Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07504


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVI
Segunda-feira 8
rAMTIMAM *OU OOKKMM..
Goianna e Parahlba, segundas esezL.s felra.
Rlo-Grabde-dn-florte, quinta felraa a melo-
da.
Cabo, Seriohiem, Rio-Formoio, Po rto-Calro
e Macelo, do 1.*, a 11, e 31 decaiamez.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flore, a 13 e 28.
Victoria, it quintal felra.
Olinda, todoi oa da.
=
MIog. a 2, aa3h.e3om.dat.
Ndva a 9. os 7 m. da l.
Creae.>16.a4 h.e 12 ro. 4a ro
Chela a24,i3h.e4m.da m.
wnMAMtAM man.
Priraelra ai 3 e 42 minuto* da tarde.
Segunda aa 4 e 0 inlnutoi da maobaa.
mtm.yfdttm
de Julho de 1S0.
N. 1*0.
8 Seg. S. Procopio. Aud. do J. doiorf. em 1. v
9 Tere. Cyrlllo. Aud. do chae, du J. da 1, r.
do cIt. c do dot feltos da fazenda.
10 Qoart. S. Januarlo. Aud. do 3. da 2. v. do elvel.
11 Quiot. 8. Sabino Aud. do J. doa orf. e do m.
d. I. r.
, 12 Seit. S. Joao Gualberto. And. do J. da 1. r.
rafegoa idiioh r po. I do eiv e do dos feltoa da fazenda.
Portrrimezei(a,ian(4dM) 4/000] 13 Sab. h. Anacleto.
Por aeii meiea 8/000 f
Por un anno 1S/O0OJ14 Dom. S. Boaventura
jitx.ro.
1/000 M. a 60 diat.
M
Sobre Londres. VP/, a 27 d. por
i Parla, 346.
Lisboa, 105 por cento.
Ouro.Oocas heipanhoei......... 26/000 a
Moedu da 6/400 velhas.. 16/500 a
de 6/400 novas.. 16/100
de4/000........... 9/100 a
Prela. PatacCesbrasilelros...... 1/980 a
Peoi columnarlos....... 1/980 a
Dito ineilcanoi.......... 1/820 a
SSJln *

DIARIO DE
PARTE OFFICUU
GVfiRNODA PROVINCIA.
LE N. 261.
Jos Ildefonso de Souza Ramos, presi-
dente di provincia de Pernambuco. Faco
saber a todos oa aeus habitantes, que a as-
sembla legislativa provincial decrctou, e
eu sanecionei a resolucfloseguintei:
Artigo t. Fica dividid a fregnezia de
Santo-Antflo com a de S.-Jos-oos-Bezer-
roa pela manelra seguinte': principiando
das nascencas do Riacho-Amora, seguir
em direcefto ao norte pelas trras denomi-
nadas Frocheiras, pertencontes aos herdei-
deiros do finado Jos Rodrigues de Sena;
inclusive at o rio Ipojuca, e.atraveasando
este, seguir na mesma direcco pelas tr-
ras continuando pelas trras do Francisco Pe-
reia, e lugares denominados Forno e Sa-
pocaja at as nacencas do riacho Tapecer-
OHaaTdahi at o fugar denominado Baixa-
do-Molung. ^^^
Art. 2. Do dito lugar Baixa-do-Holung
at os limites da comarca do Limoeiro e di-
visto das ditas freguezias, ser a mesma
que actualmente existe.
Art 3 Ficsin revogadas aa disposicGes
m contrario.
liando, porlanto, a todas as autoridades a
quem o conheciment e execucao di referi-
da resolucBo pertencer que a cumpram e- fa-
carnetumprir to nteiramente como nclla se
conlm. 0 secretario interino da provin-
cia a faca imprimir, publicare correr. Ci-
dade do Recife ile Pernambuco, ao primei-
ro da do mez de julho de mil oiiocentos e
cincoenta, vigesimo-nono da independencia
e do imperio.
L. S. Jos lldefonsa de Sonsa Hamos. >
Carla de M pila qtal Y. Exc. manda execu.
tar a reolnc* da atsembla legislativa pro-
vincial, que reitlveu sanecionar, detidituloa
frtgveiia di S.-Anido com a de S.-Joti dot
liestrroi, ludo tonto cima te devlara.
Para V. Exc. ver.
Franeiseo Luis de Catiro a fez.
Sallada publicada nosta secretaria da
provincia de Pernambuco, aos 9 do julho
de 1850.
Antonio Francisco Percira de Carvalio.
Registrada a fl. dp livro segundo de leis
provincites. Secretaria da provincia do
novarlo de Pernambuco, 3 de julhe de
M56.
Jodo Polycarpo dos Sanios Campos.
LE N. 865.
Jos Ildefonso de Souza Ramos, presi-
dente q>provincia de Pernambuco. Faco
saber i todos os aeua habitantes queaae-
sem bles" legislativa provincial deeretou, e
eu ssnccionei a lei seguinte :
Artigo nico. Fica approvado o compro-
miso da irmandade do Santissimo Sacra-
mento da matriz da Yarzoa, com as seguu-
- les modilicaces :
$ t. As sepulturas de que trata o citado
ctfmpromisso, nao podero ser abertas den
tro dentro da capella-mr.
J 2.' A irmanatade nilo pode noraear sa-
cliristo para a matriz, mas sim uin guar-
da das suas aliaias.
S 3.a A missa das quintas-feirssnao pode
ser cantada, su ni previa licenca do Parocho.
Ficam revogad trario. ,
alando, portento, a todasassutoridadea a
quem o conliccimeiilo e execucao da refe-
rida le pertencer que a cumpram e a-
cam cumprir Uo intelrainenle corno nelia
se conlm. O secretario interino' da pro-
vincia a fita imprimir, publicar e oorrer.
Cidade do Recite de Pernambuco, ao pri-
meiro da julbo de 1850. vigasroo-nuno da
independencia e do imperio.'
L. S. Joi Ildefonso d* Sonta llames.
Cr(e di le pela qual Y. Exc. mande
exervtur o decreto da ttitenlbUa legislativa
provincia/, ame lancciouou, opfrotando
compiomitst da irmandade do Sanlitilmo
Sacramento da matriz da Varstu, como acitnu
ti declara.
Para V. Exc. ver.
Frtneiteo anaci de Torree Bandeira a fea.
Sellada e'publicada nesta sectetrria da
provincia de Pernambuco, a i de julho de
ngenheiro Portier a quantia de 200,000 rs.
para a eonlinuacSo dos trabalhos grephicos
da estrada do gol.lotelligenciou-se jo en-
?enheiro director das obras publicas.
Dito. A companhia de Beberlbe. Em
reaooata ao oflicio de Vmcs. datado de Si da
maio passado, em que ommunicam a esta
presidencia n3o poderem acceder ao convi-
te feito pelo meu antecessor deisdsquelle
mez quantoa construcQSo deumchafariz
junto ao theatro publico para fornecer de
agos ao mesmo no caso de incendio com a
vantagem da proroga^So do previlegio nos
termos do art 2.' 6.* da lei provincial n.
46 de 14 de iunho de 1837, e que so podiam
fszd-lo sendo essa compinhia indemnisad'
das despezss, que flzessfl com a coostrucijSo
visto nlo julgarem sufllcientea vantagem
offerecida, tanho a declarar-lhes. que nSo
pode esta presidencia annuira pretenr.loda
indemnisicSo --o que Ihes communico pira
que quem lirteirauoa.
IDFJJ DO DA 1.
Officlu. Ao coinmandante dai armas, com-
munlcando que S. M. o Imperador, segundo
constuu da aviso do ministerio da guerra de.1l
malo ultimo, houvera por bem conceder tre
meses de licenca com sold ilmplei ao alferes
do corpo filo do Piauhr Joi Procopio Tavares
para ir a crte. Inlelligenciou-se oinspector
da pagadoria militar.
Dito. -- Ao mesino. enviando para que tenha
conveniente destino a guia do soldado de
seito batalltao de cacadore* Thomaz Carlos
Augusto de FlguelrCdo. que leve passagem pa-
ra un do corpoi da guarnlco drsta provincia.
Dito. Ao niesnio, remetiendo os proces-
tnt do saldado do quinto batalho de caca-
dores Manuel Trarilho de Caitro eliasLou-
renco Rodrigue Pereira, afiui de que faca exe- ?"* zesidirem, O primeiro, na provincia da
1850.
Antonio Francisco Pereira de Canalho.
Registrada a fl. do livro segundo de leis
r----------------_^w.w..... ,mu uu-rer-
nambuco, i de julho de 1580.
lodo Poli/carpo dot Santos Campos.
EXPEDIENTE DO OA 12 DE JUSHO.
Oflicio. Ao Inspector da thasouraria da
fazenda. transmitiendo ura ofcio do admi-
nistrador do correio desla cidade, acomps-
nhado da cirts, que se elle refere, aOtn
de que faca proceder com urgencia aos exa
mes necessarios acerca da diuerenca, que
se nota haver entre os sellos da mesma car-
ta e os de que se tein usado at agora
Scientificou-ae ao reejido adroinialrador.
fino. Ao inspector da alfandtga, par
que consini no .despacha isento doa dicei-
tos do consumo, de 236 barrloas com cimen-
to, que por corita da encommenda feita para
o arsenal de marinha por intermedio doane-
Speanles Ruth oiBidaulac chegsram hon-
m d llanihnraonn brig-je Ss.'.'ass.-U.
teirou-se ao inspector do mesmo arsenal.
Dito.Ao inspector da theaouraria da fa-
zenda provincial, para mandar adianlar ao
calaras sentencaa nellet proferidas conforme
foi determinado em aviso da guerra de 22 de
malo ultimo.
Dito. Ao mesmo, inteirando-o de ter S. M.
o Imperador por decreto de 20 de malo ultimo
promovido i efteciirldade do posto de capilar)
para a lercelra companhia do elimo batalhao
de fuzileiroa o capilao graduado do segundo
da mesma arma Jos Joaquiq de Oliveira, e ao
pasto de lente para s acato de cacadores o
alfcres do segundo desta arma MSnoel Porfirio
de Castro Araujo Communlcou-se ao Ins-
pector da pagadoria militar.
Dito, Ao inclino, scieotificando-o de ter
S. M. o Imperador, aegundo fol declarado em
aviso do ministerio da guerra de 17 de maio
prximo fiado, concedido ao segundo cadete
do primeiro regiment de cavallarla ligeira
Kraucisco de Carvalbo Medeiros passagem pa-
ra a companhia fisa da mesma arma desta pro-
vincia.
Dito. Ao mesmo, para que remeta com
brevidade a secretaria da presidencia, aflin de
ser enviajo ao Enn. ministro da guerra o pro-
cesan feito ao segundo cadete do primeiro ba-
talhao de fuzilelros Ignacio Alves de Azevedo.
Dilo.. Ao meaiuo, commuoicando que S.
M. o Imperador por decreto de 20 de malo ul-
timo houvera por bem promover i efiectivida-
de do poalo de capilao para a segunda compa-
nhia do quinto batalbao de fuzilelros o capillo
graduado do segundo da ineinia arma Joao Ri-
chardo de Almeida. Intelllgeaciou-ie o Ins-
pector da pagadoria militar.
Dito. Ao inspector da theaouraria de fa-
zenda, transmudado o avilo de urna letlra da
quanlia de 500,000 i J. aaccada pela theaouraria
do Hio-Graode do norte sobre a desta, e a favor
de Antonio liento da Coila. Panicipou-se ao
presidente daquella provincia.
Dito. Ao Juiz relator da junta dejuitlca,
remetiendoparadepois da visto ser aprsenla
do fin (rujo da mesma junta o processo ver-
bal feito ao soleado da companhia de cavalla-
rla de priineira Ilnha den* provincia Joao Pau-
lo Rodrigues. Parliclpou-se ao coinmandan-
te das armas.
Dito. Ao Juiz municipal e de orphos do
termo de (.'aruar, communlcando tero Kxin.
miuislro da justlca declarado em avilo de 23
de malo ultimo que para se paliar a Gregorio
Franciico de Torra* Vasooucello o titulo de
serventa vitalicia do otticio de escrtvao de or-
phos do niesnio leriiio, couvem que elle apr-
senle cnhecimenloaeiu formada ter recolbi-
do aos cofres pblicos os dirritoi de 40 por cen-
to, sello c emolumentos e nao da maneira por
que se vena nota que remelle, aqualdever
ser entregue ao referido Gregorio, depois de o
advertir que taes conhecimentos devem Ir pa-
ra a secretarla de estado no devidos termos,
como exige o decreto n 632 de 27 de agosto de
Dito. -- Ao administrador do crrelo, intcl-
rando de ter S. U. o Impeador, segundo fol
declarado em aviso do ministerio do Imperio
de 14 de malo ultimo, nomeado agente do cr-
relo na comarca da Boa-Vista a Joao Jos de
Araujo. Sclentlhcou-se a cmara municipal
dahoa-Vista.
Dito. Ao agesta da companhia das baroas
de vapor, para que mande dar passagem para.
a corte no primeiro vapor que vier do norte ao
lenle do sexto batalbao de fuzilelros Uernar-
do Jos da Grata, ao alferes Themoliao Perea
.da Albuqucrque Mai auliao do srguudo da mes-
ma arma e a pracas de pret perteuceote este
i,.* Ih- f.r.m ,nnrf*,l
mandante dai arma. Intelligeuclou-se ao
animo comsuandaute daa armas.
DEM DO DA 15.
OlUcio.Ao commandaniedas armas, in-
teirandode terS M. o Imperador, segundo
eonslou da aviso do ministro da guerra de
17 de maio ultimo, concedido licenca para
residir aa provincia da 8.-Cattiarina ao
major da tereeira classe do exereito Ignacio
de Sequeira Lelo Silva Cruz.Gommuni-
cou-se ao inspector da aagadoria militar.
Dito. Ao mesmo, tranaeuUittdo, para
3ue Ih* d o covenienle deatino, a relacSo
as pracas da corpo lixo da Piauhy, que,
em virtude da aviso do ministerio da guai ra
de 19 de fevereiro proximopasaado, liveram
passagem par* o quinto _bat*Hiao de fuzi-
leiroa.Participou-se a<> presideate diquel-
la provincia.
Dito.Ao mesmo, scientific*ndo-o de ha-
ai- o imperador, segunda ro decla-
rado em aviso da guerra de 17 de abril pr-
ximo, concedido qealro mexes de licenca
com goido simples ao capillo do primeiro
batalho de caladores Jos MunizTsvares
psrs trstsr de sua aade. Inlelligenciou-
se 10 inspector da pagadoria militir.
DitoAo mesmo eemmunicando que o
Exm. presidente dsg-Alagas expedir as
convenientes ordena orden? para regressa-
rem a esta provincia a reunir-a* ao seu cor-
po os soldsdos de csvallaria Jos Rodrigues
LaborSo e Agostinho Pereira da Silva.In-
tetligeneiou-se so prosidente dsquella pro-
vincia. ; ,
Dito.Ao mesmo, Intirando-o de ter 8.
M. o Imperador, segundo foi declarado em
aviso do ministerio da guerra de 16,de maio
ultimo, indeferido a surplica do alfares, do
seguodo batslhSo de caladores Guilherme
I.uiz Bernardas, relativamente a t'e mezes
da licenca com todos os seus vencimentos
para ir a cOrta.
Dito.Ao mesmo, scientifleando-ode ter
o alferes do oitavo batalho da ceeadores
Augusto Carlos Mara de Mello, segundo
constou de aviso do ministerio da .guerra
de II da fevereiro prximo passsdo, obtido
nesta data dous mezes de licenca com sol-
d simples para tratar da negocios, de aua
familia na provincia de s.-Paulo, onde este-,
ve addido ao corpo lixo.Commuuicou-sr
ao inspector da pagadoria militar.
Dito.Ao mesmo, communicando que, S
M. o Imperador, segundo foi declsrsdo em
avisos do ministerio da guerra de S Janeiro
elide maio ltimos, houvera por bem con-
cedor permissn ao alferes Joaquim Pereira
Xavier de Oliveira e ao segundo-tenente
Hernsrdo Pereira do Carmo, ambos da ter-
lerceira clsse dos olliciaea do exercito,
forma dos respectivos estatutos o menor
orpho Manoel Leopoldo Leoncio de Paula.
Seientificou-ae a adminitracSo do patri-
monio-dos orphos.
Parnhiba, e o segundo, na das Alagss.
Intelligenciou-se ao inspector da pagadoria
militar.
Dito.Ao mesmo, remetiendo o requeri-
menloe mais documentos de I). Anns Joa-
quina de Souza, viuva do alferes de primei-
ra linha Flix Corees Coimbra, em o qual
pede o pagamenlo de 416,671 ris, prove-
nientes de sidos, que se flearam devendo
'o mesmo aeu marido, alim de que f*t}a
constsr a parte interessada que para ter
cumprimento o aviso da guerra de 27 de
maio ultimo, deve Ha juntar ao mesmo re-
querimento os ttulos originaes, tarfloala
livi'la como da habilita(fio.
Dito.Ao mesmo, para que, em cumpri-
mento ao aviso do ministerio da guerra de
32 de maio ultimo, remella secretaria da
presidencia urna certidSo da guia com que
pissou do quarto batalliSo de artilhsria a
o, para o exlincto batalhSo da provincia de
Santa-Citharina o ex-solilado Soverino Ma-
chado.
Dito.Ao mesmo, communicando, que,
segundo constou de aviao do ministerio da
guerra de 24 de maio ul timo, S. M. o Impe-
rador mandara dar bailado servido ao pri-
meiro cadete do primeiro halalhflo de caca-
dores Carloa Celestino Damasceno Rozado,
que se acba na corte.
Dilo. Ao mesmo, lr.teirsndo-o de ter S.
M. o Imperador, segando foi declarado em
aviso do ministerio da guerra datado de 4
de Janeiro prximo passado, concedido li-
cengs registrada para frequentar as aulas
do curso jurdico de Olinds so soldado par-
ticular da companhia flxa de cacadores da
Parahiba Francisco Clementino de Vascon-
cellos Ctiaves.
Dito. Ao mesmo, scientificsndo-o de
ter S. M. o imperador, segundo foi declsrs-
dofem aviso da guerra, datado de 17 de maio
lo corrente anno, mandado addir ao corpo
da provincia de San-Paulo o alferes do oi-
tavo batalho de cacadores, Augusto Carlos
Mara. -- ntolligencoll-se ao inspector de
pagadoria militar.
Dito. Ao mesmo, scientificsndo-o de
ter approvado o contrato celebrado por S.
Exc. como cirurgio Simplicio Luis de Sou-
za Fontes para servir temporariamente o lu-
gar de segundo cirurgio do oitavo bata-
lho de cacadores na comarca do Brejo, me-
diante o estipendio de 70,000 re tnensaes.
Commanicou-se ao inspector da pagado-
ria militar.
Dito. Ao mesmo, communicando que
S. M. o Imperador houvera por bem conce-
der um mez lie licenea de favor, pafa tratar
de sus ssde, so alfares do quinto batalho
de fuzileiroa Luiz Jos Pereira. Scientili-
cou-se ao inspector ta pagadoria militar.
Dito. Ao inspector da theaouraria, in-
telrando-o de ter-se, secando foi declarado
em aviso da justica de 31 da maio ultimo,
solicitado do ministerio da fazenda e indem-
nisaco de um cont de ris, que a theaou-
raria a cargo de S. S. despendeu com o pa-
S;~;st~cc::I .'tapir; cret.-:tc .!;.
M. o Imperador, ltimamente enviado da
corle pareo tribunal da reiacBo desta pro-
vincia.
Dito, Ao mesmo, seientificando-o >
haver S.M. o fmperafJor, segundo constou
de aviso do ministerio dos negocios eslrsn-
geiros de 28 de maio ultimo, concedido o
seu imperial beneplcito a nomeacAo, que
conferir o conde Medem enviado de S. M.
o Imperador da Russia .Jos Candido de
Barros parr. o cargo de vice-consul daquel-
la naci nesta cidade. Neate aentido of-
liciou-se ae sepila do porto e ao chafe de
polica.
Dilo. Ao inspector da, pagadoria mili-
tar, ordenando que. em viriude de requisi-
to do Exm. presidente da Sania-Cathari-
TRIBUNAL DA RELACAO'.
SESSAO DE 6 DE JULHO DE 1850.
paasiDKNCit oo KM. saftnoa coa-
SKi.ar.iso AZCVEDO.
A's horas do costume, acliando-se presen'
te* 0* Srs. desembargadores l.eao, Souza, Re
bello, Luna Freir, e Telles,faltando com can-
ia oa Srs. desembargadores Poner. Ramoi, Vil-
lares e bastos, o Sr. presideate declara abena
a seisao.
OSxni. Sr. conselheiro apreientou em mesa
um ofncio do Exm. Sr. presideate da provincia,
participando que S. M. o Imperador >r decre-
to de 12de junbo ultimo houve por bem recen-
duzir ao bacharel Jos Uandelra de Mello no
lugar de juii municipal e de orpbaoi do termo
de Nazaretb.
DILIGENCIA.
ApptllaeHes civtit.
Appellantes, JoSo Francisco Regs e aua mu-
lher; appelladds, o herdeiros de Joo'Fillp-
Ee de Souza la-o. Mandarain proceder a
abellucau doa herdeiros appellados.
Appellante, o Dr. Joao Fcrreira da Silva; p-
ielladoi, Caetano Plnlo de Veras eoutro.
laiidaraiii ouvir o curador geral dos or-
phos.
Fol proposto o aggravo do julio do civel des-
ta cidade em oue sao :
Aggravante, oa Pedro Velloso da Sllvelra i
agf ravado, Antonio Jos Pires. Ficou ad-
ulado.
Foi asiignado o primeiro da til para o jul
gameuto das seguales appellacAes em que ao:
Appellantes, Manoel Luis da Costa e outro; ap-
pellado, o julio.
Appellantes, Joao Gomes Jardlin e outros ap-
PERNAMBUCO
pellado, o juiz de direito,
Appellante, bernardo Duartc Rrandao
appel
lado. Manoel Joaquim llabello.
Appellantes, Jonbaton Paler tt C. e outros;
appellado, Manoel de Souza Guimariea-
Appellantee, a sanU casa da Misericordia dr
Lisboae Antonio Alves Viauna; appellada, a
fazenda publica,
BivisSxa.
Passaram do Sr. desembargador Leao ao Sr.
deiembargador Sousaas aeguiutei appellacocs
em que sao:
Appellante, Jos Joaquim Bezerra Cavalcanti ;
appellado, Beato Jos da ('.osla.
Appellante, Joaquina Thomazia do Sacramen-
to ; appellado, Jos Ferreira de Oliveira
Dias.
Appellante, a prrla Manocla; appellado, Ma-
noel Francisco Hebello.
CMARA MUNICIPAL DO BECIFE.
SESSA EXTatO"DINilt DE 25 DE JC1BO
de 1850.
Presidencia doSr. Oliveira.
Presentes os Srs. Msmede, Carnero Mon-
teiro, Moraes, Vianna, Pirea Ferreira e Joa-
quim Canuto de Figueiredo, que presin
jursmento, abrio-se a sesso, e foi lida a
approvada a acta da antecedente.
Foi lido o seguinteexpediente :
_ Um oflicio do Exm. presidente da provin-
cia, communicando ter por despacho de 22
do corrente declarado sem efleto a porta-
ra de 30 de outubro do anno prximo pas-
ssdo, na parte em que tnultoo na quantia
de tresentos mil ris ao juiz de paz mais
volado do primeiro dislncto da freguezia
de S.-Frei-Pedro-Concelves, Francisco Ma-
mede de Almeida, de conformidade com a
informaQo por esta cmara dada a este
respeito.inteiraJa, eque se psrlicipssse
so procurador.
Outro da cimara municipal do Rio-For-
mozo, participando lar recebido o desta,
em que Ihe participou a posse do actual
Exm. presidente da provincia. lnteirada.
Outro do fiscal da Ba-Vista, participan-
do ter entregue ao thesoureiro dos Lszaros
Jos Pires Ferreira, a quantia de dez mil
duzentos e duzentos e oitenta ris, produc-
to livre de deseezas da arremataco de por-
cos, aprehendidoa em correcto no da 13 .
do corrente, segundo recibo que juntou.
luteirada.
Despschon-se a peticSo de Francisco Mar-
tina Rapozo, e levantou-ses sessilo.
Eu, Manoel Ferreira Accioli, secretario in-
terino a escreviOliveira, presidente.Ua-
mede. Carnero Monleiro. Moraes.Hen-
rigaes da Silva. le reir. -Figutiredo.
ii- "' i ai.. Ii JEWP-ia
DIARIO ilE PBR^UHIJCO.
HECITE, 7 DI JDLHO SE la5S.
Passaram do Sr. desembargador Souza a Sr.
desembargador Hebello as segulntea appella-
(oes em que lio :
Appellante, Jote Paulino de Messias ; appella-
do, o juiz de direito.
Appellante, Jos da Costa Guimares ; appella-
do, Joaquim Antonio do Foroo.
Appellante, Joao de Carvalbo Raposo ; appel-
lado, o curador da beranca jacente do linado
Jote Francisco Colarei.
Passaram do Sr. desembargador Rebrllo a
Sr. desembargador La* Freir aa seguinte*
appellaces em que sao ;
Appellante, o juio ; appellado, Antonio Joa-
quim d'Annunciacao.
Appellante, Pedro Soare de Mello Jnior e
sua mullier, appellado, Jos Monteiro Tor-
re!. >
Appellantes, Carlos Jote Gomes de Oliveira e
outro; appellados, Pedro Jos Rodrigue! e
tua mulher.
Appellante, o juizo da fazenda desta cidade ;
appellado, Francisco Alves da Cuoba.
Appeilant-, JosGoncslves Torres; appellados,
a vluva e herdeiros de Joao da Silva Sanios.
Appellante, ot administradores do hospital
dos lazaros; appellada, Rita Mara do Carino.
Paitaran! do Sr. desembargador T.dna Freir
ao Sr. desembargador Telles ai seguintes ap-
pellatcs em que sao :
Appellante, Mara da Maternldade da lovencao
da Santa Cruz ; appellada, Haria Manoela de
Jess.
Apellantes, Luiz Hrouguir, Lenoir Puget ti C.
e outros; appellados, Avrial limaose ou-
tros.
DisraiitneSas.
Ao Sr. desembargador Luna Freir o segua-
te aggravo em que sao ;
Aggravante, Jos Pedro Velloto da Sllvelra;
aggravado, Amonio Jote Piret.
Ilao foram julgadot os leitos que estavam
com dia asslgnado pela falta doa seahore de-
sembargadores j declarada.
Levanlou-ic a sesso depol de meio-dla.
Seguio hontem para a corte a bordo do va-
por Bakiana o ICxro. Sr. baro da Ba-Vis-
la, alim de ir tomar assento na cmara vi-
talicia como senador eleito por esta provin-
cia.
S. Exc. sahio de sua casa, sits na ra da
Aurora, pouco depois de meio-dia, acom-
psnhado de multas pessoss.
Ao atravesssr essa ra, vio-se colierto
de flores que lhe lanc,aram de algumas va-
randas.
A apparico de S. Exc. no largo da ma-
triz de Santo-Antonio foi annunciada por
gyrandolas de roguetea; e ao chegar elle o
caes do Collegi, queestava tapetado ajun-
cado de flores, postts de aote-mSo, e mis-
turadas com outras que lhe stirsram de va-
rias casas, foi saudado por outras tantas gy-
randolas e por tres bsndss de msicas mar-
cial que, circundadas de innmero povo,
ahi oaguardavam.
Transportado para a galeota do govemo
que o eaperava, S. Exc. demandou o vapor,
seguido por mu i los escaleras que condu-
ziam seus amigos, e por duas lanchas que
levavam duas das bandas de msica que
nos temos referido.
Logo que S. Exc. poz p a bordo do vapor,
novas gyrandolas fdiam atacadas, e manda
rain ao ar muitos rojOes.
Entre as pessoas que sssistiram ao em-
barque deS. Exe. notamos o Exm. Sr. cam-
mandanle das armas, o Sr. commsndante
superior da guarda nacional doRecfe, eos
Srs. presidente e secretario da associago
commercial desta praca.
na, reduza a 10,000 rs. mensaes a eonsigns-
Coqueaqei detxou para sua ramMia o ci-
rurgiSo atildante do sexto batalhSo de caca-
dores Jas Flix de Moraes.
Dito. Ao director do colirgio dos or-
phos, psra mandar recolber ao collegio,
sobsua direcjflo,alim de .ser educado nal
Commando das armas.
Qnarlil general na villa iAgoaPreta 10eV
natoosttsoO.
OREDM DO DIA N. 34.
O msrechsl deesmpo graduado Antonio
Correia Sera, commandte daa armas faz
constar que amalia seguir para a cidade
do Recife, coseguintemenle, eporjulgar
de conveniencia ao servicaa publico, orde-
na que os corpos que presentemente per-
manecen! nesta parte (o aul) da provincia,
cumpram as ordens do Sr tenenle-coronel
Martinho Baptista Ferreira Tamarindo, ac-
tualmente nesta villa, em ludo quanto for
concernente as disposicOes e detalhea so-
bre movimenlos da forcea, relativamente a
deligenciaa do mesmo eervi^o, devendo os
respectivos commendantea Iransmittir-lhe
as paricipacoes sobre as concurrencias Bo-
cadeadas u esta psrte do mesmo servico que
sero oppottUBamente enderezadas ao ge-
neral,
ilafoito Correa Sastre.
A barca Sword-Fish. chegada hoje de Li-
verpool, trouxe-nos smenle o Times de4 e
5 de junho prximo psssado, faltando-nos
todos os mais nmeros anteriores at 4 de
maio, oa qtiaes sem duvids devem ter-nos
sido remettidos por alguma embarcoslo de
marcha inferior sua.
Todos os estsdos da Europa flearam em
ptx e tranquillos, excepto a Prussia que
parece preparar-ie para a guerra.
L Todos os regimeolos da guarda teem sido
augmentados o devem ser levados ao aau es-
tado completo. A fortaleza de Erfurl vai
ser poeta em estado proprio psra resistir a
quelqiier ataque, e atrecela-se que o go-
verno dar ordem para que sejam arrasados
todc: -: ci??e!c;quc r.c;n. u iiuia do o-
go. As pracas fortes da Silesia e a provin-
cia de Saxonia vSo tambem ser preparadas
para a defensa.
A ultima conferencia dinamarqueza nSo
produzio nenhum resultado, e j no ha ea-
perancas deque a queslo seja regulada em
Iterm. Parece mais provavol que o n se-
ra cortado nos proprios ducados, entretan-
to as noticias recebidaa, tanto dalles como da
Dinamarca,se teem tornado mais a mais das-
favoraveis continuaefio da paz.
A Saxonia retirou-se do Bund e commu-
nicou formalmente esta sua resoluco ao
gabinete prussiano.
Pelo que lmos s respeito ds Grecia, ao-
jas noticias eleecamaSl de maio, eremos
que j fram reguladas aa suasdasaveocaa
com a Inglaterra.
Com eifeito o nico navio ingles existen-
te em Lalaanlna he o Gangee. O bario Groa
eslava psrs rollar a Frasea no rottoae. o
re Otho linha enviado ao presidenta da
repblica trancis e ao general Lshitte a
gram-cruz ds ordem do Redemptor.
As noticias da Uespanua slcancam a 2



le mtio, e, dflo aquella paz em perfeito so-
cegn. O duque e a duqueza de Montpensier
cima m-ao em Sevilha, donde deviam par-
tir a 8 de junho prximo pascado para che-
garem a Madrid no dia II
Portugal at ao dia 29 de maio Acara tran-
quillo.
.ni?.poJ-ice? Io bsnc0 80iTriam. de 105 a
loo mil res de descont oda urna, e os qua-
tro pof ccnlo tinham ficado de 46 a *7
Da Inglaterra nflo consta que tiveese
contecido nada que mereca sor ment..
nado Os consolidados tinham lieado emj
"- ". 96 3|* e os f"ndos brasileiros, de
A assembla legislativa da Franca modifi
cou a le d eleices foita a 15 de marco un
anno passado. A commistfSo a que havl<
sido remettida a proposla do governo par
prolongacflo por maisum annodale so-
os clubs e reunioes polticas, tinh
apresenUdo t assembla o seu parecer, o
qual-foi impresso e distribuido entre o
memoro da mesma. a. citada lej expira
a ib de junho prximo passado, easua
prolongacflo he considerada como um com-
plemento necessario da reforma eleital.
Durante a discussSo da lei da reforma
eleitoral, e mesmo antes tiisso, dix o cor-
respondente do Time, : reunioes nocturnas
iiveram lugar nos mysteriosos e impene-
travets escondrijos da eiU, para o fim de se
esludarem as tcticas sanguinarias de in-
suroicao.
-?i.P?.riodicos ocllisUs discutirsm com
lio rrivcl sangue fro, diversos planos de re-
sistencia. Uns sustentaran um levanta-
miento universal rpido e repentino; ou-
iios, porm, advogaram|uma maneira de
obrar mus vagarosa." mais systematica, po-
rm nflo menos segura e destructiva. Este
"i.i.r.0 aiv.lre fot o adoptado pela Monta-
una, a qual nflo quiz quovolcflo reben-
msse, porque lemeu que nflo podesse fazer
parar-lhea irrupeflo.
As noticias dos Estados-Unidos, asquaes
alcancam i 20 de maio. dllo-nos aquelle
Piz e.u perfeitosoeego, todava urna expe-
dicao particular composta de quatro mil
hotnens (mil. partido para a ilha de Pises,
para de la ir desembarcar em certo ponto
da costa de Cuba que ainda nflo era publi-
camente conhecido.
O general Lopes commandante emchefe
dessa expedido tinha feito urna falla elo
quente aos seus soldados antes da partida
oa mesma.
Os individuos que compOem dita expe-
dido quasi todos lizeram pirte do exerci-
to invasor do Mxico, ecr-seque no caso
de coiiseguirem embarcar na ilha, mda
Ihes pode i a resistir;
Urna outra expedido de seis mil homen.
Ilcava prompla para seguir para Cuba, loan
que a primera lili tivesse desembarcado.
Os peridicos americanos annunciam
que o governo loha expedido orden para
IVew-Y..rck, Mohile e New-Orleans por meio
dos.. Ulcgrapbos para o fim de se enviaron)
avisos ao esquadrlo surto no golphe, orde-
nando-lhe que capturasse a cxpedicSo I o-
pes; mas anida nflo havia nenhuma noticia
do resultado.
Corresponde neja.
Sr$. redactores. nevo, por amor a ver-
dade, explicar um engao que apparece em
urna correspondencia inserida no seu jor-
nal de sabbado, acerca da priso que se den
de crioulo Luiz Florencio, por antonomazia
Luiz da Casa-Forte, pela subdelegada de
S -Jos, quando a exerci; porquanlo, sendo
verdico o Licio relatado palo Juiliceiro na
citada correspondencia, na verdade a exe-
cuqSo delle pertonceao muito digno inspec-
tor de quarteirfio do Aterre-dos-Afogados,
o Sr. capilflo Manoel Joaquim Ferreira Es
leves, que, exeeutando poniualmente as or-
deus que lhe dei, leve, com as patrulhas que
liz reunir, de capturar osobreflito Luiz da
Casa-Forte, ao amanhecer do dia 29 do pr-
ximo passado mez ; ecomo aedesse enga-
o do Sr. lusliceiro, ( que muito lhe agrade-
coo honroso conceilo que de mim faz >em
dizer queeu fra quem dra a roz de pri-
sflp.ao mencionado crioulo, qoando ella f-
radada pelo sobrdalo inspector venho fa-
zer esta rectiiieacflo para que nflo passe
esapercebida.
Queiram, pois.Srs. redactores, transcre-
verem seu jornal estas linhas, que muito
ubrmado Iba ficar o seu constante leilor
Francisco Baptiila de Minada.
I'ublicacdcs a pedido.
SANTA-CATUARINA, 14 DE MAIO DE 1850.
Meu amigo Vou narrar-lhe o doloroio ac-
eontecimento de que agora tiremos noticia :
tenido saludo desle porto para o do Rio-Grandr
do sul, em o dia 17 deabril, o> dout pequeo
patachos Sublfl e Novo-Sublil, levando a seu
burdo mala de 300 petioas entre olTiciaes, sol-
dadoi e familia do ofliciaes do eito baialhao
de caladores ; o patacho denominado Suba,
que por ser inaior levava '200 peiioa, enea-
Ihou tres legos ao tul da barra do Rio-Grande
em um lagar chamado Manguelra, e como lu-
do por nlli seja bailo e com grande arrrbenta-
rodeinar, a pruneira lancha quelargoud
bordo para trra viruu-se, edetta yeute tuorre
rain o cirurgiao-tnr do batalhao, o corneta-
inOr. a ogra doajuilante r duus filho, a e o ho-
ra do capilu Jote liento e a do capilar Touri-
nha e as de outros mala oltlciar, tres ciinca
e mais dille rentes ollieiae e pracai. one alrad.-i
nao consta terein apparecldo, podendo depoli
.Ir grande perigo talvar-ie o relio da gente que
lirn no patacho, ludo o que ae acbava no po-
ro e perdeu, os cofres, o archivo, armamen-
to, Instrumento e a bagagrm dos ofliciaes, che-
gando este ierra qoasi n, e o que perde-
raiii a familia quasl doudos ; o teoente-coro-
nel l-'avilla, como aeguia no mesmo barco, ti-
nha posto a buido tuda a ua bagagem mas
como anda ficavam perto de 200 praca que
nao cabiain nos navio, e elle tinha deconcl-jii
apresiacaode coma no iheauurarla, ricou r
a aenhora oun a roupa do corpo e una quatro
oaBlaaaiui.ia. para vestirem na viagem,
iimenle e acho;,ora, todo a-
Pavllla, alrm de ter a ua caa or-
naWiii rrinlta decencia, tinha bastante rou-
pa, prata e algum ouro e bullanles da senho-
ro e inearao algum dinhelro ; todo perd u
lelo que flcou baaiaote agonlado. porque nao
tu a perda com sri ou aele cotilos de res
Este hoinenihe bem visitado pela iufellcida-
de, doiscom urna Ijnga carreira militar, em
q !e:n prestado amitos c rolevactes ici vicos,
est tencote-coronel, sendo j inarecbaea al,
gtltia que erain cabos e infenorea quando elle
j era offliial, jume lito- enorme despera
iue teui sido obrigado afazer pelas continua-
da mudancas em que o Iraceui, e agora mala
lie mo Janee de Ibrtuna ; se este aconlcci-
CfXfSUI.ADO CEItAL.
Rendimenlo do dia 8.....
Diversas provincias.....,
ment tivesse lugar em alguroa nacao estran-
elra, eitei desventurado offleiaes que nada
tein para compraren! rom queae cobrir da nu-
iles cm que licaram, de certo receberiam al-
go ma ajuda de cusi para se apromptaretu
novainente, ou mesmo se fostem pertencentes
a alguma classe diplomtica, oas como iio
milita res fleam como una coitado, c lato mes-
mo nao he de todos ; iSo defuntos aein choro
e s servrm para o aperloi.
a. cus reipeltoa, elo.
(Jornal do Commerci.)
Como quer qua se procurara espalhar pela
populacaoo boato de que contra mira viera de-
nuncia formal e positiva do Porto pela qual
meu nome era invulvidn no negocio de tedulaa
falsas que se procuro deacobrir a bordo dit
"rae*riue, e.eatc boato fosse alimentado, te-
nsa- comprovado por um trecho da eipo-
slcao do Sr. inspector da alfaudega Luis An-
tonio deSampaio Vlanna, que asseverou ter
vindo denuncia formal e positiva deque aflra-
'ira era importadora de aedulas falsas, ac-
eresrentando odtraa obserracOes que s ten-
dalo a comprometter-rne, tomel a delibera-
cao de mandar publicar estas denuncia, para
que o publico conheca que meu nome nunca
lui compromeltido netn mencionado ISaoqurrn
quatiflear este proerdimento de iiicidioao,deie-
jo smente que elle sela conhecid, para ((ue o
publico o avalle devidainente, e combinando-
o cora o resultado das buscas e varejos que se
ileram, e nada se ter acuado que me podesse
comprometler, por quato ou innocente co-
mo j diste por esta mesma folha, e hel de pro-
vsr, nansda mlnha innocencia, como lambrin
levar ao conhecimento do publico e do mundo
inleiro a inju.u pertegul;So por que me nao
le tu pass r; corobluaudo-o mais cora a Moltura
(la utico que ful comprehendido nesta denun-
cia, forme seu julio a esta respello, c Taca a
juslica que merece.
Ilecifc, 5 dejulho de 1850.
/etilo Joi da Si/ra llagalh&is.
m Remello a Vine -io m-lu*n etn|a9 de uin
offlcio do vice-consul do brasil no Porto, ed
outro do ministro em Lisboa, not quaes se de-
nuncia viada para esta provincia na barca
portuguea Braeharenic de Tliomaz Ferreira
Alves tobre queiu recahiam fortes suspeitas de
e adiar inleressado com outros Individuos no
fabrico eeiporlacode notas falsas do imperio,
para que Vine, faca deltas o uso que julgar con-
veniente.
Deoa guarde a Vine. Palacio do governo de
Peruambuco, 30 de marco de 1850. Honorio
fermtlo Cambo no. Sr. chefe de polica
interino.a
a lllin. e Em. Sr. Julgo do meu rigoroso
dever prevenir a V. Exc. de que bordo da
barca brocharme, portadora do presente, val
de paasagera Tliomaz Ferreira Alvea subdito
portuguez que regretsa para o Rlo-de-Janeiro,
donde velo para esta cidade no atino de 1848, e
sobre quera, segundo inforinacoei confden-
eiaes recabem forles suspeitas de te acbar co-
ligado com individuos suspeiloa no infame ma-
nejo de olas falsas do imperio. Mais tne com-
pre ioformar a V. F.c. que tendo aqui recen-
lemente aportado, procedentes de New-York
Manoel Pe re ira de Moraes, r Joo Paulo Ferrei-
ra oriundoi desta provincia, e preteilando
querer seguir viagem para o li io-dc-Janeiro pa-
ra cujo fiui se premunirn! de pataaportes,
ainda o n;iu efleitiiaram ; constando que o pri-
ineiro tein comprado porco de armas renas,
mandadas arraujar em claviuat com o presu-
mlvel interno de as remeRer para a Ilha de Ha-
marac do norle desla provincia, oude disein
pottue alguma fazenda.
Do que mal colher nesset imporlantistiinn
assunijilos, lerei o cuidado de participar a V.
Kxc nao me sendo posslvel na prsente con-
juncturaser mais extenso.
Dos guarde a V. Exc. Porto, 25 de Janeiro
de 1850. lltu- e Exin. Sr. presidente da pro-
vincia de Pernambuco. Antonio Joaquim Vt-
reira de Fariaa, v ice -cnsul.'
m LEGACA IMPERIAL DO BRASIL.
Liilraa, 5 dr fevereiro dt 1850.
Reservado.
Illm. e Exm. Sr Na dala do primelro do
corrente escreve-ine o viee cnsul no Porto
dizendo-me que escrevera a V. Exc. em 20 d
ni" lindo, dixendo que a bordo da barca por-
tuguesa Rracharcntt ia de pastagem paradla
provincia Thoinai Ferreira Ivs subdito por-
tugus, sobre quem recahiam fortes suspeitas
de achar-se inleressado com outroi individuos
fabricantes e exportadores de notas falsas do
imperio. AccresccnUindo que leudo chegado
recenlemente a aquella cidade do Porto proce-
dente de New-York Manoel Perelra de Moraes
e Joo Paulo Ferreira detsa provincia, pedirn
passaporte para a Rlo-de-Janeiro, e agora
eonslava a elle vice-conml que o tobredilos
dous individuos haviain comprado urna poican
de armas renas para ai remetler para a Ilha
de llamarac aonde um delle poisue urna pro-
priedade: conclue o vice-consul aeu oflicio i|ue
posto que tardiainenle avisara tambera a V.
Exc. de ura rumor que nlli corra de urna re-
mella de notas falsas pelo brlgue portugus
Sen-ilanoel-l, e como ptide acontecer que a bar-
ca portuguea Litlira por onde dirijo este of-
licio a V. Exc. chegue antes da ftrac'karcnic iue
fui portadora do olcio do vice-consul. spresso-
rae de assiui o participar a V. Exc. para que
lome i lempo as providencias que julgar con-
venientes. Km oulra occaso de menos pres-
ta que boje terel a honra de eicrever a V. Kxc.
mais largamente tobre ette asiumpto. Teoho
a honra de renovar a V. Exc. ot proletlot da
niinha inaior eetiina e subida contlderacao.
t Illm. e Esta. Sr. Honorio Herrarlo t.arnel-
ro Leo. Antonio di Meneiei faironcelloi Je
Drumond.9
!2!

primciri sorte, e de 6,200 a
6,3iiu rs. do de segunda.
Alfszema Vcndeu-se a 2,000 rs. por
arroba.
Bacalho-------Ficarar em ser 5,000 bar-
ricas, e continuou a reta-
Ihar-se de 9,500* a 9,800 rs.
por huirica.
Caf- r Vendeu-se a 7,000 rs. por
arroba.
Carne secca Nflo solTreu alterscflo de
preco. 0 deposito regu-
la por 28.000 srrobas, in-
' elusiva um carregamenlo
entrado esta semana.
Farinlia de trigo Vemleu-se de rs. 18,000 a
19,000 rs. por btrrica da de
Riclimond, de 14,000 a
15.000 rj. da de Baltlmore,
ede 18.600 a 19,000 rs. da
de Trieste SSSF. NSo ha
da de Philadelphia O de-
posito monta a 6,000 bar-
ricas.
Carrafas vaslas Uem a 13,000 rs. agroza.
Queijos dem de 1,200 a 1,300 rs. so
flamengos.
Ficaram no porto 3tembircc"es, a sa-
ber_: 2 austracas, 20 brasileiras, 1 belga,
2 dinamarquezts, 1 franceza, 1 ha>ove'ia-
na, 2hespanholas, 1 ingleza, 2 portugue-
zas, 1 sueca e 1 sarda.
dirijam-8e a gusrdamorla, ou a bordo ds
mesma escuna, -apresentando titulo que
p ove nflo se acharen qjjipedidos.
Airandega de PernSbuco, 5 de julho
da 1880. 0 inspector, Lvit Antonio di
Simpaio f'ianna.
Declarares.
MovimepiQ do orto.
Navio entrado no dia C.
Baha 7 dia, garopeira nacional Flor-da-
Victoria, de 37 tonelada, capilflo Joflo F-
lix de Menezes, carga lastro de areia e
carne; ao capilflo. ^Segua para Cotin-
Suba, arribuu puf causa do lampo.
Novios lahidoi no interno dia.
Rlo-de-Janeiro e porto intermedios Va-
por brasileiro San-Salvador commandan-
te o lente Secundiuo. Alm dos passa-
geiroj que Irouxe dos portos do norte
para os do sul leva a seu bordo : para Ma-
celo, Jos Joaquim de Olireirs, Aotonia
lislbina e Anlunio da Veiga Campos : pa-
ra Babia, a prota fprra de nome Fany e
Anlo.iio Pereira Silva : para o Rio-da-Ji-
neiro, o Exm. Sr. barflo da lla-Vista
com 1 criado a 1 escravo, Joflo Leandro
Sewere, Antonio Jos Gomes do Correio,
0 llr. Thom Fernaodes Madeira de Cas-
tro, o capilflo Antonio de Saropayo, os at-
ieres Antonio do Reg Duarte e Themo-
Itilo Peros de Albuquerque Maranhflo, q
lenle Manoel Profiri de Castro Araujo,
1 sargento, I seguodo cadete, 1 cabo, 3
soldados e 70 recrutas so Exm. ministro
da guerra.
Barcelona brigue hespanhol Paqueti-de-
' Tarragona, ctpilio as Roara, carga al-
godSo.
_ Navloi entrados no dia 1.
Assu 22 dia, brigue nacional Espirito-
Santo, de 200 toneladas, capilflo Claudir/o
Jos Raposo, equipagem 12. carga sal, pa-
Iba e mais gneros; a Francisco Marlins
Ferreira. Passtgeiros, Francisco de Sale
atteze'ra e Iteginaldo Pereira da Silva,
Brasileiros.
Liverpool 31 dits, galera ingleza 5toord-
'*, de 345 loueiadas, capitio Richard
Creen, equipagem 22. carga fazendas; a
Me. Caluiuul & Companhia.
Navio lahtdo no mesmo dia.
Parahiba Patacho dinamarquez Apollo,
capilflo II. Sebade, em lastro de areia.
- O Sr. director do lyceu manda fazer sa-
ber a quem convier, que, d'ordem de S
Exc. o Sr. presidente da provincia, foi su-
peua a aula de tachigraphia, at que o mes-
mo Exm- Sr. lhe d novo regulamento. Ly-
ceu, 5 dejulho da 1850. ~ Januario Alexan-
drino da Silva Rabello Caneca, professor de
desenho e secetario.
Pela segunda seceso do consulado pro-
vincial so faz publico, quejo 30 das uteis
para cobranca, a bocea do cofre, da dci-
ma do predios urbanos dos bairros desta
cidade, e freguezla do Afogado, se finali-
zam no dia 13 de julho prximo vindouro
Ilecife, 28 de junho de 1850.
Companhia (Je Beberibe.
A administraglo da companliia de Bebe-
ribe contrate por um anno, do primeiro de
setembrode 1850 a 31 de agosto de 1851.a
arrecadaeflo da taxa nos chafantes e licas
Jo encanamento. As propostas, assignadas
pelos pretendentes e seu (adores, serflo
entregues ateo dia 10 de julho, no esciip-
torio da companbia.
- Pelo consulado britannico se oflerece
venia o reato do carvflo da podra que exis-
te no seu deposito, sendo 60 toneladas pou-
co mais ou menos: os pretendentes dirijam-
se s boras do costume ao dito consulado.
- Carlas seguras, vindas do norte, para
os Sr. Manoel Luiz ds Silva Loureiro e Pa-
tricio Jos do 0' Barbosa.
Avisos martimos.
EDITA ES.
COMMEKCI.
583.019
4,582
587,601
nrinisiii mn pnoYyc'L.
Rendimenlo do dia 6......1:386,021
PRACA DO RECIFE, 6 DE JULHO DE
1850. A'S 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Houvertm trsnsac(0es du-
rante a semana a 26 3|4e
27 d. por 1,000 r.
Assucar- No ultimo de junho exis-
tiant nosaroiazens 68 cal-
as.--As ven Jas da sema-
na fram pequeas, e os
precos do encaixado regU-
laram de 900 a 1,000 rs. por
arroba sobre o ferro. ()
embarricado e ensacesdo
vendeu-se de 1,900 a 2,200
rs..a arroba do branco or-
dinario, do 2^00 a 2,500 rs.
o Pido, e o fuascavado de
1,400 c 1,550 rs.
Algodflo-- Ficaram em deposito no ul-
timo de junho 1,091 ssccas,
e entrara ni esta semana 567
Vendeu-se de 6,600 s
Olllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazen la provincial, em cumprimeuto da or-
dem do tribunal admiuistrstivo. tlesla data,
manda fazer publico que nos dias 9, 10 o II
do corrente, irflo a praca para seren arre-
matadas, a quem por meaos lizer, as im-
pressoes do trabalhos das repartirOes pro-
vinciaes, no corrente anno flnanceiro.
Thesouraria da fszenda provincial de Per-
nambuco, 4 de julho de 1850. O segundo
escriturario sevindo de secretario, fran-
cisco Antonio Cavalcanli Cousseira.
O Illm. Sr. luapecior da tbetourarla da fa-
lcada provincial, em cuinpriraeoto da ordem
do Exm. Sr. presidente da provincia de 27atte
junho prximo panado, manda fazer publico
iue, ooi diat 22, 23 e 24 do correle ir a pra-
(a peranle o tribunal administrativo da mes-
ma thesouraria, para ser arrematado a quem
por menoi flier, a obili do euipedrainenlo de
300 bracas nos 3.*, 4.* e 5. lancot dan irada da
\icloria, avallada cm .'i: 130,000 rs., e sob as
clausulas eipeciaea abaixu transcripta
As pessoas que te prupoxcrein a esta arreina-
tacan comparecain aa sala das aeasdet do so-
bredilo tribunal nos dias cima mencionados,
pelo meio-dia, eoiiuieteniemente habilitadas
na forma do artigo 24 do regulamento de 7 de
maio do corrente anuo.
E para constar te inandou afiliar o presente
e publicar pelo /Mario.
Secretaria da tbetourarla da fazenda provin-
cial de Pernambuco, primelro d' julho de
O tecretario,
Anltmi Ferreira ifArmmcia(da.
Cfauula etpecioee ia arrematarlo;
1.' O emprdraniento de 300 bracas cor-
renles de estrada nos 3.", i,' e 5. leos da
esliada da Victoria far-te-ha de confonnidade
cora o orcamcnloapprovadopela dirretoria era
conselhu e apreieniado ao Eziu, preiidcnte
pelo preco de rii 3;i3.000 n.
2 O irabalhoi principiarao no prazo de
nun|i|rin.-.h.a. aA a. ..!.'_.,.. ^
boaconladoa da entUga do termo da'arrema-
tacno.
3.' A pedra ter previamente examinada
pelo eogeohciro encarregado da obra.
4.' O arreniataulenao poder por aaegun-
da carnada de pedras aHes quf o engenlieiro
tebha>exaralnado a prlmeira e adiado confor-
me, doque ae lavrar o termo OjflMnair.
5." O pagamento far-ie-h ei i pretta-
ede, eudo quairo dcima parfiM lrpoli de
nabida a primeira carnada. Oulra'quatro de-
pois da entrega provitoriai eo resto depoii da
entrega definitiva.
6.* Para ludo o que o3o esta determinado
nat preteutei clausula teguir-sedia o que dis-
pde o regulameiiio de 7 de maio do crreme
anuo.
i Red fe, 25 de junho de 1890.
. O eogenheiro chele da 3." tengo.
II. A. Hilel.*
Approradat pela directora em cnnsrllio, em
sesaod25dc junho i* I8&0. Odireclar. io-
s mauudlAlvtsFerreira----J. L. Hela, Ltivtcr.
-H. A. ilUil.
-- Para Loanda sabiri at meado dejulho
o brigue brasileiro cAo, de que ho capilflo
Manoel Joaquim dos Res : recebe rnente
carga miuda e passageiros, trata.se com
Hallar Oliven-a, na ra da CadeiadoRe-
cife, n. 12.
Para o Ceari pretende seguir viagem
com muila brevidade a sumaca nacional
Carlota, mestres Jos Gonoalves Simas
quem ns mesma quizer carregar, ou ir de
passagem, pode entender-se com Luiz Jos
de S Araujo, na ra da Croz, no Recife,
n. 33.
Para o Rio-Grande do sul segu vis-
gem o patacho Doui-IrmUot al 10 do cor
1*01116 : recebe escravos a frete : quem pre-
tender, dirija-se a ra de Apollo, n. 4.
Para a Bahia, aahe no dia 15 do corren-
te imprclerivelmente, o bem conhecido
hiate S.-Jogo: para o resto da carga e pas-
sageiros, trata-se na ra do Amorim, n. 36,
com Antonio Jos Fernaddes de Carvalho.
Para o Rio-de-Janeiro sabe, com a
maior btevidade possivel, o brlgue-escuna
ilegria, forrado de cobre e de boa marcha
rcebe carga a frete e escravos : quem pre-
tender, entends-se com Leopoldo Jos da
Costa Araujo, ou com Novaes & C.
Para o Rio-de-Janeiro sshe com toda a
brevidade o veleiro patacho brasileiro Ni-
thtroy : para carga, passageiros e escravos Os
pretendentes queiram dirigir-se aoescrip-
loiio da Viuva Gaudioo & Filho, praciiih
do Corpo-Santo, n. 66, ou ao capilflo Antero
Jos de Araujo, a bordo do dito patacho.
Para o Aracaty segu, no dia 20 do cr-
rante, o patacho ..(.'rus, mostr Joaquim
Pereira: para carga e passageiros, Irsta-se
ao la Jo do Corpo-Santo, n. 25, loja de mas-
sames, ou com o meslre.
Avisos diversos.
A lien cao.
Um simples pedido ao Sr. emprezario do
theatro de Sanla-lzabel, para que houvesse
de dar-mos o praier de spreciarmo em
scens o nosso estimavel patrilo o Sr. Santa
Rosa na execueflo de algutuas das bellas
Titilas que canta.valeu-nosm resi osla qua-
tro annuncios, com os quaes tlguem, guiado
talvez pelo nico desejo de macular unta ro-
putafflo entre ni bem eatabelecida, se dig-
nou de acoimar do chulas immoraes as ditas
arias, e sobre nos laucar alguus epttheto
graciosos, que, nflo querendo, nem deven-
do sceitsr, Ih'os revetemos intacto, para
oceuparmo-nos de cousas mais serias.
Summamrnte gostimo de ler os mencio-
nados annunclo, que pela tempera unifor-
me, e pela analoga de estylo e Ideias de
lodos elles, nflo se nos d de jurar que di-
manam de urna nica fon te ; e de que fonte,
meu DeosL Oh !......Quanto he bello esse
Pela inspectora da alfandega engajsqi.
se roarinheiros de classe superior, vencen Jo
18,000 rs. mensaes, pritueiros marinlieiros
_ 14,000 rs. ffgrumetes 9.000 rs., para a es-
6,700 rs. a arroba do dejednalma-ofa : osquesequizeremcoulraUr,
methodo de dar valor ai cousas pelo nume-
ro de ficticia opinide Se orillramos com
isto, leriadios feito urna duzia de annun-
cios, e entfio nos regosijar'tanios hoje de ver
o hroe, que se quadruplicousem motivo,
centuplicar-se, e apparecer ante o publico
acompanhado d'um immenso cortejo de no-
mes allegorieos Porm ji que assim nflo
acoiileceu, passemo adianto.
Qui/eramns estar dispostos psra dar ao
Sr. Paatm-ir-AlaubamtaGargalliada-Pe
tln-Cem-Captivo-de-ti* urna resposta con-
digna de anas allusoes e sarcasmos ; mas,,
abstendonos de tal, salisfaaemo-uos 6-
menln rom dizer ala/urna cousa sobro im.
moralidade que elle inculca As arias do Sr.
Santa llosa.
He sabido que sempre que por esse actor
pernambucano tinha de ser cantada no
theatro de 8.-Francisco alguma de sus a-
preciavei ariete, oannuncios dosjotn.es
e o cartazos punltnm o publico eas autori-
dades sobre aviso : a execueflo correspon-
da a expecUcflo publica, cuja opiniSu ja-
mis se pronuuciou contra essas anas boje
pelo nevo moralista iflo cruamenie estigma-
Usadas ; ao contrario quasi sempre etam re-
pelidas afrenl pedido dos espectadores, e
islem presenta das autoridades poltciaes,
que as probibiriam, se porventura encer-
rassem ellas essit dita mmoralidade.
E vos atreveris a suppOr, Sr. Pagem et re-
litua, que essW6rW mas gieda que baje presiden represenla-
ces do tiieatro de tiaflla Itabet, eram im-
morats com o Sr. Santa Rusa, que tac* im-
ooralidasles punha aaacena, e coro lo Jo
o publico que as applaudia ?... oh! vt.snflo
liareis desuppr isio ; logo a inculcada m-
moralidade e quica um manejo odioso delem pecis: todoseses obTecToV^Em^ia
que vos servia P ara abultar me, lio de J emolid O realho, pof menos p",^
Desejiramos noj diasesse slgncm se no
Rio-de*Jaiieiro, na Bahia e em outros pon-
tos ondeas meinjionadas arias alo do orna
vez por outra cantadas nos theatro, como
nos allestam oajornaes, Um sido reputadas
imrooraes.e por sari merecido a reprova-
cSodo publico. Ehahi quem negu que
algumas dellas, que se tiflo vujgarisado sflo
>or muitss senhorss e outras pessoas a
quem se nfio deve em ofTeosa suppur d9 j'm-
moraes, cantadas no.seio de familia ho-
rieslss, e em casas capacissimas ? Umi dal-
las (a borbolta) ouvimo-la nos cantsr neia
prirneiravez em Pernambuco, a um moco
de boa posieflo social, em uma mui decente
soc.edade que nesse da dera um pomposo
baile :e lia de convir comnosco o Snhor
dos quairo nomos emprestado* que quando
a immoralirlade. domina em m individuo
nflo domina em todos os qaeem occasifies
taesse schain reunidos.oque.no caso de
deBinandos dealgui'm.dgo logo evidentes
ignaesde reprovaeflo, aue qaw empre
he fatal ao que diz respeita as regias da mo-
ral publica.
Proce havermos dito bastante pan pro-
varque a i dei a de mmoralidade com rela-
Cflo asaras que canta o Sr. Santa liosa s6
existe na enfunada tmaginacSo do Sr. mo-
ralista ad hoc, a quem pedimos se dspa de
prevences, e nos fari juslica.
Em conclusflo, rogamos anda ao Sr. Ger-
mano Francisco de OlWeira. bem digno em-
r'.m'ii.iL0^0 lhMlr.aeSn Izabol, que,
remoliendo ao mais sobersno e merecida
tari?i^*D-In.quolr deferir ao oe j
de outra vez lhe pedio, e .inda hoje lhe up-
Sur.dr.7ored9,,CCflrdOCO--0it0,de
* Vi* t*u apologista.
-- Precisa-ae de um peqoeno, que seja
POftuguez, para uma loja no Oar : narrua
ao Quelmado, n. 25, loja de miukesas.
- Preciss-se de uma ama para todo o*er-
vtco de uma casa de muito poucs fsroilia
na roa Direita, loja de sapato, n. J, con-
fronte a tanda de funileiro.
- Guilberme May retira-se para fora da
imperio. ."
- Precia-ae de dooi oflleiaes de marol-
neiro : na Camboa-do-Carmo, n. 8. Na mes-
ma casa lomam-seaprendizes para o mes-
rao oflicio.
-OSr. Rodrigo de FreiUa Piros Giras-
rae dirlja-se a ra do Cabug, n. S, ne-
gocio de seu interesse.
-- Precisa-se de urna ama coslnlieira e en-
gommsdeir, para casa de penca familia ,
na ra do Drum, casa de quaxro andaras
no segundo andar.
No domingo, 7 do corrente, logo de-
manhfla, desappareceu ds ru tfo Canno,
orna ovelha com uma cris jcrescids, am-
bas de cor branca, e tendo a pequea uma
malha parda em roda denm dos olhos, ea
grande tem muila (alta delfls e levou orna
corda no pescoco : roga-e a pegsoa que a
apanbou, 00 der noticias onde ostej. diri-
gir-se i ra da Florentina, n. 8, que ser
generosamente recompensado.
A pessoa que aonuneiou precisar de
roupa lavada e engommada, dirija-se i ra
do Amorim, n. 97. loja.
--Na rus do Amorim, na loja" do sobrado
ri. 87. lava-so e engomma-se com toda a
perfeitfloe4rec,a coromodo.
- Joflo Leito Plt Orliguelra. teatamen-
teirodos bens do raMocido Antonio "Rodri-
gues Lima, tendo de dar rumTmenlo a
verba do testamento do dito Mleeido que
Jiz Deixoaos mena afllhados, que apre-
senUremccrtldSodo fcaptismo. a quanlia
de 50,000 rs. a cada um roga aa pessoa
a quem esta disposicfo possa aprpveitar.
que aeaprasenlemquanloantes coi a ha-
bllitacflo exigida, e prova de idenfiado de
pasaos, para se poderveriflcar a entrega do
legado. "
--AntonioJos Gomos do Crralo, nflo
podeudo em rasflodos muitoo objectos de
que tem de tratar por occaso do sita par-*"
Uda para o Rio-de-Janeiro, drapedir-se pea-
soalmenle de lodos 01 seus a argos a pes-
soas a quem deve allencfles, o fax por esto
mel, pedlndo Ibes juntamente o descul-
pem, eofferecendo-lheao seu mui limita-
do preslimo naquella capital, 'anquanto
nella se conservar, que espera nao sera por
muito lempo.
- Precist-se de dous hornees que facarn
telbas, para se encarregarem de fazer uma
ooreflo dellas em um engenbo distante des-
ta cidade : quem quizer annuncie.
Antonio de AlmeiJa Comes ambares
par o Maranhflo o eacravo pardo de nome
Jobo, periencepte ao Sr. Eduardo Anlunea
de Mendonca, daquella provincia.
A linlureira da ra do Livrament, so-
brado n. li, faz scMnte acs seus freguezes.
que est morando na ra do Padre-Floriau-
110, casa di esquina com o mesmo retoblo,
guardar segredo: na ra de Cadeia do fte-
cife, n. 55, ou ra ra de S.-Concalo, n. 29.
-- O Sr. Francisco Augusto de Azevedo o
Silva tem ums carta, vinda da Rabia, na ra
do Vicario, n. 7.
Na cass de modas francezaa do Mada-
ma Reusssrd Millochiu, no Ateno-da-Bui-
Vista, n. 1, vende-se um grande sortimonlo
de manteletes e capotinhos de soda, o cha-
peos de palha, moda nova deate anno 1 lu-
do chegado pelo ultimo navio o Conli-Roger
Na mesma cas% conservas em latas, hervi-
dlas e sardinhaa, a 1,000 rs a lata.
A cidade de Pars.
Fabrica de chapoi de sol, ra do
Gollegio, n. 4.
J. Falque participa ao respeilavel publico
desla cidade, quo elle abri o seo novo es-
ta belecimenlo. oode se encontrar sempre
um grande e bonito soriimentu delea ob-
jectos Jos mais modernos o variadas, come
sejam : chapeos de sol para liomens dese-
llas cbamalotsda* e |iz, de corea e pretos,
dtlos de aruucflo d'aco muito fortes com
sed de lodas as cure, ditos para aenhora
de sedas livradas o lisas.com franjas o som
ellas, cores muito bonitas, ditos ditos de
panqo imitando seda, cou> franja esam el-
la, diios de paoninho paro homem com ar-
maeflo rica eorJinari. soriimenlo de ben-
gala de todas aa qualidadeg, baleiao pira
reaiids, eu'tBaoespariiiiius parj nno-
ra. Na mesma casa conceria-ae o cobre-ao
toda a qualidade de chapeos de sol a benga-
la, paraos quaes tem boa sedas e pannos
quem talvez ialo vos nflo menea.
jqueem outra qualquer parte.



O Bello Sexo
sanio luz o segundo numero deste peri-
dico acha-se as livrariaa ns. 6 e 8 d* prici
da Independencia,dos Sjs. Dourado eMorel
--No da do eorrenlo, desappsreceu
iim menino branco de 13 1 14 annos, ma-
gro, com calcas de Iirim, jaqueta pret* e
chapeo de sol, de panno, o qual desconfia-
se que foi sediBidopor ouiro pequeo por-
mguez, que se cha engajado em urna das
barcas 'de viga: quem delle der noticia
na ra Dlrelta, fl. 55. ser gratificado.
Aviso a.oa Srs. de engenho
O abaixo asalgnado faz sciente as pessoas
quelhe tem encoinmendado burros e quar-
tos, que por todo o presente mez devem
chegar alguna deites aniones, 0 por iiso
csaaa pessoas queiram eolender-se com o
aonunciante, assim cnmoquaesq'jer outras
pessoas que pretenderen) compraros mea-
mos animaes, dirijam-se rui do Queima-
do, u. 1*, loja de ferragens.
ot Kodrguii Ttrrtira.
'tMMWMUw^^^\WMm\WMtk9im\WWs
1 CONSULTORIO CENTRAL HOMpEO-
PATiilCOIiEI'BHNAUBUCO. \
Dirigido pelo
Dr. Sabino Olraario Lnigro Pinho.
Ra do Trapiche, n. i5.
Todoa oa dita uleia ae darao consultas
remedios de graca ao pobre, desde
Sv pela inanha al aa duaa horas da larde. 2
Aa correspondencias e Inforinafdee 5
__, podero aer dirigidas rerbalmeole, ou P
por eacrlplo, deveado o docnte Indicar 9
- primeiro o nome. a Idade.catado, pro- i
fisso, e cnnstilulcao segundo, as 1110- f
lestajs que lean lido e os remedios loma- M
dus ; terceiro, a poca do apparecimeo- E
lo d.i molestia actual, e arie.eelric.ao mi- 2
nucioaa dos aigoaea ou syniptoiuas que *
sol re. 9
)r. Sabino Olegario L*dg(ro. *
i t - Na ra estreiU do Rozario, n. 38, se-
gundo andar, se dir quem di dinlieiro a
premio.
Francisco Jos da Silva Macieira faz
sciente ao respeilavel publico e com espe-
cialidade ao commercio desta praca, que
comprou a taberna do Sr. Joaquim (ioncsl-
ves da Silva CbimarSts, sita na ra do Co-
dorniz, n. 16, cujo importe rialisou com o
mesmo Sr.Guiruar3es na occssiSo da com-
pra da mesma taberna.
-- Os abaixo sssignados convidam sos
credores de Coulo Vianoa & Fillio para v-
remeni seu escriptoro no dia 8 ou 9 do
correte mez de julho, para recelierem o
que Ihestocou np segunde dividendo do li-
gnido producto do que.se na apurado dos
freos dos devedores communs.
Ceo Ktnworthy & C.
O abaixo assignado avisa aos crodores
do finado Pedro Mai riano, que no praso de
8 diaa da publicacSo deste (6), queiram
a presenta r suas contar psra se proceder a
inventario. iodo Bopti$a Fragoso.
Na casa que se vendem sor-
veles,ao entrar da ra da Aurora,
contina a ter excellente caf to-
da* as tarde at'a noile, e um bom
sbrrimenlo de refrescos de todas
as qualidades, bolinhos e charutos
servindo-se.com asseio e pronip-
tid3o.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
O thesoureiro desla lotera annuncia ao
respeitaval publico, que muilo breve tem
de marcar o dia do andamento das rodas :
as pessoas que leem burieles apartados os
vSu buscar quanlu antes, do contrario se-
rSq vendidos. O restante doa meamos a-
eham-se a vetla nos lugares j annuucia-
dos.
Denles artificiaos.
i. A. S. Ja ni, dentista tem a honra de
aviaar ao respeilavel publico que contina
a por dente* a/tificiaes de porcellana ; co-
mo beni (ira as carias dos nsluraes, que
Unto damnifica oa denles e coopera para
o mo alito da bocea, nao sendo tira-
da etica os denle turados com ouro ou
prala.para prevenir as dores e a conlinua-
CSo da caria. O annunciante assevera a to-
das as pessoas que se quizerem utilisar dos
seus servicos, que nSo exige paga slguma
no (candoos denles 19o bein postas que
nosepossam diiTerencar dos proprios na-
turaes, e podando mesligar com os mea-
mos toda e qualquer comida sem sentir a
menor dr a nem receio de os quebrar, e
por sao garante a lodos quantos de seu
presumo ae quizerem utilisar, quebSo de
lioar salisfeilos, a visla dos mullos exemplos
que lem dado s pessoas que o tem spalro-
cjnailo. O annunciante mora na ra estrella
do Rozario, n. 16, primeiro andar.
-- Aluga-se um sobrado recentementr
acabado, na ra da UniSo, com os melhores
commodos pars urna on duss familias, con-
sistentes em excelenles salas, alcovaa, du-
as cosinhas, coxeira grande, quintil dito :
os preteodentes dinjam-se a ra da Auro-
ra, o. 4.
Can moni, dourador, na ra Nova, n.
52, fabrica de candieiroa, tanto de gsz como
de azete. lem nrnmnto um sorlimento
dos mesmos de muito bom gosto O mesmo
fabricante tamboin doura, praleia e bron-
zeia todoa ot melaea de diversas cores;
roncera e torna a por de novo lodos os can-
dieiroa, tanto deajaz como de azete; tain
bem pOe caadieiros de azeite para gaz ; e
alugam-se para bailes candioiros a lustros
de duz luzes, por prego commodo.
\o Publico.
Nos Coelho, h. 1S, defro.ite do hospital
novo, acaba de abrir-se um estabelecimen-
to para a eonfecelto eompleta de carros de
todas ss qualidade* : os modelos sao sem-
pred04iltimo gosto, ou-Segundo vontadr
dos freguezes. Todas aquellas pessoas que
se dignarem honrar ste eslabelecimento
com a sua confianca, serflo servidas com
promplidlo e seguranca, tanto a respeito de
obra nova, como relativamente a qualquer
especie de Concert ou troca ; guarneces,
pintura, arreiua Nete esiauecimenio a-
cliam-se vend duas carrusgens novas.
- I'recisa-se de um foroeiro pars urna pa-i
darla; para o que se dar um ordenado van-
tajoxp: oa rus da Cadeia, n. 9, sobrado con-1
fronte o thalro da S.-Fraacisco.
Jfe Chapeos de sol. Jfe
Ra do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sorti ment desles objectos de todas as co-
res e qualidades,. Unto de seda como de
panninho, por procos commodos; ditos ps-
ra senhora, de bom gosto: estes chapeos
silo feitos pela ultima moda; seda adamas-
cada com ricas/ranjaa de retroz. Na mesma
casa se acha igual sorlimento de seda e pan-
ninhos imitando sedes, psra oobrir ar-
ma;Oes servidas : todas estss fazendas ven-
dem-se em porcSo e a retalho : tamben: se
colicorta qualquer chapeo de sol, Unto de
basteas de ferro como de balis, assim co-
mo umbelas de igrejss: ludo por preco
commodo. Na mesma casa ha chapeos de
sol de marca maior, de panno e de seda,
proprios para feitores de engenho por aereen
dos mais fortes quesepdem fabricar.
Aforam-se excellentes terrenos no lu-
?ar do sitio do Hospicio: quem quizer afo-
rar, dirija-se ra dos Pires, n. 19, que se
lira quem afora.
Kermiano Jos Rodrigues Ferreira, que-
rendo liquidar auas contas com a praca, ro-
ga a lodos os seus devedores, tanto da pra-
ca como de fra, que, no prazo de SO das,
venham realisar seus dbitos, e quando o
nflo facam passar a publicar seus nomes,
moradas e lempo de seus dbitos.
-- A pessos que precisar de alguma obra
dourada, ou prateada com alguma perfei-
(8o, dirija-seas Cinco-Pootas, nos Bairros-
llaixos, sobrsdo de um andar, a toda hora
do dia.
-- Ainda est por se alugar o terceiro an-
dar do sobrado da ra da Senzalla-Velha,
o. 70, pintado de novo, com commodos pa-
ra familia ; a IraUr no primeiro andar do
mesmo sobrado.
Offerece-se urna mulher para ama de
casa de liomem aolteiro, ou de familia,
qunl entende do diario de orna casa, cose,
engomas, e be muito carlnhosi para crian-
cas : na da matriz da Boa-Vista, 16, jun-
to ao sobrado.
Alugam-se os segundo e terceiro anda
res da casa do largo da Assembla, n. 8: i
follar com Joaquim Francisco de Allem, no
Forte-do-Natlos.
Manoel Martina deixou de ser caixeiro
do Sr. Antonio Joaquim de Mello desde odia
5dejulho, o mesmo Martina agradece ao
mesmo Sr. Mello o bom IraUmento, duran-
te o lempo que esteve em sua casa.
Precisa-se deumprelo que tenha al
guma pratica de masseira, pagando-ae por
mez o quanlo se convencionar com o se-
nnor : ns padarja nova da ra do Cotovello,
ns. S9e3l.
- I'recisa-se de um menino porluguez,
de 12 a 16 anuos, para entregar com um
prelo duxe paUcas de po, de manhfla e o
rosto do teaipo lomar sentido na sala da
padaria : na Passagem-da-Magdalena, ao p
da ponte grande.
Domingos Marlius Pontea fax sciente ao
publico, que fleam de nenhum elTeito oa
iinnuiiciosieaeridos ueste Diario t no Com-
mtrcial, datados em 93 de abril prximo
passado, a respeito do um valle da quanlia
de 300,000 rs,, a que oa dilos aonuncios se
referir*!, o qual existia em mSo do Sr.
Antonia Francisco ds Silva Carneo, e de-
clara que he sua convierto, que s um en-
gao e desentilligencia deu causa a qur
liouvesaeentre elle e o Sr. Carrito tal equi-
vico, que se acha terminado anngavelmen-
te e de commum accordo.
--Urna senhora casada fue mora praca
da Roa-Vikts, sobrado n. 19, e que j ha
muito eusina, se acba habilidade por essa
lenga pratica, e pela felicidadeque tem lido
com suas alumnas, convida aosSis. pas de
ramilia que de seu preslimo se quizerem
ulilisar acoiHisrem-llie oensino de suas fi
llia, admiltindoein sua aula, tanto alum-
nas exlernas como pensionistas e meia pen-
sionistas, cortos de que eom o maior esme-
ro e cuidado ae Ibes eosinar ler, escrever,
contar, grammalica nacional, coser bordar,
azrr lavarinlo, doutrin e dansar aquellas
aue aeuapsis quizerem : ludo por commo-
do prec.0.
D.io-se 3:000,000 Je rs. a premio sobre
enhores de ouro e prala, ou hvpolheca em
bens de raz ou boas tiranas na ra es-
treita do Rozario, n. 43, segundo andar, se
dir quem di.
AttencSo.
Urna pessoa bstanle habilitada para ti-
rar de processo, pela pralica que lem de 19
annos de escrevenle, se oflerece s qualquer
Sr. escrivfio, ou advogado que tenham pro-
cisio dos seus servidos: a tratar ..a ra das
Cruzes. veada n. 90.
-- No segundo sobrado do caes do Ramos,
precisa-sede urnapreta para o servido in-
terno e externo, pagsndo-se 11,oco rs.
mensaes palo aluguel da diU escrava.
-- O procurador da cmara municipal des-
la ridade acha-se autorisado por purtaris
da mesma cmara, para contratar com quem
por menos lizer a dmo|ic,Qo de urnas pre-
les em respaldo existentes ns travessa do
Vigario, que foram pela mesma cmara
desapropiadas a Felicia Mara e Benedicta ;
e bem assim por quem mais der veada dos
malcraos resultantes da dita cllmolic3o : a
pessoas a quem isso convier se poderSo en
tender com o mencionsdo procurador, na
ra Nova, paco da mesma cmara, das lo
liorss da manhla a urna da larde.
rrecisa-ae o uiu i^tOr p;r Um. enge-
nho na provincia das Alagas, que tenha
bstanle pratica do servico de esmpo, e d
informacOes de sua conducta : a tratar na
roa do Raogel, n. II, primeiro andar.
l'recisa-ae fallar ao Sr. Jos da CoaU
Albuquerque : na ra do Vigario, n. |5,
terceiro andar.
Tendo fallecido Jos Pedro da Cunha,
morador em Maripicu, comarca du l.imoei-
ro, e sendo ealo devedor a Berm
Carneiro Monteiro de mais de 2;000,ooo de
ris, previne-se que niogueo cuan ore ou
faca transacf So com os h#rdeiros do mes-
mo finado, tor isso que contra o fallecido
existe sentenoa pastada e j julgaua,
qual vfiooa dilos herdeiio* seram eju
U Sr. Joao Climaco Fernandes
canti, queira dirigir-se a \f aveasa da Madre-
de-Deos, armazem u. 9, a negocio de. seu
mierease.
--Aluga-seurna grande casa com ledas
as como, odidades, e sitio que vai ateo rio,
na povoaco do Monteiro : a
>5
bom-
,onde esteve o l)r. Alcanforado, urna
ba de cobre, pregada na cacimba, descon-
fla-se ser siguen detie lugar: quem der
noticia, sera recompensado, promele-se
Compras.
Comprs-se urna ou duas duzias de co
Iheres de praU para cha, sendo obra do Por-
to : na ra do Cabug, loja de 4 portas.
--Compra-se urna carroca para um ca-
vado : quem tiver dirija-so a ra da Cruz,
n. 8.'
Compram-se bandas esdragonas com
franja usadas : ns praca da Independencia,
w9-
Compram-secsixas vasias que fram
de sabSo, a 120 rs., sendo da fabrica da
provincia, ede frs, SO'rs., e em bom es-
tado : na ra da Madre-de-Deos, n. 29, ar-
mazem.
Compram-se, para f>a da
provincia, 4 escravas pardas ou pretas, de
bonitas figuras, e com algumas habilidades:
na ra larga do Rozario, n. 48, primeiro
andar.
Compra-se um methodo de piano que
sejs resumido: ns ra da matriz da Boa
Vista, n. 5.
Comprs-se urna commoda ou secreU-
rs, que esteja em bom uso : quem tiver,
annuncie.
Vendas.
Vendern-ge escravos baratos,
como sejatn : molecoles de boni-
tas figuras ; moleques, negras mo-
cas e prelos de todo o servico :
na ra das Larangeiras, n. i4, se-
gundo andar.
.. Veode-se, por commodo preco, urna es-
crava que cozinha, lava eengomma liso:
oo Aterro-da-Bos-Vista, n. 4, primeiro an-
dar. O motivo da venda se dir ao com-
prador.
- Vendem-sedous mo-
loques de 10 a 12 snnos ; urna mulatinhe,
que sabe cozinhare engommsr ; dous pre-
los para todo o servico : a tratar no Hotel-
Francisco.
Na ra Direila, n. 32, vende-se um mo-
leque crioulo, sem achaques,
Vendem-se os sobrados de dous an-
dares, em chfios proprios, sitos no pateo de
N. S. do Terco, que faz esquina para o bec-
co do Lobato : na ra OireiU, n. 45.
Vende-se a Uberna do Alerro-da-lloa-
Vista, n. 80, com commodos para familia :
o motivo da venda be por o dono retirar-
se: a tratar na mesma taberna.
Sal do A.ssi.
Vende-se sal do Ass, a bordo do hiate
S.-Juit, tundeado defronte do trapiche do
algodo, a tratar com o mestre, ou na ra
da Cruz, no Kecife, n. 24.
Veode-se urna prela : aa travessa de
S.-Thereza, becco do Lobato, n. 4.
Vende-se um methodo qasi novo pa-
ra piano, por Henri Berlini; ums flauta de
bano, rom 5 chaves de praU em bom uso :
na praca da Independencia, n. 14.
Vende-se um moinho de moer caf,
com lodos oa perlences, proprio para reli-
nscSo ; um braco de balance de IIom3o &
Compaohia, com conchase pesos al 5 ar-
robas : ludo em muilo bom estado : ns ra
da Cruz, o. 36.
Vende-se um esersvo de na^flo, de 25
snnos, que entende muito de padaria, reli-
na assucar he oplimo ganhador de rus,
para o que be mais apaitonado, muito Gel,
sem vicio algum : vende-se em attencSo
ao mesmo ler servido bem; porm nao que-
rer acompanberao senhor que vai usar da
agricultura de eannaa: na ra Velha, 0. 61,
confronte ao becco do Veras.
Vende-se urna pedra marmore com 8
palmos de comprimento e 3 ditos de largu -
ra e meio palmo de grosaura : ns rus ds
Prsia, n. 55, typographia da viuva Roma.
) 20:000,000 de rs.
Na ra da Cadeia do Recite, loja de fazen-
das, de Francisco Goncslves da Silva Perei-
ra, n. 47, vendem-se bilheles ds lotera do
llio-de-Jaoeiro, chegados no vapor Pirnam-
bucana
Vendem-se lencos de seds para algibei-
ra, e que tambem servem para hombros de
senhora, pelo diminuto pre^o de 1,000 rs. :
na rus Nova, n. 2, loja.
Fechincha para os Snrs.
mestres sapateiros.
Couro de lustro a 3,8oo rs. e be-
7erro francez a 3,ooo rs. a pelie.
JoSoTiburclo da Silva Cuimar.ios, com
loja de calcado, no Aterro-da-Iloa-Vista, n.
58, avisa aos Srs. mestres das olticinas de
sspsleiro, que elle lera para vender supe-
rior couro de lustro da melhor qualidade
que exisU no mercado, e pelles grandes,
vindo ltimamente pela escuna Anrorm de
llamburgo, pelo baratissimo preco de 3,800
a pefle; bezerro francez, a 3.000 rs. a pel-
la, eemquarlosa800 rs. ; e lodosos mais
aviamentos para calcado, que se "vendem
por meuos 10 "/ do que em outra qualquer
parte, e pira conbecimento aa verdade os
o. ..K.w._o vis zz >nio eslabeleci-
mento que a reconhecenlo.
Philosophia da Cousln.
Vende-se hpilosophia de Cousin, traduc-
cSo portuguezaaaj v.. por t.600 rs. a obra .
no pateo do CoMgio, casa do livroazul..
VendeaMA chapeos franeezes, de bo-
nilas fiJtiaagW'fO finos, a 7,000, 8,000 e
9,000 rs.; ditos de palha amarelia, a 4,000,
5,000 e 6,000 ra.; dilos para senhora
Potassa da Russia.
Vende-se superior potassa da Russia, da
miisp'.vaque ha no mercado, por preco
comnwdo : na ra do Trapiche, n. 17.
\ rados de ferro.
NafundicSo da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se srados de ferro de diversos mo-
delos.
Farelo novo a 5,500 rs.
Vendem-se sseess grandes com 3 arro-
bas de farelo, chegadas no ultimo navio
de llamborgo : na ra do Amorim, n. 35,
casa de J. J. Tasso Jnior.
Taixas para engenho.
Na fundico de ferro da rus do Brum,
aesba-se de receber um completo sorti me-
lo de Uixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
qoaes*acham-se a venda por preco com-
uodo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
eomprador.
A 8,000 rs. cada um.
Chales de seda grandes
e de bom gosto.
Na loja de GuimarSes & Henriques, ns
rus do Crespo, n. 5, vendem-se cbsles de
seda, grandes, de bom gosto e de bonitos
padrOes, a 8,000 rs. esds um ; cortes de ca-
simira de cores, de muito superiores pa-
drOes modernas, pelo barato preco de 6,000
rs. cada corte; merino prelo Ano francez,
9,500rs. o corado; dito inglez.a 1,440 i
o corado.
Antigo deposito de cal
virgeoj.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Attencao.
Vende-se cera de carnauba em saceos de
5arrobas psra cims ; sapalos do Aracaty,
muilo superiores ; sola ; pelles de cabra .-
tudo vindo ltimamente do Aracaty 00
hiate Puvidato, e por menos preco do que
em outra qualquer parte : na ra dos Ta-
noeiros, n. 5, armazem de Domingos Rodri-
gues ee Andrsde.
Vende-e, por preco commo-
do, polassa em barriciuinhaa ; fu-
mo para milo e capa de charutos :
nos armaiens do fallecido Bra-
guez e Das Ferreira, no caes da
AlfanJega, a tratar nos mesmos,
ou com Novaes & Companhia, na
ra do Trapiche, n. 34.
Vende-se urna morada de casa de pe-
dra e cal em um sitio no Ciqui : na ra de
Ilortas, n. 88.
Cdigo do commercio do impe-
rio, e compendio de pratica do
processo,
vende-so por 5,000 rs. ns casa da residencia
do doutor i.ourenco Trigo de Loureiro, na
ra da Saudade, defronle do Hospicio, e na
livraria da praca da Independencia, ns. 6 e
8 ; assim s segunda serie do ndice chrono-
logico da legislacflo brasileira de 1850, con
tendo o cdigo de commercio do imperio
ltimamente ssnerionado, como o novo
compendio de pratica do processo, obra in-
teressante por sus brevidadee exactidflo a
quantos se propOem o officiode julgar, ad-
vogar, ou procurar no foro. Nos mesmos lu-
gores continua-se a subscrever a 34,000 rs.
para o ndice chronologico, explicativo e
remssivo da legislacSo braaileira de 1899 a
1818, cujo terceiro volume deve brevemen-
te shira luz.
Una lo L vi menlo, n.II
Vende-se calcado frsncez, sendo borze-
guins de fazendas de cores com biqueira de
couro de lustro para meninos, e sspstos de
duraque prelo para senhora ; um par de
brincos com brilhantese umsnnellso com
diamante.
Vende-se um jogo de malas
de pregara por io,ooo, em muito
bom estado : a tratar nesta typo-
graphia.
-- Vende-se um escravo da Costs, cuja
conducta se afiance, de 20 a 99 annos, mui-
to corpulento e proprio para armazem de
assucar, ou outro qualquer trsbalho : na
ra da Cadeia do Recite, o. 48, terceiro
andar.
Vende-se urna linda mocama de 13 an-
nos, sem vicios nem achaques ; 9 escravos
bastante robustos, que entendem de planla-
cfls, de sitio, bons orleles, um dos quses
sabe tirar leitee botar canoa ; 9 pretas boas
quitandeirss ; 2 diUs de servico'de casa : no
pateo da matriz de Santo-Antonio, sobra
do, n. 4, segundo andar, se dir quem
rende.
Na rus das Cruzes, n. 29, segundo an-
dar, vende-se urna escrava de Angola, de
afilante figura, que engomma.'cose ch8o.
cozinha bem o lava de sabo ; urna dita de
20 annos, rom as mesmaa habilidades ; umaj
lila nu Atiaba. Uva n vende na ru : urna
dita da Costa, ptima para o campo.
Vendem-se dous realejos contendn
umdellestoda msica de pancadaria e o
outro mais pequeo contendo 24 pecas de
msicas, por preco commodo : na ra P-
reita, n.3. ,
Vende-se, na ra da Cadeia do Recite,
loja n. 54, de Joaquim Ribeiro Pontea, dous
pares de adragonas muilo ricas, sendo um
para capitSo e oulro para tenenle-coronel
para cima, do molde mais moderno do Rio-
de-Janeiro, dous chapeos srmados de cas-
_ com
Bernardo Jo/ arrendado de cabello ; dilos eom arrenda-
do de fil branco ; ditos de palha para me-
ninas ; dilos de palha de Manillia para ho-
rnera ; chapeo de sol, de seda com arma tor, urna porcto do cavernas de aicupira pa-
codescoe baleia ; ditos para aenhoras c!~
meninas, a 9,000 ra.; dilos de panninho pa-
ra homem ; bonetes de panno para liomem
e meninos; dilos de nscadinho para me-
ninos, a 940 rs. ; dilos de velludo de al
"godoo, a 480 rs.; chapeos de merino prelo
Uno, a 8,500 ra.; ditos brancas, a 7,000 rs. 1
oa ra Nova, n. 9, airas da matriz, loja de
A. Culumbier. .
tratar na rui! Veude-se um prelo coxinheiro para
da Cadeia do Itecife, o. 55, com Joto JqetHKd de algum barco, ou para o mallo :
daCarvalnoMorees. TjaVsea contento: aa ra de S.-Francisco
Furtram, de um litio no Monleiro, casa apalacada.
ra barcaca, e muilas outras labois, salvadas
de urna barcaca, 40 pipas vasias, 2 lanchas
velhas : tudo por barato preco.
Vende-se urna parelha de embonos de
cedro anda novos psra barcaca : na estan-
cia de JoSo Bolelho, em a ra da Praia.
Vende-se a taberna da travessa do Que-
mado.n. 5,com poucos fundos, porm muilo
afreguezada : a traUr na mesma.
Diversas obras e romances modernos.
O vapor chegado do Vio trouxe os seguin-
tes livros, que se tendera no pateo do Col-
legio, casa do livro azul:
Conselheiro fiel do povo, ou colleccSo de
formulas psra qualquer pessoa saber regu-
lar-se em seus negocios, conbecer seus di-
reilos e deveres civis.
Compendio de iheologia moral para uso
do seminario de Olinds, pelo padre Manoel
do Monte.
O advogado do povo.
Mara, a filha deum jornsleiro, romaneo
de 1848.
O Csvalheiro de llarmentsl, por Alexan-
dre Cumas, 4 v., 18*9.
A Condessa de Mourion, por Fredenco
Soulie, 3 v., 1849.
Thecls, por Carlos Didier, 9 v.
Folhelo da leiture recreativa.
O Judeu Errante.
O Cozinheiro imperial.
Oh que pechincba !
Fazendas pretas por prcos nunca vistos,
em altencSo a boa qualidade dellas.
Alpaca de cordflo que parece barragana,
de todas as cores, a 640 rs.; sarja de 19a de
duas larguras, s 640 rs.; merinos, a 1,600,
2,000, 3,000 e 4.000 rs.; panno prelo Uno, a
3,000, 3,800, 4,000, 5,003 6,000 e 8 000 rs.,
este be panno o mais lino que se pode ima-
ginar e tem de largura 60 pollegadaa; luvas
prelss de seda para senhora, a 820 ra. o par;
e anda resU urna porcao de pecas de eassa
lisa fina, com 12 jardas, s 2,500 rs. por
lera dobra de fura algum sujo :. no Aterro-
da-Boa-VisU, n- 18.
Vendem-se riscados franeezes, a 120
rs. o covsdo ; panno preto, a 3,000 rs. ;
chales de las abertos, a 1,600 ra.; corles de
vestidos de lsozinhs, a 3,200 rs.; cortes de
calcas de brim trancado branco militar,
muito encorpado, a 1,819 rs. : na ra do
Queimado, n. 5, loja.
Vende-se barato
Pars so scsbsr
Sa patos do Aracaty
A oito ceios ris o par.
Na ra da Cruz, n. 56, taberna de Mendos
& Braga, vendem superiores sspatos do
Aracaty,pelo diminuto preco. de 800 rs. par;
cera de carnauba em porco e a retalho;
esteirss e chapeos de palha sola'e courinhos
de cabra: tudo por menos precu do que em
outra qualquer parle.
Damasco de seda de todas as cores :
vende-se por preto commodo, na ra do
Crespo, n. 12, loja de quatro porUs.
Na loja de Fernandes da Luz
ck Iimao na ra do Livramento,
n. 10, vendem-se cortes de calca de brim
trancado branco muito fino a 1,120 ris,
ditos de cor muito Uosa 1,000 ris, chitas
franeezes as mais finas que ha a 260 ris o
covado, e multas fazendas por preco muilo
commodo.
-- Vendem-se ricos capotinhos de blondo,
lo mais lindo modelo que ha chegado l-
timamente de Franca ; bem como um sor-
lmenlo de ricas tnucas 'para baptizado, por
preco muito em conta : na ra do Cabugi,
loja de 4 portas, do Duarte.
Cha de San-Paulo.
Vende-se rico cha de San-Paulo, 2,240
rs. a libra : no pateo do Collegio, casa do
livro azul.
Attencao
Vendem-se chitas finas, a 160, 180 e 200
rs. o covsdo; riscados largos em cassa, a
240 ra.; meias para sennora, a 160 rs.; di-
las para meninas, a 300 rs.; pequeos len-
cos com bico.a 500 rs.; ditos muilo gran-
los psra calieca, a 1,000 rs.; madapolso de
vara de largura, muito fino e com 40 jardas,
a 8,500 rs. a peca ; algodo trancado de lis-
tras, encorpado e americaoo, a 20* rs. o co-
vsdo ; dito azul superior fazeoda america-
na, a 220rs. o covado ; dito trancado brin-
co, a 210 ra. a jarda em pecas; msdapolSo
fino, a 3,800, 4,000, 4,800, 5,000 e 5,200 rs.;
meias americanas cruas e encorpadas, a
4,000 e 5,000 rs. a duzia ; riscadinhos ge-
novezes.jnuilo finse proprios para roupa
de meninos, a 320 rs. o covado ; lencos de
seda de excellentes padrOes e muito finos,
a 2,400 rs., alm dealas fazendas ha um sor-
tmenlo completo de fazendas do bom gos-
to que se venderlo por preco baratissimo
psra se adiantar a venda das mestnas : na
ra do Collegio, n. 1, loja da estrella,
far Vende-se panno verde e azul multo su-
periores, proprios para fardas 1 na ra do
Crespo, n. 9, loja amarelia.
fr sBBEifffl MHMaafllftll MMAfkaMMfttti
Fasendas baraUs.
Na loja do sobrado amarello, nos
quatro cantos da ra do Queimado,
vendem-se
Corles de vestidos de cassa de cores
flxss e de lindos padrOes 2,000
Ditos de cambraia com fio de
seda 3,000
Ditos de chita preta com flores
brancas e com 13 corados 1,800
Chitas franeexas largas e de
cores fixas, o covado 300
Cassas de cores e de bonitos
padrOes, a vara 400 e 480
Cortes de calcas de brim bran-
co de listrase de linho puro 1,800
Dilos de dito de cor amarelia 1,440
Ditos de collete de fusilo
branco 720
Ditos de calcas de lfies escuras 1,600
K uulraa fazendas multo bsrsUs.
Vendem-se 4 uolecOes de bonitas li-
garas ; dous pretos para todo o servico ; 3
pretss mocas, que engommsm e cozinham
bem ; urna diU por 350,000 rs. ; urna par-
da que corta e faz camisa de homem e ves-
tido de senhora: na ra das Laraugeiras,
n. 14, sogundo andsr.
De patente a f 0,000 ra.
Grande sorlimento de chspos de sol, de
palete inglez, pelo barato preco de 10,000
rs cada um, com basteas de baleia e de ac;
ditos mais pequeos psra meninos ; ditos
de seda preta, a 5,500 rs.; ditos de crea, a
8,000 ra.; dilos de panninho, a 9.800 ra. ;
chapeas brancas de castor, patente inglez,
ede aba larga, a -12,000 rs. ; dilos de aba
estrella, a 9,000 rs.; ditos franeezes, doa
raelhores, prora d'agoa, a 8,000 rs.; ditos
modernos, a 7,000 ra.; chapeos do Chile,
pelo ba ralo preco de .aoo, 7,500, 8,000
9,000 ra.; bem como um completo sorli-
mento de fazendas finas e groasas, por mui-
to barato preco : na ra do Queimado, n. 87,
armazem de (azoadas, de Ray mundo Car-
los Leite,




Jl 1,000 rs. o corte.
Na loja n. 5, que faz esquina pare a ra
do Colleuio, vendem-se cortea com 3 covs-
d(is e meia de Irrito (le algodSo trancado de
lislrasedequadros. pelo barato parco de
1,000 ra. cada um corte.
Vendem-se e alugam-se as melhorcs b -
chas hamburguezas que lia no mercado,
tanto cm porcjlo como a retalho : na ra
das Cmzes, n. (0, taberna de Domingos da
Silva Campos.
AosSrs. de engenho.
vendem-se cobertores eacuros da algo-
dio, proprios pa-a escravos, por serem de
muita durac.ao, i elo diminuto preco do 640
rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que volta para a cadeia.
Deposito de Potassa.
Vende-se multo nova potassa
de boa qualidade, em bnrriszinhoe
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha- muito
tempo se nSo vende: nc lecife.
ruada Cadeia,armazemn. n,
Vende-se muito superior fsrinha em
meias barricas : na ra da Cadeia do Recita,
esrriptorio de Deane Youle & C., em seus
vrmazens do becco do Concalves.
As novas cansas sublimes
a 3,2*10 rs. o corle.
Na loja de Guimarfies & llenriques, na
ra do Crespo, nS, que faz esquina para a
ra do Collegio, vendem-se novos cortea de
cassas finas denominadas sublimes, pela
sua boa qualidade e barato preco.
(jiambreoes a 1,800 rs,
Vendem-se os bem acreditados cuites de
gambreOes, a 1,800 e 2,000 rs. o forte de
cuicas : esta fazenda torna-se recommenda-
vel, tanto por sua qualidade como por ser
de muita durafSo e de bonitos padrOes : na
ra do Collegio, n. 1, toja.
Limas de agulha a 4o rs.
Vendem-se limas de agulha : na ra da
Cadeia, loja de ferragens, de Antonio Jos-
quim Vidal ; assim como outras ferragens
para ourives, por preco commodo.
Chegaram novamente ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patente inglez, para bomem e senhora.
Vendem-se amarras uo tarro: na rus
da Senalla-Nova, n. 42.
Chitas francesas finas a
3U0 rs. cada um covado.
Na ra do Crespo, n. 5, confronte ao ar-
co de S -Antonio, vendem-se chitas frunce-
zas finas e de modernos padrOes anda nfio
vistos nesle mercado, pelo barato preco de
320 r.. cada um covado ; panno preto, pelo
barato preco de 1,600 rs. cada um covado;
lencos de'cambraia brancos e abertos pela
beia.a 2,800rs. cada urna duzia.
ramilla ric mandioca de
S.-Calila ria.
Cbegou em direitura de S.-Catharina
brigue nacional Hintn-a, com um carrega-
mento da superior farinha muilo nova, e
acha-se funitoado defroutedo caes do lla-
mos, onde se vende a preco commodo, ou
em casa de Manoel Ignacio de Oliveira, na
praca do Commerciu, n. 6, primeiro andar
Na ra Nova, n 0, loja de
Haya llamos & C.
A o barato.
Vendem-se luvas de pellica, para meni-
nas, senhoras ehomens, a 400 e 6(0 rs. o
par; jogos de vispbra para diverlimento, a
1,000 rs. *
INa loja de Maya Hamos & Com-
panbia, na ra Nova, n. 6,
vendem-se rspartilhos completos para se-
niora, basteas magnelisadas para moles-
tia de estomago, e palidis cures; luvas de
pellica com enfeites modernos, a 3 000 rs. o
par ; ditas de differentes qualidadcs.pira
senhora e para bomem ; spalos de rotrro-
<] u i tu, de lustro e deselim branco de lodos
os tamanhos ; e outras muitas fazendaa ro
preco commodo.
A 640 rs. o covado do al-
paca preta lina.
Loja
n. 5,
deCuimarSes& llenriques, que faz esquina
para ra do Collegio, vende-se alpaca pre-
ta fina, pelo diminuto pre(o de 640 rs. o
coyado, pre^o este por que nunca se venden
fazenda igual.
Vemdem-se, por menos do
que emoutra qualquer parte, cha-
peos de palba de carnauba, e .sa-
pa l oes do Aracaty ; tambe ni se
vendem frasqueiras de superior
genebra de Hollanda, por commo-
do preco : a fallar com Antonio
Jo&quiin Vidal & C.
ii'ar>! a 5 000 rs. a
saco,
e o melhor que lem vindo a este mercado .-
na ra da Madre-de-Deos, armazem de Vi-
cente Ferreira da Costa.
* Vendem-se corles de raleas de case-*
niras de cores, padrfles modernos, a
sobrado^
do^g
J^miri
JC4.000 rs. o corte : na loja d
^^Hpaiello dos quatro-cantos da ra
Sneimado, n. 99.
Vende-se cera do carnauba,
em saccas de cinco arrobas, a oito
mil rs. a arroba ; na ra Direita,
n. 36, primeiro andar.
Vende-se arroz branco superior, a 1,(00
'rs. arroba, SO rs. a libra e a 320 /. a cuia;
feijSo muluiinlioe preto tiovo, a 320a cuia;
aznito de carrapalo, a 2(0rs. a garrafa : no
pateo do Carmo, n. 2, venda non: '
Cal a .3,ooo rs. o barril.
Cunta & Amorim, para liquidaren), ven-
dem um restante de bsrris com cal vir-
io* de Lisboa, pelo diminuto preco tfe
3.000 rs. o barril: na ra da Cadeia do Re-
cito, n. 50.
Vendem-se sapatSes de cou-
ro de lustro, pelo baratissimo pre-
co de a,5ooe 3,ooo rs. suporio-
res, e de ponto fxo, a 3,6oo e
,ooors. ; ditos de bezerro fran-
cez, a a,3oo rs. ; ditos brancos do
Aracaty : amada Cadeia do Re-
cife, o.g.
Panno pardo fino a 4,000
rs. cada um ova o.
Na loja da esquina da ruado Crespo, n 5,
vende-se panno fino pardo e cor de cafe,
pelo barato preco de 4,000 rs o covado ;
dilo preto o azul, a 3,000 rs. o covado, ede
outras muitas cores e qualidades, por dimi-
nuto preco.
Ao barato preco de l/iO
rs. o covado.
Na loja n. 5, de Cuimares & llenriques,
vendem-se chitas escuras, pelo diminuto
preco de 140 rs. o covado, e de outras mui-
tas qualidades por diminuto preco.'
Acaba de cliega r
loja da ra do Crespo, n. 6, nm
novo ssrlimento de fazendas ba-
ratas,
comosejam : casss-ebitas muito fins, de
corea flxas e rom 4 palmos de largura, 9
320 rs. o covado; cortes de ditas.a 3,000 e
2,400 rs. ; riscado de linho, a 240 rs. o co-
vado ; dilo de algodSo americano para es-
cravos, a 140 e 160 rs. covado; dito mons-
tro com 4 palmos, a 200 rs. ; zusrte azul, a
200 rs. o covado ; dilo furia cores, a 200
rs. chitasdo cores (liase de bonitos pa-
drOes, a 160 e 180 rs. o covado; corles de
fustfio, a 600 rs.; chales de larlatana, a
1,280 rs. ; meios ditos, a 330 rs. ; coberto-
res dealgorifio, a 640 rs. ; alpaca preta de
rordo e com sele palmos de largura, *
1 ,'-'80 rs. o covado; e outras muitas fazen-
daa em conta.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de diffe-
rentes modelos : na fabrica de machinas e
fundirto de ferro, na ra do lirum ,
ns. 6, Solo.
Para se acabar.
Vendem-se superiores pannos finos da
melhor qualidade que lem apparecido (pro-
va de lu.n<>j cor de cafe, a e 5,000 rs. o
covado ; dito azul, a 3,500 e 5,000 rs. ; dilo
prelo, a 5, 6, 6,500, 7, 7,500 e 8,0o0 rs. ,
qualquer do-tas qualidades he a melhor
possivel; corles de casemira de cores mui-
to finas, a 4, 5,5,500, 6 e 6,500 ra.; ditos de
meia casemiasriela, de bonitos padres,
a 1,600, 2. 3 e 3,500 rs. ; casimira encarna-
da n.uito lina, a 1,800 rs. o covado; cha-
peos de massa francezes, do ultimo gosto, a
6,500 e 7,100 rs. ; setim prelo macao mui-
to fino, para collete, a 2,&00, 3 e 3,500 rs. o
covado ; camisas de meia muito linas, a
1,280 rs. ; alpaca preta fina, a 640, 800 a
1,000 rs. o covado; piinceza preta, a 800 rs.;
chales de Illa de superior qualidade, a 1,600
2,500 e 3,500 rs.; cassa de ramagem gran-
de e de vara de largura, superior fazenda
para cortinados, a 700 e 800 rs. a vara; to-
das estas fazendas sSo de suporior qualida-
de a vendem-se por estes precos para se
acabarem :na ra do Collegio, u. i, loja da
estrella.
A TIIIICA. 9
Chegaram os muilo procurados cr-C
fles de tapete para sapatos, lendogran-ft
9 variedad de gostos : vendem-se n9
(loja do sobradoamarello, nos quatro-*
cantos da ra do Queimado, n. 29 9
tCCCtCI* 6 0* ??
fta ra IV ova, n. 6, loja
de M.ya liamos & C'.,
vendem-se ricaa bandejas de todos os ta-
manhos, ruin giiiirnien de fina Casquinha;
ditas sem guarnieres ; grinaldas para Mi-
ras; llores brancas, rosa, laranja e avellu-
iladas ; trancas de de differentes cores
larguras ; e outras muitas fazendas para
en fe i les de senhora : tudo muito em conta.
Jogos de visporaa 1,000 rs.
Na ra Nova, n. 6, loja de AJaya
fiamos & Companhia,
vendem-se por este diminuto prego para
diverlimento das noiles de San JoBo e San
Pedio.
Vende-se um prelo de bonita figura
na ra larga do Itozario, n. 21, fabiica dt
cigarros. -
-- Vende-se urna casa trrrea na ruadas
Calcadas, n. 35, na esquina, e no he de
muito valor : na rus de llortas, n. 142, se-
gundoandar.
Vende-se asnillo sulphurico,
a 3oo rs. a libra : na ra do Cabu-
que
4
Quem admirar
venha ver e comprar.
Na ra do Crespo, esquina
volta para a cadeia,
vendem-se pannos pretos, a 3,000, 3,600 e
5.500 rs. o covado ; dito azul, a 3,000 rs. ;
dito cor de rap, muito superior, a 4,000 rs.;
cortes de casemira prets, muito boa, a 3,200,
5,000 e 10,000 rs. ; ditos de. setim de coras
para colletos, a 1,600 rs.; ditos de gorgu-
ro, a 1,280 rs,; ditos de bnm branco de
linho para calcas, a 1,600 rs.; ditos de fus-
to para colletes, a 600 rs.; ditos de casta
parn vestido/, de mullo bom gosto, a 9,400
Na vainas de patente.
Vcndem-se navalbas linas de
patente para fazer barba ; estojos
completos de todos os ferros para
ciruigia, obra muito fina, por pre-
co commodo : na ra da Cruz, no
Recile, n. 43, loja de Joaquim
Antonio Carneirod souza Aze-
vedo.
Bichas de Hamburgo.
-. Vendem-se as verdadeiras bi-
e 2.500 rs. ; cortes de bntn amarello do pM ,
ro linho, a 1,600 rs.; cassa preU, a llOr^T chas de Hamburgo, aos centos e a
retalho : tambem se tngame vo-
sc spplicar a quem precisar i na
ra da Cruz, no fiedle, n. 43, lo-
ja de Joaquim Antonio Carneiro
de Souza Azevedo.
g, loja do Duarte.
- Vende-ie aaccas com orroi a 1,200 ra. a
Tecidos de algodo tran
9ado da fabrica de To-
dos-fis-Santos.
Xa ra da Cadeia, n. >'2,
endem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
ascravos.
Moendas superiores.
NafundiQSoda C. Starr & Companhia,
ni S.-Amaro, actiam-se venda moendss
te caima, lodaa de ferro, de um modelo e
onstruccSo muito superior.
Chapeos de sol.
Vendem-se chapos de sol, de seda p/ct-
com barra lavrada, a 6,000 rs. i ditos furias
a 6,500 rs.: estes ciispoa sao
covado ; ditas de cores muito bonitas, a 200
Le 280 rs. ; alpaca preta de cordSo, com 7
palcos de nrguri, a 1,980 rs. o covado,
sendo esta fazenda multo propria para cal-
cas, sobre-casacas e vestidos, por ser muito
forte econmica em rasflo da largura; ris-
cado de linho aj7ii'zinho, a 240 rs. o cova-
po; lencos de seda para giavala.a 1,980
rs. ; ditos para algibeira, a 1,28* rs. ; zuar-
te azul de vara de largura, a 200 rs. o cova-
do ; dito furia cores, a 900 rs. ; riscado
monstro, 900 rs.; picote muilo encor-
pado, proprio para escravos, a 240 a 180 rs.
o covado ; riscado de algodfio americano, a
140 rs. o covado ; cortes de brim de listraa
decOros, a 1,000 rs.; ditos com lislra ao
lado, a 1,280 rs. ; ditos escures, a 1,280
rs.; pecas rio chita: iiiuilo bonitas, a 5,500
rs.; dilasescuraa decores fias pora casa ,
a 160 e 180 rs. o covado ; chales de larlata-
na, a r,280 rs. ; meios ditos escuros, a 320
rs.; lencos de cassa para grvala, a 320 rs.;
meias para meninos, a 100 rs. o par ; ditas
muito superiores para senhora. a 400 rs.;
lencos pequeos de 19a com tres ponas pa-
ra escravos, a 140 rs.; cassa de xadrez para
vestido, a 320 rs. o covado; pecas de cam-
braia lisa com 8 varas e meia, a 2,700 ra;
dita muilo lina, a 640 e 730 rs. a vara ; cha-
peos de sol, de panninho com bastes de ba-
lis, muilo bons a 2,000 rs.; e putras mui-
tas fazendas baratas que a vista dos com-
pradores se faro os precos.'
Charutos.
Na ra da Sen7alla-Nova, n. 42, vendem-
se charutos superiores da marca virtoria.de
Havana; ditos primores e regalos, porpre-
ro commodo.
ramio couro a 1,200 e
1.300 rs.
Vendem-se corles da excellente fazenda
denominada panno couro, a 1,200 e 1,300
rs. o corte de calcas : ests fszenda ha mullo
encorpads, escura o de muita duracSo: na
ra do Collegio, n. 1, loja.
Os ulicos riscados mons-
tros a SitO rs. o covado.
Na loj de Cuimarfca & llenriques, ven-
dem-se os sntigos riscados monstros, de 5
palmos de largura, e de padrOes novos, a
280 rs. o covado ; riscados california, de co-
res finas e muito encornados, e tambem de
cores escuras, pelo barato preco de 200 rs.
covado.
Fazendas baratas.
No armazem de fazendas, de Raymundo
Carlos l.eite, na ra do Queimado, n. 27, ha
um bello soilimenlo de fazendas de todas
as qualidades, por os precos mais comino-
dos que se teem vendido, s saber : pecas de
madapolflo da India, com 24 jardas, muilo
lino, a 3,200 rs.; dilo muilo fino o encorna-
do, com 4 palmos e meio de largura, muito
proprio para camisas de escravos por ser de
muita duraefio, a 3,600 rs ; alpaca de cor-
dSo, de lindos gustos, e de diversss cOres,
proprio para palitos, casacas e calcas, a 80
rs. o covsdo ; dita preta muilo fina, a 800
rs.; ptimo riscado francez de varias cores,
a 280 ra. o covado ; cortes de brim psrdo
para calcas, a 1,400 rs.; ditos de quadros
iniudos, muilo bonitos, a 1,000 rs.; risca-
do monstro, S10 rs. o covado ; cortes de chi-
ta cliineza, gosto escomido, a 3,300rs.;,
alualhada enfrancadocom 7 palmos e meio
de largura, a 800 rs. a vara.
lina J>ovn, m. 34.
Madama Rosa Ilardy, modista brasileira,
acaba de receber de Franca lindos cspoli-
nhos de fil prelo para senhora e meninas,
os quaes vende muito barato.
A 1,000 rs. o corle de
calcas.
Vendem-se brins trancados de
istias ao lado, doa mais moder-
nos padres, tendo tambem cor
de ganga, a l,ooo rs. o corte de
calcas : na ra do Queimado, n.
8, loja confronte a botica.
Vende-se um bonito molcque de 90
anuos, que coziulia o diaiio de urna casa,
pelo preco de 370,000 rs. ; lodos os dias de
meio-dia. em diante: na ra larga do Roza-
rlo, u. 48, primeiro andar.
Instrumentos
-.
Silva Lopes, vende-se farelo, a
3,ooo rs. a sacca, e farinha de tri-
go franceza da marca Barao, por
preco commodo. ,
m
gf Wf Wf
i
Na loja dd sobrado amarello, nos
quatro can toa da roa do Queimado,
n. 99, vendem-se
Chapeos francezes de forma
moderna 6,000
Coi tes de calcas de casemira
(> de padrOes oscuros 5,000
9- Pitos da dito modernos 6,000
? Ditos de collete da gorgurflo
* de seda bordados 5,000
Ditos de setim de cores bor-
Z. dados 7,000
%> Alpaca mesclada proprias
0. para gndolas e palitos, o
* covado 790
* Morillo prelo multo DO, O 60
* vado 3,900
Dilo verde e cor de caf, pro-
* prio para veatido de monta-
Si ria, o covado 9,500
g Lencos de seda de cores para
grvala 800
Cortea de collete de varias fa-
ga- zendaa 800 1,000
E outras muitas fazendas finas, co-
* mosejam : panno preto de 8,500 a
11.000 rs o covado ; ditos de cores ; [
cssemira preta elstica ; setim pre- ]
lo dt Maco ; chales e mantas de se- ',
da; cortes de vestidos de seda de cO- 4;
res e brancos ; esguiSo finissimo;
meiise luvas de seda para senhora
tudo por prego muito commodo.
para m-
sicas.
Vendcm-se instrumentos para musiess
militares ; bem como pianos e violOes mul^
tissiiDos ricos : ns ra da Cruz, n. 10, cara
de Kalkmann Irmflos. m
FnAnf-.. A~---U....I.
*>..*- w. t. & %%/ Iflllllllliiu,
e sohs para meninas: vendem-se ns ra da
Cruz, n. 10, casa de Kalkmann IrmSos.
l.tuias desterro
do muito boa qualidade, e com segredo pa-
ra as abrir : vendem-se na roa di Cruz, n.
10, casa de Kalkmann IrmSos.
Charutos de Havana,
delsuperior qualidade : vende-se na ra da
Cruz, n. 10, osa da Kalkamann Irmlos.
Vinlio de Qordeaux,
de superior qualidade : vande-sa na ruada
Cruz, n. 10, casa de Kalkmann Irmflos
Com O palmos de largu-
ra o novo algodo mons'j
to trancado california.
Ns loja confronte ao asco.de S.-Antonio,
a Domingos Alves Matheus, agente da?
f fabrica de rap superior Areia-Prela dajj*
XBahia, lem aberto um deposito na ruaj^
*da Cruz, no Itecife, n. 92, primeiro an-v
Odar, ondosa achara aempre desle ex-
{pcellentaeaaisacreditado rap: ven-
de-se em botes de urna e meia libra, _
Jpor preco commodo.
A 6,5oo rs.dinbeiro a vista.
Vendem-se tpalos de couro de lustro
francezes, forma ingleza, pelo diminuto
preco de 6,500r. u par ; chapeos de palln
JeMautid, muito Gr.os j c.r.aas da lodU
to bom construidos, muito fortes e de boaln.6, vende-se o novoalgodflomonslrotrau- verd,ao"!i?![a!*mii?,,,gp1,
1-aaHbio, n. 5, fabrica delgado, com 8 pal moa de largo rs, pelo barato J"' n,\_ *_1!_ j ,____;_ i.

Vende-se um soph de jsrarand, com
algum uso, um jogo de bancas de dito, 12
cadeiras e urna mesa de meio de aala de di-
to ; mobilias de oleo novas ; e outros min-
ios irasies novos : na ra da Cadeia de S.-
Antonio, n. 18.
Atoalhado de linho de
California com 6 pal-
mos de largura.
Na loja de Cuimares & llenriques, na ra
do Crespo, n. 5, vende-se o novo atoalhado
california depuro linho e com 6 palmos de
largura, pelo barato preco de 1,120 rs ; as-
sim como ha de 5 palmos de largura, a 1,000
ra. a vara.
Na loja de seis portas do
pateo do Livramento, vende-se
panno de coqueiro, a 3,300 rs. a
peca, ea a^o rs. a vara.
Na loja de Maya Ramos & Com-
panhia, na ra [Nova^ n 6,
vendem-se caixas com tintas para sennos
de differentes qualidades ; papel paulado
para musiea ; pal hela j para (Marnelas e re-
quintas : tudo por preco rasoavel. '
Xa loja de seis portas
enfrente da igreja de N. S. do l.ivramento,
vendem-se chitas, a 120,140, ICO, 180 e 200.
rs. o covado, e muilo finas, a 210 rs. ; algo-
dSo monstro para toalhas e lences, a 800
rs.; chales de edil a para meninas, a 900 rs.;
alpaca de algodfio para palitos, a 160 rs. o
covado ; franklim preto, a 480rs.; ssrja do
Illa com duas larguras, a 800 rs, o covado ;
alpaca preta, a 640 rs. o covado ; e todas as
mais fazendas por preco a convidar a trocar
cdulas para enroupar familia.
Pcchincha
para os amadores da santa
economa.
Urna pprffio de finas casias, francezas de
4 palmos e meio de largura, de listraa azues
e encarnadas, com flores de todas as cores,
gostos muito bonitos e modernos : estas
csSis foram arrematadas em leilSo, por is-
so fe vendem pels metsde de seu valor, di-
nheiro a vista, a 240 rs. rada um covado :
na ra do Crespo, n. 14, loja de Jos Fran-
cisco Dias.
M o reir & Velloso
vendem muito bom damasco de seda de
qualquer cor, pois acabam de receber um
helio orlimento desa fazenda, que tanlo
he boa em qualidade comoem preco com-
modo : na ra Nova, n. 8, loja.
$ Deposito geral do superior ra-
0 pe Areia-I'reta da fabrica 0
Escravos Fgidos.
-- Fugio, no dia 28, b" ato Joaquim, d0
nacSo, de 90 annos pouco mais ou menos,
de corpo regular ; lem os denles todos per-
gurossos, e um signsl de queimadura as
costas do tamanho de urna mfio, sem bar-
ba ; lavon camisa e calcas de algodfio risca-
do azul: quem o pegar leve-o as Cinco-Pun-
tas, ra Imperial, n. 31, que ser gratifi-
cado.
200^000.
Ftigiran de bordo do brigue
Sem-Pap, vindo do Kio-de-Janei-
ro., dous escravos, sendo um de
deGantois Failbet& C.
na Baha.
nome Sabino, de edr parda,- esta-
tura regular, de ao annos pouco
mais ou menos ; levou cairas e
camisa azues, e bonete encarnado:
o outro de nome Euzebio, criou-
lo,de a4 annos pouco mais ou
menos, estatura alta; levou calcas,
camisa e bonete ames. Hoga-se es
autoridades policiaes oanitSes de
campo, que os epprehendam e le-
vmonos a ruado Trapiche, n. 34,
casa de INovaes &c Companhia, que
rrrnmnenjar.
-- Fugio, no dia 9 do correnie, o escravo
liento, de naco Camund, alto, cheio do
corpo, sem barba, ps grandes/ anda um
Unto banzeiro ; tem no peilo do pe eaqner-
do e em cima do dedo grande do mesmo p
umss feridas ; levou somenle calcas azues
muilo sujss, mas talvez tenha mudado de
roupa: quem o pegar leve-o ra do Col.
legio, venda que foi de SebastiSo Jos Co-
mes l'enna, que ser gratificado.
Fugio, nodia 26dejunho proiimo pss-
sado, o escravo SebastiSo, crioulo, de 90 an-
nos, de boa altura, grosso do eorpo; lem
urna cicatriz na (esta que desee al a ao-
branaelha de um dosolhos, oe um tslho,
ps seceos e compridos : quam o pegar le-
veo a seu senhor, o capitflp Bernardo Dor-
nellas da Cunha Bandeira, morador no en-
genho Pindoba da cidade de Nazareth, ou
nests pract, ao Sr. Jos Mara Ferreira da
Cunha, morador na rus do Queimado, n,
55, queserflo recompensados.
Allenc&o.
Desappareceu, no dia 3o de ju-
nho prximo lindo, a escrava 6e-
trodes, criouls, de a4 annos, Lai-
xa, ebeia do corpo, seio pequeo ;
tem urna falta de denles na (rente,
e um dedo da mo esquerda^ or-
lado pelo meio, o que ella faz mui-
to por oceultar ; he muito ladina,
al de illndir a qualquer pessoa
que a nSo conhecer ; he muito co-
nhecida principalmente na ra Di-
reita ; julga-se que esteja occultl
em alguma casa, o que se proce-
der com todo o rigor da lei con-
tra quem a tiver occulla. ftoga-se
as autoridades policiaes e capitSes
de campo, que a aprebendam e le-
vem-na a ra Direita, n. a/j, que
ser3o gratificados. ,
5o,ooo rs. de gratificacao
quem pegara preta alaria Joaquina, ds
30 a 40 annos, que fugio no da II de abril,
de naQfio Congo, baia, gorda, cor retinta,
bexigoss, olhos pequeos; tem em urna das
fsces um signa! de carne ; he bsatanla ar-
dilosa, por isso he capaz de illuoir qual-
quer pessos que a nSo conheca ; sana to-
das ss povoscOes da provincia, por ter an-
dado a vender miudezaa pelo mallo com
urna crioula de nome Felicidade, da quem
fui escrava ; talvez sua fuga ande encuber-
ta com o negocio de vender miudezaa, pois .
jdeoutravaz que fugio andava vendeo-
do-as, e assim mais enstoss de ser pegada,
lloga-seas autoridades policiaes e espilles
de campo, quo a appreheodam e levem-ua
a ruados Quarteis, n, 99, ou na praca a
Independencia, n. 17.
5 de junhode i85o.
Fugio, da villa do Bonito, o escravo Lou-
renco, crioulo, baixo e corpoleuto, de cor
nem muito preta neni fula ; tem falta de
unhss em lodos os dedos dos ps, por cau-
sa de bichos que leva em pequeo, caa
redonda, de 20 annos: quem o pegar ieve-o
ao vigario da dita villa, o padre Manoel de
Mello Falclo 11. ou ni ra da Cadeia rio
Itecife, n 24, loja de cambio da viuva Viei-
ra & Filho, que se gratificar.
Fugio, do engenho novo do Cabo, no
dia 27 de junho, um preto crioulo, olcial
do carpina, de nome Luii dos Ssntos. de 24
annos, alto, corpo regular, orelhas peque-
as, ss mSos e ps bastantes grsndes, nflo
tem bsrba ; he bastante carrancudo : quem
o pegar leve-o ao dilo engenho, que ser
recompensado.
-- Fugio, do engenho novo do Cabo, ha
dous mezes pouco mais ou menos, una
preta crioula, denome Annp, de 18 annos,
alia, msgra, com os neicos grossoa, naris
pequeo, chalo e com as ventas arregaca-
J*s ; foi vista para as bandas da Muribera,
no engenho Penanduba e neste Itecife :
quema pegar leve-a aodito engenho, que
ser recompensado.
Fugio, do engenho novo do Csbo, dea-
de Janeiro do corrente snno, n moleque Be-
nedicto, crioulo, com principios de carrei-
ro, alto, nariz bastante chato, com falla da
denles ns frente, ps grandes : quem o pe-
gar leve-o ao dilo engonho, que ser re-
romnensailn.
seda : na ra do
I chapeos do sol.
I proco de 800 rs, avara.
No aunaiem do Joaquim da pana.: hattp. pan. r. samu. 185-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG961UVX2_RRPP2N INGEST_TIME 2013-04-26T21:20:33Z PACKAGE AA00011611_07504
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES