslan-
apresentou islo no seu relalorio a esta assembla,
declarando que eslava disposto a uo pagar os ju-
ros : esta casa approvou este san acto.
Sr. presidente, eu nao sei se o conselho d'esta-
do, porque eu roufesso-me teigo eni materia de
cias algumas, que coagissem a assembla a dar es- legislaco, poderla obrigar a piovincia que tem
la garanta. > um contrato rom particulares i pagar o juro desse
En demonstrarci, senhores, que se livermos cm ; contrato quando esse contrato nao foi comprlo.
vista a poca naquella adualidade, em quealguns Nao sei seo conselho d'esta.lo poda obrigar a que
nobres deputados aqui apresentaram hontem a idea a provincia pagasse, uo sei, mas creio que sem
de que nao era favoravel, e eu provarei o contra- ouvir o qunixoso que era a provincia : que disse,
rio : naquella poca toda a Europa eslava por assim i nio pago os juros, porque vs nio cuniprisles o
dizer em rovoluco ; os capilaes existan! vacla.i- emitalo, poda fazer isso
quando se desse isso, havia-sc dar a roesma cousa,
salvse o nobre depulado asseula queCOmecando
cm oulra poca nao seriamos novicos, urna poca
remla que o nobre depntado prev, ao avesso dos
velhos que eiendem que no seu tempo tudo foi
melhor, pois eu, nem sou lo velho que chore os
lempos passads, nem to moco que s espere do
futuro.
O Sr. Presidente reclama que os oradores se cn-
jam malcra em discusso.
0 Sr. I. Caralcanti : Sr. presidente, sinto
fallar a nina hora to adanlada, e em nina queslo
em que os argumentos que tenho de apreseular a
casa, poeo aeereseeotaro ao queja est dito pelos
oradores une mi' precedern!; comtudo nao
tencionara ; preciso agora que alguma cousa di-
ga positivamente acerca do estado da eslrada de fer-
ro o acerca dos motivos que rae levara a nao po-
der volar pela consignaco que se acha no pro-
jeeto
Infelizmente. Sr. presidente, o contrato feila pa-
ra as estradas de ferro do Brasil, foi de um moao
oneroso, de modo que o governo o nao pode lisca-
lisar devidamente.
O Sr. S. Mcerda :Nao apoiado.
O Sr. A. Caralcanti :Oual o artigo do con-
trato qne d llscalisaro .inmediata ao governo "!
0 Sr. S. I.arerda :i.lual a liscalsaro imme-
diala ? E' ler agente sen i
O .Sr. A. Caralcanli :E' ter agente que possa
les na Europa, os eslrangeiros bu sea vam o paiz aon-
de o seu capital eslivesse. seguro e que ufferecesse
a garanta necessaria, e um dos paizes que nesse
lu Sr. Depulado : A provincia nio poda
obrar diversamente do que livesse pratirado o go-
verno geral.
res que me preceaeraiu ; comiuoo nao me
convinha recuar desde que ped a palavra em con- dizeresla obra esl m, faca-se ouli
sequencia de un. aparte que. di'i a um dos nobres! (Ha um aparte *
deputados.
Ouai.do, Sr. presidente, levado pelo enthusiasmn
da poca e pelas necessidades da oeeasiao cm 1S5I,
eu que fazia parle desta rasa, como suppleute, nn
s volei, como fallid na garanta dos dous por ren-
to addicionaes ao que dado pelo governo geral,
ti/ aquillo, que faria qualquer que desejasse para a
sua provincia ura melhoramento da ordem de urna
estrada de ferro, que desejasse Irazer o progresso
O Sr. A. Caralcanli :O agente do governo s
lem que ver se a obra est executada segundo o
plano, mas pode estar mal fea e nada tem osgen-
le com isso. Nestas circunstancias tudo tem sido
feito do peior modo, os atorros sao muito raaos, as
pontos esto terriveis, nao olTereeem seguranca al-
guma e nao me firmo somenle em minhas pala-
vras, apezar de que nio preciso ser professional
para alguma cousa dizer a este respeito.
Desde que a companhia
ia nao pode passar sobre a
punte pelo seu peso, ha perigo ineontesUvel-
mente...
/ ai sr. Depulado .S pode haver pasando ura
peso igual ao da locomotiva.
O Sr. .1. i'aralranii :Desdo que se reconhece,
se descoma per urna razo qoe est ao alcance de
todos, que o .-.batimento da ponte, que a locomo-
tiva nao pode passar porque o seu peso pode
faze-la abater mais, claro que perigo existo e esse
perigo nao s para a machina, para os carros
que transitan..
O .Sr. I.arerda lies no verba.
O Sr. A. Cavalcanli:Pode ser que me conles-
tem, mas em minha opinio, com desvaulagem. A
companhia devia parar o transito desde que a pon-
te entrn em concert. (Kpoiado* e nao apoiados.)
I'm S. Depulado:O inconveniente seria maior.
0 .Sr. A. Caralcanli:Para a companhia. .
(Ha um aparte.)
Oual o perigo que existe de passagem de loco-
motiva?
1 ai Sr. Depulado:Ha perigo pelo sen enorme
peso
O Sr. ,1. Caralcanti:Mas qual co mathemati-
co que possa allirmar se o perigo como dous ou
como Irez, se. a ponte pode abater com o peso da
locomotiva e nao pode aaater lambem rom um peso
menor?
Eu digo, que desde tse reconhece que ha pe-
rigo para urna cousa, poda haver perigo para oulra
visto que o homem e fallir!.
fu. Sr. Depulado:Enlo nao se anda pela es-
lrada de ferro.
OSr. A. Caralraali:As obras malfeitas da es-
trada de ferro deram lugar a essa mina e d'ahi o pe-
rigo que se ola,
i'm Sr. Depulado :Porque prohibi o governo
o transito de carros pela ponte velha dn Recife, e
nao prohibi o de horaens?
OSr. A. Caralcanti:Ha muita dfferenra; o
argumento por de' mais capcioso, nao ha iiciii.it ma
relaco enlre urna e oulra rnu.-a.
'J'rnzam-se apartes.)
E impossivel Sr. presidente, precisar com segn-
raura um perign da ordem destes, e todas as vetes
que a companhia reconhece que ha perigo cm razao
do peso da maquina passanao na ponte, nao se po-
de negar que perigo pode haver para os carros que
lrai.sit.ini por ella.
[Cruzam-se aparte*.)
Eu nao disse que a companhia nio se importara
que as aeces baixassem, disse que a companhia ti-
uha ura juro garantido, mas reconheco que ha todo
o interesse era se fazer crr que a estrada vai muito
bem para se acreditar na Europa...
[Ha Um uparle.
A companhia o que quera, era que a estrada se
abrisse ao transito publico perfeita ou iinperfeita,
aln do receber os juros dos cofres pblicos, porque
estando iraperfeita, as despezas que se fizerem han
de ser pagas por nos a titulo de conservaco.....
[Cruzam-se apartes.)
OSr. A. Cavalcanli:Eu deixo esta questo de
pagamento de juros e vou adianto.
Sr. presidente, nio se pode por em duvida que
as obras da primeira seceo da estrada de Ierro, tem
sido mal feilas, e que nao podiam ser recebidas,
nem quando o foram, nem anda oje porque na
piimeii-a .nxiirrada, que nn fn mnito grande, ellas
sofreram, de maneira que se houver umacheia, ti-
ca ludo inutilisado. Lamento que a primeira sec-
eo fosse feila desle modo, e por isso tratandoo
de consignar quota para pagamento do juro da se-
gunda preciso que se f.i9a sentir isto; assim co-
mo a quasi impnssibilidade de estar a segunda sec-
eo em etVcci.Mdade, ou concluidos seos trabalhos
dentro do anno finaiicciro seguinte : Se o contrario
se veriticar, nao ser senio para seren recebidos
como os da primeira secrao ou ainda peior, porque
os trabalhos da segunda seceo sao mais difceis
do que os da primeira, basta lembrar-mo-nos du
Tnel, que pouco tem caminhado,entretanto que foi
coioecado desde que se findou a primeira serco ; e
algueui me informa que muito se tara estanuo
prompla esta seceo uo lim do anno de 1860. Pouco
nos deve importar, Sr. presidente, as desinlelligen-
cias entra oerapreiteiro e a companhia.
Assim pensassem todosl Que haja paz, ou deshar-
moiiia, entre eraprcileiro e directora pouco me im-
porta, o que desejo que os trabalhos caminhem
regularmente....
Um Sr. Depulado :E que os 100 belgas que so
mandaram buscar, nao fossem deixados no campo.
O Sr. M. tortilla:Nao eslavam no campo, eu
vi tiiiham casas.
O Sr. A. Caralcanti: Sr. presidente, neslas
circuraslancias, nao se terminando a segunda sec-
eo eu acho inconveniente que notemos a verba pa-
ra os juros, porque essa quanlo pode ter urna ap-
plicaco especial melhor ou mais conveniente, evi-
land-se o defflrit, de que se nos ameaca. e tambem
o empreslimo extraordinario que se. nos prope.
Nao posso ainda prestar o meu voto a consignarn
Sara a primeira seceo, porque a eommisso nao
emonstrou que os 53 enntos, sao a soratna precisa
para essa despeza, muilo mais quando ja ouvi dizer
que a somma precisa de 86 conlos. Nao voto pois
m .-,:.. u-, <

:;.- :'.'. ''
* '.....ranutol Irr flMIWI HHiaMM


ai ,7,-, ,,A
2
Diario de Pernambuco.Terca feira S de Abril de i 859.
pin- esta verba cm explicacoes devides, ou nao foreni riadas conlas
thesouraria e mesmo a esta assembla, porque do
faci de nos gujolar-nios aos mesmos onus que o
goveruo geralnao so segu que estejamos obligados
a dar a quatia que dos fr pedida sein que se nos
di! a mesina aasfacao. Assiui voto contra a primei-
ra e a segunda consiguacao.
A diseussao Uca addada pela hora.
Le-sc e approva-se a redacoao do projecto da -
xacio da forra policial.
O Sr. Presidente designa a orden] do dia para a
sessao seguintu e levanta a da hoje.
Eram 3 horas e nieia da tarde.
SESSXO ORDIS.IM.I E 2 M ABBll Di 1859.
Presidencia do Sr. bario de Camaragibe.
Conrlusao.'
Ao meio dia fcita a chamada, verifica-so cslarcm
prsenles20 Srs, deputado*.
Abre-se a sessao.
I.cin-seo approvam-se asada das duas sesgues
anteriores.
0 Se.!."Secretario menciona oseguinte
K\l'l UM'ME.
1 ni officio do secretario do governo, participan-
do que fora trapsmiUida i thesouraria a rnlai-ao
dos (Bobotes depnlftdo que comparecern) a sessao
no mez do marco para o Un couvenienlc. Inlei-
rada.
Oulro do mesmo remetiendo 40 exemplares do
rotatorio do inspector da thesouraria..1 distribuir.
L'm requerimento de Manoel Buarque de Haccdo
J.ima, pedindo que se aulorise a cmara do Olinda
liara lhe aflorar um terreno conhecidu pelo uome
de Salinas, campias dn conselho. obrigando-se a
jiagar 30$ de foro annual.A coiiiuiisso de nego-
cios ile cmaras.
Oulro de Francisco de Barros Palco Cavalcanti
de Albuijuerquc e Alexandre Americo de Caldas
Brandao, ein (uic pedem se marque a guallficacao
quo Ibes 6 devida pelo acerescinio do traballio'dn
ixaaM das conlas da eilincta thesouraria que pelo
artigo 3 da lei u. 152 se lhe tuatidou pagar. A
commisso de nreamento provincial.
Outrode Mara Isabel l.ius, profossora publica de
lustruecao elementar da oidude do Rio Formoso,
pedindo o pagamento da grutilicacao marcada por
le, por temais de 12 anuos de ejercicio na men-
cionada cadeira.A comuiissao de or. amento pro-
vincial.
Oulro d Joan da C.unha W'anderley, arrematan-
te do imposto de SgMO sobre taboca' de gado vac-
cun e morto para consumo no municipio de Naza-
rclh, pedindo o abale dc blUOOji no proco da arru-
inataro.A conunisso de orcatucnlo provincial.
E liiln e aprovado oseguinte parecer:
A commisso de petices para poder dar seu
parecer sobre o que requer a esla asscmblca o al-
dante de engenheiros Joaquini Pires Carneiro Mon-
teiro, com brenca na l.uropa, lie de parecer seja
nucido o Exm. Sr. presiaente da provincia.
Sala das commissoes 2 de abril de 1850.Mar-
tin* Pereira .Paulo de Amorim Salgado Jnior.
Pica adiado por Icr pedido a palavra o Sr. Soma
liis, o seguintp parecer:
A commisso de obras publicas, leudo em con-
sideracoa inforraacau ministrada pela ruparticao
das obras publicas, sobre a proposta de Jos Anto-
nio PereiW, e atteudendo que, alm de nao have-
rem anda esludos precisos para a estrada que tem
do seguir para o Ro Formo.sn desde o rio Ipojuca
at essa cidade, pelo que iieiihnma base existe para
com garanta effecluar-se nm contrato to impor-
tante quanto o que propeo peticionario, os coiu-
proraissos que tem actualmente os cofres provin-
riaeseom outras obras j contratadas e em execu-
cao nao pprmiilem que outrosappareoam, emqiian-
lo senio reconhecer que os mesmns'cofres podem
supportar, de parecer que seja iudeferida a nicu-
cionada pretenco.
c Sala das commissoes 2 de abril de 1859. Dr.
!Tatcimento Portetla.M. Cataleanti.
Tambem addiado por pedir a palavra o Sr.
I'heodoro da Silva o seguinte parecer:
A A commisso de petic.oes, a quem foi presente
a de D. ioanna Mara de Freitas Gamboa, autora do
drama Branca Dias de Apcpucos, de parecer que
.seja su pelico e original do dito drama remetti-
dosaoF.xm. Sr. prcsidcnlc da provincia, pora al -
tandendo a materia de semelhanle petieo, resolver
acerca das vantagens da ofTerta que faz a mesma cm
buuelicio do hospital de candado.
Sala das commissoes -> de abril de 1859./.ni;
de Albmavtrqtie Martin* Pereira.Yanto de Amo-
cu Salgado.
K approvado o seguinle parecer :
A commisso de coustiluico examinando a in-
dicacao do Sr. deputado Nascimcnlo l'ortella, e re-
correndo ao a:to adUicion.il, nao enconlrou funda-
mcnlos que fecam reconhecer a necessidadede tres
discussoes para ser adoptada qualquef rcsolucao que
nao houversdosancciuuada.
Vio entretanto a commisso que o artigo 11 do
rilado acto addicional exige tres discussoes para
que passe nm projecto ouiesoluriio, ao passo que
o artigo 15 apenas exige nina nova discnsso ; co-
mo taes exigencias na mesma lei nao podendo per-
iniltir que o legislador usasso dessas palavras, ten-
do ollas a mesma significaeo, importando ass'im a
nova diseussao do artigo la o mesmo que as tres
discussocs diversas do rtico 11; c esla intelligen-
cia alem de encontrar apoio na letra da lei, nao se
oppc ao seu espiririlo ; pois a commisso de pa-
eecer que para ser orna rcsolucao adoptada pela
assembla, guando nao houver sido sancciouada
basta nma so diseussao.
Sala das commissoes 1 de abril de 1859.Sebas-
ttao do Reg Barros de Laeerda.Joo Alfredo Cor-
rade Oliveira.Dr. Paula Baptista.
Sao julgaados objecto de deliberarlo e mandados
imprimir os seguimos projectos :
A commisso dos negocios ecclesiasticos, exami-
nando o compromisso da irmandade de.S. Beuedi-
to, erecta iia hjreja de Nossa Senhora do Rosario
em Goianna, e estando ia approvado pelo Exm.
diocesano na parte ccclesiaslica, de parecer qu
osla cmara adopte a seguinte rcsolucao :
A asseinbla legislatira provincial do Pernambu-
co resolve:
Artigo nico. Fica approvado o compromisso da
irmandade de S. Benedilo erecta na igreja do Ro-
sario da cidade de (ioiannn ; o revogadas as disno-
sicoes em contrario.
Pago da assenibla legislativa provincial de Per-
nambuco 2 de abril de 1859.Padre uarte.Pa-
dre Marea!.Pinto de Campos.
A commisso de estalistica, tendo conheci ment
das necessidades de urna parle da populacao que
i?"j** fre8ue);ia ao l'lorcs pe'" lado da Sorra Ta-
Ihada. em consequencia das distancias que a sepa-
m de s"a respectiva pnroehia e da impraticabili-
dade dos eaminhos que Margam inevitavelmente
a promnaa satisfaco daq^Bbrnecessidades : espe-
cialnjente ua estacan inflppM, adespeito do reco-
uhecido desvelo doparoS.de FIAn s ; vem sub-
meller a approvacao dW*ssemlila urna medida
qne no eneouer da comttissao remediar sem du-
nda os mencionados incoiivciiientes ; por issoque
desliando aquelles povos da freguezia de Flores
sugeitaado-og ao cura de Serra Talhada, se lhes'fa-
ri omaiorhein deque precisam, pois que os apro-
xima de maisfaeeis recursos, c Ihes reniovc a cau-
sa do k precizoes.
Sobrcleva que freguezia da Talhada, alem de
ser menss povoada que a de Flores, dentro de cuja
circiimseriDcao demora a frtil e populosa serra da
Baia Verde, o seu terjitorio menor : pede por
tanto a justica que se lhe incorpore os terrenos
compreheadidos no seguinte projecto, em favor de-
cuja adepctlo 6 a commisso de parecer que se pro-
cure ofcter pelos canaes competemos a annueneia
do Eim. prelado diocesano, sem prejuizo da 1 e
2* diseussao.
A assembla legislativa provincial de Pernambu-
co resolve :
*** Fica pertencendo a freguezia de Serra
Talhada todo o terreno que compreheude os riachos
tannabrava, Olho d'Agua c Sarco.
Arl. 2. Ficam revogadas todas as disposirocs em
contrario.
Paco da asscmblca legislativa provincial de Per-
nambuco 2 de abril de 185.Pino de Campos.
Dr. Joo Alfredo Corra deOliciira.Manoel Ca-
valcanti.
A commisso dos negocios eclesisticos, a quem
foi presente a rejorraa feita no compromisso da ir-
mandade acadmica de Nossa Senhora doBom Con-
setho, ja approvado na parle religiosa pelo Exm."
diocesano, de parecer que se adopte a rcsolucao
seseginte :
A assembla legislativa provincial de Pernambu-
co resolve ;
Artigo nico, fica approvada a reforma feila no
compromisso da irmandade acadmica de Nossa
NenJioro do Bom Conselho feita em mesa geral de
27 demarro do-.orrente anno ; revogadas as dispo-
sicoes em contrario.
Sala daR commissoes, 2 de abril de 1859.-Padre
Duartt.Padre Mareal.
A commisso dos negocios ecclesiasticos, exami-
nando os compromisos das irmandadesdo Santis-
simo Sacramento, de Nossa Senhora das Dores e de
L7 frScl8 r,a ,grejs dc R-Jos dos Bezerros, e
estando lodoselles appropriados aparte espiritual
palo Eam. diocesano, de parecer que se adoote
a seguinte resoluro: *
A assembla legislativa provincial de Pernambu-
co resolve
Artigo nico. Ficam approvados os compromis-
sos das irmnnpades do Sanlissinio Sacramenta de
Nossa Senhora das Dores e de 8. Jos, erectas na
igreja de S. Jos em Beierros ; e revogadas as dis-
posicoes em contrario.
Sala das commissoes 2 dc abril de 1859.-Padr.
.-Padre Jorra/.
ORDEM DO DA.
. En*" em terceira diseussao o projecto n. 29
Adiado por ter fleado com a palavra o Sr. Con-
calves Gimaraes.
-5r" Duarte l,ela ordem ) : S. Etc. o Sr.
presidente da provincia fica de posse dos actos que
por esta assembla Iba oram prsenles por seren
sanccionadose dase que os tomara na devida cou-
. i?;** c"n* diz que nao reconhece aual a
vantageto do estar a sembl, todos os dias a al-
torar osUmitesasignados s dilferenles freguezias
auto mam quanto no caso prsenle se trata de urna"
freguezia notamente creada e respelo de cujos
limues sappoe nao ha ver durida. Alem dislo 5:
serva que a respeito do projecto em diseussao, nao
lhe consia ter sido otivido o prelado dioccesauo
que nada se disse acerca de sua conveniencia c as-
sm seria conveniente que a casa so esclarccessc
primeiro do que ir faicr urna alterarlo como a de
que se trata.
Vai & mesa e apoia-se o seguinte requerimento :
Rcqueiro que sobre a emenda que desannexa
urna parte dc terreno da freguezia de S. Benlo pa-
ra a de Cimbres seja ouvida a cmara municipal de
Uaranhuns.S. R.Teixeira de Mello.
A diseussao lica adiada pela hora e passou-se
Continuarlo da diseussao do orcamento proviu-
Art. 11 adiado da sessao anterior.
Art. 11. Com auxilios industriaos :
| 1. Subvonr-o a companhia Pcr-
nambucana......... 40:0005000
I 2. Juro addicional da primeira
secrfto da estrada de ferro. 53:333S333
S 'i. Dito provavel da seguuda
seccao.......... 20:6fifi(!G7
120:001000
O Sr. Presidente : Est com a palacra o Sr.
I.. Filippe, mas nao se adiando na casa, tem a pa-
lacra o Sr. N. l'orlella.
O Sr. .\. Portella di/, que accedendo aos desejos
da casa que se mustra esclarecida a respeilo da
queslio e dosejosa de volar, cede da palavra.
Enccrra-se a diseussao e approvado o arl. 11 e
MUS & UESFACHOS.
Art. 12. Coma reparlico das obras publicas, l'm requerimento de Joo da Silva Fara, pedin-
rigorando a autnriiladc da lei anterior : do o registro da Hornearan de sen caixeiio Manuel
mulheres, nacionaes ; 1 homcm, eslrangeiro ; 2 ho-
mens, escravos; total 111.
Fura ni visitadas as enfermaras pelo cirurgo
Pinto s 7 e 1,2 horas da ninha, Dr. Dornellas
is 81/2 horas da manha, Dr. Firmo s i huras da
tarde dc hontem.
CHRONICft'TDIClARIA.
TRIBUNAL DO CONNERCIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 4 DE ABRIL
DE 1859.
rilESIbENCIA DO EXM. SU. DESEMBAAGADOIl
S01ZA.
As 10 horas da mauhaa, achando-so presentes os
Srs. deputados Lenios, Basto e Silvcira, o Sr. pre-
sdeme dcclarou aborta a sessao de muro expedien-
te, leudo designado o deputado Silvcira para servir
de secretario.
Fui lida o approvada a acia da antecedente.
I.cu-se o seguinle
EXPED KSTr.
I m ollii io do jtiiz dc dimito Bernardo Machado
da Cosa Doria, participando aehar-se no excreicio
de chee de polica.Respnnda-se e archive-sc.
Foi prsenle a colarn ullicial dos prurus curreii-
les da iraca, relativa semaua linda. .Vrclii-
n-se.
8 1. Em pregados .
S i. Expediente e arrio da casa
inclusive a diaria de laCHO de cada
servente..........
S :t. F.mpre/.as dns estradas do
noria, de Pao d'Alho a Nazarclh o
Je Tamandar, caleamento das mas
da cidade, esludos grophieos, com-
panhia de operarios, reparos e cou-
servaro das obras, pagamento das
prcst.icoos das obras ja ui rematadas,
e obras novas c acudes. ....
15 i. Obras das inatrizes. .
MiSMfOOO Joaquinde Faria.Como lequer.
Huiro dos directores da companhia Vigilante,
pedindo o registro de quatra documentos que ajun-
1;TIHJ000 tan;.llegistrem-se.
nutro dc Jos Duarte de oliveira Reg e Angosto
Huilln de Almeid.i. pedindo o repislrodo seu con-
irato social.Informe o Sr. deseinhargador fiscal.
Oulro de l.ima t Mailins, informado pelo Sr.
desembargador fiscal, pediudo o registro do sen
contrato sorial. A'vista da informaran do Sr.
desembargador fiscal, declarem a forma da nnmea-
27:9D7710 '.ao dos arbitros.
10:000Wlll Nada mais hai elido a tratar, o Sr. presidente en-
Ccitoii a sessao.
:t0004.tJ7 IU
Vio mesa e apoiam-se as seguinles emendas :
N. 1.S 3.depoisde obras novas, diga-se : li-
SESSAO JIDICIARIA EM 4 DE ABRIL DE 1859.
FBESIDECU UO EXK. 8a. UKSKHBAIKCUlOB
MCXA.
(Secretario. Di: Aprimio tiuimoraes.)
Fallarain o Sr. dcseiiiliargador Villares (COm par-
licipacol, e o Sr. depulado Rogo.
Jt Lc.AjiEvrn.
rao das ubras da matriz de .Nazaroth.S. K.Met- Appellaule, Jos llaplisla da Fonseca Lima; ap-
io Carulcanti,Joo Alfredo.Portella. [pellados, os administradores da uiassa fallida de
N. 3.J 3.Depoisde obras novas, diga-sc : in- Barboaa & Lima.
cando o presidente aulorisadoa fazer edespezane-
cessaria com a conslrucro de urna eadeia na cida-
de dc Nazarclh.S. Jt. Mello CurnlcaiiH. J.
Portella.J. Alfredo.
N. !.8 (.Sendo 2:000?000 com a coiilimia-
rao das obras
h
N. 3.S 3.Depoisde obras novas, diga-
elusivo una casa para a assembla provincial.S. Coiirmou-se seuteaa appellada.
R.-Barros de Lacerda. Dmianiuo.
N. 4.S 4.Sendo 1:0005000 para a malriz de Appellanle, Joan de Santa Rosa Muuiz ; apnella-
Bezerros.4. t.Martn* Pereira. i do, Albino da Silva Leal.
N. 5.5 :).Depois das palavras, obras novas, [Eserivo Martina Pereira.)
accrescenle-se : inclusive a despeza neressnria com Ao Sr. desembargador Silva Giiiinaraos.
o melhoramenlo da estrada de Caruar ao Brejo. no Nada mais houve a tratar,
lugar da Serra do Molequu.S. R.Burros de 1.a-1 -----------------------____________________________
\ .'ii.-s S.-inclusirc a despeza da c.mstruc.o DIARIO DE PE R N AM R Ll H D
de um qnartel na villa do Limoeiro.-S. Il.-.i,-- ""* *"- hlllllllUWUU.
ruda Falco.-J. Melh Rego.-Uonr.alces Coima- Hontem na assembla provincial, depois do ov-
""'-. o a .i Ppd"'"todLscutiram-se os projecios n. 211 desieai.-
1CH 3:-'"'P"1< rtc MtadM graplucos, diga- ; o, que suprime o 2 labollio de notas da Rseada
e mandando o governo proceder aos uecessar.os; c 1 i tambem ricsle anuo, que transiere MnKossa
^\nt^T^?^*&l:\***}** do de Pao Amarillo a ffiitaS
se
est
danca d Rio-Bonito-Crandc, para o Rio-Boniln,
bera como do dcsagiiamculo do ro Taquara no L'na,
prximo ao Altinho.S. R.Jfnrlins Pereira.
V 8. 3.tanto quanto fflr preciso, nao exce-
dondo a 4003000 para o mclhoramcnto da Serra dc
S. Jos do Buique.S. II.Peixolo Duarte.Tei-
xeira de Mello.
N. 9.- 4.Com a obra da matriz 2:000*000.
PdTOfo Duarte.
N. 10.Jj 3.sendo 2:000g000 para urna eadeia
na villa do Bonito.S. R.Delfmo Cataleanti.
N. 11.!$ 4.Fazendo-sc una picada que uie-
lhorc o transito da serra do Mascarenhas, conti-
nuando em vigor a disposiro do ^ 5 do arl. 12 da
le vigente, relativa ao abas'lecimculo da agua po-
lavel para a cidade de Nazarelh.S. U. 3. Yor-
tella.Joao Alfredo.Mello Caralcanli.
N. 12- 4.sendo l:00(b)000para a matriz de
Garanhuns.S. K.Theodoro da Silva.
N. 13.S 3.licando o governo aulorisado a
mandar construir urna cadoia na villa do Buique.
Veixoto Duarte.
rt. 14. 3.Depois de arudes diga-se : de
preferencia, em parle Gra\ ala.S. R.Martins Ve-
reir.
N. 15.g 4.sendo 1:0008000 para a matriz de
Cmaro.S. R.elfino Cavalcanti.
N. 16.S 3.inclusive a despeza uecessaria pa-
ra urna ponte no rH Una.F.pamiitondas.Mar-
tins Pereira.Solddtlo Jnior.
N. 17. 3.Depois da palavra calcampntn das
ruaadesta cidade, dlI-se : inclusive os caes que
foreni precisos para ftrcnlar-se o bairro de Santo
Antonio devendo o governo cobrar dos proprietarios
a despeza que su fizer, segundo a extenso da res-
pectiva testada dosseus terrenos, e no caso que el-
los nao se prestem a fazer os ditos caes sua cusa.
S. R.B. delMcerda.l'paminandns.Baphael.
Souza Reis.Machado da Silva,Delfmo Ca-
valcanti.
Vai meza o 6 apbiado o seguinte requeri-
mento :
Ilequeiro que. a diseussao dcste artigo fique
adiada, para ter lugar por ultimo.S. II.Souza
Reis. >>
(Continuar-sc-ha.)
REVISTA DIARIA.
O Sr. Dr. delegado desta capital acaba de fazer
urna boa diligencia. Um escravo do Manoel Jos
PerreiraGusnio, que por haver morto um pareci-
io, escravo de Antonio da Silva Gusnio, tendo
sido condemnado pelo jury a 12 annns de priso,
so taa evadido da eadeia, c achava-se em casa
de seu senhor, oceulto durante o dia cm um subter-
rneo para esse flm preparado, e uoite traba-
lhando na padaria.
Constando esse fado ao Sr. delegado, todas as
diligencias empregou elle para a captura do crimi-
noso, al que pondo ante-hontem a padaria do mes-
mo Gusmn debaixo de cerco, depois de muitos
exames ioulcis, maadou suhir urna praca de poli-
ca a urna grande nieda de lenha e barricas vazias,
para com a espada ir pelas fendas procurando ve-
rificar .se ella cubra algiini corpo humano. De fei-
to isso fui reconhecido, sendo preso o assassuu que
se procurava.
Sahbado, na freguezia do Recite, urna mulher
don urna laceada uas espaduas de um honiem, sen-
do presa pelo subdelegado.
Temos lujas noticias dos nossos serles. J
Eor alli tem apparecido chuvas, e o verde est em
om principio. Nos serios da Paralaba, princi-
palmente nos Carris, tem havido abundancia de
chuvas.
Dos permita que as cousas continen! assini, a
ver se temos diminuiro do prec.o da carne verde.
Passageiros do vapor Paran, entrados dns
porlos do Norte : lenle Joaquim Fabrieio dn Mal-
los, Jos Joaquim Ramos Ferrcira, Bobias Teixaira
Mendos, Joo Baplista do Araujo e seu irmn, um
criado c um escravo, Rodolpho Scmellide Vascon-
collos, Augusto Tappenberk, G. Seichel, C. Lan-
gloy, Joaquim da Cunha Freir, Dr. Bcrlhlet, Fran-
cisco da Serra Carneiro e 2 escravos, padre Joa-
quim Scveriano Ribeiro Dantas, Miguel Antonio
Itibciro Dantas, tencnte-coroncl Bonifacio Francis-
co Pinheiro da Cmara, Jos Pedro da Costa, Amo-
nio Francisco Vicra, Antonio Sebaslio da Silva
Leilo, Francisco Antonio Cordeiro, Miguel Haran-
no, Jezuino Alves do Mello, Roberto da Cosa Nu-
iles, Jos Francisco M. dc Almeida, sua senhora, 1
filho e um criado, Jos Antonio M. Leal, JosGon-
calves dos Reis, Franriseo Jos Mailing, Antonio
Alves da Costa e um lilho, Manoel Firmiuo da Sil-
va, Jos l.ourenco dc Carvalho Lima, Manoel Jos
do Faria, podre Augusto Cyrillo de Oliveira e um
escravo, Dr. Antonio Carlos dc Almeida Albuquer-
que e 2criados. Faria Machado, Firmiano Antonio
Monteiro, Augusto Hebrard, Luix N Saillar, Ma-
noel Marques Camacho, Manoel Agapilo da Annun-
ciaco, 4 p rae as escollando 2 presos, sondo um
desertor e oulro criminoso, urna mulher, 10 escra-
vos a entregar.
---------------guezia
de Marunguape.
Sobre o primeiro oraram os Srs. Manuel Caval-
canti e Amida Falcao, c sobra o 2 os Srs. .Mello
Cavalcanti, Manoel Caralcanli, Correa de Oliveira c
Concalves Guimares, sendo ambos approvados cm
primeira diseussao.
Inscutio-se iambem o projecto da commisso de
negocios ecclesiasticos que approva as alteraoes
do compromisso de Nossa Senhora do Bom Coiise-
Iho. Fui approvado, e o Sr. Manoel Portella requ.i-
i eu a dispensa do intersticio para entrai na ordem
do da de boje.
Coniinnou a diseussao do arl. 12 do orcaiuenlo
provincial. Oraram os Srs. Manoel Porlela, Car-
neiro da Cimba, Souza Reis, Peixolo Duarte ua-
phael e Manoel Cavalcanti.
Nao havendo casa parase votar, o Sr. presidente
laudu fozer a chamada, c nao comparecendo a
i, Mareal, llego Monteiro, Antonio Luiz, Teixeira
de Mello Lopes, Baplista e ltego Barros : marcou
para a ordem do dia rio hoje a conliugaco da ante-
rior, primeira diseussao dos projectos ns". 49 de 1858
e desle auno, e lev antou a sessao.
Iram dn horas o 3 4 da larde.
l'r\TrWaui procedente dos porlos .lo norte e
entrado hontem ueste, tivemus datas do via-
zonas que aleaucam a 12 de marco, o do Para a 25
do mesmo.
. Uu,?r .dl! "mai 1"er de outra provincia, as noticias
Sao disliluidas de todo oinlerisse.
Do Maraulio temos datas de 28 do pastado,
A companhia Ivrica continuavaa merecer aceita-
cao, e a opera D. Paschoal, que aqui nao agradou.
foi all recebida com grande entliusasmo.
O Dr Itaimndo Alexandrc Vlle-dc Carvalho.iub.
de orphaos da capital, o moro de merecimenio. ha-
via fallecido.
A apuraco geral da eleo de senador do Mara-
nhao.com excepeo das votantes em duplicata a
seguinle :
Commcndador Belfort
Baro de S. liento
Conselbeiro Vieira .
Dr. Candido Mondes
Coronel lzidoro .
Dr. Furlado .
Do Cear tomos datas de 30 do prximo passailo'.
Nada ha que morera nienco.
Do Rio Graude d'o Norte, c da Parahiba nao tive-
mos jornaes.
vino, pein;traiam-iio do vivos transportes... e rou-
baram-lhc por lim a atlonco.
A noile de Hoje roubar-lhe-ha o encanto.
Diphites.
COMllERCIO.
TRACA DO RECIFE 4 DE ABRIL DE 1859
AS TRES HORAS DA TARDE,
enlardes otRciaes.
Assucar someno2J850 e 28900 por arroba.
Descont de letras8 c 10 0/0 ao anno.
Cambio sobre Londres25 1/1 90 d/v.
Cambio sobre o Rio de Janeiro1/2 0/0 de premio.
Fred. Robilliard, presidente.
P. Borges, secretario.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 2 41:87|$iM
dem do dia i....... 29;709g0tvl
71:5835544
Descarregam hoje !> dc marro,
llana inglezaSeraphiuaferro ecarvo.
Barca inglezal.unani.lem.
Brigue Ingle/.Thelesfazeudas.
Ilrigue francezCeardem.
Dale americanoRosamnndfariuha, holachinha
e papel.
Barca hiuiuverianaCeliafarinha de trigo.
Barca urartleiraReciteteajia b banrricas vasias
Brigue hrasileiroLauratumo e charutos.
MOVIMENTO DA ALFANDEGA.
ftavios S'i/iidos o mesmo dia.
Macci brigue ingle/. Mercunj, capilo W. S.
Knighl, carga Lacalho.
Porto Alegrebrigue brasleiro Imperalri; There-
tu, capilao Francisco Ribeiro Chaves, carga as/su-1
car c mais gneros.
lYai'ios entrados vo dia .
Para e porlos intermedios9 dias e l horas, va-
por hrasileiro Paran, commamlante o capilo
lente Jos Leopoldo de N. Torrezo.
Rio Grande do Sul39 das, brigue hrasileiro Ca-
macHOft, de lfc toneladas, capilo Joaquim Mon-
leiro Meirelles, cauipagem 11, carga 11,000 arro-
bas de carnu; a Auiorim rmeos.
Londres39 dias, galera ingleza Ethtrtal, de 796
leudadas, capilo S. Jarman, equipagem 30, em
lastro ; ao capilo. Conduz 31 passageiros para o
Cabo da Boa Espcraupt.
Xorios subidos no mesmo din.
Rio do JaneiroBrigue hrasileiro Damo, capilo
Manuel Jos Vieira, earga assucar.
PbiladelphiaPatacho americano Comer*,
too .Lunes Ramos, carga assucar
cap-
(Mi a immi
ou os
Milagros de Sanio Antonio.
Principiar s 8 horas,
Os Srs. assignonles Icni preferencia aos seus ca-
marotes e cadeiras, e por isso sao rogados, os que
os quizerem, a mandareni busca-Ios ao escriptorio
do tbealro al quarta-feira s 10 horas da manba,
dessa hora em diante se despor dos que restaren).
Avisos martimos.
OBSERVACOES METEOROLGICAS.
mi I n vnnii..
Vnliiraes entrados rom fazendas
com gneros .
Voluntes sabidos rom fazendas .
com gneros .
CONSUMADO GERAL.
Rendimento do dia 1 a i .
dem do dia 4.......
409
277
157
732
:
7:4M68
5:550$0 lll
12:9C0S609
ftdam.
9
1/dia
3dat.
6 i
Cumiilus
Cirros
SSE
si:
TF.nVOtF.TKO
20.1
27.7
29.1
2N.S
2".
0.8
22 2
2:1.1
>) <
..ii..'i
757.8
DIVERSAS PROVINCIAS
Rendimenln do dia 1 a 2 .
dem do dia .......
K03S72.-I
afno
1:6940035
A noile esleve clara com algiins novoeirns. ven-
to SK, veio para o terral o ao ainauhecei loniluu
pelo S.
Observatorio do arsenal de niarinha i de abril
de 1859.
VutoasJJinnoa.
Declaracoes.
DESPACHOS DE EXPRTAOAO PELA MESV DO
CONSULADO DESTA CDADF. NO DIA 4
DE ABftlL DE 1859.
GenovaPolaca hespanhola Nicacia\ Feidel Pin-
to & C, 600 saceos assucar branco.
Genova Polaca, hespenhola Ednviges, Feidel,
l'nlo S C., 800 saceos assucar branco.
Ilusinlian a anierirjna Saone.\ ileury Forsler
,4 C, 2.700 sarcos assucar mascavado.
Gihrallar Brigue ingle/ Agnez, Saunders Bro-
lliurs A; i:., :j"j(i saceos assucar branco.
PortoBarra portuguesa Flor da Maia>, Manoel
Joaquim Ramos e Silva, 10(1 saceos assucar
branco.
Buenos-AvresPatacho H. Dorathea Ernestina,
Amorim Irmos, 160 barricas assucar branco.
LisboaBrigue portnguez Tarujo I>., Manuel J.
llamse Silva, 40pipas agurdente.
Kxportnfo.
Lisboa, barca portgucza nlfnrlencia,', rondiizio
o seguinle : 4,150 saceos assucar, 1 barrica fari-
nha de mandioca.
Havre, galera francett Olinda, conduzio n se-
guinle : 519 couros Salgados, 0,200 saceos as-
sucar.
Lisboa, patacho porluguez Jarro, conduzio o
seguinte : 2,000 chires, 53 barris mol, 4 pipas
espirito, 3 ditas agurdente, 46 barricas agurdente
Rio de Janeiro, patacho nacional F.vora I, con-
duzio o seguinte : 351 mojos de sola, 100 barri-
ca s e 2.320 saceos assucar, 60 sartas algodo
RECEBEDOR1A DF. RENDAS INTERNAS GER\ES
1TE PINAMBCO.
Rendimenln do dia 1 a 2 C:125S781
dem do dia 4....... 3:l8lj702
9-6I0S483
t'or-reio.
As malas que tem de coiidu/.ir o vapor Paran
para os pintos do sul, fecham-se |,oj0 -, ,',s ;t huras
da larde, iuipreteriveliucute.
Directora gera I da iiistriu-t-ii publi-
<-n da provincia. '
Por esla secretaria faz-se constar que por nao ter
comparecido a examinador nomeadn o hachare! Ma-
noel Ferreira da Silva, resolven o Sr. director geni
interino adiar o concurso primeira cadeira de
historia e geographia dnGvuinnsiu Pernniiihiirauo
para odia 2 de abril viodouro. K para que cingue
ao conheciiucnlo dos iirtoressados >e luandoii publi-
car O presente pela imprensa.
Secretaria da nslrucro publica 28 de marco de
1859..socretario, Francisco Pereiru Freir'
No dia 2i do crtente fot tobado na roa de
Dorias dous caxnles pregados o urna cangalha :
quem se'julgar coin direilo a laes objeclos, dirija-
so i subdelegada da freguezia de S. Jos. Recite
28 de marco de 1859.O subdelegado,
Josc ('arlos de Souza Lobo.
Arsenal dc niarinha.
De ordem do Illm. Sr. inspector foco publico que
Para Lisboa segu rom a maior hrevidade,
por Icr parle de seu rarregamenlo prompto, a hem
ciuiheciit.i barra portogueza Horrenda: quem na
mesma quizer carregar ou ir de pass.igem. enten-
I da-so com os consignatarios Amorim Irmos, ra
; da Croa n. 3, ou com o capilo Joo Silverio lloma-
j no, na prai-a do comiuercio.
| O velero brigue porluguez Actirn, deve sc-
guircoin milita hrevidade para Lisboa, leui promp-
! la a maior parle do eaneganento para o resto
i a fele, mi para passageiros, aos antes ofTorcceex-
I relenles connnodos, Iraln-se con ns consignatarios
I Amorim limaos, ra da Cruz n. 3, ou rom Ocapi-
lio liuilherme Waddington, na prarado rommercio.
i Para o Rio de Janeiro sabe rom muila brevi-
! ilade a lieni conhecida baa Recife ; para carga e
passageiros, Irata-se rom Manuel Francisco da Silva
Ccrrico, na ra do ('gario n. 17, primeiro andar.
Mt> Grande to Sul.
S.ihir.i hreveinenlp o brigue nacional Impera-
dor, capitio Clemente load da Costa para carga
OU passageiroo, Irata-se con Domingos Ferreira
Maia, ra de Apollo n. i.
Rio de Janeiro.
Segu rom Brevidade I barca luyn ; para o resto
da carga n passageiros Irata-se eem Ctetano Garit-
eo da C. M no largo do Corpo Santo n. 25.
Para o Itt de Janeiro.
Pretende seguir testes 8 dias o veleiro e bem co-
nlieciilo brigue nacional aura, tem parlo do toa
| caiga prnmpta ; para o resio quo lhe falta Irata-se
rom o mmi consignatario Antonio l.uiz de Oliveira
Azevedo, no seu escriptorio. ra da Cruz n. 1.
Para o Rio de Ja-
neiro.
O veleiro o bem conhecidu brigue nacional Pefox,
pretende seguir com muita hrevidade, lein parte de
sen oarrogaiucntn prompto ; para o resto quo lhe
falla, trala-se com o seu consignatario Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo, lio seu escriploro, ra da
Cruz ii. 1.
Para o Rio de Janeiro.
Para o Rio de Janeiro sabe com muila hrevidade
o bom ronheciilo palhabote Piedade, do qual ca-
pitio Agostiuho Gomes da Silva, para carga a frele
c passageiros a tratar na ra da Madre de Dos nu-
mero 2.
PARA O AltACATY.
Segur
lata casa terrea de pedra e cal, sita na ra da
Boa Hora com sotao, teodo 20 palmos de frente o
60 de fundo, ouintal amurado e com um terreno
do lado do poenle aunexo dita casa
L'm sobrado deum andar silo na ruade S Rento
rnm 45 palmos de frente e 86 de fundo, com duas
salas, 3 quarlos e cozinha, e o quintal em aberln.
Urna casa terrea de pedra e cal sita na ladeira
da Bica de S. Pedro Martyr com 39 palmos de fren-
te c 60 de fundo.
Os pretendentes podero desde j examinar as
ditas propriedades, c para quaesquer esclarecimeu-
los dirijam-se ao mencionado agente, que ludo lhes
ministrar at a hora do leilo.
LEIUO
COM OMMBUS GRATIS.
lonrado coin a rontianca do Mr. Georgc" Boud,
que se retira para Europa'no prximo painete, >
referido agente far.'i leilo de lodos os movis
mais enjertos dc Iratamentoua rasa de campo jun-
to residencia do Sr. consol liejMilinl no
ia ao sr. consol hespaiiin
MONTEIRO
CONSULADO PROVINCIAL."
Rendimenln do dia 1 a 2 .
dem do dia 4.......
4:26SSfiO
:i:227jj760
7:4965220
Paula tos precos efreales lo assiicar
algodoe maisgenei-os o|ioiluc-
<;oes uneionat's
lado de Pe/naubuco na sema-
na de i a 9 dr abrildeWTAl.
M
nt
277
180
167
127
Communicados.
t'lii'onica dramtica.
I
Ao bello amphilheatro dc Sania Isabel concorre
urna multidao dc admiradores, que l vo render
triuniphacs ovaroes ao artista dramtico de nossas
sympathias o de nossas recordarnos. O actor, que
se entende com ella em nina liuguagem mysteriosa
e secreta, vem coroado de vinotes louros, que
Ih'engrnaidam a fronte. F. a multido pasma de
ve-lo, encantada dos progressos que faz o genio na
peregrinacao sublimLssima d'arte. Ao coutem-
pla-lo na exttica posiro em que o actor se excede
a si mesmo, ao romper de to festejado myslerio lo-
dos os dias mais applaudido, a mullido fantica e
naturalmente propensa ao maravilhosn sorprende
um laco mystico que eleva a arle altura de urna
missao decretada do co. Aquello sanio extases
por si um iriumpho ; mas eloqucnie que todo um
discorso de phrasesinspiradas, revela-se alli o ar-
tista, locado do verdadeiro scntimcnlo d'arte.
J que rompemos rom este primeiro rasn do
frvida admirarn, seja-nos elle o prefacio" desta
conscienciosa revista destinada a acompanhar a em-
pre/a em seus triumphns c em suas quedas, se por
ventura as houvemios de deplorar. Antes de ludo
a imparcialidade, a critica que nao leva por tim-
bre exporos tactos em sua nudez real, nao aspira
cortamente importancia a que tem direilo. F, de-
pois, este genero de escripto est ainda entre nos
por tentar ; e ser a este Ululo um esforro louvavel
qualquer publicaro qne o lente.
Em seu tirocinio offerece a euiprcza ao publico
dous dramas de genero muito diverso. Pnmeira-
mente, levada secna urna comedia drama ap-
Etratosaao goslomilitar, que se chama com um
ello nefte: 29 ou Honra e Gloria.
Cbc P ao talentoso actor, o Sr. Germano d'O-
liveira, 6 papel de um honrado soldado, carreado
de annos e de victorias, que, aceitando no campo
de batalha um solemne legado, o realisa cusi
dos mais nobres sacrificios. E' o Sr. Germano que
crea o drama, o lhe liga ceno interesse. Aaccao
dramtica nulla, para nao dizer de inlimo valor ;
e grandes defeitos concorrem para a pouca eflica-
- Scguem para o Norte capilo Americo llon- r" de seu dese.ovolvimento. Sobre o mrito de urna
IO.ro do^Barro^, ^^Z^^Vo^t- rX^JE^J^^*^ **
nhora e um escravo, Antonio Ernesto Lassauce Cu-
nha e'seu irmo. Fclippe Nory, Folippe Antonio do
S Caldas, Josa Soares Apolinario, Paschoa* Alves
do Cont, D. abbade geral fre Saturnino de Santa
Clara Antunes e um escravo, socretario do mesmo
frei Je/uiuo da Conceico, capilo Jos Antonio do
Oliveira Bnlelho, sua senhora, 5 tilhos e 4 escra-
vos, Domingos de Araujo, 2 cadetes, 3 prae.as do
exercjlo, 4 escravos a eutregar.
Passageiros do brigue nacional Domo, sabido
para o Rio de Janeiro : Anna Nogueira, e Anglica
da Conceico.
Lista dos baptisados havidos na freguziade S.
Jos, desde o dia 27 do marro Ando a 2 de abril do
correte anno.
Mara, preta, nascida a 14 de outubro de 1858, filha
natural, (Santos (lieos).
nenhiiin oulro a recommendara.
Faz oSr. Germano grandes esforcospara elevara
acro cima do pensamenlo do autor; c para nao
oizer mais, aquella secna da cmara de Jorge cm
que o Sr. Lisboa s# houve com tanto conhecim'ento
d arte e em que a Sr.* D. Mauocla Lucci rovelou
tanto tlenlo, depende quasi para o desfecho da
inexprimivel anciedade com que o 29 exprime to
eloquenlemente os senlimentos contrarios oue lhe
am n'alma. *
O desenlace do drama (diga-se com liberdade)
urna desgraca para as prelencbes dramticas do Sr.
Jos Romano ; aquelle despropositado verso que se
poe na bocea do valeroso 29, ao par daquullcs riroa
entro os quaes morre a acro, realmente para
comprometter um actor. Nem sempre lera o Sr. Jo-
s Romano quem lhe cree to hbil meuto os papis
('Omn f\ 107 fionri n ^v> llurinniip ,i'i ii". .:__. -.
Joaquim,'pardo, nascido a 18 de marco de 1858.il- S-?? L2lffi"- ,erman.0 "pliveira ; e as-
lho uatural. I ": iu_e ,ol,e Para lhealro '"Pirado em moldes
Lista do s bitos havidos na freguezia de S.
Jos desde 27 do mez passado at 2 do correte.
liara Eugenia das Virgens, parda, idade 60 annos.
vtuva.
Francisca das Chagas Pinto Bandeira, branca, idad*
90 annos, viuva.
Jacinta, preta, idade 16 annos, solleira. escrava.
Malinas, branco, idade9dias.
Rosa, Africana, idade 50 annos, solteira, escrava.
Antonio Joaquim Ribeiro, branco, idade, 33 annos,
solteiro.
Mortalidade do dia i :
Amelia, branca, 3 mezes, espasmo.
Francisco, prlo, escravo, solteiro, 30 annos, cancro
no tero.
Josepha, parda, 3 mezes, convulses.
Agapyto, pardo, 2 annos, vermes.
4
Anna Joaquina do Nascimento, branca, viuva, 42; Francisco de Oliveia
annos, phtbisica.
Relselina, parda, 11 annos, convulses.
Joan, pardo, 2 annos, bexigas.
Antonia Mara das Candelas, preta, viuva, 30 annos,
estupor.
mais graves e em assumptos mais dignos.
O brilbante apparato com que vai seena a accio
e s o que explica a nosso ver a frvida aceitaVo
com que se acaba de recebe-la na corte do imperio.
A execuco correu maravilhosameule ; a lodos e a
cada um dos actores um voto de animaco, une nao
dirigimos mais aos Srs. Germano e D. lianoeta, dig-
nos somonte de nosso respeilo e admiraeo. Haja
aqui um lugar reservado para um joven que se
educa com grande vantagem para a arle ; adevi-
nha-se, que nos referimos ao Sr. Lisboa, a quem
aronselhamos somenle que se extorco por corrigir
certa aspereza de voz que lhe embarga os pro-
gressos.
Os novos actores que acompaiiharam o Sr. Ger-
muiio a esta perignnacao artistica, conheceni as re-
gras d'arte, e sao em geral actores couscienciosos.
Possa inspira-los o modelo, que lhes est sempre
aos olhos no distincto irmo d'arte o Sr. Germano
Depois do 29 mimoseou-sc o publico com um
hrlhaotc myslerio em 4 actos e 2 quadros, bri-
lbante na forma e no pensamonto.
Mas correu para o rhronista a primeira noile, de
mgico encanto verdaderamente improductiva.
liza, preta, escrava, solteira. 70 annos. cerebrile. ns olhos lnguidos, que morriara de amor so-
ffoiipnal ie caniade.Existem 55 homena, 53 bre o eolio mais bello que ja declinou o ciozel di-
Assuear branco. .
dem mascavndi.....
Algodo cm pluma 1." surte.
dem idem 2." dita.
Id
Id
arroba
em idem 3.* dita
loui em carorn
Agurdenle acpul ou cspirilu
de agurdente <* caada
dem caxaca.......
Idein derai'ia.......
dem genebra.......
idem idem....... botija
dem licor....... caada
dem idem........ garrafa
dem restilcda c do reino. ranada
rroz pilado....... arroba
dem com casca..... alqueire
Azeile de mamona. .... caada
dem de mendoini o de coco.
Idem de peixe......
Aves araras....... mna
Idem papagaios...... um
dem perequitos.....
Bolachas ........ arroba
Biscnitos........
Cacao.........
Cachimbos....... milheiro
af em grao bom..... arroba
dem idem restnlho ....
dem idem rom casca. ...
dem moide.......
Carne secca ....... n
Cera de carnauba em pao
dem idem em velas ....
Charutos bous...... rento
dem ordinarios.....
dem regala e primor. ...
Cosos seceos.......
Conreo dc boi salgados. libra
Idem idem seceos u espichados i.
dem idein verdes..... *
Idem de orna...... um
dem de cabra curtidos ... >
dem de carneiro idem ...
Doces de rada...... libra
Idcnj de Guiaba. .....
dem seceos.......
dem dc jeleia ......
Espanadnres grandes .... um
dem pequeo*......
Esteiras de preperi..... urna
Estoupa nacional..... arroba
ideo estraugeira (mo d'obra).
Farinha de Aramia..... >
dem de mandioca..... alqueire
dem de milno...... arroba
Feijio......... alqueire
Fumoem rolo bom .... arroba
dem idem ordinario ....
dem em folha bom......
dem idem ordinario .... >
dem idem reslolho.....
Gengibre........
Gomma (2 arrobas)..... alqueire
Ipecacuaiiha...... arroba
Lenha em achas grandes. rento
dem idem pequeas ....
dem rnt toros......
Madeiras prauchoes de amarello
dc dous rustados..... um
dem idein de lour.i ....
dem taboas de costado de ama-
rello dc 35 a 40 p. de c. e 2
1/1 a 3 de largura ....
dem idem dito de dito uzuaes. >
Idein idem eustadiuhn de dito.
dem idem soalho de dito.
dem idem forro de dito.
dem idem costado dc Inoro
dem idem costadinho dc dito.
dem idem soalho de dilo
dem idem forro de dito ... .
dem idem dito de cedro.
dem toros de tatajuha quintal
dem varas de pereira. duzia
dem varas aguilhadus ...
dem quiriz ....
dem cm obras rodas de secupi-
ra para carros...... par
dem idem eixus de dita para
ditas.........
Mel.......... caada
Milbo......... alqueire
Pcdras de amolar. .... una
dem de filtrar......
dem rebolos...... t
Piassava cm molhos um
Ponas de boi...... rento
Sabo. ........ libra
Salsa prrilha...... arroba
Sebo em rama.......
Sola ou vaqueta (meio) urna
Tapioca........ arroba
L'nhas do bo....... cento
Vinagre ........ pipa
Carxo de madeira..... arroba
IjUOO
2$-:>iki
8 Timo
7S200
2*000
sao
320
400
ti 10
2 id
610
280
800
2*500
31500
1J280
lj?9i0
1J280
lsono
litono
isono
3g8ill
7,S0fHI
ngoo
tsooo
5g6KI
IglOO
IStHKI
Maoo
spofl
lOjOOO
13S00O
2SIKKI
8IKI
agsoo
10
260
120
18.S0OO
350
350
500
400
lgOOO
800
3S200
1tKK>
300
1S6II0
IgOtXI
SJMNl
2S0O
son'
14(8101
DiMK
7'0OO
SIMMI
5{!000
32D0O
S'ilKI
lgSQO
.'lOgOOO
12S0OO
30SOOO
lOjOOO
3S200
640
5S000
1}6(K>
200
5000
2i
120
o' era poneos dios o hiate Serqinano; para
admiiiem-sccarpinteiros de machado, ealdoireiros carga c passageiros dirijam-se a ra do Vigarion 5
tomeiros de ferro, devendo os pretendemos tpro-
senlarem-se para udmisso uos dias uleis a hora
ni que principian! os Iniballios51 2 da manha.
lnspeci ao do arsenal de mai iiilia de Pernambu-
co em 28 de marco de 1859.O secrclaaio,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Directora reral i instruecao publi-
ca da provincia.
Companhia Pornambueana.
'i vapor nacional Persinanga, segu para os
porlos do sul no dia 5 de abril e recefl carga aleo
dia 3 as quatro horas.
Paran Aracalvo hiate Incencirel, para carga
Por esta secretaria faz se constar a quem con- 8 passageiros Irata-se com Martins A; irmo, ra
vier, que o Sr. director geral interino marcou o
prozn e 00 dias, a contar da dala desle, para a
inscrincnc habililaco dns qne se queiram opprir
s cadeiras de instrurcao elementar do 1." grao,
iiovamen le creadas por" S. Etc. o Sr. conselbeiro
presidente da provincia, por portara de 22 do cr-
reme, para o sexo masculino, na villa do flniquo. e
para o femenino na villa do Garanhuns. Secreta-
rla da instrnero publica em 21 de marco de 1859.
Francisco Pereira Freir.
Secretario.
Pela directora das obras militares se tem de
fazer a pintura e arein de loda a casa que servo de
quarlel general no Mondego : quem desle trabalho se
qui/er cnoaiTcgar, ooniparora na referida directora
iluda con suas proposlas'.s 10 horas da manha.
Manoel Jonguin Bricio, director.
Pela capitana do porto, se faz publico que pe-
los remadores e palro da praticagein foram apa-
nhados por agua abaixo tres planchos de pioln e
assim urna canoa aberta que fui ao fundo carrega-
da de arca ao peda barra da escavaco e que foi
tirada por meio de rossega, mas licando o fundo _
em bom oslado, as pessoas que julgarem ter direilo l*
aos objeclos cima mencionados comparecam nesla l,
capitana ajim de pagar as despezas feilas" ron? os
mesmos objeelos.
Capitana do porto 29 de mateo de 1859.No im-
pedimento do secretario interino, Jos Aveline Sil-
va Jacques; primeiro lenle ajudante do capilao
do porlu
da Madre de Dos n. 2.
Leiles.
sur raso leilo
DE
Vinos movis, vid vos. crys-
taes, porcelanas, gratas,
\>von/As. uin vieo \iiano
ete.,eU*.
H0
PALACETE DA RA DA PRAIA.
Oiiurtu-lcua ( do corren!e.
Obras do porlo.
De confnrmidadc com as ordens do Exm. presi-
dente da provincia manda o Ulin. Sr. inspector dn
arsenjlde marinhn fazerpublirn o cnnlralar-se un
da 7 de abril prximo, as 11 horas da manha, a
factura do caes nos lugares inda nao o leudo, com-
Srehenileiido desde o mesmo arsenal at o For|p
o.Mallos pelo lado dn baria do porlo e .1 margcni
do rio, no bairro dc Sanio Antonio, entre as duas
ponles denominadas do Recite e provisoria ; po-
rem tal factura dividida em Ires lances (contratan-
do-sc rada nm em separado convindo aos preten-
dentes) o 1" desde o dilo arsenal at 0 trapiche do
Angelo ; o2" d'ahi as obras de Jos Antonio de
Araujo no Forte do Mattos, e o I" r.onsliluindo loda
a exlenro entre as referidas puntes ; isso por va
de propostas em cartas fechadas aposentadas na-
quclle dia c hora mencionada, e offerluado rom
quem melhores vantagens offererer, quer sobre a
presteza e perfcirn da obra, mas anda para a fa-
zenda oble-la com a maior cronomia, podendo an-
tes os pretendemos dirigirem-se a esta inspeceo
para o conhecimento das rondiroesedo mais con-
cernentes a tal obra, una e outra cousa constante
da tuscripeoe orcameulo que pois lhes ser ran-
queailas.
Inspeceo do arsenal de niarinha de Pernambu-
co em 17 de marco de 1859.O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Alijos.
O subdelegadc do 1." districto da freguezia
dos Afogados, abaxn assignado, annumia qiie se
aoha recolhido casa de detenco sun ordem,
por andar fgido, o prcto crioulo, escravo, diz elle,
do senhor do cngeiiho.Cuabiraba, na freguezia da 4., ., c..,. .l.. i
Luz : quem com direilo se julgara elle, rompareca l d0S &,S- "0110S (JOS IIU'SHIUS
munido dos seus documentos o juslifua-lo, que sei
entregue. Subdelegara do 1." dislriclo dos Afo-
gados 1." de abril dc 1859.
Jos Corgonin Paes Brrelo.
Segunda vez toma annunciar o sulidelegado
do 1. districto dos Afogados, que onles da tosa
foi rccolhida casa de dotonco, por andar fgida,
urna preta Mocamhique, qu disse ser escrava dc
urna senhora nesla prara, mais nao quiz cobfessar
a casa ou ra, ora diza que era na ra estreita do
Rosario, ora da Boa-Vista, bem poder ser a an-
nuiciada pelo Arantes : quem com direilo se jul-
gar, rompareca jusiillcaudu-a panllte ser entregue.
Siihdelegacia do 1." districto (JIrogadosl. de
abril de 1859.Jos Gorgonio Pata Brrelo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publieo.que dd dia 2 do correte
em diantc pagam-se os ordenados c mais oespe/as
provinciaes vencidas no mez de marco prximo lin-
do. Secretaria da thesouraria provincial dc Per-
nambuco l."de abril dc 1859.O secretario.
Amonio Ferreira Annunciaco.
De ordem do Illm. Sr. inspector faro constar
que admiitem-se para ns trabamos dcste arsenal
carpinteirosde machado, caldeireirns e torneirns
de ferro, deyendo os pretendentes apresentnrem-so
para a admisso nos das utes a hora em que prin-
cipian! oslraballuis, 5 1,2 da manha.
Inspeecao dn arsenal de niarinha de Pernambu-
co em 28 de marco de 1859.O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
De ordem dn Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de. fazenda desla provincia se faz publico, que
13
encarregado pelo Illm. Sr. Dr. JoaoFer-
reira da Silva, que se retira para o Cea-
r-, fara' leilo de todos os movis per-
tencentet as suas duas casas do sitio e da
prara, os quaes deixam de ser, especili-
cados por seren muitos e por conieguii>-
te seria um nunca acabar. O Ieilo de-
xade ser eitoemseu armazem da ru
do Collegio, em consequencia de nao ha-
ver commodos suficientes para a arru-
tnacao de tantos objectos. Avisa se uos
Srs. pretendentes que dito sai5o estar'
abertoas 9 horas do dia cima indicado,
para o exame de todos os artigos, cuja ar-
t'f matarao sera" feita senreserva de pre-
co algum.
muamM
Sem reserva de preco.
SfUa-l't'ii'ii H do coireulp.
fara' leilo no dia cima desig-
nado eiu seu arniazem da ra do
Collegio n. 15 as 10 horas em
ponto de lodos os objectos nel-
I( existentes. Pede-se portan-
cujo leilo ser feito no dia cima deSiRirado e pelas
12 horas da maullan, constando
DE
Mesas redondas, ditas para costura, lilas para
jantar, cadeiras sirjples, ditas de bataneo, ditas de
espaldar, sof.is, apparadnres, mes'* clstica, urna
rica e elegaiile carleira, camas dc ferro, quadros.
ornamentos de alabastro, randioiros, laulenias, e>-
pelhos, relogios para cima de mesa, lavatorios,
guarda-comidas, apparelhos para jantar e almoeo,
Irens deosinlia, selins nglezes, 1 rahriolet para
qualro pessoas, com arrcios e um cavallo, um rico
appareliio eleetn-prata, facas, garios, colheies, cas-
ticacs, vidros e oulros muitos objectos.
Vs 11 horas da manha do dia do leilo haver
mnibus especial no lugar do coslume.
Transferencia de leitao.
O leilo de fazendas anuunciadn para boje, pelos
Srs. Schalleillin & r.. fica transferidn para o dia
que se annunciar cm consequencia da grave mo-
lestia do gerente o Sr. Merk.,
----------------------------------- i r
Avisos diversos.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------_
LM.\0 l!E\EFICEME
DOS
ARTISTAS SELLEMOS
Em PeraiuatoM.
Por ordem da direceo convido a todos oasenbo-
res socios elfertivos para comparecerem a aessao ex-
traordinaria de hoje. pelas 6 horas da larde, aa sala
do suas reunios.1) secretario,
Jos Francisco Lucia.
Perdeu-se no dia 30 do p. p, mez aa sabiedo
tbealro al a ra Direila, sobrado a. 8i, una pul-
seira de ouro com algum esmalte verde, e palmas
abortas sobre a parta lisa : quem achar, queren-
do levar ao lugar indicado, ser be grautteado.
Fugio uo dia 14 de evereico uaa prelo criot!
de nome Svnrauo, idade 60 e laotoe annos, alio,
magro, cor fula, barba bastante braaaa, cabello ra-
lo : roga-se a quem o pegar, ou dallemmberv leve
a ra Direila n. 9, que ser bem recompensado.
Jos Antonio Moreira Dias, Brasileiro, val i
Europa,
O abaixo assignado faz ver ao commerrio que
tem justo e contratado a lojn de calcado ao paleo
do I.mmenlo n. 11, perleocenle a Campos i (lor-
ela : quem se julgar com direilo i mesma, apre-
sente-se no pra/.o de 'i dias; o meanta abaixo as-
signado fa/. ver que precisa de 8 ou 10 olEciaas *
charuleiro, pagando o ceulo de 40 a 8Q0 rs-i dalKI
a 6110 rs., de 1 a 500 rs., o de carregaaao a 440
quem pretender irabalhar, dirija-se a.mesma luja
decalcado n. 11, partratar.
Manoel Luiz Corroa.
Companhia Pernanbucana.
Os Srs. accionistas da Coin-
piuihia Pernambucanasao con-
vidados a reunir-se em assem-
bja geral na quarla-feira (i do
correte as 11 horas da manha
na sala das sessofl da associa-
cao commercial benefteente.
(ue tenham a bondadedescen-
tenderem com o referido agen-
te, porque do contrario sero
vendidos no mesmo dia cima
por todo e qualquer preco; nao
se atteudendo depois a nenhu-
ma reclamara o que por ventu-
ra possa apparecer.
Terca-leira 5 de abril.
M. de Borja
de ordem do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
merrio e a requerimento de Jos Rodrigues Perei-
ra, depositario da massa fallida dc Donlley & C,
far leil.'io de una excellente casa terrea que fat
r,h /a!do a arrematacaoannunciada; esquina na travessa que tica por detrar. da ma-
ESiS8, ic,'rc,art',arre'laan-('''tndopredioa8so-iir7 dn Vni.0 dl Plmcllai na' lcr,,.,_fl,ir., r, mae
bradado. que estove a cargo do arsenal de mannhai abril no sin armazem na ra do l'.ullegio n 15
fica a mesma arremalacno transferida para odia as 10 horas em ponto. Pede-se aos Srs n" '
do correte mez. Secretaria da thesouraria de fa- '-------
zenda de Pernambuco 2 dc abril de 1859.O ofllrial
maior, l.uiz Francisco de S. l'aioe Silva.
Por esta subdelegarla acha-se um cavallo ru- i
dado pedrez, que foi achado prximo ladeira Lava-
tripa : quem flr seu legimn dono compareea nesla
subdelegada, que provando lhe ser entregue. Sub-
delegada dc Bebenbe 4 de abril dc 1859.
4S00
3500
S300
4(le000
lgOOO
Movimento do porto.
Navios entrados no dia 3.
Babia14 diaa, brigue brasileo Laara, de 248 to-
neladas, capitio Joo Flor do Amaral, equip. 11.
carga madeira de Jacaranda e mais gneros : a
Amonio I., de Oliveira Azevedo.
Sania Calbariua7 dias e 9 horas, vapor america-
no dc guerra Fulton, commandanle I. A. Alniy.
Santa Catharina7 dias, vapor americano de guer-
ra Water WUch, commandanle B. C. Pegrand. | actos
THEATRO
DE
Santa Isabel.
r.llPRtl GKHIIWO,
Hecita extraordinaria livre da
:issiimtura.
QU1RTI-FEIM 8 DE ABRIL DE 1159.
Subir scena o magnilico myslerio em quatro
denles que tenham a bondade de examinar a
rida casa, para que possnm tancar com todo o
iihecimcnto.
LEILO
___ DB
Tres predios
Segunda-feira 11 de abril.
engomma-sc com perfeicn e
de senhora:
Lavase
brevidade roupas de homem e
na ra da Cruz n. 53.
PELO AGENTE
O abaixo aisignado encarregado
das barcacas denominadas Paquete do
Paqo, Flor do Paro e Abismo do, Paro,
estas de propriedade do Illm. Sr. Joa-
quim de Souza Silva Cunha. negociante
e residente na villa do Pacjo de Camara-
gtlie provincia das Alagos, sciotiHca as
pessoas que se servirem carregar quaes-
quer objectos desta prava para aquella
villa, de se servirem marcar os volumes
dos mencionados objectos com a devida
marca e com duclat-arao para o seu des-
tino, assim como ter a bqntlade de de-
ca r.ii no verso do subscripto da carta a
quantidade dos volumes que acompanlia
e neste sentido espera evitar os tffs
que se do, por falta das competentes de-
clarar es e o contrario verificado fferao
depositados uo trapiche, sugetto a urna
armazenagem que lite foi imposta pelo
proprietario do traptdie, ficantfo O pos-
suidor das batearas isemptos de tedas e
quaesquer responsabilidades. Al bar-
caras cada urna faz urna viagem por se-
mana, a dirigrem-te a ruada Cadeia do
Recife n. 4V.
Tlioma/. Fernandos da Cun4a.
Ordem terceira de S. Franciicc
do Recife.
O secretario da veneravol ordem terceira de S.
francisco do Recife convida em nmada mesa^re-
gedora a seus charissimos rmaos a comparecerem
no dia 8 do crrenle, pelas 2 horas da larde, ua
igreja da mesma ordem paramoalattaa-Ma Ma h-
bitos, alini. de encorporados, acompanhar a Va-
cisso do Senhor Bom Jess dos Passos, a cohviic
da irmandade.O secretario,
Bedro Barral da Costa Soares.
Partidas doaradaa.
Quem pretender um guarda-iivros. habilitada pa-
ra escrever por este systeiia. dnja-se a ra a Ca-
deia doBeclfe n.9.
Furtaram no dia 1." do abril presente um alfi-
nele e um par de argolas de ouro esmaltados d*
verde c nlxo claro, ctijo esmalta tugo una rosa
com olhas verdes, ambos objectos iguaes ; roga-se
porlanlo a pessoa a quem for otterec^p, e a,uU#r
restituir, de leva-Io 4 ra Bella, sobrado nova pr-
ximo a mar, primeiro andar, que ser recom-
pensad a-
l'recisa-se de um caixeiro que tenha prauca de
taberna : na ra da Aurora n. .
0 abaixo assgdado faz scieule ao reapeilavel
Siiblico que dexou de ser caixeiro dos Sr, BlUx
Oliveira desde o dia 3 dc abril; c lhe agrdate
omito o bom traumculo durante 9 anuos que ctale
em sua casa.
0 abaixo assignado pede ao Sr. padre Vipaato
Jmltra do Albuquerquc, morador om Pin d'Allio,
e ter a bondade de pagar q dinheiro rmnrnatidn
doij^luco^mozes. desde 10 d^|ulltp deWSTrecom-
O referido agente competentemente aulorisado
pelo Sr. Manoel Franriseo de Amida, far leilo
no dia cima designado o pelas 10 horas da ma-
nha em seu arina/cm ron do Yigario n. 11 dosse-
guinleg predios sitos na cidade de Olinda perten-
cenies ao dito senhor, todos com excedentes acom-
modaroespara aunli, e dQ interesse para arren-
damenlo por seren lodo edificados em chaos pro-
pnos, a saber:
ptenles juros.'roneco Jos ie Couveia.
fcecisase de duas anas, uina sesea e piltra
de |ete, forras ou captivas, paga-se bepi: sa raa
do CoTlego, lojan. 9, ou ra da Florenjiaa, casado
Sr. Coimbra.
Fugio urna escrava de nome Calharia*. reli-
la, com os signaes seguintes: alta, de bonita fi-
gura, i-heia do corpo, com um papo no olho, tem a
cicatriz no corpo, signal da trra della, levou ves-
tido de chita e panno prelo, julge-ae lar mudado o
panno ; por isso roga-se aos capttcs da campo ca
autoridades policiaes, a apprehcnsio da d|ta sera-
va, e levem-na a ra do Livramento a. 4, V*a serlo
recompensados do seu trabalho.
Irmandadedo Senhor Bom Jess
das Portas.
O actual eserivo, em nome 4a mesa regadora,
convida a todos os seus irmos a comparecer na
igreja da Madre de lieos sexU'felra, 8 da carronlc,
j pelas 31/2 horas da tarde, para acortbattW a pro-
cissao do Senhor dos Pasaos.o eserWab,
Jos Feruandet da Silra Teixeira e Mello.
. Offerece-se para ensinsr franct um motb, o
qual lein as habilitaeea necessariss : dneMt d seu
| presumo se quixer uiilisdr, irija-se a roa da Vira-
i ci n. S5, que achara com quem tratar, por proco
i cnruinodo.

H ?.

i
r
I
I
f
k


l -v
i




Diario de Pernambuco.Torca feira > de Abril de 1859.
3
v

PROVINCIA
O Sis tbtsoureiro majadal ftzer publico
que te achn a venda todo* os din das 9
horai da n*nb5a as 8 da ooite, tm pavi-
mento terdo da cata da runda Aurora n.
26esas cafccojkiiqdape\omeino
Senhor ttbourfo na praa ca Inde-
pertdnj,B*uarty 24e narn Direita
n. 85, ate is G hora* da tarde, tmente os
bilietea t;|iaefe tjeyx^iro parle dn pri-
mera loteria do convento de S. Fran-
ciso de ">inda, cuja rodat deverao
anlar impretcrivelmeute no rrrentp me7..
Thesoiuarin da* loteras 2 de abril
.K1859.Oecrivao.J. M. da Grust.
Atlem-iit>
ligio, ariando-s liado, na noite di 31 do moz
prr.iinn pretrito, doqnarlH gnnor.il, no Mondegn,
mu-avallo rico pedro-z, marcado nri quarto osquer-
iIo-imu a ii. 9, portencenlc a companhia fina de
raallaria : a pessoa que econduzir aquello lugar,
-oi ra/.oavoli imite gratificado. *
Prec.sa-te de urna pessoa com ha-
IJitacoes bastante* para contramestre
ea toja dealfaiate : na ra da Madre de
Cotn. ti, primeiro andar.
Precisa-so alugar urna pessoa que saiba o-
ziharri diaro de urna casa do familia: na ra do
lfc.picin n. lo.
Alugan-sc duas casas terreas silas na Capun-
ga rua da Amizade, acalladas e pintadas de novo,
ero 2 quartiso i salas cada nina, corintia lita,
con cacimb de bal agua para beber; e niaisinna
i|ie so acia oin- concert contigua as mesinat, a
mal lom 4{nartos. salas, cozinha (ora. sondo esta
on pauto laixo: n tratar lia ra da Santa Cruz,
tatema u. >, esquina da ra da Alegra.
-Furtar.m no da 1" d' Abril presenta, un alli-
mte, o iio par d'argolag de ou.ro esmaltados de
miiIo o rao claro, cujos esmaltes lingera urna ro-
siena follas verdes, ambos objeclos iguaes, roga-se
pir tanlr i pessoa a ouein foi oflerecido, e quizor
iTSliluir.do. levar a ra Bella, sobrado novo prximo
a maro p-iiioiro andar, que ser recompensado,
opnmeiro andar da casa n. 7, na praca da
Boa-Visti ugio na manlia dn dia 2 do correlo,
uuia cadilhha do rara inglesa, inda branca o nuiui
felpuda : piom a livor acbadn ou rccolliido a sua
casa, po* vorn.ueira reslitui-la a >eu dono qiu; se
gratifican generosamenle.
RMEDI01HC0mPARAVEL.
inwunro n< h-loway.
MMlurs di- iidividiios do indas as naocs pdoni
losiomiihir as virtudes desio remedio iiicoiupara-
>ol e pavur om caso ncoessario, que, pul uso que
ilelts Ikaram I0B1 u rurpu vmembrus inleiramcnle
saes d-piiLs do bavor omprogado ioiililmeule oiilros
tralaiii-nlos. Cada ppasoa poder-*e-ha convencer
den caras inaravilhusas pela loilnra dos peridi-
cos, me lli'as rolalam Unios os dins lia muilns an-
uos; oa manir parle dolas sao tao sorprendentes
qiM idliiram 01 mdicos mais celebres. (.Inanias
pcssM recobraram com este soberano remedio o
usa o mus braroa e pernas, depois de ler porma-
nucsrl luugu lema nos hospitaes, onde deviam
-nlncr a amputar.**! Deltas ha muilas que liavendo
licitado esses asilos de padeciuicutns, para soniui
suhiucttereiii fssa operario dolurusa foram cura-
dla cumple!amento, mediante o usodesw precioso
remedio. Algumas das lar* pessoas na enlusao de
son rn-inheeinicut.. declararam estes resultados bc-
nolinw.liante do lord eorregedor e outros magistra-
dos, alm do raais autentoearein sua tlrmativa.
NinguoBi desesperara doeslsdo do saudese 1i-
vesne bisunto cuntanla para ousaiar elle n-modio
coaataaUnento seguindo alguin lempo o trataiucn-
1o usieneceaiitasse a natitrezu do mal, elijo roso lia -
do seria provar mcnutaslweiuuwU': Ouo ludo cura.
O unjcnenio he til, malo purtifiiliir-
iTBite nos seafuin(et> casas,
Inflammaco da niastri/.
,epva.
Males das pernas.
dos neilos. '
do olbos.
Miidoiluras do roplis.
l'ii .idiipa de mosipiiios.
miniiiw.
Queimadelas.
Sama.
Supuraees ptridas.
f inha, ni qualquor parle
quo soja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do ligado.
das articularoes.
Veios torcidas ou muladas
lias pomas.
Vendo-se este ungiientn no estabelecimento goral
do1 Londres n_m, Strand,* e na luja do todos os
boticarios droguistas e nutras ppssoas omarregadas
do sin venda em toda a America do Sul, Hacina c
llessaaria.
Vende-iie a 800 ri. cada bocelinha, cnntm urna
insirurro em portugnez para o modo de Cazer sou
dosto nnguentn.
> deposho geral he om casa dn Sr. Snum, phar-
inaioutico.n ra da Cruz u. U, cin l'cniambiici
Monsen & A'inassa apres-
sani-sc a declarar quo nao po-
dein aceitar a procuraoao do
Sr. Francisco de Paiila Siqueira
de Saboia, por isso que seus
muitos ara/eres lhe o nao per-
miltein e a nica sciencia que
tiveramde semelhante encargo
foi urna carta do niesmo 9enhor
que lhes foi entregue hontem
31 de marco pelas duas horas
da tarde.
Aluga-so urna casa terrea com commodos pa-
ra urna familia, no liru da ra do Malliias l'orroira,
que fli-a pomo diatante dos banhos salgados: na
tniiioira casa junto ao caes da ponto do atorro do
aiadouro, achara coiu quem tratar.
Precisa-se alugar una ama que soja capaz
paca n servieo interno do moa poquona familia : na
ra das Cruz.es n. 41, segundo andar.
Aluga-se una casa torrea na na do Moudego
n. til; os pretendemos dlrijam-.se a ra d s. Jos
ii. l, que acbnrao com qacia tratar.
Bernardo Jos Piulo com casa do consigna-
cies, o nogocin do aorta no llio de Janeiro, ra do
Rosario n. 54, declara nada dover ou sor responsa-
vol nosia praca, ou fura dclla por letra, indo
abono, llanca ou titulo.
O Sr. Jos Joaqun) Barbosa, advogado no fu-
ro da Kst-ada ou do Cabo, ora assislente nestapra-
i;a, tein urna carta nesta lypugraplila, vinda das
partes de Uoiauna.
No dia 2- de marco pronmo passado desap-
paiecoran do engenho Trapicho; mgueiia do Ca-
bo, doiis cavallos com os signaes segniutes : un
mellado com elinas e cauda piolas, lom um "callo
nana direita, orellias o rabera pequeas, e junio a
cauda tem urna barroca : o imito ruco, pequeo,
coiu algumas pintas de pedroz, Un osdous vaaios
rolados, nina cicatriz na coslella direita. o capto do
ollioilo mosmo lado ovoiro, e est relado ua junta
da mo direila : quoni delles souber ou os pegar,
leve-os ao referido ougeubo, ou nesta praca, ua ra
estreita do llusario, taberna do Sr. Campos, que
ser recompensado.
Us Srs. accioiiislos da Companhia Fernam-
bucaua sao convidados reunlo de assenibla ge-
ral na qiiarta-Ccira 6 de abril na saladas seasoes
da associacn commercial bcnolicente.
Prccsa-se de una ama para cozinhar em nina
casa de pouca familia : na na da Guia n.9, la-
berna.
-* (Juom aclinu urna piilscira de ouro esmaltado,
quo se perdeu ua igreja de Santa Rila, sondo que
tenlia conscioncia, e a queira resliluir, dirija-se a
casa torrea dofronte do muinbo de vonlo por Iraz!
da igreja du Sania Rila, que ser gratificado.
H0ME0PATHI4.
PRESERA ATIYO CONTRA AS REXIGAS
GRATUITO PARA TODOS.
le mtlhorprrrenir o nial do qutcttra-lo
Lavrando actualmente a peste de hexigas, e pos-
suiuilo a lioinoopalliia meios ellicazos pura preser-
var de lo Ion ivol molestia, faco destiibni-las giatui-
lamoulo a todas aspossoassonidisliuciiu de rico ou
pobre, lodos os das ulcis desdo as 10 horas da nia-
ibaa aliao nioio dia. A experiencia meaiitorisa a
afllrmar, que todos aqnellcsfiio firerem uso dotaos
preservativos firarao isonlos do mal varilico e
que, quando por ventura alguoni olioguo a solTrer,
as jnistulas, nao seraonom inuilonumerosas, o noni
do na qiuilid.ide. Nao nccessila losguardo. apenas
abstinencia do caf pn*to.
Coiisulliirio Contra! Ilomoopalliiio ra de Santo
Amaro ( Mundo Novo n. <">.
Ilr. Siibina O. I.. Pinho.
Preeisa-.o alugar urna prota escrava que sai-
ba fazcrlodo o servieo deum.i casa : no Hocil'e, ra
da Cruz 11. ul.
Aluga-so a loja do sobrado da ra Direita n.
121 para morada do alguiu hornera soltelru : a tra-
tar no inesuio sobrado.
\i i. i i i i i i i i i i i i i t i ,x
: Avisa-se aos devotos to l
I Senhor dos Passos que tem 1
: pordevocaoacompauharo |
: mesmo Senhor da ntalriz :
to Corpo Santo para o Car- S
I mo, que venham comprar :
| lanlernas de papel de lin- :
das cores para a procissao ?
CASA DE SALDE.
0 He Ignacio Firmo Xavier, proprietario da an-
tiga o acreditada casa de saude sila ao norte da es-
trada da passagem da Magdalena, entre aponte gran-
de e a pequea do Chora-menino, o na mesma re-
siliente, tem dispuslo os melhores commodos para
receber qualquor pessoa enfcrina, o achando-se o
sou estabeieeimenlo naa mais agradaveis condicoos
hygienieas; contina a offerecer os seus serviros, of-
fiancando o melhnr tralamenlo e o maior elo no
curativo das molestias. O mesmo doutor, lom des-
tinado urna sala para partos, cuja utilidade he in-
conteslavel.
SAO ESCARBr.CvriOS da clnica
Operacoes.0 Illm. Sr. Jos Francisco Pinto Gui-
maros, cirurgio do Grande Hospital de Carida-
he boin conliocida.
SEGURO CONTRA FOGO
NORT11EHN ASSURANCE COMPANY
LOXDON.
CAPITM. 1,500,000.
A.gcnte C I. \st\ey c C.
Offerore condicoos niuilo favoraveis e premios
moderados.
Aos spitliopts Rrasileiros e Poi-Ihichozcs.
PARIZRA MO.NTHOLON i. 00
Paris la place Cadet.
Madame Schroo tem a honra de prevenir aos se-
nhores Brasilciros e Portuguezes, que ella mudou
scu hotel da ra Fambnury Poissonnirc n. 71 para
a ra o numero cima, casa mui espacosa e de urna
elegancia excepcional ; tem qiiartoi niobilhados,
de, cuja pericia ne iietn connoctaa. ,|,1P olTorecom todas as commdidades doaeiavcis|
Medico consultante.- Commendador Dr. I0 so no|a -^rte como pola boa dislribuico.
Jos Joaquim de Molaos Sarniento.
Partos.O Illm. Sr. Dr. Silvio Tarquinio Villas-
Boas.
Pathologia dutriiia.0 proprietario do ostaboleci-
monto.
A diaria sor de 3$000 B 2.^000, conforme a gravi-
dade o duracn da molestia.
As pessoas que quizaren] um iral.imento distincln,
p.igaro na razo da despoza que lizorom.
Operacoes, sanguosiigas, conferencias sarao pagas
aparto da diaria.
Passagm da Magdalena 22 de do/enibro do 1858.
I)r. iiocio Firmo Xavier.
COMPAHH1A
ALLIANCE
Eslabolof ida era Londres
mm ii mu.
CAPITAL
Cinco nviUutes de Vibras
esterlinas.
i pe
da
Ama.
t de cniinta-feira a noite : na ?
i loja de Nabuco & C. tm ra j
< Pfova n. 2.
O Dr. Casauoia,avisa a quempossa iiilerossar
quo. liavendo determiAadofazeriiiua \iagema Fran-
ca, lom vendido lodos oa nieiliainonlos quo exis-
talo em sen consultorio; porem nao so leudo roa-
lisado cssa viageni, tem novamonte recebido dn Pa-
rs, una nutra collecro do medicamentos inloira-
niente niHiis, e os mais boin preparados posslvcl,
como tanibem carteara! mu ricas e luios : assira,
quem desoja us M-idadeirosmedicainentiis pndi'pro-
cura-Ios em sou consiillorio hoiieopatbicu i'in Por-
naiubiico 28 na das Cruzes II, s.
No dial." do corronte fugio da padaria do aba-
xn assignailo um sen escravo do nomo Jos Angola,
idado de .5 a 50 anuos ponen mais ou monos, de
boa estatura, seccodo corpo, tem urna perna mais
Sean quo nutra, provuoicute de oryspellas o os
imbros groases, tem o cabello curiado e rosto mu
ponen opado ; clata-*e tratando de frialdade esle _
pregadas na polica ou pessoas por quem possa ser
:
'ry_> ij;i .j.-.i r. i > i v-ia
I-ugio na noite do :tl do marco o pretoJuao,
de nacao Angola, idado de 22 anuos, altura regu-
lar, barba crescida, ps grandes o calceuuaros pu-
chados para Iraz, foi vestido todo de proto por lhe
ler mor-ido san senhora, chapn do ijello prcln c
fumo, eostiima enibnagar-se e por isso talvez lenha
mudado a roupa : roga-sc a todas as pessoas do
polica e capitiics do campo que o virum o prendam
o conduzam ra da Cadeia do Recito n. 25, que
so recompensar bein o sou trabalho. lloga-se ao
111 ra. Sr. cnmuiandaiile do registro do as sitas provi-
dencias, para nao embarcar em algunio cmbaiva-
co quo lenha do sabir, pois em oulta fgida que
fez lenloii evadir-se desla manelra sendo en-
tregue pelo Illm. capitn, onde eslava. I'rotesla-se
;er para soinelbanln fin, e
tem um grande salan alen da sala de janlar a mo-
da brasili ira, casa de banho, e carroagem semino
tironipla c a dtsposcao dos viajantes. Bata eatabe-
iecinienlo c particularmento til aos senhores Bra-
sileiros c Portuguezes, pela facilidade de nelle ge
usar da lingo! doslas nacoos. As pessoas doentos,
encomnioiladas, sern tratadas com esmero porum
dos mais habis mdicos de faris, quo omproga-
do no estabelecimento : na procos sao mu commo-
dos. o servieo feilo com limpoza o oxaclido, o as
sonhoras brasileiras oncontrarao ueste hotol o Ira-
lamento que Ibes for conveniente.
liesejn-se arrendar um engenho que tonha boas
leias, eacravos e animaos, o nao se pora duvida em
pagar alguns annos adiantados : conlrala-so na ra
laGuia ti.64, segundo andar.
Precisa-se do urna ama para cozinhar c engom-
inar : na na Nova n. 10, loja.
1'rei isa-so do una ama forra ou CJCrava, que
saiba cozinhar o engnniiiiar : na ra do Cabug. n. 3,
segundo andar.
Ttarllioloniou Francisco de Snuza, faz soento a
quem convier, que por meiados dn coTienlo moz
passar por osla capital, de rolla para o Rio de Ja-
neiro, o Sr. Ilr. Manuel Nones da Cosa, que foi a-
porfeicoar seus coohccimenlns cirurgcos Europa,
onde com ospecialidado applieoii-sc s molestias de
olhos o viasurinarias e a partos.
O Sr. Ilr. Nanos da Costa propi>o-se nos poneos
diasdosua estada nesta oblado a operar osinfelizes
". .rS.R" _?rs *_C; .,0:ra,-.ai 0"". 1 mAl i Ia? louhain perdido a vista, on que lenliam al-uin
v. g. os vesgos : inciimbinilo-se
igualmento da cura radical das hernias.
Todos os pobres sern tratados gratuitamente.
As pessoas abastadas que desejarem fazor-so ope-
rar podero dirigir-so. ao hotel Francisco, onde on-
conlraio o Sr. Ilr. N'unes da Costa assim que cho-
gue. Visto s por ponos das demorar-so nesta ci-
dado o Sr. Dr. Nuiles da Costa, previne o annunciaii-
le aos indigentes que houverevn de fazor-se operar
que se dinjain sua pharmacia, ra larga do Ro-
sara ii. :I0. a inscrover seus nonios e moradas; por
quanto sern operados porordem de inscripen.
Ilocifel." do abril do 1859.
Bartholomeii Franrisrn de Sutiza.
I'ma pessoa estando para relirar-se o inais breve
Precisa-so urna ama para cozinhar : na taberna
da ruada Praia u. 27
Precisa-so de um caiteira que lenha pralica
de taberna, e de fiador a sua conduela dri)a-se a
ra Vallia n. 67.
Procisa-so de una erjada-portagueza ou bra-
sileira, para urna casa de muilo pouca familia :
quem qnizer, dirija-se a Iraiessa da Trompe n. 9.
D-se dnhero a premio sob pnnhores do ou-
ro ou prala : na ra Augusta n. t.
Precisa-se de urna ama para cozinhar: no
aterro da Boa-Vistan. .
O tliosnureiro da irmandade do Ronlior Bom
Jess das Portas, creca na igreja da Madre de Dos,
faz si icnlc a seus iimns c ao publico, quo domin-
go 10 do enrente em diante navera missa lodos os
domingos e das santos as 7 horas.
cha-SC em casado Jos Julin doNascimon-
to, nos \rrombados, um pranclio de cedro : quem
for sou dono, procure, que daudo os sgnaos, lhe
ser entregue. *
No dia 2 do corronte perdeu-so do engenho
Boiito Velbu, em Santo Antao, at a ra do Sol n.
11, no Recite, umalfinetc do paite fe senhora. de
urna pollegada de dimetro, forma ouval, circnladu
de um aro e lorcal de ouro Olio, que servom de cai-
Ciiixas com folhas de Flan-
Ares avariada.
A S.s00() rs. a caiva.
V"endem-so na loja Ja ra daCade do Recito n.
til, ou na luja de liimleiro do caes do Apollo junto
ao aren da Conceicao.
Vondi-sc uia miilatinba do 16 anuos, muilo
bonita ligura, lom umita pralica om servicos di:
casa, c principios do costura o de ongommado : na
loja do Sr. Jos Brando da Bocha, quina do Cabug
Vende-se urna escrava boa, soni vicio atgum.
de idade du 26 a 27 anuos, o senhor a >ondc por
necessidade : quem a pretender dirija-so a ra do
Fagundes, prostCS a casa do Vigario, confruule a
sobrado 0. 18, que achara com quem tratar.
Vende-se una escrava de Angola, eoin 36
annos, que sabe cozinhar, engootmar e lavar du
barrea b de sabio : na povoaeo do Jaboatio, a
tratar rom Flix Manuel do Nascimento Valoes.
Vondem-sc 5 escravos prelos do 18 a 22 an-
uos, ptimas pecas, do muilo boas figuras, perie-
tamciile sadns e som deleito, sondo um bom cn/i-
nboiru, nutro perito carreiro, c os oulros aptos
para quabpior servieo de campo ou da praca, um
miilatinbode 12 anuos, um onlro do oxeolleulo li-
ra o conducta, do 17 anuos, proprio para pagem.
va a um fundo de mado-perola, por rima doqual juma prola do 25 annos, boa cozinheira, por proco
* quo tenliaui peruu
aos Srs! negociantes, proprieunos do casas, o a | Jcfeilo nos olhos:
quem mais ronjier, quo estn plouameiiloaulurisa-
dns pola dila companhia para eflectuar seguros so-
bro edificios de lijlo Ppedrl, coberlus do telba o
igualmonle sobro oa nbjectos que ooiilivoivm os mea-
mos oditicios, quer consista ein mobilia ou em buten*
das de qualquorqualidade.
Airenda-se nm sino eom excoilcnto casa de
vivenda no lugar da Torre margem do rioOapiba-
ribe confronto estrada do Manguinho, cuja casa
alm de sor odilicada com muilo gosto e sor enlloca-
da om um ponto do vista agradavel tanto por dola
avistar-so todas as casas da Capunga, l'assngein e
Ponte de Felicia, conten if salas de 80 palmos qua-
drailos oada nina, seiidu :i forradas de rico papel o
o ledo de estuque, 11 quarlos, sendo 5 forrados do i possivel para o Sobral, desoja levar om sua rompa-
papel o o tocio de estuque, rozinha fra, bastante'
le, que -o motivo de seus desvarios.
encontrado, o mtindem negare onlregar na ra dos 1 ~ N'a rua do K1^ "i ?' 'ac.rc,,,i"'ri"1,1 f
recoi i- I co"lluorci"> precisa-sc de um bom coziiheno e dotis
Uuartcis, padaria n, 18, aoude seto bein
pensadas ao trabalho que o mesma dcr.
>So da 4 ao amanlioc or do 5 ao raez p. p. lia
gio do Brejo de S. Jos termo da villa do lluique e
comarca do Caraiihuns, o esrravo Vciiiiucio, com
os signaessegiiintes : pardo, alto, grosso, cabellos
carapinhos, sohrancelhas cerradas, nariz chato, boi-
cos grossos, principiando a barbar, abata do um-
l-go de um lado urna sicatriz de umi turada, no
pcito de um dos ps tem urna cicatriz do um tallio,
idade pouro mais ou menos do 22 anuos, oiflcial do
sapatoiro e muilo divertido. O abaivo assigna-
do pode a todas as autoridades policiaes e capiles i
dfl campo que n poguem o avise ou mande ao ilion- j laillllia '. VTlar lll rila ttO
donado lugar que sera bem recompensado.
Antonio Cavalcanli de Andrade.
i serventes.
Precisa-se de um amassador para tomar coa-
la de urna maceira : na rua larga do Rosario n. 48,
padaria de Monltiro ; Soares.
AMA.
Precisa-se de umapreta
ca\Hiva de ineia idade \>ara
ana de casa de multo pouca
Qucimado n. 4ti,\oja.
AlporaM
l'jianVls.
i a I Ins.
Canceres.
Corladuras.
llores de cabera.
--dascpala>.
dos niouduns.
I' uformidades da cuts em
geral.
Hitas do anos.
Krupcofs e escorbticas.
Fistolas oabdon-en.
Frialdade ou fallado calor
as exirerrriaados.
Frioiras.
cengiras escaldadas.
Incnaoes.
Inflaniacao do figado.
dhexiga.
CASA DE RAMIOS
espacoso, cocheira para :t canos, (piarlos do cria-
do e do prelos, estribara para li eavallns, casa para
gallinheiro o animaos domsticos, 2 cacimbas, irna
eom escellente agua do beber, ontra com bomba,
da qual doita agua para a casa de banbo que liea la
p, jardim com Figuras e jarros de lenca linos, tiiu-
raduna fronte rom pnrlo do ferro, haixa de eapim
que sustenta animal dous cavallos, pomar do laran-
goiras, selectas edeumhign, alcui de oiitras fruc-
leiras do paz : os preteudeiites ilirjam-se ao atorro
da lloa-Vista u. 2, segundo andar.
Anjos para procissao.
Na rua da Criizn. 50, por cimadu eseriploro dos
Srs. Sovo Filhos &C, veslem-sc anjos para procis-
sao, com o maior aceio o gusto, e commodo proco :
na mesma casa acham-su vestuarios bordados, re-
cbidos pelo vapor ingle/, o porlanlu qualquor pes-
soa que queira urna figura ricamente vestida, polle-
ra dirigir-se mesma casa, onde sero salisl'eitos
Seus desojes.
Desappareceu nina canoa de carreira, matri-
culada com a letra M. latina de popa : quem a li-
vor adiado ou dola tiver milicia participo na rua
libia um criado, o qual do fiador a sua conducta
quem estival nestaa circuiuslancias dirija-se rua
das Cinco Ponas, soluado que foi do aado Jos
GABINETE PORTUGUEZ
DE
LEITURA.
A directora do Gabinete Portuguez de Leilura.
lendo em considcraeo a ordein e regulardade que
deve haver no estabeieeimenlo, avisa aos senhores
associados, queiram ler a bondado de mandar en-
tregar na biblotheca os livros sabidos para leilura
ato o fin de fevereiro prximo passado.
Secretaria 18 de marco de 1859. 2.secretario
Jos F. arrolle.
* i i tX'iJJ'^XM,^'-'-^
iTvTrvti i.
-
i ;::
X. DENTISTA FRANCEZ.
. Paulo Gaignnux, dentista, rua das La- < '> rangoiras 15. Na mesma ;asa tem agua e
2:: p dentiiico. 4:
x uval iiiiiiim imucun ua rua i ..^ t t. t /> i i i t, ti i IHI'MM!
da Cadeia n. 13, i-scriptorio de Claudio Dubi-tix, [i^fjZffifffff^gf-ffff f
asseiita nina placa de porollanai em cuja face se
ro urna figura de. passaro verde com azas e bco
protos, gila encarnada c algumas peanas' amanil-
las, o cuino que quereiido pegar com o bco una
poquona mosca prct.i que va ; ludo arranjado de
pequeaspennas naluraes na porcellana, coberto
de vidro ou crystal de rocha : obra mui rara
aqu porque o industria secreta de urna familia
fraiiee/,i, o somonte se vendo na fabrica de porcel-
lana do Sevros, em Pars : a pessoa que o adiar,
ou apprcheiidcr, leve-o ao dilo engenho Benlo Ve-
IllO, iiuarua do Sol n. II, que sera devidaineulo
recompensada.
Precisa-se de una ama forra ou captiva : na
rua Nova n. 3o.
Precisa-so de utua ama do loilo que nao te
nba lilho, para acabar de criar nina menina, qual
paga-se bem : na rua Augusta, casa de Adelo
Jos de .Mendonca.
Vende-se urna esrraip moca, e muilo bonita
ligura, com militas habilidades : no segundo andar
do sobrado que faz quina para a rua das Flores.
Precisa-se de una ama para o servieo interno
de una casa de poma familia : a tratar na rua da
Cruz ii. 53.
Dcclara-se que o Sr. Jos Pedro, musir de
obras, j sutUfez os jumaos que tlevia ao servente
Soralim.
Precisa-se do um caixeiro que lenha bastante
pralica, para loja do mudezas, dando fiador do sua
I conduela : na rua Direita n. 100.
Hallar j; Olivera scoiillicam ao eummercio,
que o Sr. Jos Francisco Maia deixou de ser seu cai-
xeiro desde o dia ido corrate moz de abril.
No dia 27 de marco desappareceu da casa de
seus pais um moco branco de nonie Antonio Jos
ltaposo. fallo de juizo. com os segrales signaos :
idade 2.4 annos, barbado, com os signaes de bat-
gas, cr plida, nu diz cousa acertada, levou ca-
misa do riscadiuho de chita e calca de ciscado, cha-
peo do l'.hili ; julga-se andar de' p no chao : por-
lanlu roca-se a quem delle souber de o levar So-
bdado, sino daflaco que se graiiiicar.
Precisa-se de um amassador que cnlonda de
botar massa em solyudro : na nadara do Forte do
Mallos.
Precisa-se de um pequeo para caixeiro de
taberna, mas que tonha pralica da mesma: na rua
das Cruzes u. 20.
Precisa-so de um caixeiro que lenha pratica do
taberna : na rua dn F.ncaiilaiueulo n. 77.
Precisa-se de mu carapiua forro ou captivo,
anda que nao soja bom ollicial, para trabalhar a
jornal : na rua Nova n. 35.
Precisa-so de umacriada para o servieo interno
o externa de urna casa de pouca familia : "ua rua do
linini n. 2.
quo sera recompensado.
LOTERA
Reate ealahelorjmentO do to grande urJTdade bavor. lodos os das desdo as 6 horas da inanha
al as 10 ou 11 lloras da imite bapilOs trios simples do agua corrate da l.oinpaiiliia dr. I'.obeiibe, dil
aromticos, dilos do choque o chuvisco, banhos muraos simples o aromticos, assim como banhos me-
dicinaos sulpliorosos e salgados, viudos de Pars, das mu acreditadas phaimai ius de Mes. Sarbaud,
Yanquoliu e l'olletior Pal & l'ilbns.
Chamamos a allonco dos lllins. Srs. Drs. em medicina para oslo ostabolocinionto, que podor
facililar-lbos algumas curas importantes. Ha lugar reservado e completamente separado pura as fa-
milias.
PRECO DOS BANHOS.
Trmia carios para banhos fros com Icne.l de de linho..... 158000
Uiiinze dilos dito dilo................ H.-SOOtl
Soto ditos de dilo.................. 4^000
Trinta ditos para banho momo de choque, chuvisco OU (arelo COm
lenol de linho o toalba propria............ 20j000
Viiiiz.-' ditos dilo dilo................ llIflOOO
Rete ditos dilo dilo................. 5SIKIII
t'm banho avulsu fro ou momo conf leiicl e toalba...... 10Q0
Dito aromtico, mais o valor da essencia..........
Banho medicinal artillcial salgado............ 1,3500
Hilo dilo dito de Vichv................ 2,-iOOO
Dilo dilo dilo do Baroge............. 2S000
Os abaixu assignados esperaiu merecer a coadjuvaco do respeilavol publico, o aiherlom, que os
cartOH lao sao Iransferivois.
tjaiuc i Fiti.il.
i.niifronle ao Rosario, cunfclaria 39 A, recebou-
so doce lino de guiaba.
Cralilica-sc com 210)000 a pessoa que der no-
ticia exacta do lugar n'esta provincia, oudefalleceu
,. ass,faados venderam em Roberto de Anujo, natural Se Santarem em Poriu-
seu billietes aa ultima parle da segunda gal : do qual apenas consta, que resida a 3 0114
eprimeira da terceira do gymuasio O. \^^^^ ^oVllff naruaTo
segu rites premios :
Ns.193") ineio bilhete
28111 meio dito
2191 bilhete
1850 meio
1727 bilhete
220V meio
Os 8 por cento da lei e pago na
loja da praca da Independencia n. 40 ;
os mesmos tem exposro a venda seus fe-
l:00.s
20DS'
100J
100s
50$
506'
sua
Vigario n. :l:(, ou auuuncie por esle Diario.
Precisa-so de un felor para um sitio pe rio
, da praca. a tratar na traiessa da Madre de Dos,
j armaxem n. 21.
Agencia de passa-
portes.
VU1HUA
no
BECIK A S. FRANCISCO.
a cnurpanlua se acia prompla a receber nropos-
lasBiima condnecao de una grande quanlidade de
irilaose utros matoraes perWoeenlcs a mesma
via-ferreadolilloraldastauco Ponas, onde presen-
loinenlc se acbaoi, ao lugar chamado Boa Sicca ou
llertioga, sito no rio lpojuca.
V.s Dnifftjia* dever.,o ser enviadas por esenplo,
uiareaso q pieco por arrobas inclusive carregar o
deseajrcgar o seso que pde ser condnzido por ca-
da hamaca, njaior numero dolas que se poder em-
preoar nfsle sirvico assim como o lempo gasto em
cada viagem. .
Rw-riBiarie dos eugenbeiros na virk do Cabo 10
de mano de ltiw.
W. M. Penilo,
Kiigenhoiro em chote.
VIA FRREA
Me a i Francisca
A companhia precisa ropregar 300 obreiros ad-
dietoi*eim*aTrfr'0oCebo e tilinga, c orferece
a* seguntedvanlagens.
Ksta resolvida a contratar os atorros em lances
pequeas, por preces que gerantem maior lucro
aos contratadefes, do qae o que se realisa pelo tra-
balho diario.
larpregaT-se-hSo lodos os homons de torca c ac-
tivos por um precb proporcional equivalenle' 1280
rs. diarios.
Contratar-se-ho pedreiros, carapinns, officiaes
de piedreiro, ferrcbi, assim como outros mrrhani-
eoa, inedlanle condirries favoraveis empreitada
ou medanle paga diaria correspondente, no caso
que preferinim.
Haverto moradias para os obrPiros, cujos ninnti-
inenlos seijie Iransporlados gratiritamente da pala-
cio das Cinco Ponas aos pontos das anas moradas
Kla liaba. Tambero se conceder tima passagoni
re ao Berilo para todos Os que fotem emprega-
dffl, pata ida e volta nos abbados, depois de feio o
pagamento; assim eomo a todo lempo se dar pas-
setivre, de *) hnmeris, um, pata o tiro de com-
prar nJanlimentos.
Kseriploriodos ongenheiros na villa do Cabo 10
de marco de 1SW.
W. V. ftnitton,
P.nsenheiro em chefe.
to mmi
RECIFE 4 SAO FRANCISCO-
A companhia est prompta para entrar em ajuste
com quaesquer pessoas que queiram encarregar-se
i PKDItAS l'RKl.l(IS\S. :
2 Adrenos do brilhan-
lea, diamantes o purnlas, i-
^i pulceiras, arneles, brin-
3 eos e rosetas, boloes e 1
*j aunis de dill'ereiiles DOS- -
3 los e de diversas podras [*
i de valor.
3 Compram, vondom, ou ..'
J trocam piala, otiiu, lm-
-' Ibantos, diamaulos e pt^- r>
mas, o nutras ipiaesi|uor
- joias de valor, a dinhe- ...
H ros ou por doras. [*
MOREIRV&DUaRTE
f.oja de iHirites
RUADOCABUGA' NI-
Recebuiu por lodos os
vapores da Europa as
oJiflts do mais moderno
gosto tanto de 1;ra ira
como de Lisboa, as,qtiaes
vendem por preeo com-
modo como costumam.
1 t. 4J6JJ i..- I g
UUllO K PR.VTA.
^ Aderaros completos de >
onrn, meios ditos, pul- >
S coiras, alliuelos, brincos
o rosetas, cordes, tran- W.
' solins, medalhas, corren- ^>
\ i les e enoiies para rolo- r
iio o oulros muitos ob- U
joitos de ouro.
2 Apparelhos completos fe
->; do piala para eb, lian- (
*J dejas, salvas, easlicaes,
3 ciilhoros do sopa echa e Jj
niiiilus outros nbjectosde .
' prala.
-

Claiidino do Rogo Lima tira passaportos para den-
tro e tora do imperio, por commodo preco c pres-
teza : na ruada Praia 11. -i!, primeiro ailar.
1 No dia 29 de marco, 1. e 5 de abril, depois
Itzes bilnetes da terceira parte da pn-da audiencia dolu-.juia do otoaos, lora de ser
I arrematado por arrendamenlo aiiuual o sobrado de
' 2 andares sito ua rua Augusta n. i, ptfteuccnlc aos
jherdeiros do finado Joao Francisco da Cruz, a rc-
{querimonto do tutor.
Altenyo,
Aluga-se urna grande casa torrea c de sotan, na
da 1 Ilha dos talos, contendo 4 salas, 2 gabinetes, 7
meira de S. Francisco de linda.
Vieira & Rotliechild.
Aencao.
Acha-se ausente desdo o dia 4 do mez p. p.
casa do abaixo assignadn, com quem aprenda o
ollicio de carpina o mulatinbo Bruno do idade 12
anuos, escraro da Sr." viuva Silveira : quem o le-
var a dila rasa na rua da tlloria 11. ilion der una
noticia exacta a respeilo do mesmo ser generosa-
meiile recomuensado.
I.uz Ignacio Nuiles de Olivera.
Os amantes da boa pilada acharan semprc ra-
B fresco, prnceza do Rio, grosso e meio-grosso, e
enron : no aterro da Boa-> isla, loja nova n. 74.
quarlos, cozinha fra, cacimba, quintal murado,
propria para numerosa familia : a tratar na mesma.
Nos das 29 de marco, l."e 5 de abril, depois
da audiencia do juizo de Orphaos, tem de serem ar-
rematadas por arrendamenlo animal as casas ter-
reas silas na rua do Alecrim ns. 14 e 16. dila na rua
de Horlas 11. 78, perlencontos aos herdeiros do lina-
do Jos Mara de Jess Muniz, a requerimenlo do
tulor, sendo a arrematado elfecluada na praca do
dia .
DENTISTA DE PARS.
f reilerleo Gautter,
cnirgo dentista, com pralica de seis annos no Rio de Janeiro e Iros na Baha, alem do quena sua re-
rente viagem a Franca pralicou dous anuos como ajudante nos gabinetes dos prmeiros dcntislas de Pa-
rs; e enriquecido dos aporfoicoanienlos c descobertas mais modernas quo se lem feilo, tem .a honra de
annunciar aq respeilavol e Ilustrado publico que acaba de chegar a esla cidade anudo pretende litar a
sua residencia e praticar todas as operacoes da sua arle, taes como limpar, limar, chumbar e tirar den-
tes, trabalho este que oxenla com summa habilidade. Chumba dentes comOI'RO PL'llO quando o per-
millcm o oslado e a conformaroda caria, e nos mais casos emprega una nova romposico branca como
0 denle, fazendo corpo com elle, com a qual a chumbagem se faz sem pressao nem dOrs, e que nunca
se altera nem muda de cor. Cnlloca denles artiliciaes com perfocao at hoje desennhecida nesta cidade
os quaes imitain lambem os naluraes que nao se podem dilterencar e preenchem todos os seus fins, tan-
to para a falla e a masligai^o como para compr as feicoes do mslo. Por isso, julga-se eslar em cir-
cnmslancias de allrahir e merecer confianca, o convda'as pessoas entendidas a dignaiem-se bonra-lo
com a sua visita para se convencerem da superioridade do seu tiabalho.
Acha-se no seu gabinete todos os das dasS horas da manbaa al ao meio dia COM CF.RTF.ZA, e
at as 4 da tarde quando nao liver de ir em casas particulares.
PERNAMBUCO
CIDADE DO RECIFE
COLLEGIO D'AURORA.
DIRECTOR 0 PROFESSOR JUBILADO
Silvano Thomaz de Souza Magalhes.
sccuiul.-ira c
I
_ -----------------pontos
das divTsoej mais distantes da via terrea.
o aba^o asaignado eslimar receber propostas
por esenplo, eslabelecendo o preco por legua por
cada arrobada peso,pelo qual os proponentes se
obn;!arao a [aser transportar os mesmos materiaes.
Todas aquellas pessoas que conaeguirem este
ajusle com a companhia, lerao o privilegio de po-
derem obtr passagm livre pela via terrea, e re-
^b^i^"TOih?,e,!Bet0s pel tret0 mmo
r>crpUrt^engenheiroa na villa do Cabo 10
de marco de 1859.
W. M. Penitton,
Engenheiro em chele
Atteucao.
Preeisa-#e de ama-criada que .saiba cozinhar e
ougominar para pouca familia: na rua de Sania
Isabel n.1.
PEIMUS PRECIOSAS.
Adereros de brilhanlcs,
diamantes e perolas,
pulsoira, allineles, brin-
cos e rselas, botos e
aunis de difiranlos
gestos e de magnficos
brilhanlcs.
Compran!, vendem e
trocam prata, ouro, bri-
lhantes, diamantes o pe-
1 rolas, c outrasquaesquer i
joias de valor, a dinbei-
I ro ou por obra.-.
iOhmann & E. Blunu
.lOALHtlKllS
Hotel ingle: su la n. 4.
I eco lio ni por lodos os vaso-'
i res da Europa c do llio de .la- '
neiro obras do mais noderuo '*'
gosto, lauto de Frtira como;
i desla ultima en pila I, as quaes
Uendenifom toda a garanta!
na qualidade dos melaes e|
Idas pedras, e pelos precos
i mais commodos possivis, f
leudo semprc disposicao dos j
frefuezes nm belloe variado^
soilimento.
01R0 E RELOGIOS.
Aderocos completos de
ouro, meios ditos, pul-
ceiras, alliiielc-s, brincos
e rosetas, cordes, tran-
celins, medalhas, cor-1
rentes, enfeiles e corren- I
loes do ouro para rolo- ;
gios, c unirs muitas;
obras de ouro c do coral.
Relogios patente inglez
dos melhores fabricantes,
ditos suissos, tanto de
ouro romo dcprala.chro-
nomelros e meios chro-
nometros o tambem re-
; logios horisontaes de ou-
ro e de prala. Vendem a
trocam.
CASA DE SAUDE
SITA EM SANTO AMARO.
DOS
O director desle estabelecimento avisa aos senhores pais de familia o eom especiali-
dade eos senhores pais de seus cullegiaes quo se avba rcstabelccido de sua saude. assim
como na rontinuacao da directora de sen collegio.
Sempre solicilo no menaoramento da nslruccao de seus discpulos, qual dedicado
a ii aunos, aprsenla agora ao tespeilavel public em resumo oquadro da reforma, que
julgoii adoptar para o progresso da educacao da mocidade que lhe confiada.
Artigo 1." A inslruccao tica dividida em Iros classes ; sendo primaria,
recreativa.
Arl. 3." A inslruccao primaria comprehende:
1. I.er e escruver :
i." Principios geraes de moral ;
3." Doulriiia chrisl e civilidade ;
4 Kxcrcicios grammaticaes.
5." Nococs de arilhnielca ;
C." Se dosenvolvimeiilo em applicacoo3 pralicas: quer em inteiros
quer em deciinaes e n-gras de proporcao :
7." O systema dos pesos e medidas do imperio ;
8." Klemeutos de reographiao historia, com espncialidade a do Brasil ;
y." i.eniiieli'ia rcclilinea.
A cadoira de inslruccao primaria regida pelo Sr. Maunel Franisco Coelho Jnior.
Arl. 3 A inslruccao secundaria comprohende :
1.' Analyse da gramniotica pbilosophica de Jeronymo Soaros Barbosa. V.sla cadoira
regida pelo Sr. Manuel Barbo-a de Antojo, acadmico" do prinioiro anuo do faculdadc de
Miguel Jos Rodrigues da Cosa rctra-se tempo-
rariamente para a Europa no prximo paquete, epelo
que tai scienie a esla praca e a quem interessarpossa,
nueo seu estabelecimento no aterro da Boa-Visla n.
^.contina em scu movimento commercial sob a fir-
ma de Miguel Jos Rodrigues da Cosan Moreira, a
contar do crreme, em virlude da sociedado que ce-
lebrou com o m\ Manuel Joaquim Moreira, o qual
durante a ausencia do anuunciante fica gerndo to-
das as iransuccocs, e para seus negocios particula-
res constituido seu primeiro procurador, e em se-
gundo lugar o Sr. Antonio Hitarte Carnciro Viau-
na, o em lerceiroo Sr. Antonio Jos Villar.
."ojo, depois da ausencia do Sr- Dr. juiz de
orplians, vai praca pola ultima vez a casa terrea
n. 41 da rua da Gloria: os pretendcnles podem
comparecer uo lugar das audiencias.
No dia 1G de marco do crranle auno fugiram
du engenho Canda Radiada, freguezia d'Agua Prela,
comarca do Rio Formoso, os escravos seguales :
Rarbitiu, cabra, de 25 aunos de idade, pouco mais
ou monos, cora lisa, testa grande, olhos vivos, re-
lo redondo, tem um signal pequeuo eulre as so-
broiicolhas, pouca barba, bocea pequea, heleos ar-
ribitados e finos, estatura regular, seccodo corpo,
espadando, pernas linas, ps bem feitos, bastante
fallante : Manoel, cabra de 25 anuos de idade, pou-
co mais ou menos, phisionomiatrislonha.cara des-
carnada, nariz apapagaiario, pouca barba, estatura
regular, secco do corpo, leudo marcas du ventosas
na barriga, proveniente de molestia, pernas linas
com marcas de boubas, c coieia um pouco de um
quarlo, que mal se divulga polo andar ; o primeiro
foi comprado uo Recite ao Sr. Marcelino Francisco
Alves da Silva no mez de outubro do anno prxi-
mo passado, teudo chegado ha pouco do Page de
Flores do lugar Baixa-Yerdi, e o segundo tambem
foi comprado no Recite no mesmo lempo do primeiro
ao Sr. Jaciulho Jos.do Amaral Aragao, leudo sido
de Altiiiho ; porm presuine-se terem ambos toma-
do a direccao de Baixa-Verdc, por.terem sahido
juntos, entrojados e rom duas armas finas, sendo
um clovinote e unta espingarda, ambas usadas : ro-
ga-se s autoridades policiaes e capites de campo,
de os pegar e levar ao referido engenho a Jos Fi-
lippe S. Tiago Ramos, ou na praca de Pernambu-
co ao Illm. Sr. Antonio Goncalves Ferreira Cascan,
que sero recompensados com a quantia de 200#.
Canoa Radiada 25 de marco de 1859.
Qualqucr escriptura de venda da trra do en-
ligo engenho Montciro, que nao for lavrada pelo
proprio punho do meu procurador Antonio Jos Go-
mos do Correio, nenbuma validado lera, pois a ne-
nhuma outra pessoa autorisei para tal fim, epora
nao apporecer duvidas mandoifazer o presente.
iliuio do Uqo ttarro*.
Preparam-se bandejas de difiranles formas
eom bollinhos linos das melhores qualidades, para
qualquor acto de igreja ou unciu particular ; as-
sim como precisa-se alugar urna prela que saiba
vender quitanda na rua, e paga-se mensilmonto :
quem qnizer ajusiar ou alugar a prela, dirija-se
rua da Penha n. 25, segundo andar, que far-so-ha o
aiusle.
O arrematante da aferico dcste municipio,
scionlilica a quem inleressar, que dora principio s
revisos da mesma ofen.550 uo dia 1." de abril do
crranle anno, assim como avisa aquelles que at
esla data ainda uo aferiram os pesos e medidas de
seus estabelecimentos, que venham aferir, o ficam
sugoilos a pagar logo as revisos vencidas, enlen-
dendo-se tambem o mesmo aviso para aquelles que
mandam vender pelas ras leilc, mel, azeite de car-
rapalo, milho, arroz, carne de porro e aguardeulo
em ancoras. Recite 4 de abril de 1851). arrema-
tante, Francisco Pedro Advincula.
commodo a diuheiro ou a amo : na rua do Cabug
n. u, uo segundo andar.
Vendem-se duas eseravas pardas, sendo utna
muilo moca e bonita figura, com habilidades, o ou-
tra de 30 aunos, que cozinha bem e lava de barrel-
la : mi na Direila 11. 121.
Vendem-se dous cavallos para ver e tratar
at 9 horas da mauh.i, e de tarde s 5horas : na
l'assageiu da Magdalena, passando a ponto pequea
junto taberna.
Vendcm-sc diamantes ingieras para corlar ci-
dros, dos melhores que tem apparecido nesle mer-
cado, ebegados ltimamente do Inglaterra, por pre-
co razoavel: na rua das Trinchoiras, loja de tras-
to, n. 50.
X.UtuPK E PASTA DE CDEINA DE BERTH.
As propriedades nolaveis do Xwmi'i. e a P.vsti
de Coukimi tem sido propaladas polas sabias ex-
periencias chuicas e comparativas do Mvckmuf,
RlIlHIFR Il'ASIKVS, WlLI.UHs l'.HKUORV, MtRTIN SO-
LOfl etc., membros do instituto de Franca, da aca-
demia de medicina, c mdicos dos hospitaes de
Paris.
As experiencias confirmadas pelas recentes ol>-
servaces dos Srs. Aa*, Viun, G. Dlmoxt, profos-
sures'da facilidad.' de medicina de Pars, mdicos
dos hospilaes de Paris etc., ole, tem demonstrado
que o XtaofE c a Pista de Cuhf.im de Bgrthk san
os remedios mais etflcazcs paratodas asdores nervo-
sas, agudas, o as vezes to rebeldes ; c quo atfr.ua
com urna rapidez mararilhosa, os accessos conse-
cutivos cque tanlo cansara, do catariho, daiossi:
c.ONvctsv, da anoxc.HiTP. eda cnriiisici prLSOS.in'.
O Xaanra o a Pvsrv de Conri^x de Berthf. en-
conlram-so em todas as pharmacias de Franca edo
ostrangeiro.
Para evitar a falsificarn deve-se exigir em cada
vidro a AssicSATia, co'^oir Bkrthf..
Dirigir os pedidos em grosso A casa M kmi h & C."
n. 37, me Sanie froic de la llretonnrrie em
Pars.
Vende-se taboado de assoalho de
I linho a 10.S a duzia : no armazem de
Barroca & Medeiroi rua da Cadeia do
Recite n. -i.
Vende-se urna caa terrea : na rua
de ii orlas n. 3G.
Vende-se um cscravo bom otcial de sapatei-
ro, m090.de bonita figura, sem vicios e de muilo
bbm comportamenlo, e bem conhecido nesta cida-
de : a tratar arraz da praca da Independencia, loja
de calcado n. 2 A.
Fazendas pretas
para a quaresma.
No aterro da Boa-Vista u. 60, loja de Gama &
Silva, sendo um completo sorlimeuto de grosdena-
ples prelos, pannos e caseiniras, pelos procos se-
gniutes : grosdonaplos o covado a 1>280, *lg600,
1S800, 2$, 2#2i0, casemiras pretas corles a 5$iO,
6S500, 7^500, at 12$ cada corte, e aanuos prelos,
difterentes precos e qualidades.
Chapeos a Garibaldi.
Ainda restara alguns chapeos de palha de Italia,
rondados, a Garibaldi, pelo diminuto proco de
1$500, eufeites de ricas flores para senhora 'a 59,
ditos de ntro/ M.j, ditos do lita 2|, chapellinas de
seda para senhora a 8|, toucas do fil e bico de
blond muilo delicadas para enancas a- i$, grava-
las de seda finas c de bouitas cores a 1J500, ditas
mais ordinarias a 640, bonets de panno de brim e
chamalolepara homem de2a3$, ditos para meni-
nos de todas as qualidades, fitas de seda lavradas,
e urna porcao de bico de blond preto e branc e
de todas as larguras, o qual quem quizer comprar
para tornar a vender, se tara todo o negocio : na
praca da Independencia n. 31, loja de chpeos de
Manoel Ferreira Pinto
MACHINISMO
ft
c quebrados,
Compras.
Compram-se dous exemplares da graramatica
ingleza por Olindorf, pagaude-se como se fossem
novos, caso sejam usados : na rua dos Guararopes
ilircito desla cidade e professor publico da provincia do Sorgipo
i." l.aiiui.Ksta cadeira regida pelo Sr. Manoel Frat
Nesle estabelocimpul ha as melhores acommodaces para se tratarom doenles te qualquer calhe-
goria e sexo.
A diaria menor he de 2$nofl, deveodo o pagamento ser foito por quizchas adintes.
Haver o minrzelo e empenho no tralamenlo dos doenles os quaes sern visitad"? pelo menos
duas vezes por dia pelos medico? proprielarios do estabelecimento.
ancisco Coelho, professor publico
da freguezia de S. Jos ;
3. Francez, lido, escriplo e fallado. Esta'cadeira regida pelo Sr. Dr. em bollas le-
tras Joaquim do Oliveira Souza, professor particular ;
4." Inglez, lido, escriplo e fallado. Ksta cadeira regida pelo Sr. Luiz do N'ascimen-
tn Maviguer, acadmico do seguudoanno da faculdade de dirailo desla cidade
5." Aiilhmelita, algebra e geometra. Ksta cadeira regida pelo Sr. Dr. em medi-
. cia Augusto Carneiro Monleiro da Silva Santos, professor particular :
6." Philosuphia racional e moral. Esta cadeira regida pelo Sr. padre mostr
Joo do llego Maura, professor publico do liceo da provincia da Parahiba e acadmico do
terceiro anuo da faculdade de direilo desla cidade ;
7." Rhelorira, potica e analyse dos clsticos. Esta cadeira regida pelo Sr. Dr.
Antonio Rodrigues Tonos Bandeira, professor publico da gyiuuasin desla ddade ;
8." Geographia e historia.
Art. 4. A inslruccao recreativa comprehende :
1." Dausa. Professor o Sr. Manoel Francisco de Souza Magalhes ;
i." Msica vocal e instrumental. Professor o Rvm. padre meslro Primo Feliciano
Tavares ;
8. Desenlio.
Art. 5." CohdiccoL'S de entrada :
Pelo anno lectivo em qualro pagamentos adioulados;
Os alumnos internos a quem o director foruecer medico e botica, pagarn re-
gulando cada qiiartel na razao de 105$................420S0O0
Aquelles cujos pais fornecerem medico e botica paga rio regulando cada quar-
tel na razao de 90J...................._ 3i0g000
Os semi-internos pagaro regulando cada quartel na razio de 51$. '. '. 21t000
O externos pagaro adiantados inensalmente por cada urna das aulas. 5JOO0
Art. 6." O collegio d gratis i todos os alumnos internos e semi-inlerdos una aula,
todas asmis serio pagas na razio de 5g om quarleis tambem adiantados.
O director apinveila ocnsejonio su para ainda desla vez agradecer aos Srs. pais de
seu3 alumnos o honroso conecito que nelle sempre han depositado, como tambem aluaiiear-
lhcs que seus disvelos e cuidados nos meios do promover o adiamntenlo de seua eolle-i
giles jamis arrefecero um s inslanle.
A saboaria da rua Impe-
rial compra sebo em rama
a % a arroba a dinheiro
vista: a tratar com o seu
administrador.
Compra-so urna casa terrea no bairro de San*
to Antonio 011 nos limites de S. Jos com o de Santo
Antonio : a pessoa que tiver, poder Iralar o ne-
gocio na rua de S. Jos n. 45.
I'.ompram-se em casa de N. O. Bieber&C,
rua da Cruz n. 4, micas hespanholas. e mexicana,
soberanos e moedas portuguezas de 69100
Vendas.
Vende-se um boi manso e bstanle gordo : na
encruzilhada de Belem em urna taberna.
No armazem de E. A. Burle & C, rua da Cruz
d. 48, ha constantemente para vender:
Champagne marca de ogo da melhor que vein ao
mercado.
Chocolate de todas as qualidades.
Burras de ferro das melhores quo lem viudo a este
mercado.
ATTEUCAO AO BARATO.
Na travossa da Madio de Dos n. 12 vende-se mais
barato do que em oulra parte, e em saceos grandes,
cevada muilo nova, trelo, milho, feijioamnrelloe
branco, ancorlas do azeitonas, ludo chegado lti-
mamente dn t'orlo.
Vende-se urna escrava de 26 annos de idade,
com muito boa conducta, elegante figura, sem vi-
cios nem achaques, sabe coni perfeicio onsaboar, e
tem principio de engommar e cozinhar: 3 iralar na
rua ao Conceicao da Boa-Yisla a, 10.
<2>
Xa fundieo do ferro d engenheiro Da-
Vid W. Bownn, na rna
do Itrum, passando o chafariz.
Ha sempre um grande sortimento dos segnintes
ohjeetos de mecanismos proprios para engenhos, a
a saber: nioendas e metas moondas da mais mo-
derna eoustruccao ; tachas de Ierro fundido c bati-
do, de superior qualidade e de todos os Umnnhos ;
rodas dentadas para agua ou animaos, de todas a..
proporeos ; envus e bocea de forualha c registros
de ooeiro, aguilhoes, hronzes, parafuzos e cavi-
tlides, moinhos de mandioca, ele. ele.
NA MESMA FUNDICO
se executao todas as encommendas com a snpero-
ridade j conhecida com a devida presteza e cojn-
modidade em croco.
Meias de borracha.
CIIEGADAS LTIMAMENTE NO NAVIO FHANCFZ.
Na rua do Oueintaio, na bem conhecida loja de
mudezas da Boa Fama n. 33, j tem pan vender
Sor preco barato as muilo procuradas meias de
orracha, nicamente proprias e approvadas para
toda e .iiiaJauer oncha.-io ns pernas.
Na loja da Esperanca,
fina do Queimado n. 33 A,
vendem-se para a quaresma todas as fazendas pro-
prias desses actos, o espedalmente franjas pretas
com vidrilho, largas e estreitas, de 600 alga vara,
ditas sera vidrilho a 400,. 500 e 010 rs., o tambera
mais estreitas a 320 avara, trancas cora vidrilho
propinas para as mantas em uso a *40, 700 e 500 rs.
a vara, enfdtes pvetos com vidrilho a o 59, ulti-
mo gosto, litas de velludo largas e estreitas a pre-
cos commodos ; na mesma loja se encontrar mui-
tos objectos, diversas mudezas que ate boje teeui
sido exclusivas de cerlos estabelecimentos desla
praca : todo o sortimento em perfumaras, ps,
opiat, extractos diversos, leite virginal, pomtnada
regeneradora, imperial, agua de Colonia de diver-
sos fabricantes inglezes e francezes, sabonetes, cor-
mechiques, escovas, espelhos, penles, etr.
SYSTEMA MEDICO DE H0LL0WAY.
PILULAS HOLLWOYv.
Esle inesllmavel especifico, composto inteiramen-
to do borras medicinaos, nao conten mercurio, nem
alguma oulra substancia delerteria. Benellnu i mais
lenre infancia, e a compleico mais delicada he.
igualmente prompto e seguro para desarraigar o mal
na compleico mais robusta ; lie inleiraraente iiino-
remove as doencas de qualquer especie e grio por
mais antigs e leazos que sejam.
Entre mi 1 bares de pessoas curadas eom este reme-
dio, muitas que j estavaui as portas-da morlo, pre-
servando em seu uso : conseguiram recobrar a saude
e torcas, depois de haver tentado intilmente lodos
os outros remedios.
As mais afilh'tas naodevem entregar-so adeses-
perai;io ; tacara um competente ensaio dos efRoa/es
effoilos desla assurabrosa medicina, e prestes recu-
perarlo o beneficio da saude.
Nao se perca lempo em tomar esle remedio para
qualquer das segnintes enfermidades :
Fobrelo da especie.
Gotla.
Hemorrlioidas.
Hydroposia.
Ictericia.
Indigosles.
Inllammacoe.
Irregularidades da mens-
trual o.
I.ombrgas de toda espe-
cio.
Mal de pedra.
Manchas na culis.
Ohstrucco do venlre.
I'litNsii ou consumpi'an
pulmonar.
Retenco de o urina.
Itheuniatisiiin.
Sympiomas segundarios.
Tumores.
l'ico doloroso.
Ulceras.
Venreo (mal).
Accidentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
Aroias (mal del.
Astbma.
Clicas.
Convnlses.
Debilidade ou extena
dio.
Debilidade ou falla de foi^
cas para qualqncrcousa
Dy'sinleria.
Dor de garganta.
do barriga.
nos rins.
Dureza no Venlre.
Lnferinidados nu vontre.
Ditas uo ligado.
Ditas venreas.
Eniaqueoa.
llorysipela.
Pebre biliosas.
Febroto inlerniloiilo.
\oudcm-se estas nilulas no estabelecimento ge-
ral de Londres n. i4, Strand, e na loja de todos
os Indican.is droguistas e outras pessoas eiicarroga-
das de sua venda em loda a America do Sul, Bata-
na o llespanha.
Vendem-*' as bocetinhas a 800 rs. rada urna dol-
as comilo uma inslruccao em portugus para ex-
plicar n modo di' si' usar desla- pillas.
O deposito geral he em casa do Sr. Snum pliarma-
oeiilieu, na rua da Cruz n. ti, em Fcrnanibum
/.->,
.%'


i
......... ..... "ini 1IU
r,,!*5 Cadeia ii. ;i. boceo ila Madre d
Ricos enfeites com
Farinha de trigo
SSSF.
1 ornando-; & Filhos tem superior farinha de tri-
go marra SSSF chogada antes do hortera que
. ["1J"".a.l"''''f""1"1" emconl: uu seu armazem
ede Dos n. t
vidiilhos
para cabera.
Vendoin-so os uiais ticos eiifoilos preto* o dt
cores con. vidrilhos, pelo baralissim.) proco do.
Bradamu: na lin oonlieeidn loja de niiudezasj
da Boa Fama, na ra do (Jueimadn n. 33.
Vondom-sc 4 burros novos, bonita-, bstanle
ordos, o jii recitos por terem rindo ha um airan
da provincia do Cear: quero os pretender, dirija-
se ao engenho Pereiras. na fraguezia de Santo
Amaro de Jaboatao, n tratar cora o seu proprielario.
Calcado superior e barato.
Ra Llireita n. 45.
Borzeguins da trra de 55 a 57,
obra boa a
Borzeguini Je tenbora (lolv).
Dito de liomcm.
Sapatos de trancinha.
Diario de Pernambuco.Tercafeira5deADrildel859.
5*000
8,s-800
l.stiOO
DA
FUNDIDO LOW 1W0VV,
Ba da Stnzala Nota n. 42.
Neste eslabolerimonlo eontinna a haver uro com-
pleto sortimento de nioendas e mcias moendas para
engenhomachinas de vapor e laixasde ferro bali-
do e roado, de todos os umanhos para dito.
CHEGUEM
A loja da Boa F
Que est vendendo milito barato.
in,QnQP-L-.pre,'? mui, suPerior 1.800, 2S,
2,500, dg, 3,o00 e 4g o rovado, sarja preta hespa-
nhola muito superior a 2,200 o corado, selim ma-
can milito superior a 3,500 o corado, panno preto
fino a 2, 3, 4, 5, 6 e 8S o corado, casemira preta
mu.to lina a 2f. 2 500. 38, 3,500 'e 4$ o corado!
ricos curies de colleles de velludo preto bordados a
12, ditos de dno de cores a 7g e 10, e milito su-
periores a 13g, ditos de gorgurao preto a 3.500, di-
tos de dito de cores a 4.500, merino preto selim
fina 2 2? ano' rVaU' alpaca prr,a n,,,n"
una a MU, SUU lg o corado, metas prelas de laa
milito superiores proprias para os senhores sacer-
dotes a 2g o par, cambraia de linho muilo lina a
bg a vara, esguio de linho muito fino a 16 000 rs
a peca rom 12 jardas, bretanlia de linho muito e
muito larga a 20gfl00 a peca com 30 varas, cam-
braia adamascada para cortinados a 12,000 a peca
rom 20 varas, bramante de linho muito superior,
com duas varas de largura a 2,400 a rara, aloalha-
ilo adamascado com mais de 8 palmos de largura a
1,280 avara, brim liso, Hamburgo, muito lino a9
e a 10ga peca com 20 raras, esguio de algodio
muito tino a 3,200 a peca rom 12 jardas, cambraia
lisa muito Una a 5g a peen com 8 1/2 raras, dita
muito lina a 6g, 6,500 e 8g a peca com 10 raras
dita muito lina com salpicos a 900 rs. a rara e
JaiperacomSl/iraras, fil de linho bordado a
1,400 a rara, mantas pretas bordadas a IOS, reos
da mesma qualidade a 12,000, gollinhas de lilrt
muito bem bordadas e bastantes largas a 1,200 ca-
da nina, lencos de cambraia de linho com bico lar-
go em rolla a 2g, meias hrancas de seda para me-
ninas a 2$ o par, ditas bramas de algodo muito
linas para senhora a 3,600 a duzia, ditas inglezas
muito superiores tambera para senhora a 5g a du/ia
ditas para meninas de todos os lmannos a 280
par, ditas para meninos a 240 o par, ditas de algo-
do rru para hornera a 1,800, 2S, 2,500, 3 e 48. e
Aguia branca.
Novo e completo sortimento de
meias para homens,
mulheres,meninos e meninas
de 2 a lannos.
Vendem-se muilo boas meias croas sen costura
para liomen a 1g800 a duzia e 160 rs. o par, ditas in-
glezas muilo linas a2S5O0 e3(500 a duzia, ditas
muilo encorpadas de lio delirado a 4$00 a du/ia e
400 rs. o par, ditas tambera de fio doblado para se-
nioras a 3)5600 a duzia e320rs. o par. ditas linas
a 400, 500 e 600 rs. o par, ditas para meninos me-
ninas conforme os dilferontos taiiia'nlins, asseveran-
do-se serem mais baratas do que em oulra qual-
quer pr.rte, meias de Uta muito linas para homem a
500 rs. opar, dilas linissimas de fio da Escoria a
600 e 800 rs. o par, dilas de laia para padres a
1S600 o par, ditas de seda mui linas prelas c bran-
cas para senhoras a 3S. 48 c 5g o par, dilas mui li-
nas para meninas a 2g500 o par, assim como mili-
tas mitras miude/as e objertos de gosto, queeslo
patentes na loja d'aguia branca, nos quatro cantos
da ra do Queimado n. 16.
He cousa muito boa.
Vende-sc a rerdadeira pomada para tingir ca-
bellos, pelo barato preco de la a caixinha, com cs-
envinha propria ; tamlieiu si- vende massa para
aliar navalhas a 320 : na ra do Queimado, na bem
conhecida loja de miudezas da lloa Fama n. 33.
Chepem aloja nova
NO
Aterro da Boa-Vista n. 74,
Para meninos.
Aviso.
Bone.S de gorgurao de seda furia-coros, obra de | muiZZtt^S^t^ ^t" 20"0'
miiiln gusto 41: na loja d'aguia brama, na ra do! "
(Jueimailo nos quatro cantos Ir. 16. A grande ex-
traern que elle lem lido, e a peq......a quaiilidade
rae renta, faz-nos dizer quequem nao so apremia!
tirar -em ellos, por isso apparoonni boje mesma
qileni auizir duras tenias aos.seus uotiuciins.
oras, e baulia ian.-f/a s libras, lucias li-
bras o quarlas at tincas a 2#560 n libra : na loja
! de miudezas do aterro'da Roa-Vista u. 82.
//.
Loja n.37.
e
One acharan o novo e completo snrtimenlo de
miudezas, c atianra-se vender mais barato do que
em outra qualqiier parle : tatas egarfnsde cabo de
balanco a 5g a duzia, dilas muilo linas a 6/e 7,
dilas de cabo de riado a 4J200, dilas eraradas e oita-
vadas a 38200, meias para senhora a 240, 320 e 400
ris o par, ditas prelas para homem a 260, dilas
rmas para homem a 160, 200 e320 o par, dilas de
cores muito linas a 200 c 240 o par, baralhos de
cartas portuguesas a 200, dilas trance/as a 320 e
400, pennas de ac de lanca a lg a grosa, dilas sem
o ser 500,rirasabntoaduras para puiihnsa60opar,
cnixinhas rom agulbas francezas a 240 e 320, mos-
sos de grampos a 10 rs., carliies e raixas de clche-
les a 70 rs., chiluresde borracha a (M0, suspenso-
rios a 240, enliadores de linho para esparlilli a
120 e 160 cada um, caitas rom lamparillas a 60 e
r" rs., resma de papel de peso a 384011, dito almaco
a 38 e HgaO, xapatos de lustre para senhora, obra
muito bem feita a 19600, ditos de marroquim rftxo
e preto a 800 o 900 rs., sapatoes de lustre para ho-
rnera a 3g8O0e4g o par, ditos do Aracalv para me-
ninos de 6 a 10 anuos a 18120 o par, minio ricas
franjas pretas de seda e de laa e linho para enfeiiar
vestidos, litas de todas as qualidades e tisouras de
todas as qualidades e miiilos mais ubcelos que se
torna enfadonho menciona-los.
XAROPE
na )-ua do Queimado a loja
de quatro portas.
Se encentra mu completo sorlimeiilo de grosde-
naple preto de IgOOO, 1S800, 2g, 2,<200, 28(00,1
2.MM1, ;)8 e 3,200 corado, ditos de toros de 1,600!
e 28 o Corado, panno fino prelo de 2,500 at 12- o
tovatlo, dito cor de rape e rente cor de garrafa,
fazentla_ muilo superior a 7g o corado, casareques i
de fuslao ricamentecnfcilados de ritas trancasfin-
gindo lindos bordados a lKg, corles de reslidos de
phantasiAmuito lindos e dos mais modernos a 18g,
ditos bordados a relindo do tures muilo lindas a
30g, ditog bordados a seda com lindas flores aSBf
cada um, palelots de panno e de casemira pelos e
de core- de 16 al 5g rada um. dftos de brm
branco muilo linos de 5g, 5,500 e6g cada um, ricos
pannos da mais lina casemira de lindas cores para
cima de mesa de meiodesala, toalbas de linho ero
proprias para rosto a 13280 cada urna, redes de
coros rindas da Babia da Traicao, obra muilo bem
acabada, pelo diminuto preco de 18g cada urna, e
Mitras umitas (alendas que's com a fisto do com-
prado! se poder mostrar, e se renderao por pre-
co milito roiillllotlo.
lifloijiosdi' 01110 palentc in-
?lt'/ do um dos iih'IIioits f;i-
bficanlt's dt' l.iM'i'pool, rhejsi-
dos ulliuiamenli' polo ultimo
|tai|uoto o alpns do no\a iu-
x'iitaoooboi'lo o dostobortos
a .ontailc do possiiidoo om ra-
sa do Arkw"lil ,V i). iii;i da
C.iiiz 11. til.
ARM4ZEM
DE
FAZEMI\S E MODAS
Relogios.
Vendem-se relogios detiurn ingltzt-s de patente:
no armazem de Augusto G. de Aluvii. na da I M-
dela do Bet-ife n. 3(i.
TACHAS
para
. a
Novo zorlimeuiq de obras de miro dos melhoresj
gustos e mais om moda, lano para sonboras nono
para homens e meninas : na loja do nurives de So-
raphim Irmo. na do Calinga 11. 11
Helogios.
Vendeui-sf relogios de (uno e J011111-
dos patente para lion.em e seuhoni de
diversos tamanlios por prvoox comiiioilcs :
na ra da Cruz do Kectfen. 50.
Vende-so o engenho l.imeirinba na romarra
de Nazarolh a margem do Rio Tracunliem, rom
di:
GRANDESORTIMENTO
DE
Roupas leilas e lazendas
N V BOA DO QUEIMADO N. 40.
LOJA
;: >
ingieras muilo superiores a 5,000 duzia, lencos
bramos de cambraia para algibeira a 2,400 a duzia.
ditos maiores a 3,000 a duzia, ditos muito grandes
propnos para a cabeca a 400 rs, cada um, ditos
muito linos de esguio de linho a 7,500 a duzia
ditos de linho de cores escuras e flxas proprios
para os tabaquistas a 400 rs. cada um, chales de
merui liso de lindas cores com franjas de seda a
o>, diies de chaly rom listras de seda em rolla e
ora franjas lamben de seda a 78, ditos do merino
bordados a 9g, ditos de tuviquim muito superiores
oordados em ditas ponas, ron franjas muilo rom-
p idas, pelo bnratissimo preco de 45g0QO, ritos
penles do tartaruga a imperatriz a 12 e a 208 le-
ques iimilo linos a 4,500, ligas de seda a 1 280 o
par, chapos de fellro muito finos a 5 e. 6g,' brim
branca trancado de linho muilo Uno a 1,280 avara
diloincorpado muilo superior a 1,4(0 a vara, dito
decores de padres muilo bonitos a lg n vara, di-
ww de quadrinhos mullo proprios paja ubras de
meninos a 200 rs. o eovado, ganga amarella fran-
ceza muilo lina a 320 o corado, dilas escuras muilo
superiores a 560 o eovado, camisas de riscado mui-
lo bem felfas a 1 500, cambraias francezss decores
muito bonitas a 400 rs. a vara, entre meios muito
unos a 1,920 a peta, tiras bordadas muito finas a
ea 4Ja peca, e alera disto um completo sorti-
mento defazendas linas e grossas, que vendem-se
por precos mui commodos, s alm de se fazerem
grandes vendas : na rua do Queimado n. 22. na
im conhecida loia da Boa F.
CHEGUEM
Ao barato.
0 Pregnica est Queimande.
Na ma.do Queimado n. 2, esquina do boceo do
1 eio Frito tem o Preguica jigra vender por bara-
tissimo preco um completo sortimento de fazendas
nem como sejam curts de cassa r. soda de lindis-
simos goslos a 68500 cada um, ditos de la e seda
de lindissimos gostos e superior qualidade a 78 ra-
Jwu, ditos de dita com llores de cores a 3g800
gangas m.-scladasde padrees r. superior qualidade'
a ** o eovado ; chitas escuras e claras de cores
Uxas a 160. 180, 200 e 240 reis o eovado, cambraias
adamascadas para cortinados de camas, pecas de
M varas a llg cada nina, grvalas pretas e de cores
' nm ""fc m' nnM B00 IgOOO, ditas sem
enas a 800 e 11 cada urna, ditas com molas muilo
tinas a 1J600 lencos de seda com nlgum enfeilo
va*?" c*dAum- grosdenaple de cor de boa
qualidade a 18800 o eovado ; cortes de casemira
lina a og, ditos de meia casemira a 2g, ditos de di-
1 ""'iJ.* 260 Md" '""eortes de brim de li-
1110 a 18700 cada um, cortes de gorgurao para col-
los a dg cada um, ditos de merino bordados de
lindos gostos 48500, ditos de casemira preta borda-
-.?-',!> d7?Y.cS,da "Dl' rarabraias lisas de 8 varas a
{80OO. S 4g4O0, 4g800 e 58500 a peca, dilas tapa-
das com 10 raras a 4g, 48500, 5S800,68500 e 7S2O0
ape^ortesdeorgandys, fazenda muilo larga e
una a 2g600, alpaca prela rom 6 palmos de largura,
propriapara sa marras e capas de padres a 800 reis
chales de laa finos com barra matizada a 48500, di-
omeT6 hso'' . Sef^/fn ,."D- ,e"^os Dr<""'Os com barra de cor
f ? nae"in "m, chitas francezas paraco-
ocrla a 240 res o eovado, brim branco de lislra de
puro linho a 800 reis a vara, dilo de lindissimos
goslos e superior qualidade a 15440 a vara, dilo
branco muito tino a 18280 e 1g400 a rara, cassas
ae cores de lindissimos gostos a 360 e 400 rs a
rara, musselrna de cores a 320 o corado, dita en-
S57An o^0,COTnd0' cas,;m'r P^1" 2. 28200,
2g 100, dgSOO e 4g o eovado, panno lino azul e cor
de rap de superior qualidade a 58 o corado dito
preio a 2g800, 3g500, 4g, (9800, 5 e 58500 o eo-
vado, alpacas de seda de superior qualidade a 900
rs. o eovado, rolos de brelanhn com 10 varas a 2g
atoalhado largo milito fino com bonitos lavores
1ga80 a vara, luvas de lio de Kseoria brancas e de
cores a 320 o par, cambraias napolitanas rxas e
a/ues de quadros a 360 a rara, ou tO o eovado
riscadinhos francezes de qnadros a 180 o eovado'
bramante muito largo a 2400o eovado. velbutinas
de todas as cores a 720 o eovado, meias cruas para
homem a 160, 900, 360 e 400 rs. o par, ditas para
senhoras, de todas as qualidedes, palelots de alpa-
ca preta a 5g, ditos de meia casemira a 89, ditos
de pannos pretos e de cores a 108, luvas de seda
para senhora a 1J200 o par, ditas de seda bordadas
de lindos gostos a 28200 o par, merino selim de
todas as cores a 720 o eovado, e nutras muitas fa-
zendas que se deixara de mencionar, e se renderao
por baratissimos proeos ; e se darao amostras com
enhores.
Espartilhos Irancezes de nova
invenido.
Vendem-seespartilhos francezes de molas e car-
retis, o melhorque se pode encontrar nesle gene-
ro, na bemfeitroiae na commodidade, a quera usar
delles, pelo baratissimo preco de 6, 7 e 8 Estes
espartilhos rio chegados no' ultimo nario tiancez
e so se encontrara na na do Queimado, na bem co-
nhccida loja de miudezas da Boa Fama n 33
Apparelhos de porcelana.
Vendem-se mui bonitos e delicados apparelhos
de porcelana dourada proprios para brinquedo de
meninas, sendo ellesde diflerentes tamauhos e
gostos a 18500, 2g, SgSOO. 3g, 3g500 e 4g | na rua
do Queimado nos quatro cantos loja d'aguia bran-
ca n. 16.
ENFEITESPMACABEQ&S.
Mui modernos e delicados enfeites de .llores, fitas
plumas e frocos para senhora a 6g, 8g e 10g, pretos
estes baratissimos vista da perfeieao e bom gosto
com que rio elles acabados, assim como outros
pretos de vidrilhos obra de apurado gusto e intei-
raraenle modernos e pelos diminutos precos de 4g e
g; para qualqiier pessoa se certificar da verdade
de que fallamos, dirija-so a loja d'aguia branca, nos
quatro cantos da rua do Queimado n. 16.
! GOES fe BASTN
,. Ritos sobrepasaros de panno tino preto
ejg com gnlla de velludo e sem ella a 22S, e
;- "2',.<, palelots sacros de casemira de cores r
Fui transferido o deposito aesie xarope
bolita de Jos da f ruz Santos, na rua Nova numero
53: garrafas 5g50H e meias 3g, sondo biso lodo
aquelle que nao for vendido noslo deposito, pelo
que se faz o prsenle aviso
IJirORTAM-K PA1IA O PIlBI.ir.O.
Para cura de phl.sica em lodos os sen.- difieren-
tes graos, quer motivada por. constipaces, lome,
aslhma, pleuriz, ehcamm de sangiu-, do'rde insta-
dos e poilo, paljulacao no roiaeao, coqueluche
t.i..inl.it.-, dor na garganta, e lodos as raoleatias
dos orgiios pulmn ires.
\ALOJA DA
AGUIA BRANCA.
Bandrija c (altores
\Cntle-se bandeijas de folhagrossa e tintas mui-
lo linas em Ionios 88 e M a ollas 1 28, 2<500
3g, 38500,4g, 48500. 5ge(i. eus modernos ninl-I
des e bom gosto de deseiiht.de suas pinturas deixa
bem roiilierer quaiilo sao ellas linas e baratas por
Ins pieeos ; vendem-se lambem facas e garlos de
tiiliotle osso redondos, oilavadose irados a 3,8200
e 38500, ditas rom cabo do baleia rravadas e folbas
linas a 3g60O e 4g a duzia, dilas Bnissiraas con ea-
bo de reado, do osso polliiln e baleia, o melhor
que se pode einontrar a 5g 5g5IHI (ig o 6g500 a
tln/.ia, dilas com rabo de marliin e folha de neo a
'-.Se 148, dilas com cabo de osso para meninos a
320 o talber, trinchantes muilo linos a 2g500 e 3g,
, follieres de metal piineep.; tito linas que se eon-
fiindem ruin as.de pr.it.i sendo pata Milpa a 5g500
a duzia e para cha a 2g800, ditas oclutinagre a
lg600 n 1g, ditas grandes e muito linas a 3g cada
um : na loja da aguia branca nos aualro cautos da
rua do Oueimado 11 16.
Cortes de la.
Ainda reslam alguns corles de laa fina para ves-
tidos, com 16 cavados cada corle a 4g, eslao-se a-
cabando: na rua do Queimado n. 22, na loja da
boaf
O Leite & Irmao continuam a
torrar.
Mussiilina toda encarnada, eovado 220 rs., cam-
braia lisa muilo fina a 3g800, 4S800, 58200 c 5g60O
rs. a peca, de 10 jardas, brim de linho para calca
de bonitos padrees a 880 rs. a vara, cortes de meia
casemira a 38000 rs. cada um, lencos de cambraia
de linho a 3g200 e muito finos a 4j500 rs. a duzia,
chales de touquim pretos, ditos de merino pretos
ditos de merino liso de todas ascoresa 48800 rs.,
bordados a 68800 rs., chitas francezas de cores il-
xas a 220, 240,260,280 e300 rs. o eovado, madapo-
loa 28800, 38200. 38800, 48000. 4g200. 48800,
58000 e 58500rs.,e muito fino a 68000 rs. a peca, de
20 varas, palitots de alpara muito finos a 6gO00 rs
corles de coleles de casemira a 68000 rs., esparti-
lhos para senhora a 4, 6e 8rs., e dos modernos a
rs.,saias para senhora a 1600 rs., bordadas a 3
rs., e muilo superiores a 4 rs., gollinhas muilo
bem bordadas a 39500 rs., manguitas e camizinhas
muito finas para senhnra, corles de cambraia do
gaz a*rs., tpeles para sala alj800 rs., para por-
ta de sala a 4 rs., c para cabriolet a 2500 rs
meias muilo finas parr senhora a2800 rs. a duzia'
ncas colchas de damasco de seda a 25 o 323 rs. cada
urna, cortes de cassa de lindos desenhos a 2* rs.
boas chitas escuras e de lindos padres a 200 rs. o
eovado, meias de lodos os tamanhos para menino e
menina, guardramos a 49 rs. a duzia, pecas de
cambraia lisa de 12jardas a 3 rs.,mussulina'brau-
ca a 300 rs. o eovado, toalhas para mesa a 49 rs., re-
des de folha a 69 rs., e ha oulras muitas fazendas
que se vende por barato preco. e de ludo se dar
amostras.
LOJA DA BOA FAMA.
Vendem-se por preco que faz admirar riquissimas
fitas tarradas de todas as cores e larguras, litas lisas
com pona e sem ella, bicos brancos de seda de mu
lo lindos padres e de todas as larguras, tramoias
abertas de linho para habados a 120 e 160 reis a rara
jarros para flores a 2g o par, atacadores ou enliadores
de seda de todas as cores para vestidos.ditos proprios
para espartilhos, tesouras de todas as qualidades
as mais Aasque he possivelenrontrar-se.agulheiros
de marfim e outras militas qualidades, fitas de vel-
ludo de todas as qualidades, bolcinhas de caraurca
muito lindas para meninas de escola, frasquinho
com cardinal a melhor Cousa que tem apparecido
para tirar nodoas em qualqiier qualidade de fazen-
da. pelo muilo barato preco de 2$, trancinhas de se-
da de todas as cores muito lindas proprias para en-
feiiar roupinha para meninos e meninas, e outras
muitissimas cousas que se afianra vcuder-se ludo
por preco baratissimo : na rua do* Queimado na bem
conhecida loia de miudezas da boa fama.
NA
Ba do Queimado n. 7.
Neste eslabeleeimento acharo os compradores
o mais variado e completo sortimento de todas as
qualidades, como sejam :
Vestidos de seda prelos com babados *
Ditos de dita de cor com babados. .
Orosdenaple preto fino de 18900 a .
Riros manteletes pretos prinreza Clotilde
t'.rtes de raleas de hrim de linho de cor a
Carteiras de perfumaras inglezas. .
Camisas francezas de todas a3 qualida-
des de 2J000 a ........
Palelots de panno francezes de 16g a .
Ditos de alpaca francezes.......
Ppupelina de seda de 900 a.....19200
Cintas finas o eovado......... 180
Ditas francezas o Cavado .'.'.'.'.'. 240
Ricos enfeites para sonhora .....
r ii,e 1de lart'ln,[" modernos de 7j'a '. IGnOO
'"lliubas e manguitos de croch. IO5OOO
^gj escuras a 10s. ditos sobreeasatos padiws "*
la e de ror a 4g, dilas do brim pardo f?>>
3 trancado muito boa qualidade a 5g, ditos Br
<"" dV esguio da China a 5g, calcas de brim $w
.., de toros a 38, 3S5IMI, i-?, dilas' de la na- k~
^M droes modernos e imiiditihns a 48, dilas {"f*
"tri easemira nrola e de rores a 6g, 7g, 68 I
~i 9g, reraiiias de bramante a 1g60(. 15H00 g >
ZB e 2J, palelots de meia casemira a 7g, col- f-'?*
"-". ble-de gorgurao de seda a 5g, ditos dse- ; >
.";:1 lira inaco i 5g, dilos de velludo preto a BP
- vi "S '''Og. ditosdn brim e fuslao a 2S500 fe
*S e 3, luvas de Jouvin delodas as rores a g
IgSOO, camisas de esguio muito fino a '
;i a 3g500 e unirs muitas fazendas e mu- g^
jj pas feitas que sd !, vista que se pode 9E
^^ nraliar a pechintlia ;
XA MtSMA LOJA HA
Casacas para a quaresnia
mandando-se fazer por medida garantin-
do-se o aceto e liemfeiloria da obra, sen- S
.. to lambem de muilo bom panno prova de
limao pelo diminuto preco de 35g, assim &
.. como domelhoi panno eseolha to fre- fi-
gue| a 40j, alian, ando-so aeren
ratlas de selira maeno ou seda.
111 ludas for-
- .
^^J^
Hua da Senzala Nova n. 42.
\ ende-se em i asa de S. P. Jonlislon & C. vaque-
s lie lustre para carros, sellins o silliiios inglozes,
raiitli.....o- e ia-li.aes bronzeados, lonas inglezas'
(iodo vela, chirote para carros, e mol.lana
para carro de um e dous rawillos. e
patente ingle/es.
aiToios
reliigins d'ouro
Aviso.
No armazem de Adamson, Hovp, & C., rua do Tra-
piche n. 42, vende-so sellins para hornera e senhora,
aneiospraleadospara cabriolis, chicotea para car-
ro, colleiras nara caralto etc.
Camisas inglezas.
Vendem-se superiores camisas ingle-
1 na rua rio Collegio loja n. '
zas
>.
Vinho Bordeaux.
Em casa de Henr Brunn & C, rua da Crnz n. 10,
vende-so vinho Bordeaux de difTerentes qualidades
romo l-nfolle, Ch, Leorille, I,s. Jiilicen, em caixa
de nina duzia por barata preco.
>g Chegitram aloja da rua do Queimado n.
':' ; 10 de l.eite 4 Correia, os mais ricos cha-
6T3 poa de palba e de tilo para senhora, che- i*.
^Xi gados pelo alune vapor. s>"
a**
^CR^S^^-^-'^
\ende-se na rua do Collegio n. 21, lerceiro an-
dar, 5 bonitos prelos de 18 a 21 anuos, 1 lindo mo-
lequn de 15, e 2 dilos de 12 anuos, 1 linda negri-
i.l.a de 13 anuos, c 1 mulata de M anuos, perita
co/inlieiraeengommadeira : d-se barato para li-
quidar esse negocio.
Vende-sc um prnto moco e robusto, e de boa
figura : na ma da Senzala Velha n. sHS, pallara.
Vendas.
Relogios de ouroe prata, conertose descobertos,
patente ingle/., os melhores que exislem no mer-
cado, e despachados hoje, vendem-se por precos
raaoaveis : no escriplorio do agente Oliveira, rua
da f.adeia do Recite n. 62, primeiro andar.
Sal.
Vende-se sal dn Ass de muilo boa qualidade : a
bordo do patacho llom Jtm*, ou na rua da Madre de
Dos ii. 2.
Para as boticas.
Vende-se guaran muilo bom a 1/ a libra, lendo
apenas urnas 80 a 90 libras, para fecho de conlas
na rua do Vigario n. 15, armazem de F. A. de Pi-
nho & C.


lg280
59000
48000
30s000
12SO0O
Ricos vestidos de phantasia com 2 saias -~>
^ o lambem com 3 habados chegados pelo T"
. ultimo vapor : se vendem nicamente na ^T
* loja da rua do Cmeimalo n. 10, de Leite & <$
7':'> Correia.
l\a loja das seis' portas
F.M
Frente do Lramento.
Cassas francezas, fazenda nova, a 160 rs. o cora-
do, e a peca a 5 com 33 covados, corles de cani-
Draia cora salpico a 3g, ditos piuladas a 28. lencos
do reiroz a 500 rs., uvas de seda prelis lizas e bor-
dadas para senhora a 1, chales de merino com
Darra estampada a 4g, musselina branca a 240 o
eovado, dita encarnada a 320, vclludilho de rores
para roupas de crianess a 800 e lg, fil de linho
preto, fazenda fina, a lg280 a vara : do-se amos-
tras e a loja esta aberta das 6 horas da manha s
9 da mulo.
Loja das seis portas
EM
Frente do Livramento.
Grosdenaple preto para todos os precos, mantas
pelas de linho com bordados de seda luvas de se
da prelas para senhora a l, gollinhas boniadas a
| a 19, ditas linas a lg600, manguitos a 3, lencos de
seda brancos e encarnadas a 800 rs., camisas'fran-
cezas brancas e de cores linas a 28, palelots brancos
de bramante fino a 5g, ditos de brim pardo a 38
ditos de alpaca pretos a 4 e 59, dilos de casemira
de cores a 58, dilos de fuslao de cores a 5g : a loja
est aberta das 6 horas da manha s 9 da noite.
A dinheiro a vista.
Vendem-se superiores cortes de vesti-
dos de groadena ple preto com babados
de velludo e bem assim adamascados pe-
lo barato preco de tiOs : na loja de 4
portas prximo ao arco de Santo Anto-
nio n. 3.
Vende-se superior farinha de Santa Calhari-
na : a bordo do hiale Desterro, c no armazem de
Martins & Irmao na rua da Madre de Dos n. 2.
Vende-se urna preta j4 idosa, propria para
servidos ordinarios : na rua do Rango I n. 7.
0
MIGUEL JOS DE ABREU.
11 Una do Queimado 11
Para senhorcs
Cortes de veslidos (netosde grosdenaples, gorgu-
roes c nobrezas, bordado* a velludo e a seda, em
alto relevo, de gosto Aquile, Ires folhos o duas
saias.
Manteletes prelos no caprichoso gosto Hain-
leaon ; peregrinas prelas do nobreza, cun bordado
de seda em alto relevo ; taimas prelas de seda im-
perial, guarnecidas a roquete e a relindo fa.anne,
e vestidos de seda de cores Maiuteiion, guarneci-
dos de rendas.
Mantas de hlond prelo bordadas.
Marabuls o enfeites pretos para toilette.
Manteletes, peregrinas, capas de cor e chapos
para passeio e para visita, c luvas de pellica de Jou-
vin brancas e de cores.
Peiltes de tartaruga e todos os objectos necessa-
rios a um toilette de senhora, incluindo aderecos i
de miro guarnecidos a perolas e a coral, ultimo
gosto.
Para cavalleiros.
Casaras, sobrecasacas e palelots de panno prelo
inipermeavel, e de casemira* prelas e de cores.
Calcas de casemiras prelas e de cores.
Chapeo* de castor braucus e prelos.
Luvas de pellica de Jouvin, bramase de cores.
Charutos superiores de reservo.
E lodo* os objectos necessanos ao toilette de
um caralbeiro, incluindo correales de ouro para re-
lugio, do mais elegante e apurado gosto.
Este eslabeleeimento estar aborto aleas9 horas
da uoile, convenientemente iUmumado para re-
ceber as familia* que sedignarem risita-lo, olim de
avaliarem da sua importancia para a preferireni,
DE
Commissao de escravos.
NA
Wua to Livramento n. 4.
Vendem-se22 mualos de bonitas figuras rom to-
das as habilidades, 2 negras de meia idade, sendo 1
perfeila cti/.inheirae eiigominadeira el molequa de
11 aunas de bonita figura ; na mesma rasa eom-
pram-se e recebem-se |iara vender de coinraissao,
aliancando-se a presteza da renda
AO GRANDE ARMAZEM
Boup teita
NA RU4 NOVAN. 49,
J mito a Conceicao dos Militaras.
Nesle armazem encontrar o piibliro'iini grande
e rariadnsorlimcutodc roupas feilas como sejam
casacas sobrecasacas, fraques, gndolas o palelots
de panno lino prelo e de cores, palelots de casemi-
ra de cores, de merino, de alpaca prela e de cores
de hrim branco e de cores, de riscadinho de liuhos
raleas de casemira prela de cores, de brim de li-
nho bramo ede cores, tleganga, tle meia casemira,
de merinoe de afiados, colletes do selim e gorgu-
rao pelo, de velludo prelo e de rores, de merino e
casemira prela, tle fuslao branco e de cores, cha-
pos, grvalas, luvas e camisas a nao agradando
ao comprado* algumasdas obras feitas se aprnmp-
laio outras com toda a presteza para o que tem
grande sortimento de pannos tinos, casemiras, gor-
gnroes, v..Minios sclins e brns de lastro
Fazendas pretas para nquaresma.
No alerro da Roa-Vista n. 60, loja de fiama i
Silva, sendo nm completo sorlimenlo de grosdena-
ples pretos, pannos e casemiras, pelos precos se-
Koinles : grosdenaples, o corado a 1/280, 13600,
UKjOO, 2J; 2g210, casemiras pretas, cortes a 58500',
65500, "8500, al 12g cada corle, e pannos prelos'
dilferenles precos e qualidades.
Ventle-seelTeclivameiile farello de Lisboa lias
Cinco Puntas n. 63, por menos do que em outra
qualqiier parle
AI.G01O |A baha
No escriplorio de Manool Ignacio de Oliveira i
Fillio, vende-se algodo da Baha e lio de algodo
em hov.llr.s.
Vende-se urna armarn tle amararlo envidra-
cada, propria para loja de fazendas ou oulro qual-
qyer eslabeleeimento. cedendo-se a loja onde ella
se acba. na rua Dimita n. 88 : quem a pretender,
dirija-se. ao segundo andar to sobrado da mesma
loja.
Escravos venda.
Vendem-se 10 escravos pecas de 15 a 26 annos,
e 2 mulatas com habilidades, e muito bonitas figu-
ras : na rua Velha da Boa-Vista, casa n. 69.
Vendem-se quadrns com excedentes estampas
coloridas, de santos, em formato grande, proprias
para a igreja : na rua do Oueimado n. 43.
Vende-se urna cscrava crioula. de idade de
16 annos, sabe lavar, coser, engommar e rozinhar :
a tratar na IIha do Retiro na Passagem da Magda-
lena, ultima casa na beira do rio.
Vendem-se cinco accoes da Companhia de Be-
beribe, passando tambuni para o cessionario o di-
videndo do actual semestre, a vencer no ultimo do
presente abril: quem as pretender dirija o sen offe-
recimento em carta fechada, com designarao de
sua morada, sob o adresso seguinte :__4. M.C M
na rua Nova n. 43, ou na estrada do Rosarinho, si-
tio fronleiro a .-apella, que ser procurado.
Vende-se urna poni do caibros e algunas
trayessas. ludo do qualidade, e urna sacada de can-
laria com 8 palmos : no paleo do Terco n. 32,
Saias bordadas
a 2#500 rs. cada urna.
Na rua do Crespo n. 16, loja de Adriano 4 Castro.
Chapellinhas.
Lindas chapellinhas com veo para senhoras o
mais moderno que ha am Paris: em casa de J
Falque,, i na do Cro.-pa u. 1.
Vendem-se 5 qnarlos navas, gordos c mansos
de carga e roda, 7 egoas tambera novas, gordas e
mansas, de carga e roda, 2 potros, 6 bois novos,
gordos, c de rara laurina, bastantes grandes e
mansos, de carro e carroca.e 2 carros aovo* ; quem
pretender dirija-se ao engenho Forno da Cal con-
tigua .i Olinda, onde achara com quem tratar.
Na funtlicao de ferro de D.
W. Bowman, na rua to Bnmi,
passando o chafariz, continua a S^*5". !'om ?J2L
haver um completo sortimento
de tachas de ferro fundido e ha-
tillo, de 3 a 8 palmos de hica,
as qiiiics se acham venda por
preco commodo e com promp-
tido, embarco-se ou carre-
gao-se em carro, sem despezas
ao comprador.
Potassa da Russia
E CAL DE LTSBOA.
No hem condecido e acreditado deposito da rua
da Cadeia do Hecife a. 12, ha para vender polassa
da Russia e da do Rio de Janeiro, nova e de supe-
rior qualidade, assim como lambem cal virgen em
nedra : tuda par procos muito razoaveis.
TTrSTTY?i TTTY-
.,
ATIENDO.
3
Kissel, relojtieiro francez, vende relogios d
|f ouro e prata, coiicerla relogios, joias e miisi- "
j^ cas, ja aqui he roiihecido ha mullos antros, "'
jo habita no paleo do Hospital n. 17.
XA.._*^..J?.?J-_Lt5_;_:'.-.t2_ tj y
\ ende-se por 1:500$ nina esrrava dei luios'
a qual coziuha, eugaiuma e lava : no paleo de S
Pedro ii. 6.
Toalhas ulanuiseailas.
Rist-oitos piii latas.
FihIp >rla.
Vpiitlrm-sp om casa tlp Ark-
wifhtiC.rMaaCrwui.fi1,
por barato preco.
leudo urna boa destilaban, tl muilo inleresse, por-
gue as agurdenles quasi todas se venden na por-
ta por litar perlo da estrada de l.imoeiro : os prt
tendentes dirijara-se ao engenho l'iudnhal era P
d'Albo.
MHho para planta
o mais linipo possivel.
Feijo preto novo
sem igual no nierratln Vendem-se osles gneros
no Forte do Mallos, anuazein de Henieteno, Ir.
mo i C, confroule ao trapiche doalgudo n. 1-
Aprecieiu o bom goslo.
Na loja do Serlanejo
n. m A.
Ricas sahidas de baile dn melhor goslo que pode
haver, lauto era fazenda romo em preco. laazinhas
de qiia.it.is un.idos e graiidosa .211 e 460 rs. o co-
rado, chapeos de velludo pretos a 7g, ditos de al-
paca forradas de seda, muilo commodos para andar
fresca a 2$400. gollinhas de diversas qualidades
a lg a IJB0O, tfSOO, afilio e 2, guitos a 3g&00, tac 5SB00, mampatos, gollas.- ca-
uii/iiili.isa l'.J. 79 o 10:. clleles ft-ilos de velludo
a IOS, llSe 12j{, calcas do casemiras de cores, fei-
tas, ricas bengalas de massa lingindo iinicnnic a7t,
8j 101, gr..sdiMiaple.sdcraraljHhlOo2,StM0, seda
branca lavrada, ricas camisas para senhora com pre-
gas e de muito goslo a 7-i e (qt cada tima, ricos pan-
nos para mesas, e muilo linos a 7g, 8$ e 95, ricos
Mita toques de fustn e do melhor goslo que pode
haver a 1."i,s! o 1K;J, dilos de mussiilina limito bem
enfeitados a US. 123 c 1:tS, e avisa ao respeilavel
publico, que manda de qualqiier urna fazenda amos-
tras para ver se agrada, assim como lambem d a-
iiiosira- dcixando penhor.
Grande sorlimenlo' ile fa-
zendas pretas proprias
da quaresma.

i
s
r.sim
Nn
2SKI
!Sno
W
IfSO
IffiO
spo
ipvo
1So
igoo
MI
RN1
1S2U
7>
3
Fumo.
Cheguem a pe-
chincha.
Na toja do Prerjuica tem para vender
grosdenaple preto da rnelhor qualidade
que possivel pelo baratissimo preco de
1,900, 2,000, ,200, 2,400, 2,800 e 5,s
o eovado.
Farinha de man-
dioca.
No deposito do largo da Assemhha n. 9, vende-
se superior farinha bogada ltimamente, em sar-
cos grandes, por cnminndo preco.
4 (JUARESMA.
Na loja da empanada enramada, rua dn Queima-
do n. 37, acaba de receber ltimamente de Franca
um completo sortimento de fazendas prelas, pro-
prias para os aclos da semana santa, bem como
sejam, ricos cortes de vestidos de grosdenaple pre-
to, bordados a velludo e a retroz, manteletes de
grosdenaple preto, ricamente enfeitados, mantas
de fil prelo e los prelos, fazenda muilo superior, a
melhor que na no mercado, grosdenaple prelo de
muitas qualidades, um completq sortimento de
panno fino preto e de casemira preta para todos os
precos, e todas estas fazendas se venderao por me-
nos preco do que em oulra qualquer parle; lam-
bem se aiianea de servir e agradar eom loda a deli-
cadeza todas aquellas pessoas que frequenlarem
esle eslabeleeimento.
cobertos e descobertos, pequeos e grandes, de ou-
ro pllente inKlez, para homem e senhora, de um
rrm res.fabric,an,psdn Liverpool, vindos pelo
lorsTP "g Z; "m de Southa11 *el"
ELOMOS.
\ ende-se em rasa de Saunders Brothers 4 r,
praca do Corno Santo, relogios do afamad fabri-
cante Roskell, por precos commodos, e tambem
trancellins e caucias para os meamos, de excedente
goslo.
Alcatifa
Vende-se alcatifa com quatro
de largura milita propria para
salas e grojas a 600 rs. o o.
rua do Crespo n. 12, loja d
Lima.
\ ende-se fumo em folha rhegado reccnlemenle
da Baha, por menos preco do que em oulra qual-
quer parle: na rua da Cruz do Recite n. 13, pri-
meiro andar.
Algodo monstro.
l.i.nlnna-se a vender o bem conherido eecon-
mico algodo inonslro cora palmos de largura,
Eroprio para qualquer obra por dispensar lodo o Ira-
alho de costura ; aproveilem emquanlo ha : na
rua dn Queimadon. 22, na lujada boa f.
As verdadeiras luvas deJovin.
A loja d'aguia branca acaba de recetor l verda-
deiras luvas de Jouvin, viudas de sua encoinmenda
lauto para homem como para senhora, ntlaucaiido-
se que sao as melhores que era tal genero se lem
vista aqui: vendem en a 2,<500 opar : assim como
oulras igualmente novas, e tambera mui boas a 2S
apar. Quem aprecia' bom, lie dirigir-so rua do
Que uad nos quatro rautas, laja d'aguia branca n.
16, que ser hem servido. Na mesma loja exisle uiri
grande sortimento de loras de sitia de militas e di-
versas qualidades tambera para humera e senhora.
e a precos baratissmiui
HQVA AGlil
Vende-se osla agua a melhor que tem appareci-
do para tingir o cabella o snissas tle preln: na li-
vraria universal rua do Collegio n. 20, d-se junto
um impressogratis, ensillando a forma de applicar.
Pianos.
Vendem-se piano* fortes do melhor
gosto e modelo que tem vindo a este
mercado e por nrecns commodos: na
rua da Cruz do Kecile n.50.
Nova invenco aperfeicoada
Espelhos grandes.
Vendem-se espelhos grandes para par.
bellas molduras on\.-misadas e dmiradas t
mui finos e claros a 4$ o 5j : na loja d'aguia bran-
ca nos auatro cantos da rua do Uueimadn n. 16.
Almeida Gomes, Alves 4 C.a
YENDRM NO SEU ARMAZEM
%J RUA DA CHUZ
Veslidos tle grosdenaple prelo rom
babados lumia.!., a velludo. .
Hilos dilos prelo com babadas borda-
dos a seda........
Hilos diius decores t- brancos. .
Kilos de cambraia bordados ao lado .
Velludo prel o melhor possivel, co-
vade............
Grosdenaples prelo liso, "corado 160
a. ..........
Dilo prelo lavrada, cavada 2$a
Selim pr.lo macan, eovado WO0 a .
Sarja prela bespaiihola, cavado 2,< a
Groatieaaple lis de tudas ancores, cu-
rad...........
Rilo de quadrinhos miiidns, corado .
Dito branco larvado, cavado lg200 a
Dito de cores e prelo com i palmus
de largura.........
Belleza da China e mauritana de seda,
eovado..........
Follar de Pars e chaly de flores, co-
lado...........
Popelina de seda e duqueza de flores,
eovado........
Kioiidelina o barego de seda, novado.
Mein velludo preto e de cores, rovado
\llmtiua decores e preta, curado
Chitas francezas claras e escuras, eo-
vado 2H0 a.........
Panno prel e de er fino prova de
liman, cavado 3$5()0 a .
Casemira prela selira, eovado 1J900 a
Arlandys denovosdesenhoslinas,vara.
Cassas france/as linas, rara. .
Manas de biomi prelas e brancas. .
Hilas de linho o mais rico possirel.
Chales de merin lisos de cor e pretos
Hilos de dilo estampados de 3$ a .
Ditos de dito franja de seda ....
Dilos de dila bordados a seda e a vel-
ludo............
Ditos de seda prelos roxos e de cores.
I.i-ncos de. labyriulho linos de lg a
Manguitos e gollinhas bordados finos.
luir.....ios e tiras bordadas. .
i...Heles do velludo e casemira prela
bordadas. -......
Comillas de brim de algodo e de li-
-nho de l $61 m a......
Camisas francezas brancas e de cor
de 2$ a .........
Casacas e sohrecasacos de panno pre-
lo Uno..........
Paletuts de panno prelo e de cores,
francezes..........
Calcas de casemira pretas e de cores.
Colletes de seda de varias qualidades
chapeos francezes direiloseaTamher-
lick. .'..........
faletota de merino selim pretos e de
cor forrados........
Dilos de alpaca pretae.de ror rom
galla de velludo......
Ditos de brim branco e de ror fina. .
Hitos de alpaca de varias qualidades
rom galla de velludo.....
Ditos de alpaca prela e de cor mes. I a. la
Passando o berro da Congregaco, do lado tireilo
em segiiinienl para o i.iv ranienlo a quarla I ija de
Ires portas com minios brancos.
1j0l
6 II
f
s
4$8nn
18500
6J0IX1
s
i
l)trt00
f
2S5O0
ngfioo
S
s
*
8J000.
U$000
5S000
ISHtHI
DF.
Bandes ou al mofadas
de crina para ponteado de
senhoras.
ta Cadeia uo
Na loja de Leite i Irmo. na rua
Recite n. 4.
Para forrar carros.
Vende-sedamasco de seda de bonitos
tgs gostos e muito propria para forrar carros :
Sjl na ruado Crespo n. 12, loja de Campos 4
JL Lima.
Arados americanos e machinas pa-
ta lavar roupa : em casa de S. P Johns-
ton tSt C. rua da Senzala n. i2.
Chapeos de palha escura para
homem por precos baratos.
Na bem conhecida loja da boa f, na rua do Quei-
mado n. 22, encontrarn os bous freguezes um com-
pleto sortimento de chapeos inglozes de palha escu-
ra de formas inteiramenle modernas e bonitas da
ultima moda. Tornara-se rerommendaveis por se-
rem mui leves e frescos para a presente estar :
vendem-se pelos baratissimos precos de 4$ e5J,
vendem lambem chapeos e bonets da mesma quali-
dade para meninos a 38 386011.
Em casa de Rabe Schmettan & C.
rua da Cadeia n. 57, vendem-se elegan-
tes pianos do afamado fabricante Trau-
mann de Hamburgo.
Os jesutas.
Sabio luz esla bella e interessante produeco
da iieniia do Dr. Ildefonso Clanes Codinez, c rda-
se desde j venda no largo da Independencia ns
6 e 8 : na rua do alerro da Boa-Vista n. 82, loja
de miudezas : no caf do Sr. Paira, rua da Cadeia
de Santo Antonio, e em todas as livrarias desta
cidade, a 2a o eiemplar.
Caf a vapor
Na loja do Viaiuia.
Ha chegado nesla loja um riquissimo sorlimenlo
de marhinas para faiercaf, em um quartodehora,
approvadas na ultima exposico de Paris pelas suas
boas qualidades, vende-se por procos muilo com-
modos : na rua Nova n. 20.
Cheguem loja do Serlanejo
Rua do Queimado
n.43A.
Que rica pechincha para a quaresma se e3t aca-
bando, bem como sejam : corle de veslidos de seda
prelos com 3 saias o melhor que pode haver no mer-
cado pelo commodo preco de 50, 60$ e 708, gros-
denaples de todas as qualidades a 18400. 18500
18600.18700,1S800,1800.2,28200,2*400 e 260
e muito flno de 4 palmos de largura a 2>8O0, man-
tas de blond pretas a \0$. ditas muito Onas o me-
lhor que ha no mercado a 16$ e 18} cada urna
meias prelas de seda a 2g600, dilas brancas a 2J500
2*800 e 38, dilas de laia para padre a 18700 e 28,
sarja prela hespanhola de duas larguras alj|90l)e
rl, palelots de panno flno forrados de seda a
_. 228 e 258, pannos pretos de todas as qualida-
des, velludo preto e de cores, seda preta lavrada,
dita branca, mantas brancas de blond a 7$ e 88500,
rico* enfeites de vidrilho do ultimo goslo a 4g, 58,
68, 98 e 10$, ricos espartilhos do melhor goslo que
pode haver de carrttel a 8$, 9$ e 108 ; assim romo
sejam obras feitas de toda as qualidades, pontos de
tartaruga Imperatriz o melhor que pode haver, e
ludo mais que se pode procurar se arha neste es-
labelerimenlo a rontade do comprador; garnte-
se vender mais barato do que em outra qualquer
parte. ti
CUACEOS de fellro surtidos, da fabrica acreditada
de_Carvalho Pinto, do Kio de Janeiro.
SA11AO das fabricas do Rio de Janeiro.
\1NH0 de champagne de superior qualidade.
SALVAS bandeijas e oulras obras de prata.
Cognac.
Cognac superior em raixas de urna duzia, vende-
se em casa de Henr Brunn 4 (',., r ua da Cruz n. 10.
Carteiras grandes com chaves.
Vendem-se por preco muito baralo carteiras
grandes com chave, proprias para guardar dinheiro
e letras : na rua do Queimado, na bem conhecida
loja de miudezas da Boa Fama n. 33.
Aterro da Boa-Vista n. O.
Vendem-se muilo superiores casinetas mesi la-
das, com um pequeo loque de molo, pelo baratis-
simo preco de 360 rs. o rovado.
\ ende-se superior linlia de algodo, brances e
do cores, em novello, para roslura: em casa de
Seiilhall, Mellori C, rua do Torres n. 3.
Farinha, milho e
farelo.
Vendem-se saceos grandes o pequeos com fari-
nha da ierra, milho e farelo de Lisboa, tildo por
commodopreen: na taberna grande da|Snedade.
Relogios.
Relogios patente ingle/, por um dos melhores
fabricantes de Londres ; vende-se na na do Crespo
n. 19, primeiro andar.
o a
28
Rua do Queimado.
Chapeos de seda para meninas, de muito bous c
variados gostos, penles de tartaruga para atar ca-
bello a 48. 5g5O0 e 98. ditos virados a 108 e 138,
flores aiiillciaes de 500 a 2$ o ramo, toncas de fil
para mancas, por baralo preco, franjas pretas, ditas
de lodas as ron-s, bicos de seda pretos e brancos,
e outros niuilos objectos que se vendem mais ba-
ralo que em outra qualquer parle.
Para a quaresma.
Vende-se na loja de Naburo & C. na rua Nova
n 2, ricos manteletes de seda preta para senhora,
chales de blond prelo bordados, basquinas de
blond preto bordadas, mantas de blond preto bor-
dadas e oulras muitas fazendas proprias para a
quaresma.
Vendem-se ricas e mais modernas rhapelina
de seda para senhora, chapes de palha enfeitados
com plumas, dilos de palha escura e cinzenta,
chapelinas de seda para meninas, dilas de palha,
chapeos de palha enfeitados para meninos, dilos
de palha, gorros de velludo para meninos, chapeos
de castor prelo com pello ftirma ingleza, ditos bran-
co raspado, dilos de seda para homem, chapeos do
Chyh para homom e meninos : na loia de Sabuco
ir.., na rua Nova n. 2.
Vende-se na loia de Nabuco & C. na rua Nora
? 0BM''e los, dilos de musselina a 128, ditos de cambraia a
99, ditos de fuslao branco para meninas de 8 a 12
annos a 14g, ditos de cassa lisa com bicos e ren-
das, ricas sahidas de baile de casemira bordadas a
velludo preto e de cores, proprios para galla e ca-
saveques de senhora. ricos enfeites de troco, Ols e
de retroz para senhora, e oulras muitas fazendas de
gosto que se vendem por precos commodos.
\ endem-se capachos grandes e pequeos pro-
prios para sala : na foja de Nabuco & C. na rua
Nova n. 2.
Vende-ge urna armaco toda envidracada, por
valor de madeira e vidros,' e mais um armario: na
rua da Cadeia de Santo Antonio n. 11 B.
Vende-ae a elegante casa terrea com solao na
rua do Palacio do Bispo, com bastantes commodos,
edillcada ha poueo lempo, com um grande quintal
com bastantes arvoredos de fructos todos muito no-
vos, urna excelleole cacimba com boa agua, lendo
I um portio para a rua dos Pires, e os pretendenles
podero etaminar: a tratar na praca da Boa-Vista
n. 14, taberna.
Em casa de Brender a Brandis &
C, rua do Trapiche Novon, 16, vendem-
se charutos da Baha da afamada marca
forma de Uavana, prirneira qualidade ;
genebra em trasqueiras especial para casa
de particulares.
UTOS M 9MMU 11
v wra.
Vendem-se as verdadeiras luvas de Jouvin, tanto
para homem como para senhora, pelo baratissimo
preco de 2*500 o par : na na do Queimado, na bem
conhecida loia de miudezas da Boa Fama n. 33.
Arroz de csea.
No armazem defronte do trapiche do algodo,
unlo ao armazem do Sr. Guerra, veude-se arroz de
rasca por commodo preco.
Em casado C. 4. Astlej &C.
Cabos da Russia de manilha.
Cobre para forro, com pregas.
Vinhos de champanha. Hoselle e Bordeaux.
Salitre refinado.
Veude-se ou arrenda-so o engenho S. Jos,
silo na freguezia dn Santo Anlo, quatro leguas ao
sul da cidade da Victoria, rujo engenho moa ot.in
agua, tem grande cercado, limpu e circulada por
valado, milita mala, e paramentado de todo o ne-
cessario, sendo : casa de vivenda "boa e grande,
senzala para escravos, casa de bagaco, estufa, casa
de rtame, etc., e ludo no melhor estado possivel:
quem o pretender, dirija-se an seu proprielario que
e o dnercjenho Sibir da Sorra para tratar negocio.
Vende-se urna rica radeira de bracos com
suas competentes enrreias, por preco commodo,
por ter seu dono sabido para fra da provincia :
miem a pretender, entenda-se com Caetaun Pinto
de Veras
Escravos fgidos.
HpT
No dia 14 de agosto do anno prximo passado,
fugiram do engenho Sete Ranchos, freguezia de
Nossa Senhora da Escoda, comarcada cidade da
Victoria, os seguidles escravos: Damin, crioulo.de
25annos de idade pinico mais ou menos, rrfula,
beirosgrossose meioarrebilados, lean uma cicatriz
na testa proveniente de um coice de animal, pernos
linas ealguma cousa arqueadas para tora, esmalma-
do, espaduado, altura regular, e esl tincando ago-
ra. Jacintho, crinlo, de 28 annos de idade ponen
mais ou menos, altura regular, cor preta, poura
barba, beicos grossos e faz certo geito na bocea quau-
do falla, tem uma cicatriz em uma das faces, perna
finas, esmalmado, fuma, e tocador de viola. O
primeiro foi comprado ao Sr. Joan Francisco Barbo-
za da Silva Cnraar, e o segundo diz que foiescra-
voda familia do Sr. Joao Nunes, da fazenda do Sitio,
em Pajee de Flores e comprado na praca de Per-
nambuco. Consta que ditos escravos es\aoem Pa-
je de Flores por portadores que mandei ede lvie-
ram : roga-se as autoridades policiaes ecapitesde
campo de os pegar e levar ao referido engenho, a
Bernardino Barboza da Silva ou na praca dePer-
namburo aos Srs. Hanoel Alves Ferreira k Lima, na
rua da Moda n. 3, segund andar, que serio re-
compensados com a quantia cima.
400*000 de gratificado.
No dia 23 do passado mez fugiram do engenho
Tabocas, freguezia da Lux, pertenrente a Francisco
Antonio Cabral de Helio, cinco escravos, cujos no-
mes e signaes sao os seguintea :
Joaquini, preto, representa ter 20 annos de ida-
de, h.-uxo, secco do carpo, e sem barba, tem muitas
marcas de bichos nos pea; levou uma argola de
ferro no pescoco, camisa ora de algodo da Baha,
cemula velha c chapeo de couro velho ; de sup-
por que tenha buscado as iraraediaces do Linsoei-
ro. d'onde linha vindo era poder do'Sr. tt. abor,
por compra que delle Asen, e depois, por aulonsa-
cao sua, me foi vendido pelo corretor Souza, nesla
pra?a.
arcellino, prelo, alto, secco do corpo, rosto
comprido e barbado, representa ter 35 annoa de
idade, levou uma calca azul e outra de riscado,
jaqueta e camisa branca, e chapeo de palha.
Nicolao, preto, alto, cheio do corpo, representa
ter 22 annos de idade, levou calca branca, camisa
de riscado e uma bata ora, tem as costas mar-
cas de castigos, e alguns principios de carapina.
Ezequiel, crioulo, bem preto, altura regular,
poura barba, tem algumas (cridas as cae lias, e
representa ter 25 annos de idade, levou camisa de
madapolo, uma calca branca e outra azul, e cha-
peo de palha de arroz. Este negro reio do Para.
Joo, mulato, com 25 annos de idade. poueo mais
ou menos, bastante alto e barbado, oficial de fer-
reiro, levou chapeo de palha, calca de riscado ro-
xo e camisa de madapolo, e tambem levou uma
espada velha. Este mulato veio do Para, arcelli-
no, Ezequiel e Nicolao vieram do Maranhio.
Roga-se as autoridades policiaes e capit&es de
campo que apprehendam ditos escravos, e que os
levem a seu senhor no referido engenho, ou a Ha-
noel Antonio Concalves, na ruado Cabugi n. 3, de
quem recebero 400* de graliueacao, ou a quantia
correspondente a cada um. no caso de rirem desta-
cados.
Contina fgido desde o dia 8 de agosto do
anno paoximo passado, o escravo Antonio Cacaage
com os signaes seguintes : representa ter 36 annos'
punco mais ou menos, altura regular, cheio do cor-
po, rosto redondo, pones barba no qneixo de baixo
cor, prela cangueiro no andar, falla pouco, e tero
marcas de reino, casado e foi escravo dos herdeiros
do finado Caelano Goncalves da Cunha consta a-
char-se refugiado em trras do engenho Cacimbas
da comarca de Santo Antao : a pessoa que o appre-
xn f\ 1rlonaUM-<> o engenho Curcahy da comrca
Pao d Alho, ou no Recife na ma da Cruz n 62 ter-
ceiro andar, que ser generosamente recompen-
sado.
PEBN.:-TYP. DE P. DK PARIA. 186*7
'
'. lA
fi"-'-y;'r '"'". "' '
; -.-. ;, .- *:.>. ..- '".i ''.' '.' "''
'

I
-.;.;"../; -'y'*'-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2JD6FZYM_MMGTHU INGEST_TIME 2013-04-27T00:11:58Z PACKAGE AA00011611_08024
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES