Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07760


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNlj

pXIl N. i'2.
Por 3 mczej atalantados 4$000
Por 3 mi zea vencido 4 '500.
/-.-.-
SIBBADA 16 DE DIVIO DE 1857
Por auno adiantado 15$000.
Porte (raneo para o jubscriptor.
NCARRIX.ADOS DA SDBSCBiNA'O NO NORTE*
"inhiba, o 8r. Joao Kodolpho Gome ; Natal, Br. Joa-
o ni I. Piriirt Jnior ; Aracatv, o SrJ A. dt Lemoi Braga ;
ir, Sr. I. Joa da Oliveira ; Maranhaq, o Sr. Joaquim Mar-
h Rodrigue! ; Pnuhy, o 8r. Domingoi Herculano A. Pinol
C-trenn: Para', oSr. Jiulino J. Ramoi; Amazona!, t It. Jeru
rano da Cotia.
PARTIDA DOS COItllltElOS
Olindi, : iiiiIm os da. as fl e npii horas do ata.
Ignarau. oiaaaa < Parahlba : Bal sguadas saxtas-falraa,
S. AaiCo, Beierna, Hoaita, ftaraara, Allinl.....i;.iranliiui-: na ierr;a-f.'ira.
s. Loarenco 1'a.o-dMlao, Naiarelk, Lli......Ira, Brcao, Panarra, laga-
,e.it, Flora*, l'ij.'.i-lle//a, lloa-Yi.ia. Oriearj e I'.mi m- anarlas-fcif
Cabo, lavjaea, bartahSaaii Rio-Pacaua, Una. Darreirui, a\gaa-Pn
paBeatefraa e Nat#l j aadataa-fairaa*
I .1... o correioa parlen as lo hora! da manh.i.
aijdiencas dos tribunaes da capital.
Tribunal do eommereio : itgunda a quintal.
Retacan ; lerras-feirai e labbados.
Fazenda .- quartai e labbadoi ai 10 horaf.
Juizo do eommereio : iigundaiai 10 horai a quintil id milo-dia.
Juizo da orphoi: segunda a quintal ai 10 horas.
i'nmeira rara do cirel ." itgundu a teilai ao maio-dia.
Segunda Tara do cirel: quarui a labbadoi io.mtio-dii.
EPHEMERIDES l)i HEZ DE MAIO.
8 La cheia as 11 horas e 31 minutos da larde.
16 Quarto roinguante asS horas e 5" minuto da tarde.
33 La ora aoi23e minutoida tarde.
30 (uario descerne ai 10 horai a 82 minutoida manbei.
PREAMAR DE BOJ a..
Primeira aa lo horai e r> minulot da manhaa.
Segunda aa 10 horas e 430 minutoi da,urde.
das da Remana.
11 Srgimda. Ss. Fabio. Analacio e Sereno Jim.
12 Teica s. Ji.-.n.i princera r.
13 Quaru.s. Pedro Regalado f. ; Ss. Clyeeria e Cervato Mu.
1 Uiuui.i s liil Si. Honifai :o e Enedina Mm.
15 Sexla. s. lzidoro lavrador.
16 Sbado, s. Joo Nepomuceno coneego m.
17 Domingo. 5. dedms da l'aselioa. s. Paschoal Bavlon f.
EXCARREGADOS DA SUIISURIP;aO NO SOL
Alagoai.o Sr. Claudino Falcao Diai; Bahia, a 6r. D. Duart
Bio dt Janeiro,o Sr. Joao Pereira Marlini.
EM PERNAMBIXO.
O proprietario do DIARIO Manoel Figuairoa da Faria, na la
lirraria, pract da Independencia ni. 6 8.
IITERIOR
RIO DE JANEIRO
38 de abril.
Pelo ministerio da fazenda foram noi eados :
l'rocuradtw-liscnl da tbiiouraria de i ii
Joaqoim Vicente da Azivedo.
Ftilores da iltandega da cidade do It
provincia de S, Pedro, ea.lrli 1o altan
lo Antonio. Jos da Almeida Gama, e o
rario Benjaminl Antonio da Rocha Far
2.o eicriplorano, na vaga deste, o amanuense da
de S. Jos do Norte Antonio Mara Ulri t.
Amanuense, na vaga desle, Joao Francisco Al-
Tes.
Dilo da aliaadega do Rio-Grande, Jos i de Olireira
llurnno.
yaz, o padre
o Grande na
lega de San-
i." escriplu-
Enlroii honlem o paquete 'lo Rio-Grande no di 2:1, e fez a viage n para cale
porto im 3 dias 2o horaa, incloindo a escala da
Santa Catharina, onde se demorn yinle e duai
horas.
II Toeanlins-deo maisumaprovada foperioridade
de sua marcha e da consumida habilid: de eom que
he navegado ; mas de que servem estas ocal-
lentes qnalidades, se continuaren, a cokidtmna-lo a
transflor urna barra onde sopar excepto poder.i en-
Do dia 19, dala das folhas recebidas pelo Impe-
rador, a al o dia 23, ultima dala pelo nTocanlins,
nada de inleresse tinha occorrido na proviucia do
Rio-Grande.
h"
-.
CaiSE MINISTERIAL.
1 de maio.
O rainislerio pedio honlem sua dem sao, que foi
aceita por. S. M. o I.
__2__
CRISK MINISTERIAL.
O Sr. Visconte de Uruguay foi chamado ao paco
anle honlem, ai 7 horae da larde, para encarregai-
se da orgmisacio do novo gabinete. S. Etc. porem
pedio e obleve deS.M. o Imperador dispensa desa
trela.
S. M. o Imperador recebera' hoje,
I hora da
larde, no paco da cidade, as commis logar e ho-
io.
camarai legislativa! que tem de saber o
ra da essao da abertura no dia 3 de m,
3 -
O Sr. marque/, de ( Hm la, que le achsem Pelro-
polia, foi chamado a corte por ordem de >. M. o Im-
perador.
S. Etc. lie esperado esla manhaa.
O Sr. Dr. Joao Manuel Partir da silva, vice-
presidente da provincia da Rio de Jai eiro, toma
posse hoje da adminislracao provincial, ior se adiar
com atiento na cmara dos depulados i respectivo
presidenta o Sr. conselheiru I.uiz Aui.ni o Barboza.
Achando-se igualmente na cmara doi depulados
o Sr. Dr. Joao Lustoza da Cunba paran, gua', chefe
depolicia da provincia, passa o Sr. Dr. J is Caelano
de Andrade Pinto a eiercer esse cargo.
4
O Sr. marqutz de Olinda chegou hnolim de Pe-
Iropolii e encarreguu-se da organisarAo i o novo ga-
binete.
O Sr. vice-almiranlt Joaquim Marqoes Lisboa
obleve licenra para ir a Eoropa. S. Eic.pern' subs-
tituido na in-prcran do arsenal do mariuna pelo r
che/e de divisao Joaquim It ivmun m ras Limare
que commandava a eslarao naval 'o Rio na Pral
O Sr. chefe de divitao Jeuiinu Lamegol Cosa lie
o official general It una 1j rur.i succeder luo coli-
mando da eslaeao do Sr**
O MIMaTERlO.
O novo gabinete acha-se orgamsado da maneira
aeguinle :
Impeiio e presidente do consellio, o Sr. senador
minjue/. de I Huida.
Juitira, o Sr. depulado Francisco Iikoi l'ereira
dt Vasconcrllos.
Fazenda, o Sr. sepador Bernardo de Sou/.alFranco.
Estraogeiros, o Sr. seuadur visconde de i.Maran-
gnape. I -
Guerra, o Sr. depulado Jeronymo Francisco! Coelho
Marinha, o Sr. depulado Josc Antonio Sarniva.
O paquete sardo Italia entrado do IRio da
Prata, traz datas de Buenos-Ayres alo 21 e dp Mon-
tevideo at 2fi do mez passadu.
Da Repblica Oriental nada ha que valha n pena
mencionar. A febre amarilla eslava quast exmela em
Montevideo. I
Ein Buenos-Ayres preparavam-se us ililltrentes
grupos da assembia para a lula da eleicAo de uorer-
n ador, lira tu candidatos us Sr-. Juan H. Pena, Va-
lentino Alsiua, Riealra. e Calieras.
Das provincias do interior e do Pacifico u3p ha
noticias de inleresse.
Temos noticias do Ouro Preto at 30 do p
do. fio dia 28 loi iuslallada a aweinbla provit
putadu o Sr. Dr. Bernardo Avelino GaviSu l'ei- .
xoto, snpplente o Sr. Antonio Luiz l'ereira da
Cunlia.
A cmara apprnvoo lambem, depois de ura dba-
le entre os Srs. Tilo e Fauslo da Aguiar, o parecer
da sexta commissOu de poderes, para que sejam re-
rnnhecidos pelo primeiro dislriclo da provincia do
Vara, como deputado o Sr. tenenla-coronel Joo Au-
gusto Correa, c como suppleute o Sr. majar Marcus
Pereira de Salles.
Foram alem disto aprsenla los o secuintes pare-
ceres : da quiola commisso de poderes relativo i
eleic/io do Sr. Jos Antonio Saraivi, e da sexla re-
lalivo i do Sr. Pedro de Alcntara Cerqueira Leile,
tirando a datctHtio destes pareceres adiada al screm
impressos :
a Sobre a eleico dn 12. dislricto da Baha foram
presentes quinta commisslo de poderes :
1.0 diploma de depulado por aquella dislricto,
remellido ao Sr. Dr. Jos Aulouio Siraiva pela c-
mara inuoicipal da villa de Jacobina, compleme
para esse lim.
2. As acias dos collegios do Joazeirn e Jacobi-
na, remellidas pelos raembros das mesas respecti-
vas ao ministerio do imperio, e tambem as acias par-
ciaes da elei(.lo primaria das paruchias, que formam
o collrgio da Jacob.na.
3. As actas de dous collegios da Villa Nova da
Miaba.
i. Urna represeolaen de urna das tur-cas de
eleilorcs da freguezia de Sanio Antonio das (lueima-
das, perlenceule ao collegio de Villa Nova.
5. Copias authenliras das acias da eleij.lo pri-
maria da Freguezia Valha. da de Bomfiin de Villa
Nova e das duas turmas da freguezia das Ouei-
madas.
ci li. Una represenlac-lu dirigida pelo Sr. Dr. Jo-
s Antonio de Magalli.lei Castro cmara dus Srs.
deputadoi.
7. Varios doeumeulos entregues commisso
pelo Sr. Dr. Jos Antonio Sara ira.
Nao leve a commissilo prsenle! as acias da
eleicao primaria das parochias, que compuein o col-
legio do Janeiro, mas na acia da eleic.no tecaodi-
rm recunheceu, que sobre i resularidade dos Ira-
balhus daqucl|as paroclnas iienhuma durida se mo-
vi. E por isso, como os Srs. Drs. MagalhAes Castro
e Saraiva trio conlesiam, nem a veracidade, nem a
legalidade do referido collegio, a commisso, a ex-
emplo do que st tem adoptado nesla caa, he de
opiniao que so approve o coilegio do Joazeiro, e que
se deelarem validos us votos que nelle obliveram os
diversos randidalos.
O collegio da Jacobina funecionou lambem re-
gularmente, com eluitures, a coja valid-de nao se
oppuc reclamacOcs dos candidato!, nem vicio algum
resollante das acias.
Resta porera o collegio da Villa Nora da Itii-
nlia, que com os dous ja mencionados, compnem o
12. dislricto eleilcral da provincia da Baha.
O collegio de Villa Nova he Tormado pelos elei-
Iores de Ires paruchias, Freguezia V'clha. Bomlim
da^ illa Nova, e Oueima las.
Examinemos primeiro as oceurrencias da elei-
C3o parochiol.
< Eleirao primaria da Freguezia Vellia.Vio
liouve a ineuor irregplandadc no processo eleilural
desta parochia. Argue-se que foi elle presidido pelo
segundo juiz de paz Manoel Josc de Carr.illio. Mas
prorou-se parante a commisso, qoe o primeiro joiz
de paz, o lente-coronel da guarda nacional Anto-
nio Icreira Goimaret, eslava aocstrcieio du sru
poslo, e por conse-uinle, em virlude da le eaftioi
do governo. impedido de ataumir a pretideneu da
mesa paroehial, como expreuamenla loi declarado
cmara municipal do respectivo lermo pelo juiz de
du cito Interino da cmara. O documenlo que nao
comprora-esl uiucxo a e>l parecer. m
A conimiitao, poli, lea) de declarar validos o?
eleiiores da Fregueaia Velha.
encontraste a commisso dous documentos, a saber,
orna justilicarao julgala por Malenca, e urna infor-
maeodojuiz municipal do termo, iodvia como se
Irala de decidir da falsidade da elei<;Aopresidida pelo
4.t juiz de paz,nao pensa a commisso qoe o deva fa-
zer lmente com aquelles documentos. Parece-lhe
necessario pedir-sa ao governo todos os esclarecimtu-
los que liaja collizido ou pena colligir a semellianle
respeito, bem como um etame severo e consciencioso
do livro t quaderuo em que se escreveram as diver-
sa! acias.
Eleic.ao secundaria. Da eleieAo secundaria do
collegio de Villa-Nova apparecem duas acias, nma
evidenlemenle falsa, segundo se veta no seguimenlo
desta aualvse, e outra aulhenlicando a eleii*ao que
foi apurada pela cmara municipal da Jacobina, e
que d forca ao diploma da Sr. Dr. Jos Antonio Sa-
raiva.
Esla segunda he argoida de falsa pelo Sr. Dr.
Macalhaes Catira, que nota ainda na eleirao, a qoe
ella se reporta, vicio* iusanaveis.
C 'mecemos pelas nullidades qoe o reclamadle
apona.
l.iTersido o collegio presidido provisoriamen-
te, na sua primeira reunan, porum juiz de paz in-
competente.
O collegio devia rcunir-se na pac,o da cmara mu-
nicipal, silo na fregue/.ia de Villa Nova. A commis-
so ja expoz que os joizes de paz desia freguezia es-
tiveram imposibilitados de presidirem a eleirao paro-
ehial, pelo motivo legal de liaverem entrado no eser-
cieio de seus postos da guarda nacional. O t. juiz
de paz do dislricto raais protimo ^Freguezia Velha),
lambem se ichnu unpossibililadopelo meiino moti-
vo. O 2., Manoel Jos de Carvallio note a cma-
ra',, nao pido comparecer em Villa Nova, por estar
presiduido a mesa paroehial da Fregoezia Ve-
lha. Veio, pois, o 3.", Manoel I erren.i Guima-
raes.
u Ora, nao estando litis impossibilitado aquella 2.o,
Manoel Jos de Carvalho, quaudo se reuni o colle-
gio, devia ac*o ceder a presidencia ao 3., pelo sim-
ples fado de ler sid i e-t o presidente da eleirao
primaria de Villa Nova '.' Eis a questao.
O principio consagrado pela lei de 10 de agosto
de Iftiti, he que lodos os actos do processo eleilnral,
desde a convocaran da juutas qualiliradoris, ala
installaeao provisoria dos colegios, sejam presididos
pelo cidad.io que obleve do pavo maior numero de
votos para juiz de paz. A lei qmz (assim o explica
o decreto de 20 de fevereiro de IsiT. expedido sobre
consulta do ronselhn de eslado ile 13 do mesmo mez),
qoe laes actos livrssem como primeiro fiscal aquelle
que se acliassse no gozo de maior conlisuca dos mo-
radores do dislricto. Assim, embora um supplenle
ou juiz de paz menos volado convoque a junta de
qualilicarao, se o seu supenur em votos comparecer
na occasiao de se reunir essa junta tem o direito de
a presidir ; e o mesmo acontece as mesas paro-
chiaes. sem embargo de ter presidido a junta de
qualificarau um juiz menos volado. He por este
modo qne o referido decreto e outras diposices ul-
teriores tem explicado a lei de eleiees.
Ora, no caso actual, estando desimpcdido o 2. e
3. juizes da Freguezia Velha e presente aquelle 2#i.
fora illegal o que pretende o Sr. Dr. Magdlliacs Cas-
tro, islo he, que a mesa do collegio presidisse inte-
rinamente o 3.
2."Nao ler cse presidente interino admillido
que as Oueimadas vnlassem para a organisaeao da mesa.
Da lei de eleices, no art. 71, deprehende-se
que os eleilure, inbora nullos, anles de reconhe-
ridos romo taes. rolem na organR'rao da mesa.
que, na vespera. as 7 borai da noile, fora chamado
pelo juiz de direito interina. Dr. Rorlia Vianna, e
em casa desle. a porlaa fechadas, fazendo o juiz de
direilo interino a leitura da acta, a transcrevera no
seu livro de notas, o qual'j eslava no poder do
mesmo juiz.Oatra certulio do mesmo Nazianzeno,
datada do dia 3 e passada-a pedido do Sr. Dr. Ma-
galhes Castro, declarando que o sen livro de notas
se achav.i em poder do juiz de direil desda o dia 2
de dezembro s -2 horas da larde, e qae nem tinha
ronhecimeoto da eleirao, nem fura chamado ale s
(i da larde desse dia 3 ao collegio para lomar a elei-
rao no sen livro de nolai.
A estes certides dn tahelliao Nazianzeno op-
pe o Sr. Dr. Saraiva, alm da incompetencia do
meio para se infirmar a acta lavrada no seu livro de
olas, outras cerlides do mesmo individuo datadas
do dia (i de dezembro, asseverando o contrario, isto
he, que fra chamado pela mesa do collegio no dia
3 pira Iranscrever no seu livro de olas a seta-da
eleirao, e que, comparecendo iinmidialamcnte, exe-
cutou aquelle encargo.
Accresce que foi prsenle a commisso n tras-
lado de um processo crime intentado em 18Vi con-
tra o dito labellio, e dewe processo se v que fra
elle condemnado por falsificador dos lirros do sen
carlorio, sendo o juiz que achoo provado esse delicio
e que o condemnou o Sr. Dr. Benevenuto Augusto
de Magalhaes Taques. E posto que a commisso es-
leja intorin.i la deque a relar.lo da Bahia nao con-
lirmoo aquella senlenra, ainda assim, respailando a
decisao desse tribunal, nao ple prestar fe a um
individuo em laes circunstancias, quando pretende
elle, com allestados contradictorios, fazer recibir a
accusarao'de falsarios sobre nugislrados e cidados
respeitaveis.
Cumpre ainda nao perder de vista que o label-
lio Nazianzeno figura sempre nesta queslo como
pessoa dedicada a urna das partea n lia interessadas.
"). L'ma carta do eleitor da Villa Nova, o Sr.
lenente-coronel Antonio Nunes Rodrigues de Frei-
las, dirigida ao Sr. r. Magalhaes Castro, em que
Ihe altesla que esleve na villa al o da "i de dezem-
bro, e no callegio. oude (leu a sua redula para a
mesa, e nao a deu para depulado, porque mo liouve
mai- eleirao na sala da cmara municipal.
dos grupos que se dispulavam a eleico, e porque
esla auloridade, em vez de proeurar aquietar os a-
nimos, lenta antas agila-los. Nao consta porem da
acta a que horas precisamente se inslalloo a mesa
paroctiial, e dizendo ella que o delegado de polica
eslivera presente sua formacao, esta auloridade
parece por em davnla lal anerlo. quando aflirma.
em um attestadn junto pelo Dr. Mello Franco, que
rhegara a freguezia ao anoilecer do dia 2 de uo-
vembro, sendo cerlo parin que a mesa uslallou-se
ueste da ; e nao devendo inlluir na validade da e-
leirlo a inexactidao da acta, se a ha, acerca do com-
pareciineuto ou nao comparecimeulo do delegado de
polica, parece a commisso que nao he procedente
a reclamarlo do Dr. Mello Franco, coucernente ao
processo eleitoral desta paronliia.
u^.n Refere d"Dr. Mello Pranco, em ornadas repre-
renlajs, que o fnn que leve em villa aquelle juiz
de paz, reclamaudo a presenta do delegado e re-
tardando a oslailac-lo da mesa, tenda a sorcorrer-
se rfaTrnlerfneavifl policial para que sua psrcialida-
de triumphaise, afugeutauJo por esse molo as vo-
tanles.
O alteslado porem do delegado de polica, de
que cima se falla, contrasta essa asseverarao,
quando aflirma que urna nafa depois que chegara
dila freguezia, apparecera na ra um grupo de ho-
mens cantando e dando vivas ao Dr. Mello Franco,
e ao mesmo delegado, fado este que revela qualquer
exaltirao anterior nos espirilos, e do qual se infere
que nao eram infundados os temores que nutria o
juiz de paz acerca do soce;,o publico na uccasiao da
in-lallatao da mesa.
E nao se prora que as medidas preventivas a-
dopladas pelo juiz de paz amedrontassem os voho-
les, como inculca urna das represeularis, pirque
consta da acia que 16 ileixaram de comparecer til)
cidados para volar em o numero de 298, concor-
rendo ao conlraiio para esla eieirila maior numero
de volantes que aquelle que coinjiareceu para a de
vereadores e juizes de paz, como se demonstra por
um documento apresentadu pelo deseinbargadur
Csrqiieira Leite.
Cidade do l'arahvbuna.Allega o Dr. Mello Fran-
co que Ihe consta nao existir a acta da qualilicarao
dos volantes desta freguezia, lento servido para o
fazendo assim o numero tolal de Ii7 eleitores, conli-
nuou o collegio a fuucr.ioiiar regularmente.
" Apresentaram enlo us dou misarios eseruta-
dores um parecer sobre a venficacao dos diplomas
dos eleitores das diversas paroclnas que comparece-
ram ao mesmo collegio. aai quaes oltereceram as se-
guinles duvidas :
l'arochia de Balucalu'.I.- Que nao compare-
cendo na formarao da mesa paroehial os suppieules
tendo o collegio procedido a isses acloi com regula-
ridade, lavrou-se a respectiva acta.
a As duas lloras da tarde do mesmo dia, continuan-
do o collegio a fooceionar, apresentou-se o parecer
da mesa sobre a valdate dos diplomas apreteolados,
os quaes julgoo legtimos, menos o do eleitor de Ta-
tuhy, pelas razes que ja ficara expolias no parecer
dos dous mesarios dissideutes : avista das quaes leo-
do evidentemente irregular tal eleirao era conveni-
dos eleitores, cliamara-se o quinto votado na ele- : ente tomar-st em separado os votos do nico eleitor
O Sr. Dr. Jusliniano Baplista Madureira, jui/ mportaulissimo acto de elegir os eleitores urna re-
de direilo elleclivo da comarca da Jacobina, man-
dado pelo presidente da provincia para -yndicar dos
fados desta eleirao, afnnou ao presidente que o
dito Freilas assislira eleirao, e depois por compla-
cencia dera aquella declararan.
Mas nao he isso simplesmente o que infirma
semelhanle declararan. O que a infirma he que, de
69 eleitores que, alem de Frailas, assistiram elei-
rao, e de (12 que assignarara a acta, neuhum mu.
acorapanhoo-o em tal declararao. Ora, nao he cri-
vel que entre 70 homeni, na BottcAo de represenla-
rem seus comparochianos. so se achasso um que li-
vesse a consciencia lio recia. Nem se p le erigir
em principio que a declararlo graciosa, por caria de
um eleilor de um collegio, po-sa caalrabalancar, e
inuito menos convencer nada por l2 eleitores, ein favor da qual lia ainda as
declaracfiesolViciaes e particulares das autoridades
maisgradas do lugar, como sejam o juiz de direito
elleclivo, o interino que all assislio eleirio, juiz
municipal e o promotor.
si O Sr. Dr. Magalhaes Castro aprsenla .ainda
orna certidao do secretario da cmara de Villa Nova,
passada de seu molu-propno, Impagaando lambem
a veracidade da acta. Esse secretario he o Sr. .Ma-
inel de llarros Wanderley, que na eleirao primaria
de Villa Nova li-ra na lista nos suppieules por p lencer ,i parrialidade vencida, e que lambem figura
.Mas romprehrndo-se bem qoe linha a lei ein vislasa
os eleilores cuja nulndade nao se pode couhecer rq como lestemiiiiha na represeularao dos elaltorea da
priori. O caso das duplcalas e de excessos de cle- Oueimadas que vularam no Sr. .Magalhaes Castro
tore* u9o se aclia previsto uesse aitii.u, e tanlo qe-. "fj* Mas o qoe d a mecida do )l'alor daquella ce'-
ramara dos Srs. depulado. tem, uestes oliin. ) lidSn he o tea-
28 de aliril.
W
O senado celebroo honlem a 10a primeira seskao
preparatorio, na qoal at verieou haver na corle -n f-
ficienle numero de senadores para se abrir aisejn-
bla geral.
Tomou assenlo romo senador pela provineia
Pirahlba o Sr. Ficderico de Almeida e Albuquer-
que.
2 de maio.
Honlem, em essao preparatoria do senado, pre
taram juramento e tomaram assenlo os Srs. (.and
Borges Monleirn, e Carlos Carueiro de Campos, -e-
nadort, o primeiro pela provincia do Rio de Janei
ro, e o segundo pela de S. Paulo.
O senado elegi honlem a mesa que deve funcio
liar na prseme sttsao legislativa, e todas as com
missoei regimenlae*. Damos no lugar compeleul
o resollado dessa elcicin.
A ordem do dia de hoje he traballios de commis-
ifies.
CMARA DOS SRS. DENTADOS.
A camaia temporaria apprnvoo honlem os pare-
cer! de cominissoe. de parjere, para que tejam re-
conhecidos, pela (provincia de Mato-Grosso : Pri-
meiro dislricto, depulado o Sr. Amonto Peixolo de
Azevedo, supplenle, o Sr. Antonio Correa do Gouto ;
e pila provincia de Ptroambnco : Nono diitrielo,
deputado o Sr. Dr. Antonio Coelho de S e Albu-
querque.
Em scqaida roulinoon a diicusiSo do parecer da
lerceira commisso de poderes lobre a eleico do
quarlo lii-trirlo da provincia de Sergipe, e depuis de
um dbale e.nre os Srs. Benetides e Cruz Macha/io,
foi approvado o mesmo parecer por 49 votos contra
12, sendo assira declarado depulado pelo mesmo dis-
lricto o Sr. Joao Baplista Munleiro, e supplenle o Sr.
Manoel Joaquim da Silva e Olireira.
Tendo-se ja verificado os poderes de I7 diputa-
dos, dos quaes le aeliam na corle 62, numero mais
que sufiicienie para funecionar a cmara, nomeou o
Sr. presidente o leguintei Sil. diputados para al
depulatao que tero de sabir de S. M. o Imperador
o dia e hura ere que deva ler lugar a aberXura da
assembia :
Os Sr. Reg Barros, Fanslo, Serra Carneiro, Can4
dido Minies, Paranann, Feruandi* Vieira, Pinto
de Meudonca, B-zerra C^valcanti. Victorino, Vilellil
Tavare, Paes Birrete, Barros l'imenlel. Simpan
Vianna, Pireira Franco, Ptrnandii da Cunha, Pe
reir Pinto, Octavian. Tauaira Jnior, Salles Tor
res Homem, Cruz Machado, Silveira Lobo, Costl
Pinto, Canlia Matos e Pacheco.
29
A cmara doi depolados approvnn hnntem varii
pareceres de commisson de poderes, para que sija
reconheeidos.
Pela provincia dai Alagoas : Segundo ili.tri.-t >,
deputa lo o Sr, Rotaerlo Callicirm de Mello, ful,'.
penle o Sr. Jacinlhn Paes de Meudonfa ; q,ii,i
dislricto, deputado o Sr. Dr. Salvador Correa de a
e Beuevides, supplenle o Sr. Carlos Augusto da S
veira Lobo ; quarlo dislricto, depulado o Sr. Sil
rio I'rnaii te. de Araujo lorge, supplenle o R
padre Miguel Joaquim de Araujo.
Pela provincia de Mato-Grosso : Segundo dislr
lo, depulado o Sr. Jos Delphino dt Almeida, His-
piente o Sr. I.eupoldinn Luiz de Faria
Pela provincia de Minas (ieraes : 13. dislric o,
depulado o Sr. Domingos Theodoro de Azeved
Paiva, sopplenlB o Sr. Dr. Jos Machado da Cosjti
Ribeiro ; 15. dislriclo. depulado o Sr. Dr. Franc
co Cyritlo Ribeiro e Souza, supplenle o Sr. viga
I i ii.i-.ro Guaril Piiilpngui.
Pela provincia da l'araluba do Noria : Terceilro
dislricto, diputado o Sr. r. Diogo Velho Cavalcal-
li de Albuquerque, supplenle o Sr. Dr. Chriipini
Antonio de Miranda llenriqoei.
Pela provincia de Periiamboco : II. dislriclo, di-
putado o Sr. Dr. Domingos de Souza Leflo, sup-
plenle o Sr. Antonio dos Mulos de Siqueira Cava|-
canti Jum ir.
Pela provincia de S. Paulo : stimo dislriclo, di -
l-.leir.in primara do Bomlim de Villa Nova.
Algue-se, cuino motivo de uulli.i.ide desla >leiro,
o ler sido presidida por juiz di paz incompetente.
O ineimo documenlo citado acuna prava, que o juiz
de direilo interino da comarca declarou a cmara
mumnp.l du termo, que arhando-se impedidos de
presidirem eleirao do Bomlim de Villa Nova os
qualro juizes de paz respectivo!, porque leudo sido
Horneados officiats du guarda anacional exeiceram
illeclivameule os seos poslos, devia ser chamado um
juiz de paz do dislriclo mais prximo, que vinha a
ser o da Fregoezia Velha ; e que eslan lo lambem
impedidos o pnmairo dessa freguezia, pelo mesmo
motivo, e o segundo por se adiar presidiudo ai elei-
;6es ah, devia ser chamado u lerceiru, Manuel Fer-
reira Cuimaraes.
Defacto, fui este o juiz qoe presidio a eleirao
de Villa Nova, em cujas actas u.lo se cnconlriro ir-
regularidades, nem reclamacOea, sendo de notar-se,
qoe fuiccionaram ah como msanos quatru cida-
dios da parcialidad! opjio.ta aquella que vencen a
eleirao, a saber : o eepilSo Jorge r.om;alves da Sil-
va, que perleiirendn parcialidade vencida, sabio
primeiro supplenle ; u labellio Nazianzeno Leon-
cio de Figueiredo, que demonstra em lodo o seu
procedimenlo, como depois se vera, ser da pirciali-
dade oppnsta ao Sr.ajjr. Saraiva ; o alteres Ma-
nuel Tliomaz Asselino da Silva, e o sargento Ma-
nuel de Aarros Wanderley, que assignou posienor-
inenle como lesiemunha o~a reclamara.! rnnlra a
validade do collegio da Villa Nova, e ligurou na
duplcala favoraveJ ao Sr. Dr. Magalhaes Caitro.
". "e verdade que na ultima acta da eleicao pa-
roehial. iato he, quando ja se havia proclama lo o
resultado da urna, apparece junio ao nome daquel-
les qualro mesarios a declararlo de temido. Mai
nem isso he motivo legal para se su.peilar de urna
ltelo, nem mesmo se pode comprcliciider comu
qualro mesarios que formavam urna maioria inaba-
lavel na mesa podessem cm quesiao algoma ler sido
vencidos !
Allega o Sr. Dr. Mlgalnaaa Castro, que nesta
eleirao de \ illa Nova liouve roacrao por parle da au-
loridade e apparalo de forc;. Mas em parla alguoil
encoulrou a commisso a prova dessa allegaran. Pelo
contrario, alleslaciies dojuiz municipal du lermo (o
Dr. Air p lo Jos Machado', e do promotor publico (o
Dr. Joaquim Teixeira de Oliveira Jumor, a assim
lamliem.uiiia JMU0ea(fojulgala pac seiilenc,a, con-
Irabalanrain furlrmenle, se nao destrocm, aquella al-
legaro, asseverando todos esses documentos que nao
liouve irregulari la.le. nem eoaeelo, dur .ule lodo o
prucesio eleitoral da freguezt.i do Bomlim da Villa
Nova.
A commis<3o, perianto, lem de propor qoe se
deelarem validos os eleitores dados por aquella fre-
goezia.
Nem obsta que na acia de om collegio, que se diz
ler funenonado em Villa Nova, sol a presidencia do
culada i Francisco Simes da Silva, e que oi por esle
remel'ida a secretaria do imperio, se falle em oulra
lurma de eletlores daquella fregoezia, porquanto st
cunliect facilinenle que esses elrilores sao phanla.li-
eos, ii.ni so pelos doeumeulos a que a coinmis*ao se
lem referido, romo anida pela convirrao do proprio
Sr. Dr. Magalbiis Catiro, que transpira da ana re-
presenlai-ao a esta cmara, onde nao fat valer nem
a duplcala de eleitores, nem a duplcala 8o col-
legio.
Kirieio da freguezia dt! Oueimadas.Nesla fre-
Biiezia o processo eleilnral cumecou regularmente.
Organisou-se a mesa, segundo a lei e iuslrucriits do
governo, sob a presidencia do 8.a juiz de paz, 'o cida-
dadio Luiz Flix Brrelo de Araujo, no impedimeu-
lu do I .o, o lenente-coronel da goarda nacional
Fraocis-o Simes da Sila. l.ivrou-*c a acta da or-
ganisaeao e installac/io da mesa, e em seguida prin-
eipiou a recepr.lo das cdula, fizendo-se a chamads
pela lisia aulliPiilica que eslava em poder do dilo
2. juiz de paz, como cunfessam os signatarios de
una duplcala que se apre-enla contestando a valida-
rle desla ; porem, leudo o referido tenente-coronel,
tesla de um grupo, Suscitado urna quesiao tumul-
tuaria mliro a admilo e rejeicao de volantes,
i'iilen leu u juiz de paz que deria suspender tempo-
rariamente, ate que se aplaras-e o tumullo e se se-
reuisseni us nimos. Os amotinados prevalereram-
so da ocr.asiao nara arrancarem da mesa o livro das
actas, a com elle reliraram-se a orna casa particular.
* Depois des-a retirada, o juiz de ( az presideate da
mesa, nAo tendo mais em seu poder o livro nnda se
se e.arara a acia de sua organisaro, toriinu a execu-
lar toda! as prescriproes legues, e re novo nrgani-
sau-a, lavramio-se nova ocla em um quad-run que
elle numtrou e rulirirou pan esle lim. Cnutiiionu
a eleirito iebr -tais incidente, e finalisou-se rom re-
solaridade.il ^ islo o que reza a copia aullienea
das actas de^uaderno.
* mesmo tempo, porem, apresenlam-se .i com-
missao copia-au'.lienlic.is das actas dos treliallim de
oulra mesa, que se diz ler funccoiiado lambem na
matriz, iob a presidencia do i.- juiz de paz, Neasai
acias so eslabeleca que nao liouve culpa dos mesarios
na laterrepcao dos Irabalhos, e que o proprio "
juiz de paz fra quein abandonara a preiidencia da
mesa. DA-se lambem ahi a eleirao como regular-
mente teila.
a 0e ha falsidade nu allegarles, de una daiduas
mrsas. nao resta duvida ; ambas" se dizem ler func-
rionado na matriz, asseverando cada urna dellas a
nao existencia da oulra oaqoelle lugar. Poilu que
em bono da eliicao prendida pelo 2. juiz de paz

J dias, approvado pareeertsj de suas eommiaaoee dair
como regular o procedimenlo dos presidaillee prtvi-
orios dos collegio-, que jlio adiniilirain a volar pa-
a org ini-ae i das mitas os eleitores nenie.dos,
como, jior exemplo, surcedeu na eleirao'.do co.legio
de Itaguahy. Ss esse fado conslituisse una uulli-
dade, nao estara declarado depulado pelu tio de
Janeiro, um de nossos m*il illu-lrados collegas.
o Accresce que, mesmo relalivamenle ao-Jdepula-
dos que apparereram com diplomas em duplcala,
ja a cmara resulveu exclui-los de qualquer parti-
ciparlo nos seus trabalhns, porquanto d-se priori
a presiimprno de que um dlle* he millo.
o 3aler o collegio admiltidu a votar promiscua-
mente o eleitores ineunleslaveis com a i orina dos
da freguezia das Qoeimadn, cuja eleicao fora pre-
sidida pelo segundo juiz de paz.
(i Dado mesmo o cato que se anollen) aquelles
eleitores, nao resulla dahi nullidade para o collegio,
visto como, tendo tidn os Srs. Drt. Saraiva e JuSo
Vctor de Carvalho 70 votos cada om. islo he, a una-
minidade, fcilmente se exlremam, como um sim-
ples descont, os legilimoados nullos. Esta deeisae,
indicada pelo bum-senso, lem sido adoptada pela c-
mara.
a 'i*Nao ha>erem aisignadn a acia da eleirao
lodos ot 70 eleitores, mas sim 62 tmenle.
Esta argido de nullidade he'fundada na in-
lelligincia forrada do art. 78 da lei de 19 de agosto,
que prescreve que a acta seja assiguada pels mesa e
pelo collegio eleitoral. Mas. se esla inlelligancil
for areila, com u alcance que Ihe d u Sr. Dr. Ma-
galhaes Castro, parece a commisso que n,lo llave-
ra d'ora avante garanta para o (topetado emita o
qual a minora ou algum membro do collegio por
despeito quizar usar desse ardil.
_ I tem,ii-, se se examinarem as acias .los colle-
gios, das eleires ja a|iprovadas por esla e pelas
cmaras transadas, ver-se-ha que raras vezes sio
ellas assignadas por todo o collegio elciloral ; o elei-
lor que adoecia durante os Irabalhos, ou que se reti-
rava por qualquer molivo nao foi considerado al
aqu romo elemento paia se anuullar a elcir.lo de
um rullegiu.
E ie a commisso quizesse ainda fazer reparo
as expressoes da le, poder laminar que no art,
78 manda asgnara acta pelo collegio eleitoral, e
no arl. 79 manda assignar as aulhcnlicas por todos
os membros da mesa, u.lo ie servindo da expres-ao
todo qoando se refere.
A' excepr.au destas nullidades, oulras nao apon-
la o Sr. Dr. M igaHiles Castro.
Passemos agora 1 arguirfto de falsidade da acia
que se lem analysado alo aqu.
Seguiudo a m'eima ordem, examinaremos cada
orna das provas ou presuinpr;>s.
|oNao ler querido o presidenle interino do
collegio que as duas turmas d eleitores das Quei-
madas volassem para a organisarito da mea, aflm de
que us volos da lurma illegal nao rollorassem alli
escrutadores seus para impedirem qualquer manejo
illegal.
t A commisso observara simplesmenla que ns
amigos do Sr. Dr. Siraiva eram em numero de 70
contra 23, que lanos foram os eleilorcs da duplca-
la das l.lueimadas qne no rollegio se apresenlaram.
Ora, havendo aceordo previo, eomo diz nimias vezes
5 ')r- MaKillMii Castro, dus amigos do Sr. Dr.
Saraiva, facilmeule dividindo os seus volos pode-
riam elle, enllocar na mesa secretarios e escrotado-
i secmnie. (*- Bfaaaa cirlidilo que no da Ires )> de dezembro se
reuni o collegio eleitoral na casa da cmara, e nlo
se lavrou acta desse dia ; e ,% mesmo lempo o Sr.
Barros Wanderley apparece assignado como eleilor
prsenle na duplcala que se diz rellana matriz. >i
e volando ahi na malriz no referido da tres. i>
as telas dessa duplcala, assignadas |ielo Sr. Bar-
ros Wanderley, se declara que os eleitores da ae-
gunda lurma das Oueimadas se retiraran! da casa da
ramara no dia dous ; ao passo que na alteslado
do mesmo -cubar se da esse fado como passado no
da ires.
Nole-se qoe as copias das acias da referida du-
plcala, que a commisso leve prsenles, se acharo
conferidas pelo proprio Sr. Barros Wanderley.
A coinmiisao poda chamar ain la a allenrao da
casa para o altestado em questao, iao precip'tada-
menle lavrado que la denunciando talvez a sua an-
tedata, se uina in.Vi caridosanao viesse em soccorro
do secretario da cmara. O alicatado Iraz a dala de
6 a de dezembro o ; mal o Sr. Birros Wanderley o
comer ni assim : Atiesto, debaixo de juramenlnilo
meu cargo, ein como nos dias tres de dezembro
do auno passado, etc. E-sa e\pres tado. qee talvez escapasse a consnencia do Sr. Bar-
ros Wanderley, foi emendada rom oulra tinta e li-
rou assim redigida : anuo prximo. A cmara das
Srs. depulados piule lirar desle fado is consequen-
cias qne elle aulorisa.
Sao esles os argumentos principaes 3 qoe sesoc-
corre o reclamante o Sr. Dr. Magalhaes Casiro. Ou-
tras allegares faz elle de que nao aprsenla prova,
equi portadlo nao devem obrigar a commisso a
ucenpar por miis tempo a alleneo desta cantara.
a Se o Sr. Dr. Jo-e Antonio da Rocha Vianna,
joiz de direilo interino da comarca, eslivesse dis-
posto a usar de sua influencia em favor de um can-
didato, era mais natural que, sendo eleilor pela fre-
guezia da Jacobina e jniz municipal desse termo,
tralasse de ahi guerrear o contendor do seu favore-
cido. Kulreaiil.i o Sr. Dr. Vianna nlo compareceu
o collegio da Jacobina, pardea o seu voto e ileixuu
de arraslar com soa presenra os eleitores. que, sen-
do em numero de S, deram 30 volos ao Sr. Dr. Sa-
raiva, e jtTae Sr. Dr. Magalhaes Catiro.
Nao he cnvcl que um juiz formado, c que ho-
mens importante! de um muuicipin, lendn, como
assevera u Sr. Dr. .Magalhaes Castro, inleresse |iela
elelriu de um candidalu, e contandu, como diz o
mesmo sentior, com um collegio accorde, sem obs-
tculo nem opposirao, viola-sem a lei e os principios
de honeslidade, pelo simples prazer de commelter
um crime, ioutil para o seu candidato e favoravel
.i preieoeao do candidato contrario.
Na i he crivel que 69 humen- importantes de
res de seu lado. Demais, ets.i fncalisae,an pode ser
xercida sem dependencia de se ter nm assenlo na
mesa romo escrutador ; os eleilore das Oueimadas
deviam. se desconfia-sein da mesa, etar alientos a
seus arlos e nao sabir do collegio, deixando-a em
plena liberdade.
" -' O fado de n.lo ler querido primeiro o
collegio aceitar promiscoamenle os rolos dos eleito-
res ineunleslaveis com os dos eleilores das iluas tur-
mas das Outimadas, a haver consenlidn nina logo
que sabio a lumia dos amigos do Sr. r. Magalhaes
Cailro.
I ie io nominal de individuos nii qualilicados.
A esla ,i--efiu porem ojipoe-se nao so u docu-
menlo junio pelo Dr. Mello Franco, |>assado pelo
escrivao da subdelegacia e juizo de paz da cidade
do Parahybuua, Francisco da Paula Gomes, como
de oulra idntica du mesmo escrivaue de uina jus-
tificarlo exhibida peto desembargador Cerqueira
Leile, em que juraram os membro! da mea qualili-
cadnra, dasj|quaes'cunsta lerem salo qualilicados vo-
tanle desla paroclua. no auno de 1855, 71 cida-
dos, e no auno de 1836, 633 dilos.,
Releva observar que das cerlides de que ci-
ma se (rata u3o se deprehonde se o processo le qua-
lilicarao chegou ao seu ultimo tramite, mas nao leu-
de sido essa a argoicao fela por paile do mesmo
Dr. Mello Franco, nem podendo infeiir-se semellian-
le hvpothese dos |>apeis que foram preseutes com-
mssa >, pois as acias das asscinbichs parochiaes e
do collegio eleitoral nao conlem reclamaban alguma
te volante-, assim como nao sa iniui-truu- j cum-
misso qoalqoer oulro documento externo vatte a excluso de quaesquer cid-adaos da lisia de
qoalificarao, subsiste a presumprao de que, co.n
elleilo, os acias da referida qualilicarao foram com-
pletos, presuni|irao que he corroborada pela juslili-
car.io sujira inoaiciunada, a qual eucerra, e fui jul-
gada procedente lambem no aegniale quisito :
Jue as-mi iiij ,,'ii.a la, a junta progredio n is
iraballios da q lalihcae.io alo iilliini-los.
Relativamanlo a > numero de eletlores que de-
re dar esla freguezia, vi1 se que na Verdade liouve
ain eveeaso contrario a' le, o a eoftaFM qua em
viriu le dallaafoi eioedida tuda priaidaneia da pro-
vincia em data de -I de agosto, e na qual, filndo-
se a'inesmi paroebid o numero do cinco eleilores,
foi, au ubsldiito, este exageradamciilo elevado a
18.
a Mas leudo sido lomados* em separado, como
eoosla da acia do collegio, os 12 volos des eleilores
que se apreseuiaram ttcedanlea a'qoellaenomiro de
cinco, e oblen.lo anida assim, e deduzidos, laes vo-
los, o desembargador Carqueira Leile a maioria ab-
soluta de .'id vuldi, e seu supplenle, o Dr. Jusu Ro-
drigues de Lima Duarle, a de 68 volos, nlo preva-
lecen! as consideradles do reclamante Dr. .Mello
Franco contra a eleicao do mesmo dsiemb.irga.lur.
lie prtanlo a commisso de pirecer :
rao de joiz de paz para re|iiesfntar essa lurma, e
romo nao comparecase, ora-se succesiivamenle
eliam un1.1 no mesmo da o Hito, selnno, oilavo e
nono, comparecendo nicamente este ultimo, que
nomeou os dous membros da mesa, seudo assim vio-
lado o art. 10 do decreto n. 1,812 de 23 de agosto
de 1SJ6, e que julgando por essa causa a el.mimo vi-
ciada e uulia, eram de parecer que fossem lomados
em separado os volos de 16 eleitores da misma pa-
rorlua.
! i.'ue um doseleilii umio F.er-
reira, nao tinha a renda exlUlrl%'\WhfW^>9t>VStm
qoalidade de |>rofessor publico 2.50 aoouaes de or-
denado, e desle mesmo empregn achar-sedeimllido,
e que i'orl.iul i, reputando-se uollo o afeo diploma,
nao devia ser admillido a volar.
3." Que nutro eleilor, lodo Anlooio de Almei-
da e Silv., resida fora la paroclna por ter-se des-
membrado o lugar da sua residencia para a paro-
cha de Itapetiiiinga ; e por essa ra. .o nao se deva-
na recouhece-lo como eleilor, e nem aceitar a sua
cdula.
Parochia do Cipao Bonito de Paranapanema.
Que qualru dos diplomas apreseolalos re(enain-se
a fregoezia doCapao Bouito, deque oo Irala o de-
creto de 12 de setembro de 1856, qoe dividir o
sexto dislriclo da provincia, e porlanlo nao deveudo
osota laos portadores de laes diplomas ser reconhe-
eidos como eleitores do lexlo dislricto, por isso que
perlenciam a uina paroclua nao ronliecidi,. e que
nao eslava comprehendida no dislricto, nao podiam
ter parte alguma no collegio, deveudo ser os leus
volos tomados em separado.
Parochia do Sarapahy,Que os diplomas dos
leus qualru eleilores eram lulorines e obscurui.con-
leu 1 i prutestus, coulra-prolessus, e mollas prnhxi-
dades im|iropnas de di|domas, accresceudo uo pb-
der conferir-se com a acia original por uao apreseu-
tar-se o livro respectivo, e nao pidcudo por conse-
queucia apreciar a vahdide de lal eleirio, deixavam
ao arbilrio do collegio qualquer decisao a rcspeilu
desles eleitores.
Paroclua de Itapeva.Oue qualro eleilores a-
piesentaram diplomas cuja legalidade n.io poda ser
verificada qnr falla do livro das acias ; e que com-
parecendo sem diploma os dous oulros, Jos Ro-
drigues Simes e Jos Joaquim de Almeida, eram de
parecer que fossem os seus votos tomados em sepa-
rado.
'.Voto separado.)Entretanto, os oulros dous
me- .i ios secretario.-- nao concordando com estas coii-
cluses, deram parecer ein separado, nu qual enten-
dan! : 1.-, que o collegiu devia se|>arar us votos dus
eleilores de Taluhy, por isso qoe havendo sido lu-
mulluariamenle organisada a mesa rom o quiuto vo-
lado para juiz de paz, de|iois de suspensos os 1ra-
lialhis pelo primeiro juiz, linha deixadu de votar
orna grande parlo dos volantes, que em conseqoeu-
ClajdtSM tiHpenela licaram na fe de que a eleicao
nao se faria uaquelta oeeaaiao ; 2.*, que igualmente
deviam ser tomados un sep irado os volos dos eleilo-
res da paroclua da cidale de lldjietiiiiuga, visto ser
publico que a qniliflcacdo ji-da qual se fez a eleirao
fora 'presidida pilo major Manoel Jos Vieira, que
palo fado de ler aceitado o lugar de couimaiidaute
do esquadro de cavallanad i guarda nacional,eslava
inhibido e dentado algum pudu presidir a junta
qiialilicadora.
A ui ..o iio collegio, sujeilaulo djscussu am-
bo, e-tes pareceres, sulimetleii primeirmenle' vo-
larlo a qoeita relativa aos elciljies do Capaj Bu-
lul de Paranapanema, nao conientiodo que sobre
etl i votasicm os ine-ulos rl-ilores ; e por i-so deci-
di-*! por maioria, resultante da exrluso ddquelles
0, que nao se aceilassein as suas ce lulas por iniu ser
lal freguezia perlenceule aquelle islrido. Reque-
reu eniao u mesaiiu Antonio Elin de Carvalho que
lanera esles votos I iieadoi em sepralo, segundo a
di-jiosirao do arl. 71 da le de I!) de agosto de 1816,
e pela maioria da mesa foi decidido nao ter lugar
esle requerimenlo sem submel(e-lo i decisao do col-
legio.
O presidente, eonioltaodo em seguida o colle-
I gio se devia ou nao lomar ein separado os votos dos
com 68 vutus.
a y le sejam annullados os 13 eleilores da fre-
guezia du Parahybiina, excedentes ao numero de
cinco, fixadus na portara da presidencia de 21 de
agosto'.
Paco da ramara 28 de abril de 1857.F'rancis-
co de Salles Torres-lloinem.A. Pereira Piulo.
Joo Pedru Dias Vieira.
30, .
A cmara dos depulaloiapprovoo honlem um pa-
recer de cammissao de poderes para que seja reco-
uheeido depulado pelo fajando dislriclo da provin-
cia do RioJLirende do Sul o Sr. bario de Man, e
lopplenle u Sr. priineiru lenle da armada .Manuel
Aulunio da Rocha Faria.
Euirou depuii em ducossao o parecer da quinta
commisso de poderes sobre a elticilo doSr. Saraiva
lelo 12- dislriclo da provincia da Babia. Tomaram
parte no debata o Sr. Bezerra Cavalcanli, e Mar-
condes, ficando a discussao adiada.
Alm iii-vi, i iram adiado* al screm impressos os
pareceres da sexta commisso de poderes relativa
eleifo do Sr. Nebias, da scguuda cuininissaoqoe diz
respeito eleirao da Sr. Aodr Bailus, c da sena
ciiuimlssau, cora parecer em separado, sobre u Sr.
Francisco de Aisis Alhayde. Aqqi publicamos esses
parecer! :
A selima cummiaao de poderes, a quem foram
prsenles os dous diplomas apreienlados pelos Sis.
Dr. Joaquim lgnacioRamilho a Dr. Joaquim Ocla-
vio Nebias, que se cuiisideram eleilos depulados pe-
lo sexto di-lriclu eleitoral da provincia de S. Pau-
lo, leudo instituido o mais aecurado etame sobre to-
dos ns documentos qua Ihe foram remedidos, con-
um municipio loierassem que si abusaste de nos fronlaudo as acias da eleicao secundaria com ai
nomes cm um ra->(rumentoJal I de 'i i.i.i-1 paradamente cada uina de per si, e ouviodo a ambas
1. Oue teja declarado depulado pelo 17. ercu-juous eleilores da ptrocliia de lliiuralu', Joao Ail-
lo da provincia de Miuas-Geraes o Sr. desembarga- | lomo de Almeida e Silva e Claudino Antonio Fer-
dor Pede-i de Alcntara Cerqueira Leile com a i reir, decnliu-se pela allirmaliva, e nada mais se
maioria de 50 volos. i Iralou sobre a verilicarao dos eleilores; deveudo uo-
2. Qae seja declarado supplenle pelo mesmo ; lar-so que ao Iiouv'e decisao alguma sobre as ou-
circulo o Sr. Dr. Jos Rodrigues de Luna Daarle Iras quesloe apresentadas ao collegio, quer pelos
sua parle, e anles com declaracao expre
tudos de que esse in-lruinrulo era verdadeiro.
- Nao he erivil, fiu.ilmenle, que lodos as alori-
ilades furmadas, um juiz de direito, dous niunici-
paei, e um promotor, quizessem e queiram prole
ger urna fraude desta ordem, e que sn rapugoaatem
e repugnem a ella um eleitor d'enlre 70, um label-
lio falsario e un einpregr.ilo da cmara municipal,
que figura em urna duplcala fal>a c que passa al-
lestados da ordem daquelle q'ue fui aoalytada pela
commisso.
A' visla |de todas islas razei, a commisso he
de parecer :
a 1. Que se approvcmj os eleilores dos collegios
de Jacobina t Joazeiro.
2. Qee se a|i|irovem os eleilores da fregoezia
Velha e da de B un Fim de Villa Nora, contndo-
le aos Srs. Drs. Jos Antonio Saraira e Joao Vctor
de Carvalho os votos que obliveram de-ses eleilores
oo rollfgio de Villa Nova, que se reuni na c ..-1 da
cmara.
3. yue se per.un ao governo esclarecimenlos so-
bre as duas eleires da freguezia das l.lueimadas, a
respeito de cujos livros dere proceder-se a um exa-
me severo.
i. yue se declare depulado pelo 12. dislriclo da
provincia da Babia o Sr. Dr. Jos Antonio S-raira,
que obleve nos tres collegios desse dislricto 102 vo-
freguezia das
Es| fado pode ser lachado de parcialidade do
rnllcgm em favor de nina das formas; nio concor-
da a commissa., e que al dahi provina nullidade f" "","" ',"" '" co''elus.,"""! '"
para a collegio se nao se podessem extremar ns voto, | "s "'1u;"'<"" >" ele.lurcs da
legitimes dus nullu-, casuvenha a rcronherer-se que J '""".','_______:..-- j.
os eleilores dessa lorma ao nullos. Mas cuurluir-se
daquelle passo inems pensado urna pre-oinpcao de
falsidide he o que nao parece logice, nem prure-
denle.
3.a Nao ler lido o Sr. Dr. Magalhaes Castro
nm sii vol no collegio de Villa Nova, parlo da co-
marca onde oolr'ura foi juiz de diicito, e onde pre-
zi-se de cunlar mallo bous amiga*,ao pao que leve
vale* no Joazeiro, onda nanea residi.
A commisso nao se demora neste argunvnlo.
Se livessemos nmi eleirao direila, na qual inler-
virsse ludo o ci ladilo legaluii-nle Ctractenaado como
eleilor, poderia ainda causar admirar i que- um ran-
mdalo lias eirriiui-lanriat do Sr. Dr. Magalhaes Cas-
tro nao tivesse obtido um ti vol. Mas sen lo o car-
po eleilural organisido pela alaietle paraellial, em
que de ordinario os nillaenles diurna chapa liaba-
lliam com compromissos anliriores lomados em fa-
vor deslt on daquella mime, como eslranliar qut
tendo vencido as Ires freguezins dn collegio o! aini-
Sala das commissoes, H de abril de ISYT.I
Odaviauo de Almeida l(o-a.J. M.ircundes de O-
liveira e Si.Amaro Carueiro Bezeira Civalcaoti.
vencido.
Foram presentes 6.a commisso da poderes
as acias das eleires parochiaes. hs-iiii como a do
respectivo collegio eleitoral' do 17. d slnclo da ;.ro-
vincia du .Minas Geraes ; com esles docuiiieulos aa
enviarain lambem a misma commi'so duas repre-
iliitares do llr. Manoel de Mello Franco, aren-.in-
do diversa irregularidades que se deram na refe-
rida eleir.lu, mormenle as freguazas de Clianeo
d Uva* e cidade do Parahybuua.
A commisso examinando accuradanicnle ea
citados documentos. Vera expor a cmara o icsol-
ladode suas iavatligacOM,
as parles, alimde poder mellior esclartr.er-se, suli-
mclte a consideraran desla augusta cmara o resol-
lado 1os seus Iranalhos.
O sexto dislriclo eleitoral lie forma lo de um s
collegio, que se compiadn parocllius da llapclimn-
'n, l'aiuliy, Bolucalu', Sarapuliy, liapera, Parana-
panema e Apiahy, teudu por cabeaja a cidade dt
llopelininga, segundo a dispnsicao do decreto o.
1,822 de 17 de setembro de 1856.
Eleirao primaria.O processo elciloral co:reu
m geral regularmente, e lera vicio que pmaiaa in-
lirmar a sua val l.ule, excepto na p rocina de Talu-
hy, onde o concurso de algunas irregularidades
parece exigir o reconueciineiilo da nullidade da sua
cleieao, como mais tarde a commisso expur.
Eleirao secundaria.Cansa da copia aulhen-
Itca (Id acia da soss,1u preparatoria* envlaaa pelo
ministerio do imperio, que ao dia 2 de dezembro
prximo passado, arh.uidn-se reunido o Collegio
lous mesarlos escruta lare! que pnmeiru deram pa-
recer, quer pelos dous sacrciarios que a presentaran)
vola separado ; e, pelo contrario, declara-se posi-
tivamente que, nada mais havendo a tratar sobre
tal assumpto, deliberara u presdeme proceder ao
reccbiminlu das cdulas !
.Retirada e proleslj da maioriajNeste aclo
os dous membros dissideules, Jos Joaquim Alves
Machado e Antonio Elias do Carvalho, relirarain-se
da mesa, entregando um pruleslu que cunsla da
respectiva acta, cuja cupia seive de diploma ao Sr.
Dr. J. J. Kaui illiu, nu qual, unidos aos eleilores
das paroclnas do Capto Bonito de iParanapauema,
llotucalu', Sarapahy, Itapeva, e I ileTaluliy, au lo-
do 35, declararan) que, convencidos da injuslica e
violencia Commtllidaa pela maioria da mesa para
com os eleilores da primeira deslis paroclnas, pri-
vninlo-os de volarcm ale mesinu tin separado, para
desi'arte e imqno manejo licar un maiuria a parcia-
lidade representada pea maioria do coilegio, pro-
leslavain contra semelbante arbitrio e requeriam que
u seu proteslu fosse inserido na acta, alim .le cous-
lar au poder compleme.
Na falla pois dos dous mesarios qoe se haviam re-
lirado, a mesa numeou a duus uulrus eleilures ; e
passaudo ao recebiinenlo das cdulas para a eleirau
do deputado, foram recebidas o apuradas .!>, oble'n-
do o Sr. Dr. J. J. Ramalho 32 votos ; e recoilndo
igual numero para supplenle, obleve o Dr. Fidencio
Nepumoceiio Prales igual volacao, cujo resollado
foi relaciouado e |iublicadu por edilal*
Declara a mcsmaacln que nao comparecnnlo a
cliamada 30 eleilores que especifica individualmen-
te, sendo 18 de Balucalu', 7 de itapeva, 4 de Sa-
rapoby. t 1 les se liariam relira lo sem motivo justo, e por isso
resolveu unnimemente q le fossem mudados uo m-
ximo.
que, cnmquanlo
eleitoral no corpo da igreja matril da cidade de Ha- mente, declaravam que renJo o eslranbo procedi-
piliniuga, alim de proceder a eleirao de um depu-
lado e supplenle, e sendo ah presilla o joiz [de |iaz
mais volido daquella parochia, .Manuel Jos Vieira,
com o eterivAo do seu carao, procldeo-se .i chama-
da dos eleilores que compem aquello dislnclu e n-
cbarain-se presentes 66, senln !.S de Itapelinuiga.
Revela nolar-se sobre esla ar
della cuiisle-ii diversa lormalidades sali-feila's m
collegio, lodavia nio se declara trae a mesa di-lri-
buio papel para as cdulas dus eleilures, e se vuli-
ram ou n3o em papei da mesa, rumo expressiinunlc
deterinuia n arl, 25 do dc;relo n. 1,812 de 23 de a-
gusto de 1836.
Diploma do Sr. Dr. Joaqoim Ocla*!* Nebias.__
Da acia que serve de diploma io Sr. Dr. J. O. ,\e-
btaieorrHa que os 3i eleilures oue se separaran) da
minora reeniram-se em aclo ideeeulvo no corpo na
capella-mor da ineima igreja matriz on le 'anecie-
nava a minora, e pcnuie o juiz da paz mais ve-
lado da parochia Manoel Jote Vielr, com o eicri-
vflo a seu car^o, foi lito um officiodirigido ao mea-
mo juiz peloTdoas mesarios dissidentes j mencio-
nado*, no qual, refonndo ludo a occorrido interior-
ment e violencia da maioria da mesa, cuja parcia-
lidade p.lilica achando-sc em minora, e qiereudo
a lodo o cnslo Iriumphar. havia para isso excluido
de Inda a panieipacao no collegio .ios cinco eleito-
res da Paranapaiieuia sob o pretexto de seus diplo-
mas referirem-se fregoezia de Nona Snliora do
i de Sarapahy, 1n de Bolocatu', 3 de Apiahy ,7 del Capo Bonilo de Paranapanema, e nao dizerem sim-
Itapeva, 4 de Paranapanema. e 12 de Taluhy, va-1 pitamente Nana Seulmra da Paranapanema, o qae
nlicaada-ae fallarem sem cau-a justificada dous elei-!s" poderla fazer o poder complenle em lempo p-
teles di Itapeva, r. doos de Paranapanema, Jos
Ridrigucs de Carvalho e Jod>|oim da t;o-ta Mon-
des.
" Organisada a mesa interina, segundo as founa-
lidaJes eligidas pela le, e procedendo-te elen au
los msanos, rereheram-se 66 cdulas, c fnr'iin
eliitoa Mcrelariot os cldadaot Jos Joaqmm Aires
po op
l"u loni, haviam por i-so rcsuivido relirar-se dessa
reunin tumultuaria, alim de exercerem Irgalmenle
us seus direilus pruce leudo au processo eleilo.al, c
para e-so lim rnnndavam ao mr-mojuiza cuinoa-
recercom urgencia na capella-mur da matriz, alim
de novaroeale forraar-se o collegio com a maioria
dos eleilores presentes, evitan lo-se assim que
Machado e Antonio Elias de C irvalb i rom 32 volos *c ."c-se o fado de 32 eleilores pre lommarem s-
cula um ; c esrrutadur.es os onladaus Jos Iranri-co '"e 35.
de Frenas e Manoel da Cosa Briaolla eom 31 %o.....| ., Em virlude desle convite resolv
Proceden le-se depois
ojoiz de paz
em cotttequeneii da que, proce lenda-se a sorle,
esta decidlo em favor Uo jiriiueiro, que tomando as-
Da acia da eleicao da fiegoezia do Chapen te seulo cuolinuoo os actos da procesan eleitoral, sen-
Uva! consta que com eITcilo nao fora iuslallada a do lydb! as formalidades regularmente sdliifti-
misa paroehial as horas precisas, marcadas na le ;, le-
rnas, lem qae esle incidente po.sa ser considerado. Diplomado Sr. Dr. Joaquim Ignacio llama-
como urna irresolarida.le de lal quilate que afl'c-le'!>".No di.i acguiole 3 de deieiuuru', se"iiudo
gr.sdosr. Dr. Saraira, que tinham ja um candidato ou vicie o processo eleilnral. explica-,, o juiz de paz eonata da copia aulhenlica da rctneefv.i acta, que
para depulado e oulro p.ra supplenle, volassem so pres dente da mesa pelo rerein que leve de que fns- serve de diploma au Sr. Dr Ramllio achando-se
minie ne.ses dou. oumes da s-us compromissot 1 u perlurbada a ordem publica, alenla a exacerba- prsenles os mismos eleilores qoe haviam compare-
. i.a Lma certidao do labellio Nazianzeno cao dos espir.lot, por cujo motivo requisilara pre- cida na vespera, e mais o eleilor da parochia do-
Leoucio de F.gue do datada de i de dezembro, vilmente a presenS do delegado de polica, por ser, i Capao llonito de Paranapanema Jos Rodrigues de
passad ao Sr. Dr. Magalhaes Culro, declarando I como era, o subdelegado do lugar adlierenlc a um Carvalho, que nao compatecera ank-ri-irinoiile pro-
el, i,, r,,,,' e'c "," '!ur pres,den e '" I Proceder "e "ovo ** ollefaeom a raiia-
teh oigul numero le cdulas, foram votada* OS na dos eleilores prsenle-, tanto mais que coma
Mude U "" T ,t:"e,ru'ue "" ,*%" "' del- fra elle le.temunlia ucuUr dai vi^S
rl;,,2l,''','''Sl.''V''r'' C0;" '-'-i-'- -''"": leu "i.is prl,e.las pila ma.ona da mesa nu-l-il
pila maioria da mesa uu havat
procedido muilo irregularmeulc privando de vo._
mesmo em separado aos eleilures de Paranapa
nema.
o Lomando porlanlo assenlo na mesa com o res-
pectivo aecrivao maadoa proceder a chamada, e va-
rilcou acharem-se prsenles 35 eleilores, seudo IS
de Ilolucatii, 7 de Ilaptva, fallando 2eleilorei; 5
de Paranapanema, faltando 1; .} de Sarapuhv, e 1
de laluliv, fallando II ; em vista dn que proceden-
do ai formalidades exigidas pela lei,elegru-se a me-
sa definitiva, que ichando-se cunilitoida rtcebeu o
diplomas, e pelo presidite foi nomeada a commii-
q que devia dar parecer tobre os Jos mesarios, e
daquella parochia, Jos Alves de Araujo, qoe razia
parle do collegio. Outrusim, qoe, com qoaoto nao
liresse parle da collegio nenhum eleilor di parochia
de Ilapetininga, todava eracouvtuieiitc declarar-se
os vicios de que e-lava airela a saa eleicao ; primei
ro, que fra presidida a junta de qualifieaco pelo
major Manuel Jos Vieira, commandante do esqua-
drJo de cavallaria all creado, como ja se e~ipi>z an-
teriormente ; segundo, qoe fizara parte da junta um
individuo Jos Francisco de Freilas, qne nem era
votanle qaalificedo e nem poda ler considerado ci-
dadao brasiletro, em riit) dn arito do ministerio do
imperio de 2 de junho.de I85i, qoe declarou. que
bem obrara o presidenle da provincia*de S. Paulo
quando declarou a cmara municipal de Itapetinga
que no termo* do artigo 9, da lei de 23 de oolobro
de IS32, nenhoma oulra pena poderia ter lido im-
posta ao referido individua (Freilas*, -enro a de nao
produ/.ir a respectiva carta de naluialisae u nenluini
doiefTeitos que deveria ter, ib tivesse sido compelin-
temenle registrada ; accrescendo dtr-se o ficto de
estar esse individuo pronunciado pela subdelegacia
da villa de Botueal, e lodavia eslava votando como
eleilor no collegio da minora.
Depois de sujeilo a discossao, foi este parecer
approvado unnimemente, e bem assim o da respec-
tiva commisso, qne examinando o diplomas dos
mesarios os achara legaes.
Proceden,.1o-se a et-uvo do deputado, obleve o
Sr. Dr. J. O. Nebias 35 votos inclusive 1 do elei-
tor de Taluhy, tomado em separado ; e para iup-
plenle o Sr. Dr. F'idencio Nepomuceno Prates com
igual volar i.i ; a v sla do que foi esse resoltado de-
bidamente poblicado j e salisfeilas todas ,11 forma-
lidades determinadas pela lei disolveo-se o col-
legio.
A commisso de poderes leudo apreciado atlen-
i menle todas as parlicolaridades referidas paisa a
expr a la opinian, primeramente sobre as impo-
guares que se fizerara a legitimidade dos eleilores
que formaram o collegio no dia 2 de dezembro, em
segundo lugar sobre o faci da soa divisao em dous
collegios que leve lugar no dia 3.
Legitimidade dos eleilorcs.
Parochia de Botueal.1. Qoanto a allegaran
de ler sido preferida Dessi parochia a determinar.io
doarl. 10 do decreto n. 1812 da 23 de agoUo da
1856, segundo o qual, dado o nao comparecitnenlo
dos suppieules di eleilores, leudo o presidente con-
vidado o qoinlo volado na eleirao de' joiz de paz do
dislriclo devia esperar al o dia segointe ai 9 horat
da manhaa pira euto convidar successivamenta o*
immadialaa ; a commisso verificoo da respectiva
acia que, tendo u quuiio escusado-se por escripto,
parecen ocioso espera-lo al o dia segointe, e por
isso surcessivaiucule foram chamados o sexto, stimo
e oitavo, e havendo os dous primeiros declarado nao
ler resposla os convite! olliciaes que Ihe* foram di-
rigidos, assim como o oitavo qoe uo compareca por
tstar incommodado, btm evidenciado eslava o pro-
posito firme de nao lomaren parle na formacao da
mesa, pelo qoe seria intil esperar para o d'ia se-
guiitc, tanlo mais qoe sendo illei do numero de e-
leiioret e snpplenle convocados para formaran da
mesa haviam deixado de comparecer.
i ja .i lo ao eleilor Claudino Anlonio Ferrcira
nao ter a renda exigida pela lei por achar-te detnil-
lido do emprego de professor publico, entende a
rouiiiiis. i que semelhanle allegaran n.io prova qoe
com efleila.elle nao tivesse a reuda exigida, lando
em contrario a presumprao local resullautt de achar-
ae essecidadaoqualilicado. e de ler-lhe a mtia paro-
ehial dado o diploma tem observacao nem reclama-
rao alguma.
3. Ondulo a conleslaro de residencia do eltilor
Jo.lo Antonio de Almeida, parece evidente que as
me-mas presumproes que mililam a respeito do an-
lecedenle. se dio lambem a seu reipeito, porquanio
eslava qualilcado na parodiia, foi eleilo, a leve di-
ploma sem reclamacao algoma ; e nem lia prova de
que uao tivesse ahi o seu domicilio quando se proce-
den a qualilicacan.
Parochia de Nossa Senhora de Paranapanema.
A improcedencia da coutestaco feila a legitimidade
destes eleilores he fura de toda a duvida. Funda-
se ella unir.meme em nao haver o decreto de 12 de
oulubro de 1856, designado essa parochia pelq ap-
pellidoCapau lionilo,ao passo que a acta paro-
ehial a designa-Nossa Senhora do Cipao Bonilo da
Paranapanema.mime pelo qual he essa parochia
conheciJa vulgarmente, e al algum,is vezes tratada
na correspondencia oUHa!.
Parochia de Sarapuhy,Olanlo as formalida-
des e red.iccAo dos diplomas dos qoatrot eleilores
desla paroclua, nada encontrou a commisso que
pdenteantoriur as duvidas apresenl.ida ao collegio.
ola-se nicamente um prnleslo-de um dos mimbros
da mesa, allegandoalgumas irregularidades, qoe nao
ealando pruralas nao podem adietar elun-an, ac-
crescando o fado de serem laes allegarles conlesla-
das pelos oolros misarios em um contra-preletlo ; e
nem ,i falla da apresenlar;ao oo collegio do livro das
acias pode importar uullidade para os seos eleito-
res.
Parochia de liapera.Dando-se aobre estes elei-
tores a unir allegarlo dt n3o haver sido preiente ao
collegio o livro das acias, a commiisao nao julga es-
sa falla motivo sufiicienie para duvldar-se da sua le-
gilimidade, lano mais quanln a copia aulhentica dn
actas d.i metala parochia, qoe Ihe foi prsenle, tem
lodoi os caractires de regularidad!.
Parochia de Taluhy.Quanlo as allegacSes que
conlra a legilimijade destes eleitores ap'rcsenlou o
parecer das mesarios dissidentes do primeiro colle-
gio, t que foram reproduzda no parecer da mesa
do collegio da maioria, parece a commisso qne nao
liouve razao siiflicieiile para qoe o juiz de paz lus-
pendesseos Irabalhos eleiloraes, visln que a mesa pa-
lochial le arlnra legalmenle organiada. Hin-
deme que a simples duvida, alii infundada, sobre
o sorleio para decidir entre os queliveram igual nu-
mer devotos para mesarios, nao podia justificar se-
melliaiile prucedimenlo, que corapria ser reprimido
lelo goverao |irovincial. Maa tambem he fra de
duvida que esse prnccdioiiiilo nao podia ser julgado
pelos oulros mesarios, porque nao eram competen-
tes para delles couhecerem ; e por isso obraram ir-
rigularinenle, nao s deliberando continuar o Irt-
balhoija suspensos pelo primeiro juiz de paz, teu
presideule, como chamaudo para sobslitoi-lo ao
quulo_ vuladn, que era incompetente em villa do
arl. 17 da lei ja citada, muilo principalmente nao
sendo convocado o lerceiro c segundo joiz de piz,
como ie prova de documentos que luram prsenles'
a ruinmis-ao.
Releva notar-se qoe deivaram de volar 299 ci-
dados, comparecendo 1.1o lomentt 139, o que pare-
ce confirmar ai declararles nao do* membros da
mesa, como do proprio primeiro juiz de paz em of-
hcio dirigido ao presidenle da provincia, declarando
que a Ilegitima continuarlo da mesa depois de sus-
pensos os Irabalhos influir para que a eleicju lodu-
biiavelmenle denasse de ur a txpressSo da maioria
dos voltiles.
Parochia dellapetining.i. .Vs allegasOes ,obre
esta parochia uao podem afleetar a validado de la
eleirao, ja porque o motivoole incompetencia allribui-
du o presdeme da junta qualificadora nao tem si-
do julgado suflirienle para invalidar os actos das
juutas de qualilicarao em uutros casos idnticos ja
porque, quaudo mesmo fuste ella procedente, deve-
ria-se reclamar opportuuamente, e segando o recorso
delermuiado pela lei.
* Qaaaia ta arguicOes. sobre a legitimiDade do
eleilorFie.tas, he claro que. nao se provando que
nessa cpoc aiuda eslive-se registrada a sua carta de
oatnralisacao, e menos anda qua eilives.se pronun-
ciado, nao podem taes allegdres, destituida! de |.
da 11 prova, infir.ar a sua legimidade, nao constei-
tada pela assembia paroehial.
MUTILADO
A commissa, detejou de acedar, oovio at
n culos que Ihe foram presentes ; e entre os do S,.
,,-,i L. Kama",J enconlra-sa orna cerlidao pela
qual se pru,;. que a paroclua de 0(ucl, eleirao
m.,1 ." T""le ,0 el"'r com esle docu-
menlo prelende o mimo senhor chegar a conclusa
oi, T..... 1""")0 toalmen.e IS eleitores,
- li JS. H V* ,.he e"P- A eommiada, po-
- em em primero |u(!,r, recorda que a eleico de
i ttt .2 nao he a _qoe ,erve de base para determinare
lar mimo do elenore das parach.a, e que os prece-
lec CSdd01"adM Ul "^'^ fu"uauu appro-
varjo da cmara, nfirindo-os aos augmenlos sanc-
nou.idos pelas legislalora! Irans.clas, nao prejudi-
cam por lorma alguma o direito que lem as paro-
clnas de ajaraca o numero di eleilores permellido pe-
lo art. .,2 da le n. 38 de 19 de acollo tJe 1816.
i. ". eEu"d'' '"-" commisso observa qoo n.ln
Ihe foi prsenle prova algoma, di qual se conclu tal
anate e pelo contrario da acia paroehial se prova
que o numero de 13 eleitores toi marcado pelo ore-
sidenle da provincia, podara de 11 d, 0D|qbro
de 18M, sol) consulta do teipecUvo juU d p U1


2
se nodendo presumir que lal ordem foise expedida
sem o mais escrupuloso eiame dos fados, concorrtn-
doderoeisnao constar nenhoma reclamajao, era
nai acias da assemlilea parochial, nem ra*smo uas do
collegio eleitoral, onde auperabuodou o etpirilo da
maitexegerada pesquiza.
l Oulro. sira, foi prsenla commissao orna cerli-
dao do secretario da cmara municipal de Itapeliniu-
ga, declarando que nao coma do archivo da mesma
cmara existir litro oa qaaderno albura qoe faca
ine >jao do collegio qoe elegeu o Sr. l)r. J. .
Nebias.
A commissao porra nao julea que este fado
posan affeelar de modo algum a realidade da reuoiao
volajao da maioria dos elailores constilaida em cul-
legio separado, porquanlo nao he ella posta em ou-
vida pelo proprio Sr. Dr. J. J. Ramalho.
Quanlo a falta do livro, eila' ella prevista pelas
Inuruejei de 28 de jnlho de 18*9, e o D8o achar-se
no archivo|da cmara na dala em que ae passou a
cerlidao pode ser eiplieado por monas circumstm-
eiae obvias, e principalmente rendo aido remedida
'.secretaria do imperio a respectiva copia authen-
tiea. r
Separado do collegio eleitoral. Do oame
acurado de tudas as circomslaucias preliminares ao
fado da retirada da maioria para constiluir-se em
col egio se parado, conclue-se fcilmente a necessi-
dade extrema dessa procedimeniu.
o A' vista do acto violento praticado pela maioria
da masa, auxiliada pela minora do collegio, de ox-
clur de votir na vinlicaejo de poderes aos el ei tures
de Paraoapancma, levando o seu excesso a ponto de
uuo admillir que votasiera em separado, como poiiti-
vaoiente determina a le, sob o ftil pretexto ja es-
pecificado, entende a coinraissao que a maioria dos
oleilore achoa-se collocada no caso de proceder co-
mo procadea, por ser esse o onico roeio qoe Ihe res-
lava para avilar que a eleicao nao dessa un resalla-
do contrario ao voto da maioria ; resolta o infallivel
da caprichosa excluio absoluta dos elailores de l'a-
ranapanema.
ce Compareceram 67 eleilores, o Sr. r. Joaquim
Octavio Nebiis leve 3 votos, inclusive 1 tomado em
apurado. O Sr. Dr. J. J. Kamalho leve 32.
ce Portanlo, sendo a maioria absoluta 3, oo votas-
eem em urna s urna todos os 67 eleilores, uu sepa-
rados em dous collegios como aconteeeu, he claro
que o Sr. l)r. Joaquim Octavio Nebias leve a maio-
ria absoluta, e que esla maioria nao deve ser preju-
dicada por um facto de que s foi culpada.a minora.
ci Em vista pois do que fiea exposto, a commissao
onerece as seguinles conclusoes :
o !. Que se declare aulla a eleijao primarla da
parochia de Tatahy.
ce 2.* Qae sejam reconhecidas lesaes as eleijei
primarias de todae as oulrae parocbas do 6/ dislncto
da provincia de S. Paulo.
a.' Qoe seja reconbecido depolado pelo mesmo
dislncto o Sr. Dr. Joaqaim Octavio Nebias.
ce i.- Que seja reconhecido sopplanle o Sr. Dr.
rideocio Nepomaceno Prales, que obleve unanimi-
dade em ambos os collegios.
ec Sala das commissOai, no pajo da cmara dos
Srs. depulados, em 28 de ebril de 1857. Jerony-
mo Jos Teixeira Juaior. L. A. Barbosa.
Foi vislo e examinado na segunda commissao de
poderes o diploma do Sr. desembargsdor Andr Bas-
tos de Olivetra, deputado eleito ptlo 8.- dislncto da
provincia do Ceara'.
A commissao examinou attentamente esta elei-
cSo, e observou qoe contra ella existen) duas repre-
senlajoei, ama da cidadedo Crato e outr* da fngue-
zia da Barbalh.
cr Na 1." allega-ie que a liberdade do vol fra
comprimida naquella cidade, onde se fizera sentir
a icjo do chee de polica e das autoridades locaas
contra essa liberdade;se bem que seja para lamentar
que dando-se all oas eleije de cmara e de junes
de paz um cdnflilo sanguinolento, o governo nao lo-
maiie medidas enrgicas e decisivas que desassom-
nrasem os nimos e mantivessem a todo o cusi a
liberdade de ambos os pariidos na immediata eleijao
nao parecen io salisfaclurias aa que lomou para Iran-
qaillisar os aoimos e convenc-los de sua tiucerida-
de, comludu nao se acham provadas as allegarte dos
rep-escotantes qae procuran desculpar esta falla de-
clamando nao haver all urna auturidade iniuspeili,
pente a qual pudeasem reclamar juslija ; e pois
ralliceodo inleiramente provas que juslifiqaem os
Jacios qae foram em a dita representadlo dedozidqs,
he claro que nao ha razao para repellir o diploma do
dilo Sr. deputado eleilo, ou demorar o tea reconhe-
ci melo.
ce Na 2." allega-se varios fados contra a eleijao da
fregoezia do Barbalha.e entre elle o de nao se ler fei
to apurar as Halas urna por urna, e sim separando-se
as qae eram ou pareciam ser dette ou daquella par-
ido, fazendo-se deste moda summario a apurado.
Os lacios argidos sao provados com urna jualificaj3o
aem eilajao oo aodiencia de pesaos alguma ; entre-
Unto eendoelles verdadeiroa, viciamtinsaoavelmenle
a eleijao da referida freguezia, accrescendo que as
actas carecem das formalidades legaes ; convem por-
lanto que se prjam informacoes a esle respeilo.
ce Contra nutras freguezins apparecem apenas pro-
taaloa enviados a't mesas, assignados pur alguos ci-
dadaos, era que se queiiam Je violajes e lujuslijas
qoe ellas ettavara praticaado durante o processo
elei'oral, mas esses protestos nao veem acompaoha-
dos de piovas que peraole esla cmara atiifiquem
a s jaeixas quefaziara os signatarios dos protestos.
ce Em cooclasao he a coaamtisSo de parecer :
1.* Que se enve ao governo a representado da
freguezia daBarbalha, para que o mesmo, ouvindo
as auluri Jaile que parecerem mait imparciaes, in-
forme sohre a e.acli 1.1o dos fados aella coudos.
ce 2." Que sejam approvedoa os eleilores das di-
uer as freguezias do 8.- disiricto do Ceara'-, menos os
da Barbalha.
ce 3.* Qae visto como descontados os votos desles
eleilores ao Sr. destmbargador Andr Bastos de Ol-
veii a, ella continua com maioria absoluta de votos,
seja reconhecido depolado pelo referido dislricto.
a 4." Que pela mesma razao supra, seja reconhe-
cido supplente ptlo dilo distrido o Sr. Dr. Jos Vi-
cente Duarle BrandSo.
Pajo da cmara dos Srs. deputados, 29 de abril
de 1857. J. J. Pacheco. V. B. Duarle.
" Segundo o dacreto n. 1,801 de 7 de agosto do
ni o paisado, forma etle distrido um s collegio
composlo de 11 fregaezias com 95 eleilores, distribui-
dos pelo modo seguinte :
Freguezias. Num. de eleilores.
8
9
9
11
15
t
11
8
8
(i
4
95
o qual documento, por todo o sen contexto, como
que justifica o procedimeniu do juiz da paz em os
nao querer adinillir mocar; circumalancu) cons-
tante da acta de ser de 110 a dlfTarenca dos votos
primeiro supplente e o eleitor menos vola-
rece a' comini-slo que pile termo a luda a
veraia, pois ve-seque laes votos n.lo poderiam
DIARIO DE PERNAMBUCO SARBADO 10 DE MAIODE 1857
eulr
do, p
conlrc
S. Janoario de Uba'
S. Joo Baplisla do Presidio
Dores do Torvo
.'aula Rila do Turvo
i: Sebasliao dos Affliclos ( Arripiados )
anla Auna do Sapo
l'iranga
lUipera
i. Jos do Chopol
loria do Muriah
Tombos de Carangolla
Tolal
c Eleii;io primaria. Corren sem reclamara oo
coi leatacao alguma o processo da eleicao primaria,
excepto nat fregoeziat de S. Sebasliao dos AITlicios
(Airipipdos), Gloria de Mnriaji, Tombos de Caran-
gol a e Santa Auna do Sapo, conlra o procedimenio
de :ujau mesas parochiaes, u3o s ao governo da pro-
viucia, seoao ao collegio de Uia', representaran) di-
versos interessados.
<: A 6." commissao de poderes, para melhor or-
dein na dUcussao, passa a enunciar as irregularida-
dei e violencias que fazern o objeclo dessas represen-
c.s, e a emillir a raapei.u clellas o seu joizu. Co-
roecara' pela fregiulla de Ampiados visto como he a
que maior numero de eleilorea da', e contra caja
eleicao, maisse pronauciam os adversanoa do can-
didalo que obleve afinal o diploma de depolado do
dislricto.
i Arripiados. Os fados argidos conlra a elei-
ca > desta fregoezia .lo :
v 1.* Qae o juiz de paz Jos Ferreira (ioimaraes
recatn, logo depois de organisada a mesa parochial,
sob frivolos pretextos, abrir um oflicio do presidente
da provincia mandando prem execocao a decisao
do conselho muuicpal de recurso, que reconheceu
com dn-eilo de volar 8t ci la.ljos naj incluidos na
lista da qaaliGca;ao.
2.- Qua nao esla' provada a coarto qae servio
de motivo ao juiz de paz para suspender os Irabalhos
da ele;3o no dia 4, sutpeusao que nao poda elle
de:retar por si s, depois de organisada a mesa pa-
rochial.
ce 3.' Que a eleicao foi suspensa por praio indef-
n.do al a decisao dogoverno, como consta da ida.
" 4.- Que nao tendo chegado anda da capital es-
la decalo, prosegoio-se nos Irabalhos da eleicao no
da 10 sem o menor aviso em urna freguezia de vasla
eitensao.
<< 5.* Que a orna guardada sem as cautelas da le
foi arrumbada, pois duas das chaves eslavam com os
msanos ausentes, um dos quaes se dirigir a Ouro-
l'ielo com representaran de ambos ao governo a'cer-
ca'do procedimenio do juiz de paz.
ci 6.- Que Dio tendo parte na mesa a opini3o con-
Irarw ao juiz de paz, n3o se deve dar tredn.i algum
a acta reltlivamenle aos actos praticados do da 10
de novembro em dianle, e que se nao pode assegu-
rar por lano qoe a urna eslava inlacla, nem que
duixoo de haver troca de lisias, como se diz, ele.
a 7.* Que posto Tosseni charnaduta' volar no dia
II os 86 cidadaus a quem o conselho de recurso re-
onheiasesse direilo, dellcs apenas compareceram 9,
Ceixando de haver para com os 77, que faltara), as
tres el amadas recommendadas na le.
8.' Eraliin que houve apparalo ata forra e se
mpregarainamearas centra o vigarto'para* exlur-
i|uir (.este ascli ,ves da matriz, eno ia tOprusegui-
eassm na eleic3o interrump la no da i.
ce Conlra estas arguic,Ge, e no intuito de patente-
ar-sc a libe-dade e regularizada da eleicao de Am-
piado*, foram tainbein prsenles a* commissao algous
documentos que cotejados com as repreaeolacOet, se
nao habililam a commissao para restabelecer como
desejava a verdade dos fados, proporcionam-lhe ao
menos alguus dados para aventurar um juizo mais
ou menos aegoro a'cerca do que se passou.
ce He cerlo que o juiz de paz Gaimaraet recusara
a principio abrir o ofliciu, que fica meACinnado, do
presidente da provincia, o lambem qui t por oc-
cisiao da tereeira chamada no dia 11 he que, em
virtud de deliberarlo da mesa parochial, furam
f dmiltidos a votar os cidadaos mandados incluir oa
lista dos volantes pelo conselho de recurso.
Mas quando aa nao queira prestar allcncao ao
Joruiiienlu trauscriplo no final da aulhenlieada elei-
cao, que he um oflicio de doua membroa do conse-
lho municipal da recurso dirigido ao juiz do paz
mait votado de Ampiados, declarando sopposlo e
alean;ado ob e subrepticiamente no dia 25 de maio,
mas com data de 23 de abril, o despacho que re-
couhuceuconiu votaulejs o>8b Csdadios cima ditos,
induii ntm alterar a urem da votai-.io emquees-
i3o os eleilores.
ce nanlo mais que dos referidos ciriaditos, cu-
jos n,iino, ae acham especificados ua acta compare-
ceram n tereeira chamada, licando assim reduzdo a
77 o ii amero dus qoe n.io vularam.
ce N i acia do dia 4, como na represcnlai;3o que
ao prt idenle da provincia dingiram os dous m-
sanos alindan e Espinla no dia 5, se falla em al-
leracSit, vo/.enas, lumullos. etc., dentro da igreia
com a lifferenc;a porin que allegan) esle que nao
foram raves essas oacurieuclas, acalmando-sa logo
oaaiiinios ao passo que o juiz de paz se julgou
coacto i adiou por isso os Irabalhos da ele.cjao.
i A ckimmissao observa que os mesarius reslanles,
Hrinini Jotcda Triodade e Jos Juaquim de Oli-
veira, afompaul.aram o juiz de paz no adiamanto,
e portadlo nao se pode dizer que o acto da suspen-
au des frtbajlhoa parti s.> do juiz de paz. o que
ine naoiera licito fazer, estn io organisalae func-
ciunaiicl* a mesa parochial, conforme dispe u arl.
W da le de 1!) de agosto de Isi.
ce Heais, 0 mesirio Valladao proleslou contra o
co da Uispens3o, alm de oulros fados relativos
segurancia da urna e o resguardo das cdulas, pelo
de nao declarar o juiz de paz o motivo da roace-ao,
quando | avia pessoa alguma armada cleulro da igre-
ja. Mas na acta ae declara qua o pnvo eslava m
lumullojo qoe explica bem a cauaa da coac-3o, ape-
zar de nlo haver genla armada na igreja, ivpolhe-
se queantorisaria a maioria da mesa al'mesmo
a ahandohar sem furmalidade algoma a igreja e ns
Irabalhos da eleilo.
Ha aceta se declara que o adiamento foi al a
decisao db governo ; porum attendemlo-se a que,
senaoojiiK de paz, como oa mesarlos Vallado e
tspmola, se esqueceram ao depois desla de. I n -, .,
lano que esle na sua repreieulacao fallara em
adiamenl i de 8 das, e aquella emqu'anto durasse o
estado de agitarlo, ver-se-ha que, suspensos como
eslavam es irabalhos da eleic3o, foi mais curale
consentaiiea com a liberdade da voto a resolunlo
lomada relojoiz de paz de li\ar, preceden io an-
uuncios ror edilaes.o dia 10 para a continuado dos
Irabalhos. do qne aquella em favor da qual se pro-
nunciaran os mesarios Valladao Espindola, e que
ro atiene, ila pelo presidente da provincia, quando
determine u que o juiz de paz, iodependente de no-
vaa convo a(fies, fizesse concluir o procestu da elei-
cao ; o que faz crer a commissao que a nullidade
da elei{3j>, e couscguintemente dos 15 eleilores de
Ampiados, eonvinha aules ana msanos em raino-
"a do qde ao juiz de paz e seus amigos, sendo isto
anda unja prova de que a minora da mesa se re-
conhecerfa vencida com o recebnnanlo das 412 c-
dulas da Iprim'eira e segunda chamadas.
" cjocameoloa exhibidos em prova de haver
sido o anraial de S. Sebasliao invadido por gente
armada fio dia 9, e de ler sido mais no dia 10 cons-
traniidoj o vicario a entregar as chavea da malriz
ao juiz le paz Uoimaraes, afim de poder proseguir
Bol Iraballma di eleicao,acham-se cuntrabalautadot
por oulros, qoe o contrario provam ; parecendo
fura de dunda a commissao que houve muila exa-
geracaej na nurraejao dos fados por parle dos que
represe/ntam ou reclamara conlra a validadeda elei-
cao feila.
v fUDSlilui'.'5o que se fez no dia 10 dos msa-
nos Valladao e Espinla era nina consequenria ne-
cessanh de nao otarein elles prsenles no da de-
signad | para a conliiiu.ic3o dos Irabalhos eleiloraes
Este i ceultou-se, segundo consta de urna cerlidao
quefci preseiile- commissao. Aquelle dirigio-se
pa/a (iuro l'reto.i.Nem se diga qae o primeiro .Val-
ladao; emprchendera a viagem de Ouro Preio no
preso aposto de ter sido a eleicao adiada at a deci-
sSo di governo, porque na sua prupria represeula-
C*o di i elle que o adiaraenlo foi por 8 dias.
ce O arrancainenlo da fechadura da orna em qae
eslava m as cdulas lambem foi ama conseqoencia
necesi aria do facto de se acliarem duas das chaves
da mi sma urna em poder dos dous mesarios ausen-
tes ; avendo sido esse arrancainento pralicado em
prese c;a da mesa, e publicamente na isreja.
O arrunenlo de que, nao tendo na mesa parte
\ opu i o conlraria ao juiz de paz, nenhum crdi-
to deve merecer a acia acerca dos Irabalhos do da
IO em dianle, n3o he 13o couclodenle como preten-
den) q je o seja os signatarios do parecer em sepa-
rado d i mesa do cullegio de Cli : primeiramenle
porqu teguir-se-ia que u3o devia prevalecer acia
algum de parochia onde houvesse mesa homog-
nea, i em segundo lugar poique os msanos em mi-
nora, re ron lo-se, leriam sempre um meio cerlo
de iiuI ificar eleifdes ganhas pelos seus adversarios.
Assim entende a commissao que n3o haveudo pro-
va, e ri simples allegarlo aprescnluda de uiu mo-
do vag i, acerca de subsliluc,ao de lillas no dia 10,
que nf o pode deixar de pugnar pela validade da
eleigac ; lano mais quanlo na acia se declara por
exteus i os nomes dos volantes que nao coucorre-
ram a eleicao ; e a tereeira chamada compareceram
tambe m pessuas da parcialidade opposta a do juiz
de pa;, como as oove que foram prvidas em recur-
so pe o conselho municipal. A commissau chama
a alte ic3u desla aosusla cmara para um fado que
muito concurren no seu espirito para decidir-se pela
validdc da eleicao de Arripiados, e heque o pa-
recer la maioria da mesa do collegio de L'b, re-
conhe endo validos os diplomas dus eleilure de
Arrip ados, fui apprcvado, como se ve"' da respectiva
acia, mr 53 votos conlra 38,ao p^sso que na elei-
c3o di) deputado o candidato Alhayde obleve ape-
maioria de 49 votos ; o qae bem patentea que
M da parcialidade contraria reconheceram a
ie da eleicao de Arripiadas-.
Gloria du Muriah.Cunlra a validade,da elei-
cao deba fregoezia allegaro-se nicaineult dous lac-
ios : Ij o de ser presidida a mesa paruchial pelo
lerreiikijaizde paz, Jos Anlonio Correa, quando
deverai se-lo pelo eegundo juiz de paz, Francisco
Jos Pbreira do Valla ; 2- qae nao foram admilli-
dos a tolar 12 cidadaus qualificado* competente-
mente, tendo mais a mesa, sob frivolos pretextos,
deixad i de apurar 40 cdalas das recehidaa.
ce A coramisiao, em face de urna cerlidao do se-
cretan i da cmara municipal da villa de Uba", con-
ferida jielo 1- labelliSo, na qual se declara que ale
90 de ezembro ultimo, o 2- juiz de paz Francisco
Jos Pi reir do Valle n3o linha prestado juramento,
nem totnado posse do dilo cargo, nao pode deixar
de considerar insubsistente a primeira argido.
a Considera tambem improcedente a segunda,
porquel sobre n3o estar apoiada em prova al:.....a,
recnniifre-se pela acta que o numeeo de votos cons-
tantes da segunda argido era nuda influiran) na
ordem-Ja votac^lo dos eleilores, porque o menos vo-
tado Jcsles lem iobre o primeiro lupplente a diffe-
renca db 78 votos.
o TotVibos. de Carangolla e Sania Anna do Sap.
A romihissao, tendo com alienein li lo a represen-
tadlo Jue ao collegio dirigiram diversos moradores
da prinieira freguezia, conlra a validade da eleicao.
n3o deparou na mesma represmoslo com un s
facto olue Ihe prendesse a attencao, em ordem a
apresejila-lo e discoli-lo, para mostrar a sua insub-
sislenc io ;'e por isso eulende que n3o deve dar con-
sidera ;3o a referida representacilo, bem como a
que ci nlra a eleicSo do Sap dirigiram o juiz de
paz e diversos volantes da freguezia.
Eleicao secundaria.Nao euconlra a commis-
sao qi e irregularidnde aleuma fosse comraeltida
nesle segundo grao do processo eleitoral que o possa
inval dar.
Assim, em villa do expendido, lem a sexta com-
misia i de poderes a honra de submetler a appro-
vic.ilo desla aagasla cmara o seguinte parecer:
o 1 Que sejam approvadas as eleiccJes primarias
das o ze rregaezias de que se compile o 19- dislric-
to tlejloral da provincia de Minas Geraei.
-..iQue seja reconhecido depuiado por ene dis-
trido b lencnte-corunel Francisco de Assis Alhav-
de, poMer oblido a maioria absoluta de quarenla
e novejvotos.
ce 3.
accusam-o igualmente ,1c ler-se cora imloslria aprn-
veilacio de liueiras alleraces provocadas pela
mesma repulsa de, a .mil.ir os volos de 13o
oa
nume-
nas a
eleilo
valid
rosos cidadaus, afim de interromper a el.ic.l.i e ga-
libar lempo.
A esla represenlacao succede oulra subscripta
por 83 volantes, em que se allega que o juiz de paz.
nao olistame haver annunciado o adiaiueulo da elei-
Cao por oilo dias, apparecera em 9 de novembro no
Arraial dos Ampiados para azer occullamenle ren-
niues das pessoas de seu partido ; que no dia 10 en-
Ifara all oiu cenlo de homens armados de davinas
ae seja igualmente reconhecido sopplenle
pelo nlesino dislnclo o majur Francisco Peixolo da
.Mel'0.1
Saja das commissei, 28 de abril de 185"/
Jos P dro Dias Vieira.A. Ptreira Pinto.
ce Di contando das conclusts do parecer da sexta
comniii sao de verificaciio de poderes, de qoe lenho
a honri de fazer parte, acerca da eleicao do 19-
ili-tnct i eleitoral da provincia de Minas Geraes,
oimprt-roe apresentar-vos os fundamenlos da mi-
nha di' ergencia, e motivar o parecer que passo a
dar em separado.
ce As irregularidad/- reaes ou supposlas, que por
sua gravidade turnam emites!.vcI duvidosa a va-
lidade la eleicu do circulo deque ie trata, sao ai
que se imputam ao processo eleitoral da Ireguezia
de S. J 53o Baplisla dos Allliclos (Arripiados', e ser
pnriauj della que oceupar-me-hei- exclusiva-
mente
Ce usa da acia da respectiva mesa Migoadl em
S de ni vembro, que indo proceder-se a lerceira cha-
mada ios votanles, o juiz de paz presidente) fe de-
clarara coaclo por eslar o povo em lumullo, e que
suspen lera os Irabalhos al a decisao do governo pro-
vincial achandn-ae a ese lempo depnsiladaa 412 ce-
dulas i a urna, a qual Reir enllocada na mesa da
igreja nalriz. Dous dos mesirios assignaram-so ven-
cidos i i que respeila a deliberarlo da inlerrapcao
dos Ir,-balhos por Blo ler havido" para isso fund'a-
inenlo
E
algum plausivrl.
feclivamenle o juiz de p;
/. participa o occor-
rido a presidente da provincia por nin nlli-io dala-
do do lia 5 ; mas sem aguardar a -na deci-ao. cuino
fora a munciaiio, rene g tssemblca parochial em
10 de lovenoro; e como nao compareceisem os dous
meiariis, a cuja guarda furam coraraellidas as daas
chavea da orna, e nem fossem encontrados em seas
domicilies pera receberera o aviso, que nesaa occa-
iao sellhM dirigir, leve-se de proceder eleirao
de oufoa que os subsliluissem e de arrumbar a urna
o ajee loi felo com ai formalidades posiiveis, segun-
do o qbe te l<* ua nova acia,, verificando-se no dia
segoinle a lerceira chamada e a concluiau da eleic.,lo.
ce Eairelanto urna repreaenlac.lo firmada pelosdi
loi melarios no mesmo dia do adiamento da eleicao
ecorrojiorada com o testemunho de50 volantes*fui
euviadl ao governo provinei.il conlra o procedimen-
io do jhz de paz. Elle he ahi argoido de haver com
jbetiaakte recusado abrir urna portara da presiden-
cia, emlque ie Ihe ordenava que recebeise as cdulas
de 86 vMaole qae linham sido prvidos em grao de
recurso, e de nao dar cumprimenlo a mesma porta-
ra qae (he fura apreseutaria por copia authentica,
insislind, tob falsos piel, mus, nesia exclus.1o dos
referidos Wolaoles, que ja fora caosa da annullar-ao
du loteribre elen.es m'iaicipiei, Qt aisjgaalarioi
e pislulai, e freule de urna parle desles o juiz de
paz e o promolor da comarca obliveram do vigario
com auii.,c,,, a chave da matriz, e qoe em seguida
passaram a arrombar a urna, Irocaram lisias, e lize-
ram volar nuvaineule no dia 11 votanles que ja o
afian feilo. Estes fados, confirmados pelo visa-
rlo, juslificados peranie o subdelegado de polica
com o depoimenlo de varias lestemunhas, igo reeo-
nbecidnt verdadeiros pelo juiz municipal do termo
em seu oflicio de 15 de novembro presidencia, a
qual, na participarlo feila de (aes ocrorren. as ao
miiiisierio do imperio com dala de S do coiranle,
lambem parece have-los lomado na mais seria con-
sideradlo, a vista de algumas providencial decisivas
que dera contra os reeponaaveia pelos excessos de-
nunciados as represeutacnes a que me reliro.
ce A pertinacia com que o juiz de paz procorou
arredar da urna Uli votanles prvidos em recurso, e
que su admitliu na lerceira chamada, usurpando a
nllribuicao de couliecer da leaalidade das decisoei do
conselho municipal ; a incoherencia das suas decla-
rares a respeilo do prazo marcado para a nova enn-
vocasao da asembl?a parochial ; a precipitadlo com
que procedeu abertura violenta da urna na auaen-
cia dos claviclanos, por quem Ihe cumpria esperar,
vislo que n3o havia anda expirado nem o prazo in-
dicado na acia, nem o de h das constante do stu of-
licio de 30 de nuveinbro presidencia ; as reelama-
C*es de un 13o grande numero de pessoas contra as
fraudes commetlolai na abaran da urna e em ama
reuniao que aecusam de clandestina ; finalmente o
apoio moral dado pelas autoridades da proviocia a
quasi tudas essas arguiees ; estas circunstancias reu-
nidas na podem deixar de derramar vehementes
suspeilas sobre a legalidade da eleilo primaria da
parochia de Arripiados.
ce Mas se por outro lado se atlender a que no
meio das paixes excitadas por urna lula eleitoral as
provas lesleinunhaes perdem muilo do valor que le-
ara em oulras circumslancias ; e qae em opposiriio
as rapresenlaces e_ documentos, de que cima fiz
menqao, o deputado eieilo cominunicuu commii-
s3o alleslados e juslilicates, que se fosiem verda-
deiros em seu couteudo leriam completamente des-
truido as aecusaees ele fraude e violencia de que he
acensada a eleicao, recouhecer-se-ha a impossibili-
dade de cora e-les nicos elementos de apreciado
rormar-se um juizo imparcial e seguro acerca "da
queslilD de que se Irala.
o E como em um aasumpto de tanta importancia
por suas cunsequencias polticas, convem que as de-
cisoes desla cmara se bascem em fados suflicienle-
menle demonstrados, sou de parecer qae se peram
ao governo inforraaces relalivamenle ao rasull'ado
das averiguares que a presidencia de Minas Geraes
mandara fazer sobre os excessos e desordens liav ida-
na eleijao da freguezia de Ampiados, como consta
do seu supracitado officio de 8 do crrenle ; e que
no eniando fique adiada a decisao sobre a legalidade
do diploma du deputado eleilo pelo 19 circulo da-
qoella provincia.
'i Sala das commis.es, em 23 de abril de 1857.
1". de Salles Turres-llumem.
I. de maio.
A cmara temporaria appruvou lionlem dous pa-
receres de couimisses de poderes para que seiam re-
conhecidos :
Pela provincia de Sania Calharina : deputado o
Sr. ron>clheiro Jerniivmo Francisco Coelho, sup-
plente o Sr. chefe de divisao Jesumo I.amego
Cosa.
Pela provincia da Paraiiih.i do Norle : 5. diilric-
o, depulado o S. Dr. Flavio Cleraeulino da Silva
freir.
Foi apresenlada pelo Sr. Viriato a seguinle indi-
cacao :
e Kequeiro que sejam conservados na casa, e com
direilo d* lomarem parle as discusses que gata
respeilo a suas eleioes. mesmo depuis da cmara
constituida, aquellos senhores que apresenlaram di-
plnma de collegios eleitoraes, e sobre us quaes ascom-
mij-oes nao le>m furmulado anula pareceres, ou uo
lem soffndo decisao deliniliva.n
rorara addiados al erem impressos os dous se-
cundes pareceres, o prime.roda 2.' commissao, rela-
livo ao Sr. Dr. Silvino Cavalcanti de Albuquerque ;
e o Hganda, empopara o. do Sr. I.anuulpho, mem-
hrn da /. commissao, relalivo eleicao do Sr. Ne-
bias :
"A commissao de poderes, examinando a eleicao
do Sr. Dr. Sil vino Cavalcanti de Albuquerque, depu-
lado eleilo pelo 3. dislnclo da provincia de Pernam-
buco, julsa que deve ser approvada, nao obslante o
que se aliena contra o processo eleitoral da freguezia
de Iguarassu, e consla da reprcseiilacao do coronel
Manuel Pereira de Mnraes.
ce I." Invoca-Be cuino nullidade o ter servido eomo
raeml.ro da mesa paruchial Pedro Celestino de Soo-
ia I imenlcl, nao qualificadu volaule. Mostra-se
porum por parle du Sr. depolado eleilo que ene ci-
dadao era iupplenle no eleilor na legiilatura passada.
e que fura netla qualidade que servir na mesa ;
vislado qaedesapparece qualquer nullidade, vislo
como as leu niaiidam qoe as mesas se oeganisem com
os eleiloret e seus supplenles; o dilocidadao, leu-
do sido sopplenle de eleilor na leeislalura passada, e
como tal reconhecido pela cmara dos Srs. deputados,
nao podia ser privado' de coocurrer na organisacao
da mesa.
" -" Arsiie-se mais que algons cidadaos nao qua-
ihcadus volantes foram admiltidoi a volar por ler
havido falsilicacSo no livro da qualilicac.o. A com-
mi-s3u n3o ene nlrou prova aljama que justifique
esla allesacao. Prelendeu-ie um exame nesse livro,
e loi uinjuiz de paz intimado para o apresentar, alim
de se proceder ao dito exame, mas nao compareceu.
Este fado por si .rnenle nao pode provar a falsifica-
c3i> ; cumpria que o exame ie fizesse, usando-se de
lodos os meios legaes e coercitivos ; accresce que por
parte do Sr. depulado eleilo foram exhibidas duas de-
clarajoei de dous juizes de paz, sendo um delles a-
quelle qne ra intimado, e que n3o linha o livro em
seu puder, e nutro asieverando ter o referido livro,
e eslar promploa apreientalo. Ve-te pois que os in-
teressados nao empregarem todos os meios de que
pudiera disprpara comegoirem o exame, e sem elle
nao se pode dar como provado a fal-idcaclo em que
se soccorrem.
3. Allega-se mail qae foram admiltidos a votar
dous cidadaos qualificadoi em territorio que fra des-
membrado de Igoarassi'i. Para preceder esla allega-
rao, sena necessario que se mostraste terem elles si-
do qualilicados na fregoezia a qual fra annexado o
territorio desmembrado. He esla a regra firmada no
aviso de 16 de juuho de 1848, em oolro.como se vi-
das palavras tlrpotx de nella qualificaiot. E esla re-
gra parece razoavel. Urna vez que o individuo se
acha qualificado na parochia, he justo que nella vote,
ou te lenlia mudado para oulra, ou o lerritorilo em
que reside lenha sido desmembrado, annexado a
oulra paruc na. A cmara dos Srs. deputados j fir-
mn esla regra na eleicjo da freguezia do llananal,
no 4." distrido da provincia de S. Paulo, mandando
contar 7 volos que ujuham sido tomados em separado,
por terem os volantes moradores na provincia do II io
de Janeiro ; e as.ira pralicou sob o priucipio de que
eslavam qualificadot no Bauanal.
ce Nesla conformidade, nao constando que ot indi-
viduos de que se traa, depois do fado da desmem-
brarlo, fossem qualilicados na nova fregaeria. pare-
ce que a mesa devia admilti-loi a volar em Igua-
rassu.
ce 4. Tnvora-se mais contra a eleicao o 'erem si-
do comeados eleilores 9 cidadaos nao q'ualilicados vo-
lantes.
ce Deixando de parte a quetiao, se os votanlci. po-
llera fazer recibir ot teus volos em qoaesquer cida-
dSos que lenham aa baMIitacoos legaen, compelnido
ao colleuio o resolver a ene respeilo, v-se de urna
uslifirac.3o de idenlidade de pessoa qoe 5 desies elei-
lores sao os proprios e idenlicos qoalifleados votantes,
com erro em um ou oulro nome. Qnalro porem n3o
consla que livessem sido qualificados, mas a elimi-
nacSo oestes votos n3o prejodica a eleijao do Sr. de-
pulado Dr. Silvino, porqueainda assim continua com
maioria absoluta, e do mesmo modo o supplenle.
ce 5. Aruoe-se mais que tendo a mesa no comean
dus trabadlo* snspendido-os, o juiz da paz lirura da
orna e raig.ira 7 listas j reeebidas ; qus as cdulas
nao se enmarara e que a qualilicaclo que servir f-
ra de \Kr>.
ce Nao ha prova legal qoanto a lirada das cdulas
e a nao conlacem das lisias ; apretenla-se, como
prova, urna pelicil feila ao delegado de policia.com
mudos diiTereiites ileni, onde elle atlesla genrica
e lacnicamente que he verdade. As allestacOes pas-
sadas por autoridad tubre negocio que au* lem ra
z3o de saber em virlude do sea officio, ou por prli-
colares, deven) ler juradas, quando u3o fr ponivel
absolulamenle dar-se oulra prova ; avilo de 16 de
fevereiro de 1N7. Sera provas evideules nao he le-
gal, era razoavel repellir o individao qoe te apr-
senla com o diploma de clemilado. Accresce que da
acia coima o numero das cdulas, presumindo-te as-
sim que furam contadas.
Quanto qualilicacao. he certo que servio a que-
fdra leila em o anno de 1852, sendo igualmenta cer-
lo que posteriormente uo huuve oulra qualicacae.:
ou deitana de ler lujar ; fuz-se pois como era poi-
sivcl lazer-se. A !ei deterinina, he verdade, que lo-
dos os anuos se renov a qualilicacao, mas n3o com-
miiou a pena de nullidade na falla dessa ienov,ic3o,
sendo todava nara deplorar que as aiilun-iadcs d"es-
sa rregomia esquejara ass m seus devere e n3o se-
jam reiponiablliadae, A cmara dos Srs. deputa-
dos, era .ua aabedoria, dar todava o peso e con-
siilerajo que Ihe merecer essa falla de qualilica-
cao.
ie 6. Allt-gn-se finalmente, que, constando i nua-
Iificac3u de mais de 2,n(K) volantes, apenas cuncur-
rerain ISO e tanlus. Al(ribue-se esle facln a vola-
ces e injustiras pralicadas pelamesa. Purm nSo
existem provas que tornera Certa! essas allegadas vio-
laces e uijuslicas ; accresce que houve desmamn-
elo do territorio, que de 1S12 al a poca da elei-
jao he natural que muila nenie suecumbisse ao mal
das epidemias que not lem llagellado ; que iuitos
deixavsem voluntariamente de comparecer, princi-
palmente se observarmos qoe a lula fui entre dous
can lualos da mesma parcialidade polilica, parecen-
do que o partido que esla fra das posir/ies ofliciaes
nao lomou na provincia de Pernamboco inoilo a pel-
lo a prsenle eleijao ; qae dorando o processo elei-
toral muitos dia-, em razao de lerem sido suspentot
ui ttabilbos, muitos volantes uiu quereriam dar-ie
ao Irahalho de volar ; que emlim esta falla de con-
currencia p,ije provir de muilas nutras causal. O
que he cerlo he que esle facto, por si s, nao pode
dar lugar duII ladele urna eleijao, sendo des-
acompanhadode provas sufflcieiilei, qoe manifeilera
provir elle de eonipressao contra a liberdade do
voto.
ce He poja a commissao de parecer :
ce la Que sejiui apprnvados os eleilores das fre-
guezias que compilara o tarceiro disirictu da provin-
cia de Pernainbucn, cun excepj.lo dos quairo seguin-
tet eleilores de lguarass : Pedro Celestino de Son-
la Pimentel, KrancisA Xavier da Ahdrade Jnior,
Amonio Martina da Assnmpjao, e Sergio Cleraenli-
no ele Soulu-Maior. a respeilo dos quaes requer a
rnmmissn qile se pejam infurmaces ao coverno,
afim de verilicar-se se esl3o ou n3o na qnalilicajSo.
2. Que seja reconhecido o Sr. Dr. Silvino Ca-
valcauli de Albuquerque depulado pelo referido dis-
tricln. r
3. Que seja rccnnliecidn supplenle pelo mes-
mo dislncto o Sr. Ilr. Ahilin Jote Tava.es da Silva,
laju da cmara dos deputados, .10 de abril de
1851 y. /. i>achecn.l /;. Duarle. a .
ce O abaixo assigoado. membro da stima commis-
Mo de poderes, nlo leudo cheuado a um acenrdo cun
os dous oqtroa nicmhros da mesma coinmiss3o, acer-
ca dos diplomas ape.-eiil-.dus nesla augusta cmara,
dus Drs. Juaquim Octavio Nebias e Joaquim Ignacio
Itamalho, ,. leudo examinado a acia e maduraraenle
os do, lmenlos offarecidns a mesma commissao, vem
apresenlar o seu parecer em separado, para que seja
discolidii cnijunlamenle com o parecer dos uulrui
membios da commis3o. Consta o sexto distric-
I eleitoral da provincia de S. Paulo, das seguin-
les freguezias : Ilapelininga, Tatubv. llolucalii, Sa-
rapuhy, llapeva da Fachina, e Apiaiiv. O abaixo as-
signado observen que nlo houve grande regulnri-
da le as eleiees primarias de algumas detlas fre-
cuezias ; observou que das actas da eleijao de Sara-
pubv cio,.iam muilns prolestns e cnutraprotestos,
cerca da vali rada da eleijao desla parochia, no en-
lanto que nenhum documento apparece a respeilo
dos facloi de que se faz meuj.lo em laes protestos,
e poi isso nao pode o abaixo assignado formar um
juizo seguro acerca da validade da mesma eleijao,
deixando a cmara a apreciajao de taesjaclos.
Da acia da eleijao primaria de l'aranapanema
coma er esla freguezia designada pelo nome de
Capgo Bonito de l'aranapanema, que lie diverso do
nome. nllicial, e que se acha no decreto da dislribui-
Jlo dos circuios eleiloraes da provincia de S. Paulo ;
no enlamo parece livro de duvida que a menciona-
da acia he da eleijao da freguezia de l'aranapanema,
embora venha lambem com o epilheto do Capao Bo-
nito.
Da acta da freguezia de llapeva da Fachina nao
consta ler havido irre^ularidade alguma nolavel qua
possa invalidar a eleijao com ludo foi apreientado
ao abaixo assignado om atistalo passado pelo secre-
lario da mesa parochial, pelo qual se moslra que as
cdulas laucadas as urnas pelos votanles se acharara
em grande parle marcadas con? um signal que pare-
ca carimbo docorreio.
Das acias da eleijao primaria deTatohv consta,
que no dia aprazado para a eleijao, comparecendo
o juiz de paz presidente, eleilores e suppleules para
a organisacao da mesa paiochisl, depoia de feila a
ceremonia religiosa e mais actos legaes ara a for-
mijio da mesa, prncedeu-se a Hornearlo dos quairo
mesarioa, observaudo-se em ludo a le, e depois de
urcainsada a mesma mesa, soscilou-se ama pequea
duvida motivada pelos eleilores, e ojoiz de paz
presidente, longe de fazer resolver adunda pela
meta organisada como eslava por eslar as suas at-
Iribuicocs, declaruu que ia levar aquella dnvida ao
Exm. presidente da provincia para resolve-la, sus-
pend ndo no Ranlo os Irabalhos da eleicao. Coosla
mais da acta qoe oa mesarios moslraram que nao ha-
via luKar a suspenstlo dos Irabalhos, vislo que regu-
larmente se linha formado a mesa, e que por isso
ella nao cnncord.iva na snspensao dos seus Iraba-
lhos ; porem o presidente da meta, tenaz em sea pro-
pona, n3o acquie-con justa re-olu. ao da mesa, e
por iso mando* lavrar a acia de lorio o occorndo,
que assignnu com os mais memhros della, e os elei-
lores e supplenles que presentes eslavam, reliran-
do-se depois deste acto, em vista do que a mesa con-
vidoo au sopplenle a quera competa a presidencia
de leus Irabalhos, o quaes da faci conlinaaram em
acto snecessivo, sem que houvesse a menor irregu-
laridade.
ce O abaixo assignado.observando que o juiz de paz
presidenle procedeu menos regularmente, suspeu-
dendo os Irabalhos da mesa parochial, por nao ler
occorndo causa legal para isso, e que a mesa bem
procedeu em continuar os seus Irabalhos eleiloraes,
convidando ao supplenle a quem compela a presi-
dencia, julga que uesla eleijao nao ha vicio algum
que a prejodique para que uo teja reconhecida.
ce Daa acias da eleij3u de lioliicati'i consta que no
da aprazado, reunio-se o juiz de paz presidente e
e eitores para a formajo da mesa, e que lendo sido
eleiius os dous msanos representantes desles, e 03o
leudo comparecido os liipplenles dus eleilores, fui
convidado o quinto supliente do uiz de paz, qae
responden por ndlcio unmAoianiente, como diz a ac-
ia, sendo depois convidados os oulros tres volados
seus immedialoa, que tau.bem nao compareceram.
Declara-sena acia, qae tote era um plano formado
para embargar a firmaj3o da mesa, deixando da
comparecer a eleij.io aquelles tupplenles, e por ir-r
fui convidado por oiliciu o iiouii vulado para juiz de
paz, que compareceu, e com esle se procedeu for-
maj3u da mesa.
Observa o abaixo aasigoaclo que, nao obstante a
razao cima, ainda quando verdadeira fosse, a orga-
msaj3oda mesa eleitoral desla parochia foi menos
regular ; porquanlo, leudo o quinto sopplenle do
juiz de paz respondido, como diz a acta manliosa-
menle, tal resposta nao se pode traduzir como urna
recusa formal ou declarajao do impedimento para
poder comparecer a eleijao, e por isso, na forma da
le, devia ser esperado al o dia seguinte, as 9 horas
'a manila.,, o qne se Ble fez ; e nem pode preva-
lecer a declarajao de que ni supplenles do juiz de
p<' lambem o eram dos eleilores ; porque, embora
nao livtssein comparecida ao cliamameulocoino sup-
pl.utos dos eleilores, poderiam comparecer como
supplenles do juiz de paz, mormenle constando da
acta que lodos elles nao tinhara impedimento al-
sum, e qae al assisiiram a missa do Espirito Sanio.
E he cerlo que o chamamenlo dos supplenles de juiz
de paz; e a espera delles al o dia inmediato, quan-
do n3u declaran) mime,talamente iinpoisibilidade
de comparecer, he urna aolemnidade legal eslabele-
cida pro formula, qae nao pode ser preterida em nul-
lidade do aclu.
ce Porlauto o abaixo assignado antende que a elei-
cao desla freguezia lie por lal modo vicios a que u.lo
pode ser reconhecida valida.
E anda quando esta augusta cmara delibere
ser valiosa a eleijao desla parochia, u3o obslante as
razes ponderadas, n3o pode de modo algum serem
reconhecidos eleilores os 8 ltimos menos vulados,
por exrederem do Homero legal de eleilores qae pule
dar a referida parochia ; porquanlo o abaixo assig-
nado se acha bem informado de que a freguezia de
Bnlucalii foi creada depuis do anno de I8i, desmem-,
brando-ie o seu territorio da freguezia de llapeliain-
ea, hoje c.lade, e dando esla cidade, na forma da
le, -limen;,' 21 eleilores, nao podiam as duas fregue-
zias Bolacalii e llapetiuiui.'a reunidas dar maior Ha-
rnero. No enlanto qoe prucedendo-se a' eleirao de
1852 a referida freguezia de Bolucalii deu 10 eleilo-
res, qii.ind i n3o podia exceder o numero de 3, por
Ilapelininga ter dado 18. Todava, apezar do excesso
de eleilnret que deu Bolucatii em 1852, 'loi esse nu-
mero ,10) reconhecido pela cmara, e por isso o abai-
xo asuKuado emende que esse numero, apezar de
excessivo, lendo ja' sido reconhecido pela cmara,
deve lambem permanecer, e ser reconhecido na pr-
senle legislatura ; porm nao pode ser reconhecido
maior numero, nao s porque ie oppe a' lei e reite-
rados actos do g-iveruu, assim como s deliberajes
detla augusta cmara na preseute tess3o, rcsolvendo-
le sempre sem impuguac3o alguma que as freguezias
creadas depois do anno de 1814 o3o podem dar maior
numero de eleilores do qae os reconhecidos na elei-
jao de 1852, cuino se ve do parecer approvado da
commissao que examinou o diploma do con-ellieiru
l.uiz Pedreira do Coolo Ferraz, e vanos oulros.
ce Pelo que, o abaixo assignado entende que n3o
devein ser reconhecidos ns 8 eleilores menos votados
da freguezia de llulucalii, por excederem o numero
da 10 que deu esta freguezia em 1852, e islo no caso
de ser reconhecida valida a eleicao da mencionada
fregoezia.
ii Quanlo a' elcijo secundaria, examinando o
abaixo assignado o domnenlo- que Ihe furam pr-
senles, observou ejue no dia aprazado reuniram-sc os
eleilores das freguezias de que se campee o circulo
eleitoral em numero de lili, fallando algum poocos
de diversas freguezias, e sub a presidencia inlerina
du juiz de paz cumpelente >e procedea a' eleic.ni da
mesa, para a qual concorreram to los os eleilores pre-
sentes ; concluido este acto foi nomeada a commns3o
para verificar o diploma doi mesarios, o qae felp la-
vrou-sea acia compleme, licando aisim concluida a
primeira reunan do collegio. No dia secuinle (3 de
dezembru) compareceram lodos os eleilores que s
achavam na Ierra, e formaran) o collegio. romejaudo
os Irabalhos delle ; a maioria da meta, assim como a
commissao, apresenlaram sus parecer! acerca dos
diplomas dos eleilores preeules, e dous mesarios a-
presenlaram os pareceres em separado, e sendo todos
diicutidui, foram approvadossmenteos pareceres da
maioria da mesa e da commissao. Orzanisado e re-
ruiliecilo assim o collegio eleiloral, se proceden
ceremonia religiosa, e depois de linda,convnlou o pre-
sidente aos eleilores para darem seui volos ; iite
arlo dous dos msanos e oulros eleilores declararan)
que n3o cunllnuavam no collegio.porque se achavam
em cnaceo, entregando a' mesa um protesto ueste
senlidn, sem que nesle prolesln se faca meoj.lo da
naloreza de cucelo, era dos r.iclos que apostan)
justificar. E leudu-se de facto retirado esses eleilo-
res, o collegio legal e regularmente organisado com-
plelou a mesa, e continuoii os seus Irabalhos sem in-
(errupclo alguma, elegendo por unanimidade de vo-
Ins oe 32 eleilores pres-nies ao Dr. Joaqaim Ignacio
Itamallio, ao qual ileu o diploma que leve em vista
u abano ass.gnado. Observou mais o ahaixo assig-
nado que pelo diploma e mais papis alTcctos a' com-
missao no referido dia 3 de dezemhro, os eleilores
que se separaram do collegio reuniram-se na mesma
igreja, e debaiiq da presidencia do juiz de paz que
havia presidido ao cullegio reunido no dia J, se cons-
liluirain em novo collegio. oahi elegirn) ao Dr
Juaquim Octavio Nebias com 33 volos. A legalidade
do primeiro collegio he livre de toda a duvida, por-
que u.1o ao leve lugar no dia aprazado para sua reu-
ni.lo, como por ler tido presidido interinamente pelo
juiz de paz compleme, e ter observado em lodos ot
eui actos as leis e inslrncjoes do goveruo. au se
pidendoonlarcomo irre^ularidade o ter deliberado
que se lomaiiem im separado os voloi de eleilore
de algumas das freguezias. Porquanlo acerca dus
eleitures de Itnlucatii observa-se as irregolandades
que cima furam nuiadas ; irregularidades estas que
sendo de grande mmenlo, era legitimo fundamento
para que o cullegio nao deinsse de lomar em sepa-
rado us seos vulus, alim de que no caso de terem jol
gados nuil i-, ii.ii> viciassem a eleicao tuda. O mesmo
pensa o ahaixo assignado acerca da deliherajn do
Collegio sobre os eleilores da freguezia de Sarapuhy e
da villa de llapeva, cujas eleiees e diplomas se ve-
hlicnu serem defeiluusus e irregulares, cuino consla
das acias qae o abaixo assignado lem em vista, acn-
tecendo mesmo que alauns elitores, segundo consta
da acia do collegio, te Ipresentavam sera dipluina, e
por iaao elle regularmente procedeu maudaudo lo-
mar em separado os votos dos eleilores deslas fregue-
zias. Quanlo porm ao collegio reunido oo dia 3,
pensa o abaixo assignado que he maufestamente 111*3 -
gal e nao poda ter por roo lo algum recouhecido :
primeiro, porque teudo-se reunido quasi lodos os
elcilures do dislricto eleiloral no dia aprazadu para a
eleijao detallo da presidencia interina du juiz de
paz competente, e lendo-se orgamsado a mesa regu-
larmente, verificado os poderes dus eleilores, e len-
do-se emlim inslallado o collegio, nao era mais pee-
livel coiistiloir-se outro collegio leglmeote ; segun-
do, porque ninguem pde-seoppr ao proprio fado ;
leudo os eleilores reconhecido a validada do collegio
no dia 2, n3o podiam mais reconhecer valido o col-
legio do dia 3. porque ahi se reunirn), volaram no
mesmo collegio, e defendern) seus direilos ; tercei-
ro, porque n3u pode ser valida a reuma de um col-
legio em dia diverso daquella que esta' designado
para a eleijao ; quarlo, porque o collegio do dia 3
funecionou irregularmeute, nao leudo om livro com-
pleme para lam.-ar nelle as suas actas, nem tendo
as actas das eleijoes primarias para verificar os po-
deres dos eleilores, afim de poder reconhece-los ;
sendo cerlo qoe s pelo diploma dos meninos u3o he
possive fazer a verilicajao do poderes, vislo qae laes
diplomas s conslam da copia da acia da apurajau, e
nao das oulras acias relativas a' fonnaj3u das mesas
parochiaes, e quando constaise laes acias dos diplo-
mas, ainda assim mesmo nao era poisivel a verifica-
cao dos poderes, vislo que esla se faz pela confron-
laj.lo dai acias da eleijao escripias nos livros com-
petente! cura o diplomas que dalli sao exlrahidos.
i m(auto he o abaixo assignado de parecer :
v I. Que se reconheja nulla a eleicao da fregoe-
zia de lluluralii, oo quando menos que sejam eli-
minados o volos excedentes ao numero que deu
em 1852.
2. Que sejam reconhecidas lodas u mais eleijes
primarias das fregoezias de que se compilo o sexlo
dislnclo eleiloral da provincia de S. Paulo.
a 3. Que seja declarado nullo o collegio eleitoral
reunido no dia 3 de dezembro, em que foi eleilo o
Dr. Joaquim Octavio Nebias.
ce 1. Que seja declarado valido e legal o collegio
reunido no dia 2, e declarado depulado o Dr. Joa-
quim Ignacio Kamalho.
o 5. Que seja declarado supplenle pelo mes-
mo dislncto eleitoral o r. Fideocio Nepomuceoo
Prales.
" Sala das sessiles da cmara dos Srs. deputados
30 de abril de 1857. Jote Joai/uim /.andulpho /{.
Medrado, a
t.uiiiinuu.i por lim a discusso do parecer da quin-
ta commissao de poderes sobre a eleiejo do Sr. sa-
raiva, licando adiada depois de orar o Sr. Fernandes
da Cuuha.
Enlroo honlem em discuis3o, na cmara dos de-
pulados, parecer da segunda commissao sobre a ele-
jao do 8" dislricto da proviocia do Ceara', e depois
de orar o Sr Paei Uarrlo, foi approvado, tendo as-
sim declarado depulado pelo mesmo dislnclo o Sr.
disembargador Andr Bastos deQIiveira, e supplen-
le o Sr. Dr. Jos Vicente Duarle Brandao.
Conlinuou a discusso do parecer da quinta com-
missao de poderes,coucluindo que se declare depala-
do o Sr. Dr. Jos Antonio Saraiva, eleilo pelo 12-
dislricto da provincia da Baha. Depuis de um de-
bale em que tomaran) parle os Srs. Madureire e Be-
zerra Cavalcanli, e depois de dar o Sr. Saraiva al-
gumas explicajSes a cmara, foi o parecer approva-
do por unanimidade menos um vol.
A cmara approvou em seguida dous pareceres de
commisses de poderes para qoe sejam declarados :
pelo 18" dislricto da pravincia de Minas Geraes de-
pulado o Sr. Antonio Juie Monleiro de Barros; e
siipplenlo o Sr. Jos Joaquim Ferreira Monleiro de
Barros ; e pelo 3" distrido da provincia das Alagoas,
depulado u Sr. Pedro Amonio da Costa Moreira, e
supplenle o Sr. Juse Casado Accioli de l.ima.
Conlinuou pur lim a discossaodu paiecer relati-
vo a eleijao do Sr. Silvino, a qiial.hcou adiada de-
pois de um dbale em que tomaran) parle os Sre.
Silveira Lobo e Augusto de Oliveira.
Lonlinuou honlem n. cmara dos deputapos a dis-
cusso do parecer relalivo ao terceiro dislnclo da
provincia ae Pernambuco. e depois de terem fallado
us Srs. bario de Camaragibe, e Silvino, foi appro-
vado o parecer por 43 volus coutra 7. sendo atsira
declarado depulado pelo mesmo distrido o Sr. Dr.
Silvino Cavalcanli de Albuquerque, e supplenle o
i?'"* AM' Jo5e Tavare da S'lva.
Lntrou em discutan o parecer da cumminao sobre
1 eleijao do 17" dislricto da provincia de Minai Ge-
raes, o qual fui approvado depois de um dbale en-
Ire os Srs. l-'ranco de Almelda, e Pereira Piulo, sen-
j/Por cuuseguinle declarado depulado pelo mcsino
- (rielo o Sr. deiembargador Pedr* de Alcntara
erqurv-a I.eile, e iupplenle o Sr. Jos Uudrigaes
de tima Duarle.
i -yitinu-ni depois a discusso do parecer sobre a
eleirao do 6- dislrido da provincia de S. Paulo. To-
maran) parle no dbale os Srs. Ramalho, Teixeira
Jnior., e V ascuncellos, e foi o parecer approvado
por grande maioria, c declarado deputado pelo mes-
rao dislrido o Sr. Dr. Joaquim Octavio Nebias, e
supplente o Sr.Dr.FidencioNepomuceno Prales.
Entrou em seguida em discuiiao o parecer sobre
o Sr. A-sis Alhayde, eleito pelo 19- dislricto da pro-
vincia da Muas Geraes, o qual fi'cou adiado depoit
de fallaren) os Srt. Silva Campos, e Dias Vieira.
h inalmente approvou a cmara o parecer que re-
conhece depulado pelo 1- dislncto da proviocia de
Minas Geraes o Sr. conego Autonio Filippe de A-
raujo, e suppleulo o Sr. Dr. Amonio Diai Ferraz da
I.ui.
O Sr. presidenle convidoo os Sn. depuladot a
comparecerem hojeas 10 horas para a missa do Es-
pirito Sanio, e prestaren! juramento, e antes da 1
hora, no pajo do teuado, para a abertura da essem-
blea.
Nao houve honlem sessao ua cmara dos depala-
dos. Entendeu-se por sera duvida que, emquanto
n3o etlivessa ortanisado u ministerio, nao eonvinha
que a camera se oceupasse com a eleicao da meta e
das commisses.
SESSAO IMPERIAL DA ABERTURA
ASSEMBLA (ERAL LEGISLATIVA
EN
3 IIE II to ll IK57.
J'retidcnria io Sr. Manad Ignacio Caiatcantide
iMccriia.
Ao meio-dia, reunidos no pajo do senado os Srs.
depulados e senadores, s,lu Horneados para a depula-
cilo que deve receher a S. M. o Impea ior. Cas Srs.
depulados Beluario, Monleiro de Barros, Catlriolo,
l.uiz Garlos, Flua, Cunba Mallos, Virialo, Fausto,
Peixolo de Azevedo, Silva l.obo, Serra Camilo,
rilippe de Araujo, Piulo de Mendonja, Piulo de
Campos, Men les de Almeida, Vasconcallos, barSo
de Camarat-ibe, Belfurl, Sa' Albuquerque, Sa" e Be-
n-videa, Paranagua', Pereira Pinto, Saraiva, e Toa-
cano Brrelo ; eos Srs. senadores marquez de A-
braiiles, visoonde de llaborahy, visconde de Uru-
guay, Silveira da Molla, Queiro'z Cuulinho, visconde
de Abaelo, Araujo Kibeiro, Carneire He Campos,
marquez de Monl'Alegre, visconde de Jequilinho-
nha, suuza Ramos, e J.ibim ; e para a deputajSo
que deve receher a S. M. a lmpcratriz, os Srs. de-
pulados Jerunvmo Francisco Coelho, visconde de
Baependy, Kego Barros, c l.ima e Silva ; e o Srs.
senadire Baplisla de Oliveira, e viscoude de Sanu-
eahy.
A' hora da larde, annunciando-se a chegada de
Ss. NH II., saliera as depulaces a espera-lu a'por-
la do pacu.
Entrando S. M. o Imperador na sala,he ahi rece-
bido pelos Srs. presdeme e secretarios, os quaes,
uiundo-se a' depulaj.lo. acompauliain o mesmo au-
gusto senil.n at a Ihrono, no qual lomando assenlo
manda assenlarem-ie os angostos c dignissiraos se-
nhores represenlaules da naj3o, e pronuncia a se-
guidle :
FALLA.
ce Augustos e dignissiraos Srs. representantes da
afio. Venho cheio de jubilo abrir a primeira ses-
sao da actual lesislatura.
,c Voau rennila, sempre esperanjosa, mailo maii
anda promtlle era vista da geral tendencia dos es-
piritos para a concordia e moderacao. a qoal turnara
mais ellicaz o vossn empenho em "promuver a relici-
dade du paiz.
ie A iranqiiillidade que reina em todo o imperio
he um dos resultados da polilica que lem felo calar
nos nimos dos Braiileiroa a Coovicjfu de que
sombra de nosaas insliluijes, Qelmenle observailai,
adianlar-nos hemos com sesuranja e gloria na car-
reira do progresso e da rivihsaca.
As relares do imperio com as oulras nares
conliduaii) pacificas e amigaveis. e nao cesio de'es-
forr.ir-ine por cultiva las no sentido da maisperfeila
eordialidade, Ormando-ai purera sempre as solidas
bases da jnshja e dus intereses recprocos.
ce O mcu i-,nenio lem applieado us meios qae Ihe
foram concedidos na ultima (talo legislativa para
desenvolver a emigrarao de colonos uleis e morige-
rados, e he um de seus incessanles desvelos u correr
a esla necc-sidade vital da nossa lavoura.
re Com ns recursos de que pode dispr o met o-
vw.....e al jumas medidas qae serlo opporlunamen-
le sulicila las de voaso palriotismn, tendentes a asse-
gurar o estado e direilos civil das pessoas que pro-
fessam religifles ditlerenles, espero que conseguire-
mos aquelle importante fim, nhiendo ao mesmo lem-
po o augmento da populajao industriosa.
n O preco exlraordinarm a que lem subido os g-
neros alimenticios causa graves loffriraentot s clas-
ses menos abastadas da sociedade e reclama de vos-
so esclarecido lelo adequadas providencias.
A reduejao provenienle da notsa lana das al-
raiidegat n3o basta para se obler aquelle resol-
lado.
ce O vigor eom que foram reprimidas as daas ul-
timas leu la uvas de inlroducjao de Arricios amSo-
rinliaem e S. Malheus deve ter desacororoado o a-
venlureiros.que julsavam a nccasnlo aja ia para rea-
liaarem no imperio suas criminosas eropcezis.
Itecumineiido-vos nuvamenlc a reforma hvno-
Ihecaria, que, facilitando a fundarao du credilu'ier-
ritunal, lera' decidida e immediat iullueucia tobre
o futuro da nossa lavoura.
ci O everciln e a armada carecem de niedidat que
melhurein a sua disciplina, e de uina legulajan cri-
minal c de processo que afiance mais a certeza de
pniinpla piinij.lo ,. a Juslija dos juljameuloa.
ce Chamo lambem a vusa especial allenjao para o
projeclo de lei cuncernenle a' prumnj3u dos otlinaes
da armada, e que pende de vona ap'provar3o, bem
como para a necetaidade de modificar, seundo Tur
mais couvoniciile, as di-posicei que reculara o re-
crulamenln.
- As reformas com que lem siduallenlidos os di-
versos ramos do ensinu vo produziudu teus deseja-
dos elleilos.
a O estado satisfactorio das rendas publicas per-
iniile nutrir a esperanca de que nao se rualise o de-
licil previsto, quando foi decretado ,> aoamenlo de 2
por cenlo nos direilos ele eiportajio, pudendo-se an-
iiin (alvez anlecipar a sua abuhc.lu un dar-Ihe um
destino que inleresse prinripaluieme a' lavoora.
ce AoeusIos e dinissimos senlnres represenlanles
da nac3o. A vossa tarefa he ardua, ni,- a Certeza
da recompensa, a que uobremeiile aspiris, da
ver prosperar nossa patria, animar-, --'n enns-
lautemenle, mostrando-se o meu governo digno de
vosso apoio pelo discemimentu com que emprega-
ra' o meios que Ihe facollardes para auiiliar-voi no
glorioso cumprimenlo de lao sagrado dever.
I). PEDRO II, imperador constitucional e de-
femor perpetuo do Brasil, a
Terminando esle acto, reliram-sc SS. JIM. II.
com o mesmo ceremonial com que havi?m sido rece-
bidos, e immedialamente o Sr. presidente levauta a
Mallo.
PAGINA AVULSJ.
A assemblca legislativa provincial loi prorosa-
do al o .lia :lt) do crreme.
l-oi exonerado do lugar de segundo supplenle
do subdelegado do segundo dislrido da 'resuezia de
Iguaraas o cidadau Manoel do Reg e Albuquer-
que, por haver mudado a sua residencia para o pri-
meiro dislnclo da mesma fregoezia.
Porque razio u3o se ha de acabir com es-
ses fedoremos liines, ou manlilhas que enca-
potan) as vagabundas, essas mulhere immundas,
que em cerlus das da semana erram de casa eiu
casa, subindo dous, ires e quairo ; ndares pa-
ra pe hrein um vintn)'? Esses limes e manlilhas
su servem para encubrir a porcina do enrpu, e para
exercer o iiicognilo, bem ulil ao roubo, lio assassina-
lo e a prosliluiju. Idc a urna missa de madrugada,
e sentiris logo da purla um felido nauseabundo,
que infecciona lodo o espajo do interior do limpio ;
HO os immandui limes das devolas, que eil3o em |
lerinentacau, e que coutarainam quantu veslidiuho I
perfumado ha das aevolinhas.
Porque razao as bandeiras e galhaideles do le-
legrapho nao s3o feilos de modo que esle lenham a
niela.te da largura, e o dobro do compipme.'.tmento
la |nella, .' e porque ao fazerem-se os signaet ficam
as bandeiras e gaihardeles 13o (listantes entre si '.'
Sendo ai bandeiras, e gaihardeles das dimeuaes,
que ora lem, nao ie distinguen) seno dos lugares
prximos, e licando distante entre ti, acontece que
de quasi Indos os pontos da cidade n3o sio vistos se-
oao os que ficam inferiores.
Porque raralo se ha da massar-nos com Ires dif-
ferenles annos linanceiros ; o geral. o provincial, e
u municipal, tendo cada um seu cornejo em das dif-
ferentes'! a crcajao do anuo linanceiro '.eve por fim
a cominodo as IraneacOei publicas, e particulares,
mas Ires dilfereules anuus fiuanceiros do em resul-
lado um grande Iranslorno as mesmas trantarjes.
l.in ceg e ora .leproso brigaram na ponle da
Boa V isla, o leproso lauca va em roslo ao ceg, que
elle havia raptado uina mulher casada, a o ceg res-
ponda que n.lu s furlou aquella.como loriarla a do
leproso. A esla discusso demasiado moral, porque
foi adobada de bellos nomes, assialiu grunde concur-
rencia, que idiiiir.iv.i cumo ie permitlia que laes
mendigos nao estivessem recolhidos aumasvlode
meudicidade. O leproso habita era cima do banco do
lado do uorle, a com um trapo immundo faz a sua
tema.
Dizem que na Faruldade de Direilo ha om mo-
jo que principia a loffrer le morphea : a ser real,
deve haver urna providen-ia a bem delle e dos seus
collegas, com os quaes esla' em contacto.
Aceitamos com especial adrado quaesquer a-
piiiilaui-.nl,i. ou noticias que nos mandar o pre-li-
moao amigo, que ss asigna por um dos nnsjos lei
lores.
Nao podemos convir demaneira i.li; iiiia.em que
anda um rancho de rapazes disiolutos pela freguezia
de San Jos a oflender quanla mulher ha .eprohibi-
d. por aquellas ras, pruvocando conflictos quasi
sempre desaagradaveis, e dando as familias honestas
um exemplu lerrivel de desprezo aus preceilos da
mural.
l'em-se-nos censurado de muilo indulgenles
ara com cprlas personageni, que como de proposi-
to pratieain na maiur pulilici1a digno) de severa reprendi : se tem-ie dado isso, n.lu
sabemos, quem nabal oa quem vir ,,., seja indol-
cenle, reapantabilMw-OB, que seremus solcitos em
fazer-lhes a vontade.
O vapor sardo Vctor Emanuel, vindo do
Rio de Jau-iro, Irooxe a seu bordo para esla provin-
cia o segaintes passageiros :
Aolonio Francisco Reenes, l.niz Gomes Ferreira,
esua consorte, Jos Franeuco Diana, .los Baplisla
Gonjalves Bastos, Carlos Bernier.
Segoio para Genova e portos intermedios, le-
vando desta provincia os seguinles passageiros i
l-rancisco Ferreira de Novaes, sua se ihora e 2 fi-
Ihos menures. Manuel Cavalcante de Albuquerque,
colear a u.m sugeilo de cor, livre por nome Viclor
Francisco.; >3o cunleule com isto mandou deslelhar
a caa em que innrava o mesmo individuo, e teu pai
de mime rjnberino, por eslar devendo o aluguel da
casa, de q.ie he o Sr. proprielario. Dingiodoi
se depuis o dilo Siberino casa do Sr. para
indagar a etiaaa daa pancadas dadas ajm seu tiln-,
fura eccema ellidu por urna horda de vndalos e es-
pancadu lirut atinente, licando quasi muri. Acha-se
recolhido ao h> ispital da caridade, e consla-uos que
alada era cima nrocesiedo. O Sr. subdelegado do
Pilar dirigio-se ao lunar em que islo se nava, e ahi
eiicomniii pes-o. is que ceneuravam tanta indifferen-
Sa da parle da au'lonlade a Vala de temelhanle fac-
ln. lia puiiro se neia um caso quasi igual naquelle
lugar, e esle jorn.il dando milicia, o mesmo Sr. tub-
delegado n.'ui ., n)overa do firme projjotitci em que
osla' da ser sempi'e um empregado policial muilo
zelu-.o.
>a II,la, por cirial de Sergipc, labiam-te as se-
cundes nuliciat: .
A aitcrablca provincial encerrou-se no dia 1 do
crranla. Una eonapanhia de industria naval acaba
de ser inaugurada teu fim he a pesca no alio mar;
a julgar ptlaa pearoai que se acham a frente de ie-
uiellianle sempreza, ella -Irara' benelfcir reaes
lanlu a pruvinria, corno aos associados. No dia 13 do
pa.sado seguio para a Babia, alim de ir lomar aa-
senlu id cmara dus depulados, de que lie membro
o Exm. presidenle ; em despedida, um baile, no
salo de palacio, Ihe fui oflerecido pelo novo Serc
pense. r "
Chegaram, procedentes deste [orto :
Ao ni Rio, a 26 do pastado, a barca americana
nMondiiiaiii, com 8 dias de viagem ; a 27, a barca
nacional Amelia,, com U dias, e a barca america-
na ccHaimboHii, rom II diat ; a 29, a barca ameri-
cana nVirginia e Esleliuau, com 12 ; a 1 du corren-
le, o patacho naeinnal ullenriqnea, com 14, e o
briaue ingle* uBrunkingn, com 12; a a 20 o l'nuue
nacional .l.e.inr, mm 2 diat.
A da Babia, a 30 du passado, o lirigue hollandez
iclioverneur Selmmeurs, com4 dias, e |a c.irupeu.
l.ivracao, Com i ; a i, a barca americana aAcme
com i. e a 7, o briuiie barca de guerra nacional .,1-
lamaraca com 3 diaa e 12 horat.
Os navius sahidos do Kio com deslino a esle por-
to, acham se ja' enlre mu, por isto deixamos da os
mencionar.
O vaior (Toeaaliaaa devia partir no dia 10. a'i
10 horas da manilla.
-piti'cacao apci>U)>.
hno dei Aguiar, Emilia VVillutck, Jos Antonio Vas-
ques, Antonio Sergio da Cruz Muoiz, Manoel de
Sonta Marn, Manoel Gonjilves de Oliveira, sua
enhora e 1 menino, Anlonio Gomes Machado, Jos
Antonio de Mallos.
Vapor brasileiro a Persinunga, vindo de
Macei, Irooxe a seu bordo para esla provincia es se-
gundes passageiros :
Joao Santa Pinheiro, JnJ5 Vieira de Araujo Pei-
xolo el escravo, Thomaz Tenoiio de Alboquerqoe
V illa Nova, Parciario Solano da Fomeca, Cosme Jos
da Cosa, Manoel Jos .-.oares, D.Carlota de Holanda
Cavalcanli, 1 filho e I criada, Joto Francisco Ferrei-
ra, Joao do Reg Pacheco, Augusto II. Milel, Jos
Jaccime de Araujo, Benriqoea Laii de Barros VVan-
deriey, |>r. Augusto l.amenha Lina, sua senhor, e 1
hlha, Jos Duarle-de Olivera Reg, Joaquim Cor-
deiro, Joaquim Thendoro Currea da Silva, Felis-
bino de Carvalho Itapo.o, Jo3o Cavalcinli de Albu-
querque Mello, Anna Marcelina de Arsgao e um fi-
lho menor, 1 criado do Dr. l.amenha Lim.
Ale amanha.
'Siativ fe* &ttmmlnu0.
A asierabli provincial apreciou honlem em 1er-
clira discusso o projeclo n. 36, que approva o con-
trato feilo com David William Bowm-n, para a fei-
tura de urna via frrea, desla cidade de Olioda.
l'ralando em lerceira discusso o projeclo n. II,
qne augmenta o vencimentos de algn* funreinoa-
rios nrovinciaes com lodas ai emendas a elle nil cre-
cida., oraram os Srs. Manoel Cavalcanli e Francis-
co Juan, sendo por lim appruvado cora algomas
emendas, licando ainda dependentes da segunda
disrossau.
Pastando a segunla discusso do arl. 15 do orca-
menlo provincial, oraram os Sn. Sau/.a Carvalho* e
Meira lleuriques. endo o arligo approvado com
urna emenda do Sr. Carvalho ; approvou o arl. ili,
e entran lo em discusso o arl. 13, qui linha licado
do adiado em ama das sesailet anteriores, oroo o
Sr. N. Pnrlella, e tornou a ficar adiado.
A ordem do dia he a mesma, e mais a segunda
discusso do projeclo n. 37, e segunda das emendas
do n. 11.
O vapor sardo -Vctor Emmanuel, entrado hon-
lem dos porlos do sul, Irouxe-nos jornaes que al-
cai,c-ini, os do Rio a 5 e da Babia a 11 do corrale.
No da 3 do correla S. M. o Imperador ebrio a
primeira sessao da prsenle legitiatura, pronuncian-
do a falla do costueue, que em outra parle encon-
trado o leilores
O mini-i-ri pedio no dia 30 do paitado a toa de-
missao, que foi acceila pur| S. M. o Imperador,
encarregando au disliocto pernambuc-nioo Sr. mar-
quez de Olinda a orgauisac.lo do novo muiialerio.
que ficou ,- mpui pela forma porque em oulro la-
gar te ver.
Foram agraciados com o ollicialalo oa Rosa os Sri
majore Piragibc e Jos Ba/.ileu Neves Gonzaga.
OSr.Dr. Anlooio de Cerqueira Pinto, lente substi-
tuto da sece;3u, acces da Babia, fui por decreto de7 do corrente, Humeado
lente calhedralico da cadeira de Chimici e Minera-
loga da mesma Faculdade, ua vaga dcixada pelo
Dr. Eduardo l'ranja.
Tendo o vapor hamburgnez .Tculonian, qoe da-
qui cundo/io s. Exc. o Si. conselheiro Sergio Tei-*
xeya de Macedo, demorado-ie i dias na Bab.a,
anida nao havia chegado ao Rio, ao sahir do pre-
)enle.
Dasdemais provincias ao Sal do Rio de Janeiro n'ida
ha mais digoo de menea.i, do que dera-a em um dos
nussos nmeros passados.
I.e-se no Diarioa e Jornal da r,ahiti :
O incendio que houve anle-ho'l'.''r>i a ooile, e
de que ja' demos noticia na folha da iioolem, fo! a
bordo do bngue sardo Lagos. Primeiramenle mi-
nifeslnu-se uina grande labareda, qns dentro em
punco desappareceu : e depuis em sen logar vio-se
como um grande objeclo reduzdo a brasas, mas
t.,rabera por pouco lempo, manos de ama hora o
incendio linha sido ua cozinha do migue da qual
ficou queimada grande parle da caixa qoe aceondi-
conava o og3o : apezar de aleado pela ventana
dessa noile. a chuva concurreu muilo para exlio-
gul-lo.
Espancamenlo.Pede-not um dos nossos assig-
uaiiles qae consignemos o segninle fado :
Po domingo, Boda da Fortuna, o Sr.
mandou por seus etcnvoi e pewoai de sua casa cbi
MUTILADO
lllm. e Exm. Sr.Tenho a honra de submetler a
considerajao de V. Exc. o preeemt relalono, acom-
pauhado du mappa dos .lenle por mim trata,los oa
villa de Papan, e seu termo, bem eomo na cidade de
S. Jos, villa Flor, detde 23 de dezembro lindo
ale 31 de marjo do corrale anno, no qeal v3o
mencionados os nomes, idade, profitsiei e moradas
de.ca la individuo.
V-se por esle mappa qoe tobre 129 casos, te co-
raran) 11.) e ni orre rain 11, cifra qae parecera lora-
la se cu deixasse de declerar que oa casal observado.
foram mais de dierrhea cholenca do que de cholera,
que he preciso distnxnir, porque ai proporjOaa da
raortalidade, n.ln silo as mesmas.
Por essa razao, o prsame mippa contem urna
morlalidade diminuta, que (eria tido avultada le o>
casos observados fossem em maior numero de cho-
lera ; em que o perigo he maior. '
Os -.nipluma, geraes de.tes casos eram de duas
formas, dillerentes, urna dediarrheicae a oulra
cholenca.
Na primeira forma os individuo! atacados a pre-
sentaran. : vmitos e dierrhea bilioiot, oa de um
I quiln pardo ; phvtionomia Irisle, poleo abatido ;
lede augmentada, ardor de estomago, borbooygraos
e ligeiras caimbras.
Na segunda m.inifestavam-se : vmitos e dejecees
alvinas brancas, como agua ou pardas, e oolrat ve-
zes albuminosas pulto, impereeptivel. ealsr iule-
ruo excessivo, em reanlo, que pella, aa conser-
vava fra e viscosa ; suppressao d'urioas ; caimbrai
dat extremidades voz sepulcral c pbyiionomia cada-
vrica.
Tambem diversas eram as caum predisponente- ;
a marcha, e lerminajao das duas formal deste qua-
dro symptomalico.
-N'uma forma eram atacadas pusoai com priva-
Joes de reiguardo ; individuos mal alimenta los ; ha-
bilanleade lugares hmidos e biixos e accumuladot
em choupanas; e n'ualra aqacllet qae perlenciam,
ou mora.un em casas em que acabavam de falecer
cholencos, e eslas tinhara uina marcha mais rpida,
e lerminicS mait fatal do que aquelles.
Com a lorma de cholenca coraejou asa affecjao a
apparecer a 19 de novembro findo. no lagar deno-
minado Tororomba, atacando fotlemenle, a logo
matando as pesioas de Auna Neves e Isabel de lal.
nfima de profissSo, que acabavam de dar agazallio
em suas casal, para passarem a uoile, a oulras duas
pessuas por nomes Albino Fernandes Rodrigues e
Idahno de lal, recem-chegados da Bocea da Malla,
aonde o cholera eslava fazendo grandes estragos, e
esla circumstancia me laz crer que esta afferjao nao
he irregular na sua iuvao, pois apenas accommel-
le ) esse lucar, immedialaineulo se moslrou epid-
mica, e para maior provadQ que avauco, epoolarei
o propnoa caso ah ap|r..reciilos, qoe liveram lugar
iinsmrvlduus i|ue acaliavam de abrir sepulturas de
cholericns da primeira e, idemia, que, segundo exac-
ta inrormacr.es, haviam sido inhumadas coolra oa
prcceilos recommendadm pela sciencia, para de re-
penle se espaldar esse flagello pur luda a populajao
daqoel e e de oulrot lugares contiguos, comoCepel-
a e I icada, do mesmo modo que aquelle oulro
lugar deile termo Tororomba u recebeu, e por
urna marcha regular pode transmilli-lo por estra-
das e caminhos v cinaes de maior Irantilo e eom-
monicajues at o Porto, Floresta, Papari, S. Jote a
por ultimo a l'iraugi. E assim como estes, ha ou-
lros casos acontecidos na Babia daTraijao (provincia
da Paraluba) pdr nceasio em qae um escravo af-
hncava urna estaca sobre a sepultura de ora cholenco
da primeira epidemia, que ahi grassara, para no
mesmo instante vir a ser accommetlido do mesmo
mal, e pouco depon succumbir, e o flagello come-
Calja irradiar-se por toda a populajao.
l-.-les evcinpios antorisados pela sciencia para pro-
var a uifecjao epidmica desla dnenja a da febre
amarella, bem como da varila e pesie, fazem-me
lembrar os exemplos aponlidos por Joteph Krank,
no seu excelleule tratado da polica Medica ; Bec-
qoerel, compendio de hvgiene ; e Oxanan, na sua
lao recomraendada obra sobre doencat conta-
giosas. *
Estes fados, poii, bem averiguados, iao de gran-
52 E"" a que"ao da incommunicicao, como
medida hvgienica.
Declarou-se a doenja nesla villa e nos mait la-
gares, grande parle da popuiacio delles eslevedoeo-
le, c aquelles que nao eram atacados, apreienta-
ram incommodos mais ou menos intensos do appa-
relho digestivo e dos systemas circulalorio e nervoto
aes comodores lentas nos membros, peso de ci-
beca. alordoamenlo.tienlimenio deopprewSo, anao-
pelencia, amargos de bocea, borborvgraos, clica,
anc.edade, insomuia e resfriamenlo das exlremidi-
des ; e calas indisposijSes cahiudo sobre um enn-
de nurnero ele ind.vidooi, nao deixaram divida
acerca da infecjao epidmica ; naquelle, que ja
lT.'.n "'[?* "-roicas, ella fez d.lerainar
estadoi palholognos, qae obrarara como causas pra-
diipnnenle. asas fortes para os entregar aos guipes
da d,-enea remanle. b>f
u Ea general, diz o Sr. Grisalla, no ieu iralado
fe. cPhIl C'a """"^ """0 '" P- 713' iCaO,
le rho era n'a pas iavahie brusquernem on pavs
mais ,l ya ele le plus louveol precede de diver ela
morbides regnanl epidequemenl, tel. qae fievres io-
ermillenles, dysenlcries, diarrhes, embarras gas-
iriques todavia convem dizerque oulros nat mes-
mas condicues foram preserva le-.
,."**""**"-** I, "*" *""' noa lagares prximos
dos pantanos e praias, sem davida pur terem esses
os memores artenaet para o seu desenvolvimenlo
em contequencia das emauajcles peslileociaes qu
d.manara das plantas a do Indo qoe cobren) enes
pantanos a estat margen, viziolii das povoacoes nos
lempo da calor e nal veanles das mares, estando
all molera! orgnicas accomuladas em decomposi-
jao, que v3o viciar a almotphera, a por esse fado
nntei que o deseavolvimento primordial da epide-
mia e a toa maior intensidade ae manifetlaram no
logar delororombae nat praiat da liba ePiran-
-i por eilarem debaixo da influencia deslas emana-
jnes pelai prnximidade de Uei fucos de iufecjao.
E aqu cabe-me dizer que o goveruo enearregado
de promover a fellcidade dos campono/et por meio
da agncollora, e dai imtiluijos bem liceale, a das
asiociajoei de caridade, nSo ot deveria Kliar ex-
poslot as metmai rondijii que as aotigaa tribu
tem catas e sera nutro alinalo, que aquello qne da
o fruclo, e aa raizet que a trra espontneamente
lornece onoincerloda cajaeoalros de peixe como
vivem)irracionaei ichtyophagol. Compriria com
esta condoda um dover que a humanidade acnte-
lo e a teguranja ordena. Oconeueso de lodoi os
me.us propriui a melhorar a condicSo das clatse
pobres, e mormenle da dos camponeze, de qae lan-
o dependemos, he ..aosomenle nm beneficio, como
ambem urna neceisidade da primeira ordem. l\o -
."-^,!""1"351" i0,pr"" da homanida-
fado ,nlereWB ae lou<" h o do et-
en!.Cai"'1ra mu,nic'P' lindando o governo com os
a imentei'' ,pa' {a<" c""> venda de genero,
al mentidos. Iimpezas de ruas.desecamenlo de a-uai
eslagnadas, installajao de cemilerios ele, ele. ; eo-
oo em todo dirigida pelas iuzes de um faculialivo,
que ella deveria ler conlralado, leria cooperado pa-
ra, as o/iadras de epidemias, o3o haverem lanas
victimas, pois que be oa presenja detias infecjcl
como ja por urna vez disse) e mormenle quando ba
causa que ai entreleem que eslricla execujio de
lodos o preceilos hvgiericos se loroa de urna neees-
sidade peremplnria.
Com eslas providencias o cholera n3o leria cansa-
do tragos 13o horroroso!, durante a sua infausta
invatao, que tegundo colligimos das fonle mais pu-
ras dos lugares, laes como dos clculos do presiden-
te da cmara municipal de Papari, o lllm. Sr. l.uiz
Bezerra da'Mudado e do subdelegada de Villa
Floro lllm. Sr. Francisco Xavier da Vaaconcellu),
inurreraiii nesle lermo de Papari, e no de Goianni-
nha, cidade de S. Jus e Villa Flor cerca de 121 pei-
oat, tendo dos lugares de Tororomba, llha e Porto
cerca de melado.
Deste calculo aprosimalivo, aproas 3f pessoai
foram viclimai durante a minbu eummi.sao, sendo
.> da cidade de S. Joro, 1 do engenho Pavilhan 1
los Curraei, (i de 1,11, r.-ntes pomos de Villa Flor
(i do rio lae, pert encent a lioianninha, 1 de Tal
roromb, 1 de Cabaru 1 de Imana ; dos quaes 2




IRI10-
racioual,
rea enunciarlo desU* pim,,
la. aatdivarua ratiuei di Xhfo",,.u ."?"*
apparecido : a meu ver U? fi0b,, ""8 e"U lem
iem nrim-iri in '. enl es,a aflecso por ori-
id/Z 12 U,"C" Pidemira.qu. ha eoosli-
anu.-emrt.r i P"'"-'pio, lem ao menos a
SSgl* .* aiduptf* Man?, r ''eU,i",eas a "" lujare, e aos seu. l,i-
*,rT0' praphylalleoa para avilar os
* RaX J'ii80 "nPr",c!.'el> co,no "lui * ui,anr a y.a '" *" bor'"s fa,ale' P0* '
ui, anee d. I art ,1a .Mnr.qu'il na ser amis don-
i,n ,"C,e'le,h,""me de '""*" 'I va I.
hZf?'' "" con,re '" 1"e"" tlMron" lou-
an .o V*" '", ar"", lnieos " I"',*"'' ^"'"nipla, que ..ulla .cianea l.umaine n.
pourra jaman faire que 1'impoMible easse de Paire.
tv.|Pr0e"U,"C0 ,e"i' *< "-I" me fui dasravo-
Do.h.^UCC:r0^ I"' "mmellia os individuos
^, '!"M hynieniaa. reblara., aos quaes
o. ine.os Iher.paulicos aram con.eni.nlemanle ap-
cirrt^,' "lr """ n5u Plia cnconirar en
mlTul^. *"'.""' ehul". '""ara ..brevind a
,,!.l- T ?" dia' enipanl.ada de eanaaeo c
,i;^0,defo,sa, porque eniao adoeoca ach.n-
mZV* '."'" do foras- 1,una """ marcha acral-
,,' rP'da e violenta ; ae veas o periodo aleido
iifgav 1^0 brava, que uem bavia lampo de rteo-
necei o de invaso ; finalmenle a sua durac/io por
. Z ae re" ra de 2 hora, a I dia. e podia-se di-
, I0?'*3" rarissimat excapjoes matava no perio-
"o ai-ido a loiloa que inveslia.
He lao digno de notar--.-, como impossival de ex-
Piieacav, ao mano, que nao seja hvpotheticamanle,
iereir.-fe dado deles casos era ludo, os qualro chule-
Ii!*u,,a? I,ve de '"O""" m as primeiras horas da
Mofea chegada.ao Cruzeiro (VilU Klorlniorreiido-me
louos. por assim dizer, a. masm?s horas, appareeen-
" a,q" qoasi nos mrsmoi momentos, a, para
maior coincidencia, cm menoraa de 8 a 12 anuos,
n.io se dando depoi, o desenvolvimanlo de mais ca.o
'"""} '"'"' con,u s o cholera dpnasse ver por asta
marcha, que bavia desdhrregado os eut morlae. fiol-
Ps sobra es.as qoalro vMima. para ahi nao tornar
o. sus eslrauot eia^brados.
. Na .ua marcha o periodo de reaccao foi o que me
merecea mais atlencJj. por ero que mais e.peran-
ca inspira an medico de salvar o .eu doenle : toda-
va, elieado a esse poni o pralico anda n.lo lera
ludo can.e(iuido, urna voa que deiie de vigiar a mar-
cha Tranca, ou deb, da reacio, para evitar as me-
asas>< qoe podanlaobretir, e qoe ioevilaveimenle
larta de levar o doenlo a sepultura.
rniA "nal'cen racommendei sempre todo o
cn.. m ob5er;i,!"> Prapc8e. diettica.,
" i,i.J,7 ? r d"v, ,MIia PPareeimento de
ce denles lernveis, contra os quaes he s.mpredif-
Vn.'J! "" ,ez" lmP0S*'vl do lutar com van-
Parto Ihorapeulica.
i ."'id".*",r8r ne,,a v" quasiao para comple-
lar a historia da meo. Irabalhos. Jeverei, como e-
meo em unma da humanidade, agradecer a V. Eje
a eolicitade com que provideociou as medidas por
mim .emhraJds, e diier alguina cousa ..carca das
pessoas que mais serviros presiaram durante a epi-
lemia as rruaes nesla villa, onde o cholera mais is-
iragoi fez, nao denm o triste eiemplo de se amen-
taren) e nem de afrooxarem no desempeoho de
seo. devares.
DIARIO DE PERNAMBCO SABBADO 16 DE MAIO DE 1857.
da pura d agua fra on ligeiramanle rom-alisada,lan-
a quanta appelecesse ao doenle, e a.sudara o opio
para sospander as eecraces, e amia substancias es-
linulanlas, alim de favorecer a circularlo ja forle-
menle coarclada, e nuuca desprezava de estimular a
pellecom as fricjcies ezcilanle. e intimo por meio
do caustico.
No periodo de reanc.lo liraitava-me a pre.crever be-
bidas temperante, e se ara incompleta com alterna-
tivas de fro e calor, procurava reanimar a ajiarch.
com os tnicos e encilanles, e se complicada.cotoba
lia pelos meios aprnpriados.
Com o que levo dita, lenho fielmente exposio a
Flix Francisca de Souza Magalhaes.
relisberln Jeronymo Coelho.
Fonseea o. Mcdeiros.
Francisco de Souza Panizo,
F.metcrio Josi' Velloso da Silvcira.
Loiz da Costa Portocarrein.
Martim GonQtlves Cuerra Jnior.
Pedro Cavalcanli de Albuquerquo.
Tasso Irm.liis
Vicente Pereira do liego.
_ O Sr. Manoel Caldas Brrelo queira di-
\ hxc. a maueira, pela qual cumpri os dveras i- I r'G'r-se a administraciio do correio receber
nlieranles a ardua commissao, de que V. Eic. dig-
nou-.e encarragar-me. He a segunda vez, que o
amor da prolisssao, que nao mesqumho jnlarasse.ar-
roja-me aos campos norluarios.oii.1a o cholera faz a
soa lgubre eeifa, desle vea, se nao abundavam em
mim as vanlagens d'alla Ihcoria, era a .ua falla sup-
prida pelo Tundo de experiencias colliim en lare-
fa idntica na provincia da Penianibuco, experien-
cias que mullo me aproveilaram para debelUr eisa
parlgosa alTic^ao.
E possn assegurar a V. Etc. que, se o avilo por
mim oblid nos meios llierapeulicos aropregados nao
conslitne um Iriumpho glorioso para a siciencis.nlo
oi todava inleiraiueula a aslaril para o. infelizes a
quem os appliquei, sendo que a bem dalles nunca
me faliou o zelo prores.ional, e caridad ohriaUa,
com que me dedico ao Iralainento dos enfermos con-
hados nos meus cuidados.
Supponho assim havar cumprido as or.lens de V.
fcc.,a quero Iribolo o. meus respeilos.
Paos guarde a V. Efe. por longos annos. Natal .11
de marco de I8,7,-Il|m. e E,m. Sr. Anlonio llar
uardo doPasso. presid.r.le do Hio-Gr.nle do Noria.
ur. JoseJoaquinideSduza, medico em commis-
sao ne.la provincia.
&wmtufc
PIUCA DO RECIFEI5 UE MAIO AS
.1 HORAS DA TARDE.
Cotares ofliciaes.
Cambio sobre Londres7 :i|t, (i<)d|v.
esconlo de latirs10 i\l | ao ano.
Fredarico Kobilliard, presidcnle.
P. Ilorges, secretario.
Flix Antonio Ferreira de Al-
E.iao nesle numero o Illm. Sr. Jos Rolo llezer-
ra da Inodade, subaelegado da Papari.que vi desen-
volver aclividada no exarcicio de soa. funceas po-
''V' '''0 "'"' in,ell'l!ncia e caridade na
iistribuicao -as .ocorros de beneficencia que esla-
vam a seo cargo.
O Illm. Sr. Lab Augusto Bezarra da Trindade,
pciual pies.dente da cmara municipal de Papari
m quem encoadrei sempre declarado apoio as me-
dida, de salubnd.de public, qoe live de reclamar :
nem.wmo de onlros ervicos, igualmanle tendenles
io Dom desempeuho da minha commissao, e dos
qoaes nunca podere equecer-me ;
n.g 1,"m!; ?" E'lnnla-o Honorio de Oliveira e
Sabasliao Polycarpo de Oliveira, o. quaes lambem
leve aqu mencionar pelos obsequio, que me pre
laram, dndome agazslho na Villa Flor, e ahi mi-
nistrando me o que me era uecessario, pois que sem
MI roadjovaco eu n.1o pedera ter ido adame com
as in.lruccfles do goveruo, visto haver-me mandado
para oni lugar em que os recocaos de prmeira ne-
cessidade .ao escassos. Este acolliimenlo, que muilo
penhorou minha gralidao, lornando-se em vanla-
.l^Jr .nma'"dad. Prque a minha missao era
aoceorre-W, foi (ambara um valioso servico que o.
.enhore. Estanislao e SebasliSo a ella presiaram.
..hL,.a ,:.ra"CI'"0 X"'er de Vascoucellos,
subdelegado de Villa Flor, cijo norae devo mencio-
nar em coosrquencia da medidas que empregou pa-
ra o irranjo oe cavallos para a minha montara e
condiicc.au da ambulancia.
O Illm, Sr.'Dr.
buqoerque, pelo, servicos que presloa ai
no l.rozeiro, dando-lhes remedios, e finalmente
occorrendo-os com baelas e alguna alimentos en-
viados pelo governo, para serem dislribudos
pobres.
O Illm. Sr. lanenle-coronel Trajauo Leocadio de
Madeiros Murta, propriet-ho do engerido Pavilhao
em Papan, que particularmente devo aqui mencio-
nar_pela Ihaneza e caridade evanglica com que sou-
fte tranquear a soa cala para soccorrer os miseran-
dos cholencos, ja cora medicamentos qoe pille is-
por da urna pequea bolica qoe havia mandado vir
le rernamboco para uso da sua familia, e fabrica
do engenho, a ja' finalmente com alimciilo e
ma roopa.
Neata penosa larefa .<> leve per movel o amor sa-
grado do dever e em recompensa a satisfarn de ler
desampanhado urna misso toda de desiieresse
hamanidade.
Eoulroa mais como os lllms. Sri. professor pq-
bllcc Maneal Laoranlno Freir de Alustao. e pro-
prieUno Alex.ndre Francisco ) Oliveira, Thomaz
Jos de Moora, Manoel Franciico de Oliveira Bar-
ro., Kstavao Jos de Carvalho, lodos de Papan, e
Antonio Al ve. Muniz, inspector de Pirang, o. qoac.
por ralla de facultativo, me eon.la lerem sido da.
pnmaira. peMoas que mais se presiaram em .occor-
rer o infelizes doeutes com algn, remedio, de que
poderamdtopor, .obre ludo, sendo(credores Je mais
particular mencSo, o primeiro e o ullimo.
E alem desles devo cornmemorar outro, qoe por
um modo ofliciaj, eslavam obrigados a lutar com a
epidemia, pois qoe para sao se acharam aourrega-
doj, eramelle os lllms Sr. lenle Sonann de
Souza, acadmico quarlo-aonisla de medicina e o ex-
profeasor Antonio Flix de Canlalice, que, na au-
sencia de idneos facultativos, me conat. Iiaverem
muilo feio, qnanfo permitliam as sua. forca, em
beneficio dos desgracadoscholerico. de Plrangi, sen-
do que aquelle me acompanhou no desempeoho da
mu ia commissao quasi de principio al o fim. Divi-
dir) a Itierapeutica cm duas parles. Em meio. pro-
phyulicos ou preservativo, e curativo.
Oa preservativos to mu los, e fazendo a maior
parle dalle, objeclo da hygine publica, que deve
vivamente preocupar a aoloridade, mormenle no
lempo dae epidemias, s fallare de um dalles, da
desinfeccio pelo chloropliormio era consequencia de
ler sido o qoe mais appliquei, e porque geralmenlc
ne o mais adoptado.
Jolgo qoe deste meio podaremos lanzar mao, io-
roeirie nos casos, em que a epidemia oceupar um lu-
gar limitado, ou eniao na sua declinarao, vi.lo qoe
os principios miasmtico, conlidos n'e'saa circuns-
cripta atmosphera poderao d'algom modo, vir
ea- destru.los pelo cliloro em razao da sua alliiiida-
de para o h.vdrogeneo, bera como atacados por no
aprcseaUrem mais o raesrao ario de resistencia as
vicissilodei atmoapbaricas, como aa manifesta na
nlenfidade da sua nva cornhioacSo coro as experiencia ja'por mim tema-
das em algou. logara, em qoe leoho usado dessa dei-
nfecrAo, bem como ltimamente aqui.
Em caso contrario, quando o cholera alace com
impelo, no desenvolvimehto de lodo o no oror, e
oceupa aaato espaco, ignoro a. vanlagens qoe aa de-
vara tirar deaae recom, alim de neutralisar os prin-
s'ipiosmiasmalicoicoDlido. no ar tprincipioa estes al
hoja inaceesiivrlsa. iadagacdaa ala clnraiea. a Nesle
caw.diz o Sk> Rocha, eu ignoro at qua ponto, por
uro lado, as grandes foguairaa na. ras da cidade,
e as delonces da rombosUo da plvora, e por nu-
tro asfamigacoes desinfeclaDlea ao redor e no cenlro
das habilsqoas, a. perfuraacOes, a inholarao do lomo
do lbaro eu d'ouiia qualqaer (ubstanci'a, eu igno-
ro ale que poni 0 emprego destes meio. ehegariim
ao bm. ii
Sao muilo. os meioa preconiados na malerla me-
dica, para debellar esta .loenca. e como [de ne
nhum riel.es temos al ao prsenle tirado grandes
vanlagens, o que mostta que a therapeiilica uada lem
de alisnloio e invariavet, julguei que mais proveito
tirara combatendo a doeiigo pelos seus rvmplomas
predomname.
Assim, manifeitando-se prdromos, eu aconselha-
va niii.es de camomilla, pediluvios, queme e si-
napismo., frirri.es d'alehol eamphoradu pelas enre-
imda les, aftm de promjver a diaphoreaa : e o pur-
gantes salinos, se havia constiparlo de veolra.e se a
esses symplomas sejunlava ora embarazo gstrico
bem desenvolvido, a ipccacuaoha mereca-me prefe-
rencia como vomitivo. *
No caso dediarrbea bem 'desenvolvida,co da va tai
I rinnpio I enea de Untura de canuellacora 20 gola.de
ludano para 3onraa d'aga.i .ssucarada para beber
as colherinha. nos iutervallos de um qaarlo de hora,
e axteriormente nunca desprezava os revulsivo.lano
ua. exlrerr.idades.como mesmo aobre a colomoa ver-
lelral, e ae ella persista, ea-cor passava atar a.ver-
diuheda oa amarellada, eu recorra aoa porgeate. sa-
lios, e depois a ipacacuanha, com as quaes medica-
coas Iriumphci muilas veze., raorraeute se nesie es-
tado a liugua eslava saburrosa, e havia lendencia a
vomito.
O caustico na regio epigstrica fui por veze. ten-
lado rom militad as dores, e oppressao dessa re-
sido, bem como internamente o eiher solphunco nos
vom.lus resistentes das pessoas de temperamento
nervoso, cuja salolar acrao era evidenlisaima na de
exp leminino.
Na periodo lgido em'qne as secrrcSes anormaas
do lulra digestivo eram excesivas, e a' sede ialeusis-
ima cu procarava remediar esse estado com a bebi-
, CAMBIOS.
Sobre Londres, 27 :i\i\n to d. e 27 7|8 a 90 d.
e Paris, 3S0 r.. por fr.
Lisboa, 9."> por % de premio.
Rio de Janeiro, 2 por 'Oin de descont.
Accao do banco 50 por cenlo de dividendo por con
la do vendedor.
c companha de Beberibe HO9OOO por acra
companhia Pernambucana ao par.
a c Ulilidade Publica, .10 por cenlo de premio
a a Indemnisadora. 52 iden.
iv* !!* .'ll,ada de ferro ~'M Pr I0 premio
Disconlo de letlras, de8 a 10.
Areoes do Banco, 40 a 4 de premio
Ouro.Onas hespanhulas. .
Moeda. de 63OO velhas .
6*100 nuvas .
a 48000. .
Prata.Palacoe brasileiros. .
Pesos columnarieis. ,
a mexicanos. .
289 288.")00
. 168000
. 163OOO
. 98000
. 28000
. 28000
18860
_ ALI -'NDELA.
lien.lmenlo .lo da I a 11.
dem do dia lo. .
253:814/246
IK: 1788824
271:99.18070
Descarregam hoja 16 de maio.
Barca inglezaFloating Cloudmercadorias.
arca IraucezaVenezuelaidem.
IMPORTACAO.
1 olaca bespanhola a Amelia, vinda de Barce-
"" Malsa..cDg"ada a Arauaga & Bryau, ma-
niiesiou o seguiulc :
m pipa-, 34 rociase 10 barris vinlio. ; ao capi-
liio Pedro Bertrn. '
Br.gue escuna haspanhnl .. Paco, vindo da ilha
an Laan,, consignado a Arauaga & Brvan, ma-
inredou o saguiole :
700 barricas familia de Irigo, 60 barr vinho, 37
cesto asnos, 9 saceos rominlios, II arrobas de quei-
jos, 4,.)(.i podras para ladnlhos; aos consignala-
CONSULADO LERAL.
Rendimentn do da I a 14. .
dem do dja 1 j......]
52:2168117
1:1208862
.">::636?979
DIVERSAS PROVINCIAS.
Hendimento dodia I a II. .
dem do dia 1 j. .
DESPACHO
L DO CONS
I 15 DE Mi
1:73187(11
9/624
.:I9IjSI88
,5.DE EXPORTACAO PELA MESA
ONsLLADO DESTA CIDADE NO DIA
E MAIO DE 1857.
LiaboaBrigue porluguez Laia II, Manoel Jo-
so do Nascimento Silva, 80 volumes goioma.
Rio da Pr.laBarca nacional Rufina, Vuva A-
monm & F1II10, 1.V0 barrica, asaucar mascavado.
Km de JaneiroBrigue nacional -Damao, Fernan-
des & Mello, 73 saceos assocar branco.
Ido de Janeiro Brtgue nacional aSagnrioD, Fon-
a, Medairos & C. 126 saceos asaucar branco.
IlalliinoreBrigue americano Heleuu, Henr. Fos-
ler vv c., 2tX) sarcos assucar inacavad ..
I"*'.;Barca Iranceza (EmmaMalliilde, l.asserre
i\ lisset-rrores. 210 saccas algodo.
EXPORTACAO'.
Rio de Janeiro, barca americana oMinesotaa, de
.180 toneladas, condnziu o seguiole : 1,298 bar-
ricas farjnha de Irigo, 100 rana, latas de Iheieben-
lina, lo:t rolo de esleirs.
Philadelphia, patacho americano oCommerce, da
:u> toneladas, conduzio o segulnle : 2,500 sac-
eos com 12,500 arroba, de assucar, 6 cascos azeile de
RECBfcDORIA DE RENDAS INTERNAS (iE-
RAES DE PERNAMBCO.
Hendiraenlo do dia 1 a ti. .
dem do dia 15....."
9:2398496
1:1208233
10:3598729
CONSULADO PROVINCIAL.
Ren .lmenlo do da | ., I.
dem do dia 15.
31:9868406
1:5208205
33:506>ll
Mot>mimv o petto.
>avios entrados no da'15.
Rio de Janeiro e Babia9 das, vapor sardo Vctor
hn.m.inueb commandaule Pilaluga.
Alala100 das, barca ingleza t.W.sl lndian,), de
.L8 toneladas, capilao John Bissoo, eqoinagem
1j, carga pao brasil ; a Johnston Palar & Com-
panhia. Perlence a Liverpool. Vera refrescare
segu para Liverpool.
Navio sabidos no mesmo dia.
Acaracu' com escala pelo Cear. II,ale hrasileiro
Sobralensao, m.slre Francisco Jote'da Silva Ra-
li, carga fazendas e mais gneros. Passaceiros.
l-raucisco Jo Paiva, Antonio da Silva Fialho, Manoel do Na-
cirocnlo Pachaco, sua iriMi e 2 escravas com 2
cria., Jos Crios Pes.oa. LaiZ Ferreira da Costa,
.vi......el Ferreira dos Sanios.
Macera a porto, intermedio. Vapor l.rasileiro
tarsinonga, commandaule Joaquim Alves Mo-
r*?iri.
Buanos-Ayre, por Montevideo Barca br.sileir.
nrlor de Oliveira.., capilao Jos- de Oliveit
caiga assucar e agurdente.
BabiaMale l.rasileiro crCasIr
de Castro, carga varios
Francelino P. de Amonio.
de Oliveira,
on, mestre Francisco
gneros Passagciro,
Mctaft
O Ur. Anselmo Francisco Pcretti, common-
Jador da imperial ordem da Rosa, juiz de
dl'to especial do commercio porS. al. I.
Fa?o saber aos que o presente ediUI vi-
rem, que no dia 28 do correte mez. se ha
depots da audiencia deste juizo. na sala dos
DirPi^05'.? Casf terrM n- "' siu n
uiretta nos Afogados, avallada por 1:5009 rs
epor nao lerapparecido lanzador em ou-
ras pracas, vai prla quantia de 1:2008 rs
aoaiida a quinta parle na forma da lei,
aera adjudicada, caso nao baja quem lance,
aos exequenles Miguel Joaquim da Costa &
compa,, 1|a> por exeC(J?ao de m va
pwtg dita casa, contra Atilouio Annos Jaco-
mc Prese outrus.
E para que cheguu aoconhecimeato de to-
S&^uT!p,8ft"ediUes iuc serao Publi-
cados pela impnann, c alBxJidos nos luna-
res designados rvo cid. commercial.
Dado u passa do nesla cidade do Kecife, aos
6 de.maiode i857.
Eu1 Maxirnia.no Francisco Duarte, escrivSo
o ?uscrevi.
AiWelmo Francisco Pcretti.
urna carta vinda do sul.
No dia 13 do crranle, loi adiado por
um pesodor, em occasiSo que deitava a
rede, urna duzia de paz : qu.-T, se julgar com
direiio a ellas, comparec na subdelegaba
de S. Jos.
Subdelegada do s. j0s do Itecife 15 de
maio de 1857. O subdelegado, Eduardo
rredenco Banks.
DE
Beberibe.
Nao leudo comparecido numero ini-
cente de votos para liaver assemblea ge-
ral dos Sis. accionistas da Comiiauliia,
convocada pelos anuuncios |)iil>licadns
desde o dia !) do coiienle ate esta data,
alim de proceder-so a eieico da direccao,
edecretar-ce o 18- dividendo: o Sr. di-
rector novaments convcaos Sis. accio-
nistas, para terca-feira 19 do corren te,
prevenindo-os de ijue, de conlormidade
com o artigo additivo ao 1 li' dos estatutos,
delibeiar-sc-ha nesse dia, com o numero
de votos comparecentes. Etcriptoro da
Companhia de Beberibe, l"> de maio de
1857.O secretario, Lui/. da Costa Por-
loeaiTciro.
CONSEI.IIO AD.MINISTBAT1VO.
O consclbo adisiaistralivo, em eumpri-
mentodo art. 2>, do regulamento de 1* de
dezembro de 1852, faz publico que foram a-
ceitas as proposUsde Joao Chrvsostomo Fer-
reira dos Santos. Manoel Joaquim Pereir,
Rodrigues & Ribeiro, Custodio Manoel d
Magalhaes, Cuinerme da Silva GuimarSes,
Jos Francisco Eavra, Joao Fernandes Pren-
te Vianna, Jos da Cruz santos, Jos Noguci-
rade Souza, Antonio Ferreira da Costa Bra-
ga, Antonio do Souza Matos, e Manoel Anto-
nio Teixeira, para fo rucee re m.
O 1.- 120 covados de chita para cobertas a
220 reis.
O 2.- 15 assucarciros do lou^a a 720 rs ,
10 bacas a 600 rs.,15 mauteigueiras a 720 rs-
O 3.- 2 caivetes a 800 rs., 40 resmas de
papel cartucoinho a i-j rs., 1 barril de alca-
trao de 20 caadas por 183 rs.
0 4.- 10o pares de sapalos fcitos na pro-
vincia a 13800 rs.
05 Sopares de luvas brancas do algo-
do a 280 rs.
0 6.' 70pares de luvas brancas de algo-
uuo a 280 reis, 64 mantas de algodao a 1/100
res.
'7 k30 hacias (le "amo sortidas a I400
rs. a libra, 2 arrobas de cola da Bahia a 283,
iW arrobas de arcos de Trro de 2 1|2 poleea-
dM a 2.3i00rs., 10 ditas de ditos de I 1r2 a
23100 rs.
caS' arrba de capa-rosa por I56OO rs.,
6 ditas de salitre refinado a 3 rs.
0 9.- 1 vro oblongo, frmalo grande, com
300 folhas de papel pautado por 38? rs., 1
dito dito de 200 folhas ditas por 283 rs., 2 di-
tos ditos com 150 folhas a 23#rs., 1 dito dito
de 100 ditas por I83 rs., 1 dito dito de 30 di-
tas por 83 rs., 1 dito menor com 150 ditas
por 93 rs.
O 10." 2'couros de bezerro envernisados
de branco a 25/ rs.
O II.- 1 sinete pequeo sem armas, para
marcar papel, com o dstico hospital reg
mental de Pernambuco, por 103 rs.
0 12.- 4 niilhciros de lijlos dealvenan
grossa, postos na obra, a 24a rs.
E avisa aos 6 primeiros vendedores, qu
devero recolher os respectivos objectos, ao
arsenal de guena no dia 16 do correte mez,
e aos 6 sguintes, que o mesmo farao ao
da 18.
Sala das sessfles do conselho administra-
tivo para fornecimenlo do arsenal de guerra
13 de maio de 1857. Bernardo Pereira do
(.armo Jnior, vogal e secretario.
EXTINCr BANGO DE PER-
NAMBUCO.
A direccao do extincto Uanco de Per-
nambuco tendo de dar Jim a sua liipjida-
eao no ultimo do corrente mez, convida
por isso aos possuidores das respectivas
notas de emissao, a trocarem-nas ate
aquella data, na cai\a lilial desta provin-
cia. Reciie, 5 de maio de 187.O se-
cretario, Joao Ignacio de Medeiros Itejo.
TKIBUiVAI. DO COMMERCIO.
De ordem uo tribunal do commercio se faz
publico, que em virtudedei osCaetano
Vieira da Silv|,renunciado o u.iicio de agen-
te de ieilOes desla pmca, 1 marcado o pra-
zodc6mezes, acontar desla data, parase
apresentar peraute o subredito tribunal
quaesquer reclamacoes que possam baver
contra aquelle ex-agenle de leitoes, de con-
formidade com o disposto no art. 11 do de-
creto 11. 838 de 10 de novembro de 1851.
Secretaria ao-Hnbunal do commercio de
Pernambuco 14 de maio de 1857..No im-
pedimento do ollicial-maior, Diiiamerico Au-
gusto do llego langcl.
Para o Rio
ele di
aneiro
segu com muda luevidade, o bem conlie-
cido brigue SAdlTAIUO, o qual lem a
maior parle de sen caricgamenlo promp-
to: para o restante e passageiros, trata-
se iiiin Manoel Francisco da Silva Carn-
eo, na
ando
egio n
1">, lerceiro
r, OU com o capital,, a bordo.
Para o Rio de Janeiro.
Segu com toda brevidade, o bem contie-
ndo brigue nacional Almirante, tem grande
parte da carga prompta, para o resto, passa-
geiros e escravos, para o que tem ricos com-
modos; trala-se com o consignatario Jos
Joaquim Dias Fernandes, ra daCadeiado
Recife.
Companhia
iiavegayao vapor Ham-
burgo-Brasileira.
B.%2Sr2r" de llanll>ursn vapor incUz GOI.DEN
1 l.hfcCE, e dapoa da rlemors do coslume seguir'
par Baha e Itiu de Janeiro : para freles ou pas.a-
ueiros, no qual lem evcellenles commudos, tiala-se
com os agenl s, ua ra da Cruz n. 4.
Real companhia de pa-
quetes ingieztis a vapor.
ti?v"i ? "' dM,e rnez c*Pera-se do .al o vapor
IfcVIOl, commandaule Muir, o qual, depois da de-
mora do co.tume, .eeuirA para Soulhampton, tocan-
do nos porlos de San-Vicente, 'lenerilT, Madeira e
Lisboa : para passarjens, etc., Irala-se com os acen-
li AdlDMon Ilnwie & C, ra do Trapiche Novo
n. 12 N. B. Nfla se recepe embrullio algum mais
tarde do que duas horas anles de se fechar a mala.
Os abafxo assignados, com loja de otirives
na ra do Calinga n. 11, confronte ao pateo
da matriz e ra Nova, fazem publico, que
estilo recebendo continuadamente as mais
novas obras de ouro, tanto para senhora
como para liomens e meninos : os presos
conlinuam razoaveis, e passam-se con tas
com responsabilidade, especificando a qua-
lidade do ouro de 14 ou 18 quilates, licando
assim Bujeitog os mesmos por qualquer du-
vida.-.Seraphim & Irmilo.
VemJe-se
ta-se por casas
sitio COm boas baisas para planlacao de
capun, bastantes arvoredos de fructo, no
lugar da Magdalena, junto a estrada no-
va que vai para o Cachanga', perlo do
sobrado grande do Sr. Viegas: a tratar
na venda grande, defronte da matriz da
Boa-Vista, n. 88.
Attencao! Furto.
Precisa-se de urna
pessoa
habilitada no! Na noite de segunda para terga-feira, 12
ensiiio primario, sem familia ou c-im pou- I do corrente, urtaram ao abaixo assignado
ca, que queira ensinar a cinco meninos em um eavallo, do sitio pertencente ao fallecido
um engenho distante 5 legoas desU capital, r. Francisco de Carvalho Paes de Andrade,
onaeselheofTerece comnodos e boqor- no l.ecco do Egpinlieiro, o qual tem os sig-
uenado : .1 quem convier. pode ir tratar na j naes segnintes : ror ruco sujo, muito novo,
ra oa uruz n. 32, segundo andar. inteiro, lorido um pouco nos pcitos por tra-
7c a11: pa.ra vcl"1"r-se na 'ua da Cruz j baldar em carroca, descarnado, tem na sar-
n Ji.. douslardos.lefiimodeirimoiraqua-lnellia.amacit-atrisacao de i ter tido urna
de, para capa de charutos, o qual he ve- | fe.riJa, cauda e dinas curtas, o ferro ignora-
oo permu-
terreas nesta praco, um
9
lfe.&
naile pupular
DE
E H1SMSIA
NO
PALACETE DA KUA DA PRAIA.
Sabbado 1G do corrente.
Havcr haile, e os carios estaro ,i venda
no edificio, no da do divertimento, que de-
ve principiar as 8 horas e terminar as 3 da
manha.
Maranho
e Para.
O agente Borja esta' incumbido d<-*
fazer leilao, da rica mobilia e objectos de
capricho do E\m. Sr. tenente-general
Antonio Correa Seara, que regressa a' cor-
te do Rio de Janeiro. Opportunamenle
indicar-se-ha o dia, distribuindo-se oca-
thalogo dos objectos que deveai ser, sem
reserva, vendidos.
O agente Borja, por despacho do Illm.
Sr. juiz de paz do segundo districto, da fre-
guezia de S. Antonio, Joao Francisco Bastos,
a requisicSo de Jos da l-onseca e Silva, far
leilHo da taberna, sita na ra Djreita n. 53,
de Manoel Jos Freir de Andrade, consistiu-
do na aroiacao, goneros e mais objectos etc.,
existentes na mesma sabbado 16 do cor-
rente, as 11 horas da manhaa.
O agente Pestaa ar leilSo em seu
svmazem na ra da Cadeia do Recife n. 55,
por ordem o em presenca do Illm.' sr. cn-
sul de Franca nesla cidade, dli J. E. S. n. 1 a
krtuatro csixas com livros\ iViicez, obras escomidas e Si encommen-
das, pertencentes ao fallecido subdito fran-
cez Jean Francois Semiond, cujos livros so-
rao vendidos pelo maior prego offerecido :
sabbado, 16 do corrente, pelas 11 horas da
manbfia.
O leil3o de mobilia de Illm. Sr. Frede-
dcrico Kobilliard, lica transferido, por cau-
sa da chuva, para depois da sahida do vapor
inglez, e ser previamente annunciado.
O agente Borja far leilao em seu ar
mazem na ra do Collegio n. 15, de urna en-
cllente mobilia de sala, ptimos guarda-
roupas, commodas, marquezas de dormir,
urna cama Iranceza de apurado gosto, lava-
torios com pedra e sem ella, apparadores,
guarda louca, mesa elstica, objectos de v-
dro, porcellana e lou<;a, como bem : cande-
labros, lanternas, vazos, e apparelhos de
mesa, diversos utensis de casa etc. etc de
de urna familia que se retira para a F-uropa,
os objectos ja annunciados para o leilao que
devia ter lugar 110 dia 14, e urna immensi-
dade de ou tros muitos artigos etc, assim
como far leilao de cinco ptimos escravos
de ambos os sexos, os quaes se acharSo ex
postos aoexame dos senhores pretendentes
no dia do leilao : quarta feira 10 do corre-
te, as 11 horas.
Transferencia.
Fiea transferido para quando se annun*
ar, o leilao de arinha de trigo, annun-
ciado para boje I (i de maio.
A' ra do CoUerio n. 5,
chegaram os segnintes objectos : marmela-
da de Lisboa, presunto para fiambre, casta-
nhas piladas, massas finas para sopa, como
seja, de arroz, argolinha, linhaQa, estrelli-
nha, pevide, continua, macarro corlado,
massa de tomates, arroz carolino. cha hvs-
son, uxim e perola, nozes eamendoas, dore
de goiaba, banana e araca, bulos para cha,
assim como outros minios gneros que se
deixam de auniinciar, por prego mus com-
modo do que cm outra qualquer parte.
--- Ven iem-se 2 moleques pecas, de ida-
de de 10 annos : quem os pretender, dirja-
se a ra liireita n. 91, primeiro andar.
"ttenco.
Na ra de Santa Thereza, casa n. 7, ven-
dem-se corles de cambraia franceza a 1/600
o corte, cortes de chita franceza com8 1|
covados a 1/ o corte sem avaria, duzia do
meus de cor para homem a 38, sahe o par a
j25U rs., duzia de meias de senhora a 25400,
lencos de cambraia cem bico a 200 rs. cada
um, he fazenda lina.
Vende-se a taberna da Capunga, per-
terento a Francisco Joaquim Duaite : a tra-
tar com Joao sirno de Almeida, na ruado
Vigario.
PHOTOGR.M'IIIA.
\ende-se. na ra do Trapiche n. 4, cscrip-
torio, urna machina de photographia com
todos os seus pertences c chymica.
*ociedade Theatral iie-
creativa
A directora dessa sociedade tem a honra
de convidar aos Srs. socios a comprecercm
domingo, 17 do corrente, pelas 9 horas da
manhaa. para se proceder a discussao dos
novos estatutos,
A pessoa sem familia, que se oflerece
no Diario de hontem 15 para algum sitio,
queira dirigir-sc a fundlcSo, em santo Ama-
ro, para tratar.
roga-se as autoridades policaes ou
lho de dous anuos, e viudo Oa ialiia lti-
mamente.
DAGERREOTYPO.
SVSTEMA NOKTE-AXIKKICANO.
Aterro da Boa-Vista n 4, lerceiro andar.
Nesta casa tiram-se retratos em dagucr- Carvalho,"
reotypo com tola a perleicao, i:autodecri-| Precisa-se de um bom eonlra-mcs-
":s;s orp'rei-l'^T,0 !am!""n le ,"li,i",,s ,le concer-
sos aperloigoados, que so empregam, asse- ,IO e d,"',oda ol,ra
guram pessoa que se retrata, mui pouco '""'' "OTa n- 60*
quaes quer pessoas a quem for offerec'do,
apprehenao do dito eavallo, quo alm de se
agradecer se gratificar, sendo entregue ao
seu dono, no Recife, em Santo Amaro, ao p
da fuudigSo, taberna de Jos Jacintho 'le
na lo.a de allaiate da
6ABIIETE PORTDGDEZ
0 Illm. Sr. presidcnle do conselho delibe-
rativo, convida os Srs. conselheiros a reuni-
rem-se em sessSo extraordinaria, na sala das
sesscies do Gabinete, seguuda-feira, 18 do
corrente, as 6 horas da tarde. Kecife 15 de
maio de 1857.0 secretario interino,
Bicardo de Freilas Bibeiro.
PiaiUGUEZ
DE
>-0*>?5 T&-V<*6ot~
O veleiro palhahote nacional LINDO
PAQUETE, cu ii.i i Jos Pinto Nunes, proeadente
do lli., de Janeiro, com melade do aeu carr.ga-
oirnla^ destnalo aos porlos indicadas, para onde
sesoira' com l.revtdade, recebe o rcslo da carga
com o mesmo ilesiino : tratar con> o consienalario
Amonio de AInMda Comes, oa ra do Trapiche n.
16, segundo andar.
E)$:>t*$.
peral.
Correio
Relagao as cartas seguras viudas do sul
pelo va/por sardo Vctor Emmanuel, para
os sen-hores abaixo declarados :
Alexsndre Miguel Telles.
Antonio/ Alfonso de AKuiar Istaca.
Antonia Henrique Mafra.
AntonRo Ignacio de Azevedo.
Antonia) Pereira da Cunha Filbo.
Antonio! Pires Ferreira.
iiilta
brasileira
ae paquetesa
vapor.
O vapor GUaNAIIAKA. enmmandanta o primei-
ro leneole Briloespera-se dos porto, do norte em
-e-iiiiiitiit.i para o. do sul, de 20 do correnle em
dianle. Elle paquete n,1o e demorar nesle porto
o praio do coslume, devendo eguir no mesmo dia
da sua chegada : agencia, roa do Trapiche o. 40.
ROTEI&O DO THELEGRPHO
Na livraria ns. 6 e 8 da praca da Indepen-
dencia ha para vender o roteiro do thelecra-
pbo, novamente reformado, com o nome dos
vapores e outras embarcacOes que deman-
dam este porto, a 240 rs cada um.
0 escrivao da i mandado do Divino Es-
pirito Santo, erecta no convento de San-
Francisco detta cidade, convida pelo pre-
sente a todos os seus irinaos, para que
comparccain no dia 17 do corrente, a s !)
horas da manhaa, no consistorio da mes-
ma irmandade, alim de proceder-se a
i-leicao da mesa, que tem le recer no
annode 18571858. Recife, I d maio
de I So i.Joao Soa res da Fonseea Velloso.
No dia 16 do corrente, depois da au-
diencia do Illm. Sr..l)r. juiz municipal da
segunda vara tem de ser a ultima praca dos
bens penhorados a Jacintho Luiz Garreiro
por execuc5o que Ihe move r'irmino Jos F-
lix da liosa, cujos bens sao 1 marqueza de
amarello, 1 mesa pequea de amarello, 8 ca-
deiras americanas, I espelho de parede, 2
lanternas de lat3o com mangas, 1 mesa de
jantar, 1 dita de cozinha, 3 armarios de pi-
nno, 1 bahu'velho, como se vera doescripto
na mao do porteiro Torres. Becife 1* de
maio de 1857.
-~ No dia ir. do corrente mez, depois da
audiencia do Ur. juiz municipal da segunda
vara, se bao de arrematar por venda, na casa
das audiencias, os bens peuhorados a Luiz
Pires Ferreira, por execugSo de I). Marianna
da Concejero Pereira, escrivao Baptsta.
Precisa se de um criado diligente, e pa-
ga-se bem ; a tratar no Hospicio, junto ao
quartel do Hospicio, casa do desembargador
Mendos da Cunha.
Defronte da malm da Boa. Vista n. 86, A
...ainoij.se toda e i|ua1quer obra de corle, V
< assim como limpam-se ferro, de cirurgia de
9J lo.la quahdade, bate-aa ouvido cm tsnin- ??
/^ sardas: na mesma vende-se e alugam-se S
X ""das, assim como mandam-se apnlicar a 9
I,? qualquer hora. &&
Roga-se ao autor do annuneio, no
DIARIO de I!) de abril, no qual nedi
Q3!33:^ii353i33riV
O Sr. provedor manda fazer publico, para
quem possa interessar, que se acha autori-
sado pela presidencia para receber doentes
de febre amarella nc mesmo Hospital. Se-
cretaria do Beal Hospital Portuguez de Be-
nelicencia em Pernambuco aos 15 Je maio
de 1857.O secretario
Joao Oomngucs llamos.
D. Isabel Celestina Bodrigues llalli-
day, viuva de James llalltday, estando pro-
cedendo ao inventaro dos "bens do seu ca-
sal, pelo jufzo dos orphaos, escrivao brito,
roga a todas as pesso.s que se'julgarem
credores do mesmo finado, por contas par-
ticularas, as apresentem no arnazem da fir-
ma em liquidadlo James llalliday & C., ao
Sr. Izidoro Bastos de Oliveira.
Manoel Jeronymo IFanderley, perdeu
duas lettras aceitas pelo Sr. Joao Jos Lopes
urna da quantia de 1254, vencida cm 20 de
novembro de 1856, e outra da quantia de
4885 rs., vencida no ultimo de fevereiro do
corrente atino Outra aceita pelo finado Ma-
noel Galdino Wanderloy, da quantia de 200o :
todas ellas em urna carteira em que haviam
outros papis, e 503 rs. em dnheiro; e como
ditas le.llras e papis n3o podem servir.se-
n3o ao annunciaute : roga-se a quem os a-
chou, de mandar entrega-Ios no seu sitio
Sertadrinho, podendo ficar com o dinheiro ;
adverte-se que os aceitantes das letlras.estao
cortos de s paga-las ao annuncianle.
Doce de antea a 500 res,
Chegou a ra do Collegio n. 5, nuva remes-
sa de doce de traja, fabricado no engenho
Cuerra a 500 reis cada caixilo, assim como
de banana e goiaba.
Vende-se urna escrava mulata, perfeita
engommadeira, ecom mais habilidades ,- 1
bonita moleca, idade 18 annos, com boas ha-
bilidades ; outra escrava com urna linda ilha
de idadeS annos,- urna mulatinha bonita fi-
gura, idade 16 annos; urna moleca, de 11
annos; um moleque pessa de idade 18an-
nos : na ra das Aguas-Verdes n. 46.
Compra-se urna casa terrea, que nao
exceda de |:000f rs., na freguesa de S. Jos .
quem tiver, dirja-se ao cortume n. 13.
- Precisa-se de duas amas que saibam
engommar e cozinhar, una para casa de ho-
mem s e outra para casa de pouca familia ;
quem pretender, dirija-se ao largo da As-
semblea n. 9, casa de Vicente Ferreira da
Costa.
-- Precisa-se alugar urna preta que seja
boa lavadeira, para um estrangeiro com
pouca familia, o mais breve que for possivel;
quem tiver equtzer alagar, dirija-se a casa
de BostronBoi>ker to n. 48
s Os engenheiros da estrada de ferro J.
Meklcnburg e L. Moorson rctiram-se para a
Europa,
AO BARATO. '
Na ra do Queimado n 18 A, esquina que
volta para o Bosario, vendem-se chapeos
brancos de castor, pelo barato preco de 9-5,
cassas de cores muito largas para 200 rs o
covado, riscado francez muito lino a 200 rs.
o covado, casemiras bordadas com toque de
avaria de agua doce a 51000, ditas prelas
bordadas, finas, a 65OOO0 corte.
- Precisa-se alugar urna casa torrea no
bairrode Santo Antonio, que sejs sofriivel c
tenha bom quintal, da-se toda a seguranca,
alm de 6 ou lmezes adiantados : quem
tiver annuneio.
Precisa-se de um olficial bahuleiro :
no aterro da Boa-Vista n. 52, achara com
quem tratar.
Precisa-se alugar urna preta que en-
tendaalguma cousa de cozinhar, he para
casa de pouca familia, trata-se c
bem : ua ra Nova 11 1 ou 10.
incommodo, e quasi nciihum tempo per-
dido.
Os melhores processos descocarlos e pra-
ticados pelos nortc-amoricanos, sio empre-
gados pelo artista propietario deste cslabe-
leci ment, c por isso garante a seus freguc-
zes retratos nao s porreitamenle inallera-
ve:s, como de urna delicadeza de traeos e
dogura as sombras, queso o d.iguerrcolvpo
ou o archeotypo pode dar.
Imcumbe-se na mesma casa de tirar co-
pias em dagaerreotypo deediGcios, paisa-
gens, retratos, estatuas equadros.
V3o-so tirar em qualquer lu;;ar, retratos
de pessoas moras.
Existera para esses trabalbos exceentes
machinas, sendo uina deas dos celebres
autores Voigtlander & Sohn.
N5o se entregam retratos ou Lrabalho al-
gum, sem estar perfeito.
Existe sempre nesse estahelccimento um
variado sortimenlo de. artefact js francezes
o norte-americanos, para a coilocaco dos
retratos taes como caixinhas de papel de
marroquim e de velludo, france/.as ; e nor-
te americanas de marroquim o ce bfalo dos
melhores goslos, e desde o lamanho de urna
pollegada, al um palmo ; quadros o moldu-
ras pretas, ditas douradas, quadros a Pom-
padour, ditos de vel udo. ditos para retratos
separados para urna familia completa, pas-
se-par-touts, stereoscopos com vistas, c para
retratos; urna linda variodade deallinetes
do ouro com esmalte, c sem elle, para coilo-
carem-se retratos e cabellos, medalhas lam-
bem de ouro para o mesmo hu, tanto para
correntes de relogio, como pa-a Uancelim
de senhora.
Os pregos dos retratos variam em caixi-
nhas de 6-1 a 163 rs.; em molduras prelas ou
douradas de 79 a 25/ rs. ; em cacoletas de
ouro de 12* a 25- rs. ; e em allineles de ou-
ro de 20? a 35> rs. Estes precos s5o de re,
trato e do objecto em que he col locado.
lodos os das desde as 8 horas da manhaa,
as 4 da tarde, seja qual for o lempo, estar
a galera e ollicina a disposicao do puulico.
SOLKMNE PBOCLSSaO'.
Quinta feira 21 do correnle mez de maio,
pelas 6 horas da manhaa, deve irecisamenie
sabir da matriz do Corpo Santo, em solem-
ne procisso, o sagrado Viatico, a visitar os
enera-os, visto como por inconvenientes
no se mosirou 1 vista dos lies, como era
do coslume, na segunda feira da ultima se-
mana santa. K para que esse acto todo res-
peitoso, seja acompanhado com a pompa de-
vida, roga a mesa regedora da irmandade do
Snlissimo Sacramento naque la matriz, a
todos os seus irmaos de coinjia eeerem para
o referido fim; bem como la?, igual pedi-
do aos das irmandades de N. S. do Bosario,
e S. Miguel, erectas na mencionada matriz,
para que se digiiem acompanliar a mesma
procissao, rogando mais a todas as pessoas
que tem de dar figuras, o que vulgarmente
chamam anjos, de os man lar ale a hora in-
dicada, o pedo a todos os sniores morado-
ros, por onde he decostumo transitar a pro-
cissao, para que nesse da mande.m varror e
limpar as testadas das suas casas. Recite
f de maio de 1857.
~- Compra-se u.Da mala para viagem, que
seja segua, e em bom estado : na ra do
Vi-ario n. 7, armazem.
LOTERA
DA
provincia.
O abaixp assignado vende a dinheiro a vis-
ta, sendoada quantia de lllo;0i)o reis para
cima, os seus feli/.es bdhetes, meios, e quar-
tOS, pelos preces abaixo mencionados, na
ra da Cadeia do Recife n. 45, esquina da
Madre de lieos:
Bilhetes 5?i0O recebe 5:0003
Meios 2?700 2:5003
Quartos 1?350 .. 1:2509
Por Salustiano de AqLino Ferreira,
Jus Fortunato dos Santos Porto.
SEGUROS.
A direccao da companhia Indemnisadora,
raz publico, que em observancia do que dis-
poem os respeelivos eslatulos, serao a< rema-
tados no dia 16 do correnle, pelas 11 horas
da manhfla, na praca do commercio, dez ao
coes da mesma companhia, por fallecimcnlo
do accionista o Sr. Diogo llalliday. liecrfe
1* de maio de 1857. Os directores, J.J. Tas-
so Jnior, J. I. Medeiros Bego, e Joao da
Silva Regadas.
Joaquim de Souza Silva Cunha, retira-
se para a Europa.
M,\IA II1MAO.
Com loja de chapeos na ra do Crespo
n. 6.
Beccberam um grande sortimento do cha-
peos de castor e velludo, chegados ltima-
mente de Franca, e vendem-se por precos
muito cm cunta ; assim como chapeos do
Chili.
Chapeos de velludo prcto copa baixa;
a Canroberl a........... OoOoO
Ditos de castor pretos, copa alta, a
Cavaignac, a.......... 8?000
Ditos de dito, sem pello, copa alta, a
t'olissier a......
Ditos dedi^com pello, copa baixa,
de cor, a ^*,>ct"p..^
6*)00
44000
39000
ttio-Formoso. S
gariner a .
Ditos do Ch T>ara meninos a

^ O l)r. Joao HMgrlo Bezerra de Mane- %&
V zes, medico pela Facirtdade da Bahia, lem Q
j^ luado sea residencia ua idade do Bio-For- -,j
g inoso, e de novo elTerece ssuis servicos a to- S?
V Jas m pessoas que o honraren) com sua con- &
fianca. ,.
o que se
por este Dia-
Precisa-se de um menino de 12 a 15
annos, que seja de boa conducta, para a-
prendor um ollicio, dando-se-lhe
tratar : quem tiver annuneio
rio.
A fabrica de sabao da ra Imperial.
Precisa-se de serventes livres ou escravos,
e tem-se para vender urna bomba de ferro, c
algumas varas de rede de rame galvanisado,
pipas e barris vasios.
Xa roa Nova n. 41, loja e fabrica
ile chapeos de ChristianyA Irmo, clie-
garam os tuperfino chapeos de castor
pretos e hrancos, com pello e sem elle,
copa alta.
Precisa-se de urna ama de leite que.
o tenha em abundancia e seja de muito
joiis costnmis e paga-se bem: dirija-
se a piara da Boa-Vista, sobrado de dous
anclares, por cima da botica do Sr. Ga-
meiro, entrada pela ra do Hospicio.
3O^3^3a;:?OOOO0Q
Sj3 fr. director d, AssoriJcao Popular deis
.g Soccorros .Mutuos, rosa a lodos os Srs. so- T"
y> nos qoe esl.ln por salisf.izer as suas ioias e W
:J mensalidades que devem por-se em dia
Caixeiro.
Precisa-se do um cjixeiro que soja fiel, o
que tenha ortica : na ra eslreita do Bosa-
rio n. ll, deposito de molhados.
Aoamanhecer do dia 11 d3 miio, lur-
taram do cercado do sitio do Monleiro, do
engenho Bocreio, na fieguezia Ja Muribcca,
um eavallo pedrez, com idade de 10 annos,
pouco mais ou menos, de bem lamanho,
com urna bexiga no espinhaco, cabo curto, e
S" tem um grao, assim como lambem urna
bsta caslanha escura, com a ponta de una
orelha quebrada : quem os deseobi ir, os po-
dera levar, ou participar 110 mesmo sitio a-
cima dito, que ser gratificado, ou na prac.a
em casa do Sr. Antouio Joaquim Ferreira de
Souza, ra de llortas.
Precisa-se de urna ama sicca, para o
servico interno de urna casa de familia : na
ra .Nova 11. 30.
Precisa-se de urna ama da leite, forra
ou captiva, paga-se bem : na ra .ova n 30.
Precisa-se de una ama que saiba cozi-
nhar, e fazer lodo o mais servico de casa :
na ra do Caldoreiro labema 11. 60.
Lotera
. com o Sr. Iliesourciro, o mais breve possi- ],
vel, do muirn. incorrero as penas do *"
U? art. .- SS I e 2 dos estatuios. f".
Arrenua-sc 011 vende-se um sitio junto
a matriz da Varzea, com casa de vivenda
grande e bastantes arvores de filelo, bem
como larangeiras, cafezeiros, e outros : a
lallar na ra de llortas, sobrado n. 2, segun-
do andar.
- Precisa-se alagar urna ama secca para
todo o servico do portas dentro ; na praca
da indepen leticia ns. 36 e 38.
Precisa-se de um capelio para um en-
genho em Seriuhaem, da-se bom ordenado :
a tratar na camhoa do Carmo n. 18, com Sil-
veno Joaqnim Martins dos Santos.
--- Precisa-se de olciaes de alfaiate de
lOJa a obra : na ra Nova n. 52.
oJT P!;ec,sa--se .de ofliciaes de alfaiate para
caicas de casemir.i : na ra Nova n. 52.
Pedc-se a6 Sr. M. A. V., morador em
';.- "1IJ, de Vlr nu mandar pagar at o dia
JO de maio, na ra larga do Bosarjo n. 46,
primeiro andar, a quantia que nitp ignora,
do contrario teraoprazer de ler constante-
mente, neste Diario o seu nome por extenso.
I ara esperajiasta um anno.
Precisa-se de urna ama de leite, forra '
ou captiva sem (ilha: na praija da Boa-Vis-
u n. 1, sobrado reedificado, depois do becco
Al IRMAO'
receberam um grande soslimento de cha-
peos do chili, e venden? pelo baratissimo
preQode2/paracima. -
Agencia do passaporte e folha corrida.
Ruada |.rala, primeiro andar n. 43, Clau-
dino do KegoLima.despachante pela repar-
ticao da polica, tira passaporte para dentro
e lora do imperio, e folha corrida, porcom-
modo prego e presteza.
Precisa-so alugar urna preta captiva,
que saiba iazer o servico interno de um
casa de pouca familia, paga-se bem
dando ; no largo da Assemblea n.
meiro andar.
agr-.
12, pri-
paga-se
qual pede ao
Sr. J. C. A. M., que va* pagar-ll
11
papar-1 lie os
valles que estilo vencidos, de declarar pon
este mesmo DIAKIU, se dito annuneio se"
en ten de com Jeronymo Carneiro de Al-
buquerqu Maranho, residente no eoge-
nhoMega-de-Ba.\0, da comarca deGoi-
anna.
Precisa-sede uufeitor para sitio: na
ra das Cruzes n. 30.
Ao publico.
Ao publico e principalmente aos meus fre-
guezes, tenho a honra do participar, que me
acho presentemente habilitado para forn--
cer qualquer obra de minha prolissao, dos
mais escolhidos e melhores pannos, como
sejam. casacas, traques, sobrecasacas, vel-
ludo, fustiio etc., para colletes, casemiras as
mais linas, de bellos padrOes, de todas as
'cores para caigas, brins etc o me encarrogo
de executar qualquer encommenda, pela ul-
tima moda da Europa, uebaixo de lo la "a-
rantia, por commodo pregoJ. Ilunder "al-
faiate, ra Nova n. 52.
Troca-se urna arte de Burgain pela de
Cibson, anda mesmo usada na ra lar"a
I do Bosario n. 25,
provincia.
lxiste itiu pequeo res
to por vender, dos ielizes
billietes, rubricados pelo
abaixo assignado, cuj* ex
traeco Ue^sabbado 16 Uo
corrente.
Fug o em 7 de malo corrente o cabra
de nome Duarte, idade 40 anuos, ponco mais
ou menos, com osseguintessignaes : haixo.
com falta de dentes, beigos grossos, tem um
.signal muilo visivel no p esquerdo, o dedo
vizinho ao mnimo fra de sen lugar por ter
por cima dos dous que o ceratam ; foi escra-
vo de Manoel Joaquim Carneiro, lavrador do
cngeiihq,Serrinba, em Serinhaem : quemo
pegar leve-o aos Afogados, ra de S. Miguel
n. 6, que sera recompensado.
Aluga-se um cozinheiro de forno, fo-
gao e massa, sem vicios e muito fiel: no so-
brado n. 1, passando o becco do Veras, ou
na botica na mesma praga, canto da ra do
tmfftgftQa
Os senhores que tem penhores as
Cinco Ponas n. 152. fagam favor de os ir ti-
rar no prazo de 8 dia-, a contar desla daU
em dianle, do contrario serao vendidos para
seu pagamento.. ^
Jautares.
Na ra de llortas n. 16, fornece-se comida
para casas particulares, com todo o asseio e
prompdao, por commodo prego, onde tam-
oem se vende um variado sortimento de
bons charutos.
Paga-se bem.
Precisa-se comprar una escrava moga
que coinhe e engomme, e seja propria para
ra, ou que cosa e engomme, recolida em
casa :.na ra ova n. 34.
Precisarse de um leitor para
no sobrado da ra da Cloiia n. 7.
sitio
Ama.

Precisa-se de urna ama para casa de pou-
ca familia, ame saiba cozinhar, e engommar
ra do CcIleitMlaa. 1, armazem.
'OIIN GATIS,
correlor
gl-OSJ.
7l
co.. _
E ACKNTE DELEII.OES COMMEBUAES,
n. 20, na do Torres,
ge ral
l'UIMEIBO AMJAR.S
praca u<> Corpo Sauto
KECIFE.
Afericao.
Scicntifica s a quem convier, que a
P. .1. Ldiftne.
Quem tiver c quizer trocar um orato-
rio com as imagens de N. S. da Conceicao, i
do Sr. Crucificado : dirija-se a ra do Quei
niado u. 22, que achara com quem trat
Permuta-se ou vende-se una mulata i o n. 16.
! e n"!"rS ^ "U,e* CT mui!as ''"hilida-l Quem annunci.mquerer contratar um
S ZFf&Bt. MSh'aei"10 a Sr" I 2P" U" -!* *t- a es'tV ^
Precisa-se df um homem velho e de
boa conducta, que queira fazer as compras
lio tima r>-i_s. ,U r.. i. r .
lo, e j sSo de psol, medidas e bataneas, principia
uei- uol. do crrente a lindar no ultimo dem-
r. nho : na casada aforicOo, no pateo do Ter-
MUTILADO
oe urna casa de familia : a tratar na ra do
Hospicio n. 46, das 6 as 8 horas do da, e das
5 as 8 horas da noile.
Precisa-sede urna ama rara casa de '),);l fazenda, esta'
pouca familia : na ra Velha n. 104. | reita n. 43.
pographia, que se dir onde deve procurar.
Couro de lustre
3J500 e 4.s000
voando : na run Di-

v


DIARIO DE PERNAMBUO, SABBADO. 10 DEMAIO DE 1857,
MiHMClMMM
i-curas preciosas.|
[ Aitorecni d* brilhante,
j>: S .eiras, aleles, briDCos
_ p ruzeias.Jioles e afinis *
i de diflercules aoslos e de 4,
? diversas podras de valor, *
$ i
Comprara, vendem ou $
trocam prala, aro
V Ihaiiles.dianianlesepero-
* las, e outras quaesquer *'
J joiasde valor, a dinheiro J
B uu por obra*, g

bri-g
ioREi&i i mmi.
LJA 1)1 t.8l\X8
Ra do Gabuga' n. 7. '
lecebem por to-
dos o4*)rapo res da Eu-
ropa as obras do mais
moderno srosto, tan-
to de Franca como

I M^ i lil
:* otilo E PR.VTA
n
55 .. '?
:* Adereros eomplelos de ?
ouro.meiosditos.pulcei-'*
J ras, alfinetes, brincos e i
| rpZ8^s.cordes, trance-^;
ffi 'ns.'nedalhas.correiilesi
E eeoreilespararelogio.e jj'
s outrosmuilosobieclosde f
;:*; o aro. __ :
* Apwrelho entapelos,*
I J rala, para cha, ban- |
S colheresdesopaedech, *
; muilos oolrui objeclos i
S de prata.
~:**"*:*:!i5*:si6S3RiKies8!W
de Lisboa, asquaes se vendem por
pre^o couimod como eostuuiam.
_______________i--------------------------------------.____________________________
C0ISLT0R10 HM^PTHICO
Onde seacham sempre os mais acreditados medicamentos, tanto cln tinturas como
eui glbulos, e proparadus cora o maior escrpulo e por pregos bastante commodos :
PRECOS F1XOS.
Botica de tubos grandes. .
bita de 2* i) >
Dita de 36
Dita iie 48 t .
Dita de 60 ,
Tubos avulsos a......
Frascos de tinturradcmeia onga.
Manual de medicina omeoi.athica Jo Dr. Jahr coin odic-
clunario dos tero de medicina.....
Medicina domestica do Dr. Henry .
Trata mrito do choleA morbus.....
Repertorio do D-. Mello Moraes ....'.
10/000
159000
209000
259000
309000
19000
29000
209000
10/000
2/000
60O0
Attcoco
It. C. Yates & Companhia: cstabelecidos
no Rio de Janeiro, na ra do Hospicio o. *0,
vendo um annuncio publicado em urna das
l'olhas de Pernambuco polo Sr. Bartholomeo
!'. de 8ouza, prevemndo ao publico que o
verdadeiro jarope do bosque so elle he
quem vendc,prevenmos ao mesmo publico,
que o nosso xarope he remeliido do Rio de
Jrueiro pelos cima propietarios ao Sr.
Manoel Alves Guerra, e este senhor fez o de-
posito para ser vendido na pharmacia do Sr.
Jos da Cruz Santos, na ra Nova n. 33, ni-
cos por nos autorisados para venderem o
nos.su verdadeiro, e mais prevenimos aos
seuhores consumidores, que ha perlo de 5
annos os rotlos collados as garrafas s3o
assignados por Henry Prius, como procura-
dores dos cima propietarios. Rio de Janei-
ro 13 de Janeiro de 1857.
Bartholomeo Francisco de Souza, leu-
do o auuuncio dos Srs. R. 0. Yates & Com-
panhia no Diario n. 17, em que diz ser s-
menle verdadeiro o xarope de bosque que
se vende nesta cidade na pharmacia do Sr.
Jos da Cruz Santos, onde fez deposito o
Sr. Manoel Alves Guerra, que recebeu delles
proprietarios, declara ao publico, que nao
duvidaseja falso o xarope de bosque que
lambem vende em sua botica, mas assevera
quo elle he comprado aos mesmos Srs. R.
G. Yates & Companhia, do Rio de Janeiro,
como provam os documentos abaixo :
RIO DE JANEIRO 8 E AGOSTO DE 1856,
O Sr. Bartholomeo Francisco de Souza
comprou a R. C. Yates & Companhia :
* duzias de garrafas com xarope
do bosque a 54300o......... 2163U00
6 duzias de 1|2 garrafas com xa-
rope do bosque 8 273000......1629000
Rs. 378*000
Rccebi o importe cima, do Sr. Antonio
loaquim Vieira de Carvalho. Rio de Janeiro
de agosto de 1856. Por R. C. Yates
.ompauhiaJos Paulino Baptista.
Keconhego verdadeiro o signal supra. Re-
t fe 8 de agosto de 1856.
Km fe de verdade.
Manoel Hilario Pires Ferro.
RIO DE JANEIRO 18 DE FEVERFIRU DE
1857.
Os Srs. Constantino Gomes de Faria & Fer-
rpira compraraui a R. C. Yates & Compan-
hia :
4 duzias de garrafas com xarope
do bosque a 54J000.........216/000
6 duzias de 1|2 garrafas com xa-
rope do bosque a 27c000......162/000
Rs. 3789000
Recebemos o importe. Por R. C. Yates ^
CompanhiaW. G. Cerwartt.
Nos abaixe assignados declaramos que
compramos o xarope cima para oSr. Bar-
tholomeo Francisco. Je Sou/.a, de Pernam-
buco, em virludo de sua ordem de 3 do cor-
renle. Rio de Janeiro 18 de fevereiro de
' 1857.Constantino Gomes de Faria & Fer-
rcira.
Keconhego ser verdadeiro o signa supra
de Constantino Gomes de Faria & Ferreira.
P.io 18 do fevereiro de 1857.
F.m f de verdade.
Pedro Jos de Castr
SEGURO CONTRA FOGO.
Companhia Alliance.
Lsulielerula cm Londres, em marco da 1324.
Capital cinco milhoes de libras esterlinas.
Saiinders Brolhew & C., tcm a honra Ida in-
formar abs Srs. negociantes, proprietarios casas,
a queo mais convier qua eslao plenamei te au-
lorisados pela dita comranhia para efTeciua segu-
ros sobre edi6cios da lijlo e pedra, cor* ros dt
lilha e igualiiienu sobre os objeclos que coi liverem
os mesaos ediuemqtier consista em
Compram-se vaccas sem crias, ou sem
ellas, em hora esteja m magras, assim como
garrotes de diilerenles lmannos e mesmo
Bagros : para tratar em Santo Amaro das
salinas, casa nova de sobrado junto a capel-
la do mesmo nome, pela mauhSa ateas 9 ho-
ras, e a tarde, das 4 horas em diant-, todos
os das
Compram-se escravos de ambos os se-
xos, de 12 a 25 annos, para fura da provin-
cia, paga-se bem : na ra Direita n. 66.
Compra-se um sitio que seja perlo da
praga, e que tetilla algumas fructeiras : na
ra uo rogo n. 8.
- Compram-se frascos vasios d'agua de
colonia, e assim como de outras qualidades
ile i'i'l ii ruaras.
Compra-se um coollio (mexo): na
praga da Boa-Vista n. 7.
Compra-se papel de Diarios a 120 rs.
cada libra ; na ra larga do Rosario n. 21,
turica de cigarros.
Compra-se efrectivamente bronze, Ja-
lao e cobre vellio : no deposito da lundicilo
da Aurora, na ra do Brum, logo na entra-
da n. 28, e na mesma fuudicao, cm Santo
Amaro
S*fei*5$*
Vetliolo faciluno.
Na livraria da praca da Independencia n
6 e 8, vende-se o methodo facilimo-para
aprender Icr, novamente impresso e aug-
mentado, por mil reis.
ISrva mate.
Vende-se na taberna do elephanle, no
llosiicio, mate n mais novo que ha no mer-
cado, e muilo bom para a saude.
Vende-se urna negra de meia idade,
propna para todo seovico, c lambem sabe
vender na ra : na ra do Sol, casa n. 11.
Cortes d chita
fVaucesa, Uvg&, a i,000
rs. o corre.
Veudom-se cortes de chita, escura, mati-
zada, a 29000, em covados a 240 : na ra do
Queimado n. 21 a. D5o-se as amostras com
penhor.
Milho em
saccas.
Na taberna da ruado Vigario n. \i,
vende-se milbo era saccas, tanto em por-
co coran a retalho, |or pre<0 cominodo.
Vende-se urna escrava de mcia idade,
que saiba cozinhar, lavar o engommar j na
ra Direila n. 66.
Carnauba.
Vende-se cera de carnauba, tanto em
porrao como a retalho: na ra Nova
SACCAS COM MILHO.
Vende-se na loja n. 2(i, da ra da Ca-
deia do Kecii'e, esquina ,do Becco-Largo.
Na ra da l'raia n. 20, segundo andar,
vende-se urna prela que cozinha o diario de
urna casa, engomma e lava desabilo, hemui-
to fiel, e nao tem vicios : quem o pretender
dirija-se a dita casa, que achara com quem
tratar.
Vendem-se harrilinhos com doce de
varias qualidades a 1/U0 cada um, queijos
do sertSo (Serid) muito frescaes a 560 a li-
bra, toucinho de Santos misturado com car-
nes a 200 rs. a libra, sement de coentro
muito novo a 320 a garrafa : n taberna da
esquina da ra dos Marlyrlos n. 36.
la loja
das seis portas
EM FRENTE DO LIVRAMElVO.
Vendem-se cassas francezas e riscados a
meia pataca o covado, fazendas novas: dam-
se amostras com penhor.
O 59i
confronte ao Rosario cm Santo Antonio,
vende lindos vestidos para bonecas, e deli-
cadas figuras de assucar, francezas, e junta-
mente feitas em suas formas,'as quites lam-
bem vende constantemente. Se achara nesta
confeitaria chocolate francez, confeilos e
paslilhas, e oulros objeclos.
- Vende-se sement de macacbeira mui-
to boa : no sitio da Trempe, sobrado n. 1,
que tem taberna por haixo.
Vende-se um tanque de ferro, proprio
para deposito de leos, por ser grande c
bem construido : a tratar no becco das Bar-
reiras n. 8.
AMEIXAS FR&NCEZiS.
Em latinhas, as melhnres que tem vindo a
esta praca, nico deposito no aterro da Boa-
Vista ii. 8, defronte da boneca. Assim como
mullos outros gneros de superior qualida-
de, por precos razoaveis, tudo che'gado l-
timamente.
Alvaiade
cm I>airica3 de i arrobas: vende-seno
armasen) deJ. Piaager&C., ruada Cruz
n- 11.
chaly
acliamalotado, de todas as
cores a 1,100 rs, o* co-
vado.
Na rua'do Queimado n. 21 A, vende-se
chaly liso aahamalolado, fazenda esta de
muito goslo, chegada pelo ultimo vapor da
Europa. DSo-se as amostras com penhor.
(papase polainas
'KOVA
"AGUA
. molilia ou
i fazandas de qualquw qualidade.
% DEIISIi fRAHCEZ.
Paulo i .o ;ii.ni\ dcalisla, ra ^ova u. il .
na meama casa lein agua e pon denlrici. f,'
*&&&&&&& &i Q-&-&Qi
Traspassa-se o ariendamento < o en-
genlio FKESCONIM, na freguezia de
Agua-Prcta, moente e crlente, c (|ua"
anda lalta cjuatro annos para se i ndar,
com todos os seus pertencs, como s jan.:
23 escravos de servico.boU, bestai, car-
ros, erramentas, e tudo mais que lie
preciso para o manejo lo mesmo enge-
ndra: a tratar com Antonio Jos Sodri-
gues ele Sou/.a, eir. seu escriptorio, iu ra
do Collcgio n. 21.
Juan da Silva li.ram, medien pela i ni- ti
ventilada de Coimlira, mudoa sua esiil n- I?
Sversiaane ue t.oimlira, mudou sua esil
cia da ra do Caliu. para a roa Nov
^ 6, sesundo andar, sobrado dj|r. Dr. mri- a
' [?' '" c"n,'n" a receber, B 8 10 ^
w hora* da mauliaa, e das .1 rs h da larde
&,v pe*oas que o queiram consultar.
O^O^'r-'j
;~S^
He chegado a loja do Lecomte, nt aterro
da Boa-Vista n. 70, o escellente leil i virgi-
nal de rosa branca, para refrescar a p ille, ti-
rar pannos, sardas e espinhas, igualnente o
afamado oleo bahosa para limpar e fazer
cicscer os cabellos, assim comop imperi-
al dci lirio de Hon-nca para brotoejas eas-
pendades da pello, conserva.a resi urae o
i.-velludalo da primavera da vida.
n.
IM- a
Til
&mm&.
Compram-so travs de 25 a 33 palmos
de compriinento, e palmo de grossi ra : na
livraria da praca ta Independencia n. 6 e 8
Compra-se nma cabra costu nada a
criar menino : na ra de s. Kranci: co so-
brado n. 8, e na livraria n. 6 e 8 da | rara da
Indi-pendencia.
Compra-se efTectivamcnte na ruadas
Flores n. 37, primeiro .ndar, apolici s da di-
vida publica e provincial, accesda compa-
nhias, e da-se dinbeiro a juros, em grandes
e pequeas quantias, sobre penhore;
Comprase urna mobilia deiualquer
madeira, e cm segunda nulo : na ru i esirei-
u do Rosario n. 4.
Feitas pelos melhores fabricantes inglozes.
VEN1IAM E VEJAM O' GEN 1E !! !
Vendem-\e de 8 a 12r000, iguacs as de 20/ :
na ra a Cruz n. 2.
Venlc-se urna rarroca para cavallo,
muito maneira : por detra/. de Sauta Therc-
za, casa terrea envi.lracada.
Cortes de chaly
de b iba dos m 1*2,^000.
' hegaram polo ultimo vaoor da Europa
ricos cortes de chaly de babados, fazenda
esta muito lina e de lindos gostos : vende-
se na ra do Queimado u. 21 A.
Sedas de qua-
drinhos miudos a 1000 rs.
o i-Ovado.
Na ra do Oueimaio n. 21 A, vendem-se
scinhasdc quadros miudos, chalv de lis-
tras e llores solas a 800 rs. o covado. DSo-
su as amostras oom penhor.
Vende-se um moleque de 18 annos,
com um deleito n'uma perna, mas que nSo
o impele de fazer todo o servico na ra
do CoUegio n. 18, segundo andar.
NA NOVA LOJA DE FAZER-
das ao pe. do arfeo de S. Antonio, ha para ven-
der corles de velludo para collete a 1?600o
corte, cambraias de cor para vestidos, mui-
SnnS"'5^ ,rs-avara' cortes de cassa a
2#O0O, sapalinhos para menino, t.mcas de
ISa, cortes de casemira a 4soll, chitas a 55
rs: a peca e a 5J800, e outras umitas razen-
oas por barato pre^o.
.Wa loja
das seis portas
Em frente do Livratueato
BARATO QUE ADMIRA. A 59000.
Pegas de cassas pintadas com 20 varas,
gostos novos, a 5: a peca : dam se amostras
com penhor.
Vende-se um carrinho americano de
* rodas, para um c dous cavallos, em muito
Dom uso: quem o prelender, entenda-se
com Augusto I'ischer, na cocheira da ra de
. Francisco, esquina do becco do Uuvidor.
Burgain.
Vendem-se grammaticas francezas de Bur-
gain : na ra da Cadea do Recife, loja de
Josc Fortunato dos Santos Porto.
Vene-se.por prego commodo,superior
vinho do Porto em barris de 8. : na ra do
Trapiche n. 14, escriptorio de M. A. Guerra.
Vendeiu-se maststros
de pihlio venuelhodu bun-
ci;i, de 8 a 18 pollegadas e
50 a 60 ps: em casa de
C. .i Astley & C-
Rclogios^ de pa-
tente
inglezes de ouro, desabnete e de vidro :
vendem-se a preco razoavel, em casa de
Augusto Cesar de Alireu, na ra da Ca-
dcia do Recife, armazem n. I ti.
Charutos.
Vendem-se na ra do Collegio n. 13 fa
7300 o milliciro, em magos de 50.
Ao >v. de eugenho.
>'a ra do l.ivramcnto n. 16, vendem-se
cobertores de algodSo grandes, proprios pa-
ra a estacan do invern, pelo barato prego
de 500 rs. cada um.
Claudio Uubcux
Vendem-se velas mistas, proprias para
malar lormigas, e para que estilo muitissi-
mo approvadas : no seu escriptorio, ra da
Cadcia de Santo Antonio n. 13,
CLAUDIO DBEX
Vendem-se velas estearinas, proprias pa-
ra carros a 15120 cada pacole do 8 velas, :
no seu escriptorio, ra da Cadeia de Santo
Antonio n. 13.
Claudio Dubeux
Tendo recehido urna factura de 2,000 bar-
ris de plvora, dos melhores fabricantes,
vende-os a 14-000 ; as amostras acham-se
uo seu escriptorio, ra da Cadeia de Santo
Antonio o. 13.
Attencao.
Vendem-se pegas de chita de muito bons
pannos, pelo haratissimo prego de hg x pega,
que sahe o cuvado por seis vnicos e dez rs.,
a porgao he pequea : portanto quem gosta
de economa deve-se aproveitar : na ra do
Crespo, loja da esquina junto ao arco de
."Santo A o ionio, e na loja uo 4 porlas n. 12.
Chapeos de fel-
tro e buiet de cabello pa-
ra IllCllillt ;S.
Vendem-se ricos chapeos de teltro para
meninos, enfeitados com litas e plumas, pe-
lo haralinho prego de 3.-500, bonetes muito
lindos de cabello a 23 rs. :
mado, na bem couhecida
n. 33.
Charutos
Era casa de Saunders Brothers C. praga
do Corpo Santn. 11,ka para vandtr o s uiola
Ferro inglez.
I'ixe da Suecia.
Alcairo de carvo,
Eonas de linho.
Esponjas.
Drogas.
Algodo lizo para saccas.
Dito en trancado igual ao da
E um coMplelo soriimento
para le mercado ludo por prego commodo.
Moinhosde vento
comhomhas dcrenuiopara recarliorlaseha
xa de cap i ni : na fund cao de D. W. Bownian
na roa do liraro ns. 6, 8 e 10.
Babia
de fazandas propvio
di
Agencia
undiyao
Tintas
preparadas cm latas: vende-se no arma-
zem de J. I'raejjci- & C, ra da Cruz
n. 11.
Na lrua de Apollo n. 23, primeiro
andar, ha para vender urna bonita es-
crava, com habilidades.
CORTES DE DP.1M DE LINHO.
Vendem-se corles de brim de linho puro,
de cores, de muito bom gosto, pelo diminu-
to prego de 25 cada um ; na ra do Crespo
n. 6, loja.
Para acabar.
Na loja do Preguiga, ra do Queimado, na
esquina do becco do l'eixe Frito D. 2, couti-
nua-se a vender chitas claras e escuras, de
excpllentes qualidades, lindos padrOes e co-
res lixas a prego de 160 rs. o covado, e em
pega a 5SOO0, meias casemiras proprias para
caigas e palitos, mussulinas dos mais deli-
cados padres, cambraias francesas, finase
cores fix's a 320 rs. o covado, pannos para
mesa a 18920, lengos de seda, madapoles,
algodozuilios, lauziuhas para vestidos de
senhora e meninos, e oulras muitas fazen-
das por baralissimo prego.
Vendem-se castanhas piladas a 100 rs.
a libra: na taberna da ra Nova, junto a
ponte da Boa-Vista.
Na ra do Rangel
de caj' engarrafado ba
provincia do Ccara.
7, vende-se vinho
4 anuos, feito na
A 10>V000
Vende-se cxcellcnte cera de carnauba do
Aracaty, o Assu', de urna sacca para cima,
escolhendo o comprador a sua vonlade, pe-
lo indicado prego de 10/ a arroba : no' ar-
mazem de D. R. Andrade & C, ra da Cruz
n. 15.
AD0LPI1E BORCEOIS.
Vendem-se vaquetas e sola de lustro para
carro, marroquim, panno,gal3o,.chavcs, bri-
das, bridos e lanternas, tudo por prego
commodo : na ra Nova n". 61.
PaLITO'S PRANCEZES.
Vendem-se palitos e sobrecasacas de pan-
no lino pelo e de cores, com gola de vellu-
do e forrados de seda de 22 a 285OOO, ditos
de casemira de cores a 2i>, casacas de panno
fino forradas de seda a 28/, palitos de alpaca
de 7a 103, de linho de cores a 3-000, caigas
de casemira prcta e de cores a 10/, colletes
de seda de cores e de setim prelo maco de
5 a 10-: na ra Nova, loja n. 4.
para seniioras.
Vendem-se chapeos e enfeites para sonrie-
ras, do melhor e maisjmoderno gosto, che-
gados pelo ultime navio francez : na ra
Nova n. 4.
crosdenapi.es r; setim.
Vendcm-se grosdnaples de todas as cores
a 2/000 o covado, e setim de cores a 800 rs.:
na ra Nova, loja n. 4.
Cobre
para forro de navios: no armazem de
Tasso I raos.
Superiores quei-
jos
Vendem-se queijos muito novos, chegados
pelo ultimo vapor vindo de llamhurgo, pelo
barato pVego de 1-440 : na ra Direila n. 8.
Carnauba a 10.^000
Vende-se carnauba a 105000 a arroba, em
porgSo de una arroba para cima : na ra do
Nogueira n. 21.
Vetas superiores.
Vpndnm-so velas muito superiores a lio
rs. a arroba ; he cscusado teccr elogios,
pois quem comprar urna vez saber da rca-
lidade : na ra do Nogueira u. 21.
a JsOOO rs.
Vendem-se cortes de vestidos de chita
larga, a dez tustes cada um : na loja de
6 portas, na ra do Oueimado n. 10.
A 120 RES 0 COVADO.
Vende-se chita larga sem ava ia a 120
rs. o covado : na ra do Qucima lojado,
de 7 portas n. 10.
na ra do Quei-
loja da boa lama
Low-.Wo r,
ra da iSenzala ova
n.'4i.
Neste estabelecimcnto continu'a a haver
um completo soriimento de moendas e meias
moendaspara engenho, machinas de vapor
e taixas de ferro batido c coado de lodosos
lmannos para dilo.
Maehinismo pa-
tente inglez
<)s melhores relogios de ouro, patente in
glez,; vendem-se por pregos razoaveis, no
escriptorio do agento Oliveira, ra da Ca-
deia do Recife n. 62, primeiro andar.
Prunas de ema, cera de abelha u de
carnauba.
Na ra da Cadeia do Recife, loja n. 50, de-
fronle da ra da Madre de Dos, ha para
vender os gneros cima, recentemente cho-
gados, por pregos razoaveis.
Algrdao monstro, lie pe-
chincha.
Vendo-sc algodSo monstro com 8 palmos
de largura, proprios para toalhas e leugoes,
pelo diminuto prego de 600 rs. a vara : ua
ra do Queimado n. 22, na loja da boa le.
Ligas de seda
pira
euitora
na
de
ve
miein-se
. Astlty
ellins e
de Hava-
em casa
s C.
releg'ius.
;S SECLINS e RELOtilOS de palale
:J; itiiilcf : a venda no armazem de
;^ Huslron Rnoker ^ Companhia, es-
quina doi lari^o do Corpo Saulo nu-
mero 4
Vendem-ss superiores ligas do seda para
senhora, muito bonitas c de muilos pa-
rirnos, pelo baralissimo prego de Io2o0,
1500 e 2/000 : na ra do Oueimado, na
bem conhecida loja de miudezas da boa fa-
ma n.33.
N. O. Bieber e companhia, ra da
Cruz n. 4, vendem :
Louas da Russia.
dem inglezas.
BrinzSo.
Itrins da Russia.
Vinho de Madeira.
Algodao para saceos de assucar
Algodaoziuh" da Bahia
para saceos de assucar : vende-se em casa
de N. O. Bieber 6 Companhia, ra da Cruz
n. 4.
&ra ii^scates
R elogios
cobertos e descobertos, pequeos c grandes,
de ouro patente inglez, para bomem e se-
nhora de um dos melhores fabricantes de
Liverpool, viudos pelo ultimo paquete in-
glez : em casa de Southall Mellcr ; C", ra
do Torres n. 38.
Meias de todas
.as qualidades.
Vcndcm-sc meias de seda branca para se-
nhora, omelhorque se pode encontrar a
35500 rs. o par, ditas pelas lambem muito
boa fazenda a 25500, ditas brancas de algo-
dio, muilo linas a 320, 400, 500 e 600 rs.,
ditas pretas tambem muito finas a 400 rs!,
ditas de seda de cores muito bonitas e pro-
prias para baptisado de enancas a 25000
ditas cruas muito fortes para meninos a 40
rs., ditas de cores de algodao para meninos
a 240 o 320, ditas brancas para meninas a-
240 e 320, ditas cruas e brancas para ho-
mem a 160, 200, 240, 320 e 400 ra., ditas de
cores de lio da Escocia tambem para hornera
a400e500rs. : na ra do Queimado, na
bem conhecida loja de miudezas da boa fa-
ma n. 33.
Suspensorios de
horraeha muito finos
Vendem-se suspensorios de seda e sem se-
da, muito unos, pelo prego de i;>000, 15200,
1/600 e 2/o par : na ra do Queimado, na
bem conhecida loja de miudeza.s da boa fa-
ma n. 33.
Vendcm-se 300 alqueires de sal de Lis-
boa : a tratar no Forte do klattos, armazem
do Guerra.
I\alojadaboa f
vende-se o mais barato
possivt-1 :
abales pequeos de merino, de lindas co-
res, bordados em duas ponas a 7-000 ca-
misas de riscado muilo bem feilas, pel di-
minuto prego de 1/300 cada urna, ditas de
meias muito finas a II, lengos Iranrezes pa-
ra rape a 360, chitas finas e de padrees mui-
to bonitos para cobertas a 200 o covado
cambraia adamascada com urna vara de lar-
gura, proprias para cortinados a 7 a pega
nitas a 200 rs, selim encarnado, verde e
amarcllo muito superiores a 800 rs. o cova-
do, cortes de fustao para colletes a 500 rs ,
ic e 15500, lengos brancosde cambraia pro-
prios para hornera a 240, ditos ditos com
barra de cor tambem a 240, ganga amarella
ranceza muito lina a 320 o covado, lengos
brancos grandes, proprios para cabega a
400 rs., meias brancas fiuas para senhora,
pelo barato prego de 240 e 320 o par, brim
de quadrinbos de padres muito bonitos e
de puro linho a 240 o covado, pegas de pla-
tilbasdealKodao, com 20 varas, pelo bara-
lissimo prego de 3*600 cada um.i.chapeos de
MEIAS PjtTASDE Lili!
p*ra padres.
e algodilo
palha lina do Chili, pelo diminuto prego*
10/, ealem disto muitissimas fszendas On
e bocel e ras.
Vendcm-se duziairie raixasrii massapara rape pe-
lo baralissimo preco de OiO r.,diuias de letoorM em
canoa ljjnooe if20S e arandM 19920, dunas de
cornudas de pao cun palito* de foso a 24o n.,daxiaa
de peulesde chires muilo bons para ahzarai1o200,
duzias de peines de bal-ia para alar cabella a 2J200
e 25<00,duza de navalhai para narlia a 1s(00,Kii>/a>
de boles niadrepvrola para eamiun a (iiio reis,dila
muilo finos de au.iia a 100 rei, (rozas de Doloes fi-
nos para calca a 280 reis, carias com 2") penles de
llinele a 14 reis.duzias de penles de balea Dar a-
zr a 3s, rozas de livellas para tapate* a 560, du-
de colmeles finospara aparar peonas a 2JJ.>no
3-3,duzias de anas (armnicas] a I5200 e Igloo,
huas ile torcidas pnra caiidieirus a SO, r.is ^rozis
Vendem-!je superiores meias pretas c '* "'arcas para cobrir a loo, 12o e 100 rei, pe
laia, pelo barato prego de lSOO o par, ditas '*"lle l,a,lrcl'" para benlinbcs a 120 res, pulceiras"
. encarnadas muilo bonilas para Sra. e meninas a 200
loja- ?tt%1!ttn'8Pm "5.
res, duzias de lapes a 100 rs., duzias de canas com
clcheles a 720 rs., buhas brancas de iiovellos de lo-
do os nmeros, ditas de cores, buhas de miada finas
e rocas, dilas e carrileis branrose decores, cordao
de vestido de toda a .rotura, bi<|uinhos de todas as
larguias, e baratos, rendas de ludas as laruuras, es-
pedios, curdas de viola, litas de laa de todas as co-
res, filas de buho hranras e de cores, didaes, acuilma
de ludos osnumerus, lillas de cda de lodos os nme-
ros, peonas de palo.caixas de chifre, rzanos, colhe-
r*s de ferro, relroz de Indas as cores, vernicas, filas
debeira prela e branca,rampas,eludo u m<>> qne se-
ja neeeasario para complcio soriimento de bocelei-
ras e mscales e que ludo se vende muilo mais liara-
lodo que em oulra qualquer loja, ua ra do Ouei-
mado, na bem couhecida loja de miudezas da boa
fama 11. 33.
peos
de
. ..as
e grossas, que vendem-se por menos que
em ontra qualquer parte : na rna do Ooei-
mado n. 22, na bem conhecida loja da
00a le.
de algodao de superior qualidade a 600 rs.
na ra do Queimado, ua bem o
de miudc/as da boa fama n. 33.
Leques muilo li-
nos
Vendem-sc leques muilo finos, com plu-
mas, espclhos o bolotas, pelo baralissimo
prego de 2;e 3*500, ditos sem plumas muito
boa fazenda a 1?280 : na ruado Queimado,
na bem conhecida loja de miudezas da boa
fama n. 33.
Sao muito fin&s
e de laiui'o botiag tos.
Mussulinss muito linas, matizadas com
lindas cores, de padres muilo bonitos e
iuteiramcir.e novos; vendem-sc pelo dimi-
nuto prcgn de 560 rs. o covado : na ra do
Queimado n. 22, loja da boa l.
fiSSl
Claudio Dbeux
a 139, lio e 153000
\biide plvora ingleu
barril de 25 libras.
Couro de lustro
Vende-se couro de lustre francez, o .me-
Ihor que podo haver neslc genero, pelo ha-
rato prego de 53 a pelle : na ra do Quei-
mado, na bem conhecida loja de miudezas
da boa lama n. 33.
Reinos
patente inglez.
Sao chegados e acham-se a vendaos verdadeiros
e bem conheridus selbns ngletei patente : na roa
do Trapiche-Novo n. 12, armazem de lateada! de
Adamsou llowia iV C.
Planta da cidade do ie-
cfe
Vcndc-sc a planta da cidade do ftocife e
seus arrahaliles, relia pelo Sr. Dr. Jos Ma-
medeAlves Ferreira, por dez mil reis: na
livraria n. 6 es da praca da Independencia.
Jlappa das distancias d.
provincia.
Na livraria n. 6 e S da praga da Indepen-
dencia, vende-se o niappa das distancias
das dArente* villas da cidade enrc si, e
relagao capital da mesma, a mil reis. -
ne
de rape princeza
ca d E. Gaste,
eiro.
EPTf 1

jJCUU
ntn n
1
.If
NAFUNDICAO DE FERRO DOENGE-
NIIEIROOAVID W.BOWHAN. rtA
RA DO ^H'JM, PASSANDO O ollA-
FARIZ,
ha sempre um grande soriimento dos seca i nlesoh-
joclos demechanismuspra|>rios paraeii'.euhos.a sa-
ber : moendase meias moendas, da mais moderna
conslruccao ; taixas de ferro fundido e batido, de
superior qualidade e de lodosos tamaitos ; rodas
dentadas para anua ou auimaes, de tudas as propur-
ees ; crivose bocas de torualha c rcislros de bo-
eiro, auilh6cs, brouzes.parafusos e cavilhoes.mni-
iilius de mandioca, etc. ele.
NA HESMA FUNDICA'O.
se execulam lodas as vncommeiulas con a superiu-
ridade ja conhecida com a devida presteza ecom-
mndidade cm preco.
DO
de l r
Vende-se a prego
grossoe meio grosso
cima, chegado pelo
na da Ci uz n. 49.

da fabri-
llo Rio
commodo rap lino,
da acreditada fabrica
vapor S. .Salvador ; na
Mmi
i e tcdi.s us
u-s
netes
quad(
Ven-ioni-.s' oculos de todas as graduages
com delicadas armages de ac, pelo barato
prego do 800 rs. e 1-500, ditos com armagOes
douradas e praleadas a 19200 e I9SOO, ditos
com armagan de bfalo a 19200, ditos com
armagiio de baleia a 4S0, ditos com armagSo
de metal brauco a 400 rs., lunetas de um s
vidro rcdcmdas e qttailradas com aro de bu-
IV.Io a 500 rs., lilas de dous vidros tambem
com arniagao de bfalo a 1?500, ditas de um
s vidro redondas e quadradas com aro de
(Ido e balidtde 3 a 8 palmos de bocea, ai aaaes
Vcndc-sc cal de Lisboa ltimamente che-
gai-.a, ssim como potassirda Uussia verda-
eira : na praga doConio.Santon.il.
TAIXAS PARA ENGENHO.
la f undico de ferro da D. W. Bowmana u
Fui Iranslo: ido o deposito deste sarope para a ho
lica de Jos da Cruz Santos, narua Novan. 53'
arralas 5?50O, e nicias.'iJOOO, sendo falso lodo
aquelle que nanfor Tendido nesle deposito,pelo
quesefaz o|irescnl-aviso.
IMPORTANTE PARA 0 PUBLICO.
I'ara rurade pblysieaem lodurosseiisdillcren
essros, qucrinotivada porconslipares, losse
aslhma,p!eiiriz.escarns de iangoe, "dordecos-
lados c peilo, palpilagSon* coraran.coqueluche
broncbile, dorna caraaula, e lodas asinolestia
dos orsio pul manares.
Ven :c-se tahoado e pranches de pi-
nho de Suecia, proprio para armagaode ar-
mazem de assucar.
l'os de piuho vcrmelho para mastaros.
(humbo de munigo.
Folhas de cobre.
Metal amarello ezinoo para forro, com os
competentes pregos.
Alvaiade do chumbo e de zinco, em p.
Tinta branca de oleo.
Papei fino de escrever.
Vinno especial'do Rheno e do Porto.
ua da Cadeia do Recife, casa de C J. Ast-
ley i Companhia.
es para pa-
lits, colletes e puntura
de camisa.
Vendem-se abotoaduras muito finas de
madrepcrola para colletes, pelo baratissimo
prego de 500 rs., ditas muito ricas de todas
as cores a 320, 400 e 500 rs., dila.i muito 0-
nas de madreperola paa^alils de meninos
e homens a 500 e 640 rs., atacadores para
punhose collarinbos de camisa, de muito
rico gosto a 400 rs., 800 c 29000, ditos d
cornalina para casacas a 300 rs., e outras
moilas qualidades de abuloadiras que se
vendem muilo barato ; na ra do Queima-
do, na bem conhecida loja de miudezas da
boa fama n. 33.
PUNTES DE TODAS AS QlAl.IDAES.
Vendem-se'penles de tartaruga para cabello
o melhor que se pode encontrar, a 59, ditos
de baleia imitando o mais que he possivel
aos de tartaruga, a I/, 1920o e 19500, ditos
mais ordinarios de baleia a 240 o 320 rs.. di-
tos de tartaruga para alizar, fon idos o rnui-
lo bem fetos a 49, ditos de mar.im, fazenda
muito superior a 19300, 2# e 39, ditos de
borracha de muito superior qulula'de a 1>,
ditos de bfalo verdadeiro, muito finse
bem le.tos, a 640, 80o c 19, dilos a imitagao
do unicorne a 19, ditos de baleia muilo bons
3 280, 320 e 400 rs., dilos de bfalo verda-
deiro, muito bonitos e bem feilos, proprios
parajsuissas e criangas, a 320 rs., ditos de
narlim muilissimo bons, fabricados em Lis-
boa, para piolhos, a 800, IsOOO e 19500. di-
los pretos de bfalo tambem para piolhos, a
500 rs. : ua ra do Queimado, na bem co-
nhecida loja de miudezas da boa fama n. 33.
Para os jovens
na morados.
Vendcm-se ricas folhas de papel phanla-
zia para escrever, cada folha com a comp-
leme capa e nma obreia de cola com qual-
quer da da semana, pelo barato prego de
60 rs., 100, 200 e 300 rs. : na ra do Quei-
mado, na bem conhecida loja de miudezas
da boa fama n. 33.
Taclias de ierro.
Na fundigao da Aurora cm Santo Amaro-
e.lambem no deposito na ra do Brum, loso
na entrada, e defronte do arsenal dc'mari-
< tilia, ha sempre um grande soriimento de
tachas, tanlo de fabrica nacional como es-
taangeira, batidas, fundidas, grandes, pe-
qnDSS, rasas e fundas ; e cm ambos os lu-
gares existem guindastes para carregar ca-
noas ou carros, Iivres de despeza. Os prego
s5oo s mais commodos.
* arafidrts e nadt s
Um lindo e variado .soriimento de model-
los para varandas e gradaras, de posto mo-
deruissimo- na fundigao da Aurora cm San-
to Amaro,e-no deposito da mesma, ua ra do
Brum.
Moendas
liso a 3s, dito paquele pautado a 5 e 6| a-
resma, dito de cores, de folba pequea, em
quartos de resma a 700 rs., grozas das bem
conbecidas pennas de ago, bico de louga a
19200, ditas muilo tinas sem ser de bico de
louga a 500 rs. e 1-, duzias de Iapis muito
linos a 320 e 800 rs., caetas muito bonitas,
de ago, torneadas a 120, ditas de espinho a
200 rs., ditas ordinarias de po e (landres a
20 rs., caivetes de cabo de chifre de viado,
de 2 folhas, muilo boa fazenda a 800 rs., di-
tos de 1 so fo'.'ia com cabo de madreperola a
80O rs., ditos muito finos de 1 s folha com
cabo de marlim a 19600 e 2/, ditos de 2, 3 o
4 folhas, linissimos, tambem com cabo de
marlim a 2-500 e 3/, vidros com tinta car-
mim muito lina, propria para riscar e escre-
ver a 800 is., .iimies de tinta preta iugleza a
HO rs., tinleiros patente inglez, de vidro.a
19500 e 39, reguas redondas muito bem fei-
tas tambem inglezas a 500, 600 e 800 rs., po-
dras inglezas muilo finas para amolar a 1/e
I950O, linteiros para algibeira a 400 rs.,
agarradores de papis de muitas qualidades
e pregos, e outras muitissimas cousas : na
ra do Oueimado, na bem conhecida loja de
miudezas da boa fama n. 33.
Vende-se fumo chegado agora de Ga-
raiiliuns, muito bqm, por preco muilo em
conta ; na ra da Camboa do Carmo n. 12.
Objectos para
luto.
Naa-ua do QOeimado, na bem conhecida
loja de miudezas da boa fama n. 33, encon-
tra-se sempre completo soriimento de ade-
regos, brincos e rosetas, pulceiras e alfine-
tes, tudo prelo, propriamente para luto, e
que tudose vende mais barato doqueem
oulra qualquer parle.
Cartas france-
zas muito finas para volr
trete.
Vendem-se finissiroas carias francezas pa-
ra voltarete, pelo baralissimo prego de 500,
600 e 00 rs. o liaralho,c tambem so vendem
porluguezas a 300 rs.: na ra do Queima-
do, na bem conhecida loja de miudezas da
boa fama n. 33.
Arados de ferro
Na fundigSo de C. Starr & Companhia, em
Sanio Amaro, acham-se oara vender arados
de ferro de um modelio e construegao muito
superiores.
RICAS BONECAS FRANCE-
ZAS.
Vendem-se muito lindas e bem vestidas
bonecas francezas, grandes, pelo baralissi-
mo prego de 29 e 29500, ditas vestidas de
noivas, e cada urna no seu cartSo a 3#00o e
3-3500, prego que n5o ha quem deixe de dar:
na ra doyueimado. na bem conhecida loja
de miudezas da boa fama n. 33.
Brinquedos pa-
rt meninos,
Vendem-se diversidades de objeclos de
ago, muito delicados e proprios para meni-
nos brincar, por pregos muito baratos: na
ra do Queimado, na bem conhecida loja de
miudezas da boa fama n. 33.
Para as senho-
ra de bom gosto.
Vendem-se ricos estojos de Jacaranda,
proprios para costura de senhora, pelo ba-
ratissimo prego de 29500, 4, 6, 79 e 85O0O,
caixtnhas para guardar joias a 800 rs., 1/ e
19200, carterinhas mullo delicadas proprias
para senhora e meninos a 800 e500rs., te
souras muitissimo linas para costura, de
todos os lmannos a 500 rs., 600, 19000 e
19200, ditas para unhas tambem muito linas
a 800 rs., 19000 e 1/200, lioha de peso mui-
to fina para labyrinlho a 100 rs. a meadi-
nha, ditas para bordar a 100 rs., 140 c 160,
Iludas calimbas com grampas a 160 e 300
rs., cartOes com 14 e 24 pares do clcheles
francezes a 80 rs., 100 o 120, linhas de car-
reteis de 200 jardas do autor Alexandre a 80
rs o carretel, ditas de 100 jardas do mesmo
autor a 40 is., caixinhas com agu lias fran-
cezas a 160, ditas com agulhas de papel
preto a 280, carteirinhas com agulhas fian-
cezas a 320, agulheiros muito bonitos com
agulhas tambem lrancezasa 160 e 320. cai-
xinhas com 16 novellos de linhas de marcar
muito finas, azues e encarnadas a 320, ricos
botoes de cores para vestidos, ou roupinhos
de meninas a 600 rs., 800 e 1# a duzia, ricos
agulheiros de ago e de marfim a 240 e 800
rs., dedaes de ago muito bonitos e cada um
na sua caixinha a 500 rs., almofadinhas de
multas qualidades proprias para pregar alfi-
netes e agulhas, pulceiras de varias quali-
dades, riquissimas fitas lavradas e lisas, de
todas as larguras, trangas de todas as cores
e larguras, Utas de velludo bertas e lisas,
bicos muito finos de linho ede varias lar-
guras, rendas de varias larguras, babade
aberto de linho, touca*s de 13a para criancas
e oulras muitissimas consas, que tudose
vende mais barato do que em oulra qual-
quer parle: na ra no Queimado, na bem
conhecida loja de miudezas da boa fama
n. 33.
rWMAil/iS
muitissimo finase de mui-
to bons gostos.
Vende-se a vordadeira agua de colonia do
Piver, simples o ambnada em frascos de va-
rios lmannos, banhas muilo fiuas e de mui-
tas qualidades em ricos vasos, espiritos e
extractos muito finos e de muitas qualidades
em frascos de muilo goslo, .-abneles muito
finos c de muitas qualidades, agua de lavan-
de ingleza, fazenda muilo boa, vinagre aro-
mtico tambem inglez e muito bom, extrac-
tos muito finos proprios para bolso de es-
tudantc, escencia de rosa, pomada franceza
muito boa, macassar perola muito bom e de
todas as cores, dito oleo, pos para denles,
pastilha e outras muitas perfumarlas, tudo
muito fino e de muitos gostos, dos melhores
labrtcantes da Franca e Inglaterra, e tudo se
vende barato na ro do Oueimado, na bem
conhecida loja de miudezas da boa fama
11. 33.
se
superiores
Na fundigSo de C, Starr & Companhia, em
Santo Amaro, acham-se para vender moen-
das de caima lodas de ferro, de um modelio e
coustruegao muilo superiores.
Luvas de lodas
as qualidades.
Vendem-se verdadeiras luvas de pellica
de Jouvm, pretas e brancas, para bomem e
senhora a 29500 rs. o par, ditas de seda de
todas as cores e bordadas, com guarnigOes a
29500, ditas lisas tambciii de soda e de to-
t- das as cores, para homem e senhora a 19,
19200 e 1500, ditas pretas de torgal, mullo
boa fazenda a 19, ditas brancas de algodSo
acham-se a vanda, por eprejo commodo com
promptidao: erubarcam-soucarragaa-sa amcar
ro semdospezaao comprador.
Vende-se superior linhas de algodSo
brancas, e de cores, cm novello, para costu-
ra, em casa de Southall Mclior o; C.. ra do
Torres n. 38.
a
p-
Em casa de labe Schmettau &Companhias
ra da Cadeia n. 37, veudem-se elegante,
pianos do afamado fabricante Traumann de
Hamburgo.
para homem a 240, 320 o 400 rs", dilas de
cores muilo finas de fio da Escocia para ho-
iiiem o senhora a 320, 4110 o 500 rs., c ou-
lras mais qualidades de luvas, que se ven-
de barato: na roa do Qutfiuiado,. na bom
condecida loja de miudezas da boa fama
n. 33.
DE MUITO BONS GOSTYS E
BRATt
Vendcm-se muito rioftCjarro.s de porcelana
para flores, ricos paresj de calurigss para ci-
ma de mesa tambem de porcelarra, linteiros
de muito gosto, e paliteiros. tud'> de porec-
-*?**:*>$& .frUyvb
Desappareceu nodia 9 de dezembrodo
armo passado, do engenho Piabas do Bom
Sucesso, municipio do Porto Calfi, provin-
cia das Alagas, um mulato escravo de nome
Joo, de idade 22 annoa, pouco mais ou me-
aos, estatura alta, grossura proporcional,
bem espadaudo, rosto redondo, cabega um
lanto pequea, cabellos crespos, bem fecha-
dos, testa pequea, os cabellos da cabega
desee muito para cima das sobrancelhas, na-
riz chato, pouca barba, e roivas, bem feito
de corpo, un tanto barrigudo, pernas com-
pridas, pes grandes e mos, he bem desem-
bargado no fallar e andar, he carreiro, mui-
to contador de historias, fumador de charo-
les e cigarros ; com facilidada passara por
forro, lem una cicatriz na bocea do estomo-
go dentada de um cavallo : desconlia-se que
ande tiabalhaudo na estrada de ferro no Ke-
cifc : roga-s.a lodas autoridades policiaca
o capilaes decampo, quo tenham conhcci-
mciito de existir em seus domicilios, o man-
dem prender remele la a Seu senhor J0S0
Uuarlc Copes de Vasconcollos, no dito en-
genho, ou na cidade do Itecile, a seus cor-
respondentes, Cima Jnior & C, narua da
Cruz n. 28. que serSo generosamente re-
compnesados e indemni.-ados do todas ri
despezas que por ventura so faga.
Fugio de bordo ao brigue brasileiro
Melampo, na noite do dia 8 do corrente, um
lana e por prego que nao deixarj de servir ae n,onie Marcelino, nag3o Cabinda,
altura regular, secco do corpo, rosto com-
pndo, barba serrada c cria suista, com falla
de denles na frente, e consta andar vestido
com paleto, e calgado : quem o pegar leve-o
a bordo do dito navio, junto ao ca<-s do Pas-
seio Publico, ou a casa de seu consignatario
Manoel Alves Guerra, na ra doTrapiche a
i, que ser bem recompensado.
a quem gosta do que he bom na ra do
Queimado, na bem conhecida loiaVle miude-
zas da boa fama n. 33. '
Bom e barao
1
Vende-se muito bom papel alinago- greve
a 4C a resma, dito muito bom sem se'r greve
a 39200, dito de peso paulado a 4VM*>> dito
MUTILADO
PEKK.: TVP. DE M. F. DE FAKIA 1857;
'*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9TTHQF4Y_YDJ8FZ INGEST_TIME 2013-04-26T21:38:07Z PACKAGE AA00011611_07760
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES