Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07594


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno XXVII
Sabbado 27
Seft
de Sefembro'de 1851.
N. 218.
DIARIO DE MPMMIBm
rn-cgo da suaonisglo
l'umi.iiii Adiautado.
r0r trimestre...........
por semetlre
Por nnOp1o'II"KI^,'0'D0Tiiir.
t* 1u""lMiiDolHnaio'
p.r .- 2deSe.br.
Par.lb- Selb
Miri.ii 31 de
S.Paulo. 3 de
ll. de I.. 11 rli-
Baha... 18 de
d/1'00
8/000
15/UOO
4/500
Agosto
Jelbr.
dito
dito.
DAS DA IEH1N1,
AUDIENCIA*.
21 Seg. S. Mauricio lo. ;' Jnitodc Orphoi
33 Tere. S. Lino p. m. 2. e5. as 10 horas.
24 Quart. N.S das Mci~ i. varadocitel.
cl ; i. Geraldo. 3. cG. ao meio-dia.
25 Quiut S. Firmino b.i Faunda.
2 Mil Si. r v.i lino e 3. e 6. as 10 hora.
Jii.tinr nuil. ; 2' tarada eivel.
27 Sab. S. Cosme. 4. e sbados ao mcio-d.
'.'8 non). S. Venceslao I Relaco.
duqu; l. Salouio.Tervas e sab-dos.
[mimniDr
Creicenle a 2, ai 11 horas e 33 minute da man.
Chela a 10, ai II horas c 24 minutos da m.
Mlngoanle 18, asll horas e 0 minutos da m.
Nova .i -'.'>> as 3 horas e 52"minutos da inanhaa.
rniAMA B DI HOII
Prlineira s6horas e 54 mininos da mauha.
Segunda s 7 horase |8 minutos da tarde
PABriDi bo coaioi.
Goianna e Parahlba, segundas e leitai-
fclrat.
Rio-Crndc-do-Norte,todi as qulutai-feir.t
ao inflo dia.
Garanbunt e llonito, i 8 e 23.
Doa-Vista, c Flores, i 13 e 28.
Victoria, t quintas-fclrat.
Olun.i, lodosos das.
NOTICIAI STRANClinAf.
Portugal. 14 dr Agosti rtustria
Hespaoba > de dito Sulsia.
Franca ... 8 dedilo Succia.
Blgica... de dito Inglale
Italia.. .. 2 dc guila E.-l'ni<
Alemanha. 3 de Julho Mjico
Prussia ... 2 de Agosto :.;i llfori
Dinamarca I de diio
Rutila .. 30 de Julho
Turqua. ;ll de Julho
il.le Jlllllt.
Sulsta. ... I de Agosto
Succia... 30 ile .1 nlll"
nglalerra 8 de Agosto
K.-I indui _'-; Mxico. .. 7 de Junho
California 15 de Junho
Chlll. 26 de Abril.
Kucnos-A. 1 Ct 8elb.
Montevideo 8 de dito.
CAMBIOS DE 26 DE SKTEMBBO.
Sobre Londres, a 28 'i,d. p. 1/0O0 ti, I irme
Pars, 360 por fr.
Lisboa, sem transaeces.
MATAS*.
'Ouro.<'ni. ii bespanholas...
Hoedas de 6#40o velbas
de 61400 oras.
de 4/Dl'O......
Prata.Pataco braslleiros..
Petos coliimnarios..
Ditos meilcanos.....
li<000 a
l/OOO a
'.1/000 a
1*020 a
I#920 a
1/750 a
I/IUO
l#20
1/J>I.
1/760
PARTE OFFICIAL.
DECRETO N* 806--DE 28 DK JULHO DE 1851
EtiahtUct rgimen^ para os corretores da praca
do commereio do Rio de Janeiro.
llii Por bem' sobrc C0I1S"11 Ju tribuual do
coininercio da capital do imperio, decretar -
leguiote '
Regiment dot eorretvre da praca do commereio do
Rio de Janeiro.
TITULO NICO.
Do corretores.
CAPITULO I*
Di nomeaoao, suspensao e destituico dos cor
retares* e da iiuposico das mulla.
SECg-VO I-
Da nomeacao dos corretores.
Ait. I. Os corretores da pnca do Rio de Ja-
neiro s& da nomeacao do tribunal do com mer-
ejo da capital do imperio, pela forma deter-
minada nos arts. 36, 37, 38, 39 e 40 do cdigo
commercial.
Os corretores actualmente esitten^ so
obligado a registrar os ttulos da sua uomea-
*;ao no referido tribunal ; e a prestar o jura-
nientodetermiuado no art. 38 do sobredilo c-
digo, dentro de qulnie das contados da publi
cacao do presente regiment, pena de suspen-
.s.iii do seu omcio.
Art. > llavera na praca do Rio de Janeiro
tres classes de corretores ; a saber :
1.a De fundos pblicos.
2.' De navios.
3.a l)e inercadorias.
[Sao esceder de dea o numero do* correto-
res de turnios pblicos, de oito o dos de navios
c de dei o dos de inercadorias.
Este numero pode ser augmentado ou dimi-
nuido pelo governo, sobre consulta do tribu-
nal do commereio. Art. 57 do cdigo j segun-
do estgirein as necessidades coinmercacs, mas
iio caso de reduccao, esta spuder ser levada
cllcito a nroporco que buuvcr vagas.
Art. 3. Cada hu dos corretores de fundos
pblicos prestar urna "*uca de dex contos de
rU, e os de navios de cinco contos de ris, e
o de inercadorias de cinco contos de ris.
As quanlias destas flaneas podera sollrcr al-
terarn e nova nxacao, semprc que o goveru
assim o resolver, sobre consulta do tribunal do
cunmiereio. ( Cdigo commeicial art. i J.
\ llanca ser prestada no cartorio do escri-
vao dojutso municipal e do commereio do
domicilio do corrclor. Cdigo commercial
.irl.-fi ).
Art. 4. Os corretores, que accumulam o sei-
vico de diversos ramos de corrtlajem, sao obri
gados a prestar separadamente a tianca corres-
pondente a cada um dos ramos de corretageiu
que exercerem.
Art. 5. lu lugar de fanca ser o impetran-
te admittido a depositar no tbesouro publico a
importancia della em dmheiro ou apolices da
divida publica pelo valor real que estas tive-
rcui ao lempo do deposito : das apolices rece-
ber na calaa d'amortisaco os dividendos de
juro, e do dinbeiro o juro niiiui.il, que o mrs-
iii.i inesouro publico marcar, pago semestral-
ineote. (Cdigo commercial art. SI,
lleiivre ao proprietarlo das apolices substi-
tuir o deposito pela respectiva quaiitiaem di-
nhciio, ou mesino pela aofa, sempre que o
julgar conveniente.
Ar(. 6 No caso de deposito de apolices da
divida publica, o secretario do tribun*! do com-
mereio requerer juuta administrativa da cai-
aa d'iuiorlisacuo, que ordene que se facam nos
livros competentes os devidos assentamenloa
ou averwacdes. para que as apolices depositadas
iidu iniso.iiii ser transferidas, em quauto subsis-
tir o deposito. (Art. 15). .
Art. /. O deposito, ouseja euidinlieiro ou
em apolices, ser conservado ellectivainente
por intelro, e por elle sero pagas as inultas
rm que ocorretor Incorrer, e as Indemnisaccs
a que for obrigado, se as no satisfazer imuie-
diatamente, que nellas for condemnado can-
do suspenso ein quaoto o deposito nao for prc-
enchido. (Cdigo commercial art. 43).
Art. 8. No caso de morte, fallencta ou au-
sencia de alrgum dos iiadores, ou dse tercm
desonerado da fianca, por forma legal ( cdigo
couimercial art. 2&2), cessar o olticio do corre-
tnr, em quanto nao prestar novos Iiadores.
(Cdigo commercial art. 44}.
Oconetor, que nao reforcar a liauca, ou uao
preeucher o deposito dentro de tres mezes
coutados da data da suspen&o, ser desti-
tuido.
Art. :. Os corretores sao obrigados a regis-
trar ua secretaria do tribuual do commereio,
al o dia 15 de julho, o conbecimento do paga -
neuto do Imposto annual, que for determina-
do por lei; pena de suspenso : e os que o nao
apresentarem ate o Hin do ultimo mesdo pri-
uieiro trimestre liuaucciro sero destituidos.
Art. 10. O oMcio de corretor be prssoal, c
nao*pode ser substituido ; pena de nutlidadedos
-'L'tus de corretagem que forcm praticados nelo
substituto. Todava ser pcruiitlido aoi corre-
lores, no caso unfeo de molestia adquirida dc-
pois da sua nomeacao, exercer as funcedes do
scu oIRcio por via de pessoa por elles nomeada
e approvada pelo tribunal do commereio, que
rena as condlces necessarias para poder ser
corretor, prescriptas uos arts. 37 e 39 do cdi-
go commercial; ficando ocorretor solidaria-
mente reiponsavel por todos os actos que essa
pessoa pralicar, como se por elle proprio pra-
ticados fossein.
Art. II. A ucnlium corretor he permittido
abandonar o exercicio do acu olriclo sem com-
niunicar previamente ao tribuual do commer-
eio a sua rtsoluco, e laier linmediataiuenie
entrega de todos os lvros e uiats papis per-
leuecntes ao seu olficio ao secretario dajun-
U dos corretores, que os remclter sem
demora, ao secretarlo do tribunal do com-
mereio.
Art. 12. Vagando algum o Hielo de corretor
!""'-:;:;.. (juaiquer liiulo, o escrivo do ju do commereio do domicilio deste proceder
inmediatamente arrecadaefio de todjs os l-
vros e papis pertencentcs ao oiclo que vagar,
e ao exame do estado em que se acbarem, na
presenca das parles Iniercssadas e de duas tes-
lemunhas, e de tudo far remessa ao tribunal
do commereio, u forma determinada nos arts.
oj e bo do codigvcoinmercial.
Art. 13. O tribunal do commereio, logo que
recebe, os llvros c mais papis meuciouados
nos dous artlgos ai.tecedcutes, proceder, na
prlmeira sessao, ao exame do estado em que
c acbarem, e diste se lavrar competente au-
to nos proprios livros, que ser encorporado na
acta da iiiesma sessao. Depols do referido exa-
,,,l'B"ao o" dllos livros mandados guardar no
rciiivo para serem entregues ao corretor, que
lor prvido no ..Ricio vago.
rmH\ A "8* dc qualquer ofticlo de cor-
Lum ,!;a,mandJda annunciar pelo trilmnal do
antC "0^ral^I>ubUcaco dos seus
rumlnl:'a?,,ePlUo tluc ""ver prestado o
jorrelor, a que pertencla o omcio vago, con-
inuara ,,or lempo de;seis couud a
jalada sobrcdila publicacao : e snoder i ser
'*;van.la|j0 a f UU dC docuo leel do i"!
bunjl do commereio por onde couie que Lo
Pende contra elle reclainaco alguina. |UC/a
SEttA'OIL
Da suspensao, c destituido dos corretores, e da
imposlco das multas.
Art. l(i. Sao competentes para multar, sus-
pender e destituir os corretores, nos casos cm Apolices da
3ue estas penas sao applicaveis I.* o tribunal divida pu-
o commereio. com recurso para o conselho de blica. ,
estado, no eftcllo devoluiivo smentc nos ca-
sos de suspensao e imposlco de multas, c cm AxcOcs de
ambos os elleltos nos casos de desliiulcao ( co- ^ompj-
digo commercial art. 5i, u. 3.* e regulamrnto nbias.
dos tribunaes do commereio art. 18, B. 6)i Mctacs. .
2 B as juslicas ordinarias, que conhecercm de
causas dc perdas e damnos intentada* contra
corretores nos casos dos arts. &i,.pk, 55, 56,57,
58 e 3 do cdigo commercial, com recurso Le tiras de
pira a relaco do distrlcto, nos referidos cf- cambio,.,
fcitos. .!>'! dedes-
A condeinnacao em perdas e damnos s pode cont ate 1
ter lugar pelos uieios urdiuarios.
Art 17. O tribunal do commereio percede
imposlco das penas sobrcdilas : I,* oilicial-
mente : 2." sobre denunciada junta dos c rre-
tores : 3 sobre petlfio de partes.
Art. 18. Constando ao tribunal por docu-
mentos, ou por outra alguina forma segura,
qiiealcuiii corretor tem pralicado ou dcixado
le pratif-r algum acto pelo qual possa haver
lucr a imposlco das penas subrrditas, man-
dar auloar pelo ofllcial-maior da secretaria os
ditos iiociiurentos, ou a copia da acia da ses-
sao por onde constar que o actu chrgou a sen
conbecimento, com as diligencias a que julgar
couvenlente proceder : sendo os auto conti-
nuados com vista ao desembargador fiscal: c
#ste, achando que o proeedinienio podo ter
lugar, reducir a artlgos a materia da aecu-
saco.
bobre o oiTicio do desembargador li.cal man-
dar o tribunal responder o corretor no termo
dc cinco dias improrogaveis c se esle p*dir
lempo para provar a sua del'esa Ihe conceder
dczdias lambeui Improrogaveis.
Art. 19. Se dentro dos cinco dias o corretor
nada respouder, ser o processo julgad i na pii-
iiiciri sessao do tribunal com a presenca do
desembargador fical, segundo a prova cous-
lanlc dos autos. .Se porm o corretor producir
sua defesa e pedir lempo para a prova, lido o
termo que Ihe for assignadn para esta, com
prova ou sem ella, sero os autos continuados
com vista ao corretor por dias para allegar,
c cm ultimo lugar, ao drsrmhargidor lineal
para officiar, o que se Ihe olterecer : c lindos
os referidos tcrmoi, que sero improrogaveis,
M'i.i tribunal, que o presidente designar.
Art. 20. >os casos do processo ter lugar so-
bre deuuucia da juuta dos corretores ou de
petico de partes, autoada, estas, se procede-
r cm tudo pela forma determinada uos arti-
go! antecedentes, coma nica dlWcoca, de
que junta dos corretores, ou asparles quei
xosas se eoncedero os meamos termos, que
se coucederem ao corretor, para contestareui a
resposta deste, e para provarem a sua quei-
xa ou denuncia, c allegarem a final, e sobretu-
do olllciar alinal o desembargador liscal.
Art. :'.' Em semelhanlcs pioccssus servir
de escrivo u olbciaNmaior da secretaria do
tribuual : as tesiemuuhas, so as liuuver ; sero
inquiridas ua presenca deste pelo desembar-
gador liscal, c pelas partes ou seus advogado*.
A delsa c as allegacoes sero escripias nos
autos : os termos para contestar e alleg- r prin-
cipiarn correr desde o dia emque os autos
forcm continuados s parles, c os da prova, da
dais da intimaco do despacho du tribuual s
mesillas partes.
No caso de recurso para o conscllio dc esta-
do, subiio os autos originaes, lieando traslado
aulheuitco na secretaria do tribunal.
Art. 22. As scntencis que coudemuarem os
corretores em multas sero exectiladas uo jui/.o
municipal do domicilio dos executados : as dc
suspenso ou desliluico sero mandadas ul-
timar pelo tribunal do commereio por va do
porleiro do mesmo tribunal, e sobre ellas se
nao admiltiio embargos do exceutado, exeep*
lo dc lercciro, quanto s multas.
ANTULO II.
Das funeces dos corretores.
Arl.
mcies .
Ditas de des-
cont al 8
inezes .
Ditas de des-
cont at 12
me/.es .
Ditas param.1
de l2meies
Generoe Mcio*
eiunaee de ex-
porta filo.
Assucar .
Caf.....
Couros....
Outrosquaes-
quer gne-
ros ....
(icncrt.3 eifriin
Qriros de iwi-
portorvio e de
reexpoitnfn'o
Venda dc na-
vios .
Frctameutos
de ditos .
Agencia dc&e
guros .
Traducir ma-
n.estos .
Ccrtidesno
excedendo
as coia^cs
a mez .
Excedeudoas
cotaeocs a
tiiii mee. .
i P. "In
| p. 0i0
I0O0. 1/000...
'i, p. 00 "p. OO
kp.dO
(p 0,0
ilsp-ioio
'I. p. 0(0
!ap. 0,0
I P- c,u
p, 0 0
' p. o,u
lOrip.ar
p.0l0
./00 .
s/ooo.
4^000.
'iiP.Oj
2'|4p.0,0
Sobre o va-
lor elleciivo
Cada una.
Sobre suaim
portancia
em dinbei-
ro correntc.
Mi' ni.-
5 Propor ao tribunil do commereio tudo o reto c sua inullier
Conlcirnie
convencfl
mulua.
Sobre sua im
porlJieia. .
Pagos pelo
propietario
ou cousig-
nalario so-
bre o valor
do frelo.
Pago pelo se-
gurado.
Pagos pelo
proprietarlo
ou consig-
natario, por
iilt ii'M i
das3prlmei-
ras paginas,
20' por cada
nina das se-
guiles,
nuueacxco-
deudo a i ui-
porlaucia
toda a mais
de 40.
Cada nina.
Cada urna.
Arl. 31, Neuhuin corretor poder augniculir
ou diminuir as romnisses ou corretagens
marcadas uo art. 30, sob pena de um a seis me-
zes dc suspensao, c de una multa dc cinco
a dc/ por Arlgo 32. O commcrciaiile que cnlregtr ao
eorreinr ooobecluiCOtOl ou nolis de gneros
para vender, ou o incumbir de quarsquer ou-
tros negocios cm lempo determinado, nao po-
dera realizur os inesuios negocios por interven-
co de oiiLio corretor, sem terdeciso do pri-
meiro com qucui traloii, sb pena de pagar a
este a corretagem correspondente como se a
operaco fosse por intcrvcuco dellc ultimada,
O mesmo tara lugar, quaudoqujl|Ut'r eom-
luerciante, leudo reccbldo de um corretera
nota do desempenho de alguuia commiiso dc
que o houver cucarregado, deixar de ultimar o
uegoclo por sua iniervenco por Ihe nao agra-
daren! as condicoes, c o viera realis.ir particu-
tuatiucule csto em uso de seren tocados, i lacorm que sao.
mas mesmo de quaesquer novos elteilos. mer- i Appellanlc, o juizo appcllados, Mariana de
cadorias ou papis dc crediio, que possam ap-' Jess Coi rea c oiitros.
parecer n mercado, que de.n lugar a canside- | l'assaram do Sr. desembargador Luna r rei-
ravelstraniaccdci, e que por sua natureza se- re ao Sr. desembargador Pereira Moiitelro as
jim susceptivei dc cs'abelccer um proco e cur- seguimos appcllacors em que sao-
o retratar. Appellanlc, Auna Joaquina do Sacrainenlo Ay-
AiT 42, A casa da praca do Commereio he o es ; appellado, Alexaudrc Ferreirados San-
unico lugar competente para a reuna dos! los Camiuha.
corrotores Appellatue, Juao L.He Pila Ortiguolra ; appel-
Cbegadaa horade fechar-sc a dita praca sc\ lados, *lanoel Pereira Guimares c oulros
..23. Ocorretor pode intervir cm todas ,
as convences, transaejoes c onrracVs mor- '""'^tc ou por iiiterveucao de oul.o corre-
caniis;e os actos por elles praticados, sendo lor, com as mermas parles e .guaes comifes,
provados por assentos regulares, exlrahidos ; litro dos primeros tres das scgumtcs, c
dos seus livros. tem fe publica. (Cdigo com- Pvando-se que hourc dolo p-ra Laudar o
mrrcial arts. 45 e 52). corrclor, scrao cominercianlc obtigado ao pa-
Art. 24. As pessoas que exercerem lUbul- !* moto *>-P da corretagem quesera
cues proprias do ollicio dc corrector dc qual- .'.,.. ... .
quer classe dc corretagem, sem titulo compe- *-ft A incumbencia de qualquer nego-
tente, fra dos casos exceptuados uo arl. i, Si?-*!?1 f.?i? Sl^ila'I" ^?ii"
soll'rero, alm da pena criminal imposta no
art. 137 do cdigo criminal, una inulta cor-
respondente ao triplo do valor da correta-
gem, que houverem percebido, c os seus actos
uao tero mais forca du que o dc imples man-
datarios.
mesmo dia, salvo convenco em contrario
CAPITULO III.
Da junta dos corretores.
Art. 34. llavera urna juuta OOmpOfU de cin-
eorretores, dos quaes tres perteuccro a
I.ism- de finidos pblicos, eleita aunualmente
co
compe
... or. ..___n. i.f. i.. tu 'classe de huidos publico, eleita anuualinente
mnew corretores e fundos publico,. ,, nrttUtf.llodula, classet, por malo-
l. A compra, vendac transfe-eneia de .,u,e..''" ablls"""a votos do que se achare. prc-
quer puados publico. ..acion.es ou e.tr.n- *rt SS. A rtljo Hr pr..ldld. pelo presl-
2 Anrgociacao de letlras dc cambio, c de denle .la ju.iU.scrvindo dc seerelar.u oda nies-
nuae.qner e,resIimo, c......,,e,ci.,es I S^S>J ''"' 2*? "! P,.;U?,"i"t!.?f!:
uscsiiner eini.reslimns cum.iierci.ics .,. J,;. '"" ., llLl .",..,
3. A compra e venda de melae, precioso,. "' "'", para e3lc I1'"' /' a c,....| eiculc
umulativamente com os cn7r.tor.td. ...er- ac'a: VS*SL* a''B"ada Por J"0 '"""i":
.dorias (Art. 27), c a colacao de seus a ,a la u" P'M'dent.-. prcsidi.a, o coiretor
.... > mais amigo na ordem das matricula*.
reunlrflo Bella lodos os corretores com os
uicnibros da junta para o lim dc verllicarcm c
colarcm os precos da transaccOes do da pela
forma sobredila.
Art. 43. Os precot que forcm colados, deve-
ro ser laucad .s cm livro para esie Hu priva-
tivamente destinado, con. declaracio do mxi-
mo e do mnimo dos incsuios prceos oulidos
naquellc dia.
Huma copia aullientlca das colac.i>cs que se
laneirern nu referido livro, asslguada pelo pre-
sdeme da junta e pelo secretario, sera publi-
cada na f.llia cnVial do dia segumie, pena de
suspcnsfio. e de una mulla de IGO/a 200/ rs..
que ser duplicad, nal reincidencias.
Arl. 44. O litro da* acias c registro dos pt-
eos concites ser rubricada por ...n dos depu-
lados do tribunal do comiiicrcio, a qucmeon-
bcr por deitrlbulcao c lindos sero remetidos
ao secretario do tribunal do ciiminercio para
.illi seren archivado*.
Art. 45. O presdeme da Junta remetiera
seuiiiialiiiciitc a bolotiin do curso do cambio,
e fundos pblicos ao presidente do tribunal do
lliesouro publico nacional, c ao secretario do
tribunal do oom.nercio, accretientando nquc
rcmeller a este o preco dos mais gencrot, ellei-
los colados durante a semana, pena dc sinp.-n-
.lo. ede nina mulla da 100/ a 100/es., que se-
r duplicada as reincidencias.
Arl. ili. A unta he respousavcl pela exacll-
do dos precos colados de biisodas penas im-
postas no arl. 51 do cdigo commercial ; mas
se lir iudiiid.i cm erro pelas olas dc algum
corretor, as referidas penas recalarn tmen-
te sobre o corretor que houver aisig.udo a
nota com precos falsos.
Arl. '17. O* corretores c o secieailo da jun-
to perceber) pelas certldei que pAts.reiu,
osprimeiros pia si, c o segundo melade para
si, e outra melade para caita dos emolumentos
do tribunal do eomin.ircio, os emolumentos
marcados no arl. 30.
Arl. IH Todas as multas que nao llvcrein
applicaeo especial nesle regiment, eulraro
para a caita dos emolumento, do tribunal do
commereio.
Arl. 49, As dispoticct do Art. I.'compre-
heiidem os interpretes do coiiiuiercio.
Os incluios Interprete, perceberam pelas Ira-
ducc.ie, que Otereni, c cerlldoc dcllas que
passarcm, s mesmos cmoliiineuliH que lico
lixados para os corretores nu arl. .30.
Euiebiode Queiro Coullnlio Mitioso > itii.i-
ra, do nuil cuuselho, ministro c secretario de
estado dos negocios dajustiea, o le.iha assim
entendido c faca execular Palacio do liio dc
Janeiro, eut 30 dc junho dc I85l,trlireiiina da
independencia e du imnerio. Com a rubrica
de S. Al. o Imperador.Entibio tic Qatiroi Coa-
t.'rt/io MaIIoo Cambra.
TH1BUCAL da hel.k; VO'
SESSAO UE 2.1 l)E SETEUWIO DE iSSl.
Presidencia -lo Kxm. Sr. conseiheiro Atevalo.
Appellaule, Goocalo Marinlio r'alco ; appella,
il i Amonio l'.nlo de Carvalho.
Appellinle, D. Thcrcia oiifalveidc Jeius A-
tevedo ; appellados, Joo Pedro Adottr iv '.'
Appellante, Francisco Josd Duartc Gatuarco;
appcllada, Joa.iua Maria Macil e outra.
Appellaule, o julio ; appellado, Jos oncalves
do l'asso
Anpellanie, Joaquim Jos dc l'aria ; appella-
'dot, James Crabtree C,
Passoj do Sr. desembargador Pereira Mou-
lelro ao Sr. desembargador Valle a teguinieap-
pellajjo cm que sao :
Appellaule, o julio i appellado, Jones l'aton
& C.
Uo mesmo Sr. ao Sr. desembargador Villares
a seguale appellaco cm que sao:
Appellanlc, Saluitianno Auguslu Pincnla dc
Soma Peres: appellado, Mauocl Joaquim Ra-
mos e Silva.
Paisarain do Sr. desembargador Valle ao Sr.
desembargador .-lamiago as segulnles tpp.ua-
V'Oes em que sao :
Appellaule, Manuel Filippe da Fonscca Laude;
appellado, Jos Rodrigues do l'asso.
Appellaule c appellado, Binlio Alve dc Mi-
randa Varejo c Joo rlenlo Barbosa.
Passaram do Sr. desembargador Santiago ao
Sr. dcsembargailor Villares as seguiules ap-
pcllacOes cuque sao:
Appellanlc, o juio; appellado, Joo Gomes
da Silva.
Appellanlc, Joo Ca'vol; appellado, Chrislovao
Starr.
Appellaule, a faic ida publica ; appellado,Ma-
uocl Jos Pereira de Araujo.
UISTIUUUI^'BS.
Ao Sr. desembargador Souia a seguintc ap-
pellaco cm que sau :
Appella..i' o U. Abbadc de Sau liento dc Ulin-
da appellados, Manuel Camello Valcarser c
sua ...i.ii.i .
Ao Sr. desembargador Rebello a seguinte
appellaco cm que sao:
Appellante, Domingos Francisco l'avaret ap-
pellado, Mauoel Joaquim Ramos e Silva.
Ao Sr. desembargador Luua Frcirc o se-
guintc aggravo ca que sao :
Aggravaale, Poticarpu Jos de Albuquerijne :
aggravado, Aulonio Joaquim de Mello Pa-
checo.
Ao Sr desembargador Valle a seguale ap-
pellaco cm que sau :
Appellante, Antonio FurreiraSouto Jnior; ap-
pellado, o juio.
Levautou-se a sessao a una hora da larde.
INTERIOR.
fiiHIA.
nRPARTU:V0' DA POLICA.
i -mi c Eiin.Sr. Teubo a aalisfacco de
communicar aV. BlC que cxccuiaudo-sc o
plano, que aubmetti a sua approv.i<;;u. para a
Alaria Caudillo lUbciro, veri-
As i0 boraada manilla, estando presentes os captura be Jo
sfiihoies desembargadores Villares, Bastos, iicuii-se feliamcute esta hontcm pelas 8 1/2 ho- .
Lefio, Son/, i. Uebello, Luna Freir, Pereira ras da inanh* uoen^enlin Praiatirande do dis* | liz resultado de lo imjiortantc diligeucij coiu
IIImi. Sr* Km cumplimento das urden dc
V. 5. sobre a prUao do condemnado Jos Maria
Candido Rlbelro, dirfgi-mc as 7 boras da noite
do dia Mdocorrente ao arsenal de uiarluba,
acompanhado do escrivo da subdelegada du
curato da S,Olavo Jos Rodrigues Pmienta, a
do iillici.il d.i secretaria dessa repartico Feli-
ciano Jote Teixelra, e ah encoutrei o capillo
Fraucisco Joaquim da Silreira, e u alfere Au-
loui-i Joaquim de Souia /fraga destinados por
V. S. para o com mando da Torca de polica de
couiuium acord com o capitao Bcuto Jos
Goncalves, que se acbava a bordo do brlgue dc
guerra Camipo, coiumandado a turca de pri-
meira liubaepolica destinada para eesa dili-
gencia.
Pelas enrgicas orden? do Sr. capitao de mar
e guerra Intendente de mariuba. dlrigiino-uo
lodos em urna lancha para o barco, em que ti-
nhamos de seguir para o eugeobo da Pla-
taforma, c lomos receber do mesmo brlgue2."
pracas depriin->ira linba, e oulros lautas de
polica, que ali cstavaiu sob o commaudo do
capiiio 0onto Jos (.encalve*, e do alteres Bra
Heriueuegildo do Amara!, gastaudo em lodu
esle preparativo bora c uicia. Fateodo-se de
vela o barco, Tomos chegir ho eugeuliu Plata-
Turma amela uoita puuco mais ou menos, e
pclaprompta coadjuvAcao du capitao Salvador
Pires de Carv>llio e Araguo, quer a respeito do
desembarque da f'rca, quer do acaiupanba-
meuto Tomos chegar auengeuho do major <\u-
louio Luis Pereira Lisbsa da Cuuba, sito ua
Praia Grande as 3 lluras da madrugada do da
de hoje, e immedialamentc toi posto u cerco
cm u dito engcuho: presenliraui os seulinelUr,
dc una das jauellasda calxaria que deutru ba
via quemquer que fosse, e que procurava abm
a jauella, porcm arrouibandu-se a dita jauclla
pelas b' lloras da maubaa por na a comparecer u
proprielariu do eugeuUo para frauquear as \>.-i
las da casa dc pulgar u asquear, ou da dilaca-
xaria, uao Toi eaeonlrado alguem dentro, c s-
menle os utensisdH fabrica da moeda papel, c
de piala,c algum papel preparadu, drogas, pe-
dacus, de moeda papel, e de metal que mdiua-
vam seren esperimentos, e duas moeda de
prata cunbadas ele. r'eita com toda miaudo-
si dude a busca em lodos os lugares das duas re.
Teridas cas is que tem communicaco pur den-
tro, e depuis por Irea vetes ler u corneta en-
trado com Iu no boeiro da Turnallia do enge-
ubo .i ii ii> lo ni boca .il_-.uu. papis prupriu*
paragravura, sem todava descobrir algiima
pessoa, tocou-sc fugo ua boca da foruallia, c
cnlrou no boeiro o soldado Manuel Joaqun Lu-
cio : foi esle quem descubri baver abi gente
escondida, e enlao desceo fabricante dc uioc-
da falsa Jos Alaria ..ni.iid < Kibiriro. c um ca-
bra que disse cbamar-se Kslevao, escravo dc I.
Hita Caroliua, moradura ua estrada das tfou-
da*., fl preieudciido-ne dar busca minuciosa uo
dilo boeiro, declaiou espontancanieutc aquelle
Candido lUbeiru.que ludoquanlo Ihe pcrleucia
ilti, c,l iva, e .uluu-ie um pote pequt'uo com
agoa, chapas de lU. JU e 100/rs e gratule
quanddade de papel verincllio e banco prupriu
para ^ravura de cdulas de 5 e 5uy rs.
Do auto dc busca que aprsenlo vera V. b.
tudo ni tis que oceurreu e Toi encontrado nu
Mipr.ulii eugenho.
Ordenei a priso do cabra Joo Luca que en-
contr! em caa do major Lisboa quaudo lu
chama-Io para, como proprietarlo do cugeubo
c subdelegado do dislriclu, prestar-se a dili-
gencia alm de Tazer-sc iudagacues policiaes.
taubem preudi o preto africano Paulo, por
diier-me o alteres Aiuaral que elle laucara
ii-o de urna Taca de pona na OCCaiMU que este
dava busca as seutalas do cugeubo.
\. i.i i permiitaiue V. S. que aprsenle como
dignos de tudus os elogios o> ulciaes, inferio-
res e mais praaas que acoinpanliaram a dili-
gencia, c bem assim os dous oiciaes da secre-
taria da polica, Peliciauo Jos Tcueira e Ma-
uoel Joaquim iarcia, me recen do oulros tantos
cucoinin o capilo Salvador Pires dc Carvalbu
e Arago, nao s por baver de bom gr\< -
lado seus escravos e caudas para o trausporlc
da t.hj i, como lambem por ter dado mesuia
a refeicao de que linhaiu uecessidade. Dcvo,
por ultimo, congratular-ine com V. S. pelo fe-
Montciro, Valle e Santiago,
declara aberta a sessao.
o Sr, presidente trelo de Piraj, com os pormenores que constau
do incluso ollici do delegada do 2". disireto
pane uos corretores ser punida com as pe-
nas impostas no art. 5l do cdigo commer-
cial,
A transaccao sobredila ser considerada le-
gitima e real, se, ao lempa em que for feita, os
ttulos que fixerem objecto della pcrtcoccrcm
verdaderamente ao vendedor.
Art. 27. Aos corretores dc inercadorias com-
pete privalivimeute a compra e venda de quaes-
quer gneros e inercadorias, e a dc mctacs
preciosos cumulativamente com os corretores
dc fundos pblicos ( Art. 25 ), c a colacao dc
seus presos.
Art 28. Aos correctores de navios com-
pele :
1. A compra e venda dc navios.
2 O fretamcotos, a cotaco de seus precos c
os carregamentos.
'A. A ageucla dos seguros de navios.
4. Servirem de interpretes dos capitacs de
navios perantc as autoridades.
5. A tradueco dos mauifestos c documentos
que os capiaes ou mcslres dc embarcacoes es-
trangeiras liverem dc apresentar para despa-
cho uas alfandegas. Kslas tradueces, bem co-
mo as que forcm feltas por Interpretes Hornea-
dos pelo tribunal do commereio, terao fe* pu-
blica ; salvo s parles nlereiadai o direlto de
impugnara sua falta dc sacudi. ( Lod com-
merc. art. [Vi J,
Arl. 29. Pica entendido que be permittido a
todos os cominerciautea, e mesmo aos que uau
furem, tratar inmediatamente por si, seus
ageules e caxeiros as suas uegociaces, e as
de seus cummiteutes, e al iuculeai e promo-
ver para oiilrem vendedores e compradores,
com lauto que a interveucao seja gratuita, em
lodo e qualquer genero de trausaeco comprr-
bemlido na disposico dos art.s 25. >G, 27
.28.
de ser i.icmbro da juina sempre que lar clcllo; i
salvo i "i. molestia grave c continuada, prvida I
perante o tribunal do commereio. que rctolve-
r a respello como enleuder justo.
Nao tu imilla oUil);.itori, a acceitaco no i
caso de reeleleo ames de passar um auno de
iulervallocnirc o servio da .otecedente ca
nova nomeacao.
O corretor que fra dos dous referidos casot I
recusar o cargo da unta paraque for noiucado. I
pagar una mulla dc .ii.nj I:o0o/deri c j
te, sendo iuiimado pelo tribunal do coiiimcr-
um para que sirva, continuar recusar-sc, se*
r destituido do seu offlelo,
Art. 39. A Juma poder deliberar sempre
que se acbar presente mctidc c mais um de
seus membros: os negocios terao decididos
por maiorla absoluta dos votos prsenles: no
caso de empale o presidente tem voto dc qua-
lidade. Dc lodas as dellberacdesque te loma-
rein e.n funta, deverao l.vrar-te as competen-
tes actas no livro mencionado no artigo 44, as-
signadas por lodos os corretores presente!.
Art. lo. A junta actual orgauitar com a pot-
tivcl brcvid.ile o seu regiment interno, que
submelter approvacoo do tribunal do com*
mercio.
Art, I.. Compele a junta dos corretores:
l. Entender sobre lodos os corretores, aliui
de que tccontcnliaui uos limites dc suas fuuc-
coes legaes; podeudo evamluar, teniprc que o
julgar iiecess.rio, os seus livros, precedeudu
aatoris.19.10 do tribunal do commereio. (Cdi-
go coiiiu.ereialarl. 50 )
1.' Censuraros aclosdos correctores que pa-
rcierem Irriiulares, e ler.rtoconqecnienio
do 1 1I11111.1I do couuucrcio aquelles que cou
tr.vlcre.n dispoilcio das leis comuierclaes.
do preteute regiment, ou da iuterno dot cor-
rectore,, ea, quelias das partes que Ibe fortn
JUI.GAMEM'OS.
Ai/gravo.
Aggravanle, liara Joaquina de Souti Bacellar;
aggravado, Miguel Martlni Cotia Klbelro,
--Negara..1 prov.menlo.
Itecnno crime.
Rccoircnle, o juio; recorrido. Joo Lopes
Kerreira. -- Continuaran! o despacho dc mo
pronuncia.
AppillacOes crimtt.
Appellante, o juizo; appcll.ido, Mauoel Joa-
quim dc Souia. Julgara.n improcedente a
i|.|..|.i 1 '.
Appellaule. o julio appellado, Joao de Sou-
a Carvalho Jnior. M.ndaraiu a uovoju-
Appellautc, o juio ; appellado, Francisco Ho-
llino Ucierra. Idc.n.
Appellaule, o juno; appcllados, llenriquela
dos Praicrcs e oulros. Confirmaran, a sen-
tenra.
Appellante, Leopoldina K..lilla de Maraes C.s-
neiro ; appellados. M.i.ioel Pires Kerreira e
oulros. Despresaraa. os embargos.
Appellanlcs, Florencio Jos Carneiro lonlci-
ro e sua mullier; appellado, Manncl t^aelano
Soarcs CaruelrO Moulelro. Coalirmaraui a
ten tenca.
nlLIUE>Cl '..
Appellaule, I). Brltei Scbasiiaaa de Mnraei ap-
pellado, Antonio Jos Pereira. Mandaran!
ouvir o curador de auseules.
Appellante. Maria do Mnparo c outras; ap-
pellado, Vicente (jiirdei Oondi.n.Manda-
ran, ouvir o carador ilosorphaos.
Appellanlc, Feliciano JoaijUi.a dos Sanios ; ap-
pellados, Jojquiu. Mai.uliu Cavalcaoli de
Albuquerqiie. Mandaran! ouvir o curador
gcral e ao Sr. desembargador procurador da
enri.
Appellante Alfonso dc Albuquerque c Mello ;
appcllada a irmandade das Almas da fregu-
ala d Reclfe. Mandaran! proceder a habe-
litacao dos hcrdelros do appellanlc.
Appellante, DiogoJosc Pinto (iln.il e seus li-
ll.ii-; appellados, Joaquim Luii dos Santos si
G, Mandara.il proceder a l.abilitak-o dos
herdeiros deum das fallecidos.
Apellante, Dloga Jos Plato Cabral e seus f.lhos;
appellado, Jos Pereira Concalve da Cunha.
Mandaiam proceder a habililacao dot her-
deirot dc um dos appcll.oles fallecido.
DBSIGMkSKS.
Appellante, I). Driles Sebasiiaua dc Muracs ; ap-
pellado, Anacido Jos de Mcudouca.
Appellanlc, Joaqun. Ferrcira; appellado, Joa-
quim Dias l'Vi a..iid.-s.
ppellanles, Antonio Pires Fcrreira c oulros ;
appellado, T.uli Pires Ferrcira.
Appellante, Joaquim Ferrelra; appellado, Je-
ronyuo Joaquim Flua ileOi.vc.ra.
VppelUaie, Viceme Ferrcira da Fonscca : ap-
pellados, Joat|uiiu, Fraucisco e Josefa, por
teu euiador.
iiVISObs.
Paitaraudo Sr. desembargador Villar ao
desla capital, l)r Ignacio Jote dc Almcida Oou
vea, a queuicncarreguei a diligencia no iiieiiiio
momento, cm que devia ella coinecar a elfec-
tuar-sc.
O condemnado Kibeiro, liouicm l.ilve o
mais 111 il. que iiista ao 'razil, nao eslava o-
cioso no valhacoulo.em que sejulgara abri-
go de perseguicao urna fabiica de moeda falsa, montada na maii
amplacscala, como pode ver V. Esc. da lelico,
ijuc este acompanha, dos objeclos .chsdos cou-
crncnles a sua aferaal industria. Chapas pa-
caplura efe 'jai houieiu lao nocivo ao pais.
e t fortuna! dos particulares, eos guarde
a V.S. II ilna e delegada do segundo dstr.c-
lo, li de tete.nbro de 1SJI.--III.11. Sr. Dr. An-
dr Corslno Pialo Chicborro da Capia, ctele.
de polica da provincia.--Ignacio ioie de A/nu-
dti 11 'ni 1, delegado do seguudo districlo.
Ilelaco dos objeclos encontrados na casa ciu
que lu preso Jos Mari. Candido Hibeiro,
c que dem respeito ao fabrico de mutila
falsa.
Duas chapas dc cobre de padro de b#>W .
una dila dedilo de IH/UUU ; quatro ditas de
lito dc :.".o.i urna dila dc dilo de IDU/OOo leis
ra nulas de niuj, de Mf', dc 10/, e de .'./. 3,200 dilas dc dita de jfOOO, a.aassadas c quebradas ,
papis de 50/. preparados com a malar perfei- urna de ac lisa: tres mil c Ircieutos papis eucar-
c;io. anda p.r gravar, na importancia dc rs.! nados com letras d'agu.., propriot para sedulas
Iii0:000.000; papel branco proa.plo para cedu- I dc bQ/OOO ; duie.itos e setenta e tret papis
lat dc 5/. ciiuhoi para moeda de prata de 2/, brancot com letras d'agua para cdulas dc
111.11 tu bem acabados, c que, parece anda nao ^OOO ; dous cunhos proprios para cuuhar iuoc-
Habla Irabalhado senao em provas. porque da dc pnla dc 2/000 do novo padrao ; duas ce-
apenas se .i.-li 1. 1." duas moedas do dilo padri, dulas dc AOjOOO, corladas eiu diverso! pedacot;
cu... molde e.n cbuaibo: giaude macliiua de divertot pedacos dc chapas de lOfOOO ; uuia
cuabar cnai lodos os seus pcrlences; vemila. grade de a.ame nu tccldo para fater papel coiu
ilnr para fuudicao ; lelas dc rame para facer o letras d'agua, proprio para servir dc estampa
papel com linhas c tetras dc agoa : grande por- de cdulas de .'1 -'.ii.O ; urna dita coui o tilulo--
cao dc massa de linho para o papel: ciliudros. lliesouro nacional--; una dila sem letras;
pendras, machina para a uuuieracs, reageu- urna purcao de praia ua.a porc2o de llnha dc
les chimicos, app.rclho para a galvanoplastia, roiii, que exceder de duas libras; um tacco
c mullos oulros uleusl): ludo liuha elle, c tudo com oilo libras, pouco mais ou menos, du
ora tem a polica. igual qualidade de llnba espicacada ; Id.as dc
A fabrica ainda nao liuha aprescnlado todos rame vulsas, proprias para as letras d'agua ;
os seus pro Judos, e apenas della havia sabida grande porco de baetilha, cortada ciu peda-
11.na grande massa de papis dc b/. que encina eos iguacs para iinpressao de papel ; um tu
acirciilaeo, como de ludo dei canta a V. r.xc. uho com o Iclreiru.-decreto dc 23 dc outubio
em uieu omcio reservado dc 20 dc agosto p. p.: dc 1839-- ; uiua porco de massa de llubu para
-|.ianlo as notas dc oulros padret, e a moeda papel encarnado; mu molde dc moeda, ou
de piala era urna mina carreguda enin rallilho palacao de dous mil ris felto em chumbo .
preparado, equeesperava s a chainma para duas moedas de praia do mesmo valor, urna
laiera espluso, que aiucaeava as furtuuas pu- porco de folhela ainarella ; u.n microscopio ,
blica e individual. una regua dc escala ; unta bilauc. pequeua
Julgo nao dever deixar de agradecer a V. Exc. cm as conchas de metal ; um pedaco dc rede
as provas deconuanca, que me tem dado coiu Ue rame ; urna grade dc ferro pequeua ; uta
o apoio, que tedigoou de preslar-aieeai ordem cinbrulho com flor de ail, unta porfo de sul
a levar-sc a ell'eilo a diligencia, e com a.coiices- falo de cobre; um frasco com acido ntrico,
sao dos mait amploi meios para ella. outro dito com acido tnuoialloo ; outro dito eoiu
l>evo lambem recoimueudar a V. Etc. como siadoreto de polaca ; uina garrafa com aiou-
dignos da lodos 01 elogios nao s o delegado do gue ; urna dita com carbonato de polaca ; um
segundo dislriclu Dr. Ignacio Jote dc Almeida I al.- de ventilaco ; mu frasco com resto dc
Couvca, pela acllrldadc, telo, c honra, com vernli de oina Lea diversos eiubruthoa com
que desc.upeohou a diligencit, mas ta.nbem os tintas de dlllercntes cores; una broca circu-
ctpilet FranciscoJoaquim da Silvcira,do cor- lada dc denlet : urna prensa grande c um ce-
po de dulicit, Id ni" Jos Goncalves, da primei- lindro proprio para impresto ; mu maqulnis-
ra Imha, e 01 alferet dc polica Anlooio J aa- 1110 ou prensa de cunhar e terrilhar ; uiua cba-
quim Pereira Braga, c lira/. Hcrmeucglldo do ve de porca ; tinco bromes uiu braco de una
Amaral, pela maueira verdadeiramente honro* prensa pequea ; uto fuso dc torno ; cinco li-
li, porque te bouverao. i n e d ais terrotet cinco parafutot graudet;
Sao liualmeule credores dosmaiores louvores nina encb e dous forincs ; urna bracadeirn
i, (itliii ir-, a 1 secreiaria da polica Feliciano nova; um pirafuto ; una tenaz grande; urna
JosTeitcira.e Mauoel Joaquim Uircia e oes- civllha ; duas cantoiirirai de ferro ; uina clu-
crivo da lubedelegacia da Si, Olavo Jos lia pa de dito ; urna porco de parafusos ; uina
drigues Plmeiila. que toras, a empresa, e multo mtchadlnha ; ama .arruma uura; uiua por-
pi esi.ir.na : leudo sem duvida um 1 veis os ser- cao dc porcas ; um rodete de brome -, uiu ga-
vlcot, que preslou o capitn Salvador Piret de lo .le dito ; 11111 aremetro ; tret cadl.h.1 de
Carvalho c Arago quinto ao desembarque da barro; .............. dc cobre ; Um ailqulnli-
forea, e mullos meios, que deu para o bom exi- iuo proprio de ajunlar ai letras para numra-
lo da diligencia. ci da, cdulas ; burrii, limai, nturcat, com-
A este lambem acouipauha urna copia do iu- pacos e diverso! outroi pequeuoi crros pro-
terrogatorio que lii Hibelio, quaudo velo a pilos de abrir grayurai; uiua porfi de cra

<-


da Ierra e barro de moldar ; funti de vidro;
un pecado de escoria de fundlfio de Dietal ;
uina porco deprueulato de ferro de polaca.
rlaliia, 16 de letembro de 1851.--O eicrlvo,
Airaritn d'Adriu Filhe.
Interrogatorio tito a Joii Maria Candido
Itlbtlr:
Ao 15 da do mei de setembro de 1861 ani
no n'etta cidade da Habla c caa da residencia
do Dr. chefe de polica d'cita provincia, Andr
Cursi no Piolo Chichorro da Gama, onde cu cs-
crlvio ful rindo, ahi prsenle, Jos Mara Can-
dldo Ribclrn, passon o dito chefe de de polica
a fazer a este as srgunlea pergunlas.
Pergunlado onde fol preso.
Respondeu que no engcnbo abandonado
pcrlcncente ao inajor Lisboa, nao sabendo a
que dlslrlcto prrlence.
Pcrguntado o riucfazli n'aquellc engcnbo a-
bandonado.
Respondeu que eslava all escondido,
Pcrguntado a quem pertencem as chapas pa-
ra papel falso, papel encarnado para notas de
50.000 rs., cunhos para moedas de prala de
1,000 rs ; reagentes chimicos, e mais objee-
toa perlencenles ao fabrlbo c moeda falsa
Respondeu que nao sabia.
l'crguutado se via esles objeclos na casa era
que eslava, ou se j ali os cnconlrou quando
para ella fol. ,
Respondeu que algum lempa depoUde estar
elle interrogado na casa em que eslava, lol que
soube que ues objeclos cslavam ali ciilerraaos
iui un buraco. .
Pergunlado quein dcscnlerrou lacs objec-
los e se elle interrogado vlu fazer essa cscava-
Respondeu esllvcram enterrados at boje,
e que Ihe parece que forain desenterrados por
Feliciano Josc Tciiclra. amanuense Ua po-
lica. ..
Pcrguntado ac elle interrogado eslaya la-
bricandomoeda falca, ou pretenda fabricar.
Respondeu que nao eslava fabricado, e que
o que pretenda faicr para o futuro nao poda
dlser. ,
Pergunlado quein o prolcgcu na sua luga
daprisiodo Barbalho cm 7 dc Julho do au-
no passado.
Respondeu que ninguem.
Pcrgunluio seos carcereiros c guardas lo-
rain conniventes na sua fuga.
Respondeu que nao, e que apenas os presos
o coadjuvaraui materialmente njudando-o
un arrombamenlo.
Pergunlado que lempo levaran) traballiando
para o arrombamenlo da prlso.
Respondeu que de '-'0 para 30 das,
Pergunlado quem minislrou ferraincnla para
u arroinamento.
Respondeu que prclos, c mulbcrcs serventes
dos presos.
Pergunlado se elle interrogado fugio a pe ou
a cavallo.
Respondeu que a pe. .
Pergunlado por onde se dirigi quando lu-
gio da prisuo, e os lugares por onde andou ate a
oecasiocm que foi preso.
Respondeu que sabio at ItapoS, c d'ahi vol-
lou passando por diversas parles as quaes so
encnnlrou quem o occullassc meditle Diga
con excepcao de una tasa em que leve hos-
pilalidade por alguns dias julgaudo nao dever
receber, ja por gratidao c ja por dcaproio.
Pergunlado debaixo de que proleccao se a-
chava elle quando foi preso,
Respondeu que eslava debaixo da proteceao
de urna negra do eogenlio que foi prrra, ICHI
que o propriclarlo do inesino rngonho soubes-
se que elle ali se acliava, porque elle interro-
gado se oceultava i|uaudo o mesmo Sr, de eu-
genho apparecia, nao na uicsina casa, mas sim
na caixaria
Pergunlado donde nr.iv 1 elle interrogado
meios de subsistencia.
liespoodeu que a referida prrla era que Ihr
dava o comer, servindo de uicdiancira de urna
pessoa que a mandava, cuja nome nao decla-
ra por gralido. K nada mais disse, nein llie
lol pergunlado, c assignou com o chefe de pu-
lida c o Dr. promotor publico Joaquim Fernau-
dcs da Cunha que se achava presente, e as les-
temunbas. Eu l.adislau l'creira Pinto, eaerl-
vao, o escreviChichorro da GamaJos Ma-
ria Candido Rlbelro, Joaquim Jernimo Fcr-
nandes da Cunha, promolnr puhiico. Como
lesleinunha Horacio da Silva liandao -Dilo
Cyrilo Martins da Cosa Joao llaptisli de Cas-
tro RcbelloConformeU escriv.io Laillau
Pereira Vinlo.
(Do Eiuidai-fi 11 BhIi'H.)
Commuhicados.
Temos hoja no thertro de Santa Izebel
un bem divertido expetaculo. Na quirti-
felr ii.lo o Uvemos foi pera nos,os hrasilot-
rof, um da da lucto, malversarlo da nunca
assaz pranteada mo te do Augusto Fundador
do Imparto. O digno administrador em-
presario que se nSo poupa a fa ligas, e sa-
crificios; para variar os expetaculos allni do
agradar sempre ao rospeilivel pjblico, ten-
1I0 annunciado a repetieflo do drama : O Ni-
nociante honrado, ou o curtir ladrdo mu-
dou de parecer, como se v dos seus annuu-
cios para o expectaculo de boje ; nao des-
perdicou e tempo, o preparou duas come-
dias linas para dar-nos um bom divertimcri-
toestenoitc; sao ellas. Quem por fia mala
cafa e Kelly* ,
Detxamos de dar urna noticia do enredo
deilas comedias, porque nSo queremos pro-
tonir ao expedidores tirando-lhes d'esl'ar-
loas bellas illusOes, que ellas llios devem
esusar, e bastar dizerquobSc de agradar
lauto que o publico nunca se canear, se fo-
i.'iii pur muitaa vezes repetidas. Na p unci-
r enlrSo, bem como na segunda, a senhora
0. Maria Amalia, 00 Sr. Monteiio; este Sr
j nos deu urna amostra do panno, fsca o
pdtblico idea oque ello boje Tara ten lo mui-
to mais a fazer do que das vezes que se ap-
presenlou em scena. Quinto a senhora I).
Maria Amalia, he hnjo que o publico v-i
apreciar 110 verda Jeiro carcter em que esta
excellente Actriz reprsenla, clM faz o pa-
pel de urna volna caricata : a perfoieflo com
que so carectinsa,a melhauorfosoque toma,
oroduzir em tolos urna per falta iiluso, e
urna fone sansacHo degoslo. Nos roesmos,
que escrevemos estas Limas, nilo podomos
conteronso ao considerar a maiieira por-
que hoje se ha deappreseular om scena
senhora I). Amalia. Conflamoi que boje
ella ganhar louros, que nunca murchaifio
OSr. Germano couiprchcudeu mullo bem
:iuo devis dar-nos expectaculus uovos, e va-
riados, e bem assim quo na deslribuicau
las parles dovia altouder ao carcter de
cadum dos artistas dievurdade queso urna
ou outra circumstancia multo imperiosa o
lem obrigado a Ufi7r inflo de algum artista
para representar papis, que Ihe ndo sao ca-
ractersticos; pedemos porem estar des-
oaucados a este respeilo, visto que buje ten
o digno emprezario uuia companhia, so nao
pcrl.Mla, muilo boa. A /ante, Germano, e
tamba do zoilo estpido, edi Inimgo in-
justo o caprichoso. W. Y. A.
TRIBUTO AO MRITO,
0 elogiar cm termos ao an ista merec dor,
he dflVer ele tolo aquello que apreciando as
irles, drzjiprogridam. Csl* devar nos i n-
pnllc a rondo bomanagem d.-vi la, ao mri-
to subido de dou Insigues artistas o Sr Fi-
na te ca senhoia Trabitlonit, recooheci los
primoiros iincarin is, e nimio applaudi los,
nos principies tbeatros da Europa e no llio
de Janeiro ; nilo quizoram deixar de nos
honrar no nosso theairo de S. Izabel, o mos-
trarem que a dansa he a liuguagein univer-
sal, que bom exprime os Mnlimentol intor-
jos d'alma, com os movimontos do corpo
g
parec. No tom a extrivaganeia do gostn
china, nom a regolaridade grega e ronnna,
ncm a vulgariJade moderna; una arle em
separado, consequenls consigo, mais sobria
do que se pons* ate nos sous desvins, c que
mostra nunca ter variado, nsm lomar coisa
alguma da arlo alhcia: ni cramici (ola-
riis) cheia de gris e simplicilide; is
curvis s8o de nitores ondnlosi, maneavcl
c Deflvel, como as roscas da serpenlo, e silo
tfio ricas e variadas em loica grosseira co-
mo fina. Conlam-se noste rimo milhiros de
modelos, qiieno deixarKode ser imitados
om Franca, porqde os nossos fabricantes
tem alli vista 1 India inteia. .
F.v leDtcmente, a arte de tecer os estofas
chegou mquellc paiz a um estado do gran
deadianlimonto. Sam fallar nos chales de
cachemira que se tornsram lypos do genero,
tudo oque a companhia das Indias"Xpoz
pavea uina colleccode obras primas, t'.as-
sa, bordadas de oiro, lencos viriegidos de
mil cores, lustrosos cintos de oxquisito gos-
lo, Hueles do me-1 esmaltados de flores, lo-
cidos do lodi 1 especie ondeados de verde
osmcralda, ma ntos, estofos para irmicOes,
loncos de udalisess em xidrez miuJo de um
proJig vormelho brindo, entrotocidos de
prala, cm suman todos us matizes que a na
turesa lisou s Klf dabo rbolotaso encon-
iram nesli collecglo indiana, que s urna
companhia lilo poderosa como a das Indias
polla icunir por auii ordoiu soberanas; o'''o i|?ora que os bilhetos cuslam seis raii-
O' ionU em pelo accorreu sua voz. eos (960 rois) quo so torna mui dilllcil a CTr-
,\ ida alli falta.. Todas as prolissOis do culaco s cinco horas da tarde. Djqual
DlizflgurOo naimagem das pessoas que as.qu'r lado que nos vollemos, caplivam-nos
praticiin: pobro gente, vestida merc dtlmilbaM de objetos importantes, ou curi-
bcnignidade do clima, alimentada com iim : osos, ou a lioissiveis: e necessano eslabe-
punbado de arroz, alojada habitual neito lecer um methodo particular deiobservacao,
sob a abobada do Armamento ou iis copas 1101a divisJo systematica do traballio, alias
das arvoics, pipas.be Deus como! Nos os lica-S) ailucmaJo pela aggragacao de todas
vemos as altitudes da seu trabalho, com aquellas coisas. tems em tola a parta a
as tarramentas mis mitos; vivem realmente mais pcrlaita ordein, sondo osle um piii on-
nossa vista. Ncm esquecoram compa- de se faz rcspeilar 1 le sem distinccao do
nina os instrumentos da msica, delicias jerarquas
daquella gente, e que ma f.zem arripiar. |
Vinde ver islo, Auliur, e ochareis talvoxj
alguns novos meios de acstica evn Berta es- (
pecio decymbaio do vinle diiC is enliados I
reos centro cm roda de um grande circulo A[ p^NDFCA
da t palmos c meio de dimetro; nos peque- |,eni!irnBnl0 do'riia M. .'. 1:611.850
noi timbales quo rosoam oacmtom acre, Descarrcgam hoje !7 de letembro.
ora suave, c ns mandolinos primitivos da Biroa iaf.ln/la-.rner0dorU
bofete de Mr. Fourdinois foi ven lido, segn- f, 2 de oulubro proalmo vlndouro, vil novamert-
do me
#000
1 alllrmim, por 30 mil francos M:800- [te apraca para ser arrematado peranlee,mcs-
ris). Podria cilar-vos um de nnssos"10 tribunal, a quem mais der, seis morad,, de
.u.o;. ,. -... .., ,,.,.(casas que couberam a faienda provincial em
ibricantes de bromes, qie leve quatro pgaim51ll0do ,e0 dc ber,n, '
cncomendss do um grupo de phantssia, cu- de Joaqu|m Lu|, de ntello Cari
provine!
no Inventario
oca, e que ni
j-> desenho o devido a um de nnssos mais I conformldade datel foram adjudicada* a mei-
abeis artistas: ma, por compensaeflo, en-1 mi faienda, sendo 4 na povoacat) dos Afogados
centro todos os dias entre os proluctos in- ns. 24, 28, 28 e 30, avalladas em 590,000 n.. e
glezes obras feitai por openriosfrincezes,, duas ni ruidoi Pocos ni. 15 e 17, avallada
que a penuria de 1848 obnguu a procurar
fortuna em Inglaterra.
Devo tambem instruir-vos summariimen-
te do movimentn queso nunifesla cida dii
em torno da Exposicllo: os resultados vio
alm de todas as esperanzas. A rece i la fa-
bulosa do todos os das (1 do honlom passou
de com mil francos) cobrii em breve to-
das as dspotas, sem qne piroca oxgotar-se
a curiosidade. Sem cessir exhibem-se no-
vos productos em lo los os repartimonlos do
edilicio. A edado de Lyio acaba de osten-
tar as suis magnificas sedas em lodo osau
esplendor A Turqua improvisou, dentro em
48 horas.1101 verdadero museo, notavcl pe-
la separacSo dos objeclos e pela sua distri-
buicSo manaira dos bazares do Constanli-
nopla. N' urna palavra, por toda a parto roi-
111111 vidae actividade.
leiea feira prxima (dia 20) deve comc-
cir a admissSo do publico a rasSo de um
xelini !(!() res por di 1, Ser umi verda-
deira iniindaelo, visto qne j tal a multi-
| 234,0011 rs.
O concorrentei compareeim no dia cima
indicado pelo meio da na salado mesmo tri-
bunal.
F, para constar le mandou aunar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da faienda provin-
cial de Pcrnambuco, 22 de setembro de 1851-
O secretarlo,
Anlimio Vtrrtirn aVAnnunciacho.
~ 0 lllm. Sr, primei'0 escripturrio, ser-
vindo de inspector da lbo,ouririi di fa/.en-
da provincial, em cumplimento da ordom
do Exm. Sr. presidente da provincia de 23
do crrante, maula fazer publico quo nos
dias 7,8 o9 de outubro prximo vindouro,
ir a praca para ser arromatado perante o
tribunal administrativo, a quem por menos
fizer, 91 bancos da bonra pira as aulas de
inslrucco publica avaliado cada um em
5,000 rs.
A arrematicio ser feita na forma do
artigo 24 da loi 11. 286 dc 17 de maio de
1851.
As possoas que so propozerem a osla arre-
maticao, compirecim na sala das sessOes
do mesmo tribunal nos dias cima mencio-
ua lo- pelo meio dia, onde icliarSo o mo-
delo.
E pan constar so imnlou iluxifo pre-
sento e publicir pelo Diario.
Secrotiri da thosourarii da fazenda pro-
vincial do Pcrnimbuco, 26 de setembro de
1851.U secretirio. Antonio t'erreira da An-
nunciacu
{l)n Revista liiiversat Lisbonense.)
COMMERCIO.
coi das do cobre doira lo.
lis
o> mvilas. os palanquins quo transportan!
os ricos. Toda esta extraordinaria civilisa-
c;io se explica s mil maravillias pelas suas
obras; luso o indigencia a resumom cm duas
palavras.
Aqu sa ha do cstu lar a historia da In lia
anliga e moderna: rija siconpleta polo
Patacho fraucaz Aspirante vinho,
a ll'iiilll/ 1 1 11 1 1 t------//'r ii'iib----?lini"|
"f.0."" ifil!!?^"!?."!"^ tsC1"" bamburguoza ~ Norma o resto
* Mexnndre plvora.
lniportacao.
I'riguc bra/.ilciro Fciirrdor, vlndo do Rio de
Janeiro, consignado a Novaes &Companhla,|iua-
nifestou o seguinte.
1350 caixas sabao, 30 ditas velas, 330 rolos fu-
o, 4 volumen mereadorlaa, 1 earroca e 2 rodas
qualro .le tod is as irles ulois; e o mundo para a
mesina, 7 > borneas imiciuho, I2 jaca-
d
Declaraoes.
SiequociSO SO lleve fazer dos contrates do
alamadoOuinor que dicoirom assim O
diamantocuslou um milh.lo ha tantos an-
nos; se esta somma losse accumulada
Coro os juros rcpreseiilaria liojo 50 milbOesj
logo o diamante val esta qiuntia.a Mo
admiltimos lal a illimclica, ncm til ccono
gamelas^ I cama dc mogno, 1 pacole algodao
I lata tapetes, I caixa cha '. a Ordein.
CONSULADO CEiUL.
II 'M lime .lo do 1 a 25. 15 609,685
I letrado da 26 .,..... 717,924
16:327,509
1:676,600
pa
coas graciosas e rpidas que li/eram, Ihos
clflo o direilo aos maiores elogios, como op- yf
tunos daiisarinos : voavfio, c faziam piruc-
PERNAMBUCO
Reparticao da Polica.
PARTE DO DIA S3DE SETEMBRO.
lo 1 n ni presos : a ordem dn dclrg.ido do pi i-
meiro dislriclo dcslP termo f-eonardo Louicn-
jo Hcicrra, por ler sido encontrado fnra dc ho-
ras: a ordem do subdelegado da fregUClii dc
San Jos.Manoel d'< Silva Alendes,para recfiiti,
Domingos Mara, por crine de injurias,e o pre-
to Antonio, citcravo dc Kolino (joellio da Sil-
v* por andar fgido; e a do subdelegado da fre-
gucia u.i Vdiora, Manoei de Uebs para recrllta.
DK>I DO DIA 24
Koratn presos : ordein do delegado do pri-
iiiciro dislriclo deslc termo, o prclo Anl cscravo rte Jos Cur-alves dos snlus. i iwpil-!??!?^U.* ?2?.5??n!ff2?J!!!! ?."-!??J
icao de seu senhor ; ordem do subdelegado
da (reguezia dc San frei Pedro Oonralves, Jos
Silvestre, para averiguares policiaes ; c a do
subdelegado da rreguezia dc San Jos*, M.iria
Joaquina da Canecido, por crime de feri-
mcntoi.
CAMau.V MlJ^lcri'AL.
4." SESSA'J' OnfllNAIIIA DE 5 DE SKTi:.M-
BHO DK 1851.
Preiideneia do Sr. Oltvtira.
lasque lumiram. |iea'
Di floren tes pasaos e posC estes a> listas executado tilo satisfactoria-
mente, que 080 ba mais quo dezejar. Quem
Hilo gustar e. nao so enlcvai na .sylpliilc,
dc ver o Sr. finarlo o a senhora Tralialtonil,
quo lazando com l) la destreza o grac de-
lieeis pa.'.sos, exprimem por meio de movi-
mentos cadenciados, um agregaJo do senti-
menlos, que lingoagem mais exprossiva
n3o alcancaria oxprcmir. Na fada das rosas,
qncm flca-a insonsivol, sem quesau.de 0111
appllUSOS, a BSleSarliSlU sublimados cul-l
loros da dansa : principalmente a encinta-1
dora Trabatlonit, queapparece no meio de'
urna rosa, 13o bella como a ni'sma ro-a ; e
oxecota os nais dificultosos passos, o osj
mais bellos senlimeulos, rom lo la magia j
das formas exteriores do seu gracioso cor-!
po, com toda graca das altitudc*, com toda
a rapidez dos movimeatos. que pode sur
chamada o anjo da se tu. Estos ariislss sao
credoresdos reaiorea elogios, pela porfeicKi)
ll-
mente pi olesi,l 1 ; pelas suas elegimos figu-
ras, o luxo e iui que sa apprescutuo cm
sceni.
Como o Sr. Finarte anda nao tivemos
.,,(111, um dansarino igual, (porque o se-
nhor Dovciuo qua qui estove ora mais
mmico do que dansanuo; e quanioa se-
nhora Biderna que tambero tivemos o pra-
zer do v-la, a senhora Trabatlonit he da
mes na forra que ella, mas mostra mais pe-
ricia, e he dota la de umi figura girliota,
meio de ubtel-
Nlo iliici oulro tanto da China; c mais j
conbccila, o menos digna dc ser imitada;,
o seu gosto estravaginto e phantasliCO nloj
merece lauta estima c attencao como o geni >
industrial dos indios; o todava nunca!
illa appareceu sob aspicto mais lisoiiguiro|be'"''mcntn do illa j6_^
talVOI do que na actual cxposicao. s lio- "eear,^aiaaaaawa*------------
mensconpctonl s admiram-3) principal- IVlVUnCIHO CIO pl'lO.
nicnle da abundancia de suas materias pri-
eame.
CONSULADO PnOVINCIAI..
nondimonto do Uia 36 ... 893,974
REUEUEDORIA DK RENDAS GERAES
INTERNAS.
240,810
Como quer que o Exm. Sr. presidente
da pruvmcia, haja ilado as suas ordens para
que as despesas u'agua, de tinta, e da limpa-
za das escolas publicas da provincia sej fei-
ta poli Ihosouraria provincial, de ordem do
lllm. Sr. director (.eral da InstruccSo pu-
blica Taco saber aos pais, ou tutores dos me
nios do ambos os s xos dessis escolas, qua
estilo desonerados dessa especie da imposto,
abusivamente exigido do sous discpulos
pela maior parte doj professores. Directo-
ra geral ii do setembro le i.si. O ama-
noonse archivista, Candido l'ustaquio Celar
de Sello.
- VSo novamonto praca osconcertos, de
que precisa a lalriua do collogio dos or-
pb.los cm DI 1 ma OS licitantes devnrSo com-
parecer n 1 salla" das s^ssdes da adminislra-
correnta, e 2 de Outubro
horas la larde ; puden-
tes com o cobrador, Jo3o
respoito do ornamento
di obra.
Secrclarii di administraco doPitrimo-
nto dos OrphSus t9 de setembro de 1851.
Antonio iosi dc Olweira.
ra do suu oirregamento, o qual a|n,i. ,,
raceber mais alguma a froto razoavei *
no mesmo quizsr carregar, pda ei t?.?"1
se ni praca com o capito Dimingoj i-
reir dos Santos, ou com os cousianai.,?'-
Amorim IrmSos, na ra da Cadeia do n" ,s
REALG0MPANHI4 DE PAQUETE&INn p-, .
A VAPOR. """ZEZ'
Espora-so o conhecidov.Dr,,
SflMrndosportosdiEuroX
primo.ro da1 outubro, o Sprju
da demora do costumo,sor
ra pira o suf; os precos dos passageiio, ,*
osseguintes, at a Babia 25 patacOas, ,1.
Rio de Janoiro 50 ditos, at Montevid, n>
dilos, at Bueuos-Ayres ISO ditos, j,.,-,'
hrisileiro-, espanbos ou mexicanos y
pretendontes dirijim-se na agencia, ni ral
da Trapichen.*!. '
Para Lisboa segu com brovidadeobri
gue portuguez Conceiedo di Mara, par c,r"
gi e passageiros trata-se com Thoroaz rj."
quino Fonsecae lho, : na ra do Vigarion"
19 primeiro andar ou com o cipitSo, no nn'
ca do commercio. e
Gear, MaranhSo e Para
O novo brigue escuna Bratileira Graciosa
desltni-se a aquellos portos, quem no rnCc'
moquizor carregar, ou ir de passigen
rija-se ao consignatario Jos Biptisi, ."
I'onsoca Jnior : ra do Vigario n. 23segun-
do andar, ouaocapilfio na praca
Para o Ceart pretendo seguir com tire
vidadea sumaca nacional Carlota, mesir.
Antonio Jos Vianna, quem na mesmi qu
zer eirregarou ir do pissige,pdeenlen|8r!
se com o mesmo mostr no trapicho do 1
godoou com Luiz Jos de Si Aruio."
ra da Cruz n 33. ""'
-- Para a Bahii pretende seguir com mui-
ta brevidade por ter parte da carga pron.
pti sumaca brasileia Fiordo Agetim for"
rada o pregada do cobre, mestre iteniartl
de Souza : quem na mesmi quizor cirreeit
ou ir do pissagem, pode entender-so con
o mesmo mestre, ou com l.uiz JosdeS
Araujo, ca rui di Cruz n. 33.
Leiles.
-JO corretor Miguel Cirneiro, fara Icilo
no dia 9abbado 27 do corrento as to horu
da manha, no seu armazem na ra doTn-
picho n. 40, de diversos Instes novon
usados, louci. cmdioheiros, lanterinscotii
cisttcil do cisqulnho, quadros com estim.
pis o outros muitos objeclos: assim como
ao meio dia, ir a loilSo urna porco de cha-
rutos da Bihia de diversas qualidides a
muito em conta.
Ocoiretor Miguel Carneiro, fir Jei-
lao no dia terci-feira, 30 docorrents, s 10
horasdi manliSi no seu armazem, ni rui
do Trapiche n. 40, de diversos trastos no.
vos o usados, looc, candioiros, vidros, uta
piauno, um lustres muito rico, e ontroj
muitos objeclos que s;rao entregues por
qualquoi lance.
~ Kalkman Irmilos conliouirSo por in-
lervonso do corrotor Oliveira, o seu leilaos
-- 'fondo requerido Francisco da Silva do esplendido sortimento do fazendis is
Martins l.ial, titulo de aforamento perpetuo! mais proprias do mercado: ter^a-feirs 30
do 14 palmos do terreno de mantilla, que do corrente, as tohoris da minh3a emp'on-
dis estar devolulo, nos fundos da cisa da to, no sou armazem. na ra da Cruz,
propriedade de Francisco Josc Alvos, por de- ^^^^^s^^^BBm^SBKJH'^^z_!__s
traz darua da l'raia, do bairro de S. Auto- AVISOS cllVCI'SS.
niod'esti cidaJo, tain o lllm. Sr. inspector _
da thesouraria de fazenda, em conformida-1 Domingos Rodrigues de Andrade cora-
da de ordom do Exm. Sr. presidenlo da pro-1 prou o bilheto n. 1112 da decima stima lo-
vincia, mareado o prazo de 30 dias, para tena de S. Pedro do Alcntara Uo Rio de Ji-
denlro do mesmo, poder qualquor pessoa neiro.em dous meios bilhetos por conln
apresentar-se, na dila ihosouraria, e exibir | ordem do Sr. Antonio Luiz Fernandes Un-
os tilulos, ou documentos, pelos quaes so ga do Aracaty, quem os ramette.
julguo com dircito do preforencii ao dilo O Sr. Fiancisco Jo3o Alves queiram-
aforamento lim de ser alten lido. E para nunciirsua moridi para ser procurado
constarse mandou publicar o presente.
S cretaria da lliesourarii ds fazenda de
pe n iiiiNue 1, 26 de selembro de 1851. No
impedimento do ollicial Maior
Antonio l.uiz de Aniaral e Silva.
Prsenles os Srs. Mainedc, Carneiro Montei- ;n,,t0 illf|u,, ara ser mais apreciavel.
ro. Pires Ferre.ra, e 1-igueiredo, filiando com f |,, aciuisico do emprez rio do
:aiisa parlicipada, ns Srs. tarros, e Vianoa, ,. ,;. .V,,.,.. ---^_..i,- .-_
,lniu-se a sessM c loi (ida c apprvada a acta Inbel,e.t dOM1 arl US.qoe muito con-
re
ca
alo 11,-s. a -i 3-,ni %. ,u, iiu.i 1 piiiiiutuua a ii.li
da aniecedenie. correni, para as cchenlos do lliealro.
l'ui lido o icguinlc Nao he exigeracao ludo quanto temos
EXPEDIENTE. dito dos novos dancariuos. por quinto os re-
Um officlo do Exm. presidente da provincia,' peli los applaus is que clloi tom recebio nos
transmiltlndo, para inielligenela da camari.'salvilo da pecha de excessivos. Recebuo o
copia da portarla de 4 do crreme, pela qual sr. Tillarte a sonhora Auna Traliallonit cito
resolver crear mais una cadclra de inslroc- iributo pago ao mrito elevado de quein silo
rao primaria na freguesa de Sanio Amonio, d0|aJ0s, pelo
Apreciador das artel
elisia cidade Inlelrada.
Oulro, do procurador, inoslrando-sc emba-
ncado em fazer a arrecadacao das mullas, na
Importancia de III, 000 rls, que em ll do
mez prolimo lindo Ihe remelle ra o hscat dos
Aogados, pois ijoe sendo 11 os multados, des-
les so cinco tiavlam pago, e os ouiros, cujos
Recifu. 26 ile slecoibro 'le 1851.
Correspondencia.
Sn.
i, Rtiactorii, Tendo-me alguns amigos
termos rencilla, se oppunham ao pagamento,! bd my,Wr|0M espressao que ap-
elando o mesmos termo, sem leslen.unhas discurso, pronunciado na ea-
- pedindo en. conclusao, o procurador que ,, d(, uunos> c publicado no Diaria ./.
cmara Ihe dise ciclarec.inentos lendcnies Pln,ambue '. ,m, de 2(idc julho do correte
'ar semclhant embaracoi, nao so neste feUo a| ', soas eoHrV," WBU L..a......_. a_______...a. .1. Exiu.Sr. bispo desta dioeese, duendo :--E
a evitir semelhantes embarifos, nao so neste
ciso c
lio d
Fol approvado um parecer da commiisao de
aude, dando por legitimo o Ululo de phar-
macla de Augusto Caors, c achar-se, purtau-
to, o mesmo habilitado para ler b'itica.nlao-
dou-ie regiitir u Ululo.
Deipacliaram-se as pelicdei de Augusto
Caors, Manuel Pereira l'cixeira, Elias Emilia-
no Rs ; e tevaulou-se a sess5o.
Eu Manen I Ferrclra AcClolf, secretario inte-
rino, escrevi. Olietira, presidente. eVei-
mide. Vianna. Firiea.t'igueireio.--Carnei-
ro Sfontriro.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
nicirr, 6 diiztbihbo de usi.
Hoje, depoisde nielo dli, enlregou o Sr. co-
ronel Joi Vicente de Amorim lliierra o coin-
maiido das armas 10 Sr. inarechal Anlouio
Correa A'era.
O Sr. coronel Bizerra mostrou-tc sempre
piobo,caHavcl. desempenhousaiisfacloriamcu-
le o deveres do seo cargo, e leve a fortuna dc
nao encontrar embariejos durante o lempo em
qne o exerceu, permaneceodo, durante elle, a
provincia em serena paz. Praza a Dos que
outrotanlo Ihe eitcji reservado no Para pira
oude vil enc.irregido dc laisto idenlica a que
deliou.
O ieu luccexisur, at*'in de ser nosso compro-
vinciano, he laocondecido, pelas rnuitai veies
que tem aervido esle lugar.que nenbuma duvl-
n'cle deve oiienur,
prova esl no que se passou, ha pouco te-inpo,
cm Pernainbuco julgo dever declarar que
aquella expresio se refere um lal frei Andr
de Sama Maria, cuja correspondencia publi-
cada o aono passado em uina l.illia publiea
delta cidade, contra o '..ni. diocesano, bem
revela a cl.ronica escandalosa deasc religioso,
e a responsabilidad.; que pesa sobre aquellea
que o elevaram posic.io cm que ic elle acha.
Padre Venancio Henriqaei itc Rrundi.
VARIEDAfi.
EIPOSICAO UNIVKRSAI. DE LONDRES.
Londres 18 da Maio. NSo posso dei-
xar da anuir vos entreler, sanhor, com a
oxposicHo dos productos da India brilm-
nica. um mundo iuduslrial novo pira nos,
t pela sua antiguidade, que remonta aos
t nipos heroicos, o peto eu carador de
originalidide que nSo tem pirceiro. A com-
panhla ioglcza das Indias gastnu mais da
irezentos e vinto contos para comparecer
dignamente nesta grande federacao das na-
r,os; quiz que o seu imperio de 150 reilhOea
de subdilos fossa representado como cum-
pria, e consoguiu-o perfeitamena. Dssde o
comeQO da Exposico vomos lodos os dias
spparecerera productos novos, uns mais ad-
mira veis que outros, e que attrahcm em su-
mmo gru a utteocSo dos visitmtes. A arte
mil.o* merece, com etTeito, esta preferen-
cia, por quanto iiHotem outracoma qual se
neiras, c om especial .la balleza das suas se-
das; brtlham eslas era mu aultados volu-
mes, 1'o u o 11 esplendor pailtcular queso
tem e^uil nos sjus ch.les transparentes
[Ctipt] burda los, as suas loicas classicas,
as suas estupendas obras do inarli n, do
ta-'iruga c pau do ar, o de chanto o o nbuli-
l0, .ssonlcmus que o povochitn i: da urna
in*ejSlria"iiuito apurada, posto quo cibe-
cu io o q- asi immovcl. Tudo quanto tem,
dau da ;ras remotas, o quo nos tomosji
0 liBlll luito lampo anlo que nos o hou-
vosslv.nc ad|uirilo. Inventou a plvora
pri'nuiroi do qua nos; conhecta a bussola
antes quo nos a dccobrisscmos, e acabamos
de observaren! Londres productos cojo mo-
do do fabricaoaSo reconta a pocha do mais
do 1753 anuos autos dc Jesu Clirislo, islo ,
mais .le 3,500 aunes, e que s.ln uolavms
por sua excelleulo o.\ecucao. Oj inglezcs
nao podiam oinmiltir muitas o re is Ceilloc-
cOas de cha, con efTeitO as lia hellis-
snnas ua Exposi(j8o mas esto generoso a
ellos olTdrece eonsiJoravol interess"; s
ellos podem oxUsiar-so parante as iuiiume-
raveis variedades da chas verdes e pro los,
cuj prepsrscAo ain'ia 6 mysierio, n5o obs-
1 mi todas as monographias publicas acar-
ea desll substancia. Lnumaram-se miis de
ciocoenta qualidades, todas 1,1o diversas
urnas das outras, como o trigo difiere da
avoia; o clia capelo, o orangc-pekoo, o yu-
1,111, o chalan, o assam, o congo, o po.ichung
o cha padre, o cha dosj 'sullas, e uina gran-
de varia lado do outros verdes, prelos.
argnteos, etc. dis utam a prclo'encia
lo consumo gue nilo im.iorla om manos do
300 a 400 milliojs do francoj por auno.
Os boi.s dus c linas receben en troc da
sua beb la salutifara as ciixas do opio, co-
mo sibeis.
I'alterii a Lxposicao Universal a cor local,
so o departamento la China nilo exhibiste
tambem alguns.chins: algn? In e mu faj-
os e melanclicos na galoria do lie ida aos
prodnotol do sou palZ! fcilmente se eonhe-
enm pelo seu trajo piltoresco, os seus pe-
queo* enapus como funis don lo sane um
chicla da cabello) entremelos pondonle
at o chao, sinacils do rosto silieino, os
oluos do fetio da amen loas c ubi 1 1 nos, e os
calatos exlravagiiilos n. forma, alteados
pela sola giossa c rquaa'la. Tambem sa
mostra nos airodons do palacio de cristal
urna china, que se inculca mestra do msica
o a 11 ra he gran le numero de curiosos que de
sejam var-loe os pos pequenos, quo de ve-
ras sito urna randa le Fura disto, os Chinas
cslSo ha bastante lempo representados por
um junco de 500 a 600 toneladas, ancorado
uo Tamisa, e qua nSo cffectuoa s nn porigo
o trajalo de CanlSo a Londres.
Quem quizer esludir a China de mui par-
to, aem caosico ecompintivamemc com
pouca despazi, venha a Londres agora, e
satisfar seu desojo: podando eguilmente
fizer a viagem da lo lia e oulraa do mesmo
modo proficuas.
Saltan ln agora para .outros assumptos,
dir-vos-hel que grande numero de ohjtctos
expostos pelos nnssos industriacs ichiram
extraerlo e com vanlageo. O magnifico
Navios entrados no din 2o.
Rio dc Janeiro 15 dias, biigUe! brisileiro
.. Vene-eloi d de 168 lunolladas, capilao
Cielo Marcelino Comes da Silva, cquipa-
gem 12, carga, tabaco c mais gneros ; a
Novias es Companhia. Passagoiro, Manuel
Quioteiro.
Rio de Janeiro 9 das, brigne tranco/
1. Canudis de 221 lonelladus, capitilo
llcign. equipagem 11, em lastro : a Luiz
Burguire,
Londres -- 50 dias, escuna llamburgueza
Alcxanlcr* do 130 touoliadas, capilao
I iv lem- 1 II. Slockmaiin, oquipagem 8,
carga, fazen las e plvora ; 1 Daamo Youl
lo es Compantna,
Navio lahido no mesmo dia
Parahyba hiato hrasiloiro Espadarle,
mestre Victo mo Jos Pereira, cargaba-
nos genaros. Passageiros, Custodio Do-
mingos dos Santos, Domingos Rodrigues
da Costa.
Rio do Janeiro brigue brasil ;ro Colfi-
11I10, capillo Jos Cregorio Pereira, car-
ga, aigodilo e assticar. Passagalro, Jos
Pereira do Sa.
Porto brigue portuguez Maria Feliz,
capitSo Lourcnijo Kcrnaudjs do Carmo,
carga, assucar c couros.
Para o portos Intermedios vapor brasilci-
ro S. Salvador. commaiidauto o pri-
meiro tcnetite Coutinho. Alm dos pas-
sageiros que Irouxe pa-a o no le, vlo
mais dosla provincia Dr. Antonio Flix de
Alvellos Cois de tirito Ingle;, Manocl An-
tonio Torres Portugal.
ED1TAES.
O doutor CusloJio Manocl da Silva Cuima-
r.l ia, jais de direito da primeira vara ci-
vel e cummerciu, nesta cidade do Rccil'e
do Pernambuco, por S. M. I. e C. que Deus
guarde cv.
Faco saber aos que o presento edital vireni
que da data d'eUs a viote dias, so lia do ar-
rematar por venda 0111 a pn e 1 publica, u na
casi torrea, sita na ra do Rangel n. 65, com
dezenovo palmos do largura e sOMODta c
oito do fundos, om irma/em smanle o
I 11 irte, da salla do detraz, solo 1 assoalhado
do repartiinenlo du mesmo quarto al a
fenlo da casa, cuziuba lora, quintal muito
poqueno, com cacimba na terca parta ava-
llada cm 800,000, penliora 11 a Manoel Jos
da Costa Reg, por execuedo de Luiz Anto-
nio de Si jii 1 r-1. II para que rheguo a noti-
cia de todos mandei passar o presento e
mais dous do mesmo llieor, que sardo aOxa-
dos pelo respectivo porleiro, nos lugares
determinados no artigo 538 do decreto n.
737 da 25 de novetubro de 1850, e publicado
pela Impnnsa.
Dido nesti c lade do Recf de Pernam-
btii'o, em 22de selembrode 48il. Eu J01-
quim Jo's Pereira dos Santos, escrivUo u
subcrori.
iMiloiio Itanotl da Silva buimardti.
O lllm. Sr. ofBcial-maior icrvindo de ins-
pector da iheiourarla da fazenda provincial,
em cuiiiprluieulo da retolucio do tribunal ad-
niulitratlvo, manda fazer publico, que no dia
Thcalrodc Santa l/.abel.
10.' RECITA DA ASSICNATUTA-
Expectaculo variado dramtico, canto c
dance.
Subbado 27 de letembro dc 1851.
Depois que a orcheslra livor executado a
brilhanieouvertura Simiramijdes --subir
a scena a nova e linda comedia em 2 actos,
intitulada,
Quem porfa mata caca.
I'crsonagcns.
1). Conralo Silvestre.
Jos de Mallos Monloiro.
I). Nuno Manoel Jos Pinto.
Antonio Santa Rosi.
D.Rosa D.Amalia.
1). Maria D, Manoelli.
A scena pasa 80em una estalagem na es-
trada .le 1 minina.
Logo que termine a comodia a senhora
Carmela l.ucci.cxecular a bolla cavatina da
opera -- l'arasina maestro Ronizett.
Em seguida a sonhora Landa, e o Sr. Vas-
co, cantaro o oxccllonta duelo il due Fot'
cari -- depois do que subir a scena
ra a primeira reprcsentaco di graciosa co-
medi om 1 acto, ornado de msica
Ketly
ou
A v lia Suissa.
Pcrtonagem.
Franz, vclho militar It n minelo.
Kelly, sua lilha D. Manoella.
Wernor, rica estalajadeira D Amalia M.
Rultly, seu 111 lio Monleiro.
Saiiueville, joven ollicial Rizerra.
lienrique, crca.lo Santa Rosa.
COUODEALDEAESi
No fin da comedia a senhora Lauda, exe-
culai urna nova aria, seguindo-sc pelos se-
nhores Finail o Trabatnii, a grande sejo
de miiiia'i r llanca intitiil na :
ll Delirio lie fygiualion.
Pygmalioii, Staluani Sr. I'inarl
A SUlua de Venus. Sra. Trabitloni.
O amor WN.
Argumento.
Pygmilion, fimoso Statuirio, tonelo feilo
nina eslitua do Venu), achou-a to bella
que lornou-so Inucu de amores por ella. No
meio do seu delirio supplicou a Deusa qui-
zesse animar a sua obra : seus votos forSo
atteudidos o Pygmalion desposou a esta-
tu quo 11 uIi.1 r iio.
Teminara o espectculo, com a graciosa
fartja.
O recrutamento n Alucia.
No qual o Sr. Monleiro, ropresonla o pipol
do -- Sargento l'errabraz, o com as sonoris
Amalia Monteiro, e Manoella Lucci, dmcao
em terceto
O LUflDU' 'AMABROA'.
Lindecautar a cavatina da opera Masna-
ellel I.
Commossar as 8 horas.
Os bilhetes acbam-se venda no lugar do
coslume. ____
- 1
Avisos martimos.
Sai multo -breve para o Rio erando do
Norte, a barca Trlumphodo Pilar de quo be
mestre Francisco Justino da Cunha : quem
na mesmi quizer carregar, dirija-seao tra-
piche do algodSo, a tntar com o dito mos-
tr.
Para o Rio de Janeiro, teocioua sabir
no decurso da prxima aemaoa, o patacho
asilrbeiro Princesa Imperial, por ter a maio-
AdirtcecSo da associaco commcr~{
cial dos lojistas, convida aos socios *
para assombla geral no dia 28 do 41
corrcnle (domingo)as 10 horas da ma-
nhaa, na casa da mesma associacJo, a
na ra da Cadoia de Santo Antonio 4)
. n.2t. *
- OfTjrece-se um rapaz portuguoz de 18
anuos de idade, chegado ltimamente, pin
caixeiro do venda, padaria ou armazem da
carne secca: quem precisar dirija-ss 10
a Ierro da Boa- Vista n 1*.
Francisco Antonio da Silva Thenorio,
tem abertu a sua cocheira na rui da l'l-
ma, onde t;m bons cavallus o aneiosdei-
luguel, issim como recabe cavallos pira se-
rom tratados por mez ou diis, prometiendo
bom Intmenlo.
No dia 25 de setembro, desappareceu
urna negra de im;,".) camundongo, por no-
mo Izabel, que sabio para vender feijoi
milho, he baixa, velha, magra, e muilo feii,
levou cibocllo da algodao sujo, saii de gan-
ga azul muito curt, panno da costi com
lis ira encarnada com mancha branca, levan
em sua companhia urna lilha creoula de ida-
do de 12 annos, vestido de ganga azul curio
por nome Furluus, levou camisa de algo-
dosinho, cabello cortado e todo estoquia-
do. Rogi-se as autoridades policiaes ouci-
pites de cimpo, a prisao das ditas, e le-
vem-as no pateo do Carmo n. 6.
Pedo-se ao Sr. Jos Joaquim Barrero,
caso exista nosta praca, ou a quemsouber
da sua residencia, que o declare que por
esla folha, porquo na ra da Cadeia n. 39,
se Ihe deseja fallir seu negocio.
-- No dia 30 do corrente, HnJa a udijjii-
cia do lllm Sr. Dr. Juiz do civel, se ha di
arruina I ir duas parles do sobrado di ra do
l.ivramento n. 16, no vilorda t;796,939,pe-
nhoradas a Jofio Francisco Ferreira e sui
mo Ihor por execuco que movo Jos de Me-
doiros lavares, escnvSo Santos.
-- Precisa-se de urna ama de leite: que
estiver nestas circumstaucias, dirija-seio
sitio da Estancia, casa n. 17, junio do por-
13o do Sr. Jos Baplista Riboiro de Farus,
a tratar com Antonio Jos de Freitas.
Apreciavel leite creme das tt llo-
ras as 3 da tarde.
Ni confoitoria da ra eslreita do Hozarlo
n. 43, bavera amanhSa o impagavel in--
creme para os apaixonados.
--Perante ojiiz de paz da freguczii di
S-Jos do Recito, se ha de irrematif em
asta publica, no dia 29 do corrente, umre-
logio do algibeira, caixa de mola, e relogio
orizonla!.
-Os abiixo sssignados, declanm, q"9
tem mudado sui taberna, da rus da Midr
Deua n. 5, para a ra do Rangol n. 43.
Joaquim Joi di t'aria c Compnlii*..
-- O Sr. JoSo de Allemo da Caroi" w?"
neiro mande pagara cont*quo devedosJe
agosto do 1850, narui do Crespo n 12, *er*
to de que em quaoto nlo o Rzer ter de var
o seu nome nesta folha.
Desappareceu no dia 20 do corrente,
mulata Antonia, que represnti 18 a 20 aa-
nos de idade, baixa ereforsada, fui compra-
da aoSr. Froderico Chaves, a 15 do crran-
te, dizem que foi encontrad com vestido
chita, e lenco brinco no pescoso, e *apsi
di
le lustro, lem umi urelha nsgada uo lu
lo brinco, que parece foi corlada : que"
.evir na cata da ra das Larangeiras n. >
de Claudio Dubeux.sera recompemado ; <
zeta que fra visla ua ra da Aurora,
porta do Sr. commendador Oliveira, cobi
seu escravo pardo sipitelro, com quceii"
em lem amizade, e depois em Olinda-
- Abiho Jos Tavares di Silva, P'o^'
ico do termo do Reeife, reside aciuj
na ra Nova, n, 44, primeiro inasr-
MUTILADO


O Sr. Antonio Loiz di Silva, tem carias
^VKW.S, u,.do"e,Vep^.n Crvolho & .dala fa^em sci-
5 thctro le Santa Isabel, pde-o mandir entc ao publico que Daniel Jos
entregar no paleo do C.rmo.n. 9, pr.me,ro j i>ercta j^ ^ h(j mas geu
,nJ,D8o-a8 too rs. a premo obro hypothe- caxero desde o dia a5 do cor-
." jo d^ito, p.ssando. venda da esquina, rente.
.nrimcira casa. ___I .
d, Cacimba, n. II, aoodo morou o finado diz respeto
lin vigirio. Brralo, onde continua, oBV /
Sido-se toda a s.guraug. precisa par. os j J* J^
Casa de commissHo de escravos.
Na ra Direita, sobrado de tres
andares, defroote do bccco de S.
l'edto n. 3, recebem-se esclavos
de ambos os sexos para se vende-
rem de commissao, nao se levando
por esse trabalho mais do que a
por cento, e sem se levar cousa al-
guma de comedorias, e offerecen-
do-se para isto toda a seguranca
precisa para os ditos escravos
3
rece
ico que
Precisa-se de uma coslureira, qne en-
tenda de fazer concertos: na ra Nova n.
13 a 14 annos, prerefe-se dos cliegados ulti
mmente: na ra do Hospicio, n. 1.
Precisa-se alugar uma casa no bairro
da Boa-Vista, que seja ero urna das prin-
da
mamo* o bom tratamento. _
m! joilo Frederico Schur fa? publ
Jaleante o Mello, desdo o dia 23 do cor-
!! Misruel dos Afogados.
Nn obstante o adjantamento em que cipaesruas; quem a tiverdinja-so a rua
Mt& as obras da torre, coronefrontis-Cruz, no Hecile, casa de Crocco &. C.
Sm ,1a lureia, nao he possivol^soncluir Precisa-so de um bom ollcia de pc-
n muito que inda falta, para o dia to pro- dreiro : na ra das Larangeiras n. 23.
":""j. Glorioso Archanjo : pelo que nada Quem tiver para alugar uma prola cs-
ida haver n'esse Rrando dia, e nem ineamo crava, sem vicio, e que saiba fazer o servi-
ftri eleigao da nova mesa regedora, o co interno de uma cas de pouca ramilla,
annucie por este Diario para ser procurad,
ou dirija-so ao porteiro da Alfand-'ga dcsta
cidade, na mesma icparlicilo, das 8 ato l
que lera lugar mais paradianlo, O Ihesou-
reiro, o procurador geral apruvoitSo osla
occasiUo para agralecerem desde j a todas
as possoas que por pedido dos meamos teem
coiic irri lo com suasosmolas para as obras,
o esperam que os meamos devotos continua-
rlo a ajuda-los uestes esforgos, na corteza
do que o milagrozo santo nio deixari de re-
tribuir esses favores.
-. A praga anunciada por parte da fazenda
provincial em os Diarios de Pernambuco
Jo-'t, 25 a jG dn corrente; fjca transferida
para 30 o mosmo depois da audiencia do
illustrissimoseobor dulor juiz dos fetos;
lexcepgdoda de orpliSo que deve ser as I
horas da tardo na porta do respetivo juiz em
o dia ja aununciado.
Aviso!
Faz-se sciente aos credores da (averna da
ra eslreita do Itoiano n. 38, queiram apre-
scnlarsuas contas no praso de 3 dias a con-
tar de lioje, 25 de aetembro de 1851: na ra
larga do Itozario n. 37. Previne igualmente
..oras da tardo.
Aluga-se um moleque de 20 auno, de
boa conducta, ptimo cozinheiro : na ra do
Rangel n. *t. ,. .
PrecisSo-so de alguns ofliciaes do al.aia-
te : na ra da Madre Dcus n. 36, primeiro
andar.
-- Quem annuociou querer alugar, ou
comprar uma olaria que tenha barro para
lijlo o tellia dirija-so a ra da Aurora
'--Domingo 21 diste mez de sclombro
pelas 7 Doras da noito, uma sonliora per-
dou um alfinete de poilo da ouro lavrado :
da ra Nova pela camboa e paluo o Carino
al ao portflo da dita rrdem, e d tu em di-
roitura a ra eslreita do Hozarlo, a calcada
esta igreja, della pelo ladodiroilo da ra
Larga, ontrando-so na praga da Uniuo, e sa-
bindo-senarua das Cruzas, hindo-se polo
lado direito da dita ra at a quii, e della
aosdevedores a mosma casa para que nao |a lravess, quo sano dofronte do llieatro
paguem dbito algum sem que por este Di- < y(|| sauindo.9e unl ,,ouco aliante da
ario seja indicada pessoa competentemente s ^,,,,^0, voltando-sc d'alii, a
auth'irizalaacobraras mosmas divJIas. Iquma da ordem terceira para esta ra at
- Otferce-se uma ama porlugueza que quil8 eonfront0 a venda do Sr. Nicolao,
cnlende de todo o servigo de uma casa, pre- JtrafeMtBilC-fW, antos d# quina para a ra
fere lionKm solleiro, ouseja na praga ou lo- ua roJ p|0 p!Ue0 uo parasos frente do
radalla: quam precisar uuija-se ao pateo qunrtel da polica, subindo-sc a calcada,
do Pa raizo, ni*. | an(es ja botica do Sr. Joso Maria, vollando-
-Precisa-sc de um pequeo portuguez de S6 ua qujna pe|a rua uo Cabuga.o polo pa-
14 a l6inuos para caixeiro de vonda, com i00,jamairii a Cisa do Sr. Juaquun lar-
pratica ou sem ella, ainJa inesmo dos tarUKUer0 onde deu-so pela hitado rote-
cDogados ltimamente ; em S. Amaro atrs rido aUiincite : roga a quem u tiver senado
d fundigao do Starr, venda nova. do o restituir no segundo andar das cisas na
-rtoga-seao digno director do Iheatro ruaN0va 47 junto a do Si-. Coimbra.quese
de S. Isabel queira lancar a vista aos tres gratj(cara generosamente ; assun como a
ricos dramas do archivo Iheatral com os ti- quem for 0|r8reciJo de o levara dita casa,
lulos Tributo das cera Vil gaos, llamo do Cari ou ue annuncjar por este Diario, pois alom
vilho, e Zicarias, todos nasforcasda com-jUeslo fjvorse pagar a gralilicao, que ti-
p mina o que muito o TarSo brilhar, e so o V1M (|lu[n
mesmo Senhor tiver a boodade de os razer prec'sa.so de uma pessoa que intcn la
representar n3o duvidamos Ihrmar, qua jde p|antacoas de sitio, daudo lia.lor a sua
muito satisfar ao publico om geral, e !conducta : quem estiver nestas circo msta o -
com particularidadeasensalmiradores. cias entenda-se com oporteiiod'alfaudega
JLolcria de N. S. do Livramento. Idesti cidade, na mesma repartl{Oo das 8 as
No Aterro da Boa Vista lujado caljado, n. horas da larde.
58, vende-se os mullos afortunados, biine- I Porania o lllm. Sr. r. juiz do civel da
tes meios,quaito8, quintos, decimos, o vi- primeira vara depois da audiencia do da 26
gesimos da lotera de Y S. do Livranionto ; docorronte mez, so lia de arroinattr por
que corro imprcterivelmenlo no dia 30 do I venda, o sitio do Ierras, o casi do vivenda,
corrente aiez. no lugar do Santo Amaro, porlcncenle a
- Perdeu-so um ssquinho de chita roaxaE'nCoelho Cintra, por cxecuijao da Viuva
j Uiado, coin tres livros dentro, ssndo os'el'ilhos do Agostinho llenriques da silva,
livros, um o Ciminho do Co, outro lloras Precisa-se de um bom lomeiro : na rna
Marianas, e a oulro o moz de Maio : quem o Imperial n. 37.
acliou, love-o ao paleo da Penha, n. 15. l'ass.i jiorles.
-Constando au fiscal do contracto das' Tiram-so passaporlcs para dentro o rra
carnes verdes, por queixas de diversas pe-'do Imperio, despacliam-so escravos, cor-
soas, que os respectivos talhadores, sao : rem-se folrias, o tiram-sc tiiulos do residen-
omissos no cumpri ment de seus deveros,' cia : para oslo lim, procura-se na ruada
japesaudo mal, ej capucliozamenlo de- Cadeia do Itecfe n. 52, loja de fazendas do
morando os portadores, e dando da melhorlsr. Luizde Oiiveira Lima, e em Santo An-
ame a uus em prejuiso de outros, tem dado ionio : na rua doQueimalo n. 25, loja de
as providencias necessaries aiim do que se- miudezas do Sr. Joaquiui Moiiluiro da Cruz.
jJo satisroilas aa vistas da lu : se porm os j o Sr. Joaquim dos Santos Azcvedo, s.i-
aliusoscontiiiuarem o mesmo liscal roga aos gro do Sr. Viegas nlo s-ja 13o drumenle,
rrejudicados llics scicotiliqueo, uu que re-] maneo logo pagar os I7,ooi) rs. na olera
comendem aos seus portadores para se di- dos Coolhos, para uao ver mais o seu nomo
rixiremaos agentes que lempre serSo en-'nesta folha.
conlrados nosacougues. o Sr. Francisco Jos de Azovedo, tra-
-Pssoa alguma compro o engenhoPau- bilhador do Sr. Estar, mande pagar 27,000
sanguc, cm sarinhaem, sem que primeira-rs na olera dos Coclhos.
monto ova demarcar, porque confinando j o Sr. Diestro pedreiro A. V v quus-
ollecom o engenho BrejoNovo, esmdo in- lo antes pagar o que deve na olera dos
vontarado amigavelnjente pelos herde- Coelhos.
ros. para tambem ser amigavel a demarca- Precisa-se de um prcto captivo para a
C3o, exislindo um ponto que tem servido padaria da rua do Colovello n. 31, anda
de guia, oqualbe un cajueiro aopda es- mesmo sem pratica porm robusto
Irada real que vai do Pau-sangue ao alto de ] Deseja-so fallar com o Sr. Jeronymo
JoSo Fernandos; todos s3o obrigados a ge- Luiz Fernandas, irmOo de Francisco Joa-
melhantodomarcac.ao. Ninguem poisconlie quim Fernandos, morador no lugar da as-
so no do do vendedor, alim de o3o lerem sadura da villa do Melgaco, comarca do Va-
queslJocom oSr. do engenho Bicjo Novo, lenca, e arcobispado d.) Braga, om Portugal,
que promplamente demandar a quem com- para negocio de seu intoresse; aquello Sr.
prar o reerido Pau-sanguo, se por ventura Jeronymo morava em 181, na rua da Cui
quanto antes nao for aprovar a demarcado no Itecfe : quem doli soubor, ou o mesmo
amigavel, conforme ao accordo dos her- senhor so existir, dirija-sa a rua do gario,
uciros. casa n, 7_
-- baixo assignado participa ao res- Manoel Lopes da Silva,resido na rua do
poitavel publico quadehojeem dianle de:- Livramento n. 10.
*ou de ser caixeiro dos Srs. Carvalho Desapparcceu no dia 17 do torrente, da
"aia- casa n. 9, da rua das Triucheiras, un papa-
Danitl Josa Pereira Urna. gaio bastante Tallador, com uma corrente do
De orna casa da rua ao Colovello n. 54 forro em um p, das 6 horas o meia da tar-
desappareceu um macaco.bastante manco, 'I6 : 1uem l'Ter acha Jo leve-o ao paleo de
tomou para os sitios da rua do Cebo o Trem- "s- Podro, venda n. 1, que ser bom recom-
pe : quem o pegar leve-o a dita casa, ou o Pensado.
detenna em casa, que se procurar, o pro- ~ Na rua eslreita doBozario n-43, sogun-
metle-se alm da recompensa um eterno do andar, precisa-se de um homemquose
agradecimento, encarregue de acabar de fazer uma estrada
Preciua-sc de um caixeiro que enlcn- e de outro quo saiba enxnrlvr laranjeiras :
da de venda e escripia, dando-se um bom quemquizerso encarrogar dostes traballios
ordenado : na rua Direita n. 53. dinja-se a casa acuna indicada, das 6 as 9
. Jo.lo Ncuomoceno llii-i Fernaiide, *)
A Dr. om modicina, pela faculdade do 4
a> Biodo Janeiro, pode ser procurado .<*)
m todos os dias das 7 da manilas, as 5 (
f libras da tarde, pelas pessoasdesua 9
a>; amizade,epor todas aquellas que o 4
>> quizorem honrar com a sua confian- 4
aj ;a: na rua larga do Itozario n. 50. 4
f Aos pobres d consulta e so presta *J
fc'i aos seus cliamados gratuitamente. 4
**.*******>****** ^av
Conduccao.
Quem precisar do carrocas psraconduzir
genoros, materiacs, ou trastes, dinja-se a
rua da Cadeia do llecifo n. I, ou ao hotol
comoicrcio.
Dam-se 10,000 rs. dealv?aras a quem
dcscobrir na rua do Colldgio n. 13, primei-
ro andar, odo so acliam, e quem vendou
duascoirentes de ferro do5a6bracas do
comprido cada urna, furtadas na noito do 19
a 20 do correle. Na mesma casa so precisa
de um foitor para sitio, e trabajadores do
enchada.
As pessoas quo piccisarem do uma op-
1 tima lavadeira, 11 qutl lava mu bom de var-
rcla e llie quizerem dar suas ropas para a
1 mesma lavar, dirijam-so ao sobrado do 2
(andaros, dofronte do oharariz, no pateo do
Paraizo, no segundo andar, que acharilo
com quom trarar.
4t D-se ro.ipa a lavar, com tanto quo 4
a so torne a entregar na mesma sema-
V na. Annuucie por esta folha para ssr *
> procurado.
I Alluga-se um bom silio passando a
ponte do Ucha no lugar do l'arnameirim
'com uma grande casi, e um sobradinlio
por cima da cocheira, muito fresco, t'in
grande cacimba, dois tanques com co-
tborta, de 4 aguas, estribara para 6 caval-
I os:quem a perlcnder dlrija-BBa Iravessi
do Veras 11. 15, n na mosma casa aluga-so
limboni uma osa torrea na poveafao do
Honteiro, com grandes sallas ctquartos,
corintia fura, cicimba, estribara para 2 ca-
vallos, o 2 quintaos murados com portJo.
com sahi la para 0 Bio
LNblGADUB DOS AUGOjHDS
PARA #.
VIOLA
Torna-so este inotnod, tanto mais reco-
mendav I, quanto elle he ulil, pois que fol
publicado om provelo daqucllas pessoas
que dosejo saber as rearas do acjinpaulia
monto sem quotenliamo Irabalho de apren-
der a msica: von.le-se na ruado Livra-
mento loja do calcado, n. 27, a5 mil rois
Quem so quittl encarrear do oxtiu-
No Passeio Publico n. 5.
Na mesma fabrica concertam-se o cbre-
se qnalquer arma^flo servida tanto do panno
como de seda, e ludo isso com o mnior
asseioepromplidao; desejamos quo os no-
brea habitantes concorram para este esta-
beleci ment.
-- Ha rua Nova n. 35, loja da alfaiato de
J. S. de Menezes, alm do grande sortimen-
to de obras feitas quo continuadamente
tem, tanto para homem, como para meni-
nos, tem um variado sorlimonlo do pannos,
merino, casimiras, brins, setins para cole-
tos, quo tudo vender por mdico proco,
apparecondo dinhoiro.
Faz publico o abaixo assignado qua
comprou ltimamente para seu pagamento,
o dominio de urnas Ierras cita na rreguezia
do Una, e comarca do Bio Formoso, as
quaos cstSo ciluados os engenhos Cindiahy
que paga 300,000 ris de foro ; Queimadas,
00,000 ris, o Sorra d'Agoa 60,000 res, do
qual o abaixo assignado s possue metade :
esto pequeo patrimonio de 530,000 ris
por anno, o pagos em da, p Jo interossar a
qualqu.r familia que deseje um rendimento
crio, c que nao soffra quebra de decimas o
concertos e algumas vezes de melterem -
cliavcs por debaixo da porta ; por isso o
abaixo assignado quer vende-lo do prompto
a dinheiro a vista por precizar dclle para o
coslcio do seu estabelecimento de fazen las
finas para a pra?a o sertao, na rua Nova n.
2:1, aonde pode ser procurado todos os dias
para o ajuste. Antonio Gomes I (Or
S*iS3* *
* Paulo GaalfnOMXj taltist
ruiircK, offciccc sea prest-
# mono pnblleo par lodosos
* iiiisicrcs le. sua proflssao :
# pude ser procurado 1 <|iiil-
9 quer hora cm sua casa, na a
111 larga l<> Rosarlo, 11. 36, -t,
% .secundo iindiii'.
Presepio,
listando a pproximar-se o lempo dedica-
do s rppi'csnta<;cs pasloris, oll'urcce-se
por mdico aluguel para osle iunocciite di-
vorlimeiito, o llieatro da rua da Piaia, casa
amarella da esquina, lie a melhor casa, e
cora aiaioros pruporc,o;s que para tal lim so
podo encontrar : trata-SJ com Cuilhorvie
Selle, 110 aterro da Bua-Visla 11. 10.
Consultorio Uoiueo- g
pathico.
rallan do Colegio u. 25pt*i-l
meh'O andar.
0 Dr. P. A.Lob Moscoso, a
^ il consultas gratis aos po- ||
i bres, todos os dias das 8 as '
2 laiioras da nianliaa. .
gi l iiina qualqucr operacao ^
3 de ciiurgni, ou de partos.
Hcccbe ecravos
;-; para tratar de suas enfermi-
J dades,ou f zcr qualqueropc-
-\ racao, por proco comniodo. ~
C'-:'"- 'C 7l'iS---3lr": :-" "
Fugio, a inezos, ilo engolillo aula
Boza, c ja so tem aununciado por este Dia-
rio,o oscravo Mathcos.carreiro, alto, corpo
SI
lerreag na rua Velha do bairro da Boa Vista, de primeira terceira aiialirlarlo e
"'J,i^J?-r^UVISr.lU-u ditas dit. galega, todas'das melho-
(Bfj-0-.los do carro, grandes, bonitos e res qualidadcs que ha no mercado
JutUUbcm mancos: ha doze parelhas ratnr ma l..nl,m ^. u;i.
para escolher a ventado ; dous cav.llos de tratar co,n Joaquim da Silva
cabriolet bonse grandes; um carro muito Lopes.
commodoparafamilia; tudo por prego com- ^os ao:ooo,000 rs.
modo :|na rua Nova, n. 61 Ac,ba de chegar do R|o Qe Janeiro pe,0
rara baile. vapor Taij loja da rua do Queimado n. 37
Vende-se modernos chapos de pasta pa- A de Antonio Jos Bodriguea de Souza Ju-
ra bailos, por proco commodo : na Praga da nior, os bilhelea, meios, quartos, oitavose
Indopondencia ns. 24, 26, 28 e 30. vigsimos da segunda lotera do Rio da Ja-
'-il' w^v a O Ullk R Ailft neiro a beneficio do hospital decaridadede
m ^ 'OWW C >vvw' Santa Catharioa, cuja lista chega no prinMi-
' !No atearo da 13oa-Vista, de-
fronte da boueca.
Chogou novo sortimento de sspatOesde
couro de lustro para homem dos aelliorus
aue teravindodoAraoity a2,O0rs., ditos
da Baha a 3,000 rs., ditos de couro branco
a 800 o 1,000 rs., ditos de orelha a 1,000 rs.,
assim como um complato sorlimonlo de
calgado frsncez do todas as qualidades, tan-
to para homem como para sonliora o meni-
nos, cortes de tpelo de Ida e algodSo, pa-
drOcs mu lindos a 480 rs., o que tudo ven-
de barato, afim de se apurar dinheiro.
Bom c barato
Na rua do Queimado loja n. 18, vendam-
so ricos lencos de sarja para grvalas, de
carneo liso, e de uma s cor, sendo cor de
rosa, azul, verde, eamarello, assim como
cortes do casemiri do cores, as mais moder-
nas, panno lino preto superior, prova a li-
niao, silln prcto hora, casemira preta lina,
curtes do coleto de selim bordados, ricos
cortos do chamslote para vestidos, cam-
braias do seda para vestidos, o outras mui-
tas fazendas por commodo prego.
Flores Francezas.
Vondem-so ramos de llores franeczas, fa-
zenda muito suporior, polo baratissimo
prego de 11100 rs : na rua do Queimado, loja
da iiiii'dc/.is do baratoiro, junto a loja do
cera, n. 33.
Lindos haiisziulios (le
iloenlcs j|
ro vapor, OS quaes se vendem pelos baratia-
simos pregos abaixo, e tamara se trocam
porbilhetes promiados do Rio e do Livra-
mento.
Bilhetes 29,000
Meios 11,000
Quartos 5,500
Oitavos 2,800
Vigsimos 1,300
Uo aterro da Boa-Vis la loja n. 18,
defronte do tribunal do cons-
mercio,
Vendem-se corles de brim do puro linlio,
do cores de ganga, amarello, rocho, preto, e
azul, pelo baratissimo prego de quatro pa-
tacas o corle, e uma porgSo de veludo de di-
versas cores, muilo barata fazenda, propria
para vstuarios theatraes.
-- Vende-se uma biblia latina quasi no-
va : as Cinco Pontis n. 25.
Cava I los para a festa.
Vondo-seum ptimo cava I lo rugo pom-
bo, muito rinchador, carregador, baixo,
gallope macio, e muito novo: no Aterro da
Boa vista, n. 73, ou na rua da Cadeia do
Itecfe n. 14.
A 1,000 res o par.
VcnJem-so sapalos do Aracaty, cora
orellus, obra bi, a 1,000 rea o par: no
Aterro da Boa Vista, loja de calgados, n. 58
junto ao selleiro.
Na rualdas Cruzes, n. 22, 2. andar,
voudo-se uma crioula de 20 annos, debonita
Vendem-se bauszinhos de madeira, com | 'gura,que engouima, cose cbo, cozinha e
minio bonitas pinturase dovarios Uinanlios, ['va ; uma dita de 26 annos, que cozinha ,
mn.l) proprios para roupa de crianga o I lava e faz toJo o servigo de uma casa ; uma
mesmo pira oulra quiliguor cousa a que os dita da mesma i lado,para lora da provincia;
quoirain pplicar : estes balius toom chavo, e ama linda crioula engommadeira, que cose
o prego he o mais barato,possivel: na rua do >, bom cban, o faz lavarnto, marca, faz renda,
Queimado, loj do miudezas do baraleiro, 'cozinha, lava de sabio, lio muito sadia, a
junio a loja do cera, u. 33. Ii:'" tom vicios nem achaques.
Luvas de iicllica I VT ,,rtA
, } '. Novel as a i*00 rs., o vo-
baratas, \
Vendem-se lavas do pellica, tanto para; Illllie OlIcatlCrliaaO.
homem como para sonliora, pelo baratis- p^a livraria do pateo do Gollegio
simo proco do 800 rs. o par eslas luvas i r. ,l I J -*- **------3-
sao o'uilo novas e de superior qualidade,' n 6 de J. da Lost* OUrado,
vundom-se por este prego, por quo com- vendem-so Viagons UeGulliver a varios pai-
prou-so uma grande porgan : na rua do I zes romotos, 4 volumes;!)- Baymundode A-
(Jueimado, loja do miudozas do baraleiro, ,RUiar, ou frades Pcrtuguezes, 2 volumes ;
junto a loja de cera, n. 33 .Novellas Soletas de J. Boccacio, 2 volumes ;
'<..rw.,.,...o i,w..,c !> Queixolo, 8 volumes ; Novellas e contos ,
MipeilOieS leqiie.S. volumes historia do Cusmaod'Alfarache,
Vi'iilem so loqu's com esp--Ihoo plumas, > volumes ; RodSo Amoroso,ou avonturas
suporto', pelo baratissimo idcsto famoso paladino, Cabana da India,
madeira pintados.
M fazenda muilo
1 volunio ; Joaquime Bosa, 1 volume;0
Renegado, 3 volumes, Marco Aurelio, 1 vo-
luino ; Barbarinsks, ou os Bandoleiros do
Castalio da Wissegrado, 2 volumes ; Cons-
tancia 1 volume ; Os recreios de Eugenia, 1
i volume, O Bandoleiro dos Apeninos, 1 volu-
ndem-se lindissimos pozos para por so i mo. Vj'agC!n (le Trisl0 Ja Cunna yo||1.
prego do 30J0 rs. na rua do Queimado, loja
do iniudo zas, junto a loja do cora, n. 33.
J'ezos pata por sobre
papis
V
'eco, falla de um dente na frente do queixo "re papis, lazendas que amia na nanga mo;0 (, acaroazul,t volume Aventuras de
..., limi ni,,.!., iiiii.il >>iilii I, i r : \<- .i n 11 Anta I t .
superior, pomas finas, e com lorida.'ou tal '> l'n vindo igual, pelo baratsimo pre-
vez boje so oxista ; a cicatriz em nma das o de 2,500 rs. : na rua do Quoimado Inja
pernas : nao se annunoia o trajo, porque o
ha do ler mudado: este escravo foi do Ara-
raty, o comprado ao Sr. Manoel da Fonseci
para tratar do ajuste.
- O cautelista Salustiano de ^^XOt^
equino I cncira, avisa ao respei- vigo de u na casa de p
lama para todo o sor-
i portas dentro : uo pa-
lavel publico que ai rodas da lote- leo d?,;"T0 ",i- ,
i'n.l \ u i J -Aluga-se uma preta captiva, pagase
ae flossa Sonliora do Livra- bem : na rua da Calgada, defronte do um
menlo andam imnreterivelmente sobrado amarello do um andar.
un iln (. i Aluga-se uma casa torrea ou primeiro
"0 uia do do Corrente nsez, e paga #,,dai, que lenha quiulal, e urna sala espa-
no dia primeiro de outubro as cau- 0S8' he,n 'rejada, no bairro de s. Anto-
Irl iv ,,,,., a.. i -ii i- nio: quom a tiver dirija-se a ruadoLivra-
teas premiadas, c bilbeles vend- ment n. 38, primeiro andar.
"os na prora da Independencia ll, ~ l'reci#a-so alugar urna cscrava prela:
na travessa da rua da Concordia, sobrado
n.5.
Precisa-so do uma ama do le te: na rua
do Queimado n. 9.
I O abaixo assignado declara, a quem
narin ,recis,"8e do um feitor para um sitio convier, que comprou a Sra. D. Maria Leo-
'l0lll,Pr'ga, que entend de planlagOes, poldina Cordeiro da Silveira a sua escrava
anr .*,.!.". aebai*adecaplm, equeafll Florinda, ecomo se achom penhorando va-
rida
engaos
quaesquer
II im lh........".uumgiua ou lam- "
Mii foih. pe,lenca. queira annunciar por
- Pal. fM" 88r procuruO- Aiu8.-ae por niouic
escrivan s,. i eirl 'r* do Joiso do clveJ, de S. Francisco cora todos
I enhor.do, ,)! h.h, ? ,rrea"Ur os b< >'<": a ''atar na rua p
Sj e na rua da Cadeia do ftecife n.
46, loja de miudezas. Meios bi-
'betes5,5oo.
Jos da Cosa Bramido Cordeiro.
Aluga-se por mdico prego o thoalro
oa seus utenci-
pollo n. 20.
Ultima praca no dia tn ,iV. .~.,r. .' 0"ul* e comprar, em uma casa ue pouca familia :
audiencias -rrenle, w^,, queal estiver nesUs circumsUociis, dirija-
"',' se a rua do Cordoniz n. 10.
fet*te.*#*#|5s=S ' .2. r- Z
%p i o) ,1 a W m 9 O m

*. -5o= 4 < Z*
1 "oi. *Ssa u3U) n v n
"SlS'SilS 9 5%"* Sa
3 ti T n
ias-llllsigs!-! Ai o ^ 't o z> -t m --i 3 - a "no "> u -3 a-2
gfiacr'S#iI0 2%
1 "c.3 o"'2'0"'"'! i ss=>

fct^fefe ??*** 5SS 3 V iz
lnstrucffto.
Compras.
Compra-sc uma esclava mOgu de boni-
11 figura quo nao tonlia vicios no n achaques
o seje prila engommadeira, coznlicira o
de miudezas do baraleuo junto a loja de
cera u. 33.
Vendo-se uma empannada com ar-
ii: H.-.1-> de ferro para duas portas, muilo om
coiiU cm S. Amaro atrs da fundiglo do
Starr, venda nova.
Vende-so um sitio na Cruz das Almas
no lim da estrada dos Mllictos que volla pa-
ra a da Agoa-fria, mura lo por ambos os a -
dos, com porli>de torro, cisa sofrivol, ca-
cimba com bomba de f irro o dous tanques,
lalada de parreiras com forquilhas de Ierro
boi baixa para capim, e arvoros novjs da
diverasa frutas que j produzem : os pro-
tendentes procuren! na rua do Mondego,
coslureira no Recite rua di Sanzalla nova, casi tirrea n. 83
venda n. 7 dir quom compro. .. vende-se uma labarna com pouco fun-
Compra-so um scllim usado : na rua dooboinalrcuezida:na rua do Moras n. 52,
larga do Itozario, loja do miudc/as, n. 26. ol no palco Jo t;rmo n_ 13.
Compra-so o lormulario, ou guia me- .. Vondom-so 17 pares de ancoras de ma-
dica do Brasil, por Cheruoviz, na rua Diroi- jcra Ul) pipa a 3 000. a rua da [onul> n. *
la n. 14.
-- Compra-sc em segunda mao Signops
pelo general Abren o Lima na livraria do
palco do collegio u. 6,
Compra-so uma obra ilo historia Kecle-
siaslica, Iraduzida por Berli, quo seja usa-
da, c lainbem serve o seguuJo volumo :
quom livor c a quizor vender, pode ir ao iy-
! ceu, a tratar com Joilo Urbano de Olivcira.
Compia-se um correntao grosso, do
Urna pessoa que sobro ler o curso com-1 ouro do le, que tenha viule oitavas ou mais
pelo de preparatorios possuo uma condula sem foilio : ,na praga da indopondencia,
civil e moral iscmpla de inos la, propde-saj loja n. 14,
a dar lieces por casas particulares de ler, I
escrever e contar correctamente, delingoaj Vendas.
nacional e franceza.ludo com zoio e desvelo, i ___^
A mesma pessoa tambem so prope, duranio
a cslae.lo calmosa, a dar as referidas licgOcs
pelos suburbios desla cidade. Quem de seu
prostimo quizer ulilisar-no anuuncio para
ser procurado, OU dinja-se ao Atierro da
Boa-Vista, sobrado n. 5, que ah so lile dia
quem seja essa pessoa.
casa de. modas ir .i acezas
m Bucssard Milocliau,
Pelo ultimo navio recebeu-so do Franga i
as fazendas segundes as mais em moda cm j
l'ariz : manteletes o cipotinhos, chapos de I
soda, do palha o de montara, ricos corles
CBAXV ECONMICA EM MASSA.
Bobinson Cruso, 6 volumos : OSepulcbro,
novella escrita em ingloza por Anna Bade-
liffe, ira luc.ii> Porlugueza, 3 volumes:vida
o aventuras facecias, pachuchadas etravas-
suras, -2 volumes ; O Dote de Suzaninha ou
a historia de Madama do S-Mineterra,contada
pela a mosma 2 volumes; ll. JoSo da Falper-
ra ,nii as venturas de um calibre e pcrsooagcm
escrita por elle mesmo, 1 volume ; Contos
das I idas. Iraducco Porlugueza, adornada
com (Oestampas linas, i volume ; Aventuras
e astucias de Lazarinho do Tonino/, 2 volu-
mes ; llanoko, ou o negro, como punco.-,
brandas,:) volumes ; A Mirquesa do Ganges,
2 volumes, historia jocosa do Celebrado
pae-pae cognominado o Garganta Portu-
gueza, 1 volume : Audelnae Mauricio ou o
casamento o o amo nvontura contempor-
nea, 2 volumes ; Lconol Lincoln, ou cerco
de Boston, 4 volumos ; Christina deStaivil-
le ou os effeitos da boa ou m educagSo,2
volumes; Nuot l'rompilio, segundo Rei de
Boma, 2 volumes ; armas -ns dos meninos,
ou principo querido, 2 volumes.
Alvaiade.
Vcnde-sc alvaiado da melhor qualidade
que lam vindo a lv.mambuco, em barril
pequeos: na rua do Trapixe-Novo, n. 18,
oscriptoriode Eduardo II. Wyatt.
.Superior er.
Vcnde-so ere chgeado ltimamente em
barricas de diflerentes tamanhos, a vonta-
de do comprador : na rua do Trapixe-Novo,
n. 18, escriptorio de Eduardo II. vv yalt.
Tintas.
Ma
Ricos cspellios.
Vondc-se cm casa de Av.'ial l'rere e Com-
panh
vidro
das
preg
MeiaS CriiaS ill^IeZaS urna pequea lata aturar mais do que tres
Venden-so meias d'algod.io nara homem, boles. o costar menos do quo um Vcndo-
Rnuaum Maturaina ruado Tranichc-No- se cm barricas, ou porgo de diizias, no ar-
vo, n t9*%ft$bVLZVw\Z mazeni de Vicenta Ferreira da Costa, na rua
' U / da Madre de Ueos.
leiltCS CIO lliarraia VenJe-seumaporgSodocaixOas vasios
Vendem-so pcnlcs do chifre, muito bem de cinco palmos para cima : na rua Nova
Vcndem-sc. tintas preparadas em oleo, de
1)0 insigne fabricante amoricino, James lloa liJi(| edo 'diversascoras na 'rua
inon. A sua composigao ho feaa do pro; do T?apixa.Ko^( ,8> escriptorio de Edu-
ardo II. Wyatt.
IIP mu ii n i i i iv"- \-va fcVJi rviiuvi '" r""----' --------,------------~------------------------ ,
do garga e bico para bailo, cabegOes de bicoi polidos, imitando tartaruga; na rua do Ira- n. 9.
Je linhoe de blondo, ricos enfoiles para ca-1 picho Novo, n. 17 escriptorio do Eduardo II. Vendo-so umi negra de92 annos, a-
begaem noros, turbantes o toucados, luvas! wyatt. costumada c propria para lodo o servieo de
lepelica, bico de blonda, dito de llnhodo Vviso aos fumantes de bom uoslo. u
or iimro p.irnmmln ipam i|uo nojo." "-^-i------ panella, paos, choiirigis ; quoij
ra por prego commodo. < js vonilo.se tanl0 a ieialho como mes- \lt' rrns'cos com conservas, latas com
Aviso de importancia. mo em porg:lo de caixas. e tambora llavera rjiahi ditas com crvllhas, bolaxinhas
Tendo os abaixo assienados de muito bom rap mcuron, ludo por muilo d0S01|a eararuta, o mus liio possivel. vi-
_ f roanos prego do quo omoulia qualqucr par- n|.03ju i>oru,, m,doira, clieroe, hucellas,
retirai-se imnreterwelmente para lB os ^,e\ sao S auo yao abaixo. c.rc.vellos.bordaaux.s. iuliao.oodoe, rausl
a cidade do tuO de Janeiro, no (im I Senador's.^ S. Fehx--artoia vOa. cal.| j0 SBtuhal, fronlignan, chinpagno,
desle mez, avisam as pessoas que
desejam retratos perfeitospclo sys-
lema electmlypo, de aproveilar es-
ta favoravel e ultima occasio, das
7 horas da manha as 4 da tarde.
Carlos D. b'redricks & C."
Abracem a moderna.
-- Na antiga fabrica de chapeos deso, se
encontrar!) um novo o moderno sortimento
de chapeos lano para meninos como para
liomens, e juntamente aQiangamos a boa
qualidade egosto por serem os primeiros
vindo a este mercado; emquanloo prego
lio o mais commouo possivel.
Casa de commisso de escravos.
Na rua larga do Itozario n. 21, segundo
andar, recebem-se escravos por commissRo,
para serem vendidos por conla dos leus se-
nhores com a maior brovidade possivel-
Regalos do llavana.
Socialistas.
Iiepulados. Cata Bor.
A oxperiencia pro vara. Suporfine.
Regalos. Regalia.
Ultimo gosto. Boui gosto.
Mimos da yaya. Paitos do moga.
Realistas. Liberaos.
A vista Taz f. licores massasquino, e nutras qualidades,
t?"?-. ar Htm*' azoito doce refinado, e todos os mais gone-
rosde venda.
r'nlli i de flandres.
Ven le-se superior folha do flandres, lano
de marca regular, como dobrada e com
grossuras necossarias para qnalquer obra,
Vende-so tudo isto mais em conla do na rua Novaloja de ferragensn. 13, confron-
que em oulra qualquer parte, visto os seus i9 matriz de S. Antonio : os pralendantes
donos quererem acabar. derigindo-se a ella quo nio doixarSo de fazer
-- Vende-ae uma preta moga sem vicio n0gocio, tanto por sua boa qualidade, como
algum, proprii para o servigo de campo, de pe|o rasoavel orego : tambem se compra
bonita figura : no largo do Livramento core ou latSo velho.
n, 20. -- Cimento novo da melhor qualidade,
Vende-se um selim inglez. com todos vende Jos Antonio do Araujo, por conla de
os seus pertences em bom estado : na rua quem perlencor, por prego muito mdico,
da Aurora n, 62, loja de funillroi. Yendcm-se na rua da Ma-
Vende-ae cimento prelo romano de .__ m i'.rinlia
muito superior qualidado; verdadeiro ago dre de Dos barricas com larinlia
de milaO: tudo por prego muito comomodo : SSSF primeira e segunda quauda-
"-Ten^-?eUu1ran.-b*o. propried.de de e de, ditas de dita fontana tambem
Oleo de copaiba.
Venle-se uma pequea quantldade em
latas do 16 libras oada uma : na rua do Tra-
pixe-NoYO, n. 18, escriptorio de Eduardo
II. Wyatt.
Verdadeira pechincha!
a 6.Jf rs. o corte.
Na rua do Queimado loja n. 17, ao pe da
botica, vendera-sa cortes de cazimira preta
fina pelo baratissimo prego do 6,000 rs. cada
um.
- Vende-se graxa, e carnauba por menos
prego do que em outra qulquer parte : quem
quizar anuncio.
Vende-sn a caza nova, que lom vonJa
no principio do Corredor do Bispo, cora 13S
palmos do terreno a lluarga da mesma casa,
para dasobriga de uma bypotheca : a tratar
na mosmi venda.
Vend-se, na rua do Crespo n. 13, um
negro de nigilo, do vinte tantos annos, mui-
to proprio para servigo de campo, por ser
bastante forgizo e robusto.
Camisas de meia.
Vendem-so nissimis camisas de meia,
pelo baratissino prego de 2,000 rs., ditas
nnlrofinas a 1,200 rs., ditas le cores a 1,000
rs. : na run do Queimado, loja de miudezas,
junio a loja de cera n. 33.
Ricas franjas para cortinados.
Vendem-se franjas para oortinados, oa
padrOes mais lindos que lera apparecido,
por prego que ninguem vende: na rua do
Queimado, loja de miudezas do baraleiro,
junto a loja de cera n. .13.
.-Contiuua.se a vender diversas pegas da
ouro e prata sem foilio ; assim como um re-
logio de ouro, patente inglez, novo outro
suisso para senhora, por menos de sau valor:
na rua da Cadeia, loja de tazendis, n. 41
Kap Paulo Cordeiro
vende-se na loja de cunta >v Amorim, ni
rua da Cadeia do Recife,n. 30, este superior
rap, em bote e meios ditos, recenteineute
bogado, por prego com momdo.


Deposito de cal e potassa.
No armasen) da ra da Gadeia
doHecife n. la, lia muito supe-
rior cal de Lisboa, empedra, as-
sim como potassa chegada ultima-
mente, a precos muito rasoaveis.
--Vendom-se os seguintes gneros de su-
perior qualidide muito em cont, queijos
londrinos fresos ditos de prato prizun-
to> pira fiambra, ditos baniburguezes, di-
tos portuguezes meigiso pira pinelli. litis
com bolichi de Lisboa, dilis com chocolite
de canelli de Lisboa, frseos com conservas
ngluzas,boceta eciixinlus muito asseiadas
com massas linas para sopa, grrulas de vi-
nbo muscatei,de situbal, ditas com dito fei-
torii do porto, ditas com dito de carcavel-
los brinco,Jilas com dito de colares: na ra
da Cruz numero 46 defronle do Sr. Dr. Cos-
me de Sa l'creira.
Aliento.
Vende-se urna micbini complel, nov e
muito superior, da forca dequalrocavallos,
alta prsalo, com a sua competente moen-
dade issucar, por prego barato. Adverte-se
que vende-se a machina junto ou sem a
moeoda : dirija-se em casa do Admsoo llo-
wle & Companhia : no trapiche novo no Ite-
cife n. 2.
Attenco.
Na padaria do forte do Millo ra do Bur-
Sos, bi um completo sorlimento de maros
as, proprias para sorlimento de depsitos
e vendaa, muito em com, e tambem se
veode farinha muilo birala, pira chipe
llieiros.
Vende-se um sollim ingloz novo pro-
pno pira pagem, por ter maca, coldros, e
todos os mais uncios inclusivo cabe?idas :
na ra do Trapixe-Novo, n. 18, escriptorio
di Eduardo H.Wyatt.
Para as escolas.
Vende-se no pateo do Collegio, luja do
livro azul a synopsis do general Abreu e Li-
ma, ultimameulo adoptada pelo i.xm. presi-
dente da provincia como compendio de 1*1-
tura e historia do Brasil as escolas prima-
rias di provincia.
Preco em brochura 2,560
tuca de ruada 3/201)
Casa de commissao de escravos.
Vcndem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-'
da de ferro novas, e edificado i moderna
com toda a solidez eporfcn.no, cito na me-
Ihor ra do bairro de S. Antonio desta cula-
da, e cujos rendlmentos produsem avullado
juro : os pretendentes dirijam-se ao Corre-
lorliveira.
Gal virgem em pedra
Chegada recentemente de Lisboa, em anco-
ras muito bom acondicionadas, e por preco
commodo; no armazem de Silva Barroca,
na ra do Trapiche n. 19.
l'eclimclia para os alfaiates que
quizerem ganhar dinheiro, e
pessoas particulares, que gostam
do bom e barato.
Vendem-se na ra do Crespo, loja da es-
quina que volti pin Cideia, pumos linos
de todis as cores da melhor qualidide pos-
sivel, e muito biralos por terem um peque-
o toque desvara.
AGENCIA
da lmu icao Low-Moor.
IIUA li \ M..V LLA NOVA Y 43.
Neste estabeleeimento conti-
na a liaver um completo sorli-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, macbinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Vende-se
4
batido, Unto rata cor
eiras todas de ferro p
ditas para armar em
manilos e modellos o
liorisonl.il para vapor, <
los, coueo. paaaadeiraa de ferro csianbido |d'U>da 13a e seda a 3,000 rs., collos de va-.! de dilas bordadas, e com requintes a 2,008
para caa de pulgar, por menoa preco que o | '"do a 640 rs., fustSu 320 rs chpeos de rs., .lilas de dita pretas para homem a 1,440
de cobre, cacovea pira navio, ierro logle ;S0l de panainho para homem a 1,200 rs., di-
tanto cm barras como cm arcos folhas, e ludo i tos para mollina a 720 rs., e outris muitis
do
de
por banlo."preco
Vende-se
Arroz de casca,
Farello novo,
Gb preto,
Ghumb de municSo,
Cimento,
vende-se tudo por procos conmnelos : no
rmizem de J. J. Tisso Jnior, na rui
A mor m n. 35.
I ai inta de mandioca.
A mais nova e mais barsta farinha
mandioca que ha no mercado, vende-se na
ra da Cruz do llecife, armazem n. 13, de
JoSo Carlos Augusto da Silva.
Principios geraes de economa pu-
blica e industrial.
V'endo-se este compendio, approvado para
as aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na
praga da Independencia, liviana n. 6 e8.
*#4j> 5; A luoihii) >irn sacros. *
t Vende-se multo bom algodSo para fr
j saceos de assucar, por preco en mino- fr
(4 do : em casa do llicardo Itoyle, na Ct
4 Illa .la ( i 11 I .i II. :l7. v:
fazendas por muito diminuto preco.
-- Na ra daa Laranjeiras n. 14, no segun-
do andar, sempre ha muilos bons escravos
parase vendorem por preco mais baralo do
rs., o par, oteias de liuho a 3,500 rs., a du
zia, babados de panno do linho com palmo
de largura a 180 is., linti ingleza 110 rs o
boiiio, liuhascarrilel brancas 100 jardas 320
rs a duzia. ditis de dito 200 ardas a 880 rs ,
do melhor autor; novnllos do li n has de co-
que em oulri parte, como sejaui negras res 1,280 rs., a Ib.; ditas de dita branca de
mocas com habilidades, negrotas, negros varios ns muito baralo; lucos de varias.]
mogos, ptimos pan quilquer trabalho, e larguras e de palmo sendo mullo llnoa 1,000
negros de meia idade, 6 muleques de 8 a 14 is., a vara, meiis para homem a 140 rs., o
annos de idade, todos nimios lindos, e ou
tros escravos.
Loteras do Rio.
Fio de diversas cores, para sa- !#\W '
nateiro rarinlia ile mandioca.
Linhas brancas e de diversas
cores.
Tinta de oleo de varias cores.
Cha preto c verde, de Inglater-
ra, superior.
Velas de espermacete.
Panno dealgodao, para saceos.
Tudo da mclbor qtialidade e
No armazem de Antonio Aunes Jacome
Pires, no caes da Alfandcga ven le-se fari-
nha de mandioca em saccaa, senJo de ojili-
ma qualiilado c por prego o mais commodo
do mercado.
Vendem-se relogios de ou-
ro e piala, patente inglcz : na ra
da Senzalla Nova n. l\i.
MOCIUllls MI|ll'l'OI'CS.
Na fundlcSo do C. Slorr At Companhia,
em S.-Amaro, acham-se vonda moendas
milito cm conta : em C3S8 de A- de canoa, todas de ferro, de um modelo e
J ii -o./. i conslrucgflo muilo superior
amsoo Ilowic & ( on.panlna, na .llxus pani eilgenll0>
ruado trapiche Novo n. 4a- Na fundicSo de ferro da ra do llrum,
Vndese farinha de mandio- acaba-se de receborum completo sorlimen-
to de taixas de Jas palmos do bocea, as~
f 1 I I' 1 .nao o .... s w
vincia como para lora della, para *-a de muito boa qnalidaae, e re- quaos acham-se a venda por prego com-
o que se olVerece minias garantas
a setts donos : na ra da. Cacimba
n. 11, primeiro andar.
Deposito du rubrica ilo imiu- o-
,sinlo- na ltulllu.
Vende-se, em casa dcN. O. llieber&C.,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quellarabrica, muilo propno para saceos de
assucar e roupa do escravos, por precocoru-
ni o jo.
Vende-se cola do {o Gran-
de, em barricas e por preco com-
modo : na ra do Yigario n. 19,
segundo andar, escriptorio de Ala-
chado & Pinheiro.
--Cimento superior, o melhor quo tcm
vindo a este morcado, vende-se no arma-
zem de Vicente Ferreira da Costa, ra; da
Madre Deus, por prego mais baralo que em
oulra qualquer parle, leudo-se em altencSo
as porgues.
Vendem-se velas de espermacete, em
caixas.de superior qualidade : em casa de
J. Keller & Companhia: na ra da Cruz nu-
mero 55.
Vendem-se cera cm velas ,
fabricadas em Lisboa e no Kio de
Janeiro, em caixas de 100 libras
sortidas, de 1 a 1G em libra, e tam-
bem de um so tamanho, por me-
ceutcnicnlc chegada de Sulla Ca- niodo, e com promptidflo embarcam-se, ou
carrogam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Arados de ferro.
Na fundigo da Aurora, cm S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Anda mais pccliiiiclia.
Corles de casimira preta, lina, por 5,000
rs. ; ditos de cores, a 6,400 rs. ; bnm bran-
lliarina no patacho Nova Lnz: tra-
ta-se a bordo di mesmo cm trente
do caes do Hamos, ou na rita do
Trapiche 11. 5.
(I) Vcndein-se boticas homocopalliicas, (1
m grandes e peqiicnas.com os seus com- ?
? ptenles livros: 111 ra do Crespo, *
t loja a ni.ir, I 1 n. 4. i
Vende-se superior panno de
algodao, para saceos: em casa de
Kenworthy *c Companhia, na ra
da Cruz 11. 2.
Vendem-se selins inglezes,
elsticos, c ditos com borraneas :
em casa de Geo kcnworlhy &
Companhia, na 1 n 1 da Cruz n. a.
Bilhetes das loterias do Itio de Janeiro
no paleo do Collegio, casa do livro azul.
DKVERES DOS HOMENS,
a 5oo rs.
Vende-se este compendio aprovado para
as aulas, em meia encadernagSo, a 500 rs.p
cada um : na livraria n. 6 e 8, da praga n,
Independencia.
Vonde-se hum cscravo ptimo para qual-
quor servigo da praga, ou do ctmpo: na ra
Bella nm 1 ni 16
IVo armazem da ra da Moda n. 15, ven-
de-se continuadamente Superior cal da Lis-
boa ova da melhor possivel e por menos
prego que om qualquer parte.
- Vende-se urna bou escrava prcti, pos-
santo, sadia, lava, coso, mzinhu, e lem prin-
cipio de engommado, e nlo he cara ; oulri
dita de meia idade, com lina conducta, e sa-
dia. e com as mes na.- habilidades, menos
engommar por 270,000 rs. : na ra larga
i, 1 ll',/11 in, loja n. 35, esapatos do Araca-
ly, chegados de novo.
\ 2s'5oo
Na rua do Queimado defronte do beco
do Poixe Frito, loja n. 3 vendem-se chfeos
do massa francezes fiaos pelo baralissimo
prego do 2^500 reis cada um, sao rccoui-
mendaveis nilos por serem abortos a la-
cre como porsorem do forma agradavel.
Vende-se oleo em bolijas,
chegado prximo da Ilollanda da
pura linhaca : alraz do theatic,
armazem de taboas de pinho as
sim como barricas com cimento e
tambem se vende as linas.
co Irangailo de linho, a 1,800 rs., o coito du
caiga; dito escuro, a 1,000 rs.; dito de lis-
Iras, a 2,000 rs. : na rua do Crespo n. 6.
lYclinu li 1.
Vendem-se no armazem granle defronte
da cscadinha da alfandoga de Cuveia c\ 'Jias
muilo cleganlcs baldos ou tinas da pao pin-
tado de azule verde com sua competente
za de ferro, muilo fortes o levos, propiias
para a compra do diario de urna casa, ou
para socarroi-ar ou baldear agn de qual-
quer lugar para outro, particularmente em
cocheira. o a bordo de navios, pelo baralo
ro e piala, d< vidro e saboncte
patente inglez : em casa
. reg de duas patacas cada urna, o sendo
Vcndem-SC reloiios de OU- de qualro para cima, a 500 rs.; aprovei-
lem-sc, quo so estilo acunando.
' Veudo-se urna negra propria para o ser-
dc (ico vigo duquurquer caza da famlil por saber
Kenworthy & Companhia, na rua ^5^'^ d *"*" Verd" "" "
da Cruz n. 2. .v***f^fg(?tf,@StS'.
Vende-se no MaranhUo, a fabrica *> Para pagens. ?
r/ .. 1 1 1 i galoes do ojio c prali, e butOes de 4
Us administradores da liquida- ^ lcla| branco a amirello, ludo da #
nos preco do que em oulra qual- cao de Theodoro Chavanes, ven- melhor quaiidade: na loja da ir- *
gucir.a, no pateo da matriz de Santo t
rio de Machado & Pinheiro, na
rua do Vigario n. 19, segundo
andar.
Tcalo de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
-- Em casa itc J. Kcltei' & Com-
panhia, na ruada Cruz n. 55,_acba-se a ven-
da oexcellenlo 6 superior rutilo lie Un-
celia, cm barra de 5.", be muito recom-
mendavel as casas eslrangeiras, como ex-
cedente viiiho para pasto.
Arados de ferro.
Vendcm-sc arados de "versos
modelos, assim como americanos
com cambao de sicupira e bracos
de ferro : na fundirn da rua do
Jiruiii ns. 6, 8 e 10.
Vendem-se amarras de ferro : na rua
da Senzilla nova n. 42.
Moinhos de vento
eom bombas de repucho para regar hortas
d blixis d" cap ni : vendem-se na fundigo
de ltowman ot Me. Callum, na rua do Uruui
ns. 6.8 e 10.
Vende-se gesso em barricas, viudo 110
ultimo navio chegado de franca, leudo ca-
da barrica 20 arrobas pouco mais 011 me-
nos : na rua da Cruz o. 55, casa de J. Kel-
ler (. Companhii.
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas c picota para cacimba :
na rua do iirum ns. 6, 8 e 10,
tundirn de Ierro.
Vende-se superior cognac velhn, em
birris de 12 1 21 ciuidas : na rua da Cruz
11. 55, casa de J. Keller & Companhia.
Viuho de Champagne,
de superior qualidide : vende-se no arma-
zem Kilkmanu IrmSos Rus di Cruz, n. 10
A '1,000 rs. o corte.
Ni rua do Qucimido n. 17, loja ao p da
botica, vendem-se corles de casemiras es-
curas le suparior qualidade a 4 e 5,000 rs.,
casemiras de cores mescladas proprias pata
pililo a 1,000 rs ocovado, panno fino azul
de superior qualidide 1 3,500 e 4,000 rs., e
voide 1 4,500 rs. o covido ; assim como um
completo sorlimento de fazendis de todis
as quilidides por progo mais barito do que
emoutia qualquer paite.
deposito do cal
quer parte : trata-se no escripto-|dcm a fabrica denominada Mar- ''
Amonio. <$
nhensc, na rua do Piopontao, des- .a*^c. t,*****<.**j>*.>*^
ta cidade ( porto dos remedios ) ^^'^Cl %'.
a saber : -- casa cm que esta mon ras, e de excellente quihdidc, c gigos com
tada a fabrica, com 20 bracas de superior ciumpingi.e.em casade"Jn. Los-
* r i sero ^ Compaiiliia, na rua do Trapicha
lente e 15 de fundo; 2 prensas'n. 11.
hidrulicas, orisonlaes de forca de Vende-se farinha de Sauta
Goo,ooo libras, cada urna ; 1 dita jCatbarina a sete pitacas cada nina
vertical de forra de 400,000 libras; sacca : no armazem de Antonio
3 grandes cahleiras montadas, pa- \iintv, no caes da alfandcga.
ra o fabrico do sabao ; l\ ditas pa- SapalOcs de lustro a 2,5oo, 3,000
ta derreter sebo; to Jos os perlen- e 3,5oo, o par.
ees necessarios para o fabrico do No turro da Bp-VisUloj de calca Ion.
,.' oS, junto ao seluiro vende-so s pilos de
steanna e sbao ; ij escravos en- lustro obra boa por 2.500,3,000, rs. e 3,500
tendedores do servico ceral da fa- o par, sap.tOes do iracati para meninos
l c 1 _:__ 800 rs. o par, sapalos de marroiiuim para
bnca ; 1 terreno annexo a lalinca, S1,llh(lra. fe;l0 ,10 paiz 0|,r. ho(P ttt a^
com 7 bracas de frente e i5 de como de lustro, e marroquim pan meninia
fundo; .dito fronteiro a mesma S.'^'^^f orl,nic',l d'Claj0
fabrica, com 18 bracas de (rente c Vendem-se luvas para menino com
28 de fundo : as pessoas quepre- fffS'iS!-! "^Tl", 5?S2 |,res". de
160 rs. o par : na iua larga do llozano, loja
tenderem comprar, podein nesta j0 miudezas n. 26,
prafa dirigircm-se a J. Keller 6k Deposito de cal virgem.
Comnanhia. No armazem de Diasle reir, no caes da
.' alfandega, vendem-si harris com cal vir-
DepositO deca C polaca. igcm, por prego commodo. vindos do Lisboa
Cunha Amorim, vendem barris com cal no briguo CmicefHo llenara, entrado em
em pedra, chegada pelo ultimo navio de 12 do corrento : trata-sa no mesma arma-
Lisboa ; ditos com potassa de boa qualida- /em, ou com Novaos & Compauhia, ni rua
de; e sem exagerago declaran), que ven- j do Trapiche n. 31.
dem por monos prego do que em oulra qual- | So aterro da l!oa-\'i-ta, loja n. 18, de-
quer parte: na rua da Cadeia do Kecifo n. froule do tribunal do Cooimercio, vendem-
50, ounobceco do Monteiro, oitSo da loja se ricos cortes do cassa a 2,000 rs., ditos de
disentir a 4,000 rs casinetas receladas,
ptima fazenda para palitore a oors.e
um grande e variado soitimenlo do fazen-
das inglezas e fraueczas quo so vender ,m ba-
ralissicnas.
- Vendem-se rolhas para garrafa um
barricas de 2500 cada urna, por progo com-
dos ni, -:i, 11. 2.
Fas admirarao vender fazendas por
to barato preco.
Cortes de cassa chitas com 5 varas porl600
rs., ditos com 6 varas por 2,000 rs-, pegas de
chita com 38 covados por 5,000, 5,500,
6,000,6,100 rs., lengos do cambraia da li- jmolo : na armazem de Antonio Aunes, no
nho par mSo do senhnra e bolso d* homem caes da alfandega.
(por 360,400, e 480 ios ditos de cam-
braia de algodao com letrero muilo engran-
Anligo
virgem.
Na rua dos Torres, armazem 11.
13, ha muito superior cal nova em
pedras chegada, ltimamente de
i,i-boa.
Vende-se u mor parle de um grande
predio de tres andares, o soto com t'apei-
ris, coto duas frentes guai necidas de varan-
gado por 280 rs. cada um, e muitas mais fa-
zendas por prego commodo : na loja da rua
do Crespo o. C.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedia,
chegada ltimamente de Lisboa
na barca Ligeira.
Vende-se saccas com feijSo
inolalinho, de superior qualidades
e prximamente chegado do Kio
de Janeiro : no caes da Alfande-
ga, armazem gran Je defronle da
rampa. m
Agencia de Edwin Maw.
Na rua de Apollo n. (i, arinazein de Me. Cal-
iiiuuiSt Companhia, acha-se coniianumenle
bons orlimenlos de Uia de ferro coado e
- Vendem-se barris com breu
em lotes a vontade do comprador .-
na rua do Trapiche n. 3C, cm ca-
sa de Matheus Austin &c Compa-
nhia.
Cartes de visitas.
Vendem-se cartSes de visitas
com o nome do comprador em le-
tras brancas em alto relevo pelo
ultimo gosto de Pariz, a 1,000 rs.
a duzia : no pateo do Collegio,
casa do livro azul.
Ba'atas novas irancezas.
Vcndem-se gigos com 16 1 18 libras de
batatas novas o de superior qualidade a
640 rs. : no caes da alfandega, difronte das
oscadiolas, irnazcm deCoveis & fiiis
Ksla aborta u 10J1 da rua do Crespo n. 15,
e veudeui-se ai scguinles fasendis baratas 1
lengos do seda e rga 800 rs ditos de
seda e I .la 1 210 ral. ditos de cimbria com
-- Vendem-se coi tes de tapete
de la i e algodao para spalos a
5oo rs., peles de marroquitit pre-
to a 1000 rs., dilas de cor a 1,600
rs. : na loja de calrado do Aran-
tes.
Vende-so urna negra moga, de linda
figura, com muito bom leite, e com urna
criado 2 mezes muilo nutrida: na ruado
liozario larga 11. 22, segundo andar.
Ol! que bartela !
Ni rua Nova, n. 8, loja de Jos Joaquina
Moreira & companhia, vendem-so luvas .le
pellica muilo IVcscaes e novas, brancas e de
cor, para borneo e senhora pelo diminuto
prego de 000 rs. o par; ditas do lio do Escu-
ela com um toquesinho de mofo por 320 rs
o par ; espcrtilhos para senhora, o que lem
apparecido da melhor neslo genero, por
6/000 ; um resto de sapatos do inarroqoiin
preto, ps pequeos, a 1000 rs. ; leucinhos
do rededo melhor gnslo |nos rs; dilos de se la, a 720 ; goliuhas de cam-
braia, a 1000 rs luvas de ln-i.-i!,a 1000 rs.
plumas brancas ciua muito servein para tou'
cas c cliapcusziulios de meiiiuo.a 500 rs; e-
outras muilas fazendas de gosto e qualida-
de quo na mesma loja so voderio porba-
ratljsimos pregos.
Micas franjis pretas para man-
teletes.
Vcndcm-so ricas franjas pretas para man-
teletes polo diminuto prego de 1,000 rs.
vara : na rua do Queimado, loja do miude-
zas do baraloiro, junto a loja de cera n. 33.
l'inissimas naralbas cabo de
morfirn
Vendem-so estojos com una so navalha
de cabo do marlim, a mais lina que se pode
encontrar, pelo baralissimo prego de 2,000
n.: ni rua do Queimado, loja do miudezas
dobaraleiro, junio a loja do cera n. 33
Cartas linas ptra voltaicte.
Vendem-se Dniuimu cartas para volta-
role por prego muito commodo : na rua do
Queimado, loj i d i miudezas, junto a loja
de cara n. 33.
Meias pretas para padres.
Ven Jooi-se superiores majas de lila pelo
diminuto prego de 2 090 rs., ditas do algo-
dio muito finas e incorpadisa7,01) rs. 1 na
ruado Queimado, loja da miudezas doba-
raleiro, junto a loja do cera n. 33.
Capachos baratos.
Vc-nuoni-se capachos muilo superiores,
pelo diminuto prego do 801) rs. : na rua do
Queimado, luja do mnniezas do barateiro,
junto a loja de cora 11 3:1
Por 800,f000
Vende-so um terreno om 53 palmos
do frente, e fundos desloa rua d'Aurora
ale rua do Hospicio; na praga da Indepen-
dencia, n. 17.
Por 300^000
Vende-se um bom escravo robusto, aiffl
da mogo, sem vicios ; na rua larga do lioza-
rio, padaria 11 48, se dir com quem sedovo
tratar.
Pechiucha i 160 rs.
Na rua do Crespo n. i.'|, loja de
Jos Francisco Uias.
Vcndem-se linissimas chilos pretas de
luslro a 160 rs. o covado, ditas francezis
largas do novos padres, imitando cassas a
240 rs. ocovado, ditos superiores, pannos
cor de vinho e le cur do miulinhos pa-
drOes, lindos desenos a 200 rs. o covado,
corles de cambraia piulados de cores com
6 varas e meia 2,210 rs. o corle, cassas
prclas a 210 rs. o covado, riquissimos curios
deveslidos de barra com riquissimos pa-
diO s a 5,5C0 rs. o corle, brim trangalo cor
de ganga e escuro com urna lisia miudinhi
11,000 rs. o corte, superiores longos de se-
di de cores do ricos goslos a 2,000, brim de
linho amarello muito incorpado que parece
lona com listas mili las a 1,800 rs. o curto,
assim como oulras muilas fazendas pelo ba-
ralo prego de agradarem aus Srs. compra-
dores.
9 l'rafada Independencia n.17. <9
? Vende-se gal3o de ouro e prata do <*
** superior quilidade tanto para devisas
? como para bonete e cnapoos da pa- ?,
geni na mesma loja ie vende lud
* qualidado de unifoi mes militares :tu- #
tal do por prego mais commodo do que
0 em outri pirte.
AcudSo fregueses ao barato. !
Na rui do Cabug n. 12 loja do Francisco
Antonio SimOes. vende-so papel de przn a
2/000 ra. resmi; cartas francesas muito
par, calzas decolxole 800 rs., a duzia e cai-
xa a 80 rs suspensorios lita 140 rs., ditos
de burnclii a 300 rs o par requintes de
cores 160 rs. i viri botosa caiga 200 rs
grosa ; caixas agulbis francesas a 380 rs e
pipel 60 rs, e oulra? mais miu le/.as, tiiii
binto do que om oulra parte, pois be pira
acabar.
Sebolas
novas e ultimsmls chogadas de Lisboa, a
610 o cento; saccas com milho a 3,500 rs.
a saccas ; vende se na rua da Madre Dos,
armazem n. 31, ao lado da alfandega.
- Vendem-se 50 pares de sapatos de mtrro-
quini para senhora : na rua do livramento,
o. 10, sobrado.
Bieos e rendas.
Vendem-se bieos c rendas dos mais mo-
dernos padiOos, e de superior qualidide,
emcirtoesenfeilidos, conlendo cida car-
ino 60 pecas deum completo sorlimento,
sendo os bieos de meia pollegadi al um
palmo de lirgura, os rendas cuidadosa-
mente sorll Jas ao gosto do mercado na rua
do Trapixe-Novo, n. 18, escriptorio de Edu-
ardo II. Wyatt.
l-.iii.ias em nvelos.
Vtndo-S! para fechar cuntas, por prego
muito commodo, linha branc ailada do
superio- qualidade e surtida de n. 20 a 100 :
na rua do Trapixe-Novo, n. 18, escriptorio
de Kduardo II. Wyalt.
Ao baralo para acabar na rua do
Crespo loja amarellla n. 4.
Curtes de cassas piuladas, a 2,400, ditas
de cambraia francesa com 7 varas a 3,500,
cassas e cimhraias francazas, de cores fi-
zas a 360 rs. o covodo; ditas a 240 rs..-chitas
francesas, e riscadinho a 210 rs., o cavado
cortos de ditasa 1,280 rs., corles do culeles
de casimira de coidOes a 500 rs lengos
brancos de linho a 100 rs rlscidinhosde
linho de cores fixas a 200 rs., o covado,
pega de cambraia*dc lislns de cures, com
8 ', varas a 3,500 rs., pegas de bertanhas de
linho de 6 varas a 2,880 rs., corles de casi-
miras de pura lila a 5,000 rs .cortes de brim
trangada de linho mesclado a 2.600 rs., al-
paca preta de la a 440 rs., panno linno pre-
to a 2,800, o 3,200, pares de caigas de pan
no lino azul a 2,500 rs., pessas de chitas de
padrees modernos a 5,000 rs., e 5,500, e
6,000 rs., pegas de algoiOozinho liso encor-
pado, a 2,210 is., com 17 varas cada pega, o
oulras muilas fazendas do linho e seda por
baratissimo prego.
Luvas de pec3 branca,
frescas para Sra.,ditasparaliooiemo sapatos
de selim branco, lonsos do cambraia de li-
nho bordados sapatOes da lustro para ho-
mem ; toda esti fazenda ha proaria para
o b.ile do da 1 do oulubro qua vende-se a
dinheiro a vista na rua Nova loja n. 2 A Co-
lombiez.
VenJem-so dous lianJres com os cim-
polenes teios da mcJiJas para vender-so
az-ile, assim cjQjo urna meia pipa para de-
posito do mesmo com I j II. [ l r chave, tuJo
por prego muilo em conta: na rua Velha
p.63.
Luvas de pelica para homem c
senhora.
Iliquissimas luvas de pelica para homem
esaiiliura com eiifeitesoscm elles, ese von-
dem na rua do Queimado n. 9, a ellas ames
quo se acabem.
4sT Sorvele as 11 horas c a noite
Contina liaver o aprcciavelsorveto todos
os dias na confeituria da rua estrella do lio-
zario p-'' prego docostume.
MartAelada branca e vermclha.
Na rua estrciti do Itozario n. 43, na con-
feituria contina ter m,muela la de superior
qualidade por prego comino lo.
Muita altencao.
ptimos chales escocezes, proprios para o
invern, por serem de dous feitios, cousa
nunca vista, leudo quitirze gostos, de pa-
dres oscuros o claros, pelo prego diminu-
to de 2,000 rs. cada um, bem cumo um op-
tiuiu sorlimento de fazendas de primara
qualiJade, proprias para uogocio por nerem
o miis baraUs pussivel : nu armazem de
fazendas do Goveia <\ Leite, na rua do Quei-
mado n. 27.
As ultimas modos de Pariz.
Na Casa de modas de ndame .Milluch.ui,
ha para bailes, ricus turbantes c loucados
vostidos de garga, llores e luvas, cuegados
pelo ullimo njiviu.
-- Vendein-se meios bilhetes da
lotera do livramento, que corre
no du 3o do correntc, inl'alivel-
mentc ; na esquina da rua do Ca-
bug, loj n. ii juntoa botica do
Sr. Joao Moreira.
Aviso ao publico.
Na botica da rua du Collegio, n. 18, de
Peixolo & Pinto, ho onde se Venden) as ver-
daderas pilulas para bobas, cravos seceos,
e dor. s venenas, e gonorrheas crnicas, cu-
jus bons efTeilosconfessilo lo los que lem fei-
i i uso dallas: cjm,oiigo do pharmaceuli-
co, Sobiilifio Jo de Onveira Macedo.
Vcndc-se um sobrado de dous anJaroi,
um solao, cozuha f.-a, e um quintal
gran lo, cacimba, o chaos proprios : na rua
li. o I i ii. 4, a rallar na mesma rua, n. 23.
Vende-se um garrotinho, e urna vitella
do raga torina : quem pretender ambos, ou
mesmo um s, derija-SO ao llecife, na rua
da Cruz n 45.
Continuase a vender admiravel agoa,
para azer os cabellos e suisgas pelos: na
rua doQuoimado n. 31.
~ Vende-se bilhetes da lotera do Lirra-
iiieulo :ua esquina da rua do Cullegio.u. 20
Vende-se trinta pipas promajtas a rece-
bar agurdenle, e sen barricas p.-oprias
para assucar : na rua da l'raia de S. Hila,
n. 17.
Claudio Tresse,
Na ruidas Flores n. 1, ven le-se multo em
conta um piano inglez em bom estado para
quem quer aprender.
enpr.t,, B. ro.aoLvr.men,, ,obrad
-- Vende-se Mi| d, chfra
vindiido Ancity muito bom Mu, r,M
commodo preco na rui luga do Rn
20, loja de miu lesas
'."oKozri";.
Escravos fu,o idos.
GraUkcacio di 20,000 rs. "m
Quem pegir o muleque Jlinool. eo...
do SebistiSo Marques do^iscimento 'i,'!0
sido caplivo de Cibriel Alfonso RmmS
a quem fui comprado, s-ndoodito escrl
ollleiil de funlleiro, do nagSo angola T
idade pouco mais ol monos 28 annos !
os signaos seguinlrs: cor fula, dousd'en,
de menos ni frente di parte de riini do i,
do osquerdo^ilto de cabellos do lij0.!"
querJo, olhns pequeos, beigos grojSOV
sem birba, grosso do corpo, cliro, iev *'
vestido camisa de madapolo, jaquta Z
nacido azul, caiga branca, levou una ir,
xa de roupa com calcas o urna jaquela, i.*
do lugar ruga no dii 8 do correte nio ."
julg.-setersidoseduzilo; portanto, up!i!
jaso protssti coutA quom i tiver cni 1
poder: quem o pegar leva-o rui a. .,,
rora, loj de funileiro n 62.
-- Luiz, alto, secco, cara com marcos >
besiga, barhi poi biixo do queixo, alba,
um tinto espantados, levou vestido cale
branc, jaquel, preti; e chapeo de sed, a,
mesma cr. Esto escravo lem omumadil
pernas signal da corronte, desappireceu ,
Sapucaia, no da 10 do orrenta, e tona sido
visto aqu no Itocirn e cm Olinda: quern0
pegar leve-o a Jaciulho Affonso Botelho era
seu sitio da Agoa-Fria que ser eenarn...
Ago
mente rccompensidt.
que sera generow
-- Quirta-feira, 17 do crrante, dcsipri-
Paramentos de igreja
Vende-se um bonito calix, patena o co-
lliar, missal, pedra d'ara, guelas, singui-
uhiis, corporaes.e amitos, al vas, palas, toa-.
Ibis de iltar, e loilhinhas de de los, lizas
com livirinto cm brotaolia fina
I nrinos i, esquina da Unilo.
Vendem-se 2 adoregos, 4 piros
eos, 3 anelOe.i, 1 dito de briinantes, 3 pui.
cairas, 2 coluros, i bandeira, 1 ralogio p-
tenle Inglez, 2 crenles, 1 relozo pan .se-
nhora, 1 allinolo de peito, 1 volta, 1 salva
palas, la-,
los, lizas a
i: na rua
isdebrin^
roceu de Beberibe, etemou o deslino par,"
a cidade de Olinda pela estrada do fonio j,
cal, um preto marujo de nomo Antonio di
na',',! i, de idide pouco mais ou menos d |i
annos, picado de bezigit, he bem fallanu.
segundo os termos marujaes, levou camisi
e cilga de algodSosinho americano azul
um chipco oleado de cop biixi, e ibas um
tanto largas. I'ede-se ios Srs. da pobcii,
pessoas enearrregadas de matriculi de na-
vios toda a vigilancia afim de nao serem Ilu-
didos para a sua captura, assim como alim.
ma pessoa dopovo ou capitSes de campo
que ser.1o generosamente recompensados
do seu irabalbo: na rua da Senzilli Vdhi
lerceiro andar da casa n. 112. '
Da-se 5o,ooo.
A quem Irooxor na praga di IndepeJencii
n. 17, i prel i Mara Joaquina, de idaJe di
301 40 annos, de nago congo, baiu, ({ur-
da, cor retinta, bexigosa, soio grande, lem
um signal de carne sobre o beigo superior
a he bastante ardilosi ; ja fui escnvi d
engenho. e ltimamente era quitindeira de
miudezas, desconlia-se que indo para ai
partes do sul, poreslir icostumadi a indar
pui la venden lo, conmina criuuli do nomo
Felicldi.lp, de quem fui escrav, e consli
ter sida vista, ni povoagAo de S. Amaro Ji-
buat.i i : esta preta fugio no di i 11 de abril
de 1850.
Gratificarlo de 20,000 rs
Quom pogar o muleque .Manuel, escravo
de StbastiSo Marquas do Nascimento, leudo
silo ciplivudo Cibriel AITunso Reguoira, 1
quem foi comprado, esendo o dito escrito
nlliriil de funlleiro de nago Angola, do
idade 28 annos, pouco maisou meuos.ulem
os -i n-ies seg 11 me,: cor fula, dous dcnlet
de menos na frente, falto de cabillos do la-
do esquerdo, olhos pequeos, beigos grn>-
sos, sem barba, grosso do corpo eb-iio
levou vestido jaqueta d) risca lo azul, caiga
branca, camisa de Madapoln, levou miu
trouxa de roupa com caigas e urna jaqueta,
tendu lugar a fuga no dia 8 do correnta
oiez, e julga-se ter sidoseduzido : porlinto
desde ja se protesta contra quem o livor em
seu poder : quom o pegir levo-o rui di
Aurora, loja de funileiro e. 62.
Esl lugidu desde 26 de Agosto p. p. o
muleque Domingos, bolieiro, esapateiro,
cnoulo, i lado 22 1 21 annos, pouc barb,
falla manso,masca fumo,quan.lnamia pare-
ce puchar por urna peina, o gusta de tocar
viola, he fllho do lugarl.agoa-tortadi
Villa do I.uno 'no, e foi do finido Viceolt
Ferreira de A mi la aonde anda lem a m,.'
lio provavel que por la ande por que foi vis-
!> 110 l'au do Aillo logo 110 segundo dii, 00
eslar mesmo por a quitra bal liando escondi-
do 11 ilguma lonja de sapaleiro, ou por al-
giim cillugi de negros, por seruiuilo depa-
tuscadas. Roga-se a todas as ai,mondado
o a qualquer pessoa que delle souber.aviton
ao abaixoassigmdo que recomponsari bam:
no atierro di Boi-Vista n.10 ou nos Allega-
dos citio pegado igreja de S. Miguel.
Desappareceu urna prela, cnoula, por
nome Sebastiana do altura regular, grussi
ilo corpo, grvida, lem seoslas coi ti Jas,
de chicote, parece ser negra de fra, cabog
pequea, e em alguna lugares pelaJa. ees
compridose socos, o as costas lem signiei
de carne que parece lobinhos; os olhos sao
meios fundos e pequonos, levou vestido l
cassa cor da rosa com dous babados ja dei-
hola.to, vestido de chiti ruuha por cima com
o roupinho descido, lem ssii branca por
biixo, pao da cosa, encarnado o brinco,
som franja, e anda novos. indiva ven loa-
do quartinhas da Babia, e levou um laboloi-
ro com ollas: roga-se as auloridiJes poli-
ciios, e capitSes de campo, que no caso Ja
aprenderem, a levarem praga Ja Boa-VisU
vanJa n. 13, ou a rua da ConceigSo 11. 5, qu
se recompensar;
-- Desappareceu da rua das Cruzcs n. II,
urna prcti da costa de nome Mara, jidi
maor idade, levando pinno di cusa, o ves-
tido do chita banca, e outro de linho azul:
quem a aprehender ser recompensado.
Des8pparecau no dia 21 do corronlo ft-
la 111 minia, o escravo I,ni/, Creoulo, do 3S
innos de idide, pouco mili ou menos, le-
vou cimisi de ilgudilaiiul traagido, e eli-
gido mesmo ilgodSo de listn, chapea Jo
palha velbo, he de est-tura regular, roslo
cumpri lo, nariz chalo, bastinle barbado,
com falta de d nt -s ni frente do la to supe-
rior, veioom agosto do anno p. p. de Can-
nhuns do sitio da l1 ilm 1 a, onde foi escra-
vo do Sr. Antonio Mondes de Azevedo Cu-
mia, o qual fez doagSo a seu genro Chrislo-
vl'i J.uiz Cavalcauti, julga-se ter ido para o
mesiue aeilo, por isso roga-se a todasaa
autoridades policiaes ocapilSes de campo,
hajam de aprebende-lo, e traze-lo no sitio
do Arag, em Santo Amaro, do fallecido
Veigi..
Dosipparercu no da 7 do correle do
siliu Piranga um escravo por nome Fibio
Com OS signaos .agujles : 20 a 22 innOS Je
iJade, alto e do bom corpo can gorda, ore-
llias pequeas, cor fulli, leu urna pwn
mais grussa do que 1 outra proveniente Je
urna feiJa quo leve,o concerva a marca, he
do anguila, mas baslanto espetoteo marc
de 1 cilio pelas costas e nadigis um auno
quo foi preso em l'au d'Alhe indo fgido pi-
ra o certo onde tem conhecimedlo por ter
andado om companhia de seu Sr. Manuel
Jcronymo Uizerri lliugel quo chegoualeo
Aracati supo-ae que o dito esenvo tenha
sigiiidu pira estes mesmos lugares. Ouam
o apreouder podelevilloao supraditodoiiu
no mesmo sillo om na rua das trioxelras se-
gundo andar n. 50, o uo engenho Panizo
niguoia da escada que Sara generosauU.e
pencado,
linas a 7,20) is. a duzia e 640 rs. o bsralho ;|de prati,94coiberes, eoulras obras dsour
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQKHEXR7X_0AIQST INGEST_TIME 2013-04-26T21:08:52Z PACKAGE AA00011611_07594
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES