Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08023


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I

AMMO XXXV. NUMERO 76.
SEGl'XD.t FEIRA I DE ARRIE DE 1859.
fr
r
i
l
i
\
r*
Por tres meses ndiantnrlos 4$0O0.
Por tres mezes vencidos 5$OoO.
Por ansio adiantado ISgOOO.
Porte franco para o subscriptor.
DIARIO
ElCatlESaDOS DI SUBSCRIPTO NO NORTE.
Paralaba, o Sr. Joo Rndolphn Gomes; Natal, o Sr. An-
AUDIEHCiftS DOS TRIBUN1ES Q CAPITAL
PARTID DOS CORREIOS. I
Olinda lodos os dios a nove o rucia horas do da.
Iguarass, Goiaimao Parahiba as segundas a sextas-feiras.|
s. Anlao, Bezerros, Bouilo, Caruar, Altinho e Garanhunsi Tribunal do rommoroin: segundas e quimas.
as tercas feiras. Relaro: tenas cras e sabbados.
Ionio Marques da Silva; Ararat)-, o Sr. A. do Lomos Braga; Pao d'Alho, Nazareth, l.imnoiro, Bri'jo, Posqueira, Ingazei-j Fazenda: lerdas, quintas i- sabbados as 11) horas.
('ara, o Sr. .1. los de Olivcirn; Maranbo, o Sr. Jos Tci-
xeira de Mello; Piauhy, o Sr. .loso Joaqiiim Avelina; Para,
o Sr. Justino i. Ramos* Ama/unas, o Sr. Ji-rniiYmo da
Costa.
ra, Flores, Villa Billa, Boa-Vista, Ouricury eExfi nasl Juizo docoBintercio: quiutas ao meio dia.
quarlas (eiras. Dito de orpbaus: tercas e sextas as 10 horas.
Cabo, Seriohem, Rio Formara, Dna, Barreiros, Agua Pie- Primeira vara docivel: lonas n sextas ao meio dm.
la, Pimenteiraa o Naial quintas reiras Segunda vara do civil: qnartaa e sabbados ao meio dia.
(Todos os corroas parlero as 10 horas da manhaa. I
EPHEMERIDES 00 MEZ DE ABRIL.
% La nova as 7 horas e 58 minutos da manhaa.
l Cuarto rrescente as 0 horas e I minuto da maulia.
I.ua In-ia as I', horas e 46 minlos da manhaa.
Ouarlo minguante as horas e 2 minutos da manhaa.
PRF.AMAB DF. BOJE.
riini'iro as ti horas o ti minutos da manhaa.
gundo as 0 horas o 311 minutos da tardo.
DAS DA SEMANA.
Segunda. S. Isidoro, are.; s. Zozinio, e. ; S. Plato.
o Terca, S. Vicente Perrer; s [ria, v. in. ;S. Zeno.
ti (.loarla. S. Marcelino, m ; Ss. Iin.gi-iies e l'lalonides.
7 Quinta. S. Kuiphauio, b. ni. ; s. BuBoo, ni. -. s. l'elu/io
H Sexta. Commelnurarao da Paixo de Jess Clirislo,
H Sabhado. s. Demetrio, b. -. S. Waldotrude, viuva.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL.
Maguas, n Sr. Clandino Falcan Das; Baha, o Sr. Jos
Martini AJu; Bio de Janeiro, o Sr. Joo Pereira Marlins.
EM PI.I1NAMBUCO.
O propriolaro do DIVBIO Maunel l'igiteirn.i de Faria, na
lli liomiiigoda Paixo. S. E/oquicl. proplieta S. Pompeo. : sua livraria (iraca da liidopendeiieia ns. 6 c 8.
PARTE OFFICIAL
(MIMANDO DAS ARIAS.
Quai-lot general ilo roiiiiiiiiiiilo das armas
GOVERXO DA PROVINCIA. ,1P, PcrilUllllUICU, Hit tillillle O UpCI'P,
Expandiente do dia 1 de iiiaryo. ) (lo abril lie \ H'.W).
tifflcio ao eommandantu das armas.Temi nes-! ORDF.M DO Div HOMERO 215.
la data resolvidu que o 1." lente Francisco Vil-1 o lenle general commandante das armas,, de-
leita de Castro Tarares, a que se refero o roen olli- j clara guarnirn para sen ennh.-cimento, que oSr
1 11110
. li
passou na dala de lioulem a exereer temporaria-
mente as fum-ces de chefe de polica desla pro-
1 vinea. oa suhslilui-lo na auditoria do guerra n Sr.
juiz de direito interino da 2". vara lir. Francisco de
tramo narros : o que omisin de ufficiu da presi-
dencia sW-J destusan?/.
AssignaOTt.Jo0 j t'.oufuruio. Horacio de (jiisnian i'.W/io, alferos
EXTERIOR.
ojo dirigido a V. Exc. em i i do correute, sirva in- audilurile guerra", juiz do diroil
icriname.nte de ajudante db director das obras mi- desla cidade Dr. Bernardo
litaros, visto que para o cargo do director nomeei
Srovisoriamenleo tenciilc-onrnuel Manuel Ignacio
rielo : assim o eomninnieo a V. F.xc. para sua in-
telligencia, ealim do o fazer constar ao referido li-
nete.
Hilo ao mesmo.Tendo ciuiccddn ao ro-rula Jo-
s Marlins da Hoclia, que com olllcin de 12 do cor-
renle niandei apresonlar a Y. Exc, o prazo de 10
dia piel provar senoio que diz ler para nao servir ajudante de ordens do commaudo-
no ejercito : assim o communiro a V. F.xc.
Dito ao eonimandanle superior da guarda nacio-
nal desle municipio. Nesta data ordeno o paga-
mento dos voiioimentos da guarda nacional deslaca -
da em Jaboatao, a contar do 1." a 17 do fevoreiro ul-
timo, na iniporlancia de 90$ 140, como consta dos
prcls que acoiiipaitharam o seuolfiein do 15 do cor-
reate, sob n. 42, e" V. Eso. rocommondo que me in-
forme odia em que fn'di-soivi,in o destacamento,
na couforiiiidade do oflicio desla presidencia de 3
de fevoreiro ultimo.
Dito ao presidente da relacao.l'.oiumunico a V.
S- que o juiz de orphos desla capital, bacharel Er-
nesto de .Vquiao Fouseea, reas-uniio
seu cargo no dia
pon em oflicio daq
inspector da thoso
Hilo ao aspecto
temiendo ao que n
<'harI Jos Bandeir.i
ca de Garanhuns, nesta provincia para u
na ParaUiba, allegando le familia a transportar, re- ? .a,'h,"Rar a 'onu,rPS' ,e qedepois de ler con-
solvi, dopois de ouvido o procurador liscal. a b- I '^."ZZ"''"'"" ra.nba, dever imme-
Irar a ajda de csto daquelle magistrado enrTODg.',lu,lamPnlK l.VlPnn Pra offerecer ai.governo aus-
reoonstruoon-squeso fazem no interior di' Paiis.soin
fallar em nutras ciliados do imperio. Naodiiwdo-
SO que a guerra com as uquielaooes c os imargos
que iiupoeiii, nao iinbargue uiincdiatamcnlo todos
osles grande. I rabal hos.
Sobre esta quesio de mh conflicto possivel entre
a Franca e a Austria, leiibo anda a notar un
symplhoma significativo que se manifesta nos di
versos oslados da Allemaulia, Na cmara dos do-
mas, pelos repetidas nslaJBasda conipanhia, en-
leiuioii, eiuuilo beiu, que havia incouveiiiento
ni se pagar o juro garantid, porque alui da van-
lagem queja a eslrada prelava ao publico, havia
grande animaran empreza-
Neuhuma censura, pois,j|nereceiu osles poderes,
esim elogios, li presideAc nao poda recebera
eslrada cornos favores, oucoi.....ssoes do goveino
paquete do sul com a noticia, de que o ministerio
sonrera nina modificaeau com a retirada do Sr. Xa-
buco da pasta da justo a.
linio de Prisciliauo Antonio da Silva Freir e
Candida Chatarinada Silva Freir.
f'iMini'ii/o.v :
Isto preocciipoii por algunsdias os polilicos da cor-! Antonio Jos de Amorini com TaMeza Augusta reacias dada ein consequencia da venda d
lo. o os daqui. Fizerani-so variasoonjoilnrasacerca Brandan, brancos. panbia Skiner, coosequeneias que milito
dos motivos que poderiam ler contribuido para a re- Manoel Antonio i'.ardozo com Anua Joaquina de Al-
da primeira vara pillados de llanover, poroxemplo, un deputado pe-
Machado da Costa Doria
liis-i! lambem o uobre
valraii que o presiden
leve, fui impre iilonU
ment dos juros se faxi
'sirada porque a podi
tilado i Sr. Maunel l.a-
uvar das cautela
Sn'/ar das cautelas que nuUrns, mas i
ovia ver que o paga-1 do paquete.
lo fai-io da'abertura da
uaio iuleressada nos
alribuiraui a moililicacao miuislerial s rol'or-
mas das si'-rolarias de oslado ; o outros a allrilou-ui
a um negocio particular com umdonodelypogra-
meida l.avahanli. brancos.
Kuzebio \ieira do Sacramento rom Eulalia da llora
di* Siqui'ira, pardos.
Jos Lados FoiTeira com l.iifrozina Francisca l.ou-
reiro, bramo.
Jos Vicente Uarle Brandan com Thero/.a Mara
tloelho da Silva, blancos
Passagiiioda barca pnrlugiieza Simia Cruz
t OHAKC.V DK GOLVW.V.
1 lambe 21 de marco,
ndo-lhenos permittido noliciar-llio as ocior-
a ciim-
que, muilo se le-
miaiii em loianna, e al mesmo alo,era ninox&ar-
tiiriens.
tira, dopnis do lana Tosera da patulea, depnis
de tanto andar bajo e cima 6 general dos pe-
raltas, el amagua louimollante caterva, tornas.-
em nada o furor da patulea, lalvez com modo de
algasias doses de reenitameato, c do auno donas-
cimentnde N.S. Jess l.brslo....
lirada do Sr. Nabuco ; mas nada seeiu-onlrnu al.
boje que salisli/esse a curinsidade dos espirilns.
faniiii-iii auuuiii'ioo-se a retirada do outros mi-
nistros, mas nada so linlia verificado al sabida
lio que a exportacao dos cavallos fosse prohibida ;
nada fo anda resolvidu sobres Btnocao que ohogaria
i'.-ilameulo a Hiela de Frano-foil, se os receios de
1 guerra augmoulassom,na ella indica queja lia urna obrigaria a islo
disposioao pronouciada em favor da paz, da parle j Ora, Sis., qio.' pe.so poMn ler osla. considera- i phia. Mas nada dislo
i dos estados secundarios da Vllemauhii. coes I O nobre denutado^bie admilte tal podero, I Viada desta
' Me resia fallar de um fado gra.o qui: deie e\er- nao v que. sendo assim.-> juro seria pogo, e sob j portador de tactos
cor urna ai-cao indirecta sobu- :. i|ioti.i da ;.,i/ i- da qualqlierpTCTi-xto ? A CiMpaniia dizia qu a ostia" | gws-de novidadessolTrerain mais unja uecvpiyio, ao !"* n,;*; *""" =" v, % m-u- inrem-se aos desvarios di
guerra. Ao concluir a miaba ultima caria pude da so poda a luir, o assiiu que Ihe pagssem? Ea | saberem que o calor, que havia acendido a idea da lo de Olivoira. sua senhora eidous tllhos, Henaoge- que simiio sao membros da compaobia doliro lien'
annunciar-lhe o aeoQtccimento mu inesperado que nao conhoco tal podero, neto taes preleneoea, elo- guerra entre o Piomonte e a Austria, so ia arrefe- nos J. Barbosa Tinoco, Francisco!;, da Silva Jnior, parecem, e mesmo pela exaltarlo da Mtala
passar na Yalachn. Aasscmbla de gi" o presidente e o guveruugeral.
Tratarei agora dos eslragos da ponli
Parece-me que as ohras Bao estu milito .<> ,..-|..:i.ioi as. > uu os esiorcos que sao couiiiuineis v-. .v...... uain, os iioiiiens lioneslos.fez com que o capilao
mas o que verdade qu" a ilieia do l'.apibaribe I com o ini-ios, de que pode dispor para libertara Mnlarinuru publico. Malnram-se no dia 2 Ionio lionoalves de (lliveira e Aulonio Dantas d
neniar com um dono de lypogra-1 rassageiroaa barca pnrlugiieza Santa tm-. i,,c fui verdade que, ludo isso redundo,, eui
tato se provou. saludo para o Porto : Jos Beulo do t. C. de Al- beneficio da companhia Skiner, pois vendo algu-
ez o paquete de Southamptoo fot .....ida. | mas pessoas probas de Pedrasde rogo, qutfeom
>s depona impoilao.ia. Os aun- Passagcirosda baria franceza (Huida sahida dc/ar para s habitantes de Pedras de Fo"o Suiei-
SOirreram inais urna deccpoiio, ao | pnra "Havre : Boceado f.ezar de oos, Andr lien- inrem-se aos desvarios de meia duziade rapa/olas
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUC0
l'aiis ss le fevereiro de ih.-.o.
Anda s ha na Europa urna quoslao de que o
| publico ge preoeeupa, o conflicto que se agita e-
acahava de
Valacha chamada para'numear um hospodar, ele-
geu unanimenie a pessoa elcita pola asaembla
Moldava, o principe Alevandre Couza. Esta esoo-
lli.i laucn a diplomacia europea no profundo pas-
mo : a Turqua sobre ludo e a Austria, lujos pis-
pado
que
lodos os das, e que j est quasi ii.sensivel;! Passagoiros do patacho nacional Eiora 1, sa- via lia ,-eiirada do Skiner o triumpho 'do sua causa
nao iioi parle do Pioiiioule. que.lioda nutre as suas bido paran Bio de Janeiro ; Aulonio Joaquim da cohibido da lama de que eases bichos se chafur-
ito boas; ; esperanzas. ,. faz os esforcos que sao coinpaliveis Silva e sua senhora. dam, os hnnieiis boiieslos.fez com que o capilao 'n-
qne coincidi com asmar
oh mitro esleio de urna d
grandes, fczabalerum,
extremidades da ponte
aos todos foram derrotados por esta manobra, rica- ; dos Afogados ; a inmpaohla, ou a direccao liunau-
ram estupefactas. (I primeiro movimento fo re- do todas as providencias necessarias para evitar
correr forea, e caviar tropas turcas a. Valacha. qualquef desastre, o que fez t prohibi que as loco-
" | Mas a refleio chegou e oecasioi.ou urna delermi- motivas trasilassem pela file, passaodo apenas os
avel &ttX'm2uES^m2* s, m "a';"' ""M,"s P"rin^'' v l,"'-|a ssigualou o fado carros com passagoiros, a cairo,, logo a reparar o
quasi'cxolnsvaincnr 5g5ttS?2l d- a l0dM a^ *>" *- .*= *'"*' P^" dm.n0 "**?. P* c,'e!a- ls,<' luu Pare n,u."0
na
ca i
conliu
com luda
mximo da labella'u. 2 anaexa ao decreto a. 6H7 de
26 de jnlhu de 1850: o que commuuico a V. S. para
sua ntelligeucia e devida execuco.
Hito ao mesmo.Tendo nesta dala prorogado por
30 dias o prazo de .1 mozos concedido em 15 de de-
zuuibro do auuo passado ao bacharel Jos Mara
triaco a mediaco da Inglaterra o da Russia, que
doria ser ao mesmo lempo aceita pela Franca.
Esle fnclu. que recehi de inuita boa fonte, prova
que a questao deu um paSW, lio scolido de que se
achou um terreno, sobre o qual se pode neniar
lnglator
juma neguciaoao cutre a Fraucaeal
erra, coai
licia.
Dito ao inspector do arsenal de marinha. Em
resposla ao ollicio de Vine., com dala de 15 do cor-
reate, se me aderece a dier;
Que lita autorisado a prom hasta publica o caes
do forte do Maos, e ainda ruis a parlo do ces que
se derehzer entre as duas pontos do bairro de Si."
Anlouo, poique iadis.lensavcl ao uielhoramenlo
do porto que laes obras sejain com hrevidade eje-
cutadas para obstar-se accumulaco de eutulhos'
que vio ler ao tucsino porto, contra o que lem
Vm constantemeiiie reclamado.
E para que nao veaba a fa/euda publica a carre-
gar com despozas que devem ser feilas em grande
parte pelos pirticulares que sao a isso obrgados, o
densas obras lerao notavel o immediato uleresso,
teuho por conveniente qjie Vmc, depois de arre-
matados os dous laucos do ces, mande proceder ao
orea ment da dospe/.a que a rada um dos proprie-
larios tocar, para que judicialmente sejam ellos com-
pelUdos n paga-la, se o naoquizerem fazer volun-
Uriaraeotii, e somonte pela prou io do
dever. .--=-. -
F. desaecossario rerommendar-lhe a adopcao de
todas as medidas para que a obra seja feila com ur-
gencia, economa e brevidade.
Dito ao director do arsenal de guerra. Mande
Vmc. entregar ao commandante do brigue escuna do
semelhanles propostas occasiouariaiu urna declara-
cao de guerra. au smente contra a Austriaque
a Franca loria a combaler neste caso, contra a
Europa ialera, menos lalvez a llussia, que se sup-
poe tercoiupromissossocroioscom o imperador dos
Franceses. Mas, a Inglaterra e a Allemantla inlei-
ra se reuniram Austria paradefeuderem os tra-
tados de 1815 que asseguraro a posse de Milao c de
Vneta. Assim, se aeremos dar crdito as pessoas
ocio informadas, a media-ao di Inglaterra e da
Prussia seria oflerecida para inctar n.igociaces
sobre unirs bases. JA se nao tratara das posses-
soes auslriacas na Italia, mas sim da ocoupaci dos
Estados Koinanos por tropas estrongeiras, e dos tra-
tados particulares- concluidos pelo goveroo de Vioa-
na com os pnncip >s usoli-rauos da Italia, com o
duque de Modeua, de Parma. d i Toscana, e com
el-rei de aples, tratados que dao a Austria odirei-
lo de nlervirnos negocios interiores destes Estados.
Anda sob esle ponto do visia, una BOliico pacili-
ca uoii difflcll de oblei>9c, porque ser uiislor que
a Austria se resigno a um duplo sacrificio d'amur
4UQPfto t- dq^oeK'i:-ni -. O jusu, umi o..o, 1...1..
imposvel,poTsquo s lem por lim salisfazer aossus
rnetiianeiros, a Austria dever fa/.er alguraas coii-
cepi;es dolorosas mas s fallo aqu de uui ne-
gocio que comeoa. e s posso proceder por hypo-
theses. Lord Cowlcy ainda esl em Londres, in-
lerpollaces se preparam no parlamento iuglez : a
impossivel que
nio, nao se procure tocar na quesio inais geral
do conflicto de que a Europa ialera esl prencou-
pada : quanlo ao objeclo da convncaco julgo im-
possivel que o congresso nao se limite a ractificar
pura e siiaplcsmenlen factoconsiimadn em Bucha-
lesl, pnisquo elle ir o viola osados da conferencia,
e testifica da maneira mais pcremploria que o
vol das provincias unidas foi realisar a uiiidade
do governo.
J lhe fall"! lambem na lorrente dos aconteci-
moBtoa que se coiisumaram na Servia, em conse-
quencia dos quaes o principe Milosch foi chamado
a dirigir novamente as redeas do governo que urna
revoluco popular Ih'as arrancara, nadesoito annos.
A Porta Oltomana qoe exerce sobre a Servia um
direito de soberana, retificou, como j lhe dissa, i
eli-ii-o do principe Milosch'; mas ella nao lhe re-
coiihce.'u sono como poder vitalicio. Como a
asscnihla popular que linda eleiln principo, proles-
tara contra esta reslriccao, Milosch proclamou por
un acto espoulaueo que o poder, que lhe foi con-
ferido pela naco seria, sem embargo da deciso
da Porta, hereditario o transinissivol a seas Hlhos.
F. urna nova complicaco que se perde no meio de
tantos conflictos mais graves. No numero dos mor-
ios que assigualarain de prelo esta quiuzena.iiio
poseo omittir a miaso da pcioceaa, lilha do conde e
da cond.-sa d'Aquila, c soliriulia por dous ttulos de
SS. MM. imperador e imperatriz do Brasil.
A joven princezaque lnha apenas doze annos de
idade, falleceu em aples nos prinieirosdiasdeste
me/..
') governo iuglez scoecupa em regular nsconlas
que lhe lega a insurreicio da India boje quasi ter-
miaada. O ministro da ludia, lord Stanley, pedio
cmara dos commiins autorisa'-o para lomar
emprestados 7 milhes esterlinos paca eucher urna
paite UodoUcli. i.alcula-si- em ni.es ue-lo muos
esterlinos o que revolta lera cusludo.
guerra Ainj austro arrobas de plvora grossa por i ,, |)roxlmil carCa re'cobercom esta, lhe
indemmsacao de igual quantidade, que forueceuao ;,liir-, prmeiinres mais precisos e provavclmente
commandante do presidio do Fernando.
Hilo ao lenente-coronel Maunel Ignacio Bricio.
feudo graude uecessidado do um official superior,
a quoin encarregue da direccao das obras militares
nesta provincia, teuho por "couvnuiente sobr'eslar
ua sua ida para o Maranlio, e encarrcga-lo da di-
reccao das referidas obras, da qual lomar posse o
mais brevemente possivel. Communicoii-sc ao
commandante das armas.
Dito ao engenheiro liscal da eslrada de ferro.
Remello por copia a Vmc, para seu conhecimenlo,
a iuformacao que em 5 do correle ministrou-me
intendente de marinha da corte, acerca do proco
do carvao cooke.
Dito ao provedor de saude do porto.Com n in-
formacao ministrada pelo inspector do arsenal de
marinha, respondo ao olficio que Vmc me dirigi
m 7 do corrate, sobre a passagem por mar para
o lazareto da ilha do Pina.
Dito ao commandante do corpo de polica.Man-
de Vmc. substituir por 10 orneas do corpo sob seu
commando o destacamento de primeira linda, que
depois d'amanha devo rntirar-se de Iguarass pa-i
ra osla cidade, e islo sem falla alguina.
Dito ao juiz de paz mais votado do 1. dislrielo
da treguezia do Muribeca.Declare-mc Vmc. com
urgencia, se funecionou este auno a junta qualili
cadora dessa freguezia ; no caso afllrmativn remet-
la-me as copias das actas e alistameuto respectivo,
e no caso negativo diga-mc a razao porque nao so
cumprioo preceito da le, nem solicitaram-so pro-
videncias em lempo.
Dito ao conselho adminislrativo para fomecimen-
lo do arsenal de guerra. Bespopdcndo ao oflicio,
que em 3 do correnle dirigio-me o conselho admi-
nistrativo para furnecimento do arsenal de guerra,
loiilio a declarar, que no fornecimento das sobreca-
sacas militares aos eorpos do eiercilo, so deve pro-
ceder na fmma indicada pelo inspector da lliesou-
raria de fazenda na informacao junta por copia, que
foi ministrada em 12 desle mez, e com a qual me
conformo.
Portara.O presidente da provincia, conforman-
do-se coma proposta do Dr. chefe de polica desla
data, sob n. 268, resol ve conceder ao bacharel Ovi-
dio da Gama Lobo a exonerarn que pedio, do car-
go de delegado de polica do' primeiro districto do
termo do Recife, e nomca para o mesmo cargo o
bacharel Henrique Pereira de Lucena, e quanlo aos
lugares que se consideran! vagos de primeiro c
quinto supplenles do mesmo delegado, noma pa-
ra o primeiro o bacharel Francisco Correa de A adra-
do Silva, e para o segundo o bacharel Joaquindo
Bogo Barros. Comuiuuicou-se ao chefe de po-
lica '
Dita.0 presidente da provincia, tendo em vis-
diplomala
PERNAIYiBUCO.
us primoiros resoltados da misso do
iuglez.
Vollo aos incidentes da quincena. Por urna car-
laque lhe enriei a s defevereiro,poat scriptum
da minha correspondencia, devera ler recebido um
hrovi.. resumo do discurso doimpeador.assimcomo
algumas observaces suiumaras a respailo desle
discuiso. En, como j lhe teuho dito, muito mais
pacifico do que a brochura, mas nao obstante pa-
cifico para Iranqullisar completamente o publico.
F. assim que elle foi julgado. Osiulerosses que se
tiuhain assuslado, nao recobraiam conlianca, ape-
nas a gente ficou um pouco mais abiluadacom a
ideada guerra. A bolsa, que eslava um pouco mais
animada, tornou a cahir na descnnlianea, e os fun-
dos pblicos desceraui laxa do mais baixo premio
da guerra da Crimea.
O governo piemonloz, que leude ainda mais para
a guerra, do que o nosso, porque julga ler muilo
galibar, faz segundo os seas aieins, que sao gran-
des, os ^-us preparativos de entrada eiucampanha.
Fortifica anas piscas, augmenta o numero de suas
tropas, approxima-as das frooteiras, e para procu-
rar o uervo da guerra, pede s cmaras anloraaco
para coutrahir um emprestimo de 50 milhes. Este
pedido occasionou urna discusso mu animada :
alguns depulados da Saboia protestaran] contra as
tendencias bellicosasdn governo, mas urna inmen-
sa niaioria na cmara dos depulados, assim como
nn senado volou a favor do imprestimo. A diflloul-
dade nao eslava vencida : os l'ieiuoulezes c os Sar-
dos eslao possuidos pula idea de reconstituir a na-
cionalidade italiana em proveito dellcs, e seguem
mu naturalmente o seu governo as suas empre-
zas : mas a quesio 6 saber como esle emprestimo
ser conlrahido, e como, com as suas doploraveis li-
naucas, poderao fazer face aos compromissos que
conlraheiu. Ncsle estado de cousas, as pracas de
Pars que sao os dous grandes resrvatenos de ca-
pilaesno parecem de maneira alguoia disposlas a
subscrever para o emprestimo sardo, nem lo pou-
co para o emprestimo austraco, s capitalistas nao
querem ministrar umallimeiilo guerra queamea-
ca perlurbor seriamenlc e por muito lempo a paz
da Europa.
Em Franca, parece que o governo lem a conlian-
ca de conservar a paz al odia seguiule daquelle,
em que o imperador prenuncian o seu discurso, o
presidente do corpo legislativo, o conde de Morny,
dirigi una allocuco aos seas collegas para insis-
tir sobre os peuhoes da conservacao da paz que li-
nliam dado a palacra imperial: a paz.dissc clle. a
primeira necessidade das sociedades modernas; o
sangos dos povos j se nao derrama levianamenle :
a garra o ultimo sello do direito desconhecido.ou
da honra oflendida.
. A mor parte das dilficuldades
vqucreu o arremalanlc do empedramen- se vence peia diplomacia, ou se rosolvem por arbi-
0 d.- Jos FerSooses Mohleiro, o bem assim a informa-
cSo da directora da reparticao das obras publicas,
datada de 88 do fevereiro ltimo, sob n. 4:1, resol-
ve conceder-lhe tres mezes de prorogaco para a
eonclusao das obras do seu contrato, a "contar do
dia em que se Qiidou o prazo marrado para csse
Um. Communicou-se ao inspector da thesouraria
Erovincial e ao director interino das obras pu-
licas.
Dita.0 presidente da provincia, tendo em vista
o resultado do concurso a que so proceden para
proenchimento das eaderas de instruecu primaria
do primeiro gro do sexo masculino das povoaces
de N. S. do O' de Ipojuca, N. S. do O' de Goianua
e d Bom Jardm, resol ve nomear professores : da
Srimelra das mencionadas eaderas a Vicente de
ioraes Mello Jnior : da segunda a Jos Marcollino
da Costa Jnior e da terecira a Maunel Lopes de
Albtrqutrque. Communicou-se ao director geral
interino da instrueco publica.
Dita.O Sr agento da companhia brasilera do
Saquetes a vapor, mande dar passagem para a Bn-
ia, por contado ministerio da guerra, a Agoslinho
Caetano e Pacifico das Virgens, que tivajram baixa
do servco no quarto balalho de artilharfa a p.
Dita.O Sr. agente da companhia brasilera de
paquetes a vapor, mande dar passagem para a cur-
te, por oonta do ministerio da marinha, no vapor
Tocaiilini, ao guardio extra-numerario Manoel An-
tonio desSantos. -Communicou-se ao commandan-
te da diviso naval.
Expediente do tecrelario dogoverno.
Officio ao commandante das armas. S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, manda declarar a V.
Exc, em resposla aos seus officios de 14 de Janeiro
ultimo e 11 do correnle, sob ns. 50 e 21S, que a the-
souraria de toteada tem ordem para pagar a grati-
llcaco devida aos apprchensores dos soldados deser-
tores Antonio Patricio da Silva, Francelino Jos dos
Santos e Jos remira de Oliveira.
Dito ao secretario do goveruo da provincia da Pa-
rahiba.Satistatendo ao que solicita V. S. no ofli-
cio que se servio dirigr-me em 10 do corrate, re-
metlo-lhe a inclusa collecco das leis desta provin-
cia promulgadas no anno'del849, a nica disponi-
vel quo exista no archivo desla geccetaria.
passilicos. As conimunicacoes nterua-
cionacs tao rpidas, a publicidade, lem criado o po-
der europeo novo.com o qual lodos os goveruos sao
ohrigados a contar ; esle poder a opiniiio. Ella
pode por um mouieato car irresoluta, ou desvai-
rar-sc, mas acaba sempre por se collocar no lado da
juslica, de bom direilo e da humadldode.
Au lado deslas palavras que produziram momen-
tneamente um bom efleilo, cumpre collocar um
acto do governo quu nao lem direccao alguma di-
recta com a guerra, mas cujo complemento mu
difficil exigea paz.dosespiritos. Um decreto recen-
te do imperador acaba de decidir que do primeiro
de Janeiro de 1860, o recinto de Paria, se estende-
rla at as furtilicaces da capital. Esta medida que
d a Paris um mbito de mais de dez leguas de cir-
cuiuferencia lanca grande perturbaco nosseusin-
teresses, e coinpreliei.de-. fcilmente quando se
disser que s portas de Paris ha cinco ou seis gran-
des agglotneraciics de habitantes, Bellvile, Monl-
ASUJUBLEA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
Discurso do Sr, deputatlo B- ileLa-
erda, pronunriudo na sesso de
:t I O Sr. Larerda : Sr. presidente, eu nao espe-
rava que a discusso Inmasse o interesse que vai
tomando: e liona pedido a palavra para provocar
a alguns collegas e oo nosso eolloga director das
obras publicas, que inolhor do que qualquorde mis,
ou pelo menos melhor do que eu se pode oceupar
dessasquesloes.
Sr. jiresidente, ou eu nao comprchendo bem a
forea das duvidas, ou das reflexes feilas polo no-
bre depulado contra esle artigo, ou nao sei 0 lim
que leve em vista : cliogoii a remoular-se ao lem-
po da asocio da companhia da eslrada de ferro.
Um Sr. Depulado : a primeira vez que vio
isso em qualquer ubjecto
O Sr. Mcerda :Nao seuhor, mas nao se conhe-
cendo o lim para que, a primeira vez que vejo,
porque se o lim desanimar, cu direi que terri-
vcl. Se o uobre depulado estivesse bem informa-
do, seestivessea par dos defeilos, se soubesse de
que proviuhmu etc. bem, mas dizer-se a estrada
vai mal, ha urna mu passagem, ueslc, ou naquel-
le ponto, o presideule foi i m pro vidente etc., sem
d'ahi se concluir cousa alguma, nao me parece ra-
xoarel. Ambos os nobres depulados fallaram des-
la forma, um porm elogiou, o oulro aecusou
de improvidencia o presideule; pois bem, eu os
acompatiharei, mas lomando a nrdem inversa, vou
ereaeioda estrada...
L'iasr. Depulado .J ?
OSr. Lacerda :l'ara dar aos nobres depulados o Sr. S. Lacerda
tima resposla que julgo uucessaria, parque o que ';, .s>. Deputado
dissi-i.-iiii nao leve se nao um lim desanimador.... () Sr S lacerda
m Sr. Depulado Agora vai sor animado. So, desanimando
O se. Lacerda ;Sr. presidente, o uobre depu- Um Sr. Depulado
lado que ultimameiile falln, disso-nos que houve
indiscripoo da parle do presideule da provincia o
Sr. Dr. JosTlenlo, as promessas que fez para con-
cluir-se esle contrato : eu, pelo contrario, julgo
que por esse faci o Sr. Jos Beato merece elo-
gios....
Um Sr. Depulado .Esl ao sen direito, fazeu-
do-lh'os.
O Sr. Lacerda :Sim, seuhor, e nos lodos sa-
bemos qual foi a causa desta garaulia addicioual,
isto porque a assembla se vio obrigada a dar
essa garanta.
/'m Sr. Depulado ;Obrigada, nao.
O Sr. Lcenla .Quero dizer que a assembla
fo obrigada pelas consideracoes que haviam, pelo
bem oslar da provincia nos sabamos que exis-
liam us estradas de ferro de Peruaiiibucn c da
Baha, que havia falta de capilaes, ou dilliculda-
des...
Um Sr. Deputado: Pelo contrario, havia muitos.
0 Sr. Lacerda :Parece-me que a poca nao
era lo feliz.como o nobre deputado a suppoe. O que
eurm cerlo, que a concurrencia da estrada da
alna com a de Pertiaoihucu Irouxera algumas diili-
culdades e quando se nos obrigava a garanlir mais
o juro de por cento, uo havia duvida de que a
de Pernamqiico u-ria de reeuar, se nao tivesse o
mesmo juro que aquella, (iracas ao Sr. Jos Bento,
gracas assembla provincial por ler, ou andado
maisdepressa em nolar essa garanta addicioual,
ou por oulro qualquer motivo : o que c cerlo que
Pernamburo love a gloria de ver, em seu territo-
rio, primeiramcnle eslabelecida urna estrada de
ferro, bem, ou mal cooslruida, quando a da Babia
apenas enrueca agora.
Ku, senhores, nao sei se por ser anda moco e
assim nao ter a experiencia de outros senhores' na
gestan dos negocios pblicos, ou porque nao tenha
pe
oxigisse, bem
jila um aparte.)
O Sr. S. Lattrda; At boje nao tem havido o
menor sinislro e o concert est quasi completo.
Diz o nobre deputado,que s vezes os waggons li-
cam no meio da punte ; mas, o que prava islo1? que
as machinas tem pnuSa forra para dar o impulso nc-
cessario i .Nao cortamente-} porm sim que os ma-
chinislas acautelados, veiido que os waggons pas-
sanj all sem a locomotiva, mas smente pelo impul
su queja tem receido do utro lado, ainda pruden-
tes, deixam de dar un impulso tal que na curva dos
Aneados ou adente nao hsja um desastre...
/7n Sr. Depurado : Islo o que prava ?
O Sr. S. Lacerda : Prova a cautela que a com-
panhia loma para avilar urna occasio de perigo, e
isto por ventura merece sor censurado ?
O que que lem havidof deu-se j algum desas-
ir na ponte ?
Vozen Ergo '!
_ O Sr. S. Lacerda : Ha ver perigo ; mas nao
lo grande que d lugar a so levantaren! vozes na
assembla, para fazer censuras desla ordem.
/'i Sr. Deputado : E pcha pouco ?
0 Sr. S. Lacerda : Acho, porque fdra preciso
que o nobre depulado dissesse a ponte est lo
mal construida, quo os waggons nao podem transi-
tar por ella ; lora preciso que o nobre deputado
moslrasse, que urna ponte bem construida uo po-
da soll'rer com urna chela o estrago que essa sof-
Ireu ; mas desde o momento que o nobre deputado
nao assevera isto, quando ueiihum desastre .se tem
dado, a sua censura uo bem cabida, lauto mais
quanlo o nobre deputado reconliece. que a compa-
nhia tem tomado todas as providencias para nao lia-
ver algum sinislro no transito dos passagoiros, sal-
o so .. liuio .-t,u;mr^.:u. r..w pAnw,1 >jwi--ir. ...nn.
cheia prcjudicou a paulo, mas isto conhec.ido por Nao
lodosgoraliucnte. K qual o resultado do conheci-
menlo desle desastre ? Ser a aninaco da compa-
nhia da estrada de ferro ? De modo nenhuui poder
islo animar a eslrada.
Um Sr. Deputado : dcsaiiimaco.
O Sr. S. Lacerda. Tambeiu nao posso conlie-
cer o verdadeiro motivo porque o uobre depulado
que falln em primeiro lugar concille da maneira
porque coucluio, isto apreseulaiido as dilficulda-
des que exisleiii na segunda seccao, nao sabe elle
justamente se a estrada chegar ale Escada e con-
clue que se nao vote quola para o juro provavel
dessa segunda seccao ; e allega mais o uobre depu-
tado ( ape/.m- de quo p.-ssna competente mu alirmou
o contraro) que ha uiuadisposico no vgulamea-
to da thesouraria, que aulorisa b presidente a dar
destiuo s sobras das verbas.
Sr. presidente, o nobre depulado o que pode pre-
venir com oslas suas observaces, o que pode con-
seguir com a suppressao da quola a uo ser adesa-
niinaoao do publico '.' Nao sei que oulro resollado
se pussa colhcr ; lano inais quanlo segundo entes-
de o nobre depulado, o presideule pode fazer esse
movimento de fundos das diversas verbas; o que
se segu que a verba i!o j} 3., em caso uciihum
poder alar as mos do presidente logo que elle en-
tender que pode dar-lbe una applicaco diversa.
Um Sr. Depulado : Pode ler urna applicaco
delerminada...
(I Sr. S. Lacerda : H; o nobre deputado reco-
nliece que o presidente pde applicar essa verba a
oulra despeza, quando esl.vor convencido que esse
pagamenlo de juro senofar, o que aproveitare-
moa em votar contra tal verba? Qual o fin? Se
nao para provar que a issembla provincial nao
acha provavel que a cstrala de ferro receba o juro
da segunda seccao, eu no sei a que veui.
Um Sr. Depulado : Quando fosse para isso
era muilo bom.
isto ser animaro 7
pobre Italia; mas por parte das potencias de que 100 correute, para o consumo desla cidade, .. Bogo Noruba fossem a Goiauoa buscar a compa-
com clleiio devia esperar coadjuvaco. como bem a ; re/es. nhia, porm eouhecsndo Skiner o capricho dos dous
Franca e a Inglaterra. .\artal,dadedod,a 2 Antonio Goncalres e Antonio DantaaiJo Reg Noro-
Niiiguom ignora que o Piemonte nada liaba a ga- Jacinta Flora l into de Merelles, branca, casada, >( n|ia, gj, oe ,,.,, a mudar de bastidores IVanle .
linar, ou a perder na quesio do Oriente, islo anuos, molestia interior. companhia dava alguns espectculos sujeiLiiido,-,
juorra da Crimea ; enlrelanto, quando a Eran- Malinas, branco 8 das espasmo. gor^^ t. 0l,lliais uao ,,spCclaculo em hvor
a Inglaterra pedirain a Vctor Euiuiauiel o seu | Josepliuia Luis \ andorley, branca, viuva, :b annos, i da casa que um lh( alrinho parlicular.e loca agora
.....ale para a guerra, elle immedialaiiieiile e phlbisica. i em ajustas, .- o rosu'lado foi que a companhia Ski-
a geiierosidade lh'o deu, e se o iriuin- Francisco Xavier, pardo, solicito, toO anuos, gota-) ner veio inodianle 800, dando 6 espectculos .-
mais i beneficios, e emquanto casa, o benificio
que d'anles davam, converteu-se em malilicio...
Fallando agora do desempenho da companhia,
ionios beiu mal obsequiados uo primeiro e segundo
espectculo, no segundo principalmente ; un ata-
que de crysipella apparecido em um membroda
companhia, que alias desempenha seu papel, nioti-
vou Indo esse dcsconxavo: porm do terceiro espec-
t taculo em diante tem do melhor, muito principal-
enie na asarla
a intitulado M
0 Sr, Skiner incycopledco, reprsenla com muila
propriedade lodo e qualquer papel, oessa qoarla
transito da lnha 7 Se o perigo assim o i clarou que nao prestara a sua coadjuvaco em fa- Francisco Antonio Domingues, pardo, solteiro, II
vor desle negocio.
islo por causa da veneraco e t anuos, diarrbea.
: hialina, branca, :l mezes, diarrhea.
.loaiamenio que se devem Iribular aos tratados de i
1815. A Prussia lambem pelos Iratados. Islo nao Antonio Joaquim Bibeiro.branco, solteiro, 30 annos,
passa de nina mislilicaoo vergonhosa para Iludir
alguns tolos.
Esse respeilo, e esse acalainentn divido nos tra-
tados Iradiizem-se pelos inlcresses particulares de
cada una deslas lineos. Ellas sabeni muilo bem
que nn dia, em que o congresso das grandes poten-
cias doolarasse Austria qoe ahandnnasse as pos-
sesses, que tem indevidamenle na Italia, ou que
llio faria a guerra, no caso de nao ceder ; sabom,
diremos nos, que no da seguiule intimara In-
glaterra que cedpssc os dominios que possilo em
nomo de cortos tratadas, que, no oulro dia, faria
o mesmo Prussia e Russia.. Senielliaiile resulta-
do uo convela a nenhiiiua dessas naoooa conquis-
tadoras, e por islo que ellas fallam em favor Jos
tratados de 1815, tratados alias, cujas estipulaoes
sao injustas e absurdas, una riolaco palele aos
direito iiilernacionaos.
A Franca nao tem conquista a perder e conheee
mu bem que esse argumento em favor dos tratados
de 1S15 sao um pretexto frivolo e nina inisoiavil
escapatoria. Nao pois por este motivo que ella
tgm retirado a sua adheso causa do l'iemonto.
i)*niniivo oulro : porque o governo francez nao
disconliece que no dia etu que um exercito franco/,
alravessasse os Alpes para u dar libertado s popu-
la, u.- italianas opprimidas, e reconstituir a anida-
do nacional, que neste dia os partidos adver-
sos, no paja, a Luiz Napoleao se levantarais, e
a guerra civil ergueria a col ; e enlo as potencias
livaosque o eercam o o consideraiucomo o arbitro
da paz e da guerra, rriizariam us bracos para o
exterior, eso Iralariam de meios de sua deleza Ju-
ro pulmonar
Hospital de caridade.F.xistem 55 hnmens, 51
mulheres, nacioiiaes ; 1 homem, eslraugeiro ; 2 ho-
mens, escravos ; total 112.
Foram visitadas as enfermaras pelo cirurgio
Piulo s 7 e :t,'t horas da maullan, Dr. Dorucllas
s 83/4 horas da manhaa, Dr. Firmo s 5 li horas
da larde de lionleni.
mente na miarla recila, em que foi sceoa o dra-
ma intitulado Mara ou a maldnao de um pai.
... O SC SL.li...-.'. inpVM.nlajlAA -.... ^.^.~.... i ~ n n.
phlhisica.
"\ \..:'.'.T9'"' pa casada> 0 a""us-ca,ar" i <". aria deixou-se possuir sempre em todos os
actos de um senilmente natural, pelo que se tornou
digna de aplauso gera! ; a pralica tomar essa jo-
ven digna estrella do palco.
Einljiu a companhia esmerou-ec, e saliste/, a es-
peclaliva do publico.
O estado sanitario nao vai bom no lugar da Fei-
ra velha. se lem dado alguns casos de febre ama-
relia, a bexiga continua a assolar esta freguezia, os
gneros alimenticios esli na mesma, a carne verde
continua a 320 a libra, farinha 500, milho, 960, fei-
jo a i. ludo se dilliculta, o pobre agricultor nao
plantando cana nao acha trras em que possa Ira-
bal bar.
Quando vemos esse grande vinculo de >'. S. do
Desierro do Jtanib oceupado por horneas que, pa-
gando ao rendeiro do engeuhn Novo 100J por urna
coihpreheiiso fazem maisde:i00,e exaborrutamen-
tesnxissani-.se de lodo o terreno... Que calamidades
nao rao por aqu... Tendo este vinculo passado
para a fazenda publica, parece-nos que, nao so p-
il. vender a nutras pessoas posse alguma, sem que
su requeira ao presidente da provincia, se isso por c
assim sie coto, nicjubeo.
Al breve, e enlo fallaremos mais largamente a
respeilo do tal vinculo.
Seu amigo velbo
Kxplicav-ao.
Falla exactido uo que disse no Liberal Peruam-
bucano de oulc-honleu!, o Sr. Carlos Falco, acerca
da correcoo dos discursos dos Srs. depulados. A
redai-oao deste Diario s corrigio Hm discurso do
Sr. Dr. Manoel Cavalcaulr, c nao tendo elle ficado
>-nm isso satisfeilo, entendendo quo o seu pensa-
mento fora alterado, todos os oulro discursos que
lem proferido, hosido publicados sem correceo al-
guma apenas sobre elles se fazem tuna ligora re-
visan granimalcal, que uo modifique phrases. nem
Iranstorne pensamentos.
Besuinc de discursos ainda nao fez a redaeco
dcste Diario, e os que lem publicado, sao feilos ou
pelos autores dos discursos, ou pelos Srs. tachgra-
pbos Por esta redaeco somonte foram supprim'i-
dos dous discursos do Sr. Manoel Cavalcanti, em
que reproduzia argumeulosj largamente do.-envol-
vidjoe^itiie ti rai'sm.i maicrin, e na mesma- w.m'ii>, '
fazeado-e a declaracode que o orador saians |
em mas ideas. O que em contrario a isso se dis-
ser, inexacto, como consta dos aulographos dos
discursos
A declaraco, porlauto, do Sr. Carlos Falco, na-
da ha que possa alterar a exaclido do que temos
dito ; quando muilo dar lugar a que se nole que
um empregado da imprensa do Diario, sem oe-
nhum motivo juslo. e que o aflecte quer pessoal-
_ mente, querem sua repulacode bom tachigrapho,
^rt%!IWiSS2S^?.^0eh^t*ta',,*',e aP">0 om ostro jornal, contrariando-nos
l)o norte do imperio nao tivemos cummuinca-1 i ,
coes. Esla provincia est em paz. ou ''"e 'evado por um desojo de dar vulto s in.
Corre por ahi que S. Exc. o Sr. presideule da pro- JselieB que imprensa do Diario fizeram alguns
vini-ia lem tomado na sua alia considoracoo escanda- senhores depulados, que boje parecem salisfeitos
toda caresta das carnes verdes, e que em ultimo com asexplicacesquc se Ihes tem dado 1
resultado lomara urna medida enrgica uara sal- u.. ZZaZ '-.i. ..... a ^. i..
queremos a guerra, porque ella sempre fa-
lal ao pn.prio vencedor; e com os lucios de civili-
sacao, de que dispe a Europa, esla palavra se vai
tornando todos os dias una palavra absoleta. K
com efleilo, se todos as grande. potencias coiu-or-
ressem com a sua utervoneo em favor do negocio
italiano, temos para nos que a Auslria anuira aos
i-onselhosdusse grande congressn, e a Italia licaria
livre o independenle, passando a lomar parle nn
concert dasgrandes nai-es, sem que para isso fos-
se necessario um s Uro.
Mas. islo mesmo nao passa de um sonho, do una
otopsa. Ha militas nacoes que esto no caso da
--Ca para sal-
var a populacodo estado,em que .seacha.Nosabe-
inos al que ponto c.hegao grao de veracidade desle
Mato : mas o que cerro, que S. Exc. tere por si
as heneaos, e agradecimentos desle povo, se der
um golpe nos monopolisadores, que s alien.lem a
seussordidosinteresses. Nao crivel que ha cinco an-
Mas, omina, j que o Sr. Carlos, abrigando-se s
columnas de outros joruaes, permanece anda em-
pregado da imprensa do Diario, esta ser bastante
generosa para nao levar em coala o graodc zelo que
musir o mesmo Sr. Carlos pela sua repulaco de
Enlo pelo modo nver-
nosse lalhasgocarneaatJJOfJe3|Jt00porarroDa,equeIbo'a lachigrapho. E para poupar-lhe desde j lhe
hoje, semhaver molestia angado, sem haver'gran-
des seccas, se venda urna libra de carne por 490
aOO res. E um fado que o monopolio existe om
favor de 10 ou 12 individuos, e neste caso fura mais
juslo, e mais conveniente que ello existase em fa-
vor da populaco. Se S. Exc. empregar meios
extraordinarios para curar este mal, nos e a popu-
laco o coadjuvaremos em qualquer emergencia
Falleceram durante a semana :W pessoas, sendo :
10 hoinens. 12 mulheres e 8 prvulos, livre* ; II ho-
mens, 5 mulheres e 1 prvulo, escravos.
REVISTA DIARIA.
muila cousa a perder porque a minha fortuna, an-
da comigo.declaro solemnemente que acceilo qnal-
ni,irire, ... Batignolles, Passy, Auleril. Vaugirard, | quer sacrificio, que proveuha provincia, resul-
elc. etc., que lem cada una at cincuenta, ou ses-
centa mil habitantes, e queem consequencia dassuas
incorporaces capital, rio ser sobrecarregadas
de enormes impostes municipaes. Nao me esten-
du sobre esle ponto,porqueeslas queslessodcma-
sado locaes.e nao podem ler mui vivo interesse para
os seus leilores inenciooo-as sob o ponto de vista
deque se nao houvessc a firme esperanca de inan-
ter a paz no exterior, o governo nao loria volunta-
riamente criado para si estas dilficuldades no in-
terior, quando nada o obrigava a decretar o engran-
decimento de Paris.
tante de obras pblicas, do molhoramenlos mal
reaes e nirmentc de estradas de ferro....
Um Sr. Deputado :Eu lambem, acceilo lodos.
O Sr. Lacerda :Eis a minha opioiao. Feliz-
mente a assembla acceitou o que era coagido pelas
circumslancias do momento ; cerlo que se na-
quella occasiao Pernamburo nao dsse os dous por
cento, ns nao loriamos eslrada, ou pelo menos nao
teamos to depressa como a Babia; porm, ou por
felicidade nossa.ou pela actividade do presidente ou
por essesofferecimenlosque .. nobre depulado laxou
de indiscretos, o que exacto que liv
emos pnoiei-
As questoes dedinheiro teem grande importancia ramciilca eslrada ; c esses oflereeimentps sao para
" iiiiiu dignes de elogio, porque serviam ao tm.qual o
quaudo se faz a guerra, c posto que a Frauca tenha
iiumensus recursos, nao seria sem inquieta, o que
se observariam as despezas quo a guerra acarrla,
sobre ludo quando as despezas da paz sao mu pe-
sadas. Tenho de baixo dos olhos o algarismo do
orcamenio que acaba de ser apreseutado ao corpa
legislal i in : o lolal das despezas para o exercicio
prximo avaliado em 1 mi.liar, 795 jniloes, e o to-
tal das recoltas, OBI 1 militar e 800 malhues. A
este fardo j mu pesado, releva acressentar todas
as soin mas que necessario pedir ao crdito para a
rontinuaco das obras da paz e que se deve calcu-
lar em quatro ceios ou quidhentos milhes, quer
paraoscaniinhosde ferro.querpara as demolcese
delermosa eslrada.
Quantu acceitnco da eslrada provisoriamonte.o
presidente obrou convenienlomeute e o governo ge-
ral procedendo como procedeu em alleuco ou-
Irasrazes lambem nao merece censura, merece
elogios.
A eslrada offereria garantas ao traosito pblico,
e couviuha que quanloanles o pblico se aprove-
las.- das vanlagens della ; mas nao oslando con-
cluidas as obras exigidas no contrato, o presidente
nao poda acceilar a abertura da estrada sem as
reslricooes, com que o fez.
O governo geral, cujas attribuiees sao ampssi-
Homeopalhicaaieule.
O Sr. S. Lacerda : Mas aqu nao ha similia
timilibtu, ha contrario cintraras.
O Sr. M. Cacalcanli: que eu nao quero ani-
mar desdeja o empreslino.
" Sr. S. l/icerda : lescobrio o nobre deputa-
do agora esse chavo 7
i Cruzam-se apartes
O Sr. .S. Lacerda : lu ainda boje nao ouvi fal-
lar em emprestimo.
Um Sr. Deputado Ja se fallou.
O Sr. S. Lacerda: Mas o nobre deputado fal-
lou hoje em emprestiraono sentido em que agora
acaba de euuuciar-sc ?
0 Sr. Manoel Cacalca li : Ja fallci neste mes-
mo sentido.
O Sr. S. Lacerda: Eu presto muila alleuco
discusso e boje enlo Buho estado muito atiento
l'mSr. Deputado- '.lie disse que desejava as
obras publicas, mas nao :oni empreslimo.
O Sr. S. Lacerda : las se foi assim quo disse,
a eslrada de ferro nao propriamcule urna obra
publica que estoja as crcumstaucias dessas para
que se pretende coutrahr o empreslimo.
O Sr. Manoel Cacalanli : O emprestimo
porque uo ha diulieiro.
O .'r. .S*. Lacerda : Mas o empreslimo para
as obras publicas da prelacia, nao para a estra-
da de ferro.
Sr. presidente, eu queeodo animar nao a com-
panhia porque ella lem azes mais que suflicienles
para se animar, mas queendo de algum modo con-
trariar as vistas desanimdoras que os nobres depu-
lados manifestaran!...
( Cruzain-se apartes.'
O Sr. Manoel Cavalanti: Isso que en-
venenar.
O Si*. S, Lacerda : O nobre depulado que
lo acamellado, nao sab o que eu ia dizer e ja diz
que eu quero envenenar
Essas informaces doaumadoras que os nobres
depulados teem recebidt referindo-as, nao lem por
lim seuo fazer palenle ue na realidade isso exis-
te, o que por corlo nao i animador. Enveiienei ?
Eu pelo mesmo oi qe dizem os nobres depula-
dos ler em vista, mas pr meios diversos, pelo de-
sejo que leiiho de que .e.-ir.ida de ferro continu
sem enlraves e se rcahe o mais' breve possivel,
julguei dever dizer ests palavras. Vejo que as
obras uj eslao perfell, mas a maneira porque
sao ..-lia. aqu apreciada, nao lem otitro lim seno
desanimar a estrada.
[Ha um parte. J
O Sr. S. Lacerda : Eis-aqui o x que o nobre
deputado leve em vista com o seu immeuso e ex-
tensissimo discurso.
O Sr. Mello Reg [ hpbael) : 0 seu nao foi
menor. '
O Sr. S. Lacerda : Avista desla censura feila
asseguramos, que os discursos do Sr. Manuel Ca-
valcanti s seroo vistos por nos depois de impressos
Deste modo acabar a declinatoria da responsabi-
lidade.
Da redaeco
No dia 31 do mez passado, pelas 4 horas da ma-
nhaa, no engenho Camorira, o prelo Maximiano
Corroa de Souza assassinara sua niulher Senhorinha
do Espirito Santo c sua cuuhada Mara Francisca,
ambas pardas; c queseado o criminoso persegui-
do, tornou a eslrada de Iguarass dcsapparecoudo
as maltas que ficam cutre o engenho Uurgua, e
a propriedade l'lnga. Conclue o delegado asna
parlicipaou declarando que foram dadas as provi-
dencias precisas para a captura du delinquen!. ; e
que se procedeu ao competente coipo de delicio pa-
ra ins'auraco do processo.
Ha poucos dias um fazendeiro de longinquos
sortoes, que pela primeira vez vinha a esta cidade,
trazido por urna demandi, passando por urna ra,
um mscale que se achava inslallado oa porta de
certa escada. convidou-o a comprar urnas fazeudas
que lhe rcslavam, e duas correales de ouro. O fa-
zendeiro, nao leudo necessidade de taes objeclos,
recusou-se ao offerecimento, mas o mscate iusis-
tio, dizendo que, tendo naqucllc dia sido infeliz, em
um negocio, eslava disposto a i/urimar aquelles ob-
jeclos a troco do barato. Nesse eiitrequanto desee
do sobrado um homem assciado, e passando pelo
mscate, diz-IheV. anda tem daquellas corren-
tes ? quero comprar-lhe mais urnas quatro, visto
como foram muito baratas as outras que lhe com-
prei,A isso diz o mscate,Doutor, aqu s tenho
estas duas que estou em negocio com esle senhor,
mas em essa aioda tenho algumas, que lhe veudc-
reiAisso o doutor com arrisunho, diz-Ihe,Pois
bem, sao miuhas as correnles, porm pelo mesmo
prece de 608000 rs., porque me vendeu as outras
e fo-sc.
O fazendeiro que vio um doulor, pessoa civiliza-
da, comprar as correnles a flOtOOO, enlendeu que
dando-lh'as o mscale por menos, que nao devera
perder a occasio de um bom negocio, c alacou to-
da a fazenda e correnles porduzentos dantos mil
rcis. Sainado d'alli, foi ter-se com uns nurveis, c
enlo reconneeeu que tinha levado grande callo,
porque a fazenda era loda avariada, e as correnles
de ouro falso.
Desorientado o pobre homem foi queixar-se ao
digno Sr. delegado de polica, que gracas ao seu ti-
no eactividade,j fez prender o tal atascte; mas
ainda uo descobro o doutor.
Em oulra occasiao j referimos um facto idntico,
que ficou sem punico : agora, porm, nao aconte-
cer o mesmo.
Temos noticias minuciosas do I.imoeiro, quo
nos referem terem sido feridos, no fado que hon-
lem noticiamos, da tentativa que fez um prelo para
evadir-se da cadeia, quatro praces de polcia. O fe-
rimenlo que o mesuio prelo fezem si, foi leve e de
iienliuma consequencia
Lisia dos baptisadose casamentas havidos na Pa
CHRONICA JUDICIARIA.
TRIBUNAL DI RELlCIO.
SESSAO EM 2 DE ABRIL DE 1859.
MUtSDBBCU 110 BIS. SH. CONSF.I.UEIKO KIIXILINO
11F. LE.O.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. des-
emhargadores Villares, Cilirana, Loureuco Santiago,
Guerra, Silva (ionios. Casiano Santiago, procurador
da corda, e o Dr. juiz dos feilos da fazenda Ixhoa
Cavalcauli, foi aborta a sessio.
Passados os feilos e enlreguos os dislribuidos,
procedeu-se aosjulgaaieatos seguimos ;
APPKI.I.\CKS CIVI.IS.
Appellante. Mara Benedicta do Rosario ; appel-
lado, Joaquim de Abren Res.
Appellante,'o juizo ; appellada, Francisca de Bar-
ros Pereira de Lira.
Continuada asentenca.
Appellante, o preto Manoel; appelhdo, Jos Fi-
lippe de Souza Leo.
Befonuou-se a seutenca.
Ao Sr. desembargador procurador da cora as se-
gninles appcllaces:
Appellante, 'o juizo ; appellado, Jorge de Lima.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da jus-
lica, as appellacoes crimes .
Appellante, o escravo Vicente; appellado, o
juizo.
Appellante, o juizo ; appellado, Sabino Lopes de
Medeiros.
Jl'I.UASENTOS C111MKS.
Appellante, Antonio Jos dos Anjos ; appellada,
a juslica.
Cnifirmaram n senlenca.
Appellanle, o juizo ; 'appellado, Manoel Guedes
de Moura.
Conrmaram a senlenca.
Appellanle, Fr. Antonio da Rain ha dos Anjos ;
appellada, a juslica.
Nulln oproo.-sso.
Appellaiiti-, o juizo ; appellado, Jos Scrafim de
Moreno.
Confirmada.
Appellanle. Manoel Xavier do Nascimento ; ap-
pellada, a juslica.
A novo jury.
Negaram a snltusa pedida em habeas-corpus por
Fraiuiscn Jos Baplista.
O conflicto de jurisdieco entre os juizes muni-
cipaes dos termos da Escada e Serinhem.
Mandaram ouvir ao desembargador procurador
da cora.
DISTRIRl'lCOES.
Distribuiram-se ao Sr. desembargador Gilirana,
as appellacoes civeis ;
Appellanle, Jos Francisco Accioli Lins; appel-
lado, Feliciano Jos Ribeiro.
Ao Sr. desembargador Latenos Santiago :
Appellanle, Jos Ignacio de Mello ; appellado,
Benlo Jos Ferreira Rebollo.
As appellacoes crimes :
Appellanle, o juizo appellado, Jos Barboza dos
freguzia da Boa-\ isla desde o da 27 de marco lindo
a 2 de abril do correnle armo.
Virginia, parda, eom 1 mez de nascida, lilha natu-
ral de Marianna da Conceico Pereira
por pessoa competeuteqe me succeder nacadei- """l"1"1. branco.com oilo mezes de uascido, filho
ra.uo quero mais prologar o oieu discurso e asseo- 'l?1,1' Jacin,a Ma"a oa l.onceicuo.
In-me. Isabel, parda, nascida a 2 de fevereiro deste aun
filha natural de Antonio Marlins
U Sr. Epaininondas Fallou muito bem.
RECIFE, 2 DFABB1L DE 1859.
S 6 HOHS 0A TXRIiF..
Hetrospeto semanal.
A maior novidade deta semana foi a entrada do
de Carvalbo
Azevcdo e Aogela Rodrigues do Nascimeoto.
Silvino, crioulo, com um mez de nasrido, lilho na-
tural, escravo.
Terdulioa, crioula, nascida em 8 de dezembro do
auno passado, filha natural, escrava.
Jos, branco, com 4 mezes de nascido, filho legiii-
A revisla crime :
Recrreme, Manoel Alvos de Aiaujo ; recorrida,
a juslica.
Ao s'r. desembargador Silva Gomes, as appella-
coes civeis ;
Appellante, Bento Jos Ncves Wanderley ; ap-
pellado, Joaquim do Nascimento da Cunha Lima.
As appellacoes crimes :
Appellanle, Galdiuo Jos da Assumpco ; appel-
lado, o juizo.
Appellante, o juizo ; appellado, Joaquim Mximo
Rodrigues.
A' 1 hora da larde cncerrou-se a sessio.
CAARA MLMCIPAI. DO RECIFE
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 19 DE MABC.O
I'residenciado Sr.Rtqot Albuquerque.
Presentes os Sr. Franca, Barata, Hego, Mello.
Pinto e Dr. Firmo Xavier, falMndo sem causa
participada os mais senhores, abri-.- a ees-
sao ; e firi lida e approrada a arla da antece-
dente.
Fui lido o seguiule
EXPF.niF.NTF. :
1'moOicio do Exm. conselheiro presidente da
provincia, communicando que, tomando em consi-
doraco o rcquerimeiito que lhe foi aprsenla.I..
por Jos Francisco de Souza Leo, assim como o
documento annexo ao mesmo requerimeiitn, no
qual moslrava o peticionario haver procedido as
diligencias da le regulamcntar n. 387 de 17 de
agosto de 1816, na qualidade de juiz de-paz, para
a reumao du junta qualiflcadora da freguezia de
Jaboalao, resolver releva-lo da multa de lOOaOOO
rs., que por portara de 25 de n.nombro do anno
passado lhe tura imposta, em virlude do arl. 12C da
lei citada, convindn que a cmara nesle sentido
expedisse as suas nrdeos, fazendo constar seme-
lhante deliberaoao ao referido juiz de paz.Intei-
rada, e mandou-se ofciar ao mesmo juiz o ao pro-
curador desta cmara, para nao proceder mais
t.,1.rama da dita mulla.
Outru do mesmo, communicando ler posto o se-
guuile despacho no requerimento de Jos Hygino
de Miranda, que requereu titulo do aforamen'to de
uro terreno fronteiro sua casa da ra da Palma n.
27, sob que iutormou esla camqra em 19 de feve-
reiro ultimo ;
VolteaoSr. inspector da thesouraria da fazenda
para mandar proceder na conforraidade da infor-
macao junta por copia, do agrimensor dos terrenos
de marinha, com dala de 3 de dezembro, esob n.
50, obrigando-se o supplicaute por clausula expros-
sa no titulo que so lhe passar, a fazer a percao de
caes que lhe locar, no prazo que se marcar para es-
se fin, i Inleirada.
_ Oulro do mesmo, remoliendo copia da iuforma-
cao que foi ministrada pelo engcuheiro fiscal da
estrada de ferro, com a qual se conforma, sobre o
oflicio que esta cmara dirigio-lhe em 2 do cor-
renle, relativamente s obras feitas pola mesma
companhia na estrada do maladouro.Mandou-se
r.-m.-i ler a informacao do engenheiro fiscal ao en-
genheiro da cmara, para dizer a respeilo.
Foi lido um rciucrimeuto, vindo da presidencia
para ser informado, do cidadao Jos Velloso Soarcs
queixando-se que esla cmara procura inutlisar o
arl. 29 da lei n. 45-i de 30 de junho do auno pas-
sado, que mandn desapropriar de preferencia o
muro e cocheira de Joo Ferreira dos Santos, na
estrada de Bemlica.Besolveu-se que para se po-
der informar o dito requerimento, se pedase a S.
Exc. se diguasse responder ao oflicio desla cmara
sob n. 24, que em 5 do correnle lhe foi diri-
gido.
Um oflicio do bacharel Ernesto d'Aquino Fonse-
ca, juiz de orphos e ausentes deste termo, com-
municando ter reassumido no da 12 do corrale
o exercicio do mesmo cargo.Inteirada.
OUtro do bacharel Henrique Pereira de Lucena,
communicando ler entrado no exercicio de delega-
do de polica deste cidade, para o qual fura Hornea-
do por portara da presideuaia de 16do corrate.
Inteirada.
Oulro do solicitador, communicando o seguate .-
1., ter sido marcado o dia 23 do correnle para a
avaharn do terreno da ra do Brum, quo se pre-
tende desapropriar aos herdeiros de Flix da Cunha
Teixeira e outros, sendo o louvado da cmara o
agrimeosor Antonio Egidio da Silva, a quem seria
boro que a cmara officiasse, nao obstante ja ter
elle solicitador o identificado; 2., que tinha en-
tregado ao procurador a quanlia de 79g960 rs., im-
portancia da multa e cusas de Jos Ignacio Pe-
reira da Rocha, e mais 12o rs. da multa em que in-
correu Caetano Agapito de Souza.Quanlo k pri-
meira parle, mandou-se oflciar ao mesmo agrimen-
sor, e quanlo segunda, inteirada.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
inforuiando que a casa n. 6 da ra da cadeia da
mesma freguezia, em que tem o peticionario Joo
Joaquim Barbosa o seu estabelecimeoto, a mesma
que oulr'ora servio de carlorio do tabeliio Coe-
Iho, e depois de deposito, pareccndo-lhe justa a
pretenco do mesmo peticionario.Defcrio-se.
Outro do procurador, pedindo que se ordenasse
aos fiscaes, para dispensaren) do servieo um de
seus guardas, diariamente, alitn de se prestar ao
servieo de assignar o expodiente e enlrega-lo.
Mandou-se que os mesmos fiscaes dispensassem um
guarda, quando se lhcs exigisse.
_ Entrnu em discusso a quesio suscitada na ses-
so anterior sobre lalhos de acougues, e, depois de
lerfeilo largas consideracoes o Sr. Franca, no sen-
tido de rontinuarein esses lalhos como se achain,
contra o que cootinuou a oppor-se o Sr. Mello ;'
resolveu-su que conliouassem elles alugados al
setembro prximo teluro, quando teem de ser ar-
rematadas as rendas da cmara, llcando a coui-
misso de polica incumbida de elevar os preces
dos respectivos alugucis, e distribui-los por quui
matar gado.
i.eu-se o termo de arre-mataco do aterro e caes a
fazer na ra do Brum, arrematados por Francisco
Botelho de Andradc sob llanca de Jos Antonio
d'Araujo, c o do contrato dalimpeza das ras, ce-
lebrado com Paria, Fiusa & C, este foi remetlido
por copia commissao de polica, e aquelle appro-
vou-se, e mandou-se romcHer por copia ao Exm.
u
s**-.


.ni iiii.Vi..iit>
presidente da provincia para o approvar o autori-
sar a cmara a despender a quanlia da arrema-
tadlo as pocas determinadas no contrato.
Foi lido e approvado o seguinle requerimcnto
Roqueiro que esta cmara tome na devida con-
siderarlo o aforamento do pantano de Olinda para
logradouro e paslageni de gados, como recla-
mado pelas necessidades de consumo da carne ver-
da nesta cidade, que pela falta de gastos apropria-
dos, ve-se forrada a cousumir carne magra o de
pessimaqualidade; e roqueiro que a providencia
seje tomada com- urgencia, representando-se ao
f.xm.- presidente da provincia, porqnanto dos tra-
bamos da assembla provincial consta que o mes-
mo pantano pretendido pelo particular Gibson,
sondo quoj passou em primeira discussio o pro-
jeeto a esse respeilo.
Sala das sossdes, l!) de marco de 185.Joa-
quim (T Aliada Pinto.Joaquim lucio Montciro
da Franca.
A cmara rcsolvcu que por intermedio do Exm
presidente da provincia so dzesse urna represen-
tado assembla no sentido do tequerimeuto
cima,
l>espachnram-sc as peticoes de Antonio de \zc
vedo \illarouca, Augusto Coelbo da Cunha r'uu-
ciscoJos de FreitasGuimaros, Joo da Cunda
Neren, Josc liuarle d'Olivcira Reg, .los lugusln
l.cal Joaquim Bernardo do Figueiredo, Manoel
Marlins de farvallm, o levantou-se a sessao
Eu Francisco Camilo da Hoa-Viagem llirial-
niaior a Ment no impedimento do secretario
\K9neAl",Her^.' Prerid Mello.Pinto.Firmo J
Thesoururiu provincial.
llF.SOVSTSAC.vu UO SALLO F.MSI KM K N V CAIXA 0 K.U II-
umn m lb8 a 1K)H, en :il m.
SO DE i8.">9.
Nudo ein28dofevrroiro
p. passado .... C.222J705
Reedita del a ;11 do cor. 122:830006
l-e,H,ai,l,, TTTilBSSS
Saldo.....86:528*972
oV".SSI'i:"-,VI'.1"' '^t-'.-UlKXTti \S MAS DESTA I.IUA1.E.
Saldo em28defevcreiro
p. passailo ....
Recolta de 1 a 31 do cor.
Deapan dem. .
9:634*001
I21i0
9:755i51
2:3249*16
So meu criado queixou-sc de Joao da Cuulia, foi
porque este o espancou, o que alias, dizera i com
oulros tem pralicado.
Nao me oppuz, nem me devia oppor a que meu
Diario de Pernambuco.Segunda feira 4 de Abril de i 859.
iara discutir comigo pela imprensaos ineus critiu-s,
que nn phrasc sacramental do Sr. Tilo consisiem
em todos oe maioret abusos) segundo as suas cirtu-
dis e honestas conciccoes.
Logo que cu recebr a portara do juizde dirc-
Presunlos--------- Vendcram-so a 310 rs. por libra
dos americanos.
Oueijos--------------Idem-se de 2,t00 a 2&C60 rs. dos
flameng'is.
Salan-.....idel a 110 rs. por libra do ama-
rollo,
icar a denuncia, que
ia com lodos os docu- T.....inlm-----------"dem a 1150Q rs. por arroba.
minios, pois quero que o publico saiba quaes sao Velas -------------
os mous eriraes, com os auaes todos os F.xms. Srs.
presidentes o vice-presidentes que administraran!
esta provincia, e os magistrados com quem serv,
por espaco de quasi 9 anuos iranzigiram como pre-
varicadores!
(Jucro disculi-los pela imprensa, para proporcio-
nar ao Sr. Barata o desenvolver os seus conhecl-
mcnlos jurdicos, e a pureza a lionestidado de suas
convni tees.
I" seni Ibc querer mofear a gloria, que Hojoven,
lio iiiuriiilio adquiri o Sr. Barata, di'scobriudn os
ineus crimus.^ue formam o complexo de todo* os
maiores abusos, pormitta-me S. 8. que, sobapres-
so do jusio rexcnlmcnlo de minha difnidade a
amor proprio, llic dig.i que limito se honrar S. .S'.,
quando contar a idade de 51 anuos, se liver tido
virlude, coragem c constancia poranosliarcom dig-
nidade a enrrupen. a dcsmoralisarn, e urna liga de
potentados, como essa com que teiiho lutado sem
recuar una linha de nena principios, e do meu
posto de lionra.
Milito se devora gloriar o joven Sr. Barata, se hi-
tando com tempestades
As de composicii. venderam-M
a 680 rs. por libra.
Freles--------------|>ara o Mediterrneo a 15
Canal do35 a40.-
Dcsennlo-----------\s letras rebateram-se de 8 a f
per cenlo ao auno.
Movimento do porto.
Joao da Cunlia blasona de que macn quando se
nao devem envorgouhar os maceras!)' de' que tem
proteecao, e ate assegura que o juiz que o despro-
E isto ustanjente com o que me nao importo ;
ajuste Joao da Cunha suas conts la com a iuslira,
mas nao me agrida. Nao o havendo provocado, t'c-
nho diretlo de cxigir-lhe islo.
Os couces de mu jumento, quando nao nos to-
quem, nao doiaiu mitos rete* de enlammiar-nos.
ricarel aqni. se nao Mr novameuie aggredido.
lublquum Sis. redactores estas liabas do son
etc. ole,
ArislidesDnarte Cantinea Cunha Gomes,
l oro da l'anella, 1 de abril de 1859.
Srt. reductores.Agora mesmo, 2 horas da tar-
de, um amigo me manda mostrar o DtarioAe boje,
JO qual se le nina publicaran a pedido cerlanionle
de uin dosmeusmisorareis e gratuitos inimig.is des-
la villa, sogi'itandn ao dominio do publico un ro-
qiierim.nlo e replicas feitas por mim em ama qHes-
cln''".1 r','/!!!- ^SS^t; '"'"' '"mo uma,,'rli(l;"1 ""'uocoin tempestades. lemporaoa continuamente
,' ?A '/""m"' ''"" "''' ""*' l^cbadospela vingan,;. e uismoralisarao, poder
tuva, nios de A. i da Silva contra o coronel F. conservare cena de 9 minos nease gS ,,-
a .ns a e sua nulher cu fui advogado de cr.-I prego, como mi mo conservei de fronte erguida an-
Sr '^. 'u,a,l0,s '" perse8fedo. as calumnias o as intrigas daa
hscr. u-ndo estas lunas, compromellp-me, o caballas, o acabrunbado de privo.-oes. goxando sem-
mais nreve possivel mostrar a esses miseravet pre do estima, eonsidcracao e conllanca de lodos ns
mous uumigos, ou ules a ajw maeravol que as- F.xms. Srs. presidentes o vicc presidentes, os quaes
m", ^ l'11"'''-- a me mo rerp. que sendo co- i eertamentc, nao me eonsnrvariam por tanto lempo
i io sou rbula nao tenlio commeidu no exeracio no lugar de promotor publico desta capital, almeja-
a p olissao de advogado erros que me envergo- do e pedido por alguns bachareis, a despeito deins-
nnem e nem tactos que me desabopem entretanto (antes c constantes einpeiihns e oulros meios para I m
que o mesmo nao se da acerca delle e dos da sua que eu fosse demllido. se livesse commetlido os -''' 'neiroPatachB brasilero I.
sucia, pois que na entre ellesbacbareis em direito I crimes de quoS.S. lio dcil o bObeslameule sedei-
eierna rergonlia de seus collcgas eda anliga ac- ion intimamente lourencer.
itemia de Obndal que nem ao menos sabem fazer
urna simples pelicao o cuja guorancia to supi-
na, que ao 1er qiiulqucr papel de sua lavra, '
e para
Salaidasassocsdoconselbo administrativo para
rornecimento do arsenal de guerra 28 de marco de
I8.j9.lento Jos Lamenlia Lint, coronel presiden-
te. Francisco Joaqun Pereira Lobo, vogal serre-
r.l:)l91ir,
CAIIA DK BETOSITOS.
saldo em 28 de fevereiro
p. passado .... 4I7:939|600
Receita de 1 a 31 do cor. s
.. ,, ----------------4l7:B396fiO
""l"-'zaide'"...... 5l:82la7B
Sal"Jo.....969:114872
fiXO l KSPKCUL has ATOLICES.
Saldo em 38 de fevereiro
p.passado ....
Recula do 1 a 31 do cor.
Despea* idem .
52:0005000
I
52:0009000
9
Saldo. .
JAIXV Bncui l,AS tOTKHIAS.
Saldo cm28deevereiio
p. passado .... 18:3Ur.)
It.ceitade 1 a 31 do cor. 4878500
52:(MKljiioO
liespeza idem.
18:83293(9
1019875
Saldo
18:67o-.-74
DURIODEPERNAWBUCO.
Honlem, depois do expediente, tratoit-sc da ler-
cetra discussaona assembla provincial do projeeto
n. 2 de 1850, que eleva a calbegoria de villa a po-
v",raodoAgua-Prela. Orou o Sr. Carneiro da Cu-
nba, e flcou addiada a discussio para continuara
do orcaineuto provincial.
Ueste projeeto volou-se o artigo 11 quo foi ap-
provado. e pussando-so ao 12, oraram, os Srs. (ion-
calves t.uimaraes, Barros de Lacerda, Raphael, Sou-
za Res, Theodoro da Silva e Manoel Cavalcanti. Da-
da a hora licou a discussio addiada marcando o Sr
presidente para a ordem do dia de boje a conlimia-
cao da anlorior.e primeira discusso do projeeto
que approva o compromisso da irmandade da Se-
nliora do Bom Conselho, c levaiitou-sc a sessS*
r.ram 3 horas da tarde.
.(anda
mesmo o mais ignorante letlor i dir sem duvida
que foi cscriplo poralgum ethiope !!! De alguns
de taes papis se tem extrado copias liis, quo sao
guardadas com cuidado, e que se eu julgar cou-
renienle apresentara em lempo.
Anda me comprometi mostrar ao tal meu ami-
go que assignno a publicaco, (|ue cu podia ser co-
mo fui e son advogado do coronel Costa e sua mu-
Iher, c de alguns dos seus credores, quo apenas se
apresonlaram em juizo para pedir rateio no pro-
ducto dos bens que foram arrematados, sendo que
os embargos, para cuja apresenlac-ao ped vista na
audiencia deque trata a cerlid, se referanla
exocui o do< ditos viuva c iillios de A. H. da Silva
e nao envolvan! direito dos credores do quem eu
era advogado, c que finalmente no exercicio do
meu emprego, e no de advogado nao tenlio com-
metlido os actos que no exercicio do seu importan-
te emprego ou.....tem commetlido o tal meu ami-
go ; actos que nao podem dexar de ser considera-
dos como prevaricaces ele, etc.
Peco pois ao publico que me conceda uul curto
periodo, em qiianlu me preparo paiacumpiir a pro-
messas que venho de laxer; e a Vmc, Srs. re-
dactores, peco que publiquen! atnanlia se Ihesfdr
possivel, estas linbas com o que muilo obrigarao
Relere-me o Sr. Barata, que eu encerr as m-
nhasglicinias eom nm versieuloque apreaenteipor
epgrapbe lias publices que liz por occasiao da ul-
tima peiseguicaoquc sofTri.
F.i-lo:
As palavras c obras da sucia iniqua
Dos inimigos meiis
Mostram como vivem
Entre os crimes, e com maos culposas
Delurpam, e me nppriniem.
Antonio Uicurdo de Carralho Penna.
CMMERCIO. ~
Joaquim (-.ardo/o,
PIUCA, DO RECIPE 2 DE ABRIL DE 1859.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Cotacoes ofDciaes.
Cambio sobre Londres25 1 2 90 d/v.
Descont de letras8, 10, II e 12 Uj'O ao anuo.
Fred. Robilliard, prosidenle.
P. Borges, secretario.
AI.FANDF.GA.
Rendimento do dia 1 .
dem do da 2......
ao seu assiguante.
V
Jos Paulo do Jlrgo Brrelo.
lo Cabo Jl de marco de 1859.
Publicaces a pedido.
Correspondencias.
Sr*. redactores.L a correspondencia que lia
das publicou em seu coticeituado jornal o portu-
gnez Joao da Cunha Reis, morador insta (reguezia
qual sem que ou jamis o bouvesse provocado'
assentou do aggredir-me do modo mais inslito,
sem se lembrar de que nao custa muilo a qualqucr
quebrar com o salto dos botins os dentos ao Cao in-
solente que lente morde-lo.
Nao 6 porem de admirar quo o referido porlu-
guez assim me tratasse, quando vemos que naqucl-
la.mesma correapondeucia diega ao ponto de inju-
riar pessoas respcilaveis, eque se acfiam no exer-
cicio do pubhca auloridade, de sorte que para al-
guns ja nao ser talvez eitraordinario ver injusta-
mente aecusadas autoridades, que em esphera tao
superior estilo relativamente ao miscravel que as
provoca quanlo est o homem cima do bruto.
B verdade que meu uouie nao foi positivamente
mencionado naquella correspondencia, oque tam-
ben! talvez nao pareca extraordinario, porque em
.legra a cabardia esta na razao directa da insolen-
cia ; entretanto, sendo o meu creado, aquello que
dera queixa contra o dito porluguez pelas bordoa-
das que sofTrera, e roerindo esse porluguez beui
claramente ao amo desse que se queixra, sua ag-
gressao ji nao simplesmento allusiva. e assiste-
ine cerlamente o direito de repelli-la.
t A polica processa-me, exclama Joao da Cunha
liis, invadc-me a casa, porque sou inimigo do
asquiuet, do gago e da tabolagem, e porque vo-
la-mo odio profundo, um homem em cuja casa se
diz que ha constantemente jogalina
O homem a quem Joao da Cunha atlribue odio
profundo contra elle, sou cu, como se conbecc pelo
que di em condnuaco de sua correspondencia
quando trata do fado que dra lugar ao processo
< sem duvida quiz elle chamar sobre mim a odiosi-
dade, apresentando-me ao publico como homem
eslabeleculoaqui.com casa de laliolagcm o que
por ventura nao tenho outro meio de vida sumo o
jugo-
Sinlo que anda aqu esse porluguez fallasse de
modo a nao poder ou faze-lo convencer, e ter a ex-
periencia de que entre nos ba leis que nuuom os
maldisentes e calumniadores.
Somante em respeilo ao publico cabe-me pro-
testar que e uma calumnia mseravel, o dizer-se
que tenho, ou Uve jamis casa de tabolagom ; pode
ser bne anda na mocidade tenha tdo quanto pelo
diverlimento do jogo, o i elle me entregado, nos
dase as occasiocs de divcrlir-me, de preferencia
a qualqucr outro diverlimenlo ; maso qu ver-
dade que sou soltciro, que seinpre fui pobre, que
nunca Uve fortuna que dissipasse em jogo, e que
se algumasvezes jogo em minha casa dom os meus
amigos nao faco mais do que pralicam outras mu-
las pessoas alias conceituadas ; nao entra em minha
casa qnemquer seuo pessoas de minha amizade e
se alguiu da entrou algueni fora dessas circums-
tancias, creio que minha casa nao flcaria deshon-
rada, como cu a julgaria, se ah eutrasse ou perdes-
sem diter que eu conviva com um miscravel que
aqu chegando como criado de escorar botos do ti-
nado tenente coronel Joao Pedro, passou a caixeiro
de venda, onde, ganhando alguns vinlens, 4 custa
do misoraveis tralicancias, e da mais rovoltante u-
sura, em breve quiz dar-se ,'i importancia, e metter-
se valente, sendo aecusado do espancamento de
um individuo couhecido por Malanpange, de ler
tentado assaesinar Bernardo Buriti, e de ser o prin-
cipal motor do brbaro assassinato da infeliz spxa-
ginaria D. Cathariua, moraddra nesta freguezia co-
ja morte foi'apressada pelo desojo, que alguem ti-
nha de ser pago da divida de um (libo da mi-sma
senhora, que montara i contos doris, gracas aos
juros eiorliitautes, (endo prvido a divida' do ca-
va los vendidos a 1:0009000 rs., quando nao podiam
valer mais de lOOaOOO rs.
(Juando cu livesse casa de tabolagem iulgar-me-
bia menos infeliz do que aquello que carrega com
mputacoes dessa ordem, ou do que si com elle con-
vivesse. Antes se jogue em minha cosa do que a
troquentem perversos e miseraveis dessa li,i!
Para repcllir a negra calumnia coin que Joao da
cunha entendeuque me devia tisnar, tenho olesti-
munho das pessoas que aqu moram, ou que me
conherem, ae o das autoridades do lugar, j publi-
cado peto Sr. coronel Lobo, quando repellindo as
nsimiacoes felas contra seu filho, leve de mostrar
a lalsidade dessa imputAcao.
Nunca estire em minha casa de portas fechadas,
oceultamente ; masapezar dissb, nunca auloridade
alguma incommodnu-mc, nao obstante muitas e re-
pelidas vezes, em das de festa ou de ajuntamento
andarem ellas pela porta de minha casa, que mes-
mo nesta povoacao, junio Igreja. Cerlamente
nenhuma auloridade fex-nic advertencia, porque a
lei s pune a existencia de casa, de tabolagetn e
tahclagem nunca absolulmamcnle a Uve.
Tenho jogado alguns domingos e das santos com
amigos, quo me fazem a honra de vir passar o dia
em minha eompanhia; os negocios e que me entre-
go, e de que Uro os meios do subsistencia nao me
deixam tempo paro dislrair-mos fora desses das.
O porluguez aquem respondo pensou que me
(lesconceituaria, mas cu lhe respondo, que em m-
i* *?** nunca entrou ninguem igual a elle ; tcem
entrado, slm pessoas muilo respeitaves por seu ca-
rcter e posiciio, que tenho a fortunado contar en-
tre as muitas com quem enlretenho relaeoes ; e nao
flh '.5? 5" u,ml,eni lenl> sido chamado, e me
tenho achado.emsociedade escollada, onde me he
sentado para jogar com pessoas dignas ,T%~: que,e-u "ao sci S s senUriam na
mesma mesa com Joao da Cunha Reis.
iJtlL- ir" d'"?e homem pacico, laborioso,
NtatotomLTiu effe,,?11 'fi08^ a 88alhadas
tZ. L,n ,*e- conulur-">e aqui a longa e in-
tanta presumpcao, se taes ogos rio vordadeiros
basta porm, o que ji flea dito. O publico bem me
JACM.ATOR1A.
Alleluia! Alleloia!
O joven Sr. Joaquim Antonio da Silva Rarata.
promotor publico (Testa capital, concebendo pelas
orellia,, acaba de dar i luz, depois de seis mezes
ae gravidez, um monstro horaciano, a que den o
nomo de denuncia. Sabe-so que sao muitos, os
que se consideram com direito paternidade do
monstro, e que todos o partejarara, mas que o Si-
mo e o sr. Daniu sao os que mais que Irabalha-
ram para que elle fosse engendrado, c viesse i luz
.sae-seniaisqueoSr. Barata est bastante des-
(onl.ado de- que abusarais da sua inexperiencia e
simplicidade, por ler chegado S sua noticia que al-
gn nomous honestos e competentes, que virom a
tal denuncia ou tiveram noticia do seu Conleudo a
consideraram um aranzel de necedades.
Se o joven Sr. Barata livesse a sua razio livre
tena rapellido coni mdignacao o que lhe mulleran!
na cabera nao se preslaria a dar existencia a di-
mes gerados na mente dos meus mmicos pelo de-
sojo e vontade de medeuegrirem.
Confosso quo siippunlia nio ser exacto o que me
di/iam do joven Sr. Barata porem agora nao pos-
so mais duvidar da lioneslidade com que a sua cons-
ciencia prestou-M dcilmente a comencer-sedo que
lhe inspiraram. '
Ao chefe de polica, e ao juiz de direito ordeno,,
o governo, em despacho proferido na minha peti-
tltao. ano proccdossoiu contra mim na for.,1, j
le, pelos crimes individuaes. e de responsabilida-
de, ei que pon-entura me julgasscm comprelien-
aido era pois do seu restricto devi-r procederom
ex-otlicio, escm duvida alguma razio tiveram lia-
ra deixaiem de o fazer.
Nos crimes de responsabilidade muto termi-
nante o arl. 366 do regulamenlo n. 120 de 31 de
Janeiro de 1842: prescreve que o juiz de direito
conhecera dos crimes de responsabilidade dos em-
pregados pblicos nao previlegiados por meio de
queixa ou denuncia do promoor publico, de qual-
qucr cidadio, ou de eslrangeiro em causa propra
e bem assim ex o/licio nos termos do artigo 157 d
cdigo do procosso criminal, e quando lhe fororde-
nado por auloridade superior.
Ora tendo o governo ordenado ao juiz de direito
que procedesse contra mim, de presumir que
nao nienosprezra a ordem do governo, porque is-
so, alom de (alta acinlosa e ostensivamente com os
meus crimes, se em algum me julgasse cooipro-
liendido : mas desde que dexou de proceder cr-
"Hlcio, como lhe fora ordenado pela aulrridade su-
perior sem duvida porque nao me julgou rom-
pre/iendido em enme algum, e nao se quiz ignobil-
mente prestar a ser testa de ferro das aggrcssoes
lerianas. Indiscretas c gratuitas do Sr. Tito.
Era porem imperiosamente necessario salvar as
appareiicins : o Sr. Tito tinha avancado com a sua
indiscnpcio, e maledicencia proverbiaes aecusa-
coos muilo graves contra mim perante cmara
dos Srs. deputados, c requerendo eu ao governo dn
provincia a ponicip dos meus crimes com urgencia
e sem terguersaco, por elle assim denunciados
alguma cousa cumpria qife se arranjasse para ser-
vlr-ine de bordao e san/ana ao mesmo lempo.
Sabe-se que o joven Sr. Barata con/ je tem querido justiiicar-.se para com os homens
honestos que reprovam engendromrntos fi immora-
lidades, dizendo que recebra ordem do Juiz de di-
reito para dar a denuncia, e que nao quer perder
o seu emprego nem alrazar a sua carreira, pois que
condece como as cousas tem sido tangidas.
Se isto verdade, como acredito, prova o Sr
Barata que ignora as raias das attribuioes do juiz
de direito, e das do promotor publico,' o que nao
sabe sustentar a dignidade do lugar que uceupa
sejam quaes forem os motivos. '
A sua carreira pode ser ageilada por diversos
modos, porem para ser honrosa tem s um camuho
60 da honra em lodos os sentidosmas este
inulto espinhoso, c nao para os que fogem de es-
pinhos. lim dos mais agudos desses espnlios o
esludo profundo do direito e da sua circumsoecla e
prudente apnearao. *
As attribuu>es'do juiz de direito estio bera defi-
nidas nos arts. 25 e 2G da lei de 3 de dezembro de
I80I, as seccoes 2." e 3." do captulo 1. das dis-
posicoes crinnnaes do regulamenlo n. 120 de 31 de
Janeiro de 1812; c no de 11. 834 de 2 de oulubro de
? j Jen,iur"a dcs8M leis d o juiz de direito
auloridade para ordenar ao promotor que denuncie
de algum empregado ; e se a lei quizesse revesti-lo
dessa auloridade o leria feito, assim como ordenou
aojuizdo direito que devia proceder ex-oflcio vor
ordem superior. r
Se o Sr. Barata se der ao trabalho de estudar os
Gdam.
9
1/2 da
3dat.
6
o
S
Cmulos
Cirros
Directora ajeral da Insl rucr:> puhli-
ea dn pin, in.ia.
Por esta seu-elaria faz-se constar que por 11.11, |or
comparecido o examinador nomeado o lia.bar.l Ma-
nuel Ferioira da Silva, rasolvua Si. diivHor g. ral
interino adiar o concurso priuoir.i i-.ideira de
historia e gnograplua doGymnasiu Peniaubucalfl
para o dia 2 de abril vindouro. E para q.....'luagH
ao conheciinenlo dos inti'reasa,dos -o mandn pubi-
raro prsenle pela i m pro usa.
Secretaria da inslruccao publica 28 do marro Al
1858.Oserrelarlo, Frutisco Pereira Freir.
N0 dia 2 do correnta foi adiado na roa de
llmias dous caixotes pregados e nina cangalha :
;.....?; 'cen se julgar com direito a taes objectoa diriia-
arKalSOOaiqaeircsdefarinhade se a sululelegacia da freguezia de S. Jos ReVife
38 do m.iivo de 1859.u subdelegado,
Josi Carlos de Somza lobo.
He urilcm do lllm. Sr. in.-peclu desta tbesou-
1 Mi.i se faz publico, quo a arremataelo acerca do
arrondainoiito do predio assobradado, que r-Stcve a
sen no i|<> arsenal di- iiiarinba, nao loco eneUo lio
da nnuunriado por (alia do licitantes; eporiaso
loa a mesma arremataran transferida para sabbadu
-do nlnil prximo sogninlcSecretaria da lliis.ni-
iina do fazeiida de Pemamlmru 28 di' marco de
18500 tilllrial mainr interino l.ui: Franeucode
Sampaui e Si/ra.
Arsenal de iii.-irinlia.
Ileordemdo lllm.Sr.inspoclor rara publico que
inillom-so carpniteiros de marhad, oaldoiiv
o loriieiros do torro, doveudn os pretend.......s apre-1
seniarom-so narr admisso nos dias uleis a ora i
oin que principian) os Irabailios51 2 da innnhia |
inspeccao do arsenal de niaiinha de Pemambu-
o 011, 28 de marrd de 1859.O sorretaaio,
Alexaudre Rodriguea dos Aojos.
clarar aos naisou correspondentes dos alumnos in-
utoos, uioio pem-iouistas e externos do mesmo
t.ymi.asioqiio odia tA do crreme pricipiou u
recebinienlo do segundo qnartel a contar do 1" de
abril ao ultimo dcjunlio do eorreulc anno. Sccre-
tariado i.vmnisio2G de marco de 1859. secre-
tario, \. \. Cabral.
.\ariiis entrador no din 2.
Rabialidias, biate brasileiro Desterro,de55 to-
nclladas, capillo Aiircliano Podro Cunslantino
equpngeiu 7
mandioca : a Martina & limaos.
Ass 12 dias, dale brasileiro Dnoidoso do 10 to-
nelladas. capitao Pedro Kraucisco, equipagem 5,
carga sal. cera de carnauba e mais gneros : .1
Martina \ Irmos.
Baltiinon40 dias, hiate americano llosumund, do
130 toneladas, capitao F. B. Owens, equipagem
7, carga 400 barricas com fariuha de trigo c mais
gneros ; a Henry Posler ,x C.
ISarios saludos no mesmo dia.
PortoBarca portngueza Snndi On;, capitn Joao
II. de Oliveira, carga assucar.
LisboaPatacho porluguez laico, capitao Jos Mar-
ques Cocido Sobrinho, carga assucar.
u^o-^^6^T^T;'0 Sil" !!
HavreCalera fraucon Olinda, capitao A. Loyer
carga assucar. .
MarselleBarca fianceza Lecen ier,capitao Leroux
carga assucar.
roivi /, capila
carga assucar e mais gneros.
Avisos martimos.
0BSKUY.VC0E3 MRTEOROLOC1C1S.
1 >I V 2 I1B Vllllll..
VKSTO.
si:
1
Reg.
termmetro
S6.6
27.7
30.0
28.8
27,7
21.a
22.2
24.0
23.1
Zi.i
Para Lisboa segu com a maior brevidade,
por ler parle de seu drregamenlo promplo, a bein
coiibecida barca portngm/a llurtmcia : quem na
mesma quizer carregar ou ir de passagem, aBten-
da-ae com os runsignatarins Amorim Irmaoa, ma
da Cruz n. 3. ou com ocapiolMaoSiltt-rio Huma-
no, na praoa do conimercio.
) veleiro brigue porluguez Aclirn, deve se-
guircom milita Imnidade para Lisboa. 1 111 promp-
la a maior parlo do enrroganienlo ; para o rosto
a froto, ou para passageiros, aos quaes ufleneeex-
Bellcntes cpmmodos, irala-secom os consignatarios
Amorim Irmios, ra da Cruz 11. 3, 101 com o capi-
tao liiiilliornio n'addinglon, na praca do coaamereo.
Para n Rio de Janeiro sabe com malla brevi-
dade a bem condecida barca eeife; para carga e
passageiros, Iratn-se rom Manuel Francisco da Silva
Cerneo, na roa do V'igario n. 17, priweiro audar.
Ro ftmnde do Sul.
Sahira brevemente o brigue nacional Impora>
dor>, capitao Clemente Jos da Costa para carga
ou pas>agoiros. Irala-se com Domingas Forrcire
Main, ra de Apollo u. i.
Para o Rio de Ja-
neiro.
o u-leiro o ii.'in 1 'onliecido brigue nncioiial Veloz,
proii-ndc Mjruir eom milita brevidade, lew parle de
son 1 arrogainonlo promplo ; para o resto que lhe I
taita, trata-so i-om o seu consignatario Vntomo l.uz
de Oliveira Azcvcdo, 110 son escriplorio, ruada1
Cruz 11. I.
Para o Rio ik Janeiro.
Para o Rio fle Janeiro sal.....om milita brevidade
o bem coiilii'cido palhabote Piedade, do qual re-
piti Agostiubj) Comes da Silva, para carga a froto
o passageiros a tratar na ra da Madre de Dos nu-
mero 2.
PVRA OAI'.ACATV.
Segu em poneos dias u biate ^ergjpano; para
iros diiijam-sea ra do Yigario u. 5.
, da Rica de S. Pedro Martyr com 39 palmos de fren-
te v 60 de fundo.
I Os pretndanles poderao desde ji examinar as
ditas prnnriodados, e para quaesquer csclorecimen-
Uis dirijam-se ao mencionado agente, que ludo Idos
ministrar al a dora do leiliio
LEILAO
Teroa-Feira 5 de abril.
PELO'AGENTE
Honrado coma ronluuira do Mr. Ceorge Bniul,
que se retira para Kuropa".no prximo panuete, o
refendo agento far leilao de iodos os icovois e
mais objoito do trataincnto na casa de campo jun-
to a residencia do Sr. cnsul hespanuol no
MONTEIRO
rujo leilo sor feito no dia cima designado e pilas
12 loras da maiilia, constando
DK
Mesas redolidas, dilas para costura, dilas para
jamar. radcirassinple*dita*de bnUaeo, ditas de
espaldar, sofs, apparadoros. mesa elstica, moa
rica o elegante carloira, camas de ferro, quadros,
ornamentos de alabastro, caudieiros, lajiterna-, ns-
pelhos. rologios para cima de mesa, lavatorios,
guarda-comidas, apparollios para janlar a almnrn,
tren dccOMiida. solios igluzes, 1 cabriolel para
qualro pessoas. com arrcios e um cavallo. um rico
apparclho eleclo-prala, facas, garfos, colheres, ras-
lioaes. vidros e oulros muitos objectos.
Vs 11 horas da mandilado dia do leilo davei
mnibus especial no lugar do coslume.
Avisos diversos.
liarlliolomeu Francisco deSouza, faz scicnte a
quem ronvier, que, por meiados do corrento me/,
passar por esta capital, de volts para o Rio de Ja-
veio para n ler
A noite esleve clara tent SF.,
ral e ao amanhecer rondn polo S.
Observatorio do arsenal de marinha 2 de abril
de ISo'J
VtEc.is Ji'Mion.
. as
pontos denominadas do Recife e provisoria :
porm dividida em laucos ,ioulralaiido-su cada um
ii separado, coinindo aos prelendentos p 1." des-
da Madre de De
Editaes.
Descarregam boje 4 de marco.
Calera americanaModbirddiversos gneros.
Barca nacionalYayao resto,
Barca brasiiciraIteciiodiverso- gneros.
Barca donoveriauaCeliafariuha do trigo.
Barca inglezaSoraphinadiversos gneros.
Barca inglezaLiman(azondas.
Brigue inglezThelesidem
Brigue (rancezCeardem.
Hiato americanoltosamondfarinda de trico.
MOVIMENTO DA AI.FANDKGA.
22:49C,-J0o0
19:378$431
4l:874f48l 0 Dr. Anselmo Francisco Perelli, commendador da
imperial ordem da llosa o juizde direito especial
do commeroio nesta cidade do llecfi'. etc.
Faco sabor pelo presente que nos autos do oxen-
le sentones do Joaquim da Silva. Lopes, contra
Voluntes entrados com blendas
com gneros
Volumes sadidos com fazendas
c com gneros
121
453
229
158
57 (
387
If.UKiilaiao.
Brigue ingloz Mercury, viudo do Terra Nora ,
consignado a Jodnston Palor & C, manifestou o
seguinle :
2,010 borricas bacalho ; aos mesmos.
Barca nacional Itecife, viuda do Kio de Janeiro,
manifestou o seguinle :
3 caixes chapeos ; a Antonio Lopes Pereira.
1 dito ditos; a Bousouze & C.
50 caixas cha ; a Tasso & lrmo.
24 barris aceite doce : a .1. K. da Cosa
1 caift cha; a J. P. S. de Mello.
1 diln.e 4 caixas cha, 1 dito (reos, 1 dilo cami-
sas, 9 ditos chapeos, 32 rollos e 17 latas fumo, 12
Cipas e 800 meias barricas vazias e abatidas, 100
arrices farinha de mandioca, 120 ditos feijan, 023
ditos caf. 2 barricas dilo, 12 caixas rap, 600 di-
tas sabio, 5 pranchoes de pin sotim ; a ordem de
diversos.
Patacho nacional llom Jesns, viudo do Ass, ma-
rn?u sogullilo .
1052 alqueires de sal, e 312 ponas de hni : a
ordetn.
CONSULADO GF.RAL.
Rendimcnlo do dia 1.....
dem do dia 2.......
do o dii arsenal al o trapiche do Angelo, o 2.'
ilalu alo s obras de Jos Antonio do Araojo no
i orle do Mallos.....3/ constiluindo toda a exlen-
sao entre as referidas ponles ; islo por i ia de pro-
poslas em carias (odiadas, apresonladas naqi.elle
lia e liora mencionada, c eRVctuado com quem mo-
iborcs vanlagensofrereccr, quer sobre a presteza o
perfetcao da obra, mas anida para a fazonda oblo-la
com a manir economa, podendo anteaos prolcu-
denles dirigirom-se a esta inspecco para nconhe-
cimcnlo das coudiooos e do mais, cenrernentes a tal
obra, una e nutra cousa constante da disrripcao e
remenlo, quo, pois, lhe ser franqueados. '
' uco
ir
Leudes.
A
Leilao
S do correnle.
fie mZS3L / ? aCh* ""-'I""""1'1"" i IWfCi" ''" i,r>,,l"l '""inba de Pornan.buco
que em audiencia de 1, de marro corrento, se me 1. de mareo de 18U.-0 secretario Uexandre
fez por parle do exequente, o^ual o seguinle : Itadrignes dosAnios xnnme
Aos 1, de marco 859, nesta cidade do Recife. e Pelasubdelegacla do [. districloda fre-ue/ia
Slta'd Sjm"1"- T a8"08 |,"kS daV4 '"" 'lllS U"!adUS M-fa' I"1"11. 'I'"' s" Cha rcelludu
0:4GSS3;)2
9418636
7:4018968
DIVERSAS
Rendimento do dia 1 .
dem do dia 2 ...
PROVINCIAS
030(000
173J725
803S725
devores do promotor publico, o suas attribuices
nao ha de encoulrar disposicao alguma. que o su-
jeilo a dar denuncias por ordem do iui: de di-
reito. *
E nolc o Sr. Barata, que durante quasi nove ali-
os que serv esse espinhoso emprego. os F.xms
srs. presidentes e vice-presidenlcs com quem servi
entre os quaes houvc alguns jurisconsultos, e un!
oellcs desembargado!-, nunca ordenaram & promo-
ona que denunciasse; remeltiam-lhe os documen-
tos ou representacoes para defina tomar conheci-
mento, e proceder como julgasse de direito.
Os Srs. desembargador Paranbos e Dr. Fausto
sempre assim procedern), bem como todos os mais
que nao eraiu juristas.
Mas o joven Sr Barata precisa prestar servicos pa-
ra fazer a sua carreira...
Entregue aos seus protectores, e com f robusta
no club equilibrista, nao podia deixar de receber
delle inspiraces, auxilios, o a direcrao, que o le-
varam a dar & luz esse monstro horaciano, a gesti-
cular em um volumoso aranzel, a que chamou de-
nuncia, disparates e necedades I
Conslou-mc que o proprio Sr. Rarata fora quem
baptisara de aranzel a tal denuncia, e que dissera,
oudeixra comprchender, que a instancias Coi qu
a subscrevera e apresentara para o Sr. Tito pedi-la
por certido, o com ella, sercindo-lhe de bordao e
sanfona, ir propalar os meus crimes perante a c-
mara dos Srs. deputados.
O certa 6, que emquanto o Sr. Tito niio regres-
sot para esta provjncia nada se havia feito.
Os meus crimes devem eslar bem fabricados, pois
levaram mais de 6 mezes a trabalhar na olcina do
club equilibrista como notorio. O Sr. Tito e o
ar. Danin foram obreiros dedicados o incensareis
os Srs. Lcitao, Malcher & Cs. deram a sua de mau-
eu o devo crer. Um exercito de Hercules para esuta-
gar um mosquito! r
Consta-me mais que da parto do club equilibrista
ha imperiosas exigencias para que eu seja pronun-
ciado em enmes quo nao admitlam flanea, e em
lempo calculado, que nao possa tomar aiseuto na
assembla provincial, ui I pois com eneilo mello
medor ( u conlam non lian dn .......V------.
mente.
Entretanto desdo j* convido ao joyen Sr. Barata
DESPACHOS DE EXP0RTACA0 PELA MESA DO
CONSULADO DESTA CIDADF. NO DIA 1."
DE ABRIL DE 1859.
PhiladelphiaPatacho americano < Cmnmerce,
Johnslon Patera C, 165 r.ouros salgados.
Gibraltar Brigue Auglez lgnez, Saunders Bro-
thers Ji C, 400 saceos assucar branro.
LisboaBrigue porluguez Tarujo I, Jezuino C.
da Cunha, 2 saceos assucar branro.
Lisboa Brigue porluguez. Activo, Amorim Ir-
mos, 110 saceos assucar branco, c 55 ditos dito
mascavado.
LisboaBrigue porluguez Activo*, Manoel Tava-
res Cordeuo, 220cai\as.c.hanilns.
Exporta v<>.
Delanare. barca americana Chales F. Les, de
244 toneladas, conduzio o seguinte : 2,800 sac-
eos assucar.
Boston, escuna americana Kengfesker, de 14i
toneladas, :couduzio 0 seguinte : 1,800 saceos
assucar.
Bio i'.rando do Norte, lancha nacional Flor do
Bio Grande do Norte, conduzio o seguinte : 285
volumes gneros eslraiigciros, 214 dilos ditos na-
conaes.
Porto, barca Santa Cruz.', de 351 toneladas, con-
duzio o seguinte : 2,736 sascos e 20 barricas as-
sucar, 76 quintaos de lalajuba, 12 praneliims de
amarello, 3 barriquinhas caf, 2 ditas arroz, B vo-
lumes doce, 2 barriquinhas fariuha, 7,200 ponas
de boi, 7 garrafoes agurdenle.
RECEBEDOBIA DE RENDAR INTERNAS GEBAES
DE PERNAMRUCO.
Rendimento do dia 1 .
dem do dia 2
CONSULADO
Rendimento do dia 1 .
dem do dia 2 ...
3fr38gfi59
3:0278122
6:1258781
PROVINCIAL.
3:0968506
1:1718954
JVllz de direiio esptMial do commeicio Anselmo
Francisco Reretti, netla pelo solicitador Mano.l
Raimundo Pena (orle, procurador do oxeqaoule
Joaquim da Silva Lopes foi aecusada a pinbora (ai-
la em direito na quantia de 6508, requerendo quo
fossem assignados debaixo do prego os 6 dias da
"i, e 10 aos credores incertos passando-se os com-
petentes editaos ua forma do esh lo : o que ouvido
pelo juizo assim o dernrio pela maneira do coslu-
ne, o para constar extrahio o presente do protoco-
lo das audiencias. Eu Francisco Ignacio de Torres
Bandeira, escrivo o cscrevi.
Nada mais se coniinha em dito requerimento aqui
copiado : e por torca do defenmenlo dado daquel-
lc requerimento, o escrivo respectivo fez pasear o
presente pulo Iheor do qual vio ser citados lodos
os credores incertos do referido executado Jaciutho
do llego Meirelles, para que rompareeam dentro do
prazo de 10 dias, ueste juizo, am de allegaren! o
que Ibes fr a bem de sen direito, sob as penas
da lei. '
E para que a lodos chegttc noticia, mandei pas-
sar editaes que sorao afOxadns nos lugares do eos-
turne e publicados pela imprensa.
Dado e passado nest cidade do Recife aos 18 de
marco de 185SLEu Francisco Ignacio do Torres
Bandeira, escrivo o lis oscrever.
.1ii.vi'/nio Francisco Peretli.
. O lllm. Sr. inspector da Ihesouraria de fazonda
.i.-.o pnrmiriu nmnra f*m f.mrii ,|Ur, cnuu siau
marcado o prazo de 30 dias aos Srs. Joao Leite de
Azevcdo, Joan Antonio Concalves Maduro, Marian-
na da Conrcico Pereira, herdeiros de Antonio
Marques da Costa Soares, herdeiros de Jos Ramos
de Oliveira, Manoel Ignacio de Oliveira, herdeiros
de Maria Francisca de Almeida, para dentro desse
prazo construirem a parle do caes relativa a frente
dos terrenos de marinha que lhes foram aforados
no Forte do Mallos sob ns. 230, 231, 232 e 232 V
33, 231. 229 A e 229 B, e 317, sob pena de perd'e-
rcm o direiln que a elles livessem, foram os mes-
mos seuhores julgados incursos na pena que Ibes
foi imposta por falta de cuuiprimcnlo desse preooi-
to : perianto se arham derolutos os mencionados
terrenos para seren aforados a quem rnnricrem
Secretaria da Ihesouraria de Pemambuco 31 de
marco do 1859.O ollicial-maior interino,
I.uiz Francisco des. Paes da Silva.
Declaracoes.
i rasa d delenoo o prelo joaquim, j de idade,
que diz ser escravo do Dr. Firmino, e que anda
ausente da casa do sen sonbor : arlia-se tamliem
rccolludo o menor do nomo Ado, crioulo, que diz
ser forro, e morar no eugenho Pereira, e. que ia
sondo couduzdo pelo piolo Joaquim, cima, em
um couiooy de serlanejos : pelo que quem se jul-
gar com direito a uma e outra cousa, comparece
que plorando, lhe ser entregue. Subdelegada do
1. districto dos Alagados de marro de 1859.
Jos liorgonio Pues Hrrelo.
Directora geni! da instrupro imi.-
:i ilii prm :u-i:i.
Por esta secretoria (az se constar a quem con-
vnr, que o Sr. director ger.il interino marrn o
prazo de 00 das, acontar da data deste, para a
nsiripcioe babililaco dos que se queiram opp.lr
as cadeiras de inslruccao elementar do 1." pro
nnvainente creadas por S. Exc. o Sr. consclheir
presidente da provincia, por portara de 22 do ror-
relo, para o sexo masculino, na villa do Hinque o
para o femenino na \ illa de tiar.inliuns. Secreta-
ria da inslruccao publica em 24 do marco de 1859.
Francisco Pereira Freir.
Secrelario.
Pela directora das obras militares se tem do
toser a pintura e aceio de toda a casa quo sene de
qnartel general no Mnndegn : quem tiesto trabalho se
m!',1!' VDla'-'"'- eonmareca na referida director!
no da i rom suas propostas.s 10 horas da maubaa
Jlunoel Joaquim llricin. director.
Peta eapitania do porto, so faz publico que pe-
tos remadores e patrio da praragem foram aa-
nbados por agua abaixo Ires pranchoes de pinho .
MBim urna canoa abcrla que mi ao fundo c.irreg.i-
da ae atea ao pe da barca da escavacio e que foi
tirada por meio do rossega, mas (cando o sudo
em bom estado, as pessoas que julgarem ler direilo
aos objectos cima mencionados comparocain nesta
capitana allmde pagar as despezas fritas' com os
mesmos ohjerios.
Capitana do porto 29 de marco de 1858.No im-
pedimento do secretario interino. Jos Avelioe Sil-
va Jaiques; pnmeiro lente ajudante do capitao
soba(le,ilni & C. (ario leilao por nlervenrao do
agento Oliveira, de bello soriimonto de fazendas de
todas as quaiidades, inclusive sodas oulros mui-
tas propnas para a quarcsiua ; o em seguida sern
vendidas em presenea tfo Sr. cnsul de llambrgo
e por cotila e risco d.i quem pertenec-, ditas cai-
xas conleudo 60 duzias de chales do cambiai.i ada-
mascados, avallados a bordo do navio Xanhing na
sua recente riagem procedente do Havre terca-
rcira ;>do coi ionio M id horas da man
rmasela; ra da Cruz do Recife.
Iiaa, no seu
SLHPTliOSO LE1L0
DR
Vinos movis, vi A vos, erys>
laes, oveelanas, \ivuu\s.
i.vonzcs, um vico piano
etc., etc.
NO
PALACETE DA RA DA PRAII.
Uuarla-feiru (i do corronle.
tt 12JCZ if
encatregado pelo lllm. Sr. Dr. JoaoFer
reir (Ja Silva
, que se retira para o Cea-
Correio.
Pela administraco do correjo desta provincia se
faz publico que atnaulia (5 do corrento, pelas 3
horas da tarde em ponto sern fechadas as malas
que tem de coiiduzir o uapor Persinunga paraTa-
inandar e Macei.
Tribunul da Pela secretaria do trilmnal do rommercio da pro-
vincia de Periiambucn se faz publico, que nesta dala
(lea registrado cnmpeteitemente o contrato de so-
riedade celebrado em ol do feveroiro dn correu-
le, pelos commerciunles Luiz Josda Silva Cuima-
raes c Jos Pereira Reg, eslabelecidos nesta cidade
sob a firma de Cnimaret 4 llego, pelo qual esti-
pulara que a sua sociedad- durar 4 anuos, a con-
tar da dala do mesmo, cum o capital de 20:01)0?.
Secretaria l.* de abr de 18T.9. Ilr. Aprigio
Obras do porto.
....inidadecom as onlens do K\ni. presi-
d".....da provincia manda o lllm. Sr. inspector do
arsenal de marinha fazer publico o conlratar-se nn
dia 7 de abril
prximo, as 11 horas da manha, a
lacinia dorosnos lugares inda nao o leudo enm-
prebendendo desde o mesmo arsenal al o Forte
< o.Mallos pelo lado da bacia do porto e margem
do rio, no bairro de Santo Antonio, entre as Suas
Recife
________ 4:268$f60
PRACA DO RECIPE 2 he ABRIL DE 1859,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista sei......al.
Cambios-----------Sacou-se sobro Londres a 25 1/2
d. por 1, sobre Pars de 37o a
IbU rs. por fr. e sobre o Rio de
Janeiro a -i por cenlo.
Algodao-----------Vundeu-se do 8$20O a 8J350 por
arroba.
Assucar-----------As vendas pura o exterior tcem
oslado paradas ; e para a Ierra
vendeu-su : o branco i* e 3.
sorle boa de 3S200 a 3J40O, so-
menos de 2&700a 2S8O0, masca-
vado escolhido de 2J400 a 2O0
America de 2*210 a 2g3(0, e Ca-
naide 29160 a 2$200 por arroba.
Aguarden!,--------Vcndeu-so a 70 por pipa.
Couros--------------dem a 240 rs. por libra dos
Arroz--------------
por
seceos salgados.
dem de 2j800 a 38650 por arro-
ba, seudo este ultimo proco para
o da Carolina.
Azeiledoce--------dem aSglOO por galo.
nacattiao-----------Foi vendido em atacado a 14g por
barrica, o a retalhn de 15 a 17
(cando em ser 2,200 barricas.
Batatas--------------\ enderam-sc a 2 pur arroba.
le secca A do Rio Grande do sul retalbou-
se de 5j a 558OO por arroba, e a
de Rueos Ayres dn 4$ a 45600,
iieando em ser 12,000 arrobas da
primeira, e 15,000 da igunda.
r.......Vendeu-se de 5J a 5}500 por ar-
roba.
".......Wem de 1J550 a 1J650 por
libra.
C inirtriifs, ollioial-inaio-.
(onselho acbniiisii a ti 111,
O cnnselho administralvn, para foruerinienlo do
arsenal de guerra, em cimpriinenlo do art. 22 do
regulamenlo do 14 de deombro de 1852, faz publi-
co, que foram aceitas a. propostas dos senhores
abaixo declarados.
Pura n colonia de Pimenteiras.
Jos da Cruz SantosOj medicamentos pedidos
na importancia de 132g74*.
Saiupaio Silva k C cassarolos de ferro com
porcellana, sendo 1 de 1.6 como peso de 5 libras
e 3,8, outra de 11. 9 com OoeSO de 7 librase 38 e ou-
tra de n. 12 com 11 libras a libra a 500 rs. '
Para o meio batalhao di provincia da Parahiba.
Samnaio Silva 4 C6resmas de papel almaro
n. 1 a 38, 2 caivetes d< fnlhas por 2$, 72 lap'is
linos a 400 rs. a du/.ia.
Para a eompanhia de tprendizes do arsenal de
gera.
Sapaio Silva 4: C25 'edras do lousa de 14 pol-
Icgadas a 400 rs., 6 ruarosde lapis para as ditas pe-
dras a 100 rs. a duzia. '
Para a tompailiia de artfices.
Sampaio Silva &CSJps de crreme de ferro
conforme a amostra a 321 rs. a libra, 1 espumadei-
ra de ferro cstanhado po 600 rs., 1 gario de ferro
esiauhadopor500 rs.
O conselho avisa aos snhores cima menciona-
ponlos denominadas do necue c provisoria
rein tal factura dividida em tres lances conlialan-
do-se cada um em separado eoiivindn as preten-
*! T '^'^r0 dil, ar"-'"al ""Pine do
Angelo. o2" dah as obras de Jos Amonio de
Araujo no lorie do Mallos, e o 3" constiluindo loda
a extencao culre as referidas ponles : isso por va
de: propostas em cartas fechadas apresentadas na-
quciic da o hora .....nctonada, e clloctuado rom
quem melhores vanlagens olferecer, quer sobre a
presteza o pe,feieo do obra, mas anda para a fa-
zmaa oble-la com a maior economa, podendo an-
ta,ios pretendemos dirigirem-se a esta inspecoao
para o conbecimenlo das condices o do mais con-
cernentesa tal obra, nina e nutra cousa constante
tadteenps^oe oreamenlo que pois Ibes ser ira,,-!
'jui-nii.iN.
,fe d0 ^enal de marinha de Peniambu-
coem 1/ de marco de 1859.o secretario.
Alexandre Rodrigues dos Amos.
Hr?s",dc,p?adc do 1" districto da freguezia
dos Afogados abaixo assignado. annuncia se
acba recolbido casa de detenco sua ordem,
por andar fgido, o prelo crioulo, escravo, diz elle
do senhor do eugenho Guabraba, na freguozia da
\L\juSfm r"m J ireil" M' I>raelle, eompareca
munido dos seus documentos a jusliflra-lo. que ser
entregue. Subdelegara do 1. districto dos Vio-
gados 1." de abril de 1859.
Jos liorgonio Paes Rarrelo.
1 T ,?"nda v?z ,0""> aiinunciar o subdelegado
(oir oi'r'."-'^ d"S *f05ad0. qe-antes da festa
101 recnlbida a casa de detenco, por andar fogida
una piola Mocambique, que diese ser escrava de
urna senhora nesta praca, mais nao quiz .confessar
a casa 011 ra, ora dizia que era na ra estreila do
Hosano ora da Roa-Vista, bem peder ser a an-
nunciada pelo Arantes : quem com direilo se jul-
gar, eompareca justillcando-a para lhe ser entregue
subdelegada do 1." districto dos Afogados 1" d
I abril de 1859.-Jos Corgonio Paes Barrete-?
'O secretario,
ilnfonio Ferreira d'Annnnciaro.
Carvao de pedia- dem a 228000 portouelada.
Cervcja--------------dem a SSoOO por duzia de
rafas.
1 gar-
Farinba de trigo- O mercado (Icou boje de posse de
30,700 barricas, tendo-se vendido
de 159 a 22{ por barrica.
Dita de mandioca-Vendeu-se de 5 a 7 por sacco.
Fejao---------------dem de 3$500 a 4<500 por ar-
roba.
Cenebra- a frasqueira vendeu-se a 5g200,
e a botija a 290 rs.
Louea ......
Remata rfo que fez relatiamenle a obras do porto,
a rargo da inspecco arsenal de marinha, no
trimestre de Janeiro a m reo prximamente /indo.
Caes donortc.
Facturo de 10,462 palmo cbicos 011 8 bracas cor-
reles da rouralha de aleara revislida decanta-
a de15braas de estacada, sendo 8 Z^mZ^M^ &VidT
cnmpetenleicnteentaboada. I Y,, 'l a xa 'l-.......-
...que g Hhalo Nogueira....... | ,*&* TZg&ZgZ**^.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
De ordem do lllm. Sr. inspector foco constar
que dmitlem-ae para Ol trabalhos deste arsenal
carpinteirosde machado, caMaireros e lomeares
de Ierro, devendo os pretendenles aprescnlorem-s,'.
ra, bem como de 15 breas""de'elslaeada," aendo"8 ] JToTan os'rabal'hof 'Vll" 1"ra m v>" |,ri"-
com tirantes e cnmpetet.teienle entaboada. I P,J, Lll a S i a da ma,l,la-
o da Hiato NnuiK-iri Inspecco do arsenal de mar n
Factura de 2,o8'pa,o, cuS ou 10 bracas r ^ 5 "BL 5*^ ""
correntes de muralha dcilvenaria sorra, alm'do
entaboamenlo com os respetivos tirantes de-I bra- '
cas de estacada.
Arreife.
Factura de 22,200 paltos cubcos 01118 bracas
correntes de muralha de Ivenaria argamassada'de I
cimento.
Kscavco.
Fxtraccao nos lugares dnominados Forte do Mal-'
tos e Corta dos Passarinho. na quanlidade de 29,400
toneladas de areia, condzidas por 2940 canoas
sendo 19,600 toneladas pai alerros e 9800 para las-
tros de navios.
Conselho adainistratlvo.
O conselho administralio, para fornecimento do '
arsenal de guerra, tem d comprar os objectos se-
guintes :
--Pura 4 batalhole artilheria a p.
705 corados de panno ful para sobrecasacos.
Poro o 8.' batalho de s/ontera. actas
2 espadas com bainhasde aro o dn uniforme de.
infantera ; "
ra iai a'leilo de todos os movis pet-
io.oontew :. suas dim cnsns oWxitlo e da
praca, os quaes deixam de ser esped?.
cados por serem muitos e por comeguii,-
te serta um nunca acabar. O leilao de
xa de serJeito em seu artnazem di ra
do Collefjto, emeonseqnencia de nao lia-
wr comraodos sullicientes para a arru-
rnaruo de tantos objectos. Avisa se aos
Srs. pretendenles que dilo salao oslara'
aberloas 0 horas do dia cima indicado,
para o exame de todos os rtigos.cuja ar-
ri-raatarao sera' l'eila Sirr. reserva de pre-
co algum.
aaHami
Sem reserva de preoo.
Sf vla-fii-a 8 do ctrraile.
fara' lilo no da cima tjesij-
nadocmst.uarinazcTKla ra do
Collegio 11. 15 as 10 horas em
poni de todos os objectos nel-
!< existentes. Pede-se portan-
!o aos Srs. donos dos mesmos
que (cnliain a boodadedeseen-
tcmJerem com o referido agen-
te, porque do contrario sero
vendidos no mesmo dia cima
por lodo e (jualquer preco; nao
s attendendo depois a nenhu-
ma icclamacaoquejor ventu-
ra possa apparecer.
LEILAO
; 2 telius i'.,- i-ui-,1 de lustre com ferra-
\inglesa ordinaria fo. venduta a i gens do uniforme; 2 canoas de couro de lustre
a facTiira0' Pre""" ^ S0-I?-?.rr.a,?en9 ? un'forn^e, 2 Madores do uniform
medo? Ou'contam que Uino'oVrocft'r o"aoiu nieta "P}; ; a c ,r i2 arlaleiras bronzeadas do uniforme.
MJ,. vencer o piulo ? Engaa m-se "redonda- ^'^---------U t por ISSlf a'ngn^ l\ "^i*? r *-#
barra.
8 S^nS: Pjopostas em carta ichada na secretaria do i
rs., fleando em ser 2,500 conselho, s 10 horas da lanh.ia do dia 4 de abril
' prximo vindouro.
THEATRO
DE
Santa Isabel.
ESIPBEZA-GERMAKO.
0.a RECITA DA ASSIG.NATLRA.
SEGUNDA-FEIR* 4 DE IBRIL DE 1859.
Subir scena o magnfico myslero em nualn.
los :
(HiOS
Milagros de Santo Antonio.
Prncptrsts horas,
Terca-feira 5 de abril.
II. de Borfa
de ordem do lllm. Sr. nr. juiz especial do com-
mercio c a requerimento de Jos Rodrigues Perei-
ra, depositario da massa fallida de Donlley te C.
rara leilo de uma excedente casa terrea que faz
esquina na traressa que (lea por de(raz da ma-
triz do Poco da Panclla, na terca-fera 5 de
"blk H se" nrmazoni na ra as 10 horas em ponto. Pcdc-se aos Srs. preten-
denles quetanham a bnndade de examinar a refe-
rida casa, para que possam lmar com lodo o cii-
nhecimenlo.
LEILAO
f)F.
Tres predios
Segunda-feirall de abril.
PELO ACE.NTE
PESTAA.
0 referido agente competentemente aulorisado
pelo sr. Manoel Fraucsco de Amida, far leilao
no da ariasa designado e pelas 10 horas da ma-
nliaa em sen arniozein ra do Vigario n. 11, dosse-
Riiiiites psediossilos na ciead* de tllinda perten-
cen tes ao dito senhor, lodos a%*cxcellentes a.om-
niodacftes para familia, e de inleresso para arren-
daniputo por serem lodos eiflcados em chaosro-
pnos, a sabor: T
Urna casa lama de pedra e cal, sita na ma da
'*'.''1.H'"'a-cofto. leudo. palmes de frente a
i i a 'VmX3 mur1* p i' um terreno
do lado do poente annexo 4 dita casa.
1 ni sobrada daa andar sita
rom
sal
igualmente da cura radical das bernias.
Todos os pobres serao tratados gratuitamente.
As pessoas abastadas que desejarem fater-se ope-
rar podero dirigir-se ao hotel Francisco, omle en-
conlrarao o Sr. Itr. Nones da Costa assim que le-
gue. \ islo s por pouros dias dw-iorar-se nesta ci-
dade o Sr. Dr. Nuues da Costa, previne o anniincian-
le aos indigentes que houverem de tazer-se onarar
que se dinjam sua pharmacia, ra larga do lo-
sarlo n. :6. a inscrever sens nemes c moradas ; por
quanto ser.io operados por ordem de inscripeo
llecifel." de abril de 1859.
Ilartholomeu Francisco de Souza.
I ma pessoa estando para relirar-.se o mais breve
possivel para o Sobral, deseja levar em sua rompa-
nina um criado, o qual de Dador a sua conduela :
quem esliver nestas rirrumstaucins diriianic roa
das nuco Ponas, sobtado un foi do finado Jos
Audre, n. 02.
Attenco.
Nada mais irrisorio do que o Rvm. parodio fla
Kscada, Simao de Vzcredo Campos, em sou desa-
pontamento cerebral pela publicaco de couQssocs
millas, que se ho feito em sua frpguexia com' a
sua ausencia, em vez de procurar tratar-se da es-
quinencia e da hydrncele ou quebradora, qu ora
solTre. como provou nSr. Fr. Benicio, aflm de que
se preste as cnnllsscs Torada matriz, a que tanto
se ha negado, fa/. sabir da paralisiaem'que se rha
o pobre sachristo hydropico e olcerado, que mal
pode gemer as snas llores, c corar a lepra, para ap-
parecer ao piibli*. dando o recado ailalico. nue
lhe mpz para que se assignasse!.... Muilo satis-
faz ao publico, que o Rvm. parocho conheea hoje
que nao s hnuveram sacerdotes qne sapWatassem
.s ronllsses no tempo do cholera em sua freguezia,
eujos serviros nunca os negou o Rvm. Francisr
Venssimo llandeira, como llzera o Rvm. parocho,
olliciando aos Kxms. Srs. presidente de ento e o
hispo diocesano para que lhe enviassem dous a
tres sacerdotes, que lhe ajudassem. as conflssoes,
visto achar-se s, e nao ter na villa quem o aht-
dasse ; como que ainda em sua frognezia ha sacer-
dotes para nao consentir que se faram confissSes
millas com a sua ausencia, sem destruir a corres-
pondencia e os documentos que foram appensns n
publicados no dia 10 do mez passado, como ver o
publire. e convira c.....ligo que nao he conveniente
disputar com homens doentes de quebradura para
naoconfessar. e robusto, port'm. para inventar as
sitas artimanhas, illudindo a queslao em procurar
nocas sem nunca concluir, c nem responder eom
alguma educarn que bem prova que nao le.
pas que o ediicalsem, sendo sacrilegonienle
exposto. Misero! me lu I.... Por um amifo'
Ai.i;ni).\o o.\ baha
\o escriplorio de Manoel Ignacio do Oliveira 4
fimo, vende-so algodao da Baha e lio de algodao
em novellos.
Vende-se una armaro do amarello envidra-
cada, aropria para loja de fazendas ou antro quSl-
querestabelecimenlo, cedendo-so a loja onde ella
se acha, na roa llireita u. 88 : quem a pretender
dirija-se ao segundo andar do sobrado da mesar
loja.
Escravos venda.
Vctidem-se 10 escravos pecas de 15 a 26 amos
e l mulatas com habilidades, muito bonitas Uni-
rs : na ra Vclha da Boa-Vista, cas n. 69
\i endem-se quadros com excellenU-s estampas
coloridas, de santos, em formato grande, pTOfuts
para a igreja : na rita dn (Jneimado n. 43.
Vende-se uma esc-ava crionla. de idade de
lo anuos, sabe lavar, coser, engommar e cozinhar
a tratar na libado Retiro na Passarem da Magda-
lena, ultima rasa na beirado rio.
Vendem-sc 4 burras novos, bonitos, bastante
gordos, e j refeitos por terem vindo ha m anno
na provincia do Cear : quem os pretender, dirja-
se ao eugenho Pereiras, na freguezia de Santo
Amaro de Jalwato, a tratar com o seu proprielarto.
\ende-se uma pieta j idosa, propra para
servicos ordinarios : na roa do Rango! n. 7.
V eudem-se cinco accocs da Companhia de Be-
beribe, passando tambem para o cessionario o di-
videndo do actual semestre, a vencer no ultimo do
presente abril: quem as pretender dirija o ata offe-
recimento em carta fechada, com designaco de
sua morada, sob o adresso seguinle :i. Jl.'i:. M
na ra Nova n. 43, o:i nacslrada do Rosariuho si-
tio fronteiro a rapella. que ser procurado.
Vende-se urna pnrco de caibros e algnmas
travessas. ludo de qualidade. e uma sacada de can-
lana com 8 palmos : no palcw do Terco n. 8.
Saias bordadas
a 2^300 rs. cada uma.
Na ra do Crespo n. 16. loja de Adriano & Caatto.
l'rccisa-sc alugar uma "pessoa que saiba co-
zinhar o diario de urna casa de familia: na ra do
Hospicio u. 15.
Vende-se superior farinha de Santa Cathari-
na : a bordo do biate Desterro, o ne arroazem de
Martius & lrmo na na da Madre de Deos. 2.
A dinheiro vista.
Veadem-se superiores cortes de vesli-
doi degrosdenaple preto com b.ibads .
de velludo e bem assim adamascado* pe-
lo barato preco de BOJ: na loja de %
portas prximo ao arco de Santo Anto-
nio n. 5.
O pbaixo asignado Tenderam em
teus bilhetcs aa ultima parte da segunda
e primeira da terceira do gymnatio os
seguinte* premios :
N1933 loeiobilbeie 1:0Q0
S!l meio dito
2191 bilhete
1850 meio
1727 bilhete
220i. meio
O 8porcento da lei e r
loja da praca da Independencia n. 40 ;
os mesmos tem expolio a venda teui fe-
liies bilhetei da terceira parte da pri-
meira de S. Francisco de Olinda".
Vieira d Rotliechild.
200J
100?
100K
5W
30
pago na
sua
Allencao.
Arha-so ausente desde o da 4 do mez. .n. p. ala
casa do abaixo assignado. com quem aprenda o
ollicio de carpina o mulatinho Bruno de dada li
anno, escravo da Sr.* viujra Silveira ; quesn o lo-
n 45 pZ.'KnS,'rfSlrf Td" S' B*"n, v a dita uis. na a d Gtasta n X TJuZ,
<.
t
I
I
I.uiz Ignacio Nunes de Oliveira


,*-.-




Di
iario de Pernambco.Segunda feira 4 de Abril de 1859.
LOTERA
Monseu fe Vinassa apres-jbu~ *-Sri
sam-se a declarar ,que nao po-
dem aceitar a procuiarao to
Sr. Francisco de Paula Siqueira
de Saboia, j>or sso que seus
muitos a razo res I he o nfio per-
muten! c a nica sciencia que
tiveramde semelhaiite encargo
ibi urna caria do nicsino senhor
quelhes foi entregue liontem
SI de mareo pelas duas horas
da tarde.
Aluga-se iinin casa teen rom commodos pa-
ra urna familia, no lim da ra de Malinas Femara,
que (lea pouco distante dos banhos salgados: na
primi'irn (asa junio no caes da ponte dn alerro do
Yaradouro, achara non quem tratar.
Precisa-se alug.ir urna ama que soja rapa/
para oservico interno de una pequea familia: na
[ ra das Cru/i's n. 41, segund andar.
Aluga-se urna nasa tema na ra do Hnndogn
n. 81 ; os pretndenos dirijam-se a ra do S. Jos
n. i">. que scharao con qucui tratar.
Bernardo Josa Pinto rom casa de rousigna-
eoes. o negocio de nula no IIio de Janeiro, ra do
Rosario n. 04, declara nada dever un ser responsa-
rel nesta prara, ou fra dola por letra, inuosse,
aliono, flanea ou titulo.
O Sr, thesoureiro manda fazer publico
que se acliam a venda todos os dias das 9
horas da mantisa as 8 da noite, no pavi-
mento terreo da casa da ruada Aurora n.
26 e as caas commissionadas pelo mesmo
Senhor tliesoureiro na praca da Inde-
pendencia numero 22 e na'rua Direita
n. 83, at as 6 horas da tarde, rnente os
bilhetei e meiosda terceira parte da pri-
meira lotera do convento de S. Fran-
cisco de Olirrda, cujas rodas deverao'
andar iaipreterivelmente' no dia 16 do
correle mez.
Thetourana das loteras 2 de nhril
de 1859.Oescrivao.J. M. da Cruz.
Atlencio
Fugio, achamln-so sellado, na noile de 31 do inez
proxAmn pretrito, do qoartel general, no Mondogo,
am ravallo ruco peilrez, manado mi quarlo nsquer-
do rom o uj4SI, portencenlc a cnuipanhia fiva de
eavallaria : a pessoa que oconduzir aquella lugar,
ser razoavojneiile gralificado.
I.m/ Lopes Tcixeira m isa a pesnoa, a quem,
como procurmlpr de 1). Mara Saraiva Mourao, mu-
Iher de LurosinnVieira Mourao, vendeu em 1840
ou B47 aiu esclavo de nomo Cosme, para que v
mi monde villa do Ip. provincia do Ceani. com
o camrielenle titulo e prncnraciio que llio foi en-
tregue, afirfi de ijiwfiad pena odinheiro queden
por elle : visto que elle apparece dizendo que se
Ungir ser escravo para furlar-se ao castigo da de-
~ nao. e fugir depois.
Alugau-so dua.i casas terreas silas na ("apon-
ga, ra da Amizade, acabadas e pintadas de novo,
rutu 2 quartos o 2 salas cada urna, cozinha fra,
com carimba de boa agua para beber ; e inais urna
m que se acha em colicorto contigua as roosmas, a
oual tom 4 quartos. 2 satas, cozinha fra, sendo esta
cm ponto baixo: a tratar na ra da Santa Cruz,
lab erna n. i, esquiua da rua da Alegra.
Furtarom no dia t" d' Abril presente, un alfi-
nete. e mu par d'argolas de ouro esmaltados de
verdee rxoclaro, eujosesmaltes ilngcm urna ro-
sa coro fallas verdes, ambos objoclos iguaes, roga-se
por tanto a pessoa a quero far offerecido, e quizer
restituir, dq levar a ra Bella, sobrado novo prximo j Usado essa viagem, lem novamente i-orcbdo dol'a-
! nutre pruneiro anda*-, que ser recompensado,
Attencao.
Precisa-se do tima criada que saiba rozinltar o
engomniar para pouca familia : na ra de Sjnia
Isabel ti. 1.
Precta-sc de um aniassodor paca lomar oon-
ta de urna mn.ceira : na'rua larga do Rosario n. 48,
p.idaria do Mouteiro* Snres.
(1 Sr. Jos Joaqun) Barbosa, advogado no fu-
ro da Escada ou do Cabo, ora asssleule nesia pra-
ca, tero urna carta nesta IvpographU, viuda das
partos de Gianna.
No dia 24 de marco prximo passado dcsap-
pareeeran do engenbo Trapiche, freguezia do Ca-
bo, doiis cavallos rom os signaos segualos : um
mellado com dinas e canda pnlas, lem un callo
na p direita, orcdbas e i aboga pequeas, e junio a
cauda tein utua barroca; o outroe ruco, pequeo,
com .-ligninas pintas de pedn/, lem osdous vasios
relados, urna cicatriz na cosiolla direita, n canto do
ullio do mesmo lado fnveiro, o est relado na junta
da mo direita: quem dellcs souber ou os pegar,
leve-os no referido engeiiho, ou nesta praca, na roa
estrella do Rosario, taberna do Sr. Campos, que
ser recompensado.
JIMw
O Dr. t.asanova, avisa a quem pussa uileressar
que havendo deturmiaado fazer unta viagem a Fran-
ca, tem vendido todos os medicamentos que exis-
tiam em sen consultorio; porem nao su leudo rea-
loi san convidados reuni de assembla ge
ral na quarta-feira ti de abril na saladas sesses
da assnriaran cnmmf-rcial honeficente.
Precisa-se de nina ama para cozinhar em urna
rasa de pouca familia : ua tul da Guia u 9, ta-
berna.
(.moro nelimi nina pulseiradeouro esmaltado,
que sr perdn na igreja de Santa Rila, sendo que
leulia coiiscieniia, e a queira restituir, dirija-se g
casa terrea dofroBte do muinlio de rento por traz
da igreja de Santa Hila, que ser gratificado.
IIOflEOP.VTillA.
PRESEHYATIVO COM ISA AS BEXIfiAS
GR.VTt UTO l'.VH.Y TODOS.
h' niflhoi'pi'i'i'fiur ii mu] l.nvraiuln ftctiIAluiCIitti a pesto iK1 buxigOS, |m>-
Riiindo a homeupalliia meios ciazrs para preser-
vir 411!Tro li-n vi-I molestia, faro flestrifcllMa ^'lalui-
laiiii-iilc a ludas a> |it*-Mti>>fiiulsliiti."iii ili* ren OU
pobro,lodos os das U:U desde as lo horas da ma-
nliaa alao Bi*>0 da. A ('\pcreDCa im-aiitotisa a
ailirmar, qne lodos aqu riles que Qzereui ustfdetaes
prcrarralivos ficaroo sbuos il<> mal noriolioo o
.pie, quando por ventura alcuem chegue a soiTrer,
as pu, nati u*r5oneiD inuiltununintsas, t> ihmii
aUslliienea iln eafi* prelo.
Coiisoliorio Central lloineopath^i ra de Sanio
Amaro ( Ulindo Novo ) n. <.
ttr. Sbito O. 1. Pirthn.
Vrecisa-so alujar una preU uscrava que sai-
ha fa/erludii o Kcrvieode urna rasa : uu Urie, ma
da Lu/ n. :tl.
Muga-se a toja 121 para inorada di' aigum bomem solleiro: aira-
lar no mesmo sobrade.
>i i t i 1 i tti)i i i i i.i Si i i i i i i i s
I A\isa-so ios timlos do :
- SenhordosPassos que lom
; por devo^o aeoinjiauliar o 1
: mesmo Senhor t\n matriz :
* do Corpo Santo para o Car- -
- mo, quevenham comprai- ;;
| lanternas de papel de lio- i:
I das ttores para a proesso ?
* de quinta-feira a noilo : na j-
taja tlti Nabuco i V.. na roa :
CASA DE SALWE.
O Di. I-naci Firmo Xavier, proprietario da an-
liga e acreditada casa do gande sita oo mole da es-
Irada da passagem da Masdaleiia, entre a punte prau-
de e a pequea do Cliora-menino, na inesraa re-
ieio disposto us mclliiiivs roiiiiniidos paca
qualquer pessoa i nferm.i, e achando-se o
e-l.ilielecimeiilo nas inais agradavi-is condicoes
hycienicas; rontinia a efferecflrosseus a-rviros, af-
flaucando o nielhor tratameiiln e o maior zlo no
curativo das molestias. Omesjnodoutor, tem des-
tinado urna sala para partos, cuja ulilidade he in-
ronli-lavel.
SAO 1 'MMItUKK.XDOS DA CLNICA
SEGURO CONTRA FOGO
NORTllLltN ASsmiANCK COMPANY
LONDON.
CAPITAJ. S l.lHi.non.
AsenteK\.\. \sl\eveC
Offereee condicoes muito favoraveis e premios
moderados.
Aos sciihorcs l>i-;tsileii*os o Poi-liitic/cs.
PARIZRA MONTtlOLON tu. ",()
Paria l Hdame Srltron tema honra do preroniraos se-
I nitores Rrasiletros u l'oiiii^ue/es, que ella nmdou
! sen hotel da ra Fambuiir) Poissonnire n, 71 para
Compras.
Coiuprani-se dou.s ejemplares da grammatica
ngleza por Olindorf, paganuo-so como so fossem
ivits, rase
. A2.
sejam usados, na ma dos GnTarapes
Operaroes.-U lllin. Sr. -lose rraneiscfl Pinto Cm- i., ,.,, ,. .,,, ,,,,., ,..,, I111M ,.H,a,.0^ ,.,:,. aaa
maraes, eirorguio do orando Hospital de Lartda- c|cgaca PIrapciooal ; tem quartos mobilhados,
cuja pericia he bem conhecida. |q?c ,,;-..,-,.,-,., tdM M commodidades desojareis,
nao so pela grande como pela boa distribuirao,
i lem i grande salao alem >i.< sala de jantar a me
de,
Medico roiisnllanli'.0 lllm. Sr. Commendador Dr.
Jos Joaquim de Mono s Sarment.
Parios.O lllm. Sr. Dr. Silvio Tanpiinio Villas-
Bdas, '
Pathulogia dnliiiia.0 proprielario do estabileci-
mento.
A diaria ser de 3-tflrtO e 2.^000, conforme a grari-
dade e duraco da molestia.
As pessoas que quizerem um Iratamento distincto,
pagaraa na razao da despea une li/.erem.
Operaioes, sangujeailgaa, conferencias serao pagas
parle da diaria.
da brasileira, casa de banho, < carroagem sompre
prompla o a disposico dos viajantes. Esleesi
lecimenlo particnlarmeiilo til aos senliores Bra-
sileiros o Portuguezes, pela facilidade de nelle se
usar da lingua deslas na ;oos. As pessoas doentos,
eneouiuiodadas. si rae tialadas coui i-mero por um
dos mais habis mdicos de Pars, qne emprea-
do no estabclocimento : ns procos sao mni commo-
dos, o ser) ico (cito comlimpza eiactidio, n as
senhoras brasilciras cncontraro nosle hotel o ira
.' \. ,. i, .n.x I" lt"*Ul.l.> iriitMI'i! ,l> eMCOIIII.ll.nl
Paa-agoin da Uagdalena 2 de de/embru di-liSaS. i lamento que llies for convenionli
Ur. Ignacio firmo Xavier.
COMPANHIA
2S
Ra do Queimado.
I hapeus do seda para mininas, de niuilo bous o
AcaltlkQIMO ll Pili llk\ikA variados gustos, penles de tartaruga para atarra-
SdlJUctl la ua 1 lid llllflc bello u .S.-V-jim e 'Jj. ditos virados a 10$ e l.lfi,
J.1 A^vmnan anl\n oto nr Iial COinpra SODO eill lama para enanca, porbaraiopr.-.;,., franjas prelas, diUs
\ j > 1* i Oo todas as cores, bicos do seda pretose branros,
a (.)-S a arroba a dinheiro a -"""* ? i,,e -'?^'--
. ', ralo que etn oua iiualqiier parte.
vista: a tratar com o sen ,,.,,. ..msbm
administrador. !ira.iqil.HCSIIi.l.
la
Aviso.
Tliomaz Payro e suasrnhora, tendn de reliror-se
par.) Enropa no vapor Icn, .(ue devn ehegar no
todos os seus amigos efrcioiezes o bmn Ir.llmen-
lo e proleccao que seoipre roceberam dos mesmos
e esperan que na ana volla que nao exceder de
I a 5 muzos, os mosmos seus amigos e freguezes I he
continuaran a prestar a mesma contianca e prote-
eao para com ellesem a sua casa do hospedagem
na villa do Cabo aonde pratendem continuar com
o referido estabelecimento. Approveilamos o en-
sejo ^ara od'erecermns aos nossos amigos os nos-
sos diminutos prestimos no caso de quererem n li
lisar-se dellcs. Oulio sim, julgamos nada dever
nnsla praca a pessoa nljuma, comiedo se algorn
se jutgar.seas credores quoirant apresenlar suas
i nulas em a villa do Cabo que sera iminediata-
inente pagas, romo tambero esliramos que os nos-
sos deredores faran o mesmo.
Itoprimeiro andar da casa n. 7. na prara da
Boa-Vsl fugio na manhia do dia 2 do corrnlo,
urna cadelinha de rara ingloza, toda branca e muito
felpuda : quem a liver acbado ou recolhido a sua
casa,.por favorqueira restitu-la a seu dono queso
ratificar generosamente.
REMEDIO IMCOMPIRAVEL.
tiMiFATO HLl.OWVY
Milharosde individuos de todas s nacoes pdem
Ic-iemmiharns virtuiles deste remedio 'ncompara-
M'l o nrnrar em caso necessario. que, polo uso qiie
delle fizeram lm seu Corpo omembros utoiraiuentr
saos rtepnis de narer empregado intilmente uniros
Iratamentos. Cada pessoa podor-se-ha convencer
ilessas curamaravitbosas pela letura dosperiudi-
| "-, que Ib'as relntam lodos os dias lia muitos u-
os ; o a maior parle dolas sao lio sorprendentes
que admiram os mediros nlals rrlehritf. (Jiianfas
pessoas recobranun rom este, soliera remedio o
uso destina braros o pomas, depois de ter perina-
necido longo tempo nos hosplaes. onde deviam
soffrora amputaran Deltas ha muilus que havendo
deixailn eases asylus de padccimenlos, para spno
siibineiterem essa operarn dolorosa foram cura-
das rniplctamcnte, media'nle o ^drssr prerioso
remedio. Algunas das lnespessrfiia enfnso de
sen recoiihecimento declararan) estes resultados be-
nellcos diante do lord rorregodor o nutras magistra-
dos, allm demaisanleiitecarem sua Hrmaliva.
N'ingueni dosospi'raria do eslsdo de saude se ti-
vesse baslanle ron-nativa pira ensaiar este remedio
onslanlomenre segniudo aigum lempo o Iralameu-
Inquo ncressitasse n natureza do mal. rujo resolla-
do seria provnr incontostaveluiculc : One ludo cura.
O untfuciUu be til, umis piti-ticuliti--
menfe nos soguinioseasus.
ris, urna oulra colleccao de medramenlos inleira-
menle uovos, e OS oais bem preparados possivel,
romo lanibein carleiras mili ricas e livros : assiin,
(piem deseja os vordadeiros medicamentos piule |(ln_
rura-los em seu consultorio homeopalhico oiu Por-
Uiiiubiieo 2H ra das l'.ruzos n. 26.
No dial.* do corrate fugio da paitara do abat-
i assguado un >eu escravo de lime Jos Angola,
idade de 15 a 50 anuos pouco mais ou menos, de
boa estatura, serr do corpo, tem nina perna mais
grossa que nutra, proveniente de orvsipcllas e os
hombros grOSSOS, lem 0 cabello rorladn c rosto mu
pouco opado ; eslava-sc tratando de frialdade este
preto foi esiravo da rasa ingloza do Sr. lldoulac
e bom conhecdo : roga-so a todas as pessoas em-
pregadas ua polica ou pessoas por quem possa ser
encontrado, o atades pegare entregar na ra dos
yiiarleis, padaria n. 18, aonde sero bem recom-
pensadas do Irahallio que o mesmo der.
EslaheleciM em Londres
p se mt*
CAPITAL
Cineo n\\V\\es de Ulnas
cslcrtinas.
"vudia i an aman*iorerdii5 do mez p. p. li-
gio do Rrejode S. Jos terne da villa do Huique e
comarca de Garanhuos, o escravo Venancio, com
os signaesseguintes : pardo, alto, grosso, cabellos
carapinlios, sobraacelhas cerradas, nariz chalo, bai-
ros grossos, principiando a barbar, abaixn do um-
bigo de um lado urna sratr/. de mu i furada. no
peito de um dos ps tem urna cicatriz do mu talho,
idade pouco inais ou menos de 22 anuos, otllrial de
sapaleirn e limito divertido. O ubaixo assgua-
do pede a Indas as autoridades polciaes e capilacs
de campo que o peguen e avise ou mande ao men-
cionado lugar que ser bom recompensado.
Antonio Caralcauli de Andrade.
jj Hora n. 2.
'> i i i t t i i i i i a i i n
Fugio na noile de :tl de marco o pelo Joo,
de naraO Vngnla, idade de 22 anuos, altura regu-
lar, barba crescida, ps grandes o
citados para Ira/., foi vestido lodo
ler morrillo sua senliora, chapeo de pello prelo c
fumo, costana enbreagar-se o por sso talvez lenlm
mudada a roupa: roga-se a todas as pessoas de
polica e capiles de campo que o vircm o proudam
e rondiizam roa da l.adeia do Itocife n. 25, que
so recompensar bem o sen Irabalho. lloga-se ao
lllm. Sr. commandaue do regislrod as suas provi-
dencias, para nao .....barcal- em alguma embarca-
i o que leuha do sabir, pois em oulra fgida que
fez tentn evadir-se licita inaiieira sendo en-
Iregue |ieln lllm. capilo, onde eslava. Protosta-se
c contra quem o proteger para semelhante lili, e
j da meSnia forma contra quem llie vender agurden-
le, que o moiivo de seos desvarios.
Na ra do Trapiche n. 22, caf restauran! do
rommercio, precisa-se de mu bom cozinlieiro e dous
serventes.
Prersa-sa alegar nina miilher forra ou capti-
va para o serrifo inleruo de utua casa de familia .
na ra Nova n. 30.
AMA.
Pvecisa-se de u\a\>veta
captiva de moia idade pava
aiiadeeasa den\Qto\>ouea
familia: tratar na rua da
Queimado n. 46,\tja.
Sannders Brnlhersi ('.."lem a honra de informar
aes Srs. negociantes, proprielarios d rasas, o a
quem mais convior, que esto plonumentoaulorisa-
dos pela dla companliia pan lTocluar seguros so-
bre edificios de lijlo e podra, coberlos do tolha o
igtialmonlo sobre os objoclos que contivercm os mes-
mosedificios, querconsista emmoblia ou emfazen-
das de qualquerqualidade.
Arremla-se um sitio rom exceilenle casa del
vvenda no lugar da Torre margen) do rio Capiha- !
ribo confronto estrada do llaiiguiilio, cuja casa
alera de ser edificada com muito goslo o ser cnlloca-
i-alcanbares n- ,|., Pm llm p0lllo je vsla agrjaVel lano por dola .
ilo prelo por loo ; avislar-so todas as casas da Capunga. I'assagom e:
Punte de L'choa, coium Isaas de ;MI palmos qua-
ilradoscada nina, sendo aforradas de rico papel el
o celo de estuque, 11 quartos, sendo :'i torrados de
papel v o ledo de estuque, cozinha fra, baslanle
osparnso, cocheira para :l carros, quartos de cria-
do o de prclos, eslribaria {i.irat}cavados, (tasa para
gallinhciro e animaos domsticos, 2 cacimbas, u-u.i
com excellenle agua de beber, oulra com bomba,
da qual delta agua para a casa de banho que lira ao
pe, jardiii) rom figuras e jarros de Ion. a linos, mu-
rado na frente com porlao de ferro, baixa de rapim
que suslenla annual dous cavallos. pomar de lar.ui-
geiras, selectas edei;flwBo, alem de oulras frur-
CASA DE BAIVHOS
ti
Ncslc estaboleei.....nlo de 15o grande ulilidade haver lodos os das desde as II horas da manha
al as 10 ou 11 liaras da noiic bauhos fros simples de agua rorreiite da Companbia do Boboribe, ditos
aromticos, ditos de choque o cbiivisco. banlios niornos niinides e aromalicos. a-.-ini cono banbos ine-
diciuaes snlphorosos e salgados, \indos de Paria, das mu acreditadas pharinacias de Mes. Sarband,
Vaiiipielin e l'elleterl'ai c Filhos.
i.h.-iiiiainos a attencio dos lllms. Srs. Drs. em medicina para este eslabelecimenln. que peder
farillar-lhos ulgumas curas importantes, lia lugar reservado o completamente separado para as fa-
milias.
Vende-sc por li&Wtuna osi raa cabra escura
de 5H) anuos, a qual cozinha o diario o boa eusa-
hoadeira : ii" paleo de 9. Pedro u. fl.
Ileseja-se arrendar um engenho que tenha boas
Ierras, escravos e anlnaes, e nao se pora duvida em
pagar algims anuos adiantados : contrata-fie ua rua
da Guia U.64, segundo andar.
Precisa-se de una ama forra ou captiva para
casa de pouca familia : na rua do Caldeireiro n. 60.
Olcrece-se para caisciro de escripia outam-
bein para ensinar primeiras letras em qualquer
parlcdesla provincia, um oco bstanle haeilila-i
do para laes eiuprego-, o qual j foi astudante, lem
coiiheciuo-nto de algtius preparatorios, c sabe h'r, !
escrever e contar : quun aelle precisar, queiral
aunuuciar sua inorada, ou diiigir-se a rua dos l'ra-
leres, rasan. 14, que so dir quen .
Precisa-se de urna ama para cn/inhar o engom-
niar: na rua Novan. 10, loja.
Vrei-isa-se de una ama forra mi eerava, que
saiba co/iibar o eugoiumar : ua roa do rabtig n. 8,
segundo andar.
GABINETE PORTUGUEZ
A (tirceloria do Gabinete Portugnez de Leitora,
liando .'in ronsidorarao a ordem p n'gularidadi1 qui-
deve harer no pslab^leciiutfnto, avisa aoJ Benhoma
oseociados, queiramtora hondada to mandar cn-
Irogar nu bihliiithoca iis livros sabidos para letura
at o liin de fevereiro prximo passado.
Secretaria 18do marro de Ift.OS^seciviario
Jos F. arrotle.
Compra-so nma casa lorrea no bairro de San-
io Antonio uu nos limites do S. Jos cora o de Santo
Antonio : a nesetoa que tmr, poder halar o no*
gocio na ruado S. Joscu. 5.
Comprare nmaesrrava deiuoia idade, sendo
sadia, s.-iii vicios noni achaques, nossa^uli*, enrbora
nao lenha luibiUdadcto: naiia da i-iu/ do Kccife
i,.:.
Compram-se em rasa de K. 0. Biclter*& i*.,
ma da Cruz n. oncas hcspanfiolaH, mexicana,
soberanos < modas pttriuguezas V (7't(i
Vendas.

DENTISTA FRANCEZ. J
^4 Paulo Gaiftnoux, dentista, rua das I.a- -.6^
<* rangeras 15. Ka mesma -asa ten agua e "-
. denliliro.
tmmmi; :::: i
X
DO
leirasdn paiz : os pretenddiilcs dirijaiu-se ao alerro
da lloa-\ isla u. 2, segundo andar.
Anjos para procissao.
Na rua da Cruz o. 51), por rimado escriptoriodos
Srs. SefC Filhos \C, veslem-se aojos para procis-
sao. com o maior aceio e gusto, o comumdo preoo :
na mesma rasa acbam-se vestuarios bordados, re-
rebidos pelo vapor ingle/, o pnrlantn quajquer pes-
soa que queira urna llgura ricamente reMU.-i, pede-
r drgr-si: mesma casa, onde sero salisfoitos
seus desojes.
Arados americanos e machinas pa-
ra lavarroupa: emeasade S. P. Jolins-
ton & C. rua da Senzala n. i-2.
Iiesapparcceii urna canoa de carreira, matri-
culada com a letra M.taboa de popa : quem a li-
vor acliado ou dalla tiver noticn participe na roa
da C.adea n. 13, escrinlorio do Claudia Dubeux,
que ser recompensado.
Precita-se de urna pessoa com lia-
bilitacfies bastantes para contramestre
em loja de alfaiate : na rua da Madre de
Deosn. 36, primeiro andar.
T | V OMU U" 1IIIIO I IIUI I I I I I I I I I I I II i
Francisco^ del'aulaFigneirade Saboia vai ao t leza : na ruada l'raia n. A:i, primeiro andar.
m deroiro, por ba-
Utra qualquer parle :
.. squerdn n. 40.
Santos Jnior, e em 3," ao Sr. Monsen Vinassa. No dia 2 de marco, 1." o de abril, depois
Na rua das r.ruzes n. 21_,prrQisa-se de iiinine-i da audiencia do Dr. jui'z de orphios, lem de ser
Confronto an Rosario, coneiUriaSB A, recben-
se doce lino do goiaba.
Cralllica-ae com IIIHM a pessoa que der no-
ticia exacta do logar u'esla provincia, ondefallcceu
Roberto de .Vraujo, natural de Santarem em Portu-
gal; do qual apenas consta, que resida a 3 ou t
legoas de distancia d'esta cidade ao lempo de seu
fallecimenlo, isto em 1865 ou 1850: na rua do
Vigario li. 33. ou anniiinie por este Diario.
Precisa-se do um feilor para um sitio porto
da praca. a tratar na Irarcssa da Madre deDeoj,
armazem n. 21.
Agencia de passa-
porles.
Claiidno do llego I.ima tira passapnrtes para den-
tro e tora do imperio, por commodo preco epres-
Vende-sc por 1:500$ una escrava de21 anuos,
a qual cozinha, engonrma e lava: no pateo do S.
Pedro n. ti.
Chapelliohas.
I.indas cliapelliiihas com veo para senhoras o
mais moderno que lia .uu Pars: em casa de J.
Falque,, ruado Crespo u. 4.
Vt-ndcm-se5 qnartos na)os, gordose mansos.
de raiga e roda, 7 egoas tanibem novas, gordas e
mansas, de carga e roda. 2 polios, (i bois novos,
gordos, e de mea lourina, bastantes grandes c
mansos, de carro e crnica,e 1 euros novos ; quem
pretender dirija-se ao eugenli) Foruo da Cal, Con-
tiguo aOlinda, onde achara com quem tratar.
PAIRA
QLARESMA.
Na loja da empanada encarnada, rua do Queima-
do ii. :!T. acaba de receber ltimamente oe Franca
un completo sorlinieiilii de la/indas prelas, pro-
pnaspaia os arlos da semana sania, bem como
sejam, ricos cortes de vestidos de gro.-denaple pre-
lo, bordados a n lindo e a retro/, manteletes do
grosdenaplu preto, ricamente entallados, manas
de fil pelo e los prelOS, fazeiiila muito superior, a
melhorque na no mercado, grosdenaple prelo de
incitas qualiiLades, um complelo ,-oiiiinenlo de
panno uno prelo o de casemra pela para todos os
procos, o ludas oslas l'azendas se vendern por me-
nos preco do que em nutra qualquer parte ; lm-
belo se alian, a do servir o agradar com toda a deli-
cadeza todas aquellas pessoas que froquonlaiviii
este estabelemenlo.
Pianos.
Vcndcm-se pianos fortes do melhor
gosto e modelo que tem vindo a este
mercado e por prenu commodos: na
rua da Cruz do Hecile n. 50.
MU
coberlos edescobertos, pequenose grandes, deou-
ro palele ingle/, para hoinen e souhora, de um
dosmelhores fabricantes de Liverpool, viudos pelo
\ endei na bija de Nabuco & I"., na rua NoTa
ii. l. r...... manteletes de seda pela para senliora,
chales de blond prelo bordados, basquinas de
blond prelo Iwrdadas, maulas de blond prelo bor-
dadas e eolias militas [azoitda proprias para a
quaresma.
Veudem-sericas e mais modernas chapelina*
de suda para soiihnra, chapeos de palha enfoilados
ron pluma-, ditas d palha escura e cin/.enla,
cltapelinasde seda para meninas, ditas de palha,
chapos de palha onfoilados. para meninos, dilos
de palha. gorro-de velludo para monillos, chapeos
de castor preto com pello rina ingloza,dit06brao-
Co raspado,ditos de seda para lioiuem, chapos do
r.hvli para homome meninos: na lua de Nabuco
A:C., na rua Nova n. 2.
Vende-se ua loja de Nabuco & r..na rua Nova
ii. 2, casavequesde fustn bramo para senliora a
189, dilos de masselina a 12S. dilos de cambraia a
!'!*, ditos do fuslo brauco para meninas de 8 a l'
anuos a I ff, ditos de cassa lisa com bicos e ren-
das, ricas sabidas de baile de casemira bordadas a
velludo prelo o dt cores, proprios para gnlla o ca-
savequesde senliora, ricos eufeites de froco. lils o
de relio/, para senhora, e oulras militas fazondas do
gosto que se rendem por procos coniuiodos.
Veudem-se capachos grandes e pequeos pro-
prios para sala: na loja de Nabuco & C. na rua
Noi a ti. 2.
Vende-se urna armario toda envidrarada, por
valor de madeira o rtdros, e mais um armario: na
rua da Cadeia de Sanio Antonio u. 11 1!.
Vende-se a elegante casa le-rea cora soto na
rua do Palacio do Hispo, rom bstanles eomsMHtoa,
edilicadaha pouro lempo, com um grande quintal
coni bastantes arvorodos de frurtos lodos muito no-
ves, nma escolenle cacimba com boa agua, lendo
um portao para a rua dos Pires, e os pretendemos
poderao examinar: a tratar na praca da Hua-Visla
u. 1 i, taberna.
Em casa de Brendcr a Rrandis &
C, rua do Trapiche Novon. 10, vendem-
se cltat'utos da Buhia da afamada marca
forma de llavana, primeira qualidade ;
genebra em frasqueiras especial para c::sn
de particulares.
------- -^ ---------^ -----.-_. .....,., ,, i t. iii.iii.i t nuil ia. i -1, i-iii
Ceara a tratar de sua saude, o dcixa por seus proeu-1 l.ava-sc e engomma-se ion
radnres em 1." lugar an Sr. Francisco Ferreira Oo- i ralo prcro, o mais do que cm Ou
mes de Mone/es, em 2." ao Sr. Franrisro Jos dos i na Camboa do Carino, lado esqi
I

Alpnrcas.
laiiinbras.
Callos.
Cancert,
'.orladuras.
"ores dicibica.
das costas.
dos memhros.
l-'tifermidadcsda cutis em
gerai.
hilas do anus.
Erupcs e esrorhutiras.
Fstulas noabdotrf n.
Frialdade ou faltado calor
nas extremidades.
Frieiras.
lengivas escaldadas,
lucharnos.
InllarriarodoRgado.
da beziga.
Inflammaro da maslriz.
Lepra.
Males das peritas.
dos pellos.
-rdo OlBos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Pulmoes,
Ouoini.'ulelas.
Sarna.
Supuracoes ptridas.
Tinha, em qualquer parle
que soja.
Tremo)- de ervos.
Ulrerasna bocea.
do ligado.
dasrticularrs.
Veias torcidas ou lindadas
nas pemas
PRECO DOS I3AMIOS.
liuho.
Vende-se eslB ungento no eslabeleciiiienln geral
de Londres n. U, Slrand, o na loja de lodos os
iK.lirarios droguistas e outras pessoas enrarregadas
de .sua venda em toda a Amenca do Sul, llavaua e
ffospanha.
Vpnde-se aSOOrs. rada borelinho, rnntin una
insirurcao em nnrlugitez para omodode fa/er smi
oeste ungento.
O deposito geral he emeasa do Sr. Soinn, pltar-
maceulico.ua rua da Cruz n. em Pernambco.
y
m FERBEA
Trinla carios para banbos trios com bucl de d-
Oninzo dilos dito dito......'..........
Solo ditos de dito..................
Trinla ditos para banho momo do choque, chuvisco ou Carolo com
lriiil de linbo e toalha propria.............
Oninze dilus dilo dito................
Sol dilos dilo dilo.................
Fin banho avulso fri ou momo com lenco! e laallia......
Hilo aromtico, mais o valor da rsseiicia..........
Banho medicinal artificial salgado............
Hito dilo dilo de Vidiy................
Dilo dilo dilo de Bu reg-................
<>s abaixo aasignados esperan merecer
carines nao sao transeriveis.
i:.S rsjniMi
Si'ii'l
20Rn00
lfOtH)
rooo
isooo
1O00
2S0OO
2SU00
a coadjnv.'icao do respeilavel publico, o adverleni, que os
Agni'tr \ Prtist
" XIX
PF.DRAS PRECIOSAS.
I.oj:i de nurives
RUADOCABUGA' N-7-
Recebem jior totltis os
gosto lauto de Franca
romo de Lisboa, asquaes
vendem por prcro i-oin-
Adoreros do hriihan- ) -
^5 les, diamantes e perolas, ;-
3 piilceiras, alunles, brin- K
o^ eos o rselas, hotoca e \,
'; atinis de dilTerentesgos- '-'
:; tos o io diversas pedias ; vapores da Europa as
-; de valor. *
- obras do mais moderno
Compran, vend^in, , tnn-.iiii prala, onro, bri-
lh.Tiiii's, diamaHles pe-
? rolns, o uuliiis t|u;n'squpr
--.; oas i valor, a dinhe-
--'-. rus ou jmr obras. V"
yrrfTV modo como coslmnam.
*
OIUO E PBATA. o
Adoroeos rompilos de y
ouro. meios dilos, pul- ;.-
reiras, ,-iiiinetes. briurus ;;_;
e rosetas, rordes. Irn- U
sotins, medallias, corren- p
"i les o enfeites para rolo- ''
oJ gio o ostros mullos oh- "
- ; jertos de ouro.
Apparelhos completos
de prata para ch.'i, han- '-
' dejas, salvas, caslicaos, ,-
i cullieres de sopa e cha n '
~ multasoulrosobjeelosde '"
2 prata. j
. ;; .:.
DENTISTA DE PARS.
nio para raixeiro, o qual afiance suji conduela.
Precisa-se de l:tflt)$a juros por 12mezes, dan-
do-se por garanti 5 lindas crias de 1 a 27 annos,
mulattnho, mulalinhas e rrioulinhas, ludo por nina
escriptura dehvpolheca: quem liver e quizer dar
aniiuncie para ser procurado.
Kusebio Antoni
ropa.
O abaixo assignado faz prsenle ao respeila-
vel bublico c cspecialnienle a Ilustre corporaco
c.ommcrcial desla prara. quedesta data em diate
gyrar o seu escriptorio commercial de commissoes
agrenla e especulares na rua da Madre de Dos
n. 7, sob a firma social de liego & Almcida ; por
ler o abaixo assignado admitilo como seu^ocio ao
Sr. Augusto tintino de Almeida, o qual licar en-
rarrogado de toda a gerencia da dila lirma. Becife
1." do abril de 1880.Jo*< Dimite Uticeiva llego.
Antonio Fernandos Fradique reiira-se para
Portugal.
Precisa-se de dous homens portuguezes, gol-
leiros, para Irabalharem cm um sitio porto desla
praca na rua da Cadeia de Sanio Antonio n. 1 I).
0 Sr. Georgo Frederiek f.ollier, relira-separa
Europa,
O Sr. T. B. Rroune, retira se para F.uropa.
Sr. Tboina/. Heyaood, retira-se para Eu-
ropa.
Os amantes da boa pitada acharan sempre ra-
p fresco, princeza do Rio, grosso e meiu-grosso, e
Mearon : no aterro da lloa-Visla, loja nova n. 74.
arrematado por arrendanieiilo annual o sobrado
2 andares silo na rua Augusta n. 2, pertencenle aos
herdeiros do Uado Joao Francisco da Cruz, a re-
querimento do tutor.
Precisa-se alegar una prota para o servico de
una s pessoa: ua rua do Amoriui n. 33, segundo
Marques relira-se para a Ku- '. andar.
Attcnrao.
Aluga-se urna grande casa terrea e de soto, na
Ilha dos Ratos, contendo i salas, 2 gabinetes. 7
quartos, cozinha fra, carimba, quintal murado,
propria para numerosa familia : a tralar na mesma.
Jos da Silva Saraiva vai a Europa, e doixa
por seus proruradores, em primeiro lugar Jos Al-
ves I.ima, em segundo Francisco Jos da Silva Sa-
raiva, c em tereciro Patricio Jos da Silva Saraiva,
PKHDA.
Ouarla-feira 3 theatro de Santa Isabel, perdeu-so urna pulseira
de ouro de le do seguiutu modello : laro liso puro
rom um onnel lavrado : quem a achou, querendo
entregar ao seu rerdadeiru dono, dirija-se a ruado
Vigario n. 10, loja, que ser recompensado.
Nos dias 29 de mano, 1."e o de abril, depois
da apd:encia do juizo d<; orphos, ten) de sorcm ar-
remal.-idas jior arrendameiito annual as casas ter-
reas sitas na rua ao Alecrim us. U e 16, dita na roa
de Hurlas n. 78, perlencenles aos herdeiros do fina-
do Jos alaria de Jess Muniz, a requcrimento do
tutor, sendo a arremalai-iio ellectuada na prara do
dia 5.
ultimo paquete ingl
lors & 6 "
i-m casa de Soulball Mel-
de Sannders Brothers & C,
, relogios do afanado fabri-
f DO
RECIPE k S. FRANCISCO.
A romparlhia scaclia prompta a receber propos-
tas para a condeao dr urna grande quantidade de
irilhos e outros naleriaes pertencenles a mesma
via forrea (ja lilloil das Cinco Ponas, onde preseu-
leinente se acMna; ao lugar chamado Boa Sirca ou
Bertioga, silo no rio Ipojuca.
As propostas'deverao ser enviadas por esenpto,
marcando o prera por arrobas inclusive carregar o
descarregar o peso que pode sor condu/ido porra-
Jt da baniica, o maior numero dolas que se poder erh-
\ pregar oeste servico assiio como o lempo gasto m
cada viagem,.
-T.srnptor^des engenheiros na villa do Cabo 10
de marro dlKb).
W. U. Peniston,
F.iigenheiro cm chefo.
VIA FRREA
no
Recite a S.
A eompanhia precisa eanregar 900 obreirns ad-
dicionaes enlre a villa do Cabo e tilinga, e offereee
as soguintes vaqtagens.
F.st resolvida a contratar os sierros em lances
pequeos, por procos que garanlem maior lucro
aoa coniratadores, do que o que se realisa pelo Ira-
balho diario.
tmpregar-so-hio todos os homens de forca e ar-
teros por um preco proporcional equivalente 13280
rs. alarios.
Cnntratar-se-hao pedreiroj, carapinas, ofliciaes
de pcdreiro, ferreiros, assim como oulros mechani-
cos, mediante condicres favoraveis empreitada
ou mediante paga diaria CoiTespondenlc, no caso
quo preferiram-,
Haverao moradun) para osobreiros, cilios manti-
meutos serao transportados gratuitamente da esta-
cao das Cinco PonUs aos pontos das sitas moradas
pela linha. Tambera se conceder urna passagem
hrre ao Raeife para lodos os qne forem emprega-
dps, para ida e vKa nos sabbados, depoig de feito o
pagamento ; asSim romo a todo tempo se dar pas-
se livre, de 20 homens, a uta, para o 0m de com-
prar manllmehtos.
Escriptorio dos engenheiros qa villa do Cabo 10
demarco de 18S9.
W. H. Pemi,n,
EageDheiro em chefo.
Irederieo Gsintier,
cirurgiio dentista; rom pralira de seis annos no Rio de Janeiro o tres na Rabia, alem do quena sua re-
cente viagem a Franca pralicou dous anuos como ajudanle nos gabinetes dos primeiros dentistas de Pa-
rs; e enriquecido dos aporfeiooamentos c descoberlas mais modernas qne se tem feito. lem a honra de
annunciar ao respeilavel o Ilustrado publico que acaba de ehegar a esta cidade aonde pretende filar a
sita residencia e pralicar todas as operaroes da sua arle, laes romo limpar, limar, chumbar o tirar den-
les, Irabalho este que executa ron su rama habilidade. Chumba denles com OURO Pl'lto quando o per-
mitiera o estado e a conformaciioda caria, e nos mais casos eiuprega urna nova composh o branca como
o dente, fazendo corpo com elle, com a qual a ebumbagem se faz sem pressao nem ddrs. que nunca
se altera nem muda de cor. Colloca denles artificiaos com perfeieio at boje desconherida nesta cidade
os quaes imitam tambora os nalurses qne nao so podem dilferenear e preenibem lodos os seus fins, lau-
to pora a falla c a masligacao como para romper as fricos do rosto. Por isso, julga-se estar em rir-
cumslanrias de allrahire merecer cnnlianra, o conrida'as pessoas entendidas a dignarem-se hnnra-lo
com a sua visita para se convenceren! da suporioridade do seu Irabalho.
Arha-se no seu gabinele lodos os dias das H horas da manhaa al ao mel dia COM CF.RTE7. V o
at as < da tarde quando nao liver de ir em rasas particulares.
r*

i TEDRAS PRECHISAS.
Adereros dobrilhanlos,
diamantes e perolas,
pulseiras, altinelos, brill-
os o rosetas, botos e
neis de differe'nles
gosUis o do uiagnilicus
brilbanles.
Compran), vondem e
Iroram prata, ouro, bri-
lbanles, diamantes e pe-
rolas, e oulras quaesquer
joias de valor, a dinbei-
j ro ou por obras.
iLehmann & E. Iiiiik
JiLIIKIROS
Hotel inglezsala n. h.
Kecebeiu por (mos os vn|o-i
! res ila Enropa c to I!o de Ja-1
Janeiro obras do mais moderno(
f^osto, lano de Franca como
i desla ullima capital,"as quaes!
M'iiilciu tom loda a garutiS
ii.i qualidaile dos nietaes el
)das petlras, e pelos pretos;
mais commodos possiveis,;
\ lonilo sempre disposico dosj
i fre^nezes um bello e i a ciado i
sorlimenlo.
I RO E RELOfilOS.
Adoroeos completos de
ouro, meios ditos, pul-
ceiras, allineles, brincos
e rselas, conloes, trau-
celins, raodalbas, cor-
rentes, enfeites e corren- '
loes de ouro para relo-
gios, e nutras muins
obras de ouro ede coral.
Relogios palele inglez
dosmelhores fabricantes,
dilos suissos, tanto de
ouro romodeprala.chro-
noinetros e meios ehro-
nouielrus e lambein re-
logios horisonlaes de mi-
ro e de prata. Vendein 9
trocam.
PERNAMBCO
CIDADE DO RECIFE
COLLEGIO D'AURORA.
DIRECTOR 0 PROFESSOR JUBILADO
Silvano Thoniaz de Souza Magalbaes. ^
e rom esperiali-
siia saude. assim
dedicado
reforma, que
secundaria o
CASA DE SAUDE
SITA EM SANTO AMARO.
os
nodaroes para se irolatcm doentes de qualquer rathe-
Nesto estabelecimento Ma as melhoras ac:
goria e sexo.
A diaria menor he de 2)500, devendo o pagamento sor feito por quinzenas adiantes.
Havr o maior 7.0I0 e empenbo no tralameoto dos doentos os quaes sero visitados pelo menos
duas vezes por dia pelos mdicos proprielarios do estabelecimento.
O director desle e.-labeleciinenlo avisa aos senhoros pas de fanlis
dado aos seuhores pas de seus eollegiaes que se acha reslabelecidu de
como na conliouacao da directora do seu rollrgio.
Sempre solirito no inelhorainenlo da inslrueco de seus discpulos, i qual
a Si anuos, aprsenla agora ao respeilavel public en resumo oquadro da
julgou adoptar para oprogresso da eduracae da nweidade que Ihe confiada.
Arligo 1." A iustrurcao lira dividida em tres classes ; sendo primaria,
recreativa.
Arl. 2." A inslrucciio primaria romprelicndc .-
1." Ler e escrever';
2." Principios geraes de moral ;
3." Doutrina rhrisl ecivilidade ;
4 Ksenicios graiumaticaes.
5." Nocoes de arilhinelira ;
6." Sen dcsenvolvimeuto em applicaroes praliras; quer om inleiros o quebrados,
quer em decituacs e regras de proporcao ;
7." o sjrstemados pesos e medidas do imperio :
8.* Elementos de geugrapliiae historia, com eapeeialidade a do Brasil ;
9.* lieometria rectilinea.
A radeira de instrurro primaria regida pelo Sr. Manoel Franisro t'.oelbo Jnior.
Arl. :t A instruccao secundaria compsebende :
1." Analyseda graiuinaiica pbilosopliia de leonvmo Soans Barbosa. Ksla eadrira
. regida pelo Sr. Manuel Barbosa de .Vraujo, acadmico do primeiro anuo da faculdadc de
direto desla cidade e professor publico da provincia de Sergipe
i." Latini.Ksla cadeira regida pelo Sr. .Manuel Francisco Coolho, professor publico
da Ereguezia de S. Jos -.
S. Francez, lulo, eseripts e fallado. F^la cadeira regida pelo Sr. Dr. om bellas le-
tras Joaquim de Oliveira Souza, professor particular ;
1." Inglez, lulo, esrriplo e fallado. Ksla cadeira regida pelo Sr. I.niz do Xasciiiieu-
10 Mavigner, acadmico do Segunda anuo da faeuldade de direilo desla cidade :
5 Aritbmelica, algebra o geometra. Ksla cadeira o regida pelo Sr. Dr. em medi-
cina Augusto i'.arneiro Monlciro da Silva Sanios, prulessor particular ;
6." l'hilusophip rarional e moral. Ksla cadeira regida pelo Sr. padre mostr
Joao do llego Moma, professor publico do liro da provincia da l'arahiba e acadmico do
tercriio anuo da faeuldade de diroiiu desla cidade;
7." Ilhelorira, potica analvse dos rlassicos. Ksla cadeira regida polo Sr. Dr.
Antonio Rodrigues Torres Bandeira, professor publico do gymnask desla cidade
8.u Ceographia a historia.
Arl. i. A instruccao recreativa comprehonde:
1." Dansa. Professor o Sr. Uanoel Francisco de Sonu Magalbles;
2." Msica vocal e instrumonlal. Professor 0 ltvm. padre meslre Primo Feliciano
Tarares -,
3." Desenlio.
Arl. 5." Condiecoos de entrada :
Velo auno lectivo em qualro pagamentos adiantados;
Os alumnos internos a quem o director fomecer medico e botica, pagaro re-
gulando cada quartcl na rtzo de lOD................4901000
Aquellos cujospais foriiecerem medico e botica pagaro regulando cada quar-
tel na razao de 90f. *.....................360201 K>
Os semi-ioternst pagaro regulando cada quartcl na razio de 54$. '. '. 2164Kk)
11- externos pagarn adiantados mensalmentu por cada una das aulas. 5atMK)
Art. 6. 0 collegio d gratis i todos os alumnos internos e semi-iiilerdos una aula
todas as mais sero pagas na razao de 5S em quarteis tambem adiantados.
O director apioveila o ensejo nao so para ainda dcsta vez agradecer aos Srs. pcis de
seus alumnos o honroso 1 onceito que selle sempre nao deposilado, romo lamhem aluancar-
llus que seus disvelos o cuidados nos meios de promover u ndianlaiuciilo de seus eolle-
giaes jamis arrefecoro um s instante.
Vendo-so em casa
praca do Corpo Santo
cante Hoskell, por procos eouimodoa, tambein
trancellins o cadeias para os mosmos, de excellenle
gOStO.
Nova iflYentfio apeifeicoada
DE
Bandes ou al mofadas
de crina para ponteado de
senhoras.
Na loja de l.eile & Irmo. ua rua da Cadeia do
Recite n. 48.
Para forrar carros.
J^ Vende-sedamasco de seda de bonitos
yej goslos e muito proprio para forrar carros :
5.(5 na ruado Cuspo 11.12, loja de Campos
':{', I.ima.
Pechincha agora
quaresma.
Ovasfresraes do ramorim viudas dr/Acaratu na
esquina da rua do Collegio taberna n. por 29 e
2:500, seno andarem com presas acabam-se.
Chapeos de palha escura para
homem por precos baratos.
Na bem eonhecida loja da boa fe, na rua do Quei-
mado n. 22, encontrarn os bonsfreguez.es um com-
plelo sorlimenlo de chapeos inglezes de palha escu-
ra de formas inteiramente modernas e bonitas da
ultima moda. Toruam-sc recommendaveis porse-
roru mui leves o. frescos para a prsenle eslaco :
vendem-se pelos baratissimos preoos de 4$ e "$,
vondem lamuein rbapos o bonels da misma quali-
dade para meninos a 3$ 3|600.
Eiu casa de RaLe Schmettan & C.
rua da Cadeia n. 37, vendem-se elegan-
tes pianos do afamado fabricante Trati-
miinn de Hamburgo.
Os jesutas.
Sabio luz osla bella o inlcressanto prodcelo
da jienna do Dr. Ildefonso Manes (omine?, e arha-
se desde j venda no largo da ludependonria ns
fi e 8 na rua do alerro da Boa-Vista 11. 82. loja
de miodo/as : no caf-do Sr. Paiva, rua da Cadeia
de Sanio Antonio, o em todas as livrarias desta
cidade, a 2| o exemplar.
Caf a vapor
\a loja do Yianua.
Da chegado nesta loja uni riquissimo sorlimenlo
de machinas para fazer caf, em um tpiarto de hora,
approvadas ua ultima SXposicaode Pars pelas suas
boas qualidades, vende-se por prcros muito com-
modos : ua rua Nova 11. 20.
Gheguem lojado Sertanejo
Rua do Queimado
n. 43 A.
Qne rira pcrhinrha para a quaresma se 03l aca-
bando, bem romo sejarn : rorles de vestidos de seda
prelos rom 3 saias o melhor que podo haver no mer-
cado pelo commodo prero de 508, 60S o TOS, gros-
denaplcs de todas as qualidades a 12100. 1S500,
1S600, i|700, lg8tK), lgiloo, 2,2S2I10,2$IO!) o 2K)
e muito lino de 4 palmos de largura a 29SOO, inan-
ias de blond prelas a 10<, ditas muito Huas o me-
lhor que lia no morcado ,1 16$ e 189 cada urna,
meias prelas de seda a 2600, ditas brancas a 230OO,
23S00 e SJ, ditas de laia para padre a 1S"00 o 2S,
sarja piola hespanhola de duas larguras alSOOe
2,-5200, paretots de panno lino forrados de seda a
SOf, ISt < 2S. pannos prelos de todas as qualida-
des, velludo prelo e de cores, seda preta lacrada,
dita branra, manas brancas de blond a T$ e B$300,
ricos enfeites de vidrilho do ultimo goslo a is, g.
ti,S, g e los, ricos osparlilhos do melhor goslo que
pode haver de carrllel a8S,9g c IOS ; assim como
sejam obras feilas de todas as qualidades, pontos de
tartaruga a Imperalriz o melhor que pude haver, c
tudo mais (fue se pode procurar se acha nrsle es-
tabelecimento a vonlade do comprador ; garnte-
se Tender mais barato do que em outra qualquer
parte.
Farinlia, milho e
farelo.
Vendem-se sarros grandes o pequeos com fari-
nha da Ierra, milho c farelo de Lisboa, ludo por
commodo pceo: na taberna grand da|Soedado.
Relogios.
Relogios patente ingle*, por um dos mrlhores
fabricantes de Londres : vende-se na rua do Crespo
n. 19, primeiro andar.
Grande sortimento de fa-
zendas pretas proprias
da quaresma.
Vestidos de grosdenaple preto com
babadns bordado a velludo. ... g
Dilos ditos preto rom babados borda-
dos a seda......... S
Dilos ditos de cures o branros. $
Dilos de cambraia bordados ao lado f
Velludo pietoo melhor possivel, co-
vado............ 550O
Crosdenaples prelo liso, covado Igt'HKI
a............ 22600
Dilo prelo lavrado, covado !ti 22100
Setiui preto macan, covado 2g800 a 5JJ0OO
Sarja preta hespanhola, covado 2$ a 22501)
Grosdenaple liso de todas as cores, co-
vado........... 18800
Dilo de quadrinbos miados, covado 1gr>(H)
Dito branco lavrado, covado 1,2200 a 2j00
Dilo de cores e prelo com 4 palmos
de largura......... 1S50O
Belleza da China e mauritana de seda,
corado.......... 12400
Follar de Pars o clialy de flores, co-
rado........... 1J000
Popelina de seda e duqueza de flores,
covado. ....... 900
Frondelina e barege de seda, covado. 600
Mein velludo prelo ede coros, covado 1S2XO
Velbulina decores e pela, covado TOO
Chitas francesas claras e escuras, ao-
vado 280 a......... 30
Panno prelo e de cor fino prova de
limo, covado 3S500 a TS500
Casemira prela setim, covado 1$900 a
Arlandys de novusdeseiihosfinas.vara.
Cassaslrancesaa linas, vara. .
Maulas de blond prelas e brancas. .
Ditas de liuho o mais rico possivel.
Chales de merino lisos de cor c prelos
Ditos de dilo estampados de 3jj a -
Ditos de dito franja de seda ....
Ditos de dito bordados a seda e a vel-
ludo.............
Ditos de seda pelos roxos e de cores.
Lencos de labyriulho finos de 1$ a
.Manguitos e gollinhas bordados linos.
Knlreineios e liras bordadas. .
Golletes de velludo e casemira preta
bordadas........- .
Ceroulasde brim de algodo e de li-
uho de 12600 a ......
Camisas francesas brancas e de cor
de 2j a......... 32000
Casinose sobrecasacos de panno pre-
to lino. ... ..... $
Palelols de panno preto e de cores,
franrezes......... %
Cabs de caseniira prelas c de cores. S
Odelos de seda de varias qualidades $
Chapeos francezes direito.se a Tamber-
lick........... S
/"alelots do merino setim pretos e de
cor forrados........ 'J.sOOtl
Dilos de alpaca prela o de cor rom
golla de velludo...... 8S00O
Dilos de brim brauco o do cor fina. (igOM
Dilos do alpaca de varias qualidades
r..... golla de velludo..... fiSOOd
Dilos de alpaca prela o decor mesclada 3JB0O
Pausando o neceo da Congregaeo, doladodireiio
em seguimenlo para o Livinineiito a quarla loja de
Iros portas com rtulos braueos.
1|M8
640

,.'
twl
"--" ,-v ._. -r

Vendem-se as verdadeiras luvas de Jouvin, tanto
para liomem como para senhora, pelo baralissimp
proco de 25500 o par: na rua do Queimado, na bem
eonhecida loja de miudezas da Boa Fama u. 33.
Na loja da Esperanca,
lina do Queimado n. 33 A,
vrndem-se para a quaresma todas as fazendas pro-
prias desses actos, e especialmente franjas prelas
com vidrilho, largas o eslreitas, de 600 alga vara,
ditas sem vidrilho a 4U0, 500 e 640 rs., e Umb.Mii
mais estrellas a 320 a vara, traneas rom vidrilho
proprias para as manas em uso a 640, TOO c 500 rs.
a vara, enfeites pretos com vidrilho ai e 59, ulli-
iiin gusto, litas de velludo largas e eslreitas a prc-
ros commodos ; na mesma loja se enconlrari mui-
tos objoclos, diversas miudezas que at boje tooiu
sido exclusivas de coitos eslabeleeimentos desla
praea : lodo o sorlimenlo em porfumarias, pos,
opiat, extractos diversos, leite virginal, pommada
regeneradora, imperial, agua de Colonia de diver-
sos fabricantes inglezes r? francezes, sabonetes, cor-
merhiques, escovas, cspelhos, pentes, elr.
mUCHINISMO
PAR
\;i fundiro de ferro tio engenheiro Da-
vid \\. Bowman, na rua
do Bru, passando o chafariz.
Ha sempre um grande sorlimenlo dos seguintes
objertos de mecanismos proprios para engnuhos, a
a saber : moendas e meias mooiidas da mais mo-
derna consiruc o ; tachas de ferro fundido e bati-
do, de superior qualidade e de lodos os tamanhns ;
rodas dentadas para agua ou animaos, de todas as
proporres ; rrivos o bocea de foroalha e registros
le bo-iro, aguilhoes. bronzes, pnrafnzos o eari-
Ihoes, monillos de mandioca, ele. ele.
NV MESMA FI.NDigO
se execulo todas as eucommendas rom a suporin-
ridade j eonlieiida com a devida presteza e i-oiii-
modidade em iireeo.
"k


4
Farinlia de trigo
SSSF.
Fernandes i Filhos tcm superior farinha de tri-
go da marca SSSF rhegada antes de hnnioni que
Tendan pre.;o minio em conla : do s.mi armazem
ra da Cadeio n. 03. beccu da Madre de Dos u. 12
Ricos enfeites com vitlrilhos
para cabeca.
\ enem-se os mais reos enfeites pretos o de
cores rom vidnlhns, pelo baratissimo oreen rte U
6cadiiim : na bem eoulipcid.i toja do miudezas
SiSOi.1 ""' ra d'o Oueimado o. 3.1.
Caleinhasbordadas para meninos se ven- j
ii. 10. de 1
Diario de Pernambuco.Segunda fera 4 de Abril de 1859.
\i dem ua toja da ra do Oueimado
a T.eitc & Gomia.
--- "pBSS x ..... -
baleado superior e barato.
Ra Ilireita n. 45.
Borzeguins da trra de 35 a 37,
obra boa a
Borzeguins tle senliora (Jolvt.
Ditos de liomem.
Sapntosde trancinha.
ACiEHCl\
findi^o Low-iow,
Una ilaSpii7.ala\o\aii.42.
Nesle estabclecmento continiia a hnver um com-
o sorlrme-nln de uioendas e meias mnendas para
5000
IS800
8.s800
l.StiOO
Para meninos.
Bonols de gorguean de seda furia-cores, obra de
muilo gosto a S: na leja d'aguia branca, na ra do
Quoimado nos qualro cantos n. 16. .v grande ex-
Ira.-oao que elle lem lido, e a pequea qnaniid.ido
rae resta, fu-nos dizer qnnquem nao se aprensar
hcara seni enes, pons-o ;ip
queiu oui/or dars (estas ai
|iarecam
-.-rus DI
hoj
Ass.
1
Aguia branca.
Novo e complelo sorlinicnlo de
meias para honiens,
mulhcros.meninos e meninas
de 2 a 12 anuos.
Vondem-so milito boas meias rruas sem costura
para homen a 1S800 a duzia e 160 rs. o par, ditas in-
gle/as muri linas a 23500 e 3g500 a du/.ia, ditas
milito encornadas de Do obrado a .($500 a duzia c
400 rs. o par, ditas tambem de lio dobrado para se-
nhoras a 3-9>00 aaluzia e 310 rs, > par. ditas linas
a 400,500 e 600 rs. o par, .litas para meninos m.
moas conforme <>s diueronles tamanhos, assevoran-
do-se seren mais baratas do que em cintra qual-
trner parle, meias de lia muito finas para hornera a
500 rs. o par. ditas finissnas do lio da Escocia a
.. 600 e 800 rs. o par. .lilas de ba para padres a
ngeoiio, nuelnuas de vapor e laisasde ferro bali- l.sfiOO.. par. ditas de seda mili linas prelas e Iman-
an e ooado, Be lodos os tamanhos para dilo.
//(!
Loja n. 37.
na ra to Queimado a
de unitivo portas.
Vcnde-se sal do Ass : a bordo dn.Vnro linda,
oti com Tasso huaos.
Aviso.
Loras de pellica, de Jouvin verdadeiras a SJOOO,
muito novas, e hanha frauceza as libras, meias li-
liras r aliarlas al nucas a 2>560 a libra : na loja
de miiiue/as do ..ierro da Bna-Vislan. 82.
&gj; liciojios de ouro patoule iu- ?jj
i|l| M1'* 'I'' "os llll'HlOITS f.l- *5
g lu-itault's tl Liverpool,tlipa- fjff'l
tos iillnnaiiiciilt' pelo iillinio -S|
Relogios.
Vendem-se relogios de miro ingle/es do patente:
no armazem de Augusto C. de Abreu, ra da Ga-I
deia do Iterife n. 30.
TACHAS
CHEGUEM
Aloja da Boa F
Que est vendendo muilo barato.
Gfosdeoaple preto muito superior a 1,800 2
,500, 3$, 3,500 e .S o .ovado, sarja
2
hola muilo superior a 2,200
cao muilo sopen
lino
or
a prela hespa-
i eovado, setim ma-
can muilo superior a .1,500 o eovado, panno preto
Juma 2;>, 3, 4, 5, C o 8j o eovado, casemira preta
muilo lina a 2J, 2,500, 3,$, 3,500 c 4$ o eovado,
ricos corles de rolletes de velludo preto bordados a
U, dilos de diio de cores a 7j e 10, e muilo su-
periores a 13$, ditos de gorgorito preto a 3.500, di-
fluido dilo de cores a 4,500, merino prelo selim
muilo lino a 1,120 o eovado, alpaca preta muilo
fina a 640, 800 1S o eovado, meias pelas de la
muilo superiores propinas para os senhores sacer-
dote a 2J o par. rambraia do liiibn muilo fina
OS a vara, esguiao de linlio muilo lino a 16,000 rs.
a peca com 12 jardas, brelanha de liuho muito e
muito larga a 20.<00t> a peca com 30 varas, cam-
braia adamascada para cortinados a 12,000 a peca
com 20 varas, bramante de liuho muilo superior,
com duas varas de largura a 2,100 a vara, atoalha-
do adamascado rom mais do 8 palmos de largura a
1,280 avara, brim liso, Hambiirgo, muilo lino a 9
6.a 10g a peca com 20 varas, esguiao de algod.io
muito lno a 3,200 a peca com 12 jardas, cambraia
lisa muilo fina a 5$ a peca com 8 12 varas, dita
muilo Una a 6S, G,500 o 8g a peca com 10 varas,
dita muito fina cora lpicos a 900 rs. a vara, e li
7f a pera com 8 1/2 varas, fil de liuho bordado a
1,400 a vara, inanias prelas bordadas a UN, Mu-
da inesma qualidade a 12,000, gollinlias de fil
muito bem bordadas e bstanles largas a 1,200 ca-
da urna, lencos de cambraia de liuho com bico lar-
go em volla a 2$, meias brancas de seda para me-
litus av2Jj| o par, ditas brancas de algodao muilo
Wiapara senhora a 3,600 a duzia, ditas inglezas
milito superiores tambem para senhora a 5$ a duzia,
ditas para meninas de todos os tamanhos a 280 o
par, ditas para meninos a 240 o par, ditas de algo-
dan cni parahomem a 1,800, 2S, 2,500, 3 e 4S, e
inglezas muito superiores a 5,000 a du/.ia, lencos
braneos de rambraia para algibeira a 2,400 a du/.ia,
ditos maioresa 3,000 a du/.ia, ditos muilo grandes
proprios para a cabera a 400 rs, cada im, dilos
muilo Unos de esguiao de liuho a 7,500 a du/.ia,
dilos de linho de cores escuras e li.vas proprios
para os tabaquistas a 400 rs. cada um, chales de
menn liso de lindas cores com franjas de seda a
bg, ditos de chaly com lislras de seda em volla e
MU franjas lamiwm de seda a 7g, dilos de merino
bordados a 9g, dilos de louquim muilo superi.oes
bordados em duas ponas, rom franjas muilo com-
andas, pelo baratissimo preco de 45S00O, ricos
pontee de tartaruga a imperalriz a 12 o a 20, le-
ones muito Unos a 4,500, ligas de seda a 1,280 o
par, Chapeos de filtro muito finos a 5 e 6g. brim
braneo trancado de liuho muilo lino a 1,280 avara
diiomcorpado muito superior a 1,440 a vara, dito
de cores de padroes muito bonitos a 1S a vara, di-
tos de quadrinhos muito proprios pa.ia obras de
meninos a 200 rs. o erado, ganga amarella fran-
ceza minio lina a 320 o eovado, ditas escuras muito
superiores a 500 o eovado, camisas de riscado mui-
lo bemfoiias a 1,500, cambraias francesas decores
muito bonitas a 400 rs. a vara, ntremelos muilo
nos a 1,920 a pera, tiras bordadas muilo finas a
fea 4$ a peea, e aleiu dislo um complelo sorli-
meiito de tazendas finas e grossas, que vendem-se
por precos mui commodos, s afim de se fazerem
grandes vendas : na roa do Queimado n. 22 ua
bem rnnhecida loia da Ba r'.
caspara senhnras a 3g, 4ge 5go par, ditasmui li-
nas para meninas a 2J500 o par, assim como mili-
tas oulras miu.ie/as objectos de gosto, qeesto
paleles na loja d'aguia branca, uos qualro cantos
da roa do Queimado n. 16.
He cousa muito boa.
Vende-se a verdadeira pomada para tingir ca-
bellos, pelo barate preco de lo a camua, com es-
covinha propria : tambem su rende masaa para
aliar nal albas a 320 : na roa do Queimado. na bem
confie, ida loja de miudezas da Boa Pama n. 33.
Glieguem loja nova
NO
Aterro da Boa-Vista n. 7'p,
Que acharo o novo e completo sorlimento de
miude/as, e aliaiua-se vender mais barato (J que
em oulra qualquer parte: taras e garios de cabo de
balanco a 5$a duzia, ditos muilo linas a fi/e 78,
dilas de cabo de \iado a 48200. ditas I lavadas e oita-
vadas a 3(200, meias para senhora a 240, 320 e 400
ri'is o par. dilas prelas para h.noem a 260, ditas
rruas para liomeni a 160, 200 e 320 o par, dilas de
.ores muilo linas a 200 e 2i" o par, baralhos de
carias porlugue/.as a 200, dilas fraii.ezas a 3211 e
400, ponnasde ac de lama a |g a grasa, ditasgem
0 ser 500,ricasahotoaduraspara pnnhos a 641) o par,
caixinhas com agulhas francezasa 2lile 320,mas-
aos de pampos a 4o rs., rarlnes e i aixas de clche-
les a 70 rs., cintoroesde borracha a 600, susponco-
riosa2(0, eolia.lores de liuho para espartilh a
120 e 160 cada um, caisas com lamparillas a 60 e
80 rs., resma de papel de peso a 3(00, dito almaro
a 3,< e 35:>0O, sapatos de lustre para senhora, obra
minio bem taita a 1*600, ditos de marroquim roxo
e preto a 800-e900rs., sapaloes de lustre para ho-
mem a 3$800 e i > par, ditos do Aracaly para me-
ninos de 6 a 10 anuos a 1J120 o par, nimio ricas
franjas prelas de seda ede lia c liuho para enfeitar
vestidos, fitas de ludas as qualidades e tisouras de
Indas as qualidades e muilos maisobjeclos que se
torna enfadouho meuciona-los.
Seeuconlra um completo sorliinelitn de grosde-
naple preto de 18600, 18800, 28, 2S200, 28400,
2,800, 38 e 3,200 o eovado, ditos decores de j .t'.IMI
. 2s; o corado, pao., fino preto de 2,500 at 12S ..
eovado, dilo cor de rap v.ule cor de garrafa,
hienda muito superior a 75 o eovado, casareqnes
de fuslao ricamente enfeilados de ricas trancas Qn-
giudo lindos bordados a 18j!, corles de vestidos de
phanlasia muilo lindos e dos mais modernos a 188,
dilos bordados a velludo de .ores mullo lindas a
30S, dilos borda los a seda com lindas llore.- a 2^S
cada nin, palelots de panno e de casemira pretose
de cores de 16 al 25-j cada um, ditos de brim
braneo muilo linos de 58, 5,500 e 08 cada um, ricos
pannos da mais .lina casemira de lindas cores para
cima rio mesa de meiodesala, toalbas de liuho ero
propn.is para roslo a 182S0 cada nina, redes de
cores viudas da Baha da Trai. io, obra muilo bem
acabada,pelo diminuto preco de 18$ cada una, e
outras militas fa/eudas que s com a vista do com-
prado! se poder,', mostrar, o .-e vendern por pre-
.o multe eommodo.

pit|itt'li- f al,iiiis de no\a ii-
mmuiocoIkm-Io o dt'st-oliiTlos
a \onlaili' do possiiitlor imii tu-
sa tic \rki|ili \ i\. ra da
Cruz n. l.
.
m
9"
i-- ^
GRANDESORTIMENTO
ni.

Roupas Teilas e fazendas
NA RA DO QUEIMADO N. 46.
LOJA
f -
ARMi/ISI
nr.
Novozorliinciiin Robras d.: miro dos nielhores
goslosemais .in moda, tanto para senhnras como
para humen- e meninas : na loja de ourives deSe-
rapliim & Irmau, ra do (.abug.i u. II.
Relogios.
Vendetn-se relogios de ouro e doui a-
dos patente para liotnem e senliora de
diversos tamanhos por preros commodus :
na roa da Cruz do Recifc n. ")0.
par
Pa fundico de forro le I).,
.,..., i ., \en.le-se o eiigcfihii l.imeiiinha na enmarca
\\ IfOWinnil, lia na (O BrumJdoNazarelha margem do Rio Trarunlaiem, con
| Ierras e obras siileicnlcs para -afrejar doos mil
p.i.s, ptimo de assucar e rom bous pasioradores,
leudo una boa deslilaeio. d muilo inleresse, por-
que as agurdenles quasi todas se vendeui na por-
ta por liear porto da estrada de l.imoeiro : os pre-
tendentes dirijam-se ao engenh,. l'indobal ein P..
d'Alho.
Arroz de casca.
No armazem defronte do trapi'he do algodao,
jniito ao arma/.ciu do Sr. Guerra, ve,ide-SO arroz de
casca por eommodo preco.
Meias de borracha.
r.HF.fiUlAS l I.TIM AMENT NO NAVIO PsUNCEZ.
Na na do (Jueiniado, na bem embecida loja ib'
miudezas da Boa Pama u. 33, j tem para vend.r
por preco barato as muilo procuradas meias de
borracha, unii ain.iite propriai e approv a.l.i- pora
lod.....loabiner.....ha. iio ii.->s pona-.
FAZE\D\S E MODAS
DI.
MIGUEL JOS DE ABREU.
11 Hua do QneirnaAo 11
Para senhores
Corles de vestidos pelos de grosdenaples, gorgu-
roes e noblezas, bordado* a velludo e a seda, em
relevo, de gosto Aquile, tres Colhos e .las
all
saias.
Manteleles pretos no caprichoso gosto Maiu-
lenou ; peregrinas prelas de DObroza, com bordado
de seda em alto relevo ; taimas prelas de seda im-
perial, guarnecidas a roquete e a velludo facouue,
e vestidos de seda de cores Maiutcnou, guarneci-
dos de rendas.
Mantas de blou.l preto bordadas.
Marabuts e enfeites pretos para toilette.
.Manteleles, peregrina-, capas de cor e chapeos
passando o chalari/., conliniia a
haver um completo sorlimento
de lachas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a S palmos de bica,
as quaes se acham venda ]>or
proco eommodo e com pronip-
tido, embarcao-se ou carre-
gao-se em carro, sem despezas
ao comprador.
Veude-sc superior lioha de algodao, brancas e
do .ores, em non lio, para costura : em casa de
Seulhall, llcllorii C, ra do Torres u. 38.
Potassa da Russia
E CAL DE LISBOA.
No bem ronhocido e acreditado deposiba da ra
da Cadeia do Rocife n. 12, ha para vender potassa
da Hussia e da do ltio de Janeiro, nova e de supe-
rior qualidade, assim como lamben ral virgen em
pedia : ludo imr precos muilo ra/.oaveis.
f<* < IT-TTTTTV T T" T^.^
C > winiu a
><
v

Kissel, relojoeiro fr.une/, vende relogios de ^}
ouro e piala, roncera relogios, j.as e uiusi- --
eas, ja aqu he eoubeeid.. ha 10.tilos anuos, *j
para passeio e para risita, cluvas de pellica de Jou-k; |,-d,ia no paleo .1.. Hospital n. 17.
vin brancas e de cores. Uiilt! t .:.:.. L- i XJi-i.XXXi.K.Zy
XAROPE
GOF.H c BASTO.
Ricos sobresalos de panno lino prelo '
un golla de velludo e sem ella a 8$, e
25$, palelots sarcos de casemira de cores L
^S escuras a 10?, dilos sohre.asa.os padres : J
< modernos a 15$ e ls?. dilos de alpaca pre- -I
> la e de cor a 45, dilos de brim paulo -
2 lianeado milito boa qualidade a r>,s\ dilos .Ir
... de esguiioda China a 5$, calcas de brim '-,
de edres a 3f, $$500, 4?. ditas' de la na-
2j dres modernos e miiidiuhos a 48, dilas p""
<^ brancas de brim de liuho a 5j, .lilas de -'
casemira preta e de cores a 0$, 7$, SU efi.
38 9f, ceroulas de bramante a 1 $60ti. IfHIO
i t, nalelols de meia casemira a 7{i, COl-
le.tes de gorgorito de seda a 5S, dilos dese-
1 t i ni niaco A 5g, dilos de velludo preto
i 7Jc 10$, dilos de brim e fuslao a J500
e t, luvas de Jouvin de ludas as ores a
'.'' 1,S0(), camisas de esguiii.....uilo lino a
-, a 3(500 e oulras muilas fazendas o ren-
3 pas feitas que s visla que se pode
JS avaliar a pechiinha ;
NA MbSMA LOJA HA
Casacas para a quaresma
l'enles de tartaruga e lodos os objeclos necessa-
rios a um toilette de senhora, iucluinilo aderecos
de ouro guarnecidos a perolas e a coral, ultimo
goslo.
Pura caviillcii'os.
Casacas, sobrerasafeas e palelots de panno pr
iniperineavel. e de esemiras prelas e de cores.
Cairas de easemirao prelas e do cores.
Chapeos de ea-ior braneos e prelos.
I.ovas de pellica *dc Jouvin, bramas e de cores.
Charutos superioraa de reserva.
K lodos os objeclos neccssarios ao toilette de
um cavalheiro, iocWKndo correles de ouro para re-
logio, do mais elegante e apurado gosto.
Este eslabelecimaWo eslai aborto al s 9 horas
da noite, eonvenientemente Iluminado para re-
eeber as familias qoB'se dignarem visila-lo, al'nu
avaliarem da sua intporlaiieia para a preerircm.
ATTI.NCAU.
Vcnde-se um cavallo podre/ muilo forte, proprio
para lodo oservico, por preco muilo eommodo : no
hasar da ra llireila n. llili. '
mandan.lo-se fa/er por medida
do-se o aceio e beinfeiloria da
laranhn-
ibra, sen-
JJS do tambem de muilo boni panno prora de
''j limo pelo diminuto preco de 35f, assim
mam
Ao barato.
0 Pregnica cs Qacimantlo.
Na ra do Queimado n, 2, esquina do becco do
Peuo Frito tem o Proguica para vender por bara-
tissimo preco um complelo sorlimento de fazendas
bem como sejam cortes de cassa e seda de lindis-
sim.is gostos a (jjOO cada um, dilos de laa e seda
de lindissimos gostos e superior qualidade a 7g ca-
ko1' e""'"* d'' ,,al"1,raia l)r:""'1 COI" salpicos a
J#oUI, ditos de dita com llores de cores a 3$800
gangas mcscladas de padroes c superior qualidade
?, ?."'?-Io chilas escuras e claras de cores
lilas a 160, 180, 200 e340 res o eovado, cambraias
adamascadas para cortinados de .amas, pecas de
X> varas a llg da umBtravalas prelas e de euros
T' m aS mT} ""w c IgOOO, dilas sem
etias a BUU e lg cada urna, dilas com molas muito
linas a 1J6U0 lencos de seda com algum enfeito
a (MU res cada um, grosdenaplc de cor de boa
qualidade a 1g800 o eovado ; cortes de casemira
ua a Gg, ditos de meia casemira a 2g, dilos de di-
tnais lina a 2J600 cada um,cortes de brim de li-
Jiho a 1S7U0 cada um, cortes de g.ugurao para col-
lelesa3gcada um. dilos de merino bordados de
lindos gostos 4$500, ditos de rasemira preta borda-
dusa SgKOOcadanin, cambraias lisas de 8 varas a
:lg500, 4g, 4g400, 4g800 e 5g50<) a peca, dilas lapa-
das com 10 varas a 4g, 4g500, 5S00, gJOO e 7g2llO
a pi'Ca, cortes de organdys, fazenda muilo larga e
lina a 2J600, alpaca preta com palmos de largura,
propria para somarras e capas de padres a 800 reis,
chales de laa linos com barra matizada a 4g500. di-
l0*(Jevm,-'r'" '"os a 4g8(H), ditos de dilo bordados
a 6S200 cada um, lencos bramos rom barra de cor
a 100 e 140 reis cada um, chilas francezas para cu-
bera a 240 reis o eovado, brim braneo de listra de
puro liuho a 800 reis a vara, dito de lindissimos
goslo3 e superior qualidade a 114U a vara dilo
bramo muito lino a 1S280 e lgiOO a vara, cseas
de cores de lindissimos gostos a 360 c 400 rs. a
vara, musselina de. cores a 320 o eovado, dita en-
carnada a 220 o eovado, casemira preta a 2J, 2g2IIO
2fi400, 3g00 e 4g o eovado, panno lino azul e cor
de rap de superior qualidade a 5g o cavado, dito
preto a 2g800, 3g500, 4g, 4s800, 5a e 5S500 o eo-
vado, alpacas de seda de superior qualidade a 900
rs. o eovado, rolos de brelanha cora 10 varas a 2g,
aloalhado largo muito fino com bonitos lavores
1g280 a vatn, luvasde lio de Esrocia brancas e de
rores a 320 o par, cambraias napolitanas rozas e
azues de quadros a 360 a vara, ou 220 o eovado
riscadinhos franeezes de quadros a 180 o eovado'
bramante muilo largo a 2400 o eovado, velbutinas
de todas as cores a 720 o eovado, meias cruas para
homem a 160, 200, 360 e 400 rs. o par, dilas para
senlioras, de todas as qualidedes, palelots de alpa-
ca preta a 5g, dilos de meia casemira a 8, ditos
de pannos pretos e de cores a lOg, luvas de seda
para senhora a lg200 o par, ditas de seda bordadas
de lindos gostos_ a 2g200 o par, merino setim de
todas as cores a 720 o eovado. e oulras muilas fa-
zendas que se deixam de mencionar, e se venderlo
por baratissimos presos ; e se darao amostras com
penhores.
Espartilhos trancezes de nova
i n veneno.
Vendem-se espartilhos franeezes de molas e car-
retis, o melhor que se pode encontrar neste gene-
ro, na bemfeitroia e na cominodidade, a quem usar
delles, pelo baratissimo preco de 6S, 7 e 8a. Estes
espartilhos sao chegados no' ultimo novio tiancez,
e s se encnnlram na roa do Queimado, na bem co-
nhecida loja de miudezas da Boa Fama n. 33.
Apparelhos de porcellana.
Vendem-se mui bonitos e delicados apparelhos
de porcellana dourada proprios para brinquedo de
meninas, sendo ellesde differentes tamanhos e
gostos a 1J500, 28, 2g500, 3g, 38500 e 4S : na ra
uo Queimado nos qualro cautos loja d'aguia bran-
ENFEITES PAR A CABECAS.
Mu modernos c delicados enfeites de llores, fitas,
plumas e frocos para senhora a 6g. 8g c lOg, precos
estes baratissimos 4 visto daperfeicao e bom goslo
com que sao elles acabados, assim como outros
pretos de vidrilhos obra de apurado gosto eintei-
ramenle modernos e pelos diminutos precos de 4g e
jg; para qualquer pessoa e certificar da verdade
de que fallamos, dirija-e a loja d'aguia branca nos
qualro rentos da ra do Queimado n. 16.
Foi transferido o deposito desle xarope para a
botica de Jos da t ruz Sanios, na roa Nova numero
53: garrafas 58500 e meias 3g, sendo falso lodo
aquello que nao nr vendido nesle deposito, pelo
.pie se faz o presento aviso
nii'ORTAs.TK PARA O PUBLICO.
Para cura de pMica em todos os seos difieren-
tes graos, quer lll.divad i por cmslipaeoes, lusse,
asi luna, pleurj/, i'i.earros de sangue, dorde .-osla-
dos e peilo, palpilaeau n......'aojo, eoquelnehe,
bronchile, dor na garganta, e ludas as inoleslius
dos igaos pulmn iros.
KA LOJA DA
AGUIA BRANCA.
Banilfija e 1aihei*(*s
Vende-se bandeijas de folha grossa Untas mui-
to Unas em temos a 8J 9,< a solas a 2g, 2S5K),
38, 3g500, 4g, 4gTi0'l, 5S e Og, seus .....doraos mol-
des e bom goslo de desenlio de suas pinturas deua
bem coiiheror quanlo sao, Has finas o baratas por
laes precos ; vendein-se l.inibem lacas e garlos de
cabo de osso redondos, oilavadose erados a USiilli
e 3JS0O. (lilas rom cabo de baleia clavadas e folhas
finas a SftOO e s a duzia, .lilas flnissimas com ca-
bo de veado, de osso pollido o baleia, o mcllior
que se pode eneonlrar a 5g 5g500 6g e 6$.")IK) a
dona, ditas com rabo de inarliin e folha de ac l
12$ o lifl, dilas com cabo de osso para meninos a
32 o taibei, trinchantes muilo linos a 2j500 e 3g,
eolberes de metal plilieepe l.?iu linas que se eon-
fundeni com as de prnta sendo para Milpa a 5(500
a du/.ia e para cha a 2S&00, dilas orlulinagre a
1S600 e 1g, dilas grandes e muilo linas a Sfcada
um : na loja da aguia branca nos uuatro cantos da
ra io Queimado n 16.
Cortes de la.
Anda restan) alguna corles de Ua fina para ves-
tidos, rom 16 colados cada corle a 1$, esl0-8e a-
Cabaodo : na ra do Oueimado n. 22, na loja da
boa f
O Leite A Ii'inao continuam a
torrar.
Mussulina toda encarnada, eovado 220 rs., cam-
braia lisa muito fina a 3g800, 4g800, 5g200 c 5g60
rs. a peca, de 10 jardas, brim de liuho para calca
de bonitos padroes a 880 rs. a vara, corles de meia
casemira a 38000 rs. rada um, lencos de cambraia
delinho a 3S200 e muito finos a 48500 rs. a duzia,
chales de louquim pretos, ditos de merino pretos,
ditos de merino liso de todas ascresa 4800 rs., e
bordados a 68800 rs., chitas francezas do cores 11-
XM a 220, 240,260,280 e300 rs. o eovado, madapo-
ln a 2S800, 3g200, 3S&00. 4gOOO, 4g200. 4g&00,
5g000 e 58500 rs., e muito lino a 681100 rs. a peca, de
20 varas, palilots de alpaca muito linos a 6g000 rs.,
corles de .nieles de casemira a BfMW rs., esparti-
lhos para senhora a 4, 6e 89rs.. e dos modernos a
9a rs., saias para senhora al600 rs., bordadas a 3a
rs., e muilo superiores a 4 rs., gollinhas muilo
bem bordadas a 3$5U() rs., manguitas e camizinbas
muito tinas para senhora, cortes de cambraia do
gas a4rs., tapetes para sala al800 rs., para por-
ta de sala a 49 rs., e para cabriolet a 29500 rs.,
meias muito linas parr senliora a2g800 rs. a duzia,
ricas colchas de damasco de seda a 25e32 rs. cada
una, corles de cassa de lindos desenhos a 2$ rs.,
boas chilas escuras e de lindos padroes a 200 rs. o
eovado, meias di; todos os tamanhos para menino e
menina, guardananos a 4 rs. a duzia, peras de
cambraia lisa de 12jardas a 3 rs., raussulina'brau-
ca a 300 rs. o eovado, loalhas para mesa a 44 rs., re-
des de folha a 6ars., e ha outras muitas fazendas
que se vende por barato preco, e de ludo se dar
amostras.
como do melhor panno eseolha do fre-
jg guez a 40f, aliaiieaoilo-se seren todas for-
radas de setim macan un seda.
....:::::-:. : '.c^-~d~
iiTSTlt o TT?TTrTtf,
de
Toalhas tilamascadas.
Hisroilos em lulas.
Fiodpvi'la.
\einli'm-st' piii rasa lio Ark-
islit ir., na ila Cruz n. (i I,
por barato prtr:
Milho para plaa
o uaifl litnpo pos>ivi'l.
Feijo preto novo
sem igual no mercado Vendem-se estes gneros
no Forte do Mallos, arma/em de Hemelerio, Ir.
m.io C, confronto ao trapiche do algod.io n. 18-
Apreeiem o bom oslo.
Na loja do Ser (anejo
n. 3 A.
Ricas sabidas de baile do melhor goslo que pode
haver, tanto em fazenda como em preco, laazinhas
de quadros miiidns e grandes a 120 e 460 rs. o eo-
vado, chapeos de velludo prelos a 7$, dilos de al-
paca forrados de seda, muilo commodos para andar
a fresca a 2S4IM). gollinhas de diversas qualidades
.. Iga l$00, IgeO, 21200 e 2|800 gollas e man-
guilos .i 3(500, (se BSaOO, manguitos, gollas eca-
ini/inliasa 69. 7a elllg, eolleles feilos de velludo
a 10j>, llBe 128, calcas de casemiras.le cores, fei-
las, ricas bengalas de-massa lingindo unicnriie a ~,
Bfe 10}t, grosdenaples de cora l0le 28000, seda
branca tarrada, ricas camisas para senhora com pre-
gas c de muito goslo a 7gc 8a cada una, ricos pan-
nos para mesas, e muilo finos a 78, 8S c OS, ricos
casai-equcs de fuslao e do melhor gosto que pode
haver a!5f e 188, ditos de mussulina muilo bem
enfeilados a llg, l29e1"!B, e avisa ao respeitavel
publico, que manda de qualquer nina fazenda amos-
tras para ver se agrada, assim como tambem d a-
moslras dcixando penlior.
Em casa de C. J. Astlev #C.
Cabo- da Hussia de manilha.
Cobre para forro, com pregos.
Viuhos de rhampanha, Moselle e Bordeani.
Salitre refinado.
Vende-se ou arrenda-se o engenhn S. Jos,
sito na freguezia de Santo Antao, qualro Icaoa* au
sul da cidade da Victoria, rujo engenho ine c.u.i
agua, tcm grande cercado, limpo e circulado por
vala.ln, mona mala, e paramentado de todo o no-
ces-ano, sendo : qasa de viven.!* boa e grande;
senzala para escravos, casa de bagaco, estufa, casa
de relame, etc.. e tildo no melhor estado possivel :
qnem o pretender, dilija-so ao sen proprietario que
o doenenbo Sibir da Sorra para Iralar negocio.
r Vende-se urna rica cadeira do bracos com
suas competentes crrelas, por preco coumodo,
por 1er seo dono sahido para fura da provincia :
quem a pretender, cntenda-se com Caetano Pinto
de Veras
Escravos fgidos.
i
a Senzala Nova n. 4*2.
e--e em casa de S. P. Jonhsl.m \ C. vaque-
tas de lustre para carros, sellins e silhoes ingle/es,
camleeiros e casti.aes brou/eados, lonas inglesas,
lio de vela, chicote para carros, e montara, arr.ios
para carro de mu e dous ravallos, e rulogios d'ouro
patente ingle/es.
Aviso.
No armazem do Admnsnn,Hn\vi<',\c.,nia do Tra-
piche n. -2. vonde-se sellins para hornera p senhora,
arreios prnifados para cabriolis, chicotes para car-
ril, colleiflBg para cavallo ra.
Camisas inglezas.
Venttetn-sc superiores c.itnga.s ingle-
zas : na na do Collefjio loja n. 3.
Yinho Bordeaux.
X. Chegaram aloja da roa do Queimado n. '"?;
:' 10 de Leite Corroa, osioais ricos cha- \/-
5T..' pos de palba e de fil para senhora, che- SP.
X. gados pelo ultimo vapor. x
'iWKrV,J-iJ'rj'- -I" NB'^sa"^!".y sy> ftr-
^.:'..-. -.."..'^.xr;.h..":.N.'-..><.,".. >5
\onde-se ineia du/.ia de cadeiras e una mesa
redonda, ludo de amarelln. com pouco uso, e um
candelabro de metal sem ler uso algum : defronle
da estaeao das Cinco Ponas n. lis, su dir quem
vende.
Vcnde-se um sitio na Torre, a margem do rio,
com ptimo arvoredo, murado e d-se por um
terco uo que costara, fa/endo-se boje : na ra dos
Pires junto a caixa d'agua n. 46 A.
Vendem-se algumas partes da casa n, 13 na
roa de S. Jos, e d-se por qualquer preco : na ra
dos Pires n 4t!A.
Vaquetas.
Vendem-se boas raquetas para cubrir carro, e
para calcado, por todo preco para acabar : na ra
da Nova n. 5.
KSCBAVOS A' VENDA.
Vcnde-se na ra do Collegio n. 21, terceiro an-
dar, 5 bonitos pretos de 18 a 24 annos, 1 lindo mo-
tante de 15, o 2 ditos de 12 anuos, 1 linda negri-
nha de 13 annos, e 1 mulata de 30 annos, perita
co/.iuheira e engommadeira : d-se barato para li-
quidar esse negocio.
Vcnde-se um preto moco o robusto, e de boa
figura : nana da Senzala Vnlha n. a6, podara.
Vendas.
Relogios de ouro e prata, cobertos e dcscobertos,
patento inglez, os inelhores que existen] no mer-
cado, e despachados hoje, vendem-se por precos
razoaveis : no escriptorio do agente Oliveira, ra
da Cadeia do Recite n. 62, primeiro andar.
DE
Gommisslo de escravos.
XA
Ra do Livranieiilo n. \.
Vendem-se 22 mufitos de bonitas figuras com to-
das as habilidades, 2 negras de iiiein idade, sendo 1
ferfeila coziuhcira o engommadeira e! moloque de
i anuos de bonita figura ; na inesma casa enm-
prani-se e recebeiu-ac para vender de coinmissao,
aliaueando-se a presteza daieuda
tO GRANDE tmam
itoiip feita
Junio a Con'ceieao dos Militaras.
Nesle armazem encontrar o publico um grande
e variado sorlimento de roupas feitas como sejam
usaras o sobre-asacas, fraques, gndolas e palelots
de panno lino proloode rdres, palelots de casemi-
ra de cores, do merino, de alpaca prela e de cores,
de brim brau.-n e de cores, de risradiuho de lnhns
calcas de casemira preta e de cores, de brim de li-
uho braneo o de cores, de ganga, de meia casemira,
de merino e de riseados, eolleles de selim e gnrgu-
rao prelo, de \ ellndo prelo e de cores, de merino e
casemira prela, de foslo braneo o de cores, cha-
pos, grvalas, luvas e camisas e nao agradando
ao comprador algumas das obras fcilas se aproui|i-
larn outras com Inda a presteza para o que lein
grande sorlimento de pannos linos, casemiras, gor-
gorees, velludos satinae briasde lustro,
fazendas pretal para a quaresma.
No aterro da Roa-Vista n. 60, loja de Gama i
Silva, sendo um completo sorlimento de grosdena-
os precos B6-
/280, '1j600,
rtes a 58500,
pannos prelos ;
ditferenles precos e qualidades.
Vende-se elTeclIvainente larello de LisMa as
Cinco Ponas n. 63, por menos do que em nutra
qualquer parle_________^^^^
Gheguem a
chincha.
pe-
Fumo.
Na loja do Preutca tem para vender
grosdenaple preto da melhor qualidade
que e possivel pelo baratinsimo preco de
1,900, 2,000, V200, 2,400, 2,800 e 5$
o eovado.
V.i ?>.-.!.>:iv;! HMM,^'
.re. Sedas de cores com mofo propnas para .- 3
JE foRO .le obras que se vendem por todo f-^
-. preco : na rita do Queimado n. 10. II
Farinha de man-
dioca.
No deposito do largo da Assembh-a n. 9, vnde-
se superior farinha chegada ltimamente, em sac-
res grandes, por r.ominodo preco.
Sal.
LOJA DA BOA FAMA.
^ endem-se por preco que faz admirar riquissimas
fitas lavradas de todas as joros e larguras, titas lisas
com pona e sem ella, biros braneos de seda de mui-
to lindos padroes e de todas as larguras, tramoias
.iberias delinho para babados a 120 e 160 reis a vara
jarros para flores a2g o par, atacadores ou enfiadores
de seda de todasas cores para vestidos.dilosproprios
para espartilhos, tesouras de todas as qualidades
as mais finas que he possivel enrontrar-se.agulheiros
de mariiin e outras muitas qualidades, fitas de vel-
ludo de todas as qualidades, bnlrinhos de eamurra
muilo lindas para meninas de escola, frasquinlio
com cardinal a melhor cousa que tem apparerido
para tirar nodoas em qualquer analidade de fazen-
da. pelo muilo barato proco de i-i. Iraiu-inhas de se-
da de todas as cues muito lindas proprias para en-
feitar roupinlia para meninos e meninas, e oulras
muiissiiuas cousas que se alianra render-se ludo
por preco baratissimo : na ra do' Oueimado na bem
conlieciila loia de miudezas da boa fama.
NA
Itua do Queimado n. 7.
Nesle eslabelecimenlo achariio os compradores
o mais variado e completo sorlimento do todas as
qualidades, como sejam :
Vestidos dr seda prelos com babados fl
Ditos de dita de cor rom babados. ... g
Grosdenaple prelo lino de lfSKK) a 2g800
llicos manteletes pretos pnncesa Clotilde y
Curtes de eab.as de brim de linho de cor a lg280
Carleirasde perfumaras inglezas. 5j}000
Camisas francezas de todas as qualida-
des de 29000 a ........ 4S0OO
Palelots de panno franeezes de 16$ a :iii-imhi
Ditos de alpaca franeezes...... 12g000
I'nupclina de seda de 900 a..... Ig200
Chilas linas o eovado........ Jgo
Ditas francezas o eovado...... 240
Ricos enfeites para senhora..... g
Pcntes de tartaruga modernos de 7j a 15J000
Gollinhas e manguitos de croch. lOgOOO
\ ende-se sal do Ass de muilo boa qualidade : a
bordo do patacho Hua Jess, ou ua ra da Madre de
Dos n. 2.
Para as boticas.
Vende-se guaran muito bom a \l a libra, lendo
apenas urnas 80 a 90 libras, para fecho de cuntas
na ra do Vigario n. 15, armazem de F. A. de Pi-
s"'" '?imfHfHmHim?m^
2** Ricos vestidos de phanlasia com 2 saias
2 e tambem com 3 babados chegados pelo J9?
~,v ultimo vapor : se vendem nicamente na Z2*
~>- loja da ra do Oueimalo n. 10, de I.eitc t $
Alcatifa
Vendo no alcatifa rom qualro palmos
de largura muilo propria para forrar
salas e igrejas a liOO rs. o eovado : na
ra do Crespo n. 12, loja de Campos
Lima.
ut.
A onde-so esta agua a melhor que tem appareri-
do para tingir o cabella e niissas de preto : na li-
Yondo-so fumo em folha eliegado rooentomente
da Babia, por menos preco do que em oulra.pial-
quer parle: naruadal.ru/. do Reciten. 13, pri-
meiro andar.
Algodao monstro.
Cnntinua-se a vender o bem conhecido e econ-
mico algodao monstro com 8 palmos de largura,
Sroprio par.1 qualquer ohrapor dispensar lodo o Ira-
albo de costura ; aprnvetlcm cmqiianto ha : na
ra do (Jitcimadon. 22, na loja da boa f.
As \('rladriras luvas oeJovin.
A loja d'aguia branca acaba den'ceberas verda-
deiras luvasde Jouvin, viudas de sua cm-ommenda,
tanto para homem como para senhora, aancando-
se que sao as inelhores que em tal genero se tem
visio aqui: vendem-se a 2j!500 o par : assim romo
oulras igualmente novas, e tambem mui boas a 2$
o par. (juein aprecia o bom, he dirigir-so na do
ueimado nos qualro cantos, loja d'aguia branca n.
16, que ser bem servido. Na niestna loja cristo um
grande sorlimento de luvas de seda de muilas e di-
versas qualidades lambeta para homem e senhora,
ea precos baratissimos
Es pe I los grandes.
Vendem-se eapelboi grande* paraparede mm
bollds iii.tltlui'its (MiY*>rnisad.is e dmiradas vidros
mui finos v claros a 4^ 5 : na loja d'aguia bran-
ca nos tinatm canlos da ra do (hiciniado u. 16.
Almcida Gomes, Alvos & C.a
VENDEM NO SEU \I1M a/i-'.m
Sf RA DA CRUZ
CHAPKOS de fellro sortidos, da fabrica arredilada
de.Carvalho Piulo, do ltio de Janeiro.
S.VB.VO das fabricas do Rio de Janeiro.
VINHO de champagne de superior qualidade.
SALVAS banderas e oulras obras de prata.
Cognac.
Cognac superior em caxasde urna duzia, vnde-
se em casa de Henr Brunn & C, r ua da Cruz n. 10.
! Carteiras grandes com chaves.
Vendem-se por proco muito barato carteiras
grandes com chave, proprias para guardar dinheiro
e letras : ua ra do Oueimado, na bem rnnhecida
luja de miudezas da Roa Fama n. 33.
Aterro ita Roa-Vista n. HO.
Vendem-se muilo superiores casinetas mescla-
vraria universal ra do Collegio n. 20", d-so junto das, rom um pequeo loque de mofo, pelo baratis-
nni impiossoi-atis, ensillando a formado applicar.' simo preco de 360 rs. o eovado.
No dia 14 de agosto do anno prximo passado,
fugiram do engenho Sote Ranchos, freguezia de
Nossa Senhora da Escada, comarca da cidade da
Victoria, os sepililes escravos: Haraiao, crinulo, de
25 anuos de idade pouco mais ou menos, (-Arfla,
bei.-os grossos > meio arrebitados, tem urna cicatriz
na testa proveniente de umeoice do animal, pernos
linas e alguina cousa arqueadas para tora, esmalma- .
do, e-paduado, altura regular, e esta bucando ago-
ra. Jaeintho, rrioulo, de 28 annos de idade pono
mais ou menos, altura regular, cor prela, pouca
barba, becos grossos e taz corto geito na bocea quan-
do falla, temuma cicatriz em urna das faces, nemas
finas, esmalmado, fuma, o tocador de viola. O
primeiro foi comprado ao Sr. Joo Francisco Brbo-
za da Silva Cuniar, e o segundo diz que foiesern-
voda familia do Sr. Joo Nunes, dnfazeoda do Sitio,
em Paje de Flores e rompr. do na praca de Per-
nambuco. Consta que ditos esoraros estn em Pa-
je de Flores por portadores que mandei ede lvie-
rain : roga-se as autoridades policiaes ecapitaosde
campo de os pegar e levar ao referido engenho, a
Berna rdino ra rboza da Silva ou na praca de Per-
nambuco aos Srs. Manuel Alves Ferreira kLima,na
ra da Moda n. 3, segundo andar, que serio re-
compensados com a quantia cima.
400S000 de gratificado.
No dia 23 do passado raez fugiram do engenho
Tabocas, freguezia da I.uz, pertencente a Francisco
Antonio Cabial de Mello, rinco escravos, cujea no-
mos e signaes sao os seguintes :
Joaquim, prelo, representa ler SO annos de ida-
de, liaixo, secro do corpo, e sem barba, lem muitas
marras de bichos nos ps; levou urna argola de
ferro no pesroco, camisa nova de algodao da Babia,
Cernida velha e chapeo de couro veTho ; c de snp-
por que lenha buscado as immediacoes do Limoei-
ro, d'ondo tinba vindo em poder do'Sr. Ur. Nahor.
por compra que dello fi/.era, e depois, por ulorisa-
i o sua, me foi vendido pelo rorrclor Souza, nesla
praca.
Marrellino, prelo, alto, gecco do corpo, rosto
comprido e Iprbado, representa ler 35 annos de.
idade, levou urna calca azul e oulra de rucado,
jaqueta e camisa branca', e chapeo de palba.
Nicolao, preto, alto, cheio do corpo, reprsenla
ler 22 annos de idade, levou calca branca, camisa
de riscado e urna baila nova, lem as costas mar-
cas de castigos, e alguns principios de campia.
Kzequiel, crinlo, bem preto, altura recular,
pouca barba, tcm algumas (cridas as canelas. e
representa ter 25 annos de idade, levou camisa de
madapolao, una calca branca e oulra azul, e cha-
peo de pnlha de arroz. Este negro veio do Para.
Joo, mulato, com 25 annos de idade, pouco mais
nu menos, bstanle alto e barbado, 6 offlcial de fer-
reit'o, levou rhapo de. palha, calca de riscado ni-
xo e camisa de madapolao, e tambem levou nina
espada velha. Kste mulato voio do Para, Marcidli-
no, Kzequiel .. Nicolao vieram do Maraidio.
Roga-so as autoridades policiaes e eapiles de
campo que appreheudam ditos escravos, o ijue os
levem a seu, senhor no referido engenho, ou a Ma-
noel Antonio Concalves, na ruado Cahug n. 3, de
quem rccebOo 4009 de gratificacao, ou a quantia
correspondente a cada um, no caso devirem desta-
cados.
Contina fgido desde o dia 6 de agosto do
anno paoximo passado, o eseravo Antonio Cacange,
com os signaes seguintes: representa ter 36 annos,
pouco mais ou, .'nos, altura regular, cheio do cor-
po, rosto redoi, pouca barba no qoeixo de baixo,
cor, preta caugiieiro no andar, falla pouco, e tcm
marcas de relho, casado e foi eseravo dos herdeiros
do finado Caetano tioiicalves da Cunha ; consta a-
char-se refugiado em Ierras do engenho Cacimbas,
da comarca de Santo Antao ; a pessoa que o appre-
hender ronduza-n ao engenho Curcahy da comarca
Pao d'Alho, on no Recito na ra da Cruz n. 62. ter-
ceiro andar, que ser generosamente recompen-
sado.
Dos premios da ultima parte da segunda e primeirada terceira lotera a beneficio do Gynmasio Pernambucano
extrahida a 2 de Abril de 1859.
NS. I'KEMS.
Correia.

tmmmmnmnr
\a loja das seis portas
EN
Frente do Lientinento.
Casaos francezas, fazenda nova, a 160 rs. o eova-
do, e a peca a 59 com 33 covados, corles de cam-
braia com salpico a 3, ditos piuladas a 2{8, lencos
do retroz a.500 rs., luvas de seda preta fizase bor-
dadas para senhora a 18, chales de merino com
barra estampada a 4$, musselina branca a 240 o
eovado, dila encarnada a 320, velludilho de cores
para roupas de enancas a 800 e 1S, fil de linho
preto, fazenda fina, a 1280 a vara : d.i-se amos-
tras, e a loja est aborta das 6 huras da manha as
'J da noite.
Loja das seis portas
EM
Frente do Livramento.
Grosdenaple preto para todos os precos, mantas
prelas de linho com bordados de seda, luvasde se-
da pretas para senhora a 1, gollinhas bordadas a
a 19, ditas finas a )$600, manguitos a 39, lencos de
seda braneos e encarnados a 800 rs., camisas fran-
cezas brancas e de cores linas a 2J, palelots braneos
de bramante fino a 5)1, ditos de brim pardo a 3fi,
ditos de alpaca pretos a 4 e 59, ditos de casemira
de cores a ">, ditos de fusto de rores a 5g : a loja
est aberta das 6 horas da manha s 9 da noite.
1
2
3
14
19
24
32
BS
37
38
41
49
O
51
t
37
61
67
70
71
76
82
86
87
89
92
94
9.
96
97
106
10
ti
17
19
29
35
40
41
43
47
55
57
58
64
63
67
69
70
77
82
84
86
87
88
89
92
97
9
205
13
15
22
PRNS. EMS.iNS. PREMS. iNS.PKEMS
a
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
56
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
109
59
59
5
59
59
59
59
59
5$
59
59
59
5
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
109
9
59
228
33
36
39
41
45
52
62
63
66
68
6
70
73
79
80
81
82
85
86
90
%
300
8
15
17
18
19
22
24
26
27
35
38
39
40
42
47
57
58
6i
66
67
68
71
74
76
77
80
88
90
91
95
99
403
10
17
20
22
28
33
39
40
411
42
44
46
61
63
65
68
71
72
79
80
84
85
87
89
92
93
95
97
500
3
4
8
9
15
21
35
36
37
40
42
51
57
61
70
75
76
86
9*
600
2
4
8
11
12
17
19
22
23
30
33
38
41
44
:*
55
56
61
62
65
69
5;
o9
59
59
59
59
'9
59
59
59
59
5
5
59
59
59
591
59
59
209
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
9
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
;59
59
59
59
59
59
5
O escriAo, Jote Marta da Cruz
59
59
59
59
59
59
59
59
'3
59
109
59
59
509
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
50
59
59
59
59
59
1009
59
59
59
59
59
59
59
5)
59
59
674 59
84 59
85 59
88 59
94 59
98 59
703 59
i 59
9 59
12 59
13 59
18 59
23 59
29 59
30 59
37 59
42 59
45 55
50 59
53 59
59 59
62 59
64 59
65 59
73 59
77 59
78 59
82 59
84 59
84 59
88 59
90 59
96 59
98 59
800 59
4 59
5 59
8 59
ti 59
17 59
19 59
21 59
22 59
25 109
28 59
30 59
31 509
38 59
50 59
51 59
54 59
55 59
56 59
60 59
61 59
62 59
67 59
68 "9
72 59
81 59
83 59
85 59
NS. PREMS.
886 59
87 59
90 59
92 59
4 59
95 59
% 59
98 59
901 59
4 59
6 59
10 5
11 59
16 59
17 59
23 59
2i 59
25 59
3t 59
35 59
37 59
44 59
45 59
47 59
48 59
53 59
59 59
73 5
74 59
81 59
83 59
84 59
88 59
96 59
1000 59
1 59
o 59
5 59
6 59
17 59
21 59
22 59
25 59
27 59
29 59
31 59
38 59
43 109
45 59
46 59
53 59
56 59
59 59
61 59
66 59
71 59
74 5
75 5>
80 59
85 59
95 5
98 5
NS.
1102
II
13
16
19
21
22
24
25
20
28
29
30
31
:M>
41
44
47
18
50
53
55
68
65
68
69
71
75
78
79
81
82
91
93
1201
2
12
15
19
22
23
95
28
29
30
32
33
35
38
41
42
47
48
49
58
60
72
79
80
86
90
95
PttEM.
59
59
59
NS. PREMs.
1298
1301
59 6
59 8
59 9
59 13
59 16
59 24
59 38
59 42
59 43
59 47
59 50
59 55
59 59
59 61
59 64
59 66
59 69
59 59 70 86
5 88
5 91
59 92
59 93
59 97
59 99
5:000 1402
59 17
59 20
59 28
59 29
59 32
59 42
59 45
59 50
59 53
59 54
59 59
&9 60
59 61
59 63
59 64
59 65
59 73
59 76
59 79
59 80
59 90
209 98
59 99
59 1500
59 1
59 4
5 5
59 7
59 8
59 9
59 10
59 11
5 H
59
59
59
59
59
5
59
59
59
59
5a
59
209
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
209
59
69
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
59
-59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
I
59
509
59
59
59
59
59
NS. PREMS. i ||S. PREMS.
1517
19
22
25
30
44
54
55
61
71
73
75
76
78
80
82
84
86
89
92
99
1601
9
10
15
17
18
22
32
33
36
37
43
44
45
46
50
53
56
58
59
60
61
64
66
67
69
75
76
77
79
84
90
95
*
1704
8
9
10
12
22
23
59!
59
59
59
5a
59
59
109
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
209
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
100?
59
5
59
109
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
59
1727
35
38
42
52
55
67
74
76
81
81
86
87
90
96
97
1801
5
9
10
12
5 .
*s
"21
24
25
8
31
35
40
48
50
57
67
68
71
77
79
82
84.
88
93
91
9(i
98
99
1KHI
ti
8
10
11
13
15
16
17
19
20
24
29
31
33
509
59
50)
59
59
59
59
59
59
5
59
59
59
59
59
lOg
59
59
59
59
59
59
5
59
59
59
59
59
59
59
59
59
1009
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
209
59
591
59 l
59
59
59
59
59
59
59
59
209
59
5
1*009
NS. PREMS.
1934
39
42
45
48
54
61
63
61
66
67
70
72
73
74
77
81
83
86
90
97
99
2000
2
3
4
6
7
10
13
18
20
25
30
32
33
36
38
45
49
51
53
55
56
66
67
69
70
71
73
77
8
86
87
90
96
98
2101
4
6
12
15
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
5
5
NS. PREMS.
2123
25
26
27
33
36
41
45
46
47
48
50
52
54
60
61
66
68
70
73
74
80
85
88
90
91
93
94
98
99
2200
1
2
4

11
15
16
20
23

25
26
30
33
37
3!
41
52
63
65
71
72
75
78
79
89
94
96
97
2303
4
59
59
5
59
59
59
59
59
59
59
509
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
59
I0ft
59
59
59
59
59
109
59
509
59
59
59
59
59
59
59
9
59
5
59
59
59
59
59
59
59
5
5
5*
5J
5
59
59
59
59
59
59
NS. PREMS
2310
13
14
16
20
22
23
26
30
31
:i7
41
43
48
49
53
54
57
59
62
63
65
66
69
76
79
81
82
84
85
89
91
97
2413
15
18
20
23
24
26
28
30
37
39
52
5
61
67
68
69
71
78
79
80
82
83
85
86
87
90
92
2501
5
59
59
5
5
5
59
59
59
5J
58
5
59
59
59
59
59
59
59
59
5-
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
59
59
5
59
5
59
59
59
59
209
59
59
59
59
5
59
59
59
109
59
59
59
59
59
59
59
59
59
5
50
5
NS. PREMS.
5
2504
7
9
16
26
56
45
47
50
53
55
63
66
71
75.
79
82
87
88
97
99.
2600
2
3
5
7
16
18
19
25
28
35
42
49
55
57
60
63
66
77
80
82
W .
90
92
93
94
97
98
2702
4
14
'6.
18
24
35
40
41
51
52
55
61
5
59
59
59
5
5
5
5
*
5
5
5
59
5
5
5
59
10
59
5
5
5
5
5
5
59
5
5
5
5
2009
5
5
5
5
5
5
5
5
5
5
5
5
59
5
5
5
5
5
5#
5
5
5
5
5
5
5
5
5
5
NS. PREMS
2767
6
70
71
84
88
91
95
2895
7'
10
13
22
94
29
32
84
37
51
52
53
63
64
65
66
72
75
78
81
87
90
9'.
96
99
2902
5
10
16
19
24
27
32
33
36
38
39
44
47
50
61
70
72
75
76
78
82
83
85
89
90
92
3000
u

5
5
5
59
5
5
5
59
5
10
59
59
Bf
5
5
59
59
59
IO
59
59
5"
5
5
a
59
20
10
5
5
5
200
5
5
5
59
5
5
59
5
5
59
5
5
5
20
5
5
5
5
400
5
&
5
59
5
5
W
5
5
a
5
Pernambuco: l>p. M.F.iti* Farta. -180.

ra'ai t| |ga1tatM>f 11 '
a*kai
...
1 1 1 11

,--
-"
-rs**


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQEZDZJYB_BV5HCI INGEST_TIME 2013-04-26T23:14:05Z PACKAGE AA00011611_08023
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES