Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:08010


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V.
p
AMWO XXXV. HUMERO 03
Por tres meses adiantados 4$000.
Por (res mece* vencidos gOOO.
SI\TA I 1 ES\ 18 DE MARCO DE 1859.
Por anno adlantado tS^OO.
Porte franco para o subscriptor!
ENCMREGICOS DI SUBSCRIPCAO NO MORTE.
farahiba, o St. Jlo Rodnlpho Gomes; Natal, o Sr. An-
toMoMarqiies,da Silva; Aracaty, o Sr. A. de Lemos Braga;
Ceffff; o Sr. f; Jvs de Olivcira; Maranho, o Sr. Jos Toi-
xeira de MeD.0; Piauhy, o Sr. Jos Joaquim Avelino; Para,
?Sr. Justino j. Bamos; Amazonas, o Sr. Jeronyrao da
Costa.
PWTID DOS CORREIGS.
Olinda todos os dias as nove meia horas do dia.
Iguarass, Goi.muae Paralaba as segundas i> sexlaslfeiras
S. Anto, Bezerros, Bonito, Caruar, .Vllinho e GarJjnhun
as toreas feiraa.
Pao iT.Vllio. Nn/aroth, Limoeiro, Brejo, Pesqucira, Insazei-
ra, Floros, Villa'BelU, Boa-Vista, Ouricury e Kx as
quarlas (fijas.
Calm, Sorinhacm, b'formosn, ('na, Barreiros, AfoiTre-
la, Pinionteiras ettalal quintas friras.

*
PARTE OFFICAL.
(Todos os conejos partcm as 10 horas da manha.
aUDIEnCIIS DOS TRI8UNIES DI CAPITAL.
Tribunal do enmnicrrio: segundas e quintas.
Relario: tonas feras e Raimados.
Fazenda: Ierras, quintas a ahilados as 10 horas.
Juizo do roniuiorcio: quintas ao meio dia.
DilO do orpbios: Ureas e sextas as 10 horas.
Primeira vara dirivel: torras e sellas ao meio dia.
Segunda vara do civel: quarlas e sabbadoa ao meio dia.
do dito mez. (oi o uinsnio governo servido nomear o
i mencionado Sr. lemiiilo-roroael Bricio niembro do
conselho administrativo da provincia de-Maranh
EPHEBERIDES DO HEZ DEBaRgO.
nova as 4 horase 51 minutos da tarde,
.irlo crescente as 2 horas e 20 minlos da manha.
UU rheia as 7 horas e 26 minutos da tarde,
rto minguanle as 7 huras e 8 minutos da manha.
PREAUAB DE KOJK.
eii as ;l lioras o (2 mininos da manbaa.
[runo as i horas e (i minutos da larde.
DAS di semani.
11 Segunda. S. Mnlhibles Bainha; S. Afrodizio m.
I Tena. S. delinque rei ; S. I.oiigiiinho soldado.
1li Quarla. Ss. Cvri.nu e Tariano uim.: S. branlo Eremita.
17 Quinta, s. Patricio ap. d.i Irlanda; s. Colindes v.
Is Sexta. S. Gabriel ere.; i arrizo are.; s. Prigdiano b.
l'J Sabbado. S. Jos Esposo Jo Nossa Senhora.
20 Domingo. S. .Marlinlin lliiinieuse are.; S. GuilberlO b.
ENCARhEGADOS DI SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, n Sr. r.laudino Falro Dios; Bahia, o Sr. Jos
Martina Alvos; Rio do Janeiro, o Sr. Joo Pereira Hartins.
EM PERNAMBL'CO.
O propriolario do 1)1 xBIO Manoel Figuoiroa de Paria, na
sua imana praea da Independencia ns. C e 8.
GIIVKRMtDV PROVIVCI.Y. 3." Que aproad
4.*seeeo. Secretaria do governo de l'erjiamliu- 1 i do concillo o Sr. primoiro
eo 15 de mareo de' 1859. balalho do arlilharia a pe Frai
Pela secretaria do governo se faz publico que no tro Tarares, para exereqr interinan!
da 25 do corrente. annivorsario do juraanVto '; de director das obras mitilaros dosta
iMkoolilot^iun inU I v* .4 a 1 j____ *._1 a 'Vanaban M a
nomcou por
leilelll
pe Francisco
Haitianos aeliialmeule r.m paizes eslraugoi-
Qui.- denham pnrtaiila*ouoi>-so coimnscocm
torno da aryure da lihcrdndo I
t-KKt;i'Kziv no Fu.vu. Do Bnliiis que acabamos uiaeoes receblas, d parecer contra, mas en leudo quer audieoeia de outros fiiiiecionarios publicos,
de reeebor da freguezia do Pillar .oraos que olla j a inforniaco o visitador, resolvi-me a volar polo | por aso que a cmara, orgio legitimo dos interesaos
,nma das que na provincia do Rile Janeiro mais I projecto porque sem duvida a iiiformae.'in desse ida municipalidade que reprsenla dos inleresses da
lbro do. 18.)8, tein sollndo cnni as ebuvas, kuupsladoa e Iroroa- fiiiicrionario, (avoravel : eu leroi esse documen- propria povoacao do ; Mapolale, como para
das desteanno. lo :(/(''. I informar-nos a rcspoilo da conveniencia densa crea-
anuo 58 da independencia.
consliluicao poltica do imperio, haveudo cMejo Assignado.Jo*i Joaquim Coelho
elRgiedeS. M. o imperador, no palacio do governo Conforme. Horacio de Giismo Coelho, alferes
as inoras da nade. 0 secretario do governo, Josc ajudaule de ordensdo commando.
eitlu du CunKa Figueiredo Jnior. \ 18
Despachos do da de fevereiro.
Requerimento de Joao Pranrisro de Jesus, solda-
da do harpa de polola, pedindo lo dias de licenra
de favor para ir ao lugar do Mara Farinha tra-
tar de negocios de aeu
rido.
ORIIKM 1)0 DIA NUMERO 207i
O lenle general comiiiaiidaiile das Crinas em
exeeueao do que foi determinado pelo quarlel ge-
neral d.. exercito mn oOkio datado da 2 deste mez,
dcolara para couhecimenlo da guarnico, que nao
iuteresse.ludefu doveiu sur pasaados em dwdftnata, os liiulos de di-
vida as prneosde'p
._ do servico, por ser
. 1 I i .... 9------------- ...... u.|i-'. iiiuriii.ii-iios .1 resueno j ruin uoieiieiii uu.ssa t rui-
, ,. T/ ~'"'.""'" i,"'1:"^ i-9r* '- .Depois das innndacoesde janeo anda no Pilar liemaneira que lalvez esta casa podsse mesmn i ao ; coniquautu nao quiente ser franca, eslal.ele-
iiioi.pai. u j venaou.I. Ulfrard.t. Maij- iimi Se passou mu da em que io houresse pela approvar o projecto como est, porque a razio que con principios, que dos quaes su concle a desne-
!/.aiiin.iuar. larde grossa ebuva, venta rijt e medoubo tro- da em contrario i o inleresse do parodio do Bom i cessidade dola.
(tmm.)
nio segura sobre as consoqucucias do projecto,
por isso requer que fossem ouvidos os juizes, j
que a cunara nao nos saliste/..
Encerrada a diseussao e posto a votos o requeri-
meulo r rejeilado tieni como o projeqlo.
O Sr. 'residente observa que tendo sido appro-
vado mn requerimento, para que lirasse adiada a
diseussao do projecto de llxaco de forra, at que
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO. o un desses que veiodo terreirola (a/.onda, matn i elle lera dado osen parecer rom toda a mparcali-j
t-".!t. iistaolancameiile a mu eaoVVo pslor que rtmdit-i d,ade, e moslra mesmo fa/.e-ln quando deelara que,
Mitran hoiiem do IIio da l'rato o paquete ingle/. -ia o gado par.-, o aprsco^Aloixn pasmadas a duas i o nico inconveniente que enconlra no modo por-
< !,,,,ti,,, .v-idata* de liueoos-Ayies alcaueain a aeraras que porto se achafaiu. que a dviaaofoi l'uila, o .iiiaiilo ao parodio do Bom
.i do passado e as de Montevideo .-i* do eoitvnlc,, No dia 211 de fevereiro -"'------------ "' ''- -
cedo
.. ..ja ouvir a opiniao da casa
II Sr. S. hieerdn .Peco a palavra. alai respeilo, lauto mas quanlu o rejatorio j Tni
II Sr. I\ da Sitia :Ku i.....uiigrallo por ver publicado no Diario.
que o nobre depulado mu digno representante do o Sr. S. de laeerda diz que foi autor do requer-
crculo do Cabo, loma a palai ra para discutir a ion- melo a que S. Exc. allude, e que o olTeroceii nao
veiueiie.ia ou dosouiiNeniuncin Oto projecto. so por jlllgar ser de nocessidade a presenra do or-
il Sr. S.lAictrda .-Sr. presdeme, nao soi se fu pamentoe balance, como lambem a do Velatorio,
eu B autor do priineiro requerimento pedindo ni- visto que a elle'acompanham maupas que muilo
rormai.'oes acamara do l'.abo sidiieesse projecto, mas pdelo orientara casa na- adoqui'fosse,euass..\ero, que nao fui causador Osarao de torca; entretanto espera pela delibera-
as
de
sos
2:
son
las as conlas jimias.
Dito n. 5:1, do inspector da thesouraria de fazen-
da. nfbimandn o ,-equeiimeulo de Francisco Jos
Marlms daCosU.Intormu a cmara municipal do
Heeifo. '
Dito u. 5. do conselho admiuislrativo para for-
ueeimuiito do arsenal de guerra, apresenlando a re-
lariio e cunta dos objeclos copiprados e remetlidos
para a ilba de Fernando no brigue lima. Amiga.
RemoUido ao Sr. inspector da thesouraria de fa-
xenda para mandar pagar aob innha responsabili-
dade.
Dito n. 36 do inspector do arsenal de mariuha,
.solicitando providencias para que se nao continuo
faner despojos e lancar entulho no lilteral do porto
desla cidade, e as margeos dos ros qpe Ihe ficam
contiguos, porque isso obstrue e neulralisa o meio
de melhora-lo.Informe a cmara municipal do
Hncife, sobre as providencias queconvm adoptar,
tomando logo as que cuiibeaem em suas atlribui-
eoes.
-10 -
Hequerimenlo de Jos Domingues da Cosa, sen-
teueiado, pedinilo ser dispensado de Irabalbos for-
cados no presidi de Femando, para onde lem de
seguir, atiento o sen estado valetudinario.Remul-
lido aoSr. commandante do presidio de Fernando
para dispensar o supplicante, se suas molestias isso
aconselhaoi.
Dito de Joao dos Sanios Coelho o Joaquim dos
Santos Coclho, pedindo liceuea para venderem a
Manoel Aires Fetreira, pela qaanlia de 4:UO0,xMI!>
res, o terreno de marinlja n. 375 em Pura de Por-
tas. Informe oSr. inspector da thesouraria de fa-
/endn.
Hito de Mara Bernardina da f.onceicao, pedindo
se mande porem Uberdade seu lilbo F'elinlo \nlo-
nio Rodrigues da Fonseeii, que nao podo servir na
mannlia, para auo. f.lra recrulado, por solrer do a-
Iienaeao uatntal. -Inloruie o Sr. capilao do porlo.
Dito de Mana Joaquina da Porciuncula, pedindo
se mande adeutlir no collego dos orphaos seu li-
nio menor Uionedea, de 8 anuos do idade.Infor-
me o conselho admiuislratiro do patrimonio dos or-
phaos.
Dito de Prxedes da Silva Guarni, arremtame
dos reparos do pootAVlo Coiaima, pediudo 3 mezus
de prorngapae do pra/.o mareado para a-couclusao
daquella obra.Jafohue o Sr. director taleriuo da
reparii^ao das obras publ
iloueFiMI(|MaM_____
nal de guerra, Fotte id Sr. inspeclor da itiesoura-
nadefaxenda para mandar pagar ao siipplicanle os
ordenados vencidos desdo 22 de jiilbo a 21 de agos-
to, atiento o motivo allegado pelo siipplicanle.
Dito de Jos Domingues du Cruz, ex cabo deesqna-
dra do exercito, oblidos os ttulos da divida do far-
damento na ceuformidade da nformaeao junta por
copia, deve o supplicante requerir a thesouraria de
fazenda a lUpiidacae da mesma divida.
Dito de Joaquim Francisco de Albuquerque Sen-
tiago.Submetla-sc ao governo imperial.
Dito de Macario de l.una Freir.Sejasubmellido
ao governo imperial.
Dito de Manoel Jos Soares do Avellar.Seja
submettido ao governo imperial.
Dito de Manoel Polycarpo Moreira de Azevcdo.
Seja submettido ao governo imperial.
Ollicio n. 4(1, do chefe de polica.J/ollc ao Sr.
inspector da thesouraria provincial para mandar
pagar.
Dito n. 39, do director do arsenal de guerra, a-
prasentando feria dosarttlices que trnlialh.ir.iiu no
laboratorio de 16 a 31 de Janeiro passado.Rcmel-
lidoau Sr. inspector da thesouraria de fazcuda para
mandar pagar.
- 16-
Hequerimenlo de Antonio Estanislao do Carva-
Iho professor publico de primeiras letlras da villa
de Tacarat, pedindo 3 mezea de liceuea com or-
denado para vir buscar sua familia comarca do
Sania Anlao,Infogne o Sr, director goral da ins-
tru-cao publica. \
Hilo de Auloujljftdro de Figueiredo, professor
de geograplua airlTyiiinasio, pedindo que soja com
ordenado e gratilicaco a licenca de 2 me/es que
rom ordenado somonte se Ihe conceden.Infor-
me o Sr. inspeclor da thesouraria provincial.
ao da casa a ll respeito.
" S'i-. Theadaro da Silca oltercce o seguinte re-
querimento que approvado:
lloqiieiro que vista do orcamenlo e balanco
le a diseussao do projec.tode lixacao de for-
Assiguado Jone Joiuuini l'oelhn
Conforme. Horacio de Bm*mo Coelho, alteros
ajudaule de ordena do commando.
EXTERIOR.
chega ou exceda para o retorno do que importamos
e a agrien 11 ura que, eareeendo de bracos, abastece
n paix e anda tein excesso para exportar.
Oconimereio c todas as suas uduslrias em
progresso podem ser garantes da rerdade que aqu
inserimos. Consultados ralilicar.i.i nossos assertos,
e leniosa conviceaode ipieom uossas revistas se-
guinles mis os escriplori s da imprenta nacional nao
leremos motivo para dixer menos.
icos caqoo-
olidos, e assim licou por una hora, resullaiido-
Ibe anda oslar dous das cuu os hrai
eilos. i
I ni nutro raio cabio na oaria do Sr. Joaquim
Caelane da Silva Araujo, mas Lio tat mal alguui.
dioeesanos.
Tulla havido una reuniao de m.iia de H00 arlis-
las,e o presidente da reuniao fdra perseguido
sabida, segundo se diz, por una turba de agentes
do governo.
Di Confederaco Argentina o do Paraguay nao
bavia em Muntevidn dalas posleriores s que
vie-
A revolta contra Sonlouque
Souloiique est no poder ha onzn anuos. No-
meadnj)risidente de Repuhlca no dia I" do mano
de 1847, lomou o ttulo de imperador a 26dc agos-
to de 18JS.
N.iohaviasido feila anda nenbnma lentalivasc-
na para deslhrona-lo porque o movlmento que
leve lugar em Caves nao passou de mn espalhafalo
sem importancia. Porem a fortuna inconstante.
Solouqiiej segundo di/.e m, mais que septuage-
nario e atlaques de paralysia de que lem sofTrido
ha dous anuos lem despe'rlado esperamas que al
agora nao se leiiham alfaslado manifeslar-se
ti general Geirrard arahava de arvorar em nonio
da llepublica, o estandarte da. inaurreiro.
Deixando subilamanle Port-au-Prioce, capital do
imperio do Hait, Culu-ard dirigio-se para a cidade
de Gonatoes, cabeca de comarca do departamento
da Arlitonite. Urna rommissorevolucionaria pro-
rlamou o presdeme da Repblica e den-se pressa
em publicar proclamarnos pelas quaes convida lo-
dos os cidadaos i lomaren) parle DO moriiiiPiilo.
Dizia-se em Porl-au-1'rince, no inomeuln em IoacoalBiendados pela casa imperial.
quo ah eslava o navio quelios trnu\e estas noli- O vapor deio sabir de Argelia no mez do abril.
O ultimo dos seis raios de qie nos da noticia una j houresse soccorrdo.para Mabecer se era eonrenien-! pela segunda vez declaro que n.io fui ou o causador
tesieinuiiha occular.cahio no da 22 de fevereiro na te ou nao a crcacao da fregue/.ia de Malhadiiiha. dessa demora que elle levo.
.dara do Sr. Manoel da Conabao Galro, e depout
de percorre-la em diversos seilidos relirou-se por
lio Hneuos-Ayres lambem nada hade importante.! uma parede de lijlo er. leulo apenas quebrado
rinli'i I,.,,-..1.. .....n ___::_ j. ... > ..I... .. 1 .1------------..,i ,
rain pelo Princeza de Joinrille.
Cvhki.i.os k c.wu.i.os.Por ordem do governo
imperial foram comprados em Argelia quatorxe ca-
mellos, que serio Ininsporlados para a provincia
do Cear. O Sr. Richard du Cantal, vico-presiden le
dasooiedaduiranee/.ado aclimentaeio, foi o eucar-
regado dessa.....apra.
Para o Iraiisporle dos camellos em direilura de
Vigilia ao Ceari Cretou-se un vapor. OSr. Flix
Vogeli, veterinario ao servico do Brasil e que se
ocha na Europa com licenca, foi cncarrogado pelo
Sr. Marques Lisboa, nosso miiiislro em Pars, de lo-
dos 08 preparalvos de c.ondiiccao, e vollar ao
Brasil no niesnio vapor.
0 Sr. yugeli Ira/, lambem alguna cavallos rabes
algunas tullas o mu osteio.
U tufan lem sido mil bom cimpanheirn do raio na
barra do Filar.
No dia 211, em que bouve. Una das mais fortes
rmeulas, sahia o barco S. Joto BaplUla, propric- I beni a queslio, antes de nos dar a sua opiniao.
lili lili V Ii.n.nlU^ J. Dn_ -. 1 11 W ti .. ^_ i
cas, que o departamento inleiro da Arlibonile se
ludia dorlarado em favor de Geftrard, juntamente
com a cidade do Sellarcos. ond mn ajudaule do
campo de Souloiiqun enviado com uma missao nao
podora entrar. A ser exacta, essa milicia da
manir importando. S. Mareos, com cncito, o nina
nade fortiiicada: lem abundancia de agua, e a
poeicao martima em qnaesti, peimilte-llie rece-
bar provienes de fura, e os insurgidos em caso de
nocessidade, all se poderrm defender contra um
grande exerep.
A respeilo do departamento do norte, rujo lugar
principal a cidade do Cabo, nao havia noticia ne-
nhuiiia corla.
Segundo se diza, o imperador all linha manda-
do olliciaes para reler as populaeoes e que esses
olciaestinliam lomado um caminlio desviado para
8JWt*r ao&inausgidos SimttMiqiH, comquniito na.
muco abatido, anda conserva nina grande energa
e una vnntade poderosa : devia partir no dia 27 ou
ii' B ''" s''" e,tere'fo c' esperara em Porl-
au-i'riuce(l'orlo do principe) as tropas do sul e as
dos dislnetos de l.oogane o de Jacmel, cidades si-
Inadasna parlo occidental do imperio.
Haviam-se feito numerosas plisos na capilal, e
entre as psstoaa irosas cilavam-se Mme. Geffrard
e as lilhas que haviam sido mellidaa n'uma cn-
XOVIO.
Nada nos permiti entrever o resollado da lulla
que se acabara de travar. Diremos s que Geirard.
Iilho do um dos generaos que cninhateram pela in-
dependencia tido por todos como hbil militar.
1 elo menos n.o se Ihe pode contestar a eora-
gem. Den provas dola na revolucao que derrubou
o presidente Rogor em 18 o as'duas expediroes
de Soiilouque contra os Dominicanos em 1849 e
em 185a.
Essa ultima eampauha fallar ventado, nao foi
mais do que uma derrota ou antea urna debaudada
geral das tropas haitianas muilo mal disposlas para
com o imperador c Geffrard neaaa circumslancia.
conlribuio mais do que ningiiem para proteger
Sntilnuqiie contra urna rebelliao que se podia tor-
nar perigosa,
l'ITrard semi-hranco o que Ihe permiti f.nil-
menlcem lomo de si tanto os negros como os mu-
latos.
/. ion.
quer reaai
peclor d6 arsenal _
nenio algn Irabal
supplicnnle. __ i
Hilo de f^^l
porta-bandelrido
nacional do munii
meado capilao do.,
cipio.Remetlido W
ra lomar o roquorim.
doraran que merecer,
nomeado sem
batalhao do
Dito de Jii__
da i i lio de Igi
cenca rom vi
V,
Dito de Mauonl _
posto em libeidado
cito, por j ler si,
anda nao foi
Dilo de JoS
su lado geral,
1 icenrj que,
de.--
mez,
Dito i
Viste a
"o tem lugau.
WtodeatepW______
Xciol8?*
das armas.I
rariajArovini
que possa applca.r
r de latina I
applicjite I
I alf.indega,
IBatts-
emral. eommandante
informando o do n. 75 do chefe de polrin.Inlor-
meoSr. Dr. chefe de polica, vista do que se de-
clara neste ofcio.
Ditodojnixdedireilo da comarca de Paje de
Flores, prestando as informacoes exigidas acerca
de posses sujeilas a legitimaoao e de cismaras e
nutras concessoes do governo, que devem ser reva-
lidadas, c que por ventura eiislam nodistricto de
sua jurisdieco.RemjJltido ao Sr. conselhero de-
legado da reparticao especial das trras publicas.
Dito do subdelegado do districto de Fazenda
Grande, comarca de Tacarat, prestando iguacs in-
formacoes, emqtianlo ao seu districto.Remetlido
ao Sr. conselhero delegado da reparlcao especial
das trras publicas.
COMMANDO DAS ARMAS.
Qaartei general do commando das armas
de Periaubnco, na cidade do Recife,
IS de mareo del 889.
ORDEM* DO DIA NUMERO 206.
O tenente general commandante das armas tendo
prsenle as communicaces recebdas da presiden-
cia na data de_ liontem, faz certo para conhecimen-
to da, guarnico e derido elTeito o que se segu:
i.^Que o governo de S. M. o Imperador houve
por bem por decretos de 19 de fevereiro ultimo
exonerar o Sr. tenente coronel do corpo de estado
maior de primeira el use Manoel Ignacio Bricio do
lugar de director do arsenal de guerra desla pro-
vincia, e nomear para o substituir no referido lu-
gar o Sr. coronel reformado Joo Francisco de
Chaby;
2." Que por aviso do ministerio da guerra de 19
HAIT.
Recebemos de mu i tos europeos eslabeldcidos
as Unas do Hait carias que r.nnlirmam o que ds-
semns acerca da rovoluoin que pretende deslhro-
nisarSoiiloiique. Lima' destas carias datada da
prapria cidade de Conaives onde houve o niovi-
mentninsiinvoional. Como nao podemos reprodu-
lir lodas, limitar-nos-hemos a resumir as informa-
coes quft nos dao.
Geffrard fugira de Port-au-Princc na segunda
fetra 12 de de/.einbro. Ghegou i Gonaives a 22,
proclamou immediatamenle a repblica e organi-
sou uma commisso composla de negros c mula-
tos entre os quaes liguram um senador e oulras
personagens de alia catbegoria. Geirrard conlen-
lava-se com tomar o ttulo hoiioriliro de llt*tutira-
dor da Republira : mas lendo-se a mullidao reuni-
do na greja com as Iropas, Gelfrard foi investido
Oa presidencia da repblica que aceilou proviso-
riamenle, no meio do maior cnlhusiasmo.
Os cnsules, os Europeos, o cura, toda a popula-
cao prodigalisou-lhe moslras de svinpathiaeleste-
muulios de dedicacfio. 0 general larlhlmy, com-
mandante dos Gonaives tinha-se declarado imme-
dialamente em favor da Repblica, Geffrard no-
meou-o rominandanle de lodo o departamento da
Arlibonile e confluu o de Canaivos a l'illon e o do
incto do. S. Marcos l.uberis, (S. Juo Car-
lommssan revolucionaria proclamou a dispo-
de Souloogiiee reslabeleceu a consliluicao li-
delHfli. Kspalhou por lodo o imperio acias e
iroclamacoes que provavelmenle serio acolhidas
om viva salisfaco. Um dos seus decretos ordena
demohcao completa da fortaleza l.abouque em
Port-llaiiphiu. Foi nossa bastilha haitiana quo Sou-
tenque mandn malar urna multidao.de cidadaos.
Os condeinuados all eram alirados em cnchovias
qufccoiiimuiiicavam com o mar. Tinhain agua at
o^p^ki do corpo e quando a mar encina militas ve-
-jzes afogavam-se.
.Geffrard parti deGonairespara o Cabo a 21 de
eoibro. Foisem duvida muilo bem recebdo nes-
cidade. Tao imprtanles no ponto de vista es-
tratgica. All era esperado e o barco que parti de
Gonaives com o pavilhao (ranees, para levar a
1 osl-au-Grine as correspondencias que o paquele
iroiixc para a Europa, ouvio, ao passar pela bahia
de S. Marcos, uma descarga de arlilharia que s po-
da annunciar a entrada triumphal de Gelfrard.
A importante communa de Placanse manifestou-
se enrgicamente cm favor da Republioa e pensava
que o mesmo succeder era todo o departamento do
>orte ; de modo que a Repblica val constituir-so
no proprio paz em que o rei Christovao bavia esta-
belecido o seu longo despotismo.
Em Port-au-Prince eslao cm expeclaliva: mas
ah anda mais vivamente que em qualqiier parle
se fazem rotos pela queda do (roano. Soulouque
sent fazer-se um vacuo em torno de si. Os cortezaos
aproveilam lodos os pretextos para se afaslarem e
elle s v as pessoas que nao se podem afastar sem
se comprometieren] gravemente. Hesita em dexar
a capital com ruceio de nao poder vollar a ella ;
tendo principalmente tan poucas tropas Espora
os regmcnlos do sul: mas diz-se que o regiment
imperial desertar quando liver de combater osiu-
surgidos.
Entre as proelamarcs da commisso revoluciona-
ria que nos chegaram s mos, publicamos a se-
guinte que iulercssa prncipalmente os nmeros
desterrados haitianos uspaihados pela Franca, pela
Inglaterra e pelos oulros paizes da Europa:'
I.IBKIlliAliK, ISOALDAOC, BEPI BLIC.V 110 HAIT.
Decreto.
Considerando que grande numero de nossos
concidados gemem em paiz cstrangoiro como ba-
mdos e que fora dos principios da revoliio sup-
porlar que membros Ilustres da patria continuem
a soffrer um ostracismo immerecido, depois de ler
deliberado, a commissaq, releva do desterro a to-
a
Reforma da secretaria de estado dos
negocios do imperio.
X O M K V C K S .
Consultor.
Conselhciro I.uiz Pedreira de Coulo Fcrraz.
Serreta rio geni I.
Consolhoiio Fausto Augusto de Aguar.
12 Priateiroi offlciae* dos quaes 8 o chefe* de
necro.
J) actual ofTicial bacharl Jos Bonifacio Xascenles
de Azambuja.
Dito Joaquim Xavier Garca de Almeida.
Dilo Jos Vicente Jorge.
Dilo Manoel Correa Fcrnandes.
^-..add.do bacharl Jo^ytj^Q Moreira Gui-
Dilo *Dr. Toldas Babello T.eite.
O lisc.il interino da reparlicltii das Ierras publicas,
bacharl Sehasliao Machado Mtnes.
O chefe de scelo da secretaria do thesouro ba-
charl Manoel Francisco Correa.
O addido ao archivo publico Joo Baptista Calo-
geras.
j) otlicial da secrelaria da assembla provincial
do Rio du Janeiro Joaquim Norberlo de Souza e
Silva.
O bacharl Anlnnin Rodrigues da Molla o Cimba.
Dionizioda Cimba Rbeiro Feij.
Segundos offteiaa.
0 actual amanuense da secrelaria Bernardo Jos
de Castro.
Dito Estado Mara da Cosa e Abreu.
Dito Jos I.uiz do Almeida.
Dilo Jos Mara de Carvalho.
Dito Joo Goncalvos de Araujo.
O actual addido, ollicial do archivo publico, I.uiz
Jos Martina Rocha.
Dito Inaquim Jos Fulgencio Carlos de Caslro.
Dito Jos Feliciano Franca.
Dilo Manuel de Almeida'Vasconcollos.
Dito bacharl Carlos Honorio de Figueiredo.
Dilo bacharl Jos Antonio da Silva Maia
Dr. Joaquim Piulo Netlo Machado.
Bacharl Marcos Antonio Ribeiro Monlcirn de
Barros.
Dr. Antonio de Castro Lopes,
Dr. Domingos Jacv Hontero.
Bacharl Joo Paulo dos Santos Brrelo Filho.
Amanuense*.
0 actualpraticanle Manuel Francisco Damasceno.
Dilo Joo Romn Marlinsde Moraes.
dade doSr. Jaciniho daFonsci, carregado de le-
nha em feixes, o ao entrar na Ulna apanhado po-
lo tufao e submergido, salvaido-se. feli/menle a
Iripolaco, gracas a um uutr* harto que segua
para acorte, oque a soccomu e recebeu a seu
bordo.
No dia 27 do mesmo mez de tevereiro, e em eon-
s'equeiicia de.luova lormentfc foi taubem a pique
na altura das^nVhauhas podr, o liaren Sazareth,
do Sr. barao doMiar, pordendr-su lodo o carivga-
menlo excepto lia caineiro qie couseguio trepar
para a luida, onde fezcompanlia Iripolaco, e foi
com olla salvo por uma hucha da carreira de
lguass.
A oslas milicias tristes e desjjtrosas ajiinlaromos
a sogninle que aiinuucia anda jor um lado uma in-
felicidadc, mas que por outro usignala ozeloda
aulondade publica cosen cuidnju na reprcsso do
crime.
A 28 do mez passado, pelas choras danoite. o
inspector do 16- quarteiro dafrejtueiia do Pilar,
ein obediencia portara do subdelegado aubstitiilo,
Sr. Manuel Rundn de Souza Fraio, prenden.
da sua demora por nao ler elle vollado o anuo pas-
sado.
No prmoirodia dasessaoeste auno, foi ira/ida
casa a inibratacio da cmara do Cabo, boje sendo
suhiuellido diseussao oslo projecto, pela iialure/a conliui
| das informacoes que sobro elle foram dadas, en-; ,a iiidepondonle da remessa" do relatorio'.Theudo-
r, tend que di-viamos pedir uniros esclarocinienlos : ro du Silru.
pediudo-lho informacoes ; m.is nao sao estas as hu- osla a coneliiso que ou quera que o nobre depu-1 o Sr. M. Carutranti pede providencias mesa,
eos caiiaes de que elle se podia servir para .hogar i lado que me preceden lirasse, porque a concln- i alim de ser-lhe distribuido um exeinplar do orra-
80 coiihecimeiilo da \ erdnde : alni do visilador lem I sao lgica. 1 ment e outro do balanco, visto que exigindo-os'do
luiros linios de conhecer al mMxssidadat doe seus nobre depulado quiz fuer sobresahir a infeli- secretario, leve em resposia que nao baria saah
E pnssivel pois que a esses mcios se dado desle projecto, mas elle esl. cm diseussao e iienluini ejemplar, enlrclaiilo que elles devem che-
gar para os ;j membros de que se, corapoe a assem-
bla,
O Sr. primeira secretario, diz que j nesse Moli-
do se otociou ao secretario do governo, notando
com indo que o ollicio que acompanhou esses iin-
prossos dizia serem remetlidos 36 exemplares, o
que ou se nao den, ou enlo foram distribuidos a
pessoas exlranhas, vilo que na casa se nao arham
seuo .'16 seiihnres depulado...
Tendo dado a hora o Sr. presidente designa a or-
dem do dia e levanta a sessao.
SRSSO OHIIINVRU ES 17 HE ARCO DK 1859.
Presidencia do Sr. Dr. Carneiro da Cunta. .
Ao meio dia, feila a chamada, acham-se prsen-
les 26 Srs. depulados.
Aerean a sessao.
Nao se le a acia da anterior por nao se adiar so-
bre a mesa.
O Sr. 1." Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
Ira requerimento de Joao Hyppolito de Meira
Lima, arrematante do 15." lauco da estrada do sul,
pedindo a concessao de 20 por cento sobre o valor
mera suppo-
Desde poisquu o Sr. hispo dudaron que tal crea- | O nobre depulado ontcudeii, que pelas informa-
cao iiao conviiiha, a quoslo licou prejiidicada. coca da cmara, a casa poda volar ueste ou na-
fta Sr. Depulado : Nao dando aa razos em I quelle senlido ; mas creo que foi um pouco infe-
quo so funda? ', li/ uislo, porque ellas nao satisllzeram, lano que
0 Sr. P. de Campo*: Sim, porque nos doremos elle vio-so na rigorosa obrigacio de concluir em
le a eonvice.o de que o Sr. hispo nao procedera lugar da cmara, ou por oulra de olfen-cer una
sean com umita prudencia, bavia de examinar conduso iiileiramcnleopposla que acmala a-
preseola.
Ha nocessidade, meiis senhores, de so oiivireni
oulras corporacoes que nao a cmara, porque sabe
o nobre depulado, que a croaeo de villa simples-
meule em sinada vale, nao importa mais do que
a cieaco d'iima cmara.
(I Sr. P Duartt:E' uma resliluicio que so
fa/ ao O !
O.SV. S. l.arerdn :Eu nao Irago as niiuhaa
ideas bstanle- ligadas, receio perder o lio dol-
as. Mas nao sei como se possa dar una reslilui-
co.
O Sr. /'. Duitrtc .-Tendo-se-lbe tirado essa ca-
JJaegoria que Ihe perteucia...
O Sr. S. Laeerda :Se houve uma lei Iransfe-
no lugar Jaguar. a Manoel l'ires
peilas de baver sido o autor do fu
de propriodado de Carlos Jos Alv
se individuo, que se aeba recoL
casinhola chamada caduia da frugal
que foi no dia segiiinle sujeite sB
c.iai-s, o mesmo que massuu se^aH
com pauladas a um individuo df
exactamente no da du S. SebostJ
por sus-
; n 111,1 bosta
es-
liera ve I
i. de,Pilar, e
pgaeoe poli-
severaj
F Sebastian
PERNAM
SSEBL LEGISLATIVO PROVINCIt.
SESSVO OllllINAIllA EM 1( HE VM1C0 OK 1839.
J'reside/icta do Sr. Bardo de. Camaragibe.
( Concluso. (
OllllKM 1(0 DIA.
Primeira diseussao do projecto i. 8 de 1858, des
niembrando da freguezia do Limaeiro, e erigindo
em matriz a capella du N. s. dos kemedios da po-
voacao da Malhadinha.
I'm Sr. Depulado ; Tildo isso,
sico.
II Sr. P. de Campo*:0 nobre depulado sabe
que o Sr. hispo podo proceder lambem uestes casos
er iitftirnitiltt nntscieiitiit ; sera que todava quera
di/erque S. F.xr. Hvd. foi levado snienle por esto
principio pois nao devenios entrar na sua cons-
eiencia. Voto portanto contra o projecto.
0 Sr. Amida Valcao :Sr. presidente, alera da
minha pouca capacidade. os mutis incoimnodos fa-
miliares, por cuja causa lenho deixado de compare-
cers sesses, o iienhmu esludo que liz do projec-
to e dos documentos que sobre.ellesexislum na casa,
por nao saber que elle eslava na ordem do dia.uslava
no proposito de nao dizer couaa alguma ;porm ven-
doenunciadas certas proposicoes que de corlo modo
nao deis.un de obrii
forcoso faze-lo.
Ilisse-se, por exemplo, que a creaco da fregue-
zia da Malhadinha, ura pretendida com lilis poli-
ticos....
I'm Sr. Depulado : Consta, despapis.
Huiro Sr. Depulado : Nao falle mais nisso.
O Sr. Alindo t'utco : Us aunhoies, nao sa-
ben] o que uu quero dzcr.
Eu conhecendo ncapa/.es desses muios as pessoas
que lem procurado, ou procuran! a creaco da fre-
guezia Malhadinha, nao podia dcixar passar uma
.proDOsico que fossu furir a sua reputaco, nir-
mto dizendo-se que dos papis consla."
Senhores, a pessu.i que mais lem procurado a
CMaeio desla lreguezia e o i ommandaule superior
Antonio Gonealves da Silva Cumar pessoa anda
mcu prenle, que goza all de graudu conceilo, mas
JE homem. que o considere com predoim-
^^pia influencia tal, que telilla a prusuinpco
desnppiirc|ue a fregue/.ia sendo creada, toda ser
9Hr Por consuguiule falso o falsissiiuo dizer-se
da arremataco, em attencao alca dos materiaes
nudo a sede da comarca para o Cabo, haveria resli-, e salarios dos offlciaes e serventes.'A commisso
lueo a uma oulra lei lornasse a collocar a sede
ir-ine a dizer alguma censa all, se o projecto fosse oeste sentido, haveria uma
perfidia rosliluieo : mas boje o que se pasteada,
croar-so uma uutra villa o assim, nao sei como o
nobre diputado ohaina a ato una rosliluieo.
' O Sr. P. huirle :E' dar-se-lhe aquillo que se
Ihe tirn.
O Sr. t. Laeerda :Se islo rostituico para o
nobre depulado, na minha opiniao Ihe declaro, que
o nao .
Mas, senhores, alm desle farlo, islo da crea-
co da uainara, podem resultar oulros que nao sao
consequonciasiinniedia'las dessa creaco, mas que
sao mediatas assim, se houvur numero legal de
jurados, ciear-se-ha lerino civil e ah fiinccinuaro
jni/.es iminiripaes supplenlesoumesmo eHeclivo se
0 governo entender que o deve nomear.
Ora, en vejo, porque son daquelles lugares o oo-
nheco os recursos da localidade, que os reiidimoJitos
.I.! l.il, ..,.,..,.......1 J r._l.....T. .. _..:.. i-- .. _
de obras publicas.
Oulra de Hermenegildo Marcellino de Miranda,
bedel do gymnasio provincial, pedindo augmento
de ordenado.A commisso de ordenados.
Oulro de D. Maria t'.lemeulina de Figueiredo,
professora de primeiras letlras da freguezia de S.
Jos desla cidade ; pedindo que se marque quola na
L'i' dojircamenlo para pagamento da quantia de
552(777 que se Ihe esli devendo da gralilicacao
adiceional de mais de 12 annos de servico com-
misso de fazenda e orcamenlo.
Oulro de Antonio Gonealves de Moraes, pedindo
seja aulorisada a cmara'municipal desla cidade a
aforar perpetuamente ao supplicante, medanle a
penso de 100 rs, annual por cada um palmo o ter-
reno que oulr'ora conslituia o becco que da ra de
S. Mguoi dos Afogados dava transito para a Piran-
ga.A^ommissao de negocios das cmaras.
" "'-se e approva-se o seguinte parecer.
do Jutz municipal db cabo sao muito duiuutos e a I A comnsso.do negocios de'cmaras, achando
iiio em Ipojiira, importa anda conveniente a postura da cmara da villa nova de
Biiiqnu de 1 de oulubro do 1858, de parecer que
seja improssa para entrar na ordem dos trabalhos.
Sala.das commisses Ja assembla legislativa
provincial de Pornambuco 17 de marco de 185.
uma diniinuico nossos redimentos o augmento
de irahalho para ojuiz dedireito e se se crear um
il de
que era para o Um de pessoas de fra nao inlervirem j termo com juiz municipal, ionios ainda o na
na eloieo.... que dminnlissimos sern os seus vimiciuoiiIos.
XTiii sr. Depulado : yuem dsse : o Sr. Ilenr I II Sr. P. Duarle : llevemos ler cm vista a fa- /,xoto'/)i"rtf.=.t.~/."t Iicidade dos povosde Ipojuca.
0 Sr. S. Laeerda : Eu a
que Luiz da Costa Gomes. O nobre depulado conh-
ceu-o ?
O actual ajudaute do porleiro Joo Daniel Duarli
da Cmiha.
0 actual addido JorgeMoniz da Franca Hurla.
Dito Egvdio Gonealves dos Reis
Dijo Jos Mara Ramos de Almeida.
O eseripturario do thesouro Ignacio da Gama
Moret.
Francisco Xavier da Silva Moura.
JVolioantes.
0 actual addido Giilherme Rodrigues de Moura.
Jos Vctor Mondes Pereira.
Jos Augusto Lima.
Duarle Jos de Fuga Garca.
Francisco Jos dos Santos Rodrigues Jnior.
Porleiro.
0 actual porleiro guarda-1 uros Antonio Valeria-
no Gomes Diniz
Ajudaule do porleiro.
0 actual ajudantc do porleiro Joaquim Jos de
Souza Castro.
fon I n no*.
O actual ajudaule do porleiro Francisco Rufino
de Azi-vedo Patiseca.
o continuo e correio da inspectora da instruerio
primaria o secundaria Manoel Jos Candido da Fon-
Beca.
Francisco de Lomos Duarle.
Coercin.
O aclual corteio Manoel Joaquim de Abelhos
lories.
Dilo Jos Vivas Ossana.
Dilo Amonio Jos Ferrora.
Dilo Joo Ernesto da Silva Chaves.
Foram aposentados :
O ollicial Joo Baptista de Carvalho.
Dito Francisco l.eiio de Almeida.
O amanuense Manuel Jos Simos.
O addido Joo Midos.
Foram designados chafes de soeco os i.<" offi-
ciaes ;
2.a soeco, Joaquim Xavier Garcia do Almeida.
3. dila, bachan-I Jos BooMacio Nasceotes de Azam-
buja.
4." dita, dilo Jos Agostinho Moreira Guiarles.
a." dita, Dr. Tobas Babello I.eilc.
6." dila, bacharl Sebaslio Machado Nuncs.
7. dila, dito Manoel Francisco Correa.
8." dila, Jos Vicente Jorge.
9.a aita, Joaquim Norberlo de Souza c Silva.
-10-
Noseaces.Foram nomeadns:
Guardas de primeiras classu da alfandega da corte
os guardas de segunda classe Joo Francisco de
Souza Pimontel e Manoel da Silva Rrauco.
Guardas de segunda classe, o guarda extranume-
rario Ricardo Jos do Amaral e Horacio Amndola
de Lomos.
Fiel dosarmazens do trapiche da Sade, Antonio
Joaquim Ozorio Leal Ferreira.
Guarda da mesado consulado da corte, Antonio
Ncry da Silva.
Fraileante da thesouraria de fazenda do Rio Gran-
de do Norte, Joaquim Peregrino da Rocha Fa-
gundes.
Escrivo da nesa de rendas da cidade de Jagua-
ro, na provincia do Ro Grande do Sul, Thomaz
Bruui da Silveira.
-11
Hontem, s 10 horas da manha, leve lugar, em
uma das salas*Jo edificio da secretaria do imperio,
a iuslallaco da commisso nomoada, em virtude
da convenci de 2 de junho do anno lindo entre o
governo imperial e o de S. M. Britnica, para, o
exame e decisao das reclamaces dos -subditos dos
dous paizes.
Eslao marcados para suas sesses os dias tercas e
sextes-feiras de cada semana.
(I Sr. Gonralve* Guimares :Sr. presidente,
nao tendo assiatido ao linal da ullima sessao igno-
rava que este projecto estivesse dado para ordem do
da, mas apezar de nao ler estudado a materia,
cumprc-ine fazer algumas lgeiras observaees.
Pelo conhecimculo que lenho da localidade, pe-
las informacoes mesmo dos vigarioa de Taquaritn-
ga e do Brejo que visitador da provincia, eslou
eonveiicido da ulilidade do projoclo, mas nao
sislirei nisto, porque, reapeitaudo muilo a opnio
do prelado diocesano, que contraria ao projeclo,
BU nada direi em sua jusiilicn-o. Mas, Sr. presi-
dente, o que eu nao quera que elle passasse em
silencio, ou deixassede passar sem eu dizer alguma
COUsl em relaco maneira porque se lem tomado
este projeclo Ueste casa, em referencia a mim .
/ mi Sr. Depulada Agora compre saber-ac o
que ha da parle da casa.
O Sr. Gonriihes Guimnraes- Do que eu ds-
sero nobre depulado concluir. Esto projeclo, Sr.
presidente apparcceu Mata casa em resultado di-
urna pelico dos moradores de Malhadinha, c seus
contornos, na qual pediam a creaco desla fregue-
zia. Esla reprcseiilaeo foi commisso de esta-
lislica, a nolos documentos aprosenlados, a com-
misso jolgoo conveniente apreseular o projeclo.
sendo ouvido o prelado ; desde esse lempo, que al-
guem malignamente entendeu que devia espalhar,
que era eu a causa de se confeccionar o projecto
da Malhadinha, que era obra nimba, a menina dos
meiisolhosetc, que cu tinha solicitado, para lins
polticos...
Lu Sr. Depulado: Ningueni pensou isso ; nao
ha tal.
0 Sr. Gonrahet Guimares : Nao digo que o
meu collega assim peusasse, mas desde esae lempo
que se me joga essa arma, arma que eu lenho lelo
o possivel para destruir, dizondo que de modo al-
gum cale projeclo, tem este ou aquellu lim se nao
o bem espiritual; porque leudo do tirar para Malha-
dinha, podaros de Bom Jardm e Limoeiro, om que
mora gente, com que lenho aiiiisades, em nada lu-
crara com a creaco de Malhadinha. Mas, as pes-
soas que se inleresaram pela queda da Malhadinha,
entendan! que nao podiam achar outro alvo, seno
o de propalar, que o projecto liidia por lim preju-
dcar a cleicu do Sr. Paes Brrelo, o por.isso era
obra innha. Eu pois nao quiz doixasse cahir
o projeclo em discuaso, ou mesmo passar.se a ca-
sa assim o entender conveniente sem que ueste
casa repollisse semelhaule insinuaco. O projeclo,
como eu j disse, foi confeccionado, a pedido dos
moradores daquelle lugar ; elles me coiisullaraui a
respeito e eu Ibes ensinei o caminho que deviam
seguir : disse-lhesrequeiraui & assembla, esla
hade ouvir a sua onminisso de eslatislica, o ao
prelado diocesano, e acrescentei, que se algum des-
ses eauaos fosse adverso, a ereaco nao leria lugar.
Nao lenho coraprouiisso inaia algum, se nao o de
julgar o projeclo ulil e volar por elle. Nao direi
nada sobre as informacoes dadas pelo vigario do
Bom Jardim, porque respeilo muilo a opiniao do
meu prelado, e lendu-se elle conformado rom a in-
forraacao desse vigario, nao quero como disse re-
futa-la. Voto pelo projeclo, mas nao o discuto, e
somonte ped a palavra para aproveilar a occasio
para lembrar aos que me tem jogado esla arma,
que ella apenas lem servido para agurar a intriga
contra mim.
Um Sr. Dnputado : Seus collegas, aqu *
0 Sr. Goncahe* Guimares: Essa h-nil.ranea
e boa I S lem servido para animar o bacaraarle
l fra...
Um Sr. Depulado: Seus collegas aqu? nao...
O Sr. Ggteatves Guimara: Islo, nao que-
rer ouvir o que se diz : s lem servido para ani-
mar-so o bacainarte l fra, c a desconfianca aqu
entre os canecas, c entre os polticos. Eu declaro,
O Sr. .irruda Falcan : Couheco, 6 pessoa de
minha a misado, mas conteslo-o Hasta parle, por-
que quero arredar esta odiosidadede sobre o meu a-
llligo, visto que elle incapaz disso.
A capaila da Malhadinha, lica na distancia de 10
leguas do Limoeiro ; na de 6 ou 8 do Bomjardiin e
na de 12 .du Taquarilinga ; existo- alli um povoado
aonde ha militas pessoas, e alm deste ha oulros, e
por oslas razoeso ministerio ucelesiaslicu alli mui-
lo moroso, hesficcasioes em que se nao dusobrgaui
os moradores do lugar.
0ua I-1 u er preleuco, qualqiier cousa necossaria
muilo cuslosa,deobter, tanto assim que se obriga-
ram os proprietarios do lugar a sustentar alli um
capello, dando-lliea 5009, quanlia equivalente
congrua de um vigario ; e como esto meu prenle e
amigo queffl mais carrega cora essa despeza para
servir aquellos povos, tem por isso empenhado-se
para verse consugue esta creaco da freguezia em
beneficio das necessidadesdo culto e nao com flus
eloiloraos : elle incapaz disto.
Senb,nos, foi esla a razo porque ped a palavra
porque nao quera que do quu aqu su disse o dos
documentos su deprelicndesse una censura ao meu
nobre amigo c prenle, aquem muito estimo e res-
peito.
Encerraba a'diseussao, o projeclo submettido a
volaeo e regeilado.
que com esla manifeslaco, nao quero dizer que nao
farei isto ou aquillo pa'ra contrariar ou favorecer a
cleico do Sr. Paes Barrlo ; uinguem ouve isso de
mim ; o que quiz foi explicar-mc, e dar as razos
que li/.eram nasceresle projecto : e peco aos uobres
depulados que estn prsenlos derlarem se eu Ibes
pedi votos, porque de cerlo se elle fosse como se
disse, a menina dos meus olhos, cu o leria (cito,
porque assim lodos pralicam quando se interessam I putado.
l'riuieifa diseussao do projeclo n. 21 do 1857, que
eleva calhegoria de villa a povoacao de N. S. do
O de Ipojuca.
V ai mesa e apoa-so o seguinte requerimento :
Roquoi roque corea do projecto sejain nuviiios
os juizes de direito e municipal do Cabo.S. R.
A". Mcerda..
O Sr. Theodoro da Silva : Sr. presidente, me
parece que este projecto bem infeliz nascou aos
f de abril de 1857, e ate hoje uo leve ura s da di-
vida, porque anda nao leve nina s diseussao!...
1'mSr. Depulado : Outros ha maia iufelizes.
O Sr. T. da Silva :J o mandaran! para o Cabo,
vollou para o Recife, e agora, querem oulra vez
manda-lo para o Cabo, aflu de seren ouvidos os
juizes municipal e de direito daquella comarca. O
que porm nolavel que, tendo-se j ouvido a
cmara do Cabo, ae queira oulra vez ouvir aoa jui-
zos dessa comarca, quando, coqi a nformaco da
cmara a respeito da utilidade desle projecto,
quaquer que ella seja, parece-me que licamos hab
litados adopla-lo ou rejeita-lo.
E, entretanto, das informacoes que existen na
casa ninguem tem Conhecimen'to ; mas, nao obslau-
te isso, j se pudein novas informaeoes !
O Sr. S. Laeerda : Esl engallado o nobre de-
pulado.
0 Sr. T. da Siha :Eu nao lenho opino firme
a respeilo do projecto ; o que quero volar bem ;
mas & consultar os meus principios, as minbas
ideas a respeito da creaco de villas, quasi quemo
inclino a volar contra elle. O que eonvm que
janos francos : se nao queremos o projeclo, de-
claremo-lo positivamente, e nao estojamos com esto
jogo, que uo nos honra, de manda-lo do Recite
para o Cabo, a pretexto de ouvir-se ora a cmara,
ora o juiz municipal, ora finalmente o juiz de di-
reito ; porque o pobreznho do projeclo assim con-
tina sem vida, alli sobre a mesa sera sor dis-
cutido.
Eu peco, portento, ao nobre Sr. 1." secretario,
que me faca o obsequio de sollicitar da secretaria as
informacoes da cmara ; porque lalvez, era vista
de sen eontodo, habilile-sea casa a votar de uma
vez sobre o projecto ; licando assim dispensado o
novo requerimento.
JSo fornecidas ao honrado tnembro a* informa-
ntes da cmara do Cabo ; e, depois de as examinar,
prosegue )
Anda mais uma excentrecidade noto eu a respei-
to deste projeclo. Ouvc-se a cmara do Cabo ; mas
a cmara do Cabo, d um parecer que nao tita nem
desala I A cmara eslabelece principios, dos quaes
deveria concluir necessariamentc que era contraria
ao projecto : visto como diz, que Ihe nao descobre
utilidade ; mas o que c nolavel, o que se nao com-
prehende que conclusse que era indifferento a
que se creasse ou deixassu de crear villa na povoa-
cao do .
O Sr. S. Laeerda :Agora concla o nobre dc-
auii muilo infeliz por-
que sempre o nobre depulado mo-d apartes quu cu
nao posso comprehoiidur.
0 Sr. P. litarte : 0 erro nasce de mim.
O Sr. S. Laeerda. : Mas se houvcr no tormo
juizesSUpplenteS, en nao sei que ulilidade elles tra-
an. Sr.,eu jo disso uma vez o repito : antes ler
a Justina mais corla mu ponen e mais longu, do que
que a juslca ncorla e porta de casa. E lano
mais que do Cabo a Ipojuca sao i leguas, nu ha
essa distancia lamanha.
A creaco da villa nao importa inmediatamente
a ereacao do termo civil, mas pode importar c isso
de toda a desvautagein ; se fosse Msenle a croa-
cao da villa u do cainiulio, para unir era inleira-
inente indifferento.
Ha um oulro ponto de vlsla, dcbaixo do qual eu
me proponho ainda a esla projecto, que o mudo
porque esl elle concebido. Diz o projeclolica
creada a villamas nada dispe sobre a mudauca
da sede de freguezia ; pelo menos nao ao achain
enpregadas neste projeclo palanas que demous-
trem que se pretende mudar a sede, nao esl isso
Claro, mas nao sei o que lica sendo una villa no O
tendo a sede da freguezia em Ipojuca.
Um Sr. Depulado : Islo posaivel.
O Sr. S. Laeerda : Maa e sempre um pouco
anmalo ; lano mais que eu sei boje, que o Sr. vi-
gario despieza a sdu da freguezia e vai residir
no O.
( Conlinuar-ie-ha.)
pela sorte de um projeclo, principalmente quando
i justo como esle ; peco-lhus pois declaren) su en
ped volassum a favor do projeclo... Cora o silencio
dos nobros depulados eslou saliafeito, e termino
aqu.
O Sr. Souza Beis: Sr. presidente, cu vol pelo
projeclo : reforindo-se S. Exc. Bvd. as informacoes
que receben e tinha exigido por intermedio do visi-
tador, aquem me persuado se deve prestar toda a
attencao, principalmente pelos meios de que usou
para ohler as nocessarias informacoes, eu vejo que
o parecer desle visitador, favoravel ao projeclo,
ao menos para que elle passe em primeira diseussao,
devendo soffrer alguma modificarn depois.
Eu vejo que S. Exc. Rvd. referindo-se as infor-
0 Sr. T. da Siloa E isso o que eu concilio da
informaco da cmara do Cabo. J que ella nao
quiz ser lgica com seus principios, o que se con-
cle, que julga desnecessara a elevaco da po-
voacao do O a villa.
O Sr. S. Laeerda : Mas en quero a concluso
do nobre depulado i vista da informaco da ca-
rdara.
Sobre as vantagens da mudanca da sede da fre-
guezia, eu leria alguma cousa a dizer i-oulra o pro-
jecto, mas nao sei se esta idea esl nelle co-
uda....
O Sr. Af. Caraleanli: Depois vera.
O Sr. .1. Laeerda : Mormenle j morando l o
Sr. vigario.
Eu poslo que deseje que o projecto morra logo ao
nascodouro...
OSr.P. Duarle : Eu lenho horror s morios
repentinas.
O Sr. S. Laeerda : F.is a infelcidade a per-
seguir-nie O nobre depulado que primeira falln
queixa-se da morosidade do projeclo, agora o no-
bre depulado diz que lem horror s morles repen-
tinas !
0 Sr. P. Duarle .Elle agora esl em primeira
diseussao.
O Sr. S. Lacedda :Enlo morte repentina para
o nobre depulado quer dizer primera diseussao *
E iiilelligoncia dillerunte das mais.
Eu segundo a opiniao que tenho formado, vol
contra o projeclo, mas nao dossjo morte sbita nem
morte lenta : nao desejo que esla assembl.1 Ihe
d morte sem valiosos fundamentos. Recorremos
,'i cmara do Cabo; a cmara deve ser ntoressada
pi mi contra.....
' ni Sr. depulado :Deve sor impareial.
OSr.S. Laeerda : A imparcialidade ah, ou
nao a conservarn doncMfuooiio.raas a cmara de-
via c millir sua opnio com franqueza, e nao di-
zer. que Ihe iudiITcruulu, como aqu se v :
(Uf.
Acamara municipal respondendo ao ollicio de V.
Exc. de 16 de abril desle anno, sobre a requisico
que fez a assembla provincial, cquserneule, era-
po de uma villa na povoacao do de Ipojuca, lem
a honra de levar ao coiihecimento de v. Exc. que
ella actualmente nao euchergandn na referida crea-
co ulilidade momenlosa, indilferenle a ella.'
Dos guarde a V. Exc. Cmara municipal do Cabo
era sessao extraordinaria de 22de dezembro de 1858
Illin. cExc. Sr. conselhero Manoel Felisardo de
Souza o Mello, D. presidente da provincia. Ma-
noel Cantillo Pires Falco.Francisco Ferreira de
Barro* Canipello.Francisco A tve* de Miranda Va-
rejo.Jos Paulo do Reg Brrelo. Fraucisco
Luiz Pae* Brrelo.
Esta informaco uo satisfaz; apresentei um re-
querimento para serem ouvidos os juizes municipal
e de direito, por isso que s elles nos podemdar
informacoes minuciosas e positivas.
0 Sr. 3f. Caralcanti: Isso se nos precisosse-
mos de informacoes.
0 Sr. Souza Lcenla : Eu vol contra, mas
nao querc votar sem certas bases; quero as infor-
macoes desses juizes. porque ellos pdem informar
nao s qnanto conveniencia da creacio da villa,
mas lambem quanto s hypothescs que nu ligurei e
![iie se podem realisar e assim nos saberemos per-
eilameiilc qual o numern de jurados qualiQoados
em Ipojuca; qu vantagens au desvautagena ha na
croaeo do termo; quanto pode reuder ao juiz de
Ipojuca esse lugar; se ahi podora baver juiz letra-
do ou nao, etc. Se esse tormo se ha de crear para
ler juizes suputantes, eu ntendo,a?r. pn-sfienle,
era que elle seno cree.
que melhor se que une senao cree, porque se-
i nhores o individuo que nio magistrado, que nao
O Sr. T.aa Silva : Jinao pode ser oulra que lem a fazer um futuro da carreira de magistrado.
esta. A cmara diz que nao reronhecc utilidade em ; que nao segu essa carreira, tem necessaramente
elevar-sc a villa a povoacao do 0, e que poj islo i de guiar-se pelas opinioes de iyn amigo, de decedir
indilferenle a essa creaco ; quftndp nao o quiz ser, I causas juuilas vezes por afeicao, etc., o i-so em lu-
deveria declarar-se pela desnVbtsaidade de sume- gardeser de vantagem (i de grande desvanlagcrn.
lhantc creacio.
Pens por ora" assim ; e me parece intil qual-
Por todos estes motivos me opponhoao projecto,
mas nio me achando habilitado a emiltir uma opi-
REVISTA DIARIA.
Por portara da presidencia de 16, foi nomea--
do delegado do 1. districto deste termo, o Sr. Dr.
Ilenriques Pereira de Lucelia, que desde hontem se
aeba om exercicio.
Tamben foram nomeadns, Io. supplenle o Sr. Dr.
Francisco Luiz Corra de Andrade e Silva, 2., o Sr.
Dr. Joaquim do Rogo Barros.
Foi removido de Grvala para o Bonito, o vi-
gario cncommeudado, Joaquim da Cuuha Caval-
canti.
No dia 9, no engenho l.imooirinho, do termo
da Lscada, Jernimo Barbosa, ferio gravemente a
Manoel Fabiano, depois do que puz-se cm fuga.
Esl sendo processado,
No lugar Sapucagi, do mesmo termo, Manoel
Joaquim, duu no dia 6, uma lacada em Brando Jo-
s, tendo-se evadido. Fugio o criminoso, e esli
sendo processado.
No caminho da Tamarineira; segundo somos
informados, existo um arougue, onde o sangue dos
bois se deixa derramado no chao, coberte apenas
com uma pouca de. arela, do que resulta um mo
rheiro tcrrirel. E, portanto, para esse lugar que
se nos pede chamemos allenco do Sr. fiscal, para
que seja quaulo autos removido esse grande foca
de infecco.
Un Jornal da Bahia extractamos:
0 iaxco n. baha.Os accionistas do Banco da
Baha, reunidos hontem no sali do Commercio, ,
approvarara os relatnos do conselho de dirceco
e do conselho fiscal. Este conclua propondo :
% Oue fussera approvadosIo as conlas da geren-
cia dol" semestre lindo em 31 de dezembro
2" o numera de erapregados nomeados e a tabella
de seus veiicimeutoa3" o cniprestimo feilo pro-
vincia.
Oue so rotease um agradecmento ao'conselho de
drecco pelo zelo, aCtividade e tino com que se
houve na sua geslo.
K que cessasse a aulerisacio para compra de
acoes da estrada de ferro.
Sobre esto ultimo ponto o Sr. Manoel Belcns
fiscal.
pedio explicac.es, que Ihe foram dadas pelo Sr. con-
selheiro Wanderley, como presidente do conselho
O Sr. Dr. Innocencia Goes molivou uma emen-
da deixando a compra das arcos de estradas de
ferro disoripeo c prudencia do conseibo de di-
receo no quu foi secundado pelo Sr. Porlella, ao
qual responden o Sr. conselhero Wanderley ; o Sr.
nelens propoz a supprcsso daquelle paragrapho
do relatorio doconselho Bacal.
Depois de urna pequea quoslo sobre a forma
da volaeo, alim de economisar-so lempo, foi ella
syraholica, e ficou approvado por uma grande maio-
ria que cessasse lal aulorisacao, sendo regeitadas
as emen4as.
O Sr. conselheiro Gonealves Martina, presiden-
te da assembla geral, subraetteu considerarn
da mesma o sen pensamenlo de que nao se devia
nossa reuniao fazer a eleico.
O Sr. Manuel Joaqun Alves, secretario do
conselho de dirceco, explicou a posiro melindro-
sa finque a mesma achava-se, e o ponto do relato-
rio em que se havia tratado da eleicio smente de
um terco, e concluio pedindo para ser a direccao
dispensada de votar na materia.
O Sr. conselheiro Wanderley com a forra de ra-
ciocinio e a lucidez de ideas que todos lKe reco-
nhecem, susieutou qu nao s a efcicio devia fa-
zer-se, mas que devia ser no todo, isto de 9.
: O Sr. M. Belens fez algumas considerarnos, e
posto a votos o objecto, foi quasi unnimemente
approvado que se procedesse immediatamente
eleico de 9 directores.
Era virtude disso receberam-se as listes, licando
a apuraco adiada nana hoje. *
A RESTEITO 0 DESEMBARQUE DE A.FMCAXOA.___
Alguns jornaes da corle annunciaram que linha ha-
vido na Babia em o mez prximo passado um de-
Cnibarqne de Africanos. Podemos arOrmar is ils-
lustres redaece daquellesjoxnaes, que illiidirani-
nas erasuaboa-l ; semelhante- desembarque nao
so deu em ponto u-.-nhum ilo lilteral desla provin-
cia, menos mais leves indicios ainda de tentativa so
obscrvarani. Todava alim de ter bases para des-
mentir laes assercoes, e simiente para isso, cons-
la-nosiuea poliaia trabalha seriamonte nisso e
que j pasaos foram dados a respeito.
No Correio Mercantil se l:
Nao tendo sido entregela estrada de ferro uma
carruagem de estado q. ,. sr. Price a principio
prometiera fordeccr gvitis para uso de Sua Magos-
tado Imperial e sua augusta familia, a directora,
depois de verificar que tal carruagem nao se acha-
va no Bio de Jaueiro, pedio nossa legacio em
Londres honvesse do verificar qual a ullima intcn-
cao doemprezario, e no caso de arrependimenlo
raandasse construir a carruagem por conte da com-
panhta. r
_* 0 paquete Tyne trouxe noticia de estar a lega-
cio negociando a encommenda, que cuslari cerca

J-i-
'*-
%\ k\%


t

.
de St 1,660. O Sr. Ed. Price declarou que com
grande pezar declina de levar a irrito a sua prini-
tiva inlencn porque as grandes obras extraordina-
rias o impei islas que leve do oxeeular na estrada
de ierro obsorveram Indos os fundos do que pudera
S. S. deduzir a quaulia nocessaria rcalisncan da
sua ollera e S. S. niia desajaria apresenlar una
< arruagem indigna da aocilaoao do Sua Magostado
Imperial.
i: realmente doploravelquc o Sr. Ed. Prioeil-
casseto arruinado coma sua enipreitada !
Passageiros do hiale brasilciro Sergipanoou-
Irados da ilba do Fernando : o capitn Mannol
Luciano da limara Guaran e sua senliura. Manoel
Tliomaz dos Sanios, lternardo da Voiga, l.cilo Ar-
nonza, Miguel Pereira do Vallo, Joo Gomes Fer-
reira, sua seuliora e 2 filhos menores, Sedronio Sa-
bino Monleiro do Carvalho, Joaquiui Jos de Bar-
ros c Amonio Mara da Conreh-io.
Passagoirns do vapor Tu'ne, entrados do Rio
de Janeiro : Mielo l M. ltouker, C. II. Bradlv II
M. Tellcs escu irmao M. Ganlur, Alvina Cale e'sui
iruia.
Segui'm para a Europa: Miguel Pereira Leal
Eduardo II. IVigem, rhiladelpuk A Forroira Li-
ma e Sua familia, Williaui l. lierberl, Tbeodoro
Adolpho Dainuiovor, Chrislovio de Barros Reg
Calcan,Francisco Manoel Siqurira Cavalcnuli, Joa-
quim da ('.. Maia Junior, Joo (.ais .Vino, Antonio
Celestino Altes da Cunta, Jos Goiualves Martina
Manuel dcOlivcira Maia, P. llaucanas, Antonio Do-
mingos do Sonza, Joaquiq Francisco da Silva Ju-
nior, Joao Francisco Anluncs, Antonio Pereira da
Cosa Gama e 1 lilua menor, Nicolao Bruno, Jos
Joaquim Gonoalves Bastos, Antonio de S Lupes
Farnandes, Bcrnardino lluprat.
Passageiros do brigue portuguez Triumphan-
le saludos para Luanda:Joo Vieira Coelho o
sua niullier Mara do ltosarn el prenla do nonio
Mara da Coneeicoo lodos Africanos libertos.
Morlalidade do dia 17 :
Elcodnro, pardo, 6 mezes, bexigas.
Alina l.uiza da Assumpco, parda, vuva.Ci anuos
inflamaran chronica.
Francisco, bronco,4 mozos, convulscs.
Prisco, pardo, 2 annos, urna indegestao.
Manoel, pardo, :i mezes, ennvulsoes.
Unitaria Maa da Conceico, parda, viuva, 70 an-
uos, vollice.
Sofa, parda, 3 annos, hydmpcsia.
Genoveva, pida, iguora-so a idade, estado e mo-
losla.
Joanua, prola, 8 anuos, darrliea.
Flix Jos du Canlalicia, pardo, solleiro, 30 annos
ulcera.
Tliomaz Pereira da Silva, proto, solleiro, SOannos,
pthysico.
Antonia Ouerina da Conooico Barral, branca, viu-
va, 70 anuos, gaslro menlo.
Hospital de caridade.Existen) 53 homens, 52
raulheres, uacionnos ; 1 homem, cslrangciro ; 2 ho-
mens, esotros; total 112.
Foram visitadas as enfermaras polo cirurgiio
Piulo as 712 horas da uiaiihaa, Dr. Dnrnellas s
.1 i lloras da niaiihiia, e Dr. Firmo s C e 10 mi-
ninos da tarde de Iionlcm.
Cremosque inconteslavcl que a lomada da ci-
dado de S. Salvador da Babia se deve quasi ao te-
iioiiie-coronel Cocllio ; e, se lodos tomaran) parte
na sustentarn das DOSss instiliiooes anieacadas,
foi elle queiu mais so expo/., e foram as tropas per-
nambucanaa sobseu conimando. que iiiaislizerain.
DovoiidiKso, como tica dito, a lomada dessa bolla
capital ao tenoule-cnronol Coelho, a esto competa
una grande recompensa ; mas o distilo lo militar
nada podio. Toda sua infidencia servia smenlo pa-
ra proteger aquellos que sehaviam compromeltido,
c a essa influencia deveram niuilos a vida e a ees-
sarao de seos soirrmonlos. O lenle-, oronel Coe-
lbo nao perseguio pessoa alguma ; a nada, ijue era
justo o honesto, so negava, c lodos cnconlravam
iielle um proloclor, urna seguram-a: imparcial c
ntunano, cenqniston urna eoroa, a" do reeonheci-
nouiu que anda nao murclioii.
Tomada a capital da Baha, o lenenle-coronel
Coelbo nao leve ropouso, como so poda esperar.
Sondo batidas as lincas do govrruu na villa da Poi-
ca de Sanla-Anua, i uto o sois liguas distante da
capilal, a quetinham sido mandados, pelos rebel-
des que achavam-sa ah, oliavondu sido nomeado
dopois para commanda-las o U-nenle-coroncl i.i.i-
lun, parti este, e, perseguindoo ininigo eiu mais
de vuito leguas, fez-lhe pris.....iros e apoderou-se
no grande poicao de armamento u equipamenfo,
o do alguna carrosarrogados do fazeiidas, une des-
sa villa tiuham sido levadas pelos rebeldes : -
zendas qno remellen aojuiz de dilcilo da cidado
da Cachoeira, que ento era o Sr. Manuel Vieira
Tosa, boje senador do Imperio e baro deHuriti-
oa.aBm deserem restituidasascus dimos.
lao relevantes snicos nopodiam lcar iiiteira-
mente sem recompensa: o Sr. Coelbo foi elevado
"' posto de coronel do Eslado-uiaior por Decreto
de 20 do agosto do 1KW ; o, nao obstante ser o mais
novo em posto,o nao o maisgraduado ionio militar,
achou-su encarregado inicuamente do comniaudo
das Anuas daquella provincia, em substiiuii ao ao
general Calado que dovia rclirar-sc, ao queso ce-
den dopois de pedidos o tondo recelado ordem dcs-
se genera] para faze-lo : tal ora a conlianca do que
o coiisidoravain digno, sendo logo depois Confirma-
do lioso coiuniamlo pelo governo imperial, oque
leve lugar em abril do 183s. Se o governo impe-
rial dea ao tcncnlc-coroncl Coellio nina prova de
son rcoouheoinicnln, tanta quanla pndia di-la a
Regencia, os bahianostambemlh'a deram, mostran-
do por esle modo que eram loeonhoodos aoa sor-
vicos que elle linlia prestado, e ans favores que ha-
ran) receido, l'maespauajde honra, como reoor-
dar.io de seus feilos militares, llio foi offierecida, e
una espada, dada om toes cirriimstaiu-ias a um ofli-
cial brioso, exprime milito, pnucipalinente sendo
ouertadacn lempo, timquc essadistinecao nao era
barateada.
Os btus d'armas do coronel Coelbo na provincia
Diario de Pernambuco.Sexta feira 18 de Marco de 1859.
CHRONICA jUDICIARIA.
. TRIBUNAL DO CODIRERCIO.
SF.SSAOADM1MSTRATIVA KM 17 DKMVRCO
DE 1859.
PRESIOESCM DO EIM. SR. I1ESE1IBARC.A1IOR
SOl'Z.k.
As 10 horas da manhaa, acbando-sr.presenlesos
Srs. deputados Lomos, Basto, Silveira e supplenle
Fragozo, o Sr. presidente declarou aborta a sessao,
designando o deputado Silveira para servir de se^
eretario, por Icr o Sr. secretario participado adiar-
se doente.
Fo lda e approvada a acta da sessao antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um olTicio do secretario do tribunal do commcr-
cio da Babia, aecusando a recepro do oflicio desle
de 3 do crrente.Archive-se. "
DESPACHOS.
Um requerimento do Jos Teixeira I.eile e Jos
Pereira Cezar, pedndo o registro do disratede
seu conlralo de sociedade.Vista ao Sr. dcsouibar-
gador fiscal.
Nada mais liourc a tratar.
SESSAO JUDICIARIA F.JTl7 DE MARCO DE 1859.
PRESIDENCIA DO EX!I. SR. DESEMBARCAUOR
Ul/A.
(Secretario, I>r. priuio Utimurcs.)
l'allou por doonlo o Sr? depulado llego ; estove
preseule o supplenle Fragozo.
1IISTRIBI 1C.AO.
Appellantc, Joo de Sania llosa Muniz ; anpella-
do. Albino da Silva Leal.
(Escrivo Albuquerque.)
Ao Sr. desembargador Villares.
Embargantes, os administradores da massa falli-
da de Oliveira lrmos i C."; embargado, Jos An-
tonio de Araujo.
Foram desprezados os embargos.
PASSAGEll. *
Apnellante, Manoel do llezcndc Rogo Barros ;
appcllado, Hcnriquc da SilvaMoreira.
Do Sr. desembargador Villares au Sr. desembar-
gador Silva Guimaraes.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Funccionou lioutem a asscmbla provincial com
31 nicmbros, discutiudo-se, depois do expediente, o
projecto n. 5 desle anuo, que permilte que a cma-
ra de Olinda afore a llenriqie CibsOn o terreno a-
lagado pelo pantano. Tumaram parte na discus-
sau os Si-s. Manoel Cavalcanti, Brando, e Epami-
noiidas, sendo approvado em primera discossao.
Seguio-se asegunda discussao do projecto n. 2*
Jue lixa a orca policial, ao qual os Srs. Brandiio,
arros de l.acorda, Martins Pereira e uniros, ofle-
receram urna emenda para ser elevada a 600 pracas
o arpo de polica, sendo a distribuirn feila de mo-
do que S00 estacionen! nesla cidade, e o resto dis-
tribuida pelas comarcas de fura. Oraram os Srs
padre Diiarlc, Martins Pereira, Barros de I.accrda c
Manoel Cavalcanti. Ilcando a discussao adiada pola
hora, e com a palacra os Srs. Martins Pereira c Joao
Alfredo.
A ordem do dia de boje a continuar ao da ante-
rior, primeira discussao dos pi ojelos n's. 1 e 3 des-
le anuo, e segunda do de u. A.
Sendo 2 horas levantou-se a sessao.
O paquete inglez Tpnt chogado hnnlem dos pnr-
tos do sul, adiauta smenlo ( dias as noticias que
recebemos pelo Paran.
A mais completa esterilidade encontramos nos
jnrnaesda corle, qtiasi nada ha que mereca menean.
. Havia sido publicada a reforma da secretaria' do
imperio, cabeudn ao Sr. ronselhriro l.uiz Pedrera
do Coulo Ferraz o lugar de consultor.
Da Baha temos dala de 15. Tambem nada ha
de novo. A asscmbla provincial se reunir em
sua primeira sessao preparatoria no dia 13.
Communicados.
O l'.viii. Snr. tenenie-general
Jos Joaquina Coelbo.
(Conclus^J
A presenca do teneule-cdnil Coelbo fenle
dos bravos Pernambiiranos, de que se compunha a
brigada expedicionaria, den entliiisiasmo s fon as
legaes, e desde sua charada recouheceraui os revolto-
sos que era imposaimuma longa defeza. Embora
s torcas de Pcrnamlnco os revoltosos oppozessem
seus melhores soldados, os soldados pemambuca-
nos, eleclrsaudo-se com o fogo, ao logo respon-
dan) de maneira a fa/.er honra s melhores tropas
do mundo. Chegando a Pirai, o lente-coronel
Coelbo foi encarregado d"e defender o principal
ponto, denominado Campias, c ahi leve de bale-
se quasi quotidiauainente com o inimgo, que lhi
llciva em frente e na distancia de tiro do fusil
mas, perdend o nislo mezes, seui grande proveilo
para* causa que stislenlava, fez algumas r.'Oexoes
ao general em rhefe, que era o inarcchal Calado,
sendo por esle aulorisado particularmente a obrar
como julgasse acertado, carregando c indo sobre o
innigo quandQ lhe pareces.se dever faie-fb, cuidou
de salisfazer o seu desojo. Collocaiido o iuiuigo, nos
primeiros dias de mareo de 1838, nina forca mu
prxima a outra, que eslava sob o commado do
lente-coronel Coclho c achava-se no lugar de-
nominado Candombit-, reconlicceii elle que havia
intenco de flanquea-lo ; mas, nao lhe couvindo
permitli-lo, na nuie de 12 desse inez resolveu-se
a atacar, ao amanhecer, as torcas rebeldes, e disto,
queexecutou, teve axcellcnto'resulUdo. Parecen-
du entao ao leuente-coronel Coelho que ora fa-
voravcl a ocqasiao, fez urna negaca ao iuimigo pelo
flanco dircito-io acampamento con a mesma forca
de Condombl,*, vendo que o tinha posto em co-
lusao, 4proveit9u-se desla, e mandou carregar
com toda a torca sob seu commado pela estrada
Pe.raJ. Jeiido-a de antemo preparado para este m.
Ajudado pela eridade, quo uuncao teui abando-
nado em ainlhanles occasies, em monos de urna
Hora eslava obravo teneiile-coroncl de posse da*
primeiras Irincheiras uimigas, defendidas por "et
pecas de arlilharia de calibre de 6 a 18, de suas
barracas, do acampamento e de algumas casas, em
que os rebeldes depositavam cartuxame, arma-
mentd e oulros g|j|hos de guerra; e s foi de-
pois de haver CjgHk eslelrilhantc resollado
que mandou i^BHar ao general em chata o
seu tpumpho, e^Moir-lbo queffzesse occuparfca
posicao. Nao sen. o possivel lomar nesse diH"
r?n.d'r 1.ri*h1eiras.'I'-'^ebeMes M defeza da
cidade linhahl levantado, imitando nesta parteo
i____j:?-----r^T!" ut sn-uiiest. coniocou a
incendiar a capital mas.tloniadas as segundas
tnnche.ras ludei nao eslava\oncluido : o lene ,le!
coronel Coelbo, dep0ls de haver lomado a fortaleza
do Barbalho, e, com a coacljuvarao da 2* briada
sobo. commanih) do bravo e distineloleneule-iro,
nel Argolo, hoje bngadeiro reformado a de s Po-
dro, em que se tlzeram 610 prisloneiros, achou-se
na eidade, e cuidou de ir salvaudo das rhammas os
udiCcios, que j por estas/s.lavanVsendo devora-
dos ; cumprindo dlzcr que, rara cnsegiii-lo lhe
foi preciso ir softrendo rogo do inlmigo, que sb ce-
da os pontos depois de resistencia.
da Bal
eran raut importantes, para que nasa dis-
iincio militar nao altrahisss aindamis deenlo
om arante as vistas do governo imperial. A nbclliao
da provincia de S. Pedro do Sul continala iissus-
ladora e sanguinolenta : era preciso que militares
calentes e leaos estivessem trente das (oteas un-
poriaes, e o coronel Coelho nao poda deiiar de ser
encarregado de algiiui comniaudo Importante. As-
sim pos, nao tardn que recebesse ordem de par-
tir para o thealto da guerra, o que \,r em oulubro
deasa mesmo a......, e, all chegando, leve o com-
mado da 2.' brigada de infaiilaria, que eslava
acampada no lugar denominado Canudos, distante
seseenta leguas da capital mas, Berrendo risco es-
sa cidade du ser lomada pelos rebeldes, o general
em chefe do Exeicito, inaudoii-o buscar em um va-
por, aiini de qno recebesse o commado de una
outra brigada, e islo fez que o iuimigo desislissu de
sen intento.
Coelho, e as fadigas o inrouimodos, a que elle se li-
nha expostn, nao pndiain deixar de inlluir sobre sua
saude al enlo Dorescente : acromnietlido por una
disntera pertinaz, frequente nos acam|>anienlos,
e vendo os facultativos que o mal nao cedia, e que
as torcas do doeule se iam perdendo lodos os dias,
foram do opmiae que elle so recolhesse a Pernam-
buco, onde poda ser tratado com lodo o cuidado
no centro do sua familia, visloque seu clima, a que
eslava habituado, lhe era favoravcl. Partiu pois do
Exercilo o coronel Coelho, deixando saudades, como
seinprc snecede, cnlre seus companlleiros d'armas,
o, voltaiiilo a esta provincia, aqui ebegou limito
habalido, e por tal modo doenle, que niuilo cuslou
melhorar; nao Ilcando todava intoiranienle resla-
belccido do mal que adquirir naquella provincia,
om quo estivera do novembro de 18:18 a iulbo de
1839.
O coronel Coelho nao devia mais ter descanc.
Anda muilo doente.da altoc'.ao que o havia acoin-
meltido no acampamento de S. Pedro do bul, e
mal pudendo andar, sua presenca fo requisilada
pelo Dr. Agoslinho da Silva Noves, presidente da
provincia de Alagoas, que achava-se em apuros com
os desordeiros, que se npponbam transferencia da
capital, e o bravo militar no dia 7 do novembro de
18:19 recebia ordem da presideuca de Pernambuco
para partir em soccorro daquella ; mas, lauta era a
conlianca que se linha cni sua pessoa, etoneces-
saria pareca ordem publica, que oSr. Francisco
do llego Barros, enlo presidente, lhe recninmen-
dava que regressasse pelo primeiro vapor que d'all
viesse, visloque seus servicos se faziaiu precisos
aqui; e com efleilo, o apparecimculn do coronel
Coelho, nao obstante achar-se muito habalido, bas-
lou para que os facciosos se despersassem, t leve
elle de vollar logo depois, deixando rcslabelccida a
ordem, e livre de cuibarac.os o administrador da-
quella provincia.
De volla a esla provincia, em que devia entregar-
se no descanco, allm de poder tralar-se regular-
mente, e reslabelecer-se do mal que resista aos
meios llierapeutcos que lhe eram appiirados, foi
nomeado director inleriuo do Arsenal de guerra em
SO de agosto de 1839. Essa reparlico, em que so
haviam dado nao pequeos extravos, e que nao
gosaiapor isto de lisongeira repulaco, exigia a
presenca de mu homem enrgico e probo: drgin-
do-a, o coronel Coclho foi mostrando que se nao ti-
nliain engaado escolheudo-o para essa coiumisso;
e os resultados obtidos, e erros que foram emenda-
dos provaram que nao era infundada a repulaco
desfavoravel que havia adquirido esse arsenal, cu-
jea abusos foram reprimidos eolio, embora depois
esob a administraco de oulros se livessem ropro-
duzido. Seus servicos mereceram-lhe ser elevado
por Decrelo de 2 de dezembro desse anuo ao poslo
de brigadeiro-gradnado.
A Guarda nacional do Recito, sem ter quem con-
tinuasse a inslrui-la no exercicio das anuas, ia
perdendo o que havia adquirido quando fra ins-
truida pelo lenenle-coronel Coelho, e necossilava
das llcoes de um militar, que a Bsesse chegar ao
que era dcsejavcl e devem mostrar soldados brio-
sos : o presidente da provincia convenceu-so d
que era preciso acudir a essa milicia, c em 14 de
dezembro de 1810 o brigadeiro-graduado Coelho foi
segunda vez nomeado seu instructor gcral, o eni9
de Janeiro de 1S-U inspector do recrutamento, alini
de por termo s violencias eexcOSSOa que se com-
nielliain ; e era verdade operou elle una rpida
iiiiidaiicana Cuarda nacional, que nao tardou em
mostrar esse garbo militar que distinguen! os sol-
dados peniambucanos, cessaram as violencias e
excessos ; mas infelizmente leve de deixar logo de-
pois esses lugares, porquauto sua presenca era re-
clamada em ouira parte
A provincia doCear achava-se, por assiin dizer,
em urna desordem administrativa, e lana com-
Inesso poltica havia receblo ulna parte de seus
lalrlanlcs, que era preciso faze-lu respirar, liber-
laudo-ado jugo do cerlns individuos, que sobre ella
etnpregavam a influencia s devida auloridade
3iio exerciain. A prudencia, prdhidade e energa
o brioso brigadeiro-graduado Coelho rccommcu-
davara sua pessoa, c por islo, o governo imperial,
delle lenibrando-se, uonieoii-opresidenle dessa pro-
vincia em o 1." de abril de 1811, c em 5 desse mes-
mo meze anuo seu commandaiile das Armas, com-
uiissies que tinha de exercer cumulativamente; e
quem, despido de prevencocs ou iiiimizades poli-
t-a.-, examinar tniaadiiiiiiisli-acao, da qual era se-
cretario o Sr. Dr. Anselmo Francisco ?erclt,lhoha
de fazera juslica de confessar que procedeu pti-
mamente.
Por mais regular que soja em sua vida publica
qualquer funecionario, nao deixa por islo de sof)'rer
injusticas, e de vor-se exposlo a calumnias, por re-
ina atro/es ; mas a verdade quasi sempre trium-
PJm, e aquello que se esmera em cumprtr os seus
deveres ao menos vivo satisfeito com sua cons-
ciencia, c contina a merecer a estima c considera-
cao dos homens de bem, sem que lhe seja preciso
ceder a empenhos, nem fechar os olhos a abusos.
Por mellior que fosse a administraco do brigadei-
ro-graduado Coelho na provincia d Cear, nao po-
da agradar a lodos ; leudo de alliviar da com-
prensa o um partido, que oulro quera conservar os-
magado, impossivel lhe seria agradar a ambos, c um
assassinalo commellido na capital da provincia, em
3oeelle esteva, vcioservir de pretexto opposno
esses, que queriam continuar a comprimir sus
adversarios polticos. Om peridico, que era pu-
blicado nesla provincia e recebia iustruccoes ou
coinmuiiicacies daquella, leve a ousadia de dizer
que o brigadeiro-graduado Coelho nao havia sido
estranho a esse assassinato ; mas, chamado res-
ponsabilidade allin de provar sua asserco, ou ver-
te condemaar, o confessou no tribunal' do jury, a
que tora levado, ter consciencia da innocencia do
bravo militar, declarando que o verdadeiro aulor
do artigo acensado era um calumniador. Islo nao
bastara para que nao fosse enndemnado : eslava
provada a calumnia, c o redactor desse peridico
nao poda deixar de soffrer a pena que a lei im-
Soe, sendo coiuloiiipado como toi ; mas o briga-
eiro-graduado Coelho, acceilando a condsso, da
qual nao careca para justilicar-se, poisqnO lodos
samam u sabem que elle incapas. de tentar contra
rida de qualquer pessoa, por maior que seja a
ofrensa recehida, perdoou aqjinlle pie, se livess*
faltoetido, se nao evporia~ ajBConimodos, e leves
saliifaco de ver quo eMeTeoVnr nioslrou-so agra-
decido! Felizmente nao lardo milito pie a verdad*
apparecesse para cojvflhrpr alguns incrdulos, e
desarmar cerlds especuladores ponfleos, e hoje ob-
guem ignora no Cuar que o gerleral Coelho foi n-
leiramonte estranho a esso assassinato, cutos acto-
res sin conhecidoa; e o governo impariu, apre-
ciando dev idamente os seus servicos, condecorou-u
em lf d'ahril de 1841 com a commenda dd Ordem
de S. Beulo d'Aviz, da qual j era cavallelro desde
4 do setembro de 1839.
Eleiio depulado a'Asscmbla geral pela provincial
doCeard, c toudo de lomar assenlo na cmara tempo-
raria, o Sr. Coclho pedio e obteve a exoneraro da
presidencia c commado das Armas. Sendo um dos
membros da roniinissau de guerra c marinha da
cmara dos Deputados, piestou bstanles servicos,
o que lhe lacilitava sua experiencia adquirida, nao
em casa, esim nos campos de balalha e airante
loicas militares, e den esclaiecimeiilos, que ser-
viran) para que so adoplasseio medidas que anda
subsisten) : mas, dissoivida a cmara em 1854,
leve de vollar a fosnambiirii, onde nao devia lcar
inactivo, com a onVclividadc do poslo de briga-
deiro, que lhe toi dado em 11 de setembro de
1812.
Tendo algnns descontentos da provincia das Ala-
goas rompido em hostilidades contra a presidencia,
enlo oceupada pelo Sr. conselheiro Bernardo de
Sou/.a Franco, c havendo por lim pegado em ar-
mas, chamando a coadjuva-los o la migo ia do Vicen-
te Ferreira de Paula, que com os seus viva embro-
chado a hoje se aeha no presidio de Fornaildo de
Noronha, aquello administrador to-.sk emdillicul-
dadi s, e preciso lhe foi ter (oreas e olliciaes, em
quo COOllassc. Sesse oslado, o nao oblante j ter
ajli um general, recorreii presidencia desla pro-
viifiia. ou Sr. conselheiro Tliomaz Xavier narria do
Aliinida dirigio-se ao brigadeiru Coclho. Appol-
lanilo esse adniiiiisliailor para a pericia, exarlidu,
Ihtelidade ezelo do distinclo militar, que lhe eram
coiihecidos, como elle niesino o diz em sen ofucia
de 28 de oulubro de 1814, nomeoii-o para ir aquella
provincia levando sob SUKS ordens a forca que foi
possivel reunir, quereiido que partissc esso mcS-
iuo da a burdo do cter de guerra Eiperanja rf.>
llrbfribe, o que foi cumplido ; e aquellos que eslo
ao fado dos negocios polticos de Alagoas durante
essa renda sabem que o brigadeiru Coelho presin
grandes servicos causa da ordem, c oppoz-se a
que so pralicassein os aclos de vingama e de ex-
terminio, que querian algnns, ionio nao ignoran
celias pessoas, em cojo numero lalvez se posas
contar o mesino consollu-iro Souza Franco, que pro-
vavelinenle ha do conservar em memoria o conteu-
do de cerio otiicio que lhe foi dirigido e encerrava
reliceucias ollico que so nao enconlra no arcliivo
da presidencia daquella provincia.
llegressaiido a esla provincia, o brigadeiro Coe-
lho fui pola lerceira vez encarregado du instruir a
guarda nacional do municipio do Recito, por porta-
ra de lll du enreib de 1845 ; o, nomeado om mar-
co do segunle anuo para o cumulando das Armas
da provincia du 8. Pedro do Sul, tevo de deixar ou-
ira ve/. Pernambuco. Sondo ext.....rado dessa coiu-
misso em novembro de 1817, toi nomeado eom-
uiaiidante das Armas da provincia da Babia em 7 de
narco do 1848, e uella achava-se quando o partido
liberal, ciuihecidd sob a deiiomiiiaco de prairiro,
pegn em armas para resistir, segundo ili/.iain os
seus chefes, as reaccoes nipriiilenlos e vilenlas
que seus adversarios, apoiadOS pelo governo pro-
vuirial, iam exeiceiido.
Seinio bastante aasustador o mnvimonte armado
de 1848, nao era de admirar que o governo da pro-
vincia de Pornaiiiluuu, sob a adminislraco du Sr.
coiisclhoiro llerculaiio Foi reir Penna, lvosse re-
cejo, e se vase om enibaracos. Nesse oslado, leve
do recorrer ao da provincia da Babia, enlo coulia-
do ao Sr. coyselbeirn "Francisco Comalves Martins,
erequisilar a presenca do brigadeiro Coelho, enlo
comiiiaiidaiile das Atinas desla, para que viesse pOr-
se frente das lonas legaes e dirigi-las ; o o Sr.
Oonialves Martins,'reconhcccndo o perigo em que
eslava seu collega, e lomando sobre si a respousa-
lulidade do aclo, em 11 de novembro -esso auno,
dirigi um honroso ofuciu ao distinclo general, em
que comidava-o a marchar ciu soccorro da presi-
dencia desla provincia ; e, postuque o brigadeiru
i.nelho s por ordem do governo imperial pdense
deixar o commado das armas, de que eslava en-
carregado, todava, attendendu s rellexoes que lho
eram apresenladas pelas duas presidencias, resol-
veu-se a partir, e aqu cliegou em os ltimos dias
desse mesmo me/, e anuo. Nao era s coin o lim
de prestar servicos que o brigadeiru Coelho havia
subscripto ao que" dellu se quera,e acceilado a com-
missao : elle linha em vista evitar o mais possivel
a elfuso de saugue, e as desgracas de tima guerra
civil : mas, tal era o excitamouto dos nimos, lo
adianlado eslava o ininiuieiilo, e eiiiliin lo hbil
intrigante ntoetron-se slguem, que lhe foi impossi-
vel conseguir o que desejava, o proceder de outra
soiic. Entretanto muguen houve, a quem elle
persegusse : pelo contrario, algnns que liiham si-
do injusta e violentamente presos foram sollos a
pedido son, o por sua influencia nao continuaran!
as aceas de horror, que liveram lugar depois da
retirada dos liberaos que haviam atacado esta capi-
tal no dia 2 de feveieiro de 1819 ; retirada que se
nao operou seno depois de onzo horas de rendido
fogo, no qual o brigadeiro Coclho expoz por vezes a
sua pessoa, fazendo-o com a maior impavidez, co-
mo succcdcu na ra da Concordia, em que s por
poucos, muilo poueos foi seguido : cumprindo aerea*
contar que, se esse distinclo militar nao viesse em
soccorro da cidade do Recite marcha toreada, tul-
la chegando ao meio dia, desta llcariam de posse 01
liberaos que a occupavam j ni grande parte, e q
Sr. de Muritiba, presidente desla provincia, Ou seria
loriado a reugiar-se a bordo do alguin dos navios
de guerra, ou teria de cahir pfisioueiro das torcas
iiumigas, e por certo o resultado da lula nao seria o
mes ino.
com certo fuodamilo em um rompimeiilo, julguu
elle que devia cede vollar a seu posto, tanto mais
quanlo alguem, quesl muilo alio, lhe fez sentir a
necessidade de seTegrcsso ; e com clfeilu proce-
deii aceiiadaueiiti e o governo imperial recouhe-
eou que havia sidpievidenie, deixando talvezpor nica
isto de correr onlivez o saugue brasileiro.auja per- o fori
da o brioso inilitasenipre deplora.
Removido do cantando das Armas da Babia pa-
ra o dosla provino por Decreto de 3 de fevereiro
de 1850, toi logo ipois, em 1 i de marco desse an-
uo, agraciado eona gr-cruzda Onleiii de S. Ren-
te d'Aviz, tendo Jo em 4 de seleinbro de 1852 a
merco do toro de dalgo cavelleiro da Casa impe-
rial ; o, eontiiiuidu a proceder do mosnio modo,
leiu visln queos |rnainl)iicaiios nao sao indillureu-
les aos seus serves. Se O marechal Coelho nao
podia alterar o riulameiilo, que anda serve no
lugamente dos cines militares, regulamento seve-
ro e frito peloCODB de Lippe em poca, em que rei-
nava o dspotismi ao menos proceda do maneira
que os soldados i guaruico nao eslive.NSoiii espos-
los s viiigaucas injusticas de seus superiores : e
uiiiguem dir qmoservicomilitar se nao fa/ia coin
loda a regularidao, nem que esseB soldados eram
maltratados em sessatartoisc liospilavs.ou so mos-
Iravam usubrouiMI. Viudo a vagar um dos lu-
gares de Icneiilcjoiieral. u tendo de ser substitui-
do por um de sci companhrirus d'armas em conso-
quencia de auiigidade, foi elle, n inmediato,
elevado ao postle lenenle-general-graduado por
Decreto do 2 dulezembru de 1856.
Desde que o iienle-goiieral-graduadn Coelho
foi accoiiiuieltidiiio lim Ciando do Sul pela mo-
lestia, de que fahinos adiaule, Suasaudu, al enlo
rigorosa, jainaislcou iuteirameute reslabelecida,
soRrendo poristanais ou menos seguindo as eon-
dioos em que se chava : e, se coutiuuava a prestar
Belirando-se as torcas liberaos da capital pelo
lim da tarde de 2 do tc\'ereho, no. d>-...onJo OVi
gadeiro Coelho : diversos cmbales anda* liveram
lugar na provincia, e sua presenca se fez nocessaria
quando, reuuindo-se em Agua-Prela os dcstrocos
das forras inimigas commandadas pelo bravo eapi-
lao Pedro Ivo Velloso da Silveira, que fura um dos
chefes liberaos que atacaran) a capital naquclle dia,
quizo marques de Paran, eanao presidente desta
provincia, que tossem reprimidos com as armas,
considerando islo, que era a continuarn do movi-
menlo armado, una segunda rovolla." Iuimigo de
derramar saugue, mesmo nos campos de balalha de
nossas guerras civis, o general Coelho fez ludo que
esleve ao sen alcance, alltii de que o capitn Vello-
so da Silveira se apresentasso ao administrador da
provincia, que achava-se possuido dos molhores sen-
limeulos asen favor : mas as suggesles, que rece-
bia esse oflicial, o levaram a resistir a tudo que
lhe era ulTorecido, e, ja fallo de recursos e exhaus-
to de forras em consequencia do alaque de Janeiro
de 1850, em que os seus muilo solTreram, a preferir
apresenlar-se ao presidente da prouncia de Ala-
goas, que enlo era o Sr. Jos Rento da Cimba e
Figueiredo ; resolnco que bem fatal lhe foi, por-
quanlo vio-se sacrilicado por aquellos que nao csla-
vaiu atiiorisados a promeltor-lne oque docidio-o a
ceder e a render-se, entretanto que havia regeitado
una honrosa amnislia que, por procuraco de seu
proprio piiulio, tora pedida ao liuado marquez de
Paran, e que comprebendia lodos os seus com[ia-
nheiios de nforloino, e nao Continua condices o-
fensivas de seu bro militar.
Os servicos prestados pelo brigadeiro Quelho at
o dia 2 de fevereiro o elevaran) ao poslo dajuare-
chal de campo-graduado, que lhe {u dado per De-
creto de 3 de marco de 1859, e em^ \t de junho
desse auno o governo imperial oondccflfcsi-o com a
diguitaria da Ordem do Cruzeiro, da quaBlk erao-
ficial desde 182. Nomeado outra vez ciinfrnilndan<-
l das Armas da Babia em o 1" do Janeiro do 1850,
s parti de Pernambuco em abril desse anno, dei-
xando-o inleiramciile pacilicado Se era verdade,
como se deve crr. o que escrevia em seu nOteio de
\'J de novembro de 1N8 o Sr. conselheiro Goocal-
vos Martins, islo quea presenca do dislicto
general era necessaria para que a reparlico militar
daquella provincia sahisse do oslado de decadencia
em que eslava. sua iioineaco para essa coiumis-
so, que ello oecunava, como dissemos, antes do mu-
vimenlo armado, (oa isto devida, e oulrasiguiOca-
rao nao tem, tanto mais quanlo, nao estando anda
completamente paeUicada esta provincia na dala di
sua nomeacao, s urna urgente necessidade de son
servicos poderla levar o governo imperial a faz-lo
vollar aquella provincia, o que s etfectuou-se de-
pois que foi sutTocado esse movimenlo revolu-
cionario.
A vista do rxctamento geral, a que lnliam che-
gado os nimos nesla provincia em consequencia da
lula, nao era de admirar que o marechal de campo
graduado Coelho soltresso alguma increparn de
seus inimigos, injustos quasi sempro em similhan-
tes circumstancias, e elle mesmo podia exceder-se
em expresses empregadas em algumas de suas
rummunicacoes olliciaes ; mas niiigiiein ha, que
com razopossa dizer que o bravo militar perseguio
vencidos, ou aproveiteu-ee da quadra para salisfa-
zer vinganras ; ninguem ha, que possa apresenlar
eiu sen procediineuto um s fado, que manche sua
vida militar, ou em sua espada nodoas de saugue,
que nao livcsse corrido cavalleiramenle nos cam-
pos de batalha ; entretanto mnilos sao os que esto
convencidos de que, se oulro fosse o general que
se ai hasse frente das tropas legaes durante 0 mo-
vimenlo armado, nao poneos leriam soflrido o que
oulros bao experimentado em idnticas circuins-
tancias, c sollreram os vencidos da provincia do Pa-
ra, em que familias, depois de deshonradas, viro
seus chefes inundado- brbaramente, e mesmo os
da Babia, em que at olliciaes superiores foram ter
a presigangas, das quacs sahirain por acto do Ilus-
tre general Coclho. 0 marechal de campo-graduado
Coelho nao linha relaces de ainisadu com Pedro Ivo
Velloso da Silveira, entretanto ao general deveu este
capito sua volla do Para para Pernambuco, eml842
onde eslava sua familia, e durante o lempo, em que
achou-se em Agua-Prela, ludo fez aquello para que
depozease as armas de um modo honroso c sem sof-
frimculo individual, sendo elle o primeiro a reco-
nhecer que eram amigos irrefleclidos desse bravo
capilo que o perdiam, corto o'disse om una carta,
datada de 25 de setembro de 1849, o dirigida a um
aniigo de amhgs e com ambos aparentado ; sendo
anda o primeiro a declarar a esse mesmo amigo o
mal, que fazia Pedro Ivo entregando-sosera garan-
tas escripias presidencia de Alagoas, que nao es-
lava aulorisada para tanto.
No commado das Armas da provincia da Babia
o marechal Coelho cumprio, como sabe faze-lo, o
seu dever, procedendoserapre exacta, branda e po-
ndamente (boj todos, pelo que goza all, como em
toda a parte em que tem estado, da estima e con-
sideracu geral, das quacs mais de urna vez ha re-
cebuto nfmleslsveis gravas; e isto deve lisonja-
lo, porquaMo outros nao tem podido conseguir o
uiesrao,. ^endo sido eleto Io supplenle de dopu-
tado geralpor Pernambuco, conseguindo-o sem re-
correr aos meios que sua posico elevada lhe uffere-
ria, contrariamente do que procedeu oulro, que nao
eslava era lao favoraveis cundinos, deixou o com-
mado das Armas daquella provincia para lomar
ausento n cmara temporaria i ms, parecendo ao
governo imperial quir su presenca era reclamada
naquelle commado das armas, visloque se falla va
vas do seu patriotismo, e do seu caractei veriadei-i
ramelo militar.
.< K este o lugar de louvar os seus servicos na
exped-o contra os rebeldes; de agradecer-lite a
boa volitado cora que sempre se preslou, e de sig-
iiilicar-lhe os meiis seiilimeulos pela sua ausencia:
mente que receben ser mais um garante dos
serviros.
' A asignado.fouqmimJoti da Silva San fluyo,
commandante das Armas.
< E quanlo pede o siipplicanle, e consta do re-
ferido artigo, a que* me repollo.
( Sala das ordena do cumulando das Armas da
l'einaiubuco, l!l do oulubro de 1840.
Jos da Silva Guimare* Junior,
< Capilo ajiidanlo de ordens de semana.
Illiii. Sr.Tendo X. S. aceitado, conformo ver-
balmcute fez sabor a esla presidencia, a coiumisso
de ir levar provincia das Alagoas, o entregar ao
respectivo presidente legal, u curpo de tropa, que
esla presidencia tez embarcar a bordo do brigue es-
cuna .'\illirrny, allm de que all se restalllo a a
ordeiu pblica alterada infelizmente por um pu-
uhaiio de facciosos da capital, nao posso deixar de
louvar a V S por oslo aclo do sen zelo c devola-
cn causa pblica, u qual pnrei na prosenra du
gnverini imperial, e declarar para o seu guveiuo e
direcio :
1." (.me tanto o dito corpo,romo o armamento e
diiibeiros, que a V. S. lom sido entregues, develo
ser poslos disposiou do l.xm. presidente Agosli-
nho da Silva Noves, un de quem legalineiite lizer
as suas vezes, mas que dos ditos dinheiros dever
V. S. deduzir a importancia de dous mezes de sol-
dos adianlados para aquello corpo, fazeudo-a de-
pois entregar ao commaiidanto do corpo
i i:' i.iuo V. s., segundo se lom communicadn
ao mencionado presideute nesta data, devora rc-
D1VERSAS l'UOMNCIAS
Rendimenlo rio dia 1 a 10. .
dem do dia 17.......
-2.V1S195
i i8091
1.7011186
DO
servicnsao paiz.como se nada sollresse, so fa/ia i gressar para esta capital, onde os seus snicos se
em vii lude dessama* patria, do lirio militar e do '
sua forte organisio phvsica ; mas, se ludo isto era
bastante para qu nunca ncua-se diante dos sacri-
licios, a idade, oe cresce, ia concorrendo para a
pona de suas focas corpreas. Apreseiitando-uos
ltimos lempos .otfriiuoiilos, quo parcciain proce-
der dos ceiros ervosns e nao podiaui deixar de
aggravar-se couliiiaudo elle na vida activa, que o
IBfcava a CummisO de que achava-se encarregado,
jiilgou coiiveiiiiie descansar por alguns me/ese
mudar de clima, lira do ver se consegua rehacer
as (oreas perdidas,! pOuer vollar ao servi.o do paiz.
Pela primeira vei 'ecorreu o loneiile-general-gra-
duado Coelho ao ga/emo imperial pedindiHlhe um
aiinode lieenra pfaitratar-se fora do Imperio, o,
nao podeiido esteuncede-la com lodosos MUS veil-
cimeiilos sera aiilnsaco das cmaras legislativas,
a estas dirigio-se i pc'dio-a : e com elVeilo o bravo
militar leve una p'i va evidente dassMiqiatbiasque
inspira, o das anecies de que goza, porquauto um
voto unnime vei.'nioslrar-lho qm
inteiraueiile iugriU com alguns de seus bous ser-
vidores, que, se -He tem desallectos polticos, nao
conla inimigos ente seus adversarios, e que, se na.
duas cmaras algn exislia, lodos reconlieciam que
era justo o que peda depois de tantos anuos de re-
levantes servos postados ao Imperio.
Obtendo a l'icencrpedida, parti o lenle gene-
ral-graduado i lucilo para a Europa, e foi rev er o
lugar, em que linli nasoido, o alguns membros de
sua familia, que ahila cxisliaui,principalmente una
irma que habita prlo de Lisboa. Chegando com
feliz viageiu a essacapital, deuiorou-se ahi alguns
dias, leudo tido a Inora de ser apresenlado ao Sr.
I). Pedro V, rei de Ihrtugal, e a sen irmao, o infame
duque do Porto, qie o trataran! rom inuila coiai-
deraco ; e, depois de haver soltado bstanle de
um abeesso que dtcnvolveu-so. na regiao dorsal,
parti por Mantea jara Pars ; e durante sua estada
nesta cidade occuptiu-sc de visito! osquarleis, o do
esliidar materias dksnapronssao, que podiam aprri-
veilar-lbe no serviro do Brasil. Em sua ausencia
foi nomeado constlheiro do guerra, c, vollaudo a
l'eriiaiiibiico, onde cliegou no 1." de oulubro do au-
no passario, leve te seguir dias depois para o ftio
do Janeiro, allm d- agradecer a S. o Imperador
lautos favores rec-bidos, e tomar -posse de sen lu-
gar no Conselho ; as, parecendo ao governo impe-
rial precisa sua piescuca nesla provincia, que nao
cosa de assusta-lo poisque er naquelles que espe-
culara com islo paa se tornaren) necessarios, col-
ln a Periiambiiro e tomn conla do enramando das
Armas, fa/eodo-o ko obstante nao achar-se comple-
tamente reslabefo'ido de una congeslo cerebral,
que o acorainelUra na capital do Imperio, e da qual
ainda soifre algurs dos ensiles.
Dando-se ima vaga no quadro dos lenles gene-
raes eireclivos, nitro nao devia ser considerado so-
no o general Coclho. No numero dos agraciados no
dia 2 de dezembro de 1S58 foi elle incluido, e adia-
se hoje elevado ao mais alto poslo militar, a que
em elluctivididc se pode chegar no Brasil, deven-
do-o smente aos seus relevantes servicos, e esti-
ma e cousideraco om que tido pelo monarcha.
Assim pois ( Sr. Jos Joaquim Coelho, seulaudo
praca como limpies soldado voluntario, aclual-
mentoteiieiiBgeiieral, consolhoii-o de guerra o um
doscavaUeiws lidalgos da Casado S. SI. o Impera-
dor, grao-Crin da Ordem de S. Benlo d'Aviz, digni-
tario da imperial do Cruzeiro, condecorado com a
medalha dlxercilo cooperador da boa Ordem, o
C0inn>uidant8"ias Armas desla provincia.
. TBimioald este rpida io.posieao i|a vida publi-
C4 do tenenle general Coelho, devenios declararque,
fazendo-a, s tiremos om vista fomecer aponla-
mcnlos quolle que quizerem escrove-la como
ella merece. En uossa opinio nenhum general
temos no Brasil, que seja digno de maior conside-
raeao e eslimo, e nenhum oulro excede-o em bra-
vura e bro ; ledo a felcidade de poder expor sua
vida ao examo la critica, uorquanlo nella se nao
enconlra um tai lo, que punlia em do vida, alm do
que dissemos, sia probidado levada ao apuro, osen
cavalleirisuio nanea arrefeeido. Se o lenle gene-
ral Coelho, nonasceu no Brasil, adoplou-o por pa-
tria, e ronsidira-se lllho d,i provincia de Pernam-
buco, .onde vive rodeado de ludo que lisongea as
suas alleices. Rom cidado, bom esposo, linio pai,
e bom amigo, iiingiicm ha, que o nao estime; e o
que dizemos nem nos imposto por considoraco
alguma, que nao leja louvavel, nem divida de fa-
vores recebidos, que procuramos pagar. Desde
uossa infancia estimamos esso militar, que conhe-
cemos no poslo decapitan, e o que escrevemos Mo-
nos do coraco, deixando-lhe um prazer, e nos
dictado pela consciencia. Procedemos voluntaria-
mente, s leudo por lim dar ao distinclo general
una prova do apreco, de que o julgamos merecedor,
o porcerlo aquellos, que nos conheceni, naoconsi-
doraro exagerado o que dizemos, nem dictado
pelo parcial seiilimeiilo da aun/.ade ; inassmenli
pela condieco. Km nada dependemos do Ilustre ge-
neral, eOpOUCO, que somos, s a nos mesmo deve-
nios; mas, se preciaosseiuns dos favores de alguem,
nao loriamos pojo de recorrer sua influencia, non
cvporiiiieiilariaruosacaiihamento de dizer que a es-;
influencia deviamos a posico, que oresemos
chegado, se para islo honvesse concorrido o Exm
Sr. Jos Joaquim Coelho coin seus bons ofBcios.
Tendo de depr a penna, encerraremos eslas li-
nbas com o que disso Tcito terminando a vida d
Agrcola : posterituti nrralas el traditu* su tristes
eiit.
Dr. .1. F
So do fevereiro de 1859.
DESPACHOS DE EXPORTxCVO PELA URSA
CONSULADO DESTA CIDADK NO DIA 17
DR SI ARCO DE 1(550.
LiverpoolBarca ingleza Oenovtove, Saunders,
Brolherso C, 11(1 sacias algodo.
CanalPatarho inglezMedea, Southall MellonA
i'., 630 saceos assooar mascavado.
FalmoulhBrigue inglez D. Ioo>, w liately l'ors-
ler 4 C, 2HII saceos tssucar mascavado.
nio da Pratabarca americana "J. E. Wiiamen
Hallar .V Oveira, 200 barricas as-ioar braneoj
Lisboal'.ilaohu portuguez ./arco, Jos dos San-
ios Pereira Jar.iiui, .'si saceos assucar blanco, 01
ditos dito mascavado.
LisboaBrigue portuguez l.aia I, I'. Gomes di
Otiveira, I casco agurdenle.
I.i-'ooa Brigue portuguez Constante, Sones v
C, 15 barriquinhas assucar branco, 10 dilasdilo
mascav ad.i.
Luanda i Patacho portuguez Tarujo II, Manoel
Joaqun) llamos o Cilra, co rasciM agurdente, id
4U barricas assucar uranio, 1(1 ditos dito mas-
cavado. I*
PortoBarca purlugue/.a Sania Cruz, 1". Itadick,
15 latas doce de caj.
BECEREDOR1A DE RENDAS INTERNAS GERAES
DE PERNAMBUCO.
Rendinieiilo do dia 1 a Id. 33:0
dem do da 17....... l:07llilyd
3ii:343|z76
la/eui niisler, no priineiru vapor que d'all seguir
para osla.
- :i." (.ino quando por circumstancias imprevistas.
nu soja possivel desembarcar a forca lio logar que
for designado pelo menciouado presidente, ou por
quem legalnienle suas vezesltzer, devora V. S. es-
colhor, o que para esso lim lho parecer convenien-
te, o obrar ludo quante for a bem da causa impe-
rial, que o da ordem pblica, o suslelilaco das
autoridades legitimas.
i." Que espero, que V. S. como militar hbil
e calente, concorrerf com aquella presdoncia para
o rostabelucimento da ordem pblica, durante n
lempo de sua estada naquella provinria.
- Para coiihoeiineiila c direcro do \. s., remetlo-
Iho por copia as iiistruceoos .pie nesla dala julgnei
ciuiveiiieiiU' dar ao commandante do brigueoscuua
Mrtltertii/.
Heos guarda a V. S. Palacio du governo de
Pernambuco, 7 de novembro do 1S3U.r'ranetueo
Naco nao j do Iteyi Barro*.Sr, coronel .los.loaqiiiin Coelho
- O Sr. brigadeiro .los.'* Joaquim Coelho, nomea-
do por osle governo para marchar provincia das
Alagoas, atioi de sur all empregadu pelo Exm.
presidente, conforme as Oxignelas do servir pu-
blico, o as circiiiiislancias actuaos daquella pro-
vincia, devora1 boje mesmo embarcar a bordo do
cter ICsperanot de lleberibe, que o ha rio i ondimr
a Slacei, onde tem rio ilasembarcar com as cin-
coeuia pracas que acompauhaui, do ." hntaUodu
arlilharia a p, para so reunirem s oulras que l
se acham, perteuoontes ao mesmo batalho. Cou-
lia o presidente da prov lucia, que o ililo Sr. bri-
gadeiro se haver no deseuipenho desta coiumis-
so com aquella pericia, exaclido, delidade o
zelo do serviro, deque lom dado eviiberantes pro-
vas em oulras occasies, em quo ha sido mister
emprega-lo. Palacio do governo de Pernambuco,
28 do oulubro de 1844.
Tliomaz Xnrier Garca de Almtida.
lllm. Sr.Tenho deliberado, vista do estado da
provincia de Pernambuco, onde son informado que
falla um general das qualidades de V. S. para diri-
gir as torcas do governo, nrdenar-lhe quo aoompa-
ulie a expedioo, que marcha desla para aquella
provincia, commandando-a, e apresentando-se ao
Exm. presidente dePornambueo para o queso ser-
viro publico alli comer, al que receba ordem do
governo imperial, a quem passo a otnciar, dando
parle riesla uiinlia deliberaran, que juslilicarei. I-
de crer que V. S. avallar por esle mea aclo a
importancia que don s circumataneiaa em que si*
aeha a referida provincia, para onde V. S. marcha,
e era quanlo avaho o aovillo que para alli envo na
possoa de V. S. Silln esla iiecessdaile que me
priva temporariamente de um commandante das
Armas, om qucinriepnstava rompila cuiilianca,
e cora o qual teiicinnava tirar a repaciieao mi-
litar do estado decadente em queso achaca.
Dos guarde a V. S. Palacio du governo da
Babia, I!) rio novembro de 1848.frum-isro f.uii-
rulces Martins.Sr. brigadeiro coinmandanle das
\rnias.
Eslavaui reconhecidos.
" CONSULADO PROVINCIAL.
11.....lmenlo do rita 1 a 10. .
dem do dia 17.......
3'.IH5S18
!l IISII2.S
40:3158052
Movimcnto do porto.
Natos entrados na dia 17.
liba de Fernando dias, hiato brasiloiro Srrijipa-
iio, de 54 toneladas, capilo lleiirique los Viei-
ra da Silva, equipagem 0, em lastro a Luil Bor-
ges de siqueiia.
Iliu de Janeiro (1 dias, vapor ingle/ Tune, cuin-
iiiaiidante Sawyer.
tvio (|e Janeiro17 dias, polaca hespanhola Xieasia,
de 21 toneladas, capilo Isidoro Slellel, equipa-
geni 12. era lastro; a Aranaga Bryan.
Tena Nova28 dias, barca ingleza Trinculo, rio
310 toneladas, capilo I. Pierre, equipagem 15,
inga 3750 barricas com bacalho ; a JohnslOU
P......A C.
Hiede Janeiro lidias, escuna hollando/a Sara
Eluabet, de 200 toneladas, capilo w T. Knipcr,
aquipageiii 7, ora lastro ; a N. O. Bieberci C.
New Zelaod2 me/os, galera anyrcaua llaembor,
de 175 toneladas, capilo llejainii II. llalsey,
equipagem 29, carga 2.000 harria com azeite d
peixe; ao capilo. Veio refrescar e seguio para
New bVdford.
llalifax28 dias, brige ingle/. Feclipm, de 110 to-
neladas, capilo ti. Mitohell, equipagem 8, carga
l"rt)8 barricas com bacalho; a Whatly Prster
a c.
ivifoios sahiliis no mesmo dia.
Soiilhamplon e pnrlns intermedios Vapor inglez
1'ijne, comuiaiulaule Sawvcr.
Luanda Brigue porlUqUOZ l'rnmihante, capilo
Julio L. Alvos Chaves, carga agurdente e mais
gneros.
OBSERVACES SIETI'.OROI.OGICAS.
DU 17 iir Mineo.
DOCUMENTOS.
>< Conrado Jacob de Nieuicycr, tenrnlo-roronel do
corpo nacional de ougenheiros, inspector geral
das fortitiraces da provincia, c qiiarlel-moslro
general do Exercilo cooperador da Boa-Ordera
ele. ele.
Atiesto, quo o Sr. major Jos Joaquim Coclho,
tendo seguido o Kxerrito cooperador da Boa-Ordem
desdo que sabio desla praca, foi una das primeiras
pessoas que mais se disliiigiiiram em todo o decur-
so da caiiipauha, lauto com a sua pessoa como com
as suas acertadas reOocces, e medidas : commau
dando sempre brava, e dignamente o nrimeiro ba-
lalhao de eassadores, a com elle foi na Barra Gran-
de ncarregado de defender a uossa alia esquerda,
e e nesta defeza quu se enclicu do gloria, porque o
morro quo formara o extremo desla alia, o que era
a uossa mais importante posico. por dominar lodo
o acampamento, foi sempre atacado cora Torcas
muilo superiores, que elle em pessoa sempre
repellio comparle du seu batalho, leudo or-
dem do se dofender al a ultima extremida-
dc, executou a furlilicaco desle morro por nina
maneira tal, que sempre leve poneos forillos, e
fez estragos os mais considerareis ao iuimigo,
ponto de desistir da eniprezo de poder fuar s-
quellc lugar, u por consegrante de nos desalojar do
iiosso acara panculo, sendo notare! nesla defeza o
da 8 de julho, dia do nosso maior triumpho, e da
sua maior gloria, que seria faslidioso o relatar cir-
uumslaiiciadameiile, no que alias nada augmentara
a um ullicial, que por seu nomo se lera faite respei-
tavel entre os homens honrados.
No dia 7 do mesmo mez, comiuandou o ataque
felo sobre o inimgo, no qual a nao orcorrer achu-
ra, e a prnmiiidado da imito, completara a sua
derrota, por se adiar j o inimgo em precipitada e
vergonhusa fuga, o que por tal molivo veio a exo-
cular em 27 do mesmo, e foi nesle alaque, que re-
ceben no braco esquerda urna bala honrosa em de-
feza do Imperador, e da patria, o que tudo allirmn,
accrescendo mais que por me faltarem la rellexoes
nao me satisfaco em dizeroquanto o coraco sonto
a respejlo de un lio digno oflicial, embora' os mal-
vados metachemde exagerador.
< Passo a presente por me ser pedida.
Redro 4 de dezembro de 1824.Conrado Jacob
de Memyer, teneiile-coronel engenheiro.
* lllm. c Exm. Sr. Jos Joaquim Coelho, bri-
gadeiro graduado do exercilo, se lhe taza bem,
que V. Exc. mande ao ajudante de ordens de sema-
na, passar abaixo desle por cerlido, a parte da or-
dem addicional do dia 1. de abril de 1833, que
diz respeito ao siipplicanie : do que espera reeabor
ore.
Como requer. Quarlel do cominaiirio das ar-
mas de Pernambuco, 17 de oulubro do 1840.
S Brrelo.
* Em cunipriincnlo ao despacho supra, certifico,
quo o artigo da ordem addicional do que faz nieu-
oo o supplicanle du llieor seguinle :
Quarlel do commado das Armas de Pcruam-
nambuco, na povoacod'AguaPrela, 1." de abril de
1833.
' Artiyo da ordem addicional.
OSr. lenenle-coronel Jos Joaquim Cecilio, es-
so brioso militar, que faz honra a sua classe, foi in-
cido no dia 12, na entrada de Brejo Velho, (cando
assim privado por algum lempo de continuar nol
servico da chara patria, e de dar nao equivocas pro-'
Publicaces a pedido.
Vo caialleirii il.i ini|ii-i:il
orili-m il:; usa, Gcriiimio 1'. de Oli-
vuira.
Iloni viudo s plagas da cidade uossa.
Cmoda seena, que lardaste lauto;
Vem, o eutliiisiasmn neceudu u'alma
Paz-nos dos olhos destilar o pronto.
Se em Guasbara louros mil ganhaste,
Fin Pernambuco umlhrono leus llrmado:
Prosigue, actor, que entre os hrasilios genios
Teus mu nonio ganhado.
Eu que as arles adoro o que rios genios
Paco um quadro lo bello,
A li, artista genio, alma consagro
Pois que um genio da seena s o modelo.
Chegasle Pernambuco, um aslro novo
Para nos ilespoiilou ;
Oueremos ver-te altivo no proscenio,
Que sempre o genio leu nos doslumbrou.
Segu avante, mil glorias le prometi
Um povo amante, idolatra das artes:
Conhecido j s, leu nomo em breve
Rosnar altivo em todas as parles.
Rom viudo s plagas da cidado uossa,
(ionio da seena, que lardaste lano,
Vem, o enlhiisiasino acconde n'alma,
Faz-nos rios olhos destilar o [iranio.
./. .1/.
C03I1IEUC10.
PRACA DO RECIT 17 flEMABCO DE 1859.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Cotacbes nfllclas.
Caniinn sobre Londres25 1/2 911 d/v.
lia 16.
Cambio sobre Londres25 1 2 90 ri v. ,
hilo sobre llamburgn710 rs. por M. B. 911 ri v.
Descont da letras8 e 12 I) II ao auno.
Prod. Bobilliard, presidente.
P. Burgos, secretario.
ALFANDEGA.
Renilimenlo do da 1 a 10. .
dem do dia 17 ,
229:81 ie.8f.3
11:255557(1
Volumes sabidos rom fazendas
com gneros
241:0708433
Descarregam hoje 18 de marco.
Barca inglezaTrinculobacalho.
Rana americanaImperador farinha o bolacha.
Paihabote nacionalDous Amigos o reato,
Brigue nacionalDamofarinha, foiiao o fumo.
MOVIMCNTO DA ALFANDEGA.
Volumes entrados com fazendas ... 75
com generen ... 82
157
"8
151
259
Iiii|)oi't:ii-Aii.
Hiale nacional NOM Auyelira, viudo do Coarte
Assii, con.igiiaihi a Prenle Vianna iC, manifes-
tou o seguinle:
161 alqueirea sal, 19 saceos caf, :is ditos cera de
carnauba, 31 meios de sola, 28 mullios eourinho
de cabra, 200 dilos do palha de carnauba, 18 ionios
curtidos: ordem de diversos.
Hiato nacional Arar.atn, viudo rio Aracalv, con-
signado a l.amiiiha A l'ilhos, mainfesloii' o go-
giiiule :
30 saccas cera de carnauba, 17 mollins esleirs
de palha do carnauba ; Joaquim Francisco de
Alm.
09 volumes trastes de uso domestico; Vicente
F. dos Sanios Camiuha.
22 sacias cera de carnauba, 50 saccas algodo em
plumas: Caramba \ Filhos.
i eaixo sapatos : Vianna di Guimartea.
25 lardos sola, 4 dilos COIlrinhOS ; Joo Keller
& c.
Vapor nacional Paran, viudo du sul, manifestou
0 seguinle :
1 Caixote ignora-so ; Isaac Curio \ C.
10 volumes dito ; Germano Francisco do Oli-
veira.
1 dito dito ; Joaquim Antonio F. Jacobina.
1 dito dito; i Antonio Ignacio do Reg Medeiros,
1 ililo dito ; Antonio Pereira O. llamos.
1 dito dilo ; i Jos Benlo Goncalvea c.
1 dilo dilo ; Luiz Borgcs de Cerqueira.
1 dito dilo ; 4 Manoel de Azevedo Punios.
1 dilo dilo ; Caetano C. da Costa Moreira.
1 dito dito ; k Miguel F. de Faria.
1 dito dito ; A Manoel Ignacio rio Oliveira Junior.
2 ditos dilo; Francisco do Figueiredo.
2 calas e 1 mala joias ; loan Sch.un.
1 eaixo ignora-so ; Guilherma da Silva Gui-
maraes. | jk
1 dilo dilo ; Manoel Joaquim HTe Silva.
1 embrulho dilo ; ao conselheiro Jos vulnnio
Sarava.
'1 rollo dilo ; N. O. Bieber .v C.
CONSULADO GERAL.
Rendimenlo du dia 1 a 16. 77:442]
dem do dia 17....... 1:725
79:4678974
lid.i m
9 x
l/dia
3 da l
6
Cumulu!
SE
-a
a
'i.iivii.v.i.ruo
20.1
27.1
29.
28.H
27.
20.8
21.7
23.5
23.1
l'l.'l
A iiiule eslevo nublada o de
amanheceu.
Observatorio do arsenal de marinha
de 1859.
VlEGAS Jl'MOR
agucenos, e assiui
17 de marco
Declaracoes.
Stirci'toi'ia Kcral ila iiisti-m-i/au publi-
ca il:i u-iiv in.-ia. -
Por esla secretaria faz-se consta! a quem convier,
e de ordem rio Sr. director geral interino o Dr. Je-
roovnin \ Uella de Castro Tavarcs, que om otllcio do
I ah. Sr. conselheiro presidente da provincia de 1
rio concille foi determinado o seguinle quo os pro-
fessores pblicos devem requerer presidencia por
inieriiiediu da directora, auna de que sejam lugo in-
formados osseiis requerimeutos ; oque Ibes nao
dar lii enea para tratar de negocios seus, sem que
deixean substituto contento dos delegados litte-
rarios.
E para que chegiie ao conhociiiientn dos iuteres-
sadoaje mauriou publicar o prsenle pela imprensa.
Sucrelaria da nstrucrao publica 1 i de marco de
ls59.II Secretario, Francisco Pereira Freir.
O cobrador da recebodoria de Pernambuco
avisa a quem convier, c principalmente aos pro-
priotarios de canoas, que ser diariamente encon-
irado das 6 s 8 horas da luauha, em sua casa na
ruados Pires u. iOA.aliin de mais Ibes facilitar o
pagamento dos impostes que nao foram pagos na
reparlico era o lempo competente.
Pela contadoria da cmara municipal do Roe i fe,
se faz publico, que o lira/o marcado para pagamen-
to dos impostes de oMabeleciiuelitos, linda-se lio
ultimo de marco do crlenle auno, o lodos aquellos
que nao pagarem, licaiu sujeitos mulla de tres
por rento ao valor do mesmo imposte. Contado-
ra da cmara municipal do Recite 10 de fevereiro
de 1854).O contador,
Joayuim Tacares fndocalho.
Pela recebodoria de rendas internas geraes se
faz publico, que se tendo concluido o lancamenlo da
laxa de eneraros do exercicio corrento, podetu vir
paga-la todas as pessoas que apresentaram rela-
cues para a actual matricula do quinquenio de
1s5.m i: 1863, o na necasio do pagamento recebero
os competentes cortifirados. Recebodoria de ivr-
nambuco 15 de marro de 1859. o administrador,
Manoel Carueiru de Souza Lacerda.
Diroctiirin secal du iisiriii-<-:ni "iinhli-
<*n ila provincia.
Por osla secretaria faz-se constar a quem convier
a inlcressar, que o Sr. director geral interino lem
marcado o dia 2Nrio enrrente, segunda-feira, para
o concurso primeira cadena de historia e geogra-
phia do gimnasio pernambucano, cujas materias es-
tn designadas no regulamento interno do mesmo
gimnasio, arts. 127, 128, 129 e 130, asaber : Mal
lia dos lempos primitivos, povo hebreo, Kgvpci
Vssvrns, Rab Ionios, Pliemcins, Modas e Persas
historia e geographa da Creca ; geographia e his-
toria Romana ; geographia e historia da idade me-
dia. E para que cnegue ao conhecimento dos intc-
reaaadol se mandn pulicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da inslruci;o publica 16 de marco de
1859.O secretario, Frnciaco Pereira Freir.
Tribunal emninercio.
Pela secretaria do tribunal alo commercioda pro-
vincia de Pernambuco se faz publico, que nesla data
lien inscripto em o competente livro, o Sr. Miguel
Pereira Leal, Portuguez, de 29 anuos de idade,
iliiiuiciliado com sua casa do comuicrcio, em gros-
so, nesla cidade. Secretoria 14 demarco rio 1859.
Dr. Apriijio Gninanies.
(inicial maior.
Pela subdelegada do primeiro dsiricto da fre-
gue/ia dos Alagados se faz publico, que se aeha de-
positado um carallo castanno, andador, que foi ap-
prebeudido pelo inspector doquarteiro da Ibura,
por ter apparecido em trras do nngenha Ibura, o
.sor no lugar desconbecido, indicando ser urlado :
quem se julgar com direlo coinpareoa, quo pro-
vando lhe ser entregue. Subdelegada rio jirmeinT
dislriclo dos Aogados 15 de malvo do 18o9.Jote
Gorgonio Pues Barreta.
< imsi-lliu .-nliiiiiiislrattao.
O ciinselbn ailininistrativii, jiara forneciuieutu do
arsenal de guerra, em cumplimenta do arl. 11 do
regulrnoste do 14 de dezembro rie 1852, Caz publi-
co, que foram aceitas-as propostas rios seiihores
abaixo declarados.
Para o presidio de Fernando.
Sampaio Silva i '-.10 escarradeiras de lati a
29900.
Anlonio Ferreira Braga10 colchoes do pando
de Hubo com 81 1 palmos de comprimente a 3 ditos
de largura aSfbuO; 10 Iraveaaairoa ria mesma fa-
zeiula com 3 palmos de comprido e 2 1/2 dilos de
dimetro a 800 rs.
Para prorimenlo do arsenal de guerra.
Sampaio Silva A C10 mlheros deprOgOSli-
paos da lena a 1)600.
Anlonio llamos- 2IHKI lolhas a 70f.
O cniselho ai isa aos seiihores cima menciona-
dos, que devem recolher OS gneros vendidos no (lia
19 do corrento s 10 horas da inauha na secretaria
do conselho ; excoptuando-se os colchoes e Iraves-
seiros, que serio recolhdos no da 20 do andante
mez.
Sala das soasos do ronielhu administrativo, para
forneciineiilo do arsenal re guerra, 17 de mareo de
1859.Francisco Joayuim Pereira Lobo, vogal e
secretario.
A delegacia do cirurgin-mr do exercilo em
l'ei luuiboc o, precisa comprar os .seguimos objectos.
lis Srs. pharmaceulicos e droguistas que quize-
rem vender os referidos obtoctos comparecaui na
delegacia pelas 10 horas do dia 21 do correnle mez,
na praca da Boa-Visla ii. 19.
Secretaria do delegado do cirurgio-mr do exer-
cilo em Peruambuco 17 de marco de 1859.Dr. Josi
Auyusto de Souza Pilonga, assislente do delegado.
Kola das drogas, mtitamtnio* t utencilios precisos
para a botica dohotpitul militar.
Assucar retinado alvo 1G arrobas. .
Acido uitrico 12 libras.
Ara raba em p 1 libra.
Ucool 30.'' i caadas [em garrafio).
Agurdente i caadas lom garrafanl.
Agua rio Labairaquc 3(1 garrafas. >
Bicarbonato rie soda 2 arrobas.
Carbonate de magnesia 16 libras.
Cvtrato de potassaS libras,
llevada 1 arroba.
Capsulas de oleo de ligado de bacalho ;i(loai\,is
Capsulas de oleo de ciipahiha 30 caixas.
Capsulas rio cupahiba e cebollas 10 i ai\a-
C) anureto lo mercurio 2 oneas.
Carbonate de polassa 4 libras.
Casi oreo Boncas.
Boloes do rosas 2 libras.
Banha de porro fresca 2 arrobas.
(era branca em llor 2 arrobas.
Caixas para pillas 3 gruas.
Caitas de pliiho para ungento 4 grosas.
Iienlochloriirelo de mercurio2 nina-,
escamonea d'Alepo 4 libras.
Extracto ib' miiluugii 2 libras.
Extracto de valeriana toncas.
Extracto de fumaria 4 oncas.
Ksscncia do salsa 20 vidrns.
Emplastros de ncula mercurial 10 libra
Figado do enxofru 8 libras.
^. Carrafas pretas pequeas 300.
?ls'i Funis de ridro pequeos :l.
Indiireln de potassio i libras.
lodo lll oncas.
Exlrato de tarraxaco 1 onra.
Colunia arbica 10 libras.
Acido sulphurico 10 libras.
Sueco de ponas de espargo 6 garrafas.
Potaaaa 1 libra
Cnxofre sublimado i libras.
Manu commum I arrobas.
Mercurio 16 libras.
Moscas de MiUOO.
Nitrato do piala fundido 10 oneas.
Oleo de aniz estrellado 10 oncas.
Oleo do ligado de bacalho 1 arroba.
Pillas de Vallel .'W vdros.
Pillas de lllaucur 30 vidros.
I's negro 1 arroba. .
Resina de aogicu 1 arrroba.
Resina de gniaeo I libra.
I'olpa de lainaiiudos i arrobas.
Ilolhas francezas boas 1000.
Sueco de grosellos 10 garrafas,
oleo de ameudoas doces 2 arrobas
Turbilh vegetal em p 1 libras.
Tarjas para vidros 1000.
Penetras do seda roberas 2.
Venenas de cabello Cuberas .
\ uopo peiloral inglez 20 garrafas.
Panel de embrulho 2 resmas.
Papel de follro 1 resma.
Sebo de llullamla 2 arrobas.
Sahugueirn 10 libra*.
Oleo de oliveira 2 arrobas.
Agua dislillada do OOr de larangoiras 32 libras.
Agua deshilada de rosas 30 libras.
Raelilha para coadores 20 covados.
Macolla gallega 4 libras.
Emplastro adnisivo francez 20 varas.
N. B. Todos estes obfcclos devem vir compe-
leniemente arraujados em vasilhas proprias e nao
embrulhadoa em papel.
Boiica rio hospital militar em Pernambuco aos 17
de marco de 1859. Domingos Comes Borges, phar-
inacoulico.^
Crrelo rerRl.
Relaco das carias seguras viudas do sul pelo vapor
inglez Tyne, para os senhores abaixo derlarados :
Agoslinho Erineliuo dV Souza Jnior.
Antonio Lopes Pereira de Mello.
Jorge Kerbitl.
James Ryder & C.
Joo Jos de Cuva.
Jos Prancisrs da Costa Guimaraes.
Leoncio de S Cavalcanti de Albuquerque.
Mnura Freir.
Manuel l'.lov Mendos.
Mannol Concalves da Silva.
Silvinn Cuilhoriiie de Barros.
Severiano Jos de Moura.
- Por ordem da subdelegada do 1." districln da
cidade da Victoria, so aeha rerolhido i cadeia da
mosma eidade, oescravo Domingos, crioiilo, o qual
escravo na occasiao era que foi preso declarou an-
dar fgido, o que era escravo de 1). Mana de lal,
moradora no sitio vdente da freguezia do Curato
de Ri ou Jardim ; portante, a pessoa a quem perleu-
cor dilo escravo, apresenle-se perante a dita sulide-
bg.icia mullido da competente justilicacao que lhe
ser entregue. Cidade da Victoria 15 do marco de
1859.0 subdelegado,
Alexaudre los de Holiandu Catakcnti
Crrelo.
Pela ariminislrareo do correio desla provincia se
faz publico que amiiha (19) do enrreuto pelas 4
huras da larde serio fechadasfc malas que lera de
de coniliizir o vapor eoateiro J'rtiniin;a, com des-
lino a i'aiunnd&r e Macei.
De ordem do lllm. Sr. insperln da thesoura-
ria de a/enda dessa provincia se faz publico para
que cheguo an coiihecimentn das pessoas a quem
uteressar, que se aeha marcado o dia 26 do enren-
le mez as duas horas da tarde para a arremalaco
na mosma thesnuraria, quem mais der, do alu-
gncl do predio assobradndo pertencenle aos pro-
prios naronaes em frenle do arsenal de marinha ao
qual esleve servimlo al agora. Secretaria da the-
snuraria de fazeuda de Pernambuco 17 de marco de
1859.Servindo do olhrial maior, Manoel 'Jos
Piulo.
uiin.
56
755.8
755.5
THEATRO
DE
Santa Isabel.
EMPRKZA-GERMATt'O.
1.* RECITA DA ASSHINATI'RA.
S A BB A DO 19 DE MARCO DE 1859.
Dopois que a orrhestra, regida pelo 9r. Franrisrn
Libanin Colas, livor exce.ulado excellenle sympho-
nia da opero
OBERTO
rio inaeslro Verrii, a coiiipanhiadramalicanacion.il,
sob a direcio do artista Cermann, representar a
comedia-drama de coslumes militares em 3 arlos e I
quadrns, oll'erecido o dedicado a S. M. el-rei o Sr.
1). Pedro V, por seuaui
m.
asques.
dem.
io Moreira do Valle.
A. F.deC, Lisboa.
Thoinaz Antonio F.s-
Pl'.ll
generaK*-Mandel JaanuiT
1 coronel de caradores n. 5.'
de campo.Li
o da 8* aera
aegento instructor;
piuca.
Ha-Cira, 'sargento da 4.".tanocl Antonio de Car-
valho.
O alteres islructnr.Valle.
0 sargento"*! 8"\-*-JUnoel Correia.
29, quartcleiro da 8.* e camarada de Jorge, CU an-
uos.Germano.
Escopeta, rancheiro.Manoel Antonio Nunes
Bataludo, recrola. Manoel Antonio Pinheiro.
lim paisano.Francisco Correia Vasquos.
" grilhela.Virgilio.
dita, Francisco.
>, Qlha de 29.D. Mndela.
Anglica, mulherd29, otaradeira du liatallrm
1). Jesuina.
Olliciaes, sargentos, eabaae soldados de cacado-
res 5 e do regiment 16, recentas, faxluas, miisi-
cos, corueteiros. lanibores, etc.
A aeco paflsa-se uo C.astello de S. Jorge, e o ulti-
mo quadro no campo du Ourique em Lisboa,
pocal8t. .
. J
\
*
f
M
Compiihia Peroambucana.
O vapor nacionil Persinunga, commandante o
segundo lente Moreira. seguir para os MMios do
sol de sua escala no dia 20 do corrento as 61/2 ho-
ras da manha. Becobe carga al o dia 19 ao meio
dia.
RIO GRANDE DO SUL.
Vai seguir em poneos dias o brigue narlonal
D. Alfonso, capilo Marques, pode receber algu-
ma carga para o mencionado porte, assim como
passageiros : os pn tendentes en leuda m-so com
Bailar t Oliveira, na ra da Cadeia Velha, escriplo-
rio n. 12.
Para o de Janeiro sabe com muita brevidade o
bem conhecido brigue Sagitario ; para carga e pas-
sageiros, trata-so com Manoel Francisco da Silva
Carneo, na ruado Vigario u. 17, primeiro andar.
Aracaty.
Segur nestes dias o patacho Sanas Crut, recebe
rarga a frele e passageiros : a tratar rom Caetano
Cynaco da Cosa Moreira, no lado do Corpo Santo
u.25.
Para o Rio de Janeiro
segu imprelerivelmenle no dia 20 do correnle el
patacho nacional Julio, anda pode leceU-i mi
saceos : os pretendemos euteiidam-se com o sru
consignatario Anlonio Luiz de Oliveira Azevedo, no
seu cscriplorio na ra da Cruz n. 1.


u-t.
-T-r-


Diario de Pcrnambuco.Sexta feira 18 de Marco de 1859.


-
i

COMPANHIABRASILEIRA
DE
POETES A VAPOR.
o primeiro
dos portes do
O vapor Toeantins, cnmmandanl.
nenie Pedro H. uuarte, espera-se
norte cm seguimenlo aos do sul al o da 20 docor-
raue.
Roccho-se desde jpassagoiros, frele do dinlio-
ro c onconimondas c oiigaja-se a rarga que o va-
por poder onndn/.ir, sendo 08 voluntes despachados
com antecedencia al respera de sua chegada
agencia ra du Trapicho 11. fl).
Para a Bahia.
O veleiro bem conhecida pathahnte Un Vm-
lo do seu carrosamente prmpto : para o resto, tr.i-
la-sccom em consignatario Antonio l.niz dn Oli-
veira Azevedo, no sen escriplorio roa da Cruz u. 1
Para o Rio de Ja-
. neiro.
O bom condecido p veleiro bgue nacional mn, de primeira merclin, pr. jado e forrado de
cubre, pretende seguir rom umita brevidade, Icm
parte do seu earregomenlo prompto : pora o resto
que Ihc falta, trata-se rom o seu consignatario An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo, no sen escrinlorio
ra da Crin n. 1.
Para o Assi'i
segu nestes das a escuna nacional F.meralda, re-
cebo carga n frote : trata-se rom o sen consignata-
rio Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo, no seu ps-
n iptorio ua ra da Cruz n. 1.
Para o Ilio de Janeiro
sabe breve, por ter parle do oarregamenlo promplo,
obrigue nacional Helena, capito Domingos H.
Maffra : a tratar com os seiis rimsignatarios Tasso
I maos, ou coni o .mesmo capitao.
Segu viagem at o da 31 dn corrente para o
Rio de Janeiro, o patacho nacional Kxmra / : para
"arga Irala-se na na de Apollo, arinazom n. 10,
mi com o capito a bordo.
Para o Rio de Janeiro.
O veleiro e bem ronhocido patacho nacional Ju-
lio, pretende seguir com muila brevidade, tem par-
te de seu corregamcnlo prompto para o resto que
lhe falla trata-se com o seu consignatario Antonio
luiz de Olirein Azevcdo, no seu cscriptorio ra
da Cruz n.1.
Para a Bahia.
V yeleira e bem condecida sumaca nacional Ilor-
lencia, pretende seguir com milita brevidade, tem
dous tercos de seu carregamento a bordo : para o
resto que lhe falta, trata-se. cotn o seu consignata-
rio Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo, no seu es-
criplorio ra da Cruz n. 1.
Ao publico.
Precisa-se alugar um mofante que tenlia 10 a
18 anuos, anda que nao lenha habilidad algunia,
mas que seja bastante esperto para vender onro
polas ras da cidade rom nina caixtnha bstanle
leve: a pessoa que tiver a quizer alugar, on an-'
nuneie por este jornal, on dirija-so o ra da Sania
Cruz n. 15, que ai-har coui quein tratar.
Alheen Peruam-
lmcano.
Sao convidados pelo prsenlo, os sonhoros socios
do Alheen l'emambui ano a comparooerem a sos-
sao do ab,ri,na, que teri lugar no da 20 do cor-
rente, as ni horas dn manhaa, na ra da Trinchei-
rasn. 40, primeiro andar. Secretaria dn Alheen
euili de narro de 1*5.Bl." secretario,
- Jooquim Mortira ih Castro,
alorro l,a PoaA'isla, o Sr. Bciriz, ra do
Collegio, o Sr. Cipriano, dirn quem d um ou
dous tontos de ris rom hjrpolheca ou firmas.
Jos,; lenlo d,i Costa Carreta de Almeida, sub-
dito porlugiiez, retira-se para o Porlo,
l'roi isa-se de nina ama forra ou captiva para
casado ponca familia : na ra do Caldeirciro n. (l,
I ni rapaz aolleiro que d conhecimento de
sua conduela, propoe-se a eusiuar primeiras letras
eni algiiiu engenho, ou eiu nutra qualquer parte,
particular, nos arrab.ildes desla ridado 4 a 12 le-
guas : quein de son presumo se quizar utilisar,
dirija-ge a ra Augusta n. 1, taberna, que se dir :
Ama.
Leiloes.
S11PTIOS0 LEILAO
Finos movis, vi A vos. \von-
*es, cryslaes, porcelana,
uvata e ontvos argos
etc., etc.
IIV U IRll X. 18. PRIKFIRO AMAR.
Sexta-feira 18 do corrente.
Prorisn-se de urna ama que cozinho porfoitamen-
le e engomme alguma cousa : na ra do Collegiu
n. 13, segundo andar.
Esta fgido o prelo Manuel Cangallia, qiio tem
as peinas milite lentas o lovnu calca azul e camisa
branca : quein o pegar levo-o a taberna do Pintos.
Ao aterro na Boa-Vista n. 8, nesia ultimo va
por, rhcgarain quoijns do Minas milito frescos.
AiTonda-so ou vende-se mu silio no lugar da
Torre, niargem do rio Capibaribe, com excllcnle
casi de vivenda para grande familia, contendo i
salas, 10 quarlns, co/.uiha fra, urna son/ala, coche-
ra para 2ou .1 carro., (piarlos parra criado eprelos,
estribara para 0 cvanos, quartospara animaesdo-
msticos, galinhoiro, cacimba com excelleule agua
de beber, e oulra eom bomba o casa ib1 banUn, jar-
dim com vasos linos o ligaras, baixa da capini, po-
mar do larangciras, alora do entras (roelasdo paiz:
a pesaos que prolender, dirija-so a ra de S. Jos
n. 45.
O I)r. 1). Ilaphaol Snnehor. leudo doiclii.ii s,.
hrevemenle para Europa, participa ao publico aliin
de que as pessoas que quizi-rem uliiisar-se du seu
prestio, romo medico oculista < procurem en a
sua residenciahotel illglezde Ulna al horas
da lardo.
Procisa-se de um caixeiro porlugiiez que le-
nha pralica do taberna e d dador a sua conduela :
na ra do Sanio Amaro n. 2S, taberna.
---- Os al:n\o aslj;n,uios azCOl SCICII-
tes uo publico que se desencaminliaram
CASA DE SAUDE
SITA EM SANTO AMARO.
DON
Nosie esiabelocimcnu ha as melhores acommodaces para se (ralaiem doeiilcs de qualqucr cathe-
gnria c sexo.
Adiara menor he de2(500, devendo o pagamento ser feito por.quinzenas adianles.
llavera omaiorzelo ecmpenbo no iralamonlo (los (lenles os quacs sern visitados pelo monos
duas vanpordia pelos neticos proprietarios do estabelecimento.
oproteodentaUcha-se arrumado, e o motivo desa- com a carta em que vinliam pelo Igua-
hirsedir. rassii tres leltras que por avisos de Ma-
Desapparcceii no da 7 do corrente, do largo
dos Alegados, um carallo rodado, pequeo, sella-
do, ten oespinhaoo lodo ferido, os qnadris raladus,
tem ua sainelha urna marca auliga, magro c anda
bem a passo, bastante ardigo, com um carimbo do
lado eaquerdo, ea marrado lado direilo, que logo
que apparoia se apresentar : pedo-so. as autorida-
des noticiaos ou qualqiicr pasatfa particular que
delle livor noticia, annuncie por osle Diario para
cel foram scientilicados ele ter la' si-
do lirmadas pilos Srs. Silva Leao & C,
daquella cidade a favor dos ahaixo as-
s{fuados em data de 31 de Janeiro pro-
Mino passtdo a 5 niez.es de prazo, sendo
duas de I0:Jj00 cada urna e urna de
ser procurado, un levoin-iio a sta praca, alra'z do j 10:5t(0,f e pievine-SC S todas S peSSOaS
Corp,, Santo, roa da Cruz n. til: no tuquia, sillo do que no acam nepocio aleum com as
capitao .lose Horencio de Oliveira o Silva; em .,'..___' j ", ^ .
supra mencionadas leltras, visto nuo tc-
retn as mesraas ainda clie/jado as maos
dos abaixo assiguados e por isso nao
podemtero nosso endoce e os Srs. Silva
Leo & C. ja estilo prevenidos de no pa-
gar senao aos abaixo assignados.
l'ernambuco 15 de marro de 1859.
James Crabtree & C.
Muribica ao i.iajor Jos Carlos Tcixeira ; ou o ni
Santo Anio, ao seu dono o lenle Joo Jos de
Moura, que se pegar toda adospeza.
Kst tratada por venda a casa de um andar o
soto na ra Direila n. ISt, pentencente aoSr. Ma-
nool Coolho de Mi,rese Silva : quem se adiar com
direila a ella, acuso na ra da Guia n. 40.
Joaquini P. de A/evedo, Subdito Porlugiiez,
rora-se para o Ilio de Janeiro.
Quem so julgar crodor do abaixo assignado,
aprsenle as suasconlas iara seren devidaiuonio
examinadas e pagas al odia 8 de abril prximo
rindouro : quem lanliem est devendo ao abaixo
assignado, trate de pagar at ossa dala, passada a
qual, o nao o Caxendo, s proceder na forma da
lei. O abaixo assignado dora em diante uo se
responsabilisa por roma alguma, som que apreseu-
icm carta ou qualqucr documento seu.
Andr Uves da Fon saco Jnior.
Jaciulho Josp ilo maral c Aragao
faz scientc a quein poder inlcressar qnp
londo arrematado todas as dhidas e lel-
tras passadas cm fa>or da ninssa fallida
JosCarreiro da Silva, smente ao an-;]
nniiciaiitc devero ellas ser pajsas oh a: \
seas procuradores Icj/ilimaiiicntc consti-if
luidos. ltccifei7dcmarcodc iHli\).
Brillo Antonio Carpinleiro Silva rolira-se para
Kuropa a tratar de sous negocios.
Belira-se para K uropaoSr. John Bayliss o sua
familia.
lmmi k E. Biiim
JftALHEIlOS
//(*/(/ mijlezsnht i. A.
Receliciii por lodos os lapo-
res da Kuropa e do lt o tic Ja-
neiro obras do mais moderno
jsosto, lauto de I" rama como:
desta ultima capital, as i|iiaes
'vendem com toda a garailia
ua <|iialidadc dos melaes c
das pedias, e pelos precos
mais comiuodos possiveis,
tendo scinpre disposicao dos;
frcjsuczes um helio e variado
sorliniento.
Oi'tlem terepira le S. Fram-isio.
Tendo a mesa regedora d veneravel orden ler-
ceira de s. Francisco dista dude resolvidu man-
dar pintar u dourar a sua ifieja, convida pelo pr-
senle as pessoas para isso labililadas, a examina-
rom a mencionada greja, ca enviaren! suas pro-
postas em caria fechada at i dia 25 do corrente ao
irniao secretario.
Procisa-se por alugud, de um proln de moia
idado, que enteuda alguuc cousa do Irabalhn do
campo, d-se sustento o mapa : a (rotar no paleo
do Cannini. 9, ou na l\isagem da Magdalena, oiu
casa do Hr. 1 nno.
Ao publico e ao corpoj
do conuncrcio espe-
cialmentfe.
O bacliaro! abaixo assignado olTerece
os sous serviros de advogado en am- j
has as instancias no civel, crime e rom-
mercio nu capilal e fura dola. Kspero
ser procurado, allinnando que lomar
o niaior iuleresse pelas causas que lhe
forom confiadas, l) lugar de seu es-
criplorio no primeiro andar do so-
brado novo ii. i da ra do Collegio
amule inora, podondo por isso ser con-
SOlladO aquabpier hora. Francisco
lu: Correia de Andrude da Silia.
encarregado pelo Illm. Sr. llr. Jno Pedro Maduro
da Fonseca, que ha ponto rclirou-se para a Kuropa.
far leUao de todos os mhveis perlencenles a S. S.,
os quaesconsislom'om rica raobilia de Jacaranda
gosto moderuissimo, exccllcnte piano forle de ja-
caranda, urna linda mobilia de mogno para gabine-
te, loiletes, pechos, guarda vestidos, mana ron-
das comcspelho, commoilas, ptima secrelaria, es-
crivaninha de mogno. eslaulcs para livros, cadei-
ras e bancas do efiarao, ditas de diversas qualida-
des o feitios, bancas de costura, mesa de cliaro
para caf, exrellente cama franceza com cortinados,
inarqup.zns do dormir, camas de ferro, retretes, bi-
dets, cihides. lavatorios com pedea. aparadores,
mesa elstica, dita simples, guarda lmicas, apare-
Ihus do lina porcelana branca para almoco e jautar,
diUis dourados com maiizes, vidrns o cryslaes para
servico de mesa, ricos vasos e figuras e mais en-
oiles de porcelana de Svres para sala, tapecaria,
candelabros, lanteias, serpentinas de cristal,' ran-
dieirosde bronze americanos, laiiternas inglezasde
cjisquinha fina, ptimo estejo de pistolas iuglezas,
espingardas de 1 ccanos, e milites outros objec-
tos de gosto e capricho, que fOra impossivel ciiu-
merar, os quaes s com a vista podem ser devida-
raente apreciados : no sohreditn dia sexta-feira 18
do correte as JO horas em ponto da inanhaa, na
ra do Brum n. 18, primeiro andar.
Ter^a-feira 21 do corrente.
POK TODO EQUALQOEU PREQO.
Hua do Collegio 15.
DE
<;arrosxay\llos.es-
cravos e movis.
11. de Boria
fartlcilo no dia arim( indicado de 2 carros com
I cavallos, um cabriole!, 2 negros, 2 negras o lodos
os moris perlencenles a urna familia que serclirou
para l'.uropa, cajos precos nao tem reserva ; bem
romo um sitio no povoacao do Barro com 80 pal-
mos de testad c 78 bracas de fundo, lem casado
i venda com 50 patalos de frente ronteiido 3 salas.
O terreno o foreiro ao engenho Peres u plantado
de diversas frurteiras, sendo fauueiras, bula-pao,
mangueiras, oili-cor e baslaut|iarangea,as novas
de minio boa qualidade, enfwollas algumas j
dao mui doces e apreciaveis laranjas. Todo o silio
cercado de Limneiros. Coosaguioiomeote convido
aos apreciadores dos bellos arrahaldcs diasa cidade
- que nao deixem de comparecer ao refajrido leilo,
alim de arreaiatarem um sitio que offareee as me-
lhores vaulagens possiveis pitra um boin passamen-
to de festa.
Quem quizer alugar urna proia que soja fiel e
saib.i vender quitandas na ra, pagando-ce mensal-
nionio, dirija-so a ruada Peuliii n. 25, para ajus-
ta r-so.
O avaixo assignado declara que desde o dia 10
do me/, prximo passado tem lixado sua residencia
no lugar dn (i.pu, freguezia dos Jungados. Reci-
t 14 de marro do 1859.
/ot Muni- Teixtira Kuimaret.
Pro, isa-.se para o servir de hoineni solleiro
deum erinde 12 anuos, forro ou captivo, porm
liel e diligente : na ron Nova n. 15, primeiro andar.
Atteiicao.
Precisa-se alugar por mez um eseravo para rarre-
gar nina labolela, comojuias, das lll lunas da ina-
nhaa al as 4 : quem liver, pode dirigir-sc no ho-
tel ingle/, sala n. 4.
O abaixo assignado avisa a seu mano Joo
Chinaco do Vascoucelloa, que mande quanln anlos
ennduzir da CStacaO do Cabo sous dous fardos com
lazendas, romuttiilosno dia 11 do corrente, porqnau-
lo l foram vistos em deploravel estado d mulla
dos, por causa das aetu.ies eliuiis, o de uo eslarem
convenientemente abrigados. A caria que acompa-
nlioii os misinos, oxisio na dita estacao, e rontm
o conhecimento, ou bilhete do despacho, etc.F. S.
A. Y^nucellos.
?oi encontrada na escoda do sobrado n. !):! da
rua Direila, urna carleira de cirurgia, contendo ob-
jeclos : quem fr sen dono quein apparecer, que
pagando este annuncio e dando signal corto se lhe
enlregar.
Aluga-se una CScrava moca que sabe perfoi-
lamente cozinhar, engommar o co/or, e aliuma-so a
boa conduela ; quem a pretender, dirija-se a rua
do Crespo, loja n. 1G.
I'recisa-se de um caixeiro que lenha pralica de
taberna, o boas qualidades, que dando fiador a sua
conducta, nao seollia ordenado: almiar narqa
larga do Rosario, taberna n. JU.
Vende-so um cabriole! en perfeito estado, for-
le o de boaconstriiccao, e igualmente um excollen-
le cavallo para o mesmo, por commodo preco : a
iralar na rua da Aurora n. hl.
- Chapos de seda com veos para senhora os
mais delicados e os de melhur gosto que ven a este
mercado, pido diminuto proco de ljj : na rua do
l.ivramento n. 2, esquina.
Vendem-se podras do fugo, en porciio de 10
inilheiros para cima : na rua da Cadeia do Recite
n. 31.
Prerisa-se
de una ama para rnziuhir em casa de homeni sol-
leiro : no alono da ta-Vista n. 2, adiar com
quein Iratar.
VKND.i HULLA.
II. I'mbolina de Faria usmo, mulhor do coro
nol Aunado Jos (iurjat, declara por sen procu-
rador infra assignado, po nanea den poderes a
seu marido para vende, oomo lhe consta haver
LOTERA
Folhinhas para 1839.
Achan-se venda na livraria n. 6 e 8 da praca
da Independencia, as folbinbas do anuo de lew,
para as provincias de l'onianibuco, Cear, Rio Gran-
de do Norte e Alagos, das seguimos qualidades :
Folliinha do pripriotario agrcola contendo
alen das materias do eostume, as leis e
rcgulamenlos das ierras publica notadas
con todos os avisos eordens que as ten ex-
plicado o ampliado al o nuv de selembro nl-
tiino, polo Sr, iir. Antonio Vasconcellos Me-
neaos de Drumraond osla folliinha he es-
s.....ialmenie necessaris a ledas as pessoas
que poasnen um palmo de Ierra para mais,
poiscom ella eslo habilitados pan nao ca-
hirem em mullas e nao seren Iludidos, proco 500
Folliinha de porta ris........". 160
Folhinha eiclesiaslica ou de rosa frita pelo Rvd.
Sr. reneg penilenciariu da S detllinda, se-
gundo a rubrica o ordena da Santa S, ris. 400
Na noiie de 12 do corrente marco fugiran
. duas muas perlom enies ao Dr. Boria, do sitio na
, T&!2 eUS' a? V'i^ar;, (1". Ca",'- *"'-' pina l.rande i.aiuillo Mem.onca Furlado, de o ambas eastanhas, mansas de sella o carro, e*
cojo poder protesta rch.-ne-lo por a.eao compolenlo. Uo marcadas as pomas logo abaixo d'anca, o lima
0 piblico para que ,, M faca quu he menor est lambeni manada as orelhas :
Precisa-se do um hoinem para feilor de engo-
lillo distante desla praca ; quem prolender, dirija-
so ao Recite, rua da Cadeia, loja n.26.
i.ouiiniia estar por alugar a casa de Jo
GoOCOlves l'erreira Costa em Santo Amaro, ft^
de um s andar, entre as dos Srs, Starr e >?
Jos l'ereira Vianna, con quintal murado, gj
cacimba e muio boas aoeommodaeucs, &^
anda mesmo para grande familia, a qual ^
fui pintada ltimamente : quem a quizar 5
ver pode vira qualqucr hora oin casa d
.. < sua residencia, que ten quem amostro.
JI* **** MHMMtl.
Iloga-se ao Sr. Paulino da Silva ilinrielln o fa-
vor de ir a rua da Sen/ala Velha n. 91, rcsgatar
um valsen da i|ii,iulia deGOy, visto que o toinpoj
he de sobra.Jos Antonio Fernanda Fradiqt.
Precisa-se de mijito
boas costure.ras para fazer
colletes: na rua da Madre
de Dos n. 30, primeiro an-
dar.
Precisa-se de officiaes de
charuteiro paga-se a 5t() rs. o
cenlo e cacregat}&o a 400 rs.,
bom fumo .para Irabalbar : na
rua Imperial n. 41.
Fugio do abaixo assignado, no dia fi do cr-
reme, hu eseravo por nomo Germano, idade de
30 anuos, pouco nioisou menos, enjos signaos sao:
baixo, secco do corpo, um tanto a barriga rroscida,
p,s apalhelados, milito regrisla, para maior signal
:,\ e hexigas de pouco lempo ; julga-se andar pe*
los arrabaldos desla cidade, e por isso rogo, as au
loridades policiaea a cpies
hensao do dito eseravo, o levemn
na rua da Pr.ua n. 48, taberna.
Jouquim Jos de Pinho.
Offcrece-Se una ingleza para ama de casa cs-
Irahgeira, nao sendo para cozinhar on comprar : na
lerreira casa da rua uo Pra/.er do lado esquerdo
Oeste modo previne
negocio algnni con o rifarlo Cainilln sobre o refe-
rido engenho. Timbaubrl." de marco de 1859.__ti
procurador, J. Iloraes Ciruriro.
Precisa-sede l:5tjj000 a premio com hypo-
theca em bous du raiz : piern pretender annuncie,
Precisa-se de um criado para o servico d
mesa, e de um para o biliar, paga-se lien
do Trapiche Novo n. 2, hilelda Kuropa.
Ilaphaol Fernandos branlos annuncia a toda
o qualqucr pessoa em goal, que dralgum objeto
liado, ou oulro qualquer negocio com algn] es-
eravo seu, que elle nao s.' responsabilisa sem levar
bilhete sen.
Precisarse de umanina de idade para andar
com una menina, e taier mais algn servico de
casa, menos cozinhar : no Recito, rua da i'.rn/.
ns. II e :i.
Hospital l'oi-tngucz de licucincia 0111
'.'cniiiulsuco.
Km couseqneiicia da teliberacao da junta admi-
nistrativa, sao pelo prcsmte convidados os nen-
luos da mesilla para reuiir-se uo dia 18 do loren-
le, pelas 5 horas da lardi, em aeasad ordinaria, que
lera lugar no respectiva estabelecimento. Recite
10 do marco de 1859.innoef Ribtiro Vastos, 1."
secretario.
Os billictes ruin cados pelo abaixo as-
signado acliam-se a venda as lojas do
cojtumu pelos leguintes precos
Bilbetes 5*800
Meio 2,|>!)00
vende-S6 em sen rteriptorio na rua do
(ollejin n. 21 primeiro andar em por-
rao de ."i0.> para cima pelos
prer js a dinheiro
Hilhetes
Meios
r>swo
2|74M
P. J. Lavme.
para Kuropa os abaixo asslgnados:
I). II. Saudtrs.
G. II. l.oilfrtu-
John llui-au!.
/Iririd l'atdrr.
/:".' '/. B06UOM.
(l abaixo assignado nao podondo pessoalmon-
spedir-so de lodos sous amigos o oonheeidos,
llPlir:llll-s
led
pode |,oresta falla disculpa e oll'er, cendo seu di-
miiiulo presumo na cidade do Porto.Antonio do
S Lopes Fernandos.
Prceisa-s,' de um bom amassadnr que saiba o
sen Iraballii, o desenpenhar com toda indulsoiicia ;
na padanado paleo do l.ivraniento, nao se olha
ordenado.
lu honiem casado que tem muila pralica de
agricultura o se aeha inlerossado em um engenho
mi, como nao esteja salisfeilo no ni, sino, se pro-
pe a fazer uma adninistrarao Belmente com seu
corpo s ou coui 8 esenvos para todo servico da (ol-
ma,pie convie-: a pessoaque de seu prestio se
quizer niilisar pode dirigir-sc a rua Direilan. 95 ou
anniinciar para ser procurado, que se tari trato
soguro.
2, (iolileu Sijiiarc, Londres.
Heccut Slri'i-l.
J. fi. Ol.rVF.l II VTendo auginonlado, com lo-
mar a casal.....ligua, ampias e exeellcntes accon-
mod, lios para muilo maior numero de hospedes-
de novo se reeniniiicnila ao favor o louibranca dos
sens amigos e dos senbores viajantes que visilcm
osla capilal; continua a preslar-h.'s seus serviros
o bous ollicios, guiando-,,s em todas as cousas que
precisen conhecimento pralico do paiz, etc. Aln
do porlugiiez edo ingloz falla-se ua casa o hospa-
nhol o fraiicoz.
Compras.
quem as Irouxera seu dono, ou dr informaecs do
lugar onde eslejam, lera urna gralilicaco.
A irmandado de N. S. da Solod'ade da Bna-
Vlsla avisa a todos os sous irmos, que nao se leu-
do reunido os niosmos no domingo, 13 do corrente,
pana formaro da mesa geral em que se lem de
a > proceder a eleicao da nova mesa, e tralar-se de
mais objoilos de muila importancia a bem da
mesma irmandado, polo presente lieam OS genitores
raos convidados para o da domingo, 2tl do cor-
rento, as 9 horas da inanhaa. Ilecife 11 demarco
de 1859.O escrivo da mosma,
Joai/tiim Jos. Mitrliii.
C.ompram-so mu arroios para cabrtlilet, e que
eslejam em bom estado : quem livor anninirio ou
dirija-so rua da Cruz do Uecifo n. 00, luja de cora,
que se dir quem compra.
^ DENTISTA FRANCEZ.
..

Paulo Gaignoux, dentista, rua das I.a-
*r*
DEIFCENTE
de campo a appro-
no a seu seiilior,
AMA.
le : naga-
: bilheles
Leilo
Preeisa-se alegar una ama forra, que saiba lavar
9engommar,de boa conduela, podendo tambum vir
s 6 horas da manhaa e vollar s Oda larde ;
se bem : no aterro da Boa-Vista, loja de
ii. 50.
Fugio no dia 5 de marco corrente o muleque
Constantino, de 17 anuos de idade, bem prelo, es-
pigado, sem deleite, signaos visiveis, lanoeiro, tem
Irabalhado em diversos armazensde encher pipas de
agurdente, no Ilecife e na rua da Praia ; quando
est fgido costoma trabalhar de servente em obras
do pedreiro, iulitulaudo-se forro : roga-se a quem
o descubrir leve-o ou de. parte na praca da Boa-Vis-
ta, loja de cora n. 7, que se gratificar.
Toma-so :t:00OS a premio pelo lempo e condi-
eoes que se oouveneionar, e da-sc por garante tres
esclavos iuleiramente pecas, mui sadios, sem vicio
ou achaque, sendo 1 esenvas c 1 eseravo, todos
mui couhecidosaqui na cidade onde residem ha inul-
tos anuos, livros e dosembaracados de toda o qual-
quer duvida ; o eseravo mui liel, intelligente,
excllcnle comprador e de lodo servico ; urna escla-
va muito pralica o excellenle quilaiiiloira de vender
na rua em laboloiros u Utfadeira de sabio : c una
linda cri,ma de 10 anuos, que nunca sabio rua,
mui honesta, bom educada, com excellenle con-
duela, lava, cose e coziuha, mui cuidadosa para
enancas no amanho das qnaes Ion muila pralica;
no se duvidar dar i dosles esclavos para o poder
de quem emprestar o dinheiro conforme o ajuste
ARTISTAS SELLEMOS
\'.\\\ l'eriiniibiirn,
Fin virlude do arl, 8do capitulo 4." dos novos
eslalulos, convido a todis os seulioros socios para
coiiiparei.ereiii domingo, 20 do corrente, as 10 ho-
ras da inanhaa, na sala alim de elogerem o noncowsHi que tem do di-
rigir os trabalhos da sociidade; no snnn de 1859 a
1S0O.O secretario, JosrFrancUco Lucio.
O bacharel Jos Itmifacio de S Percha tem
aborto osen cscriploriode advogado nobairrodo
Ilecife rua da Cruz n. l, segundo andar : quem
quizer eucarrogur-lo do latrocinio de suas causas
podo procura-lo no mcsiio escriplorio, das 9 horas
da manhii al s 4 da tarlc.
rangoiras 15. Na mesma rasa tom agua o
^^ p denlitico. '
r^4|44*4 : i .....
XSf?JJ c < i J .- '. i ....., .
[Nov Banco de Pernambiico.
Os Srs. accionistas sao convidados a
receberein. o segundo dividendo feito em
28 de ievereiro ultimo, na razSo de 7s500
rs. por accao.
KeciftlCde raarcp de !8">0.No
impedimenlo do presidente, Jos Joo de
Amorim.
Grande sorlim'enlo de fa-
zendas pretas proprtas
da (piaresma.
s

EfBOO
A saboaria da rua Impe-
rial compra sebo em rama
a 9$ a arroba a dinheiro
vista: a tratar com o seu
administrador.
Compra-so urna casa terrea no hairro do San-
io Antonio ou nos limites de S. Jos com o de Santo
Antonio : a pessoa que liver, poder iratar o ne-
gocio na rua de S. Jos n. 45.
Compra-so no armasen do malcraos, na rua
dalladla de Sanio Antonio n. 17, chumbo velho.
Na padaria da rua Direila n. 24, compra-so ou
aluga-se um eecrave padeiro.
COMPxlimiA
Furtaram lia 20 das do moiraodo si-
tio da moradia do utai\o assignado na
Passagem da Magdalena urna caima de
Eslabelccitla cm Londres
F.M
iR&ti ii mu.
CAPITAL
Cinco mUlioes de libras
cstcvVinas.
Saundcrs Rrolhors & C." lom a honra de informar
aos Srs. negociantes, proprietarios de casas, ea
quem mais convier, que estao plenamente autorisa-
Sabbado 19 do corrente.
T. 11. Browne eitaado prximo a reti-
rar-te para ti Europa fara' leilao por,
tervencao do agente Oliveira, de toda a
mobilia da cata de tua residencia no
campo, coniistindo em cadeiras, sofs,
metas redoidat de jogo e de costura,
coutolot e inaif adornos de tala de visitas,
cadeiras de balanceo, de. encost e de bra-
cos, ditas de mono, una esplendido pia-
no dos Tcrdadeirt fabricaijtet ingletes
Collard 4 Collard, aparador, misa de
juntar, lantenias, espelltos, leitos de fer-
roe de madeira grandes e pequeos, ca-
tres para meninos, guarda vestidos, Uva-
torio*, eipelhot, UmpeOet, quadros, loa-
ra, cryslaes e ale'm de outros artigos di-
verso* um bello carro e um lindo apa re-
ino de prata magnficamente lavrado :
sabbado 19 do corrente, as 10 horas da
manhaa, na indicada cata, sita na Capun-
ga perto do porto denominado do Jaco-
bina.
que se lizer comanlo que a querer a mucamo, de
10 anuos, s se far esto negocio com pessoa de fa-
milia honesta, para enjo poder ella v o eomcondi-
cao desla nao sabir rua, pois que sendo osla como
ainda c virgen, nao so desoja a prostituirn dilla :
.1 quem convier osle negocio annuncie para ser pro-
Aviso ios Srs. negociaiilcs
desla praca.
Trapiche, do Cunka.
Nosle oslabeleciinonto recehem-se e ombarcam-
seRaccosiomassucar,com toda a promplido e
aceio pelo diminuto preco do 40 rs. cada um.
Avrlissemenllouslesn-
gorianls de ecllc place.
Trapiche Cunha.
Dsornais on embarquen le sucre, daus rot ta-
blissomenl, 10 rs. le s.ic. Dn garanlit tonto la
pronptuude et la plus grande propet dans le
servico.
Avselo all lhe Iradersliere
eslablished.
Trapiche Cunha.
Nol ice s hereby given that hencoforward each
saek nf suggar shall pay 40 rs. fnr depositiug and
ombarking. l'rorapliliido and cleanliness in the
servir ave warranled.
carreira de um s pao, ainda nova e lo- ?& '.""11!.,a!'llia Pa'a l""l;"'ilir ^""f
, i i i hre edincio*. do lijlo o podra, cohortes de lelha
da pintada du verde com a marca MCa,-|igualmentfJobroo8objeclosquecontiveremo8mes
mos edificios, quorconsisla
das de quabjuer qualidade
Rua do Queimado n. i8.
Vendas.
Revalenta arbica.
pitania do potto M n. 171: roga-sc a! 08 edificios, quer consista cm mobilia ou em fozen-
quem a t;ver adiado ou sottber noude
cxisla de participar no dito sitio ou na
rita do Torres n. 14, que sera' gratifica-
do,Antonio Jos Leal Reis.
VIA FERRE.V
Fazcm sclcnle aos sous rreguozos, que reoclier.ini
pelo ultimo vapor todas as blendas precisas para a
presente quaresma, cono sajan ; vestidos de Gros-
denapaliis bordados a velludo com hahados di-
loshordados a gorgnr.io e grosdenapoles de lodos
os trujo ; mantas de blondo o veos ; casimiras re-
las ; paun/b do molhor que ha no marcado ;
curtes JUolli les de velludo, seda o grosdenapoles,
nrpirr q PRANriQrn l?ln*l.!:"s.:ll,vas,!e p?lli,a.du *pyia) s
DO
A qompanbia seachaprompta a receber propos-
tas para a coudiici;o do urna grande quautidade de
IrilnOB o outros matoriies perlencenles a niesnia
via frrea do lilioral dast.inco Puntas, onde presen-
temente se acham.ao ligar chamado Boa Scca ou
Bertioka, aliono rio Ipqitea.
As pnqiuslas devero ser enviadas por escripto,
marrando o proco por arobis inclusivo carregar e
descarregar o peso que iodo ser coinlii/.ido porca-
7dorHz bardadas : lucias de soda; ditas de laia
mono elsticas; goliuhaso manguitos; casaveoues
e manteletes preto o de cores : chapeos para
homem, o mais tino que he possivel ; relogins pa
lente ingle/e meios chroiiomolros; um grande sor-
timenlo de obras de ouro do ludo quanto se pre-
cisa ; cabado, tanto para homem como para senho-
ra ; ruupa feita ilo todas as qualidades; o outros
mullos objeetOS de gosto que estao patentes aos
Srs. tregeles, que avista das bellas qualidades da;
da barcaca, o maior numero deltas que se poder em- \ tazenda e n commodo preeo nao douaro de fazer
IIOMEOIVVTIIIA.
PRESERVATIVO C0KTRA AS BEXIGAS
GRATUITO PARA 1 (IDUS,
para ser pro
curado.
Precisa-se do urna ama que saiba co/.iuhar,
engommar e fazer o servico de casa ; no prin.eir,,
andar do paleo do Terco n'. 20.
Quem precisar de nina mulher do dado para
o servico de casado poma familia, dirija-so ao boc-
eo do Pocinho 4.
lleliram-so para Kuropa os Srs. I). Bernardo //f me/iororereiiir o moldo que curaAo
\ elho Nazano Reinaldo, a iratar do sens negocios. Uvrando actualmente a pesie de hexigas, a pos-
Hanoel Jos Dantas, subdito Portugus, mil- suilll| a honcopathia meios efficaxes para preaer-
ra-se para Portugal. vardeli.....rrivel molestia, taco desiribui-las gralui-
Manuel Jos Itovalino, rolira-se para., Kuropa. ,,.,.. ,,|;ls as pessoas sen distineao de rico ou
AliiMii'-'m Aili'ikPQ pobre, lodos os das uleis desde as 18 horas da na-
AIILIlLdU a A vi I 1)1,1. jj-, t|ao m0 (in A ,.M.ri(.,.il me(mlorM ,
Neste holel d-se comida e casa de morada para allirmar, que lodos aqifrlles que ftzerem uso de taes
na pessoa inonsalmente por commodo preco, o for-1 preservativos ficario isentos do mal varilico p
Avisos diversos.
nece-se para fra, e precisa-se de um criado ; as-
sim como vende-so um deposite de massas linas com
urna rii-a armarn, por commodo proco. Nos do-
mingos hovera rao de vacca.
LOTERA
PROVINCIA
que, quando por ventura alguem cheguo a soflrnr,
as pstulas, nao seo non muilo numerosas, e nen
de m.i qualidade. NO necessita resguardo, apenas
abstinencia do cal preto.
Consultorio Central Iloineopathlco rua de Sanio
Amaro ( Mundo Novo ) n. 0.
llr. Sabino O. I.. Pinho.
HUMEUPATHIA.
Colonia militar de PimeinteiraK.
l'ergnutn-se ao 8r. facultativo Francisco Marciano
de Araujo Lima, em que inalri/ se casoit o quem fo-
ram as 1, siemunhas de seu casamento, o hem como
que me declare qunntas leguas dista doslo colonia
ao lugar denominado Tapado.
amiijo do doudo.
Atlenco.
Precisa-se alugar am eseravo canoeiro : quem o
liver dinja-se no Porte do llaUos.rua da Moeda n. 23.
corpo de polica compra 400 corados de pan-
no azul para calcas: quem os livor e quitar forne-
osr, aprsente-**, na senretaria du mesmo s 11 ho-
ras do dia 19 do corrente, com ns amostras e suas
proposlas em carta fechada.o lenle secretario,
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
pregar ueste servico assiii como o lempo gasto em
cada viagem.
Escriplorio dos engenieiros na villa do Cabo 10
de marco de 1850.
W. M.Peniston,
r.ng'iihoiro em chefe.
VIA FRREA
DO
Becife a S. Francisco
V compauhia precisa empregar :)00 ohreiros ad-
dicionaes enlre a villa do Cabo o tilinga, e offerece.
as segninlosvaulagens.
Kst resolvidaa conlralar os alerros em lances
pequeos, por precos que garantom maior lucro
aos coiilratadorcs, do que oque so realisa pelo tra-
balho diario.
F.mprogar-se-hao lodos o homens dn forra o ae-
livos por um procoproporciui.il eqmvalcnte'aljW)
rs. diarios.
Contraiar-se-hao pedreins, carapinas, offlciacs
do pedreiro, ferreiros, assimcomn oulros mechaui-|
eos, mediante ooiidioi os favoraveis empreitada
ou mediante paga diaria rnrrespondente, no caso
que preferiram.
II.iv,-rao nioradias para osobroiros, cojos manti-
nienlns serao transportados graliiilamenle da osla-
cao das Cinco Puntas aos pollos das suas moradas
pela linha. Tamboin se conceder nina passagem
livie ao Ilecife para lodos o que forom empringa-
dos, para ida e rllanos sabbados, depoisde feito o
pagamento ; assim como a lodo lempo se dar pas-
so livre, do Whomens, un, para o fin de com-
prar mantimeutns.
Ks, riploriodos eiigeiihoirtsna villa do Cabo 10
de marco de 1859.
W. .1/. Pcii.-lon,
Kugcnheiro em chefe.
negoaio.
Parlicipa-sc ao respeilavel publico, que for-
necc-se comidas com aceio e presteza, e so encar-
roga de lavar e engommar : na rua do Atalbo, casa
nova junio do Sr. Bastos a mesma precisa-se
alugar urna bes cozinheira o umTngomnadoira,
preferindo-se captiva.
GASA DE SAUDE.
O Sr. thesoureiro manda fazer publico
que se acham a venda todos os das das 9
horas da manlia as 8 da noite, no pavi-
mento terreo da casa da rua da Aurora n.
26 e as casas commissionadas pelo mesmo
Senhor thesoureiro na praca da Inde-
pendencia numero 22 e na rua Direila
n. 83, at as (i horas da tarde, sonriente os
bilbetes e meios da primeira parle da pri-
meira lotera de S. Jos de Riba Mar,
cujas rodas devero andar impreteri-
velmente no dia 25 do corrente mez-
Thesouraria das loteriai 12 de marco
de 1859.O escrivio, J. M. da Cruz.
O Dr. Casanova. avisa a quempossa interessar
que havoiidn determinado fazer nina viagem a Fran-
ca, tem vendido todos os medicamentos que exis-
tan en seu consultorio; porem nao so tendo rea-
lisado essa viagem, lem uovamente receido de Pa-
rs, nina oulra colloeeo do medicamentos inteira-
inonto novos, e os mais hem preparados possivel,
como lamben carfeiras mu ricas o livros assim,
quem desoja os vord.ideiros medicamentos podejpro-
cur.i-los em seu consultorio homeopalhico em Por-
nanibiiei, 28 na das Cru/.es n. 28.
Fugiu de bordo 8,, brigue nacional .Vlmiran-
le o eseravo Joan, de naco, de idade de 28 an-
uos, pouco mais ou menos, alte e cheio do corpo,
roslo redondo, sem barba, eiplla mal; levou ves-
tido calcaVeamisa azul, e i hipen oleado : quem o
apprehonder, levandn-n ao cscriptorio de Jos Joa-
quim Uias Fernandos 4 Filho, no largo da Assem-
hla n. 10, ser bem recompensado.
Precisa-se de urna ama, que enzinhe e engom-
me : a tratar na rua Nova n. 10, loja do Sr. Avellar.
Precisa-se de um caixeiro para armazem de
material-*: a Iratar no armazem do sol, rua da
Concordia n. 2G.
m mam
\i
BEGIFE A SAO FRAIXCISCO-
.V coJnpanhia ,-.-t prompla para enlrar om ajuste
rom qiiaesipier pessoa- que quoiram encarregar-se
de Iraiisporlar maleriacs dos lugares das lamo Pun-
tas o villa do Cabo paraospontoa de Pavao, Ol'ui-
da, Para e Timboass, assim como oulros punios
das divisoes mais distantes da via forrea.
0 abaixo assignado eslimar receber proposlas
por escripto, oslabolecendo o preco por legua por
cada arrobado poso, polo qual os propnnentcs se
nbrigarao tazer transportar os mesmos materiaes.
Todas aquellas pessoas que conseguirein este
ajuste com a companhia, teran o privilegio de po-
derem nbler passagem livre pela via frrea, e re-
meltereni seus prnprinsgneros pelo frele miuimo
estabelecido pela la bella.
Escriplorio dos eugeuheiros na villa do Cabo 10
de marco de 1859.
IV. M. Peniston,%
Engenheiro em chefe.
0 Dr. Ignacio Firmo Xavier, proprietario da an-
liga e acreditada casa do saude sila no norte da es-
Irada da passagem da Magdalena, entre aponte gran-
de e a pequea do Chora-menino, o na mesma re-
sidente, lom disposto os melhores commodos para
reeebor qualqucr pessoa enferma, e nchando-so o
sea istabeloeinienlo as mais agradaveis condices
hygieniras; contina a oflerererossena snicos',af-
liaucando o molhor tratainonto o 0 maior zelo no
curativo das molestias. O mesmo dnutur, ten des-
tinado urna sala para parios, cuja utilidade he in-
conlestavel.
SAO F.NCABSF.CADOS DA CLNICA
' Operacoes.O Illm. Sr. Jos Francisco Pinte Gni-
mares, cirurgiao do Orando Hospital de Canda-
do, cuja pericia he bem conhecida.
Medico consultante.O Illm. Sr. Cnmmendador llr.
Jos Joaquim de Muraos Sarniento.
Partos.O Illm. Sr. Dr. Silvio Tarquirdo Villas-
Iteas.
Palhojogia dutrina.0 proprietario do estabeleci-
monio.
A diaria ser de SS'OOO e 2$000, conforme a gravi-
dade e durarn da mob-slia.
As pessoas que qui/,r,iu um (ratamente distinelo,
pagar,, na razo da despoza que lizorem.
Operacoes, sanguisugas, conferencias serao pagas
aparto da diaria.
Passagem da Magdalena 22 de dozembro de 1858.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Aluga-se um sobrado a margem
do rio Capibaribe, na estrada de j>onte
de Ucboa :. a fallar na rua da Aurora
n. 2(i.
He rom ate nomo ha pouco tompo conhecida ues-
te paiz una fcula, cujo longo uso mirai ilhosos ,f-
lilossao ha muilo oonheeidos h........dorios na
Europa. Ksia faiiolia ,|......s mdicos mais eirrums-
pecios o expelientes ten empregado en diversas
molestias cirenmstanuias lhe tem granjjeadn o cr-
dito bem merecido do que boje goza. Are\ atena
arbica aleiii de nuitas o variadas nfermidados,
que ella cmbalo sem o menor sntl'rimenlo do pa-
ciente, he especialmente appheada as pessoas que
carecen de un alenlo delicado restaurante e de
fcil digosto, o qual longo du ser repugnante pode
sor lomado com apetite como qualquer outro ali-
mento ordinario. He especialmente oinpregada nos
padecinentos pulmonares, debilidades do qualquer
orgoonfraqiiocido por Inda o qualquer doeiica e
particularmente para molestias no peno,como tos-
sos, coqueluches, astbma, astas de estonago, .na-
ques nervosos, affcecoesde ligado ele etc. Ven-
de-se sonente na rua da Madre do lieos n. 1, Per-
naiohiico, botica o armazem de drogas do Joo da C.
Bravo.
_ Hechegado a loja do Leeonte, aterro da Boc-
Visla n. 70, escolenle leste virginal de rosa bran-
ca, para refrescar apelle, tirar pannos, sardas e es-
pinnas, igualmente o afamado uleo babosa para lim-
e fazercrescer os cabellos; assim como p impe-
rial do lyrio de Florenca para bortoetas e asperida-
des da pelle, consorva'a frescurae oavelludado da
primavera da vida.
Na loja das 0 portas era lenle
do Livrameiito.
Corles de seda com hahados e com 27 covodos a
20*000, ditos com 19 covodos por I89OOO, dilos de
lia blenda nova con 12 covodos 59000, mangui-
tos bordados a 3(900, gollinlias finas 1*600, ditas a
IjOHI, camisas cun golliubas ,1 28000, lencos do
soda encamados S brancos a 800 reis, till ilelinho
prelo de salpic.....uilo lino a 192IK) a vara. D-se
amostras con penhores; a loja est aborta aleas 9
horas da noite.
Gouveia & Araujo.
w
Rua do Queimado.
Chapos de seda para meninas, do muito bons c
variados costos, nenies de tartaruga para atarea-
bollo a if, 5|>oO0 e 9g, ditos virados a 10$ e 13K,
llores arliliciaes de 500 a 2$ o ramo, tencas de fil
para criaucas, por barate preco, franjas pretas, ditas
de todas os cores, tecos de seda pretos e brancos,
e outros minios nbjertos que se vendem mais ba-
rato que em outra qualquer parle.
Vestidos o,- grosdenaple prelo com
babados bordado a vollud......
Ditos ditos pelo com babados borda-
dos a seda.........
Dilos Hilos do eanbrata bordados ae lado .
Velludo prelo o meliior possivel, co-
rado............
Grosdenaple* preto liso, corado 1$600
a............
Dito prelo lavrado, covado 24 a .
Solm piolo macad, corado 2S800 a .
Sarja pivia bespanliola, obrado 2$ a
Grosdenaple liso do 1 odas as cores, co-
rado...........
Dito de quadrinhos miudos, corado .
Dito bramo lavrado, 1 ovado 1S200 a
Hito de cores e piolo ruin 4 palmos
de largura.........
Belleza da China o mauritana de seda,
colado..........
Follar do Pars o chaly de llores, co-
rado...........
Popelina de seda c duque/.a de llores,
colado.........t
Frondeliiia e barege du seda, corado.
Meio velludo prelo o de cores, invado
Velbutiua decoros e prcta, corado
1.hilas francesas claras o escuras, cu-
cado 280 a.........
Panno pnlo e de cor lino prora de
limo, evado :iji500 a .
Casemira rete sett, ovado 18900 a
Arlandys donovusdo.senbo.sliuas.vara.
Cassas tranoesas linas, vara. .
Maulas de bluud pretas c brancas. .
Ditas de liuho o mais rico possivel.
Chales do merino lisos de cor eprelos
Dilos de dito estampados de 3 a .
Dilos de dito franja de seda ....
Dilos de dilo bordados a soda e a vel-
ludo............
Hilos de soda pretos roxose de cores.
Lencos do lahyrnthu finos de lg a
Manguitos c gollinbas bordados Unos.
Knlremeios o liras bordadas. .
Cutelos de velludo c casemira prela
bordadas.........
i.iToulasdo brim do algodao e de li-
uho de lgOOO a ......
Camisas francesas brancas e de cor
de 2f a.........
Casaros o sohrecasacos dn panno pre-
to lino. .........
Palctots de panno preto e de cores,
franceses.........
Cubas do casemira pretas e de cores.
Colletes de soda de varias qualidades
Chapeos franceses dircitoscaTamher-
Ihk......'.....
Paletols de merino setim pretos e do
cor forrados.........
Ditos de alpaca prela e de cor rom
golla do velludo......
Dilos do brim bramo e de cor fina. .
Dilos de alpaca de varias qualidades
com golla de velludo.....
Dilos de alpaca preta e de cor mesrlada
Passando o boceo da Congregacao, do lado direilo
om segninento para o l.ivramento a quarta loja do
lies ["irlas com rollos brancos.
Na rua da Cruz n. 60, vende-se gorgurSo roio
de muito boa qualidade, proprio para opas.
Na ilba do Nogueira vende-se urna porciio de
cocos seceos com casca, proprio para etnbarque, e
por preco commodo : quem quizer, dirija-se 11
mesma Iba, ou a*rua ImpOrjal u. 63.
Yoiidcni-sc canas de passas a 500 rs. : de-
fronte da alfandega, armazem do Sr. Annes, e no
paleo do Torco 11. 21. .
Vendem-se 5 bois mansos c gordos para car-
roca ; quem pretender, dirija-se em (llinda, no si-
lio do Sr. Dr. Kar9s, ou na praca da tudepeudeu-
cia, loja de ourives n. :tl.
Vende-se una casa de -podra e cal, na fregue-
zia dos Afogados, rua de s. Miguel: a Iralar na
rua Imperial n. 151, das 6 as 8 oras da manhaa,
o das 4 da tarde em oanle.
Vendem-se duas canoas de carreira, sendo
urna para familia e oulra menor que pude cora oilo
pessoas : a iratar na ruada Concordia,armazem do
sal, 011 no eslaleiro do Sr. Carvalho.
5SO0O
.tf0(l
Fredor ico Lemci^e,
r.SSOH DE PUNO. ECANTO
Ruado Sol i.,3.
MSj
isa-se alugar um p reta robu*lo proprio
para o servico diario de una casa ; dS-se comida e
roiitia, e paga-se bem ; a tratar na rua'do Collegio
n. 15. armazem.
Precisa-se para urna casa eslrangcira de una
mulatinha de 12 a 1C aniios.nu dn Trapiche Novo
n. 12.
Precisa-se alujar una casa terrea om bom es-
tado, uo bairro de Santo Antonio ou Boa-Vista : di-
rija-se ft ruado Crespon. 2.
Correi freguezes, loja do
sertanejo.
Una ilo QiipiiiiIo h. Y.\ A, liara comprar.
Entortes de troces por 4g, 5 o 6S500, ditos dn' co-
res c pretos com vidnlbos a 7j e 6$, ricas bengalas
de uiiicorue a pico de 7e 8$, dilas muito finas a
103, ditas de caima a 1g500, chicotes Unos de estalo
a 2S200, ditos sem estelo o 1$ e 900 rs., gollinbas,
manguitos c cainisinhas oe lodos osgostoS e inuitu
barato, aberturas de esguio delinho muito finas a
18(00, dilas de lio da Escocia a 400 rs., damasco
proprio para panno do mesa, duas larguras, a pre-
co de '28600 o corado, c ludo mais aqui se aclia a
vonlade dos compradores, e garante-se a vender
mais barato duque om oulra qualquer parte, assim
romo sejam pontos de tartaruga a mperatriz, de
diversas qualidades, que s rom a vista do compra-
dor, he que so podo apreciar.
a loja do sertanejo
Quera espera seus freguezes.
Ba do Queimado n. 43 A.
Grande sortmento de fa-
zendas para a ipiaresraa.
Assim romo sejam corles de vestidos pl
tres snias, o melhor que pode haver, a
50 o 0?, grosdenaple preto a proco de ig4i
lf00, 1*700, lfflfe I99OO, 23, 2S200 e 2fl
tos Anos a 2S60(JjdBos muito linos ,om *jsalmo-
de largura a S$800, safja niela com duas Unturas a
flBOll 2.S2H0 o covado atontes pretas de velludo
nasa llij, ditas as mansas que podem haver, o
muilo largaMl7 o Ihg, pa>, fino do diventssqua-
lidades, meiasdn laia*pretas para padre a 1|500,
ditas te soda pretas e brancas a i:**\ e 3, ditas de
algodao liara senhora a 40ff calcas de casemira
prota a "J500 c8J, colletesaWlludo prcloa7|50
o 8g, ditos de cores a 10 o 11J.
ESCKAVOS A VFSDA.
Vendem-se na rua do Colleirioii. 21, 8 esrravos,
sendo lodos petas, por commodo preco para liqui-
dar, e enlo,' elles una negriuha de 18 aunos, mul-
to bonita.
Ghcguem a pe-
chincha.
Na loja do Pregutca tem para vender
grosdenaple preto da melhor qualidade
que possivel pelo baratissimo pretjo de
1 ,00, 2,000, 2,200, 2,400, 2,800 e 5#
o covado.
Uvas de Itamarac.
Vende-se a 1 a libra : na laberna n. 5, da rua de
Santa Hita, principio dolado dadboira.
Vende-se nina lida esrrava crioula de 20
anuos rom una cria de 10 mezes, a qual engoni-
ma o coze bem : na rua da Praia 11. 43, primeiro
andar.
Vende-se um eseravo sadio, para lodo servico,
d% :<0 a 32 anuos : na rua da Cruz 11. 45, segundo
andar.
REMEDIO INCOMPARAVEL.
UNGENTO HOLI.OWAY.
Militaros do individuos de todas as nacoes pdem
testomunhar as virtudes deste remedio incompara-
vol e piolar em caso necosnario, que, pelo uso que
delle lizera 111 lem seu corpo cmembros iuteiramen 1 o
saos depois do havor empregado intilmente oulros
testamentos. Cada pessoa poder-se-ha convencer
dessas curas maravilhosas pela leitura dos peridi-
cos, que Ih'as rolatam lodos os das ha muites an-
uos ; e a maior parte dellas sao to sorprendentes
que admiram os mdicos mais celebres. Quantas
pessoas recoliraraan com este soberano remedio o
uso de seus bracose pernas, depois de ter perma-
necido longo lempo nos hospitaes, onde devian
soffrer a amputacao Dolas ha umitas que havendo
deixado esses asylos de padecimentos, para sean
suhmollorom essa oporaco dolorosa foram cura-
das completamente, mediante o nsodesse precioso
remedio. Algutnas das taes pessoas na enluso de
seu reconhecimento deelararam estes resultados bo-
neiicus diante do lord corregedor e outros rpagistra-
dos, alim de mais autenlecarem sua Ormativa.
.Ningurn desesperara do^stsdo de saude se li-
vesse hastante coiifiauca para ensaiar este remedio
constantemente segninaa algum lempo o tratamen-
to que necessitasse a nalureza do mal, cujo resulta-
do seria provar iiirontestarolmentc : Que ludo cura.
O ungento he til, mais particular-
mente nos sfgruintes casos.
Alporcas.
C.iimliras.
t:allos.
Canceres.
Corladuras.
Dores de cabeca.
das costas.
dos menbros.
Enfermidades da cutis em
geral.
Ditas do anus.
Eruproes e escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Fria Idade 011 falta de calor
as extremldadest
Krieir.is.
Congivas escaldadas.
Inchacoos.
lullamacn do ligado.
da bexiga.
Vende-se este ungitent
inflammaco da mastriz.
Copra.
Males das pemas.
dos neitos.
de olhos.
Mordeduras de replis.
Picadura de mnsquilns.
I'ulmoes.
l.iueiinadelas.
Sarna.
Supiiraeoes ptridas.
Tinha, m qualquer parlo
que neja.
Tremof de ervos.
Ulceras ns bocea,
do ligado.
ds articula^oes.
Veas torcidas ou iiod.nl.is
as pernas.
o no estabelecimenlo geral
de Londres 11. 224, Slrand, e ni loja do todos os
boticarios droguistas e outras pessoas enesrregadas
de sua venda cm toda a America do Sul, Harona c
Hespanha.
Vende-se a 800 rs. cad
instruooau em porluguej
jaste ungento.
, 0 deposito geral he o
naceulico. ua rua da Cruz
nviX no v
r K. 1 1
iha, conten urna
modo de fazer son
Sr. Soum, phar-
Pernanihii, o.
.19.
Ricas sahidas de baile.
M. A. Caj 4t". Icm para vender um rico sorli-
menlo do sahidas de baile as mais bem acabadas,
queso pfldc encontrar nosle genero, um sorlimenio
decamisinhas o manguitos bordados parasenh,ira-,
lindos eufeites para cabeca, chaposinbuS enfeita-
dos para enancas, toncas para ditas, Cnapcos ,le
sol ile seda de mola, ditos de seda o paiiinlio para
homem, ligas, chales de l e seda preto e de cores,
ricos cazaieques de seda prela e de 1 ores para mon-
tara, um lindo soriimento de eaixinhas de conchas
de mariscos o busios para guardar joias, ludo por
preco razoarel que agradarao s vistas dos com-
pradores.

T

:r.-?~
W


.-*M
H
Diario de Pernambuco.Sexta feira 18 de Marco de 1859. V
FAB. NACIN
14.
Grande sorlimenlo de
Tinturaria,
DA RA DA
FLORENTINA.
^>i Stm. 1 M. wL ml\W*<& de (odas as qualidades,
NA
Kuado'Queiniadoii. 7.
Nesle eslabelceimenlo acharan os compradores
o mais variado e rompida sorlimi'iito de lodasas
qualidades, romo sejam :
Vestidos de seda prelos com babadns .
Ditos de dita do cor com babados. .
irosdenaple prclo fino de 18900 a .
Ricos uiaiileleles pelos prineeza Clotilde
Curtes de raleas de hrim de linho de cor a
Carteiras de perfumaras iuglezas. .
Camisas francezas de todas as qualida-
des de 29OOO a........
Palelolsde panno francezes de IOS a .
Hilos de alpaca francezes......
Pnupelina de seda de 900 a.....
Chitas tinas o corado.....' .
Ditas francezas o covado ......
Ricos enfeites para seuhora.....
rentes de tartaruga modernos de 73 a .
Gollinnas e manguitos de croch. .
s
2*g800

18280
5b ($000
3o.i0OO
125000
isa I
180
240
15OO0
10j000
KAL0JA DA
AGUIA BRANCA.
Dantleija e lalhercs
Vende-se baudeijas de folha grosss e Untas mui-
to linas cin temos a 81 e M e solas a 2g, 2^5110
3g, 38500, 48. 4JjOO, 5g efig, mus modernos mol-
des a bom gasto de desenlio de suas pinturas dcixa
bem ennhecer quanlo san ellas linas e baratas por
taes procos; rendem-se tambem focase garlos de
cabo de 0S8Oredondos, uitavadose ciados a 3g200
e 3g5O0, ditas con cabo de baleia cravadasefolhas
linas a 38600 e -18 a duna, ditas Bnissimas con ca-
bo de vcado, de osso pollicln e baleia, 11 melhor
que se pode encontrar a 58 5g500 8 e 6*500 a
duna, ditas cora cabo de marlim e foThj de ac a
l2so 1(8, das com eabode osso para meninos a
320 o tallier, trinchantes muilo linos a SfSOO a 38,
eolheres de nieial princepe lo linas que se con-
funden con as ele piala sendo para simpa a 58500
a du/.ia e para cha a 28800, ditas oclutiiagrc a
18600 e lg, ditas grandes e muilo linas a 3g cada
um: na luja da agnia branca nos quatro cantos da
ra io Uuvimadu 11. 16.
[ACHINAS DE COSER, garantidas.
14.
Para meninos.
Rimis de gorgorito de si
muilii gosto a .(8 : na luja d'ab
Quenado nos quatro canto-
traceo que elle ten tido, 1
que resla, fa/.-nns di/.er que
liear sera elles, por isso ap
quem anizer dars testas w iseus |i
Nova inveiicao
DE
Bandes ou
de crina para d
a (urU-COres, obra de
uia branca, na na do
16. A grande ex-
1 |M'.(iirii,i quantidada
[iirin nao e apressar
tareram hoja mesino
Cal de Lisboa.
\ 4$SOO.
Vende-86 superior 01I de Lisboa a mais moderna
que lia 1111 mercado, leda eui podra a iSllO ce bail :
na ra do Itruiu n. 18 anna/em de assucar.
equenos.
senhoias.
Na loja de Leite c! Irmao,
Becife n.. 48.
a
1 mofadas
enteado de
a ra da f.adeia do
,(
Vende-se eireelivamente farello de Lisboa as \ I
o Pontea n. 03, por menos do que en oulra V"
Vende-s
como l.afolle, Ch, l.eoville,
de uinaduzia nur barato pn
carros. .)
teda de bonitos tj;
s forrar caiTos Z
MW & t%
ja de Campe
Julueii, eui caiza'
. ~ Vendem-se camisolas de laa para esclavos a
18(00cada uina : na ra do Collegio, luja 11. 9.
Carne americana.
Vende-se carne de vacca americana, em barris,
cada um rom 200 libras, por proco barato : na ra
de Apollo n. 8, armazem de Pacheco A' c.
Velas slerinas
as de carro.
Champagne de sidra,
em barricas de 3 duzias.
Vinho champagne conle de
para lanlernas de carro.
Thor.
F.m casa de Tasso Irmaos.
Espartilhos francezes de nova
invenco.
Vendem-se espartilhos francezes de molas c car-
relcis, o melhor que se pode encontrar nesle gene-
ro, na bemfeitroia e na commodidade, a quem usar
dclles, pelo baralissimo preco de 6j, 7 e 8. Este*
espartilhos sao chegados no' nllipte-navio fjancez,
e s se enconlram na ra do Qucimado, na bem co-
nhecida loja de miudezas da Boa Fama n. 33.
Calcado superior e barato.
ltuu bireita n. 45.
Rnrzeguins de senhora (Joly). 88OO
Dto$ de homem. 88800
Sapatosdc trancinlta. lst.00
< Vende-ie na rua da Cadeia eserip-
torio u. 50, gajoes, palheta, cordao, es-
piguillia, renda de excellentes gostos,
liiiha de roriz, enteitadae de ns. 1 a 16,
toalhas de linho de diversos tamunlios
para mesa e rosto', retroz, cochins, ca-
pachos, folhas lisas e bordadas, hocaes
para seringa, perfuraarias, bengalas, di-
versas miudezas e fazendas francezas.
Novidadenalojado
Sertanejo.
.1
ViMidi'Hi-sc rainlicirns d
na de lui'.-as desalas ; estl
recnmmendaveia pila Um.peza
iMltroS mais ii<[iiriios, p
de gaz.
QIDIBUP.
solleiru, poissio mais eccuion eos
i
ATTENfjAO.
Kissel, relojueiro trance/., vende relogiosde <.;
011ro e prala, roncera reluglns, jeeias e nnisi- <
~ cas, ja aqu he conliecdo ha muitos inniis, Jj,
.. habite no pateo do Hospital n. 17. 32
fi -' 2^.ti.s.xi.i.y
Kua da Senzala Nova h. 42.
Vende-se em casa de s. p. Jonhslon & C. vaque-
las de lustre para carros, selhns e silhoes inglezes,
eandeeiros e castjaes bromeados, lonas iuglezas,
lio de Vela, chicote'" para carros, e luonlaria, arreios
para carro de un e dous cavallos, e rulogios d'ouro
patente inglezes.
Aviso.
No armazem de Adamson.llowie,iC.rua do Tra-
piche n. Ai, vende-se sellins para homem e senbora,
arreios prateados para cabriolis, chicotes para car-
ro, colleirasDar avallo etc..
55 Aterro da Boa-Vista 5 5
Casa dcF. Poirier.
Vende-se laboaa de pinbo de resina del 1/4el
1/2 pollegadas de grossura, por preco muito ra-
, zoavel.
Ricas sabidas de baile o melhor que pode haver.
no mercado e gostos que aiuda nao foram vistos a '
preco de 35 e 4%, e mais bailas a 32>, meias mili- \
to finas para padre de laia a lgSOO, ditas de seda
pan senhora a 29200e 2g500, ditas bramas a 280001
e 39,chapcos de alpaca forrados de seda,muilo com-
modos a 2J200 e 28100, maulas relas de blonde a
10Sel2$, ditas brancas a 78 e 7?500, lencos de seda
decores grandes a lg800 e 18900, e milito Onos a
zfzOO, ricas bengalas de niassa flngindn unicome
a 78, ditas unas a 88500 c 10$, ditas de cannaa
lJOO, chicotes de estalo muilo Unos a 28500, dilos
sem eslalo a 1 e 900 rs., palelots de alpaca de co-
res e prelos de tolos os tamanhos para meninos e
homens, o preco ( conforme os tamanhos ; assim
como sejam pentes virados Imperatriz o mais mo-
derno que peJde haver a lOg, 18 e 25, dilos sem
ser virados a A% e 5{, e ludo o mais, que se pode
procurar, ludo tem vonlade do comprador.
Toucas para meninos.
Na na po Queimado n. 37 loja de 4 portas lem
um variado sortlmentode toncas para crismas mui-
lo bem enfeiladas para 28000, ditas muilo finas e
Iwrdadas a 48000, tambem tem coifaspretas e de efl-
res, do retroz, muilo bem enfeiladas de vidrilhos
por preco commodo.
Na loja das 6 portas em frente
do Livramento.
Barato para acabar eeom al^rum resto
de fazendas.
Pecas de cacas de cores com 33 rovodos a 63OOOJ
covodo8 a 200 res, peras de laa com 32 covodos c
baslanle larga a 59000, covodos a 100, corles de
caca com 11 corados a 1200, lencos de reros a
500 res, camisiiihas com golliuhas para senhora a
2J0I10, miissullina encarnada e branca a 320 o co-
vodo, cortes de 15a de quadros c fazendas bastan-
te largas a 5000. laazinha fina para vestido a 400
o covodo, pecas de bretanha de rolo a 2000, len-
cos de seda encarnadlas e hranens a 81)0 rs. D-se
amostras com pinhores; a loja est aberta das 6
horas da manhia as 9 da noite.
Attenyao
Vende-se o bem acreditado ungento que mata
rpidamente ralos o baratas, pelo mdico preco de
1 cada um : na rua da Sen/ala Velba n. 50.
Cevada
superior a 28500 a arroba : vende-se na rua do A-
uiurim 11. 43, armazem de Travassos Jnior & C.
Vende se excHIenle bolachinha por 39200 por
arroba, e superior a 3840, bolachinha docea48160,
JjCOito grosso ordinario a 1280 a arroba, pao a
120 a libra, muito bom pao e bolachinha de segun-
da quahdade a 100 re a libra : na rua larga do Ro-
sario, padaria n. 18; tambem so vendem meias
barricas vasias muilo em conla e com o prazo de
cinco mezes.
Carteiras grandes com chaves.
Vendem-se por preco muito barato carteiras
grandes com chave, propriaspara guardar dinheiro
e letras : na na do Qneimado, na bem conhecida
loja de miudezas da Boa Fama n. 33.
AGftlCl\
DA
FUNDIDO LOW MOW,
Rua da Senzala Nova n. 42.
Neste estahelrciniciito continua a haver um com-
pleto sortimento demandas e meias mnendas paro
engenho, machinas de vapor e taixas de ferro bali-
do e coado, de todos os temnnhus para dito.
Aviso.
Luvas de pellica, de Jouvin verdadeiras a 2f000,
muito novas, ebanha franceza s libras, meias li-
bras e quartas al oncas a 2560 a libra : naloja
de miudezas do aterro da Boa-Vista n. 82.
XAROPE
Foi transferido o deposito deste larope para a
bolira de Jos da I ruz Sanios, na rua Nova numero
53 : garrafas SfBfltl e meias 38, sendo falso todo
aquello que nao fnc vendido nesle deposito, pedo
que se faz o presente aviso
IMPORTAMK PARA O PUBLICO.
Para cura de pbl.sica eiu todos os sem dilTeren-
tes graos, quor motivada por constipaces, losse,
asilmia, pleuriz, cscarros de sangue, dorde costa-
dos o peilo, palpilacao no eoraro, coqueluche,
bronchile, dor na garganta, e todas as molestias
dees igaos pulmn ares.
Potassa da Russia
E CAL DE LISBOA.
No bem ronhecido e ae-reditado deposito da rua
da Cadeia do Recit n. 12, ha para vender potassa
da Russia e da do Rio de Janeiro, nova e de supe-
rior qiululade, assim como tambem cal virgem em
podra : ludo por procos muito razoaveis.
Relogios.
Vendem-se relogios de ouro inglezes de patente:
no armazem de Augusto C. de Abreu. rua da Ca-
deia do Recite n. 36.
melhor luz : quem ees vir nao
e us procos san connodos
r?
/, pruprios para ci-
andieiros turnam-sc I
boa luz. assim <- j
etxar
comprar,
Para lorrar
Cinco Ponas n. 63, por uienos do que era oulra i /^' Veinle-sedamascu de
qualquer parte. /' gostosemuitopropnopa
_T. 5 na rua do Crespn. 12, 1
Vinho Bordeanx. SSaasBH.-^
r.m casa de Henr Rmnn & C, rua da Crnz n. 10, t^SSS-^SJaQSS^.^S SJSSSOTStVS
Candiel ros
Na loja do Sertanejo
Rua do Qneimado n. 49 A, loja de tablela junio ;
ao becru da Congresaco, Segunda teja de fazendas
quem vem para o Livramento, ten para vender um
grande sortimento de fazendas novas de gostos,
como si'jam : grosdenaplcs decores muito linas o ;
cnvadii a1$is00, ditas pretes de diversas qualidades a
e-ovado a 18400, 1,8500, 1800, 1S700, 48800, dita
lina a 2$e muila tina a 284IH) < 2,8601, sarja prela
espanhola muilo Una de duaa larguras a 28 o cova-
do, rami/uihas para ftenhoras de lodos osconipii-
inenius cun preguinbas, obra muito tina aofe
6f5O0, golas e manguitos deUMas as qualidades e
todo o sorlimenlo para eseolher, emquanlo aopre-
cogaranto-se vender mais barato do que em oulra
qualquer parle ; assim como sejam paletol&de pan-
no muilo lino forrados desella al89, 20S, 228, '8
c 268 : roga aos seus respeiteveis freguezes, que
lem amostras especiaes sutUcientes para levar as
fazendas para ver se agradan.
Cortes de laa.
Aiuda restan alguns cortes de laa fina para ves-
tidos, com 16 covados cada leerle a 48, eslio-se a-
cabando: na rua do Queimado u. 11, na luja da
boaf.
Aterro da Boa-Vis-
ta n. 60.
Vendem-se muilo superiores casinetas mescla-
das, com um pequeo toeiue de mofo, pelo baratis-
simopri>ci^de3CO rs. o covado.
Alcatifa
Vende-se alcilifa com qualro palmos
de largura inuiu prupria para Horrar i
salase igrejas 6011 rs. o euvaclo : na p
rua do Crespo i. 12, I "ja de Campos a
Lima.
naj
No armazem de E. A. Burle A' C.", na da
Cruz n. 48, ha excelente ehanpanhe da melhor
marca quo lem viudo iu mercado a 259 o gigo.
Bicos enfeites com vidrilhos
paracaneca.
Vendem-se os maii ricos enfeites prctos e de
cores con vidrilhees, pdo baratisstno prceude-tS
6a cada um: na bem lonhecida loja de miudezas
da Roa Fama, na rua dei Oneimadir n. 33.

Para thealro. |
g Osmelhorcsbinoedos que tem vindoao K*
^H mercado venilein-see'ni casa de Julio S^
a Conrado, rua do Queinado n. 48. H
- Vi'iiili'-si' inniln siipriur dOCO dOROaba lint
Liiilia Roriz Fardo esema.
Na ruado Torres, eseriptorio de Guilhorme Car-
valho Js C
CVi ma roes sernos.
Aeaba de cfaegar taberna do largo da riboira de
S. Jos n. I, esquina da rua de Santa Hita, urna
grande ponan de camares c peixe soceos, chega-
do ltimamente do Haranbao, c se vende por me-
nos preco do quir i'in oulra qualquer parle, por ha-
ver nina grande porreo evir por miaba conla ; as-
sim como lodos us gneros pertencentes ao dito
eslabeleeimeiilo ; se: vende ludo muilo barato e
dos melhorcs que ha no mercado, como aeja man-
leiga iiigle.-.a, dila franceza, queijos muito novos,
cha hvssuii c perula, annz pilado a ISO e 100 rs.,
vlirtios luiiilu bons e de Indos os procos, sendo d
4011 a 801) rs. a yarrar.
ni e per
imito bor
J rs. a ya
Saceos com mullo.
Vendem-se saceos con ilbo novo, e
mente chegado do norte: a tratar no Re
da Cadeia, lujas nr. 23 c20.
rerenle-
if>:, rua
MM
Na luja ila empanada encarnada, rua do Queima-
do n. 37, acaba de receber ltimamente ne Franca
um cmplete sortimento de fazendas pretes, pro-
pri.es para os aclus da semana santa, bem cuino
sejam, ricos cortes de vestidos de grusdenaple pe-
lo, bordados a relindo e a retro/, manteletes de
Dosdenaple preto, ricamente enlejiados, manas
de ni/i preto e lejs pretos, fazenda muito superior, a
melhor quo na no mercado, grosdenaple prelo do
militas ciualidadi's, un completo sortimento di
Velas de carnauba..
No anligo deposito da rua do Vigario n. 27, ven-
dem-se vlasele carnaulia em pequeasegrandes
porcea, sendee de 6,7, 0 e 12 em libra, peer menos
un cpie em cintra i|ualqucr liarle.
Vendem-se 12 casaes de canarios do imperio
em sem \iveirus : quem us pretender lodos se vean-
de por menos preeei; igualiueielu se rende casaes
ele rulas de llainliui'go de muilo boas qualidades :
no sobrado da rua de s. Francisco n. 8, como quem
vai para a rua liedla.
Meias de borracha.
CHEGAOAS ULTIH \MKMT. Nei N \\h) IIIANCKZ.
Na rua do Queimado, na bem conhecida loja de
miudezas da Ba Tama n. 33, j lem para vender
jeur preco barato as muito procuradas meias de
borracha, nicamente proprias e approvadas para
inda e qualquer enchacao as pernas.
lames Crabtree a c., teem para vender em
se-ii armazem, rua da Cruz 11. 42, us seguintcs ar-
ligoa :
l'.HAMl'ANIIAde superior qualidade, e-ni gigos de
du/ia de garrafas, e tambem em gigos de duas
duzias de meias dilas.
FIO DE VEI.Amuilo forte (o melhor que tem vin-
do a esto increado, e prequio para coser saciis
com assucar.
ABMACiiKS DE SELLINStanto para montara de
senhoras como para homens.
CHICOTESpara carros.
I'EHNEIUASmiiiln bem hilas.
ARREIOSpara carros de um e dous cavallos.
FlVELASde ferro eslauhado para obras de sel-
leiros.
Opros para hornera a 1,8100 cada raixo, propio para docnle : na rua i panno lino pete e de easemira prete para lodos os
EM
de on-
de um
cobertos edescoberlos, pequei Me grandes
ni patento ingle/,, parahonet i e senhora
dosneihores fabricantes de l.i rerpool, viudos pelo
ultimo paquete insdez: em caca de Soulhall tlel-
lurs & C
Vende-se em casa de Saun
praca do Cono Santo, relogim
cante Roskell, por precos coi
traiii'c-Jlius e ca
gesto.
lers Brothers & C,
be afamadn falui-
inodos, e tambem
, linr _
adelas para us un sinos, de excellenli
se esla agua a melho
do para liugir o cabello a sui
vraria universal rua do Collegi
um impri'ssogratis, ensillando
Pianos
Veudem-se pianos oi tes do melhor
gosto e modelo que tem viudo a este
mercado e por precos commodos: na
rua da Cruz do Recife n.50.
I ^SJ8 t.i.tt 1U-"
:
pie lem appaiei i-
i ele preto : na li-
li. SO, d-se junio
h forma de applicar.
.:. ....
GRANDESORTIMENTO
DE
Boupasleilasdazendas
dus Uartyrios n. l.
Vende-se ou arrende-se o engenho Sao Jos'-,
na freguez.ia de Sanio Aulio, 4 leguas ao sul da ci-
dade- da Victoria, cujo eiiicnho me com agua, tem
grande cercado, limpo e circulado por vallado,
umita malla, e preparado de teedo uecessario para
moer: com grande casa d' vivenda, seiualla, etc.,
casa para bagaeo, com estila e assentamenlo para
relame; quem o pretender dirija-se ao engenho
Sibird a tratar com u sen proprietario.
Relogios.
Vendem-se relogits de ouro e doura-
dos patente para liotvem e senhora de
diversos tamaulios pa- preros commodos :
na rua da Cruz do ttecife u. 50.
Algodo monstro.
Continua-se a vender o bem conhecido eecono-
mico algodao monstro crin 8 palmos de largura,
Ernpriu para qualquer ohr. por dispensar lodo o Ira-
allu de costura ; aprovlem emi(iianlo ha : na
rua do Queimado n. 11, na loja da boa fe.
As verdadeiras kivas de Jovin.
precos, < lelas eslas fazendas se vendetta por me-
nos prern du que em oulra qualquer parle; lm-
belo se alianea de servir e agradar cun luda a deli- i 1"^
m
Toalhas adamascadas.
Fio de vela.
Biscoutos em lata.
Vendem-se em casa de Arkw-
reghl <& rua da Crnz n.
61. por barato preco.
cadeza tudas aquellas pessoas que IrequenlaRm
este eslabelecimiMito.
Vendem-se 0 negros moc-ns bons Irabalhado-
reade enchada, 3 negras com algunas habilidades,
4 inulequi's de 8 a 12 annics i'nina negra demeia
idade pnr preco commodo : na rua larga do Rosario
n. 22, segundo andar.
Farinlia de trigo
Fernandes & Filhos lem superior farinha de tri-
go da marca SSSF chegada antes de honlem que
vendem a preco muilo em cunta : no seu armazem
rua da Cadeia n. 63. becco da Madre d<- Deus n. 12
(CmiE(BTIJBffl (D EL\MT(ID.
0 Pre^uita esl Quciniando.
Na rua do Queimado n. 12, esquina dn boceo do
Peixe Frito tem 0 Preguica para vender por bara-
lissimo preco um completo sorlimenlo de fazendas
bem cuino sejam leerles de cassa e seda de lindis-
A loja d'aguia branca aciba de receber as verda- irnos gustos a 68")00 cada um, ditos de las o sida
deiras luvas de Jouvin, violas de sua encuininenda, I de lindissiinus guslus e superior qualidade a "8 ca-
o pira senhora, afianrando- "Mmi eorte de cambraia branca com salpicos a
qui em tal genero se lem j 3$:>00, dilos de dila ruin dores de cores a 380O,
a 2}7>00 ii par : assim cuino i Rangas mescladasde padres e superior qualidade
tanto para boinem com
seque san as inelliures
visto aeiui: venden ao
nutras igualmente novas, e tambem niui boas a 2$ a jnii o covado ; abitas escuras e claras de
upar. (Juera aprecia o luii, liedirigir-se rua do|P**s a 160, 180, UO t 24H re o covado ;
Na grande fabrica de la-
mancos da rua Dircita,
esquina que vira para S. Pedro n. 10, lera eireeli-
vamente riquissiinu sortinenta de tainancns de to-
das asqualidades, proprios para a estafan invernosa,
e vende-se lauto a retalho cuino en grandes por-
ecies, por menos preso que em outra qiiabpier
parte : OS senhores e'uinineiciaiites de fra devem
prevenir-se, pois o invern esl prximo.
MACHINISMO
Farinha, milho e
farelo.
Vendem-se sarcos com farinha, milho o farelo,
ludo o melhor possivel : na taberna grande da Su-
lfilado.
Vende-se um esrravo Boro, muito meoslo,
pratiro us Irabalhos de armazem de assucar, bem
como nina linda escrava crioula ptima engomma-
eleira e cozinheira : na rua Nova n. 67, nrimeiro
andar.
CHEGUEM
Aloja da Boa F
Que esl vendendo muito barato.
Crosdonaple preto muilo superior a 1,800, 2$,
2,500, 38,3,5I0 e IS o covado, sarja preta In'spa-
nhola muilo superior a 2,200 o covado, setim ma-
can muilo superior a 3,500 o covado, panno prelo
Uno a 28, 3, 4, 5, 6 e 88 o covado, easemira prela
muito lina a 2g, 2,500, 38, 3,500 e 4g o covado,
neos cortes de rlleles de velludo preto bordados a
12-, dilos de iliio de cores a 78 e 108, e muilo su-
periores a 13S, ditos de gorgurao prelo a 3,500, di-
lees de dito de cores a 4,500, merino pivlo setim
muilo lino a 1,120 o covado, alpaca preta muilo
lina a 0(0, 800 lg fl covado, meias pretal de laa
muito superiores proprias para os senhores sacer-
dotes a 28 o par, cambraia de linho muilo Una a
6g a vara, esguin de linho muito fino a 16,000 rs.
a peca com 12 jardas, brclAnha de linho muilo e
muilo larga a 2081100 a peca com 30 varas, cam-
braia adamascada para cortinados a 12,000 a peca
com 20 varas, bramante de linho muito superior,
euui duas varas de largura a 3,400 a vara, alonlha-
do adamascado com mais de 8 palmos de largura a
1,280 avara, hrim liso, llamburgo, muilo Roo a 9
e a 108, a peca com 20 varas, o .guian de algndan
muilo fino a 3,2110 a pera com 12 jardas, cambraia
lisa muilo Una a 58 a pera cora 8 1/2 varas, dila
muito lina a lis, 6,500 e 8$ a peer rom 10'varas,
dita muilo lina cun salpicos a 900 rs. a vara, o a
7g a peca com 8 1 2 varas, lil de linho bordado a
1,400 a vara, inanias pretas bordadas a 108, %"s
da mesiiia epialidade a 12,000, golliuhas de lil
muilo bem bordadas e bastantes largas a 1,200 ca-
da urna, leie us de ramliraia de linho com bico lar-
go em volla a 28, meias brancas de seda para me-
ninas a 28 o par, ditas brancas de algodao muito
tinas para senhora a 3,600 a duzia, ditas ingle/as
ni u iiu superiores tambem para senhora a 5$ a duzia,
chas para meninas de todos os tamanhos a 380
par, ditas para meninos a 240 o par, ditas de algo-
dao cru para homem a 1,800, SJ, 2,500, 3 c 48, e
iuglezas muito superiores a 5,000 a duzia, lencos
'. -~
1AS
- i NA ItUA DO QUF.1H|U)0 N. 46.
si M
i :GOES ^ Paletots de alpaca de eiir e pretos pelo f-~*
diminuto preco de 48, ditps de fustn bran- ES
:i5 eos e de ceir a 5g, dito* dec hrim pardo
muilo superior a ")8,ditup de esguin da ~"^
- China cc'er de laranja a 5$ ditns de palho !.
" de seda a |, dilos de m a easemira pre- '' *
"^X los e de cores a 8g, dilm de easemira de &*
^ cor padreeos muilo modi nins a 188. ditos So
.'. pietces a 18g. sobreeasaei s de panno muito j->
^^ tino preto com golla de elluuo e forradas W*"
9 de seda a 223, e a 25S, calcas de easemira p^
"'4 pretas c de cures a g. ?S' e 8S. COlleteS
Jffl de gorguro de seda a 5, dilos de velludo :''
-'.
prelo a 7g, dilos de cores a 9g, ditos de
, usto e lirim a 28500 el 3, ceroulas de
;>. bramante a IgOOO elgftIO, lencos de cam-
braia de.linho duz.Li 48' 0
' ; inuilas obras feitas
vista que se pude' ava
x\pparelhos de
6J, e uutras i
/encas qne s
iar a pechincha.
i I 8 v
porcellana.
Vendem-se mui bonitos el delicados apparelhos
de porcellana dourada prop ros para brinqnedo de
meninas, sendo elles de eJilTcrenlcs tamanhos c
gustos a 1S500, 28,28500, 8g, 38500 e 4g : na rua
do Uueimado nos quatro cantos loja d'aguia bran-
ca 11. 16.
ENFEITES PAR A CABES AS.
Mui modernos o delicadnl enfeites de llores, filas,
plumas e froros para senhom a 6g, 8g e 1flg, precos
estos baratissimos i vista Ja perfeico e bom gosto
ramate modernos e pelos
58; para qualquoi pesaos
de que fallamos, dirija-se
iiuatro cantos ila rua do Qu
assim como oulros
cura cinc sio elles acabad
pretos de vidrilhos obra dio apurada,gosto o inlei-
liminutos precos de 4g r.
se certiticar da verdade
luja d'aguia branca, nos
imado 11.16.
para
Na fundigo de ferro de D.
W. Bowmnn, na rua do Brum,
passnndo o chafariz, continua a
haver um completo sorlimenlo
de lachas de ferro fundido e ba-
lido, de 3 a 8 palmos de bica,
as quaes se acham venda por
preco commodo, e com promp-
tido, embarcao-se ou carre-
go-se era carro, sera despezas
ao comprador.
Chapeos para.meninas.
He na oja ^l^^00^8 na ma do j Novo e completo sortimento de
que se encontraunt ren snrtimentu de chapeos para | meiaS paira hoiUeilS,
mulheres,meninos e meninas
de 2 a 12annos.
Vendem-se muito boas meias creas sem costura
j para humen a 1S800 a ehl/ia e 160 rs. o par, ditas in-
gle/as muilo finas a 28500 e 3^500 a duzia, ditas
Aguia branca.
meninas e meninos ricamente enfeilados, tambem
chapeos para senhora, de plha enfeilados, lodos
de gostos modernos, e se vende mais em conta do
que em oulra qualquer loja.
Vende-se superior linba de algodao, brances e
do cores, em novtdlo, para costura : em casa
Seiithall, Mellors C, rua do Torres n. 38.
Com pequeo (oque de
avaria
Pecas de madapoln a 20500 e 3*000 : na rua do
Crespo, loja da esemiua que volta para a rua da Ca-
deia.
multo enenrpadas de li
400 rs. npar, dilas tam
i nimias a 38600 a du/.ia
! a 400, 500 e 600 rs. opa
i ninas conforme ns dille
mm&9___
Com pequeo toqu ae avaria.
fiT,nX t%tX^LlVdX^ maaaPla, con> pequeo toque de avaria a 38400 a peca, ditos mais
aIZiVr?. *?n JS?l .rS' chL",9 to**"* 'rgas cores escuras e lindos padroes com pequeo toque car,
iontasa 58^ cada um d' hale3 de merin com ,Bumas PinUs de moo e com linVpumas as cooduco de agu
F "*^ I rua da Cadeia n. SE), d
dubradn a 4g50O a duzia e
bem de tice dobradn para se-
e 320 rs. o par, dilas finas
, ditas para meninos me-
ntes tamanhos, asseveran-
dosesorcm maishara'.is do que em outra qual-
quer parte, meias de la i muito linas para homem a
500 rs. o par, ditas lii issimas de lio da Escocia a
600 e 800 rs. o par, i ilas de laia para padres a
1J600 o par, ditas de sfeda mui tinas pretas c bran-
cas para senhoras a 3jj4$e 5So par, ditas mui fi-
nas para meninas a 2JSO0 e par, assim como mili-
tas outras miudezas e objectos de gosto, que estao
patentes na loja d'aguii branca, nos quatro cantos
da rua do Queimado n. 16.
Na rua da Cadeia n, 28, defronte da relaco,
ha para vender bitas ham hurgue zas em porc'o e
a retalho e tambem se ilugam por nreco commodo.
Superior cal de Lisboa para fabrico de assu-
em amoros mujlsxham feitos que ^errem para
or proejo commodo : na
! da relaco.
'
^;
randes para parede com
C ig : na loja d'aguia brau-
Ifia do Qlueimado u. 16.
, ., | <" o, biij,< uc iiici.i i,i-i iiiir.i ,i ^., nenes ui"
.salas e douradas e vidros ,a mais na a 2o,oo Cada um,curtes de brim de li-
nho a lg700 cada um, dilos de dito brauco com lis-
tras e de puro linho a 18020 rada um, cortes de
giii-guin para rolletes a 3geada um, dilos de me-
rino bordados de lindos gustos 4500, ditos de ease-
mira preta bordados a 38*00 cada um, eambraias
lizas de 8 varas a 38500, 4g, 4$ 10, 4g00 SfSOO a
peca dilas lapadas com 10 varas a 4g, 48500,
5f800, 68500 e TgiOOa peca, cortes de organdv fa-
Dueiraado nos quatrqcailus, loja d'aguia branca ti.
16, que ser bem servido. Na mesina luja existe um
grande sortimento de luvis de seda de militase di-
versas qualidades tamben para humen e senhora,
e a precos baratissimos.
Espelhosgrandes.
Vendem-se ei
bellas molduras
mui finos e claros,
ca nos quatro
Fazendas pelas para a
quaresma.
No aterro da Boa-Vista loja n. 60, de Gama 4
Silva, sendo um complete sortimento de gnisdena-
ples prelos, pannos e casimiras, pelos precos se-
guimos : gcosdenaples, o covado a 1S280, 'ls600,
15800, l, 2.-5240, casemins pretas, cortes a 59500,
6S5O0, "8500 tt 12g caa corle, e pannos pretos
de dilferentes preeejos e qialidadcs.
n. 1.
Na loja na rua do Queimado n. 1, amigamente
cnnliccida pela do meia ptica, existe um completo
sorlimenlo de fazendas, qie se deseja Uquidar por
cpialquer um piveo, alim eje om breve se poder das
nova urganisai'iiu nn'sma lija. Mas nn sondo por-
sivel mencionar um por un, lodos artigos de que
se compono dito sortimeiile, limitamo-nos aos sc-
guintes, adicionando-lbe s'iis baratissimos precos,
atiin de que os amantes di barato tara m a devida
ide'-a do quanto oconomisa'o em so sortircm em
dita loja : corles de eassa ihilaa lg&OO, dilos finos
a pinla miudinha a2g, cass de cor, vara 320 reis,
ditas linas e lixas na eir a 40, ditas franco/as mui-
lo lina a 640, Sedas de quacrinhos a 18, ditas mili-
to largas a 18600. dilas doquadriuhiis miudinhos
assentcs era grosdenaplos i lgOO, fazenda de laa
cora quadros de seda a 320 o covado, dila superior
a 400 rs., chaly padroes uteiramente novos a lg,
chitas francezas superiores tanto em panno como
em tintas a 320 o curador titas escuras a 260 o co-
lado, alpacas do una s ctr, fazenda muilo lina a
500 o covado, ditas con lisras de- seda a 500 n co-
vado, liras bordadas de 6 Batios, por menos 25 por
0/0 do que em oulra qualqier parle.
Loja n. 37.
He na rua do Qvcimado a loja
de quatro jwrtas.
Se cnconlra um complot sorlimenlo de grosde-
naple preto de lg600, 1S8)0. 2g, 28200, 2400,
2,800, 3g e 3,200 o covado, dilos de cores de 1,600
e 2g o covado, panno Co prelo de 2,500at 12g o
covado, dilo cor de rapi e verde cor de garrafa,
fazenda muito superior o 7g o covado, casaveques
do fuslo re menle entelados de ricas trancas lin-
gindo lindos bordado a 18g, cortos de vestidos de
pliantasia muito lindos e dos mais modernos a 18g,
Sitos bordados a velludo de coros muilo lindas a
30g, dilos bordados a seda com lindas flores a28g
cada um, palelolsde panno o de easemira pretose
de cures de 16 ale! 25 cada um, dilos de brim
branca muilo linos de 5j, 5,500 o OS cada um, ricos
pannos da mais lina casimira de lindas cores para
cima de mesa ib* lucio de sala, toalhas de linho cru
proprias para rosto a IgHO cada urna, redes de
cures viudas da Babia da Traicu, obra muilo bem
acabada, polo diminuto preco die 18g cada uma, e
oulras militas fazendas que s cora a vista do com-
prado se poder mostear, e se venderao por pre-
eo inuite commndo.
Chapeos de palha escura para
homem por precos baratos.
Na bem conhecida loja da boa f, na rua do Quei-
mado n. 22, enrontraroos bons freguezes um com-
pleto sorlimenlo de rhaoeos inglezes de palha escu-
ra de formas interamcite modernas o bonitas da
ultima moda. Tornain-^e recommendaveis porse-
rem mui levos e frescos para a presente estaco :
vendem-se pedos baratissimos precos de 4g 5g,
vendem tambem chapeen e bonets da mesma quali-
dade para menjos a 3g 3g600.
Em casa deHabeScbmettan & C.
rua da Cadeia n. 57, vendem-se elegan-
tes pianos do afamado fabricante Trau-
111,11111 deHamburgo.
Almeida Gomes, Alves & C.a
VENDEM O SEU ARMAZEM
I
cures
. dilas
ranelas de lindos padroes e de exceUentes pan-
nos a 20, 200. 280 i 800 nis o cenado, eambraias
adamascadas para cortinados de camas pecas de 20
varas a 118, grvalas prelase do cures con mua o
sem olla a 800 c 18 cada nina, ditas cora nula mili-
te linas a 1S600, lencos de seda com alguui onleilo
a 800 reis cada un, grosdenaple de cor de boa
qualidade a lgSOO o covado ; corles de easemira
lina a 6g, dilos do meia easemira a 28, ditos de di-
braucos de cambraia para algibeira a 2,400 a duzia,
iores a 3,000 a duzia, ditos muito i
dilos luain
RUfDA CRUZ
CHAPEOS de felti4>1sortidns, da fabrica acreditada
de.Carvalhn IMn, do Rio de Janeiro.
SAII.VO das fabricas do Rio de Janeiro.
VINHO de champagne de superior qualidade.
SALVAS, baudeijas e outras obras de prata.
Rua do Queimado n. 1.
Neste loja existe um bom oratorio de Jacaranda
para vender.
Cognac.
Cognac superior em calas de uma duzia, vende-
se'em casa de Henr Brunn & C, r ua da Cruz n. 10.
zonda muilo larga e lina a 4600, alpaca preta com
6 palmos de teir prupria para Bananas e capas
de padres a 800 reis, lanidnhas d quadros proprias
para vestidos de senbora a 360 o 500 reis o covado,
chales de laa linos eciin barra malisaila a 48000, di-
los de merino lisos 4,880o, ditos de dito bordados
B 08200 cada um, lencos blancos com barra de cor
a 100,120 e 130 reis cada um, chitas francezas lar-
gas para cubera a 210 reis o covado, brim branca
de hslra de puro linho a 800 nis a vara, dito de
lindissiinus gostos e superior qualidade a 1,8-140 a
vara, dito branca muito lince 18280 e lgOO a vara,
eassas de cores de lindissiinus guslus u36(iV 400
reis a vara, niiissiillina con pequeo loeiuee de-ava-
ria de lindes padroes a 250 o covado; dita sem ava-
ria a 300 reis o covado, dita tcela encarnada a 220
reis o covado, dila mais larga a 32ij reis, easemira
prela a 2g, 2320c), 28100.38500 e 4g o cavado,
panno lino azul e cor de rape: de superior quali-
dade a 5g o covado, dilo preto a 4g, 5g e 5g500 o
covado, dito azul proprio para fardas a2g, o cova-
do, lencos brancas para mao de senhora do bico
largo o muito linos a 8l"l e lg cada un, ehitas es-
curas de tintas lixas a 5g200t peca, alpacas de se-
da de superior qualidade a WB rek o cenado, pe-
cas de cambraia li/a com pequeo loque de ninfo a
2g. dilas de pretenda de rolo com 10 varas a 2g,
alualhadu largo minio lino com bonitos lavoros a
18280 a vara, italianas, especie de cambraia pinta-
teda de cores flxas e lindissimos gostos a 480 reis
a vara, eambraiasfiamezas (Je lindos padroes e ei-
eellentes pannos a 500 rea a \ara, eassas pintadas
miudinhas a 320 reis a vara, luvas de lio da Esco-
da, brancas e do coros a 320 reis o par, eambraias
napolitanas roas c a/ues de epiadro a 360 reis a
vara ou 220 reis o covado, riscadinbos francezes de
quadrns a 180 reis ei covado, bramante muito largo
a 28100 n curado, velbulina de Indas a Cores a 720
res o invado, meias cruas para hornera a 160, 200,
360 o 400 reis o par, dilas para senhnra do Indas
as qualidades, palelots de alpaca preta a 5g, ditos
de meia easemira a 8g, ditees de panno prelo o de
cor a 10g, '"vas de soda para senhora a lg200 n
par, ditas de seda bordadas de lindos gostos a 28200
o par,; e outras militas blendas que se deixaiu de
mencionar e se venderao peer baratissimos precos e
se daro amostras com penhorea
Vendem-se soleiras e sacadas de pedra de
can i ana : a tratar na rua do Torres, eseriptorio de
Lomos Jnior A: I.oal Iteis.
Madeira de pinho.
'vende-se mais barato dn que em oulra qualquer
parte : na rua da Cruz n. 40, primeiro andar, e na
rua do Brum. armazem n. 10.
Par <-:i \ :i llelros.
Variado sortimento de falce feito francoze ingloz,
de diversas fazendas o varias cores ; casacas pretas
de palmee linissiiuu iinperiueavel; chapeos de castor
pretos e branrns ; charutos da reserva do oiicuiu-
inenda especial.
BORDADOS FINOS.
Na rua do Queimado n. 37,
loja de 4 portas.
Tem um complcln sorlimenlo de bordados, como
soja golinhas para 600,800, lg e 1g200 al 3, man-
guitos de lg600 o par al ag400, manguitos com
golinhas de ricos gustos a 4g, 5, 63, 88, 10 e a
12a o par, completo sortimento de liras bordadas e
ntremelos francezes, liras bordadas inglezasde di-
versas larguras o de uma fazenda muilo supejior
prupria para cahinbas de enancas e para casave-
ques, camisinhas bordadas com goliuna e mangui-
tos por preco commodo.
Vende-se em caso de C. J. Astley
4C. :
Cabos da Russia e de Manillia.
Palhinha de junco preparada.
Vinlios de Rheno, de Moselle e de Br-
deos.
Rolhas de cobre e pregos do mesino.
Salitre reliuado.
Sementes.
Vendem-se sementes de hortalice de todas as qua-
lidades, chegdas ltimamente de Lisboa : ua rua
da Cadeia do Recife n. 56, loja de ferragens.
ALPAC4 BRANCA.
^ ende-se alpaca branca com duas larguras a ls o
covado : na rua do Queimado n. 34. loja do l.avra.
Vende-se um armario por qualquer preco : na
rua da Cadeia da Santo Antonio n. 11 B.
t Vende-se fumo em folha e cola chegada recn-
tenteme da Babia, por menos precro do que em ou-
lra qualquer parte : na rua da Cruz do Recife n. 13,
primeiro andar.
Na fuitlicao tic Trro do cn^cuheiro Da-
vid W. liow ilion, na rua
do lli-uin, passando o cliaf.iHz.
Ha sompre- 11111 graudee sortimento dos soguintos
nbjoctees ele n.....anisiuns pruprins para oiigoubos, a
a saber: mcecnclas o meias mnendas da mais mo-
derna cnnslrucc u ; lachas do ferrn fundido o bali-
do, de superior cpialidacb- e de lenices ns tamanhos ;
rudas dentadas para agua nu animara, de lodasas
propon oes ; crines o lincea de fnrnalha o registros
de boeiro, aguilboes, brnu/es, paraluzos o ca\i-
lhoes, moinhosde mandioca, etc. ate.
N.V MKSM.V PUNDICAO
se pxeriitao Indas as oncoinmenclas com a superio-
ridade j conhecida com a devida presteza e com-
modidade em nreco.
ARMAZEll
Fazendas e modas
DF.
MIGUEL JOS DE ABREU,
11 Rua do Oueimado 11
F.sle eslabelerimonlo que inquoslinnavelmente he
hojo um dos melbores neste genero aeha-ae com-
Elelamento sorlido de tudo o que do mais rico, mais
ello, mais moderno e de mais elegante e apurado
gosto existe no morcado relativamente a fazendas e
modas lano para senhnra como para cavalbeiros.
Nn so espocialisaiu aqu us diversos arligns que
constituen osle variadissimo suriimento, porque
grandes
proprios para a cabera a 400 rs, cada um, ditos
muito finos de esguio de linho a 7,500 a du/ia,
ditns de linho de cuces escuras e lixas pmprins
para os tabaquistas a 400 rs. cada um, chales de
inorin liso de lindas cores com franjas de soda a
6g, ditos de chaly com Ostras de seda em rolla o
com franjas tambem de seda a 7g, dilos de merin
bordados a 9g, dilos de touquini muitn superiores
bordados em duas ponas, rom franjas muito rom-
prjdas, pelo baralissimo preco de 45g000, ricos
pentes do tartaruga a imperatriz a 12 e a 20g, lo-
ques muilo finos a 4,500, ligas de seda a 1,280 o
Car, chapeos dee fellro muito finos a 5 e 68, brim
raneo irain-adu du linho muilo lino a 1,280 avara,
diln incorpado muilo superior a 1,440 a vara, dito
do cores do padroes muilo bonitos a lg a vara, di-
lees do quadrinhos muito proprios paja obras dn
meninos a 200 rs. o covado, ganga amarilla fran-
ceza muito lina a 320 o covado, ditas escuras niuiln
superiores a 560 o covado, camisas d riscadn mui-
to bem feitas a 1,500, eambraias francezas de cures
muito bonitas a 400 rs. a vara, entro meios muito
linos a 1,920 a pora, liras bordadas muito tinas a
3 ea 4g a peca,' e aleni disto um completo sorti-
mento de fazendas finase grnssas, que vendem-se
por precos mui commodos, s a fin de se fazerem
grandes vendas : na rua do Queimado n. 22, ua
bem conhecida loia da Boa F.
Osi
mais ricos vestidos pretos bordados
com babados n tambem com duas SStes, se
vendem na loja da rua do Quoimadn n.
10. de I.cile & Crrela.
Calcado.
A endem-sc sapatoes de vaqueta de lustre de Nan-
| tes, cura duas solas, taxeados, pelo diminuto proco
isso larm demasiadamente longo, e pnr runsoquun-. de 7 o par : na rua da Cadeia do Recife, c>
Ca fastidioso e mulil osle annuiu-io; masassegura-se da Madre do Dos. Na mesma luja existe um com-
ao nypeilarel publico e especialmente as senhoras piolo sorlimenlo de calcado para homens, senhoras
o cavalbeiros dn bom Inm, que o epie cima se aflir* e nu-ninos.
ma nio he o rosliimadu o trivial engodo cun que se
procura atlrahir a enneurrencia, massim a exacta e
tiol expresso da verdade.
Ao que tica diln s resla accrescentar que todos os
artigos sern vendidos pelos mais moderados precos.
m mmms Ymm
PARA A QUARESMA.
Superiores curtos de seda adamascados, pelo ha-
ralissinin proco de 30g, ditos adamascados de ba-
bados a 40g o corto, dilos adamascados com duas
salas a 70g, ditos muito superiores de duas saiasa
00g, ditos miiilu rios bordados a velludo, lindos
cazaveques dee soda prelos bordados, superiores
manteletes de seda prelos bordados, dilos de lil
bordados e enfeilados con muito gosto, grosdena-
ple prelo a 1g200, dilo a 18600, dito a 2, dito a
2g400, dilo muilo superior a 2g600 o covado, sedas
pretas adamascadas, setim preto maco, sarja prela
muilo superior, velludo preto, mantas pretas do
Na taberna de Costa 9 Silva, na rua da Praia
n. 33, vende-se um excellente oculo de alcance.
He cousa muito boa.
Vende-se a verdadeira pomada para fingir m-
bellna, pelo barato preco de 1 a caixinba, enm es-
covinha prupria : tambem se vende massa para
aliar navalhas a 320 : na rua do Queimado, na bem
conhecida loja de miudezas da Boa Fama n. 33.
IMM> WL fMMUL m
mwm. %
^ endem-se as verdadeiras luvas de Jouvin, tanto
para homem romo para senhora,. pelo baralissimo
preco de 2)500 o par: na rua do Queimado, na bem
conhecida loja de miudezas da Boa Fama n. 33.
LOJA DA BOA FAMA.
Vendem-se por preco que faz admirar riquissimas
filas lavradas de todas as cores e larguras, filas Usas
com pona e sem ella, bicos brancas de seda de mui-
uito superior velludo preto, mantas pretas de i lo lindos padroes o de todas as larguras, tramoias
lio de seda a 10. 12 e 14g, ditas pretas de fil de abertas delinho para babados a 120 e 160 reis a vara
linho a lbg, e outras multes fazendas de gosto, por jarros para flores a2g o par,atacadores ou enfladores
precos mais commodos do que em outra qualquer de seda do lodasas cores oara vestidos.dilosproprios
parle : na rua do Queimado, na loja do sobrado para espartilhos, tesonnw de todas as qualidades
aniarollo n. 29. i as mas onasque he possivelencontrar-se.agulheiros
\cndo-se uma escrava crioula, de 26 a 28 ] de marlim equlras mullas qualidades, lites de ve-
annos engommadeira, costurelra, e com outras ha- ludo de todas as i|iialidades. bolcinhas de camuroa
tulidades : na rua Augusta n. 17. muilolindas para meninas de escola, frasquinlio
O *C ', com cardinal a nielbur cousa que tem appareeidu
e para tirar nudoas em qualquer qualidade de fazen-
, pelo niuito baralo preco de 2g, trancinhas de se-
de todas as cores muilo lindas proprias para en-
...lar roupinha para meninos e meninas, e outras
Nesuioia vendem-se toalhas e lencos de labynnj: muilissinias cnusas djle se afiapca vender-se tudo
"Rlll \f t ll ilHIT fal A u'1-P^0^ui,uuara,^Pr.^^eJ^e_lran?inhasueo-
thos, rendas das libas proprias para "toalhas, bicus
pretiis do seda de todas as larguras, ditos brancos e
franjas de seda de todas as larguras. Illas do ultimo
goslo, dilas de vellido preto ede recorte, flores de
varias qualidades, botoea ele vidro o vellido do diver-
sas cores, para casaveques ce entras murtas miude-
zas de gusto quo se terna desneceasarlo mencionar
e que se promelte vender ein ccuita
O Leite & Irmao contiiiuam a
torrar.
Mussiilina toda encarnada, covado 220 rs., cam-
braia lisa muitn lina a 3g800, 4g80O, 5g200 e 5g600
rs. a poca, de 10 jardas, brim de linho para calca
de boiiitnspadnics a 880 rs. a vara, corles de meia
easemira a 3g000 rs. cada um, lencos de cambraia
delinho a 3g200 o muito linos a 4g500 rs. a duzia,
chales de touquim pretos, ditos de merin pretos,
ditos de merino liso de todas ascresa 4g800 rs., e
bordados a 68800 rs., chitas francezas de coros li-
xas a 220, 240,260,280 o 300 rs. o covado, madapo-
ln a 2S800, 3S200, 3S800, 4g000, 4g200. 4S800.
SflfJOO e 5g500 rs., e muito lino a 68000 rs. a peca, de
20 varas, palilols de alpaca muito finos a OgOlio rs.,
cortos de colotes dee easemira a 6g000 rs., esparti-
lhos para seuhora a 4, 6u 89rs., e dos modernos a
99 rs., saaspara senhora a 19600 rs., bordadas a 39
rs., e muito superiores a 49 rs., golliuhas muilu
bem bordadas a 39500 rs., manguitas camizinhas
muitn linas para senhora, cortes de cambraia do
gaz aisrs., tapetes para sala a 1*800 rs., para por-
ta de sala a 49 rs., e para cabrinlet a 2;.500 rs.,
meias muito tinas parr senhora a2s800 rs. a du/ia,
ricas colchas de damasco de seda a 25 e 329 rs. cada
uma, corles de eassa de Hados de-senhos a 29 rs.,
boas chitas oscuras o de lindos padroes a 200 rs. o
covado, meias ib- lodos os lainaulios para menino e
menina, guardanapns a 49 rs. a du/.ia, pecas de
cambraia lisa de lijantes a 39 rs., mussulina'bran-
ca a 300 rs. o cnvadee, toalhas para mesa a 49 rs., re-
des de folha a 69rs., c ha nutras multas fazendas
que se vende por barato preco, e de tudo se dar
amostras.
Em casa de Brcnder a Brandis &
C, rua do Trapiche Novon, 16, vendem-
se charutos da Baha da afamada marca
forma de Havana, primeira qualidade ;
genebra em frasqueiras especial para casa
de particulares.
Vende-se uma preta crioula de 36 annos de
idade : na rua da Cruz do ftecife n. 33, primeiro
andar.
por proco baralissimo : na rua do Queimado na bem
conhecida loia de miudezas da boa fama.
Escravos fgidos.
- Sexta-feira 11 de fevereiro fugio no Mamullan
a Antonio Francisco de Azeve.do, o meu esrravo
crinlo de nome Paulo, do idade 21 annos, alfaialo,
e; preto pouco retento, alto, magro e franziun do
corno, rosto compridu, olbos nm tent grandes,
pouca barba, pernas delgadas, gagueja quando prin-
cipia a fallar, e tem vfc guttural ; consta que pre-
tenda embarcar para o sol no vapor Oyapock, em
companhia de uma pessoa vinda no mesmo vapor,
e que est munido de passanorte com o nome de
Pedro: quem o pegar ou delle der nolicia, emenda-
se no Maranho com o Sr. do dilo escravo. c nesta
cidade com Manuel Ignacio de Oliveira & Filho.que
gratificarn generosamente.
No da 14 de agosto do anno prximo passado,
fugiram do engenho Sete Ranchos, freguezia de
Nossa Senhora da Escada, comarca da cidade da
Victoria, osscguiutes escravos: Damin, crioulo.de
25 annos de idade pouco mais ou menos, crrala,
beie;ns grossos e moloarrebitados, tea uma cicatriz
11a testa proveniente de umroice de animal, pernas
finas o algunia cousa arqueadas para tora, csmalma-
do, espaduado, altura regular, e esl bucando ago-
ra. Jacinlho.crioulo, de 28 annos de idade pouco
mais 011 monos, altura regular, crpreta, pouca
barba, henos grossos e taz corlo geito na bocea quan-
dei talla, tem uma cicatriz em uma das faces, pernas
linas, esmalmado, fuma, e lorador de viola. O
primeiro foi comprado aoSr. Joo Francisco Barbo-
za da Silva Ciun.tr, e o segundo diz que foi escra-
vo da familia do Sr. Joo Nunes, da fazenda do Sil,
em Paje de Flores e comprado na praca de Per-
nambuco. Consta que ditos escravos eslo em Pa-
jede Flores por portadores que mandei ede l vie-
ran : roga-se as autoridades poliraes e capitiesde
campo de os pegar e levar ao referido engenho, a
Berna re 1110 Barboza da Silva ou na praca de Per-
nambuco aos Sre. Manoel Alves Perreira & Lima, na
rua da Moda n. 3, segundo andar, que sero re-
compensados com a quantia cima.
PERN.: TYP. DE II. P. DE PABIA. 185.
.

'fcsiVT-irV- iiiiiStflWW


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGOI67YJE_4EWS8P INGEST_TIME 2013-04-26T21:53:51Z PACKAGE AA00011611_08010
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES