Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07506


This item is only available as the following downloads:


Full Text
!*~
Anno XXVI
Wfapaii
Quarta-feira 10
rautidai boi coaniioa.
Golanna e Parahiba, segundas esextas felra.
Rio-Grande-dn-Norte, quinta feira 40 melu-
da.
Cabo, Serlnhiem, Rlo-Formoto, Porto-Cairo
e Macelo, no I., a II, e 21 decadamez.
Garanhiin e Bonico, a 8 e 23.
Uoa-VIau e Flore, a 13 e 28.
Victoria, quintal feira.
Olinda, todo 01 da.
,Mlng.a2,i3h.W8m.dat.
Pu.ua aun. I PioT* 9- ** 7 da '
P""" ** ""' Creac. a 16, .. 4 h. e 12 m. da m.
(Cheiaa24,i.3u.e4m.dara.
. PUUflK DZ IOR.
Prlmelra ai 5 hora e 18 minutos da manbai.
Segunda ai 5 horai e 42 minuto da tarde.
de Julho de 1880.
ss
N. i m.
bia da aiBiaafa
8 Seg. S. Procopio. Aud. do i. doaorf. em 1. v
9 Tere. Cyrillo. Aud. do chae, do J. da 1. r.
do civ. e do doi feito da fazenda.
10 Qu.irt. 8. Jauuario. Aud. do J. da 2. v. do olvel.
li Quint. S. Sabino. Aud. do J. doa orf. edom.
da 1. t.
. 12 Sext. S. Joo Gualberto. Aud. doJ. da 1. r.
aagoa *>a aiacRioJ<.o. I do eiv e do doa feito da fazenda.
Portreiineies(tonla4oj4SOOo(i3 Sab. S. Anacido.
Por sel mezea 8/0001
Por nm anno 15/W014 Dom. S. Boaventura-
'inrar-xji-------aauaaa nmn mninm
CAMBIO O 9 DI JULHO
S >brc Londre, 26/, a 27 d. por 1/000 r
. Par, 346. ^ ^
Isboa, 105 por cento.
Ostra.Oncaa bespanboe.........29/000
Moeda de 6*400 velhai.. 161500
de 6/400 ora.. 16/100
de4/0O0........... 9/100
Prala.PaUcfles brasileirot...... 1/980
Peo columnarios....... 1/080
Dito mexicano.......... 1/820
. a 00 da.
ERRATA.
Na fefdo orcamento provincial vigente,
publicada m o Diario n. 1*5, pag. I., col,
3 ', cap. Vil, art. 26, la-se assim : Com 01
religioso cspuchinhus 864,000 rs.
PARTE 0FF1CIAL.
.tiOVERNO DA PROVINCIA..
LPJ N. 267.
Jos Ildefonso do Souzo Rimo*, pres-
deme da provincia de Pernambuco. Faco
nter a todo os seus habitantes, que a as-
setnbla legislativa provincial decretou, e
cu sanrcionci a resoluclo seguinte :
Artigo nico. O subsidio para a legisla-
tur futura ser de cinco mil ria diarios,
e a ajuda de cusi sera regulada pela le n.
4 de 30 de maio de 1835.
Ficain revogads asais e disposicocs em
contrario.
Mando, porUnto, a tods aautordades
quem o conbeclmento a execueflo d referi-
da lesolucSo pertencer que a cumpram e fa-
cam cumprir tSo nleiramente como nella
seconlm. O secretario inteiioo da pro-
vincia a ftea'imprimir, publicar e correr.
Cidade do llecie de Pernambuco, ao pri-
meiro de julho de 1850, vig-simu-nono da
independencia e do Imperio.
L S. Jos Ildefonso de Souia Ramts
Carla de le pti qual V. Exc. mando
exteutar a resolutio da nisembla legislativa
provincial que saneoionov, mareando o tubil-
dlo para legislatura futura, i dielarando
que a ajuda de cutto siri regulada pela le n.
4 de 30 de malo de 1835, ludo como cima se
declara.
Pata V. Exc. ver.
francisco Ignacio di Torree Bandeira a fez.
Sellada e publicada nesta seoctrria da
provincia de Par Bambuco, ao 8 de julho de
1850.
Antonio Francisco Periira de Carvalho.
Registrada r (I. do livro segundo de leis
provinciaes. Secretaria do govrrno da pro-
vincia do Pernambuco, 8 de julho de 1580
loto Domlnguei da Silva,
LE N. 368.
Jos Ildefonso de Souza Ramos, preti?
denle da provincia de Pernambuco. Fco
saber a todoa oa seua habitantea que a as-
sembla legislativa provincial decretou, t
eu sancrionei a resoluclo seguinte :
Aftigo 1. Fica revogado o artigo 5 da
lei n. 91 de 7 de maio de 1841, na parte que
eslabelece urna excercilo em favor dos pa*
roclios, conegos, religiosos profesaos, pal
droeiroa e doUdorea de capelias.
Art 2 Ficain deigadss todas as disposi-
(Oes em contrario.
Mando, porlanto, a todas as autoridades i>
3uem o conhecimetilo e execueflo da refer-
a raolocAo pertencer que a cumpram e fa
cam cumplir tffq jotoinmonte como nella ae
conten. O secretario interino da provin-
cia a faca imprimir, publicar o correr. Ci-
dade do Recife de Pernambuco, ao primet-
ro de julho de mil oitocentos o cincoen-
la, vigesiino-nono da independencia e do
imperio.
L. 8. Jos Ildefonso de Souza Hamos. \
Catea dleipela qual V. Exc. manda execu-
lar a retolvcto da asiembla legislativa pra-
vmetal, qu sanccionu, mogando o artigo b
qu: estabtliee urna exoeptto em favor dos paro
chas, cvnegos, religioso! profusos, padroeiros
e dotadurt de capellai, ludo como cima le de-
clara.
Para V. Exc. ver.
Francisco Ignacio di Jorree Bandeira a fez.
Sellada e publicada nesta secretaria da
proviaeiadePciuaiubuco, aos 8 do iulfto
de 1850.
Antonio Francisco Ptriira de Carvalho.
Registrada a fl. do livro segundo de leis
provinclas. Secretaria do noverno da
prnvincia.de Pernapibuco, 8 de julho de
1850.
lodo Dominguii da Silva,
Hito. Ao inspector da aliando*, para
que consinta no despacho asento de direitos
do consumo de cem Barricas com cimento,
chegadss de Hamhurgd no brigue escun
dinamarquez Apollo por contada urna en-
eominenda que o inspector do arsenal dema-
rinha fizara para all por intermedio dos ne-
gociantes Roth & Ridolac para as obras do
mesmo arsenal. Inteirou-se ao inspector
daquelle arsenal.
DitoAocooimindante do brigue Callio-
p para que ordene ao escrivSo do mesmo
brigue que se aprsente eom o livro de soc-
corros ns eontadoria de marinha desta pro-
vincia aflm de que o respectivo contador
possa liabilitar-se a salisfazer uros exigen-
eis que Ihe fez a eontadoria geral acerca da
guia do commissario extraordinario da ar-
mad Manoel da Silva Cuimarues.ScienUli
cou-se o referido contador.
Dito.Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda prriacU, para mandar pasar ao de
legado do Brrjo ou pesoa por elle autori-
sad, a quanlia de 7,995 rs., em que, segun-
do a conta que remelle, importam as despe-
zas feitas cm o sustento dos presos pobres
de justica da cadeia daquella enmarca de
16 de abril at 11 de maio deste anno.Sci-
entificou-se o mencionado delegado.
DEM DO DA 19.
Oflico --Ao commandante das armas, de-
clarando que pude aceitar o offerecimi-nlo
que faz o soldado do quinto batalhSo de fu-
lei ros Antonio Raymundo dos Santos para
continu>r a servir noexercito, e prevenin-
lo-o de que tem arbitrado ao mesmo sida
loa graliflcciinde cento e vinte mil ris.
sendo quarenta mil ris pgos vista, e o
reslo em prestacOes mensaes de dez mil rs.
-Oommunicou-seao inspector da paeadoria
militar.
DitoAojuiz relator da junta Je jusUca,
remettendo [ara depois.d visto ser a pre-
sentado em sossfio da mesma junta o pro-
cossp verbal feito ao soldado do quarto ba-
tnlhlto Je artilharia a p Feliriano Primo
de Jess -- Participou-se ao commandante
da armss.
Dito.Ao inspector da pagadoris militar,
remetiendo a conta em dualien la das despe-
zas feitas com o enterro do sol lado do cor-
po fixo de Piauhy, Silvestre Jos Rodrigues,
que fallecen na freguezia da Escada, aflm
Je que mande pagar ao tenente Manoel l.u-
grave polo facultativo do 'batalhSo, d que
anda se nSo restabeltceu. *
NSo tenlo aido entflo esta oceurrencia
mencionada o orden do da do quartel ge-
neral das forcas em operasoes, assim como
a que se deu a 17 de fevereiro ultimo, entre
a vanguarda da foroa commandada pelo
Sr. tenente-coronel eootmandante da se-
gunda brigad Antonio Mara de Souza, e
oa reboldea no lugar Dous-BrafM, sendo
essa vanguarda compoata de cem praeas rio
quinto balalhSo de caladores dirigida pelo
Sr. capitfln Heiculann Sancho da Silva Po-
dra, que ajudado ielo Sr. t-nente Ignacio
Marinho da SJIv,4e lio uve tambero ness
eonjunctura, q'.ees rebeldes foram levado
de vencida, o mreclu do campo grada lo
commandante das armas, lando attencSo ao
que Ihe representou a respailo o Sr. tenen-
te-coronel commandante do referido quin-
. lo batalhSo de caca lores Martinho Baptlsla
-|Ferreira Tamarindo, e fa/.endo justica ao
justica
vemadeiro mrito, determina que as oceur-
rencias que fleam relatadas sejam averba-
das nos assenta melos dos Srs. ofliciaes a
quem ellas ioleressam.
Antonio Correa Stra.
ERRATA.
A ordem do da publicada hontem he-
le o. 35 e datada de 15 de maio.
Man i III lilnl ni i BaaBaaaBaaaBMB
EXT1BIOH.
CORRESP.NDENCI,. DO DIARIO DE
PER.NAMUUCO.
Parii, 21 de maio i 1850.
Achamo-noi u'um uioiuento de crlxe que
pode perder-no ou salvar-no. Agora a fac-
fio anarchlcaaineaca Pars coln lima imurrei-
(So. Dcirjamo que ella reallae este ameaco ;
poi o governo eita preparado para repelll-la ;
e aasrguro a Viuc.' que, se a faeco e apresen-
lar, receber llcao tao terrivel, que nao lera
vontade de repeUr a tentativa.
Ei o que se paisou. Eu j dlaie a Vmc. que.
se preparara tima lei para modificar aeleitoral.
Km u da 8 do crreme, o mlniatrodo interior
apresentou aisriuula o novo projeolo, o qual
teve por mu exigir da parte do eleitore a'
condico de tres anno de domicilio, e privar do
direito de eleger o Individuo que tiverein ai-
do cnudetaoauoa pelo tribuuae por laclo in-
fainanlcs ou delicio poltico.
Assim que ae Iratou deste projecto'.a npren
ciano da Cmara Guaran a quanlia de 4 560 sa demaggica apreuou-e'eui declarar ai
ra.em que importa a referida conU.-Par-1 violava a cooitltulco, fazeodo opoivel
lieipou-se ao commandante das armas. para sublevar a gentalha
EXPEDIENTE DO DA 18 DE JUN1I0.
Oflico Ao inspector do arsenal de mari-
nha, pira ii..i.di apiompUr coa urgencia
una noia com 12 a 16 palmo* de corrente, e
-. Jv..i- r-~l""-~ 5*" aer" millonada na
barra do Cabedello couforme requiailou o
Kxm. presidente da Parahiba, e prevenin-
do-o de quodrve remetler acontada des-
pez que com ella liQuver de fazer slim de
exigir-se o respectivo pagamentoPanici-
poii-sa ao presidonte daquella provincia-
Dito.Ao inspector da pagadoria militar,
para que faga entregar ordem docoinman-
dapte das armas o cofre perlenceule aoter-
ceiro lialaUSo de artilharia a p, o qual fui
recolbidoaquolla pngadoria -Comoiuoieou-
se o mesmo commandante das armas.
DilO,--Ao director do arsenal de guerra,
declarando que approvou o contracto por
Smc. celebrado com Custodio Alvos da Cu-
nta para proceder aos cuncertoa de que ne-
ceasila a cobeita do piol da plvora nacio-
nal na foila le za do Brum, e expedio ord.ui
ao inspector da pagadura militar para fa-
zer entregar ao referido Custodio a quanlia
oe Jsiw.ibu rs iogu qu*eiio uie^eate docu-
mento firmado por Smc. com o qual prove
liaver satiafeito o mencionado conlralb.
Neslo sentido oUfiM>u-e ao inspector da pa-
gadoria militar.
Dito.-'-Ao director do arsenal de guerra,
concedendo a aulohsacao, que pelio para
despender a quanlia de25,900 ia. con a
compra de dous lenees de UtAo para fac-
tura de bol Oes para as praeas do quarto ba-
talhSo de artilharia a p.Intellgenciou-se
ao Inspector da f agadoria militar.
Dito.Aojuiz de direito Manoel Teixeir
Peixoto. -D^ndo os escUr.cimentos que
Vmc. pede em seu olUciode 5 do correule,
tonho a dizer-lhe que por via da regra para
Vmc. lomar pofte do cargo de juiz de direi-
to da comarca do Limoeiro para onde foi
removido pur decreto de 25 de abril ultimo
era de mster que apresentasses respectiva
cria, ou apostilla, mas altendendo a ne-
cessidade que ha de entrar Vmc quanto so-
les no exercicio do referido cargo, o auto-
riso para isso, em vista do aviso do minis-
terio da justica do 10 de novembro de 1848,
devomlo por si, ou seu procurador vir pres-
tar o devido juramento, e para apresen-
tjg.io do seu ttulo, que solicitar com
brevidade, assigno-lhe o prazo de quatro
mezes.
Dito.Ao administrador do corrio, di-
zendo llcir sciole de haver Smc. procedido
contra o fiel do thesoureiro daquelli admi-
nislrucSo nos lemos do 5.* art. 14 d re-
gulamento da 21 de dezembro de 1844, por
indicios vehemeutissimos de culpabilidade,
que tem descocerlo contra o mesmo em-
pregado por occasiSo da queixa que contra
elle a presen lar a Francisco Atves da Cunta,
arguindo-o de teraberto urna sua carta di-
rigida a Antonio Gomes Neto negociante na
eOrt t aproveitado-se de u'm bilhete pre-
miado de urna das loteras d'alli.
Portara. Nomeando delegado do termo
de Agoa-Preta o baeharel Francisco Jos
de Medeiros. lnleirou-.se ao chefe de po-
lica.
Coinmando das armas.
QuarUl gmtral na eidade do Recife, 30 de
junto de 1850.
Ultima uv iii i. O-
No empenbo de abrir as communicaefles
entre aa forcas legaea acampada no enee-
nho Verde-Flor-de-Una, Pmderca e Re-
hingudo, niarchou uo da 17 de Janeiro do
corrente anno o Sr. major Francisco Victor
de Mello e Albuquaiquo com urna forca de
catadores 5, e no seu transito deixou de ol>-
servacSo no ponto do RibeirSp o Sr. tenente
do mesmo batalhSo Manoel Leonel de Alen-
car, com um piquete de eincoenta praeas.
Urna hora depoia foi o piqueta tacado por
um troco rebelde forle.de cam hoaens, e
apezar de ter este oflical a aua gente divi-
Hida em explorar o terreno, batendo-se
com lano denodo e icario, que poda lograr
a reunilo de toda a aua gente, e rechacir a
doa rebeldes, nSo obelante ter recebdo logo
aoa primeiros tiros dous ferimeotos, um
sobre a artieulscSo humero-cubital eaquer-
da, proiazida por um perdiglo, e outro de
baila, que introduzindo-ae um aoucoabai-
ao do malleolo externo do p direito, sabio
debati do malleolo interno, iotereaaaiido
oa nasos do Uno, ferimenlo classilicado
contra o governo
consegul-Io-hia, se o Hiedo nao retlveaM os
liomcus,- que devein pr-se a letta da revolta,
cao ae ella inaoifeile. Com elleilo, o governo
cita disposlo a ser urna vez inesoravel para
ete espirito edicioio que de sola a nossa capi-
tal e o chele da moulanha sabem mullo
bem que nao alcancariaui perdao, se toiuasiein
parte uo nioviinenio.
Ha em Pars 135,000 domen de excellente
tropa, dlipoitoia annlquilarem a iniurreicio i
elle o cuminandados pelo general Cbaugar-
iiirr, e leetn oa uielhore olciaea da frica.
fce general rene ao talentos militares uiua
verdadeira adfiesao boa ordem ; e ser-lhe-hia
inai fcil perder mil vida, le mil vidas tivessr,
do que ceder urna pollegada de terreno re-
belliao: o gcueraet da brigada, sdb sua or-
den, cilio b o dominio du nieiino princi-
pios. Eslao tomadas todas as medida para o
exterminio da insurreicio, e ousarem renova-
la; assim m'o cernficaraiu alguo olliciae.
Tudo leacha habilmeate combinado. Ca vez
de atacaren) a barricada espingarda, ata-
ca-las-bo com artilharia; as casas que refu-
giarein o Insui'genle serio queimadas; e ca
da brigada ou regiment j tem seu posto at-
signalado. A marcha de oada corpo est de
tal modo combinada, que a Insurreicio, recha-
zada por todos oa ladoa, ae ver circuiuscripla
em o nossos baluarte ioierioie, oade ficar
diicricao do homo toldados; um decreto
ue j eal prompto, preicrever que le ponha
aria em eiado de litio ; e os tribuuae mili-
tarea laro prompu e boa justica au rcvollo-
(oa qur cheles, qur oldauus.
Era eui imuma o plano del'emivo do gene-
ral Chaogaruier. O auccesto he to certo. que
s receiaino que o eterno inimlgo da ordem
nao se arrisquetn a leniar a lula ; pola Paria e
a Franca licariam tocegado depo! da obtida
victoria, e conseguir-ae-hla seno deaesubara-
(ir-e nleiramente a repblica, ao menos fun-
dar-sum goveruo rasoavel
Se ja como for, a tropa eslao detida nos
quartel, e nao llavera torpreza, caso a sedico
rebenle. Disseraiu-noa boulcm que os violen-
to tlnbaiu vencido os poliUcos e prouiettiain-
no um conief o de insurreicio Urde, toda-
va Par csteve locegado, e, cousa curiosa,des
de que correm o projecto do Mmulko,.o
fundo publico lublram. Tao pouco teme-
mos que elle podero fazer lioje dizeiu-
no que a inturreico el adiada; e que re-
beotar, se fdr volada a nova tal eieiloral. Ve-
lu-hemos. Quauto a iniiii, comeco a descon-
fiar e um ,.u:rc;o.out' nunca ebega.
Entretanto, se o auarciiistaa loieram pacien
te a prova actual, oulras Ihe preparam, e.re-
leva que eja grande a sua resignaco para que
a supportem. Kmlim, se elle assim coati-
nuarein at 1853, cenilico a Vmc. que cbqga-
rio l em uuliai ou garra.
Comeca hoje a dlscusso da nova lei os
inonlaubeze da assembla serio vilenlos co-
mo costuiuam, uia a maioria est decidida a
oio fazer eato de aua declaniacOea e a chegar
quauto aute ao voto.
A trama el agora agitadlsilmi, o corrcio
diario ameaca-a de urna lusurrelco, e o ansio
prrjudica o comuierclo, e os negocio. Em al-
gona pantos a euiocao popular chegou a en-
tativa lnsurrecclonaes. o Creosol, por ex-
empio, no centro de iiunama forja, tei mil
obreiro amotinaram-ac; mas algumas Irfpa
socegaram-us.
Urna queitao exterior e graviima,veio Com-
plicar anda mal a altuacao da Franca. Tula-
te do lord Paimerituu c da Srecia. El oque
se tcua pasiads,
Eu j refer a Vmc. que fra aceita a niossa
ofBcioia tuedlacJo no miseravel debate que
dito Ion] Inlenlou contra o governo de el-rei
Olbon. O Sr. Cro, mediador francez, linha
Ido a Alhenas; mas nao pAde chegar a acedrdo
com o agente brltannico, o Sr. Wyse. Eacre-
vlam-lhe de Par que e liiiham entendido
rom lord Palmerttou sobre Ul e Ul ponto, r
dizlam-lheque ee lord linha licado inteirado
a esae respeito. Deite modo o negocio na se
adiantava em Alhenas: assim, para abreviar a
quesian, a Franca decidio-ae a discutir direc-
Uinente o negocio ein Londres, e Asar urna ao-
lucao com o ministro Inglez : ella teve lugar;
e um projecto de convenco foi redlgido era
Londres ; maa no entanto lord Palmeriton di-
va ao Sr. Wyse InstruccSe taes, que o almi-
rante Parker renovon bloqueio doa porto
(reg, e ameacou o Pyreii oom um bombar-
deamento, arrancando'deste modo etgolada
Greda um arranjo onerossimo. Lord Pl-
racrslon tomou de tal sorte a sua medidas,
que a convenci concluida ein Londres s che-
gnu a Alhenas dous dia depo! de concluido o
rrtnjn pelo Sr. Wyse. A mi f do ministro
brltannico, e leu duplo jogo foram nesla oc-
casiio evidentemente conhecidns; visto que o
rnlaistro trances linha mandado o nesmo do-
cumento ao Sr. Gro, ante de concluido o ar-
ranjo.
0 grito geral soou na Europa contra a du-
plicidado do tal lord, e at a opiniSo in-
glez se indignou contra os actos d'um mi-
nistro que d so mundo urna tSo triste idea
I lealdsde angla. O Times, o lUorning
Chroniclt, e lodos os outros jomaos acredi-
tados em Londres, fulminsm altamente este
homem enredador; mas o governo francez
linha urna imperiosa obrigecSo a cumprir.
Instado justamente contra tSo Inquo pro-
ceder a seu respeito, retirou de Londres o
Sr. Drouyu de Lhuys. Este acto produlo
as duas capilses sensacSo vivsima. O Sr
L lllte, ministro dos negocios estrangei-
ros, annunciou-a i sssembla, declarando
que a dgnidade da Franca fora grandemen-
te offendida ; e a maioria prorompeu om
"PPUhsos Lord Palmerston, obrigsdo a
oxplicar-ae na cmara doscummuns, qu7
lesculpar-se acerca das causas ds chamada
do nosso embaixador ; mas sendo bem co-
nhecidas as ditas causas, nio ousou expr-
se de novo aos atsques da opposicSo : elle
nSo lornou a apparecer na cmara dos com-
muns ; foi lord tussel (cuja lealdade he re-
conhecida por todos) que respondeu por
elle, d'um modo embarazado e evasivo a
novas interpellaces.
Este negocio, ilm de nSo estar anda
acabado, pode tomar vasta latilude, pois
he provavel que a Russia se ntrometta nel-
I', e ji em Londres secuiJa seriamente so-
bra o que dir cerca deste negocio essa
formidavel potencia Notou-so eom inque
lacio que o embaixador ru-so recusasen as
sislir ao banquete, dado annualmente nu
foreigm office em commemoracSo do ns-
cimeulo na rainha. ,;ravissimas complica-
Qoes podem, pois, sorlir deste pequeo ne-
gocio, e hom sena que elle produzsso a
demissSo de um homem de estado 18o en-
redador e tSo odiado pelas potencias estran-
geras
Mlemanha.hous congressos scabsm Je
reunir-se nesse paiz. De urna parte el-rei
la Prussia reuni ei Berln os principes
que adherirn) i federacSn restricta. Di
outra, i Austria convocou em Francfort os
plenipotenciarios de todos os estados alle-
mSes ; maa o fim de smhrs as partos he di-
verso. A Austria quer volver ao ilal* quo
dos trstados de 1815 ; a Prussia, p^lo con-
trario, nlo obstante a tentativa que scaba
de ibortar em Erfurlh, quer attrahir a si
os estados de segunda ordem, e tirar i Aus-
tria a preponderancia que al agora tem
exercido; mas eu pens que a poltica
prussiana ver baldados os seus esforcos.
O medo da demsgogia inda he muitn gran-
de na Allemanha, para que ella si?entregue
impunerente a essas lutasde influencia.
Suissa.Um notavel successo acaba de
ter lujar ns Suissa. O cantSo de Berne era
completamente dominado pelos radicaes
Novas clcicOes foram abertas, e a maioria
prssou aos conservadores, os quses terSo
o governo do dito canino. Esta revolucSo,
inteiramente local, influir sobre a com-
posicSo doconselho federstivo, que dirige
os negocios da Suissa ; ejulga-se com jus-
ta rasSo, quedaqui em diante esse conse-
ibo se entender muito melhor com a Euro-
pa, e tomar medidas efllrazes para livrar-
se d.-sses miseraveis refugiados que so
trab.ilbam por derramar agitafSo na Alle-
manha, Italia e Fringa
/'iemo/e.--Acontcceu um facto grave em
Turin : o arcebispo dessa cidade, esque-
cendo os deveres quo Ihe impOe sua evan-
glica missflo, publicou n'um jornal urna
caria violenta contra urna lei recentemente
promulgada, a qual decreta a suppressSo
das inmunidades ecclesiaslioas e submette
o cloro ao dreilo comnium. Todava tive-
am grande attencSo tiara com o arelado :
a respeitoao, ojuiz foi interroga-lo em seu
palacio ; mas o arcebispo fechou-lhe a per-
la. Entilo a cuite de Turin, orgSo severo
da lei, orlenou a priaSo ilo arcebispo, que
foi conduzido urna prisSo de estado onde
he tratado com o devido acatamento. Este
casoproduzo na Italia sensato vivissima,
e tnrnou-se em Turin urna ruptura com a
corte de Roma.
San-Jos" participando que al multas dada no
dia >3 e 24 do corrente por infracco do arti-
go 6, titulo 6.a da postura em vigor, impor-
taran! na quanlia de 60,000 r. Inleirada.
Outro do cordeador, apresentando o orca-
mento do reparo a fazer-se no acougue e ri-
beira do bairro da Boa-Viita na importancia
de -200000 rs, e declaraudo que a cantara deve
fornecer a pedra precisa p.ra o empedrainen-
to do mesmo acougue. Que se encanegasse
ao fiscal do malino bairro, de mandar proce-
der de accordo com o cordeador ao menciona-
do reparo, recoinmendando-ae-lhe tenha to-
do o cuidado, aAui de que eua obra ae fa(a de
maneira que prometa duracao.
Despacliou-ae a pelicio do coronel Jo Pe-
dro Velloso da Silvelra; e levantoa-se a aettao.
Eu, Manoel Ferreira AecioJi, secretario in-
terino a escrevi. Olioeira, presidente.
Vianna.Carnetro Monleiru. Muran. Fi-
gueiredo. m Uamtde.--Henriquei la Silva.
IIARI 111 PRR!t.\IHC0.
PE NAMBUCQ
CMARA MUNICIPAL DO RECIFB.
SISSiO OBDISIRIt UK 27 DI JU.1UO DI 1850.
Presidencia doSr. Olioeira.
Presentes os Srs. Mamede, Carneiro Mon-
teiio, Moraes, Henriquesda Silva, Pires Fer-
reira e Figueiredo, faltando os msis Srs.,
abrio-se a aessao, e foi ida e approvada a
acta da antecedente.
Foi lido o seguinte expediente:
Um rnelo do fiscal interino da fregnezla de
aXKoira, o dc julho di tas.
Pela barca Bonita ehegada hoje de Liver-
pool recebemos a orla do nosso correspon-
dente de Pars que fica estampada no lugar
competente e mais a gazet ingleza 7'Ae ri-
me* de 3 de maio a 3 de junho.
A's noticias dadas pelo dito nosso corres-
pondente em a cirta que nodirigo, accres-
cantaremos por hoje smente a sagunle, a
qual pela aua grande importancia julgamos
levar publicar immediatamente.
No dia 22 ile maio pelas 12 horas, um de-
salmado dispsrou queima roupa urna pis-
tola sobre o poito do re ds l'russia, na oc-
cisiSoem que este om eompantiia da rainha
ii entrar na carruagem para drigr-se ao
palacio de Sans Sanl ; porm felizmente o
rei assustsdo pelo movimnto que fez o seu
aggressor, qu.indo levantara o braco, tor-
reo o corpo e a baila apenas Ihe atravessou
o brar;o. Os mdicos que examinaran] a fe- .
'ida, declararam que a vida do rei nSo cor-
ra perigo, e com eff-nlo as ultimas noticias
dSo-oo-lo j como quasi boa.
Todas as corporices da capital, e militas
das provincias, como tambem os ministros
eslrangeiros, &c. dirigiram ao rei os seus
cumprimentos por ter iSo felizmente esca-
pado de ser assassi nado.
0 desgranado que lenlot assim matar o
mu soberano chama-se Maxiniliano Jos
Sefeloge, he fllho de um cirurgiSo do exer-
cito, Iih natural de Wetzlar, e tem 29 annos
de idade. Elle servio II annos na artilha-
ria da guarda, onde chogou ao poato de sar-
gento, mas a 26 de outubro do anno prxi-
mo passado foi declarado invalido por cau-
sa de sua fraqueza pbisica e do desarranja-
menlo de suss fsculdades inlellectuaes, o
que muito o exasperou ; todivia por permis-
sSo especial resida anda no quartel do cor-
po e irajava o uniforme do mesmo.
O povo quiz tomar urna viogauca instan-
tnea sobre o desbragado Sefeloge, e foi s-
mente com muito cusi que os militares
conseguiram tira-lo das mSos do mesmo,
j bem maltratado, para levi-lo a um lugar
seguro.
A imprensa do partido realists acensa os
lemocrataa de terem sido os mandantes
deste horroroso attentado ; porm as pes-
soas imparciaes nSo attribuem a nonhnm
motivo poltico, e consideram-no como o
elreito da loucura do su aulor.o qual pa-
rece que tinha algumas queixas do rei por
nSo ter querido deferr-lhe varios reque-
rimentos que Ihe havia feito. Sefeloge he
inteiramente doudo, elle eal persuadido
que he o inventor da plvora dealgoJSo, e
que fura injustamente excluido na distri-
buirlo dos premios dados para urna pre-
paracSo peculiar deste artigo; ello tem a
mesma pretencSo acercado urna certa sor-
te de chocolate, e ten alm disso um plano
para a fundacSo de urna colonia africana
com a assistencia do bey de Tunia. Os re-
querimentos por elle feitos aos ministrse
ao rei dizem respeito a estas questes; aco-
rn nSo fossem deferidos, o desgranado jul-
-gouquedevia vingar-se.
"" ----------------
i'ubliciicoes a pedido.
Illm. e Exm. Sr.-Os subditos Britni-
cos residentes nesta cidade, representados
pela deputacSo abaixo assignada, teem a
honra de enlregtr a V Exc. a presente esr-
ta, extremamente penhorados pela genero-
sa dosrjSo que V. Exc. acaba de fazer-Ihes
do terreno contiguo ao cemitero Britnico
CH S2l?tO-*.I?*n nara *fJ ;' <*-.
lado aquelte em que actamete se enter-
ram os seus finados compatriotas ; terreno
esseque he tSo estenso como aquello que
j os subditos Britnicos possuiam, por car-
ta de doacSo do rei o Sr. D JoSo VI, a que os
abaixo assignados eslivim decididos a com-
prar por todo o prego desde que apparecra
nests formoss cidade o torrivel flagello da
febre, que tSo grande morUnJade fizara
entra ellos. Assim, pois, veem hoje agrade-
cer a V. Exc. do moJo msis solemne, este
espontaneo e claro testemunho de sua pie-
dad* christSs para com todos oa potros do
mundo, e de atfeicSo particular para oom a
nar;io Britnica.
Como se anda fossem poucoa os actos
de dedcagSo com que V. Exc. lornou o seu
nome histrico, qusndo por duas vezes so
ichou Trente da idministraco desta pro-
vincia, anda V. Exc. depois de aliviado do
ISo grave e honrosa tarefs, contina a fazer
sentir aquellos que a habitara, o beaelico
tnfluxo de Ul nome, sera dtotlnceao de Mi-
ta nem de paiz.


'2
i
igne-ie V. Exc ce?tur esta confjssflo
nflo suspoita dos abaixo assignados, e os vo-
tos que elles fazem pela prosperidade e
merecida fortuna de V. Exea cuja res Deoa guarda por muitos snnos- Ilion, e
Exm Sr. Francisco do Reg Birros, BsrSo
la Boa-Vista e senador do imperio.-Per-
nambuo, 3 de julho de 1850.Erftoard
lenlon A. S. Corbrtl., thesnureiro do ee-
miterio Britnico C. A. Auslin, capelllo.
lllm. Sr. inspector da theseuraria ge'al.
Diz Joaquim Mara de Carvalho, th-sou-
reiro da recebedoria de ren las geraos inter-
nas desta cidade, que hayendo-se i rocedi-
a requerimenlo sen um bataneo no respecti-
vo cofre em presenji do administrador,
escrivflo e o amanuense Joaquim Jos da
do Sutil Sorranii.afin de verificar-se a ox*C-
lidflo dos dinheiros arrecadados desde o dia
em que o supplicmte tomou posse do refori-
lii lugar al enlo ; precisa que o adminis-
trador ded'ta mesa Iho mande passar por
corlidflo resultado do dilobilanco : por-
tanto -pede a V. S. luja por bem mandar
passar a certidio requerida. Joaquim Ma-
ra ile Carvalho.. R. M.
l'asse. Thesouraria de Peroambuco, 5
do julho da 1850S'iWJ,
Em virtude do despacho supra certifico,
que no dia qnatro do crranle mez, peran-
te o escuvflo desta recebe loria Manoel An-
tonioSimocs do Amaral, servindo de admi-
nistrador, e de mim primeirn escriplurario
abaixo assignado. servindo de escrivflo no
i !11" i "> iiic> desle, e do amanuense Joa
quim Jos6 de Souza Serrano, se proceden,
pedido do anual llesoureiro Joaquim Ma-
ra de Carvalho, a um batanete nos co
fros a seu cargo ; o que feto, se verificoii
achar se em os mesmos cofres a quanlia de
M:580,546 rs. ; a Saber : 5:081,203 rs. li-
quido, d ren lmenlos grredadn !
16 a 38 do ni / lindo, que vai ser recolhi-
do Ihesouraria geral na forma do estyio,
1:876.000 rs/ digo, 1:876.763 rs., dos ren
lmenlos do primero aires do crrante
me/, e 83,900 rs. de depsitos particulares
desla recebedoria nprlenccnles a d versos
0 bem assim 4:538,680 r. pertencenles ao
colre dos depsitos pblicos, pelo que s-
xtrahio guia da quanlia de 538,680 rs. que
vai ser recolhida thosouraria geral na for-
ma iln eslylo, (cando t.lo soliente em dito
deposito a seu cargo, e em dito cofre quan-
lia li luida de 4:000,000 rs. cujas quanlias
liareiaes nrefazema j dita de 11:580,516 rs ;
o islo feilo, se conheceu estar conforme o
estado dos cofres a seu cargo com oslivros
de suas recelas geraes.
R.-cebedoria, 4 de julho de 1850 --No im-
pedimento do escrivflo, o primero escriptu-
rio, Jodo Rodrigues de Miranda.
Eslava sellado.
COWMEfICIO.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 9......8:906,884
Descarretam hoje 16.
Ih'ate -- Flor-de-Cururipe gneros do paiz.
Patacho Emutac do vaquetas.
Barca Louie mercadorias.
Calera -- Sword-Fish dem.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 9.. ,
Diversas provincias ....
1.506,88.1
69,189
1.576,072
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 9......708,009
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 9......1:225,730
n'iero encarregado, o qual s dar esta aur
lursaQo depois de examinada a primeirn
ornada, e achanio-a conformo as regraa da
arte e convenientemente socada, lavrando-
sn de ludo o competente tormo.
A importancia da arrematado dividir-
se-ha em tres y resta e5os, as quaes serflo pa-
gas ao arrematante da maneira segninte :
10 depois de lavrado o termo da que tra-
li a clausula terceira para o exame da pri
neira carnada de podra ; 4/10 depois de ul-
timado o empedramento e feito o recebi-
mento provisorio ; 2/10 depois da entrega
definitivamente.
l'ara ludo o que nflo esta determinado
as presentes clausulas, seguir-se-hfio as
disposices do regulamento vigente de 7 de
riiio dn eorrentii auno.
Recife, 1.dejulho de 1850. Oong*-
nheirocliefa da terceira secc&d,//, A. Mi-
let Approvadas pela'directora em conse-
llio, o n sess9o do dia 1 de julho de 1850.
--o director. Jote Mamedt Alves Ferreira.
Jlo Luiz Vctor Lituthier, II. A. Mitil
P.. Portier.
O lllm. Sr. inspector da iheanuraria d fa-
/.enda provincial, cin cumpriinenlo da resolu-
to do tribunal administrativo de 4 do corrente'
manda fazer publico que nua dlaa 30 e 31 do
preaente c primero do prximo futuro inei,
ir praca peraote o ineaino tribunal, para ser
arrematado a quein mala der, o Imposto de 20
por ieiii'i de ago'ardenle do consumo no mu-
niclplo do Recife, avallado annualmente em
(1:870.000 ra.
A arreinatacao aera frita por lempo de um
anno a contal- do primero de Julho crreme a
30dejunliodel8.il.
Os licilanteaque se propoierem a dita arre-
mataeo cotnparecam na aala das sesin do
ineamo iribunal noa das cima indicados pelo
nielo dia. com oa seua lia.lores coinpeteutcineii-
(e habilitados.
Secretaria da (liesournrla da fazrnd.i provin-
cial de Pe ii.iinliiieu. 8 d* Julho de 1850.
O 2.* escriplurario aervindo de secretario,
F. A. Cavatcanti Comitiva.
' O lllm. Sr. Inspector da ihesouraria da fa-
zenda provincial em umprlnienlo daresolu-
c.ao do iribunal administrativo de 4 do corren-
li'manda fazer publico que nos dias 17, 18 e 19
de selenibro prximo viudouro ir .-i praca pa-
ra ser arrematado a quein niais der, o Im-
posto do diziino do gado cavallar nos muid
l>l ia seguintes:
lirrjo avahado annualmente por 61,000
Timbres 122,000
Flores e Floresia 324,000
Boa-Vista e K.nii 246,000
A arremalaco ser' frita por leulpode Ires
annos a contardo primero de julho de 1850
30dejunhodel853.
Os lliilantes que se propoierem a estas arre-
mataedes, coitiparefam na sala das seasdes do
ineaino tribunal nos dias cima indicados pelo
mel dia, com seua fiadores competentemente
habilitados.
Secretarla da ihesouraria da faze'nda provin-
cial de Pernambuco, 5 de julho de 1850.
O 2." escriplurario servindo de secretario,
famlico .Infoniu 6'nvaleanli Coiuto.
le cores para vinho, copos galheteiro, por-
ti-licar e algunas obras de manceneria :
luiola-feira, 11 do correte, s 10 horas d
nanlifia, nnescriptoriododitocorretur, na
ua da C'.leia-do Recife.
M
^
Avisos
I I -J .
diversos.
Ue.cla raides.
Moviiuento do 'orlo.
Vaeiot entradas no dia 9.
Liverpool--33 das, galera ingleza Bonita,
de 299 toneladas, capilSo Williaui Kelley.
equipagem 10, errga fazendas ; a Dane
Voule & Companhia. P Ble7es Alfred Voule, Ceorge Evans, Mar-
tin Jurlong, Jnhn Roulaud, James llolg-
Ihrss, e Ruberl Kelly.
Tamandar -- 6 horas, brigue-cscuia de
guerra nacional legolidade, commandan-
le o capilSo-tonenle LouretiQo da Silva
Araujo Amazonas. Passageiros, Antonio
Pacifico t'm neiro e 2 recrulas.
A'aei'o lahido no aeimo da.
Cowes Patscno hueco Sultana, capitfio P
A. Stork, equipagem 8, carga assucar.
Passageiro, Julin Ilenrich Mcoians
Cehles.
MlliAKS.
O lllm. Sr. inspector da ihesouraria da
la/.enca provincial, em cumprimento da or-
dem do Em. Sr presidente de 4 do corren-
!", manda fazer puld'co, que nos dias i
23 e 24do mesmo mez, ir a piara, peran-
le o tribunal administrativo da inesma the-
>ourarin, para >cr arrematado a quem por
menos lizer, n calamento de seiscentas
cincuenta brabas do terreno do 15. Isiuc
da estrada da Victoria, svalindn em ris
3:575,000, o .-iib os clausula cspeciaes abai-
xo transcriptas.
As ptssoas que se propozerem a eta ar-
renialaijflo comparercru na sala das aes-
sOes do sobredilo tribunal, nos dias cima
mencionados, ptlu meio-dia, competente
mente habilitadas, ha forma do artigo 24 du
rt-i'.ulament de 7 demaio do coirenteatHio.
Secretarais Ihesouraria da fa/enda pro-
vincial de Periiamhuco, 8 de julho de 1850.
O segundo escriplurario, servindo de ge-
crelaiiu, 'rancitco Antonio Catalcanle C'oao-
teiro.
m Cloutulal eiptciart.
I. O em ped i ir. en lo do 15.a Unco da
estrada da Victoria far-se-ha de confurmi-
dadecomo ortamento approvado pela di-
rectora em conselho, e aposentado a ap-
provacSo do Exm. presidente ptlo preco d<
3:575,000 rt.
2." ()a trabalbos principiarlo no prazo
de um mez, e acabarlo no de seis* mezes.
ambos contados da entrega do termo da m
remataeflo.
a 3.* O arrematante n3o poder botar a
O Sr. director do lyceti manda fazer sa-
ber a quem convior, que, d'ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, fui sus-
peusa aula de tachigraphia, at que o mes-
mo Exm. Sr. Hiede novo regulamento. I.y-
ceu, 5 de julho de 1850. Januario Alexan-
drina da Silva Rabelto Caneca, professor de
desenlio e secretario.
Pela segunda secclo do consulado pro-
vincial se faz publico, que os 30 dias ulei.s
para a cobranca, a bocea do rofr->, da dec-
ala dos piedios urbanos dos bairros desla
cidade, e freguezia dos AfOgados,' se insli-
/ani mi dia 13 de julho prximo viudouro.
Recife, 28dejunhode 1859.
Companhia de Beberibe.
A administracSo da companhia de llebe-
rihe contrata por um auno, do primero de
setetnbro de 1850 a 31 de agosto do 1851.a
arrecada(3u da laxa nos Chlfarizes e liicas
do encanamenlo. As propostas, assignadas
pelos prelendentes e seus fiadores, sero
entregues aleo da 10 de julho, no esciip-
torio da companhia.
Tlicatro de S. Izabel.
NONA RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado, 13 Ilepresenlar-so-ha o exosllente drama em
Ires icios.
D*. MARA DE AI.ENCASTIIO.
A parle de Antonio Couti ser feita pelo
Sr. A. Maximiano da Costa, que por espe-
cial obsequio se prestou a desempcnha-la.
Terminar o espectculo com a graciosa
comedia em um acto
O Juda em Sabbado de Alelluia.
Comecar is 8 horas.
Os hilhetes acham-se venda no lugar do
COtl time.
Avisos martimos.
-- Pura o Cear pretende seguir viagem
com multa hrevidade a sumara nacional
Callla, mes tres Jos Goinjalvcs Simas :
quem na mesma quizer carregar, nu ir de
passagem, pode entender-se coro l.uiz Jos
de j Araujn, na ra da Cruz, no Recife,
n. 33.
-- Para o Rio-dr-Janciro salte, com a
mainr brcvillade possivcl, o brlgue-escuna
Meara, forrado de cobre e de boa marcha :
tender, enlenda-te com Leopoldo Jos da
Costa -Araujo, ou com Novaes & C.
Para o Aracaiy segu, no dia 20 do cor-
rente, o paladn j.-f.rua, mostr Joaquim
Pereira : para carga e passageiros, lala-se
ao la-lo do Cnrpo-Sanio, n. 25, loja de mas-
sames, ou com o mcsire.
Leilo
OcorretorOliveirafar leillo de mili-
tas obras de prata, de modernos goslos, in-
clusive um apparelho para Cha, um fnque-
ro completo, se-i entinas, espovitadores,
salvas, caslicaes, collieres para srtpa echa,
facas e garlos, e oulras iiiuits peras de bom
gosto do mesmo metal; assim Como don1
relogios de ouro patentes inglezes, corren-
es uara o mesmos. 1 rico relogio dourad
com manga para cima de mesa, outro dito
Ipropriopara repartido publica ou escrip-
s guma carnada so seja au'torisado por escriplo pelo etige-(ua branca para jautar, garrafas brancas e
AttencSo.
I.endo ueste Diario um pedido ao Sr. Ger-
mano para levar a scena esta cousa que o
Sr. Santa Rosa chama arias, lastimei que o
-ir. apologista tivess* o g>alo Uo estragado a
ponto de fazer semelhantn pedido, o a inda
ni lis querer sujeilar o publico que nenhum
mal Ihe fez a ser pri alo de freq'ioritir O
lieatro com suas familias. Agora, porm.
Iqe apparece unta replica ( ou cousa que o
vulha | fore,.iso he que mo dirija ao Sr. etn-
prezario roganlo-lhe niloqueira dar ouvi-
dos a semelhante pedido, ab pena de ser o
theitro fsvquentado smente pela platea,
cois com as inmoralidades das canlarollas
nada lera a ganhar : eontiuue o Sr. Germa-
no a nos dar boas resresentaQesque lera
sempre nchenle, e o Sr. apologista forme
aigum fandango quo se divertir mais a aeu
gosto.
O Apreciador.
Dasappareeeu no dia 8 do crrante, pe-
las'j horas do dia, um menino branco, de
cor morena, de nomo Manoel Marques Cor
rea, com idado de 12 a 13 anuos, filho de
Io.Ik Marques Cortea, levando veslido um
alit ro, grvala deseds azul de qua-
dros bramos o calcado riacadinho escuro,
o qual j* fui encontrado no Rio Doce, em
companhia deum matulo. Rogi-so as au-
toridades polieiaes, que o apprenhendam,
uu a outra qualquer-pessoa que o encontrar
traga casa de seu pai em Fra-de-Por-
tas, ra do Pilar, n. 85. que ser genero-
samente recompensado, e se pagarSo todas
uais despezas que oveorrerom.
Leonor Luiza da Rocha tendo visto nos
Diarios de ns. 135, 136 e 139 de 18,19 e28,
lu mez de junlio prximo passa lo, tres an-
ii uncios para se vender casa terrea no boc-
eo doQuiaho, n 12, no bairro da Boa-Vista,
pertencente ao Sr. Jos Flix de Oliveira, a
nnunciante declara em lempo que ajila
casaseacha hipolhecada mesma annunci-
ante na qoanlia de 500,000 rs. por eacr'plu-
ra do Iraspasso feito por Antonio Bernar lo
(Jumteirn, coito po.lerflo ver no eartorlo do
registro das hirotheess ; a a nnunciante nflo
prevenio a mais lempo por estar em ajuste
com o pro pri otario da dita c isa, a licar com
ella e pagar-se do principal e juros, e como
se nflo ellectuasse a compra, faz o presente
annuncio para nflo chimar-so a ignorancia.
Quem precisar de um criado, que sabe
cozinhar, servir a mesa e saiir a alguns
mandados, dirija-se i ras da Scnzalls-Ve-
Ihs, n 50, no Kecife.
Precisa-sede um caixeiro para venda,
qur ceja grande qur pequeo, com lano
quD entenda bem do negocio : na ra das
Crujes de Santo-Antonio, n. 41.
Na ra do I.mmenlo, terceira andar,
n. 27, engomma-se lava-se com parfeicflo,
por proco commodo.
Qninta-feira, II do coxrente, pelss 4
horas da tarde, porta do Sr. Dr. juiz de or-
phflos, na ra do Rozario estrella, sers ar-
rematada ii.talierna, que foi do fallecido Pe*
xolo, da ra do Rozario larga, n. 7, que por
nicoiiveiiiei.les nflo foi arrematada no dia 8
AlugA-se urna preta captiva para o ser-
vico de urna casa de duas pessoas :. quem li-
ver annuncie, ou dirija-se a ra do Queima-
do, n. 92.
Roga-se ao Sr. I.uiz Francisco de Mel-
lo Santos, que dirija-se venda da esquina
do pateo do Carmo, que entra para a am-
bos, a negocio de seu ihteresso.
Na praca do Sr. Dr. juiz de direito/Jo ei-
vel de 12 do. crrente, s 4 hor?s da larde
se hilo de arremalar diversos movis e uu-
tros ubjeetos penhorados a Joflo Francisco
Ferreira, por exccuc.ilo de Jos de Mcdeiros
Tavares.
~ Deseja-sasaber por qunlo anda um ti-
tulo de residencia ; porque ha quem diga
|Uo importa em dez mil ris.
D.'seja-se caber a morada do lllm. Sr
Jos Aurelio de Miranda, lente du primei-
ralinha : na ra do Trapiche, n. 31.
- A loga-so um pequeo sitio em Parna-
iiiei rini, junto ao cirurgiflo Leal, com casa e
fructeiras : quem o prel'.oder, dirija-se as
Ciiico-Pontss, n.94.
Manoel da Costa, estabelecldo na ra
da Praia com irmazem de carne, havendo
outra pesaos de nual nome, de hojoem di-
auto se assiguar Manoel da Costa Lima.
A Marmota.
0 ii- 29, est venda boje as II horas do
dia nos lugares do cnstume, contndo os so-
gninles artigos--ocsamenlo--orei,_o' povo
e a les casae poesas originaos.
Fernando da Luz & Irmlo fazem scien-
le, que Joiquis Vieira da Silva e S deixou
pesr sen caixeiro.
Quem precisar de um caixeiro para co-
branzas, ou outra qualquer arrumacAo, di-
rija-se a rus de San-Francisco, n 33.
-0 Sr. Jos Concalves Ferreira Costa
queira declarar por esta foi ha onde he sua
estada nesta praca, a nflo ser no arrabal le,
em Santo-Amaro, para concluir-se um ne-
gocio que Ihe diz respeito
Pelo jui'/uda secunda vara do civel tem
dse arrematar aparte da casa por tras da
matriz da Roa-Visla, perteneenlea Francis-
co Soares l.ulier, por eeucflo de sentenca
que Ihe move Firmiano Jos Rodrigues Fer-
TCxxa, no ia i3 uu crreme, peas ^oaiio
horas da Urde, na poria do refer lo juiz,
na ni i Nov.i.
Joaquim Alves da Costa, subdito por-
tuguo7. retira-s para fura do imperio.
-- Manoel Francisco Itelva de llezende,
subdito portuguez, retira-se para fra do
imperio.
Rogase a. pessoa que por engao ti-
rou do correio urna caria, vinda do Rio-de-
Janeiro nu vapor Fernambucana, entrado em
ot.'do crrenle, para Francisco Jos de
Paula, o favor de entrega-la na ra da Ale
gna, n. 10, que Se Ihe ticar summatnente
agradecido
-- O abaixo wsigna/o faz sciente a todos
os credores de Francisco Jos Gomes de Oli-
veira, que elle comprou a venda que o mes-
mo possiiia na esquina da ra da Nogueira,
n.49, a Victorino Jos Crrela do Sa, eom
liieni devem enten ler-se, por que pagou a
vista, como cousti ao papel >ievenda, assig-
nado pelo mesmo. Mantel Martins.
-- Precisa-se de urna ama de leite, eslrsn-
geiri, que o tenba bom, para amamantar
urna crianza, durante a viagem desls pro-
vincia para Portugal : paga-so bem : na rus
lo Crespo, loja n. 16, ou snnuncie.
ftlobiliis dealuguol.
Alugam-sp elTeclifamentemobilias com-
pletas, ou qualquer traste de per si; tam-
b'm se alugam cadeiras em poreflo para
bailes e ofllcios : na ra Nova, armazem de
trastes do Piolo, defronle da ra de Santo-
Amaro.
t #*
I
!
Um familia que se retira para a a)
provincia do Rio-Grade-do-Sul, ne- %
cessita de urna mulher nacional, ou <'
mesmo estrangeira, para acompanhn- A
la, aflm de.pensar urna crianca na
J viagem : quem quitar, dirija-se 4 *f
tt ruadaMola, n 19, segundo andar,
Sou na praca do Corpo-Santo, n. 2,
primeiro andar, para tratar.
Uuem preciaar de urna ama de lene,
crioula, a qual tem muito bom leite, diri-
ja-se ra Bella, n. 31.
No dia 11 do crranle, pelas quatro ho-
ras da tarde, porta do Sr. Dr. juiz de or-
pliflos, na ruaestreita do Rozario, tem de ir
em leilflo o resto das fazendas pertencenles
so casal do finado Luz Jos de Souza, a re-
querimento do leslamenteiro.
Furtaram de Inhamfls, freguezia de
Iguarass, no dia 4 do crrente mez, um ca-
vado preto, mureello. fazen lo segunda mu-
da, grande e carregador baixo e lerJo, ten-
do o ferro do abaixj assignado : quem o
pegar ou descubrir o ladrflo, dirija-se es-
la praca ao padre Bacalho, ou no mesmo
lugar, ao pai do mesmo psdre, que recebe-
r grande recompensa. Padre Feliz I. II
Bacalho,
~ Perdeu-'e urna chavinha de ouro de re-
I ,1 -....-. *:--- -I... I .-------* 1 A
PUKIU : ,! IIIVI fc.na.JV, [""! ,w,i
ra d'Alegria, casi n. 34, que sedar o va-
lor da mesma.
O Dr. WilliamMay estando prximo a
relirar-se para a Europa, previne aos seos
amigos c f egaezes, que durante sua ausen-
cia far os curativos isoto medios, como ci-
rurgicoa e em ludo suas vezes como se pre-
sente estivesse, seu socio o Dr. C. L. Malet,
quem para tal fin (ica entregue do sea es-
lubeleament nest cilade; e pede to-
las as pessoas a quem dever, o favor de a-
presenlarem suas contas al fundo crren-
te mez de julho para serem psgss, rogando
igualmente aquellas que Ihe devem, quei-
ram embolca-lo at o mencionado len;po.
Roga-se ao Sr. Joaquim Pedro Brrelo
do Mello llego, o avor de apparecerna ra
do Crespo, loja 0. 23, que ah se Ihe desoja
fallar.
O abaixo assignado comprou ao Sr.
Juo Duela da Silva Borges a sua loja de cou-
ros na ra do Livramenlo, iicando o abaixo
assignado deaonerado de qualquer divida
que o mesmo deva, por Ihe ter paga o im-
porte do quo exista em dita loja, romo
consta do papel de venda. Antonia Cosassi
Mortira Jnior.
luga-se o segundo andar do1
sobrado da ra de Agoas-Verdes,
d. 86. alralarna praca da Intie-
penca, ns. it\, aG e a8.
Precisa-se de um caixeiro para venda,
do que lenhi bastsute praiica, e d fiador a
sus conducta : uo Becco-Largo, n. 104.
--Manoel Mendos retira-ae para fra do
imperio.
-- Preciss-se de urna ama de leite, que o
lenha bom : na ra do Qucimado, toja n
19, ou na ra do Collegio, n. 9, segundo
andsr.
Aluga-se o sobrado de 4 andares nt roa
daSenzalla-Velha, ti. 144, com excellente
vista, por sor na esquina que olha para a
ponte do Recife, por commodo preco : tam-
bem se aluga cada andar de per si: a tratai
com Jos Gonce I ves Torres.
--Nos dias 11, 15 e 18 do. corrente mez,
pelas 4 horas da lardera porta do Sr. dou-
lor juiz deorphflos, na ra estreita do Ro-
zario, se lis de arremalar um sitio em o lu-
gar Chora-Menino, junto ao Sr. l.uiz Gomes
Ferreirs, que foi da fallecida D. Francisca
Maris ds Silva, a requeriinento dos her-
deiros.
Preciss-se de um preto qoe saiba lavar
cavados : n> roa Nova, cocheira do sobra-
do que se est edificando.
Quem snnunciou querer comprar urna
commoda, ple dirigir-se ra estreita do
Itozario, n. 1.
Roga-se ao Sr. Dornellas, morador em
Beberibe faca o favor apparecer na venda da
esquina de San-Jos, ou mandar ultimar o
negocio que deva saber.
Pela vara do Sr. Dr. juiz de orphSos
supplonte desta eidade, se ha de arremalar
em praca pub! O, a requeriinento dos in-
teressados no "dia II do correle mez, o
grande e autigo ailio denomiuado do
Mondego condecido pelo seu primero
possuidor Manoel Gomes dos Santos, com
grande terreno para qualquer planlacflo,
baixa para eapim, dous grandes viveirosja
le tos, e um por acabar, um grande e ele-
gante sobrado com gran les eommqdos,
duas casinlms terreas, estando urna deltas
por acaliar-se com uiuitos arvoredos de di-
versas frutj, porto d embarque, e um
grande alagado de .mangue que divide o
mesmo sitio pea ramboa que segu para a
pontezinha do xora menino cujo sitio
faz frente para a inesma estrada, opsra*
que segu para o manguind, tudo avalla-
do |>m x.wuv,OUW ra. setu a uiiiina pia\>
no dia 18 do corrente.
Precisa.se de um pequeo, que seja
Portuguez, tiara urna loja no Cear : na ra
do Qtielwado, n. 25, luja de miudesas
Precisa-se de u na ama para todo o ser-
vico de urna casa de mu i lo pouca f.inilia :
na ra Direita, loja de sapaloi, n. 63, con-
fronte a leuda de funileiro.
GuilienneMay retira-se para forado
imperio.
Preciss-se de dous oJOcises de tnarci-
neiro ; na Gsmboa-do-Carmo, n. 8. Na mes-
ma casa tmam-ae aprendizes para o mes-
mo olllcio.
0Sr. lludrigo de Freitas Pires Cuima-
rfles dirija-Sj) a ra do Cabog, n. 3, a ne-
gocio de seu iuteress.
Precisa-se de una ama cosinheira e en
gommudeira, para casa de pouc faml ta ,
na ra do llruin, cala de qualiu audarta
no segundo andar. t
A pessoa que annunelou precisar iv
m
Na ra do Amorim, na loja *o sobrsdo
n. 27, lava-so o ongomma-so com toda a
perfeiiflo'e proco commodo.
JoHo l.oito Pila Ortigela, teslamen-
teirodos bns do fallocido Antonio Rodri-
gues Lima, tendo de dar cuma1 ment a.
verba do testamento do dito fallecido que
diz Deixo aos meua adlhados, que apre-
sentarem ccrtldflo de taptismo, a quanlia
de 50,000 rs. a esda um roga.as pessoas
a quem ests disposicSo ndssa proveitar,
que se apresentem quantoantes con a lia-
hllitacSo exigida, e prova de identidade de
pessoa, para ae poder verificar a entrega do
legado.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
O Ihesoureiro desls lotera annnncia ao
respeilavel publico, que muito breve tem
de marcar o dia do andamento das rodaa
as pessoas que teem bilhetes apartados oa
vflo buscar quanto antes, do contrario se-
rio vendidos. O restante dos mesmos a-
cham-ae a venda nos lugsres ja annuucia-
dos.
Aviso aos Srs. de engenho
0 abaixo assignado fax sciente as pessoas
que Ihe tem encommendsdo burros e quer-
aos, que por todo o presente mez devem
chegsr alguns destes aniones, e por isso
essas pessoas queiram entender-se com o
snnunciante, assim comoquaesquer outras
pessoas que prelenderem comprar os mes-
mos animaos, dirijam-se ra do Queitna-
do, ii. 14, loja de ferragens.
Jote Rodrigue Ferreira.
luga-se um sobrado recehtemente
acabado, na ra da Uniflo, com os melhores
commodos para urna on duas familias, con-
sistentes em excedentes salas, alcovas, du-
as cosinhas, coxeira grsnde, quintal dito :
oa prelendentes dinjam-ses rus da Auro-
ra; n. 4.
Dentes artificiaes.
J. A. S. Jani, dentista tem a honra de
avisar aorespeiiavel publico que contina
a pOr denles artificiaes de porcellana ; co-
mo bem tira, as carias dos nsturses, que
tanto damnifica os denles e coopera para
o mo alito da bocea, nflo sendo lira-
da i clcaos denf.s furadoscom ouro oa
prata, para prevenir as dores e a conlinua-
flo da caris. Q anpuocjante assevera a Io-
tas as pessoas que se quizerem utilisar dos
sous servicos, que nao exige paga alguma
nflo flcan lo os denles to bem postos que
nflo se poSsam differencar do% proprios na-
tura*, e pudendo mastigar cora os mes-
mos toda e qualquer comida sem entir a
oenor ddr e nem receio de os quebrar, e
por isso garante a todos quanlos de seu
presumo se quizerem utiliaar, que bflo de
licar salisr-itos, a vista dos mullos exemplos
que tem dsdo s pessoss que o tem apairo-
etnado. O annunciante mera na ra eslreita
4o Rozario, n. 16, primeiro andsr.
Fermisno Jos RodriguesFerrera,.flue-
readio liquidar suas cuntas com a praca, ru-
ga a lodosos seusdevedores, lano da pra-
ca como de fra, que, no prazo do 60 dias,
vevahaan realisar seus dbitos, o qusndo o
nJao facam passar a publicar seus nomes,
notadas e lempo de seus dbitos.
-- A atesaos quo precisar de alguma obra
dourad*, o prateada com alguma parfei-
cflo, dirija-se as Cinco-Pootss, nos Bairros-
Baixos, aobrado de uro andar, a toda hora
do dia.
O abaixo aseignsdo avias sos credorcj
do finado Pedro Marciano, que no praso de
8 dias da puhlicacflo desle (6) qu.-iram
apresentar suss contar para se proceder a
inventario, iota Baptista Fragoso.
Na casa que se vendem sor-
veles,ao entrar da ra da Aurora,
contin a ter excellente caf to-
das as lar Je al a noite, e um bom
soitimento de refresc de todas
as finalidades, bolinhos e charutos:
servindo-se com asseio e promp-
lidio.
Jg Chapeos de yol. Jg
Ra do Passeio, n. 5.
NesU fabrica ba presentemente un rico
sortiment destes objectos de lodss ss c-
rese qualiJadea, tanto de seda como de
paniiinho, por prefoa commodos; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto : estes chapos
sflo feitos pela ultima moda ; seds adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sorti ment de sedas) pan-
11111 hos imitando sedas, psra cobrir ar-
msfOes servidas : (odas estas fazendas ven-
dem-se em poreflo e a retalho : tam be ir ae
concerta qualquer chapeo da sol, tanto de
basteas de ferro como de belaia, assim co-
mo umbelas de igrejss: Indo por preco
commodo. Ns mesma caaa ba chapeos da
sol de marca maior, de panno e de seda,
proprios para feitores de engenho por serem
dos mais fortes que se podem fabricar.
Aforam-se excellentes terrenos no lu-
gar do sitio do Hospicio: quem quizer afo-
rar, dirija-se ra dos Piros, n. 19, que se
dir qem afora.
Ainda est'por se alugar o|terreiro an-
dar do sobrado da roa da Senzalla-Velha,
n. 70, pintado de novo", eom commodos ps-
ri familia: s tratar no primeiro sndar do
mesmo sobrsdo.
onde estove o Dr. Alcanforado, um* bom-
ba de cobre, pregada na cacimba, de>con-
lia-se seralgue u deste lugar: quam der
noticia, ser recompensado, e nromele-so
gu rdarsegredo : ns r* da Cadeia do Re-
cife, ii. 55, ou na ra de S.-Goncalo, n. 29.
O procurador da cmara municipal des-
la cidade tchi-se sutorrsado por portara
da mesma cmara, para contratar com quem i
pur menos (Izera dimolieflo de urnas pare-
des em respaldo existentes na travesss do '
Vigario, que forain pela meen* cmara
desapropriadss a Felicia Maria e Benedicta ;
e bem assim por qaenv mais der venda dos
materiaes resultantes da dita dimolieflo : as
pessoas a quem isso convier ae poderflo en-
tender com o mencionado procurador, na
ra llora, paco da mesma cmara, das *0
horas da manhfla a urna da larde.
-- *(gS-se U!! grande o om todas
a* cosnoiodidadu*, e sitio que vai aleo no,
na povoacflodo Monleiro : a tratar na rus
1
rnupa lavada e eugommada, dirija-so a ra I da fUdeia dn Itecife, n. 55, com Jofio Jos
do Amorim, n. 37, loja. |de Carvalho Morae's.


J"
AttfncSo.
Roge-ge encarecidamente eos Srs. abaixi'
aclarado, que tenham a bondade.de vi-
Jreipou mandarem pagar suas contas, na
frua N"va, loja de alfaite, n. 18 Caetanci Jo-
L Coerho, ra do Bruin, 97,180 rs. de 1f
J! 1845; CaeUno Aurelianp de Larvalho
Iroiito, empreado no consulado, 11,400 r.,
l,le 812 a 18*3 ; Caetano Pereira eu>marles
|!>?,000 ra., de 1843 ; JoSo Leitedo Kodoval,
mirador em Apipucoa, 39,000 ra.. de 1837;
Iir, Antonio Joaquim de Figueiredo Seabra,
nromotor dn l.imoeiro, 89,480 ra. de J844 ;
lanoel Joaquim de Figueiredo aeabra ra.
3 780 de 1844; padre Calalo Correa da
No'br-ga, morador na l'areh.ba. 805,380 rs..
de 184-2 a 1844 ; o* dos Santos, morador
no Lirooeiro, 31,000 r., de 1845: lenlo
Marlins Concalves Lisboa, embregado no
.rsenal de guerra, 21,500 rs. de 1844 ; lo-
s Romualdo Gomes dos Santos, emprega-
do na pagadoria geral, 16,000 rs., de 1847 ;
Krancieco Soares da Silva, morador no Ca-
to. 12,000 rs., de 1813 ; alferea Reg Br-
relo, mais conhecido por Carapinima, mo-
rador no Par, 40$80 rs. de 1842; lente
tlaroai-CavelcantodaSilveira Ventora, mo-
rador ua ftrehbe,.53,5*0rs., de 1848;
Manoel Theodoro de Almeida e Albuquer-
4jue, morador na Patahiba, 13,000 rs. de
1842 ; Francisco Berenger de Almeida .Cue-
de 10,000 rs., de 1845; lose loaquim de
Figueiredo, morador no Harsnhao, 21,000
rs de 1812; los Rodrigues Pinheiro
20 C40 rs. .de 1848 ; Mauoel Rodrigues P-
rilieiro 3,500 rs., de 184 ; los TUomaz da
Silva 17,400 rs., de 1843; Manoel de Olive-
ra Cevalcaote 3,000 rs. do 1845; Jos Pe-
reira da Cosa, engenho alulinote, 8,000 rs.,
12 Ojo rs., de 1845; Traneieoo de Albuquer-
?.., de & 1 ioH*ncbio 7,600 rs. ,
do 1841. Serllo lemhrado todos aquelles,
que e lempo, e nu literem dedo cumprjmento de
sues contas.
--Antonio de,Almeida Comea embarca
pera oMeranhSooescravo pardo de nome
Joio, |ierUoceiile ao Sr. Eduardo Anlunes
de Mendonca, daqulla provincia.
A cidadede Pars.
Fabrica de cbapos de sol, ra do
Collegfb,A. 4-
J. Falque participa ao respeitevel publico
desta cidade, que elle ebrio o seu novo es-
tabelecimento. onde se encontrar sempre
um grande e bonito sorlinicntu destes ob-
iecios dos meis modernos e variados, como
sejam : chapeos de sol para liomens de se-
das chamaloseateii e lisas, de cores e pretos,
daos de armadlo d'ac< muito fortes com
sed*sde loilas escores, ditos para senhoras
de sedes Wvradas e lisas, com franjas e sem
ellas, cres muilo bonitas, ditoe ditos de
raimo imitando sede, com fren) eaem el-
i, ditos de panninho pera homom com ar-
macBo rica o ordinaria, sorlimento de ben-
galas de todas ea qulidade*, baleias para
vestidos, cutite eesparlilbo para senho-
ra. Na mesma caea concerie se o cobre-se
toda a qulidade de chapeo de sol e benga-
las, para os quaes leu boas sedas o pannos
em pecas :"lodos esles objectoi Tendem-s
em porcBo e e relalbo, pofjjOos preto do
que em oulra qualquer pette.
Alugam-se os segnfdoe lerceiro anda
res da casa do largo da Aseombla, o. t: i
fallar rom Joaquim Francisco de Allem, oo
Forte-do-alallos.
II*
Comprts.
res de ra ; orna preta do 0 ennp, que en-
eomma, cose muito bem e cozmha, e he de
nacSo ; urna parda muito boa custureira,
engommaderra e cozinheira ; duas pretas
cara todo o servico, com algumas habilida-
des : um mulalinhode !2aonos, bnm para
iiagom ; um dilo bom oflicial de alfaiate ;
,ssim como outros muilon escravos : na roa
la Cadeia do Recife, n. 51, primeiro andar,
A 2,800 rs. o covado.
Vende-se o melhor setim preto maceo pa-
ra colleles o vestidos do senhora, pelo di-
minuto preco de 2,80") ra. o covado : na ra
o Queimado, n. 9. DSo-se as amstraseos
compradores.
Casaos francezas a 340 rs. o co-
vado.
Vendem-se casias francezas de bonitos
padreese de cores moil alegres pelo bara-
to preco de doze vintn ocovedo, para se
acabar, dando-se amostre com penhor : na
ua do Qoelmado, 8, loja confronte a bo-
tica. ~ .
Loja de modas, ra Nova, n. I*.
Madama Kosa Hardy, modista
brasileira,
denovoaonuncia as senhoras suas patri-
cias que acaba de receber pelo oavio Coarte
Roaer, om lindo >ortuiento de chapeos de
seda para senhora. de groa de aples e
de gorgurfio enfeitados com plumea e no-
res de todas as cres e da ultime moda;
cheos de palha para senhora '";
finos e ordinarios ; armaS0es para cobr.r de
serla e de crep, a 1.000 re.; |sedes, gorgu-
rfles, lilas, rendas de fil de sede de toda,
ai coros para enfeitar chapeos ; crep e litas
le sede de lodas as cores: msnteletes e
o-------:
andtrem na escola, e
r:[ic7. muito encor-
-- Coiupram-se trastes uledoa de toda a
qulidade, e tamnem se trocara por novo :
na ra Nov,.armszem de. trastes do Pinto,
defronte da ra de Santo-Amaro.
Compra-e uma carioca para cm ca-
vallo : quem livcr di:ij-se a ra da Cruz,
' Comprem-se bandas eadrgonas com
franja usadaa : na preca da Independencia,
Compram-se canas vasias que foram
de saBo, a 120 re., sendo de febrics da
povinc'ia, o de fra, a 80 ra., e em bom es-
tado : na ra da Madre-de-Deos, n. 22, ar-
ojazem.
Compram-se, para idra da
Kovincia, 4 escravas pardas ou prets, de
mas figuras, e com algumas habili ladet:
ua ra larga do llozariu, n. 48, piimiiru
andar.
Compra-eume commolaxu secreta-
ria, que esteja em boro uso : qnem Uver,
anounoir.
compre-so. no habito de Christo : na
praca da independencia, n. 19, ou annuncie.
Comeram-ao 300 p*tc0es mexicanos :
defronle da ribeira do peixe.n. 3 : lambem
se-vende um seistenle.
Compra-se uma negrinha paia uma
enconimende, ou mesmo roulalinha : na ra
larga no Rozario, n. 35, loja.
Compri-se o direilo das gentes por
Klnber, anda com algum uso : na ra da
Cade:a-Velha, o. 41, primeiro andar.
Vendas.
Vendem-se i cadeiras de Jacaranda, a
moderna, c uma cacada da mesma medtira
para subir em eame, velaa de carnauba
9,000 rs. e arroba.: oa ra da Cadeia do Re-
cife, n.-93.
Quem duvidar,
Venha ver e comprar.
Na loja de Viuve Freitaa Guimarfies ven-
dem-se fajemlaa por baralissimos procos,
abano mencionadas, que por suas ptimas
quaiieJadee oa freguezos nao deixerlo de
comprar, como atjaai: crtesde brim bron-
co da listres dt puro lioho, e 1,000 rs. ;
peoas de ruarle com 24 covadoa e 5 palmos
de largura, por 4,000 rs.; chales de chita
escuioj, a 500 re.; pjjfljfto azul, a t,600 ra. o
covado ; brim do palba e lioho. a 940 rs. o
covado ; alpaca verde escura de cordso, i
500 rs. o covado ; merino de todas aa crea,
a 600 rs. o covado ; meias de seda aberta.-
para senhora, a 1,280 rs. 0 par ; bico bran-
co, a 80 rs. a vara ; citea de la para cal
v, i ,O f. O veodeder pede eos fregae
zea, que aproveHaw a quadra, pola nem
sempre eppareeem destas chinchas.
VendemH tree preUs bou gajibado-
'ranea d seda de todas as cres psrs
feitsr vestidos; bicosdeseda; setim bran-
co liso, muito largo, e de boa qushdade
jara chapeos; meias de seda brancas e prr-
ls;iuvas; spalos de couro de lustro pe-
ra senhora ; peifumarias finas ; lencos de
camhraia bordados o com bico de linho ;
toucas de camhraia de linho bordadas, e de
Tilo de linho, guarnecidas com bico dd .li-
nho verdadeiro, feitas na Franca para me-
ninas eamisinhas do cambraia para senho-
ra, com gotas de cambraia de linho e bico,
* 3,000, 4,000 e 5,000 rs .Na mesma loja ha
toucas muito lindss, feitas squi para me-
ninas tsmhem se fazem manteletes, capo-
tirihos e vestidos ; enfeilsm-se chspeosda
ultima moda, por preco mais barato do que
emoutra qualquer parte.
-Vendem-se 5 lindos moleques de 12 e
lannos, lendo um delles bous principios
le carpina ; 6 pretos de 20 a 25 ennos, sen-
t um delles cozinheiro, e oulro ptimo
apateiro; um pardo de 22 annos, perilo
cozinha-o, bolieiro e empalhador; uma
parda de-20 annos, com habilidades; oilo
pretas de 14a 25 annos, com algumas ha-
bilidades, e que alio proprias para todo o
servico : na ra do Collegio, o. 3.
- Vende-se um palanquim pequeo em
muito bom estado, com o seu competente
i'ardamcnto. por prego commodo-na ra
la Madre-de-Keos, n. 36.
-- Vende-s o repertorio das leis estrava-
gantcs; dilo das ordenscOes; l.obao, se-
cunda linhas; dilo acres sumarias ; e es
nrdenacoes do reino, em muito bom estado,
nor pretu commodb : na prar;a da lodepeo-
deocia, livrai ia na. 6 e 8.
-.-Vende-se um preio muito mojo, de bo-
nita figura, isto por necessidede, e por Uto
d-se em conls : ne ru larga do Rozario,
n. 35, loja.
Bom e barato-
Na ra do Queimado,) vindo do Rozario,
segunda loja, a. 18, vendem-se lencos de
setim de cres |para grvate, a 500 rs ; di
los de cassa, a 240 rs. ; cimbraias para ves
Udos, peess com 20 veras, a 9,000 rs. i meias
de aeda de cres paca homem, a 500 rs.;
ditas brancas, a 640 rs ; ditas pretas. a 800
rs. ; ditas de laia pare padre, a 2,000 rs.;
panno fino cr de azeitona, a 3,000 rs.: dito
preto, a 3,200 rs.; e outrss multas falta-
das porcommodo preco.
Vende-se um escravo bom, e muito
moco : no segundo andar do sobrado pega-
Jo a (orre dos Hartyrios.
Vende-se uma duzia de cadeiras ame-
ricanas, com asenlo do pslbinhs, e um jo
go Jo Livramento. n. 7, loja de sspstos.
.- Vende-se uma prela de elegante figu-
ra de nacDo Cosa, de 18 annos, que en
gomraa, cozinba o diario de uma case, e he
muito propria para andar com meninos, por
ler bom genio : na rus da Aurora, n. 50.
FoHiadeFlaiirires,
de superior quaKdade, a 20,000 rs. a caixa ;
Metal amareleO e p.egos
para forro de navios, por preco commodo;
P< tassa nacional,
s mais nova que ha no mercado, por menos
20 rs. do que em oulra qualquer paite : ven-
de-se no armazem de A.-V. da Silva Bu
ce, na ra da Madre-de-Deos, n. 24.
Fesuiifis da Porto
de'superior quslidede, por preco muilo
commodo vende-se no armazero do Joa-
qoim da Silva Lopes, na rus da Madre-de-
Deos.
- Vendem-se peces ue cunea pamas,, co-
res multo fixas, a 5,800 rs.. o a relalbo a
120 e 1*0 rs. o coiredo; pecas de madapo-
o com algum mofo, largo e com 20 varas,
a 2,500 rs.; estoupe, e 4, e 8 n'ens a
vara ; lencos grossos pare tebeeo. a 120 rs.;
um foledefolearformigas, por 5,000 ti. :
nsrua lergs do Rozario, n. 48, primeiro
ninho para meninos
1,600 rs.; fazende .
padacorolislraao lado, fingindo perreita-
mente casimira, a 2,00 rs. o corte ; I3es
muito finas e do bonitos padrees, a 2,400
rs. o crte ; lencoe de la o seda, a 640 rs. ;
Illa escoceza propria para vestipo de pretas,
a 20o rs. ; e outrss muitss fazendas por di-
minuto preco : na ra do Crespo, n. 15, lo-
ja de Joaquim de Oliveira Maya Jnior.
- No recolhimento de Olinrta. vende-se
doceseccode caj, em libree a 480 rs. e sen-
do em porcSo sofera um agrado ao com-
prador.
f f w f mf *^f
{> Manteletes a 20;000 rs. -m
'2> Vendem-se manteletes preto e mo-*5
dernos, viudos de Franca, pulo dimi-
uto prego de 20,000 re.: na ra do
^Crespo, n. 9, loja de de JoSo Antonio^
?GomesCumsrael. ^
i *********************
Vende-se um cavello de boa figura-
que carrege bexo e mel : na ra da Auro-
ra, n. 44.
-- Vendem-se 12 escravos, sendo : uma
ptima mulalinha recolhida, de 14 annos,
que cose bem e engomme liso ; uma dita de
25 annos, de boa conducta ; uma negrinha
de 14 annos ; 4 escrevss mocas, de bonitas
figuras ; um lindo mulatinhode 10 annes ;
um pardo de 82 ennos j 3 escravos mocos de
bonitas figuras : ha ra llireita, n. 3.
Vende-se uma cabra ( bicho) boa leitei-
ra,e com duas crias : oa ra de S.-RIle,
n. 83. .
Na ra largado Bozario, n.22,
vendem-se 5 pardas que engommam, cosem
e cozinham ; um pardo de 18 anoos, muito
robusto, e que he proprio para pagem ; 3
mulatinhos de 3a 10 annos; um moleque
de 18 sanos, bom carreiro ; um preto de
35annos.de boa conducta, o que se afian-
uma negrinha de 14 annos, de lioda ll-
ura ; um dita de 18 annos, de naco An-
gola ; uma dita de 30 anuos, por 350,000
rs., boa cozioheira e muito deeembarace-
da para uma casa ; uma diia de 20 annos,
propria para o campo, por estar acostuma-
do a esse trabalho
Sapatos de lustro a 8oo rs. o par.
No Aterro-da-Boa-Vista, loja o. 58, de
JoSo Tiburcio da Silva CuimarSes, vendem
se sspstos de lustro cor alguma averie, pa-
ra meninas de 6 e 10 eflnos, e 800 rs. o par;
ditos bons' psra senhora, a 1,760 rs. o par:
be barato, e a porc&o he pequea.
Vende-se uma prela da Costa, do 16 a
18 annos, boe quitandeira, e que he propria
para todo o servio : na ru de S.-Amaro,
0.16 ,
Vendem-se vinte pipas com agtfarden-
te, casco de Lisboa, e de muito bom eulor:
na ra do Aragflo, n. 14, laberna.
N. 15.
hranco, a 80rs,; dito msseavado. a 60 rs.;
queijos botos, a 1,600 rs.; farinba do Ma-
rsnhSo, a 120 rs.; dita de eraruta, a 240
rs. ; vinho faltona em garrafas, muito bom
para doentes, pois de velbo j est branco,
a 560 rs. ; boa cerveja, a 160 e 240 rs. sem
casco ; azeitonas, a 320 rs. a garrafa : aflao-
se a bondade de todos estes gneros, pois
nflo se assustem porserem tSo barato, por-
que a vista faz f : ne ra Nova, B..71, "-
leroaao peda ponte, e defronte da Con-
ceiC'lo, n. 40. .
Cheguem a pechinha.
Vende-ae azeite de carrapato liquido, a
220 rs. a garrafa, e a caada a 1,600 rs. : na
esquina de S -Jos, n. 2. venda de 4 portas.
Vende-se, no Alerro-da-RoarVisla, n
37, loja de trastes, n.27, umjogode hen-
eas de Jacaranda, e urna cadeinnha em meio
uso, por prego commodo.
--Vende-se superior linhs de carrelel,
de 200 jardas, de 100, 120 e 150; sgulhas
corluguezas, propriss para alfaiate; ditas
francezas em caixas, de ns. 11, 12,13e14;
meias de linho para homem ; panno de li-
nho do Porlo ; franjas brancas e de cres, de
muilo bom gosto, proprias para cortinados;
babados do Porto psra loalhas ; o outros
mullos objerlos baratos: na ruado Cabu-
g, n. 12, loja de miudezas.
- Vende-se um sobrado de um andar, na
ra da Senzalla-Velha, n. 23 : na ru do Pas-
seio, o. 7, toja de fazendas.
Ao ultimo toro.
Vendem-se os aprectaveis
_Tfl_ilnriiT- do Chile, de abas
pequeas e copa baixa, chegados
recentemente do Hio-de-Janeiro :
na praca da Independencia, ns.
?4> a6 e 38.
Atteneao.
Vendem-se, aforam-se, jiu alugam-se
duas propiedades de casss terrees, sites na
cidsdede Olinds, uma na ra do Cabral,
com commodos sufilc-ientes para qualquer
ramili,tendo quintal e cacimba, rodeado
de muro, com eslrib.aria para 6 carelios, e a
outra na ra da Boa-llora : far-se-ha to-
do o negocio, em consequencia de seu do-
AGENCIA
da fundi^ao Lo^r-Moor,
MU 1>A BKNZAIXA-WOV1, 4-
Reste estabelecimeato conti-
na a haverum completo sorti-
mento de moendas e m ias moen-
da*, pira engenbo ; machinas de
vapor, c tachas de ferro batido
coado, de todoB os lmannos,
para dito.
- Vende-se um melhodo qussi novo pa-
ra piano, por tlenri Bertini; urna flauta de
bano, com 5 chaves de prata em bom uso :
na praca da Independencia, n. 14.
Vende-se um moinho de moer caio,
com todos os pertencos, proprio para rell-
rntcSo ; um braco de balance de Romo &
Compaohia, com conchase pesos ele 5 ar-
robes: tudpem muito bom estado : na ra
da Cruz, n. 36.
- Vende-se ums pedra marmore com 8
palmos decomprimentooSditosde largu-
ra emeio palmo de grosaura : na ru da
Praia, n. 55, typograpdia da v|uva Roma.
Sal do A.ssu.
Vende-se sal do Ass, a bordo do hiato
S.-Joi, fundesdo defronte do trapicheado
algodao, a tratar com mestre,
da Cruz, no Recife, n. 24.
Vende-e uma prete : na travessa
S.-Thereza, becco do l/>bsto, n. 4.
Pechincha para os i5i\rs.
metressapatro9.
Couro de lustro a 3,8oo rs. e be-
?erro francez a 3,ooo rs. a pelle.
JooTiborclo da Silva Cuimares, com
loja de calcado, no Aterro-da-Boa-Vista, n.
58, avisa aosSrs. mestros das ofilcinss do
sapateiro, que elle tem psrs vonder supe-
rior couro de lustro da melhor quelUado
que existe no mercado, e pelles grandes,
vindo ltimamente pela escuna auroro de
llamburgn, pelo baratissimo preco de 3,800
a pelle; bezerro francez, a 3.000 rs. a pe-
ou na ra
do
Ra da Cruz no Recife,
arniuEt'in.
Neste armazem existe venda um com-
pleto soitimento de cabos de Russia paleo-
te, de uma at 5 o meia pollegadas de gros-
sura, ese vendem em grandes e pequeas
porcas, por menor preco do que em outra
qualquer parte.
Yende-ss um preto da Costa, sadio : o
motivo por que se vende se dir so compra-
dor : na ra das Cruzes. n 9
Vendn-se um preto proprio para enge-
nho : na ra Dirella, n 14
Vendem-se caixas com mana novo, de
muito boa qulidade, e Chegado prxima-
mente, de 16a 26 libras cada uma, pelo
mdico preco de 1,200 rs. a libra : na rus
do Queimado, n. 65.
Xarope de Imbaiba composto e prepa-
tado pelo pharmaceuliro Jos da Cruz San-
os. Este xarope lem o niaior elogio na cr-
te do Rio de Janeiro, tanto pelos medicse
seus habitantes, como pelos effeitos que
produz nasmoleslias|squeheapplicedo;bem
como affelscSo do polmao, ihysieas pulmo-
nares, bronchite, catarros agudos o crni-
cos, coqueluxe, e outra molesliaa que por
rraqueza de estomago- e conslipacBo, pro-
duz a maior ruina no eorpo humano, tor-
nando desta forma incapaz de dirigir seus
trabalhos. Vende-so ne botica de Menor,
l.uiz de Abren, na praca da Doa-Visla, n. 32
na mesma botica se tende remedio contra
os embriagados, vindo do Rio de Janeiro, e
linturf de losna romana.|
Vende-se a fabrica de charutos do Ater-
ro-da-Ooa-VisU, n. S, sita em lugar hem
afreguezado : a tratar na mesma fabrica.
Moreira & Vellozo, com loja na ra
Nova. n. 8, annunciam para vender pelo
baratissimo preco de 2,000 rs. chapeos de
rosca coberto de oliado proprios para a
lacilo presente; tambem se vendem, na
mesma loja, sapatos de cordavao e fraoce-
MS a l 200 rs. o psr ; dito de couro de lus-
tros para senhors, a 9.000 r. ; spartilhos
de puro lmho guarnecidos de ballas, nao
esquecendo a Urge d frente, pelo preco
nunca visto de 6,000 rs. cada um : galhe-
teiros com4vidros-, a 2,500 rs. chapeos de
mina shertos para senhora, do varios precos
e de diferentes tamanho; ditos de peliuha
lindamente enfeilados para meninos e rae-
ninas ; franjas de varias crea muito pro-
prias pare enfeitar vestidos, a 320 a vara ;
maourde garca de multo boa qulidade e
de bonitos gostos, a 5,000 rs. ; as verda-
deirasluvaS de Irocal com dedos a 1,000 o
ditas de pelica para senhora e para no-
parle, e para conhecimento da verdade os
Srs. sspaleiros vSo ao mesmo estabeleci-
mento que a reconhecerSo.
Vendem-xe chapeo franeezes, de bo-
nitas frma emuilo finos, a 7.6O0, 8,000ie
9,000 rs.; ditos de palha amarella, a 4,ooo,
5,000 e 6,000 rs.; dilos para aenhora com
arrendedo de cabello ; ditos com arrenda-
do de fil branco ; ditos de palha para me-
ninas ; dilos de palha de Manilha para ho-
mem ; chapoa de sol, de seda com arma-
Co de ac e baleia ; ditos para senhoras o
meninas, a 2,000 rs.; ditos de panninho pa-
ra homem ; bonetes de panno para homem
e meninos; ditos de riscadinho pera in-
ditos de velludo do al-
' preto
nios, a 240 rs.
andar.
Quem quer comprar
Barato e bom
De ve a prove lar
A occasiflo.
Vendem se cortes de casia-chita
na, a a,000 rs. ; ditos de csmbiaii
mullo 11
com Hs-
iras equadros decores, a S.OoO. 2,500
3,000 rs. ; ditos de csrnbreia bordado d
par, diiaaoe penca para
men.; brxegu.ns, sapatos de lustro, ditos a Cp AftistaS
A m.rmnuim. tudo para aenhora; cha-|f\VI50 dOS OI\>. aiioao
peo de maca franeezes. vagido; zZ'~~y DctterOS
me. bonita frreas e boa pelucia, a 7,000
ra cada um ; penles de Urlaruga de mar-
rafa e cc ; lencos para grvalas ; apellas
de flores para noiva ; corles de sedas bran-
cas e de cores; esobreludo um [bollo sorli-
mento de perfumaras e deoutras razendas
mais que se protesta vender por precos mul-
lo resoaveia.
Altencao ao barato.
O fiado sahe caro.
Vende-se manteiga inglez, a 240. 400
40 rs ; dila franceza. a 500 rs.; banba,
320 rs. ; toucinho de Sanios, a 120 rs.: <
nermecetedo melhor, emcixinbas de 5 e
10 librea, ee relslho a 640 e 800 rs. ; ceva-
inhade Franca, a 160 rs. ; alelna, a 280
rs macarro, Ulharim .e macarronete, *
atb'ra. paios. a 240 is.; chourico, a 360
velas de carnauba, 320rs. ;cua uu-
- le, e em quarlos s 800 rs. ; e lodos m
no se querer retirar ps for. do imperio, aviamentos P" >*. ^ ^VuauuTr
por causs de molestis: quem pretender, di- por menos 10/. doque_em ouU.J^ualquor
rija-se ra do Cabral, na mesma casa n. 7,
a fallar com Antonio Joaquim Pereira da
Silva.
De patente a o,ooo rs.
Crandesortimento de chapeos de sol, de
patente inglez, pelo barato preco de 10,000
rs cada um, com hastess de baleia e de ac;
ditos mais pequeos para meninos ; dito
de seda prela, a 5,500 rs.; ditos de cres, a
8,000 rs; ditos de panninho, a 2,800 rs. ;
chapeos brancos de castor, palele inglez,
e de aba larga, a 12,000 rs ; ditos do aba
estrella, a 9,000 rs.; ditos franeezes, dos
nielhores, prova d'agos, a 8,000 rs.; Jilos
modernos, s 7,000 rs.; chapeos do Chile,
pelo baralo proco de 6,500, 7,500, 8,000 e
9,000 rs.; bem como um completo sorti-
nento do razendas finas e grossas.por mui-
to barato preco : na ra do Queimado, n. 27,
armazem de fezendaa, de Raymundo Car-
los Leite. -_J
Vendem-se escravos baratos,
como sejam : molecoles de boni-
tas figuras ; moleques, negras mo-
r;as e pretos de todo o servico :
na ra das Larangeiras, n. t4, se-
gundo andar.
Vende-se, por commodo preco, uma es-
crava que cozinha, lava e engomma liso :
no Aterro-darBoa-Vista, n. 4, primeiro an-
dar. O motivo da venda se dir ao com-
prador.
-- Vendem-se dous mo-
leques de 10 a 12 annos ; uma mulalinha,
que sabe cozinliar e engommar ; dous pre-
tos para todo o servico : a tratar no Hotel-
Francisco.
Na ra Direita, n. 32, vende-se um mo-
leque rrioulo, sem achaques.
Vendem-se os sobrados de dous an-
dares, em chaos proprios, sitos no paleo de
N. S. do Terco, que faz esquina para
co do Lobato : na ra Direita, n. 65.
AttencAo
Vendem-se chitas fine, a 160, 180 e 200
r*. o -covado ; riscados largos ero cassa. a
240 r.. ; meias para senhora, a 160 rs. ; di-
tas para meninas, a 300 rs.; pequeos len-
cos com bico,a 500 rs. ; ditos muilo gran-
des para cabeca, a 1,000 rs.; madapolSo de
vara de largura, muito fino e com 40 jardas,
a 8,500 rs. a peca ; algodao trancado de lis-
tras, encorpado e americano, a 200 rs. o co-
vado ; dito azul superior fazeada amerlca-
a 2Ors. o covsdo ; dito trsncado bran-
o, aSlOrs. a jarda em pecas; madspoiao
fino, a 3,800, 4,009, 4,800, 5,000 e 5,200 rs.;
meias americanas cruas e encorpadas, a
4,000 e 5,001 rs. a duzia ; riscadinhos ge-
novezes, muito finse proprios para roupa
do meninos, a 320 rs. o covado; lencos de
seda de excellentes padrees e muilo fios,
s 2,400 rs., alm destas fazendas ha um sor-
timento completo de hiendes de bom gos-
to que se venderllo por preco baratissimo
para se adiantar a venda das mesmss
ra do Collegio, n. 1, loja da estrella.
o bec-
godOo, a 480 rs.; chapeos de mermo preto
lino, a 6,500 rs.; ditos brsocos, a 7,000 rs..
na ra Nova, n. 2, atrs da matriz, loja ao
A. Colombier.
Potassa da Russia.
Vende-s superior potassa da Russia, da
mais p'iva que ha no mercado, por preco
commodo : na ruado Trapiche, n. 17.
\ rados de ferro.
Nafundico da Aurore, om S.-Amaro,
vendem-se arados de ferro do diverso mo-
delos.
I-arelo novo a 5,500 rs.
Vendem-se saccas grandes com 3 arro-
bas de fsrelo. Chegadas no ultimo navio
de llsmhurgo : n ru do Amorim, n. ,
casa de J. J. Tasso Jnior.
Taixas para engenho.
Na fundicao do ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
lo de teixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
luaes echam-se a venda por preco com-
tiodo e com promptidSo embarcm-se,
ou carregam-eem carros sem despozas ao
comprador.
A 8,000 rs. cada um.
Chales de seda grandes
e de bom gosto.
Na loja de GuimarSe & llenriques, na
ra do Crespo, n. 5, vendom-se chiles do
seda, grandes, de boto gosto o de bonitos
padrees, a 8,000 rs. cada um ; cortes de ca-
sera irs de cres, de muilo superiores pa-
drees, modernas, pelo barato preco a 6-0o
rs. cada crte; merin preto fino rrnce*' *
2,500rs. o covado; dito inglez, a 1,440 rs.
o covado.
Antigo deposito de cal
virgeni
na
Pa ra do Trapicbe, n. 17,
sa<
e
i
es-
cres, a 2,500 rs.; cortes de collete |de vel-
ludo, a 1,600 < 2,500 rs.; nitos de cd *
lorgurao.a 2,000 rs.; crte de casimir
"os s 5.0O0 r.; la e seda para vestido d.
e-nVr..'.W0rs. S cov.do ; WJ* J ^
Moreira 8c Vellozo,
acabam de recebero melhor e meis bello
couro de lustro que a esle mercado lem
vindo ; porque o tamanho das pelles e qu-
lidade do couro he tal que muilo deve agra-
dar eos Srs. mostree sapaleiro, pr me-
lhor servirem a seus freguezes ; o preco a
viste da qulidade ae dir, mas afianca-
seque ser* commodo e bem commodo : na
ra Nova, loja n. 8, onde se ende nica-
mente o dilo couro.
Deposito da fabrica de
rodos-os-Snitos na Baha
Vende-se em casa deN.O. Bicber & C.
aa roa da Cruz, n. 4, algodSo trancado
daqulla fabrica, muito proprio para saceos
dsassucsr, roup rl escravos e fio proprio
para redes de pescar, por prego muilo com-
modo.
ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Allencao.
Vende-se cera de carnauba em saceos de
5 arrobas psra cima ; sapatos do Aracaty,
muito superiores ; sola ; pelles do cabra .
tudo vindo ltimamente do Aracaty no
hiale /JuWdoso.o'por menos preco do que
em outra qualquer parte : Mjraa JM Ta-
noeiros, n. o, aiuitcui i mOE.55~-
gue eo Andrade.
Cdigo do commercio do impe-
rio, e compendio de pratita do
processo,
vende-so por 5.000 rs. na casa da residencia
do doutor Lourenco Trigo de Loureiro, na
ra da Saudade, defronte do Hospicio, e na
livraria da praca da Independencia, ns. 6
8; assim a segunda serie do indiee chrono-
logico da legislacSo brasileira de 1850, con-
lendo o cdigo de commercio do imperio
ltimamente sanecionado, como o novo
compendio de pratica do processo, obra in-
leresVanle por sua bretidadoe
quantos ae propem O offlcio de jolgar, ad-
yogar, ou procurar no foro. Nos mesmos lu-
gores continua-se a subscrever a 34,000 rs.
Jsrao ndice chronologico. explicativo
remias.'vo daleaislacflo brasileira de 1822a j
1848, cujo terceiro volume dere breromen-
te sabir a luz.



A 1,000 rs. o corte.
Na Injt n. 5, que faz esquina para a ru>
do CoJIepio, vendem-se cortes rom 3 cova-
doRe meia de brimde sleori.lo trancado di
listnsedequadro. pelo barato paeco d<
1,000 rs. cada um corte.
Vendem-se o alugam-se as melhores bi
chas hantburguezas que ha no mercado,
tanto em porcfln cpmu a retalho : na ra
das Crnzes, n. 40, taberna de Domingos da
Silva Campos.
AosSps. de rngenlio.
vendem-se cobertores escnros de algo-
dSo, proprios para- escravos, por aerem de
muitn dura^o, pelo diminuto preco de 640
rs. cada um ; na ra do Crespo, esquina
que volta para a cadeia.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa
de boa qualidade, em borriszinho-
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ba muito
trmpo se n|o vende; nc Recife.
ra da Cadeia, armazem n. 12.
As novas cansas sublimes
a i,240 rs. o corte.
Na loja de CuimarSes & Henriques, na
roa doCresto, n. 5, que fazrsquina para a
ra do Collegio, vendem-se novos cortes de
cas finas denominadas sublimes pela
SUS Ida qualidade e barato preco.
(.amiSre oes a 1,800 rs,
Vendcm-sc os bem acreditados cortes de
gamhreOes, a 1,800 c 2,000 rs. o corte de
calcas : fita fazenda torna-se recomrr.onda-
vel, ti nto poi siib qualidade como por ser
de muiU duracHo e de bonitos padrees : na
ra do Collegio, n. 1, loja.
Limos de agulha a 4o rs.
Vendem-se limas de agulha : na ra
Cadeia, loja de ferragen, de Antonio Joa-
quim Vidal; assim como rutrss ferragens
para ourjves. por preco enmmodo.
Chegaram novamente i ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patente inglez, para homem e senhora.
Vendem-se amarres oe *rro: na rb
da Scnzslla-Nova, n. 42.
Chitas lrancezas finas a
S20 rs. cada um covado.
Na ra do Crespo, n. 5, confronte ao ar-
co de ^-Antonio, vendem-se chitas france-
zas linas o de modernos padrOes anda nflo
vistos nesle mercado, pelo barato preco de
30 I* ctda um covado ; panno prelo, pelo
barato precode 1,600 rs. cada um covado-
neos de cambraia brincos e abertos pela'
belia, a 2,800 rs. cada urna duzia.
A 640 rs. o covado do al-
paca jireta fina.
Loja n. 5,
dcCuimaraesi Henriques, que faz esquina
para ra do Collegio, vende-se alpaca nrc-
Vendem-se sapntes de cou-
ro de lustro, pelo baratissimo pre-
co de a,5oo e 3,ooo rs. suporio-
res, e de ponto fixo, a 3,6oo e
l.ooo rs. ; ditos de bezerro fran-
cez, a a,5oors. ; dito9 broncos do
Aracaty : na ra da Cadeia do Re-
"ife., n.g.
Panno pardo fino a 4,000
rs. cada u meo va o.
Na loja da esquina da ra do Crespo, n 5,
vende-se panno fino pardo e cor de caf,
Jflo barato preco de 4,000 rs o covado;
lito preto e azul, < 3,000 rs. o covado, e de
"utras muitas cores e qualidades, por dimi-
nuto prer;o.
*o barato preco de 140
rs. o covado.
Na loja n. 5, de CuimarSes Henriques,
vendem-se chitas escuras, pelo diminuto
preco de 140 rs. o covado, e de outras mui-
s qualidades por diminuto preco.
Acaba de chegar
loja da ra do Crespo, n. 6, um
novo sortimento de fazendas ba-
ratos,
corro sejam : cassa-chitas muito fins, di
cores (xas e o m 4 palmos de largura
320 rs. o covado ; cortes de ditas a 2,000 c
2,400 rs ; riscado <\t> linho, a 240rs. o co-
vado ; dito de algodSo americano para es-
clavos, a 140 e 160 rs. o covado; dito mons-
tro com 4 palmos, a 20tt rs. ; zuarte azul, a
200 rs. o ro\do dito furta cores, a 200
rs. ; chitas de core fixase de bonitos pa-
drOf, alOeTSOrs. o covado; rrt.s de
fuslflo, a 600 ra. ; chales de larLtana, a
fc,280 rs. ; meros ditos, a 320 rs. ; coberto-
res de algodSo, a 640rs. ; alpaca (reta d
coniao e com sete palitos de largura, i
1,280 rs. o covado; e oulras muitas fazen-
das em conta.
= 4:
Quem admirar
venha ver e eamprar.
Na ra do Crespo, esquina que
volta para a cadeia.
vendem-se pannos pretos, a 3,000, 3,600 e
5,500 rs. o covado; dito azul, a 3,000 rs. ;
dito cor de rap, mullo superior, a 4,000 ra.;
cortes de casemiru prela, muito boa, a 3,200,
5,000 e 10,000 rs. ; ditos de selim de cores
para rllelos, 1,600 r.; ditos de gorgu-
ro, a 1,280 r.; ditos de brim branco de
linho para calcas, a 1.600 rs.; ditos de fus-
tflo para colletes, a 600 rs.; ditos de cassa
para vestido, de muito bom gosto, a 8,400
e 2.500 rs.; cortes de brlm amarello de po-
ro linho, a 1,600 rs.; cassa preta, 140 rs. o
covado ; ditaa de cores multo bonitas, a 200
e 280rs. alpaca preta de cordSo, com 7
palitos de largura, a 1,980 ra.. o covado,
sendo esta fazeiula muito propria para cal-
Cas, sobre-casacas e vestidos, por ser muito
forte econmica em rasOo da largura; ris-
Navaihas de patente.
Vendem-se navalhas finas de
patente parafazer barba ; estojos
completos de todos os ferros para
cirurgia, obra muito fina, por pre-
co commodo : na fu da Cruz, no
Kcife, n. 43, loja de Joaquim
Antonio Carneiro de Souza Aze-
vedo.
Bichas de Hanibmgo.
Vendem-se 89 verdadeiras bi-
chas de llambur'go, aos ceios e a
retalho : tambem se alugame v3o-
se applicar a quem precisar: na
ra da Cruz, no Kecife, n. 43, lo-
ja de Joaquim Antonio Carneiro,
cado de linho azulzinho 840 rs.'o cova-Jde Souza zevedo.
po; lencos de seda para grvala, a 1,2801 ^ ..^-..^
rs. ; ditos par. algibeira, a 1,280 rs. ; zar- g??f??f f fff f 0
te azul de vara de largura, a 200 rs. o cova-
do ; dito furia corea, a 200 r. ; riscado
monstro, a 200 rs.; picote muito encor-
pado, propriopara escravos, a 240 e 180 rs.
o covado ; riscado de algodSo americano, a
140 rs. o covatjo ; corle* de brim de listras
decores, a 1,000 rs.; ditos com lislra ao
Para se acabar.
- alpaca pre-
ta fina, ;ielo diminuto preco de 640 rs o
covado, preco este por que nui.ca se veudeu
l,i/i ndi! Igual.
I'arelo a 5,000 rs. a
sacc,
e o melhor que tem vindo a este mercado
na ra da Madre-de-lieos, armazem do Vi-
cente Ferreira da Costa.
mfVfftmfVfVVVfVV
* Vendem-se cortes de calcas de case"*
^miras de cores, padroeg modernos, ?
,.4,000 rs. o corte : na loja do sobrado?
^.amarello dos qualro-cantos da ra doi-
>Queirr.ado, n. 29.
*f**A**A%
lina doLiviamento, n.il
Vende-se calcado francez, sendo borze-
gums de fazendas de cores com biqueira d<
couro de lustro para meninos, e sapalo de
rturaque preto para senhora ; um par de
trincos com br libantes e um annellSo com
diamante.
- Vende-se. urna linda mocama de 13in-
nos.sem vicios oem achaques; 2 escravo-.
bast.nle robustos, que eiitendem de planla-
co-s. de sitio, bous orlelOes, um dos quaes
sabe tirar leite e botar canoa ; 2 pret.s boa'-
quitandciras ; 2 ditas de ser vico de casa m,
paleo da matriz de Santo-Antonio, sobra-
do, n. 4, segundo andar, se .dir quem
Deposito geral do superior ra-$
sopen
p Areia-I'rela da fibrjca
deCuntois l'ailbetck C. ,
na fia I '
I?
na cania,
-j lomingosAlveaMatheus, agente da2
^fabrica de rap superior Areia-I'rela da**
2Babia, tem abertu un, deposito na rna^
^da Cruz, no Rrcife, n. 52, primeiro ao-^
^dar, onde se achara sempro deste ex'i
'cellenteemais acreditado rap: ven-<3
0por pre^o commodo. Yj
--Vende-sa panno verde e azul muito su-
periores, prop ios para faldas: ua la do
Crespo, n 9, loja amarella.
Cha de San-Paulo.
Vendc-se lico cha de San-Paulo, a 2 240
r. a libra : to paleo do Collegio, casa' i..
lro;azul.
Pcchincha
-para os amadores da &anta
economa.
Vendem-se superiores pannos finos da
melhor qualidade que lem apparecido (pro-
va de lin 3o)crde caf, a 4 e 5,000 ra. o
covado ; dito azul, a 3,500 e 5 000 rs. ; dilo
prc-to, a 5, 6, 6,500, 7, 7,500 e 8,0o0 rs.
qualquer deslas qualidades he a melhor
possivel; cortes de casemira de cores mui-
to tinas, a 4,5, 5,500, 6 e 6,500 rs.; ditos de
meia casemirasde Illa, de bonitos padrOes
a 1,600, 2. 3 e 3,500 rs. ; casimira encarna-
da muito tina, a 1,800 rs. o covado; cha-
peos de massH francezes, do ultimo gosto, a
6,500 e 7,(00 rs. ; selim prelo macao rrui-
(o lino, par collele, a 2>00, 3 e 3,500 rs o
covaxlo ; camisas de meia muito linas, a
1,280 rs.; alpaca preta fina, a 610, 800 a
1.000 rs. o covado; riinccza preta, a 800 rs.
chales de 19a de superior qualidade, a 1,6l
2,500 e 3,500 rs.; cassa de ramegem gran-
de e de vara de lisura, superior fazenda
para cortinados, a 700 e 800 rs. a vara : to-
das estas fazendas sflo de superior qualida-
de o vendem-se por estes precos para se
acabarem : na ru* do follegio, n. 1, loja di
eslrrlia.
C9 $&# ft tf 4>9
A TDIICA. ,?
W Cbegaram os muilo procurados cr-#
fctes de tapete para sapalos, tendogran-(
W vanedade de goslt s : vendem-se na*
loja do sobrado amarello, nos quatro-t>
cautos da ra do Quelmado, n. 29 0
* C
Tecidos de algodSo irap-
c.tdo da fabrica de To-
dos-ns-Santos.
Xa ra da i;ad a, n. ii,
'Ondeni-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e rouua d(
escravos.
Moend s superiores.
Nafundicfiode C. Starr A Companhia
oinS.-Amaro, acham-sea venda moenda
le caima, loJas de ferro, de um modelo e
cjistrurcflo muito superior.
Chopos de sol.
Vendem-se chapoa de sol, de se'da pret-
com barra lavraua, a 6,000 rs. ; dilos furlaa
coi es, a 6,500 r*.: estes chapeos s3o mui-
lo boui construidos, muito fortes e de boa
seda: na ra do l'anseio, o. 5, fabric* de
chapeos de sol.
Ol! que pi i hincha !
Fazendas protas por precos nunca vistos
om atteneflo a boa qualidade deltas.
Alpaca de cordfio que parece barragana
de lodas as cores, a 640 rs. ; sarja de 1,1a (|r
las larguras, a 610 rs. ; merinos, a 1600
2,000, 3,000 e 4,000 rs.; panno prelo Hno '
3,000, 3,800, 4,000, 5,00) 6,000 e 8 (X u rs
este he panno o mais fino que se pode ima-
ginare tem de largura 60 pollegadas ; luvas
pelas de seda para senhora, a 320 rs o par
h aluda resta una porcSo.de pecas de'csss
lisa lina, com 12 jardas, a 2,500 rs. r
ten dobradefraalgum sujo: no Aterro-
120
llitiporcto de finas cassas, francezas de
4 palazos e rneio de largun, de Irslras aznes
eencariidas, coro flores de lodag as cores
goSlbl muito bonitos e modernos : estas
caisas foram arrematadas em leilo, por is-
s'i ;e vriidem pela metade de seu valor di-
iihojro a vista, a 240 r. cada um covado'
ns rus do Cfcapo, u. H, loja de Jos Fran-
cisco Das.
VenJe-sea armacAoda loja n. 56 da
ra DireiU desta cidade, propria para qual-
qucreilabelecimenlo. M
da-Roa-Vista, n- 18
Vtiidem-se riscados francezes, a
rs. o COVado: nannn nroln jjjjj
chales de 13a abarlos, a'i ,600 rs. ; 'corles de'
vestidos do laozmha, a 3,800 rs. ; cortes de
calcas d brim trancado branco militar
muiloencorpado.a 1,800 rs.: na ra do
Queimado, n. 5, loja.
fiap Paulo-Coideiro :
vende-se na ra da Cadeia, n 92, segundo
andar; ra do Cabuga, loja do Uuarte; no
Atrro-da-Boi-Visla, loja do Eslima.
Vinho de oaj
fabriodo ha qoalroannos : no ecire, ra
Jo Azeite-de-l'eixe, armazem n. 5.
INa loja de seis portas do
paleo do Livramento, vende-se
panno de coqueiro, a 3,aoo rs. a
peca, ea 240 rs. avara.
-- Vende.n-se, por precn commodo, o
: ni ra das Crutes, n. 19
Papel pautado paia musiea.
sicaed,uner.P*PelrP!l|l"80U1i,nu para m-|cn*0eeom l" habfliides;
lado, a 1,280 lf. ; ditos escuro, a 1,280
rs.; pecas de chilar muito bonitan, a 5,500
rs. ; ditas escura decores fixas pon casa ,
a 160 e 1X0 rs. o covado ; chales.de tarlata-
na, a r,280 rs. ; melos dilos escuros, a 3J0
'S. ; lotices de rasa para grvala, a 320 rs.;
meias para meninos, a 100 rs. o par; ditas
muflo superiores para senhora, a 400 rs.;
lencos peqnerosde 18a com tres ponas pa-
a escravos, a 140 rs.; cassa de xadrez para
vestido a 320 rs. o covado; pecas de cam-
bra ia lisa com 8 varas e meia, a 2,700 rs
dita muito lina, a 640 o 720 rs. a vara ; cha-
peos de sol, de panninho cm hastes de ba-
Icia. multo bous a 2,000 rs.; e outras mul-
ls fazendas baratas que a vista do* com-
pradores se farSo os precos.
Panno couro a I.SOO e
1,300 rs.
Vendem-se corle da excedente fazenda
denominada punno couro, a 1,200 e 1,300
r. o corte de calcas : esla fazenda he mullo
encorpad, escura e de muita duracBo: na
rua do Collegio, n. 1, loja.
Os amigos riscados moas-
tros a UNO rs. o covado.
Na loja de CuimarSes dt Henriques, ven-
dem-se os anligos liscados monstros, de 5
palmos de largura, e de padrOes novo, a
80 rs. o covado ; riscados california, de co-
res Imas e muilotncorpado, e tambem de
cores escuras, pelo barato preco de 200 rs.
o covado.
Fazendas baratas.
No armazem de fazendas, de Riymundo
Cario l.eite, na rua do Quemado, n. 27, ha
um bello sortimento de fazendas de lodas
as qualidades, por os precos mais comino-
dos que se teem vendido, a saber pecas de
madspolo da India, com 24 jardas, muilo
fino, a 3,200 rs.; dilo muito fino e encorpa-
do, com 4 palmo c meio de largura, muilo
propriopara camisas de eserivos por ser de
muita duraeflo, a 3,600 r ; alpaca de cor-
dSo, de lindo gosto, e de diversa p6res,
proprio psra palitos, casacas e cale, a 80o
rs. o covado ; dita prela muito fin, 1 800
r.; ptimo riscado francez de varia cores,
a 280 rs. o covado ; corte de hrim pardo
oara caigas, i,400 r. ; dilos de quadros
uiiudos, muito bonitos, a 1,000 rs. ; risca-
do monstro, 910 rs o covado; corles de chi-
ta chineza, gosto escolhido, a 3,500 rs. ;
atualliaV enirauca io corn 7 palmos e meo
de largura, a 800 rs a vara.
A 1,000 rs. o coi te de
Calv.s.
Vendem-se brins trancados de
listras aolado, dos mais moder-
nos padr5es, tendo tambem cor
Je ganga, a 1,000 rs o corte de
caifas: na rua do Queimado, n.
H, li'j ironlronii: a botica.
Vende-M om bonito moleqoe de 20
anuos, que cozinha o diario de urna casa,
pelo preco de T0.000 rs. ; lodos o diss de
meio-dia emdianie: na rua larga do Roz-
rlo, n. 48, primeiro andar.
Com l palmos de largu-
ra o novo ulgoddo mons-
tto trancado cifoi nii.
Na loja confronte ao arco de S.-Autonio,
n 5, veude-se o novo algodilo monstro tnu-
Cido, com 8 palmos de largura, pelo barato
I recode 800 r. a vara.
No armazem de Joaquim da
Silva- Lopes, vende-se farefo, a
3,ooo rs. a saces,e farinha de tri-
go franceza da marca fiaro, por
pref o commodo.
*t'll.i-u vaiaiO
Para aa acabar
Sapatoa lt> Aracaty
A oitu ceios ris o par.
Na ruad Cruz, n. 56, taberna de Mendes
t Braga, vendeaj superiores sapalo* do
Araealy,eelo diminuto preco de 800 rs. par;
cen de rarnabi em porfBo e a retalbo;
esleir e chapeo da palhasola e courinhos
de cabra : tuuo por menos preco do que em
ulra qualquer parle.
Na ru da Cadek-Verha, n. 17,
loj. de miudezas,
vende-se froco lino grosso de todas ased-
res, por piuco teirascom agulhase agulhetas de lodos os
nuiueros e do superior qualidade; calas
par phoiphoios muito jocosa.
-Vende-aeurn coeiro de casemtr* IBor-
dado, muito rico: no Alerro-J-no--v,.i.
11, 78, loja.
- Venu-euma'pret de nicSo, de 21
onos, quecftzinha bom, engomma, cose
" in e I
guo-
>

a>
>
>
i>
> lpica
u.ooo
i
i-
Na loja do aobrtdo amarello, nos
quatro cantos da rua do Quemado,
n. 89, vendem-se
Chapeos francezes de forma
moderna
Cortes de cale* de casemira
de padrOes escnros
Ditos de dito modernos
Ditos de colletn de gorgurSo
de sed bordados
Ditos de setim de core bor-
dados
mesclada propria*
5,000
6,000
5,000-
7,000
para poiiu'oia 6 p.i, u
covado 720
Merino preto muilo lino, o co- *
vida 3,200
Dito verde e cor de caf, pro-
prio para vestido de monta-
1 ia, o covado 2,500
5- Lencos de seda de cores pan
gravad 800
*> Cortes de colleto de varias fi-
Sh. z'erda 800 e 1,000
K oulras muitas fazendas fina, co-
mo sejam : panno preto de 3,500 a
11,000 rs o covado; ditos de cores ;
casemira preta elstica ; selim pre-
to de Maco ; chales e manta de in-
da; corteada vestidos de seda de co-
re e branco ; esguiSo linissimo ;
meiase luvs de sed para senhora :
ludo porpreco muilo commodo.



*

*
m

i
liara tissimo.
Vendem-se chapeos de palha
ile carnauba j sapitos do Aracaiy
o rasqueiras de superior genebVa
da Hollanda, por prego commodo:
a fallar com Antonio Joaquim Vi-
dalfic Companhia.
Vende-se urna" porco de travs de 4o
palmos e 8 a 9 pollegadas de groasura, das
melhores qualidades que se pdem eucon-
traroo mercado, porpreco commodo em
Fra-de-I'orU, ru do Brum, 1 fallar cum
9 Pires. "
A ultima moda.
i
OUAAkkMo
Atoalhado de linho de
California com (ijml-
mos de l.irgiira.
Na loja de GuiTirdesi Henriques, na rui
do Crespo, n. 5, vende-seo novo sloilhido
california de puro linho e com 6 palmos de
largura, pelo barato preco de 1,120 rs. ; as-
sim como ha de 5 palmo de largura, a 1,000
'. a vara.
Xa loja de seis portas
enfrente da igreja de N. S. do l.ivrameiHo,
vendem-se chitas, a 120,140, 160, 180 e 900
r. o covado, e muito linaa, a 210 rs. ; algo-
dSo monstro para toalhas e lences, 800
rs. ; chale de chita 1 ara meninas, a 900 rs.;
alpaca de algodSo para palitos a 160 rs, o
covado '; frtnklim prelo, a 480rs.; sarja de
ISa com duas larguras, a 800 is. o covado :
alpaca prela, a 640 rs. o covado ; e lodag a
mais fazendas porpreco a convidara trocar
cdulas para enroupar familia.
Salsa-parrilha de Sands
para remover e curar radicalii.enle todas Is
enfermidad.es que procedem ds impureza
do sangue, ou habito do syatema.
Esla medicina est o, erando constante-
mente curas qussi incriveis, de molestias
que procedera da impureza do sangue. A
infeliz viclima d molestia hereditarias
com glndulas indiadas, ervos encollii-
dos, eosossos meios arruinado, ficou re-
tabilecida com toda sua side e frcas. O
doenle escrofuloso, coberto de chagas, cau-
sando noio si mesmo, e a quem o servia,
ficou perfeilo. Centenares de pessoss quo
tinbam olTrido ( por nnos, 1 poato dp
desesperarem da sua sorte) molestias cu-
tanees, glndulas, iheumatismo chronico
muitas outras enfermldade procedentes
do desarranjodosorgSos de seerecSo e da
cirtulacfio, leem-se erguido quasi milagro-
samente do leito da morle, e boje, com
conslituicOes regeneradas, com prazer at-
iestan) a eUlcacia deata inestmavel preoa-
racSo. r "^
Comquanto tenham apparecido graneles
curas al aqui produzida pelo usu desta
eslimavel medicina, comtudo a experiencia
diaria aprsenla resultados maia notavels
New-Vork, 22 de abril de 1848..
Sr. A. B. e D. Sands. Julgando ser
uro dever para com voco o para com o pu-
blico em geral,jomello-vos este certificado
daa grandes virtudes da vossa silsi-parri-
Ihi, pin que oulrus que hoja esiSo sf-
frendo eslabelefam melhor 1 sua confianca
e Tacam sem demora uso da vossa'med-
clin.
Vi-me perseguido com urna grande fe-
ria no 101 nozeio, que e eiienan pela ci-
nell acimi al o joelho, lanciva grande
poreflo de nojenla materia, com comichOes
quo me privivam mullas nuiles do me des
Para roupinhos de vellido velludo*
y^deedre, conforme o* ultimo flguri-S
nllos: end<-senrtido Crespo, n 9,2
^lojn amarella.
99
He muito barato.
Bretanha monstro.
Vende-se bretanha monstro, muito fina,
de quatro palmos e mel de largura, pelo
barato preco de 940 rs. 1 vara; esgoiSo de
aigouH), peca de 10 var-s, a 3,200 '; ris-
cados azues de puro linho par jaquetas,
400 rs. o covado; chilas roxa* linas e de
cores milo lixas, com um toque de mofo,
pelo barato preco de 160 rs. o covado ; ris-
cado ile algodilo de listras trancadas, faion-
da muito lina o com quatro palmos de lar-
gura, 200 r. p covado : ua rua do Creftio,
n. 14, loja de fbg Foincisro Pi,______
Escravos Fgidos.
Fugio.'nodia 7 do correte, o prelo
lacintho. do na(So Gabfio, representa 40 an-
uos, de altura regular, con, ful, ievou so-
bre-essici de riscado e chapeo de palha :
quem o pegar levn-o 4 rua Nova, n. 16, lo-
ja de ferragens, quesera recompensado.
Fugio, do engenho S.-Francisco, de
SerinhSem, nodia 17 de junho, o escravo
liento, de cor acabralbada, de 22 anuos,
rosto comprido, cabellos e olho prelo, na-
riz e bocea regulref e brbdo: quem o
pegar leve-o Camhoa-do-Carmo, n. 33, a
Silverio Joaquim Marlins dos Santos, ou ao
dito engenho que sera gratificado.
Fugio, no ilia 4 do corrnite, a escrava
Justina, pertencente sos solirinhos e berdei-
ro do finado padre Braz Uanoel Machado,
suppOe-se ter ido par Corabira; he de al-
tura regular, cor fula, secca do corpo ; Ie-
vou vestido de chita prela e panno da Cot-
ia : quero a pegar leve-a rua da Concor-
dia, casada iiiventarlante, Carolina Flora.
canso, e cram tzuito penosas de suppor-
* O 8r. iogo U. Connel, que harta dJo
curado com vossa snlsa-parrilha, recqm-
mendou-uieque eulizesse uso della, o Ue-
poi de haver lomado cinco garrafas liauei
torfoilailiente Curado. T
Tenfio demorado um anno mandar-vos
umceitilicado, para reponhecer com er-
leza sea cuia era pe. mancille, e tendo afio-
raamaiorsaliffit8oem declarar que To
lenho visto, nem sentido cousialeum Ju-
nte todo este lempo, e cho-me perfiit-
meute restabelectdo. Sou vos, ele.
SaraA M. tire. >
M 2*0, ru Delncey.
NeiU provincia o nico agctitc deste ft.i-
raviilioo remedio he Vic,nte,Jo de Unto
com botica 111 ru d* Cadeia do Kecife. '
Vende-se leite puo, a too
I rs. agarrafa : na rua da Concei-
c2o da Boa-Vista, n. a8.
AllcncJio.
Desappareceu, nodia 3o de ju-
nho prximo findo, escrava Ge-
trodes, crioula, de4 annos, bai-
xa, cheia do corpo, seio pequeo ;
tem una falta de' dmles na frente,
e um dedo da mao esquerda cor-
lado pelo nicio, o que ella faz mui-
to por oceultar; lie muito ladina,
at de illndir a qualquer pessoa
que a nSo conhecer j be muilo co-
nhecida principalmente na rua l)i-
reita ; julga-se que esteja oceulta
em alguina casa, o que se proce-
der com todo rigor da lei con-
tra quem a liver occulla. Rogl-se
as autoridades policiaes e capitaes
de campo, que a aprehendam le-
vem-naarua Direita, n. 34, que
sero gratificados.
5o,000 rs. de gratiftcaiflto
a quem pegar 1 preta Seria Joqoina, de
30 a 40 annos, que fugio no di 11 de abril,
de nacSo Congo, baia, gorda, cor retinta,
bexigosa.olhos pequeos; lem em urha da
face um signal de carne ; be bastante ar-
diloia, por isse he capaz de illudir qual-
3uer pesso que nSo eoulrec ; sabe lo-
as as povoacOes da provincia, por ter an-
dado a vender miudezas pelo mallo -com
urna crioula de nome Felictdade, de quem
fol escrv ; talvez sua fug ande encuber-
ta com o negocio de vender roiudez, poil
j de nutra vez que fugio andava venden-
do-*, e assim mal enlosa de ser pegada.
Iloga-se as autoridades poticlae e capitSes
decampo, que apprehendam e levem-na
a ruados Quartei, n, 29, ou O prata da
Independencia, n. 1T.
5 d junho de i85o.
Fugio, da villa do Bonito^ o escravo Lou-
venco, ciioulo, baixo e corpulento, de cOr
nem muito prela nem fula ; tem falta de
unlias em todos os dedos do p, por cau-
sa de bichos que love em pequeo, car
redonda, de 90 annos: quem o pegar leve-o
o yigarioda dita villa, o padre Manoel de
Urdo Falcan M ou na ru d Cideii do
llecife; n 24, loja de cimbio di viuva Viei-
ra v j-UUf, quesegraliUcar.
Fugio, do engonbo novo do Cabo, no
da -27 de junho, um preto crioulo, olllcial
do carpina, de neme l.uii dos Santos, de 24
nnos, alto, corpo regular, urelhaa peque-
as, a mao e res bastantes grande, n3o
tem barba ; he bastante carrancudo : quem
o pegar levo-o ao dito engenho, que ser
recompensado.
Fugio, do engenho novo do Gato, ha
deu rueze pouco mala ou menos, um
prela crioula, denome Anna, de' 18 annos,
alta, magra, com os beico rotos, nariz
pequeo, chalo e com i venias aareeara-
Ja ; foi vina para as bandas da Muribeca,
no engenho Penanduba a nesle Recifr -
quem 1 pegar leve-i 10 dito engenho, que
er recompensado. -i '
-- Fugio, do engenho aove do Cabo, dea-
de janano do crreme anuo, o molcqua be-
nedicto, Crioulo. rnir. principios ue i-afre-
ro, alio, nariz bastante chalo, eom falla de
dente na frente, psgrande : quemo pe-
ar leve-o o dito enguie, que ser4 re-
cosapeusado.
^^^^^BaeHl B^a^B^B^BaeHBH
Pvbii. : na m. db m. t. Binau. 1840-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E93X1AFIC_BNA580 INGEST_TIME 2013-04-26T22:48:02Z PACKAGE AA00011611_07506
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES