Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07505


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno.XXVI
Ter^a-felra 9
PAUTIDAB POB MOMIOS.
Golanna e Patahlba, segundas esextas felraa.
Mo-Orande-dn-tlorte, quintas feiras ao melo-
da.
CaboK8erlnhm^Rlo-Fornioo, Porto-Calvo
e Macelo, nol., a II, e 21 cada me.
Garaohumi e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-VItU e Plore!, a 13 e 28.
Viciarla, i*quintal i'eiraa.
Olinda, todoa os dias.
MInf. a 2, s 3 h. a38 m. da t.
nova a 9. ios 7m. da t.
fresca 16, a4 h.el2m. da m.
Chela a 21, s 3 h. e 4 m. da m.
WMH KM.
Primelra ai 4 e 30 minutos da tarde.
Segunda ai 4 e M minutos da manhaa.
d Jolho de Ift&O.
l. ISto

apo* za osMoaiplp.
Partresmexes(a Porselsmexes VMOl ,
Por un anno l{0tJI4_poin. S. Hoaventura;
DA* >1 IBUU,
8 Seg. S. I'rocopio. Aud. do J. dos orf. em 1. v
9 Tere. Cyrllo. Aud. do chae, do J.dal.v.
do civ. e do dos feltos da fazenda.
10 Quart. S. Januario. Aud. do J. da 2. v. do clvel.
11 Quiut. S. Sabino. Aud. do 1. dos or. edom.
12 Sext. S. Joo Gualberto. Aud. doJ. da 1.v.
do eir e do dos (ellos da faienda.
oimuoa tal i HUMO.
Sobre Londres. W/.aS? d. por 1/WOra. a 80 dias.
. Pars, 346.
Lisboa, 105 por oeste.
(Jaro.Oncas hespanhoes.........
Moedasde6/i00velhas..
. de 6/400 novas..
de 4/000...........
frala.Patacdea braailelros......
Pesos eolumnarios.......
Ditos mexicanos..........
Usa
29*500
16/500
16/100
9/100
1/980
1/980
1/820
PARTE OFFICIAL.
"' 19 I
GOVERNO DA PROVINCIA.
LE N. *B.
Jos Ildefonso de Souza Ramos, presi-
dente di provincia de Pernambueo. Faco
saber a todos o* seos habitantes que a as-
serobls legislilivs provincial rasolveu, e
eu sanecionei a Iei seguinte :
Artigo nico. 0 professor de primeiras
letras de l'ouUs-dc-Pedras, Jos Francisco
deSouza, tem diroito s perceber a grstii-
cacilo annual do artigo 10 da Iei de 15 de
outubro de 1887.
Ficam revogadis as dispusieres em con-
trario.
Mando, portento, n todas as autoridades
quem n conhccimenloe execugflo da refe-
rida Iei pertencer que a cumpram e fa-
cam ciinipiii lio inioiiiiiinc como nellai
secnntm., Osecretario interino da pro-i
vsete a faca imprimir, publicar e correr, j
Cidade do Iteoife de Pernambueo, ao-pri-
meiro de julho de 1850, vigesimo-nono da
independencia e do imperio.
L. &. Joti lldtfomo de Sonsa Ramas
Coria de Iei pela qual T. Exc. mando
exentar s rnalucio da tiitemblt* legislativa
provincial, que sanecionou, declarando que o
professor de primeirat letras dt Ponlot-de-
Vedrae Jote Francisco di Souza, tem direito a
ptrceber a gruitfiracdo anttmal do artigo 10 da
ti deiS di outubro de 1827-
l'ars V. Exc. ver.
Manoel iot Martn Ribeiro a fez.
Reliada e publicada ursta secretrria d
provinci de 1'srosmbucQ, a 3 de julbo de
1850.
Antomie Franeisee Pereira deCartedho.
Registrada a fl. do livro segundo de leis
provinciies. Secretaria do govrruo do Per-
nambueo, 5 de julho de 1580.
Jodo Polyearpt das Sanios Campos.
'' *
EXPEDIENT DO 1)1 A 17 DE JUNHO.
Ollicio.Ao commandsnte das armas, io-
teirsnlo de ler S. N. o Impersdor, segundo
foi declarado em aviso O ministerio <1'
guerra de i de miio ultimo, nomeado com-
mandante da fortaleza do Buraco dest* pro-
vincia au capillo graduido do estado-maior
da s-gimda rlasse Salvador Coelho Drumood
e Albuquerque. lntelligenciou-se so ins-
pector da pigsdoris militar.
Dito Ao mesmo, declarando que licsm
expedidas as convenientes ordens n.1o so
psrs ser transportado para o Cear no pri-
meiro vapor que tier do sul o msjor do eor-
po lito da.iuella provincia Jos da Silva Gui-
mirSes, mas tambem para se lhe passsr guia
rom as deelarscOee que forero n'ecessarias
aflm de ler lugar o ibooo da preslacSo meo- ^"T^'^'o
ssl de 30.000 rs. qt>e eHe quer consignar 5JT.0:IP?0!!1"
aqu do i.d* jolho prximoTindooToern IW
di.nte a eeuWho Arribo Juatini.no da Sil- >
va Cu imaraes.--Nesle sentido expedinm-se
as convenientes ordena.
Dito.Ao mesmo. enviando, para lhe dar
a dcvlda execuclo, copia do decreto de 6 de
abril ultisno, pelo qual M. o Imperador
dignara-sa de perdoar ao segundo eadete do
segundo biialbaode arlilharia a p llercu-
Isho Maciel da Silva o crime de deserefio que
commetteu.
Rilo.Ao director do lyceu, inteirando-o
de haver concedido ao professor de primei-
ras tottraa- da fregunzia de Paparaca JoSo
Braulio Correa a-Silva a remoeflo por lie
pedida para a cadewa vaga da Bezerros
Fizeram-s i as commuMieatjOes do ostylo.
Ditoso mesmo, icienlifieando-ode que,
segundo foi declarado pela cmara munici-
pal da Po-d'-AHio oni ollicio de 5 do cor-
rento, o srotescor de primeiras ledras da-
quella villa, porseaahar cam licenca con-
cedid por asta svea4da>sicia, fara subatituido
inlerinaiHenle pelo cidadao Francisco Joa-
qun) Pidilha.
lloAo inspector da thesourarn da fa-
zenda provincial pa-a qua mande adianlsr
maii ao rogeoheiro H. A, Milet chefe Ja ler-
reira scelo das obras publicaa a qusnlia de
2:000,00* rs. para conlinuacflo das obrss do
desimo-totimo lanto da estrada da Victo-
ria ScUstiflcou-ae oengenheno director
das obraa publicas.
Hilo.ao mesmo, pirs mandir adianlar
ao rogenheiro chefe da terceira seceso das
obras publicaa II. A. Milet a qoanlia de rs.
405,750pri que elle possa fazercobrir par-
lo iiw larros do sexto Isneo da estrsds da
Victoria com urna carnada de arela da uat
K.l- J-- !.. .liirTaonrmi.Haa A mm
gntjeirodrrctor da obras publicas.
D'to. Ao mesmo, ordenando que faca no-
vo adiantamenlo ao engenheiro H. A. ilile
par* conlinuaeSo doa reparos urgentes d
estrada da Viclnri visto achar-sa quasi ea-
la a quanlia de 500,000 ra. que se mas-
ar so mesmo engenheiro para
jmiiiunicou-se ao engenheiro
publicas.
neindo supplantei de juir
mu >>* do lermo de Tacara
tt'i oa cidaJ;
Dita. Ordenando ao commandante do
brigue Calltope que receba a seu bordo e
transporte pin a llhs de Fernando a serem
entregues ao respectivo commandante os
sentenciados de Justina mencionados ni no-
ta que remelte, oa qmes lhe serKo mandados
presentar opportuoamente pelojuiz mu-
nicipal da primeiri vara destrcidade.
Kola a que se refere o oficio cima.
h *. Joaquim Antonio da Silva
9. Antonio l.uiz (oncalve Viinsa
8. Joaquim Jos6 Ribeiro
4. Joaquim Martina
5. Jos Leandio Barbosa
6. Pedro Al ves Monteiro
7. Antonio Jos da Silva
Os pretos Franeiaco e Joe.Neste sentido
ofJJcinu-se ao commandante da mesma ilhi
eao juiz municipal da primelra vara.
CmiiiiindG das arsaas.
Quartel general na'.cidade do Recife, 29 de
junko de 1850.
ORDEM DO DA N. 50
0 Sr. marechal de cimpo graduado Anto-
aio Corroa Sera, commindinte das ar-
mas desia provincia, em communicacies
recebidas di presidencia em diversas ditis,
manda publicar para conhecimenteda guar-
nilo e dos convenientes:
1. QueS M. o Imperador bouve por bem,
por decreto de 40 de marco desle anno, se-
gundo foi declarado em eviso de 8 de ibrii
exped lo pels rapsrtico dos negocios d
guerra,conceder pesseger para o corpo fiso
da provincia do Ceara ao 8r. major do se-
gundo batilhlo de cicadores Jos da Silva
Cuimarfies, e pira o terceiro de fuzileiros,
ao Sr. ilferes do quinto da ssesma arma
Luiz Jos Ferreira;
8.' Que por decreto de 15 do dito mez de
marco, foi o mesmo augusto8enhor servido
conceder a demissSo que pedir o reveren
do rei Antonio do Amor Divino do lagar de
oapellSo do quinto bilalhao de cicadores,
aegundo foi declarado em aviso lambem da-
tado de 8 de abril;
3. Que S. M. o Imperador se dignan por
ca de estar intimamente convencido, se-
gundo as informarles queobtivara, que a
desi*za do documento n. 5 no he a que
justamente fez o fiscal, havia nella excesso ;
sendo que o fiscal era. demasiadamente le-
viano em procurar um pretexto to frivolo
e desairoso A sua conducta, para pedir de-
misiBo ; e que portento espenva que a c-
mara concedesse-lhe a demissSo pedida,e
assenlindo a cmara is judcmsaa rellexoes
do dito vereador, demittioo fiscal, e man-
dou lhe exprobrar o procedimenlo inslito
que havia tido. accressenlando que por de-
masiada condescendencia tinha elle sido
conservado em referido emprego.
0 Sr. vereador Henriques da Silva fez a se-
guinte proposta, que foi apprcvada.
Propooho pira fiscal do l'oco-da-I'anella
a Joaquim Tavares RoJuvsIbo. --Henriques
da Silva.
Foi lido a spprovado um parecer da com-
-,|..InH dilleacao. opinando, nno in-
formasse favoravemenle io governo da pro-
vineii os requerimentos de Antonio da Sil-
va Ferreira e Joaquim Flix Machado, em
que peden ttulos de terreno de marinba da
que estSo de posse.
Foi lambem lido e spprovado outro pare-
cer da commisiSo de petiefles relstivamen-
(eao imposto de 20 por cenlo de agurden-
le de produccSo brasileira, e no sentido
ilelle mandou-se oIBciar ao governo da pro-
F.m consequeocia das rellexOes feitas pelo
Sr. vereador presidente, deliberou a cmara
que se contiaussse a fszer a limpeza das
ras da cida le, levando-se esta despezs a
quota dss eventuaes.
Mandou-se communicar so procurador e
contador.
Foi recolhido io cofre municipal pelos
clavicularlos do mesmo a quantia de ris
10:591,330 que havia sido delle tirada, sen-
do em notas 4;120,0O0 rs., e em lettraa ris
:474.S30 ; a sabir, duas iceltis por Antonio
Goncilves de Moraes, arrematante do im-
posto ds afericiio da quanlia de 3:900,500
ra. cada urna ; duis aceilaa por Belarmino
Altea de Arocha. arrematante da laxa das
medidas de farinha, no vilor de 200,000 rs.
cada urna e duaa de Joaquim Fernamles de
estrada
t; Francisco BernaMs4ja Arauja
i. Manoal PiresdeCs.v.l v
3. Francisco David de Si
4. Mewosn Xatiej de Si
6. Francisco David Comes de SaEspe-
dii'am-se as couveaicntes eommunisjscom
Dita.-Numeando subdelegado do safan-
do diaUiCi d fregOZia uo TrCUilitiein a
Joi* Marques sasalbio. a arsuaiin waslen*
te desle a Alexsndre Correa de Castro--in-
telrou-M as eee ds poUsia.
decreto de 3 de abril ultimo, conforme foiAzetedo, arrematante da ribeira do merca-
pirticipadoem avisodo minterio da guerr|doa, freguezia de S-los no valor de ria
"- 273,330, sendo urna de 205,000 rs. e oulra
Je 68,330 ra. ,
l)espicharam-se as petir;0es de Jos Fran-
cisco Vlarinho, de Jos Pedro Vellozo da Sil-
veirs, de Luiza Miril Jos Santos Borges, de
Manoel Pereira Texoira, de Hita Baria da
Conceico, e levantous. a sssJo.
Eo, ajosoel Ferreira Atcioli, secretario in-
terino a escrevi.Oliteira, presidente. alo-
medo.Cerneiro Monteiro.Henriques da Sil-
va. Moraee.-Feircira -Figueircdo.
VaIUEJaD.
de 20 do mesmo mez, promover i gradua-
iSo do posto de capitSo sos Srs. lenles do
segundo bitalhSo de fuzileiros, Jos Joi-
3uim de Oliveira e Joo Ricardo de Almei-
a, contando a anliguidade de 7 de selem-
bro de 1817;
4." Que o governo Imperial houve por
bem determinar por aviso de 10 de abril
pretrito, qua fosse servir como addido no
cor. o de arlilharia* a civallo da provincia
do Rio-Grande do sul, o Sr. cpii3o do quar-
to bitslhSo de arlilharia a s Nabos-Delino
Pereira.
5.* Fiualaiunte, que o mesmo governo foi
de 23 do sobredilo mez
por mais tres mezes de
licenca com que se schava na cOrteoSr.
cipilSo do segiinlo batalbao de cacadores
Francisco Antonio de Souia Camisao, po-
dendo goza-la na referida provincia do Ilio-
Grande do sul
Temoledo Peret de Albuqureue Maranhio,
aiferes ajudsnle de ordens interino.
sj
PEc NAMBUCO
CAMABA MUNICIPAL DO BECIFE.
acsSAO oDiNaii oa 38 oa jusho db 1850.
Presidencia doSr. Oliteira.
rresentesosSrs. Mamede, Carneiro Mon-
teiro, Moraes.llenri^uea da Silva e Figueire-
do, faltando os mais Srs., abrio-se a aes-
#o, e foi lida a aj-provada a acta da aatece-
dente.
Foi lido o seguinte expediente :
Um ollicio do cidadlo Jos Roberto da Mo-
raea e Silva, participando no poder tomar
assenlo nesta csss, na quslidida de veres-
dor supplente, por se iciiar doentc, secun-
do o altestado do facultativo que juntou
Jn tetrada.
Outro do fiscal do beirro do Recife, pe-
di ndo se maotlatse pigar a quanlia de ris
(8,560 que despender com a limpeza
das rusa do meanio bairro do priaseiro at
80 do crranle.Que se mandasse pagar, s
0 contador averbssso esta despeza sob s quo-
(i do eventuaes.
Outro do fiscal do Poco, apresentando oa
documentos de na. 1 a 4, doa quaes mostrs-
va ler entregue ao thesoureiro dos lazaros
M .>:. >io ion 410 r nrndnotn ''- J;
Jespezas da arremaUco de porcos, apre-
hendidos m correijao ns freguezia de San-
to-Antonio, durante o lempo qua alii sarrio
de Hacat interino, a os de ns. i ai, demoos
trativos da despeza que fizara com a con-
ducho de 188 cargas de sreis para aterrar
a estrada de Santa-Auna, e lameirSo.
este mesmo ufllcio pedia dito fiscal de-
snisso deste emprego, ampragando urna
fingoigem inslita e ofienma ao verekdor
Ci meiro Monteiro,* quem eapesiala'enie se
sjirigia, por nlo lar sata querido rubricar,
orno inembro ds commissSo de polica, a-
quelles documentos da os. 5 o6.
Posto dito odelo os aiaaaeaao, s toman-
Jo a pilavrao vereador Ciroeiro Monwiro
Jisse, qua urna vez que o referido fiscal, poai-
40 cioso de sua repulecOo, liaba o arrojo de
querer isre-peita-lo e a cmara, a quam
Allava, s aqoem era subordinado, baaean-
io-ad. rsaM quaoi V* de o deMiMaB-
nem, servem unloamcnla da deprimir O aiu
rdito, ftclerava. -- Que liona repugnado
sasriesr ditos, documentos em cooaequen-
CARLAMBROGIO
Continuaeodon. 149.
Poilra ohegar at amanbia contando-
toa outros adagios do nosso ( arlambrogio,
se Dio lemesse fizer como s telha de Ve-
rosa a quem davam quairo vintens, para
que caotssse, e mais dous, pira que ficas-
se. SOacorescentarel, qoe em vez de adop-
tar aseemelhancastriviaesque nos usamos,
quando dizemos mso, como o dabo
raivoio como umcSo--; elle tinha outras
lodas de seu bestunto e dizis migro, co-
mo un invejoso pellado, como um joga-
dor ceg, como um collerico -- despre-
zado, como um mentiroso ~ empestado ,
como um espiio ar insalubre, como o ar
da hospedarla -- padece vigilas, como um
iudividado -- tem lo boa memoria como
umeredor.
O seu vestir era ao modo dos nossos pai-
zea ; porque dizia :
Na larra, a que lores, usa o que achares;
mas sempre limpo, e sem manems, porque
a limpeza nada custa. E quando via algum
andar sujo e 'malamanhido, julgsva mal
de sous arraujos, assim como o ver mis er-
vas em um jardim da triste ideia do jar-
dinero. Tambem urna cousa observei, que
em quanto os outros togistfs nSo faziam
senSo murmurar contra vendedores bara-
teiros, que botsvam a perder o negocio
com lo baixos precos ; Carlambrogio dizia
I twixamos, que cada um viv, e se a les-
tre. Dos Nosso Senbor para todos ha crea
do o ar, a agua,' a Ierra e o engenho para se
aproveilarem. Faca rada qual o inelhor,
que puder. E como elle era bomem de bem,
ue melbor grado procuraras) a aua lm>
Mas se alguma mocinha ou moeinho, o pro-
curavam para comprar objectos de mero
laxo, e teiess, esquecis-se uo propria in-
teresse para-mostrar-lhes, que dilTerenca
vai do vestir bem ao vestir faustoso : que o
primeiro faz honra, o segundo di suspeitas.
K accrescentava : | ?** compra o super-
fino, logo vender a rceiiaro. N3o que elle
censuraaas a quem segua as modss com-
inodas, que nio causam mal, nem escnda-
lo, aates multas vezes custam menos.
Auzente daquellas ierras, leve obrs de
vinte annoa asm lomara ver o meu bom
Carlambrogio ; vate aunos em os quaes es-
perimentei varios socessos.encontrci bous e
mos, goiei e soflVi, como acconleca a todos
oeste mundo : feliz, sedala escola houver
sabido ana pouco nielborado, e convencido
do que me dizia squelle telho amigo, isio
be, que para cliogar felicidade a estrada
segure be a mais direita : ae ao menos liver
aprendido a lar paciencia e resigaacSo,
So desprszsr os iiouieiia, uo os aborrecer,
antea ama-Ios, sarvi-lus e compaducer-me
del las. Tornando a miuba briaasa, loso
pergunlei o que era feito da Carlambrogio
Com o negocio, e com a probidade havia
Doupado quanto bastsvs para abrir mo de
sua vida laboriosa, e paasar tranquillo o
reato de seus velhos diss. Mas nem por isso
leixou a nativa aldeia ; porque ( dizia elle)
a todo o passariuko ke bello o seu ninho. An-
lando easualmonte por aquellos a redores
a negocios meu, encontrei-o ao p da estra-
da, e mal me conheceu, e aaudou pedi-
me, fsso passar com elle aqueile da. Eu
porm, tendo mais que fszer, promelti-lhe
de ir no outro dia : mis elle disse-me : sa-
bei,que sempre fui inimigo do farei : As
nulkor um Me, do que dous amnnkias.
Cedi ao seu convite, e como visse, que se
ahordoava a um cejado, e de vez em quan-
do parava para tomar rospiragao, mostrei-
me penalisado de que morasse em sitio tflo
incommodo : elle porm, aleando a mo.
e apontando para a cordilheira de roonts-
nhas,que all se elevsm ao Ceo, comosejam Julho
Legnose, Crign:, e P.esegr.c, raspoodeu- Agosto
me: e aquellos quohabitam acola em cima? Setembro.
Illho meu, he mister olhar para quem esti Outubro.
peior que nos, e nBo pira quem est me- Novembro
Ihor. J vos u3o contei o ciso do soldsdo Dazembro
peSo de Mente, que um da lamentava-se 1850.
de ter os sapatos rotos, e moltiar osps;e Janeiro
que vendo um mendigo sem urna perns,de- Fevereiro
xou de laslimar-ae, e deu grecas a Dos .' Marco
Percebi, que Carlambrogio eslava vulha, \bril.
mas nSo mudado, e que com rasilo diz o vuio
proverbio o lobo muda o pello ndd o vezo Junho
A sui casinha la em cima distinguia-se
por certo asseio camponezl De redor das
janellas faziam bella vista os geranios, os
cravos as violetas, e outras dores sgrada
veis; ao lado da porta havia dous assentos
de pe Ira, onde elle se entretinha a discor-
rer, e a lomar fresco ; os quartos 18o bem
arrsnjados, que exclamei : bella cass, mas
pequenim. Pequenina I ac lio elle as-
sim a pudesse eu enchor de homens de bem.
O bom velho quiz que comesse com elle
da sua pilanca domestica, ordinaria sim
mis que me fez recordar aquella outro pro-
verbio seu o verdadeiro sustento esi no
bom animo e ua aade nBo se deslem-
brou ao depoie de mostrar-me na estribara
o jumento, fiel companhelro de todas as
suas peregrinajes, lambem carregado de
anuos, e de achaques, inhbil pira oulra
cousa mais, do que para comer ; mas que
elle, como a um servo velho, conlinuava
porgratidlo a sus'.entar bem no merecido
descanso.
Em deacaoso eslava lambem all o nosso Car-
lambrogio; mas na em. ociosidade. Era prior
da contraria ; e nos domingos la aasislir aos
orBcios dirinos na igrrja Tambem o haviam
nomeado camarista; e cuidava dos negocios
pblicos cora o mesmo xelo, com que se dera
aos proprios, nao querendo que nelle se n-ri-
ncasse o dilado qmm serve ao comnum no urvt
o nenkum. Asslslia sempre s sessOes, no a
para dar exemplo, senao para dizer, e motivar
o seu sim ou o seu nao principalmente, quan
do se tralava de nosnear o inestre, o doutor, a
comadre, o liacal, examinara escrupnlosainen-
te, afim de que a eicolha recablase no raals
digno; e depois traxia-oa de olho, a ver ar
cumpriam bem ai ruai respectivas obrlgacoes.
Intereisava-sc mais que muito pela escola, i
quai uo taltava, todaa as vexea que o Sr. ins-
pector sabia a faxer as esames.
Finalmente Carlambrogio assim no paix, co-
mo de redor era multo amado como bumem
de bem, e a eHe recorriera os que carecan! de
um parecer, persuadido* do que elle mesmo
diiia : que cousrlbo de homem velho nao que-
bra a cabeca e bem se achrga quem bem se
aconsrlba. Tambem goilava de ensinar a crear
bem as amorelra, a ter os melhorrs cazullos,
a plantar batatas, a obter os melhores leguines,
a faxer vlnho escolhido, a melbor manteiga. o
queijo mais frescsl, a sorribar os terrenos pe-
dregosos e reduxi-los cultura. Drleltava-se
outrosim em Ur algum livro; e todas as trai-
tes antea de rezar o seu rosario com a familia,
escrevia alguma linbas
E o que be, que escreveria o bom Carlam-
brogio? Tlve curiosldade de-o saber, e lhe ro-
guei, me mostrasse, como elle as chamara, as
Osa garatujas. O virtuoso velho a principio
recusou-sr, dizendo que as escreveraa esmo. e
* para aquelles, que nao podein ler outros li-
vro : finalmente resolreu-ie a cominunicar-
me esse escriplos; e eu contente, como de
um rico mimo, levei-os prometiendo de em
breve restitulr-jh'os.
Nesle eslo desgracadamenle appareceu o co-
er* morbui. Ah! aluda delle me record: e
ped iodos a Dos, que nao mais nos visite com
rase llagello ; e caso torne, que nos d mlgna-
cao e luragem. Carlambrogio no seo munici
po esleve sempre sobre-aviso para diminuir-
me os trilles eUcitoa com o inelhor remedio,
que ate agora ae conhece, a caridade. Onde
aabla, que alguma familia era mal nutrida,
mal abi icada, corra a soccOrr.-la, j com o
propriodinhelro, J com molas de outros:
proporcionara promptos loccorros aos enfer-
mos, subsidios a quem larava, consolaciio a
quem os perda. A corefem e a cooKanca em
uros o preservaran uaqucue mal; porem um
mal incuravel Ib'eslara em cima, a velUice.
Em outubro voltei a Monlevecchia 6b um
tenido sol, que clarissimo inundando as carre-
jadas vinhas, as maduras rnelauciae, a plani-
cie chela de lavouras e de vida me dilalava o
coracao. els senio quando vem contrliiar-me
oa sino* da oonlaahi, que dobravam tignacs.
Resar eu alguna suQragioi por aqueile chrla-
tao, que embarcara para urna ribeira, em de-
manda da qual todas navegamos ; mas imagi-
na! qual a nimba magoa, quando soube que o
demuelo era Carlambrogio Nenhuin campo-
aeo tlnba ncado rin casa, querendo todos ac-
compaohar pela ultima vex o amigo de boa
memoria ; c eu ful cora oa outros e com o* ou-
tros chore!, quando vi lucar-se ierra sobre o
hornera Justo, o qual do paraizo lera visto a*
nossas lagrimal.
(Coaliruiar-s-aaO
dem do da 8......... 3:052,699
Desearreqam koje 9.
Galera Sword-Fish mercadorias.
Hiato Flor-de-Cururipc gneros do pait.
Barca ionis mercadorias.
Brigue Raimbow csrvSo.
Brigue Magano gneros do paiz.
CONSOLADO GERAL.
Rendiaasoto do dia 8.. 1:917,014
Diversas provioeiaa *,032
1:921.046
RECOPlUClO DO? REND1MENT0S ARRE-
CADADOS PF.LA MESA DO CONSULADO
DE PFJINAMBUCO DURANTE O ANNO Fl-
NANCEIBO DE 184 A 1850, A SABER :
1819.
. 40:rjS6.353
. 37:517.640
. 1J.ai6.703
. 18 064.415
.. 30 399,96i
. 77d80,l03 333:870,17*
. 9I:88,7I4
. .105:118,093
. 70:378,430
. 9:566,566
. 41:888,448
. 32:306,830 411:018,081
634.918.255
Mesi do consulado de Pernera buco, 1
de julho de 1850.O a ^ministrador. Jado
Xavier Carneiro da Cunha. O eaerivao, Ja-
come Gerardo Mara Lumacki de Mello.
EXPORTACAQ.
Despachol martimos no dia 8.
Rio-di-Prita, brigue dinamarquez Ida, de
232 toneladas : condua o seguale : 40 pi;ns
ago'ardente, 1,240 barricas com 9,368 arro-
bas o 31 libras de assucir.
Cowes, patacho sueco Sultana, de 257 to-
neladas: conduz o seguinte: 3,010 saceos
com 15,050 arrobas de assucar.
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimeolo do dia 6. .... 492,886
dem do dia 8..........981,720
RENDIMENTO 0A MF.3A DA RECEBEDORIA
DE RENDAS INTERNAS GERAES DA PRO-
VINCIA DE PERNAMBUCO DO ANNO Fl-
NA.NCEIIIO DE 1849 A 1859.
Julho.................
Agosto .
Setembro
Outubro. .
Novembro
Dezembro
laneiro .
Fevereiro
Mirco .
Abril .. .
Maio____
Junho. .
...
Rs.
8:256,433
8:187.783
6:628.216
26:525.443
9:145.373
13536,917
3:717,383
11:789,243
15:303.386
81:291,077
13:829,959
14:202,410
157:713,593
COMMERCIO.
ALFANDEUA.
Rendimeolo do 4is6......7:7*s,77
No impedimento do escrito, o primeiro
escripturario, Jodo Rodrigues de Miranda.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimeolo do dia 8......3:421,487
LIVERPOOL, 3 DE JULHO BE 1850.
Mercado do algoso.
Noticias commerciaes.
O mercado do ilgndSo esteta mais Arme.
OalgodSo da America e deSurrite tinha su-
bido um oitato dinheiro por libra.O do Bra-
sil e do Egipto continua a ser muito procura-
do, e aicancou mais um oitsto dinheiro por
libra. O de Sea Islsnd permanece sem al-
toracSo noa precos. Os espectadores com-
praran) 11,110 saccas de algodSo da Ame-
rica, 100 de Pernambuco, 7o de Macei ,
1,390 do Egipto, o 9,080 de Surrateepara
exportacao 1,150 saccas da America, 310 da
Baha, 930 de Pernimbuco, 130 do Egipto,
e 1,100 deSurnle.
As vendas desta aemana orcavam por
65,340 saccas. As vendas al hoja monta-
vam a 899,660 saccas. O deposito lie estima-
do al esta daU a 532,680 saccas. Em espe-
culadlo al hnje 309,510 aaccas. Para ex-
portadlo at esta dala 62.500 saccas. A im-
portarlo desta semana constara de 81,543
saccas. A importaco ha de 714,486 saccas.
Movimento do Porlo.
Hamos entrados no dia 8.
MaceiSdias, brigue inglez licAard, da
296 toneladas, capitSo W. White, equipa-
gem 14, carga algodlo ; a James Crablree
dt Companhla. -- Fundeou no Lamelrlo.
Buenos-Ayres 81 diss, brigue Inglez
Othaca, de 150 toneladas, capillo Her-
meth Urguhirt, equlpagem (1, em laalro;
io capitSo. Fundeou no LameirSo.
Acarac 35 dias, patacho nacional mn-
lacao, de 135 tonelada, capilao Antonio
Pereira, equipigem lu, carga sola, coaros
e mais gneros ; a Manoel Goncalves da
Silva. Passageiros, o padre Jlo Barbosa
Cordeiro com sua familia, Joaquim Fsr-
ntndes da Almeida, Bernardo Januario,
Jos Francisco de Souza, Brasileiros ;
Jlo Augusto Corrido, Portuguet; Carlos
da Oliveira, lUiiaoo.
Parabiba 6 dias, hiato nacional Cemees-
;s-Flor-daf-Yir!wL, ds 23 taaaladaa,
mestre Elias do Rosario, equipsgem 3,
carga loros de mangue; a Paulo Jos
BaptiaU,


1
EDITA ES.
-- Ollim.Sr. inspector da lheoUraria di
.lem lo tribunal adtp.uistrativo. dista data,
munla fazer publico que nosdas 9, 10 o II
do corrente, .rfloapraV p.r. seram .rr!
matadas, a quera por menos fizer, as im-
pressesdoatrab.lhosdss repa'licoes pro-
vinciaos, no correi.teaono flnanceiro.
rhpsouraria da fazenda provincial de Per-
nambuco, 4 de juiho de 1860.-0 secundo
escriturario se. viudo de secretario7'ran-
eado Antonio Cavalcadti Couiicira
7a? '""V Sr." ,inPec,n'- d tbcaourarla da fa-
zenda provincial t01 emprmenlo da orden,
do Exm. Sr presidente da provincia de 27 de
junho prximo paat.do, manda fazer publico
.jue. no. di.. S, 23 e 24 do crreme ira pra-
fa perante o lriun.1 administrativo da iuci-
iiiaihcaourarla, para ser arrematado a quem
P"''menos flier, obra do mpedraineDto de
300 braja, no. 3". 4." t,' l.njo. da e.trada da
Victoria, avallada em3:l3i,000 rs.. e .ob as
clausulas cir-eciae. abalso transcripta.
As pcuois que se propoierein a esta arrema-
taran comparecam aa .ala daa srssoe. do o-
bredito tribunal no. da. cima mencionado.,
pelo meio-dia, comnrteniemenle habilitada.
na Corma do artigo 24 do regulamento de 7 de
malo do corrente anno.
e.mnn'carpeKrrDdU "*'" *"<*"
.^T'c'* da ''"""'I <>fenda provln-
1850 Ferna,"buc. pHnseiro de Juina de
ts obras de prsta, de modernos gostos, in-
clusive um spparelho para cha, um faquei-
ro completo, serpentinas, espovitador.'s,
salvas, cisticaes, colberes para sopa ech,
lacas e grfos, oulras mnits pocas de bom
oslo do mesmo metal; a !2!
Mogios de ouro patentes inglezes, corren-
t*s para os meemos, I rico relogio dourado
com manga para cima de mesa, outro dito
propriopara raparlico publica ou escrip-
lono, umapparellio completo de pororlla-
ija branca para jantar, Brralas brancas e
de corea para vinh, copis galheleiro, por-
ta-licor e algunas obras do marceneria :
quinta-feira, 11 do corrente, s 10 horas da
manhfla, noescriplorio doditocorretor. na
'lia da Cadci do Itecife.
MHBWHmBn-^misasaa^sssi
ra do Collegio, n. 9, segundo
Avisos diversos.
O secretario,
Antonio Ftrreiru d1 A*mcUedo.
* Clausulas etpeeioes da,arr I. O enipedrameoto de 300 bracas cor
.n,r; dae ,S.'r*d n<" SJ *' e 5. lauco, da
esliada da Victoria Car-.e-ha de conCormid.de
com o orcainenlo approvado pela directora cu
cotiselhu e aprearntado ao Esni, presidente
pelo parejo de ri. 3:135.000 rs.
2 Os trabalhos prlnciplarao no prazo de
um mezescraoacabado, no de seis aaeiee, am-
ooa contados da entrega do termo daarrema-
3.' A pedra ser previamente examinada
pelo engenheiro encarrrgado da obra
4." O arrematanteoopoder por asegun-
da carnada de pedras antes que o engenheiro
tenha examinado a primeira e echado confor-
me, do que se lavrar o termo competente.
5. O pagamento Car-.e-ha em tres nrela-
9 u,'J*e"do qa'tro iec>"" Panes depols de
nabida a primeira carnada. Oulras quatro de-
pon da entrega provisoria ; e o resto depola da
entrega di Unitiva. *
6 Para ludo o que nao est determinado
as prseme clausulas seguirle ba o que dis-
pe o regulamento de 7 de malo do cVrente
anuo.
Recife, 25 de jiinbn de 1850.
O engenheiro ebrCe da 3." sessao
H. A. Ililil.
Approvada. pela directora em conselbo. em
sessaode 25de junho d 1850. -O director ia-
se Mamed, Alves Ferreira.-]. L. ,,*,, leinltr.
a. A. Uilel.
Pela inspectora da alf.ndega engajam.
se marinheiros de classe superior, vencendo
IMV- fnens,e!,i primeiros marinheiros
i,000rs. o grumetes 9.000 rs., para a es-
cuna I.mdoia : os que se quizerem contratar,
dinjam-so guardamona, ou a bordo da
mesma escuna, apresen lando titulo
prove no se acharen) empedidos.
AlCandega de Pernaoibuco, 5 de juiho
de 1850. O inspector. Luiz Antonio
Samputo tianna.
Pela adminisi.scflo da mesa do consula-
do de Pernambuco, se fsz saber, que no di.
10 do correnlc se ha de nrremaiar em has-
ta publica, a porta da mesm, urna caixi
com assucr mascavado.com 53 arrobas e 30
librase 1,600 rs arroba, 86,300 rs. sprehen-
dida por o guatda confetente Francisco das
hagas Hibeiro, sendo a arremalaclo livre
de direitos so arrematante.
que
Mesa do consulado de Pernambuco, 8 de
julhode 1850.-O administrador, JoOo Aa-
icrCarniirotlaCunka.
lecla raides.
- OSr. director do lyceu manda fazer sa-
ber a quem convier, que, d'ordem de S.
Me. o Sr. prfsidenleda provincia, Coi sus-
peusa a aula de tacl.igr.phia, ,t que o mes-
mo hxm. Sr Ihe de novo regulamento. I.y-
ecu, 5 de jui.o da 1850. lanuario Alexun-
drtno da Silva Habilto Cantea, professor de
d.'senno e aecitario.
- Pela segunda aeccSo do consulado pro-
vincial so faz Lublico, que os 30 das uiei
para a cobraniji, a bocea do rolre, da deci-
uia dos predios urbanos dos bairros desla
ctdade, e freguezia dos Afogados, se fiuali-
-amnodia 13 de juiho prximo vindouro
iiecife, 98 de junho de 1850.
Com palian',, (je Beberibe.
Aadmtnistrscflodaeompanbia de llebe-
nhe contrata por um atino, do prioieiro de
selembiodelSiOal de sgosto de 1851. a
airecadacod taxa nos chsfarizes e bicas
doencnatMnlu. As proposl.s. assignadai
pe os prelendeaUa e aeus fiadores, serfio
entregues ate o di. 10 de juiho, no esc.ip-
toriods companhia.
i-'c ',a,,xossl8do, natural da cidade
e San-Salvador da Bahi., ha anno. resi-
dente nesta provincia, catado e mora lor no
largo da RHieira, n. 15, para desmentir aos
porlidos boatos que de ha das a esta parle
cir-ulamaseo respeito, declara que est d
preseute encajado e em servigo na barca de
viga da alfandega n. 9, enflo oi preso o
remeitido para a Babia, como espir.tos
mos ou algum tnteressado em seu descre-
sto, haja adrede por ah espalhado.
1'tdroAngilo / vangelifla.
i wP. reJoao('ipi,slr,no de Mendonc
lom aberto um curso de geographia e histo-
ria, e outro de rhetorica c potica, na ra
das (.ruzea, no primeiro andar do Sobrado
n. 18 : as pessoas que os quizerem freuuen-
t.r o podero procursr na mencionada casa
Jas 10 horas do dia em diante.
-Quem precisar de urna ama de leite
orioula. a qualtetn muito bam leite. diri-l
ja-seatuaBplla, n 31.
- Nodia || docorrcnle, pelas quatro ho-
ras da tarde, a porta do Sr. Ilr. j ,iz de or-
ptiaos ns ra estrena do Ruzario, tem .lo ir
em lotlflo.p resto das fazen las perlencenlas
ao casal do.flnado Luiz Josode Souza, a re-
quenmento do testaaienteiro.
Furtaram de Inhamfla, frogupzia de
Iguarassu, no dia 4 di corrente mez.'um Ca-
vallo preto, murcello, fazen lo segunda mu-
la, gran le e carregador banca e lerdo, ten-
lo o ferro do ab.ixi assignalo : quom
pegar ou descubrir o ladrSo, dirija-se es-
a praca ao padre Bacalho, ou un mesmo
lugar, ao pai do mesmo padre, que recebe-
ra grande recompensa. Padr Flix u
Bacalho.
os Fernandos Povoasvai Macelo a
tratar de seu negocio.
Perdeu-se urna chavinha da ouro de re-
logio : quem a ttver achado, podera lavar
ra d'Alegria. casa n. 3*, que sedar o va-
lor da mesma.
-- O Ur. William May estando prximo a
retirar-se para a Europa, previne aos seus
amigos c f eguezes, que durante aua ausen-
cia far os curativos tanto mediros, como ci-
rurgicos e em ludo suas veres como se pre-
sente estivesse, seu socio o Dr. C. I,. Malet
quem para tal flm Tica entregue do seu es-
tabelecimento tiesta cidade; e pede a to-
las as pessoas a quem dever, o favor de a-
presentarem suas cqntas al fim do corren-
te mes de juiho para serem pagas, rogando
igualmente aquellas que Ihe devem, quei-
ratn embolca-lo ateo mencionado ier.:po.
Itogi-seaoSr. Joaajuim Pedro Brrelo
do Mello Reg, o favor de apparecer na ra
lo Crespo, loja ti. 23, que ah se Ihe desei.
fallar.
O
Avisos martimo.
.'tules
He hoja o dia do n. 8, que est guapo. Ven-
de-se na ra eslreita do Rozsrio. loja do Sr.
Ezcquiel, n. 34; Aterro-da-Boa-Viata, n. 74
e ra da Cruz, do Recife, a. 14.
O abaiso assigndo cumprou ao Sr.
Joao Oucla da Silva llorges a sua loja de cou
ros na ra do l.ivramenlo, ficando o ahaixo
signsdo desonerado de qualquer divida
que o mesmo deva. por Ihe ter pago o im-
porte do que oiistia em dita loja, como
consta do papel de venia. Antonio Gomt$
Mortira lunlor.
Furtaram da praia de_ Santa-Rita, no
Tundo da seiraria do alaixo aasiguado, du.s
travs dequalidale.com 40 palmos pouco
mais ou menos, com a marca a. ou f ;
quem dellas der noticia ser recompensa-
do. Antonio Oa da Silva Can/cal.
-Antonio Dia* da Silva (rdea I vai ao lu-
gar da Barra-Grande tratar de aeus nego-
cios, levando em sua companhia o seu es-
cravo pardo, de nome Luiz, e detxa por
seus procuradores os Srs Jos Dias da Silva
Cardeal, Jolo Arcenio Barboza e Hercula-
tio Jos de Freitas.
Para o Cear
anua .,!,
o--------
10 do cor
quom pre-
prelende seguir viagein
rom muita brevtdade a sumaca nacional
CaihU, mestifs Jos Concalves Simas:
quem ha mesma quizer carregar, nu ir de
passagem, pode entender-se com l.uiz Jo.
JeSaAraujo, na ra da Croa, no Herin-,
-'- Psrao Itio-Grande do sul
com o ratacho Doui-irmOoiH
renle : recebe eferavos a frete .
tender, dirija-se ra de Apollo, a~i.
"' L''L* K'o-dc-Janciro sabe, com
mior nrevidade posMvel, o brigue-escum,
Aitgria, torrado de cobre e de boa marcha
r'cebe carga a retee escravos : quem pre-
tender, en lenda-se com Leopoldo Jus d
(.osla Araojn, ou rom .\uvses & C.
- Para o Rio-.te-Jat.eirosahe com toda
Iirevidadeoveleuo patacho brasileiro Ki-
Ihtrog : p,ra carga, passageiros e esersvos Of
pretendentesqueiram dirigir-se aoetenp-
to-Ki daViuva Gaudino & Filho, pracinh.
do .ofpo-Santo. n 66, ou ao rapitSo Autero
Jos de Araujo, a bordo do dilo patacho.
Para o Araeaty segu, no dia 20 do cor-
Constando ao abaixo asignado que Fi-
hppe Santiago Vicira da Cunha e seu irn.flo
Jos Vietra da Cunha, pretenden vender o
engenho Limoeiro, silo no termo do Agoa-
l'r.ila, cjmarca do Rio-Formoso, faz ver o
abaixo assignado, que ninguetn deve con-
tratar semelhante ven la, ncm qualquer ne-
gocio a tespeito do dilo engenho, por ser
tiullo o inventario que so proceden na cp-
marca do Cabo por fallecimeulo de II. ala-
ria da Trindade de Jess, e em que fui des-
cnplo e partilhado aquelle engenho, visto
que sondo lamhem herdeirosda mesma f.|.
lecida os lilhos do abaixo aasignado or-
phlos maioresdel4annos, nflofOiam cita-
dos para o mencionado inventario, no qual
apparecim, alcm disto, oulras fallas que
arinullam, como se musir t em occasi.lo
19, ou na
andar.
Aluga-sa o sobrado de 4 andares nt ra
diSenzalla-Velha, n. 141, om excellente
vista, porser na esquina que olha para a
ponte do Recife, por commodo preco : tam-
bom se aluga cada andar de pjr si: a tratar
com Jos Goncalves Torres.
-Nosdiasll, tse 18'do corrente mez,
pelas 4 horas da larde.l porta do Sr. doq-
torjuiz deorptiflo<, na ra estrella do Ro-
zarlo, se ha de arrematar umailio em o lu-
gar Chora-Menino, junto ao Sr. l.uiz Gomes
Ferretra.que foi da fallecida D. Francisca
Msria da Silva, a requerimento dos her-
deirns.
- Precisa-se de um preto que saiba lavar
cavallos : na ra Nova, cocheira do sobra-
do que se est edificando.
Fugio, no dia 6 do corrente, de casa de
Joaquim da Silva Castro, urna preta de no-
me Delfina, pertcncele. ao 8r. Jos da Cunha
Pereire, morador na freguezia da Varzea ,
por cujo motivo ruga-so ao mesmo Sor. Pe-
reira de vlr entender-w com Joaquim da
Silva Castro, a respeito.
- Quem annunciou querer cetnprar urna
commoda, pode dirigir-so rus estreita do
llozario, n. 1.
- Iloga-se ao Sr. Dornellas, morador em
Beben be faga o favor apparecer na venda da
esquina de San-Jos, ou mandar ultimar o
negocio que deve saber.
- O Sr. Restan francez, tem urna caria na
livrana, n. 6 e 8jda praca da Independencia.
- Pergunta-se ao impressordo papeluxo
Patulea, ond* foi o seu nascimeoto, ae no
imperio do Brasil, ou l no Iteino on J nas-
ecu Maris da fonte, Uto pode declarar mes-
mo pela sua PatrtUa.
O Carmo ou O'cafel.
Hfijc saheo n;8 do Conciliador, vnde-
se na loja do Sr. Dourado; na ra estreita
do Rozario. loja n. 3* ; no Alterro da Boa-
Vista, n, 74;e na ra d Cruz do Recife,
n.14. Desdeja, recotnmendatnos o numero
le sexla-feira, que trsz a oeriadtira Marmo-
to, com vistas piloreseai.Hi de sa vender nos
mesmos lugares cima, e no offerecido
pelas tabernas e armazens de carne secca.
manefra de palitos de fugo.
Pela vara do Sr. Ir. Juiz de orplifoi
supplento desla oidade, se ha da arrematar
em praca publica, a requerimento dos in-
teressados no dia 11 do corrente mez, o
Brande e antigo sitio denominado do
Mondego conheciio pelo sea primeiro
i ossotdor Manuel Gomes dos Santos, com
jfrande terreoo para qualquer plantacUo,
baixa para capim, dous grandes vivoirosji
leitos, e um por acabar, um grande e ele-
gante sobrado com grande* commodos
duas casinhas terreas, estando urna dellas
poracabar-se com inuilos arvoredos de di-
versas frutas, porto d embarque, e um
grande alagado da jnangue que divide o
mesmai sitio pea esmboa que segu para a
pontezinha -- do xora menino cujo sitio
faz frente para a mesma estrada, e para a
que segu para o mangninho, ludo avalia
do por 80:000,000 ts. aendo a ultima praca
no dia 18 do corrente.
k- Precisa-se de um pequeo, que seja
Portuguez, oara urna loja no Cear : na rus
do Queimado, n. 25, loja de miudesas
Precisa-se de ui ama para todo o ser-
vico de urna caa de multo pouca fimilja :
na ra Oircita, loja de sapatos, n. 63, con-
fronte a tenda de fonilero.
Cullherme May retira-so para fora do
imperio.
--Precisa-se de dous officlses demarci-
neiro : na Gamboa-.lo-Carmo, n. 8. Un mes-
ma casa tomam-se apretidize para o mes-
mo oflicio.
--OSr. Rodrigo de Freitas Pires Cuima-
rflas dirija-se ra do Gabug, n. 3, a ne-
gocio de seu intaresse.
Precisa-se de usa ama coiinlteira e en
gommade ira, para casa da pouca familia,
na ra do llrum, casa da quatro andares
na segundo andar.
-- No domingo, 7 do corrente, logo de-
manhSa, desappareceu da ra do Canto,
urna uvelha com urna cria -j crescida, am-
bas tle cor branca,, e tendoa pequea urna
malha parda em roda de um doa olbos, a*.
grande tem malta falta de ISa e levou urna
rordiino pescoco : roga-se a pessoa que a
panhou, ou der noticias onde esleja, diri-
gir-se ra da Florentina, n. 8, que sera
generosamente recompensado.
A pessoa que annunciou procisar de
roupa lavada e eegommada, dirija-se a ru*
do Amoriin, n.7, loja.
~ Na ra do Amorim, na loja do sobrado
n.27, lava-so e engomma-se com toda a
perlett flo e proco commodo.
- Jo8o Leite Pita Orliguelra, teslsmeo-
letro dos bens do fallecido Antonio Rodri-
gues Lima, lalo de dar cumplimento a
verba do testamento do dito fallecido que
diz Deixo aos roeus anillados, que apr-
senla rem certido de baptisniov a quanlia
de 50.000 rs. a cada um roga as pessoas
a quem esta dispostcSo possa epruveitar,
que se spresetUem qu.nloanles con a ba-
m porefio e a retalho, por menos preco do
que em oulta qualquer parte.
Ilelaclo tiat pessoas qut subscreveram para o
falla tfa confrarta do Senhor Bom Usus
das Chagat.
Kx-provelor Luiz Antonio Barboza
n d "rito 15,000
rovedor Joflo Tavares Cordeiro 10,000
Dito Pranciso Xavier Martins Bastos 10,000
Antonio Francisco Maia 10,00)
Rx-diflnidor Joflo Gncilves Evange-
lista )0inoo
Maooel Alves Cardozo 5,000
Irmlo Manoel Rodrigues j'ooo
Dito coronel Bento Jos I.emenlu Lins 4,000
bllilagao exigida, e prova de identid.de de
pessoa, para se poder verifioar a entrega do
legado.
Precisa-se de dous homens que faeam
tenas, para seencarregsrem de fazer tima
porgio dellas etn um engenho distante des-
la cidade : quem quzer annuncie.
- Anlonio de AlmeiJ. Comes embarca
psia oM.ranbaooescravo pardo de nome
. uaa Ul* balUU
rente, o patacho S.-Ctpt, mestre Joaquim
l-ereira > para carga e passageiros, traU-ge
a<> la Jo do Cotpo-Sanlo, n. 5, loja de mas-
sames, ou com e mealre.
^mmammmmmmsmmm
' \ Leo
competente, no juiio de orphaos da ditaco- J.8.0' PPrtencente ao Ur. Eduardo Antnn
uo wiiuonca, aaquelia provincia.
A cidade de Pars.
Fabrica de chapeos de sol, ra d<
Collegio, n 4-
J. Falque participa ao respeitavel publico
desla cidade, quu elle abri o seu noy es-
tabelecimento. onde se encontrar sempre
om grande e botuto sortimento destes ob
jecios dos mais modernos eVsriados, como
sejam: chapeos de sot para homens de se-
das chamalntadas e tu, de cores e pretos
ditos de armacSo d'ago muito furtes com
.sedaste lodas ss ertres, dilus para senhoras
de sedas l.vradas e lisas, com franjas e seu.
eilas, eres muilo bopltas, dilos dito de
liando s-da, com franja esem el-
. o, paia que niiigueai ae jul-
guo illudido, se publica o preseute annun-
cio. Rio-Formoso, 3 de junho de 1856.
lose .uii dt Caldas I.ins.
Aluga-se o segundo andar do
sobrado do ra de Agoaa- Verdes,
n. 86. alralarna praca da Inue-
pencia, ns, a4, aG e a3.
Para caaos mortuarios.
Aluga-ae um panno de cruz para visila-
{ao da cova e aruiacSo de casas onde hou-
verem defuntos, obra de muito excellei.te
risco e novo : quem o pretender, dirija-se a
igreje da Conceico dos militare, a tratar
cum o guarda, das 6 da manfiAa ao meio-
^ta.ounarua de S.-Thereza, n. 18, a toda
hora.
Hn"e.0'''ih,,?Un Mixeir0 P"*n'i. m;cao0ricaePodi
do que tenh. bsstaule prattea. o d ador a galas de todas
, ditos Je pantiinho'para liom'em coin ar-
"inarii uto da lea
qus'lidad
es,
'baleias para
^eTcdbre-
sua conducta : no Becco-Largo, n. 104." '"' "?" P"
-atanoal Mande. ratira-so*a. te,, j- IT^L^H^.e MP_rHL'!.9.s Parj ?nJ.o-
imperio.
a-se de urna ama d l.it. ... 0*** <0,l'dat,e <*' chpeos d sol e benga-
-.OconetorWi,e.r.r.rl.ilaod. mui-|i.lT^u1rUVr
Dilo SeraDm Jos de Souza
Manoel Pinto
I rmo Joaquim Francisco llamos
Mathias Jos Gomes
Antonio Jos de Castro
Jos Martins Piuheiro
Manoel Joaquim de Miranda e Souza
Ex-escrivSo Bartholomeu Lourenco
Antonio Jote dos Pasaos
Gaspar Antonio Vlaira Giiimares
IrmSo JoJo Francisco Cabral
Jos Das GuimarUes
EscrivSo SebastifloJos de Olveira
Manoel Thomaz de Farias
IrmSo alfares Flix Venancio de Can-
til ice
Joflo Rodrigues Nunes
Jos Antonio de Araujo
Antonio Demetrio
Claudino Jos da Siqueira
Manoel Jos de Figueiredo Candella
Kx-provedor Francisca Emiliana
Nicolao Francisco da Costa
Narciss.Maria Carneiro
Victorino Jos Pereira
Antonio Luiz da Silva
Leonardo Francisco Baslos
Manoel Francisco de Arruda
Jos Ribeiro de Brito
Joaquim Ferreira da Silva
Joaquim do Souza Lins
Antonio Pereira de Alcntara
Domingos Garca
Manoel Francisco Marques
Madama Bern
Jos Fernandes Baslos
Um annimo
Manoel Joaquim
Antonio Rodrigues
Francisco Justino
Commendador Manoel Goncalves da
Silva
IrmSo Joaquim Pereira da Luz
Manoel Pereira Pinto
Domingos Jos Poreira de Lina
Gaspar Pereira da Silva
Francisco Antonio de Mesquita
Ponente Severiano Bandeira
Francisco Medeiroa
Mordomo capftflo Jo3o Francisco Mar-
ques
Domingos Francisco Ramalfio
Jos Josquim Ferreira da Souza
Joflo Jos Moreira
Jos Manoel de Carvalbo
Jorge J. J. P.
Pedro Lopes de Moraes
Antonio Jos
Manoel Jos
Antonio de Tal
Angelo Roque
Jos Antonio Moreira
Rufino Marques de Oliveiro
Silvestre Jos Fernandes
Jos Joaquim Goncalves
Bernardo Roque
Jos Miguel dos Santos
Jokm Xanezar
K. V. I.anel
Manoel Fernandes de Carvalho
Jos Gomes Leal
Antonio Lopes Pereira Mello
(uilherme dos Santos Sazes
Joaquim Alves da Costa
Ladislao Jos Ferreira
Manoel itomflo Pontea
Joflo Ferreira de Souza
Joaquim Jos de Farias
Antonio Coelho do Rozario
IrmSo Manoel Peixouto da Paixlo
Manoel Jos Tavares
lorge Flix dos Santos
Um annimo
witonio Duarte de Souza
Jos Mendes u Silva CuimarSes
J.C. Jardim
Jos Joaquim da Silva
Domingos Campos
Casemiro Fonte* Farrees
Francisco Antonio
Joaquim de Souza Mala
l'julina Msria de Veras
Antonio Francisco da Silva
Joflo Francisco de Souza Lins
Antonio Joaquim da Silva
Esmolll.s avulsas '
Nosnts dos irmaos qut tnm svas f,mollas
ohrsu para o dilo palito.
O trmflo ex-escnvflo Bartholomeu hodri-
gues Chaves, fez o pallio deeimolla.
O irmflo ex-thesoureiro Domingos Jos
ilibeiro Couvio, oiio massaneU* etn toa-
ueirij,
O irmflo Jlo Francisco do Rozario, fez a>
pontelras. '
0 irmflo; Alhanaaio Mortins de Almeida
n0.* c"loe* '*** dUa com a argolla*,
u irmflo ex-thesoureiro Lino Joaquim de
Sinla Atina, fez as varas do dito pallio.
O irmflo mordomo Joaquim Antonio Tbl-
moteo, dorou quatro massaneles
oirmao ex-proveoor joflo Bastala Cor-
rea, aparelhou as varas de dito pallio.
O irmflo ex-tbeaoureiro Jos Francisco do
iiozarto, dorou una vara.
O irmflo Candido, dorou una dita.
O irmfloSebattiflo, dorou duas ditas
O irmflo Antonio Pedro daa Nede*,' de
um livro de ouro.
O irmflo thesoureir actual Manoel Ger-
mano deOtiveir. deu de ..molla o. cor-
dOespara o dito pallio.
oprovedor-emais mesados da irmanda-
de do Senhor Bom Jezos das Chagas. rui
ante o respeitavel publico, apr'seolar. no-
mencl.tura d.s pessoas qne protn, lamento
eoadjuvaram com suas esmollas par* a com-
pra de um palho me pira a niasma irra-
dada, dezejando daM'arie que sejam ,es-
pettadas alma (flo piaa : eaproveitando o
eosejo tributa aos mesmo* fleis os seus in-
eeros votos de estira,., respeito e sralidSo
o continuamente dirigere ao seu droir
forforosaa precea pela prolongSeflo de vidas
1.1o precosaa.Jodo Bvangtula Ptuto, oto-
vedur. ''
4.010
8,000
2.000
9,000
3.000
2.000
2.000
2,000
2,000
2,000
9.000
2,000
2,00
2,000
8,000
8.000
2,000
2 000
a.'ooo
9,000
1.92f>
1,000
1.000
1,000
i.ooo
1,000
1,000
1,000
1,000
1 oo
1,000
1,000
1,000
1.10.-)
1.000
1,000
1,000
1,000
1,000
cialidada ao commercio desta prsc, que
cjmprou a t.bsrna do Sr. Losquim Goncal-
ves da Silva Guimarflos, altar na ra do Co-
lornlz, n. 16, cujo importe rialisou com o
mesmo Sr. Guimarfles a occasifio da com-
pra da mesma taberna.
Os abaixo essignados convidan) aos
credores de Coulo Viannat Filho para vi-
rem em seu escriptorio no dia 8 ou 0 do
corrente mez de juiho, para receberem o
que Ihes tocoo no segundo dividendo do li-
guido producto lo qne se ba apurado dos
fcens dos devedores commnns.
Geo Kmtei rlhy & C.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
0 thesoureiro desla lotera annuncia ao
respeitavel publico, qne moito breve tem
de marcar o dia do andamento das rodas:
s pessoas qoe teenj bilhetes apartados os
vflo buscar quanto antes, do Contrario se-
rio vendidos. O restante dos mesmos a-
cham-se a venda nos lugares j anuncia-
dos.
O Relio Sexo
hlo luz o segundo numero deste peri-
dico acha-se na livraria* ns. 6 es da praca
Ja Independencia.dosSj*. Dourado eMorel.
Nodia 4 do corrente, desappareceu
om monino branco de 13 a 14 annos, ma-
gro, com calcas de brim, jaqueta preta e
chapeo de sol, de panno, o qual desconfia-
se que foi seduzido por outro pequeo por-
juguez, qu se acha engajado em urna da*
barcas (de vigia : quem delle der noticia
na rus DireiU, n. 45. ser gratificado.
vido aoi Srs. de engenho
O abaixo assignsdo faz sciente ss pessoas
que ihe tem encotnmendado burros e quar-
tios, que por todo o presenta mez devem
chegtr alguna destes aniara, e por isao
ossas pessoa queiram entender-se com o
annunciante, assim comoquaesquer oulras
pessoas.quepretenderen) compraros mea-
mos animacs, dirijam-se ra do Queima-
do, d. 14, loja de ferragens.
Joti Rodrigues Verrtira.
mmnmmmmmmnmm
i.oro
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
i.000
1,090
1,000
1.000
1,000
1,001
1,000
1,000
1,000
1,000
1.000
1,000
1.000
1,000
1,010
1,000
1,000
1.000
1,000
1,000
1,000
1,000
l'.OOO
1.000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
1,000
CONSULTORIO CENTRAL IIOM0E0-
PATHICO DE PERNAUBUCO.
Dirigido pelo
ir. Satino O /gario luigro Pinho.
Ru. do Trapiche, a. i5.
Todo, os dias niel* ae darla consulta,
e remedios de graeat aaa pobre., de.de
pe. manhaa ate as dua. atora, da Urde.
Aa correspondencia e Infonuact.
poderflo aer dirigida, verbalmenle, ou
por etcrlpto, devendo o dseole indicar
primeiro o nome, a idada. estado, ateo- .4
atio, e consUlulcio ; .egundo. aa 1110. O
leatia. que tem tido e o. remedio, loma- aa
doa lecelro. a poca do apparecliuen-
to da molestia actual, e adeacripeo ml-
nucloia dos slgnaes ou synaplaaaiai que
Dr. Sabino Olegario- Iarfg.ro.
taiminmm'
--Urna senhor* casada que aora praca
da Boa-Vista, sobrado n. l, e que j ha
muito ensina, se acha habilidade por essa
longa pratica, e pela felicidadeque tem tido
com suas alumnaa, convida aosSts. pas de
f.miliaque de seu preslimo se quizerem
uiilisaraconflarem-lhe o entino de suas fi-
llias, admittindoem sua aula, tanto almo-
nas externas como pensionistsse meia pen-
sionistas, cortos de que com o maior ame-
ro e cuidado se Ihes ensillara ler, escrever
contar, grammalica nacional, coser bordar,
fazer lavarinlo, doutrin e dansar aquella*
que seus psis quizerem : ludo por commo-
do preco. "
Ao Publico.
NosCoe,hos,n.13, defroate do hospiUI
novo, acaba de abrir-se um estabeletimen-
to para a confeceflo conplata da carros da
lodas as qualidadea: os modelos sflo sem-
pre do ultimo gosto, ou segundo vonUde
ios fregueies. Toda, aquellas pessoas quo
se dignaren honrar te esUbeleciment
I 00o|co" ..su., eoonanw, aerto eervidae com
1.000 ??J?i? 'Mi>eai.Uiito a respeito de
1,000
1,000
1,000
10
40
640
640
IM
SCO
500
500
509
480
5,000
ou
oora nova, como re* ti va mente a qualquer
eapecie da concert ou troca ; gu.rnicOe*.
pinlura, arreio*. Ne.te ealabectmenlo a-
cnam-sa venda duaa carruagens novaa.
~ Precisa-se deu m foraniro para urna pa-
daria, para o que se dar un ordenado van-
tajoso: na ra da Gadoia, n. 8, sobradocoa-
fronte o thealro da S.-Francisco.
jj Chapeos deso, Jfe
RuadoPasseo, a. 5.
Nesta fabrica ba presentemente aja rico
Francisco los da
., en, W.s: 4odo. este. OBJecto." venJem:.* scienie a^itATe! pubE^?'e'sp!
sorti melo destes objeclti* da lodas as od-
re, e qtulidades, Unto da sed. como da
panntnho, por presos commodo; dito* p*-
r senhor, de bom goato : este* eh.pos
sflo reto pela ultima moda ; seda rfamas-
cad com rica* franja* de relroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de sed e p*n-
ntahos imitando sedas, para eobrlr ar-
macoea servidaa : todas estas fazendaa ven-
dem-seem porefloes retalho: tamben-se
concerla qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleta, aaaim co-
mo umbelas de igrejas: ludo por preco
commodo. Na merma easa ba chapeos de
*l de marca maior, da panno e de aeda
projnoa para feitores de enaenho or a*-
uu mais roes queaepOIem fabricar.
Aforamse excelleotestrrenos no lu-
gar do sitio do Hospicio : quem quizer afo-
rar.dmja-sei ra dos Piros, n. i, que se
dir quem afora.
-Fermlano Jus Rodrigues Ferreira, mue-
ren o liquidar auaa contas>com a praca7ro-
ga a lodoa ea seus devedores, tanto da pra.
ca como de fura, que, no trazo de 60 jas
venham realiaar aeus dbitos, e quejido
no faeam passar a publicar seus nome*
morada* e lempo de seus dbitos.
A pesso que precisar de alguna *ra
dourada.ou prateada com algn,* perei-
lo, dirija-sees Cinco-Ponta, oes Balrro.
B*ixos, sobrade de um andar, a toda hora
Manoel Martins deixoe de ser caixeiro
do Sr. Antonio Joaquim de Mello desde o dia
5deiult.o, o arietmo Martin* agradece ao
mesmo Sr. Mello nhms trstamcr.to, dtir.u-
le o lempo qua esleve em sua easa.
--Prealae-se de um menino portueuez
Ja 19 annos, para entregar Core
arelo doza paUcasdpflo, de manhfla e o
rosto do lampo temar sentidrf n* sil* da
Je ponte grande. r


-TT----------------1----------------
----

m
--Oabslxoeigoado avisa os crodore*
do findo Pedro Marciano, que no praso de
8 das d puhlicaclo disto (t), queiram
presentar suis contar pura se procodera
iiTvenlario. oto Saptitta fragoso.-
Na casa que se vndem Br-
reles,ao cnlrar da ra da Aurora,
contina a ter excdante caf to-
das as tarde at a noile, e um botn
soi tmenlo de refrescos de todas
as qualidades, blinhos e charutos
servindo-se com asseio e prornp-
tidJo.
Denles artiiciaes.
J. A. 8. Jani, dentista tem a honra de
visar ao respaila*! publico que contina
a por dentea artificiies de porcellana ; co-
mo bein tira as carias dos naturaes, que
tanto danatrrflee a dentts e coopera para
o mto lito da bocea, no sendo tira-
da ; cales os denles Turados com ouro ou
prata, para prevenir as dores e a continua-
CSo da caria. O annunciante asaevera to-
dnjas pesaos que sequizerem utilisar dos
seus servico, que nBo exige paga alguma
no (candos dentes llo bem posto* que
no se possara difierenesr dos proprios na-
turaea, e pndendo msstigar com os alea-
mos toda equalquer comida sem sentir a
menor dr e nem receio de os quebrar, e
por isso garante a todos quanlos de seu
Sreslimo sequizerem utilisar, que hilo de
carsaliffeitoa, y vista dos muitos excmplos
qui! lem dado as pessoasque o tem a-patro-
cinado. O annunciante mora na ra estrella
do llozario, n. 16, primeiro andar.
ItOWMAN & C. CALLU.M, engenhei-
ros machn islas e fundidores de Trro mu
respetosamente annunciam aoi Senhorea
proprietanoa le engenhoa, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quoo seu eslabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo ejercicio, e se acha com-
pletamente montado com spparelhosda pri-
meira qualidade para a perfeita confeccSo
das maiores pees de machinlsmo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Uc. t:allum
desejim mais particularmente chamar *
atlenco publica para a saeguintes, por
terem dellasgrande sor li ment ja prompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor constr'uccSo.
Moendas de canna para engenhos de lo-
dos os tamaitos, movidas a vapor por aga
ouanimaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento eserra-
as.
Manejos indepeodentes pira carillos.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzes e chumaceira.
Cavilhe e parafusos de todos oa tama-
itos.
Taixas, pares, crivot e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por animaes, e prensas pira a dita.
Chapas de fogfto e ionios de farinha.
Canoa de ferro, lorueiraa de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
ndas a safio, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacoa.
Prensas hydraulicas e de parafuao. i
Kerragen* para navio*, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, verandas, gradea e porl>s.
Prensas de copiar cartas e aellar.
t:mas, cairos do inflo arados de ferros,
ele .etc.
Aleen da superioridade daa suas obras, j
feralmente reconhecida, Bowman & Me.
Callumgarautem mais exacta conformi-
dade com oa moldes e dezenhos remeltidos
elos sehores que se dignarem de fszer-
ii s encommendas, aiiroveitandoa occasrlo
para igradeccrem aos seu* numerosos ami-
gos e fieguezea a preferencia com que tcem
idCtM' elleg'.honrados, e asseguram-lhe.-
uc nao poupario esforcos e diligencias
para continuaren a merecer a aua confl
a
dieiros, tanto de gaz como de azelte ; tam-
ban) pOe candieiros de azeile para gaz; e
alugam-se para bailes candoiros e lustros
de (Tez luzes, por preco comtnodo.
Na ra estreita do llozario, n. 38, se-
gundo andar, se dir quem d dinheiro a
premio.
-DomingosMartina Pontesfazscicnteao
publico, que ficam de nenhum effeito oa
annuncios inseridos nesle Diorlo no Com-
mercial, datados em 33 de abril prximo
psssado,a respeito de um valle da quanti
de 300,000 rs., a que oa ditos annuncios ae
referiram, o qual exista em mSo do Sr.
Antonio Francisco da Silva Carrlco, e de-
clara que he aua conviceflo, que so um en-
gao e desenlilligenca deu causa a que
liouvesse entre elle e o Sr. Csrrico tal equi-
vico, que se acha terminado anngavelmen-
te e de commum acenrdo.
Anda est por se alugar o terceiro an-
dar do sobrado da ra da Senzalta-Velha,
n. 70, pintado de novo, com commo los pa-
ra familia: a tratar no primeiro andar do
mesmo sobrado.
Alugam-se ot segundo e terceiro anda-
res da casa do largo da Asaemblca, n. 8: a
fallar com Joaquim Francisco de Allem, no
Forle-do-slallos.
DHo-se 3:000,000 Je rs. a premio sobre
penhores de ouro e prata, ou hypolheca em
Den* de raz ou boas Armas : na ra es-
treita do llozario, n. 43, segundo andar, ae
dir quem di.
No segundo sobrado do caes do Ramos,
precisa-sede urna preta para o servico in-
terno e externo, pagando-se 11,000 ra.
menaies pelo aluguel da dita estrave.
-- O procurador da cmara municipal des-
la cidade acha-se autorisado por portara
da cnesnta cmara, par*CiiaUi uuiu quem
p ir menos llzer a dimocflo de urnas pare-
des em respaldo existentes na travesea do
Vigario, que foram pela mesma cmara
desaprnpriadas a Felicia Mara e Benedicta ;
* bem assim por quem mais der i venda dos
materiacs resultantes da dita dimolicao : as
pessoas a quem isso convier se poderfio en-
tender com o mencionado procurador, na
ra Nova, paco da mesma cmara, das 10
hora* da manhSa a urna da tarde.
Tendo fallecido Jos Pedro da Cunha,
morador em Maripicu, comarca do Limoei-
ro, e sendo esto devedor a Bernardo Jos
Cariieiro Monleiro de mais de 3:000,000 de
ris, previoe-se que ninguem compre ou
faca transaceflo com oa herdeiros do mes-
mo finado, por isso que contra o fallecido
existe sentones passada e j julgada, pela
qual vfioos ditos herdeiros aerem ajuizados
-- Aluga-se urna grande casa com todas
a* cymo.odtdade, e sitio que vai ateo rio,
na povoacSodo Monteiro : a tratar na ra
da Cadeia do Recie, n. 55, com Jofio Jos
de Camino Moraes.
Furtaram, de um sitio no Monleiro,
onde esleve o Dr. Alcanforado, urna bom-
ba de cobre, pregada na cacimba, descon-
lla-se aer algueo deue lugar: quem der
noticia, sera recompensado, e proniete-se
guardar segredo : na ra da Cadeia do Ite-
cie, n. 55, ou na ra de S.-Coacalo, n. 89.
3
T,
serve para olari i : ven le -se a dinheiro oa
p-azo, e mesmo troco de oscr.ivos, lijlos
e (elhas : s tratar rom Manool Antonio da
Silva Mol.
-- Veude-se umi preta "la Cosa, do 16 a
tSannos, boa quitandeirn, e que hepropria
para todo o servio i na ra de S.-Amaro,
n. 18.
Vendem-ae vinio pipas com ago'arden-
le, casco de Lisboa, e de milito bom autor:
na ra do Aragflo, n. 14. taberna.
N.I5.
Ra da Cruz no Recife,
armazem.
Neste armazem existe venda um com-
pleto sortimento de cabos da Roasa paten-
te, de urna at 5 e mei* pollegadat de gros-
aura, ese vendemem grandes e pequeas
norcSes, por menor preco do que em ootra
qualquer parle.
Vende-se um pretoda Costa, sadio : o
motivo por que te vende se diri ao compra-
dor : na ra da* Crute; n 9
Vendi-se um preto proprio para enge-
nho : na ra Direila, n- II
Vendem-ae ca xa com man novo, de
muito boa qualidade, e chegado prxima-
mente, de 16 a 36 libras cada urna, pelo
mdico preco de 1,900 rs. a libra : na ra
do Queimado, n. 65.
A l ten gao ao barato.
O fiado sahe caro.
Vende-ce manteiga ingleza, a 3*0, 00 e
6*0 t ; dita franceza, a 500 rs.; banha, a
330 rs. ; louelnbo de Santos, a 130 xs.: es-
permacetedo melhor,em caixinha* de 5 e
18 librss, es rcU.'ho s S0 e800 r. *-
dinnade Franca, a 160 rs. ; aletria, a 280
macarrSo, Ulharm e macarronete, a
tas figuras ; moloques, negras mo-
cas e pretos de todo o servico
na ra das Larangeiras, n. i.'i, se-
gundo andar.
Vende-se, por commodo preco, urna es-
crava que cozinha, lava e eugomma liso:
no Aterro-d-Boa-Vista, n. 4, primeiro an-
dar. 0 motivo da venda se diri ao com-
prador.
- Yendem-se dous tno-
leques de 10 a 13 annos ; urna mulatinna,
que sabe cozin'hare engommar ; doos pre-
tos para todo o servico : a tratar no Hotel-
Francisco.
Na ra Direila, n. 32, vende-se um mo-
leque crioulo, sem achaques.
Vendem-se os sobrados de dous an-
dares, em chaos proprios, sitos no pateo de
N. S. do Terco, que faz esquina para o bec-
co do Lobato na ra Direila, n. 45.
Atteneao.
Vendem-se cbitas linas, a 160, 180 e 200
rs. o covado ; riscados largos em cas**, a
240 rs, ; meias para sennora, a 160 rs. ; di-
Coropr
as.
:Wjp3$3
DAURORA
Compra-se uaa.oo.duas dazias de co-
Iheres de prata rancha, sendo obra do Por.
lo : na roa do Cabug, toja de 4 portas.
--Compra-ae urna carioca para um ca-
va I lo : quem Uver dirija-se a ra da Cruz,
n. 8.
--Compram-se banda*e(dragona* com
franja usadas : na praca da Independencia,
n. 19.
-- Compram-se caixa vasia* que fram
de sabio, a 130 rs. sendo da fabrica da
provincia, o de fra, a 80 rs., e em bom es-
tado : na ra da Madre-de-Oeos, n, 93, ar-
mazem.
Compram-se, para J'oYa da
provincia, 4 escrava* pardas ou preta*, de
bonitas figuras, e com algumas habilidades:
ua ra larga do Hozario, n. 48, primeiro
andar.
Compra-se um* commoda ou secreta-
ria, que esteja em bom uso : quem tiver,
annuncie.
compra-so um habito de Christo : ua
pra^a da independencia, n.(19, ou annuncie.
Compram-se 300 patacOes mexicanos :
defronte da ribeira do peixe, n. 3 : lamben)
se vende um seistante.
Compra-se urna negrinlta para urna
eocommenda, ou mesmo muUtinha : na ra
larga do llozario, n. 35, toja.
-- Compra-se o direito das gentes por
Kluber, inda com algnt uao : na ra da
Cadeia-Velha, n. 41, primeiro andar.
210 ra. ; paios, a 2*0 rs. ; chourico, a 360
rs.; velas de carnauba, a 320 rs. cha mui-
to bom, a 1,930 rs. ( di-se amostra) issu-
carfrancez, a 100 c 120 rs.;'dito refinado
branco, a 80 rs.; dito mascavado, a 60 rs.
queijos novos, a 1,600 rs ; farinha do Ma-
r hogo, a 120 rs.; dita de ararufa, a 2*0
rs. ; vinho feito^ia em garrafas, muito bom
para doentes, pois de velho ji esta branco,
a 560 rs. ; boa cerveja, a 160 e 340 rs., sem
casco ; szeitonas, a 320 rs. a garrafa : afil-
se a bondadede lodos estes gneros, pois
nilose assustem porserem lio barato, por-
que a vista faz f : na ra Nova, n. 71, ta-
berna ao peda ponte, e defronte da Con-
ceiclo, n. 40.
--Vende-sa um cabrinha de 14 annos,
sem defeito algum, por isso ptimo pira pa-
gem : na ra da Cadeia do Recife. n. 51.
loja. '
-- Vende-se a fabrica de charuto* do Ater-
ro-da-Boa-Vista, n. S, sita em lugar bem
alYeguezado : a tratar ua mesma fabrica.
Cbeguem pechiuha.
V.iide-eazete de carrapalo liquido, a
220 ra. a garrafa, e a caada a 1,600 r. : na
esquina de S -Jos, o. 2. vende de 4 portas.
Vende-ae, no Aterro-da-Boa-Vista, n
9T, Doja de S portas, n. 37, um jogo de ban-
ca de jacarandi, e urna cadeirinba em meio
aso, por prpeo commodo.
Vende-se superior linha de carretel,
de 200jardas, de 100, 130 e 50; agulhas
portuguezas, proprias para atraate; ditas
Aranoezas em caixas, de ni 11, jj, u e 14 ;
aaelaa de linho para hornean ; panno de li-
nho do Porto : franjas brancaa e de cores, de
muito bom gosto, proprias para cortinados;
babados do Porto para loaihaa; e outros
muitosobjertosbaratos: na ra do Cafcu
gi, n. 13, loja de miudetas.
' Vende-se um sobrado de um andar, na
roa da Senzalla-Velha, n 83 : ua ra do I'aa-
seo, n. 7, loja de fazendas.
Ao ultimo toro.
Vendem-se os aprecia-veis
taa para meninas, s 300 rs.; pequepos len-
cos com bico.a 500 rs.; ditos muilo gran-
des para cabeca, a 1,000 rs.; madapoln de
vara de largura, muito fino e com 40 jardas,
a 8,500 ra. a peca ; algodSo trancado de lis-
tras, eneorpado e americano, a 300 rs. o co-
rado ; dito azul superior fazeoda america-
na, a 320 rs. o covado ; dito trancado bran-
co, a 3(0 ra. a jarda em pecas ; madapolSo
fino, a 3,800, 4,000, 4,800, 5,000 e 5,200 rs. ;
meias americanas cruas e encorpadas, a
4,000 e 5,003 rs. a duzia ; riscadiohos ge-
noveza. muito finna a proprioc n>f rniipa
de meninos, a 320 rs. o covado ; lencos de
soda de excellentes padrOes e muito fino,
a 2,400 rs., alm destas fazendas ha um sor-
timento completo de Nzendas de bom gos-
to que se vendern por preco baratissimo
para se adiantar a venda das mesmas : na
ra do Coliegio, n. 1, loja da estrella.
Deposito, da fabrica de
Todos-Ds-Santos na Baha
Vende-se em casa de N.O. Bieber & c.
la rna da Cruz, n. 4, algodSo trancado
laquella fabrica, muito pioprio para saceos
de assucar, roupa de escravo* e fio proprio
para redea de pescar, por preco muito com-
modo.
Aviso aos Srs. artistas sa
pal iros.
Moren-a & Ve Mozo,
acabam de recebero melhor e mais bello
couro de lustro que a este mercado tem
vfndo ; porque o lamanho das pelles e qua-
lidade do couro he tal que muito deveagra-
dar aos Srs. mostres sapateiros, para me-
lhor aervirem a seus freguezes ; o preco a
vista da qualidades se diri, mas afince-
se que seri commodo e hem commodo : na
ra Nova, loja n. 8, onde se vende nica-
mente o dito couro.
Ka loja de Maya Ramos & Com-
panliia, na ra Nova, n. 6,
vendem-se as mais superiores navalhas in-
gleses, cabo de ntarfim ; caivetes linos pa-
ra peonas; estojes completos para barba;
ditos para coatura, com mus'ca ; ditos de
ni Hiemal ica ; ditos de limpar denles; es-
covas para denles, cabello e roupa; e outros
objectospor preco commodo.
C. Slarr & Companha teem a honra de
avisar aos seos-freguezes, e ao publico em
(jeral.quea sus grande fundieflo em 8.-
Amaro alm do sortimento que constan-
ipmwiu -.... *h. aBBaaaaBBaBBBal
muiiaa monda* de canna, e de varioe l-
mannos feitas no mesmo eslabelecimento
pelos mais peritos ofnciaea, e com o msior
cuidado e perfalcSo; (anto assim be, qua
os annuncianlcs se ufanan) em garanti-la*
lelo primeiro auno. A* moeudaa inleiraa
todas de ferro construidas as ollicinas
ilos annunciante, s.1o muito superiores a
'inaesqtri ras da mesma tu tu rea que
ido aqu offerecidas, pois
aquellas encerramemi certose imprten-
les inelliorainciitos, rosullado ae mais ale
->0 annos t experiencia e pratica no paiz.
-- Aluga-se um sobrado reccnUmenle
acabado, na ra da UniSo, cent os melbore
eommodo para urna on ditas familias, con-
sKtenle* em excf lenles salas', alcova*,lu-
s cosinhas, coi eir grande, quintal dilot
os preteridn'tes diriiani-seaiua ds Auro-
'a,n. 4. 7^
- Caumont, dourador, na roa Nova, T
132, Tabrica de raudieiro*, tanto de gas eo*ni>
l'j" azeite, lom prompto um (orlimenti
'dos mesmo* de muito bom goslo O mesmo
tabriearte lamben, WeM, prateia e broil
zeta iodos
, concert
Vendas.
-- Vende-se um cavallo de boa figura,
que carrega baixo aoteio : na ra da Auro-
ra, n. 44.
Vendera-** 13 escravo, sendo : urna
ptima mulalinha recolhida, de 14 anuoa,
qu* cose bea eengomma liso ; usas dita de
25 auno, de boa conducta ; urna negrinh*
de 14 annos; 4 escrava* moca, de bonita*.
figuras ; um lindo lulalinho de 10 annes ;
um pardo de 92 snnos; 3 esersvos mocos de
bonitas figuras: n* ra Uireita, n. 3.
Vende-ae urna cabra ( bicho) boa leitei-
re, e com dua* cris: na ra Na ra largado Hozario, n. 22,
vendem-se 5 pardas que engommam, cosem
e cozinham ; um pardo de 18 anuos, muito
robusto, e que he proprio para pagem > 3
multiuhos de 3a 10 anuos; um uiolequc
de 18 anuos, bom carreiro; um preto de
35 annos, de boa conducta, o que se adan-
es ; urna negrinh* de 14 annos, de linda fi-
gura ; um dita de 18 annos, de naci An-
goja; urna dita d* 30 anuos, por. 350 000
rs., boa coiinheira e muito desembaraoa-
d* para urna casa ; urna dita de 80 anuos,
propri* para o campo, por estar acosiuma-
dotesse trsbalho
Sapatosde lustro 8oo rs. o par.
No Aterro-da-Boa-Vista, loja a. 58, de
JoSo Tibrcio di Silva Guimirles, vendem
.pato de lustro com alguma varia, pa-
ra meninas de I a 10 innni. uno r o par-
^tobon par enbora, a ,760 rifo pr !
n barato, e a porcflo lie pequen.
-Vende-se o sitio Ageazinha em Bebe-
riDe,no pino da Uadeira, muito grande
com pasto para crfacSo de g*do, com DOs
hlillt n> n,n.m ,,.......
oso metaes de divers** cOres; h*lM* par* capta e canq*. Vari* fructei-
etorn*nrdenotoWdoiosao- r*a,CM de vrnda, brtttnte fdlii qu'e
JaV*Lchapeos do Chile, de aba
pequeas e copa baixa, chegado*)
rcenlemenle do Uio-de-Janeiro :
na praca da Independencia, ns.
i4,a6ea8.
AttncJto.
Vendem-se, sforsm-se, ou slugam-se
duas propriedsdes de caas torrea*, sitas na
cidade de Olinda, um* na ra do Cabral,
com commodo sufilciente* para qualquer
familia, tendo quintal e cacimba, rodeado
de muro, com estribara para S cavalloa, e a
nutra na ra da boa-Hora : lar-se-hi to-
do o negocio, em ronsequencia de leu do-
no se querer retirar par* fera do imperio,
por causa de molestia : quem pretender, di-
rija-se* tua do Cabral, na mesma casa n.7,
a fallar com Antonio Joaquim Pereir* da
Silva.
Milho novo.
Na roa do Itangel, armazem, n. SS, ven-
de-ae milho novo por commodo preco.
Xaropo do Imbaiba composto e propa-
lado pele pharmaceutico Jos da Cruz San-
os. Este sarope tem o maior elogio na cor-
te do Rio de Janeiro, tanto pelos medicse
seus habitante*, como pelos elTeito* que
produz as moleslia*|quehepplicado;bem
como aOeticfio do polmao, ihysicas pulmo-
nares, bronchite, catarros agudo* e crni-
co, coqueluxe, e outras molestias que por
fraaueza de estoma?" e conslipacSo, pro-
duz a maior ruina no corpu humano, tor-
nando desta forma incapat de dirigir seus
trabalhos. Veude-se na bolioa de Maooel
t.biz de Abreu, na praca da Boa-Vista, n. 32,
ns m**ma botica se vende remedio contra
os embriagados, viudo do lito de Janeiro, e
tintura de losna romana,
De patente a lo,ooo rs.
Grande sortimento de chapeo* de sol, de
AGENCIA
(i fundifao Low-Moor,
I l DA SKNZALT.A-NOVA, V. fa.
Ueste estabelecimento conti-
aa a haverum completo sorti-l
cito de seo e btela ; ditos para senhorss e
mininas, a 2,000 rs.; ditos depannnho pa-
s homem ; bonetes de panno para homem
-i meninos; ditos de riscadinbo para me-
ninos, a 240 rs. ; ditos de velludo- de ti-
grillo, a 480 rs.; chapeos de merino preto
tino, a 6,500 rs.; ditos brsncos, a 7,000 rs.:
na ra Nova, n. 2, atrs da matriz, loja de
A. Colombier.
Potassa da Bussia.
Vende-se superior potassa ds Russis, da
miisij'iTa que ha no mercado, por preco
commudo : na ra do Trapiche, n. 17.
\ rados de ferro.
Na fundicSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se srsdos de ferro de diversos mo-
delos.
Fardo novo a 5,500 rs.
Vendem-se sarcas grande* com i arro-
bas de fsrelo, chegidas no ultimo navio
de llsmbnrgo : na ra do Amorim, n. 35,
casa de J. J. Tasso Jnior.
Taixas para eng-enho.
Na fundicSo de ferro da roa do Brum,
icaba-se de receber um completo sortimen-
.ode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
lases icbam-se a venda por preco com-
nodo e com promplidSo embarcam-se,
iu carregam-seem carros sem despezas ao
somprador.
A 8,000 rs. cada um.
Chales de seda grandes
e de bom gosto.
Na Inia He Ciiim..?; llennnne. na
ru do Crespo, n. 5, vendem-se chales de
seds, grande, de bom gosto e de booitos
psdroi's, a 8,000 rs. cada um ; corte de ca-
semir* de cOres, de muito superiores pa-
drOes modernas, pelo barato preco de 6,000
rs. cada corte ; merino preto fino francez, a
2,500rs. o covado; dito ingle/, a 1,440 rs.
o covado.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Atteneao.
Vende-se cera de carnauba em saceos de
.arrobas para cima; sapatos do Aracaly,
muito superiores; sola ; pelles de cabra .-
ludo vindo ltimamente do Aracaly no
Itiate liuviduio, e por menos proco do que
em outra qualquer parte : na ra dos Ta-
noeiros, n. 5, armazem de Domingos Rodri-
gues ee Andrade.
Vende-ae, por preco commo-
do, potassa em barriquinhas ; fu-
mo para milo e capa de charutos :
nos armaiens do fallecido fira-
guez e Dias Ferreira, no caes da
alfandega, a tratar nos meamos,
oji com Novaes &c Companha, na
ra do Trapiche, n. 34.
Cdigo do commercio do impe-
rio, e compendio de pratica do
processo,
vende-se por 5,000 rs. na casa da residencia
do doutor l.ourenco Trigo de Loureiro, na
ra da Saudade, defronte do Hospicio, e na
livraria da praca da Independencia, ns. 6 e
assim a segunds serie do ndice chrono-
logico da legisIscDo brasileira de 1850, con-
leudo o cdigo de commercio do imperio
ltimamente ssnccioiiido, como o novo
compendio de pratica do processo, obra in-
lleressante por sua brevidade e exactidSo a
asento de moendas e meta*} moen-[qU,nt08SepropOemoomciode juigar, ad-
i 11, para engenho ; machinas del "ogar, ou procurar no foro Nos meemos lu-
vapor, c taclias de ferro batido
o^do, de todos os tamanhos,
para dito.
Sal Vende-se sal do Ass, a bordo do hiato
S.-Joi, tundeado defronte do trapiche do
algotlito, a tratar com o mestre, ou na ra
da Cruz, no Recite, n. 24.
Veode-se urna preta : na travessa de
S.-Thereza, becco do Lobato, n. 4.
Vende-se um melhodo quasi novo pa-
ra piaho, por llenri Berlini ; urna nauta dt
bano, rom 5 chaves de prata em bom uso :
na praca da Independencia, 11. 14.
Vende-se um moinho de moer caf,
com lodos os pertences, proprio para refi-
nado ; um braco de batanea de RomSo &
Companha,com conchase pesossl 5 ar-
robas : tudoem muito bom estado : na ru
da Cruz, n. 36.
Vende-se ums pedra marmore com 8
palmos de comprimento e 3 ditos de largu
rs e mel palmo de grossura : ns ra da
I'raia, n. 55, lypograpnia da viuva Roma.
Pechncha para os Snrs.
mes tres sapa ti-iros.
Couro de lustro a 3,800 rs. e b-
zerro francez a 3,000 rs. a pelle.
J080 Tibrcio da Silva Guimarfles, com
loja de calcado, no Aterro-da-lloa-Vista, n.
58, avisa aos Srs. mestre da ollicinas de
sapateiro, que elle tem para vender supe
rior couro de lustro da melhor qualidade
que existe no mercado, e pelle grandes,
vindo ltimamente pela escuna uroro de
llantburgo, pelo baratissimo preco de 3,800
gores conlinua-se a subscrever s 34,000 rs.
para o ndice chronologico, explicativo e
remissivo ds legislacSo brasileira de 1822 a
1818, cujo terceiro volume dore brevomen-
to sabir a luz.
1!>fTSD0:B patente inglez, pelo barato preco de 10,000 la pello; bezerro francez, a 3.000 {* a
rs cada um, com basteas de baleia e de ac: le, eem qusrtosaSOO rs. ; e todos os mais
dito* mais pequeo* para menino* ; dito
de seds preta, a 5,500 r.; dito* de cores, a
,8,000 r.; ditos de panninho, a .800 rs.;
chapeos branco* de castor, patente inglez,
e de aba larga, a 12,000 rs.; ditos de aba
estreita, a 9,000rs.; ditos franeezes, do*
melliores, prov* d'agoa, a 8,000 r.; dito*
modernos, 7,000 rs.; chapeos do Chile,
pelo barato preco de 6,500, 7,500, 8,000 e
,uou rs.,- bem como um completo aorti-
m*nto de fazendas linss e grosaaa, por mui-
to barato preco : n* ru* do Queimado, n. 87,
armazem de fainada*, de Raymuudo Car-
io* Lei te.
Vendem-se escravo*) baratos,
como sejam : molecotes de boni-
aviamentos para calcado, que se vendem
por menosiaV'doqueem outra qualquei
parle, e para conhecimento ea verdade os
Sr. sipateiro vio ao mesmo eslabeleci-
mento que a reconhecerSo.
I'hilosophia deCouiin.
Vendo-se hpilosophia de Cousin, tradc-
elo portugueza, 3 v., por 1,600 r*. a obra^
no pateo do Coliegio, cis do livro azul.
vendem-se chapeos franeezes, de bo-
nilss forma e muito finos, a 7,000, 8J)00e
9,000 ra.; ditos de pall.a amarella, a 4,000,
5,000 e 6,000 rs.; ditos par. senhora com
arrendado de belfo; ditos com arreada
do de tilo branco ; ditos de palha para me-
ninas ; ditos de palha de Mantilla par* ho-
mem ; chapeca de sol, de seda com arma-
para curar da phlysica em lodos os seus
dilferentes grios ou motivsds por consti-
pacOes, tosse, aslhnta, pleuriz, escirros de
singue, dr de costase peitos, palpitacto
no coracSo, coqueluche, bronchites dr
ns gsrgsnt* e todas aamolestia* dos orglo*
pulmonares.
De todas a* molestiss que por heranca fi-
cam ao corpo humano nenhuma ha qua
mais destruitiva tenha sido, ou quo tenha
zombado dos esforcos do* horneas msis
eminentes em medicina, do qua aquella
que be geralmente contienda por moles-
tia no bofe. Em varia* pocas do s-
culo passado, tendo-se offerecido so publi-
co difiranles remedios com atteslados das
extraordinarias curas que elle tem feito;
porm quasi que em lodos os casos s ludo
tem ido apenss pssssgeira e o doent
tornea recahir em peor estado do qoe ae
achava antes de applicar o remedio tilo re-
commendado oolro tanto na*o acontece
com es te extraordinario
Xarope do Bosque.
Novas ft Companha, os nicos sgeetes
nesta cidade provincia, nomeado* pelos
Snrs. R. C. Yates & Companha, agentes
geraes no Rio-de-Janeiro mudaram o de-
posito deste xarope para a botica do Snr.
Jos Mara G. Rampa, na ru* doa Quarteis, n.
12, junto ao quart'el de polica, onde aempr
acharo o nico e verdadeiro, a 5,500 rs.
cada garrafa.



...<*,.<..: -*-#.
'/!
t
t
1
P
*
n
A1,000 rs. o corte.
Na loja n. 5, que faz esquina pira a rur,
do Colleiiio, vendem-se cortes com 3 cora-
dos e meia de brim de algodlo trancado de
listrss edequadros, pelo barato parco de
t,000 ra. cada um corte.
Vendem-se e alugam-se as melhores bi
chas liamburguezas que ha no mercado,
tanto em porc.to como a retalho : na ra
das Crines, n. 40, taberna de Domingos da
i I va Campos.
AosSrs. de engenho.
vendem-se cobertores escnros da algo-
ilSo, propriospara escravoa, por serem de
muita duracOo, pelo diminuto preco de 646
rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que volta para a cadeia.
Deposito de Potassa.
Vende-se- muilo nova potassn
de boa qualidade, em barriszinlio-
pequeos de quatro arrobas, po
preco barato, como j ba muilo
lempo se nao vende : no Hecife.
ra da Cadeia, armazem n. n.
As novas cassas sublimes
a U.240 rs. o corte.
Na leja de CuimarSes & llenriques, na
ra fio Crespo, n. 5, que Taz esquina para a
ra do Collegio, vehdem-se novos corlea da
cassas finas denominadas sublimes, pela
sua boa qualidadee barato preco.
Gambredesa 1,800 rs,
Vendem-se os he acreditados cor tes de
gambreoes, a 1,800 e 3,000 rs. o rrle ile
raleas : rata fazenda torna-se recomrr.enda-
vel, iMiin por sua qualidade como por ser
de muita durado e de bonitos padrOes : na
ra do Collegio, n. 1, loja.
Limas de egulha a At> rs.
Vendem-se limas de agulha : na ra da
Cadeia, loja de ferregens, de Antonio Joa-
quim Vidal; assim como outras fciragenjs
para ourives, por preco commodo.
Chegaram novarnente a ra da Seu-
zalla-Nova, n. 49, relogios de ouro errata
patente inglez, para bomem e senhora.
Vendem-se amarras ou wrro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
Chitas trancezas finas a
.3*20 rs. cada um co va do.
Nh ra do Crespo, n. 5, confronte ao ar-
co de 8 -Antonio, vendem-se chitas france-
zas finas e de modernos padrOes ainda u!W>
vistos nesie mercado, pelo barato preco da?
390 rs. cada um rovado ; panno prclo, pelp
barato preco de 1,600 rs. cada um covado;
lencos de cambraia brancos e abeitoa pela
beba, a 2,800 rs. cada urna duzia.
! amiba de mandioca de
S.-Cal harina.
Chegou em direilura de S.-Catharlna o
brigue nacional Minina, com um carrega-
mento da superior farinha muilo nova, e
acha-se Tundeado defronte do caes do tt'a-
mos, onde se vende a preco commodo, ou
em casa de Manoel Ignacio de Oliveira, na
praca do Ccmmerrio, o. 6, primeiio andar
A 640 rs. o covado de al-'
paca preta lina.
Loja ii. $,
de CuimarSes & Henriques, que faz esquina
para ra do Collegio, vende-se alpaca pre-
ta fina, pelo diminuto preco de S40 ra. o
covado, preco esto por que nunca se vcudeu
fazeada igual.
Fardo a 5,000 rs. a
sacca,
e o mclhor que lem vindo a este mercado :
na ra da Madrc-de-Deos, armazem de Vi.
cente Ferrcira da Cosa.
ffff*f?*f**ffff#
* Vendem-se rrlesde calcas de case- J
^miras de cores, padrOes modernos, la
4,000 rs. o rrle : na loja do sobrado?:
dor
..amarello dos quatro-cantos da ra ao^
?Queimado, n. 99.
kA*(ftAAa|A*MAt|*aA*4
Vende-se um morada de casa de pe-
dra acal em uui sitio do Ciqui : Ba ra de
Hurtas, n 88.
KnatioLivi amento, n.H
Vende-se calcado franez, sendo borze-
guins de fazenda* de cores com biqueira de
i ouro de lustro para meninos, a aapalos de
duraque preto para aeohora ; um par de
brincos cosa brilhanleae um annellSo com
diamante.
Yende-se un jogo de malas
de pregara por 10,000, em pililo
bom estado: a tratar nesta typo
giapbia.
-- Vende-se um escravo da Costa, cuja
conducta ae flanea, de 90 a 22 a o nos, ruui-
10 curpoii'iiiv v pauprio paia ....../ho e
assucar, ou outro qualquer ir.balho : oa
ra da Cadeia do Ittcile, n. 48, terctiro
andar.
- Vende-se urna linda otocama de 13 afi-
nos, sem vicios nem achaques ; 9 escravos
basUnle robustos, que enleodem de plnnla-
C'S, de sitio, bous ortelOes, um dos quaes
sabe tirar leitee bolar canoa ; 3 |retas boas Fazendas pretas por precus nunca* vistos.
Cal a 3,ooo rs o bsrril.
Conha & Amorim, para tquidarem, ven
dem um restante de barris com cal vir-
Sem de Lisboa, pelo diminuto preco de
3.000 rs. o barril : na ra da Cadeia do He-
cife, n. 50.
Vendem-se sapalSes de cou-
ro de lustro, pelo baratissimo pre-
co de a,5ooe 3,ooo rs. suporio-
res, e de ponto fixo, a 3,fioo e
4,ooo rs. ; ditos de beze'rro fran-
cez, a a,5oo rs. ; ditos brancos do
Aracaty : na ruada Cadeia do Be-
rife, n. 9.
Panno pardo fino a 4,000
rs. cada um cova o.
Va loja da esquina da ra do Crespo, n 5,
vende-se panno fino pardo e cor de caf,
pelo barato preco de 4,000 rs o covsdo ;
dito preto e azul, a 3,000 rs. o covado, e de
nutras muitas cores e qualiddes, por dimi-
nuto preco.
Ao barato preco de 140
rs. o covado.
Na loja n. 5, de CuimarSes di llenriques,
vendem-se chitas escuras, pelo diminulo
preco de 140 rs. o covado, e de outras mui-
iss qualiddes por diminulo preco.
Acaba de chegar
loja da ra do Crespo, n. 6, um
novo sortimento defaiendas ba-
ratas,
corro sejam : cassa-chitas muito finas, df
cAres lizas e com 4 palmos de largura, a
390 rs. o covado; cortes de dilas a 3,000 e
9,400 rs. ; riseado do linho, a 940rs. o co-
vado ; dilo de algodlo americano para es-
cravos, a 140 e 160 rs. o covado; dito mona-
tro com 4 palmos, a 900 rs.; zuarle azul, a
200 rs. o covado ; dilo furia cOres, a 200
rs. ; chitas de cores fizas e de bonitos pa-
drOes, a 160 e 180 rs. o covado ; fortes de
fostlo, a 600 rs. ; chales de tarlatana, a
1,980 rs.; meos ditos, a 390 rs.; coberto-
res deaIgodflo, a 640 rs. ; alpaca preta de
rordo e com aele palmos de largura, a
1,980 rs.o covado; e oulraa multas fazen-
das em conla.
Para se acabar.
Vendem-se superiores pannos finos d
melhor qualidade que lem apparecido (pro-
va de limito) rr de caf, a 4 e 5,000 rs. o
covado ; dito azul, a 3,500 e 5.000 rs. ; dito
preto, a 5, 6, 6,500, 7, 7,500 e S.OoO rs.,
qiialquer deslas qualiddes he a melhor
pdssivel; corles de cssemira de cores mui-
to finas, a 4, 5, 5,500, 6 e 6,500 rs.; ditos de
meia rasemirasdelSa, de bonitos padrOes,
1,600, 9. 3e3,500 rs. ; casimira enrama-
da muito fina, a 1,800 rs. o covado ; cha-
peos de massa francezes, do oltimo gosto, a
6,500 e 7,100 rs. ; setim preto macio mui-
to lino, para rollete, a 2.S00, > a 3,500 rs. o
covado ; camisas de meia muito tinas, a
1,280 rs. ; alpaca prela fina, a 610, 800 a
1,000 rs. o covado; piinceza prela, a 800 rs.;
chales de Ida de superior qualidade, a 1,600
9,500e 3,500rs.; casa* de ran.-gem gran-
de e de vara de largura, superior fazenda
para cortinados, a 700 e8O0 rs. a vara ; to-
das estas faiendas silo de superior qualida-
de a vendem-se por estes precos para se
acabaren) : na ra do i'ollegio, n. 1, loja da
eslrdia.
.t eccftc9fr
A TlinCA. #
# Chegaram os muilo procurados cr-9
tes de tpele para sapatos, tendogran-f
A variedad de gostos : vendem-se naff
Cloja do sobrado amarello, nos qualro-fe
cantos da ra do Quelmado, n. 29
O **##
Vcnde-se assido aolphurico,
a 3oo ra. a libra : na ra do Cabu-
g, loja do Duarte.
Tet idos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-au tos.
$ ra da Cadeia, n. S,
endeni-se por atacado duaa qualidadee,j
jiroprias par* saceos de asaucar e roupa de
sien vos.
Moendns superiores.
Na fundicSo de C. Slarr & Compauhia ,
am S.-Amaro acham-se i venda moendas
le canna, (odas de ferro, de um modelo e
eonstruccSo muilo superior.
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sol, de seda pret-
com barra lavrada, a 6,000 rs. ; ditos furia
cores, a 6,500 rs.: estes chapeos aSo mui-
lo hem construidos, muito fortes e de boa
seda : na ra do l'assoio, o. 5, fabrica de
chapeos de sol.
Vende-se, na ra da Cadeia do Recito,
loja n. 54, de joaquim hibeiro Pontea, dous
pares de adragonas multo ricas, sendo um
para capilao e Outro par tenente-coronel
para cima, un moiuv um uivueruu u <-
de-iaiieiro, dous Chapeos armados de cas-
tor, urna (ori;0o do cavernas de sicupira pa-
ra barcaca, e muitas outras taboas. salvadas
de urna barcaca, 40 pipas vasias, 2 lanchas
velhas ludo por barato preco.
Ol! que pechincha !
*'
(uitandeiras ; 2 ditas de .ervico de Ca : no
jateo do matriz de Santo-Antonio, sobra-
do, n. 4, segundo andar, te dir quem
vend.
- Na ru da Cr/uzes, n. 22. segundo an-
ciide-se una ef.crava da Augola, de
11 figura, que engouima, cuse cliso,
'ni bcui r lava de fnbao ; ama dili de
-jo anuos, rom as meamaa habilnladea; urna
dita da Costa, ptima para o campo.
Vende se usa parclha de smbomoe de
cedro aindf novos l>ara harcaja : na estan-
cia de Jojo UoleUio, em a ra da Preia.
Veniio-se a taberna da Iravesaa do Qoei-
riiado.n 5,rom poucos fundos, rorm muilo
nfreguezada : a tratar na meaaaa.
Vende-sa panno verde e azul multo su-
i eriores, proprios para fardas: na ra do
Crespo, n. 9, loja amarella.
em attencao a boa qualidade dallas.
Alpaca de cordSo que parece barragana,
de todas as cores, a 640 rs. ; sarja de Ua de
duss larguras, a 6t0 rs.; merinos, a 1,600,
2,000, 3,000 e 4,000 rs.; panno prelo lino, a
3,000, 3,800, 4,000, 5.00J 6,006 e 8.M0 ra.,
[este he panno o msit Dqo que se pode ima-
ginar e tem da largura 0 pollegadaa ; luvas
pretas de seds para senhora, a 390 ra. o par;
e ainda resta urna porc,3o de ecas de caaaa
lisa fina, com 19 jardea, a 9,500 ra. por
lera dobra de fra algum sujo : no AUrro-
la-Bpa-Vista, n 18.
Vendem-se nscados francezes, a 120
rs.o covado; panno preto, a 1,000 it. j
chales de 3a abortos, a 1,600 rs.; corleado
vestidos de lanzinlm, a 3,200 rs. ; cortes de
calcas de brim trancado braaeo militar,
muito encorpado, a 1,800 rs.: na ra do
llQuelinado, n. 5, loja.
Quem admirar
venha ver e comprar.
Na ra do Crespo, esquina que
. volta parat cadeia,
veodem-se pannos pretos, a 3,000, 3,600 e
5,500 rs. o covado ; dito azul, a 3,000 rs. ;
dito cor de rap, multo superior, a 4,000 rs.;
cortes de caaemira preta, multo boa, a 3,200,'
5,000 e 10,000 rs.; ditos de setim de core
para collets, a 1,600 rs.; ditos de gorgu-l
rao, a 1,280 rs.; ditos de brim branco dej
linbo para calcas, a 1.600 ra.; ditos de fus-
tfio para collets, a 600 rs.; ditos de casta
para vestidos, de muito bom gosto, a 2,400
e 2.500 rs.; cortes de brim amarello do pu-
ro linho, a 1,400 rs.; cassa preta, a 140 rs. o
covado ; ditaa ale cores muito bonitas, a 900
e 280 rs. ; alpaca preta de cordato, com 7
palrros de largura, a 1,980 ra. o covado,
aendo esta fazeada muito propria para cat-
eas, sdbre-casscas e vestidos, por ser muito
forte econmica em restada lar^ora; ris-
eado de linbo aju'zinho, a 240 rs. o cova
po; lencos de seda para grvala, a 1,980
ra. ; diloa para algibeira, a 1,980 rs. ; suer-
te azul de vara de largura, a 900 ra. o cova-
do ; dito furto cores, a 900 ra. ; riseado
rr.onstro, a 2M rs.; picote muilo encor-
nado, propriootra escravos, a 940 e 180 ra.
o covado ; riseado de algodo americano, a
140 rs. o covsdo ; corles de brisa de lis tras
decOres, a 1.0M rs.; ditos com listra au
lado, a 1,980 f*. ; ditos escuras, a 1,980
ra.; pecas de chitas muito bonitas, a 5,500
rs.; dilas escuras de cures fizas pora casa ,
a 160 e 180 rs. o covado ; chales de tarlata-
na, a r,280 rs. ; melos ditos escuras, a siO
rs. ; lencos de cassa para grvala, a 390 ra- ;
mcias para menino!, a 100 i*-, o par ; ditas
muito superiores para senhora, a 400 ra.
lencos peqneros de Illa com trea ponas pa-
ra escravos, a 140 ra.; casaa de zadrez para
vestido, a 320 rs. o covado ; ecas de cam-
braia lisa com 8 varas e meia, a 9,700 ra;
dita muilo lina, a 640 e 780 ra. a vara ; cha-
peos de sol, de paoninho rom bastes de ba.
lela, muito bona a 9,000rs.; e outras mui
tas f> endas baratas que a vista dos com-
pradores se farao os precos.
Panno ctiro ti 1,200 r
1,300 rs.
Vendem-se cortes da excedente fazenda
denominada panno couro, a 1,900 e 1,300
ra. o corte de calca*: esta fazenda he multo
encornada, escura de malta duracSo: na
ra do Collegio, n. 1, loja.
Os amigos ripeados mons-
tros a 4JtO rs. o covado.
Na loja de CuimarSes & Henriques, ven-
dem-se os antigoe riscados monslros, de 5
palmos de largura, e de padrOes novos, a
280 rs. o covado ; riscados california, de co-
rea finas e muito encorpados, e lambem de
cores escuras, pete barato preco -de 90e rs.
o covado.
Fazendas baratas.
No armazem de faiendas, da Baymundc.
Carlos l.eite, na iua do Queimado, a. 97, lia
um bello soitioienlo de fazeiidas de luda*
as qualiddes, por os precos mais coiurr.o-
dos que se teem vendido, a saber : pecas de
madapolo da India, com 24 jardas, muilo
fino, a 3,200rs-; dito multo fino e encorna-
do, com 4 palmos e meio de largura, muito
proprio para camisas de escravos ior sarde
muita duraeflo, a 3,600 rs ; alpaca d cor-
dio, de lindos gostos, e de diversas cOres,
proprio para palitos, casacas e calcas, a 800
rs. o rovado ; dita prela muilo floa, a 800
ra.; ptimo risesdo fiancez de varias cores,
a 280 rs. o covadr-; corles de brim pardo
oara calcas, a 1,400 rs. ; ditos de quadros
miudos, muito bonitos, a 1,000 rs.; risea-
do monslro, 919 rs. o covado ; cortes de chi-
ta chineza, gosto escolbido, a 8,50 rs.
alualhada entrancadocom 7 palmos a meio
de largura, a ttoo rs. a vara.
A 1,000 rs.o corle de
caiyis.
Vendem-se brina trancados ie
lislras ao laclo, dos mais 'moder-
nos padid.es, tendo tambern tr
de ganga, a l,oeo r o corte de
calcas : na ra do Queimado, n.
8, toja confronte botica.
Vende-sa um bonito moleqoe de 20
auno, que cozinlia e diario de urna casa,
pelo preco de 370,000 ra. : lodos oa diaa de
meio-dia em dianie : na ra larga de Roza-
rlo, n. 48, primeiro andar.
Com 8 palmos de largu-
ra o novo algodo mons-
tio trancado california.
Na loja confronte ap arco de S.-Antonio,
n 5, vende-se o novo algodSo monstro trau-
cado, com 8 palmos de largura, pelo barato
preco de 800 rs. a vara.
Vendem-se coUeecSes com
mais de seis litadas vistas, repre-
sentando a ponte do liecie com a
allandega, a ponte da Boa-Vista,
a cidade de iina, a ponte do Ca-
cbang, l'ocorda-l'auella, o a ra
da Cruz com o arco do bom-Jesus;
bem como duas grandes vistas de
l'ernainbuco : na ra da Cruz, n.
lo. casa de Kalkmann lrmaos.
Cadeiras de balance
muilo cotnmodas, e cadeira de
asiento de palbinba, vendem-se
por preco mito commodo : na ra
da Cruz, ti. io, armasen! de Kal-
kmann IrmJos
Vendem se fleos capotinbos de blondo,
do mais lindo modelo quo ha ebegado l-
timamente do Franca ; bern como um sor-
11 mate de ricaa touca para baptizado, o
preco muito em conta : na tua do Cabug,
loja de 4 portas, do Duarte.
Cli de Sau-1'aulo.
Vende-sa rico cha de San-Paulo, a 9,240
rs. a libra : bO pateo do Collegio, cisa do
Uvroazul.
Navalhas de patente.
Vcndem-ae navalhat finas de
patente para fa/er barba.; estojos
completos de todos os ferros para
cirurgia, obra muito fina, por pre-
co commodo : na ra da Gru, no
Recife, n. 43, loja de Joaquim
Aatonio Garneiro de Soma Aze-
vedo.
Bichas de Hamburgo.
Vendem-se es verdadeiraa bi-
chas de Hamburgo, os centos e
retalho : tambern se sngame v5o-
se applicar a quem precisar ; na
ra da Gru, no Recife, n. 43, lo-
ja de Joaquim Antonio Garneiro
de Souza Azeredo.
fWfffffWrff f t*ff >
2
Na loja do sobrado amarello, nos
quatro cantos da ra do Queimado, Jj
6,000 J
de cabra: tudo por menos preco do que em
outraqualquer parle.
Naneada* Cadeia-Velha, n. 17^
toja de miudezas, ,
vende-se froco fino e grosso de todas as co-
res, por preco meia barato possivel ; car-
teirascom agoHiase agulhetas de todos os
nmeros e de superior qualidade; caixas
para phosphoros muito jocosas.
Rap Paulo-Cordeiro :
vende-se na rus d Cadeia, n 22, segundo
andar; ru do Cabnga, loja do Doarto ; no
Aterro-da-Boa-Vista, loja do Estima.
Vinho de caj
fabricado ba qualreannos : no Recife, ra
do Azeite-de-l*eixe, armazem n. 5.
.- Na cocheira de Pre-de-rorts, junio
ao quartel do quinto batethle de fozileiros,
vende-as um cavallo muito novo e de boa
figura. ^^_^^^^
5,00a
6,eoo -m
5,000
7,000
n. 99, vendem-se
F Crspeos francezes de forme
C moderna
g> Cortea de calcas de cssemira
|||. de padr>s escoras
*- Ditos de dilo modernos
* Ditos de collete da gorgurlo
* de seda bordados
* Di toa de setim de coras bor-
'i dados
S Alpaca mesclada propriaa
e> para gondclss e n.iitA, o
covado
Merino preto mallo fino, o co-
vado
Dito verde ecdr de caf, pro-
prio para vestido de monta-
ra, o covado
Lencos de seda de cores para
gravata
Cortea de collete de varias fa-
zendas 800 e1,000
E outras muilss fazendea finas, co-
rro sejam: panno preto de 3,500 a
11.600 rs o covado ; diloa de cores ;
casemira prela elstica ; setim pre-
to de Macio ; chales e mantas de se-
da; cortes da veslidee de sede de co-
res e brancos ; esgniio finissimo ;
melase luvts de seda para senhora :
tudo por preco muito commodo.
iaC


a>
a>
I
l
a>

790
3,900
9,500
800
i
1
1
m
t
QMAAMktt
Atoalhado de linho de
California cora 6 pal-
mos Na loja de CuimarSes & Henriques, na rus
do Crespo, n. 5, vende-se o novo atoalhado
california de-puro linho e cora 6 palmos de
largura, pelo barato preco de 1,120 rs ; as-
sim como ha de 5 palmea de largura, a 1,000
rs. a vara.
Na loja de acia portas do
pateo do Livramento, vende-se
panno de coqueiro, a 3,aoo w. a
peca, ea aqo rs. a vara.
Xa loja de seis portas
enfrente da igreja de N. S. do l.ivramento,
vendem-se chitas, a 120,140, 160, 186 e 200
rs. o rovado, e muilo linas, a 240 rs.; algo-
dflo monstro para toalhas e lences, a 800
rs.; chales de chita pira meninas, a 200 rs.;
alpaca de algodflo para palitos, a 160 rs. o
covado ; franklim preto, a 480 rs.; sarja de
19a com duaa larguras, a 800 rs. o covado ;
alpaca preta, a 640 rs. o covado ; e todaa as
mais fazendaa por preco a convidar a trocar
cdulas para enroupar familia.
Pechincha
para os amadores d santa
economa.
Urna poreflodefinas caasas, francesas de
4 palcoa e meio de largura, de lislras azuea
e encarnadas, com floras de todas aa cores,
gostos muito bonitos e modernos : estas
cassas foram arrematadas em leilBo, por is-
s-> se vendem pela metade de aeu valor, di-
nheiro avisls.a940 rs. rada um covado;
na ra do Crespo, n. 14, laja de Jos Fran-
cisco Dias.
lio reir & Vello zo
vendem muito bom damasco de seda de
qualquer cor, pois acabam de receber um
bello sortimento desee fazenda, que tanto
he boa em qualidade como em preco com-
modo : na ru Nova,. 8, toja.
ffftfffff**fW**ffft
*D< psito da fabrica de2
Todos os Sanios, na #
Babia. *
Venda-se. e* casa de Domingos Al-J
ves lialbeus, na ra da Cruz, n. %,9
primeiro dar, algedo iraeoado de-Jg
?quelia fabrica, nauilo proprio para aac-2
seos e rouaa de escravoa f bem como4
Eflo proprio pera reewa de pescare pe-^g
SlSSSiXVSSIiSSSSt
A 6,5oo rs. dinlieiroa vita.
Vendem-se sapatos de couro de lustro
francezes, forma Inglezs, pelo diminuto
preco de S.SMrs. o par; chai eos de pallii
do alenllha, muito finos ; cannas da india
verdadeira para fazer bengalas :. na fui No-
va, n. 9, atra da matriz
rso prnjazem de Joaquim da
Silva Lopes, veode-ee farelo, a
3,000 r. a sacca, e faiinha de tri-
go francea* da maic* Bario, por
preco commodo.
Vende-se barato
Paca se acabar
Snalo de Aracaty
A oilo centos res o par.
Na roa da Cruz, n. 0, taberna de Mandes
& Braga, vendem superiores sapatos do
Aracaly,iieio diminuto preso de 800 n. par;,
cera de carnauba em Borcao e a retalao;
esleirs e chapeosfle palas soto cour.
Escravos fgidos.
i *
Fugio, nodia 26 de junbo prximo pa-
sado, o escravo Sebastiflo, erlolo, de 90 an-
nos, de boa altura, grosso do eorpo; tem
urna cicatriz na lala que desee al a so-
hraoselhe de um doaolhos, de um talho,
pea seceos e compridoa: quem o pegar l-
veos seu senhor, o capillo Bernardo Dor
nellss da Conha Ba ndeira, morador no en-
centra Pindobal da cidade da Nazareth, ou
gesta prac>,o Sr. Jos Mara Fftrreir da
nunha, morador na ra do Queimado, n.
55, que serlo recompensados.
Fugio, no da 98, o veto Joaquim, de
nsco. de 20 annos pouco mais ou menos,
de corpo regular ; lom os denles todos per-
gurossoa, e um iigns! de queimedure na
costas do tamaito de urna mSo, sem bar-
ba ; levou camisa sesteas de algodSo risea-
do aznl: quem o pegar leve-o as Cineo-Pnri-
tas, ra Imperial, n. 31, que ser* gratifi-
cado.
Fugio, no dia 4 do eorrente, a eterava
Justina, pertencente aossobrinhose herdei-
roa do finado padre Braz Manoel Machado,
supp6e-se ler Ido para Gorabira ; he de al-
tura regular, cor fula, secca do corpo; le-
vou vestido de chita prela e panno da Cos-
ta : quem a pegar leve-a i ra da Concor-
dia, casa da inventarente, Carolina Flora.
-- Fugio, no dia 2do correle, o eacraro
Bento, de naci Camundi, alto, chelo do
corpo, sem barba, pes grandes, anda um
lano banzeiro ; tem no peilo db pe esqner-
do e em cima do dedo grande do mesmq p
umss feridas ; levou somenic calcas azucs
muito sujas, mss talvez tenha mudado de
roupa : quem o pegar leve-o i ra do Col-
legio, venda que foi de SebastiSo Jos Go-
mes Penas, qne sera gratificado.
Altencao.
Dcsappareceu, no dia 3o de ju-
nbo prximo fndo, a escrava Ge-
trudes, crioula, de 34 annos, bai-
xa, clieia do corpo, seio pequeo ;
tem urna falta de dentes na frente,
e um dedo da niao esquerda cor-
tado pelo meio, o que ella faz mui-
to por oceultar ; be muilo ladim,
at de illndir a qualquer pessoa
que a nao conhecer ; be muito co-
nhecida principalmente na ra l)i-
reita ; jtilga-se que esteja oceulta
em alguna casa, o que se proce-
der com todo o rigor da lei con-
tra quem a tiver occulla. Roga-se
as autoridades policiaes e capitaes
de campo, que a aprebendam e le-
vem-naarua Direita, n. a4, que
serio gratificados.
5o,ooo ra. de gratificacio
aquemprgara preta Mara Joaquina, da
30 a 40 annos, que fugio no da 11 de abril,
de naci Congo, baiza, gorda, cor retinta,
bexigoss, olhos pequeos; tem em uros das
fscea um signal de earne ; he bailante ar-
dilosa, por sso he capaz de illuer qual-
3uer pessoa que a nlo ronheca ; aabe lo-
as aa povoecOee da provincia, por ler an-
dado a vender miudezas pelo mallo com
urna crioula de norna Felicidade, de qnmi
fui escrava ; talvez sua fuga ande eneoter
la com o negocio de vender miudezas, pois
j de outra vez que fugio andava venden-
do-a, e assim mais costosad? ser pegada.
Itoga-se as autoridades policiaes e eapilaej
de campo, que a apprehendam e levem-na
a ra dos Qusrtera. n. 99, ou aa prsea da
Independencia, n. 17.
5 de junbo de i85o.
Fugio, da villa do Bonito, o escravo Loa-
renco, crioulo, bailo e corpolenta, de cor
nem muito prete nem fula ; tem falla <<
unhas em todos os dedos dos pea, por cau-
sa de bichos que leve em pequeo, cara
redonda,de90anuos: quemo pegar tve-o
ao vigario da dita villa, e padre Manoel de
Mello KalcSo M, ou na ra da Cadeia do
Recife, n 24, loja da cambio da viuts Viei-
ra r5D, c -g?,,,,'> novo dn Cabo, no
dia 97 de junho, imi preto crioulo, oflicni
de earpina, de nome Luis dos Sanios, de 24
annos, alio, corpo regular, orelbas peque-
nss, se mos e ps bastantes grandes, nlo
tem barba ; he bastante carrancudo : quem
a peger leve-o ao dito engenho, que era
recompensado.
Fugio, do engenho novo do Cabo, ha
dona mezes pouco mala ou menos, una
prela crioula, de nome Anea, de 18 annos
alia, magra, com es beicos grouos, nariz
pequeo, chalo e eem as venial eeregaca-
Jaa ; foi vina para a bandas da Muribeoa,
no engenho fenaoduba e nesle Recife:
quema pegar leve-a ao dito engenho, que
aer recompensarlo.
Fugio, do engenho aovo do Cebo, des-
de Janeiro do eorrente auno, o moleque Ue-
nedicto, erioulo, eom principios de carrei-
ro, alto, nariz bastante chato, coa falta >
ajantes e semie. pvgraadn : quem o re-
gar leve-e ao Ho engenho, que ser* re-
eompesiaadi
Pas. :iunrr. na, r. Mtuau. UM.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG0BU07GC_IUB4QQ INGEST_TIME 2013-04-26T21:30:04Z PACKAGE AA00011611_07505
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES