Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08012


This item is only available as the following downloads:


Full Text



<*
*
f
ANNO XXXV. NUMERO 65
Por tres mezes adiantadoa 4$.
Por tres meses -eneldos E$OO0.
^EGODA FEIRA 21 DE IIARCO DE 1850.
Por anuo adiantado 1$000.
Porte franao para o subscriptor.
ENCIMEGIDOS 01 SUBSCRIPgJkO NO ORTE.
Parahiha, o Sr. Joo Rodolpho Comes; Natal, o Sr. An-
PtRTID DOS CORRCIUS.
fluida lodos os dios as nove e mola lloras do da.
Iguarass, oianna o Parahiha nas segunda sextas-feiras
S. Anio, Bezerros, Bonito, Cardar, Aliinhu e Garanhun
..... lias linas reirs.
'L'i'rd S"V i a Jv'ak,Ara-,aly' Sr' Ao> lemos Bna-\ Pu d*All,' Naain-th, l.imoeiro, Brejo, P.-squ.Mi -a, Ingazei-
? rff ;i. r iT 0l,v""a: Maranhao, oSr. Jos T.-i- ra, Flores, Villa It.-lla, Boa-Vista, Ouricury e Exfi nas
xeira de Mello Piauhy, o Sr. Jos.- Joaquim Arrimo; Para, quarlas reirs.
J. Hamos; Amazonas, o Sr. Jeronymo dal Cabo, Serinhaem, Rio Formoso, Una,Barreiros, Agua Pre-
la, Pimctitciras o Natal quintas, miras.
___________________________1 (Todos os rom-ios parlera as 10 horas da manlia.
Cosa.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES 01 CAPITAL
Tribunal do rommorcio: segundas e quintas.
Rolarn: torras feiras e saneados.
Pazonda: Ierras, quintas o sabbadoa as 10 horas.
.lui/o do niuiiiii'ri'io: i|iiinlas ao uteio din.
hito di- orphaos: Ierras e sextas as 10 horas.
Primeira vara doijivel: Ierras e sextas ao meio dia.
Segunda vara do rjivel: quarlas e sabbados ao uni dia.
PARTE OFFICIAL.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MARCO.
i Loa nova as I horase 51 minutos da larde.
12 (juarto rresrenle as 2 huras e ai minutos da manlia.
18 la rheia as 7 horas n ai minlos da tarde.
ai Ifuarta minguante as V horas e 8 minutos da manlia.
rr.l'.AYI.YK DE HOJE.
Primeira as li horas e l minutos da manlia.
Segundo as ti horas e 30 minutos da lardr.
DAS da semana.
21 Segunda. S. Benln ab. Fundador; S. I.nperinoiah.
11 Terra. S. Einmygdeu h. m. ; S. Benrrnute b.
23 Uarla. Ss. I'.lis r Iloiiiirio mu. ; S. \ < lorian,> ni.
- Quinta, s. Agapilo ab. ; S. latino l.
-r> Sexta. A-.....neiarao de Nossa Senhora ; s. Ir......b.
ai Sabbado. s. langero b. ; s. Braulio b. m.
27 Domingo. S. Roberto h. : S. Flelo l.ydia .-na mullier.
ENCARREGADOS 0A SUBSCRIPQlO RO SUL
Alagoas, o Sr. r.Riuduo i-abo llias; Baha, o Sr. Jos
Maitiu- Arres; Rio de Janeiro, o Sr. Joan l'ereir.i Martins.
KM PKRXAMBL'CO.
O proprietario do III ARIO Manoel Eignoiroa de Faria, na
sua linaria piara da independencia ns. 6 e 8.
fi-t
?YKH\0 DA l'ltt VI \< I V.
Expediente do dia t de........,
Ollicio ao cnniuiandanta das armas. Com esli
j "meo a \. Exe. pan, sua ui.cIhgenr.a- direcrio.. paes do Recifc, Oliuda h Pao d'Allm. ncpal do Recite datados de 3 ,le ,ai, Ti, 'ul ,, ,>I diT'ver r m.' 7i _fi7_-_ i d,'s,a dis'"ss:'n "I"-'38 a P
, Mo ao mesmo.-Sirva-sc T. be. de mandar Dito ao mesmo.-N. i.-lv orden, de S. Exe. o f lito.^ob ns. 38 e 57, o o da presidencia dea de iu- I. .a ;. _v vT s k r nr Kii^^S^*^Sn?!e,,do.'Ldl2!de*,*aS^,B" ""* -o oslaren aqu na cidado demorados
[absUrcomovouuUno no 8;' balalh.o de hilan- Sr. presidente da provincia Iransmfu, a\.S. para llio todos constantes das cpP|iunS. J I de T -ii a ^rr, i, V ^l lU..yv,,uo os pae,s .,ue lh, forau. n-n.eu.d..* aqu-iies.,..,.
lena, com direito grliOeacao da le, o paisano serum prsenles asseinbla legUlatira provincial, luto ao mesmo.-De orden de'a le o Sr .-,. ." ... '. ... 'V* '"l.L a' i" '.'",:'.-}: s....."" ,nk' d'''"'V '''"' ,le> "u0 '-suliam eseUrecimen- lo resuluio de
inlereauvam maisdireelamentc pe-
sia quesla
Dito ao capitn delegado de polieiado lermo d.
Saulo-Anto.Visto oque Vme. mecommunira em I P P'lra que elle seja varciuado
sou nincio de 25 de fevereiro ullimo, eoiiecdo Ihe
autorisaco para alugar urna casa, niele sejam tra-
tados os presos ac mine linios da varila, se a ca- !
den nao nnorecur para isso os eoiumodos nncessa-
rios, eoutro-sim podoVmc. despender rom o ira-
i iinenlo dos mesmos presos a diaria de 6110 ris,
romo propoe. Comiiiunicoii-sc aoihcfe di pobsi*
ca e ao inspector da thesouraria provincial.
Oilo ramara municipal de Oliuda.Visto achar-
an em grande ruina, secundo me declara ojuizniu-|
nieipal e de orphi/)s de Olind.i, a casa que serve
para as audiencias do seu jui/.o, baja a cmara
municipal de Olinda de, para esle llm, facultar -
quelle juizo urna das salas do edilicio, em que a
mesma cmara funeciona.r.ommunicou-se ao iuiz
iimui-ipal e de orphaos de Olinda.
Hilo dita da escada.Alm do orcaincnlo o ba-
lance, que acompanharam o ollleio da eaniara mu-
nicipal da Escada, datada de 2 de Janeiro ullimo, ..
-umpre que sejam remettidos os donimeulos, que dire!:lor interino das obras publici
legalisam a respectiva despera na cononnidade da '" ao Jirector da faculdade
resolurao de 31 de outubm de Isll
COpU o ollicio, que em 28 de fevereiro ultimo diri- llu d" delegado SUpplente do lenho de Barreiros
gio-ine o director interino da reparlican das obras, c'"" ** 'll' -'' de OUtubrO do anio prosimo pas-
pulilicas, aliiu de que V. S. faca effe'iluar a previ- "i eerei dos limites entre aquella rreguezia e o
ca, que elle solicita emheneticio da valla aberla I lormo Porto Calvo na provincia das Alagoas.
Portara.O presidente da provincia resolve ron-
ceder ao hachare! liermogenes Scrates da Silva
lavares do Vasconcellos a demisso que pedio do
cargo de promotor pblico da comarca do Limoet-
ro, e uoiuear para 0 mesiuo cargo o bacliarel Mar-
ro Tulio dos Reis Una. Fizorani-se as couimuni-
racoes nocessarias.
DitaO presidente da prov incia.altendendn ao que
requereu o prefessor ptiblii-o de instruuco primaria
dapovoarn do Allinho Kanbel Joaquim'de Oliveira
Macel, leudq em vista a iufurinacaododireclorger.il
ila inslrurco pblica de 25 .le fevereiro ulliuin,resol-
ve jubilar o referido professor com o ordenado pro-
porcional ao lempo que tem de eiercicio. Com-
municou-se ao director peral da inslrurro pblica
e ao inspector da thesouraria provincial'.
HilaO presidente da provincia, alleudondo ao
que requereu o promotor publico da comarca de
boiauna, bacharel Julio Barbosa de Vasconcellos
resolve prorogar por 30 das a brenca de 2 me/es,
que lhe foi concedida por portara d 14 de dezem-
hro ullimo.
HitaO presidente da provincia, allendendo ao
que. lhe requoreu Ivo Pinto de Miranda, professor
publico de primeiras lettras da povoaco de Agua
I rea, resolve coneeder-lhedous me/es de lieeina
'om.ordeuado para tratar de sua sade, a contar
no da 8 de Janeiro ultimo.Communicou-ec ao ins-
pector da thesouraria provincial e ao director gera!
ua inslrui-co publica.
Dito0 Sr. agente da eompanliia brasileira de
paquetea a vapor mande dar passagem para a pro-
vincia da Babia, por renta do ministerio da guerra.
no vapor que se espera do norte, ao cirurciao do
corpau aade. Dr. Roreodo Apriiri.. PereiraGoi-
maraes. Coinmiiicou-se- ao commandanle das
armas.
Expediente do secretario doi|orerao.
OfOcio ao director geral de insliucrao publica.
-S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda coni-
munirr a V. S. aue, de confonnid.ide com a sua
(ormaco de 2C de fevereiro ultimo, mandn a
thesouraria provincial pagar professora de ins-
trueco primaria dacidade de Caruar, Auna Joie-
qniua Peres Campello de Mello, a importancia da
gratificarn a le lem direitoem vista do artigo 32
da le proviucial numero 152 do anuo prximo pas-
sado.
Dito ao primeiro secretario da assemhla legisla-
tiva proviucial.N. 2,Sciente S. K\c. o Sr. pre-
sidente da provincia do re.-ullado da eleico a que
proceden a assemhla legislativa provincial para
organisaro da mesa que lem de dirigir os respecti-
vos traballios na presente sesso, segundo commu-
mca V. S. em seu ufRcio de hoje : assim o manda
declarar a \. S. para que o faca constar mesma as-
sembla. ,
. 2
OfOcio ao Exm. Sr. vico-presidente da provin-
cia de Alagoas Dr. Roberto Calbciros de Mello. Pi-
cando inteirado de haver V. Exe., na qualidade de
primeiro vice-pregidente, tomado conta da admi-
nistraco dessa provincia, por U;r seguido para a
corte o Exm Sr. Dr. Angelo Thomaz do Amaral,
asseguroa V. Exe. que lerei sempre a maior sa-
lisfacao em cumpnr?* ordena de V. Exe, ou se-
jam relativas ao snico pblico ou ao particular
de V. Exe.
Diloao Exm. Sr. Dr. Agosliho Luiz da Gama
Na confonnid.ide de aviso do ministerio do impe-
rio passo s mos de V. Kxc. a carta imperial, pela
qualS M. o imperador houve por hem uomea-lo
presidenle da provincia de Alagoas.
Cnngralulaotlo-me com V. Exr. por esle moti-
vo, lenho asalisraco de renovar-lhn os protesto-
de miiilia perfeila estima e consideraran.
Dito ao Exm. Sr. Dr. Pedro Leo Velloso. Ac-
ensando receido o officio, que V. Exe. se servio
dirigir-me em 5 de fevereiro ullimo, communican-
do ler entrado no eiercicio do cargo de presidente
da provincia do Espirito Santo, aprsenlo a V. Exe.
os protestos do minha estima e consideraro, rom
a segiiranca de que me achara sempre prompto
para o que fr do Mrvico.pl^co ou particular de
Dito ao Exm. Sr. presidente da provincia de S.
Paulo.Accuso a recepeo do oflicio, que V. Exe.
se servio dirigir-me em i de fevereiro ultimo com
'relatorio que leu perante a assemhla legislativa
dessa provine* por oecasio da abertura de sua
sessao ordinaria do correle anno.
Dito ao commandanle desarmas.Tendo S. M.
0 imperador determinado que o teucnle coronel
Jos Joaqnlm Rodrigues Lopes aiga para a provin-
cia do Maranhao, onde vai ser Conreuieiilemente
cuipregado ; assim o declaro a V. Exe. para seu c.o-
uhecimenlo.Conimuuicou-se ao inspector da ihe-
-ouraria de fazenda e ao referido lenle coronel.
Dito ao mesmo.Teudo o Exm. Sr. ministro da
guerra declarado, em aviso de 5 de fevereiro ulli-
mo, que se expedio ordera a pagadura das tropas
da curte para que cesse, a contar da ultima que li-
ver sido paga, a prestaco de 12J mensaes, que o
al reres secretario Seraflm Nunes Gonral ves all con-
signou de seu sold, delerminandn ao mesmo tein-
poquese pague a esse oilicial osen sold integral-
mente, licandn o ajuste de contas, a que possa ler
direito, para quando vier a respectiva guia assim
o communico a V. Kxc. qara seu ronhecimenlo.
Hemetteu-se copia do referido aviso no inspector
da thesouraria de fazenda.
Hilo ao mesmo.Convni que al ulterior de-
lilieracodesta presidencia nao ausente praca o re-
inita Antonio Francisco da Silva, que 'mandei
apresentar a V. Exe. com o uieu offlcio de hon-
leni.
Dito ao mesmo. Communico a V. Exe. que, co-
mo conslou do aviso do ministerio da guerra de 9
de fevereiro ultimo, foi approvada a licenca con-
cedida por esta presidencia ao Io cadete do" 4" ba-
talho de artimaa a p Rento Jos l.anieuha
l.ins Jnior para ir a corte, a lempo de poder ma-
iricular-se na escola militar. Communirnu-se
tambera ao inspector da thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Remello por copia a V. Exe,
para seu conheciinenlo, o-aviso expedido pelo mi-
nisterio da guerra, em 9 de fevereiro ullimo com-
muiiicando haver sido expedida a eonvenienle' or-
dem ao director do arsenal de guerra da corle para
mandar fornecer ao desla provincia as 40 arrobas
de plvora grossa e as 20 da fina, segundo foi re-
'iUlvr*do Vr esla P.residencia em ollleio sob n. 12,
de 17 do mex prximo pretritoRcmelteu-se co-
pia do mesmo aviso ao director do arsenal de
guersa.
Dito ao mesmo.=Constando-me, de aviso da re-
partido da guerra de ti de fevereiro ultimo, ter-
se expedido ordeni para ser suspenso do 1" desse
mez em diante, o pagamento da coiisignac.ao de
.10, que deixou de seu sold na corle o teueiite do
exercitoJoseManocldaSilveira, ruja guia se re-
melle nesta data a thesouraria de fazenda : assim o
communico i
Remetteu-se
no pantano de lllinda para tra/er agua do rio Be-
benbe para aquella cidade. Conimuiiicou-sc ao
as.
...-J de direilo desla
cidade.Declaro a V. S. que, como consten-me
decoiuiiinuicaco da secretaria de oslado dos lie-o-
cios do imperio de 21 de fevereiro ultimo, (oram
concedidos, por portara daquelk data, ao consc-
lieiro Dr. Pedro Aitlran da Malta e Alhuqueruue
lento dessa faculdade, 2 uuv.es de liceu.-a com orde'
nado para Iralar de sua saude.Cemmunicoa-se ao
inspeeterda thesouraria de fazenda, e aecusou-se a
recepeo da Cliniiiinicnco.
Dito ao iu-: Jerouyiue Villela do Castro Tatarea
leudo designado a V. S. pora exerror asfunceoes
Uudireclor geral da nslrucoo publica, emquanln
estiver com asseulo ua assembla provincial ba-
charel Joaquim Pires Machado Pnrtella ; a-im o
communico a V. S. para sua intelligencia e direc-
cao^Loinmunicou-se ao inspector da thesouraria
Dito ao insperlor da thesouraria de fazenda.Na
cuulormidadu do que solicita o Exm. presidenle da
provincia do Rio brande do Sul, no ollleio junio por
copia, datado de 15 de fevereiro ultimo, covm que
. S. considere suspensa, desde o Io de Janeiro do
correnle auno a consignnco de 20S mensaes. que
uo su so do dauoii nesta provincia o alferes doO"
uatalliao de infinlaria Antonio Itabello da Silva
cuja guia s. s. remetiera como eexigt.....predit
oiiicio. i.oinmunicou-so ao Exm. presidenle do
linas a" S"'' e ao cu""n'1"djl,l'! das ar-
*Oito ao mesmo.-Declaroa V Sr que, segundo
conslou de romuiuuicaro da secretaria de estado
use negocios do imperio de 16 de fevereiro ultimo
oram, por portara da mesma data. Horneados V-
senlo I.usavo Borges,, e Francisco Esteres Paes
Barrcl, aquello para o lugar de agente do- correto
me mo !l*"d!,' e *18 p,ra '' i'l'>e do
uie.-mo rorreio no Ido Foroioso.boiuiiiuiiii-nu-se
ao adioimslrador du correio, e aecusou-se a recepeo
Ua commuiiicae.io.
Dito ao mesiuo.Remello por copia a V. S. pa-
ra sua intelligencia e devida execuco, o aviso do
ministerio da blenda de 17 de fevereiro ullimo or-
denando que siga quanto antes para a provincia de
sergipe o pralicaute des-a thesouraria Cicero Bra-
sileim de Mello.nouii-.ido2- escriplurario du llieson-
raria daquella provincia
Dito ao mesmo.N. 8. Manda S. I'.vc. o Sr. pre-
sidente da provincia transuiillir a lr\S..am de ser
presente a assembla legislativa provincial, a infor-
maeao que, cm dala do 1." d- ju '
sadu. ministrou o jniz municipal
dro Jos da Silva Santiago,
Agua Prela calhegoria de villa.
Hilo ao mesmo.N. I). Manda
sidente da provincia remoller Un- copia a V
flmde ser prsenle assemld
vincial. o offieio incluso por cop a,
setembro do anuo paseado dirigi
po diocesano, sobre a Irausferen
Aldei.i e i'.araha da freguezia de
a de Po.d'Alho.
Dito ao mesmo.N. 10. De oreai d
sr. presidente da provincia, rom
iniuislerio do imperio de 21 de
maio, relativo ao mesiuo ohjecto.
Hilo ao mesmo.N 3:1.Manda S. Exe. o Sr.
presidenle da provincia trausihillir por copia a V.
*-i a'"n de ser levado ao conheciinenlo da assem-
bla legislaliva provincial, o regulanienio expedido
pela presidencia da provincia em dala do 15 de se-
tembro de ISK, sobre o foruocimciilo dos presos da
lio do anuo pas- | casa de deteuco.
suptenle Lean- "i.'" ao mesmo.X. .11.Manda S. Exe. o Sr.
icen i da elevaco de : presidente da provincia reuielter por copia a V. S..
Exe o Sr- pre-
S.,
a legislativa pro-
lue em lo de
o llnlm. Sr. his-
,ia dos eugeuhos
Tiacuiiliaeiii para
lio
! S. Uxi
V. S.. aliin
Hito.o, inapaetor geral da inslruecao publica da
provincia de S. Paulo.Accuso a recepeo do olli-
cioque \ S. se servio dirigir-me em 11' de feve-
reiro ullimo, c agradeeu-lhe a remessa do relatorio
a inslruecao publica dessa provincia do auno de
Dito ao inspeclor do arsenal de marinha.Re-
mello por copia a Vine, para sua intelligencia, o a-
iis.1 expedido pelo iniuislerio da marinlia em 17
ra a corle de aprendizes menores da conipanhia
desse arseaal. '
Dito aoTfcesmo.ltemello por copia a Vine, o a-
i iso axpedido pelo ministerio da marinha em 10 de
levereiro uhimo, sob n. 22, declarando lereni-se
expedido as convenientes ordens allm de serem re-
mellidos a esla provincia os objectos necessarios
para o armamento do hiato, que se acha em cons-
iruccao.
Dito ao mesmo.Pelo seu ollleio de 28 de feve-
reiro ullimo, sob n. (i!l, quei inteirado de que vai
ser alistado na compaubia de aprendizes menores
de-se arsenal o de noiue lleiirique, tilho de Maria
Marccllina Ferreira.
Hito ao mesmo.Mande Vate, razar o scrv.ro
eonvenienle nas bombas reaes du vapor Bebeiibe
que se achara eniupdas.Commuuicou-seao com-
i iiidaute da divisan naval.
Dito ao director dasobrasmilitares.Mande Vmc
lazer na prisao da fortaleza do Brum os conccrlos
necessarios, segundo o ollicio junio por copia, re-
melteudoa cotila do que com isso depender-se
.oiuuiunicou-se ao commandanle das armas.
Dito ao director do arsenal de guerra.Na con-
lormidade do aviso do iniuislerio da guerra de 12
de fevereiro ullimo mande Vmc. foruecer ao meio
batalhao de cassadores da provlucia da Parahiba
os objeclos designados em a nota junta por copia de
Diloaojuiz de direito da comarca de Nazarelh.
be couformidade como aviso, junio por copia, ex-
pedido pelo minislerio da justica cm 7 de fevereiro
ullimo, expoc.a \ me. as suas ordens para que seja
cuinprida a sentencade morte proferida pelo jurvdps
se termo contra o reo osera vo Manoel, por erimede
assinalo perpetrado na pessoa de sua senhora D
Torquala Quiteria de Moraes.
Dito ao jniz municipal de foianna.Remello
por copia a \ me. para seu conhecimento e direceo
o aviso expedido pelo ministerio da justica cni'lO
de fevereiro ultimo a respeito do escriv'o da pro-
vcdoria Joao Jos da Cos Maneaos, iiilorinaudo-ioe
me. de quinto cunvier, com refereucia ao citado
aviso.
Dito ao cominissario vacciuador provincial.Re-
mello a Vmc. um envoltorio coniendo pus vacci-
de ser presente assembla legislaliva provincial,
i iniormacao ministrada] pelo inspector in-
........------------ cop
allm de ser preseute assembla legislativa pro- do anno passado
uncial, o olhcio da admiuislraeio geral dos eslabe- Dito ao mesmo.X. 02.S. Kxc o Sr nresiden-
lecimentos de caridade, datado de 25 de uoveml.ro le da provincia manda remoller por tpia V s
'i" auno passado, c o da presidencia de 17 de ja-, allm de ser prsenle assembla legislaliva pro-
mulgadas o anuo passado. A commissn procnroii rolhcr as informaroes ue-
Diio ao mesmo.- \. 00.S. Exe. o Sr. presiden- cessarias, e soube que nada disto se d. Tro/. Bre-
te da provincia uauda remoller a V. S., para o I '."os tica mullo disimilo doseugenlios, (pie em 1813
llm conveniente, a colleceo das le, decises dolforain desmembrados de Serinhaem.
goveruo imperial perteneantes ao anno de 1857. Xesias cirrnmstancias, vendo a commissn que o
Dito ao mesmo.X. 61.Manda S. Exe. o Sr. Exm. Sr. presidente j havia mandado procurar na
presidenle da provincia transmita: por copia a V. amara episcopal documentes relativos aos limites
S. o acto da presidencia de 13 de Janeiro ultimo, da l'.-eada, e que s se liuha encontrado o airar
polo qnal se mandn iiidemiiissai- o eoniialador da
Humilla.;o desla cidade Antonio da Suva liusmo
era virtude da le provincial n. 52 de 31 de junho
10 passado.
Dito
ntiro ullimo aulonsaiido a elevaco do ordenado | vincial, o ollicio, que um 21 do fevereiro ullimo lhe
DUo anmel'SPV l-08 W*' < -, d,n8S! municipal do l.imoeiro, expondo
uno ao mesmo.X. do.S. Kxc. o sr. presidente as tiecessidades do seu municipio
ua provincia manda remoller a V. S.. allm de se- Dito ao capilo Joaquim Francisco detlliveira
rcm presentes a assembla legislativa provincial, a Vau apresenlnr-se a V. s., conform
Portara de 18 de agostlo auno passado. pela qual oo coolida em ollicio de lioiileui
ioiju|ulado o professor publico de grammalica la-tem dedeporco.u.. teslemunhas no proeessoins
laurado conlia o soldado Jos Ilenicio llu/.eria.
a sua requisi-
pessoa- que
terino de sade publica, que em dala de 10 de iu- i presidencia
lina da villa do l.imoeiro Manoel Alvares Poroira,
is informaccs que precederam a reeoluco da
nho do anno passado. acerca do incluso requeri-
inenlo da ord.mu Icrceira de S. [Francisco do con-
vento de Nossa Senhora das Noves da cidade de
Olinda.
Dito ao mesmo.N. 11. De oMein de s. Exe. o
Sr. presidenle da provincia reuelte por copia a V.
s alini do ser prsenle a sajo sablea legislativa
provincial, a informarn miiii Irada pelo ex-juiz
municipal o de orphaos do tern ti do l.imoeiro, Sa-
bor Cameiro Bezerra Caraleani sobre o destino de
diversos orphaos daquelle ler no ; assim como os
olbcios dirigidos pela presideuc a acerca desle ob-
jecto.
Dita ao mesmo.X. 12. De rdeui de S. Exe. o
Sr. presidente da provincia, Ira isinillo a V. S., aliiu
de serem presntese assembla; legislativa provin-
cial, os documentos relativos aVis limites entre as
fregueziea de Agua Prela e Bolillo, em vista da le
provincial n. 425 de junho de 1857.
Dilliao uirsuio. \. )3 lie Lrdum da -i. Kxe.
i*r. presiaonte aa provnieta, papso asmaos un r. :-.
os popis inclusos, aiimde que a assembla legisla-
laliva provincial, lomando-os
sirva de resolver as du vidas :
tos das fregue/ias da Kscada i
Dita ao mesmo.N. 14. De
Sr. presidente da provincia t
do serem lomados em cunsid
legislaliva provincial, os pap.
queslio occorrida sola-,' limit
val com a do Limoeiro.
- Hilo ao mesmo.X. 15. S.
C i provincia, manda remelle
lini de ser prsenle asseiul lea legislaliva provin-
cial, o ollicio que em 23 do I
sob n. 19, foi dirigido pela ,
m consideraco, se
iscitadas sobre limi-
iiii a de Serinhaem.
ordem de S. Exe. o
iismillo a V. S., allm
acao pela assembla
s inclusos relativos
b da freguezia de bra-
Exc. o Sr. presidenle
por copia, a V. S
tez prximo lindo, o
miara municipal do
Recite, propondo que o impo lo sobre casas'de ne-
5'"'" sej> elevado a SjUDO pj-a as de nacionaes e a
20-5001) para as deestrangoirok, assim como que 11-
'"lPe''|eiiceiid receila n uuieipal o imposto de
20 0/0 sobre o consumo d aioardente do produc-
i.-ao nacional,
Dito ao mesmo. X. 10. S Exe. o Sr. presidente
da provincia manda remelle [ por copia a V. S.,
alnu de ser prsenle assem ila legislaliva provin-
cial o relatorio e niappas ai reseulados pelo eoin-
inandanto do corpo de policii.
Hilo ao mesmo.X. 17. Par ordem de S Exe. o
Sr. presidenle do provincia remello a V. S., allm
Dito ao mesmo.X. 36.De ordem de S. Exe. o
Sr. presidente da provincia remello por copia a V.
S., .-liini de gerem presentes assembla legislati-
va provincial, a portara da presidencia de 27 de
uuliibro do auno passado pela qual foi aposentado
o corneta mor do corpo de polica Jos Tliemoleo
da Silva, bem como as informaccs que precederam
a resoluco da presidencia.
Dito ao mesmo.N.37. Mande V. Exe. oSr. pre-
sidenle da provincia remoller a V. S., aliui de se-
ren prsenles assembla legislaliva provincial, o
oilnio do conselho administrativo do patrimonio
dos orphaos de 2s de agosto do auno passado, e o
acto da presidencia de 1* de outuhro ultimo, ele-
vando a OOjOOO o ordenado do procurador do mes-
mo patrimonio.
Dita ao mesmo.X. 38. S. Exe. o Sr. presiden-
le da provincia manda remoller por copia a V. s
para ser prsenle assembla bigial.iliva provincial,
n nelo .1:. |.....sidiojej .1., 1 I deEulul'1'0 'lo .,,,. n.1i,
iao, ni'iermnian.lo que os arrivuTainontns tros pre-
dios do patrimonio dos orphaos sejam feitos por
lempo de 1 a-:i anuos.
Hito ao meamo.N. 39. Do ordem de S. Exe. o
Sr. presidenle da provincia transmuto c V. S
PERNAMBUCO.
ISSEMBLE LEGISLATIVA PROVINCIAL.
sf.ssvo niii.iNiniA r.it 18 df. sunco un 185!)
PrmdtnewioSr. Dr. Carneiro da Caaha.
(Concluso.)
O Sr. Presidente : Temi um dos meinbros
assignado vencido ua forma do regiment, lien esle
parecer adiado.
" Sr. llego Slonleiro requer a urgencia para que
entre logo em discussao o parecer, visto quo elle
uao irala seno de pedir informarnos.
Apoiada a urgencia entra era discussao.
Impugnado esle requeriinenlo pelos Sis. X. l'or-
lc"a e "......I l'avalcanli, e sendo sustentado por
-en autor, e iilinal approvado entrando era discus-
sao o parecer.
oe&^iacjsiflfff ^Mn^lilro^V^'IftlM1.
porque nao liveaiu oecasio, vislo a urgencia de
esludar a materia.
Senhores, a commissn quer que se pecara in-
aeoes ao vigario de Seriuliaem e ao Sr. hispo
de lula, entanden que deria pedir qualquer docu-
mento que por ventura baja na ine-ma cmara epis-
copal, relativamente aos limites de Serinhaem. Se
toase encontrado algiim documento, no qual esti-
ve-sein Claramente determinados os liiniles de Se-
rinhaem, evidente que a questo poderia ser facil-
inenle resolvi.la.
Tambera vio a commlsso que pela Escada vie-
ram informa'oes iniuislradas pelo respectivo jniz
muui.ipal, pela cmara a pela viajarte; ao passo
quede Serinhaem s reio um ollicio do jury muni-
cipal. Ha lambetu um ollicio no mesmo sentido do
jui/. de direilo interino do Kio Formoso ; mas da
mesma pessoa, islo do mesmo jui/. municipal,
quando passou a exereer a vara de direilo. Para
collorar era igualdade as duas freguezias, pede a
commisso as entras informaeoea declaradas no pa-
recer.
O negocio, repito, me parece simples; e. a coin-
iinssao obran niuilo regularmente : uinslrou que
est animada do espirita de justica e imparcialidade,
e que s deseja acertar.
A respeito da emenda do obre depulado que se
i senia minha esquerda, direi sement que se com-
pele ao poder judiriario resolver os conflictos de
jurisdnco, a'ii.'.s compete determinar e flxat os li-
mites de fregue/ias, termos e comarcas; que lian
ha neiihun inconveniente em resolvermus aqu
nina queslo, cuj, conheciinenlo c deciso nos com-
pele, ao mesmo lempo era que o poder competente
resolve o conflicto de jurisdico que leve lugar em
virtude das duvidas que pomos devem ser resol-
vidas.
Nao se conteste hoje um direilo que esta casa
sempre exereeu sera contesta'o de nignem.
I'.oncluo volando pelo parecer tal qual se acha e
l'i...... m ni. .|a
> Sr. M. Cavdtcamti : Sr. braaUenie eu eu-
lendoque sobre a qoeslo dos lmeles que as duas
fieguezias possam ler, mis polleiiios, sem inconve-
ni "ule lomar urna de.iso, mas nao disso que se
tala, a queslao versa sobre sabei-se se a parle do
lina propriedade entra nesta. ou naqueUa fregue-
us inte-
rna de-
ntis
o no-
razio
ua sn-
er que
que se
rra s
oes e
a essa
;'A rozo nica da urgencia,
assisteucia dos iuleressados nesta ei-
foi
dade
O Sr. llego Monteiro ;Diz o nobre depulado,
mas a casa est b.-m presente no quesedisse.
" Sr. Sonsa. Aei.-Has o nobre depulado nao
apie.-ei.lou agora mesmo outra razo, por islo dis-
se en, se isto serrisee de alguma cousa para na, se
lu.-se efleeliramonte urna razo para roannos a
urgencia, seria tambera para votar-e a emenda
que eu oirercci e que por consegrante o nobre de-
pulado volando contra a emenda c pela concluso
lo parecer, vota contra a sua propria razio de ur-
gencia.
Mas, Sr. presidente, nao oiuda islo o que eu le-
nho de dizer com reiaro i raataria principal, na
qual enirare agora. Eu entendo, Sr. presidente,
que esla casa e eorapelente para resolver todas as
tmidas que se suscitaren! a espeitode divisoes de
Ireguezias, a respeito de seus limites
' S' iV; ''or,tlla "K' bstanle.
O Sr. Souza lleii:... enlendo porm, que
quando mesmo a queslio que ora se agita estivesse
no caso de ser resolvida por esla casa, como nvol-
vendo urna queslo de limitas de rreguezia. nao
lena ella resolve-la por agora, visto que a sua so-
lucao est dependente de un poder dflerente, ato
e, do poder judicial. Enlretauto, eu direi, no
esla casa competente, nao deve ella revolver a
queslao que se agita, era primeiro lugar, porque
ella nao involve urna queslo propriaraeute em li-
mites de freguezia....
" Sr- -v; l'ortella .Oh, senhores!
O Sr. Souza llei*:... no caso cm que a esta
casa compete resolve-la ; em seguudo lugar porque
e-la queslao est airela, como disse, ao poder in-
diciarlo c qualquer colleceo que formas dar agora,
se entender que vai autecipar o juizo desse poder,
que yai embaiaca-lo na soluco que elle tiver de
dar questo.
O Sr. Tbeodoro da Silva : Salvo a querer-mos
crear limites o niu explicar limites.
O Sr. S. Ileit .Apoiado, mas nao se trata disto.
de seren presentes assembla legislaliva p'rovin-l l'ara *" 'cidir se os terrenos em queslao perlen-
Cial. o acto da presidencia de 23 de julho do auno I ''um a freguezia. Eu enlendo que atezar das i\ae -V.bre'isio'i'i-id'i' imite mili fi/er S,...
paseado determinando que a casa dosexnostos seja forniacoes, sejam ellas quaos forera, nos nio po- i S/ s Ldecidir-m!^ .,'-
regida por urna superiora auxiliada por liriiias de ; ne''"1- dieidir.so essos lenos sao desla ou daquel-
earidade, e aholindo os lugares de regentes da mes- ';' "*8uezia. Repilo, as infonnaces nao nos po-
ma casa. | dem orientar em cousa alguma: u estou certa que
Diloao mesmo.X. 40. Para ser prsenle- as- uv''an" dl' Seriuliaem ha de dizer, estas-ovelhas
eambla legislaliva provincial, remello a V. S., d
ordem de S. Exe. o Sr. presidente da provincia, a
copio inclusa do acto da presiden.-ia de 12de julho
do auno prximo passado determinando, em virtude
do ai i. 32 da lei provincial n. 452, o pagamento da
gralilica o dos empregados da thesouraria provin-
cial pelo excesso de Irabalho, alm da hora do ex-
pediente, desdo junho de 18U, at 23 de agosto de
Junto achar V. S. a inforinaco, que foi minis-
trada pelo inspector da thesouraria provincial, em I
8 ae julho ullimo, sob n. 232, e que precedeu o ac- '
to referido.
Dito ao mesmo.X. 41. De ordem de S. Exe. u
Sr. presidente da provincia, remello por copia a V.
S. o acta da presidencia de 17 de julho do auno
for.ini sempre do uieii rchanlio
l'm Sr. Depulado : Hade fallar com conscieu-
cia.
0 Sr. Manoel Cavalcanti : Sim, seulior, cora
conscencia, mas ha de dizer islo. Sis., a queslo
e esta um proprietario de engenho da freguezia
de Serinhaem dispula com um proprietario d
que lal propriedade e
e que
i.i
precisa una explicaco ?
l'm Sr. Depulado .-Tanto que houve conflicto.
O Sr. Souza Uei* :Aiuda, Sr. presidente, nio se
aprcsontii essa lei, aiuda se uio disse porque dis-
posicao legislativa of limites das freguezias da Esca-
da e Serinhaem. Suscitara duvidas; se.Uto se tives-
se foiio, Sr. presidente, era esta casa competente
no leinioile Sennbaem, e que a divisan da fregu- para decidir a questo...
zia foi lal, temes prevenido o juizo do juiz, e eu i '''"' Sr. Depulado .l'ois a queslio justamente
Sendo jniz nao fa/.ia caso da ilecisao da assembla, esla.
Sonso Reis .-Nio esla, collega, e se po-
uorque preciso respeitar cada um nas suas atlri-
Mlicuos. De inais, qualquer deciso da essombla
sobre limites dessas freguezias, regular para o fu-
luro, para o passado, nao; logo a queslo nao Rea
corlada, continua do mesmo modo, asparles (erio
de que-lionarem juizo...
/'i Sr. Depulado :e que inconveniente ha cm
_ prximo passado, mandando ticar a cargo de una
de serem presentes assem lea legislaliva prono- i superiora e cinco irmas de raridade a direceo, en-
cial, o ollicio incluso, que ei i dala do 1." d leve- sino e rgimen do collegio dos orphaos.
reiro ultimo, llie diriga 1 vdm. Sr. hispo dioce- i Hilo ao mesmo. N. 12. S. Exe. o Sr. presiden-
lalivas i crea.
Exe. o Sr. presidente
ttir por copia a V. S
Dito ao director interino das obras publicas.__l'n-
1w \"'f' 'a/t"-r d'"il"'/a' eomo solicita seu ollicio de
2 de levereiro ultimo, e sob n. 45. para mandar
deitar;barro nos lugares mais arenosos da estrada
de OKiida.Coniiuuuicoii-se ao inspector da the-
souraria provincial.
Hilo ao agente da compauhia brasileira de paque-
te a vapor.Depois que o vapor rbcoani, que
acaba de entrar do sul, liouver completado as 21 lio-
ras de sua demora no porto desta cidade, poder
seguir para o norte.
Hito ao gerente da compauhia l'ernamhiicaua.
Pode Vmc. azer seguir para os portes do sul o a-
por Herninunga, hora indicada cm seu ollicio do
2 de fevereiro ullimo.
Kta cmara municipal de Olinda.Remello por
copia cmara municipal de Olinda. em respo.-ia ao
sen ollicio de 16 de dezemhro ultimo, sob n. 88. as
infonuacoes, que ininislraiaui a cmara municipal.
un Kecile, e a directora das obras publicas acerca nieipal do Rio F
da planta requisilada uo predito ollicio.
Portara.0 Sr. agento da cnuipanhia brasileira
de paquetes a vapor mande dar transporto para o
llio brande do .Norte, no vapor 7oc.ii.iiii*. aos sol-
dados Jos Joaquim de Meudonia, c Jos Joaquim
de Jess, devendo ser paga naqnelb provincia a
importancia das passagens.Coniuiiinicoii-se ao
commandanle das armas.
sano, com as informa,
freguezia de Ouipap.
Dita ao mesiuo X. 18.
da provincia, manda trans.-.,
aliin de ser prsenle .assqmbla legislaliva pro-
vincial, o ollicio que em 5 do mez prximo lindo,
lhe foi dirigido pelo Rvdmf Sr, hispo diocesano,
com as infonnaces exigida] por essa assembla re-
lativamente creacn da friguezia de Cruaugv.
Dito no mesmo.\. 19. jlauda S. Exe a Sr. pie
Sidente da provincia remoller a V. S.. aflm de ser
presente assembla legis
sa informal o, queiuini-lt.
raria provincial em 11 de
sob n ls|, declarandoqin
ca se arre,-adon o imposte
corrida.
Dito ao mesmo. -X. 20. ...
sidente da provincia remet er a V. S., para ser pro-
le assembla legisla!! a provincial a copia il-
ativa provincial a iuclu-
u o inspector da lliesou-
unho prximo passado,
laquclla repailico uiin-
de 540 ris sobre folha
Manda S. Exe, o Sr. pre-
ciosa do ollicio, que um 31
dirigi o llvdm. Sr. hispo d
tarn; ra da transferencia da inalriz da fie-
cao de Tamandar
S. Exe. o Sr. presidente
gueziade Una para a povo.
Dito ao mesmo.N. 21. _
da provincia manda trans: litlr por copia a V. S.,
para serem presentes i as embica legislativa pro-
0 da le da provincia manda transmitlir a V. S. para re-
rein presentes assembla legislativa provincial, ns
artigos de postaras, que forain recehiuos com o of-
licio da cmara municipal da Boa-Vista de 12 de Ja-
neiro ullimo.
Dito no mesmo.X. 43. Manda S. Exe. o Sr.
piosidente da provincia remoller por copia a V. S.
o eflirio da enmara munieipaldo Recite, soba. 58 e
dala de 7 de julho do anuo prximo passado, hem
como a parlara da presidencia de 11 daquelle mez
appruvaudo provisoriamente ns artigos de posturas,
que acompanharam o citado ollicio.
Dito ao mesmo.N. I i. De ordem de S. Exe
que c assim, mas o que certo que a parte ad-
versa nao pedio vista era lempo, e larrea por jul-
gar-se moradora na freguezia da Escada, enten-
deu mais eonvenienle requerer ao seu jui/., que o
raantives-e ua possu do terreno questionado.e o jui/..
segundo o que essa paite provo'u e allegou, deci-
di favoravelmento. Eis em que consiste a ques-
to : o que resta saber-se se aquelle Ierren., per-
nce ai este ou aquello engenho. O jui/. muilici-
s i que-io ; taliv/ nao seja a melhor, o mesmo
enlendo que q divisan por propriedade nao boa ;
a diviso pelos rios, tambera nao goslo della, salvo
se lr pelos grande* ros, porque os pequeos, u-
ueiu e nao dividen]. As divisos por estradas, lora
o mesmo inconveniente; ha nutras divisos me-
Ihores, romo os grandes montes etc. Mas islo nao
motivo para que tesolver-raos urna queslo nu lo-
raarmoa nma deeiaao que nao foi pedida, porque
o Sr
do jui/. municipal e ron ler o alvar que den novas
limites i freguezia da Escada : esle o ducumculn I
de Janeiro ultimo, lh
iocesauo, prestando in-
vincial as informaeoea, qu
mo, lhe dirigi o Rvdm S
ca da ereacao de urna fres
do 0*. '
Dilu a,, mesmo.X. 22
sidente da provincia reine]
subinellidos i ossembla
inclusos arligos de postor
mar
muui.ipal dn Buiqu ', com o ollicio junio
copia, datado de 13 de o ilubro do aiuio prox
passado.
Hilo ao mesmo.X. 23
era 31 de Janeiro lli-
. hispo diocesano, acer-
he/.ia na ..-apolla de K. S.
Manda S. Exe. o Sr. pre-
tor a V. S., para seren
legislaliva proviucial, os
is apresenlados pela ca-
lor
prximo
Sr. presidenle da provincia transmuto por copia a n" Slbir seja divisa desees eugeuhos, mas o jui/.
V. S., alim de ser presente assembla legislaliva municipal quer que a divisa dessa freguezia seja
provincial, o acto da presidencia de 22 de Janeiro i Pelu "." quandu a lei nao falla nelle. Ora, nos pode-
iiltiinu, approvaudo provisoriaraeiite o artigo de j mos dizer os limites desle engenho, ou daquelle,
posturas, que acompaiihoii o ollicio, incluso porco- sa0 ?*'**' OU aquellos ? Xo, isso perlence ao po-
der judiciario, urna questo de propriedade que
se prova com os ltelos, com documeutos. Se po-
nos dicidirmus islo, praticanios urna imliscripco,
porque nao nos perlence. Para que serve poi's a
iaformacao do rigario ? Talvez ella nao saiba na-
da diste : de que serve a do juiz de direito c da c-
mara municipal. Para cousa alguma : negocio
que perlence ao poder judiciario, a quera cuinpre
apreciando a questo, decidi-la em vista dos lta-
los, para saber se os eugeuhos de que se falla, al
quer aviso
l'm Sr. Depulado :Anda, que nao lenha dote.
; i OnlroSr. Depulado ;Pobre I Ella lem a chave
r e'ii ^Vd ''' '""i q'"! d'f reSlM-'"'! d0 ,:ofrft "'" 'l'""s" "recadara 1:400 cintos
a queslao. ,lf A divisan, e pelos eugeuhos, as di- Os, \ /,.
usasexisleiu.so pelas extremas dos eugeuhos; nao
se falla no rio Siluro. Pode ser que casualmente o
pie, da cmara municipal do Becife, cora datado
15 do nnvonibro do auno prximo passado sob nu-
mero 58.
Dito ao mesmo.X. 45.Manda S. Exe. o Sr.
presidente da provincia remelter por copia a V. S.
o ollicio, que dirigi a cmara municipal de Oliuda
era data de 13 de Janeiro ultimo, sob n. 94, e o acto
da presidencia de 18 de Janeiro ultimo, appro-
vaudo provisoriamente dous arligos dn postura.
Dita ao mesiuoX. 46.De ordem de S. Exe
Expediente do secretario do gocerno.
Ollicio ao inspeclor da thesouraria de fazenda.
S. Exe. o Sr. presidente da provincia manda trans-
raillir a V. S. as 5 inclusas ordens, sendo 3 do the-
souro nacional, sob n. 15 a 17, e 2 do iniuislerio da
guerra datadas de 7 e 11 de fevereiro ultimo, e bem
assim i otcios da secretaria de estado dos negocios
da fazenda de II, 21 22 dn mesmo mez.
De ordem de S. Exe. o
Sr. presidente da proviuca, transmiti por copia a
\. S., allm de serem presentes assembla legisla-
tiva provincial, nao s u aclo da presidencia de 4
de Janeiro ullimo. appr ivando provisoriamente 2
arligos de posturas reme lidos pelu cmara muni-
cipal de oliuda, mas tem teco o ollicio da mesma c-
mara dalado de 10, o du Rvdm. Sr. hispo dioe.-sa-
!' u"e 28 da dezenil.ro u! limo, e o da presidencia de
4 do referido mea de aueiio, acerca de oulras
duas posturas, que se lfcm na copia junta.
Hilo ao mesmo.N. 24. De ordem de S. Exe. o
Sr. presidente da proviheia, passo s mos de V.
S., para seren subnietlins A delibera'o da assem-
bla legislaliva provincial, os inclusos arligos de
posturas que arnuipauhlm u oflino da cunara mu-
nicipal do Rio Farinosa com data du 25 de agosto
do anuo proximo*passa lo.
Dito ao mesmo.X. !5. S. Exe. o Sr. presidente
da provincia, manda re netter a V. S., para serem
prsenles assembla legislaliva provincial os ar-
ligos de posturas, que.
cmara municipal de 0
to do anuo passado, so
Hilo ao mesura.N.
Sr. presidente da prov
Serem presentes assi
Sr. presidente da proviucia, remello por copia a V. q,le poni chegam. Prtanlo a nos, nao nos com-
S., alim de ser presente assembla legislativa, o I pete, nao precisamos de c.usa alguma, mesmo a
acia da presidencia de 13 de seleinbro ultimo, ap-1"J** deciso liuha de prejudicar direitos de ter-
provando provisoriamente os arligos de postura,' cewo.
que acorapaiiharam o offlcio da cmara municipal Domis, se nos disseasemos, esle terreno da
desla cidade dalado de daquelle mez. i freguezia tal, os tribuna.\s do paiz eslo obrigadus
Dito ao mesmo.X. 47. De ordem de S. Exe. o |n dizer, porque da fregue/ia lal, os terrenos per-
Sr. presidenle da provincia Irausmiilo por copia a|l''"c.ein a este ou aquelle individuo-? En ereio,
V. S., aflm de ser prsenle assembla legislaliva |'|ue nao, salvo se elles qiiizessem ler una deferen-
acompanharaiu o oIRcio da
inda, dalado de 26 de agos-
> n. 76.
26.He ordem de S. Exe. o
ucia transmuto a V. S. para
mbla legislativa provincial,
os inclusos arligos de p isluras que lhe foram remet-
tidos pela cmara mu icipal da Escada com ollicio
de 29 de setembro do uno prximo passado.
Dito ao mesmo.X. 27.S. Exe. o Sr. prcriden-
da provincia iiiaud i trausmittir por copia a V
dem do S. Exe. o Sr. presidente da proviucia re
mello a V. S. a iuclu/.a caria imperial de sua no-
"~ i ue l/.ouua : assim o meaco para o lugar de secretario do goveruo da
. rA !i' Pa 8PU c"nnecimento. provincia do Gcar, llcando assimsatisfeito o que se
.m. j. iW *"" e.a ""Clonada guia rei-omim-ndou era aviso do iniuislerio do imperio
ao inspector da thesourana de fazenda. | de 9 de fevereiro ultimo.
S., para ser prsenle i assembla legislativa pro-
Di lo ao bacharel Ovidio da Dama Lobo.Deor- 'vincial, o ollicio que irigio a cmara municipal de
Tacarat era 14 de ji ueiro ultimo acerca das pos-
turas que foram ron eludas' mesma assembla
com ollicio de 12 de abril do anno prximo passa-
Dilo ao mesmo. Delormiiiando-3e pelo aviso
junto por copia, expedido pelo ministerio da guer-
ra de 19 de fevereiro ultimo que dos recrutas apu-
Ditn ao 1." secretario da assemhla legislativa
provincial.X. 3.De ordem de S. Exe. o Sr. pre-
sidente da provincia Irausmiilo a V. S. aliuu de se-
do, sob n. 35
Dito ao meamo.:
incluso opsculo de-
Dito ao mesmo.
Sr. presidente da pr
V. S. a purtaria de 9
gaasnraaffm

18.Transmiti a V. S. o
da Molla -obre a craigraco
29.De ordem de S. Ex. o
vieta transmiti por copia a
de julho do auno passado, pe-
provincial, o aclo da presidencia de 30 de agosto do
anuo prximo passado, approvaudo provisoriamen-
te o artigo de postura, que acouipanhou o ollicio da
cunara municipal desla cidade, datado de 11 da-
quelle mez, e sob n. 66.
Dilo ao mesmo.X. 48. Deordcm de S. Exe. o
Sr. presidenle da provincia remello a V. S. a in-
clusa iuformaco da cmara iiiuiiicip.il do Cabo, com
dala de 11 de dezembro do auno prximo passado,
e sob u. iu, relativamente a ereacao de urna villa
na povoaco de Xossa Senhora do 0' de Ipojuca.
Hilo ao mesmo.. 49.S. Exe. o Sr. presi-
dente da provincia manda transmitlir a v. s., afini
de serem presentes assemhla legislativa pro-
vincial, o oIRcio incluso do Hviu. Sr. hispo dioce-
sano com as informaces relativas ereacao de
urna freguezia na .-apolla de Malhadiuha.
Dilo ao mesmo.x. 50.S. Kxc. o Sr. presi-
dente da proviucia manda remoller a V. S., alim
de serem prsenles assembla legislaliva provin-
cial, o bataneo, cotilas e orcaniento, que acompa-
nharam o ollicio da cunara municipal de Na/.a-
relh, dalado df 3 de fevereiro ultimo.
Dito ao mesmo.X. 51.Manda S. Exe. o Sr.
presidente da provincia remelter a V. S. o halau-
co, conta e oreamente, que lhe foram remettidos
pela cmara municipal do Cabo com oflicio de 22
de fevereiro ultimo.
Dito ao mesmo.X. 52.He ordem de S. Exe. o
Sr. presidente da provincia remello por copia a V.
S. o oflicio da cmara municipal de Cabru, dala-
do de 10 de jaueiro ultimo, cun o orrainento in-
cluso, e bem assim o ollicio que mesma cmara
dirigi s. Exe
Diloao misino.X. 53.S. Exe. o Sr. presi-
dente da provincia manila remoller a V. S-, aflm de
serem prsenles assembla legislativa provincial,
as conlas e bataneo, que acompanharam o ollicio
da cmara municipal do Bonilo de 17 de dezembro
ullimo, e bem assim o ollicio da presidencia dirigi-
do mesma enmara.
Dito ao mesmo.X. 51.De ordem de S. Exe.
0 Sr. presidente da proviucia remello a V. S., allm
do ser prsenle assembla legislativa provincial,
o bataneo c orcamunlo, quu acompanharam o olli-
cia mullo Censurare!, para cora os actos da assem-
seuihla. Eu penan desle mudo ; nao quero escla-
i-eciiuenlos parque nio me compele lomar conhe-
ciinenlo deste negocio, vo as parles litigar no foro
ralcanli:Se ella lirasse a chave II
Nao ha ueces-idade da diviso, a diviso que aqni
se venha a eslabelecer, agora nao ulilisa as parles
divergentes, porque s vigorara para o futuro, e
nunca para o passado. O juiz dir, para d'aqui em
diante, a diviso aer essa, mas para o passado, nao
e as partes inleress.idas, sao por certo as mais a-
propriadas para procurarem esst-s documentes, e
nio podeiii querer sohrecarregar a secretaria da as-
i poden
iblea, l
der derannslrar-me isla, cu Uie 'hypothcco o meo
vola desde j.
Qual a lei que os nobres deputados apresenta-
ani para determinar os limites da Escada rom Se-
rinhaem ? Qual a ronfiso que se mustrou que
nana para que urna nova lei determine esses limi-
tes, ou antes os explique ? Xem essa conOssao foi *
allegada, nema lei que a ella di lugar, foi apouta-
da; portante nao ha questo de limites tal, que
esta casa deva resolver.
^.""ltar.Pr"sideiite, fallou-se aqu n'um alvar de
1813, creio eu, c se disseque esse alvar resolve a
que-lao, outros dzeui que nao.*
0.9r. llego Monteiro: En nao disse.
Sr. Souza llei :Eu nao digo que islo se disses-
se aqu depois da discussao aberla, mas lenho ou-
vido 3 una, que o alvar resolve. a queslo, a ou-
tros que nao resolve ; mas o que vejade que
se o alvar resolve a queslo referindo-se elle a eu-
geuhos, evidente, que os limites dessas duas fre-
guezias de pondera .los limites desses mesmos en-
genhos, e parase couhecer quaes os milites desses
engenhos nconte.-lavelineta necessario que se
exaiuinein bem os seus ttulos.
k. ser, Sr. presideule, esta casa competente para
examinar ttulos de pronriedades particulares, para
resolver una queslo de lirailtas entre dous pro-
pnetariosT
0 S. H. Porlella :Xo.
0 Sr. Souza liis : Eu crea que anda at boje
nao houve quera couleslasse, que questes desta na-
tareza nao podem ser resolvidas pelo poder judi-
cjario, porque ellas iuvolvem juntamente urna ques-
lo de propriedade e -i esla casa uo compele resol-
ver de questes taes, salvo os casos mateados
na h-i.
Similor presidente, como j so disse, esta ques-
lao foi suscitada em virtude de urna niauutencan
requerida ante um juiz, por este concedido e seiidn
de ..ilicio- cm que se peeam documentos, que s a
essas parles convm.
O Sr. llego Monteiro :Sr. presidenle, a razo
porque apresenlei o ren requerinieuto de urgen-
cia, foi parque tratando o parecer somonte de pedir
informaces, enleudi que nao havia conveniencia
era demorara soluco desle negocio. K desde que
se precisa de infonnaces para a casa tomar urna
deliberaco, jamis nos devenios esperde-ar una
oecasio de nos eselareeermos convenieiiteraenle.
Eu ereio que a nobre commisso nao Iralou de
dar ama solaceo definitiva a esle negocio, isto,
uo disse que a que-lao se decidira por esta ou
aquella maneara, pedio esclaracimeatos simples
ineiile, e quaudoella Iralasse de 0 fazer, eu ereio
que o fa/.ia cora toda a eirciimspecco e munido de
lodos os esrlareciuienlos, sem com ludo dizer
0 direilo. i-si.i da parle deste ou daquelle, mas
sim, os liiniles sao por tal e tal parle estribando-so
era um documento qualquer, inesmo para que os
poros moradores nessea dislrictos podessem recor-
XSttmfSSXZil ,. r "S li",lS SUaS ''"" "* ji "aS e,"M "'^ Jinas "celesiasiicas. a ses
VetlmmT?Ef22ErS?\ ,Ml"-'ivos parochos ou juizes. Erna revotarn
CreiO, que o que tenbo dito, 6 bastante para justi- desta portaulo, materia que a casa deve smente
lT.* .,T.ai.rr\",,r,'a,', 'T" ,rS"lv",a doptar fiata'de minuciosas informaces cora
SE
como entender. Eu disse aqu a alguus coiupa-
nheiios, que talvez fosse conveniente apreseutai-se
uraa emenda ao parecer, mas houve presea para se
approvaro mesmo, que nao live lempo de redigir
alguma cousa : eu son mesmo um poum pregui-
0080 para escrever, tanto que quando faro alguma
emenda, peco a alguin companhelro que i esrreva ;
mas ronsla-inc que j est urna emenda na mesa, e
enlo, nao direi mais nada.
L-se e apoiada a seguiule emenda :
One se devolvaiu estes papis, para que seja a
queslo resolvida pelo poder competente, que
sem duvida o judiciario, ante o qual consta que
fra ella ventilada, e pende de soluco.S. II.
Souza Hitis.
OSr. Correinde Oliveira :Sr. presidente, a nai-
raco feita pelo nobre depulado exacta.
Com effeito deu-se um conflicto de jurisdieco
cnlre os juizes inunicipaes da Escada c de Serinha-
em sobre um terreno, alm do rio Sibir, que o
proprietario do engenho Jussaral disputa ao proprie-
tario do engenho Tres-bracos. Aquelle foi manute-
nido no terreno em questo'pelo juiz de Serinhaem,
esle um anno depois tambera o foi pelo juiz da Es-
cada.
Diz o juiz municipal de Serinhaem que o rio Si-
bir o limite das duas freguezias ; o da Retada
era opposieo assevera cora a cmara munici-
pal c com o vigario que o rio no ponto da queslo
nunca foi limite,
Este conflicto nasceu das duvidas, que ha a res-
peito dos limites das duas freguezias, limites que sao
commiius aos termos dos mesmos nomes.
Parece-rae, e ainda nao entram em duvida, que
a assembla o poder competente para resolvers
duvidas suscitada* sobre limites de freguezias, ter-
mos e comarcas, e sendo assim nao se pode dizer
. .-
Sr. primeiro secretario da assignatura contestada a jurisdico desse juizo.a pretexto de que
o terreno era que a tal nianuluiicu se deu, nao per-
teiu-ia sua jurisdii-o ; e, Sr. presidente, tambera
al boje anda ninguem houve que pozesse era du-
vida que questes desta ordem nao podem ser re-
solvidas, deixando de parlo mesmo a questo de
propriedade c encarando staiplesmente a queslao de
conflicto de jurisdieco de juizes era virtude de actos
pralicados por elles, digo, al boje nao houve quera
diasease que esta queslo deixassc de ser resolvida
pelo poder judiciario.
0 Sr. Correa de Oliveira: E cu nao contesto.
O Sr. Souza liis: Se o nobre depulado nao
contesta islo...
O Sr. M. Cavalcanti: Para que perder lempa
pediudo informaces *
O Sr. Souza feis : Appoiado : como quer que
esla casa vi ainda perder lempo, uo digo j, pe-
diudo estas esrlarecimentos, seno inesmo toman-
do conhecimento da materia para qie possa dizer
tal propriedade perlcuce a esta freguezia, e tal
perlence quell'oiilra ?
0 Sr. llego Monteiro: Por ora a commisso nao
emille juizo, limila-se a pedir informaces.
" Sr. Souza liis : Mas sabe o nobre depulado
que eslaudo em discussao o parecer, eu passo offe-
roror urna emenda ou contrariara sua concluso.
Terminando portante, Sr. presidente, en direi.
que lomando-se conhecimento de3la materia para
definitivamente declarar-se -a que freguezias per-
tencem os cngenlieiros, entre cujos propriclarios se
di o conflicto, nos vamos invadir incontestavelmen-
le a jurisdico do poder judiciario.
O Sr. -V. Porlella : Xo apoiado.
()- A-r- !iou:(l We"-' K nao s invadimos essa
jurisdico, seno que tambera nos vamos quando
mesmo podessumos conhecer desta questo pre-
venir um juizo.
Portento se eu eutendesse que esta casa era cora-
peleiite para resolver esta questo, ainda assim en-
tenda que hoje havia nisso inconveniencia, que
nos iios deviamos anster de resolver a queslo, at
que o poder judiciario pozesse termo a ella, deci-
duo! .-a definilivamente.
(Ha um aparte.)
0 Sr. Sous llei* : Resolvera quanto s ques-
les que tivessein de haver de ora emdianle. Eis,
pois, Sr. presidente, sao estas as simples consideV
races que o pouco lempo que tive para tomar cor-
nhecimenlo da materia me sugerio nTlolTerecer a
jacoe- .
conhecimento de causa, e perianto nos nao deve-
nios j emillir nossa opinio sera Colhermos in-
formaces seguras, motivo porque eu adopto o pa-
recer.
Eu uo sou memhro desta commisso, era llz o
menor pedido aos seus Ilustres raembros. como
talvez se presuma avista do que acaba de dizer-se
na casa, que a commisso foi levada por pedidos
a dar o parecer que se discute ;repilo, nao fallei
a nenluim dos seus mnmbros.
O Sr. Correia cTOliveira :E verdade, esque-
c-me de locar ajease ponto.
O Sr. llego Monteiro .Eu sou inleiramentc n-
diflerente deeiaao definitiva, quz smente que
essas informaces que se pedem venhara para a
casa alim de poder lirraar o meu juizo e quizera
mesmo que fosssera ouvidos os juizes de direilo
respectivos, visto como disse o nobre depulado que
apena- um dos juizes den uraa simples iuformaco
que uo satisfaz. Por isso, se a uohre commisso
adoptasse esla dea, fazia m addlaraento ao seu
requeriinenlo para que fossera ouvidos os juizes de
direilo
Foi smente para motivar o meu vol que eu
agora ped a palavra, declarando que o meu re-
querimenlo de urgencia nao leve em vista seno
a.Ii.iulai esle negocio, mesmo porque estando na
capital os propriclarios iuleressados nesta queslo,
desojara que elles lossem despachados prompta-
O Sr. M. l.'araUanti :Adie-se
ellee -e iriio einhora.
O Sr. Souza lleii .Sr. presidente, autor da
emenda que se discute juntamente com o parecer,
nao possa deixar de dizer algumas patarras em
sustentaeo da mesma emenda.
Quando, Sr. presidente, o meu nobro collega
*?t^1TV'-'-riWiT*Mn| m.
o parecer, que
/
apreciaco da casa. Declaro.-que desejx^a tomar
parle nesta discussao, esMibando-a bem, w tenos
o quanto fosse possuvul em vista de mineas forras,
mas a urgencia redjucrida e adoptada pila casa, me
privn diste : portante desculpe V. Eic. se nao po-
de satisfazer como n para desojar.
O Sr. Correa de (9liieira:Sr. presidente, una
circunistaucia imperrma, me m^e o dever de ex-
[dicar-rae novaraente, e o firei em poucas pa-
avras. V^
o nobre depulado, que Itssigoou vencido o pare-
cer, disse que uo leve bmpo de estudar este ne-
gocio, de apresentar uresmu urna emenda pela pres-


2

s,i que hourc ru se lomar conhecimento delle ;
mas iu eontorei A casa o que so passou. O nobre
deputado, o Sr. Pinto de Campos, disse-me que exa-
minosse esta questiio : exarainei-a, e depois do ter
formulado o parecer quo se discute, apresculei-o a
.'SSL' sobro deputado que o adoplou. luimediata-
nente fui enlender-me cwn o nobre deputado, a
qnem me refer om principio, e lambem lho dei o
IiarecM para vr. ti noten deputado vio o parecer,
evou-o para rasa, osqueceu-sc de traz-ln no dia
seguinle, e s o trouxo no antro; por lauto o nobre
depulado toro todo o lempo para examinar a ques-
lio e formar o sen juizo.
O Sr. t. Caculcanti: Refer-me a nao ter lem-
po de formular aqu a emenda.
O Sr. C.de Oliceira.Euo que qyero com esla
expliraoao 6 remover qualquor suspeila de que a ra-
mara se mostrou apressada em dar soluoio a este
negocio. (A'o opinados.) Podia suppor-s isto.
O Sr. l. Cavalcanti:Ja dei a cxphcaoio.
O Sr. C. de (liveira :Bcm, aceito a explicaeio,
mas eu entend dever fazer esla observaoao para
qun ac nao attrihussc conimissio esse desojo de
apressar qualquor resoluco sobre a materia ; nao
guara que sobro a commissao pezasse semellianto
imputadlo.
Sobre a qoesto ja disse o que linlia a dizer cm
suslenlaoio do parecer ; mas torno a dizer, que a
coiumniissio de tstalislica,acojo conhecimento fo-
raiu subiucllidoai estes papis, nao podia deixarde
estallar e apreciar esta quoslan urna vez que o pre-
sidente ila provincia exiga que as duvidas sobro
taos limites fossem resolvidas por osla rasa.
O nobre deputado que me precedou, reconheceu
que a asseiubla tem o direilo do resolver duvidas
sobre (miles, Beste ponto relo lodos unnimes ;
as divergencias sao somonte neste oulrose 6 tem-
[io do resolver esta questao, se se deve esperar pe-
:i decisin do poder judiriaro ou nao.
O Sr. Souza fiis- :E niesmo se est no caso de
ser rosolvido pela assembla.
O Sr. C. de Oliceira :Eu cntendendo que are-
soluiio empresento queslo nada lem com o direi-
lo dos proprietahos, nada lem com a questiio judi-
daria.
I'm Sr. Deputado :Assim de ve ser.
" Sr. C. de Olineira:Trata-se do consa diver-
sa. A lci n. 326 diz :lica elevado calhegoria do
villa a poveacio de Nossa Seuhora da Escada etc.,
a lei que creou um tormo na Escada niio determi-
nnu os limites desse termo, disse que seriain os da
freguezia ; mas estes offerecera duvidas, nao sao
ronhecidos.
O Sr. M. Caraleanti:Mas hade baver urna lei
que creasse esla freguezia, _
O Sr. C. de Oliceira :(. o quo a comiuissao pre-
tende- saber, o que quer indagar.
" Sr. Souza Reta :Quem. o deve querer o po-
der judiciario, a quem esta atcela a questao.
O Sr. C. de Ohreira :Tambem o est a assoin-
bi.-.i quo lem de conhecer da conveniencia ou des-
conveniencia dos limites actuaos.
O Sr. Souzti Reis ;Como, se nao ha conusio de
limites i
O Sr. ('. deOiiveira :Supponha o nobre depu-
tado que a questiio nasce dos nios limites que teem
as duas freguezias, que. conveniente dar-Ibes no-
n os limites, n que para resolver estas dilleuldades
que a questao vem i urna asseniblca.
O Sr. Souza Reis:Isso seria preciso que se prn-
vasse, e nao que se apresentasse siinplesmcnte em
hypethese.
O Sr, C. de Oliceira:Vo'is senhores, dcstes pa-
pis ja se nao colligo que os limites dessas fregue-
zias sao pouen claros ?
i9 Sr. Souza Reis :Nao, senhores, nao ha tal.
O Sr. C. deOlireira : Enlao tive a iufelicidade
pe ver cousas diversas das que viram os nobres dc-
putados.
Concluo rolando pelo parecer.
OSr. N. Portella (nao devolven o scu discurso.)
Vai i maso e apiada a seguinle emenda :
A assembla, resolve :
Art. 1." Contina a pertencor a freguezia e ter-
mo da Kscada todo terreno do engcnlin Tres Bra-
cos; rovogadas as disposires ora contrario.S. R.
A". PorteUa.
E tambem apniaila a seguintc emenda :
Emenda ao art. 1." Continua a perloncera Se-
rinhiem todos os terrenos do engenno Jussar.il.
B. de hacerda.
Encerrada a discussio, apoiadn a emenda do
Sr. Souza Reis, licando prejudicadas todas as mi-
iras.
Bada a hora, o Sr. presidente dosigna a o dem do
dia'e levanta asesso.
*
Diario de Pernambuco.Segunda feira 21 de Marco de 1859.
Porque razio a guerra? Tal a questao quo os-
labelece era prirneiro lugar E. de Ueradin ; depois
de ler examinado os diversos argumentos em favor
de una revisan dos tratados e das propabilidadesdo
um cuiis belli; depois de ter alastado o risco do
una revoliicao solada na Italia, refuta o sysloma
de urna conderacao italiana, proposta por II. do la
Ciieronnicre:
Ninguem so doixe illudir, diz ello, pe


SSSXO ORDINARIA EV 1 PI SARCO Di 1859.
Presidencia do Sr. Bariio de Camaragibe.
Ao meio dia, fcila a chamada, verilica-se estarc
presentes 31 Srs. deputados.
Abre-sc asesso.
J.C-sc e approva-se a acia da anterior.
O Sr. 1." Secretario menciona o seguinle
EXPEDIENTE :
Em oflicio ao secretario do govorno, remettendo
por copia o relatorio em que a cmara de Serinh^
em expe as necessidades de seu municipio.A
commissao de negocios do cmaras.
dem do mesmo, remoliendo cm addilamcnto ao
de 2do correle sob n. 13, a informaro ministrar
qell (rgucnS em~a da Esco".t)o'volvo'or "
dem do mesmo, communicando que nesla data
se exige do inspector interino da sade publica a
sua informaeao acerca do requerimenlo que foi a-
presentadn a* esta assembla por Jos Augusto l.cal.
Inleirada.
dem norlicipando que se exigiram informacoes
dojuiz oe direito eda cmara municipal de Gara-
iihuns sobre o prujecto n. 36 do anno passado.In-
leirada.
dem em solluco requisico desla assembla
remetiendo mais 8 exemplares "do balanco o on;a-
mento provincial.Intelrada.
Um requerimenlo de Lourenco Justiniano da Ro-
cha Ferreira, barbeiro dos estalielecimentos de ca-
ndado pedindo augmento de salario. commissao
de ordenados.
dem de Luiz do Reg Barros, regenle do grande
hospital de cardade, pedindo augmento de ordena-
do.A mesma commissao.
dem de C. Starr, proprietario da fundico de fer-
ro da ra d'Aurorn, pedindo se consigne" na lei do
orcamento provincial i isempcao que lhe foi con-
cedida do pagamanto de decima. commissao de
orcamento provincial.
dem da irmandade da SS. Sacramento da matriz
da Boa-Vista, pedindo consignacao para a conolu-
so das obras da respectiva igreja'.A mesma com-
missao.
Represehtaco dos habitantes do dislricto da Paz
da comarca de Nazarelh pedindo a rreaco all de
una eadeira de instruccao primaria. commissao
de jnslrucrao publica.
Elido c approvado o seguinle parecer :
Alguns empregados do consulado provincial,
qiieixaiido-se a esla assembla, por nao torera per-
ccbfdo os vncimentos desde 183 al 1855, corres-
pondentes cathegoria de seus lugares segundo a
reforma havidanaqiiella repaVticio, nao inslruiram
a sua policio. A commissao do" fazonda e orcamen-
to provincial para dar seu parecer, precisa que pe-
las causas competentes so pecara tlicsouraria o
presidencia as informacoes que a respeito poderem
existir.
Paro da assembla legislativa provincial 19 de
merco de 1859.Carneiro da Cunha, Joaqun Mello
Reg.
Mandou-se imprimir o seguinle projeelo que ap-
prova os estatutos do hospital portuguez de beneu-
concia.
A commissao de legislaco allendcndo ao reque-
rimenlo da junta admnislr'ativa do hospital portu-
fiuez, e tomando conhecimento dos estatutos deslo
de parecer que se adopte a seguintc resoluco :
A assembla legislativa provincial de Pernambu-
co resolve:
Artigo nico. Picara approvadosos estatuios do
hospital portuguez de beneficencia em Pernambu-
co adoptados por deliberacao da respectiva assem-
la geral, tomada em sessio de 11 de julho de
858 : e revogadas as disposires cm contrario.
Sala das commissoes da assembla provincial 19
de mareo do 1859.Joitquim de Souza Reit.=
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva J-
nior.
Conlnuar-se-ha.)
ERRATA.
N"o discurso do Sr. deputado Brandao publicado
no Diario n. 64pagina 1.a, colima 6.", linhas 4,
aonde se diz, ha urna ameaca aos velhos passaros.
leia-so : ha urna ameaca aos velhos possciios.
RF.CIFE, 19 DEMARCO DE 1859.
As 6 HORAS D.t TARDE.
Retrospecto semanal.
A assembla protincial oceupou-se, durante a
semana, com a discussao de projectos sobre divisdes
de fregueziajt, elevaciesde certas povoa^oes cathe-
goria de villa com a segunda discussSo do projee-
lo que lixaa forra policial para o exercicio seguin-
le, e com outrs obyectos de poma importancia.
O vapor do sul nao trouxc noticia de importan-
cia, que mereja comento. O mesmo aconleceu
Eim o paquelc inglez, chegado trez dias depois do
rasileiro.
Segundo as communicaroes de varios pontos da
provincia, a paz pblica permanece inalleravel, e as
churu, que leem cabido aqui na capital desde o
principio da semana, tambum chegaram a al-
guna lugares do interior.
Na falla pos de aconlecimenlos do paiz, com cuja
narracSo poderiaraos entreter os leitores, vamos
dar-lhes alguroas noticias da Europa, cujas datas
sao trez dias pQSteriorcs s que nos trouxeo Tune,
no dia 28 do passado.
A questao da paz c da gueira anda ronlinuava a
jiionopolisar a allencao pblica. A' excepeo do
rjemonte, nem o gabinete das Tuilherias, ncm o
de S. James, nem o de Vicnna, tinham manifesta-
do acto algum novo, que auimasse semclbanle pre-
orcupaoiio ; mas os jornacs francezes, inglezes e alle-
luSesaincra continuavam a cocheras suas culumnas
com o assu^pUi da paz e da guerra, e assustar os
espiritos. y
A brochura^Sflue appareceu- em ParU. com o ti-
tulo de tiapole&e 111 e a Italia vai ser refutada
por outra, eacripTo por E. de Ciradin, intitulada
XCuerro, c cujas ioncliisics, segundo diz um
Jornal que temos debajo dos olhos, sao todas pa-
idcu. EU-aqui om poicas palavras o resumo des-
la obra, fela pelo mesmuyorual.
. ela gran-
deza exagorada da palavra HacionalidaJe Toma-
da cm seu verdadeiro seulido, niio mais do que
urna das accepcoes da palavra forrado. Com cflVito
qualquer nacioialidado procede da" iorra, e ninguem
poderia citar una s nacionaliiladc temi acabado
por ser opprimida, quo nao tenha comecado por
ser opprcssora. So a poltica das nacionalidades
chegasse a prevalecer, lora oisobmculo da Fiama.
A Inglaterra acaba de pronunciar-sc calliegorica- |
monto pela manuteucao dos tratados ; a Prussia nao
se afastar dessa poltica do consorvacao-o que ella
deve as suas provincias rhenauas. Quaulo Rus-
sia, ser presumivel que, leudo a Polonia eseravisa-
da, queira ella coneorrer para a omancipaco da
nacioialidado italiana .'
Falla-se era confodoracao italiana. I quo seria
esla confedoracao .'Seria republicana,como a Suissa,
ou monarohicii, como a Allonianha'.' Dando-se-lhe
o papa por cholo, i:oiisiderar-se-liae-.-o cliol'o,como
puntillee, ou como soberano ? (.Inanias coraplica-
cos I
I.ain anie cm rosto Austria as suasusurpa-
coes na Italia, o especialmeule as suas alliamas
com a Toscana, os ducados, o papa, o aplos ;
mas nao (oremos nos aportado igualmente a nossa
allianca com o l'iemonle I Nao oceupamos mis mi-
lilarmento Roma e Civila-Vcreliia i
E. de (ieradin paga um tributo de elogios po-
ltica liberal de M. de Cavour; mas nao ve
no casamento do principe Napoleo sanio urna
garanta de seguranca para o l'iemonle, e nao
um compromisso para" as eventualidades otfflusivas.
A nossa alliaura permitlc ao Pirmonte desarmar
sem porigo. ao passo que premie aos ps da Aus-
tria a pesada bala de um oncetivo ruinoso, que
ella nao pode nem 'n-dnzir, nem einpregar.
RclalivaniQuIc a I.oinbardia, o autor sepro-
nuuria pela annexaciio Austria, que elle conside-
ra como un laco, niio como um jugo. I.imila-sc
a pedir urna forma de governo, e um modo de ad-
ininistracao que lhe sojain proprias.
Tomando depois i parlo as dos napolooninas
ftposlos no Memorial de. Santa Helena, as obras
do Luiz Napoleo Ronaparle, e no Occidente fran-
cez, brochura publicada om 1834 por H. Persignv,
M. de Ijerardiu eslabolece por cuacos quo a pol-
tica iapoleonina ossencialmonle paciflea, que
tenda a fundar una nssuciai;o europea solida, fa-
zendo repousar o seu systema sobre iilurossos ge-
raes salisloilos.
A conclusao da brochura que, qualquor ques-
tao que se pode resolver pola guerra, pode se aca-
bar pola lihordade, co autor formula da maneara
seguinle esla altrnala a applicando-a siluaoo
presente:
Tratara de inlromcttcr-senos negocios dos Ro-
manos, de collocar os Lombardos, sob o governo
niemonlez, apozar da rocordacao da assembla de
Lugano em 1848, e faier presidir polo papa uiua
confedoracao italiana ?tlucnios : a paz !
Ti-aiain de tomar urna compensasao de Wa-
terloo, de resliluir a raargem do Rhono Franca,
dfi dar Russia a liberdade do mar. aim de impe-
d-la que se apodero das chaves dos Dardanellns,
de roalisar o programina de Sonta Helena ede Ham,
e fundar a assoi-iacio europea 'Diremos a guerra!
Ou a guerra com suas conquistas, ou a paz com
os seus progressos.
Tcm apiiarecido cm Franca varias brocharas em
favor dos Italianos, os quacs cada voz so proniin-
ciam mais pela reconslituico da unidado, sob o
sceptro de Vctor Emmanul.
O rei do Piemonte, que nao abandona os seus so-
nhos de guerra com a Austria, traa de procurar al-
liancas om todas as partos. Dizem com toda a cer-
teza que vai alliar-sc com a familia imperial da
Russia, casando-se, nao com a graa-duquezn Ma-
ra, mas com sua filha, que' lem pouco mais ou me
nos 17 anuos de idade. Caprichos da historia !
O projeelo do lei apresentado na cmara dos de-
putados sardos, aulorisaudo o governo a contralor
um emprctitimo de 50 millies, foi definitivamente
adoptado por urna maiora de 116 votos contra 3o.
O jornalismo inglez, que seconservou por muito
lempo silencioso a respeilo da paz, ou Ja guerra,
hnjo se aclia dividido em dons campos. No seiodo
parlamento brilaunico lem appareoido igualmente
algumas vozos em iavor de um o de oulro lado da
questao. .
Continuamos armamentos por parte das poten-
cias que se dizem inleressadas no negocio.
Fafleceram durante a semana (2 pessoas, sendo :
8 homens, 9 mulheres e 11 prvulos livres; 7 ho-
nicns, 2 mulheres e 2 prvulos esrravos.
isso nao poda C ispensar a primeara quo lhe offere-
ciam.
Concluio- e anle-hontem a fonuaco da cul-
pa do coronel S A Barrlo, scu fillio o seu cimbado ;
pelo que rospei a a inlerrogalorios do testoiniinhas,
nada, segundo ios consta, concille contra os indi-
ciados. O pmci sso foi rom vista ao promotor. Nada
antiripaiemos, doixamos, que o Sr. ihefo do poli-
ca prolira sua ieriso. Para a pronuncia, vonla-
de, so nao roqnerem pravas .abaos ; mas, por ou-
iraparte^ seolmais fugitivo indicio basla para que
olase de, raid ser o procossoda formarao de col-
pa, quo concla pela despioiiuni-.ia. Esperamos a
decsao do Sr '
a mclhor.
Na corr
ni lugar COI
tic
ipil
san
I.
.. |-- mw i i II i ,i 1..-111 iniliv" u
bolo de polica, olemos fe que sci
pondoucia da Parahiba, publicada
. ...B... .... ipelento, vero os le lores que seu
lor se aclial prooecupado com as ligoiras observa-
os qo eniloiilra occasio lizemos sobre o furor
aisliiu In canlra, Emilia Cuchiari, eslava cau-
la provincia, onde pnr apuro de gosto
lido nos salos de palacio,para enlrole-
eunies presidenciaes.
ni nolmos as rigolas com que em nos-
briudou essa canlra, que se nao i
a .. 'ange ao menos pela tuuridade agrada
mirilla dj mais exigente. So censura lizemos foi
anS, povo riislico, que nao soubenios apreciara
'.* Cucchiajri, ao passo que .ipplaulianios Sache-
o Paticzi: esperamos que na rolladamSr.* Cu-
.liari a rep; racao ser solemne.
Pela noss i jiarlo nao toiiiaiuos, nem lomaremos
responsabilidad!' do que aqu se fez as Senhoras
l'alrezi. Tomos nos dileclauli ilaqui
do naiju
elll adiiii
nimonlo das
passag
i-aln
de la I
ile
Sachero
talvoz nieui s f do quo nos da Parahiba, o por isto
liycsscmisdc lomar partido boje seria pela Sr."
(Mari, d amante lapidado na Parahiba.
Acoitauu s a regia de propnrco do correspon-
'iito cnln a sua Ierra, a nossa e a corto, o as Se-
nhoras Cm hiari, Sachero e l'alrezi, ede LaGrange
eSlola. Npliuos apenas que talvex a coula estoja
errada pelo fado de nao baverem as Senhoras Sa-
'lero e Pajlrezi cantado nos salos do nossopalacio
osidenciil-
Felizmolilo para a Parahiba n dolictantismo ir
'iiressa nbri|iic o oxemplo vcio abaltro.
Lc-se na Chrreio Mercantil:
Vao spr de novo publicadas no Jornal do Com-
mercio e torrrio Mercantil as passagons raeridia-
isda luJ, polo imperial observatorio astronmico,
uto em lempo medio como em sideral.
' Esla publicaco, feila do accordo com a seccao
astronmica da commissao svienliflea que se acha
loar, bom podla ser aprovoilada pelos Srs.
ofllciaca i o engenheiros e do marnha que fizerem
COm o llu odolito om torra, observarnos c.orrcspon-
nlcs, p ir ser esto um meio seguro o fcil para
iblerem s longitudes lorrcslros dos lugares em quo
achare n.
Para te fim basla observar a passagem do
iinbo lu tinoso da lua c a de alguma estrella que
se ade i a mesilla altara, soja qual fr o erro do
lironom 'tro, tomar a dilferonca dos lempos, ordi-
narianiei lo medios, cnnvertc-la om sideral, por
REVISTA DIARIA.
No dia 19 do eorrcnle foi ao mar urna barca de cs-
cavacao construida no arsenal de marnha dcsta pro-
viucia, leudo 100 ps de quilh.a, 22de bocea, lude
pontal com 6 do colado d'agna c de porto de 270 lo-
nelLid.is ; aonde tcm de ser assentada urna machi-
lodos os relboraraculos que se ?om conseguido al
boje nesse genero, o-fo feila cm Londres cm labri-
faiC 'owmoor- ll'"1 barca dous rosazins do
baldos para escavar um do cada lado e traballiam
siraultaueamonlo e sua maxiua profundidade de
24 pcs. Esla barca desuada para melhnraineulo do
norlo desta provincia e principalmente para sua
barra, tcm para auxilia-la mais dozc bateles, sendo
um de ferro, c se acham em construeco, os quaes
sao de fundo aberto, portamdo duas bracas cubicas
de entulho cada una.
Esle navio foi construido debaixo da pericia e
plano do actual inspector do arsenal e executado
pelo contra mestre de carpintoiro Miguel Fran-
cisco da Costa, que prceuche o lugar de constructor
salisazcndo com habilidad?, o dosouho c delalhe
do respectivo risco.
A canhoncira que servio para ser hincada ao mar
e de um sysleina asss econmico, e nao lem peca
alguma de'niadoira, como acontece com qualquer
oulro sysloma.
J passa entre nos dcsapercebido o quo outr'ora
era objeclo de Instaura e ajuntamenlo, e ussim ca-
lumbamos a par dacivilisacao.
Temos carias do Bonito do dala de 11 do
correte, que fallara da sessacio das diuvas, oque
toni trazido serias contrariedades aos plantadores.
De Cimbres recebemos do nosso correspon-
dente a caria que segu :
10rfmrforfel859.
Tem clnnido quasi geralmeule neste termo o
em alguns lugares, j tem dado 2 e 3 churas, do
modo que j a rama vai despuntando cora lodo o
vico. Militas planlaccg ja se estao tazendo, al
no rido Moxat, as cliuvas tem dado animai ao aos
plantadores.
Ha, pois, grandes esperanzas no correte nno,
Ellas vao a mais do que as quo se fundara na crea-
cao e lavoura ; espora-se milito que a adminislra-
cao da provincia nao dcixar de mandar construir
os acudes dcsle termo pora minorar os cucitos que
aqui deixam as seccas.
Espera-se lambem que se acabe com o llagedlo da
falla de trocas miudos : espera-se finalmente que
os furtos de animaos, quo aqui toraa do presento
jira carcter assutador, por fim acabar, por eflelos
de urna polica mais enrgica do que a que de pr-
senle temos. Nao nos fallara, pois, esperances, o
isso um grande bem, para que nao desesperemos
um dia.
Sobre o que ainda nao lemos esperancas
que mclhore a liscalisario dos bens da matriz
Laga de Baixo. E com islo termino hoje. >
- Ante-honlem pelas sois horas da larde Jos
Ferro, soldado da coinpanhia de artfices, assnssi-
noua sua sogra Mara Joaquina do Espirito Santo,
de idade 55 annos, moradora na estrada da Embe-
ribeira, dando-lbo dous golpes de foicc: um na
beca e oulro no poscoco, era occasio que ella
acha a s em casa ; o assassino poz-so em fuga.
Abaixo damos publicaco noticia de u
importante operado, cirurgi'ca. pralicada pelo
Dr. Carolino Francisco de Lima Santos :
No dia 16 do correte, das onze horas para meio
dia, o Sr. Dr. Carolino Francisco de L. Santos, sen-
do ajudantes os seus collegas os Srs. Drs. Damaz
Pereira do Brilo, Agripmo Brilo, Villas-Boas
Teixeira, pratirou na Sra. Antonia Marlyrcs do"
sario, de 40 annos do idade, moradora a ra
Moeda n, 29, urna das mais ditliceis e Importan
operaces cirurgicas, a extirpacao completa da gln-
dula partida em ronsequencia de una dogeneren-
cia scirrosu. Esla audaciosa operaco, da qual fal-
lara todos os pralicos com rospeito," posta em du-
vida pela maioria, o sobre a qual so exprime o pro-
fessor Velpeau nos seguintes termos : Aos nonsos
dio nao ha nada de mais raro a ponto de muitos
grandes mestres, foyer entreoutros, negaran atea
possibilidade da extirpacao ; nao pode deixar de
honrar a nossa cirurgia, tanto mais pela nenhuma
oflensa das importantes arterias duregiao e o bom
estado em que se acha a enferma. O tumor era do
tamanho de urna lima, eslendendo-se desdo o ou-
vido at a garganta, de maneira que depois de es-
trellido, no meio de todo o cuidado e de grandes ap-
preheuses, nao se va mais do que una vasta ca-
verna, onde se viam bater as priucipacs arterias des-
coborlas. E segundj nos foi referido por pessoas
habilitadas s muita felicidadade, grande escrpulo
e paciencia podiara dar to bom resultado, acres-
cendo para mais felicidade da doente e do operador
que a principal arloia a chamada cartida exlerna
havia excepcionalniente se encontado a urna espe-
cie de vgo, que lhe olferecia a glndula, em vez de
n alravessar, segundo gcralmentc de obserraeo.
Sendo corto que todos os mdicos que eslivofani
presentes, reconheccram ser a propria glndula pa-
rtida, que fora completamente extirpada, e isto
nao s pelo oxame nella procedido, como pelos dv
!:os que, depois da operario se apresenlaram no
undo da vasta ferida. Adoeulefoi chloroforinisa-
da, e o tumor se acha conservado cm poder do ope-
rador C0nsia qU6 0 gr 0r carolino confessa ler
sido bastante animado por seus collegas na' ardua
emprezaaqueje propozera e pelo que lhcs assaz
obngado, assimeomo a doente vai no molhor cami
nho de salvaran.
Tevc hontem lugar a primeira recitada com-
Esnbia do Sr. Germano, dada no thealro de Santa
labcl. Foi scena o drama Piafe e A'oie ou Honra
e Gloria, havendo grande endiente.
A populacao eslava ouciosa de distracrao, e por
I/.IO,
e
lin-
da
tles
au-
llo
i tln
sideral d: sua passagem cm meridiana ; e se esle
for convi rlido ora lempo medio, pola formula [I] e
boa 3* las raesuias ephomcridos, dar o erro do
hroiiomi'tro.
Ouai do nao so achar alguma estrella conheci-
la na ni ama altura da lua, o processo so lomar
mais Ion, ;o o ser necessario onlo observar una
para o n rio o nutra para o sul, para dahi deduzr o
erro do (hronomelro, o cntn esle enrrigr o lempo
da passa era do linipo, o depois convertc-loem si-
deral, pa a oblor a ascencao recta deslo.
Era t idos os casos a comparadlo das obsorva-
i;os, por meio da publicaco ou" correspondencia,
far conhecer a variaco da ascoii.o roela da lua
en Ir as passagens pelos dous meridianos e dor
meio dasIcphemerides se determinar o lempo pa-
ra isso necessario, o quo ser a dIb'renca de lougi-
ludo das Unas estacos.
0 director do observatorio espora das pessoas
que enlrarem noslc importante Irabalho a rcmessa
dassricsldo suas observao/ios, nao s pola v.mla-
goin do sil fazorem os clculos em dous lugares, co-
mo por olli-r os dados para a correcrioem longilu-
do do mu tos pontos do territorio 'hrasiloiro que
nao se achira bom determinados. >
I.-si no Jornal da Cachoeira:
o Est p oniineiadn pelo juizo de direito desla co-
marca o Bvd. Fr. Theodoro da Divina Providen-
cia, como autor do rapto feilo na noile de 7 de agos-
to do anuo [iassado na pessoa de Mara Ribciro Gu-
niares.
Morlulii ade do dia 19 :
Sabino, pr 'to, solleiro, 30 annos, urna dor do c-
lica.
Hormina. I ranea, 3 annos, monengile cerebro rachi-
diauna.
Jos, prclo oscravo, soileiro, 30 annos, aslhma
Botpi '
mulheres, i,,.....j,,,, ,,
mena, escr,- ios ; total 115.
Comarca de Santo Antao.
i'.idado da Victoria, 16 de marco de 1859.
Meu charo amigo.Appareceu finalmenle achu-
va, cuja falla j se toruava sensivel. Chovoii na
noile Un da 14, e no segrate at duas horas da
larde, e contina a chover.
Alguna senhores de engenbo, que nao esperavaui
mais colber o resto da safra por falta de agua nos
acudes,derem estar alegres: por isso sempro lio
bom, ler f e esperaoc, porque a felicidade i bogar
quandu menos se a espera.
Lm fado occorMo entro o aferidor de pesos e
medidas deslo municipio o o veiidelhao Jisiquim
Alivandre Goocalves de Miranda, nao pode Qcarem
silencio.
O aferidor logo quo fez a arrematadlo deslo im-
posto municipal piiiiiicou por editaes designando a
casa do sua residencia, o poni onde deviam ser
levados os posos o medulas para seren ateridos
medanle a paga de ljpSOO do cosime, e que indo
as ello suas casas do negocio lhe pagaran) 2jj; por is-
to que lambem pagava um portador dos utensilios
uocossarios para esse servico.
Islo feilo, e depois de dias dirigio-so o aferidor
ao esiabelecimeniu do Sr. Goncalves de Miranda pa-
ra proceder a aferirao e dizeudo-lhc o aferidor que
elle Ibodevia pagar 2$00ti, segundo a declaracq
feila polos seos editaes. o Sr. Miranda nao qug en-
tregar nem pesos o nem medidas para soroiu afo-
ridns. Vollou o aferidor para sua casa.
Pergunlaraus agora visla do acontecido, se o
Sr. Miranda devia ou nao rondii/.ir a casa do aferi-
dor os mus posos e medidas para seren aforidos o
pagar assim os l$UiKI romo he coslume, visto como
nao quiz pagar os 29000, indo u aferidor a sua ca-
sa ? Cromos que sira : tanto mais que o Sr. Miran-
da sabia quo, so o fiscal da cidado sabase a corrida,
nao doixaria de o multar na forma do art. 89 das
postaras mujucipaes.
Sabio finalmente o fiscal a eorreicao no dia 5 oes-
te mez, o adiando o Sr. Miranda com os posos de
sua taberna nao s falsificados como sem aforidio,
impo/-llio a mulla decretada no referido artigo.'
Por islo tem o Sr. Miranda levantado um grande
alarme, alarme que elle mearan dea origen), co-
mo lica dito o lodos desla cidado iraparciaes confir-
marn.
O Sr. Miranda por capricho nao quiz conducir o
Irein de sua taberna a casa do aferidor para oafe-
rir; capricho nial entendidoe lodo em piejuizu do
Sr. .Miranda, por incorror lias penas dasposluras
uiiinicipaes, ponas quo o Sr. Miranda leria evitado
so por ventura nao fosse lio caprichoso.
O aferidor marcou o punto, onde deroria aforir :
por tamo quera nao quizor ser apauhado ora fallas
all deve ir, islo a sua casa, ponto designado. Por
lano o Sr. Miranda nao lem ra/o de qndtar-so do
injuslica nem da parte do aferidor o uoin do Sr. lis-
cal, quo cumpli son dever.
ii iiosjo Tapacur do elbico tornou-se hydropico,
ninguem agora sequdxar de falta d'agna. Ter f
e esperar.
Aconselhamns a quera lem cnmraolfido corlas
gentilezas que se abslenha, alias lhe sern perni-
em exeruco, ser-
as inslrucdies de
uios nao rovogadas.
-------------._.....m aclo dojuslica,
o por islo merecer encomios ; quera o contrario
llzer, se expora a censura publica o ser un possi-
mo govenianlo.
Ha muilo que os senhores Viclorensos desoja-
vam ter entro s um medico, a quena recorressem
as suas molestias.
Eslo completos osses desojos com a chegada do
Sr. Dr. Francisco Jacintlio da Silva Cocino, o qual
nos ronsla ser ptimo medico e parleiro. Tratera
porlanto, os senhores victorionses do proporcionar
meios que aminora a estada do Sr. Dr. Collio, que
far de sua parte, quanlo poder para acreditarse o
ganliar as sympatiiias dos senhores victorionses.
Na ultima feira appareceram duzenlos bois que
foram vendidos ao calculo de 95000 por arroba o li-
carara por vender 40.
(is eneros alimenticios nao decrescem do prero
Al outra vez.
O fietorisme.
Foram
Piulo &.
1,2 hora
DIARIO DE PERNAMBUCO
a proviu-
da
Na sosso de anle-hontem da assombb
cial, depois do expodiente, iralou-sc a segunua
dscussn do projeelo do llxaco de torca policial
ovando o Sr. Marlins Pereira; Manocf Port lia
Brandao.
Dada a hora o Sr. presidente marcou para a or-
dem dei da do hoje a continuadlo da de anle-boo-
tom, primeira disrusso dos projectos ns. 7 o 8
deste auno, o postura da cmara do Bonito, e le-
vanlou a sessio.
publico, em que sempre confie!, me fia de faier
justica do coslume.
Redro 19 do marco do 1859.
Jote Hiato da Cunha Figueiroed.
raes dos portos eslraiigeirns : :I7.")0 harneas bacalhu
o .">S!I7 iminlaes rarnc, dos do imperio : 161 alqiiei-
res sal, 113 sacros caf, 00 ditos cara,S8sacias al-
godao, 300 ditos fdjo, 50 ditos gornoa, so pipas
graxa, 51 rollos. 205 lalas o lis fardos fumo. Til
barra sebo, (1,755 eaixasebarutos,2KvouuBoadi>
versas ntereadorias.
Sahiraui para os porlos eslrangeiros:-100 hilas
o 100 barricasaseucar, 2,92 pipas, >> meiasditas,
75 b.irris do 5." o 12 de i." cachaca. 2H nietos ~.d '
trabalhar muilo para cumprir diversos nuiipromis- para os do iuperio : 2iS voluntes geueroa eatrail-
sos conlrahidos, o susloiilar miiiba niimerosis-ima geirns, ,*l saceos assiuar. 180 espaiiadaNa, 16
Srs. redactare*. \ ninguem dcseonbocido
[no fui donilllido, processado e preso o era resul-
tado (lesproiinnoiado.
Sabido da piiso ainda que bastantemente din n-
foi lodo o meu cuidado e empenho trabalhar
familia
Firme no proposito do nao aceitar mais emprege
algum ; que dopendosse de nume.ii n do gorenio,
nao leudo podido o nem mandado pedir a algue
sacos arroz, :t0 saceos carnauba, 2,100 meiosde
sola.
Acham-so a carga 19 navios, sendo 2 para Lisboa
1 para o Rio l.rande do Sol. 2 para a Baha, 5 para
para ser nmoado para o lugar do delegado hilera- l"' d Janeiro, 1 para Alagoas, e 1 para o luirle
rio do disiriclo dos Afogados, sorprendeii-mo lias-1destesiportugUOZeSe II brasileiros.
i.inle ipiando no dia 6 do correnlo mez recebi a com-1 ------
iiiiinicac.'io oiiicial da directora da instruerao |
Mica do soinolliante noinoaco, e a essa commu
cacao acompaiihaudo o respectivo lilnlo.
Assentoi logo de uo aceitar semelhaute encargo,
nao s por rae julgar inapto para o exercer, cuino
peto meu astado desande pouco saptiabctorioocu
proiecto de fazer urna riagem ao serian para curar
dola e. os inoiis atoleros.
"'- Panla dos preros correales iloassiuar,
aljmlao e nais jcenero e proiliic-
coes iiacioiiaes
ijiie se despachan! pela mtm do consu-
lado ilc l'ernainlni'o ha snna-
. ir de 21 26 de mar,,, de \K).
cacao da freguezia do Sanio Autonio, por baver si-
do eatregaes os livros da sua qualilicarao, depois
do encerradas as sesses do con* lho de revista.
(.inarlol general do coinmaiidu superior da guar
da nacional do Recito 20 de marco de 1859.0 se-
cretario, Finuiuu Jos de Oliceira.
Declaracoes.
Esperara deixar correr alguns dias para pedir mi-
lita desoueneau, tanto que nem participei miiilii
iioui -,i,;, aos Srs. professures da freguezia e nem
diivcliuia COiniUUIiiqtei ler entrado ora exercicio.
Hoje, poim. appareceu no Diario ile l'rrnaai-
haco um coininiinii ado em que seu autor julga e de-
clara quo com a niinha nomearose premea o cri-
nie e so a\ illa a viriude N'io'serei eu que coo-
pere para lano. Pois que desdo o dia 12 peili mi-
uha ilesoiieraco a directora e al hojo mo uve
iisposta alguma,
Faeo votos, entretanto, para que a nomearao re-
caa om algura dos mais virtuosos da fregue/.ia !
Ignoro qual soja apunta do veo que o Ilustrado
communicante quer levantar para dnscoarir oque.
lia minio lera oslado eiicoborlo. So a reapeito da I A1'1'"'- P'lado
deli-.-aria lilloraria, juro que do nada sei e se
sobre os (actos quo deram lugar minba emisso
(le thesoureiro das obras publicas o a ser proiMsi-
do e preso, direi que o noble comrauiiraiile nao
augmentar di-aporque opiiulieoesti mloiradode
ludo qaulo so don, om lista das piiblicaces havi-
dasnaquelle lempo, e o processo foi couveniente-
iiionte preparado o instruido sol as vistas do go-
verno.
Dosoonheco a niio que me procuren ferir com
tanta ileslealilado ; qualquer que ella seja lhe per-
do, o dcixo-a vre para continuar a Cerir-mo, cor-
lo de que nao mais me ocriipareirom oqui'disser
a meu reapeito aanio nu irilmual compelenti
ventura a tanto foreompelido.
Son, Srs. redactles, son constante loilnr
tm Marcelino lites da FotUea.
Rocife 19 de marco de 159.
v--ui ar branca......
dem mascavado.....
.Vlgodio em pluma 1.* sorlo. .
dem dem 2.* dita.....
dem dem 8.* dita ....
dem pin carneo.....
Agurdenle alcpol ou espirita
de agurdenlo.....
dem razara. ......
dem de cana.....
dem genebra.....
Idelll dolll.....
dem licor.....
dem dem......
dem restiloda e do reino.
arr.dia
caada
botija
cauada
garrafa
caada
arroba
alquciro
caada
se por
GOJIJIEKCIO.
ALFANDEGA.
Ilemliinenlo do dia 1 a 18. .
dem do dia 19......
263:9015895
33:7278081
297:028g97fi
Desrarregam hoje 21 de marco.
Escuna americanaking-lisWerplvora.
Brigue inglezVeslnlbacaho.
Barca inglezaTrincnlobacalho.
barca franceza01 indafa/endas.
Sumaca hespanholaArdilaviuho, azeite e pas-
sas.
Patacho americanoCommorrofariuha niilho, fa-
rdo o papel para cmlirulho.
Brigue portugusTarujo Ipipas vasias, trelo e
caixasde vidro.
Barca americana Imperador familia de trigo.
llana inglezaSeraphinafazoudas.
Brigue inglezEclvpsobacalho.
Barca americanaC. E. I.oxfarinha do trigo.
Brigue nacionalllamandiversos gneros.
MOVIMESTO DA ALPANDKGA.
Voluntes entrados cora fa/endas 122
" com gneros :t6(i
! dem com cosca.....
Azdio de mamona.....
dem do lueudoiut p do coco.
dem do poizc......
Aves araras.......
dem papagatos......
dem pereqiiilos.....
Bolachas........
Bisroitos........
Cacan .........
Cachimbos.......
Caf cm grao hora.....
dem dem re.-tolllo ....
dem dem com casca. .
dem molda.......
Carne sirca.......
I-era de carnauba cm pao .
dem dem em vela- ....
Charutos bous......
dem ordinarios.....
dem rogalia o primor. .
COCOS seceos. .
CouroS de boi salgados. .
dem dem soceos ll espichados
dem idem verdes.....
dem de onca......
dem de cabra curtidos .
dem de rarnoirn dem .
Doces de calda ......
dem de (otaba. .....
dem seceos.......
dem de jeleia......
Espantadores graudos ....
IiIpiii pequeos......
Esleirs de propon.....
Esloupa nacional.....
dem esirangeira (mo d'obraj.i
Fariuha de Aramia ....
dem de mandioca.....alquein
da larde de hontem
sitadas as eufermarias pelo cirurgio
2 horas da manhia, Dr. Hormillas s
la manhia, e Dr. Firmo s 51/2 horas
CHRONICfi JUDICIARIA.
TRIBUNAL DA RELACAO.
SESSIO EM19 DE MARCO DE iari9.
PHESIOEXCI DO EX. M. COSSELMIHO EB*)LINO
DK LE.io.
As 10 hora da manha, presentes os Srs. des-
embargadoroGitirana, Lourenco Santiago, Guer-
ra, Silva Comes, Caoiano Santiago, procurador da
corrta, e o Dr, iuiz dos fcilos da azenda Icha Ca-
raleanti, foi iberia a sesso.
Pasudos osi fcilos o entregues os distribuidos,
procodeu-so ais juTgainenlos seguimos :
l HRcrasos r.nniEs.
Recrreme, i juizo: recorrido, Silvestre Ferreira
dos Santos. '
Sorteados os grs. dosemhargadorosCitiraiia, San-
tiago e Guerra;
Negou-se proVjmcnlo.
Recrreme, ojuizo ; recorrido, Manoel Januario
Bezerra Cavalrahli,
Sorteados os senhores desombargadores
Ficou adiado. \
Recrreme, oljuizo; recorrido, Venancio Fer-
reira de Mello. [
Sorteados os Site, desombargadores Silva Gomos,
tiiiirana c Gnerral
Negou-se. J
Rccorrenle, o jliizo ; recorrido, Francisco Ma-
noel de Souza.
Sorteados os Srsa desombargadores Silva Gomes.
Gitirana e Guerra. I
Negou-se provim^nlo.
Polo Tocantins emrado hontem dos porlos do
al de carirfade.-Exislem WJ homens, 52 norte, (vemos noticia do Araasouas, que alcancara
22m22 ;1Vh0ml',U l'',raS'"ro 2 ho- a 26 de fevereho, sendo dislitiudas de lodo o te-
loiai iij. resse
D"o Para a ultima dala do 12 do correnlo. Nada
lia de novu.
Do Haraobao temos data de 15. O carnaval havia
all passado cora grande auiraaco.
.vr..a ,, vto jOh^i o ,;.i,io aa eieico
de senador.
A sabida do vapor a lisia triplecc compiinha-sc
dosi senhores : Belforl, conselheiro Vioira o bario
oes Bonto ; mas acreditava-se que este em resul-
tado sera excluido para oceupar o seu lagar o Sr
Isidoro Janson.
Do Cear lomos dalas de 16, do Rio Grande do
norte de 1, e da Parahiba de 19, que nada adian-
lam. A mais complela eslerilidade foi o que en-
contramos nos jornaes do norlo* o por isso nos li-
mitamos ao que ahi lica.
--------..w, v ......, iL-iiiiouii, .'ie:
Souza Mello, que finciu addiado na sosso
crvente.
Negou-se provinidnlo.
accraVos de petic.vo.
, Correspondencias.
Sr* Redactores :Lendo nosApartamentos pa-
ra a historia da Honueopathia, que o Sr. Dr Sa-
bino Olegario Liidgero Pinho priucipiou a publicar
no uirio de Pernambuco de boje, que aantiga
Commissao de Ilygione Publica, presidida pormim,
cximio-se do servico durante o reinado da lerrivoi
epidemia de cholera-morbus, e que deixa de apre-
ciar os motivos que Slevaran aislo,devo decla-
rar que essa Commissao, que leve a honra de ins-
tallar om subsiituicao do Conselho Geral do Salu-
bridado Publica croado em 1845, do que tambem
ifi-2 Prc3ldenlc. reliroa-se em 22 de fevereiro de
18at>, quando a epidemia j larrava com minia in-
tensidade ; e que os molivos, que levaramscus
membros a proecdorem por esle modo, por vezes
tem sido npresoulados imprensa e se acham sub-
nieilidos cuhsidcracao da Academia Imperial de
Medicina do llio do Janeiro, motivos que foram
cornados pela resoluco, que ento tomara a Pre-
sidencia da Provincia, de mandar que um prolo
Recrreme, o hiizo recorrido, Alejandro de captivo, natunTda C^dAiraT E- adraSra"
lie hr,ou addiado na sosso de 12 do na Enfermara do Arsenal de Marnha, alim deque
. Ates a os de petic.vo. ao llegulaniciito que baitou
Aggravanle, Francisco Accioii de Gouvcia I.ins ; de 29 de seiembro de 185-1
gravado, o iiiizo. -*.. i...i.... .....__*____..-_
aggravado, o juizo. .
Sorteados os Srs. idesembargadores Gitiraua, e
Guerra.
Deu-se provlmentn.
Aggravanle, I). Antonia Rodrigues Villares ; ag-
gravado, o juizo.
Sorteados os Srs. desombargadores Citirana o
Santiago-.
Provcram.
Aggravanle, Manoel Rodrigues da Cosa Maga-
lhaes ; aggravado, o juizo.
Sorteados os Srs. lcsenibargadores Lourenco
Santiago e Silva Gmete.
Nogaram.
APPELtACES CttlMES.
Appellanle, o juizo ; apuelladn, FrancLsco Jos
Leite.
A novo jury.
Negaram a soltura pedida por habeas-oorpus pnr
Jos Gomes da Silvoira c Joao Gomes de Modciros.
DILIGENCIAS i'anirs.
Com vista ao Sr. desombargador promotor da jus-
tica, as appollaies crimes .
Appellanle, o juizo ; appcllado, Joaquim Dou-
rado.
Appellanle, o juizo ; appellado, Vicente Ferreira
da Silva.
Assignou-se dia para julgafnenlo das seguintes
appellacoes crimes:
Appellanle, o juizo ; appcllado, Joaquim Comes
dos Sanios.
erran.
Anpellante, o prolo Manoel; appellado, bacharel
Jos Fihppc de Souza Lcao.
lllsl'IIIUCll.ES.
Dslribniram-se ao Sr. desembargador Citirana.
o aggravo de inslrumento :
Aggravaute, Manoel Antonio Pereira de Abreu ;
aggravado, Francisco de S Albuquerque.
As appellacoes civeis :
Appellanle, Jos Ignacio de Mello; appellado
Benlo Jos ferreira Reliello.
As appellacoes crimes :
Appellanto, ojuzo ; appellado, Joaquim Fran-
cisco de Mello Curinga.
Appellanle, Joao Lucas Evangelista ; appellado
o juizo.
Appellaule, padre Autonio Claudino Possa ; ap-
pellado, Antonio Thomaz Teixeira Calvan.
Ao Sr. desombargador Lourenco Santiago, o ag-
gravo do instrumento.
Aggravanle, Leandro Cavalcanti da Silva Cuima-
raes ; aggravado. Adolpho Wandprlev Lins.,
As appellacoes civt-is :
Appellanle, Francisco Jos Regalo Braga ; appel-
lado, Manoel Ferreira Caldas.
As appellacoes crimes :
Appdlanto, o juizo ; appellado, Jos do Souza
iizende.
Cavalcanti; appellado, o juizo.
Appellaule, Balbino Pereira da Silva ; appella-
do, o juizo.
As 2 horas e 3/4 emorrou-se a sesso.
ihi Iratasse doonles, como fez, o qu era urna'in-
fracejn manifesta da lei de 3 de oulubro de 18*8 p
' '^"'amento que baixou com o Decreto n. 828
Se lodos estivessera inleiradosdessps motivos.ose
porconsequencia do que diz o Sr. Dr. Sabino Ole-
gano Liidgero Pinho se nao podesse suppor que a
commissao de llygieno Publica se havia retirado
por nao querer prestar serviros, eu nada diria,
tanto mais quanto sinlo profundo desgosto todas as
vezes quo me record dessa poca. A Commissio
relirou-so no mesmo dia, em que foi apresentado
em sesso, o orado, em que o Sr. cirurgio Joa-
quim Jos Alves de Albuquerque, encarregado do
servico clnico da Enfermara de Marnha, commu-
mcava que esse preto eslava desde a vespera cm
exercicio por ordem da Presidencia da Provincia, o
so o fez por isto. Sens membros eram os mosmos,
quo se haviam prestado com a maior dedicaco du-
rante a epidemia de felre amarolla om 1S5f, sob a
I residencia do finado marquez de Paran ; e por
cej-lo cu, que havia servido rom tanto empenho o
zeto que tai o nico facultativo desta Provincia por
isto condecorado pelo Governo Imperial, nio re-
cuarta durante a epidemia do cholera-morbus, que
mo era mais assusladora, a n.o serem poderosos
os motivos que tive para islo, motivos (rae om idn-
ticas circiimslancias rao faro retirar de qualquor
commissao om que esliver ; ronvindo declarar que,
nao obstante a injuslica com que fui tratado, me
lonho prestado gratuitamente ao servico publico
todas as vezes que a mim se ha recorrido, como
provao documento, que vai abaixo transcripto, do
im dos cheles de Polica desta Provincia que, em-
horai anda existisso essa Commissao de Hygiono
l ublica que substituto que eu presidir, reeor-
Creu a niimein exames importantes, a que teve do
oceder ; o que parece provar a conlianca, que
err-co pelos poneos conlieciraentos que adquir na
escola de Medicina do Pars cm que cstudei, o hoi
adquirido durante dezenove annos de esludos e
ortica nesla Provincia, esludos e pratica queja
tem servido para oxelarecer quosles medicas pa-
rante a Academia Imperial de Medicina do Paris
que mos ha agradecido, entrando eu por islo na
lisia dos que tem de ser considerados c admiltidos
como socios correspondentes.
Escrovendo estas linhas nao tonho o proposito do
censurar o Sr. Dr. Sabino Olegario Liidgero Pinho,
npni quero entrar om polmicas.
Sou com a maior considpraco etc.
. Dr. Joaquim d'Aauino Fonceca.
19 de mareo de 1859.
Atiesto que como Chafa de Polica desla Pro-
vincia precisei algumas vezes dos serviros mdicos
do Sr. Dr. Joaquim d'Aquino Fonceca, sempre o
achei prompto para presta-Ios : o referido c verda-
do, o por me ser pedido passei o prsenle.
* l'ernamhuro, 13 de fevereiro de 1858.
Assignado.-/Jr. Polycarpo Lopes de Uao.
fe *- : -PP-W. Balbino Pereira me^ltoa^^
P_ri" da nomepathia. tico espera da oar para
"kTi i.j .. loria aanomeopatlna. Fico a espera da obra para
Appellanle, o juizo; appellado, Sab.no Lopes do devora-la, nio com desgosto como elle presume,
cdeiros. mas com nm .... D......._ :JL. .....
MMtM ----* ^w. vje '".,..' vil*: o i-iiiiiii-,
toSr rtosomh.i a. c- ii mas 90m P""" : por que seguro om minha cons-
Ao Sr. desembargador Silva Gomes, asappella- ciencia, eslou certo de que as verdades que ella
oes crimes conlivor n.rm mn Qnriimn,ini,Mi........,..< *..:
........... t_..v, ,ciw un juc >ia i n uiiuua (lile Illa
'TLTmTZI- ii .. conlivor nao me encommodnro ; o quanlo s uex-
Appellante, Honorio Carneiro de Albuquerque aclides (no prologo sobresaem duas, eslimaroi ter
nalcanti ; appellado, o juizo. occasio de.corr.,_i.. ,w;.i.,m..ni> 'L-------------
occasio de corrigi-las devidamonte, se me mcroce-
roui esse trabalho. Doixci a adminislraco ha qua-
tro annos, e nio me lemhro dos meus desafelos se-
nil) por ellcs se fazerem lembrados. Honram-me
de mais.... Vonha pois a obra do Sr. Olegario, o o
Volumes sahidos rom fazendas
com gneros
CONSULADO GERAL.
Ren.lmenlo do dia 1 a 13. .
dem do dia 19.......
488
~72
14
186
82:482g0tl2
l:314S"10
83:796S712
DIVERSAS PROVINCIAS
Rendimenlo do dia 1 a 18. .
dem do dia 19.......
4:9(103607
4293339
5:3353990
DESPACHOS DE EXPORTACAO PELA MESA DO
1 o\iii (in. nEBTA niviuc sin da 10
DE MARCO DE 1859.
LisboaBalhabole portugus diaria, Manuel Du-
arte Rodrigues, 20 saceos assucar branno.
LisboaBrigue portuguez Laia 1, Anaslacio Jos
da Cosa, 50 saceos assucar branco.
LisboaPatacho portuguez Zarco, Jos dos Sau-
tos Pereira Jardm, 150 saceos assucar branco.
RaltiraorePatacho americanoJ.C. Ketren, Wlia-
lely Forster* C, 200 saceos assucar mascavado.
Rio da PrataBarca americana J. E. WiltaaM.
Bailar A: Oliveira, 450 barricas assucar branco.
Lnanda Patacho portuguez Taruio II, Antonio
da Silva Campos, 10 barra agurdenle.
Exporinfao.
Boston, palacho inglez Emilv, de 292 tonela-
das, conduzio o seguinle : 3,400 saceos assucar.
Gibrallar, patacho ljollande/ cGepbiena Helena,
conduzio o soguiilo : 3,250 saceos assucar.
Havre, briguo francoz Fernando, de 315 tone-
ladas, conduzio o seguinle: 4,000 saceos as-
sucar.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GERAES
DE PEUNAMBUCO.
Rendimenlo do dia 1 a 18. 36:9513121
dem do dia 19....... 1:6733920
38:625$350
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 18.
dem do dia 19 ... .
122203635
9383175
43:159S110
una
11111
f
arroba
niilbeiro
arroba
rento
libra

libra
una
arroba
dem do inilhu. . arroba
Fi'ijao. . alqueire
Pumo era rolo Lora . airotia
dem idem ordinario .
dem om folha bom .
dem idem ordinario .
dem idem'rcslolli..... >
Gongihro......
Colunia 12 arrobas':. . alqueire
Ipecaoiiauha .... arroba
I.cnlia om adas grandes. cenlo
Idem dem pequeas .
Idem em loros .... a
Madeiras nzancboes de amarello
de dous castados. . un
Iiloiu idem de loiiro . a
dem laboas do costado de ama-
relio do 35 a 10 o. de c. e i
1/2 a 3 de largura .
dem dora dilo do dilo uzuaes.
Idem idem cusladiuho de dito. a
dem idem soalho de dilo
Idem idem forro do dilo.
Idem dem costado do louru .
Idem dem cosladiiiho do dilo. a
Idem idem soalho de dito ,
dem iiloni forro do dito .
dem dem dito de Cedro.
dem loros do tatajtiha . quintal
Idem vana de penda daa
dem \nras aguhadus .
dem iiulrlz . a
Idem em obras rodas do teeupi-
ra para carros. . par
dem dem eixos do dila para
ditas. , a
Mol..... caada
Milhn..... alqueire
urna
dem de filtrar. . a
dem 1 olilos .... a
Pinssava em uiolhos . 11 m
Puntas di) boi .... cenlo
Sabao. , libra
Salsa parrilha .... , arroba
Sebo 0111 rama ....
Sola nu vaqueta (meio) . nina
Tapioca...... t.nlias de boi..... anona
. , cotilo
\ magro....... pipa
MtftM
28600
7S800
7SI00
7SIKIII
1^800
550
ast
00
6 ill
2111
6 ill
280
800
2SIIII
3*500
120
l.slifKl
1S20II
12J0OU
3aioo
I31MM1
338 fu
7, 535OO
43OUII
532OII
3I00
i.SIKMI
HSliOO
lisuuti
10)11100
i;ooo
23000
800
23500
3j0ta)
33
245
120
I831KMI
3.")0
350
500
400
1|Q00
8(MI
:iS200
I301H1
:Ki
13600
isooo
IHIII
23800
2S500
8f0on
1131KN1
53000
13.SHIKI
sjooo
liJIMUl
.sum
530IKI
3230OO
z|SOII
1SMKI
128IHH)
'UI3000
1O3OOO
i urreio jgoral.
Pela adminislraco docorioio desta provincia se
faz publico, que boje 21 do correnlo polas :t horas
da lardo serio fechadas as malas que lem do eon-
du/.ir o vapor Tocantins cora destino as provincias
de Macei, llahia e Rio de Janeiro.
t ouseilio ndaalnlsitrativo.
0 conselho adminislralivo, para fomecimenlo do
arsenal do guerra, tora de comprar os objertos se-
gundes:
Para o presidio de Femando.
2a milheirosdo brochas. 10 libras do linhas par-
das de peso, 12 caixas seda, looo tovetas finas a
grossas, 50 Iroquezas, 12 podras de amolar. 100 fa-
cas lour.1d.1s de cabo do piq, 50 marlollos, 10.: oe-
daes de alfaiale em nonio grande, meia arroba de
bren, 11101a dita do cora amarolla. 3 liras degalha,
I libras de esparosa, 25 papis do agulhasgrossas.
8 libras de pos preto, 1 libra de cera brauca, 21) to-
ros madoira de genipapo para frtrajas, 50 varadores.
511 cravadores, 50 biirnidorea, 12 limas finas de li-
mar saltos, 12 glosas tinas de ura palmo de oom-
primoiiln, 600 meios de sola. 600 courosde vaque-
las,12lKl ditos do cabra, 1200 ditos de bode, 600 va-
ras de algodaozinho tapado para forro, 3000 novel-
Ios de lio para coser.
Para o 8." batalKo de iafanlria.
1 livro do 100 fallas com as dcunininacufis esla-
holocidas para o geral do registro dos ttaass dos
volunlaiios
yucm quizor vender taos olijeclos aprsenlo as
suas proposlas em caria fechada na secretaria du
conselho s lo horas da manhia do da 26 do cor-
rente.
Sala das sesses do conselho adminislralivo para
forneriraento do arsenal de guerra 19 de marco do
1859.lienta Jos l.amenha l.ins, coronel presiden-
lo.Francisco Joaquim Pereira Lobo, vogal secre-
tario.
Conselho ndininiMrativo.
O consellm adminislralivo, para foruodmenlo do
arsenal du guerra, lem de compraros objeclos se-
guimos :
Para o presidio de Fernando.
Estojo pequeo do crurgia porlatel 1 ; escarifi-
cador 1 ; laurolciro cora i aO lancetas 1 ; caita com-
pleta para oporaoio do hydrocelc 1 ; vidros para
ventosas 12 ; hinellas rasas de couro crii, pares 25 :
chicaras o piros, cazaes12; ourinoes de louca coiii
lampa 6 : jarra do barro pequea ; 1 ligella'de fo-
lln 30; guardanapos du brimSO; lencos de brira
50 ; 1 nal lias do brim 12.
1 Uucm quizor vender taes objeclos aprsenle as
suas proposlas era carta fechada- na secretaria do
conselho is 10 horas da manhia do dia 26 du oorren-
453000
21131K10
1230OO
IO3000
531)00
I
ipa
13280
I30OO
1S920
13280
SOjlOOO
IO3OOO
220
33200
610
6J000
I36OO
200
53IMKI
.120
243IMKI
730000
Isuii
73IHI0
4S000
403000
PIUCA DO RECIFK19 DE MARCO DE 1859,
AS 3 HORAS .DA TARDE.
Bevisla sciimnul.
Cambios-----------Sacou-se sobre Londres o 251 2
d. por 1J, sobre Paris a 380 rs.
for fr. e sobre o Rio de Janeiro a
porcoulo do premio.
Algodio-----------o in,,, veudeu-se a 700 por ar-
roba, o regular a 7i00, e a se-
gunda sorle a 7$200, lendo en-
trado 231 sacecs nesla semana.
Assurar-----------Do branco somonte houve venda
para os armazenarios, sondo o de
lerceira sorlo boa de 33500 a
33600; quarla sorle de 33200 a
33400, e sonicnos de 2;800 a
23900; o mascavado vendou-se
para exporlacio do 2S700 a 2*750
por arroba do purgado, do 2S600
a 23650 polo America, e 2$500
felo Canal,
endeu-se a 65,< por pipa.
Carne secca A do Rio Grande veiideu-sc de
5g a 5J800, e da de Buenos-Av-
res de 48500 a 4g800, licando em
ser 6,000 arrobas da primeira o
22.000da segunda.
Couros--------------Os seceos1 salgados venderam-se
de230 a 210 rs. por libra.
Arroz--------------Veudeu-se a 23250 por arroba.
Azeite doce--------O do Mediterrneo vendeu-sc a
2,4250 por galio o o do Lisboa do
23500 a 2600.
Bacalho-----------Em atacado foi vpndido do 14*500
a 159e a relalho do 143000a 16,
licando hoje em deposito 8,500
barricas.
Caf.......Veudeu-se de 4$800 a 59500 por
arroba.
Cha-----------------dem de 1J600 a 2 por libra.
Danto de podra- Vendeu-sc o de lastro a 178000
por tonelada, o houve olfereci-
niento de 22g por um rarrega-
uioiilo a dragar de Cardilf.
Coneja--------------dem a 5$600 por duzia de gar-
rafas.
Farinha de Irigo-Tiveuios solo carrogamontos nesla
semana dos quaes um seguo para
o sul, dous americanos com 2,790
barricas descarregaraiu e os un-
iros esli indecisos nos deslinos.
llealliou-se de 178 a 19| a do R-
chinond, do21g a 233 a de Tries-
te, 18g a de New-Orleans c Phi-
ladelphia, e de 15S a 18g a de
Baliimorc, flcando hoje em sor
26,500 barricas, exclusivo os i
carregamenlos que nao tumaram
deslino.
Dila do mandioca-Vendou-se de 59 a 79 por arroba
Foijao---------------dem de 33-500 a 4J8O0 porcuia.
Manleiga-----------A franceza vendou-se a 600 ris
pnr libra, e a ultima venda da in-
gleza effectuou-se por 700 rs. a
libra, tirando cm ser 2,500 bar-
ris da primeira.
Vinagro-----------Vendeu-so do803 a 120$ apipa.
v cas de romp. -dem a 660 rs. por libra.
Descont-----------o rebate de lettras regiihiu de 8
a 10 por cenlo ao anno, sendo
para notar que a caixa filial li-
nha descontado a 8 por cenlo, e
o novo banco de 9 a 10, quando
se devia esperar deslo um menor
preco de rebate.
Proles--------------Do assucar para o Canal de 30
a 40.
Enlraram durante a semana os seguintes volu-.1
Movimento do porto.
Navios entrados no dia 19.
Liverpool(!) dias, barca ingleza Liman, de 247
toneladas, capitn Jamos Petrie, equipagem 10,
esrga fazendas e mais gneros, Saunders Bro-
thrs & C.
Terra Nova31 dias patacho inglez Ginor, de 140
toneladas, capitio A. M. L. Campbell, equipagem
8, carga 2,020 barricas com bacalho : a Heir
Forsler & C.
Rio do Janeiro32 dias, brigue portuguez I.urifa-
110, de 192 toneladas, capitio Antonio Gomes de
Araujo, equipagem 10. em lastro ; a Manoel
Joaquim llamos o Silva.
Rio do Janeiro.((dias, brigue hamburguez Tri-
oii, do 150 toneladas, capitio II. anltcr, equipa-
gem 9, raiga caf ; ao capitio.
llpliia1(1 dias, patacho hamburguez Dorothea Er-
nestina, do 128 toneladas, capitio P. B. Mullor,
equipagem 7, em lastro ; a Ainorim 4 Irm.ios.
Trieslre63 dias, barca brmense Hohenstanfen,
do 3l toneladas, capitio C. I.anke, equipagem
12, carga 3,950 barricas com (arinha de trigo;
a K. O. Biolter & C.
Leilh 59 dias, escuna dinamarqunza Benedirh
Kiinth, do 140 toneladas, capilio C. J. Boyer,
equipagem 7, carga carvio de pedra ; a Scolt
Wcllsoii t C,
Narios sahidos no mesmo d*a.
ParahibaHiate hrasiloiro Conceir Flor das Vir-
tudes, capilio A, da C. c Silva, carga fazendas e
niais gneros.
ParahibaEscuna hollandeza Sara F.lizabeth, ca-
pitn W. T. Kuipor, era laslro. Suspendeu do la-
inaro.
Porlos do sulHiato americano Fanmj, capito
Henry Wrks, com a mesma carga que trouxe.
Suspendeu do lainarao.
"^ UBSERVACOES METEOROLGICAS,
nu 19 dk sunco.
6dam.
9
1/2 da
3dal.
6
Cumulo

Cirrus
VENTO. TF.R\ OXETRO B
0 4S 4 u 3 8
'C a Q s
^ * i a C "- ir, 0 O)
5 se < es
mu.
SE Rog. 26.1 20.8 n n 756
a a 28.3 22.6 s: Sil 756 8
E Bou. 30.0 21.0 fW S 757
.VE Heg. 28.8 23.1 M h:|
27.7 22.2 k
A noiloestuve clara com pequeos nevoeiros, ven-
to SE, reto para o terral o ao amanbecer rondou
pelo S.
Observatorio do arsenal de marnha 19 de mareo
de 1859.
Viesas Jl'iob.
Editaes.
Joao Baplista de Castro o Silva, official da ordem
da Rosa o inspector da thesnuraria de fazenda da
provincia de Pernambuco por S. M. I. que Dos
guarde
raa publicar que em virtudn de ordem do Exm.
Sr. prosidcdlu do tribunal do Ihesouro nacional de
a do correnlo mez se abrir concurso nesla thesnu-
raria 110 dia 18 de abril prximo para preenehimen-
mpnto de um lugar vago de tercoiro escripturario.
Smente os praticantes 4o admiltidos a este con-
curso, a que esli mesmo obligados aquellos que
lem dous annos de pratica, devendo ser examina-
dos as materias de que traa o art. 45'do decreto
n. 736 de 29 de novembrn de 1850.
Thesouraria de azenda de Pernambuco 17 de
mareo de 1859.
Joao Baplista de Castro e Sitra.
. S. Exc. o Sr. brigadeiro comiuandanle supe-
rior da guarda nacional deste municipio, faz saber,
quo no dia 24 do crreme, as!l horas da manhia,
se reunir o conselho de revista na sala das sesadas
da cmara municipal desla cidado, alim de tomar 1
conhecimento dos recursos d conselho de qualifl-l
te mez.
Saladas sesses do eousplhoadministrativo para
fornecimenlo do arsenal de guerra 18 de mareo de
1851).liento Jos l.amenha Lins, coronel presiden -
le.Francisco Joaquim Pereira Lobo, vogal serr-
la no,
Conselho administratt\<>.
O conselho administrativo, para (nrneciinento do
arsenal de guerra, tem du contratar o seguinle :
Para dirersos corpo*.
Em ennsequencia das ordens, que este conselho
acaba de receber do Exm. Sr. presdeme da provin-
cia, 0111 que determina que so proceda a compra do
casacas militares para dinVreutcs corpos do exord-
io, conforme a informaeio dada pela thesouraria do
fazenda, avisa-so a quein couvior contratar o forne-
cimenlo de ditas suirerasac.is, sendo de panno azul
proprio para fardamenlo, com os vivos, que serio
indicados ios fornocednres, e pelo proco de 129308
rada una ; compareca na sala das sesses do con-
selho adminislralivo no dia ti do crvenle mez.
Sala das spssos do conselho adminislralivo, para
fornecimeiilo do arsenal de guerra, 17 do marco de
1H59.lienta Jos ljsmenha Lin*, coronel presiden-
te-Francisco Joaquim Pereira Lobo, vogal e se-
secrelario.
Consellio de eonaprnas nnvaes.
Tendn de contralar-se na sesso do 23 do< corra-
le o fornecimenlo de viveros e outros objeclos, ue-
cessarios ao consumo dos navios da armada, arsenal
e mais cslabolecinientos de marnha, pelo lempo de
3 mozes a lindaj no ultimo de junho prximo, sen-
do os viveres e mais objeclos os abaixo declarados:
convida o conselho aos pretendemos a apresenla-
rera-se em o dito da, pelas 11 horas da man ha,1,
com suas propostas em cartas fechadas, e arampa-
nhadas das competontes amostras ; cerlos de serem
pagos do que fornecerem, pela forma ha muilo em
pratica. o assim asss condecida t bom como de su-
goita-los o contrato ao pagamento de urna multa do
6 0/0, em favor da fazqpda, cobrada administrativa-
monle, caso nao fornecam os objectos da qualida-
do, e na quantidade, contratadas.
Vveres e mais objectos.
Arroz do Maraiihio, agurdenle, assucar braaco
grosso, azeite doce de Lisboa, bacalho, botactw',
carne aerea, carne verde, caf, cangica, farinha de
mandioca, feijio, manleiga, mala, pi, teucinho,
vinagro, velas de carnauba, velas sloarinas.
Sala do ronsplbo de compras nnvaes em 15 de
marco de 1859.O secretorio, Aiexandie Rodri-
gues dos Anjot.
Ohnss do porto.
Do f onformulado com as ordens do Etm. Sr. pre-
sidente da provincia, manda o 111ra. Sr. inspector
do arsenal de marnha fazor publico o contratar-si-
no da 7 de abril prximo, sll horas da uanha,
a factura de caes nos lugares ainda nao o tendu,
comprehoudeiido desde o mesmo arsenal at o For-
te do Mallos, pelo lado da hacia do porto, e i mar-
een) do Rio, no bairro d Santo Antonio, cnlre as
duas puntes denominadas do Recite e provisoria ;
porem dividida em 3 lances (rontratando-se cada um
ora separado, convindo aos pretndeme) o 1 des-
do o dito arsenal at o trapiche do Angelo, o l."
(I ah alo s obras de Jos Antonio de Araujo no
Forte do llanos, e o 3." conslituindo loda a exten-
sao entre as referidas pontea ; isto por va de pro-
postas om cartas fechadas, apresentadas-nquelle
(lia e hora mencionada, e cffectuado cora quera me-
mores yaulagens offerecer, qaer sobre a presteza o
perfoioio da obra, mas ainda para a fazenda oble-la
com a maior economa, podendo-aiilnso preton-
dentes dirbjlrem-se a esta inspaccao para o conhe-
cimento das rondicoes e do mais, cepeernerites a tal
obra, una o outra cousa constante da discrpcio e
orcamento, que, pois, lhe ser franqueados.
Irtspcceio do arsenal de mariiilia de Pernambuco
era li de marco de 1859.secretario, Alticandre
Rodrigues dos Alijos.
Directora das obras militares.
Preteiide-se fazor o encanamento da caixa d'agua
para o hospital militar, e do chafara da SoledadV
para o interior do quartel do mesmo nome. Igaal-
menle lem de fazer-se varios enneertos no quarlel
(Jos guardas naciouaes aquartelados : quenadestas
obras se quizor encarregar, compareca nesla di-
rectora.
IM. .-.'loria igeratl da lastrao\io auhli-
a du provluria.
Por esta secretara faz-so constar a quem convior,
e de ordem do Sr. director geral. interino o Dr. Je-
runymo Vilella de Castro Tarares, que em offleto do
Exm. Sr. conselheiro presidente da provincia do 4
do eorrente foi determinado o segirinte que os pro-
essores pblicos derem requerer presidenda por
intermedio da directora, aflm de que sejam logo in-
formados os seus requerimenlos; e que Ibes nh
dar licenca para tratar de negocios seas, sem que
deixem substituto contento dos delegados lute-
ranos.
Epara que chegue ao conhecimento dosintnres-
sados se mandn publicar o presente pela imprensa.
Secretaria da iuslruccin publica 14 de marca de
1859.O secretario, francisco PsrsiVs Freir.
Pela eontadoria da cmara monictpal do Recite-,
se faz publico, que o praio mareado para pagamen-
to dos rapostos de ostabelemenlos, linda-se no
ultimo de mareo do corrento auno, p todos aqu lies
que niopagarem, fleam snjeilos mulla de tres
por cenlo ao vajor do mesmo imposto. Contado-
na da cmara municipal do Recite 10 de fevereiro
de 1859.O contador,
Joaquim Tarare* Rodovalha.
Pola recebedoria de rendas internas geraos se
faz publico, que se toado concluido o lancamento da
laxa de oscravos du exercicio correte, podem vir
paga-la todas as pessoas que apresenlaram rela-
coes para a actual matricula de quinquenio dr
1808 o 1863, e na occasio do* pagamento rarebnrin
osconipoiPiiies certificados. Recebedoria de Per-
nambuco 15 de mareo do W6. O administrador,
Manoel Caruefn-Souza Lacerdn.
Dirrctoria erald*bwtrue^-ao -jubll-
c-a da provincia.
Por esla secretaria faz-so constar a quem conrier
e mteressar, quo o Sr. director geral interino lera
marcado o dia 28 do eorrente, seguuda-feira, para
o concurso primeira eadeira de historia e geogra-
pla do gymnasio peroambucano, cujas materias es-
lio designadas no regulamenlo interno do mesmo
gymnasio, arts. 127,128,129 e 130, a saber: histo-
ria dos lempos primitivos, povo hebreo, Egvpcios,
Assyrios, Babylonios, Pheoiaos, Modas e Persas ;
historia e geog aphia da Creca ; gcographia e his-
toria Romana ; geographia c historia da idade me-
dia. E para que cheguu ao conhecimento dos iute-
ressados se mandn pulicar o presento pela im-
prenta.
Secretaria da instruccao publica 16 de marco de
18o9.O secretario, francisco Pereira Freir'.
Pela subdelegada do prirneiro districto da fre-
guezia dos Afogados se faz publico, que se acha de-
positado um .avallo easlaulio, andador, que foi ap-
prehendido pelo inspector do quarteirao da Ibura,
por ter apparecido em torras do ngenho lburi e
ser no lugar desconhecldd. indicando ser furlad'o:
quem se julgar com direilo compirec, que pro-
vando lhe ser enlregne. Subdelegada do prirneiro
districto dos Afogados 15 de marco de 1859.josi
Gorgonio Paes Brrelo.
A delegacia do cirurgiao-mr do exercilo em
Pernambuco, precisa comprar os seguintes objeclos.
Os Srs. pharmaecuticos e drogmsUs que qui?"-
rem vender os referidos objectos comparecam na
dqtogana polas 10 horas do dia 21 do eorrcnle mez,
na praca da Boa-Vista n. 19
>
Sge*y*f9[tti-r #**#*
-.
y^-.i.K.
+-r
*


*N
tam
Diario de Pernambuco.Segunda feira 21 de Marco de \ 859.
\
'A
Secretaria do delegado do cirurgio-mr do exer-
rito Pernambuco 17 do marro de 1859.I>r. Jn:.
Augusto de Sonza Pitanna, assisieiitc do delegado.
.\utadas aroaai, medicammtox e Hteneility* precitos
pitra a botica do /taspita! militar.
Vssuear retinado alvo 10 arroba.''.
A ido ntrico 12 libras.
Untaba em p t libia.
Vleool .36." 4 caadas em garrafao".
Agurdenle l ranadas'(cm garraf'.
Agua de l.aharraqnc 30 garrafas.
ltinirbonato do soda 2 arrobas.
isrhonato de magnesio 16 libras.
l'viralo de polassa 2 libras.
Cevada 1 arroba.
Capsula de oleo de figado debacallio 30 caitas.
'npsujs de oleo de cupahiba 30 canas.
Capsulas de cnpaliiba o cnbebas 10 raixas.
Cyanureto de mercurio 2 nncas.
Carbonato de pntassa 4 libras.
Castreo 8 oncas.
Botcs de rosas 2 libras.
B.inha de pono fresca 2 arrobas.
Cera branca em flor 2 arrobas.
Canas parapilulas 3 grnsas.
'.aixas de pinlio para'iingucnlo 4 grnsas.
Dentoclilornreto de mrrimo 2 oncas.
Ksramonea d'.Vlepo 4 libras.
ixtracM de mulung 2 libras.
Extract de valeriana l oncas.
F.xlrarlo. de fumaria i oncas.
Kssenria de salsa 20 vidros.
Kmplastros de cicuta mercurial 10 libra.
Figado do enxofre 8 libras.
Carrafas pretas pequeas 300.
Funis de vidro pequeos 3.
lodureto de polassio 4 libras.
lodo 10 ons.
1'xiraio de larraxaco 1 onca.
'ommi araliica 10 libras.
Acido sulphuriro 16 libras.
Sueco de ponas de esparzo C garrafas.
Polassa 1 libra
Knxofre sublimado 4 libras.
Mann commom 4 arrobas.
Mercurio 16 libras.
Moscas do Milo 50.
Nitrato de prala fundido 10 oncas.
"leo de aniz estrellado 10 oncas.
Oloo de ligado de bacalli io 1 arroba.
fillas de Vallet 30 vidro.
Pihilas'de Klaurur 30 vidrus.
Ps negro 1 arroba.
Hesina de angjco 1 arrroba.
Hesin de guiare 1 libra.
Colpa de tamarindos 4 arrobas.
Itolhas francesas toas 11100.
Sueco de gi-oselles 40 garrafas.
Oleo de aniendoas doces 2 arrobas.
Turbilh vegetal em p i libras.
Tarjas para vid ros 1000.
Peneiras de seda cobertas 2.
I'eneiras de cabello cobertas 4.
Xaropopeiloral ingle?. 20 garrafas.
Papel do enibrulho 8 resmas.
Papel de feltro 1 resma.
Sebo de llollanda g arrobas.
Sabugueiro 16 libras.
Oleo de olireira 2 arrobas.
Agua distillada de flor de larangeiras 32 libras.
Agua distillada de rosas :10 libras.
Baetilha para coadores 20 covados.
Macolla gallega 4 libras.
Emplastro adnisivo francez 20 varas.
n. B. Todos estes objectos devem vir compe-
lenloaaente arraigados eui vasilhas proprias e nao
emhrulhados em papel.
Botica do hospital militar em Pernambuco aos 17
de marco de 18a9. Domingo* Uomtt lorgea, phar-
maceutico.
Por ordem da subdelegada do 1. districto da
cidade da Victoria, so acha recolliido cadeia da
menina cidade, o escravo Domingos, crioulo, o qual
escravoaa occasiao cm que foi preso declaren an-
dar fgido, e que era escravo de 1). Hara de tal,
moradora no sitio verlenle da freguezia do Curato
de Boni J.rdiru ; prtanlo, a pessoa a quem porlen-
cer dito escravo, apresente-se perante u dita subde-
legada munido da compleme jnslilicaco que Ihe
ser estrague. Cidade da Victoria 15 do marco de
185.O subdelegado,
AUtaiidrc io de Hollanda Carakcnli
De ordem do lllrn. Sr. raspelo- da thesoura-
riade fazenda essa provincia se faz publico para
que chegue ao conliecimeulo das pessoas a quem
inleressar, que se acha mareado o dia 26 do corren-
te mee as duas horas da tarde para a arremataco
na mesraa thesouraria, i quem mais der, do au-
guel do predio assobradado pertenecido aos pro-
prios naeiouaes em frente do arsenal dcmarinhaao
qual esleve servindo ate agora. Secretaria da the-
souraria de faienda de Pernambuco 17 de mareo de
1859.Servindo de oflicial maior, Mauoel "Jos
Piulo.
Para a Bahia.
O veleiro c bem rnnhecido palhalmte Do** Val-
aos, pretende seguir com canil,i brevidaile, lem par-
te de seu carregamento prnmpto : para o resto, ira-
ta-secoiu o sea consignatario Antonio l.ui/, de itli-
veira Alorado, no sen oscriptnno ra da Cruz n. 1.
Para o Ass
segu nesles das a escuna nacional Esmeralda, re-
cebe carga a frote : Irata-se com o sen consignata-
rio Antonio l.ui/. de (lliveira Azevedo, o seu 08-
eiiptnrio na ra da Cruz u. 1.
Leiles.
LEILO
DE
% 3 Y1IO DO PORTO.
Terea-feira ido corrente.
PELO AGENTE
Thoraaz de Aquino Fouseca \ Fillms fardo leilo
por mterveneao do referido agente no dia cima
designado e pelas 11 horas da manhiia i porta da
alfaiulega por i-onia de quem pertcnc.ir
HK
10 pipas rom vinho tinto do Porto.
GENUINO
ESPLENDIDO LEIL10
0Hirla-feir23(locorrenIo
\0ARMAZEM D0AGEXTE
PESTAA.
lina dn I igaria n. 11,
Hitas e e\egai\tt>s mtiltilias
de mogno e Jacaranda, ca-
\rlolct, carros, porcela-
nas, quadros, o\m\s de
oaro,\iiouter\asetc, etc.
0 referido agente enearregado por una respei-
lavel familia quese retirou para Europa no paque-
te ryne, vender cm leilo no dia acuna designa-
do e pelas 10 horas da manaba em seu armazeni:
Urna completa moMlia de mogno de apurado
gsto, se.udo os cousolos c mesa com lampos de
marmorc.
lina bem acabada mobilia de Jacaranda, obra do
lallia a Luiz XV.
Cm, rico guarda vestidos de mogno d
modelo.
lu guarda roupa de amarello d
modidades.
A. nnpre/.a Jeaceio, lirn-i
pe/.a o imgat;o precisa de tro-'
balliailorcs para o ser\i<;o de
linipar as nas ta cidade e con-
trata sobas condiccs
tes:
segmii-
da
da
THEATRO
DE
Santa Isabel.
EMPREZA -C V. HII.v\U.
2.a RECITA DA A8SIG.NATUR.V.

SEGUNDA FEIRA 21 DE MARCO DE 1859.
Subir arena a excedente comedia drama em
Irez arlos c quatro quadros de oostumes militares.
elegante
grandes com-
Ini guarda louca de jaiarand com portadas de
vidraea.
Urna estante para livros, de liudissima madeira
de mogno.
Urna caileira de caslanhoperf.-itainenle nova.
Cad.iras, mesa e aparador pava sala* de jautar
Louca, vidros, porcelanas, cryslaes, candelabros,
Linternas e vanos objectos de ulilidcdoe serventa.
Diversas obras de ouro e un endiente i elogio
patente inglez etc.
Um cabriolcl de muito gosto chegado prxima-
mente de Franea.
Um carro de i rodas de um dos mals afamados
fjbricaules de l'aris, anda em moli bnm uso.
Na mesma occasiao vender-s.'-li,. varias obras
de todas as qualidades de madeiras estrangeiras .
nacionaes, e urna infinidade do objectos de oom-
modidade e ornato para casas de qualqner jerar-
Terea-feira 21 docorrente.
POK TODO EQUALQUEU PREQO.
Itua doCoUegwn. 15.
estaca de mmm
O servico coineea as seis
manliaae acaba as qualro
larde, tendo ineia hora o lraJ>a-
Ihatlorpara al mocar. O salario
de \$2Hi) por dia. A empreza
otlerece casa para dormida dts
trabalbadores. Precisa lambem
contraa r \ carroceiros pagan-
do 20$ mensaes,ct)inida c casa.
Agencia ele passaportcs.
i'.la.idiiio do llego Lian lira p.-issaporte para den-
tro e fra do imperio, por commodo preco e pros-
te-/a : na na da l'raia, primevo andar n. (3
O ahaixo assiguado agradece cordialineiile o
lioiu n caiiulioso Iratanieulo que recebes do Sr. Da-
vid Wni. Bowman drente i> lempo que esleve em
suacasa, ecomo livessu de llenar a dita casa, faz
por eslo sciente ao publico.Jonimm OHveira
Main Jimior.
Ama de leite.
Pteciia Je de urna ama de leite para
crear urna creanra di- 2 mezes, a qual
agradando paga-se bem : a tratar na ra
da Aurora n. 42 no rmmeiro andar ou
na ra do Torres (pracido Corpo Santo)
eseriptorio n. 14.
Vai apraca pelojuizo da segunda vara a casa
de sobrado de 3 andares, sita no baino do Recite,
ra da Cruz n. 17, no dia 23 do corrente, pela quan-
tia do 1:5009 anniial, pele lempo de 5 annos; as
condicees esliio declaradas no escripto que existe
om poder do porleiro do juizo, Santos Torres.
Precisa-se alugar um sitio pcrlo da praea, que
nao exceda a 2009 do renda annual ; prefre-se sen-
do porto de cmbanpie : na ra Direita n. 40.
Hoga-seauuia senliora que mora com a dan-
leira para a ra do Vigariu e a trazeira para a da
Encantamento, que se cohiba de castigar lio repeli-
das vexea no dia, e lio desapicdadaiiiente, a urna
nica escraviuha que possuc de nome Juliana, e de
idade. de 7 a 8 anuos, pelo que parece, pois a cada
justante o por qualquerdac aquella pallia a
innocente victima assurragada atrozmente ; e cssa
senliora deve saber que nein lodos osseus visinhos
podem ver c ouvlrimpassiveis scmcllianle barbari-
dade, por sao que, giaeas a Dos, anda nao estao
com o coraeao lio avesados a taes perversidades,
como suecedeii uo dia domingo. 13 do crrenle,'
que priucipiou o castigo ao meio dia e lerminuti
ineia hora depois ; c nole-se que os lamentos dessa
victima infeliz serve de recreio entre os mais niem-
brosda familia, cojo espectculo aiplaudido com
salisfacn. Paria grande servico ,i humauidade e
parlicularmenlo a essa victima innocente, a polica,
se laneasse suas vistas para o procedimento inuuu-
licavcl dessa mulhcr.
E.SCKWO RUGIDO.
Fugio no dia 15 de Janeiro a prela Victoria, de
nar.'io Mossamhique, tem urna serrilha da lesta at
a ponta do nariz, representa ter 0 anuos, falla um
tanto atrapalhada, altura regular, magra e de cara
fea, cor ineia fula, anda muito depresso, levou
vestido de chita escura, panno da Costa azul : as
pessoas que a apprehenderem levem-na em casa de
seu genitor, que .sito bem recompensadas, na Ca-
punga, sitio do Arantes, ou na praca da Indepen-
dencia u. 11, loja de calcado.
Na ra dos Copiares n. 15, deseja-se fallar
com osSrs. Francisco de Mello Braga, Manuel Ro-
drigues Barbosa, Manoci Vieira Franca, Jos Mar-
ques dos Santos, a negocio deseo iuleresse.
^KftOQl'E.J/ifl,;
J^lQUEaS/J/V/-/;
CASA DE BAIVHOS
51 J(
liiiidas 3 ultima muda
ara llouirns
CIlllOiJS t .CIIIHOS
LfgffcQ
Grande sorliniento de fa-
zendas prelas proprias
da quaresma.
Ne.-le i-slaliideeiii
al as lo ou 11 horas
arjNnaliros, ditos de p
dieinaiv- sulphorosof
t'auquelili e I
Jiainanm
po de tan grande ulilidaili
la noiie aanhus trios simples
havei I
Je jigii.i
oque e ellliviseil, hall
e salgados, \ illUOS t!
ctirrPai A l'ilhos.
a atteiiejii dos Ulitis. Srs. Urs. em medicina
^ (liiN dosde
m-uii' i!;i Companhia !
>t> nionios simpln t* aromticos, tt Paria, las mu Bcroditadas pliarntni ...- d
wras 'l.i maiuifi
lt< h< rilu-, ditOfl
mo hanhoa hh1-
M- -. Sarhand,
Igumii
para asto eaUbflprmpnto,
* tinos Dj[Hirtank*s. lia lu^ar resarvado romplctaiuciitr1
I>1{1T.0 DOS 1UMIOS.
iiiho.
iiaradi
que poderl
para as fa-
1)F.
S
t
i
.-,..-,1111
2S0TI0
l.silM)
5J00D
2J5O0
IjttHHl
1jFiO0
2(500
1(300
1S00
1S000
000
tKI
1$2(l
700
no
7fi00
:isr>u(i
1KIKH)
M0
8
4^S(KI
7oo
Caixeiro.
ou
TermlBafi o espectculo com a linda comedia em
um acto
TRBUIJCrO e ventura
PERRONAGENS.
Delgado, esludante de medicina Lisboa.
Mamcde, criado do dilo..... Knhelro.
Isabel, viuva rira........ ft Carmela.
A aeco passa-se em Lisboa na aclualidade.
Principiar s 8 boras.
Os Mneles acham-se venda no lugar do'ros-
tume.
Avisos maritimos.
CARROSXWALLOS.ES-
CRAVOS E MOVIS.
M. de Borla
far leilo no dia cima indicado de 2 carros com
i i-avallos, um cabriolcl, 2 negros, 2 negras e todos
os movis pertencenles a una familia que se retirou
para Europa, cojos precosnao lem reserva ; bem
como um sitio na povoacao do Barro com 80 pal-
mos de testada e 78 bracas de fundo, lem casa de
vivenda com 50 palmos de frente.conleudo 3 salas.
O terreno forciro ao engenho Peres e plantado
de diversas frurleiras, sendo jaqueiras, fruta-pao,
mangueiras, uili-cor e bstanles larangeiras novas
e de muito boa qualidade, entre ellas algumas j
dao mui #otes e apreciaveis laranjas. Todo o sitio
e cercado de I.imneiros. Consegiiintcmcnle convido
aos apreeiadores dos bellos arrabaldes dessa cidade
que nao deixem de comparecer an referido leilo,
ahm de arremalarem um sitio que oOerece as me-
nores vantagens possiveis para um bom passamen-
to de fiesta.-
Avisos diversos.
No pateo do Terco n. 12, preeisa-sc do um cai-
xeiro hbil c diligente para lomar conta de nina
taberna por ba lai ;o, ao qual se dar bom ordenado
ou iuleresse. una vez que d fiador a sua pessoa e
leona conducta irreprehensivel.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
LEITURA.
A direcloria do Gabinete rorlugnez de I.eilura.
leudo em cousideracao a ordem c regularidade que
deve haver no estabelecimento, avisa aos senhores
associados, qneiram lera bondade de mandar en-
tregar na bibliotheca os livros sahidos para leitura.
Si-crclaria 18 de marco de 1859.O 2." secretario
Jos< F. Uarrolte.
, -. m
Alpacas de or fazenda com quadros
.;...' miudos muilo modernas para vestidos de ".
- senliora: se vendem niiicamente na luja
' da ra do .Hieimadu n. 10, de Leite & -
Gomia. .....
Vende-se a casa na Soledade, chaos proprios,
livre e desembarazada : a tratar na mesma n. 42.
'MlttUtlftt |
Vestidos e grosdonaplo nieto cun
babadas bordado a relludo. .
Diios ditos prelo com babados borda-
dos a seda.........
Ditos ditos de cores e brapros. .
Ditos de i-ainbraia bordados ao lado .
Velludo pneloO inelhor possivel, co-
rada............
Grosdenaplcs prelu liso, corado l|M00
a............
Dito pelo lanado, corado 2>'a .
Seliin prelo uiaeo, invado &800 a .
Sarja prela hespanhola, invado 2f a
Grosdouaple liso de lodos as cores, co-
rado...........
Dito de quadrinhos miudos, eovndo .
Dilo bramo lavrado, corado 12H0 a
Dilo de cores e piolo com l palmos
di- largura.........
Belleza da China e mauritana de seda,
eovado..........
Follar de l'aris s elialy de flores, eo-
vado.....".,...
Popelina de seda e duqueza de flores,
eovado.........
Prondclina e barege de seda, eovado!
Mein velludo prelo e de cores, eovado
Velbulina de coces e preta, corado
Chitas francezas claras e escuras, eo-
vado 280 a.........
Panno preto o de cor fino prora de
liman, invado 3;j500 a .
Casemira preta seitat, invado JMK) a
Arlandvs donnvusdc.seiiliosnnus.vara.
l.assas francezas linas, vara. .
Mantas de hlond pretas e brancas. .
Ditas de linho o mais rico possivel.
Chales de merino lisos de cor e proles
Ditos de dito estampados de ly a .
Ditos de dilo franja de seda ....
Hilos de dito bordados a seda e a vel-
ludo............
Ditos de seda pretos rovos e de cores.
Leos de laliyiinllio linos de 1g a
Manguitos e giillinhas bordados linos.
ntremelos o tiras bordadas. .
Colloles de velludo e easeluira prela
buriladas........ .
Centolas de brini de algodao e de l-
ubo de lgfjOO a......
Camisas francezas brancas e de cui-
de. 2$ a.........
CasaCOS e siilneeasacos de panno pre-
lo lino..........
Paletots de panno prelo e de cores,
fraucezes.........
Calas de casemira pelas e de cores.
Colloles de seda de varias qualidades
Chapeos (raucezes directos e a Tamber-
l*........... S
Paletols de merino setini pelos e de
cor forrados........ 9^000
Ditos de alpaca prela e de cur com
golla de velludo ..... SgOOO
Ditos de brini bramo o de cor lina. II^IIOO
Ditos de alpaca de varias qualidades
com guita de velludo..... 5$000
Ditos de alpaca prela e de cor mesclada :l>:wMl
Passando u beceoda Congregarao.-doladodireilo
em segu ment para o Uvramento a qiiarla loja de
tres portas com rtulos brancos.
Precisa-so de urna ama para co/.inhar para
duas pessoas : na ra dos Pescadores ns. 1 e 3.
REMEDIO INCOMP&RAVEL.
UNGENTO HOI.I.OWAY.
Militaros do individuos da Indas as naeoes pdem
tesieniiinliar as virtudes do-le remedio iiieoniparn-
vel e provar em caso necessario, que, pelo uso que
del le llzoram tem seu corpo eniemliros inleiramenle
saos (lepis de haver enipregado intilmente uniros
tralainenlos. Cada pessoa podef-se-ha convencer
dess.is curas maravilhosas pela leitura dos peridi-
cos, que lh'as relalam t uos ; e a maior parte, dolas sao O sorprendentes
que adiniram os inediins mais celebres, (nautas
possoas.recohr.inirn com ste soberano remedio o
OSO de Sena bracos e peinas, depois de ter perma-
necido longo lempo nos hospitaes, onde deviam
soffiera amputarn Helias ha militas que havendo
deixado esses asylos de padecimentos, para sen&o
siibiiiellerein essa operario dolorosa foram cura-
das coinpletaiiiente, luedianle o uso desse iirecioso
remedio. Algumas das taes pessoas na eulusao de
sen reeonlieeiiiienlo deelararain estes resultados he-
nelii osdianle do lord em rededor o oulros magistra-
dos, aiiiu dejuais autenlecarem sua ttrmatira.
Ninguem desesperaria doestsdo desndese ti-
vesse bstanle e.onliauea para ensaiar este remi>dio
conslanleinenle seguindo algiiin lempo o tralaiuen-
to que uecessilasse a nalnreza do mal. euju resulta-
do seria provar inconleslnvelnieiile : (Jue ludo cura.
U iiii^iu'iitu he til, iimis particular-
mente nos sf^-nintfs vasos
Trinla cartoes para hanhos dios com lenel de de
Quinze ditos dito dilo......'. .
Sele ditOS lie dilo. .......
Trinta ditos para banho liiorno de ihoqne, ihuii
lenel de linho e loallia nropria.....
Ollill/.e litios dilo dtle.........
Sele ditos dito dil............
I"in banho arulso t'ii.....i monto com lenel e iitn
Dito aromtico, mais n valor da esseiicia.
ll.inhn medicinal nrlilirial salgado.....
Hilo dito dito de Viehv.........
Dito dilo dito de Barege.........
Os .ibaixn assignados espvram merecer acoadjuraeo il
cartoes nao sao Iransferiveis.
. r.v;ooo
..... hSOOO
..... i,SIM10
ou [arelo com
..... 2hj:ihmi
..... HijaHHi
..... 5J000
..... IJOOO
'.'.'.'.'. lfiOO
..... X-0HI
..... aaooo
>peiia\el publico, c adviirlem, que os
Agniar ic Fftu.
PEDllAS PRECIOSAS.
Aderei'us de brilhau-
les, diamantes e perolas,
pnleeiras, altlneles, briu-
i os e riiseas, botes e
aoinis lie ilitTerelllesgiiS-
los e de diversas podras
-: de \ olor.
< -
^i Comprain, vendem, ou
troiam prata, ouro, bri-
Ihantes, diamantes e pe-
'. rola*, e nutras quaesquer
.-.: jias de valor, a dinliei-
< ros mi por obras.

HOREIR 1)1 ARTE
luja le iiuriv t's
RUADO CABUGA' II
Recebem por todos os
vapores da Europa as
obras do mais moderno
gosto lano <1<> Franca
como de Lisboa, as quaes
vendem por preco com-
modo como costumain.
.. :
OLEO i: MUTA.
i Adereces completos de
ouro. ineios ditOS, pul-
3 reiras, aiflnetes, brincos |
e rosetas, cordoes, tran-
- selins, luedalhas, enren-
les e eiifeiles para relo-
I gio e uniros limitis ob-
-1 jeetns de nuro,
^j Apparelhos complelha
de prata para cha, ban-
dejas, salvas, ea-liiaes.
rulheres de sopa e cha' e
- miiitos outros objectvsde
anta.
CASA DE SALDE
SITA EM SANTO AMARO.
DOS
Neste estabelecimento ha as melhores acomniodacics para se Iralaiem doentes de qualquer calhe-
goria c sexo.
A diaria menor he de 28500, devendo o pagamento ser feilo por quin/enas adianles.
llavera o maiorzelo e empenho no tratamenln dos doenles os quaes serio visitados pelo menos
duas rezes por dia pelos mdicos proprielarios do estabelecimento.
RIO GRANDE DO SL'L.
Vai seguir em poucos dias o briguc nacional
D. A(fcnso>, capitn Marques, pode receber algu-
ina carga para t. mencionado porlo, assim Como
p.issagoiros : as prelendentes entendam-se com
Hallar 4 Olireira,na roa da Cadeia Velha, eseripto-
rio n. II. r
Para o de Janeiro sahe com milita brevidade o
bem eonhecidn briguc Sagitario ; para carga e pas-
sagciros, trata-se- com Manoel Francisco da Silva
Carneo, na ruadoVigario n. 17, primeiro andar.
Aracaty.
Segne nesles dias o patacho Santo Cruz, recebe
carga a frete e passagoiros : a tratar com Caetano
i.ynaco da Costa Moreira, no lado do Corpo Santo
n. 25.
Para o Rio Grande
do Sul.
Segu inalivolmoute at o flm do prsenle mez o
brigue nae>MMl'Dqitedtf Terce-a, porj tersen
carregamento quasi campleto : paraalgum resto da
carga, trata-se com os consignatarios na ra da
Cruz n. 54.
Para a Bahia.
A velcira e bem conhecida sumaca nacional Hor-
i*n, pretende seguir com mnita brevidade, tem
dous tercos de sen carregamento a bordo : para o
reslo ijao Ihe falla, trata-se com o seu consignala-
rio Antonio Luis de OHveira A/evedo, no seu es-
eriptorio ra aEau n. 1.
~ Para Lisboa' l mu com a maior brevidade,
por ter parte de st amgamcnto prompto, a bem
conhecida barca piifclaaa Hnrtrncia : quem na
mesma quizor rarregarft de passagem. enten-
da-se com os consignatarios Amorini Irniios, ra
da Cou a. 9, ou com capilioJoan Silverio Roma-
no, ala praca do commerno.
-. O veleiro brigue portuguez ctico, deve se-
guircooi umita brevidade para Lisboa, tem promp-
ta a maior parle do carregamento ; para o resto
a frete, ou para passagiros, aos quaes ofTerece ei-
cellenMs commodos, trata-se com os consignatarios
AiQurim lrmaos, ra da Cruz n. 3, ou com o capi-
llo lnilherme Waddington, na praca do cnmmercio.
Para o Rio de Ja-
neiro.
Obem conhecido e veleiro lirigne nacional no-
nio, de primeira mercha, pregado e forrado de
cobre, pretende seguir com mnita brevidade, tem
parte de seu carregamento prompto : para o resto
que Ihe falta, trata-se com o sen consignatario An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo, no seu eseriptorio
na dar.run. 1.
Para o Rio de Janeiro
sane brere, por ter parta do carregamento prompto,
o brigue nacional Helena, rapilio Domingo H.
MafTra : a tratar com os seus consignatarios Tasso
Irmao, ou com o mcsnio rapitao.
Segu viagem at o dia 31 do corrente para o
Rio de Janeiro, o patacho nacional F.vora I: para
i arga IraU-se na na de Apollo, armazew n. 16,
ou com o capitao a bordo.
PEDRAS PRECIOSAS.
Adereces de brilhanles,
diamantes e pendas, s
pulseiras, allineles, brin-
cos e rosetas, boloes c
aunis de dilTerentes
gestos e de inagiiilieos
brilhanles.
lniaimiv[. liliii
JO ALEIROS
Hotel inglezsala n. A.
I'i'ci'Im'iii por todos os \;iit>- *
| ips ila Europa e lo Rio de Ja-
nein ln-as do mais moderno
iiosto, tanto de Franca romo
'.^dcsta ultima capilal. as i|iiii'<-'
Vendem rom toda a f^raitiag
na i|ualidade dos metaes e
jf^das pedras, e pelos pretos
01KO E RELOtilOS.
Compran!, vendem e
Irocain prata, ouro, bri-
rK-Sql^squ^lnais commodos possivcis,s
joias de valor, a dinbei- r leildo SClUpre a llisposiiaO dOS'
ro por obras. ^iiPnezes um bello t wiado
Aderecos completos de \
ouro, meios dilos, pnl-
eeiras, allineles, brincos
e rselas, cordoes, trau-
celins, medallias. cor-
reles, enfeiles e corren- '
toes de ouro para relo-
gios, e nutras militas '
oliras de ouro ede coral.
Relogios patente inglez ^
dos melhores fabricantes,
ditos suissos, tanlo de
OUn como deprala.chru- '
nomelros e meios chro-
nometros e lambem re-
logios horisonlaes de ou-
ro e de prala. Vendem o
troca m.
LOTERA
PROVINCIA
OSr. ttiesoureiro manda fazer puMico
que se acharo a venda todos os dias das 9
itoras da manhaa as 8 da noite, no pavi-
; ment terreo da casa da na da Aurora n.
j 26 e as casas commiuionadas pelo mesmo
Sentar thesoureiro na praca. da Inde-
pendencia numero 22 e na'rua Direita
n. 83, ate as 0 horas da tarde, someote os
bilhetes e meios da primeira parte da pri-
meira lotera de S. Jos de Riba Mar,
cujas rodas deverao andar impreteii-
velmente no dia 23 do crtente mez.
Thesouraria das loteras 12 de marro
de 1859.O escrivSo. J. M. da Cruz.
Preeisa-se de um caixeiro portuguez que le-
nha pralica de taberna e de fiador a sua conduela :
na ra de santo Amaro n. 28, taberna.
Os abaixo assignados fazem scicn-
tes ao publico que se desencaminliar.ua
com a carta em que vinham peto Igua-
rassu tres lettras que por avisos de Ma-
cei ot-am scientiicados de ter la' si-
do firmadas pelos Srs. Silva Le5o t C,
daquella cidade a favor dos abaixo as-
signados em data de 31 de Janeiro pr-
ximo passsdo a 5 mezes de prazo, sendo
duas de 10:000$ cada urna e urna de
10:5!)0,se previne-se a todas as pessoas
que nao facara, negocio algum com a*
supra mencionadas lettras, visto nao te-
rem as mesmas ainda chegado as maos
dos abaixo assignados e por isso n5o
podem ter o nosso endoce e os Srs. Silva
Leo C. ja estro prevenidos de n5o pa-
gar seno aos abaixo assignados.
Pernambuco 15 de marco de 1859.
James Crabtree & C.
Ao publico e ao corpoj
do commercio espe-
cialmeute.
O baeharel abaixo assignado offererc
os seus serviros de advogado em an- '
bas as instancias no civel, erime e com- '
Dierrio na capital o fora dclla. Espero
ser prni-urado, allirmandu que tomar
o maior iuleresse pelas causas que Ihe
orem cumiadas. O lugar de sen es-
! eriplorio no primeiro andar do 80-
lirado novo n. 4 da ra do Collcgio |
! aonde mora, pudendo por isso ser con-
; sullado a qualquer hora. =: Frrmcisi
Luiz Correia de Andrade da Silra.
Esortimento.
A 8j$"000.
AtleiM-Ao.
Precisa-se de urna ama que engnmme e saiha
Eantear roupa, que seja limpa e Bel; na Ilha dos
alos, rasa do fallecido Dr. Navarro.
Custodio Antonio Soares vai a Portugal, e
deixa por seus procuradores os Srs. Joaquim Das
lernandes, llernardo deSiqueira Castro Monleiro e
Joaquim Claudio Monteiro.
Precisa-se de urna mulher ou prela forra,
dosa, que saiba cozinhar o diario de casa de pou-
ca familia, para tomar conta de urna casa: quem
quizer, dirija-sc a ra Nova u. 53.
Precisase deojj sobre kypathe-
ca em um cabriolet e ravallo para o dito,
fferecendo-se o premio de ; por cento
ao mez : quem quizer fazer este negocio
dirija-se a rua Direita n. 83 das 9 da
manhaa as ti da tarde.
-- Precisa-se de urna ama para cozi-
nhar, escrava on forra: na rua do Crespo
HOMEOPATHIA.
PRESERVATIVO f.OATRA AS REXIGAS
GHATl'ITO PIRA TODOS.
Ilemrllu'ipreirnir o mado nuecura-ln
Lavraiidu actualmente a peste de hexigas, e pus-
smndii a boineopathia meios iifhaiin para preser-
var de lio lerrivel molestia, faco deslrihui-las gratui-
lanienle a Indas as pessoas seuidislincau de ricn ou
pobre, lodos os dias uteis desde as 10 horas da ina-
uha atau meio dia. A experiencia me autoras a
alBrmar, que Indos aquellesque Uzcreu uso de taes
preservativos Icario isentos do mal varilico .
que, quando por ventura alguem chegue a soffn
as pstulas, nao sernnem iniiitnnumerosas, e nein
de m qualidade. Nao necessita resguardo, apenas
abstinencia do cafe1 prelo.
Consultorio Central lfomeopathico rua de Santo
Amaro ( Mundo Novo ) n. G.
Dr. Sabino 0. I.. l'inho.
Quem pree.isar de urna mulher ja de idade, e
natural da lfha do S. Miguel, para ama de cosa de
pouca familia, dirija-se a travessa da Madre de
leos n. tf, ou a rua do mesmo nomo n. 36.
Joo Jos Perreira, subdito hespanhol, reli-
ra-se para fra da provincia, Iralar de seus ne-
gocios.
Escravo fgido.
l'ugio no dia 18 do corrente mez de marco nina
preta de nome Thcresa, do idade de 34 annosi pouco
mais ou menos, com os signaos seguinles : estatu-
ra pequea, cega do olho osquerdo, e aleijada de
um dedo de urna das hijos : quem a apprebender,
leve-a rua do Collcgio n. 13, segundo andar.
Na manhaa do dia 25 de fevereiro de 1859
fugio do engeuho da Maltas da comarca do Cabo,
nm escravo de nome Vicente, idade de 20 annos,
pouco mais ou menos, altura regular, lem faltado
denles na frente, fui campia dos Afngadns, e foi
escravo de Theodora francisca de Barros, morado-
ra na Embiriheira : a pessoa que a apprehender,
entregar na ma Nova, taberna do Sr. Jos Forr
nandes l.ima, ou no engenho cima, que gencro-
sainenlesegratillcar.
Aluga-se urna casa de pedra e cal, grande, a
moderna, com mobilia dentro : a Iralar na rua i-
rcifa u. 95.
Corles do vestidos de cainbraia rflxas
com assento branco com 3 ordens de baba-
dos pelo barato preeo cima dito : na loja
daruado Qnoimado n.10,
Feijto preto novo.
O nico que ha no mercado vende-se
uo Forte do Mattos. armazem de Heine-
tetio & Irmao confronte ao trapiche do
IgodSo.
He chegada a nova factura das mais su-
periores camisas inglexas de todos ns ta-
maitos alojada ruado Oueimado n. 10.
OlllMlMIII ? ********* *T
Aterro da Boa-Vista n. O.
\einlem-se muilo superiores casinetas mcscla-
das, com nm pequeo toque de mofo, pelo baralis-
simo preco de 300 rs. o eovado.
I'a/.emlas pretas para a quaresma.
No aterro da Boaj-X isla 11. 60. loja de Cama &
silva, sendo um completo sorlimenlo de grosdena-
Alporcas.
Caimbras.
Callos.
Canceres.
Cortaduras.
Dores de cabera.
das cosas.
dos siembros.
Knferinidades da culis em
goral.
Ditas dn anus.
Krupcies e escorbulicas.
Fisluias nnabdoiuon.
Frialdade ou fallado calor
as extremidades.
Frieiraat
Cengivas escaldadas.
lii'liaces.
I utlamaean do ligado.
da bexiga.
intlammaeao da mastriz.
Lepra.
Males daspernas.
dos neitns.
de olhos.
Mordeduras de replis.
Picadura de mosquitos.
Pulmdes.
Queimadelas.
Sarna.
Siipuraces ptridas.
Tinha, em qualquer parle
que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
dn ligado,
das arlic.iilaces.
Veas torcidas ou muladas
lias peruas.
Boga-so ao Sr. Paulino da Silva Mindello o fa
rordo ir a roa da Senada Velha n. 94, resgalar
um val seu da quanlia de 009. visto que o lempo j
he de sobra.Jos inlouin l'eriiunde.< Fradii/ue.
Precisa-se de muito
boas costure.ras para fazer
colletes: na rua da Madre
de Dos n. 30, primeiro an-,
dar.
O baeharel Jos Bonifacio de Si Pcreira lem
aberlo osen eseriptorio de advogado nobairrndo
Becife rua da Cruz n. 18, segundo andar: quem
quizer encarregar-lo do patrocinio de suas causas
pude pt'oc.ura-lo no mesmo escriplorio, das 9 horas
da maullan al &s4 da larde.
AVISO-
Furtaram ha 2!) dias do moirodo si-
tio da moradia do abaixo assignado na
Passagem da Magdalena urna canoa de
catreira de um s pao, ainda nova e to-
da pintada de verde com a marca da ca-
pitana do porto M n. 171 : roga-se a
quem a tiyer achado ou souber aonde
exisla de participar no dito sitio ou na
rua do Torres n. 14, que sera' gratifica-
do,Antonio Jos Leal Reis.
VIA FRREA
6*500. 7o500, ale l*g cada corle, e pannos pna
dilfireules procos c qualidades.
16 0 4*
_ni:
Os mais ricos veos para chapeos de se-
nliora de lodas as cores se vendem nica-
mente na rua do Oueimado loja n. 10, de
Vendem-se oscaixoes dcuin armazem de as-
sucar, silo na rua do Bru, lado do embarque por
preco muilo commodo : quera os pretender, dirja-
se a dita rua n. lo.
.-.i-, ye"de".sc. "m armazem todo envidrando, por
valor de madeiramente c vidros, c mais um arma-
rio : na rua da Cadeia de Santo Antonio n. 11 II.
Attenco.
Ha muito mala de mes foi entregue ao jiiizdc
capellasdesla comarca, o |)r. tjicerda, a iniracejo
mea irinondadeda matriz dest., villa deu a queixa
do hxm Sr. bispo -. entretanto passa como cerlo
que os fcxms. Srs. bispo e presidente da provincia
anda nao a receberam!! Oonsla-ms igualmenle,
que a iiilormacao foi acompanhada de lodos as do-
cnuieu os a que ella reem-se. Cabo 19 de marco
de lutla Aiyoscabi*ta.
Vende-se este ungent uo estabelecimento eral
de Londres n. 224, Strand,* e na loja de todos os
bolicarins dniguislas e nutras pessoas i-ncarregadas
de sua venda em toda a Amenes do Sul, Havanae
Hespanha.
Vende-se a 800 rs. cada boceliuha, conlm una
insiniccao em portuguez para o mudo de. fazer sou
deste iiugiieiito.
O deposito geral he em casa dn Sr. Soum, phar-
maceiilico, na rua da Cruz n. 2t, em Pernambuco.
Mauoel Ribeiro Fernandes vai a Portugal e
deixa por seus bastante procuradores em primeiro
lugar ao Sr. Franrisco Pinto da Cosa Lima, em se-
gundo o Sr. Joaquim Paes Pcreira da Silva e em
lercciro ao Sr. Francisco Antonio Martin*.
O abaixo assignado fas sciente ao rcspeitavel
publico e com especialida ao corpo do commercio,
que lem cedido e Iraspassado aos seus irmos os
Srs. Maximino Martius da Silva Rorges e David Mar-
lins da Silva Rvrges as suas duas tabernas n. 1,
dos quatro cantos da Roa-Vista ao primeiro, e n. 36
da na do Arago ao segundo, os quaes so compe-
tentes para gyrarem e admiuislrarem dilos eslabe-
leciinentos romo seus, e com quanlo se jiilguem
nada dever praca por dehilos conlrahidos em seu
nome para as mencionadas tabernas : ruga todava
a quem se julgar seu credor n favor de apresenlar-
Ihe suas contasna taberna n. 91 da rua Direita.
Recite 18 de. maren de 1859,Florencio Marlins da
Silva Rorges.
Florencio Marlins da Silva Rorges, faz publi-
co qiie pelo juizo municipal da segund i vara escri-
vao Molla, justilicou competentemente com citacao
do Sr. Luiz Jos Marques arrematante do impojis
de agurdente de produccao brasileira, haver dei-
xado de vender esse genero em sua taberna sita na
rua do Arago n 36, desde o primeiro de Janeiro
de lt>.r>9 i-m diaiic e leudo sido sua justilicacao
julgada por sentenca, faz esta declararan para que
nao possa o Sr. arrematante allegar
em lempo algum.
abaixo assignado roga a qnem se julgar
credor do Sr. Joaquim Leal Pen-ira por denlos
conlrahidos para a taberna que o mesmo leve na
rua Direita n. 91, baja de apresenlar-llie suas cuntas
na mesma taberna, para seren conferidas e pagas.
Recife 18 de marco de 1859.Florencio Marlins da
Silva Rorges. '
de seda com veos para senliora, os mais delicados
c os do inelhor gosto que vem oeste mercado, pelo
aiiniiiuto proco de 159000 : nn rua do Livrameuto
n. 2, esquina.
Vende-se o terreno sito na rua do Alecrim,
pegado ao silio denominado Viveiro : quem o pre-
tender, falle ua rua do Crespo u. 10, que dir com
quem deve tratar.
Vende-se um cabriole! de balaustre com seus
competentes arrcios, com ravallo ou sem elle ;
assim como vende-se tambora um carro de 4 rodas,
forrado e piulado de novo : na rua do Aragio n.
37, on itosAmictos, silio dolir. Velloso.
Precisa-se por aluguel, de um preto de meia
idade, que entenda algiima euiisa do trahalho do
campo, da-SO sustento a roupa : a Iralar no pateo
do Carnin n. 9. ou na Passagem da Magdalena, era
casa do Dr. Firmo.
COMPAMH1A
ALLIANCE
Eslabelecida cm Londres
EM
figp i mu.
CAPITAL
Cinco mUnocs de libras
esterlinas.
Saunders Brothers i C." tem a honra de informar
aes Srs. negociantes, proprielarios de casas, e a
quera mais convier, que eslo plenamente aulorisa-
dos pela dila roinpaiihia para elfecluar seguros so-
bre edilicios de lijlo e pedra, coberlos de telha e
igualmenle sobre os objectos que contivercm os mea-
mos edificios, quer consista cm mobilia ou em fazen-
das de qualquer qualidade.
Parlicipa-se ao rcspeitavel publico, que for-
nece-se comidas com aceio o presteza, e se cucar-
rea de lavar e engommar : na rua do Alalho, rasa
nova unto do Sr. Rastos. Na mesma precisa-se
alugar urna boa cozinheira e urna engommadeira,
preferindu-se captiva.
CASA DE SALDE.
O Dr. Ignacio Firmo Xavier, prnprietario da an-
liga e acreditada casa de Mude sita an norte da es-
trada da passagem da Magdalena, entre a ponte gran-
de e a pequea do Chora-menino, e na mesma re-
sidente, tem disposto os melhores commodos para
receber uualquer pessoa enferma, e achaudo-se o
seu ostapaleiinieiilo uas mais agradaveis coiidicoes
hygieuicas; contina a offerecer os seus servicos* af-
lianrando o uelhnr Iratamento e o maior zlo no
curativo das molestias. O mesmo doutor, lem des-
uado una sala para partos, cuja utilidad" he in-
couleslavel.
80 EMCAIinEUADOS DA CLNICA
Operai'Oes.O Illui. Sr. Jos Franci.sio Pinto Gui-
maraes, cirurgiiio do Grande Hospital de Carida-
de, cuja pericia he bem conhecida.
Medico consultante.Olllm. Sr. Commendador Dr.
Jos Joaquim de Moraes Sarment.
Partos.0 Illm. Sr. Dr. Silvio Taruuinio Villas-
Bas.
Palhologia dulrina.O proprietario do estabeleci-
mento.
A diaria ser de 3$000 c 2$000, conform a gravi-
dade e duracao da molestia.
As pessoas qu quizereni um Iratamento distincto,
pagaro na raza o da despeza que Uzerera.
Operacoes, sanguesugas, conferencias serao pagas
aparte da diaria.
Passagem da Magdalena 22 de dezembro de 1858.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Aluga-se um sobrado a margem
do rio Capibaribe, na estrada de ponte
'de Uchoa : a fallar na rua da Aurora
n.26.
Precisa-se alugar um p reto robusto proprio
para o servico diario de lima casa ; d-se comida o
rouua, e naga-se bem : a Iralar na rua da Collcgio
n. 15. armazem.
Preciia-se para urna casa estrangeira de urna
Aviso aos Srs. negociantes
desla praea.
Trapiche do Cunta.
Neste eslabeleciraento recebem-se e embarcam-
sesaccoscomassncar.com toda a'promptidan e
aceio pelo diminuto proco de 40 rs. cada um.
Avrlissement i louslesn-
goeianls de celte place.
Trapiche Cunha.
Dsormais on enibarquera le sucre, daus eei la-
blissemeul, 40 rs. le sac. On garaulil tote la
promplitiide ct la plus grande propel daus le
service.
Avise lo all llie traders here
cslablished.
Trapiche Cunta.
Nolico s bereby given Ihat henceforwanl each
sack of suggar shaU pay 40 rs. for depositing and
euiliarking. Promplitiide and clcanliness in Ihe
service ave warranted.
Attenco.
Precisa-se alugar nm escravo canneiro : quem o
tiver dirija-se ao Forte do Mallos,rua da Moeda u.23.
C. II. flradley, inglez, parle para a F.urnp.
O abaixo assignaSo faz sciente ao publico, me
leudo de retirar-se para a Europa, deixa pos seus
procuradores, em primeiro lugar ae Sr. ManoolCar-
pinteiro da Silva, em segundo o Sr. Francisco los
Lopes, e em tercoiro o Sr. Manoel Mendes da Cunha
Cuimaraes : quem se julgar credor apresente-se
nesles oito dias.Antonio Beau.

DO
RECIFE A S. FRANCISCO.
A coiiipaiilua se acha prompta a receber nropos-
las para a conduceo de una grande quanlidade de
trilbos e outros malcraos perlencentes a mesma
via frrea do littoral das Cinco Ponas, onde presen-
temente se arham. ao lugar chamado Boa Sicca ou
Bertioga, silo no rio Ipojuca.
As propostas deverao ser enviadas por escripto,
marrando o preco por arrobis inclusive carregar
descarregar o peso que pode ser conduzido por ra-
da lia iraca, o maior numero dellas que se poder em-
prear neslc servico assim rumo o lempo gasto em
cada viagem.
Kscriptnrio dos engenheiros na villa do Cabo 10
de marco de 1859.
* W. ll.Penislon,
Eogeuheiro em chefe.
VIA FRREA
DO
Recife a S. Francisco
Acompanhia precisa empregar 300 brenos ad-
dicionaesentre a villa do Cabo e linga, e otlerece
as sepililes vanlagens.
Est resolvida a contratar os aterres em lances
paqueaos, por pronos que garanten! maior lucro
aos enntratadores, do que o que se realisa pelo tra-
liallio diario.
Kmpregar-se-hao lodos os hoiuens de forca e ac-
tivos por un preco proporcional equivalente 1}2H0
rs. diarios.
Conlralar-se-hao pedreiro, rarapinas, nfliciaes
de pi dreiro, ismiroa, assim como outros uiechani-! miilalinha de 12 a lli annos, rua do Trapiche Novo
eos, medanle cnndiccocs favorav.Ls empreilada u- 12.
Aviso.
Fugio hontem 17 do corrente o prelo Joaquim,
de naci, de estatura regular, cor um pouco fula',
e muilo gago, Icwui vestido camisa de baela azul
e calca do algodao da mesma cor, foi montado em
um cavalln ruco, grande e milito novo, cora a mar-
ca A em limadas peruas, aparelliadn de. cangalha .
quem o pegar, on der noticia do cavalln na rua da
Concordia, na reflnacio, ser bem giiilicado,
Precisa-se para urna casa estrangeira, de. urna
miilalinha para alugar, de 12 a 1G anuos, paga-se
bem : na rua do Trapiche Novo n. 12.
Villa do Cabo.
O abaixo assignado faz scienlc ao publico, que
abri na villa do Cabo, rua do l.ivramenlo, casa de-
iroiite do cruzeiro, urna casa de negocio com illu-
minaeao de gaz a uoile, onde vend fazendas de
diversas qualidades, calcados frauce/.es e da Ierra
miudezas,roupa feita, etc., etc., e ludo porpreos
muilo commodos.Francitco de Panla Rvfino. '
mi medanle paga diaria correspondente, rio caso
que preferirn-
ll.neran moradias para osobreiros, rojos manti-
mentos serio transportados graluameiile da esla-
co das Cinco Ponas aos pontos das suas moradas
pela linlia. Tambem se conceder una passagem
_ livre ao Recife para todos os que foicm emprega-
gnniancia **i Para i'la e vollanos sabbados, depois de feilo o
pagamenln assim como a lodo lempo se dar pas-
se livre, de 20 linmens, um, para o lira de com-
prar mantimentos.
Escriplurio dos engenheiros na villa do Cabo 10
de marco de 1859.
11'. V. l'enulan,
F.iigeuheiro em clue.
Dtl
RECIFE A SAO FRANCISCO.
A companhia est prompta para entrar em ajuste
cora quaesquei pessoas que queirain encarregai'-se
dt transportar malcriis dos lugares das Cinco Pon-
as e villa do Cabo paraospnnlos de Pari, tllin-
da. Para e Timboaas, assim como outros pontos
das divisos mais distantes da via frrea.
O inaiio assignado estimar receber propostas
por escripto, cstabelecendo o preco por legua poi-
cada amiba de peso, pelo qual os proponenles se
obrigarao fazer transportar os inesmos materiaes.
Todas aquellas pessoas que cunsegnirem este
ajuste com a companhia, tero o privilegio de po-
derem obter passagem livre pela via frrea, e rc-
inetlerem seus proprios gneros pelo frele mnimo
estabelerido pela tabella.
Eseriptorio dos engenheiros na villa do Cabo 10
de marco de 185.
W. M. Peniston,
Engenheiro em chefo.
Precisa-se alugar urna rasa terrea em bom es-
tado, no bairro de Santo Antonio ou Boa-Vista : di-
rija-se rua do Crespo n. 2.
Toma-se:i:000^a premio pelo lempo e cxyidi-
foes que se convencionar, e da-sc por garante tres
eseravos inteiramento pecas, mui sadios, sera vicio
ni achaque, sendo 2 eneraras e 1 escravo, todos
mu conhecidos aqui na cidade onde resideni ha nim-
ios aiinos, livres e deserabaracados de toda e qual-
quer durida ; o escravo mui llcl, intelligcnle,
exccllente comprador e de todo servico una escra-
va milito pralici.....xcellenle/piitandeira de vender
na rua nm taholciros e lavadeira de sabio ; e urna
linda criolita de 16 annos, que nunca sahio rua,
mui honesta, bem educada, rom excellente con-
duela, lava, cose e co/.inha, mui cuidadosa para
criancas no amanho das irnaes lera milita pralica
nao se duvidar dar i destes eseravos para o poder
de quem emprestar o dinbeiro conforme o ajuste
que se li/.er comanlo que a querer a muraniba de
Hialinos, s se far este negocio cora pessoa de fa-
milia honesta, para cojo poder ella v e rom condi-
eao desla nao sahir S rua, pois que sendo esta cuino
aluda virgem, nao se desoja a proslituicau della :
quem convier este negocio annimcie pan ser pro-
curado.
Arrenda-se ou vende-se um silio no lugar da
, margem do rio Capibaribe, com excellente
casa de vivenda para grande familia, conlcndo 4
salas, 10 quarto-, coziulia fra, urna sefizala, coche-
ra para 2ou 3carros, qnarlos parra criado e prelos,
eslribaria para 6 cavallos, quartos para aniraaes do-
msticos, galinheiro, cacimba com exomlenle agua
de beber, c outra com bomba e casa de banho, jar-
dirn cora vasos finse figuras, baixa de capim, po-
mar de larangeiras, alm de outras fructas do paiz:
a pessoa que pretender, dirija-se a rua de S. Jos
n. 45.
Ao aterro na Boa-Vista n. 8, neste ultimo va
por, chegaram queijos de Minas muito frescos.
-BHHW-i
DENTISTA FRANCEZ.
t Paulo Gaignnux, dentista, na das La- ^k>
3 rangeiras 15. Na mesma tasa tem agua e O
* p doutilico. ^V^
Preeisa-sc do um criado para o servico dp
mesa, e de um para o buhar, paga-se bem : n rua
do Trapiche Novo a. 2, hotel da Europa.
Foiiiilias para 1859.
Acham-sc venda na Hvraria n. 6 e 8 da praca
da Independencia, as folhinhas do anno de 1859,
para as provincias de Pernambuco, Cear, Rio Gran-
de do Norte e Alagoas, das seguinles qualidades :
Folhinha do pfiprietario agrcola contendo
alem das materias do costume, as leis e
regiilamentos das trras publi as notadas
com todos os avisos e ordens que as tem ex-
plicado e ampliado at o mez do setembro ul-
timo, pelo Sr, Dr. Antonio Vasconcellos Me-
nezes de Drummond ; esta folhinha he es-
sencialmenle necessaria a todas as pessoas
que possuem um palmo de trra para mals,
Sois com ella eslo habilitados para nao ca-
irem em mullas e nao serem Iludidos, preeo 500
Folhinha de porta reis........*.. 160
.Folliiulia ecclesiastica ou de resa feita pelo Rvd.
Sr. conego penitenciario da S deOUnda, se-
gundo a rubrica e ordens da Santa S, ris. 400
Na noite de 12 do corrente marco fugiram
duas muas pertencenles ao l)r. Doria, do sitio na
estrada dos Afflictos, onde mora o mesmo doutor,
sao ambas castanhas, mansas de sella e carro, es-
lo marcadas as peritas logo abaixo d'anca, e una
que he menor esta lambem marcada as orelhas :
quem as trouxer a seu dono, ou dr informacoes do
lugar onde eslejam, lera urna gratificarn.
A irmandade de N. S. da Soledade da Boa-
Vista avisa a lodos os seus irmos, que nao se ten-
do reunido os mesmos no domingo, 13 do corrente,
para a formaco da mesa geral em que se tem de
proceder a eleico da nova mesa, e tratar-se de
mais objectos de muita importancia a bem da
mesma irmandade, pelo presente lican os senhores
inuos convidados para o dia domingo, 20 do cor-
rente, as 9 horas da manhaa. Recife 14 de marro
de i s.'j'j.O escrivo da mesma,
Joaauim Jote .Varlinn.
Na tarde do dia 13 do corrente, peideu-se
urna pulseira de ouro de lei, sendo lavrada e bas-
tante larga, do carainho do Recife a Santo Amaro
de Jaboalao, tendo-se certeza que a porda (Ora du
engenho SanfAnna pela estrada, at o engenho
Soccorro, onde se deu por falta : a pessoa que
ai-bou, querendo restituir, dirija-se a esta lypogra-
plila, ou no hotel, em Senfo Am.ro, do Sr. Alexau-
drino, que ser gratillcada com 2tl.
Novo Uaiico de Pernambuco.
Os Srs. accionistas silo convidados a
receberetn o segundo dividendo eito eos
28 de fevereiro ultimo, na razao de 7,*500
rs. por acrio.
Keci'e 16 de marco de 1859 No
impedimento do presidente, Jos Joo de
Ainorim.
Torre,
Ama.
Precisa-se de una ama para o servico de portas
dentro, pira casa de hornera solloiru". na rua do
Collegio ii. 18, lerreiro andar.
Prerisa-se de um pequeo de 14 a lfi annos,
para caixeiro de taberna, prefere-se. portuguez:
tratar na rua de ilorlas n. 18, taberna.
Perdeu-se um botao de punbo de camisa, des-
de a rua da Cruz do Recite ate a rua do Trapicho
Novo : o bolo redondo, de pedra verde ewuro.
com dous ganchos e urna coroa no meio, de Juro :
a pessoa que oachou, qnerendo ontrega-lo un rafe-
do eommerciu do Sr. Blaudin, ihe ser entregue o
valor do mesmo.
f9*0*$iMV,

nr


O Dr. Casanova. avisa a quem possa interessar
que havondo determinado fazer urna viagema Fran-
ca, tem vendido lodos os medicamentos que exis-
li.'im pm son consultorio: porem nao se leudo rea-
lisado cssa riagem, tem novamente recebido de Pa-
rs, uma oulra rollec.ao de medicamentos inteira-
monte wm, e os mais bem preparados possivol,
como fambeni carteiras mui ricas e livros : assim,
queni desoja os verdade-OS medicamentos pode pro-
i-iira-los om son consultorio homeopalhicn em Per-
namliiic 28 ra das Cruzes u. 28.
2, Uolden Square, Londres.
r seirt Street.
J. U. OI.IW.IRVTendo augmentado, com lo-
waracaaa i.....ligua, implas u excellentea aocom-
niiidaiiiis para mnilo maior numero de hospedes
denovuse rocoinmonda ao favor o loinbranea dos
em amigos o iiiis senhores viajantes que visilom
esta iapitat: continua a preslar-lhes seus serviros
o bous nllirios, guiando-os em Indas as eousasque
precisen! eonherimenta pratiro do paiz, ele. Alem
do porliiguo/. edo iagle falla-so na casa u lu-spa-
nhol o francez.
AMA.
Precisa-so alugar urna ama forra, que aaiba lavar
o engommai, do boa conduela, pudendo lambem > ii
as l horas da manha c rollars 6da tarde ; paga-
se beni : no aterro da Roa-Vista, luja de buhles
n. 56.
Beulo Antonio Carpiuteiro Silva relira-se para
Europa a tralar de seus negocios.
Attencao.
Precisarse alugar por mez. un eseravo para carre-
gar una labrela, comojoias, das 10 horas da ma-
nila,i at as 4 : quem tiver, pode dirigir-so no ln
lol ingles, sala n. 4.
Est tratada por venda a casa de um andar e
solio na na Direila n. 121, pentcnrcnle ao Sr. Ma-
nuel Coi 'Ihn de lloroese Silva: quem se adiar c om
dircito a ella, acuse na na da Guia n. 40.
Joaquini P. de Azcredo, subdito Portugucz,
retira-se para o Rio de Janeiro.
Quem se julgar credor do abaixo assignado,
aprsente as suas eouta* para screm dcvidamenle
examinadas e pagas at o dia 8 de abril prximo
vindouro : quem lambem esl devendo ao abaixo
assignado, trate de pagar al essa dala, passada a
qual, ejuo o fazendo, se proceder na forma da
lei. O abaixo assignado d'ora em dianle nao se
reaponsabilisa por conia alguma, sem que apresen-
tea carta ou qualquer documenlo seti.
Audri Atorada Fouaeca Jnior.
Jaciutlio Jos do Amaral e Arstgo
faz scieMe a <|hpiii poder inleressar que
leude arrematado todas as dividas o, let-
tras passadas em fa\or da massa fallida
Jos tarreiro da Siha, sement ao an-
Bunciante devero ellas ser nagas ou a
seus procuradores legtimamente consti-
tuidos. Recite 17 ilc marro de 8SJ).
No aterro da Boa-Visla, o Sr. Bi iri/. ra do
Collegio, o Sr. Cvpriano, flirao quem d um ou
doos conlnsde riscora hypolheca ou firmas.
Jos lenlo do Cosa Correia de Almeida, sub-
dito portuguez, relira-separa o,Porto.
Precisa-sede urna ama forra ou captiva para
casa do poma familia : na ra do Catdeireiro n.60,
I ni rapaz solleiro que d conhecimeolo do
sua conduela, propoe-se a ensinar primeiras lelras
em algum engenho, ou em oulra qualquer parle
particular, nos anabaldos desla ridade 4 a 12 le-
goas : quem de sen presumo se quizer ulilisar
dirija-so i i-ii.-i Augusta n. 1, taberna, que so dir :
o pretndete acha-se arrumado, o o motivo desa
Inr se dir.
Reliraiu-so para Europa os abaixo assignados.
I). II. Salidera.
'.'. 11. tiodfny.
John Uuran't.
David Caldrr.
E. T. Hobinson.
Precisa-so deumbooi amassador que sailia o
leu. trabalho e Uosempeiihar com toda indulgencia ;
na padaria do paleo do I.mmenlo, nao se oll.a
ordenado.
I ni homom casado que toni milita pralica de
agricultura e ge acha interessado em um engenho
man, como nao estoja salisfeito no mesmo, so pro-
pe fazor urna administrarn Qeluiente com son
oorpo si'ioucom 8 esclavos para lodo snico da for-
ma que convier : a pessoaque do seu presumo se
quizer ulilisar pnilo dirigir-se a tita Direilan. 95 ou
iiiniuiiciar para ser procurado, que so f.ii lalo
seguro.
Ricos enfeites com vidrilhos
para cabeca.
\ endem-se os mais ricos eufeiles pretos e de
cores com vidrilhos, pelo baralissimo preco de 4g
Ojeada mn : na bem conhecida loja de iuiudc/.as
da Boa Fama, na ra do Queimado n. 33.
Carteiras grandes com chaves.
'endem-se por proco muito baralo carteiras
ides com chavo, propras para guardar dinheiro
Iras : na ra do Qneimado, na bem conhecida
do miudezas da Roa Cania n. 33.
Dwri^e^eniambuco.--Sogunda feira 21 de Marco de 1859.
Compras.
Cnnipram-se uns aneios para cabriolel, e que
osiojam em bmn estado : quom livor annuncie ou
dinja-se ra da Cruz do Recite n. 60, loja de cera
que se dir quem compra.
A saboaria da ra Impe-
rial compra sebo em rama
a 9$ a arroba a dinheiro
vista: a tratar com o seu
administrador.
Compra-so urna casa terrea no hairro de San-
to Antonio ou nos limites de S. Jos com o de Sanio
Antonio : n pessoa que tiver, poder tralar o ne
go.-io na ra de S. Jos n. 45.
Compra-so no armazem de matoriaes, na ra
daCadade Sanio Antonio n. 17, chumbo velho.
Vendas.
No armazem de E. A. Rurle & C.*, ra da
Cruz n. 48, ha Hullente champanhe da mellior
marca quu tem viudo ao mercado a 25o gigo.
ISa loja las 6 portas em frente
do Livramento.
Barato para acabar com alff un resto
de fazentlas.
Pecas de cacas de cores com 33 covodos aCjOOO,
covodos a 200 reis, pocas do laa com 32 covodos e
baslanlo larga a 5>00(), covodos a 160, cortos de
caca cornil corados- a 1J200, teneos de retros a
"fets. camisinhas com gollinhai para senhora a
29000, mussullina encarnada e brama a 320 o 10-
vodo, cortes de la de quadros c fazendas bstan-
le largas a 5JO00, laazinha fina para vestido a 400
o corodo, pecas de brelanha de rolo a 2JO00, len-
cos de seda encarnados e bramos a 800 rs. D-se
amostras com pinhores; a loja est aberta das 6
horas da nianha as 9 da noite.
RA NOVA H, 18.
Ricas sahidas de baile.
M. A. CajA &C. tem para vender um rico sorli-
mento de sahidas de baile as mais bem acabadas,
que se pode encontrar neste genero, um sortimenlo
de camisinhas e manguitos bordados parasenhoras
lindos enfeites para cabeca, chaposinhos cnfeila-
dos para enancas, tomas para ditas, chapeos de
sol de suda de mola, ditos de seda e paninho para
liomom, ligas, chales de la e seda preto e de cores,
ricos cazaveques de seda prela e de cores para mon-
tana, um lindo sorlimenlo de cakuihas de conchas
de mariscos e busios para guardar joias, ludo por
preco razoavel qne agradaro s vistas dos com-
pradores.
Revalenta arbica.
He com este nomo ha pouco lempo conhecida ues-
te paiz uma fcula, cujo longo uso o miravilhosos ef-
foitosso ha jpuilo ronhecidos e bem notorios na
Europa. Esia familia que os mediros mais circums-
pecios e exprtenles tem ompregado em diversas
molestias o circuiiistancias lhe tem graugeado o cr-
dito bem merecido de que hoje goza. Arevalenta
arbicaalem de niuilas e variadas onformidades,
ipie ella combale sem o menor solTrimento do pa-
ciento, ho especialmente apphcada as pessoas que
carecem de um alimento delicado reslanranle e de
fcil digesto, o qual longo do sor repugnante pode
sor lomado com apetite como qualquer antro ali-
mento ordinario: He especialmente empegada nos
padecimenlns pulmonares, debilidades de qualquer
organenfraquerido por toda e qualquer doenca e
particularmente para molestias no peilo.como los-
es, coqueluches, asthma, azias de estomago, ala-
Jues nen-osos, alfeccesdo ligado ele etc. Ven-
f-so somonte na ra da Madre de Dos n. 1, Per-
nambuco, bolic e armazem de drogas de Jo da C
Bravo.
He chegado a loja do Leconle, aterro da Roo-
Viita n. 70, excellente leite virginal de rosa bran-
ca, para refrescar apelle, tirar pannos, sardas e es-
pionas, igualmente o afamado oleo babosa para lim-
e fazercrescer os cabellos-, assim como p impe-
rial dolyrio de Elorcnca para borloejase asperida-
des da pelle, conserva a frescura e o an lindado da
primavera da vida.
Na loja das 6 portas em frente
do Livramento.
Cortes de seda com babados e com 27 covodos a
20|000, ditos com 19 covodos por 18JO0O, ditos de
la fazenda nova com 12 covodos a 5g000, mangui-
'osbnrdadns a 3J500, gollinhas finas 1600, diUs a
1*000, camisas com gollinhas a 29000, lencos da
aeda encarnados e brancos a 800 reis, filio d'e linho
preto de salpico muito fino a ljjtiil a vara. D-se
amostras com penhores; a loia cata aberla al as 9
horas da noite.
V
g.-ai
le
luja
12tl
da
sari
han
cinc
j- ... ...........^ u.i iiua ruina n. o.t.
Vende so exceUente bolachinha por 39200 por
arroba, e superior a 39810, bolachinlia doce a l$aO,
lo.-cnilo grosso ordinario a 1J2K0 a arrolla, pana
a libra, muito bnm pao o bolachinha de segun-
lualidade a loo rs. a libra : na ra larga do llo-
o, padaria o, 18; lambem se rendem meias
ricas vasias muito em cunla e com o pra/udc
:o mezos.
Attencao
A ende-se o bem acreditado ungento que mata
rpida.....ule ralos o baratas, poli.....idico precede
lScada um : na roadaSenzala Velha 11.511
Carne americana.
Vende-so carne de varea americana, em harris,
cada um com 200 libras, por preco barato : na na
de Apollo D. 8, armazem de Pacheco 6; C.
Relogios.
Vendein-se relogios de ouro e doura-
dos patente para lioitiem e senhora de
diversos tamanhos por precos commodos :
na ra da Cruz do Etecifen. "i0.
Alcatifa
as slerinas
para ntenlas de carro.
Champagne de sidra,
em barricas de 3 duzias.
XA LOJA HA
AGUIA BRANCA.
Bandeija e fallieres
Vende-ae hnaeijai do tolba grossa e tintas mui-
to linas om tornos a 8 e 9S e solas a 2S, SS500
S, 35OO,4}.4$500, 5SCAI, sena modernos mol-
des e bom goslo de desenlio >]< suas pinturas deixa
bem conhocer quaiilo sao ollas linas V baratas por
laos precos,; vendem-se lambem lacas e garios de
cabo do osso redondos, oilavadose erados a 3j}200
e 3$500, ditas com cabo de baleia cravadase folhas
linas a 3f600.e 4,S a du/ia, (lilas nissimas rain ca-
bo de veado, do osso pollido o baleia, o melhor
que se podo encontrar a 5$ 51500 lS C 0>500 a
dn/ia, ditas com cabo de niarlim e folba de ac a
ll'io 149, (lilas com cabo de osso para meninos a
320 o talher, trinchante* muito linos a 2g500 e 3j,
collorcs de metal piinecpe lao linas que se con-
fundeiu com as de prala sendo para soupa a 5$"i00
a du/ia o para cha a S^OO, ditas ortulbiagre a
l$8O0 o 1$. ditas grandes o mnilo linas a Sjfcada
un: na luja da aguia branca nos quatro cantn da
ra 4oUueimado 11. 16.
Vendo-so orectivaiuonlo farello do Lisboa nas
Cinco Ponas 11. 3, por menos do que em oulra
qualquer parlo. .
Vinho Bordeaux.
Ijn casa do llenr Itriiiin Je C, ra da Cruz n. 10,
vendo-se vinho Bordeaux de diferentes qualidados
1 orno l.afolle, Ch, l.eovillo, l.s. Jiiliceu, em caixa
de urna duzia por baralo ireco.
Cortes de la.
Anda reslam llguns corles de laa fina para ves-
lidos, com C colado- cada corle a i$, eslao-se a-
cabando : na ra do Uueimado n. 22, na luja da
boa f.
Aterro da Boa-Vis-
Vende-so alcatifa 10111 qualro palmos
de largura muito propna para forrar
salase igrejsi a Cilio rs. o rnvado : na
ra do Crespo 11. 12, luja de Campos
l.ima.
Vinho (hampape cante de
Thor.
Em casa do Tasso limaos.
Espartilhos traneezes de nova
invencao.
Vendem-se csparlillios francozes de mdase car-
rolis, o melhor qne se podo encontrrnosle gene-
ro, na bemfoitroia e na commodidade, a quem usar
dilles, pelo baralissimo prefode 69, 7 c89. Estes
espartilhos sao chegados no ultimo navio Cianeez,
e M se encolflram na ra do (.lueimado, na bom co-
nhecida loja de miudezas da Boa Pama n. 33.
Vendem-se camisolas de laa para escravos a
1S 00 cada ama : na ra do Collegio, loja 11. 9.
Para meninos.
Bonels do gorgorao d(> seda furia-cores, obra de
mnilo goslo a 4S : na loja d'aguia branra, na ra do
Qiieimado nos qualro calilos 11. 10. A grande c\-
traeco que elle tem (ido, e a pequea quantidade
que rosta, faz-nos di/or qui quem nao so aprossar
lii ara sem ellos, por isso apparecam boje mesmo
quem ouizer dars f.stas aosseus pequeos.
Novaiiivencaoaperfeifoada
DE
Bandes ou al mofadas
de crina para ponteado de
senhoras.
Naloja de I.eilei Irmao, na ra da Cadeia do
Rt.'oife 11. 48.
{. Pa ra forra r carros. .)
'(' Vende-sedamasio do aeda de bonitos Nj
:,\ gustos e milito propno para forrar carros: f
A-i na ruado Cuspo n. 12, lujado Campos & ifi
Si? l.ima. '
CHEfiUEH
Ao barato.
0 Pregis csl ({iip'nnanilo.
Na ruado Queimado-n. 2, esquuMilo becco do
Peie l'rilu lom o Picguica para vender por bara-
lissimo proco um completo siirlinionlo defaxendas
bem como sejam rrtea de cassa o seda de lindis-
smios lisios a 6$500 cada 11111, ditos de laa o seda
de lindUsimos gustos e superior qualidade a 7S ca-
da um, curtes de cunbraia branca 1 om salpicos a
3JJ500, dilos do dita 11.111 llores de cores a 31800,
gangas uoscladas de padroos e superior qualidade
a 540 o colado ; chitas escuras o claras de coros
usas a 100, 180, 200e-240roiso covado, cambraiai
adamascadas para cortinados de camas, pocas de
20 varas a HJc4da nina, grvalas pelas o decores
com molas mnilo linas .1 800 o ]$000, ditas sem
ellas a MI e ls cada urna, ditas cum molas muilo
linas a IstlH), [enees de soda rom alguin enieito
a NtO reis cada um, grosdenaplo de cor do boa
qualidade a 1$800 o corado ; cortes de caaemira
lina a 6j, dito.-, do nieia caseiuira a 2^, dilos de di-
la mais lina a 2MO0 cada um, corles de blimde i-
11I10 a IjKTOO cada um, cortos de gorguro para col-
letes a 35 cada um, ditos de merino bordados de
lindos gustos 4$5O0, ditos de caaemira preta borda-
dos! 3$800 rada um, cambraias lisas de 8 varas a
3S500.4S, .SitKI, 4])800 e 54500 poca, ditas lapa-
das con. 10 varas a 4. apoca, corles de organdys, fazenda muito largan
lina a 2000, alpaca prela com 0 palmos de largura,
propria para samaras e capas do padres a 800 reis,
chales de laa linos com barra matizada a 4<500, di-
tos de merino lisos a 4,<80O, dilos de dilo bordados
a ($200 cada um, lencos brancos com barra de cor
a 100 e 1 II reis cada um, chitas francezas para cu-
bera a 240 reis o covado, brini blanco de li.-tra de
piiroTute a 800 rea a vara, dito de lindissimos
goetos e superior qualidade a l5i4 a vara, dito
Illanco muilo lino a 1$280 e 1i00 avaia. cassas
do cor. s di; lindissimos goslos a 360 e 400 rs. a
vara, musseliua de cines a 320 u covado. dila en-
carnada a 220 o covado, caaemira preta a 2f, 2f200,
2$i00, 3,S"i(lO e ,s i, covado, panno lino azul i- cor
Toncas para monillos.
Na ra po (.lueimado n. 37 loja de 4 portas tem
um variado sorliinenlo de lomas para crismal mili-
to bem eiifeiladas para 2<000, .lilas muito linas e
bordadas a 40)00, lambem lem coilas piolas e do co-
res, de relio/, muilo bem eiil.ilad.is de vidrilhos
por proco commodo.
Uvas de Itamaraca.
Vondo-so a la a libra : na lalierna n. ~>, da ra de
Santa Rila, principio do lado da ribeira.
Cal de Lisboa.
X IS~'UO.
Vende-ge superior cal de Lisboa a mais moderna
que l.a 110 mercado, loda em pedia a 5.1011.1 barril:
na ra do itium u. ls, armazem do aasucar.
KA
Itua lo Qiioiniailo n. 7.
t'si.iiificriintiiii acharao im compradoras
lodosas
ta n. 60.
ATTENClO.
Vendem-se muilo superiores casinetas mesda-
das, com um pcqm-iui loque de mofo, pelo baralis-
simo proco dejill ,s. o covado.
i i Vi .Tf-V5 ?'i"i i TT i",' .
). Kissel, relojoeirn francez, vende relogios de ?:
ouro e prala, roncera relogios, joias e mus- <
W 'as, ja aqu he conhecido ha mullos anuos, ^
)o. hahila no paleo do Hospital n. 17. 5
xjjuui. ti i im \.,a. ..L?^jxii. i sj?
Ra da Senzala Nova n. 42.
Vonde-so em casa de S. P. Jonhslon & C. vaque-
tas de lustre para carros, sellins o silbos inglezes
candoeiros o caiticaea bronzeados, lonas inglezas'
lio de vela, chiclo' para carros, e montara, arreio
para carro de um e douscavallos, e rulogios d'ouro
palele inglezes.
Aviso.
No armazem de Adamson.Ilowio,&r..,ma doTra-
pirlie n. 42, vendo-se sellins para homom e senhora,
aneios prateados para cabriolis, chicotes para car-
ro, eolleiragDar .avallo or.
XAROPE
Foi transferido o deposito deste tarop para a
boina de Jos da Cruz Santos, na ra Nova numero
53: garrafas 5$5dl> e meias 3g, sendo falso todo
aquello que nao for vendido nesle deposito, pelo
que se faz o presente aviso
IMPORTANTE PARA O PUBLICO.
Para cura de phl/sica em lodos os seus difieren-
es graos, quer motivad! por ronslipaeocs, losse,
asthma, pleuriz, .carros de sangue, dordb costa-
dos e peito, palpitadlo no corado, coqueluche,
brrinchile, dor na garganta, e todas as molestias
dosorgaos piilmon.ires.
Potassa da Russia
E CAL DE LISBOA.
No bero conhecido e acreditado deposito da ra
da Cadeia do Recife n. 12, ha para vender polassa
da Russia e da do Rio de. Janeiro, nova e de supe-
rior qualidade, assim como lambem cal virgem em
pedra : ludo por precos muito razoaveis.
Relogios.
Vendem-se relogios de ouro inglezes de patente :
no armazem de Augusto C. de Abreu. ra da Ca-
"i n. 36.
deia do Recife
TACHAS
para
iSa l'tiinlcao de Ierro de D.
W. Bowman, na ra do Bruna,
passando o chal'ariz, continua a
haver um completo sortimento
de tachas de ferro tundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bica,
as quaes se acham venda por
preco commodo e com promp-
tidao, embarco-se ou carre-
go-se em carro, sem despezas
ao comprador.
Chapeos para meninas.
He na loja de qualro portas na ra do
Quehnado n. 37
que seencontra um rico sorlimenlo de chapeos para
meninase meninosrieamenl.i eufeilados, e lambem
chapeos para senhora, de palha enfeitados, lodos
de goslos modernos, e se vende mais em conta do
que em oulra qualquer loja.
Vende-se superior linha de algodo, brancos e
do cores, em novello, para costura : em casa de
Seulhall, Hellor& C, ra do Torres n. 38.
Com pequeo toque de i
avaria
i
de madapoln a 2J500 o 3j|000: na ra do
5 loja da esquina que volta para a ra da Ca-
3 :^^
-.-* ,.
unos
dertibertos, pequeiiose grandes, deou-
ingjez, para homem senhora, de um
Liverpool, viudos pelo
casa do Soulliall .nel-
dos mellioresfablicanles d
ultimo paquete ingle/.: em
lorsi c."
Vende-se em casa de Saunders Brolhei-s jt C,
pa.,-, do Corpa santo, relogios do aiainado fabri-
cante Roskell, pm- procos commodos, e lambem
iranceiiins oad.ias para os meamos, de excellente
gostn.
NOVA
a
igui a melhor que tem appareri-
do para Ungir o cabello o suissas do piolo : na li-
viana universal ra do Collegio n. 20, d-se junio
um unpressogratis, enainandoa formado applicar.
Pianos.
Vendem-se pianos fortes do melhor
posto ejmoilelo que tem vimio n este
mercado e por precos commodos: Dd
ni., dal Cruz i'o Recile n. 50.
Nesl
o mais variado o completo sorlimenlo di
qualidadea, como sejam :
Vestidos dr seda pretos com babados .
Ditos do dita de cor com babados. .
llrosdenaple preto lino de 1>KI00 a .
Ricos man.'lotes pretos pnn.e/a Clotilde
Cortes do calcas de hrim de linho de cor a
Carteiras de perfuiiarias inglezas. .
Camisas franco/as de lodas as qualida-
dos de2tJIK)0a ........
l'alelois de panno francozes do Ib,1? a .
Ditos de alpaca francozes ......
Poupelina do soda de 000 a.....
Cbilas tinas o covado........
Ditas francezas o covado......
Ricos enfeites para senhora.....
Pontos de tartaruga modernos de 7ja .
Gollinhas e manguitos do croch. .
Vendo-se nina rasa de podra cal
zla dos Afogados, ra de S. Miguel :
ra Imperial ii. 151, das (1 s S horas
das I da larde em dianle.
i
2,<8(KI

1.S2K0
T>s0O0
SIMIO
. 30-000
. 1250IIO
. lsyilHI
1S0
240
s
. laooo
. Kl?tllK)
, na fregue-
a tralar na
da nianha.
GRANDESORTIMENTO
DI.
Rjiupasfeilase fazendas
NA RU.V DO OUK1M.VDO N. 4G.
fc
'

KS *fc BASTO.
I alctols de alpaca do cor e pretos polo fiv
din ionio preco de 4, ditos de fustn tiran- S
n .1.. ...'.. .. na j:.^_ j .
o de cor a
T coa o oe cor a 58, ditos de briin pardo ^ -
^~ mull superior d 58, ditos de esguiao da
-.] Cliilia cir de laranja a 5S, ditos de palha KS
., de Leda a 5, dilos de meia casemira pro- tt
JH IOS le de cores a 8|, dilosde casemira de 8*
I i .o padroos muilo modernos a 18S, dit.
I
pelos a 18f, solirecasacas de pai.....mito
prclo com golla de velludo e forradas &
da a 22j|, a a 25;5, calcas de casemira K,
:a preas e de cores a 6, 7J e 8g, eolletes ^o
. de | irgurao de si'da a 5$, ditos de velludo ?*
' pret l a 7fi, ditos decores a 9J, dilos de Wl
fust o e hrim a 2$500 e 3, crolas de tr?
lo ai lano a gnito e 188(10. lencos de cam- B
<;" bran de linho duzia .SlK) o (9, ontraa
<;_! mui as obras feilas e fazendas que s
^ visli que .se podo avahar a pecliincha.
App remos de porcellana.
Vendei 1-sc mui bonitos e delicados _
de poree lana dourada proprios.para brimiuedo de
meninas, sendo alies de differentes tamanhos c
goslos a IgSOO, 2JJ, 2,500, 3g, 3fSO0 e 4g : na ra
do Quein ado nos qualro cantos loia d'aguia bran-
ca n. 16.
ENFEITES PARA CABERAS.
Hui me Jemos e delicados enfeites de lloros fitas
pl.uase reos para senhora a (S.KSelOg, precos
estes bar lissimns vista da perf.i. o e bom goslo
com que sao ellos acabados, assim como oulros
pelos di vidrilhos obra do apurado gogto e intei-
ramenle 1 lodernos e polos dimiiiulos procos do M,.
g ". para qualquer pessoa se crlilicar da verdade
de que fallamos, dirija-so a loja d'aguia branca, nos
qualro caitos da roa do (.lueimado 11. 1(.
de rap do superior qualidade a 5$ o covado, dilo
preto a 2h(JU, 3500, 4S, 4jb00. 5a c 5S500 o co-
vado, alpacas de seda de superior qualidade a 900
rs. o covado, rolos de brelanha com 10 varas a 2g,
aloalhado largo muito lino MU bonitos lavoresa
Ig280 a vara, luvasde lio do F.scocia brancas c de
cores a 320 o par, cambraias napolitanas rxas e
a/nos de quadros a 360 a vara, 011 220 o covado,
nscadishos franceses de quadros a 160 o covado,
bramante muito largo a 2s00o covado, velbutina-
de lodas as cores ,1 720 o invado, meias cruas para
homem a 160, 200, 360 t 4011 rs. o par, ditas para
Senhoras, de todas as qualidodes, palelots do alpa-
ca prela a g, dilos de meia casemira a S, ditos
de pannos pretos e de cores a 10g, luvas de seda
para senhora alg20(ro pa
do lindos goslos a 2,200
lodas as cores a 720
zendas que sedeixam de mencionar, e so vendern
por baratissimos procos ; e se daro amostras cum
penhores.
Vende-se uma porco de barricas vasias de
farinha do Irigo, pelo prro do 500 rs. cada uma:
na ra Direila 11. 10.
Vende-se una prela de 25 annos, co/.inha c
engomma muito bem, uma mitra preta de 20 an-
nos, bonita tiguia, um preto pea do 22 annos,car-
reiro, mu lindo mualo de 17 anuos, com ofEcio, e
ptimo para pagem, garante-se 1 conduela: a Ira-
lar na ra do Cahug 11. ti, no segundo andar.
Vende-se uma famosa negra de 40 anuos, p-
tima coziubeira, lavadeira e ducoira de toda quali-
dade : na ra dos Niutyriosn. 14.
Algodo monstro.
Conliniia-se a vender o bein conhecido o econ-
mico algodo monstro com 8 palmos do largura,
roprio para qualquer obra por dispensar lodo o Ira-
alho de costura ; aprovoitom i-mquauto ha : na
roa do Queimadon. 22, na lojaila boa f.
As yerilatleiras luvas tlnJovin.
A loja d'aguia branca acaba de recebaras verda-
deiraa luvas do JoUTn, \ indas de sua en. nmnicn.ia,
tanto para loiuiem como para senhora, aliancando-
se.pie san asnielluires que em tal genero se lem
visto aqu: vendem-se a 2g500 o par : assim como
unirs igualmente moas, e lambem mui boasa2g
o par. Quem aprecia o bom, he dirigir so ra du
Oiieimado nos qualro cantos, luja d'aguia branca n.
16, que ser bem servido. Ka inesuia loja existe um
grande sorlimenlo de luvas de sedado niuias o di-
versas qualidadea lainbem para homem e senhora,
ea precos baratisaimos.
Espelhos grandes.
Aendem-si' espelbos grandes para parede com
bellas molduras em eniisa.las e douradas e vidros
mui finos o claros a Ige 5g : na loia d'aguia bran-
ca nos qualro calilos da ra do Quoiiuado n. 16.
Vends-eeum eseravo sadio, para lodo serrico,
de:Ml a 32 anuos : na ra da Cruz n. 45, segundo
andar.
a loja do serlanejo
Quem espera seus fregueses.
Una .1.. Queiiiiada n. -I A.
s Grande sorliinenlo de fa-
zendas para a quaresma.
Assim como sejam cortes de vestidos prelos com
sjfS e?i'aS' "le"""' 'l'"' P*08 haver, a preco de
o par, ditas de seda bordadas Jin!!"5,- ,KJ'odenaple preln a preco de 1g40. 11500,
gJW o par, merino setim del?1'60"' 1S'. 1SWNI, 189IK). 2g, i$3O0e 8400. d-
o covado. o nutras militas fa- '"* 1""os a 2SWHI, ditos muito linos com 4 palmos
?e largura a 2SU0II, tarja prela cor '
1*900 e gaOOocOvado, maulas p
para a
quaresma.
deia.
Aguia branca.
Novo e completo sortimento de
mtias para homens,
mulhe res,meninos e meninas
de 2 a 12 annos.
Vendem-si muilo boas meias cruas sen costura
para homen i. IgSOO a duzia e 160 rs. o par, ditas in-
glezas muito! linas a2g500 e 3g500 a duzia, ditas
muito encordadas de fiodobradoa 4g500 a du/ia e
400 rs. opar.ldilas lambem do lio dobrado para s-
' ,,!o1Sc;1o3!Xad,"-ia e8rs. o par, ditas linas
o rs. o par, dilas para meninos me-
os differentes tamanhos, asseveran-
baralas do que em oulra qual-
de la muilo finas para homem a
lias finissimas de fio da Escocia a
par, ditas de laia para padres a
s de seda mui finas pr,etas c bran-
a 3LU e 5g o par, ditas mui 11-
a IgSOO o par, assim como mu-
as eobjectos degosto, que eslo
'aguia brauca, us qualro cantos
ninas conform
do-sc seren
quer parte, ni
500 rs. o par,
600 e 80rs.
1ST.IIII u par, di
cas para senhor
nas para menin
tas nutras miud
patentes na loja
i da ra do (Jucimai|o''n. 16.
No aterro da Boa-Visla, loja n. 60, de Gama if
Silva, sendo um completo sortimento de grosdena-
ples prelos, pannos e rasemiras, pelos precos se-
guinles : grnsdenaples, o covado a lg280, "ls600,
15H00, 2a, 29210, rasemiras pretas, corles a 59500,
6g500, 78500 a 12g cada corle, c faunos pretos
de diffcrculcs precos e qualidades.
RuadoQueimadon. 1.
Na loja na na do Qucimado n. 1, amigamente
conhecida pela do meia pataca, existe um completo
sorlimenlo de fazendas, que se desoja liquidar por
qualquer un preco, alim deem breve se poder das
nova organisacao 4 mesmaloja. Mas nao sendo por-
sivel mencionar um por um, lodos arligos de que
se compde o dito sortimento, limilamo-nos aos se-
guiutes, adicinnando-llie seus baratissimos precos,
alim de que os maules do barato facam a devida
idea doquanlo economisaro em so'sorlirem em
dila loja : cortes de cassa chita a lg600, ditos finos
a pinta miudinha a 2$, cassa de cor, vara 320 reis,
ditas finas o fixas na cor a 440, dilas francezas mui-
to lina a 640, sedas de quadrinbos a lg, dilas mui-
to largas a IgOOO, dilas de quadrinhos miudinhos
assenlos em grosdenaples a lg500, fazenda de la
com quadros de seda a 320 o covado, dita superior
a 400 rs., clialy padrees inteiramente uoyos a lg,
chitas francezas superiores, tanlo em panno como
om tintas a 320 o rovador ditas escuras a 260 o co-
vado, alpacas de urna s cor, fazenda muilo fina a
500 o covado, dilas com lislras de seda a 500 o ro-
vado, tiras bordadas de 6 metros, por menos 25 por
0,0 do que em oulra qualquer parte.
Loja u. 37.
He, na ra do Queimado a loja
de quatro portas.
Se enrontra um completo sortimento de grosde-
naple preto de lg600, 1g800, 2g, 2g200, 2g400,
2,800, 3g e 3,200 o covado, ditos de cores de 1,600
e 2g o covado, panno fino preto de 2,500 at 12g o
covado, dito cor de rap e verde cor de garrafa,
fazenda muilo superior a 78 o covado, casaveques
de fiisio ricanienle enfeitados de ricas trancas fin-
gindo lindos bordados a 18g, cortes de vestidos de
phanlasia muilo lindos e dos mais modernos a 18g,
ditos bordados a velludo de cores muilo lindas a
30g, ditos bordados a seda com lidas flores a 28g
cada um, palelots de panno e de casemira prelos e
de cores de 16 at 2g cada um, ditos de brim
lnanci. muilo linos de 5g, 5,500 e 6g cada um, ricos
pannos da mais fina casemira de lindas cores para
cima de mesa de meio de sala, toalhas de linho cru
propras para rosto a lg280 cada uma, redes de
cores viudas da Babia da Traico, obra muilo bem
acabada, pelo diminuto preco de 18g cada uma, e
oulras muitas fazendas que s com a vista do com-
pradoi se poder mostrar, e se veuderao por pre-
5o muite commodo.
hapos de palha escura para
homem por precos baratos.
Na bem conhecida loja da boa f, na ra do Quoi-
madon.22, encontrarn os bonsfreguez.es um cm-
plelo sorliinenlo de chapeos inglezes de palha esco-
ra de formas inteiramente modernas e benitas da
ultima moda. Tornam-se. rocoinmendaveis por se-
r m mui levos frescos para a presente estacan :
vendem-se pelos -haralissimos precos de 4g 'o5g,
veudem tanibem chapos e b.uiets da mesma quali-
dade para meninos a 3g 3g600.
Em casa de Rabe Scl'mettan & C.
na da Cadeia n. 57, vendem-se elegan-
te^ piano do afamado fabricante Trau-
ma nn deHamburgo.
Almeida Gomes, Ahes & C.a
VKNDE.M NO SEU ARMAZEM
%f RA DA CRUZ
Accidentas epilpticos.
AI poicas.
Auplas.
Arrias (mal de).
Asthma.
r Clicas.
Convulsocs.
Debilidad.' ou exlenua-
co.
Debilidad.'ou falla defor-
Cas para qiialquercousa
Dysinieria.
Dor de garganta,
do barriga,
nos rins.
Dureza no venlre.
Ki.feruiidados lio venlre.
Dilas no ligado.
Ditas renereas.
Eaxaqueea.
Ilervsipola.
I-oble biliosas.
Pehreto inlernitente.
CHAPEOS de feliro sortidos, da fabrica acreditada
de.Carvalho Pinto, do Bio de Janeiro.
SABAO das fabricas do Bio de Janeiro.
MNI10 de champagne de superior qualidade.
SALVAS, handeijas e uulras obras de prala.
Ra do Queimado n. 1.
Nesta loja existe um bom oratorio de Jacaranda
para vender.
Cognac.
Cognac superior em cairas do uma duzia, vende-
se em casa de llenr Brunn & C, r M da Cruz n. 10.
m duas larguras a
... prelas de velludo
linas a lOg, dilas as mais linas que pndem haver e
muilo largasa 17 e 18g, panno lino de diversas qua-
lidades, meias do laia pelas para padre a IgSOO,
dilas de seda prelas e brancas a 2g.r>00 e 39, dilas d
algodo para senhora a 100 rs.. calcas de casemira
prela a iguOO ebg, cnlleles de velludo pelo a 7*300
e S, dilos de cores a 10 e H9.
ESCRAVOS VFNDA.
Vendem-se na ra do Collegio n. 21, 8 esclavos.
sendo todos pecas, por commodo proco para liqui-
dar, e entre elles urna negriuha de 18 anuos, mni-
lo bonita.
\ endem-se 12 casaos de canarios do imperio
eruseu liveiros: quem os pretender todos so ven-
de por menos proco ; igualmente so vende casaos
de roas de llamborgo do muilo linas qualidades :
no sobrado da ra do S. francisco n. 8, como quem
vai para a ra Bella.
SYSTEM* MEDICO |)E HOLL.YA Y.
PILLAS IIOI.I.WOVA.
Este inestimavel espeeiliro, romposlo inteiramen-
te d. lionas niedi.iuaes, nao con lem mercurio, mili
alguma unir substancia delerleria. Benelino mais
lema infancia, o a compl.ii ao mais delicada he
igualmente prom|......Segura para ilesarroigar o mal
na 1 oin|ilei.ao mais robusta ; he inteiramente inno-
cente em suas opera.oes o efleitOS : pois busca e
remore as duernas de qualquer especie o grao por
mais antigs o leazos que sejam.
huiro militares de pessoas cu radas nuil osle reme-
dio, militas que j eslavain as portas da morle, pre-
sen ando .ni sen uso : conseguirn! recobrar a saude
e torcas, depois de haver tentado intilmente todos
os oulros remedios.
Asmis allliclas naoileoin enl regar-so a deses-
peraran ; facam um competenteensaio dos. Uazos
elloitos dosla ass.unlirosa medicina, e prsl.s recu-
perarlo o beneficio da saude.
Nao se perca lempo em lomar este remedio para
qualquer das seguintes onformidades
Calcado superior e barato.
Uua Oireita n. 45.
Borzeguins de senhora (Jolv). isSOO
Ditos de liomem. 8.^800
Sapatos de Irancinlia. l.sdO
F^lCvO LOW-MOW,
Rila da S-n/ala \o\a ..." A2.
Nisl.- rslalirloriiiiriiiii runliiiiin o haver um nmi-
|il.fl"i sniiinii'hto tli- hiii-imIjs t- iniiiis iiumihI.is pan
ugenho, in.-K-bii;is di- vapor < laixasde t>-rn bati-
do f toado,do lodosos lanianlioi uara dilo.
Aviso. <
Luvas de pellica, de J.nnin verdad, iras a 2ji000.
muito novas, 1- bauba francesa s libras, meias li-
bras e .piarlas al......cas a 2*960 a libra: na loja
do miudezas do aterro da Boa-Vistan. x'.
Vende-se fumo em fblha o cola .-bogada recon-
lementc da Babia, nrmenos proco do que em mi-
tra qualquer parle : na ra da (ni/, do Itecife 11.13,
priu.eiro andar.
Correi freguezes, loja do
serlanejo.
Iiii.i do Queimado n. Y.\ A, |iu-a roiuprai*.
Enfeites de (reos por \. 05 e MB00, ditos de co-
res e prelos com vidrilhos a 7.S e b,S. ricas bengalas
de nnicome a proco do 7 e 8,S, ditas mnilo linas a
IOS, dilas de caima a IgSOO, chicolea Unos de slalo
a ZfSOO,ditos sem slalo a 1g e.MO rs., gollinhas,
manguitos e raiuisinl.as de Indos os goslos e niuilu
barato, aberturas de esguiao de linho muito linas a
Ig400, ditas de lio da Escocia a 100 rs., damasco
pr.iprio para panno do mesa, duas larguras, a pre-
co de SatiOO o invado, o ludo mais aqu se acha a
ventado dns compradores, e garantc-se a vender
mais barato do que em oulra qualquer parto, assim
como sejam pentos de tarlamga a iniperali i/, de
diversas qualidados. que s com a vista do compra-
dor, he que se pode apreciar.
Velas de carnauba.
No anlign deposito da ra do Vigario n. 27, ven-
dem-se velas de camauba em pequeas o grandes
porces, sendo de 6, 7, 9 e 12 em libra, por menos
do queem unir qualquer parle.
Meias de borracha.
CHKGADAS LTIMAMENTE X0 NAVIO FRANCEZ.
Na ra do Uueimado, na bem conhecida loja de
miudezas da Boa Fama 11. 33, j tem para vender
por preco baralo as muilo procuradas meias de
borracha, nicamente pruprias e approvadas para
loda e qualquer encha.-ao nas ponas.
James C.rabtreo C, leen para vender em
seu armazem, ra da Cruz 11. 42, os seguimos ar-
ligos :
CIIAMPANHAde superior qualidade, em gigos de
duzia de garrafas, e tamben) em gigos de duas
duzias de meias dilas.
FIO DE VELAmuito forte (o melhor que lem .in-
do a este mercado) e proprio para coser saceos
com asaucar.
ARMACOKS DE SELLINSlano para montarla de
senhoras como para h.uncus.
CHICOTESpara canos.
l'ERNEIHASmullo bem feilas.
AKIIEIllSpara carros de um e dona ravallos.
F1VEI.ASde ferro eslanhado para obras de sel-
leiros.
specie.
Fobrelo da
Colla.
Hoiiiorrlioidas.
Ilvilrop. >ia.
Ictericia.
Iluligosloos.
Inllamuia. bes.
Irregularidades da nicus-
Iruaco.
Lomb.igas de toda espe-
cie.
Mal de podra.
.Manchas na culis.
Illislrucean de venlre.
l'hlvMoa ou onnsumpcao
pulmonar.
Retonco de..urina.
Rl.eiiiualismo.
Symplnmas segundarios.
Tumores.
Tico doloroso.
Iberas.
Venreo (mal).
\ endem-se estas punas no estabeleeimento ge-
ral de Londres n. 221, Strand,. e na loja do lodos
os boticarios droguistas o oulras pessoas enea.Tesa-
das do sua venda em loda a America do Sul, II... a-
na o Despalilla.
Vendem-se as bocelinhasa 800 rs. cada nina dol-
as eoiutom uma iustrucao em portuguez para ex-
plicar o modo de so usar deslas pilulas.
O deposito geral he em casa do Sr. Snum pharma-
ceulico, na ra da Cruz 11. ii. 0111 l'eriiambucn.
PMlk
Na loja da empanada enramada, roa do Uueima-
do n. 37, acaba de receber ltimamente de Franca
11111 completo sorlimenlo de fazendas prelas, pro-
pras para os aclos do .semana santa, bem como
sejam, ricos corles de rostidos de grosdenaplc pre-
to, bordados a velludo o a retroz, manteletes de
grosdenaplo preto, ricamente enfeitados, mantas
de fil preto e los pretos, fazenda muilo superior, a
melhor que ha 110 mercado, grosdenaple preto de
nimias qualidades, um completo sortimento de
panno fino preto e de casemira prela para lodos os
precos, e todas estas fazendas se venderao por me-
nos preco do que em oulra qualquer parte: lam-
bem se alianra de servir e agradar rom loda a deli-
cadeza todas aquellas pessbas que frequentarem
este eslabelecimonto.
Vendem-se 6 negros mocos bons trabajado-
res do encbada, 3negras com lgumas habilidades,
4 moloques de 6 a 12 anuos e urna negra de meia
idade por preco commodo : na ra larga do Rosario
n. 22, segundo andar. (
Farinha de trigo
SSSF.
Fernandos & Filhns tem superior farinha de Iri-
go da marca SSSF chegada antes de huiilem que
vendem a preco muilo em coula : no seu armazem
ra da Cadeia n. 63. becco da Madre de Dos 11. 12
Vendem-se soleiras e sacadas de pedra de
cantara : a tralar na ra do Torres, escriptorio de
Lemos Jnior A Leal Reis.
Madeira de pinbo.
Vende-se mais baralo do que em oulra qualquer
parle : na ra da Cruz n. 40, primeiru andar, e na
ra do Bru, armazem 11.10.
Para rnvalleiros.
Variado sorlimenlo de falo (sito francez e inglez,
de diversas fazendas e varias cores ; casacas pretas
de panno finissimo impormeavel; chapeos de castor
prelos e brancos ; charutos da reserva de encom-
menda especial.
BORDADOS FINOS.
Na ra do Queimado n. 37,
loja de 4 portas.
Tem um completo sorlimenlo de bordados, como
seja golinhas para 600,800, lge lg200al 39, man-
guitos de lgfJOO o par al 2g400, manguitos com
golinhas de ricos goslos a 4g, 5S, 6-5, 8, 10 e a
12 o par, completo sortimento de liras bordadas e
entremeiosfrancez.es, liras bordadas inglezas do di-
versas larguras e de uma fazenda muilo supejior
propria para ralcinhas de enancas o para casave-
ques, camisinhas bordadas com golinha e mangui-
tos por preco commodo.
Vende-se era casa de C. J. Astlev
AC. :
Cabos da Russia e de Manilha.
Palliinha de junco preparada.
Vinhos de Kheno, de Muidle e de Br-
deos.
Rolhas de cobre e pregos do mesmo.
Salitre ieuado.
Gouveii k Aranjo.
Rua do Quein?ado.
do seda para meninas, d
.'te bom
vanados goslos, |.....les de tartaruga para alar ca-
bello a IS, i-jOO o M, dilos virados a lOg l'l>.
llore.Nar'.iiiiiaes de500 a 2g o ramo, toncas d. ',.0h'.
para crian, as, por baralo preco, franjas pretas, ollas
de ludas as cures. Lieos de seda prelos e hranr.v,
nitros muios iibjeclba que so venaVm mais ba--
ralo que em oulra qualquer parle.
Cheguem a pe-
chinclia.
enes,
parlo
Na loja do Preguica tem para vender
giosdenuple nreto da mellior qualidadi:
que possivel pelo baratitsiuao preco d^
1 ,!)00, 2,000, ,200, 2,400, 2,800' e 7>x
o covado.
Na rua da Cruz n. 60, vende-se. gorgui.lo rOXo
de muito boa qualidade, proprio para opas.
rara quem inora lora da t-idade.
ivio n invern.
Vendo-so um carrinho de 4 assenlos, roberlo, e
arreios para um s cavallo, por ser muilo levo, no-
vo, o milito em conta : na cocheira do Sr. Ooinle.-
ro, na rua Nova n. 51.
Venue-so uma empanada nova, com mecha-
nismo completo : para ver e ajustar, em casa de
J. Falque, rua do Crespo u. 4, onde tem uma em-
panada igual.
CHEGUEM
Aloja da Boa F
Que esl vendendo muilo barato.
Grosdenaple preto muito superior a 1,800, 2g,
2,500, 3g, 3,500 e 4g o covado, sarja prela hespa-
nhola muilo superior a 2,200 o covado, setim ma-
co muito superior a 3,500 o covado, panno preto
lino a 2$, 3, 1, 5, 6 e 8g o covado, casemira preta
muito lina a 2g, 2,500, 3g, 3.500 e 4g o covado,
ricos corles de rlleles de velludo prclo bordados a
129, dilos de diio de cores a 7g e 10, e muito su-
periores a 13g, dilos de gorguro prelo a 8,500, di-
tos de dito de cores a 4,500, nterin preto setim
muilo lino a 1,120 o covado, alpaca prela miiilu
fina a 610, 800 1g o covado, meias pretas de la
moito superiores propras para os senhores sacer-
dotes a 2g o par. ramhraia de linho milito fina a
6g a vara, esguiao de linho muilo Ono a 16,000 rs.
a peca com 12 jardas, bretanha de linho muito e
muilo larga a 20g000 a peca com 30 varas, cau-
braia adamascada para cortinados a 12,000 a pera
com 20 varas, bramante de linho muito superior,
com duas varas de largura a 2,400 a vara, aloalha-
do adamascado com mais de 8 palmos de largura a
1,280 a vara, brim liso, Hainburgo, muilo tino a
a a 10s a p.ia com 20 varas, esguiao de algodiio
muilo lino a 3,200 a peca com 12 jardas, cambraia
lisa mnilo lina a 5g a peca com 8 1/2 varas, dita
muito lina a 6g, 6,500 e 8g a pera com 10 varas,
dita muito fina com salpicos a 90 rs. a vara, e a
7$ a peca com 8 1/i varas, tilo de linho bordado a
1,400 a vara, mantas pretas bordadas a'lOg, veos
da mesma qualidade a 12,000, gollinhas de fil
muilo bem bordadas e bastantes largas a 1,200 ca-
da uma, lencas de cambraia de linho com bico lar-
go em volta a 2g, meias brancas de seda par* me-
ninas a 2g o par, ditas brancas de algodo njniln
linas para seniora a 3,600 a duzia, ditas inglftzas
muilo superiores lambem para senhora a 5g a duzi.a,
ditas para meninas de lodos os tamanhos a 280 o
par, ditas para meninos a 240 o par, ditas de algo-
do cru para homem a 1,800, 2S, 2,500, 3 e 4|, e
inglezas muilo superiores a 5,000 a duzia, lencos
brancos de cambraia para algibeira a 2,40pa duzia,
ditos maiores a 3,000 a duzia, ditos muito grandes
proprios para a cabeca a 400 rs, cada um, ditos
minio linos de esguiao de linho a 7,500 a duzia,
dilos de linho de cores escuras e fixas proprios
para os tabaquistas a 400 ts. cada um, chales dr
merino liso do lindas cores com franjas de seda a
6S. dilos de chaly com lislras de seda em volta e
por monos proco que em ouTra qualqu coni franjas lambem de seda a 7$, dilos de merino
- bordados a 9>, ditos de touquim multo superiores
bordados em duas ponas, com franjas muito com-
pridas, pelo baralissimo preco de 45g000, ricos
jicotes de tartaruga a imperatriz a 12 e a 20g, le-
ques muito linos a 4,500, ligas de seda a 1,280 o
ar, chapeos do feliro muilo finos a 5 c 6g, brim
raneo trancado de linho mullo fino a 1,280 avara,
dito incorpado milito superior a 1,440 a rara, dito
do cores de padroes muito bonitos alga vari, di-
tos do quadrinhos' muilo proprios paja obras de
meninos a 200 rs. o cdvado, ganga amarella fran-
c./a muilo lina a 320 o covado, ditas escuras muilo
superioroa a 560 o covado, camisas de riscado mui-
lo bem feilas a 1,500, cambraias francezas decoros
muito bonitas a 400 rs. a vara, entre meios muito
tinosa 1,920 a peca, tiras bordadas muito finas a
3 ea 4g a peca, e alem disto um completo sorli-
inenlo de fazendas linas e grossas, qne vendem-se
por precos mui commodos, s alim de se fazerem
grandes vendas : na na do Queimado n. 22. na
bem conhecida loia da Boa F.
Toalhas adamascadas.
Fio de vela.
Biscoutosem lata.
Vendem-se em casa de Arkw-
reglil. & ruu da Crnz n.
fil. por barato preco.
Na grande fabrica de ta-
mancos da rua Direita,
esquina que vira para S. Pedro n. 16, lem elTecIi-
vamenle riquissimo soriimento de tanmdcos de to-
das asqualidades, proprios para a estaca,, invernosa,
vendo-se tanto a retalho como em grandes por-
os senhores cnnnioiciantos de
prevenir-se, pois o invern est prximo.
MACHINISMO
lora devela
i
\a IiiiiiI'k;"u> de ferro do ongenheiroDa-
vid W. lo\Miiau, ua rita
do Brum, passando o chafariz.
Ha sempre um grande sorlimenlo dns seguintes
objectos de mecanismos proprios para engenhos, a
a saber : muendas e meias moendas da mais mo-
derna coiislruccao ; lachas de ferro fundido e bali-
do, de superior qualidade e de todos os tamanhos ;
rodas dentadas para agua ou animaos, de todas as
proporooes; envos o bocea de fornalha o regislros
Be boeiro, agiiilhoes, bronzes, parafuzos e cavi-
Ibes, moinhos de mandioca, etc. ele.
NA MESMA PUNDigiO
se executio todas as encom mondas com a superio
ridade j Conhecida com a d.-vida presteza e com-
modidade em uraco.
ARMAZEAl
BE
Fazendas e modas
DR
MIGUEL JOS DE ABREU,
II Rua do Queimado 11
Este eslabelecimenlo que inquoslionavelmente he
hoje um dos un Ilion s ueste genero acha-se com-
pletamente sorlido de ludo o que de mais rico, mais
bello, mais moderno e do mais elegante e apurado
goslo existe no mercado relativamente a fazendas e
modas lano para senhora como para cavalheiros.
.Nao se espcoialisam aqu os diversos arligos que
consliliiem osle variadissimo sorlimenlo, porque
isso tari a demasiadamente longo, e por consequen-
caa fastidioso e inulil este annuncie; masassegura-se
ao respeiiavel publico e especialmente as senhoras
e cavalheiros do bom tom, que o que cima se aflir-
ma nao he o rostumado e trivial engodo com que se
Srocura altrahir a concurrencia, mas sim a exacta e
el expresso da verdade.
Ao que fica dilo s resta aroresrentar que todos os
arligos serio vendidos pelos mais moderados precos.
Vende-se farinha de milho a 120 rs. a libra,
e em porco a 100 rs. : na padaria da rua dos Pes-
cadores n. 1 c 3, e na rua do Hangel n. 13, depo-
sito.
Vende-se uma escrava crioula, de 26 a 28
anuos, engommadeira, costurelra, e com oulras ha-
bilidades : na rua Augusta n. 17.
25
Rua do Queimado.
Nesta loja vendem-se toalhas e lencos de labvrin
thos, rendas das Ibas pruprias para'toalhas, bicos
pretos do seda de lodas as larguras, dilos brancos e
franjas de seda dj ludas as larguras, lilas do ultimo
goslo, dilas de veludo preto a de recorte, flores de
varias qualidades, botoes de vidro e veludo de diver-
sas cores, para casaveques e entras muitas miude-
zas de gosto que se torna desuecessario mencionar
e que se prometi.vender em coula
O Leite & Irmo continuam a
torrar.
Mussulina loda encarnada, covado 220 rs., cam-
braia lisa muito lina a 3g800, 4g800, 5g200 e 58600
rs. a peca, de 10 jardas, brim de linho para calca
do bonitos padroes a 880 rs. a vara, corles de meia
casemira a 3S00O rs. cada um, lencos d cambraia
de linho a 3g20O e muito finos a 4g500 rs. a duzia,
chales de louquim pretos, ditos de merino pretos,
ditos de merino liso de todas as coros a 4g800 rs., e
bordados a 6S800 rs., chitas francezas de cores li-
las a 220, 240,260.280 e 300 rs. o covado, madapo-
lo a 2g800, 3g200, 3g8()0, 4g000, 4g200. 4S80O,
affJOu o 5g500rs.,e milito fino a6g000rs. a peca, de
20 varas, palilots de alpaca muito linos a 6g000 rs.,
corles de coletos do casemira a 6g000 rs., esparti-
lhos para senhora al, 6e 8rs., e dos modernos a
99 rs.,saias para senhora a 1*600 rs., bordadas a H3
rs., e muito superiores a 4 rs., gollinhas muito
bem bordadas a 39500 rs., manguitas e camizinhas
mnilo linas para senhora, corles de cambraia do
gaz a49rs.. tapetes para sala a 18800 rs., para por-
ta de sala a 49 rs., a para cabriolel a 2500 rs.,
meias mnilo finas parr senhora a2j800 rs. a duzia'
ricas colchas de damasco de seda a 25 e 329 rSTcada
urna, corles de cassa de lindos desenhos a 29 rs.,
boas chitas escuras o do lindos padroes a 200 rs. o
covado, meias de lodos os tamanhos para menino e
menina, guardanapos a 49 rs. a duzia, pecas de
cambraia lisa de 12 jardas a 3 rs., mussulina'bran-
ca a 300 rs. o covado, toalhas para mesa a 49 rs., re-
des de folba a 6rs., c ha oulras muitas fazendas
que se vende por baralo preco, e de ludo se dar
amostras.
Em casa de Brender a Brandis 4
C, rua do Trapiche Novon, 16, vendem-
se charutos da Babia da afamada marca
forma de Havana, prmeira qualidade ;
genebra era frasqueiras especial para esta
de paitculares.
Os mais ricos'vestidos prelos bordados fe*
cum babados.' tambero com duas satas, se g
vendem na loja da rua do Queimado n.
1(1, de Leite & Correia.
He'cousa muito boa.
Vende-se a verdadeira pomada para tingir ca-
bellos, pelo barato preco de 1 a caixinha, com es-
covinha propria ; taiubcm se vende massa para
aliar navalhas a 320 : na rua do Queimado, na bom
conhecida loja de miudezas da Boa l'ama n. 33.
1LTOS M PffiLILKD M
endem-se as verdadeiras luvas de Jouvin. tanlo
para homem como para senhora, pelo baratissimo
proco de 29500 o par: ua rua do Queimado, na bem
conhecida loja de miudezas da Boa gama n. 33.
LOJA DA BOA FAMA.
Vendem-se por preco que faz admirar riqussimas
fitas lanadas de todas as cores e larguras, Utas lisas
com pona e som ella, bicos brancos de seda de mili-
to lindos padroes e de lodas as larguras, (ramoias
alie, tas du linho para babados a 120 e 160 reis a vara,
jarros para dures a2g o par, atacadores ou enfiadores
de seda de lodasaa cores para vestidos,ditnsproprios
para esparlilhos, tcsouras'de todas aa qualidades
as mais Aasque he possivelencontrar-se.agulheiros
de niarlim e nutras muitas qualidades. Illas de vel-
ludo de todas asqualidades, bolcinhasde camurca
muito lindas para meninas de escola, frasquinho
com cardinal a melhor cousa que lem apparecido
para tirar nodoas em qualquer qualidade de fazen-
da. pelo muilo baralo preco de 2g, trancinhasde se-
da de todas as cores muilo lindas propras para eo-
feitar roupiuha para meninos e meninas, e outras
muitissimas cousas que se afianca vender-se Uido
por preco baratissimo : na rua do' Queimado na bem
conhecida loia de miudezas da boa fama.
Escravos fgidos.
Seita-feira 11 defeveroiro fugio no Haranhao
a Antonio Francisco de Azevcdb, o meo eseravo
rrioulo de nome Paulo, de idade 21 annos, alfaiate,
.' prelo pouco retento, alto, magro a franzino do
rorpo, rosto comprido, olbos niu tanto grandes,
punca barba, pernas delgadas, gagueja quando prin-
cipia a fallar, e tem voz gutturaf; consta que pre-
tenda embarcar para o sul no vapor Oyapock, em
companhia de una pessoa vinda no mesmo vapor,
e que est munido de passaporte com o nome de
Pedro: quem o pegar ou deile dr noticia, emenda-
se no Maranho com o Sr. do dito eseravo, e nesta
cidade cum Manuel Ignacio de Olvexa & Filho,que
gratilicaro gsuerosainenu.'.
P.BIID a
No dia 14 de agosto do anno prximo passado,
fugiram do engenho Sete Ranchos, fregueiia de
Nossa Senhora da Kscada, comarca da cidade da
Victoria, os seguintes escravos: Damio, eriouio, de
25 annos de idade pouco mais ou menos, cortla,
Lcioos grossos e mio arrehilados, tem uma cicatriz
na testa proveniente de uincoice de animal, pernas
finas e alguma cousa arqueadas para fora, esmauna-
do, espad.iadu. altura regular, e esl binando ago-
ra. Jacintho, crioulo, de 28 annos de idade pouco
mais ou menos, altura regular, cor preta, pouca
barba, beicos grossos e faz corlo geito na bocea quan-
do falla, tem uma cicatriz em uma das faces, pernas
finas, esmalmado, fuma, e tocador de viola. O
primeiro foi comprado ao Sr. Joo Francisco Barbo-
za da Silva Cumar, e o segundo diz que foi esera-
vo da familia do Sr. Joo Nunes, dafazends do Sitio,
em Pajee de Flores e comprado na pra.-a de l'er-
nambuco. Consta que ditos escravos es'tio em Pa-
jede Flores por portadores que mande) ede lvie-
ram : roga-se as autoridades pociaes e capitesde
campo de os pegar e levar ao referido engenbo, a
Bernardino Barboza da Silva ou na praca dePor-
nambuco aos Srs. Manoel Alves PerreSa A Lima, na
ruada Modan. 3, segundo andar, que seraore-
compensados com a quantiacima.
~PRN.: TYP. DE M. P. DE PARIA. 18.
i
7
/
I
\
i
i

i
4
t

.-*.
."


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI9LLAFYN_UFPFGR INGEST_TIME 2013-04-26T22:05:55Z PACKAGE AA00011611_08012
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES